ForumDefesa.com

Forças Armadas e Sistemas de Armas => Exército Português => Tópico iniciado por: Stalker79 em Junho 06, 2017, 10:06:21 pm

Título: Novos Sistemas de Defesa Aérea
Enviado por: Stalker79 em Junho 06, 2017, 10:06:21 pm
Boas, está aqui uma noticia do Independente que afirma que até 2026 vão ser comprados novos sistemas de defesa antiaerea. Já alguem tinha ouvido falar nisto!?
Suponho que por 32 milhões vão ser umas fisgas busca calor....

http://www.jornaldenegocios.pt/economia/defesa/detalhe/governo-compra-sistema-de-defesa-antiaerea-ate-32-milhoes-para-equipar-exercito

 :G-bigun:
Título: Re: Novos Sistemas de Defesa Aérea
Enviado por: perdadetempo em Junho 07, 2017, 12:57:29 am
Boas, está aqui uma noticia do Independente que afirma que até 2026 vão ser comprados novos sistemas de defesa antiaerea. Já alguem tinha ouvido falar nisto!?
Suponho que por 32 milhões vão ser umas fisgas busca calor....
.
http://www.jornaldenegocios.pt/economia/defesa/detalhe/governo-compra-sistema-de-defesa-antiaerea-ate-32-milhoes-para-equipar-exercito

 :G-bigun:

Aparece mencionado no tópico "Notícias do Exército Português" a 5 de Junho. A notícia era do Sapo, mas a informação é a mesma.

Cumprimentos,
Título: Re: Novos Sistemas de Defesa Aérea
Enviado por: Cabeça de Martelo em Junho 07, 2017, 11:19:04 am
Boas, está aqui uma noticia do Independente que afirma que até 2026 vão ser comprados novos sistemas de defesa antiaerea. Já alguem tinha ouvido falar nisto!?
Suponho que por 32 milhões vão ser umas fisgas busca calor....

http://www.jornaldenegocios.pt/economia/defesa/detalhe/governo-compra-sistema-de-defesa-antiaerea-ate-32-milhoes-para-equipar-exercito

 :G-bigun:

No contrato com a `NATO Support Procurement Agency´ incluem-se oito terminais de armas do Sistema de Comando e Controlo de Artilharia Antiaérea, dois radares, oito sistemas de mísseis e oito viaturas táticas blindadas para os transportar.
Título: Re: Novos Sistemas de Defesa Aérea
Enviado por: Luso em Junho 07, 2017, 03:01:27 pm
completar essa despesa total até... 2026.
€32M por 8 SHORAD (só pode)... até 2026.
Nem sei porque me aborreço com esta palhaçada.
Título: Re: Novos Sistemas de Defesa Aérea
Enviado por: LM em Maio 10, 2018, 10:23:41 am
No site da NSPA tem a indicação "terminals for the integration of legacy MANPADS"... isso que dizer que o sistema tem que ser obrigatoriamente um sistema também MANPADS? Ou seja, é Stinger/ MISTRAL/ RBS 70/ Starstreak (Rapid Ranger + URO VAMTAC)?

Fora de hipótese algo tipo VL MICA / CAMM...?   
Título: Re: Novos Sistemas de Defesa Aérea
Enviado por: Stalker79 em Maio 10, 2018, 12:32:57 pm
No site da NSPA tem a indicação "terminals for the integration of legacy MANPADS"... isso que dizer que o sistema tem que ser obrigatoriamente um sistema também MANPADS? Ou seja, é Stinger/ MISTRAL/ RBS 70/ Starstreak (Rapid Ranger + URO VAMTAC)?

Fora de hipótese algo tipo VL MICA / CAMM...?

Ainda á pouco noutra secção do forum me tinham dito que o requisito do exercito era o mínimo de 20km de alcance, se for em relação a radares acho pouco e quanto a misseis não existe nenhum MANPAD que alcance mais que 8km.
Mas também com o orçamento que tinham dado não sei mesmo o que esperar.
 :-\
Título: Re: Novos Sistemas de Defesa Aérea
Enviado por: mafets em Maio 10, 2018, 04:14:05 pm
No site da NSPA tem a indicação "terminals for the integration of legacy MANPADS"... isso que dizer que o sistema tem que ser obrigatoriamente um sistema também MANPADS? Ou seja, é Stinger/ MISTRAL/ RBS 70/ Starstreak (Rapid Ranger + URO VAMTAC)?

Fora de hipótese algo tipo VL MICA / CAMM...?

Ainda á pouco noutra secção do forum me tinham dito que o requisito do exercito era o mínimo de 20km de alcance, se for em relação a radares acho pouco e quanto a misseis não existe nenhum MANPAD que alcance mais que 8km.
Mas também com o orçamento que tinham dado não sei mesmo o que esperar.
 :-\
Bem, o Chaparral (Mim-72c) sempre tem o alcance de 9000m. Isto nuns camiões Toyota como fizeram as Forças Armadas da Formosa, ainda metiam os Russos a pensar duas vezes, antes de lançarem os seus KAMOV's e MI'S..  ;D :jok: :rir: :nice:
Citar
MIM-72C Improved Chaparral. Featuring an improved AN/DAW-1 guidance section, M817 directional doppler fuze and a M250 blast-fragmentation warhead. These enhancements gave the missile an all-aspect capability. Produced between 1976 and 1981. It entered service in November 1978. Range improved to 9000 m.

(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fmilitary-vehicle-photos.com.s3.amazonaws.com%2F6993.jpg&hash=62ff50fbf23fc11e26cf5926ccb10e65)
(https://i.pinimg.com/originals/24/9d/01/249d01efb8fc02c535f16472c244bc03.jpg)

Saudações  8) ;D



Título: Re: Novos Sistemas de Defesa Aérea
Enviado por: Stalker79 em Maio 10, 2018, 08:33:14 pm
Pois, o Chaparral tem esse alcance porque são Sidewinders e não stingers. Enfim, pedir que apareça algo de jeito no meio desta des-governação toda é difícil.
Se o governo conseguir manter o pouco que disse que ia fazer a tempo e horas já não seria mau de todo....
 :-\
Título: Re: Novos Sistemas de Defesa Aérea
Enviado por: NVF em Maio 10, 2018, 09:06:29 pm
Ainda assim o alcance max dos Stinger é de 8 km, i.e., 2 km mais que os Mistral.
Título: Re: Novos Sistemas de Defesa Aérea
Enviado por: NVF em Maio 10, 2018, 09:15:21 pm
Uma possível solução para complementar o novo sistema do Exército podia passar pelo aproveitamento dos Sea Sparrow das BD para utilização num sistema tipo Aspide em segunda mão (que a Itália possui aos pontapés) que podia ficar instalado nas bases aéreas da FAP. Não é perfeito, mas é melhor que nada. Mas, obviamente, não deve haver interesse das chefias por este tipo de coisa.
Título: Re: Novos Sistemas de Defesa Aérea
Enviado por: Stalker79 em Maio 10, 2018, 09:43:38 pm
Uma possível solução para complementar o novo sistema do Exército podia passar pelo aproveitamento dos Sea Sparrow das BD para utilização num sistema tipo Aspide em segunda mão (que a Itália possui aos pontapés) que podia ficar instalado nas bases aéreas da FAP. Não é perfeito, mas é melhor que nada. Mas, obviamente, não deve haver interesse das chefias por este tipo de coisa.

Sim, pelo menos deveria ficar barato e aproveitava-se os Sea Sparrow para algo. Se bem que defesas estáticas ajudam, sempre pensei que um sistema mais móvel estilo Pantsir fosse o mais indicado pois pode mudar de posição facilmente, é rápido a colocar em operação e tem um alcance razoável.
Se bem que para serviço de escolta algo como o MPCV nos 4x4 ligeiros já seria suficiente, mas têm sempre a falha de não terem radar, só sabendo que o inimigo estaria em cima deles quando levassem com uma JDAM em cima.
De resto dos sistemas ocidentais que existem só encontro algo de jeito no Crotale NG.
8 misseis prontos a disparar, radar de rastreio e radar de aquisição incluídos mais grupo eletro-óptico, basicamente a função dum Pantsir mas sem canhões de 35mm e com um alcance mais curto. Nem tanto pelo missil em si , que o missil MK3 já tem 16 quilómetros de alcance com um teto máximo de 9km. Mas o radar de rastreio é ridiculamente curto, 20km.
Até um Giraffe 1X da SAAB tem um alcance instrumentado de 75 km. Mas sempre era melhor que mistrais ou stingers.....

(https://upload.wikimedia.org/wikipedia/commons/thumb/7/77/Crotale_NG_P1220851.jpg/1200px-Crotale_NG_P1220851.jpg)

(https://i.pinimg.com/originals/88/e0/c0/88e0c07caf3f7295d389011b08fc9565.jpg)

(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fwww.belgian-wings.be%2FWebpages%2FNavigator%2FNews%2FSpecial%2520Features%2FStrom%2520Crow%2FCrotale_A.jpg&hash=efa5200028c8055ac9fda5dc966dc1b5)

(https://wartime.org.ua/uploads/posts/2015-11/1447245217_22.jpg)

Versão móvel, versão fixa e no final a versão coreana!
Mas enfim, enquanto sonhar não paga imposto....
 :sil:
Título: Re: Novos Sistemas de Defesa Aérea
Enviado por: nelson38899 em Maio 10, 2018, 10:25:14 pm
Pelo o que sei, a coisa estará entre o mistral e o stinger!

Agora é esperar.
Título: Re: Novos Sistemas de Defesa Aérea
Enviado por: tenente em Maio 10, 2018, 10:56:28 pm


(https://imagizer.imageshack.com/v2/xq90/923/pLTTau.jpg) (https://imageshack.com/i/pnpLTTauj)

Abraços
Título: Re: Novos Sistemas de Defesa Aérea
Enviado por: Stalker79 em Maio 12, 2018, 07:09:35 pm
Vinha só corrigir um erro quanto ao alcance do radar do Crotale NG, que a Thales agora comercializa com o nome "Thales RAPIDDefender".
O alcance do radar de detecção é de 80km e não 20km como tinha colocado antes, já dá mais que conta do assunto!.

https://www.thalesgroup.com/en/worldwide/defence/rapiddefender

https://www.thalesgroup.com/sites/default/files/asset/document/rapiddefender_05_13pr.pdf

 :jok: ys7x9
Título: Re: Novos Sistemas de Defesa Aérea
Enviado por: mafets em Maio 12, 2018, 10:08:22 pm
Vinha só corrigir um erro quanto ao alcance do radar do Crotale NG, que a Thales agora comercializa com o nome "Thales RAPIDDefender".
O alcance do radar de detecção é de 80km e não 20km como tinha colocado antes, já dá mais que conta do assunto!.

https://www.thalesgroup.com/en/worldwide/defence/rapiddefender

https://www.thalesgroup.com/sites/default/files/asset/document/rapiddefender_05_13pr.pdf

 :jok: ys7x9

Outra vez o Crotale. Então mas é para adquirir e devolver outra vez (somos peritos a rasgar contratos)?  ;D ;)
Citar
Apesar do fim da guerra, um pelotão de mísseis Crotale ainda chega a Lisboa, em Setembro de 1974, e segue para as instalações do Centro de Instrução de Artilharia Antiaérea e Costa (CIAAC), em Cascais[103]. Porém, em 1976, é vendido à África do Sul com a mediação da Thomson e as verbas já pagas são devolvidas a Portugal[104].

https://www.revistamilitar.pt/artigo/1017 (https://www.revistamilitar.pt/artigo/1017)

(https://rr.img.naver.jp/mig?src=http%3A%2F%2Fwww.armyrecognition.com%2Feurope%2FFrance%2Fvehicules_missiles%2FCrotale%2FCrotale_Missile_France_DP_17.jpg&twidth=1000&theight=0&qlt=80&res_format=jpg&op=r)

Cumprimentos
Título: Re: Novos Sistemas de Defesa Aérea
Enviado por: Stalker79 em Maio 12, 2018, 10:22:59 pm
Vinha só corrigir um erro quanto ao alcance do radar do Crotale NG, que a Thales agora comercializa com o nome "Thales RAPIDDefender".
O alcance do radar de detecção é de 80km e não 20km como tinha colocado antes, já dá mais que conta do assunto!.

https://www.thalesgroup.com/en/worldwide/defence/rapiddefender

https://www.thalesgroup.com/sites/default/files/asset/document/rapiddefender_05_13pr.pdf

 :jok: ys7x9

Outra vez o Crotale. Então mas é para adquirir e devolver outra vez (somos peritos a rasgar contratos)?  ;D ;)
Citar
Apesar do fim da guerra, um pelotão de mísseis Crotale ainda chega a Lisboa, em Setembro de 1974, e segue para as instalações do Centro de Instrução de Artilharia Antiaérea e Costa (CIAAC), em Cascais[103]. Porém, em 1976, é vendido à África do Sul com a mediação da Thomson e as verbas já pagas são devolvidas a Portugal[104].

https://www.revistamilitar.pt/artigo/1017 (https://www.revistamilitar.pt/artigo/1017)

(https://rr.img.naver.jp/mig?src=http%3A%2F%2Fwww.armyrecognition.com%2Feurope%2FFrance%2Fvehicules_missiles%2FCrotale%2FCrotale_Missile_France_DP_17.jpg&twidth=1000&theight=0&qlt=80&res_format=jpg&op=r)

Cumprimentos

Caro Mafets, mas essa versão do Crotale até metia medo... (em comparação)
O Crotale NG é o mais perto dum sistema Pantsir que se obtém do lado ocidental. Com 8 misseis prontos a disparar e todos os sistemas incorporados, é a meu ver o sistema mais versátil para ser movido constantemente.
Até que vem em versão trailer para defesa estática e para aplicar em veiculo para defesa de linha de frente e protecção a comboios militares e/ou formações de blindados.
O ultimo preço que encontrei na net punha o preço de cada sistema entre os 6 e 8 milhões de $.
Pode ser que pró natal de 2035.....

 :bang:
Título: Re: Novos Sistemas de Defesa Aérea
Enviado por: NVF em Maio 13, 2018, 01:38:10 am
O Crotale, mesmo na sua versão NG, não é grande espiga. É tecnologia já com muitos anos em cima. Para quem gosta de material francês o MICA VL seria uma melhor escolha.

Claramente, o sistema que vamos adquirir é de curto alcance e tem a sua utilidade, mas uma defesa aérea deve ser composta de várias camadas (ou layers, como se diz na gíria anglo-saxónica). Obviamente, deixámos passar a oportunidade de adquirir sistemas Patriot a preços acessíveis — tal como os Leopard 2, os Patriot andaram a ser vendidos a preços relativamente baixos durante muitos anos por países como a Alemanha. A Espanha soube aproveitar esta oportunidade. Portugal, à altura, com os seus 20 F-16 deve ter achado que não se justificariam tais mariquices.

No actual quadro geostratégico, já não há mais Patriot baratuchos no mercado usado e nós não temos dinheiro para adquirir sistemas de longo alcance novos. Mas temos recursos suficientes para adquirir sistemas de médio alcance e devíamos adquiri-los para complementar os Stinger e o sistema cuja aquisição está em curso para o Exército.

Na categoria dos SAM de médio alcance, o meu favorito é o NASAMS 2 que tanto pode ser equipado com AMRAAM ou ESSM. É caro sem dúvida, mas é de boa qualidade e capacidade e utiliza mísseis que as nossas FFAA já operam ou irão operar no futuro próximo. É que no caso de países pobres como o nosso a questão logística é da maior importância mas, estranhamente, parece ser um aspecto que não parece preocupar muito as nossas chefias políticas e militares. O mais comum é não se comprar nada, cancelar após já se ter gasto milhões. ou quando se compra é pelo preço mais baixo e em pequenas quantidades, mesmo quando a aquisição de algo um pouco mais caro, ou em maior quantidade, pudesse levar a poupanças nos custos operacionais durante a vida do equipamento.
Título: Re: Novos Sistemas de Defesa Aérea
Enviado por: Stalker79 em Maio 13, 2018, 02:30:30 pm
Sim o Crotale NG já não é nada de novo, mas em termos de defesa de ponto seria ainda do melhor que se pode comprar em comparação a MANPADS.
Sempre tem todos os sensores embutidos e é móvel sendo mais difícil de destruir.
Em termos de defesa aérea no geral o sistema NASAMS 2 seria indicado pois pode servir tanto de defesa de médio alcance (ESSM) como de longo alcance (AMRAAM´s), mas a configuração dos radares como o sistema se apresenta agora é no mínimo ridícula. É preciso posicionar 8 radares!?
Sendo assim penso que se torna desnecessariamente complicada a operação do sistema, existem muitas opções de radares 3D de médio e longo alcance e cortariam em muito o tempo necessário para colocar o sistema em operação.

"eight radars (AN/MPQ-64 Sentinel F1 Improved Sentinel X band 3D radar)"

E é necessário ver que a 165 milhões de $ por bateria, já não estamos a falar de trocos, por pouco mais e podia-se ir buscar um S300 - PMU2, do qual duas baterias dariam cobertura a quase todo o Portugal continental.

"S-300PMU-1 - (SA-20A): $160 million per fire unit (6 launchers, 48 missiles, command and support vehicles)"
"S-300PMU-2 - (SA-20B): $200 million per fire unit (6 launchers, 48 missiles, command and support vehicles)"

 :G-Ok:
Título: Re: Novos Sistemas de Defesa Aérea
Enviado por: NVF em Maio 13, 2018, 05:45:46 pm
O que referes do NASAMS 2 é a configuração máxima permitida de 12 lançadores, cada um até uma distância máxima de 25 km do centro de controlo. Estamos, obviamente, a falar de uma aérea de muitos km2 que tem, necessariamente, que ser coberta por múltiplos radares tácticos — claro que podes simplesmente adquirir uma radar de longo alcance que custa varias centenas de milhões de dólares, mas isso tornaria o sistema mais vulnerável por depender de um único radar. É que tantos radares tácticos também conferem redundância no caso de um ataque SEAD.

Mas como se trata de um sistema modular podes adquirir baterias mais pequenas. Por exemplo, a Lituânia adquiriu duas baterias de 4 lançadores cada. Obviamente, uma configuração como esta não necessita de tantos radares Sentinel.

Mais um dado, o ESSM tem maior alcance que o AMRAMM lançado de superfície. O alcance de qualquer míssil lançado de uma aeronave é sempre superior ao do mesmo míssil quando disparado de terra, porque no primeiro caso tem a vantagem da altitude e momento da plataforma de lançamento. Um C-7 tem um alcance de 100 ou 120 km quando lançado de um caça, mas disparado de superfície deve andar pelos 20 ou 25 km. O mesmo se passa com o MICA, com alcance respectivamente de 50 km (aéreo) e 20 km (superfície). Em contrapartida, o ESSM tem um alcance (oficioso) de 50 km e o ESSM 2 de 70 km — se fossem lançados de caças, como há quem defenda, teriam um alcance provável de 150-200 km.

Mais outro detalhe importante, um sistema russo não poderia ser integrado na defesa aérea da NATO. Foi o que aconteceu aos gregos, que integraram os S300 a nível nacional mas não a nível NATO. O NASAMS não padece desse problema e o facto de utilizar Link 16, significa que pode receber e enviar informação para os Viper e os P-3 da FAP e, no futuro, para as fragatas da Marinha.
Título: Re: Novos Sistemas de Defesa Aérea
Enviado por: Cabeça de Martelo em Maio 15, 2018, 12:39:00 pm
Army Sends New Helicopter-Attacking Stryker to Europe - Counter Russia - 2020

The Army plans to have its first air-defense-armed Stryker prototype by 2019

By Kris Osborn - Warrior Maven

(https://s3-us-west-2.amazonaws.com/warisboring.com/images/stryker_shorad-808x350.png)

The Army is fast-tracking newly configured Stryker vehicles armed with helicopter and drone-killing weapons to counter Russia in Europe and provide more support to maneuvering Brigade Combat Teams in combat.

“We are looking for a rapid solution for the near-term fight,” Maj. Gen. John Ferarri, Director, Program Analysis and Evaluation, told Warrior Maven in an interview.

The Strykers will fire a wide range of weapons to destroy close-in air threats attacking maneuvering ground units, to potentially include Hellfire or Stinger missiles. The program, which plans to deploy its first vehicles to Europe by 2020, is part of an Army effort called short-range-air-defense - Initial Maneuver (SHORAD).

Senior leaders say the service plans to build its first Stryker SHORAD prototype by 2019 as an step toward producing 144 initial systems.

Given that counterinsurgency tactics have taken center stage during the last 15 years of ground wars in Iraq and Afghanistan, the Army now recognizes a need to better protect ground combat formations against more advanced, near-peer type enemy threats - such as drones, helicopters or low-flying aircraft.

“We are looking for an end to end system that is able to detect and defeat the rotary wing fixed wing and UAS (drone) threat to the maneuvering BCT (Brigade Combat Team),” Col. Charles Worshim, Project Manager for Cruise Missile Defense Systems, told Warrior Maven in an interview.

Worshim said the Army has sent a solicitation to a group of more than 500 weapons developers, looking for missiles, guns and other weapons like a 30mm cannon able to integrate onto a Stryker vehicle.

Although drone threats have been rapidly escalating around the globe, US enemies such as the Taliban or ISIS have not presented air-attacking threats such as helicopters, aircraft or large amounts of drones. However, as the Army evaluates it strategic calculus moving forward, there is widespread recognition that the service must be better equipped to face technically sophisticated enemies.

"We atrophied air defense if you think about it. With more near-peer major combat operations threats on the horizon, the need for SHORAD and high-tier weapons like THAAD and PATRIOT comes back to the forefront. This is a key notion of maneuverable SHORAD - if you are going to maneuver you need an air defense capability able to stay up with a formation," the senior Army official told Warrior Maven in an interview.

As part of its emerging fleet of SHORAD Stryker vehicles, the Army is exploring four different weapons areas to connect with on-board sensor and fire control, Worshim said; they include Hellfire missiles, Stinger missiles, gun capabilities and 30mm cannons.

Also, it goes without saying that any kind of major enemy ground assault is likely to include long range fire, massive air support as well as closer in helicopters and drones to support an advancing mechanized attack.

As a result, ground infantry supported by armored vehicles, will need mobile air defenses to address these closer-in air threats. This is where the Stryker SHORAD comes in; infantry does not have the same fires or ground mobility as an armored Stryker, and hand held anti-aircraft weapons such as a hand-fired Stinger would not have the same defensive impact as a Hellfire or Stinger armed Stryker. In a large mechanized engagement, advancing infantry needs fortified armored support able to cross bridges and maneuver alongside foot soldiers.

Chinese or Russian helicopters and drones, for instance, are armed with rockets, missiles and small arms fire. A concept with SHORAD would be to engage and hit these kinds of threats prior to or alongside any enemy attack. SHORAD brings an armored, mobile air defense in real-time, in a way that most larger, less-mobile ground missiles can. PATRIOT missile, for instance, is better suited to hit incoming mid-range ballistic missiles and other attacking threats. While mobile, a PATRIOT might have less of an ability to support infantry by attacking fast-moving enemy helicopters and drones.

The Army is also developing a truck-mounted Multi-Mission Launcher designed to destroy drones and cruise missiles on the move in combat. The MML has already successfully fired Hellfire, AIM-9X Sidewinder missiles and other weapons as a mobile air-defense weapon. It is showing great promise in testing, fires multiple missiles, and brings something previous not there to Army forces. However, an Armed Stryker can fortify this mission - by moving faster in combat and providing additional armored vehicle support to infantry on the move in a high-threat combat environment.

The SHORAD effort has been under rapid development by the Army for several years now; last year, the service held a SHORAD “live-fire shooting demo” at White Sands Missile Range, N.M., where they fired a number of emerging platforms.

Some of the systems included in the demonstration included Israel's well-known Iron Dome air defense system, a Korean-build Hanwha Defense Systems armored vehicle air defense platform and a General Dynamics Land Systems Stryker Maneuver SHORAD Launcher.

US military officials familiar with the demonstration said the Hanwha platform used was a South Korean K30 Biho, called the Flying Tiger; it is a 30mm self-propelled anti-aircraft weapon which combines an electro-optically guided 30mm gun system with surveillance radar on a K200 chassis.

A General Dynamics Land Systems specially-armed Stryker vehicles were also among the systems which recently destroyed enemy drone targets during the demonstration at White Sands Missile Range, N.M. - according to Army officials familiar with the event.

One of the Strykers used was an infantry carrier armed with an Orbital ATK XM 81330mm 30mm cannon; this weapon can be fired from within the Stryker vehicle using a Remote Weapons Station, Army officials said.

An industry source familiar with the demonstration said Iron Dome hit its air targets but elected not to fire at surface targets, the Flying Tiger completely missed its targets, the Orbital ATK integrated gun failed to engage targets and General Dynamics Land Systems SHORAD hit all three targets out of three attempts.

Worshim emphasized that those vendors who participated in the demo will not necessarily be the technology chosen by the Army, however the event did greatly inform requirements development of the weapons systems. Also, while SHORAD has been integrated onto a Stryker, the Army only recently decided that it would be the ideal armored combat platform for the weapon.

At the same time, building similarly armed Bradleys or infantry carriers is by no means beyond the realm of the possible as the service rushes to adapt to new ground war threats.

“There could be an air and missile defense mission equipment package integrated onto other combat vehicles,” Worshim said.

https://www.themaven.net/warriormaven/land/army-sends-new-helicopter-attacking-stryker-to-europe-counter-russia-2020-bLYZGF2eMU2mc07tYvQOMQ/
Título: Re: Novos Sistemas de Defesa Aérea
Enviado por: diogo13350 em Agosto 24, 2018, 12:56:36 pm
https://www.janes.com/article/80680/portugal-finalises-advanced-air-defence-c2-system


 Jane's 360
Defence
Home
Defence
Platforms
Weapons
C4iSR & Missions Systems
CBRNE & EOD Defence
Jane's Defence Weekly
Jane's International Defence Review
Jane's Navy International
Security
Country Risk
Military Capabilities
CBRN Assessment
Terrorism & Insurgency
Jane's Intelligence Review
Industry
Capability Profiles
Thought Leadership
Press Releases
Regions
Americas / DoD
Asia Pacific
Europe
Middle East/Africa
Video
Products
Threat Intelligence
Defence Markets, Forecasts & Budgets
Military Platforms, Systems & Weapons
Sustainment & Procurement
Consulting
Magazines
Yearbooks
OSINT Training
Advertise
Events
Africa Aerospace & Defence 2018
Eurosatory 2018
CANSEC 2018
SOFEX 2018
OSINT Training
DSEI 2017
Paris Air Show 2017
IDEX 2017
INDODEFENCE 2016
CONTENT PREVIEW
C4iSR: Joint & Common Equipment
Portugal finalises advanced air-defence C2 system
Victor Barreira, Istanbul - Jane's International Defence Review
06 June 2018
The Portuguese Army recently completed building its SICCA3 (Sistema Integrado de Comando e Controlo para a ArtilhariaAntiaérea) air-defence integrated command-and-control (C2) system that is intended to improve Portugal’s National Air Defense System.SICCA3’s TOC and FDC modules are shown with their tactical 4x4 carriers. (Victor Barreira)
SICCA3’s TOC and FDC modules are shown with their tactical 4x4 carriers. (Victor Barreira)

The modular, transportable, and networked system is now fielded by the Air Defense Artillery Group (GAAA) located at the Air Defense Artillery Regiment No 1 in Queluz.

“We are establishing a roadmap for achieving initial operational capability [IOC and final operational capability [FOC] of the system, and taking steps to integrate it with the Portuguese Air Force’s ARS Monsanto [Air Control Centre, Recognized Air Picture Production Centre, and Sensor Fusion Post]”, Lieutenant Colonel Hélder Barreira, the GAAA’s commander, told Jane’s .

SICCA3 was designed as an automated computer-based information system to perform tasks such as aircraft surveillance, flight tracking, and communications functions, thus helping the army to plan, direct, and monitor tactical air control operations. Specifically, it enables generating and disseminating a local air picture (LAP) and receives and disseminates a recognised air picture (RAP) and common operational picture (COP). It relies on NATO’s Link 16 and Link 11b, JREAP-A/B/C, and LAAAPI data links standards, and NATO ADatP-3 and JC3IEDM BL3 message exchange formats for communications. It is also linked to the Portuguese Army’s SIC-T, SICOM, and SIC-Op networks.

SICCA3 consists of tactical operation centre (TOC) and fire detection cente (FDC) modules based on 4.260x2.450x2.438 mm shelters supplied by Teknel; two Renault Trucks Kerax 4x4 trucks; modular tents; camouflage nets; and two trailer-mounted 32 kW gensets for power. When deployed, they form an ‘air-defence and airspace cell’.

Want to read more? For analysis on this article and access to all our insight content, please enquire about our subscription options at ihs.com/contact




Advertisement


To read the full article, Client Login
(283 of 526 words)
EUROPE
C4ISR & MISSIONS SYSTEMS
JANE'S INTERNATIONAL DEFENCE REVIEW

Advertisement


FEATURED REPORT

Russia’s ASAT development takes aim at LEO assets
Russia has increasing anti-satellite (ASAT) capabilities that enable it to interfere with, or destroy, an adversary’s satellites. Sean O’Connor reviews the history and capabilities of Russia’s ASAT programmes
Download here
Advertisement

BACK TO TOP
Home
Defence
Security
Industry
Video
Regions
Products
Events
Jane's 360
Editorial Team Advertising Privacy Policy Terms of Use Site Map
360 Websites
Jane's Airport 360
IHS Markit
ihsmarkit.com About IHS Markit A-Z Products Contact Us
Copyright © 2018 IHS Markit. All rights reserved. Reproduction in whole or in part without permission is prohibited.
Título: Re: Novos Sistemas de Defesa Aérea
Enviado por: tenente em Agosto 24, 2018, 02:17:22 pm
https://www.janes.com/article/80680/portugal-finalises-advanced-air-defence-c2-system


Portugal finalises advanced air-defence C2 system
Victor Barreira, Istanbul - Jane's International Defence Review
06 June 2018
The Portuguese Army recently completed building its SICCA3 (Sistema Integrado de Comando e Controlo para a ArtilhariaAntiaérea) air-defence integrated command-and-control (C2) system that is intended to improve Portugal’s National Air Defense System.SICCA3’s TOC and FDC modules are shown with their tactical 4x4 carriers. (Victor Barreira)
SICCA3’s TOC and FDC modules are shown with their tactical 4x4 carriers. (Victor Barreira)

The modular, transportable, and networked system is now fielded by the Air Defense Artillery Group (GAAA) located at the Air Defense Artillery Regiment No 1 in Queluz.

“We are establishing a roadmap for achieving initial operational capability [IOC and final operational capability [FOC] of the system, and taking steps to integrate it with the Portuguese Air Force’s ARS Monsanto [Air Control Centre, Recognized Air Picture Production Centre, and Sensor Fusion Post]”, Lieutenant Colonel Hélder Barreira, the GAAA’s commander, told Jane’s .

SICCA3 was designed as an automated computer-based information system to perform tasks such as aircraft surveillance, flight tracking, and communications functions, thus helping the army to plan, direct, and monitor tactical air control operations. Specifically, it enables generating and disseminating a local air picture (LAP) and receives and disseminates a recognised air picture (RAP) and common operational picture (COP). It relies on NATO’s Link 16 and Link 11b, JREAP-A/B/C, and LAAAPI data links standards, and NATO ADatP-3 and JC3IEDM BL3 message exchange formats for communications. It is also linked to the Portuguese Army’s SIC-T, SICOM, and SIC-Op networks.

SICCA3 consists of tactical operation centre (TOC) and fire detection cente (FDC) modules based on 4.260x2.450x2.438 mm shelters supplied by Teknel; two Renault Trucks Kerax 4x4 trucks; modular tents; camouflage nets; and two trailer-mounted 32 kW gensets for power. When deployed, they form an ‘air-defence and airspace cell’.


Apenas incluo a foto do artigo em causa.

(https://imagizer.imageshack.com/v2/xq90/921/yHnmYk.jpg) (https://imageshack.com/i/plyHnmYkj)

Abraços
Título: Re: Novos Sistemas de Defesa Aérea
Enviado por: diogo13350 em Agosto 24, 2018, 02:52:42 pm
https://www.janes.com/article/80680/portugal-finalises-advanced-air-defence-c2-system


Portugal finalises advanced air-defence C2 system
Victor Barreira, Istanbul - Jane's International Defence Review
06 June 2018
The Portuguese Army recently completed building its SICCA3 (Sistema Integrado de Comando e Controlo para a ArtilhariaAntiaérea) air-defence integrated command-and-control (C2) system that is intended to improve Portugal’s National Air Defense System.SICCA3’s TOC and FDC modules are shown with their tactical 4x4 carriers. (Victor Barreira)
SICCA3’s TOC and FDC modules are shown with their tactical 4x4 carriers. (Victor Barreira)

The modular, transportable, and networked system is now fielded by the Air Defense Artillery Group (GAAA) located at the Air Defense Artillery Regiment No 1 in Queluz.

“We are establishing a roadmap for achieving initial operational capability [IOC and final operational capability [FOC] of the system, and taking steps to integrate it with the Portuguese Air Force’s ARS Monsanto [Air Control Centre, Recognized Air Picture Production Centre, and Sensor Fusion Post]”, Lieutenant Colonel Hélder Barreira, the GAAA’s commander, told Jane’s .

SICCA3 was designed as an automated computer-based information system to perform tasks such as aircraft surveillance, flight tracking, and communications functions, thus helping the army to plan, direct, and monitor tactical air control operations. Specifically, it enables generating and disseminating a local air picture (LAP) and receives and disseminates a recognised air picture (RAP) and common operational picture (COP). It relies on NATO’s Link 16 and Link 11b, JREAP-A/B/C, and LAAAPI data links standards, and NATO ADatP-3 and JC3IEDM BL3 message exchange formats for communications. It is also linked to the Portuguese Army’s SIC-T, SICOM, and SIC-Op networks.

SICCA3 consists of tactical operation centre (TOC) and fire detection cente (FDC) modules based on 4.260x2.450x2.438 mm shelters supplied by Teknel; two Renault Trucks Kerax 4x4 trucks; modular tents; camouflage nets; and two trailer-mounted 32 kW gensets for power. When deployed, they form an ‘air-defence and airspace cell’.


Apenas incluo a foto do artigo em causa.

(https://imagizer.imageshack.com/v2/xq90/921/yHnmYk.jpg) (https://imageshack.com/i/plyHnmYkj)

Abraços
Só nos falta o sistema anti aéreo  :G-bigun:
Título: Re: Novos Sistemas de Defesa Aérea
Enviado por: HSMW em Outubro 21, 2018, 10:26:54 pm

Para mim um dos sistemas europeus mais interessantes.
Título: Re: Novos Sistemas de Defesa Aérea
Enviado por: Stalker79 em Outubro 21, 2018, 11:41:42 pm

Sem sombra de duviva, o SAMP/T é um sistema SAM excelente, especialmente por usar o Aster 30 Block1 NG.
Tem bom alcance e a Mach 4.5 não deve haver muito que lhe fuja.
O maior problema que vejo é o preço de cada bateria....

"SAMP/T Battery: ~$400-450 million for radar, command systems, 6 launchers, & 96 Aster 30 missiles"

 :P
Título: Re: Novos Sistemas de Defesa Aérea
Enviado por: HSMW em Outubro 21, 2018, 11:45:12 pm
Isso é apenas metade do valor da próxima injecção no novo banco...
Título: Re: Novos Sistemas de Defesa Aérea
Enviado por: asalves em Outubro 22, 2018, 10:26:07 am
Isso é apenas metade do valor da próxima injecção no novo banco...

Não sei se está a falar a sério ou a brincar, mas de qualquer das maneiras informo, que de facto está uma verba de 400 milhões € para o Novo Banco no OE 2019, e alguns analistas dizem que este valor não é suficiente.
Título: Re: Novos Sistemas de Defesa Aérea
Enviado por: HSMW em Novembro 04, 2018, 03:07:29 pm
Isso é apenas metade do valor da próxima injecção no novo banco...

Não sei se está a falar a sério ou a brincar, mas de qualquer das maneiras informo, que de facto está uma verba de 400 milhões € para o Novo Banco no OE 2019, e alguns analistas dizem que este valor não é suficiente.

É mesmo a sério!
E ainda há mais....

https://www.jn.pt/economia/interior/governo-pede-mais-886-milhoes-para-bancos-falidos-10100965.html
Título: Re: Novos Sistemas de Defesa Aérea
Enviado por: Stalker79 em Novembro 04, 2018, 04:14:45 pm
Isso é apenas metade do valor da próxima injecção no novo banco...

Não sei se está a falar a sério ou a brincar, mas de qualquer das maneiras informo, que de facto está uma verba de 400 milhões € para o Novo Banco no OE 2019, e alguns analistas dizem que este valor não é suficiente.

É mesmo a sério!
E ainda há mais....

https://www.jn.pt/economia/interior/governo-pede-mais-886-milhoes-para-bancos-falidos-10100965.html


Mais quase 900 milhões de € para a m***a dos bancos!?
ORA FO****E!!!
 >:(
Título: Re: Novos Sistemas de Defesa Aérea
Enviado por: HSMW em Novembro 28, 2018, 09:10:57 pm
(https://defence-blog.com/wp-content/uploads/2018/11/46794917_10212008539800990_8350784778529669120_n-min.jpg)
Em 2º lugar este.
Título: Re: Novos Sistemas de Defesa Aérea
Enviado por: typhonman em Dezembro 02, 2018, 04:37:22 pm
(https://defence-blog.com/wp-content/uploads/2018/11/46794917_10212008539800990_8350784778529669120_n-min.jpg)
Em 2º lugar este.

Está em 2º lugar no concurso?

Mas o NASAMS não é medio alcance ?

e o CAMM?
Título: Re: Novos Sistemas de Defesa Aérea
Enviado por: Stalker79 em Dezembro 02, 2018, 06:41:50 pm
(https://defence-blog.com/wp-content/uploads/2018/11/46794917_10212008539800990_8350784778529669120_n-min.jpg)
Em 2º lugar este.

Está em 2º lugar no concurso?

Mas o NASAMS não é medio alcance ?

e o CAMM?


Não está no concurso, estavamos apenas a categorizar sistemas ocidentais que melhor se enquadrariam em Portugal, em primeiro o SAMP/T e em segundo o NASAMS.
 ;)
Título: Re: Novos Sistemas de Defesa Aérea
Enviado por: HSMW em Dezembro 02, 2018, 06:45:07 pm
Em 2º nas minhas preferências!!  ;D ;D ;D
Título: Re: Novos Sistemas de Defesa Aérea
Enviado por: typhonman em Dezembro 27, 2018, 01:01:53 pm
Decorrente da Lei de Programação Militar, foi lançado um plano de implementação e modernização que visa reequipar a Artilharia Antiaérea com os meios que permitam fazer face às ameaças atuais, garantindo a defesa antiaérea a baixa e muito baixa altitude das Unidades, bem como do Território Nacional. No decorrer deste ano, será possível concretizar-se a fase de entrega do Sistema Integrado de Comando e Controlo para a Artilharia Antiaérea (SICCA3), sendo possível, a partir dessa data, a integração plena no Sistema de Defesa Aérea Nacional (recebendo em tempo real do Centro de Relato e Controlo a Recognized Air Picture – RAP), mas também com outras forças conjuntas e combinadas, nomeadamente na OTAN.
[/size]Este projeto de reequipamento da Artilharia Antiaérea contempla, de igual modo, a aquisição de radares de vigilância e de aviso local atuais que permitam a identificação dos alvos aéreos até distâncias da ordem dos 100 km, influenciando significativamente o processo de decisão e o empenhamento oportuno sobre alvos hostis, evitando o fratricídio.[/color]
[/size]O projeto prevê também a substituição dos sistemas míssil atualmente existentes. Assim, o Sistema Míssil Ligeiro previsto adquirir está vocacionado para se empenhar contra a ameaça aérea a baixa altitude, com alcances superiores a 6 km, garantindo proteção, sobrevivência e liberdade de ação às forças apoiadas.[/color]
[/size]O Sistema Míssil Portátil, com alcances superiores a 5 km, está vocacionado para se empenhar contra a ameaça aérea de baixa altitude, garantindo proteção, sobrevivência e liberdade de ação às forças apoiadas. Tendo em consideração a sua portabilidade, esta permitirá a sua fácil projeção para apoio das Forças de primeiro emprego do Exército, bem como para o reforço dos Arquipélagos dos Açores e da Madeira.[/color]
[/size]O Sistema Canhão, com alcance superior a 1.500 metros destina-se a combater ameaças que, voando a muito baixa altitude e a coberto de perfis de terreno mais acidentados, não permitam o empenhamento eficaz dos sistemas míssil. Para responder à necessidade crescente das novas ameaças aéreas, designadamente, sistemas aéreos não tripulados (UAS), foguetes, granadas de artilharia e morteiros (RAM), cuja probabilidade de ocorrência é bastante elevada, a existência dos sistemas canhão do tipo contra foguetes, granadas de artilharia e morteiros (Counter Rocket, Artillery & Mortar – C-RAM) é essencial para a proteção de Forças Nacionais Destacadas contra este tipo de ameaça, bem como a sua utilização para a proteção antiaérea de pontos e áreas estratégicas nacionais e de eventos de alta visibilidade.[/color]
[/size]Naturalmente que não deve ser descurada, caso a conjuntura económico-financeira o permita, o levantamento da capacidade da defesa antiaérea a média e alta altitude (High & Medium Air Defense), pois são, por natureza, os meios de defesa aérea que podem manter elevados estados de prontidão por períodos de tempo mais prolongados, sendo o meio fundamental para a proteção das forças, pontos e áreas estratégicas, contra a ameaça aérea, mas igualmente contra mísseis balísticos e mísseis de cruzeiro, dentro ou fora do Território Nacional. De realçar que a existência dessa capacidade permitiria uma autonomia importante em matéria de Defesa Aérea, ao mesmo tempo que os meios integrantes são instrumentos que sustentam a cooperação internacional, colocando Portugal num seio de importantes iniciativas combinadas, no âmbito da OTAN e da União Europeia, favorecendo a projeção da política externa nacional. Neste âmbito, veja-se, por exemplo, a projeção dos mísseis Patriot alemães e espanhóis na Turquia, no quadro da Aliança Atlântica.[/color]
Título: Re: Novos Sistemas de Defesa Aérea
Enviado por: dc em Abril 01, 2019, 05:05:52 pm
Novidades sobre este tema? Ou anda tudo na mesma?  ::)
Título: Re: Novos Sistemas de Defesa Aérea
Enviado por: asalves em Abril 02, 2019, 05:31:22 pm
Novidades sobre este tema? Ou anda tudo na mesma?  ::)

Ouvi dizer que o governo está a criar equipas com caçadores alentejanos, cada avioneta abatida que entre ilegalmente no espaço aéreo sem permissão dão direito a uma largada de linces ibérico numa reserva.  :snipersmile:

Paralelamente está prestes a ser assinado um acordo com a Federação Portuguesa Columbófila para equipar os pombos com misseis meteor.

E existe planos para criar um legião estrangeira com os mulheres e crianças dos ex-combatentes da Siria que estamos prestes a ir buscar para formar parelhas de vigilância junto às fronteiras do continente. Madeira e Açores para já estão fora do plano.

 :bang: :bang:

PS: Desculpe lá mas não tinha grande coisa para fazer. E ando aborrecido com as coisas que este governo anda/devia fazer. E as vezes acho que tenho piada.
Título: Re: Novos Sistemas de Defesa Aérea
Enviado por: dc em Maio 04, 2019, 12:31:08 am
Achei curioso observar que a LPM até 2030 não abrange nada relativamente ao assunto das defesas anti-aéreas.  ???
Até parece que esta não é uma das nossas maiores lacunas em todas as forças armadas.
Título: Re: Novos Sistemas de Defesa Aérea
Enviado por: Stalker79 em Maio 04, 2019, 04:18:11 pm
Achei curioso observar que a LPM até 2030 não abrange nada relativamente ao assunto das defesas anti-aéreas.  ???
Até parece que esta não é uma das nossas maiores lacunas em todas as forças armadas.

Maior é favor. Mesmo uns Mistral não resolvem nada. Quando se decidirem a ter pelo menos uns sistemas de medio alcance tipo o Spyder MR ai vêsse.
Já para não falar nums NASAMS, CAMM/CAMM-ER ou BARAK 8/8-ER. Isso é que era!
 :-\
Título: Re: Novos Sistemas de Defesa Aérea
Enviado por: dc em Maio 04, 2019, 08:43:59 pm
Aos anos que se fala em defesas anti-aéreas novas, e até hoje, nada. O militares portugueses que foram ver os Nasams a Espanha, foram lá fazer o quê, ver a montra?

Tendo em conta que o Nasams já é usado por inúmeros países da Nato, parece-me uma das opções mais óbvias. Também me parece que sistemas Mistral em viaturas seja pouco, muito pouco até. ASRAD-R já me parece mais interessante, nomeadamente tendo o lançador e o radar num só veículo.
Título: Re: Novos Sistemas de Defesa Aérea
Enviado por: Stalker79 em Maio 04, 2019, 09:44:14 pm
Aos anos que se fala em defesas anti-aéreas novas, e até hoje, nada. O militares portugueses que foram ver os Nasams a Espanha, foram lá fazer o quê, ver a montra?

Tendo em conta que o Nasams já é usado por inúmeros países da Nato, parece-me uma das opções mais óbvias. Também me parece que sistemas Mistral em viaturas seja pouco, muito pouco até. ASRAD-R já me parece mais interessante, nomeadamente tendo o lançador e o radar num só veículo.


Sistemas Mistral montados em viatura são mais para proteção de "comboio" do que para defesa aerea.
Que area se vai defender com um alcance de 6km e tendo em conta que até o lançamento de uma bomba estilo JDAM pode ser feita a largos quilometros do alvo e a alturas que o Mistral nem lhes toca!?
É uma palhaçada.
 :bang:
Título: Re: Novos Sistemas de Defesa Aérea
Enviado por: Lightning em Maio 04, 2019, 11:42:56 pm
Sistemas Mistral montados em viatura são mais para proteção de "comboio" do que para defesa aerea.
Que area se vai defender com um alcance de 6km e tendo em conta que até o lançamento de uma bomba estilo JDAM pode ser feita a largos quilometros do alvo e a alturas que o Mistral nem lhes toca!?
É uma palhaçada.
 :bang:

Esses é mais para proteger de helicópteros a baixa altitude, pois se perderem a superioridade aérea, vem uma força de caças cheia de bombas e adeus.
Título: Re: Novos Sistemas de Defesa Aérea
Enviado por: dc em Maio 05, 2019, 01:54:37 am
Sim no nosso caso estamos hilariantemente mal protegidos. É ridículo um país da Nato não ter defesas aéreas com alcance que ultrapasse os 10 km. É uma situação triste, que devia ter sido resolvida há muito tempo. Aliás, não se justifica ter bases aéreas e uma base naval completamente desprotegidas! Devemos ser dos países do mundo mais mal protegidos contra ataques aéreos, salvando os F-16 que sozinhos teriam de fazer tudo a este respeito.

E é mais um dos casos em que opções não faltam, desde material de origem europeia, israelita e americana. O que não falta é variedade.
Título: Re: Novos Sistemas de Defesa Aérea
Enviado por: PereiraMarques em Maio 14, 2019, 05:33:19 pm
Alguém sabe dizer em que fase está este concurso na NSPA ou se "morreu" de vez? Obrigado!
Título: Re: Novos Sistemas de Defesa Aérea
Enviado por: dc em Maio 14, 2019, 11:43:14 pm
Acho que já nem aparece na LPM, portanto o mais certo é ter mesmo sido esquecido... infelizmente. Ou então foi de alguma forma contabilizado antes da nova LPM. Mal por mal antes fosse, mas duvido.
Título: Re: Novos Sistemas de Defesa Aérea
Enviado por: dc em Junho 02, 2019, 04:48:11 pm
http://www.imisystems.com/wp-content/uploads/2017/01/SUPER-VULCAN-1.pdf

Um sistema destes instalado num Pandur ou M-113... substituía os Bitubos.
Título: Re: Novos Sistemas de Defesa Aérea
Enviado por: Stalker79 em Junho 02, 2019, 05:03:29 pm
http://www.imisystems.com/wp-content/uploads/2017/01/SUPER-VULCAN-1.pdf

Um sistema destes instalado num Pandur ou M-113... substituía os Bitubos.


Honestamente tudo o que é armas para AA é desperdicio de dinheiro. Os bitubos merecem estar num museu. (como quase tudo o resto)
Mais vale investir no MPCV da MBDA ou algo semelhante para defesa de curto alcance.

 :-\
Título: Re: Novos Sistemas de Defesa Aérea
Enviado por: dc em Junho 02, 2019, 05:09:32 pm
Apenas postei isto como uma possível solução mais barata para defesa de ponto das unidades terrestres. De canhões a solução ideal seria como o Mantis, ou semelhante.

(https://i.ytimg.com/vi/SgUf9bSRXzs/maxresdefault.jpg)
Título: Re: Novos Sistemas de Defesa Aérea
Enviado por: typhonman em Junho 02, 2019, 07:44:52 pm
Apenas postei isto como uma possível solução mais barata para defesa de ponto das unidades terrestres. De canhões a solução ideal seria como o Mantis, ou semelhante.

(https://i.ytimg.com/vi/SgUf9bSRXzs/maxresdefault.jpg)

É para esquecer.

Se não me engano, devemos ser dos países da NATO com menor capacidade AAA/SAM.

Cumprimentos,
Título: Re: Novos Sistemas de Defesa Aérea
Enviado por: Stalker79 em Junho 02, 2019, 07:46:42 pm
Menor!? Se tudo o que temos são Stingers porque os Chapparal já foram reformados a bem dizer é NULA!!!

 :(
Título: Re: Novos Sistemas de Defesa Aérea
Enviado por: dc em Junho 02, 2019, 11:33:48 pm
Tirando países de Leste e micro-países como o Luxemburgo, devemos ser mesmo os piores neste aspecto. há mais de 15 anos que se fala em adquirir novos sistemas. Provavelmente há 20 anos atrás já se falava nos Avenger para substituir os Chaparral. Depois surgiu também o interesse pelos Nasams, mas até hoje, nada. Aliás, supostamente algures nos últimos dois anos ia-se comprar algo para a defesa aérea... mas até hoje, não se vê nada. Por enquanto é rezar que os F-16 continuem a controlar o espaço aéreo nacional, o que num conflito convencional, duraria muito pouco tempo.

O facto de este aspecto nem sequer fazer parte da LPM até 2030, entristece-me. Mas claramente demonstra que não se leva a sério a defesa do país.
Título: Re: Novos Sistemas de Defesa Aérea
Enviado por: LM em Junho 03, 2019, 12:30:58 pm
Até compreendo que os recursos - sempre escassos e mal geridos - sejam canalizados para outros sistemas, pois não é das vulnerabilidades com maior possibilidade de trazer problemas a curto prazo...

Mas - à semelhança de manter capacidade tipo Leopard 2A6 - temos de ter alguma coisa! Nem que seja para "escola e doutrina"... talvez o processo de aquisição que está (estava?) a correr na NSPA seja concluído e venha algo, mesmo que insuficiente em quantidade e alcance, mas é um 1º passo.     
Título: Re: Novos Sistemas de Defesa Aérea
Enviado por: dc em Junho 03, 2019, 03:47:31 pm
Eu penso que a nível da defesa anti-aérea, há 3 aspectos importantes. Mesmo não adquirindo sistemas na quantidade necessária, pelo menos deviam ser adquiridos sistemas que permitam:
1. manter/criar doutrinas, e isto inclui sistema de muito curto, curto e médio alcance;
2. ter capacidade de resposta imediata no caso de um ataque "surpresa" ou aumento de hostilidades súbitas;
3. ter capacidade de proteger pontos e áreas de elevado valor, especialmente de valor militar.

Ora, para isto, seriam necessários pelo menos pequenas baterias estilo NASAMS (1 radar, estação de controlo e 2 lançadores), para equipar pelo menos as bases mais importantes (Alfeite, Monte Real, Beja, Santa Margarida,...). Porquê baterias tão pequenas? Por uma questão de custos, trazendo alguma capacidade de resposta. Permitiria ainda que mais tarde, se fosse necessário, o tamanho destas baterias pudesse ser aumentado sem grandes problemas.

Adquirir sistemas de curto alcance em veículos para substituir os Chaparral, como o MPCV, que equiparia todo o tipo de unidades mecanizadas/blindadas. Novamente, mesmo que a quantidade não fosse muita, uma quantidade inicial de 10 veículos lançadores para BrigMec e outros tantos para a BrigInt, com alguns radares 3D para aviso antecipado, e já seria muito melhor do que o que temos agora.

Por fim, sistemas de canhões fixos e auto-propulsados, que oferecem capacidade de defesa de ponto a um custo baixo e com alguma imunidade a ambientes saturados em ECM.

Além disto, adquirir mais Stingers para equipar mais unidades.
Título: Re: Novos Sistemas de Defesa Aérea
Enviado por: Stalker79 em Junho 03, 2019, 04:05:18 pm
Já baterias como a Spyder MR eu já lhe chamava um figo. Ao menos sempre eram 50 km de proteção anti aerea....
 :(
Título: Re: Novos Sistemas de Defesa Aérea
Enviado por: asalves em Junho 03, 2019, 04:28:12 pm
Eu penso que a nível da defesa anti-aérea, há 3 aspectos importantes. Mesmo não adquirindo sistemas na quantidade necessária, pelo menos deviam ser adquiridos sistemas que permitam:
1. manter/criar doutrinas, e isto inclui sistema de muito curto, curto e médio alcance;
2. ter capacidade de resposta imediata no caso de um ataque "surpresa" ou aumento de hostilidades súbitas;
3. ter capacidade de proteger pontos e áreas de elevado valor, especialmente de valor militar.

Ora, para isto, seriam necessários pelo menos pequenas baterias estilo NASAMS (1 radar, estação de controlo e 2 lançadores), para equipar pelo menos as bases mais importantes (Alfeite, Monte Real, Beja, Santa Margarida,...). Porquê baterias tão pequenas? Por uma questão de custos, trazendo alguma capacidade de resposta. Permitiria ainda que mais tarde, se fosse necessário, o tamanho destas baterias pudesse ser aumentado sem grandes problemas.

Adquirir sistemas de curto alcance em veículos para substituir os Chaparral, como o MPCV, que equiparia todo o tipo de unidades mecanizadas/blindadas. Novamente, mesmo que a quantidade não fosse muita, uma quantidade inicial de 10 veículos lançadores para BrigMec e outros tantos para a BrigInt, com alguns radares 3D para aviso antecipado, e já seria muito melhor do que o que temos agora.

Por fim, sistemas de canhões fixos e auto-propulsados, que oferecem capacidade de defesa de ponto a um custo baixo e com alguma imunidade a ambientes saturados em ECM.

Além disto, adquirir mais Stingers para equipar mais unidades.

Isto já deve ser cansaço e resignação mas o ponto 2 e 3, não são prioritários, a população civil não nota isso mas no caso da NATO muito antes de qualquer ataque "surpresa" já existe escalada de intensidade, ataques surpresa já pouco existem ou apenas servirão para justificar incompetência aos midia. Com os serviços de inteligência e todo o jogo político é possível prever um piorar da situação e equipar esses pontos sensíveis quando for preciso. veja-se o caso de Israel ou Coreia do Sul.

Dai com as tretas todas de falta de guito e incompetência da nossa classe política não seria útil gastar guito nesses sistemas num momento em que não faz falta.

PS: Se nos preocuparmos em ter uma marinha forte e Força aerea minimamente capaz de apoiar a marinha, se for necessário os nossos aliados mandam para cá os sistemas AA que precisarmos.
Título: Re: Novos Sistemas de Defesa Aérea
Enviado por: dc em Junho 03, 2019, 05:13:00 pm
Isto já deve ser cansaço e resignação mas o ponto 2 e 3, não são prioritários, a população civil não nota isso mas no caso da NATO muito antes de qualquer ataque "surpresa" já existe escalada de intensidade, ataques surpresa já pouco existem ou apenas servirão para justificar incompetência aos midia. Com os serviços de inteligência e todo o jogo político é possível prever um piorar da situação e equipar esses pontos sensíveis quando for preciso. veja-se o caso de Israel ou Coreia do Sul.

Dai com as tretas todas de falta de guito e incompetência da nossa classe política não seria útil gastar guito nesses sistemas num momento em que não faz falta.

PS: Se nos preocuparmos em ter uma marinha forte e Força aerea minimamente capaz de apoiar a marinha, se for necessário os nossos aliados mandam para cá os sistemas AA que precisarmos.

Comparar Portugal com Israel e Coreia do Sul é um absurdo. Não só o orçamento de defesa deles é muito superior ao nosso, como com ou sem aumento de hostilidades, estão sempre muitíssimo bem equipados, e sabem que a qualquer momento podem ser atacados por um vizinho. Quando falo em ataques surpresa, falo em mísseis de cruzeiro por exemplo, e um eventual inimigo/governo hostil do Norte de África, não vai avisar os media que vão "atacar Portugal para conquistar a Madeira e as suas águas territoriais". A ideia é garantir a soberania garantindo que os locais onde estão concentrados os nossos meios de resposta rápida, se encontram protegidos.

Deixar a defesa aérea somente aos F-16 é suicídio. Até porque um sistema AA pode estar em alerta 24h por dia, já um caça não pode voar por este período de tempo, e mesmo contando com rotações de aeronaves, é muito dispendioso. As fragatas, no estado actual e mesmo com um MLU com ESSM não conseguem cobrir as ditas bases aéreas.

O erro de pensamento é esse "num momento em que não faz falta". Se todos os países da Europa possuem sistemas AA decentes, nós somos menos que eles? Mas querem LPDs, e desembarques e coisas todas xpto... mas depois e para proteger a força desembarcada? Protege-se com Stingers?  ???

Outro erro, é depender dos aliados. Se os aliados não levarem a sério uma ameaça feita por um país próximo de nós, e este país resolver atacar com uma saturação de mísseis de cruzeiro, pontos importantes no nosso território, como é que vai ser?
Título: Re: Novos Sistemas de Defesa Aérea
Enviado por: Stalker79 em Junho 03, 2019, 05:17:39 pm
Essa de depender de "amigos" e "aliados" é que não sei é boa estratégia....
 :-\
Título: Re: Novos Sistemas de Defesa Aérea
Enviado por: dc em Junho 03, 2019, 11:09:50 pm
Também acho que seja péssima ideia. Mesmo que nos emprestem e forneçam algum tipo de apoio, não vão conseguir "pagar" os estragos já feitos num ataque inicial. Mas lá está, a melhor forma de defender o país é demonstrar que não somos um alvo fácil, o que infelizmente é exactamente o oposto nos tempos que correm (salvam os submarinos).
Título: Re: Novos Sistemas de Defesa Aérea
Enviado por: perdadetempo em Junho 03, 2019, 11:36:29 pm
Alguém sabe dizer em que fase está este concurso na NSPA ou se "morreu" de vez? Obrigado!

Se se partir do principio que é este que aparece no site da NSPA

https://eportal.nspa.nato.int/eProcurement/FBO/eProcurementFBODetails.aspx?OpportunityId=18LDS015 (https://eportal.nspa.nato.int/eProcurement/FBO/eProcurementFBODetails.aspx?OpportunityId=18LDS015)

Só a partir de 28 de Junho é que poderão haver novidades, pois é a data provisória para lançamento do pedido de propostas segundo a ultima actualização. Nada mau para algo que apareceu pela primeira vez em 2018 e que se consultarem o ficheiro Word tinha previsto data de lançamento inicial do processo a 6 de Abril de 2018  ::)

Cumprimentos,
Título: Re: Novos Sistemas de Defesa Aérea
Enviado por: Crypter em Junho 03, 2019, 11:56:30 pm
Alguém sabe dizer em que fase está este concurso na NSPA ou se "morreu" de vez? Obrigado!

Se se partir do principio que é este que aparece no site da NSPA

https://eportal.nspa.nato.int/eProcurement/FBO/eProcurementFBODetails.aspx?OpportunityId=18LDS015 (https://eportal.nspa.nato.int/eProcurement/FBO/eProcurementFBODetails.aspx?OpportunityId=18LDS015)

Só a partir de 28 de Junho é que poderão haver novidades, pois é a data provisória para lançamento do pedido de propostas segundo a ultima actualização. Nada mau para algo que apareceu pela primeira vez em 2018 e que se consultarem o ficheiro Word tinha previsto data de lançamento inicial do processo a 6 de Abril de 2018  ::)

Cumprimentos,

Não sei se será pois esse engloba veículos e tudo..

Citar
The project consists of the provision of:
-   8 weapon terminals for the integration of legacy MANPADS;
-   2 short range radars;
-   8 vehicle-mounted new AAA launchers (Very short range - VSHORAD), including vehicles and ammunition;
Título: Re: Novos Sistemas de Defesa Aérea
Enviado por: Stalker79 em Junho 04, 2019, 12:00:37 am
"2 short range radars", só por ai dá para ver a quantidade de unidades em termos praticos que se vai dispor de AA, 2 pelotões, 4 viaturas cada.
"Legacy MANPADS", ou seja o Stinger de preferencia.
Sinceramente....

 :bang:
Título: Re: Novos Sistemas de Defesa Aérea
Enviado por: NVF em Junho 04, 2019, 12:04:36 am
Ou vai ser Stinger ou Mistral. Com as verbas previstas não dá para mais. Esta aquisição vai servir para proteger FND em cenários onde o IN opere helicópteros e UAVs pequenos; qualquer coisa que voe acima dos 5.000 ou 6.000 metros é para os aliados.  :mrgreen:
Título: Re: Novos Sistemas de Defesa Aérea
Enviado por: perdadetempo em Junho 04, 2019, 12:21:55 am
Alguém sabe dizer em que fase está este concurso na NSPA ou se "morreu" de vez? Obrigado!

Se se partir do principio que é este que aparece no site da NSPA

https://eportal.nspa.nato.int/eProcurement/FBO/eProcurementFBODetails.aspx?OpportunityId=18LDS015 (https://eportal.nspa.nato.int/eProcurement/FBO/eProcurementFBODetails.aspx?OpportunityId=18LDS015)

Só a partir de 28 de Junho é que poderão haver novidades, pois é a data provisória para lançamento do pedido de propostas segundo a ultima actualização. Nada mau para algo que apareceu pela primeira vez em 2018 e que se consultarem o ficheiro Word tinha previsto data de lançamento inicial do processo a 6 de Abril de 2018  ::)

Cumprimentos,

Não sei se será pois esse engloba veículos e tudo..

Citar
The project consists of the provision of:
-   8 weapon terminals for the integration of legacy MANPADS;
-   2 short range radars;
-   8 vehicle-mounted new AAA launchers (Very short range - VSHORAD), including vehicles and ammunition;

Mas isso era exactamente o que aparecia numa noticia da Jane´s sobre o exército português posta aqui pelo LUSITAN em 6de Abril de 2018 em "noticias do exército"

Citar
http://www.janes.com/article/79062/portugal-details-shorad-acquisition-plan

Portugal details SHORAD acquisition plan

The Portuguese Army expects to receive its first vehicle-mounted short-range air defence (SHORAD) systems in 2019, it has told Jane’s . The request for proposals (RFP) is expected to be launched through the NATO Support and Procurement Agency (NSPA) in 2018, as is the contract signing. The NSPA is conducting the procurement under an agreement with Portugal.

In 2017, EUR32 million (USD39.3 million) were allocated for the acquisition of eight light or medium tactical armoured vehicles equipped with a lightweight missile launch system, eight weapon terminals and two 3D air surveillance radars with a range of at least 20 km.

nota: o link da Jane´s já não funciona.
Título: Re: Novos Sistemas de Defesa Aérea
Enviado por: dc em Junho 04, 2019, 12:37:30 am
Tristeza... Se fossem 2 radares Sentinel e 8 lançadores Nasams, ainda ficava contente... agora isto...
Título: Re: Novos Sistemas de Defesa Aérea
Enviado por: nelson38899 em Junho 04, 2019, 08:46:32 am
Do que sei, portugal comprou há pouco tempo stingers.
Título: Re: Novos Sistemas de Defesa Aérea
Enviado por: asalves em Junho 04, 2019, 09:58:23 am
Isto já deve ser cansaço e resignação mas o ponto 2 e 3, não são prioritários, a população civil não nota isso mas no caso da NATO muito antes de qualquer ataque "surpresa" já existe escalada de intensidade, ataques surpresa já pouco existem ou apenas servirão para justificar incompetência aos midia. Com os serviços de inteligência e todo o jogo político é possível prever um piorar da situação e equipar esses pontos sensíveis quando for preciso. veja-se o caso de Israel ou Coreia do Sul.

Dai com as tretas todas de falta de guito e incompetência da nossa classe política não seria útil gastar guito nesses sistemas num momento em que não faz falta.

PS: Se nos preocuparmos em ter uma marinha forte e Força aerea minimamente capaz de apoiar a marinha, se for necessário os nossos aliados mandam para cá os sistemas AA que precisarmos.

Comparar Portugal com Israel e Coreia do Sul é um absurdo. Não só o orçamento de defesa deles é muito superior ao nosso, como com ou sem aumento de hostilidades, estão sempre muitíssimo bem equipados, e sabem que a qualquer momento podem ser atacados por um vizinho. Quando falo em ataques surpresa, falo em mísseis de cruzeiro por exemplo, e um eventual inimigo/governo hostil do Norte de África, não vai avisar os media que vão "atacar Portugal para conquistar a Madeira e as suas águas territoriais". A ideia é garantir a soberania garantindo que os locais onde estão concentrados os nossos meios de resposta rápida, se encontram protegidos.

Deixar a defesa aérea somente aos F-16 é suicídio. Até porque um sistema AA pode estar em alerta 24h por dia, já um caça não pode voar por este período de tempo, e mesmo contando com rotações de aeronaves, é muito dispendioso. As fragatas, no estado actual e mesmo com um MLU com ESSM não conseguem cobrir as ditas bases aéreas.

O erro de pensamento é esse "num momento em que não faz falta". Se todos os países da Europa possuem sistemas AA decentes, nós somos menos que eles? Mas querem LPDs, e desembarques e coisas todas xpto... mas depois e para proteger a força desembarcada? Protege-se com Stingers?  ???

Outro erro, é depender dos aliados. Se os aliados não levarem a sério uma ameaça feita por um país próximo de nós, e este país resolver atacar com uma saturação de mísseis de cruzeiro, pontos importantes no nosso território, como é que vai ser?

Mas lá está Israel e Coreia do Sul já estão em alerta sempre pois tem esse inimigo próximos, contudo o que aconteceu com a a Coreia e Israel foi exatamente o que estava a dizer quando o perigo se intensificou aumentaram as suas capacidade AA.

Em relação aos ataques surpresa o que estava a dizer é que isso já não existe, nos dias de hoje é muito difícil mobilizar os meios necessários e os recursos sem que ninguém se aperceba disso (Serviços de inteligência). E em relação a nós os nossos potenciais inimigos não estão a volta de Portugal, quanto muito no Norte-Este de África, e mesmos esses não tem necessidade nem capacidade de lançar um ataque devastador, e mandar 1 ou 2 misseis à Tugalandia não faz sentido, mesmo que fosse por vingança ou qualquer outra situação Portugal ia ser das ultimas hipóteses. Para além disso a NATO é suficiente dissuasora para evitar ataques patéticos desses.

E ao contrario do que possa pensar os F-16 estão em alerta 24h/dia com 1 parelha sempre pronta a descolar (15 minutos máximo estão no ar) e outra parelha em estado de prontidão (é só o tempo dos pilotos chegarem a base).

Em relação ao depender não dos Aliados, acho isso um pouco antiquado, CONTUDO também não é fazer como fazemos. As nossas Forças Armadas nunca vão conseguir parar qualquer ataque que seja de uma grande potencia (e não estou a falar de Marroquinos, Espanhóis, ... mas sim potenciais reais inimigos) dai existir as Alianças juntos somos mais fortes, mas é preciso que todos contribuam, a meu ver o papel de Portugal na NATO é defender parte do Atlântico e da entrada para o Mediterrâneo, Se todos contribuírem para a Aliança todos dependemos uns dos outros. E todos estamos protegidos.

Mesmo com um conjunto de batarias no Alfeite, Monte Real, S. Catarina, E Beja qualquer ataque de saturação acaba com essas AA rapidamente, e basicamente ficamos na mesma posição que estamos agora e com guito gasto, logo a utilidade disso é muito limitada. Previne-se a 1ª vaga mais a 2ª ou 3ª vais para os porcos.
Título: Re: Novos Sistemas de Defesa Aérea
Enviado por: dc em Junho 04, 2019, 11:01:55 am
Ter 2 F-16 em alerta equipados com Sidewinder algo antigos, não vai ser suficientemente dissuasor contra uma potencial força com múltiplos caças/bombardeiros, etc. Além de que, temos o arquipélago da Madeira completamente desprotegido. Já que é incomportável ter uma parelha de F-16 em alerta por lá, não seria de descurar ter pelo menos alguma capacidade defensiva.

Mas o argumento é, como só aguentava a primeira vaga, mais vale não ter nada e deixar que nos ataquem. Mas lá está, os nossos principais meios dissuasores, os submarinos, estão completamente à mercê de algum ataque aéreo, especialmente quando estão os dois no Alfeite. Alvos de elevado valor estratégico, têm de ser protegidos!

Daí eu defender baterias de médio alcance, tanto para proteger estes potenciais alvos, como forças expedicionárias que possamos colocar fora de Portugal. A NATO pode proteger sim, mas também pode encalhar numa burocracia qualquer, ou simplesmente escolher não meter a colher num conflito entre 2 países para evitar que se torne algo numa escala maior.
Título: Re: Novos Sistemas de Defesa Aérea
Enviado por: LM em Junho 04, 2019, 11:19:51 am
Recursos... quando queremos baterias de médio alcance algo vai ser sacrificado e não é os privilégios de politicos e oficiais superiores que conseguimos sacrificar... que também desconfio não era suficiente uma defesa aérea decente.

O mínimo para ter "escola e doutrina" era algo como a Estónia comprou (https://www.defenseindustrydaily.com/estonia-chooses-new-shorad-air-defense-system-03088/)... depois, posteriormente, ir para algo tipo "Enhanced Modular Air Defence Solutions" com os CAMM... mas, antes, recursos para capacidade AT decente (tipo MMP + Gustav), por exemplo.   

 
Título: Re: Novos Sistemas de Defesa Aérea
Enviado por: dc em Junho 04, 2019, 11:37:49 am
Recursos... quando queremos baterias de médio alcance algo vai ser sacrificado e não é os privilégios de politicos e oficiais superiores que conseguimos sacrificar... que também desconfio não era suficiente uma defesa aérea decente.

O mínimo para ter "escola e doutrina" era algo como a Estónia comprou (https://www.defenseindustrydaily.com/estonia-chooses-new-shorad-air-defense-system-03088/)... depois, posteriormente, ir para algo tipo "Enhanced Modular Air Defence Solutions" com os CAMM... mas, antes, recursos para capacidade AT decente (tipo MMP + Gustav), por exemplo.   

Ter uma defesa aérea decente custaria, no mínimo, 500 milhões de euros, especialmente no nosso caso que teríamos de defender um ou dois arquipélagos. Mas é preferível ter pouco, sendo depois em caso de necessidade mais fácil integrar baterias extra, do que não ter nada e depois ter de ir a correr buscar novos sistemas e no espaço de semanas formar militares para os operar.

E adquirir defesas aéreas não devia sequer justificar o sacrifício noutras áreas da defesa. É um investimento que depois iria durar muitos anos, sem grandes custos de reparação e utilização.
Título: Re: Novos Sistemas de Defesa Aérea
Enviado por: asalves em Junho 04, 2019, 11:39:30 am
Ter 2 F-16 em alerta equipados com Sidewinder algo antigos, não vai ser suficientemente dissuasor contra uma potencial força com múltiplos caças/bombardeiros, etc. Além de que, temos o arquipélago da Madeira completamente desprotegido. Já que é incomportável ter uma parelha de F-16 em alerta por lá, não seria de descurar ter pelo menos alguma capacidade defensiva.

Mas o argumento é, como só aguentava a primeira vaga, mais vale não ter nada e deixar que nos ataquem. Mas lá está, os nossos principais meios dissuasores, os submarinos, estão completamente à mercê de algum ataque aéreo, especialmente quando estão os dois no Alfeite. Alvos de elevado valor estratégico, têm de ser protegidos!

Daí eu defender baterias de médio alcance, tanto para proteger estes potenciais alvos, como forças expedicionárias que possamos colocar fora de Portugal. A NATO pode proteger sim, mas também pode encalhar numa burocracia qualquer, ou simplesmente escolher não meter a colher num conflito entre 2 países para evitar que se torne algo numa escala maior.

Tudo o que diz tem razão, e acho que se devia ter isso tudo se houvesse fundos quase ilimitados, contudo não existe, e temos de ser pragmáticos no contexto atual ou no futuro a médio prazo (10 anos) quem é que vai atacar Portugal? quais são os nossos potenciais inimigos? E esses potenciais inimigos tem capacidade para que tipo de ataque? e a nossa capacidade conjunta tem capacidade dissuasora para evitar que esses potenciais inimigos ataque Portugal?

Acho que não faz sentido ver Espanha ou Marrocos como potenciais ameaças, e outros Países mais instáveis no Norte-Este de África ou não tem capacidade ou não tem qualquer vantagem em atacar Portugal. Imaginemos então um inimigo mais real e com alguma capacidade, Rússia/China/e companhia, antes de qualquer ataque por bomberdeiros ou Misseis ou o quer que seja as tensões iam escalar rapidamente. Quando chegarmos a esse ponto toda a estrutura da NATO vai estar em alerta, provavelmente vamos ter o F-16 espalhados por Portugal e ilhas, vai haver reforço de meios de defesa. O Tejo vai ter constante vigilância, o Submarinos vão andar mais ocultos provavelmente vão andar a atracar em várias bases de aliados, o Atlântico vai estar altamente patrulhado, ...

O que quero dizer é que agora estamos num contexto de paz em que os meios e o dispositivo está adaptado ao contexto atual, conforme o contexto muda vai-se adaptando a disposição e o reforço dos meios.
Título: Re: Novos Sistemas de Defesa Aérea
Enviado por: dc em Junho 04, 2019, 12:53:14 pm
Eu não discordo de si na totalidade! Mas não acho que devêssemos relegar para segundo plano os sistemas AA. Mesmo que não fossem sistemas novinhos em folha, podia-se até negociar com os americanos uns Patriot PAC-1 ou PAC-2 em segunda mão. É mais fácil criar doutrinas e pessoal treinado com meia dúzia de sistemas do que com zero. Este zero na defesa-aérea preocupa-me, e se em algum momento tivéssemos que enviar uma força para o estrangeiro para restaurar a paz e/ou evacuar civis portugueses, uma bateria destas serviria muito bem para dar cobertura sob o espaço aéreo.

O conflito mais provável seria talvez com a China, devido à sua postura expansionista. E sim, obviamente que nesse caso toda a postura da NATO mudava, e também dos aliados nos demais continentes. Mas a China primeiro teria de se preocupar com a máquina de guerra americana, para o resto da NATO a preocupação seriam até os aliados da China e os países/governos que se quisessem aproveitar do foco americano na China para atacar países da NATO e outros aliados.
Título: Re: Novos Sistemas de Defesa Aérea
Enviado por: asalves em Junho 04, 2019, 02:24:04 pm
Eu não discordo de si na totalidade! Mas não acho que devêssemos relegar para segundo plano os sistemas AA. Mesmo que não fossem sistemas novinhos em folha, podia-se até negociar com os americanos uns Patriot PAC-1 ou PAC-2 em segunda mão. É mais fácil criar doutrinas e pessoal treinado com meia dúzia de sistemas do que com zero. Este zero na defesa-aérea preocupa-me, e se em algum momento tivéssemos que enviar uma força para o estrangeiro para restaurar a paz e/ou evacuar civis portugueses, uma bateria destas serviria muito bem para dar cobertura sob o espaço aéreo.

O conflito mais provável seria talvez com a China, devido à sua postura expansionista. E sim, obviamente que nesse caso toda a postura da NATO mudava, e também dos aliados nos demais continentes. Mas a China primeiro teria de se preocupar com a máquina de guerra americana, para o resto da NATO a preocupação seriam até os aliados da China e os países/governos que se quisessem aproveitar do foco americano na China para atacar países da NATO e outros aliados.

Sim mas ai concordo consigo no 1º ponto que deu atrás, ter um conjunto relativamente moderno nem que seja para escola e para doutrina.
Título: Re: Novos Sistemas de Defesa Aérea
Enviado por: Stalker79 em Junho 13, 2019, 04:01:08 pm
Mais uma possibilidade. Mais vale 15km de alcance que nada...


 :-P
Título: Re: Novos Sistemas de Defesa Aérea
Enviado por: NVF em Junho 13, 2019, 07:24:50 pm
Queres uma solução baratinha? Compram-se uns sistemas Aspide/Spada em segunda-mão (que são facilmente adaptados para disparar Sea Sparrow) e utilizam-se os 32 Sea Sparrow das BD (que supostamente vão ser substituídos pelos ESSM 2). Mas só haveria interesse se desse para formar mais uns três ou quatro regimentos a meia companhia, comandados por um coronel, obviamente. :mrgreen:
Título: Re: Novos Sistemas de Defesa Aérea
Enviado por: PereiraMarques em Julho 27, 2019, 01:17:20 pm
Nada acerca do assunto em epígrafe

https://www.exercito.pt/pt/informa%C3%A7%C3%A3o-p%C3%BAblica/not%C3%ADcias/1110
Título: Re: Novos Sistemas de Defesa Aérea
Enviado por: Red Baron em Julho 27, 2019, 06:14:06 pm
Os gajos da Thales Portugal é que podiam fazer um engano como a Embraer e vender um SAMP/T como sendo importante para a industria nacional.

Era só arranjar uma empresa que faz transformação de camiões para fazer as alterações da carroçaria e a instalação dos módulos,  a Edisoft para desenvolver o software de controle de fogo e contratar uns engenheiros  para a Thales para fazer o desenho do projeto.

Isto bem enganado e ainda ficávamos com um sistema anti-aéreo mais ao menos. :mrgreen:
Título: Re: Novos Sistemas de Defesa Aérea
Enviado por: perdadetempo em Julho 28, 2019, 11:35:34 am
Nada acerca do assunto em epígrafe

https://www.exercito.pt/pt/informa%C3%A7%C3%A3o-p%C3%BAblica/not%C3%ADcias/1110

Se fõr este: https://eportal.nspa.nato.int/eProcurement/FBO/eProcurementFBODetails.aspx?OpportunityId=18LDS015 (https://eportal.nspa.nato.int/eProcurement/FBO/eProcurementFBODetails.aspx?OpportunityId=18LDS015)
 a data do RPF(Request for Proposal) na NSPA foi alterada para 1 de Outubro de 2019.

Nas futuras Business Oportunities do mesmo site também voltam a aparecer as 47 viaturas médias porta shelter
https://eportal.nspa.nato.int/eProcurement/FBO/eProcurementFBODetails.aspx?OpportunityId=18LMS032 (https://eportal.nspa.nato.int/eProcurement/FBO/eProcurementFBODetails.aspx?OpportunityId=18LMS032)
nota. pode-se dar a coincidência de tanto neste caso como no outro alguém andar a pedir exactamente as mesmas quantidades previstas nos programas do exército mas os sucessivos adiamentos são um hábito muito português.

Também lá aparece um pedido,  a ser lançado em 3 de Novembro de 2019, para a conversão de 4 viaturas VBR-ICV Pandur II em viaturas VBR-RCV. Alguém sabe alguma coisa?
https://eportal.nspa.nato.int/eProcurement/FBO/eProcurementFBODetails.aspx?OpportunityId=19LMM009 (https://eportal.nspa.nato.int/eProcurement/FBO/eProcurementFBODetails.aspx?OpportunityId=19LMM009)

Cumprimentos,
Título: Re: Novos Sistemas de Defesa Aérea
Enviado por: Stalker79 em Julho 28, 2019, 12:22:44 pm
"VSHORADS", enfim...  E quando dizem "integration of legacy systems" já se sabe que vão ser stingers.
Que rica me**a de defesa aerea...
 >:(
Título: Re: Novos Sistemas de Defesa Aérea
Enviado por: Pedro Monteiro em Julho 28, 2019, 01:34:57 pm
Também lá aparece um pedido,  a ser lançado em 3 de Novembro de 2019, para a conversão de 4 viaturas VBR-ICV Pandur II em viaturas VBR-RCV. Alguém sabe alguma coisa?
https://eportal.nspa.nato.int/eProcurement/FBO/eProcurementFBODetails.aspx?OpportunityId=19LMM009 (https://eportal.nspa.nato.int/eProcurement/FBO/eProcurementFBODetails.aspx?OpportunityId=19LMM009)
Fala-se na incorporação, na unidade de engenharia pelo menos, de algumas viaturas Pandur na Brigada Mecanizada. Poderiam ser estas.

Cumprimentos,
Pedro Monteiro
Título: Re: Novos Sistemas de Defesa Aérea
Enviado por: tenente em Julho 28, 2019, 02:02:29 pm
"VSHORADS", enfim...  E quando dizem "integration of legacy systems" já se sabe que vão ser stingers.
Que rica me**a de defesa aerea...
 >:(

Mas qual defesa aérea Stalker, com SHORADS ??
os SHORADS, quando muito deveriam constar, a nível de pelotão, na orgânica dos BInfmec, fossem eles (R) ou (L).
O que faz falta ao País são, no mínimo dois grupos de defesa aérea de médio alcance,  ( MERADS ) e já só falo em médio alcance, não me alambazo...para a defesa das zonas/áreas Militares mais sensíveis.

Defesa aérea de médio alcance apenas a seguir ao final da II GM, quando tínhamos N batarias fixas de 9,4 cm, até nas ilhas haviam várias batarias, a seguir a essa época nada de jeito os bitubos e os chaparral, eram para inglês ver.

Abraços
Título: Re: Novos Sistemas de Defesa Aérea
Enviado por: ocastilho em Julho 28, 2019, 02:57:19 pm
Eu não quero mentir, mas a defesa aérea não estava unicamente atribuída à FAP? Sendo que o exercito só ficava encarregue por VSHORAD e SHORAD?
Título: Re: Novos Sistemas de Defesa Aérea
Enviado por: PereiraMarques em Julho 28, 2019, 03:13:41 pm
Na anterior versão do site do Exército, na página do RAAA1, o organograma mostrava uma bateria HIMAD a levantar  :mrgreen:
Título: Re: Novos Sistemas de Defesa Aérea
Enviado por: JPMM em Julho 28, 2019, 03:44:01 pm
Também lá aparece um pedido,  a ser lançado em 3 de Novembro de 2019, para a conversão de 4 viaturas VBR-ICV Pandur II em viaturas VBR-RCV. Alguém sabe alguma coisa?
https://eportal.nspa.nato.int/eProcurement/FBO/eProcurementFBODetails.aspx?OpportunityId=19LMM009 (https://eportal.nspa.nato.int/eProcurement/FBO/eProcurementFBODetails.aspx?OpportunityId=19LMM009)
Fala-se na incorporação, na unidade de engenharia pelo menos, de algumas viaturas Pandur na Brigada Mecanizada. Poderiam ser estas.

Cumprimentos,
Pedro Monteiro

Oh Pedro, eu já disse aqui que quando os ST5 vierem, sendo uma boa viatura e complementando bem os Pandur (libertando alguns de algumas funções na BrigInt), é possível a BrigMec receber Pandur para o BIMec, mas ninguém acredita!
Título: Re: Novos Sistemas de Defesa Aérea
Enviado por: tenente em Julho 28, 2019, 06:13:39 pm
Também lá aparece um pedido,  a ser lançado em 3 de Novembro de 2019, para a conversão de 4 viaturas VBR-ICV Pandur II em viaturas VBR-RCV. Alguém sabe alguma coisa?
https://eportal.nspa.nato.int/eProcurement/FBO/eProcurementFBODetails.aspx?OpportunityId=19LMM009 (https://eportal.nspa.nato.int/eProcurement/FBO/eProcurementFBODetails.aspx?OpportunityId=19LMM009)
Fala-se na incorporação, na unidade de engenharia pelo menos, de algumas viaturas Pandur na Brigada Mecanizada. Poderiam ser estas.

Cumprimentos,
Pedro Monteiro

Oh Pedro, eu já disse aqui que quando os ST5 vierem, sendo uma boa viatura e complementando bem os Pandur (libertando alguns de algumas funções na BrigInt), é possível a BrigMec receber Pandur para o BIMec, mas ninguém acredita!

Com os iluminados que vamos tendo nas FFAA, mais precisamente no Exército, não me admirava nada que isso acontecesse !!!!
Pandur VCR, ou qq outra versão desta Viatura, na BriMec ou no BiMec, só mesmo para rir .

Abraços
Título: Re: Novos Sistemas de Defesa Aérea
Enviado por: PereiraMarques em Julho 28, 2019, 07:45:54 pm
Provavelmente o primeiro passo para a "natural" fusão da BrigInt e da BrigMec.
Título: Re: Novos Sistemas de Defesa Aérea
Enviado por: tenente em Julho 28, 2019, 08:00:15 pm
Provavelmente o primeiro passo para a "natural" fusão da BrigInt e da BrigMec.

A realidade do nosso Exército em termos de efectivos de praças dá vontade de rir, para não chorar !!!

O Exército, com pouco mais de 12.000 efectivos, só serve mesmo para manter a existência nos seus quadros de mais de 6000 oficiais e sargentos, nada mais.
A GNR com 24000 efectivos, quase tantos como as FFAA possuem, tem menos de um milhar de oficiais !!!

Abraços
Título: Re: Novos Sistemas de Defesa Aérea
Enviado por: dc em Novembro 29, 2019, 04:42:55 pm
(https://saab.com/globalassets/scaled/1280x720x80/commercial-air-sensor-systems-ground-based-air-defence-giraffe-1x/giraffe-1x-pickup.jpg)

Pérola do site da SAAB, radar Giraffe 1x. O verdadeiro duplo uso, durante a semana como radar das baterias anti-aéreas, aos fins de semana para transporte VIP.  :mrgreen: (PS: mais a sério, este radar aparece numa foto do próprio site, montado em cima de um Iveco LMV parece-me, portanto caso se optasse por uma versão AA do ST5, parece-me possível que algumas unidades recebessem este sistema)
Título: Re: Novos Sistemas de Defesa Aérea
Enviado por: LM em Novembro 29, 2019, 05:07:08 pm
E, ao contrario dos Aw-119Kx "militares", já está ser desenvolvido - é só haver vontade.


MBDA demonstrated the capabilities of MISTRAL 3 VSHORAD missile by  intercepting a Mirach 40 target at a range of over 7 km. The demonstration firing was carried out from a complete installation including a Giraffe 1-X radar, LICORNE C2 unit and VAMTAC ST5/ATLAS-RC launcher.

(https://imagizer.imageshack.com/v2/xq90/922/8qFnfa.jpg) (https://imageshack.com/i/pm8qFnfaj)

https://twitter.com/Defence360/status/1195316734670098432
Título: Re: Novos Sistemas de Defesa Aérea
Enviado por: Stalker79 em Novembro 29, 2019, 09:58:17 pm
Sim, devido ao "baixo" peso (300kg), seria facil montar um num ST5 e outros dois ligados em rede com o MPCV por exemplo.
já daria uma pequena amostra de defesa aerea moderna.
 :-P
Título: Re: Novos Sistemas de Defesa Aérea
Enviado por: dc em Novembro 29, 2019, 10:07:25 pm
Por mim preferia o MPCV, sempre me parece mais completo, e mais importante, tem logo 4 mísseis prontos a disparar, o que num Exército com poucos meios, pode fazer toda a diferença... E seriam sistemas que na minha opinião passariam a operar nos fuzileiros também, MPCV e Giraffe 1-X.

Caso não se pretendesse colocar de forma permanente um tipo de sistema AA a uma força específica, criava-se um comando central de baterias AA, em que estariam englobados desde os bitubos 20mm, a sistemas como o MPCV e Nasams. Depois consoante as missões, seriam distribuídos para as unidades que precisassem deles. Ora se os sistemas AA tivessem todos baseados nos ST5 e derivados do Vamtac, e este se tornasse o veículo de serviço também da FAP e dos Fuzos, haveria capacidade de intercâmbio da arma AA entre as forças sem precedentes. ST5 com o radar Giraffe, ST5 com MPCV, ST5 para rebocar o Nasams e outro para rebocar o radar Sentinel, e claro uma versão do ST5 de comando e controlo.

Os bitubos por mim iam para a reserva, e eram substituídos ou por Oerlikon GDF, mais um radar de tiro (1 radar por cada 2 canhões), ou Skyshield, havendo deste último versões para instalação em veículos 8x8.
Título: Re: Novos Sistemas de Defesa Aérea
Enviado por: dc em Novembro 29, 2019, 10:10:42 pm
E com o surgimento da ameaça dos mini-UAVs "kamikaze", este tipo de sistemas de curto alcance são obrigatórios.
Título: Re: Novos Sistemas de Defesa Aérea
Enviado por: Stalker79 em Novembro 29, 2019, 10:27:15 pm
E com o surgimento da ameaça dos mini-UAVs "kamikaze", este tipo de sistemas de curto alcance são obrigatórios.


O Skyshield para ameaças como os UAV´s é uma maravilha, com a munição AHEAD estralhaçaos todos!
 ;D
Título: Re: Novos Sistemas de Defesa Aérea
Enviado por: dc em Novembro 29, 2019, 10:37:49 pm
Exactamente, e tem o aclamado "duplo uso", neste caso para a ameaça de mini-UAVs, e também ameaça de mísseis. Acho que vai ser preciso haver uma cimeira importante por cá para resolverem adquirir sistemas deste género. O medo de um swarm de mini-UAVs muda a perspectiva e aquilo que as chefias considerariam prioridade.
Título: Re: Novos Sistemas de Defesa Aérea
Enviado por: dc em Novembro 30, 2019, 01:21:47 pm
Não era suposto por esta altura já haver novidades do programa dos sistemas SHORAD através da NSPA?  ???
Título: Re: Novos Sistemas de Defesa Aérea
Enviado por: perdadetempo em Dezembro 01, 2019, 10:50:34 am
Não era suposto por esta altura já haver novidades do programa dos sistemas SHORAD através da NSPA?  ???

Se fôr este voltou a ser adiado. Preveem o RFP( request for proposal) para 28 de Fevereiro de 2020.

https://eportal.nspa.nato.int/eProcurement/FBO/eProcurementFBODetails.aspx?OpportunityId=18LDS015 (https://eportal.nspa.nato.int/eProcurement/FBO/eProcurementFBODetails.aspx?OpportunityId=18LDS015)

Cumprimentos,
Título: Re: Novos Sistemas de Defesa Aérea
Enviado por: dc em Dezembro 01, 2019, 01:16:03 pm
É sempre a mesma m****... Esta brincadeira já vai em quantos adiamentos? É que para o tipo de sistema em questão, nem se justificam tais adiamentos, não é do género que se anda à procura de dezenas de baterias de curto, médio e longo alcance e BMD.

Custa muito ir buscar mais 25 ST5 para receberem MPCV, Giraffe 1-X e sistema C2? Enfim.
Título: Re: Novos Sistemas de Defesa Aérea
Enviado por: ricardonunes em Dezembro 01, 2019, 03:10:11 pm
Custa muito ir buscar mais 25 ST5

Isto e um concurso para apenas 8 veículos, imagina o drama para 25

Título: Re: Novos Sistemas de Defesa Aérea
Enviado por: Stalker79 em Dezembro 01, 2019, 03:21:59 pm
Custa muito ir buscar mais 25 ST5

Isto e um concurso para apenas 8 veículos, imagina o drama para 25


Ou seja, 2 radares mais 6 lançadores, que farturinha...
 :(
Título: Re: Novos Sistemas de Defesa Aérea
Enviado por: ricardonunes em Dezembro 01, 2019, 03:32:57 pm
Citar
The project consists of the provision of:
-   8 weapon terminals for the integration of legacy MANPADS;
-   2 short range radars;
-   8 vehicle-mounted new AAA launchers (Very short range - VSHORAD), including vehicles and ammunition;
Título: Re: Novos Sistemas de Defesa Aérea
Enviado por: Stalker79 em Dezembro 01, 2019, 03:36:45 pm
Citar
The project consists of the provision of:
-   8 weapon terminals for the integration of legacy MANPADS;
-   2 short range radars;
-   8 vehicle-mounted new AAA launchers (Very short range - VSHORAD), including vehicles and ammunition;

Então só com 8 veiculos já nem sei onde vão por os radares...
Enfim.
 :-P
Título: Re: Novos Sistemas de Defesa Aérea
Enviado por: dc em Dezembro 01, 2019, 03:39:38 pm
Custa muito ir buscar mais 25 ST5

Isto e um concurso para apenas 8 veículos, imagina o drama para 25

Que tristeza. Para a renovação da frota de carros do Estado não há atrasos destes de certeza, mas para uns míseros 8 veículos AA há...

Custa muito ir buscar mais 25 ST5

Isto e um concurso para apenas 8 veículos, imagina o drama para 25


Ou seja, 2 radares mais 6 lançadores, que farturinha...
 :(

E sem veículo de comando e controlo, presume-se. Não me admirava que viessem 8 veículos equipados com MANPANDS baratuchos como o Mistral Atlas, nem sequer o MPCV. :bang:

(https://www.mbda-systems.com/wp-content/uploads/2015/07/mbda-mistral-atlas-7-daniel-lutanie_2-900x500.jpg)
Mistral Atlas, da versão manual e não RC, com o atirador completamente exposto.  ::)

Então só com 8 veiculos já nem sei onde vão por os radares...
Enfim.
 :-P

A reboque claro.  ::) Ainda não foram ao site da Saab ver o Giraffe 1-X, que até deve dar para instalar num dos Audi A8 dos meninos do governo.
Título: Re: Novos Sistemas de Defesa Aérea
Enviado por: LM em Dezembro 02, 2019, 11:05:10 am
Os "8 weapon terminals" são para colocar nos "8 vehicle"? E a expressão "legacy MANPADS" indica o quê? Que têm de ser um modelo MANPADS que esteja em uso NATO ou em uso em Portugal?
Título: Re: Novos Sistemas de Defesa Aérea
Enviado por: tenente em Dezembro 02, 2019, 11:28:30 am
Custa muito ir buscar mais 25 ST5

Isto e um concurso para apenas 8 veículos, imagina o drama para 25

Simplesmente ridículo, um SHORAD composto por oito viaturas, só dá mesmo vontade de rir, quem decidiu este numero só pode ser mesmo um grande especialista na matéria !!

Abraços
Título: Re: Novos Sistemas de Defesa Aérea
Enviado por: NVF em Dezembro 02, 2019, 07:03:44 pm
Legacy só podem ser os Stingers. Ou seja, 8 terminais para integração de Stingers + 08 veículos equipados com SHORAD novos (provavelmente, uma versão do Mistral).
Título: Re: Novos Sistemas de Defesa Aérea
Enviado por: dc em Dezembro 02, 2019, 09:13:34 pm
Então vai se adquirir um sistema que use os Stinger e ao mesmo tempo um sistema novo? E que outros sistemas usam o Stinger além do Avenger?

E 8 lançadores de um novo sistema é ridículo... ainda compreendia se fossem sistemas mais caros de médio ou longo alcance, mas não é o caso...
Título: Re: Novos Sistemas de Defesa Aérea
Enviado por: LM em Dezembro 03, 2019, 10:21:07 am
Legacy só podem ser os Stingers. Ou seja, 8 terminais para integração de Stingers + 08 veículos equipados com SHORAD novos (provavelmente, uma versão do Mistral).

Então o concurso é para 8 MANPADS (modelo já em utilização?) e MAIS 8 lançadores em veículos (que pode ser de outro modelo)...? 
Título: Re: Novos Sistemas de Defesa Aérea
Enviado por: NVF em Dezembro 03, 2019, 01:04:36 pm
Não sei, nem faço ideia, limito-me a interpretar o que está escrito e parece-me que o que está escrito no caderno de encargos é: aquisição de 08 veículos equipados com um SHORAD novo (Mistral?), 08 terminais para sistemas legacy (Stinger, com os terminais possivelmente instalados nos 08 veículos novos para poderem controlar, ou transmitir info de alvos para os Stinger?) e 02 radares de curto alcance.  Mas o que interessa aqui é o nível extremamente baixo de proteção conferido por este sistema; pouco mais serve que para conferir alguma proteção contra helis e UAVs a baixa altitude. Em suma, mais equipamento para utilizar em cenários de baixa intensidade, como as fragatas e os NPOs da Marinha.
Título: Re: Novos Sistemas de Defesa Aérea
Enviado por: dc em Dezembro 03, 2019, 02:02:34 pm
Se fosse para levantar baterias de médio/longo alcance com Patriot ou Nasams, ainda aceitava o baixo número devido aos custos dos sistemas e mísseis. Aliás, até seria uma excelente aquisição 8 lançadores de Nasams, 4 radares Sentinel e respectivos sistemas de comando e controlo, pelo menos já se criavam valências neste sector que hoje é uma grande lacuna nas FA.

Sistemas de curto alcance teriam de ser pelo menos uns 30 lançadores MPCV ou idêntico (20 no mínimo dos mínimos), à razão de 3 lançadores por radar, para serem usados pelos 3 ramos consoante as necessidades de cada missão.

E por fim substituir-se os Bitubos por Oerlikon GDF, dois canhões por radar, numa quantidade total de pelo menos 30 canhões. À semelhança dos sistemas anteriores, seriam destacados para os diferentes ramos consoante a missão.
Título: Re: Novos Sistemas de Defesa Aérea
Enviado por: LM em Dezembro 03, 2019, 02:31:31 pm
Manter a "escola"... tal como com os Leo2A6 é para manter a "escola", uma capacidade residual mas que existe.
Título: Re: Novos Sistemas de Defesa Aérea
Enviado por: Cabeça de Martelo em Dezembro 03, 2019, 02:38:58 pm
Manter a "escola"... tal como com os Leo2A6 é para manter a "escola", uma capacidade residual mas que existe.

No Exército Russo um Batalhão de Carros de Combate tem 44 CC, o Exército Português tem 37. Está longe de ser o ideal, mas nada do que temos está lá perto, por isso até não destoa do que é o Exército Português.

PS: eu sei perfeitamente que não temos todos os Leopard operacionais, nem temos recursos humanos e financeiros para tal.
Título: Re: Novos Sistemas de Defesa Aérea
Enviado por: mafets em Dezembro 03, 2019, 02:51:09 pm
Mania de inventar a pólvora...

https://www.raytheon.com/au/capabilities/products/evolved-seasparrow-missile-essm (https://www.raytheon.com/au/capabilities/products/evolved-seasparrow-missile-essm)

Citar
Versatile Defense at Sea and Ashore
Evolved Seasparrow Missile (ESSM®) is an international cooperative upgrade of the RIM-7 Seasparrow Missile. ESSM provides self-defense battlespace and firepower against high-speed, highly maneuverable anti-ship missiles in the naval environment.

ESSM Moves from Water to Land

Raytheon Missile Systems, along with a global industrial partnership, has introduced an initiative that expands the missile’s original mission from sea-based to ground-based air defense arena. ESSM used in a ground-based application will build on the proven capabilities of the ship-based application by providing the same air defense capability against the full threat spectrum, including aircraft, high and low velocity air threats, and high divers.

ESSM is the third Raytheon missile to be successfully fired from the NASAMS launcher (joining AMRAAM and AIM-9X). The benefits of adding ESSM to Ground-Based Air Defense are:

Extended range.
An additional complementary capability.
A common logistics infrastructure and procurement for nations that already have ESSM in their Naval inventory.
ESSM currently has more than 2,000 proven rounds in service or in production with another 1,500 rounds anticipated. It is likely that ESSM will be supported through 2030 and beyond, based on current customer requirements.

(https://encrypted-tbn0.gstatic.com/images?q=tbn:ANd9GcTYliygcR4WrkBG-hHgx52VBDUzOGI84Fw20Pz4hkd0bPoKxXGb&s)

Saudações
Título: Re: Novos Sistemas de Defesa Aérea
Enviado por: dc em Dezembro 03, 2019, 03:11:22 pm
Manter a "escola"... tal como com os Leo2A6 é para manter a "escola", uma capacidade residual mas que existe.

No caso de AA de médio ou longo alcance, não há escola para manter visto que nunca tivemos sistemas do género. No nosso caso seria mesmo para criar uma base e rotinas nestes tipo de equipamentos. A aquisição de uma maior quantidade mais tarde fica assim facilitada.

Mania de inventar a pólvora...

https://www.raytheon.com/au/capabilities/products/evolved-seasparrow-missile-essm (https://www.raytheon.com/au/capabilities/products/evolved-seasparrow-missile-essm)

Citar
Versatile Defense at Sea and Ashore
Evolved Seasparrow Missile (ESSM®) is an international cooperative upgrade of the RIM-7 Seasparrow Missile. ESSM provides self-defense battlespace and firepower against high-speed, highly maneuverable anti-ship missiles in the naval environment.

ESSM Moves from Water to Land

Raytheon Missile Systems, along with a global industrial partnership, has introduced an initiative that expands the missile’s original mission from sea-based to ground-based air defense arena. ESSM used in a ground-based application will build on the proven capabilities of the ship-based application by providing the same air defense capability against the full threat spectrum, including aircraft, high and low velocity air threats, and high divers.

ESSM is the third Raytheon missile to be successfully fired from the NASAMS launcher (joining AMRAAM and AIM-9X). The benefits of adding ESSM to Ground-Based Air Defense are:

Extended range.
An additional complementary capability.
A common logistics infrastructure and procurement for nations that already have ESSM in their Naval inventory.
ESSM currently has more than 2,000 proven rounds in service or in production with another 1,500 rounds anticipated. It is likely that ESSM will be supported through 2030 and beyond, based on current customer requirements.

(https://encrypted-tbn0.gstatic.com/images?q=tbn:ANd9GcTYliygcR4WrkBG-hHgx52VBDUzOGI84Fw20Pz4hkd0bPoKxXGb&s)

Saudações

Não deixa de ser necessária a aquisição do sistema Nasams, mas tendo este sistema a capacidade de lançar tanto os AIM-120, como AIM-9X e os ESSM, parece-me claramente um sistema bastante completo.
E já que fazemos parte do consórcio do ESSM Block 2...
Título: Re: Novos Sistemas de Defesa Aérea
Enviado por: NVF em Dezembro 04, 2019, 01:04:54 am
A Espanha comprou Patriot à Alemanha em duas ocasiões diferentes, mas segundo alguns não precisamos disso porque ninguém nos vem atacar. Mas já nem vou por aí: podiam adquiri-se sistemas Skyguard usadas à Itália e equipá-los com Sea Sparrow desactivados pela Marinha. Ficava-se com um sistema limitado, mas bastante mais capaz e com maior alcance em distância e altitude do que o que está disponível ou planeado. Mas ficava-se sempre com o problema de os sistemas de armas não poderem passar de ramo para ramo (parece que só funciona com bases e hospitais).
Título: Re: Novos Sistemas de Defesa Aérea
Enviado por: dc em Dezembro 04, 2019, 03:18:29 pm
Eu diria que a necessidade de um sistema de médio alcance no mínimo, é bastante real. Então qualquer missão com um destacamento aéreo de aeronaves da FAP, por exemplo, em África, não podia/deveria usufruir de cobertura aérea na base em que estivessem estacionadas as ditas aeronaves? Fossem helicópteros, P-3, 390, F-16... uma bateria de médio alcance seria, a meu ver, essencial.

Mesmo no caso de uma força "expedicionária" de fuzileiros, ou de Pandur ou o que fosse, sistemas AA para cobrir uma área mais vasta seriam igualmente necessários, ainda para mais tendo fragatas muito limitadas nesta capacidade.

E o dinheiro não será certamente problema. Além de sistemas AA não serem algo super caro, gastámos sem problemas 900 milhões em aeronaves de transporte... Se somos assim tão ricos, 200/250 milhões dariam quase de certeza para 8 Nasams (com ESSM ou Amraam) + radares e C2, 20 MPCV + radares e respectivos veículos, e ainda para 20 Oerlikon GDF mais respectivos directores de tiro. E do nada teríamos uma defesa aérea minimamente digna e com margem para expansão caso seja necessário.
Título: Re: Novos Sistemas de Defesa Aérea
Enviado por: LM em Dezembro 04, 2019, 03:58:38 pm
A questão era o que  sacrificaremos se investirmos 200 milhões em um sistema AA de médio alcance... o que deixávamos de adquirir.
Título: Re: Novos Sistemas de Defesa Aérea
Enviado por: mafets em Dezembro 04, 2019, 04:23:28 pm
A questão era o que  sacrificaremos se investirmos 200 milhões em um sistema AA de médio alcance... o que deixávamos de adquirir.
E um sistema AA de curto alcance serve para que se ainda por cima temos o Stinger? Se o problema é colocar sobre rodas...

(https://imageproxy.themaven.net/https%3A%2F%2Fs3-us-west-2.amazonaws.com%2Fmaven-user-photos%2Fwarriormaven%2Ffuture-weapons%2Fxj1PRXAJeEGdkMiokL25vA%2FShSu0Z5wEUaifoHhZEEjSQ)

(https://img4.goodfon.com/wallpaper/nbig/e/94/american-army-military-army-military-vehicle-american-humv-7.jpg)

Saudações
Título: Re: Novos Sistemas de Defesa Aérea
Enviado por: dc em Dezembro 04, 2019, 11:42:00 pm
A questão era o que  sacrificaremos se investirmos 200 milhões em um sistema AA de médio alcance... o que deixávamos de adquirir.

Atenção que quando falei em 200 milhões é em vários tipos de sistemas, e não só nos de médio alcance. Tudo o que seria para adquirir também seria para substituir os bitubos e os Chaparral. Além de que falei em 200 milhões por alto, possivelmente com recurso a sistemas em segunda-mão e gerindo bem a coisa, com pouco mais de metade deste valor conseguíamos sistemas decentes.

E idealmente esses 200 milhões não seriam retirados a nenhum outro programa e é um investimento que pode ser feito gradualmente num prazo de 10 anos. Mas teria de ser feito antes de 2030, porque depois dessa altura, irão cair todos os grandes programas de substituições nas Forças Armadas, nomeadamente caças e fragatas, o que não deixará muita margem para AA e sistemas vistos como "secundários".
Título: Re: Novos Sistemas de Defesa Aérea
Enviado por: HSMW em Dezembro 05, 2019, 01:02:07 am
Temos Stinger? De certeza?
Título: Re: Novos Sistemas de Defesa Aérea
Enviado por: NVF em Dezembro 05, 2019, 03:49:20 am
Não me digas que os Stinger também foram gamados?  :mrgreen:
Título: Re: Novos Sistemas de Defesa Aérea
Enviado por: Lightning em Dezembro 05, 2019, 07:28:59 am
Se calhar passou a validade.
Título: Re: Novos Sistemas de Defesa Aérea
Enviado por: NVF em Dezembro 05, 2019, 08:50:06 am
Admira-te!
Título: Re: Novos Sistemas de Defesa Aérea
Enviado por: mafets em Dezembro 05, 2019, 09:27:00 am
https://www.exercito.pt/pt/o-que-fazemos/armamento/lanca-misseis/Sistema%20Lan%C3%A7ador%20M%C3%ADssil%20AA%20STINGER (https://www.exercito.pt/pt/o-que-fazemos/armamento/lanca-misseis/Sistema%20Lan%C3%A7ador%20M%C3%ADssil%20AA%20STINGER)

(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fwww.operacional.pt%2Fwp-content%2Fuploads%2F2010%2F09%2F10-tancos-dia-da-brr-28set10-781-copy.jpg&hash=63af787916f02c6fb4c9e9173f7b9245)

(https://cdn.cmjornal.pt/images/2008-03/img_1280x720$2008_03_27_22_38_00_234179.jpg)

http://www.diarioaveiro.pt/noticia/18772 (http://www.diarioaveiro.pt/noticia/18772)

Citar
Vieira de Leiria: Brigada de artilharia e anti-aérea do Exercito faz fogo real e abateu aeronave

(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fwww.diarioaveiro.pt%2Ffiles%2Fnews%2F590b95a32e5ff.png&hash=ed8fe814c7e0d36de02915ebde41ea5f)

Cumprimentos
Título: Re: Novos Sistemas de Defesa Aérea
Enviado por: dc em Dezembro 05, 2019, 03:39:14 pm
A aquisição de mais Stingers será sempre necessária, para os três ramos, nem que seja para manter o stock depois dos (raros) exercícios de fogos reais com os ditos. Além de que, não sabendo o número de Stingers que temos (calculo que não sejam centenas deles) num mundo com ameaça de mini-UAVs além das ameaças convencionais, quantos mais possuirmos, melhor.

Os Avenger também seriam uma hipótese a ter em conta para sistema SHORAD. ADATS também seria uma opção. Caso se quisesse algo novinho em folha, e visto que temos tão poucos praças, pode-se inclusive adquirir as torres MPCV e modificar alguns Pandur APC para as receber. No entanto o ideal seria adquirir mais ST5 para este sistema, mais o radar, mais versão porta-morteiros.

Sistema SHORAD sobre rodas é obrigatório pela necessidade de acompanhar forças terrestres em movimento. É suicídio ter carros de combate modernos sem cobertura AA.
Título: Re: Novos Sistemas de Defesa Aérea
Enviado por: Stalker79 em Dezembro 05, 2019, 03:50:55 pm
A aquisição de mais Stingers será sempre necessária, para os três ramos, nem que seja para manter o stock depois dos (raros) exercícios de fogos reais com os ditos. Além de que, não sabendo o número de Stingers que temos (calculo que não sejam centenas deles) num mundo com ameaça de mini-UAVs além das ameaças convencionais, quantos mais possuirmos, melhor.

Os Avenger também seriam uma hipótese a ter em conta para sistema SHORAD. ADATS também seria uma opção. Caso se quisesse algo novinho em folha, e visto que temos tão poucos praças, pode-se inclusive adquirir as torres MPCV e modificar alguns Pandur APC para as receber. No entanto o ideal seria adquirir mais ST5 para este sistema, mais o radar, mais versão porta-morteiros.

Sistema SHORAD sobre rodas é obrigatório pela necessidade de acompanhar forças terrestres em movimento. É suicídio ter carros de combate modernos sem cobertura AA.

Concordo plenamente!

(https://i2.wp.com/www.worldinwar.eu/wp-content/uploads/2018/04/Pantsir-S1.jpg?fit=1280%2C854)

 :mrgreen:
Título: Re: Novos Sistemas de Defesa Aérea
Enviado por: HSMW em Dezembro 05, 2019, 11:57:27 pm
A aquisição de mais Stingers será sempre necessária, para os três ramos, nem que seja para manter o stock depois dos (raros) exercícios de fogos reais com os ditos. Além de que, não sabendo o número de Stingers que temos (calculo que não sejam centenas deles) num mundo com ameaça de mini-UAVs além das ameaças convencionais, quantos mais possuirmos, melhor.


Centenas?!?!  :rir: Nem um algarismo de duas casas! E dá para contar pelos dedos de uma mão.
É por isso que nem entro nestas discussões.
Estão a falar da enorme omelete que querem para o jantar mas os ovos já acabaram à muito tempo e as galinhas já se foram.
O galinheiro é apenas uma ruína habitada por ratos.
Esta é uma analogia com a realidade do exército.

Décadas de falta de investimento e prioridades trocadas, má gestão de pessoal e recursos num país de corruptos.
Título: Re: Novos Sistemas de Defesa Aérea
Enviado por: dc em Dezembro 06, 2019, 12:10:49 am

Concordo plenamente!

(https://i2.wp.com/www.worldinwar.eu/wp-content/uploads/2018/04/Pantsir-S1.jpg?fit=1280%2C854)

 :mrgreen:

Depois era como a Turquia, levávamos umas sanções dos EUA e nem vias F-35 nem nada em 2030.  :mrgreen:

A aquisição de mais Stingers será sempre necessária, para os três ramos, nem que seja para manter o stock depois dos (raros) exercícios de fogos reais com os ditos. Além de que, não sabendo o número de Stingers que temos (calculo que não sejam centenas deles) num mundo com ameaça de mini-UAVs além das ameaças convencionais, quantos mais possuirmos, melhor.


Centenas?!?!  :rir: Nem um algarismo de duas casas! E dá para contar pelos dedos de uma mão.
É por isso que nem entro nestas discussões.
Estão a falar da enorme omelete que querem para o jantar mas os ovos já acabaram à muito tempo e as galinhas já se foram.
O galinheiro é apenas uma ruína habitada por ratos.
Esta é uma analogia com a realidade do exército.

Décadas de falta de investimento e prioridades trocadas, má gestão de pessoal e recursos num país de corruptos.

Daí ter dito que duvidava que seriam centenas, agora se o número é assim tão baixo, não faço a mínima ideia. Acho que eram dados os números naqueles artigos da Jane's, onde se fala dos Amraam que possuímos e afins, mas não me recordo da quantidade falada.
Felizmente segundo alguns sites, sempre temos os M163 VADS fantasma no Exército.  :mrgreen:

Enfim, podia-se ter ido buscar há muitos anos alguns Avenger para substituir de vez o Chaparral, e agora só tínhamos de nos preocupar em adquirir sistemas HIMAD.
Título: Re: Novos Sistemas de Defesa Aérea
Enviado por: Stalker79 em Dezembro 06, 2019, 12:32:32 am
DC tambem digo-te já. Neste momento e da maneira como o F-35 anda, olha que não sei se nem de borla ficavamos no prejuizo...
Ainda está limitado a mach 1.4 senão o stealth "descola"! Fora todas as outras tangas que ainda estão por resolver e os requisitos estupidos de manutenção do aparelho.
Continuo a dizer que daqui até 2030 ainda pode aparecer mais alguma coisa no mercado e que não deviamo-nos atirar de cabeça pro F-35.
 :-P
Título: Re: Novos Sistemas de Defesa Aérea
Enviado por: dc em Dezembro 06, 2019, 12:52:24 am
Concordo, e até 2030 ainda dá tempo para os nossos amigos operadores do F-35 arranjarem os defeitos do dito avião.  :mrgreen:
Mas ao preço actual do F-35, acho pouco provável que nos próximos 10 anos surja um caça de 5ª geração a um preço igualmente apelativo.
Título: Re: Novos Sistemas de Defesa Aérea
Enviado por: Stalker79 em Dezembro 06, 2019, 04:01:30 pm
Concordo, e até 2030 ainda dá tempo para os nossos amigos operadores do F-35 arranjarem os defeitos do dito avião.  :mrgreen:
Mas ao preço actual do F-35, acho pouco provável que nos próximos 10 anos surja um caça de 5ª geração a um preço igualmente apelativo.

Ao menos isso, os paises que mais podem que aguentem os custos de arranjar os "bugs" e quando chegar a nossa vez que já venha mais ou menos direito...
Ainda estou pra ver o que vai sair do Japão e da Korea do sul. São paises bem capazes na area de armamento e estão com ideas de fazer caças proprios.
Pra não falar no tal Flygsystem 2020 que os Suecos supostamente iam fazer a seguir ao Gripen E. Deixa rolar.
 :-P
Título: Re: Novos Sistemas de Defesa Aérea
Enviado por: LM em Dezembro 06, 2019, 04:16:12 pm
Concordo, e até 2030 ainda dá tempo para os nossos amigos operadores do F-35 arranjarem os defeitos do dito avião.  :mrgreen:
Mas ao preço actual do F-35, acho pouco provável que nos próximos 10 anos surja um caça de 5ª geração a um preço igualmente apelativo.

Ao menos isso, os paises que mais podem que aguentem os custos de arranjar os "bugs" e quando chegar a nossa vez que já venha mais ou menos direito...
Ainda estou pra ver o que vai sair do Japão e da Korea do sul. São paises bem capazes na area de armamento e estão com ideas de fazer caças proprios.
Pra não falar no tal Flygsystem 2020 que os Suecos supostamente iam fazer a seguir ao Gripen E. Deixa rolar. :-P

Os suecos não iam participar no BAE Systems Tempest...?
Título: Re: Novos Sistemas de Defesa Aérea
Enviado por: Stalker79 em Dezembro 06, 2019, 04:22:31 pm
Concordo, e até 2030 ainda dá tempo para os nossos amigos operadores do F-35 arranjarem os defeitos do dito avião.  :mrgreen:
Mas ao preço actual do F-35, acho pouco provável que nos próximos 10 anos surja um caça de 5ª geração a um preço igualmente apelativo.

Ao menos isso, os paises que mais podem que aguentem os custos de arranjar os "bugs" e quando chegar a nossa vez que já venha mais ou menos direito...
Ainda estou pra ver o que vai sair do Japão e da Korea do sul. São paises bem capazes na area de armamento e estão com ideas de fazer caças proprios.
Pra não falar no tal Flygsystem 2020 que os Suecos supostamente iam fazer a seguir ao Gripen E. Deixa rolar. :-P

Os suecos não iam participar no BAE Systems Tempest...?

Nem tinha reparado. Lá vêm Suecos novos só lá pra 2040...  Esqueçam.
 :-P
Título: Re: Novos Sistemas de Defesa Aérea
Enviado por: dc em Dezembro 06, 2019, 05:24:45 pm
Concordo, e até 2030 ainda dá tempo para os nossos amigos operadores do F-35 arranjarem os defeitos do dito avião.  :mrgreen:
Mas ao preço actual do F-35, acho pouco provável que nos próximos 10 anos surja um caça de 5ª geração a um preço igualmente apelativo.

Ao menos isso, os paises que mais podem que aguentem os custos de arranjar os "bugs" e quando chegar a nossa vez que já venha mais ou menos direito...
Ainda estou pra ver o que vai sair do Japão e da Korea do sul. São paises bem capazes na area de armamento e estão com ideas de fazer caças proprios.
Pra não falar no tal Flygsystem 2020 que os Suecos supostamente iam fazer a seguir ao Gripen E. Deixa rolar.
 :-P

Mesmo que tanto a Coreia do Sul como o Japão façam um caça com performance aproxinada ao F-22, duvido que seja barato, a não ser que a procura internacional para um destes caças sejam grande, e que aceitem vender e que não haja embargos dos americanos.

Esperar por caças de 6ª geração era possível, mas tinha de se comprar novos F-16V para aguentarem até lá.
Título: Re: Novos Sistemas de Defesa Aérea
Enviado por: jpthiran em Dezembro 06, 2019, 06:29:47 pm
Boa noite.

Li já mais de uma vez que os F-35 para funcionar em modo furtivo só podem levar 2 mísseis no seu interior.

Assim sendo o avião tem muito pouca capacidade de combate.

Nestas condições parece o avião pouco mais serve do que para detectar aviões inimigos.

Se estas conclusões tiverem certas, para manter alguma capacidade ofensiva conviria manter os F 16.

Será que é assim ?
Título: Re: Novos Sistemas de Defesa Aérea
Enviado por: dc em Dezembro 06, 2019, 06:48:53 pm
Pode levar 4 mísseis internos (AMRAAM), ou 2 mísseis e 2 bombas (AMRAAM e JDAM por exemplo). De resto, tudo carga externa.
Não sei até que ponto poderá levar internamente mais do que 2 SDBs ou os mísseis anti-tanque derivados do Brimstone que não me recordo do nome. E o JSM da Kongsberg ou o LRASM americano não sei se também podem.

Segundo alguns gráficos que vi na net, pode até levar 2 AIM-9X e 14 AIM-120 em configuração não-stealth.

(https://theaviationgeekclub.com/wp-content/uploads/2017/12/Comparison.jpg)
Título: Re: Novos Sistemas de Defesa Aérea
Enviado por: NVF em Dezembro 07, 2019, 12:54:36 pm
02 ou 04 mísseis por aeronave é ideal para manter os arsenais baixinhos e enganar o inimigo.
Título: Re: Novos Sistemas de Defesa Aérea
Enviado por: HSMW em Dezembro 07, 2019, 02:22:54 pm
Tópico do F-35  :arrow: https://www.forumdefesa.com/forum/index.php?topic=770.795