Cooperação Militar

  • 76 Respostas
  • 35024 Visualizações
*

Lusitano89

  • Investigador
  • *****
  • 11249
  • Recebeu: 382 vez(es)
  • Enviou: 229 vez(es)
  • +63/-47
Re: Cooperação Militar
« Responder #75 em: Fevereiro 08, 2018, 10:03:20 pm »
Portugal e São Tomé assinam protocolo de defesa para triénio 2018-2020


O ministro da Defesa considerou hoje que o novo programa quadro de cooperação com São Tomé e Príncipe corresponde a "um novo patamar no relacionamento" bilateral, "com benefícios que se querem mútuos e partilhados".

Portugal e São Tomé, disse Azeredo Lopes, abandonaram o “conceito mais restrito da cooperação técnico militar”, para aderirem a outro “mais alargado, no domínio da defesa, que envolve toda a atividade de cooperação” que ambos os ministérios desenvolvem.

O ministro da Defesa falava em São Tomé e Príncipe, após a assinatura de um programa quadro de cooperação para o triénio 2018-2020 e de um memorando de entendimento sobre a permanência, por um ano, do navio patrulha Zaire nas águas do arquipélago.

Os dois documentos foram rubricados a bordo do navio patrulha Zaire, pelos respetivos ministros da Defesa de Portugal e da Defesa e Administração Interna de São Tomé e Príncipe, Arlindo Ramos, na presença do primeiro-ministro de São Tomé, Patrice Trovoada, que depois fez uma visita guiada à embarcação.

O governante português lembrou que os acordos celebrados se enquadram no âmbito do programa estratégico de cooperação 2016-2020 celebrado entre Portugal e São Tomé e Príncipe e “no modo como contribui para a coerência das políticas externas e de cooperação dos dois Estados com benefícios que se querem mútuos e partilhados”.

Azeredo Lopes recordou também que o Zaire vai estar envolvido em atividades de patrulha numa zona do globo com maior papel no comércio internacional, onde se concentra uma percentagem considerável da produção de petróleo e de hidrocarbonetos, por onde atravessam importantes rotas do comércio e circulam muitos navios com pavilhão português, cuja segurança é crucial proteger.

“Uma região que nos confronta com as mais abrangentes e complexas questões geoestratégicas e geopolíticas e geoeconómicas e onde, lamentavelmente, se tem verificado um aumento crescente, felizmente mais controlado, de atividades ilícitas no mar como a pirataria, o roubo à mão armada e os tráficos de arma, de droga e de pessoas por via marítima”, disse.

A deslocação do navio patrulha Zaire para São Tomé responde a um pedido das autoridades do pequeno país do Golfo da Guiné para reforçar a sua capacidade de fiscalização e correspondente exercício da autoridade no mar, enquadrado numa missão de capacitação operacional marítima da guarda costeira são-tomense.

“Ou seja, uma missão que se traduz num apoio mais substancial à guarda costeira e aos militares de São Tomé e Príncipe, isto tendo em vista a rápida absorção de competências e práticas ao nível operacional, logístico, de formação e de treino, de colmatar lacunas em meios navais disponíveis e de melhorar as infraestruturas portuárias de apoio naval”, acrescentou Azeredo Lopes.

“Este novo conceito impõe-nos um ano de grande exigência ao nível político e ao nível militar com a preparação e adoção hoje de um quadro conceptual, legislativo, organizativo e estrutural que dê sustentação a este esforço adicional que os nossos países agora assumem”, concluiu.

A tripulação do Zaire, composta por 36 efetivos da marinha portuguesa, integra também elementos das Forças Armadas de São Tomé.

No quadro do protocolo assinado estão também previstas a criação de condições para a participação das Forças Armadas portuguesas e são-tomenses em missões de paz e humanitárias, “em situações a planear e a definir caso a caso por ambos os países”, segundo o ministro da Defesa de Portugal.

O ministro são-tomense da Defesa e da Administração Interna considerou a assinatura dos dois documentos como “um ato histórico na viragem da cooperação com Portugal no âmbito daquilo que é a componente defesa a nível da segurança marítima e das forças armadas”.

Além disso, acrescentou, as Forças Armadas de São Tomé poderão também conhecer “outro patamar de operacionalidade”.


>>>>>>  http://24.sapo.pt/atualidade/artigos/portugal-e-sao-tome-assinam-protocolo-de-defesa-para-trienio-2018-2020
 

*

HSMW

  • Moderador Global
  • *****
  • 8774
  • Recebeu: 842 vez(es)
  • Enviou: 1495 vez(es)
  • +94/-34
    • http://youtube.com/HSMW
Re: Cooperação Militar
« Responder #76 em: Janeiro 01, 2020, 11:05:02 pm »





Citar
Exército promove a 7.ª edição do Curso de Proteção Pessoal no Regimento de Lanceiros N.º 2

Este curso visou dotar os militares com as capacidades necessárias para integrar e comandar equipas de proteção pessoal e garantir a segurança a altas entidades militares, em missões no território nacional e nas Forças Nacionais Destacadas.

Frequentaram o Curso 12 militares, sendo 6 do Exército, 2 da Marinha e 4 do Exército Brasileiro.

Quatro militares brasileiros, dois da PMESP e dois do EB.
http://www.youtube.com/profile_videos?user=HSMW

"Tudo pela Nação, nada contra a Nação."
 

 

Uma aliança militar Brasil-Portugal-Angola-Moçambique

Iniciado por dremanu

Respostas: 52
Visualizações: 18157
Última mensagem Dezembro 22, 2010, 03:35:24 pm
por Cabeça de Martelo
Exercício militar em Angola prepara força conjunta

Iniciado por Tiger22

Respostas: 0
Visualizações: 1837
Última mensagem Setembro 13, 2004, 05:51:03 pm
por Tiger22
A CRISE NA GUINÉ E A CAPACIDADE MILITAR NACIONAL

Iniciado por Miguel Silva Machado

Respostas: 10
Visualizações: 4322
Última mensagem Março 04, 2009, 10:01:01 am
por FoxTroop
CABO VERDE: A POLICIA MILITAR

Iniciado por Miguel Silva Machado

Respostas: 0
Visualizações: 2816
Última mensagem Dezembro 03, 2009, 11:39:42 pm
por Miguel Silva Machado