ForumDefesa.com

Economia => Portugal => Tópico iniciado por: Marauder em Fevereiro 22, 2006, 09:30:19 am

Título: Sector do Turismo e Hotelaria
Enviado por: Marauder em Fevereiro 22, 2006, 09:30:19 am
Citar
Turismo nacional com 5,7 mil M€ de investimentos até 2010

As cinco zonas do país que o Plano Estratégico Nacional de Turismo (PENT) define como novos pólos de atracção turística prevêem executar em quatro anos um conjunto de 57 projectos com investimentos que ascendem aos 5,7 mil milhões de euros, refere o jornal Público de quarta-feira.


Os projectos encarados como âncora para cada zona e que poderão criar até 14 mil postos de trabalho foram ontem apresentados num encontro da Associação Nacional de Regiões de Turismo, que teve lugar na serra da Estrela, explica o artigo indicando que a execução dos projectos poderá estender-se ate 2015.

No total, as cinco regiões de turismo envolvidas apontam para 57 projectos, na sua grande maioria de iniciativa privada, que envolvem sobretudo a criação de resorts, alguns dos quais já apresentados e centram-se nas regiões de Alqueva, Douro, Litoral Alentejano e Oeste.

22-02-2006 7:50:07


de:
http://diariodigital.sapo.pt/dinheiro_d ... news=63630 (http://diariodigital.sapo.pt/dinheiro_digital/news.asp?section_id=6&id_news=63630)
Título:
Enviado por: Marauder em Junho 26, 2006, 10:45:50 pm
Citar
Turismo português vai receber 3 mil ME do Governo

O Executivo liderado por José Sócrates vai lançar uma segunda tranche de investimentos no sector turístico, no valor de três mil milhões de euros (ME).


De acordo com o avançado pelo Expresso, este pacote de investimentos foi denominado PIN - Projectos de Interesse Nacional e é considerado prioritário, tendo como financiadores e investidores entidades como os grupos Espírito Santo, Sonae, Pestana e Amorim.

Segundo revela o secretário de Estado do Turismo, Bernardo Trindade, a aposta passa pelo litoral alentejano, dobrando o valor já aplicado no último ano em locais como Tróia, Porto Santo, Vidago e região Oeste de Lisboa.

Entre os projectos a nascer, encontram-se hotéis e zonas de golfe para as regiões como Douro, Alqueva, Comporta – neste momento o mais mediático - ou Castro Marim.

No âmbito destes empreendimentos deverão ser criados 10 mil postos de trabalho.

25-03-2006 13:22:09

de:
http://diariodigital.sapo.pt/dinheiro_d ... news=65034 (http://diariodigital.sapo.pt/dinheiro_digital/news.asp?section_id=6&id_news=65034)
Título:
Enviado por: Marauder em Junho 28, 2006, 10:49:19 pm
Citar
Turismo: Região do Oeste tem projectos de 1,9 mil M€

A região do Oeste tem projectos em construção ou já aprovados no valor de 1,9 mil milhões de euros, na área de turismo, principalmente no golfe, correspondendo a sete a oito mil camas, afirmou hoje um responsável.


Em declarações à agência Lusa, o presidente da Região de Turismo do Oeste, uma área de Torres Vedras a Alcobaça, avançou que até 2010 as previsões apontam para a existência de seis ou sete resorts de golfe, actualmente em construção ou «prontos a arrancar».

Segundo António Carneiro, estes projectos incluem cinco ou seis hotéis, com 1.500 a 2.000 camas, e têm uma componente de imobiliário turístico muito importante.

O valor avançado para o total dos investimentos não inclui outros projectos planeados para a região do Oeste, como a Marina de Peniche ou a Pousadas da Fortaleza de Peniche, há algum tempo falada pela ENATUR, empresa que detém as Pousadas de Portugal, mas entretanto adiada.

Para o presidente da Região de Turismo do Oeste, o ideal seria ter seis ou sete campos de golfe, quando actualmente são cinco, mas só três com características internacionais.

No entanto, admite que 10 a 12 campos de golfe, num prazo mais alargado, não seriam demais e faz questão de frisar que esta actividade, como a presença de empreendimentos turísticos e de turistas «não tem impacto numa região que é vasta e até está bem em termos económicos».

Diário Digital / Lusa

28-06-2006 17:22:14


de:
http://diariodigital.sapo.pt/dinheiro%5 ... news=68893 (http://diariodigital.sapo.pt/dinheiro%5Fdigital/news.asp?section_id=2&id_news=68893)
Título:
Enviado por: Marauder em Julho 04, 2006, 05:34:12 pm
Citar
Turistrela quer construir pista de esqui indoor em Lisboa

Concessionária exclusiva da exploração turística na Serra da Estrela, a Turistrela está a desenvolver um projecto de construção de uma pista coberta de esqui na Grande Lisboa, surgindo o concelho de Loures como o mais bem colocado para receber o empreendimento.


Segundo a edição desta sexta-feira do jornal Semanário Europeu, o projecto prevê um investimento de 17 milhões de euros, aplicáveis na construção de uma pista de gelo coberta de 400 metros de comprimento e 80 m de largura.

No complexo será ainda criado todo o ambiente de frio, com temperaturas abaixo dos zero graus, um desnível de 25% na pista e condições de acesso muito favoráveis.

Em declarações ao Semanário Económico, Artur Costa Pais, administrador da Turistrela, prevê o recurso aos fundos comunitários de apoio ao turismo, como é o caso do Sifitur, assim como a adopção de um sponsor, existindo já «várias marcas internacionais interessadas», garante.

Apresentada pela Turistrela como uma pista de gelo «complementar à da Serra da Estrela», o complexo tem como objectivo incentivar as pessoas à prática do esqui, numa altura em que, na Serra da Estrela, existe um projecto de expansão dos actuais 15 quilómetros de pistas para 45.

09-06-2006 9:59:23


de:
http://diariodigital.sapo.pt/dinheiro%5 ... news=68196 (http://diariodigital.sapo.pt/dinheiro%5Fdigital/news.asp?section_id=6&id_news=68196)

Ora isso sim é que é uma ideia interessante.À uns meses vi uma reportagem de tal semelhante coisa lá para o Golfo Pérsico..(Doha ou outra cidade..não me lembro)..e aparenta ser interessante.

E é uma jogada boa da empresa para fomentar a prática do Ski e um maior uso da Serra da Estrela pelos tugas..
Título:
Enviado por: Marauder em Julho 04, 2006, 05:42:51 pm
Citar
Lisboa: Rossio vê nascer hotel de luxo com 100 quartos

A Praça do Rossio, em Lisboa, vai ver nascer naquele local um hotel de luxo com cerca de 100 quartos, 10 suites, um restaurante, um bar e uma sala de conferências. A Pastelaria Suíça e restantes lojas deverão manter-se, apesar de estar prevista uma profunda reabilitação de todo o quarteirão, segundo o Diário de Notícias.


O futuro Olissippo Rossio vai ser erguido onde actualmente funciona a Pensão Coimbra, em cima da pastelaria Suíça. Ao que o DN apurou, o projecto prepara-se para ser apresentado à Câmara de Lisboa para apreciação e posteriormente para pedido de licenciamento.

O arquitecto responsável pelo hotel é Arsénio Cordeiro, autor da sede da Caixa Geral de Depósitos (CGD) e da Torre do Tombo.

04-07-2006 9:51:24


de:
http://diariodigital.sapo.pt/dinheiro%5 ... news=69098 (http://diariodigital.sapo.pt/dinheiro%5Fdigital/news.asp?section_id=6&id_news=69098)

Desde que não seja um erro arquitectónico, e seja uma mais valia para a zona, por mi estão à vontade..
Título:
Enviado por: comanche em Outubro 02, 2007, 05:56:41 pm
Complexo de luxo em Fronteira prevê investimento de 250 ME


Citar
O grupo Xavier de Lima vai investir 250 milhões de euros na construção de um complexo turístico de luxo numa herdade do concelho alentejano de Fronteira (Portalegre), revelou hoje à agência Lusa o presidente município local.
 


Numa herdade de 550 hectares, o "resort" vai contar, numa primeira fase, com 500 habitações, divididas por três aldeamentos, dois campos de golf, um centro hípico e um museu equestre, dedicado à colecção de coches do empresário Xavier de Lima.

"O espaço dedicado aos coches e onde vão estar expostos 120 exemplares conta já com o projecto aprovado e vai surgir numa área de três mil metros quadrados", explicou à Lusa presidente da Câmara Municipal de Fronteira, Pedro Lancha.

De acordo com o autarca local, "as primeiras obras do resort já se iniciaram, inclusive do heliporto, estando concluídos o sistema de esgotos e os arruamentos.

"Tudo leva a querer que em 2012 o empreendimento turísitico estará a funcionar em pleno", garantiu.

O futuro espaço turístico está a ser construído na Herdade de D. Ana, propriedade do grupo Xavier de Lima e situada entre Cabeço de Vide e Fronteira.

Na mesma herdade alentejana, o grupo projecta ainda a construção de um hotel de cinco estrelas com uma oferta de 315 quartos.

"As obras de construção do hotel vão começar logo após a conclusão do plano pormenor, situação que pretendemos ver resolvida ainda este ano", realçou o autarca.

Para complementar a zona hoteleira, o grupo Xavier de Lima aguarda a conclusão de um novo plano de pormenor para edificar mais dois campos de golf, sublinhou.

O autarca de Fronteira destacou o facto do investimento se revestir de grande importância, uma vez que vai criar mais de 200 postos de trabalho directos.

"Este investimento permitirá outro enquadramento financeiro para a vida das pessoas, do concelho e da região" concluiu.

O grupo Xavier de Lima é também proprietário do Hotel Candelária, de quatro estrelas, a primeira unidade hoteleira em Portugal 100 por cento livre de tabaco, aberto há quatro meses em Cabeço de Vide (Fronteira).

© 2007 LUSA - Agência de Notícias de Portugal, S.A.

 


Portugal precisa de grandes investimentos, este é concerteza um de eles, no entanto tenho alguma procupação quanto á construção de campos de golfe no interior do Alentejo, os consumos de água são exorbitantes, espero que saibam o que estão a fazer.
Título:
Enviado por: André em Outubro 09, 2007, 06:35:08 pm
Complexo turístico de luxo abre 6ª-feira junto a Montargil

Citar
Um empreendimento turístico de luxo, o Charcas Lagoon Resort, que inclui um hotel de quatro estrelas, abre portas sexta-feira junto à albufeira de Montargil, concelho de Ponte de Sor (Portalegre), disse hoje fonte da empresa.

O director-geral do hotel, Bernardo Figueiredo, adiantou à agência Lusa tratar-se de um «empreendimento de prestígio», construído no Alto Alentejo, que envolveu um investimento de oito milhões de euros.

De acordo com o responsável, além do Charcas Lagoon Hotel, com 36 quartos e quatro suites, o eco-resort inclui ainda o Charcas Lagoon Village, com 20 bungalows (casas de tipologia T2) cuja construção deverá ficar concluída em Março de 2008.

Restaurante, bar, três salas de reuniões, com capacidade para 180 pessoas e uma das quais adaptada a sala de cinema, piscinas, dois campos de ténis, Spa e um centro de lazer para desportos náuticos são algumas componentes e serviços do complexo turístico.

De acordo com a empresa, o eco-resort é composto por «um hotel e um conjunto de villas, num luxuoso empreendimento que apresenta um conceito inovador de turismo que concilia repouso com a prática de desportos náuticos».

O centro de actividades ao ar livre tem disponível, entre outras modalidades, BTT, canoagem, barco a remos, ski aquático, ténis, voleibol e tiro com arco.

Mediante parcerias, o empreendimento está ainda disponível para a prática do balonismo, golf, todo-o-terreno turístico, orientação, paintball, equitação e paraquedismo.

O Charcas Lagoon Resort, situado junto à estrada nacional nº 2 (EN2) e à barragem de Montargil, numa área que abrange manchas de pinheiros e sobreiros, conta ainda com pequenos lagos, zonas ajardinadas e de lazer, espaço infantil ao ar livre, dispondo também de uma rede sem fios de acesso à Internet.

O empreendimento, com uma área superior a 14 hectares, foi desenvolvido pela Charcas SA (empresa do universo RIS Investments) e está inserido na cadeia americana «Small Luxury Hotels of the World», tendo criado 30 postos de trabalho.

Diário Digital / Lusa


Um empreendimento importante para aquela zona do país.  :Palmas:
Título:
Enviado por: André em Outubro 09, 2007, 11:05:32 pm
Sindicato denuncia encerramento de duas Pousadas de Portugal

Citar
O Sindicato dos Trabalhadores da Indústria de Hotelaria e Turismo denunciou hoje o encerramento de duas pousadas de Portugal, em Amarante e Alcácer do Sal, e o consequente despedimento colectivo de 21 trabalhadores.

«O Grupo Pestana, invocando prejuízos sucessivos durante três anos nestas pousadas - S. Gonçalo (Serra do Marão, Amarante) e Vale do Gaio (Torrão, Alcácer do Sal) - comunicou o seu encerramento e o despedimento de todos os trabalhadores», refere o sindicato em comunicado.

A directora de Imagem e Comunicação do grupo Pestana confirmou, em declarações à agência Lusa, o encerramento das duas unidades, mas adiantou que estão a ser tentadas soluções para que os trabalhadores mantenham os seus postos de trabalho, tanto em outras pousadas, de cada uma das regiões, como através de uma possível manutenção em funcionamento na área hoteleira, com outras empresas.

As duas pousadas «vão fechar, ao abrigo do contrato de exploração com a Enatur, que permite encerrar pousadas que não sejam Históricas e que não sejam rentáveis em três consecutivos, como são os dois casos», explicou Patrícia Reimão.

A responsável do grupo Pestana fez, no entanto, questão de salientar que os directores das pousadas contactaram directamente os trabalhadores para explicar a situação.

Entretanto, já foram realizadas reuniões com os presidentes das câmaras municipais de Amarante e de Álcacer do Sal para tentar encontrar investidores que queiram ficar com a exploração das duas unidades hoteleiras e com os seus trabalhadores.

Uma situação similar a estas já aconteceu com a Pousada de Almeida que deixou de ser explorada pelo Grupo Pestana Pousadas e passou para um investidor particular e está a funcionar, tendo mesmo entrado posteriormente na rede de reservas das Pousadas de Portugal, através de franchising. Os encontros com as autarquias, onde também participaram representantes da Enatur, empresa proprietária dos edifícios daquelas duas pousadas, «correram muito bem», segundo a directora de Imagem e Comunicação do grupo Pestana. O comunicado do Sindicato dos Trabalhadores da Indústria de Hotelaria e Turismo adianta que os despedimentos dos trabalhadores terão efeito a partir do final de Outubro.

De acordo com o sindicato, desde a privatização das Pousadas de Portugal, em 2003, o grupo Pestana já extinguiu mais de 300 postos de trabalho, encerrou pousadas, secções e serviços e transferiu de local de trabalho, «sob pressão», muitos trabalhadores.

«A intenção do grupo Pestana é encerrar todas as pousadas regionais e ficar apenas com as históricas, salvo se alguma regional tiver uma ocupação espectacular e der muito lucro», sustenta.

Isto apesar de - recorda - «no período que precedeu a compra da gestão das pousadas o grupo ter declarado que não iria fazer quaisquer despedimentos».

Adiantando ter já apresentado um protesto à empresa, «até à data sem resposta», o sindicato defende que «todas as pousadas são importantes para o produto turístico que as Pousadas de Portugal representam» e que, «encerrando pousadas atrás de pousadas, se está a por em causa o produto turístico no seu todo».

Diário Digital / Lusa
Título:
Enviado por: Mar Verde em Outubro 10, 2007, 11:35:01 am
Citar
«O Grupo Pestana, invocando prejuízos sucessivos durante três anos nestas pousadas - S. Gonçalo (Serra do Marão, Amarante) e Vale do Gaio (Torrão, Alcácer do Sal) - comunicou o seu encerramento e o despedimento de todos os trabalhadores», refere o sindicato em comunicado.


acho uma piada aos sindicatos .... segundo a lógica deles, se calhar, o facto de dar prejuízo há 3 anos consecutivos, não é razão para encerrar as pousadas
Título:
Enviado por: comanche em Outubro 10, 2007, 05:34:51 pm
Hotelaria: Receitas crescem 8,4%, para 1,3 mil milhões de euros, até Agosto - INE

Citar
Lisboa, 10 Out (Lusa) - As receitas da hotelaria cresceram 8,4 por cento nos primeiros oito meses deste ano, face a igual período de 2006, para 1,3 mil milhões de euros, anunciou hoje o INE.

Os dados da actividade turística divulgados pelo Instituto Nacional de Estatística (INE) mostram que o número de dormidas subiu 5 por cento, no mesmo período.

No total, entre Janeiro e Agosto foram registadas 27,5 milhões de dormidas nas unidades hoteleiras em Portugal.

Apenas no mês de Agosto, as receitas atingiram 255,1 milhões de euros, o que traduz um aumento de 5,2 por cento face a igual mês de 2006.

No mesmo mês, as dormidas cresceram 3,6 por cento, para 5,6 milhões, uma evolução que teve principalmente o contributo dos não residentes, com uma subida de 6,9 por cento, enquanto os turistas nacionais registavam um decréscimo de 1,8 por cento, refere o INE.

Título:
Enviado por: André em Outubro 24, 2007, 11:40:59 pm
Ministros do Turismo encontram-se no Algarve

Citar
Os principais ministros do Turismo na Europa e outros responsáveis do sector vão encontrar-se quinta e sexta-feira, em Portimão, no Algarve, para debater a forma de ter uma «Gestão sustentável dos destinos turísticos».

Organizado pelo Turismo de Portugal, o VI Fórum Europeu do Turismo, que se realiza no Pavilhão Arade, em Portimão, no Algarve, é uma iniciativa no âmbito da presidência portuguesa da União Europeia que junta mais de 500 participantes, e conta com a presença do ministro da Economia e da Inovação, Manuel Pinho, e do vice-presidente da Comissão Europeia, Günter Verheugen.

Também são esperados o secretário- geral da Organização Mundial do Turismo (OMT), Francesco Frangialli, o presidente da Comissão Europeia do Turismo, Arthur Oberascher, o presidente do Turismo de Portugal, Luís Patrão e o Presidente da Região de Turismo do Algarve RTA, António Pina.

As conclusões deste Fórum, que se realiza pela primeira vez em Portugal, serão, posteriormente, incluídas na Agenda XXI da Comissão Europeia.

A estrutura do Fórum será composta por três painéis, que vão ser moderados pelo Director das Indústrias da Nova Abordagem - Turismo e Responsabilidade Social das Empresas, da Comissão Europeia, Pedro Ortún.

Os temas a abordar serão diversos, passando pelo papel da designação de sítios culturais e naturais para o marketing e das áreas protegidas para as estratégias do desenvolvimento sustentável.

O contributo das PME na gestão e conservação do património natural e cultural, o desafio da competitividade e sustentabilidade no Turismo Europeu e os destinos europeus de excelências são outros assuntos a analisar no primeiro painel «Gestão e Conservação do Património Natural e Cultural».

Identificar qual o retorno económico que os agentes do turismo podem com um melhor desempenho ambiental, como atenuar a pressão que o turismo exerce, sobretudo nos destinos mais procurados, sobre o recurso água, ou qual a percepção que têm os consumidores relativamenteàs iniciativas de certificação ecológica e de qualidade, são questões a que os intervenientes vão tentar responder no segundo painel intitulado a «Gestão de Recursos e Resíduos».

No último painel, com o tema «Gestão Sustentável: A Responsabilidade das Empresas na Competitividade e na Criação de Emprego», vão ser abordadas as medidas a desenvolver para sensibilizar a indústria e os turistas nas questões da sustentabilidade, as novas oportunidades de emprego num mercado em mudança e as necessidades específicas de formação para destinos sustentáveis.

Durante o VI Fórum Europeu de Turismo, a Comissão Europeia irá premiar os Melhores Destinos Rurais Emergentes Europeus de 2007.

Os destinos distinguidos foram seleccionados pelas suas «relevantes» iniciativas no âmbito do turismo rural, no quadro do projecto- piloto «Destinos Europeus de Excelência» (EDEN).

A edição vai ficar ainda marcada por uma inovação, o Fórum online.

Esta ferramenta pretende actuar como um espaço de diálogo interactivo sobre os temas dos três painéis do Fórum, antes da sua realização.

A realização do VI Fórum Europeu de Turismo tem o apoio da Associação Turismo do Algarve (ATA) apoia e do Turismo de Portugal, sendo a organização do evento responsabilidade da Comissão Europeia, em conjunto com a Presidência Portuguesa da União Europeia.

Este é o primeiro grande acontecimento a decorrer no Pavilhão do Arade, um espaço multiusos, com uma área total de 8.929 metros quadrados, com condições para a realização de espectáculos e eventos culturais de dimensão nacional e internacional, transformando-se numa importante fonte de desenvolvimento turístico e de divulgação da região algarvia.

Diário Digital / Lusa
Título:
Enviado por: comanche em Outubro 25, 2007, 12:55:48 pm
Vila Galé já entregou na Câmara de Évora projecto de hotel onde investe 20 ME


Citar
O grupo Vila Galé já entregou na Câmara Municipal de Évora o projecto para a construção de um hotel, com 207 quartos, num investimento de 20 milhões de euros, afirmou hoje o seu presidente.
 


Numa área de 16 mil metros quadrados, o novo hotel tem abertura prevista para o primeiro trimestre de 2010.

Segundo as previsões do presidente da Vila Galé, Jorge Rebelo de Almeida, as obras de construção do hotel deverão iniciar-se no final do próximo ano.

Contactado pela agência Lusa, o presidente da Câmara de Évora, José Ernesto Oliveira, confirmou que o projecto deu entrada no município já este mês e está a ser analisado.

"Temos um gabinete para a análise de projectos de relevante interesse para o município e já está a fazer a apreciação técnica do projecto do grupo Vila Galé", disse.

Após esta análise, seguir-se-á a fase de licenciamento de obras, devendo estar tudo terminado, por parte da autarquia, "no próximo ano", para que depois os promotores possam arrancar com a construção do hotel, explicou.

Para José Ernesto Oliveira, o projecto do Vila Galé é encarado com "orgulho e sentido de responsabilidade", pois, é mais um "grande grupo turístico a instalar-se na cidade e no concelho".

"Este hotel de cinco estrelas vai aumentar a nossa oferta, que corresponde ao crescimento sustentado da procura turística no concelho. Confirma a vocação de Évora como destino turístico de qualidade, no âmbito da estratégia que o município tem vindo a desenvolver", sublinhou.

Há um conjunto de outras seis empresas que pretende investir mais de 800 milhões de euros em seis empreendimentos turísticos no concelho de Évora, cinco deles com campos de golfe, que poderão criar cerca de 1.500 postos de trabalho directos.

Em Agosto último, foi batido o recorde de visitas à cidade de Évora dos últimos seis anos, com mais de 40 mil turistas a passar pelo posto de turismo local.

O grupo Vila Galé, liderado por Jorge Rebelo de Almeida, já está presente no Alentejo, mais precisamente no concelho de Beja, com o Clube de Campo, numa propriedade de 1.620 hectares, onde tem um hotel com 81 quartos.

Nesta herdade, após a água de Alqueva começar a chegar à barragem do Roxo, contígua ao empreendimento, pretende instalar um novo projecto, que inclui um aldeamento, duas aldeias alentejanas, com 500 unidades de alojamento, entre casas e apartamentos, e um hotel.

Além destes elementos, Rebelo de Almeida inseriu uma vertente original e exótica, com a instalação prevista de oito a 10 tendas "super luxuosas" junto da barragem do Roxo, a partir do próximo ano.

Além da vertente turística e imobiliária, a propriedade da Vila Galé em Beja também integra a produção de vinho e de azeite, na Casa de Santa Vitória.

O grupo Vila Galé tem a actividade principal na hotelaria, onde gere 18 unidades hoteleiras, 15 delas em Portugal (Algarve, Beja, Cascais, Ericeira, Estoril, Lisboa, Porto e Madeira) e três no Brasil (Fortaleza, Bahia e Guarajuba), num total de 10.500 camas.

 
Título:
Enviado por: Cabecinhas em Outubro 25, 2007, 05:24:58 pm
E assim se estragam os últimos refúgios selvagens da Europa na costa Atlantica...
Título:
Enviado por: André em Outubro 25, 2007, 11:45:00 pm
Secretário de Estado do Turismo defende debate alargado do turismo para garantir maior qualidade

Citar
O secretário de Estado do Turismo, Bernardo Trindade defendeu hoje a necessidade de um debate privilegiado da actividade turística, para garantir uma maior qualidade do sector articulada com a defesa do ambiente e do ordenamento do território.

Ao falar na sessão de abertura do VI Congresso Europeu de Turismo, perante cerca de um milhar de pessoas, presentes no Pavilhão Arade, em Portimão, o governante destacou a importância "de ser adoptada uma gestão sustentada dos destinos turísticos, de forma a aumentar a oferta e cativar o turismo de qualidade".

Segundo Bernardo Trindade, Portugal através do Plano Estratégico de Turismo, tem procurado "assumir-se como destino turístico europeu de referência, alicerçado pelo património natural, cultural e histórico".

Por seu turno, o presidente da Comissão Europeia de Viagens, o austríaco Arthur Oberasher, considerou Portugal como um dos melhores destinos turísticos europeus, face à oferta diversificada, destacando "o sol, a praia e todo o passado histórico".

Contudo, referiu que é muito importante apostar na qualificação profissional para garantir uma oferta de qualidade.

"Não basta ter bons hotéis, praias e infra-estruturas, é preciso também ter pessoal qualificado", afirmou.

Na sua interven��ão, Arthur Oberasher revelou que, pelo quarto ano consecutivo, a Europa registou um aumento da actividade turística, considerando os cinco por cento verificados este ano "um aumento acima da média".

Defendeu também, a necessidade de "manter uma actividade sustentada", porque, argumenta, "o turismo é a cara da Europa para o Mundo e, os destinos europeus devem ser mais populares e ouvir os seus visitantes sobre as suas pretensões".

O VI Congresso Europeu do Turismo, subordinado ao tema "Sustentabilidade e Competitividade do Turismo Europeu", decorre até domingo, no recém inaugurado Pavilhão Arade, em Portimão.

Lusa
Título:
Enviado por: André em Outubro 26, 2007, 04:47:41 pm
Turismo chegou "finalmente" à agenda europeia, afirma Manuel Pinho
 
Citar
O ministro da Economia e Inovação, Manuel Pinho, assinalou hoje que o Turismo está "finalmente a entrar na agenda europeia", embora tarde, depois de anos de fraca evolução.

Falando aos jornalistas à margem do VI Fórum Europeu de Turismo, que decorre em Ferragudo (concelho de Lagoa), Algarve, Manuel Pinho sublinhou que as receitas e o número de dormidas na Europa "estão a melhorar fortemente desde o ano passado e é necessário consolidar essa tendência".

Antes, em conferência de imprensa, Manuel Pinho tinha destacado que, em Portugal, as receitas até Agosto, relativamente ao mesmo período do ano passado, cresceram 12 por cento.

Por outro lado, acentuou, as taxas de ocupação ultrapassaram a média dos 80 por cento e o Turismo passou a representar 12,5 por cento das receitas totais das exportações e, a nível europeu, representa mais do que toda a indústria automóvel do Velho Continente.

Ainda no caso português, destacou o "bom diálogo" entre o Governo, as autarquias e os empresários do sector no sentido de promover o Turismo de qualidade.

"Não nos interessa nada massificar e sempre que isso foi feito no passado obtiveram-se lucros imediatos, mas prejuízos a longo prazo", reiterou.

Dedicado ao tema da sustentabilidade, que Manuel Pinho fez equivaler à qualidade, o encontro conta com dezenas de participantes dos 27 países da União Europeia.

No caso português, o ministro da Economia acentuou que o país é o que tem "um objectivo mais ambicioso" nas emissões de CO2 e, disse, em energias renováveis Portugal está em terceiro lugar no "ranking" europeu.

O Turismo será um tema forte do Conselho para a Competitividade a realizar no âmbito do Parlamento Europeu, presidido pelo próprio Manuel Pinho.

Durante a conferência de imprensa, o vice-presidente da Comissão Europeia, Gunter Verheugen, destacou a importância de a defesa do ambiente - nomeadamente o combate ao aquecimento global - andar "de mãos dadas" com o desenvolvimento sustentado do Turismo.

Antes da conferência, o ministro da Economia entregou uma parte das receitas de bilheteira do programa "Allgarve" a oito instituições de solidariedade social com obra na região, num total de 60.555 euros.

O Fórum Europeu do Turismo começou quinta-feira e decorre até domingo no recém inaugurado Pavilhão do Arade, em Ferragudo, concelho de Lagoa, Algarve.

RTP / Lusa
Título:
Enviado por: André em Outubro 30, 2007, 06:35:26 pm
ANRET já entregou ao Governo contraproposta com 7 regiões de turismo

Citar
A associação das regiões de turismo entregou à Secretaria de Estado do sector uma contraproposta onde defende a redução de 19 para sete regiões, seguindo as NUT III, embora a opção de 12 entidades também reunisse muitos defensores.

Em declarações hoje à agência Lusa, o presidente da Associação Nacional das Regiões de Turismo (ANRET), Miguel Sousinha, avançou que as alterações propostas pela entidade foram entregues à Secretaria de Estado liderada por Bernardo Trindade no final da semana passada e apontam para a definição de sete regiões, correspondentes às áreas administrativas NUT III (e não NUT II, como defendia o Governo).

Assim, em assembleia geral, a 18 de Outubro, as regiões de turismo aprovaram a divisão do território português em sete regiões, em termos gerais, acrescentando àquelas definidas pelo Governo as áreas do Grande Porto e da Grande Lisboa.

"Os municípios associam-se em NUT III para concorrer a programas comunitários" e a ANRET "adapta o mapa ao contexto do turismo nacional", especificou.

No entanto, o presidente da ANRET reconheceu hoje que os participantes na assembleia geral estavam divididos, ao referir que entre a proposta de sete regiões e a de 12 "a diferença de votos foi muito pouca".

Entre as alterações mais relevantes, Miguel Sousinha aponta uma maior explicitação das competências e atribuições das novas regiões de turismo e outra distribuição da origem do seu financimento.

A proposta do Executivo para o futuro das Regiões de Turismo aponta para a criação de cinco regiões de turismo coincidentes com as regiões administrativas existentes em Portugal Continental (Norte, Centro, Lisboa, Alentejo e Algarve), além das Regiões Autónomas dos Açores e da Madeira.

O documento estabelece como princípios da nova reorganização "a cobertura de todo o território nacional", de modo a "permitir que cada um dos cinco pólos de desenvolvimento turísticos identificados no Plano Estratégico Nacional do Turismo (PENT) tenha uma entidade dinamizadora e interlocutora junto do órgão central do turismo".

Lusa
Título:
Enviado por: comanche em Novembro 06, 2007, 08:50:34 pm
 Alentejo não será novo Algarve devido à "grande qualidade" dos projectos
 



Citar
O empresário Jaime Antunes, responsável por um investimento turístico, com golfe, em Évora, afastou hoje a possibilidade do Alentejo tornar-se num novo Algarve, considerando que, para vingarem, os empreendimentos turísticos na região têm que ter "grande qualidade".
 


"Não vai acontecer o que aconteceu no Algarve. Esse risco não existe, porque no Alentejo interior não há mar e o mar vende esse tipo de produtos [de má qualidade]. Ninguém faria aqui um projecto de muito má qualidade porque, depois, não tem clientes", sustentou.

Jaime Antunes, presidente da Frontino, falava aos jornalistas à margem de uma sessão realizada hoje, em Évora, para divulgação dos principais projectos de investimento em curso ou em vias de concretização no Alentejo.

No encontro, promovido pela Associação Industrial Portuguesa - Confederação Empresarial (AIP-CE), em parceria com a Agência para o Investimento e Comércio Externo de Portugal (AICEP), esteve em destaque, entre outros projectos, a criação de um destino de golfe em Évora.

Um grupo de seis promotores já apresentou, em Julho, intenções de investimento turístico neste concelho alentejano, com um valor global aproximado dos 800 milhões de euros, tendo cinco deles o golfe como "âncora".

A Frontino é uma dessas empresas e pretende criar o Évora Resort na Herdade Sousa da Sé, num investimento de 250 milhões de euros, com dois hotéis, residências turísticas e um complexo de desporto ao ar livre, com campo de golfe, centro de estágio e centro hípico, entre outras valências.

O projecto, a concretizar durante dez anos, prevê 500 postos de trabalho, aguardando Jaime Antunes a aprovação do novo Plano Director Municipal (PDM) de Évora para arrancar com as obras no "próximo ano", estimando que o empreendimento comece a funcionar em 2010.

Para que este destino golfe em Évora seja uma realidade, afirmou hoje o presidente da Frontino, os projectos têm que ter "grande qualidade", como condição para conseguirem atrair clientes.

"Há projectos de grande qualidade para o Alentejo e estamos a falar de turismo de cinco estrelas. Só assim é que se atraem pessoas para um destino que é novo, que não tem massa crítica de visitantes e de turistas, nomeadamente do mercado internacional", afiançou.

Os investidores neste sector na região, disse, devem também promover o que a região tem para oferecer a um público estrangeiro, que se pretende que seja oriundo "da Europa mais rica", ou seja, de países como o Reino Unido, Dinamarca ou Holanda.

Por isso, sublinhou também Jaime Antunes, o turismo residencial e o golfe são dois produtos que devem "andar de mãos dadas" no Alentejo interior, visto captarem o tipo de turista pretendido, sem que seja concorrente a existência de vários empreendimentos com esses dois pilares.

"Só se cria um destino de golfe com, pelo menos, cinco campos de golfe nas proximidades", explicou, referindo que os golfistas gostam de experimentar campos diferentes e, se não gostarem de um, devem ter outros como alternativa.

O empresário desvalorizou ainda a alegada falta de pessoal qualificado na região para dar resposta a este tipo de projectos, contrapondo que essa mesma qualificação "vem com os investimentos".

"Não se podem é fazer aqui estruturas de formação de pessoal de forma mais ou menos fechada, dentro de gabinetes, sem estarem ligadas a projectos de investimento concretos. No quadro do investimento da iniciativa privada é que a formação profissional dessas pessoas vai acontecer", afirmou.

 
Título:
Enviado por: André em Novembro 09, 2007, 12:39:00 pm
Unidades turísticas em Monforte face a dificuldades do PDM

Citar
Três novas unidades de turismo em espaço rural estão projectadas para o concelho alentejano de Monforte (Portalegre), mas enfrentam dificuldades relacionadas com a revisão do Plano Director Municipal (PDM), disse hoje o presidente do município.

«Os três projectos, considerados de grande envergadura para o concelho, estão condicionados à revisão do PDM, que vai ficar concluída em Setembro ou Outubro de 2008», reconheceu Rui Maia da Silva.
Em declarações à agência Lusa, o autarca de Monforte garantiu que as novas unidades de turismo em espaço rural envolvem «investimentos de alguns milhões de euros».

«Estamos a trabalhar na revisão do PDM para que seja possível a concretização destas unidades turísticas, que seriam a mola determinante para o concelho de Monforte, nos próximos anos», afirmou.

«Não são apenas intenções de conversa, são intenções já escritas, que merecem toda a credibilidade e penso que são projectos para seguirem em frente», sublinhou.

De acordo com o presidente da autarquia, existe também interesse no desenvolvimento de um outro projecto, de investimento privado, na área da saúde, em Monforte.

Rui Maia da Silva destacou, por outro lado, que o município pretende avançar com a expansão da zona industrial de Monforte, o que considerou ser um projecto de «grande interesse» para o concelho.

O actual parque industrial de Monforte, com 12 espaços para unidades industriais, está cheio, adiantou o autarca, salientando que já existem interessados para ocupar outras áreas.

Rui Maia da Silva pretende que a futura zona de expansão do sector industrial permita instalar o triplo das unidades, em relação à actual área destinada à indústria.

Segundo o presidente do município, a autarquia tem já em vista um espaço para a ampliação da zona industrial, pretendendo negociar com os proprietários a aquisição dos terrenos.

«Uma dificuldade para a expansão da zona industrial é o financiamento, não sabemos ainda se o novo Quadro de Referência Estratégico Nacional (QREN) vai financiar infra-estruturas deste tipo, mas se não for através do QREN haverá outra forma qualquer de obter financiamento e a obra avançará», garantiu.

Diário Digital / Lusa
Título:
Enviado por: André em Novembro 11, 2007, 06:56:13 pm
National Geographic mostra património português na Europa

Citar
O National Geographic Channel, numa parceria inédita com o Turismo de Portugal, está a promover os principais locais do património português em mercados europeus, uma estratégia que pode atingir uma audiência potencial de cerca de 13 milhões de lares.

Espanha, Alemanha e Reino Unido, que são mercados estratégicos na promoção externa, e Portugal foram os países escolhidos para desenvolver a iniciativa, que passa pela transmissão de anúncios promocionais e pela estreia de um documentário sobre os 13 locais portugueses classificados pela Unesco como património mundial.

A promoção nacional e internacional de Portugal como destino turístico é o principal objectivo do projecto «Portugal: Um Outro Olhar», que também ambiciona «rejuvenescer a comunicação do património e dar outro ângulo do país», afirmou à agência Lusa Assunção Loureiro, representante da Fox International Channels (empresa que detém a marca National Geographic) para Portugal.

Uma nova abordagem que também quer ir ao encontro de um potencial turista para Portugal.

«O público do National Geographic é classe A/B, tem um elevado poder de compra e tem uma vertente cultural também elevada», realçou.

«Há tradição no canal com este tipo de parcerias na área do turismo», afirmou ainda a responsável, destacando que o National Geographic Channel já desenvolveu acções, quase similares, com países como Austrália, África do Sul e alguma regiões de Espanha.

No total, e durante este mês, o canal vai transmitir em Portugal, Espanha, Alemanha e Reino Unido dois 'spots' publicitários sobre o património nacional, que terão mais mil exibições em antena, de acordo com a estação.

Os spots apresentam a diversidade da oferta turística portuguesa, mostrando a tradição e a modernidade do país, referiu ainda o canal.

No mercado português, os anúncios vão também passar nas estações Fox e Fox Life, que integram a mesma rede internacional.

Também com a chancela National Geographic, a estação vai estrear este mês, em horário nobre, um documentário de 25 minutos sobre Portugal.

A estreia do documentário, que tem o mesmo nome do projecto, está agendada para dia 18 de Novembro em Portugal, Espanha e Alemanha e no dia 14 de Novembro no Reino Unido.

O formato, que foi idealizado pelo fotógrafo português António Sá, será retransmitido ainda durante o mês em todos mercados.

Entre os sítios visitados pelo documentário estão os Mosteiros de Alcobaça e da Batalha, o Vale do Côa, a floresta Laurisilva (Madeira) e as cidades do Porto e de Évora.

A parceria entre o National Geographic Channel e o Turismo de Portugal envolveu ainda a criação de uma exposição de fotografia, também da autoria de António Sá, que se encontra, neste momento, no Mosteiro dos Jerónimos, mas que já esteve patente nos armazéns londrinos Harrods.

Diário Digital / Lusa
Título:
Enviado por: André em Novembro 11, 2007, 11:31:30 pm
Secretário de Estado visita World Travel Market

Citar
O secretário de Estado do Turismo visita segunda-feira o certame turístico World Travel Market, em Londres, com o objectivo de reforçar a aposta de Portugal no mercado inglês, depois das várias iniciativas realizadas naquele país em Outubro.

Este é uma das mais importantes feiras turísticas da Europa, a par da FITUR de Madrid e da ITB, em Berlim.

Em declarações à agência Lusa, o secretário de Estado do Turismo, Bernardo Trindade, considerou importante a presença de Portugal no World Travel Market, que decorre entre 12 e 15 de Novembro, uma vez que o «mercado inglês é um dos mais importantes» para o sector português.

Até Agosto deste ano, o mercado do Reino Unido cresceu em todos os indicadores estatísticos, «destacando-se o aumento das dormidas na ordem dos 6,3 por cento, aumento indicador de maiores estadas médias», refere uma nota do Ministério da Economia e da Inovação.

De acordo com a informação, o mercado britânico registou um crescimento superior a 300 mil dormidas até Agosto no Algarve, um crescimento de 9,1 por cento face a 2006.

O objectivo da visita ao certame, segundo Bernardo Trindade, é «continuar a promoção de Portugal ao mais alto nível», após a parceria estabelecida com um dos mais emblemáticos espaços comerciais londrinos - o Harrods -, que durante Outubro exibiu produtos portugueses e apresentou o país como um dos destinos alternativos de férias para os ingleses.

«A minha presença [no certame) visa reiterar a confiança que Portugal tem no mercado inglês», sublinhou Bernardo Trindade.

O stand de Portugal, que este ano tem 686 metros quadrados, representa um investimento de cerca de 700 mil euros e nele estão representados a totalidade das agências regionais de promoção turística, além de 62 empresas do sector.

Este ano, o investimento no Reino Unido aumentou 25,8 por cento, para 6,02 milhões de euros, representando 12 por cento do orçamento global (50 milhões de euros) Portugal é o terceiro mercado de Portugal, a seguir à Alemanha e Espanha.

No início de Outubro, o secretário de Estado do Turismo e o presidente do Turismo de Portugal apresentaram em Londres a maior campanha de promoção de Portugal no estrangeiro, orçada em 7 milhões de euros e destinada a seis países.

Só o Reino Unido absorveu 1,6 milhões de euros deste orçamento, sendo que 500 mil euros foram aplicados na parceria com o Harrods.

Diário Digital / Lusa
Título:
Enviado por: André em Novembro 11, 2007, 11:51:56 pm
Peneda-Gerês na rede das melhores áreas europeias

Citar
O Parque Nacional da Peneda-Gerês vai aderir à rede das melhores áreas naturais da Europa, depois de ter sido aceite a sua candidatura ao sistema de certificação PAN Park´s, anunciou hoje o ministro do Ambiente, Nunes Correia.
Num encontro informal com jornalistas, em Lisboa, o governante adiantou que a candidatura do parque àquele sistema de certificação começou há três anos e vai «agora» formalizar-se com a assinatura do processo de adesão.

O presidente do Instituto da Conservação da Natureza e Biodiversidade (ICNB), João Menezes, também presente no encontro, explicou que o sistema de certificação PAN Park´s visa a criação de uma rede das melhores áreas naturais da Europa, onde é garantida uma combinação da conservação da natureza e do desenvolvimento económico, através da promoção do turismo sustentável.

«É quase impossível que qualquer outro dos parques naturais de Portugal consiga reunir as condições necessárias para aderir ao PAN Park´s. Aliás, cinco candidaturas nacionais já foram rejeitadas», adiantou João Menezes.

Um dos requisitos exigidos para aquele sistema de certificação é o parque ter uma extensa área, não inferior a 50 mil hectares, com valores naturais de carácter excepcional e uma área mínima de 10 mil hectares sem qualquer intervenção humana.

O Parque da Peneda-Gerês teve ainda de apresentar um plano de gestão da visitação e programar, implementar e monitorizar a estratégia de desenvolvimento do turismo sustentável, de forma participada.

João Menezes considerou que a adesão do parque àquele sistema permite à Peneda-Gerês inserir-se numa «rede de excelência», onde apenas constam os melhores parques da Europa, sendo por enquanto o único parque nacional da Península Ibérica a integrar esta rede.

«Esta certificação vai permitir também integrar o parque no roteiro dos grandes operadores turísticos especializados no turismo ad natureza», adianta o ICNB.

A Fundação PAN Parks, fundada sob o auspício da organização internacional de conservação da natureza WWF, tem como objectivo aumentar o conhecimento e ajudar a proteger as áreas naturais an Europa.

Diário Digital / Lusa
Título:
Enviado por: André em Novembro 23, 2007, 08:21:36 pm
Bragança distinguida na Suíça com galardão turístico

Citar
A cidade de Bragança foi distinguida, na Suíça, com um galardão turístico, no âmbito de um salão internacional de férias que promove destinos em todo o mundo para serem «descobertos», anunciou hoje a autarquia local.

De acordo com a fonte, Bragança recebeu o «Swiss Tourism Awards 2007» na categoria de «Destino a ser protegido-cidade a ser explorada, destino com forte vocação turística».

Este galardão é atribuído na Suiça no âmbito do salão internacional suíço de férias que este ano decorreu entre 31 d Outubro e 05 de Novembro e teve 600 participantes, ainda segundo a autarquia.

De entre as centenas de candidatos, foram galardoadas 28 cidades de 21 países de todo o mundo, nomeadamente Bulgária, Roménia, Grécia, Holanda, Bósnia Herzegovina, Portugal, Brasil, Itália, Sérvia, Montenegro, Colômbia, Macedónia, Geórgia, Peru, Chile, Caraíbas (Antígua e Barbuda), Eslovénia, Eslováquia, Azerbeijão e Albânia.

O Swiss Tourism Awards tem como objectivo impulsionar e desenvolver o sector turístico internacional, particularmente valorizando o património natural e cultural de algumas cidades, propondo destinos internacionais para serem «descobertos».

Bragança foi distinguida no ano em que foi também convidada para o salão de férias de Lugano, em que participou com uma exposição de material promocional do concelho e da Rota da Terra Fria do Nordeste Transmontano.

Segundo a autarquia, este salão foi visitado por mais de 66.000 pessoas.

A Câmara municipal de Bragança considera que «a participação neste evento foi importante, uma vez que teve a oportunidade de divulgar a cidade de Bragança a nível internacional, bem como de promover a captação de novos fluxos e mercados turísticos com benefício para a economia do município».

Diário Digital / Lusa
Título:
Enviado por: André em Dezembro 04, 2007, 07:14:49 pm
Norte foi a região que mais cresceu em visitantes e dormidas

Citar
O Norte foi a região do país onde se verificou maior crescimento, em Setembro, de visitantes e dormidas, anunciou hoje no Porto a ADETURN - Agência Regional de Promoção Turística do Porto e Norte de Portugal.

Para Jorge Osório, presidente da ADETURN Turismo Norte de Portugal, "este é o resultado do grande esforço levado a cabo na promoção da região como destino de excelência em Portugal".

Os dados mais recentes disponíveis do Instituto Nacional de Estatística (INE), relativos a Setembro último, mostram que a região do Porto e Norte de Portugal se destacou das restantes, obtendo um crescimento homólogo de 14,5 por cento relativamente ao mesmo mês do ano anterior, superando as três mil dormidas.

Entre Janeiro e Setembro o crescimento acumulado foi de 8,8 por cento.

A região é ainda a única a registar um aumento de dois dígitos em termos de visitantes, situando-se em 14,2 por cento.

O responsável da ADETURN da região considera que se trata de "um crescimento assinalável, muito acima dos valores comuns e daqueles que outras regiões do país apresentam", o que "só vem comprovar o enorme potencial turístico de todo o Norte do país".

Comparando o número de visitantes acumulado entre Janeiro e Setembro de 2007 com o período homólogo de 2006, a região do Porto e Norte de Portugal regista também um aumento de 9,1 por cento.

No que respeita aos proveitos totais dos estabelecimentos hoteleiros, a região alcançou também aumentos na ordem dos dois dígitos, sendo Setembro último o melhor mês, que evidencia um crescimento de 19,2 por cento relativamente s Setembro de 2006.

A ADETURN Turismo Norte de Portugal é a Agência Regional de Promoção Turística do Porto e Norte de Portugal, oficialmente certificada pelo Instituto de Turismo de Portugal e pela Confederação do Turismo Português.

Criada em 1992, a associação sustenta a sua actividade numa série de parcerias estabelecidas com entidades públicas e privadas com representatividade no sector do Turismo.

Lusa
Título:
Enviado por: André em Dezembro 05, 2007, 06:32:50 pm
Número de turistas em Portugal em 2007 deve atingir 12 milhões

Citar
O secretário de Estado do Turismo, Bernardo Trindade, estimou que em 2007 o número de turistas a entrar em Portugal ascenda aos 12 milhões, ou seja, «20% mais do que a população residente no país».

«Estimamos que os turistas a entrar em Portugal no ano de 2007 ascendam a mais de 12 milhões, 20 por cento mais do que a população residente no país e que as receitas globais do turismo em Portugal atinjam a marca dos 7 mil milhões de euros», afirmou na terça-feira Bernardo Trindade, durante a sua intervenção no IX Congresso Brasileiro da Actividade Turística (CBRATUR), em Brasília.

Para o governante, «Portugal está no caminho certo», uma vez que o Turismo se afirma «cada vez mais como uma actividade determinante e estratégica na economia portuguesa».

Neste sentido, Bernardo Trindade deu a conhecer os últimos dados do plano estratégico lançado pelo Governo em 2006, que demonstram que durante os primeiros nove meses deste ano as receitas globais do sector cresceram 12 por cento, as dormidas aumentaram 5,3 por cento, enquanto o tráfego aéreo registou um incremento de 9 por cento.

«Pela leitura destes dados penso que será clara a importância que o Turismo e todos os sectores económicos transversais que o representam têm na economia portuguesa», afirmou, acrescentando que a concretização deste plano permitiu o investimento de oito milhões de euros em projectos na área do Turismo e a criação de 34.000 postos de trabalho directos e indirectos.

Bernardo Trindade referiu também que a parceria estabelecida com a ANA (empresa pública responsável pela prestação do serviço aeroportuário) para a constituição de um fundo de promoção do desenvolvimento de novas rotas, dirigido aos voos de baixo custo (low cost), possibilitou o desembarque de cerca de 130.000 novos passageiros nos primeiros 8 meses do ano, comparativamente com o mesmo período de 2006.

«Por isso», afirmou, «temos colocado todo o empenho no desenvolvimento das low cost em Portugal, convictos que estamos de que é este o caminho certo para aumentar e diversificar a procura turística para os destinos portugueses», uma vez que este tipo de serviço permite fazer a ligação directa entre as principais cidades europeias.

O IX CBRATUR, que decorreu terça-feira e hoje, em Brasília, subordinada ao tema «O Turismo e a Crise dos Transportes no Brasil: ameaças e oportunidades», reuniu cerca de 500 participantes.

Diário Digital / Lusa
Título:
Enviado por: André em Dezembro 10, 2007, 08:46:14 pm
Nova campanha internacional vai fomentar notoriedade de Portugal

Citar
O ministro da Economia, Manuel Pinho, afirmou que a nova campanha de promoção externa de Portugal, hoje apresentada em Lisboa, quer fomentar a notoriedade do País e transmitir uma imagem forte, dinâmica e inovadora.

"O nosso País tem mais valor do que muitos dizem e pensam, e passa relativamente desapercebido", justificou o governante na apresentação pública da campanha publicitária, hoje realizada em Lisboa.

Uma situação que não é encarada por Manuel Pinho como um obstáculo mas sim como "um bom ponto de partida".

"É preciso conhecer bem Portugal para se começar a gostar dele", frisou.

Clarificar a percepção e a imagem de Portugal é o principal objectivo da campanha, que envolveu um investimento global de três milhões de euros e vai percorrer nos próximos dois meses os mercados de Espanha, França, Alemanha e Reino Unido.

Com arranque agendado para quinta-feira, data da assinatura do Tratado de Lisboa pelos Chefes de Estado e de Governo dos 27 Estados-membros da União Europeia, a acção também será divulgada no mercado português.

Com a assinatura "Portugal Europe's West Coast", a campanha aposta na presença de oito personalidades portuguesas que fazem parte de uma "geração de talentos que se está a afirmar a nível internacional" e que tem "garra e gana para vencer", segundo o governante.

José Mourinho, Mariza, Cristiano Ronaldo, Nelson Évora, Vanessa Fernandes, Miguel Câncio Martins, Maria do Carmo Fonseca e Joana Vasconcelos foram as caras escolhidas para promover Portugal.

O investimento português na área das energias renováveis é outras das mensagens da campanha publicitária.

Imprensa e suportes de publicidade exterior foram os meios escolhidos para a acção de promoção, cujos principais destinatários vão ser "os actuais e potenciais visitantes, investidores e compradores de produtos portugueses", destacou.

Nick Knight é o responsável pelas imagens da campanha, enquanto o conceito criativo é da agência portuguesa de publicidade BBDO.

O projecto do Ministério da Economia e de Inovação é realizado em conjunto pelo Turismo de Portugal e pela Agência para o Investimento e Comércio Externo de Portugal (AICEP), contando ainda com o apoio do Programa de Incentivos à Modernização da Economia (Prime).

Lusa
Título:
Enviado por: comanche em Dezembro 16, 2007, 10:56:56 pm
Turismo: Receitas atingirão os 7 mil milhões de euros em 2007 - Bernardo Trindade

Citar
Funchal, 16 Dez (Lusa) - O secretário de Estado do Turismo, Bernardo Trindade, disse hoje em Santa Cruz, na Madeira, que Portugal arrecadará este ano 7 mil milhões de euros de receitas turísticas e que o número de visitantes ultrapassará os 12 milhões de turistas.

Ao falar na inauguração de oito terminais do sistema RAPID - Reconhecimento Automático de Passageiros Identificados Documentalmente no Aeroporto Internacional da Madeira, Bernardo Trindade considerou 2007 "um ano notável no turismo português".

A secretária regional do Turismo e Transportes, Conceição Estudante, regozijou-se também com o ano turístico da Região que considerou "o melhor dos últimos dez anos". "Ultrapassaremos largamente um milhão de visitantes", acrescentou.

O subsecretário de Estado da Administração Interna, Fernando Rocha de Andrade, realçou as virtualidades do sistema RAPID que identifica, em menos de 20 segundos, um portador de passaporte electrónico e lembrou que este é o primeiro contacto que um turista tem com o destino português e quanto mais célere for maiores mais valias trará para o país.

Este sistema, já em funcionamento nos aeroportos de Lisboa e Faro, assegura o controlo automatizado de fronteira para todos os titulares, maiores de idade, de passaportes da União Europeia.

A instalação do RAPID será concluída em 2008 em todos os aeroportos portugueses e representa um projecto concebido pelo Serviço de Estrangeiros e Fronteiras com o apoio do Ministério da Administração Interna e da Universidade do Algarve.

EC

Título:
Enviado por: Lisander em Dezembro 16, 2007, 11:36:06 pm
Citar
A região Oeste, onde no espaço de três anos se ergueram dois hotéis de cinco estrelas (Westin e Marriott), pode vir a reunir no futuro as marcas hoteleiras mais luxuosas do Mundo.


Já temos a garantia de que o segundo hotel do Campo Real [onde se localiza o primeiro hotel Westin em Portugal] será um Sheraton e, eventualmente, o terceiro um Méridien”, revelou o presidente da Região de Turismo do Oeste, António Carneiro.

A ampliação do Campo Real (Torres Vedras) vai arrancar em Março de 2008, estimando-se um investimento de 135 milhões de euros na construção de mais um hotel de cinco estrelas, aparthotel, 320 residências turísticas e a extensão do campo de golfe de 18 para 24 buracos.

“Se somarmos o turismo residencial, num prazo de dez anos teremos entre 20 a 30 mil camas”, aponta António Carneiro.


Fonte:Correio da manhã


saudações
Título:
Enviado por: ShadIntel em Dezembro 26, 2007, 01:34:49 pm
Lisboa recebe dois 'design hotels'

Citar
Lisboa vai passar a contar a partir de hoje com dois hotéis membros da reputada cadeia hoteleira Design Hotel. O primeiro abriu em Agosto e trata-se do Jerónimos 8, do grupo Alexandre de Almeida, localizado em pleno centro monumental e museológico da cidade, junto do Mosteiro dos Jerónimos, e o segundo, o Fontana Park, da Turismadeira, abre hoje no Saldanha, nas instalações da antiga Metalúrgica Lisbonense. Ambos os hotéis foram distinguidos recentemente, pelo The New York Times, como unidades de referência nas estadas em Lisboa, citada entre as dez cidades mais visitadas na Europa.

Os dois hotéis têm em comum o facto de estarem incluídos na rede da Design Hotel, que tem como principal característica a decoração ao estilo minimalista. Ambas as unidades procuraram manter as características dos edifícios. No Fontana predominam no lobby as estruturas de ferro, que lembram a actividade anterior do edifício. Já o Jerónimos 8 surge da remodelação do antigo Hotel da Torre, adquirido por Alexandre de Almeida e que durante um ano esteve em obras de modernização, onde os vermelhos, brancos e pretos se fundem com pinturas e esculturas de artistas portugueses.

No Fontana Park também os brancos e pretos predominam. "Um hotel com alma", é como Jorge Cosme, director-geral, caracteriza a unidade que vai "girar" a partir do bar, cujo balcão se assemelha ao Titanic e onde vão decorrer happy hours, uma forma de atrair os quadros das multinacionais instaladas na zona. Grandes mesas talhadas em enormes troncos de madeiras exóticas, importadas da Tailândia e da Indonésia, marcam presença no espaço decorado com puffes e cadeirões de verga king size e taças em madrepérola.

O hotel é constituído por 139 quartos, nove salas para conferências e dois restaurantes - o Saldanha Mar, especializado em grelhados no carvão, e o Bonsai, vocacionado para a gastronomia japonesa.

No Jerónimos 8, as vistas dos quartos, quer para o lado do mosteiro que lhe empresta o nome quer para os telhados e as palmeiras e coqueiros do Jardim Tropical, são a sua mais-valia. O hotel possui 65 quartos e suites, "espartanos quanto baste", considera Alexandre Almeida, que realça a qualidade dos lençóis. "No Jerónimos queremos que os hóspedes se sintam em casa", frisa ainda o gestor. As suites no primeiro piso possuem um terraço privativo. O bar é uma referência , possuindo uma carta única de vinhos do Buçaco, de produção própria.

http://dn.sapo.pt/2007/12/26/economia/l ... otels.html (http://dn.sapo.pt/2007/12/26/economia/lisboa_recebe_dois_design_hotels.html)
Título:
Enviado por: comanche em Janeiro 06, 2008, 04:04:54 pm
Ano turístico de 2007 foi o melhor de sempre

Citar
Mais de 12 milhões visitaram Portugal no ano passado
"Este é o melhor ano turístico de sempre para Portugal. Vamos ultrapassar a cifra dos sete mil milhões de euros de receitas e os 12 milhões de turistas, sendo que os indicadores para 2008 apontam para uma evolução positiva", disse ao DN Bernardo Trindade.

De acordo com os últimos dados do Banco de Portugal, as receitas turísticas somaram 6,38 mil milhões de euros, em Outubro, um acréscimo de mais de 11%. Isto significa que "nestes dez meses, em oito deles tivemos um crescimento superior a 10% por cento, o que reflecte o bom momento que o turismo atravessa e que é extensivo, felizmente, a todas as regiões turísticas do País", refere o secretário de Estado do Turismo. Um cenário consolidado que "reforça a importância estratégica do sector".

Para este "sucesso" contribuiu o acordo de promoção turística, assinado em Fevereiro de 2007, e que reforçou as verbas de cada das sete agências regionais de promoção turística (cinco no Continente e duas nas regiões autónomas", monotorizadas pelo Turismo de Portugal, e que permitiu uma "melhor abordagem aos principais mercados emissores".

Bernardo Trindade considera que todo o processo legislativo concluído em 2007, ao reduzir a burocracia e simplificando o acesso à actividade, passou, também, a responsabilizar cada vez mais os promotores, numa "base de relação de confiança entre sector público e privado".

"Os empresários perceberam a necessidade de dotarmos o país de infra-estruturas capazes, com qualidade, para poder responder às solicitações de procura. Portugal em circunstância alguma poder-se-á afirmar como destino de massas, não tem dimensão para isso, portanto, é na qualidade que busca a resposta. Esse é o caminho para marcar a diferença".

As autarquias são também "um parceiro fundamental" do ponto de vista da intervenção e da própria fiscalização, nomeadamente no que toca à integração do alojamento local paralelo no circuito formal da economia. "Aprovaremos todo o regulamento-base e depois as câmaras tratarão de aplicá-lo e fiscalizar, com benefícios para as próprias autarquias, uma vez que estas unidades de alojamento irão pagar impostos."

A aprovação de uma série de projectos de interesse nacional introduziu também uma maior dinâmica nos promotores. "Felizmente foram dados passos imensos e foi possível desbloquear projectos amarrados nas malhas da administração pública há mais de dez anos, como Tróia, e outros no litoral alentejano. Espero que no início de 2008 finalmente avance o projecto de Alqueva e vá para o terreno numa lógica de qualidade e respeito pelo ambiente", concluiu.
Título:
Enviado por: André em Janeiro 10, 2008, 09:26:38 pm
Crescimento do Algarve superou o previsto - AHETA

Citar
O crescimento turístico no Algarve em 2007 foi superior ao previsto, cifrando-se em mais 5 por cento nas taxas de ocupação e 3,9 por cento nos resultados das empresas, anunciou hoje a principal associação hoteleira algarvia, AHETA.

No seu balanço anual, a Associação dos Hotéis e Empreendimentos Turísticos do Algarve (AHETA) sublinha que todos os restantes indicadores económicos da oferta turística da região reflectem uma situação positiva face ao ano anterior.

De acordo com os dados da associação, o aeroporto de Faro registou um aumento de 8,4 por cento no tráfego de passageiros.

Essa tendência deveu-se sobretudo ao crescimento do mercado do Reino Unido e à afirmação das companhias aéreas de baixo custo («low cost»), que em 2007 representaram 69 por cento dos movimentos totais de passageiros em Faro.

O golfe registou um aumento de 2,4 por cento, tendo sido jogadas mais de 1,1 milhões de voltas em todos os campos existentes no Algarve.

De acordo com o relatório da AHETA, de 43 páginas, o sector do imobiliário turístico apresentou uma procura crescente, traduzida num crescimento acentuado ao nível da concretização de negócios, continuando a demonstrar um elevado potencial para os próximos anos.

A associação ambiental regista o bom comportamento da procura em todas as marinas e portos de recreio da região, enquanto se assistiu a uma tendência estabilizadora na procura dos parques temáticos.

«As previsões para o próximo ano são mais modestas e reflectem o clima de instabilidade económica mundial, face aos sinais preocupantes que nos vão chegando de alguns dos principais países emissores, designadamente o Reino Unido», sublinha ainda o relatório anual da associação.

O aumento de 4,5 por cento nos preços é, segundo a AHETA, «a onsequência directa da taxa média de ocupação poder atingir os 65 por cento em 2008».

Invocando «parâmetros internacionais», a associação chama a esse valor a «ocupação ideal», a partir da qual é possível às empresas passarem a gerir a política de preços e, por essa via, a rentabilidade dos seus investimentos.

Diário Digital / Lusa
Título:
Enviado por: André em Janeiro 16, 2008, 08:16:06 pm
Pinho acredita em crescimento de visitantes e de receitas turísticas em 2008

Citar
O ministro da Economia e da Inovação, Manuel Pinho, está optimista quanto à evolução do número de visitantes e de receitas turísticas em 2008, principalmente devido ao aumento da presença de low-costs em Portugal.


«Perspectivo que o turismo continue a ganhar em número de visitante e de receitas, tanto mais que o número de low-costs que visitam Portugal é cada vez maior», disse Pinho na inauguração da Bolsa de Turismo de Lisboa, que decorre até domingo.

Sem querer quantificar o crescimento turístico para 2008, o ministro garantiu que o sector vai trabalhar para passar dos 12 milhões de visitantes para os 14 milhões o mais rapidamente possível.

«Vamos trabalhar no dia a dia para que, como o 13 é um número de azar, tentar passar para os 14 milhões de visitantes o mais rapidamente possível«, afirmou Manuel Pinho.

O ministro frisou que este mercado »está a dar óptimos resultados«, tendo Portugal registado 12 milhões de turistas em 2007, um número que considerava »impensável há três anos atrás«.

O ministro Manuel Pinho disse acreditar »firmemente« na capacidade de desenvolvimento do turismo português, que considera ter uma importância verdadeiramente estratégica pelo emprego que cria e os efeitos indirectos que tem na economia.

«Em Portugal, o turismo está a crescer mais que a média da Europa e mesmo do mundo. O que é necessário é que a tendência se mantenha», disse.

Segundo o governante, o turismo está a crescer mais que a economia, tendo as receitas crescido 11 por cento até Novembro e o número de turistas 6 por cento.

Em termos proporcionais relativamente a Espanha, Pinho considera que ainda há espaço para continuar a aumentar o sector.

Questionado sobre a concorrência, nomeadamente dos mercados de leste, Manuel Pinho apenas disse: «Gosto muito de concorrência porque nos obriga a todos e aos nossos empresários a sermos mais dinâmicos».

O ministro deu o exemplo de Lisboa, que foi recentemente considerada pelo New York Times como o terceiro destino mundial a visitar.

Envolvido em ambiente de música e dinamismo Pinho elogiou o dinamismo e dimensão da BTL, que classsificou como impressionante.

«Estou extremamente contente com o que aqui vejo em termos de dinamismo, não só das associações, mas também das regiões de turismo e do sector privado«, disse, aconselhando todos os portugueses a visitar o certame.

A BTL dedica os primeiros dois dias aos profissionais do sector e abre ao público entre sexta e domingo.

O ministro anunciou hoje que dentro de duas semanas será lançada, a nível internacional, a nova campanha de imagem do turismo articulada com a campanha de imagem do país.

Diário Digital / Lusa
Título:
Enviado por: comanche em Janeiro 17, 2008, 07:48:57 pm
Turismo: Receitas dos hotéis Pestana e Pousadas de Portugal sobem 16% em 2007


Citar
Lisboa, 17 Jan (Lusa) - As receitas dos hotéis Pestana e Pousadas de Portugal cresceram 16 por cento em 2007 face ao ano anterior e aproximaram-se dos 200 milhões de euros, afirmou hoje um administrador do grupo.

Em conferência de imprensa realizada no âmbito da Bolsa de Turismo de Lisboa (BTL), que decorre até domingo, José Manuel Castelão Costa salientou a subida da facturação das unidades hoteleiras do grupo Pestana e das Pousadas de Portugal no ano passado.

Escusando-se a acrescentar mais pormenores acerca da actividade do grupo Pestana, liderado por Dionísio Pestana, Castelão Costa adiantou somente que "o lucro bruto de exploração" da parte hoteleira aumentou 30 por cento em 2007.

O grupo Pestana reúne várias áreas de actividade, sendo a principal a hotelaria onde detém e gere 81 unidades, tendo presença em países como Brasil, Argentina, Moçambique, África do Sul, Cabo Verde e S.Tomé, a que deverá juntar-se brevemente Caracas e Londres.

Título:
Enviado por: comanche em Janeiro 18, 2008, 11:49:06 am
Chaves:Investimentos privados ultrapassam os 100 ME e vão potenciar turismo

Citar
Chaves, 18 Jan (Lusa) - Os empreendimentos privados em execução ou previstos para Chaves, o casino, o Aquanattur, o hospital privado e um centro comercial, representam investimentos na ordem dos 100 milhões de euros e vão atrair milhares de novos turistas.

"Chaves é já o maior município turístico de Trás-os-Montes e Alto Douro", afirmou hoje à Agência Lusa António Mota, presidente da Região de Turismo do Alto Tâmega.

O presidente da autarquia, o social-democrata João Baptista, acrescenta que 48 por cento dos turistas em Trás-os-Montes passam por esta cidade em busca das termas, dos museus ou jardins.

Para a afirmação de Chaves no sector turístico, o autarca sustentou que "muito" vão contribuir os investimentos privados que estão em execução ou previsto para o Alto Tâmega.

"O casino e o Aquanattur trarão mais turistas, o shopping atrairá também muita gente e o hospital privado concederá uma maior percepção de segurança no destino", afirmou António Mota.

O responsável já fez as contas e prevê que, nos próximos anos, o número de dormidas em Chaves tenha um acréscimo na ordem das "30 a 40 mil" por ano.

Em 2006, o número de dormidas naquele concelho rondou as 120 mil.

Já no sábado abre as portas, o Hotel Casino de Chaves, um empreendimento do grupo Solverde que ronda os 40 milhões de euros e quer atrair clientes de todo o Norte de Portugal e da vizinha Galiza.

O casino vai dispor de 322 slot-machines e 13 mesas de jogo, nomeadamente duas bancas francesas, três black-jack, quatro roletas americanas, um póquer sem descarte, um ponto e banca e dois Poker Texas Hold`em.

Com uma área total de construção de 30 mil metros quadrados, o hotel terá 72 quartos e seis suites, restaurante e coffee shop com capacidade para 200 pessoas, bar, lojas, salas de reuniões, health club e vários equipamentos desportivos, nomeadamente piscina interior e exterior, campo de futebol e squash e circuito de manutenção.

No âmbito do projecto Aquanattur, promovido pela Unicer, estão a ser requalificados os parques lúdico termais de Pedras Salgadas, concelho de Vila Pouca de Aguiar, e Vidago, concelho de Chaves, representando um investimento na ordem dos 50 milhões de euros.

Encerrado desde 2006, o Vidago Palace Hotel reabrirá nos finais de 2008 já transformado num cinco estrelas diferenciado, num projecto assinado pelo arquitecto Álvaro Sisa Vieira.

As obras de requalificação do parque termal das Pedras Salgadas deverão também estar concluídas em 2008, ano previsto para a reabertura desta estrutura ao público.

O Aquanattur tem como público-alvo os portugueses, espanhóis, alemães, ingleses, franceses e escandinavos e pretende aumentar a taxa de permanência na região, que é de 1,6 dias.

Esta semana foi anunciada a construção do Hospital Privado de Chaves, uma iniciativa da Casa de Saúde de Guimarães e do Hospital Particular de Viana do Castelo, que representa um investimento de cerca de 20 milhões de euros.

A nova unidade hospitalar estará pronta no último trimestre de 2009 e oferecerá os serviços de maternidade, consulta externa para diversas especialidades médicas e cirúrgicas, internamento e cirurgia, meios complementares de diagnóstico e serviço de urgências de 24 horas.

Com uma área de 10 mil metros quadrados, o Hospital Privado de Chaves terá capacidade para 30 consultórios, 52 camas e os serviços de urgência médico-cirúrgica estarão "mesmo" abertos 24 horas por dia.

O Shopping Século XXI, iniciativa do Grupo Santo, pretende ser um novo motor de dinâmica transfronteiriça.

Os responsáveis do grupo acreditam que o projecto exercerá grande capacidade de influência nas populações residentes no concelho de Chaves e áreas circundantes, bem como numa zona mais alargada aos concelhos fronteiriços.

O público-alvo poderá ascender a perto de 100 mil habitantes e o projecto, que deverá concluído em quatro anos, rondará o orçamento final de 20 milhões de euros.

O novo centro comercial vai possibilitar um total de cerca de 600 postos de trabalho directos e indirectos, e ocupará uma área total de 15.300 metros quadrados.

Contará com mais de 60 lojas, 750 lugares de estacionamento à superfície e em cave, um hipermercado, e salas de cinema.

António Mota referiu ainda que estão previstos mais investimentos na área da hotelaria para o concelho, nomeadamente mais dois hotéis de quatro estrelas em Vigado e ampliação de espaços de turismo rural.

João Baptista assinala que foram também os investimentos da autarquia que "potenciaram" a aposta dos privados em Chaves e considera que o concelho que dirige está na "confluência" de grandes investimentos públicos (estatal e autárquico) e privados.

O autarca lembrou a construção da auto-estrada 24 (A4) e frisou ainda que, desde que assumiu a presidência há seis anos, o investimento no concelho ultrapassou os 50 milhões de euros.

Título:
Enviado por: comanche em Janeiro 18, 2008, 11:56:44 am
MSF vai investir mil milhões em turismo e imobiliário

Citar
Este ano vai adquirir no mínimo dois terrenos para novos 'resorts' no País
A MSF Tur.Im, holding do grupo de construção MSF para a área do turismo e imobiliário, vai investir até 2015 mil milhões de euros em novos projectos. Uma meta traçada após a reestruturação do grupo que levou à criação daquela empresa, explicou ao DN o seu administrador, José Manuel Fortunato. Nos projectos que já tem em curso, vai investir mais 350 milhões. Agora é hora de começar a fazer aquisições de terrenos para pôr em marcha novos complexos cuja comercialização deverá iniciar-se dentro de dois a três anos, confessa o empresário. E no imobiliário a aposta vai para os projectos de resorts.

Além dos dois, cuja construção vai arrancar este ano, um em Óbidos e outro em Évora, a empresa quer "no mínimo" comprar mais dois terrenos, ainda em 2008, para instalar complexos turísticos com campos de golfe, apartamentos, moradias, hotéis e, se possível, também com marina, adiantou o gestor da empresa. Até porque uma das grandes ambições da MSF Tur. Im é desenvolver, de preferência em Portugal, um projecto idêntico ao da Marina de Lagos, o mais emblemático do grupo, que lhe deu a experiência na gestão deste tipo de infra-estruturas, um know-how que quer rentabilizar. Agora isso vai depender da vontade do Estado de concessionar novas marinas no País. Se a decisão demorar demasiado, o grupo admite como segunda opção de localização para um projecto destes Cabo Verde, um mercado em que já está presente com um resort cuja construção arranca este ano. O projecto da marina de Lagos, que começou a ser desenvolvido nos anos 90, já está quase concluído e "das unidades para venda apenas falta comercializar 5%", referiu José Manuel Fortunato, acrescentado que, no total, o projecto já lhe permitiu realizar um volume de negócios de 150 milhões de euros. De resto, a gestão do complexo continuará nas mãos da MSF Tur.Im, uma prática que aliás quer manter em todos os projectos que venha a desenvolver.

Quanto à localização exacta dos terrenos a comprar este ano para a instalação de resorts, o gestor não se quis pronunciar, apenas assegura que "se situarão sempre numa zona para baixo da Figueria da Foz".

A norte do País a MSF Tur. Im só está a negociar a aquisição de um espaço no centro do Porto para desenvolver um projecto residencial, mas também com alguma componente de comércio. Ainda em relação ao resorts, diz apenas que serão projectos de grande impacto económico, que com tal deverão ser considerados PIN (de interesse nacional), como os de Óbidos e Évora.
Título:
Enviado por: André em Janeiro 18, 2008, 02:39:20 pm
Hotéis do Alentejo ultrapassam um milhão de dormidas anuais

Citar
Os hotéis do Alentejo ultrapassaram a barreira de um milhão de dormidas vendidas em 2007, entre Janeiro e Novembro, o que supera «largamente» os valores registados em anos anteriores, revelou hoje a agência Turismo do Alentejo.

A agência regional de promoção turística, aludindo a números do Instituto Nacional de Estatística (INE), refere que o número de dormidas, em termos absolutos, foi ligeiramente superior a um milhão, contribuindo os hotéis directamente para a actividade económica da região com uma receita superior a 55 milhões de euros.

Só em Novembro, os estabelecimentos hoteleiros, sem contar com a actividade das unidades de turismo em espaço rural e com a dos parques de campismo, registaram mais de 48 mil hóspedes, que efectuaram um número superior a 77 mil dormidas.

Os valores registados nesse mês, destaca a agência, permitem concluir que o Alentejo apresentou uma evolução «muito interessante» ao longo do ano passado.

Entre Janeiro e o penúltimo mês de 2007, refere a mesma entidade, a região subiu «mais de 11,3% no número de turistas, 12,2% nas dormidas por estes efectuadas em hotéis e 24,1% nos proveitos totais gerados».

«Esta informação confirma a tendência deste último ano, com o Alentejo a receber mais turistas, que permaneceram na região, em média, mais tempo e despenderam mais dinheiro», resume a Turismo do Alentejo.

Em termos globais, em Novembro, segundo os dados divulgados pela agência regional, o Alentejo captou 1,1% do total das dormidas de estrangeiros registadas em Portugal e 7,2% das efectuadas por nacionais.

Diário Digital / Lusa
Título:
Enviado por: comanche em Janeiro 18, 2008, 06:00:52 pm
Turismo:Grupo Vila Galé aumenta 9% receitas em 2007 para 69,2 ME


Citar
Lisboa, 18 Jan (Lusa) - O Grupo Vila Galé registou um crescimento de nove por cento nas receitas em 2007 face a 2006, ao atingir 69,2 milhões de euros, anunciou hoje a empresa de hotelaria.

Em comunicado divulgado no âmbito da Bolsa de Turismo de Lisboa (BTL) que decorre até domingo, o grupo liderado por Jorge Rebelo de Almeida refere que as oito unidades do Algarve contribuíram com receitas de 38,3 milhões de euros, mais 4,4 por cento que em 2006.

No sector de "Food & Beverage" (alimentação e bebidas), nos restaurantes dos seus hotéis, as receitas acumuladas de 2007 cifram-se em 22,2 milhões de euros, mais 8,3 por cento que em 2006.

Em termos de RevPar (receita por quarto disponível), a Vila Galé apresentou uma subida de 5,5 por cento em 2007, acrescenta o comunicado.

Quanto à taxa de ocupação média em 2007, foi de 71,7 por cento contra 67,2 por cento um ano antes.

Segundo a informação do grupo, o crescimento da ocupação está em linha com os dados divulgados pelo Instituto Nacional de Estatísticas (INE), que aponta para uma subida de 5,8 por cento da ocupação entre Janeiro e Outubro, e com as estimativas da AHETA (Associação dos Hotéis e Empreendimentos Turísticos do Algarve) com uma subida de cerca de cinco por cento.

O grupo Vila Galé tem actualmente 18 unidades hoteleiras, 15 em Portugal (Algarve, Beja, Cascais, Ericeira, Estoril, Lisboa, Porto e Madeira) e três no Brasil (Fortaleza, Bahia e Gaurajuba), num total de 9.500 camas.

Título:
Enviado por: André em Janeiro 19, 2008, 07:52:02 pm
Pensões, motéis e estalagens vão acabar

Citar
As pensões, estalagens e motéis vão oficialmente acabar, reduzindo-se  as categorias hoteleiras previstas na lei. Os estabelecimentos  que não quiserem fazer um upgrade e passar a «Hotéis» serão integrados numa nova rede com  a designação  de «Alojamento Local»
 
Estalagens, motéis, pensões, hospedarias e albergarias são algumas das tipologias de alojamento que vão desaparecer com a revisão da lei dos empreendimentos turísticos, aprovada recentemente em Conselho de Ministros.

Em entrevista ao SOL, o secretário de Estado do Turismo, Bernardo Trindade, explica que na nova legislação se passará das actuais 21 para 11 categorias, caindo ainda denominações como casas de turismo rural ou de aldeia, centros de acolhimento e casas-retiro.

Embora possam continuar a usar estas designações no nome dos estabelecimentos, os proprietários terão um prazo de dois anos para efectuar a conversão para outra categoria que continue a existir – hotel, hotel-apartamento, empreendimento turístico no espaço rural, aldeamentos  ou apartamentos turísticos, por exemplo. Caso não queiram fazer um upgrade da sua unidade, podem optar por ingressar numa nova modalidade, denominada Alojamento Local. Esta categoria «visa integrar as designadas camas paralelas, que estavam fora do circuito formal, com um prejuízo tremendo na economia do turismo», detalha o responsável, frisando que Portugal tem de apostar na qualidade.

No mesmo sentido, nas várias portarias que vão completar o diploma, e que estão a ser elaboradas, serão definidos requisitos físicos, relativos às infra-estruturas, higiene e segurança, e qualitativos, referentes ao serviço prestado,  para classificar cada unidade, entre uma e cinco estrelas.

SOL
Título:
Enviado por: comanche em Janeiro 25, 2008, 12:39:38 pm
Évora/Governo: Sócrates assiste sábado à apresentação de projectos turísticos de quase dois mil ME de investimento

Citar
Évora, 25 Jan (Lusa) - Onze novos projectos turísticos para o distrito de Évora, sobretudo para Alqueva, num volume total de investimento de quase dois mil milhões de euros, são apresentados sábado, na vila medieval de Monsaraz, numa cerimónia presidida pelo primeiro-ministro.

A sessão, incluída na iniciativa "Governo Presente" que começou hoje e passa por quatro concelhos da região de Évora, três socialistas (Évora, Reguengos de Monsaraz e Borba) e um comunista (Arraiolos), está marcada para as 11:30 de sábado, naquela vila do concelho de Reguengos de Monsaraz, nas margens de Alqueva.

Reguengos de Monsaraz é, precisamente, um dos concelhos em destaque na aposta dos investidores no turismo associado ao "Grande Lago" e no Alentejo Central, concentrando dois dos empreendimentos de "excelência" a divulgar na sessão com o primeiro-ministro, José Sócrates.

Só o Parque Alqueva prevê metade do investimento global dos 11 empreendimentos que vão ser apresentados, ou seja, mil milhões de euros, com uma implementação faseada ao longo das próximas duas décadas e a criação de dois mil postos de trabalho.

Classificado como de Potencial Interesse Nacional (PIN), o projecto é da Sociedade Alentejana de Investimentos e Participações (SAIP), liderada pelo empresário José Roquette, e o Plano de Pormenor já foi publicado em Diário da República.

Aldeamentos turísticos, hotéis, agricultura biológica, campos de golfe e de férias, centros equestres, de conferências e de desportos náuticos e unidades de saúde são algumas das valências previstas.

Outro dos projectos das zonas de Reguengos de Monsaraz e de Alqueva é o da Herdade do Barrocal, também classificado como PIN e com um investimento previsto de 90 milhões de euros, tendo o respectivo Plano de Pormenor sido igualmente aprovado.

O investimento, resultante de uma parceria entre a família de Maria do Carmo Martins Pereira e o grupo Aquapura, constituído por António Mexia, Diogo Vaz Guedes e Miguel Simões de Almeida, prevê um hotel, unidades de alojamento e agricultura biológica.

"O Parque Alqueva aguarda a declaração de utilidade pública dos terrenos e, depois, seguem-se os processos de licenciamento, para o início das obras das infra-estruturas no segundo trimestre deste ano", disse hoje à agência Lusa o vice-presidente do município, José Gabriel Calixto.

Já o da Herdade do Barrocal, após publicação do Plano de Pormenor, revelou, entrará na fase de elaboração e posterior licenciamento pela autarquia dos planos de execução das infra-estruturas, para o arranque das obras também no "segundo trimestre".

No concelho vizinho, Mourão, deverão "nascer" outros dois projectos turísticos, um na Herdade das Ferrarias (75 milhões de euros), fruto de uma parceria da Guadiana Parque, SA e do Grupo Bernardino Gomes, e outro na Herdade do Mercador, a cargo do grupo Sousa Cunhal (120 milhões de euros).

O da Guadiana Parque, segundo um dos promotores, José Gil Duarte, conta arrancar as obras este ano (para funcionar em 2011) e compreende um hotel, zona desportiva, aldeamento turístico, "Medical SPA", com tratamentos alternativos, centro de investigação do meio ambiente e um campo de golfe, a partilhar com a Herdade do Mercador.

O segundo, cujas obras preliminares devem arrancar "ainda este ano", para o início da comercialização em 2009 (para funcionar em 2010), prevê a construção de um hotel, aldeamentos turísticos, centro náutico, SPA e centro "Welness", disse à José Cunhal Sendim, do grupo promotor.

O mesmo grupo conta arrancar este ano com as obras de outro empreendimento turístico na região, na Herdade das Valadas, concelho de Montemor-o-Novo, num investimento de 45 milhões de euros, com um aldeamento turístico de cinco estrelas (132 moradias), SPA, restaurante, heliporto, espaços verdes, pomares de citrinos, uma área de vinha com cerca de nove hectares e uma pequena adega.

O concelho capital de distrito, Évora, tem quatro projectos turísticos englobados na cerimónia de sábado, um deles, o Évora Resort, de 250 milhões de euros, promovido pela Frontino, do empresário Jaime Antunes, na Herdade Sousa da Sé e que, com a publicação do novo Plano Director Municipal (PDM), vai poder avançar.

Dois hotéis, residências turísticas e um complexo de desporto ao ar livre, com um campo de golfe, centro de estágio e centro hípico, circuito de antas, actividades agropecuárias, vinha e um montado de azinheiras são algumas das valências a concretizar a partir deste ano, durante uma década, para o início do funcionamento em 2010.

Já a Herdade dos Almendres, da sociedade agrícola do mesmo nome, envolve um investimento de 100 a 150 milhões de euros e prevê um hotel, um aparthotel e um conjunto de moradias, além do campo de golfe.

Além destes dois empreendimentos rurais, Évora vai ter dois novos hotéis de luxo na cidade, um do grupo Vila Galé (20 milhões de euros de investimento), com 207 quartos e abertura prevista para 2010, e outro da Sociedade Hoteleira do Arez (quase seis milhões de euros), com 62 quartos e que permitiu recuperar e reabilitar um antigo palácio do centro histórico.

O concelho do Redondo também tem um empreendimento englobado na lista de 11 projectos turísticos, na Herdade da Palheta e da responsabilidade do grupo Atlântica (100 milhões de euros), já com obras no terreno, com um hotel Vila Sol, campo de golfe, turismo imobiliário e várias opções de lazer.

Por último, o concelho do Alandroal, através de uma empresa municipal de capitais mistos, vai aplicar 20 milhões de euros na recuperação e reabilitação da antiga Fortaleza de Juromenha, criando 71 habitações, para aluguer turístico e venda.

Título:
Enviado por: comanche em Janeiro 26, 2008, 09:34:12 pm
Évora/Governo: Projectos turísticos de excelência vão criar 3.754 postos de trabalho

Citar
Monsaraz, Évora, 26 Jan (Lusa) - O primeiro-ministro, José Sócrates, afirmou hoje que os complexos turísticos projectados para o distrito de Évora, sobretudo para o Alqueva, são da "maior importância", devido ao peso nacional do sector para o emprego, exportações e investimento.

José Sócrates falava no final de uma sessão, hoje realizada na vila medieval de Monsaraz, onde foram apresentados 11 novos projectos turísticos de "excelência" para o distrito de Évora, num investimento de quase dois mil milhões de euros e que prevêem a criação de 3.754 postos de trabalho.

"Estes projectos turísticos, com grande qualidade ambiental, são da maior importância", disse Sócrates, destacando o peso económico da actividade turística em Portugal.

"É importante para o emprego, para as exportações e para o investimento", afirmou.

O primeiro-ministro lembrou que a região possui apenas, actualmente, um hotel de cinco estrelas.

Depois de concretizados os projectos hoje apresentados e sem contar com os resorts previstos para o litoral alentejano, vão surgir no distrito de Évora dez novos hotéis de cinco estrelas.

"Isto quer dizer uma mudança quantitativa, mas esta é de tal significado que representará uma mudança qualitativa", salientou.

O Chefe do Governo enumerou ainda outros investimentos públicos em curso ou projectados para o Alentejo, como a ligação ferroviária de alta velocidade entre Lisboa e Madrid, atravessando o Alentejo, o aeroporto de Beja e complexo industrial e portuário de Sines.

Os onze novos projectos turísticos previstos para o distrito de Évora, sobretudo para Alqueva, representam um investimento total de 1,8 mil milhões de euros.

Quatro dos complexos estão projectados para Évora, dois para Reguengos de Monsaraz e outros dois para Mourão, estando os restantes previstos para Alandroal, Redondo e Montemor-o-Novo.

A apresentação dos projectos foi incluída na iniciativa "Governo Presente" que começou sexta-feira e termina hoje com passagens por quatro concelhos da região de Évora, três socialistas (Évora, Reguengos de Monsaraz e Borba) e um comunista (Arraiolos).

Reguengos de Monsaraz é um dos concelhos em destaque na aposta dos investidores no turismo associado ao "Grande Lago" e no Alentejo Central, concentrando dois dos empreendimentos de "excelência".

Só o Parque Alqueva prevê metade do investimento global dos 11 empreendimentos que foram apresentados, ou seja, mil milhões de euros, com uma implementação faseada ao longo das próximas duas décadas e a criação de dois mil postos de trabalho.

Classificado como de Potencial Interesse Nacional (PIN), o projecto é da Sociedade Alentejana de Investimentos e Participações (SAIP), liderada pelo empresário José Roquette, e o Plano de Pormenor já foi publicado em Diário da República.

Aldeamentos turísticos, hotéis, agricultura biológica, campos de golfe e de férias, centros equestres, de conferências e de desportos náuticos e unidades de saúde são algumas das valências previstas.

Outro dos projectos das zonas de Reguengos de Monsaraz e de Alqueva é o da Herdade do Barrocal, também classificado como PIN e com um investimento previsto de 90 milhões de euros, tendo o respectivo Plano de Pormenor sido igualmente aprovado.

O investimento, resultante de uma parceria entre a família de Maria do Carmo Martins Pereira e o grupo Aquapura, constituído por António Mexia, Diogo Vaz Guedes e Miguel Simões de Almeida, prevê um hotel, unidades de alojamento e agricultura biológica.

"O Parque Alqueva aguarda a declaração de utilidade pública dos terrenos e, depois, seguem-se os processos de licenciamento, para o início das obras das infra-estruturas no segundo trimestre deste ano", disse hoje à agência Lusa o vice-presidente do município, José Gabriel Calixto.

Já o da Herdade do Barrocal, após publicação do Plano de Pormenor, revelou, entrará na fase de elaboração e posterior licenciamento pela autarquia dos planos de execução das infra-estruturas, para o arranque das obras também no "segundo trimestre".

No concelho vizinho, Mourão, deverão "nascer" outros dois projectos turísticos, um na Herdade das Ferrarias (75 milhões de euros), fruto de uma parceria da Guadiana Parque, SA e do Grupo Bernardino Gomes, e outro na Herdade do Mercador, a cargo do grupo Sousa Cunhal (120 milhões de euros).

O da Guadiana Parque, segundo um dos promotores, José Gil Duarte, conta arrancar as obras este ano (para funcionar em 2011) e compreende um hotel, zona desportiva, aldeamento turístico, "Medical SPA", com tratamentos alternativos, centro de investigação do meio ambiente e um campo de golfe, a partilhar com a Herdade do Mercador.

O segundo, cujas obras preliminares devem arrancar "ainda este ano", para o início da comercialização em 2009 (para funcionar em 2010), prevê a construção de um hotel, aldeamentos turísticos, centro náutico, SPA e centro "Welness", disse à José Cunhal Sendim, do grupo promotor.

O mesmo grupo conta arrancar este ano com as obras de outro empreendimento turístico na região, na Herdade das Valadas, concelho de Montemor-o-Novo, num investimento de 45 milhões de euros, com um aldeamento turístico de cinco estrelas (132 moradias), SPA, restaurante, heliporto, espaços verdes, pomares de citrinos, uma área de vinha com cerca de nove hectares e uma pequena adega.

O concelho capital de distrito, Évora, tem quatro projectos turísticos, um deles, o Évora Resort, de 250 milhões de euros, promovido pela Frontino, do empresário Jaime Antunes, na Herdade Sousa da Sé e que, com a publicação do novo Plano Director Municipal (PDM), vai poder avançar.

Dois hotéis, residências turísticas e um complexo de desporto ao ar livre, com um campo de golfe, centro de estágio e centro hípico, circuito de antas, actividades agropecuárias, vinha e um montado de azinheiras são algumas das valências a concretizar a partir deste ano, durante uma década, para o início do funcionamento em 2010.

Já a Herdade dos Almendres, da sociedade agrícola do mesmo nome, envolve um investimento de 100 a 150 milhões de euros e prevê um hotel, um aparthotel e um conjunto de moradias, além do campo de golfe.

Além destes dois empreendimentos rurais, Évora vai ter dois novos hotéis de luxo na cidade, um do grupo Vila Galé (20 milhões de euros de investimento), com 207 quartos e abertura prevista para 2010, e outro da Sociedade Hoteleira do Arez (quase seis milhões de euros), com 62 quartos e que permitiu recuperar e reabilitar um antigo palácio do centro histórico.

O concelho do Redondo também tem um empreendimento englobado na lista de 11 projectos turísticos, na Herdade da Palheta e da responsabilidade do grupo Atlântica (100 milhões de euros), já com obras no terreno, com um hotel Vila Sol, campo de golfe, turismo imobiliário e várias opções de lazer.

Por último, o concelho do Alandroal, através de uma empresa municipal de capitais mistos, vai aplicar 20 milhões de euros na recuperação e reabilitação da antiga Fortaleza de Juromenha, criando 71 habitações, para aluguer turístico e venda.

Título:
Enviado por: comanche em Fevereiro 02, 2008, 12:06:04 am
Turismo: Portugal eleito o melhor stand da Fitur 2008


Citar
Lisboa, 01 Fev (Lusa) - O stand do Turismo de Portugal foi eleito o melhor espaço da FITUR 2008, uma das mais importantes feiras do sector a nível mundial que decorre em Madrid até domingo e onde estão representados 170 países.

"Está é uma maneira nova de transmitir a imagem de um Portugal que não se resume a história, sol e praia. É a imagem de um Portugal moderno com cidades animadas, desporto e cultura, um país cuja oferta turística vai melhorar de forma impressionante nos próximos anos", disse à agência Lusa o ministro da Economia e da Inovação, Manuel Pinho.

O Stand do Turismo de Portugal representa um investimento de um milhão de euros e ocupa uma área de 1.503 metros quadrados, onde estão presentes sete Agências de Promoção Turística, 11 Projectos de Interesse Nacional (PIN) e 45 empresas.

Além disso, estão também representadas no mesmo espaço cinco instituições de referência da cultura portuguesa, como a Casa da Música, a Fundação de Serralves, o Centro Cultural de Belém (CCB), o Museu Colecção Berardo e a Fundação Calouste Gulbenkian, que participam este ano pela primeira vez e de forma inovadora, numa feira de turismo.

"A melhor forma de contrariar a conjuntura internacional não é fazer discursos, é ir para o terreno com os empresários do turismo e dos outros sectores exportadores. A minha atitude é essa", frisou à Lusa Manuel Pinho, que nas próximas semanas irá encontrar-se ainda com os criadores portugueses de moda em Paris e os industriais do calçado em Milão.

Segundo o secretário de Estado do Turismo, Bernardo Trindade, o prémio agora alcançado na 28ª edição da Fitur "reforçou e muito a imagem e projecção turística de Portugal".

"Num sector que representa mil milhões de euros de receitas, a Fitur é o palco por excelência para apresentação da nossa oferta turística. A comunicação deste prémio em Espanha vai suscitar o interesse por Portugal dos milhares de pessoas que visitam a feira [são esperados 250 mil visitantes]", sublinhou Bernardo Trindade.

De acordo com o secretário de Estado, "o prémio é ainda a consequência lógica do belíssimo trabalho a ser feito em Portugal onde a iniciativa privada e a administração pública têm relacionamento positivo".

O ministro da Economia esteve presente nos primeiros dois dias da feira internacional, onde apresentou a edição 2008 do programa Allgarve e a campanha de publicidade para Espanha, "um mercado considerado estratégico para Portugal".

Os stands premiados na FITUR, na qual participam 13.500 empresas, são avaliados com base no reconhecimento do esforço dos expositores (profissionalismo e adaptação do espaço às necessidades de comunicação de cada produto), comunicação (identificação do stand com a imagem e o produto) e desenho (valorização da originalidade e da inovação do espaço).

O júri do Comité Organizador da FITUR, composto por representantes de agências de viagens, arquitectos, operadores turísticos e encenadores, atribuiu este ano o Prémio País, por unanimidade, ao Stand concebido pelo Turismo de Portugal.

De acordo com um comunicado do Turismo de Portugal, os reis de Espanha, Juan Carlos e Sofia, que visitaram o stand de Portugal no dia da inauguração, a 30 de Janeiro, elogiaram a obra exposta da artista plástica portuguesa Joana Vasconcelos, um dos rostos da campanha internacional "Portugal: Europe´s West Coast".

O Prémio Stand País foi também atribuído à Costa Rica e à Argentina. Os premiados das Comunidades Autónomas de Espanha foram Madrid, Canárias e Catalunha.

Título:
Enviado por: André em Fevereiro 07, 2008, 06:41:19 pm
Ministro da Economia faz 6ª feira balanço de 5 novos hotéis no Algarve, investimento de 928 M€

Citar
O ministro da Economia faz sexta-feira um balanço de cinco novos hotéis que estão a ser construídos no Algarve, empreendimentos que representam um investimento global de 928 milhões de euros, com capacidade para gerar 1.889 postos de trabalho.

De acordo com a informação divulgada pelo gabinete de Manuel Pinho, esta visita, que terá a duração de dois dias, realiza-se no âmbito da iniciativa "Economia Presente", lançada no último trimestre de 2007 pelo ministro, com o objectivo de acompanhar projectos e estar em contacto com as autoridades locais.

A visita do ministro da Economia terá início às 09:45 no hotel Palácio Valverde, na Quinta do Lago, em Loulé.

Este empreendimento, que representa um investimento global de 89 milhões de euros, deverá criar 114 empregos, estando prevista para 2009 a entrada em funcionamento.

A comitiva dirige-se depois para o hotel Tivoli Victoria, em Loulé, um investimento de 48 milhões de euros, que deverá criar 225 postos de trabalho.

Com uma área de quatro hectares, este empreendimento deverá entrar em funcionamento ainda este ano.

Em Lagos, o ministro fará um ponto de situação do novo Palmares Resort, uma unidade de cinco estrelas que deverá estar concluída em 2010.

Totalizando um investimento de 271 milhões de euros, este empreendimento com SPA e campo de golfe, deverá criar 430 empregos.

Ainda em Lagos, Manuel Pinho visitará o hotel Vila Galé Lagos, um empreendimento de quatro estrelas, que representará um investimento global de 20 milhões de euros.

Este empreendimento, que está pronto em 2009, deverá gerar 120 postos de trabalho.

A visita terminará na Guia, em Albufeira, no hotel-apartamento Duna dos Salgados, uma unidade hoteleira de cinco estrelas, que deverá entrar em funcionamento ainda este ano.

Este hotel-apartamento de cinco estrelas está incluído na Herdade dos Salgados, um projecto que totalizará um investimento de 500 milhões de euros e deverá criar 1.000 empregos.

No sábado, o segundo dia da deslocação ao Algarve, Manuel Pinho assiste à apresentação do projecto do Autódromo Internacional do Algarve, num evento que contará com a presença do Secretário de Estado do Desporto, Laurentino Dias.

Lusa
Título:
Enviado por: comanche em Fevereiro 08, 2008, 05:05:37 pm
Hotelaria:Ocupação da região de Lisboa subiu 7,5% e preço médio 16,4% em 2007


Citar
Lisboa, 08 Fev (Lusa) - A ocupação média dos hotéis da região de Lisboa subiu 7,5 por cento em 2007 face a 2006, para 62,6 por cento, enquanto o preço médio por quarto disponível cresceu 16,4 por cento, anunciou hoje o Turismo de Lisboa.

Segundo os dados divulgados pela Associação Turismo de Lisboa, entre Janeiro e Dezembro, a taxa de ocupação média dos hotéis da região variou entre 68,3 por cento nas unidades de três estrelas e 53,9 por cento nos cinco estrelas, com acréscimos de 6,3 por cento e 5,7 por cento, respectivamente.

Quanto aos preços médios por quarto disponível (RevPar), a média foi de 44,58 euros, com os hotéis de cinco estrelas a registarem um valor de 71,7 euros, o que representa um acréscimo de 18,7 por cento face ao ano anterior, e os quatro estrelas 39 euros, mais 18,9 por cento.

O Turismo de Lisboa refere que "as subidas generalizadas na taxa de ocupação, no preço médio por quarto vendido (average) e no RevPar registadas na hotelaria de Lisboa, tanto Cidade, Região como Área Promocional em Dezembro, confirmam a boa performance do sector e a notoriedade crescente do destino, que encerrou 2007 em alta".

Na cidade de Lisboa, a ocupação média no ano passado foi de 67,8 por cento, mais 4,8 por cento que no ano anterior, com os cinco estrelas nos 58,7 por cento (menos 2,9 por cento).

O RevPar entre Janeiro e Dezembro foi de 49,1 euros, o que representa um crescimento de 15,2 por cento.

Reflexo da procura turística crescente de Lisboa, o número total de passageiros que passou pelo Aeroporto de Lisboa aumentou 5,8 por cento em Dezembro, comparativamente com o mesmo mês de 2006, tendo o número de voos crescido 4,1 por cento.

Em termos de acumulado do ano, o número de passageiros que passou pela Portela aproxima-se dos 13,4 milhões (mais 8,8 por cento do que em 2006), segundo o Turismo de Lisboa.

Título:
Enviado por: comanche em Fevereiro 08, 2008, 05:08:44 pm
Turismo: Primeiro hotel português com serviço 6 estrelas abre no Algarve em 2009


Citar
Vilamoura, Faro 08 Fev (Lusa) - O ministro da Economia visitou esta manhã as obras do primeiro hotel português com serviço de seis estrelas e o promotor adiantou que se prevê inaugurar o empreendimento na Quinta do Lago, Algarve, no final de 2009.

Baptizado de "Palácio da Quinta Resort & Spa", o primeiro hotel com conceito de seis estrelas é um Projecto de Interesse Nacional (PIN) corresponde a um investimento de 88,63 milhões de euros e tem uma área total de construção de 61 mil metros quadrados.

O hotel apartamento de luxo, localizado num dos destinos turísticos "Top Ten" a nível mundial, vai oferecer sauna, spa e jacuzzi na varanda dentro dos apartamentos e moradias exclusivas.

Com um total de 620 camas, o empreendimento vai ter 160 quartos e 80 apartamentos (tipologias T1 e T2).

Segundo o promotor, a empresa portuguesa IMOCOM, este empreendimento será responsável por 0,22 por cento do valor acrescentado bruto regional e por 0,21 por cento do emprego regional, ou seja, oferecerá 404 postos de trabalho directo e indirecto.

O ministro da Economia e da Inovação visitou também, em Vilamoura, o empreendimento "Tivoli Victoria", um cinco estrelas que deverá estar terminado no fim deste ano ou princípio de 2009, e que está vocacionado para o golfe e as conferências e congressos.

Este projecto do Grupo Espírito Santo, que não é um PIN, vai criar, segundo os promotores "225 novos empregos directos" e vai ser um complemento "essencial" ao Tivoli Marinotel Vilamoura para consolidar a sua posição como "melhor produto resort de congressos do Algarve".

Com uma área total de 36 mil metros quadrados, este projecto vai ter 280 quartos, com um suite presidencial, 12 suites executivas e 14 suites juniores.

A área de reuniões e congressos tem 900 metros quadrados com um "ballroom" de 600 metros quadrados.

Uma garagem para os buggies com um túnel de acesso ao Victoria Golf Cours e uma zona específica para os golfistas guardarem o equipamento também é uma das mais valias deste novo projecto.

O ministro Manuel Pinho vai ainda conhecer mais três novos empreendimentos.

A visita do ministro Manuel Pinho ao Algarve insere-se na iniciativa "Economia Presente", lançada no último trimestre de 2007, e cujo objectivo é acompanhar os projectos e contactar com as autoridades locais.

Ao todo, Manuel Pinho vai visitar hoje cinco novos hotéis que estão a ser construídos no Algarve, empreendimentos que representam um investimento global de 928 milhões de euros, com capacidade para gerar 1.889 postos de trabalho.

A visita de Manuel Pinho termina sábado, o segundo dia dedicado ao "Economia Presente", onde vai assistir à apresentação do projecto do Autódromo Internacional do Algarve, num evento que contará também com a presença do Secretário de Estado do Desporto, Laurentino Dias.

Título:
Enviado por: comanche em Fevereiro 15, 2008, 11:11:38 am
Megaprojectos mudam mapa turístico



Citar
Qualidade é palavra de ordem da nova oferta hoteleira
O mapa turístico nacional está a sofrer uma autêntica revolução, com dezenas de megaempreendimentos turísticos a nascer pelo País fora, sobretudo nas regiões oeste, litoral e interior alentejano e Algarve. Nos próximos cinco anos, os estaleiros vão fazer parte da paisagem turística nacional. São muitos milhões de euros em investimentos e a promessa de criação de milhares de postos de trabalho.

Nesta autêntica revolução, o sector assiste ao despertar de uma nova região com potencial turístico - o Alqueva - e de um novo conceito na hotelaria - a venda de apartamentos dentro dos hotéis. Este conceito vai entrar no mercado pela mão do Grupo Amorim no Tróia Hotel Design. Portugal segue, assim, as novíssimas tendências mundiais no sector hoteleiro. A maior parte dos projectos são de qualidade superior, existindo um caso em que ultrapassa mesmo as categorias existentes na hotelaria nacional - o seis estrelas Palácio da Quinta, do Grupo Imocom e da cadeia hoteleira Hilton.

A maioria dos megaempreendimentos faz parte da lista dos PIN (projectos de interesse nacional). Em causa estão 37 projectos, no valor aproximado de 7,5 mil milhões de euros. Só a Herdade da Comporta, do Grupo Espírito Santo, é responsável por mais de 1,1 mil milhões de euros de investimento e a criação de seis mil postos de trabalho, com a construção de um megaldeamento com seis hotéis, três apart-hotéis, três campos de golfe, aldeamentos, campos de férias, numa área de 12 500 hectares. Este é o maior empreendimento projectado para o sector, seguindo-se por volume de investimento o projecto Parque Alqueva, em Reguengos de Monsaraz, da Sociedade Alentejana de Investimentos e Participações Turismo, do empresário José Roquette, no valor de 940 milhões, e a criação de 2103 postos de trabalho. Évora assistiu recentemente à apresentação de onze projectos PIN, que no conjunto envolvem um investimento superior a 1,8 mil milhões e 3754 novos empregos.

Contudo, o Algarve é a região que concentra a maioria dos projectos turísticos. A inovação aliada à qualidade impera e a Cidade Lacustre, um complexo residencial em Vilamoura, promovido pelo Grupo Lusort, que assenta num conjunto residencial de vivendas rodeadas por canais de água e lagos, ameaça transformar-se no novo centro nevrálgico de Vilamoura.

Dos projectos PIN para o Algarve destacam-se o Palmares Resort, do grupo Onyria, em Lagos, que envolve a construção de um aldeamento turístico, num investimento de 271 milhões, e a criação de 430 empregos. Também o resort Terras da Verdelago, do Grupo Inland, ligado ao presidente do Benfica, Luís Filipe Vieira, se destaca pela grandeza. Trata-se de um projecto que envolve um investimento de 200 milhões e prevê a construção de um hotel, um aldeamento turístico e um campo de golfe.

A região do Oeste vai também receber, nos próximos anos, novos empreendimentos, na sua grande maioria com campos de golfe. Calcula-se que a região assista à criação de mais de dez mil postos de trabalho. Há uns anos, a região não despertava as atenções do turismo, até ao arranque do Praia D'El Rey Marriott Golf & Beach Resort, em Óbidos, considerado o grande responsável pelo despertar das atenções sobre a região. Entre os vários projectos que elegeram o Oeste, encontra-se o Campo Real, em Torres Vedras, estando já projectado um novo investimento - o The Vineyards, que prevê um boutique--hotel de cinco estrelas, 326 unidades habitacionais, num montante calculado em 135 milhões, da responsabilidade do grupo Orizon. A maioria dos megaempreendimentos assenta a sua estratégia no golfe, que em 2006 já representou 1,8 mil milhões de euros, 1,25% do PIB português.
Título:
Enviado por: comanche em Fevereiro 21, 2008, 04:59:44 pm
Turismo: Número turistas italianos e receitas deverão crescer entre 10 a 15% este ano em Portugal - Bernardo Trindade

Citar
Lisboa, 21 Fev (Lusa) - O número de turistas italianos em Portugal e respectivas receitas deverão crescer entre 10 a 15 por cento este ano, impulsionado pelo aumento de ligações aéreas, disse hoje à Lusa o secretário de Estado do Turismo.

Bernardo Trindade está hoje em Milão, Itália, no âmbito da BIT 2008, a maior feira italiana de turismo, que decorre até 24 de Fevereiro e onde Portugal está representado.

Itália, que é o oitavo mercado emissor de turistas para Portugal, representa um milhão de dormidas, 400 mil turistas e 200 milhões de euros de receitas, segundo dados da secretaria de Estado do Turismo.

Actualmente existem 114 ligações aéreas semanais entre Itália e Portugal.

"Com este número de frequências, algumas delas arrancaram no final do ano como Porto-Milão, Porto-Pisa ou Porto-Bergamo e com taxas de ocupação muito interessantes, estimamos um crescimento de 10 a 15 por cento em termos de turistas e receitas este ano", adiantou à Lusa o secretário de Estado do Turismo, Bernardo Trindade.

"A Itália é um mercado onde apostamos fortemente", sublinhou o responsável pela pasta do Turismo.

Na ligação Milão-Lisboa, que é realizada pela companhia de baixo custo (low-cost) EasyJet, "as taxas de ocupação estão acima do esperado", exemplificou o governante, que destacou também o papel da TAP, que assegura "84 frequências semanais" para Itália.

No âmbito da BIT 2008, o secretário de Estado tem tido encontros com vários operadores turísticos italianos e, até ao momento, "o balanço tem sido muito positivo", já que existe um interesse no destino Portugal, acrescentou Bernardo Trindade.

Entre as várias entidades com os quais esteve reunido está a operadora turística King Holidays, que a partir de Junho vai assegurar "uma ligação semanal, ou seja, um voo charter, entre Milão e Ponta Delgada, Açores", acrescentou o governante.

Bernardo Trindade avançou também a possibilidade de haver um aumento no número de frequências entre Milão e Porto Santo, Madeira, uma vez que "este ano vai haver um acréscimo da oferta turística com duas unidades de cinco estrelas", o Pestana Dunas e o Colombos Resort.

Para o secretário de Estado as perspectivas em relação ao mercado italiano são positivas.

Actualmente, metade dos turistas italianos prefere Lisboa como destino.

Por isso, Bernardo Trindade defendeu que a aposta para este ano é continuar a consolidar Lisboa como destino e diversificar as ofertas, ajudadas pelas ligações aéreas, com enfoque nas regiões autónomas (Madeira e Açores) e o Porto.

"Denota-se um grande interesse no destino Portugal", concluiu Bernardo Trindade.

O investimento na promoção de Portugal em Itália é de 400 mil euros, montante que está a cargo do Turismo de Portugal e das Regiões.

Título:
Enviado por: comanche em Fevereiro 23, 2008, 11:01:21 pm
Madeira: Bernardo Trindade diz que investimento no Porto Santo é "aposta bem sucedida"


Citar
Funchal, 23 Fev (Lusa) - O secretário de Estado do Turismo, Bernardo Trindade, salientou que o programa de apoios para o Porto Santo, na ordem dos 52 milhões de euros, permitiu que "a iniciativa privada concretizasse seus investimentos naquela ilha", sendo "uma aposta bem sucedida".

Bernardo Trindade esteve hoje presente na Reunião Anual do Grupo Pestana que decorreu no Porto Santo e contou com a participação de mais de 120 quadros.

O governante salientou que depois do esforço, não só em novas unidades hoteleiras, mas na requalificação das estruturas existentes, é necessário "resolver os problemas da qualificação da oferta" para aquela ilha.

"A Associação Promoção da madeira tem de continuar a trabalhar e captar novos operadores que venham a engrossar o número de agentes que trabalham com o Porto Santo", disse à agência Lusa Bernardo Trindade.

Defendeu ser necessário "repensar a política de transporte aéreo, dotando de maior flexibilidade e competitividade", para que o Porto Santo tenha "turistas com boas condições".

Destacou que aquela ilha tem "uma praia e água do mar únicas em terras da União Europeia" e considerou que o Porto Santo é "uma aposta bem sucedida".

No âmbito do programa de apoio Piter (destinado ao desenvolvimento turístico), a região autónoma da Madeira recebeu 83 milhões de euros, que representaram um volume de negócios na ordem dos 272 milhões de euros e a criação de mais de mil postos de trabalho.

Deste montante, o Porto Santo recebeu 52 milhões de euros, que permitiram um investimento total de 104 milhões e a criação de 750 postos de trabalho.

Título:
Enviado por: André em Fevereiro 27, 2008, 12:10:26 pm
Investimento de 20 M€ em hotéis de luxo para idosos em Guimarães

Citar
O empresário Jorge Areias e a Casa de Saúde de Guimarães vão investir mais de 20 milhões de euros na construção de três unidades residenciais de luxo para idosos, a primeira das quais em Guimarães.
Em declarações à agência Lusa à margem da apresentação, hoje, do Camélia, Hotel Sénior & Homes, em Covas, Guimarães, Jorge Areias explicou tratar-se de um «novo conceito de acomodação para pessoas com mais de 65 anos de idade» que se pretende venha a ser alargado a vários pontos do país, dois dos quais já este ano.

Isto porque, salientam os promotores, «dentro de poucos anos Portugal será um dos países da União Europeia com maior percentagem de idosos (32 por cento de pessoas com mais de 65 anos) e menor percentagem de população activa».

Do conceito subjacente ao projecto os promotores destacam o facto de promover um «envelhecimento activo» e «rejeitar em absoluto o rótulo da institucionalização».

«É preciso retirar a imagem negativa que se tem dos lares de 3ª idade e dar qualidade de excelência ao local onde as pessoas optam por viver a partir dos 65 anos», afirmou Jorge Areias.

De acordo com o empresário, o projecto de Guimarães ficará concluído em Março de 2009, enquanto os outros dois, cuja localização só será anunciada após aprovação das respectivas autarquias, ficarão prontos até final de 2009 e no primeiro trimestre de 2010.

Orçado em sete milhões de euros, o Camélia, Hotel Sénior & Homes beneficiará de sinergias, a nível médico, com o futuro Hospital Privado de Guimarães e está já em construção numa quinta da família de Jorge Areias.

O objectivo é que a infra-estrutura venha a tornar-se «uma referência, quer no domínio assistencial e hoteleiro, quer no domínio da arquitectura». «O Camélia, Hotel Sénior & Homes proporcionará aos seus hóspedes uma solução habitacional que privilegia a independência e os mais elevados padrões de qualidade, incluindo no domínio da saúde», assegurou à Lusa Jorge Areias, que também é administrador da Casa de Saúde de Guimarães.

Situado a cerca de 10 minutos do Centro Histórico de Guimarães, o Camélia, Hotel Sénior & Homes disporá de 50 suites individuais e 12 duplas, com capacidade para um total de 74 pessoas, assumindo-se como «um hotel fundamentalmente para residência permanente».

A histórica casa da quinta onde está a ser construído, que será mantida, assegurará, entre outras serventias, a acomodação de familiares e amigos em visita aos residentes.

Segundo Jorge Areias, pretende-se que os quartos dos residentes sejam decorados com mobília dos próprios, «para que se sintam em casa», sendo-lhes assegurada «alimentação saudável, serviços de beleza, salas de convívio e de festas, de leitura e de jogos, piscina interior e oratório».

Disporão ainda de serviços de transporte e infra-estruturas de telecomunicações para conciliar a privacidade da habitação própria e a segurança e conforto conferidos pelo apoio de uma estrutura profissional permanente.

Com uma área de 6.200 metros quadrados, o edifício do Camélia, Hotel & Sénior Homes foi projectado pelos arquitectos Ricardo Bastos Areias e Maria Luís Neiva, da NAAA Arquitectos Associados e será «o primeiro em Portugal inteiramente construído em cobre e vidro».

As duas outras unidades a arrancar até final do ano serão, segundo Jorge Areias, também construídas «visando sinergias estratégicas com unidades de saúde» locais.

Diário Digital / Lusa
Título:
Enviado por: comanche em Fevereiro 29, 2008, 12:00:10 pm
Castro Marim: Empreendimentos turísticos vão duplicar número de habitantes da vila


Citar
Faro, 29 Fev (Lusa) - O número de habitantes da vila de Castro Marim pode vir a duplicar nos próximos anos em consequência da construção dos cinco complexos turísticos em curso no concelho, prevê o presidente da câmara.

Em declarações à Lusa, José Estevens (PSD) calculou em 3 a 4 mil o número de empregos a criar nos futuros empreendimentos de Almada d`Ouro, Corte Velho, Verde Lago, Castro Marim Golfe e Quinta do Vale.

"Estes empreendimentos precisam de gente que tem que vir de fora do concelho e não encontrarão habitação se nada for feito", prognosticou, sublinhando que a vila sede de concelho, actualmente com cerca de mil habitantes - no total do concelho residiam 6.495 pessoas em 2006- "tem de estar preparada para os tempos que aí vêem".

Para dar resposta às necessidades futuras foram aprovadas duas zonas de crescimento urbano, uma das quais a poente da vila, com um total de nove hectares, com 30 mil metros de área bruta de construção para 160 fogos.

Os complexos turísticos, situados na margem do Guadiana ou na parcela da costa atlântica pertencente ao concelho, no leste algarvio, representam um total de 10 mil camas e um investimento total de mil milhões de euros.

A localizar junto à entrada norte da localidade, a nova malha urbana compreenderá uma avenida e albergará no futuro o novo edifício da Câmara Municipal.

O município prepara-se agora para lançar o concurso para as redes de infra-estruturas e os projectos de arquitectura, de forma a entrar em obra em meados de 2009 e ficar concluído três anos depois.

Em terrenos municipais, já foi aprovado também o loteamento da futura urbanização Nova Baesuris, também contígua à vila, na Estrada Nacional 125/6, entre Castro Marim e a Praia Verde.

Com oito hectares e 27 mil metros de construção bruta, a nova zona envolverá a nova avenida José Afonso Gomes, com 500 metros de comprimento, já em execução, em torno da qual se estruturará a urbanização.

Além daquelas duas áreas de expansão, dedicadas à classe média, "há outras áreas de expansão, da iniciativa de privados", acrescentou José Estevens.

Dos cinco projectos turísticos em desenvolvimento no concelho de Castro Marim, dois - Verde Lago e Quinta do Lago - já obtiveram a certificação como PIN (Projectos de Interesse Nacional), o que lhes garante prioridade em algumas burocracias relacionadas com o licenciamento.

Dos projectos, alguns dos quais ainda não têm aprovação final, só o complexo Verde Lago - já aprovado - ficará na costa atlântica, junto à Praia Verde.

Título:
Enviado por: comanche em Março 04, 2008, 11:45:36 am
Turismo: Obras do Royal Évora Resort devem arrancar "nos próximos meses" - Promotores

Citar
Évora, 04 Mar (Lusa) - O Convento do Espinheiro, o único hotel de cinco estrelas do Alentejo, em parceria com o grupo MSF, vai avançar nos "próximos meses" com um resort perto de Évora, num investimento de 160 milhões de euros.

A parceria entre o Convento do Espinheiro e a MSF TUR.IM, do grupo MSF, prevê a instalação do Royal Évora Resort, já classificado pelo Governo como de Potencial Interesse Nacional (PIN), numa herdade de 322 hectares, a cinco quilómetros da cidade.

A directora comercial do Convento do Espinheiro, Maria Carapinha, adiantou hoje à agência Lusa que os promotores aguardam a apreciação do Pedido de Informação Prévia por parte do município de Évora.

Mas, acrescentou, está previsto que as obras no terreno se iniciem "dentro dos próximos meses".

O projecto engloba a construção de um campo de golfe de 18 buracos, que deve estar concluído na "Primavera de 2010", e o desenvolvimento de quatro empreendimentos turísticos de cinco estrelas.

Uma unidade hoteleira de 120 quartos, 60 moradias isoladas, 164 unidades em cluster (montes alentejanos) e 180 apartamentos são os alojamentos a concretizar.

Em Julho do ano passado, quando o projecto turístico foi apresentado pela primeira vez, em conjunto com outros cinco projectos para o concelho de Évora, Nuno Camacho, da sociedade promotora, adiantou à Lusa que a construção do empreendimento será "faseada".

"O hotel, por exemplo, só deverá ser feito em 2012 ou 2015, quando houver TGV em Évora, porque neste momento não teria procura", justificou o mesmo responsável.

Com um investimento estimado em 160 milhões de euros, o projecto, prometem os promotores, vai ter "uma densidade baixa" e procura "criar um ambiente excepcional no Alentejo".

A ligação ao Convento do Espinheiro é apontada por Maria Carapinha como uma vantagem do projecto, quando comparado com outros empreendimentos turísticos que vão "nascer" no concelho.

O Royal Évora Resort, por se tratar de um "projecto de luxo", vai destinar-se "maioritariamente a um segmento da classe média alta", sem que se prevejam "restrições em termos de idades, já que a multiplicidade de valências disponíveis" tornam-no adequado "tanto para casais seniores como para famílias com crianças".

Os mercados prioritários, por nacionalidades, serão Espanha, Inglaterra e Irlanda, com a sociedade promotora a referir que as moradias, montes e apartamentos vão estar disponíveis para venda e aluguer.

Quando entrar em velocidade cruzeiro, o resort estima a criação de 600 postos de trabalho, metade dos quais directos.

Tal como em muitos dos outros empreendimentos turísticos previstos para Évora, e também para a região do Alentejo, o golfe é apontado como âncora, devendo ser uma das primeiras valências do projecto a ser construída.

"Estamos convictos que, do mesmo modo que o Convento do Espinheiro soube atrair à cidade um novo mercado (segmento de Luxo), também o Royal Évora Resort saberá captar e dinamizar correctamente o mercado de golfe e o turismo residencial", acrescentou Maria Carapinha.

Contactado hoje pela Lusa, o presidente do município de Évora, José Ernesto Oliveira, garantiu hoje que a autarquia deve tomar "em breve" uma decisão sobre o Pedido de Informação Prévia do projecto turístico.

Título:
Enviado por: André em Março 04, 2008, 07:14:25 pm
Secretário de Estado apresenta nova campanha de promoção de Portugal ao mercado alemão

O secretário de Estado do Turismo apresenta esta quarta-feira, na Feira de Turismo de Berlim a nova campanha de promoção de Portugal, com o objectivo de "reforçar os investimentos promocionais no mercado alemão", informou hoje o Ministério da Economia.

Em comunicado, o Ministério tutelado por Manuel Pinho informa que na edição deste ano da IBT Berlim, que decorre entre quarta-feira e domingo, o investimento da participação portuguesa "ronda os 500 mil euros", sendo que no expositor português, que ocupa cerca de 1.000 metros quadrados, estarão presentes as sete agências regionais de promoção turística e cerca de 54 empresas.

"Portugal pretende reforçar os investimentos promocionais no mercado alemão", um "mercado prioritário para Portugal" refere o comunicado, precisando que a nova campanha internacional de promoção "Portugal Europe's West Coast" será apresentada na quarta-feira, numa sessão onde estará presente o secretário de Estado do Turismo, Bernardo Trindade.

O Ministério refere que Bernardo Trindade tem também agendadas reuniões com operadores alemães.

"Para o mercado alemão, a estratégica portuguesa passa por desenvolver a nova identidade do país, valorizando os produtos tradicionais e alargando aos novos produtos estratégicos, bem como consolidando o mercado de média e baixa estação", lê-se no comunicado, que refere que haverá uma forte campanha publicitária de Portugal nos mais importantes meios de comunicação alemães.

Em 2007, o mercado representou cerca de 15 por cento das dormidas e 11 por cento dos hóspedes, e sendo responsável por cerca de 886 milhões de euros de receitas turísticas.

Desde 2005, as receitas provenientes do mercado alemão cresceram 17,5 por cento.

Em 2007, a ITB, que é considerada a feira mais importante do sector do Turismo a nível mundial, contou com mais de 11 mil expositores oriundos de 180 países e recebeu cerca de 177 mil visitantes.

Lusa
Título:
Enviado por: comanche em Março 04, 2008, 08:02:13 pm
Hotelaria: Lisboa é uma das cidades mundiais que pratica os mais baixos preços


Citar
Lisboa, 04 Mar (Lusa) - Lisboa é uma das cidades mundiais onde se praticam os mais baixos preços no sector da hotelaria, apesar de a procura ser cada vez maior, segundo dados da Cushman & Wakefield, hoje apresentados.

De acordo com um estudo da consultora imobiliária, o preço médio por quarto disponível (RevPar) em Lisboa é de 58,74 euros, assente numa taxa de ocupação de 6,58 por cento.

Na lista dos países analisados, o Dubai é quem lidera, com um RevPar de 219,36 euros, mas com uma taxa de ocupação inferior à da capital portuguesa (1,8 por cento).

Em 2007 verificou-se uma tendência positiva na hotelaria em Portugal, "tendo sido registados acréscimos nos principais indicadores de todos os destinos turísticos, sobretudo em resultado da recuperação da conjuntura internacional e da crescente penetração das companhias de baixo custo no transporte aéreo com origem/destino nos aeroportos portugueses", refere o relatório da C&W.

Os proveitos da hotelaria nacional registaram no ano passado um crescimento de 10,4 por cento, representando 1.923,3 milhões de euros (face aos 1.741,5 milhões de euros registados em 2006).

Apesar deste crescimento, o director-geral da C&W, Eric van Leuven, considera que "Portugal está a ver passar navios [no que respeita ao desenvolvimento do país como destino turístico]".

"Como destino turístico, Lisboa desenvolveu-se muito pouco nos últimos anos e exemplo disso é a Avenida da Liberdade, que nem sequer tem esplanadas", afirmou Eric van Leuven.

A nível regional, o crescimento das dormidas (num total de 5,6 por cento) foi mais significativo no Alentejo (10 por cento), Centro (9,7 por cento) e Norte (9,6 por cento), taxas superiores à média nacional (7,3 por cento).

A região do Algarve exemplifica a "relevância crescente" do turismo residencial em 2007: o número de passageiros aeroportuários (7,5 por cento) foi superior ao número das dormidas (5,2 por cento) nos estabelecimentos hoteleiros classificados.

Segundo a C&W, a "conjuntura internacional favorável" e o "forte crescimento do sector" leva ao interesse de um conjunto de investidores, "cada vez mais alargado e diversificado", nos resorts integrados, que incluem as componentes hoteleira e residencial, os campos de golfe, os spas, entre outros.

Título:
Enviado por: comanche em Março 05, 2008, 07:34:01 pm
Turismo: Ministro da Economia diz que subida de Portugal no ranking da competitividade é "boa notícia"


Citar
Lisboa, 05 Mar (Lusa) - O ministro da Economia considerou hoje uma "boa notícia" o facto de Portugal ter subido sete posições no conjunto dos 130 países analisados pelo Relatório de Competitividade do Turismo, mas disse que estes resultados não o surpreenderam.

"É uma boa notícia, mas não me surpreende, porque sei o que está a ser feito", afirmou Manuel Pinho, em declarações à agência Lusa.

Portugal subiu sete posições na lista dos 130 países avaliados no Relatório de Competitividade do sector do Turismo e Viagens de 2008, posicionando-se no 15º lugar.

Suíça, Áustria e Alemanha são os líderes mundiais deste ranking, sendo que no conjunto dos países da União Europeia, Portugal ocupa a 9ª posição, tendo subido quatro posições relativamente ao ano de 2007.

Apesar dos dados conhecidos hoje estarem "em linha com os resultados do Turismo", o ministro afirma que é necessário "ir mais além".

A oferta de alta qualidade, o transporte de baixo custo e a aposta nos recursos humanos são, segundo Manuel Pinho, as três áreas prioritárias.

O relatório de Competitividade do sector do Turismo e Viagens de 2008, divulgado pelo Fórum Económico Mundial (FEM), mede os factores de atractividade do desenvolvimento turístico de cada país.

O índice de competitividade avalia três sub-índices - Recursos Humanos, Culturais e Naturais, Estrutura Reguladora e Ambiente Empresarial e Infra-estruturas -, constituídos por 14 pilares.

Ao nível da qualidade dos "Recursos Humanos, culturais e naturais", Portugal ocupa a 11ª posição (em 2007 ocupava o 30º lugar), à frente da França e da Itália.

Contudo, é no sub-índice Recursos Culturais que Portugal se encontra melhor classificado, ocupando o segundo lugar, logo a seguir a Espanha.

No sub-índice Estrutura Reguladora, Portugal ocupa a 14º posição, ao passo que no sub-índice Ambiente empresarial e infra-estruturas manteve-se no 22º lugar.

Em 2007, Portugal ocupou o 22º lugar no índice de competitividade do FEM, num universo de 124 países analisados.

Os resultados deste ranking serão discutidos durante um painel a realizar na ITB, a Feira Internacional de Turismo de Berlim, na sexta-feira.

Título:
Enviado por: comanche em Março 08, 2008, 08:08:00 pm
Turismo: Pacote com Aldeias do Xisto premiado na Alemanha pela revista Geo Saison como 2ª melhor viagem de descoberta

Citar
Coimbra, 07 Mar (Lusa) - O programa do operador turístico alemão Wikinger Reisen dedicado às Aldeias do Xisto foi premiado, esta semana, pela revista da especialidade Geo Saison, como uma das "Melhores Viagens de Descoberta 2008", foi hoje anunciado.

tamanho da letra ajuda áudio
enviar artigo
imprimir
Em nota divulgada hoje, a Agência Regional de Promoção Turística (ARPT) Centro de Portugal revela que o programa "Zu Gast in den tradionellen Schieferdörfern des Pinhal" (Seja bem-vindo às tradicionais Aldeias do Xisto do Pinhal) foi distinguido com o segundo prémio ("Die goldenen Palmen") atribuído pela conceituada revista alemã Geo Saison durante a Feira Internacional de Turismo de Berlim (ITB 08).

O presidente da ARPT Centro de Portugal, Pedro Machado, destacou hoje a importância do prémio, entregue quinta-feira, ao sublinhar o prestígio da Geo Saison e o facto de a Feira Internacional de Turismo de Berlim ser um dos maiores eventos do género a nível mundial.

"Para a Marca Centro de Portugal este foi claramente um prémio da maior importância, uma vez que sublinha e reforça a linha estratégica que a Marca Centro de Portugal vem desenvolvendo no mercado alemão", lê-se na nota.

Pedro Machado disse à agência Lusa que o programa concebido pelo operador alemão Vikinger Reisen e pela ARPT Centro de Portugal consiste num pacote de cinco dias, em que os turistas entram por Lisboa e permanecem dois dias nas Aldeias de Xisto e mais dois dias na Pousada de Belmonte.

Lançado em 2006, trata-se de um programa que tem "grande procura" e é comercializado pelo operador alemão a nível mundial.

"Fizemos um investimento grande nesta área no mercado alemão que, para nós, é o terceiro em termos de turismo de natureza (após a Espanha e Inglaterra]", disse ainda o presidente da ARPT Centro de Portugal.

A história deste prémio "começa em Março de 2006, quando, a convite da Marca Centro de Portugal, e em colaboração com a Delegação do Turismo de Portugal em Frankfurt, a Wikinger Reisen se desloca às Aldeias do Xisto para uma prospecção do produto", é recordado na nota.

Segundo o comunicado, "em dois dias, num programa intenso que combinou diversas variáveis - alojamento, gastronomia, experiências activas - foi possível evidenciar o valor acrescentado que a Marca Aldeias do Xisto poderia representar para o mercado alemão".

Os outros destinos premiados pela Geo Saison na categoria "Melhores Viagens de Descoberta 2008" durante a ITB 08, que decorre até domingo em Berlim, foram a Geórgia e o Egipto.

O conceito "Aldeias do Xisto - Social Label", que a Marca Centro de Portugal vem trabalhando no mercado alemão, destaca a importância da recuperação do património em meio rural, a animação e inovação das pequenas economias locais e a criação de produtos de grande qualidade e baixa densidade turísticas.

"Aldeias do Xisto - Social Label" oferece aos operadores que trabalham o produto a possibilidade de um exercício de responsabilidade social e ambiental, lê-se na mesma nota.

As 22 Aldeias do Xisto distribuem-se essencialmente pelo Centro de Portugal, por municípios como Lousã, Miranda do Corvo, Góis ou Arganil.

Título:
Enviado por: comanche em Março 20, 2008, 03:07:32 pm
Turismo: Unidades turísticas do Alentejo esgotados ou quase cheios


Citar
Évora, 20 Mar (Lusa) - As taxas de ocupação dos principais hotéis e unidades de turismo rural no Alentejo oscilam entre os 80 e os 100 por cento para o fim-de-semana alargado da Páscoa, segundo dados das regiões de turismo alentejanas.

Em declarações à agência Lusa, Andrade Santos, presidente da Associação das Regiões de Turismo do Alentejo (ARTA), adiantou hoje que, em média, "há uma boa ocupação" prevista para a Páscoa, com "muitas" unidades de alojamento turístico de toda a região "cheias ou quase cheias".

"Este ambiente é transversal a todo o Alentejo, embora Évora, pela sua centralidade, ganhe sempre", disse o responsável da ARTA, estrutura que congrega as regiões de turismo Planície Dourada (Beja), Évora, S. Mamede (Portalegre) e Costa Azul (Litoral Alentejano).

Andrade Santos realçou, contudo, que se regista uma ocupação hoteleira de menor duração, comparativamente com a Páscoa do ano passado, em que os turistas permaneceram mais dias.

Para este fim-de-semana alargado, algumas pousadas e hotéis alentejanos chegam a atingir uma taxa de ocupação de cem por cento.

"As coisas estão a correr bem, mas, nos estabelecimentos 'topo de gama', em hotéis como o Convento do Espinheiro ou o da Cartuxa (ambos em Évora), correm ainda melhor", afiançou Andrade Santos, que preside também à Região de Turismo de Évora.

No que respeita à origem dos turistas que escolheram o Alentejo para a Páscoa, a afluência de visitantes nacionais "diminuiu".

Ainda assim, frisou, esta redução está a ser "compensada pela vinda de muitos espanhóis", fruto da campanha de promoção externa conjunta que o Alentejo e Algarve têm estado a promover no país vizinho.

Um dos hotéis que está completamente cheio para os próximos três dias, o Convento do Espinheiro, de cinco estrelas, tem sobretudo turistas nacionais, seguidos dos espanhóis, norte-americanos e brasileiros.

"Estamos a atingir os cem por cento", disse à Lusa o director-geral da unidade, Dinis Pires, enumerando algumas das actividades preparadas para entreter os clientes, como um curso básico de enologia, que os "ensina a conhecer os vinhos alentejanos", e um passeio no campo guiado pelo mestre Salgueiro, conhecedor das ervas e plantas alentejanas.

No Baixo Alentejo, os principais hotéis e unidades de turismo rural registam uma ocupação que "ronda os 80 por cento", o que é uma "boa média, tendo em conta as condições meteorológicas pouco favoráveis", disse o presidente da Região de Turismo Planície Dourada, Vítor Silva.

A maioria dos hóspedes também é portuguesa e há igualmente uma percentagem "considerável" de turistas estrangeiros, sobretudo espanhóis, precisou o responsável.

A única unidade hoteleira do concelho de Beja com lotação esgotada desde segunda-feira e até domingo, o Clube de Campo Vila Galé, localizado na freguesia de Santa Vitória, numa herdade perto da barragem do Roxo, foi "inundado" por turistas durante as mini-férias da Páscoa.

Entre os restantes 13 concelhos do distrito de Beja, sobretudo com unidades de turismo rural, destacam-se os de Barrancos, Moura e Odemira, onde todas as unidades de alojamento estão com lotação esgotada até domingo.

Já na região de Portalegre, a Lusa apurou que o Hotel Sol e Serra, em Castelo de Vide, e a Pousada Flor da Rosa, no concelho do Crato, estão com taxas de ocupação na ordem dos 90 por cento.
Título:
Enviado por: comanche em Abril 11, 2008, 06:27:50 pm
Hotelaria:Receitas sobem 10,1% para 192,4 MEem Janeiro e Fevereiro, dormidas crescem 8,9%


Citar
Lisboa, 11 Abr (Lusa) - As receitas da hotelaria subiram 10,1 por cento, para 192,4 milhões de euros em Janeiro e Fevereiro face a igual período de 2007, enquanto o número de dormidas crescia 8,9 por cento, informou hoje o INE.

Nos dados sobre a actividade turística divulgados pelo Instituto Nacional de Estatística (INE), é revelado que os estabelecimentos hoteleiros receberam 4,1 milhões de dormidas e que o rendimento médio por quarto foi de 18,9 euros (mais 6,8 por cento) nos dois primeiros meses do ano.

Só no mês de Fevereiro, a hotelaria nacional registou 2,2 milhões de dormidas, mais 12,9 por cento que no mesmo mês do ano passado, o que resultou em receitas de 101,4 milhões de euros, o que representa um crescimento de 13,3 por cento.

As regiões da Madeira e de Lisboa, foram as que registaram rendimentos médios por quarto mais elevados, com 34,2 e 32 euros, com subidas de 15,8 e 6,2 por cento, respectivamente.

Os clientes não residentes em Portugal foram responsáveis por 1,5 milhões de dormidas, um acréscimo de 16,6 por cento face a Fevereiro de 2007, uma evolução que os portugueses não acompanharam pois a subida foi de 5,6 por cento, para 707,3 mil dormidas.

Quase todas as regiões apresentaram aumentos no número de dormidas, lideradas pela Madeira, com mais 17,6 por cento, seguida do Centro, com mais 16,9 por cento.

Os Açores mantêm uma tendência negativa com um decréscimo de dormidas de 13 por cento, segundo o INE.

Os principais mercados emissores continuaram a ser Reino Unido, Alemanha, Espanha, Holanda, França e Itália, totalizando 72,5 por cento do total.

A maior subida entre estes mercados foi dos turistas franceses, com mais 24,9 por cento, seguida de Espanha, com mais 23,5 por cento.

O INE explica que a tendência de crescimento dos principais mercados emissores poderá ser resultado de campanhas promocionais dirigidas aos principais países, como Espanha, assim como da participação em feiras internacionais do sector.

Os destinos preferidos dos estrangeiros continuam a ser Algarve e Madeira, e dos portugueses Lisboa e Centro.

A taxa de ocupação em Fevereiro foi de 31,6 por cento, mais 1,4 pontos percentuais que em igual mês de 2007.

Título:
Enviado por: comanche em Abril 23, 2008, 08:08:06 pm
Turismo:Receitas subiram 13,5% em Fevereiro para 422,5 ME


Citar
Lisboa, 23 Abr (Lusa) - As receitas do turismo em Portugal atingiram 422,5 milhões de euros em Fevereiro, mais 13,5 por cento que em igual mês de 2007, sendo o saldo da balança do sector de 200,3 milhões de euros.

Uma fonte do Turismo do Portugal avançou hoje à agência Lusa que as despesas do turismo foram de 222,2 milhões de euros, o que corresponde a um acréscimo de 9,6 por cento.

Em Fevereiro, o saldo entre as receitas obtidas no sector turístico e as despesas é de 200,3 milhões de euros, o que representa um crescimento de 18,3 por cento face ao valor de um ano atrás.

O Reino Unido é o mercado emissor que contribuiu com o montante mais elevado para as receitas turísticas entradas em Portugal, com 24 por cento do total, seguido da França, com 15 por cento, e de Espanha, com 12 por cento.

A quota da Alemanha nas receitas do turismo é de 12 por cento e da Holanda de quatro por cento.

Os cinco principais mercadores geradores de receitas turísticas contribuíram com 68 por cento do total, especifica a fonte do Turismo de Portugal.

As subidas mais acentuadas em Fevereiro registaram-se entre os turistas vindos de Espanha, com mais 15,6 por cento, e de França, com mais 14,9 por cento.

Título:
Enviado por: André em Agosto 28, 2008, 01:53:11 pm
Maioria turistas estrangeiros que visita Lisboa deseja voltar

A grande maioria dos turistas estrangeiros que visita a cidade e a região de Lisboa parte com vontade de voltar e vê cumpridas as suas expectativas, refere um estudo do Observatório do Turismo de Lisboa.

De acordo com o «Inquérito ao Grau de Satisfação», realizado em Junho, 40 por cento dos turistas vêem as suas expectativas cumpridas, 28 por cento afirmaram que elas foram superadas e 32 por cento que foram largamente superadas.

A grande maioria - 92 por cento - parte com vontade de voltar.

Segundo o Observatório de Turismo de Lisboa, a percentagem de regressos aumentou, atingindo quase 75 por cento dos estrangeiros na capital.

Desses 75 por cento que já tinham visitado anteriormente Lisboa, 20 por cento já tinha visitado a capital portuguesa uma vez, mais de 25 por cento visitou-a duas vezes, 19 por cento visitou-a três vezes e 8,0 por cento estavam em Lisboa pela quarta ou mais vezes.

Os monumentos ligados à época dos Descobrimentos, bem como o Castelo de São Jorge são os locais mais visitados, referem as conclusões do inquérito.

Os principais adjectivos utilizados pelos estrangeiros para classificar Lisboa são: «bonita», «histórica», «amigável», «calma» e «cultural».

O tempo médio de estadia em Lisboa situa-se em 6,3 noites, um acréscimo de uma noite em relação aos resultados do inquérito de Abril.

As unidades hoteleiras são o alojamento escolhido por 90 por cento dos turistas inquiridos.

Os inquéritos foram realizados no mês de Junho, num total de 742 entrevistas a turistas estrangeiros de visita a Lisboa e Região de Lisboa.

Lusa
Título:
Enviado por: comanche em Setembro 27, 2008, 12:12:08 am
Órgão oficial luso de turismo ganha prêmio internacional

Citar
Lisboa, 16 set (Lusa) - A agência Turismo de Portugal ganhou o "Oscar" da categoria, sendo eleita como melhor organismo oficial de turismo europeu pelo World Travel Awards 2008.

"O governo está muito satisfeito pelo prêmio recebido, que é o reconhecimento internacional do belíssimo trabalho de uma instituição muito recente, que é uma aposta deste executivo", disse à Agência Lusa o vice-ministro português do Turismo, Bernardo Trindade.

A escolha da agência do Turismo de Portugal foi resultado de uma votação em que participaram 167 mil profissionais do setor em vários países.

A entrega do será feita na final da 15ª edição do World Travel Awards, realizada em 5 de dezembro nas ilhas Turks e Caicos, no Caribe.



http://www.agencialusa.com.br/index.php?iden=19154
Título:
Enviado por: André em Outubro 12, 2008, 05:03:55 pm
Portugal é o melhor destino turístico para os dinamarqueses

Portugal venceu o prémio de melhor destino turístico europeu na 13ª edição do principal prémio dinamarquês do sector, votado por profissionais e por consumidores dinamarqueses através da internet.
Em declarações enviadas à Agência Lusa, o presidente do Instituto de Turismo de Portugal, Luís Patrão, atribuiu o galardão às «iniciativas inovadoras» de promoção de Portugal no estrangeiro feitas por aquele instituto.

«Passámos a dar uma vertente cultural, de animação, de envolvimento de personalidades conhecidas à nossa presença nos certames internacionais», salientou, apontando a campanha Portugal West Coast, que utilizou fotografias de personalidades públicas como a fadista Mariza e o treinador de futebol José Mourinho.

Luís Patrão referiu que após o prémio dos Danish Travel Awards, «a imagem de Portugal saiu reforçada e melhorada».

Já em Setembro passado, o Turismo de Portugal foi premiado com o World Travel Award, escolhido num universo eleitoral de 65 mil profissionais do sector.

Além de melhor destino Europeu, os Danish Travel Awards distinguiram o Instituto de Turismo de Portugal como melhor organismo oficial, superando países como Grécia, Itália, Alemanha e Espanha.

Cerca de 100 mil dinamarqueses fizeram turismo em Portugal durante o ano de 2007, o que representou mais de 475 mil dormidas e mais de 79 milhões de euros, um aumento de 1,2 por cento em relação ao ano anterior.

Segundo o Turismo de Portugal, até ao mês de Junho deste ano registava-se um aumento de 6,2 por cento de visitantes dinamarqueses em relação ao ano passado.

Ainda no mercado nórdico, os dados do Turismo de Portugal relativos a 2007 apontam para mais de 75 mil hóspedes finlandeses, 112 mil suecos e 89 mil noruegueses.

Lusa
Título:
Enviado por: triton em Outubro 12, 2008, 05:13:53 pm
O nosso País é muito bonito, qualquer pessoa que visite a Madeira fica maravilhado com as paisagens bonitas. alguem já foi ás Levadas?
Título:
Enviado por: André em Outubro 12, 2008, 05:15:14 pm
Citação de: "triton"
O nosso País é muito bonito, qualquer pessoa que visite a Madeira fica maravilhado com as paisagens bonitas. alguem já foi ás Levadas?


Eu já ...  :lol:  :D
Título:
Enviado por: Chicken_Bone em Outubro 18, 2008, 10:43:48 am
O fim dos «galheteiros de plástico» vai «valorizar o azeite»

Citar
O ministro da Agricultura, Jaime Silva, assegura que o «desafio» lançado aos restaurantes para substituírem as garrafas invioláveis por cartas de azeites pretende valorizar o azeite nacional, em vez da indústria do vidro, informa a agência Lusa.

«Não estamos aqui para valorizar a indústria do vidro», mas sim «para valorizar o azeite e a agricultura portuguesa», disse o ministro aos jornalistas, em Ourique (Beja), à margem da abertura do I Congresso Ibérico do Porco Alentejano.

Jaime Silva afirmou que «não há nenhuma decisão» sobre o fim dos galheteiros com garrafas invioláveis e que apenas desafiou a Associação da Restauração e Similares de Portugal (ARESP) para os substituir por cartas de azeites.

«Apenas lancei um desafio à ARESP para promover os azeites nacionais», frisou, explicando que pretende que os restaurantes coloquem «nas cartas ou nos menus que o azeite com que cozinham e que põem num galheteiro em frente ao consumidor é o azeite 'x', de preferência nacional e de denominação de origem». Se os restaurantes adoptarem esta prática «acabou a história da obrigação de ter garrafas invioláveis».

A proposta do ministro à ARESP foi criticada pela Casa do Azeite, Associação do Azeite de Portugal, que «estranhou» as declarações de Jaime Silva e considerou tratar-se de «um retrocesso completo». «Eu é que acho estranha a reacção da Casa do Azeite porque quando vou a um restaurante gostaria de ter a certeza de que o azeite que estou a consumir é português e, sobretudo, de altíssima qualidade», respondeu Jaime Silva.

ARESP congratula-se

O secretário-geral da ARESP congratulou-se com o anunciado fim dos «galheteiros de plástico» nas mesas dos restaurantes, considerando que este sistema não dava garantias e gerou «especulação».

José Manuel Esteves, secretário-geral a Associação de Restauração e Similares de Portugal (ARESP), elogiou a posição assumida pelo ministro da Agricultura. Repudiando as declarações da Casa dos Azeites, o responsável da ARESP afirmou que essa medida apenas servia os embaladores do produto.

Assegurando que a Autoridade para a Segurança Alimentar e Económica (ASAE) já detectou três casos de adulteração em linhas de embalagem, José Esteves afirmou que «a confiança dos consumidores não pode ser abalada pelos embaladores».


http://diario.iol.pt/sociedade/azeite-j ... -4071.html (http://diario.iol.pt/sociedade/azeite-jaime-silva-gastronomia-agricultura-galheteiros/1003243-4071.html)

Quanto à informação de origem e ingredientes, penso que é uma ideia bem jeitosa. Algo semelhante é feito em supermercados no Reino Unido, em que também se vendem azeites aromatizados e os ingredientes encontram-se discriminados como no vinho.
Em Portugal, há restaurantes portugueses que já colocam diferentes azeites (em detrimento da manteiga) como entrada.

Algo fora d tópico e para mostrar não sai só droga, embora tb seja algo muito viciante:
http://www.modaesocial.iol.pt/noticia.p ... iv_id=2455 (http://www.modaesocial.iol.pt/noticia.php?id=1003223&div_id=2455)
Título:
Enviado por: André em Novembro 06, 2008, 05:23:53 pm
Lisboa investe mais de um milhão de euros em programa para Brasil e Espanha

O Turismo de Lisboa vai investir mais de um milhão de euros em dois programas especiais de promoção a começar este ano cujo objectivo é aumentar o número de dormidas de brasileiros e espanhóis na cidade.

"É importante agir desde já e tentar recuperar algum do tráfego que temos perdido no contexto de crise económica internacional que atravessamos", disse hoje o presidente adjunto do Turismo de Lisboa Mário Machado, durante a apresentação dos programas.

Lisboa registou uma quebra na ocupação durante o primeiro semestre de 2008 e uma melhoria em Setembro, que no entanto ficou aquém dos números de Setembro de 2007, referiu o responsável.

Para o programa de promoção no Brasil foram destinados 570 mil euros e Mário Machado disse ter como objectivo "inaugurar uma promoção continuada neste mercado", e atingir em 2009 cerca de 400 mil dormidas de turistas brasileiros na Área Metropolitana de Lisboa.

Com o Apoio da TAP, o Turismo de Lisboa irá promover, já a partir de dia 20, uma campanha de publicidade e marketing na Internet e "roadshows" em oito cidades, como Rio de Janeiro e São Paulo.

O programa culmina com uma Participação na ABAV - Feira das Américas.

Durante a campanha, Lisboa será apresentada ao mercado brasileiro como "cidade moderna e cosmopolita, tentado romper com arquétipos", disse Mário Machado.

"Queremos mostrar que Lisboa tem a modernidade que há noutras cidades da Europa, que é uma alternativa a Londres ou Paris", afirmou Mário Machado.

De acordo com dados do Turismo de Lisboa, os turistas brasileiros gastam em média 190 por dia quando estão na cidade, um valor superior ao dispendido por turistas de outras nacionalidades

Para o programa de promoção de Lisboa no mercado espanhol, "que necessita de um reforço para evitar quebras futuras", foram mobilizados 540 mil euros.

"No primeiro semestre de 2008 registou-se uma quebra de 4,3 por cento nas dormidas de turistas espanhóis, número que em Julho e Agosto atingiu os dois dígitos", disse o presidente adjunto do Turismo de Lisboa.

Em 2009, com um programa que tem como primeira prioridade as regiões que fazem fronteira com Portugal e como segunda as que têm voos directos, o Turismo de Lisboa pretende atingir cerca de 880 mil dormidas de turistas espanhóis.

Em Espanha a aposta passa pela realização de uma campanha de publicidade em jornais regionais.

Os dois programas são financiados com verbas provenientes do Casino de Lisboa.

Lusa
Título:
Enviado por: Jose M. em Novembro 07, 2008, 06:49:07 pm
Este fin de semana se celebra la fiesta de la castaña en Marvao. Espero que no vayais, así tendré sitio en mi restaurante preferido.

http://www.cm-marvao.pt/noticias/noticiasdet.asp?news=231
Título:
Enviado por: comanche em Dezembro 09, 2008, 09:22:50 pm
Hotelaria: Preço médio dos quartos em Portugal caiu cinco por cento

Citar
Lisboa, 09 Dez (Lusa) - Os preços médios dos quartos de hotel em Portugal caíram para 108 euros no terceiro trimestre de 2008, queda de cinco por cento quando comparado com o mesmo período de 2007, segundo o estudo Hotel Price Index, hoje divulgado.

Enquanto Albufeira é a cidade mais cara, Lisboa teve uma queda de três por cento nos preços médios por quarto de hotel custando, em média, 100 euros comparativamente com os 103 euros do mesmo período de 2007.

"Portugal acompanha a tendência de quebra registada no resto da Europa e do mundo tendo, ainda assim, uma quebra relativamente baixa, no contexto dos países europeus", refere o Hotel Price Index, que se baseia nos preços pagos pelo clientes que fizeram reservas através da página Hotels.com na Internet.

Londres viu os preços cair em 13 por cento para 136 euros por quarto, Paris também caiu oito por cento para 138 euros.

Capitais europeias como Edimburgo ou Reiquiavique foram as que mais sofreram com uma diminuição nos preços na ordem dos 20 porcento

Em Portugal, na comparação entre os terceiros trimestres de 2007 e 2008, Tavira foi a cidade que apresentou a maior queda nos preços (menos 16 por cento) para 89 euros.

Com uma queda de cinco por cento, Albufeira continua a ser a cidade mais cara com os preços médios de alojamento em hotéis de 121 euros.

IZM

Lusa/fim

Título:
Enviado por: comanche em Dezembro 09, 2008, 09:25:49 pm
Douro/Turismo: Região está a "trabalhar muito" para se afirmar como destino de excelência - Organização Mundial do Turismo



Citar
Porto, 09 Dez (Lusa) - O secretário-geral da Organização Mundial do Turismo (OMT), Francisco Frangialli, destacou hoje as potencialidades turísticas do Vale do Douro, salientando que a região está a "trabalhar muito" para se afirmar como destino de excelência.

"O Douro ainda não tem a importância de outros destinos mais conhecidos, mesmo em Portugal, mas está a trabalhar muito e a investir para se colocar num nível elevado de qualidade", afirmou Francisco Frangialli, em declarações aos jornalistas no Porto.

O secretário-geral da OMT falava à margem da cerimónia de apresentação de um relatório de avaliação do Vale do Douro, realizado pelo Centro Mundial de Excelência dos Destinos, aprovado pela Organização Mundial do Turismo.

Neste estudo, a região do Douro recebeu a classificação de excelência em sete das 14 categorias analisadas.

Na cerimónia, o secretário de Estado do Turismo, Bernardo Trindade, considerou que esta avaliação "é seguramente um marco de afirmação da região".

"A circunstância de termos pedido à OMT para fazer esta certificação é claramente um novo posicionamento de Portugal para enfrentar os próximos anos, o que passa por valorizar as novas centralidades turísticas em Portugal", afirmou.

Nesse sentido, recordou que "o governo reconheceu o Douro como uma nova centralidade turística de Portugal" e que, nos últimos três anos, já foram canalizados para a região norte 85 milhões de euros em incentivos ao investimento, dos quais 11 milhões especificamente para o Douro.

Segundo o secretário de Estado, a região do Douro registou nos primeiros nove meses deste ano um crescimento de 7,2 por cento nos turistas estrangeiros que a visitaram, relativamente a igual período do ano passado.

Para Bernardo Trindade, o papel desempenhado pelo Aeroporto Sá Carneiro no crescimento dos turistas que visitam o Douro é de vital importância.

"O Aeroporto Sá Carneiro é uma infra-estrutura reconhecida internacionalmente, que tem permitido que o Douro se possa desenvolver e crescer em termos turísticos", afirmou.

As potencialidades do Vale do Douro foram também destacadas por Carlos Lage, presidente da Comissão de Coordenação e Desenvolvimento Regional do Norte (CCDRN), para quem "o Douro é um espaço turístico com todos os ingredientes para ser um grande destino turístico, para se afirmar à escala internacional".

FR.

Lusa/fim

Título:
Enviado por: André em Dezembro 23, 2008, 04:52:10 pm
Apesar da crise, 2008 foi um bom ano para o turismo da Madeira

O sector do turismo da Madeira, apesar da crise financeira global, teve um ano "extremamente positivo e não sofreu ainda consequência negativa", diz a secretária regional do Turismo madeirense.
"Neste momento, o sector do turismo não sofreu ainda nenhuma consequência negativa, até datas estatisticamente apuradas, porque temos crescimento global perto dos 6 por cento, uma boa taxa de ocupação, crescimento ao nível dos proveitos e dos rendimentos por quarto em relação ao ano anterior", disse à Agência Lusa Conceição Estudante.

A governante insular sustenta que 2008 foi "um ano extremamente positivo para a Madeira", lamentando que as actuais dificuldades económicas a nível mundial surjam quando a Madeira "estava no início de uma nova onda de crescimento".

"Claro que crise vai atingir-nos e o nosso objectivo é tanto quanto possível amenizar os seus efeitos e tornar menos fortes os impactos que eventualmente possam chegar".

Para Conceição Estudante esta "crise vem no pior momento".

Quanto à ocupação hoteleira no arquipélago nesta altura do ano, garante que "o Natal está dentro padrões normais para a época, acima 50 por cento, e o Fim-de-Ano, de acordo com a última sondagem é de 85 por cento", adiantando ser "legitimo ter expectativa de crescimento, visto que nos tempos actuais há as decisões de última hora".

Instada a confirmar eventuais cancelamentos de viagens por causa da actual conjuntura económica, considerou ser "natural que existam alguns", destacando existirem "também novas reservas".

"Desde que se mantenham nestes níveis, atendendo à situação actual, acima dos 85 por cento, a taxa de ocupação é muito boa", declarou.

A responsável pelo turismo insular não quis arriscar numa "antecipação para 2009", sustentando que "será seguramente um ano difícil, porque há menos companhias a voar, menos voos a serem programados".

"Temos de acompanhar a situação dia-a-dia, mês a mês, porque não há capacidade de grandes previsões, mas não será seguramente ano igual a 2008", realçou.

Confirma que a Madeira vai continuar a apostar no mercado interno para "colmatar situações internacionais menos estáveis", um esforço que começou a ser desenvolvido este ano "aproveitando o que aconteceu no mercado em matéria da transportes, designadamente as campanhas internacionais da TAP e Sata, a entrada da EasyJet no mercado, o que alterarou a forma de fazer férias na Madeira a partir do continente, além do investimento na novela da TVI, um veiculo de promoção excelente".

Argumenta que "não há nada de concreto" quanto à entrada de novas companhias na linha aérea para a Madeira, opinando que "surgirão no futuro, visto que o cenário desenhado para surgimento de novas companhias e alargamento do mercado não tinha nada a ver com o actual momento".

"É preciso dar tempo ao tempo para que os ajustamentos se façam e progressões se concretizem embora em tempos diferentes", explica.

Sobre novos mercados, Conceição Estudante destaca o trabalho desenvolvido em diversos destinos, casos dos Estados Unidos da América, onde "começa a aparecer números superiores a anos anteriores" e os alguns países do leste europeu, casos da Polónia, Rússia, República Checa e Hungria, que "dão sinais de crescimento".

"Não podemos alargar espectro de mercados ao mundo inteiro, temos de nos localizar e ver quais distancias adequadas para nossas intervenções, pois se conseguirmos desenvolver estas operações Europa de Leste, acompanhando a continuidade com mercados tradicionais temos algum conforto no desenvolvimento sustentado do turismo da Madeira", aponta.

Para 2009, Conceição Estudante faz votos que as pessoas "tenham a serenidade, o bom senso e mantenham a lucidez na procura da resolução dos problemas".

Lusa
Título:
Enviado por: André em Dezembro 23, 2008, 07:24:41 pm
Receitas do turismo aumentaram 2,9% de Janeiro a Outubro

As receitas do turismo aumentaram 2,9 por cento de Janeiro a Outubro face ao mesmo período de 2007, totalizando cerca de 6,6 mil milhões de euros, segundo dados do Banco de Portugal (BdP) hoje divulgados.
De acordo com o boletim estatístico de Dezembro, o dinheiro deixado por turistas estrangeiros em Portugal ascendeu a cerca 6,6 mil milhões de euros, contra os 6,4 mil milhões de euros registados entre Janeiro e Outubro de 2007.

Por outro lado, a despesa dos portugueses no estrangeiro aumentou 4,3 por cento nos primeiros dez meses deste ano face a 2007, ascendendo a 2,5 mil milhões de euros.

O saldo das transacções relativas à prestação de serviços de viagens e turismo no mesmo período foi de 2 por cento face a 2007.

Em declarações à Agência Lusa, o secretário de Estado do Turismo, Bernardo Trindade, afirmou que os dados do Banco de Portugal demonstram que “o sector do turismo é dos que melhor resiste à crise” económica.

“Mesmo tendo em conta uma visão pessimista, que prevê quebras de cinco ou seis por cento em Novembro e Dezembro, continuamos a reflectir um crescimento de receitas face a 2007, ano em que, pela primeira vez, ultrapassamos os 7,3 mil milhões de euros”, sustentou.

Bernardo Trindade sublinhou ainda o facto das receitas do turismo em Espanha terem caído 2,5 por cento no mesmo período.

De acordo com o secretário de Estado do Turismo, desde final de 2004, as receitas do sector aumentaram 19,3 por cento, as dormidas 16,4 por cento e as entradas de turistas 15,8 por cento.

O ano de 2009 será “muito difícil” e exigirá “um trabalho cada vez mais concertado entre entidades públicas e privadas”, sustentou Bernardo Trindade, apontando, a título de exemplo, a ANA - Aeroportos de Portugal e a companhia aérea TAP como “parceiras fundamentais”.

"Num ambiente de incerteza, é fundamental desenvolver uma acção concertada e pró-activa", defendeu, apontando a Rússia, a Polónia, a Finlândia e o Brasil como os mercados prioritários para 2009.

Lusa
Título:
Enviado por: André em Fevereiro 21, 2009, 01:50:41 pm
Herdade alentejana vai ser transformada em complexo turístico de luxo


Uma herdade com 447 hectares, situada no concelho de Portalegre, vai ser transformada num complexo turístico de luxo, num investimento de 200 milhões de euros, revelou hoje à agência Lusa um dos promotores do projecto.

O Plano Pormenor do projecto de Potencial Interesse Nacional (PIN), que vai surgir na Herdade da Abrunheira, situada a poucos quilómetros de Portalegre, já foi entregue no município local. ´

«Agora, o projecto está pendente da apreciação de várias entidades», explicou Sérgio Umbelino, representante da Serlimagest, uma das empresas parceiras do projecto encabeçado pelo Grupo Pestana.

Depois do processo burocrático ser ultrapassado, o empresário espera poder arrancar com o empreendimento, que considera «aliciante», ainda no decorrer deste ano.

O projecto prevê a edificação de dez aldeamentos turísticos, hotel resort com SPA e sala de reuniões, dois clusters de apartamentos, um campo de golfe com 18 buracos, clube de golfe e driving rage, um clube equestre e um clube náutico.

Um pavilhão para eventos e multiusos, três a quatro restaurantes, uma loja de produtos tradicionais, um quiosque, um heliponto, uma loja de conveniência, um centro agrícola e um conjunto de percursos pedonais e equestres são outras das componentes do empreendimento.

Com um total máximo de 1.222 unidades de alojamento e 4.458 camas, o empreendimento que irá surgir na herdade alentejana poderá estar totalmente concluído dentro de «sete anos».

«A aposta forte passa pelo mercado interno, porque o Alentejo, hoje em dia, é uma marca de qualidade», garantiu.

No entanto, salientou «também o golfe e a caça são modalidades que agradam, principalmente, aos ingleses e aí está também a aposta no mercado externo», adiantou.

De acordo com Sérgio Umbelino, os aldeamentos turísticos, que vão ocupar um terço da área total da herdade, representam uma das maiores apostas deste projecto turístico.

«As pessoas poderão adquirir e habitar casas nos aldeamentos e usufruir dos equipamentos que vão surgir na herdade», explicou.

O empresário assegurou que, no decorrer da venda de imóveis nos diversos aldeamentos, vão ser praticados preços «competitivos».

O responsável pela empresa Serlimagest explicou ainda que cada aldeamento poderá vir a albergar entre 450 a 500 pessoas.

O levantamento etnográfico e arqueológico da herdade, bem como o seu diagnóstico ambiental, de forma a preservar as charcas, montados e linhas de água existentes no local, já foi efectuado.

O plano hídrico, o plano de resíduos e o plano energético, de forma a respeitar todas as regras existentes nesta área, também estão nesta fase do projecto já estabelecidos.

Lusa
Título:
Enviado por: comanche em Março 04, 2009, 09:48:11 pm
Turismo: Portugal é o 17ª destino mais competitivo do mundo

Citar
Lisboa, 04 Mar (Lusa) - Portugal é um dos 20 destinos turísticos mais competitivos do mundo, uma distinção que recebe pelo segundo ano consecutivo, de acordo com o relatório "Competitividade do Turismo e Viagens 2009", divulgado hoje pelo Foro Económico Mundial.

O relatório coloca Portugal na 17ª posição da lista dos 20 destinos mundiais mais competitivos, sendo os primeiros lugares ocupados pela Suíça, Áustria, Alemanha e França.

Portugal está também na contagem dos 20 destinos turísticos mais procurados do mundo, ocupando a 18ª posição nesta contagem.

Portugal foi distinguido pela hospitalidade, número de monumentos classificados como Património Mundial, realização de feiras e eventos internacionais e ainda pela oferta de estádios desportivos.

As comunicações rodoviárias, a cobertura de rede móvel e a facilidade na contratação de mão-de-obra estrangeira foram também elementos favoráveis a Portugal.

Foram analisados 133 países de todo o mundo, de acordo com 14 critérios de competitividade entre eles o ambiente político, capital humano, infra-estruturas e recursos naturais e culturais.

NZD.

Lusa/fim.

Título:
Enviado por: André em Março 14, 2009, 05:43:39 pm
Gaia tenta captar investimento russo para o turismo


Uma delegação da Câmara de Gaia parte domingo para Moscovo, na tentativa de captar investimento russo para o concelho, nomeadamente nas áreas do turismo e indústria, anunciou hoje a autarquia.

O projecto da encosta do Douro (Quintas do Douro), para empreendimentos turísticos, hoteleiros e campos de golfe, é um dos empreendimentos que poderá receber investimento de empresários russos, referiu a fonte.

O vice-presidente da autarquia, Marco António Costa, que chefia a delegação, disse à agência Lusa que «alguns empresários russos estão disponíveis para participar no capital de empresas portuguesas».

«Levo Vila Nova de Gaia para vender em termos promocionais, como é meu dever. Estão identificados alguns interesses, que não posso estar a revelar», referiu, destacando o «alto nível» das personalidades que irão receber a comitiva.

Marco António, que será acompanhado pelo líder da oposição, Barbosa Ribeiro, e pelo cônsul da Rússia no Porto, Couto dos Santos, será recebido pelo vice-presidente da Câmara de Comércio e Indústria da Federação Russa e por responsáveis dos governos federal e regional de Moscovo.

A deslocação servirá também para preparar uma visita do presidente da Câmara de Gaia, Luís Filipe Menezes, e de empresários portugueses à Rússia «na segunda quinzena de Maio ou primeira de Junho».

Paralelamente, chegaram hoje a Gaia três jornalistas russos, para fazer reportagens em vários locais de turismo, desporto e indústria do concelho.

Lusa
Título:
Enviado por: André em Março 17, 2009, 07:53:37 pm
Algarve: Ocupação hoteleira em Fevereiro foi a menor em 14 anos


A taxa de ocupação hoteleira no Algarve em Fevereiro foi a mais baixa desde 1995, ano no qual este mês também apresentou fortes quedas no turismo, diz a principal associação do sector da região.

Os dados da Associação de Hotéis e Empreendimentos Turísticos do Algarve (AHETA) apontam para descidas na ordem dos 20 por cento, quer na taxa de ocupação média por quarto, quer por cama, em comparação a 2008.

A taxa de ocupação por quarto foi de 36,5 por cento e por cama de 26,6 por cento, diz a AHETA em comunicado, sublinhando que, em valores acumulados, houve uma descida média de 13,5 por cento na ocupação hoteleira desde Novembro.

Por zonas geográficas, as maiores descidas nas taxas de ocupação por quarto ocorreram na área de Vilamoura, Quarteira e Quinta do Lago (menos 33 por cento) e em Albufeira (menos 25 por cento).

Apenas a zona de Faro e Olhão registou uma subida, ainda que ligeira (mais 3,6 por cento), sendo a zona de Monte Gordo e Vila Real de Santo António (VRSA) aquela que registou a taxa de ocupação mais elevada, com 82 por cento.

A mais baixa ocorreu na zona de Lagos e Sagres, com 26,4 por cento, acrescenta a AHETA, sublinhando que, por categorias, as principais descidas se verificaram nos hotéis e aparthotéis de 5 estrelas (menos 29,8 por cento).

Os hotéis e aparthotéis de 2 estrelas foram os únicos a registar uma subida (mais 8,2 por cento), sendo os de 4 estrelas os que registaram a taxa de ocupação mais baixa, com 35 por cento, e os de 3 estrelas os que registaram a mais alta, com 52.

Lusa
Título:
Enviado por: André em Março 20, 2009, 07:45:40 pm
Madeira promove turismo em Moscovo, Paris e Gotemburgo


Em tempo de crise, a Madeira aposta forte na promoção turística em mercados internacionais e participa em simultâneo em eventos do sector em Moscovo, Paris e Suécia.

O destino turístico Madeira está assim a ser divulgado até sábado em Moscovo, na quarta edição da ITM - Intourmarket, integrada no módulo do Turismo de Portugal.

A Rússia ocupa o terceiro lugar na lista dos mercados emissores de turismo para esta região oriundos da Europa Central e de Leste, logo depois da Polónia e da República Checa.

França é outra aposta, pelo que a Madeira marca presença, na capital deste país, na 36ª edição do MAP - Le Monde à Paris, um evento considerado dos mais mediáticos do sector naquele país e que decorre até domingo.

Esta é uma acção conjunta de divulgação da secretaria regional do Turismo e Transportes do arquipélago madeirense e da Associação de Promoção da Madeira.

A França posiciona-se em quarto lugar como mercado gerador de turistas para a Madeira, depois do Reino Unido, Portugal e Alemanha.

Até domingo a Madeira é ainda promovida na Suécia, na Feira de Turismo TUR, que decorre em Gotemburgo.

O mercado sueco está em décima posição na emissão de visitantes para esta região autónoma, sendo o segundo entre os países escandinavos, depois da Finlândia.

Lusa
Título:
Enviado por: Chicken_Bone em Março 21, 2009, 06:01:22 pm
Turismo: primeiro projecto PIN do Alentejo abre portas

Citar
O primeiro projecto de Potencial Interesse Nacional (PIN) do Alentejo, o Vila Sol Évora, vai abrir portas ainda este ano, sem temer os efeitos da crise económica, num investimento global de 100 milhões de euros.

O presidente da Imoatlântico, empresa responsável pela comercialização da marca Vila Sol, explicou à agência Lusa que o complexo turístico será composto por um hotel, uma unidade de turismo residencial, um campo de golfe de 18 buracos e uma barragem.

De acordo com Mário Quina, o Vila Sol Évora, Conventual Vineyard & Golf Resort, situado na Herdade da Palheta, no concelho de Redondo (Évora), ocupa uma área total de 300 hectares, dos quais 26 são de vinha.

Já em fase adiantada de construção, o futuro hotel de cinco estrelas, instalado numa antiga casa senhorial, vai contar com 73 quartos, sendo posteriormente explorado pela cadeia hoteleira Marriot.

Atentos ao mercados espanhol, inglês e irlandês

A componente imobiliária, segundo Mário Quina, «é composta por lotes para construção de moradias, todas com jardim» e com vista sobre a barragem.

Indicando que os compradores são «essencialmente portugueses», Mário Quina revelou que os lotes «estão praticamente todos reservados», uma situação que poderá levar a empresa a «avançar já com a segunda fase de comercialização».

«A crise que estamos a viver, um pouco por todo o mundo, passa por questões ligadas à banca e ao financiamento», observou o responsável, explicando que a empresa teve de recorrer à «imaginação» para «arranjar produtos e soluções para quem quiser vir comprar consiga financiamento».

Além do mercado português, segundo o responsável, a grande aposta passa pelos mercados espanhol, inglês e irlandês, assim como «o turista do norte da Europa, que também procura muito esta zona» do Alentejo.


http://diario.iol.pt/economia/turismo-p ... -4058.html (http://diario.iol.pt/economia/turismo-pin-alentejo/1051335-4058.html)
Título:
Enviado por: Chicken_Bone em Abril 05, 2009, 06:13:31 pm
Aldeias Históricas de Portugal na net

Citar
A história, o património, alojamentos e restauração, entre outras informações úteis das 12 aldeias que integram o programa das Aldeias Históricas de Portugal, estão disponíveis em «www.aldeiashistoricasdeportugal.com», segundo informações da Lusa.

O Programa de Aldeias Históricas de Portugal foi criado no âmbito do II Quadro Comunitário de Apoio (1994-1999) e aprofundado durante o quadro seguinte (2000-2006), tendo sido restauradas as 12 aldeias na Beira Interior.

A autarquia da Mêda foi a promotora do site, cuja gestão ficará entregue à Associação de Desenvolvimento Turístico das Aldeias Históricas de Portugal, contituída em 2007.

Fazem parte do programa e da associação Almeida, Belmonte, Castelo Novo, Castelo Mendo, Castelo Rodrigo, Idanha-a-Velha, Linhares da Beira, Marialva, Monsanto, Piódão, Sortelha e Trancoso.

Segundo o site, as intervenções concretizadas nas 12 aldeias e apoiadas pelo Fundo Europeu de Desenvolvimento Regional (FEDER) ascenderam os 44 milhões de euros.

O número de visitantes nas Aldeias Históricas aumentou de 234 mil no ano de 2005 para 355 mil visitantes em 2008, cabendo aos visitantes estrangeiros a fatia de cerca de 25 por cento das visitas.

Entretanto, as obras da futura sede da Associação das Aldeias Históricas - actualmente no edifício do Arquivo Municipal de Figueira de Castelo Rodrigo - estão já concluídas na antiga escola primária de Castelo Rodrigo.

A Associação de Desenvolvimento Turístico das Aldeias Históricas de Portugal é presidida pelo Município de Arganil.

Entretanto, no âmbito da candidatura ao PROVERE - Programa de Valorização Económica de Recursos Endógenos, foi apresentado pela Associação o programa de acção «Aldeias Históricas e Judaísmo, Heranças Culturais Beira Interior», que aguarda aprovação.


http://diario.iol.pt/tecnologia/aldeias ... -4069.html (http://diario.iol.pt/tecnologia/aldeias-historia-meda-site-portugal-tvi24/1054556-4069.html)
Título:
Enviado por: André em Abril 06, 2009, 07:11:14 pm
Lisboa nos dez destinos mais baratos do turismo de luxo


Um inquérito divulgado pela www.Hotels.com (http://www.Hotels.com) , uma das maiores empresas mundiais fornecedoras de alojamento hoteleiro, coloca Lisboa entre as dez cidades com unidades de luxo mais baratas, onde um quarto cinco estrelas custa em média 123 euros.

Segundo os resultados do quarto trimestre de 2008 do Hotel Price Index da empresa, baseado numa amostra de um total de 68 mil hóteis de grandes cadeias e independentes, a capital portuguesa surge em décimo lugar da lista de preços médios pagos por quartos duplos nas diferentes classificações de estrelas, em ex-aequo com Berlim e depois de Banguecoque, Las Vegas, Cidade do México, Sydney, Varsóvia, Budapeste, Marraquexe, Praga e Dublin.

Em Lisboa, tal como na capital da Alemanha, 100 euros (50 por pessoa) permitem usufruir de 4,5 estrelas, um número superior ao registado em cidades como Barcelona (4,1), Londres (3,4), Paris (3,1), Rio de Janeiro (2,4) ou Nova Iorque, onde se registou o valor mais baixo (1,6).

Já nas cidades consideradas mais baratas a nível da hotelaria de Luxo - Banguecoque, Las Vegas, Cidade do México, Sydney e Varsóvia - esse montante é suficiente para que um casal passe a noite numa unidade de cinco estrelas.

A nível de preços médios por estrelas, um quarto duplo em Lisboa custa em média 57 e 79 euros se o hotel ostentar três ou quatro estrelas, mas ascende a 123 euros no caso de as instalações terem a classificação máxima, um valor próximo de uma noite de duas estrelas em Nova Iorque (122 euros) e inferior ao de um quarto de três estrelas em Cancun ou Moscovo (126 e 135 euros).

Lusa
Título:
Enviado por: André em Abril 07, 2009, 05:46:20 pm
Ocupação hoteleira baixou cerca de 30% em Março no Algarve


A taxa de ocupação hoteleira no Algarve no mês de Março baixou cerca de 30 por cento em relação ao período homólogo de 2008, informou hoje a maior associação de hoteleiros da região.

Em Fevereiro, a taxa de ocupação desceu cerca de 20 por cento, quer na taxa de ocupação média por quarto, quer por cama, em comparação a 2008, tendo sido considerada a taxa de ocupação hoteleira mais baixa desde 1995 no Algarve.

Em comunicado, a Associação de Hotéis e Empreendimentos Turísticos do Algarve (AHETA) informou hoje que a taxa de ocupaçao global media/quarto toi de 43,9 por cento, 27,9 por cento abaixo do valor verificado em 2008.

A taxa de ocupação global media/cama, por seu turno, foi de 32,2 por cento, tendo diminuído 30,0 por cento relativamente ao ano transacto.

As maiores descidas verificaram-se nas zonas de Albufeira (-36,4%), Carvoeiro/Armação de Pera (-34,8%) e Lagos/Sagres (-25,6%).

A zona de Monte Gordo/Vila Real de Santo António foi a que apresentou a taxa de ocupação mais elevada, com 75,7%, enquanto Tavira registou a taxa de ocupação mais baixa, com 34,0%.

As principais descidas, em termos de categorias hoteleiras, registaram-se nos hotéis e aparthotéis de quatro estrelas (-34,3%), aldeamentos e apartamentos de quatro estrelas (-21,8%) e nos hotéis de cinco estrelas (-18,8%).

Os britânicos representaram 39,8% das dormidas totais no Algarve, seguidos dos portugueses com 16,3% e dos holandeses, com 15,3%.

O volume de vendas total registou uma descida de 20,9% relativamente ao período igual de 2008.

Lusa
Título:
Enviado por: Chicken_Bone em Abril 15, 2009, 07:45:11 pm
Turismo isenta promotores de empreendimentos de taxas

Citar
O Secretário de Estado do Turismo, Bernardo Trindade, assinou um despacho no qual isenta os promotores dos empreendimentos turísticos das taxas devidas ao Turismo de Portugal, pelos processos de reconversão efectuados ao abrigo do Novo Regime Jurídico dos Empreendimentos Turísticos.

“Este processo de reconversão tinha custos inerentes para o promotor, que pagava ao Turismo de Portugal uma taxa pelas auditorias de reconversão”, explica a secretaria de Estado do Turismo, numa nota de imprensa.

A mesma fonte refere que devido à conjuntura actual “impõe-se a necessidade de desonerar as empresas do Turismo dos custos devidos por estes processos de reconversão”.

Esta isenção de taxas abrangerá os empreendimentos que se reclassifiquem até Abril de 2010.


http://www.jornaldenegocios.pt/index.ph ... &id=363464 (http://www.jornaldenegocios.pt/index.php?template=SHOWNEWS&id=363464)
Título:
Enviado por: Chicken_Bone em Abril 19, 2009, 02:52:29 pm
Turismo: menor poder de compra britânico pode favorecer Algarve

Citar
A redução do poder de compra dos britânicos, principal mercado emissor de turistas para o Algarve, pode ter um efeito contrário ao esperado e ajudar a trazer mais turistas para a região, acredita um responsável do sector, citado pela Lusa.

A desvalorização da libra e a crise mundial estão a retrair os britânicos nas suas opções de férias e poderão levá-los a optar por destinos mais próximos, acredita Marc Sontag, director de Turismo Residencial do Grupo IMOCOM.

«Os ingleses fazem normalmente duas viagens por ano, uma de longa distância e outra de curta e nós achamos que se não fizerem a mais longa possam ficar mais perto e Portugal é o primeiro destino a tirar vantagem da situação», disse.

Com alguns investimentos no Algarve, o Grupo IMOCOM tem apostado no turismo residencial, segmento que cresceu nos últimos anos em Portugal entre 8 a 12 por cento e que Marc acredita que no futuro seja dos mais importantes da indústria turística mundial.

Mercado nacional está a ganhar peso

Os proprietários das unidades de turismo residencial do grupo no Algarve, o Monte Santo Resort, em Carvoeiro e o Cascatas Golf Resort & SPA, em Vilamoura, são maioritariamente estrangeiros, mas o mercado nacional também já começa a ganhar presença.

O preço dos apartamentos no resort Monte Santo varia entre os 150 mil e os 299 mil euros e as moradias entre os 419 e os 492 mil, preços pouco convidativos às bolsas portuguesas, que optam por alugá-los.

O aluguer, cujo valor médio ronda os 114 euros por noite, é possível desde que a unidade de alojamento faça parte integrante de um programa de arrendamento definido, realizado em sistema rotativo.

«O mercado nacional já é o nosso principal mercado», diz Gonçalo Campos e Sá, director-geral de Monte Santo, que acrescenta que o mercado interno já está a sobrepor-se ao externo.

Segundo aquele responsável, o mercado espanhol também começa a ganhar força no segmento do turismo residencial, especialmente vocacionado para famílias, que procuram, diz, qualidade e conforto.

«As nossas unidades de alojamento têm um grau de conforto e luxo muito acima da média das casas onde as pessoas residem habitualmente, além de que em sempre têm tempo para usufruir da sua casa», afirma.

Classe média portuguesa começa a deixar de fazer férias lá fora

Gonçalo Campos e Sá acredita ainda que muito rapidamente vai passar a haver no Algarve um público-alvo predominantemente nacional, pois cada vez mais portugueses da classe média-alta deixam de fazer férias no exterior.

Já David Madeira, director do Cascatas Golf Resort & SPA, acredita que a crise se faz sentir sobretudo no tempo de estadia, já que as pessoas estão a começar a fazer férias mais curtas e em vez de ficarem duas semanas, optam por ficar apenas uma.

David Madeira acredita que o turismo residencial está num «crescimento exponencial» a nível do Algarve, embora já se faça há muito tempo na região, tendo começado nos anos 70 em Vale do Lobo.


http://diario.iol.pt/economia/portugal- ... -4058.html (http://diario.iol.pt/economia/portugal-europa-turismo-britanicos-ingleses-ferias/1058015-4058.html)
Título:
Enviado por: Chicken_Bone em Maio 04, 2009, 10:56:32 am
Vai nascer Parque Urbano na cidade
Faro: investimento de 500 milhões e cria 11 mil empregos

Citar
Projecto conta com um centro comercial Dolce Vita, um hotel, residências assistidas e um espaço destinado à habitaçãoA cidade de Faro prepara-se para receber um investimento de 500 milhões de euros. Trata-se de um Parque Urbano e pretende ser o «maior jardim do concelho».

Este projecto, localizado no empreendimento Porta da Amoreira, vai assegurar a criação de 11 mil postos de trabalho, tanto directos como indirectos, revela a entidade promotora, em comunicado.

O Parque Urbano vai contar com um centro comercial Dolce Vita com 70 mil metros quadrados, uma área de saúde, um hotel de quatro estrelas e residências assistidas para a terceira idade. O projecto contempla ainda uma área reservada à habitação.

«O local onde vai ficar implantado o empreendimento Porta da Amoreira goza de acessos directos à Via do Infante (A22) e ao Aeroporto Internacional de Faro, contribuindo para a criação de uma nova centralidade urbana e para a requalificação da entrada Norte da Capital do Algarve», acrescenta o mesmo documento.

O novo empreendimento, desenvolvido num terreno com mais de 56 hectares, vai ser promovido pelo Fundo de Investimento Imobiliário Imogharb em articulação com a Câmara Municipal de Faro. O projecto é assinado pelo arquitecto Sidónio Pardal.


http://www.agenciafinanceira.iol.pt/not ... iv_id=1728 (http://www.agenciafinanceira.iol.pt/noticia.php?id=1061425&div_id=1728)
Título:
Enviado por: Chicken_Bone em Maio 10, 2009, 12:56:50 pm
Revista britânica seleccionou 101 spas
Spa português entre os melhores do Mundo

Citar
Aquafalls Hotel, no Gerês, foi distinguido pela revista «Tatler»O Aquafalls Spa Hotel, em Vieira do Minho, Gerês, é o único hotel português a integrar o «Tatler Spa Guide 2009», que este sábado saiu para as bancas em Inglaterra.

Imagens de sonho

A revista britânica, que assinala este ano 300 anos de existência, apresentou anteontem os 101 melhores spas do Mundo.

Situado no Gerês, o Aquafalls Spa Hotel foi o único hotel português a integrar esta selecção.

Na crítica publicada, a «Tatler» considera o espaço «verdadeiramente excitante e fresco, e um spa verdadeiramente revigorante».

Relaxe aqui (fotos)

«Este novo, genuíno e baby spa hotel tem vista fantástica sobre as soberbas montanhas da Peneda-Gerês, único parque natural do país. Tratamentos mistos combinados com passeios por florestas encantadas de carvalhos retorcidos e garranos selvagens, onde a água brota de penhascos escorrendo sobre as rochas», refere a crítica publicada na «Tatler».

Ainda segundo a revista, e «de volta ao hotel, os quartos em design moderno estão harmoniosamente dispostos na encosta. O elegante enquadramento paisagístico inclui um jardim com duas piscinas, e o encantador spa Sisley proporciona tratamentos phito-aromáticos que empregam agradáveis óleos essenciais».


http://www.agenciafinanceira.iol.pt/not ... iv_id=1728 (http://www.agenciafinanceira.iol.pt/noticia.php?id=1062770&div_id=1728)
Título:
Enviado por: André em Maio 11, 2009, 07:35:22 pm
Portugal é 17º mais competitivo no turismo a nível mundial


Portugal é o 17º destino mais competitivo a nível mundial, mas 73% das dormidas totais estão concentradas no Algarve, em Lisboa e na Madeira sendo necessário diversificar, afirmou hoje o presidente do Turismo de Portugal.

"Esta é uma realidade que deriva da forma como emergiu a nossa realidade turística, mas devemos tentar fazer sobressair outras valências que podem transformar certas regiões do país em regiões de importância turística", afirmou Luis Patrão na conferência Economia do Turismo e da Cultura, que decorreu na Assembleia da República.

O presidente do Turismo de Portugal sublinhou, nesse sentido, a importância do património.

"O património de um país como o nosso, com 800 anos de história, contribui para criar uma apetência para certas regiões. Nessa matéria, a preservação patrimonial é extremamente importante", sublinhou.

A conferência, da iniciativa da subcomissão parlamentar do Turismo, debateu a importância de se aprofundarem as sinergias entre o turismo e a cultura, com particular enfoque na recuperação e preservação do património cultural para fins turísticos.

"Turismo e cultura são um cluster alargado por explorar, do qual Portugal praticamente ainda não tomou consciência", sintetizou o deputado e presidente da subcomissão de Turismo, Mendes Bota.

"A interacção entre o turismo e a cultura está por analisar, bem como o impacto económico no turismo das artes, da cultura e do património", acrescentou.

Segundo dados de 2005, divulgados hoje por Luis Patrão, o sector do turismo representava 7,8% do total nacional de emprego.

Em 2008, as receitas totais anuais do turismo situaram-se nos 7.500 milhões de euros, tendo o país recebido cerca de 13 milhões de turistas e 40 milhões de dormidas na hotelaria.

Portugal encontra-se ainda entre os 20 principais destinos turísticos do mundo, sendo o 17º destino mais competitivo a nível mundial, segundo o Turismo de Portugal.

O peso do sector é actualmente de cerca de 11% do Produto Interno Bruto (PIB), tendo como objectivo atingir os 15% em 2015.

Lusa
Título:
Enviado por: André em Junho 10, 2009, 01:55:31 pm
Mais de um milhão de euros para promover o país em Moscovo, Varsóvia e Helsínquia


O Governo vai investir 1,12 milhões de euros na promoção de Portugal em Moscovo, Varsóvia e Helsínquia, potenciando o início dos voos regulares da TAP para essas três cidades, afirmou à Lusa o secretário de Estado do Turismo.

A partir de hoje a TAP começa a voar de forma regular, com cinco voos semanais, para Varsóvia e Moscovo e a partir de quarta-feira para Helsínquia.

«Nos três anos que vale o contrato assinado entre o Turismo de Portugal, a TAP, a ANA e a Associação de Turismo de Lisboa no sentido de financiar campanhas de marketing, vão ser investidos 500 mil euros em Moscovo, 417 mil euros em Varsóvia e 200 mil euros em Helsínquia», afirmou à Lusa o secretário de Estado do Turismo, Bernardo Trindade.

«Será um total de 1,12 milhões de euros comparticipados em 500 mil euros pelo Turismo de Portugal», acrescentou.

Segundo o secretário de Estado, o estabelecimento destes voos regulares com uma companhia aérea de bandeira abre boas perspectivas para que esses mercados continuem a crescer.

«Estes mercados tem vindo a crescer para Portugal a dois dígitos e com estes voos regulares, vão crescer mais», afirmou.

«Até ao presente momento, temos 16 mil reservas asseguradas para Moscovo, 15 mil para Varsóvia e 10 mil para Helsínquia», adiantou.

«Isto representa um esforço de visibilidade nestes mercados assinalável, que permite olhar para estes mercados de forma mais activa do que tínhamos vindo a olhar», acrescentou Bernardo Trindade.

É nesse sentido, disse o secretário de Esatdo, que vão as campanhas promocionais que Portugal está a desenvolver nestas três cidades através da rádio, televisão e outdoors (painéis de rua).

Lusa
Título:
Enviado por: cromwell em Junho 10, 2009, 04:57:24 pm
Realmente, o turismo é um pão nosso de cada dia cá em Portugal, neste tempo de crise, visto estarmos na lista dos 20 países mais visitados no mundo.
Título:
Enviado por: André em Julho 06, 2009, 06:38:23 pm
Portugal é o vigésimo destino mais procurado


Portugal é o vigésimo destino turístico mais procurado com 12, 3 milhões de visitantes. A Organização Mundial do Turismo (OMT) divulgou o ranking liderado por França

O ranking da OMT é encabeçado pela França, com 79,3 milhões de chegadas de turistas estrangeiros, seguida dos Estados Unidos, com 58 milhões, e de Espanha, na 3.ª posição, com 57,3 milhões. Portugal ocupa a 20.ª posição, o que equivale a 12,3 milhões de visitas de turistas estrangeiros.

A 4.ª posição é ocupada pela China, com 53 milhões, e a Itália está na 5.ª com 42,7 milhões, segue-se o Reino Unido, com 30,2 milhões, a Ucrânia, com 25,4 milhões, a Turquia, com 25 milhões, a Alemanha, com 24,9 milhões, e o México, com 22,6 milhões.

Em Portugal, o crescimento das receitas turísticas foi de 0,5 por cento, o que ficou aquém da estimativa da OMT para a evolução média no ano passado, que aponta para um crescimento em 1,8 por cento, mas melhor do que a média europeia (-1,1 por cento).

SOL
Título:
Enviado por: André em Julho 23, 2009, 05:19:57 pm
Turismo de Portugal pioneiro na sustentabilidade


O Turismo de Portugal vai passar a apresentar anualmente um relatório sobre o seu desempenho económico, ambiental e social, tornando-se na primeira entidade pública a fazê-lo no país e a segunda a nível europeu, a par do congénere sueco.

O anúncio foi feito hoje pelo presidente do Turismo de Portugal, Luís Patrão, na apresentação do primeiro relatório de sustentabilidade relativo a 2008, o primeiro ano completo de actividade do organismo.

Por enquanto, o documento só congrega dados sobre o desempenho do instituto, mas o objectivo é que em 2009 já inclua indicadores sobre o desempenho do sector (hotelaria, empresas turísticas, agências), adiantou o responsável.

No ano passado, o relatório revela que 95% da hotelaria nacional já tinha lâmpadas economizadoras de energia, 100% dos hotéis de cinco estrelas faziam recolha de resíduos e 78% mudavam toalhas e lençóis a pedido de clientes. Outros 17% aproveitavam a energia solar para o aquecimento de água, 22% utilizavam resíduos orgânicos para combustagem e 6% dos estabelecimentos tinham certificação ambiental.

«O objectivo para 2009 é aproximar o mais possível estes dados dos 100% de concretização», salientou Luís Patrão, sem quantificar as metas para 2009.

O mesmo responsável disse ainda que, no que toca ao Turismo de Portugal, devem optimizar-se os sistemas informáticos, por exemplo em processos de licenciamento ou em financiamento de projectos turísticos que ainda são feitos com recurso ao papel.

SOL
Título:
Enviado por: André em Julho 24, 2009, 10:48:05 pm
Revista norte-americana diz que Madeira é a quarta melhor ilha da Europa


A Madeira está no topo das preferências dos leitores da revista norte-americana Travel & Leisure: é a quarta melhor ilha europeia, votaram, a contar para mais uma edição anual dos World’s Best Awards.

Na análise feita pela revista, ficaram à frente da Madeira as ilhas Aeolian, na Itália (primeiro lugar), Dalmatia, na Croácia (segundo), e Santorini, na Grécia (terceiro). Segundo o I, a lista das cinco melhores completa-se com as gregas Cyclades.

A Bola
Título:
Enviado por: Chicken_Bone em Agosto 02, 2009, 04:15:17 pm
Como talvez seja a única notícia por algum tempo, fica aqui, mesmo quase que não seja relacionada

Hollywood português: negócio milionário
Mil postos de trabalho envolvidos

Citar
O projecto Picture Portugal, que pretende atrair para o nosso país a indústria cinematográfica norte-americana, garantiu já onze produções.

Em conjunto, estas produções deverão gerar uma receita fiscal de 1.200 milhões de euros e envolver mais de mil postos de trabalho, segundo estimativas dos promotores daquele projecto, citados pela Lusa.

«Estas produções envolvem mais de um milhar de postos de trabalho directos na produção dos filmes», disse o produtor de cinema Artur Curado, um dos cinco consultores internacionais que acompanham o projecto Picture Portugal.

«Este lote de produções, num cenário pessimista, tem um potencial de lucros de 300 milhões de euros e de 1.500 milhões de euros de receitas», acrescentou ainda, para evidenciar o peso do sector que a empresa municipal pretende atrair para Portimão.


http://diario.iol.pt/economia/portugal- ... -4058.html (http://diario.iol.pt/economia/portugal-europa-picture-portugal-cinema/1079608-4058.html)
Título:
Enviado por: cromwell em Agosto 02, 2009, 04:48:51 pm
Citação de: "Chicken_Bone"
Como talvez seja a única notícia por algum tempo, fica aqui, mesmo quase que não seja relacionada

Hollywood português: negócio milionário
Mil postos de trabalho envolvidos

Citar
O projecto Picture Portugal, que pretende atrair para o nosso país a indústria cinematográfica norte-americana, garantiu já onze produções.

Em conjunto, estas produções deverão gerar uma receita fiscal de 1.200 milhões de euros e envolver mais de mil postos de trabalho, segundo estimativas dos promotores daquele projecto, citados pela Lusa.

«Estas produções envolvem mais de um milhar de postos de trabalho directos na produção dos filmes», disse o produtor de cinema Artur Curado, um dos cinco consultores internacionais que acompanham o projecto Picture Portugal.

«Este lote de produções, num cenário pessimista, tem um potencial de lucros de 300 milhões de euros e de 1.500 milhões de euros de receitas», acrescentou ainda, para evidenciar o peso do sector que a empresa municipal pretende atrair para Portimão.

http://diario.iol.pt/economia/portugal- ... -4058.html (http://diario.iol.pt/economia/portugal-europa-picture-portugal-cinema/1079608-4058.html)


Talvez possam fazer o filme: Manuel I, the Golden Age. :lol:
Título:
Enviado por: Chicken_Bone em Agosto 03, 2009, 06:45:01 pm
Benhe, se continuáre assínhe, teremos q'abrire unhe tópico nobo.

Citar
Onze produções de Hollywood vão ser filmadas no Algarve
Segundo apurou o IOLCinema, Joaquim de Almeida já está em fase de contratações

O Algarve está a transforma-se no berço de um complexo de estúdios de cinema que pretende colocar a região no mapa das produções de Hollywood e que poderá alterar a lógica de funcionamento do sector em Portugal, noticia a agência Lusa.

O projecto intitula-se Picture Portugal, partiu da Câmara Municipal de Portimão e da Algarve Film Comission, e situa-se no Park Algar, uma estrutura com mais de uma centena de hectares junto ao Autódromo do Algarve e que inclui ainda hotéis e um centro tecnológico.

O actor Joaquim de Almeida é um dos rostos mediáticos deste projecto que tem como objectivo cativar responsáveis dos estúdios de cinema e os produtores norte-americanos para que escolham o Algarve para rodar os seus filmes. E este é um objectivo que começa a desenhar-se.

Existem já onze produções cinematográficas norte-americanas a realizar-se no âmbito do projecto Picture Portugal e que deverão gerar uma receita fiscal de 1.200 milhões de euros e envolver mais de mil postos de trabalho, estimam os promotores daquele projecto. Desconhecem-se, no entanto, pormenores sobre estes filmes. No entanto, segundo apurou o IOLCinema, Joaquim de Almeida já está em fase de contratações.

Em declarações à agência Lusa, Artur Curado, produtor de cinema e um dos cinco consultores internacionais que acompanham o projecto Picture Portugal, disse que «estas produções envolvem mais de um milhar de postos de trabalho directos na produção dos filmes».

«Este lote de produções, num cenário pessimista, tem um potencial de lucros de 300 milhões de euros e de 1.500 milhões de euros de receitas», disse ainda, para evidenciar o peso do sector que a empresa municipal pretende atrair para Portimão.


http://diario.iol.pt/cinema/picture-fil ... -4059.html (http://diario.iol.pt/cinema/picture-filmes-joaquim-de-almeida-algarve/1079722-4059.html)
Título: Re: Sector do Turismo e Hotelaria
Enviado por: Chicken_Bone em Outubro 26, 2009, 01:53:27 am
Citar
Revista americana põe Porto no top do Mundo
00h35m
MARTA NEVES
 
foto Adelino Meireles/JN
Revista americana põe Porto no top do Mundo
O casal americano, Sharon e Frederik, já tinham vindo a Portugal, mas só agora conheceram o Porto
 

 "Travel & Leisure" elogia património. Comerciantes agradecem incentivo.

A revista americana "Travel & Leisure" considerou, na edição deste mês, o Porto como um dos destinos "mais charmosos e acessíveis" do Mundo. Comerciantes vêem no elogio um "incentivo". Já os turistas valorizam a cidade de "beleza única".

"Arquitectos de renome internacional dão um toque de modernidade ao cenário medieval da segunda maior cidade de Portugal, como são disso exemplo a Casa da Música, desenhada por Rem Koolhaas ou o Museu de Arte Contemporânea de Serralves, projectado pelo arquitecto português Álvaro Siza Vieira", pode ler-se na publicação americana, que destacou igualmente outros locais de interesse da cidade como o café Majestic, a livraria Lello, a esplanada da praia da Luz, o restaurante Shis, a Guest House Douro e o Hotel Pestana Porto.

Carmen Rodriguez, proprietária do hotel de charme Guest House Douro, que goza de vista privilegiada para o rio Douro, recordou, ao JN, a "experiência magnífica" de, em Julho, ter recebido a equipa da "Travel & Leisure", e especificamente a directora de moda da revista, Mimi Lombardo.

"Foi formidável ver como se apaixonaram pelo Porto e como ficaram encantados com tudo o que viram", contou a proprietária do hotel, que não tem dúvidas que sendo a publicação "a maior revista de viagens dos Estados Unidos" da América, o impacto da notícia "é obviamente enorme e muito interessante para o Porto".

Antero Braga, responsável da livraria Lello, também reconhece que "é uma honra estar continuamente a receber elogios" por parte da Imprensa estrangeira , porque funcionam como um "incentivo para se tentar fazer um melhor trabalho" (ler texto na página).

"Bairrismos à parte", José Gomes, de 75 anos, natural do Porto, confessou ser um "amante da Invicta" e, por isso, explicou "ser difícil eleger o local mais bonito da cidade". Ainda assim, o idoso não tem dúvidas que os "lugares citados pela revista amerciana são muito elitistas", preferindo destacar "a vista sobre o rio Douro". "Ao menos é gratuita", sublinhou.

Depois de terem conhecido Lisboa e o Alentejo, os americanos Sharon e Frederick Klein decidiram regressar a Portugal. "Mas desta vez para ir ao Pinhão e ao Porto", contou Sharon ao JN.

De máquina fotográfica em punho direccionada para o café Majestic, Frederick desabafa que "ao contrário do que se sente em Lisboa, o Porto é centro cultural com muito mais dinamismo. "É com toda a certeza a cidade do país com mais charme". E será a do Mundo? "Bem, uma coisa é certa, o Porto não pode ser comparado a nada, porque o seu maior charme é a simpatia das pessoas", concluiu.

http://jn.sapo.pt/paginainicial/pais/co ... id=1401308 (http://jn.sapo.pt/paginainicial/pais/concelho.aspx?Distrito=Porto&Concelho=Porto&Option=Interior&content_id=1401308)
Título: Re: Sector do Turismo e Hotelaria
Enviado por: Lusitano89 em Dezembro 29, 2009, 07:32:12 pm
Alentejo registou em 2009 o melhor ano turístico de sempre


O presidente do Turismo do Alentejo, Ceia da Silva, garantiu hoje que, apesar da crise, este foi "o melhor ano turístico de sempre" na região, tendo sido ultrapassados os resultados de 2007 em "todos os indicadores".

"Esperamos que os números do Alentejo, que fizeram de 2009 o melhor ano turístico de sempre, possam continuar em 2010", afirmou o responsável da Entidade Regional de Turismo (ERT), em conferência de imprensa realizada em Évora.

Acompanhado pelos vice-presidentes da ERT, Ceia da Silva apresentou hoje aos jornalistas as principais linhas de actuação do Turismo do Alentejo para o próximo ano, em que vai vigorar um orçamento de 6,4 milhões de euros.

Além das linhas de orientação para 2010, o presidente da ERT aludiu aos dados do Instituto Nacional de Estatística (INE) para afiançar que o Alentejo vai fechar 2009 com os melhores indicadores turísticos de sempre, não obstante a crise nacional e internacional.

"Estamos perante o melhor ano turístico de sempre", sublinhou, garantindo que as estatísticas do INE, já com dados oficiais até final de Outubro, dão conta do crescimento da região "em todos os indicadores".

Segundo Ceia da Silva, mesmo "partindo dos pressupostos mais negativos", uma vez que ainda não há dados oficiais sobre Novembro e Dezembro, "no final deste mês o Alentejo estará perante um número de dormidas anual como nunca teve", ultrapassando os resultados obtidos em 2007.

"Só teremos os números globais no final de Dezembro. Mas, até final de Outubro, já estávamos muito próximos dos dados totais de 2007, que tinha sido, até agora, o melhor ano da região", acrescentou.

O crescimento deve-se "fundamentalmente ao turismo nacional", adiantou o responsável, destacando, contudo, que o Alentejo conseguiu também "aguentar os números de 2007 e 2008" no que respeita ao número de turistas estrangeiros.

Os resultados do Alentejo traduzem-se "em mais dormidas, numa melhor taxa de permanência média, que vai subir ligeiramente de 1,6 para 1,7 ou 1,8 noites na região, e no aumento das receitas e do rendimento por quarto", disse.

"Vendemos mais sem baixar os preços", afiançou Ceia da Silva, assegurando que este desempenho não é explicado pela abertura de novas unidades hoteleiras, porque ao mesmo tempo "fecharam outras".

"Será que os portugueses não foram para o estrangeiro por causa da crise e vieram para o Alentejo? Se o fizeram, estamos satisfeitos porque escolheram o Alentejo e não outras regiões de Portugal, como o Algarve, Lisboa, Madeira e Açores, que desceram, ou o Norte e Centro, que se mantiveram mais ou menos iguais", frisou.

O crescimento turístico do Alentejo, enfatizou o presidente da ERT, também se deve à aposta na promoção da região junto do mercado interno.

A Turismo do Alentejo, recordou, foi a "única ERT do país" a lançar, há precisamente um ano, uma campanha destinada ao turismo interno, designada "No Alentejo Há Mais", que vai prosseguir em 2010, com o reforço das vantagens oferecidas ao turista.

No próximo ano vai ainda avançar o projecto do Observatório Regional de Turismo do Alentejo, a implementar em parceria com os núcleos empresariais e instituições de ensino superior da região (Universidade de Évora e institutos politécnicos de Beja e Portalegre).

"Neste momento, só temos os dados da actividade turística que são fornecidos pelo INE, mas vamos criar o Observatório porque entendemos que temos que ter outros números, nomeadamente do turismo em espaço rural, do movimento na restauração, do grau de satisfação e do perfil do turista", explicou o presidente da ERT.

Lusa
Título: Re: Sector do Turismo e Hotelaria
Enviado por: Lusitano89 em Janeiro 11, 2010, 07:10:41 pm
Guimarães bate recorde de procura turística em 2009


O ano de 2009 registou um recorde absoluto de afluência aos postos de informação de turismo de Guimarães, com 70.075 visitantes, o que "confirma o aumento da procura turística do concelho", disse hoje a autarquia.

A fonte adiantou que o aumento da afluência em 2009, mais 4,3%," resultou principalmente por via dos turistas espanhóis, com 33% do total".

"Espanha afirma-se como o principal mercado emissor, mantendo o primeiro lugar, seguido de Portugal e de França, com 22 e 16%, respectivamente", acentua o organismo, frisando que as três nacionalidades representaram 71% do total.

A Zona de Turismo de Guimarães - cidade património mundial da UNESCO - assinala que os dados apurados, relativamente à origem por províncias dos visitantes espanhóis em 2009, indicam que "42% são oriundos da província espanhola mais próxima e com melhores acessibilidades com a região minhota - a Galiza".

Sublinha que o período de Abril a Setembro, com especial incidência dos meses de Julho e Agosto, foi o que registou maior número de visitantes. Estes seis meses representaram 76% do total de visitantes.

Acrescenta que a taxa média de ocupação por quarto de hotel acompanhou a evolução positiva do número de visitantes, com um aumento de três pontos percentuais.

Lusa
Título: Re: Sector do Turismo e Hotelaria
Enviado por: Lusitano89 em Janeiro 11, 2010, 09:10:11 pm
Hotel de luxo em Évora nos 500 melhores do mundo


O Hotel Convento do Espinheiro, em Évora, instalado num edifício do século XV classificado como Monumento Nacional, é a única unidade hoteleira portuguesa no ranking das 500 melhores do Mundo, elaborado por uma revista norte-americana.

Na sua edição deste mês, a publicação Travel and Leisure divulga a lista dos 500 Melhores Hotéis do Mundo para 2010 (500 World's Best Hotels 2010), elaborada a partir da votação dos leitores da revista norte-americana.

O Hotel Convento do Espinheiro - A Luxury Collection Hotel & Spa, de cinco estrelas, conseguiu 87.50 pontos, em 100 possíveis, tendo o primeiro classificado (Bushmans Kloof - Wilderness Reserve and Wellness Retreat, na África do Sul) atingido os 98.67.

Em declarações à agência Lusa, o director da unidade hoteleira alentejana congratulou-se hoje por o Convento do Espinheiro constar do ranking e ser mesmo o único empreendimento turístico português referido na revista.

"É o reconhecimento da qualidade do hotel e dos seus serviços, assim como do trabalho que temos vindo a fazer junto do mercado norte-americano, com um investimento intensivo ao longo de vários anos", disse Dinis Pires.

Esta aposta, acrescentou, deu visibilidade à unidade hoteleira nos EUA, fazendo com que este seja "o principal mercado estrangeiro" do hotel.

"É um mercado onde já somos fortes e onde ainda esperamos continuar a crescer. Estes reconhecimentos dão muita credibilidade, muito mais do que qualquer publicidade que possamos fazer", afirmou.

O responsável destacou, por outro lado, que as características do Hotel Convento do Espinheiro, "com muita história e uma ligação ao património português, também agradam os clientes norte-americanos".

"Temos tido a capacidade de transformar este monumento num sítio onde é muito agradável estar", disse Dinis Pires, dando como exemplo das "verdadeiras experiências" que constam da oferta do Convento do Espinheiro "a degustação de produtos vínicos dentro de uma cisterna gótica".

Uma das grandes mais-valias desta unidade é o facto de aproveitar um antigo convento do século XV, que tem uma igreja anexa, o que "transporta" os turistas para episódios da História de Portugal.

"Temos um conjunto de pessoas que têm tido muitas aulas para partilharem um pouco da História de Portugal com os nossos clientes", revelou.

Situado a cerca de dois quilómetros de Évora, o Hotel Convento do Espinheiro dispõe de 82 quartos e dez suites, Spa, salas para conferências, piscinas exterior e interior, campos de ténis e vários jardins.

Um restaurante gourmet, instalado na antiga adega do convento, com grandes talhas de vinho e azeite, e a antiga cisterna, hoje adaptada às provas de vinho, são outras das valências da unidade hoteleira.

O Convento de Nossa Senhora do Espinheiro, construído em 1458, por decisão do então Bispo de Évora, D. Vasco Perdigão, com o apoio da Casa Real, mais precisamente de D. Afonso V, recebeu, com frequência, ao longo dos séculos, a visita de monarcas e chegou a acolher as Cortes em 1481.

Lusa
Título: Re: Sector do Turismo e Hotelaria
Enviado por: Lusitano89 em Janeiro 14, 2010, 09:38:57 pm
Madeira mantém aposta de atrair turistas portugueses em 2010


A grande aposta do Turismo da Madeira este ano continua a ser nos turistas portugueses, que representam 60 por cento do total dos visitantes, de acordo com a secretária regional do Turismo da região.

"Em 2009, o Aeroporto da Madeira apresentou um crescimento de 13 por cento no número de passageiros com origem no mercado português", disse à agência Lusa Conceição Almeida Estudante, secretária regional do Turismo e Transportes da Madeira.

"O período de estada média do cliente português na Madeira aumentou de Janeiro a Agosto de 2009. Temos tido uma resposta favorável, pelo que esperamos que 2010 possa compensar a quebra sentida em 2009", afirma.

Por via marítima foram 37.161 os passageiros que passaram pelo Porto do Funchal, na ligação entre a Madeira, Portimão e Canárias. Destes, mais de 10.000 foram transportados para a Madeira, a partir de Portimão.

No total, houve uma movimentação de 346.649 passageiros no Aeroporto , menos 4,1 por cento. Os passageiros de cruzeiro chegaram a 435.821, tendo crescido em 8 por cento face ao ano anterior.

"A Madeira recebeu, em 2009, 177.549 hóspedes, mais 16 por cento; registando 636.643 dormidas, mais 18,6 por cento do que no ano anterior; com uma estada média de 3,3 noites", referiu a responsável.

O transporte aéreo é uma das peças chave deste sector. A novidade de 2010 é a entrada no circuito de uma nova companhia 'low-cost', a Transavia, que passará a operar entre o Porto e o Funchal.

Conceição Estudante espera que 2010 seja um ano de consolidação: "Estamos a preparar a emissão da mini-série 'Até amanhã, meu amor', na TVI, no primeiro trimestre deste ano. Estaremos presentes nas principais feiras de turismo (BTL, Expo noivos, Mundo VIP, Mundo Abreu e Braga Noivos) e continuaremos com iniciativas de promoção junto do consumidor final, designadamente em diversos Centros Comerciais 'Dolce Vita'".

Nas palavras da secretária regional, "2009 foi o ano de grande projecção, com o lançamento da Campanha 'Madeira, Viagem de Encantar'; com a emissão da novela 'Flor do Mar', no ar ao longo de um ano, na TVI, e com o arranque das gravações para a nova mini-série da TVI".

"O turismo da Madeira tem como mercado alvo os seniores, aqueles que têm possibilidade de viajar todo o ano", refere Conceição Estudante.

As ofertas são variadas, estando o turismo de natureza, e o turismo de saude e bem estar no centro da estratégia global. Gastronomia, flores, beleza da paisagem e mais recentemente as actividades radicais são as maiores atractividades para clientes portugueses, alemães, ingleses, franceses, espanhóis e dos mercados emergentes do Leste Europeu e do Norte Báltico da Europa.

"O sector do turismo tem mantido alguma estabilidade ao nivel das receitas, com 300 milhoes de euros anuais (2008). Em 2009 houve uma quebra das receitas na ordem dos 14 por cento. Prevemos acabar o ano com valores que serão muito proximos aos alcançados em 2007", antecipou.

Para 2010 espera-se "um ligeiro crescimento", acrescenta a responsável pelo turismo na Região Autónoma da Madeira, com um orçamento para o presente ano que ascende a cerca de 23 milhões de euros.

Lusa
Título: Re: Sector do Turismo e Hotelaria
Enviado por: Lusitano89 em Janeiro 25, 2010, 08:01:24 pm
2009 foi o pior dos últimos quinze anos no Algarve


O ano turístico de 2009 foi o pior dos últimos quinze anos no Algarve, com a taxa de ocupação hoteleira a registar uma diminuição de doze por cento em relação ao ano anterior, revelou hoje a principal associação do sector da região.
O cenário é ainda mais negro do que o registado em 2004, ano em que as taxas de ocupação foram bastante baixas no Algarve, disse hoje em conferência de imprensa o presidente da Associação dos Hotéis e Empreendimentos do Algarve (AHETA).

Segundo Elidérico Viegas, esta descida acentuada não significa que em termos globais para o País tenham havido menos turistas ou receitas desde há quinze anos, significa que em termos médios para as empresas a situação "foi a pior" desde há quinze anos.

"A crise generalizada reflectiu-se numa descida bastante acentuada das taxas de ocupação e sobretudo nas receitas turísticas das empresas", afirmou Elidérico Viegas à margem da conferência de imprensa onde fez o balanço do ano turístico de 2009.

Por outro lado, salienta, a crise interna existente no Reino Unido - principal mercado emissor de turistas para o Algarve, causada pela desvalorização da libra face ao euro, também afastou alguns turistas para destinos onde têm mais poder de compra.

Outro dado novo registado em 2009 foi o facto das unidades hoteleiras de três estrelas terem sido as que apresentaram as maiores taxas de ocupação, quando normalmente eram as de quatro e cinco estrelas.

A zona de Monte Gordo foi a que registou a taxa de ocupação média mais elevada do Algarve, com 76 por cento, seguindo-se Albufeira, com 55 por cento e Vilamoura e Quarteira, com 53 por cento.

Quanto a outras áreas do turismo, Elidérico Viegas salientou que se registou no Aeroporto de Faro, em 2009, uma redução de sete por cento no movimento total de passageiros face ao ano anterior.

Lusa
Título: Re: Sector do Turismo e Hotelaria
Enviado por: Lusitano89 em Fevereiro 24, 2010, 03:28:12 pm
Madeira: Hoteleiros pedem promoção agressiva para evitar quebra


Os hoteleiros da Madeira pediram hoje medidas concretas, como campanhas de marketing agressivas e a redução das taxas aeroportuárias para evitar a redução do fluxo de turistas nos próximos meses.

"Março e Abril são os dois meses com preços de hotelaria mais altos durante o ano" e "estamos a ter muitos cancelamentos de viagens", afirmou à Lusa António Trindade, um dos principais hoteleiros da ilha.

Neste momento, "a maioria dos operadores turísticos não está a devolver" o preço pago pelos bilhetes, apesar dos "cancelamentos diários".

No entanto, é necessário evitar "o desvio das férias" por parte dos turistas, pelo que será preciso "sermos particularmente agressivos com os nossos possíveis clientes", seja "ao nível de preços ou de marketing", afirmou António Trindade.

Para o hoteleiro, a Madeira tem de "aprender com os desastres naturais de outros destinos turísticos" que conseguiram "recuperar rapidamente a sua imagem" nos mercados internacionais, numa referência à Indonésia e à Tailândia.

"O preço e as acessibilidades são factores essenciais" para contrariar a quebra turística, mas também uma "aposta na revalorização da imagem pública da ilha".

"Temos de tentar compensar as más imagens que foram passadas de sábado com a divulgação do trabalho de recuperação que está a ser feito, que é a todos os níveis louvável", afirmou o responsável.

Posição semelhante tem outro grupo hoteleiro da ilha, que reclama uma maior aposta do Turismo de Portugal na promoção da Madeira nos próximos meses.

"Se não corrigirmos a nossa imagem rapidamente, o futuro do sector está em risco", afirmou fonte da empresa.

Apesar disso, ainda são muitos os turistas que permanecem no Funchal depois de sábado.

Lusa
Título: Re: Sector do Turismo e Hotelaria
Enviado por: Lusitano89 em Março 01, 2010, 05:20:01 pm
Portugal investe 5,5 M€ na promoção externa


Portugal vai investir 5,5 milhões de euros em 2010 na promoção do país no estrangeiro, anunciou hoje o vice-presidente do Turismo de Portugal, que destacou Espanha e França como fortes apostas para este ano.

Em declarações à Lusa, Frederico Costa, reconheceu as fragilidades de alguns mercados devido à crise económica que se faz sentir, como é o caso do Reino Unido, mas apontou França e Espanha como sendo "as fortes apostas de Portugal para este ano", pois são países que revelam "alguma recuperação no sector".

O investimento de 5,5 milhões de euros será o valor base do investimento anual até 2013, menos meio milhão de euros por ano em relação aos últimos três anos, segundo explicou.

Esta poupança prende-se com o facto de o Turismo de Portugal ter decidido alterar o seu stand de apresentação para o próximo triénio tendo para isso aberto um concurso público ao qual concorreram 14 empresas.

Assim, o novo stand hoje apresentado aos jornalistas estreia-se em Berlim, na Alemanha, na feira de turismo ITB que decorrerá de 14 a 15 de Março.

Segundo Frederico Costa, "a nova estrutura pretende projectar internacionalmente uma imagem moderna e dinâmica de Portugal enquanto destino turístico, recorrendo a um visual esteticamente mais apelativo".

Captar a atenção de novos turistas e aumentar a percepção da qualidade da oferta turística do país são os principais objectivos desta nova imagem que realça a diversidade de ofertas: sol, praia, cultura, golfe e gastronomia.

O novo stand estará presente em cerca de 30 feiras em mais de 20 países.

Lusa
Título: Re: Sector do Turismo e Hotelaria
Enviado por: Lusitano89 em Março 13, 2010, 01:55:40 am
Açores: Estratégia no sector turístico passa pela divulgação das ilhas como destino


O secretário regional da Economia dos Açores admitiu hoje que a intervenção no setor turístico da região "tem de passar cada vez mais por uma maior notoriedade do destino Açores".

"A intervenção no desenvolvimento turístico tem de se centrar cada vez mais na notoriedade dos destinos e no maior conhecimento do destino Açores junto dos principais mercados emissores", explicou Vasco Cordeiro, durante a apresentação do Livro ""Marketing Turístico: Conceitos e Tendências", em Ponta Delgada.

O responsável pela pasta da economia nos Açores adiantou que estão em curso algumas parcerias públicas e privadas que visam aumentar a notoriedade do destino Açores e o reposicionamento em alguns mercados.

No dia em que foram reveladas estatísticas que apontam para uma quebra nas dormidas na ordem dos 25,5 por cento na hotelaria açoriana, em janeiro de 2010 e face ao ano homólogo, o secretário regional da economia justifica o decréscimo com a "suscetibilidade do sector face a fatores externos" e a "contração a nível mundial".

"Se analisarmos, esse decréscimo tem a ver fundamentalmente com um decréscimo muito substancial do mercado escandinavo, resultante da suspensão de um dos operadores turísticos que operava nesta área", adiantou.

Vasco Cordeiro sublinhou ainda que "não existem receitas milagrosas que de um momento para o outro permitam resolver o assunto" e que o importante é traçar uma estratégia a médio-longo prazo que possa contribuir para potenciar um crescimento turístico ainda possível em 2010.

O secretário regional da economia espera poder ver os resultados das medidas implementadas pelo governo dos Açores para inverter a situação, a partir do mês de fevereiro, sobretudo no que toca ao reflexo das operações da SATA para Estocolmo e Copenhaga e às campanhas de promoção dos Açores no mercado escandinavo.

Vasco Cordeiro falava esta noite durante a apresentação do livro da autoria de João Couto, Carlos Faias e Cláudia Faias, docentes na área do Turismo, na Universidade dos Açores.

Trata-se de um manual dedicado aos alunos e que avalia as tendências de evolução do marketing turístico dos Açores comparativamente ao da Região Autónoma da Madeira.

Para Cláudia Faias, uma das autoras do livro, o marketing turístico dos Açores está em evolução, mas ainda numa fase muito inicial, que, por exemplo, os Estados Unidos já passaram há mais de meio século.

"Estamos numa fase em que o marketing adota um papel praticamente igual a qualquer departamento, como por exemplo a função da produção, dos recursos financeiros e humanos, enquanto nos Estados Unidos já existem muitas empresas em que o marketing já adota uma função integradora, em que o cliente é o principal objetivo da operação", explicou.

Ionline
Título: Re: Sector do Turismo e Hotelaria
Enviado por: Lusitano89 em Abril 11, 2010, 03:14:45 pm
Campanha: «Este ano há uma razão extra» para ir à Madeira


Anúncios de televisão, rádio e imprensa começam no próximo fim de semana a lembrar que «este ano há uma razão extra» para fazer férias na Madeira, numa campanha organizada por cidadãos sem que tenha sido pago «um cêntimo».

A iniciativa será apresentada na quarta feira em Lisboa, na presença de várias das figuras públicas que se disponibilizaram para apoiar a região depois da intempérie de 20 de fevereiro, como Marcelo Rebelo de Sousa, Rui Veloso, Manuela Moura Guedes, Margarida Rebelo Pinto, Maria Rueff, Judite de Sousa ou Fernando Alvim.

Segundo Filipe Santos Costa, um dos promotores da campanha «Este ano vá de férias à Madeira», o objetivo não é vender o arquipélago como destino turístico, mas mostrar que a escolha do local para as férias é «um ato de solidariedade» que vai ajudar a economia regional a recompor-se.

O representante sublinhou à Lusa que os anúncios começam a ser divulgados nos cerca de 30 «media partners' durante a Festa da Flor, altura de recomeço para a região, e vão surgir ao longo do resto do ano.

«A campanha é lançada agora porque já há um distanciamento suficiente em relação àquelas imagens terríveis que todos vimos, mas por outro lado estamos a entrar naquele momento em que o que aconteceu corre o risco de cair no esquecimento ou em que as pessoas podem julgar que está resolvido», explicou.

Filipe Santos Costa referiu esta á uma iniciativa «100% sociedade civil», em que um primeiro grupo de cidadãos foi reunindo amigos e conhecidos de várias áreas profissionais, e com um caráter totalmente voluntário: «Não foi pago um cêntimo a quem quer que seja, desde a agência de publicidade, a produtora, o estúdio de fotografia, o estúdio de gravação ou as ‘voz off’ dos anúncio».

O promotor lembrou que o temporal de 20 de fevereiro, que provocou 43 mortos e oito desaparecidos, motivou prejuízos de cerca de 1400 milhões de euros.

Lusa
Título: Re: Sector do Turismo e Hotelaria
Enviado por: Lusitano89 em Abril 21, 2010, 12:55:26 pm
Portugueses elegem Algarve e Madeira para férias


O Algarve e a Madeira foram as regiões que, nos últimos cinco anos, denotaram uma maior sazonalidade das dormidas das famílias residentes em Portugal.
De acordo com os números do INE, entre 2005 e 2009, o mercado dos residentes em Portugal registou um acréscimo de 1,6 milhões no número de dormidas e de cerca de 1 milhão no número de hóspedes nos estabelecimentos hoteleiros.

Em 2009, 57,6% das dormidas das famílias residentes em Portugal, ocorreram em hotéis, mais 2,5 pontos percentuais face a 2005. Desde 2008, os portugueses preferem fazer viagens turísticas com destinos nacionais em vez das internacionais.

A Madeira e o Algarve foram as regiões que denotaram uma menor importância relativa do mercado nacional, avaliada tanto em termos de dormidas como de hóspedes, com percentagens nas dormidas de 16,3% e 27,7%, respectivamente, em 2009.

Na situação oposta encontravam-se a região do Alentejo e a região Centro, com percentagens superiores a 65%, quer ao nível das dormidas, como nos hóspedes.

Nos últimos 5 anos, o Algarve, a par dos Açores, foram as regiões onde o mercado dos residentes mais cresceu em termos de quota, sendo que no Norte se verificou o contrário», avança a mesma fonte.

Os motéis, seguidos das pensões e das pousadas, correspondem aos tipos de estabelecimentos onde predominaram as dormidas de hóspedes portugueses face aos hóspedes estrangeiros, tendência que, entre 2005 e 2009, se acentuou nos motéis e nas pousadas.

Em média, em 2005, os hóspedes passaram 3,1 dias nos estabelecimentos hoteleiros, tendo esse período baixado para os 2,8 dias em 2009. Por mercado, a quebra foi mais intensa no caso dos não residentes (estrangeiros), cuja estadia passou de 4 dias em 2005 a 3,6 dias em 2009. No caso dos residentes (portugueses), a quebra foi de apenas 0,1 dias.

Lusa
Título: Re: Sector do Turismo e Hotelaria
Enviado por: Lusitano89 em Maio 03, 2010, 05:48:44 pm
Turismo é «a principal indústria nacional»


O presidente do Turismo de Portugal, Luís Patrão, apontou hoje o sector turístico como "a principal indústria nacional", destacando ser "o único" que, ao exportar, cria riqueza e emprego a nível interno.

"O turismo é o único que exporta mandando vir os compradores do exterior para o interior, para consumirem os seus produtos aqui, criando riqueza e emprego no território nacional".

Luís Patrão falava aos jornalistas à margem da conferência internacional "Gastronomia Mediterrânica: Um Tesouro de Gerações", que decorreu hoje em Évora.

Questionado sobre qual o contributo do turismo para ajudar o País a ultrapassar as dificuldades económicas, o responsável lembrou que a área "caminha a passos largos, se é que não pode já reivindicar essa condição", para ser "a principal indústria nacional".

"É talvez aquela área, só por si, identificado sector por sector, em que o ganho para o País é mais evidente e mais sentido", sublinhou.

Segundo Luís Patrão "o volume consolidado de negócios" do turismo em Portugal representa já "cerca de 7 mil milhões de euros anuais", podendo "claramente aumentar" sem requerer "um esforço extraordinário" de todos os envolvidos no sector.

O turismo nacional caracteriza-se por "dois terços de procura externa e um terço de procura interna", o que demonstra "bem o potencial" do sector, ao "trazer divisas, riqueza e desenvolvimento económico" para o País.

Nesse âmbito, afirmou, o produto turístico que engloba a gastronomia e os vinhos ainda pode ser melhor trabalhado, para atingir o profissionalismo já existente na hotelaria.

Quando este "puder ser transferido também para a generalidade da restauração, para que a qualidade média do serviço atinja níveis ainda mais elevados de prestação, estaremos em condições de retirar mais benefícios do turismo", para "atrair mais turistas externos", sustentou.

A conferência em Évora, com especialistas nacionais e internacionais, insere-se na iniciativa "Alentejo das Gastronomias Mediterrânicas", que decorre até domingo na cidade alentejana.

Centrado na promoção das potencialidades da gastronomia tradicional e dos vinhos da região, o evento integra também workshops, conversas temáticas, aulas de culinária, demonstrações e jantares com chefes de cozinha, assim como a Semana das Comidas de Azeite.

O presidente do Turismo de Portugal classificou o Alentejo como "uma das duas regiões do País, juntamente com o Norte, que têm na gastronomia e nos vinhos um dos seus produtos de excelência".

E, para incrementar a sua importância turística, salientou que a região deve, em primeiro lugar, trabalhar para melhorar o produto e, em segundo lugar, na sua promoção.

"Quando nos sentamos à mesa de um restaurante e escolhemos um prato, é desejável que possa estar algo explicado ou desenvolvido nas ementas", exemplificou, defendendo ainda a existência de "interacção entre quem serve e quem é servido" para dar ao produto gastronómico "a dimensão de uma verdadeira experiência cultural".

Lusa
Título: Re: Sector do Turismo e Hotelaria
Enviado por: Lusitano89 em Maio 28, 2010, 01:24:35 pm
Receitas turísticas aumentaram 6,3% no primeiro trimestre


As receitas turísticas do primeiro trimestre de 2010 aumentaram 6,3%, comparativamente com o mesmo período do ano passado, apesar da conjuntura desfavorável, anunciou hoje em Tróia o Secretário de Estado do Turismo, Bernardo Trindade.

"Em termos de valor acumulado, as receitas turísticas entre Janeiro e Março deste ano, tiveram um crescimento de 6,3% em relação ao mesmo período de 2009, o que é notável", disse.

"E nesse particular gostaria de destacar esta região do Alentejo que, no ano de 2009, em que a generalidade das regiões turísticas dos países, decresceram, a região do Alentejo foi a única que apresentou resultados positivos", acrescentou.

Bernardo Trindade, que falava na abertura da Conferência Turismo, Ambiente e Biodiversidade, que decorre hoje no Centro de Congressos de Tróia, salientou a importância dos empreendimentos turísticos do Litoral Alentejano e o esforço de afirmação dos investidores e das autarquias locais.

"Portugal é hoje um país mais forte e competitivo enquanto destino turístico, o que se tem reflectido nos bons resultados deste ano", disse, elogiando o trabalho desenvolvido na região do Alentejo.

"Isto resulta seguramente do empenho da competência com que os agentes locais levaram por diante a prossecução dos objectivos de afirmação desta região, mas também da capacidade de intervenção dos promotores", frisou.

A Conferência Turismo, Ambiente e Biodiversidade, organizado pela Região de Turismo Alentejo Litoral propõe-se debater as relações entre a indústria do Turismo, a conservação da Natureza e a Biodiversidade, tendo como pano de fundo a emergência de um novo destino turístico no litoral alentejano.

O encontro conta com as participações dos empresários Belmiro de Azevedo, Manuel Fernando Espírito Santo, Pedro Queiroz Pereira, bem como dos presidentes da Quercus, da Liga de Protecção da Natureza e do GEOTA, pretende contribuir para um desenvolvimento turístico sustentável e para uma nova relação entre as áreas do Turismo e do Ambiente.

O presidente do Turismo do Alentejo Litoral e da Câmara de Grândola, Carlos Beato, salientou a importância de uma maior celeridade no desenvolvimento dos projectos nos últimos anos e lembrou que já estão investidos no litoral alentejano cerca de 400 milhões de euros em projectos turísticos.

Carlos Beato salientou ainda a necessidade de se investir na área de congressos, desporto, golfe e náutica, entre outras, como forma de fomentar cada vez mais o turismo de qualidade.

O autarca sublinhou ainda o interesse demonstrado pela região por algumas das grandes cadeias hoteleiras internacionais, adiantando, sem revelar os nomes, que algumas já têm contratos firmados para se instalarem na região.

Lusa
Título: Re: Sector do Turismo e Hotelaria
Enviado por: Lusitano89 em Junho 06, 2010, 01:27:34 pm
Cavaco Silva pede aos portugueses para passarem férias em Portugal


O Presidente da República manifestou-se hoje preocupado com a «grave» situação económica de Portugal, e apelou aos portugueses para que façam férias «cá dentro», para ajudar a inverter e ultrapassar a difícil situação em que o país se encontra.

«Neste tempo difícil que atravessamos, os portugueses devem fazer turismo no seu próprio país, pois é uma ajuda preciosa para ultrapassar a situação difícil em que o país se encontra», disse Cavaco Silva, em Albufeira, onde inaugurou o pavilhão desportivo local.

«Se não estivesse preocupado com a situação geral do país, não teria feito um apelo forte e veemente para que os portugueses passem férias no seu próprio país», sublinhou o Presidente.

«Aqueles que podem passar férias, devem fazê-lo cá dentro para ajudar Portugal a vencer as dificuldades atuais, pois passar férias cá, é criar emprego, combater o desemprego e ajudar à melhoria das condições de vida dos portugueses», destacou Cavaco Silva.

«Ajudar é reduzir o sofrimento daqueles que não conseguem entrar no mercado de trabalho ou que perderam o seu posto de emprego e encontram dificuldade em recuperar um outro», sublinhou.

Segundo o chefe de Estado, o turismo é uma das atividades «mais importantes do nosso país, pelo emprego que cria, pela riqueza que permite acumular – mais de 10 por cento da produção nacional - e também pelo seu baixo conteúdo de importações».

Cavaco Silva recordou que fazer turismo no estrangeiro, significa importações de serviços e consequentemente o agravamento da divida externa de Portugal que «é um dos nossos maiores problemas».

«Cada um de nós deve pensar no contributo que pode dar para inverter esta situação, e iniciar um movimento sustentável de recuperação económica e parar o agravamento do desemprego», disse Cavaco Silva.

Segundo o Presidente da República, «passar férias cá dentro, nesta altura difícil, é também uma atitude patriótica».

Lusa
Título: Re: Sector do Turismo e Hotelaria
Enviado por: Lusitano89 em Julho 05, 2010, 05:48:23 pm
Turismo no Porto e Norte cresceu 6% no último trimestre


O presidente da Entidade Regional de Turismo do Porto e Norte de Portugal, Melchior Moreira, explica que esta é a única região do País com resultados positivos, a rondar os 6%, em termos de proveitos turísticos.

Citando dados do Instituto Nacional de Estatísticas (INE), Melchior Moreira afirma que "há 11 meses consecutivos que a região (Porto e Norte) é a única em crescimento".

"Para nós têm sido surpreendentes os resultados em termos de crescimento. O Porto e o Norte têm contrariado de certa maneira os resultados em termos nacionais", considerou.

Os resultados do INE relativos ao último trimestre apontam para um "crescimento negativo no País na ordem dos 3%. Nós no Porto e Norte contrariamos estes resultados, ou seja, temos um crescimento de 6%", frisou.

A promoção da região por produtos estratégicos e o combate à sazonalidade, através da oferta de um conjunto de eventos, ajudam a explicar os bons resultados, mas Melchior Moreira reconhece que o "sucesso turístico" da região não se deve apenas à estratégia definida pela entidade.

"Obviamente tem também a ver com este boom das low-costs e com o crescimento do Aeroporto Francisco Sá Carneiro". Citando um estudo recente sobre o perfil dos turistas no Norte, o responsável pela Entidade Regional de Turismo diz que 57,5% vai por motivos de lazer e 42,5 em negócios.

As pessoas que visitam o Porto e o Norte em negócios geralmente utilizam as companhias de bandeira, enquanto as que vão em lazer optam maioritariamente pelas low-cost.

O mesmo acontece com as opções em relação ao alojamento, os que vão em negócios optam pelos hotéis mais tradicionais e de qualidade superior, enquanto os que viajam em turismo optam muitas vezes por pequenas unidades, a preços também low-cost.

Lusa
Título: Re: Sector do Turismo e Hotelaria
Enviado por: Lusitano89 em Julho 20, 2010, 02:07:48 pm
Nove promotores turisticos vão investir 30 M€ no Alentejo


Nove promotores turísticos do Alentejo e o Turismo de Portugal assinam hoje, em Évora, contratos de investimento na ordem dos 30 milhões de euros, numa cerimónia presidida pelo ministro da Economia, Vieira da Silva.

A cerimónia de assinatura dos contratos de investimento de 30 milhões de euros, com uma comparticipação comunitária de 12 milhões de euros, está marcada para as 17:00, na sede da Comissão de Coordenação e Desenvolvimento Regional do Alentejo (CCDRA), em Évora.

Em declarações à Agência Lusa, o secretário de Estado do Turismo destacou que "a aprovação destes projectos resulta na aposta clara do Governo em tornar o Alentejo numa região de excelência na área do turismo, com projectos de grande qualidade" e que "visam também cumprir um objectivo de natureza social".

De acordo com Bernardo Trindade, a confiança dos empresários em manter os níveis de investimento "pode cumprir aquilo que são, no essencial, os três objectivos fundamentais".

"A criação de valor para a região, conseguida através de projectos de grande qualidade, a manutenção de postos de trabalho que permite a presenças das pessoas na região e, através de projectos com garantia de sustentabilidade, possam manter uma relação saudável com o ambiente e com o ordenamento do território", disse.

Segundo o governante, os projectos, "de grande extensão", envolvem a criação de unidades hoteleiras, turismo em espaço rural, empresas de animação turística e complexos de ecoturismo.

São infra-estruturas, "indiscutivelmente, muito importantes no processo de desenvolvimento e afirmação de toda a região do Alentejo, que hoje tem um potencial a desenvolver que não se confina ao litoral, tem, de facto, uma intervenção no interior de grande importância", considerou.

"Estamos a falar de 130 a 150 novos postos de trabalho a criar com estes novos projectos", disse Bernardo Trindade, garantindo que os investimentos agora aprovados vão avançar "a breve prazo". Estes investimentos "estão à espera deste sinal público para poderem ser uma realidade a breve prazo", sublinhou.

Os contratos de investimento que serão assinados entre os nove promotores turísticos e o Turismo de Portugal estão inseridos no Pólo de Competitividade e Tecnologia - Turismo 2015, que financia projectos com verbas do Quadro de Referência Estratégico Nacional (QREN).

A estratégia Turismo 2015 foi criada para estimular os agentes do sector a trabalharem em cooperação, criando condições para a alocação de verbas específicas para o sector nos concursos para acesso a fundos comunitários e colocando as empresas a concorrer entre si e não com empresas de outros sectores, que têm padrões de avaliação diferentes.

Lusa
Título: Re: Sector do Turismo e Hotelaria
Enviado por: Lusitano89 em Julho 29, 2010, 07:36:35 pm
Praias de São Rafael e Alvor entre as melhores do Mundo


As praias de São Rafael, em Albufeira, e de Alvor, em Portimão, foram distinguidas como duas das melhores do Mundo pelo site www.hoteis.com (http://www.hoteis.com), que anualmente elege os 20 melhores destinos balneares mundiais.

A Câmara de Albufeira congratulou-se por o site, “que apresenta conteúdo detalhado sobre milhares de hotéis em todo o mundo”, ter descrito “São Rafael como uma praia ideal para relaxar e esquecer o stress” e como “uma das imagens mais mágicas de Portugal, graças à textura e cor da areia”.

Além de São Rafael e Alvor, a lista conta também com praias no Brasil, México, República Dominicana, Canadá, Grécia, Itália, Reino Unido, França, Malta, Espanha, Marrocos, Tanzânia e África do Sul.

“Todas elas possuem certificação de qualidade e a seleção teve ainda em conta aspetos como a presença de unidades hoteleiras e equipamentos de apoio ao turismo”, precisou a autarquia de Albufeira.

A Câmara de Portimão considerou, por seu turno, que “para além da temperatura amena das águas e do facto de estar certificada com a Bandeira Azul, esta apreciação favorável é ainda justificada pela qualidade da oferta hoteleira e dos equipamentos de apoio ao dispor dos turistas”.

Entre os equipamentos de apoio mencionados estão “as acessibilidades para portadores de deficiência motora” e “a prática de inúmeros desportos de mar”.

“Águas cristalinas e tépidas, areias douradas e finas, um horizonte a perder de vista num mar de vários tons de azul e as melhores condições de conforto e segurança para retemperadores dias à beira-mar, eis o cartão de visita da Praia de Alvor”, disse ainda a autarquia portimonense.

Ionline
Título: Re: Sector do Turismo e Hotelaria
Enviado por: Lusitano89 em Agosto 01, 2010, 07:32:31 pm
Lisboa quer atrair mais brasileiros e espanhois


A Associação de Turismo de Lisboa (ATL) deverá apresentar o seu novo plano estratégico para o período 2011-2014 em Setembro. O plano trará mudanças quanto ao posicionamento, mercados-alvo e produtos turísticos, num cenário em que é quase certo que os resultados do programa anterior, ficarão aquém do previsto.

Entre os objectivos traçados estava, por exemplo, aumentar o número de turistas em 5,4% anualmente, até chegar aos dois milhões, e subir as receitas da hotelaria em 8,5% ao ano. Apesar de não se saber como correrá este ano – ainda que haja boas perspectivas –, o director-geral da ATL, Vítor Costa, explica que «devido às várias crises» estas metas poderão ficar por concretizar.

Ainda que, contrapõe, «até metade do período de vigência, estavam largamente ultrapassadas».

Por isso, no novo plano a submeter aos mais de 600 membros da ATL, surge um afinamento na estratégia: em vez de ‘puxar’ pelos preços para subir a receita turística, como chegou a ser defendido, agora há que estimular as taxas de ocupação.

«Na hotelaria não há margem para descer mais os preços. Porém, as pessoas não estão disponíveis para pagar mais pelo mesmo. Como queremos crescer, teremos de apostar em trazer mais turistas. Os hotéis têm hoje determinada taxa de ocupação, mas se for superior em 10%, estão a aumentar a sua rentabilidade», justifica Vítor Costa, em entrevista ao SOL.

Brasil, campeão de investimento

Neste contexto, o novo plano também estabelece uma nova hierarquia nos mercados-alvo de promoção do Turismo de Lisboa. A grande novidade é a eleição do Brasil como mercado estratégico, sobretudo devido ao crescimento económico do país, à apetência dos brasileiros para viajar e, sobretudo, para gastar no estrangeiro.

A par, surge a Espanha, ou «as "Espanhas"» como designa o responsável, salientando que, além de dar atenção a Madrid ou Barcelona, é preciso promover Lisboa nas várias províncias. «Espanha e Brasil serão os campeões do investimento nos próximos anos», afirma. Depois surgem os mercados emissores tradicionais, como Inglaterra, França ou Alemanha. E, por fim, a promoção nos «emergentes»: EUA, Rússia ou países de Leste.

No que toca a produtos, além do turismo de negócios – que, para a ATL, continua a ‘precisar’ de um grande centro congressos, cuja localização «ideal» seria na Praça de Espanha, dada a proximidade de 4.500 quartos de hotel – e dos city breaks, a associação quer eleger o touring cultural e paisagístico como estratégico. «Na proposta também pretendemos fazer uma promoção específica para o turismo religioso, ligado à marca Fátima», adianta.

SOL
Título: Re: Sector do Turismo e Hotelaria
Enviado por: Lusitano89 em Agosto 09, 2010, 06:30:44 pm
Hotéis de luxo contrariam quebra no Turismo em Portugal


Os hotéis de cinco estrelas registaram em Junho os maiores aumentos nas dormidas.

O número de dormidas em Portugal caiu em Junho 2,3%, face a igual período do ano passado, mas aumentou em mais de 4% nos hotéis de 5 estrelas, revela o último relatório do INE sobre o sector.

O documento mostra que Portugal alojou 1,2 milhões de hóspedes em Junho, que originaram 3,5 milhões de dormidas, uma quebra de 2,3% face a igual período de 2009.

A distribuição das dormidas pelos vários tipos de estabelecimento evidencia um aumento de 4,2% nos hotéis de 5 estrelas, que contrariam assim o abrandamento do turismo em Junho. Ainda assim, os hotéis de 4 estrelas continuam a ser os mais populares para quem faz turismo em Portugal.

Em sentido contrário ao segmento de luxo, verificaram-se, pelo terceiro mês consecutivo, decréscimos superiores a 10% nas estalagens e nos apartamentos turísticos.

Os mesmos dados mostram que, em Junho, os residentes originaram 1,3 milhões de dormidas, menos 4,6% face ao ano passado, contrariando a tendência de evolução positiva que se vinha registando nos últimos meses. Já os não residentes contribuíram com 2,3 milhões de dormidas, um ligeiro decréscimo de 1,1%.

Em Junho, o primeiro mês do Verão, registou-se uma quebra de 3% nas dormidas no Algarve e de 15% na Madeira, de acordo com o mesmo estudo. Já em Lisboa, o número de dormidas aumentou em 4%.

Tudo somado e os proveitos totais da hotelaria cresceram 0,2%, face ao mês anterior, para 169,5 milhões de euros.

Diário Económico
Título: Re: Sector do Turismo e Hotelaria
Enviado por: Lusitano89 em Agosto 10, 2010, 08:35:11 pm
Alentejo registou o melhor 1º semestre de sempre


O número de turistas, dormidas e receitas voltou a subir no primeiro semestre deste ano no Alentejo, batendo os valores do período homólogo do ano passado, que tinham sido até então os melhores de sempre.

O presidente da Agência Regional de Promoção Turística do Alentejo, Vitor Silva, adiantou hoje à Agência Lusa que, “apesar da crise que atinge os mercados emissores há já um bom par de anos, o Alentejo continua a crescer no número de visitantes, de dormidas e até em receitas”.

Vítor Silva falava a propósito dos números divulgados pelo Instituto Nacional de Estatística (INE) que revelam que a atividade do alojamento turístico no Alentejo superou no primeiro semestre os valores de 2009, registando 511 647 dormidas, o que representa uma subida de 5,75 por cento em relação ao ano passado.

De acordo com o INE, os resultados do mês de junho deste ano são igualmente positivos, tendo sido registadas 110 735 dormidas, o que corresponde a um aumento de 3,2 por cento face ao mesmo mês do ano passado, enquanto que os proveitos totais da receita recolhida foram de 5,3 milhões de euros, o que corresponde a um acréscimo de 2,5 por cento.

Lembrando que “a região fechou 2009 como o melhor ano de sempre em termos turísticos”, o mesmo responsável explicou que “a região continua a subir depois de fechado o primeiro semestre de 2010”, o que significa que, “apesar da crise económica, o Alentejo continua a crescer” em termos turísticos.

“Se continuarmos neste caminho, fechamos 2010 como o melhor ano de sempre”, acrescentou.

Perante estes resultados, o presidente da Agência Regional de Promoção Turística do Alentejo realçou “o papel dos empresários da região que têm sabido manter um rumo” e “a aposta estratégica que posicionou a região no caminho da qualidade”.

“O desenvolvimento do turismo no nosso território não se fará com ofertas de preços baixos, mas sim pela diferenciação, apostando na nossa autenticidade, cultura e território, sempre no sentido da qualidade”, sublinhou Vítor Silva.

O responsável concluiu que o Alentejo registou um bom desempenho no primeiro semestre deste ano “à custa, sobretudo, do mercado interno, mas também do mercado externo, que tem vindo a recuperar”.

Lusa
Título: Re: Sector do Turismo e Hotelaria
Enviado por: cromwell em Agosto 11, 2010, 01:37:36 am
Citação de: "Lusitano89"
Alentejo registou o melhor 1º semestre de sempre


O número de turistas, dormidas e receitas voltou a subir no primeiro semestre deste ano no Alentejo, batendo os valores do período homólogo do ano passado, que tinham sido até então os melhores de sempre.

O presidente da Agência Regional de Promoção Turística do Alentejo, Vitor Silva, adiantou hoje à Agência Lusa que, “apesar da crise que atinge os mercados emissores há já um bom par de anos, o Alentejo continua a crescer no número de visitantes, de dormidas e até em receitas”.

Vítor Silva falava a propósito dos números divulgados pelo Instituto Nacional de Estatística (INE) que revelam que a atividade do alojamento turístico no Alentejo superou no primeiro semestre os valores de 2009, registando 511 647 dormidas, o que representa uma subida de 5,75 por cento em relação ao ano passado.

De acordo com o INE, os resultados do mês de junho deste ano são igualmente positivos, tendo sido registadas 110 735 dormidas, o que corresponde a um aumento de 3,2 por cento face ao mesmo mês do ano passado, enquanto que os proveitos totais da receita recolhida foram de 5,3 milhões de euros, o que corresponde a um acréscimo de 2,5 por cento.

Lembrando que “a região fechou 2009 como o melhor ano de sempre em termos turísticos”, o mesmo responsável explicou que “a região continua a subir depois de fechado o primeiro semestre de 2010”, o que significa que, “apesar da crise económica, o Alentejo continua a crescer” em termos turísticos.

“Se continuarmos neste caminho, fechamos 2010 como o melhor ano de sempre”, acrescentou.

Perante estes resultados, o presidente da Agência Regional de Promoção Turística do Alentejo realçou “o papel dos empresários da região que têm sabido manter um rumo” e “a aposta estratégica que posicionou a região no caminho da qualidade”.

“O desenvolvimento do turismo no nosso território não se fará com ofertas de preços baixos, mas sim pela diferenciação, apostando na nossa autenticidade, cultura e território, sempre no sentido da qualidade”, sublinhou Vítor Silva.

O responsável concluiu que o Alentejo registou um bom desempenho no primeiro semestre deste ano “à custa, sobretudo, do mercado interno, mas também do mercado externo, que tem vindo a recuperar”.

Lusa

Gostaria é que o Alentejo pudesse ser mais urbanizado, agrícola e cheio de infra-estruturas, e que não cresce-se só turisticamente. :evil:
Título: Re: Sector do Turismo e Hotelaria
Enviado por: Vicente de Lisboa em Agosto 11, 2010, 09:58:53 am
Crescesse.
Título: Re: Sector do Turismo e Hotelaria
Enviado por: cromwell em Agosto 11, 2010, 11:38:06 am
Citação de: "Vicente de Lisboa"
Crescesse.


Obrigado pela correcção. c34x
Título: Re: Sector do Turismo e Hotelaria
Enviado por: Lusitano89 em Agosto 18, 2010, 08:50:09 pm
Hotel do Bairro Alto tem uma das melhores vistas do mundo


O Hotel do Bairro Alto, em Lisboa, tem a quarta melhor vista do mundo. A melhor é de um hotel de luxo no Dubai.

Quem o diz são os utilizadores do ‘site' Trivago, que votaram nos hotéis que proporcionam as vistas mais impressionantes do mundo aos seus clientes.

E se o primeiro lugar pertence ao Jumeirah Beach Hotel, no Dubai, um honroso quarto lugar foi atribuído ao Hotel do Bairro Alto, em Lisboa.

O Hotel só perde para o Jumeirah Beach, no Dubai, para o Hotel Lebua State Tower, em Banguecoque, e para o Hotel de Rome, em Berlim.

Segundo o ‘Independent', do topo do hotel de luxo do Dubai é possível avistar o Golfo Pérsico e uma ilha artificial à qual se pode chegar através de um passadiço. Já o Hotel do Bairro Alto permite avistar o Rio Tejo e a zona histórica da capital portuguesa.

A Europa está em clara vantagem na lista dos quinze hotéis com a melhor vista do mundo, com nove empreendimento a constar do ‘ranking'.

OS 15 hotéis com a melhor vista do mundo
(Selecção dos utilizadores do ‘site' Trivago)

1. Jumeirah Beach Hotel (Dubai)
2. Hotel at Lebua State Tower (Bangkok)
3. Hotel de Rome (Berlin)
4. Bairro Alto Hotel (Lisbon)
5. The Ritz-Carlton (Moscow)
6. NH Parque Central (Havana)
7. Hotel Gansevoort (New York)
8. Grand Hotel Central (Barcelona)
9. Hotel U Prince (Prague)
10. Terrass Hotel (Paris)
11. Hotel St. George Roma (Rome)
12. The Trafalgar Hotel (London)
13. Fresh Hotel (Athens)
14. Palms Casino Resort (Las Vegas)
15. The Marmara Pera (Istanbul)

Diário Económico
Título: Re: Sector do Turismo e Hotelaria
Enviado por: Lusitano89 em Setembro 28, 2010, 12:32:02 pm
Espanhóis começam a substituir britânicos no Algarve


Os turistas espanhóis ameaçam destronar os britânicos do topo da lista de nacionalidades que mais procuram o Algarve, mas o Reino Unido continua a liderar a tabela em número de dormidas, disseram à Lusa agentes do setor.

Em tempo de crise a tendência é para optar por destinos mais próximos e este verão foram justamente os espanhóis e os portugueses que ajudaram a “salvar” o turismo algarvio, engrossando as taxas de ocupação. As praias, a gastronomia e o comércio são fatores de atração para os vizinhos espanhóis, cujas dormidas durante o mês de agosto em hotéis algarvios aumentaram 28 por cento face ao ano passado.

O tempo médio de estadia é, contudo, relativamente curto e, apesar do aumento em número de dormidas, o mercado britânico continua a ser o que mais contribui para o volume total, explica Elidérico Viegas,líder da AHETA, a maior associação hoteleira da região.

Apesar de uma quebra de cerca de 30 por cento do mercado britânico nos últimos dois anos, a verdade é que os turistas oriundos do Reino Unido continuam a ser os que mais contribuem para o número total de dormidas no Algarve. “Há cada vez mais espanhóis – sobretudo da Galiza ou Astúrias – a escolher o Algarve em vez do Sul de Espanha, mas os britânicos continuam a ser o nosso principal mercado emissor”, afirma Elidérico Viegas.

O presidente do Turismo do Algarve, Nuno Aires, também confirma o crescimento do mercado espanhol, embora adiante estar já a notar-se uma inversão na diminuição da procura por parte dos britânicos. O potencial hispânico tem levado autarquias como a de Albufeira a apostar fortemente na promoção junto do mercado espanhol, que pode vir a ser estratégico e ajudar a esbater a diminuição dos turistas das ilhas britânicas.

Nuno Aires avisa, no entanto, que a introdução de portagens na Via Infante pode ser um fator negativo para a competitividade do Algarve, que já tem que concorrer com destinos mais baratos como o Egito, a Tunísia ou a Turquia. Segundo o empresário, também se notou um acréscimo de turistas vindos do Benelux (Bélgica, Holanda e Luxemburgo) e uma mudança no perfil do turista provocada pelo aumento dos voos “low cost” para a região.

“Tradicionalmente havia mais famílias a viajar para o Algarve, mas agora também já se vê muitos casais jovens a voar para Faro devido ao fenómeno ‘low cost’”, sublinha Nuno Aires.

Ionline
Título: Re: Sector do Turismo e Hotelaria
Enviado por: Lusitano89 em Novembro 25, 2010, 06:04:53 pm
Turismo do Alentejo investe 6 milhões de €€€ para promover região


O Turismo do Alentejo apresentou hoje em Lisboa a nova estratégia de promoção da região, que quer cativar novos públicos em altura de crise, num investimento total de seis milhões de euros.

O presidente da entidade, António Ceia da Silva, explicou a nova estratégia, que apresenta o Alentejo como uma região com "tempo para ser feliz" e que pode passar pelo aproveitamento em 2011 do aeroporto de Beja.

Segundo o responsável, uma colaboração com a ANA, que gere os aeroportos nacionais, pode estruturar a infra-estrutura alentejana para receber voos semanais.

O dirigente informou que este ano as receitas continuam a subir, depois de 2009 ter sido o "melhor ano turístico de sempre". Entre Janeiro e Setembro de 2010 foram contabilizadas 933.452 dormidas, o que corresponde ao crescimento de 5,4% face a igual período do ano anterior.

Salientando que as estratégias devem ser pensadas "ao momento" e que em períodos de crise utilizam-se mensagens "mais agressivas", Ceia da Silva descreveu um "novo Alentejo", que "alia valores, património, natureza" e que além da gastronomia e vinhos mostra "também o azul" nomeadamente das praias.

No total, serão investidos seis milhões de euros, dos quais 1,5 milhões de euros destinados à comunicação.

A palavra-chave para a promoção é "Tempo", com o dirigente a dar o exemplo de uma unidade hoteleira que tem três relógios a marcar as horas de Nova Iorque, Moscovo e do Alentejo, estando este último parado.

O mesmo dirigente lembrou que a classificação de qualidade dos projectos empresariais apresentados, ao abrigo de financiamento europeu (QREN), ultrapassa a média nacional, e que a procura internacional vem já dos mercados brasileiro e japonês.

Os segmentos que a nova campanha, quer atingir são "férias em família", "escapadelas a dois", "mochila às costas" e "seniores activos".

Utilizando diversos meios de comunicação, incluindo a Internet, a campanha será desenvolvida entre Novembro e Dezembro e posteriormente em Março e Abril de 2011.

"É em alturas de crise e perante eventuais quebras de mercado que se deve ser mais agressivo e conquistar novos mercados e segmentos", disse Ceia da Silva.

Na estratégia global estão incluídos guias de produto, como museus, já lançado, acções de formação e até "acções de guerrilha" para "parar" locais movimentados em Lisboa e Porto.

Estão previstos pacotes turísticos que incluam visitas à Extremadura espanhola e ao Alentejo português, bem como a aposta na candidatura do Bem Montado a Património da Humanidade e transformar a Entidade Regional de Turismo em Organização Gestora de Destino.

Dinamizar rotas, "abrir herdades", iniciar o observatório regional de turismo para definir um barómetro e perfil dos visitantes, são outras dos projectos.

Presente na ocasião, o secretário de Estado do Turismo, Bernardo Trindade, manifestou o agrado pelo trabalho feito e referiu que quando a "matéria-prima está instalada, não é difícil o trabalho".

Lusa
Título: Re: Sector do Turismo e Hotelaria
Enviado por: Lusitano89 em Novembro 26, 2010, 06:57:15 pm
Promoção turística portuguesa recebe 15 milhões de euros


Um novo acordo para a promoção turística externa regional foi hoje assinado para vigorar nos próximos três anos, destinando 15 milhões de euros a empresários e destinos turísticos regionais que promovam a internacionalização da economia portuguesa.

"Reconhecemos que o turismo é hoje a actividade mais significativa das nossas relações externas", afirmou o ministro da Economia, Vieira da Silva, na cerimónia de assinatura daquele protocolo, que o governante considerou "um instrumento de coesão territorial".

O ministro disse, à margem do encontro, que a verba envolvida para a promoção do turismo no estrangeiro é superior aos 15 milhões previstos no acordo, adiantando que "o valor global são cerca de 70 milhões de euros para os próximos três anos de promoção nesta lógica regional e nacional".

A promoção turística portuguesa ganha com o acordo hoje assinado um novo instrumento, os planos de comercialização e venda, que se destinam a apoiar as iniciativas de comercialização das empresas turísticas nos mercados estrangeiros, e são elaborados em concertação entre as empresas e as sete agências regionais de promoção turística.

"Vamos ter mais empresas a aderir e a possibilidade de as agências regionais de promoção turística poderem candidatar-se à totalidade das verbas disponíveis", afirmou na cerimónia o secretário de Estado do Turismo, Bernardo Trindade.

Também o presidente da Confederação do Turismo de Portugal (CTP), Carlos Pinto Coelho, salientou a importância do sector do turismo no combate ao desemprego "que deve ser a preocupação neste momento", e na recuperação da economia nacional.

"O turismo é o principal sector exportador nacional", destacou Carlos Pinto Coelho, classificando o acordo hoje formalizado como "importante" para a promoção do turismo no exterior

Lusa
Título: Re: Sector do Turismo e Hotelaria
Enviado por: Lusitano89 em Janeiro 08, 2011, 05:53:41 pm
"Vamos ter um bom ano de turismo em 2011" diz o presidente do Turismo de Portugal


«Optimista» e «realista». É assim que o presidente do Turismo de Portugal, Luís Patrão, se assume quanto a expectativas para a actividade turística nacional, em 2011.

«Estou muito optimista acerca do ano 2011, mas, ao mesmo tempo, sou realista. Acho que temos bases sólidas e estatísticas para poder dizer que vamos ter um ano certamente bom, temos é que trabalhar para isso» afirmou hoje o responsável à margem da apresentação do novo plano estratégico para o turismo de Lisboa.

«Sabemos que as dificuldades existem porque as condições económicas e orçamentais que o nosso país atravessa e a crise internacional continua a afectar certos mercados, não apenas o nosso mas mercados que são importantes para nós. E esperamos que progressivamente essa situação se vá esbatendo e que, nessa altura, estejamos muito bem preparados - e creio que estamos - do ponto de vista das estruturas turísticas, com investimentos feitos, com trabalho de casa ao nível do planeamento, do arranjo do espaço público, da oferta museológica e cultural, para disputar o mercado internacional de maneira forte e clara», reforçou ainda Luís Patrão.

SOL
Título: Re: Sector do Turismo e Hotelaria
Enviado por: Desertas em Janeiro 08, 2011, 08:46:40 pm
2010 foi positivo para o Porto do Funchal

O presidente da Administração Portos da Região Autónoma da Madeira, Bruno Freitas, considerou hoje "2010 um bom ano" para o porto do Funchal ao atingir crescimentos de 10% nas escalas e de 15% em passageiros.

"Foi um bom ano", disse Bruno Freitas num encontro com a comunicação social, tendo destacado como marcos importantes a inauguração do terminal do porto do Funchal e a distinção de segundo melhor porto na Europa, atribuído durante o Sea Trade que decorreu em Nice.

O porto do Funchal vai fechar o ano com 290 escalas e cerca de 500 mil passageiros, movimento que gerou cerca de 50 milhões de euros de receita bruta.

A aposta para 2011 é "dar continuidade e rentabilizar ao máximo" a "nova imagem e dinâmica" proporcionadas pelo novo do terminal do porto do Funchal, participar nas feiras internacionais do setor em Miami e em Hamburgo, manter contactos directos com as companhias de navegação, participar na associação com os portos de Canárias e nas feiras de promocionais do destino turístico Madeira. [/quote]

DN Madeira
Título: Re: Sector do Turismo e Hotelaria
Enviado por: Desertas em Janeiro 08, 2011, 08:57:41 pm
Portos do Funchal em destaque

Citar
No mês passado, durante a convenção da Seatrade Med Cruise, em Cannes, a maior feira de cruzeiros e da indústria de navios da Europa, a Madeira foi distinguida com o segundo lugar, nos prémios Cruise Awards 2010, como um dos melhores destinos de cruzeiros da Europa ao nível dos destinos de cruzeiros, numa cerimónia na qual a Região se fez representar pela Administração dos Portos da Madeira.    
   
Este galardão vem demonstrar o grau de satisfação por parte dos turistas em trânsito pelo Porto do Funchal e reconhece o esforço desenvolvido pelas autoridades locais responsáveis em melhorar as infra-estruturas portuárias em prol de um segmento em franco desenvolvimento. Por outro lado, foi apresentada e lançada recentemente a Revista “Cruzeiros”, da autoria do jornalista madeirense Luís Filipe Jardim, composta por 84 páginas em quadricomia e com uma periodicidade trimestral de 5.000 exemplares; pretende-se com a mesma contribuir para a dinamização e promoção de um sector em franco crescimento na RAM — o Turismo de Cruzeiros, colmatando a lacuna existente neste tipo de publicações.

Turismo da Madeira
Título: Re: Sector do Turismo e Hotelaria
Enviado por: Lusitano89 em Janeiro 08, 2011, 10:12:10 pm
Citação de: "Desertas"
Portos do Funchal em destaque

Citar
No mês passado, durante a convenção da Seatrade Med Cruise, em Cannes, a maior feira de cruzeiros e da indústria de navios da Europa, a Madeira foi distinguida com o segundo lugar, nos prémios Cruise Awards 2010, como um dos melhores destinos de cruzeiros da Europa ao nível dos destinos de cruzeiros, numa cerimónia na qual a Região se fez representar pela Administração dos Portos da Madeira.    
   
Este galardão vem demonstrar o grau de satisfação por parte dos turistas em trânsito pelo Porto do Funchal e reconhece o esforço desenvolvido pelas autoridades locais responsáveis em melhorar as infra-estruturas portuárias em prol de um segmento em franco desenvolvimento. Por outro lado, foi apresentada e lançada recentemente a Revista “Cruzeiros”, da autoria do jornalista madeirense Luís Filipe Jardim, composta por 84 páginas em quadricomia e com uma periodicidade trimestral de 5.000 exemplares; pretende-se com a mesma contribuir para a dinamização e promoção de um sector em franco crescimento na RAM — o Turismo de Cruzeiros, colmatando a lacuna existente neste tipo de publicações.

Turismo da Madeira

Afinal o Funchal têm mais de um porto, não sabia ...  :conf:
Título: Re: Sector do Turismo e Hotelaria
Enviado por: Desertas em Janeiro 08, 2011, 10:39:01 pm
Citação de: "Lusitano89"
Afinal o Funchal têm mais de um porto, não sabia ... :conf:

Ops , erro meu .
Na Madeira existem, além dos pequenos portos de pesca espalhados pela ilha , 2 portos comerciais. O do Caniçal , onde são efectuadas as operações de carga e descarga de mercadorias , e o porto do Funchal , que de há alguns anos a esta parte foi transformado em porto predomiantemente turístico.


Um abraço
Título: Re: Sector do Turismo e Hotelaria
Enviado por: sergio21699 em Janeiro 08, 2011, 11:36:52 pm
Não é para todos  :)


Citar
26. Guimarães, Portugal
A city of youth is fired up by its art scene.

Considered the birthplace of Portugal, this picturesque northern city has long been of great historical importance to the country. Now, with half its inhabitants under 30, it is also one of the youngest cities in Europe. A string of recent developments, like its selection as a 2012 European Capital of Culture and the rehabilitation of the Unesco-designated historic center, have helped turned the youthful “cradle city” into one of the Iberian peninsula’s emerging cultural hot spots.

Much of the city’s burgeoning music and arts scene is nourished by the Centro Cultural Vila Flor, a contemporary-minded cultural center that opened in 2005 in a converted 18th-century palace. It includes amphitheaters, an exhibition villa, artists’ studios and a modern Portuguese restaurant. This March, the center will host the first International Festival of Contemporary Dance, bringing in an impressive selection of dance companies from throughout the world.
— CHARLY WILDER
http://www.nytimes.com/2011/01/09/travel/09where-to-go.html?_r=4&pagewanted=3&ref=general&src=me
Título: Re: Sector do Turismo e Hotelaria
Enviado por: Lusitano89 em Janeiro 10, 2011, 12:38:33 pm
New York Times elege Guimarães como um dos destinos para 2011


O jornal norte-americano New York Times elegeu Guimarães como um dos 41 destinos a visitar este ano, considerando a cidade minhota "um dos pontos culturais emergentes da Península Ibérica".

O jornal publicou uma reportagem sobre locais passíveis de levar turistas ao "fim do mundo", selecionando 41 locais, desde praias no México às montanhas do Kosovo, passando por Londres, Singapura, Milão e Guimarães, entre outras cidades e locais de todo o mundo.

No artigo, o jornalista refere que Guimarães, cidade berço da nação, é Património Mundial da Humanidade e foi escolhida para Capital Europeia da Cultura em 2012.

Adianta que metade dos habitantes de Guimarães é constituída por jovens e considera que a abertura do Centro Cultural Vila Flor, em 2005, foi fundamental para lançar a música e a arte na cidade.

O artigo destaca ainda a realização, em março, do primeiro Festival Internacional de Dança Contemporânea, "trazendo uma seleção impressionante de companhias de dança de todo o mundo".

A edição online do New York Times recomenda locais para ficar, restaurantes e pontos de interesse em Guimarães.

As pousadas Santa Marinha da Costa e Nossa Senhora da Oliveira, os restaurantes Solar do Arco e El Rei Dom Afonso, bem como a Igreja de S. Francisco, o Museu de Alberto Sampaio e o Paço dos Duques de Bragança são locais a visitar.

Lusa
Título: Re: Sector do Turismo e Hotelaria
Enviado por: Lusitano89 em Fevereiro 09, 2011, 05:24:09 pm
Algarve espera aumento do turismo com cancelamentos no Médio Oriente


O Turismo do Algarve quer captar turistas que tinham férias marcadas para a Tunísia ou Egipto e que foram canceladas devido à agitação política e social nesses países e espera um aumento do número de visitantes.

O presidente do Turismo do Algarve, Nuno Aires, disse à Lusa que «existe essa recolocação de passageiros» e «é previsível que haja um aumento» do número de visitantes redireccionados daqueles dois países para a principal região turística de Portugal.

«O Turismo do Algarve foi e está a ser pró activo desde que foram detectados problemas com a operação turística no Magreb, nomeadamente na Tunísia e no Egipto», explicou Nuno Aires, acrescentando que foram contactados agentes turísticos e de aviação para perceber se o Algarve poderia ser alternativa.

«E a verdade é que têm sido bem acolhidos», sublinhou.

Questionado sobre se o número de voos para Faro pode vir a aumentar por causa deste redireccionamento turístico, Nuno Aires respondeu que, «se a operação turística é redireccionada, está-se a falar também de voos».

Segundo o presidente do Turismo do Algarve, uma das companhias que vai redireccionar passageiros para o Algarve é a Jet2, que também já aumentou os voos para destinos turísticos de Espanha como Canárias e Maiorca, mas «há outras companhias que estão a fechar acordos com operadores no Algarve».

Lusa
Título: Re: Sector do Turismo e Hotelaria
Enviado por: Lusitano89 em Fevereiro 22, 2011, 07:51:02 pm
Revolta em países árabes pode beneficiar Portugal


A revolta em países árabes pode ser vantajosa para o turismo português por ser uma oportunidade para repor a oferta nacional entre as primeiras escolhas dos consumidores, defendeu hoje o presidente do Turismo de Portugal, Luís Patrão.

«Qualquer fator de instabilidade em destinos concorrentes do nosso acaba por ter vantagens no sentido em que repõe a nossa oferta no primeiro grau de escolha dos consumidores», afirmou Luís Patrão, em declarações à Lusa.

O presidente do Turismo de Portugal salientou que os turistas, quando vêm perturbadas ofertas de certos destinos, olham para os demais para ver se podem oferecer produtos do mesmo tipo, considerando-as alternativas.

“É o que está a acontecer agora”, defendeu, salientando que Portugal pode assim captar turistas que pretendiam viajar para destinos como Egito ou Marrocos, ou outros países árabes.

A Bolsa de Turismo de Lisboa (BTL), que arranca quarta-feira na Feira Internacional de Lisboa, no Parque das Nações, é o “grande momento” de encontro no sector e “uma grande oportunidade” para que a oferta turística nacional esteja patente aos olhos de todos, segundo aquele responsável.

“O turismo é a principal actividade exportadora nacional”, salientou Luís Patrão, enaltecendo a importância da BTL, que termina no próximo domingo e abre as portas ao público a partir de sexta-feira.

“O turismo representa 14 por cento do total exportado em Portugal e mais 40 por cento das exportações de serviços”, destacou o presidente do Turismo de Portugal.

A edição deste ano da BTL conta com 980 expositores, 75 novas empresas e mais de 45 destinos internacionais, e tem como destino internacional convidado a Tailândia, dando a conhecer a oferta turística deste país asiático.

A edição deste ano conta com mais cinco expositores do que nas edições anteriores: Egito, EUA, Coreia do Sul, Taiwan, Uzbequistão.

No primeiro dia da BTL está também agendada a I Conferência Internacional de Turismo, onde especialistas mundiais irão debater o papel do turismo para a recuperação económica.

Lusa
Título: Re: Sector do Turismo e Hotelaria
Enviado por: Lusitano89 em Fevereiro 23, 2011, 08:16:11 pm
Sócrates enaltece trabalho dos empresários do Turismo em 2010


O primeiro-ministro enalteceu hoje o “trabalho bem feito” pelos empresários do Turismo em 2010, ano em que se “bateram todos os recordes” no sector, assegurando que o Governo “está ao seu lado”.

“O ano de 2010 foi o melhor ano do Turismo de sempre, bateram-se todos os recordes, os proveitos subiram cerca de dez por cento relativamente ao ano anterior e atingiu-se um nível de proveitos acima dos 7,6 mil milhões de euros”, lembrou o primeiro-ministro, José Sócrates, durante uma visita à Bolsa de Turismo de Lisboa, que decorre na capital até domingo.

Sublinhando o “esforço” e o “trabalho bem feito” pelos empresários do Turismo em 2010, José Sócrates disse ter ficado “orgulhoso”.

“Deram uma excelente contribuição para a recuperação económica no nosso país”, salientou, recordando que o Turismo é “absolutamente essencial” para dar emprego e para aumentar as exportações.

Assegurando que o Governo está “ao lado” destes empresários, porque tem “bem consciência da importância que o Turismo tem para a economia nacional, o primeiro-ministro deixou palavras de “encorajamento e incentivo” para fazerem de 2011 outro “ grande ano” para o sector.

“O Turismo é fundamental para a recuperação, para dar mais emprego e para aumentar as exportações”, insistiu, fazendo ainda referência ao aumento da qualidade que também se verificou.

“É preciso formação e investimento na qualidade”, defendeu.

No final da visita do primeiro-ministro à Bolsa de Turismo de Lisboa, os jornalistas tentaram ainda falar com José Sócrates sobre a situação que se vive na Líbia, mas o chefe do executivo escusou-se a fazer mais declarações.

Lusa
Título: Re: Sector do Turismo e Hotelaria
Enviado por: Lusitano89 em Março 07, 2011, 01:02:52 pm
Portugal está entre os 18 países mais competitivos


Portugal caiu uma posição no ranking do Fórum Mundial do Turismo, mas figura entre os 18 países mais competitivos do mundo para desenvolvimento de negócios no sector, revela um estudo global do Fórum Económico Mundial (FEM) divulgado esta segunda-feira, em Andorra.
Portugal desceu uma posição face ao obtido no estudo de 2009, embora obtendo a mesma classificação (5 pontos).

De acordo com a quarta edição do «Travel & Tourism Competitiveness Report» publicado no âmbito do fórum global (GTF na sigla internacional), a Suíça, a Alemanha e a França ocupam o top3 em termos de atractividade à luz do índice global TTCI (The Travel & Tourism Competitiveness Index), estrutura central do estudo.

O relatório classifica os países em função de três grandes pilares (ambiente regulatório; infra-estruturas; recursos naturais, culturais e humanos) englobando diferentes categorias da envolvente de viagens e turismo.

As áreas em que Portugal obtém a melhor pontuação são precisamente o enquadramento regulatório (destaque para a rubrica de saúde e higiene); ambiente de negócio e infra-estruturas. Os recursos também ajudam ao posicionamento de Portugal, nomeadamente a natureza.

No relatório do Fórum Mundial são analisados 139 países. Além dos três primeiros já referidos, o top10 deste ano integra ainda, por esta ordem: Áustria, Suécia, Reiino Unido, EUA, Canadá, Espanha e Singapura.

O relatório do FEM foi produzido em colaboração com a Deloitte e diversos parceiros do sector como a IATA, a Organização Mundial de Turismo (UNWTO) o Conselho Mundial do Turismo (WTTC) e diversas empresas privadas (Airbus; Hertz; etc).

Lusa
Título: Re: Sector do Turismo e Hotelaria
Enviado por: Lusitano89 em Março 21, 2011, 07:32:26 pm
Hotelaria em Portugal é a 11.ª mais barata do mundo


O preço do alojamento em Portugal é o 6º mais baixo da Europa e o 11º mais em conta do mundo, segundo o Hotel Price Index de 2010, ranking elaborado pelo portal de hotelaria hotéis.com, divulgado hoje.
De acordo com esta lista, no ano passado, o preço médio por noite/quarto foi de 87 euros nas unidades hoteleiras nacionais, o que representa uma subida de 2% face ao valor registado em 2009.

«O ligeiro aumento do custo médio de um quarto de hotel em Portugal, acompanhando a igual subida a nível mundial, demonstra que finalmente a indústria hoteleira portuguesa apresenta sinais de recuperação face à queda dos últimos anos», explica o manager do Hotéis.com, Nuno Sales Ponte. «No entanto, os gestores hoteleiros nacionais conseguiram recuperar não aumentando os preços significativamente, e ajudando a manter Portugal na lista dos países mais baratos, o que é um argumento muito forte para atrair viajantes de todo o mundo, bem como os nacionais», continua o responsável.

Com um preço médio de 145 euros por quarto/noite, o Brasil lidera agora o ranking como país mais caro do mundo, depois de uma subida de 17% nos preços comparativamente a 2009. Seguem-se a Suíça (140 euros), que é também o país mais caro a nível europeu, e Israel (138 euros).

A Hungria, onde uma noite num quarto de hotel custa em média 69 euros, é, pelo contrário, o país mais barato, a par da Nova Zelândia (70E) e da Polónia (74E), contabiliza ainda a lista da Hóteis.com, que analisou os preços pagos pelos consumidores em 110 mil propriedades, em mais de 18 mil locais do mundo.

Segundo o INE, em 2010, considerado o melhor ano turístico de sempre em Portugal, os estabelecimentos hoteleiros registaram 1,8 mil milhões de euros de proveitos totais e 1,2 mil milhões de euros em receitas de aposento, o que representa acréscimos de 3,2% e 3,7% respectivamente, quando comparados com o ano anterior.

Com o volume de hóspedes a subir 5%, para 13,6 milhões, as dormidas em estabelecimentos hoteleiros aumentaram 2,9%, para quase 37,5 milhões, no mesmo período.

SOL
Título: Re: Sector do Turismo e Hotelaria
Enviado por: Desertas em Abril 01, 2011, 10:05:26 am
Porto do Funchal na passada segunda-feira .

(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2F1.bp.blogspot.com%2F-JK5-HhR_B6g%2FTZCc45wbF0I%2FAAAAAAAAJq0%2FzaP_Qmxdhqw%2Fs1600%2F100_2528.JPG&hash=16f430c638354ca8d0b8f1e44b07d135)


http://naviosfunchal.blogspot.com/

Um Abraço
Título: Re: Sector do Turismo e Hotelaria
Enviado por: Desertas em Abril 11, 2011, 10:36:05 pm
Hoje o Porto do Funchal teve a presença de 4 navios de cruzeiro. O Aidablu, o Island Escape , o MSC Fantasia e o Nieuw Amsterdam, sendo que este último fundeou atrás do cais Sul , visto não haver espaço no porto, tendo os passageiros desembarcado nas baleeiras do navio.

(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2F1.bp.blogspot.com%2F-TpBmvgsKLu4%2FTaLr7curwnI%2FAAAAAAAAAuo%2FD_hRoJ-jd8s%2Fs1600%2FClipboard06.jpg&hash=e89aa4a749470cc6454b65a94474cd4f)

http://naviosfunchal.blogspot.com/

Um Abraço
Título: Re: Sector do Turismo e Hotelaria
Enviado por: Lusitano89 em Abril 12, 2011, 01:53:48 pm
Hotelaria mantém panorama negativo em Fevereiro


Os estabelecimentos hoteleiros portugueses registaram 1,9 milhões de dormidas em Fevereiro, menos 0,4% do que em igual mês do ano passado, enquanto os proveitos totais somaram 83,6 milhões de euros e os de aposento cifraram-se em 54,3 M€, o que traduz quebras de 6,9% e 4%, respectivamente, informa esta terça-feira o Instituto Nacional de Estatística (INE).
As dormidas dos residentes sofreram uma descida de 3,1%, ao passo que as dos não residentes, que pesam 63,2% no total, aumentaram 1,2%.

Nos dois primeiros meses do ano, a hotelaria registou 1,4 milhões de hóspedes e 3,5 milhões de dormidas, o que se traduz num aumento de 1,5% do número de hóspedes e numa redução de 0,9% nas dormidas. Igual tendência se verifica no mês de Fevereiro, em que os estabelecimentos hoteleiros acolheram 749,3 mil hóspedes (mais 1,9% do que no mês homólogo) e 1,9 milhões de dormidas, valor ligeiramente inferior ao de Fevereiro de 2010 (-0,4%).

Considerando o tipo de estabelecimento, observaram-se acréscimos homólogos das dormidas nos hotéis-apartamentos (+4,1%), nas pousadas (+3,7%) e nos hotéis (+2%). Para o crescimento dos hotéis-apartamentos contribuíram as unidades de cinco e quatro estrelas, as primeiras com maior impacto (+31,1%), em parte resultante do aumento da oferta turística desta categoria de estabelecimentos. Nos hotéis verificou-se igualmente o contributo positivo de quase todas as categorias, à excepção das unidades de quatro estrelas (-2,1%), que representavam cerca de 50% do total das dormidas em hotéis. Os resultados dos aldeamentos e apartamentos turísticos permaneceram negativos (-9,8% e -6%, respectivamente), embora menos acentuados do que no mês anterior.

Os residentes contribuíram com 687,1 mil dormidas, correspondendo a um decréscimo homólogo de 3,1%, mantendo a tendência que se vem verificando há quatro meses consecutivos. Em contrapartida, os não residentes continuam a apresentar resultados positivos (variação homóloga de 1,2%), na sequência da melhoria de desempenho de alguns dos principais mercados emissores.

O mercado francês e o espanhol evidenciaram crescimentos homólogos superiores a 15%, seguindo-se o holandês e o alemão (+4% e +2,2%, respectivamente). Os mercados brasileiro, britânico e italiano evoluíram negativamente, o britânico mantendo a tendência do mês anterior e o brasileiro e italiano correspondendo a uma inversão de tendência, após um período alargado de resultados positivos.

Por regiões, o Alentejo (+9,7%) e o Algarve (+1,1%) apresentaram evoluções positivas, Lisboa e Madeira não apresentam alterações sensíveis no número de dormidas (-0,3% e -0,4%, respectivamente), enquanto as restantes regiões evoluíram negativamente, de forma mais expressiva nos Açores (-7,7%) e no Centro (-5,5%).

O Alentejo manteve a liderança em termos de crescimento de dormidas, beneficiando do aumento da procura dos seus principais mercados emissores, nomeadamente o nacional e o espanhol.

No Algarve destaca-se o contributo positivo dos mercados espanhol e holandês, embora o principal mercado emissor da Região, o britânico, apresente ainda decréscimo tal como sucedeu em Janeiro.

Em Fevereiro, os estabelecimentos hoteleiros apresentaram uma taxa de ocupação de 26%, inferior à do período homólogo em 1,2 p.p.

No mês de Fevereiro, a hotelaria apresentou 83,6 milhões de euros de proveitos totais e 54,3 milhões de proveitos de aposento, valores que correspondem a decréscimos homólogos de 6,9% e 4%, respectivamente.

Nos dois primeiros meses do ano, os estabelecimentos hoteleiros registaram 158,8 milhões de euros de proveitos totais e 103,5 milhões de proveitos de aposento, representando variações homólogas negativas de 6,8% e 4,6%, respectivamente.

O Rendimento Médio por Quarto (Rev Par) foi de 15,1€, inferior ao do período homólogo (16,5€).

Lusa
Título: Re: Sector do Turismo e Hotelaria
Enviado por: Desertas em Abril 13, 2011, 05:38:50 pm
O Porto do Funchal tem registado este mês um bom número de navios de cruzeiro. Nalguns dias o movimento ultrapassa a capacidade do porto, como aconteceu no passado dia 11, sendo que é necessário por vezes que um ou outro navio fiquem fundeados por já não haver espaço disponível no porto .
Deixo aqui as escalas de navios de cruzeiro previstas para este mês no porto do Funchal.

ABRIL 2011

PORTO DO FUNCHAL

01-Independence of the Seas
01-Seven Seas Mariner
02-AIDAbella
03-Empress
03/04-AIDAblu
04-Island Escape
05-Oceana
05-Thomson Dream
06-Costa Atlantica
08-Empress
08-Artemis
10/11-AIDAblu
11-Island Escape
11-MSC Fantasia
11-Nieuw Amsterdam
12-Marina
12-Independence of the Seas
13-AIDAbella
13-Norwegian Jade
14-Mein Schiff 1
14-Boudicca
15-Empress
15-Arcadia
15-Costa Victoria
16-Costa Mediterranea
17/18-Queen Victoria
18-Island Escape
18-Ventura
19-Amsterdam
20-AIDAluna
20-Ryndam
22-Empress
22-MSC Orchestra
23-Independence of the Seas
23-Black Watch
23-AIDAbella
25-Island Escape
26-Queen Elizabeth
28-Club Med 2
28-Saga Ruby
28-Pacific Princess
29-Empress
29-Thomson Destiny
30-Sea Cloud II
30-Amadea

Um Abraço
Título: Re: Sector do Turismo e Hotelaria
Enviado por: Desertas em Abril 13, 2011, 05:41:56 pm
Movimento de cruzeiros no porto do Funchal dia 12 de Abril .

(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2F3.bp.blogspot.com%2F-ZjZ_Xkr_zqA%2FTaQ891chaTI%2FAAAAAAAAAvo%2FJvpaKvxWYQ8%2Fs1600%2FClipboard03.jpg&hash=3f5adcc1b2fa0d3b89caa090baa5dc8e)

Na foto os navios Independence of the seas da Royal Caribean e o Marina da Oceania Cruises.

http://sergiocruises.blogspot.com/

Um Abraço
Título: Re: Sector do Turismo e Hotelaria
Enviado por: Desertas em Abril 14, 2011, 05:52:53 pm
Hoje , 14-04-2012 , 3 navios de cruzeiro embelezaram o Porto do Funchal, o Ventura da P&O Cruises, o Mein Schiff da Tui Cruises e o Boudicca da Fred. Olsen Cruise Lines.

 (https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2F3.bp.blogspot.com%2F-S8LMs_w39A0%2FTacc9zRaPSI%2FAAAAAAAAAoA%2FVU0-iZQvLxQ%2Fs400%2FDSC05465.JPG&hash=2e3efc9c9bea7255bd70eb7528902c45)

http://cenmadeira.blogspot.com/

Um Abraço
Título: Re: Sector do Turismo e Hotelaria
Enviado por: nelson38899 em Abril 14, 2011, 07:57:39 pm
E que tal aumentar o porto ou então construir um novo, porque por este andamento muito dos cruzeiros vão deixar de parar na madeira por falta de espaço!
Título: Re: Sector do Turismo e Hotelaria
Enviado por: Desertas em Abril 15, 2011, 01:08:05 am
Citação de: "nelson38899"
E que tal aumentar o porto ou então construir um novo, porque por este andamento muito dos cruzeiros vão deixar de parar na madeira por falta de espaço!


Já existem alguns projectos para a ampliação do Porto do Funchal. Deixo aqui um link para um blog onde estão várias hipoteses de aumento do porto.

http://farinha-ferry.blogspot.com/2011/04/ampliacao-viavel-do-porto-do-funchal.html


Um Abraço
Título: Re: Sector do Turismo e Hotelaria
Enviado por: Lusitano89 em Abril 15, 2011, 05:12:30 pm
Turismo de Portugal aponta Espanha como «alvo preferencial»


O presidente do Turismo de Portugal, Luís Patrão, desafiou hoje os agentes turísticos a investir no sector, quando o mercado parece ter condições económicas e sociais para poder vir a "arrefecer", e continuar a apostar no mercado espanhol.
"A Espanha tem quase cinco vezes mais habitantes do que Portugal, atravessa dificuldades, mas as dificuldades temos que as relativizar porque as dificuldades deles aproximam-se das nossas", disse Luís Patrão.

O responsável salientou que as dificuldades financeiras dos espanhóis "devem ser respeitadas", mas considerou que as mesmas "não estão a impedir", como também não estão a impedir em Portugal "felizmente", que os operadores turísticos continuem a registar níveis "satisfatórios" de circulação pelo país, de visitação turística e de visitação aos monumentos e museus.

Luís Patrão falava, em Portalegre, no Congresso Internacional "Alentejo: Património do Tempo", que decorre até sábado no Centro de Artes e Espectáculo (CAEP).

O presidente do Turismo de Portugal recordou que a linha de orientação que faz parte das linhas do plano de marketing regional, e que foi recentemente aprovado para a promoção externa do Alentejo, como foi para outras regiões do país, apontam Espanha como um "alvo preferencial da promoção turística".

Nesse contexto, Luís Patrão desafiou o sector, entre outras entidades, a "investir", a "ter mais iniciativa", em momentos que dêem a transparecer que o mercado esteja a perder alguma força.

"Nesse contexto, a nossa obrigação é quando o mercado parece ter condições económicas e sociais para poder vir a arrefecer, investir mais, aparecer mais, ter mais iniciativa, ter mais força como apresentamos os nossos argumentos de venda", declarou.

Luís Patrão considerou que esse passo não pode ser dado só pelos responsáveis das entidades regionais de turismo, ou nas entidades de promoção turística.

"Tem que ser feito por todos quantos a nível local, a nível regional, têm responsabilidades no comércio, nas autarquias, nas entidades a quem cabe fazer a animação e propor actividades de animação, sejam culturais, ou de pura diversão", alertou.

Lusa
Título: Re: Sector do Turismo e Hotelaria
Enviado por: Desertas em Abril 16, 2011, 01:43:54 am
Mais uma tripla no Porto do Funchal no dia 15, Empress da Pullmantur, Costa Victoria da Costa Cruises e o Arcadia da P&O .

(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2F2.bp.blogspot.com%2F-77kN4ExKDkk%2FTaiKebnOPbI%2FAAAAAAAALqw%2FFtj6J-VfbK4%2Fs1600%2F100_3616.JPG&hash=18c9c768ffb07d4eff8c4139725a150c)

http://sergiocruises.blogspot.com/

(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2F2.bp.blogspot.com%2F-D0zVyoRjkLA%2FTaiKd0ZcKRI%2FAAAAAAAALqg%2FCL6rE9gsRX8%2Fs1600%2F100_3631.JPG&hash=eb7dd3241d5530f99e8765bbffef9bbf)

Um Abraço
Título: Re: Sector do Turismo e Hotelaria
Enviado por: Lusitano89 em Abril 21, 2011, 05:57:34 pm
Algarve regista ocupação perto dos 100%


A procura pelos empreendimentos turísticos do Algarve registou um aumento significativo para a época da Páscoa em relação a 2010, cuja taxa de ocupação ronda os 100 por cento, disse hoje à Lusa fonte da associação dos hoteleiros algarvios. De acordo com Elidérico Viegas, da Associação dos Hotéis e Empreendimentos Turísticos do Algarve (AHETA), a crise económica “aliada a uma quebra dos preços” na hotelaria, tem gerado maior procura pelo destino Algarve, “não só de portugueses, como dos estrangeiros”.

Aliada à crise económica, a chuva prevista para a época pascoal não tem demovido aqueles que procuram o Algarve para uns dias de descanso num fim-de-semana prolongado.

“Nesta altura a ocupação anda muito perto dos cem por cento, o que permite encarar a época de Verão com muito otimismo”, assegurou o presidente da associação dos hoteleiros do Algarve.

“Face à crise, são muitos os portugueses estão a optar pelo Algarve em vez de irem para o estrangeiro”, observou Elidérico Viegas.

Segundo o presidente da AHETA, os preços “mais apelativos” praticados por uma grande parte de empreendimentos turísticos e aparthotéis , “tem atraído muitos portugueses” originando que várias unidades esgotassem a sua lotação “há já alguns dias”.

Segundo o presidente da associação dos hoteleiros, apesar do Algarve registar anualmente “uma procura significativa neste período, desde 2008 que se verificava um decréscimo nas taxas de ocupação”.

O crescimento da ocupação nesta quadra a que se junta o feriado do 25 de Abril, pode atingir os dez por cento, servindo de indicador para o que deverá ser o resto da época turística.

“Habitualmente a Páscoa é um bom indicador, servindo também como teste para se avaliar com rigor o que será o ano turístico durante o Verão”, sublinhou aquele responsável.

O presidente da AHETA acrescentou que, para o crescimento pela escolha do destino Algarve em tempo de crise económica, “muito tem contribuído igualmente a instabilidade em países como a Tunísia, Turquia e a Grécia”.

Elidérico Viegas estima ainda para um “aumento significativo” de turistas espanhóis, que cada vez mais diversificam os seus destinos, não se limitando à procura de cidades como Lisboa e Porto.

“Cada vez mais se nota uma preferência do turista espanhol pelo Algarve”, concluiu Elidérico Viegas.

Lusa
Título: Re: Sector do Turismo e Hotelaria
Enviado por: Lusitano89 em Abril 29, 2011, 10:42:49 pm
Porto de Leixões já pode receber grandes cruzeiros

 
O Porto de Leixões já tem reunidas as condições para, pela primeira vez, receber os navios de cruzeiro de maiores dimensões.

A inauguração do terminal do cais contou com a presença do ministro das Obras Públicas, António Mendonça. De acordo com Matos Fernandes, presidente da Administração dos Portos do Douro e Leixões (APDL), a construção da obra, lançada em Maio de 2010, "cumpriu escrupulosamente os prazos e valores orçamentados: um ano de período de construção e 21 milhões de euros de investimento".

Para o corrente ano, o novo terminal de cruzeiros tem já programadas as escalas de 60 cruzeiros, 15 dos quais, com mais de 2000 passageiros cada, que não poderiam atracar em Leixões caso não estivesse concluída esta estrutura. A empreitada, que contempla um novo cais para cruzeiros com capacidade para a acostagem de navios até 300 metros de comprimento e um cais fluvio-marítimo para acostagem de embarcações que permitam proporcionar itinerários turísticos no Rio Douro a partir de Leixões.

A obra corresponde à primeira fase do terminal de cruzeiros de Leixões, sendo a segunda fase dedicada à construção da nova estação de passageiros, edifício central do complexo que irá albergar um espaço dedicado à produção e divulgação científica através do Pólo do Mar do Parque de Ciência e Tecnologia da Universidade do Porto, a concluir em 2013.

De acordo com a APDL os estudos de mercado realizados apontam que apenas cinco anos depois, em 2018, passarão anualmente por Leixões cerca de 110 navios de cruzeiro com mais de 125 mil passageiros, um acréscimo significativo na procura turística da região que providenciará uma receita anual de 11 milhões de Euros para os sectores da restauração, transportes, compras, cultura e lazer do Porto e Norte de Portugal.

Diário Económico
Título: Re: Sector do Turismo e Hotelaria
Enviado por: Desertas em Maio 08, 2011, 09:58:24 pm
Ocupação hoteleira próxima aos 100% na Festa da Flor 2011

“A flor que eu escolhi”. É este o tema que serve de mote às comemorações da Festa da Flor da Madeira. Uma festa genuína e autentica que se baseia num dos elementos mais belos, característicos e diferenciadores desta ilha: as flores.

Ao longo dos anos, a Festa da Flor da Madeira tem vindo a cativar cada vez mais turistas e a conquistar, por isso, um lugar de destaque no calendário anual de animação. A sua beleza, identidade e genuinidade, assim como o elemento que homenageia, garantiram-lhe uma extraordinária notoriedade no plano turístico nacional e internacional que importa manter e reforçar no futuro.

Na eventualidade de não poder assistir a este evento este ano, venha no próximo![/list]

Um Abraço
Título: Re: Sector do Turismo e Hotelaria
Enviado por: Desertas em Maio 08, 2011, 10:12:49 pm


(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2F4.bp.blogspot.com%2F-ZQXPt-ZcuWQ%2FTcbwRUtq29I%2FAAAAAAAAF1k%2Fu9Awc31Mk4w%2Fs400%2FIMG_0330.JPG&hash=f006d84031f70fb9c375595c89d1c55a)
http://cruzeirosjorge.blogspot.com/2011/05/ruby-princess-no-funchal.html

Link para as características do Navio
http://en.wikipedia.org/wiki/Ruby_Princess
Título: Re: Sector do Turismo e Hotelaria
Enviado por: Desertas em Maio 08, 2011, 10:23:04 pm
Ontem dia 7 estiveram no Porto do Funchal 2 navios de cruzeiro , o INDEPENDENCE OF THE SEAS e O DEUTSCHLAND .

O DEUTSCHLAND largou de Barcelona recentemente para comemorar os seus 13 anos de actividade, num cruzeiro com 4 escalas em portos portugueses, um deles na Madeira. Lançado em Maio de 1998, em Outubro visitou pela primeira vez o porto do Funchal.
A contrastar em todos os níveis com o navio alemão, o INDEPENDENCE OF THE SEAS voltou ao Funchal em cruzeiro pelas ilhas, novamente a proceder de Southampton, de onde chegou com algum atraso. Foram muitos os presentes na Avenida do Mar que assistiram e fotografaram a sua manobra, a lembrar a escala inaugural do navio da Royal Caribbean no Funchal, há sensivelmente 3 anos no dia 9 de Maio, era então o maior navio de cruzeiros do Mundo em TAB e capacidade de acomodação.

(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2F3.bp.blogspot.com%2F-GidLyvrVWMw%2FTcXPs3lMHGI%2FAAAAAAAAAsU%2FerO-ed0cvfU%2Fs400%2F100_4443.JPG&hash=7ce8149d35af4d45037ecbbf99c2457e)

Um Abraço
Título: Re: Sector do Turismo e Hotelaria
Enviado por: Desertas em Maio 09, 2011, 12:57:06 pm
O passado e o presente na baía do Funchal.

(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2F3.bp.blogspot.com%2F-0ppQXyT0c1I%2FTccPjIgtrBI%2FAAAAAAAAL74%2Fd0lqp1nUWvo%2Fs400%2F100_4491.JPG&hash=58e52256eb0ccef6ead372e22af3150d)

http://naviosfunchal.blogspot.com/

Um Abraço
Título: Re: Sector do Turismo e Hotelaria
Enviado por: Lusitano89 em Maio 12, 2011, 12:30:25 pm
Hotelaria faturou 119,2 Milhões de €€€ em março, mais 3,6%


Os estabelecimentos hoteleiros registados em Portugal contabilizaram 119,2 milhões de euros de receitas em março, mais 3,6% do que um ano antes, revelam dados do Instituto Nacional de Estatística sobre a «Actividade Turística».  No mês analisado, os estabelecimentos hoteleiros apresentaram 2,6 milhões de dormidas, mais 6,3% do que no mês homólogo do ano anterior. Para este resultado contribuíram os residentes (+4,4%) e, com maior impacto, os não residentes (+7,4%).

O desempenho dos principais mercados foi igualmente positivo, «com destaque para o brasileiro, o francês e o britânico».

Em março, os proveitos totais da hotelaria «atingiram 119,2 milhões de euros e os de aposento 77,5 milhões, correspondendo a crescimentos homólogos de 3,6% e 5,4%, respectivamente», refere o INE.

No período de Janeiro a Março de 2011, os estabelecimentos hoteleiros acolheram 2,4 milhões de hóspedes que originaram 6,1 milhões de dormidas, valores que correspondem a crescimentos homólogos de 2,1% e 1,9%, respectivamente.

Quanto aos proveitos do período janeiro a março, a receita total caiu 2,7%, para 277,8 milhões de euros. Deste montante, 180,5 milhões foram classificados como proveitos de aposento, os quais decresceram 0,7% face a igual período do ano anterior.

O RevPar (receita média/quarto)aumentou menos de 1% face a março de 2010, caindo 4,7% no acumulado dos três primeiros meses do ano.

Lusa
Título: Re: Sector do Turismo e Hotelaria
Enviado por: Lusitano89 em Maio 13, 2011, 05:57:18 pm
Turismo religioso está a crescer


Um ano depois da visita papal, e em plena celebração das aparições de Fátima, o turismo religioso está a crescer. E não só o católico. O património judaico também atrai cada vez mais pessoas. Reza a história que a cada 12 e 13 de Maio chegam centenas de milhares de pessoas ao Santuário de Fátima. Ao acolher entre cinco a seis milhões de visitantes por ano – 20% a 30% serão turistas religiosos –, é o sétimo local cristão mais visitado do mundo e assume-se como ex-líbris do turismo religioso em Portugal. Ainda que não existam estatísticas oficiais, estima-se que este tipo de turismo represente 10% do movimento turístico total em Portugal e que possa gerar receitas até 700 milhões.

Quase ‘abençoado’ pela visita papal de há um ano, e apesar de ainda ser um produto de nicho, o turismo religioso é cada vez mais uma aposta. Permite diversificar a oferta e combater a sazonalidade nalgumas regiões, tirando partido do património nacional, 75% do qual de cariz religioso.

«Este tipo de turismo deverá continuar a crescer e a incrementar o nível de receitas geradas», acredita o secretário de Estado do Turismo. Para Bernardo Trindade – que, em Fevereiro, apresentou a revisão do Plano Nacional de Turismo (PENT), onde o turismo religioso passa a estar integrado, incluindo-se no Turismo Cultural e Paisagístico –, esta realidade «assume uma enorme importância no nosso panorama turístico». Porquê? «Pelas potencialidades da oferta em desenvolvimento e pela grande procura a nível internacional». Além de Fátima, o governante aponta as romarias da Senhora d’Agonia (Viana do Castelo), e do Senhor Santo Cristo (Ponta Delgada) e os Santuários do Bom Jesus e Sameiro (Braga).

«Batemo-nos bastante para que a revisão do PENT contemple o turismo religioso. As pessoas mais idosas e com mais poder de compra da Europa e da América podem ser atraídas para o país, a partir da notoriedade de Fátima», concorda o presidente do pólo de turismo de Leiria-Fátima, David Catarino.

«É preciso dar mais expressão» aos programas de turismo religioso, entre outros, defende também o PSD no seu programa eleitoral, apresentado no Domingo passado.

Turel cria agência de viagens

Para estimular este mercado, autarquias e entidades turísticas têm criado rotas centradas no património religioso (mosteiros, igrejas, arte sacra). Há um ano, o Turismo do Porto e Norte constituiu uma delegação em Braga dedicada ao turismo religioso. Meses antes, já tinha aberto uma loja turística perto da Catedral de Santiago de Compostela, em Espanha, para se promover.

No início deste mês, ficou a saber-se que oito municípios de Vila Real, Douro e Viseu vão unir-se para reanimar o Caminho Português Interior para Santiago de Compostela, recuperando 160 quilómetros de estradas. E vários edifícios públicos serão reconvertidos em albergues de peregrinos para desenvolver as economias locais.

Já a Turel, cooperativa de Turismo Cultural e Religioso, que engloba dioceses, santuários e autarquias, deverá lançar uma agência de viagens, em Junho, especializada neste segmento. Terá um balcão em Braga e presença na internet. «Perspectiva-se que este turismo cresça. Motivadas pela fé, em períodos de crise, as pessoas recorrem mais», antecipa o director técnico da Turel, Varico Pereira.

«Temos um património riquíssimo, que poucos países têm, que nos permite ter oferta», argumenta o responsável. E defende que «é preciso criar linhas de apoio à conservação e adaptação do património e à organização de produtos de turismo cultural e religioso, para os promovermos e atrairmos turistas».

 

Portugal vai ter hotel kosher

Com um museu e cemitério judaicos e uma sinagoga, Belmonte – que tem uma das comunidades judaicas mais antigas do mundo, com 140 elementos – também quer investir no turismo cultural e religioso, ambos muito associados.

Depois da criação da Rede de Judiarias de Portugal – projectada há vários anos, e oficialmente constituída em Março, com municípios com herança judaica e entidades regionais de turismo – Portugal está a reforçar a sua oferta para a comunidade judaica. «Há hotéis que acabaram 2010 com mais de mil dormidas de judeus, sobretudo na Guarda, Trancoso e Covilhã», detalha o presidente do pólo de turismo da Serra da Estrela.

Jorge Patrão adianta também que este ano deve arrancar o primeiro hotel kosher – designam-se assim os produtos certificados para consumo por judeus, seguindo preceitos religiosos – em Portugal. Com investimento de dois milhões de euros, de um membro da comunidade judaica, será um três estrelas, perto do centro de Belmonte, com 27 quartos, e deverá abrir em 2012.

SOL
Título: Re: Sector do Turismo e Hotelaria
Enviado por: Lusitano89 em Maio 21, 2011, 01:17:14 pm
Novo hotel de luxo no Algarve abre em Setembro


O novo hotel de luxo Conrad Algarve Palácio da Quinta, classificado de Potencial Interesse Nacional (PIN), é inaugurado em Setembro próximo, após atraso de dois anos, e empregará 100 pessoas, disse hoje fonte do grupo Hilton.
“O novo resort luxuoso e contemporâneo Conrad Algarve vai abrir em Setembro de 2011”, disse em entrevista à Agência Lusa Alessandro Cabella, director geral Cluster Algarve da Hilton Worldwide.

O Hilton Worldwide assinou um acordo com o grupo português Imocom, responsável pela construção do Conrad Algarve, um hotel com conceito de seis estrelas, e o investimento cifra-se em 150 milhões de euros, adiantou Alessandro Cabella.

O director-geral adiantou à Lusa que estão “entusiasmados” com a perspectiva de irem criar cerca de “100 postos de trabalho” para trabalhar no Conrad Algarve.

“Estamos muito entusiasmados com a perspectiva de criar postos de trabalho interessantes e oportunidades de carreiras para profissionais talentosos e hospitaleiros e queremos comprometermo-nos em posicionar a industria da hospitalidade como recompensa e valorização na carreira”, declarou, acrescentando que o grupo Hilton está actualmente no processo de contratação dos elementos chave para liderarem as equipas e que o recrutamento vai manter-se o resto do ano vigente.

Segundo Alessandro Cabella, já”nomearam alguns chefes de equipa para o Conrad Algarve”, mas continuam à procura dos “melhores candidatos” que sejam apaixonados pelo luxo e hospitalidade, porque, defende, esse é a chave do sucesso do Conrad.

O presidente da Câmara de Loulé adiantou à Lusa que os projectos de arquitectura do Conrad Algarve foram entregues na autarquia e que só faltará a “vistoria final e a licença de utilização”, estimando que o empreendimento esteja concluído no final do verão.

A crise económica e financeira que está a afectar Portugal e provocou atrasos, adiamentos ou recalendarizações de projectos turísticos previstos para o Algarve, nomeadamente do Hotel Conrad Algarve Palácio da Quinta, na Quinta do Lago, alguns classificados de PIN.

A data de inauguração prevista inicial era 2009.

O presidente da maior associação hoteleira do Algarve, Elidérico Viegas, lamenta os “atrasos” das obras, que se explicam principalmente pela crise económica, mas também estima que o hotel da Quinta do Lago esteja pronto deste ano.

“Estou crente que abra nessa data, até porque o Grupo Hilton [uma cadeia de hotéis internacional que vai explorar aquele empreendimento], já está a aceitar inscrições de candidaturas de emprego para o hotel”, afirmou Elidérico Viegas.

O autarca de Loulé, Seruca Emídio, acredita que este novo hotel poderá ser um dos “últimos grandes empreendimentos construídos de raíz no Algarve”, porque “nos próximos anos, a política passará muito mais pela reabilitação e requalificação dos hotéis existentes na região”.

Lusa
Título: Re: Sector do Turismo e Hotelaria
Enviado por: Desertas em Maio 22, 2011, 07:32:28 pm
Imagens da chegada do DISNEY MAGIC ao porto do Funchal, hoje pela manhã, em viagem transatlântica de Castaway Cay, ilha privada da companhia e exclusiva para os que nela viajarem, para Cádis, à medida que este se dirige para a Europa onde pela segunda vez ficará posicionado durante o Verão. Ao contrário do ano passado, esta operação decorre apenas no Mediterrâneo à base de Barcelona, excluindo os cruzeiros ao Báltico.
(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2F4.bp.blogspot.com%2F-Qo26IFyW4Ow%2FTdknP6Clf3I%2FAAAAAAAAMQo%2FZ1CC3U78Ss4%2Fs400%2F100_5111.JPG&hash=cce20f917b24131b9f5344f5f1a2b59c)
O DISNEY MAGIC foi a primeira unidade a entrar em actividade pela companhia, logo no ano de fundação da nova Disney Cruise Line em 1998. Veio a introduzir profundas alterações no segmento dos cruzeiros de família, dedicando muito dos seus espaços e animação às crianças.Junto com o gémeo DISNEY WONDER, ambos operaram localmente, nas Caraíbas, durante muitos anos. Agora a Disney expande os seus horizontes até à Europa, fruto do sucesso neste destino e do aumento de frota com dois novos navios construídos em Meyer Werft Papenburg, que para além de reforçar trazem mais inovação neste conceito a pensar nos mais jovens.

(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2F4.bp.blogspot.com%2F-1DxUZMF5NVs%2FTdknRKz4_QI%2FAAAAAAAAMQ4%2FPzdDNCLJ96c%2Fs400%2F100_5097.JPG&hash=a28923a21b8bd53b4e4246537ac8731b)

http://naviosfunchal.blogspot.com/

Um Abraço
Título: Re: Sector do Turismo e Hotelaria
Enviado por: Lusitano89 em Junho 09, 2011, 12:19:57 pm
Hotéis do Algarve mais cheios do que em 2010


A taxa de ocupação nos hotéis algarvios deverá subir entre cinco a seis por cento no fim-de-semana, relativamente a 2010, disse à agência Lusa o presidente da Associação de Hotéis e Empreendimentos Turísticos do Algarve (AHETA).do Algarve receberam nesse mês menos portugueses a fazer mini férias, em comparação com Junho de 2009. «As expectativas apontam para que as reservas neste momento, comparativamente ao ano anterior, apresentem uma ligeira subida, qualquer coisa que pode variar entre os cinco e os seis por cento relativamente a 2010», indicou Elidérico Viegas.

O presidente da AHETA indicou que este facto se deve «um aumento da procura por parte de alguns mercados externos», nomeadamente o britânico, que foi «de alguma forma afetado pela instabilidade que se tem verificado no norte de África, designadamente no Egito e na Tunísia».

«O Algarve é uma opção que já se fez sentir nas ocupações, quer de Abril, quer de Maio, e que pensamos se irá prolongar durante toda a chamada época turística até ao mes de Outubro», explicou.

No entanto, de acordo com Elidérico Viegas, «o aumento das taxas de ocupação não terá uma correspondência no aumento das receitas».

«O volume de negócios não aumentará na mesma proporção do aumento das taxas de ocupação, atendendo a que os preços baixaram e essa é também uma das razões porque teremos um aumento das ocupações dos hotéis e dos empreendimentos turísticos do Algarve», sublinhou.

Em 2010, os feriados de Junho animaram a hotelaria algarvia que registou mais de metade da lotação preenchida, contudo os hotéis do Algarve receberam nesse mês menos portugueses a fazer mini férias, em comparação com Junho de 2009.

Para o fim-de-semana, o Instituto de Meteorologia (IM) prevê em Portugal continental céu em geral pouco nublado, temporariamente muito nublado por nuvens altas, aumentando de nebulosidade para o fim do dia de domingo e no início do dia de segunda-feira, altura em que haverá possibilidade de ocorrência de períodos de chuva fraca.

Segundo a mesma fonte, haverá uma gradual subida da temperatura, embora pouco significativa, na ordem dos dois, três graus, com temperaturas que poderão atingir os 26 graus no domingo em Faro, 25º em Lisboa e 21 no Porto.

Lusa
Título: Re: Sector do Turismo e Hotelaria
Enviado por: Lusitano89 em Junho 14, 2011, 02:35:15 pm
Procura por hotéis de luxo cresce 40%

 
Em Abril, os hotéis em Portugal acolheram um total de 1,27 milhões de hóspedes, que originaram 3,4 milhões de dormidas, segundo os dados divulgados hoje pelo INE. Estes números reflectem subidas homólogas de 11% e 18,4%, respectivamente, com a procura a aumentar tanto da parte dos residentes como dos estrangeiros.

Segundo o INE, "esta evolução francamente positiva dos principais indicadores resulta do aumento da procura no período da Páscoa - sucedido por um feriado nacional, associada a campanhas de preços promocionais e em comparação com os resultados desfavoráveis de Abril de 2010, então condicionados pela nuvem de cinzas vulcânicas".

Os dados hoje divulgados pelo INE mostram que, apesar da crise, o maior aumento da procura verificou-se nos hotéis de cinco estrelas, tendo o número de dormidas disparado 40,5% em Abril, face a igual mês de 2010. O mesmo sucedeu nos apartamentos de luxo, onde a procura disparou 92,8%.

Em sentido inverso, os estabelecimentos de classe mais baixa (Estalagens, móteis e pensões) registaram uma queda de 8,1% nesse mês.

Quanto aos locais mais procurados no país, Algarve, Lisboa e Madeira estão no topo da lista, destacando-se o aumento de 13,6% da procura em Lisboa, 16,5% na Madeira e 34,8% no Algarve. Os Açores foram a única região a registar um decréscimo no número anual de dormidas (-0,6%).

Segundo os mesmos dados, em Abril, os proveitos totais dos estabelecimentos hoteleiros aumentaram 10,9% para 152,4 milhões de euros, assim como nos de aposento, que atingiram os 103 milhões de euros.

Diário Económico
Título: Re: Sector do Turismo e Hotelaria
Enviado por: Lusitano89 em Julho 08, 2011, 02:48:05 pm
Turismo é o sector onde o investimento mais vai descer


A deterioração das condições económicas e as restrições do crédito vão fazer o investimento encolher este ano.

O investimento empresarial em Portugal deverá cair 7,7% em 2011, acentuando a queda de 5,4% em 2010, penalizado pelo ambiente macroeconómico adverso e pela dificuldade de financiamento, segundo o Instituto Nacional de Estatística (INE).

"O principal factor limitativo do investimento empresarial identificado pelas empresas inquiridas, nos dois anos analisados, destaca-se a deterioração das perspectivas de venda, seguindo-se a incerteza sobre a rentabilidade dos investimentos", referiu o INE.

Segundo o Inquérito de Conjuntura ao Investimento do INE, a rentabilidade dos investimentos "assume menor importância em 2011 comparativamente com o observado em 2010, compensado sobretudo pelo aumento da percentagem de empresas que refere dificuldades em obter crédito bancário".

Portugal, assim como outros países periféricos, tem sido contagiado pela crescente probabilidade de a Grécia entrar em 'default', tendo as yields da dívida soberana portuguesa tocado máximos sucessivos desde a adesão do país ao euro, prejudicando as condições de financiamento de toda a economia portuguesa.

O INE explicou que, entre 2010 e 2011, se verificou "um aumento do peso relativo apenas nos investimentos associados à substituição e à extensão da capacidade de produção".

Segundo o Instituto, os valores do investimento relativos a 2010 e 2011 representam revisões de -0,8 pontos percentuais (p.p.) e -4,0 pp, respectivamente, face ao inquérito anterior.

"Esta revisão terá traduzido o adiamento ou cancelamento de investimentos devido à deterioração das perspectivas quanto à evolução da actividade económica durante o ano de 2011", referiu.

Oito das 13 actividades consideradas registaram decréscimos de investimento

"As secções em que se perspectivam diminuições mais acentuadas são as de Alojamento, Restauração e Similares (-40,7%), de Comércio por Grosso e a Retalho e Reparação de Veículos Automóveis e Motociclos (-27,2%), de Construção (-26,4%) e de Actividades de Consultoria, Cientificas, Técnicas e Similares (-24,9%)", adiantou o INE.

Os mesmos dados mostram que "as secções de Comércio por Grosso e a Retalho e Reparação de Veículos Automóveis e Motociclos, de Indústrias Transformadoras e de Construção registaram os contributos negativos mais intensos para a evolução do investimento total em 2011 (-3,2 p.p., -3,1 p.p. e -1,8 p.p. respectivamente)".

"Em sentido contrário, destacam-se as secções de Actividades Imobiliárias e de Captação, Tratamento e Distribuição de Água, Saneamento, Gestão de Resíduos e Despoluição por registarem os crescimentos mais significativos (62% e 29,2%, respectivamente), embora apenas a segunda apresente um contributo positivo expressivo (1,5 p.p.) para a variação do investimento total em 2011", frisou.

Diário Económico
Título: Re: Sector do Turismo e Hotelaria
Enviado por: Lusitano89 em Julho 12, 2011, 12:38:11 pm
Hotelaria: receitas subiram 2,8%, para 604,2 Milhões de €€ até Maio


Os proveitos da hotelaria nacional aumentaram 2,8% nos primeiros cinco meses do ano, ascendendo os 604,2 milhões de euros (M€), segundo estima o INE no relatório «Actividade Turística - Maio de 2011», divulgado esta terça-feira. Do total faturado pelos estabelecimentos hoteleiros, 400,4 milhões referem-se a receitas de aposento, as quais cresceram 4,7% face aos primeiros cinco meses de 2010.

De janeiro a maio, a hotelaria alojou cerca de cinco milhões de hóspedes, que originaram 13,1 milhões de dormidas, valores que representam crescimentos homólogos de 4,4% e 7,1%, respectivamente, com destaque para a procura por parte de turistas não residentes (+12%), detalha o Instituto Nacional de Estatística (INE).

O rendimento médio por quarto (Rev Par) aumentou 0,5%, para os 22 euros, no acumulado até maio.

Os dados relativos ao mês de maio indicam um crescimento de 8,2% nas dormidas (+17,6% pelos não residentes e -10,6% nas pernoitas dos residentes), com destaque para a procura britânica, brasileira, francesa e irlandesa.

Por seu lado, os proveitos (no mês) somaram 176,6 milhões de euros (+7,3%) , dos quais cerca de 118 M€ foram proveitos de aposento (+8,6% face a maio de 2010).

Lusa
Título: Re: Sector do Turismo e Hotelaria
Enviado por: Desertas em Julho 30, 2011, 02:29:52 pm
A partir de hoje a linha Canárias-Madeira-Portimão, introduzida pela Naviera Armas em Junho de 2008, passa a ser efectuada pelo mais recente ferry do armador, o VOLCAN DE TINAMAR. Irá substituir o VOLCAN DE TIJARAFE durante a época de verão, até dia 3 de Outubro.
Intimamente mais moderno e com maior capacidade no transporte de passageiros e carga, trata-se de um excelente aposta que vem a satisfazer uma maior procura patente nesta altura do ano.
Gémeo do VOLCAN DEL TEIDE, que esteve no porto do Funchal duas vezes em Março, este novo navio ferry foi construído na cidade de Vigo em Barreras e posteriormente entregue este ano iniciando actividade no mês transacto.
Na sua escala inaugural em Portimão no Domingo, o VOLCAN DE TINAMAR irá embarcar toda a logística envolvida no Rally Vinho Madeira 2011, maior prova automobilística da Região.

Pelas 08:30h entrou no Porto do Funchal , acompanhado pelo rebocador da APRAM, lançando jactos de água. Uma chegada triunfal e festiva.
Partiu com rumo a Portimão pelas 11:00h emitindo vários apitos, o rebocador acompanhou o ferry na partida apitando também.


(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2F4.bp.blogspot.com%2F-mNAde_ji4bs%2FTjP2etfUD4I%2FAAAAAAAASkk%2F_NJ4M5iIN6Y%2Fs640%2FDSC_0044.JPG&hash=9cb9ce84cdef24e68e2e8b1bec910bbd)

http://farinha-ferry.blogspot.com/

Um Abraço
Título: Re: Sector do Turismo e Hotelaria
Enviado por: Lusitano89 em Setembro 03, 2011, 04:25:39 pm
Hotel Vila Joya eleito melhor boutique resort europeu


O Hotel Vila Joya, em Albufeira, foi distinguido sexta-feira nos World Travel Awards 2011, cerimónia que distingue o que profissionais do setor turístico e agentes de viagens consideram ser o que de melhor existe no turismo na Europa. O hotel foi premiado na categoria de melhor ‘boutique’ ‘resort’ europeu, derrotando concorrentes da Grécia, Turquia, Croácia e Itália, bem como o Choupana Hills Resort & Spa, também de Portugal.

A cerimónia final de entrega dos prémios decorreu em Antália, na Turquia, e Portugal tinha 29 nomeações a concurso, boa parte delas em categorias semelhantes, todavia.

A Lufthansa foi eleita a melhor companhia europeia, numa categoria onde a TAP estava a concurso, ao passo que o aeroporto de Zurique, na Suíça, foi escolhido como o melhor na Europa, derrotando Lisboa e outros destinos como Londres, por via do aeroporto de Heathrow.

Lisboa foi derrotada por Istambul, na Turquia, na categoria de melhor destino de curta duração na cidade ('city break').

A cerimónia distinguiu ainda seis hotéis portugueses para categorias internas: o Marriott foi eleito o melhor hotel de conferências de Portugal, ao passo que o Pine Cliffs Resort venceu na categoria de ‘resort’ familiar. O Marriott Golf & Beach Resort, por sua vez, foi eleito o melhor ‘resort’ de golfe do País, com o Hotel Quinta do Lago a situar-se como o melhor no que a ‘resorts’ dedicados ao Spa diz respeito. O Pestana Palace destacou-se como o melhor hotel de Portugal e o Hilton de Vilamoura é, para o júri, o melhor ‘resort’ no País.

Os World Travel Awards foram criados em 1993 para estimular a competitividade e a qualidade do turismo na Europa.

Lusa
Título: Re: Sector do Turismo e Hotelaria
Enviado por: Lusitano89 em Setembro 03, 2011, 05:12:52 pm
Hotéis admitem que dificuldades chegaram ao fim


Os preços da hotelaria subiram este Verão, face ao mesmo período do ano passado, assim como o número de dormidas de residentes e estrangeiros, admitindo a Associação dos Hotéis de Portugal (AHP) que a crise no setor chegou ao fim.

«Não podemos sustentar que há, neste momento, uma crise na hotelaria nacional», afirmou à Lusa a presidente executiva da Associação de Hotéis de Portugal (AHP), Cristina Siza Vieira, ressalvando porém que «ainda é cedo» para concluir se este ano houve já uma «inversão da tendência» negativa que o setor atravessou no ano passado.

A síntese de indicadores da AHP (Hotel Monitor) de junho passado revela uma melhoria em todos os indicadores do setor, quando comparados com junho do ano passado: o preço médio por quarto ocupado aumentou 4,82 por cento, o preço médio por quarto disponível subiu 17,67 por cento e a taxa de ocupação por quarto cresceu 12,27 por cento.

Em termos consolidados (janeiro a junho) também se verificam aumentos, mas menos acentuados, tanto no preço médio por quarto ocupado (cresce 0,91 por cento) como na taxa de ocupação-quarto (2,67 por cento).

"Parte do mercado nacional que costuma viajar optou este ano por fazer ferias ca dentro, beneficiando a hotelaria. Mas o país também teve um aumento das dormidas de estrangeiro, alguns porque desistiram que ferias no Médio Oriente e outros oriundos do Brasil e Inglaterra, mercados para os quais se fizeram campanhas turísticas", adiantou a presidente executiva da associação.

Os dados da AHP revelam ainda que, entre Janeiro e Junho passados, o REVPAR variou positivamente 3,59 por cento face ao primeiro semestre de 2010, e a receita média por turista no hotel por mês aumentou 6,12 por cento, atingindo o valor de 104 euros.

Também a estadia média, que no primeiro semestre deste ano foi de 1,94 dias, registou um aumento de 4,3 por cento quando comparada com o mesmo período de 2010.

De Janeiro a Junho de 2011 a receita total por quarto disponível (TREVPAR) foi de 50,7 euros, valor que representa um aumento de 3,53 por cento face ao período homólogo do ano passado.

A privatização da TAP é uma das grandes preocupações do setor, segundo Cristina Siza Vieira, mas um eventual aumento do IVA é neste momento a "principal preocupação" dos hoteleiros que temem que a subida deste imposto "vai afetar a competitividade do setor no mercado externo".

Lusa
Título: Re: Sector do Turismo e Hotelaria
Enviado por: miguelbud em Setembro 04, 2011, 02:05:22 pm
Citação de: "Lusitano89"
Hotel Vila Joya eleito melhor boutique resort europeu


O Hotel Vila Joya, em Albufeira, foi distinguido sexta-feira nos World Travel Awards 2011, cerimónia que distingue o que profissionais do setor turístico e agentes de viagens consideram ser o que de melhor existe no turismo na Europa. O hotel foi premiado na categoria de melhor ‘boutique’ ‘resort’ europeu, derrotando concorrentes da Grécia, Turquia, Croácia e Itália, bem como o Choupana Hills Resort & Spa, também de Portugal.

A cerimónia final de entrega dos prémios decorreu em Antália, na Turquia, e Portugal tinha 29 nomeações a concurso, boa parte delas em categorias semelhantes, todavia.

A Lufthansa foi eleita a melhor companhia europeia, numa categoria onde a TAP estava a concurso, ao passo que o aeroporto de Zurique, na Suíça, foi escolhido como o melhor na Europa, derrotando Lisboa e outros destinos como Londres, por via do aeroporto de Heathrow.

Lisboa foi derrotada por Istambul, na Turquia, na categoria de melhor destino de curta duração na cidade ('city break').

A cerimónia distinguiu ainda seis hotéis portugueses para categorias internas: o Marriott foi eleito o melhor hotel de conferências de Portugal, ao passo que o Pine Cliffs Resort venceu na categoria de ‘resort’ familiar. O Marriott Golf & Beach Resort, por sua vez, foi eleito o melhor ‘resort’ de golfe do País, com o Hotel Quinta do Lago a situar-se como o melhor no que a ‘resorts’ dedicados ao Spa diz respeito. O Pestana Palace destacou-se como o melhor hotel de Portugal e o Hilton de Vilamoura é, para o júri, o melhor ‘resort’ no País.

Os World Travel Awards foram criados em 1993 para estimular a competitividade e a qualidade do turismo na Europa.

Lusa

 :Palmas:  :Palmas:  :Palmas:
Título: Re: Sector do Turismo e Hotelaria
Enviado por: miguelbud em Setembro 14, 2011, 05:33:14 pm
Turismo: resultados superaram expectativas este Verão

O presidente da Turismo Centro de Portugal (TCP), Pedro Machado, congratulou-se esta quarta-feira com os dados «muito satisfatórios» da região quanto à actividade turística no mês de Julho, realçando que os resultados superaram a sua expectativa.

Segundo dados do Instituto Nacional de Estatística (INE), o Centro de Portugal registou um crescimento de 8,3 por cento nas dormidas em Julho, em comparação com o mesmo período de 2010, o que se traduz num aumento de 415 mil para 449,6 mil dormidas.

Em termos de taxa de ocupação, a região passou de 34,4 para 35,6%, não se observando alterações nos valores da estada média, que se mantêm em 1,9 noites.

Quanto aos proveitos totais, observou-se um aumento de nove por cento e nos proveitos por aposento o crescimento foi de 13,5%, um ponto percentual acima da média nacional.
«São dados muito mais satisfatórios do que esperava», afirmou o presidente da TCP, admitindo que tinha uma expectativa «moderada» para este Verão, devido à conjuntura que o país atravessa.

Pedro Machado estima que estes valores não sejam diferentes no mês de Agosto.

«O Agosto não foi inferior ao Julho. Eventualmente pode haver aqui ou ali alguma deambulação de números», adiantou.

O presidente da TCP falava durante uma conferência de imprensa para apresentar o programa das comemorações do Dia Mundial do Turismo na região, que vão decorrer de 20 a 27 do corrente mês.

O programa arranca com a assinatura de um protocolo entre a TCP e a Comunidade Intermunicipal da Região de Aveiro no âmbito do projecto PRORIA, que tem como objectivo a promoção da marca Ria de Aveiro.

O ponto alto das comemorações terá lugar no dia 27 (dia Mundial do Turismo) com a inauguração do Welcome Center de Viseu.

No total, estão previstas 60 iniciativas que vão decorrer nos quatro polos de marca turística do Centro de Portugal (Aveiro, Viseu, Coimbra e Castelo Branco) envolvendo 41 dos 57 municípios da TCP e 55 entidades.

http://www.agenciafinanceira.iol.pt/eco ... -1730.html (http://www.agenciafinanceira.iol.pt/economia/turismo-dormidas-verao-agencia-financeira/1280250-1730.html)
Título: Re: Sector do Turismo e Hotelaria
Enviado por: Lusitano89 em Setembro 20, 2011, 08:07:23 pm
Procura até Julho ultrapassou metas para 2011


O Turismo de Portugal anunciou hoje, terça-feira, que "todas as regiões" e "a generalidade" dos mercados superaram em Julho as metas de crescimento para este ano previstas no Plano Estratégico Nacional do Turismo e só as dormidas quase duplicaram. "O bom desempenho da procura turística internacional permitiu, entre Janeiro e Julho, superar e quase duplicar (mais 186,9 por cento) as metas de crescimento de dormidas estabelecidas para todo o ano 2011 em Portugal, no âmbito do novo modelo de promoção externa regional", lê-se num comunicado do Turismo de Portugal.

Os primeiros sete meses do ano, quando comparados com 2010, geraram mais 1,48 milhões de dormidas de turistas de 12 países estrangeiros em empreendimentos turísticos, superando o objetivo de crescer mais 791 mil dormidas em todo o ano 2011.

O Turismo de Portugal adianta que a "grande maioria" destes mercados - Reino Unido, Áustria, Suíça, França, Irlanda, Espanha, Benelux, Brasil, Estados Unidos e Itália - já ultrapassou os objectivos de dormidas para Portugal em todo o ano e que a Alemanha está também já muito perto de atingir as suas metas.

O Reino Unido, com mais 556 mil dormidas, mais do que triplicou a meta pretendida, e a França (com mais 188 mil dormidas,) e a Irlanda (mais 40 mil dormidas) mais do que duplicaram o objectivo estabelecido, tal como aconteceu com a Suíça e a Áustria, acrescenta aquela entidade

Nos primeiros sete meses, também todas as regiões já ultrapassaram as suas metas anuais, com destaque para a Madeira, que triplicou o objetivo de crescer 106 mil dormidas, com o contributo do Reino Unido, França e Alemanha.

O Algarve mais do que duplicou a meta de 240 mil dormidas, com mais turistas espanhóis, britânicos e irlandeses, e o Alentejo e o Centro estão perto de dobrar as suas metas, segundo o Turismo de Portugal.

Lusa
Título: Re: Sector do Turismo e Hotelaria
Enviado por: miguelbud em Setembro 21, 2011, 03:33:00 pm
Grupo Pestana reorganiza hotelaria em Portugal

O Grupo Pestana apresenta uma nova organização operacional para a estrutura nacional, através da criação da área Pestana Hotelaria Portugal", informa o comunicado do grupo Pestana.

A nova organização irá integrar sob a mesma área as marcas "Pestana Hotels&Resorts" e "Pousadas de Portugal".

O grupo pretende assim juntar as sinergias respectivas e tornar a sua cadeia de serviços mais forte.

O grupo explica que com a nova organização será possível partilhar todo o conhecimento e experiência dos recursos humanos das marcas “Pestana Hotels&Resorts” e “Pousadas de Portugal”, os quais eram até aqui geridos de forma autónoma.

“A coordenação de todos os procedimentos de integração e de operacionalização fica a cargo de Pedro Fernandez, nomeado Director Geral, e de Pedro Fino, nomeado Director Financeiro, da Pestana Hotelaria Portugal”, anuncia o comunicado.

http://www.jornaldenegocios.pt/home.php ... &id=507235 (http://www.jornaldenegocios.pt/home.php?template=SHOWNEWS_V2&id=507235)
Título: Re: Sector do Turismo e Hotelaria
Enviado por: miguelbud em Setembro 27, 2011, 03:27:13 pm
Grupo easyjet abre primeiro hotel ‘low cost’ no Porto

Grupo opera em Portugal através de ‘franchising’ e quer expandir-se para Lisboa.

Já abriu no Porto a primeira unidade da cadeia de ‘low cost' easyHotel, que é a 15ª do grupo de aviação easyjet no mundo. Com um investimento de quatro milhões de euros, a unidade fica localizada na zona da Batalha, perto do centro do Porto, e tem 56 quartos.

O hotel abriu oficialmente este mês, contudo desde o início do Verão que se encontra em regime de ‘soft open'. De acordo com a directora do easyHotel Porto, Talita Oka, a unidade hoteleira registou um nível de ocupação médio superior a 50%, o que surpreendeu pela positiva tendo em conta que não houve divulgação sobre o início da actividade. "Esperávamos 50% mas superámos esse valor", adianta.

O projecto em Portugal é gerido por um ‘master franchise', detido pela Best Ecran, de capitais nacionais. A estratégia para o mercado nacional passa também, segundo Talita Oka, pela abertura de quatro unidades previstas para Lisboa, Faro e uma terceira cidade ainda em fase de selecção. O próximo projecto será seguramente em Lisboa, tendo em conta que já está identificado o local e em fase de aquisição do edifício.

De acordo com a mesma responsável, a previsão inicial foi a de avançar com a construção da unidade em Lisboa, uma vez que a easyjet tem, neste momento, maior presença no mercado da capital. Contudo, o projecto na cidade do Porto avançou com maior rapidez. Um facto a que não deve ter sido alheio o apoio no licenciamento do projecto dado pela Sociedade de Reabilitação Urbana - SRU Porto Vivo e pela Câmara Municipal do Porto, já que a escolha na instalação do hotel recaiu num prédio que foi reabilitado para o efeito.

Preços de 26 a 56 euros
Talita Oka realça que "a implementação deste conceito na cidade do Porto é um bom teste, tendo em conta que tem algumas das características certas para receber uma unidade easyHotel". Uma delas é o facto de o aeroporto Sá Carneiro ser, actualmente, um dos maiores canalizadores de viagens de turismo em ‘low cost'.

Os preços dos quartos duplos, sem extras, estão divididos por três categorias - ‘small room', ‘standard room' e ‘twin room' - com valores que vão de 26 a 56 euros por noite. Cada quarto está equipados com casa de banho privativa, climatização e televisão por satélite.

No entanto, a nível de área, o projecto beneficiou do facto de resultar de uma reabilitação e de ter de obedecer às exigências da legislação portuguesa que obriga a que cada quarto tenha uma janela. Situação que não acontece nas unidades de duas estrelas na maioria dos países europeus .

http://economico.sapo.pt/noticias/grupo ... 27565.html (http://economico.sapo.pt/noticias/grupo-easyjet-abre-primeiro-hotel-low-cost-no-porto_127565.html)
Título: Re: Sector do Turismo e Hotelaria
Enviado por: miguelbud em Outubro 02, 2011, 06:08:49 pm
Os prémios European Destinations of Excellence (EDEN), entregues em Bruxelas no Dia Mundial do Turismo (27 de setembro), foram atribuídos na edição de 2011 a 21 destinos não muito conhecidos, mas que são considerados "tesouros escondidos na Europa" por praticarem turismo sustentável.

A recuperação de património em paisagem natural foi o tema em 2011 para a escolha de destinos EDEN. O Parque Natural do Faial foi um dos destinos premiados, levando Portugal pela primeira vez a entrar no clube de países com destinos que ostentam este rótulo de excelência.

 Os prémios EDEN atribuídos em 2011 foram para os seguintes destinos:  - Parque Natural do Faial (Portugal)- Delfos (Grécia)- Gmund (Áustria)- Marche-en-Famenne (Bélgica) - Pustara Visnjica (Croácia)- Parque nacional Lahemaa (Estónia)- Montevecchio (Itália)- Stykkishólmur (Islândia)- Kalopanagiotis (Chipre)- Ligatne (Letónia)- Ecoparque de Trasmiera (Espanha)- Great Western Greenway (Irlanda)- Slovácko (República Checa) - Roubaix (França) - Rokiskis (Lituânia) - Mecsek (Hungria)- Veenhuizen (Holanda)- Zyrardów (Polónia) - Gharb (Malta)- Idrija (Eslovénia) - Hamamonu (Turquia).

http://aeiou.expresso.pt/21-tesouros-es ... ia=f677478 (http://aeiou.expresso.pt/21-tesouros-escondidos-na-europa-fotogaleria=f677478)
Título: Re: Sector do Turismo e Hotelaria
Enviado por: Lusitano89 em Novembro 09, 2011, 04:05:39 pm
Companhias aéreas receberam 13,3 milhões para criar rotas para Portugal


As companhias aéreas receberam apoios de 13,3 milhões de euros desde 2007 ao abrigo do programa Iniciativa.pt, que promove a atracão ou reforço de rotas para Portugal, sendo as 'low cost' a maiores beneficiadas. Fonte do Turismo de Portugal disse à agência Lusa que, «desde 2007 (quando se iniciou o programa Iniciativa.pt) até Outubro de 2011, as iniciativas desenvolvidas apoiaram a criação ou reforço de 43 rotas aéreas com destino a aeroportos portugueses, que resultaram na chegada a Portugal de mais 1,64 milhões de passageiros».

Das 43 rotas, 33 são de companhias aéreas de baixo custo ('low cost') e as restantes 10 de duas transportadoras aéreas regulares: a TAP e a SATA.

A companhia que mais apoios recebeu foi a 'low cost' irlandesa Ryanair, com 18 rotas apoiadas, seguida pela companhia açoriana SATA, uma transportadora tradicional, com sete rotas abrangidas pelo programa.

Além da SATA, só há mais uma companhia tradicional abrangida pelo programa, a TAP. A transportadora liderada por Fernando Pinto tem três rotas abrangidas pelo Iniciativa.pt.

As restantes rotas pertencem às companhias aéreas 'low cost' easyJet (cinco rotas), Jet2 (quatro), TuiFly (duas) e SkyEurope, AerLingus, Aigle Azur e ThomsonFly (todas com uma rota cada).

Reino Unido (10 rotas), Alemanha (sete), França (cinco) e Irlanda (quatro) são dos principais mercados de origem das rotas abrangidas pelo programa, destacando-se também o mercado escandinavo – Suécia, Dinamarca, Noruega e Finanlândia – com nove rotas.

Uma análise por aeroportos de chegada indica que «23 das rotas se destinaram a Faro, 10 à Madeira, cinco a Lisboa, quatro a Ponta Delgada e uma a Porto Santo», de acordo com a mesma fonte do Turismo de Portugal.

O Turismo de Portugal refere ainda que «há cinco novas rotas, já iniciadas no Verão de 2011, que estão em fase final de contratação para serem apoiadas na actual época de inverno, favorecendo assim a redução da sazonalidade».

A mesma fonte recordou que o «Aeroporto do Porto tem beneficiado de acordos feitos ainda antes de este sistema estar em vigor, tendo o Turismo de Portugal assumido, nomeadamente em termos financeiros, a posição da ADETURN – entretanto encerrada – nos contratos vigentes com a easyJet e Ryanair, que em conjunto trouxeram 10 novas rotas para a cidade do Porto».

Já no que respeita ao aeroporto de Lisboa, a Portela «vai igualmente beneficiar de um novo apoio deste tipo, embora fora do âmbito da Iniciativa.pt, através do acordo que acaba de ser celebrado com a easyJet para instalação de uma base», prevendo-se a criação de 15 rotas de interesse turístico nos próximos anos.

Os encargos com o programa Iniciativa.pt são da responsabilidade do Turismo de Portugal e da ANA, gestora dos aeroportos portugueses, ambos responsáveis por 40 por cento dos montantes atribuídos.

Os restantes 20 por cento cabem às agências regionais de promoção turística das áreas dos aeroportos abrangidos pelas novas rotas.

Segundo os últimos dados divulgados pela ANA, o tráfego de passageiros nos aeroportos portugueses cresceu seis por cento em Setembro, face ao mesmo mês de 2010, e já acumula uma subida de 8,3 por cento desde o início deste ano.

O maior crescimento foi registado no aeroporto do Porto (10,6 por cento), seguido por Lisboa (6,4 por cento) e por Faro (3,3 por cento).

Lusa
Título: Re: Sector do Turismo e Hotelaria
Enviado por: Lusitano89 em Novembro 18, 2011, 07:41:18 pm
Costa Alentejana quer ser o "próximo destino turístico de Portugal"


A "Costa Alentejana" é a nova marca promocional do litoral alentejano, que aposta numa estratégia comum para os seus cinco municípios, procurando atrair maior procura e afirmar-se como "o próximo destino turístico de Portugal". "É um território de excelência e ímpar, com grandes possibilidades para se destacar como uma zona de oferta diversificada. Esta estratégia comum serve para passarmos, cada vez mais e melhor, esta mensagem", frisou hoje à agência Lusa o autarca Carlos Beato.

Segundo o responsável, presidente do município de Grândola e da Entidade Regional de Turismo (ERT) do Alentejo Litoral, a Costa Alentejana possui "um alargado conjunto de potencialidades", que devem ser aproveitadas, de forma coordenada, para potenciar o turismo. "Temos quase tudo o que muitos gostavam de ter e não têm. Temos é de ter força para que, quando apresentamos o nosso produto, as pessoas sintam a Costa Alentejana como algo diferenciador em termos de qualidade e de serviço prestado", frisou.

Esta nova estratégia comum de comunicação turística dos cinco municípios da ERT Alentejo Litoral - Alcácer do Sal, Grândola, Sines, Santiago do Cacém e Odemira - foi hoje divulgada no evento "Costa Alentejana, Turismo todo o ano", no Centro de Artes de Sines. Na conferência integrada no evento, que decorreu ao longo de todo o dia, foram também apresentados o filme promocional e o portal associados à nova marca "Costa Alentejana". A iniciativa prolonga-se até domingo, com um showroom, em estão presentes unidades hoteleiras e de turismo rural, empresas de animação e outros operadores turísticos dos cinco concelhos, e um roteiro gastronómico pelos restaurantes de Sines.

Lusa
Título: Re: Sector do Turismo e Hotelaria
Enviado por: Lusitano89 em Novembro 21, 2011, 09:46:55 pm
Frederico Costa sucede a Luís Patrão no Turismo de Portugal


Frederico Costa, até aqui vogal, vai assumir a presidência do Turismo de Portugal, substituindo Luís Patrão, há cinco anos no cargo, confirmou hoje à Lusa fonte do Governo.

A sucessão decorre no âmbito do processo de reforma do Turismo de Portugal, que passa de cinco para três membros no conselho de administração, entre os quais o antigo administrador do Euro 2004 Luís Matoso e Maria de Lurdes Valle, até aqui assessora do ministério da Economia. Esta reestruturação dará lugar também a uma redução de cargos dirigentes.

De acordo com a mesma fonte, esta remodelação vai recentrar o Turismo de Portugal numa missão mais técnica e empresarial, procurando um "retorno efectivo" daquilo que é realizado no exterior do país.

Nascido em 1965, Frederico Costa formou-se na Escola de Hotelaria e Turismo do Porto, pós-graduado pelo Centro Internacional de Glion e mestre pela Universidade de Bournemouth, segundo o currículo publicado em Diário da República aquando da nomeação do actual conselho directivo do Turismo de Portugal em Maio de 2010.

Frederico Costa foi vice-presidente do instituto entre 2007 e 2010 e director de marketing e vendas das Pousadas de Portugal entre 2004 e 2005, tendo um ano antes desempenhado funções como director de promoção turística do antigo Instituto do Comércio Externo de Portugal (ICEP) e sido delegado dessa mesma entidade em Nova Iorque entre 1998 e 2003.

Em 2003, durante o Governo de Durão Barroso, foi representante do Ministério da Economia na Comissão Estratégica dos Oceanos e na Comissão Interministerial para as Comunidades Portuguesas.

Contactado pela Lusa, Luís Patrão não quis tecer comentários sobre o processo de substituição, limitando-se a dizer compreender que o Governo tome esta decisão.

Lusa
Título: Re: Sector do Turismo e Hotelaria
Enviado por: Lusitano89 em Dezembro 07, 2011, 09:30:39 am
"Pior Novembro dos últimos 16 anos" para o Algarve


A taxa de ocupação hoteleira no Algarve teve este ano «o pior Novembro dos últimos 16 anos», disse hoje à Lusa o presidente da Associação dos Hotéis e Empreendimentos Turísticos do Algarve (AHETA). A taxa de ocupação global média/quarto foi de 24,2%, ou seja, 9,2% abaixo do verificado em Novembro de 2010 e 40% menos do que em 1996, frisou Elidérico Viegas.

Segundo o dirigente hoteleiro, os números «seriam ainda muito piores fossem levados em conta os estabelecimentos que encerraram nesta época, em número nunca visto em épocas baixas anteriores».

A acrescentar à diminuição registada nas dormidas de portugueses, que ronda os 10 por cento, a procura externa na últimas semanas «também entrou em queda livre», depois de alguns meses em que susteve as perdas devido à diminuição de competitividade dos destinos que são concorrentes directos nos mercados árabes, disse.

Em Novembro, por nacionalidades, as principais descidas registaram-se nos mercados alemão (-23,8%) e nacional (14,8%), mas todos os mercados emissores registaram descidas.

Além da crise das economias e das famílias, o presidente da principal associação hoteleira do Algarve atribui as perdas a factores como a diminuição de competitividade do turismo nacional, a fiscalidade elevada e a falta de uma estratégia de transporte aéreo.

«Temos os aeroportos mais caros da Europa no que respeita aos nossos concorrentes da bacia do Mediterrâneo», alertou.

Criticou as políticas de aumento de impostos, que entre outros efeitos «tem ainda o efeito perverso de nos fazer ter uma má imagem enquanto país» aos olhos dos que nos visitam.

«E o pior nem é a crise, é não haver perspectivas de futuro”, disse, antevendo que o efeito negativo conjugado no Turismo algarvio do aumento do IVA nos restaurantes e no golfe, das portagens na Via do Infante (A22), do fim das pontes de fim-de-semana e da crise nas famílias.

Segundo dados hoje divulgados pela AHETA, o melhor Novembro dos últimos 16 anos para as taxas de ocupação no Algarve foi em 1999, com 55,8 por cento e desde 2007 (40,3) as taxas têm descido consecutivamente: 33,5 em 2008, 29,9 em 2009, 26,7 em 2010 e 24,2 em 2011.

Em Novembro deste ano, todas as zonas geográficas apresentaram descidas relativamente ao período homólogo do ano passado, sobretudo Portimão / Praia da Rocha / Alvor (-28,7%) e Carvoeiro / Armação de Pêra (-18,2%).

A zona de Monte Gordo / VRSA registou a taxa de ocupação mais elevada (56,2%), enquanto Lagos / Sagres registou a mais baixa, com 17,7%.

Por categorias, as maiores descidas registaram-se nos estabelecimentos de 3 estrelas (-15,3%).

Os estabelecimentos de 3 e 4 estrelas foram também os que apresentaram a ocupação mais baixa.

O volume de negócios total em Novembro apresentou uma descida de 10,7% em termos homólogos.

Lusa
Título: Re: Sector do Turismo e Hotelaria
Enviado por: Lusitano89 em Dezembro 07, 2011, 04:55:41 pm
Turismo do Algarve alerta para impacto negativo das Portagens


O presidente do Turismo do Algarve, António Pina, alertou hoje para o impacto negativo que a introdução de portagens na Via do Infante (A22), a partir de quinta-feira, vai ter para a principal actividade económica da região.
Em declarações à agência Lusa, António Pina afirmou que "esta medida das portagens na Via do Infante, para o turismo, é negativa, a vários níveis", apontando como um dos principais impactos a redução do número de turistas espanhóis que se vão deslocar ao Algarve. "Não só pode dificultar a vinda de espanhóis, porque nós temos aqui um bom mercado espanhol e isso pode trazer dificuldades, como também a economia interna, nos rent-a-car, nos táxis e outros que vão ter um aumento de despesa, dificultando a vida já muito difícil que as empresas têm", sustentou.

O presidente da Entidade Regional de Turismo do Algarve considerou que a introdução de portagens na autoestrada que liga Vila Real de Santo António a Lagos é "uma má medida" e, em período de festas natalícias, "não é um bom Pai Natal, muito pelo contrário". António Pina sublinhou que "vai aumentar o tempo para (as empresas) prestarem o mesmo serviço", porque muitas "vão ter que optar por ir para a EN125", estrada que "vai ficar congestionada" e ter "mais acidentes". Questionado sobre se o Algarve vai sofrer um retrocesso em termos de acessibilidades, o presidente do Turismo da região respondeu que sim, considerando que a questão da alta sinistralidade que se verificava na EN125 "já estava a ficar diluída" e "com esta medida voltará a piorar".

As deslocações internas dos residentes também irão ser afectadas, segundo António Pina. "Obviamente que os algarvios irão evitar a Via do Infante, que os vai onerar na carteira, e vão passar a deslocar-se e a congestionar a EN125", afirmou, frisando que as portagens e o aumento do IVA na restauração para 23 por cento "são medidas que vão prejudicar o turismo no Algarve, obviamente". A questão de o sistema de cobrança ser electrónico também mereceu reparos do responsável máximo da ERTA, que disse não estar só em causa uma questão económica, mas também o facto de "não ser uma maneira amiga de receber quem quer visitar" a região. "É criar aqui mais uma confusão de filas e isso não é bom para quem quer ser um destino turístico, porque as pessoas vêm para descansar e não para estar em filas", afirmou, referindo-se às dificuldades encontradas para se comprar o dispositivo eletrónico de matrícula nos postos de venda.

As vias SCUT (sem custos para o utilizador) que passam a ter portagens a partir de quinta-feira são a A22, que integra a Concessão do Algarve, a A23 (entre o nó com a A1 e o nó Abrantes Este integra a concessão da EP - Estradas de Portugal e no restante a concessão da Beira Interior), a A24, integrada na concessão do Interior Norte, e a A25, que integra a concessão da Beira Litoral/Beira Alta.

Lusa
Título: Re: Sector do Turismo e Hotelaria
Enviado por: Menacho em Dezembro 07, 2011, 05:25:31 pm
Andalucía, en pie de guerra por el peaje a Portugal en pleno puente

Citar
La decisión del Gobierno portugués de establecer un peaje en las autovías que unen España con el país luso ha provocado una fuerte reacción en Andalucía, hasta el punto de que el Gobierno de la Junta ha evacuado consultas a la UE por si la medida puede ser denunciada como ilegal. Griñán asegura que no se pueden establecer tasas de este tipo en vías que han sido financiadas con fondos europeos, y hasta el Defensor del Pueblo, José Chamizo, ha decidido intervenir en un asunto que ha provocado una fuerte polémica sobre todo en el sector empresarial.

El establecimiento de este telepeaje –se hará mediante tarjeta controlada por sensores- empieza mañana, día 8, es decir, en pleno puente, aunque la primera jornada se espera funcione en clave informativa. El coste será de 8 a 14 euros, según las dos categorías establecidas por tipos de vehículos, y se podrán adquirir bonos temporales. El origen de esta medida está en la crítica situación por la que atraviesa la empresa Estradas de Portugal, que es la que controla las autovías que van a pasar a establecer peajes que afectan a las conexiones españolas con el país luso por el norte, centro y sur de la península.

Un duro golpe a la Eurorregión

La decisión portuguesa originó una primera reacción en el sector empresarial, sobre todo de la provincia onubense que, según el presidente de la Federación Onubenses de Empresarios y del Consejo Andaluz de Cámaras, Antonio Ponce  ve así retroceder en dos décadas la configuración de la Eurorregión Andalucía-Algarve-Alentejo, en relación con la que se han establecido múltiples contactos y estrategias comunes en esta parte del Sur de Europa.

Paralelamente, se han llevado a cabo una serie de acciones de colectivos sociales tanto españoles como portugueses, como protestas, encierros y denuncias, tratando de concienciar al gobierno luso de los perjuicios que se van a derivar de este peaje, sobre todo en el sector turístico del Algarve, por una parte, y por otra en los transportes y otros servicios españoles que frecuentan Portugal.

Reacción contundente del Gobierno andaluz

La reacción del Gobierno andaluz en esta crisis vecinal ha sido contundente. Y a pesar de algunos componentes demagógicos del PSOE onubense, que han querido cargar ya en el debe de Rajoy la solución al caso, el presidente de la Junta, José Antonio Griñán se ha dirigido al gobierno regional del Algarve para advertirle de las graves consecuencias que pueden derivarse de una medida de estas características. La misiva de Griñán, según asegura el propio presidente de la Junta, no ha tenido respuesta.

La Junta tiene previsto en este caso dar su principal batalla en Bruselas. EL Gobierno andaluz, que en la reunión del Consejo celebrada hoy ha analizado el caso, se ha dirigido a la UE para solicitar información sobre la posible ilegalidad de un peaje de estas características. Para Griñán, no puede ser aceptable que infraestructuras que se han construido con fondos europeos se tasen con peajes entre dos países de la Unión Europea. Y en el caso de que los informes solicitados apunten a que puede tratarse de una ilegalidad, la Junta iniciaría las acciones correspondientes ante los tribunales europeos.
Título: Re: Sector do Turismo e Hotelaria
Enviado por: Lusitano89 em Janeiro 03, 2012, 07:23:25 pm
Porto do Funchal com mais de 500 mil passageiros em 2011


O Porto do Funchal ultrapassou em 2011, pela primeira vez, a fasquia do meio milhão de passageiros, revelou hoje a presidente da APRAM - Administração dos Portos da Madeira, Alexandra Mendonça. O porto funchalense registou em 2011, comparativamente a 2010, um crescimento de 3% em escalas e de 10% no movimento de turistas.

O Porto do Funchal continua a liderar, em termos nacionais, a rubrica de "movimento de passageiros", com mais 38 180 turistas do que o de Lisboa, que foi, no entanto, o primeiro em termos de escalas, com mais 27 do que o da capital madeirense.

"O número de turistas de cruzeiro que escalaram no Porto do Funchal em 2011 ultrapassou, pela primeira vez, o meio milhão, ou seja, registaram-se 540 180 passageiros em 303 escalas, o que significa um aumento percentual de 10% no movimento de passageiros e 3% no número de escalas", revelou Alexandra Mendonça, num balanço de 2011.

Alexandra Mendonça revelou também que o Porto do Porto Santo recebeu seis escalas e 2609 turistas de cruzeiro.

A responsável destacou números que "atestam o desenvolvimento do turn around, um interface entre o porto e o aeroporto que permite ao turista permanecer uns dias antes ou depois do cruzeiro na região".

Neste sistema que envolve também o transporte de avião e relativo apenas ao Funchal, "o número de embarcados aumentou de 5046 para 7978 passageiros e o de desembarcados de 4795 para 7854 passageiros, o que se traduz num aumento percentual de 58% na variante de desembarcados e de 64% na variante de embarcados relativamente ao ano anterior", acrescentou.

Os alemães foram os turistas que mais passaram pelo Porto do Funchal, seguidos dos ingleses, americanos, italianos, brasileiros e portugueses, com uma média de gastos de 75 euros por pessoa.

Em 2012 estão previstas 334 escalas de cruzeiros, algumas das quais em estreia, como o Adonia (17 de janeiro), o Disney Fantasy (20 de fevereiro), o Eurodam (22 de abril), o Silverfea Explorer (29 de abril), o Saga Saphire (6 de novembro), o Hamburgo (24 de novembro) e o Norwegiam Spirit (6 de maio), navios agenciados pela Agência Blandy.

O Mein Shift 2 (10 de abril), o Riviera (10 de junho), o Columbus 2 (6 de novembro) e o MSC Divina (20 de novembro) são outras estreias agendadas pela Agência João Freitas Martins.

No último dia do ano, escalarão o Porto do Funchal seis navios de cruzeiro, menos três do que em 2011.

Lusa
Título: Re: Sector do Turismo e Hotelaria
Enviado por: Lusitano89 em Janeiro 04, 2012, 07:40:56 pm
Governo quer reforçar aposta do Turismo nas redes sociais


Marca Portugal, reforço da presença em redes sociais e novas rotas aéreas são apostas da secretaria do Turismo para este ano.

Cecília Meireles, secretária de Estado do Turismo, diz que 2012 "vai ser um ano cheio de desafios e não vai ser fácil", mas mostra-se convicta de que é possível superar com sucesso as dificuldades.

"O papel do Governo face à nossa conjuntura, que tem muito a ver com o que se passa no exterior, é alavancar o que a nossa oferta e iniciativa privada tem de bom e atrair oferta", afirmou a responsável num encontro de empresários organizado pela Associação de Hotelaria de Portugal (AHP), em Lisboa.

Como grande desafio para o próximo ano, Cecília Meireles apontou a definição da estratégia da marca Portugal agregadora de produtos nacionais, e do destino de Portugal.

Outra das apostas para 2012, referiu a secretária de Estado do Turismo vai ser o reforço da presença institucional em redes sociais, através de uma "maior presença na distribuição online". Para a governante, a aposta nas redes sociais já devia ter começado mais cedo. "Se não apanhamos o comboio no próximo ano ou nos próximos dois ou três anos, já não apanhamos", disse.

A segmentação do produto e dos mercados é outra tendência a que Portugal não pode ficar alheio, uma vez que "cada vez mais temos um turista que quer a sua experiência à sua medida, e é preciso resposta a este nível, é preciso saber fazer marketing de segmento", frisou Cecília Meireles.

Atrair novas rotas para Portugal é outro dos desafios. "A nossa oferta é de facto excelente e turismo também é transporte e rotas aéreas", disse, acrescentando que também é preciso reestruturar a oferta, nomeadamente através de um processo de "reestruturação da orgânica regional do turismo" e continuar o processo de desburocratização.

Para a governante, é preciso que a "oferta rica e muito diversificada" do sector privado de Portugal na área do turismo "ganhe dimensão e músculo" nos próximos anos, cabendo ao Governo apoiar essas iniciativas. Nesse sentido, em Março será anunciada a nova estrutura de apoios e financiamento ao sector.

Para a responsável, numa conjuntura de crise, não basta tentar conseguir aumentar as receitas mas também saber como diminuir as despesas.

Diário Económico
Título: Re: Sector do Turismo e Hotelaria
Enviado por: Lusitano89 em Janeiro 17, 2012, 07:47:50 pm
Governo anuncia reorganização no sector do Turismo


O Governo anunciou hoje uma reorganização do sector do turismo, com a criação de cinco novas regiões com base nas NUT II, decisão que acolhe concordância no sector, críticas de alguns autarcas e apelos à preservação das «marcas fortes».
Com a nova reorganização, hoje anunciada pela secretária de Estado do Turismo, desaparecem cinco entidades regionais de turismo (ERT), seis polos de desenvolvimento e mais cinco agências promocionais (ARP), mas, de acordo com Cecília Meireles, «não está em cima da mesa uma redução das pessoas, podendo haver realocação» de trabalhadores.

«O objectivo da reforma não é a redução da despesa, é funcionar melhor», afirmou Cecília Meireles, numa conferência de imprensa na qual deu a conhecer que cada uma das cinco novas entidades de turismo, correspondentes a cada NUTS II (Norte, Centro, Lisboa, Alentejo e Algarve), vai juntar as competências de estruturação da oferta e de promoção interna e externa, antes distribuídas pelas ERT, as ARPT e os Polos.

«Todas as marcas turísticas vão ser mantidas, mas uma entidade pode trabalhar várias marcas, poupando na estrutura e ganhando na eficiência?, afirmou Cecília Meireles.

Esta garantia responde às preocupações manifestadas à Lusa pelos responsáveis de algumas das entidades a extinguir, como é o caso do Oeste e da Serra da Estrela, mas também da Associação Nacional das Entidades Regionais de Turismo.

O presidente da associação, António Pina, concorda com a reorganização do sector, mas adverte que a criação de novas regiões e a definição do seu funcionamento 'é um trabalho de filigrana, porque envolve aspectos de muito pormenor e de muita sensibilidade».

A Associação Portuguesa das Agências de Viagens e Turismo (APAVT) aplaudiu a reforma no setor hoje anunciada, considerando que vai permitir reduzir a «confusão na definição» da promoção turística, disse o presidente da organização.

Para Pedro Costa Ferreira, as mudanças vão ao encontro de medidas que a APAVT «sempre defendeu» e vão permitir uma «simplificação das estruturas» e «uma menor confusão na definição» de linhas de promoção turística, além de «um maior foco na promoção» do país.

Para o responsável do Turismo do Porto e do Norte, a mudança é bem-vinda, mas apelou ao reforço de competências e ao investimento nas novas entidades.

O presidente da Entidade Regional de Turismo do Centro (ERTC) mostrou-se favorável à reorganização do setor do turismo, considerando, contudo, que «peca por tardia».

«A reforma é bem-vinda se potenciar o envolvimento do setor público e privado e se resultar num envelope financeiro maior para promover os destinos regionais e nacionais», afirmou Pedro Machado à Lusa.

O presidente da Turismo do Alentejo, António Ceia da Silva, disse subscrever «na íntegra» a reorganização do sector anunciada pelo Governo, considerando que «clarifica [o sector] e, obviamente, teremos todas as condições para estruturar o destino Alentejo com esta nova linha de intervenção».

Já os autarcas da Marinha Grande e da Batalha mostraram reservas, o mesmo acontecendo com a Comunidade Intermunicipal do Douro, enquanto a Comunidade Intermunicipal do Alto Minho disse esperar não se tratar de uma «mera reorganização administrativa».

Por seu lado, os deputados do PSD eleitos por Leiria disseram hoje à Lusa que a reorganização do sector do turismo «pode criar mais problemas que soluções» e «dividir artificialmente polos turísticos que já existem».

Em nome dos parlamentares, o deputado Paulo Batista deixou um apelo ao Governo para que seja capaz de «reconhecer as especificidades de territórios que vão desde Tomar, Fátima, Batalha e toda a região oeste do distrito de Leiria», embora admita que com o atual modelo «isso seja muito difícil».

Paulo Batista lembrou, inclusive, que existem projetos entre Tomar, Batalha e Alcobaça ao nível da promoção do património classificado pela UNESCO e que é preciso ir além de uma mera lógica territorial, quando está em causa o produto turístico.

Com o novo modelo, Tomar, Fátima e Alcobaça passam a ficar sob a alçada da região de turismo de Lisboa, enquanto Batalha integra a futura região de turismo do Centro.

Já o presidente da Câmara de Leiria (PS) disse que «perder Fátima» na nova reorganização do turismo pode ser uma oportunidade para garantir a aviação civil na Base Aérea de Monte Real.

Raul Castro lamenta que Fátima e a região de Leiria sejam divididas, mas acredita que, a concretizar-se este modelo de reorganização no sector do turismo, a região Centro seja capaz de lutar por uma infraestrutura vital para o turismo e para a atividade económica, sublinha.

Lusa
Título: Re: Sector do Turismo e Hotelaria
Enviado por: Lusitano89 em Janeiro 23, 2012, 07:55:38 pm
Rede de hotéis da Beira Interior oferece vale no valor das portagens


A rede de hotéis IMB Natura, na Beira Interior, está a oferecer um vale no valor aproximado das portagens nas auto-estradas.

O vale de 30 euros desconta numa segunda estadia e "corresponde a um gasto médio com portagens" nas antigas auto-estradas SCUT para quem quer visitar a Guarda ou Covilhã, concelhos onde estão situados os hotéis do grupo, explicou hoje à Agência Lusa o administrador do grupo, Luís Veiga.

A partir de determinado consumo mínimo por quarto, diferente em cada unidade, é entregue o vale "que pode ser descontado numa próxima estadia", referiu.

O administrador, que lidera o movimento Empresários pela Subsistência do Interior, de luta contra a cobrança nas SCUT, aponta a medida como "uma forma de estimular a procura pelo destino Serra da Estrela, face aos entraves criados pelo Governo, não só com as portagens mas também com o aumento do IVA".

Para Luís Veiga, "é uma política desajustada que prejudica a Região Centro".

A situação "está mais uma vez a 'litoralizar' o consumo e não podemos ficar parados a olhar para isto", sublinhou o empresário. Luís Veiga falava à Lusa depois de ter participado na Fitur, Feira Internacional de Turismo, que decorreu entre 18 e 22 de Janeiro em Madrid.

No encontro, destacou "a discussão em curso em Espanha sobre a possibilidade de baixar o IVA, que na hotelaria é de oito por cento, para tornar o setor mais competitivo, enquanto em Portugal os impostos aumentam".

Mesmo no que respeita à colocação de portagens, o empresário diz ter ouvido "muitas dúvidas dos espanhóis em relação ao sistema de pagamento".

Houve quem dissesse "que mais valia os portugueses colocarem um cartaz na fronteira dizendo para Espanha: não vos queremos cá", numa alusão à forma pouco prática de cobrança e à falta de informação.

Outras queixas foram deixadas por agências de viagens, cujas viagens com grupos "se tornam mais caras, seja em autocarro ou minibus, devido às portagens que têm que pagar".

A rede IMB Natura tem dois hotéis na cidade da Covilhã (Hotel Turismo e Covilhã Parque), outros dois na Guarda (Vanguarda e Lusitânia), a estância lúdico-termal H2otel de Unhais da Serra e gere ainda o Clube de Campo da Covilhã.

Lusa
Título: Re: Sector do Turismo e Hotelaria
Enviado por: Lusitano89 em Março 18, 2012, 01:43:33 pm
Portugal aposta na nova classe média brasileira para promover turismo


A ascensão da nova classe média brasileira com maior poder de compra está na mira das autoridades portuguesas que querem investir nesta população que nunca viajou e divulgar Portugal como um destino atraente e acessível.

Esta é a aposta do setor para 2012 que pretende aumentar o número de brasileiros que visitam o país, segundo Luís Matoso, administrador do Turismo de Portugal.

Nos últimos dois anos, foi registado um aumento de 23 por cento no volume de turistas brasileiros que viajam para Portugal. O Brasil é um dos cinco países que mais enviam turistas e o sexto em criação de receitas turísticas no país

"O conhecimento que o brasileiro tem de Portugal não corresponde à sua realidade. O imaginário tem a ver com a nossa presença no Brasil, uma ligação mais histórica pelo lado tradicional e do romantismo. Mas nos últimos 30 anos Portugal mudou muito e estamos a falar de um país europeu moderno", disse à Lusa Luís Matoso.

Seduzir o brasileiro para viajar e incentivar Portugal como um destino turístico é uma forma de fintar os efeitos da crise económica que afeta a zona do euro.

"Os países não se medem apenas pelo seu valor económico. Num momento em que ninguém tem dinheiro, o país mais capaz é o que mostra outras competências. Temos que mudar essa perceção do brasileiro e mostrar um Portugal com estima elevada, mesmo num momento de crise", argumentou Luís Matoso, que esteve no Brasil, na passada semana para promover o país junto dos agentes de viagem.

Esta foi a primeira visita de Matoso a São Paulo e ao Rio de Janeiro após assumir o cargo na administração do Turismo de Portugal, no final do ano passado.

O Turismo de Portugal pretende estabelecer vínculos com agentes e operadores brasileiros ao longo de todo o ano e mostrar as novas estratégias para divulgar os atrativos turísticos do país adaptando-os ao perfil do brasileiro.

A partir de abril e maio, já serão realizadas ações táticas para "tornar a nossa mensagem abundante", disse Matoso, e criar uma plataforma de comunicação no meio digital.

A aposta estará nos media tradicionais, como exibir imagens do país em canais televisivos brasileiros, mas também entrar no mundo virtual e alcançar brasileiros nas redes sociais.

A estratégia de reforçar a imagem de Portugal nos meios de comunicação inclui fazer com que personalidades se tornem "embaixadores de Portugal", explicou Paulo Machado, diretor do Turismo de Portugal no Brasil.

Figuras televisivas que tenham o carisma dos brasileiros serão convidadas para divulgar o país, como as apresentadoras Ana Maria Braga e Hebe Carmargo, assim como Luciano Huck e Amaury Jr, famoso por entrevistar celebridades, e o empresário João Doria para um público executivo.

A nova classe média brasileira que deve incluir mais de 50 milhões de pessoas até 2014 representa um nicho de "grande oportunidade", destaca Matoso.

"Essa população vai começar a viajar, muitas vezes não tem domínio de outros idiomas e a proximidade da língua em Portugal facilita a entrada na Europa. Temos que transmitir esse Portugal moderno que a pessoa vai querer visitar, não apenas de passagem, mas porque efetivamente acha que Portugal é uma boa oferta turística", salientou.

Segundo Matoso, o país oferece ainda uma vantagem comparativa, não apenas por ser uma porta de entrada na Europa, mas porque numa semana é possível visitar o país inteiro, ao contrário do Brasil que tem grandes distâncias geográficas para vencer.

"Muitas vezes se pensa 'vou a Portugal e depois vou à Europa'. É um desafio mudar este paradigma, temos que criar mais laços de afinidade", reforçou.

Dos cerca de 1,1 milhões de brasileiros que a TAP transporta por ano, 600 mil não desembarcam em Lisboa, apenas realizam ligações.

A meta é não só duplicar este volume de brasileiros que, de facto, optem por passar alguns dias em Portugal, como também aumentar o tempo médio da estada. Lisboa é o principal destino no país, onde os brasileiros ficam em média entre 2,4 a 2,7 noites

Lusa
Título: Re: Sector do Turismo e Hotelaria
Enviado por: Lusitano89 em Março 25, 2012, 04:48:07 pm
Portugal vai inaugurar 20 novos hotéis este ano

 
Portugal vai ter 20 novos hotéis em 2012. A revelação é feita pela presidente da direcção executiva da Associação de Hotelaria de Portugal (AHP), Cristina Siza Vieira, que adiantou ainda estarem previstas 13 remodelações.
 
Parte deste investimento tem a ambição de tornar a oferta hoteleira mais atraente para os turistas de negócios, um segmento cada vez mais importante para os hoteís e que chega a representar mais de 40% da facturação em algumas unidades hoteleiras, sendo em Lisboa onde o peso é geralmente maior, representando "15% da facturação dos hotéis", destacou.
 
Mas cada caso é um caso. Nos hotéis do grupo Vila Galé Porto, Coimbra, Ópera (Lisboa), Estoril, Cascais e Ericeira, o peso chega aos 40%", informou o director de marketing e vendas do grupo, Gonçalo Rebelo de Almeida, revelando que, no total do grupo, em média, o segmento representa 15% do volume de negócios. Para 2012, o grupo Vila Galé aposta numa "mudança de imagem e comunicação".
 
Já o grupo Dom Pedro Hotels, que direcciona para este segmento mais de 50% do orçamento de marketing, criou "produtos ‘chave-na- -mão' para as empresas, por permitirem um maior controlo orçamental sobre os custos dos eventos", disse Pedro Ribeiro, director de marketing e vendas do grupo, que "registou uma redução deste segmento em todas as unidades, em 2011". No grupo, "no Algarve o peso do segmento ronda os 10%, na Madeira é bastante reduzido e em Lisboa atinge os 30% do volume de negócios", informou. Já no grupo Altis Hotels, o peso do segmento é de 20%, representando "cerca de 2,5 milhões de euros", afirmou o director-geral de Operações do grupo, onde o segmento cresceu 60% em 2011, em relação a 2010. O grupo Altis investiu o ano passado 150 mil euros nesta área de negócios e faz "uma forte aposta na equipa de vendas e na presença em feiras de turismo internacionais", para promover esta actividade, para o qual antevê um crescimento de 3%.
 
Também o grupo Pestana Hotels & Resorts prevê uma crescente importância deste segmento, estando "a definir estratégias para os principais mercados emissores: Alemanhã e Brasil, actuando no terreno com acções específicas", disse a directora de vendas, Lúcia Galo. Nos hotéis, o peso do segmento aumentou em 2011, sendo de 12,2%, face a 11,5% em 2010. Nas Pousadas, o peso foi de 12,7% face a 13% do ano anterior, o que perfaz uma média de 12% de peso na facturação total.
 
No grupo Onyria, o turismo de negócios representou 45% das vendas do Resort na Quinta da Marinha, sendo de destacar o contributo do novo Boutique Hotel, Onyria Marinha Edition Hotel & Thalasso, para o crescimento de 75% no volume de negócio do grupo, que "investe anualmente neste segmento cerca de 200 mil euros, estando apostado em captar negócio no Leste Europeu", revela João Pinto Coelho, director comercial do Grupo.
 
No grupo Sheraton, os hotéis de Lisboa e Porto são os mais representativos no turismo de negocios, "cujo peso na facturação foi de 20/25% em 2011, um aumento relativamente a 2010", disse António Pereira, director-geral dos Sheraton Lisboa e Porto. O grupo contempla no seu plano estratégico "um investimento substancial em acções comerciais e de marketing para promover este segmento", diz.
 
Crise leva a novas tendências

A menor disponibilidade financeira das empresas, levou a novas tendências. Gonçalo Rebelo de Almeida, informa que a crise tem levado a "orçamentos mais reduzidos, solicitações muito perto da data e um aumento dos requisitos tecnológicos". João Pinto Coelho destaca "um aumento de pedidos de última hora, e o crescimento dos eventos team buildings". nos hoteís do Grupo Onyria. Pedro Ribeiro enumera "as reservas em cima da hora, um controlo elevado sobre os custos e procura de destinos mais proximos". Francisco Moser frisa "a procura do máximo conforto e eficiência dos serviços com acesso aos meios tecnológicos mais avançados". Já António Pereira, diz notar "a necessidade de uma crescente aposta num serviço diferenciado e personalizado", a par de reservas de última hora, mas também, "a utilização massiva da Internet, a importância crescente das redes sociais e a utilização de novas ferramentas de marketing online". daí que o Grupo aposte na diferenciação de serviços, em pacotes à medida e nas novas tecnologias.

Diário Económico
Título: Re: Sector do Turismo e Hotelaria
Enviado por: Lusitano89 em Março 26, 2012, 07:03:23 pm
86% dos estrangeiros abandonaram o Algarve sem saber que existia o programa Allgarve


Cerca de 86% dos turistas estrangeiros que fizeram férias no Algarve em agosto de 2011 abandonaram a região sem saber da existência do programa de animação turística Allgarve, de acordo com um estudo sobre o impacto daquele programa.

O estudo agora divulgado, produzido pela Universidade do Algarve (UALG) para a Entidade Regional de Turismo do Algarve, inquiriu 437 turistas na zona de partidas do aeroporto de Faro, a maioria dos quais eram ingleses (54,2% e irlandeses (17,4%).
 
De todos os turistas estrangeiros, 83% indicaram não ter participado em qualquer evento no âmbito do Allgarve 2011 e, do conjunto desses, 28,6% por desconhecimento do programa, 20,4% porque o calendário de eventos não agradou e 51% por outro motivo, não especificado.
 
Dos turistas que tiveram conhecimento do programa, 40,6% conheceram-no através de panfletos, cartazes e outdoors e 26,6% em jornais e revistas.
 
O estudo do Centro de Estatística Aplicada e Previsão da Faculdade de Economia da UALG traça o perfil médio do turista estrangeiro participante nos eventos do Allgarve como um homem inglês, casado ou unido de facto, com 45 anos de idade, alojado no barlavento durante 12 dias, local onde tiveram conhecimento do programa através de panfletos, cartazes e outdoors. Gasta 2200 euros na estadia, viagens excluídas.
 
O estudo inquiriu também 767 residentes e não residentes na região, dos quais só 32% sabia da existência do programa, a maioria dos quais através de panfletos, cartazes e outdoors.
 
Um total de 78% dos residentes reconhece não ter estado presente em nenhum evento do Allgarve 2011 e dos 22% restantes boa parte estiveram na Feira Medieval de Silves e no espetáculo de animação de rua "Sarrua", em Olhão.
 
Dos não residentes na região (excluindo turistas residentes no estrangeiro), 78% revelou não ter participado em eventos anteriores ao Allgarve 2011, constituindo a pop/World a área temática eleita, com 14% de participações.
 
Quanto aos estabelecimentos hoteleiros e similares, apontados como possíveis beneficiários diretos do conjunto de eventos Allgarve, o estudo aponta que 78% dos 209 estabelecimentos de restauração (restaurantes, bares e cafés) inquiridos não tinha conhecimento do programa.
 
Quanto à avaliação que os restantes estabelecimentos fazem da edição de 2011 face a 2010 e outras edições, 46,7% dizem que não melhorou nada, 13,3% que melhorou pouco e 20% razoavelmente.
 
Dos 22 hotéis algarvios inquiridos no estudo, 64% não participaram em qualquer edição do Allgarve. Desses, 42% argumentaram que "não era oportuno" participar e 32% consideram que o programa "não serve os interesses do Algarve".
 
Criado em 2007 como programa de eventos de promoção do destino Algarve, o Allgarve não deverá ter uma edição 2012, sendo substituído por um programa financeiramente menos ambicioso, designado "Algarve Com Vida", já proposto pelo Turismo do Algarve às 16 autarquias da região.
 
Segundo o presidente daquela entidade, o Governo não vai financiar este ano qualquer atividade cultural de promoção do destino Algarve, contra os 85 eventos promovidos em 2011, no quadro do Allgarve 2011.
 
O fim dos apoios estatais, concedidos à animação turística através do Turismo de Portugal foi na quinta-feira anunciada às 32 entidades que compõem a Assembleia Geral da Entidade Regional de Turismo do Algarve (ERTA), que se reuniu para aprovar o orçamento para 2012, no valor de 4,17 milhões de euros, menos 30% do que em 2011.
 
Em 2011, o investimento do Turismo de Portugal no conjunto de eventos do programa Allgarve foi de 1,8 milhões de euros, num total de 2,8 milhões de orçamento. Desta verba estão excluídos o Rali de Portugal e o Portugal Masters.
 
A restante verba foi disponibilizada pela Associação de Turismo do Algarve (456 mil euros), municípios (405 mil) e entidades privadas (143 mil).
 
Ainda assim, a verba global de 2,8 milhões de euros investida em 2011 já foi significativamente mais baixa do que em 2010, ano em que foram investidos 4,6 milhões de euros.

Lusa
Título: Re: Sector do Turismo e Hotelaria
Enviado por: Lusitano89 em Março 31, 2012, 05:40:48 pm
Alentejo com lotação esgotada, Algarve em crise


As principais unidades hoteleiras do Alentejo estão quase cheias ou com perspetivas de lotar no fim de semana prolongado de Páscoa e há algumas já lotadas, sobretudo com turistas portugueses, segundo apurou hoje a agência Lusa. Numa ronda efetuada pela Lusa junto das principais unidades hoteleiras da região, foi possível apurar que, apesar da crise, algumas já estão lotadas ou quase cheias e outras esperam lotar, tendo em conta reservas de "última hora".

"Cada vez mais, o 'last minut' [reserva de última hora] funciona, porque há pessoas que acabam por fazer a reserva mesmo em cima da estadia e, por isso, é cada vez mais difícil fazer previsões", disse à Lusa o presidente da Entidade Regional de Turismo do Alentejo, António Ceia da Silva.

Segundo o responsável, "em termos globais, há oscilações muito grandes", entre unidades hoteleiras, já que "umas têm taxas de ocupação de 90% e outras de 50%".

Este ano, "as taxas de ocupação andarão muito próximas das do ano passado, embora possa haver uma quebra muito ligeira", admitiu, referindo que "em algumas unidades há uma ocupação idêntica à de 2011 e noutras verifica-se uma quebra ligeira".

"Há um sentimento generalizado de uma quebra ligeira em relação a 2011, mas esperemos que o 'last minut' venha atenuar a eventual quebra", disse Ceia da Silva, indicando que a "grande fatia" dos turistas que já efetuaram reservas são portugueses e nota-se "uma quebra do mercado espanhol".

Segundo dados recolhidos pela Lusa, na zona de Évora, alguns dos principais hotéis registam uma maior taxa de ocupação no fim de semana pascal, com o Hotel Dom Fernando já esgotado para a noite de Sexta-feira Santa para sábado.

Nos hotéis M'Ar de Ar Muralhas e M'Ar de Ar Aqueduto, a ocupação ronda os 70% no fim de semana pascal, uma taxa "já esperada e normal" para a quadra, disse à Lusa um responsável das unidades.

No Hotel Convento do Espinheiro, as reservas também já rondam os 70% para o fim de semana de Páscoa, mas a unidade espera atingir os 100%.

Em todos estes hotéis, a maioria dos clientes é constituída por portugueses, logo seguido de espanhóis.

No Évora Hotel, a ocupação "ainda não está muito alta" e a maior parte das reservas já efetuadas é de turistas portugueses.

No Baixo Alentejo, o Clube de Campo Vila Galé, perto de Beja, está lotado para o fim de semana de Páscoa e todos os clientes são portugueses e sobretudo famílias com filhos, o público-alvo habitual da unidade hoteleira.

No Hotel S. Domingos, na aldeia de Mina de S. Domingos (Mértola), a taxa de ocupação para o fim de semana de Páscoa ronda os 60%, sendo a maioria dos clientes casais e todos portugueses, mas a unidade acredita que poderá chegar "perto dos 100%".

No distrito de Portalegre, a taxa de ocupação dos hotéis para a época pascal está ao nível de anos anteriores, sendo que as unidades hoteleiras de Castelo de Vide registam "forte adesão", porque no concelho a Páscoa é assinalada com várias iniciativas.

É o caso do Hotel Sol e Serra, que durante a próxima semana, que antecede a Páscoa, está "quase nos 100%" e tem "lotação esgotada" para o fim de semana pascal, sendo que 80% dos turistas são portugueses.

O cenário é idêntico em Marvão, onde a Pousada de Santa Maria regista uma forte taxa de ocupação no fim de semana de Páscoa, mas a unidade considera que "ainda é prematuro" avançar com números, mas "tudo indica" que poderá rondar os 100%.

Algarve espera menos clientes e menos receitas

Mais a sul, o presidente da AHETA disse hoje que é esperada uma quebra na ocupação dos hotéis da região durante a Páscoa, e uma consequente redução significativa das receitas.

O presidente da principal associação hoteleira do Algarve, Elidérico Viegas, aponta a "conjuntura económica e a introdução de portagens" na A22 (Via Infante de Sagres) como razões para uma diminuição pela procura do destino Algarve.

"Infelizmente, a situação economicamente desfavorável e a confusão com as portagens terão reflexos negativos na ocupação hoteleira", lamentou Elidérico Viegas.

Segundo aquele responsável, "a dificuldade em entender o processamento do pagamento de portagens na Via do Infante, tem afastado muitas pessoas, principalmente, os espanhóis, mercado com maior relevo nesta altura da Páscoa".

Ainda assim, Elidérico Viegas considera que a quebra de preços e o clima "mantém elevada a procura pelo Algarve, mas longe de outras épocas", estimando que "ainda assim, alguns hotéis possam registar uma ocupação próxima dos cem por cento".

O presidente da associação dos hoteleiros sublinhou que o Algarve continua a ser muito procurado nos períodos da Páscoa, mas desde 2008 que se verifica "um decréscimo nas taxas de ocupação".

"A conjuntura atual leva a que as pessoas optem por permanecer por períodos mais curtos, contrariamente ao que acontecia em anos anteriores", observou.

Apesar de prever uma quebra na ocupação hoteleira e consequente diminuição de receitas durante a época da Páscoa, Elidérico Viegas acredita que "a tendência se inverta no verão, com o aumento da procura pelo destino Algarve".

Lusa
Título: Re: Sector do Turismo e Hotelaria
Enviado por: urso bêbado em Abril 10, 2012, 09:01:27 pm
LISBOA QUE NÃO CONHECIA: PÁSCOA PORTUGUESA, COM CINCO GALEGOS DE CARRO.

Conhecia essa prolongação da pátria que é Portugal; faço parte da "Associação de Amigos do Caminho Português" --poupo-vos a denominação em "galeñol"-- e tinha percorrido desde Porto a Compostela; conhecia Ponte de Lima, Barcelos (expôs lá nos oitenta ou princípios dos noventa minha mãe, pintora), naturalmente, Valença,... envergonhava-me não ter chegado mais a Sul (ainda que logo recordei que estivera de criança em Fátima)...

Belém, os Jerónimos, o parque das Nações (fez-me meu pai uma fotografia ao pé da bandeira da CPLP, a sinalar com o dedo para ela). Tranvia, metro, comboio, Sintra, com seu castelo de mouros... O palácio de Quéluz e ainda as formosas vistas da cidade do Castelo de São João.

Gente amável; visita obrigada à FNAC para arranjar alguma literatura: "a máquina de fazer espanhóis" e "Comissão das lágrimas" do futuro Nobel português, Dom António...

Em Lisboa teve de arranjar roupa de abrigo, em Valença teve de arranjar refúgio e guarda-chuvas. Assim que sim: consegui embarcar num carro cinco pessoas --comigo próprio-- para ir à República a trazer palavras como tesouros; a tirar fotografias de palavras como "sujeita-se a coima se subir sem bilhete" (no metro), ou apanhando menús onde havia frangos e bacalhaus à nata.

Foram de sábado a sexta-feira; seis dias em Portugal, na República. Onde a gente é amável, onde me senti á vontade até que chegaram os espanhóis a inçarem de sotaques andaluzes o hotel. Graças a Deus era o dia que vinhamos de volta para a Galiza. Com seus cheiros a cinça recentemente combatidas pela chuva.
Título: Re: Sector do Turismo e Hotelaria
Enviado por: Lusitano89 em Abril 13, 2012, 09:17:40 pm
Turismo brasileiro em Portugal dispara 87% em Fevereiro


Número de dormidas de estrangeiros em hotéis nacionais cresceu em Fevereiro, com o turismo brasileiro a registar a maior subida.

Os hotéis nacionais perderam receita em Fevereiro pelo quarto mês consecutivo, em termos homólogos, mas os estrangeiros evitaram maiores perdas, segundo um relatório do Instituto Nacional de Estatística (INE) hoje divulgado.

Enquanto as dormidas de portugueses caíram mais de 6,8%, as de estrangeiros aumentaram 5,1% face a Fevereiro de 2011. Destacam-se as subidas do turismo brasileiro (87%), Países Baixos (13,1%) alemão (9,5%) e francês (4,4%). O desempenho dos restantes mercados foi desfavorável, nomeadamente a do mercado espanhol (-23,9%).

No total, os hotéis acolheram um total de 715,7 mil hóspedes em Fevereiro, menos 3,9% do que no mesmo período do ano passado. O número de dormidas cresceu 0,5% mas os proveitos diminuíram 0,3%.

Os dados hoje divulgados pelo INE mostram que, entre as várias tipologias, o maior aumento da procura verificou-se nos aldeamentos turísticos (37,6%). As dormidas em hotéis de uma e duas estrelas registaram a segunda subida mais acentuada (13,5%), o que representa uma inversão da tendência, já que, até aqui, os hotéis de cinco estrelas eram os preferidos dos turistas.

Quanto aos locais mais procurados no país, as regiões Centro (7,2%) e Norte (5,7%) estão no topo da lista. Lisboa e o Alentejo foram as regiões com menos visitantes e este último foi o que mais perdeu (-16,2%).

Diário Económico
Título: Re: Sector do Turismo e Hotelaria
Enviado por: Lusitano89 em Maio 06, 2012, 01:07:32 pm
Costa alentejana perde turistas e não se mostra animada com meses de Verão


O turismo na costa alentejana, que se estende desde Tróia até ao limite sul do concelho de Odemira, está a sofrer com a crise e alguns empresários não acreditam em melhorias significativas nos meses de Verão. Para Filomena Valério, directora do Hotel Apartamento Porto Covo, situado em Porto Covo (Sines), as perspectivas para a época balnear que se avizinha são «preocupantes».

«A taxa de ocupação de Junho a Setembro costuma situar-se nos 80%, pelo que prevemos um decréscimo de dois a quatro pontos percentuais», explicou à Agência Lusa.

Segundo a responsável, os receios prendem-se com as medidas de austeridade já anunciadas pelo Governo: «O nosso mercado, a classe média, será certamente aquele que mais sofre com esta crise».

Efigénia Migueis Cachadinha, administradora do Comporta Village, disse à Lusa que as receitas deste empreendimento localizado na Comporta (Alcácer do Sal) nos primeiros quatro meses deste ano decresceram 50% relativamente ao mesmo período do ano passado.

A gestora admitiu que se «mantenha a ocupação do mês de Agosto», com uma taxa de 98%, mas em Julho a taxa de ocupação não deverá ir além dos 65%.

A mesma perspectiva tem Dina Guerreiro, proprietária da hospedagem Rosa dos Ventos, em Zambujeira do Mar (Odemira): «No ano passado, o mês de Julho foi mais fraco do que noutros anos e acredito que este ano será pior».

Os receios dos responsáveis são corroborados pelos números disponibilizados à Lusa pelo presidente do Pólo Turístico do Litoral Alentejano, Carlos Beato.

Neste primeiro trimestre, incluindo a Páscoa, a região registou uma quebra de 15 a 16% na procura interna e de 25% entre os turistas espanhóis.

Contudo, «os indicadores são ao contrário a nível dos mercados internacionais», com um aumento entre 7,5 e 09% de turistas oriundos de países como a Alemanha, Bélgica, França e Reino Unido.

Carlos Beato afirmou-se «menos optimista» do que em 2011, mas disse continuar a «manter a esperança» para a época balnear que se avizinha, de 1 de Junho a 15 de Setembro.

António de Sousa, proprietário do Camping Milfontes, em Vila Nova de Milfontes (Odemira), revelou uma tendência positiva na ocupação do seu parque de campismo.

O empreendimento, «ao longo das últimas épocas balneares, tem registado consecutivamente um ligeiro aumento da procura» e, segundo o empresário, este ano não deverá ser excepção.

Tal pode ser explicado por «uma procura de alojamento a preços mais acessíveis, como os que oferecem o campismo, comparando com o alojamento hoteleiro», disse.

O Aqualuz Suite Hotel Apartamentos, localizado em Tróia (Grândola), prevê uma taxa de ocupação em Agosto de «83%, ligeiramente acima da ocupação do ano anterior».

Para Agustin Macedo, director comercial do complexo, apesar de 90% dos clientes serem portugueses, «a política de promoção do Aqualuz Suite Hotel Apartamentos está ajustada ao mercado e às vicissitudes desta fase económica adversa que todas as famílias atravessam».

Lusa
Título: Re: Sector do Turismo e Hotelaria
Enviado por: Lusitano89 em Maio 18, 2012, 06:42:09 pm
Turismo é "decisivo" para futuro do país diz Rui Rio

 
O presidente da Câmara do Porto, Rui Rio, defendeu hoje a importância do turismo para a revitalização da economia nacional.
«O turismo é decisivo para o nosso futuro próximo, de forma optimista, e não tão próximo, de forma não optimista», assinalou hoje o presidente da câmara do Porto, durante a cerimónia do Dia do Associado da Associação de Empresários para o Desenvolvimento do Turismo Cultural no Porto e na Região (ATC – Porto Tours).

Para o autarca, «se Portugal não conseguir ultrapassar a crise, [o turismo] terá um papel determinante no futuro».

Ainda assim, ressalvou que «dada a situação em que o país está, é decisivo fazer um esforço» para que o país seja «bom no turismo», lembrando as apostas feitas na própria cidade do Porto desde que chegou à presidência.

Rui Rio afirmou que a animação na Baixa da cidade «atingiu um patamar que ninguém esperava», que gerou «investimento privado» para a regeneração do espaço público através de «parcerias público-privadas que deixam contributos à Câmara».

Já Cecília Meireles, secretária de Estado do Turismo, defendeu a necessidade de se «procurarem novos mercados» para exportar esse produto.

«Temos de ser diferentes, mais criativos e concentrar recursos para ganhar escala», assinalou a governante, que limitou a dez o «número de eventos que o Turismo de Portugal pode apoiar este ano».

Lusa
Título: Re: Sector do Turismo e Hotelaria
Enviado por: Lusitano89 em Maio 29, 2012, 05:43:18 pm
Portugal tem "grande potencial" para crescer no segmento do turismo de luxo


A secretária de Estado do Turismo, Cecília Meireles, afirmou hoje que Portugal tem «um grande potencial» para crescer no turismo de luxo e que «o segredo» reside na diversificação e na qualidade da prestação de serviços individualizados. «Portugal tem um grande potencial ao nível do turismo de luxo para captar mercados. Quando se fala de luxo estamos a referir um serviço de qualidade, individualizado e inovador que é prestado ao turista», afirmou a responsável na apresentação do anuário Turismo em 2012, em Lisboa.

A publicação, da responsabilidade do Instituto de Planeamento e Desenvolvimento do Turismo (IPDT), realça este ano o turismo de luxo, o segmento que «mais cresce na indústria do turismo em todo o mundo, contrariando o período de recessão que a economia mundial atravessa», referiu à Lusa o presidente do IPDT, António Jorge Costa.

«Em tempos difíceis precisamos de líderes que nos ajudem a identificar oportunidades e a olharmos o futuro. É igualmente clara a necessidade de, em recessões económicas, protegermos os nossos recursos, sobreviver», disse o responsável pelo IPDT, adiantando que o Brasil é um dos países que deve merecer a atenção do sector este ano.

Segundo Cecília Meireles, este é «um ano de sacrifícios e austeridade em que o país está condicionado pelos compromissos com a troika, mas também deve ser visto como um desafio para que, dentro de dois anos [a indústria turística] ressurja com enorme força: esse é o desafio que deve ser assumido por todos os intervenientes», sublinhou.

Para a secretária de Estado, o nível das infra-estruturas do turismo em Portugal colocam o país no top dos mercados no patamar do turismo de luxo, pelo que a grande aposta se centra na melhoria da qualidade dos serviços prestados ao turista, que já é elevada, mas «terá de ser melhor», frisou.

Ao longo de 100 páginas a publicação revela as 10 grandes tendências do mercado de luxo para a próxima década e os destinos que, em 2012, devem registar melhor desempenho neste segmento.

A publicação analisa, ainda, o futuro deste mercado em Portugal que é considerado pelos especialistas como tendo «um forte potencial» de desenvolvimento e que poderá contribuir para o crescimento da economia portuguesa.

Lusa
Título: Re: Sector do Turismo e Hotelaria
Enviado por: Lusitano89 em Junho 18, 2012, 11:48:23 am
Portugal promove turismo na China


O embaixador português na China, José Tadeu Soares, exortou hoje os turistas chineses a visitar Portugal, que caracterizou como «um país muito aberto aos estrangeiros» e «habituado a encontrar e a misturar-se com outros povos». «Temos um bom clima, monumentos com uma História interessante para ver e boas compras para fazer, mas, mais importante do que esses factores, somos um país muito aberto e amigo dos estrangeiros», disse Tadeu Soares na abertura de uma sessão de promoção do Turismo de Portugal em Pequim.

Foi a maior acção do género, com a participação de nove empresas portuguesas do sector, a maioria das quais agências de viagens, e cerca de 30 profissionais chineses.

Evocando a histórica viagem de Jorge Álvares, o primeiro navegador europeu a chegar a Macau, em 1513, Tadeu Soares salientou que «os portugueses viajaram muito, por África, América do Sul e Ásia, habituando-se a encontrar e a misturar-se com outros povos».

«Temos uma comunidade de 25.000 chineses que vivem em Portugal», exemplificou.

Apenas cerca de 40.000 a 50.000 turistas chineses visitaram Portugal em 2011, mas segundo realçou Miguel Morais, director de promoção do Turismo de Portugal, a China «é um mercado emergente».

«O turismo, na China, está num fase de crescimento. Oxalá as empresas portuguesas saibam tirar partido das oportunidades», disse.

O site daquele organismo, http://www.visitportugal.com (http://www.visitportugal.com), já tem, aliás, uma versão em chinês.

GeoStar, Vista DMC, Osíris, Lisboatur e Argon foram as cinco agências de viagem portuguesas representadas naquela acção de promoção, realizada na residência do embaixador de Portugal.

A TAP, o grupo hoteleiro Pestana, o InGolf e a empresas de autocarros de grande turismo AGTbus também estiveram presentes.

«O ano passado já transportámos 500 a 600 turistas chineses, a partir de Madrid. É um volume ainda baixo, mas a expectativa que venha a subir é grande», disse Mónica Fernandes, administradora da AGTbus.

Lusa
Título: Re: Sector do Turismo e Hotelaria
Enviado por: Lusitano89 em Setembro 10, 2012, 06:20:37 pm
Lisboa e Porto entre as "100 Cidades mais bonitas do mundo" para os chineses


'Li Si Ben' (Lisboa, em chinês) e 'Bo Er Tu' (Porto) estão entre as '100 Cidades mais bonitas do mundo', segundo um guia turístico à venda nas livrarias chinesas.
A capital portuguesa e o Porto são mesmo as primeiras da lista, ordenada por critérios geográficos, desde o extremo ocidental da Europa até à Cidade do Cabo, na África do Sul.

Quase metade (48) ficam na Europa e dos outros sete países de língua portuguesa só há mais uma cidade entre as 100 escolhidas: Rio de Janeiro.

A China tem quatro cidades na lista (Pequim, Xangai, Lhasa e Hong Kong), menos do que os Estados Unidos (seis) e a Espanha (cinco)

O guia, com 200 páginas, faz parte de uma série de cinco volumes que inclui uma selecção mundial das '100 Praças mais bonitas', '100 Catedrais mais bonitas', '100 Parques Naturais mais bonitos' e '100 Museus mais bonitos'.

No último caso, Portugal ('Pu Tao Ya', em chinês) está ausente, mas quanto a catedrais, Lisboa contribui com duas: a Sé e os Jerónimos.

A Ilha da Madeira é um dos '100 Parques Naturais mais bonitos do mundo' e o Terreiro do Paço, em Lisboa, é uma das cem praças seleccionadas.

Cada guia custa 50 yuan (6 euros), menos do que um bilhete de cinema e pouco mais do que um dia de salário mínimo em Pequim.

Na última década, os livros de viagem, mapas e guias turísticas passaram a ocupar lugar de destaque nas livrarias de Pequim, Xangai e outras grandes cidades chinesas, correspondendo ao acelerado crescimento da classe média.

Em 2011, o número de chineses que passaram férias fora do continente cresceu vinte por cento, para 69 milhões, e este ano deverá exceder os 80 milhões.

A maioria ficou por Hong Kong e Macau, a nova capital mundial do jogo, já à frente de Las Vegas, mas cada vez há mais chineses a viajar para o sueste Asiático, os Estados Unidos e a Europa.

Há três meses, o Turismo de Portugal reuniu em Pequim nove empresas portuguesas do sector, a maioria das quais agências de viagens, e cerca de trinta profissionais chineses, na maior acção do género promovida na capital chinesa.

Apenas cerca de 40.000 a 50.000 turistas chineses visitaram Portugal em 2011, mas segundo realçou na altura o director de promoção do Turismo de Portugal, Miguel Morais, a China «é um mercado emergente».

«O turismo, na China, está numa fase de crescimento. Oxalá as empresas portuguesas saibam tirar partido das oportunidades», afirmou o mesmo responsável.

O site daquele organismo - http://www.visitportugal.com (http://www.visitportugal.com) - já tem uma versão em chinês.

Pelas contas da European Travel Comission, em 2030, a Europa atrairá cerca de oito milhões de turistas chineses, mais de o dobro dos 3,8 milhões registados em 2010.

A Rússia, que partilha com a China uma fronteira com cerca de 4.300 quilómetros de comprimento e que recebeu então 848.000 turistas chineses, foi o destino mais procurado, seguido da Alemanha (593.000), França (558.000) e Itália (485.000).

Lusa
Título: Re: Sector do Turismo e Hotelaria
Enviado por: Lusitano89 em Outubro 11, 2012, 06:00:29 pm
Altis Hotels e Amorim Turismo em parceria para mercados internacionais


Os grupos portugueses Altis Hotels e o Blue & Green (Amorim Turismo) anunciaram hoje uma parceria estratégica com o objetivo de aumentar as sinergias comerciais nas atividades de marketing, promoção e vendas, dirigida aos mercados internacionais.

Questionado pela Lusa sobre esta parceria, que se vai chamar Altis Blue & Green, o administrador do grupo Altis Hotels, Raul Martins, explicou que "os objetivos passam por um claro reforço da capacidade dos grupos no mercado, nomeadamente nos mercados internacionais".
 
Tendo em conta a complementaridade entre as empresas, que inclui hotéis de cidade e resorts, esta parceria "permite-nos ter uma oferta mais completa, para diferentes mercados e tipologia de clientes", além da experiência de cada um dos grupos.
 
Em relação aos benefícios deste acordo, Raul Martins destacou "ganhos de quota de mercado, de eficiência e produtividade".
 
Também "será possível com as equipas conjuntas gerar mais negócio para os diferentes hotéis e resorts. A complementaridade de oferta e a escala que esta parceria estratégica proporciona permitirá enfrentar de forma mais positiv os desafios que se colocam ao setor", acrescentou.
 
O portfólio conjunto das duas empresas corresponde a nove hotéis (seis são do Altis), com cerca de 1.400 quartos e um total de vendas de 40 milhões de euros, passando a ocupar o nono lugar na classificação dos hotéis em Portugal.
 
Para Jorge Armindo Teixeira, presidente da Amorim Turismo, "a atual conjunta incentiva a criatividade" e "esta parceria com o grupo Altis acrescenta valor e permite prosseguir os objetivos traçados para a marca Blue & Green".

Lusa
Título: Re: Sector do Turismo e Hotelaria
Enviado por: Lusitano89 em Novembro 17, 2012, 05:15:49 pm
Turismo português promove-se pela primeira vez na Índia


O Turismo de Portugal inicia hoje uma missão empresarial à Índia para explorar oportunidades de negócio naquele mercado. Esta é a primeira iniciativa do género dirigida aquele país asiático e da comitiva fazem ainda parte a Secretária de Estado do Turismo, Cecília Meireles, e cerca de 20 empresas portuguesas, entre as quais os principais grupos hoteleiros, como Pestana, Vila Galé, Dom Pedro, Altis, Sana ou Thema, e agências e operadores turísticos (Geostar, AIM Group, Lusanova ou Osiris).

Na Índia, em acções a realizar em Nova Deli e Bombaim, têm encontrado marcado com mais de 300 profissionais do sector turístico e da comunicação social local, que também participarão em eventos de promoção do destino Portugal.

«Os workshops na Índia representarão uma componente vital para estabelecer ligações entre os profissionais portugueses e indianos do sector turístico. A visita desta delegação faz parte de um conjunto de actividades estratégicas que iremos realizar neste mercado», explica o presidente do Turismo de Portugal, Frederico Costa.

Tentar captar turistas indianos para Portugal, aproveitando as conexões aéreas existentes na Europa ou o novo voo diário entre Lisboa e o Dubai - operado pela companhia aérea Emirates e visto como ligação directa à Ásia - é outro dos objectivos principais desta missão, que se enquadrada na estratégia de diversificação de mercados emissores de turistas para Portugal.

«Sempre nos sentimos próximos da Índia, especialmente devido à nossa ligação histórica com Goa. Esta nossa iniciativa de marketing vai posicionar Portugal como um destino de lazer e de história e cultura perante os turistas indianos», considera por sua vez a Secretária de Estado do Turismo, Cecília Meireles.

Sendo a 10ª maior economia mundial, na Índia o poder de compra tem vindo a aumentar, permitindo a cada vez mais indianos fazer férias no estrangeiro. Desses, cerca de 15% opta por viajar para a Europa, com Portugal a conquistar, em 2011, 13,8 mil hóspedes indianos. Geraram 36 mil dormidas na hotelaria nacional e 3,5 milhões de euros em receitas.

SOL
Título: Re: Sector do Turismo e Hotelaria
Enviado por: Lusitano89 em Fevereiro 03, 2013, 10:00:07 pm
Turismo aposta em rentabilizar surf em Portugal


O elevado número de visualizações na internet do surfista a "cavalgar" a maior onda do mundo em 2011, convenceu o Turismo de Portugal de que é necessário apostar neste desporto. «Vamos assinar um protocolo com o Turismo de Portugal, que implica entre outros projectos, o levantamento das ondas de toda a costa portuguesa para conseguir rentabilizar o surf em Portugal e divulgá-lo», avançou ao SOL Manuel Valadas Preto, da Associação Salvem o Surf (SOS Surf).

Governo estuda protocolo

As potencialidades económicas para Portugal – os primeiros estudos apontam para os 100 milhões de euros ao ano gerados pela modalidade só em Sines, por exemplo – chamaram agora também as atenções do Governo, que decidiu entrar em entendimento com os surfistas. «Estamos em contacto com as secretarias de Estado dos Negócios Estrangeiros e a do Mar para divulgar o surf», avançou Valadas Preto.

Ambos os secretários de Estado estão, aliás, ligados à modalidade. O dos Negócios Estrangeiros, Luís Brites Pereira, é surfista, e o filho do secretário de Estado do Mar, Pinto de Abreu, também. A ideia do Executivo é fazer um protocolo para utilizar o surf como uma das bandeiras do país, para divulgação das potencialidades do nosso mar.

Mas nem tudo são ‘boas ondas’ no universo do surf em Portugal. Uma das maiores guerras da SOS é evitar a destruição dos locais ideais para a prática do desporto, como aconteceu em Aveiro e a Norte da Figueira da Foz e, mais recentemente, em São Torpes. Aqui a expansão de 300 metros do molhe de Sines ainda ameaça a modalidade na zona, a melhor para o surf a Sul do Tejo.

Numa outra zona destruída pela construção de um porto de pesca, em Rabo de Peixe, nos Açores, há já um década, a SOS está a tentar recuperar a ondulação, através de um protocolo assinado com a Secretaria Regional do Ambiente e Mar dos Açores.

Neste projecto da SOS Surf, desenvolvido para a Rip Curl Planet, prevê-se que seja reposicionado o molhe e criado um recife junto ao mesmo, para proteger as ondas, classificadas como das melhores para praticar surf nos Açores.

O novo porto de pesca começou a ser implementado, em Novembro, mas a ondulação intensa destruiu a obra, obrigando o governo regional a reiniciar os trabalhos. Agora, está em stand by, com a transição para o poder do novo executivo açoreano.

SOL
Título: Re: Sector do Turismo e Hotelaria
Enviado por: Lusitano89 em Fevereiro 28, 2013, 02:03:11 pm
Turismo do Alentejo lança filme em oito idiomas para promover região



Com banda sonora “assinada” pelo compositor Nuno Maló, candidato português aos Óscares deste ano, a Turismo do Alentejo lançou um filme promocional da região, disponível em oito idiomas, sobre a excelência e diversidade da oferta turística local. Inspirado na linha de comunicação e imagem “Alentejo, tempo para ser feliz”, o pequeno filme, com seis minutos de duração, conta as múltiplas emoções que os turistas podem vivenciar no território.

Esta mensagem, revelou hoje a Entidade Regional de Turismo (ERT) do Alentejo, é transmitida através dos protagonistas de “uma insólita aventura”, a qual “tem como ponto de partida a busca da felicidade”.

Em “jeito” de fábula, o filme revela um Alentejo que, a partir dos céus, é “descoberto pelo ‘Tempo’, um Labrador Retriever que, inesperadamente, voa sozinho num balão de ar quente”, explica a ERT.

A região, acrescenta, é também vivenciada pela dona do “Tempo”, uma turista que, com os “pés bem assentes na terra” e “na procura incessante do seu fiel amigo”, atravessa o Alentejo e envolve-se “numa marcante e inesquecível experiência”.

“À semelhança de uma curta-metragem, o público é transportado para momentos de acção, aventura, excitação, alegria ou beleza, ou seja, um sem número de emoções bem latentes num Alentejo singular, genuíno e marcado por fortes traços identitários”, destaca a ERT.

O filme promocional, “além de primar pela inovação ao nível do retrato cinematográfico”, tem banda sonora da autoria do compositor Nuno Maló, “candidato português aos Óscares de Hollywood”, realça a Turismo do Alentejo.

Esta iniciativa da ERT, que teve estreia nacional na Bolsa de Turismo de Lisboa (BTL), vai agora ser exibida em 37 salas de cinema, distribuídas por quatro centros comerciais da Grande Lisboa, desde hoje e até domingo.

O filme, disponível em oito idiomas (português, espanhol, inglês, francês, alemão, holandês, russo e até mandarim), vai ser apresentado também, a partir da próxima semana, em eventos do sector turístico no estrangeiro.

O “spot” é protagonizado pela actriz britânica Ela Clark e foi produzido pela Flavour Productions, com direcção de fotografia e realização de Eduardo Sousa e corealização de Tito Costa, um profissional em formação em Hollywood, a “meca” americana do cinema.

Lusa
Título: Re: Sector do Turismo e Hotelaria
Enviado por: Lusitano89 em Março 06, 2013, 08:45:57 pm
"Espero que os alemães queiram conhecer Portugal" diz secretário do turismo alemão


O secretário de Estado do Turismo alemão, Ernst Burgbacher, disse hoje em Berlim que espera que os "alemães tenham vontade de conhecer Portugal" e que é bom para Europa que o país tenha competitividade no setor.

No dia em teve início a Feira Internacional de Turismo de Berlim, Ernst Burgbacher marcou presença no certame onde se reuniu com o seu homólogo português, o secretário de Estado do Turismo, Adolfo Mesquita Nunes, de forma a estabelecer contactos com vista a potencializar Portugal como destino turístico na Alemanha.

"Portugal tem feito um bom caminho no turismo e tem muito a oferecer em segmentos como o da saúde ou da educação e isso é visível nesta feira", afirmou à Lusa Ernst Burgbacher referindo-se também à presença portuguesa na feira berlinense.

O responsável, que apostou em evidenciar o bom caminho que Portugal tem feito no setor do turismo, referiu também que "é bom para Europa e para o país que Portugal tenha um turismo competitivo".

Por fim, o governante germânico concluiu que "espera que os alemães tenham vontade de conhecer Portugal, pois é um país que vale a pena ser conhecido".

As declarações de Ernst Burgbacher decorreram após um encontro com Adolfo Mesquita Nunes, na zona da Feira de Turismo destinada aos expositores portugueses.´

Em declarações à Lusa, o secretário de Estado do Turismo português sublinhou que o intuito do encontro com o seu homólogo alemão foi a criação "de pontes que permitam que o mercado alemão procure Portugal nas áreas do turismo de saúde e de bem-estar", assim como a troca de experiências relativamente ao sistema dual existente no ensino de hotelaria em Portugal.

"É um objetivo do governo estabelecer contactos com a Alemanha nestas três áreas, de forma a potenciar ainda mais a vinda de turistas alemães a Portugal", disse o governante português.

Por outro lado, o Adolfo Mesquita Nunes explicou que o mercado alemão é muito importante, pois trata-se do "maior mercado emissor de turistas" e é necessário "potencializar a oferta em áreas como o turismo de aventura, cultural, saúde", entre outras, de "forma a cativar mais turistas alemães".

A Feira Internacional de Turismo de Berlim conta nesta edição com a presença de 55 expositores portugueses, estando representadas sete regiões do país e empresas das áreas da hotelaria, companhias aéreas, agências de recetivo, entre outras.

No total, o certame que decorre de hoje até ao próximo dia 10 de março, terá a participação de cerca de 10 mil empresas ligadas ao turismo que representam 188 países.

Lusa
Título: Re: Sector do Turismo e Hotelaria
Enviado por: Lusitano89 em Maio 07, 2013, 10:05:34 pm
Projecto em Sines quer pôr turistas a dormir em contentores de transporte marítimo


Um projeto colaborativo em Sines vai produzir acomodações para turistas amantes da natureza, reutilizando contentores de transporte marítimo, para serem instaladas em locais isolados da costa alentejana e promover o turismo de pedestrianismo e de bicicleta.

Para a construção das estruturas, o projeto Bicycle Ecology envolve várias empresas, como a MSC Portugal, filial da companhia de navegação suíça, que irá “ceder gratuitamente” os contentores para as primeiras unidades, revelou hoje à agência Lusa um dos mentores da iniciativa, Ricardo Flores.

As acomodações turísticas serão construídas em Sines, em conjunto com o Centro de Formação Profissional da Indústria Metalúrgica e Metalomecânica (Cenfim), esperando-se que o protótipo esteja concluído durante o mês de julho.

O projeto, que representa um investimento inicial de 500 mil euros, não tem a intenção de “competir” com as unidades turísticas tradicionais já instaladas na costa alentejana.

“Como não necessitam de fundações”, as estruturas podem ser colocadas “em qualquer lugar, até num terreno agrícola”, explicou Ricardo Flores, o que permite oferecer alojamento em zonas “onde não haja”.

O representante da Bicycle Ecology frisou o caráter “amigo do ambiente” do projeto, pela reutilização de matérias “que já foram retiradas à natureza”, bem como a utilização de materiais naturais, como a cortiça, que irá revestir o interior dos contentores para o isolamento térmico e acústico.

Apesar do conceito e da localização mais remota, as unidades terão “todas as comodidades”, garantiu o responsável, como internet e televisão, não faltando também um sistema de emergência para pedidos de ajuda, alimentados por energias renováveis, eólica e solar.

A rede de acomodações será explorada a partir de um portal na Internet, através do qual os interessados, em qualquer parte do mundo, poderão fazer uma reserva.

O preço do alojamento não deverá ir além dos 15 euros, pressupondo um “processo cooperativo”, ou seja, os turistas usam as instalações, mas têm de as deixar limpas e a cama feita de lavado.

“Por experiência, posso garantir que este tipo de clientes se preocupa muito em deixar as coisas muito bem para o próximo”, disse Ricardo Flores.

No entanto, acrescentou, “se alguém chegar e tiver uma reclamação (…) basta carregar no botão e enviamos lá um agente para tratar da situação”.

Os responsáveis da Bicycle Ecology esperam que estas ideias de negócio possam ser exportadas, motivo pelo qual, apesar de o projeto ter nascido em Lisboa, decidiram sediá-lo em Sines.

Nesta zona do Alentejo, esclareceu Ricardo Flores, estão próximos de uma região “com todas as condições” para o cicloturismo e o pedestrianismo e têm acesso privilegiado aos materiais necessários e ao ponto de expedição, que é o porto de Sines.

Lusa
Título: Re: Sector do Turismo e Hotelaria
Enviado por: Lusitano89 em Junho 16, 2013, 02:12:21 pm
Turismo industrial: Refinaria de Sines recebe visitantes


A refinaria da Galp Energia é a primeira grande empresa de Sines a aderir a um projeto de turismo industrial a ser desenvolvido pela incubadora de empresas local, que vai permitir conhecer as instalações em visitas organizadas. Ainda sem data marcada para o arranque da iniciativa, as entidades responsáveis estão atualmente a trabalhar para tornar as visitas à refinaria de Sines um produto turístico, que terá como parceiros operadores já existentes ou a criar, adiantou hoje à agência Lusa a diretora executiva do Sines Tecnopolo, Mónica Morais de Brito.

Um dos objetivos do projeto é promover “oportunidades para gerar novos negócios”, que possam ser aproveitadas por empreendedores e criar postos de trabalho, referiu a responsável pela instituição, cuja atuação passa pela incubação de empresas, a consultadoria e a prestação de formação, entre outras atividades.

A ideia é envolver todo o tecido industrial e portuário da cidade alentejana e da sua envolvente, explicou Mónica Morais de Brito, explicando que, no entanto, a resposta negativa a uma candidatura a fundos comunitários levou à implementação do projeto de forma “faseada”.

Caso, em futuras oportunidades, o financiamento venha a ser concedido, “facilitará” a construção de um centro de acolhimento a turistas e a criação de uma “imagem comum às várias entidades” envolvidas, permitindo o desenvolvimento da iniciativa de “forma mais concertada” e “com mais visibilidade”.

Para a refinaria de Sines, a participação no projeto será “importante” para “desmistificar o impacto que uma instalação destas tem nas comunidades locais”, sendo intenção da empresa evidenciar “as preocupações” ao nível ambiental e de segurança.

Atualmente, a refinaria já recebe visitas de grupos provenientes de escolas, universidades e empresas, entre outras instituições, mas não de turistas, indicou à Lusa, por escrito, fonte oficial da Galp Energia.

Na visita, que deverá incluir a unidade de hidrocraqueamento recentemente inaugurada e a central de cogeração a gás natural, os visitantes poderão ficar a conhecer o processo de fabrico, os produtos produzidos e a história da infraestrutura.

O desenvolvimento do turismo industrial em Sines insere-se no âmbito do projeto Aportar, promovido pelo município, que inclui também a disponibilização de uma plataforma multimédia com o património relacionado com o Gabinete da Área de Sines, criado em 1971 para a implantação do complexo industrial e portuário na zona.

Com esta iniciativa, indicou Mónica Morais de Brito, os responsáveis pretendem resolver “alguns problemas” que “comprometem” o desenvolvimento turístico do concelho, entre os quais a “sazonalidade, que é muito acentuada”.

Esta característica desincentiva, de acordo com a dirigente, o investimento em equipamentos e em infraestruturas, mas também na qualificação dos recursos humanos, o que “compromete a qualidade do serviço”.

O Sines Tecnopolo está ainda a preparar, em parceria com o Instituto Politécnico de Beja, "a primeira" pós-graduação em Turismo Industrial em Portugal, a arrancar em outubro, avançou a responsável.

O Sines Tecnopolo é uma associação que se iniciou, em 2007, com a Câmara Municipal de Sines, os institutos politécnicos de Beja e Setúbal e as universidades de Évora e do Algarve, e à qual se têm vindo a juntar outras entidades, sendo a mais recente a Galp Energia.

Lusa
Título: Re: Sector do Turismo e Hotelaria
Enviado por: Lusitano89 em Julho 24, 2013, 05:23:44 pm
Sines vai ter parque de campismo de quatro estrelas


Um parque de campismo de quatro estrelas e com capacidade para 850 pessoas vai ser construído em Sines, no prazo de três anos, por um "operador privado experiente", revelou hoje à agência Lusa o presidente do município. O projecto vai começar a ser executado "ainda este ano" e a construção será feita "por fases", indicou Manuel Coelho, cuja expectativa é que, em 2014, haja "já um número significativo de camas".

O alojamento no novo parque de campismo de Sines será feito, sobretudo, em 'bungalows' e autocaravanas, havendo também espaço, embora "residual", para tendas.

A empresa Transcampo II arrematou o direito de superfície para construção do parque de campismo em hasta pública realizada no início deste mês e aprovada pela Assembleia Municipal de Sines, por unanimidade, na terça-feira à noite.

O negócio com o terreno, com uma área de cerca de 47.000 metros quadrados, irá render à Câmara Municipal de Sines, na maior parte do contrato, cuja duração é de 30 anos (renováveis), cerca de 50 mil euros anuais.

Nos primeiros cinco anos, "o período mais crítico" para o investidor, o encaixe é de apenas metade daquele valor, que é depois compensado nos últimos cinco anos do contrato, explicou Manuel Coelho.

O autarca considerou, no entanto, que o "mais importante" para o município é a construção do equipamento, uma vez que o "prejuízo" criado pela sua inexistência "é muito grande".

Tal é notado, em particular, durante o Festival Músicas do Mundo, que decorre na cidade até ao próximo sábado, sendo a "escassez de alojamento" um dos pontos "mais frágeis" do evento, referiu.

A cidade de Sines teve um parque de campismo municipal, mas este está desativado há alguns anos, sendo neste local, que se encontra "degradado", que irá nascer o novo equipamento.

Manuel Coelho deseja que a unidade venha a ter uma "taxa de ocupação significativa durante todo o ano" e que atraia não só turistas nacionais, mas também estrangeiros, sobretudo do norte da Europa.

Para tal, o presidente do município conta com a experiência do promotor privado nesta área, que já explora um parque de campismo em Vila Nova de Cacela, no concelho de Vila Real de Santo António (Algarve).

O autarca defendeu que a câmara não é a "entidade mais indicada" para estar à frente de um "bom" parque de campismo, não só pelo investimento "de vulto" que implica, como pela necessidade de uma "gestão profissional".

Lusa
Título: Re: Sector do Turismo e Hotelaria
Enviado por: Lusitano89 em Julho 30, 2013, 07:00:29 pm
Caraíbas recebem primeiro hotel português


Portugal já tem o primeiro hotel nacional nas Caraíbas. Chama-se "Pestana Cayo Coco Beach Resort", tem quatro estrelas e conta com um chef português à frente da cozinha. As portas vão ser abertas ao público dia 1 de Agosto.

Construído de raiz, o espaço será explorado com base num contrato de administração celebrado entre a cadeira portuguesa e a empresa cubana de turismo Gaivota.

Segundo o grupo hoteleiro, esta nova unidade vai permitir a "divulgação da cultura gastronómica de Portugal", uma vez que o chef executivo dos restaurantes 'à la carte' é de nacionalidade portuguesa.
 
O Pestana Cayo Coco Beach Resort, em Cuba, é constituído por 508 quartos, distribuídos por 11 edifícios de três andares, enquadrados na paisagem original da zona.
Dispõe ainda de praia privada, piscina central para adultos e outra para crianças, parque infantil, quatro restaurantes e cinco bares distribuídos por cerca de 100.000 m2 de terreno que compõem o projeto.

Boas Notícias
Título: Re: Sector do Turismo e Hotelaria
Enviado por: Lusitano89 em Agosto 12, 2013, 09:17:18 pm
Turismo do Algarve quer região a funcionar durante o Inverno


O presidente da Região de Turismo do Algarve, Desidério Silva, apelou hoje aos elementos que compõem o setor na região para que não encerrem as portas durante a época baixa, num esforço para combater a sazonalidade. “É importante que o Algarve, enquanto maior destino de férias no país, dê um sinal aos mercados emissores de que está preparado e tem produtos para se afirmar todo o ano e não só no verão”, sublinhou o responsável do Turismo do Algarve em comunicado.

Desidério Silva acrescentou considerar “essencial que todos os agentes do setor procurem manter os equipamentos e as infraestruturas ligadas ao turismo abertas no próximo inverno”, de forma “a iniciar um processo de inversão no que diz respeito à diminuição da sazonalidade, à redução do desemprego e à melhoria da economia da região”.

O presidente da entidade regional lembrou que está a ser trabalhada com o Turismo de Portugal uma campanha de inverno para aumentar em 100 mil o número de dormidas de estrangeiros no Algarve entre novembro e fevereiro.

“O Algarve precisa de se afirmar como um destino de férias todo o ano e cada entidade pública e privada tem de ajudar a criar condições e intervir para concretizar esse desígnio”, declarou o dirigente do Turismo do Algarve.

Na semana passada, o presidente da Associação da Hotelaria de Portugal, Luís Veiga, alertou que o Algarve não pode ter estabelecimentos encerrados durante o inverno se quer combater a sazonalidade e referiu que, no inverno passado, 300 empreendimentos suspenderam atividade.

“Fecharam 300 empreendimentos turísticos este inverno só no Algarve. Foi mais do dobro do inverno anterior”, lamentou Luís Veiga em declarações à Lusa.

Lusa
Título: Re: Sector do Turismo e Hotelaria
Enviado por: Lusitano89 em Setembro 06, 2013, 01:28:35 pm
Americanos gastaram 227 milhões de euros em Portugal entre janeiro e junho


Os turistas americanos gastaram 227 milhões de euros em Portugal, entre Janeiro e Junho, representando um mercado que aumenta há cinco anos e possui ainda potencial de crescimento, disse à Agência Lusa fonte do Turismo de Portugal. Nuno Alves, representante do Turismo de Portugal em Nova Iorque, Estados Unidos da América (EUA), referiu que, desde 2008, que o mercado americano "tem tido um comportamento muito positivo, com crescimentos sistemáticos de dois dígitos".

"Tem sido um crescimento sustentado e temos confiança que os próximos cinco anos terão desempenho semelhante", afirmou o responsável, que falava à margem de uma acção de promoção do vale do Douro, que decorreu naquela cidade americana.

De acordo com dados do Instituto Nacional de Estatística (INE) e Banco de Portugal, entre Janeiro a Junho os turistas americanos gastaram em Portugal cerca de 227 milhões de euros, mais 47,8 milhões que mesmo período do ano passado. Estes valores equivalem a um crescimento de 26,7%.

Quanto ao número de hóspedes, foram registados cerca de 156,1 mil turistas americanos em hotéis portugueses, o que representa um crescimento de 16,8%.

Em termos de dormidas, para o mesmo horizonte temporal, o crescimento foi de 21,8%, com 354,8 mil dormidas e um acréscimo de 63,4 mil dormidas face ao ano anterior.

Nuno Alves referiu que os EUA são "um mercado com potencial de crescimento" e desafiou os empresários portugueses a fazerem uma "aposta continuada" e a "não terem medo da dimensão" do país.

O responsável considerou que este "não é um mercado de aposta de curto prazo" e sugeriu que os empresários nacionais devem centrar a sua actuação nas duas ou três principais áreas de saída de turistas da costa Leste dos EUA. "Quem o fizer terá a sua retribuição", salientou.

Nuno Alves explicou que os americanos vêem em Portugal "a melhor proposta de valor da Europa ocidental", porque oferece a mesma qualidade a melhores preços do que, por exemplo, a Espanha.

E este é, segundo acrescentou, um turista que interessa a nosso país porque "gasta dinheiro". "O gasto 'per capita' do turista americano é dos maiores em Portugal", sublinhou.

O Douro está em missão nos Estados Unidos da América (EUA), desde quarta-feira, para dar a conhecer a sua paisagem, história e vinhos, de forma a atrair mais turistas e criar oportunidades de negócio.

Esta acção de promoção da região vinhateira na América portuguesa, que se prolonga até dia 10, num roteiro que inclui também Newark e Washington, insere-se na iniciativa "O Douro no mundo", que junta o projecto "Douro e Estrela -- In Tourism", a Estrutura de Missão do Douro (EMD) e o Museu do Douro (MD).

Rui Boavista Marques, director do escritório da Agência para o Investimento e Comércio Externo de Portugal (AICEP), em Nova Iorque, salientou que este tipo de evento ajuda a consolidar a notoriedade de Portugal e as suas submarcas.

Para este responsável, o Douro e a Estrela têm precisamente uma especificidade e um conteúdo que é muito adequado a um turista de segmento médio alto, conhecedor das novas tendências de consumo.

Rui Boavista Marques referiu que há cada vez mais portugueses a exportar para os EUA, a investir neste país, e também empresas americanas interessadas nas várias áreas de actividade portuguesas.

Lusa
Título: Re: Sector do Turismo e Hotelaria
Enviado por: Lusitano89 em Outubro 27, 2013, 02:53:43 pm
Turistas norte-americanos em Portugal fazem disparar dormidas e receitas


Portugal está a assistir em 2013 a um aumento de 19,9% nas dormidas de turistas norte-americanos em Portugal, acompanhado de uma subida de 28,9% nas receitas, fazendo dos EUA o quinto maior mercado turístico. Segundo dados do Instituto Nacional de Estatística (INE), entre Janeiro e Agosto as dormidas de visitantes provenientes dos Estados Unidos cresceram 19,9%, 3,6 pontos percentuais acima do segundo maior crescimento registado nos primeiros oito meses do ano, que pertence à Irlanda.

De acordo com dados divulgados na semana passada pelo Banco de Portugal e compilados pelo Turismo de Portugal, as receitas geradas por turistas norte-americanos cresceram 28,9% nos primeiros oito meses do ano face a igual período de 2012, tendo um pico de 68% em Junho, de longe superior aos crescimentos registados nos restantes países que mais contribuem para o sector.

Desta forma, entre Janeiro e Agosto, França continuou a ser o maior país em termos de receitas para o turismo nacional, seguida do Reino Unido, Espanha e Alemanha, com os EUA a ultrapassarem Angola e estabeleceram-se na quinta posição.

Em termos de dormidas, os maiores crescimentos, a seguir aos turistas vindos dos EUA, verificaram-se junto dos irlandeses (16,3%), franceses (12,8%), alemães (11,2%) e britânicos (10,8%).

O sector da hotelaria recuperou em Agosto, com mais dormidas e mais hóspedes, que resultaram em crescimentos de 5,4 e 6% respectivamente, em termos homólogos, segundo os indicadores da actividade turística do INE.

As dormidas de não residentes foram as que mais contribuíram para a evolução positiva, aumentando 8,5% e reforçando a subida de 6% registada em Julho, mas os turistas nacionais voltaram também a procurar os hotéis em Agosto, garantindo um ligeiro aumento de 0,3%, após o decréscimo de 1,3% em Julho.

No total, os estabelecimentos hoteleiros receberam 1,9 milhões de hóspedes em Agosto (6,4 milhões de dormidas) que geraram 310,5 milhões de euros de proveitos totais (gastos com alojamento, restauração e outros serviços) e 235,6 milhões de euros em proveitos de aposento (gastos só com a dormida), correspondentes a crescimentos homólogos de 4,6 e 5,8%, respectivamente.

Lusa
Título: Re: Sector do Turismo e Hotelaria
Enviado por: Lusitano89 em Novembro 23, 2013, 08:03:32 pm
Turistas indianos têm cada vez mais interesse em Portugal


O interesse dos indianos por Portugal como destino turístico tem aumentado nos últimos anos, com Lisboa, o Douro e Fátima a liderarem as preferências dos turistas, disse à Lusa o embaixador português em Nova Deli. A confirmar este crescente interesse estão os números de vistos passados pela embaixada de Portugal na Índia: até Setembro deste ano já tinham sido emitidos 1.695 vistos turísticos, quase tantos como o número total de 2012 (1.699).

Quanto ao total de vistos, no ano passado a embaixada passou 2.290, enquanto até Setembro deste ano o número ia já em 2.096.

Em declarações à Lusa em Nova Deli, capital da Índia, o embaixador Jorge Roza de Oliveira considerou que este crescimento está relacionado com a aposta do Governo português no mercado indiano, onde há uma classe média com mais poder de compra e que gosta de viajar para fora do seu país.

Os turistas indianos "visitam essencialmente Lisboa, o Porto e a região do Douro, mas também Fátima", acrescentou o embaixador.

O diplomata recordou que a anterior secretária de Estado do Turismo deste Governo, Cecília Meireles, fez uma viagem com operadores turísticos, visitando Nova Deli e Mumbai, e que também o Turismo de Portugal abriu uma presença em Mumbai.

"Portugal não é mais visitado por desconhecimento dos indianos. Vão a Espanha mas não vão a Portugal", disse, admitindo que esta realidade está a começar a mudar: "Agora começa a ver-se pacotes dos operadores indianos que já incluem Portugal", afirmou.

A rodagem de um filme de Bollywood em Portugal - que deverá arrancar em Maio do próximo ano - é vista como um "multiplicador de visitas", referiu.

Também o presidente da Associação de Amizade Portugal-Índia, Eugénio Viassa Monteiro, disse à Lusa que "os indianos gostam muito de viajar".

Mais de mil milhões de indianos viajam dentro do país, mas também são cada vez mais os que vão ao estrangeiro.

Para tornar Portugal conhecido dos indianos, Viassa Monteiro aponta várias estratégias, como a gravação de um filme de Bollywood no país e a promoção do turismo religioso.

"O Santuário de Fátima é uma coisa impressionante para os indianos, em particular para os católicos, sobretudo de Goa", disse.

Portugal poderá ainda apostar em anúncios nas televisões locais ou oferecer facilidades para que cadeias hoteleiras indianas se fixem no país, defendeu, sugerindo ainda que cadeias portuguesas explorem hotéis na Índia.

Lusa
Título: Re: Sector do Turismo e Hotelaria
Enviado por: Lusitano89 em Janeiro 06, 2014, 06:46:01 pm
Algarve investe seis milhões de euros para promoção no estrangeiro


A Associação Turismo do Algarve (ATA) vai ter seis milhões de euros de orçamento para promover o turismo e a marca Algarve no estrangeiro, disse hoje à Lusa o novo presidente daquele organismo.

"O nosso orçamento este ano ronda os seis milhões de euros que possivelmente vai ser aumentado através de candidaturas", disse Carlos Luís, à margem da tomada de posse dos órgãos sociais da Associação Turismo do Algarve, que decorreu hoje no Auditório do Edifício-sede da Região Turismo do Algarve, em Faro.

A fórmula de contratualização que está feita com a ATA é que os privados põem um determinado montante, que este ano é de um milhão de euros, e depois a Região de Turismo compromete-se a meter o mesmo valor e o Turismo de Portugal coloca quatro vezes aquilo que puserem os privados, explicou o novo presidente da ATA, referindo que o Turismo de Portugal já transferiu este ano para a ATA 2,1 milhões de euros.

"Pela primeira vez foi recebido logo no princípio do ano (...), o que nos ajuda imenso, porque há que planear muita coisa", considerou Carlos Luís. O presidente do Turismo do Algarve e ex-presidente da ATA, Desidério Silva, apelou hoje, na cerimónia da tomada de posse dos órgãos sociais da ATA, para que o setor público e privado trabalhem para que "haja mais promoção", "mais sócios" e "mais negócios" para a região.

Em 2014 o Turismo de Portugal vai transferir uma verba de perto de 5,9 milhões de euros para o Turismo do Algarve, com o objetivo de continuar a promover a marca Algarve nos mercados nacional e internacional.

Lusa
Título: Re: Sector do Turismo e Hotelaria
Enviado por: Lusitano89 em Setembro 08, 2014, 06:12:29 pm
Sines: Turismo industrial em parceria com a Galp


O projeto-piloto entre uma incubadora de empresas e a Galp Energia arranca este mês, em Sines, e permite visitas à refinaria da empresa, a maior instalação industrial do país.
 
A iniciativa intitula-se "Sines - Turismo Industrial Sustentável" e é promovida pelo Sines Tecnopolo, envolvendo, nesta primeira fase, a Galp Energia. A primeira visita à refinaria da Galp será no dia 26 de Setembro e conta com o apoio da Câmara Municipal de Sines.
 
"É um produto turístico de nicho, não arrasta massas, mas pode e deve surgir aliado aos outros produtos turísticos" existentes no território, realçou a diretora-executiva do Sines Tecnopolo, Mónica de Brito, em declarações à agência Lusa.
 
Além das pessoas que procuram, especificamente, este nicho de oferta, designadamente "curiosos e estudiosos" das questões industriais, todos os turistas são potenciais consumidores da experiência, complementar à variedade de outras à sua disposição, afiançou.
 
"Vamos fazer a inauguração e, depois, começam as visitas regulares", em grupo e organizadas, numa fase inicial, pelo Sines Tecnopolo, ainda que essa regularidade esteja "muito dependente da disponibilidade da refinaria", disse Mónica de Brito.
 
O projeto tem "várias vantagens", segundo a incubadora de empresas que pretende "limar arestas e das mais maturidade ao projeto". Numa segunda fase, poderá incluir rotas temáticas e centros de acolhimento para os visitantes.
 
"O facto de ser a Galp e a refinaria ajuda-nos a projetar a nossa marca e o projeto de uma forma completamente diferente", afiançou.
 
Esta iniciativa, aos poucos, vai começar a ser alargada a outras empresas com instalações industriais em Sines, várias das quais estão interessadas em aderir, como a EDP, a REN, a Repsol ou a PSA.
 
Segundo Mónica de Brito, este apoio empresarial pode ser compreendido "numa lógica de responsabilidade social" e, ao mesmo tempo, para "desmistificar alguns preconceitos que existem em relação à própria atividade" industrial.
 
A par do produto sol e mar, a vertente industrial é uma "marca forte" de Sines e da zona envolvente, que este projeto quer tornar numa mais-valia em termos turísticos.
 
"Temos aqui uma realidade industrial, logística e portuária que é única no país e, portanto, havia que tentar 'casar' de forma harmoniosa dois setores que aparentemente são antagónicos, que é o turismo e a indústria", frisou
 
O objetivo do Sines Tecnopolo passa ainda por, no futuro, transferir o projeto para 'as mãos' de empreendedores, contribuindo para "gerar novos negócios", realçou a diretora-executiva.
 
O desenvolvimento do turismo industrial em Sines insere-se no projeto Aportar, promovido pelo município, que inclui uma plataforma multimédia com o património relacionado com o Gabinete da Área de Sines, criado em 1971 para a implantação do complexo industrial e portuário.

Boas Notícias
Título: Re: Sector do Turismo e Hotelaria
Enviado por: Lusitano89 em Outubro 18, 2014, 12:25:46 am
Governo promove Portugal na China através de Cristiano Ronaldo


O secretário de Estado do Turismo, Adolfo Mesquita Nunes, disse esta sexta-feira, que Portugal vai utilizar a imagem de Cristiano Ronaldo para promover o país enquanto destino turístico na China, em 2015.

"Chegamos a acordo para a cedência dos direitos de imagem de Cristiano Ronaldo para o próximo ano, para promover Portugal no mercado chinês", disse Adolfo Mesquita Nunes à agência Lusa, à margem do encontro Cultura e Turismo, em Sagres, no Algarve.

De acordo com Mesquita Nunes, a cedência dos direitos de imagem de Cristiano Ronaldo vai custar 150 mil euros, tendo o acordo a duração de 12 meses. "Justifica-se recorrer a este tipo de campanhas", sustentou Adolfo Mesquita Nunes.

"A China tem tido um crescimento de 30%. É um mercado com crescimentos percentuais muito grandes, mas com números absolutos ainda insuficientes", sustentou.
O governante prevê que a China venha a ser o maior mercado emissor de turistas do mundo, um mercado onde o défice de notoriedade do destino Portugal é muito grande e, neste caso, a utilização da imagem de uma personalidade famosa é importante para uma campanha de promoção.

Adolfo Mesquita Nunes acrescentou que a aposta na China será lançada em novembro, no decorrer da Feira de Turismo de Xangai, escusando-se a revelar os detalhes da iniciativa.

"Os detalhes sobre a campanha serão conhecidos nessa altura, bem como a sua sustentação técnica, que é do Turismo de Portugal", indicou. "Tenho sido bastante cioso nesta convicção de que cabe ao Turismo de Portugal a sustentação técnica das suas campanhas e a apresentação das mesmas", concluiu.

Lusa
Título: Sector da restauração - IVA dos restaurantes
Enviado por: Get_It em Agosto 01, 2015, 07:43:07 pm
O estranho caso do IVA dos restaurantes
(24 de Julho de 2015)
Citação de: "Paulo Ferreira"
Nunca se abriram tantos negócios e tão inovadores na restauração. Afinal, o tal sector esmagado pelo IVA a 23% e pelo aperto do cinto mostra, paradoxalmente, uma vitalidade nunca antes vista.

O IVA da restauração deve baixar? Claro que deve. Tal como o da electricidade. E o da roupa e calçado. E também o dos iogurtes e dos concentrados de fruta. Para não falar do das conservas e sem esquecer o dos ginásios. A carga fiscal é sufocante e tudo o que se possa fazer para a aliviar é bem vindo. No IVA, no IRS ou no IRC. No IMI e no IUC. E no imposto sobre os combustíveis. Vá lá, mantenham-se impostos elevados sobre o tabaco e o álcool que quem quer vícios deve pagá-los – aos vícios e às externalidades sociais e económicas que eles provocam. E, se quiserem, mantenha-se também a nova taxa sobre os sacos de plástico que só nos faz bem reutilizá-los.

Então coloquemos a questão de outra maneira. O sector da restauração deve ser positivamente discriminado e beneficiar de uma baixa do IVA? Claro que os empresários do sector defendem que sim. Mas quem é que não gostava de ter um IVA de 13% em vez de 23% nos produtos e serviços que vende? Todos, verdade? Eu também gostava que os serviços de criação e produção de conteúdos e as colaborações com os media – como este texto que estão a ler – tivesse um IVA mais baixo. O ideal é que estivesse mesmo isento. Já viram o desemprego que por aí anda entre os jornalistas e licenciados em comunicação? Já repararam na dificuldade que as empresas de comunicação social têm tido na última década para equilibrar as contas?

Mas interesses próprios à parte, não vejo qualquer racionalidade económica e fiscal em fazer dos restaurantes e cafés uma excepção. O sufoco tributário é generalizado, a crise afectou de forma idêntica ou muito superior vários outros sectores – basta pensar na construção ou na venda de automóveis, por exemplo – e o desemprego involuntário também se distribuiu pela economia – excepção feita ao Estado, claro, e daí também esta carga fiscal pornográfica.

Mas é certo e sabido que até às eleições este vai ser um dos temas em discussão, já que está transformado numa “bandeira” de querela partidária e de diferenciação de promessas eleitorais. É apenas por isso – e pela capacidade reivindicativa do sector – que ele é discutido e não pela relevância económica do IVA da restauração que não é diferente da fiscalidade de outras indústrias. Infelizmente, o destino do país não muda se tributarmos o bitoque ou a francesinha a 13% em vez de 23%. Era bom que este fosse o grande assunto que temos para resolver.

Eleições rima com mistificações e este caso não é excepção.

Dificilmente o nível do IVA é para este sector um drama maior do que para outros. O problema é que a restauração – como, de resto, outras áreas do comércio e serviços – sofreu outro impacto maior. Foi aquele que resultou do combate à fuga ao fisco, com os novos sistemas electrónicos de facturação e com o incentivo dado aos consumidores para exigirem factura. A “gestão” da facturação declarada ao fisco e do IVA a entregar ao Estado – fosse ele de 13% ou de 23% – deixou de poder ser feita com a mesma amplitude e a rentabilidade do sector ressentiu-se. Mas esse é um problema criado por más praticas dos empresários que tinham que acabar por um imperativo de justiça tributária. Ou vamos defender a fuga ao fisco como meio legítimo de sobrevivência das empresas?

Outro impacto importante para muitos restaurantes foi o corte nos rendimentos das famílias, que as levaram a reduzir drasticamente as refeições fora. Muita gente deixou de almoçar e jantar no restaurante com a mesma frequência porque deixou de ter dinheiro para pagar 10 ou 20 euros por uma refeição e não porque a mesma passou a custar 11 ou 22 euros, respectivamente, por efeito (aproximado) do IVA.

Mas apesar de tudo isto este é um sector em crise? O que vejo olhando à volta é que nunca como agora se abriram tantos negócios e tão inovadores na restauração. Não passa uma semana sem que veja nos jornais várias páginas de sugestões de novos sítios para ir comer e beber. São hamburgueres de todas as formas e feitios, francesinhas do Porto a invadir Lisboa, tapas e copos de vinho, padarias reinventadas, sushi tradicional ou de fusão, mexilhões com cerveja ou com gin, pregos e bifanas gourmet, iogurtes naturais ou em gelado, novos negócios de “street food” que aparecem todos os dias, chefs famosos que não param de abrir novos espaços para todas as bolsas e paladares, esplanadas e terraços para aproveitar o bom tempo, bolos de chocolate ditos os melhores do mundo e tartes com amêndoa verdadeira. E os “brunchs” e as ceias. Com muito ou pouco colesterol. Uns baratos, outros caros. Para comer em pé ou sentado. No centro comercial ou em mercados de bairro reinventados.

O tal sector esmagado pelo IVA a 23% e pelo aperto do cinto mostra, paradoxalmente, uma vitalidade nunca antes vista.

Parecem, de facto, dois países diferentes. Estarão os milhares de empresários que têm lançado estes novos negócios todos enganados? Não saberão fazer contas ao IVA e às margens de lucro? Não ouviram falar da crise no país e no sector? Ou, pelo contrário, acreditam na inovação, na diversificação da oferta, na qualidade dos produtos e do serviço que prestam para atrair clientes?

Nestas discussões sobre o IVA da restauração não me esqueço de como tudo começou. Estámos a meio da década de 90 e António Guterres decidiu dar um bónus ao sector em nome de um alegado problema de competitividade – não fossemos todos começar a ir almoçar e jantar a Espanha. Criou a taxa intermédia de 12% para os restaurantes e cafés numa altura em que a taxa máxima de IVA era de 17% (que saudades). Os preços não mexeram e as margens aumentaram cerca de 5%. Na altura ninguém se preocupou com o pobre do cliente. A vida é difícil. Mas é difícil para todos.
Fonte: http://observador.pt/opiniao/o-estranho-caso-do-iva-dos-restaurantes/ (via A Bem da Nação (http://http))

Cumprimentos,
Título: Re: Sector do Turismo e Hotelaria
Enviado por: Lusitano89 em Agosto 17, 2015, 02:05:29 pm
Título: Re: Sector do Turismo e Hotelaria
Enviado por: Lusitano89 em Setembro 05, 2015, 11:43:55 am
Lisboa é a cidade europeia onde a hotelaria mais cresce


Lisboa é o fenómeno do momento no que toca a alojamento turístico. É a cidade europeia que mais está a crescer em número de hotéis, segundo um estudo recente da consultora imobiliária Worx, que faz uma análise comparativa da oferta de estabelecimentos hoteleiros de uma a cinco estrelas na capital portuguesa com Amesterdão, Barcelona, Berlim, Budapeste, Estocolmo, Helsínquia, Madrid, Munique, Oslo, Paris, Praga, Tallinn e Vilnius — outros destinos que evidenciam dinamismo ao nível da capacidade turística instalada.

O destaque vai para o facto de Lisboa ter dado, num curto espaço de tempo, um salto de cerca de 34% no seu parque hoteleiro, tendo passado de 122 para 163 unidades entre 2010 e 2014. “O aumento significativo da oferta hoteleira na cidade de Lisboa foi acompanhado por outras cidades europeias, ainda assim nenhuma outra conseguiu superar este incremento próximo dos 34%”, enfatiza o estudo da Worx, onde se evidencia também neste período os crescimentos de 23,7% em Oslo, 18,6% em Praga ou 18,4% em Budapeste.

A tendência de crescimento mantém-se em Lisboa, com a abertura de 20 hotéis em 2015 (entre os quais o Porto Bay Liberdade, Sana Evolution Saldanha ou a Pousada do Terreiro do Paço) que reforçam a sua capacidade em 12%, trazendo um acréscimo de 1572 quartos.


Expresso
Título: Re: Sector do Turismo e Hotelaria
Enviado por: Lusitano89 em Setembro 21, 2015, 03:30:08 pm
Turistas gastam por dia 28 milhões de €€ no País


Os turistas estrangeiros gastaram 28,3 milhões de euros por dia entre Janeiro e Julho deste ano, um aumento de 12% face aos 25,2 milhões despendidos no mesmo período do ano passado.

Para Adolfo Mesquita Nunes, secretário de Estado do Turismo, "estes números desmentem a ideia de que o sector está a viver à base de um turismo low cost".

O responsável frisou que este crescimento "que estamos a ter em Portugal não é à base de baixos preços nem de turistas 'low cost', houve um aumento das receitas, de rendimento por quarto e de dormidas. Há um crescimento qualitativo e quantitativo".

A receita por dormida aumentou cerca de 14 euros para 314,3 entre Janeiro e Julho deste ano, face ao mesmo período de 2014. As dormidas de estrangeiros por dia aumentaram para 126.467.

Face a Espanha, o destino concorrente de Portugal, o crescimento das receitas turísticas é quatro vezes superior ao espanhol (embora os dados do país vizinho sejam só para o primeiro semestre). Os turistas em Espanha gastaram nos primeiros seis meses do ano 21,2 milhões de euros por dia, mais 2,9% que no homólogo de 2014.
"Portugal está a aproveitar bem as oportunidades do turismo internacional, melhor que o nosso concorrente", sublinhou Adolfo Mesquita Nunes.

As receitas turísticas internacionais valeram a Portugal seis mil milhões de euros nos primeiros sete meses do ano, um crescimento de 12,2% face ao mesmo período de 2014. Já as dormidas subiram 7,3% para 19,1 milhões.

As despesas turísticas (gastos dos portugueses no exterior) aumentaram 8,8% no período em análise, totalizando 2 mil milhões. O saldo turístico aumentou 14,1% para 3,9 mil milhões.

Económico
Título: Re: Sector do Turismo e Hotelaria
Enviado por: Get_It em Dezembro 27, 2016, 05:38:27 pm
Turismo divulga mais 20 monumentos para concessão a privados
(27 de Dezembro de 2016)
Citação de: Público
O Forte de Peniche foi retirado da lista e são agora conhecidos os restantes 20 monumentos que vão ser concessionados a privados em 2017, uma medida que abre o património nacional ao investimento privado para que se desenvolvam projectos turísticos. Esta iniciativa integra-se no Programa Revive, apresentado pelo Governo em Setembro, e visa abrir os edifícios históricos ao público, seja como hotéis, restaurantes ou museus.

A ampliação do número de edifícios a concessionar é avançada pelo Diário de Notícias e pelo Jornal de Negócios, que apresentam a lista completa dos 30 monumentos contemplados – os primeiros dez já eram conhecidos.

Este projecto, que tem como objectivo a valorização do património, tem em vista a recuperação de uma série de monumentos nacionais degradados, numa iniciativa conjunta dos ministérios das Finanças, da Cultura e da Economia, com apoio da Secretaria de Estado do Turismo liderada por Ana Mendes Godinho.

O Governo vai disponibilizar uma linha de financiamento de 150 milhões de euros, que só ficará disponível no próximo ano no âmbito do Sistema Nacional de Garantia Mútua, sendo que este valor pretende abranger todo o projecto. A concessão dos edifícios está prevista por um período entre os 30 e 50 anos, sendo que há possibilidade de renovação caso o Estado não pretenda recuperar a gestão do espaço.

O Jornal de Negócios avança que se os investimentos forem feitos nas regiões do interior do país, os investidores vão beneficiar de um bónus que pode chegar aos 20% da componente de apoio dada pelo Turismo de Portugal.

Muitos dos edifícios a concessionar estão em estado de ruína e ao abandono, e vão desde conventos a fortes militares. Os edifícios podem ser transformados em hotéis, restaurantes ou espaços de animação cultural, por exemplo. As opções são vastas, desde que a reabilitação seja feita e que o património “seja transformado em activo económico”, indica Ana Mendes Godinho, secretária de Estado do Turismo, citada pelo Negócios.

[continua] (https://www.publico.pt/2016/12/27/culturaipsilon/noticia/governo-apresenta-30-monumentos-para-concessao-a-privados-para-fins-turisticos-1756196)
Fonte: https://www.publico.pt/2016/12/27/culturaipsilon/noticia/governo-apresenta-30-monumentos-para-concessao-a-privados-para-fins-turisticos-1756196 (https://www.publico.pt/2016/12/27/culturaipsilon/noticia/governo-apresenta-30-monumentos-para-concessao-a-privados-para-fins-turisticos-1756196)

Lista:
Imóveis, REVIVE, Turismo de Portugal (http://revive.turismodeportugal.pt/pt-pt/imoveis)

Cumprimentos,
Título: Re: Sector do Turismo e Hotelaria
Enviado por: HSMW em Janeiro 07, 2017, 01:14:59 am
O 19 é aqui bem perto de onde moro.

(https://paisagensinvisiveis.files.wordpress.com/2016/03/palc3a1cio-da-obras-novas.jpeg?w=1600&h=1120&crop=1)

Não vejo qual a rentabilidade que aquilo possa dar. É uma ruína junto a um braço do Tejo no meio do nada.
Talvez aluguer  de meios fluviais e a apoio aos pescadores de fim de semana.

(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2F1.bp.blogspot.com%2F_LUWq8BgCJcA%2FS7z50RX5XCI%2FAAAAAAAADG8%2F2XQsjGQ2c1c%2Fs1600%2FPalacio_da_rainha_vista.jpg&hash=d9f4727661c97a7bf4f642449075ee4f)
Título: Re: Sector do Turismo e Hotelaria
Enviado por: Lusitano89 em Setembro 17, 2018, 11:29:03 am
Turistas ocupam mais de 1/3 das casas do centro histórico de Lisboa


Título: Re: Sector do Turismo e Hotelaria
Enviado por: Lusitaniae em Fevereiro 18, 2019, 10:17:33 am
Empresário vai investir 70 milhões em bioparque que criará 150 postos de trabalho

Um empresário de Abrantes está a preparar um investimento de 70 milhões de euros num bioparque projetado para nascer em Vila Nova da Barquinha, e que terá mais de 250 animais distribuídos por 43 hectares, em diferentes habitats.

Citado pela agência Lusa, João Paulo Rodrigues, refere que este seu investimento, que se chamará BARK e será o primeiro no país, segundo na Europa e quinto no mundo aberto à noite, foi pensado como "centro de conservação de espécies em vias de extinção.

O BARK, pensado também como centro de conhecimento, pretende juntar a investigação científica com o desenvolvimento de programas ambientais e deverá criar 150 postos de trabalho diretos e receber 450 mil visitantes no primeiro ano.

O investimento vai ser preparado ao longo dos próximos três anos, estando previsto que as portas abram em 2021, recriando quatro habitats: Arquipélago Indonésio, Pantanal, Peneda-Gerês e Savana Africana.

Segundo o projeto, apresentado na sexta-feira, 15 de fevereiro, na Assembleia Municipal da Barquinha, o BARK terá ainda vários equipamentos de apoio ao visitante como um hotel de quatro estrelas com 130 quartos, um restaurante com 300 lugares sentados, um centro pedagógico e 397 lugares de estacionamento.

O presidente da Câmara da Barquinha, Fernando Freire, disse à Lusa que este projeto privado, "a edificar em terrenos do município, contará com o apoio inequívoco do executivo para dotar a região com forte componente turística, espaço para "visitar" para além das ofertas já existentes e de relevo nacional".

https://rederegional.com/index.php/economia/24859-empresario-vai-investir-70-milhoes-em-bioparque-que-criara-150-postos-de-trabalho
Título: Re: Sector do Turismo e Hotelaria
Enviado por: Lusitano89 em Maio 14, 2020, 01:44:21 pm
Portugal aposta no turismo "Safe & Clean"