Panhards ULTRAV M11 no Exército substituir ou upgrade ?

  • 45 Respostas
  • 4874 Visualizações
*

Cabeça de Martelo

  • Investigador
  • *****
  • 16413
  • Recebeu: 1487 vez(es)
  • Enviou: 1396 vez(es)
  • +234/-300
7. Todos os animais são iguais mas alguns são mais iguais que os outros.

 

*

tenente

  • Investigador
  • *****
  • 7253
  • Recebeu: 3160 vez(es)
  • Enviou: 1692 vez(es)
  • +1775/-135
Re: Panhards ULTRAV M11 no Exército substituir ou upgrade ?
« Responder #31 em: Dezembro 21, 2019, 06:49:37 pm »
Essas doutrinas de café da vila...

Já olharam bem para os RG?
O RG1 é metido num forte com todas as limitações inerentes de acessos de viaturas e de construção de novos edifícios.
O RG2 está nas instalações provisórias de um hospital da segunda guerra mundial. Aquilo já tem mais ratos que Mafra, não tem espaço coberto para as viaturas e capacidade de manutenção mínima.   
O RG3 que tem umas instalações na média de idades da unidades do exército, apenas velhas.

Tal como os nossos políticos e chefias, alguns foristas têm as prioridades invertidas.

Cada RG nem o efectivo de um Batalhão possuI se tiver duas Cat's é muito.

Abraços

Pelo contrário. São as unidades do Exército com mais efectivos.
A organização é normalmente de: 1ªCat operacional, 2ªCat é normalmente de formação e CAC para apoio de combate com morteiros, AC, AA e PelRec.

Então se é como afirmas não tem duas CAt's operacionais, portanto nem 300 efectivos possuem no pseudo batalhão operacional, é como eu venho afirmando os regimentos nem batalhões completos são, mas tem um coronel a comandar mais três a quatro Ten-Coroneis, na OB do Regtº.
Gostava de saber que viaturas possuem no Pel rec.

Abraços
 

*

dc

  • Investigador
  • *****
  • 3764
  • Recebeu: 892 vez(es)
  • Enviou: 205 vez(es)
  • +186/-87
Re: Panhards ULTRAV M11 no Exército substituir ou upgrade ?
« Responder #32 em: Dezembro 21, 2019, 10:38:09 pm »
 

*

Kalil

  • Perito
  • **
  • 328
  • Recebeu: 35 vez(es)
  • Enviou: 51 vez(es)
  • +25/-7
Re: Panhards ULTRAV M11 no Exército substituir ou upgrade ?
« Responder #33 em: Fevereiro 06, 2020, 04:57:31 pm »
Para mim vão ser substituidas pelas Vamtac. Basta dar tempo ao tempo e esperar por outras aquisições.

Está tudo dito.
 

*

tenente

  • Investigador
  • *****
  • 7253
  • Recebeu: 3160 vez(es)
  • Enviou: 1692 vez(es)
  • +1775/-135
Re: Panhards ULTRAV M11 no Exército substituir ou upgrade ?
« Responder #34 em: Abril 28, 2020, 08:21:38 am »
A minha escolha como substituto dos M11 que possuímos recaí sobre este modelo, a Doninha " fedorenta ".  :mrgreen:
Esta família de  " Tankettes ", possui versões que os nossos Paras, e não só, tanto necessitam os Rec, os ACar, os PM e os SAM.











Abraços
« Última modificação: Abril 28, 2020, 08:48:47 am por tenente »
 

*

PereiraMarques

  • Moderador Global
  • *****
  • 7220
  • Recebeu: 621 vez(es)
  • Enviou: 253 vez(es)
  • +591/-2
Re: Panhards ULTRAV M11 no Exército substituir ou upgrade ?
« Responder #35 em: Abril 28, 2020, 11:38:06 am »
Seria no mínimo irónico...

Citar
A este concurso concorriam o M-11 da Panhard, um blindado 4x4 da Fiat e o blindado de lagartas Wiesel, sendo que este último Equipe os pára-quedistas alemães.  Finalmente (e depois de muita controvérsia) o Ministro da Defesa decidiu pelo contrato com os franceses, pois estes ofereceram um upgrade nas viaturas que o exército já possuía (foi adquirido um primeiro lote de 18 viaturas no início da década de 90).

http://www.tropasearmas3.xpg.com.br/portugal-Brigada-de-Reaccao-Rapida.htm
 

*

typhonman

  • Investigador
  • *****
  • 4078
  • Recebeu: 345 vez(es)
  • Enviou: 245 vez(es)
  • +488/-333
Re: Panhards ULTRAV M11 no Exército substituir ou upgrade ?
« Responder #36 em: Abril 28, 2020, 11:27:51 pm »
Wiesel, com SPIKE ou TOW e canhão de 30 mm.
Talent de rien fair
 

*

NVF

  • Investigador
  • *****
  • 3705
  • Recebeu: 2014 vez(es)
  • Enviou: 3834 vez(es)
  • +1789/-109
Re: Panhards ULTRAV M11 no Exército substituir ou upgrade ?
« Responder #37 em: Abril 29, 2020, 05:14:02 am »
Mini Yamato sobre lagartas.  :mrgreen:
Talent de ne rien faire
 

*

tenente

  • Investigador
  • *****
  • 7253
  • Recebeu: 3160 vez(es)
  • Enviou: 1692 vez(es)
  • +1775/-135
Re: Panhards ULTRAV M11 no Exército substituir ou upgrade ?
« Responder #38 em: Abril 29, 2020, 08:25:07 am »
Mini Yamato sobre lagartas.  :mrgreen:

Ora bem, já reparaste se tivessemos uns quantos para os ERec das Brigadas e para formar uma CACar dos Paras ?

Abraços
« Última modificação: Abril 29, 2020, 08:26:44 am por tenente »
 

*

NVF

  • Investigador
  • *****
  • 3705
  • Recebeu: 2014 vez(es)
  • Enviou: 3834 vez(es)
  • +1789/-109
Re: Panhards ULTRAV M11 no Exército substituir ou upgrade ?
« Responder #39 em: Abril 29, 2020, 08:46:41 am »
A 82nd Airborne tem testado o LAV-25 dos Marines em operações aerotransportadas. Mas equipamentos com lagartas são muito pesados para as nossas forças pára-quedistas que, tal como os fuzos, são forças ligeiras e tal... É o costume, a malta não percebe nada disto e não passamos de um bando de más-línguas.
Talent de ne rien faire
 

*

Cabeça de Martelo

  • Investigador
  • *****
  • 16413
  • Recebeu: 1487 vez(es)
  • Enviou: 1396 vez(es)
  • +234/-300
Re: Panhards ULTRAV M11 no Exército substituir ou upgrade ?
« Responder #40 em: Abril 29, 2020, 09:19:16 am »
A 82nd Airborne tem testado o LAV-25 dos Marines em operações aerotransportadas. Mas equipamentos com lagartas são muito pesados para as nossas forças pára-quedistas que, tal como os fuzos, são forças ligeiras e tal... É o costume, a malta não percebe nada disto e não passamos de um bando de más-línguas.

O Wiesel não foi adquirido no tempo do CTAT/BAI porque era muito mais caro e os Franceses ofereciam a tal modernização nos Panhard M-11 já existentes no Exército Português. O facto de ter ou não lagartas é totalmente indiferente para a questão já que a dita viatura até foi desenvolvida de propósito para ser usada por forças Paraquedistas.
7. Todos os animais são iguais mas alguns são mais iguais que os outros.

 

*

nelson38899

  • Investigador
  • *****
  • 4309
  • Recebeu: 295 vez(es)
  • Enviou: 288 vez(es)
  • +56/-27
Re: Panhards ULTRAV M11 no Exército substituir ou upgrade ?
« Responder #41 em: Abril 29, 2020, 10:18:35 am »
Seria no mínimo irónico...

Citar
A este concurso concorriam o M-11 da Panhard, um blindado 4x4 da Fiat e o blindado de lagartas Wiesel, sendo que este último Equipe os pára-quedistas alemães.  Finalmente (e depois de muita controvérsia) o Ministro da Defesa decidiu pelo contrato com os franceses, pois estes ofereceram um upgrade nas viaturas que o exército já possuía (foi adquirido um primeiro lote de 18 viaturas no início da década de 90).

http://www.tropasearmas3.xpg.com.br/portugal-Brigada-de-Reaccao-Rapida.htm

Eu concordo com a decisão, não faz sentido a existência de micro linhas de fornecimento, ou seja, não faz sentido a existência de 12 veículos disto e mais 12 veículos de outro modelo para a mesma função.

Quer dizer se somos todos contra a existência de ST5 e L-ATV para a mesma coisa, não faz sentido agora ter outra opinião. 

CHEGA DE QUINTINHAS,  a minha carteira agradece.
"Que todo o mundo seja «Portugal», isto é, que no mundo toda a gente se comporte como têm comportado os portugueses na história"
Agostinho da Silva
 

*

tenente

  • Investigador
  • *****
  • 7253
  • Recebeu: 3160 vez(es)
  • Enviou: 1692 vez(es)
  • +1775/-135
Re: Panhards ULTRAV M11 no Exército substituir ou upgrade ?
« Responder #42 em: Abril 29, 2020, 11:40:03 am »
Seria no mínimo irónico...

Citar
A este concurso concorriam o M-11 da Panhard, um blindado 4x4 da Fiat e o blindado de lagartas Wiesel, sendo que este último Equipe os pára-quedistas alemães.  Finalmente (e depois de muita controvérsia) o Ministro da Defesa decidiu pelo contrato com os franceses, pois estes ofereceram um upgrade nas viaturas que o exército já possuía (foi adquirido um primeiro lote de 18 viaturas no início da década de 90).

http://www.tropasearmas3.xpg.com.br/portugal-Brigada-de-Reaccao-Rapida.htm

Eu concordo com a decisão, não faz sentido a existência de micro linhas de fornecimento, ou seja, não faz sentido a existência de 12 veículos disto e mais 12 veículos de outro modelo para a mesma função.

Quer dizer se somos todos contra a existência de ST5 e L-ATV para a mesma coisa, não faz sentido agora ter outra opinião. 

CHEGA DE QUINTINHAS,  a minha carteira agradece.

Qual decisão nelson38899, se é que posso perguntar ??

Epá se M11 temos 38 viaturas achas que com uma dúzia de Wiesel conseguias ter suficientes para equipar os 02 ERec(R) que existem ??
e já agora porque é que os wiesel, seriam utilizados como os ST5 e os LATV, se não tem nada a ver com as missões dos ditos VBL(R) e nem a frota dos ST5 tem versões ACar, PM e SAM ??

Quer dizer se somos todos contra a existência de ST5 e L-ATV para a mesma coisa, não faz sentido agora ter outra opinião.

Eu sou contra a compra de uma segunda linha de VBL, pois essa compra sim, vai revelar que compraremos um segundo modelo de blindado em tudo semelhante as ST5, desenhado para as mesmas missões que o modelo espanhol, agora dizer que o wiesel ser um modelo que desempenhará as mesmas missões que os ST5, isso não está correcto.

Não me parece, são viaturas desenhadas como os M11 como missão primária acções de reconhecimento e apoio ás tropas aerotransportadas, os Wiesel, não tem as características dos ST5/LATV, como tal nunca efectuariam as mesmas funções/missões.
Os paras de certeza que agradeciam se tivessem não só uns seis wiesel ACar mas também o mesmo numero de PM81,no activo.

Companhia Anticarro (CACar)
Fundada em 2 de junho de 1982, na extinta Base Operacional de Tropas Pára-quedistas Nº 1 em Monsanto, foi a primeira unidade das Forças Armadas Portuguesas equipada com mísseis anticarro MILAN.  Em 1991, em virtude de uma reorganização do dispositivo territorial do CTP, a BOTP1 foi extinta e a CACar transferida para a BOTP2 em S. Jacinto. Em 11 de abril de 1991 foi oficialmente integrada na BOTP2.
 
Em 1994, após a extinção das Tropas Pára-quedistas e criação das Tropas Aerotransportadas do Exército Português, a CACar continua aquartelada em S. Jacinto na AMSJ e passa a integrar a BrigRR. O quadro orgânico de pessoal contempla a companhia com um efetivo de aproximadamente 100 homens, distribuídos pelos 3 Pelotões Anticarro, estando cada um equipado com 6 unidades de tiro Milan. Algumas câmaras térmicas MIRA foram atribuídas. 
[/b]

http://www.tropasearmas3.xpg.com.br/portugal-Brigada-de-Reaccao-Rapida.htm

Abraços
« Última modificação: Abril 29, 2020, 12:02:03 pm por tenente »
 

*

dc

  • Investigador
  • *****
  • 3764
  • Recebeu: 892 vez(es)
  • Enviou: 205 vez(es)
  • +186/-87
Re: Panhards ULTRAV M11 no Exército substituir ou upgrade ?
« Responder #43 em: Abril 29, 2020, 05:11:33 pm »
Pelo que eu percebi, o que o Nelson quis dizer era que não fazia (na altura do concurso entre mais M11 ou Wiesel) sentido ter estes dois modelos a operar em simultâneo para a mesma função. E simplesmente comparou o seu argumento, ao de quem argumenta na questão do ST5 vs L-ATV.

No entanto, se na altura pela quantidade de Wiesels pretendidos, não fazia sentido (número muito baixo), agora, tendo em conta que tanto o M11 como o Wiesel são veículos muito diferentes, se estes últimos viessem numa quantidade decente, seria uma boa compra pelo poder de fogo e capacidade TT.

Já comparar o tal concurso dos M11/Wiesel aos L-ATV é absurdo, pois estamos a falar de 20x mais L-ATV do que os números falados naquele concurso... 250 veículos não é propriamente uma aquisição de nicho.
 

*

tenente

  • Investigador
  • *****
  • 7253
  • Recebeu: 3160 vez(es)
  • Enviou: 1692 vez(es)
  • +1775/-135
Re: Panhards ULTRAV M11 no Exército substituir ou upgrade ?
« Responder #44 em: Dezembro 23, 2020, 01:12:13 pm »
Porque não esta versão para as unidades ligeiras Rec ?

Escribano launches its new Remote Weapon Station Guardian L-HIT Lightweight High Impact Turret
According to information published on December 21, 2020, the Spanish company Escribano Mechanicals & Engineering (EM&E) is expanding their catalog of Remote Weapon Station (RWS) by announcing their newest development, the Guardian L-HIT (Lightweight High Impact Turret).

New Escribano Remote Weapon Station Guardian L-HIT (Lightweight High Impact Turret) mounted on VAMTAC 4x4 armored vehicle. (Picture source Escribano)

Based on the well-known RWS Guardian 2.0, which integrates weapons of calibers 5.56mm, 7.62mm and 12.7 mm, as well as a grenade launcher MK19, this new development integrates a 30 mm cannon, M230LF. This cannon provides firepower that is able to shoot down targets more than 3km (1.9 miles) away. Being a modular and light station; its weight is less than 260 kg (573 pounds).

Specially designed to be integrated on a vast range of platforms and vehicles, the brand-new Guardian L-HIT provides excellent capabilities for short and mid-range defense. At the same time, it has an optimal accuracy when firing due to a newly designed stabilized system in two axes. This system is linked to the latest technology on electro-optical systems from EM&E, which allows detection, recognition, and identification of targets at a higher range than its competitors.

Highly customizable because of its modular architecture, The Guardian L-Hit is an excellent solution against asymmetric threats, and it can operate in extreme conditions. This design makes maintenance easier and increases its reliability.

This RWS can operate on different battlefields. Due to its lightness, it can be integrated on all different kinds of platforms and vehicles.

Escribano Mechanical & Engineering manufactures and designs its products with a clear commitment to offering the most innovative and creative solutions for the defense sector.

http://www.thefifthcolumn.xyz/Forum/viewthread.php?tid=15&page=6

Abraços
« Última modificação: Dezembro 23, 2020, 06:32:31 pm por tenente »