ForumDefesa.com

Forças Armadas e Sistemas de Armas => Marinha Portuguesa => Tópico iniciado por: LM em Fevereiro 21, 2007, 12:59:43 pm

Título: MLU às VdG e/ou BD - Hipóteses
Enviado por: LM em Fevereiro 21, 2007, 12:59:43 pm
Uma questão para os “especialistas”:

A estrutura da Marinha Portuguesa a médio/longo prazo está definida em linhas gerais, salvo algum factor extraordinário (alteração geoestratégica, alteração da nossa política de defesa, alteração condições oraçamentais, etc.)

Assim, uma das poucas questões onde podemos “especular” é se iremos realizar um “MLU” às fragatas VdG e/ou “KD”, ou se iremos tentar esgotar o periódo de vida útil de uma classe (ou ambas) e tentar comprar uma nova classe(s).

Na vossa opinião (e não os vossos sonhos  :wink: ) qual o tempo disponivel? E qual as intervenções possiveis, tendo em conta a relação custo/resultado e o orçamento?

Pessoalmente, levanto as seguintes hipóteses (se poderem desenvolver e dar novas hipótese agradeço):

a) “Chapa/pintura” e revisão mecânica – praticamente obrigatória
b) “Upgrade” software de uma forma geral - praticamente obrigatória
c) “Upgrade” e/ou harmonização entre as classes do C3 (SIC, comunicações, etc) - muito provável
d) Modernização do radar (aviso combinado?) na VdG e/ou “KD”
e) Colocação de mais (um?) radar director de tiro (VdG e/ou “KD”) – especular, é possível? Vantajoso?
f) Colocação de VLS (1 ou 2) nas VdG
g) ESSM para VdG (se ponto anterior realizado) e/ou “KD”
h) Colocação em uma (ou ambas...?) as classes de algo parecido com o CEA-FAR 3D

Sobre esta ultima hipótese, em que ponto do desenvolvimento a Austrália está? Vai funcionar...? Há outras alternativas?

E uma questão talvez indicadora de que sobre estes assuntos sou apenas um iniciado: se um do navios tiver algo tipo CEA-FAR 3D pode “administrar” após o lançamento os misseis ESSM de outros navios sem esse sistema...?

Desde já o meu obrigado.
Título:
Enviado por: lurker em Fevereiro 21, 2007, 07:54:28 pm
Caro LM,
segundo li, creio eu, na Revista da Marinha, o MLU das VdG (e quiçá, das KD) está na lista de prioridades da Marinha, logo a seguir ao navio polivalente e à sustituição do Bérrio.
Título:
Enviado por: Spectral em Fevereiro 21, 2007, 09:28:33 pm
1) o ESSM pode ser operado a partir do lançador actual das VdG

2) Instalar o ESSM em todas as fragatas, mesmo com apenas as mínimas actualizações ao radar e sistema de tiro necessárias para operá-lo, seria um verdadeiro quantum leap quanto à capacidade de auto-protecção dos nossos navios, e portanto devia ser a prioridade para um qualquer MLU ( qualquer intervenção mais profunda que as alineas a)b)c) da lista do LM). Como aliás a maior parte das Marinhas que operam navios com Sea Sparrow consideram.


Citar
E uma questão talvez indicadora de que sobre estes assuntos sou apenas um iniciado: se um do navios tiver algo tipo CEA-FAR 3D pode “administrar” após o lançamento os misseis ESSM de outros navios sem esse sistema...?


Suponho que não, seria preciso um sistema de networking semelhante ao CEC, cooperative engagement capability, da USN
http://www.fas.org/man/dod-101/sys/ship/weaps/cec.htm (http://www.fas.org/man/dod-101/sys/ship/weaps/cec.htm)

Quanto ao CEA-FAR o sintra é que acho que sabia algumas coisas sobre isso.
Título:
Enviado por: Nuno Bento em Fevereiro 21, 2007, 11:10:06 pm
Citação de: "lurker"
Caro LM,
segundo li, creio eu, na Revista da Marinha, o MLU das VdG (e quiçá, das KD) está na lista de prioridades da Marinha, logo a seguir ao navio polivalente e à sustituição do Bérrio.


Não sabia que a Marinha ia substituir o berrio, qual o tipo de navio que estão a pensar para o substituir?  e quanto custara o mesmo?
Título:
Enviado por: lurker em Fevereiro 21, 2007, 11:22:02 pm
Não sei nem creio que haja planos tão especificos.
Simplesmente, o Bérrio está a aproximar-se do fim de vida e terá de ser substituido num futuro não muito longinquo.
Na lista de prioridades, isso deveria de acontecer entre a construção do navio polivalente e o MLU das VgD.
Título:
Enviado por: Sintra em Fevereiro 21, 2007, 11:28:34 pm
O CEA FAR.
 Os primeiros testes decorreram em 2004 no HMAS Arunta, e correu tudo bem.
 http://www.ausmarinetech.com.au/index.p ... ge=article (http://www.ausmarinetech.com.au/index.php?subaction=showfull&id=1080002280&archive=&start_from=&ucat=2&page=article)

 O radar foi escolhido para o upgrade da classe Anzac em Setembro de 2005, após considerarem uma série de outros radares:
http://www.ausmarinetech.com.au/index.p ... ge=article (http://www.ausmarinetech.com.au/index.php?subaction=showfull&id=1141106109&archive=&start_from=&ucat=2&page=article)

 O primeiro Anzac modernizado vai entrar ao serviço em 2009.

 Concordo completamente com o Spectral, ESSM´s nas KD e VDG para ONTEM  :wink:
Título:
Enviado por: Leonidas em Fevereiro 23, 2007, 12:41:23 am
Saudações guerreiras

Citação de: "Lurker"
Caro LM,
segundo li, creio eu, na Revista da Marinha, o MLU das VdG (e quiçá, das KD) está na lista de prioridades da Marinha, logo a seguir ao navio polivalente e à sustituição do Bérrio.


Com metas que ninguém entende e que á vontade do freguês podem muito bem serem alteradas e até ainda mais desvirtuadas, acho que o melhor é fazermos as devidas homenagens de despedida ás actuais VdG e guardarmos o MLU para a outra classe que se seguir. Eu que acreditei que até já se estavam a mexer nos barcos a sério quando circularam alguma fotos por aqui (CIWS). Ao que parece foi pontual. Enfim, vamos esperando por melhores dias.

(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fimg521.imageshack.us%2Fimg521%2F8681%2Fesquemaclassevdgicpiaiikp6.th.gif&hash=8278abdd1400da267a7cff10db7ac064) (http://http)(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fimg167.imageshack.us%2Fimg167%2F6265%2Fciwsqo5.th.jpg&hash=7718299d332e7f036bbfdab323117666) (http://http)
.................................................. CIWS
Título:
Enviado por: papatango em Fevereiro 25, 2007, 10:35:44 pm
Realmente, considerando as verbas previstas na LPM, não estou a ver grandes hipoteses de esticar a corda para gastar dinheiro.

As Vasco a Gama precisariam de qualquer coisa do tipo SEAFAR. Mas nesse caso, também teriam que se modificar as Karel Doorman.

Uma mudança de radares, justificaria plenamente a substituição do lançador Mk.29 por um conjunto VLS.

As KD, sendo mais recentes poderiam esperar.

Mas não tenho ideia quanto ao dinheiro que isto custaria.
Título:
Enviado por: Rui Elias em Fevereiro 27, 2007, 10:44:01 am
Quanto ao NRP Bérrio, de facto é desejo da Marinha, ainda antes do MLU nas Vasco da Gama, comprar mesmo que em 2ª mão um novo AOR eventualmente mais completo que o velho Bérrio, que foi incorporado na Armada inglesa já no longínquo ano de 1970.

Mas se essa substituição acontecer, será com verbas a inscrever na revisão da LPM que se espera que aconteça em 2009 ou 2010.

Para já o NRP Bérrio está a ser sujeito a uma operação de manutenção nos estaleiros da antiga Lisnave, junto à Rocha do Conde de Óbidos, e portanto espera-se que se mantenha no activo por mais uns anos.

Aliás, as duas remanescentes João Belo, também, foram recentemete sujeitas a igual "tratamento" e já nessa altura em que nada havia de concreto, nem relativamete às OHP nem às KD, a Marinha afirmara que só previa manter as duas João Belo no activo até 2008.
Título:
Enviado por: LM em Março 08, 2007, 06:23:48 pm
Citar
c) Modernização do radar (aviso combinado?) na VdG e/ou “KD”
e) Colocação de mais (um?) radar director de tiro (VdG e/ou “KD”) – especular, é possível? Vantajoso?
f) Colocação de VLS (1 ou 2) nas VdG


Já agora:

- Os radares actuais das VdG e das "KD" podem ser alvo de um "upgrade" (sem substituição do radar!) que possa aumentar as suas capacidades de forma minimamente relevante?

- Há espaço fisico e capacidade do sistema de combate para gerir mais um radar de tiro? O custo seria demasiado alto... ?

- Confirmam que a VdG pode levar 2 "modulos" de VLS (8/modulo), à frente da ponte e no lugar do lançador actual Mk.29? E pode ter o lançador actual e um modulo à frente da ponte (sempre a tentar poupar...)? Os VLS dão assim tanta capacidade em relação ao Mk.29?

LM
Título:
Enviado por: Sintra em Março 08, 2007, 08:18:20 pm
Citação de: "LM"
Citar
c) Modernização do radar (aviso combinado?) na VdG e/ou “KD”
e) Colocação de mais (um?) radar director de tiro (VdG e/ou “KD”) – especular, é possível? Vantajoso?
f) Colocação de VLS (1 ou 2) nas VdG

Já agora:

- Os radares actuais das VdG e das "KD" podem ser alvo de um "upgrade" (sem substituição do radar!) que possa aumentar as suas capacidades de forma minimamente relevante?

 Não, se estamos a falar de aumento RELEVANTE de capacidades o ideal é uma substituição dos radares, foi o que os Australianos fizeram. Agora depende muito do quão RELEVANTE é o upgrade...

- Há espaço fisico e capacidade do sistema de combate para gerir mais um radar de tiro? O custo seria demasiado alto... ?

 Estamos a falar de um radar Director de Tiro, os iluminadores?- Desnecessário. Para as capacidades reais que uma VDG poderá alcançar, dois chegam muito bem, as F100 Espanholas também trabalham com dois.

- Confirmam que a VdG pode levar 2 "modulos" de VLS (8/modulo), à frente da ponte e no lugar do lançador actual Mk.29? E pode ter o lançador actual e um modulo à frente da ponte (sempre a tentar poupar...)? Os VLS dão assim tanta capacidade em relação ao Mk.29?

 Se estamos a falar de um VLS MK41 "tactical lenght", a minha resposta é "quase de certeza absoluta, não", os navios Australianos que são maiores só vão receber um módulo. Os Vls não precisam de ser apontados numa determinada direcção, o que numa situação em que um "Sea skimmer" é detectado a quinze km´s de distância, a 20 metros de altura e a voar a 950 km´s à hora em direcção ao nosso navio, pode significar que os dois segundos que não se vão gastar a orientar o "tubo" pode ser o tempo que salva o "traseiro" de uma VDG. Um silo de 8 MK41 pode levar 32 ESSM, um lançador MK29 pode levar 16.

LM


 Abraços  :wink:
Título:
Enviado por: papatango em Março 08, 2007, 08:47:12 pm
O lançador Mk.29 pode lançar 16 mísseis ESSM ?  :shock:
Título:
Enviado por: Sintra em Março 08, 2007, 09:07:06 pm
Citação de: "papatango"
O lançador Mk.29 pode lançar 16 mísseis ESSM ?  :oops:  Devia estar a sonhar com os dezasseis Sea Sparrow das KD  :wink:
Título:
Enviado por: papatango em Março 08, 2007, 10:01:41 pm
Inicialmente fiquei na dúvida...

De qualquer forma, não vejo grande vantagem em colocar ESSM nas Vasco da Gama e nas Karel Doorman. O problema principal, é que elas não estão preparadas (tanto quanto julgo saber, e CORRIJAM-ME se estiver enganado) elas não conseguem fazer upload de dados para os ESSM (a meio caminho, e conforme a situação).

Até ao momento os dados que tenho dizem-me que a VDG não o pode fazer, mas não tenho ideia se as KD o podem fazer.

Não adianta de muito estar a gastar dinheiro em mísseis mais (muito mais) caros, quando o navio não pode aproveitar todas as vantagens que eles oferecem.

Cumprimentos
Título:
Enviado por: Sintra em Março 08, 2007, 11:15:28 pm
Papatango

 Tens razão quando dizes que os misseis não recebem um "update" no caso das "nossas" VDG/KD, o que se passa é que o alvo tem de estar sempre iluminado por um dos dois STIR 180 (tu já conheces o "bicho", mas para quem não conhecer fica aqui o link da THALES: http://www.thales-naval.com/naval/activ ... 80-240.htm (http://www.thales-naval.com/naval/activities/radar-sys/weapon-control/products/stir180-240.htm)) a partir do exacto momento em que é disparado.
 Ou seja, não é possivel aos sistemas de armas das VDG/KD colocar no ar mais do que dois Sea Sparrow/ESSM ao mesmo tempo. Mas se formos a ver bem, um ESSM precisa sempre de iluminação nos (cerca de) dois segundos finais do seu vôo (a grande desvantagem de ser um missil SARH), se computarmos que aquele menino voa a mach 4, que o alvo voará na direcção contrária (em direcção ao navio) a, pelo menos, 900 km´s/hora e juntarmos que o alcance real(ista) do ESSM será qualquer coisa como 20 km´s, o que temos é que mesmo que os sensores dos nossos navios fossem capazes de fazer o "mid flight update" (AEGIS style), isso praticamente não iria alterar quase nada na quantidade de misseis que seria possivel colocar no ar, o tempo de vôo do ESSM é demasiado curto. Caso estivessemos a falar de SM2, a história mudava completamente, como estão muito mais tempo no ar, os sensores do navio podiam jogar com os "updates" e ir consecutivamente iluminando os alvos prioritários de forma a que sejam colocados uma grande quantidade de misseis no ar, é isto que faz a série SPY-1 Norte Americana. A outra possibilidade é arranjar um Radar que por si só, faça o "update" e a iluminação terminal, o melhor exemplo é o APAR, que consegue fazer a iluminação "final" (os dois ultimos segundos) e ainda consegue jogar com o "mid-flight update" de forma a conseguir colocar no ar uma quantidade (classificada) absurdamente grande de misseis nos céus.
 Quando eu digo que o missil devia ser integrado "ontem", admito que nem todas as possibilidades do mesmo podem ser exploradas pelos sensores dos nossos navios, mas pela primeirissima vez, a armada ganhva uma verdadeira capacidade anti missil (hard kill, entenda-se), que não existe actualmente. Eu olho para a utilização do ESSM na MP, como o equivalente à utilização do Sea Wolf pela RN e não como uma real capacidade de AAW de área... (E dai vamos ter aos SM2, e aos navios AAW em condições, e aos 770 milhões de euros, e aos submarinos em 2ª mão, etc, etc, etc, Estou a tornar-me repetitivo, não estou?  :wink:
Título:
Enviado por: Spectral em Março 08, 2007, 11:40:06 pm
Citar
qualquer forma, não vejo grande vantagem em colocar ESSM nas Vasco da Gama e nas Karel Doorman
.

Maior  P/K contra os mesmos alvos que um Sea Sparrow, deviido a maior alcance efectivo, muito maior manobralidade devido ao thrust vectoring,  e muito melhor electronic-counter-counter measures (20 anos mais avançado).


Capacidade de utilização contra mísseis anti-navio.

Por outro lado o ESSM ( coupled com radares adequados) tem um alcance maior que um míssil de defesa ponto clássico, como o Sea Wolf ou o Sea Sparrow, o que faz com que se todos os navios da força tarefa estiverem equipados com ele, talvez uma fragata AAW supérflua...
Título:
Enviado por: Luso em Março 09, 2007, 10:33:15 am
Citar
muito maior manobralidade devido ao thrust vectoring


Creio que o sistema de vectorização do foguete é ejectado dois segundos após o lançamento e a sua única função é dirigir o míssil para o alvo logo que é disparado, tirando-o o mais rápidamente possível da sua trajectória vertical. A partir desse o momento as aletas tomam conta da direcção.
Título:
Enviado por: Jorge Pereira em Março 09, 2007, 05:09:39 pm
Basicamente, e tendo em consideração preocupações orçamentais, eu proporia as seguintes modernizações ao nível dos sistemas de mísseis:

Vasco da Gama:

1 Sistema RAM na proa

(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fnavysite.de%2Flauncher%2Fram_1.jpg&hash=5d723f064c7cc8c996000ec061edeaa3)

Ou

(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fnavysite.de%2Flauncher%2Fsearam_1.jpg&hash=68aaa0a305d183b93171bf55d7b33bc2)

Mais 2 Lançadores quádruplos de Harpoons, como nos novos navios “patrulha” dinamarqueses :twisted: .

(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fimg321.imageshack.us%2Fimg321%2F2343%2Fplagearmemntabsalon3amuq2.jpg&hash=f87815107c6c75762247f2f5fa8b573a)

Karel Doorman:

Integração do sistema de mísseis ESSM.

(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fwww.deagel.com%2Flibrary1%2Fmedium%2Fm02006120700079.jpg&hash=544222c1f514285042e5baaac1ea90e9)


O que acham?
Título:
Enviado por: Spectral em Março 09, 2007, 07:04:21 pm
Luso :

Estava a falar de memória, mas fui consultar as fontes e :

Citar
. It is a tail-controlled missile with strakes instead of wings and fins, using thrust vectoring to achieve a 50G manoeuvering capability.


Citar
. ESSM will use skid-to-turn steering (tail control) whereas earlier Sea Sparrows were wing-controlled.

e talvez a origem da confusão :

Citar
A Jet Vane Control (JVC) unit allows the RIM-7P to be vertically launched. The JVC unit rotates the missile immediately after it has cleared a ship’s superstructure, cancels the missile’s initial upward velocity, and controls transition to the initial intercept path. Once the seeker is pointing toward a target, the JVC is jettisoned. Vertical launch capability provides quick-reaction, 360-degree defense and eliminates trainable firing restrictions and time consuming slew requirements.


Referindo-se à versão VLS do Sea Sparrow.


Jorge Pereira :

Eu, tal como o Sintra somos da opinião que o prioritário é efectuar o upgrade anti-aéreo, ou seja o ESSM. Este pode ser lançado do lançador das VdG. Quanto aos lançadores extra de Harpoon, não sei se haverá algum cenário táctico que justifique 16 SSMs ;)
Título:
Enviado por: Bravo Two Zero em Março 09, 2007, 07:55:10 pm
Citar
(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fnavysite.de%2Flauncher%2Fsearam_1.jpg&hash=68aaa0a305d183b93171bf55d7b33bc2)



O que é este sistema de defesa anti-aérea ?
Um RAM com o "fire control system" do Phalanx CIWS ?
Título:
Enviado por: Sintra em Março 09, 2007, 09:24:22 pm
Chama-se um Sea RAM  :wink:

Mais aqui: http://www.raytheon.com/products/sea_ram/ (http://www.raytheon.com/products/sea_ram/)
Título:
Enviado por: Luso em Março 10, 2007, 01:04:49 pm
Spectral, não digo que não tem razão, mas talvez não faça muito sentido essa hiper manobrabilidade que um tvc pode dar. Num combate ar-ar isso faz sentido, no entanto, mas lembro-me de ter lido algures, creio  que a propósito do IRIS-T que o tvc tem o inconveniente de reduzir o alcance, o que não interessará tanto numa arma anti-aérea que não tem tantos parâmetros para considerar como o movimento do lançador e do alvo. Em todo o caso, foi esta a minha fonte...
(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fwww.defenseindustrydaily.com%2Fimages%2FORD_RIM-162_ESSM_Sections_lg.jpg&hash=0eb4dff6c83738783ab35c8b6aa71b3d)
Título:
Enviado por: lurker em Março 10, 2007, 01:43:13 pm
Note na última linha: «TVC jettisoned after pitchover»
Título:
Enviado por: Spectral em Março 15, 2007, 08:13:10 pm
Esqueci-me de pôr os links, são o globalsecurity e o designationsystems.net, de qualquer maneira a questão fica no ar já que eles também não são claros, e o pdf da raytheon também não clarifica :

http://www.raytheon.com/products/stellent/groups/public/documents/content/cms01_055809.pdf

A utilização do tvc pode reduzir o alcance, se implicar de certa forma a limitação da potência do motor, além do peso acrescido que significa, mas acho que no caso de um tiro anti-míssil toda a manobrealidade importa.
Título:
Enviado por: JMM em Julho 04, 2007, 12:46:15 am
Boa noite a todos,

Sou um membro novo do Fórum e gostaria de "entrar" nesta discussão dos sistemas de mísseis a adoptar num possível MLU das VdG e das KD (que, aliás, está previsto na LPM, pelo menos no caso das VdG).

Parece-me óbvio que para o MLU servir para alguma coisa, terá que ser adaptado às fragatas um radar phased-array do tipo do CEA-FAR 3D que na Marinha Australiana está a dar tão bons resultados que todas as Anzac vão ser modificadas. Isso permitirá, de facto, tirar todo o proveito de um míssil como o ESSM (que me parece ser o único que, realisticamente, poderemos suportar financeiramente). A este respeito, gostaria de referir que o ESSM é um míssil de defesa anti-míssil de curto alcance (cerca de 20-30 km dependendo do pefil de vôo do alvo) e que a ideia de conseguir guiar muitos mísseis ao mesmo tempo (como o faz o CEA-FAR, que consegue guiar simultâneamente 10 mísseis, ao contrário do STIR, que só consegue guiar 1) é sobreviver a ataques de saturação, tirando partindo da grande manobrabilidade do ESSM, já que aguenta até 50g (aliás é este o motivo dos noruegueses colocarem ESSM com um radar AEGIS nas novas fragatas Nansen, que são essencialmente destinadas à luta anti-submarina e dos americanos em retirar do serviço o SM-1 das OHP - neste caso a defesa de área da US Navy ficará a cargo do SM-2 nas suas variadas versões e a defesa local a cargo do ESSM, tornando as poucas OHP que restam em OPVs à espera de serem substituídos pelos novos Littoral Combat Ship).
Daqui se vê que, não havendo dinheiro para instalar o SM-2 MR  :D

Tudo o que disse em relação às VdG é válido para as KD, já que é perfeitamente irrelevante estas estarem equipadas com lançadores verticais MK48 em vez dos MK29  das VdG, já que não existe a capacidade guiar mais que dois de cada vez (um por cada STIR)! As KD têm um MK48 Mod1 que também pode levar 32 ESSM sem modificações praticamente nenhumas e, portanto, aqui a adaptação é óbvia. Claro que o Goalkeeper também deveria ser substituído por um SeaRAM.

Assim, e em jeito de conclusão, julgo que um MLU feito nestes moldes seria uma solução relativamente barata para ficarmos com fragatas ao nível do que de melhor se faz lá fora (se exceptuarmos os destroyers específicos de defesa aérea, tipo Daring, DDG 51, Álvaro de Bazán, etc., que são caríssimos) e capazes de se protegerem eficazmente, tanto a si como a uma força tarefa, nos próximos 20 anos. Assim haja dinheiro e vontade política :wink:

Finalmente, relativamente à polémica em torno do TVC, é óbvio que o míssil tem que ter a maior manobrabilidade possível, não para atingir alvos supersónicos, porque esses não têm, regra geral, grande manobrabilidade e são óptimas fontes de calor (de modo que um simples RAM pode ser extremamente eficaz), mas sea-skimmers sub-sónicos com padrões terminais de vôo aleatórios que tornam muito mais difícil a sua destruição.
Título:
Enviado por: Sintra em Julho 04, 2007, 11:57:32 am
JMM

 Antes de mais, muito bem vindo e excelente texto.
 Acabas de fazer uma descrição praticamente perfeita do que muito boa gente da marinha adoraria que se fizesse com as "Vasquinho" e as "KD", isto já para não falar de 90%+ da malta aqui do forúm, "me included". O unico problema nisto é o dinheiro, se deres um saltito ao site do Mindef Australiano encontras para lá (algures, já o tive nos olhos) o orçamento para a modernização das "Anzac" que é bastante semelhante ao que descreves e aquilo é bastante puxadote para a economia cá do burgo. Estamos a falar em gastar na modernização dos cinco navios de algo muito próximo ao montante utilizado para a aquisição das duas KD... Não me parece que se consiga convencer  o governo a dispender esta soma, pelo menos durante a vigência desta LPM.
 Pessoalmente eu já ficaria MUITO contente com a aquisição do ESSM e a sua integração nos sistemas de lançamento actuais, com os radares actuais e com os designadores actuais. Os navios ficariam bloqueados à utilização simultânea de apenas dois ESSM, mas pelo menos ganhavas alguma capacidade antimissil e algum alcance extra, hoje em dia qualquer meia duzia de aviões do tempo da "Avôzinha Alice" equipados com Mavericks metem a marinha no fundo do mar e ainda se saem a rir.

 Abraços
Título:
Enviado por: JMM em Julho 04, 2007, 12:23:36 pm
Boas,

Uma alternativa, que me parece ser viável e típicamente portuguesa (já que nunca fazemos tudo por inteiro) seria uma coisa que ficasse a "meio caminho"; fazia-se uma modernização mais completa das VdG e uma mais básica das KD, mais ou menos na linha do que apontas. Assim poupava-se na cadeia logística (os mísseis eram todos iguais), as KD ficavam com tarefas mais  de natureza ASW (já que até têm um sonar rebocado) e alguma capacidade de defesa própria contra ataques que não de saturação e as VdG ficavam com uma tarefas mais "multipurpose" e com a responsabilidade de defender uma eventual força-tarefa baseada no famoso LPD, caso. Nesse caso talvez o MLU não ficasse demasiado caro :D
Título:
Enviado por: P44 em Julho 04, 2007, 12:26:34 pm
SE...se...se....fizerem algum MLU ás VdG já deverá ser razão para ficarmos contentes...  :oops:
Título:
Enviado por: PereiraMarques em Julho 04, 2007, 12:33:55 pm
Por enquanto parece limitar-se à modernização do Phalanx CIWS, do Bloco 1 para Bloco 1B.

Citar
Block 1B improvements include Optimized Gun Barrels (OGB) and a new integrated forward looking infrared system (FLIR).  The OGB are electrically controlled, pneumatically driven and fire a new Enhanced Lethality Cartridge (ELC).  The Phalanx FLIR provides increased capability to search, track and engage coastal warfare threats as well as provide better anti-ship missile defense.

Fonte: http://www.navweaps.com/Weapons/WNUS_Phalanx.htm (http://www.navweaps.com/Weapons/WNUS_Phalanx.htm)
Título:
Enviado por: JMM em Julho 04, 2007, 01:55:50 pm
Segundo sei, esse upgrade do Phalanx já estava previsto há algum tempo e dificilmente se poderá considerar um MLU. De qualquer modo, o meu palpite é de que o MLU só deve começar, na melhor das hipóteses, daqui a 5 ou 6 anos, primeiro por falta de verbas e por causa do ciclo eleitoral (o que nos leva até ao final de 2009) e, segundo, porque antes é preciso incorporar operacionalmente as KD na Armada e isso não se faz em 6 meses após a sua recepção (e a segunda chega exactamente em 2009). Assim, é fácil fazer as contas e verificar que antes de 2009/10 ninguém vai atrever-se, sequer, a propôr o MLU. Se em cima destes prazos contarmos o tempo necessário para a definição operacional das necessidades, a escolha dos equipamentos e da sua integração e a tradicional indecisão de todo e qualquer processo de aquisição de material militar em Portugal, então estamos a falar num horizonte, na melhor das hipóteses, de 5 a 6 anos para o início dos trabalhos e mais 1 a 2 para a primeira estar operacional. Isto se este MLU não acabar como o dos F-16 :wink:
Título:
Enviado por: luis filipe silva em Julho 04, 2007, 02:18:34 pm
JMM escreveu:
Citar
Segundo sei, esse upgrade do Phalanx já estava previsto há algum tempo e dificilmente se poderá considerar um MLU. De qualquer modo, o meu palpite é de que o MLU só deve começar, na melhor das hipóteses, daqui a 5 ou 6 anos, primeiro por falta de verbas e por causa do ciclo eleitoral (o que nos leva até ao final de 2009)

Não sei se sabem ou se se lembram do tardio MLU das J. Belo.
Acreditem meus amigos!... Não esperem grande coisa. até porque
quando MLU estiver concluido será já inútil,isto para os colegas cá do fórum que não se "inteiram" e julgam que a Armada vai ser líder na Europa em armamento. Meus amigos reduzam-se áquilo que os nossos (des)governantes querem desde há trinta anos que sejamos.
Título:
Enviado por: JMM em Julho 04, 2007, 02:30:46 pm
Tenho a impressão que o Luis é bem capaz de ter razão. O histórico de MLUs em Portugal não é nada animador.

Já sem contar com os compromissos internacionais, até tremo de pensar o que nos vai acontecer se um dia Marrocos se tornar uma República Islâmica radical (e já esteve mais longe). Lá vamos ter que ir a correr para o abraço dos americanos a pedir protecção. Como sempre! Vai ser bonito ver o que é que a nossa Armada vai fazer se fôr atacada pelos Rafale que eles vão comprar, armados com mísseis Ar-Terra de última geração (para os que pensam que é impossível isso acontecer, lembrem-se de Perejil há 2 ou 3 anos ou, então, das chatices que houve nos anos 90 entre os espanhóis e os canadianos ou nos anos 70 entre os ingleses e os islandeses por causa das pescas e de quão perto se esteve de a coisa ser a sério).
Título:
Enviado por: LM em Julho 04, 2007, 04:04:17 pm
Já agora: os unicos planos conhecidos dos restantes utlizadores de KD para "MLU" são os holandeses? E porquê a aposta no melhorar do radar de superfice (uma possibilidade é porque defesa AAW já eles têm e boa em outra classe)?

Como é comparavel o sistema de sonar das KD com os da VdG?
Título:
Enviado por: JMM em Julho 04, 2007, 06:09:26 pm
Quanto à questão dos radares de superfície, julgo que a questão deve ser a de terem que melhorar a capacidade de lidar com ameaças assimétricas em ambiente litoral (ver o que aconteceu ao Cole americano no Yémen). Sendo as LCF fragatas/destroyers AAW, são mais eficazes em águas abertas (tanto que a Marinha Holandesa vai equipar 2 com Tomahawk e outros dois com SM-3) e, além disso, não me parece que os holandeses queiram arriscar um navio de quase um bilião de euros (nomenclatura americana) em águas confinadas. Portanto, julgo que a ideia será a de utilizar as KD nesse ambiente. Digo eu, não sei...

Quanto aos sonares, embora o SQS510 das VdG seja equivalente (ou mesmo melhor) que o Thales PHS-36 das KD, estas têm vantagem ASW clara, já que têm um sonar passivo rebocado Thales DSBV 61. As VdG têm espaço para um, mas nunca foi instalado por questões (surpresa!) orçamentais.

Por outro lado, as VdG têm espaço para 2 Lynx (enquanto as KD só têm para um) mas raramente são embarcados ambos por (acertaram...) razões orçamentais! De qualquer modo, julgo que por razões políticas, tal como vamos ter que levar com os NH90 no GALE, também vamos acabar por substituir os Lynx por NFH90 e aí acho que as VdG só vão ter espaço (hangar e pista) para um porque o NFH90 é bem maior que o Lynx. Mais alguém tem este feeling?
Título:
Enviado por: lurker em Julho 04, 2007, 06:40:36 pm
Correcto, só cabe um NH-90 nas VdG e afigura-se que essa é a preferência da Marinha para a eventual substituição dos Lynx.
Título:
Enviado por: SSK em Julho 04, 2007, 10:51:35 pm
Não terei tanta a certeza relativamente à compra de NH-90 para as VDG's, ouve-se por vezes algumas conversas dissonantes, mas o futuro o dirá e estaremos cá para constatar...
Título:
Enviado por: lurker em Julho 04, 2007, 11:15:59 pm
Em coisas como estas, o futuro é sempre incerto. ;-)
Título:
Enviado por: luis filipe silva em Julho 05, 2007, 12:04:12 am
Eu sei que o pessoal gosta de "kitar" as Vasco da Gama com o melhor que há no mercado, e agora também já pensam em fazer o mesmo às Karel Doorman ainda antes de saírem do serviço na marinha holandesa.
Meus caros. Esqueçam os NHF 90 e contentem-se com mais dois Lynx.
Esqueçam grandes up grades nas VG. Talvez uma remotorização, up grade no Phalanx e o resto será actualização dos equipamentos existentes, tal como está a ser feito às Kortenaer gregas.
Não esqueçam que aliada à crónica falta de verbas, depois de 2010 temos a entrega dos NPO, dos NPC, o LPD e talvez o AOR, o que junto com a compra dos Pandur e outros equipamentos levará o orçamento da Armada por muitos anos.
Presentemente nenhuma marinha europeia efectua MLUs nos seus navios como os que vocês sonham: CEAFAR, ESSM, NHF 90, RAM.

ACORDEM!...
Título:
Enviado por: Luso em Julho 05, 2007, 12:08:44 am
Esta visão do Luís é bem realista.
NH-90? Para os dois ramos? Na...
Não me convencem.
Título:
Enviado por: SSK em Julho 05, 2007, 12:13:43 am
Citação de: "luis filipe silva"
Eu sei que o pessoal gosta de "kitar" as Vasco da Gama com o melhor que há no mercado, e agora também já pensam em fazer o mesmo às Karel Doorman ainda antes de saírem do serviço na marinha holandesa.
Meus caros. Esqueçam os NHF 90 e contentem-se com mais dois Lynx.
Esqueçam grandes up grades nas VG. Talvez uma remotorização, up grade no Phalanx e o resto será actualização dos equipamentos existentes, tal como está a ser feito às Kortenaer gregas.
Não esqueçam que aliada à crónica falta de verbas, depois de 2010 temos a entrega dos NPO, dos NPC, o LPD e talvez o AOR, o que junto com a compra dos Pandur e outros equipamentos levará o orçamento da Armada por muitos anos.
Presentemente nenhuma marinha europeia efectua MLUs nos seus navios como os que vocês sonham: CEAFAR, ESSM, NHF 90, RAM.

ACORDEM!...


Sem espinhas...

É esta a realidade, já se fala nisto na marinha à mais ou menos 3 anos e nada, e nada será... podem ter a certeza, a não ser o referido pelo Sr. Luis Silva. Os lynx a comprar fala-se no lynx 300
Título:
Enviado por: P44 em Julho 05, 2007, 08:03:37 am
Citação de: "SSK"
Citação de: "luis filipe silva"
Eu sei que o pessoal gosta de "kitar" as Vasco da Gama com o melhor que há no mercado, e agora também já pensam em fazer o mesmo às Karel Doorman ainda antes de saírem do serviço na marinha holandesa.
Meus caros. Esqueçam os NHF 90 e contentem-se com mais dois Lynx.
Esqueçam grandes up grades nas VG. Talvez uma remotorização, up grade no Phalanx e o resto será actualização dos equipamentos existentes, tal como está a ser feito às Kortenaer gregas.
Não esqueçam que aliada à crónica falta de verbas, depois de 2010 temos a entrega dos NPO, dos NPC, o LPD e talvez o AOR, o que junto com a compra dos Pandur e outros equipamentos levará o orçamento da Armada por muitos anos.
Presentemente nenhuma marinha europeia efectua MLUs nos seus navios como os que vocês sonham: CEAFAR, ESSM, NHF 90, RAM.

ACORDEM!...

Sem espinhas...

É esta a realidade, já se fala nisto na marinha à mais ou menos 3 anos e nada, e nada será... podem ter a certeza, a não ser o referido pelo Sr. Luis Silva. Os lynx a comprar fala-se no lynx 300


concordo 100% com o Luis.

A malta do Tunning precisa de se acalmar  c34x
Título:
Enviado por: JMM em Julho 05, 2007, 11:59:58 am
Atenção, que eu estava a especular sobre o que deveria ser feito. Aliás, mantenho o que disse: tenho o feeling que vai acontecer ao MLU das VdG o mesmo que aconteceu ao dos F-16! : :wink:

Finalmente só mais uma coisa: vão à LPM ver o que aconteceu aos 200 milhões para o LPD! Pode ser que esteja novamente enganado, mas esse deve ser outro a nunca vir, a não ser que entretanto alguém resolva vender um em segunda-mão!
Título:
Enviado por: P44 em Julho 05, 2007, 01:31:09 pm
caro JMM

o que aconteceu aos 200 milhões para o LPD :?:
Título:
Enviado por: Luso em Julho 05, 2007, 01:41:07 pm
Citação de: "P44"
caro JMM

o que aconteceu aos 200 milhões para o LPD :?:


... veio o Socas e...
- comeu-os!
Título:
Enviado por: JMM em Julho 05, 2007, 02:00:22 pm
Ora nem mais... Não era muito difícil de adivinhar, pois não?
Título:
Enviado por: luis filipe silva em Julho 05, 2007, 02:48:48 pm
JMM escreveu:
Citar
Quanto à questão das marinhas europeias não estarem a fazer upgrades como o sugerido, é um falso argumento. A verdadeira razão é muito simples: quem pode ou está a construir novos navios ou acabou de o fazer (Reino Unido, França, Holanda, Itália, Alemanha, Espanha, Dinamarca e Noruega) e não precisam. Claro que sobram os pobres (nós, os gregos e pouco mais)... Por outro lado, este upgrade com CEA-FAR está agora a ser iniciado na Austrália e é óbvio que ainda não poderia estar a ser implementado do lado de cá (e, já agora, também só nos interessaria a nós, aos gregos e aos turcos, que são quem tem Mekos na Europa).
Caro Jmm. Eu também tenho dias assim, em que escrevo com a ressaca do dia anterior. É o chamado "dia de poupar selos".
Nos países mecionados , quem é que fez um up grade como o que se preconiza para as VG, Ah e agora tmbém para as K.D. ?
Só a Noruega fez verdadeiros up grades nas suas fragatas da classe Dealey. MAIS NINGUÉM !....
Se tiver dúvidas informe-se. Quando finalmente se informar, verá de quem é o "falso argumento".

Citar
Assim ficámos na bonita situação de um potentado militar como nós ter que assegurar a cadeia logística de 4 helicópteros diferentes! Daí voltar a insistir neste ponto: não me admirava que lá para 2013-15 fosse decidido substituir os Lynx por NFH90, a bem da participação portuguesa na indústria de defesa europeia e da simplificação logística. Pode ser que esteja enganado

Mas eu acho que cada um tem a sua função, e o NH 90 não substitui o EH 101. Este é uma melhoria em relação ao Puma e ao NH 90.
Outra coisa a destacar, é que não se justifica por mais quinze anos (isso era o tempo que mediava entre se pensar nisso e a entrega) se mude do Lynx só porque o NH 90 está na moda. O Lynx continua a ser um heli válido para muitos países., e eu preconizo que se mude de heli quando se mudar de fragatas. E quase que lhe garanto que quando voltar a haver novas fragatas até o NHF 90 estará desactualizado.
No caso do ALL III ainda não existe um substituto para um heli ligeiro na FAP. Portanto terá de haver sempre dois ou três modelos diferentes de helicópteros.
Estava-me a faltar algo(não era um  chocolate). O CEA-FAR não foi concebido em exclusivo para as ANZAC, que pelos vistos nunca mais estão 100% operacionais. Hoje compra-se isto, amanhã aquilo, e quando estiverem completas são desarmadas e abatidas.
Título:
Enviado por: Lancero em Julho 05, 2007, 02:59:43 pm
Faço a pergunta que já aqui foi feita pelo P44. Que novidade há em relação à LPM e o Navio Polivalente Logístico?

Recordo que na última revisão da LPM (http://http) uma série de programas de equipamento saíram dos ramos e foram atribuidos ao próprio Ministério da Defesa, que conta com 1,7 mil milhões de euros para gestão de "capacidades conjuntas".
O que ouvi na altura é que a renovação dos C-130, o Navio Polivalente Logístico, helicópteros e Pandur constavam nesse item.
Título:
Enviado por: JMM em Julho 05, 2007, 03:06:59 pm
Caro Luis,

Talvez eu não me tivesse explicado bem, mas o ponto é exactamente esse. As Marinhas, quando possível, não fazem MLUs. No entanto, essa será a unica solução realista para os pobres, i.e., nós, terem uma Marinha minimamente decente (já não digo moderna). Aliás, sucedem-se indicações de que a maré estará a mudar, mesmo nas maiores Marinhas. Por exemplo e para o citar, "se se informar bem":

a) A Royal Navy está a estudar um Capability Upgrade Programme para as Type 23, exactamente porque não tem dinheiro para as substitur! Claro que eles estão a tentar ter dois Porta-aviões e a construir os Type45 e os Astute, mas o dinheiro não chega para tudo. Eles também gostavam de substituir as Type 23 por novas multimissão, mas vão ter que se ficar pelo CUP.

b) A França, para ter as FREMM, o PA2 e uma força submarina moderna, abdicou dos dois últimos Horizon e está a estudar a hipótese de fazer um MLU aos Cassard (substituindo o SM-1 pelo SM-2 ou Aster 30) enquanto não chegam duas fragatas FREMM AAW, lá para 2020.

c) A Espanha está a modernizar as Santa Maria, para poder manter uma força de 12 fragatas.

Mesmo para estas Marinhas acabou o tempo das "vacas gordas" e desconfio que mais programas deste tipo se seguirão.

Quanto aos helis, volto a dizer: é apenas e só um feeling que pode perfeitamente estar errado. O tempo o dirá...
Título:
Enviado por: luis filipe silva em Julho 05, 2007, 03:08:11 pm
Lancero escreveu:
Citar
Faço a pergunta que já aqui foi feita pelo P44. Que novidade há em relação à LPM e o Navio Polivalente Logístico?

EUROSTAT????
Primeiro faltam os MPO, NCP, NPC. ao há nada urgente que não posso esperar vinte anos c34x
Título:
Enviado por: LM em Julho 05, 2007, 03:08:11 pm
Estive a rever o meu post inicial e não me parece de todo impossível para as nossas finanças fazer:

a) “Chapa/pintura” e revisão mecânica
b) “Upgrade” software de uma forma geral
c) “Upgrade” e/ou harmonização entre as classes do C3 (SIC, comunicações, etc)

O passo seguinte seria melhorar (não um novo ou quase, apenas melhorar...) o radar aviso combinado...

E, finalmente, a minha duvida: quanto custa colocar ESSM em 2 das fragatas (as KD, por ex)? O custo é "apenas" a compra dos ditos misseis (e esse apenas é quanto €€?) ou implica muito mais?

E não vai haver hipoteses para nada mais (tirando compra de Lynx extra...).
Título:
Enviado por: Lancero em Julho 05, 2007, 03:12:56 pm
Citação de: "luis filipe silva"
Lancero escreveu:
Citar
Faço a pergunta que já aqui foi feita pelo P44. Que novidade há em relação à LPM e o Navio Polivalente Logístico?
EUROSTAT????
Primeiro faltam os MPO, NCP, NPC. ao há nada urgente que não posso esperar vinte anos c34x


Pois, mas é ao ler que os 200 milhões tinham desaparecido pensei que teria havido uma revisão extraordinária e secreta à LPM.
Os fundos estão lá para "gestão" do ministério. Isso vale o que vale, claro. Pode ir do 8 (pronto em 2030) ao 80 (começar amanhã a construção), embora eu ache que irá ficar pelo 4. |:
Título:
Enviado por: JMM em Julho 05, 2007, 03:25:20 pm
Caro Lancero,

Que eu saiba, na LPM revista estão previstos 609 milhões de euros para as duas classes de patrulhas e também com o MLU das VdG e,e ventualmente, das KD (daí eu ter voltado a este Tópico há alguns dias, que estava um pouco adormecido).

Entretanto, desapareceram 237 milhões anteriormente previstos para o Navio Polivalente Logístico, não sendo claro para mim se pura e simplesmente se desvaneceram, se foram retiradas à Armada para serem incluídas nas verbas das capacidades conjuntas ou se, ainda, o navio passou a deixar de ser considerado uma unidade naval da Armada para passar a ser um navio de apoio logístico geral de características eminentemente civis (o que reduziria o custo para cerca de 50-100 milhões e, portanto, não é incompatível, antes pelo contrário, com a segunda hipótese).

Ainda relativamente ao MLU das fragatas, proponho que se faça o seguinte raciocínio inverso (perdoem-me, mas sou Engenheiro e temos tendência a pensar assim): Assumindo que os 609 milhões são mesmo para gastar (não vale rirem-se...), quanto é que custam os patrulhas (ambas as classes)? Porque sabendo que a aquisição das KD vai custar cerca de 250 milhões, se somarmos o valor dos patrulhas e retirarmos o total aos 609 milhões, ficamos com o dinheiro disponível para gastar no MLU das fragatas. Só preciso de saber quanto vão custar os patrulhas; alguém pode ajudar?
Título:
Enviado por: luis filipe silva em Julho 05, 2007, 03:41:12 pm
JMM escreveu:
Citar
Ainda relativamente ao MLU das fragatas, proponho que se faça o seguinte raciocínio inverso (perdoem-me, mas sou Engenheiro e temos tendência a pensar assim):
Não me diga que foi colega do Zé na Independente :lol:
(desculpe mas não resisti)

 
Citar
Assumindo que os 609 milhões são mesmo para gastar (não vale rirem-se...), quanto é que custam os patrulhas (ambas as classes)? Porque sabendo que a aquisição das KD vai custar cerca de 250 milhões, se somarmos o valor dos patrulhas e retirarmos o total aos 609 milhões, ficamos com o dinheiro disponível para gastar no MLU das fragatas. Só preciso de saber quanto vão custar os patrulhas; alguém pode ajudar?

Com tantos atrazos todos gostaríamos de saber quantos os "porta Bofors" vão custar. E atenção que havia verbas cativas.
Título:
Enviado por: PereiraMarques em Julho 05, 2007, 03:43:52 pm
E estará inscrito na Ordem, como o Mário "Borracheiras" Lino? :rir:
Título:
Enviado por: JMM em Julho 05, 2007, 03:45:41 pm
Epá, insultar não vale c34x )

Um abraço
Título:
Enviado por: JMM em Julho 05, 2007, 03:47:10 pm
Pronto, agora vai tudo começar a gozar comigo, é? Quantos são? :lol:
Título:
Enviado por: SSK em Julho 05, 2007, 06:29:43 pm
Há coisas que hoje em dia não se podem confessar, nem na sacristia... :?  :?
Título:
Enviado por: Luso em Julho 05, 2007, 08:01:05 pm
Citação de: "SSK"
Há coisas que hoje em dia não se podem confessar, nem na sacristia... :?  :?


Ora essa, SSK: esta casa é sua! :mrgreen:
Título:
Enviado por: SSK em Julho 05, 2007, 08:26:46 pm
Nunca se sabe caro Luso, pode haver pessoal que dá bufas... :?
Título:
Enviado por: PereiraMarques em Julho 05, 2007, 09:26:38 pm
Citação de: "SSK"
Nunca se sabe caro Luso, pode haver pessoal que dá bufas... :?


Então aproveita-se o gás metano como combustivel alternativo...
Título:
Enviado por: LM em Janeiro 20, 2008, 01:34:38 am
Andava a rever a matéria neste "velho" tópico e surgiu uma duvida:

Quais as diferenças entre os radares das VdG vs BartD (DA08 vs LW08 / MW08 vs SMART S)? Eu sei que é um detalhe, mas Deus está nos detalhes...

A minha curiosidade é reforçada pelo facto de serem todos do mesmo fabricante - para quê ter equipamentos de segmentos semelhantes no seu catalogo, se não houver diferenças qualitativas relevantes...?

Já agora, o unico plano a este nível de "upgrade" nas M Belga-Holandesas é o SMART S? Nada sobre uma instalação de algo tipo SEAPAR...?
Título:
Enviado por: P44 em Janeiro 21, 2008, 08:21:55 am
Boas LM

Em relação ao MLU das M Holandesas podes encontrar infos aqui:
http://www.dutchfleet.net/viewtopic.php?f=40&t=11234 (http://www.dutchfleet.net/viewtopic.php?f=40&t=11234)

Fala-se que vão instalar o SEAPAR , que ficará "inclausurado" no mastro principal.

Mas também escreveram que o SMART-S se manterá

Está lá este desenho mas não tem o SMART-S...
(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fimg84.imageshack.us%2Fimg84%2F5968%2Fnaamloosgb5.jpg&hash=2fae18c1a73ffae143e204d274d82c86)
Título:
Enviado por: Luso em Janeiro 21, 2008, 10:09:39 am
Citação de: "P44"
Em relação ao MLU das M Holandesas podes encontrar infos aqui:
http://www.dutchfleet.net/viewtopic.php?f=40&t=11234 (http://www.dutchfleet.net/viewtopic.php?f=40&t=11234)


O Pedro é que poderia fazer "espionagem" aqui para a malta uma vez que ele perceberá a língua...
Título:
Enviado por: ShadIntel em Janeiro 21, 2008, 12:57:52 pm
Citação de: "Luso"
O Pedro é que poderia fazer "espionagem" aqui para a malta uma vez que ele perceberá a língua...

 :amazing: Não diga coisas dessas ! O Pedro é capaz de levar a sério, e depois o Luso há-de sentir-se culpado se o miúdo for preso...
Título:
Enviado por: pedro em Janeiro 21, 2008, 02:23:17 pm
Poderia fazer com tudo o gosto pena que o link me da genral error.
Eu nao  so parvo para que o IVD me venha prender.
Cumprimentos :wink:
Título:
Enviado por: Luso em Janeiro 21, 2008, 02:25:20 pm
Está feito: o Pedro é agora o "Coordenador de Estudos Neerlandeses" do FD. Ao trabalho, juventude! :wink:
Título:
Enviado por: pedro em Janeiro 21, 2008, 02:32:37 pm
Ok eu agora tenho exames esta semana para a semana eu ja vou dar umas olhadelas por ai. :twisted:
Cumprimentos
Título:
Enviado por: P44 em Janeiro 21, 2008, 03:38:05 pm
Citação de: "pedro"
Poderia fazer com tudo o gosto pena que o link me da genral error.
Eu nao  so parvo para que o IVD me venha prender.
Cumprimentos :wink:

Citar
Ok eu agora tenho exames esta semana para a semana eu ja vou dar umas olhadelas por ai.


depois avisa para onde mandar o bolo com a lima lá dentro :oops:
Título:
Enviado por: pedro em Janeiro 21, 2008, 05:03:47 pm
Se Deus quer eu vou ter bons resultados.
 :roll:
Título:
Enviado por: P44 em Janeiro 22, 2008, 10:37:48 am
MLU Smart-S + Seapar + Convés /Hangar NH90

(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fimg143.imageshack.us%2Fimg143%2F1572%2Fnlffmkareldoorman2tlwjq4.gif&hash=9bed0099b057759307022cef99d446e9)
Título:
Enviado por: FS em Janeiro 22, 2008, 12:56:48 pm
Enquanto o Pedro estuda, aqui vai uma traducao do link acima. Mas atencao que a fonte nao e 100% segura. Este upgrade deve de ser feito em 2010-2012 (em alguns casos e mencionado 2009-2010).


O que e muito curioso e que no MLU das M a uma lista muito longa de melhoramentos no sistema de agua doce!!! :shock:


- vervanging Reverse-osmose units (zoetwatermakers);
Substituicao das unidades de reverse-osmose (producao de agua doce)

- aanpassing drinkwatersysteem;
adaptacao do sitema de agua doce (beber)

- uitbreiding koudwatermakercapaciteit door vervanging of aanpassing;
expandir a capacidade de producao de agua fria

O resto da traducao:


- de Seastar radar erbij in de voormast, SMART-S blijft in huidige vorm behouden;

Seastar no mastro da vante, SMART-s sem alteracao (como ja foi dito)

- een nieuwe EOV-suite ter vervanging van de APECS-II installatie;

Novo EOV-suite (EOV ????????) para o APEC-II


- vervanging van het gehele CMS (beeldkasten en computers van commandocentrale);

Substituicao completa do CMS (sera command and control????)

- vervanging van het communicatie netwerk FOCON (is nog optioneel, maar in onderzoek);
 Substituicao do sistema de comunicacao (communications network) FOCON (opcional mas a ser estudada)


Het vervangen van de PHS-36 sonar wordt niet genoemd, maar wel een upgrade (zal wel het transducer-deel zijn).
Upgrade do PHS-36 sonar ( sem substituicao)

Over Goalkeeper geen nieuws, net zo min als over de NSS missiles.
Desconhece-se a situacao do Goalkeeper e dos misseis NSS


De vervanging van Anaconda door een ander gesleepte sonar is een aparte project en geen onderdeel van het IP.

Substituicao do Sonar (de arrasto) Anaconda nao faz parte do projecto MLU. Mas acho que esta programado.

Como tambem ja foi dito vao modificar o hangar para os NH90.
Título:
Enviado por: Duarte em Janeiro 22, 2008, 06:01:56 pm
O upgrade mais importante será o aumento (ou instalação destes, se ainda não existem..) dos tanques de armazenamento de vinho  :lol:
Título:
Enviado por: ShadIntel em Janeiro 22, 2008, 06:13:46 pm
Citação de: "Duarte"
O upgrade mais importante será o aumento (ou instalação destes, se ainda não existem..) dos tanques de armazenamento de vinho  :D

(Desde que não sejam os ENVC a fazer a conversão, ou o vinho fica azedo antes de terem acabado...)
Título:
Enviado por: FS em Janeiro 22, 2008, 06:35:42 pm
shhhh!

Esses upgrades sao ultra secretos!!!!!!

 :lol:
Título:
Enviado por: antoninho em Janeiro 22, 2008, 08:54:48 pm
Já não são tanques, é aqueles pacotões de vinho....
Título:
Enviado por: P44 em Abril 10, 2008, 03:18:44 pm
olhem os turcos

...

Citar
Turkey - MK 41 Vertical Launch Systems
   

   
(Source: US Defense Security Cooperation Agency; issued April 8, 2008)
 
 
   
   WASHINGTON --- On April 4, 2008, the Defense Security Cooperation Agency notified Congress of a possible Foreign Military Sale to Turkey of MK 41 Vertical Launch Systems as well as associated equipment and services.  
 
The total value, if all options are exercised, could be as high as $227 million.  
 
The Government of Turkey has requested a possible sale of six MK 41 Vertical Launch System (VLS) Baseline VII tactical modules and two sets of MK 41 VLS upgrade kits to modernize two MEKO Track IIA frigates, four ex-Perry Class FFG Frigates and to upgrade two MEKO Track IIB MK-41 VLS from baseline IV to baseline VII configuration.
 
Included with the MK 41 VLS are the ship’s fire control system upgrades to allow for Evolved Sea Sparrow Missile capability, installation and testing, U.S. Government and contractor engineering and logistics personnel services, equipment operation and maintenance, personnel training and training equipment, support and test equipment, spare and repair parts, publications and technical documentation, launch system software development and maintenance and other related elements of logistics support. The estimated cost is $227 million.  
 
Turkey is a partner of the United States in ensuring peace and stability in the region. It is vital to the U.S. national interest to assist our North Atlantic Treaty Organization (NATO) Ally in developing and maintaining a strong and ready self-defense capability that will contribute to an acceptable military balance in the area. This proposed sale is consistent with those objectives.  
 
The proposed sale of Vertical Launch Systems to Turkey will contribute to U.S. security objectives by improving the Turkish Navy’s ability to contribute to coalition and NATO operations and the Global War on Terrorism, and coalition operations such as United Nations Interim Force in Lebanon and BLACKSEAFOR in the Black Sea and Eastern Mediterranean regions. The proven reliability and compatibility of like systems in association with numerous platforms will foster increased interoperability with U.S., NATO and coalition forces, and expand regional defenses to counter common threats to border and shipping assets in the region. The Turkish Navy can easily integrate this system capability into its concept of operations and will have no difficulty absorbing these systems into its armed forces.  
 
The proposed sale of this equipment and support will not affect the basic military balance in the region.  
 
The principal contractor will be Lockheed Martin Maritime Systems and Sensors of Baltimore, Maryland, and Moorestown, New Jersey. There are no known offset agreements proposed in connection with this potential sale.  
 
Implementation of this proposed sale will not require the assignment of any additional U.S. Government representatives or contractor representatives to Turkey.  
 
There will be no adverse impact on U.S. defense readiness as a result of this proposed sale.  
 
This notice of a potential sale is required by law; it does not mean that the sale has been concluded.  
 
-ends-  


fonte:
www.defense-aerospace.com (http://www.defense-aerospace.com)

6 sistemas VLS Completos + 2 Kits de modernização = 227 M U$...

Ficaria por quanto cada sistema????se fossem só 6 sistemas seria ~37.8 M por sistema, portanto seria menos...uns 30-35 M por unidade???
Título:
Enviado por: luis filipe silva em Abril 10, 2008, 11:23:59 pm
Amigo P 44.
Não leves isto como um ataque pessoal, porque não o é.
A Turqiua tem: A Grécia, o Bósforo, o PKK, a Ucrania/Russia, pena de morte. Não tem O PSD, PCP/ Os Verdes a Quercus, o PS, O Mário Soares.
Nós temos: o PCP/Verdes, o Mário Soares, Mário Lino, PSD, PS, Saramago, e outros parasitas da identidade nacional. Achas que é dificil entender? Esqueci-me do rendimento mínimo para africanos e ciganos que não contribuem para o crescimento do País, e do subsidio de integração para politicos e gestores. Ah e falta a pena de morte!.....
E por ultimo, espero que a minha resposta não volte a ser apagada "por engano".
Título:
Enviado por: P44 em Abril 11, 2008, 08:55:41 am
Citação de: "luis filipe silva"
Amigo P 44.
Não leves isto como um ataque pessoal, porque não o é.
A Turqiua tem: A Grécia, o Bósforo, o PKK, a Ucrania/Russia, pena de morte. Não tem O PSD, PCP/ Os Verdes a Quercus, o PS, O Mário Soares.
Nós temos: o PCP/Verdes, o Mário Soares, Mário Lino, PSD, PS, Saramago, e outros parasitas da identidade nacional. Achas que é dificil entender? Esqueci-me do rendimento mínimo para africanos e ciganos que não contribuem para o crescimento do País, e do subsidio de integração para politicos e gestores. Ah e falta a pena de morte!.....
E por ultimo, espero que a minha resposta não volte a ser apagada "por engano".


porque é que haveria de levar a mal?

Mas nós temos os Pérfidos Castelhanos :!: ...e os Mouros de marrocos, carago!

comparados com eles, essa lista de malta aí acima são todos meninos de coro c34x
Título:
Enviado por: Instrutor em Abril 11, 2008, 10:18:23 am
Apoiado Luis Filipe tens o meu apoio a 100%, em vez do nosso governo se preocupar com o bem estar e segurança dos portugueses  tem de construir pontes aeroportos tgv boas reformas para os políticos com apenas alguns anos de serviço enquanto um desgraçado trabalha até aos 65 anos para ter 80% de uma mísera reforma... e o mais gritante andam os portugueses a fazerem uma vida descontos para terem direito a essa pequena reforma para o nosso querido gorverno ou melhor desgovernos andar a dar o rendimento mínimo a parasitas da sociedade que nao fazem nenhum e nao sou racista longe disso mas temos de ter os olhos bem abertos anda a dar o nosso ganha pao aos ciganos e africanos que nao fazem nenhum. É por isso que temos as forças armadas que temos, que nem o terreiro do paço conseguem defender quanto mais o país e ilhas, que vergonha meus senhores. o nosso querido governo prefere dar o dinheiro a ciganos e africanos do que melhorar a qualidade de vida dos portugueses. o que vale é que o mandato acaba para o ano....
Título:
Enviado por: papatango em Abril 11, 2008, 11:53:59 am
Creio que os turcos, prevêem combates a distâncias relativamente curtas próximos à costa.
Acredito que, por essa razão eles não utilizam radares e sistemas de controlo de tiro mais eficientes.

Uma fragata da classe Barbaros (e não devemos esquecer que a Turquia já tem duas fragatas MEKO equipadas com o lançador MK-41) não me parece ter uma capacidade militar muito superior a uma fragata Karel Doorman.

Pelo menos tendo em consideração os equipamentos que oficialmente sabemos que elas transportam.

Em principio a principal diferença, será a capacidade para disparar contra mísseis anti-navio que o ESSM tem relativamente ao Sea-Sparrow. E essa capacidade, está disponível nas futuras fragatas Bartolomeu Dias.
A questão é se em águas oceânicas, existe alguma vantagem nisso.
O problema continua sempre a ser o controlo dos mísseis e a quantidade de mísseis que podem ser lançados (e controlados) simultaneamente.
Título:
Enviado por: P44 em Maio 20, 2008, 02:31:28 pm
a titulo informativo, modernização das Meko 200 NZ

Citar
Navy warships to get upgrades

The navy's two warships are about to get sharper teeth to fight off attacks by small surface craft.

The Phalanx quick-fire Gatling gun on the Anzac frigates, HMNZS Te Kaha and HMNZS Te Mana, can fire up to 4500 rounds of 20mm ammunition a minute but only at anti-ship missiles and strike aircraft and not at small boats.

The navy is spending $25 million to upgrade the computer-controlled, radar-guided guns so they can also fire at small craft, such as speed boats or jetskis which may come in fast to attack the ships.

"If you have got a guy coming on a jetski or the like, wishing to do some damage to the ship, the Phalanx can be used to account for that," said navy spokesman Commander Keith Gilchrist.

He said the age of the existing Phalanx guns on the frigates was also a factor and meant they "might be challenged a little bit" against some of the high-performance airborne threats it could face.

The navy is also gearing up to spend up to $500 million or more on upgrading the self-defence systems on the two frigates and a further $60 million on a platform systems upgrade as part of the mid life upgrades of the two ships.

The platform systems upgrade, which does not include the combat systems on the ship, was likely to begin next year and be completed in 2010.

It could include propulsion equipment such as gearboxes and engines, air conditioning units, generating equipment, main machinery control equipment and computers which monitor the ship and its main components.

The self-defence upgrade was likely to start in four or five years and included a wide range of combat systems on the two frigates.

"The self-defence upgrade is about upgrading the self-defence system and the sensing systems on the ship to enable it to go into areas against a threat that has perhaps changed from when the ships were originally conceived and built.

"We are not aiming to do anything different from what the ships can do already. We are looking to retain a similar mix of weapons and sensors but the sensors will be 21st century sensors rather than 1990 sensors which we acquired when the ship was built."

He said the systems would also be enhanced to deal with different threats the ships were likely to now encounter.

"As technology changes everyone moves up a gear and therefore, the level of threat the ships might encounter is different to what it was."

In the long term development plan, the Defence Force said the frigates were critical in the protection of New Zealand and Australian territorial sovereignty, for participating in Five Power Defence Arrangements, for supporting New Zealand's relationships with regional partners, and for peace support operations in the Asia Pacific region and beyond.

Those environments contained significantly higher threats to ships than in New Zealand's immediate area, including sub-surface threats. The plan said by 2010 the frigate's self-defence systems would become increasingly ineffective and to continue to operate in those areas would carry serious risks. Within two years the design of the self-defence systems on the frigates would be nearly 25 years old, and would become increasingly difficult and expensive to support, the plan said.

http://nz.news.yahoo.com/080516/3/5gaf.html

(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fimg.scoop.co.nz%2Fstories%2Fimages%2F0211%2F1d8a1997c29fdfd6b255.jpeg&hash=08ea16b6bd6316119de7de2de33b3a6b)
Título:
Enviado por: ruben lopes em Junho 21, 2008, 10:28:20 pm
acho que a modernização das vdg e das kd, deveria compor o seguinte:

- a substituição dos misseis sea sparrow pelos evoled sea sparrow

e

- e a substituição do sistemas CWIS e Goalkeeper, pelo sistema RAM, que é sistema anti-missil mais moderno.
Título:
Enviado por: Johnny em Agosto 02, 2008, 08:45:00 pm
ARSENAL DO ALFEITE REFORÇA CAPACIDADE DE INTERVENÇÃO NAS FRAGATAS "VASCO DA GAMA"
 

l Na sequência do projecto de modernização do sistema Phalanx, nos três navios da classe “Vasco da Gama” para a versão “Block 1B”, realizou-se no passado mês de Janeiro, a recertificação da IMA – (“Intermediate Maintenance Activities”) sediada no Arsenal do Alfeite.

A Direcção de Navios, como entidade responsável pela configuração do Sistema Phalanx, integrou no processo de modernização a recertificação da IMA, garantindo a continuidade da capacidade de manutenção, por parte do Arsenal do Alfeite.

A certificação de competências e das instalações visa sobretudo garantir uma resposta eficiente na manutenção do Phalanx, maximizando o tempo de operacionalidade dos sistemas.

Esta acção criou condições para que a equipa técnica do Arsenal do Alfeite ficasse habilitada a efectuar o mesmo tipo de intervenção, nos sistemas instalados nos navios da NATO, sempre que estes o requeiram.


 
(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fwww.marinha.pt%2Fextra%2Frevista%2Fra_ago2008%2Fpag29_2.jpg&hash=d941640081fdbf2effc0b768ab20fa95)
(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fwww.marinha.pt%2Fextra%2Frevista%2Fra_ago2008%2Fpag29_3.jpg&hash=c90ff86399b1587f1eaa406e89544de3)


A recertificação realizou-se no período de 7 a 18 de Janeiro de 2008, na Divisão de Armamento do Arsenal do Alfeite, teve a participação, dos elementos da secção de Sistemas de Defesa Próxima (CIWS), e do pessoal técnico das guarnições dos três navios da classe “Vasco da Gama”.

http://www.marinha.pt/revista/index.asp ... fault.html (http://www.marinha.pt/revista/index.asp?revista=ra_ago2008/default.html)
Título:
Enviado por: P44 em Agosto 25, 2008, 01:41:20 pm
(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fwww.defence.gov.au%2Fmedia%2Fdownload%2F2005%2FSep%2F20050909a%2F2005_S1401_04_lo.jpg&hash=12e3eb9bf4dcf7ca3440894004d5c56a)
"In completing this testing CEA has taken a significant step towards finalising the evolution of its fourth generation digital active array radar. This development commenced following trials onboard HMAS ARUNTA in 2004. The first two deliverable systems are currently in production at CEA’s facilities and are due for delivery in December 2009, with system level grooming and integration commencing in 2008."
http://www.cea.com.au/news_media/pdfs/2 ... 9Dec07.pdf (http://www.cea.com.au/news_media/pdfs/2007/CEAFAR_Media_Release_19Dec07.pdf)

"The expected delivery date for the first of class is june 2011"
http://www.cea.com.au/news_media/pdfs/2 ... n%2008.pdf (http://www.cea.com.au/news_media/pdfs/2008/CEAFAR-ADM-Dec%2007%20Jan%2008.pdf)

(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Ficc.skku.ac.kr%2F%7Eyeoupx%2FANZAC.files%2Fimage007.jpg&hash=795734a8d2dbc68275b5594b97bfdd1c)
(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fwww.defence.gov.au%2Fmedia%2Fdownload%2F2005%2FSep%2F20050909a%2F2005_S1401_01_lo.jpg&hash=a6c78bec4cdc287db42707b86ab8dcd4)
Título:
Enviado por: jmg em Agosto 26, 2008, 12:34:06 pm
Desculpe a incúria, mas o ceafar é um radar de auto defesa?
Título:
Enviado por: P44 em Agosto 26, 2008, 01:21:39 pm
Citação de: "jmg"
Desculpe a incúria, mas o ceafar é um radar de auto defesa?

acho que é uma espécie de AEGIS em ponto pequeno

Citar
CEAFAR Radar is a fixed, active phased-array 3D radar incorporating latest technologies to provide unrivalled performance, at a price that is competitive with modern 2D radars.

The CEAFAR system is available in a number of configurations to meet operational, physical and budgetary requirements. CEAFAR is suitable for use in a range of military and civil applications including ship self defence, ground surveillance radar (GSR) and air traffic control.

The CEAFAR system is fully coherent, modular, programmable and scaleable, with the smallest configuration being man portable and the largest suitable for shipboard or fixed-site applications.

The CEAFAR antenna array is a static, modular active antenna that uses discrete antenna tiles as the basic building block. Tiles are nominally available as an 8x8 array to provide full 3D capability. Optionally, a 32x2 array is available for high resolution 2D requirements such as man-portable GSR or coastal surveillance systems.


http://www.defence.gov.au/teamaustralia ... ased_array (http://www.defence.gov.au/teamaustralia/radar_(CEAFAR_active_phased_array)).htm
Título:
Enviado por: luis filipe silva em Agosto 26, 2008, 01:35:16 pm
http://www.areamilitar.net/noticias/not ... x?nrnot=82 (http://www.areamilitar.net/noticias/noticias.aspx?nrnot=82)

http://www.saabsystems.com.au/brochures ... arfare.pdf (http://www.saabsystems.com.au/brochures/naval/adv-airwarfare.pdf)

O CEAFAR é um radar estático tridimensional.
O AEGIS é um sistema integrado de combate e o radar o SPY 1D
Título:
Enviado por: JMM em Agosto 27, 2008, 04:34:40 pm
Ainda a respeito do CEAFAR, já há muito tempo que acho que esta é a resposta mais acertada tecnicamente para o MLU das VdG e para a aquisição a um preço relativamente baixo de uma capacidade de defesa de área.

Embora saiba que tal nunca acontecerá em Portugal por motivos financeiros e pelo desprezo que as chamadas "elites políticas e sociais" têm pelas FA, imaginem que avançamos 10 anos para o ano 2018 e as unidades de combate da Armada são:

- 2 submarinos da classe "Tridente" com Sub-Harpoon além de torpedos.
- 2 Fragatas Bartolomeu Dias modernizadas para luta ASW, com sonar rebocado activo de muito baixa frequência e 32 mísseis ESSM nos lançadores MK48 ao invés de 16 NATO Seasparrow, juntamente com os respectivos radares de tiro modernizados e um helicóptero FutureLynx ou NH-90.
- 3 Fragatas Vasco da Gama modernizadas e adaptadas para luta AAW equipadas com CEAFAR, 32 mísseis ESSM montados num lançador óctuplo MK41 de auto-defesa na vante (sempre estiveram preparadas para tal), 16 mísseis SM-2 em dois lançadores óctuplos MK41 montados no lugar do lançador MK29 de NATO Seasparrow e um helicóptero FutureLynx ou NH-90.
- 1 NAvPol.

Era bom não era? Sonhar não custa...

Saudações
Título:
Enviado por: HSMW em Agosto 27, 2008, 04:46:05 pm
Ainda haverá combustível para as manter no mar em 2018?
Título:
Enviado por: LM em Setembro 09, 2008, 04:48:43 pm
Talvez vá perguntar o obvio... mas o CEAFAR substitui qual radar na VdG, o DA08 (e STIR 180 no lançamento de ESSM)...? E substituir aqui implica remover fisicamente?
Título:
Enviado por: MoisésPMagalhães em Setembro 13, 2008, 11:48:47 pm
JMM Concordo com a sua visão previsível, a 10 anos da nossa Marinha, no entanto,essa mesma deveria estar a ser implementada no presente, o que infelizmente não está acontecer, no futuro próximo, já deveriamos pensar em unidades navais do tipo DE ZEVEN PROVINCIEN ou SACHSEN, que nos daríam uma real capacidade de dissuasão e protecção da nossa ZEE e garantir uma presença naval musculada no triângulo estratégico Continente Açores e Madeira, mais ainda, a nossa posição seria de certo modo igualável aos nossos vizinhos castelhanos, que como sempre, em relação ao nosso mar, nos espreitam e atentam.

Cumprimentos,
Título:
Enviado por: LM em Outubro 19, 2008, 12:44:26 am
Dúvida: o MK48 Mod1 das "Bartolomeu Dias" podem levar Aster 15? E os sensores podem ser compatibilizados com o mesmo custo se fosse para os ESSM?
Título:
Enviado por: Sintra em Outubro 20, 2008, 11:22:58 am
1º Não, o MK48 é completamente incompativel com armas da familia ASTER

2º HMMMM? Qual é mesmo a pergunta?  "Napercebi"! :wink:
Título:
Enviado por: LM em Outubro 20, 2008, 12:56:15 pm
Citação de: "Sintra"
1º Não, o MK48 é completamente incompativel com armas da familia ASTER

2º HMMMM? Qual é mesmo a pergunta?  "Napercebi"! :wink:


Se a 1ª questão tivesse uma resposta positiva era para saber se os custos de integração do Aster com os sensores/sistema existente na BD seria consideravel, quando comparado com a opção ESSM.

Tudo porque as VdG podem nunca vir a ter um MLU digno desse nome e daqui a 15 anos algo tem que ser comprado...

Obrigado pela resposta Sintra :wink:
Título:
Enviado por: P44 em Dezembro 02, 2008, 11:18:23 am
Mekos Neo-Zelandezas recebem novos motores

Citar
Newzealand navy

Navy warships to get new engines


The navy's two Anzac frigates are about to get new main engines as part of their mid-life upgrade.

The first of the warships, HMNZS Te Kaha, was launched in Melbourne in 1995 and commissioned into the navy two years later.

Its sister ship HMNZS Te Mana, was launched in 1997 and commissioned in Tauranga in 1999.

Both ships were fitted with two gas turbines similar to those fitted to Boeing 747 aircraft, and two diesel engines, giving them a top speed of close to 30 knots.

Four new engines for the two ships were due to arrive in Auckland at the Devonport Naval Base this week.

The new engines would cost $7 million for each ship when they were fitted, said Captain Fred Keating, assistant chief of navy (capability).

He said the new engines would give better performance and fuel economy at up to 18 or 19 knots until the gas turbines kicked in for high-speed runs.

He said in the 10 years since the 3600-tonne ships were commissioned they had "grown" by up to two tonnes a year as more capability was added.

"That is extra weight we have to move."

Some parts from the old engines would be canibalised for the new engines. The old engine carcasses had a high residual value and would be sold, he said. Te Kaha would be fitted with new engines in a 16-week refit in the middle of next year and Te Mana would follow.

To get the new engines into the engine rooms the Seasparrow missiles behind the funnel would be removed.

He said with only two frigates the navy had to balance availability with defence demands.



http://nz.news.yahoo.com/a/-/top-storie ... w-engines/ (http://nz.news.yahoo.com/a/-/top-stories/5182301/navy-warships-to-get-new-engines/)

(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fwww.navy.mil.nz%2Fnr%2Frdonlyres%2F474eeee3-261d-4868-8308-ff8f54484958%2F0%2Ftekjun05wemetrials.jpg&hash=907aaa0db510dab02641a95b8d469e08)
Título:
Enviado por: LM em Janeiro 28, 2009, 05:24:01 pm
Alguem tem uma ideia de quanto seria o custo de instalação de ESSM nas BD...? E esse custo seria fundamentalmente a compra dos misseis ou os custos de integração/ alteração de sensores/sistemas é consideravel?
Título:
Enviado por: P44 em Fevereiro 07, 2009, 11:35:58 am
Thales to modernize Netherlands' M-Frigates radar suite

(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fwww.defpro.com%2Fdata%2Fgfx%2Fnews%2F6b96ffb7187dd18a319b66db14b4235a60236283_big.jpg&hash=a5c2ab5ec29fb09f7a86dbef19c5deb2)

14:07 GMT, February 6, 2009 The Netherlands' Defence Materiel Organization and Thales Nederland signed a contract for the delivery of SEASTAR and GATEKEEPER sensors that are to be installed on the two multi-purpose M-class frigates of the Royal Netherlands Navy (RNLN).

The modernization will take place in 2011 and 2012 in the scope of the M-frigates' upkeep program. Simultaneously, a contract was signed for the delivery of a GATEKEEPER system that will be installed on the LPD Johan de Witt.

The M-Class frigates were introduced in the nineties and were intended for air defence and submarine warfare in the Atlantic. However, these ships are deployed mainly in littoral waters to counter frontier-running, pollution, drugs trafficking and piracy. The SEASTAR and GATEKEEPER sensors provide the vessels with the capability to detect the small targets encountered in such situations. The two new sensors will be matched with the tried-and-true SMART-S surveillance radar and the STIR weapon control radar that are on board of the M-frigates.

This contract includes an option for the same modernization of the two M-Frigates that have been purchased by the Belgian Navy in 2005. The Joint Support Ship that will be built for the RNLN is expected to be equipped with an Integrated Mast, similar to the Mast on the OPVs that also includes SEASTAR and GATEKEEPER.

This contract marks another step in the long-standing and very successful cooperation between the Royal Netherlands Navy and Thales Nederland and proves that Thales’s systems can be integrated in existing platform configurations.


Additional information:

SEASTAR is a non-rotating active phased array radar for naval surface surveillance. The system automatically detects and tracks asymmetric threats and very small objects such as swimmers, periscopes in all weather conditions. SEASTAR can also be used for helicopter guidance. SEASTAR has been contracted for two ship classes at present.

GATEKEEPER is a 360° panoramic electro-optical surveillance and alerter system based on IR/TV technology. Designed to counter emerging asymmetric threats down to small boats and swimmers, GATEKEEPER increases short-range situational awareness in littoral environments. GATEKEEPER has been contracted for two ship classes at present.

http://www.defpro.com/news/details/5374/
Título:
Enviado por: LM em Fevereiro 08, 2009, 01:47:37 am
Citação de: "P44"
Thales to modernize Netherlands' M-Frigates radar suite

The two new sensors will be matched with the tried-and-true SMART-S surveillance radar and the STIR weapon control radar that are on board of the M-frigates.


Fica com o LW 08 para aviso aéreo 2D de longo alcance, com o SMART-S para aviso combinado e mais o SEASTAR...? Ou seja este ultimo não vai substituir nenhum dos já existentes mas complementar, ficando com 3 radares...? Ou estou muito confuso...?!
Título:
Enviado por: luis filipe silva em Fevereiro 08, 2009, 04:23:48 am
LM escreveu:
Citar
Fica com o LW 08 para aviso aéreo 2D de longo alcance, com o SMART-S para aviso combinado e mais o SEASTAR...? Ou seja este ultimo não vai substituir nenhum dos já existentes mas complementar, ficando com 3 radares...?
Sim. É um radar com uma nova valência, para pequenos alvos costeiros.

Citar
The M-Class frigates were introduced in the nineties and were intended for air defence and submarine warfare in the Atlantic. However, these ships are deployed mainly in littoral waters to counter frontier-running, pollution, drugs trafficking and piracy. The SEASTAR and GATEKEEPER sensors provide the vessels with the capability to detect the small targets encountered in such situations. The two new sensors will be matched with the tried-and-true SMART-S surveillance radar and the STIR weapon control radar that are on board of the M-frigates.
Título:
Enviado por: LM em Fevereiro 09, 2009, 02:52:22 pm
Citação de: "luis filipe silva"
LM escreveu:
Citar
Fica com o LW 08 para aviso aéreo 2D de longo alcance, com o SMART-S para aviso combinado e mais o SEASTAR...? Ou seja este ultimo não vai substituir nenhum dos já existentes mas complementar, ficando com 3 radares...?
Sim. É um radar com uma nova valência, para pequenos alvos costeiros.


Obrigado :wink:

Estava a confundir com o radar CEAFAR (http://http) Australiano...
Título:
Enviado por: LM em Março 01, 2009, 07:46:55 pm
Eltiradorsolitario.blogspot - 2009/03/01: (http://http)

NUEVOS RADARED PARA LAS FRAGATAS AUSTRALIANAS ANZAC

Hace unos días, el Secretario de Adquisiciones de Defensa de Australia anunció que el programa Anti Ship Missile Defense ( ASMD ) había logrado demostrar sus capacidades a bordo de la fragata HMAS Perth.
Este programa implica la instalación de un nuevo tipo de radar de antenas en fase, desarrollado por la empresa australiana CEA Technologies y denominado CEAFAR, componente principal de la modernización de las fragatas ANZAC.
Esta modernización espera dotar a las ANZAC de mejoras en sus capacidades contra misiles antibuque.
El CEAFAR, que opera en banda S, operará en conjunción con el iluminador de onda continua CEAMOUNT, de banda X. Ambos son lo suficientemente ligeros para ser instalados en fragatas y corbetas. Esta combinación de radar e iluminador permite tener 10 canales de disparo al mismo tiempo.
Si se cumplen los plazos previstos, la instalación del primero de los sistemas está pronto a realizarse, con la entrega a la Armada australiana de la primera unidad en Junio de 2011.
Además del sistema radar, las ANZAC recibirán el sistema de detección y seguimiento por infrarojos Sagem VAMPIR y un modernización de su sistema de combate Saab 9LV.
Título:
Enviado por: Moisés Magalhães em Março 07, 2009, 09:51:49 pm
Numa prespectiva do MLU das VG/BD, e no sentido de reequipar com um novo e mais moderno sistema de armas, poderiamos optar pelo seaRAM posicionado na proa dos navios, ou será que não fará muito sentido porque será mais uma duplicação de sistemas já existentes para a mesma função?

Sabendo que o sistema opera de uma forma autónuma, não necessitando portando dos STIR, como uma condicionante nos ESSMs, será uma mais valia em termos de capacidade de defesa.

Gostaria de saber da vossa opinião.

http://www.raytheon.com/capabilities/rt ... asheet.pdf (http://www.raytheon.com/capabilities/rtnwcm/groups/rms/documents/content/rtn_rms_ps_searam_datasheet.pdf)

Cumprimentos,
Título:
Enviado por: luis filipe silva em Março 08, 2009, 03:23:33 am
Na minha opinião seria uma mais valia, porque com o SeaRam se cobria também o sector de vante dos navios. Se fosse um segundo Phallanx, a vante, ficava mais barato e também era eficaz, já que as munições são muito mais baratas que os RAM.
Título:
Enviado por: old em Junho 04, 2009, 09:20:27 am
Reportaje de meretmarine sobre la MLU de las FFG clase Sydney.

SM2, ESSM, nuevos radares, nuevos sonares etc etc etc :o

http://www.meretmarine.com/article.cfm?id=110410 (http://www.meretmarine.com/article.cfm?id=110410)
Título:
Enviado por: Ricardo em Junho 25, 2009, 11:57:12 am
http://barcoavista.blogspot.com/2009/06 ... lasse.html (http://barcoavista.blogspot.com/2009/06/modernizacao-das-fragatas-da-classe.html)
Título:
Enviado por: nelson38899 em Junho 25, 2009, 12:17:35 pm
Citação de: "Ricardo"

http://barcoavista.blogspot.com/2009/06 ... lasse.html (http://barcoavista.blogspot.com/2009/06/modernizacao-das-fragatas-da-classe.html)


Esta modernização é para se fazer, ou é para se ir fazendo??

Cump.
Título:
Enviado por: cromwell em Junho 25, 2009, 01:40:07 pm
Citação de: "nelson38899"
Citação de: "Ricardo"

http://barcoavista.blogspot.com/2009/06 ... lasse.html (http://barcoavista.blogspot.com/2009/06/modernizacao-das-fragatas-da-classe.html)

Esta modernização é para se fazer, ou é para se ir fazendo??

Cump.


A introdução do ESMM é apenas uma hipotese, mas nunca referênciada por fontes oficiais, o que é um mau sinal. :?
Título:
Enviado por: Cláudio C. em Junho 28, 2009, 02:15:43 am
Essa modernização seria muito boa, então se a pudesse estender as Bartolomeu Dias também...

Já agora tenho uma questão, qual o porque de a "frente"(proa certo?) das V.G. serem diferente das Meko 200 da Grécia ou da Austrália, uma vez que as destas são mais altas e até me parecem mais adequadas para as condições do Atlântico Norte. Desde já as minhas desculpas pelos pormenores técnicos, pois efectivamente os meus conhecimentos nesta matéria são muito parcos.

Obrigados
Título:
Enviado por: nelson henriques em Junho 28, 2009, 09:13:42 am
Já que sonhar não custa , por mim era esta a modernização mínima a fazer nas 5 fragatas:
  -Instalação dos GATEKEEPER e SEASTAR
  -32 mísseis ESSM (no lugar dos Sea Sparrow)
  -2 sistemas RAM ou Sea Ram (1 no lugar dos actuais CIWS e outro atrás do canhão principal)
  -Mísseis Harpoon com capacidade de ataque terrestre
  -novos torpedos ASW
  -Plataforma e hangares capazes de acolher um helicóptero NH-90
Houvesse $$$$... :?
Título:
Enviado por: LuisC em Junho 30, 2009, 01:53:48 am
Citação de: "Cláudio C."
Essa modernização seria muito boa, então se a pudesse estender as Bartolomeu Dias também...

Já agora tenho uma questão, qual o porque de a "frente"(proa certo?) das V.G. serem diferente das Meko 200 da Grécia ou da Austrália, uma vez que as destas são mais altas e até me parecem mais adequadas para as condições do Atlântico Norte. Desde já as minhas desculpas pelos pormenores técnicos, pois efectivamente os meus conhecimentos nesta matéria são muito parcos.

Obrigados


É…também já me tinha apercebido dessa diferença e nunca percebi a razão da mesma.
Título:
Enviado por: luis filipe silva em Junho 30, 2009, 02:52:01 am
A navegar torna a proa "mais seca", porque essa borda falsa afasta a onda mais para fora do navio. As gregas e as Anzac porque foram construídas mais tarde, incorporaram esse melhoramento, que no entanto são mais umas toneladas a vante.
Os dois ultimos patrulhas da classe Cacine também foram construídos com a proa assim.
Título:
Enviado por: Cláudio C. em Junho 30, 2009, 12:42:13 pm
Citação de: "luis filipe silva"
A navegar torna a proa "mais seca", porque essa borda falsa afasta a onda mais para fora do navio. As gregas e as Anzac porque foram construídas mais tarde, incorporaram esse melhoramento, que no entanto são mais umas toneladas a vante.
Os dois ultimos patrulhas da classe Cacine também foram construídos com a proa assim.


Muito obrigado caro Luis, no entanto é de estranhar um pouco, uma vez que as OHP por exemplo construídas bem antes das nossas Meko 200 já eram dotadas de uma proa assim.
Título:
Enviado por: luis filipe silva em Junho 30, 2009, 04:05:44 pm
Cláudio C. escreveu:
Citar
Muito obrigado caro Luis, no entanto é de estranhar um pouco, uma vez que as OHP por exemplo construídas bem antes das nossas Meko 200 já eram dotadas de uma proa assim.

Um desenho é alemão e outro americano. As fragatas americanas da classe Knox inicialmente não tinham essa borda falsa, que foi acrescentada mais tarde, os ingleses e alemães têm apenas balaustrada.
É uma opcção operacional ditada pelo comprador, ou uma melhoria oferecida pelo estaleiro,em função do comportamento de navios anteriores da mesma classe, e requer compensações de peso e revisão de muitos desenhos de pormenor.
Título:
Enviado por: Cláudio C. em Junho 30, 2009, 06:53:34 pm
Citação de: "luis filipe silva"
Cláudio C. escreveu:
Citar
Muito obrigado caro Luis, no entanto é de estranhar um pouco, uma vez que as OHP por exemplo construídas bem antes das nossas Meko 200 já eram dotadas de uma proa assim.
Um desenho é alemão e outro americano. As fragatas americanas da classe Knox inicialmente não tinham essa borda falsa, que foi acrescentada mais tarde, os ingleses e alemães têm apenas balaustrada.
É uma opcção operacional ditada pelo comprador, ou uma melhoria oferecida pelo estaleiro,em função do comportamento de navios anteriores da mesma classe, e requer compensações de peso e revisão de muitos desenhos de pormenor.



Sem querer abusar da sua disponibilidade, e relativamente as Bartolomeu Dias? Parece quase uma mistura dos dois tipos de proa não?
Título:
Enviado por: SSK em Junho 30, 2009, 06:58:20 pm
Citação de: "Cláudio C."
Citação de: "luis filipe silva"
Cláudio C. escreveu:
Citar
Muito obrigado caro Luis, no entanto é de estranhar um pouco, uma vez que as OHP por exemplo construídas bem antes das nossas Meko 200 já eram dotadas de uma proa assim.
Um desenho é alemão e outro americano. As fragatas americanas da classe Knox inicialmente não tinham essa borda falsa, que foi acrescentada mais tarde, os ingleses e alemães têm apenas balaustrada.
É uma opcção operacional ditada pelo comprador, ou uma melhoria oferecida pelo estaleiro,em função do comportamento de navios anteriores da mesma classe, e requer compensações de peso e revisão de muitos desenhos de pormenor.


Sem querer abusar da sua disponibilidade, e relativamente as Bartolomeu Dias? Parece quase uma mistura dos dois tipos de proa não?


A mim as BDias, no que diz respeito ao convés, parece quase um navio francês de linha de convés corrido de proa às popa.
Título:
Enviado por: luis filipe silva em Junho 30, 2009, 10:29:29 pm
Sim são navios de convés corrido. A classe M, é um desenvolvimento das Kortenaer e Bremen.
Título:
Enviado por: nelson38899 em Julho 06, 2009, 11:26:49 am
Citar
Vocality International Ltd V-150 rack mount chassis device for VSAT networks fitted on the Portuguese Navy F333 NRP Bartolomeu Dias type M frigate will receive new software cards in order to improve the transmission of  datas.

http://poadu.wordpress.com/ (http://poadu.wordpress.com/)
Título:
Enviado por: cromwell em Julho 28, 2009, 03:05:00 pm
Não deixei de reparar neste artigo do Barco À Vista, onde diz:

Citar
Actualmente estão a meio da sua vida operacional (atingiram 15 anos em 2005), receberam uma modernização nos sistemas de comunicações e comando e controlo, mais recentemente actualizaram os sistemas de defesa próxima PHALANX para a versão padrão Block 1B com capacidade de defesa perante ameaças assimétricas de superfície, estando potencialmente previsto a aquisição de mais três, de modo a aumentar a capacidade de defesa próxima com a colocação na posição B (a ré da peça de 100mm).


Ou seja, parece que cada fragata da classe Vasco da Gama vai ter mais um Phalanx para melhorar a sua defesa.

EXCELENTE! :D
Título:
Enviado por: Daniel em Julho 28, 2009, 04:09:43 pm
cromwell
Citar
Ou seja, parece que cada fragata da classe Vasco da Gama vai ter mais um Phalanx para melhorar a sua defesa.

EXCELENTE!


Marinha da Grécia Meko. :wink:
(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fwww.hellenicnavy.gr%2Fimages%2FShips%2FF-455_top.JPG&hash=df2df335e0e79afd592af1edaf85d8a4)
Título:
Enviado por: Instrutor em Julho 28, 2009, 05:29:08 pm
Eu ja tinha dado essa ideia de instalar mais um Phananx Block 1b em cada fragata ja seria muito bom.
Título:
Enviado por: PereiraMarques em Julho 28, 2009, 06:45:01 pm
E algo "oficial" a indicar que isso está, sequer, a ser considerado? Se durante anos andou-se a dizer que vinham mais 2 ou 3 helis SuperLynx e já se decidiu que não há condições para isso (€€€)...Cada um acredita no quer... :roll:
Título:
Enviado por: nelson38899 em Julho 29, 2009, 09:36:14 am
Citação de: "PereiraMarques"
E algo "oficial" a indicar que isso está, sequer, a ser considerado? Se durante anos andou-se a dizer que vinham mais 2 ou 3 helis SuperLynx e já se decidiu que não há condições para isso (€€€)...Cada um acredita no quer... :roll:


O que a marinha queria era apenas um lynx em segunda mão. Mas ao que parece nenhuma marinha nos queria vender apenas um.
Título:
Enviado por: Pedro Monteiro em Julho 29, 2009, 10:04:57 am
Citação de: "nelson38899"
Citação de: "PereiraMarques"
E algo "oficial" a indicar que isso está, sequer, a ser considerado? Se durante anos andou-se a dizer que vinham mais 2 ou 3 helis SuperLynx e já se decidiu que não há condições para isso (€€€)...Cada um acredita no quer... :roll: Olhe, por exemplo, no Paquistão e na Holanda seria possível arranjar um pequeno lote de células e foram feitos contactos. Mas, para dar um exemplo, as células holandesas tinham já quase esgotado o seu potêncial operacional e eram de uma versão distinta dos nossos Mk 95.
Esse tema já foi debatido de forma detalhada no tópico do Lynx e esclarecidas as razões para a não aquisição de aparelhos - aqui, o factor financeiro acabou por não ser o principal argumento.

Cumprimentos,
Pedro Monteiro
Título:
Enviado por: Instrutor em Julho 29, 2009, 03:23:46 pm
Penso que o MLU às Vasco da Gama assenta em 4 grandes pilares:
1º Um segundo Phalanx block 1b;
2º Aumento das células dos misseis AA SeaSparrow de 8 para 16 unidades;
3º Capacidade de misseis Harpoon para alem da valencia anti navio terem capacidade para abater alvos na costa;
4º Capacidade de aumentar o hangar de forma a poderem operar futuramente os NH90 versão navalizada;

Relativamente às BD apostava para já num segundo Goalkeeper.
Título:
Enviado por: nelson38899 em Julho 29, 2009, 03:57:21 pm
Citação de: "Instrutor"
4º Capacidade de aumentar o hangar de forma a poderem operar futuramente os NH90 versão navalizada;



esquece
Título:
Enviado por: HSMW em Julho 29, 2009, 04:32:42 pm
E os ESSM  :roll:
Título:
Enviado por: P44 em Julho 31, 2009, 04:33:15 pm
Citação de: "nelson38899"
Citação de: "PereiraMarques"
E algo "oficial" a indicar que isso está, sequer, a ser considerado? Se durante anos andou-se a dizer que vinham mais 2 ou 3 helis SuperLynx e já se decidiu que não há condições para isso (€€€)...Cada um acredita no quer... :roll:

O que a marinha queria era apenas um lynx em segunda mão. Mas ao que parece nenhuma marinha nos queria vender apenas um.


tb foi o que me disseram
Título:
Enviado por: sivispacem em Julho 31, 2009, 04:49:56 pm
Citação de: "P44"
Citação de: "nelson38899"
Citação de: "PereiraMarques"
E algo "oficial" a indicar que isso está, sequer, a ser considerado? Se durante anos andou-se a dizer que vinham mais 2 ou 3 helis SuperLynx e já se decidiu que não há condições para isso (€€€)...Cada um acredita no quer... :roll:

O que a marinha queria era apenas um lynx em segunda mão. Mas ao que parece nenhuma marinha nos queria vender apenas um.

tb foi o que me disseram


OK, nem discuto que esse tenha sido o caso...
Mas o próprio fabricante já terá 'sondado' para a viabilidade de rececer os actuais Lynxs contra a aquisição do novo modelo que está prestes a lançar no mercado.

Questões orçamentais que desconheço àparte, se calhar seria uma excelente oportunidade para resolver o assunto para os próximos 20 anos....

Quanto tempo mais de vida é que resta aos actuais Lynxs da MP? Se calhar. ao ritmo a que têm vindo a ser utilisados o quê? .... mais uns 7/8 anos? e quantos teremos em condições de vôo daqui a  4 ou 5?

Mas a nova LPM o dirá.... (embora não acredite, mas....)

Cpmts
Carlos Ferreira
Título:
Enviado por: HSMW em Agosto 09, 2009, 05:33:35 pm
Tenho andado a ler os anteriores posts deste tópico mas não vi nada sobre esta questão e peço desculpa se me passou ou se é tão impossível que só de perguntar até ofende. :roll:
 
Mas...

Haveria possibilidade de instalar isto nas nossa fragatas?
http://areamilitar.net/DIRECTORIO/MIS.aspx?nm=113 (http://areamilitar.net/DIRECTORIO/MIS.aspx?nm=113)
Título:
Enviado por: JLRC em Agosto 09, 2009, 05:49:43 pm
E para que quer você instalar nas nossas fragatas um míssil obsoleto e que já não se fabrica? O míssil é tão obsoleto que os EUA cortaram (não desmontaram, cortaram) os lançadores que estavam montados nas FFG7.
Quanto à pergunta talvez possa ser possível mas é inviável porque requereria imensas alterações estruturais.
Título:
Enviado por: luis filipe silva em Agosto 09, 2009, 06:18:21 pm
HSMV escreveu:
Citar
Haveria possibilidade de instalar isto nas nossa fragatas?

http://areamilitar.net/DIRECTORIO/MIS.aspx?nm=113 (http://areamilitar.net/DIRECTORIO/MIS.aspx?nm=113)

Possivel é, com lançadores verticais ou contentores, novos radares de iluminação de tiro, alterações de hardware, e procurar em sucateiros americanos se ainda havia alguns.
Título:
Enviado por: HSMW em Agosto 09, 2009, 08:47:01 pm
Tou esclarecido.
Nem era tanto pelo modelo do míssil, eu sei que é obsoleto, era mais pela função e tipo de plataforma de lançamento.

E se fosse isto:
http://areamilitar.net/DIRECTORIO/LAN.aspx?nn=26 (http://areamilitar.net/DIRECTORIO/LAN.aspx?nn=26)
Para ficar assim
http://areamilitar.net/DIRECTORIO/NAV.aspx?nn=145 (http://areamilitar.net/DIRECTORIO/NAV.aspx?nn=145)
no caso das VdG
Título:
Enviado por: Instrutor em Agosto 10, 2009, 11:04:31 am
A ter em conta....
http://www.areamilitar.net/noticias/not ... x?nrnot=82 (http://www.areamilitar.net/noticias/noticias.aspx?nrnot=82)

Este missil sim, era muito bem vindo...
http://www.areamilitar.net/directorio/MIS.aspx?nm=120 (http://www.areamilitar.net/directorio/MIS.aspx?nm=120)

Ou este...
http://www.areamilitar.net/directorio/MIS.aspx?nm=121 (http://www.areamilitar.net/directorio/MIS.aspx?nm=121)
Título:
Enviado por: antoninho em Agosto 10, 2009, 09:31:09 pm
Caro Pedro Monteiro, na revista FAM, onde o senhor é colaborador, na nº55
pagina 27, tem um quadro dos futuros programas de futuras fragatas para os anos de 2011-2024, em que é apontado para Portugal 4 fragatas com construção nacional, mas a informação morre aí, ora isso tem fundamentos ou é um tiro no escuro?
Com a recente entrada dos holandeses nos ENVC isso poderá significar algo mais, ou estarei equivocado.
Título:
Enviado por: Pedro Monteiro em Agosto 11, 2009, 07:43:10 am
Se bem me lembro do trabalho, deve tratar-se de uma overview dos projectos de fragatas e potêncial mercado para este tipo de navios nas marinhas ocidentais, correcto? Não se trata de um trabalho meu ou para o qual tenha dado algum contributo. Tanto quanto sei, nada indica um número de quatro fragatas para substituir as duas classes e muito menos há certezas quanto à construção em estaleiros nacionais.

Uma opinião pessoal, tratando-se de classes com idades aproximadas, o passo natural, havendo vontade política, é a sua substituição a médio prazo e simultaneamente por uma nova classe, com uma ou mais variantes, que poderia ser construída parcialmente ou não em Portugal. Mas quanto ao que é referido no artigo, desconheço.

Cumprimentos,
Pedro Monteiro
Título:
Enviado por: wolfman351 em Agosto 11, 2009, 01:27:08 pm
Citação de: "Pedro Monteiro"
Se bem me lembro do trabalho, deve tratar-se de uma overview dos projectos de fragatas e potêncial mercado para este tipo de navios nas marinhas ocidentais, correcto? Não se trata de um trabalho meu ou para o qual tenha dado algum contributo. Tanto quanto sei, nada indica um número de quatro fragatas para substituir as duas classes e muito menos há certezas quanto à construção em estaleiros nacionais.

Uma opinião pessoal, tratando-se de classes com idades aproximadas, o passo natural, havendo vontade política, é a sua substituição a médio prazo e simultaneamente por uma nova classe, com uma ou mais variantes, que poderia ser construída parcialmente ou não em Portugal. Mas quanto ao que é referido no artigo, desconheço.

Cumprimentos,
Pedro Monteiro


A ser possível tal coisa... ainda entramos num consórcio para construir MEKOs ou FREMM's.

Mas tal significaria que daqui a 2 ou 3 anos teríamos de ter uma incorporação tecnológica fantástica, entre estruturas e sistemas de armas, Radares e outros sistemas.  E será possível?
Título:
Enviado por: Instrutor em Agosto 11, 2009, 02:14:00 pm
FANTASTICO FANTASTISO SERIA.... desde que haja vontade politica e intenção de injectar milhoes e milhoes de euros na aventura. Mas seria muito bom.
Título:
Enviado por: luis filipe silva em Agosto 11, 2009, 02:19:41 pm
Podemos sempre fazer como o Brasil, que investiu milhões para aprender a desenhar e construir submarinos, e agora vão começar tudo de novo. c34x
Título:
Enviado por: Instrutor em Agosto 11, 2009, 02:53:39 pm
Com a experiencia dos ENVC em navios de grande porte e com a experiencia dos estaleiros holandeses na construção naval militar, quem sabe não teremos umas Zevem Providence à portuguesa... só que em vez de Zeven (7) será baptizada a classe de Fragatas AA de OnzevemProvidence (11 Provincias) (Minho, Tas-os-Montes, Douro Litoral, Beira Alta, Baixa e Litoral, Estremadura, Ribatejo, Alto e Baixo Alentejo e Algarve)
Título:
Enviado por: Instrutor em Agosto 11, 2009, 02:55:39 pm
Continuando com o Tópico, a Fragata Vasco da Gama já saiu do estaleiro??? Agora vai para la Corte Real depois de uma belíssima missão.
Título: EB.
Enviado por: tsahal em Agosto 11, 2009, 06:19:49 pm
Os submarinos construidos no passado no Brasil foram projectados/desenhados na Alemanha, ou seja no Brasil foram construidos e não desenhados. O know How recebido vai servir para construir 5 subs de desenho Franco-Brasileiro inspirado no Marlin e Barracuda. Nada está perdido bem pelo contrario. Se o Brasil tivesse perdido essa capacidade e tivesses que re-aprender, eles seriam feitos em França e não num novo estaleiro no RJ.
Título:
Enviado por: antoninho em Agosto 12, 2009, 10:00:00 pm
Obrigado pelo esclarecimento Pedro Monteiro, a continuação de um bom trabalho.
Título:
Enviado por: luis filipe silva em Agosto 12, 2009, 10:09:16 pm
Citar
Continuando com o Tópico, a Fragata Vasco da Gama já saiu do estaleiro??? Agora vai para la Corte Real depois de uma belíssima missão
.
Não. Saiu da doca seca, continua sem armamento e atracada na base e não no Arsenal. Como é uma grande reparação, deve por lá estar um ano.
Título:
Enviado por: sivispacem em Agosto 13, 2009, 01:12:24 am
Citação de: "luis filipe silva"
Citar
Continuando com o Tópico, a Fragata Vasco da Gama já saiu do estaleiro??? Agora vai para la Corte Real depois de uma belíssima missão
.
Não. Saiu da doca seca, continua sem armamento e atracada na base e não no Arsenal. Como é uma grande reparação, deve por lá estar um ano.


Luis Filipe,

É normal tanto tempo de imobilização, mesmo para uma intervenção desse tipo?
Ou trata-se mais de uma 'reconstrução'?

Obrigado
Carlos Ferreira
Título:
Enviado por: P44 em Agosto 13, 2009, 08:37:30 am
Uma Grande Reparação demora normalmente um ano, portanto não fiquem já com macaquinhos no sotão  :wink:
Título:
Enviado por: Instrutor em Agosto 13, 2009, 09:54:15 am
Citação de: "P44"
Uma Grande Reparação demora normalmente um ano, portanto não fiquem já com macaquinhos no sotão  :lol:  :lol:  :lol:

Mas não um ano para pintar, levar a substituição de um Phalanx Block 1 por outro Block 1b e penso eu de que esta feito o MLU
Título:
Enviado por: Daniel em Agosto 13, 2009, 10:45:58 am
Alguém me pode dizer onde anda a nossa BD c34x
Título:
Enviado por: Instrutor em Agosto 13, 2009, 10:52:39 am
Esteve recentemente no Reino Unido a realizar treinos exercícios navais, penso eu que regressou muito recentemente (1ª semana de Agosto)... provavelmente esta na Base Naval.

http://ww1.rtp.pt/wportal/acessibilidad ... prog=16478 (http://ww1.rtp.pt/wportal/acessibilidades/legendagem/pecas.php?data=2009-07-10&fic=jornal2_1_20090710&peca=8&tvprog=16478)

http://www.marinha.pt/PT/noticiaseagend ... udias.aspx (http://www.marinha.pt/PT/noticiaseagenda/noticias/Pages/frabartolomeudias.aspx)
Título:
Enviado por: luis filipe silva em Agosto 13, 2009, 11:15:37 am
Citar
Alguém me pode dizer onde anda a nossa BD

Está na base naval do alfeite.
No tocante à grande reparação de um navio, consiste na desmontagem de motores, armamento, sensores, e depois montar tudo de novo, calibrar , experimentar tudo par o navio ficar 100%. E quer saber a minha opinião? Esqueça os grande MLU, porque depois a desilusão será grande. Com o desemprego não entra dinheiro nos cofres do Estado. Se não entra, não há para gastar.
Título:
Enviado por: Instrutor em Agosto 13, 2009, 11:39:56 am
Citação de: "luis filipe silva"
Citar
Alguém me pode dizer onde anda a nossa BD
Está na base naval do alfeite.
No tocante à grande reparação de um navio, consiste na desmontagem de motores, armamento, sensores, e depois montar tudo de novo, calibrar , experimentar tudo par o navio ficar 100%. E quer saber a minha opinião? Esqueça os grande MLU, porque depois a desilusão será grande. Com o desemprego não entra dinheiro nos cofres do Estado. Se não entra, não há para gastar.


Há sim, só que é mal gasto, isso da desculpa do dinheiro não existir é somente coisa de político olhe que há e muito........ estou a falar de 2500 milhoes de euros emperrados num banco fraudulento, estou a falar da recente remodelação auto bombas dos senhores governantes, estou a falar dos 2000 milhoes de euros em TGV´s, as auto estradas e o novo aeroporto no comento porque são necessárias e muito digo desde ja..... agora essa coisa do não ha dinheiro ja enjoa e voce se é militar ou ja foi militar da armada sabe bem.... o dinheiro aparece vindo nao se sabe de onde para o quê?????? Para gastar em comerzanas festanças bancos fraudulentos projectos aqui e ali para engordar ainda mais as empresas dos senhores ex-ministros amigos como a Mota Engil que agora as autoestradas subiram os custos algumas para o dobro..... ha dinheiro mas desde que va para a bolsa dos amigos do governo.... porque para o povo que se cale bem calado.... vivemos una falsa democracia........ e voce sabe disso bem como todos os membros deste forum.... ele não empregado na defesa saude educação segurança dos portugueses.... mas sim nas bolsas dos corruptos.
Título:
Enviado por: Instrutor em Agosto 13, 2009, 11:43:33 am
Eu pessolamente ja ficava todo contente e ja esfrega as maos se tivessemos a pintura nova, e um segundo Phalanx block 1b ja nem pedia misseis nem nada, desde que os nossos militares voltem em segurança e estejam em segurança para as missoes que lhes sao destinadas, que regressem a patria com o dever cumprido e em segurança.
Título:
Enviado por: wolfman351 em Agosto 17, 2009, 11:02:49 am
Eu preferia um sistema RAM e um CIWS... Mas podiam instalar os VLS como os da Bartolomeu Dias...mesmo que vazios...

Mas esse tipo de lançadores não necessitaria de um radar que pudesse seguir mais do que dois alvos como os da VdG?
Título:
Enviado por: luis filipe silva em Agosto 17, 2009, 12:15:46 pm
Citar
Mas esse tipo de lançadores não necessitaria de um radar que pudesse seguir mais do que dois alvos como os da VdG?

O lançador em si, naõ tem nada a ver com os radares. Apenas duplica o número de mísseis Seasparrow embarcados, ou quadruplica se forem ESSM. Tem um tempo de reacção mais rápido do que os lançadores actuais das VG.
Título:
Enviado por: Instrutor em Agosto 17, 2009, 02:07:08 pm
Com este andar leva somente um novo Phalanx block 1b e pintura nova.... como se costuma dizer não ha dinheiro. c34x  c34x
Título:
Enviado por: SSK em Agosto 17, 2009, 08:53:39 pm
E que tal um VDS ou um TAS???
Título:
Enviado por: luis filipe silva em Agosto 17, 2009, 09:37:45 pm
Citar
E que tal um VDS ou um TAS???

O que conta são muitos misseis, muitos CIWS. O resto não conta... E agora perguntarão os nossos foristas mais aguerridos. Mas que raiode siglas são essas? c34x
Título:
Enviado por: JMM em Agosto 17, 2009, 10:17:29 pm
Boas,

Eu também gostava de uma VDS (Variable Depth Sonar, certo SSK?) ou um TAS (Towed Array Sonar), se fosse activo de muito baixa frequência... aí podia ser que os alvos já dessem mais luta ao amigo SSK e camaradas submarinistas, não era? Aliás, pelo que julgo saber, as VdG já estão preparadas para levar um TAS, ou estarei enganado?

No entanto, como estamos em plena silly season, deixem-me sonhar um pouquinho: imaginemos que vivíamos num país com algum dinheiro e políticos que percebem para que servem FA... visualizem.... já está? Pronto, então o que acham deste MLU que se segue para as VdG? Tecnicamente seria bem possível...

Se fizéssemos a modernização das Meko canadianas (classe Anzac) e puséssemos um CEA-FAR com iluminadores CEA-MOUNT as VdG poderiam ficar a disparar e controlar não só ESSM mas SM-2! De facto, o iluminador CEA-MOUNT é de banda X e pode controlar quer um, quer outro, utilizando o modo ICWI (Interrupted Continuous Wave Ilummination).

Segundo sei, à vante da ponte existe espaço para um lançador óctuplo Mk41, presumivelmente o mais curto, a versão Self Defense (5.3 m). Isto dá logo 32 ESSM... no lugar do lançador actual existe espaço para colocar mais dois lançadores óctuplos, mas na versão táctica (6.75m) que consegue lançar SM-2. Assim, as VdG ficariam com 16 SM-2 e 32 ESSM. O custo desta opção seria abdicar dos Harpoon, porque por razões de interferência electrónica têm que sair de onde estão, e a perda da capacidade para operarem o segundo helicóptero (o que raramente acontece porque não temos Lynx suficientes e levar os bichanos para o mar fica caro...) mas esse seria um preço pequeno a pagar para termos umas fragatas com capacidade bastante razoável de defesa aérea a um custo relativamente pequenos (cerca de 150-200 milhões de euros por tudo, mais coisa, menos coisa).

Quanto às BD poderiam ficar com uma missão mais ASW, incorporando um sonar rebocado activo de muito baixa frequência (também já estão preparadas), mas mesmo aí se poderia substituir os 16 Sea Sparrow por 32 ESSM nos lançadores Mk48 e mais do que duplicar a capacidade de guiamento montando os STIR entretanto tirados das VdG. Também se poderia fazer a adaptação para operações no litoral que os holandeses estão a fazer nas deles e "pront's, 'tão os MLU feitos"... mais 50 a 100 milhões deviam dar para fazer isso.

Em suma, por 200 a 300 milhões de euros (metade do custo de uma fragata AAW de última geração) podíamos ficar com uma força de superfície muito, mas mesmo muito boa, balançada e adequada às nossas necessidades.

Eu sei, eu sei, isto nunca vai acontecer em Portugal e se as VdG levarem um segundo Phalanx já não é mau, mas deixem-me sonhar...

Saudações a todos

João
Título:
Enviado por: Lightning em Agosto 18, 2009, 12:51:48 am
Citação de: "luis filipe silva"
Citar
E que tal um VDS ou um TAS???
O que conta são muitos misseis, muitos CIWS. O resto não conta... E agora perguntarão os nossos foristas mais aguerridos. Mas que raiode siglas são essas? :lol: O pessoal quer é defesa aérea, protecção de task Forces, sistema Aegis, e tal como disse, muitos misseis SAM e muitos CIWS :twisted: .

Esse MLU que o JMM colocou, para mim que não percebo nada disso até parece uma coisa muito bem dita, mas ficar sem os Harpoon não seria uma medida arriscada? Penso que as fragatas ficavam sem capacidade ASuW, há sempre a peça de 100mm e o torpedos mas a mim não me cheira bem... digam os experts o que acham...
Título:
Enviado por: Instrutor em Agosto 18, 2009, 11:10:40 am
Citação de: "Lightning"
Citação de: "luis filipe silva"
Citar
E que tal um VDS ou um TAS???
O que conta são muitos misseis, muitos CIWS. O resto não conta... E agora perguntarão os nossos foristas mais aguerridos. Mas que raiode siglas são essas? :lol: O pessoal quer é defesa aérea, protecção de task Forces, sistema Aegis, e tal como disse, muitos misseis SAM e muitos CIWS :twisted: .

Esse MLU que o JMM colocou, para mim que não percebo nada disso até parece uma coisa muito bem dita, mas ficar sem os Harpoon não seria uma medida arriscada? Penso que as fragatas ficavam sem capacidade ASuW, há sempre a peça de 100mm e o torpedos mas a mim não me cheira bem... digam os experts o que acham...

Os experts (Políticos) querem poupança de dinheiro para terem para salvaguardarem os dinheiros investidos por amigos e sobrinhos em bancos fraudulentos e terem dinheiro para as tainadas aos fins de semana o resto é paisagens..... Eu so queria as meia duzia de FREMM´s como MLU ás VdG e BG daqui a 15 anos isso sim.
Título:
Enviado por: nelson henriques em Agosto 18, 2009, 08:33:26 pm
Uma hipótese interessante, a do JMM. Mas, só uma pergunta: será que existe margem de manobra no projecto original das VdG para tantas modificações? Uma modernização assim deve acrescentar umas tantas toneladas ao deslocamento das fragatas...Acho que é um factor muito esquecido aqui mas que é muito importante.
Título:
Enviado por: luis filipe silva em Agosto 18, 2009, 09:13:07 pm
Citar
Uma hipótese interessante, a do JMM. Mas, só uma pergunta: será que existe margem de manobra no projecto original das VdG para tantas modificações? Uma modernização assim deve acrescentar umas tantas toneladas ao deslocamento das fragatas...Acho que é um factor muito esquecido aqui mas que é muito importante.

Talvez nem tantas como isso, devido a serem também retiradas algumas. No caso australiano (e não canadiano), os Harpoon foram colocados na posição B antes da ponte de comando.
Título:
Enviado por: HSMW em Agosto 18, 2009, 09:46:23 pm
(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fwww.armybase.us%2Fwp-content%2Fuploads%2F2009%2F05%2Fanzac-class-hmas-warramunga-ffh-152.jpg&hash=530967d8dbc9eff6d4c28f762b75d0c3)
Título:
Enviado por: Lightning em Agosto 18, 2009, 10:28:39 pm
Citação de: "luis filipe silva"
No caso australiano (e não canadiano), os Harpoon foram colocados na posição B antes da ponte de comando.


Então nesse MLU do JMM daria para mantermos os Harpoons nas Vasco da Gama!!! :D
Título:
Enviado por: JMM em Agosto 19, 2009, 01:00:32 am
Dava para montar Harpoon sim senhor, mas no "meu" MLU (que é baseado no das Anzac australianas, claro, peço perdão pelo engano) as VdG seriam navios de defesa AAW, pelo que me parece mais importante aumnetar ao nº de Mísseis AA.

Se mantivéssemos os Harpoon onde os australianos os têm teríamos que abdicar do lançador Mk 41, pelo que os 16 casulos da ré teriam que dar para os SM-2 e para os ESSM (8+32 ou 12+16).

Isto de as fragatas terem que ter Harpoon tem muito que se lhe diga. O Harpoon é normalmente visto como uma arma de overkill para o tipo de missões que hoje se prevêem vir a existir porque é um míssil pesado navio-navio pensado para atacar navios soviéticos na 3ª Guerra Mundial em águas abertas. Na maioria dos cenários actuais de actuação em litorais congestionados o Harpoon não é muito útil. Por exemplo, basta ver que a US Navy abdicou deles nas Perry (cortou o lançador e transformou-as em OPVs glorificados) e no Flight IIA dos Arleigh Burke devido a questões de peso (que não se colocam neste meu cenário, já agora...). A ideia é que os SH-60 com mísseis Hellfire são mais que suficientes para atacar alvos móveis e pequenos (como os barcos iranianos) e eles preferem ter mísseis SM-2 e SM-3 nos contra-torpedeiros.

Mesmo a Royal Navy não tem Harpoon nos T45, embora estejam preparados para isso, porque decidiu que era mais importante gastar dinheiro em ter o melhor sistema de defesa aérea do mundo... entre os T45 e os Horizon franceses (que têm Exocet) e italianos (que têm Otomat) não me parece que ninguém tenha dúvidas quais são os navios AAW mais capazes...

No nosso caso, e dada a escassez de casulos nas fragatas, preferia ter uma VdG com boa capacidade AA e alguma capacidade ASu nos Lynx equipados com mísseis, que a ter as VdG a andarem por aí cheias de Harpoon (aliás, normalmente só dois ou quatro é que estão instalados) para atacar alvos que não existem... claro que outros podem ter outras preferências.

Um abraço

J
Título:
Enviado por: luis filipe silva em Agosto 19, 2009, 03:12:53 am
Citar
No nosso caso, e dada a escassez de casulos nas fragatas, preferia ter uma VdG com boa capacidade AA e alguma capacidade ASu nos Lynx equipados com mísseis, que a ter as VdG a andarem por aí cheias de Harpoon (aliás, normalmente só dois ou quatro é que estão instalados) para atacar alvos que não existem... claro que outros podem ter outras preferências.

O mesmo se pode dizer dos SAM. Já vi que baseia a sua tese em simples jogos, quando a realidade pode ser diferente.
As nossas fragatas são anti-submarinas, a única ameaça possívem do mar para o nosso país. De resto, operamos com navios de outos países OTAN que têm navios AAW.
Por favor...Não misturem ficção com a nossa realidade.
Título: MLU?
Enviado por: wolfman351 em Agosto 19, 2009, 11:10:12 am
Bons Dias a Todos,

No caso de um MLU às VDG...

Pensemos nas missões que um navio tipo fragata deve ter e o equipamento correspondente.

Sensores:

Missão anti-submarina: A colocação de sonares activos e passivos mais recentes pode ser benéfica...mesmo que a grande ameaça hoje em dia sejam pequenas embarcações e não submarinos.

Radares e sensores e/o: Não sei não digo, mas talvez uns radares 3D?


Defesa:

Protecção imediata:  A presença de RAM e CIWS é indispensável.

Temos de ter em conta que até grandes potências como o Hamas arranjam mísseis anti-navio... (acho que foi uma Saar-5 que foi atingida em 2006 - http://www.mfa.gov.il/MFA/Terrorism-+Obstacle+to+Peace/Terrorism+from+Lebanon-+Hizbullah/Summary+of+attack+on+IDF+missile+ship+15-Jul-2006.htm)

Depois a defesa de área: Fazer um upgrade para ESSM com células VLS na proa será bom... ir para SM-2 é uma má ideia.

As VdG Não são navios vocacionados para a defesa de área...
E o objectivo da defesa de área é destruir os inimigos antes de chegarem o suficientemente perto para nos destruírem.

Navios com essa capacidade tornam-se "High Value Targets"  e os primeiros a serem abatidos, de forma a que têm de ser mais “blindados” e mais bem protegidos por sistemas de defesa próxima, ou seja RAM e CIWS.

Até penso que ir pondo VLS pelo navio pode ser uma boa ideia.
Até pô-los da mesma forma como foram postos nas Bartolomeu Dias é uma opção.

Ataque.

Peça de artilharia. Indispensável e as Creusot-Loire são óptimas... Talvez moderniza-las para uma menor perfil e maior cadência?
E talvez fazer o mesmo às Bartolomeu Dias, para unificar a peça principal?

Harpoon: continua a ser um míssil essencial... Tanto na sua versão anti-navio como anti-terrestre. E tem de ser mantido até por causa da flexibilidade de empenho.
Teremos é de arranjar as novas versões ou de fazer o upgrade às existentes.

Componente aérea. – Reformular os hangares para apenas um Helicóptero?
Só porque não temos os suficientes para operar nos navios?

Sendo navios primordialmente ASW, quanto maior o número de aeronaves puder operar melhor. Enquanto um Heli procura o alvo, o outro pode ser reabastecido...

Deveremos essencialmente adquirir novas versões do Linx em número suficiente para operar nas fragatas a título orgânico.

Ou seja o melhor na minha opinião é instalar uma célula RAM e um VLS para que, mesmo que mais tarde, se utilizem os ESSM.
Título:
Enviado por: Lightning em Agosto 19, 2009, 11:15:32 am
Citação de: "luis filipe silva"
As nossas fragatas são anti-submarinas, a única ameaça possívem do mar para o nosso país.


Concordo, as obrigações das Forças Armadas a nivel do territorio nacional estão bem definidas, a Marinha controla o mar, a Força Aérea controla o ar, por isso a Marinha tem que ter uma boa capacidade ASW e ASuW (para controlar o seu meio), e alguma capacidade AA (para se defender) mas a responsabilidade de controlar o ar é da Força Aérea.

Isso de não existirem alvos é muito bonito, mas isso é o que acontece "hoje" então e "amanhã"? Que eu saiba é exactamente por causa do "amanhã" que temos submarinos pois "hoje" também não há alvos para os submarinos...

Mas eu não tenho nenhuma paixão pelo Harpoon, se mostrarem que ele não tem sentido em equipar as fragatas pois são obsoletos, então ficam só para ASW e os submarinos ficam como arma anti-navio.

Mas temos que ver que as nações que tem fragatas AAW, usam estas fragatas (ou contra-torpedeiros) para escoltar navios muito importantes como por exemplo Porta-Aviões, nós não temos Porta-Aviões para escolar, por isso para que é que queremos esse tipo de navio? Para escoltar os Porta-Aviões dos outros?
Título:
Enviado por: luis filipe silva em Agosto 19, 2009, 11:37:27 am
wolfman351 escreveu:
Citar
Radares e sensores e/o: Não sei não digo, mas talvez uns radares 3D?
Já tem. Pode é ser substituido por outro mais recente, mas até ao fim da vida útil dos navios não vejo uma mais valia. Prferia que gastassem esse dinheiro num TASS.

Citar
Protecção imediata: A presença de RAM e CIWS é indispensável.
Depois a defesa de área: Fazer um upgrade para ESSM com células VLS na proa será bom... ir para SM-2 é uma má ideia.

Se meter o RAM na proa não pode lá pôr o VLS.

Citar
Até penso que ir pondo VLS pelo navio pode ser uma boa ideia.

Se tirarem os RIBs podem lá "espalhar" dois VLS, e talvez na sitio onde hoje está o refeitório.
Citar
Até pô-los da mesma forma como foram postos nas Bartolomeu Dias é uma opção.

Em princípio vai roubar espaço ao Hangar.
Título:
Enviado por: Instrutor em Agosto 19, 2009, 11:42:08 am
Citação de: "luis filipe silva"
wolfman351 escreveu:
Citar
Radares e sensores e/o: Não sei não digo, mas talvez uns radares 3D?
Já tem. Pode é ser substituido por outro mais recente, mas até ao fim da vida útil dos navios não vejo uma mais valia. Prferia que gastassem esse dinheiro num TASS.

Citar
Protecção imediata: A presença de RAM e CIWS é indispensável.
Depois a defesa de área: Fazer um upgrade para ESSM com células VLS na proa será bom... ir para SM-2 é uma má ideia.

Se meter o RAM na proa não pode lá pôr o VLS.

Citar
Até penso que ir pondo VLS pelo navio pode ser uma boa ideia.

Se tirarem os RIBs podem lá "espalhar" dois VLS, e talvez na sitio onde hoje está o refeitório.
Citar
Até pô-los da mesma forma como foram postos nas Bartolomeu Dias é uma opção.

Em princípio vai roubar espaço ao Hangar.


O Senhor deve pertencer a comissão da Marinha responsável pelo MLU às VdG e anda aqui pedir opiniões, vá seja la nosso amigo e diga realmente o que a Marinha esta a pensar fazer às VdG. :wink:
Título:
Enviado por: luis filipe silva em Agosto 19, 2009, 11:50:31 am
Vocês acreditam que qualquer governo vai libertar verbas para grandes melhorias quando fôr efectuado o MLU? Eu já ficava contente se se instalasse o VLS mesmo com Seasparrow, mudassem os motores, e fosse instalado o TASS ou VDS . E já era um dinheirão.
Título:
Enviado por: Instrutor em Agosto 19, 2009, 11:56:00 am
Citação de: "luis filipe silva"
Vocês acreditam que qualquer governo vai libertar verbas para grandes melhorias quando fôr efectuado o MLU? Eu já ficava contente se se instalasse o VLS mesmo com Seasparrow, mudassem os motores, e fosse instalado o TASS ou VDS . E já era um dinheirão.


Tanto? A serio e acredite no que eu digo, eu ja ficava contente com pintura nova, um segundo Phalanx Block 1b e o aumento das células dos Seasparoow de 8 para 16 unidades.

Ficaria assim o MLU das VdG:
16 Seasparoow;
8 Harpoons;
2 Phalanx Block1b
Motores novos;
Novos radares;
Novo sonar;
Pintura nova;

Preço: +/- 100 milhoes de euros por fragata.
Título:
Enviado por: luis filipe silva em Agosto 19, 2009, 12:17:47 pm
Citar
Tanto? A serio e acredite no que eu digo, eu ja ficava contente com pintura nova, um segundo Phalanx Block 1b e o aumento das células dos Seasparoow de 8 para 16 unidades.

Ficaria assim o MLU das VdG:
16 Seasparoow;
8 Harpoons;
2 Phalanx Block1b
Motores novos;
Novos radares;
Novo sonar;
Pintura nova;

Para meter um CIWS a vante, não pode ter no mesmo sítio o VLS.
Novos radares? quais? Porquê?
Novo sonar? Qual?
Pintura nova. Já viu algum NRP mal pintado? Ou é mais um daqueles que à falta de outro argumento, batem no tom de cinzento?
Título:
Enviado por: wolfman351 em Agosto 19, 2009, 12:45:16 pm
Citação de: "luis filipe silva"
wolfman351 escreveu:
Citar
Radares e sensores e/o: Não sei não digo, mas talvez uns radares 3D?
Já tem. Pode é ser substituido por outro mais recente, mas até ao fim da vida útil dos navios não vejo uma mais valia. Prferia que gastassem esse dinheiro num TASS.

Citar
Protecção imediata: A presença de RAM e CIWS é indispensável.
Depois a defesa de área: Fazer um upgrade para ESSM com células VLS na proa será bom... ir para SM-2 é uma má ideia.

Se meter o RAM na proa não pode lá pôr o VLS.

Citar
Até penso que ir pondo VLS pelo navio pode ser uma boa ideia.

Se tirarem os RIBs podem lá "espalhar" dois VLS, e talvez na sitio onde hoje está o refeitório.
Citar
Até pô-los da mesma forma como foram postos nas Bartolomeu Dias é uma opção.

Em princípio vai roubar espaço ao Hangar.


O RAM não pode ser colocado onde hoje está o o lançador dos Seasparrow?
Título:
Enviado por: Instrutor em Agosto 19, 2009, 02:24:08 pm
Citação de: "luis filipe silva"
Citar
Tanto? A serio e acredite no que eu digo, eu ja ficava contente com pintura nova, um segundo Phalanx Block 1b e o aumento das células dos Seasparoow de 8 para 16 unidades.

Ficaria assim o MLU das VdG:
16 Seasparoow;
8 Harpoons;
2 Phalanx Block1b
Motores novos;
Novos radares;
Novo sonar;
Pintura nova;
Para meter um CIWS a vante, não pode ter no mesmo sítio o VLS.
Novos radares? quais? Porquê?
Novo sonar? Qual?
Pintura nova. Já viu algum NRP mal pintado? Ou é mais um daqueles que à falta de outro argumento, batem no tom de cinzento?


 :lol:  os radares poderam ser estes
http://www.areamilitar.net/noticias/not ... x?nrnot=82 (http://www.areamilitar.net/noticias/noticias.aspx?nrnot=82)
Título:
Enviado por: JMM em Agosto 19, 2009, 02:53:49 pm
Citação de: "luis filipe silva"
Citar
No nosso caso, e dada a escassez de casulos nas fragatas, preferia ter uma VdG com boa capacidade AA e alguma capacidade ASu nos Lynx equipados com mísseis, que a ter as VdG a andarem por aí cheias de Harpoon (aliás, normalmente só dois ou quatro é que estão instalados) para atacar alvos que não existem... claro que outros podem ter outras preferências.
O mesmo se pode dizer dos SAM. Já vi que baseia a sua tese em simples jogos, quando a realidade pode ser diferente.
As nossas fragatas são anti-submarinas, a única ameaça possívem do mar para o nosso país. De resto, operamos com navios de outos países OTAN que têm navios AAW.
Por favor...Não misturem ficção com a nossa realidade.


EU não estou a misturar a ficção com a realidade. Eu parti foi de premissas diferentes... vejamos:

a) Sei perfeitamente que as VdG são fragatas primariamente desenhadas para ASW. Daí os dois helos, o espaço para TAS que não houve dinheiro para comprar na altura e a capacidade quase nula de defesa aérea perante ameaças modernas (não interessa que voltas dêem, o Sea Sparrow é um míssil antiquado e que não tem capacidade real anti-míssil).

b) Sei perfeitamente que em caso de charices a sério provavelmente as nossas fragatas serão incorporadas em Task-Groups internacionais e que esses terão fargatas AAW dedicadas. No entanto, o mesmo argumento é válido para a função ASW, não é? Ou querem sinceramente comparar as capacidades de uma VdG no seu estado actual com uma T23 britânica ou uma FREMM francesa ou italiana, só para dar dois exemplos?

c) Precisamos de uma fragata com capacidades de defesa anti-aérea suficientemente moderna para situações de conflito de baixa ou média intensidade em que estejamos a operar autonomamente, e.g., no caso de Marrocos passar a ser uma República Islâmica radical (não está fora de hipótese, pois não?) ou termos que ir buscar Portugueses a qualquer sítio (e hoje em dia arranjar mísseis rudimentares é fácil para qualquer grupeco com dinheiro, a Marinha Israelita e o Hamas que o digam...). Não precisamos necessáriamente de um AB com capacidade ABM, mas de algo que possa defender um grupo de batalha "tuga" baseado no famoso e sempre adiado LPD, por exemplo.

O que eu digo, e acredito que não tenha sido suficientemente claro no post anterior, é que na sua configuração actual as VdG (e, já agora, as BD) não trazem grande capacidade acrescida para task-forces NATO ou outras (a não ser ao nível das comunicações, onde somos verdadeiramente bons) em cenários de alta intensidade (para andar a fazer cócegas a piratas na Somália chegam e sobram) e que a falta de capacidade orgânica AAW é gritante para eventuais operações autónomas, daí que, a meu ver, seja necessário fazer uma opção. Aliás, julgo que as próprias chefias da Armada reconhecem a necessidade de virmos a ter navios com alguma capacidade de defesa de área, daí a intenção peregrina original de adquirir as duas OHP a caírem de podre...

O que neste meu cenário hipotético defendo é que é mais fácil (e mais barato) adaptar as VdG para luta AAW, porque já existe a experiência australiana, que as BD... não temos que reinventar a roda. Foi com estas premissas que propus aquela configuração. Claro que o que vai acontecer na realidade é muito diferente e muito mais limitado...

Já agora, e só para acabar de responder ao Luis Filipe Silva, quem, dos nossos vizinho geográficos, pode ameaçar a integridade de Portugal a partir do mar com submarinos modernos e credíveis? Não estou a ver ninguém. Por outro lado, há muita gente que tem aviões equipados (ou facilmente equipáveis) com mísseis anti-navio, e.g., Marrocos. A razão para termos adquiridos fragatas ASW nos anos 80 (quando começou o processo de aquisição) tinha obviamente que ver com a ameaça submarina soviética às SLOC da NATO e ao reforço do Exército americano na Europa... que eu saiba essa ameça ... puff... evaporou...
 
Espero que tenha sido mais claro desta vez.

Um abraço

João
Título:
Enviado por: JMM em Agosto 19, 2009, 03:00:36 pm
Quanto a configurações possíveis à vante ou se põem os Harpoon, ou se põe um CIWS, e.g., Phalanx à la Hydra, ou se põe um Mk41, ou, o que é mais provável, não se faz nada.. todas estas configurações são mutuamente exclusivas...

Quanto à ré, substuituir o Mk29 dos Sea Sparrow por RAM não faz sentido porque o RAM é um CIWS. Quando muito subtituir o Phalanx por um RAM ou Sea-RAM (igual ao RAM, mas utilizando a célula do Phalanx e só com 11 mísseis em vez de 21).

Um abraço

João
Título:
Enviado por: Instrutor em Agosto 19, 2009, 03:24:34 pm
Citação de: "JMM"
Quanto a configurações possíveis à vante ou se põem os Harpoon, ou se põe um CIWS, e.g., Phalanx à la Hydra, ou se põe um Mk41, ou, o que é mais provável, não se faz nada.. todas estas configurações são mutuamente exclusivas...

Quanto à ré, substuituir o Mk29 dos Sea Sparrow por RAM não faz sentido porque o RAM é um CIWS. Quando muito subtituir o Phalanx por um RAM ou Sea-RAM (igual ao RAM, mas utilizando a célula do Phalanx e só com 11 mísseis em vez de 21).

Um abraço

João


Ainda não reparaste no seguinte.... se até aqui no forum existem individuos que se fartam de queixar por falta de dinheiro e devido a essa suposta falta de dinheiro aqui vem com falinhas mansas a desculpar o governo por nao investir na nossa defesa, o que esperas tu dos governantes, aqueles senhores que realmente tem o dinheiro e vontade de investir ou nao no que quer que seja.

Repara que até existem individuos aqui no forum que dizem não vale a pena modernizar as VdG, estão contra a vinda de um 3º submarino e outros equipamentos.... quando enaltecem as suas respostas criticando duramente as pessoas que gostavam de ter uma marinha e em forma geral umas forças armadas modernas, veem para aqui dizer com que dinheiro com que dinheiro, se existem pessoas ligadas a defesa que querem acabar com as Forças Armadas...... a esses senhores se são ou foram soldados.... que tenham vergonha em vez de andarem por aqui a dizer sempre o mesmo a falta de dinheiro, se escrevessem o que realmente querem e gostavam de ver na marinha e nos outros dois ramos isso faziam eles bem..... eu posso exigir ao Governo umas mais modernas Forças Armadas, eu posso exigir ao governo que gaste o meu dinheiro dos impostos na nossa defesa, saude, educação, mais meios para as policias, eu posso exigir ao governo atraves do dinheiro dos meus impostos mais escolas, hospitais, eu posso exigir ao governo mais carros de combate, mais fragatas, submarinos, aviões mais jovens nas fileiras mais incentivos aos militares, eu posso exigir ao governo que pare de gastar o meu rico dinheiro dos impostos em TGVs para satisfazer as necessidades das empresas de um amigo, eu posso exigir ao governo que pare de gastar o meu rico dinheiro em bancos fraudulentos e carros topo de gama para os ministros, secretarios de estado, secretarias dos secretarios dos sercretarios de estado, qualquer dia até a mulher a dias (profissão bastante honrrosa) do palacio são bento anda de Audi A8 desde que seja mais uma Monica Luinsky ou amiga intima, eu posso exigir ao governo mais responsabilidade para com os desfavorecidos..... EU PAGO OS MEUS IMPOSTOS, TENHO DIREITO A OPINAR E A EXIGIR O QUE É MELHOR PARA MIM,  e neste MOMENTO O QUE É MELHOR PARA MIM E CERTAMENTE PARA 99,99% DA POPULAÇÃO PORTUGUESA É TEREM UMAS EXCELENTES FORÇAS ARMADAS, E DEIXAREM DE PAGAR AS DIVIDAS DOS AMIGOS BANQUEIROS FRAUDULENTOS. ISSO SIM É DINHEIRO MAL GASTO...
Título:
Enviado por: JMM em Agosto 19, 2009, 03:32:11 pm
Concordo meu caro, mas o meu post a que responde tem que ver meramente com questões técnicas e não politico-sociais... as configuraçõe em causa são, de facto, mutuamente exclusivas do ponto de vista técnico. Não se estará a referir por engano ao post que pus no tópico dos U-209PN?

Um abraço

João
Título:
Enviado por: Instrutor em Agosto 19, 2009, 03:46:43 pm
Quem se atreve a dizer que não ha dinheiro, com os 2500 milhoes de euros roubados ao povo e gastos em bancos fraudulentos iamos as compras e sobrava muito dinheiro....

Pandures .............................. 300 milhoes
G36 .....................................   80 milhoes
MLU F16 .............................. 200 milhoes
MLU VdG .............................. 300 milhoes
NPL ..................................... 250 milhoes
AOR .................................... 200 milhoes
+ 50 CC Leo II A6 ................. 120 milhoes
NPO/NPC ............................. 200 milhoes
LFC .................................... 150 milhoes
C295M ................................ 200 milhoes
TOTAL-------------------------2000 MILHOES
500 MILHOES DE EUROS PARA INCENTIVOS CAMPANHAS PUBLICITARIAS PARA JOVENS VOLUNTÁRIOS.....E AINDA TEM A LATA DE ALGUNS DIZEREM QUE NÃO HÁ DINHEIRO. :evil:
Título:
Enviado por: P44 em Agosto 19, 2009, 04:52:23 pm
Primeiro o BPN :!:
Título:
Enviado por: Instrutor em Agosto 19, 2009, 04:59:59 pm
Citação de: "JMM"
Concordo meu caro, mas o meu post a que responde tem que ver meramente com questões técnicas e não politico-sociais... as configuraçõe em causa são, de facto, mutuamente exclusivas do ponto de vista técnico. Não se estará a referir por engano ao post que pus no tópico dos U-209PN?

Um abraço

João


Não caro amigo o meu post foi uma forma de concordar consigo.... voce tem razão como todos aqueles que por aqui andam a tentarem dar ideias de modernizar as forças armadas, so desabafei porque existem muitas pessoas aqui que se dizem auto defensores de assuntos militares e no fim de cada post só sabem dizer não temos dinheiro, nao há tripulaçoes nao há isto ou aquilo, e não dão soluçoes crediveis....
Título:
Enviado por: Instrutor em Agosto 19, 2009, 05:02:43 pm
Ainda bem que nem todos os camaradas foristas SÃO FORÇAS OCULTAS DE BLOQUEIO.... ATÉ PARECE QUE O SIS ANDA A VIGIAR O FORUM :lol:
Título:
Enviado por: sivispacem em Agosto 19, 2009, 06:07:40 pm
Citação de: "Instrutor"
Citação de: "JMM"
Concordo meu caro, mas o meu post a que responde tem que ver meramente com questões técnicas e não politico-sociais... as configuraçõe em causa são, de facto, mutuamente exclusivas do ponto de vista técnico. Não se estará a referir por engano ao post que pus no tópico dos U-209PN?

Um abraço

João

Não caro amigo o meu post foi uma forma de concordar consigo.... voce tem razão como todos aqueles que por aqui andam a tentarem dar ideias de modernizar as forças armadas, so desabafei porque existem muitas pessoas aqui que se dizem auto defensores de assuntos militares e no fim de cada post só sabem dizer não temos dinheiro, nao há tripulaçoes nao há isto ou aquilo, e não dão soluçoes crediveis....


Nada disso, Instrutor...

Uma "solução credível" só o é se efectivamente existir financiamento real para a implementar.... caso contrário tudo não passa de sonhar alto, de divagações, de 'wishfull thinking'.

Como na vida, há que saber distinguir entre o plano do 'que bom que seria se' e o plano da realidade. Sabe quem não consegue fazer isso? as criacinhas pequeninas, que tudo querem e já.

E quer gostemos ou não, a realidade é que Portugal é um país pobre com muitas carências sociais e de desenvolvimento ainda e não se vislumbra descobrir petróleo tão cedo.
Donde que não há - como em todo o lado, aliás - o dinheiro suficiente para financiar tudo o que no papel até poderá fazer sentido.

Ignorar isto não é bom....

Cpmts
Carlos Ferreira
Título:
Enviado por: SSK em Agosto 19, 2009, 07:13:06 pm
Curioso, lembrei-me que as VDG's são ASW, e que tal torpedos filo-guiados???
Título:
Enviado por: luis filipe silva em Agosto 19, 2009, 09:14:30 pm
Citar
Curioso, lembrei-me que as VDG's são ASW, e que tal torpedos filo-guiados???

WSó depois de termos os SM-3. :bang:
Título:
Enviado por: SSK em Agosto 19, 2009, 09:20:51 pm
Citação de: "luis filipe silva"
Citar
Curioso, lembrei-me que as VDG's são ASW, e que tal torpedos filo-guiados???
WSó depois de termos os SM-3. :bang:


Só revela o conhecimento geral do que é uma fragata ASW e os objectivos da mesma.

Não é por aí que vamos caminhar de certeza. Só vão ter harpoon block II se por acaso não se comprar misseis dedicados para os submarinos e se optar por fazer o upgrade dos actuais block I para o referido block II.

Para além de PESSOAL também NÃO HÁ DINHEIRO!!!
Título:
Enviado por: nelson henriques em Agosto 19, 2009, 10:02:56 pm
Continuo na minha:
Citação de: "nelson henriques"
Já que sonhar não custa , por mim era esta a modernização mínima a fazer nas 5 fragatas:
  -Instalação dos GATEKEEPER e SEASTAR
  -32 mísseis ESSM (no lugar dos Sea Sparrow)
  -2 sistemas RAM ou Sea Ram (1 no lugar dos actuais CIWS e outro atrás do canhão principal)
  -Mísseis Harpoon com capacidade de ataque terrestre
  -novos torpedos ASW
  -Plataforma e hangares capazes de acolher um helicóptero NH-90
Houvesse $$$$... :bang:
Título:
Enviado por: SSK em Agosto 19, 2009, 11:13:14 pm
Citação de: "nelson henriques"
Continuo na minha:
Citação de: "nelson henriques"
Já que sonhar não custa , por mim era esta a modernização mínima a fazer nas 5 fragatas:
  -Instalação dos GATEKEEPER e SEASTAR
  -32 mísseis ESSM (no lugar dos Sea Sparrow)
  -2 sistemas RAM ou Sea Ram (1 no lugar dos actuais CIWS e outro atrás do canhão principal)
  -Mísseis Harpoon com capacidade de ataque terrestre
  -novos torpedos ASW
  -Plataforma e hangares capazes de acolher um helicóptero NH-90
Houvesse $$$$... :bang:


Nunca se modernizou nada na Marinha porque é que agora se iria fazê-lo??? Isso é coisa de país desenvolvido e rico!!! O pobre e retrograda compra bom e depois deixa morrer...
Título:
Enviado por: JMM em Agosto 20, 2009, 06:40:35 am
Citação de: "SSK"
Citação de: "nelson henriques"
Continuo na minha:
Citação de: "nelson henriques"
Já que sonhar não custa , por mim era esta a modernização mínima a fazer nas 5 fragatas:
  -Instalação dos GATEKEEPER e SEASTAR
  -32 mísseis ESSM (no lugar dos Sea Sparrow)
  -2 sistemas RAM ou Sea Ram (1 no lugar dos actuais CIWS e outro atrás do canhão principal)
  -Mísseis Harpoon com capacidade de ataque terrestre
  -novos torpedos ASW
  -Plataforma e hangares capazes de acolher um helicóptero NH-90
Houvesse $$$$... :bang:


Nunca se modernizou nada na Marinha porque é que agora se iria fazê-lo??? Isso é coisa de país desenvolvido e rico!!! O pobre e retrograda compra bom e depois deixa morrer...


 :nice:
Título:
Enviado por: nelson henriques em Agosto 20, 2009, 08:59:06 pm
:N-icon-Axe: Pois, infelizmente tens razão...Na História recente da MP poucas foram as excepções...( contratorpedeiros classe Vouga, cruzador Vasco da Gama, fragata Pero Escobar e pouco mais)
Título:
Enviado por: Filipe de Chantal em Agosto 21, 2009, 05:02:06 am
Por mim, também nunca entendi aquelas posições que começam logo por concluir que nós não temos dinheiro para o que é preciso. Os foristas que defendem isto são os mesmos que se conformavam com a vinda das OHP da América. Depois, quando afinal o Governo português comprou as Karel Doorman à Holanda, ficaram sem fala... Piores do que "as tesouras" do Ministério das Finançaas!...
Agora quanto ao MLU das fragatas portuguesas, devo dizer que OBRIGATÓRIA é a substituição dos mísseis e a dotação das mesmas com ESSM's, pois todas têm lançadores compatíveis, com mais ou menos.
O que acontece é que não aparece ninguém a defender fragatas de defesa aérea, para colocar a Marinha portuguesa ao nível das outras europeias. Vêm com os tais argumentos segundo os quais não há dinheiro, e depois dizem coisas incríveis, como, por exemplo, "não nos fazem falta, não precisamos. Se os outros as têm, o problema é deles!"
Como vários foristas aqui já defenderam, também eu creio que o número ideal mínimo de fragatas para a Marinha portuguesa é de 7 (sete). Por isso, concluo que deveríamos encomendar pelo menos duas Meko A-200 desde já!
Título:
Enviado por: Instrutor em Agosto 21, 2009, 09:30:56 am
Citação de: "Filipe de Chantal"
Por mim, também nunca entendi aquelas posições que começam logo por concluir que nós não temos dinheiro para o que é preciso. Os foristas que defendem isto são os mesmos que se conformavam com a vinda das OHP da América. Depois, quando afinal o Governo português comprou as Karel Doorman à Holanda, ficaram sem fala... Piores do que "as tesouras" do Ministério das Finançaas!...
Agora quanto ao MLU das fragatas portuguesas, devo dizer que OBRIGATÓRIA é a substituição dos mísseis e a dotação das mesmas com ESSM's, pois todas têm lançadores compatíveis, com mais ou menos.
O que acontece é que não aparece ninguém a defender fragatas de defesa aérea, para colocar a Marinha portuguesa ao nível das outras europeias. Vêm com os tais argumentos segundo os quais não há dinheiro, e depois dizem coisas incríveis, como, por exemplo, "não nos fazem falta, não precisamos. Se os outros as têm, o problema é deles!"
Como vários foristas aqui já defenderam, também eu creio que o número ideal mínimo de fragatas para a Marinha portuguesa é de 7 (sete). Por isso, concluo que deveríamos encomendar pelo menos duas Meko A-200 desde já!


Vão-te cair em cima, os senhores mais conhecedores :lol:  :lol:
Título:
Enviado por: Instrutor em Agosto 21, 2009, 09:36:25 am
http://www.segurancaedefesa.com/meko.html (http://www.segurancaedefesa.com/meko.html)
Título:
Enviado por: sivispacem em Agosto 21, 2009, 10:41:07 am
Citação de: "Instrutor"
Citação de: "Filipe de Chantal"
Por mim, também nunca entendi aquelas posições que começam logo por concluir que nós não temos dinheiro para o que é preciso. Os foristas que defendem isto são os mesmos que se conformavam com a vinda das OHP da América. Depois, quando afinal o Governo português comprou as Karel Doorman à Holanda, ficaram sem fala... Piores do que "as tesouras" do Ministério das Finançaas!...
Agora quanto ao MLU das fragatas portuguesas, devo dizer que OBRIGATÓRIA é a substituição dos mísseis e a dotação das mesmas com ESSM's, pois todas têm lançadores compatíveis, com mais ou menos.
O que acontece é que não aparece ninguém a defender fragatas de defesa aérea, para colocar a Marinha portuguesa ao nível das outras europeias. Vêm com os tais argumentos segundo os quais não há dinheiro, e depois dizem coisas incríveis, como, por exemplo, "não nos fazem falta, não precisamos. Se os outros as têm, o problema é deles!"
Como vários foristas aqui já defenderam, também eu creio que o número ideal mínimo de fragatas para a Marinha portuguesa é de 7 (sete). Por isso, concluo que deveríamos encomendar pelo menos duas Meko A-200 desde já!

Vão-te cair em cima, os senhores mais conhecedores :lol:  :lol:


Se calhar o numero ideal de fragatas até é superior a 7...
Ou então deviamos manter o actual numero e comprar 2 ou 3 F100...

Mais 2 LPD, 1AOR e um 3º submarino...
E trocar os 5 Lynx por 10 NH90...

E pelo menos 100 Leos... e 50 F35....
E não sei quantos hospitais, e centros de dia, e escolas renovadas e com aquecimento, e, e, e, ....

E depois o défice ia parar onde? E sabem quem o paga? Somos nós (ou melhor, cada vez mais os nossos filhos...)
Sabem que a Republica Portuguesa começa a ser questionada sobre a sua capacidade de pagar dividas e até mesmo de se financiar no exterior?
Sabem os efeitos que isso pode via a ter no aumento dos níveis de risco e consequente aumento da taxa de juro?
Na cada vez mais necessária - mas sempre negada - subida de impostos e redução de despesas do Estado?

Caiam na real.... Leiam um pouco sobre economia, finanças públicas e a actual situação económico/financeira do mundo e de Portugal em particular...

Pedir é fácil...

E pela minha parte dou por terminada a minha experiência pedagógica de trazer alguma luz a alguns membros que falam de compras militares como eu faço a minha lista do supermercado...

Cpmts
Carlos Ferreira
Título:
Enviado por: Instrutor em Agosto 21, 2009, 10:51:13 am
Citação de: "sivispacem"
Citação de: "Instrutor"
Citação de: "Filipe de Chantal"
Por mim, também nunca entendi aquelas posições que começam logo por concluir que nós não temos dinheiro para o que é preciso. Os foristas que defendem isto são os mesmos que se conformavam com a vinda das OHP da América. Depois, quando afinal o Governo português comprou as Karel Doorman à Holanda, ficaram sem fala... Piores do que "as tesouras" do Ministério das Finançaas!...
Agora quanto ao MLU das fragatas portuguesas, devo dizer que OBRIGATÓRIA é a substituição dos mísseis e a dotação das mesmas com ESSM's, pois todas têm lançadores compatíveis, com mais ou menos.
O que acontece é que não aparece ninguém a defender fragatas de defesa aérea, para colocar a Marinha portuguesa ao nível das outras europeias. Vêm com os tais argumentos segundo os quais não há dinheiro, e depois dizem coisas incríveis, como, por exemplo, "não nos fazem falta, não precisamos. Se os outros as têm, o problema é deles!"
Como vários foristas aqui já defenderam, também eu creio que o número ideal mínimo de fragatas para a Marinha portuguesa é de 7 (sete). Por isso, concluo que deveríamos encomendar pelo menos duas Meko A-200 desde já!

Vão-te cair em cima, os senhores mais conhecedores :lol:  :lol:

Se calhar o numero ideal de fragatas até é superior a 7...
Ou então deviamos manter o actual numero e comprar 2 ou 3 F100...

Mais 2 LPD, 1AOR e um 3º submarino...
E trocar os 5 Lynx por 10 NH90...

E pelo menos 100 Leos... e 50 F35....
E não sei quantos hospitais, e centros de dia, e escolas renovadas e com aquecimento, e, e, e, ....

E depois o défice ia parar onde? E sabem quem o paga? Somos nós (ou melhor, cada vez mais os nossos filhos...)
Sabem que a Republica Portuguesa começa a ser questionada sobre a sua capacidade de pagar dividas e até mesmo de se financiar no exterior?
Sabem os efeitos que isso pode via a ter no aumento dos níveis de risco e consequente aumento da taxa de juro?
Na cada vez mais necessária - mas sempre negada - subida de impostos e redução de despesas do Estado?

Caiam na real.... Leiam um pouco sobre economia, finanças públicas e a actual situação económico/financeira do mundo e de Portugal em particular...

Pedir é fácil...

E pela minha parte dou por terminada a minha experiência pedagógica de trazer alguma luz a alguns membros que falam de compras militares como eu faço a minha lista do supermercado...

Cpmts
Carlos Ferreira


Caro colega bem sei que o que vou dizer já é muito repetitivo, mas é a relalidade, e molda o espírito da população, eu bem sei e toda a gente sabe que a economia está em baixo e somente agora estamos a dar uns pequenos passos na recuperação, mas não podemos desculpar a falta de efectivos humanos e materiais com a falta de dinheiro, eu até posso compreender que o governo não invista aquilo que nós desejariamos nas forças de defesa e de segurança, agora virem para aqui dizer que é por falta de dinheiro que não se realizam mais compras.... isso não tolero nem adimito que me passem um atestado de burrice nem de estupidez e como eu pensa muita boa gente.
Eu aceito mais facilmente a falta de vontade política no investimento, do que a falta de dinheiro.
O dinheiro quando é realmente necessário ele aparece que o digam os senhores dos bancos, onde foi o governo buscar de um dia para o outro 2500 milhoes de euros (500 milhões de contos na moeda antiga) com esses 500 milhões de contos eu ja enumerei todas as compras que Portugal poderia fazer em termos de materiais/equipamentos e mais uma verbazinha de 500 milhoes de euros para atrair jovens para as nossas fileiras com aumentos salariais e outros incentivos... agora por favor não se deixem enganar, a realidade é só uma NÃO HÁ VONTADE POLÍTICA, AGORA DINHEIRO ELE APARECE.
Título:
Enviado por: P44 em Agosto 21, 2009, 02:34:06 pm
Citação de: "nelson henriques"
:N-icon-Axe: Pois, infelizmente tens razão...Na História recente da MP poucas foram as excepções...( contratorpedeiros classe Vouga, cruzador Vasco da Gama, fragata Pero Escobar e pouco mais)


o caso da Pero Escobar é uma vergonha pois o navio foi abatido pouquissimo tempo depois de ter acabado a modernização!
Título:
Enviado por: luis filipe silva em Agosto 21, 2009, 04:16:12 pm
Citar
o caso da Pero Escobar é uma vergonha pois o navio foi abatido pouquissimo tempo depois de ter acabado a modernização!

Não é vergonha nenhuma, pois o navio era limitado pela NATO na sua capacidade operacional, e nós precisávamos de navios para actuar nas colónias. Além disso um dosprincipais problemas (as máquinas) eram de dificil resolução.
Título:
Enviado por: P44 em Agosto 21, 2009, 08:22:15 pm
Citação de: "luis filipe silva"
Citar
o caso da Pero Escobar é uma vergonha pois o navio foi abatido pouquissimo tempo depois de ter acabado a modernização!
Não é vergonha nenhuma, pois o navio era limitado pela NATO na sua capacidade operacional, e nós precisávamos de navios para actuar nas colónias. Além disso um dosprincipais problemas (as máquinas) eram de dificil resolução.


Sendo assim porque é que se procedeu á modernização em primeiro lugar :?:  Só se "aperceberam" de tal facto no fim da mesma?
Título:
Enviado por: luis filipe silva em Agosto 22, 2009, 01:48:50 am
P 44 escreveu:
Citar
Sendo assim porque é que se procedeu á modernização em primeiro lugar  Só se "aperceberam" de tal facto no fim da mesma?

Não foi uma questão de se aperceberem ou não. O navio foi todo desmontado por dentro e foi sendo arranjado durante dez anos. Ou seja não havia pressa nenhuma. Claro que depois de recomeçar a navegar, foram surgindo avarias na propulsão até que decidiram que não se justificava mais mantê-lo a navegar. Um mau investimento, igual ao S. Rafael ex. Medusa que na mesma altura foi todo arranjado e nunca mais navegou.
Título:
Enviado por: cromwell em Setembro 01, 2009, 12:44:48 pm
:D

Citar
September 1, 2009 by worldef
When the Portuguese Navy decide to replace the MK 46 Mod 5 torpedo operated from the three Vasco da Gama Class MEKO 200PN ModIII and two Bartolomeu Dias Class Type M frigates and from the five Super Lynx MK-95 helicopters, EuroTorp will propose its MU90 Impact lightweight torpedo told the company to PoADU. The company is starting to promote the torpedo in Brazil targeting all the existing and future frigates and corvettes, on board P-3BR Orion Maritime Patrol Aircraft (MPA), S-70B Seahawk and Super Lynx MK-21A helicopters.



Eurotorp is owned by DCNS, Whitehead Alenia Sistemi Subacquei SpA and Thales. The company portfolio includes the MU 90 Impact and the A244S Mod 3 lightweight torpedoes. The MU 90 Impact 323.7mm diameter torpedo has been ordered by Germany, France, Italy, Denmark, Australia and Poland. The MU 90 Impact anti-submarine torpedo exists in the MPA version (315.6 kg), ASW helicopter version (314.1 kg) and surface vessel version (304 kg).



The Portuguese MoD already ordered 24 Black Sharck heavyweight torpedoes to WASS SpA for the two U209PN submarines. Portuguese company EDISOFT-Empresa de Serviços e Desenvolvimento de Software SA has developed a fire control display and Arsenal do Alfeite SA will be in charge of the torpedoes maintenance. The Black Sharck is a 533mm diameter torpedo.



http://poadu.wordpress.com/ (http://poadu.wordpress.com/)
Título: Re: MLU às VdG e/ou BD - Hipóteses
Enviado por: cromwell em Setembro 18, 2009, 11:06:50 pm
Citar
September 17, 2009 by worldef
French company IXSea Defense (part of IXSea Group) is looking to integrate its PHINS (Photonic Inertial Navigation System) inertial navigation system on the Portuguese Navy two Bartolomeu Dias (F333 NRP Bartolomeu Dias and F334 NRP Dom Francisco de Almeida) Type M frigates. The company already win an order to install the system on the two Dutch Navy Type M frigates ( F831 HrMs Van Amstel and F828 HrMs Van Speijk). Belgian and Chilean frigates are also targeted by the company. The PHINS system has been ordered by Netherlands for to be fitted on the four Holland Class ocean patrol vessels
Título: Re: MLU às VdG e/ou BD - Hipóteses
Enviado por: dc em Outubro 27, 2009, 02:45:45 pm
Boas

Eu quero apresentar as minhas ideias para o MLU das VdG e das BD.

VdG
-modernização dos radares ou sua substituição por mais modernos
-modificação do hangar para acomodar 1 NH-90 (não obrigatorio)
-colocação de um lançador MK-41 para ESSM no lugar do MK-29
-colocação de mais um Phalanx Block1B atrás do canhão
-substituição dos misseis Harpoon por outros Harpoon com capacidade de ataque ao solo
-sustituição dos Sea Sparrow por ESSM
-modernização do sonar e dos directores de tiro

BD
-modernização dos radares ou sua subst.
-modif. hangar para o NH-90 (não obrigatorio)
-subst. dos misseis Harpoon por outros Harpoon com capac. ataque ao solo
-subst. Sea Sparrow po ESSM
-modern. dos sonares e direct. de tiro
Título: Re: MLU às VdG e/ou BD - Hipóteses
Enviado por: nelson38899 em Janeiro 24, 2011, 07:38:01 pm
Citar
Fragata "Álvares Cabral" pára cerca de um ano para revisão que vai custar mais de 7 milhões de euros

A revisão intermédia da fragata "Álvares Cabral", ao serviço da Marinha Portuguesa desde 1991, vai custar mais de 7 milhões de euros, segundo despacho do ministro da Defesa hoje publicado em Diário da República.

Segundo o documento, "o preço global do procedimento" está fixado em 6.634.548.13 euros, montante ao qual acresce o IVA à taxa legal em vigor, e a reparação do navio será feita no Arsenal do Alfeite, durante cerca de um ano.

Segundo o porta-voz da Armada, comandante Santos Fernandes, os trabalhos de docagem e revisão intermédia da "Álvares Cabral" são "um processo normal no âmbito do ciclo operacional do navio" e acontecem de cinco em cinco anos.

http://www.dn.pt/Inicio/interior.aspx?content_id=1765371
Título: Re: MLU às VdG e/ou BD - Hipóteses
Enviado por: Daniel em Janeiro 24, 2011, 07:46:01 pm
Citar
Fragata "Álvares Cabral" pára cerca de um ano para revisão que vai custar mais de 7 milhões de euros

Bem grande revisão, para custar 7 milhões vai lá vai. c34x
Título: Re: MLU às VdG e/ou BD - Hipóteses
Enviado por: chaimites em Janeiro 24, 2011, 09:31:35 pm
Boas!

Um ano de revisao 7 milhões nao dao para grandes inovaçoes!
aqui nos ENVC 1 dia na doca seca custa 3500€, mais os custos da reparaçao a fazer
Título: Re: MLU às VdG e/ou BD - Hipóteses
Enviado por: Charlie Jaguar em Janeiro 24, 2011, 10:47:39 pm
Citação de: "nelson38899"
Citar
Fragata "Álvares Cabral" pára cerca de um ano para revisão que vai custar mais de 7 milhões de euros

A revisão intermédia da fragata "Álvares Cabral", ao serviço da Marinha Portuguesa desde 1991, vai custar mais de 7 milhões de euros, segundo despacho do ministro da Defesa hoje publicado em Diário da República.

Segundo o documento, "o preço global do procedimento" está fixado em 6.634.548.13 euros, montante ao qual acresce o IVA à taxa legal em vigor, e a reparação do navio será feita no Arsenal do Alfeite, durante cerca de um ano.

Segundo o porta-voz da Armada, comandante Santos Fernandes, os trabalhos de docagem e revisão intermédia da "Álvares Cabral" são "um processo normal no âmbito do ciclo operacional do navio" e acontecem de cinco em cinco anos.

http://www.dn.pt/Inicio/interior.aspx?content_id=1765371

É um preciosismo, eu sei, mas falta o resto do artigo.  :)

Citar
Esta é uma das grandes revisões do navio, que tem um ciclo operacional de cinco anos. Ao fim deste tempo o navio é alvo de uma revisão total, é tudo desmontado e revisto, e se for necessário algumas peças são substituídas", explicou à Agência Lusa.

A fragata "Álvares Cabral" é o segundo navio da classe "Vasco da Gama" e foi o primeiro a ser concebido nos estaleiros navais da HDW, em Kiel, tendo sido lançado à água em Junho de 1990.

O navio está ao serviço da Armada Portuguesa desde 24 de Maio de 1991.

Segundo me haviam adiantado ainda no final do Verão passado, a "Álvares Cabral" há muito que estaria à espera desta revisão, razão porque esteve praticamente parada durante o ano inteiro de 2010, atracada na Base Naval. Face aos cortes do PEC teria sido dada ordem para adiar os trabalhos até este ano, algo que como agora se pode ver será levado a cabo.
Título: Re: MLU às VdG e/ou BD - Hipóteses
Enviado por: Ricardo em Janeiro 27, 2011, 10:24:31 am
http://barcoavista.blogspot.com/2009/06 ... lasse.html (http://barcoavista.blogspot.com/2009/06/modernizacao-das-fragatas-da-classe.html)
Título: Re: MLU às VdG e/ou BD - Hipóteses
Enviado por: Desertas em Janeiro 27, 2011, 06:13:11 pm
Citação de: "Ricardo"
http://barcoavista.blogspot.com/2009/06/modernizacao-das-fragatas-da-classe.html
Citar
Anónimo disse...

    Boas
    Para quando é essa modernização?Será ainda neste seculo?????
    E já agora só se moderniza os misseís então e os sensores que ja não apanham nada de tão velhos que estão?

    Cabo da Marinha
    Á 12 anos embarcado nas Vasco da Gama

Alguem me sabe dizer se o estado dos sensores das Vasco da Gama é assim tão mau ?

Um Abraço
Título: Re: MLU às VdG e/ou BD - Hipóteses
Enviado por: afonsinho em Setembro 07, 2011, 02:42:07 pm
(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fwww.naval.com.br%2Fblog%2Fwp-content%2Fuploads%2F2009%2F03%2Fanzac-ceafar.jpg&hash=b85c6733e647df5c44ec001dcb77dd00)
(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fwww.naval.com.br%2Fblog%2Fwp-content%2Fuploads%2F2009%2F03%2Fship_ffg_upgraded_anzac_concept_lg-imagem-via-did.jpg&hash=3e8731499e2e9094d3dce997391c4539)

http://www.oocities.org/randomsran/AnzacFFH.html (http://www.oocities.org/randomsran/AnzacFFH.html)
http://en.wikipedia.org/wiki/Anzac_class_frigate (http://en.wikipedia.org/wiki/Anzac_class_frigate)
http://www.naval.com.br/blog/2009/03/09 ... -o-futuro/ (http://www.naval.com.br/blog/2009/03/09/mais-sobre-a-anzac-o-futuro/)

Bonito que era!!!
Demora muito a fazerem isto ou ainda é preciso sonhar muito?
Título: Re: MLU às VdG e/ou BD - Hipóteses
Enviado por: dc em Setembro 12, 2011, 12:14:28 pm
Acho que não vai ser preciso sonhar muito.  :wink:
http://upload.wikimedia.org/wikipedia/c ... t_ASMD.jpg (http://upload.wikimedia.org/wikipedia/commons/2/26/Perth_post_ASMD.jpg)
http://upload.wikimedia.org/wikipedia/c ... _masts.jpg (http://upload.wikimedia.org/wikipedia/commons/8/88/New_Anzac_masts.jpg)
Título: Re: MLU às VdG e/ou BD - Hipóteses
Enviado por: luis filipe silva em Setembro 12, 2011, 03:51:52 pm
Desertas escreveu:
Citar
Alguem me sabe dizer se o estado dos sensores das Vasco da Gama é assim tão mau ?
Claro que não é sequer mau. Como é que pensa que as VG passam no OST?
Título: Re: MLU às VdG e/ou BD - Hipóteses
Enviado por: SSK em Setembro 12, 2011, 06:55:33 pm
O problema das VDGs é a reestruturação de guarnição que vai sofrer no próximo ano... essa sim vai ser a maior MLU que vamos ter memória
Título: Re: MLU às VdG e/ou BD - Hipóteses
Enviado por: afonsinho em Setembro 13, 2011, 12:23:00 pm
Citar
Acho que não vai ser preciso sonhar muito. :shock: lindo mesmo!!
O sonhar era mesmo para ver uma desta com a bandeira nacional  :lol:
Título: Re: MLU às VdG e/ou BD - Hipóteses
Enviado por: HSMW em Junho 22, 2012, 11:14:08 am
Título: Re: MLU às VdG e/ou BD - Hipóteses
Enviado por: Charlie Jaguar em Janeiro 03, 2013, 12:23:50 pm
Vamos lá desenterrar este tópico seis meses depois do último post.  :)

Duas questões: primeiro, apesar de todo este marasmo devido à obsessão do Gaspar pela austeridade, havia de facto a intenção concreta de proceder à modernização de meia-vida das fragatas da classe "Vasco da Gama" e, eventualmente, das "Bartolomeu Dias"? Isto porquê? Um pouco por todo o lado marinhas equipadas com fragatas Meko vão-se decidindo pela modernização, agora é a vez da Nova Zelândia. Havia de facto intenção de modernizar estes nossos vasos de guerra?

Segundo, a Thales vai modernizar os sistemas CIWS Goalkeeper da Marinha Real Holandesa, com a opção de fazer o mesmo aos operados pela Marinha Belga abordo das fragatas da classe "M". Para as nossas BD's nada está programado, pois não?
Título: Re: MLU às VdG e/ou BD - Hipóteses
Enviado por: P44 em Janeiro 03, 2013, 12:59:45 pm
Quanto ao CIWS não faço ideia, mas para além disso as Marinhas Holandesas e Belgas já estão a proceder á modernização dos sensores, com a colocação dos novos mastros. A Van Speijk foi a primeira:

(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fgeordiecam.files.wordpress.com%2F2012%2F11%2Fhnlms-van-speijk-f828.jpg%3Fw%3D900&hash=a4b7d89defc1ef90a2aaae2459f2ece9)

Desconheço se os Chilenos também irão modernizar as suas 2 M como esta. As portuguesas DE CERTEZA não terão esta modernização...

(para além disso as 4 Holandesas e Belgas já sofreram a alteração do convés de vôo e hangar para operar o NH-90. Mas tb não temos de nos preocupar com isso...)
Título: Re: MLU às VdG e/ou BD - Hipóteses
Enviado por: PereiraMarques em Fevereiro 20, 2013, 10:26:34 am
Não que isto seja uma verdadeira decisão de modernização, mas...

Citar
MINISTÉRIO DA DEFESA NACIONAL
Gabinete do Ministro
Despacho n.º 2731/2013

Considerando que Portugal participa no Consórcio NATO Seasparrow
Missile System desde o ano de 1988, no âmbito da sustentação do ciclo
de vida dos sistemas de combate que utilizam o míssil Seasparrow;
Considerando a evolução do míssil e o desenvolvimento do Evol-
ved Seasparrow Missile (ESSM), Portugal aderiu ao Memorandum of
Understanding for the Cooperative ln -Service Support of the Evolved
Seasparrow Missile (ESSM Support MoU), em 01 de maio de 2000,
com o estatuto de Participante Não Contribuinte, não tendo por isso
qualquer envolvimento financeiro;
Considerando que os países participantes no consórcio decidiram
alterar o ESSM Support MoU de forma a prolongar o seu período de
duração, bem como aumentar o teto máximo de financiamento, de forma
a permitir a sustentação do míssil ESSM até 2030;
Atento o anteriormente exposto, e verificando -se não existirem en-
cargos financeiros, nem a realização de qualquer despesa, inerentes
à assinatura da alteração n.º 1 (Amendment one) ao Memorandum of
Understanding for the Cooperative In -Service Support of the Evolved
Seasparrow Missile que justifiquem a inviabilidade da sua aprovação
pelo Estado Português, determino o seguinte:
1. Aprovo a minuta da alteração n.º 1 ao Memorandum of Understan-
ding for the Cooperative ln -Service Support of the Evolved Seasparrow
Missile que me foi submetida pela Marinha a coberto do ofício n.º 2773
CEMA, de 05 de dezembro de 2012, e que mereceu, atenta a informação
n.º 34/DPIID/DSPIL, de 16 de janeiro de 2013, a concordância por parte
da Direção -Geral de Armamento e Infraestruturas de Defesa;
2. Delego no representante nacional no NATO Seasparrow Project
Steering Committee, capitão -de -mar -e -guerra ENC Bento Manuel Do-
mingues, nos termos do disposto nos artigos 35.º a 40.º do Código do
Procedimento Administrativo, aprovado pelo Decreto -Lei n.º 442/91,
de 15 de novembro, com as alterações introduzidas pelo Decreto -Lei
n.º 6/96, de 31 de janeiro, a outorga da referida alteração n.º 1 ao Me-
morandum of Understanding for the Cooperative ln -Service Support of
the Evolved Seasparrow Missile.

30 de janeiro de 2013. — O Ministro da Defesa Nacional, José Pedro
Correia de Aguiar -Branco.

http://dre.pt/pdf2sdip/2013/02/036000000/0688206883.pdf (http://dre.pt/pdf2sdip/2013/02/036000000/0688206883.pdf)
Título: Re: MLU às VdG e/ou BD - Hipóteses
Enviado por: P44 em Fevereiro 20, 2013, 10:49:06 am
a única parte que interessa é isto:

Citar
se não existirem en-
cargos financeiros, nem a realização de qualquer despesa
Título: Re: MLU às VdG e/ou BD - Hipóteses
Enviado por: jurista em Fevereiro 20, 2013, 05:33:42 pm
Citação de: "P44"
a única parte que interessa é isto:

Citar
se não existirem en-
cargos financeiros, nem a realização de qualquer despesa

Ou seja:modernização nicles...
Título: Re: MLU às VdG e/ou BD - Hipóteses
Enviado por: Cabecinhas em Fevereiro 22, 2013, 06:11:49 pm
Não percebi um boi do que estava escrito... e português?!
Título: Re: MLU às VdG e/ou BD - Hipóteses
Enviado por: Lightning em Fevereiro 22, 2013, 07:53:01 pm
Citação de: "Cabecinhas"
Não percebi um boi do que estava escrito... e português?!

Em português quer dizer que Portugal faz parte do Consórcio NATO Seasparrow Missile System, que é o missil anti-aéreo que equipa as nossas fragatas, mas já existe uma versão mais evoluida que se chama ESSM (evolved seasparrow missile) que equipa os navios de construção mais recente, Portugal como não tem fragatas de construção recente, logo também não tem este misseis. O artigo o que diz é que Portugal continua no consórcio, e assina o papel em cconjunto com os outros paises (a gente gosta é de fazer parte de grupos importantes :lol: .

Conversa entre o consórcio e Portugal

Consórcio :"Queres assinar este papel?"
Portugal: "Se assinar tenho que pagar alguma coisa?"
Consórcio: "Não tens que pagar nada."
Portugal: "Então assino."
Título: Re: MLU às VdG e/ou BD - Hipóteses
Enviado por: pchunter em Fevereiro 22, 2013, 10:11:45 pm
:rir:
Título: Re: MLU às VdG e/ou BD - Hipóteses
Enviado por: Cabecinhas em Fevereiro 22, 2013, 10:40:20 pm
Gostei! :P
Título: Re: MLU às VdG e/ou BD - Hipóteses
Enviado por: mafets em Fevereiro 23, 2013, 09:05:05 pm
http://www.areamilitar.net/DIRECTORIO/LAN.aspx?nn=14

Um aparte.

O sistema M48 que é usado nas "Bartolomeu Dias" podem com modificações minimas disparar o ESSM. Nas Vasco da Gama é que a história é outra já que o sistema é o mk 29 com o lançador octuplo.

Saudações
Título: Re: MLU às VdG e/ou BD - Hipóteses
Enviado por: P44 em Fevereiro 25, 2013, 09:56:11 am
"modificações minimas" implicam "qualquer despesa"  :mrgreen:  logo, é para esquecer
Título: Re: MLU às VdG e/ou BD - Hipóteses
Enviado por: mafets em Fevereiro 25, 2013, 11:02:35 am
Citar
Re: MLU às VdG e/ou BD - Hipóteses
 por P44 » Segunda 25 Fev, 2013 9:56 am

"modificações minimas" implicam "qualquer despesa"   logo, é para esquecer

Certissimo :?

Saudações
Título: Re: MLU às VdG e/ou BD - Hipóteses
Enviado por: P44 em Fevereiro 28, 2013, 05:41:45 pm
a título meramente informativo, aqui fica o anúncio para o concurso de upgrade das MEKO200 da Nova Zelândia

    Request for Tender (RFT): ANZAC Frigate Systems Upgrade (RFT 1-326)
   
   
(Source: New Zealand Ministry of Defence; undated)
 
 
   
   The Royal New Zealand Navy (RNZN) ANZAC class frigates (ANZACs) have performed to their original design specification in almost all areas since their inception. However, as with any long-term complex defence system, they must be maintained and upgraded through-life to preserve capabilities, address obsolescence, respond to emerging threats and react to changes in how and where the Ships are operated.

A critical component for the RNZN is the capability to conduct combat operations and to support them. The ANZACs are key to this and it has been determined that the ANZACs require upgrades to their Combat Systems. As such, Her Majesty the Queen in right of New Zealand (through the Ministry of Defence) (the Crown) has initiated the Frigate Systems Upgrade (FSU) project (the Project).

The Project will generate a reliable and supportable ANZAC Combat System with enhanced operational availability and capability that will have a minimal drawdown on the constrained personnel and training resources within the RNZN.

The FSU as a whole will consider the replacement/addition of the following combat subsystems:

a.Radar suite including Identification, Friend or Foe (IFF) system;
b.Infra-Red Search and Track / Optronics (IRST/O) system;
c.Electronic Support Measures (ESM) suite;
d.Communications Electronic Support Measures (CESM) system;
e.Underwater Systems (UWS);
f.Combat Management System (CMS);
g.Tactical Data Link (TDL) system;
h.Local Area Air Defence (LAAD) missile system;
i.ASMD Soft Kill (ASK) suite; and
j.Torpedo Self Defence (TSD) system.

The Crown seeks to contract the services of a CSI to procure combat subsystems and integrate all new (both Contractor Furnished Equipment (CFE) and Government Furnished Equipment (GFE) subsystems to the legacy combat subsystems onboard the ANZACs to provide the complete capability defined by the System Requirements.

To facilitate this, this RFT seeks tender responses from suitably qualified and experienced CSIs, which will then be evaluated. Shortlisted Tenderers may be invited to attend an individual workshop with the Crown, the purpose of which is for the Crown to seek any clarifications on the Tenderer’s tender and to gain a fuller understanding of the Tenderer’s proposed solution.

Lodgement of Tenders by 12.00 pm - midday (NZDT), Wednesday, 22 May 2013


Click here for the complete announcement, on the RNZ MoD website. :arrow: http://www.defence.govt.nz/acquisitions ... grade.html (http://www.defence.govt.nz/acquisitions-tenders/rft-anzac-frigate-systems-upgrade.html)

-ends-
Título: Re: MLU às VdG e/ou BD - Hipóteses
Enviado por: jurista em Fevereiro 28, 2013, 09:38:40 pm
Citação de: "P44"
a título meramente informativo, aqui fica o anúncio para o concurso de upgrade das MEKO200 da Nova Zelândia

    Request for Tender (RFT): ANZAC Frigate Systems Upgrade (RFT 1-326)
   
   
(Source: New Zealand Ministry of Defence; undated)
 
 
   
   The Royal New Zealand Navy (RNZN) ANZAC class frigates (ANZACs) have performed to their original design specification in almost all areas since their inception. However, as with any long-term complex defence system, they must be maintained and upgraded through-life to preserve capabilities, address obsolescence, respond to emerging threats and react to changes in how and where the Ships are operated.

A critical component for the RNZN is the capability to conduct combat operations and to support them. The ANZACs are key to this and it has been determined that the ANZACs require upgrades to their Combat Systems. As such, Her Majesty the Queen in right of New Zealand (through the Ministry of Defence) (the Crown) has initiated the Frigate Systems Upgrade (FSU) project (the Project).

The Project will generate a reliable and supportable ANZAC Combat System with enhanced operational availability and capability that will have a minimal drawdown on the constrained personnel and training resources within the RNZN.

The FSU as a whole will consider the replacement/addition of the following combat subsystems:

a.Radar suite including Identification, Friend or Foe (IFF) system;
b.Infra-Red Search and Track / Optronics (IRST/O) system;
c.Electronic Support Measures (ESM) suite;
d.Communications Electronic Support Measures (CESM) system;
e.Underwater Systems (UWS);
f.Combat Management System (CMS);
g.Tactical Data Link (TDL) system;
h.Local Area Air Defence (LAAD) missile system;
i.ASMD Soft Kill (ASK) suite; and
j.Torpedo Self Defence (TSD) system.

The Crown seeks to contract the services of a CSI to procure combat subsystems and integrate all new (both Contractor Furnished Equipment (CFE) and Government Furnished Equipment (GFE) subsystems to the legacy combat subsystems onboard the ANZACs to provide the complete capability defined by the System Requirements.

To facilitate this, this RFT seeks tender responses from suitably qualified and experienced CSIs, which will then be evaluated. Shortlisted Tenderers may be invited to attend an individual workshop with the Crown, the purpose of which is for the Crown to seek any clarifications on the Tenderer’s tender and to gain a fuller understanding of the Tenderer’s proposed solution.

Lodgement of Tenders by 12.00 pm - midday (NZDT), Wednesday, 22 May 2013


Click here for the complete announcement, on the RNZ MoD website. :arrow: http://www.defence.govt.nz/acquisitions ... grade.html (http://www.defence.govt.nz/acquisitions-tenders/rft-anzac-frigate-systems-upgrade.html)

-ends-

Era bom era os ENVC concorrerem.
Título: Re: MLU às VdG e/ou BD - Hipóteses
Enviado por: PereiraMarques em Fevereiro 28, 2013, 10:45:28 pm
Na era das "certificações" e da "qualidade" não me parece! Os ENVC estão "certificados" para instalarem, pelo menos um terço destes equipamentos? Isto é trabalho para estaleiros especializados na construção de navios militares!
Título: Re: MLU às VdG e/ou BD - Hipóteses
Enviado por: jurista em Março 01, 2013, 08:59:24 am
Citação de: "PereiraMarques"
Na era das "certificações" e da "qualidade" não me parece! Os ENVC estão "certificados" para instalarem, pelo menos um terço destes equipamentos? Isto é trabalho para estaleiros especializados na construção de navios militares!

Acredito. O que eu disse era mais "wishfull thinking".
Título: Re: MLU às VdG e/ou BD - Hipóteses
Enviado por: P44 em Setembro 07, 2013, 09:26:35 pm
a título de curiosidade uma Meko200 Australiana já modernizada

(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fcdn2.shipspotting.com%2Fphotos%2Fmiddle%2F8%2F1%2F9%2F1852918.jpg&hash=17bd2595df61108579dbffb1ed141f65)
HMAS PERTH FFH157

http://www.shipspotting.com/gallery/pho ... id=1852918 (http://www.shipspotting.com/gallery/photo.php?lid=1852918)

(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fwww.navy.gov.au%2Fsites%2Fdefault%2Ffiles%2Fships%2FHMAS_Perth_3.jpg&hash=a9886104f163ae3003721d95e6ae515d)

(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fupload.wikimedia.org%2Fwikipedia%2Fcommons%2Fb%2Fb9%2FHMAS_Perth_entering_Pearl_Harbor_in_June_2012.jpg&hash=ce747a7c9cd72d05e0ae90f521ea5df8)

(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Ffarm8.staticflickr.com%2F7113%2F7643437118_62fb777118_h.jpg&hash=9cd0ced116a1c829323d369a71a21794)
Título: Re: MLU às VdG e/ou BD - Hipóteses
Enviado por: Charlie Jaguar em Setembro 08, 2013, 12:33:06 pm
Bem, pelo menos nada nos impede (ainda!) de sonhar, mas pelo andar da carruagem ninguém está a ver tão cedo ocorrer a modernização de meia-vida das VdG e BD. Aliás, não era este ano que era suposto haver a revisão da Lei de Programação Militar?  :roll:
Título: Re: MLU às VdG e/ou BD - Hipóteses
Enviado por: Get_It em Setembro 08, 2013, 03:13:43 pm
Citação de: "Charlie Jaguar"
Contudo o "Aguiar dos cortes", esse político maravilhoso que está a transformar para melhor (*ironia*) as nossas Forças Armadas, deve estar muito orgulhoso por ter sido o único ministro que apresentou as contas, ou melhor, os cortes, a tempo e horas ao contrário de todos os outros ministérios.  :twisted:

Mas enfim, aproveito para deixar aqui uma apresentação de 2010 que já foi mencionada várias vezes cá no fórum. Coloco principalmente visto até que foi removida do site da Ordem dos Engenheiros e já não encontrava online: http://www.scribd.com/doc/166466213/Reapetrechamento-Naval-Novos-Projectos.

Cumprimentos,
Título: Re: MLU às VdG e/ou BD - Hipóteses
Enviado por: P44 em Setembro 08, 2013, 04:56:12 pm
é "giro" ver essa apresentação

dava uma boa série no SyFy
Título: Re: MLU às VdG e/ou BD - Hipóteses
Enviado por: Charlie Jaguar em Setembro 08, 2013, 10:51:30 pm
Citação de: "P44"
é "giro" ver essa apresentação

dava uma boa série no SyFy

Um clássico da melhor ficção nacional!  :?
Título: Re: MLU às VdG e/ou BD - Hipóteses
Enviado por: Get_It em Setembro 09, 2013, 12:50:57 am
Citação de: "Charlie Jaguar"
Curioso, ou talvez não, nunca vejo em lado algum planos para a modernização ou substituição dos Super Lynx, aparelhos que afinal completam em 2013 vinte anos de serviço na Armada.  :?
Bem verdade, à um bom tempo quando se discutiu aqui sobre o novo contrato para utilização dos simuladores dos Lynx também achei interessante ninguém ouvir nada na Marinha acerca disso. Deve ser provavelmente por na Marinha serem mais realistas do que nos outros ramos. No Exército ainda se vê o pessoal a sonhar com muita coisa (relatórios e doutrinas a serem elaboradas de um lado para o outro) e na FAP ainda que se vai fazendo planos, falando-se e são mandados rumores para o ar sobre a substituição de equipamento. Na Marinha: neps.

Sinceramente não estou a ver a Marinha a perder algo como a esquadrilha de helicópteros que é vital para as fragatas, muito menos querer perder o know-how — mesmo tendo a Marinha mostrado grande eficácia a ganhar este know-how com a ajuda da FAP e da RN/Westland. E afinal de contas: mesmo em tempo de crise havendo vontade há dinheiro para comprar o que quer que seja.

Quem sabe talvez ainda vamos ver a Marinha a ficar com helicópteros com capacidades algo inferiores ao Lynx (AW109) ou a vida dos Lynx a ser estendida mais alguns anos até o Wildcat estar mais que provado e os britânicos nos virem bater à porta a perguntar porquê ainda não substituímos os Lynx.

Cumprimentos,
Título: Re: MLU às VdG e/ou BD - Hipóteses
Enviado por: Charlie Jaguar em Setembro 10, 2013, 06:51:14 pm
Ainda em relação a este documento, é igualmente curioso ler na pág. 25 do mesmo, no capítulo precisamente dedicado à modernização de meia-vida das fragatas da classe "Vasco da Gama" e "Bartolomeu Dias", apontar-se no resumo da comunalidade de sistemas a peça de 76mm/CIWS. Ora como poderia isso ser? As Meko abandonavam as peças de 100mm para se adoptarem as Oto Melara de 76mm operadas nas BD? O CIWS Goalkeeper das BD seria substituído pelo modernizado Vulcan Phalanx Block 1B que se encontra a bordo das VdG? Confuso, to say the least.  :roll:
Título: Re: MLU às VdG e/ou BD - Hipóteses
Enviado por: mafets em Setembro 10, 2013, 11:57:07 pm
Citação de: "Charlie Jaguar"
Ainda em relação a este documento, é igualmente curioso ler na pág. 25 do mesmo, no capítulo precisamente dedicado à modernização de meia-vida das fragatas da classe "Vasco da Gama" e "Bartolomeu Dias", apontar-se no resumo da comunalidade de sistemas a peça de 76mm/CIWS. Ora como poderia isso ser? As Meko abandonavam as peças de 100mm para se adoptarem as Oto Melara de 76mm operadas nas BD? O CIWS Goalkeeper das BD seria substituído pelo modernizado Vulcan Phalanx Block 1B que se encontra a bordo das VdG? Confuso, to say the least.  :roll:

Salvo erro não houve qualquer tipo de upgrade à excepção do que referiu mas a marinha pretende manter os Mk-95 em serviço até 2030 (http://www.janes.com/article/10578/portugal-faces-longevity-battle-with-naval-lynx-helicopters)

http://www.the-grey-lynx.com/10_portugal/version_history_po.htm
Título: Re: MLU às VdG e/ou BD - Hipóteses
Enviado por: Lightning em Setembro 11, 2013, 01:30:50 am
Citação de: "mafets"
Também não percebo porque. No caso 100mm/76mm há vantagem para esta ultima mas leva menos projecteis, tem calibre e eficácia inferior.

Também não sei, mas há um factor importante que não referiu, quanto custa manter um e o outro? Quanto custa as munições para um e para o outro?
Título: Re: MLU às VdG e/ou BD - Hipóteses
Enviado por: mafets em Setembro 11, 2013, 12:23:29 pm
Citação de: "Lightning"
Também não sei, mas há um factor importante que não referiu, quanto custa manter um e o outro? Quanto custa as munições para um e para o outro?

Não referi porque não encontrei. Apenas vi o custo de aquisição de ambos os modelos (o qual é entre 1,5 e 2 milhões para o modelo italiano e 2 a 2,5 milhões USD para o modelo francês) mas apenas publiquei os comparativos em termos de desempenho operacional.

http://www.forecastinternational.com/samples/F675_CompleteSample.pdf

http://www.docstoc.com/docs/142340148/Giat-100-Mm-L55-Compact-Gun

Quanto ao resto a Amiinter tem esses estudos comparativos mas é a "pagantes"... :?

http://www.amiinter.com/pages.php?pg=services-other
Título: Re: MLU às VdG e/ou BD - Hipóteses
Enviado por: Charlie Jaguar em Setembro 11, 2013, 03:48:12 pm
Citação de: "mafets"
Salvo erro não houve qualquer tipo de upgrade à excepção do que referiu mas a marinha pretende manter os Mk-95 em serviço até 2030 (http://www.janes.com/article/10578/portugal-faces-longevity-battle-with-naval-lynx-helicopters)

http://www.the-grey-lynx.com/10_portugal/version_history_po.htm

Em 2030, após 37 anos de serviço? Querem tentar alcançar o recorde do Alouette III?  :arrow: http://www.agustawestland.com/product/super-lynx-300-0 (http://www.agustawestland.com/product/super-lynx-300-0)
 :arrow: http://www.agustawestland.com/sites/def ... ynx300.pdf (http://www.agustawestland.com/sites/default/files/brochures_new_product/Brochure%20SuperLynx300.pdf)

(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fwww.helistart.com%2Fpictures%2FAgustaWestland_Super-Lynx-300.jpg&hash=99520ba492f5d8549ef403943e908ea7)

(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fwww.flightlinearts.com%2FPortals%2F0%2Fimages%2FPortfolio%2FWestlandSuperLynx300.jpg&hash=6590dfbb1990a80052a47927e65e3613)

(Peço desculpa pelo off-topic)
Título: Re: MLU às VdG e/ou BD - Hipóteses
Enviado por: PereiraMarques em Janeiro 08, 2014, 10:42:30 am
Ainda que não constitua uma vontade expressa de modernização das fragatas e aquisição do ESSM, fica a referência.

Despacho n.º 310/2014. D.R. n.º 5, Série II de 2014-01-08
Ministério da Defesa Nacional - Gabinete do Ministro
Aprovação e delegação do MoU Cooperative Engineering & Manufacturing development of the Evolved Seasparrow Block 2

http://dre.pt/pdf2sdip/2014/01/005000000/0045500455.pdf (http://dre.pt/pdf2sdip/2014/01/005000000/0045500455.pdf)
Título: Re: MLU às VdG e/ou BD - Hipóteses
Enviado por: nelson38899 em Janeiro 08, 2014, 11:10:58 am
Citação de: "PereiraMarques"
Ainda que não constitua uma vontade expressa de modernização das fragatas e aquisição do ESSM, fica a referência.

Despacho n.º 310/2014. D.R. n.º 5, Série II de 2014-01-08
Ministério da Defesa Nacional - Gabinete do Ministro
Aprovação e delegação do MoU Cooperative Engineering & Manufacturing development of the Evolved Seasparrow Block 2

http://dre.pt/pdf2sdip/2014/01/005000000/0045500455.pdf (http://dre.pt/pdf2sdip/2014/01/005000000/0045500455.pdf)

Já vi que no ministério o importante é não haver despesas, ou resto pouco interessa!
Título: Re: MLU às VdG e/ou BD - Hipóteses
Enviado por: nelson38899 em Janeiro 26, 2014, 10:10:16 pm
Se não for este o tópico peço desculpa, mas este projecto pode ser interessante para a marinha, uma vez que este projecto nem é muito caro.

Citar
A Itália pretende comprar até oito fragatas multifuncionais na próxima década. O objetivo final é comprar até 12 navios. As novas fragatas irão substituir as atuais fragatas em operação que devem dar baixa na próxima década.

O conceito básico é de um navio com um canhão de 127mm na proa e um de 76mm na popa, hangar para dois helicópteros NH90 e lançadores verticais para mísseis superfície-ar Aster 30, com opção de levar o míssil cruise Scalp Naval. Cada uma deve custar 350 milhões de Euros. A Itália já confirmou a compra da sétima e oitava fragata FREMM de 10 planejadas.

http://www.naval.com.br/blog/2014/01/25/novas-fragatas-italianas/
Título: Re: MLU às VdG e/ou BD - Hipóteses
Enviado por: Lightning em Janeiro 26, 2014, 10:18:13 pm
O tópico sobre a Marinha Italiana é este
viewtopic.php?f=5&t=4281&p=239999#p239999 (http://www.forumdefesa.com/forum/viewtopic.php?f=5&t=4281&p=239999#p239999)
Título: Re: MLU às VdG e/ou BD - Hipóteses
Enviado por: nelson38899 em Janeiro 27, 2014, 10:33:57 am
Citação de: "Lightning"
O tópico sobre a Marinha Italiana é este
viewtopic.php?f=5&t=4281&p=239999#p239999 (http://www.forumdefesa.com/forum/viewtopic.php?f=5&t=4281&p=239999#p239999)

Quando postei esta noticia no forum era mais para indicar um navio que pode substituir as actuais fragatas
Título: Re: MLU às VdG e/ou BD - Hipóteses
Enviado por: Feathers em Janeiro 29, 2014, 03:54:07 am
Citação de: "nelson38899"
Citação de: "Lightning"
O tópico sobre a Marinha Italiana é este
viewtopic.php?f=5&t=4281&p=239999#p239999 (http://www.forumdefesa.com/forum/viewtopic.php?f=5&t=4281&p=239999#p239999)

Quando postei esta noticia no forum era mais para indicar um navio que pode substituir as actuais fragatas

Tive vários anos embarcado nas fragatas classe Vasco da Gama, e naveguei com todo o tipo de fragatas destryoers etc estrangeiros...e digo que as VDG não lhes ficam atrás...são navios muito versáteis...Portugal basta realizar o MLU e fica com uma frota moderna com excelentes navios mais que suficientes para a realidade do país.
Título: Re: MLU às VdG e/ou BD - Hipóteses
Enviado por: Menacho em Abril 15, 2014, 05:45:36 pm
Citar
General Dynamics Canada to Provide Sonar System Upgrades to Portuguese Navy
Upgrades will significantly improve Portugal's ability to detect and localize potential threats on or under the surface of the water

OTTAWA, Ontario, April 14, 2014 /CNW/ - General Dynamics Canada is installing an adjunct processing system on three VASCO DA GAMA-class frigates of the Portuguese Navy. Designed by General Dynamics Canada, the ECLIPSE adjunct processor provides the in-service AN/SQS-510 sonar systems with enhanced operational capability to detect submarines and torpedoes.

"General Dynamics Canada has a 40-year history of providing and supporting underwater systems and components to navies around the world. As the original designer and manufacturer of the AN/SQS-510 hull-mounted sonar system, we are pleased to bring new capabilities to this valuable and trusted system," says David Ibbetson, vice president, General Dynamics C4 Systems International.

The ECLIPSE processing system will work in parallel with the AN/SQS-510, leveraging the data collected from the existing sonar system. The addition of the ECLIPSE processing system will significantly improve the ability to detect and characterize echoes and sounds transmitted through the water to determine location and physical characteristics of potential threats.

In addition, ECLIPSE provides new ways of displaying the processed sonar information, with greater detail in a simplified format that allows operators to detect contacts earlier, and with more clarity than before. The information is displayed on new, state-of-the-art high-resolution flat panel monitors. The system also provides enhanced capabilities for training as well as record and replay of acoustic data. All of these improvements are installed without enlarging the footprint or weight of the system in the ship, or increasing the number of sonar operators.

The AN/SQS-510 medium-frequency hull-mounted sonar is currently in service on all twelve Royal Canadian Navy HALIFAX-class patrol frigates and three IROQUOIS-class destroyers. The system is also in use in ships of the Portuguese and Bulgarian navies.

General Dynamics Canada is part of General Dynamics C4 Systems, a business unit of General Dynamics (NYSE: GD). For information about General Dynamics Canada please go to http://www.gdcanada.com (http://www.gdcanada.com).

SOURCE General Dynamics Canada

http://online.wsj.com/article/PR-CO-201 (http://online.wsj.com/article/PR-CO-201) ... 07304.html
Título: Re: MLU às VdG e/ou BD - Hipóteses
Enviado por: dc em Abril 16, 2014, 01:03:27 pm
Citação de: "Menacho"
Citar
General Dynamics Canada to Provide Sonar System Upgrades to Portuguese Navy
Upgrades will significantly improve Portugal's ability to detect and localize potential threats on or under the surface of the water

OTTAWA, Ontario, April 14, 2014 /CNW/ - General Dynamics Canada is installing an adjunct processing system on three VASCO DA GAMA-class frigates of the Portuguese Navy. Designed by General Dynamics Canada, the ECLIPSE adjunct processor provides the in-service AN/SQS-510 sonar systems with enhanced operational capability to detect submarines and torpedoes.

"General Dynamics Canada has a 40-year history of providing and supporting underwater systems and components to navies around the world. As the original designer and manufacturer of the AN/SQS-510 hull-mounted sonar system, we are pleased to bring new capabilities to this valuable and trusted system," says David Ibbetson, vice president, General Dynamics C4 Systems International.

The ECLIPSE processing system will work in parallel with the AN/SQS-510, leveraging the data collected from the existing sonar system. The addition of the ECLIPSE processing system will significantly improve the ability to detect and characterize echoes and sounds transmitted through the water to determine location and physical characteristics of potential threats.

In addition, ECLIPSE provides new ways of displaying the processed sonar information, with greater detail in a simplified format that allows operators to detect contacts earlier, and with more clarity than before. The information is displayed on new, state-of-the-art high-resolution flat panel monitors. The system also provides enhanced capabilities for training as well as record and replay of acoustic data. All of these improvements are installed without enlarging the footprint or weight of the system in the ship, or increasing the number of sonar operators.

The AN/SQS-510 medium-frequency hull-mounted sonar is currently in service on all twelve Royal Canadian Navy HALIFAX-class patrol frigates and three IROQUOIS-class destroyers. The system is also in use in ships of the Portuguese and Bulgarian navies.

General Dynamics Canada is part of General Dynamics C4 Systems, a business unit of General Dynamics (NYSE: GD). For information about General Dynamics Canada please go to http://www.gdcanada.com (http://www.gdcanada.com).

SOURCE General Dynamics Canada

http://online.wsj.com/article/PR-CO-201 (http://online.wsj.com/article/PR-CO-201) ... 07304.html

Parecem ser boas noticias! Agora vamos ver se será o inicio de algo mais...
Obrigado Menacho pela noticia! :)
Título: Re: MLU às VdG e/ou BD - Hipóteses
Enviado por: sivispacem em Maio 06, 2014, 07:27:49 pm
Da Jane's


http://www.janes.com/article/37375/gene ... e-frigates (http://www.janes.com/article/37375/general-dynamic-canada-to-upgrade-sonars-on-portuguese-frigates)
Título: Re: MLU às VdG e/ou BD - Hipóteses
Enviado por: nelson38899 em Maio 06, 2014, 09:12:39 pm
Citação de: "sivispacem"
Da Jane's


http://www.janes.com/article/37375/gene ... e-frigates (http://www.janes.com/article/37375/general-dynamic-canada-to-upgrade-sonars-on-portuguese-frigates)

Citar
he Portuguese Navy is to modernise the AN/SQS-510 hull-mounted medium-range sonar system, equipping its three MEKO 200PN Vasco de Gama-class frigates in what is the latest in a series of incremental upgrades for the class.

Under a contract awarded in early April, General Dynamics Canada is to install its Eclipse adjunct processor to provide an enhanced capability to detect submarines and torpedoes. Work is scheduled to be complete by 31 March 2015.

According to General Dynamics Canada, the Eclipse processing system will work in parallel with the AN/SQS-510, leveraging the data collected from the existing sonar system. The adjunct processor will significantly improve the ability to detect and characterise echoes and sounds transmitted through the water to determine location and physical characteristics of potential threats.

In addition, Eclipse provides new ways of displaying the processed sonar information, with greater detail in a simplified format that allows operators to detect contacts earlier, and with more clarity than before. The system also provides enhanced capabilities for training, as well as record and replay of acoustic data. All of these improvements are embodied without enlarging the footprint or weight of the system in the ship, or increasing the number of sonar operators.

Built in Germany by what is now ThyssenKrupp Marine Systems, NRP Vasco da Gama (F 330), NRP Álvares Cabral (F 331), and NRP Corte Real (F 332) all entered service in 1991. Previous upgrades have included the modernisation of the Mk 15 Phalanx close-in weapon system to Block 1B standard; installation of a Sagem Vigy 10 Mk III day/night surveillance system; embodiment of the indigenous SINGRAR battle management and decision support system; introduction of a Saab R4 AIS transponder and OSI Maritime Systems warship electronic chart display and information system; and updates to the communications suite, including the EID MOST4 ship automatic message handling system, and new HF transceivers from EID and Rohde & Schwarz.

Despite continuing financial constraints, the Portuguese Navy is continuing to pursue plans for a more comprehensive mid-life upgrade. This would entail replacing the Signaal SEWACO 70PO combat management system, STACOS weapon control system, and NAUTOS propulsion control suite; switching out the Creusot-Loire 100 mm/55 Mod 68 CADAM gun for an OTO Melara 76mm/62 system; installing a new integrated platform management system and 3D radar; and upgrading the RGM-84 Harpoon Block 1 anti-ship missile system.

Replacement of RIM-7P NATO SeaSparrow Missile surface-to-air capability is also an aspiration, although this may be difficult in the short to medium term. Portugal recently signed the Memorandum of Understanding for the Co-operative Engineering and Manufacturing Development of the Evolved SeaSparrow Missile Block 2, although it is not in a position to contribute funds.
Título: Re: MLU às VdG e/ou BD - Hipóteses
Enviado por: HSMW em Maio 24, 2014, 10:49:16 am
(https://fbcdn-sphotos-e-a.akamaihd.net/hphotos-ak-prn1/t1.0-9/10345565_757024240985428_5227131953849738311_n.jpg)

Citar
Sabia que?
Faz hoje 23 anos que a Fragata Álvares Cabral foi aumentada ao efetivo da Marinha, a 24 de maio de 1991.

 :G-beer2:
Título: Re: MLU às VdG e/ou BD - Hipóteses
Enviado por: PereiraMarques em Junho 20, 2014, 02:41:44 pm
Modernização do equipamento de comunicações

http://dre.pt/pdf2sdip/2014/06/117000000/1609916100.pdf (http://dre.pt/pdf2sdip/2014/06/117000000/1609916100.pdf)
Título: Re: MLU às VdG e/ou BD - Hipóteses
Enviado por: HSMW em Junho 20, 2014, 04:33:09 pm
Onze rádios UHF?

Sobre o modo de transmissão com saltos de frequência HAVE QUICK

Citar
HAVE QUICK was well adopted, and in 2007 nearly all U.S. military aircraft as well as those of NATO use it. Improvements include HAVE QUICK II Phase 2, and a "Second generation Anti-Jam Tactical UHF Radio for NATO" called SATURN. The latter features more complex frequency hopping.

Citar
HAVE QUICK    
Frequency Hopping System

HAVE QUICK is the codename of an American Frequency Hopping system. It is used for the protection of military UHF radio traffic, such as air-to-air and ground-to-air communications in the 225-400 MHz band. It was introduced in 1980 as an Electronic Counter Counter-Measure (ECCM) after it became clear in the 1970s that aircraft communication could easily be intercepted and jammed by a third party with inexpensive means.

As most of the radios used in aircraft communication were already synthesizer-based, it was relatively easy to add frequency hopping to it. As of 2007, nearly all US military aircraft use HAVE QUICK frequency hopping. HAVE QUICK was later improved to HAVE QUICK II and is now in use by both the US and the UK. HAVE QUICK II is also used by the Second generation Anti-jamming Tactical UHF Radio for Nato (SATURN).
Título: Re: MLU às VdG e/ou BD - Hipóteses
Enviado por: NVF em Junho 21, 2014, 05:14:09 pm
Caro HSMW, no despacho refere ambas as classes de fragatas da Marinha. Ou seja, cinco navios. Cada fragata deve levar, pelo menos, dois rádios e o décimo-primeiro rádio dever ser para sobresselente ou treino. My two cents.
Título: Re: MLU às VdG e/ou BD - Hipóteses
Enviado por: Lightning em Junho 23, 2014, 11:09:13 am
Citação de: "NVF"
Caro HSMW, no despacho refere ambas as classes de fragatas da Marinha. Ou seja, dez navios. Cada fragata deve levar, pelo menos, dois rádios e o décimo-primeiro rádio dever ser para sobresselente ou treino. My two cents.

10 navios não, 5 navios  :lol: .
Título: Re: MLU às VdG e/ou BD - Hipóteses
Enviado por: PereiraMarques em Junho 23, 2014, 08:11:56 pm
Despacho n.º 8136/2014. D.R. n.º 118, Série II de 2014-06-23
Ministério da Defesa Nacional - Gabinete do Ministro
Aquisição de serviços de fornecimento de Rocket Motors para os Misseis Seasparrow

http://dre.pt/pdf2sdip/2014/06/118000000/1618316183.pdf (http://dre.pt/pdf2sdip/2014/06/118000000/1618316183.pdf)
Título: Re: MLU às VdG e/ou BD - Hipóteses
Enviado por: nelson38899 em Junho 23, 2014, 09:00:53 pm
Citação de: "PereiraMarques"
Despacho n.º 8136/2014. D.R. n.º 118, Série II de 2014-06-23
Ministério da Defesa Nacional - Gabinete do Ministro
Aquisição de serviços de fornecimento de Rocket Motors para os Misseis Seasparrow

http://dre.pt/pdf2sdip/2014/06/118000000/1618316183.pdf (http://dre.pt/pdf2sdip/2014/06/118000000/1618316183.pdf)

70 motores é uma quantidade considerável.
Título: Re: MLU às VdG e/ou BD - Hipóteses
Enviado por: Lightning em Junho 24, 2014, 04:03:09 pm
Citação de: "nelson38899"
Citação de: "PereiraMarques"
Despacho n.º 8136/2014. D.R. n.º 118, Série II de 2014-06-23
Ministério da Defesa Nacional - Gabinete do Ministro
Aquisição de serviços de fornecimento de Rocket Motors para os Misseis Seasparrow

http://dre.pt/pdf2sdip/2014/06/118000000/1618316183.pdf (http://dre.pt/pdf2sdip/2014/06/118000000/1618316183.pdf)

70 motores é uma quantidade considerável.

Se considerarmos:

3 Fragatas Vasco da Gama x 8 misseis = 24 misseis

2 Fragatas Bartolomeu Dias x 16 misseis = 32 misseis

24 + 32= 56 misseis.

70 - 56 = 14 de reserva.
Título: Re: MLU às VdG e/ou BD - Hipóteses
Enviado por: paraquedista em Junho 24, 2014, 10:21:10 pm
Citar

Netherlands
R: Portugal 3 DA-08 Air search radar 1986 1991 3 For 3 MEKO-200 (Vasco da Gama) frigates from FRG
 3 MW-08 Air search radar (1986) 1991 3 For 3 MEKO-200 (Vasco da Gama) frigates from FRG
 6 STIR Fire control radar (1986) 1991 6 For 3 MEKO-200 (Vasco da Gama) frigates from FRG; incl for use with Seasparrow SAM
 104 M-113 APC 1991 1993 (103) Second-hand; M-113A2 version; 'CFE Cascade' programme
 28 YP-408 APC 1991 1992 (28) Second-hand; 'CFE Cascade' programme; aid
 3 P-3C Orion Update-2.5 ASW aircraft 2004 2006 (3) Second-hand; part of EUR70 m or EUR223 m ($85 m or $265 m) deal
 2 P-3CUP Orion ASW aircraft 2004 2006 2 Second-hand P-3C sold to Portugal while being modernized to P-3CUP in USA for Netherlands; part of EUR70 m or EUR223 m ($85 m or $265 m) deal
 2 Doorman Frigate 2006 2009-2010 2 Second-hand; EUR240 m deal
 (30) RGM-84 Harpoon Anti-ship missile (2006) 2009-2010 (30) Second-hand
 37 Leopard-2A6 Tank 2007 2008-2009 (37) Second-hand; EUR78 m deal; Leopard-2A6 version
 1 Leopard-2 Training Training tank 2007 2008 1 Second-hand; part of EUR78 m deal
 (50) AIM-7M Sparrow BVRAAM 2008 2009-2010 (50) Second-hand; RIM-7M Sea Sparrow (SAM) version


United States
R: Portugal 3 HR-3000 HADR Air search radar 1985 1988-1990 (3) Part of NATO 'NADGE' air survaillance network
 (48) AIM-7M Sparrow BVRAAM 1986 1991 (48) For MEKO-200 (Da Gama) frigates; RIM-7M Sea Sparrow (SAM) version
 3 Mk-15 Phalanx CIWS 1986 1991 3 For 3 MEKO-200 (Vasco da Gama) frigates from FRG; Phalanx Mk-15 Mod-11 version
 (50) RGM-84 Harpoon Anti-ship missile 1986 1991 (50) For MEKO-200 (Da Gama) frigates

Se as minhas contas estao certas, recebemos um total de:
- 98 Sparrows
- 80 Harpoons (8 estao a ser moficados para os submarinos)
Título: Re: MLU às VdG e/ou BD - Hipóteses
Enviado por: NVF em Junho 24, 2014, 10:24:22 pm
Citação de: "Lightning"
10 navios não, 5 navios  :lol: .

Obviamente, queria dizer cinco navios e não dez. Nunca me passou pela cabeça duplicar a frota desta maneira :G-beer2:
Título: Re: MLU às VdG e/ou BD - Hipóteses
Enviado por: nelson38899 em Junho 25, 2014, 07:59:17 am
Citação de: "paraquedista"
Citar

Netherlands
R: Portugal 3 DA-08 Air search radar 1986 1991 3 For 3 MEKO-200 (Vasco da Gama) frigates from FRG
 3 MW-08 Air search radar (1986) 1991 3 For 3 MEKO-200 (Vasco da Gama) frigates from FRG
 6 STIR Fire control radar (1986) 1991 6 For 3 MEKO-200 (Vasco da Gama) frigates from FRG; incl for use with Seasparrow SAM
 104 M-113 APC 1991 1993 (103) Second-hand; M-113A2 version; 'CFE Cascade' programme
 28 YP-408 APC 1991 1992 (28) Second-hand; 'CFE Cascade' programme; aid
 3 P-3C Orion Update-2.5 ASW aircraft 2004 2006 (3) Second-hand; part of EUR70 m or EUR223 m ($85 m or $265 m) deal
 2 P-3CUP Orion ASW aircraft 2004 2006 2 Second-hand P-3C sold to Portugal while being modernized to P-3CUP in USA for Netherlands; part of EUR70 m or EUR223 m ($85 m or $265 m) deal
 2 Doorman Frigate 2006 2009-2010 2 Second-hand; EUR240 m deal
 (30) RGM-84 Harpoon Anti-ship missile (2006) 2009-2010 (30) Second-hand
 37 Leopard-2A6 Tank 2007 2008-2009 (37) Second-hand; EUR78 m deal; Leopard-2A6 version
 1 Leopard-2 Training Training tank 2007 2008 1 Second-hand; part of EUR78 m deal
 (50) AIM-7M Sparrow BVRAAM 2008 2009-2010 (50) Second-hand; RIM-7M Sea Sparrow (SAM) version


United States
R: Portugal 3 HR-3000 HADR Air search radar 1985 1988-1990 (3) Part of NATO 'NADGE' air survaillance network
 (48) AIM-7M Sparrow BVRAAM 1986 1991 (48) For MEKO-200 (Da Gama) frigates; RIM-7M Sea Sparrow (SAM) version
 3 Mk-15 Phalanx CIWS 1986 1991 3 For 3 MEKO-200 (Vasco da Gama) frigates from FRG; Phalanx Mk-15 Mod-11 version
 (50) RGM-84 Harpoon Anti-ship missile 1986 1991 (50) For MEKO-200 (Da Gama) frigates

Se as minhas contas estao certas, recebemos um total de:
- 98 Sparrows
- 80 Harpoons (8 estao a ser moficados para os submarinos)

Provavelmente o que vai acontecer é que utilizarão esses 18 para exercícios, enquanto os outros serão para a reserva estratégica.
Título: Re: MLU às VdG e/ou BD - Hipóteses
Enviado por: Alvalade em Junho 27, 2014, 09:56:00 am
Ministro da Defesa na comissão parlamentar de defesa - "Tive a possibilidade de fazer o despacho que permite a atualização meia-vida da classe Vasco da Gama"

http://media.parlamento.pt/videos-canal ... 625cdn.wmv (http://media.parlamento.pt/videos-canal/XII/SL3/02_com/03_cdn/20140625cdn.wmv)
Título: Re: MLU às VdG e/ou BD - Hipóteses
Enviado por: sivispacem em Junho 27, 2014, 04:45:23 pm
Citação de: "nelson38899"
Citação de: "paraquedista"
Citar

Netherlands
R:
 28 YP-408 APC 1991 1992 (28) Second-hand; 'CFE Cascade' programme; aid


Provavelmente o que vai acontecer é que utilizarão esses 18 para exercícios, enquanto os outros serão para a reserva estratégica.

Bom, os Yp-408 é que -tanto quanto eu sei - nunca chegaram cá...
Título: Re: MLU às VdG e/ou BD - Hipóteses
Enviado por: PereiraMarques em Junho 27, 2014, 11:03:46 pm
Citação de: "sivispacem"

Bom, os Yp-408 é que -tanto quanto eu sei - nunca chegaram cá...

Eu já vi pelo menos um...e não estava com os copos  :G-beer2:

(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fimg382.imageshack.us%2Fimg382%2F7697%2Fd02.jpg&hash=7392d25877ba568ce6c1e00dd2dd21fb)
Título: Re: MLU às VdG e/ou BD - Hipóteses
Enviado por: sivispacem em Junho 28, 2014, 10:37:50 am
Citação de: "PereiraMarques"
Citação de: "sivispacem"

Bom, os Yp-408 é que -tanto quanto eu sei - nunca chegaram cá...

Eu já vi pelo menos um...e não estava com os copos  :G-beer2:

(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fimg382.imageshack.us%2Fimg382%2F7697%2Fd02.jpg&hash=7392d25877ba568ce6c1e00dd2dd21fb)


A ser utilizado por Portugal? Por que ramo?

(sorry, a imagem nao aparece...)
Título: Re: MLU às VdG e/ou BD - Hipóteses
Enviado por: HSMW em Junho 28, 2014, 12:22:18 pm
Mas estão a falar do quê?
Disto:  :?
Título: Re: MLU às VdG e/ou BD - Hipóteses
Enviado por: PereiraMarques em Junho 29, 2014, 02:45:24 pm
Citação de: "sivispacem"
Citação de: "PereiraMarques"
Citação de: "sivispacem"

Bom, os Yp-408 é que -tanto quanto eu sei - nunca chegaram cá...

Eu já vi pelo menos um...e não estava com os copos  :G-beer2:

(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fimg382.imageshack.us%2Fimg382%2F7697%2Fd02.jpg&hash=7392d25877ba568ce6c1e00dd2dd21fb)


A ser utilizado por Portugal? Por que ramo?

(sorry, a imagem nao aparece...)

Força Aérea, na Polícia Aérea.

Mais fotos de outros autores.

(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fmilitaryzone.home.sapo.pt%2FDAF_MZ1.jpg&hash=1bf37489f49b58c66d5898514d1a611c)

(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2F1.bp.blogspot.com%2F_XKvLAmR1MkA%2FSEZ1v8fxm-I%2FAAAAAAAACD8%2FzhZH_p3ADfs%2Fs400%2Fportugal01.jpg&hash=7331ec1e6c94395e2c12c72da0c090be)
Título: Re: MLU às VdG e/ou BD - Hipóteses
Enviado por: PereiraMarques em Outubro 29, 2014, 09:19:35 pm
(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fs30.postimg.org%2Fhu4w93sox%2FSem_T_tulo.jpg&hash=39136e1308bea52ebec4f7792c7e5373)
Título: Re: MLU às VdG e/ou BD - Hipóteses
Enviado por: Cabecinhas em Outubro 30, 2014, 01:53:23 am
Abriram os saldos?
Título: Re: MLU às VdG e/ou BD - Hipóteses
Enviado por: PereiraMarques em Outubro 30, 2014, 03:25:41 pm
Pouco mais de um milhão de euros a dividir por três anos...são tostões!
Título: Re: MLU às VdG e/ou BD - Hipóteses
Enviado por: Lightning em Novembro 03, 2014, 02:40:49 am
Parece-me que em matéria de ASW, o governo está receptivo.

P-3C para a Força Aérea, Submarinos para a Marinha, agora isto...
Título: Re: MLU às VdG e/ou BD - Hipóteses
Enviado por: Alvalade em Novembro 07, 2014, 09:22:04 pm
Só para juntar ao tema do Sonar.

http://www.thales7seas.com/html5/products/375/PHS-36.pdf
Título: Re: MLU às VdG e/ou BD - Hipóteses
Enviado por: Digo em Novembro 07, 2014, 09:34:36 pm
(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fi.imgur.com%2F65yU0S1.jpg&hash=e95c9292379b74f648838de8c6118cbf)
Título: Re: MLU às VdG e/ou BD - Hipóteses
Enviado por: Alvalade em Janeiro 03, 2015, 11:30:10 am
https://dre.pt/application/file/66014853
Título: Re: MLU às VdG e/ou BD - Hipóteses
Enviado por: nelson38899 em Janeiro 13, 2015, 05:32:40 pm
Citar
The navies of Belgium, the Netherlands, and Portugal will equip a number of their surface ships with the Integrated Communications Control System 6 (ICCS6) produced by Portuguese communications specialist EID.

Under an M-class frigates user group memorandum of understanding drawn up in January 2008, a contract with a maximum value of EUR15 million (USD18 million) is to be awarded by Portugal for 10 of the company's ICCS6 systems. Working arrangements with the Belgian and Netherlands navies will be established in due course.

Five systems will be installed on Portuguese vessels: the Bartolomeu Dias M-class frigates NRP Bartolomeu Dias (F333) and NRP Dom Francisco de Almeida (F334), and the Vasco da Gama MEKO 200 PN frigates Vasco da Gama (F330), Álvares Cabral (F331), and Corte Real (F332). The other five systems will be fitted to: the Royal Netherlands Navy's (RNLN's) M frigates HNLMS Van Speijk (F828) and HNLMS Van Amstel (F831), and the landing platform dock (LPD) vessel HNLMS Rotterdam (L800); and the Belgian Naval Component's M-class frigates BNS Leopold I (F930) and BNS Louise-Marie (F931).

In terms of installation, it is planned for 2015 to see a fit on board an RNLN M frigate. In 2016 Rotterdam and an M-class frigate each from Belgium and Portugal will receive a system. Then 2017 will see one Portuguese MEKO and one Dutch M frigate fitted. The remaining Belgian and Portuguese frigates will be fitted in 2018, with systems installed in the last two Portuguese MEKOs in 2019 and 2020, respectively.

A number of the vessels already have an ICCS fit: for example, the MEKOs are equipped with ICCS2, while Rotterdam carries ICCS4.

The ICCS system is based on a distributed architecture, being composed of network-centric switches, user terminals, and workstations. ICCS6 features Internet Protocol technology and was designed to handle fully a vessel's voice and data communications control.
COMMENT

EID's ICCS series is fitted to platforms across a range of navies including Algeria, Australia, Brazil, Indonesia, Malaysia, the Netherlands, Portugal, Spain, and the United Kingdom. ICCS6 is due for installation on the UK Royal Navy's Type 26 Global Combat Ship that BAE Systems is expected to build. Overall, ICCS series systems equip more than 120 vessels of different types including patrol boats, frigates, destroyers, landing ships, aircraft carriers, and submarines.

http://www.janes.com/article/47758/eid-to-receive-contract-to-fit-iccs6-to-belgian-dutch-and-portuguese-vessels
Título: Re: MLU às VdG e/ou BD - Hipóteses
Enviado por: tenente em Janeiro 13, 2015, 08:28:17 pm
MLU ás VdG e/ou BD
Título: Re: MLU às VdG e/ou BD - Hipóteses
Enviado por: raphael em Janeiro 14, 2015, 01:57:55 am
E então? Não fica muito mais barato em termos orçamentais fazer um upgrade aos sistemas do que comprar navios novos? Se preenchem as necessidades para quê despesismos desnecessários, não andamos propriamente a nadar em dinheiro e os compromissos assumidos já drenam suficientemente os orçamentos.
Nada que a força áerea não tenha feito com os F-16 e que tenciona também agora fazer com o C-130H...
Título: Re: MLU às VdG e/ou BD - Hipóteses
Enviado por: mafets em Janeiro 14, 2015, 10:00:53 am
Todos os paises que usam as MEKO/Karel Dorman  com idade aproximada das portuguesas  estão em processo de Upgrade ou já o fizeram às suas fragatas e praticamente não falam em substituir. Só cá os "iluminados" acham estranho e clamam a sua substituição porque estão "a ficar velhas" e assusta a "ternura dos 40". Enfim...  :roll:
(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fupload.wikimedia.org%2Fwikipedia%2Fcommons%2F1%2F18%2FUS_Navy_100707-N-0641S-247_HMAS_Warramunga_%28FFH_152%29_departs_Joint_Base_Pearl_Harbor-Hickam_to_support_Rim_of_the_Pacific_%28RIMPAC%29_2010_exercises.jpg&hash=a7c63cf758cd9ac7c9e8bdbe6cd71dfe)
Citar
New Zealand completes ANZAC upgrade source selections

Richard Scott, London - IHS Jane's Navy International
10 July 2014

The New Zealand Ministry of Defence (MoD) has rounded off equipment selections for its ANZAC Frigate Systems Upgrade (FSU) with the award of supplier contracts for anti-ship missile defence decoys and torpedo defence systems.The NZD446 million (USD393.2 million) FSU programme is intended to upgrade the surveillance, combat, and self-defence capabilities of the frigates to match current and future threats and to address obsolescence in some existing systems.

In a statement to IHS Jane's , the MoD said that UK-based Airborne Systems had been awarded a contract on 3 July to supply its Outfit DLF(3) passive radio frequency (RF) decoy system as part of the FSU.
(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2F1.bp.blogspot.com%2F-_edskM767i8%2FVFzOHk7o_BI%2FAAAAAAAAB9U%2F0zPDv1iLAs4%2Fs1600%2FWillem%252BHarlaar.jpg&hash=f1ecc493e99bd4c6a960fb5691808fa3)
Citar
The Dutch and Belgian frigates have been upgraded with the installation of a new integrated mast that includes alongside with the sensors described above, two new systems, the Sea Watcher and the Gatekeeper. The Thales Sea Watcher 100 a non-rotating active phased array I-band (or X-band) surface surveillance radar for asymmetric threat operations in the littoral, open-ocean and harbour environments with a typical operational range of up to 40 km. Sea Watcher 100 is a 2-D radar sensor designed to detect and track even the most difficult of surface targets, such as boats, periscopes, floating mines and swimmers which have a very small radar cross section, that are moving close to the speed of the waves and as such a near-zero Doppler value and that are down at the surface level, sometimes being hidden from view behind wave tops. Typical challenges that Sea Watcher 100 is designed to meet, include multi-path, surface duct propagation and shadowing effects, as well as backscatter and clutter from the sea surface. The non-rotating, staring nature of its antenna arrays allows it to spend more time looking at each possible target, which helps the processing to discriminate real targets from the clutter. Sea Watcher 100 operates using a single-mode concept, which frees the operator from having to select the best possible mode. The system automatically selects the optimum combination of waveforms to provide short-, medium- and long-range coverage, depending on the characteristics of the sea surface as seen from a certain distance. Sea Watcher 100's solid-state active phased array architecture with advanced beam steering and burst scheduling algorithms, ensures both high Doppler resolution and a high update rate, needed to discern small targets that are hidden in clutter. Short- and medium-range search is performed at two-second update rates, while for long-range search an update is provided every five seconds. The radar displays all ranges simultaneously so that the operator does not notice the mode changes and always has a total picture including all close-in, medium-range and long-range targets.

Cumprimentos
Título: Re: MLU às VdG e/ou BD - Hipóteses
Enviado por: Nuno em Janeiro 14, 2015, 11:30:39 pm
Um upgrade mesmo que as fragatas continuassem a servir por mais 15 anos até que poderia ser a ideia mais logica, mas vendo a verba atribuida pela LPM á Marinha duvido que se faça um upgrade mais aprofundado ... :cry:
Título: Re: MLU às VdG e/ou BD - Hipóteses
Enviado por: paraquedista em Janeiro 15, 2015, 02:45:49 pm
Citação de: "Nuno"
Um upgrade mesmo que as fragatas continuassem a servir por mais 15 anos até que poderia ser a ideia mais logica, mas vendo a verba atribuida pela LPM á Marinha duvido que se faça um upgrade mais aprofundado ... :cry:

Na nova LPM, com a duracao de 12 anos, a Medida Capacidade Oceanica de Superficie, tem atribuido um total de 692 ME...agora a questao e saber exactamento onde vao ser utilizados...obviamente que serao em parte para o MLU das Fragatas e a sua manutencao...serao tambem concerteza tambem para a modernizacao dos LYNX...resta saber se esta verba e tambem para o novo LPD e a substituicao do Reabastecedor de Esquadra.
Título: Re: MLU às VdG e/ou BD - Hipóteses
Enviado por: tenente em Janeiro 15, 2015, 05:07:24 pm
MLU às VdG e/ou BD - Hipóteses
Título: Re: MLU às VdG e/ou BD - Hipóteses
Enviado por: mafets em Janeiro 16, 2015, 12:06:14 pm
Os EUA tiveram o USS Enterprise em serviço de 1962 até 2012. Ou eram comedidos no "jogging" ou de um navio recordista de comissões, que combateu na maior parte dos oceanos da terra, serviu até não poder mais :roll:  
(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fwww.naval-technology.com%2Fprojects%2Ffoudre%2Fimages%2Ffoudre10.jpg&hash=861c1c446c3386b5d9c06bf149ace451)
(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fcdn2.shipspotting.com%2Fphotos%2Fmiddle%2F9%2F7%2F5%2F1138579.jpg&hash=19fae3dab383d9811bddfb8f8124d071)
Citar
HMAS Anzac (III)   FFH 150   18 May 1996   Commander Belinda Wood
(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fwww.navy.gov.au%2Fsites%2Fdefault%2Ffiles%2Fships%2F20141114ran8566787_033.jpg&hash=7dcdda8fead68e7956695f3a3363b25e)
Citar
HMAS Arunta (II)   FFH 151   12 December 1998   Commander David Landon
(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fwww.navy.gov.au%2Fsites%2Fdefault%2Ffiles%2Fships%2F20141009ran8114832_012-1.jpg&hash=ffe431b355f35067aff591f4e0ee47d0)
Citar
HMAS Toowoomba (II)   FFH 156   10 October 2005   Commander Cath Hayes
(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fwww.navy.gov.au%2Fsites%2Fdefault%2Ffiles%2Fships%2F20110612adf8488809_084.JPG&hash=6a9e0d1fc0d459e3d9e9c2908971eeee)
Citar
HMAS Parramatta (IV)   FFH 154   4 October 2003   Commander Andrew Willis
(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fwww.navy.gov.au%2Fsites%2Fdefault%2Ffiles%2Fships%2FIDC_28090DSC_7319.jpg&hash=64efe3aace1afc92580e423e5412d0ec)
Mas se falamos de fragatas com uma distância temporal maior que as das Portuguesas vamos ver o caso das Perry. Ainda umas quantas em serviço nos EUA e nos outros paises com uma serie de upgrade (inclusive misseis verticais de médio alcance). Nós preferimos as Karel Dorman. Também temos o caso das Niteroi, que duram e duram. Ou das Kortenaer em que apenas uma foi retirada de serviço pelos gregos.  :wink:  
(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fwww.globalsecurity.org%2Fmilitary%2Fworld%2Feurope%2Fimages%2Ftcg-lpd-levent-image2.jpg&hash=32a2d9aa14e8f8669cd3211ba486e454)
(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fwww.militaryphotos.net%2Fforums%2Fattachment.php%3Fattachmentid%3D211971%26amp%3Bd%3D1388176813&hash=b144f6d4d05690687270c884d3ffe897)
(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fwww.globalsecurity.org%2Fmilitary%2Fworld%2Frok%2Fimages%2Flst-681_lsttk-1.jpg&hash=3ef583e5e77190285ce2f600e945c5c1)
(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fwww.mml.org.nz%2Fimages%2Fmarine%2FContent-images%2Fnavy%2520ships%2FRNZN_02.jpg&hash=c19d9567fb1dadd836ff21f2b4868280)
Por ultimo, investem em fragatas de defesa aérea quem tem algo para defender. Portugal tem 5 fragatas, um abastecedor e 2 submarinos, nada que justifique o investimento. Nenhuma das fragatas que o pais possui tem capacidade para lançar e controlar todos os seus misseis AA ao mesmo tempo, pelo que a investir primeiro seria duplicar essa capacidade e depois ver a integração de um míssil de médio alcance (só depois se pensariam em novas unidades, construídas de raiz com essa capacidade). Mas tudo isso custa dinheiro e novamente não vejo actualmente justificação para o investimento.  :roll:
(https://portalo.files.wordpress.com/2011/03/marinha-portuguesa-fragata-vasco-da-gama.jpg)
(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fwww.ontargetalignment.com%2FeditorImages%2F1122012_9_vls.jpg&hash=3b476e6bd03f85acf8a48758ed7aed04)

Cumprimentos
Título: Re: MLU às VdG e/ou BD - Hipóteses
Enviado por: ICE 1A+ em Janeiro 17, 2015, 01:01:20 am
Citação de: "mafets"

Mas se falamos de fragatas com uma distância temporal maior que as das Portuguesas vamos ver o caso das Perry. Ainda umas quantas em serviço nos EUA e nos outros paises com uma serie de upgrade (inclusive misseis verticais de médio alcance). Nós preferimos as Karel Dorman. Também temos o caso das Niteroi, que duram e duram. Ou das Kortenaer em que apenas uma foi retirada de serviço pelos gregos.  :wink:
(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2F3.bp.blogspot.com%2F-MWlJ99fvqsE%2FVJ1TU7JN88I%2FAAAAAAAAUgE%2FAthZ7X9qFps%2Fs1600%2FTurkish%252BPerry%252Bclass%252Bfrigate%252B-%252BTCG%252BG%25C3%25B6ksu%252B%28F497%29%252Bupgraded%252Bwith%252B8-cell%252BMk41%252BVLS%252Band%252BSMART-S%252BMk2%252B1.jpg&hash=2da89f567a7841016f4435a1b4f24c40)

Cumprimentos


  As Perry Americanas chegaram ao fim da linha

Título: Re: MLU às VdG e/ou BD - Hipóteses
Enviado por: mafets em Janeiro 17, 2015, 09:25:46 am
Pelo menos mais 6 meses a USS Kauffman ainda vai ficar em serviço. :wink:
Citar
In a move that drew Beijing’s condemnation, the U.S. approved the sale of four used warships to Taiwan. A statement released by the White House on Thursday noted that U.S. President Barack Obama signed legislation formally authorizing the sale of four Oliver Hazard Perry-class guided-missile frigates. The legislation was long-expected. The U.S. House of Representatives initially approved the sale in April 2014, ahead of Obama’s trip to Asia. The same House bill that approved the sale also reaffirmed the United States Congress’ commitment to the Taiwan Relations Act, which saw its 35th anniversary this year.

The four Perry-class frigates in question are the USS Taylor, USS Gary, USS Carr, and USS Elrod. All four vessels were commissioned in 1984 and 1985, and have the ability to support sophisticated surface-to-surface and surface-to-air missile systems. The sale was approved under a U.S. excess defense article (EDA) reallocation program.
http://thediplomat.com/2014/12/us-finalizes-sale-of-perry-class-frigates-to-taiwan/
(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2F2.bp.blogspot.com%2F-e-Hnk6vzHfk%2FUkmiJCQGPNI%2FAAAAAAAABHk%2Fq6nJ2TaNgao%2Fs1600%2F1106%281%29.jpg&hash=bfbade387e30c6968725276b9ab73e26)
(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fnews.asiaone.com%2Fsites%2Fdefault%2Ffiles%2Fstyles%2Ffull_left_image-630x411%2Fpublic%2Foriginal_images%2FNov2013%2Ftaiwan-missiles-afp-670.jpg%3Fitok%3D5_C602fP&hash=326f045706000d048d2e01aab508c58a)

Cumprimentos
Título: Re: MLU às VdG e/ou BD - Hipóteses
Enviado por: NVF em Janeiro 17, 2015, 01:52:33 pm
E quantos misseis AA conseguem estas fragatas controlar em simultâneo? E já agora, as F100 espanholas, ou os Arleigh Burke americanos?
Título: Re: MLU às VdG e/ou BD - Hipóteses
Enviado por: Johnnie em Janeiro 17, 2015, 02:31:19 pm
Citação de: "NVF"
E quantos misseis AA conseguem estas fragatas controlar em simultâneo? E já agora, as F100 espanholas, ou os Arleigh Burke americanos?

Estas a comparar fragatas com destroyers de 6000 tns para cima
Título: Re: MLU às VdG e/ou BD - Hipóteses
Enviado por: mafets em Janeiro 17, 2015, 03:39:27 pm
Citação de: "NVF"
E quantos misseis AA conseguem estas fragatas controlar em simultâneo? E já agora, as F100 espanholas, ou os Arleigh Burke americanos?
As Vasco da Gama e as Bartolomeu Dias têm dois Thales STIR 180 fire-control radar. Cada um pode controlar entre 1 a 4 alvos em simultâneo.
(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fi23.photobucket.com%2Falbums%2Fb367%2FDeganchile%2Fstir.jpg&hash=7feaf8e44da23bb67c33aa19d19764f7)
(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fwww.hazegray.org%2Fnavhist%2Fcanada%2Fsystems%2Ffirecontrol%2Fspg503-3.jpg&hash=53a44fdb0f062086bf9eca0538f9f565)
Citar
https://books.google.pt/books?id=4S3h8j_NEmkC&pg=PA266&lpg=PA266&dq=Thalles+STIR+180+fire-control+radar+number+of+targets&source=bl&ots=hJTrNO00fY&sig=Xc4YEzoybsyJ4ixbgRtP9Zy0Xek&hl=pt-PT&sa=X&ei=bXy6VPzTGMn3UsqSg6gI&ved=0CCEQ6AEwAA#v=onepage&q=Thalles%20STIR%20180%20fire-control%20radar%20number%20of%20targets&f=false
As F-100, os Contra-Torpedeiros da classe Arleigh Burke, bem como os cruzadores da classe Ticonderoga possuem o An/SPY1(B no ultimo e D nos dois primeiros). O sistema AEGIS controla centenas de alvos.
(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fwww.globalsecurity.org%2Fmilitary%2Fsystems%2Fship%2Fsystems%2Fimages%2Fspy-1-variants.jpg&hash=7122c2273e48860e9cba2611e46b3a0f)
(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fwww.ausairpower.net%2FXIMG%2F1L117M-Specs-1.png&hash=1da90afe055a27ca12ed1ce6b1a97d64)
Citar
The AN/SPY-l radar system is the primary air and surface radar for the Aegis Combat System installed in the Ticonderoga (CG-47) and Arleigh Burke (DDG-51)-class warships. It is a multi-function phased-array radar capable of search, automatic detection, transition to track, tracking of air and surface targets, and missile engagement support.
A conventional, mechanically-rotating radar "sees" a target when the radar beam strikes that target once during each 360 degree rotation of the antenna. A separate tracking radar is then required to engage each target. By contrast, the computer-controlled AN/SPY-1A Phased Array Radar of the AEGIS system brings these functions together within one system. The four fixed arrays of "SPY" send out beams of electromagnetic energy in all directions simultaneously, continuously providing a search and tracking capability for hundreds of target at the same time.

Cumprimentos
Título: Re: MLU às VdG e/ou BD - Hipóteses
Enviado por: NVF em Janeiro 18, 2015, 08:31:05 pm
Caro mafets,

Já me tinha apercebido que você era muito enciclopédico e que gosta de postar muitas fotos. No entanto, neste caso, parece-me desnecessário dada a natureza provocatória da minha questão. (E como pequeno parêntesis, na minha modesta opinião, por vezes esse tipo de prática pode parecer um pouco arrogante, por que parte do princípio que os outros membros desconhecem por completo o assunto em questão).

Neste caso, por culpa minha, a natureza provocatória da pergunta pode não ter sido imediatamente evidente -- a forma correcta teria sido: quantos AAW na fase terminal podem essas classes de navio controlar? A resposta, como o mafets deve certamente saber, são 2 para a classe espanhola e 3 para a classe americana. Ou seja, ao mesmo nível das nossas pobres fragatas e, sem dúvida, um argumento pobre para defender o não upgrade para ESSM.  Outras marinhas fizeram esse upgrade sem mudar a tecnologia de iluminação.  Para controlar mais AAW na sua fase terminal seria necessário mudar para tecnologia CWI, como estão a fazer aliás os australianos.

Na minha modesta opinião, não fazer o upgrade para ESSM e' criminoso e relega as nossas fragatas para tarefas de NPO musculado (exceptuando a luta ASW) que, no futuro, vão ser relegadas para missões de anti pirataria na África subsariana -- certamente que não as vamos ver no Báltico numa qualquer missão NATO. Quanto ao argumento de que em caso de guerra vamos sempre estar incluídos em forças tarefa aliadas, quanto a mim não pega, pois passamos a ser simplesmente um fardo, como já fomos nos anos 80 na STANAVFORLANT.

Cumprimentos.
Título: Re: MLU às VdG e/ou BD - Hipóteses
Enviado por: mafets em Janeiro 19, 2015, 01:12:59 pm
Citação de: "NVF"
Caro mafets,

Já me tinha apercebido que você era muito enciclopédico e que gosta de postar muitas fotos. No entanto, neste caso, parece-me desnecessário dada a natureza provocatória da minha questão. (E como pequeno parêntesis, na minha modesta opinião, por vezes esse tipo de prática pode parecer um pouco arrogante, por que parte do princípio que os outros membros desconhecem por completo o assunto em questão).

Neste caso, por culpa minha, a natureza provocatória da pergunta pode não ter sido imediatamente evidente -- a forma correcta teria sido: quantos AAW na fase terminal podem essas classes de navio controlar? A resposta, como o mafets deve certamente saber, são 2 para a classe espanhola e 3 para a classe americana. Ou seja, ao mesmo nível das nossas pobres fragatas e, sem dúvida, um argumento pobre para defender o não upgrade para ESSM.  Outras marinhas fizeram esse upgrade sem mudar a tecnologia de iluminação.  Para controlar mais AAW na sua fase terminal seria necessário mudar para tecnologia CWI, como estão a fazer aliás os australianos.

Na minha modesta opinião, não fazer o upgrade para ESSM e' criminoso e relega as nossas fragatas para tarefas de NPO musculado (exceptuando a luta ASW) que, no futuro, vão ser relegadas para missões de anti pirataria na África subsariana -- certamente que não as vamos ver no Báltico numa qualquer missão NATO. Quanto ao argumento de que em caso de guerra vamos sempre estar incluídos em forças tarefa aliadas, quanto a mim não pega, pois passamos a ser simplesmente um fardo, como já fomos nos anos 80 na STANAVFORLANT.

Cumprimentos.

Meu caro NVF

É com surpresa, mas confesso até com alguma tristeza que eu leio o seu post. Não que o mesmo até não seja pedagógico (não tanto para mim, embora eu seja aquele tipo de pessoa que acha que qualquer um de nós não sabe tudo e tem sempre a aprender com os outros), sobretudo para outros foristas que repetem incesantemente que não  precisamos do equipamento A, B ou C pois estamos inseridos na NATO e que os outros países da aliança têm, mas sobretudo porque seja por palavras ou com as tais apresentações enciclopédicas com muitas fotos, nem os leigos nem os entendidos e com muitos anos de forum, percebem qual a MARINHA PORTUGUESA que defendo, ou porque não se deram ao trabalho de ler e ver com atenção, ou porque concluem erradamente o propósito das imagens. Mas estou cá para esclarecer, pelo que vamos a isto:  

1- Este é um forum de debate, onde cada um debate à sua maneira e usando o que acha justo, lógico e objectivo relativamente aos outros foristas que podem perceber muito, alguma coisa do assunto ou mesmo nada (se à fotos, vídeos, se isso desagrada a outros foristas queixem-se a administração para os limitar). Quem não gosta paciência, passe à frente, quem gosta e julga como um meio de ajuda para ver, ler e assim debater sem incorrer em erros de julgamento e opinião infundados tecnicamente, seja relativamente a este ou outro caso, optimo, pois é para isto mesmo que os foruns de debate servem e os difere de academias de tecnologia ou até de determinados preâmbulos sectoriais das F.A. em questão. Neste caso, também pode ser arrogância achar que num forum de defesa todos os foristas percebem muito destas questões, bastando ir a temas como "O conflito da Ucrânia" para perceber que não é assim. Além disso  entendo que a defesa é para todos (entendidos e não entendidos) e que deve ser algo extensivo a qualquer português, pois só assim se pode combater as palermices de jornais como o CM ou as asneiradas sobre defesa que são ditas a cada Telejornal e repetidas pela população por esse pais fora (já nem falo das fragatas e dos blindados, pois agora está em voga os submarinos, deixando casos como o NH-90 e o A-400 em que se gastou dinheiro e equipamento nada)e onde os tratados dos especialistas não se fazem ouvir, talvez porque a defesa ainda é considerada por muitos uma questão para as elites e não para os leigos (esquecendo que todos votam).

2 - Se havia natureza provocatória ou não por parte da sua questão, é me indiferente. A principal razão tem a ver com o facto de relativamente a esta temática já por diversas vezes ter escrito (a ultima penso ter sido naquele tal caso clamado pelos russos de um Su-24 de EW ter "cegado" um contra-torpedeiro da classe A.B. no Mar Negro, onde falei bastante do controle de fogo dos vasos de guerra americanos), tendo em conta as diversas vertentes, tanto as que refere como apenas as que eu referi no ponto atrás. É questão de dar-se ao trabalho de as ler em vez de num mero forum de defesa fazer questões provocatórias (se reparou farto-me de as fazer a propósito das Perry e poucos chegam lá, pelo que acho contra-producente) e que nada tem a ver com a temática aqui tratada, ou seja a idade das Fragatas Portuguesas. Se quisesse justificar com esta questão algo para as fragatas portuguesas que não fosse um dia enveredar por este caminho de um Upgrade mais "musculado" e que as dotasse de uma capacidade de combate acrescida para alvos aéreos e não só, certamente não me dava ao trabalho de colocar uma imagem com o Radar Spy-1 e as suas diversas vertentes, sendo que a ultima face às dimensões da antena e equipamento até cabe numa corveta ou patrulha, mas certamente que esta parte  também "passou-lhe ao lado".

3- O que aqui se debate é face à idade das Vasco da Gama e das Bartolomeu Dias é se vale a pena o Upgrade em questão. Na minha perspectiva que você certamente não percebeu, vale, esta que está prevista agora e outras futuras, porque considero que os navios em questão ainda tem condições de navegar pelo menos mais duas décadas. Agora face à falta de dinheiro defendo outras prioridades não sendo esta da Defesa Aérea  uma delas, porque à outras mais prementes.

4-  A justificação para achar que para já não se justifica que Portugal tenha fragatas de defesa aérea, tem a ver com o facto de existir 5 fragatas, 1 abastecedor e 2 submarinos. Portugal não tem um NAVPOL e portanto em qualquer situação independente em que seja preciso por exemplo retirar cidadãos nacionais de um pais (como foi o caso da Guiné à anos atrás em que devido às condições foi possível Portugal avançar sozinho),  se for mais complicada, em situação de guerra civil, dificilmente o poderá  fazer com os meios existentes. E mesmo tendo Fragatas de Defesa Aérea, não pode colocar um conjunto de veículos em terra com um pelotão de fuzileiros ou usar helicópteros médios como o Merlin para retirar de forma mais rápida a população.  Portanto actualmente existem outras prioridades mesmo face aos navios em questão do que estar a fazer um outro tipo de Upgrade. Portanto aqui nem tão pouco vejo apenas Portugal inserido em missões NATO, estou claramente a ver uma perspectiva de independência que face à natureza da Aliança Atlântica e ao seu passado (face a Portugal, Grécia, Etc), é a meu ver necessária.

5 -  Criminoso na minha opinião é um pais nem sequer ter meios para ajudar num caso de uma catástrofe em que o porto, aeroporto e outras estruturas fiquem afectadas, a sua própria população. Pode ser que continue a ser possível auxiliar a Madeira e os Açores com fragatas, mas se não for que remédio perder tempo e pedir aos outros, exactamente como as Fragatas de Defesa Aérea. Novamente são prioridades e não discordância face a uma ou outra temática.

6 -  Existindo um NAVPOL, justifica-se na minha modesta opinião então a existência de Fragatas de Defesa Aérea pois a capacidade de conduzir operações  de combate de de projecção de força em A ou B, de forma independente está minimamente assegurada. Se actualmente isso não é possível, não se justifica gastos numa área, quando forçosamente teríamos de pedir a outro pais um simples LST, ou mesmo um navio de desembarque pesado pois não o temos. E novamente quem pede um pede o outro e primeiro à que assegurar a prioridade do pais e da sua população, seja a onde for, face às missões NATO.

7 - A minha opinião, se se der ao trabalho de ler muito do que eu escrevi por esse forum fora, algo que não o fez embora seja célere na questão enciclopédica, está mais que fundamentada. Aliás, quando defendo que o pais deve ter um NAVPOL, capacidade de desminagem, patrulha da sua ZEE, um abastecedor, balizador e até de combate à poluição, e que portanto não perca apesar de estar inserido na NATO a sua autonomia de conduzir um nível razoável de missões independentes, é no mínimo ridículo achar que  não se deve evoluir relativamente À defesa aérea ou qualquer outro ponto, quando defendo uma Marinha com uma capacidade bastante razoável ao nível da independência nato.

8 - Por ultimo, deixe-me lhe referir que  quando defendo a aquisição de submarinos (algo repetidamente feito neste forum) e refuto a sua não existência (defendida por tantos, sem muitas das tais intervenções pedagógicas que só aparecem de quando em vez e às vezes pelos motivos errados para mostrarem razão ou seja lá o que for), até pelo facto de o ter explicando até com aquelas curiosas fotos dos S-80 e Scorpene (defendidos até para serem feitos nos nvc) "encalhados" (também devem ter passado a quem era entendido na materia já que foi visto como presunção) como justificação de que pelo menos a classe Tridente, independentemente de tudo o resto, foi entregue e funciona. É a prova cabal do tipo de marinha portuguesa que eu defendo. Mas se tiver alguma duvida, pergunte, seja no forum ou por mp. Não vale a pena se dar ao trabalho de ser irónico, numa questão que nem por aí passa. Passa sim, por não haver dinheiro para tudo e existir prioridades, aceitando assim que da mesma forma que me dizem que a prioridade é assegurar a ZEE ou qualquer outra situação, que mesmo que não concordoe totalmente, reconheço, entendentro que neste debate praticamente tudo aquilo que tem sido dito, mais ou menos, tem a sua lógica e contribui para uma marinha bem mais funcional e de todos, do que a existente actulamente, onde as capelinhas dos experts e dá defesa de terminados setores face a outros mais necessários é o "pão nosso de cada dia".

Cumprimentos
Título: Re: MLU às VdG e/ou BD - Hipóteses
Enviado por: NVF em Janeiro 19, 2015, 07:41:47 pm
Epá, você não só e enciclopédico como testamental. Então, não é que me escreve este testamento em resposta ao meu singelo post? Não se chateie, que estava (e estou) só a meter-me consigo, e não pretendia insultá-lo ou aborrecê-lo. Pelo contrário, acho os seus contributos importantes e, no essencial, concordo consigo. Não vou alargar-me muito, pois não tenho muita disponibilidade, mas devo dizer que discordo no ponto do upgrade para ESSM, dado que é um upgrade que não requer upgrades adicionais aos sistemas de aviso e 'tracking' e não iria certamente transformar os nossos navios em destroyers AAW. No entanto, iria, certamente, dar-lhes uma capacidade acrescida em termos de defesa anti-míssil e de dissuasão a média distancia -- por exemplo (e só mesmo para ilustrar) não seria tão fácil para um F-16 marroquino atacar as nossas fragatas com um mero Maverick ou uma LGB lançada de alta altitude.

Quanto ao LPD e submarinos, não podia concordar mais consigo, e também sou daqueles que acham que se devia adquirir imediatamente o Siroco e substituir o Bérrio (os espanhóis têm o Marqués de la Ensenada parado há 2 anos, talvez fosse uma boa opção e é 20 anos mais recente que o Bérrio). Quanto a ideias adicionais podemos continuar por pm para não entrar em off-topic.

Cumprimentos caro mafets e 'no hard feelings'
Título: Re: MLU às VdG e/ou BD - Hipóteses
Enviado por: mafets em Janeiro 19, 2015, 08:11:59 pm
Citação de: "NVF"
Epá, você não só e enciclopédico como testamental. Então, não é que me escreve este testamento em resposta ao meu singelo post? Não se chateie, que estava (e estou) só a meter-me consigo, e não pretendia insultá-lo ou aborrecê-lo. Pelo contrário, acho os seus contributos importantes e, no essencial, concordo consigo. Não vou alargar-me muito, pois não tenho muita disponibilidade, mas devo dizer que discordo no ponto do upgrade para ESSM, dado que é um upgrade que não requer upgrades adicionais aos sistemas de aviso e 'tracking' e não iria certamente transformar os nossos navios em destroyers AAW. No entanto, iria, certamente, dar-lhes uma capacidade acrescida em termos de defesa anti-míssil e de dissuasão a média distancia -- por exemplo (e só mesmo para ilustrar) não seria tão fácil para um F-16 marroquino atacar as nossas fragatas com um mero Maverick ou uma LGB lançada de alta altitude.

Quanto ao LPD e submarinos, não podia concordar mais consigo, e também sou daqueles que acham que se devia adquirir imediatamente o Siroco e substituir o Bérrio (os espanhóis têm o Marqués de la Ensenada parado há 2 anos, talvez fosse uma boa opção e é 20 anos mais recente que o Bérrio). Quanto a ideias adicionais podemos continuar por pm para não entrar em off-topic.

Cumprimentos caro mafets e 'no hard feelings'
Desde que não me coloquem su-25 a 10 000 metros e su-24 a cegar contra-torpedeiros A.B., nada me irrita.  :twisted:
Quanto ao inciclopedico e testamental, epa se mesmo assim a mensagem por vezes não passa, resta-me fazer o que desenhos?. :wink:
(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fcdn2.shipspotting.com%2Fphotos%2Fmiddle%2F9%2F4%2F9%2F1945949.jpg&hash=ce559f4637a53dd60e509c8970f5533a)
Este Marquês de lá Encenada?  :roll:  ( percebo agora a questão das fotos). :G-beer2:
Título: Re: MLU às VdG e/ou BD - Hipóteses
Enviado por: NVF em Janeiro 19, 2015, 08:55:13 pm
O pobre do Marques só precisa de uma pintura nova e está pronto a andar (não se esqueça que está encostado há 2 anos e não é preciso muito tempo para um casco ganhar ferrugem).  Olhe que as fragatas AAW compradas pelo Chile não valem grande coisa e acho bem que não as tenhamos comprado -- os sistemas são idênticos aos das Vasco da Gama, o Sea Sparrow já temos e o SM-1 está completamente desactualizado.
Título: Re: MLU às VdG e/ou BD - Hipóteses
Enviado por: mafets em Janeiro 19, 2015, 09:04:34 pm
Citação de: "NVF"
O pobre do Marques só precisa de uma pintura nova e está pronto a andar (não se esqueça que está encostado há 2 anos e não é preciso muito tempo para um casco ganhar ferrugem).  Olhe que as fragatas AAW compradas pelo Chile não valem grande coisa e acho bem que não as tenhamos comprado -- os sistemas são idênticos aos das Vasco da Gama, o Sea Sparrow já temos e o SM-1 está completamente desactualizado.
Evidente meu caro. Basta ver a idade do navio (agora era eu que me estava a meter consigo) :wink:  
(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fwww.seaforces.org%2Fmarint%2FNetherlands-Navy%2FFrigate%2FJacob-van-Heemskerck-class-Dateien%2Fimage013.jpg&hash=221fd38e74de6ce0320f7a144b946766)
Acrescento. O standart usado já não é suportado tecnicamente pelos eua. A maioria dos países tem os deixado de usar por esta razão. Daí ter achado a sua aquisição despropositada. Não está em causa unidades de defesa aérea e o seu valor na condução de operações com maior grau de independência mas sim aquelas que acrescentam pouco ou quase nada às que já temos. Ainda mais em Portugal que o dinheiro para a defesa é ao tostão.

Cumprimentos
Título: Re: MLU às VdG e/ou BD - Hipóteses
Enviado por: Crypter em Janeiro 19, 2015, 09:07:31 pm
Citação de: "mafets"
Relativamente ao siroco, embora partilha da sua opinião, temos a classe makasar com um custo de produção de 40 milhões de dólares novo e com um custo de manutenção também mais baixo que a dos navios franceses.

Saudações  :mrgreen:  :mrgreen:
Título: Re: MLU às VdG e/ou BD - Hipóteses
Enviado por: PereiraMarques em Janeiro 19, 2015, 09:15:14 pm
CEMA?

Vai é logo CEMGFA: https://www.facebook.com/artur.pinamonteiro?fref=ts (https://www.facebook.com/artur.pinamonteiro?fref=ts)

e MDN: https://www.facebook.com/josepedroaguiarbranco?fref=ts (https://www.facebook.com/josepedroaguiarbranco?fref=ts)
Título: Re: MLU às VdG e/ou BD - Hipóteses
Enviado por: NVF em Janeiro 19, 2015, 09:42:13 pm
Oops, apanhaste-me oh mafets  :D

Só um detalhe. O SM-1 é, e continuará a ser, tecnicamente suportado pelos EUA. Aliás um dos argumentos usado pela US Navy para retirar o SM-1 das Perry foi ter sobresselentes para apoiar as marinhas aliadas que ainda utilizam esse sistema.

Só mais uma nota relativamente ao NATO Sea Sparrow: algumas fontes referem um alcance máximo de 25 km. Mas, em termos práticos o alcance não deve ultrapassar os 15 km. Claro que tudo depende da velocidade e altitude do alvo. De igual modo, o ESSM que é referido como tendo um alcance máximo 50 km, não deve ultrapassar os 25/30 km. O ESSM block II já será outra história.
Título: Re: MLU às VdG e/ou BD - Hipóteses
Enviado por: mafets em Janeiro 19, 2015, 10:29:02 pm
Citação de: "NVF"
Oops, apanhaste-me oh mafets  :mrgreen:  :wink:
Título: Re: MLU às VdG e/ou BD - Hipóteses
Enviado por: NVF em Janeiro 20, 2015, 12:16:54 am
Salvo erro os turcos ficaram-se pelos SM-1 mas os australianos instalaram SM-2 nas Adelaide.

Quais SM-3 isso contra mísseis balísticos, a gente quer é SM-6 para deitar abaixo os F-18 e os Typhoons dos nuestros hermanos a 250 km de distância  :mrgreen:
Título: Re: MLU às VdG e/ou BD - Hipóteses
Enviado por: NVF em Janeiro 20, 2015, 12:20:10 am
Citação de: "NVF"
Salvo erro os turcos ficaram-se pelos SM-1 mas os australianos instalaram SM-2 nas Adelaide.

Quais SM-3 isso contra mísseis balísticos, a gente quer é SM-6 para deitar abaixo os F-18 e os Typhoons dos nuestros hermanos a 250 km de distância  :mrgreen:

Mas a vantagem do ESSM é que consegue interceptar os mavericks e as gbu a uma distância considerável, já o NATO Sea Sparrow nem pertinho.
Título: Re: MLU às VdG e/ou BD - Hipóteses
Enviado por: mafets em Janeiro 20, 2015, 04:57:35 pm
Citação de: "NVF"
Salvo erro os turcos ficaram-se pelos SM-1 mas os australianos instalaram SM-2 nas Adelaide.

Quais SM-3 isso contra mísseis balísticos, a gente quer é SM-6 para deitar abaixo os F-18 e os Typhoons dos nuestros hermanos a 250 km de distância  :mrgreen:
(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fupload.wikimedia.org%2Fwikipedia%2Fcommons%2F2%2F2b%2FPOS_Corte_Real_%28F_332%29.jpg&hash=d876d053726061903e8ece82e367a4fa)
O Sea Sparrow desenvolvido a partir do Sparrow, surgiu em 1976 pelo que como é evidente, mesmo com a actualizações já sente o peso da idade. O ESSM que curiosamente é um desenvolvimento do cancelado AIM-7R (preterido ao aim-120) dos anos 90, pouco tem a ver com o seu antecessor (até em termos fisicos são diferentes). Embora possa ser incorporado nos navios que usam o Sea Sparrow sem praticamente actualizações significativas, um míssil com maiores capacidades a meu ver pede sensores de detecção, iluminação, etc, melhores e mais capazes (sendo um lançador VLS o melhor,  embora a versão D possa usar os lançadores MK 29), não transformando uma fragata multi-usos em de Defesa Aérea mas acrescentando algo mais que apenas novos misseis. Pena que em Portugal possivelmente será apenas isso a acontecer, o que a meu ver não é trágico para a situação actual da Marinha e das missões NATO, mas se esta ganha-se maior independência com por exemplo um NAVPOL, essa simples substituição de um míssil por outro, seria bastante redutora.
(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fwww.wielingen1991.org%2Fphoto_arme%2Fseasparrow_shoot.jpg&hash=806f272a496779bd6b04f2d90f18a3a7)
(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fwww.seaforces.org%2Fwpnsys%2FSURFACE%2FRIM-162-Evolved-Sea-Sparrow-Missile-Dateien%2Fimage031.jpg&hash=b01ac711229afab45cc4bb547cf549eb)

Saudações
Título: Re: MLU às VdG e/ou BD - Hipóteses
Enviado por: NVF em Janeiro 20, 2015, 05:46:21 pm
Citação de: "mafets"
Citação de: "NVF"
Salvo erro os turcos ficaram-se pelos SM-1 mas os australianos instalaram SM-2 nas Adelaide.

Quais SM-3 isso contra mísseis balísticos, a gente quer é SM-6 para deitar abaixo os F-18 e os Typhoons dos nuestros hermanos a 250 km de distância  :mrgreen:

Então não, com um Mk41 strike na posição B púnhamos lá uns 8 e era ver se te havias  :mrgreen:
Título: Re: MLU às VdG e/ou BD - Hipóteses
Enviado por: nelson38899 em Janeiro 20, 2015, 06:13:48 pm
Sonhar é bom, mas caindo na realidade o que se fará em principio nas fragatas, ou seja, o MLU passará pela actualização da maioria do software existente nas fragatas, melhoria nas comunicação, quem sabe um novo upgrade no CIWS e a mudança da peça de 100 mm das fragatas classe Vasco da Gama, por uma igual à das fragatas classe M.
Título: Re: MLU às VdG e/ou BD - Hipóteses
Enviado por: NVF em Janeiro 20, 2015, 11:41:03 pm
Já não há grandes updates a fazer aos CIWS existentes. Agora, se instalassem um RAM na posição B de ambas as classes para cobrir a frente já não era mauzinho de todo -- à laia do que fazem os coreanos que utilizam uma combinação de RAM + Phalanx/Goalkeeper e que, quanto a mim, dispõem dos navios mais bem armados da actualidade.

Para já o que foi encomendado foi (sem ter que ir muito atrás neste tópico): upgrade dos sonares, upgrade dos motores dos NATO Seasparrow, novo sistema de coms de tecnologia nacional. Duvido que haja vontade de ir mais além (mesmo a substituição da peça de 100 mm). Devo aliás dizer que não compreendo o racional da mudança de 100 para 76 mm, a não ser por uma questão de padronização levada ao extremo que nem sequer é apanágio nacional — antes pelo contrário! Com tanta munição de 100 mm que devemos ter em stock, e numa altura em que, por todo o lado, se fala em aumentar os calibres de artilharia naval, e mais considerando que a maioria dos utilizadores de Meko 200 utiliza um calibre ainda maior (o 127 mm) é uma mudança que não me parece lógica.

Quanto a mim: ficam a faltar três coisas importantes: upgrade para Harpoon block II (que, para já, se limita aos subs), upgrade para ESSM (que tornaria desnecessário o upgrade dos motores dos Seasparrow), e upgrade de MW08 para SMART-S Mk2 nas Vasco da Gama, dado que o alcance do MW08 e o número de alvos possíveis de seguir são substancialmente inferiores ao SMART-S. Ao contrário do mafets, não penso que o aumento do número de alvos possíveis de iluminar na fase final seja uma questão fundamental, aliás à semelhança de outras marinhas que instalaram ESSM em navios mais antigos.
Título: Re: MLU às VdG e/ou BD - Hipóteses
Enviado por: mafets em Janeiro 21, 2015, 10:30:09 am
Citação de: "NVF"
Já não há grandes updates a fazer aos CIWS existentes. Agora, se instalassem um RAM na posição B de ambas as classes para cobrir a frente já não era mauzinho de todo -- à laia do que fazem os coreanos que utilizam uma combinação de RAM + Phalanx/Goalkeeper e que, quanto a mim, dispõem dos navios mais bem armados da actualidade.

Para já o que foi encomendado foi (sem ter que ir muito atrás neste tópico): upgrade dos sonares, upgrade dos motores dos NATO Seasparrow, novo sistema de coms de tecnologia nacional. Duvido que haja vontade de ir mais além (mesmo a substituição da peça de 100 mm). Devo aliás dizer que não compreendo o racional da mudança de 100 para 76 mm, a não ser por uma questão de padronização levada ao extremo que nem sequer é apanágio nacional — antes pelo contrário! Com tanta munição de 100 mm que devemos ter em stock, e numa altura em que, por todo o lado, se fala em aumentar os calibres de artilharia naval, e mais considerando que a maioria dos utilizadores de Meko 200 utiliza um calibre ainda maior (o 127 mm) é uma mudança que não me parece lógica.

Quanto a mim: ficam a faltar três coisas importantes: upgrade para Harpoon block II (que, para já, se limita aos subs), upgrade para ESSM (que tornaria desnecessário o upgrade dos motores dos Seasparrow), e upgrade de MW08 para SMART-S Mk2 nas Vasco da Gama, dado que o alcance do MW08 e o número de alvos possíveis de seguir são substancialmente inferiores ao SMART-S. Ao contrário do mafets, não penso que o aumento do número de alvos possíveis de iluminar na fase final seja uma questão fundamental, aliás à semelhança de outras marinhas que instalaram ESSM em navios mais antigos.
Também não sou grande fã de mudar o calibre da peça principal para um calibre inferior. Agora no que diz respeito à questão do aumento do número de alvos na fase terminal, sempre considerei que face sobretudo aos navios que usam o VLS e que portanto possuem disponíveis um  numero de misseis AA considerável como nas Bartolomeu Dias, o número actual é significativamente baixo. E mesmo dispondo do ESSM que possui qualidades muito superiores ao seu antecessor, usando um exemplo que deu de uma das nossas fragatas em Missão NATO no báltico, quando por lá existem os Russos por que norma disparam misseis anti-navio em salvas, acho limitado numa situação passível de maior tensão. Ou seja, mesmo tendo o ESSM numa situação desse tipo seriamos nós e outras marinhas na mesma situação, possivelmente relegados para missões secundárias fora da área de maior tensão ao contrario da FAP que por lá andou com os F-16 e P3c - Cub. Agora para por exemplo fazer ASW ou missões de combate à pirataria o ESSM só por si chega e sobra. Portanto, é uma questão de opiniões.  :wink:
(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2F2.bp.blogspot.com%2F_8vV4aVw1DhI%2FTTuxC0T1toI%2FAAAAAAAABHg%2FM28ELycasOY%2Fs1600%2FFRANCISCO.jpg&hash=9c9cb1711a16fa302c24399eeb18cee7)
(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fwww.hazegray.org%2Ffeatures%2Fnato%2Fnetherl%2Fdoorman%2Fmk48hang.jpg&hash=4aebc855f4f58566dab584e7b0f1e5e8)

Cumprimentos
Título: Re: MLU às VdG e/ou BD - Hipóteses
Enviado por: Johnnie em Janeiro 21, 2015, 03:03:46 pm
A capacidade anti aerea das nossas fragatas é apenas de auto defesa/defesa de ponto e não de defesa antiaerea de area.

Em missões de guerra NATO em que eventualmente participemos essa função de defesa de area estará  a cargo de um destroyer no minimo.Possivelmente existirão inclusive porta aviões com as suas esquadras de caças envolvidos.

Penso ser esta a doutrina NATO mesmo que as MEKO e KD estivessem armadas até aos dentes não é para esta função que elas estão vocacionadas nem seria isto que lhes seria exigido.
Título: Re: MLU às VdG e/ou BD - Hipóteses
Enviado por: mafets em Janeiro 21, 2015, 03:32:01 pm
De facto é a doutrina NATO, agora a mesma não pode ser usada em todos os sítios. Por exemplo no Mar Negro não entram Porta-Aviões e o Báltico tem áreas com serias limitações de calado dos navios, sendo que uma fragata por norma tem um calado e tonelagem inferior a um destroyer. Por outro lado, uma coisa é defesa aérea outra é defesa anti-missil, ou seja apesar das fragatas portugueses terem armas de defesa anti-missil, os misseis sea sparrow não são propriamente grande espingarda, e um tipo de missões mesmo como a que foi feita no Báltico pela FAP nunca está isenta de riscos. Não foi necessário mandar uma fragata, mas se fosse neste campo e caso alguma coisa corresse mal (relembro a fragata Stark que não esperava problemas no Golfo Pérsico e foi atingida por exocet) seria sobretudo os Phalanx/Goolkeper a proteger. Assim a introdução de novos misseis e sistemas daria capacidade acrescida neste e noutros pontos.  Depois existem as missões fora do âmbito da NATO, e embora considere que para já não faz grande sentido um Upgrade que venha melhorar bastante a capacidade de defesa aérea e anti-míssil das fragatas da marinha, pois penso que existem outras prioridades e não vamos longe  com 5 unidades, não deixo de reconhecer o valor do que sejam os Holandeses, Belgas ou sobretudo os Australianos estão a fazer a unidades similares.

Saudações
Título: Re: MLU às VdG e/ou BD - Hipóteses
Enviado por: Johnnie em Janeiro 21, 2015, 03:53:10 pm
Citação de: "mafets"
De facto é a doutrina NATO, agora a mesma não pode ser usada em todos os sítios. Por exemplo no Mar Negro não entram Porta-Aviões e o Báltico tem áreas com serias limitações de calado dos navios, sendo que uma fragata por norma tem um calado e tonelagem inferior a um destroyer. Por outro lado, uma coisa é defesa aérea outra é defesa anti-missil, ou seja apesar das fragatas portugueses terem armas de defesa anti-missil, os misseis sea sparrow não são propriamente grande espingarda, e um tipo de missões mesmo como a que foi feita no Báltico pela FAP nunca está isenta de riscos. Não foi necessário mandar uma fragata, mas se fosse neste campo e caso alguma coisa corresse mal (relembro a fragata Stark que não esperava problemas no Golfo Pérsico e foi atingida por exocet) seria sobretudo os Phalanx/Goolkeper a proteger. Assim a introdução de novos misseis e sistemas daria capacidade acrescida neste e noutros pontos.  Depois existem as missões fora do âmbito da NATO, e embora considere que para já não faz grande sentido um Upgrade que venha melhorar bastante a capacidade de defesa aérea e anti-míssil das fragatas da marinha, pois penso que existem outras prioridades e não vamos longe  com 5 unidades, não deixo de reconhecer o valor do que sejam os Holandeses, Belgas ou sobretudo os Australianos estão a fazer a unidades similares.

Saudações

A Stark ao que parece quando foi atingida pelos dois exocet nem sequer tinha o CIWS ligado ou aameaça não foi detetada a tempo, algo mal explicado  :D

Quanto aos Sea Sparrow já foram testados com sucesso contra alvos de superficie como alternativa aos harpoons inclusive pela nossa marinha.

Mas sim se sobrar dinheiro actualizar estes sistemas seria optimo obviamente.
Título: Re: MLU às VdG e/ou BD - Hipóteses
Enviado por: mafets em Janeiro 21, 2015, 04:37:58 pm
Citação de: "Johnnie"

A Stark ao que parece quando foi atingida pelos dois exocet nem sequer tinha o CIWS ligado ou aameaça não foi detetada a tempo, algo mal explicado  :wink:
(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fimg.photobucket.com%2Falbums%2Fv289%2Fveryclone%2FKerusakanINS1a.jpg&hash=a8b0feb245f99f70832867acee58bd95)
(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fwww.naval.com.br%2Fblog%2Fwp-content%2Fuploads%2F2013%2F05%2FHMS-Sheffield-2.jpg&hash=c0000bcdec4f456a1f6862a651cd8370)

Cumprimentos
Título: Re: MLU às VdG e/ou BD - Hipóteses
Enviado por: P44 em Janeiro 22, 2015, 12:09:28 pm
Wednesday, 21 January 2015 17:50

Naval Defense Industry News - Portugal
 
 
 
EID's Integrated Communications Control System to equip Belgian, Dutch and Portuguese Frigates
 
The navies of Belgium, the Netherlands, and Portugal will upgrade some of their surface ships with the latest version (the sixth) of the Integrated Communications Control System produced by EID (ICCS6).

(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fwww.navyrecognition.com%2Fimages%2Fstories%2Fnews%2F2014%2Fjuly%2FNavy_Days_2014%2FBelgian_Navy_Days_2014_003.jpg&hash=d6a814ea9be47994a495dce4a7fad527)
F930 Leopold I Karel Doorman-class frigate ("M-Frigate") of the Naval Component of the Belgian Armed Forces during the 34th Belgian Navy Days in Zeebruges
          
Five systems will be installed on board Portuguese ships: two M-class frigates (Bartolomeu Dias and Dom Francisco de Almeida) and 3 Vasco da Gama class frigates. Three systems will be fitted to the Royal Netherlands Navy's (RNlN) M frigates and the landing platform dock HNLMS Rotterdam. The two M-class frigates of the Belgian Navy (Leopold I and Louise-Marie) will also be upgraded.

The first vessel to receive ICCS6 will be a RNlN frigate whereas the last one will be a Portuguese MEKO200 in 2020. It should be noted that the Vasco da Gama frigates were originally fitted with the second generation of ICCS in the early 90’s and that ICCS4 was installed on board HNLMS Rotterdam a few years later.

The ICCS system is based on a distributed architecture, being composed of a number of switches, user terminals and workstations. ICCS6 features Internet Protocol technology and was designed specifically to provide an efficient ships communications management tool. With a high degree of automation, the system uses a modular and flexible concept, capable of being tailored and configured to meet the communications requirements of any type of warship.

EID's ICCS series can be found in platforms across a range of navies including Algeria, Australia, Brazil, Indonesia, Malaysia, the Netherlands, Portugal, Spain, and the United Kingdom. ICCS6 is due for installation on the UK Royal Navy's Type 26 Global Combat Ship that BAE Systems is expected to build. Overall, ICCS series systems equip over 120 vessels of different types: patrol boats, corvettes, frigates, destroyers, landing ships and other support ships, aircraft carriers and submarines.

http://www.navyrecognition.com/index.ph ... ew&id=2351 (http://www.navyrecognition.com/index.php?option=com_content&task=view&id=2351)
Título: Re: MLU às VdG e/ou BD - Hipóteses
Enviado por: P44 em Fevereiro 10, 2015, 07:56:38 pm
nao sei se isto foi aqui mencionado...

New Zealand’s ANZAC Frigates Getting Combat Upgrades
Dec 04, 2014 18:25 UTC by Defense Industry Daily staff

(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fmedia.defenceindustrydaily.com%2Fimages%2FSHIP_FFH_ANZAC_HMNZS_Te_Kaha_F77_lg.jpg&hash=483697081312680748fe5fa96ed84a00)

Dec 3/14: Defensive. Rheinmetall announces that it won a €4.2 million ($5.2M) contract from prime contractor Lockheed Martin Canada to equip New Zealand 2 ANZAC frigates with its Multi Ammunition Softkill System (MASS) in its in twin-launcher MASS_2L configuration. According to the company this includes a long-range capability and 2 naval laser warning systems (NLWS) made by Saab. Rheinmetall manufactures MASS in its Buck Fronau plant in Bavaria, while the NLWS parts will be shipped from South Africa to New Zealand for integration by Lockheed Martin.

Sept 18/14: Radars. Thales will deliver 2 SMART-S Mk2 radars to New Zealand in early 2016 and 2017 respectively, according to the company. This opens the fledgling CAMM market for Thales.

It’s time to modernize New Zealand’s only serious combat ships. New Zealand bought 2 ANZAC frigates in the 1990s, as a cooperative venture with Australia using the MEKO 100 German design. F77 Te Kaha was commissioned in 1996, and F111 Te Mana was commissioned in 1997. At the time, the ships were adequate low-end frigates, but 20 years later, they’re simply obsolete. New Zealand has long realized that changes were required, and has been planning and funding a whole series of changes since 2006.

Zealand’s ships lack the RGM-84 Harpoon anti-ship missiles carried by their Australian counterparts, and carry SH-2G Super Seasprite helicopters instead of larger S-70 Seahawks. They also continue to rely on obsolete RIM-7F Sea Sparrow missiles, instead of the RIM-162 ESSM missiles aboard Australian ships.

The Frigate Systems Upgrade (FSU) program’s new combat system and radar upgrades were approved in 2012, but they follow a series of changes to New Zealand’s ANZACs. Those include changes to improve stability and power-generating diesel engines, compartment configuration changes, installation of a new integrated platform management system (IPMS), and upgrades to onboard environmental control. New Zealand also bought Australia’s low flight-hours SH-2G fleet, along with Kongsberg’s Penguin Mk.3 helicopter-launched anti-ship missiles, and upgraded the Pahalanx systems on board to Block IB status.

The final upgrade will modernize the core combat system to the Saab/Lockheed CanACCS 9LV standard, and integrate it with radar improvements, MBDA’s independently-guided Sea Ceptor missiles, and other modern equipment. Overall, it brings the frigates up from “obsolete” status to that of low-end modern frigates or a high-end corvette.

Upgrades are scheduled to begin in 2016.

http://www.defenseindustrydaily.com/new ... de-023815/ (http://www.defenseindustrydaily.com/new-zealands-anzac-frigates-getting-a-combat-upgrade-023815/)
Título: Re: MLU às VdG e/ou BD - Hipóteses
Enviado por: P44 em Fevereiro 12, 2015, 09:50:30 am
Kelvin Hughes To Supply SharpEye Radar Systems for Royal New Zealand Navy ANZAC Frigates
 
Kelvin Hughes has been awarded a contract to supply SharpEye™ radars with an Agile Tracker to the New Zealand (NZ) Ministry of Defence as part of the Lockheed Martin Canada prime contract for the Frigate Systems Upgrade project.

Kelvin Hughes will be supplying their market leading S-Band solid state upmast 2D navigation and surveillance radar SharpEye™, for two ship sets along with their tactical Naval MantaDigital™ display software and processors. The NZ Ministry of Defence has also selected Kelvin Hughes’ agile tracker option providing advanced target tracking capability for low level air and surface based targets.
     
(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fwww.navyrecognition.com%2Fimages%2Fstories%2Fwest_europe%2Fuk%2Fexhibition%2Fdsei_2013%2Fnews%2FKelvin_Hughes_Sharpeye_radar_DSEI_2013_picture_1.JPG&hash=7b201d59bc4ea2035fbde757435f47fd)
Kelvin Hughes New SharpEye Upmast Radar with carbon composite housing at DSEI 2013
(Photo: Navy Recognition)
          
The contract covers the supply of the advanced upmast SharpEye™ sensor, integrated housing and turning unit, antenna assembly, radar processor, software and integration with the combat management system, along with project deliverables from installation to sea acceptance, training and in-service support.

SharpEye™ with its inherent solid state design (no magnetron) is highly reliable, enabling the transceiver itself to be mounted upmast with the need for maintenance access being almost completely eradicated. The innovative design of SharpEye™ provides a very low noise system, the patented pulse sequence and pulse compression techniques ensures radar targets/contacts out at sea are detected and tracked typically earlier and at longer ranges than comparable systems.
     

(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fwww.navyrecognition.com%2Fimages%2Fstories%2Fnews%2F2013%2Foctober%2FHMNZS_Te_Mana_F111.jpg&hash=4287a8e2f91a5767c667a0675ac1b339)
HMNZS Te Mana (F111) is one of ten Anzac class frigates and one of two serving in the Royal New Zealand Navy. (picture: Benchill)
          
The frigates TE KAHA and TE MANA are benefiting from a NZ$ 446M upgrade of the combat and related systems and SharpEye™ is one of the sensors within the suite of sensors and systems of the Lockheed Martin Canada upgrade under contract to the NZ Ministry of Defence.

The combat system upgrade means the Royal New Zealand Navy will be operating these highly capable and versatile ships through to the end of their service life.

Adrian Pilbeam, Vice President of Kelvin Hughes said: “The selection of SharpEye™ by the New Zealand Ministry of Defence and Lockheed Martin Canada is a testament to the cutting edge SharpEye™ technology radar. Kelvin Hughes developed SharpEye™ as a very cost effective package for 2D surveillance applications. The New Zealand MoD and Lockheed Martin Canada have recognized this in their selection of what is a critical situational awareness sensor for the Royal New Zealand Navy”.

http://www.navyrecognition.com/index.ph ... ew&id=2404 (http://www.navyrecognition.com/index.php?option=com_content&task=view&id=2404)
Título: Re: MLU às VdG e/ou BD - Hipóteses
Enviado por: P44 em Fevereiro 24, 2015, 07:12:09 pm
Alguém tem o artigo completo?

Citar
Portugal takes twin-track approach to frigate upgrades
Richard Scott, London - IHS Jane's Navy International
09 February 2015

Significance

    The Portuguese Navy is planning to modernise both of its frigate classes
    Vasco Da Gama class to receive limited modernisation but Bartolomeu Dias class undertaking major refit for future NATO operations

The Portuguese Navy has detailed plans for the modernisation of its five-ship frigate force, acknowledging that resource constraints will necessitate the re-purposing of its three Vasco Da Gama-class MEKO 200PN ships for lower intensity tasks only.

Speaking at the IQPC Surface Warships 2015 conference in Genoa, Italy, on 28 January, Vice Admiral António Manuel Fernandes da Silva Ribeiro, the Portuguese Navy's Chief of Materiel, said that the mid-life modernisation programmes for the two classes were being conditioned by three factors.

http://www.janes.com/article/48827/port ... e-upgrades (http://www.janes.com/article/48827/portugal-takes-twin-track-approach-to-frigate-upgrades)
Título: Re: MLU às VdG e/ou BD - Hipóteses
Enviado por: nelson38899 em Março 26, 2015, 11:53:58 pm
Citar
he Portuguese Navy is planning to modernise both of its frigate classes
Vasco Da Gama class to receive limited modernisation but Bartolomeu Dias class undertaking major refit for future NATO operations
The Portuguese Navy has detailed plans for the modernisation of its five-ship frigate force, acknowledging that resource constraints will necessitate the re-purposing of its three Vasco Da Gama-class MEKO 200PN ships for lower intensity tasks only.
Speaking at the IQPC Surface Warships 2015 conference in Genoa, Italy, on 28 January, Vice Admiral António Manuel Fernandes da Silva Ribeiro, the Portuguese Navy's Chief of Materiel, said that the mid-life modernisation programmes for the two classes were being conditioned by three factors. "First, we have limited financial resources. Second, we must address material obsolescence and increase performance as much as can. And third, from the operational side, we must decide what are imperatives, and what are desirables."
"Based on these considerations, we are going to modernise our frigates in different ways," he continued. "While we will keep the two Bartolomeu Dias-class M-frigates for more demanding operations, the three Vasco Da Gama-class ships will be deployed only on [lower intensity] small scale operations and so will receive a limited modernisation."
It is planned that both classes will be subject to major refits to extend platform life and address obsolescence (for example, in platform management systems). Overhauls will also be undertaken of main propulsion machinery. However, the levels of investment in weapons and sensors will vary.
Built in Germany to the Blohm + Voss MEKO200PN design, the three Vasco Da Gama-class ships - NRP Vasco Da Gama , NRP Álvares Cabral , and NRP Corte Real were all commissioned into service in 1991. Their equipment fit includes a single 100 mm gun, an Mk 29 octuple launcher for RIM-7P NATO SeaSparrow missiles, eight Harpoon anti-ship missiles, Mk 46 Mod 5 lightweight torpedoes, and a Phalanx Block 1B close-in weapon system.
According to Vice Adm António Silva Ribeiro, the scope of modernisation work for the Vasco Da Gama-class ships encompasses the overhaul and upgrade of the existing MW08 and DA08 radars, new electronic warfare (EW) systems, introduction of IFF Mode 5, new electro-optical surveillance capability, and new military GPS. Hardware in the STACOS Mod I combat management system will be replaced to resolve obsolescence. Other changes include a SATCOM upgrade, new UHF communications, the addition of Link 22 (alongside Link 11/16), introduction of the ICCS6 integrated communications control system, and an upgraded C4I network.
As regards self-defence, the Phalanx close-in weapon system will be brought up to the latest Block 1B Baseline 2 standard. The existing NATO SeaSparrow point defence missile system will remain; the RIM-7P missiles themselves will be re-motored.
The Portuguese Navy's two former Royal Netherlands Navy (RNLN) M-frigates, NRP Bartolomeu Dias (ex-HrMs Van Nes) and NRP Dom Francisco de Almeida (ex-HrMs Van Galen), are to receive a more substantive upgrade in order to enable them to participate in higher intensity national or NATO operations. These will, in part, leverage from upgrades already in train for the RNLN's two remaining M-frigates.
"As regards these ships," Vice Adm António Silva Ribeiro said, "we will also acquire new ESM, IFF Mode 5, military GPS, and electro-optical systems. We are going to upgrade the sonar, modernise the point defence missile system with the introduction of the Evolved SeaSparrow Missile, and overhaul and upgrade the Goalkeeper close-in weapon system.
"In addition, we plan to acquire a completely new [electronic warfare] system, and upgrade our lightweight torpedoes to Mk 54 standard."
Another planned change is the replacement of the current command system with the Guardion combat management system developed by the Netherlands' CAMS-Force Vision software centre. "We are part of an M-frigate user group with the Netherlands, Belgium, and Chile, and we are working well in this to modernise all the ships in the class," Vice Adm António Silva Ribeiro said. "Guardion is very much a part of that."

http://www.militaryaerospace.com/news/2015/03/03/portugal-takes-twin-track-approach-to-frigate-upgrades-br-br-1.html
Título: Re: MLU às VdG e/ou BD - Hipóteses
Enviado por: dc em Março 27, 2015, 01:16:20 am
ESSM? :D
Bem, desta não estava à espera sinceramente! Pena as VdG não receberem os mesmos... mas pronto, melhor que nada, já é um bom começo e mais fácil será a futura integração dos ESSM nas restantes fragatas.
Estes planos eram pré aquisição do Siroco ou já é a contar com a vinda deste?
Título: Re: MLU às VdG e/ou BD - Hipóteses
Enviado por: NVF em Março 27, 2015, 03:04:59 am
A conferência foi em janeiro, logo já se falava do Siroco. Agora ao que interessa. Os upgrades são bastante razoáveis e excedem as minhas expectavivas. No entanto, é de lamentar que os ESSM não sejam extensíveis às VdG -- afinal nem seriam necessários VLS com 32 misseis, já que o actual lançador também permite disparar ESSM. Também de lamentar o facto de os torpedos não serem substituídos em ambas as classes e, além disso, não mencionam se o numero de Mk54 vai ser suficiente para os helis (já para não falar no próprio número limitado de helis). Outra lacuna que me ocorre é a falta de sonares de profundidade variável e rebocados. Ainda assim, boas notícias!
Título: Re: MLU às VdG e/ou BD - Hipóteses
Enviado por: P44 em Março 28, 2015, 03:41:24 pm
First Pass Approval for ANZAC Air Search Radar Replacement
(Source: Australian Department of Defence; issued Mar 27, 2015)
The Australian Government had provided First Pass approval for project SEA 1448 Phase 4B – ANZAC Air Search Radar Replacement.

The ANZAC frigates use their air search radar to scan at long ranges for potential threats. The radar is an integral part of a modern warship and important for ensuring the safety of the vessel and other friendly ships in dangerous areas. The current ANZAC radar is old and requires replacement with modern technology to maintain the robust front-line capability provided by these ships.

In addition to the radar replacement, there will be an upgrade to the Identification Friend or Foe (IFF) capability to comply with future military and civil Secondary Surveillance Radar aviation requirements.

The project intends to replace the ageing long-range radar onboard the ANZAC class frigates with significantly more capable radar, with integrated and upgraded IFF capability, currently under development by CEA Technologies in Canberra.

CEA is an internationally recognised Australian company that developed the successful Anti-Ship Missile Defence ‘CEAFAR’ radar currently being installed on the ANZAC frigates.

The new radar will build on this successful technology to deliver a generational improvement over the current ANZAC long-range radar. The CEA long-range radar is expected to provide earlier warning of potential threats and greater situational awareness to the ship and the task group. The two radars share the same design principles and will provide a significant capability advantage to our ships.

The Department of Defence will continue to work with CEA to successfully develop this new technology. As part of a Risk Reduction Program with CEA, the technology is expected to be demonstrated in 2015‑16. In the event that the Risk Reduction Program is not successful, Defence may consider military‑off‑the‑shelf radar options.

Government will consider the next steps for the project at Second Pass approval planned for 2016-17.

The new capability is forecast to be in service by the end of the decade. It is expected that it will be supported by Australian industry throughout its life.

-ends-

http://www.defense-aerospace.com/articl ... ement.html (http://www.defense-aerospace.com/articles-view/release/3/162234/australia-oks-frigate-search-radar-replacement.html)
Título: Re: MLU às VdG e/ou BD - Hipóteses
Enviado por: dc em Março 28, 2015, 05:42:28 pm
Era bom era... talvez num MLU 2.0 às nossas Vasco da Gama, lá para 2025... por agora, não me parece que se esteja sequer a considerar tal modernização infelizmente.
Título: Re: MLU às VdG e/ou BD - Hipóteses
Enviado por: Edu em Março 29, 2015, 11:57:16 pm
Bom bom era que em 2025 se pensasse numa nova classe de fragatas para substituir as Vasco da Gama ou invés de outro upgrade às mesmas, nessa altura elas já contarão com 35 anos de idade.
Título: Re: MLU às VdG e/ou BD - Hipóteses
Enviado por: Alvalade em Março 30, 2015, 12:01:34 am
Citação de: "Edu"
Bom bom era que em 2025 se pensasse numa nova classe de fragatas para substituir as Vasco da Gama ou invés de outro upgrade às mesmas, nessa altura elas já contarão com 35 anos de idade.


Há 10 anos discutia-se as Oliver Hazard Perry que íamos comprar, portanto estar a fazer previsões do que vai acontecer daqui a 10 anos é bastante difícil na nossa realidade.
Título: Re: MLU às VdG e/ou BD - Hipóteses
Enviado por: dc em Março 30, 2015, 12:30:29 am
Citação de: "Edu"
Bom bom era que em 2025 se pensasse numa nova classe de fragatas para substituir as Vasco da Gama ou invés de outro upgrade às mesmas, nessa altura elas já contarão com 35 anos de idade.

E dinheiro para isso? O custo de aquisição de uma fragata moderna custaria acima de 500 milhões de euros (nova claro), agora poderia ser mais ainda e a multiplicar por três... Não nos esquecendo que também as BD contarão com uma idade quase igual, com 2 ou 3 anos de diferença salvo erro... portanto, sonhos à parte, um dos problemas colocados aquando da aquisição das BD, foi estas terem idade próxima à das Vasco da Gama, o que poderia trazer problemas no momento de substituir, pois teriam a mesma idade e tecnologias quase idênticas.
Talvez este MLU mais extenso às BD seja estratégia da marinha, assim tem-se uma classe mais poderosa que a outra e com ligeiramente menos anos. Pena vai ser ver as VdG partir um dia... tornaram-se uma espécie de imagem de marca da marinha.

Exacto Alvalade, e há 12 anos tinha-se aquela LPM de 2003 que previa 10 a 12 NPO's, 8 LFC's, já se falava no MLU às VdG, substituição dos AJet e dos All3, dos NH90 do UALE, Navpol, defesa aérea de curto e médio alcance para o exército, modernização/substituição dos M113, enfim... em 10/12 anos, mudou imenso...

Voltando ao tópico, a idade depois começa a pesar, mas mesmo as próprias de Zeven Provincien, as Sachsen e as Alvaro de Bazan, nessa altura, já irão contabilizar 20 anos ou mais de serviço! E da forma como são as coisas por cá, mais depressa aguentamos com elas até fazerem 45 anos e só depois se trata de substituir, como foi feito com as João Belo.
Título: Re: MLU às VdG e/ou BD - Hipóteses
Enviado por: Lightning em Março 30, 2015, 01:57:15 am
Eu acho que ambas as classes de Fragatas irão navegar até perfazerem 40 anos, e como ambas tem praticamente a mesma idade e a mesma capacidade, também me parece lógico que ambas sejam substituídas em simultâneo e por uma única classe de escoltas oceânicos, tanto pode ser uma classe de navios novos, uma futura MEKO Alemã ou uma futura Sigma Holandesa musculada, por exemplo. Ou então comprar fragatas usadas, por exemplo as Fridtjof Nansen Norueguesas, umas FREMM Francesas ou Italianas, etc.

Mas isso também pode ir tudo por agua abaixo quando os "Americas" meterem lasers nos navios e automaticamente tornarem tudo o que é misseis e outros projecteis obsoletos :G-beer2: .
Título: Re: MLU às VdG e/ou BD - Hipóteses
Enviado por: Edu em Março 30, 2015, 02:53:38 pm
Citação de: "dc"
Citação de: "Edu"
Bom bom era que em 2025 se pensasse numa nova classe de fragatas para substituir as Vasco da Gama ou invés de outro upgrade às mesmas, nessa altura elas já contarão com 35 anos de idade.

E dinheiro para isso? O custo de aquisição de uma fragata moderna custaria acima de 500 milhões de euros (nova claro), agora poderia ser mais ainda e a multiplicar por três... Não nos esquecendo que também as BD contarão com uma idade quase igual, com 2 ou 3 anos de diferença salvo erro... portanto, sonhos à parte, um dos problemas colocados aquando da aquisição das BD, foi estas terem idade próxima à das Vasco da Gama, o que poderia trazer problemas no momento de substituir, pois teriam a mesma idade e tecnologias quase idênticas.
Talvez este MLU mais extenso às BD seja estratégia da marinha, assim tem-se uma classe mais poderosa que a outra e com ligeiramente menos anos. Pena vai ser ver as VdG partir um dia... tornaram-se uma espécie de imagem de marca da marinha.

Pensar não significa comprar imediatamente, mas parece-me obvio que quando elas já tiverem 35 anos de idade não se vai pensar em fazer novo MLU para durarem mais 15 anos. Será nessa altura sim tempo de pensar em substituição. Torna-se no entanto claro que elas irão navegar até aos 40 anos de idade.
Título: Re: MLU às VdG e/ou BD - Hipóteses
Enviado por: dc em Março 30, 2015, 04:20:02 pm
Sim, mas de "começar a pensar" até substituir podem demorar facilmente 10 anos... veja-se o simples MLU às VdG que está planeado há quase 10 anos, no entanto, nada feito, agora imagine-se a aquisição de navios novos... a não ser que houvesse outra compra de ocasião, de imediato, e aí talvez houvesse substituto no espaço de dois ou três anos.
Estou mesmo a ver, com esta moda de compras de ocasião, lá para 2025/2030 a marinha irá acabar por ter uma Alvaro de Bazan, uma Sachsen, uma Zeven provincien e uma Nansen, quando estes países começarem a substitui-las ou a reduzir números por eventuais cortes (género da frança com o Siroco)... Talvez tenhamos sorte, pois por essa altura não me parece que haverão navios de jeito em segunda mão à venda, pois será muito cedo para essas marinhas se desfazerem deles, logo, seremos obrigados a comprar novo. Não haverá um grande mercado de navios em segunda mão, fora as Arleigh Burke, que uma só leva a tripulaçao das duas BD  :mrgreen:  De resto, não veremos FREMM's, nem Daring, nem Horizon, nem nenhum desses navios modernos à venda em ocasião.
Título: Re: MLU às VdG e/ou BD - Hipóteses
Enviado por: NVF em Maio 05, 2015, 06:23:37 pm
Resposta ao camarada dc no tópico do Tor. Parece-me desnecessário e inconsequente estar a repetir o que disse anteriormente no outro tópico. No entanto, não posso desperdiçar a oportunidade para deixar umas notas: 1) a opinião de que as Nansen não são navios superiores e mais poderosos que as VdG é, no minimo, desinformada; 2) o ESSM é também um sistema anti-míssil (aliás, tal como o SeaSparrow que possuímos actualmente); 3) nos últimos anos a Marinha, tal como os restantes ramos, perdeu muito pessoal e os tripulantes necessários para guarnecer todas essas corvetas já eram; 4) quando o Exército refere que 22 tripulações completas para 37 carros de combate é o mínimo, quando temos tripulações insuficientes para todos os F-16, Merlin e P-3C, pensar que vamos ter gente suficiente para guarnecer, em simultâneo, 5 fragatas mais um LPD é a modos que cómico.

Por último, sugiro que se informe melhor sobre missões de marinhas aliadas em que foram empregues LPD e, talvez, chegue à conclusão que essas marinhas empregam os seus LPD's como parte de uma task force aliada (ou seja, dispensando uma escolta nacional), sozinhos nalguns casos, ou, quando muito, com uma única escolta — missões em que são necessárias duas fragatas para escoltar um LPD são extremamente raras. Quanto ao que é aceitável, é praticamente unânime que o número mínimo de submarinos deveria ser 3, no entanto, lá vamos andando com somente dois.
Título: Re: MLU às VdG e/ou BD - Hipóteses
Enviado por: dc em Maio 05, 2015, 07:40:56 pm
Onde é que disse que as Nansen não eram superiores as VdG?  :shock: Apenas disse que não é um navio assim tão poderoso que justifique a redução do numero de fragatas na marinha! E há uma GRANDE diferença nisto que disse relativamente ao que o senhor entendeu... Sim eu sei bem que o ESSM é um sistema também anti-míssil, referia-me a sistemas próprios, mais concretamente CIWS, seja Phalanx, Goalkeeper ou RAM. Perdeu tripulações? Então e diga-me lá como as perdeu? Não será devido aos cortes no pessoal? Não há falta de candidatos para tal e não representa um sacrifício enorme abrir mais 20/ 30 ou até 100 vagas. Dos Leopard é exatamente o mesmo. Para os F-16, P-3 e tudo o mais, também não é por falta de candidatos, mas sim pela abertura de poucas vagas, e há muitos anos que é assim. Não teremos gente suficiente para guarnecer esses navios? É no minimo cómica essa afirmação, visto que há milhares de desempregados, muitos deles jovens que viriam a marinha como uma solução. O que você está a fazer é a concordar com a estagnação feita às forças armadas nos últimos anos, "menos meios por falta de gente" quando facilmente se arranja gente... andamos muito esquecidos do desemprego e de quem anda a cortar no pessoal nas forças armadas...

Citação de: "NVF"
missões em que são necessárias duas fragatas para escoltar um LPD são extremamente raras.

Disse bem, são raras, mas podem acontecer, e vão acontecer, alguma(s) vez(es) ao longo da vida do Siroco na Marinha e quando acontecerem fará falta a "5ª fragata". Não se esqueça também, este mês que passou estavam em missões 3 fragatas em simultâneo, sobrando 2, uma das quais em manutenção e outra em estado de prontidão.

Citação de: "NVF"
Quanto ao que é aceitável, é praticamente unânime que o número mínimo de submarinos deveria ser 3, no entanto, lá vamos andando com somente dois.

Bem, quanto a isto, o minimo aceitável seriam 3 submarinos e 5 fragatas, e isto nem sequer é o ideal... Mas sonhos à parte, ao menos que se mantenham as 5 fragatas, guarnições arranjam-se facilmente, muita gente vê a Marinha como hipótese de futuro, tanto a nível de estudos como de possível emprego, há é que abrir as vagas necessárias... Como se compensa? Cortando nas "quintas" aqui e ali, principalmente do exército, onde há militares sem fazerem nenhum em certos sítios e principalmente oficiais a comer do tacho, e vendia-se infraestruturas que seriam abandonadas pelo exército.

PS: Fez bem trazer a discussão para este tópico, em pouco ou nada tinha a ver com o "Tor".
Título: Re: MLU às VdG e/ou BD - Hipóteses
Enviado por: nelson38899 em Maio 21, 2015, 10:14:24 pm
fica aqui um à parte

Citar
The Republic of Turkey has requested a possible sale for four (4) MK 15 Phalanx Close-In Weapons System (CIWS) Block 1B Baseline 2 systems and the overhaul, upgrade, and conversion of seventeen (17) MK 15 Phalanx CIWS Block 0 systems to the Block 1B Baseline 2 configuration. Also included are twenty one (21) Remote Control Stations, twenty one (21) Local Control Stations, spare and repair parts, support and test equipment, personnel training and training equipment, publications and technical documentation, U.S. Government and contractor engineering, technical, and logistics support services, and other related elements of program and logistics support. The estimated cost is $310 million.
http://www.navyrecognition.com/index.php/news/defence-news/year-2015-news/may-2015-navy-naval-forces-defense-industry-technology-maritime-security-global-news/2744-us-approves-foreign-military-sale-fms-of-phalanx-ciws-to-turkey-21051503.html
Título: Re: MLU às VdG e/ou BD - Hipóteses
Enviado por: Luso em Maio 21, 2015, 11:49:27 pm
USD$310 milhones!  :shock:
Por aquilo...
- Ide roubar chumbo (ou DU)!
Título: Re: MLU às VdG e/ou BD - Hipóteses
Enviado por: Cláudio C. em Maio 22, 2015, 11:42:37 am
Não há novidades? Designadamente a datas e modo de concretização do MLU?
Título: Re: MLU às VdG e/ou BD - Hipóteses
Enviado por: nelson38899 em Maio 22, 2015, 12:48:07 pm
Citação de: "Cláudio C."
Não há novidades? Designadamente a datas e modo de concretização do MLU?

Eu até diria mais, tendo em conta que a LPM apenas foi aprovada à dias e uma vez que a legislatura do PSD está para terminar, dá me a sensação que esta LPM terá os dias contados, com a entrado do PS. Logo apontar prazos é como ir à bruxa.
Título: Re: MLU às VdG e/ou BD - Hipóteses
Enviado por: Aegir em Julho 22, 2015, 04:45:19 pm
MLU???????

http://defesanacionalpt.blogspot.pt/201 ... sinam.html (http://defesanacionalpt.blogspot.pt/2015/07/marinha-e-arsenal-do-alfeite-assinam.html)
Título: Re: MLU às VdG e/ou BD - Hipóteses
Enviado por: P44 em Julho 22, 2015, 07:03:53 pm
Acho que se limita a uma "grande reparaçao"

Já em 2014 quando visitei a CR me disseram que já devia ter ido para a doca "há dois anos atrás" (ou seja , em 2012)
Título: Re: MLU às VdG e/ou BD - Hipóteses
Enviado por: Alvalade em Julho 22, 2015, 07:09:47 pm
De qualquer maneira 12M€ é puxado.
Título: Re: MLU às VdG e/ou BD - Hipóteses
Enviado por: P44 em Julho 22, 2015, 07:34:38 pm
Citação de: "Alvalade"
De qualquer maneira 12M€ é puxado.

pois,mas nao faço ideia quanto custa uma Grande Reparaçao...
Título: Re: MLU às VdG e/ou BD - Hipóteses
Enviado por: Alvalade em Julho 22, 2015, 07:45:27 pm
Citação de: "P44"
Citação de: "Alvalade"
De qualquer maneira 12M€ é puxado.

pois,mas nao faço ideia quanto custa uma Grande Reparaçao...

Temos que esperar que os especialistas locais apareçam.
Título: Re: MLU às VdG e/ou BD - Hipóteses
Enviado por: faica em Julho 23, 2015, 06:41:59 pm
A reparação será a mesma que era efectuada anteriormente nestes navios,o que "poderá" ser adicionado de novo será o novo sistema de comunicações.
Título: Re: MLU às VdG e/ou BD - Hipóteses
Enviado por: mafets em Setembro 12, 2015, 11:58:48 am
http://www.janes.com/article/54192/portugal-plans-modernisation-of-meko-200pn-frigates
Citar
The Portuguese MND is planning to modernise the navy's Vasco da Gama-class frigates
Modernisations are expected to begin in 2020, with integrated platform management systems on two ships to commence in 2017
Portuguese state-owned shipyard Arsenal do Alfeite is currently carrying out major overhaul and dry-docking of the MEKO 200PN multi-purpose frigate NRP Corte-Real (F332), according to a EUR12 million (USD13.5 million) contract awarded mid-July by the Portuguese Navy. This is the largest contract for Arsenal do Alfeite and will be fulfilled over a 13-month time, the company told IHS Jane's . No modernisations will be implemented as part of the current contract, the company added.
Para já não existe Upgrade.  :?
(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2F4.bp.blogspot.com%2F-rH-WPrxwXlU%2FT2B2YUyA8NI%2FAAAAAAAAXDE%2Fw7L_cMh9cEA%2Fs400%2FDSC_3283.JPG&hash=678e538b7963b7d005c2d35891ef7b6f)

Cumprimentos
Título: Re: MLU às VdG e/ou BD - Hipóteses
Enviado por: tenente em Setembro 12, 2015, 12:49:50 pm
Citação de: "mafets"
http://www.janes.com/article/54192/portugal-plans-modernisation-of-meko-200pn-frigates
Citar
The Portuguese MND is planning to modernise the navy's Vasco da Gama-class frigates
Modernisations are expected to begin in 2020, with integrated platform management systems on two ships to commence in 2017
Portuguese state-owned shipyard Arsenal do Alfeite is currently carrying out major overhaul and dry-docking of the MEKO 200PN multi-purpose frigate NRP Corte-Real (F332), according to a EUR12 million (USD13.5 million) contract awarded mid-July by the Portuguese Navy. This is the largest contract for Arsenal do Alfeite and will be fulfilled over a 13-month time, the company told IHS Jane's . No modernisations will be implemented as part of the current contract, the company added.
Para já não existe Upgrade.  :?
(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2F4.bp.blogspot.com%2F-rH-WPrxwXlU%2FT2B2YUyA8NI%2FAAAAAAAAXDE%2Fw7L_cMh9cEA%2Fs400%2FDSC_3283.JPG&hash=678e538b7963b7d005c2d35891ef7b6f)

Cumprimentos

Bem quem escreveu esse artigo é o maior :

Modernisations are expected to begin in 2020, with integrated platform management systems on two ships to commence in 2017.............No modernisations will be implemented as part of the current contract, the company added.

Muito bom mesmo em que ficamos ???
Reparações nos Navios ?
Só pode, e a prova está aqui, no diz respeito á CR !
....Portuguese state-owned shipyard Arsenal do Alfeite is currently carrying out major overhaul and dry-docking of the MEKO 200PN multi-purpose frigate NRP Corte-Real (F332),
MLU para navios já com 29 anos  ??? Não me parece que vez seja efectuado !
os MLU deveriam ter sido efectuados quando os Navios atingiram a meia idade, digamos cerca de quinze anos, agora com 29 anos de serviço ???
Por este caminho, acho que tenho razão quando afirmo que algumas destas fragatas atingirão a fabulosa idade de quarenta anos de serviço.
Na minha opinião a CR será a primeira a ser desactivada, e, uns bons anos antes da VdG e da AC !

Cumprimentos
Título: Re: MLU às VdG e/ou BD - Hipóteses
Enviado por: mafets em Setembro 12, 2015, 01:45:43 pm
O artigo em questão é o resumo da Jane's Defence News para não assinantes. Se alguém for assinante ou tiver acesso ao artigo completo, chegue-se à frente.  :wink:  
Citar
Monitor Parnaiba - 1938- Present = 77 Years
https://pt.wikipedia.org/wiki/M_Parna%C3%ADba_(U-17)
(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fwww.alide.com.br%2Fartigos%2Fparnaiba%2Fimagem%2Fparnaiba_06.jpg&hash=839a93a51d1d96d17d867113cffd5d4d)
Citar
Smetlivy 1969-present = 46 Years
https://en.wikipedia.org/wiki/Russian_destroyer_Smetlivy
(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fwww.maltashipphotos.com%2F8%2F810%2520smetlivy%2520e-gh%2520isla%2520xxxvii%2520-%252003.11.2011.jpg&hash=75518828b102632bb3207674cc6346f9)
Citar
USS Nimitz- 1975 to present = 40 years https://en.wikipedia.org/wiki/USS_Nimitz
(https://upload.wikimedia.org/wikipedia/commons/a/a8/HMS_Ark_Royal_USS_Nimitz_Norfolk2_1978.jpeg)
Citar
USS Bunker Hill - 1986-present = 29 years
https://pt.wikipedia.org/wiki/USS_Bunker_Hill_(CG-52)
(https://upload.wikimedia.org/wikipedia/commons/2/2f/USS_Bunker_Hill_(CG-52).jpg)

Saudações
Título: Re: MLU às VdG e/ou BD - Hipóteses
Enviado por: Johnnie em Setembro 12, 2015, 02:19:38 pm
Falta ai o Foch nessa lista  :D
Título: Re: MLU às VdG e/ou BD - Hipóteses
Enviado por: mafets em Setembro 12, 2015, 02:51:49 pm
Citação de: "Johnnie"
Falta ai o Foch nessa lista  :D
Curiosamente o actual NAE S. Paulo tem "apenas" 55 anos (https://pt.wikipedia.org/wiki/NAe_S%C3%A3o_Paulo_(A-12)). À sua frente na Marinha do Brasil ainda estão o Navio doca Ceará (colocado em serviço no ano longínquo de 1956 https://pt.wikipedia.org/wiki/NDD_Cear%C3%A1_(G-30) ) e além do já citado e eterno Monitor Pernaíba, o Navio de apoio logístico Potengi (1938 https://pt.wikipedia.org/wiki/NApLogFlu_Potengi_(G-17),  o Aviso Piraim (originalmente construído em 1950 https://pt.wikipedia.org/wiki/AvTrFlu_Piraim_(U-29) e o Navio Hidrográfico Sirius (1958 https://pt.wikipedia.org/wiki/NHi_Sirius_(H-21)).
(https://upload.wikimedia.org/wikipedia/commons/f/f8/NDD_Cear%C3%A1_%28G-30%29.jpg)
(https://upload.wikimedia.org/wikipedia/commons/c/c0/Potengi2.jpg)
(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fwww.naval.com.br%2Fblog%2Fwp-content%2Fuploads%2F2010%2F09%2FU-29_011.jpg&hash=f713487db56af33a2ee805f58c2e9110)
(https://upload.wikimedia.org/wikipedia/commons/4/41/NHi_Sirius_-_H_21.jpg)

Cumprimentos
Título: Re: MLU às VdG e/ou BD - Hipóteses
Enviado por: NVF em Setembro 12, 2015, 06:47:08 pm
Os porta-aviões, devido ao seu elevado custo, são construídos com uma expectativa de vida útil de 50 anos. Comparar a longevidade de navios fluviais com a de navios oceânicos, quando aqueles não estão sujeitos a corrosão salina, ou a stresses de alto mar,  não faz muito sentido.

Só posso concordar com o tenente, quando se planeiam efectuar 'MLU's' a navios com 30 anos não se pode augurar algo de bom para o futuro da nossa Marinha e das FFAA em geral.
Título: Re: MLU às VdG e/ou BD - Hipóteses
Enviado por: Alvalade em Setembro 12, 2015, 08:59:56 pm
A D.Fernando II e Gloria também dá para modernizar ? Só tem 172 anos e ficávamos com mais uma fragata.
Título: Re: MLU às VdG e/ou BD - Hipóteses
Enviado por: HSMW em Setembro 12, 2015, 09:21:08 pm
Citação de: "Alvalade"
A D.Fernando II e Gloria também dá para modernizar ? Só tem 172 anos e ficávamos com mais uma fragata.

Pronto! Olha o que te foste lembrar...
Depende se aguenta com o Merlin a 200Km/h!
A seguir vão aparecer os orçamentos e propostas para colocar hangar telescópico, ESSM e RWS...
Com jeitinho ainda leva uns botes Zebro...
 :mrgreen:
Título: Re: MLU às VdG e/ou BD - Hipóteses
Enviado por: NVF em Setembro 12, 2015, 09:42:32 pm
Tópico errado! Pela sua configuração, é por demais evidente que a D. Fernando II nunca poderia voltar a ser um navio de combate puro. Mas um mini-LPD, não sei, não  :mrgreen:
Título: Re: MLU às VdG e/ou BD - Hipóteses
Enviado por: mafets em Setembro 12, 2015, 11:07:02 pm
Citação de: "NVF"
Os porta-aviões, devido ao seu elevado custo, são construídos com uma expectativa de vida útil de 50 anos. Comparar a longevidade de navios fluviais com a de navios oceânicos, quando aqueles não estão sujeitos a corrosão salina, ou a stresses de alto mar,  não faz muito sentido.

Só posso concordar com o tenente, quando se planeiam efectuar 'MLU's' a navios com 30 anos não se pode augurar algo de bom para o futuro da nossa Marinha e das FFAA em geral.

Dos navios exemplificados apenas 2 tiveram a sua vida exclusiva em água doce. Nem o navio-doca ou o navio hidrográfico saíram de mar salgado, e mesmo monitor Parnaíba passou mais de metade da sua vida útil em mar. Já Portugal tem as suas corvetas quarentonas, e mesmo quando estão no Alfeite, só não levam com água salgada quando estão em doca seca.  :twisted: E temos o NRP Schultz Xavier com 43 anos de serviço.
(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fwww.marinha.pt%2Fpt-pt%2Fmedia-center%2Fgaleria-digital%2FPublishingImages%2Fmeios-operacionais%2Fnrp-schultz-xavier%2FSCHULTZ-a_.jpg%3Fw%3D1600%26amp%3Bh%3D629&hash=a4836b0934a2c465d1e10d6dd3532837)
Mas já agora quantos navios que tenham passado a parte da vida em água doce a Marinha Portuguesa tem em Serviço à 40 anos?
(https://padresteve.files.wordpress.com/2010/03/long-beach-1980s.jpg)
Citar
uss longbeach esteve 40 anos em serviço
(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fimages.military.com%2Fmedia%2Fequipment%2Fships-and-submarines%2Fffg-oliver-hazard-perry-class-guided-missile-frigate%2Fffg_6.jpg&hash=6025878a1fa008b0b3e374986b6169c9)
Citar
Perry paquistanesa e polaca com 35 e 36 anos de serviço
(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fphotos.wikimapia.org%2Fp%2F00%2F00%2F32%2F96%2F56_big.jpg&hash=3d90c8bf9f8103215e7d4b188822001a)
Citar
Os 8 lst da classe newport em serviço têm todos mais de 40 anos
(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2F2.bp.blogspot.com%2F-xBS46Bm1HLM%2FVJRf6_QAg_I%2FAAAAAAAAESI%2FNC8UjEjfvQE%2Fs1600%2Fnrp%252Bmautilo.jpg&hash=702e79daf7e67ab45b3582f08bd0462e)
Citar
o Ex NRP Cachalote foi abatido ao serviço no Paquistão em 2008. Cumpriu 49 anos de serviço
A propósito, o recordista de longevidade é o navio russo Kommuna, com... 103 anos. E não existe planos para o retirar de serviço. :twisted:
(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fi.kinja-img.com%2Fgawker-media%2Fimage%2Fupload%2Fs--OkwBzkOP--%2Fc_scale%2Cfl_progressive%2Cq_80%2Cw_800%2Fry2chlnb8mvinlb8wqok.jpg&hash=cea23a7f4f5ffac5b1069faf747df6d0)
Citar
http://foxtrotalpha.jalopnik.com/the-oldest-active-navy-ship-is-a-century-old-russian-su-1681527424

Cumprimentos
Título: Re: MLU às VdG e/ou BD - Hipóteses
Enviado por: HSMW em Setembro 12, 2015, 11:21:46 pm
Citação de: "NVF"
Tópico errado! Pela sua configuração, é por demais evidente que a D. Fernando II nunca poderia voltar a ser um navio de combate puro. Mas um mini-LPD, não sei, não  :mrgreen:

Ou reabastecedor... de  bejecas...
Título: Re: MLU às VdG e/ou BD - Hipóteses
Enviado por: tenente em Setembro 12, 2015, 11:28:02 pm
Citação de: "mafets"
O artigo em questão é o resumo da Jane's Defence News para não assinantes. Se alguém for assinante ou tiver acesso ao artigo completo, chegue-se à frente.  :wink:  

Saudações

Pois existem, e  porque é que será que existem ?
Por, como disseste e muito bem, estarem em optimas condições !
Podemos então concluir que as nossas corvetas e patrulhas classe Cacine que não foram ainda substituídas é porque estão em boas condições ?
Não! Não foram porque muito simplesmente não houve, Planeamento, Gestão adequados e orçamentos que tal permitissem, atempadamente efectuar essas substituições, não é certamente, como todos sabemos, por estarem em excelentes condições !!

Os Porta aviões são unidades que podemos equiparar em termos de custos, aos da aquisição a uma Fragata ?
Claro que não nem vale a pena comparar alhos com bugalhos, não fica bem.
Os MLU's em unidades dessas são efectuados aos cerca de 30 anos de idade pois além de serem custos exorbitantes, a que poucas Marinhas se podem dar ao luxo, são efectuados em Navios que são planeados para durarem os tais pelo menos 50 anos, ou mais!
Uma fragata na generalidade das marinha, é um Navio concebido para ter uma vida útil de cerca de trinta anos, a Classe Espanhola F100 Alvaro de Bazan, de 650 Milhões cada Navio, deverá durar cerca de quarenta, mas......... a 1º MLU vai ser efectuada quando tiverem 29 anos ?
Claro que não, a 1ª MLU será feita quanto tiverem no máximo quinze anos de serviço !!!
Agora a MdG Portuguesa em Fragatas de 200 milhões vai fazer a 1ª MLU com 29 anos ??????
Mas que coisa esperta, mesmo que durem 40 anos qual a Razão dessa 1ª MLU que vai beneficiar a Fragata em cerca de mais dez anos ????
Não teria sido bem melhor terem sido melhoradas já há 10 anos ??????
Claro que sim mas, os nossos orçamentos/planeamentos para a Marinha estão dependentes de organismos que de MdG nada sabem e vem os custos dos investimentos/upgrades em ESSM, torpedos Helis, formação de pessoal e afins como custos desnecessários !

Esses especialistas se lessem o relato da EXCELENTE missão 933 do NRP Baptista de Andrade, o EH101 e o C130, realizada entre 24/29NOV14 saberiam, se fosse efectuado uma devida análise/debriefing sobre os meios empregues, humanos e materiais, e tempos de missão com respectivos custos, que a referida missão teria sido realizada com menos horas de navegação, se tivéssemos empregue um NPO com hangar para poder operar o meio Aéreo orgânico, teria sido empenhado uma guarnição muito menor, a guarnição da unidade empenhada teria navegado num navio melhor preparado para o Oceano se tivéssemos empregue um NPO com hangar , mas isto são contas de outro rosário que demonstra bem que o que nos vai ainda " SAFANDO " É MESMO O VALOR DAS NOSSAS GUARNIÇÕES/TRIPULAÇÕES O SEU EMPENHO E A SUA CORAGEM, porque os meios Navais, esses podem ter quarenta e mais anos, isso não é muito relevante, nem importa !!!!

tem é de haver dinheiro para o BPN, BPP, BES, BANIF e afins isso sim isso é que é bom e merece INVESTIMENTO !!!!

Cumprimentos
Título: Re: MLU às VdG e/ou BD - Hipóteses
Enviado por: mafets em Setembro 13, 2015, 12:33:44 am
Citação de: "tenente"
Citação de: "mafets"
O artigo em questão é o resumo da Jane's Defence News para não assinantes. Se alguém for assinante ou tiver acesso ao artigo completo, chegue-se à frente.  :wink:  

Saudações

Pois existem, e  porque é que será que existem ?
Por, como disseste e muito bem, estarem em optimas condições !
Podemos então concluir que então as nossas corvetas e patrulhas classe Cacine que não foram ainda substituídas é porque estão em boas condições ?
Não! Não foram porque muito simplesmente não houve, Planeamento, Gestão adequados e orçamentos que tal permitissem, atempadamente efectuar essas substituições, não é certamente, como todos sabemos, por estarem em excelentes condições !!

Os Porta aviões são unidades que podemos equiparar em termos de custos, aos da aquisição a uma Fragata ?
Claro que não nem vale a pena comparar alhos com bugalhos, não fica bem.
Os MLU's em unidades dessas são efectuados aos cerca de 30 anos de idade pois além de serem custos exorbitantes, a que poucas Marinhas se podem dar ao luxo, são efectuado em Navios que são planeados para durarem os tais pelo menos 50 anos, ou mais.

Cumprimentos
Se se der ao trabalho de ler com atenção, percebe que condições é diferente de optimas condições. Depois também percebe que o exemplo em questão têm a relevância porque o navio em si não apenas era o mais custoso de operar mas o facto de ter sido construído com 8 reactores a2w, (ao invés dos a4w do nimitz), lhe provocou que toda a zona central abaixo do hangar fosse ocupada com maquinaria dos reactores, retirando espaço vital para combustível de aviação, armamento, viveres, etc. Mesmo assim a us navy manteve-o em serviço (outros porta-avioes como a forrestal foram retirados antes, e tinham não apenas custos de compra, manutenção e missão mais modestos, como face ao facto dos eua ter muitos abastecedores, a diferença de alcance ou tempo de comissão tinha poucas diferenças, principalmente de classes como a america ou kenedy, igualmente desactivadas antes). Mas já agora houve Porta-Aviões com 59 anos de Serviço, como Minas Gerais, ao 25 de Mayo com 54 anos, passando pelo Midway  com 52. Eram navios convencionais e os padrões de construção nada tem a ver com os actuais. Estavam em condições, foram operando, e os dois primeiros casos até foram desactivados por as Marinhas em questão não terem dinheiro para os manter.
(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fwww.naval.com.br%2Fblog%2Fwp-content%2Fuploads%2F2008%2F04%2F25demayo-2.jpg&hash=81f7abd304afc07575c9162d297106b1)
Quanto à US Navy não me parece que tenha grandes problemas de planificação e o USS Long Beach esteve 40 anos em serviço e não era um porta-aviões. Já agora quanto tempo em serviço teve a classe de couraçados Iowa? Mas se o problema são unidades maiores com a tal longevidade planificada, sem frisar a longevidade de classes como a flecher por esse mundo fora,  temos o USS Blue Ridge que até é um navio de comando feito de um casco civil, já ultrapassou os 40 anos e não existem planos para o retirar de serviço. O USS Ponce, um LPD em serviço desde 1971.
(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fwww.msc.navy.mil%2Fpublications%2Fpressrel%2Fimages%2F10836027844_11a52abc97_o.jpg&hash=c05c7c54719a784e7c8e76277e27e7ad)  
Mas se mesmo assim, acha que é comparar "alhos com bugalhos" vamos então falar de corvetas e fragatas. As D'Estienne d'Orves francesas, parte delas com 39 anos de serviço, estão activas. Mesmo as que foram retiradas, estão ao serviço dos Argentinos e Turcos. E só tinham sido planificadas para 30 anos é?
(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fi45.tinypic.com%2Fet8co8.jpg&hash=785fbb697e5d7e073de5bc9f806cd781)
Os britânicos tiveram as Type 21 em serviço 20 anos. Apesar de feitas a partir de 1974, todas as seis vendidas ao Paquistão continuam em serviço. Como explica?
(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Ffreepages.military.rootsweb.ancestry.com%2F%7Ecyberheritage%2Ffrix.jpg&hash=72d188fd91ab457e0da40b6d4d42ca88)
Porque estão em serviço. Várias razões, desde o facto de ainda estarem capazes até à questão de face às necessidades da frota ainda serem necessárias. Má planificação? Em alguns casos poderá ser. A frota Portuguesa tem má planificação? Com certeza que têm, mas não é de hoje e vejamos a sua história (aquela esquecida de muitos portugueses, sobretudo os tais "experts" que agora saem da gaveta): Quando entraram as corvetas Baptista de Andrade em Serviço? Desde 1974 a 1975. E viu algum Upgrade? Nos anos 80 que tinham 10 anos ou nos anos 90 que tinham 20?
(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fwww.marinha.pt%2Fpt-pt%2Fmedia-center%2Fgaleria-digital%2FPublishingImages%2Fmeios-operacionais%2Fnrp-baptista-de-andrade%2FImage4c.jpg%3Fw%3D600%26amp%3Bh%3D236&hash=053d4cf158fd38e8db2b51186122912e)  
As João Belo tinham entrado em serviço entre 1967 e 1969. Algum upgrade? Com 10 anos ou 15 de serviço?
(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fwww.guerracolonial.org%2Fspecific%2Fguerra_colonial%2Fuploaded%2Fgraficos%2Fnaviosfichas%2Ffotos%2Fbelo1.jpg&hash=3373660d12b401deb1fe8ce5627663b7)
Sabe quantos anos estiveram as Pereia da Silva em serviço e foram feitas novas cá nó burgo? 14 anos.
(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2F4.bp.blogspot.com%2F_f1OZb7DL07k%2FRjEnCBBwxCI%2FAAAAAAAABAo%2FVrGddWfVOEs%2Fs400%2FSANTA%2BMARIA%2C53%2C%2BPo%2B012.jpg&hash=17cdc36afb76a71662ffa214c0013cb4)
Ou seja, navios com 10 e 15 anos na década de 80 não foram modernizados e v.exma pensa o que sobre isso? Que não valia o investimento e que era preferível novo?. Pouco a pouco foram encostados, pelas mais diversas razões, quando outras marinhas modernizavam navios semelhantes, cá não valia a pena. Bateram palmas às unidades construídas então no inicio dos anos 90, muito mais capazes, maiores e com mísseis, sensores e helis de raiz. E agora o mesmo filme? Também já são velhas, não vale o Upgrade e encosta-se? Mas afinal os "experts" que venham dizer quantos anos estão planificadas durarem as Vasco da Gama e as Bartolomeu Dias. Se os 14 anos das Pereira da Silva ou os 40 anos das João Belo e das Baptista de Andrade. Porque as Vasco da Gama ainda tem 24 anos e as Bartolomeu Dias 21 anos e já é o pânico geral, não vale a pena e é para encostar. E são substituídas pelo que? Retira-se material e vão para a guerra anti-submarina como as João belo ou para opv como as baptista de Andrade?
(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fwww.marinhasplp.org%2FPT%2Fhistorico%2FPublishingImages%2FVasco_da_Gama_PIC_002_.JPG&hash=6b312c4815ee5a0b15c396d32a71470f)
Também gostava de uma Álvaro de Bazan, de uma corveta como a Braunschweig ou de patrulhas oceânicos como os BAM, mas se os governantes não dão dinheiro vai-se encostar o que temos à espera de fazer novo? No caso dos Cacine fomos comprar patrulhas com que idade para os substituir? O que levam os npo em termos de sensores e armas? Também eu quero mais dinheiro para a marinha, unidades de maior capacidade, mais helicópteros, etc, e é por isso que têm vindo? Missões? Mas quantas é que eu posto aqui e coloco o "dedo na ferida"? Questão de os "experts" se darem ao trabalho e lerem.  E se encostarmos as fragatas acham que vamos levar com o que em cima? Ainda vão umas Perry usadas e depois? Ficamos melhores? Força, encostem o Crioula e a Sagres que tem mais de 40 anos e foram feitos para durar não sei quantos. Pode ser que venha um "cacilheiro com mastros" para fazer instrução ou reactivam a D. Fernado e Gloria para seria embaixadora do país (quantos é que repararam que depois do investimento lhe serraram os mastros?) :roll:
(https://upload.wikimedia.org/wikipedia/commons/4/4a/Ship_LPD-Castilla-(L52).jpg)

Saudações
Título: Re: MLU às VdG e/ou BD - Hipóteses
Enviado por: NVF em Setembro 13, 2015, 07:01:39 am
Algumas notas:

USS Long Beach — comissionado a 9 de Setembro de 1961, desactivado a 2 de Julho de 1994 e 'descomissionado' a 1 de Maio de 1995. Digamos que um bocadinho aquém dos 40 anos. MLU efectuado em 1980.

USS Virginia — comissionado a 11 de Setembro de 1976 e 'descomissionado' a 10 de Novembro de 1994. MLU efectuado em 1984.

S134 PNS Ghazi (ex Portuguese Cachalote) — comissionado em 1975, 'descomissionado' em 2006. Em Portugal de 69 a 75, o que dá um total de 37 anos de serviço e não os 49 anos anunciados.

Os couraçados Iowa duraram de facto muitos anos, mas omitindo o facto de terem sido construídos para levarem com muito abuso, a realidade é que estiveram parados durante a maior parte dos seus quase 50 anos de carreira.

Os exemplos de longevidade da Marinha Brasileira, ou da Marinha Argentina, não são de todo 'qualidades' que gostaria de ver repetidas na Marinha nacional. Os exemplos dos submarinos e das corvetas já chegaram.

Até agora, o que sabemos é que a quantia prevista para gastar com cada navio aparenta ser somente 25 milhões de euros (lembram-se do Siroco?), a aplicar quando os navios tiverem 30 anos em cima. Sem querer tecer considerações, na Grécia estão preocupados por o orçamento para upgrade das Hydra só contemplar 100 milhões por navio (as Hydra entraram ao serviço entre 92 e 98). Em contrapartida, os navios gregos operam ESSM desde 2008.

Os neozelandeses estão a planear gastar 250 milhões de euros no upgrade das suas duas Anzac (entraram ao serviço em 97 e 98). As Anzac australianas (entraram ao serviço entre 96 e 2006) operam ESSM desde 2003, operam Harpoon Block II desde 2005 e desde 2011 que está em curso um programa de upgrade aos radares no valor de mais de 400 milhões de euros para os 8 navios.

A segunda leva de quatro MEKO turcas (entraram ao serviço entre 97 e 2000), já há cerca de três anos que viram os seus radares originais substituídos por Smart-S Mk2 e foram dotadas de ESSM. As quatro MEKO originais que entraram ao serviço entre 87 e 89 não vão ser actualizadas e prevê-se a sua substituição dentro de poucos anos.
Título: Re: MLU às VdG e/ou BD - Hipóteses
Enviado por: Alvalade em Setembro 13, 2015, 09:36:41 am
Citação de: "mafets"
E se encostarmos as fragatas acham que vamos levar com o que em cima? Ainda vão umas Perry usadas e depois? Ficamos melhores? Força, encostem o Crioula e a Sagres que tem mais de 40 anos e foram feitos para durar não sei quantos. Pode ser que venha um "cacilheiro com mastros" para fazer instrução ou reactivam a D. Fernado e Gloria para seria embaixadora do país (quantos é que repararam que depois do investimento lhe serraram os mastros?) :roll:
(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fwww.hirondino.com%2Ffoto%2Fa-fragata-dom-fernando-ii-e-gloria%2Ffragata-d-fernado-ii-e-gloria.jpg&hash=0136ad58abc5f41fb18785c651fa9ef8)


Nada foi "serrado", basicamente existem partes do mastro que são "retráteis".

(https://desperatemothers.files.wordpress.com/2010/02/uss-constitution-21.jpg)

Ninguém serrou os mastros do USS Constitution, mas tal como o USS Constitution eu gostava de ver a D.Fernando II a navegar em datas especiais (Dia da Marinha).
Título: Re: MLU às VdG e/ou BD - Hipóteses
Enviado por: tenente em Setembro 13, 2015, 10:40:12 am
Citação de: "mafets"
Citação de: "tenente"
Citação de: "mafets"
O artigo em questão é o resumo da Jane's Defence News para não assinantes. Se alguém for assinante ou tiver acesso ao artigo completo, chegue-se à frente.  :wink:  

Saudações

Pois existem, e  porque é que será que existem ?
Por, como disseste e muito bem, estarem em optimas condições !
Podemos então concluir que então as nossas corvetas e patrulhas classe Cacine que não foram ainda substituídas é porque estão em boas condições ?
Não! Não foram porque muito simplesmente não houve, Planeamento, Gestão adequados e orçamentos que tal permitissem, atempadamente efectuar essas substituições, não é certamente, como todos sabemos, por estarem em excelentes condições !!

Os Porta aviões são unidades que podemos equiparar em termos de custos, aos da aquisição a uma Fragata ?
Claro que não nem vale a pena comparar alhos com bugalhos, não fica bem.
Os MLU's em unidades dessas são efectuados aos cerca de 30 anos de idade pois além de serem custos exorbitantes, a que poucas Marinhas se podem dar ao luxo, são efectuado em Navios que são planeados para durarem os tais pelo menos 50 anos, ou mais.

Cumprimentos

Citar
Mas se mesmo assim, acha que é comparar "alhos com bugalhos" vamos então falar de corvetas e fragatas. As D'Estienne d'Orves francesas, parte delas com 39 anos de serviço, estão activas. Mesmo as que foram retiradas, estão ao serviço dos Argentinos e Turcos. E só tinham sido planificadas para 30 anos é?

Quando foram efectuadas as modernizações nos navios ? E que marinhas tem as restantes ? Os Turcos e os Argentinos pois é são como nós faltalhes o pilim para comprar Novo.
Citar
Os britânicos tiveram as Type 21 em serviço 20 anos. Apesar de feitas a partir de 1974, todas as seis vendidas ao Paquistão continuam em serviço. Como explica?
Porque estão em serviço. Várias razões, desde o facto de ainda estarem capazes até à questão de face às necessidades da frota ainda serem necessárias. Má planificação? Em alguns casos poderá ser

Explico muito facilmente meu caro: a conclusão da RN sobre a qualidade destes navios, com superestrutura toda em alumínio, a fraca prestação dos mesmos no Conflito das Falkland, a fraca resistência das estruturas, mesmo com poucos anos de serviço, foi necessário á semelhança da classe 42 fazer um reforço do casco, e, a necessidade da marinha paquistanesa em adquirir fragatas, as quais pouco tempo depois foram reequipadas em termos de armamento.

Citar
A frota Portuguesa tem má planificação? Com certeza que têm, mas não é de hoje e vejamos a sua história (aquela esquecida de muitos portugueses, sobretudo os tais "experts" que agora saem da gaveta): Quando entraram as corvetas Baptista de Andrade em Serviço? Desde 1974 a 1975. E viu algum Upgrade? Nos anos 80 que tinham 10 anos ou nos anos 90 que tinham 20?

Qual foi o objectivo da construção dos dois tipos de Corvetas que possuímos ?
Navios de baixo calado para conseguirem entrarem nos braços de mar e rios das áreas afectadas pela guerrilha de modo a apoiarem as unidades de fuzos e outras forças nacionais nas acções de combate, daí o elevado número de unidades comparativamente a outras classes de navios, exceptuando os Cacines.
A frota de superfície em 74/75 possuía sete fragatas e dez corvetas, Navios de combate em demasia para um Pais reduzido ao território Continental e a proceder a uma reestruturação das FA, reestruturação essa que demorou anos a fio e que ao fim e ao cabo apenas foi conseguida não procedendo a modernizações nos navios e a reduções nas suas guarnições, e colocando a executar missões para as quais não tinham sido projectados !
Valeria a pena efectuar MLU's ?? Claro que não uma vez que desde 1976 na proposta de Programa Naval foi levado a cabo pelo GAPO, um projecto de navio de fiscalização para a nossa ZEE, o futuro e famoso NPO2000, que libertaria as corvetas do serviço público alocando-as novamente, ás missões militares.
O que nos aconteceu é sobejamente conhecido o arrastamento do tão necessário projecto e construção destes Navios, obrigou ao empenhamento das Corvetas nas missões de fiscalização, não sendo desse modo necessário efectuar as tão necessárias MLU's !
 
Citar
As João Belo tinham entrado em serviço entre 1967 e 1969. Algum upgrade? Com 10 anos ou 15 de serviço???
Já respondi


Citar
Sabe quantos anos estiveram as Pereia da Silva em serviço e foram feitas novas cá nó burgo? 14 anos.
A construção das fragatas Pereira da Silva fez parte do esforço de Portugal em possuir fragatas modernas pois as que dispunha a época, da classe Pacheco Pereira, eram fragatas da 2ª Guerra Mundial, adquiridas em 2ª mão a Inglaterra, totalmente obsoletas, eram consideraradas demasiado pequenas para comportarem helicópteros que tivessem sensores e pudesse actuar com mau tempo. Não se optou por maiores por escassez de verbas. De conversão impossível, vieram a ser substituídas pelas actuais fragatas da classe Vasco da Gama. Por esta razão a Marinha Portuguesa sempre considerou estes navios como um parente pobre, nunca as modernizando e abatendo-as ao efectivo bastante antes do final da sua vida útil.

Citar
Ou seja, navios com 10 e 15 anos na década de 80 não foram modernizados e v.exma pensa o que sobre isso? Que não valia o investimento e que era preferível novo?. Pouco a pouco foram encostados, pelas mais diversas razões, quando outras marinhas modernizavam navios semelhantes, cá não valia a pena. Bateram palmas às unidades construídas então no inicio dos anos 90, muito mais capazes, maiores e com mísseis, sensores e helis de raiz. E agora o mesmo filme? Também já são velhas, não vale o Upgrade e encosta-se? Mas afinal os "experts" que venham dizer quantos anos estão planificadas durarem as Vasco da Gama e as Bartolomeu Dias. Se os 14 anos das Pereira da Silva ou os 40 anos das João Belo e das Baptista de Andrade. Porque as Vasco da Gama ainda tem 24 anos e as Bartolomeu Dias 21 anos e já é o pânico geral, não vale a pena e é para encostar. E são substituídas pelo que? Retira-se material e vão para a guerra anti-submarina como as João belo ou para opv como as baptista de Andrade??

Timing para efectuar as MLU's foi completamente ultrapassado em qualquer das classes corvetas e nas VdG essa é que é a verdade ! Os motivos como já explanei quanto as Corvetas e JB prendeu-se com pura e simplesmente permanecer o mesmo de Navios no activo, o deixar andar em vez de se abaterem algumas unidades, vendendo-as na década de 70, e fazer upgrades ás restantes. Foram opções erradas que agora apresentam os resultados que apresentam, nada mais ! Não se podem comparar as qualidades de navios como as PdS e as VdG navios completamente diferentes e construídos por estaleiros com capacidade de construção muito dispares!!
As VdG vão com certeza durar até aos 40 não tenho dúvida, é lema nosso até ao tutano, o que é errado pois encerra riscos adicionais para as guarnições e limitações nos Navios que são obrigados a enfrentar o Oceano durante quatro décadas a fio ! Uma fragata com 24 anos não é um navio novo já tem muito desgaste, pânico não haverá mas temos de ter atenção e se a sua substituição demorar o tempo que levou o projecto do GAPO a ser implementado então chegarão aos 50 anos !!! :roll:  :roll: ??

Eu não gostava de ter Corvetas Braunschweig pois não são navios adequados a navegarem em Oceano aberto, quanto ás F100 são muito caras a 650 milhões cada, os BAM também pecam pelo preço em relação aos nossos NPO's, que com o bendito Hangar em nada lhes ficam atrás, pois caso seja necessário, como o Saudoso Chaimites, aqui revelou podem ser rearmados com artilharia de calibre superior aos 30mm actuais !
A vergonha da compra dos SF300 revela bem a nossa falta de investimento na defesa, nem para patrulhas conseguimos efectuar a substituição da única classe que temos, deixando esses navios a navegar nas condições deploráveis que todos sabemos !! :(  :roll: ??[/quote][/quote]

Que eu saiba os NPO's nunca foram projectados para terem capacidade de desminagem, ou foram ??? Não é só Minagem ?? Posso estar engando mas penso que não.
À pois vamos ficar a ver a paisagem, não tenhamos dúvidas, a acontecer algo de muito grave alugamos AOR's como os canadianos estão actualmente a fazer. :wink:

Cumprimentos
Título: Re: MLU às VdG e/ou BD - Hipóteses
Enviado por: faica em Setembro 13, 2015, 11:33:04 am
Gostava era que os governantes cá do burgo passassem um mês embarcados num classe"Cacine" ou uma "Batista de Andrade" com estas condições de habitualidade para verem o que era bom para tosse,muito já fazem essas guarnições com as condições que têm.
Título: Re: MLU às VdG e/ou BD - Hipóteses
Enviado por: mafets em Setembro 13, 2015, 11:38:12 am
Citação de: "NVF"
Algumas notas:

USS Long Beach — comissionado a 9 de Setembro de 1961, desactivado a 2 de Julho de 1994 e 'descomissionado' a 1 de Maio de 1995. Digamos que um bocadinho aquém dos 40 anos. MLU efectuado em 1980.
Dá 33 anos de serviço. Possivelmente os 40 anos advém de alguns sites confundirem a retirada do combustível nuclear em Puget Sound que ocorreu a 25 de Setembro de 2002 com a desactivação. O  Upgrade foi feito com 19 anos.
Citação de: "NVF"
USS Virginia — comissionado a 11 de Setembro de 1976 e 'descomissionado' a 10 de Novembro de 1994. MLU efectuado em 1984.
Não falei do navio em questão.
Citação de: "NVF"
S134 PNS Ghazi (ex Portuguese Cachalote) — comissionado em 1975, 'descomissionado' em 2006. Em Portugal de 69 a 75, o que dá um total de 37 anos de serviço e não os 49 anos anunciados.
Correcto, mas o Barracuda esteve 41 anos em serviço. Consta que os Whiskey norte-coreanos feitos em 1958 foram retirados em 2011 mas um ainda foi visto em serviço em 2013. Foi 53 a 55 anos em serviço.
Citação de: "NVF"
Os couraçados Iowa duraram de facto muitos anos, mas omitindo o facto de terem sido construídos para levarem com muito abuso, a realidade é que estiveram parados durante a maior parte dos seus quase 50 anos de carreira.
Depende dos casos e consequentemente do numero de comissões feitas. Comissões na II Guerra Mundial, Coreia, Vietname e Líbano. Voltaram na Guerra do Golfo. O Iowa de facto foi desactivado em 1958 e só re-activado em 1988, assim como o Missouri e o Wisconsin. Já o New Jersey fez todas as comissões citadas.  

Citação de: "NVF"
Os exemplos de longevidade da Marinha Brasileira, ou da Marinha Argentina, não são de todo 'qualidades' que gostaria de ver repetidas na Marinha nacional. Os exemplos dos submarinos e das corvetas já chegaram.
Quem gosta da marinha quer navios e material do melhor para a mesma. Evidente que ninguém o quer para a marinha portuguesa mas é de louvar o que o Brasil faz por exemplo no Haiti uma frota anfíbia antiquada. Portugal, teve hipótese de receber um ou outro navio desse tipo e nunca os quis.

Citação de: "NVF"
Até agora, o que sabemos é que a quantia prevista para gastar com cada navio aparenta ser somente 25 milhões de euros (lembram-se do Siroco?), a aplicar quando os navios tiverem 30 anos em cima. Sem querer tecer considerações, na Grécia estão preocupados por o orçamento para upgrade das Hydra só contemplar 100 milhões por navio (as Hydra entraram ao serviço entre 92 e 98). Em contrapartida, os navios gregos operam ESSM desde 2008.

Os neozelandeses estão a planear gastar 250 milhões de euros no upgrade das suas duas Anzac (entraram ao serviço em 97 e 98). As Anzac australianas (entraram ao serviço entre 96 e 2006) operam ESSM desde 2003, operam Harpoon Block II desde 2005 e desde 2011 que está em curso um programa de upgrade aos radares no valor de mais de 400 milhões de euros para os 8 navios.

A segunda leva de quatro MEKO turcas (entraram ao serviço entre 97 e 2000), já há cerca de três anos que viram os seus radares originais substituídos por Smart-S Mk2 e foram dotadas de ESSM. As quatro MEKO originais que entraram ao serviço entre 87 e 89 não vão ser actualizadas e prevê-se a sua substituição dentro de poucos anos.
Correcto. Só que infelizmente em Portugal o dinheiro para as F.A. vem a conta gotas, (quando vem) e parece que o que está em cima da mesa é fazer o mesmo que se fez no passado. Ou uma limitada modernização que permita aos navios estár em serviço e continuar a fazer as missões NATO em zonas de baixa intensidade ou acompanhadas de unidades mais modernas ou não fazer como aconteceu no passado. Relembro que todas corvetas em condições passaram a patrulhas oceânicos, as fragatas ou foram vendidas ou desactivadas e isso para mim é pior que uma modernização limitada.
Citação de: "Alvalade"
Nada foi "serrado", basicamente existem partes do mastro que são "retráteis".

(https://desperatemothers.files.wordpress.com/2010/02/uss-constitution-21.jpg)

Ninguém serrou os mastros do USS Constitution, mas tal como o USS Constitution eu gostava de ver a D.Fernando II a navegar em datas especiais (Dia da Marinha).

(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fwww.prof2000.pt%2Fusers%2Favcultur%2Ffragata_d_fernando%2FImagens%2Ffig028.jpg&hash=5a56c7507e4b9b88f24ec48f91efede1)
Citar
Aspectos da fragata no arsenal do Alfeite em Outubro de 1997. Foto de Júlio Tito.
(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fwww.prof2000.pt%2Fusers%2Favcultur%2Ffragata_d_fernando%2FImagens%2Ffig029.jpg&hash=aab7a8f9404f3899e6a915b080f5d747)
Citar
Navio com as vergas do traquete e do grande, montadas e respectivos mastaréus em Dezembro de 1997.
Segundo constam são montadas. Infelizmente circulavam informações de que não tinham sido "desmontadas" nas melhores condições, muito menos armazenadas convenientemente (existiam informações que tinham desaparecido), mas oxalá tenha razão e não tenham sido serradas mas desmontadas como deve ser e se saiba, onde estão. Infelizmente Portugal não é os EUA que possui uma serie de navios museu. Aliás, os nossos submarinos desactivados, estão como estão, ao abandono.
(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2F3.bp.blogspot.com%2F-nDJn1mkumEA%2FU3XZbr7qrzI%2FAAAAAAAA3JI%2FJ_gHln17OPA%2Fs1600%2FDSC07008.JPG&hash=bb3b7b30327275eaac584efefa2b06c4)
Citar
AV: Bem, os mastros, vergas e mastaréus de 2.º nível são construídos em pinho virgem, importado da Finlândia, em árvores. As vergas maiores são feitas em duas árvores, e depois são escarvadas e encaixadas, dadas as suas dimensões. As vergas menores e mastaréus são todos de uma peça única, dada a sua menor dimensão.

http://www.prof2000.pt/users/avcultur/fragata_d_fernando/07Entrevistaprojectista.htm
Tenente, não estamos em desacordo em muita coisa. A questão dos Upgrade ultrapassados tem também a ver com a vontade da marinha em não ser uma armada de corvetas (e não apenas com as questões referidas, porque consta que pelo menos as BA estavam pronta de raiz para Upgrade como as Descubierta. Os próprios patrulhas oceânicos não foram uma prioridade e na minha perspectiva nem actualmente os npo o são). As Type 21 chegaram a ser alvo de um praticamente anuncio de escolha na revista da marinha, ficaram para trás devido às Falklands onde os defeitos são conhecidos, o que não impede os Paquistaneses de as ter em serviço.  Pilim tem os turcos bem mais que nós e continuam com os navios franceses (não confundir com os Argentinos, esse sim nas lonas). Os NPO infelizmente não tem capacidade para desminagem (embora aparentemente o espaço para o contentor exista no deck do helicóptero, como aconteceu com a BA no Minez 2015). Aliás, a  única questão sobre a qual temos opiniões marcadamente diferentes é a do LPD. Mas infelizmente uma coisa é o que pensamos e outra é a realidade, que mais uma vez parece ser de escassez e navios a ultrapassar os 40 anos. Oxala não fosse, mas é assim e temos de viver com isso (daí o exemplo de marinhas que usam navios com uma certa idade)
(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fwww.diariodenautica.com%2Fwp-content%2Fuploads%2F2015%2F06%2FMinex1.jpg&hash=f153374102eb8e3f36ae7e61fb273c75)
(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fnavaltoday.com%2Fwp-content%2Fuploads%2F2015%2F04%2FSpanish-Navys-Galicia-Deploys-for-Op-Atalanta.jpg&hash=6f5ad8ff78a90e0462962d1d3a40b0fd)

Saudações
Título: Re: MLU às VdG e/ou BD - Hipóteses
Enviado por: tenente em Setembro 13, 2015, 01:13:00 pm
A capacidade de guerra de Minas, Caça/Draga-Minas com unidades destacadas para esse tipo de guerra sem desfalcar as outras capacidades da MdG, seria uma Valência muito bem vinda, mas sabemos que não temos dinheiro nem para caçar com um Gato quanto mais com um Cão !

Cumprimentos
Título: Re: MLU às VdG e/ou BD - Hipóteses
Enviado por: tenente em Setembro 13, 2015, 01:16:46 pm
Citar
Tenente, não estamos em desacordo em muita coisa. A questão dos Upgrade ultrapassados tem também a ver com a vontade da marinha em não ser uma armada de corvetas (e não apenas com as questões referidas, porque consta que pelo menos as BA estavam pronta de raiz para Upgrade como as Descubierta. Os próprios patrulhas oceânicos não foram uma prioridade e na minha perspectiva nem actualmente os npo o são). As Type 21 chegaram a ser alvo de um praticante anuncio na revista da marinha, ficaram para trás devido às Falklands onde os defeitos são conhecidos, o que não impede os Paquistaneses de as ter em serviço.  Pilim tem os turcos bem mais que nós e continuam com os navios franceses (não confundir com os Arhentinos). Os NPO infelizmente não tem capacidade para desminagem (embora aparentemente o espaço para o contentor exista no deck do helicóptero, como aconteceu com a BA no Minez 2015). Aliás, a  única questão sobre a qual temos opiniões marcadamente diferentes é a do LPD. Mas infelizmente uma coisa é o que pensamos e outra é a realidade, que mais uma vez parece ser de escassez e navios a ultrapassar os 40 anos. Oxala não fosse, mas é assim e temos de viver com isso (daí o exemplo de marinhas que usam navios com uma certa idade)

Saudações

Pois não, apenas temos prioridades diferentes e que haja diferenças pois são salutares !!
DE acordo com o artigo da revista segurança e defesa, sobre o NPO, elaborado pelos CMG Luis Sousa Pereira e o CdF Miguel Bessa Pacheco, a classe VIANA DO CASTELO, cito "...... pode ser empregue no apoio á desminagem, embarcando um destacamento de mergulhadores e AUV's Autonomous Underwater Vehicles, e respectivo sistema C2..... Corrijo assim o que disse quanto a não terem capacidade de desminagem. :wink:

Quanto ao LPD a nossa divergência, é e tão só quanto ao timing para sua aquisição.
Para mim o LPD só deverá ser adquirido quando a MdG :

A) substituir o NRP Bérrio;
B) tiver executado os MLU's nas Fragatas;
C) possuir no mínimo, repito no mínimo, quatro NPO's, apesar de continuar a pensar que deveríamos ter pelo menos seis unidades;
D) tiver as quatro LFC, classe Tejo, operacionais;
E) efectuar upgrades se possível, eu não acho muito viável, nos Lynx mk95, mas melhor seria adquirir sete helis, que por acaso era número inicialmente proposto para a formação da EHM.  

A capacidade de guerra de Minas, Caça/Draga-Minas seria uma Valência muito bem vinda, mas sabemos que não temos dinheiro nem para caçar com um Gato quanto mais com um Cão !  

Cumprimentos
Título: Re: MLU às VdG e/ou BD - Hipóteses
Enviado por: NVF em Setembro 13, 2015, 03:00:10 pm
mafets —

Eu sei que não referiste a classe Virginia. Era somente para dar um contra-exemplo do abate prematuro de uma classe moderna e actualizada. Um contra-exemplo ao Long Beach, que apesar de 33 anos de serviço até estava previsto servir mais alguns anos. Só foi retirado, devido à decisão de retirar de serviço todos os cruzadores nucleares.

Continuo a não perceber as contas do submarino paquistanês.

O New Jersey, apesar de ter servido um mais elevado número de comissões de serviço que os seus irmãos, ainda assim passou mais de metade da sua vida encostado, na reserva. Portanto, a minha afirmação original mantém-se e é factual: "Os couraçados Iowa... estiveram parados durante a maior parte dos seus quase 50 anos de carreira".

A realidade é que independentemente dos exemplos de longevidade que possas encontrar em navios militares, tratam-se de anomalias estatísticas comparados com as centenas de outros casos que cumprem os cerca de 30 anos de vida originalmente planeada.

O facto de não haver dinheiro nem vontade, da parte do Estado português, para cumprir o 'desígnio nacional do mar' como dizem certos palhaços na política, não torna determinadas práticas em actos recomendáveis ou correctos. Mas enfim, 'tá-se bem' desde que o belo do BMW/Audi/Mercedes 'navegue' pelos 'oceanos' de asfalto e seja substituído a cada três anos.
Título: Re: MLU às VdG e/ou BD - Hipóteses
Enviado por: mafets em Setembro 13, 2015, 06:32:04 pm
Citação de: "NVF"
mafets —

Eu sei que não referiste a classe Virginia. Era somente para dar um contra-exemplo do abate prematuro de uma classe moderna e actualizada. Um contra-exemplo ao Long Beach, que apesar de 33 anos de serviço até estava previsto servir mais alguns anos. Só foi retirado, devido à decisão de retirar de serviço todos os cruzadores nucleares.
Em termos de prematuridade nada bate os Spruance (os primeiros ainda estiveram 30 anos em serviço agora os últimos entre 20 e 22 anos, excepto os Kid, ainda activos com Taiwan) e os primeiros 5 Ticonderoga (21 anos de serviço). Os avanços tecnológicos foram tais que apesar da estrutura aguentar mais anos de serviço foram encostados.
(https://upload.wikimedia.org/wikipedia/commons/thumb/0/01/US_Navy_010618-N-6626D-002_USS_Hayler_%28DD_997%29_underway.jpg/1024px-US_Navy_010618-N-6626D-002_USS_Hayler_%28DD_997%29_underway.jpg)
Citação de: "NVF"
Continuo a não perceber as contas do submarino paquistanês.
Tinhas razão. Aliás o Barracuda ultrapassou-o com mais de 40 anos de serviço. COm mais de 50 anos só os Whiskey Coreanos.
(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fstatic5.businessinsider.com%2Fimage%2F53a090ae6bb3f767540bc4ff-1200-800%2Frtr3u1y7.jpg&hash=d74ad9a4da5189719210996619c0d0c6)

Citação de: "NVF"
O New Jersey, apesar de ter servido um mais elevado número de comissões de serviço que os seus irmãos, ainda assim passou mais de metade da sua vida encostado, na reserva. Portanto, a minha afirmação original mantém-se e é factual: "Os couraçados Iowa... estiveram parados durante a maior parte dos seus quase 50 anos de carreira".
Nem tanto. Esteve na reserva 2 anos (1948-50) e foi reactivado para a Coreia, só voltando a ser retirado de serviço em 1957. Foi nesta altura que teve o período mais longo de inactividade (11 anos) e voltou a ser re-activado para o Vietname em 1968. Desactivado em 1969 foi novamente re-activado em 1981(passou cerca de outro ano em reforma). No total esteve parado cerca de 25 anos portanto metade da sua vida util foi passada no activo. Curiosamente foi um navio sem problemas e o acidente fatal foi no USS Iowa um dos menos utilizado.
(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fwww.vaq136.com%2Fbattleships%2Fiowa-009b.jpg&hash=5f0c3b2096dd1a233c42f6257bf67fb1)

Citação de: "NVF"
A realidade é que independentemente dos exemplos de longevidade que possas encontrar em navios militares, tratam-se de anomalias estatísticas comparados com as centenas de outros casos que cumprem os cerca de 30 anos de vida originalmente planeada.

O facto de não haver dinheiro nem vontade, da parte do Estado português, para cumprir o 'desígnio nacional do mar' como dizem certos palhaços na política, não torna determinadas práticas em actos recomendáveis ou correctos. Mas enfim, 'tá-se bem' desde que o belo do BMW/Audi/Mercedes 'navegue' pelos 'oceanos' de asfalto e seja substituído a cada três anos.
Ai estamos todos de acordo. O Ideal de facto é que um navio na casa dos 30 anos seja desactivado, seja por segurança da sua guarnição, custos de manutenção, operacionalidade e obviamente antiguidade dos sensores e armamento. O problema é que em Portugal nada existe para os substituir (como acontece em outros países também), por clara incompetência política e falta de vontade em gastar o dinheiro disponível com as F.A. E nesse sentido é que sou da opinião que mais vale se o material aguenta mais uns anos, se garante a segurança de quem nele opera, se minimamente compre a sua função e é passível de upgrade, mas vale investir no que existe em vez de encostar à espera de substituto que pode não vir. Temos feito isso desde diversos navios aos famosos ALIII, infelizmente, mas é a única forma de a Marinha manter capacidades que de outra forma já não teria (capacidade de patrulha oceânica por exemplo) e a FAP ter um helicóptero Ligeiro. Agora sou o primeiro a dizer que não é o ideal e muito menos as F.A. o merecem.
(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2F1.bp.blogspot.com%2F_8vV4aVw1DhI%2FTL8rQIOHlII%2FAAAAAAAAA9Y%2FXJPDJaz2Ek4%2Fs1600%2Fhelicor.PNG&hash=e77f746b85265db1555aff603baf1bc5)

Cumprimentos
Título: Re: MLU às VdG e/ou BD - Hipóteses
Enviado por: tenente em Setembro 13, 2015, 08:32:36 pm
Esperemos que alguém com poder de decisão tire algum sumo dos  " bitaites " que aqui postamos e reflita em duas premissas fundamentais, isto no caso dos meios Navais:

 1) Obsolescência dos sistemas a bordo e na fadiga do material, quando as ditas MLU's não são efectuadas a meio da vida útil da Embarcação;

 2) A operacionalidade do meio naval, depende não só do equipamento e sistemas colocados a bordo, e dos upgrades dos ditos, mas, também das condições de habitabilidade que as guarnições tem a bordo. Se forem adequadas, de certeza que a moral, a motivação e empenho das guarnições serão boas, mas se forem de  padrão elevado, não tenho dúvidas que a rentabilidade do Meio naval será superior !

Cumprimentos
Título: Re: MLU às VdG e/ou BD - Hipóteses
Enviado por: NVF em Setembro 13, 2015, 09:45:01 pm
Citação de: "mafets"
Em termos de prematuridade nada bate os Spruance (os primeiros ainda estiveram 30 anos em serviço agora os últimos entre 20 e 22 anos, excepto os Kid, ainda activos com Taiwan) e os primeiros 5 Ticonderoga (21 anos de serviço). Os avanços tecnológicos foram tais que apesar da estrutura aguentar mais anos de serviço foram encostados.

Por acaso, em termos de unidades navais americanas com vida operacional prematuramente encurtada, nenhum dos exemplos acima bate a classe de cruzadores Virgina que mencionei anteriormente. Se não vejamos: dum total de quatro unidades da classe, o Virginia serviu 18 anos e 2 meses, o Texas serviu 15 anos e 10 meses, o Mississippi serviu 19 anos e 11 meses e, finalmente, o Arkansas serviu 17 anos e 9 meses.

Citação de: "mafets"
Nem tanto. Esteve na reserva 2 anos (1948-50) e foi reactivado para a Coreia, só voltando a ser retirado de serviço em 1957. Foi nesta altura que teve o período mais longo de inactividade (11 anos) e voltou a ser re-activado para o Vietname em 1968. Desactivado em 1969 foi novamente re-activado em 1981(passou cerca de outro ano em reforma). No total esteve parado cerca de 25 anos portanto metade da sua vida util foi passada no activo. Curiosamente foi um navio sem problemas e o acidente fatal foi no USS Iowa um dos menos utilizado.

Já por duas vezes afirmei que os couraçados Iowa passaram a maior parte da sua carreira encostados, i.e. mais de 50% do período que ocorreu entre a primeira entrada em serviço e a última passagem à reserva. Como, por vezes, não basta ir ver as referências, vou postar aqui as datas efectivas para o navio USS New Jersey, que dos quatro foi o que mais tempo serviu operacionalmente, como o mafets muito bem referiu:

Commissioned:            23 May 1943
Decommissioned:    30 June 1948
Recommissioned:    21 November 1950
Decommissioned:    21 August 1957
Recommissioned:    6 April 1968
Decommissioned:    17 December 1969
Recommissioned:    28 December 1982
Decommissioned:    8 February 1991

Feitas as contas nos bastidores, temos 7918 dias de serviço activo para um total de 17429 dias de carreira. Ou seja, o USS New Jersey passou 55 % da sua carreira na reserva, encostado a um qualquer cais.

E agora é esperar por mais novidades até o resto da mídia republicar o artigo da Jane's sobre o MLU às fragatas portuguesas, já que da parte dos órgãos oficiais deve esperar-se a habitual transparência.
Título: Re: MLU às VdG e/ou BD - Hipóteses
Enviado por: miguelbud em Setembro 14, 2015, 10:42:57 am
Citação de: "tenente"
Que eu saiba os NPO's nunca foram projectados para terem capacidade de desminagem, ou foram ??? Não é só Minagem ?? Posso estar engando mas penso que não.
À pois vamos ficar a ver a paisagem, não tenhamos dúvidas, a acontecer algo de muito grave alugamos AOR's como os canadianos estão actualmente a fazer. :wink:
Cumprimentos

Creio que a variante NPC teria capacidade de desminagem, ou pelo menos falou-se disso.
Título: Re: MLU às VdG e/ou BD - Hipóteses
Enviado por: dc em Setembro 14, 2015, 01:35:46 pm
Há uma coisa que temos de entender, com ou sem MLU às fragatas, não vamos receber nada novo (ou usado) para as substituir nos próximos 10/15 anos.O MLU previsto, sim é tardio, mas mais vale que seja feito, do que aguentar mais 10 anos com as fragatas como estão... Aqui o que me incomoda mais, é o porquê de só em 2020 se começar o respectivo MLU... Se virmos bem, estamos a falar de um processo de modernização planeado por um governo, para se iniciar duas legislaturas depois, ou seja, com um possível 3º governo em mãos... O ideal seria começar já, aproveitar que o orçamento já está feito, recoloca-se os 80 milhões do LPD para o MLU de todas as fragatas (tirem o cavalinho da chuva, por 80 milhões não vem mais nenhum LPD em condições), e em vez de em 2020 se iniciar o MLU, por essa altura já estará terminado e o caminho estará livre para outros programas da Marinha e das Forças Armadas. Se isto não acontecer, vamos ver o orçamento congelado até 2019/2020 num programa que muito facilmente é cancelado, para depois não haver MLU, nem LPD, nem Helis novos/modernizados.
Como não vamos ver as fragatas substituídas nos próximos 15 anos, é obrigatório o MLU às mesmas, e que este seja feito o mais depressa possível.
Título: Re: MLU às VdG e/ou BD - Hipóteses
Enviado por: mafets em Setembro 14, 2015, 03:45:24 pm
Citação de: "NVF"
Citação de: "mafets"
Em termos de prematuridade nada bate os Spruance (os primeiros ainda estiveram 30 anos em serviço agora os últimos entre 20 e 22 anos, excepto os Kid, ainda activos com Taiwan) e os primeiros 5 Ticonderoga (21 anos de serviço). Os avanços tecnológicos foram tais que apesar da estrutura aguentar mais anos de serviço foram encostados.

Por acaso, em termos de unidades navais americanas com vida operacional prematuramente encurtada, nenhum dos exemplos acima bate a classe de cruzadores Virgina que mencionei anteriormente. Se não vejamos: dum total de quatro unidades da classe, o Virginia serviu 18 anos e 2 meses, o Texas serviu 15 anos e 10 meses, o Mississippi serviu 19 anos e 11 meses e, finalmente, o Arkansas serviu 17 anos e 9 meses.

Citação de: "mafets"
Nem tanto. Esteve na reserva 2 anos (1948-50) e foi reactivado para a Coreia, só voltando a ser retirado de serviço em 1957. Foi nesta altura que teve o período mais longo de inactividade (11 anos) e voltou a ser re-activado para o Vietname em 1968. Desactivado em 1969 foi novamente re-activado em 1981(passou cerca de outro ano em reforma). No total esteve parado cerca de 25 anos portanto metade da sua vida util foi passada no activo. Curiosamente foi um navio sem problemas e o acidente fatal foi no USS Iowa um dos menos utilizado.

Já por duas vezes afirmei que os couraçados Iowa passaram a maior parte da sua carreira encostados, i.e. mais de 50% do período que ocorreu entre a primeira entrada em serviço e a última passagem à reserva. Como, por vezes, não basta ir ver as referências, vou postar aqui as datas efectivas para o navio USS New Jersey, que dos quatro foi o que mais tempo serviu operacionalmente, como o mafets muito bem referiu:

Commissioned:            23 May 1943
Decommissioned:    30 June 1948
Recommissioned:    21 November 1950
Decommissioned:    21 August 1957
Recommissioned:    6 April 1968
Decommissioned:    17 December 1969
Recommissioned:    28 December 1982
Decommissioned:    8 February 1991

Feitas as contas nos bastidores, temos 7918 dias de serviço activo para um total de 17429 dias de carreira. Ou seja, o USS New Jersey passou 55 % da sua carreira na reserva, encostado a um qualquer cais.

E agora é esperar por mais novidades até o resto da mídia republicar o artigo da Jane's sobre o MLU às fragatas portuguesas, já que da parte dos órgãos oficiais deve esperar-se a habitual transparência.
Em termos de tempo está correcto. Mas referi também que relativamente aos Spruance e Ticonderoga, a questão da sua desactivação também tinha a ver com outros factores.  A Virgínia teve a ver sobretudo com os elevados custos de operação relativamente às classes convencionais.
(https://upload.wikimedia.org/wikipedia/commons/2/25/USS_Virginia_(CGN-38).jpg)
Relativamente ao USS New Jersey e aos Iowa em geral, refiro novamente que o desfasamento temporal tem a ver com as diferentes datas específicas referidas na net e em bibliografia variada. Por exemplo a publicação "cruzadores e couraçados" da nova cultural revisado em 1996, refere as datas em que navio estava em reforma como estando já comissionado. Outras publicações não distinguem reactivação de comissão. A própria retirada destes navios de serviço, como estabelece que os mesmos ficariam em condições de serem novamente reactivados em caso de necessidade, e só a partir de 1999 começaram a ser convertidos em navio-museu (com inclusive a retirada e nova re-introdução de dois dos couraçados nos registos da marinha americana), faz com que existam diferentes datas. A wikipedia de facto refere 21 anos de serviço activo do New Jersey, mas como o debate não existe apenas relativo a datas, ainda hoje se discute se o que o navio fez nesses anos lhe deu o estatuto de mais condecorado  couraçado, ou o mais condecorado navio da Marinha Americana face às acções de guerra efectuadas (http://articles.philly.com/1999-12-19/news/25482097_1_stars-battleship-naval-historians).
(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fwww.spclevents.com%2Fships%2Fnj%2Fnj1.JPG&hash=3e43eadb302576050b91c231d241918d)
 Mas como o NVF escreveu e muito bem:
"A realidade é que independentemente dos exemplos de longevidade que possas encontrar em navios militares, tratam-se de anomalias estatísticas comparados com as centenas de outros casos que cumprem os cerca de 30 anos de vida originalmente planeada." E neste aspecto estamos todos de acordo. O ideal era que de facto não acontecesse e que já existisse na calha a substituição das fragatas portuguesas. Mas não existe e vai-se fazer o que? Preferível um Upgrade tardio do que serem encostadas e em breve estarem completamente obsoletas (isto desde que o equipamento esteja em condições e tenha durabilidade que justifique o upgrade).

Citação de: "dc"
Há uma coisa que temos de entender, com ou sem MLU às fragatas, não vamos receber nada novo (ou usado) para as substituir nos próximos 10/15 anos.O MLU previsto, sim é tardio, mas mais vale que seja feito, do que aguentar mais 10 anos com as fragatas como estão... Aqui o que me incomoda mais, é o porquê de só em 2020 se começar o respectivo MLU... Se virmos bem, estamos a falar de um processo de modernização planeado por um governo, para se iniciar duas legislaturas depois, ou seja, com um possível 3º governo em mãos... O ideal seria começar já, aproveitar que o orçamento já está feito, recoloca-se os 80 milhões do LPD para o MLU de todas as fragatas (tirem o cavalinho da chuva, por 80 milhões não vem mais nenhum LPD em condições), e em vez de em 2020 se iniciar o MLU, por essa altura já estará terminado e o caminho estará livre para outros programas da Marinha e das Forças Armadas. Se isto não acontecer, vamos ver o orçamento congelado até 2019/2020 num programa que muito facilmente é cancelado, para depois não haver MLU, nem LPD, nem Helis novos/modernizados.
Como não vamos ver as fragatas substituídas nos próximos 15 anos, é obrigatório o MLU às mesmas, e que este seja feito o mais depressa possível.
Se não me falha a memória nunca existiu um orçamento de 80 milhões para o LPD (isso era o que os franceses pediam pelo Siroco). O que ficou estipulado é que existia um valor máximo de 50 milhões (após o final das negociações), para adquirir um outro LPD. O resto perfeitamente de acordo, mais valia começar o mais depressa possível a modernizar as fragatas do que esperar sabe-se lá o que, e começar com os sistemas de comunicação em 2017 e o resto só em 2020.
(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fcdn2.shipspotting.com%2Fphotos%2Fmiddle%2F9%2F9%2F0%2F1410099.jpg&hash=bab8e3c2675b208648d298469388e00f)

Cumprimentos
Título: Re: MLU às VdG e/ou BD - Hipóteses
Enviado por: tenente em Setembro 14, 2015, 05:37:35 pm
Citação de: "dc"
Há uma coisa que temos de entender, com ou sem MLU às fragatas, não vamos receber nada novo (ou usado) para as substituir nos próximos 10/15 anos.O MLU previsto, sim é tardio, mas mais vale que seja feito, do que aguentar mais 10 anos com as fragatas como estão... Aqui o que me incomoda mais, é o porquê de só em 2020 se começar o respectivo MLU... Se virmos bem, estamos a falar de um processo de modernização planeado por um governo, para se iniciar duas legislaturas depois, ou seja, com um possível 3º governo em mãos... O ideal seria começar já, aproveitar que o orçamento já está feito, recoloca-se os 80 milhões do LPD para o MLU de todas as fragatas (tirem o cavalinho da chuva, por 80 milhões não vem mais nenhum LPD em condições), e em vez de em 2020 se iniciar o MLU, por essa altura já estará terminado e o caminho estará livre para outros programas da Marinha e das Forças Armadas. Se isto não acontecer, vamos ver o orçamento congelado até 2019/2020 num programa que muito facilmente é cancelado, para depois não haver MLU, nem LPD, nem Helis novos/modernizados.
Como não vamos ver as fragatas substituídas nos próximos 15 anos, é obrigatório o MLU às mesmas, e que este seja feito o mais depressa possível.

A verba disponibilizada para o SIROCO era, se não estou em erro de 50 milhões.
Mas ó DC, o objectivo destes Politicos, é mesmo esse, protelar o mais possível os investimentos na Defesa, a é verdade que o dinheiro para as forças Armadas sempre fez muita comichão a alguns grupos e lobies..........e sabemos bem porquê é mais difícil deitarem-lhe as mãos e, quando deitam, no caso das compras de equipamento e contra partidas, como todos bem sabemos, as quantias não chegam para todos, logo, dinheiro para a defesa Nem pensar o mínimo possível e o mais demorado possível !!
Aqueles milhões já estão a fazer sombra a muita gente.............as Fragatas e as suas Guarnições que se Lixem com " F " GRANDE !!!!
É a minha opinião baseada no que vejo e leio!

Cumprimentos
Título: Re: MLU às VdG e/ou BD - Hipóteses
Enviado por: NVF em Setembro 14, 2015, 06:22:02 pm
Entretanto, a Jane's brindou-nos com mais uma palavras do artigo postado anteriormente. Agora está quase todo online. Esperemos que, desta vez, fique claro para todos que estas fragatas vão durar ate à provecta idade de 45 anos — ou seja, 50% para além da vida originalmente planeada.

Para aqueles, como eu, que acha que o desgraçado do Bérrio é uma sucata, trata-se de um golpe duro. Esperemos que as vidas do valente pessoal da nossa Marinha não venham um dia a ser o preço a pagar pela incúria de quem nos governa.

Portugal plans modernisation of MEKO 200PN frigates

Citar
Key Points

    The Portuguese MND is planning to modernise the navy's Vasco da Gama-class frigates
    Modernisations are expected to begin in 2020, with integrated platform management systems on two ships to commence in 2017

Portuguese state-owned shipyard Arsenal do Alfeite is currently carrying out major overhaul and dry-docking of the MEKO 200PN multi-purpose frigate NRP Corte-Real (F332), according to a EUR12 million (USD13.5 million) contract awarded mid-July by the Portuguese Navy. This is the largest contract for Arsenal do Alfeite and will be fulfilled over a 13-month time, the company told IHS Jane's . No modernisations will be implemented as part of the current contract, the company added.

NRP Corte-Real is the third frigate of Vasco da Gama-class that also is formed by NRP Vasco da Gama (F330) and NRP Álvares Cabral (F331).

However, the Portuguese Ministry of National Defence (MND) armament procurement organisation, Direção-Geral de Recursos da Defesa Nacional (DGRDN), together with the navy, is implementing measures to modernise the fleet in line with the latest Military Programming Law, aimed to allow the combat units to be deployed until 2035.

Budgetary issues have forced the navy in 2015 to make several adjustments to the so-called Mid-Life Upgrade (MLU) programme. In general, the service is looking to implement maximum possible corrections to resolve logistics obsolescence faced by many of the systems and equipment installed on board the ships. The MND stressed that any modernisation is subjected to funding availability.

According to current plans, Corte-Real is scheduled to go into modernisation in 2020-22, Vasco da Gama in 2022-23, and Álvares Cabral in 2024. However, NAUTOS integrated platform management system (IPMS) of Vasco da Gama and Álvares Cabral will be modernised in 2017-18 and 2019-20, respectively, through the NATO Support Agency (NSPA).

Other expected improvements will see replacement of EID ICCS2 integrated communications control system by ICCS6, hardware updates to Thales Nederland STACOS Mod 1 (Signal Tactical Command System) combat management system and its Dual Director Weapons Control System (DDWCS) cluster, installation of GPS, and eventual integration of electro-optical surveillance system. A contract was awarded to NSPA for UHF transceivers with Have Quick 11 and Saturn operating modes. The MTU 20V 956 TB92 diesels will be overhauled with a tender issued in August to acquire spares.

Based on a memorandum of understanding (MoU) between the Portuguese MND and the Canadian Department of National Defence (DND) signed on 3 July 1991, GD Canada was awarded a contract in April 2014 by the Government of Canada to add the company's Eclipse adjunct processor to AN/SQS-510(V) hull-mounted sonar. However, the update was implemented outside the MLU plan.

Want to read more? For analysis on this article and access to all our insight content, please enquire about our subscription options ihs.com/contact


To read the full article, Client Login
(455 of 544 words)

(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fwww.janes.com%2Fimages%2Fassets%2F192%2F54192%2F1633863_-_main.jpg&hash=f54c8e8e9b436e2b5f7eb528ae18f23f)
Portugal will conduct a major overhaul of MEKO 200PN multi-purpose frigate NRP Corte Real, and a modernisation to be implemented in 2020-22. Source: Victor Barreira
Título: Re: MLU às VdG e/ou BD - Hipóteses
Enviado por: tenente em Setembro 14, 2015, 07:58:23 pm
Citação de: "NVF"
Entretanto, a Jane's brindou-nos com mais uma palavras do artigo postado anteriormente. Agora está quase todo online. Esperemos que, desta vez, fique claro para todos que estas fragatas vão durar ate à provecta idade de 45 anos — ou seja, 50% para além da vida originalmente planeada.

Para aqueles, como eu, que acha que o desgraçado do Bérrio é uma sucata, trata-se de um golpe duro. Esperemos que as vidas do valente pessoal da nossa Marinha não venham um dia a ser o preço a pagar pela incúria de quem nos governa.

Portugal plans modernisation of MEKO 200PN frigates

Citar
Key Points

    The Portuguese MND is planning to modernise the navy's Vasco da Gama-class frigates
    Modernisations are expected to begin in 2020, with integrated platform management systems on two ships to commence in 2017

Portuguese state-owned shipyard Arsenal do Alfeite is currently carrying out major overhaul and dry-docking of the MEKO 200PN multi-purpose frigate NRP Corte-Real (F332), according to a EUR12 million (USD13.5 million) contract awarded mid-July by the Portuguese Navy. This is the largest contract for Arsenal do Alfeite and will be fulfilled over a 13-month time, the company told IHS Jane's . No modernisations will be implemented as part of the current contract, the company added.

NRP Corte-Real is the third frigate of Vasco da Gama-class that also is formed by NRP Vasco da Gama (F330) and NRP Álvares Cabral (F331).

However, the Portuguese Ministry of National Defence (MND) armament procurement organisation, Direção-Geral de Recursos da Defesa Nacional (DGRDN), together with the navy, is implementing measures to modernise the fleet in line with the latest Military Programming Law, aimed to allow the combat units to be deployed until 2035.

Budgetary issues have forced the navy in 2015 to make several adjustments to the so-called Mid-Life Upgrade (MLU) programme. In general, the service is looking to implement maximum possible corrections to resolve logistics obsolescence faced by many of the systems and equipment installed on board the ships. The MND stressed that any modernisation is subjected to funding availability.

According to current plans, Corte-Real is scheduled to go into modernisation in 2020-22, Vasco da Gama in 2022-23, and Álvares Cabral in 2024. However, NAUTOS integrated platform management system (IPMS) of Vasco da Gama and Álvares Cabral will be modernised in 2017-18 and 2019-20, respectively, through the NATO Support Agency (NSPA).

Other expected improvements will see replacement of EID ICCS2 integrated communications control system by ICCS6, hardware updates to Thales Nederland STACOS Mod 1 (Signal Tactical Command System) combat management system and its Dual Director Weapons Control System (DDWCS) cluster, installation of GPS, and eventual integration of electro-optical surveillance system. A contract was awarded to NSPA for UHF transceivers with Have Quick 11 and Saturn operating modes. The MTU 20V 956 TB92 diesels will be overhauled with a tender issued in August to acquire spares.

Based on a memorandum of understanding (MoU) between the Portuguese MND and the Canadian Department of National Defence (DND) signed on 3 July 1991, GD Canada was awarded a contract in April 2014 by the Government of Canada to add the company's Eclipse adjunct processor to AN/SQS-510(V) hull-mounted sonar. However, the update was implemented outside the MLU plan.

Want to read more? For analysis on this article and access to all our insight content, please enquire about our subscription options ihs.com/contact


To read the full article, Client Login
(455 of 544 words)

(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fwww.janes.com%2Fimages%2Fassets%2F192%2F54192%2F1633863_-_main.jpg&hash=f54c8e8e9b436e2b5f7eb528ae18f23f)
Portugal will conduct a major overhaul of MEKO 200PN multi-purpose frigate NRP Corte Real, and a modernisation to be implemented in 2020-22. Source: Victor Barreira

Maravilha das Maravilhas ! :lol:  :lol:
A CR está mesmo com problemas sérios............ para ter uma acção de manutenção daquela magnitude, enquanto que das restantes nada sobre grandes MNT é referido.
Ainda digo eu que o NRP Bérrio necessita de substituto ?????????? :?  :?  :?

Cumprimentos
Título: Re: MLU às VdG e/ou BD - Hipóteses
Enviado por: Luso em Setembro 14, 2015, 08:17:28 pm
É possível ao arsenal do Alfeite projectar o casco de uma fragata?
Fará sentido construir um casco que possa servir de NPO, indo-se progressivamente "completando" as capacidades até se transformar numa fragata?
Título: Re: MLU às VdG e/ou BD - Hipóteses
Enviado por: mafets em Setembro 14, 2015, 09:03:26 pm
Tendo em conta que os Turcos planeiam encostar as suas Meko 200 quando vierem as Tf100, e o que os outros países que as usam já fizeram e planeiam, vamos ficar com as piores Meko face a este Upgrade. Piores só devem ficar as Meko 360 da Argentina e Nigéria. Ainda as desarmam no final da vida util e transformam em Patrulhas Oceânicos...:shock:
(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fwww.ara.mil.ar%2Farchivos%2Fimgs%2Fargentina7.JPG&hash=9e359a1a6ec6686abd33db1c025a9a76)
(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fwww.thamesshipsociety.org.uk%2Fimages%2FImages2005%2FAradu.jpg&hash=98b76fb7e0e93ca6e2bdc43d31bfbff6)    
O NRP Bérrio já têm 45 anos,  ou muito me engano vai chegar aos 50 anos e até ultrapassar esta data. Isto para um reabastecedor é obra. Vamos quebrar algum record... :twisted:  
(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fwww.marinha.pt%2Fpt-pt%2Fmedia-center%2Fgaleria-digital%2FPublishingImages%2Fmeios-operacionais%2Fnrp-berrio%2Fberrio-X.jpg%3Fw%3D600%26amp%3Bh%3D236&hash=a4e01bc67af77adfdf427b9b661921ed)
Citar
http://www.roda-do-leme.com/2012/03/nrp-berrio-no-operacional.html
À dinheiro para tudo menos para as F.A., inclusive a Marinha. Além do já falado, falta o LPD (e ou muito me engano vai continuar a faltar depois até da próxima década), a desminagem vai continuar como está e o Navio Balizador vai ser outro recordista. Os 5 Lynx é para durar.É o que eu digo, mais vale fazer como a Marinha do Irão e investir nos navios do século passado, que ficar sem navios (até a classe politica iraniana neste campo é superior à portuguesa) . :twisted:  
Citar
https://en.wikipedia.org/wiki/List_of_current_ships_of_the_Islamic_Republic_of_Iran_Navy
(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2F3.bp.blogspot.com%2F-uWIUeLU1LGU%2FTwZf9qXYkSI%2FAAAAAAAAHgA%2FJVXR1wb54MQ%2Fs1600%2FIranian%2BNavy%2BSubmarines%2BKilo%2BSSI%2BFateh%2BNahang%2BGhadir%2BYugo%2BDestroyerFrigateAlvand%2BMoudgeCorvettes%2BBayandor%2BHamzeh%2BMissileCraft%2BHoudong%2BKamanSina%2BPatrol%2BCoastal%2BParvinKaivan%2BBavar%2BPatrol%2BInshore%2BZafar%2BChinese%2BCat%2BPBF%2BPTF%2BHoverc%2B%2525283%252529.jpg&hash=5ce8a9ac38297285e000c0a90f1d6ead)
(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2F3.bp.blogspot.com%2F-jYeG7bAs31o%2FTwZgQuvCLhI%2FAAAAAAAAHgI%2FhnCjy8P2HHw%2Fs1600%2FIranian%2BNavy%2BSubmarines%2BKilo%2BSSI%2BFateh%2BNahang%2BGhadir%2BYugo%2BDestroyerFrigateAlvand%2BMoudgeCorvettes%2BBayandor%2BHamzeh%2BMissileCraft%2BHoudong%2BKamanSina%2BPatrol%2BCoastal%2BParvinKaivan%2BBavar%2BPatrol%2BInshore%2BZafar%2BChinese%2BCat%2BPBF%2BPTF%2BHoverc.jpg&hash=4dac64a9c5684fe668b3f2649f1ca174)

Cumprimentos
Título: Re: MLU às VdG e/ou BD - Hipóteses
Enviado por: NVF em Setembro 14, 2015, 10:25:14 pm
Estava aqui a pensar com os meus botões e entre 2020 e 2025 vão entrar ao serviço, em marinhas europeias, classes de navios que, pelas suas características seriam os substitutos ideias das nossa fragatas. A saber e só para mencionar marinhas com alguma dimensão: Type 26 em Inglaterra, F110 em Espanha, substituto da Classe M na Holanda e substituto das F123 na Alemanha.

Obviamente, são tudo comboios que já perdemos. O que resta então em 2035? Por essa altura estarão a entrar ao serviço, nessas marinhas, os substitutos das F100, Horizon, Sachsen, Nansen e Zeven Provincien. Claro que, por essa altura, até para a Marinha Portuguesa esses navios estarão demasiado velhos. Mas que tal participarmos no programa da sua substituição? Não me parece. Estamos a falar de navios que vão, provavelmente, custar entre 1.000 a 1.500 milhões de euros a unidade.

O que resta então? Em 2035, as Daring e Iver Huitfeldt estarão com cerca de 25 anos e talvez, bem conversados, os dinamarqueses as vendam. Mas é sempre uma hipótese remota.

As FREMM serão navios com entre 15 a 25 anos em 2035 e são, quanto a mim, a nossa maior esperança, desde que por essa altura ainda persistam as políticas de austeridade e de redução de forças na Europa. Caso contrario é para esquecer. Qual o caminho então? Esperar que os franceses e os italianos comecem o programa de substituição das FREMM? Mais uma vez há o problema do custo. Os substitutos das FREMM serão certamente navios caros, talvez na casa dos 800 a 1.000 milhões de euros a unidade.

Há sempre a hipótese americana. Em 2035 os primeiros LCS já devem ter sido postos à venda. Será que vamos ter esses navios fracamente armados na nossa marinha?  Será que os vamos armar com mísseis TOW como os Pandur? Mais uma grande incógnita.

Restam as opções de irmos sozinhos e fabricar em Portugal com projecto nacional ou adquirido a terceiros — historicamente não têm sido experiências particularmente positivas, tendo mesmo os melhores desenhos nacionais sido construídos fora do país — ou fabricar no estrangeiro.

Qualquer que seja o resultado, o factor determinante será sempre o dinheiro. Se os submarinos foram a tourada que foram — com o projecto inicial de comprar três unidades por 900 milhões a ser substituído pelo leasing de duas unidades por 800 milhões, que afinal acabaram por ser 1.000 milhões pagos a pronto (já se tinham esquecido, não é? :twisted:  

Em último caso há sempre a GNR para salvar isto tudo. :mrgreen:
Título: Re: MLU às VdG e/ou BD - Hipóteses
Enviado por: tenente em Setembro 14, 2015, 10:48:01 pm
Pessoal, só temos vindo a escrever sobre as VdG e as BD como estão os planos para os MLU ??
As duas BD, terão algum upgrade para que possam embarcar os NH90 como as Irmãs que permaneceram na Marinha Holandesa ?
Será que não era uma boa oportunidade de as modificar agora ?
É que se calhar até era um começo para se pensar em substituir os Helis da EHM, o que acham, uma vez que as VdG também estão na calha para os MLU's, e tem um hangar de dimensões bem mais generosas se as capacidades para operar este tipo de Helis fossem implementadas nos Navios a escolha do Heli era mais fácil e adequada ou não ??? :roll:  :wink:  


Nota : há umas dezenas de posts atrás eu escrevi se não seria uma opção  " empandeirar " as 3 VdG para tentar adquirir as duas Classe M da Holanda e quem sabe um dos LPD's, pois parece que uma redução na despesa na Defesa  " Dutch " se avizinha mas,............. houve logo quem dissesse que trocar três por dois e quase com a mesma idade era mau negócio e estupidez, mas olhem que, ou eu me engano muito mas não deve levar muitos anos uma das três VdG, a CR, vai ser encostada, Deus queira que eu me engane..........e a ficarmos com APENAS quatro fragatas se fossem todas de uma classe e ainda por cima duas já com upgrades efectuados, seria assim tão mau negócio???
Penso que as VdG ainda valeriam umas quase duas centenas de milhões, ou não ?????

Uma noticia a ter em conta :  http://forum.worldofwarships.eu/index.p ... man-class/ (http://forum.worldofwarships.eu/index.php?/topic/2350-the-possible-replacement-for-the-m-frigates-karel-doorman-class/)

E se quiserem, traduzam esta que está mesmo relacionada com a anterior : http://marineschepen.nl/nieuws/model-ve ... atten.html (http://marineschepen.nl/nieuws/model-vervanger-m-fregatten.html)

Se não se perder muito tempo até poderia ser uma bela opção, digo eu !!

Como complemento: https://www.reddit.com/r/worldpowers/co ... t_details/ (https://www.reddit.com/r/worldpowers/comments/314sot/eventroyal_dutch_navy_unveils_more_exact_details/)


[EVENT]Royal Dutch Navy unveils more exact details of new M-class frigate

The oldest M-frigate that is still in Dutch service, dates from 1993 and will be 30 years old in 2023. Since the service life of the ships was already extended from 25 to 30 years , the replacement is expected to enter service that year.
Originally these ships were planned for the year 2020, but Defense Minister Hennis pushed this date to 2023 in 2013. However the first of these new class will be expected to enter service in 2020, with the Karel Doorman class being retired from 2023.
The project has been dubbed Future Surface Combatant. According to the designers of Damen the ship will be 145 meters long with a crew of 120 people. The frigate will be able to operate at the highest violence spectrum is therefore equipped with both sensors and weapons for air targets as surface targets.
Because the M-class frigates have an additional anti submarine warfare specialization and the LCF's do not excel in this, so will the new FSC herein be equipped.
It is unlikely that mine warfare abilities are added to the ship, because those require very different demands in the platform in areas such as requirements for magnetism.

F827 2020 Beatrix
F829 2022 Van Speijk
F830 2023 Prince Friso
F833 2025 Bernard

Specs

Lenght 145 Meter
Displacement 5020 tons full load
Crew 120
Propulsion
 2 shafts IEP
 2× Rolls Roys SM 3F turbines
 2x Wartsilla16 V26 diesel engines
 2x Holec Electric motor
Weapon Systems
 16x ESSM Block 2
 10x Harpoon
 1x RAM
 1x 92mm Oto Melara gun
 1x 30 mm Marlin WS
 2x Hitrole Machine Gns
 2x Twin torpedo tubes
Sensor Suite
 Thales Nederland APAR air and surface search, tracking and guidance radar (I band)
 DECCA NAV navigation radar
 Thales Nederland Scout 2 (Low Probability of Intercept)surface search/navigation radar
 Thales Python VLF passive tactical towed array sonar
 Thales GateKeeper Electro-optical 360° Mk2 surveillance system
 Thales SeaWatcher 300 active phased array surface detection and tracking radar
 Thales PHS-72 Hull-mounted sonar
Electronic warfare
and decoys
 2x Sippican Hycor SRBOC MK40 launcher
 1 × Thales Sabre ECM suite
 2 × AN/SLQ-50 Sphinx torpedo decoy
Supplementary Units
 1x NH90
 4x Unmanned Service Vessels
 1x FRISC

•Design cost : 4 billion euro's
•Unit cost : 450 million euro's.


Cumprimentos
Título: Re: MLU às VdG e/ou BD - Hipóteses
Enviado por: NVF em Setembro 15, 2015, 12:14:04 am
tenente — as tuas dúvidas podem ser esclarecidas uma páginas atrás: viewtopic.php?f=38&t=4942&start=300#p253992 (http://www.forumdefesa.com/forum/viewtopic.php?f=38&t=4942&start=300#p253992)
Título: Re: MLU às VdG e/ou BD - Hipóteses
Enviado por: Johnnie em Setembro 15, 2015, 10:50:26 am
Boas tenente

O que se passa afinal de tão errado com a CR? É a primeira vez que ouço que a CR está nas ultimas...

Sempre pensei que das nossas MEKO a que se falava estar em piores condições era a AC...
Título: Re: MLU às VdG e/ou BD - Hipóteses
Enviado por: mafets em Setembro 15, 2015, 12:28:20 pm
Outras ideias. Depois do Kc390 ainda virá o investimento português nas corvetas Tanmandare?
(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fwww.planobrazil.com%2Fwp-content%2Fuploads%2F2015%2F04%2FCorveta-Classe-Tamandar%25C3%25A9.png&hash=3cafe2f5eb40268f2800910d28e1619d)
(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2F4.bp.blogspot.com%2F-zEOtvVM19Z0%2FVTJ-aHdP-_I%2FAAAAAAAAERI%2Fg8rg59USia4%2Fs1600%2FCorveta%252BCV-3%252BClasse%252BTamandar%25C3%25A9.jpg&hash=878d111f41fc2dd0496622eb963a467a)
(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fwww.aviacionargentina.net%2Fforos%2Fattachment.php%3Fattachmentid%3D22481%26amp%3Bd%3D1412353632&hash=60ed3465c888804984397ad76d5f21c6)
(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fwww.aviacionargentina.net%2Fforos%2Fattachment.php%3Fattachmentid%3D22480%26amp%3Bd%3D1412353604&hash=0207df3f3c5d6b6002dc1933de63a6cd)
Citar
http://www.planobrazil.com/mb-divulga-a-futura-corveta-tamandare-no-150o-aniversario-da-batalha-naval-do-riachuelo/
(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fwww.casr.ca%2Fid-danish-naval-projects-frigate-6.jpg&hash=c2e0af7411e0073e34363b3040198a79)
(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fwww.militaryfactory.com%2Fships%2Fimgs%2Fiver-huitfeldt-f361-air-defense-frigate.jpg&hash=d11baa3998608f8ece20eb17475ad320)
Projecto Dinamarquês Patruljeskibe, agora HDMS Iver Huitfeldt (F361) e que conta hoje com 3 navios activos. Com um custo de 1.5B Kr  =  $333M Cdn a unidade.
Citar
http://www.casr.ca/id-danish-naval-projects-frigate.htm

http://www.militaryfactory.com/ships/detail.asp?ship_id=hdms-iver-huitfeldt-f361-frigate
Quanto ao AOR os britânicos estão a planificar que os 4 Tide entrem em serviço a partir de 2016. Como actualmente a RFA tem 5 navios tanque em serviço (http://www.royalnavy.mod.uk/our-organisation/the-fighting-arms/royal-fleet-auxiliary#tankers), pode ser que pensem em vender algum reabastecedor da Classe Wave, e estes estão actualmente com 12 anos de serviço.
(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fwww.rfanostalgia.org%2Fgallery3%2Fvar%2Falbums%2FRFA%2520TANKERS%2FNew%2520Waves%2FIMG_6572w.JPG%3Fm%3D1399885546&hash=759112c4617af6c1bb4ba44eb7283f2a)
Citar
https://en.wikipedia.org/wiki/Wave-class_tanker
 

Cumprimentos
Título: Re: MLU às VdG e/ou BD - Hipóteses
Enviado por: Johnnie em Setembro 15, 2015, 12:47:40 pm
Ena esses Wave até hangar têm, um brinquedo desses vinha mesmo a calhar, mas 30000 tns não será demais? É quase 3 vezes o tamanho do Bérrio  :D
Título: Re: MLU às VdG e/ou BD - Hipóteses
Enviado por: mafets em Setembro 15, 2015, 01:29:44 pm
Citação de: "Johnnie"
Ena esses Wave até hangar têm, um brinquedo desses vinha mesmo a calhar, mas 30000 tns não será demais? É quase 3 vezes o tamanho do Bérrio  :wink:
(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fwww.naval-technology.com%2Fprojects%2Fwave%2Fimages%2Fwave_12.jpg&hash=10700ee9e21721fd11c512a7c1629a5b)
(https://turkishnavy.files.wordpress.com/2013/03/lst_ng-copy.jpg)
(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fwww.globalsecurity.org%2Fmilitary%2Fworld%2Feurope%2Fimages%2Ftcg-lst-snr-image07.jpg&hash=55c71f4ef92e67d927e26437aa80da8e)
(https://farm4.staticflickr.com/3686/9731546900_dbf24e502d_b_d.jpg)
(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fwww.pressreleasefinder.com%2Fprimages%2FGEPCPR123a_5421324.jpg&hash=6d2cdc154d242eb27b1e126a501e9e57)
(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fimg2.scoop.co.nz%2Fstories%2Fimages%2F0906%2Fnavy3.jpeg&hash=bb2342f76386b14c78c083d789adf138)

Saudações
Título: Re: MLU às VdG e/ou BD - Hipóteses
Enviado por: NVF em Setembro 16, 2015, 10:08:31 pm
mafets — esse Fort Wave é uma besta comparado com o AOR francês (ou australiano, como o da foto). Não estou a ver os bifes a desfazerem-se de navios tão recentes. Mais rapidamente venderiam o Fort Victoria, que é de 94 — este para nós ainda era melhor pois tem hangar para 3 Merlin. O maior senão é que têm motores 'descontinuados', idênticos aos do Siroco :twisted: Ou seja, substituíamos três navios por dois significativamente mais modernos e capazes, por um total de cerca de 200 milhões que poderiam ser pagos a 5 anos ou mais. Por outro lado, afastávamos o cenário/pesadelo de ter que substituir 5 navios por volta de 2035.

Agora depois de todo este sexo virtual vou descansar um bocado  :mrgreen:
Título: Re: MLU às VdG e/ou BD - Hipóteses
Enviado por: mafets em Setembro 17, 2015, 12:31:18 pm
Citação de: "NVF"
mafets — esse Fort Wave é uma besta comparado com o AOR francês (ou australiano, como o da foto). Não estou a ver os bifes a desfazerem-se de navios tão recentes. Mais rapidamente venderiam o Fort Victoria, que é de 94 — este para nós ainda era melhor pois tem hangar para 3 Merlin. O maior senão é que têm motores 'descontinuados', idênticos aos do Siroco :cry: ). Têm é menos espaço para contentores ou lanchas, mas com com algum esforço lá se consegue meter uma ou outra algures... :twisted:
Citar
https://en.wikipedia.org/wiki/Fort_Victoria-class_replenishment_oiler

(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fi.telegraph.co.uk%2Fmultimedia%2Farchive%2F01914%2FPicture-1_1914639c.jpg&hash=b79da63c741ddc8684bcd9d7f02aeb15)
(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fcdn2.shipspotting.com%2Fphotos%2Fmiddle%2F0%2F9%2F5%2F1868590.jpg&hash=b83e25ad4528d7704277a9d85890ae34)
Citação de: "NVF"
Construção brasileira para mim, em particular de corvetas, é  de todo desaconselhável. Outra opção a considerar seria a opção espanhola que poderia ser em duas vertentes:
1) Juntarmo-nos ao programa F110, que deve ter custos semelhantes ao projecto holandês das novas M, e devem começar a ser entregues em 2022.
2) Convencer-mos os nuestros hermanos a venderem-nos duas das F100, que por volta de 2022 estarão com quase 20 anos de idade e a precisar de MLU.

A opção 2 parece-me a mais viável, porque:
- as F100 têm guarnição maior que as F110 e logo, para os espanhóis seria poupança a prazo;
- possivelmente conseguem adquirir-se por cerca de 200 milhões a unidade, o que deve ser para ai umas três vezes menos que construção nova como a F110;
- os espanhóis devem estar a precisar de fundos para adquirir as novas F110.

Um outra opção seria a holandesa, em que compraríamos 2 Zeven Provincien. O cenário é praticamente igual ao espanhol.

Em qualquer um destes cenários, as VdG teriam que ser vendidas e apostávamos num MLU somente às BD. Como a nossa Marinha trata relativamente bem os navios, não penso ser muito irrealista pensar que poderíamos vender as três MEKO por uma quantia entre os 150 e os 200 milhões. Atenção Brasil!  :mrgreen:
Nunca sei qual as ideias dos políticos portugueses por isso já prevejo todos os cenários (  :mrgreen:  :wink:  :wink:
(https://upload.wikimedia.org/wikipedia/commons/7/7e/Esbern_Snare_BALTOPS_2010c_cropped.JPG)
(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fwww.navalhistory.dk%2Fimages%2FBilledserier%2F2005_Formation%2FForm08.jpg&hash=5a0111a603743b45775cac8b3d705398)

Cumprimentos
Título: Re: MLU às VdG e/ou BD - Hipóteses
Enviado por: HSMW em Setembro 29, 2015, 09:41:14 pm
Citação de: "Lightning"

The two classes of frigates – the Vasco da Gama-class MEKO frigates, and two Bartolomeu Dias-class frigates – are being modernized. “They are used in very different scenarios and in very different tasks. So we are going to modernize them in different ways,” he says.
The Bartolomeu Dias frigates are former Royal Netherlands Navy Karel Doorman-class multi-purpose frigates, transferred in 2009 and 2010 respectively. The MEKO ships were built in Germany for Portugal and joined the fleet in 1991-1992.
Maintaining and improving the navy is challenged by budgetary realities.
“Portugal is in a very severe financial situation,” Ribeiro says. “In spite of that, we are fighting very much to modernize our navy.”
Ribeiro says the modernization effort was guided by several factors, including limited financial resources, and increasing performance as much as possible within those budget constraints. “We had to decide which were the imperative capabilities – the ones we must have, and design capabilities – the ones that were good to have.”
The result has been to designate two frigates for demanding, major theater operations, and three of them – the German-built MEKO-class frigates – that will be used for small-scale contingencies.
On the latter, the Vasco da Gama-class ships, Ribeiro says the modernization will focus on sustaining radars, and improving IFF, electronic warfare, and electro-optic GPS sensors. The plan is to improve the CIWS (close-in weapon system), but keep the present surface-to-air and surface-to-surface missiles.
To improve command and control, the satellite communications and other communications systems, including Datalink 11, 16, and 22 – the latter fitted for the combat management system – and the decision support system will be upgraded. The engineering integrated platform management system will also be improved during the refit.

Citar
Ribeiro says that a more ambitious mid-life update is planned for the two Bartolomeu Dias frigates, for which more demanding operations are envisioned. “We will improve the IFF, electronic support measures, electro-optic GPS and sonar. On the weaponry, we will upgrade the CIWS and the surface-to-air-missiles, keep the present surface-to- surface missiles, and modernize torpedoes. Engineering-wise we will overhaul and modernize the turbines in order to extend their life significantly.”
“Command and control will be improved differently on both classes of ships. The main differences will be on sensors and weaponry. The Bartolomeu Dias will be better able to perform anti-air and anti-submarine warfare.”
According to Ribeiro, the five Lynx helicopters will be upgraded. “The engines are going to be new, and the communications and navigation systems will be changed in order to extend their life of operation.”


Parece-me uma decisão racional. As duas fragatas mais recentes e capazes ficam dedicadas à guerra a sério e as VdG aos conflitos assimétricos e menor intensidade.
Título: Re: MLU às VdG e/ou BD - Hipóteses
Enviado por: Johnnie em Setembro 30, 2015, 08:23:35 am
Pela leitura desse artigo a grande diferença é que numas mantem-se o Sea Sparrow e nas outras é feito o upgrade pra o ESSM  :roll:
Título: Re: MLU às VdG e/ou BD - Hipóteses
Enviado por: HSMW em Setembro 30, 2015, 11:07:20 am
Visto de fora até pode parecer mas para quem lá trabalha vai notar muito mais os motores, sensores e sistema de transmissões. Nestes existe muita diferença dos equipamentos dos anos 90 para os actuais.
É como ter um telemovel ou computador, com processador, RAM e placa gráfica de 1995!
Título: Re: MLU às VdG e/ou BD - Hipóteses
Enviado por: PereiraMarques em Fevereiro 22, 2016, 01:11:28 pm
DESPACHO N.º 2664/2016 - DIÁRIO DA REPÚBLICA N.º 36/2016, SÉRIE II DE 2016-02-2273658963
Defesa Nacional - Gabinete do Ministro
MLU Fragatas Classe "Bartolomeu Dias"

https://dre.pt/application/file/73659022


DESPACHO N.º 2665/2016 - DIÁRIO DA REPÚBLICA N.º 36/2016, SÉRIE II DE 2016-02-2273658964
Defesa Nacional - Gabinete do Ministro
Fragatas Classe «Bartolomeu Dias» - Transrecetores MLU FFGH

https://dre.pt/application/file/73659023


DESPACHO N.º 2666/2016 - DIÁRIO DA REPÚBLICA N.º 36/2016, SÉRIE II DE 2016-02-2273658965
Defesa Nacional - Gabinete do Ministro
Fragatas Classe "Bartolomeu Dias" - Aprovação MOU EMD ESSM BLOCK 2

https://dre.pt/application/file/73659024


DESPACHO N.º 2667/2016 - DIÁRIO DA REPÚBLICA N.º 36/2016, SÉRIE II DE 2016-02-2273658966
Defesa Nacional - Gabinete do Ministro
Fragatas Classe "Bartolomeu Dias" - Aprovação Tactial data Links MLU FFGH

https://dre.pt/application/file/73659025
Título: Re: MLU às VdG e/ou BD - Hipóteses
Enviado por: tenente em Fevereiro 22, 2016, 01:38:15 pm
De acordo com esta info

https://dre.pt/application/file/73659025

Vamos ter as BD até 2035, ou seja estes dois Navios estarão ao nosso serviço, até atingirem a bonita idade de 43 anos.

(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fi1357.photobucket.com%2Falbums%2Fq745%2Fjolumeme%2FFragata%2520Bartolomeu%2520Dias_zpse9hwyyez.jpg&hash=3fd5fd80c596c2f0c0ebc4ac193ea289) (http://s1357.photobucket.com/user/jolumeme/media/Fragata%20Bartolomeu%20Dias_zpse9hwyyez.jpg.html)

Pelo que me parece serão estas as duas que ficarão ao serviço e não me espantaria que Portugal tente comprar as duas classe M, já modernizadas que estão ao serviço da Armada Holandesa.

(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fi1357.photobucket.com%2Falbums%2Fq745%2Fjolumeme%2FKarel%2520Doorman%2520modernizadas_zpsbe0peghx.jpg&hash=65847214dacd3ab604ddd525c6a6140f) (http://s1357.photobucket.com/user/jolumeme/media/Karel%20Doorman%20modernizadas_zpsbe0peghx.jpg.html)

Cada vez me convenço mais que as VdG não estarão ao nosso serviço muito mais anos e que num futuro próximo, digamos 2020, ano em que a Holanda prevê que entrem ao serviço as novas fragatas, teremos quatro fragatas da classe Bartolomeu Dias, o que seria optimo para a nossa Armada.


[EVENT]Royal Dutch Navy unveils more exact details of new M-class frigate self.worldpowers

The oldest M-frigate that is still in Dutch service, dates from 1993 and will be 30 years old in 2023. Since the service life of the ships was already extended from 25 to 30 years , the replacement is expected to enter service that year.

Originally these ships were planned for the year 2020, but Defense Minister Hennis pushed this date to 2023 in 2013. However the first of these new class will be expected to enter service in 2020, with the Karel Doorman class being retired from 2023.

The project has been dubbed Future Surface Combatant. According to the designers of Damen the ship will be 145 meters long with a crew of 120 people. The frigate will be able to operate at the highest violence spectrum is therefore equipped with both sensors and weapons for air targets as surface targets.

Because the M-class frigates have an additional anti submarine warfare specialization and the LCF's do not excel in this, so will the new FSC herein be equipped.

It is unlikely that mine warfare abilities are added to the ship, because those require very different demands in the platform in areas such as requirements for magnetism.

Pennant Number  Entering Service in Name

F827 2020 Beatrix
F829 2022 Van Speijk
F830 2023 Prince Friso
F833 2025 Bernard


Specific

Lenght 145 Meter
Displacement 5020 tons full load
Crew 120
Propulsion 
 2 shafts IEP
 2× Rolls Roys SM 3F turbines
 2x Wartsilla16 V26 diesel engines
 2x Holec Electric motor
Weapon Systems 
 16x ESSM Block 2
 10x Harpoon
 1x RAM
 1x 92mm Oto Melara gun
 1x 30 mm Marlin WS
 2x Hitrole Machine Gns
 2x Twin torpedo tubes
Sensor Suite 
 Thales Nederland APAR air and surface search, tracking and guidance radar (I band)
 DECCA NAV navigation radar
 Thales Nederland Scout 2 (Low Probability of Intercept)surface search/navigation radar
 Thales Python VLF passive tactical towed array sonar
 Thales GateKeeper Electro-optical 360° Mk2 surveillance system
 Thales SeaWatcher 300 active phased array surface detection and tracking radar
 Thales PHS-72 Hull-mounted sonar
Electronic warfare 
and decoys 
 2x Sippican Hycor SRBOC MK40 launcher
 1 × Thales Sabre ECM suite
 2 × AN/SLQ-50 Sphinx torpedo decoy
Supplementary Units 
 1x NH90
 4x Unmanned Service Vessels
 1x FRISC

Design cost : 4 billion euro's
Unit cost : 450 million euro's.

https://www.google.pt/url?sa=t&rct=j&q=&esrc=s&source=web&cd=9&cad=rja&uact=8&ved=0ahUKEwiGsY7VzovLAhXL8RQKHWUCDXQQFghFMAg&url=https%3A%2F%2Fwww.reddit.com%2Fr%2Fworldpowers%2Fcomments%2F314sot%2Feventroyal_dutch_navy_unveils_more_exact_details%2F&usg=AFQjCNHU0rqHDbCBMBiImgPbhoYKAXZI8A

Home → News → Replacement for the Dutch M-frigates (Karel Doorman class) has started
Date: 7 August 2015

Replacement for the Dutch M-frigates (Karel Doorman class) has started with preliminary studies at TNO on vulnerability reduction. Most likely the newly developed Non-Continuous Blast Resistant Bulkhead will be implemented. Experimental validation of the NCBRB is planned by the end of 2015. DTRL is involved in several research projects:

NCBRB (Non-Continuous Blast Resistant Bulkhead) design & engineering, experimental validation and implementation
R&D project on fragment protection for blast bulkheads: HARNESS (Hybrid ARmour for iNternal Explosions on Surface Ships).
Residual strength of naval vessels and sub-paneling behavior for internal explosions
More information (in Dutch) on the replacement of Royal Netherlands Navy ships can be found at:

Replacement M-frigates (source: marineschepen.nl) 
Replacement Walrus-class submarines (source: marineschepen.nl)
Replacement Alkmaar-class mineswepers (source: marineschepen.nl)

Cumprimentos


 
Título: Re: MLU às VdG e/ou BD - Hipóteses
Enviado por: NVF em Fevereiro 22, 2016, 04:37:31 pm
Se interpretei os despachos correctamente, vamos adquirir link 16 e novos transmissores rádio, vamos efectuar os mesmo upgrades às BD que os holandeses e belgas já efectuaram às suas fragatas, e a cereja no topo do bolo: ESSM Block II.

O ESSM Block II só estará operacional a partir de 2020 e vai ser muito superior ao actual modelo ESSM Block I. Entre as novidades está a capacidade de auto-guiamento (sensor idêntico ao AMRAAM), aliada ao tradicional método semi-activo que requer iluminadores; maior agilidade; maior resistência ECM; e alcance superior a 70 km. Este alcance é superior ao actual modelo (50 km), superior ao Standard SM-1 (46 km) e ao mesmo nível do Standard SM-2 Block IIIA (74 km) utilizado pelos aliados europeus (Alemanha, Dinamarca, Espanha e Holanda). Pela primeira vez, vamos ter um SAM naval com capacidade de defesa de área e acabado de entrar ao serviço (ou seja, não vamos ter de esperar 20 anos para incorporar a tecnologia, como aconteceu com os Sea Sparrow actualmente em serviço).

Alguns detalhes ficam por responder, nomeadamente, o nível de equiparação aos upgrades belgo-holandeses. Será que vão incluir os sensores e os reforços estruturais para operar helis mais pesados, ou vão limitar-se aos sistemas de gestão de combate e de propulsão? 100 milhões é muito dinheiro e indica que poderá ser o upgrade completo. Aguardando mais detalhes ansiosamente.
Título: Re: MLU às VdG e/ou BD - Hipóteses
Enviado por: Johnnie em Fevereiro 23, 2016, 11:04:42 am
São otimas noticias... :D
Título: Re: MLU às VdG e/ou BD - Hipóteses
Enviado por: ICE 1A+ em Março 09, 2016, 07:46:57 pm
Citação de: tenente
Que eu saiba os NPO's nunca foram projectados para terem capacidade de desminagem, ou foram ??? Não é só Minagem ?? Posso estar engando mas penso que não.
À pois vamos ficar a ver a paisagem, não tenhamos dúvidas, a acontecer algo de muito grave alugamos AOR's como os canadianos estão actualmente a fazer. <img src="{SMILIES_PATH}/icon_wink.gif" alt=":wink:" title="Wink" />
Cumprimentos

Creio que a variante NPC teria capacidade de desminagem, ou pelo menos falou-se disso.

 "Futuramente, no apoio prestado aos Mergulhadores Sapadores podem incorporar módulos contentorizados de guerra de minas portáteis, com capacidade de detecção e inactivação de minas e de outros engenhos explosivos"
Título: Re: MLU às VdG e/ou BD - Hipóteses
Enviado por: P44 em Março 12, 2016, 04:48:04 pm
Os mastros das BD vão ser tb modificados como as holandesas e belgas?
Título: Re: MLU às VdG e/ou BD - Hipóteses
Enviado por: Cláudio C. em Março 14, 2016, 12:24:56 pm
ESSM B2?? Isso são optimas noticias, espero que a modernização contemple também melhorias ao nivel dos sensores e dos Harpoon por forma a dota-los de capacidade de ataque de alvos em terra (julgo que ainda não têm).

Relativamente as VdG ainda não se sabe nada?
Título: Re: MLU às VdG e/ou BD - Hipóteses
Enviado por: Lightning em Março 15, 2016, 12:48:03 am
Esse RFA Forte Victoria parece muito interessante, pode transportar vários EH101, é um reabastecedor muito mais recente que o Bérrio. E com o tamanho que tem, será que daria para transformar uma parte dessa área em espaço para uma força de fuzileiros? Talvez umas lanchas.

Sendo o ideal um LPD que transporte 4 EH101, batalhão de fuzileiros mais blindados. Mas na realidade os fuzileiros não tem blindados, os fuzileiros tendem a actuar em escalões menores, e o país ainda não conseguiu arranjar um LPD usado e com a crise também não há novo. Um reabastecedor que conseguisse transportar alguns EH101 e uma força de fuzileiros parece bem mais realista.

E como estamos no tópico da modernização das fragatas pergunto.

A modernização das Vasco da Gama poderia dar tambem algum espaço para fuzileiros? Teoricamente com maior automação pode ter uma guarnição menor e pelo menos um dos hangares também deve estar disponível pois só é costume operarem com 1 Lynx.

Não é que passássemos a ter 1 navio logístico como o dos holandeses e fragatas como as Absalon Dinamarquesas, mas já era alguma coisa.
Título: Re: MLU às VdG e/ou BD - Hipóteses
Enviado por: tenente em Março 15, 2016, 12:15:37 pm
Boas a todos,

Continuo a pensar que se a hipotese de adquirir o Fort Grange ou outro desta classe deveriamos esquecê-la, pois estes navios já tem muitos anos mais de vinte e cinco, exigem uma manutenção bem mais cuidada, deslocam em média mais de 30.000 tons e nem tem acomodação para albergar o BLD.

Tenho a certeza que ficariamos muito melhor servidos, com um navio da classe Bay também ao serviço da RFA, navio mais moderno, com menor tripulação, e muito menor deslocamento, cerca de metade, com capacidade de transportar até CC de 60 Tons, e alojamentos para cerca de 350 homens.
Título: Re: MLU às VdG e/ou BD - Hipóteses
Enviado por: Lightning em Março 15, 2016, 01:48:02 pm
Boas a todos,

Continuo a pensar que se a hipotese de adquirir o Fort Grange ou outro desta classe deveriamos esquecê-la, pois estes navios já tem muitos anos mais de vinte e cinco, exigem uma manutenção bem mais cuidada, deslocam em média mais de 30.000 tons e nem tem acomodação para albergar o BLD.

Deve estar a referir-se ao Fort George, esse navio foi para a sucata em 2013, o unico que ainda navega é o Fort Victoria que se falou mais acima, mas acredito totalmente que deve ter custos altos, os próprios ingleses mandaram o Fort George para a sucata com 20 anos de serviço enquanto ainda mantem dois irmãos do nosso Bérrio com 42 anos de serviço.

Citar
Tenho a certeza que ficariamos muito melhor servidos, com um navio da classe Bay também ao serviço da RFA, navio mais moderno, com menor tripulação, e muito menor deslocamento, cerca de metade, com capacidade de transportar até CC de 60 Tons, e alojamentos para cerca de 350 homens.

Os Bay são interessantes, mas para mim o ideal é um LPD com hangar como os Rotterdam/Galicia, os Bay não tem hangar,

Acho que poder transportar carros de combate é um "nice to have" pois se tivermos que fazer uma evacuação de civis, dá mais jeito helicopteros do que carros de combate, e se um dia quisermos transportar carros de combate para algum lado, podemos sempre recorrer a civis/aliados, os Pandur também foram para o Kosovo e Lituânia.

Claro que o ideal será sempre, termos capacidade própria, mas com os problemas economicos que o pais atravessa será complicado arranjarmos um LPD ideal, o Fort Victoria também é capaz de não nos servir, mas substituirmos o Bérrio por um navio tipo JSS já colmataria algumas das nossas necessidades.
Título: Re: MLU às VdG e/ou BD - Hipóteses
Enviado por: tenente em Março 15, 2016, 09:12:41 pm
Boas Lightning,


Referi a minha opinião entre as duas unidades que mencionei e aludi as suas capacidades e valências apenas e só isso, não acho nada necessário termos um NPL com capacidade de transportar CC pois nem sequer temos operacionais um número suficiente de CC's para os empenharmos nalgum possível TO.

Também acho que a classe Rotterdam seria a ideal para nós apenas a tripulação de 130 almas é a maior limitação a meu ver, mas quem não tem cão caça com um gato.

Se houvesse possibilidade de adquirir um NPL preferiria um do tipo Canterbury da RNZN, menor que os congéneres Holandeses deslocando apenas 9.000 tons,  mas com uma guarnição de apenas 60 elementos, tendo capacidade de transportar uma unidade de infª/Fuzos com um efectivo de 300 elementos, espaço para meia centena de viaturas, e alguns contentores.

As únicas limitações para a nossa marinha se operássemos este tipo de navio seriam:
as dimensões do Hangar deste navio pois apenas consegue acomodar quatro NH90 e o seasprite orgânico, nós que operamos os EH101 teríamos que alterar o acesso do hangar !!
o seu comprimento, de apenas 131 metros, compromete as dimensões do flight deck, o que limita/impede a operação simultânea de dois Helis tipo EH101, que seria fundamental para as operações dos nossos helis embarcados.

(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fi1357.photobucket.com%2Falbums%2Fq745%2Fjolumeme%2F20150611_oh_k1023900_0036_zpsfan8acwt.jpg&hash=6e0bd5d58d0b9c160e83fd4896c07b9d) (http://s1357.photobucket.com/user/jolumeme/media/20150611_oh_k1023900_0036_zpsfan8acwt.jpg.html)

(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fi1357.photobucket.com%2Falbums%2Fq745%2Fjolumeme%2F800px-Loading_LCM_-_HMNZS_Canterbury_L421_zpsl0im6dov.jpg&hash=ba239fd61f067c6e0fd35166be967d3a) (http://s1357.photobucket.com/user/jolumeme/media/800px-Loading_LCM_-_HMNZS_Canterbury_L421_zpsl0im6dov.jpg.html)

(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fi1357.photobucket.com%2Falbums%2Fq745%2Fjolumeme%2FHMNZS-Canterbury-01-740x492_zps45yjv8fs.jpg&hash=2f8ce9a2358c104e31eb97532a6f9c23) (http://s1357.photobucket.com/user/jolumeme/media/HMNZS-Canterbury-01-740x492_zps45yjv8fs.jpg.html)


Logo este tipo de navio teria de ter dimensões um pouco maiores cerca de 145 metros e pelo menos 25 metros de boca para que as limitações referidas pudessem ser suplantadas, mas continuo a pensar que a aquisição ideal seria o HMLS Rotterdam o mais velhinho dos três NPL Holandeses, com 18 anos, uma maravilha para a nossa MdG.

(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fi1357.photobucket.com%2Falbums%2Fq745%2Fjolumeme%2Fimage021_zpslbogky0y.jpg&hash=a9fd59ecf4a5cbf376932edbb777a06d) (http://s1357.photobucket.com/user/jolumeme/media/image021_zpslbogky0y.jpg.html)




Abraços
Título: Re: MLU às VdG e/ou BD - Hipóteses
Enviado por: mafets em Março 21, 2016, 04:32:09 pm
Afinal o HMS Illustrious vai para a sucata. Já viram o espaço para fuzos, tanques e lanchas de desembarque que aquilo tem?  É só abrir uma porta de acesso ao hangar e temos um "LPD" que veio da reforma à 6 anos...  :P ;D
http://www.thesun.co.uk/sol/homepage/news/politics/7012282/HMS-Illustrious-to-be-sold-for-scrap.html (http://www.thesun.co.uk/sol/homepage/news/politics/7012282/HMS-Illustrious-to-be-sold-for-scrap.html)
Citar
As part of Strategic Defence and Security Review, and in addition to the axing of the Harrier force and Illustrious's sister ship Ark Royal, it was announced that a short study would be carried out to determine whether Illustrious or Ocean was the most viable helicopter platform. The decision was subsequently made to retain Ocean for the longer term. In May 2011 Illustrious was made operational after a £40 million refit,[26] and she was handed back to the fleet after sea trials in late July 2011[27] She took over the helicopter carrier role while Ocean underwent a planned refit, due for completion by 2014; Illustrious was then be withdrawn from service.[28] [29]

https://en.wikipedia.org/wiki/HMS_Illustrious_%28R06%29 (https://en.wikipedia.org/wiki/HMS_Illustrious_%28R06%29)
(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fi.telegraph.co.uk%2Fmultimedia%2Farchive%2F03020%2Fhms_illustrious_3020306b.jpg&hash=4338b4d933c227fcff52d80ddd144dd1)
(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fnavaltoday.com%2Fwp-content%2Fuploads%2F2014%2F07%2FHMS-Illustrious-Supports-New-Carrier-Naming-Ceremony.jpg&hash=4c87f119c2f4c86fb977446ce3631101)
(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fichef-1.bbci.co.uk%2Fnews%2F640%2Fmedia%2Fimages%2F77217000%2Fjpg%2F_77217762_77217761.jpg&hash=b61b1b03f4b5a2fab836ca8d4c0fbe9c)
(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fimg.photobucket.com%2Falbums%2Fv140%2FRotorheads%2FHMS%2520Illustrious%2FIllustrious092p800.jpg&hash=24dc40d57a8222c6402743357a1e7b7a)
(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2F4.bp.blogspot.com%2F-F6FP5kOQKYg%2FU-syFIyrMvI%2FAAAAAAAADRE%2F3jxYt3YAGR4%2Fs1600%2FBjZoabYIYAA_x-N.jpg&hash=4b50054e46428a86993633566f3838eb)
Citar
HMS Illustrious, serving in the Commando Carrier role, has no RoRo ramps or vehicle deck. Still, it has been seen embarking small numbers of vehicles.

Saudações  ;) ;D

Título: Re: MLU às VdG e/ou BD - Hipóteses
Enviado por: Lightning em Março 21, 2016, 05:26:46 pm
não percebo algumas das decisões dos Ingleses, parece que gostam de gastar dinheiro...

Mas parece-me um bom navio para um pais que queira um porta-helicopteros e força de assalto, talvez o conseguissem por um valor "simpático", para Portugal acho demasiado.

O principal problema é não ter doca, ou rampa ro-ro, o que torna muito complicado inserir e retirar veiculos (deve ser com grua?)
Título: Re: MLU às VdG e/ou BD - Hipóteses
Enviado por: Cláudio C. em Março 21, 2016, 05:36:54 pm
Demasiado para o que nos propomos e podemos fazer... Um classe Rotterdam seria ouro sobre azul :)
Título: Re: MLU às VdG e/ou BD - Hipóteses
Enviado por: NVF em Março 21, 2016, 09:39:55 pm
Com todos os helis que temos ainda afundávamos o pobre do Ilustre  ;D
Título: Re: MLU às VdG e/ou BD - Hipóteses
Enviado por: Johnnie em Março 21, 2016, 10:26:57 pm
Afinal o HMS Illustrious vai para a sucata. Já viram o espaço para fuzos, tanques e lanchas de desembarque que aquilo tem?  É só abrir uma porta de acesso ao hangar e temos um "LPD" que veio da reforma à 6 anos...  :P ;D
http://www.thesun.co.uk/sol/homepage/news/politics/7012282/HMS-Illustrious-to-be-sold-for-scrap.html (http://www.thesun.co.uk/sol/homepage/news/politics/7012282/HMS-Illustrious-to-be-sold-for-scrap.html)
Citar
As part of Strategic Defence and Security Review, and in addition to the axing of the Harrier force and Illustrious's sister ship Ark Royal, it was announced that a short study would be carried out to determine whether Illustrious or Ocean was the most viable helicopter platform. The decision was subsequently made to retain Ocean for the longer term. In May 2011 Illustrious was made operational after a £40 million refit,[26] and she was handed back to the fleet after sea trials in late July 2011[27] She took over the helicopter carrier role while Ocean underwent a planned refit, due for completion by 2014; Illustrious was then be withdrawn from service.[28] [29]

https://en.wikipedia.org/wiki/HMS_Illustrious_%28R06%29 (https://en.wikipedia.org/wiki/HMS_Illustrious_%28R06%29)
(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fi.telegraph.co.uk%2Fmultimedia%2Farchive%2F03020%2Fhms_illustrious_3020306b.jpg&hash=4338b4d933c227fcff52d80ddd144dd1)
(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fnavaltoday.com%2Fwp-content%2Fuploads%2F2014%2F07%2FHMS-Illustrious-Supports-New-Carrier-Naming-Ceremony.jpg&hash=4c87f119c2f4c86fb977446ce3631101)
(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fichef-1.bbci.co.uk%2Fnews%2F640%2Fmedia%2Fimages%2F77217000%2Fjpg%2F_77217762_77217761.jpg&hash=b61b1b03f4b5a2fab836ca8d4c0fbe9c)
(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fimg.photobucket.com%2Falbums%2Fv140%2FRotorheads%2FHMS%2520Illustrious%2FIllustrious092p800.jpg&hash=24dc40d57a8222c6402743357a1e7b7a)
(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2F4.bp.blogspot.com%2F-F6FP5kOQKYg%2FU-syFIyrMvI%2FAAAAAAAADRE%2F3jxYt3YAGR4%2Fs1600%2FBjZoabYIYAA_x-N.jpg&hash=4b50054e46428a86993633566f3838eb)
Citar
HMS Illustrious, serving in the Commando Carrier role, has no RoRo ramps or vehicle deck. Still, it has been seen embarking small numbers of vehicles.

Saudações  ;) ;D

Era bom não era? Não vejo é como vais arranjar os euros e os 700 marujos para o manobrar (fora o pessoal dos helis)!!!

Tínhamos que parar todo o resto da marinha...

Infelizmente para nós tem qualquer LPD para se adequar á nossa realidade tem que ser muito mais pequeno, mais económico e com uma guarnição muito mais reduzida !!!
Título: Re: MLU às VdG e/ou BD - Hipóteses
Enviado por: mafets em Março 22, 2016, 04:45:27 pm
Os Espanhóis já venderem o Príncipe das Astúrias?  ;D ;D
(https://upload.wikimedia.org/wikipedia/commons/d/d4/SNS_Principe_de_Asturias_(R11)_during_Dragon_Hammer_92.jpg)

Novo e pelo que podemos pagar só vejo os Makassar.  ;)
(https://cdn1.defesaaereanaval.com.br/wp-content/uploads/2013/07/Makassar.bmp)

Em segunda mão LPD não estou a ver. Quanto muito algum abastecedor da Classe Wave que tenha espaço para fuzos e que possa levar os Merlin. E é preciso que os Ingleses queiram vender algum e que nós tenhamos pilim para o comprarmos. ;)
(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fwww.naval-technology.com%2Fprojects%2Fwave%2Fimages%2Fwave_110.jpg&hash=bf8a67568e7d705683fe3361ed592ef4)

Já existe um bom upgrade às Bd, esperemos que as VG fiquem melhores que o planificado. Se vierem mais 2 NPO e os Classe Tejo ficarem capazes já é bom. Mesmo colocar algumas modificações nas VdG para levar mais tropas, nunca ficará melhor que as modificações feitas pelos argentinos a um dos Contra-Torpedeiros (Ara Hercules):
(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fk36.kn3.net%2FFB8C547F0.jpg&hash=04abfe434b982e690453ed1a895067f2)

Cumprimentos
Título: Re: MLU às VdG e/ou BD - Hipóteses
Enviado por: Johnnie em Março 22, 2016, 06:32:30 pm
O Makassar seria excelente até porque um LPD na nossa marinha será um Bérrio nº2 que passa mais tempo encostado na BNL que outra coisa...Esqueçes acima das boas noticias que são o upgrade anunciado aos Linx...Não é o que queremos mas o que podemos...Já é bom
Título: Re: MLU às VdG e/ou BD - Hipóteses
Enviado por: mafets em Março 22, 2016, 07:17:00 pm
O Makassar seria excelente até porque um LPD na nossa marinha será um Bérrio nº2 que passa mais tempo encostado na BNL que outra coisa...Esqueçes acima das boas noticias que são o upgrade anunciado aos Linx...Não é o que queremos mas o que podemos...Já é bom
Talvez porque mesmo sendo bom é pouco. São 5 lynx para 5 fragatas, um abastecedor e 2 npo. Muito curto com os aparelhos sujeitos a desgaste constante num verdadeiro milagre de manutenção e de vôo sem um único acidente. Mais uma ou duas unidades e o seaskua e já via está frota com outros olhos. ;)

(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fwww.operacional.pt%2Fwp-content%2Fuploads%2F2013%2F05%2F23.-Hangar-da-manuten%25C3%25A7%25C3%25A3o-Foto-MMachado-copy.jpg&hash=9c50c7257664d7013ea3cfb0af83a57f)

Cumprimentos
Título: Re: MLU às VdG e/ou BD - Hipóteses
Enviado por: nelson38899 em Março 23, 2016, 08:33:18 pm
Pelo que sei, a marinha está mais interessada num novo reabastecedor em 2ª mão, do que num lpd.
Título: Re: MLU às VdG e/ou BD - Hipóteses
Enviado por: Alvalade em Março 23, 2016, 09:02:13 pm
Pelo que sei, a marinha está mais interessada num novo reabastecedor em 2ª mão, do que num lpd.

É o que faz mais sentido.
Título: Re: MLU às VdG e/ou BD - Hipóteses
Enviado por: tenente em Março 23, 2016, 09:27:17 pm
Pelo que sei, a marinha está mais interessada num novo reabastecedor em 2ª mão, do que num lpd.

É o que faz mais sentido.

AFIRMATIVO !!!!!!!!
Título: Re: MLU às VdG e/ou BD - Hipóteses
Enviado por: NVF em Março 24, 2016, 01:10:43 am
Pelo que sei, a marinha está mais interessada num novo reabastecedor em 2ª mão, do que num lpd.

Foi pena esse interesse não ter ocorrido mais cedo. Por exemplo, aí por finais de 2014 quando o Peru adquiriu o Amsterdam à Holanda por 52 milhões de euros. Então com 19 anos, bem equipado e com capacidade para transportar três helis tipo Puma, ter-se-ia tratado de uma excelente compra de ocasião, mas, provavelmente não interessou porque não tinha capacidade para transportar os Leopard 2.  ;D
Título: Re: MLU às VdG e/ou BD - Hipóteses
Enviado por: ICE 1A+ em Março 24, 2016, 04:05:48 am
Os americanos começam  a substituir,  este ano,17 reabastecedores
Henry J. Kaiser-class, à  razão de um por ano.

Sucata por sucata, sempre tem menos 20  anos que o Berrio.  ;D
Título: Re: MLU às VdG e/ou BD - Hipóteses
Enviado por: Alvalade em Março 24, 2016, 09:14:45 am
Os americanos começam  a substituir,  este ano,17 reabastecedores
Henry J. Kaiser-class, à  razão de um por ano.

Sucata por sucata, sempre tem menos 20  anos que o Berrio.  ;D

O problema é que é bem maior que o Bérrio.
Título: Re: MLU às VdG e/ou BD - Hipóteses
Enviado por: NVF em Março 24, 2016, 12:58:59 pm
Esses monstros deslocam mais de 40000 toneladas e são bem mais caros de operar que o Bérrio. Além do mais só três navios da classe tem casco duplo e nenhum deles possui hangar para helis.
Título: Re: MLU às VdG e/ou BD - Hipóteses
Enviado por: mafets em Março 24, 2016, 07:41:10 pm
Vamos fazer o choradinho aos "Bifes" (Espaço à proa para umas LDMe Leopard 2 não falta e tem Hangar para o Merlin)...  ;D ;D
(https://upload.wikimedia.org/wikipedia/commons/b/b6/HMS_Ark_Royal_RAS_with_RFA_Wave_Knight_MOD_45151261.jpg)
Citar
https://en.wikipedia.org/wiki/Wave-class_tanker (https://en.wikipedia.org/wiki/Wave-class_tanker)
(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fc69011.r11.cf3.rackcdn.com%2F21afaf4e6df042758a386c8c05440f65-0x0.jpg&hash=41b64c711af18d44cd2006a5d930a0bb)

Cumpimentos ;D :G-beer2:
Título: Re: MLU às VdG e/ou BD - Hipóteses
Enviado por: tenente em Março 24, 2016, 09:25:35 pm
Boas a todos,

esta hipótese seria a melhor de todas matávamos duas lebres só com meia paulada...........e não me digam que NÃO se conseguia construir um Navio destes em Viana do Castelo, houvesse vontade !!!!!

Aqui temos o Damen logistic support vessel de 175m  e 19.000 tons de deslocamento.



Design

1 Capabilities
- Replenishment at sea with solids and liquids;
- Conduct vertical replenishment operations and helicopter in-flight refueling;
- Medical facilities for role 1 or 2 medical service.

2 Missions
- Support of the Naval fleet;
- Search and rescue operations;
- Humanitarian operations.

3 Features
- Helicopter deck and grid;
- Hangar for 2 medium sized helicopters;
- Panoramic enclosed bridge;
- Heavy duty crane and container stowage positions;
- Double hull protection, including ammo stores and engine rooms;
- Redundant and separate propulsion plant.


(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fi1357.photobucket.com%2Falbums%2Fq745%2Fjolumeme%2FDamen_Logistic_Support_Vessel_Supporter_190001_zpsroseov6e.png&hash=9857ea6d1ff802a582883c8f6cb95c69) (http://s1357.photobucket.com/user/jolumeme/media/Damen_Logistic_Support_Vessel_Supporter_190001_zpsroseov6e.png.html)

(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fi1357.photobucket.com%2Falbums%2Fq745%2Fjolumeme%2FDamen_LSV_Supporter_190001_zpswmc9vkab.png&hash=00d2de5ab00c95a8f5f67060dfd68244) (http://s1357.photobucket.com/user/jolumeme/media/Damen_LSV_Supporter_190001_zpswmc9vkab.png.html)

(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fi1357.photobucket.com%2Falbums%2Fq745%2Fjolumeme%2FDamen_Logistic_Support_Vessel_190001_zpsdufdpcyi.png&hash=a57cf06dee07ea8554dd213db8543962) (http://s1357.photobucket.com/user/jolumeme/media/Damen_Logistic_Support_Vessel_190001_zpsdufdpcyi.png.html)

À já me esquecia, se calhar também pode transportar Leos 2A6..... :G-beer2: :G-beer2: :G-beer2:

http://products.damen.com/pt-pt/ranges/logistic-support-vessel/logistic-support-vessel-supporter-19000


Abraços e boa Páscoa.

Título: Re: MLU às VdG e/ou BD - Hipóteses
Enviado por: Alvalade em Março 24, 2016, 09:34:49 pm
O problema é a outra vontad€
Título: Re: MLU às VdG e/ou BD - Hipóteses
Enviado por: tenente em Março 24, 2016, 09:45:56 pm
O problema é a outra vontad€

Ora nem mais !!!!

Mas vamos tendo milhares de milhões de €€€€€€€€€€€€€€€€€€  para ir enterrando em bancos e instituições afins apenas para ir dando de comer a uns quantos glutões que outra coisa não são que uns parasitas, ladrões e corruptos valendo-se dos seus capangas políticos para os seus esquemas e jogos de cintura de alta sociedade, no entanto umas centenas de milhões quando gastos na compra de dois Type 214 para a nossa marinha, foi um escândalo de despesa desnecessária na DEFESA !!
Título: Re: MLU às VdG e/ou BD - Hipóteses
Enviado por: Viajante em Março 25, 2016, 08:10:27 am
Os Estaleiros de Viana vão de vento em popa, nas mãos de privados!! O líder da Martifer referiu uma limitação dos estaleiros que está a impedir de crescerem mais, o canal de acesso só permite reparar ou construír navios até 5,8 metros de calado! Acho que íam pedir ajuda ao estado para resolver esse problema!
Mas pode ser que muitos dos navios da Marinha venham de Viana, só temos a ganhar!
Título: Re: MLU às VdG e/ou BD - Hipóteses
Enviado por: Alvalade em Março 25, 2016, 10:18:24 am
Os Estaleiros de Viana vão de vento em popa, nas mãos de privados!! O líder da Martifer referiu uma limitação dos estaleiros que está a impedir de crescerem mais, o canal de acesso só permite reparar ou construír navios até 5,8 metros de calado! Acho que íam pedir ajuda ao estado para resolver esse problema!
Mas pode ser que muitos dos navios da Marinha venham de Viana, só temos a ganhar!

Se querem expandir existe um certo ex-estaleiro em Almada...  :n.idea:
Título: Re: MLU às VdG e/ou BD - Hipóteses
Enviado por: tenente em Março 25, 2016, 12:04:41 pm
Os Estaleiros de Viana vão de vento em popa, nas mãos de privados!! O líder da Martifer referiu uma limitação dos estaleiros que está a impedir de crescerem mais, o canal de acesso só permite reparar ou construír navios até 5,8 metros de calado! Acho que íam pedir ajuda ao estado para resolver esse problema!
Mas pode ser que muitos dos navios da Marinha venham de Viana, só temos a ganhar!

Se querem expandir existe um certo ex-estaleiro em Almada...  :n.idea:

Eu vou, Eu vou, p'ra Almada agora Eu vou, Eu vou .....................esta música dos anões vem mesmo a matar !!! :guitar: :Amigos: f2x2x

Boa Páscoa
Título: Re: MLU às VdG e/ou BD - Hipóteses
Enviado por: lexivia em Março 27, 2016, 10:44:00 pm
Os americanos começam  a substituir,  este ano,17 reabastecedores
Henry J. Kaiser-class, à  razão de um por ano.

Sucata por sucata, sempre tem menos 20  anos que o Berrio.  ;D

O problema é que é bem maior que o Bérrio.

Outro problema é não terem duplo casco. Apenas os 3 últimos da classe é que têm. Fonte: https://en.wikipedia.org/wiki/Henry_J._Kaiser-class_oiler (https://en.wikipedia.org/wiki/Henry_J._Kaiser-class_oiler)
Título: Re: MLU às VdG e/ou BD - Hipóteses
Enviado por: P44 em Maio 08, 2016, 04:18:03 pm
Citar
(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fnavaltoday.com%2Fwp-content%2Fuploads%2F2016%2F04%2FBelgian-frigate-BNS-Louise-Marie-completes-two-year-modernization-program.jpg&hash=2c470f07ad28416ed92abee2cc61c08e)

Belgian frigate BNS Louise Marie completes two year modernization program

Belgian Navy’s multi-purpose frigate Louise Marie F931 has returned to its homeport in Zeebrugge, Belgium, after undergoing modernization in the Netherlands.

The frigate spent two years in Den Helder, where she was fitted with new weapons and communications.

BNS Louise Marie will now be performing operational and readiness tests. According to the Belgian Navy, the ship should be declared operational within the next few months after it receives the ‘ready for duty’ certificate.

Her sister ship BNS Leopold completed this modernization program during 2012 and 2013, while BNS Louise Marie entered the Den Helder naval base in March 2014.

Belgium and the Netherlands have a long-standing naval cooperation which was created in 1948 with a series of treaties known as BENESAM (Belgisch-Nederlandse Samenwerking).

Under this cooperation, all multi-purpose frigates of the two navies are maintained in Den Helder while the Belgian base Zeebrugge base takes care of the two nations’ minehunter vessels.

The two multi-purpose frigates, BNS Leopold and BNS Louise Marie, were bought by the Belgian Navy in 2005 from the Royal Netherlands Navy as replacement for Belgian Navy’s old Wielingen-class frigates.

While they were in service with Dutch Navy, the two vessels belonged to the class of eight Karel Doorman class frigates. Of the eight ships in the class, only HNLMS Van Speijk and Van Amstel are still in service with the Dutch Navy as the remaining vessels were sold to Chile and Portugal.

The 1991-commissioned lead-ship, Karel Doorman, was renamed to BNS Leopold after it was sold to the Belgian Navy, while Louise Marie was formerly known as HNLMS Willem van der Zaan.

In 2009, the Netherlands and Belgium decided to modernize their M- frigates by rebuilding their hangar and helicopter decks to accommodate the NH 90 helicopters.

Additionally, French company Thales provided the frigates with its Seastar non-rotating active phased array radar for naval surface surveillance. Thales also fitted the frigates with a 360° panoramic electro-optical surveillance and alerter system based on IR/TV technology called Gatekeeper.

http://navaltoday.com/2016/04/21/belgian-frigate-bns-louise-marie-completes-two-year-modernization-program/

As nossas não vão ter esta modernização mencionada no último parágrafo, pois não?
Título: Re: MLU às VdG e/ou BD - Hipóteses
Enviado por: tenente em Maio 08, 2016, 04:45:04 pm
Citar
(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fnavaltoday.com%2Fwp-content%2Fuploads%2F2016%2F04%2FBelgian-frigate-BNS-Louise-Marie-completes-two-year-modernization-program.jpg&hash=2c470f07ad28416ed92abee2cc61c08e)

Belgian frigate BNS Louise Marie completes two year modernization program

Belgian Navy’s multi-purpose frigate Louise Marie F931 has returned to its homeport in Zeebrugge, Belgium, after undergoing modernization in the Netherlands.

The frigate spent two years in Den Helder, where she was fitted with new weapons and communications.

BNS Louise Marie will now be performing operational and readiness tests. According to the Belgian Navy, the ship should be declared operational within the next few months after it receives the ‘ready for duty’ certificate.

Her sister ship BNS Leopold completed this modernization program during 2012 and 2013, while BNS Louise Marie entered the Den Helder naval base in March 2014.

Belgium and the Netherlands have a long-standing naval cooperation which was created in 1948 with a series of treaties known as BENESAM (Belgisch-Nederlandse Samenwerking).

Under this cooperation, all multi-purpose frigates of the two navies are maintained in Den Helder while the Belgian base Zeebrugge base takes care of the two nations’ minehunter vessels.

The two multi-purpose frigates, BNS Leopold and BNS Louise Marie, were bought by the Belgian Navy in 2005 from the Royal Netherlands Navy as replacement for Belgian Navy’s old Wielingen-class frigates.

While they were in service with Dutch Navy, the two vessels belonged to the class of eight Karel Doorman class frigates. Of the eight ships in the class, only HNLMS Van Speijk and Van Amstel are still in service with the Dutch Navy as the remaining vessels were sold to Chile and Portugal.

The 1991-commissioned lead-ship, Karel Doorman, was renamed to BNS Leopold after it was sold to the Belgian Navy, while Louise Marie was formerly known as HNLMS Willem van der Zaan.

In 2009, the Netherlands and Belgium decided to modernize their M- frigates by rebuilding their hangar and helicopter decks to accommodate the NH 90 helicopters.

Additionally, French company Thales provided the frigates with its Seastar non-rotating active phased array radar for naval surface surveillance. Thales also fitted the frigates with a 360° panoramic electro-optical surveillance and alerter system based on IR/TV technology called Gatekeeper.

http://navaltoday.com/2016/04/21/belgian-frigate-bns-louise-marie-completes-two-year-modernization-program/

As nossas não vão ter esta modernização mencionada no último parágrafo, pois não?

Não senhor, não vão, nem as modificações mencionadas no paragrafo anterior a esse !!!!

" The Portuguese Navy is planning to modernise both of its frigate classes
Vasco Da Gama class to receive limited modernisation but Bartolomeu Dias class undertaking major refit for future NATO operations
The Portuguese Navy has detailed plans for the modernisation of its five-ship frigate force, acknowledging that resource constraints will necessitate the re-purposing of its three Vasco Da Gama-class MEKO 200PN ships for lower intensity tasks only.
Speaking at the IQPC Surface Warships 2015 conference in Genoa, Italy, on 28 January, Vice Admiral António Manuel Fernandes da Silva Ribeiro, the Portuguese Navy's Chief of Materiel, said that the mid-life modernisation programmes for the two classes were being conditioned by three factors. "First, we have limited financial resources. Second, we must address material obsolescence and increase performance as much as can. And third, from the operational side, we must decide what are imperatives, and what are desirables."
"Based on these considerations, we are going to modernise our frigates in different ways," he continued. "While we will keep the two Bartolomeu Dias-class M-frigates for more demanding operations, the three Vasco Da Gama-class ships will be deployed only on [lower intensity] small scale operations and so will receive a limited modernisation."
It is planned that both classes will be subject to major refits to extend platform life and address obsolescence (for example, in platform management systems). Overhauls will also be undertaken of main propulsion machinery. However, the levels of investment in weapons and sensors will vary.
Built in Germany to the Blohm + Voss MEKO200PN design, the three Vasco Da Gama-class ships - NRP Vasco Da Gama , NRP Álvares Cabral , and NRP Corte Real were all commissioned into service in 1991. Their equipment fit includes a single 100 mm gun, an Mk 29 octuple launcher for RIM-7P NATO SeaSparrow missiles, eight Harpoon anti-ship missiles, Mk 46 Mod 5 lightweight torpedoes, and a Phalanx Block 1B close-in weapon system.
According to Vice Adm António Silva Ribeiro, the scope of modernisation work for the Vasco Da Gama-class ships encompasses the overhaul and upgrade of the existing MW08 and DA08 radars, new electronic warfare (EW) systems, introduction of IFF Mode 5, new electro-optical surveillance capability, and new military GPS. Hardware in the STACOS Mod I combat management system will be replaced to resolve obsolescence. Other changes include a SATCOM upgrade, new UHF communications, the addition of Link 22 (alongside Link 11/16), introduction of the ICCS6 integrated communications control system, and an upgraded C4I network.
As regards self-defence, the Phalanx close-in weapon system will be brought up to the latest Block 1B Baseline 2 standard. The existing NATO SeaSparrow point defence missile system will remain; the RIM-7P missiles themselves will be re-motored.
The Portuguese Navy's two former Royal Netherlands Navy (RNLN) M-frigates, NRP Bartolomeu Dias (ex-HrMs Van Nes) and NRP Dom Francisco de Almeida (ex-HrMs Van Galen), are to receive a more substantive upgrade in order to enable them to participate in higher intensity national or NATO operations. These will, in part, leverage from upgrades already in train for the RNLN's two remaining M-frigates.
"As regards these ships," Vice Adm António Silva Ribeiro said, "we will also acquire new ESM, IFF Mode 5, military GPS, and electro-optical systems. We are going to upgrade the sonar, modernise the point defence missile system with the introduction of the Evolved SeaSparrow Missile, and overhaul and upgrade the Goalkeeper close-in weapon system.
"In addition, we plan to acquire a completely new [electronic warfare] system, and upgrade our lightweight torpedoes to Mk 54 standard."
Another planned change is the replacement of the current command system with the Guardion combat management system developed by the Netherlands' CAMS-Force Vision software centre. "We are part of an M-frigate user group with the Netherlands, Belgium, and Chile, and we are working well in this to modernise all the ships in the class," Vice Adm António Silva Ribeiro said. "Guardion is very much a part of that.""

http://www.defensemedianetwork.com/stories/portuguese-navy-plans-modernization/

https://www.google.pt/?gfe_rd=cr&ei=yl0vV66LNYKs8wfq6Yn4BA#q=portuguese+frigate+upgrade&start=20

cumprimentos

Título: Re: MLU às VdG e/ou BD - Hipóteses
Enviado por: dc em Maio 09, 2016, 06:19:05 pm
De qualquer das formas, adquirir NH-90 já não fazia grande sentido, depois do cancelamento da versão TTH para o exército...
Agora uns Lynx Wildcat, já era outra conversa...
Quanto a esse upgrade (destacado a negrito), se não estou em erro tem como principal objectivo dotar os navios de capacidade contra guerra assimétrica.
Título: Re: MLU às VdG e/ou BD - Hipóteses
Enviado por: Get_It em Maio 09, 2016, 06:52:52 pm
De qualquer das formas, adquirir NH-90 já não fazia grande sentido, depois do cancelamento da versão TTH para o exército...
Desculpem lá estar a fugir ao tópico: até poderia fazer sentido caso a indemnização que pagámos pelo cancelamento dos TTH servisse como pagamento. Acho que podiam até vir os TTH à mesma, desde que pudessem ser equipados com os sistemas navais. Visto até que são helicópteros anfíbios à mesma com capacidade para serem embarcados, não tendo apenas o sistema de folding automático como os NFH. Poderíamos até ficar com os NH-90 na Marinha mas a serem operados por tripulações mistas da Marinha e Exército (http://www.forumdefesa.com/forum/index.php?topic=496.msg257317#msg257317) para apoiarem ambos os ramos.

Agora uns Lynx Wildcat, já era outra conversa...
:Amigos: Às tantas ainda ficávamos era razoavelmente bem servidos com alguns AW109 equipados com um sistema ASW. (Os AW109 navais que tenho visto para aí não parecem ter qualquer tipo de capacidade ASW; quer sensores ou armamento anti-submarino.)


Cumprimentos,
Título: Re: MLU às VdG e/ou BD - Hipóteses
Enviado por: dc em Maio 09, 2016, 07:37:37 pm
A indemnização que pagámos é e será apenas isso mesmo, uma indemnização, não me parece que eles aceitassem tal coisa. No fundo, a porcaria já está feita, para criar boa impressão no meio da opinião pública, escolheram cancelar os NH-90 e ainda assim pagar por isso, para além do que já se tinha gasto no desenvolvimento dos mesmos... Essas negociatas só seriam mais uma razão para mais umas "luvas" noutro programa militar.

Sinceramente não me parece que teríamos grande vantagem em substituir os Lynx por AW-109, a não ser claro que assuma que os Alouette seriam substituídos por meios idênticos. Os Lynx são melhores, especialmente nas versões mais recentes, e têm mais que provas dadas. A transição dos Lynx actuais para os mais recentes Wildcat, seria natural, sem grandes complexidades visto o equipamento ser semelhante. Para não falar do comportamento exemplar que estas aeronaves têm tido na MP e da forma como as equipas de manutenção os têm mantido a voar ao longo de tantos anos sem incidentes.
Título: Re: MLU às VdG e/ou BD - Hipóteses
Enviado por: Get_It em Maio 09, 2016, 09:04:52 pm
A indemnização que pagámos é e será apenas isso mesmo, uma indemnização, não me parece que eles aceitassem tal coisa.
Acho que aceitariam sem problemas pelos seguintes motivos: iria aumentar o número de helicópteros vendidos (óptimo numa simples questão de publicidade/imagem pública), iria aumentar o tempo em que a linha de produção iria permanecer activa, e sempre é mais um utilizador que vai comprar peças e necessitar de apoio técnico durante uns bons X anos. Os membros do programa iriam ganhar mais dinheiro com Portugal a operar os NH-90 do que com a indemnização.

Sinceramente não me parece que teríamos grande vantagem em substituir os Lynx por AW-109, a não ser claro que assuma que os Alouette seriam substituídos por meios idênticos.
Exactamente isso, mesmo helicóptero para a FAP e Marinha. E também o facto do AW109 ser mais barato do que o Wildcat.

Cumprimentos,
Título: Re: MLU às VdG e/ou BD - Hipóteses
Enviado por: mafets em Maio 10, 2016, 12:00:56 am
Sempre achei uma máquina interessante a um preço razoável...  :P
(https://cdn.defesaaereanaval.com.br/wp-content/uploads/2014/05/Panther-ASW_01.jpg)
(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fwww.airteamimages.com%2Fpics%2F125%2F125859_big.jpg&hash=6314b9594973bb78bae12864bcaf7aea)

Cumprimentos  :G-beer2:
Título: Re: MLU às VdG e/ou BD - Hipóteses
Enviado por: Johnnie em Maio 10, 2016, 12:21:35 am
E para que trocar os Linx por uma aeronave em final de carreira?
Título: Re: MLU às VdG e/ou BD - Hipóteses
Enviado por: mafets em Maio 10, 2016, 12:28:42 am
Desde que exista guito até pode vir o Sh60...  ::) :P
(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2F4.bp.blogspot.com%2F--A3GB6zCt6k%2FTwdkW1ACsHI%2FAAAAAAAACYE%2F__d2IDO2Ea8%2Fs1600%2FSH-60S-Seahawk.jpg&hash=0d18302ee27058b0d9dfd8bdf0d9ee10)

Cumprimentos
Título: Re: MLU às VdG e/ou BD - Hipóteses
Enviado por: Johnnie em Maio 10, 2016, 12:34:06 am
Desde que exista guito até pode vir o Sh60...  ::) :P


Quando recebemos as MEKO os americas bem que tentaram empurrar os Kaman Seasprite
Título: Re: MLU às VdG e/ou BD - Hipóteses
Enviado por: NVF em Maio 10, 2016, 02:22:44 am
Se a memória não me falha, na eventualidade de o governo português mudar de ideias e voltar a encomendar o NH90, o acordo de cancelamento previa que as verbas investidas previamente no projecto, assim como as verbas referentes à indemnização, seriam deduzidas do novo contrato.
Título: Re: MLU às VdG e/ou BD - Hipóteses
Enviado por: mafets em Maio 10, 2016, 09:38:59 am
Desde que exista guito até pode vir o Sh60...  ::) :P


Quando recebemos as MEKO os americas bem que tentaram empurrar os Kaman Seasprite

Os Neozelandeses adquiriram em 2015, 10 (8 mais 2 para peças) Super Seasprite G(i) para substituir os 5 que tinham.

Citar
Naval Helicopter Replacement

SH-2G(I)
The New Zealand Defence Force, through the Ministry of Defence, is purchasing 10 Super Seasprite SH-2G(I) naval combat helicopters to replace the existing fleet of five machines.

The Super Seasprites being purchased were modified for the Royal Australian Navy in the 2000s with upgraded avionics and tactical electronics. The aircraft were not accepted for service by the RAN, primarily because of issues related to the avionics. These issues have since been corrected by the manufacturer.

The airframes were originally manufactured in the 1960s and 1980s, but have been fully refurbished with a new upper fuselage section and are in as-new condition with a 10,000 hour service life.

The SH-2G (I) helicopters will deliver improved sensor and weapons capability to the Naval Combat Force, including deployment of the Penguin anti-ship missile.

Five of the Navy’s 11 ships are capable of operating the Super Seasprite. Increasing the fleet of aircraft from five to 10 aircraft will enable the Navy to deploy more aircraft at sea while also meeting training, maintenance and other operational needs.

http://www.navy.mil.nz/mtf/fsac/naval-helicopter-replacement.htm (http://www.navy.mil.nz/mtf/fsac/naval-helicopter-replacement.htm)
 
(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fwww.janes.com%2Fimages%2Fassets%2F307%2F38307%2F1155654_-_main.jpg&hash=fc83081d7b2cce7ff7d1cdbb405d633e)
(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fwww.defensa.com%2Fadjuntos%2Fstories%2Fnoticias%2F2015%2F7%2F01ddd.jpg&hash=0146d7e059d816f4da7acc24ccc828d6)

Cumprimentos
Título: Re: MLU às VdG e/ou BD - Hipóteses
Enviado por: tenente em Maio 10, 2016, 11:10:53 am
Desde que exista guito até pode vir o Sh60...  ::) :P


Quando recebemos as MEKO os americas bem que tentaram empurrar os Kaman Seasprite

Ainda bem que optamos pelo Lynx, é o que eu digo,.
Pena é não haver dinheiro para se adquirir mais duas unidades, e ficarmos com o número que inicialmente foi planeado de lynx, para equipar as três VdG, ou seja a EHM ter sete unidades.

Cumprimentos
Título: Re: MLU às VdG e/ou BD - Hipóteses
Enviado por: Johnnie em Maio 10, 2016, 12:42:09 pm
Desde que exista guito até pode vir o Sh60...  ::) :P


Quando recebemos as MEKO os americas bem que tentaram empurrar os Kaman Seasprite

Ainda bem que optamos pelo Lynx, é o que eu digo,.
Pena é não haver dinheiro para se adquirir mais duas unidades, e ficarmos com o número que inicialmente foi planeado de lynx, para equipar as três VdG, ou seja a EHM ter sete unidades.

Cumprimentos

X2

E já agora o que os Holandeses fizeram aos Lynx deles? Na volta estão encaixotados algures num hangar...
Título: Re: MLU às VdG e/ou BD - Hipóteses
Enviado por: mafets em Maio 10, 2016, 02:31:45 pm
Desde que exista guito até pode vir o Sh60...  ::) :P


Quando recebemos as MEKO os americas bem que tentaram empurrar os Kaman Seasprite

Ainda bem que optamos pelo Lynx, é o que eu digo,.
Pena é não haver dinheiro para se adquirir mais duas unidades, e ficarmos com o número que inicialmente foi planeado de lynx, para equipar as três VdG, ou seja a EHM ter sete unidades.

Cumprimentos

X2

E já agora o que os Holandeses fizeram aos Lynx deles? Na volta estão encaixotados algures num hangar...

http://www.karo-aviation.nl/photo/pages/mldlynx.htm (http://www.karo-aviation.nl/photo/pages/mldlynx.htm)

Saudações
Título: Re: MLU às VdG e/ou BD - Hipóteses
Enviado por: Charlie Jaguar em Maio 10, 2016, 03:03:59 pm
Esqueçam lá os Lynx holandeses, aquilo era mais prejuízo que benefício. Aquando da compra das Karel Doorman, ou M Class, estiveram de facto para vir 2 ou 3 SH-14D, mas depois de bem visto era deitar dinheiro ao lixo. Boa nova é de facto o Super Lynx que se encontra parado há anos  - 19201 - já estar operacional, e se o upgrade elevasse os nossos Mk.95 ao padrão Super Lynx 300. Sempre seria mais fácil assim optarmos pelo Wildcat daqui a dez, quinze anos.

Quanto a aeronaves extra, creio que os britânicos não se importariam nada de nos ceder uns poucos HMA.8. O seu estado é que seria outra conversa.
Título: Re: MLU às VdG e/ou BD - Hipóteses
Enviado por: NVF em Maio 10, 2016, 08:01:41 pm
Salvo erro, utilizávamos o simulador dos holandeses — isso é que era uma boa compra. Para comprar Lynx em segunda mão, era preferível recorrer aos alemães, cujo segundo batch de aparelhos é do final dos anos 90. Além do mais, são quase iguais aos nossos em termos de aviónicos. Com jeitinho ainda vinham uns oto melara 76 e uns RAM.
Título: Re: MLU às VdG e/ou BD - Hipóteses
Enviado por: Charlie Jaguar em Maio 11, 2016, 12:49:06 pm
Salvo erro, utilizávamos o simulador dos holandeses — isso é que era uma boa compra. Para comprar Lynx em segunda mão, era preferível recorrer aos alemães, cujo segundo batch de aparelhos é do final dos anos 90. Além do mais, são quase iguais aos nossos em termos de aviónicos. Com jeitinho ainda vinham uns oto melara 76 e uns RAM.

O segundo lote, os Super Lynx Mk.88A, começaram a ser entregues em 1996, é verdade. Contudo, há-que não esquecer que há dois anos atrás os 22 Super Lynx germânicos estiveram parados devido à descoberta de problemas estruturais. Entretanto foram inspecionados e reparados, tendo regressado ao activo. Eram para ter sido todos substituídos no final do ano passado, mas devido aos atrasos no NH90 deverão sair agora de serviço entre 2020 e 2022.

http://www.thelocal.de/20140922/navy-helicopters-grounded-over-fuselage-tears-somalia-piracy-sea-lynx-britain-military

E sim, naturalmente que serão mais idênticos aos nossos em termos de aviônicos e equipamentos que os ingleses.
Título: Re: MLU às VdG e/ou BD - Hipóteses
Enviado por: NVF em Maio 11, 2016, 04:11:43 pm
Só um pequeno reparo, camarada CJ: os Mk88A foram, de facto, encomendados em 96 mas, salvo erro, as entregas só começaram em meados de 99; o mais antigo tem, portanto, 17 anos de serviço. Além disso, a notícia citada não é particularmente esclarecedora quanto ao ano de fabricação dos helis (por essa altura já os antigos tinham sido convertidos para o standard 88A).
Título: Re: MLU às VdG e/ou BD - Hipóteses
Enviado por: nelson38899 em Maio 24, 2016, 12:50:27 pm
Segundo fui informado, o MLU das Fragatas da classe M começa no próximo ano, em que a primeira será modernizada na Holanda e a segunda entre Holanda e Portugal.

Ao que parece vamos ter um mastro similar aos Holandeses.
Título: Re: MLU às VdG e/ou BD - Hipóteses
Enviado por: junjun em Maio 31, 2016, 12:53:02 pm
Boas a todos,

esta hipótese seria a melhor de todas matávamos duas lebres só com meia paulada...........e não me digam que NÃO se conseguia construir um Navio destes em Viana do Castelo, houvesse vontade !!!!!

Aqui temos o Damen logistic support vessel de 175m  e 19.000 tons de deslocamento.



Design

1 Capabilities
- Replenishment at sea with solids and liquids;
- Conduct vertical replenishment operations and helicopter in-flight refueling;
- Medical facilities for role 1 or 2 medical service.

2 Missions
- Support of the Naval fleet;
- Search and rescue operations;
- Humanitarian operations.

3 Features
- Helicopter deck and grid;
- Hangar for 2 medium sized helicopters;
- Panoramic enclosed bridge;
- Heavy duty crane and container stowage positions;
- Double hull protection, including ammo stores and engine rooms;
- Redundant and separate propulsion plant.


(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fi1357.photobucket.com%2Falbums%2Fq745%2Fjolumeme%2FDamen_Logistic_Support_Vessel_Supporter_190001_zpsroseov6e.png&hash=9857ea6d1ff802a582883c8f6cb95c69) (http://s1357.photobucket.com/user/jolumeme/media/Damen_Logistic_Support_Vessel_Supporter_190001_zpsroseov6e.png.html)

(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fi1357.photobucket.com%2Falbums%2Fq745%2Fjolumeme%2FDamen_LSV_Supporter_190001_zpswmc9vkab.png&hash=00d2de5ab00c95a8f5f67060dfd68244) (http://s1357.photobucket.com/user/jolumeme/media/Damen_LSV_Supporter_190001_zpswmc9vkab.png.html)

(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fi1357.photobucket.com%2Falbums%2Fq745%2Fjolumeme%2FDamen_Logistic_Support_Vessel_190001_zpsdufdpcyi.png&hash=a57cf06dee07ea8554dd213db8543962) (http://s1357.photobucket.com/user/jolumeme/media/Damen_Logistic_Support_Vessel_190001_zpsdufdpcyi.png.html)

À já me esquecia, se calhar também pode transportar Leos 2A6..... :G-beer2: :G-beer2: :G-beer2:

http://products.damen.com/pt-pt/ranges/logistic-support-vessel/logistic-support-vessel-supporter-19000


Abraços e boa Páscoa.



E qual o preço de uma máquina destas? e será correto dizer que substituiria o Berrio e poderia "evitar" a compra de um LPD, embora não seja, de todo, a mesma coisa?
Título: Re: MLU às VdG e/ou BD - Hipóteses
Enviado por: mafets em Maio 31, 2016, 01:00:22 pm
Boas a todos,

esta hipótese seria a melhor de todas matávamos duas lebres só com meia paulada...........e não me digam que NÃO se conseguia construir um Navio destes em Viana do Castelo, houvesse vontade !!!!!

Aqui temos o Damen logistic support vessel de 175m  e 19.000 tons de deslocamento.



Design

1 Capabilities
- Replenishment at sea with solids and liquids;
- Conduct vertical replenishment operations and helicopter in-flight refueling;
- Medical facilities for role 1 or 2 medical service.

2 Missions
- Support of the Naval fleet;
- Search and rescue operations;
- Humanitarian operations.

3 Features
- Helicopter deck and grid;
- Hangar for 2 medium sized helicopters;
- Panoramic enclosed bridge;
- Heavy duty crane and container stowage positions;
- Double hull protection, including ammo stores and engine rooms;
- Redundant and separate propulsion plant.


(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fi1357.photobucket.com%2Falbums%2Fq745%2Fjolumeme%2FDamen_Logistic_Support_Vessel_Supporter_190001_zpsroseov6e.png&hash=9857ea6d1ff802a582883c8f6cb95c69) (http://s1357.photobucket.com/user/jolumeme/media/Damen_Logistic_Support_Vessel_Supporter_190001_zpsroseov6e.png.html)

(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fi1357.photobucket.com%2Falbums%2Fq745%2Fjolumeme%2FDamen_LSV_Supporter_190001_zpswmc9vkab.png&hash=00d2de5ab00c95a8f5f67060dfd68244) (http://s1357.photobucket.com/user/jolumeme/media/Damen_LSV_Supporter_190001_zpswmc9vkab.png.html)

(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fi1357.photobucket.com%2Falbums%2Fq745%2Fjolumeme%2FDamen_Logistic_Support_Vessel_190001_zpsdufdpcyi.png&hash=a57cf06dee07ea8554dd213db8543962) (http://s1357.photobucket.com/user/jolumeme/media/Damen_Logistic_Support_Vessel_190001_zpsdufdpcyi.png.html)

À já me esquecia, se calhar também pode transportar Leos 2A6..... :G-beer2: :G-beer2: :G-beer2:

http://products.damen.com/pt-pt/ranges/logistic-support-vessel/logistic-support-vessel-supporter-19000


Abraços e boa Páscoa.



E qual o preço de uma máquina destas? e será correto dizer que substituiria o Berrio e poderia "evitar" a compra de um LPD, embora não seja, de todo, a mesma coisa?
Basicamente sim. O JSS Karel Dorman ficou nos 363 milhões de euros.

https://en.wikipedia.org/wiki/HNLMS_Karel_Doorman_(A833) (https://en.wikipedia.org/wiki/HNLMS_Karel_Doorman_(A833))

(https://cdn.defesaaereanaval.com.br/wp-content/uploads/2013/09/JSS-Karel-Doorman-infosheet.jpg)

Cumprimentos
Título: Re: MLU às VdG e/ou BD - Hipóteses
Enviado por: junjun em Maio 31, 2016, 02:05:58 pm
o Damen logistic support vessel n ficaria mais barato?
Título: Re: MLU às VdG e/ou BD - Hipóteses
Enviado por: mafets em Maio 31, 2016, 02:16:24 pm
o Damen logistic support vessel n ficaria mais barato?
Ficaria, mas de qualquer forma o que está destinado a um LPD português é um valor de 230 milhões de euros, o qual é um valor abaixo de qualquer JSS. O que seria essencial era ter capacidade de reabastecimento, algo que por exemplo o Siroco tinha e sem grande acréscimo financeiro.

(https://cdn2.defesaaereanaval.com.br/wp-content/uploads/2015/06/FS-Siroco-rendezvoused-at-sea-in-the-Gulf-of-Aden-600x399.jpg)

https://pt.wikipedia.org/wiki/Navio_Polivalente_Log%C3%ADstico (https://pt.wikipedia.org/wiki/Navio_Polivalente_Log%C3%ADstico)

 (https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fi364.photobucket.com%2Falbums%2Foo85%2Fwhistler%2FShipbucket%2520projects%2FPORLHDTKMSMRD150_Adamastor-r1.png&hash=caeee6379fcc2d190bd74474d098c380)

Cumprimentos
Título: Re: MLU às VdG e/ou BD - Hipóteses
Enviado por: faica em Junho 01, 2016, 06:51:57 pm
Estão a tentar na compra de 2 Holandesas trazer de bónus o Roterdão.
Título: Re: MLU às VdG e/ou BD - Hipóteses
Enviado por: mafets em Junho 01, 2016, 08:27:29 pm
Estão a tentar na compra de 2 Holandesas trazer de bónus o Roterdão.
As duas M restantes (as quais foram alvo de um upgrade recente  ;) )  ? Mais o LPD? Epá, e vão vender o que (ou já começaram a explorar o petróleo algarvio)  ;D ;) ?
(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2F1.bp.blogspot.com%2F-_edskM767i8%2FVFzOHk7o_BI%2FAAAAAAAAB9U%2F0zPDv1iLAs4%2Fs1600%2FWillem%252BHarlaar.jpg&hash=f1ecc493e99bd4c6a960fb5691808fa3)
(https://upload.wikimedia.org/wikipedia/commons/0/0c/HNLMS_Rotterdam_L_800_-_Flickr_-_Joost_J._Bakker_IJmuiden.jpg)

Cumprimentos

P.S. Se isso vier tudo, mesmo que implique vender as Vg a minha fé na marinha portuguesa é retomada.  ;D :P
Título: Re: MLU às VdG e/ou BD - Hipóteses
Enviado por: NVF em Junho 01, 2016, 08:35:14 pm
Os brasucas eram capazes de comprar as VdG. Sempre devem estar em melhor estado que as Niteroi.  :)

Em alternativa, desarmam-se as VdG — pronto as duas peças de 20 mm nas asas da ponte podem ficar — e ficamos com 3 NPO 'musculados'.  ::)
Título: Re: MLU às VdG e/ou BD - Hipóteses
Enviado por: mafets em Junho 01, 2016, 08:51:59 pm
Os brasucas eram capazes de comprar as VdG. Sempre devem estar em melhor estado que as Niteroi.  :)

Em alternativa, desarmam-se as VdG — pronto as duas peças de 20 mm nas asas da ponte podem ficar — e ficamos com 3 NPO 'musculados'.  ::)
O que não faltam são peças de 100mm e bofors de 40 mm em stock . Pode-se transformar num super OPV/Patrol Frigate (basic version)  ;D
(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fi260.photobucket.com%2Falbums%2Fii22%2Fpsilander%2FAUSuperOPV.gif&hash=353c4c6c99658d72d0e8679098d3b038)

Mas uma compra deste tipo seria sempre na ordem dos 250 a 300 milhões. E as VDG dificilmente deixariam de ser uma forma de arranjar parte desta verba.  ;)
(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fwww.emgfa.pt%2Fimages%2FFull_y4jqbpn27ghk.jpg&hash=da149d5e6a025c08a794ddaee5786003)

Cumprimentos
Título: Re: MLU às VdG e/ou BD - Hipóteses
Enviado por: Johnnie em Junho 01, 2016, 09:55:47 pm
Não sei se a venda das MEKO não exige por parte da NATO algum tipo de autorização, atento o facto como foram financiadas...

Já agora de onde surgiu esse especulação, as ultimas comunicações da marinha nada dizem a respeito de algo do género estar sequer a ser pensado.
Título: Re: MLU às VdG e/ou BD - Hipóteses
Enviado por: tenente em Junho 02, 2016, 06:25:00 pm
Estão a tentar na compra de 2 Holandesas trazer de bónus o Roterdão.
As duas M restantes (as quais foram alvo de um upgrade recente  ;) )  ? Mais o LPD? Epá, e vão vender o que (ou já começaram a explorar o petróleo algarvio)  ;D ;) ?
(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2F1.bp.blogspot.com%2F-_edskM767i8%2FVFzOHk7o_BI%2FAAAAAAAAB9U%2F0zPDv1iLAs4%2Fs1600%2FWillem%252BHarlaar.jpg&hash=f1ecc493e99bd4c6a960fb5691808fa3)
(https://upload.wikimedia.org/wikipedia/commons/0/0c/HNLMS_Rotterdam_L_800_-_Flickr_-_Joost_J._Bakker_IJmuiden.jpg)

Cumprimentos

P.S. Se isso vier tudo, mesmo que implique vender as Vg a minha fé na marinha portuguesa é retomada.  ;D :P

Boas,

Inicialmente as duas M ainda ao serviço n Marinha Holandesa, eram para ser desactivadas só entre 2021/23 quando as novas fragatas estivessem já ao serviço, mas ao que parece vão coloca-las á venda lá para 2018/19  o que se houvesse dinheiro cá no burgo era muito bom conseguir adquirir estas duas já modernizadas e também o Rotterdam que os Holandeses pretendem também vender.
Quem sabe se já temos cartão de cliente assíduo, e, assim tenhamos direito a algum desconto de quantidade !!??  :G-beer2:
Eu nunca perdi a fé na MARINHA PORTUGUESA, já perdi a fé na MERDA dos politicozecos de pacotilha que temos há muito anos, eles sim são os culpados pelo actual estado das nossas FFAA, tenho dito e sem gaguejar !!!!! :G-bigun:

Abraços
Título: Re: MLU às VdG e/ou BD - Hipóteses
Enviado por: tenente em Junho 02, 2016, 06:28:29 pm
Os brasucas eram capazes de comprar as VdG. Sempre devem estar em melhor estado que as Niteroi.  :)

Em alternativa, desarmam-se as VdG — pronto as duas peças de 20 mm nas asas da ponte podem ficar — e ficamos com 3 NPO 'musculados'.  ::)


Não tenho dúvidas, com um pouco de persuasão mudavam de hemisfério as legendas e os manuais de " utilizador " ficavam na língua de Camões. O guito da venda daria pelos menos para pagar 1/2 do valor dos três Navios Holandeses e ficávamos muito bem servidos !! :banana: :banana: :banana: :banana:
Título: Re: MLU às VdG e/ou BD - Hipóteses
Enviado por: faica em Junho 02, 2016, 06:37:28 pm
Não sei se a venda das MEKO não exige por parte da NATO algum tipo de autorização, atento o facto como foram financiadas...

Já agora de onde surgiu esse especulação, as ultimas comunicações da marinha nada dizem a respeito de algo do género estar sequer a ser pensado.

Nem tudo é especulação,nem tudo é comunicado sabem k o segredo é a alma do negocio,já se esqueceram da visita do"cema" brasileiro,que navio visitou?
Há quem queira despachar as VG para uniformizar as fragatas BD pk razão a BD vai fazer o upgrade á holanda,não podia ser feito cá,pensem nisso?
Título: Re: MLU às VdG e/ou BD - Hipóteses
Enviado por: tenente em Junho 02, 2016, 07:00:00 pm
Não sei se a venda das MEKO não exige por parte da NATO algum tipo de autorização, atento o facto como foram financiadas...

Já agora de onde surgiu esse especulação, as ultimas comunicações da marinha nada dizem a respeito de algo do género estar sequer a ser pensado.

Nem tudo é especulação,nem tudo é comunicado sabem k o segredo é a alma do negocio,já se esqueceram da visita do"cema" brasileiro,que navio visitou?
Há quem queira despachar as VG para uniformizar as fragatas BD pk razão a BD vai fazer o upgrade á holanda,não podia ser feito cá,pensem nisso?

E era uma medida muito acertada mesmo, pois nós, num futuro muito próximo apenas teremos quatro fragatas não tenham dúvidas !
As duas " M " Holandesas eram uma das melhores opções para quem tem pouco dinheiro como nós, já com upgrades efectuados, Navios com muitos sistemas idênticos as duas BD, tudo a ganhar, se acrescentarmos a possibilidade do NPL Rotterdam, futuro NRP Adamastor, digo eu, vir a incorporar a Frota, tudo apontaria para que a Armada ficasse, durante uns dez anos, com alguns Navios de superfície com boas capacidades de combate.

https://www.reddit.com/r/worldpowers/comments/314sot/eventroyal_dutch_navy_unveils_more_exact_details/

Não tenho dúvidas que as três VdG não vão estar ao nossos serviço muito mais anos, se não forem vendidas as três uma delas de certeza que vai deixar de estar no activo. :-[
O futuro dirá se tenho razão ou não !

Abraços
Título: Re: MLU às VdG e/ou BD - Hipóteses
Enviado por: Johnnie em Junho 02, 2016, 10:32:12 pm
Ver para crer
Título: Re: MLU às VdG e/ou BD - Hipóteses
Enviado por: dc em Junho 05, 2016, 12:34:32 pm
Pois, isto para mim cheira-me a muita especulação.
Título: Re: MLU às VdG e/ou BD - Hipóteses
Enviado por: Cláudio C. em Junho 05, 2016, 06:14:07 pm
A mim cheira-me a fruta a mais... Substituir as VdG por duas classe M, modernizadas comporta varias vantagens (desde que as BD sejam também modernizadas), mas por outro lado reduziríamos os meios de combate de superfície, já de si poucos para a dimensão do nosso mar. E  futuramente termos de substituir 4 navios simultaneamente... Creio que um país como o nosso deveria possuir no mínimo de 6 navios combatentes com capacidades efetivas, actualmente não podemos ter esse numero, ao menos que mantenhamos o numero actual de 5 navios... Agora reduzir ainda mais....
Título: Re: MLU às VdG e/ou BD - Hipóteses
Enviado por: mafets em Junho 05, 2016, 10:16:50 pm
A mim cheira-me a fruta a mais... Substituir as VdG por duas classe M, modernizadas comporta varias vantagens (desde que as BD sejam também modernizadas), mas por outro lado reduziríamos os meios de combate de superfície, já de si poucos para a dimensão do nosso mar. E  futuramente termos de substituir 4 navios simultaneamente... Creio que um país como o nosso deveria possuir no mínimo de 6 navios combatentes com capacidades efetivas, actualmente não podemos ter esse numero, ao menos que mantenhamos o numero actual de 5 navios... Agora reduzir ainda mais....
´

Embora as M holandesas sejam mais modernas que as BD, a génese da "noticia" refere :
Citar
Citação de: faica em Junho 01, 2016, 06:51:57 pm
Estão a tentar na compra de 2 Holandesas trazer de bónus o Roterdão.
Assim na prática mantinha-se o mesmo número.

Cumprimentos
Título: Re: MLU às VdG e/ou BD - Hipóteses
Enviado por: Cláudio C. em Junho 05, 2016, 10:40:20 pm
A mim cheira-me a fruta a mais... Substituir as VdG por duas classe M, modernizadas comporta varias vantagens (desde que as BD sejam também modernizadas), mas por outro lado reduziríamos os meios de combate de superfície, já de si poucos para a dimensão do nosso mar. E  futuramente termos de substituir 4 navios simultaneamente... Creio que um país como o nosso deveria possuir no mínimo de 6 navios combatentes com capacidades efetivas, actualmente não podemos ter esse numero, ao menos que mantenhamos o numero actual de 5 navios... Agora reduzir ainda mais....
´

Embora as M holandesas sejam mais modernas que as BD, a génese da "noticia" refere :
Citar
Citação de: faica em Junho 01, 2016, 06:51:57 pm
Estão a tentar na compra de 2 Holandesas trazer de bónus o Roterdão.
Assim na prática mantinha-se o mesmo número.

Cumprimentos


Sim, as M holandesas já possuem um "upgrade", o que eu pretendia dizer é que a sua aquisição só faz um minimo de lógica se efectuarem um upgrade as duas M portuguesas também. E não cair na "esparrinha" de se achar desnecessario o MLU às M portuguesas pelo facto de se adquirir as M holandesas já modernizadas...

E sim, eu sei que o suposto pacote incluiria o Rotherdão, mas esse navio não substitui uma fragata, terá outras funções.

Resumindo, venha ou não o Roterdão, considero importante manter o numero actual (5) de fragatas, sejam estas ou outras, com capacidade efectiva de combate. 4 Unidades é um numero curto, e incongruente com a ambição do alargamento do nosso mar, e reafirmação da nossa vocação marítima. Na minha opinião claro está.

Cumprimentos
Título: Re: MLU às VdG e/ou BD - Hipóteses
Enviado por: mafets em Junho 05, 2016, 11:08:28 pm
A mim cheira-me a fruta a mais... Substituir as VdG por duas classe M, modernizadas comporta varias vantagens (desde que as BD sejam também modernizadas), mas por outro lado reduziríamos os meios de combate de superfície, já de si poucos para a dimensão do nosso mar. E  futuramente termos de substituir 4 navios simultaneamente... Creio que um país como o nosso deveria possuir no mínimo de 6 navios combatentes com capacidades efetivas, actualmente não podemos ter esse numero, ao menos que mantenhamos o numero actual de 5 navios... Agora reduzir ainda mais....
´

Embora as M holandesas sejam mais modernas que as BD, a génese da "noticia" refere :
Citar
Citação de: faica em Junho 01, 2016, 06:51:57 pm
Estão a tentar na compra de 2 Holandesas trazer de bónus o Roterdão.
Assim na prática mantinha-se o mesmo número.

Cumprimentos


Sim, as M holandesas já possuem um "upgrade", o que eu pretendia dizer é que a sua aquisição só faz um minimo de lógica se efectuarem um upgrade as duas M portuguesas também. E não cair na "esparrinha" de se achar desnecessario o MLU às M portuguesas pelo facto de se adquirir as M holandesas já modernizadas...

E sim, eu sei que o suposto pacote incluiria o Rotherdão, mas esse navio não substitui uma fragata, terá outras funções.

Resumindo, venha ou não o Roterdão, considero importante manter o numero actual (5) de fragatas, sejam estas ou outras, com capacidade efectiva de combate. 4 Unidades é um numero curto, e incongruente com a ambição do alargamento do nosso mar, e reafirmação da nossa vocação marítima. Na minha opinião claro está.

Cumprimentos
Lá vou eu voltar aos Tejo e aos módulos de missão que usavam na Dinamarca...  ;)
(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fwww.shipbucket.com%2FReal%2520Designs%2FDenmark%2FFAC%2520SF300%2520FLYVEFISKEN.gif&hash=ba92d2e7803471274fdf438185ba5ece)
(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fwww.naval-technology.com%2Fprojects%2Ffly%2Fimages%2Ffly3.jpg&hash=c2c495870368b2d73713b3997f49cae0)
(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fwww.naval-technology.com%2Fprojects%2Ffly%2Fimages%2Ffly4.jpg&hash=9a549ff17eb080908fd7d2a6c0c1e874)
(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fwww.naval-technology.com%2Fprojects%2Ffly%2Fimages%2Ffly7.jpg&hash=e7788af421aff0185a384614eb8b1cba)
(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fwww.schnellboot.net%2Fdk%2Fflyvefisken%2Fvorlage%2Fcontainer%2F004.jpg&hash=25791edb002d236ff5fbc563f9e04e26)
(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fwww.naval-technology.com%2Fprojects%2Ffly%2Fimages%2Ffly5.jpg&hash=9b9a91d9afe17d2577cf13705aa6e000)
(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fwww.naval-technology.com%2Fprojects%2Ffly%2Fimages%2Ffly1.jpg&hash=c9433936d9eaafb80ddb34770f6479ed)

Saudações
Título: Re: MLU às VdG e/ou BD - Hipóteses
Enviado por: Cláudio C. em Junho 05, 2016, 11:35:47 pm
Naturalmente que se os Tejo ou os VdC tivessem outro musculo e capacidades, poderíamos prescindir de uma fragata. Mas no atual contexto, as fragatas (a par dos sub) são os únicos meios com efetiva capacidade militar , e passar das 5 (ja poucas) para 4 (com/sem Roterdão) parece-me muito pouco para os compromisso da Marinha, e demasiado redutor para um país que se quer afirmar um importante player maritimo, é que este ultimo aspeto também é importante, "à mulher de Cesar não basta ser, tambem tem de parecer".... Avho que entende o que pretendo dizer...
Título: Re: MLU às VdG e/ou BD - Hipóteses
Enviado por: mafets em Junho 06, 2016, 09:28:39 am
Naturalmente que se os Tejo ou os VdC tivessem outro musculo e capacidades, poderíamos prescindir de uma fragata. Mas no atual contexto, as fragatas (a par dos sub) são os únicos meios com efetiva capacidade militar , e passar das 5 (ja poucas) para 4 (com/sem Roterdão) parece-me muito pouco para os compromisso da Marinha, e demasiado redutor para um país que se quer afirmar um importante player maritimo, é que este ultimo aspeto também é importante, "à mulher de Cesar não basta ser, tambem tem de parecer".... Avho que entende o que pretendo dizer...
Além de que por norma temos sempre unidades em manutenção. Agora em termos de meios de superfície está a NRP Alvares Cabral e temos num contexto diferente o submarino Trident.

(https://scontent-mad1-1.xx.fbcdn.net/v/t1.0-9/13138848_794506854016906_6820501907997772326_n.jpg?oh=d0ac0d1ffebcc0ee6756e788b771150e&oe=57C3E768)
(https://scontent-mad1-1.xx.fbcdn.net/v/t1.0-9/13087396_923097114478859_8895154224488889209_n.jpg?oh=86451741bbc6fc2f502a77e2958d9b0c&oe=5806B119)

Saudações

Título: Re: MLU às VdG e/ou BD - Hipóteses
Enviado por: Charlie Jaguar em Junho 06, 2016, 10:34:52 am
A confirmar-se esse rumor seria, sem dúvida, uma excelente notícia. Pena é que por vezes o que hoje é amanhã já não é, se bem que as últimas compras militares avultadas, por assim dizer, tenham sido efectuadas durante a vigência de um Executivo socialista.

Ainda me recordo de em 2003/4, durante uma semana inteira, cadetes da Escola Naval invadirem papelarias de toda a região de Almada a fim de fotocopiarem manuais das velhas OHP que a dupla Paulo Portas/Donald Rumsfeld nos queriam impingir, juntamente com 9 UH-60A Blackhawk para o Exército que se encontravam já há vários anos no ossário aeronáutico do Arizona. Felizmente não deu em nada em ambos os casos. Mas como os negócios com a Holanda têm corrido em regra geral sempre bem, fingers crossed.  ;)
Título: Re: MLU às VdG e/ou BD - Hipóteses
Enviado por: Cláudio C. em Junho 06, 2016, 11:14:43 am
A confirmar-se esse rumor seria, sem dúvida, uma excelente notícia. Pena é que por vezes o que hoje é amanhã já não é, se bem que as últimas compras militares avultadas, por assim dizer, tenham sido efectuadas durante a vigência de um Executivo socialista.

Ainda me recordo de em 2003/4, durante uma semana inteira, cadetes da Escola Naval invadirem papelarias de toda a região de Almada a fim de fotocopiarem manuais das velhas OHP que a dupla Paulo Portas/Donald Rumsfeld nos queriam impingir, juntamente com 9 UH-60A Blackhawk para o Exército que se encontravam já há vários anos no ossário aeronáutico do Arizona. Felizmente não deu em nada em ambos os casos. Mas como os negócios com a Holanda têm corrido em regra geral sempre bem, fingers crossed.  ;)

Como digo, os únicos aspectos negativos são reduzirmos os meios de superfície já de si parco, e ficarmos com 4 meios para subistituir futuramente ao mesmo tempo.
Curiosidade, a efectivarem-se os rumores, não seria viável mantermos uma VdG, eventualmente a que estivesse em melhor estado de conservação, e por esta forma mantermos 5 navios com capacidade militar? Ainda que não se procedesse à modernização desta ultima?
Título: Re: MLU às VdG e/ou BD - Hipóteses
Enviado por: Johnnie em Junho 06, 2016, 11:19:50 am
A mim cheira-me a fruta a mais... Substituir as VdG por duas classe M, modernizadas comporta varias vantagens (desde que as BD sejam também modernizadas), mas por outro lado reduziríamos os meios de combate de superfície, já de si poucos para a dimensão do nosso mar. E  futuramente termos de substituir 4 navios simultaneamente... Creio que um país como o nosso deveria possuir no mínimo de 6 navios combatentes com capacidades efetivas, actualmente não podemos ter esse numero, ao menos que mantenhamos o numero actual de 5 navios... Agora reduzir ainda mais....

Se pensares bem era uma solução bem racional atentas as dificuldades que se vivem atualmente....

Ficarias com 4 M´s + LPD + 2 SKK´s afetos ás operações NATO e patrulharias a nossa ZEE com 4 NPO e SF300´s...

Seria o ideal? Infelizmente não mas já seria um bom ponto de partida...

Título: Re: MLU às VdG e/ou BD - Hipóteses
Enviado por: Cláudio C. em Junho 06, 2016, 11:31:55 am
Se fosse considerada uma situação efectivamente transitória, e se começasse desde já a estudar alternativas para futuramente possuirmos um numero de escoltas adequado à nossa realidade, sim, acharia racional, algo feito com cabeça, troco e membros. Contudo, o que provavelmente acontecerá é que nada disso seja feito, e futuramente se substitua as 4 M`s por 3 navios... Seguindo a lógica dos últimos anos... O meu receio não é so o presente, mas o futuro, entende?

Cumprimentos
Título: Re: MLU às VdG e/ou BD - Hipóteses
Enviado por: Johnnie em Junho 06, 2016, 11:49:32 am
Se fosse considerada uma situação efectivamente transitória, e se começasse desde já a estudar alternativas para futuramente possuirmos um numero de escoltas adequado à nossa realidade, sim, acharia racional, algo feito com cabeça, troco e membros. Contudo, o que provavelmente acontecerá é que nada disso seja feito, e futuramente se substitua as 4 M`s por 3 navios... Seguindo a lógica dos últimos anos... O meu receio não é so o presente, mas o futuro, entende?

Cumprimentos

Entendo perfeitamente meu caro...E obviamente que temos que acreditar que o amanhã será melhor que o presente...

Sendo assim ficvaria com os meios que mencionei afetos á NATO e depois  reforçaria o o nosso efetivo começando pela contrução em solo nacional de mais 2 ou 4 NPO´s e de 4 ou 6 LFC, ajudando assim a industria nacional....

Após isto poderá então pensar-se nas fragatas
Título: Re: MLU às VdG e/ou BD - Hipóteses
Enviado por: mafets em Junho 06, 2016, 02:28:07 pm
Se fosse considerada uma situação efectivamente transitória, e se começasse desde já a estudar alternativas para futuramente possuirmos um numero de escoltas adequado à nossa realidade, sim, acharia racional, algo feito com cabeça, troco e membros. Contudo, o que provavelmente acontecerá é que nada disso seja feito, e futuramente se substitua as 4 M`s por 3 navios... Seguindo a lógica dos últimos anos... O meu receio não é so o presente, mas o futuro, entende?

Cumprimentos

Entendo perfeitamente meu caro...E obviamente que temos que acreditar que o amanhã será melhor que o presente...

Sendo assim ficvaria com os meios que mencionei afetos á NATO e depois  reforçaria o o nosso efetivo começando pela contrução em solo nacional de mais 2 ou 4 NPO´s e de 4 ou 6 LFC, ajudando assim a industria nacional....

Após isto poderá então pensar-se nas fragatas
Na minha perspectiva o ideal seriam pelos menos os 4 NPO's e as 6 LFC (do ultimo contrato com os ENVC). Quanto às fragatas (e corvetas) chegou a pensar-se em tempos numa plataforma tendo como origem a do NPO 2000...
(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fi412.photobucket.com%2Falbums%2Fpp201%2Faguadoce1%2FHELI.jpg&hash=de595e30e21911a83228320eff3d956c)
 (https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fi412.photobucket.com%2Falbums%2Fpp201%2Faguadoce1%2FANTI-SUPERFICIE.jpg&hash=015c7074eb9f2a1f7aed54601d0a3908)

Citar
http://www.forumdefesa.com/forum/index.php?topic=42.3735 (http://www.forumdefesa.com/forum/index.php?topic=42.3735)

http://barcoavista.blogspot.pt/2009/07/navios-de-patrulha-oceanico-classe.html (http://barcoavista.blogspot.pt/2009/07/navios-de-patrulha-oceanico-classe.html)

Saudações
Título: Re: MLU às VdG e/ou BD - Hipóteses
Enviado por: NVF em Junho 06, 2016, 04:24:08 pm
Apesar de não estarmos no tópico dos NPO, acho que não devemos adquirir mais NPO da classe VdC, para além das quatro unidades actualmente planeadas (2 em serviço + 2 a construir). Trata-se de um design obviamente ultrapassado, resultado de extensos períodos de planeamento e de construção (leia-se indecisão política). Como alguém aqui disse há uns bons 12 anos atrás: trata-se de uma traineira musculada, com boas características oceânicas, mas ainda assim uma traineira.

Futuros NPO deverão seguir tendências mais atuais; não só as óbvias características 'stealth' e de modularidade, mas também maior volume interno e capacidade de transporte de meios aéreos orgânicos. Quanto a mim, o design do BAM (versão venezuelana, de preferência) continua a ser uma referência; ideal para 'duplo uso' — podem ir atrás dos pescadores de sardinha, mas podem igualmente substituir fragatas numa variedade de missões de média e baixa intensidade. Infelizmente, este parece ser o destino das VdG se não forem vendidas entretanto.
Título: Re: MLU às VdG e/ou BD - Hipóteses
Enviado por: mafets em Junho 06, 2016, 04:50:13 pm
A questão que se coloca é se a industria naval nacional tem capacidade de fazer pelo menos algo tipo o OPV 80? Não quero estar a "bater no ceguinho" relativamente ao filme que foi a construção dos dois NPO até porque existem os tais factores externos à mistura, agora estes próximos 2 Npo serão um teste à capacidade portuguesa de construir navios para a Marinha. Se estiverem em serviço quando planificado, talvez se possa actualizar ou partir para um novo projecto que permita à industria naval nacional, participar. Se não, a construir novo teremos de o fazer em estaleiros Espanhóis, Alemães, britânicos, etc, ou então resignarmos-nos às "traineiras musculadas", que de facto para uma Marinha Portuguesa, sabem a pouco.

Saudações
Título: Re: MLU às VdG e/ou BD - Hipóteses
Enviado por: Charlie Jaguar em Junho 06, 2016, 06:37:24 pm
On-topic/off-topic: a N.R.P. Côrte-Real a ser rebocada da doca-seca do Arsenal do Alfeite para a base há questão de minutos.

(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fi67.tinypic.com%2Fn67tyd.jpg&hash=9d23b5122024a789eec7fce5cd065c56)
Título: Re: MLU às VdG e/ou BD - Hipóteses
Enviado por: Cláudio C. em Junho 06, 2016, 06:53:14 pm
Volto a colocar a minha questão aos colegas aqui do forum:

Na eventualidade de se confirmar a aquisição das 2 M holandesas, faria lógica, e teria viabilidade(financeira e operacional) a alienação de apenas duas VdG, e ficarmos com uma (a que estivesse em melhor estado), mantendo assim o nº 5 de escoltas?
 Até se podia prescindir da sua modernização e eventualmente ser usada em missões de combate a pirataria mais longínquas, e deixarmos as 4 M modernizadas para as missões com maior grau de  intensidade militar.
Título: Re: MLU às VdG e/ou BD - Hipóteses
Enviado por: tenente em Junho 06, 2016, 07:44:54 pm
Volto a colocar a minha questão aos colegas aqui do forum:

Na eventualidade de se confirmar a aquisição das 2 M holandesas, faria lógica, e teria viabilidade(financeira e operacional) a alienação de apenas duas VdG, e ficarmos com uma (a que estivesse em melhor estado), mantendo assim o nº 5 de escoltas?
 Até se podia prescindir da sua modernização e eventualmente ser usada em missões de combate a pirataria mais longínquas, e deixarmos as 4 M modernizadas para as missões com maior grau de  intensidade militar.

Nenhuma lógica, uma classe de Navio Combatente tipo Fragata só com um Navio ???
Tinhamos que possuir, sobressalentes específicos, diferentes sistemas de Combate, e propulsão, ter especialistas de MNT para um só Navio, e ainda por cima de valor combativo dessa Fragata era bem inferior á classe BD ???
As classes de Navios devem possuir no mínimo quatro Unidades, permitindo a sua rotatividade operacional/mnt sem perdas de capacidades, e descanso de guarnições.
Existem no entanto Iluminados que defendem classes com menor número de Navios alegando que conseguem cumprir as missões de igual forma, mas depois dá no que dá, bem e nós cá no burgo só temos alguns exemplos de algumas classes de Navios todas da classe combatente e uma de duplo uso, nessas condições :
1) A classe Tridente; :N-icon-Axe:
2) A classe VdG; :N-icon-Axe:
3) A Classe BD;  :N-icon-Axe: :N-icon-Axe: :N-icon-Axe: :N-icon-Axe: :N-icon-Axe: :N-icon-Axe:
4) A classe VdC. :N-icon-Axe:

Nenhuma das nossas actuais classes de Navios combatentes tem o número mínimo de quatro Navios, e é engraçado as anteriores classes de Fragatas, Corvetas e submarinos, todas tinham pelo menos quatro unidades em cada classe.
Os actuais filósofos militares são mesmo mais espertos que os do regime anterior, só pode,.............e não me venham falar de dinheiro, quando por exemplo podíamos ter mais um Tridente como compensação das contrapartidas a custo zero e recusamos  tal opção, somos mesmo muito inteligentes e RICOS !!!!

Por exemplo os Neo Zelandeses agora querem adquirir pelo menos mais uma ANZAC, e também mais um classe OTAGO !!! :G-beer2:
Ou também os Irlandeses com mais Patrulhas da classe Samuel Beckett. Porque será ???

Abraços
Título: Re: MLU às VdG e/ou BD - Hipóteses
Enviado por: NVF em Junho 06, 2016, 08:01:37 pm
Infelizmente, a tendência há-de ser sempre no sentido da diminuição de unidades. Veja-se como, gradualmente, passámos de 7 fragatas para 5; de 10 corvetas/NPO para 2 (4 no futuro); de 10 Cacine para 4 Tejo; e mais recentemente de 6 Hercules para 5.

A uniformização nas M faz sentido se (como parece ser o caso) ficarem todas ao mesmo nível em termos de sensores e armamento e se vier o Rotterdam, então, nem ficamos a perder em termos do número de navios 'deployable' — vide os comentários oficiais aquando da possível aquisição do Siroco.

A questão de serem 5 ou 4 navios a terem de ser substituídos em simultâneo é, quanto a mim, uma falsa questão, já que as BD são praticamente da mesma idade das VdG. No entanto, como já disse anteriormente, a minha preferência seria dentro de uns 5 a 10 anos substituir as 3 VdG por 2 navios novos (a nova classe M holandesa, ou as F110 espanholas) e as 2 BD por 2 fragatas AAW usadas (SP holandesas, ou F100 espanholas). Neste cenário, as 2 fragatas novas durariam 35/40 anos e as usadas 15 ou 20 e desenguiçávamos a questão da substituição simultânea de 4 ou 5 navios por uns tempos valentes. 
Título: Re: MLU às VdG e/ou BD - Hipóteses
Enviado por: Duarte em Junho 06, 2016, 09:26:26 pm
Para alienar as VdG, o ideal seria construirmos 4 corvetas  mais musculadas para as substituir. Assim ficavamos com 1 LPD, 2 SSK, 4 BD para missoes internacionais, 4 corvetas para defesa territorial, 4 NPO.
Título: Re: MLU às VdG e/ou BD - Hipóteses
Enviado por: HSMW em Junho 06, 2016, 10:14:44 pm
On-topic/off-topic: a N.R.P. Côrte-Real a ser rebocada da doca-seca do Arsenal do Alfeite para a base há questão de minutos.

(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fi67.tinypic.com%2Fn67tyd.jpg&hash=9d23b5122024a789eec7fce5cd065c56)
Está tão despida porquê? Manutenção?
Título: Re: MLU às VdG e/ou BD - Hipóteses
Enviado por: mafets em Junho 06, 2016, 10:51:43 pm
On-topic/off-topic: a N.R.P. Côrte-Real a ser rebocada da doca-seca do Arsenal do Alfeite para a base há questão de minutos.

(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fi67.tinypic.com%2Fn67tyd.jpg&hash=9d23b5122024a789eec7fce5cd065c56)
Está tão despida porquê? Manutenção?
Correcto. http://www.cmjornal.xl.pt/nacional/portugal/detalhe/fragata_corte_real_fica_parada_em_2015_e_2016.html (http://www.cmjornal.xl.pt/nacional/portugal/detalhe/fragata_corte_real_fica_parada_em_2015_e_2016.html)
Para alienar as VdG, o ideal seria construirmos 4 corvetas  mais musculadas para as substituir. Assim ficavamos com 1 LPD, 2 SSK, 4 BD para missoes internacionais, 4 corvetas para defesa territorial, 4 NPO.
Quando as Corvetas Baptista de Andrade foram construídas no final dos anos 70, vinham com espaço para paióis, sensores e armamento a serem colocados numa posterior modernização, que nunca ocorreu. Uma corrente defende que foi por falta de verbas, outra que a Marinha recusou quando o estaleiro nativo propôs a modernização nos moldes da classe Descubierta, pois temia que a armada se transformasse numa "Marinha de Corvetas".  Foram relegadas para missões de patrulha oceânico antes das suas congéneres espanholas...
(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fwww.esacademic.com%2Fpictures%2Feswiki%2F67%2FCorbeta_Diana_F32.jpg&hash=a64809ec02faefd97a511ed470088799)
Os Tejo faziam várias missões combatentes na Dinamarca. Cá como já não estamos na guerra fria e temos unidades combatentes "com fartura" vieram sem módulos de missão, sensores e arma principal pois farão apenas patrulha costeira, balizagem, combate à poluição e quanto muito desminagem...
(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fwww.shipspotting.com%2Fphotos%2Fmiddle%2F1%2F7%2F1%2F370171.jpg&hash=47e8f438dc106c4f22153a5fce8de31f)
Os NPO foram construídos como unidades "não combatentes", apesar da tonelagem e "construção militar" assegurada vezes sem conta pelo testemunho do saudoso chaimites.  Sensores limitados, uma arma de 30 mm mais duas metralhadores, capacidade para lançar minas e levar apenas módulos de combate à poluição e desminagem. Custo 50 milhões quando por exemplo os OPV 80,com hangar, sensores melhorados, arma de 40mm (os actuais têm a Oto Melara de 76mm), metralhadoras de 12,7mm e capacidade modular para serem transformados numa corveta estão entre os 47 a 52 milhões.
(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fvpk.name%2Ffile%2Fimg%2FNPO-2000.t.jpg&hash=24016bd5b7e00eed9e7cfbec906a36a4) 
E depois de tudo isto está a ver a Marinha e o politico típico português a construir ou comprar sequer corvetas "musculadas"?
(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fwww.areamilitar.net%2Fanalise%2Fimages%2FNPO2004ASW_desenho.jpg&hash=041b30d3d4ec35a77cda336f08a1e13c)
A substituição das unidades da marinha é uma palhaçada pegada e demonstra que só quando existe extrema necessidade (de substituição de unidades, manutenção de capacidade militar e de fiscalização, bem como enriquecimento ilícito de uma série de gente à  pala de um negócio do estado), aparece dinheiro como os 900 milhões dos tão necessários submarinos (um valor que daria para comprar 3) . Desde aí, de projectos cancelados a parcialmente executados, tantas vezes aqui ditos, desde A400 a Nh90, passando pelos NPO, LFC ou Pandur, perdeu-se mais que o custo dos submarinos (e já nem falo de bancos, fundações, PPP, Swamps ou outros devaneios políticos sempre com milhões de euros a rodo). Com esse dinheiro teria sido possível ter o LPD, e pelo menos participação num projecto com  execução e aquisição de pelo menos duas unidades na casa dos 470/450 milhões de euros (custo das Fremm para Marrocos  e Alvaro de Bazan F101, por exemplo), de um qualquer estaleiro, consorcio ou empresa naval, que constrói para os espanhóis, italianos,  franceses ou alemães. Em vez disso, são carências várias, a possível redução de unidades combatentes, a já efectiva redução de unidades de patrulha na Zee portuguesa e meios em segunda mão ( já adquiridos e no horizonte). É certo que  tecnologia poderia em parte explicar uma redução de unidades, mas nós portugueses como gostamos de fazer omeletes sem ovos, concordamos e aplaudimos um aumento da Zee até à plataforma continental, ao mesmo tempo que protestamos pelo custo dos submarinos e não nos lembramos que maior Zee implica não apenas acesso a recursos mas também o aumento de responsabilidade e meios.
(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2F4.bp.blogspot.com%2F-gIr8DPWwO3o%2FU-xzNCr_yaI%2FAAAAAAAAA7E%2Fbsy_Q2_1fUQ%2Fs1600%2FFREMM.jpg&hash=4df6daff9bbec943b1209671700933cd)
(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2F3.bp.blogspot.com%2F-bGUHPhNp20c%2FVjNFJxA2yzI%2FAAAAAAAAbAw%2FBrHsdbqnANo%2Fs1600%2FMndez%252BNe%2525C3%2525B1ez.png&hash=b46f92c8c8afa84a6842305e3ecc31fc)

Cumprimentos
Título: Re: MLU às VdG e/ou BD - Hipóteses
Enviado por: P44 em Junho 07, 2016, 07:40:10 pm
Citar
Australia marks first operational deployment of upgraded ANZAC-class frigate

Ridzwan Rahmat, Singapore - IHS Jane's Defence Weekly
07 June 2016

(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fwww.janes.com%2Fimages%2Fassets%2F013%2F61013%2F1526623_-_main.jpg&hash=41b6cfe42767b2f83fb6762ef65a27ef)

The Royal Australian Navy (RAN) marked the first operational deployment of an upgraded ANZAC (MEKO 200)-class frigate when HMAS Perth (157) departed the naval base at Rockigham, Western Australia, on 7 June for the Middle East.

The vessel will support multinational counter-piracy and -smuggling efforts in the Gulf, the Gulf of Aden, the Red Sea, and the Indian Ocean Region on a mission that the Australian government refers to as Operation 'Manitou'.

"HMAS Perth was the first anti-ship missile defence [ASMD] upgraded ANZAC frigate and so we are extremely proud and excited to be the first upgraded ship to deploy operationally," said Captain Ivan Ingham, Perth 's commanding officer, in a statement released by the Australian Department of Defence on 7 June.

Perth in 2010 received a package of combat system upgrades that have been designed to enhance the platform's defence capabilities against modern anti-ship missiles. It was the first ANZAC-class ship to receive the package under Australia's Project SEA 1448 Phase 2.

"While we take great satisfaction in knowing we will deploy with the world's leading missile defence capability, we also realise that our highly capable surveillance sensors and new mission combat helicopter will also make a significant additional contribution to our mission," Capt Ingham said in reference to the MH-60R helicopter that will be embarked on Perth for the mission.

Perth is scheduled to be deployed for about six months until late December.

http://www.janes.com/article/61013/australia-marks-first-operational-deployment-of-upgraded-anzac-class-frigate
Título: Re: MLU às VdG e/ou BD - Hipóteses
Enviado por: tenente em Junho 07, 2016, 09:18:53 pm
Citar
Australia marks first operational deployment of upgraded ANZAC-class frigate

Ridzwan Rahmat, Singapore - IHS Jane's Defence Weekly
07 June 2016

(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fwww.janes.com%2Fimages%2Fassets%2F013%2F61013%2F1526623_-_main.jpg&hash=41b6cfe42767b2f83fb6762ef65a27ef)

The Royal Australian Navy (RAN) marked the first operational deployment of an upgraded ANZAC (MEKO 200)-class frigate when HMAS Perth (157) departed the naval base at Rockigham, Western Australia, on 7 June for the Middle East.

The vessel will support multinational counter-piracy and -smuggling efforts in the Gulf, the Gulf of Aden, the Red Sea, and the Indian Ocean Region on a mission that the Australian government refers to as Operation 'Manitou'.

"HMAS Perth was the first anti-ship missile defence [ASMD] upgraded ANZAC frigate and so we are extremely proud and excited to be the first upgraded ship to deploy operationally," said Captain Ivan Ingham, Perth 's commanding officer, in a statement released by the Australian Department of Defence on 7 June.

Perth in 2010 received a package of combat system upgrades that have been designed to enhance the platform's defence capabilities against modern anti-ship missiles. It was the first ANZAC-class ship to receive the package under Australia's Project SEA 1448 Phase 2.

"While we take great satisfaction in knowing we will deploy with the world's leading missile defence capability, we also realise that our highly capable surveillance sensors and new mission combat helicopter will also make a significant additional contribution to our mission," Capt Ingham said in reference to the MH-60R helicopter that will be embarked on Perth for the mission.

Perth is scheduled to be deployed for about six months until late December.

http://www.janes.com/article/61013/australia-marks-first-operational-deployment-of-upgraded-anzac-class-frigate

HMAS Perth, Inicio ao serviço da Armada Australiana em 26 Agosto 2006, menos de dez anos de serviço e já com Upgrade efectuado, exactamente como as nossas VdG !!!!!!!
:new_argue: :new_argue: :new_argue: :new_argue:

(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fi1357.photobucket.com%2Falbums%2Fq745%2Fjolumeme%2FHMAS_Perth_3_zpsahd1w9ri.jpg&hash=c11e5e92e57f602329d90b6c60a148ee) (http://s1357.photobucket.com/user/jolumeme/media/HMAS_Perth_3_zpsahd1w9ri.jpg.html)

http://www.navy.gov.au/hmas-perth-iii

Abraços
Título: Re: MLU às VdG e/ou BD - Hipóteses
Enviado por: dc em Junho 09, 2016, 08:09:20 pm
A questão de serem 5 ou 4 navios a terem de ser substituídos em simultâneo é, quanto a mim, uma falsa questão, já que as BD são praticamente da mesma idade das VdG. No entanto, como já disse anteriormente, a minha preferência seria dentro de uns 5 a 10 anos substituir as 3 VdG por 2 navios novos (a nova classe M holandesa, ou as F110 espanholas) e as 2 BD por 2 fragatas AAW usadas (SP holandesas, ou F100 espanholas). Neste cenário, as 2 fragatas novas durariam 35/40 anos e as usadas 15 ou 20 e desenguiçávamos a questão da substituição simultânea de 4 ou 5 navios por uns tempos valentes.

Não é de todo uma falsa questão, porque a ser realizado o MLU as BD e o MLU mais ligeiro às VdG, haveria uma disparidade óbvia entre as duas classes de navios, ora neste contexto, seria de prever uma subsituição da classe VdG com pelo menos 10 anos de diferença para a mais tardia substituição das BD. Ora, uniformizando a força naval com apenas 4 BD, todas estas teriam de ser substituídas num curto espaço de tempo (provavelmente as duas que estão actualmente ao serviço dos holandeses primeiro, depois as duas que já possuímos). Para não falar de um número que é muito baixo para navios deste tipo, e da maneira como são as coisas por cá, não me admiraria nada que estas fosse mais tarde substituídas por apenas 3 navios (ou até mesmo 2, como o caso dos submarinos). Mantendo actualmente 5 fragatas, sempre temos a hipótese de manter um número decente de navios combatentes mesmo após a sua substituição.
Como o caro NVF disse e muito bem, a tendência tem sido diminuir, por isso não esperem que daqui a uns anos 4 fragatas fossem substituídas por outras 4 ou mesmo 5.

Esqueçam a hipótese de "patrulhas musculados" ou corvetas, isso dificilmente vai acontecer e os custos que se tinha em construir de raiz uma classe do género, acabariam por ser quase os mesmos que numa aquisição de 2 Iver Huitfeldt novas.

O mais importante aqui, seria haver uma espécie de garantia de que, por um lado, realmente compensaria tal uniformização das fragatas e que ao mesmo tempo a redução do número de navios de superfície de combate ia ser colmatada por outros navios com alguma capacidade militar. Se não for assim, vamos acabar por reduzir cada vez mais a frota e a qualquer momento ficamos reduzidos a 2 submarinos e meia dúzia de NPOs...

Acima de tudo, e antes de dar tiros para o ar, é preciso alguém mostrar e avaliar todas as hipóteses, discutir sobre o que realmente traria vantagens para a Marinha no cumprimento da sua missão e ao mesmo tempo, reduzindo os custos. Quero ver estimativas realistas de quanto custaria uma aquisição das restantes duas M, quanto poderiam render as 3 VdG, que custos teria equipar melhor os próximos NPO ou mesmo uma nova classe melhorada e mais militarizada dos mesmos. Até lá, é só teorias e e pouco mais...

Cumprimentos
Título: Re: MLU às VdG e/ou BD - Hipóteses
Enviado por: antoninho em Junho 09, 2016, 09:18:59 pm
Mas quem falou em reduzir??? E se a aposta for mais duas ao serviço, assim teríamos 4 ao mesmo nível de armamentos e 3 para teatros de baixa intensidade???
Título: Re: MLU às VdG e/ou BD - Hipóteses
Enviado por: mafets em Junho 09, 2016, 09:41:08 pm
Mas quem falou em reduzir??? E se a aposta for mais duas ao serviço, assim teríamos 4 ao mesmo nível de armamentos e 3 para teatros de baixa intensidade???
E dinheiro para isto tudo ( seria um negócio na ordem de 240 milhões como foi o caso das duas BD anteriormente adquiridas)? Ou vamos nos candidatar também a fundos comunitários, como no caso modernização dos C130 e Epsilon?

Saudações
Título: Re: MLU às VdG e/ou BD - Hipóteses
Enviado por: tenente em Junho 09, 2016, 09:58:47 pm
Mas quem falou em reduzir??? E se a aposta for mais duas ao serviço, assim teríamos 4 ao mesmo nível de armamentos e 3 para teatros de baixa intensidade???

A nossa MdG voltar a ter Sete Fragatas ????????
Só em sonhos e com a Armada Espanhola.
Se conseguirmos aparelhar uma classe de fragatas com quatro unidades quando as VdG forem substituídas, podes dar-te por muito feliz, pois nunca teriamos guarnições para as sete Fragatas !!!!
Olha quanto a mim o ideal era conseguirmos ter mesmo com apenas quatro fragatas, quatro NPO´s, quatro LFC, três Tridentes, um LPD e um AOR, umas oito lanchas de 100 Tons, três navios hidrográficos e os já bem conhecidos Sagres, Creoula, uns oito lynx apoiados por pelo menos um par de EH101, e podes crer  possuíamos uma MARINHA muito compostinha, com pelo menos sete Navios de combate, e um total de trinta e dois Navios, uma maravilha !!!!

(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fi1357.photobucket.com%2Falbums%2Fq745%2Fjolumeme%2Frott6_zpsky5u32kj.jpg&hash=4b366cbbefff9d7e96d5d83d79bc4a54) (http://s1357.photobucket.com/user/jolumeme/media/rott6_zpsky5u32kj.jpg.html)

(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fi1357.photobucket.com%2Falbums%2Fq745%2Fjolumeme%2FHMNZS-Canterbury-01-740x492_zps45yjv8fs.jpg&hash=2f8ce9a2358c104e31eb97532a6f9c23) (http://s1357.photobucket.com/user/jolumeme/media/HMNZS-Canterbury-01-740x492_zps45yjv8fs.jpg.html)

(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fi1357.photobucket.com%2Falbums%2Fq745%2Fjolumeme%2FNPO-NRP-Figueira-da-Foz-1024x475_zpsuaymrbpb.jpg&hash=dbea17e2ca363716e47a50cd3a268d85) (http://s1357.photobucket.com/user/jolumeme/media/NPO-NRP-Figueira-da-Foz-1024x475_zpsuaymrbpb.jpg.html)

(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fi1357.photobucket.com%2Falbums%2Fq745%2Fjolumeme%2FComo%2520os%2520Novos%2520NPO%25202000%2520deveriam%2520ser_zpsyp9vvy9e.jpg&hash=5541af2ed857acc077be04ca0644bb6e) (http://s1357.photobucket.com/user/jolumeme/media/Como%20os%20Novos%20NPO%202000%20deveriam%20ser_zpsyp9vvy9e.jpg.html)

(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fi1357.photobucket.com%2Falbums%2Fq745%2Fjolumeme%2F7-100-plan-prof_1_zps256xtlpe.jpg&hash=cea0ed2e85cfcf741f2a868b6dbf3fd2) (http://s1357.photobucket.com/user/jolumeme/media/7-100-plan-prof_1_zps256xtlpe.jpg.html)

(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fi1357.photobucket.com%2Falbums%2Fq745%2Fjolumeme%2FNRP_Tejo2_alterada_zpsy6mquleq.jpg&hash=f48414d7c5aebe09aa46d354cadef66f) (http://s1357.photobucket.com/user/jolumeme/media/NRP_Tejo2_alterada_zpsy6mquleq.jpg.html)

(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fi1357.photobucket.com%2Falbums%2Fq745%2Fjolumeme%2FFragata%2520Bartolomeu%2520Dias_zpse9hwyyez.jpg&hash=3fd5fd80c596c2f0c0ebc4ac193ea289) (http://s1357.photobucket.com/user/jolumeme/media/Fragata%20Bartolomeu%20Dias_zpse9hwyyez.jpg.html)

(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fi1357.photobucket.com%2Falbums%2Fq745%2Fjolumeme%2FDamen_LSV_Supporter_190001_zpswmc9vkab.png&hash=00d2de5ab00c95a8f5f67060dfd68244) (http://s1357.photobucket.com/user/jolumeme/media/Damen_LSV_Supporter_190001_zpswmc9vkab.png.html)


Um Excelente dia de PORTUGAL, para TODOS NÓS é o que eu digo, ou como o Lema da Marinha, A PATRIA HONRAE QUE A PATRIA VOS CONTEMPLA !!!!!!!

Abraços
Título: Re: MLU às VdG e/ou BD - Hipóteses
Enviado por: Major Alvega em Junho 22, 2016, 11:22:01 pm
 Fragatas da classe Valour (Meko A200) de uma concepção posterior ás Vasco da Gama, lançadas á água 10 anos depois já vão receber o upgrade necessário.
 
http://www.miltechmag.com/2016/06/south-african-navy-valour-class.html
Título: Re: MLU às VdG e/ou BD - Hipóteses
Enviado por: mafets em Junho 23, 2016, 09:23:52 am
Atenção que as Forças Armadas Sul Africanas estão em sérias dificuldades (piores que as portuguesas). Não se sabe se muito do que está planificado será realmente executado.

Citar
e South African military – once feared across much of Africa – is today in steep decline. Its budget has been slashed; its equipment unserviced and unserviceable and its troops demoralised. In the 1980s – at the height of apartheid – the country spent four per cent of GDP on the military. Today that figure stands at around one per cent. While cuts were certainly justified, the scale of the reductions has done lasting damage to the Defence Force.

This is, of course, not the impression the Ministry of Defence provides the South African public. On the face of it, life continues as normal. A major military exercise is currently under way with the United States military.

And South African troops are being readied for deployment in the Democratic Republic of Congo, to participate in what the United Nation describes as its first-ever “offensive” combat force. This is intended to carry out targeted operations to “neutralise and disarm” the notorious M23 rebels currently operating around the eastern town of Goma, as the United Nations press release put it.

Leaving this confusion aside, there are real questions about the South African military’s ability to go on mounting such operations. The past few months have seen a series of setbacks.

Earlier this month it was revealed that the Air Force has no maintenance contract for the 26 Grippen fighter jets, ordered at great cost in 1999. Without maintenance they aircraft are almost useless.
 
None of the Air Force’s Agusta light utility helicopters are flying any more, because there are no funds for the exercises.
 
One of South Africa’s submarines – the SAS Queen Modjadji - had its outer hull damaged after hitting the seabed. This led to questions in Parliament, with calls for those responsible to be disciplined, and complaints that the accident “speaks of negligence and poor training.”
 
The main naval shipyard, at Simonstown, is running at less than a third of the capacity required to service the fleet, and is – according to the Chief of the Navy, Vice Admiral Refiloe Mudimu -  unable to recruit the skilled staff it requires.

Heitmann believes the R40bn funding (1.1 per cent of GDP) would need to be doubled to provide South Africa with a force that can really meet the defence needs of the country.

“At present the Defence Force can provide border protection, one African peacekeeping operation and can either patrol South Africa’s own waters or fight piracy in the Mozambique channel – but not both,” says Heitmann.
 

http://www.newstatesman.com/international-politics/2013/07/south-africas-military-meltdown (http://www.newstatesman.com/international-politics/2013/07/south-africas-military-meltdown)

Cumprimentos
Título: Re: MLU às VdG e/ou BD - Hipóteses
Enviado por: Charlie Jaguar em Junho 23, 2016, 11:28:11 am
Citar
MAST Europe 2016: Portugal updates frigate modernisation roadmap
Alex Pape, Amsterdam - IHS Jane's Navy International
22 June 2016

The Portuguese Navy is to follow the path set by the Royal Dutch and Belgian navies to modernise its pair of M-class frigates, locally referred to as the Bartolomeu Dias class. Speaking at the MAST maritime defence exhibition in Amsterdam, Rear Admiral Jose Belo Garcia, head of Ships Directorate for the Portuguese Navy, noted that the navy had decided to upgrade the two ex-Royal Netherlands Navy (RNLN) frigates.

The Portuguese Navy acquired the ex-RNLN ships, decommissioned early under defence cuts, under a 2006 contract. The first vessel, Bartolomeu Dias (ex- Van Nes , decommissioned from the RNLN in December 2007) was handed over in January 2009.

http://www.janes.com/article/61706/mast-europe-2016-portugal-updates-frigate-modernisation-roadmap
Título: Re: MLU às VdG e/ou BD - Hipóteses
Enviado por: Charlie Jaguar em Agosto 05, 2016, 12:00:36 pm
As modernizadas primas australianas das nossas Meko 200PN fizeram um brilharete no exercício RIMPAC 2016.  max1x1

http://www.janes.com/article/62790/rimpac-2016-anzac-frigate-hmas-ballarat-proves-out-anti-ship-missile-upgrades

Título: Re: MLU às VdG e/ou BD - OTO MELARA 76mm
Enviado por: tenente em Agosto 22, 2016, 11:49:17 am
Boas,

Como a Marinha dos EUA, está a abater as classe OHP, única classe de Fragatas Americana que utiliza o reparo OM 76mm;

(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fi1357.photobucket.com%2Falbums%2Fq745%2Fjolumeme%2F1330069355932502312_zpsqncflp25.jpg&hash=5b468e07b4b52918ee911952282ab39c) (http://s1357.photobucket.com/user/jolumeme/media/1330069355932502312_zpsqncflp25.jpg.html)

http://www.maritime-executive.com/article/last-of-its-kind
 
Como possuem dezenas de milhares de granadas daquele calibre que, com a excepção da Guarda Costeira, não terão utilização;

Como a possível substituição dos Bofors 57mm dos LCS por 76mm, se vier a tornar-se realidade nunca acontecerá antes de 2020, data para que o primeiro LCS, seja sujeito a melhorias de armamento principal;

(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fi1357.photobucket.com%2Falbums%2Fq745%2Fjolumeme%2F1330069356410455080_zpsoi4ccxxh.jpg&hash=845e5dba72bf5d692b2c0d7df4c5e2ea) (http://s1357.photobucket.com/user/jolumeme/media/1330069356410455080_zpsoi4ccxxh.jpg.html)

Como ainda não foi decidido qual será o armamento principal da FF dos EUA, se o 57mm, para o qual a maioria dos decisores está a pender, ou o OM 76mm, sistema que é preferido por alguns pois consegue combater para lá do horizonte a 8 ou 9 Milhas naúticas, contra as apenas 3,5 milhas náuticas para tiro efectivo do Bofors 57mm, factor que limita a capacidade deste sistema;

Como estas alíneas se conjugam, a nosso favor, digo eu, não seria  uma boa oportunidade contactar as entidades Norte Americanas, para se tentar adquirir os reparos de 76mm necessários, e respectivas munições que apesar de  terem uns anos o que podem necessitar é de substituição das espoletas e de aquisição de novos tipos de espoleta que a Finmeccanica está actualmente a desenvolver,  para reequipar as VdG, uma vez que pelo que me é dado saber vamos ficar com esta classe pelo menos mais vinte anos, e, assim, ficarmos com o mesmo sistema de tiro/calibre nas cinco fragatas que possuímos ? 

(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fi1357.photobucket.com%2Falbums%2Fq745%2Fjolumeme%2Fvasco-da-gama_zps9o2ho2ba.jpg&hash=749f24785ea810b315f236118b033bf9) (http://s1357.photobucket.com/user/jolumeme/media/vasco-da-gama_zps9o2ho2ba.jpg.html)

(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fi1357.photobucket.com%2Falbums%2Fq745%2Fjolumeme%2Fp1090210_zpsf8zm8sro.jpg&hash=3602e303683068be183bdbbd10696aba) (http://s1357.photobucket.com/user/jolumeme/media/p1090210_zpsf8zm8sro.jpg.html)

Abraços
Título: Re: MLU às VdG e/ou BD - Hipóteses
Enviado por: mafets em Agosto 22, 2016, 02:28:33 pm
Já agora um interessante artigo de 2006: http://www.navweaps.com/Weapons/WNUS_3-62_mk75.php (http://www.navweaps.com/Weapons/WNUS_3-62_mk75.php)
Citar
One of the most popular naval guns ever produced, with OTO-Melara reporting that about 1,000 Compact and SR guns were in service in 51 navies around the world as of December 2002. This weapon is produced under license in Australia, India, Japan, Spain and USA. It is manufactured in the United States by United Defense (now part of BAE Systems), in Japan by Japan Steel Works and in Spain by FABA (formerly IZAR, formerly Bazán).

Under USN nomenclature, the Compact is designated as the Mark 75. USN ships use the Mark 92 FCS which is the USN's version of the Signall M20 series FCS. The Naval Systems Division (NSD) of FMC Corporation and General Electric Co. (Ordnance Systems Division) were both licensed by OTO-Melara and competed for the right to manufacture the Mark 75 in the United States. In 1975, FMC/NSD (now part of United Defense) won the competition and the first gun mount produced in the United States was delivered in August 1978. Since 1981 all Mark 75 orders for the USN were competed for by FMC/NSD and OTO-Melara.

The Compact was developed from the earlier 76 mm/62 M.M.I. mounting and uses a two-piece water-cooled barrel with a replaceable liner. The gun is fitted with a small-hole muzzle brake and fume extractor. The shield is made of fiberglass.

There are reports that the Compact has reliability and accuracy problems. When fired at maximum ROF, there is a tendency for the mount to "self-destruct," in the words of one of the Project Engineers who worked on the weapon. During a test shoot, the weapon was unable to hold a 20-round burst on a 20 x 20 foot (6m x 6m) target at 500 yards (460 m).

The "Super Rapid" (SR) is an improved, faster-firing version designed specifically for anti-ship missile defense. Accuracy was improved compared to the Compact, partly by reducing the weight of the moving parts which reduced the vibration problems. OTO-Melara claims that these changes have reduced the standard deviation values to less than 0.3 milrads (0.017 degrees) at 1,000 m(1,100 yards) per burst of 10 rounds when fired at the maximum ROF.

The gun shield for the SR is a rounded design similar to that for the Compact. However, this similarity is only skin-deep as the SR mounting has been strengthened in order to resist overpressures up to 14 psi (1.0 kg/cm2) vs. a 7 psi (0.5 kg/cm2) rating for the Compact mounting. As an option, both the Compact and the SR are available with a boxier-looking reduced radar cross section (RCS) gun shield and one of these was used to arm the French-built Saudi Arabian frigate Makkah.

To achieve the higher rates of fire for the SR, OTO-Melara modified the ordnance itself as well as the ammunition feed and fuzing. As a result, existing Compact mountings cannot be converted to the SR standard, but a retrofit kit is available that does increase the ROF for the older weapon. The magazine for the SR is independent of the turret, which means that the feed can be interrupted to insert different kinds of ammunition, making the gun more flexible against multiple targets.

The Italian Navy considers the SR to be an effective anti-missile weapon and new ships are being built with this weapon in place of the twin "Fast 40" used on earlier ships in that role. OTO-Melara estimates that, combined with the Dardo FCS, the SR can begin engaging attacking missiles at about 6,600 yards (6,000 m), with the first rounds arriving on target at 6,000 yards (5,500 m). With these ranges, a single gun can deal with up to four subsonic sea-skimmer missiles, arriving simultaneously on courses 90 degrees apart, before any reaches 1,100 yards (1,000 m).

As of this time (March 2006), the USN has no plans to use the SR version. Existing ships will continue to use the Compact and newer ships are being fitted with the 57 mm Mark 110.

Compared with the USN 5" (12.7 cm) and Italian 127 mm (5") guns, these weapons cannot fire any of the more sophisticated munitions as they use a much smaller projectile. Compared to the older USN 3" (7.62 cm) and Italian 76 mm (3") M.M.I. guns, this weapon has far lower manning requirements and carries a much larger supply of ready-service ammunition, allowing the gun to fire longer bursts without reloading. As the Compact and SR mountings are very nearly unmanned, they can fire at very short notice, about five to ten seconds from a cold start.

OTO-Melara is now offering the DAVIDE anti-missile system for both new installations and as a retro-fit kit to existing mountings. This system is designed to allow these guns to act as an inner-defense against sea-skimming or diving supersonic and subsonic missiles. The system will be used in conjunction with the steerable DART anti-missile projectile and provides a continuous data stream to all projectiles in flight.

Actual bore diameter of all guns is 76.2 mm (3.00").
(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fwww.navweaps.com%2FWeapons%2FWNUS_3-62_mk75_sketch.jpg&hash=149fab4b2765963122be00b35b4ff22c)
(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fwww.navweaps.com%2FWeapons%2FWNUS_3-62_mk75_factory_pic.jpg&hash=ce26f17cebee564d08f063a234f18ec9)

Saudações
Título: Re: MLU às VdG e/ou BD - Hipóteses
Enviado por: HSMW em Agosto 22, 2016, 03:01:54 pm
Quais a reais vantagens e desvantagens das Oto Melara 76mm em relação às 100mm Francesas das VdG?
Título: Re: MLU às VdG e/ou BD - Hipóteses
Enviado por: tenente em Agosto 22, 2016, 03:59:39 pm
Quais a reais vantagens e desvantagens das Oto Melara 76mm em relação às 100mm Francesas das VdG?

A maior de todas para mim é esta peça ser utilizada por N marinhas, em número bem superior aos utilizadores das 100mm francesas.

Existirem várias versões da mesma peça, com cadências de tiro que vão dos 60 aos 120 TPM, se fabricarem as munições para as ditas, e, e existirem algumas centenas de milhar por aí armazenadas, se estarem a desenvolver pela finmeccanica, outras capacidades no que concerne ás granadas em si, sendo a Vulcano a mais evoluída do actual arsenal.

(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fi1357.photobucket.com%2Falbums%2Fq745%2Fjolumeme%2FVULCANO-System-1_zpsfjnnztzb.jpg&hash=c3417f4e0d1a0d86f23dcf517bf44851) (http://s1357.photobucket.com/user/jolumeme/media/VULCANO-System-1_zpsfjnnztzb.jpg.html)
As Vulcano

http://www.leonardocompany.com/en/-/76-62-super-rapid

http://defense-update.com/20110928_oto-melara-introduces-a-76mm-version-of-vulcano-multi-mission-long-range-naval-projectile-technology.html

http://www.navyrecognition.com/index.php/news/defence-news/year-2014-news/april-2014-navy-naval-forces-maritime-industry-technology-security-global-news/1763-oto-melara-dartstrales-76mm-guided-ammunition-successfully-tested.html

(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fi1357.photobucket.com%2Falbums%2Fq745%2Fjolumeme%2FFFG57_021022-N-4309A-379_zpsuvupoqbp.jpg&hash=0f27b5cc1820a822e37f9db8723a72dd) (http://s1357.photobucket.com/user/jolumeme/media/FFG57_021022-N-4309A-379_zpsuvupoqbp.jpg.html)

(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fi1357.photobucket.com%2Falbums%2Fq745%2Fjolumeme%2F0072-DSC_4420_zpslxoryzyk.jpg&hash=d24a8da405878d97754b7d0dccc0d254) (http://s1357.photobucket.com/user/jolumeme/media/0072-DSC_4420_zpslxoryzyk.jpg.html)

(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fi1357.photobucket.com%2Falbums%2Fq745%2Fjolumeme%2Fimage819_zpsmhq4bpdt.jpg&hash=80b635f781c71c71f4ace32503db17e7) (http://s1357.photobucket.com/user/jolumeme/media/image819_zpsmhq4bpdt.jpg.html)

(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fi1357.photobucket.com%2Falbums%2Fq745%2Fjolumeme%2Fimage821_zpsz8wk6pxl.jpg&hash=ce668330d599bd254d2451beecf7cc88) (http://s1357.photobucket.com/user/jolumeme/media/image821_zpsz8wk6pxl.jpg.html)

(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fi1357.photobucket.com%2Falbums%2Fq745%2Fjolumeme%2F76sr_495_zpsjagatrvr.jpg&hash=ee8c1b49c01dde2102f5fc9c57e43472) (http://s1357.photobucket.com/user/jolumeme/media/76sr_495_zpsjagatrvr.jpg.html)

(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fi1357.photobucket.com%2Falbums%2Fq745%2Fjolumeme%2F76_62_zpsdc4k2jn1.jpg&hash=9a59d16632d8173efa2eaff6700e4865) (http://s1357.photobucket.com/user/jolumeme/media/76_62_zpsdc4k2jn1.jpg.html)

http://www.navweaps.com/Weapons/WNUS_3-62_mk75.php
Favor ver este link !!!!!

Abraços
Título: Re: MLU às VdG e/ou BD - Hipóteses
Enviado por: mafets em Agosto 22, 2016, 04:06:07 pm
Segundo a publicação em questão: https://defencyclopedia.com/2016/05/02/analysis-importance-of-naval-guns-on-a-modern-warship/ (https://defencyclopedia.com/2016/05/02/analysis-importance-of-naval-guns-on-a-modern-warship/)
(https://defencyclopedia.files.wordpress.com/2016/04/oto_melara_76_mm_cannon_turret1.jpg?w=1000)
Citar
76 mm

This is the most popular medium caliber gun in the world due to the excellent balance of range, firepower and rate of fire offered by most 76 mm guns. The Italian Oto Melara rules this category and has almost no competition. There are several other guns like the Russian Ak-176, Chinese Ak-176 (reverse engineered) which are also used. The best part about the 76 mm Oto is that it can be installed on small corvettes with ease, providing them with a significant amount of firepower. The high rate of fire of 120 rds/min and the range of 15 km provided by the Oto Melara SRGM makes it the perfect dual-role weapon which can engage surface and aerial targets with equal effectiveness.
(https://i0.wp.com/i59.fastpic.ru/big/2013/1029/8c/474bd270e791432a96aef9f105e8d98c.jpg)
Citar
The 100 mm naval gun is quite popular and its largest user is the Russian Navy, which has them fitted on most of their destroyers, frigates and corvettes. Earlier a major user of 76 mm guns, Russia has completely switched over to the 100 mm A-190-01 gun for the advantages in firepower and range that it offers over smaller calibers. This gun features a stealthy cupola and can fire at a rate of 80 rds/min up to a distance of over 20 km. Being lightweight, it can be installed on any ship greater than 500 tons in displacement. Countries like France, China and India use this caliber gun in very small quantities. Overall the 100 mm gun has a future only with the Russian Navy as the others prefer either the 76 mm or 127 mm guns.

Cumprimentos
Título: Re: MLU às VdG e/ou BD - Hipóteses
Enviado por: Major Alvega em Setembro 07, 2016, 12:22:26 pm
(https://scontent-lhr3-1.xx.fbcdn.net/t31.0-8/14258143_1205797496108098_3540385842983165903_o.jpg)

Disparo de uma bala de uma arma de um navio da classe Vasco da Gama. Momento raro e inédito captado via FB Marinha Portuguesa.
Título: Re: MLU às VdG e/ou BD - Hipóteses
Enviado por: tenente em Setembro 07, 2016, 02:08:16 pm
(https://scontent-lhr3-1.xx.fbcdn.net/t31.0-8/14258143_1205797496108098_3540385842983165903_o.jpg)

Disparo de uma bala de uma arma de um navio da classe Vasco da Gama. Momento raro e inédito captado via FB Marinha Portuguesa.

Ai as balas, ai as balas sr Major Alvega...............eles andem aí !!!!!!
Título: Re: MLU às VdG e/ou BD - Hipóteses
Enviado por: Major Alvega em Setembro 07, 2016, 04:15:23 pm
 Pronto! Está bem, munição!  :D

 Mas não vale a pena desviar-nos do principal, que foi esta pequena "extravagância"... (um dia não são dias, não é?)

 
Título: Re: MLU às VdG e/ou BD - Hipóteses
Enviado por: AzimuteDefesa em Outubro 22, 2016, 10:21:21 am
Citar
Diário da Republica – Modernização do sistema de Tactical Data Links das fragatas

Despacho n.º 12624/2016 – Diário da Republica N.º 202/2016, Série II de 2016-10-20.

Considerando que o programa de modernização de meia-vida das fragatas (MLU FFGH), retomado em 2012, tem como objetivo a sustentação e modernização destes meios, assegurando a sua operacionalidade até 2035.

Considerando que no presente programa de modernização, revela- -se de suma importância modernizar o sistema de Tactical Data Links (TDL) Link 11 e edificar capacidade Link 22 e Link 16, bem como a correspondente edificação das valências de apoio logístico integrado que permitam sustentar, manter e operar estes sistemas do simulador do Centro Integrado de Treino e Avaliação Naval (CITAN).

...

Ler Mais: http://www.azimutedefesa.com/2016/10/21/diario-da-republica-modernizacao-do-sistema-de-tactical-data-links-das-fragatas/


Destacar o ano de 2035.
Título: Re: MLU às VdG e/ou BD - Hipóteses
Enviado por: Major Alvega em Outubro 22, 2016, 03:53:03 pm
 2035!

 O Diário da República, estamos a falar do Estado, fala em modernização. O que é uma falácia a juntar a muitas outras mesta matéria. Isto é uma actualização de um sistema "intangível" do navio, não é uma modernização. Modernização é por exemplo o que as marinhas australiana e neozelandesa efectuaram aos navios, isto para só falarmos de navios com características muito idênticas ás VdG.

 Claro já se percebeu que não vai haver nenhuma modernização. Andam para ali a arrastar os pés e a fingir que modernizam, são uns flat screens para os operadores do sonar, é um pequeno update no canhão Gatling 20mm, é o data-link etc. Brincam ás modernizações e depois atiram para frente prazos de execução para 2000 e vinte e tal. Mais ridículo do que isto não há.
E depois dizem que é para estar operacional até 2035, que cá é a mesma coisa de dizer que é para 2040 até ter 50 ou 60 anos. Nessa altura já os navios voam e vão à lua.

Estamos bem entregues a estes tipos. É o que é!

Título: Re: MLU às VdG e/ou BD - Hipóteses
Enviado por: Major Alvega em Outubro 22, 2016, 09:12:45 pm
 
 (https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fwww.histarmar.org%2FArmadasExtranjeras%2FParaguay%2FEhlers%2FParaguay.JPG&hash=5098c75986b2916c237835fd3d1da671)
 Este também tem levado umas modernizações.
 O navio C1 Paraguay foi lançado à água pela 1ª vez em 1931. Quando completou 25 anos de serviço em 1956, a armada do Paraguai anunciou a sua modernização a iniciar-se em 1966 para ficar operacional até ao ano 2000. Agora estamos em 2016 e já está planeada uma outra modernização nos "datalinques" para ficar operacional até 2031.
Título: Re: MLU às VdG e/ou BD - Hipóteses
Enviado por: P44 em Dezembro 19, 2016, 02:55:45 pm
Naval Analyses ‏@D__Mitch  19h19 hours ago
Naval Analyses Retweeted Marineschepen
Belgium wants its future frigates to have Ballistic Missile Defence (BMD) capability

artigo original em holandes:

Marineschepen
‏@marineschepen
België wil met de nieuwe fregatten, die samen met NL ontwikkeld worden, raketten in de ruimte kunnen neerhalen.
https://t.co/J581FnbLTG

Título: Re: MLU às VdG e/ou BD - Hipóteses
Enviado por: P44 em Janeiro 31, 2017, 07:50:22 pm
Voor het eerst sinds lange tijd weer 5 M-fregatten in Den Helder, de Belgen en Portugezen meegeteld.  Samenwerken is elkaar versterken!

tradução google:
For the first time in years five M-class frigates in Den Helder, counted Belgians and Portuguese. Cooperation is mutually reinforcing!

(https://pbs.twimg.com/media/C3gh0uvXUAEi9zR.jpg:large)

https://twitter.com/GeneraalVerkerk/status/826447737180811264


---

será que tem alguma coisa a ver com o MLU?
Título: Re: MLU às VdG e/ou BD - Hipóteses
Enviado por: HSMW em Janeiro 31, 2017, 10:44:16 pm
(https://2.bp.blogspot.com/-OrqwSdxMVlA/WH5Pak6ELDI/AAAAAAAAI3M/dyyHwzQhfu8T1X8pav6Wy0p1QvbpEnsgACLcB/s1600/%25CE%2597ydra%2Bupgraded.jpg)
Uma ideia de upgrade às Hydra gregas.
(Photoshop!)
Título: Re: MLU às VdG e/ou BD - Hipóteses
Enviado por: P44 em Fevereiro 01, 2017, 01:15:38 am
Confirma-se que está relacionado com o MLU
Título: Re: MLU às VdG e/ou BD - Hipóteses
Enviado por: mafets em Fevereiro 01, 2017, 10:16:28 am
Até as Hydra já operam o ESSM. Vamos bem...  :o ::) https://en.wikipedia.org/wiki/Hydra-class_frigate (https://en.wikipedia.org/wiki/Hydra-class_frigate)
(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fwww.hellenicnavy.gr%2Fimages%2Fwidgetkit_fregates%2Fydra%2Ff-452.jpg&hash=83d1be7bfa4541f496a3fe981fd340ab)
Citar
Hengelo, Greece (SPX) Aug 19, 2008
On 2 June the new ESSM (Evolved Sea Sparrow Missile) control capability on board of the Hellenic Navy's HS Salamis of the Hydra class proved to be successful.
In the Live Firing Test, the Thales STIR fire control system guided the ESSM missile with such accuracy to an IRIS drone at a range of approximately 5 NM, that the missile fully hit the drone.

(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fwww.spacewar.com%2Fimages%2Fessm-evolved-sea-sparrow-missile-bg.jpg&hash=bdf2056db1bef58c72b1eb9cd571bbb7)

http://www.spacewar.com/reports/Thales_Successful_In_ESSM_Live_Firing_Test_999.html (http://www.spacewar.com/reports/Thales_Successful_In_ESSM_Live_Firing_Test_999.html)

Saudações
Título: Re: MLU às VdG e/ou BD - Hipóteses
Enviado por: Charlie Jaguar em Fevereiro 01, 2017, 11:53:06 am
Voor het eerst sinds lange tijd weer 5 M-fregatten in Den Helder, de Belgen en Portugezen meegeteld.  Samenwerken is elkaar versterken!

tradução google:
For the first time in years five M-class frigates in Den Helder, counted Belgians and Portuguese. Cooperation is mutually reinforcing!

(https://pbs.twimg.com/media/C3gh0uvXUAEi9zR.jpg:large)

https://twitter.com/GeneraalVerkerk/status/826447737180811264


---

será que tem alguma coisa a ver com o MLU?

É sim, Pêzinho, aliás como tu próprio confirmaste posteriormente.  ;)

Naquele "ajuntamento" de M's nota-se bem a nossa BD, a única fragata que não tem o mastro modernizado.  ::)
Título: Re: MLU às VdG e/ou BD - Hipóteses
Enviado por: P44 em Fevereiro 01, 2017, 12:32:19 pm
Grande Sábio Charlie,

Quer dizer que vai já lá ficar para inicio da modernização?
Título: Re: MLU às VdG e/ou BD - Hipóteses
Enviado por: nelson38899 em Fevereiro 01, 2017, 12:36:22 pm
Grande Sábio Charlie,

Quer dizer que vai já lá ficar para inicio da modernização?

eu não sou o charlie, mas o que me disseram é que uma ficará na Holanda para MLU e a outra o MLU será feito cá.
Título: Re: MLU às VdG e/ou BD - Hipóteses
Enviado por: Crypter em Fevereiro 01, 2017, 12:37:59 pm

Naquele "ajuntamento" de M's nota-se bem a nossa BD, a única fragata que não tem o mastro modernizado.  ::)

A qualidade do mastro não se mede pela grossura...

Desculpem.. não resisti  ;D ;D
Título: Re: MLU às VdG e/ou BD - Hipóteses
Enviado por: P44 em Fevereiro 01, 2017, 12:53:37 pm
Grande Sábio Charlie,

Quer dizer que vai já lá ficar para inicio da modernização?

eu não sou o charlie, mas o que me disseram é que uma ficará na Holanda para MLU e a outra o MLU será feito cá.

Sim, eu sei, isso está algures neste tópico, a BD seria modernizada na Holanda em 2017 e a FdA no Alfeite em 2018...a minha questão é se a modernização vai já ter inicio, ou se é uma fase preliminar e vai voltar para cá e depois então ir para a modernização ...
Título: Re: MLU às VdG e/ou BD - Hipóteses
Enviado por: Cabeça de Martelo em Fevereiro 01, 2017, 04:00:19 pm
Confirma-se que está relacionado com o MLU

MLU ainda não definido pelo estado Português... :o
Título: Re: MLU às VdG e/ou BD - Hipóteses
Enviado por: Charlie Jaguar em Fevereiro 01, 2017, 04:02:38 pm
Grande Sábio Charlie,

Quer dizer que vai já lá ficar para inicio da modernização?

eu não sou o charlie, mas o que me disseram é que uma ficará na Holanda para MLU e a outra o MLU será feito cá.

Sim, eu sei, isso está algures neste tópico, a BD seria modernizada na Holanda em 2017 e a FdA no Alfeite em 2018...a minha questão é se a modernização vai já ter inicio, ou se é uma fase preliminar e vai voltar para cá e depois então ir para a modernização ...

Segundo aquilo que tenho ouvido dito por pessoal da Armada, a BD será já para lá ficar. Terá sido uma missão 2 em 1, escoltou o grupo de batalha do Kuznetsov enquanto seguia caminho para Den Helder.

A D, Francisco de Almeida deverá começar a modernização no AA no segundo semestre de 2018, depois de concluídos os trabalhos na BD na Holanda.
Título: Re: MLU às VdG e/ou BD - Hipóteses
Enviado por: faica em Fevereiro 01, 2017, 07:18:22 pm
Grande Sábio Charlie,

Quer dizer que vai já lá ficar para inicio da modernização?

eu não sou o charlie, mas o que me disseram é que uma ficará na Holanda para MLU e a outra o MLU será feito cá.

Sim, eu sei, isso está algures neste tópico, a BD seria modernizada na Holanda em 2017 e a FdA no Alfeite em 2018...a minha questão é se a modernização vai já ter inicio, ou se é uma fase preliminar e vai voltar para cá e depois então ir para a modernização ...

Calma não entrem em stress, o navio foi fazer provas de avaliação "orçamentação" para se saber qual o valor e a extensão da modernização poderá regressar a lisboa ou não dependendo do goito disponível  para essa modernização, a intensão é para ficar na holanda para começar a modernização, esperemos para ver.
Título: Re: MLU às VdG e/ou BD - Hipóteses
Enviado por: P44 em Fevereiro 01, 2017, 07:56:43 pm
Só por curiosidade fui dar um saltinho ao Dutchfleet

lá encontrei isto:

Citar
Jep, de Portugezen willen een upkeep programma. Niet zo uitgebreid als dat van onze M's, maar wel grotendeels!

tradução
Citar
Yep, the Portuguese like a upkeep program. Not as extensive as that of our M's, but mostly!
Título: Re: MLU às VdG e/ou BD - Hipóteses
Enviado por: P44 em Fevereiro 02, 2017, 12:58:01 pm
do dutchfleet

(https://s19.postimg.org/5c0hy6olv/IMG_3130_(800x600).jpg)
(https://s19.postimg.org/9mf5trtoz/IMG_3127_(600x800).jpg)
(https://s19.postimg.org/t5jr34sgj/IMG_3128_(800x600).jpg)
Título: Re: MLU às VdG e/ou BD - Hipóteses
Enviado por: P44 em Fevereiro 07, 2017, 02:30:49 pm
Estará a voltar?   :-[ :-\

https://www.marinetraffic.com/en/ais/details/ships/shipid:317895/mmsi:263020000/vessel:NRP%20BARTOLOMEU%20DIAS
Título: Re: MLU às VdG e/ou BD - Hipóteses
Enviado por: miguelbud em Fevereiro 07, 2017, 02:49:42 pm
Pelo trajecto que fez nao me parece, o navio anda ali ás voltas. Veja lá o past track.
Título: Re: MLU às VdG e/ou BD - Hipóteses
Enviado por: Charlie Jaguar em Fevereiro 07, 2017, 04:55:00 pm
Estará a voltar?   :-[ :-\

https://www.marinetraffic.com/en/ais/details/ships/shipid:317895/mmsi:263020000/vessel:NRP%20BARTOLOMEU%20DIAS

A BD continua sossegadinha em Den Helder.  ;)
Título: Re: MLU às VdG e/ou BD - Hipóteses
Enviado por: P44 em Fevereiro 07, 2017, 07:46:06 pm
Tendes razão. Fui agora ver o Marine Traffic e atracou de novo em Den Helder ás 17h30.
Título: Re: MLU às VdG e/ou BD - Hipóteses
Enviado por: Charlie Jaguar em Fevereiro 08, 2017, 04:01:26 pm
Citar
Chief of the Portuguese Navy expresses need for new Frigates
submitted 15 hours ago by PyroSatan

Today, the Chief of the Portuguese Navy made a statement to the Government officially requesting the need for a new, modern Surface Combatant to replace the aging Karel Doorman-Class and Vasco da Gama-Class Frigates which are past forty years of service.

Of course, with the current condition of the Portuguese Economy, this can not be fulfilled. We must hope that the European Union pulls through with the bailout and economic plans we have levied recently at the EU Congress.

https://www.reddit.com/r/GlobalPowers/comments/5sp6u3/event_chief_of_the_portuguese_navy_expresses_need/
Título: Re: MLU às VdG e/ou BD - Hipóteses
Enviado por: Crypter em Fevereiro 08, 2017, 04:50:30 pm
Fragatas com 40 anos??

Tanto as VG como as BD foram comissionadas entre 1990 e 1991 o que dá 27/28 anos..

Estaria a referir-se às corvetas? Essas sim com perto de 40 anos

Título: Re: MLU às VdG e/ou BD - Hipóteses
Enviado por: HSMW em Fevereiro 08, 2017, 07:03:22 pm
E logo a seguir tem tinha de vir um brasileiro a querer vender uma coisa que não existe...
Essa coisa do Reddit ainda é pior que os comentários do youtube...  ::)
Título: Re: MLU às VdG e/ou BD - Hipóteses
Enviado por: Alvalade em Fevereiro 09, 2017, 08:20:49 am
Mais atenção

Citar
/r/GlobalPowers is a realistic and diplomacy-focused spin on the nation-state text roleplaying genre. We offer a unique environment that aims to simulate a plausible future, complete with a weekly United Nations, economic forecasts, and a dedicated group of players and mods who are dedicated to the community. Whatever your strengths and goals, we welcome you - so pick a nation from the available listing, and hop in!
Título: Re: MLU às VdG e/ou BD - Hipóteses
Enviado por: diogo13350 em Fevereiro 09, 2017, 11:27:08 am
Mais atenção

Citar
/r/GlobalPowers is a realistic and diplomacy-focused spin on the nation-state text roleplaying genre. We offer a unique environment that aims to simulate a plausible future, complete with a weekly United Nations, economic forecasts, and a dedicated group of players and mods who are dedicated to the community. Whatever your strengths and goals, we welcome you - so pick a nation from the available listing, and hop in!

Esse site é uma porcaria segue apenas quantidade e não a qualidade dos equipmentos.
Título: Re: MLU às VdG e/ou BD - Hipóteses
Enviado por: Charlie Jaguar em Fevereiro 09, 2017, 03:35:09 pm
O site da treta "volta a atacar"...

Citar
Portuguese Navy Modernisation Program
submitted 20 hours ago by PyroSatan

The Portuguese Navy is faced with an aging fleet of warships, with our newest Combat Vessels being built in 2010. (The two Fleet Submarines of the Navy) The Chief of the Portuguese Navy, Admiral Joao Dias, has been faced with a serious issue; The current fleet of Karel Doorman and Vasco da Gama-Class Frigates are becoming more expensive to maintain than it would be to just buy new Surface Combatants. So, the Portuguese Navy has been allocated $1.1 Billion to modernise the fleet to a level where the waters from Madeira to the Azores to Beira to Algarve can be safe from any exterior naval threat.

The Portuguese Navy is looking to receive bids for new Surface Combatant Vessels to replace our Karel Doorman Class. We will also be funding the development of a new indigenous Frigate type like the Vasco da Gama-Class to be built in either Germany or France. We are also in need of a new Fleet Replenishment Ship to replace our current Fleet Oiler, Bérrio. We express interest in the Italian Fleet Replenishment Ship, Etna, though we also are open to other offers. Since the economic leveling-out of 2016, we feel that Naval Modernisation must be given serious thought.

https://www.reddit.com/r/GlobalPowers/comments/5sujwc/event_portuguese_navy_modernisation_program/

Ou a Beira mencionada é a Litoral, ou então alguém acha que Moçambique ainda é colónia portuguesa.  ;D
Título: Re: MLU às VdG e/ou BD - Hipóteses
Enviado por: Alvalade em Fevereiro 09, 2017, 04:26:22 pm
Amigos, isso não é um subreddit de notícias.

É uma espécie de jogo onde os jogadores "simulam" os países (ou algo do género).
Título: Re: MLU às VdG e/ou BD - Hipóteses
Enviado por: P44 em Fevereiro 09, 2017, 07:43:00 pm
Esse site é o "Blastingnews" para assuntos navais?
Título: Re: MLU às VdG e/ou BD - Hipóteses
Enviado por: Alvalade em Fevereiro 09, 2017, 07:51:47 pm
Esse site é o "Blastingnews" para assuntos navais?

É um jogo tipo nações unidas virtuais.
Título: Re: MLU às VdG e/ou BD - Hipóteses
Enviado por: P44 em Fevereiro 15, 2017, 12:56:33 pm
Bem, a BD está de novo no Alfeite  :-\
Título: Re: MLU às VdG e/ou BD - Hipóteses
Enviado por: Luso em Fevereiro 15, 2017, 05:04:38 pm
Bem, a BD está de novo no Alfeite  :-\

 ;D
- Vocês é que são cá uns crentes!   ::)
Título: Re: MLU às VdG e/ou BD - Hipóteses
Enviado por: nelson38899 em Fevereiro 27, 2017, 04:43:14 pm
Em principio a Bartolomeu Dias deve ir à Holanda nos proximos dias, para ser instalado um nosso sistema Electro-optical (EO) and infrared (IR) sensor systems
Título: Re: MLU às VdG e/ou BD - Hipóteses
Enviado por: P44 em Fevereiro 27, 2017, 10:06:14 pm
Em principio a Bartolomeu Dias deve ir à Holanda nos proximos dias, para ser instalado um nosso sistema Electro-optical (EO) and infrared (IR) sensor systems

Isso implica um mastro novo? Pelo menos o sistema Electro-optical (EO)  vem lá referenciado.

(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2F1.bp.blogspot.com%2F-8yJ27kWO8kA%2FVFyWov6b7DI%2FAAAAAAAAB64%2Fnx-3fAy1I9A%2Fs1600%2FNetherlands%252BM%252BMod.jpg&hash=83eaa832357c74fc09d7cee906390de5)
Título: Re: MLU às VdG e/ou BD - Hipóteses
Enviado por: typhonman em Fevereiro 27, 2017, 11:30:55 pm
Tenho a imagem do SFN aprovado em 2010, qualquer dia meto aqui.

Mas o que está previsto é:

-5 FFG ASuW/ASW

-2 FFG AAW

-2 SSG ( já adquiridos)

-1 LPD

-1 AOR

- 4 MCVC

- 7 Helis ASW


Cumprimentos
Título: Re: MLU às VdG e/ou BD - Hipóteses
Enviado por: P44 em Fevereiro 28, 2017, 03:59:09 pm
???  Isso nao estará no tópico errado?????  ???
Título: Re: MLU às VdG e/ou BD - Hipóteses
Enviado por: typhonman em Fevereiro 28, 2017, 06:02:43 pm
???  Isso nao estará no tópico errado?????  ???

Secalhar está, mas a quantidade de off topics que já vi no forum, o meu post até está enquadrado.

 :-\ :-\
Título: Re: MLU às VdG e/ou BD - Hipóteses
Enviado por: P44 em Março 13, 2017, 06:16:05 pm
Segundo o Marine Traffic, a BD largou hoje da BNL com destino a Itália

https://www.marinetraffic.com/pt/ais/details/ships/shipid:317895/mmsi:263020000/vessel:NRP%20BARTOLOMEU%20DIAS

Este MLU está custoso...
Título: Re: MLU às VdG e/ou BD - Hipóteses
Enviado por: P44 em Março 14, 2017, 08:31:33 pm
Citar
(https://navaltoday.com/wp-content/uploads/2017/03/australian-anzac-class-frigates-complete-anti-ship-missile-defense-upgrade-program.jpg)

Australian Anzac-class frigates complete anti-ship missile defense upgrade program

Royal Australian Navy’s Anzac-class frigate HMAS Stuart is set to complete her anti-ship missile defense upgrade this week, marking the completion of an Australian Navy capability upgrade program that spanned seven years.

Completion of works on HMAS Stuart was announced by contractor BAE Systems who spent the last twelve months working on the final of eight frigates in the class to undergo the upgrade.

The frigate will spend the next few months performing builder’s and sea trials before it returns to the fleet later this year.

During work on the anti-ship missile defense upgrade, the frigates received a new ‘cupola’ mast to house the CEA Phased Array Radar, underwent engineering changes and received a coat of the new Royal Australian Navy ‘haze grey’ paint.

Saab Australia and BAE Systems are the main contractors responsible for upgrading the frigates. HMAS Perth was the first frigate to complete the upgrade in 2011 and HMAS Towoomba, the seventh ASMD-ready frigate undocked on September 13, 2016.

BAE Systems has also started preparatory works on HMS Perth for the Anzac Midlife Capability upgrade Program which will take several months. She will return at a future date for the remainder of the upgrades to be implemented, the company said.

The Midlife Capability upgrade Program is part of a $2 billion, six-year contract which includes improvements to the Anzac fleet including engines, propulsion, lighting, heating, cooling and communications systems, torpedo self-defence, and Nulka enhancements.

HMAS Arunta is scheduled for docking at Henderson in September this year. She will be the first ship to receive all of her upgrades during her 12 months on the hard stand at BAE Systems Henderson.

https://navaltoday.com/2017/03/09/australian-anzac-class-frigates-complete-anti-ship-missile-defense-upgrade-program/
Título: Re: MLU às VdG e/ou BD - Hipóteses
Enviado por: P44 em Abril 01, 2017, 09:28:34 pm
(https://s8.postimg.org/ilv9o6o11/03_digikrant.noordhollandsdagblad.nl_-_Heldersc.jpg)
fonte:
digikrant.noordhollandsdagblad.nl - Heldersche Courant, zaterdag 1 april 2017

traduçao google
Citar
Work to do for Helder naval business. Now the modernization program of the Belgian M-frigates is over, the Portugal sold out M-frigates ex-Van Nes and former Van Galen back to Den Helder. It was agreed that the major maintenance of the place in Den Helder. The Portuguese take part of the modernization program of the Netherlands and Belgium over.

Portanto ambos os navios deverao ser modernizados na Holanda.
Título: Re: MLU às VdG e/ou BD - Hipóteses
Enviado por: nelson38899 em Abril 02, 2017, 02:46:29 pm
(https://s8.postimg.org/ilv9o6o11/03_digikrant.noordhollandsdagblad.nl_-_Heldersc.jpg)
fonte:
digikrant.noordhollandsdagblad.nl - Heldersche Courant, zaterdag 1 april 2017

traduçao google
Citar
Work to do for Helder naval business. Now the modernization program of the Belgian M-frigates is over, the Portugal sold out M-frigates ex-Van Nes and former Van Galen back to Den Helder. It was agreed that the major maintenance of the place in Den Helder. The Portuguese take part of the modernization program of the Netherlands and Belgium over.

Portanto ambos os navios deverao ser modernizados na Holanda.

Disseram-me que uma ia ser actualizada na Holanda e a outra nos AAs.
Título: Re: MLU às VdG e/ou BD - Hipóteses
Enviado por: Charlie Jaguar em Abril 03, 2017, 12:16:12 pm
On-topic/off-topic, vídeo que documenta os últimos dois anos de actividade da fragata M modernizada belga "Leopold I": http://www.mil.be/fr/article/le-leopold-i-lhonneur
Título: Re: MLU às VdG e/ou BD - Hipóteses
Enviado por: tenente em Abril 03, 2017, 12:37:10 pm
On-topic/off-topic, vídeo que documenta os últimos dois anos de actividade da fragata M modernizada belga "Leopold I": http://www.mil.be/fr/article/le-leopold-i-lhonneur

E o belo do ALIII a operar que é uma maravilha, só nós os ricos é que somos finos !!!!!!
Título: Re: MLU às VdG e/ou BD - Hipóteses
Enviado por: P44 em Abril 03, 2017, 12:54:04 pm
(https://s8.postimg.org/ilv9o6o11/03_digikrant.noordhollandsdagblad.nl_-_Heldersc.jpg)
fonte:
digikrant.noordhollandsdagblad.nl - Heldersche Courant, zaterdag 1 april 2017

traduçao google
Citar
Work to do for Helder naval business. Now the modernization program of the Belgian M-frigates is over, the Portugal sold out M-frigates ex-Van Nes and former Van Galen back to Den Helder. It was agreed that the major maintenance of the place in Den Helder. The Portuguese take part of the modernization program of the Netherlands and Belgium over.

Portanto ambos os navios deverao ser modernizados na Holanda.

Disseram-me que uma ia ser actualizada na Holanda e a outra nos AAs.
Pode ter havido alteração dos planos entretanto
Título: Re: MLU às VdG e/ou BD - Hipóteses
Enviado por: mafets em Abril 03, 2017, 02:59:15 pm
On-topic/off-topic, vídeo que documenta os últimos dois anos de actividade da fragata M modernizada belga "Leopold I": http://www.mil.be/fr/article/le-leopold-i-lhonneur

E o belo do ALIII a operar que é uma maravilha, só nós os ricos é que somos finos !!!!!!
A malta na Guerra Colonial até operava os Al II de uma plataforma de madeira. Devia ter uma certificação XPTO com verificação de peso ao milímetro, estrutura e com ripas de carvalho bem envernizadas pelo Alfeite de Baixo (O AL III também devemos ter sidos dos primeiros a aterrar em corvetas, mas depois...)...  ::) :P
(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2F4.bp.blogspot.com%2F-6AwhQnVZaWM%2FVnZbC-QmeBI%2FAAAAAAAAFy8%2FldvalOPCkVI%2Fs1600%2F10258055_1580668515538679_7299266390444986493_o.jpg&hash=86350003f024c145f861485289ea38b1)
(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2F3.bp.blogspot.com%2F-1ByjvH9AFAs%2FVdkShmt4AzI%2FAAAAAAAAFXo%2FwO4U6cqhmP4%2Fs1600%2F10644640_588029607985613_2973221559493645668_o.jpg&hash=2e93c573cb34cee4ead35a4b4afbc7f4)
Citar
http://osrikinhus.blogspot.pt/2011_11_01_archive.html (http://osrikinhus.blogspot.pt/2011_11_01_archive.html)

Cumprimentos
Título: Re: MLU às VdG e/ou BD - Hipóteses
Enviado por: tenente em Abril 03, 2017, 03:44:53 pm
On-topic/off-topic, vídeo que documenta os últimos dois anos de actividade da fragata M modernizada belga "Leopold I": http://www.mil.be/fr/article/le-leopold-i-lhonneur

E o belo do ALIII a operar que é uma maravilha, só nós os ricos é que somos finos !!!!!!
A malta na Guerra Colonial até operava os Al II de uma plataforma de madeira. Devia ter uma certificação XPTO com verificação de peso ao milímetro, estrutura e com ripas de carvalho bem envernizadas pelo Alfeite de Baixo (O AL III também devemos ter sidos dos primeiros a aterrar em corvetas, mas depois...)...  ::) :P
(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2F3.bp.blogspot.com%2F-1ByjvH9AFAs%2FVdkShmt4AzI%2FAAAAAAAAFXo%2FwO4U6cqhmP4%2Fs1600%2F10644640_588029607985613_2973221559493645668_o.jpg&hash=2e93c573cb34cee4ead35a4b4afbc7f4)
Citar
http://osrikinhus.blogspot.pt/2011_11_01_archive.html (http://osrikinhus.blogspot.pt/2011_11_01_archive.html)

Cumprimentos

repara bem na amarração do ALIII ao convés de voo, aquela roldana é de se lhe tirar o chapéu, agora é só mariquices com arpões e afins............... :rir: :rir: :rir: :rir: :rir: :amazing: :amazing: :amazing: :amazing:
Título: Re: MLU às VdG e/ou BD - Hipóteses
Enviado por: mafets em Abril 03, 2017, 03:56:40 pm
Por falar em mariquices, Já pelo menos estão os Lynx certificados para aterrar num NPO (ou só para eventos, festarolas e zebros, etc etc...)? É que já  nem peço mais nada...  ::) :P

(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fwww.operacional.pt%2Fwp-content%2Fuploads%2F2011%2F05%2F9-dsc_0609-copy.jpg&hash=2cf407518f273e5e63e4cbd9aa60e11b)
(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fwww.emgfa.pt%2Fuseruploads%2Fimages%2Fffoz29.06.15_b.jpg&hash=526eefb057582d337ad3135c1e8b5a0b)

Cumprimentos
Título: Re: MLU às VdG e/ou BD - Hipóteses
Enviado por: tenente em Abril 03, 2017, 04:07:33 pm
Por falar em mariquices, Já pelo menos estão os Lynx certificados para aterrar num NPO (ou só para eventos, festarolas e zebros, etc etc...)? É que já  nem peço mais nada...  ::) :P

(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fwww.operacional.pt%2Fwp-content%2Fuploads%2F2011%2F05%2F9-dsc_0609-copy.jpg&hash=2cf407518f273e5e63e4cbd9aa60e11b)
(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fwww.emgfa.pt%2Fuseruploads%2Fimages%2Fffoz29.06.15_b.jpg&hash=526eefb057582d337ad3135c1e8b5a0b)

Cumprimentos

Para quê por este caminho daqui a uns aninhos nem MdG temos não vale a pena importarmo-nos com essas tretas de certificações de Lynx/NPO's, o que se ia gastar nessas certificações poupamos para ajudar algum banco este ano, o Novo banco ou o Montepio, se até agora já marcharam 21.000 milhões para os bancos também podemos gastar mais uns trocos as FFAA que se FO :-[ :-[ M.
O que não se comprava, NOVO, para a MdG com 5% daquele valor 1050 Milhões !!!! NPL, AOR, HELIS, LFC, OM76mm, Marlins, etc......
Título: Re: MLU às VdG e/ou BD - Hipóteses
Enviado por: PereiraMarques em Abril 27, 2017, 10:10:00 am
Despacho n.º 3562/2017 - Diário da República n.º 82/2017, Série II de 2017-04-27 106927017
Defesa Nacional - Gabinete do Ministro
Processos de aquisição - Evolved Seasparrow Missile Block 2

https://dre.pt/web/guest/home/-/dre/106927017/details/maximized?serie=II&parte_filter=31&se=0&dreId=106926997
Título: Re: MLU às VdG e/ou BD - Hipóteses
Enviado por: tenente em Abril 27, 2017, 10:35:31 am
até dezasseis ESSM quando as duas Fragatas tem capacidade de 16 unidades cada ???????

Lá continuamos nós com os plafonds de 20 milhões para cada aquisição, deve haver algum trauma de infância com o número 20, só pode !!!!

.............
2 - Autorizo, ao abrigo do disposto no n.º 1 do artigo 2.º da Lei de Programação Militar (LPM), aprovada pela Lei Orgânica n.º 7/2015, 18 de maio, na alínea c) do n.º 3 do artigo 17.º do Decreto-Lei n.º 197/99, de 8 de junho, mantido em vigor pela alínea f) do n.º 1 do artigo 14.º do Decreto-Lei n.º 18/2008, de 29 de janeiro, que aprovou o CCP, a despesa com a comparticipação financeira de Portugal no programa e com a aquisição de até 16 (dezasseis) mísseis ESSM Block 2, até ao montante máximo de 19.500.000,00(euro), com IVA incluído se aplicável, a suportar pelas verbas inscritas na LPM, «Capacidade Oceânica de Superfície», projeto «Modernização de meia vida das fragatas», com a seguinte distribuição plurianual:

a) No ano de 2021 - 3.300.000,00 euros;

b) No ano de 2022 - 6.200.000,00 euros;

c) No ano de 2023 - 3.000.000,00 euros;

d) No ano de 2024 - 7.000.000,00 euros.

https://dre.pt/web/guest/home/-/dre/106927017/details/maximized?serie=II&parte_filter=31&se=0&dreId=106926997

Abraços
Título: Re: MLU às VdG e/ou BD - Hipóteses
Enviado por: Alvalade em Abril 27, 2017, 10:54:14 am
Com ESSM não aumenta a capacidade para o dobro?
Título: Re: MLU às VdG e/ou BD - Hipóteses
Enviado por: Major Alvega em Abril 27, 2017, 11:10:33 am
 São as FA's resíduais, incipientes, faz-de-conta e da simples e mera aparência: 12 AMRAAM's, 37 MBT's, 20 e tal HK416, 5 Ecureuils, 2 moto-quads, 13 Land Rover SOV, 16 ESSM's etc.

 Em questão de ESSM's, só a Holanda adquiriu aproximadamente 200 e a Dinamarca 250 segundo os dados da SIPRI.

Se ainda considerarmos as fragatas M class, são 6 os navios que podem usar os ESSM's, o que dá uma média de 33 por navio.

Ou no caso dinamarquês, os 5 navios que o usam. Dará uma média de 41 por navio.

Ora 16 a dividir por 5 fragatas dará 3 misseis para cada um. Mas como as VdG não vão ser modernizadas e vão ser transformadas no médio prazo numa espécie de large OPV cutter. 16 a dividir 2 fragatas BD dará mesmo assim 8 para cada uma. Uma distância abissal da média destes 2 países.

Usando uma expressão muito popular entre nós. É tudo para "inglês" ver e tentar manter as aparências, muito tipico da nossa cultura. E depois sou eu que estou sempre a criticar e a dizer mal.
 
Título: Re: MLU às VdG e/ou BD - Hipóteses
Enviado por: Cabeça de Martelo em Abril 27, 2017, 11:35:43 am
São as FA's resíduais, incipientes, faz-de-conta e da simples e mera aparência: 12 AMRAAM's, 37 MBT's, 20 e tal HK416, 5 Ecureuils, 2 moto-quads, 13 Land Rover SOV, 16 ESSM's etc.

 Em questão de ESSM's, só a Holanda adquiriu aproximadamente 200 e a Dinamarca 250 segundo os dados da SIPRI.

Se ainda considerarmos as fragatas M class, são 6 os navios que podem usar os ESSM's, o que dá uma média de 33 por navio.

Ou no caso dinamarquês, os 5 navios que o usam. Dará uma média de 41 por navio.

Ora 16 a dividir por 5 fragatas dará 3 misseis para cada um. Mas como as VdG não vão ser modernizadas e vão ser transformadas no médio prazo numa espécie de large OPV cutter. 16 a dividir 2 fragatas BD dará mesmo assim 8 para cada uma. Uma distância abissal da média destes 2 países.

Usando uma expressão muito popular entre nós. É tudo para "inglês" ver e tentar manter as aparências, muito tipico da nossa cultura. E depois sou eu que estou sempre a criticar e a dizer mal.

Não foram 20 HK416 A5, não foram 2 moto 4 para a FOEsp, e ainda estou para perceber qual é o problema com os Land Rover que foram para os Comandos... eles precisavam de mais?

Com a Marinha a adquirir estes misseis, aumenta-se e muito essa capacidade, apesar de a quantidade ser insuficiente. É pouco? É, mas mais aquisições serão de certeza feitas, na mesma medida que é feito com tudo o resto.
Título: Re: MLU às VdG e/ou BD - Hipóteses
Enviado por: Major Alvega em Abril 27, 2017, 11:59:31 am
São as FA's resíduais, incipientes, faz-de-conta e da simples e mera aparência: 12 AMRAAM's, 37 MBT's, 20 e tal HK416, 5 Ecureuils, 2 moto-quads, 13 Land Rover SOV, 16 ESSM's etc.

 Em questão de ESSM's, só a Holanda adquiriu aproximadamente 200 e a Dinamarca 250 segundo os dados da SIPRI.

Se ainda considerarmos as fragatas M class, são 6 os navios que podem usar os ESSM's, o que dá uma média de 33 por navio.

Ou no caso dinamarquês, os 5 navios que o usam. Dará uma média de 41 por navio.

Ora 16 a dividir por 5 fragatas dará 3 misseis para cada um. Mas como as VdG não vão ser modernizadas e vão ser transformadas no médio prazo numa espécie de large OPV cutter. 16 a dividir 2 fragatas BD dará mesmo assim 8 para cada uma. Uma distância abissal da média destes 2 países.

Usando uma expressão muito popular entre nós. É tudo para "inglês" ver e tentar manter as aparências, muito tipico da nossa cultura. E depois sou eu que estou sempre a criticar e a dizer mal.

Não foram 20 HK416 A5, não foram 2 moto 4 para a FOEsp, e ainda estou para perceber qual é o problema com os Land Rover que foram para os Comandos... eles precisavam de mais?

Com a Marinha a adquirir estes misseis, aumenta-se e muito essa capacidade, apesar de a quantidade ser insuficiente. É pouco? É, mas mais aquisições serão de certeza feitas, na mesma medida que é feito com tudo o resto.

Eh pá não foram 20, foram 30. Qual é a diferença? As moto-quads foram 7 (só 2 bilugares). Isto segundo veiculado pela Jane's 360. A não ser que esteja melhor informado.

Em matéria de viaturas 4x4 SOV, eu não escrevi em haver problemas em ter essas viaturas como sugere. Mas posso regular-me em comparação por exemplo com o exército checo que tem para aí 80 viaturas Land Rover deste tipo. E os belgas que têm mais de 100 4x4 SOV's. Os holandeses idem. Isto para falarmos só de exércitos com uma dimensão teórica idêntica à nossa.

Para tentar estar a defender o indefensável ou justificar o injustificável esta situação ridícula: ou pertence a algum ramo das FA's ou deve ser um algum "patrioteiro" iludido. Porque a sua posição de estar a tentar tapar o sol com a peneira a tentar justificar o estado deplorável e indigente das nossas FA's. Você não está a ajudar o seu país. Mas se quiser continuar a contribuir para essa fantasia que está tudo bem e tudo o que é feito tem uma razão benigna, faça favor...
Título: Re: MLU às VdG e/ou BD - Hipóteses
Enviado por: tenente em Abril 27, 2017, 01:07:32 pm
Com ESSM não aumenta a capacidade para o dobro?

Desculpa a minha pergunta que capacidade ???
destrutiva, alcance, velocidade, manobrabilidade.............. ????

https://en.wikipedia.org/wiki/RIM-162_ESSM

Abraços
Título: Re: MLU às VdG e/ou BD - Hipóteses
Enviado por: Charlie Jaguar em Abril 27, 2017, 01:35:23 pm
Pelo menos serão Block 2, o que já não é mau.

Citar
ESSM Block II will leverage existing technology and features a dual-mode X-band seeker, increased maneuverability, and other enhancements. Unlike Block 1, Block 2’s active seeker will support terminal engagement without the launch ship’s target illumination radars. The improved ESSM Block II will be fielded by the US Navy from 2020.

http://www.raytheon.com/capabilities/rtnwcm/groups/public/documents/download/rms12_essm_evolution.pdf


Os dezasseis mísseis chegam, mas não ultrapassam, a fasquia dos 20M€, nada mau. No MDN deve andar tudo neste momento sempre de calculadora na mão, e haver uma sonora sirene que se ouça no Restelo e arredores caso algum programa de aquisição ultrapasse esse dispendioso montante.  ;D  ::)
Título: Re: MLU às VdG e/ou BD - Hipóteses
Enviado por: Alvalade em Abril 27, 2017, 02:53:36 pm
Com ESSM não aumenta a capacidade para o dobro?

Desculpa a minha pergunta que capacidade ???
destrutiva, alcance, velocidade, manobrabilidade.............. ????

https://en.wikipedia.org/wiki/RIM-162_ESSM

Abraços

Quantidade

(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fkatehon.com%2Fsites%2Fdefault%2Ffiles%2Fvls_mk41_canister_types_1.gif&hash=4d024c1753d4df554700e021207ddfd7)
Título: Re: MLU às VdG e/ou BD - Hipóteses
Enviado por: LM em Abril 27, 2017, 02:55:04 pm
/quote]

Para tentar estar a defender o indefensável ou justificar o injustificável esta situação ridícula: ou pertence a algum ramo das FA's ou deve ser um algum "patrioteiro" iludido. Porque a sua posição de estar a tentar tapar o sol com a peneira a tentar justificar o estado deplorável e indigente das nossas FA's. Você não está a ajudar o seu país. Mas se quiser continuar a contribuir para essa fantasia que está tudo bem e tudo o que é feito tem uma razão benigna, faça favor...

O CdM não necessita de defesa, a sua postura neste fórum basta - mas calma, não é necessário "atacar" desta forma... ou, em vez de apenas apresentar razões para discordar, é apenas lançar para o ar "ou pertence a algum ramo das FA's ou deve ser um algum "patrioteiro" iludido"...?!

Até porque o Major Alvega é alguém que sabe contrapor factos quando discorda... eu, por exemplo, fui alertado para o facto dos sistemas de radares das VdG / VdC / Tejo terem capacidades muito "discutíveis"; ora aí está um assunto que aguardo mais informações.     
Título: Re: MLU às VdG e/ou BD - Hipóteses
Enviado por: Alvalade em Abril 27, 2017, 02:57:58 pm
/quote]

Para tentar estar a defender o indefensável ou justificar o injustificável esta situação ridícula: ou pertence a algum ramo das FA's ou deve ser um algum "patrioteiro" iludido. Porque a sua posição de estar a tentar tapar o sol com a peneira a tentar justificar o estado deplorável e indigente das nossas FA's. Você não está a ajudar o seu país. Mas se quiser continuar a contribuir para essa fantasia que está tudo bem e tudo o que é feito tem uma razão benigna, faça favor...

O CdM não necessita de defesa, a sua postura neste fórum basta - mas calma, não é necessário "atacar" desta forma... ou, em vez de apenas apresentar razões para discordar, é apenas lançar para o ar "ou pertence a algum ramo das FA's ou deve ser um algum "patrioteiro" iludido"...?!

Até porque o Major Alvega é alguém que sabe contrapor factos quando discorda... eu, por exemplo, fui alertado para o facto dos sistemas de radares das VdG / VdC / Tejo terem capacidades muito "discutíveis"; ora aí está um assunto que aguardo mais informações.     

VdC e Tejo é facil, os seus sistemas eletrónicos não vão muito para lá do que existe nas embarcações civís.
Título: Re: MLU às VdG e/ou BD - Hipóteses
Enviado por: Cabeça de Martelo em Abril 27, 2017, 03:23:15 pm
São as FA's resíduais, incipientes, faz-de-conta e da simples e mera aparência: 12 AMRAAM's, 37 MBT's, 20 e tal HK416, 5 Ecureuils, 2 moto-quads, 13 Land Rover SOV, 16 ESSM's etc.

 Em questão de ESSM's, só a Holanda adquiriu aproximadamente 200 e a Dinamarca 250 segundo os dados da SIPRI.

Se ainda considerarmos as fragatas M class, são 6 os navios que podem usar os ESSM's, o que dá uma média de 33 por navio.

Ou no caso dinamarquês, os 5 navios que o usam. Dará uma média de 41 por navio.

Ora 16 a dividir por 5 fragatas dará 3 misseis para cada um. Mas como as VdG não vão ser modernizadas e vão ser transformadas no médio prazo numa espécie de large OPV cutter. 16 a dividir 2 fragatas BD dará mesmo assim 8 para cada uma. Uma distância abissal da média destes 2 países.

Usando uma expressão muito popular entre nós. É tudo para "inglês" ver e tentar manter as aparências, muito tipico da nossa cultura. E depois sou eu que estou sempre a criticar e a dizer mal.

Não foram 20 HK416 A5, não foram 2 moto 4 para a FOEsp, e ainda estou para perceber qual é o problema com os Land Rover que foram para os Comandos... eles precisavam de mais?

Com a Marinha a adquirir estes misseis, aumenta-se e muito essa capacidade, apesar de a quantidade ser insuficiente. É pouco? É, mas mais aquisições serão de certeza feitas, na mesma medida que é feito com tudo o resto.

Eh pá não foram 20, foram 30. Qual é a diferença? As moto-quads foram 7 (só 2 bilugares). Isto segundo veiculado pela Jane's 360. A não ser que esteja melhor informado.

A FOEsp tem mais do que isso e também HK417, G28, MG4/MG5, etc. Essas viaturas são para situações ocasionais que possam vir acontecer, tal como as novas Viaturas blindadas 4x4 que eles iram receber numa versão específica para unidades do género. Para além disso o CTOE está a sofrer obras no valor de  8,4 milhões de euros, o que à uns tempos seria impensável para o total do Exército (penso que o orçamento para obras andava na ordem de uns poucos milhões de euros).

(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fwarriors.pt%2Fwp-content%2Fuploads%2F2016%2F10%2FIMG_4425-4.jpg&hash=9fb297a553377f2833ab7302e395a011)
Elementos da Força de Operações Especiais (Army SOF) Portuguesa equipam-se para uma operação nocturna. Estam armados com espingardas de assalto HK416 e equipados com modernos equipamentos de combate nocturno, nomeadamente os visores AN/PVS-21.

Citar
Em matéria de viaturas 4x4 SOV, eu não escrevi em haver problemas em ter essas viaturas como sugere. Mas posso regular-me em comparação por exemplo com o exército checo que tem para aí 80 viaturas Land Rover deste tipo. E os belgas que têm mais de 100 4x4 SOV's. Os holandeses idem. Isto para falarmos só de exércitos com uma dimensão teórica idêntica à nossa.

Pois, mas essas não são as únicas viaturas 4x4 do Exército, pois não?!

(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fwww.operacional.pt%2Fwp-content%2Fuploads%2F2016%2F03%2F16-Dia-do-RI10-S%25C3%25A3o-Jacinto-18Mar16-858.jpg&hash=3fc451eaaeb964abf44d1818bf12671a)

Citar
Para tentar estar a defender o indefensável ou justificar o injustificável esta situação ridícula: ou pertence a algum ramo das FA's ou deve ser um algum "patrioteiro" iludido. Porque a sua posição de estar a tentar tapar o sol com a peneira a tentar justificar o estado deplorável e indigente das nossas FA's. Você não está a ajudar o seu país. Mas se quiser continuar a contribuir para essa fantasia que está tudo bem e tudo o que é feito tem uma razão benigna, faça favor...

Eu gostava que as Forças Armadas estivessem melhor equipadas e armadas como qualquer um que anda aqui, agora é preciso perceber que a Defesa não é nem  uma prioridade e que somos um país pobre no seio da UE. Comprar aqueles misseis é melhor do que nada. Se o bom é inimigo do ótimo”, o nada será inimigo do escasso?
Título: Re: MLU às VdG e/ou BD - Hipóteses
Enviado por: tenente em Abril 27, 2017, 03:39:41 pm
Com ESSM não aumenta a capacidade para o dobro?

Desculpa a minha pergunta que capacidade ???
destrutiva, alcance, velocidade, manobrabilidade.............. ????

https://en.wikipedia.org/wiki/RIM-162_ESSM

Abraços

Quantidade

(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fkatehon.com%2Fsites%2Fdefault%2Ffiles%2Fvls_mk41_canister_types_1.gif&hash=4d024c1753d4df554700e021207ddfd7)

Como quantidade cada lançador do ss pode transportar/ter/acomodar no seu interior, se não me engano, até quatro ESSM, se fossemos por aí então dos 16 de capacidade de cada BD passávamos a ter uma capacidade de 64 para cada Navio, uma fortuna exorbitante, que não conseguimos comportar em termos de aquisições, 160 milhões mais coisa menos euro, mas eu já nem vou por aí apenas me fico pelas 32 unidades, para os dois Navios, e só isso !!

Abraços
Título: Re: MLU às VdG e/ou BD - Hipóteses
Enviado por: Lightning em Abril 27, 2017, 04:27:21 pm
até dezasseis ESSM quando as duas Fragatas tem capacidade de 16 unidades cada ???????

Acho que deve ser porque como só enviamos uma fragata de cada vez para a NRF, só a que for selecionada para essa missão é que precisa desses misseis, isto é, vai andar o pessoal da Marinha a mudar os ESSM da Bartolomeu Dias para a Francisco de Almeida ou vice-versa conforme a necessidade.

O espetacular é que para os altos Comandos da NATO, a fragata que nós enviarmos para as forças conjuntas, vai estar relativamente, ao nivel das dos outros paises NATO, que jogada.

Só espero, que isto seja, uma primeira compra, e daqui a alguns anos (com a história dos 2% do PIB para a defesa) se adquira mais unidades.
Título: Re: MLU às VdG e/ou BD - Hipóteses
Enviado por: perdadetempo em Abril 27, 2017, 04:30:58 pm
As fragatas Karel Doorman utilizam os VLS Mk-48 que permitem 2x RIM-7 Sea Sparrow or 4x RIM-162 ESSM por  célula.

http://www.seaforces.org/wpnsys/SURFACE/Mk-48-missile-launcher.htm (http://www.seaforces.org/wpnsys/SURFACE/Mk-48-missile-launcher.htm)

Tendo em conta que na LPM para a rubrica oceânica de superfície estamos a falar de 189.852.000,00 €/até 2018, 240.601.000,00 €/até 2022, pergunto senão será a altura para tentar perceber melhor que é que este pouco dinheiro compra.

É que já basta os famosos TEJO com um gasto de 6M € por embarcação para o resultado que se vê.

Gastem muito ou pouco pelo menos no exército percebe-se o que eles estão a adquirir e porque preço nos projectos que estão a decorrer, na força aérea também se consegue acompanhar os gastos nos contractos dos EH-101, nos EC-295 etc... e na marinha parece muito mais difícil chegar a conclusões mesmo quando se observa o resultado final.

Cumprimentos,

nota LPM: https://dre.pt/application/file/a/67241977 (https://dre.pt/application/file/a/67241977)
Título: Re: MLU às VdG e/ou BD - Hipóteses
Enviado por: NVF em Abril 27, 2017, 06:32:52 pm
Pequena correcção: o Mk48 permite albergar um RIM-7, ou dois ESSM por tubo. O maior e mais comum Mk41 é que permite albergar quatro ESSM por tubo.
Título: Re: MLU às VdG e/ou BD - Hipóteses
Enviado por: tenente em Abril 27, 2017, 07:14:59 pm
Pequena correcção: o Mk48 permite albergar um RIM-7, ou dois ESSM por tubo. O maior e mais comum Mk41 é que permite albergar quatro ESSM por tubo.

Ó NVF vê lá as tuas fontes pois penso, rpt, penso, que os lançadores das Nossas  "M" são os MK48 e de acordo com a info do Perda de Tempo, que eu tive o cuidado de ir ver..............podem albergar até 04 ESSM 162 por tubo.
Não leves a mal.

http://www.seaforces.org/wpnsys/SURFACE/Mk-48-missile-launcher.htm

Abraços
Título: Re: MLU às VdG e/ou BD - Hipóteses
Enviado por: tenente em Abril 27, 2017, 07:23:18 pm
até dezasseis ESSM quando as duas Fragatas tem capacidade de 16 unidades cada ???????

Acho que deve ser porque como só enviamos uma fragata de cada vez para a NRF, só a que for selecionada para essa missão é que precisa desses misseis, isto é, vai andar o pessoal da Marinha a mudar os ESSM da Bartolomeu Dias para a Francisco de Almeida ou vice-versa conforme a necessidade.

O espetacular é que para os altos Comandos da NATO, a fragata que nós enviarmos para as forças conjuntas, vai estar relativamente, ao nivel das dos outros paises NATO, que jogada.

Só espero, que isto seja, uma primeira compra, e daqui a alguns anos (com a história dos 2% do PIB para a defesa) se adquira mais unidades.

Mesmo muito incompetentes são as nossas chefias se esse for o caso.

Agora imagina tú que a Fragata vai com os Porcos, Deus queira que não, lá se vão os ESSM para o cano, de um momento para o outro a Armada leva um directo nas trombas, e ficam sem qq ESSM disponível.
Os ovos que iam todos no mesmo cesto, olha, partiram-se e agora usamos os CIWS, Marlins. e as 12,7 e  é um pau, Muito bom!! Mas ao menos mostramos aos outros Países que temos uma Fragata actualizadissima, mas também temos 28 Almirantes, SÓ, 28, mas desses 28, oito estão a desempenhar funções no EMGFA !!

PS O efectivo total só de militares da marinha são quase 8000, e para esses 8000 efectivos a Armada tem vinte oficiais Generais, sem comentários, está tudo dito !!! 

Abraços
Título: Re: MLU às VdG e/ou BD - Hipóteses
Enviado por: Lightning em Abril 27, 2017, 08:15:55 pm
Mesmo muito incompetentes são as nossas chefias se esse for o caso.

Agora imagina tú que a Fragata vai com os Porcos, Deus queira que não, lá se vão os ESSM para o cano, de um momento para o outro a Armada leva um directo nas trombas, e ficam sem qq ESSM disponível.

Imagino que achem que se houver algum desastre pode-se sempre comprar mais, mas enquanto não for preciso, é dinheirinho que não se gasta...
Título: Re: MLU às VdG e/ou BD - Hipóteses
Enviado por: César em Abril 28, 2017, 12:21:16 am
É triste... suposto carregar 32x ESSM cada um... mas só 16... agora é como? 8x ESSM (4 tubos) e 12x RIM-7 em cada uma, ou os RIM-7 serao todos retirados? Isto é, supondo que cada BD carrega todos os 16 e nao só 8 como o chile já vez.
Título: Re: MLU às VdG e/ou BD - Hipóteses
Enviado por: NVF em Abril 28, 2017, 05:15:47 am
Pequena correcção: o Mk48 permite albergar um RIM-7, ou dois ESSM por tubo. O maior e mais comum Mk41 é que permite albergar quatro ESSM por tubo.

Ó NVF vê lá as tuas fontes pois penso, rpt, penso, que os lançadores das Nossas  "M" são os MK48 e de acordo com a info do Perda de Tempo, que eu tive o cuidado de ir ver..............podem albergar até 04 ESSM 162 por tubo.
Não leves a mal.

http://www.seaforces.org/wpnsys/SURFACE/Mk-48-missile-launcher.htm

Abraços

Eu não te levo nada a mal  :G-beer2: Mas basta olhar com atenção para as fotos nessa mesmíssima fonte para ver os 16 tubos individuais de RIM-7 NATO Sea Sparrow na KD (a chilena, por acaso, só tem 6 carregados), ou os 16 tubos distribuídos em dois grupos nas Halifax. Mais, na foto da Absalon, podes ver como os tubos dos ESSM (com tampa vermelha) são bem mais pequenos que os dos RIM-7, o que é intuitivo pois este último tem asas (fins) maiores. O problema é que a designação de 'módulo', utilizada nesse site é algo confusa. Mas, em caso de dúvida, prevalece a informação do fabricante  ;) http://www.alternatewars.com/BBOW/Weapons/Mk48_VLS.pdf (http://www.alternatewars.com/BBOW/Weapons/Mk48_VLS.pdf)
Título: Re: MLU às VdG e/ou BD - Hipóteses
Enviado por: tenente em Abril 28, 2017, 08:17:43 am
Pequena correcção: o Mk48 permite albergar um RIM-7, ou dois ESSM por tubo. O maior e mais comum Mk41 é que permite albergar quatro ESSM por tubo.

Ó NVF vê lá as tuas fontes pois penso, rpt, penso, que os lançadores das Nossas  "M" são os MK48 e de acordo com a info do Perda de Tempo, que eu tive o cuidado de ir ver..............podem albergar até 04 ESSM 162 por tubo.
Não leves a mal.

http://www.seaforces.org/wpnsys/SURFACE/Mk-48-missile-launcher.htm

Abraços

Eu não te levo nada a mal  :G-beer2: Mas basta olhar com atenção para as fotos nessa mesmíssima fonte para ver os 16 tubos individuais de RIM-7 NATO Sea Sparrow na KD (a chilena, por acaso, só tem 6 carregados), ou os 16 tubos distribuídos em dois grupos nas Halifax. Mais, na foto da Absalon, podes ver como os tubos dos ESSM (com tampa vermelha) são bem mais pequenos que os dos RIM-7, o que é intuitivo pois este último tem asas (fins) maiores. O problema é que a designação de 'módulo', utilizada nesse site é algo confusa. Mas, em caso de dúvida, prevalece a informação do fabricante  ;) http://www.alternatewars.com/BBOW/Weapons/Mk48_VLS.pdf (http://www.alternatewars.com/BBOW/Weapons/Mk48_VLS.pdf)

pois é tens razão, segundo o fabricante o MK48 dobra a capacidade de armazenamento do ESSM, naõ o quadriplica.

Gostei de ver a figura do stanflex 300 AKA classe Tejo/fisga a disparar o dito, como era essa classe e como ficou, passou de puro Sangue a Burro, que me desculpem os quadrupedes !!!

Abraços
Título: Re: MLU às VdG e/ou BD - Hipóteses
Enviado por: LM em Abril 28, 2017, 09:36:49 am
Estranho, para mim, é não ter a capacidade "ESSM" em nenhuma das nossas fragatas... ter (poucos) ESSM passíveis de serem utilizados em 2 das nossas fragatas parece-me uma excelente notícia. Comprar mais julgo ser muito mais fácil do que começar a ter a capacidade.

No geral - excelente notícia!

Venham melhorias nos radares/EW para acompanhar a melhoria no sistema de armas AA utilizadas... fico mais preocupado é com a tendência para apenas 2 fragatas "aceitáveis" :/         
Título: Re: MLU às VdG e/ou BD - Hipóteses
Enviado por: NVF em Maio 04, 2017, 11:13:55 pm
The Royal Australian Navy will upgrade its naval navigation and tactical software system to enhance the conduct of its warfare capabilities.

https://www.defenceconnect.com.au/maritime-antisub/634-australian-navy-to-upgrade-software (https://www.defenceconnect.com.au/maritime-antisub/634-australian-navy-to-upgrade-software)

Citar
Canadian company OSI Maritime Systems announced the RAN, along with the Canadian Royal Navy, Royal New Zealand Navy, Royal Danish Navy, Royal Netherlands Navy and the Portuguese Navy, will upgrade to its ECPINS Warship 6.2.

OSI said ECPINS is recognised as the most advanced Warship Electronic Chart Display and Information System (WECDIS) with military capabilities beyond the requirements of NATO partner specifications

Ken Kirkpatrick, president and chief executive of OSI, said, “OSI’s customer base continues to benefit from ECPINS as their chosen warship navigation and tactical software application.

"There is clearly value in operating with the most widely used Warship ECDIS that is compliant to NATO and international maritime standards, and independently certified against STANAG 4564."

STANAG 4564 is an agreement that defines a standard for WECDIS in order to ensure that all systems fitted on warships from NATO nations will provide a minimum common set of functions to the operator and accept digital data in common NATO standard formats.

OSI said it has also received Marine Equipment Directive (MED) Type Approval certification from DNV GL for ECPINS against new International Hydrographic Organization (IHO) and International Electrotechnical Commission (IEC) standards for ECDIS. These international maritime standards are also required to be met under the NATO WECDIS STANAG 4564.

OSI currently has 20 naval customers from around the world with over 600 warships and submarines operating with its world-leading integrated navigation and tactical solutions.

(https://www.defenceconnect.com.au/cache/plg_imageresizer/3d/31/HMAS-Ballarat-and-RCN_840x486.jpg)
HMAS Ballarat along with the Royal Canadian Navy ships HMCS Ottawa and Winnipeg conduct Officer of the Watch manoeuvres during HMAS Ballarat's South East Asia Deployment.
Título: Re: MLU às VdG e/ou BD - Hipóteses
Enviado por: PereiraMarques em Maio 17, 2017, 10:47:49 am
Despacho n.º 4213/2017 - Diário da República n.º 95/2017, Série II de 2017-05-17 107023698
Defesa Nacional - Gabinete do Ministro
Processo de aquisição - atualização do sistema de bordo HARPOON (HSCLCS)

https://dre.pt/web/guest/home/-/dre/107023698/details/maximized?serie=II&parte_filter=31&dreId=107023685
Título: Re: MLU às VdG e/ou BD - Hipóteses
Enviado por: Charlie Jaguar em Maio 17, 2017, 12:44:15 pm
Despacho n.º 4213/2017 - Diário da República n.º 95/2017, Série II de 2017-05-17 107023698
Defesa Nacional - Gabinete do Ministro
Processo de aquisição - atualização do sistema de bordo HARPOON (HSCLCS)

https://dre.pt/web/guest/home/-/dre/107023698/details/maximized?serie=II&parte_filter=31&dreId=107023685

Este texto faz levantar a questão de se as VdG deixarão então de operar o Harpoon visto a actualização se referir somente às fragatas da classe BD. Será mesmo possível que se continua com a intenção de transformar 3 fragatas Meko 200 em OPVs?
Título: Re: MLU às VdG e/ou BD - Hipóteses
Enviado por: tenente em Maio 17, 2017, 01:13:10 pm
Despacho n.º 4213/2017 - Diário da República n.º 95/2017, Série II de 2017-05-17 107023698
Defesa Nacional - Gabinete do Ministro
Processo de aquisição - atualização do sistema de bordo HARPOON (HSCLCS)

https://dre.pt/web/guest/home/-/dre/107023698/details/maximized?serie=II&parte_filter=31&dreId=107023685

Este texto faz levantar a questão de se as VdG deixarão então de operar o Harpoon visto a actualização se referir somente às fragatas da classe BD. Será mesmo possível que se continua com a intenção de transformar 3 fragatas Meko 200 em OPVs?

E também se pode colocar ainda uma segunda questão :

Qual a utilidade de efectuar os MLU's programados para as VdG, se, a ser confirmada, essa falta de actualização referente aos harpoons, vai implicar que os Navios não vão poder ser empenhados como unidades de combate de superfície em plano de igualdade como as duas BD ????
As limitações dos MLU's começam a fazer sentido se pensarmos que :
Será que se está a pensar alienar as VdG ????
ou, como tú dizes, para serem reclassificadas em NPO's ????

https://pt.wikipedia.org/wiki/Classe_Vasco_da_Gama

Modernização (Mid-life Upgrade)
Actualmente as três fragatas já se encontram equipadas com novos sistemas de comunicações e de controlo. Com a possível modernização das fragatas desta classe encontra-se incluídas as seguintes alterações:

Montagem de novos mísseis ESSM (Evolved Sea Sparrow Missile);
Modernização do sistema CIWS, Phalanx, ou em opção, um sistema RAM/SEARAM, com a mesma função mas utilizando mísseis;
Novos mísseis Harpoon - com sistema de navegação por GPS, e possibilidade de ataque a alvos em terra.


este link diz que os Harpoons vão ser modernizados também, vá-se lá saber o que está correcto.

Mas apenas duas FFG's devidamente equipadas é muito curto mesmo !!!

Abraços
Título: Re: MLU às VdG e/ou BD - Hipóteses
Enviado por: Cabeça de Martelo em Maio 17, 2017, 02:58:58 pm
Despacho n.º 4213/2017 - Diário da República n.º 95/2017, Série II de 2017-05-17 107023698
Defesa Nacional - Gabinete do Ministro
Processo de aquisição - atualização do sistema de bordo HARPOON (HSCLCS)

https://dre.pt/web/guest/home/-/dre/107023698/details/maximized?serie=II&parte_filter=31&dreId=107023685

Este texto faz levantar a questão de se as VdG deixarão então de operar o Harpoon visto a actualização se referir somente às fragatas da classe BD. Será mesmo possível que se continua com a intenção de transformar 3 fragatas Meko 200 em OPVs?

E também se pode colocar ainda uma segunda questão :

Qual a utilidade de efectuar os MLU's programados para as VdG, se, a ser confirmada, essa falta de actualização referente aos harpoons, vai implicar que os Navios não vão poder ser empenhados como unidades de combate de superfície em plano de igualdade como as duas BD ????
As limitações dos MLU's começam a fazer sentido se pensarmos que :
Será que se está a pensar alienar as VdG ????
ou, como tú dizes, para serem reclassificadas em NPO's ????

https://pt.wikipedia.org/wiki/Classe_Vasco_da_Gama

Todas as noticias, entrevistas que foram feitas por responsáveis politicos e militares falam numa modernização mais ligeira/barata na VdG e não na sua modificação para simples NPO.

Citar
Modernização (Mid-life Upgrade)
Actualmente as três fragatas já se encontram equipadas com novos sistemas de comunicações e de controlo. Com a possível modernização das fragatas desta classe encontra-se incluídas as seguintes alterações:

Montagem de novos mísseis ESSM (Evolved Sea Sparrow Missile);

Os misseis são poucos, mas a questão que eu coloco a quem percebe disto é se há alguma impedimento técnico que isso aconteça?

Citar
Modernização do sistema CIWS, Phalanx, ou em opção, um sistema RAM/SEARAM, com a mesma função mas utilizando mísseis;

Penso que essa modernização já foi feita à alguns anos, podendo os Phalanx ser usados tanto para missões anti-aéreas como de superficie.

http://www.deagel.com/Protection-Systems/Mk-15-Phalanx-Block-1B_a001641003.aspx

Citar
Novos mísseis Harpoon - com sistema de navegação por GPS, e possibilidade de ataque a alvos em terra.


este link diz que os Harpoons vão ser modernizados também, vá-se lá saber o que está correcto.

Mas apenas duas FFG's devidamente equipadas é muito curto mesmo !!!

Abraços

2 Fragatas é claramente insuficiente.
Título: Re: MLU às VdG e/ou BD - Hipóteses
Enviado por: NVF em Maio 17, 2017, 04:47:43 pm
Despacho n.º 4213/2017 - Diário da República n.º 95/2017, Série II de 2017-05-17 107023698
Defesa Nacional - Gabinete do Ministro
Processo de aquisição - atualização do sistema de bordo HARPOON (HSCLCS)

https://dre.pt/web/guest/home/-/dre/107023698/details/maximized?serie=II&parte_filter=31&dreId=107023685

Este texto faz levantar a questão de se as VdG deixarão então de operar o Harpoon visto a actualização se referir somente às fragatas da classe BD. Será mesmo possível que se continua com a intenção de transformar 3 fragatas Meko 200 em OPVs?

Mas ainda tinhas dúvidas CJ? Apesar de não haver nenhum impedimento técnico para equipar as VdG com ESSM e Harpoon Block II, tudo o que vem descrito na Wiki não passa de wishful thinking e contradiz tudo o que foi anunciado até agora para esta classe. Para quê investir não sei quantos milhões na remotorização dos Sea Sparrow se a intenção fosse equipar estes navios com ESSM? Para quê investir em Harpoon Block II para as VdG quando, aparentemente, nem isso está previsto para as BD?

Como já referi muitas vezes no passado, as VdG vão ser relegadas para NPO's musculados (ASW) para actuar no Med, ou então como canhoneiras em África, pois a sul do Sahara podem actuar praticamente sem oposição (tirando a África do Sul). Vamos, basicamente, servir de gendarmes para a UE e para a França em particular.

Por isso, mais vale assumir as coisas como elas são e remover imediatamente Sea Sparrow e Harpoon das VdG. Ficam com a 100 mm, CIWS e torpedos, e podem levar uns Stinger para emergências. Guarnição reduzida em 30 a 40 elementos, ficando mais espaço disponível para acomodar fuzileiros e zebros — e lá temos o mini-LPD, conceito tão querido a vários colegas do fórum. Com jeitinho ainda leva os contentores para luta anti-minas e ficamos com um dos navios mais polivalentes da NATO.

A outra hipótese é vendê-las ao Brasil e adquirir as KD holandesas e belgas daqui a uns seis ou sete anos.
Título: Re: MLU às VdG e/ou BD - Hipóteses
Enviado por: Cabeça de Martelo em Maio 17, 2017, 04:54:34 pm
Despacho n.º 4213/2017 - Diário da República n.º 95/2017, Série II de 2017-05-17 107023698
Defesa Nacional - Gabinete do Ministro
Processo de aquisição - atualização do sistema de bordo HARPOON (HSCLCS)

https://dre.pt/web/guest/home/-/dre/107023698/details/maximized?serie=II&parte_filter=31&dreId=107023685

Este texto faz levantar a questão de se as VdG deixarão então de operar o Harpoon visto a actualização se referir somente às fragatas da classe BD. Será mesmo possível que se continua com a intenção de transformar 3 fragatas Meko 200 em OPVs?

Mas ainda tinhas dúvidas CJ? Apesar de não haver nenhum impedimento técnico para equipar as VdG com ESSM e Harpoon Block II, tudo o que vem descrito na Wiki não passa de wishful thinking e contradiz tudo o que foi anunciado até agora para esta classe. Para quê investir não sei quantos milhões na remotorização dos Sea Sparrow se a intenção fosse equipar estes navios com ESSM? Para quê investir em Harpoon Block II para as VdG quando, aparentemente, nem isso está previsto para as BD?

Como já referi muitas vezes no passado, as VdG vão ser relegadas para NPO's musculados (ASW) para actuar no Med, ou então como canhoneiras em África, pois a sul do Sahara podem actuar praticamente sem oposição (tirando a África do Sul). Vamos, basicamente, servir de gendarmes para a UE e para a França em particular.

Por isso, mais vale assumir as coisas como elas são e remover imediatamente Sea Sparrow e Harpoon das VdG. Ficam com a 100 mm, CIWS e torpedos, e podem levar uns Stinger para emergências. Guarnição reduzida em 30 a 40 elementos, ficando mais espaço disponível para acomodar fuzileiros e zebros — e lá temos o mini-LPD, conceito tão querido a vários colegas do fórum. Com jeitinho ainda leva os contentores para luta anti-minas e ficamos com um dos navios mais polivalentes da NATO.

A outra hipótese é vendê-las ao Brasil e adquirir as KD holandesas e belgas daqui a uns seis ou sete anos.

A Marinha nem sequer tem misseis Stinger...
Título: Re: MLU às VdG e/ou BD - Hipóteses
Enviado por: NVF em Maio 17, 2017, 06:32:11 pm
@Cabeça — E foi essa informação toda que retiraste do meu post? Não se te oferece mais nenhum comentário? Que eu saiba, a Marinha ainda não dispõe de um LPD, de ESSM e de muitas outras coisas, mas isso não nos impede de, melhor ou pior, discutir os temas. Se editar o post e retirar a menção aos Stinger ficas satisfeito e vais adicionar algo? E se substituir os Stinger por Mistral (que aparentemente alguns pensam ser o último grito em defesa anti-aérea)?

Cumprimentos.
Título: Re: MLU às VdG e/ou BD - Hipóteses
Enviado por: Stalker79 em Maio 17, 2017, 07:16:53 pm
Agora já não percebo nada, a Holanda e a Belgica querem retirar as classe M do activo dentro de poucos anos porque chegam ao fim da vida util e nós vamos opera-las ate 2035!?
Isto vai de mau a péssimo, e pelo que tenho lido nesta thread as Vasco da Gama tambem não vão ter substituto? Mais vale vender esta m***a aos chineses.....
É quase incompreensivél a maneira como se lidam com as aquisições de defesa neste pais. É incrivel como paises "miseraveis" como marrocos conseguem ter um grau de prontidão militar incrivél em comparação a um pais dito de 1º mundo e europeu...
Título: Re: MLU às VdG e/ou BD - Hipóteses
Enviado por: tenente em Maio 17, 2017, 07:28:52 pm
Agora já não percebo nada, a Holanda e a Belgica querem retirar as classe M do activo dentro de poucos anos porque chegam ao fim da vida util e nós vamos opera-las ate 2035!?
Isto vai de mau a péssimo, e pelo que tenho lido nesta thread as Vasco da Gama tambem não vão ter substituto? Mais vale vender esta m***a aos chineses.....
É quase incompreensivél a maneira como se lidam com as aquisições de defesa neste pais. É incrivel como paises "miseraveis" como marrocos conseguem ter um grau de prontidão militar incrivél em comparação a um pais dito de 1º mundo e europeu...

Só não estou de acordo contigo quanto a Marrocos ser um País Miserável, de resto estou Completamente de acordo contigo e mais, pergunto eu na minha santa Ignorância, o porque do aumento, apregoado aos sete ventos, mas que nunca será uma realidade, do orçamento da defesa para 2% do PIB???

Para ser gasto em Quê ?????

Deve ser para as cativações serem mais chorudas e alguém ir podendo deitar a mão a milhões, porque as compras que se tem efectuado  actualmente até com 1% do PIB, ou menos eram conseguidas assim os negociantes Nacionais fossem honestos e bons gestores, coisa que não acontece, veja-se o exemplo que o forista Perdadetempo aqui postou, e muito bem explanado, com as despesas/aquisições do equipamento para o NRP Tejo !!

Com tanta CABEÇA PENSADORA, será que a MdG  tem alguém responsável, por efectuar um planeamento com datas, anos, para as substituições das diversas unidades Navais ou será que andamos ao Deus dará ????

Com o que ultimamente tem acontecido, com as substituições das classe Albacora, as duas classes de Corvetas, a classe Cacine o NRP Bérrio leva-me a crer que não ou então lá vou eu ser Maldizente e arriscar que algumas chefias militares fazem Vénias prolongadas demais até se ver o OLHO do TRASEIRO e nós sabemos o que nos acontece quanto mais nos baixamos mais...........
As guarnições são e serão, enquanto isto durar, carne para canhão e dispensáveis é o que eu digo, e por aqui me fico.

Abraços
Título: Re: MLU às VdG e/ou BD - Hipóteses
Enviado por: Charlie Jaguar em Maio 17, 2017, 08:05:38 pm
Despacho n.º 4213/2017 - Diário da República n.º 95/2017, Série II de 2017-05-17 107023698
Defesa Nacional - Gabinete do Ministro
Processo de aquisição - atualização do sistema de bordo HARPOON (HSCLCS)

https://dre.pt/web/guest/home/-/dre/107023698/details/maximized?serie=II&parte_filter=31&dreId=107023685

Este texto faz levantar a questão de se as VdG deixarão então de operar o Harpoon visto a actualização se referir somente às fragatas da classe BD. Será mesmo possível que se continua com a intenção de transformar 3 fragatas Meko 200 em OPVs?

Mas ainda tinhas dúvidas CJ? Apesar de não haver nenhum impedimento técnico para equipar as VdG com ESSM e Harpoon Block II, tudo o que vem descrito na Wiki não passa de wishful thinking e contradiz tudo o que foi anunciado até agora para esta classe. Para quê investir não sei quantos milhões na remotorização dos Sea Sparrow se a intenção fosse equipar estes navios com ESSM? Para quê investir em Harpoon Block II para as VdG quando, aparentemente, nem isso está previsto para as BD?

Como já referi muitas vezes no passado, as VdG vão ser relegadas para NPO's musculados (ASW) para actuar no Med, ou então como canhoneiras em África, pois a sul do Sahara podem actuar praticamente sem oposição (tirando a África do Sul). Vamos, basicamente, servir de gendarmes para a UE e para a França em particular.

Por isso, mais vale assumir as coisas como elas são e remover imediatamente Sea Sparrow e Harpoon das VdG. Ficam com a 100 mm, CIWS e torpedos, e podem levar uns Stinger para emergências. Guarnição reduzida em 30 a 40 elementos, ficando mais espaço disponível para acomodar fuzileiros e zebros — e lá temos o mini-LPD, conceito tão querido a vários colegas do fórum. Com jeitinho ainda leva os contentores para luta anti-minas e ficamos com um dos navios mais polivalentes da NATO.

A outra hipótese é vendê-las ao Brasil e adquirir as KD holandesas e belgas daqui a uns seis ou sete anos.

Nem se tratava bem de ter dúvidas, é mais pensar o pior para depois ser surpreendido de alguma forma pela positiva. Mas já vi que é tarefa inglória no que à Defesa em Portugal diz respeito.

Este conceito, esta ideia, de ter duas fragatas mais bem equipadas, e as restantes 3 sofrerem uma actualização mais modesta para conflitos de baixa/média intensidade (ainda gostava de perceber no contexto da NATO e do seu possível terreno de actuação o que se poderá designar por conflito ou cenário de baixa/média intensidade... talvez a invasão desse país importantíssimo como a Guiné-Bissau?), é tão absurdo que por vezes custa mesmo a acreditar.

Se a coisa der para o torto um dia destes vamos ser de novo apanhados com as calças na mão como há um século atrás?
Título: Re: MLU às VdG e/ou BD - Hipóteses
Enviado por: mafets em Maio 18, 2017, 10:54:45 am
Despacho n.º 4213/2017 - Diário da República n.º 95/2017, Série II de 2017-05-17 107023698
Defesa Nacional - Gabinete do Ministro
Processo de aquisição - atualização do sistema de bordo HARPOON (HSCLCS)

https://dre.pt/web/guest/home/-/dre/107023698/details/maximized?serie=II&parte_filter=31&dreId=107023685

Este texto faz levantar a questão de se as VdG deixarão então de operar o Harpoon visto a actualização se referir somente às fragatas da classe BD. Será mesmo possível que se continua com a intenção de transformar 3 fragatas Meko 200 em OPVs?

Mas ainda tinhas dúvidas CJ? Apesar de não haver nenhum impedimento técnico para equipar as VdG com ESSM e Harpoon Block II, tudo o que vem descrito na Wiki não passa de wishful thinking e contradiz tudo o que foi anunciado até agora para esta classe. Para quê investir não sei quantos milhões na remotorização dos Sea Sparrow se a intenção fosse equipar estes navios com ESSM? Para quê investir em Harpoon Block II para as VdG quando, aparentemente, nem isso está previsto para as BD?

Como já referi muitas vezes no passado, as VdG vão ser relegadas para NPO's musculados (ASW) para actuar no Med, ou então como canhoneiras em África, pois a sul do Sahara podem actuar praticamente sem oposição (tirando a África do Sul). Vamos, basicamente, servir de gendarmes para a UE e para a França em particular.

Por isso, mais vale assumir as coisas como elas são e remover imediatamente Sea Sparrow e Harpoon das VdG. Ficam com a 100 mm, CIWS e torpedos, e podem levar uns Stinger para emergências. Guarnição reduzida em 30 a 40 elementos, ficando mais espaço disponível para acomodar fuzileiros e zebros — e lá temos o mini-LPD, conceito tão querido a vários colegas do fórum. Com jeitinho ainda leva os contentores para luta anti-minas e ficamos com um dos navios mais polivalentes da NATO.

A outra hipótese é vendê-las ao Brasil e adquirir as KD holandesas e belgas daqui a uns seis ou sete anos.

Nem se tratava bem de ter dúvidas, é mais pensar o pior para depois ser surpreendido de alguma forma pela positiva. Mas já vi que é tarefa inglória no que à Defesa em Portugal diz respeito.

Este conceito, esta ideia, de ter duas fragatas mais bem equipadas, e as restantes 3 sofrerem uma actualização mais modesta para conflitos de baixa/média intensidade (ainda gostava de perceber no contexto da NATO e do seu possível terreno de actuação o que se poderá designar por conflito ou cenário de baixa/média intensidade... talvez a invasão desse país importantíssimo como a Guiné-Bissau?), é tão absurdo que por vezes custa mesmo a acreditar.

Se a coisa der para o torto um dia destes vamos ser de novo apanhados com as calças na mão como há um século atrás?
O mais curioso foi os senhores almirantes da época a fazerem pressão para ter novos navios (as Baptista de Andrade tinham sido introduzidas a meio dos anos 70 e podiam ser modernizadas como as Descubierta, enquanto que as congéneres francesas João Belo, tinham sido apetrechadas com Exocet),  os políticos a mendigar à NATO por novos navios, que finalmente são feitos com a maior percentagem de gastos pago pelos nossos aliados, e agora vão para conflitos de baixa/média intensidade ficando uns navios introduzidos nos anos 90, "praticamente" encostados. Mais valia terem modernizado nos anos 80 as BA e as JB, e quando os Holandeses começaram a vender as Karel Dorman, substituir de uma assentada esses navios pelas M, juntando as que foram para o Chile. Mas queriam maquinas novas, fizeram as V.G. e agora é o que é.  :-\(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fwww.worldwarships.com%2Fsites%2Fdefault%2Ffiles%2Fphotos%2Fmattmar%2FIMG1604.jpg&hash=04b9744cd0c734f5ac9dc68b1b6c49c8)(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fwww.netmarine.net%2Fbat%2Fae%2Fcharner%2Fphoto11.jpg&hash=8fee9131cba3103686b978fca210e360)
A Marinha cada vez é mais um circo, alimentada por políticos incapazes e incompetentes (aquela comissão de defesa é uma caricatura  ::) ), e por chefias e operacionais com responsabilidade na defesa, que tirando raras excepções ou quando saem do activo, "não colocam o dedo na ferida" (protecção do tacho, incapacidade ou desinteresse?) , como é os casos do equipamento e sensores para os dois novos NPO ou o flagrante caso dos "Tejo", onde nem os valores propagados chegaram alguma vez aos navios, bem como gastam-se valores ridículos em acostagem, docagem e outras porras só para "mamar" dinheiro  dos contribuintes. De facto, estas "figurinhas", sentem-se bem com uma marinha reduzida a 2 fragatas e 2 submarinos modernos, enquanto que o resto são navios como os NPO relegados para um papel secundário, e belonaves atamancadas e mal equipadas, muitas já com idade avançada. Mas para "avançar" na piada, ainda se lança um concurso para um abastecedor por 20 milhões, quando as modernizações são o que são, e temos 5 helicópteros para toda a esquadra. Ainda vamos pedir mais território marítimo à ONU. com certeza à espera de o partilharmos e defendermos vitualmente. Miséria, tristeza, ódio profundo a esta trampa de gente ...  :-[
(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fi1357.photobucket.com%2Falbums%2Fq745%2Fjolumeme%2FNRP_Tejo2_alterada_zpsy6mquleq.jpg&hash=f48414d7c5aebe09aa46d354cadef66f)
(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fwww.naval.com.br%2Fblog%2Fwp-content%2Fuploads%2F2015%2F06%2Fnrpfigueiradafoz.jpg&hash=8caa7c8d74b149de463d196ce3cd1909)
Já agora e para finalizar. Passa-me muito tempo a dizer que para a defesa (ui, se fosse feito uma conta total ao dinheiro mal gasto e sem o devido equipamento adquirido) e nomeadamente para a Marinha nunca existe o tal dinheiro. Só umas simples contas de merceeiro, junta-se o que se gastou nos projectos do LFC e NAVPOL, com o que "desapareceu" dos Tejo e as conhecidas "luvas" em aquisições, e se calhar já dá para pelo menos modernizar como deve ser o que temos e adquirir pelo menos mais uns dois helicópteros. Ou seja, mesmo o pouco que existe para a defesa, uma boa parte é mal usado. Material novo então já nem falo porque isso é uma miragem ( já nem sonhar vale a pena) ...  :-(https://www.revistamilitar.pt/recursos/imagens/imgs2007/RM2461_Cem_Lanchas.jpg)(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fi30.photobucket.com%2Falbums%2Fc344%2FCocker2000%2FBarcos%2FNAVPOLII.jpg&hash=484a1d491dcbaa0dba5e34c4fcc0403f)

Citar
https://www.revistamilitar.pt/revista/2461 (https://www.revistamilitar.pt/revista/2461)
https://www.zona-militar.com/foros/threads/nav%C3%ADo-polivalente-log%C3%ADstico-navpol.1657/ (https://www.zona-militar.com/foros/threads/nav%C3%ADo-polivalente-log%C3%ADstico-navpol.1657/)

Saudações


 


 


 
Título: Re: MLU às VdG e/ou BD - Hipóteses
Enviado por: Cabeça de Martelo em Maio 18, 2017, 03:14:20 pm
Agora já não percebo nada, a Holanda e a Belgica querem retirar as classe M do activo dentro de poucos anos porque chegam ao fim da vida util e nós vamos opera-las ate 2035!?
Isto vai de mau a péssimo, e pelo que tenho lido nesta thread as Vasco da Gama tambem não vão ter substituto? Mais vale vender esta m***a aos chineses.....
É quase incompreensivél a maneira como se lidam com as aquisições de defesa neste pais. É incrivel como paises "miseraveis" como marrocos conseguem ter um grau de prontidão militar incrivél em comparação a um pais dito de 1º mundo e europeu...

(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fnlnavy.damen.com%2Fwp-content%2Fuploads%2F2017%2F03%2FMF-1_3.jpg&hash=a6bc7bfcec56f4812b5b72c5a5cf0e04)

Vão substituir as "M" entre 2023 e 2030. Até agora nada se falou em substitutos de qualquer das nossas fragatas, apenas uma modernização total das Classe Bartolomeu Dias e parcial das Classe Vasco da Gama. Marrocos, Espanha são tudo países aliados com que Portugal tem óptimas relações politico-militar, no entanto é sempre importante manter uma capacidade militar credível para o que der e vier. Neste caso a Defesa não é nem nunca foi uma prioridade para o governo, no entanto o actual parece-me mais disposto a abrir os cordões à bolsa (mesmo que a dita cuja abra pouco).
Título: Re: MLU às VdG e/ou BD - Hipóteses
Enviado por: Stalker79 em Maio 18, 2017, 04:39:37 pm
Agora já não percebo nada, a Holanda e a Belgica querem retirar as classe M do activo dentro de poucos anos porque chegam ao fim da vida util e nós vamos opera-las ate 2035!?
Isto vai de mau a péssimo, e pelo que tenho lido nesta thread as Vasco da Gama tambem não vão ter substituto? Mais vale vender esta m***a aos chineses.....
É quase incompreensivél a maneira como se lidam com as aquisições de defesa neste pais. É incrivel como paises "miseraveis" como marrocos conseguem ter um grau de prontidão militar incrivél em comparação a um pais dito de 1º mundo e europeu...

(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fnlnavy.damen.com%2Fwp-content%2Fuploads%2F2017%2F03%2FMF-1_3.jpg&hash=a6bc7bfcec56f4812b5b72c5a5cf0e04)

Vão substituir as "M" entre 2023 e 2030. Até agora nada se falou em substitutos de qualquer das nossas fragatas, apenas uma modernização total das Classe Bartolomeu Dias e parcial das Classe Vasco da Gama. Marrocos, Espanha são tudo países aliados com que Portugal tem óptimas relações politico-militar, no entanto é sempre importante manter uma capacidade militar credível para o que der e vier. Neste caso a Defesa não é nem nunca foi uma prioridade para o governo, no entanto o actual parece-me mais disposto a abrir os cordões à bolsa (mesmo que a dita cuja abra pouco).


Agradeço a resposta. Pessoalmente a parte que mais me irrita, De momento temos boas relações com e Marrocos. Mas quem sabe se isso não pode mudar um dia? E de qualquer maneira isso não é desculpa para termos a marinha (e as forças armadas no geral) abaixo de um nivél minimo de operacionalidade. Acho que é prefeitamente visivél que nenhum governo se interessa na Defesa excepto quando tem oportunidade de ir buscar algum para os proprios bolsos, penso que em nenhum pais que tem um minimo de possibilidades ter umas forças armadas modernizadas e minimamente operacionais para o que der e vier é pedir demais. O caso dos NPO é o que se viu, O LPD/LHD nuncan vai ver a luz do dia, agora esta questão das fragatas que pelos vistos vão andar por ai até afundarem de ferrugem! E a simples sugestão de apenas ter duas fragatas operacionais é ridicula no minimo. Quem garante a Portugal e aos Portugueses que a situação politica não muda seja em que pais for e de um dia para o outro nos vemos envolvidos em algum conflito que ninguem esperava!? Não seria a primeira vez na historia que tal acontecia e depois? Vamos a correr pra NATO? Vamos chamar os Ingleses para nos safarem? Eu gostava que o pais fosse mais autonomo nessa questão e não estivessemos a espera que as coisas acontecam para reagir em vez de agir. Num post anterior até disse um pais "miseravél" como Marrocos, só utilizei a expressão misaravél vist que o PIB deles ronda os 80 MM de € e o PIB Português ronda os 220MM de € e Marrocos consegue ter uma capacidade militar muito superior,têm outras ameaças com que lidar mas mesmo assim, tem fragatas novas, uma fragata FREMM,  F16 block 50/52, sistemas de defesa anti aérea, etc. E nós por aqui sempre na mesma corriqueirice e com material mais do que gasto e aparentemente sem futuro á vista. Peço desculpa pelo discurso tão longo mas esta questão dos gastos (ou falta deles) nas forças armadas irrita-me profundamente.
 :(
Título: Re: MLU às VdG e/ou BD - Hipóteses
Enviado por: Cabeça de Martelo em Maio 18, 2017, 05:18:31 pm
E quem é que pagou os F-16, as Fragatas, os Carros de Combate, etc? Sabes?

Tu estás a falar de uma Marinha que até chegarem as Fragatas da Classe Bartolomeu Dias, só tinha 3 navios modernos, os restantes meios não tinham sequer uns Stinger (anteriormente mencionados), tu estás a falar de uma Marinha que andou com uns submarinos durante 40 anos, tu estás a falar de uma Marinha que tem um Corpo de Fuzileiros, mas que não tem qualquer navio destinado aos mesmos, etc.

isto é um pequeno exercício que pode ser repetido para o Exército e até para a Força Aérea (que é de resto o Ramo com meios mais actuais).

Se é bom? É claro que não, mas é a nossa realidade, e a mesma é melhor agora do que quando eu servi.
Título: Re: MLU às VdG e/ou BD - Hipóteses
Enviado por: dc em Junho 01, 2017, 08:06:16 pm
O pessoal está a exagerar um bocado...
As VdG terão a mesma capacidade de utilizar Harpoon e Seasparrow que têm hoje. No entanto fala-se aqui como fossem castradas. Entendam isto: manutenção da capacidade actual é diferente redução de capacidades. Quais NPOs musculados. São fragatas que manterão alguma capacidade de combate, capacidade essa que se mantém a um nível igual ou superior a praticamente qualquer navio do continente africano ou sul-americano. Não são de todo navios com nula capacidade de combate.

As BD receberão sim um aumento de capacidades substancial. Os ESSM são poucos, mas são Block 2, algo que ninguém utiliza ainda se não estou em erro (ou muito recentemente implementados). Encomendar 16 ou 1000 ia dar ao mesmo, não os teremos tão depressa.
Quando entrarem ao serviço os ditos 16, serão com certeza utilizados em conjunto com os SS remotorizados. SS como defesa de ponto, ESSM como míssil de médio alcance.

Resta agora saber que mais será melhorado nas BD com o MLU. Radares? Harpoon Block II? Veremos.
Título: Re: MLU às VdG e/ou BD - Hipóteses
Enviado por: NVF em Junho 01, 2017, 09:34:47 pm
Presume-se que um país da NATO tenha capacidade para actuar nos teatros habituais dessa aliança. Estar a enaltecer as nossas capacidades navais face às marinhas congéneres da América do Sul e de África não é muito lisonjeiro, mais a mais porque em muitos casos a nossa marinha fica a perder em tais comparações.

A notícia anteriormente publicada refere 8 ESSM e não 16. O Sea Sparrow nunca foi muito eficaz enquanto míssil anti-míssil (daí ser complementado por CIWS e Ram ja lá vão duas ou três décadas) e uma remotorização não vai trazer melhorias nesse aspecto. Aparentemente, o upgrade da consola de controle dos Harpoon apenas esta prevista para as BD, ou seja, mais uma capacidade das VdG que vai, ao longo do tempo, ficar mais degradada.
Título: Re: MLU às VdG e/ou BD - Hipóteses
Enviado por: mafets em Junho 01, 2017, 10:05:27 pm
Quando se compara as VDG com as suas congéneres gregas, vê-se logo que o que está planificado para as mesmas, nos coloca na vanguarda da coisa. E não vou ser mauzinho e colocar aqui as Australianas ou Neozelandesas. Qualquer dia ainda estamos ao nível do Sri Lanka ou da Venezuela, isto para não ir a África...  ;D :jok: :nice: :rir:
(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fwww.marinha.pt%2Fpt-pt%2Fmedia-center%2Fgaleria-digital%2FPublishingImages%2Fmeios-operacionais%2Fnrp-alvares-cabral%2F08-EX-02-052_.jpg%3Fw%3D1600%26amp%3Bh%3D629&hash=843cd58489da5e7c9548e00c03865f35)
(https://pbs.twimg.com/media/ChNQexTWwAAPTOT.jpg)

Saudações
Título: Re: MLU às VdG e/ou BD - Hipóteses
Enviado por: paraquedista em Junho 02, 2017, 03:02:18 am
Presume-se que um país da NATO tenha capacidade para actuar nos teatros habituais dessa aliança. Estar a enaltecer as nossas capacidades navais face às marinhas congéneres da América do Sul e de África não é muito lisonjeiro, mais a mais porque em muitos casos a nossa marinha fica a perder em tais comparações.

A notícia anteriormente publicada refere 8 ESSM e não 16. O Sea Sparrow nunca foi muito eficaz enquanto míssil anti-míssil (daí ser complementado por CIWS e Ram ja lá vão duas ou três décadas) e uma remotorização não vai trazer melhorias nesse aspecto. Aparentemente, o upgrade da consola de controle dos Harpoon apenas esta prevista para as BD, ou seja, mais uma capacidade das VdG que vai, ao longo do tempo, ficar mais degradada.

Por acaso sao mesmo 16  ;) :D

Citar
2 - Autorizo, ao abrigo do disposto no n.º 1 do artigo 2.º da Lei de Programação Militar (LPM), aprovada pela Lei Orgânica n.º 7/2015, 18 de maio, na alínea c) do n.º 3 do artigo 17.º do Decreto-Lei n.º 197/99, de 8 de junho, mantido em vigor pela alínea f) do n.º 1 do artigo 14.º do Decreto-Lei n.º 18/2008, de 29 de janeiro, que aprovou o CCP, a despesa com a comparticipação financeira de Portugal no programa e com a aquisição de até 16 (dezasseis) mísseis ESSM Block 2, até ao montante máximo de 19.500.000,00(euro), com IVA incluído se aplicável, a suportar pelas verbas inscritas na LPM, «Capacidade Oceânica de Superfície», projeto «Modernização de meia vida das fragatas», com a seguinte distribuição plurianual:

a) No ano de 2021 - 3.300.000,00 euros;

b) No ano de 2022 - 6.200.000,00 euros;

c) No ano de 2023 - 3.000.000,00 euros;

d) No ano de 2024 - 7.000.000,00 euros.
Título: Re: MLU às VdG e/ou BD - Hipóteses
Enviado por: Luso em Junho 02, 2017, 11:49:46 am

Citar
2 - Autorizo, ao abrigo do disposto no n.º 1 do artigo 2.º da Lei de Programação Militar (LPM), aprovada pela Lei Orgânica n.º 7/2015, 18 de maio, na alínea c) do n.º 3 do artigo 17.º do Decreto-Lei n.º 197/99, de 8 de junho, mantido em vigor pela alínea f) do n.º 1 do artigo 14.º do Decreto-Lei n.º 18/2008, de 29 de janeiro, que aprovou o CCP, a despesa com a comparticipação financeira de Portugal no programa e com a aquisição de até 16 (dezasseis) mísseis ESSM Block 2, até ao montante máximo de 19.500.000,00(euro), com IVA incluído se aplicável, a suportar pelas verbas inscritas na LPM, «Capacidade Oceânica de Superfície», projeto «Modernização de meia vida das fragatas», com a seguinte distribuição plurianual:

a) No ano de 2021 - 3.300.000,00 euros;

b) No ano de 2022 - 6.200.000,00 euros;

c) No ano de 2023 - 3.000.000,00 euros;

d) No ano de 2024 - 7.000.000,00 euros.

Os mesmos €20M... ::)
Qual será a razão de tão mágico número?
Título: Re: MLU às VdG e/ou BD - Hipóteses
Enviado por: Charlie Jaguar em Junho 02, 2017, 04:33:22 pm
Quando se compara as VDG com as suas congéneres gregas, vê-se logo que o que está planificado para as mesmas, nos coloca na vanguarda da coisa. E não vou ser mauzinho e colocar aqui as Australianas ou Neozelandesas. Qualquer dia ainda estamos ao nível do Sri Lanka ou da Venezuela, isto para não ir a África...  ;D :jok: :nice: :rir:
(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fwww.marinha.pt%2Fpt-pt%2Fmedia-center%2Fgaleria-digital%2FPublishingImages%2Fmeios-operacionais%2Fnrp-alvares-cabral%2F08-EX-02-052_.jpg%3Fw%3D1600%26amp%3Bh%3D629&hash=843cd58489da5e7c9548e00c03865f35)
(https://pbs.twimg.com/media/ChNQexTWwAAPTOT.jpg)

Saudações


Sim, é verdade, as VdG pelo menos permanecerão mais credíveis que a Aradu nigeriana...  ;D

(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fwww.shipspotting.com%2Fphotos%2Fmiddle%2F7%2F2%2F7%2F1826727.jpg&hash=4eb0ac24a8b4ed57459e7350b5ae5aae)
Título: Re: MLU às VdG e/ou BD - Hipóteses
Enviado por: NVF em Junho 02, 2017, 04:36:07 pm
Presume-se que um país da NATO tenha capacidade para actuar nos teatros habituais dessa aliança. Estar a enaltecer as nossas capacidades navais face às marinhas congéneres da América do Sul e de África não é muito lisonjeiro, mais a mais porque em muitos casos a nossa marinha fica a perder em tais comparações.

A notícia anteriormente publicada refere 8 ESSM e não 16. O Sea Sparrow nunca foi muito eficaz enquanto míssil anti-míssil (daí ser complementado por CIWS e Ram ja lá vão duas ou três décadas) e uma remotorização não vai trazer melhorias nesse aspecto. Aparentemente, o upgrade da consola de controle dos Harpoon apenas esta prevista para as BD, ou seja, mais uma capacidade das VdG que vai, ao longo do tempo, ficar mais degradada.

Por acaso sao mesmo 16  ;) :D

Citar
2 - Autorizo, ao abrigo do disposto no n.º 1 do artigo 2.º da Lei de Programação Militar (LPM), aprovada pela Lei Orgânica n.º 7/2015, 18 de maio, na alínea c) do n.º 3 do artigo 17.º do Decreto-Lei n.º 197/99, de 8 de junho, mantido em vigor pela alínea f) do n.º 1 do artigo 14.º do Decreto-Lei n.º 18/2008, de 29 de janeiro, que aprovou o CCP, a despesa com a comparticipação financeira de Portugal no programa e com a aquisição de até 16 (dezasseis) mísseis ESSM Block 2, até ao montante máximo de 19.500.000,00(euro), com IVA incluído se aplicável, a suportar pelas verbas inscritas na LPM, «Capacidade Oceânica de Superfície», projeto «Modernização de meia vida das fragatas», com a seguinte distribuição plurianual:

a) No ano de 2021 - 3.300.000,00 euros;

b) No ano de 2022 - 6.200.000,00 euros;

c) No ano de 2023 - 3.000.000,00 euros;

d) No ano de 2024 - 7.000.000,00 euros.

Pronto já está! Retiro tudo o que disse. Com 16 ESSM nas BD, os Marlin nos VdC e as 12.7 nas fisga, que venham os russos, os marroquinos, os espanhóis, os peruanos, os turcos e os marcianos que chegamos para eles!
Título: Re: MLU às VdG e/ou BD - Hipóteses
Enviado por: Luso em Junho 02, 2017, 04:52:24 pm
Como é que se vão comprar "até 16 ESSM" até 2024?
Temos que esperar até 2024 até que pelo menos UMA Bartolomeu dias esteja municiada a METADE com ESSM, ou as duas fragatas municiadas a 1/4 da capacidade?

E começar a comprar às mijinhas a partir de... 2021?

E o Sr. CEMA, Almirante António Silva Ribeiro, o Almirante Hidrográfico (por só ter comandado navios hidrográficos) cala-se bem calado, como qualquer burocrata bem comportado.

VERGONHOSO. Vergonhoso...
Título: Re: MLU às VdG e/ou BD - Hipóteses
Enviado por: Cabeça de Martelo em Junho 02, 2017, 05:37:34 pm
Luso as ESSM Block 2 só vão estar a ser produzidas para o mercado em 2020. Nós vamos receber uma versão que ainda está a ser desenvolvida. A Grécia que é um país com umas Forças Armadas muito mais bem equipadas só fez um contracto de 6.5 milhões de dólares para receber estes misseis.
Título: Re: MLU às VdG e/ou BD - Hipóteses
Enviado por: Stalker79 em Junho 02, 2017, 05:46:02 pm
Não sei ao certo quanto seria o custo, mas nas VDG se fizessem um update do radar para o SMART-2S (ou similar), Harpoon block 2 e ESSM´s para o Mk 29, já seria suficiente para acompanhar o resto durante algum tempo. Mesmo para as três qual seria o tombo na pior hipotese!?
 :N-icon-Gun:
Título: Re: MLU às VdG e/ou BD - Hipóteses
Enviado por: Charlie Jaguar em Junho 06, 2017, 05:53:47 pm
Estive a ler a Jane's Navy International deste mês com o artigo de fundo dedicado à modernização da Armada Portuguesa da autoria da jornalista Kate Tringham, e embora extenso não há grandes novidades anunciadas por parte do principal entrevistado, o Vice-Almirante Mendes Calado. Assim sendo temos em resumo o seguinte e a nível de meios:

- Modernização das fragatas da classe BD: na linha da holandesa e belga, ou seja, instalação de um novo sistema de gestão em combate e guerra electrónica, modernização do sonar, do CIWS Goalkeeper e do sistema Harpoon. O sistema de lançamento de torpedos será também alvo de um upgrade, passando do Mk.46 Mod. 5 actual para o Mk.54 que é mais eficaz em águas litorais, enquanto o Sea Sparrow será substituído pelo ESSM. A Bartolomeu Dias deverá iniciar o seu MLU no próximo ano, com a duração de 15 meses, seguida pela D. Francisco de Almeida em 2019.

- Modernização das fragatas da classe VdG: Começarão a sua modernização após estar terminada as da classe BD. Assumidamente de cariz mais modesto devido a constrangimentos de razão orçamental, irão todavia receber um novo sistema integrado de comunicações e uma nova plataforma integrada de gestão de sistemas. A modernização dos sistemas de combate ainda está em discussão, mas é certo que não receberão nem ESSM, nem Harpoon Block II ao contrário das BD.

- Corvetas e NPO's: a última das 3 corvetas sobreviventes da classe Baptista de Andrade deverá ser retirada em 2020. Segundo é avançado no artigo, a Marinha tem a intenção de até 2029 poder contar com 10 NPO, sendo que existe um grupo de trabalho que em conjunto com os estaleiros da West Sea quer simplificar o programa de construção destes navios para que se tornem menos caros já que a nível de celeridade o programa entrou agora nos eixos. "Do 5º ao 10º navio tentaremos agilizar o processo de forma a que a construção se torne mais económica, com base em tudo aquilo que aprendemos com os primeiros navios".

- Stanflex 300 ou classe Tejo: 3 navios entrarão ao serviço este ano, com o quinto e último em 2018. O Vice-Almirante enaltece que são excelentes e robustos, usados inclusivamente em combate no Líbano pela Dinamarca, mas que em Portugal a abordagem é diferente e que os navios serão utilizados somente para patrulha, vigilância costeira e fiscalização pesqueira.

- Submarinos: Mendes Calado afirma à Jane's que a opção pela aquisição de uma terceira unidade 209PN permanece em aberto, mas que não vê a Marinha num futuro próximo a exercer essa opção devido às restrições financeiras sobejamente conhecidas. A grande revisão de que está a ser alvo o Tridente em Kiel desde Janeiro deverá durar até aos primeiros meses do próximo ano, sendo que após a sua chegada o Arpão fará o mesmo mas já no Arsenal do Alfeite. A Marinha aponta que ambas as embarcações deverão sofrer um extenso upgrade no período compreendido entre 2022 e 2025.

- Bérrio: estudos em curso para a sua possível substituição entre 2021 e 2022. Com várias Marinhas europeias igualmente em processo de renovação das suas frotas, a Armada tem estado a analisar vários programas dos seus congéneres e a espreitar a oportunidade de poder participar num deles. Para esse efeito estão em curso conversações com a Royal Navy e Marinhas da Alemanha, Espanha e Holanda. A ambição é adquirir um navio novo, e para isso a Marinha tentará aumentar as verbas para este programa em específico aquando da revisão da LPM no próximo ano. A aquisição de um navio em segunda-mão não está posta de parte, porém a intenção principal revelada pelo Vice-Almirante Mendes Calado é poder ter ao dispor um navio novo, navio esse com um deslocamento máximo na ordem das 15.000, 16.000 toneladas, tripulação reduzida, convés de voo e a possibilidade de poder apoiar a projecção de fuzileiros em operações especiais. O Vice-Almirante afirma que o substituto do Bérrio também deverá ter a possibilidade de dar auxílio em caso de catástrofes naturais ou missões de cariz humanitário.

- LPD: continua a haver firme intenção na aquisição/obtenção de uma plataforma deste género, apesar de para já tal se encontrar em banho-maria pelos motivos conhecidos. Poderá ser construído em Portugal e a ambição ajustada ao orçamento disponível ou de novo nos virarmos para uma opção em segunda-mão como o Siroco em 2015, mas só entre as décadas de 2020 e 2030 é que será mais crível esse passo. A propósito do Siroco, Mendes Calado refere que a incompatibilidade do hardware militar em uso em Portugal, incluindo os EH-101 da FAP, foi o factor que ditou o parecer negativo à sua aquisição.

- Super Lynx: embora seja referido que o plano inicial era a aquisição de 7 a 8 helicópteros, as verbas para tal nunca foram disponibilizadas e os 5 que existem serão os 5 que estarão ao serviço até pelo menos 2030. O primeiro aparelho começará a modernização já este mês nas instalações da Leonardo Helicopters em Yeovil, Inglaterra, sendo reentregue à Armada em 2019, e que de acordo com o contrato assinado todos deverão estar de novo ao serviço até 2021. O MLU dos Super Lynx será feito em paralelo com o das fragatas, e Mendes Calado adianta que apesar do seu uso intensivo as aeronaves não tiveram qualquer acidente ao longo dos 24 anos de serviço, e que o quadro de tripulações de voo e de terra é excelente ao ponto de no início de 2017 terem havido períodos em que 4 helicópteros se encontravam operacionais em simultâneo, embora a média seja de 2.8. O upgrade em si dos Super Lynx consistirá na substituição dos motores originais Rolls-Royce Gem 42 pelos LHTEC CTS-800-4N, a instalação de um novo glass cockpit com 3 mostradores multifunções, novos sistemas de navegação e um novo guincho eléctrico de resgate.

 ;)

Título: Re: MLU às VdG e/ou BD - Hipóteses
Enviado por: tenente em Junho 06, 2017, 10:19:11 pm
Estive a ler Jane's Navy International deste mês com o artigo de fundo dedicado à modernização da Armada Portuguesa da autoria da jornalista Kate Tringham, e embora extenso não há grandes novidades anunciadas por parte do principal entrevistado, o Vice-Almirante Mendes Calado. Assim sendo temos em resumo o seguinte e a nível de meios:

- Modernização das fragatas da classe BD: na linha da holandesa e belga, ou seja, instalação de um novo sistema de gestão em combate e guerra electrónica, modernização do sonar, do CIWS Goalkeeper e do sistema Harpoon. O sistema de lançamento de torpedos será também alvo de um upgrade, passando do Mk.46 Mod. 5 actual para o Mk.54 que é mais eficaz em águas litorais, enquanto o Sea Sparrow será substituído pelo ESSM. A Bartolomeu Dias deverá iniciar o seu MLU no próximo ano, com a duração de 15 meses, seguida pela Francisco de Almeida em 2019.

- Modernização das fragatas da classe VdG: Começarão a sua modernização após estar terminada as da classe BD. Assumidamente de cariz mais modesto devido a constrangimentos de razão orçamental, irão todavia receber um novo sistema integrado de comunicações e uma nova plataforma integrada de gestão de sistemas. A modernização dos sistemas de combate ainda está em discussão, mas é certo que não receberão nem ESSM, nem Harpoon Block II ao contrário das BD.

- Corvetas e NPO's: a última das 3 corvetas sobreviventes da classe Baptista de Andrade deverá ser retirada em 2020. Segundo é avançado no artigo, a Marinha tem a intenção de até 2029 poder contar com 10 NPO, sendo que existe um grupo de trabalho que em conjunto com os estaleiros da West Sea quer simplificar o programa de construção destes navios para que se tornem menos caros já que a nível de celeridade o programa entrou agora nos eixos. "Do 5º ao 10º navio tentaremos acelerar o processo de forma a que a construção se torne mais económica, com base em tudo aquilo que aprendemos com os primeiros navios".

- Stanflex 300 ou classe Tejo: 3 navios entrarão ao serviço este ano, com o quinto e último em 2018. O Vice-Almirante enaltece que são excelentes e robustos, usados inclusivamente em combate no Líbano pela Dinamarca, mas que em Portugal a abordagem é diferente e que os navios serão utilizados somente para patrulha, vigilância costeira e fiscalização pesqueira.

- Submarinos: Mendes Calado afirma à Jane's que a opção pela aquisição de uma terceira unidade 209PN permanece em aberto, mas que não vê a Marinha num futuro próximo a exercer essa opção devido às restrições financeiras sobejamente conhecidas. A grande revisão de que está a ser alvo o Tridente em Kiel desde Janeiro deverá durar até aos primeiros meses do próximo ano, sendo que após a sua chegada o Arpão fará o mesmo mas já no Arsenal do Alfeite. A Marinha aponta que ambas as embarcações deverão sofrer um extenso upgrade no período compreendido entre 2022 e 2025.

- Bérrio: estudos em curso para a sua possível substituição entre 2021 e 2022. Com várias Marinhas europeias igualmente em processo de renovação das suas frotas, a Armada tem estado a analisar vários programas dos seus congéneres e a espreitar a oportunidade de poder participar num deles. Para esse efeito estão em curso conversações com a Royal Navy e Marinhas da Alemanha, Espanha e Holanda. A ambição é adquirir um navio novo, e para isso a Marinha tentará aumentar as verbas para este programa em específico aquando da revisão da LPM no próximo ano. A aquisição de um navio em segunda-mão não está posta de parte, porém a intenção principal revelada pelo Vice-Almirante Mendes Calado é poder ter ao dispor um navio novo, navio esse com um deslocamento máximo na ordem das 15.000, 16.000 toneladas, tripulação reduzida, convés de voo e a possibilidade de poder apoiar a projecção de fuzileiros em operações especiais. O Vice-Almirante afirma que o substituto do Bérrio também deverá ter a possibilidade de dar auxílio em caso de catástrofes naturais ou missões de cariz humanitário.

- LPD: continua a haver firme intenção na aquisição/obtenção de uma plataforma deste género, apesar de para já tal se encontrar em banho-maria pelos motivos conhecidos. Poderá ser construído em Portugal e a ambição ajustada ao orçamento disponível ou de novo nos virarmos para uma opção em segunda-mão como o Siroco em 2015, mas só entre as décadas de 2020 e 2030 é que será mais crível esse passo. A propósito do Siroco, Mendes Calado refere que a incompatibilidade do hardware militar em uso em Portugal, incluindo os EH-101 da FAP, foi o factor que ditou o parecer negativo à sua aquisição.

- Super Lynx: embora seja referido que o plano inicial era a aquisição de 7 a 8 helicópteros, as verbas para tal nunca foram disponibilizadas e os 5 que existem serão os 5 que estarão ao serviço até pelo menos 2030. O primeiro aparelho começará a modernização já este mês nas instalações da Leonardo Helicopters em Yeovil, Inglaterra, sendo reentregue à Armada em 2019, e que de acordo com o contrato assinado todos deverão estar de novo ao serviço até 2021. O MLU dos Super Lynx será feito em paralelo com o das fragatas, e Mendes Calado adianta que apesar do seu uso intensivo as aeronaves não tiveram qualquer acidente ao longo dos 24 anos de serviço, e que o quadro de tripulações de voo e de terra é excelente ao ponto de no início de 2017 terem havido períodos em que 4 helicópteros se encontravam operacionais em simultâneo, embora a média seja de 2.8. O upgrade em si dos Super Lynx consistirá na substituição dos motores originais Rolls-Royce Gem 42 pelos LHTEC CTS-800-4N, a instalação de um novo glass cockpit com 3 mostradores multifunções, novos sistemas de navegação e um novo guincho eléctrico de resgate.

 ;)

CJ,

Acho muita fruta virmos a ter dez NPO's, a ser verdade, seria muitíssimo bom, que alguns desses futuros seis NPO's possuíssem mais valências que as quatro primeiras unidades;
Que a aquisição do AOR fosse uma realidade e se concretizasse o mais rápido possível de preferência ainda antes de 2022;
E que fosse possível adquirir o 3º Tridente ASAP;
Cinco Helis é muitíssimo pouco para a nossa MdG, oito a dez unidades seria o ideal, pelo menos oito !!

Abraços
Título: Re: MLU às VdG e/ou BD - Hipóteses
Enviado por: Stalker79 em Junho 06, 2017, 10:26:02 pm
Oh sim, 10 traineiras mais 4 fisgas ,duas fragatas e mais três a meio gás.....  Muito gostam dos NPO´s... se ainda fizessem umas corvetas daquilo.
Título: Re: MLU às VdG e/ou BD - Hipóteses
Enviado por: tenente em Junho 06, 2017, 10:30:00 pm
Oh sim, 10 traineiras mais 4 fisgas ,duas fragatas e mais três a meio gás.....  Muito gostam dos NPO´s... se ainda fizessem umas corvetas daquilo.

CINCO FISGAS !!!!!!!!!!! :G-beer2: :G-beer2: :G-beer2: :G-beer2: :G-beer2:
Uma fortuna em elásticos.................. :nice: :nice: :nice: :nice: :nice:
Título: Re: MLU às VdG e/ou BD - Hipóteses
Enviado por: Major Alvega em Junho 07, 2017, 01:16:59 am
"Mendes Calado afirma à Jane's que a opção pela aquisição de uma terceira unidade 209PN permanece em aberto..."
A minha opção pela Charlize Theron também contínua em aberto.


Título: Re: MLU às VdG e/ou BD - Hipóteses
Enviado por: Major Alvega em Junho 07, 2017, 04:46:24 am
Por aquilo que o Charlie Jaguar nos fez o favor de compilar, o futuro da marinha é muito pouco auspicioso e muito sombrio. Senão vejamos:

As Bartolomeu Dias
Se seguirem a modernização feita pelos holandeses e belgas. Tal como eu já referi atrás, essa modernização foi efectuada como transitória até à chegada das fragatas substitutas que será em breve. E não como uma modernização para a utilização a longo prazo. O que vai suceder? Dentro de 5 anos as BD estarão obsoletas ao nível de sensores. Poderão ter os ESSM II e os Harpoon II mas o Smart-S, o sensor principal do navio é da década de 90 para não falar do LW08 é ainda do final da década de 80. Portanto mais uma trapalhada e muita incompetência "à portuguesa", nunca há mais meio de aprendermos.

As MEKO
Excelentes fragatas que sendo modernizadas convenientemente ficariam ainda um meio importante. Se vão só mudar os ecrans e o sistema de controlo e o resto fica como está. O seu valor militar ou naval é quase ZERO. Isto sim é que é desperdiçar recursos.

NPO
Insistir e continuar a fabricar este navio sem qualquer modernização ou evolução efectiva tal como foi concebido nos anos 90 é uma estupidez. Mas enfim este assunto, até falar dele já cheira mal.

Submarinos
Apesar de 2 ser muito pouco. São os únicos meios da marinha com valor militar e verdadeiramente dissuasor.

Stanflex
Já aqui falamos sobre esta aquisição e transformação absurda. Valor naval: ZERO
O Sr. Vice-Almirante como não tem nada de saliente ou importante para dizer sobre estes navios. Porque realmente eles não têm absolutamente nada. Argumenta que tiveram no Libano e que são excelentes navios e robustos (é o cartão de visita). A minha prima também é excelente e robusta.

Bérrio
Não é dito absolutamente nada de substantivo. Apenas mero processos de intenções e que andam a ver com outros países. Esta estória de andar a ver já é muito antiga. Há mais de 10 anos falavam que iam conjuntantamente com a Noruega partilhar o projecto do AOR. Os noruegueses estão prestes a receber o seu Aegir que vem da Coreia e nós andamos ainda a ver, a pensar, a estudar. O Sr. Vice-Almirante teve vergonha de dizer á Sra. da Jane´s que nós iamos deixar de ter essa valência e para fazer boa figura disse que estavam a pensar num novo. Foi só para não dar parte fraca.

LPD
Os EH101 têm as costas largas.

Os helis
Uma modernização sem contemplar a câmera FLIR. Um helicóptero naval da NATO sem este dispositivo é um absurdo. Toda a gente na NATO já despachou os Lynx e nós ainda vão apanhar com eles até 2035.

Resumindo:
Como já referi há pouco tempo atrás. Vamos ter uma Marinha com 2 submarinos e 2 fragatas para "inglês ver" e o resto é tudo "chaçaria".
Título: Re: MLU às VdG e/ou BD - Hipóteses
Enviado por: Lightning em Junho 07, 2017, 11:53:33 am
Tenho pena de não ter nada relativo a equipamento para os Fuzileiros, principalmente, uma nova espingarda.
Título: Re: MLU às VdG e/ou BD - Hipóteses
Enviado por: Stalker79 em Junho 07, 2017, 02:35:48 pm
Oh sim, 10 traineiras mais 4 fisgas ,duas fragatas e mais três a meio gás.....  Muito gostam dos NPO´s... se ainda fizessem umas corvetas daquilo.

CINCO FISGAS !!!!!!!!!!! :G-beer2: :G-beer2: :G-beer2: :G-beer2: :G-beer2:
Uma fortuna em elásticos.................. :nice: :nice: :nice: :nice: :nice:

Então a quinta não tinha sido comprada para peças!? Estava na ideia que a ultima Stanflex era só para peças.
Título: Re: MLU às VdG e/ou BD - Hipóteses
Enviado por: tenente em Junho 07, 2017, 02:47:19 pm
Oh sim, 10 traineiras mais 4 fisgas ,duas fragatas e mais três a meio gás.....  Muito gostam dos NPO´s... se ainda fizessem umas corvetas daquilo.

CINCO FISGAS !!!!!!!!!!! :G-beer2: :G-beer2: :G-beer2: :G-beer2: :G-beer2:
Uma fortuna em elásticos.................. :nice: :nice: :nice: :nice: :nice:

Então a quinta não tinha sido comprada para peças!? Estava na ideia que a ultima Stanflex era só para peças.

Também eu mas quando li o artigo na Jane's fiquei a saber que é para entrar ao serviço !!!!
Lá vamos gastar dinheiro............ porque o orçamentado era para " Downgradar " quatro embarcações e não cinco, a matemática não engana, digo eu !

Abraços
Título: Re: MLU às VdG e/ou BD - Hipóteses
Enviado por: Luso em Junho 07, 2017, 03:07:29 pm
10 NPO´s parece ser o sonho húmido dos Almirantes burocratas como o actual CEMA. A mentalidade administrativa parecer ser avessa ao conceito do combate. É a mentalidade de um Vassalo, em todos os aspectos.
https://pt.wikipedia.org/wiki/Manuel_Ant%C3%B3nio_Vassalo_e_Silva
Título: Re: MLU às VdG e/ou BD - Hipóteses
Enviado por: Alvalade em Junho 07, 2017, 03:28:51 pm
Porque deviam ter todos lutado até à morte para um ter um final exatamente igual.
Título: Re: MLU às VdG e/ou BD - Hipóteses
Enviado por: Luso em Junho 07, 2017, 04:53:06 pm
Porque deviam ter todos lutado até à morte para um ter um final exatamente igual.

Mas porque é que o resultado teria que ser esse?
Não é tarefa do administrador garantir que tal situação nunca ocorresse?
Nota: este é um off-topic claramente, mas atendendo a que o assunto deste tópico já deixou de o ter até lá para finais de dois mil e vinte e tais ou trinca e muitos, talvez se fale de coisas com algum interesse efectivo.

Quando eu falo do General Vassalo, falo considerando-o como o militar de topo mais interessado em outras coisas alheias ao seu mister.
Repare que Manuel António Vassalo e Silva foi agraciado com a Ordem Civil do Mérito Agrícola e Industrial Classe Industrial, o que só lhe ficou muito bem, mas denuncia a falta da vertente do combate, da guerra. Pode revelar o construtor, mas um militar deve ser primeiro um destruidor.
- Acho eu!  ;)
Provavelmente serei injusto com Vassalo, se considerarmos o pouco tempo que terá tido para preparar defesas (dois anos) mas foi a ele que o Destino escolheu.
Com efeito, mais teremos a dizer do seu antecessor, General Paulo Bénard Guedes, outro militar aparentemente pouco interessado em questões militares e que ocupou o lugar de governador entre 52 e 58. Este General também foi formado na Escola Superior Colonial (Instituto Superior de Ciências Sociais e Políticas da Universidade Técnica de Lisboa).
Atendendo a que PBG este no cargo 6 anos nos anos de 52 e 58, deveria ter este senhor efectuado a verificação das defesas e das munições disponíveis e procedido à sua substituição, considerando que na altura as munições .303 e 7.92 assim como armas ligeiras de qualidade eram ao preço da chuva, tal como o eram a artilharia e morteirame. O que poderia ser mais chato seriam as armas anti-carro (M20) que seriam novas e mais caras mas certamente já disponíveis em 1958. Embora tais aquisições pudessem ficar mais baratas comprando, por exemplo, stocks franceses, ingleses ou mesmo americanos, não eram coisa impossível.
Ou seja, havia a hipótese de se fazer um esforço que não foi feito, porque pelos vistos o que interessava era o tacho, e a preocupação pelas verdadeiras questões militares era pelos vistos muito reduzida.
Albuquerque não construiu o Império da Ásia ignorando a questão militar como foi feita.
Mas o que interessa agora mesmo é: o que nos trazem os militares com preocupações excessivamente “civis”, secundárias ou acessórias como o nosso Almirante Hidrográfico?
E o CEMFA, cuja carreira foi feita a pilotar aviões de transporte?
Não deverão todos os CEM serem oriundos de especialidades directamente ligadas ao combate?
Não deverá o CEMA ter sido comandante de uma das poucas fragatas, ou Comandante dos Fuzileiros?
O CEME ter o curso de operações especiais?
O CEMFA ter sido piloto de Caça ou de Helicóptero?

Existirá alguma diferença de atitude entre o militar de linha de frente e o burocrata?
Pergunto isto porque gostaria de assistir a umas demissões em bloco e em sucessão de CEMs, que deveriam ser gente com eles no sítio, mais que qualquer outro e denunciassem esta pouca vergonha.
E nenhum faz.

Ou será que afinal no futuro apenas nos resta desistir?
É que para isso já basta o que temos. E o que temos é realmente apenas simbólico e uma fachada, uma reles fachada.
Título: Re: MLU às VdG e/ou BD - Hipóteses
Enviado por: Lusitan em Junho 07, 2017, 05:51:18 pm
Porque deviam ter todos lutado até à morte para um ter um final exatamente igual.

Mas porque é que o resultado teria que ser esse?
Não é tarefa do administrador garantir que tal situação nunca ocorresse?
Nota: este é um off-topic claramente, mas atendendo a que o assunto deste tópico já deixou de o ter até lá para finais de dois mil e vinte e tais ou trinca e muitos, talvez se fale de coisas com algum interesse efectivo.

Quando eu falo do General Vassalo, falo considerando-o como o militar de topo mais interessado em outras coisas alheias ao seu mister.
Repare que Manuel António Vassalo e Silva foi agraciado com a Ordem Civil do Mérito Agrícola e Industrial Classe Industrial, o que só lhe ficou muito bem, mas denuncia a falta da vertente do combate, da guerra. Pode revelar o construtor, mas um militar deve ser primeiro um destruidor.
- Acho eu!  ;)
Provavelmente serei injusto com Vassalo, se considerarmos o pouco tempo que terá tido para preparar defesas (dois anos) mas foi a ele que o Destino escolheu.
Com efeito, mais teremos a dizer do seu antecessor, General Paulo Bénard Guedes, outro militar aparentemente pouco interessado em questões militares e que ocupou o lugar de governador entre 52 e 58. Este General também foi formado na Escola Superior Colonial (Instituto Superior de Ciências Sociais e Políticas da Universidade Técnica de Lisboa).
Atendendo a que PBG este no cargo 6 anos nos anos de 52 e 58, deveria ter este senhor efectuado a verificação das defesas e das munições disponíveis e procedido à sua substituição, considerando que na altura as munições .303 e 7.92 assim como armas ligeiras de qualidade eram ao preço da chuva, tal como o eram a artilharia e morteirame. O que poderia ser mais chato seriam as armas anti-carro (M20) que seriam novas e mais caras mas certamente já disponíveis em 1958. Embora tais aquisições pudessem ficar mais baratas comprando, por exemplo, stocks franceses, ingleses ou mesmo americanos, não eram coisa impossível.
Ou seja, havia a hipótese de se fazer um esforço que não foi feito, porque pelos vistos o que interessava era o tacho, e a preocupação pelas verdadeiras questões militares era pelos vistos muito reduzida.
Albuquerque não construiu o Império da Ásia ignorando a questão militar como foi feita.
Mas o que interessa agora mesmo é: o que nos trazem os militares com preocupações excessivamente “civis”, secundárias ou acessórias como o nosso Almirante Hidrográfico?
E o CEMFA, cuja carreira foi feita a pilotar aviões de transporte?
Não deverão todos os CEM serem oriundos de especialidades directamente ligadas ao combate?
Não deverá o CEMA ter sido comandante de uma das poucas fragatas, ou Comandante dos Fuzileiros?
O CEME ter o curso de operações especiais?
O CEMFA ter sido piloto de Caça ou de Helicóptero?

Existirá alguma diferença de atitude entre o militar de linha de frente e o burocrata?
Pergunto isto porque gostaria de assistir a umas demissões em bloco e em sucessão de CEMs, que deveriam ser gente com eles no sítio, mais que qualquer outro e denunciassem esta pouca vergonha.
E nenhum faz.

Ou será que afinal no futuro apenas nos resta desistir?
É que para isso já basta o que temos. E o que temos é realmente apenas simbólico e uma fachada, uma reles fachada.
Um Chefe de Estado-Maior deve ser acima de tudo um estratega, não interessa se vem de Operações Especiais ou de Aviação de transporte ou até de Logística. O que importa é que tenha uma capacidade de elaborar estratégias para diversas situações e com os meios que tem.
Um estratega sabe que não basta apenas disparar uma arma, é preciso ter balas. Não basta ter um soldado treinado, também tem de ter um soldado motivado e alimentado.
Sabe que não basta ser versado em tácticas e manobras militares se não souber preparar o pós-guerra (exemplo brilhante é o Iraque).
As guerras vencem-se tanto no terreno como nos escritórios. Sem logística e sem planeamento estratégico, ninguém vence guerras.

Deixo aqui um link para algumas citações célebres de militares acerca de logística:
http://www.military-quotes.com/forum/logistics-quotes-t511.html
Título: Re: MLU às VdG e/ou BD - Hipóteses
Enviado por: Cabeça de Martelo em Junho 07, 2017, 05:57:26 pm
Eu conheço um certo CEME que depois de ter visto o seu comando minado pelo Ministro da defesa apresentou automaticamente a demissão.
Título: Re: MLU às VdG e/ou BD - Hipóteses
Enviado por: tenente em Junho 07, 2017, 07:28:16 pm
Eu conheço um certo CEME que depois de ter visto o seu comando minado pelo Ministro da defesa apresentou automaticamente a demissão.

Há muito poucos com tomates para fazer isso, a tacharia fala mais alto !!!

Abraços
Título: Re: MLU às VdG e/ou BD - Hipóteses
Enviado por: tenente em Junho 07, 2017, 07:36:59 pm
Porque deviam ter todos lutado até à morte para um ter um final exatamente igual.

Mas porque é que o resultado teria que ser esse?
Não é tarefa do administrador garantir que tal situação nunca ocorresse?
Nota: este é um off-topic claramente, mas atendendo a que o assunto deste tópico já deixou de o ter até lá para finais de dois mil e vinte e tais ou trinca e muitos, talvez se fale de coisas com algum interesse efectivo.

Quando eu falo do General Vassalo, falo considerando-o como o militar de topo mais interessado em outras coisas alheias ao seu mister.
Repare que Manuel António Vassalo e Silva foi agraciado com a Ordem Civil do Mérito Agrícola e Industrial Classe Industrial, o que só lhe ficou muito bem, mas denuncia a falta da vertente do combate, da guerra. Pode revelar o construtor, mas um militar deve ser primeiro um destruidor.
- Acho eu!  ;)
Provavelmente serei injusto com Vassalo, se considerarmos o pouco tempo que terá tido para preparar defesas (dois anos) mas foi a ele que o Destino escolheu.
Com efeito, mais teremos a dizer do seu antecessor, General Paulo Bénard Guedes, outro militar aparentemente pouco interessado em questões militares e que ocupou o lugar de governador entre 52 e 58. Este General também foi formado na Escola Superior Colonial (Instituto Superior de Ciências Sociais e Políticas da Universidade Técnica de Lisboa).
Atendendo a que PBG este no cargo 6 anos nos anos de 52 e 58, deveria ter este senhor efectuado a verificação das defesas e das munições disponíveis e procedido à sua substituição, considerando que na altura as munições .303 e 7.92 assim como armas ligeiras de qualidade eram ao preço da chuva, tal como o eram a artilharia e morteirame. O que poderia ser mais chato seriam as armas anti-carro (M20) que seriam novas e mais caras mas certamente já disponíveis em 1958. Embora tais aquisições pudessem ficar mais baratas comprando, por exemplo, stocks franceses, ingleses ou mesmo americanos, não eram coisa impossível.
Ou seja, havia a hipótese de se fazer um esforço que não foi feito, porque pelos vistos o que interessava era o tacho, e a preocupação pelas verdadeiras questões militares era pelos vistos muito reduzida.
Albuquerque não construiu o Império da Ásia ignorando a questão militar como foi feita.
Mas o que interessa agora mesmo é: o que nos trazem os militares com preocupações excessivamente “civis”, secundárias ou acessórias como o nosso Almirante Hidrográfico?
E o CEMFA, cuja carreira foi feita a pilotar aviões de transporte?
Não deverão todos os CEM serem oriundos de especialidades directamente ligadas ao combate?
Não deverá o CEMA ter sido comandante de uma das poucas fragatas, ou Comandante dos Fuzileiros?
O CEME ter o curso de operações especiais?
O CEMFA ter sido piloto de Caça ou de Helicóptero?

Existirá alguma diferença de atitude entre o militar de linha de frente e o burocrata?
Pergunto isto porque gostaria de assistir a umas demissões em bloco e em sucessão de CEMs, que deveriam ser gente com eles no sítio, mais que qualquer outro e denunciassem esta pouca vergonha.
E nenhum faz.

Ou será que afinal no futuro apenas nos resta desistir?
É que para isso já basta o que temos. E o que temos é realmente apenas simbólico e uma fachada, uma reles fachada.
Um Chefe de Estado-Maior deve ser acima de tudo um estratega, não interessa se vem de Operações Especiais ou de Aviação de transporte ou até de Logística. O que importa é que tenha uma capacidade de elaborar estratégias para diversas situações e com os meios que tem.
Um estratega sabe que não basta apenas disparar uma arma, é preciso ter balas. Não basta ter um soldado treinado, também tem de ter um soldado motivado e alimentado.
Sabe que não basta ser versado em tácticas e manobras militares se não souber preparar o pós-guerra (exemplo brilhante é o Iraque).
As guerras vencem-se tanto no terreno como nos escritórios. Sem logística e sem planeamento estratégico, ninguém vence guerras.

Deixo aqui um link para algumas citações célebres de militares acerca de logística:
http://www.military-quotes.com/forum/logistics-quotes-t511.html

Quando Portugal voltar a ter como MdN  um oficial general em sistema de rotatividade como agora acontece com o CEMGFA, aí sim talvez se consiga adquirir melhor equipamento para as FFAA em tempo útil sem os actuais impedimentos, atrasos, constrangimentos para as ditas aquisições  e, também eliminar de uma vez por todas as FAMIGERADAS, cativações de verbas alocadas ás FFA que mais não são que roubos, melhor dizendo DESVIOS descarados dos orçamentos  prescritos pela Lei Portuguesa, para as FFAA.
Para que tal aconteça os Militares tem de se levantar e não continuar de joelhos para se alimentarem com as MIGALHASITAS que os nossos politicozecos de pacotilha, especialistas na arte do engodo, mas que não sabem o que é ser um Militar, lhes vão concedendo, anualmente !!

Abraços
Título: Re: MLU às VdG e/ou BD - Hipóteses
Enviado por: Lightning em Junho 07, 2017, 07:49:05 pm
Em relação ao artigo da Jane`s, fiquei surpreendido com a intenção de construir 10 NPOs o plano original até acho que era para 8, mas é bom para os estaleiros de Viana se construírem mais, mas também não vou acreditar piamente nisso, pois o governo é bom a cortar logo na parte militar quando precisa de poupar algumas moedas, para mim para o que temos são 2 NPO construídos e 2 em construção.
Este numero tão grande de NPOs penso que seja com ideia de adquirir outras capacidades além do que as corvetas vinham a fazer, missões internacionais da Frontex, apoio a mergulhadores e espero eu, versões de combate à poluição e hidrográficas, talvez outras.

O LPD acho que simplesmente vamos ficar à espera do primeiro Galicia ou Rotterdam que saia de serviço, seja lá quando for  ;D, depois é ter dinheiro e vontade de o gastar.
Título: Re: MLU às VdG e/ou BD - Hipóteses
Enviado por: NVF em Junho 07, 2017, 10:23:27 pm
Os NPOs começaram por ser 12, depois 10 e, finalmente, 8 mais as LFC (5 ou 6, já não me recordo, mas deve andar pelo tópico dos NPOs).
Título: Re: MLU às VdG e/ou BD - Hipóteses
Enviado por: Major Alvega em Junho 08, 2017, 02:54:10 am
Esqueci-me de dizer atrás que os Lynx depois da modernização vão ficar assim uma espécie de Clio de 1992 com um motor 1.5 dCi.
Título: Re: MLU às VdG e/ou BD - Hipóteses
Enviado por: Charlie Jaguar em Junho 08, 2017, 12:11:26 pm
Esqueci-me de dizer atrás que os Lynx depois da modernização vão ficar assim uma espécie de Clio de 1992 com um motor 1.5 dCi.

No fundo o que vai acontecer aos nossos Super Lynx Mk.95 é que passarão para o padrão Super Lynx 300, mas aparentemente sem o FLIR tal como os da Marinha da Tailândia.

(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fwww.wings-aviation.ch%2F35-Thai-Navy%2F2-Aircraft%2FWestland%2FLynx-29.jpg&hash=cb2ffe9f6923751c51aade812eae959d)
http://www.leonardocompany.com/en/-/superlynx300


Em relação ao artigo em si, depois de o ler fiquei igualmente com uma certa sensação de que seria para inglês ver (ou ler), até porque quando a esmola é muita o pobre desconfia. Cá estaremos para assistir se será assim de facto ou não.
Título: Re: MLU às VdG e/ou BD - Hipóteses
Enviado por: Major Alvega em Junho 08, 2017, 02:09:18 pm
A Tailândia não é nenhum país da Nato.
As células dos Lynx tailandeses até são de fabricação bastante recente e não sofreram qualquer modernização.
Não faças comparações (sem sentido) da nossa marinha com outras de países honestos e sérios. Já agora devias referir igualmente que a marinha tailandesa além de ter Lynxs sem FLIR's também tem Seahawks modernos. Não me importava de ter estes Lynx desta forma se tivesse também Seahawks, mas infelizmente não é o nosso caso.

 Mas nós não estamos na Ásia, estamos na Nato e cá isto não faz sentido a estar a recauchutar carcaças e meter-lhes motores e aviónicos novos. Quando 2 delas até já eram de origem em 2ª mão e do inicio da década de 80 só que tiveram um overhaul antes de virem para Portugal em 1993.

Vamos assim chegar a 2030 com células com 50 anos que é uma atrasadice mental à portuguesa.

Título: Re: MLU às VdG e/ou BD - Hipóteses
Enviado por: dc em Junho 09, 2017, 05:19:31 pm
Presume-se que um país da NATO tenha capacidade para actuar nos teatros habituais dessa aliança. Estar a enaltecer as nossas capacidades navais face às marinhas congéneres da América do Sul e de África não é muito lisonjeiro, mais a mais porque em muitos casos a nossa marinha fica a perder em tais comparações.

A notícia anteriormente publicada refere 8 ESSM e não 16. O Sea Sparrow nunca foi muito eficaz enquanto míssil anti-míssil (daí ser complementado por CIWS e Ram ja lá vão duas ou três décadas) e uma remotorização não vai trazer melhorias nesse aspecto. Aparentemente, o upgrade da consola de controle dos Harpoon apenas esta prevista para as BD, ou seja, mais uma capacidade das VdG que vai, ao longo do tempo, ficar mais degradada.

Comparar com marinhas sul-americanas e africanas tem como base o facto de dificilmente entrarmos em conflicto com algum país europeu ou qualquer outro país com um Marinha superior. Apenas países instáveis se poderiam apresentar como ameaça real num futuro próximo. De nada nos vale comparações com países ricos do norte da europa visto estes serem... ricos.

No fim de contas a minha intervenção veio em resposta às reacções exageradas que se viram por aqui, como se os ditos navios vissem as suas armas a serem desmanteladas. Quem sabe mais tarde após as modernizações ligeiras às VdG, o dinheiro "poupado" possa ser investido numa nova classe de fragatas.
Título: Re: MLU às VdG e/ou BD - Hipóteses
Enviado por: NVF em Junho 09, 2017, 06:15:46 pm
Discordo completamente! Afinal de contas somos aliados dos tais países ricos e, em caso de conflito, vamos ter que actuar ao seu lado. Se não estamos ao mesmo nível mais vale fechar a loja e sair das alianças a que pertencemos; quanto à primeira parte já estamos no caminho certo.
Título: Re: MLU às VdG e/ou BD - Hipóteses
Enviado por: tenente em Junho 10, 2017, 07:35:47 pm
vou colocar algumas questões, das quais tenho as respostas e minha opinião formada, sobre o MLU da VdG espero que leiam e se acharem que há algo para ser adicionado que me tenha esquecido, cheguem á frente.
Penso que as respostas deveriam ser dadas por quem decide gastar o nosso dinheiro, e era um bom método de avaliar as substituições, feitas por urgentes necessidades operacionais, atrasos por incompetência, desleixo e afins a que temos sujeitado as nossas FFAA.

a) Em quanto nos vai ficar os três MLU's ?
b) Que melhorias vão os Navios ter ?
c) quanto tempo previsto para estarem concluídas ?
d) Qual o tempo de vida útil das três Fragatas depois de intervencionadas? 
e) A adquirir Fragatas usadas como substituição, provisória, que para nós será até caírem de podre, das VdG há algumas possibilidades de aquisição, num futuro próximo, ou seja no período em que a última VdG fica operacional ???
f) se existem qual a idade das unidades em questão??
g) Essas possibilidades de compra, de unidades usadas a existirem, são de unidades que já estão melhoradas, ou necessitam de MLU's ? São de Fragatas com sistemas compatíveis ou, ou muito diferentes das VdG, e idênticos aos das BD ?
h) Os custos de aquisição de unidades usadas, a serem adquiridas, são assim tão elevados que vale a pena efectuar os MLU's nas VdG ?????
i) conclusões .................................a minha sei qual é !!

(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fi1357.photobucket.com%2Falbums%2Fq745%2Fjolumeme%2F15585071_1315142628506917_8512283380448761806_o1_zpsc8f1fwyn.jpg&hash=172792c4d2d25aeb38a7d14762836c5a) (http://s1357.photobucket.com/user/jolumeme/media/15585071_1315142628506917_8512283380448761806_o1_zpsc8f1fwyn.jpg.html)

(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fi1357.photobucket.com%2Falbums%2Fq745%2Fjolumeme%2Fvasco-da-gama_zps9o2ho2ba.jpg&hash=749f24785ea810b315f236118b033bf9) (http://s1357.photobucket.com/user/jolumeme/media/vasco-da-gama_zps9o2ho2ba.jpg.html)

(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fi1357.photobucket.com%2Falbums%2Fq745%2Fjolumeme%2F6670224-3x2-940x627_zpssf6qoer5.jpg&hash=6081ecff33495543fe7a869cb17afb4b) (http://s1357.photobucket.com/user/jolumeme/media/6670224-3x2-940x627_zpssf6qoer5.jpg.html)

(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fi1357.photobucket.com%2Falbums%2Fq745%2Fjolumeme%2FHobart%2520destroyer%2520RAN_zpsfuxqpajm.png&hash=9c3ed61502d13b7468a08a29f32d0127) (http://s1357.photobucket.com/user/jolumeme/media/Hobart%20destroyer%20RAN_zpsfuxqpajm.png.html)

(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fi1357.photobucket.com%2Falbums%2Fq745%2Fjolumeme%2FKarel%2520Doorman%2520modernizadas_zpsbe0peghx.jpg&hash=65847214dacd3ab604ddd525c6a6140f) (http://s1357.photobucket.com/user/jolumeme/media/Karel%20Doorman%20modernizadas_zpsbe0peghx.jpg.html)

(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fi1357.photobucket.com%2Falbums%2Fq745%2Fjolumeme%2Fhms-westminster-first-type-23-frigate-to-complete-life-extension-upgrade-1_zpscz3gbinl.jpg&hash=252546f14ef5c0b8fa5da4495a2eabce) (http://s1357.photobucket.com/user/jolumeme/media/hms-westminster-first-type-23-frigate-to-complete-life-extension-upgrade-1_zpscz3gbinl.jpg.html)

(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fi1357.photobucket.com%2Falbums%2Fq745%2Fjolumeme%2Ftype26baevid21-777x437_zpszg0fcw0q.jpg&hash=6b2c4f3ce55fe0dd5aaa18901f7b6eba) (http://s1357.photobucket.com/user/jolumeme/media/type26baevid21-777x437_zpszg0fcw0q.jpg.html)

Abraços
Título: Re: MLU às VdG e/ou BD - Hipóteses
Enviado por: Charlie Jaguar em Junho 12, 2017, 12:47:59 pm
Citar
Modernização das fragatas da classe VdG: Começarão a sua modernização após estar terminada as da classe BD. Assumidamente de cariz mais modesto devido a constrangimentos de razão orçamental, irão todavia receber um novo sistema integrado de comunicações e uma nova plataforma integrada de gestão de sistemas. A modernização dos sistemas de combate ainda está em discussão, mas é certo que não receberão nem ESSM, nem Harpoon Block II ao contrário das BD.

Este fim de semana adiantaram-me que a Marinha estará a estudar a hipótese de substituir as 3 peças de 100mm das VdG pela Oto Melara de 76mm, de modo a uniformizar as peças de artilharia nas fragatas.
Título: Re: MLU às VdG e/ou BD - Hipóteses
Enviado por: tenente em Junho 12, 2017, 01:02:01 pm
Citar
Modernização das fragatas da classe VdG: Começarão a sua modernização após estar terminada as da classe BD. Assumidamente de cariz mais modesto devido a constrangimentos de razão orçamental, irão todavia receber um novo sistema integrado de comunicações e uma nova plataforma integrada de gestão de sistemas. A modernização dos sistemas de combate ainda está em discussão, mas é certo que não receberão nem ESSM, nem Harpoon Block II ao contrário das BD.

Este fim de semana adiantaram-me que a Marinha estará a estudar a hipótese de substituir as 3 peças de 100mm das VdG pela Oto Melara de 76mm, de modo a uniformizar as peças de artilharia nas fragatas.

Se as 100 forem substituídas pelas 76 só ficam a ganhar com a uniformização do armamento mais pesado, com apenas um calibre das peças de artilharia, já é um avanço significativo !!!!
Título: Re: MLU às VdG e/ou BD - Hipóteses
Enviado por: Luso em Junho 12, 2017, 03:07:50 pm
Citar
Modernização das fragatas da classe VdG: Começarão a sua modernização após estar terminada as da classe BD. Assumidamente de cariz mais modesto devido a constrangimentos de razão orçamental, irão todavia receber um novo sistema integrado de comunicações e uma nova plataforma integrada de gestão de sistemas. A modernização dos sistemas de combate ainda está em discussão, mas é certo que não receberão nem ESSM, nem Harpoon Block II ao contrário das BD.

Este fim de semana adiantaram-me que a Marinha estará a estudar a hipótese de substituir as 3 peças de 100mm das VdG pela Oto Melara de 76mm, de modo a uniformizar as peças de artilharia nas fragatas.

Se as 100 forem substituídas pelas 76 só ficam a ganhar com a uniformização do armamento mais pesado, com apenas um calibre das peças de artilharia, já é um avanço significativo !!!!

O que interessará mais? A uniformização ou os efeitos? Ou o alcance?
Interessa a eficácia ou o "ficar baratinho"?

Ou ambos cumprem "os critérios operacionais"?


Título: Re: MLU às VdG e/ou BD - Hipóteses
Enviado por: Major Alvega em Junho 12, 2017, 03:54:39 pm
A Marinha passa a vida a estudar hipóteses...
Título: Re: MLU às VdG e/ou BD - Hipóteses
Enviado por: perdadetempo em Junho 13, 2017, 02:06:25 pm
A Marinha passa a vida a estudar hipóteses...

E ainda bem porque quando passam à prática não se percebe onde se gastou o dinheiro. Que saudades dos paióis de vinho no projecto da classe Vasco da Gama. ;D

Cumprimentos,
Título: Re: MLU às VdG e/ou BD - Hipóteses
Enviado por: nelson38899 em Julho 19, 2017, 10:41:55 pm
alguma info dos trabalhos feitos

Citar
Work was carried out under a EUR12 million (USD14 million) contract awarded in July 2015 and included a comprehensive overhaul of the hull, superstructure, systems and subsystems, and equipment. In addition, the ship’s Phalanx Mk 15 Block 1B close-in weapon system was upgraded to fire 20x102 mm MK244 armour piercing discarding sabot enhanced lethality cartridges for full effectiveness against fast attack boats, anti-ship missiles, and low-flying aircraft.
http://www.janes.com/article/72440/portuguese-frigate-nrp-corte-real-completes-refit
Título: Re: MLU às VdG e/ou BD - Hipóteses
Enviado por: tenente em Julho 20, 2017, 05:57:17 am
alguma info dos trabalhos feitos

Citar
Work was carried out under a EUR12 million (USD14 million) contract awarded in July 2015 and included a comprehensive overhaul of the hull, superstructure, systems and subsystems, and equipment. In addition, the ship’s Phalanx Mk 15 Block 1B close-in weapon system was upgraded to fire 20x102 mm MK244 armour piercing discarding sabot enhanced lethality cartridges for full effectiveness against fast attack boats, anti-ship missiles, and low-flying aircraft.
http://www.janes.com/article/72440/portuguese-frigate-nrp-corte-real-completes-refit

O Navio esteve dois anos fora de serviço, se daqui a três, quatro ou cinco anos, a partir de 2020, depois dos upgrades das BD, vai estar novamente imobilizado para lhe serem incorporados alguns upgrades, que irão demorar pelo menos mais ano e meio a dois anos??????

Não sou má lingua mas......Era interessante saber o que foi melhorado na Corte Real, que justificasse estar dois anos imobilizada.

Abraços
Título: Re: MLU às VdG e/ou BD - Hipóteses
Enviado por: P44 em Julho 21, 2017, 08:52:04 pm
Foi uma "grande reparação", é normal que demore aprox. 2 anos.
Título: Re: MLU às VdG e/ou BD - Hipóteses
Enviado por: tenente em Julho 22, 2017, 02:34:14 pm
Foi uma "grande reparação", é normal que demore aprox. 2 anos.

Que foi grande sei eu, pois para levar dois anos só pode, mas a quê????
Dois anos em reparação é porque não estaria lá em muito bom estado ou então, como eu digo e repito, as intervenções são efectuadas muito depois das datas que deveriam ser realizadas, e depois disso o Navio depois de reparado, já com vinte e seis  anos, ainda vai merecer um upgrade, de ano e meio, para durar mais quanto tempo, dez anos ???

Deve ser para acontecer o que está a acontecer ás corvetas, aos classe Cacine e o que aconteceu aos classe Albacora ???

Para durar quarenta anos ao serviço, deve ser porque os nossos pseudo responsáveis tem em alta estima o pessoal embarcado, para estarem a operar navios completamente obsoletos sem o mínimo de condições de segurança e meios de combate actualizados e serem a chacota das restantes MdG !!

Abraços
Título: Re: MLU às VdG e/ou BD - Hipóteses
Enviado por: P44 em Julho 22, 2017, 04:48:35 pm
Err.....  ???

Desde que me lembro que TODOS os navios sao submetidos a uma grande reparaçao de x em x anos em que basicamente sao totalmente "desmontados" em que pouco mais resta do que o casco e todos os sistemas do navio sao revistos ao pormenor.

É um procedimento absolutamente NORMAL, feito por TODAS as marinhas do mundo...  ::)

(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2F2.bp.blogspot.com%2F_f1OZb7DL07k%2FTTlxNlUnPLI%2FAAAAAAAARmg%2FChD_iD2Gotc%2Fs1600%2FDSC_7707.JPG&hash=2df6906f91dc0b744fbd32d88e0c30e5)
O navio oceanográfico D. CARLOS I fotografado a 20 de Janeiro de 2011 atracado ao Arsenal do Alfeite, onde está a efectuar uma grande reparação.
http://lmcshipsandthesea.blogspot.pt/2011/01/


Título: Re: MLU às VdG e/ou BD - Hipóteses
Enviado por: nelson38899 em Julho 22, 2017, 05:13:18 pm
Err.....  ???

Desde que me lembro que TODOS os navios sao submetidos a uma grande reparaçao de x em x anos em que basicamente sao totalmente "desmontados" em que pouco mais resta do que o casco e todos os sistemas do navio sao revistos ao pormenor.

É um procedimento absolutamente NORMAL, feito por TODAS as marinhas do mundo...  ::)

(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2F2.bp.blogspot.com%2F_f1OZb7DL07k%2FTTlxNlUnPLI%2FAAAAAAAARmg%2FChD_iD2Gotc%2Fs1600%2FDSC_7707.JPG&hash=2df6906f91dc0b744fbd32d88e0c30e5)
O navio oceanográfico D. CARLOS I fotografado a 20 de Janeiro de 2011 atracado ao Arsenal do Alfeite, onde está a efectuar uma grande reparação.
http://lmcshipsandthesea.blogspot.pt/2011/01/

pelo que me disseram, esta reparação já fez parte do processo de actualização.
Título: Re: MLU às VdG e/ou BD - Hipóteses
Enviado por: tenente em Julho 23, 2017, 02:05:38 pm
Err.....  ???

Desde que me lembro que TODOS os navios sao submetidos a uma grande reparaçao de x em x anos em que basicamente sao totalmente "desmontados" em que pouco mais resta do que o casco e todos os sistemas do navio sao revistos ao pormenor.

É um procedimento absolutamente NORMAL, feito por TODAS as marinhas do mundo...  ::)

(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2F2.bp.blogspot.com%2F_f1OZb7DL07k%2FTTlxNlUnPLI%2FAAAAAAAARmg%2FChD_iD2Gotc%2Fs1600%2FDSC_7707.JPG&hash=2df6906f91dc0b744fbd32d88e0c30e5)
O navio oceanográfico D. CARLOS I fotografado a 20 de Janeiro de 2011 atracado ao Arsenal do Alfeite, onde está a efectuar uma grande reparação.
http://lmcshipsandthesea.blogspot.pt/2011/01/

Por acaso também me lembro disso, mas, também me lembro que nem todas as Marinhas do Mundo o fazem a Navios com vinte  e seis anos de idade, mas como a nossa é especial e melhor que as outras e como temos pseudo (IR) responsáveis também muito iluminados e inteligentes.........acham que os Navios podem e devem durar pelo menos quarenta e picos anos para mim está tudo dito !!!

Mas já agora se Todas as Marinhas o fazem de X em X anos, quando foi efectuada a grande reparação anterior à fragata em questão ????
Título: Re: MLU às VdG e/ou BD - Hipóteses
Enviado por: tenente em Julho 26, 2017, 05:53:32 am
A tal reparação tem a ver prioritariamente com o casco do navio, aliás esta situação de terem sido detectadas anomalias no casco da NRP Corte Real já aqui tinha sido aflorada, há uns anos, por alguém, neste fórum  ;) ainda bem, que os restantes Navios desta classe, não padecem dos mesmos males !!!!

http://www.janes.com/article/72440/portuguese-frigate-nrp-corte-real-completes-refit
Título: Re: MLU às VdG e/ou BD - Hipóteses
Enviado por: Charlie Jaguar em Janeiro 15, 2018, 03:30:53 pm
Enquanto cá tudo continua na mesma no que se refere ao assunto deste tópico, a Grécia prepara-se para lançar o processo de aquisição de duas fragatas FREMM.

http://www.defense-aerospace.com/articles-view/release/3/189849/greece-opens-talks-to-buy-two-fremm-frigates-from-france.html
Título: Re: MLU às VdG e/ou BD - Hipóteses
Enviado por: mafets em Janeiro 16, 2018, 10:23:05 am
Enquanto cá tudo continua na mesma no que se refere ao assunto deste tópico, a Grécia prepara-se para lançar o processo de aquisição de duas fragatas FREMM.

http://www.defense-aerospace.com/articles-view/release/3/189849/greece-opens-talks-to-buy-two-fremm-frigates-from-france.html
Os Gregos são ricos (Até a Troika deixa). :P  ;) E nós será desta?  ;D :D https://www.facebook.com/MarinhaPortuguesa/?hc_ref=ARSAfznYMMtZyCyCi1TfhhEHqW_qDzrABcN0cfMvQGeIKBj0m3R3wwhk5W-RyO29m1g&fref=nf&pnref=story (https://www.facebook.com/MarinhaPortuguesa/?hc_ref=ARSAfznYMMtZyCyCi1TfhhEHqW_qDzrABcN0cfMvQGeIKBj0m3R3wwhk5W-RyO29m1g&fref=nf&pnref=story)
Citar
A fragata Bartolomeu Dias e a sua guarnição estão de parabéns!

O NRP Bartolomeu Dias celebra hoje o seu 9º aniversário ao serviço de Portugal e curiosamente o navio encontra-se atualmente na terra que o viu nascer, na Holanda.
A fragata Bartolomeu Dias completou mais um ano repleto de missões, onde serviu Portugal e a Marinha no mar com relevância, exibindo com brio as cores da nossa Nação, aquém e além-horizonte.
Convidamos todos a “brindar” connosco, ao nosso navio e à atual e anteriores guarnições, desejando sucesso e mares sempre de feição - hoje e sempre.
(https://scontent.flis5-1.fna.fbcdn.net/v/t1.0-9/26904495_1717293298291846_8873178002966464676_n.jpg?oh=ff8f1ed18765b3589b2fa092db5b2207&oe=5AE62543)

Saudações
Título: Re: MLU às VdG e/ou BD - Hipóteses
Enviado por: P44 em Janeiro 16, 2018, 07:03:10 pm
Vai iniciar o MLU.
Título: Re: MLU às VdG e/ou BD - Hipóteses
Enviado por: Charlie Jaguar em Abril 06, 2018, 12:59:35 pm
Correndo o óbvio risco de escrever aqui o que poderá ser apenas mais um zum-zum dos muitos que por aí andam, mas correm cada vez mais rumores no interior da Marinha que apontam para que as 3 fragatas Vasco da Gama não sejam alvo de qualquer modernização.  :-\
Título: Re: MLU às VdG e/ou BD - Hipóteses
Enviado por: tenente em Abril 06, 2018, 01:29:46 pm
Correndo o óbvio risco de escrever aqui o que poderá ser apenas mais um zum-zum dos muitos que por aí andam, mas correm cada vez mais rumores no interior da Marinha que apontam para que as 3 fragatas Vasco da Gama não sejam alvo de qualquer modernização.  :-\

A ser verdade não era nada que não estivesse á espera, e a acontecer teremos sete NPO's, e três deles com capacidade de heli orgânico, que bom !!!  :N-icon-Axe: :2gunsfiring:

Na minha opinião cada vez mais a hipotese da MdG ficar apenas com 04 Fragatas se aproxima da realidade, e porventura nem novas, serão as quatro unidades que no futuro  teremos, mas isto é apenas a minha opinião.
Quando a MdG não consegue colocar operacionais os quatro/cinco Tejo, por todos os motivos e mais algum, alguém poderá ter esperanças que continuaremos a ter cinco fragatas, sejam elas Novas ou em 2ª Mão ????
Só se for louco ou parvo !!!

Os anúncios das pseudo aquisições e upgrades sucedem-se em catadupa, tudo encenado, inserido numa teatralidade da melhor, é tudo uma Fantochada é o que é !!

Abraços
Título: Re: MLU às VdG e/ou BD - Hipóteses
Enviado por: tenente em Abril 06, 2018, 01:30:29 pm
alguma info dos trabalhos feitos

Citar
Work was carried out under a EUR12 million (USD14 million) contract awarded in July 2015 and included a comprehensive overhaul of the hull, superstructure, systems and subsystems, and equipment. In addition, the ship’s Phalanx Mk 15 Block 1B close-in weapon system was upgraded to fire 20x102 mm MK244 armour piercing discarding sabot enhanced lethality cartridges for full effectiveness against fast attack boats, anti-ship missiles, and low-flying aircraft.
http://www.janes.com/article/72440/portuguese-frigate-nrp-corte-real-completes-refit

O Navio esteve dois anos fora de serviço, se daqui a três, quatro ou cinco anos, a partir de 2020, depois dos upgrades das BD, vai estar novamente imobilizado para lhe serem incorporados alguns upgrades, que irão demorar pelo menos mais ano e meio a dois anos??????

Não sou má lingua mas......Era interessante saber o que foi melhorado na Corte Real, que justificasse estar dois anos imobilizada.

Abraços

Lembram-se deste post meu ?????
Título: Re: MLU às VdG e/ou BD - Hipóteses
Enviado por: tenente em Abril 06, 2018, 01:31:08 pm
Foi uma "grande reparação", é normal que demore aprox. 2 anos.

Que foi grande sei eu, pois para levar dois anos só pode, mas a quê????
Dois anos em reparação é porque não estaria lá em muito bom estado ou então, como eu digo e repito, as intervenções são efectuadas muito depois das datas que deveriam ser realizadas, e depois disso o Navio depois de reparado, já com vinte e seis  anos, ainda vai merecer um upgrade, de ano e meio, para durar mais quanto tempo, dez anos ???

Deve ser para acontecer o que está a acontecer ás corvetas, aos classe Cacine e o que aconteceu aos classe Albacora ???

Para durar quarenta anos ao serviço, deve ser porque os nossos pseudo responsáveis tem em alta estima o pessoal embarcado, para estarem a operar navios completamente obsoletos sem o mínimo de condições de segurança e meios de combate actualizados e serem a chacota das restantes MdG !!

Abraços

e desta ????
Título: Re: MLU às VdG e/ou BD - Hipóteses
Enviado por: tenente em Abril 06, 2018, 01:34:12 pm
Agora é que os Holandeses ficam sem as duas M restantes a favor dos Tugas !!!!!
E vem com Helis e tudo, vai ser cá uma festança da melhor ! :G-beer2: :G-beer2:
Isto é so mesmo para rir, estamos mesmo entregues aos bichos !!!

(https://imagizer.imageshack.com/v2/xq90/924/iuvedT.jpg) (https://imageshack.com/i/poiuvedTj)

(https://imagizer.imageshack.com/v2/xq90/922/4pztWe.jpg) (https://imageshack.com/i/pm4pztWej)

(https://imagizer.imageshack.com/v2/xq90/923/Bi8DmX.jpg) (https://imageshack.com/i/pnBi8DmXj)

Abraços
Título: Re: MLU às VdG e/ou BD - Hipóteses
Enviado por: NVF em Abril 06, 2018, 02:10:47 pm
Assim até faz sentido os VdC não terem algo mais pesado que as Marlin. Vamos passar a ter dos NPO mais bem armados do mundo — nem a USCG nos chega aos calcanhares! Os rumores, infelizmente, só vêm confirmar o que foi já foi postado muitas páginas atrás. Já agora, espero que cancelem alguns programas absurdos como, por exemplo, a remotorização dos Sea Sparrow.
Título: Re: MLU às VdG e/ou BD - Hipóteses
Enviado por: mafets em Abril 06, 2018, 02:55:35 pm
É uma hipótese que pode ter outros interesses por trás. Por portas e travessas fala-se na MDG que as VdG não serão modernizadas porque serão vendidas e substituídas por duas fragatas mais modernas em segunda mão. Não esquecer também que o actual CEMGFA é da Marinha. ;)

Saudações
Título: Re: MLU às VdG e/ou BD - Hipóteses
Enviado por: Charlie Jaguar em Abril 06, 2018, 03:36:47 pm
É uma hipótese que pode ter outros interesses por trás. Por portas e travessas fala-se na MDG que as VdG não serão modernizadas porque serão vendidas e substituídas por duas fragatas mais modernas em segunda mão. Não esquecer também que o actual CEMGFA é da Marinha. ;)

Saudações

Também já ouvi precisamente o mesmo, mas quando falaram em 2 FREMM francesas coloquei logo essa hipótese de parte.

A ser verdade, faz muito mais sentido adquirir as restantes 2 M holandesas e modernizar as nossas de acordo com o padrão holandês.
Título: Re: MLU às VdG e/ou BD - Hipóteses
Enviado por: tenente em Abril 06, 2018, 04:04:49 pm
É uma hipótese que pode ter outros interesses por trás. Por portas e travessas fala-se na MDG que as VdG não serão modernizadas porque serão vendidas e substituídas por duas fragatas mais modernas em segunda mão. Não esquecer também que o actual CEMGFA é da Marinha. ;)

Saudações

Também já ouvi precisamente o mesmo, mas quando falaram em 2 FREMM francesas coloquei logo essa hipótese de parte.

A ser verdade, faz muito mais sentido adquirir as restantes 2 M holandesas e modernizar as nossas de acordo com o padrão holandês.

Ora bem é o que eu penso, mas também penso que lá para 2030, como vai haver mais material navegante holandês para ser vendido, lá iremos á feira dos Países Baixos ás compras, e vamos andar neste fandango até ao dia de s. Nunca á tarde quando começarmos a construir cá as Fragatas e assim fomentar a construção naval indígena !

Abraços
Título: Re: MLU às VdG e/ou BD - Hipóteses
Enviado por: Stalker79 em Abril 06, 2018, 04:29:59 pm
Eu continuo a achar que a única maneira de aumentar a possibilidade de haver construção naval militar cá é fazer uma parceria com uma empresa estrangeira do ramo.
A Damen,Daewoo,Hyundai HDW,Thyssenkrupp,Ingalls,etc Com uma nacional ou a Lisnave ou os ex ENVC ou algo do género.
 :-\
Título: Re: MLU às VdG e/ou BD - Hipóteses
Enviado por: Crypter em Abril 06, 2018, 07:31:02 pm
Tudo muito giro mas espero que a ser verdade a venda das VdG e troca por + 2 (ficariamos só com 4??? navios combatentes??) que as que lá estão sejam mais fiáveis que a Bartolomeu Avarias..
Título: Re: MLU às VdG e/ou BD - Hipóteses
Enviado por: jpthiran em Abril 06, 2018, 08:36:47 pm
Tudo muito giro mas espero que a ser verdade a venda das VdG e troca por + 2 (ficariamos só com 4??? navios combatentes??) que as que lá estão sejam mais fiáveis que a Bartolomeu Avarias..

porquê?...
as Karel Dormen não não são fiáveis?...
Título: Re: MLU às VdG e/ou BD - Hipóteses
Enviado por: Stalker79 em Abril 07, 2018, 04:21:32 pm
Agora vão ser três por duas, quando as Bartolomeu Dias estiverem na mesma situação vão ser duas por uma.
Antes de 2040 deixa de haver marinha de guerra em Portugal, vai ser só guarda "pesqueira".
É como eu digo, a única maneira de haver investimento na defesa é declarar que as forças armadas são um banco falido......
 :G-bigun:
Título: Re: MLU às VdG e/ou BD - Hipóteses
Enviado por: mafets em Abril 07, 2018, 05:59:07 pm
Tudo muito giro mas espero que a ser verdade a venda das VdG e troca por + 2 (ficariamos só com 4??? navios combatentes??) que as que lá estão sejam mais fiáveis que a Bartolomeu Avarias..
Também me farto de ouvir isso cada vez que falo com alguém da Marinha. As Vdg dão muito menos problemas, segundo dizem...  ;)

(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fwww.marinha.pt%2Fpt-pt%2Fmedia-center%2Fgaleria-digital%2FPublishingImages%2Fmeios-operacionais%2Fnrp-alvares-cabral%2F08-EX-02-052_.jpg%3Fw%3D1600%26amp%3Bh%3D629&hash=843cd58489da5e7c9548e00c03865f35)

Se ficarmos com 4 já não era mau. Pelo andar da Carruagem ainda ficamos é só com duas...  ???

(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fwww.marinha.pt%2Fpt-pt%2Fmedia-center%2Fgaleria-digital%2FPublishingImages%2Fmeios-operacionais%2Fnrp-francisco-almeida%2F11-DM-01HP-0435_.jpg%3Fw%3D1600%26amp%3Bh%3D629&hash=7e0867498cfc56dcf054b094521871a0)

Saudações
Título: Re: MLU às VdG e/ou BD - Hipóteses
Enviado por: tenente em Abril 07, 2018, 06:52:34 pm
Tudo muito giro mas espero que a ser verdade a venda das VdG e troca por + 2 (ficariamos só com 4??? navios combatentes??) que as que lá estão sejam mais fiáveis que a Bartolomeu Avarias..
Também me farto de ouvir isso cada vez que falo com alguém da Marinha. As Vdg dão muito menos problemas, segundo dizem...  ;)

(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fwww.marinha.pt%2Fpt-pt%2Fmedia-center%2Fgaleria-digital%2FPublishingImages%2Fmeios-operacionais%2Fnrp-alvares-cabral%2F08-EX-02-052_.jpg%3Fw%3D1600%26amp%3Bh%3D629&hash=843cd58489da5e7c9548e00c03865f35)

Se ficarmos com 4 já não era mau. Pelo andar da Carruagem ainda ficamos é só com duas...  ???

(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fwww.marinha.pt%2Fpt-pt%2Fmedia-center%2Fgaleria-digital%2FPublishingImages%2Fmeios-operacionais%2Fnrp-francisco-almeida%2F11-DM-01HP-0435_.jpg%3Fw%3D1600%26amp%3Bh%3D629&hash=7e0867498cfc56dcf054b094521871a0)

Saudações

Então se assim for, se as MEKO são superiores as " M ",  e, como a meu ver não há/haverá dinheiro para adquirir unidades novas que haja alguém que meta as mãos na massa, procure que utilizadores tem estes navios, a idade dos mesmo, as Australianas são de 1996 a 2006, quando os pensam substituir e, se será um bom negócio para a MdG o que penso que poderá acontecer se a RAN proceder á substituição das ANZAC, já melhoradas, conforme planeado.

https://en.wikipedia.org/wiki/Future_Frigate_Program

(https://imagizer.imageshack.com/v2/xq90/922/Bds9q8.jpg) (https://imageshack.com/i/pmBds9q8j)

(https://imagizer.imageshack.com/v2/xq90/922/UTbp3B.jpg) (https://imageshack.com/i/pmUTbp3Bj)

https://en.wikipedia.org/wiki/Anzac-class_frigate

Planned replacement

See also: Future Frigate Program (Australia)
The RAN plans to begin removing their Anzacs from service from 2024 onwards.[74] To replace them, a class of new frigates will be built under the SEA 5000 acquisition project.[74] The frigates are predicted to have a displacement of up to 7,000 tonnes (6,900 long tons; 7,700 short tons), and although they will be primarily oriented towards anti-submarine warfare, they are expected to be capable of also operating against air, sea-surface, and land targets.[74][75] Originally eight vessels were planned, but by August 2015, the number of planned ships had increased to nine, with an estimated cost of $20 billion.[74][76] Construction is predicted to commence in 2020.[75] The Abbott Government promised that the two-decade construction project will be headquartered in South Australia, with shipbuilding divided between ASC Pty Ltd in South Australia and BAE Systems' Williamstown Dockyard in Victoria.[76] On 18 April 2016, Prime Minister Malcolm Turnbull (Abbott's successor) confirmed that BAE Systems' Type 26-class, Fincantieri's FREMM-class and a re-designed F-100-class frigate designed by Navantia had been shortlisted to replace the ANZAC-class in Australia. The Prime Minister confirmed that any frigate will be built in Adelaide and incorporate an Australian CEA phased array radar. The program is estimated to be worth $35 billion.[77]

https://www.defenceconnect.com.au/maritime-antisub/1655-drastic-turnaround-in-future-frigates-program


Abraços
Título: Re: MLU às VdG e/ou BD - Hipóteses
Enviado por: mafets em Abril 08, 2018, 04:56:57 pm
Entretanto as Meko 200 AN para os Argelinos em 2015:

 http://www.navyrecognition.com/index.php/news/defence-news/year-2015-news/july-2015-navy-naval-forces-defense-industry-technology-maritime-security-global-news/2918-powerful-german-built-meko-a-200-an-frigate-for-algerian-navy-to-start-sea-trials.html (http://www.navyrecognition.com/index.php/news/defence-news/year-2015-news/july-2015-navy-naval-forces-defense-industry-technology-maritime-security-global-news/2918-powerful-german-built-meko-a-200-an-frigate-for-algerian-navy-to-start-sea-trials.html)

Citar
The first of two MEKO Frigates built by Germany's ThyssenKrupp Marine Systems (TKMS) in Kiel appears ready to start her first sea trials according to ship spotter pictures. The vessel, designated MEKO A-200 AN Frigate, was launched in early December 2014. Algeria ordered two frigates (with an option for two more) in March 2012. The weapons fit selected by the Algerian Navy is quite powerfull for this type of vessel.

(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fwww.navyrecognition.com%2Fimages%2Fstories%2Fnews%2F2015%2Fjuly%2FMeko_A-200AN_Frigate_Algeria_Navy_TKMS_1.jpg&hash=6622f74cbcb0a2e068dffe24f3e9dbcd)

Será que as da África do Sul estão em saldo?  ;D

(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fwww.navyrecognition.com%2Fimages%2Fstories%2Fnews%2F2014%2Fdecember%2FMEKO_A-200_Frigate_generic_Blohm%252BVoss_TKMS.jpg&hash=9df602a922c6b94941e6d6ebbc47a27a)
Citar
File picture of a MEKO 200 frigate (Valour class MEKO A-200SAN of the South African Navy)

Saudações
Título: Re: MLU às VdG e/ou BD - Hipóteses
Enviado por: Stalker79 em Abril 08, 2018, 05:12:11 pm
As MEKO Argelinas até doem....

» 1x Oto Melara 127/64 LW 127mm main gun (possibly with VULCANO ammunition)
» 2x MSI 30mm guns (possibly SEAHAWK A2 model)
» 16x SAAB RBS 15 Mk3 anti-ship missiles
» 32x VLS for Denel Umkhonto-IR surface to air missiles
» 2x MU90 torpedo launchers
» 4x Rheinmetall MASS decoy launcher
» SAAB Sea Giraffe AMB 3-D surveillance radar
» Thales UMS4132 Kingklip hull mounted sonar
» SAAB CEROS 200 optronic/fire control radar

Isto é que é "fire power" num formato compacto. A motorização CODAG-WARP é que é dispensada pois acho que só vem complicar na hora da manutenção.

 max1x1
Título: Re: MLU às VdG e/ou BD - Hipóteses
Enviado por: LM em Abril 08, 2018, 07:12:37 pm
Trocar upgrade das 3 Meko pela sua substituição por outras 2, que venham em estado "semi-novo" não me espanta - nem que este processo obrigue a perder 1 unidade; mas 4 fragatas é muito pouco, há um ponto em que a diminuição da quantidade impede qualquer sucesso.

Agora trazer 2 "M" modernizadas? Ficar com 2 + 2 "M"? Muito interessante a nível de custos e eficiência, mas e depois substituir todas ao mesmo tempo?!
Título: Re: MLU às VdG e/ou BD - Hipóteses
Enviado por: P44 em Abril 13, 2018, 10:15:19 am
Tudo muito giro mas espero que a ser verdade a venda das VdG e troca por + 2 (ficariamos só com 4??? navios combatentes??) que as que lá estão sejam mais fiáveis que a Bartolomeu Avarias..

porquê?...
as Karel Dormen não não são fiáveis?...

Agora também fiquei curioso... :conf: :conf: :conf:
Título: Re: MLU às VdG e/ou BD - Hipóteses
Enviado por: P44 em Abril 26, 2018, 01:07:47 pm
Bem, a BD partiu hoje para Den Helder onde ficará até finais de 2019 (!!!!) para ser sujeita ao MLU, está no facebook da Marinha.
Título: Re: MLU às VdG e/ou BD - Hipóteses
Enviado por: tenente em Abril 26, 2018, 01:40:50 pm
Bem, a BD partiu hoje para Den Helder onde ficará até finais de 2019 (!!!!) para ser sujeita ao MLU, está no facebook da Marinha.

É uma criança... daqui a três semanas faz 24 anos, uma criança, mas só para a nossa MdG !!!!
Arrisco-me a afirmar que lá para finais de 2021, a D. Francisco de Almeida já com 27 anos tera o seu MLU efectuado, muito bom !!!

(https://imagizer.imageshack.com/v2/xq90/924/AUXzro.jpg) (https://imageshack.com/i/poAUXzroj)

Abraços e fogo á peça
Título: Re: MLU às VdG e/ou BD - Hipóteses
Enviado por: P44 em Abril 26, 2018, 08:37:35 pm

Marinha Portuguesa
8 hrs ·
Boa viagem fragata Bartolomeu Dias e até 2020

A fragata Bartolomeu Dias largou há momentos, para Den Helder (Holanda) de forma a iniciar, conforme planeado, o projeto de modernização (Midlife Upgrade) até ao final de 2019, estando previsto o regresso a Portugal no início de 2020.

Este programa de modernização tem como objetivo prolongar a vida útil dos navios desta classe até 2035 e permitirá ao NRP Bartolomeu Dias, para além de estender o tempo de permanência ao efetivo da esquadra da Marinha Portuguesa, aumentar as suas capacidades de atuação e resposta, para que, a partir de 2020, possa ser empenhado num leque ainda mais abrangente de missões combatentes e não combatentes, no âmbito nacional e internacional.

O Programa Midlife Upgrade (MLU) inclui a modernização dos sistemas de armas, de sensores e de comunicações e alguns dos equipamentos ligados à propulsão, à manobra do navio e distribuição de energia.

Envie a sua mensagem à guarnição, acredite vai fazer a diferença nesta missão que vai ser longa.

(https://scontent.flis5-1.fna.fbcdn.net/v/t1.0-9/31404206_1825856507435524_568297704665233248_n.jpg?_nc_cat=0&oh=1322d4f6b7422b63b25d761c6212bf4c&oe=5B699F78)

https://www.facebook.com/MarinhaPortuguesa/photos/a.166558256698699.31818.159252640762594/1825856507435524/?type=3
Título: Re: MLU às VdG e/ou BD - Hipóteses
Enviado por: tenente em Abril 28, 2018, 11:57:29 am
Portuguese Navy frigate to undergo midlife upgrade

(https://imagizer.imageshack.com/v2/xq90/922/AVljYN.jpg) (https://imageshack.com/i/pmAVljYNj)

Photo: Portuguese Navy

Portuguese Navy frigate NRP Bartolomeu Dias (F333) departed Portugal on April 26, heading for Den Helder in the Netherlands where it will undergo a modernization program.

The midlife upgrade of the former Karel Doorman-class frigate is scheduled to be completed by the end of 2019, the navy said.

Built by the Dutch De Schelde Group in 1992, Bartolomeu Dias (ex HNLMS Van Nes) was sold by the Royal Netherlands Navy to the Portuguese Navy in 2009.

The modernization program is aimed at prolonging the life of the ships belonging to this class by 2035 by upgrading vital ship systems.
As explained, the upgrade is needed for the ship to continue to meet the requirements of NATO and the European Union. It will allow the ship to engage in a wider range of combatant and non-combatant missions, at both national and international level.

Weapons, sensor and communication systems as well as the equipment related to propulsion, vessel maneuvering and power distribution, will be modernized.

Bartolomeu Dias is expected to return to Portugal at the beginning of 2020, according to the navy.

https://navaltoday.com/2018/04/27/portuguese-navy-frigate-to-undergo-midlife-upgrade/

Abraços
Título: Re: MLU às VdG e/ou BD - Hipóteses
Enviado por: LM em Abril 28, 2018, 12:41:12 pm
Só para confirmar: o MLU programado é " instalação de um novo sistema de gestão em combate e guerra electrónica, modernização do sonar, do CIWS Goalkeeper e do sistema Harpoon. O sistema de lançamento de torpedos será também alvo de um upgrade, passando do Mk.46 Mod. 5 actual para o Mk.54 que é mais eficaz em águas litorais, enquanto o Sea Sparrow será substituído pelo ESSM"? Presumo que motores e restantes sistemas sejam totalmente revistos.

Mas nada nos radares...?!

E tanto tempo (mais de 1,5 anos) é o usual?
Título: Re: MLU às VdG e/ou BD - Hipóteses
Enviado por: Cabeça de Martelo em Abril 28, 2018, 02:34:35 pm
Citando a citação...

Citar
(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fnavaltoday.com%2Fwp-content%2Fuploads%2F2016%2F04%2FBelgian-frigate-BNS-Louise-Marie-completes-two-year-modernization-program.jpg&hash=2c470f07ad28416ed92abee2cc61c08e)

Belgian frigate BNS Louise Marie completes two year modernization program

Belgian Navy’s multi-purpose frigate Louise Marie F931 has returned to its homeport in Zeebrugge, Belgium, after undergoing modernization in the Netherlands.

The frigate spent two years in Den Helder, where she was fitted with new weapons and communications.

BNS Louise Marie will now be performing operational and readiness tests. According to the Belgian Navy, the ship should be declared operational within the next few months after it receives the ‘ready for duty’ certificate.

Her sister ship BNS Leopold completed this modernization program during 2012 and 2013, while BNS Louise Marie entered the Den Helder naval base in March 2014.

Belgium and the Netherlands have a long-standing naval cooperation which was created in 1948 with a series of treaties known as BENESAM (Belgisch-Nederlandse Samenwerking).

Under this cooperation, all multi-purpose frigates of the two navies are maintained in Den Helder while the Belgian base Zeebrugge base takes care of the two nations’ minehunter vessels.

The two multi-purpose frigates, BNS Leopold and BNS Louise Marie, were bought by the Belgian Navy in 2005 from the Royal Netherlands Navy as replacement for Belgian Navy’s old Wielingen-class frigates.

While they were in service with Dutch Navy, the two vessels belonged to the class of eight Karel Doorman class frigates. Of the eight ships in the class, only HNLMS Van Speijk and Van Amstel are still in service with the Dutch Navy as the remaining vessels were sold to Chile and Portugal.

The 1991-commissioned lead-ship, Karel Doorman, was renamed to BNS Leopold after it was sold to the Belgian Navy, while Louise Marie was formerly known as HNLMS Willem van der Zaan.

In 2009, the Netherlands and Belgium decided to modernize their M- frigates by rebuilding their hangar and helicopter decks to accommodate the NH 90 helicopters.

Additionally, French company Thales provided the frigates with its Seastar non-rotating active phased array radar for naval surface surveillance. Thales also fitted the frigates with a 360° panoramic electro-optical surveillance and alerter system based on IR/TV technology called Gatekeeper.

http://navaltoday.com/2016/04/21/belgian-frigate-bns-louise-marie-completes-two-year-modernization-program/
Título: Re: MLU às VdG e/ou BD - Hipóteses
Enviado por: P44 em Abril 29, 2018, 08:24:54 pm
Só para confirmar: o MLU programado é " instalação de um novo sistema de gestão em combate e guerra electrónica, modernização do sonar, do CIWS Goalkeeper e do sistema Harpoon. O sistema de lançamento de torpedos será também alvo de um upgrade, passando do Mk.46 Mod. 5 actual para o Mk.54 que é mais eficaz em águas litorais, enquanto o Sea Sparrow será substituído pelo ESSM"? Presumo que motores e restantes sistemas sejam totalmente revistos.

Mas nada nos radares...?!

E tanto tempo (mais de 1,5 anos) é o usual?

A modernizaçao inclui o mastro novo, portanto também devem ser modernizados
(https://2.bp.blogspot.com/-4D2GUzllFFM/WR3o818qb8I/AAAAAAAAJos/Xw9tP7O7LPcrdviRRAWnHEOC4zBXASM0QCEw/s1600/Karel%2BDoorman%2Bclass%2BBelgium.jpg)
(https://2.bp.blogspot.com/-EdEwE3MFd7c/WR3o8xAF9PI/AAAAAAAAJoo/DsPt4q0n6WodYLlj3sUT4ZD9hQRQuL2AwCEw/s1600/Karel%2BDoorman%2Bclass%2BNetherlands.jpg)
Título: Re: MLU às VdG e/ou BD - Hipóteses
Enviado por: NVF em Abril 29, 2018, 09:02:11 pm
Esse radar da Thales é bom para alvos de superfície, como mísseis anti-navio, ameaças assimétricas, periscópios e parece que até detecta nadadores. Mas acho o ML se estava a referir aos radares principais que vão ficar inalterados, ao que parece.
Título: Re: MLU às VdG e/ou BD - Hipóteses
Enviado por: P44 em Maio 06, 2018, 06:52:20 pm
Koninklijke Marine

Verified account
 
@kon_marine


@kon_marine welcomes @MarinhaPT NRP Bartolomeu Dias in Den Helder for maintenance! F333 shows a lot of resemblance with our former HNLMS Van Nes (F833)😉 We will take good care of her!

(https://pbs.twimg.com/media/DcBU-e3WAAEyVcQ.jpg)
(https://pbs.twimg.com/media/DcBU-e8WAAA_zt_.jpg)

https://twitter.com/kon_marine/status/990885359256064000
Título: Re: MLU às VdG e/ou BD - Hipóteses
Enviado por: tenente em Maio 13, 2018, 01:39:18 pm
Esta semana em Den Helder, o NRP Bartolomeu Dias já começou a preparar o seu futuro.

(https://imagizer.imageshack.com/v2/xq90/922/avU6N4.jpg) (https://imageshack.com/i/pmavU6N4j)

(https://imagizer.imageshack.com/v2/xq90/923/p2tBe4.jpg) (https://imageshack.com/i/pnp2tBe4j)

https://www.facebook.com/MarinhaPortuguesa/photos/pcb.1842174609137047/1842165892471252/?type=3&theater

Abraços
Título: Re: MLU às VdG e/ou BD - Hipóteses
Enviado por: tenente em Maio 13, 2018, 02:10:51 pm
Esta semana em Den Helder, o NRP Bartolomeu Dias já começou a preparar o seu futuro.

 A fragata Bartolomeu Dias está na Holanda a realizar o programa de modernização (Midlife Upgrade) até ao final de 2019, estando previsto o regresso a Portugal no início de 2020.

 Este programa de modernização tem como objetivo prolongar a vida útil dos navios desta classe até 2035, atualizando sistemas vitais do navio como o de combate, o de comando e controlo da plataforma e outras valências necessárias para o navio continuar a cumprir com os elevados requisitos operacionais definidos pelas organizações de que Portugal é membro, caso da NATO e União Europeia.

(https://imagizer.imageshack.com/v2/xq90/924/8vH20g.jpg) (https://imageshack.com/i/po8vH20gj)

https://www.facebook.com/MarinhaPortuguesa/photos/pcb.1842174609137047/1842165849137923/?type=3&theater

Abraços

Título: Re: MLU às VdG e/ou BD - Hipóteses
Enviado por: tenente em Maio 13, 2018, 02:15:39 pm
Esta semana em Den Helder, o NRP Bartolomeu Dias já começou a preparar o seu futuro.

(https://imagizer.imageshack.com/v2/xq90/922/avU6N4.jpg) (https://imageshack.com/i/pmavU6N4j)

(https://imagizer.imageshack.com/v2/xq90/923/p2tBe4.jpg) (https://imageshack.com/i/pnp2tBe4j)

https://www.facebook.com/MarinhaPortuguesa/photos/pcb.1842174609137047/1842165892471252/?type=3&theater

Abraços

Cá para mim trazia a M Holandesa, que está acostada mais á frente, e deixava lá a BD, daqui a ano e meio ia lá buscá-la, e ficava c/ as duas !!! ;) ;)

Abraços
Título: Re: MLU às VdG e/ou BD - Hipóteses
Enviado por: NVF em Maio 13, 2018, 06:16:26 pm
Assim como assim os holandeses também não devem ter pessoal para operar os navios todos.
Título: Re: MLU às VdG e/ou BD - Hipóteses
Enviado por: tenente em Maio 14, 2018, 06:02:00 pm
Agora que as nossas BD's vão ser melhoradas e vão operar até 2035, será que estas duas " M's " Holandesas, quando forem substituidas lá para 2025, ainda vão ser incorporadas na nossa MdG,  para fazerem mais 10 Anos ao serviço da Armada ???
Cada vez me convenço mais que é o caminho que vai ser seguido....é o mais simples e com menor custo!

https://www.thedailyherald.sx/islands/76285-navy-to-replace-its-two-multi-purpose-frigates

(https://imagizer.imageshack.com/v2/xq90/924/YZLCZk.jpg) (https://imageshack.com/i/poYZLCZkj)

(https://imagizer.imageshack.com/v2/xq90/923/f4RkjE.jpg) (https://imageshack.com/i/pnf4RkjEj)

Abraços
Título: Re: MLU às VdG e/ou BD - Hipóteses
Enviado por: Stalker79 em Maio 14, 2018, 06:37:31 pm
Agora que as nossas BD's vão ser melhoradas e vão operar até 2035, será que estas duas " M's " Holandesas, quando forem substituidas lá para 2025, ainda vão ser incorporadas na nossa MdG,  para fazerem mais 10 Anos ao serviço da Armada ???
Cada vez me convenço mais que é o caminho que vai ser seguido....é o mais simples e com menor custo!

https://www.thedailyherald.sx/islands/76285-navy-to-replace-its-two-multi-purpose-frigates

(https://imagizer.imageshack.com/v2/xq90/924/YZLCZk.jpg) (https://imageshack.com/i/poYZLCZkj)

(https://imagizer.imageshack.com/v2/xq90/923/f4RkjE.jpg) (https://imageshack.com/i/pnf4RkjEj)

Abraços

Para servirem apenas 10 anos é bom que venham ao preço da chuva então....
Título: Re: MLU às VdG e/ou BD - Hipóteses
Enviado por: mafets em Maio 16, 2018, 11:09:11 am
Quando os Tejo levam um "investimento" de 26 milhões e são para operar 10 a 15 anos já não digo nada, embora duvide que não fiquem mais tempo em serviço (continuam a existir custos que não percebo nesta classe, um deles é com a grua, que neste caso da foto já vinha com o navio desde a Dinamarca).

(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fmediaserver2.rr.pt%2Fnewrr%2Fnavio_patrulha2089fc6f.jpg&hash=7da316fa9ee2d913fcd659e56bc3567e) 

E o forista Alvalade a sonhar com as Marlin nos Tejo.  ;D

(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fi.imgur.com%2FcHoaDG0.png&hash=3ce4cd4b935ffb8baea6b3ef5d4331e8)

As M seriam, na minha perspectiva um bom investimento (embora existam dentro da Marinha vozes discordantes quanto à qualidade das mesmas), mas isso implicaria o fim das Vasco da Gama.

(https://c8.alamy.com/comppt/kghjm9/a-marinha-portuguesa-vasco-da-gama-classe-fragata-nrp-corte-real-f332-juntamente-com-as-velas-arleigh-bur-kghjm9.jpg)   

Curioso que continuam a surgir as opções dos NPO 2000 como draga minas.  ;)

(https://encrypted-tbn0.gstatic.com/images?q=tbn:ANd9GcSCbJmDTmNNt-ysF6_nlVP627cuEMwsnkX7ADbqC5nNnBwB2COM)

Cumprimentos
Título: Re: MLU às VdG e/ou BD - Hipóteses
Enviado por: P44 em Julho 09, 2018, 01:40:06 pm
Foto recente em Den Helder

(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fwww.shipspotting.com%2Fphotos%2Fmiddle%2F9%2F0%2F0%2F2873009.jpg&hash=a3711566b2459982184d980cdea7f179)

http://www.shipspotting.com/gallery/photo.php?lid=2873009
Título: Re: MLU às VdG e/ou BD - Hipóteses
Enviado por: tenente em Agosto 06, 2018, 08:16:29 am
Foto da Bartolomeu Dias tirada dia 04AGO, em Den Helder, o Mastro foi-se.


(https://imagizer.imageshack.com/v2/xq90/924/20596F.jpg) (https://imageshack.com/i/po20596Fj)

http://www.shipspotting.com/gallery/photo.php?lid=2891600

Abraços
Título: Re: MLU às VdG e/ou BD - Hipóteses
Enviado por: Stalker79 em Agosto 06, 2018, 04:41:01 pm
Foto da Bartolomeu Dias tirada dia 04AGO, em Den Helder, o Mastro foi-se.


(https://imagizer.imageshack.com/v2/xq90/924/20596F.jpg) (https://imageshack.com/i/po20596Fj)

http://www.shipspotting.com/gallery/photo.php?lid=2891600

Abraços

Já lhe estão a colocar o SeaWtacher 100 e o Gatekeeper E/O.
 :)
Título: Re: MLU às VdG e/ou BD - Hipóteses
Enviado por: P44 em Agosto 06, 2018, 05:49:40 pm
É impressao minha ou este é o mastro novo (ou pelo menos parte dele)?

(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fi64.tinypic.com%2Fx6bgyf.png&hash=7078be3f34af31afe0f4db7b7683beca)
Título: Re: MLU às VdG e/ou BD - Hipóteses
Enviado por: tenente em Agosto 06, 2018, 06:13:31 pm
É impressao minha ou este é o mastro novo (ou pelo menos parte dele)?

(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fi64.tinypic.com%2Fx6bgyf.png&hash=7078be3f34af31afe0f4db7b7683beca)

À pois é, tens toda a razão P44, é a metade superior do mastro onde se encontra o Thales SeaWatcher 100 !! ;)

(https://imagizer.imageshack.com/v2/xq90/922/dwSmKE.jpg) (https://imageshack.com/i/pmdwSmKEj)

Abraços
Título: Re: MLU às VdG e/ou BD - Hipóteses
Enviado por: P44 em Agosto 09, 2018, 09:26:05 am
https://www.facebook.com/MarinhaPortuguesa/posts/1965938726760634

NRP Bartolomeu Dias

Os trabalhos na fragata Bartolomeu Dias continuam a bom ritmo no estaleiro de Den Helder, na Holanda. O navio entrou agora num momento importante, a docagem. Já se notam diferenças significativas no nossa fragata mas vamos esperar para ver como vai ser o seu “new look”.

O NRP Bartolomeu Dias encontra-se a executar o projeto Mid-life Upgrade (MLU), modernização dos sistemas da plataforma, armas e sensores.
No fim deste projeto a fragata terá uma capacidade de atuação e resposta melhoradas, de forma a "Contribuir para que Portugal use o mar".

(https://scontent.fopo1-1.fna.fbcdn.net/v/t1.0-9/38878138_1965935430094297_2796611673538953216_n.jpg?_nc_cat=0&oh=2c2e6a1851e3f7671af4361fdf645355&oe=5BC6B9ED)
(https://scontent.fopo1-1.fna.fbcdn.net/v/t1.0-9/38748232_1965935160094324_1442633262223589376_n.jpg?_nc_cat=0&oh=fae0ddac8c22c79946ed8160158e08e3&oe=5C0C7217)
(https://scontent.fopo1-1.fna.fbcdn.net/v/t1.0-9/38776656_1965935183427655_667352108646793216_n.jpg?_nc_cat=0&oh=ee0062a593a80bf41f172ca4d58996be&oe=5C039175)
(https://scontent.fopo1-1.fna.fbcdn.net/v/t1.0-9/38777756_1965935220094318_9054945568652001280_n.jpg?_nc_cat=0&oh=7f742678e6e4569d422e42707092ebc3&oe=5C125DBE)
(https://scontent.fopo1-1.fna.fbcdn.net/v/t1.0-9/38814981_1965935396760967_7508707357262610432_n.jpg?_nc_cat=0&oh=d8a1fd091a60092cc7c82823fbb27acc&oe=5BCDA693)
Título: Re: MLU às VdG e/ou BD - Hipóteses
Enviado por: Cláudio C. em Agosto 09, 2018, 03:09:38 pm
Boa tarde,

Alguém por ventura sabe informar se o deck do helicóptero irá, também, ser alterado à imagem das congéneres holandesas e belgas?

Grato.
Título: Re: MLU às VdG e/ou BD - Hipóteses
Enviado por: P44 em Agosto 09, 2018, 06:05:05 pm
O convés de vôo não será alterado, visto que não operamos o NH90
Título: Re: MLU às VdG e/ou BD - Hipóteses
Enviado por: tenente em Outubro 02, 2018, 06:50:18 pm
Cá está a BD já com o novo mastro colocado e não só .......


Fragata Bartolomeu Dias continua projeto de modernização na Holanda

Os trabalhos na fragata Bartolomeu Dias continuam a bom ritmo no estaleiro de Den Helder, na Holanda.

O navio encontra-se a executar o projeto Mid-life Upgrade (MLU), modernização dos sistemas da plataforma, armas e sensores

Este filme relata a entrada e a saída da doca seca onde foram realizadas transformações significativas no navio.

https://www.facebook.com/MarinhaPortuguesa/videos/2157989161084527/

Abraços
Título: Re: MLU às VdG e/ou BD - Hipóteses
Enviado por: Stalker79 em Outubro 02, 2018, 09:24:48 pm
Já que se falou nos trabalhos de modernização das BD só um aparte.
Ainda vamos continuar a utilizar os Harpoon por muito mais tempo!? É que parece-me que um missil anti navio com apenas 120km de alcance não significa muito nos dias de hoje em que o minimo começa a ser 180km pra não falar nos RBS MKIII que tem 250km de alcance pra não falar na capacidade de ataque em terra, manobras de re-ataque,etc.
 ys7x9
Título: Re: MLU às VdG e/ou BD - Hipóteses
Enviado por: NVF em Outubro 02, 2018, 09:46:50 pm
Os Harpoon das BD vão ser modernizados para Block II; pelo menos ficam com alguma capacidade de ataque a alvos terrestres.
Título: Re: MLU às VdG e/ou BD - Hipóteses
Enviado por: Stalker79 em Outubro 03, 2018, 01:49:59 am
Os Harpoon das BD vão ser modernizados para Block II; pelo menos ficam com alguma capacidade de ataque a alvos terrestres.

E o alcance dos Bock II mantem-se o mesmo!?
 :-\
Título: Re: MLU às VdG e/ou BD - Hipóteses
Enviado por: NVF em Outubro 03, 2018, 07:27:28 am
Os Harpoon das BD vão ser modernizados para Block II; pelo menos ficam com alguma capacidade de ataque a alvos terrestres.

E o alcance dos Bock II mantem-se o mesmo!?
 :-\

Tanto quanto sei, o alcance é o mesmo da versão 1C que possuímos.
Título: Re: MLU às VdG e/ou BD - Hipóteses
Enviado por: Stalker79 em Outubro 03, 2018, 03:00:36 pm
Os Harpoon das BD vão ser modernizados para Block II; pelo menos ficam com alguma capacidade de ataque a alvos terrestres.

E o alcance dos Bock II mantem-se o mesmo!?
 :-\

Tanto quanto sei, o alcance é o mesmo da versão 1C que possuímos.

Blcok 1C... high tech de 1985....   É esperar que algum iluminado nas patentes da marinha se lembre do Block II + ER que já chegam aos 240 km...
De momento até Marrocos nos afunda uma fragata antes de sabermos de aonde estão a vir os misseis, pra não falar na Argelia que tem navios equipados com o RBS15 MKIII.
 :'(
Título: Re: MLU às VdG e/ou BD - Hipóteses
Enviado por: tenente em Outubro 03, 2018, 03:05:16 pm
Cá está a Bartolomeu Dias, já com o novo mastro, foto tirada ontem em Den Helder.

(https://imagizer.imageshack.com/v2/xq90/921/YzWkBC.jpg) (https://imageshack.com/i/plYzWkBCj)

Abraços
Título: Re: MLU às VdG e/ou BD - Hipóteses
Enviado por: P44 em Outubro 03, 2018, 04:02:58 pm
As 3 fases (so far)

(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fwww.shipspotting.com%2Fphotos%2Fmiddle%2F9%2F0%2F0%2F2873009.jpg&hash=a3711566b2459982184d980cdea7f179)
.
(https://imagizer.imageshack.com/v2/xq90/924/20596F.jpg)
.
(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fwww.shipspotting.com%2Fphotos%2Fmiddle%2F1%2F4%2F8%2F2918841.jpg&hash=f9c6f7e05fe687d8a6c1bae866ae45c9)
Título: Re: MLU às VdG e/ou BD - Hipóteses
Enviado por: tenente em Outubro 03, 2018, 07:16:25 pm
Já que se falou nos trabalhos de modernização das BD só um aparte.
Ainda vamos continuar a utilizar os Harpoon por muito mais tempo!? É que parece-me que um missil anti navio com apenas 120km de alcance não significa muito nos dias de hoje em que o minimo começa a ser 180km pra não falar nos RBS MKIII que tem 250km de alcance pra não falar na capacidade de ataque em terra, manobras de re-ataque,etc.
 ys7x9

Ó Stalker com que então " re-ataque ", não quererias antes dizer  " contra-ataque " ????? ;) :nice:

Abraços
Título: Re: MLU às VdG e/ou BD - Hipóteses
Enviado por: Stalker79 em Outubro 03, 2018, 07:26:32 pm
Já que se falou nos trabalhos de modernização das BD só um aparte.
Ainda vamos continuar a utilizar os Harpoon por muito mais tempo!? É que parece-me que um missil anti navio com apenas 120km de alcance não significa muito nos dias de hoje em que o minimo começa a ser 180km pra não falar nos RBS MKIII que tem 250km de alcance pra não falar na capacidade de ataque em terra, manobras de re-ataque,etc.
 ys7x9

Ó Stalker com que então " re-ataque ", não quererias antes dizer  " contra-ataque " ????? ;) :nice:

Abraços

Por acaso não, queria mesmo dizer re-ataque, numa situação em que o missil falha o alvo por algum motivo e dá a volta para tentar novamente.
Tanto o RBS 15MK III, o Exocet MM40 Block 3 e o NSM norueguês fazem isso.
 :P
Título: Re: MLU às VdG e/ou BD - Hipóteses
Enviado por: tenente em Outubro 03, 2018, 07:39:32 pm
Já que se falou nos trabalhos de modernização das BD só um aparte.
Ainda vamos continuar a utilizar os Harpoon por muito mais tempo!? É que parece-me que um missil anti navio com apenas 120km de alcance não significa muito nos dias de hoje em que o minimo começa a ser 180km pra não falar nos RBS MKIII que tem 250km de alcance pra não falar na capacidade de ataque em terra, manobras de re-ataque,etc.
 ys7x9

Ó Stalker com que então " re-ataque ", não quererias antes dizer  " contra-ataque " ????? ;) :nice:

Abraços

Por acaso não, queria mesmo dizer re-ataque, numa situação em que o missil falha o alvo por algum motivo e dá a volta para tentar novamente.
Tanto o RBS 15MK III, o Exocet MM40 Block 3 e o NSM norueguês fazem isso.
 :P

OK, pensei que te referias á reação das forças em terra ! ;)

Eu apenas digo que nunca ouvi nem li tal termo, se o míssil falha o alvo lança(m)-se outro(s), ou seja o ataque continua, até o objectivo ou o atacante, um deles, ser destruído ou a força atacante suspender o ataque.

Abraços
Título: Re: MLU às VdG e/ou BD - Hipóteses
Enviado por: mafets em Outubro 04, 2018, 10:09:59 am
Já que se falou nos trabalhos de modernização das BD só um aparte.
Ainda vamos continuar a utilizar os Harpoon por muito mais tempo!? É que parece-me que um missil anti navio com apenas 120km de alcance não significa muito nos dias de hoje em que o minimo começa a ser 180km pra não falar nos RBS MKIII que tem 250km de alcance pra não falar na capacidade de ataque em terra, manobras de re-ataque,etc.
 ys7x9

Ó Stalker com que então " re-ataque ", não quererias antes dizer  " contra-ataque " ????? ;) :nice:

Abraços

Por acaso não, queria mesmo dizer re-ataque, numa situação em que o missil falha o alvo por algum motivo e dá a volta para tentar novamente.
Tanto o RBS 15MK III, o Exocet MM40 Block 3 e o NSM norueguês fazem isso.
 :P

OK, pensei que te referias á reação das forças em terra ! ;)

Eu apenas digo que nunca ouvi nem li tal termo, se o míssil falha o alvo lança(m)-se outro(s), ou seja o ataque continua, até o objectivo ou o atacante, um deles, ser destruído ou a força atacante suspender o ataque.

Abraços

Segundo o fabricante o NSM nem precisa disso (é tiro e queda).  ;)

Citar
The Autonomous Target Recognition (ATR) of the seeker ensures that the correct target is detected, recognised and hit, at sea or on land.

https://www.kongsberg.com/en/kds/products/missilesystems/navalstrikemissile/ (https://www.kongsberg.com/en/kds/products/missilesystems/navalstrikemissile/)

(https://www.kongsberg.com/~/media/NSM.ashx?h=279&la=en&mw=756&w=600)

Saudações
Título: Re: MLU às VdG e/ou BD - Hipóteses
Enviado por: P44 em Outubro 06, 2018, 07:08:20 pm
Mais uma foto , esta de dia 4

(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fwww.shipspotting.com%2Fphotos%2Fmiddle%2F9%2F8%2F0%2F2920089.jpg&hash=029418b566c11279dac7956ae48ec807)
http://www.shipspotting.com/gallery/photo.php?lid=2920089
Título: Re: MLU às VdG e/ou BD - Hipóteses
Enviado por: zawevo em Outubro 22, 2018, 09:40:46 pm
Vamos perder 3/5 da capacidade de combate de alta intensidade

https://www.dn.pt/poder/interior/mais-de-metade-das-fragatas-vao-perder-capacidade-de-combate-10065114.html?fbclid=IwAR2hHSuqeflyeTnXQz8APVwY7vAtkoKYZomQ0dFX8pddtaGY6oxro-xmAbY

a descer até ao zero naval
Título: Re: MLU às VdG e/ou BD - Hipóteses
Enviado por: Luso em Outubro 22, 2018, 10:25:32 pm
Vamos perder 3/5 da capacidade de combate de alta intensidade

https://www.dn.pt/poder/interior/mais-de-metade-das-fragatas-vao-perder-capacidade-de-combate-10065114.html?fbclid=IwAR2hHSuqeflyeTnXQz8APVwY7vAtkoKYZomQ0dFX8pddtaGY6oxro-xmAbY

a descer até ao zero naval

E mesmo assim o pessoal recusa-se a perceber o porquê.
Então, P44, ainda acha o CEMFA o tipo mais brilhante de sempre?
E o "selfies", não diz nada? ;)
Nem dirá!
Título: Re: MLU às VdG e/ou BD - Hipóteses
Enviado por: asalves em Outubro 23, 2018, 09:27:45 am
Vamos perder 3/5 da capacidade de combate de alta intensidade

https://www.dn.pt/poder/interior/mais-de-metade-das-fragatas-vao-perder-capacidade-de-combate-10065114.html?fbclid=IwAR2hHSuqeflyeTnXQz8APVwY7vAtkoKYZomQ0dFX8pddtaGY6oxro-xmAbY

a descer até ao zero naval

Portanto vamos ter uma "fragata" a fazer trabalho de patrulha, com um custo brutal e 170 homens embarcados.

Quando começarmos a fiscalizar as barquinhos de pesca marroquinos de lynx os homens até se borram todos.  :G-bigun: :G-bigun: lool
Título: Re: MLU às VdG e/ou BD - Hipóteses
Enviado por: tenente em Outubro 23, 2018, 11:48:16 am
Vamos perder 3/5 da capacidade de combate de alta intensidade

https://www.dn.pt/poder/interior/mais-de-metade-das-fragatas-vao-perder-capacidade-de-combate-10065114.html?fbclid=IwAR2hHSuqeflyeTnXQz8APVwY7vAtkoKYZomQ0dFX8pddtaGY6oxro-xmAbY

a descer até ao zero naval

Já em 2015 se sabia, que essa redução das capacidades combativas das VdG, iria acontecer.

https://www.defensemedianetwork.com/stories/portuguese-navy-plans-modernization/

Abraços
Título: Re: MLU às VdG e/ou BD - Hipóteses
Enviado por: typhonman em Outubro 23, 2018, 02:08:10 pm
Vamos perder 3/5 da capacidade de combate de alta intensidade

https://www.dn.pt/poder/interior/mais-de-metade-das-fragatas-vao-perder-capacidade-de-combate-10065114.html?fbclid=IwAR2hHSuqeflyeTnXQz8APVwY7vAtkoKYZomQ0dFX8pddtaGY6oxro-xmAbY

a descer até ao zero naval

Já em 2015 se sabia, que essa redução das capacidades combativas das VdG, iria acontecer.

https://www.defensemedianetwork.com/stories/portuguese-navy-plans-modernization/

Abraços

Pelo que li no artigo do DN, planeiam fazer o MLU as Vasco da Gama, para durarem mais 20 anos, ou seja, teremos fragatas com a linda idade de 47 anos.

Lentamente, caminha-se para o zero naval de capacidade oceânica de superfície.

Vamos ficar ao nível da Bélgica.
Título: Re: MLU às VdG e/ou BD - Hipóteses
Enviado por: NVF em Outubro 23, 2018, 02:37:08 pm
Vamos ficar ao nível da Bélgica.

Nem por isso. Dentro de 5 a 7 anos, a Bélgica vai ter duas fragatas 'state of the art' e seis MCM novos.

O que me surpreende é que só agora o pessoal está a acordar, quando há três anos que se sabia disto -- como o tenente bem apontou! Ha três anos que alguns de nós andam a dizer que vamos ter dos NPOs mais bem armados do mundo. Temos condições para, com três navios com 30 anos, dominar toda a costa de africana entre o Marrocos e a África do Sul (com esses dois países é melhor não nos esticarmos muito).
Título: Re: MLU às VdG e/ou BD - Hipóteses
Enviado por: mafets em Outubro 23, 2018, 02:39:13 pm
À muito que venho dizendo que esta MLU é uma palhaçada pegada, sobretudo às VDG. Mas para "dourar a pílula" com 2 fragatas dignas desse nome, ainda vão adquirir um abastecedor e um LPD. Ou seja, com isto nem se quisermos ir à Patagónia Argentina, chatearmos os argies (até com os Pucara e Pampa nos dão uma coça, já para não falar do que resta daquela marinha, e ainda nos conquistam a Madeira)...  :o ::) :P ;)

Cumprimentos
Título: Re: MLU às VdG e/ou BD - Hipóteses
Enviado por: NVF em Outubro 23, 2018, 02:42:15 pm
Entretanto...

Citar
Belgium, Portugal, the Netherlands sign up for new M-class IFF systems

The navies of Belgium, Portugal and the Netherlands have signed a contract with Thales for the delivery of new Mode 5 and Mode S identification friend or foe (IFF) systems for their Karel Doorman-class frigates.

The upgrade to the latest NATO IFF standard will enable the vessels to perform military missions with increased dependability and integrity (Mode 5), and better identify civil aircraft (Mode S).

The upgrade will also include the civil Mode S to generate a comprehensive recognized air and surface picture.

According to Thales, the platforms will be fully operational from 2020.

In addition to the supply of identification systems, the contract includes the adjustment of the current LW08 radar systems and the delivery of a user interface for stand-alone control.

The Netherlands sold two of its eight M-class frigates to Belgium and another two to Portugal. As a result, Belgian and Portuguese requirements were taken into consideration as well as the requirements of the Royal Netherlands Navy.

The contract includes an option for three more new generation identification systems for the Vasco Da Gama frigates of the Portuguese Navy.

“We leverage the latest technologies to provide naval forces around the world with the means to better identify air targets and enhance tactical preparedness so they can make the right decisions at the right time. The new generation identification systems will include an advanced user interface to support stand-alone control,” said Gerben Edelijn, CEO, Thales in the Netherlands.

Note-se que para as VdG é opcional porque além de não haver guito, o risco de abater aviões inimigos com os Sea Sparrow deve ser diminuto.

https://navaltoday.com/2018/10/19/belgium-portugal-the-netherlands-sign-up-for-new-m-class-iff-systems/ (https://navaltoday.com/2018/10/19/belgium-portugal-the-netherlands-sign-up-for-new-m-class-iff-systems/)

https://www.thalesgroup.com/en/worldwide-defence/radiocom/news/naval-forces-belgium-portugal-and-royal-netherlands-navy-rely-new (https://www.thalesgroup.com/en/worldwide-defence/radiocom/news/naval-forces-belgium-portugal-and-royal-netherlands-navy-rely-new)
Título: Re: MLU às VdG e/ou BD - Hipóteses
Enviado por: NVF em Outubro 23, 2018, 02:45:18 pm
À muito que venho dizendo que esta MLU é uma palhaçada pegada, sobretudo às VDG. Mas para "dourar a pílula" com 2 fragatas dignas desse nome, ainda vão adquirir um abastecedor e um LPD. Ou seja, com isto nem se quisermos ir à Patagónia Argentina, chatearmos os argies (até com os Pucara e Pampa nos dão uma coça, já para não falar do que resta daquela marinha, e ainda nos conquistam a Madeira)...  :o ::) :P ;)

Cumprimentos

Oh mafets, também não é preciso exagerares. Para esses até as VdG chegam sem entrarem em combate, porque os navios Argies afundam-se nos portos pelos seus próprios meios :mrgreen:
Título: Re: MLU às VdG e/ou BD - Hipóteses
Enviado por: mafets em Outubro 23, 2018, 02:59:21 pm
Entretanto...

Citar
Belgium, Portugal, the Netherlands sign up for new M-class IFF systems

The navies of Belgium, Portugal and the Netherlands have signed a contract with Thales for the delivery of new Mode 5 and Mode S identification friend or foe (IFF) systems for their Karel Doorman-class frigates.

The upgrade to the latest NATO IFF standard will enable the vessels to perform military missions with increased dependability and integrity (Mode 5), and better identify civil aircraft (Mode S).

The upgrade will also include the civil Mode S to generate a comprehensive recognized air and surface picture.

According to Thales, the platforms will be fully operational from 2020.

In addition to the supply of identification systems, the contract includes the adjustment of the current LW08 radar systems and the delivery of a user interface for stand-alone control.

The Netherlands sold two of its eight M-class frigates to Belgium and another two to Portugal. As a result, Belgian and Portuguese requirements were taken into consideration as well as the requirements of the Royal Netherlands Navy.

The contract includes an option for three more new generation identification systems for the Vasco Da Gama frigates of the Portuguese Navy.

“We leverage the latest technologies to provide naval forces around the world with the means to better identify air targets and enhance tactical preparedness so they can make the right decisions at the right time. The new generation identification systems will include an advanced user interface to support stand-alone control,” said Gerben Edelijn, CEO, Thales in the Netherlands.

Note-se que para as VdG é opcional porque além de não haver guito, o risco de abater aviões inimigos com os Sea Sparrow deve ser diminuto.

https://navaltoday.com/2018/10/19/belgium-portugal-the-netherlands-sign-up-for-new-m-class-iff-systems/ (https://navaltoday.com/2018/10/19/belgium-portugal-the-netherlands-sign-up-for-new-m-class-iff-systems/)

https://www.thalesgroup.com/en/worldwide-defence/radiocom/news/naval-forces-belgium-portugal-and-royal-netherlands-navy-rely-new (https://www.thalesgroup.com/en/worldwide-defence/radiocom/news/naval-forces-belgium-portugal-and-royal-netherlands-navy-rely-new)

Ainda eles não se lembraram de tirar os harpoon e passar a destruir navios com os Sea Sparrow...  ;D ;)

https://en.wikipedia.org/wiki/TCG_Muavenet_(DM_357) (https://en.wikipedia.org/wiki/TCG_Muavenet_(DM_357))

Citar
Saratoga fired two Sea Sparrow missiles at Muavenet. The first missile struck in the bridge, destroying it and the Combat Information Center. The second missile struck in the aft magazine but did not detonate. The explosion and resulting fires killed five of the ship's officers and injured 22. Nearby US Navy ships responded in aid to the Turkish ship which was now without leadership. Fire and rescue teams boarded the ship and put out the fires in the bridge and the aft magazine preventing any secondary explosions.

https://turkishnavy.net/2018/10/02/lest-we-forget-dm-357-tcg-muavenet-5/ (https://turkishnavy.net/2018/10/02/lest-we-forget-dm-357-tcg-muavenet-5/)

(https://turkishnavy.files.wordpress.com/2010/10/dm357.jpg?w=630&h=240)

(https://turkishnavy.files.wordpress.com/2009/10/muave21.jpg)

Saudações

P.S. Nem todos ;)

(https://upload.wikimedia.org/wikipedia/commons/6/65/Argentine_Navy_corvettes_ARA_Robinson_and_ARA_Rosales._%288102949997%29.jpg)

(https://s2.reutersmedia.net/resources/r/?m=02&d=20171118&t=2&i=1210383849&w=1200&r=LYNXMPEDAH0LD)
Título: Re: MLU às VdG e/ou BD - Hipóteses
Enviado por: NVF em Outubro 23, 2018, 03:30:13 pm
Creio que a Marinha já testou essa capacidade (Sea Sparrow contra alvos de superfície) há uns anos atrás. É uma mais valia para enfrentar navios de menor porte. Deve haver notícia neste tópico.
Título: Re: MLU às VdG e/ou BD - Hipóteses
Enviado por: Cabeça de Martelo em Outubro 23, 2018, 04:36:31 pm
Lembro-me de ter visto num video no youtube e era para ameaças assimétricas.
Título: Re: MLU às VdG e/ou BD - Hipóteses
Enviado por: zawevo em Outubro 23, 2018, 05:17:18 pm
Está aqui
Título: Re: MLU às VdG e/ou BD - Hipóteses
Enviado por: tenente em Outubro 23, 2018, 06:15:26 pm
À muito que venho dizendo que esta MLU é uma palhaçada pegada, sobretudo às VDG. Mas para "dourar a pílula" com 2 fragatas dignas desse nome, ainda vão adquirir um abastecedor e um LPD. Ou seja, com isto nem se quisermos ir à Patagónia Argentina, chatearmos os argies (até com os Pucara e Pampa nos dão uma coça, já para não falar do que resta daquela marinha, e ainda nos conquistam a Madeira)...  :o ::) :P ;)

Cumprimentos

E não te esqueças que ficaremos com dez, DEZ, NPO's como se necessitássemos de tal numero de patrulhas oceânicos.........

Pelo caminho que se está a levar daqui a vinte anos a nossa marinha só terá navios Patrulha, serão cerca de 25, entre NPO's, LFC e lanchas de 100 Tons + dois submarinos a precisar de serem substituídos, um NPL e um AOR, Fragatas para quê ??
Não existe ninguém na MdG que se insurja contra este caminho que se está a seguir e diga a estes srs que temos de ter meios de combate efectivo para uma MdG e não só possuirmos meios para uma MdP, Marinha de Patrulha, vulgo Guarda Oceânica/Costeira ???

Os politicozecos de pacotilha que temos tido como mDN, e não só, aos poucos lá vão desmembrando as FFAA e destruindo o pouco poder combativo que lhes resta, e, para essa destruição planeada, nem de inimigos externos as FFAA precisam a quinta coluna, os tais das reformas militares e afins, lá vão fazendo o trabalho casa !!!

Nem dinheiro tivemos para adquirir as duas marlin para os NRP Sines e Setubal, não temos dinheiro para comprar mais helis, mais blindados 4X4, fazer os upgrades ou substituir os F16, comprar as benditas armas ligeiras para substituir a G3, só para  mencionar alguns equipamentos, mas o OE 2019 tem cerca de 400 milhões para ajudar o Novo Banco ??!!
E ainda esses meninos do COIRO, vem depois falar em LPM's, reforço do OE para as FFAA, e em adquirirmos mais seis NPO's um NPL e um AOR, mas que lata e cara de pau a destes gajos .

Abraços
Título: Re: MLU às VdG e/ou BD - Hipóteses
Enviado por: tenente em Outubro 23, 2018, 06:37:50 pm
Vamos ficar ao nível da Bélgica.

Nem por isso. Dentro de 5 a 7 anos, a Bélgica vai ter duas fragatas 'state of the art' e seis MCM novos.

O que me surpreende é que só agora o pessoal está a acordar, quando há três anos que se sabia disto -- como o tenente bem apontou! Ha três anos que alguns de nós andam a dizer que vamos ter dos NPOs mais bem armados do mundo. Temos condições para, com três navios com 30 anos, dominar toda a costa de africana entre o Marrocos e a África do Sul (com esses dois países é melhor não nos esticarmos muito).


O que venho dizendo quanto á substituição das VdG é muito provável que aconteça ainda vamos acabar por daqui a uns cinco anos ir ás compras á Holanda ou á Bélgica para ficarmos com duas ou três M's deles.

Só um aparte a Bélgica já se decidiu pelo substituto do F16, será o F35, tal e qual como cá pelo burgo   :dormir: :dormir: :dormir: :dormir:!!!!

https://www.reuters.com/article/us-aerospace-belgium/belgium-chooses-lockheeds-f-35-over-eurofighter-belga-idUSKCN1MW1J7

Abraços
Título: Re: MLU às VdG e/ou BD - Hipóteses
Enviado por: typhonman em Outubro 24, 2018, 12:23:41 am
Vamos ficar ao nível da Bélgica.

Nem por isso. Dentro de 5 a 7 anos, a Bélgica vai ter duas fragatas 'state of the art' e seis MCM novos.

O que me surpreende é que só agora o pessoal está a acordar, quando há três anos que se sabia disto -- como o tenente bem apontou! Ha três anos que alguns de nós andam a dizer que vamos ter dos NPOs mais bem armados do mundo. Temos condições para, com três navios com 30 anos, dominar toda a costa de africana entre o Marrocos e a África do Sul (com esses dois países é melhor não nos esticarmos muito).


O que venho dizendo quanto á substituição das VdG é muito provável que aconteça ainda vamos acabar por daqui a uns cinco anos ir ás compras á Holanda ou á Bélgica para ficarmos com duas ou três M's deles.

Só um aparte a Bélgica já se decidiu pelo substituto do F16, será o F35, tal e qual como cá pelo burgo   :dormir: :dormir: :dormir: :dormir:!!!!

https://www.reuters.com/article/us-aerospace-belgium/belgium-chooses-lockheeds-f-35-over-eurofighter-belga-idUSKCN1MW1J7

Abraços

Aí está o conceito de meios de "duplo uso", mas mais direcionados para serem meios da ANPC.

Está visto que o caminho será desvirtuar as FAs e torna-las uma espécie de UME.

Já começou com a MARINHA e a partir de Janeiro de 2019 será a FAP.
Título: Re: MLU às VdG e/ou BD - Hipóteses
Enviado por: asalves em Outubro 24, 2018, 09:13:38 am
eu acho que na marinha estamos safos porque somos a ponta da Europa "os guardiões" do atlântico  ;D Como tal mais tarde ou mais cedo vai haver pressão para adquirirmos "novas" fragatas. Nem que seja para participar no exercícios NATO/ONU/UE que vai ser impossível com 2 fragatas.
Título: Re: MLU às VdG e/ou BD - Hipóteses
Enviado por: miguelbud em Outubro 24, 2018, 09:18:20 am
Dada a situaçao, nao faria mais sentido abdicar do Navpol e construir 2 fragatas Absalon?

Poder-se-ia depois construir uma Iver Huitfeldt, depois de se venderem as VDG.
Título: Re: MLU às VdG e/ou BD - Hipóteses
Enviado por: Charlie Jaguar em Outubro 24, 2018, 09:38:24 am
O que venho dizendo quanto á substituição das VdG é muito provável que aconteça ainda vamos acabar por daqui a uns cinco anos ir ás compras á Holanda ou á Bélgica para ficarmos com duas ou três M's deles.

É um cenário cada vez mais falado dentro da Marinha, isto é, de virmos a ficar com as restantes duas M holandesas e serem colocadas à venda as 3 VdG após concluído o processo de modernização que já se encontra em curso, como ainda foi anteontem adiantado na imprensa.

Citar
(...) Quanto às da classe Vasco da Gama, a sua modernização - já iniciada - vai limitar-se aos sistemas da plataforma, através da qual é feito o controlo da propulsão (motores e turbinas), das avarias, da produção e distribuição de energia, ar condicionado e água ou das bombas de combustível e de lemes, entre outros meios auxiliares de funcionamento dos navios. (...)

https://www.dn.pt/poder/interior/mais-de-metade-das-fragatas-vao-perder-capacidade-de-combate-10065114.html?fbclid=IwAR2hHSuqeflyeTnXQz8APVwY7vAtkoKYZomQ0dFX8pddtaGY6oxro-xmAbY

No entanto, e creio também que já foi aqui mencionado, não é a primeira vez que é expresso algum desagrado por esta opção visto alguns dentro da Marinha considerarem que as VdG são mais robustas e possuem um maior potencial de modernização e exploração, e por conseguinte vida útil, que as M.

Em suma fica um certo amargo de boca pois qualquer das opções futuras deixará a Marinha com uma menor capacidade de combate dado que os futuros navios que se pretende serem adicionados à frota (NPO, AOR e LPD) não são classificados como unidades combatentes.
Título: Re: MLU às VdG e/ou BD - Hipóteses
Enviado por: LM em Outubro 24, 2018, 11:04:22 am
Que as Meko não vão ser mais que uns NPO "glorificados"  e que vamos ter um LPD (facilmente defensável pois temos projecto, é feito em Portugal, é para socorro a sismos, é para retirar nacionais de países em perigo, etc) deve ser certo...

Talvez se consiga reduzir o numero de NPO,  talvez o LPD "substitua" o AOR, talvez se consiga vender as Meko ASAP e talvez se consiga ir buscar 2 fragatas em 2ª mão para substituir as 3 Meko... talvez...

Porque ir buscar mais 2 M's e ficar com 4 fragatas com a mesma idade não parece bom planeamento... haverá daqui a meia dúzia de anos um par de FREMM's "semi-novas" disponíveis...?   



   
Título: Re: MLU às VdG e/ou BD - Hipóteses
Enviado por: typhonman em Outubro 24, 2018, 12:39:34 pm
Vão ficar disponiveis 2 Type 23 Britânicas em breve...Teriam interesse para a Marinha ?





Título: Re: MLU às VdG e/ou BD - Hipóteses
Enviado por: tenente em Outubro 24, 2018, 01:51:01 pm
Vão ficar disponiveis 2 Type 23 Britânicas em breve...Teriam interesse para a Marinha ?

Penso que não, e acho que já terão candidatos sérios para as comprar, clientes frequentes, Mais assíduos que nós, não sei se me faço entender .........lá para os lados da América Latina !!!!

Abraços
Título: Re: MLU às VdG e/ou BD - Hipóteses
Enviado por: tenente em Outubro 24, 2018, 01:54:12 pm
Que as Meko não vão ser mais que uns NPO "glorificados"  e que vamos ter um LPD (facilmente defensável pois temos projecto, é feito em Portugal, é para socorro a sismos, é para retirar nacionais de países em perigo, etc) deve ser certo...

Talvez se consiga reduzir o numero de NPO,  talvez o LPD "substitua" o AOR, talvez se consiga vender as Meko ASAP e talvez se consiga ir buscar 2 fragatas em 2ª mão para substituir as 3 Meko... talvez...

Porque ir buscar mais 2 M's e ficar com 4 fragatas com a mesma idade não parece bom planeamento... haverá daqui a meia dúzia de anos um par de FREMM's "semi-novas" disponíveis...?   



As nossas VdG tem praticamente a mesma idade são de 1991/92 e as BD são de 1994, e foram integradas na MdG em 2009 e 2010, não nos esqueçamos que estamos a modernizar a BD com 24 anos e a FdA com 25 anos.
As M's Holandesas são de 1993 e 1995 e as duas M's Belgas são de 1991 !

Portanto, a serem trocadas as VdG por duas M's ao Serviço na marinha Holandesa, que agora já só tem 23 e 25 anos de serviço a serem adquiridas daqui a cinco anos terão 28 e 30 anos, coisa pouca !!!!
As Fragatas Belgas tem a mesma Idade das nossas VdG !

Quanto a mim se a aquisição se concretizasse este ano ou para o ano seria de avançar, mas penso que daqui a cinco anos, tendo as Fragatas cerca de trinta anos de idade se fossem oferecidas ainda poderíamos ficar com elas de outro modo sou de opinião que se deveria pensar noutras fragatas para serem compradas.
Eu só as comprava com trinta anos, se fossem acompanhadas por três NH90, oferecidos, e mesmo assim.........ainda regateava qq coisita !!!!

Será uma má decisão, se comprarmos os Navios Holandeses com trinta anos, se o fizermos estamos a brincar com a Defesa Nacional e com o Erário Público meus senhores, é a minha opinião!

(https://imagizer.imageshack.com/v2/xq90/921/1xY5Xu.jpg) (https://imageshack.com/i/pl1xY5Xuj)

(https://imagizer.imageshack.com/v2/xq90/923/txYFY1.jpg) (https://imageshack.com/i/pntxYFY1j)



Abraços
Título: Re: MLU às VdG e/ou BD - Hipóteses
Enviado por: NVF em Outubro 24, 2018, 05:15:19 pm
Com 30 anos só remotorizadas, com novos radares principais e NH90 (ou MH-60R). É uma pena, quanto a mim, o abandono das VdG sem se pensar em substitutos adequados. Pessoalmente, também acho que o desenho é melhor que o das M e com maior capacidade para melhoramentos (por ex, MK41 VLS).
Título: Re: MLU às VdG e/ou BD - Hipóteses
Enviado por: tenente em Outubro 24, 2018, 05:29:10 pm
Com 30 anos só remotorizadas, com novos radares principais e NH90 (ou MH-60R). É uma pena, quanto a mim, o abandono das VdG sem se pensar em substitutos adequados. Pessoalmente, também acho que o desenho é melhor que o das M e com maior capacidade para melhoramentos (por ex, MK41 VLS).

Se olharmos com um pouco de atenção existe uma Marinha que, daqui a uns seis/oito anos começará a substituir as suas MEKO pelas Type 26 é só vermos se nos interessam.

.....Planned replacement

The RAN plans to begin removing their Anzacs from service from 2024 onwards.[75]
To replace them, the Hunter class of new frigates will be built under the SEA 5000 acquisition project.[75] The frigates are predicted to have a displacement of up to 7,000 tonnes (6,900 long tons; 7,700 short tons), and although they will be primarily oriented towards anti-submarine warfare, they are expected to be capable of also operating against air, sea-surface, and land targets.[75][76] Originally eight vessels were planned, but by August 2015, the number of planned ships had increased to nine, with an estimated cost of $20 billion.[75][77]
Construction is predicted to commence in 2020.[76]
The Abbott Government promised that the two-decade construction project will be headquartered in South Australia, with shipbuilding divided between ASC Pty Ltd in South Australia and BAE Systems' Williamstown Dockyard in Victoria.[77]
On 18 April 2016, Prime Minister Malcolm Turnbull (Abbott's successor) confirmed that BAE Systems' Type 26-class, Fincantieri's FREMM-class and a re-designed F-100-class frigate designed by Navantia had been shortlisted to replace the ANZAC-class in Australia. The Prime Minister confirmed that any frigate will be built in Adelaide and incorporate an Australian CEA phased array radar.
The program is estimated to be worth $35 billion.
In June 2018 it was confirmed that BAE Systems’s Type 26 had won the SEA5000 competition, with the in service date for the new vessels being set for 2027.[78]


Como informação adicional as três unidades mais " Novas " da classe ANZAC, são de 2006, 2005 e 2004 , agora com doze, treze e catorze anos, daqui a oito anos terão.........bem, menos idade que as M Holandesas, e também já foram modernizadas !!!

https://en.wikipedia.org/wiki/Anzac-class_frigate

(https://imagizer.imageshack.com/v2/xq90/922/Bds9q8.jpg) (https://imageshack.com/i/pmBds9q8j)

PS : também poderemos pensar em comprar, ou melhor ainda, construir em Portugal, três type 31, as versões pobres das Type 26, á BAe, por 250 Milhões de libras cada, são uma pechincha !!!!  ::) ;)

(https://imagizer.imageshack.com/v2/xq90/922/ZRSs0l.jpg) (https://imageshack.com/i/pmZRSs0lj)

Abraços
Título: Re: MLU às VdG e/ou BD - Hipóteses
Enviado por: mafets em Outubro 24, 2018, 09:06:55 pm
Com 30 anos só remotorizadas, com novos radares principais e NH90 (ou MH-60R). É uma pena, quanto a mim, o abandono das VdG sem se pensar em substitutos adequados. Pessoalmente, também acho que o desenho é melhor que o das M e com maior capacidade para melhoramentos (por ex, MK41 VLS).

Temos de ver que somos inovadores.  ;D Das Meko 200, Australianos, Neozelandeses, Gregos e Turcos fizeram um Upgrade digno desse nome, nos não, pois achamos que fica melhor como opv musculados .  ::)  :P

(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fwww.gannett-cdn.com%2F-mm-%2Ff5165edfa19bcf273643df7b3770f5690bca06dd%2Fr%3Dx404%26amp%3Bc%3D534x401%2Fhttp%2Fcdn.tegna-tv.com%2F-mm-%2Fac85c955df64e39f7c87fc5f8e9c2e82c9b6f416%2Fc%3D283-0-2515-1678%2Flocal%2F-%2Fmedia%2F2015%2F08%2F04%2FDefenseNews%2FDefenseNews%2F635742892845539724-Australian-frigates-F150-ANZAC-141103ran8526350-075.jpg&hash=4c6470fc967f3808459b550eb1efa2cd)

(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2F2.bp.blogspot.com%2F--cJ4HJV4iH0%2FU3SIYYEz2YI%2FAAAAAAAAeSQ%2FcZinnamRylg%2Fs1600%2Fhmnzstekaha.jpg&hash=e9dc62f56e16689c7fbd41aac60548e5)

(https://c8.alamy.com/compfr/pm15ap/thessalonique-grece-sep-9-2018-la-fregate-de-la-marine-hellenique-f-452-hydra-visite-le-port-de-la-ville-de-thessalonique-hydra-est-une-fregate-meko-200-et-le-fleuron-de-la-marine-hellenique-credit-giannis-papanikoszumaalamy-fil-live-news-pm15ap.jpg)

(https://www.defence-point.gr/news/wp-content/uploads/2017/07/TCG-Salihreis-F-246-Turkey-Navy-Barbaros.jpg)

Cumprimentos ;) 8)




Título: Re: MLU às VdG e/ou BD - Hipóteses
Enviado por: P44 em Outubro 25, 2018, 01:21:52 pm
O importante é ter saúde...
Título: Re: MLU às VdG e/ou BD - Hipóteses
Enviado por: tenente em Outubro 26, 2018, 01:38:46 pm
Defesa Nacional 23 de outubro de 2018

Fragatas da classe "Vasco da Gama" vão perder capacidade de combate

(https://imagizer.imageshack.com/v2/xq90/922/os7Yjb.jpg) (https://imageshack.com/i/pmos7Yjbj)

Os três navios da classe Vasco da Gama perdem a capacidade de combate em teatros de alta intensidade no final desta década.

Essas fragatas "vão ser o parente pobre" dos programas de modernização da Marinha para os próximos anos, assumiu esta segunda-feira uma das fontes ouvidas pelo DN.

Esta informação terá sido um dos temas abordados durante a primeira visita oficial realizada esta segunda-feira à Marinha pelo Chefe do Estado-Maior General das Forças Armadas (CEMGFA), almirante Silva Ribeiro - que está a par do assunto por ter participado nos trabalhos de revisão da Lei de Programação Militar (LPM).

O porta-voz da Marinha, comandante Pereira da Fonseca, confirmou a informação ao DN, mas sublinhando que os navios vão manter capacidade de combate nas operações mais frequentes e que são de baixa e média intensidade - como a luta contra a pirataria ou de interdição marítima.

Em causa está o não haver dinheiro para tudo, no âmbito da revisão da Lei de Programação Militar (LPM) em curso, obrigando a fazer opções. Contudo, a aquisição de novos patrulhas oceânicos, do navio reabastecedor e de um navio polivalente logístico deverá ser feita a estaleiros portugueses e a própria compra de equipamentos, na máxima extensão possível, à indústria nacional.

As três fragatas da classe Vasco da Gama - ou MEKO 200 - foram construídas no início dos anos 1990 pelos estaleiros alemães de Kiel e uma das suas grandes mais-valias operacionais, a par do salto tecnológico que deu à Marinha, assentou na existência de helicópteros a bordo.

O primeiro dos navios a entrar ao serviço da Marinha - e que deu o nome a essa classe de escoltas oceânicos - foi a Vasco da Gama, em Janeiro de 1991. Quatro meses depois foi adicionada ao efectivo naval a Álvares Cabral e, em Novembro do mesmo ano, chegou a Corte Real.

Com um cumprimento de 115,9 metros e uma boca máxima (largura) de 14,2 metros, esses navios têm capacidade para deslocar 3200 toneladas - e uma das suas primeiras missões foi precisamente num cenário de alta intensidade ao serviço da NATO: o Adriático, em 1995 e no quadro das guerras balcânicas.

Modernização

A capacidade da Marinha para intervir em ambientes de alta intensidade vai assim ficar limitada aos dois navios da classe Bartolomeu Dias, construídos também no início dos anos 1990 mas em estaleiros holandeses.

As duas fragatas foram adquiridas em segunda mão à Holanda, onde eram designadas como Karel Doorman: a Bartolomeu Dias chegou em 2009 e a D.Francisco de Almeida um ano depois, em Janeiro 2010.

A primeira está precisamente a modernizar os seus sistemas de combate (radares, armamento, mísseis) e vai mesmo receber um mastro novo, processo a que vai ser sujeita a D. Francisco de Almeida no próximo ano - alargando a sua vida útil operacional por mais de duas décadas.

Quanto às da classe Vasco da Gama, a sua modernização - já iniciada - vai limitar-se aos sistemas da plataforma, através da qual é feito o controlo da propulsão (motores e turbinas), das avarias, da produção e distribuição de energia, ar condicionado e água ou das bombas de combustível e de lemes, entre outros meios auxiliares de funcionamento dos navios.

Essa actualização também permitirá prolongar a vida útil das Vasco da Gama por cerca de duas décadas para as referidas operações de baixa e média intensidade, adiantaram as fontes.

Note-se que a revisão da LPM inclui também os helicópteros Lynx, com novas motorizações e sonares a par da modernização do cockpit. (DN)

http://defesanacionalpt.blogspot.com/2018/10/fragatas-da-classe-vasco-da-gama-vao.html

PS: nada que nós não soubessemos, bem, quanto á modernização que mesmo assim aqui posto a info, agora já quanto a ficarem por cá mais vinte anos.......... quer dizer que vão chegar aos 50 anos de idade ao serviço da MdG ????
Ou seja mais do mesmo continuamos a empurrar o reapetrechamento da Marinha para as calendas que vamos bem !!
Agora nem as substitutas virao pois continuamos com cinco fragatas no activo, portanto caminhamos em passo acelerado para termos uma marinha PATRULHEIRA COM dez NPO, cinco LFC, dez lanchas de 100 tons e tres FRAGULHAS , TOTAL VINTE E OITO PATRULHAS/FRAGULHAS!!! ;) ::)

Abraços
Título: Re: MLU às VdG e/ou BD - Hipóteses
Enviado por: mafets em Outubro 26, 2018, 03:38:13 pm
Querem ver que...  ;D ;) :P 8)

https://www.naval.com.br/blog/2018/10/26/oportunidade-duas-fragatas-la-fayette-serao-disponibilizadas-pelos-franceses/?fbclid=IwAR1ygP2zL68UxvCVIaluNOJp97Ws7hiHHD7oVSRLFXSSS8O2lLd4-NPuoDM (https://www.naval.com.br/blog/2018/10/26/oportunidade-duas-fragatas-la-fayette-serao-disponibilizadas-pelos-franceses/?fbclid=IwAR1ygP2zL68UxvCVIaluNOJp97Ws7hiHHD7oVSRLFXSSS8O2lLd4-NPuoDM)

Citar
A delegação da Marinha do Brasil que, esta semana, assistiu a mostra Euronaval, na França, foi informada de que a Marine Nationale decidiu não modernizar duas das suas cinco fragatas multipropósito tipo La Fayette, de 3.600 toneladas (a plena carga), construídas na década de 1990.

Em consequência disso, ambos os navios – La Fayette F710 (na ativa desde março de 1996) e Surcouf F711 (comissionada em fevereiro de 1997) – serão disponibilizados para “nações amigas” no início da próxima década.

Os mesmos oficiais da MB confirmaram que as fragatas Tipo 23 britânicas, de 4.900 toneladas (carregadas), começam a ser descomissionadas em 2023, e que as fragatas canadenses classe Halifax, de 4.770 toneladas – que também interessam à Força Naval brasileira –, serão desativadas a partir de 2026.

(https://www.naval.com.br/blog/wp-content/uploads/2017/05/flf-la-fayette-1024x681.jpg)

Saudações
Título: Re: MLU às VdG e/ou BD - Hipóteses
Enviado por: asalves em Outubro 26, 2018, 04:03:37 pm
Querem ver que...  ;D ;) :P 8)

https://www.naval.com.br/blog/2018/10/26/oportunidade-duas-fragatas-la-fayette-serao-disponibilizadas-pelos-franceses/?fbclid=IwAR1ygP2zL68UxvCVIaluNOJp97Ws7hiHHD7oVSRLFXSSS8O2lLd4-NPuoDM (https://www.naval.com.br/blog/2018/10/26/oportunidade-duas-fragatas-la-fayette-serao-disponibilizadas-pelos-franceses/?fbclid=IwAR1ygP2zL68UxvCVIaluNOJp97Ws7hiHHD7oVSRLFXSSS8O2lLd4-NPuoDM)

Citar
A delegação da Marinha do Brasil que, esta semana, assistiu a mostra Euronaval, na França, foi informada de que a Marine Nationale decidiu não modernizar duas das suas cinco fragatas multipropósito tipo La Fayette, de 3.600 toneladas (a plena carga), construídas na década de 1990.

Em consequência disso, ambos os navios – La Fayette F710 (na ativa desde março de 1996) e Surcouf F711 (comissionada em fevereiro de 1997) – serão disponibilizados para “nações amigas” no início da próxima década.

Os mesmos oficiais da MB confirmaram que as fragatas Tipo 23 britânicas, de 4.900 toneladas (carregadas), começam a ser descomissionadas em 2023, e que as fragatas canadenses classe Halifax, de 4.770 toneladas – que também interessam à Força Naval brasileira –, serão desativadas a partir de 2026.

(https://www.naval.com.br/blog/wp-content/uploads/2017/05/flf-la-fayette-1024x681.jpg)

Saudações

Não me faz sentido, não vamos gastar dinheiro a modernizar as vasco da gama que são de 1990 mas vamos comprar 2 fragatas não modernizadas de 1996? para k?
Título: Re: MLU às VdG e/ou BD - Hipóteses
Enviado por: mafets em Outubro 26, 2018, 04:24:37 pm
Não subestimes os políticos portugueses (ou colocando a questão noutros moldes, o dinheiro que querem gastar com a marinha)...   ;D ;D ;D ;D

Cumprimentos

P.S. Para as Lafayete a modernizar na Marinha Francesa, falam-se em novos sistemas de combate, sonares e a substituição do Crotale. Se for pelo Sinbad, é mau, mas pelo Aster fica no mínimo interessante ( a versão Saudita embora maior, possui este sistema).

(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fwww.seaforces.org%2Fwpnsys%2FSURFACE%2FDCNS-Sylver-VLS_DAT%2FSylver-VLS-002.jpg&hash=0dee7821ce3bd70fb065aeca76b0afb4)
Título: Re: MLU às VdG e/ou BD - Hipóteses
Enviado por: LM em Outubro 26, 2018, 04:47:19 pm


P.S. Para as Lafayete a modernizar na Marinha Francesa, falam-se em novos sistemas de combate, sonares e a substituição do Crotale. Se for pelo Sinbad, é mau, mas pelo Aster fica no mínimo interessante

Por incrível que pareça ontem fui ver o futuro destas fragatas, tendo em conta a sua substituição pelas FTI e começar a perceber que as FREEM nem em sonhos... as 2 mais recentes com upgrade era melhor que nada, mas de facto vão ter o Mistral com lançadores SADRAL  :-\

https://www.naval-technology.com/news/newsdcns-to-refit-three-of-french-navys-la-fayette-class-frigates-5805763/ (https://www.naval-technology.com/news/newsdcns-to-refit-three-of-french-navys-la-fayette-class-frigates-5805763/)
Título: Re: MLU às VdG e/ou BD - Hipóteses
Enviado por: mafets em Outubro 26, 2018, 08:35:56 pm


P.S. Para as Lafayete a modernizar na Marinha Francesa, falam-se em novos sistemas de combate, sonares e a substituição do Crotale. Se for pelo Sinbad, é mau, mas pelo Aster fica no mínimo interessante

Por incrível que pareça ontem fui ver o futuro destas fragatas, tendo em conta a sua substituição pelas FTI e começar a perceber que as FREEM nem em sonhos... as 2 mais recentes com upgrade era melhor que nada, mas de facto vão ter o Mistral com lançadores SADRAL  :-\

https://www.naval-technology.com/news/newsdcns-to-refit-three-of-french-navys-la-fayette-class-frigates-5805763/ (https://www.naval-technology.com/news/newsdcns-to-refit-three-of-french-navys-la-fayette-class-frigates-5805763/)

As Sauditas têm o Aster. É verdade que são maiores e com sensores diferentes, mas os VLS SYLVER do Charles De Gaulle, menores e mais compactos, chegaram a ser equacionados para as Lafayette. Mas sendo estas fragatas uma opção de segunda linha para os franceses acabou por recair sobre os Mistral.

(https://www.naval-technology.com/wp-content/uploads/sites/5/2017/09/AlRiyadh_6.jpg)

(https://upload.wikimedia.org/wikipedia/commons/0/02/FS_CDG_aster.jpg)

https://www.naval-technology.com/projects/al_riyadh/ (https://www.naval-technology.com/projects/al_riyadh/) 

Já as Lafayette da Formosa, usam os nossos conhecidos Chaparral. Serão substituídos pelo Sky Sword II, um míssil Superfície ar com um alcance interessante (100km).

(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2F1.bp.blogspot.com%2F-D_he9I8H5QI%2FUnkWUwX4ACI%2FAAAAAAAAJrE%2FV12PUUDGt3w%2Fs640%2FKang%2BDing%2Bclass%2Bfrigate.jpg&hash=39292eaa626c03d1a696d0ba805d7735)

(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Falert5.com%2Fwp-content%2Fuploads%2F2015%2F05%2Fphoto.php_-500x344.jpg&hash=30bdc3608e777861537f950f169b88a1)

http://greenstylo.blogspot.com/2013/11/la-fayette-frigates-missile-upgrade-set.html (http://greenstylo.blogspot.com/2013/11/la-fayette-frigates-missile-upgrade-set.html)

Saudações
Título: Re: MLU às VdG e/ou BD - Hipóteses
Enviado por: P44 em Outubro 31, 2018, 10:19:20 am
Sonhem...
Título: Re: MLU às VdG e/ou BD - Hipóteses
Enviado por: Stalker79 em Novembro 02, 2018, 09:06:26 pm
Ora boas! No outro dia estiva a ver uns video da EuroNaval 2018 e queria pôr a seguinte questão.
Se houvesse a possibilidade de trocar as VDG por umas "fragatas ligeiras" Gowind 2500 seria aceitável ou não!?
Eu digo fragatas ligeiras porque muita gente encolhe-se ao ouvir a palavra corvetas,
O meu ponto é o seguinte: meios mais ligeiros mas modernos e eficazes, ou manter as VDG e andar com patrulheiros ate 2000 e troca o passo!?
 ys7x9

PS: Cada Gowind sai por cerca de 250 milhões de €. Logo, só uma fragata "normal" cobre logo duas.

Título: Re: MLU às VdG e/ou BD - Hipóteses
Enviado por: typhonman em Novembro 02, 2018, 09:56:00 pm
Ora boas! No outro dia estiva a ver uns video da EuroNaval 2018 e queria pôr a seguinte questão.
Se houvesse a possibilidade de trocar as VDG por umas "fragatas ligeiras" Gowind 2500 seria aceitável ou não!?
Eu digo fragatas ligeiras porque muita gente encolhe-se ao ouvir a palavra corvetas,
O meu ponto é o seguinte: meios mais ligeiros mas modernos e eficazes, ou manter as VDG e andar com patrulheiros ate 2000 e troca o passo!?
 ys7x9

PS: Cada Gowind sai por cerca de 250 milhões de €. Logo, só uma fragata "normal" cobre logo duas.


Não é má ideia, apostava em 3, mas com 2 FREEM com capacidade AAW.

Ou seja, numa enventual força tarefa, ir 1 FREMM 1 ou 2 GOWIND  1 LPD 1 AOR e 1 SSG.
Título: Re: MLU às VdG e/ou BD - Hipóteses
Enviado por: Stalker79 em Novembro 02, 2018, 10:42:52 pm
Pois, mas o cerne da questão está mesmo ai. Uma FREMM custa 500+ milhões de €.
E para oferecer o mesmo nivel de prontidão que nos oferecem as VDG mas com sistemas e armamento mais moderno as 2500 chegavam.
Até a fragata 10514 SIGMA da DAMEN desloca menos de 2400 toneladas. Porque não optar por meios mais acessiveis mas que permitam uma actualização dos mesmos?

PS: o preço das Gowind que referi no post anterior é com transferencia de tecnologia que foi o preço que fizeram ao Egipto.
 :)
Título: Re: MLU às VdG e/ou BD - Hipóteses
Enviado por: P44 em Novembro 04, 2018, 11:44:49 am
Mas vocês querem fragatas, AORs,  LPDs, e OPVs, e depois onde é que haveria dinheiro para continuar a enterrar em bancos falidos, seus garotões? 

https://l.facebook.com/l.php?u=https%3A%2F%2Fwww.jn.pt%2Feconomia%2Finterior%2Fgoverno-pede-mais-886-milhoes-para-bancos-falidos-10100965.html&h=AT34IoTdA2iX5Qa1JFY1hUJMjRdlMlX1nnte96A5FEGyJk29wsKXv1oXFXLiUTmGeuyqeXltIvLVZdmf_eC07tPU5OHeuwAojFWxrauKIWWyk1fe8ZHMJwLCVsal491DijEW8A
Título: Re: MLU às VdG e/ou BD - Hipóteses
Enviado por: Stalker79 em Novembro 04, 2018, 02:24:44 pm
Mas vocês querem fragatas, AORs,  LPDs, e OPVs, e depois onde é que haveria dinheiro para continuar a enterrar em bancos falidos, seus garotões? 

https://l.facebook.com/l.php?u=https%3A%2F%2Fwww.jn.pt%2Feconomia%2Finterior%2Fgoverno-pede-mais-886-milhoes-para-bancos-falidos-10100965.html&h=AT34IoTdA2iX5Qa1JFY1hUJMjRdlMlX1nnte96A5FEGyJk29wsKXv1oXFXLiUTmGeuyqeXltIvLVZdmf_eC07tPU5OHeuwAojFWxrauKIWWyk1fe8ZHMJwLCVsal491DijEW8A


Pois, coitaditos só mamaram 17 BILIÕES  de € e ainda têm mais umas centenas de milhões a aver dos proximos orçamentos.
Porque aparentemente é mais no interesse do estado garantir lucros á banca que pôr as suas finanças em ordem.
No comment....
 >:(
Título: Re: MLU às VdG e/ou BD - Hipóteses
Enviado por: LM em Novembro 04, 2018, 02:40:53 pm
Eu fico lixado com um F grande é pelo facto de 10 anos depois ainda ninguém estar preso pelo BPN, é aí que eu vejo a nossa sociedade a falhar...

Os bancos existentes que têm lucros agora - BPI e Millennium - pagaram "com língua de palmo" as ajudas recebidas e, julgo, o Estado teve lucro.

Mas confesso que não sei se ter deixado os outros cair era uma possibilidade... ia trazer talvez mais prejuízos. O outro, que levou muito, ainda existe mas... é nosso! É a CGD...
Título: Re: MLU às VdG e/ou BD - Hipóteses
Enviado por: Stalker79 em Novembro 04, 2018, 04:18:35 pm
Eu fico lixado com um F grande é pelo facto de 10 anos depois ainda ninguém estar preso pelo BPN, é aí que eu vejo a nossa sociedade a falhar...

Os bancos existentes que têm lucros agora - BPI e Millennium - pagaram "com língua de palmo" as ajudas recebidas e, julgo, o Estado teve lucro.

Mas confesso que não sei se ter deixado os outros cair era uma possibilidade... ia trazer talvez mais prejuízos. O outro, que levou muito, ainda existe mas... é nosso! É a CGD...


Se não fosse as "camaradagens" mais valia ter feito como na Islandia.
Salvava-se os depositantes e os bancos que se fo*****m!!!
Os mesmos que estão lá para ir buscar dividendos deviam de ser os mesmos a aguentar com os prejuizos, não é fazer as me****s e passar a factura pro contribuinte.
PS: E lá ainda foram alguns prá cadeia.
 :-\
Título: Re: MLU às VdG e/ou BD - Hipóteses
Enviado por: Viajante em Novembro 04, 2018, 06:04:23 pm