Economia nacional

  • 300 Respostas
  • 20283 Visualizações
*

Viajante

  • Investigador
  • *****
  • 2018
  • Recebeu: 814 vez(es)
  • Enviou: 351 vez(es)
  • +750/-31
Re: Economia nacional
« Responder #105 em: Fevereiro 27, 2020, 06:55:46 pm »
Os 10 países que entraram na UE em 2004 estão "prestes a ultrapassar Portugal no PIB per capita"?
.......


É notória a evolução negativa de Portugal, em contraste com a evolução positiva dos referidos 10 países, isto em termos relativos.

Concluímos assim que a publicação sob análise é factualmente correta.

Avaliação do Polígrafo:
Verdadeiro

https://poligrafo.sapo.pt/fact-check/os-10-paises-que-entraram-na-ue-em-2004-estao-prestes-a-ultrapassar-portugal-no-pib-per-capita

Ó diabo! Então os países da Europa de leste, fazem parte da UE e até fazem parte do Euro e estão todos a ultrapassar-nos!!!!!!!
E logo agora que já começava a acreditar nos euro-cépticos que afirmam que nós não crescemos por causa do Euro....... se calhar têem de inventar outra desculpa!!!!!
 
Os seguintes utilizadores agradeceram esta mensagem: LM

*

miguelbud

  • Analista
  • ***
  • 759
  • Recebeu: 38 vez(es)
  • Enviou: 29 vez(es)
  • +13/-1
Re: Economia nacional
« Responder #106 em: Fevereiro 27, 2020, 10:44:51 pm »
Estar perto da Alemanha, ter salarios baixos e impostos baixos tem grandes vantagens.
 

*

HSMW

  • Moderador Global
  • *****
  • 9456
  • Recebeu: 1112 vez(es)
  • Enviou: 2412 vez(es)
  • +158/-48
    • http://youtube.com/HSMW
Re: Economia nacional
« Responder #107 em: Fevereiro 27, 2020, 10:59:38 pm »

Belchatow

E continuar a queimar carvão (perto de 90% da produção total) para manter baixo o custo da energia.



E destruir floresta património da humanidade.

https://expresso.pt/internacional/2016-05-25-Polonia-comecou-desflorestacao-de-uma-das-mais-antigas-florestas-europeias
« Última modificação: Fevereiro 27, 2020, 11:00:08 pm por HSMW »
http://www.youtube.com/profile_videos?user=HSMW

"Tudo pela Nação, nada contra a Nação."
 

*

HSMW

  • Moderador Global
  • *****
  • 9456
  • Recebeu: 1112 vez(es)
  • Enviou: 2412 vez(es)
  • +158/-48
    • http://youtube.com/HSMW
Re: Economia nacional
« Responder #108 em: Março 16, 2020, 08:02:41 pm »

O falso milagre económico português
http://www.youtube.com/profile_videos?user=HSMW

"Tudo pela Nação, nada contra a Nação."
 
Os seguintes utilizadores agradeceram esta mensagem: Viajante

*

Viajante

  • Investigador
  • *****
  • 2018
  • Recebeu: 814 vez(es)
  • Enviou: 351 vez(es)
  • +750/-31
Re: Economia nacional
« Responder #109 em: Março 16, 2020, 10:32:38 pm »
É verdade! E eu condeno este governo de aldrabões e incompetentes (tivemos estes irresponsáveis a gerir Pedrógão e o Sul de Viseu e agora esta pandemia, resta rezar para a desgraça não ser muito grande). Eu não esqueço que o vigarista Costa disse que a crise e austeridade acabaram!!!!! Ai sim? Vivemos melhor? Onde? Só se for no sector do emprego político, de resto eu vejo e sinto na pele o que é ganhar hoje menos do que ganhava em 2009!!!!! E digo mais, o aldrabão do Costa criticava os impostos altos no tempo da Troika, mas eu vejo agora que por exemplo o último escalão de retenção de IRS, de agora, ainda é mais alto do que no tempo da taxa extraordinária!!!!!

O sector da habitação o que se passa é que muitos estrangeiros estão a injectar muitos milhões nos grandes centros urbanos para ganharem muito dinheiro (os portugueses são poucos os que têem disponibilidade financeira para tamanhos investimentos e os bancos nem imagina a dificuldade neste momento para emprestarem para a habitação). Os vistos gold também inflacionam e de que maneira a construção, mas...... para se venderem casas tão caras em Lisboa e no Porto, alguém está a vender essas casas a estrangeiros e a ganhar muito dinheiro!!!!!!

Por fim...... venham morar para o interior :)
Se disser que por 230 000€ consegue-se construir uma casa de raíz, com 530 m2 e 2 pisos?
 
Os seguintes utilizadores agradeceram esta mensagem: Cabeça de Martelo

*

asalves

  • Perito
  • **
  • 551
  • Recebeu: 197 vez(es)
  • Enviou: 70 vez(es)
  • +35/-9
Re: Economia nacional
« Responder #110 em: Março 25, 2020, 05:58:00 pm »
Estar perto da Alemanha, ter salarios baixos e impostos baixos tem grandes vantagens.

Isso é extremamente redutor e provavelmente (especulo eu) nem será dos principais motivos.

Querem saber porque que não crescemos olhem para a burocracia sempre a crescer, a lei sempre a mudar, a lei que se ajusta a vontade de quem governa, o facto de primeiro se pensar em aumentar ordenados em vez de se pensar em como podemos aumentar a produção de riqueza.

Para dar um pequeno exemplo muito recente e simples:
Alguém se lembra das portagens + baratas para algumas ex-scuts? Secalhar não se lembram mas a complexidade do novo calculo custo é tão grande que na empresa onde trabalho (somos uma empresa de transporte) tínhamos um pequeno e simples report (sistema) que calcula e faz estimativas dos custos associados a utilização das portagens. Neste momento por causa da solução que o governo encontrou vai ser preciso reformular todo o sistema, e 1 pessoa vai perder 1 ou 2 dias a reformular o sistema e provavelmente não vamos ter capacidade de estimar com rigor qual vão ser as despesas para o mes inteiro, só vamos ter alguma noção do que vamos gastar no final do mes.

Sabem o que significa? que a pessoa que vai perder 2 dias de trabalho a reformular aquilo podia fazer outra coisa mais produtiva, que muito provavelmente não vamos ficar com uma ferramenta igual nem vamos conseguir criar estimativas.


Outro exemplo, temos 1 a 2 pessoas nos recursos humano com 2 a 3 meses de tempo acumulado (desde inicio 2019) só a tentar entender legislação do código de trabalho, e isto apenas para a Empresa tentar respeitar a LEI o máximo possível.

Tudo isto tira dinheiro às empresas e competitividade. Se aliarmos isto a já não termos salários baixos e cada vez mais nos parecermos a venezuelana da Europa.
 
Os seguintes utilizadores agradeceram esta mensagem: Viajante

*

Viajante

  • Investigador
  • *****
  • 2018
  • Recebeu: 814 vez(es)
  • Enviou: 351 vez(es)
  • +750/-31
Re: Economia nacional
« Responder #111 em: Março 25, 2020, 11:47:17 pm »
O Asalves não acha estranho termos os bens com taxas das mais elevadas da Europa?
Energia eléctrica a 23% de IVA?!?!? (algumas empresas não podem deduzir) IVA de um menu a 13% num restaurante, mas se levar para casa são 23%.... mas andamos a brincar?
Combustíveis....... 70% do preço são impostos!!!!!!
Se uma empresa tiver lucro, tirando os primeiros trocos, a taxa de IRC sobre o lucro é de 21%. Se a empresa decidir distribuir esse lucro, quem o recebe fica logo sem mais 28% a título de IRS ou IRS (só as SGPS têem benefícios de dedução)!!!!! 21 + 28 dá 49%! Ou seja, o estado ganha tanto em impostos como o empresário que arrisca o pescoço e investe e a esquerda psicopata ainda acha pouco!?!?!?!!
 
Os seguintes utilizadores agradeceram esta mensagem: asalves

*

Daniel

  • Investigador
  • *****
  • 1555
  • Recebeu: 79 vez(es)
  • Enviou: 21 vez(es)
  • +163/-1428
Re: Economia nacional
« Responder #112 em: Março 27, 2020, 10:20:10 am »
A crise veio para ficar, avisa Banco de Portugal
https://www.jornaldenegocios.pt/economia/coronavirus/detalhe/a-crise-veio-para-ficar-avisa-banco-de-portugal?HP_DestaquesTopo


Citar
O país levará, na melhor das hipóteses, dois anos a recuperar a atividade económica que será destruída em 2020, por causa da pandemia de covid-19. E estará muito longe do PIB que se acreditava, há apenas três meses, que seria possível atingir.

Claro na melhor das hipóteses, pois na pior será 3 a 4 anos.
A Vida é um teste e uma incumbência de  confiança.
 

*

Daniel

  • Investigador
  • *****
  • 1555
  • Recebeu: 79 vez(es)
  • Enviou: 21 vez(es)
  • +163/-1428
Re: Economia nacional
« Responder #113 em: Abril 01, 2020, 09:04:55 am »
Recessão em Portugal. Desemprego pode ficar acima dos 10% este ano
https://www.tsf.pt/portugal/economia/desemprego-pode-ficar-acima-dos-10-em-2020-11989168.html

Citar
A taxa de desemprego deverá subir acima dos 10% em 2020, na sequência da pandemia de Covid-19, de acordo com os cenários base e adverso projetados pelo Boletim Económico do Banco de Portugal, divulgado esta quinta-feira.

No cenário base, as projeções do Banco de Portugal (BdP) apontam para uma taxa de desemprego de 10,1% em 2020, com uma descida progressiva para 9,5% em 2021 e 8,0% em 2022.

"A contração da atividade económica em 2020 tem reflexo numa destruição de postos de trabalho, projetando-se uma redução do emprego de 3,5% (após um crescimento de 0,8% em 2019)", de acordo com o cenário base do BdP.
O banco central adverte que no cenário base "a evolução projetada para o desemprego depende crucialmente da configuração e magnitude das medidas de política que possam ser implementadas de imediato".

"As remunerações por trabalhador deverão desacelerar em 2020 - refletindo principalmente o impacto do aumento das baixas médicas e por assistência à família - e recuperar em 2021-22."
Já no cenário adverso, a taxa de desemprego 'dispara' para 11,7% este ano, descendo para 10,7% em 2021 e 8,3% em 2022.

"Ambos os cenários contemplam uma recessão da economia portuguesa em 2020, diferindo na magnitude assumida para o impacto económico da pandemia a nível mundial", pode também ler-se no documento.

Em 2019, a taxa de desemprego foi de 6,5%, de acordo com o Instituto Nacional de Estatística (INE).
Segundo o BdP, "os cenários procuram ter em consideração o potencial impacto das políticas já adotadas pelas autoridades nacionais e europeias em face do choque", avisando o banco central que "a magnitude da recessão e o perfil da subsequente recuperação dependem criticamente da resposta de política, que tem vindo a ser sucessivamente reforçada a nível nacional e global".

Mais uma crise sem procedentes, para mim esses números ainda estão baixo, ontem no jornal da noite na RTP a taxa de desemprego chegava até aos 11%.
Só em 2021 é que vinha para os 10% infelizmente isto parece que vai ser pior que em 2008.
A Vida é um teste e uma incumbência de  confiança.
 

*

legionario

  • Especialista
  • ****
  • 1080
  • Recebeu: 53 vez(es)
  • Enviou: 59 vez(es)
  • +50/-69
Re: Economia nacional
« Responder #114 em: Abril 01, 2020, 01:59:13 pm »
Uma questão que me tem ocorrido frequentemente nestes tempos conturbados.
 
Portugal ainda tem uma industria,de moldes, fabricas de plasticos e produção textil, etc.  porque razão não consegue prouzir em quantidade o material basico como mascaras, viseiras de proteção, zaragatoas, fatos de proteção biologicos descartaveis, luvas, etc. ?

Uma planificação da produção, organizando, impondo, requisitando, sancionando severamente se necessario, é imperativa neste momento. Deve-se incumbir UMA pessoa, com plenos poderes, para dirigir com mão de ferro estas operações.

A pior das ditaduras é a que se disfarça de democracia
 

*

asalves

  • Perito
  • **
  • 551
  • Recebeu: 197 vez(es)
  • Enviou: 70 vez(es)
  • +35/-9
Re: Economia nacional
« Responder #115 em: Abril 02, 2020, 11:40:08 am »
Uma questão que me tem ocorrido frequentemente nestes tempos conturbados.
 
Portugal ainda tem uma industria,de moldes, fabricas de plasticos e produção textil, etc.  porque razão não consegue prouzir em quantidade o material basico como mascaras, viseiras de proteção, zaragatoas, fatos de proteção biologicos descartaveis, luvas, etc. ?

Uma planificação da produção, organizando, impondo, requisitando, sancionando severamente se necessario, é imperativa neste momento. Deve-se incumbir UMA pessoa, com plenos poderes, para dirigir com mão de ferro estas operações.

Tanto quanto sei já temos várias dezenas de "fabricas" a produzir mascaras, fatos,... o problema é que esta produção ainda é na maioria feita manualmente, ou seja a cadencia de produção é demasiado baixa para o consumo diário.

Para além disso acho que começa a faltar matéria prima.
 

*

Daniel

  • Investigador
  • *****
  • 1555
  • Recebeu: 79 vez(es)
  • Enviou: 21 vez(es)
  • +163/-1428
Re: Economia nacional
« Responder #116 em: Abril 05, 2020, 09:16:56 am »
Lembra-se de Portugal nos anos 90? É para lá que a recessão nos pode levar
https://executivedigest.sapo.pt/lembra-se-de-portugal-nos-anos-90-e-para-la-que-a-recessao-nos-pode-levar/
Citar
O impacto do novo coronavírus na economia nacional, nomeadamente nas exportações e investimento, poderá levar Portugal numa viagem ao passado. Mais concretamente, fazer com que a economia nacional se assemelhe aos níveis verificados na década de 90 do século passado.

A previsão é apontada pelo jornal Expresso, que dá conta dos piores cenários possíveis, alimentados pela incerteza quanto à duração e profundidade da quarentena em que o País se encontra. Uma espécie de coma sem data prevista de fim.

O cenário mais adverso desenhado pelo Banco de Potugal aponta para uma recessão na casa dos 5%. Contudo, realça a mesma publicação, peritos do Católica Lisbon Forecasting Lab falam de um colapso de 20%, caso a paralisação se prolongue por seis meses.

Com bases nestas duas balizas, o Expresso calculou em quantos anos pode a pandemia fazer recuar a riqueza gerada pela economia nacional. Recorrendo à série do PIB a preços constantes – e assumindo uma taxa de inflacção na ordem dos 0% em 2020 – as estimativas dão conta de vários cenários.

O primeiro deles refere quem o consumo privado deverá recuar até aos níveis de 2017, caso caia apenas 5 a 6%. No entanto, se a ruptura for de 10 a 11%, o recuo já será a 2004; se for de 15 a 16%, Portugal estará em 1999/2000.

Sem mercados para exportar, as vendas de bens e serviços ao estrangeiro recuarão a níveis inferiores a 2015, 2014 ou 2013, caso contraiam 20%, 24% ou 28%, respectivamente, avança ainda. Os mesmos cálculos mostram que a formação bruta de capital fixo (FBCF) será inferior a 2017 caso tropece à volta de 15%. Já uma queda de 22% a 23% significa perder mais dois anos, até 2015. Se a descida for de cerca de 30%, será preciso recuar mais de 30 anos, até ao final da década de 80, para encontrar outro ano em que se tenha investido tão pouco.

O Expresso sugere ainda que uma queda do PIB na ordem dos 5 a 6% anulará a retoma dos últimos anos e levará novamente a riqueza gerada pelo País abaixo da fasquia de 2007. Uma contracção superior a 10% a 11%, por seu turno, aproximará o PIB dos tempos da Troika. E menos 15 a 16% no PIB será suficiente para afundar o País até ao século XX. Um colapso ainda maior, na ordem dos 20%, faria com que o PIB ficasse abaixo de 1998.
A Vida é um teste e uma incumbência de  confiança.
 

*

Viajante

  • Investigador
  • *****
  • 2018
  • Recebeu: 814 vez(es)
  • Enviou: 351 vez(es)
  • +750/-31
Re: Economia nacional
« Responder #117 em: Abril 05, 2020, 03:22:24 pm »
Tudo depende do número de meses que vamos ficar fechados.

Apesar de tudo, há um aspecto que não permite baixar muito o PIB, temos sido deficitários em produtos alimentares, o fecho de fronteiras vai prejudicar mais os países exportadores e favorecer os países com balança comercial mais desfavorável.

É verdade que as nossas exportações vão caír imenso, mas as importações vão caír ainda mais.

Não sei se os países ditos "ricos" não vão passar FOME. Talvez mais para a frente, aconteça aos produtos alimentares, o que está a acontecer actualmente com o equipamento médico ao passar por vários países!!!!!!

Vamos conseguir alimentar a nossa população? Não contem por exportações dos outros países!!!!!

Vamos conseguir manter a nossa base industrial?

E o fornecimento de energia (só vejo o fornecimento de energia eléctrica com autosuficiência), petróleo e outras matérias-primas, assim que a crise passar, vão ter os preços a disparar!!!!!
 

*

ocastilho

  • Membro
  • *
  • 264
  • Recebeu: 124 vez(es)
  • Enviou: 210 vez(es)
  • +164/-3
Re: Economia nacional
« Responder #118 em: Abril 05, 2020, 04:02:03 pm »
Tudo depende do número de meses que vamos ficar fechados.

Apesar de tudo, há um aspecto que não permite baixar muito o PIB, temos sido deficitários em produtos alimentares, o fecho de fronteiras vai prejudicar mais os países exportadores e favorecer os países com balança comercial mais desfavorável.

É verdade que as nossas exportações vão caír imenso, mas as importações vão caír ainda mais.

Não sei se os países ditos "ricos" não vão passar FOME. Talvez mais para a frente, aconteça aos produtos alimentares, o que está a acontecer actualmente com o equipamento médico ao passar por vários países!!!!!!

Vamos conseguir alimentar a nossa população? Não contem por exportações dos outros países!!!!!

Vamos conseguir manter a nossa base industrial?

E o fornecimento de energia (só vejo o fornecimento de energia eléctrica com autosuficiência), petróleo e outras matérias-primas, assim que a crise passar, vão ter os preços a disparar!!!!!


Sem duvida, caro viajante, não me parece que tenha sido à toa que o Presidente dos Afect(ad)os tenha ido ontem ver uma sementeira. Acho que já se chegou à sua conclusão, mas espero bem que esteja enganado.

Citar
O pão nosso

A epidemia teve o condão de nos fazer olhar para dentro, para aquele país que vive para lá dos holofotes da socialite da fama, das agendas do parece-bem, dos futebois e dos eixos do mal. De súbito, os cavadores de batatas, os pastores, os ordenhadores, os empresários agrícolas - todos os que permitem aos "investigadores" e faladores acordarem com a certeza do pão do pequeno-almoço, do bife do almoço e da sopa do jantar - surgiram como os actores silenciosos da vida colectiva. A tão chalaceada visita de Marcelo às trabalhadoras agrícolas merece ser vista de um outro ângulo. Foi uma tardia mas necessária revalorização desse campo que não dá votos, mas dá comida ao terciário improdutivo.



Um pinezinho na lapela com a estrela vermelha e era foto digna da RPDC.
"Se servistes à pátria, que vos foi ingrata, vós fizestes o que devíeis, ela o que costuma."
 

*

Daniel

  • Investigador
  • *****
  • 1555
  • Recebeu: 79 vez(es)
  • Enviou: 21 vez(es)
  • +163/-1428
Re: Economia nacional
« Responder #119 em: Abril 05, 2020, 04:58:19 pm »
Tudo depende do número de meses que vamos ficar fechados.

Apesar de tudo, há um aspecto que não permite baixar muito o PIB, temos sido deficitários em produtos alimentares, o fecho de fronteiras vai prejudicar mais os países exportadores e favorecer os países com balança comercial mais desfavorável.

É verdade que as nossas exportações vão caír imenso, mas as importações vão caír ainda mais.

Não sei se os países ditos "ricos" não vão passar FOME. Talvez mais para a frente, aconteça aos produtos alimentares, o que está a acontecer actualmente com o equipamento médico ao passar por vários países!!!!!!

Vamos conseguir alimentar a nossa população? Não contem por exportações dos outros países!!!!!

Vamos conseguir manter a nossa base industrial?

E o fornecimento de energia (só vejo o fornecimento de energia eléctrica com autosuficiência), petróleo e outras matérias-primas, assim que a crise passar, vão ter os preços a disparar!!!!!

Então como vai ser na China, eles que já têm problemas para alimentar a população, a China depende muito da importação de alimentos.
Vamos ter uma terçeira Guerra Mundial pela insuficiência de alimentos, será?
A Vida é um teste e uma incumbência de  confiança.
 

 

Rede Logística Nacional / Portugal "Logístico"

Iniciado por Marauder

Respostas: 0
Visualizações: 1956
Última mensagem Julho 15, 2006, 09:20:16 am
por Marauder
Portugal tem a 31ª economia mais aberta do mundo

Iniciado por Tiger22

Respostas: 4
Visualizações: 2103
Última mensagem Junho 27, 2010, 02:22:35 pm
por Camuflage
Economia portuguesa com maior potencial de expansão

Iniciado por Tiger22

Respostas: 1
Visualizações: 1671
Última mensagem Abril 10, 2004, 03:20:52 am
por Tiger22
Economia portuguesa deve crescer 2% em 2005, diz PWC

Iniciado por dremanu

Respostas: 0
Visualizações: 1308
Última mensagem Fevereiro 15, 2005, 02:44:14 pm
por dremanu
Espanha trai acordo com Ministro da Economia

Iniciado por Tiger22

Respostas: 4
Visualizações: 1907
Última mensagem Setembro 24, 2005, 07:45:00 pm
por manuel liste