ForumDefesa.com

Geopolítica-Geoestratégia-Política de Defesa => Portugal => Tópico iniciado por: Miguel Silva Machado em Novembro 27, 2011, 01:01:03 pm

Título: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: Miguel Silva Machado em Novembro 27, 2011, 01:01:03 pm
Em 23 de Novembro de 2011 o Primeiro-Ministro, Pedro Passos Coelho, tornou público pela primeira vez o que pensa sobre as Forças Armadas Portuguesas: o que fizeram, o que fazem e para onde devem caminhar. Segundo Passos Coelho urge reformar e modernizar as Forças Armadas.
Como todos os que se interessam e vivem estas temáticas bem sabem, mesmo havendo sempre uma boa explicação para a adopção destas designações (reestruturação; reorganização; transformação; reforma), isso importa bem menos do que a realidade que depois se nos depara no terreno.

http://www.operacional.pt/reformar-e-mo ... s-armadas/ (http://www.operacional.pt/reformar-e-modernizar-as-forcas-armadas/)
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: nelson38899 em Maio 08, 2012, 09:39:56 pm
Citar
O chefe do Estado-Maior General das Forças Armadas (CEMGFA) defendeu hoje uma reestruturação do Estado-Maior General (EMGFA), que deverá passar pela redução de efetivos e fusão de serviços e obriga a uma revisão da lei orgânica.

"Está identificado que no EMGFA se pode fazer melhor e se pode fazer melhor emagrecendo", afirmou o general Luís Araújo, que falava num encontro com jornalistas.
O comandante operacional das Forças Armadas disse, por exemplo, querer transferir as competências do Comando Operacional dos Açores e da Madeira para o Comandante Operacional Conjunto ou reduzir o número de generais na estrutura diretiva do Instituto de Estudos Superiores Militares.
"Não querendo estar a fulanizar dou-vos um exemplo: a Direção-Geral de Política de Defesa (na dependência do Ministério) tem muita coisa que é redundante com a Divisão de Planeamento Estratégico Militar (do EMGFA). Onde começa uma e acaba a outra, isso tem de ser muito bem definido, mas há coisas que podem aí ser racionalizadas, no meu entendimento", defendeu ainda.
Também o Estado-Maior Conjunto, criado com a Lei Orgânica de Bases da Organização das Forças Armadas (LOBOFA) de 2009, "é para acabar".
As mudanças apontadas pelo CEMGFA vão obrigar a alterações na LOBOFA e na lei orgânica do EMGFA.
O general adiantou que o efetivo de 660 elementos previsto na (LOBOFA), aprovada em 2009, nunca chegou a estar em funcionamento.
"O projeto de decreto regulamentar que definia os efetivos para esta LOBOFA não está em vigor, é uma proposta e ficou assim", declarou, referindo que o Ministério das Finanças nunca aprovou este documento.
Luís Araújo afirmou que a Assembleia da República "tem mais que fazer do que andar a fazer Leis de Defesa Nacional e leis orgânicas (de valor reforçado e que exigem dois terços dos deputados) todos os anos", mas que é preciso "claramente fazer ajustamentos para tornar as estruturas de comando e controlo mais ágeis, mais magras, mais assertivas quanto ao processo de decisão".
"Não sou arauto de grandes reestruturações que depois não se consubstanciam em nada, eu gosto muito das chamadas reformas gradualistas, em que nós temos uma visão e ajustamos as organizações e estruturas à nossa visão", apontou.
dn.pt

Citar
Um general português de uma estrela vai ocupar, em permanência, o cargo de diretor de operações aéreas da NATO existente na base espanhola de Torrejón, revelou hoje o chefe do Estado-Maior General das Forças Armadas (CEMGFA).

O general Luís Araújo, que recebeu um grupo de jornalistas, disse que a decisão final sobre a distribuição pelos países aliados dos cargos de oficiais generais na nova estrutura de comandos da NATO foi tomada há poucos dias e garantiu uma representação satisfatória para Portugal.
No caso do centro de operações aéreas combinadas (CAOC) de Torrejón, a atribuição permanente daquele cargo a Portugal acabou por funcionar como "um bónus", referiu o CEMGFA.
Isso resulta - ao contrário do que sucede nestes casos - de esse lugar de oficial general não implicar a correspondente colocação de mais duas dezenas de militares (pagos pelo país de origem, à razão de 100 mil euros anuais cada um) na estrutura de comandos da Aliança.
Portugal garantiu ainda três outros "postos de bandeira" na estrutura operacional aliada, embora em rotação com outros países: um general de duas estrelas como representante do supremo comandante operacional da Aliança (SACEUR) no Comité Militar (Bruxelas, em rotação com a Holanda); uma estrela para adjunto do chefe do Estado-Maior para o Planeamento em Norfolk (EUA, a rodar com o Canadá); uma estrela para comandante do Centro Conjunto de Análise e Lições Aprendidas (Lisboa, a rodar com a Roménia).
Nestes três casos, que implicam a colocação de mais "60 a 70" militares portugueses em cargos NATO, Portugal é o primeiro a assumir o posto de representante do SACEUR no Comité Militar, enquanto nos outros dois serão o Canadá e a Roménia.
Globalmente, Portugal vai ter apenas duas estrelas no conjunto dos "postos de bandeira" na estrutura militar da NATO, contra as atuais 2,5. Essa redução ocorreu também com os restantes países da Aliança e resulta da redução do número de comandos e de postos.

dn.pt
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: nelson38899 em Maio 18, 2012, 09:16:49 am
Citar
O Governo aprovou esta quinta-feira, em Conselho de Ministros, a criação do pólo de Lisboa do Hospital das Forças Armadas (HFA), soube o DN.

A decisão, há muito esperada, vai permitir que o ministro da Defesa dê posse à comissão instaladora do HFA, que vai ser presidida pelo major-general Silva Graça (Exército), conforme o DN noticiou em janeiro, e depois ao restante pacote da reforma da Saúde Militar, disse fonte oficial.
Segundo as fontes do DN, essa comissão - que funcionará como a primeira direção do HFA - vai integrar também o major-general Eduardo Santana (Força Aérea), o capitão-de-mar-e-guerra Jesus Silva (Marinha) e o tenente-coronel José Vieira (em representação do Estado-Maior General das Forças Armadas), além de um representante do ministério ainda por indicar.
A sua posse ocorrerá depois de o ministro José Pedro Aguiar-Branco regressar das visitas aos EUA (onde participa este fim-de-semana na cimeira da NATO) e ao Brasil (logo a seguir).
O HFA, a instalar no espaço agora ocupado pelo hospital da Força Aérea no Lumiar, decorre da fusão entre os hospitais dos três ramos das Forças Armadas e já tinha sido aprovado pelo Governo anterior - a qual estará concluída 18 meses após a entrada em vigor do diploma agora aprovado.
O atual Executivo aprovou a instalação do HFA no Lumiar, tendo como missão prestar cuidados de saúde diferenciados aos militares das Forças Armadas e à família militar, assim como aos deficientes militares.

dn.pt
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: miguelbud em Fevereiro 12, 2013, 11:05:45 am
Há falta de melhor tópico, coloco aqui este link do programa Olhos nos Olhos de ontem á noite com o Dr. Medina Carreira e o General Loureiro dos Santos onde se abordou este tema.

http://www.tvi.iol.pt/videos/13804357 (http://www.tvi.iol.pt/videos/13804357)
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: jurista em Fevereiro 12, 2013, 12:49:17 pm
Uma excelente troca de opiniões, que na minha opinião mostra a leviandade com que são tratadas as forças armadas. Deve-se cortar onde seja possível? Sim, quanto mais não seja por uma questão simbólica. Agora, um corte cego, não estudado e completamente a direito, que pode comprometer ainda mais a capacidade das FA's e ainda para mais não ter impacto nenhum que se veja a nível de redução de custos nacional é, o mínimo, irresponsável!
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: Camuflage em Fevereiro 12, 2013, 01:21:23 pm
Então com 190 Generais em Portugal, aparece sempre o mesmo tipo nos media? Quem é ele afinal? Porque não chamam antes o Ramalho Eanes?
Vi por 10 min o excerto aqui deixado e fiquei a saber o mesmo sobre as forças armadas... o homem fala fala e não explica rigorosamente nada, é só retórica. Até o Nuno Rogeiro é faria melhor.
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: jurista em Fevereiro 12, 2013, 02:32:43 pm
Citação de: "Camuflage"
Então com 190 Generais em Portugal, aparece sempre o mesmo tipo nos media? Quem é ele afinal? Porque não chamam antes o Ramalho Eanes?
Vi por 10 min o excerto aqui deixado e fiquei a saber o mesmo sobre as forças armadas... o homem fala fala e não explica rigorosamente nada, é só retórica. Até o Nuno Rogeiro é faria melhor.

Várias coisas: talvez por apenas teres visto os primeiro dez é que achaste isso, porque de resto ele foi claro a explicar. Também é fácil perceber porque não chamam o Ramalho Eanes: 1) por muito valor que tenha (e tem e teve) chegou a general e CEME do exército por graduação, pois era tenente-coronel. 2) foi Presidente da República e portanto em muita coisa adquiriu uma visão não-militar ou política sobre a situação, e a ideia aqui era ter uma visão estritamente militar, penso eu
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: miguelbud em Fevereiro 12, 2013, 04:09:12 pm
Citação de: "Camuflage"
Então com 190 Generais em Portugal, aparece sempre o mesmo tipo nos media? Quem é ele afinal? Porque não chamam antes o Ramalho Eanes?
Vi por 10 min o excerto aqui deixado e fiquei a saber o mesmo sobre as forças armadas... o homem fala fala e não explica rigorosamente nada, é só retórica. Até o Nuno Rogeiro é faria melhor.

Nao sao 10 minutos, passados 10 minutos dá publicidade, mas depois continua até ao minuto 56. Até aos 10 minutos a jornalista está constantemente a interrompe-lo, mas depois acalma-se.
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: Camuflage em Fevereiro 12, 2013, 08:39:59 pm
Citação de: "jurista"
Várias coisas: talvez por apenas teres visto os primeiro dez é que achaste isso, porque de resto ele foi claro a explicar. Também é fácil perceber porque não chamam o Ramalho Eanes: 1) por muito valor que tenha (e tem e teve) chegou a general e CEME do exército por graduação, pois era tenente-coronel. 2) foi Presidente da República e portanto em muita coisa adquiriu uma visão não-militar ou política sobre a situação, e a ideia aqui era ter uma visão estritamente militar, penso eu

Ainda mais motivos para ser o Ramalho Eanes o convidado, ao menos tem as duas visões. E se virmos o currículo de ambos, o Loureiro dos Santos é um "académico" e nada mais que isso.

Para que servem as forças armadas? Não foi respondido sequer. O homem falou nas primaveras árabes, na guerra do Mali, da Nato, mas não responde ao essencial, não consegue sintetizar e a resposta é sempre "soberania" como se o país estivesse rodeado de maluquinhos bombistas e precisasse de andar sempre assegurar-se se tem o fecho das calças fechado ou não. Não evidencia qualquer ameaça iminente ou prioritária limita-se atirar coisas para o ar. Critica fortemente o governo por cortar, não é capaz de auto-critica ou seja de criticar quintais, luxos e excessos. Tem sonhos molhados com as missões externas e aquisição de equipamentos, não menciona uma única vez a possibilidade e o uso que ocorre das forças armadas no auxilio da população. E volta a trazer a velha história dos helis para o exército "é o único país cujo exército não tem helicópteros", e corvetas, o exército também não quererá?

Sinceramente deve haver alguém bem melhor que esta pessoa para falar sobre a causa militar, porque no fundo é o que ele vai defender, está-se cagando para os contribuintes e para os portugueses não-militares. Falou falou e bem esprimido não disse quase nada, não culpem a jornalista, ela estava a tentar fazer com que ele fosse objectivo e não se desviasse do assunto como o fez.

Não sei onde ele foi buscar os números de gastos do PIB de 2011, mas os que vi são diferentes e há países na UE a gastar "menos":

País - PIB
Portugal - 2.0%
Dinamarca - 1.5%
Finlândia - 1.5%
Áustria - 0.9%
Bélgica - 1.1%
Bulgária - 1.1%

fonte: http://data.worldbank.org/indicator/MS.MIL.XPND.GD.ZS (http://data.worldbank.org/indicator/MS.MIL.XPND.GD.ZS)

A questão é que a % do PIB é relativa, se eu tenho 100€ e o General tem 1000€, 10% dos meu valor significa 10€, já no caso do general significa 100€... portanto falar em valores percentuais do PIB é no mínimo tentar atirar areia para os olhos das pessoas!
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: miguelbud em Fevereiro 12, 2013, 10:15:03 pm
Caro Camuflage,

Nao querendo colocar a sua opiniao em questao, até porque terá muito mais conhecimento sobre a matéria do que eu, parece-me que nao está a ter em conta  um ponto muito importante que é o facto de este ser um programa para leigos.
Confesso que gostei do programa e tendo em conta o conhecimento que a populaçao portuguesa tem das FA, acho que o sr. general focou pontos importantes:
-   A situaçao política do Mali como potencial ameaça á Europa, tendo em conta que se poderá tornar num santuário para terroristas;
-   O prestígio que as nossas FA tem no Afganistao;
-   A situaçao dos deficientes das FA;
-   A forma como os cortes nos orçamento devem ser feitos;
-   O regresso do SMO
-   O facto do investimento/ modernizaçao em equipamentos nas FA permitir serem amortizados ao longo dos anos através da reduçao de pessoal para os operar.
Enfim houve várias coisas que foram ditas , que a populaçao em geral nao sabe e devia saber (para mim muito pouco de novo porque frequento o Forum Defesa  :D ).

Em relaçao a criticar os quintais, isso devia ter sido a jornalista a puxar o assunto e espreme-lo, é para isso que é jornalista. Mas esta senhora nao tem perfil para conduzir um programa como estes, pois está sempre a interromper os convidados interrompendo-lhes o raciocínio.  Sou seguidor do programa e essas interrupçoes sao constantes.

Por último, em relaçao á % do PIB que é alocado ás FA. Apesar de ser relativo, pois 1% do PIB holandes em termos absolutos é mais do dobro do que 2% do PIB portugues, é o  melhor indicador possível e nao há maneira mais honesta de o fazer.

Cumpts
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: PereiraMarques em Fevereiro 12, 2013, 10:25:19 pm
A % do PIB português gasto na Defesa, incluí items tais como: Polícia Marítima, Busca e Salvamento, vencimentos dos militares a exercerem actividades fora das Forças Armadas e das estruturas da Defesa Nacional, entre outros. Items que em alguns países não estão incluídos na rubrica da Defesa Nacional, mas sim noutras rubricas ou apenas parcialmente na Defesa Nacional. No "bolo total" poderão significar apenas 0,1% ou 0,2% mas sempre representam qualquer coisa.
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: mafets em Fevereiro 12, 2013, 10:42:10 pm
Pessoalmente sou da opinião que o Loureiro dos Santos está coberto de razão. Em outras temáticas faltou-lhe objectividade mas no geral agora disse o que tinha a dizer, enquadrando em situações actuais, futuras e principalmente a propósito de um governo que quer cortar para poupar mas só a titulo de exemplo aumentou em 126 milhões o orçamento do Parlamento para 2013 e reduziu nos 330 milhões de euros anuais para as fundações uns miseráveis 80 milhões. Corte-se primeiro nas "gorduras do estado"  e nos politicos que só em deputados temos mais que por exemplo a Austrália. Mostrem resultados concretos da politica de austeridade, que resultem num crescimento económico, num nivel de desemprego aceitavel (e não nos 16,5% actuais) na melhoria de vida da população e não apenas na descida do deficit (o qual desceu é certo mas subiu o valor da divida externa e do valor total dos juros)  e depois aí, sim senhor falemos do resto.

Aliás foi o proprio Ramalho Eanes que disse e muito bem (possivelmente depois de ver as fotografias da miséria grega fomentada pelos seus politicos e pela troika) " A mim podem-me cortar mais mas mostrem-me resultados".  

No jornalismo português conto pelo menos umas 3 vezes em uma decada uma noticia deste genero "caiu um helicóptero super cobra morreram 14 tripulantes". Cobras e Apaches levam 2 tripulantes, Black Hawks e Huyes é que levam tripulação mais soldados. Portanto só por aqui está tudo dito... :mrgreen:  

Citar
Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
 por PereiraMarques » Terça 12 Fev, 2013 10:25 pm

A % do PIB português gasto na Defesa, incluí items tais como: Polícia Marítima, Busca e Salvamento, vencimentos dos militares a exercerem actividades fora das Forças Armadas e das estruturas da Defesa Nacional, entre outros. Items que em alguns países não estão incluídos na rubrica da Defesa Nacional, mas sim noutras rubricas ou apenas parcialmente na Defesa Nacional. No "bolo total" poderão significar apenas 0,1% ou 0,2% mas sempre representam qualquer coisa.


E ainda acrescento. Na Italia, a classe de LPD San. Giorgio composta por 3 navios tem o San Marcos totalmente pago pelo Minsistério do Interior e portanto é da protecção civil. Apesar de ser operado pela Marinha Italiana tem maiores instalações médicas e hospitalares para apoio à população em caso de catástrofes. POr cá reduz-se efectivos, meios, mas aumenta-se a responsabilidade das FA.  

Mas como acima referi, estas linhas são apenas uma opinião pessoal. Nada mais do que isso.

Cumprimentos
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: Camuflage em Fevereiro 12, 2013, 10:54:30 pm
Citação de: "miguelbud"
Caro Camuflage,

Nao querendo colocar a sua opiniao em questao, até porque terá muito mais conhecimento sobre a matéria do que eu, parece-me que nao está a ter em conta  um ponto muito importante que é o facto de este ser um programa para leigos.
Confesso que gostei do programa e tendo em conta o conhecimento que a populaçao portuguesa tem das FA, acho que o sr. general focou pontos importantes:
-   A situaçao política do Mali como potencial ameaça á Europa, tendo em conta que se poderá tornar num santuário para terroristas;
-   O prestígio que as nossas FA tem no Afganistao;
-   A situaçao dos deficientes das FA;
-   A forma como os cortes nos orçamento devem ser feitos;
-   O regresso do SMO
-   O facto do investimento/ modernizaçao em equipamentos nas FA permitir serem amortizados ao longo dos anos através da reduçao de pessoal para os operar.
Enfim houve várias coisas que foram ditas , que a populaçao em geral nao sabe e devia saber (para mim muito pouco de novo porque frequento o Forum Defesa  :D ).

Em relaçao a criticar os quintais, isso devia ter sido a jornalista a puxar o assunto e espreme-lo, é para isso que é jornalista. Mas esta senhora nao tem perfil para conduzir um programa como estes, pois está sempre a interromper os convidados interrompendo-lhes o raciocínio.  Sou seguidor do programa e essas interrupçoes sao constantes.

Por último, em relaçao á % do PIB que é alocado ás FA. Apesar de ser relativo, pois 1% do PIB holandes em termos absolutos é mais do dobro do que 2% do PIB portugues, é o  melhor indicador possível e nao há maneira mais honesta de o fazer.

Cumpts

A questão é mesmo essa, era um programa para leigos! Portanto devia procurar vender o seu peixe de forma adequada e não andar ali dispersado por questões alheias ao melhor interesse do povo. Sejamos francos a lenga lenga do "defender a soberania" é igual a 0, o país mesmo sem forças armadas tem a sua soberania garantida nos dias de hoje. Falar no Mali, Al qaeda, terrorismo e conflitos alheios a Portugal ou externos, são indiferentes à população portuguesa, por muita importância que possam ter do ponto de vista militar. O Medina disse algo importante e passou ao lado pelos vistos: "se houvesse um referendo sobre as forças armadas não tenho dúvidas que a população votaria contra, pois para ela a policia é bem mais importante" e isto representa a realidade e o peso que as forças armadas têm junto da população. Salvo unidades da FAP (busca e salvamento) e da Marinha, o resto é paisagem, não há marketing, não procuram ser mais interventivos e só se ouve falar nas suas excelências através destes comentaristas ou quando as coisas correm mal (roubo das armas, a rapariga que morreu no dia de defesa nacional etc). E suas excelências por sua vez ficam sentinhos a fazer birra e a chorar "a culpa é dos políticos", e nunca dão a cara por nada. Se nem o povo conseguem convencer sobre a sua importância, usando uma linguagem adequada aos interesses do povo, como esperam que não haja descrença e desconfiança sobre a elite militar portuguesa?

Os militares têm que aprender a dar mais valor ao contribuinte, compreender e ajustar-se às necessidades de quem os paga e não achar que o $ deve ser usado a seu belo prazo para manter uma estrutura arcaica e desadequada aos tempos modernos e à economia do país.

Cortar nas gorduras? 190 Generais não serão gorduras? Como anda o quadro de oficiais? Não terá gente a mais? E não haverá serviços que podiam ser alvo de fusão? Os oficiais não recebem salário a mais na nossa realidade? E cortar nas regalias dos oficiais de topo? São mesmo precisos tantos chefes de estado?
Pois é o problema é mesmo esse, olha-se demasiado para o quintal do vizinho... quando o sr general for capaz de apontar onde se pode cortar nas forças armadas, mas com coragem, sem medo de magoar egos dos seus amigos, então estarei de ouvidos e olhos bem abertos.
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: LuisC em Fevereiro 12, 2013, 11:09:15 pm
Citação de: "Camuflage"

Não sei onde ele foi buscar os números de gastos do PIB de 2011, mas os que vi são diferentes e há países na UE a gastar "menos":

País - PIB
Portugal - 2.0%
Dinamarca - 1.5%
Finlândia - 1.5%
Áustria - 0.9%
Bélgica - 1.1%
Bulgária - 1.1%

fonte: http://data.worldbank.org/indicator/MS.MIL.XPND.GD.ZS (http://data.worldbank.org/indicator/MS.MIL.XPND.GD.ZS)


Parece-me que para 2013 a percentagem do PIB ficará nos 1.33%.



Quanto ao General Loureiro dos Santos, concordo, o homem não diz rigorosamente nada e parece-me a mim que por manifesta falta de conhecimentos…basta reparar na atrapalhação relativa ao número de efetivos das Forças Armadas (Min. 5.40).

Ainda não me esqueci da posição assumida pelo dito general aquando da compra dos submarinos e da formação da segunda esquadra de F-16s…tudo o que não fossem compras para o Exército o homem era contra.

Continua-se a dizer que o Exército Português é o único exército da NATO que não opera helicópteros, o que não é verdade…exércitos como os da Dinamarca, Holanda ou Noruega também não operam helicópteros, entre outros…  

Quanto mim tinham por exemplo um convidado muito melhor preparado para este programa…o ex-CEME General Pinto Ramalho.
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: mafets em Fevereiro 13, 2013, 12:23:00 am
Citar
Cortar nas gorduras? 190 Generais não serão gorduras? Como anda o quadro de oficiais? Não terá gente a mais? E não haverá serviços que podiam ser alvo de fusão? Os oficiais não recebem salário a mais na nossa realidade? E cortar nas regalias dos oficiais de topo? São mesmo precisos tantos chefes de estado?
Pois é o problema é mesmo esse, olha-se demasiado para o quintal do vizinho... quando o sr general for capaz de apontar onde se pode cortar nas forças armadas, mas com coragem, sem medo de magoar egos dos seus amigos, então estarei de ouvidos e olhos bem abertos.

Bem,

Em 1999 num trabalho "academico" sobre a temática, a piramide estava de facto invertida. Havia mais oficiais que sargentos e praças. Outra realidade que se verificava era que larga percentagem da população inquerida desconhecia a maioria das missões de utilidade pública e humanitárias que as F.A. faziam, embora reconhecesse por maioria que as Forças Armadas deviam continuar (a percentagem quase duplicava quando conheciam as missões de utilidade publica das F.A.). Agora, isto eram dados de 1998 e sinceramente não sei como está a situação actual pois à mais de uma decada que não olho estatisticamante para esta temática ( e entretanto ainda houve pelo meio o fim do SMO). O Instituto de Defesa Nacional e as FA não publicaram na altura o trabalho, paciência. Duvido também que alguem tenha actualizado os dados pois por norma os trabalhos nesta area são mais dirigidos do que propriamente objectivos  

Desconheço as funções de 190 generais da mesma forma que desconheço o que fazem 190 parlamentares. Agora se falamos de gastos 190 generais gastam menos que 190 deputados.Tendencialmente olha-se para os ordenados mas ajudas de custo são o verdadeiro problema. Quantos institutos, observatórios, fundações, passiveis de fusões e restruturações existem?  Para que tantos politicos, acessores, conselheiros?  Cortamos primeiro nas regalias dos politicos, depois vamos ao resto. Se é preciso cortar 4 mil milhões começa-se a cortar onde se gasta mais e não onde é mais facil nomeadamente aos militares que pouco mais podem fazer que "embirrarem" e aos contribuintes que são obrigados a "amocharem".

Portugal sempre teve um problema de quintais.  E é verdade que ainda o tem. Agora, se é por esta razão que o General Loureiro dos Santos não diz preto no branco o que cortar nas F.A, se é por desconhecimento ou impreparação, desconheço. Sejam as calinadas do passado a "turvar" a opinião do Sr. General e portanto a semear a descordia sobre os pontos de vista que defende, ou os compadrios e panelinhas , não sei. Mas neste caso comparo-o ao do Relvas sobre a RTP; Independente do politico que é e do "curso" que tirou concordo que à que acabar com a balburdia e gastos do tal "serviço publico" que eu não tenho de pagar.

Portanto é tudo uma questão de opinião. Na minha cortava-se primeiro nos politicos e depois no resto. Mas vivemos em democracia e como tal respeito quem tem opinião contrária.  

Cumprimentos
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: Camuflage em Fevereiro 13, 2013, 06:51:57 pm
Citação de: "mafets"
Bem,

Em 1999 num trabalho "academico" sobre a temática, a piramide estava de facto invertida. Havia mais oficiais que sargentos e praças. Outra realidade que se verificava era que larga percentagem da população inquerida desconhecia a maioria das missões de utilidade pública e humanitárias que as F.A. faziam, embora reconhecesse por maioria que as Forças Armadas deviam continuar (a percentagem quase duplicava quando conheciam as missões de utilidade publica das F.A.). Agora, isto eram dados de 1998 e sinceramente não sei como está a situação actual pois à mais de uma decada que não olho estatisticamante para esta temática ( e entretanto ainda houve pelo meio o fim do SMO). O Instituto de Defesa Nacional e as FA não publicaram na altura o trabalho, paciência. Duvido também que alguem tenha actualizado os dados pois por norma os trabalhos nesta area são mais dirigidos do que propriamente objectivos  

Desde então e principalmente com o fim do SMO o rácio de oficiais por praças aumentou claramente, se nessa altura já era elevado, agora sem grandes estudos pode-se concluir o que se passou. Ainda por cima em 13 anos não se reformaram assim tantos oficiais face ao números dos que se formaram.
Este tipo de dados nunca lhes interessa, é mau marketing portanto fica na gaveta, certamente é mais um estudo que teve custos e para variar acabou tal como os estudos feitos pelos governos... mete na gaveta e esconde que isto não interessa.

Desconheço as funções de 190 generais da mesma forma que desconheço o que fazem 190 parlamentares. Agora se falamos de gastos 190 generais gastam menos que 190 deputados.Tendencialmente olha-se para os ordenados mas ajudas de custo são o verdadeiro problema. Quantos institutos, observatórios, fundações, passiveis de fusões e restruturações existem?  Para que tantos politicos, acessores, conselheiros?  Cortamos primeiro nas regalias dos politicos, depois vamos ao resto. Se é preciso cortar 4 mil milhões começa-se a cortar onde se gasta mais e não onde é mais facil nomeadamente aos militares que pouco mais podem fazer que "embirrarem" e aos contribuintes que são obrigados a "amocharem".

Isso é a forma errada de ver as coisas. Estar sempre a olhar para o que outros fazem. Se achamos que o nosso trabalho é bom então temos que o mostrar, não vamos esconde-lo e criticar o trabalho alheio. E sempre que se critica o sector militar, curiosamente em sua defesa criticam os políticos, parece quase um circulo. Mas isto é uma falsa questão, os militares são sempre os mesmos, os políticos vão e vêm, portanto nada como atirar as culpas para os outros...
Sim há muitos gastos na vida politica, mas ao menos podes consultar vários desses gastos, ver as faltas dadas por suas excelências, bem como as actividades em que estão envolvidos: http://www.parlamento.pt/DeputadoGP/Pag ... ault2.aspx (http://www.parlamento.pt/DeputadoGP/Paginas/default2.aspx) agora questiono-te: onde posso como contribuinte ver o mesmos dados sobre os generais? Como é óbvio não peço para ter acesso aos assuntos sigiloso, mas sei menos sobre as actividades destes indivíduos, que são pagos também com os meus descontos. E não há ninguém que venha a público dizer "somos 190, estamos nestes institutos/quartéis/ministérios e o nosso trabalho é este assim assado". Em vez disso escondem-se.

Citação de: "mafets"
Portugal sempre teve um problema de quintais.  E é verdade que ainda o tem. Agora, se é por esta razão que o General Loureiro dos Santos não diz preto no branco o que cortar nas F.A, se é por desconhecimento ou impreparação, desconheço. Sejam as calinadas do passado a "turvar" a opinião do Sr. General e portanto a semear a descordia sobre os pontos de vista que defende, ou os compadrios e panelinhas , não sei. Mas neste caso comparo-o ao do Relvas sobre a RTP; Independente do politico que é e do "curso" que tirou concordo que à que acabar com a balburdia e gastos do tal "serviço publico" que eu não tenho de pagar.

Portanto é tudo uma questão de opinião. Na minha cortava-se primeiro nos politicos e depois no resto. Mas vivemos em democracia e como tal respeito quem tem opinião contrária.  

Cumprimentos

No que toca ao general, acho apenas estranho que seja sempre este aparecer, e francamente não o acho com grandes conhecimentos da coisa. Dá a sensação que pouco sabe, seja convidado para comentar uma guerra ou este tipo de programas, é pouco esclarecedor e transmite a ideia que foi um carreirista que lambeu umas botas para ir subindo.

Para mim tratar por Sr. General, só mesmo Ramalho Eanes:

Citar
Segue a carreira das armas entrando para o exército em 1952, estudando tácticas militares (Escola do Exército, de 1952 a 1956; Estágio CIOE-Curso de Instrução de Operações Especiais, em 1962; instrutor de Acção Psicológica no Instituto de Altos Estudos Militares, em 1962). Frequenta, aínda, o Instituto Superior de Psicologia Aplicada, durante três anos.

No exército, Ramalho Eanes segue a Arma de Infantaria. Serve na Guerra Colonial onde combateu na Índia Portuguesa, Macau, Moçambique, Guiné-Bissau e Angola.
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: PereiraMarques em Fevereiro 13, 2013, 11:44:34 pm
Para rir ou chorar...um Batalhão de Infantaria que só tem uma Companhia de Atiradores e mesmo esta está incompleta...

(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fimg13.imageshack.us%2Fimg13%2F2502%2Forganizac3a7c3a3o.jpg&hash=0d4feb6f02327ec15b53f2ff449de6f9)

http://www.exercito.pt/sites/1BIMec/Pub ... s/Organiza (http://www.exercito.pt/sites/1BIMec/PublishingImages/Organiza)ção.jpg
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: mafets em Fevereiro 14, 2013, 12:03:45 am
Citar
Isso é a forma errada de ver as coisas. Estar sempre a olhar para o que outros fazem. Se achamos que o nosso trabalho é bom então temos que o mostrar, não vamos esconde-lo e criticar o trabalho alheio. E sempre que se critica o sector militar, curiosamente em sua defesa criticam os políticos, parece quase um circulo. Mas isto é uma falsa questão, os militares são sempre os mesmos, os políticos vão e vêm, portanto nada como atirar as culpas para os outros...
Sim há muitos gastos na vida politica, mas ao menos podes consultar vários desses gastos, ver as faltas dadas por suas excelências, bem como as actividades em que estão envolvidos: http://www.parlamento.pt/DeputadoGP/Pag (http://www.parlamento.pt/DeputadoGP/Pag) ... ault2.aspx agora questiono-te: onde posso como contribuinte ver o mesmos dados sobre os generais? Como é óbvio não peço para ter acesso aos assuntos sigiloso, mas sei menos sobre as actividades destes indivíduos, que são pagos também com os meus descontos. E não há ninguém que venha a público dizer "somos 190, estamos nestes institutos/quartéis/ministérios e o nosso trabalho é este assim assado". Em vez disso escondem-se.

À menos de decada e meia 400 inquiridos pouco sabiam sobre as F.A. Conheciam as missões de busca e salvamento das FAP, do patrulhamento marítimo da MP e pouco mais. Falavam do exercito na "altura dos fogos" e desconheciam por completo as competências e as intervenções de cada um dos ramos das Forças Armadas Portuguesas ao nivel das missões humanitarias e de utilidade pública. Actualmente, graças as novas tecnologias mais alguma coisa se sabe mas o   caminho na promoção e na transparência ainda é longo. E mais acrescento: se actualmente voltassem a inquirir os mesmos individuos os resultados não seriam muito diferentes. Afinal o grande publico não quer saber de defesa, geopolitica e geoestratégia, gostam mais de programas populistas, novelas e futebol. Basta ver como se discutiu  a questão dos submarinos U209 PN adquiridos para a Armada, sobretudo por uma classe politica que ou é burra ou nada percebe sobre defesa, soberania, recursos e muito menos foi sequer capaz de referir o pedido feito à ONU para aumentar a nossa ZEE até a Plataforma Continental (quem quer mais tem de ter meios). Pior, sendo que os militares respondem perante esses mesmos politicos incultos e incapazes, nada lhes vale mostrarem seja o que for se o poder politico decide mal. E a maior parte das vezes decide.

 Sabemos algo mais sobre os gastos politicos. É verdade sim senhora, mas e o que não sabemos? E qual a repercusão que esta "transparência" tem na sociedade civil? Sejamos claros, se não existisse austeridade não haveria contestação ao poder politico, manifestações, cartazes, assobios ou apupos. Seria tudo igual, beijos e abraços, bandeiras e palmadinhas nas costas e o voto nos mesmos no  dia das eleições. Muito menos se falaria de reforma militar ou não sejamos uma nação "conservadora".
Consideraria a critica politica "uma forma errada de ver as coisas"  e "um olhar para o que os outros fazem" se não fosse o poder politico a decidir sobre quase tudo o que é militar. Mas são os politicos que têm "a ultima palavra" , os mesmos politicos que falam de reformas mas não apresentam uma linha reformista com principio, meio e fim. É vender, cortar, poupar, embargar... Corrijam-me se estiver errado mas fez sentido vender 9 a 12 f-16 e aumentar as competencias da FAP no ambito do policiamento aéreo? Qual a lógica de a NATO ter praticamente os mesmos aviões e a maioria dos paises manter uma estrutura de treino também equipada com os mesmo aparelhos? Apresente o poder politico soluções concretas e lógicas em vez de ter um ministro que fala de "navios oceânicos" (não sei ao que homem se referia mas deveriam ser navios oceanográficos).
  E os politicos não mudam, mudam sim  as suas funções pois as caras são sempre as mesmas. Seja na Assembleia da Républica, no partido, no instituto, na empresa publica ou com capitais publicos, verdadeiros "filões de ouro" para uma reforma churuda e vitalicia ao fim de uma duzia de anos de trabalho. Visitem a AR, Belem, ou a sede de alguns partidos politicos e comparem com as condições dos quarteis ou das bases aéreas. Talvez assim seja comprensivel que tem de se cortar onde se gasta mais e não onde é mais facil, bem como se compreenda e aceite a posição defendida pelo General Loureiro dos Santos no video em questão.  

Citar
No que toca ao general, acho apenas estranho que seja sempre este aparecer, e francamente não o acho com grandes conhecimentos da coisa. Dá a sensação que pouco sabe, seja convidado para comentar uma guerra ou este tipo de programas, é pouco esclarecedor e transmite a ideia que foi um carreirista que lambeu umas botas para ir subindo.

Para mim tratar por Sr. General, só mesmo Ramalho Eanes:

Não acho que seja estranho em Portugal. Aliás não temos aquele ditado "mas vale cair em graça que ser engraçado"?. Num pais onde a maioria da população não quer saber de defesa, onde uma larga percentagem do jornalismo é mediocre o que interessa são as aparências. Por isso, ter o Sr. General a comentar dá estatuto, independentemente de dar umas calinadas (já foram referidas algumas, mas para mim os comentários às operações aéreas no Kossovo foram um mimo... :shock:
Quanto ao resto como não conheço não me prenuncio, Reconheço sim que a carreira do General Ramalho Eanes, tanto a nivel politico como militar nada tem a ver com do General Loureiro dos Santos. E fico-me por aqui saudando respeitosamente os que perdem tempo a discutir e a debater a defesa nacional.  :wink:

Cumprimentos
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: papatango em Fevereiro 14, 2013, 11:49:31 am
Não sei se sou eu que estou a ler mal o diagrama, mas não derão três (3x) as companhias de atiradores ?

Neste caso seriam cinco companhias, uma CCS, três companhias de atiradores e uma companhia de apoio.
Devo dizer que acho que nos dias de hoje, três companhias de atiradores é um exagero numa unidade de infantaria deste escalão.
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: PereiraMarques em Fevereiro 14, 2013, 12:41:25 pm
Três previstas, das quais apenas uma com encargo operacional. E essa que tem o encargo operacional prevê três pelotões de Atiradores, dos quais apenas dois com encargo operacional!...Já para não falar que nessa única Companhia de Atiradores, nem o Pelotão de Apoio, nem as Secções de Manutenção e Transmissões estão levantados.

Portanto neste momento o 1ºBIMEC está com uma Companhia de Comando e Serviços (completa), uma Companhia de Atiradores (incompleta) e uma Companhia de Apoio de Combate (incompleta)...Ou seja, meio Batalhão ou menos!
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: Cabeça de Martelo em Fevereiro 14, 2013, 03:42:48 pm
Citação de: "PereiraMarques"
Para rir ou chorar...um Batalhão de Infantaria que só tem uma Companhia de Atiradores e mesmo esta está incompleta...

(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fimg13.imageshack.us%2Fimg13%2F2502%2Forganizac3a7c3a3o.jpg&hash=0d4feb6f02327ec15b53f2ff449de6f9)

RIDICULO!!! :evil:
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: Camuflage em Fevereiro 14, 2013, 05:07:28 pm
Citação de: "mafets"
À menos de decada e meia 400 inquiridos pouco sabiam sobre as F.A. Conheciam as missões de busca e salvamento das FAP, do patrulhamento marítimo da MP e pouco mais. Falavam do exercito na "altura dos fogos" e desconheciam por completo as competências e as intervenções de cada um dos ramos das Forças Armadas Portuguesas ao nivel das missões humanitarias e de utilidade pública. Actualmente, graças as novas tecnologias mais alguma coisa se sabe mas o   caminho na promoção e na transparência ainda é longo. E mais acrescento: se actualmente voltassem a inquirir os mesmos individuos os resultados não seriam muito diferentes. Afinal o grande publico não quer saber de defesa, geopolitica e geoestratégia, gostam mais de programas populistas, novelas e futebol. Basta ver como se discutiu  a questão dos submarinos U209 PN adquiridos para a Armada, sobretudo por uma classe politica que ou é burra ou nada percebe sobre defesa, soberania, recursos e muito menos foi sequer capaz de referir o pedido feito à ONU para aumentar a nossa ZEE até a Plataforma Continental (quem quer mais tem de ter meios). Pior, sendo que os militares respondem perante esses mesmos politicos incultos e incapazes, nada lhes vale mostrarem seja o que for se o poder politico decide mal. E a maior parte das vezes decide.

E o que são 400 inquiridos num país de 10 milhões? :)
A opção dos submarinos foi criticada por ser cara e mais uma vez não vir ninguém a público dar a cara... podiam muito bem vir a público dizer "esta aquisição é estratégica para Portugal, reconhecemos que pesa muito no bolso dos portugueses, foi uma escolha do grupo X, e terá as seguintes mais valias...", mas para variar ninguém aparece, deixam a batata quente para os políticos resolver (apesar do lobbie e interesse ser dos militares) e agora sabe-se que pelo menos um militar também estava envolvido nas luvas...(nenhum militar se desmarcou desta acção, o militar em questão não foi despromovido, basicamente para quem está de fora assume que todos são iguais e complacentes com o crime). Por outro lado haverá sempre a questão eterna será que compensa mais investir em 2 submarinos em vez de outro tipo de navios? Mais uma vez as universidades não se meteram, nem foram questionadas sobre o custo beneficio da coisa, provavelmente um dia destes será revelado que o investimento não compensava... como já costuma ser.
Lembro-me perfeitamente de quando saiu a noticia da ZEE, mas depois disso pouco mais se falou. Será somente culpa dos media?

Citar
Sabemos algo mais sobre os gastos politicos. É verdade sim senhora, mas e o que não sabemos? E qual a repercusão que esta "transparência" tem na sociedade civil? Sejamos claros, se não existisse austeridade não haveria contestação ao poder politico, manifestações, cartazes, assobios ou apupos. Seria tudo igual, beijos e abraços, bandeiras e palmadinhas nas costas e o voto nos mesmos no  dia das eleições. Muito menos se falaria de reforma militar ou não sejamos uma nação "conservadora".
Consideraria a critica politica "uma forma errada de ver as coisas"  e "um olhar para o que os outros fazem" se não fosse o poder politico a decidir sobre quase tudo o que é militar. Mas são os politicos que têm "a ultima palavra" , os mesmos politicos que falam de reformas mas não apresentam uma linha reformista com principio, meio e fim. É vender, cortar, poupar, embargar... Corrijam-me se estiver errado mas fez sentido vender 9 a 12 f-16 e aumentar as competencias da FAP no ambito do policiamento aéreo? Qual a lógica de a NATO ter praticamente os mesmos aviões e a maioria dos paises manter uma estrutura de treino também equipada com os mesmo aparelhos? Apresente o poder politico soluções concretas e lógicas em vez de ter um ministro que fala de "navios oceânicos" (não sei ao que homem se referia mas deveriam ser navios oceanográficos).

Mas não te esqueças que quem decide provas de selecção, tipo de instrução, código de conduta etc não são os políticos. Existe um orçamento o qual é gerido por militares, lembro-me que antigamente havia marketing na tv, especialmente na RTP 2, agora nem isso! Desde que acabou o SMO os militares lavaram as mãos.
A contestação e desconfiança politica sempre existiram, basta olhar para a função pública, essa manifestou-se sempre. E no sector privado há muito que há desgosto sobre os políticos só não era tão comum e ainda não é virem a publico, porque muitas das manifestações que assistimos estão na mesma muitos funcionários públicos e familiares, reformados, seguindo-se em menor percentagem desempregados e funcionários do privado

Qual é a lógica de Portugal ter que seguir um exercito tradicional, com altos custos ou ter que seguir de forma intransigente o que os outros países da NATO têm ou deixam de ter? Curiosamente ficam preocupados no que toca a equipamento "eles têm e nós não", mas quando se trata de falar sobre a estrutura, em que há organizações mais bem estruturadas, aí já nenhum generaleco fala, é sempre um assunto omisso.

Citar
 E os politicos não mudam, mudam sim  as suas funções pois as caras são sempre as mesmas. Seja na Assembleia da Républica, no partido, no instituto, na empresa publica ou com capitais publicos, verdadeiros "filões de ouro" para uma reforma churuda e vitalicia ao fim de uma duzia de anos de trabalho. Visitem a AR, Belem, ou a sede de alguns partidos politicos e comparem com as condições dos quarteis ou das bases aéreas. Talvez assim seja comprensivel que tem de se cortar onde se gasta mais e não onde é mais facil, bem como se compreenda e aceite a posição defendida pelo General Loureiro dos Santos no video em questão.  

O orçamento da defesa é de longe bem superior ao orçamento da AR. Se é para se cortar onde se gasta mais é simples, é cortar na Segurança Social pois é aí que a maioria do $ está a ser gasto: reformas, abonos, subsídios etc.
O que me parece é que o generaleco quer manter uma força tradicional com 3 ramos independentes e bem definidos, cada um com os seus serviços, sem qualquer interoperabilidade, tal como foi até hoje. Mas não diz onde é que quer ir buscar $, porque não lhe convém dizer "cortem na segurança social".
Todos os sectores foram alvos de cortes e a Defesa continuará a ser, o grande problema é que se corta sempre nos mesmos e nunca onde devia ser, desta vez está-lhes a doer mais porque começou afectar o pessoal do quadro superior e como dizia o outro senhor "já não dá para as despesas...".

Neste fórum não faltam propostas onde poderiam ser feitos os cortes e reduções, as mesmas não ocorrem por algum motivo é, não me parece que seja preciso ser-se uma mente brilhante para perceber dentro da Defesa onde é que há dinheiro a ser torrado e onde é que ele faz falta.
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: HSMW em Fevereiro 14, 2013, 05:12:09 pm
Citação de: "PereiraMarques"
Portanto neste momento o 1ºBIMEC está com uma Companhia de Comando e Serviços (completa), uma Companhia de Atiradores (incompleta) e uma Companhia de Apoio de Combate (incompleta)...Ou seja, meio Batalhão ou menos!

O organograma não é referente ao 2ºBiMec?
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: Luso em Fevereiro 14, 2013, 09:10:56 pm
Estava a ver a entrevista do Ministro à Judite de Sousa e tive de sair porque me estava a fazer mal aos fígados.
É muito mau mesmo.
A situação destas últimas décadas ao nível da defesa parece-me cada vez mais clara.
Para mim, a "Defesa Nacional" de hoje não passa de um embuste.
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: PereiraMarques em Fevereiro 14, 2013, 10:01:30 pm
Citação de: "HSMW"
Citação de: "PereiraMarques"
Portanto neste momento o 1ºBIMEC está com uma Companhia de Comando e Serviços (completa), uma Companhia de Atiradores (incompleta) e uma Companhia de Apoio de Combate (incompleta)...Ou seja, meio Batalhão ou menos!

O organograma não é referente ao 2ºBiMec?

O brasão no canto superior esquerdo é o (novo brasão) do 1ºBIMEC.
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: Lightning em Fevereiro 14, 2013, 10:31:32 pm
Citação de: "PereiraMarques"
Para rir ou chorar...um Batalhão de Infantaria que só tem uma Companhia de Atiradores e mesmo esta está incompleta...

Lembro-me de também ver a organização de um BI da Brigada de Intervenção que tinha duas companhias com 2 pelotões de atiradores cada :mrgreen: .
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: Lightning em Fevereiro 14, 2013, 10:41:01 pm
Citação de: "Luso"
Estava a ver a entrevista do Ministro à Judite de Sousa e tive de sair porque me estava a fazer mal aos fígados.
É muito mau mesmo.
A situação destas últimas décadas ao nível da defesa parece-me cada vez mais clara.
Para mim, a "Defesa Nacional" de hoje não passa de um embuste.

Toma lá mais castigo :twisted:
http://www.tvi.iol.pt/videos/13806764 (http://www.tvi.iol.pt/videos/13806764)

Eu acho mal é a conversa da Judite de Sousa, só quer saber quando é que se vai cortar no orçamento, e quanto efectivo é que se vai reduzir, muito pouco interessada em saber da restruturação. Parece como muita gente que só vai ficar satisfeita com um orçamento de 0€.
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: Luso em Fevereiro 14, 2013, 11:47:56 pm
Citação de: "Lightning"
Eu acho mal é a conversa da Judite de Sousa, só quer saber quando é que se vai cortar no orçamento, e quanto efectivo é que se vai reduzir, muito pouco interessada em saber da restruturação. Parece como muita gente que só vai ficar satisfeita com um orçamento de 0€.

É uma questão de perspectiva.
Como entendo que não há mais soberania, nem independência, orçamento zero para mim é indiferente.
Lamento é as pessoas que dependem disso para o seu sustento, como qualquer empresa de prestação de serviços, neste caso uma filial de uma grande empresa de segurança em processo de "daunesaisingue". Mas se as coisas correrem como penso, lá para o final deste mês se poderá fazer uma ideia se poderemos prever, a médio prazo, um aumento exponencial dessa empresa.
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: mafets em Fevereiro 15, 2013, 01:23:00 am
Citar
E o que são 400 inquiridos num país de 10 milhões?
A opção dos submarinos foi criticada por ser cara e mais uma vez não vir ninguém a público dar a cara... podiam muito bem vir a público dizer "esta aquisição é estratégica para Portugal, reconhecemos que pesa muito no bolso dos portugueses, foi uma escolha do grupo X, e terá as seguintes mais valias...", mas para variar ninguém aparece, deixam a batata quente para os políticos resolver (apesar do lobbie e interesse ser dos militares) e agora sabe-se que pelo menos um militar também estava envolvido nas luvas...(nenhum militar se desmarcou desta acção, o militar em questão não foi despromovido, basicamente para quem está de fora assume que todos são iguais e complacentes com o crime). Por outro lado haverá sempre a questão eterna será que compensa mais investir em 2 submarinos em vez de outro tipo de navios? Mais uma vez as universidades não se meteram, nem foram questionadas sobre o custo beneficio da coisa, provavelmente um dia destes será revelado que o investimento não compensava... como já costuma ser.
Lembro-me perfeitamente de quando saiu a noticia da ZEE, mas depois disso pouco mais se falou. Será somente culpa dos media?

Estatisticamente é praticamente o mesmo que as 3000 sondagens à boca das urnas. E o erro tem sempre uma margem de 5% que não afecta em nada o resultado final. Fazer 40, 400 ou 4000 inqueritos, desde que a amostra seja bem escolhida e tenha em consideração os diferentes extratos populacionais é exactamente igual às sondagens reveladas no dia de eleições. Acertam quase sempre com pouco erro. Relativamente aos submarinos, luvas existiram como nos outros negocios que não se fala, agora sempre ecistiram neste negócio 2 vencedores potenciais: Franceses ou Alemães. E como o sistema AIP dos Scorpene franceses é caro e pouco confiavel a escolha era obvia. Desde o UDN ao ISCTE trabalhos académicos foram realizados, diversos documentários e documentos foram produzidos sobre a temática. Não discuto se foram suficientes, mas a divulgação, o interesse que estas acções tiveram na politica e sociedade em geral foi pouca. Só uma exepção no documentario feito sobre a actividade dos "Daphne" em Portugal, o qual passou em horario nobre na RTP 1, de resto, mesmo quando existiram explicações e reflexões sobre a temática não foram dadas por generais e muito menos tiveram a cobertura que lhes é devida. Já a compensação de ter 2 submarinos convencionais dos mais avançados no Mundo resultam de cumprir determinadas variaveis: Se estiverem encostados no Alfeite não compensará, se forem bem usados o caso obviamente será diferente. E atenção que estamos a falar dum tipo de submergivel que não precisa de vir à superficie ao contrário dos anteriores.

Citar
Mas não te esqueças que quem decide provas de selecção, tipo de instrução, código de conduta etc não são os políticos. Existe um orçamento o qual é gerido por militares, lembro-me que antigamente havia marketing na tv, especialmente na RTP 2, agora nem isso! Desde que acabou o SMO os militares lavaram as mãos.
A contestação e desconfiança politica sempre existiram, basta olhar para a função pública, essa manifestou-se sempre. E no sector privado há muito que há desgosto sobre os políticos só não era tão comum e ainda não é virem a publico, porque muitas das manifestações que assistimos estão na mesma muitos funcionários públicos e familiares, reformados, seguindo-se em menor percentagem desempregados e funcionários do privado

Qual é a lógica de Portugal ter que seguir um exercito tradicional, com altos custos ou ter que seguir de forma intransigente o que os outros países da NATO têm ou deixam de ter? Curiosamente ficam preocupados no que toca a equipamento "eles têm e nós não", mas quando se trata de falar sobre a estrutura, em que há organizações mais bem estruturadas, aí já nenhum generaleco fala, é sempre um assunto omisso.

     
Quanto à culpa, esta é sempre de todos. Uns mais que outros como é evidente mas temos de ter a noção que as F.A. refletem a realidade do pais. Não podemos esperar que quase tudo funcione mal e as F.A. sejam diferentes. Jamais alguem poderá conscientemente dizer que os militares não têm culpa, seja nas decisões que tomam ou nas avaliações mais ou menos correctas. Sejam politicos ou militares responsaveis, a titulo de exemplo, nunca percebi e também não encontro esforço instutucional em explicar as vantagens do Exercito ter uma ala aérea ou porque participou o pais no desenvolvimento do nh-90 quando já operava o Merlin.
Já estruturalmente, para mim ter umas F.A. como a Suiça em que até a pouco tempo se levava a arma para casa ou como na Suécia em que a Força Aérea se desdobra frequentemente fora das bases aéreas, é  indiferente, desde que funcione. Deve-se discutir, conversar e debater mas com "pés e cabeça" e de baterias apontadas à funcionalidade. Quando o fundamental é poupar, cortando em operacionalidade, material e prontidão, à que ter a consciência que se está a comprometer a utilidade pública, mas também se abre uma "caixa de pandora" que serve direitinho para camuflar  as reais intenções de quem afinal é contra porque vai perder previlégios. Os politicos são eleitos para governar, mas olham sempre para objetivos pessoais, institucionais e partidários em vês de tomarem as decisões certas. Por um lado não sabem pois os tais "especialistas" que ainda cheiram a leite apenas ocupam os cargos porque são do partido, mas na maior parte dos casos tem medo dos lobbys e dos eleitores. Só assim se explica a  manutenção de muitos dos gastos da segurança social com RSI, acção social e por aí fora. É muito mais facil cortar ondem existe maior desconhecimento ou as vozes não se ouvem tão alto.

Citar
O orçamento da defesa é de longe bem superior ao orçamento da AR. Se é para se cortar onde se gasta mais é simples, é cortar na Segurança Social pois é aí que a maioria do $ está a ser gasto: reformas, abonos, subsídios etc.
 

Correcto, mas a AR é apenas uma em muitas instituições politicas, institutos, empresas públicas, observatórios, etc. Somando isto tudo encontra uma percentagem significativa para em 38 anos de democracia se encontrar o pais com uma divida de 128 % do PIB. Estamos em crise, restruturamos tudo, até porque estando com um plano de assistência financeira que nos obriga a o fazer. Agora falemos abertamente da restruturação das F.A., da restruturação politica, etc. É imoral que responsaveis politicos passem o tempo a falar do estado social, das F.A. etc e quando se fala por exemplo em reduzir os gastos do PR ou dos deputados tenhamos ex-secretarios de estado a dizer que são ajudados pelos pais ou um Presidente a dizer que 10 000 € não lhe dá para as muitas despesas.

Citar
Neste fórum não faltam propostas onde poderiam ser feitos os cortes e reduções, as mesmas não ocorrem por algum motivo é, não me parece que seja preciso ser-se uma mente brilhante para perceber dentro da Defesa onde é que há dinheiro a ser torrado e onde é que ele faz falta.

Sem duvida, mas no universo dos foruns á poucas exepções. A maioria deles em 35 segundos já tem 3 ou 4 paginas de insultos que não levam a lado nenhum. A tal falta de interesse publico aliada à incapacidade que muitos tem de não saber discutir com argumentos solidos dá a razão perfeita para "os velhos do restelo" não quererem decidir e o "quero, posso e mando" de alguns corruptos, incompetentes e lembe botas se subemeter aos que vêm com clareza.

Cumprimentos
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: typhonman em Fevereiro 15, 2013, 01:47:56 am
a frase..

"Nos ultimos 20 anos, tivemos lá fora 1000 a 1500 homens", teremos de moldar o redimensionamento em função disso ???

 :mrgreen:
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: Camuflage em Fevereiro 15, 2013, 02:16:02 am
Citação de: "mafets"
Estatisticamente é praticamente o mesmo que as 3000 sondagens à boca das urnas. E o erro tem sempre uma margem de 5% que não afecta em nada o resultado final. Fazer 40, 400 ou 4000 inqueritos, desde que a amostra seja bem escolhida e tenha em consideração os diferentes extratos populacionais é exactamente igual às sondagens reveladas no dia de eleições. Acertam quase sempre com pouco erro.

Depende, as estatísticas costumam estabilizar a partir dos 800 inquiridos, à boca das urnas não é dificil prever resultados, votam sempre nos mesmos... lol A cobertura dos restantes partidos é extremamente baixa portanto se não são conhecidos ninguém vota.
     
Citar
Quanto à culpa, esta é sempre de todos. Uns mais que outros como é evidente mas temos de ter a noção que as F.A. refletem a realidade do pais.

Não diria isso. Reflectiriam a realidade do país se não houvesse $ para pagar aos quadros, mas há e as pessoas são pagas e continuam a ganhar acima da média do pago ao trabalhador do privado. Queixam-se que as carreiras estão congeladas, mas no privado há quantos anos os trabalhadores estão sem aumentos? Portanto eu como contribuinte exijo mais de quem recebe impostos meus e durante anos a fio continuou a subir na carreira, viu regalias acrescentadas e pode "córtir a vida". Havendo $ como é o caso não se entende porque não há vontade de trabalhar e fazer melhor. Quero com isto dizer em pegar os problemas que as FA's enfrentam agora e fazer uma reforma séria.
A falta de marketing, o descuido com instalações, o crime, os quartéis ao abandono ou indefinição do que fazer com os mesmos, provas de selecção cada vez mais ridículas, instrução mais leve, é culpa do politico?
Em tempos referi e fui criticado aqui, queixavam-se da falta de praças para fazer guarda, pela lógica sobe-se na hierarquia, se não há praças, faz o cabo, se não há cabos faz o furriel e por aí acima. A meu ver a hierarquia serve para alguma coisa, na falta o mais baixo que existir sujeita-se. Mas não... "não faz parte das funções de quem está acima" não me parece que este tipo de questões se prenda com a forma como o país está ou com salários, mas sim com tiques que actualmente desenvolveram, como não há basicamente o escravo, então também ninguém faz nada, dá a sensação de que quem está no quadro não pode ser obrigado a nada e andam ali em bicos de pés para não se pisarem uns anos outros. Nos anos 60/70 alguém que viesse dizer isso, sabe bem o que lhe esperava.
Porque é que o Regulamento de Disciplina Militar não é cumprido? É o politico que vai a correr ao quartel impedir que tal ocorra? Está tudo para cada lado envolto numa teia de cumplicidade e cunhas ou as chefias militares superiores estão-se marimbando totalmente para tudo isso ou então as chefias militares já não controlam a situação.

Citar
Não podemos esperar que quase tudo funcione mal e as F.A. sejam diferentes. Jamais alguem poderá conscientemente dizer que os militares não têm culpa, seja nas decisões que tomam ou nas avaliações mais ou menos correctas. Sejam politicos ou militares responsaveis, a titulo de exemplo, nunca percebi e também não encontro esforço instutucional em explicar as vantagens do Exercito ter uma ala aérea ou porque participou o pais no desenvolvimento do nh-90 quando já operava o Merlin.
Já estruturalmente, para mim ter umas F.A. como a Suiça em que até a pouco tempo se levava a arma para casa ou como na Suécia em que a Força Aérea se desdobra frequentemente fora das bases aéreas, é  indiferente, desde que funcione. Deve-se discutir, conversar e debater mas com "pés e cabeça" e de baterias apontadas à funcionalidade. Quando o fundamental é poupar, cortando em operacionalidade, material e prontidão, à que ter a consciência que se está a comprometer a utilidade pública, mas também se abre uma "caixa de pandora" que serve direitinho para camuflar  as reais intenções de quem afinal é contra porque vai perder previlégios. Os politicos são eleitos para governar, mas olham sempre para objetivos pessoais, institucionais e partidários em vês de tomarem as decisões certas. Por um lado não sabem pois os tais "especialistas" que ainda cheiram a leite apenas ocupam os cargos porque são do partido, mas na maior parte dos casos tem medo dos lobbys e dos eleitores. Só assim se explica a  manutenção de muitos dos gastos da segurança social com RSI, acção social e por aí fora. É muito mais facil cortar ondem existe maior desconhecimento ou as vozes não se ouvem tão alto.

É óbvio que a Segurança Social é um assunto tabu, se eu começar a criticar aquela coisa chamada "reforma" vai já criar uns calores, se fores a qualquer lado e dizeres mal disso, estás tramado. Mas o facto é que há coisas que foram dadas durante 39 anos e agora vai ser muito dificil altera-las. Mas o aviso já foi dado: os jovens de agora, nunca irão usufruir tamanhas regalias que os reformados agora andam a usufruir (ver caixa geral de aposentações), nem está garantida a reforma dos jovens actuais. Muito embora pessoalmente não espere nada do Estado (ao contrário dos mais velhos que acham que o Estado tem obrigações), cabe a cada um saber gerir o seu património e não esperar um dia um salário para ficar em casa.
A medida do RSI na teoria fazia sentido que era dar uma pequena ajuda, um empurrão para as pessoas procurarem melhorar, em vez disso passou a servir para comprar as pessoas e tentar diminuir o crime (teorias...).
Para mim o subsídios que fazem sentido são os que estão na Constituição, o resto são tretas.

Citar
Correcto, mas a AR é apenas uma em muitas instituições politicas, institutos, empresas públicas, observatórios, etc. Somando isto tudo encontra uma percentagem significativa para em 38 anos de democracia se encontrar o pais com uma divida de 128 % do PIB. Estamos em crise, restruturamos tudo, até porque estando com um plano de assistência financeira que nos obriga a o fazer. Agora falemos abertamente da restruturação das F.A., da restruturação politica, etc. É imoral que responsaveis politicos passem o tempo a falar do estado social, das F.A. etc e quando se fala por exemplo em reduzir os gastos do PR ou dos deputados tenhamos ex-secretarios de estado a dizer que são ajudados pelos pais ou um Presidente a dizer que 10 000 € não lhe dá para as muitas despesas.

Tens aqui os números das despesas: http://www.pordata.pt/Portugal/Despesas ... uncoes-720 (http://www.pordata.pt/Portugal/Despesas+do+Estado+execucao+orcamental+por+algumas+funcoes-720) já se sabe que a saúde e educação sempre foram as que mais gastos deram. Na saúde é preciso prevenir e não é possível tratar toda a gente, nenhum país tem tal capacidade, no entanto cai mal, tal como caiu há tempos quando o ministro da saúde chamou atenção sobre o tabagismo, diabetes e obesidade (todas elas à partida de fácil prevenção) e muitas outras há de fácil prevenção, alias o top10 da maioria das doenças que mais mata, são fáceis de prevenir, no entanto as pessoas fazem opções e no fim todos temos que pagar. Já no que toda a educação infelizmente em Portugal é um problema crónico, investe-se muito $ e não se tira grandes frutos pois tem instalados muitos interesses e cada um joga para si.
Quanto a secretários e motoristas, os gastos nisso são peanuts no oceano de gastos e exageros. Não nos esqueçamos que por muito se aponte o dedo aos políticos eles provêm do mesmo povo que mete $ no bolso do GNR, que não passa factura, que paga a carta de condução por baixo da mesa, que forja concursos públicos para meter o amigo e que vive muito à custa da cunha e compadrio. O povo critica mas é complacente com o crime de colarinho branco.



Citar
Sem duvida, mas no universo dos foruns á poucas exepções. A maioria deles em 35 segundos já tem 3 ou 4 paginas de insultos que não levam a lado nenhum. A tal falta de interesse publico aliada à incapacidade que muitos tem de não saber discutir com argumentos solidos dá a razão perfeita para "os velhos do restelo" não quererem decidir e o "quero, posso e mando" de alguns corruptos, incompetentes e lembe botas se subemeter aos que vêm com clareza.

Cumprimentos

Os insultos são migalhas, quando existem é porque se toca no quintal de alguém, o que importa é a produção e obtenção de resultados concretos.
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: Cabeça de Martelo em Fevereiro 15, 2013, 06:03:10 pm
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: Lightning em Fevereiro 15, 2013, 06:10:07 pm
Desmancha-prazeres, eu vinha todo contente por esse video e tu afinal já o puseste :G-beer2:
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: mafets em Fevereiro 15, 2013, 08:14:54 pm
Citar
Depende, as estatísticas costumam estabilizar a partir dos 800 inquiridos, à boca das urnas não é dificil prever resultados, votam sempre nos mesmos... lol A cobertura dos restantes partidos é extremamente baixa portanto se não são conhecidos ninguém vota.

Existem analises qualitativas e quantitativas. A primeira é feita sobre no maximo 3 entrevistas, aplicando-se a seguir uma analise de conteudo que valida os resultados. Já a analise quantitativa ( os tais inquéritos) depende da validação da amostra e do teste matemático aos resultados. Usando um programa como o SPSS aplica-se um teste de homogenidade à amostra, um teste de qui quadrado ao resultados e temos o inquerito validadado estatisticamente, independentemente da quantidade de inqueridos.  Todos são relizados desta forma (À exepção do Censos) e os resultados apresentam um  erro residual, seja nas eleições ou num inquerito ao conssumidor.  

Citar
Não diria isso. Reflectiriam a realidade do país se não houvesse $ para pagar aos quadros, mas há e as pessoas são pagas e continuam a ganhar acima da média do pago ao trabalhador do privado. Queixam-se que as carreiras estão congeladas, mas no privado há quantos anos os trabalhadores estão sem aumentos? Portanto eu como contribuinte exijo mais de quem recebe impostos meus e durante anos a fio continuou a subir na carreira, viu regalias acrescentadas e pode "córtir a vida". Havendo $ como é o caso não se entende porque não há vontade de trabalhar e fazer melhor. Quero com isto dizer em pegar os problemas que as FA's enfrentam agora e fazer uma reforma séria.
A falta de marketing, o descuido com instalações, o crime, os quartéis ao abandono ou indefinição do que fazer com os mesmos, provas de selecção cada vez mais ridículas, instrução mais leve, é culpa do politico?

Acho muito bem que se olhe para a realidade do sector privado e sobretudo que se exija mais e melhor de quem é pago com o dinheiro dos contribuintes. Agora isso deve ser extensivel a todos. Desde o PR, passando pelo PM, aos Generais, Almirantes e acabando no cantoneiro que varre a rua. Tenho duas instalações de artilharia de costa abandonadas a meia duzia de quilometros de casa, portanto a realidade do que acabou de dizer está presente e é verdadeira. Agora, ouvindo uma entrevista do Ministro da Defesa a sensação que fico é que não existe reforma nenhuma na calha. Congela-se promoções, não há entradas, manda-se umas quantas altas patentes para a reforma e está feito. Vende-se material é pretende-se fazer mais missões? E o Dinheiro para isso? Qual é a logica de querer fazer mais missões com as Vasco da Gama e Bartolomeu Dias se para 5 fragatas existem 5 helicópteros? Não se faz manutenção? À sempre peças a tempo e horas em altura de austeridade? Sempre fui da opinião que nas questões de defesa  "o mal é dividido pelas aldeias". Quem decidiu medidas como o antigo SMO em 4 meses? A participação em programas como o A-400 ou o Nh-90? Certamente que não foram apenas os militares a decidir à uns anos atrás no tempo do Sr. Portas que queriam uma industria de defesa que agora pasme-se num governo em que o mesmo senhor faz parte acaba-se com tudo. E cabe aos politicos informarem-se, decidirem e darem continuidade. É para isso que os contribuintes lhes pagam e não apenas para assinar os documentos que lhes metem à frente e que muitas vezes são nocivos para o pais. Estudem. leiam, investiguem  pois documentos e trabalhos não falta mas ao invés disso passam o tempo a lember botas ao presidente do partido para assim serem escolhidos para o tacho. Que pais pode ser governavel se de 4 em 4 anos se muda de politica só porque foi feito por outrem?  

Citar
Em tempos referi e fui criticado aqui, queixavam-se da falta de praças para fazer guarda, pela lógica sobe-se na hierarquia, se não há praças, faz o cabo, se não há cabos faz o furriel e por aí acima. A meu ver a hierarquia serve para alguma coisa, na falta o mais baixo que existir sujeita-se. Mas não... "não faz parte das funções de quem está acima" não me parece que este tipo de questões se prenda com a forma como o país está ou com salários, mas sim com tiques que actualmente desenvolveram, como não há basicamente o escravo, então também ninguém faz nada, dá a sensação de que quem está no quadro não pode ser obrigado a nada e andam ali em bicos de pés para não se pisarem uns anos outros. Nos anos 60/70 alguém que viesse dizer isso, sabe bem o que lhe esperava.
Porque é que o Regulamento de Disciplina Militar não é cumprido? É o politico que vai a correr ao quartel impedir que tal ocorra? Está tudo para cada lado envolto numa teia de cumplicidade e cunhas ou as chefias militares superiores estão-se marimbando totalmente para tudo isso ou então as chefias militares já não controlam a situação.

Tanto se pode ter um General a limpar latrinas como um licenciado a servir ao balcão de um café. Agora como sou eu que pago 70% da formação até do estudante  (e não as propinas como muitos acham) tenho o direito de exigir "cada macaco no seu galho". O despesismo começa em formarmos quadros superiores, oficiais e depois os colocar a fazer um trabalho de tecnico ou cabo. A isto se chama má planificação. Formamos, promovemos e agora continuamos a pagar pois mesmo se metermos o tal general a dar lustro aos sanitários do quartel temos de lhe pagar o ordenado, o motorista, etc. Mais uma explicação para o pais estar a beira da banca rota.

Citar
É óbvio que a Segurança Social é um assunto tabu, se eu começar a criticar aquela coisa chamada "reforma" vai já criar uns calores, se fores a qualquer lado e dizeres mal disso, estás tramado. Mas o facto é que há coisas que foram dadas durante 39 anos e agora vai ser muito dificil altera-las. Mas o aviso já foi dado: os jovens de agora, nunca irão usufruir tamanhas regalias que os reformados agora andam a usufruir (ver caixa geral de aposentações), nem está garantida a reforma dos jovens actuais. Muito embora pessoalmente não espere nada do Estado (ao contrário dos mais velhos que acham que o Estado tem obrigações), cabe a cada um saber gerir o seu património e não esperar um dia um salário para ficar em casa.
A medida do RSI na teoria fazia sentido que era dar uma pequena ajuda, um empurrão para as pessoas procurarem melhorar, em vez disso passou a servir para comprar as pessoas e tentar diminuir o crime (teorias...).
Para mim o subsídios que fazem sentido são os que estão na Constituição, o resto são tretas.

É tabu porque interessa ao estado que assim seja. A maioria das pessoas vive 20 anos após a idade da reforma pois a esperança media de vida é por volta dos 83 anos. As pessoas descontam mais do que usufruem e o Estado que devia apenas gerir a verba descontada pelos contribuintes acha que o dinheiro é seu e faz o que lhe apetece. Até paises como o Chile, já para não falar em Suécia, Noruega, fizeram reformas como deve ser na Segurança Social pois partiram do principio que o dinheiro é dos contribuintes. Cá não se faz porque o dinheiro serve para tapar buracos, dar subsidios, RSI, etc, que são a prova de que a maioria dos politicos não quer saber da opinião de quem trabalha no terreno. Se ouvissem, tecnicos, funcionarios, que diáriamente lidam com a "subsidiodependência" nunca tinham se "armado aos cucos" e tirado do papel medidas que custam milhões de euros ao contribuinte e não servem para absolutamente nada.  

Citar
Tens aqui os números das despesas: http://www.pordata.pt/Portugal/Despesas (http://www.pordata.pt/Portugal/Despesas) ... uncoes-720 já se sabe que a saúde e educação sempre foram as que mais gastos deram. Na saúde é preciso prevenir e não é possível tratar toda a gente, nenhum país tem tal capacidade, no entanto cai mal, tal como caiu há tempos quando o ministro da saúde chamou atenção sobre o tabagismo, diabetes e obesidade (todas elas à partida de fácil prevenção) e muitas outras há de fácil prevenção, alias o top10 da maioria das doenças que mais mata, são fáceis de prevenir, no entanto as pessoas fazem opções e no fim todos temos que pagar. Já no que toda a educação infelizmente em Portugal é um problema crónico, investe-se muito $ e não se tira grandes frutos pois tem instalados muitos interesses e cada um joga para si.
Quanto a secretários e motoristas, os gastos nisso são peanuts no oceano de gastos e exageros. Não nos esqueçamos que por muito se aponte o dedo aos políticos eles provêm do mesmo povo que mete $ no bolso do GNR, que não passa factura, que paga a carta de condução por baixo da mesa, que forja concursos públicos para meter o amigo e que vive muito à custa da cunha e compadrio. O povo critica mas é complacente com o crime de colarinho branco.

POde-se abordar tematicas como a saúde e a educação de vários prismas. Normalmente nas F.A começa com os 84% do orçamento que vai para gastos com pessoal. Mas na Saúde ou na Educação pode-se começar a  debater da mesma forma. Quanto custam os professores, auxiliares, alunos ao contribuinte? Os médicos, as administrações privadas dos hospitais empresa? Qual a rentabilidade para o PIB? Para os gastos do Estado? Existe uma total desarticulação entre a oferta e a procura, e como não é o povo que escolhe os cursos a fechar e a abrir não é concerteza (apesar da culpa) o maior culpado. O que é o BPN o BPP ao pé da corrupção de este ou aquele agente de autoridade? Que moral tem o estado para exigir ao contribuinte que paque os impostos se usa mal e abusa desse dinheiro? A questão dos "pinuts" não é o valor residual de cada um deles é a imoralidade. O Politico não vêm do povo mas sim de uma elite que nasceu em berço de ouro, estudou em colegios privados e nunca se misturou com a "arraia miúda". Mas vende moralidade nas campanhas eleitorais e nos cargos politicos que desempenha, defende os sacrificios dos outros mas ele não os faz, pois considera os seus gastos são os tal "pinuts". O mal destes é que são muitos, milhares de motoristas, de secretárias, de politicos...e o bolo das despesas engorda. E o que pode o povo fazer? Se o povo visse menos novela, futebol e "casa dos segredos" talvez pudesse fazer qualquer coisa mas não se tenha ilusões pois quem decide é o politico, o juiz, o partido. Aliás a constituição está feita de forma a que mesmo que queira poder do povo seja apenas residual.

Citar
Os insultos são migalhas, quando existem é porque se toca no quintal de alguém, o que importa é a produção e obtenção de resultados concretos.

Por isso o FMI e a Troika em 38 anos de democracia já são clientes habituais de Portugal. Enquanto estavamos  e estamos distraidos a insultar-nos por esta ou aquela razão acumulamos uma divida soberana que levaria 4 anos a pagar e os quintais continuam iguais. Segundo o governo temos o deficit a baixar, as exportações a impulsionar o pais e estamos felizes porque em breve regressamos aos mercados. Mas nos resultados concretos a divida aumentou, o valor total do juro também, temos 17% de desemprego e 58% da população a viver no limiar da pobreza. Sem emprego e crescimento economico os numeros e os resultados concretos são mais virtuais que uma suposta renovação e reforma das F.A.
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: Camuflage em Fevereiro 16, 2013, 12:43:45 am
Citação de: "mafets"
Existem analises qualitativas e quantitativas. A primeira é feita sobre no maximo 3 entrevistas, aplicando-se a seguir uma analise de conteudo que valida os resultados. Já a analise quantitativa ( os tais inquéritos) depende da validação da amostra e do teste matemático aos resultados. Usando um programa como o SPSS aplica-se um teste de homogenidade à amostra, um teste de qui quadrado ao resultados e temos o inquerito validadado estatisticamente, independentemente da quantidade de inqueridos.  Todos são relizados desta forma (À exepção do Censos) e os resultados apresentam um  erro residual, seja nas eleições ou num inquerito ao conssumidor.  

Acredito que assim seja, mas terei sempre dúvidas sobre esses inquéritos, a mim ou conhecidos nunca foram feitos tais inquéritos, seja sobre o tema que for. No entanto o que não faltam são inquéritos aparecer nos jornais. :)
Achas mesmo que os portugueses querem um sistema nórdico?


Citar
POde-se abordar tematicas como a saúde e a educação de vários prismas. Normalmente nas F.A começa com os 84% do orçamento que vai para gastos com pessoal. Mas na Saúde ou na Educação pode-se começar a  debater da mesma forma. Quanto custam os professores, auxiliares, alunos ao contribuinte? Os médicos, as administrações privadas dos hospitais empresa? Qual a rentabilidade para o PIB? Para os gastos do Estado?

Tem sido feito isso na educação e saúde, daí as contestações, sendo a mais visivel dos professores que são contra o congelamento de salários/carreiras, despedimento e fim de disciplinas (na minha opinião quintais) como ed. visual ou ed. musical, e ainda o facto de ed. física deixar de contar para a média global (sem interesse para a esmagadora maioria dos alunos que não vai para o curso de ed. física).
Já foram apresentadas as contas que em média um aluno no privado sairia um pouco mais barato, mas também dependia das regiões do país. Já se sabe que quem trabalha no público e os canhotos rejeitam tal ideia ou conceito de privatização do ensino.

Citar
Existe uma total desarticulação entre a oferta e a procura, e como não é o povo que escolhe os cursos a fechar e a abrir não é concerteza (apesar da culpa) o maior culpado.

Isso dos cursos tem muito que se lhe diga, quem tem um curso sem saídas ou lecciona um, dirá sempre que o mesmo não pode ser fechado é estratégico para o país, que o ensino tem de ser independente da economia blablabla mas no fim cagam-se todos para os desempregados que formam.
Tens o caso do ensino politécnico, a formar em várias engenharias, os mesmos profissionais que no ensino universitário, ensino esse (o politécnico) que deveria ter substituído as escolas comerciais/industriais quando a esquerda pós-25 abril decidiu eliminar por considerar símbolos do fascismo. Agora o politécnico não só não tem referencias, não tem investigação ou não é conhecida, não tem ligação a empresas, produz desempregados anualmente e esta-se cagando, para para eles é mais importante a manutenção do seu quadro do que ajustar os cursos.
Há anos que as empresas se queixam da falta de profissionais qualificados que não encontram no mercado, mas o ensino nem quer saber.

Citar
O que é o BPN o BPP ao pé da corrupção de este ou aquele agente de autoridade? Que moral tem o estado para exigir ao contribuinte que paque os impostos se usa mal e abusa desse dinheiro? A questão dos "pinuts" não é o valor residual de cada um deles é a imoralidade. O Politico não vêm do povo mas sim de uma elite que nasceu em berço de ouro, estudou em colegios privados e nunca se misturou com a "arraia miúda". Mas vende moralidade nas campanhas eleitorais e nos cargos politicos que desempenha, defende os sacrificios dos outros mas ele não os faz, pois considera os seus gastos são os tal "pinuts". O mal destes é que são muitos, milhares de motoristas, de secretárias, de politicos...e o bolo das despesas engorda. E o que pode o povo fazer? Se o povo visse menos novela, futebol e "casa dos segredos" talvez pudesse fazer qualquer coisa mas não se tenha ilusões pois quem decide é o politico, o juiz, o partido. Aliás a constituição está feita de forma a que mesmo que queira poder do povo seja apenas residual.

Depende dos políticos que se fala, a maioria deles formou-se para os lados da Univ de Coimbra, Católica (casa de muito agente das secretas), Nova de Lisboa etc.
O povo em média só tem o 9º ano, portanto é natural que nem se chateie ou só se chateie com algumas coisas.

Citar
Por isso o FMI e a Troika em 38 anos de democracia já são clientes habituais de Portugal. Enquanto estavamos  e estamos distraidos a insultar-nos por esta ou aquela razão acumulamos uma divida soberana que levaria 4 anos a pagar e os quintais continuam iguais. Segundo o governo temos o deficit a baixar, as exportações a impulsionar o pais e estamos felizes porque em breve regressamos aos mercados. Mas nos resultados concretos a divida aumentou, o valor total do juro também, temos 17% de desemprego e 58% da população a viver no limiar da pobreza. Sem emprego e crescimento economico os numeros e os resultados concretos são mais virtuais que uma suposta renovação e reforma das F.A.

Fomos nós que os chamamos, não nos forçaram a nada. Responsabilidade de os terem chamado é da aselhice da politica nacional, não podemos culpar as instituições externas. Vivemos sempre à pala do crédito para tudo e brincamos com muito dinheiro que não era nosso.

Há um exemplo muito simples: até aos anos 70 a Finlândia era mais pobre que nós e decidiu nessa altura fazer uma reviravolta, nós fizemos a revolução na mesma era. 39 anos volvidos os resultado estão à mostra. Há algo de errado com o nosso povo, não podemos simplesmente culpar políticos, porque do dia de votar, votam nos mesmos. Nas próximas autarquicas PS ou PSD voltarão a conquistar a maioria das Câmaras e Juntas do país.
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: PereiraMarques em Fevereiro 16, 2013, 01:24:55 am
Citação de: "Camuflage"

Lá está, a grande questão é saber quem tomou tais decisões, supostamente foi o  Instituto de Altos Estudos Militares que fez o "estudo" que o ministro tanto apregoa, a comprovar-se significa que isso é possível, mexe-se em tudo menos nos do costume que são precisamente quem faz os estudos...
Artilharia pesada e de costa eventualmente vai ser eliminada ou reduzida a níveis mínimos ou acabará abandonada como está, é preciso ter consciencia de quais são as missões a cumprir para os próximos anos e quais as ameaças, não podemos garantir uma força militar tradicional como as potências têm. Temos que nos concentrar na mobilidade e eficácia de meios para obtenção de resultados com baixo custo.

Foi o Instituto de Defesa Nacional, até porque já não existe o Instituto de Altos Estudos Militares, agora é o Instituto de Estudos Superiores Militares (se era para reduzir/fundir coisas, é o que deviam ter feito com o IDN e o IESM, mas é mais importante dar uns "tachos" a uns "Professores Doutores" ligados ao partido...mas isso é outra história).

Artilharia de Costa já não temos desde meados da década de 90, as nossas peças de 155mm ainda são consideradas como Artilharia Média.
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: Lightning em Fevereiro 16, 2013, 12:46:41 pm
Citação de: "PereiraMarques"
Foi o Instituto de Defesa Nacional, até porque já não existe o Instituto de Altos Estudos Militares, agora é o Instituto de Estudos Superiores Militares (se era para reduzir/fundir coisas, é o que deviam ter feito com o IDN e o IESM, mas é mais importante dar uns "tachos" a uns "Professores Doutores" ligados ao partido...mas isso é outra história).

Mas o próprio IESM resulta da fusão de 3 Institutos de Altos Estudos que já existiam, um em cada ramo.
Talvez a seguir venha isso.
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: PereiraMarques em Fevereiro 16, 2013, 01:00:39 pm
Pois, mas quando houve a primeira redução dos serviços da administração pública central (i.e. dos Ministérios) resolveram manter esta "chafarica". Não esquecer também que o IDN depende do MDN, no fundo é uma "coisa civil", e o IESM depende do CEMGFA, sendo nesta perspectiva uma "coisa militar".

E às vezes, como está a ocorrer actualmente, pode dar jeito ao ministro dizer: "isto não é da minha cabeça, é um estudo do IDN, foi feito com os militares"...esqueceu-se é de dizer que o IDN é um serviço que responde directamente à sua pessoa e onde há mais civis a "mandar bitaites" do que militares...

Portanto, só para dizer que há aqui muitas "nuances"... :wink:
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: Camuflage em Fevereiro 16, 2013, 01:22:44 pm
Citação de: "PereiraMarques"

Foi o Instituto de Defesa Nacional, até porque já não existe o Instituto de Altos Estudos Militares, agora é o Instituto de Estudos Superiores Militares (se era para reduzir/fundir coisas, é o que deviam ter feito com o IDN e o IESM, mas é mais importante dar uns "tachos" a uns "Professores Doutores" ligados ao partido...mas isso é outra história).

Obrigado pela correcção. Contudo só lá se vê militares e não civis ao contrário do que indica anteriormente. É possível consultar no site os docentes e colaboradores actuais e directores: http://www.iesm.mdn.gov.pt/s/index.php (http://www.iesm.mdn.gov.pt/s/index.php)
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: PereiraMarques em Fevereiro 16, 2013, 09:25:59 pm
Citação de: "Camuflage"
Citação de: "PereiraMarques"

Foi o Instituto de Defesa Nacional, até porque já não existe o Instituto de Altos Estudos Militares, agora é o Instituto de Estudos Superiores Militares (se era para reduzir/fundir coisas, é o que deviam ter feito com o IDN e o IESM, mas é mais importante dar uns "tachos" a uns "Professores Doutores" ligados ao partido...mas isso é outra história).

Obrigado pela correcção. Contudo só lá se vê militares e não civis ao contrário do que indica anteriormente. É possível consultar no site os docentes e colaboradores actuais e directores: http://www.iesm.mdn.gov.pt/s/index.php (http://www.iesm.mdn.gov.pt/s/index.php)

Achei que tinha deixado claro que o IDN é que é estrutura "civil" e o IESM a estrutura "militar".
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: Camuflage em Fevereiro 16, 2013, 10:08:41 pm
Entendido. ys7x9
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: Lightning em Fevereiro 18, 2013, 06:21:06 pm
O jornal Diário de Notícias do dia 15/02/2013 tem mais alguns pormenores sobre o que se pretende para o futuro do Exército, e das FAs.

Citar
(...)As FA deverão dispor genericamente de três conjuntos de forças: duas Forças Conjuntas de Reacção (uma orientada para missões de retidada de cidadãos e outra para resposta aos compromissos internacionais) e o conjunto de Forças Permanentes em Acção de Soberania (FPAS).
Assim, vizualisa-se uma força conjunta de escalão agrupamento, de elevada prontidão, incluindo componente terrestre, naval e aérea.
Esse agrupamento deverá dispor de duas unidades de manobra (batalhões), subunidades modulares de apoio logistico e capacidade de transporte aéreo e naval adequado às necessidades do pais.
O IDN estima 1500 a 2000 efectivos nessa força de escalção agrupamento, o que considerando os requisitos de rotação, aponta para uma necessidade máxima de 6000 homens.

No caso do Exército aponta-se para uma projecção simultânea de dois batalhões e unidades de apoio modulares de escalão companhia (engenharia, transporte, manutenção).
No caso da Marinha para a projecção de duas fragatas e para ter navios de apoio, patrulha oceanica e vigilancia costeira.
No caso da Força Aérea para projectar simultaneamente contingentes modulares, interoperáveis e adaptáveis aos vários cenários.(...)
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: Lightning em Fevereiro 18, 2013, 06:22:02 pm
No jornal Correio da Manhã do dia 17/02/2013 num artigo com o titulo "costa portuguesa sem controlo" que fala principalmente da fiscalização do mar.
Fala também de algumas propostas do IDN sobre o futuro das FA.

Citar
A compra de 3 modelos de lanchas, 6 lanchas L490 destinadas ao patrulhamento oceanico, sendo uma ou duas adaptadas ao combate à poluição, patrulhas de curta duração asseguradas por 10 barcos L280 e são ainda necessárias 5 lanchas L145 para fiscalização em águas rasas e zonas ribeirinhas.

Citar
O IDN quer que a Marinha concentre a sua actividade no Alfeite e Oeiras, libertando as infraestruturas que utiliza na Ribeira das Naus e Terreiro do Paço.

Na Força Aérea é necessário extinguir todas as bases que não disponham de serviço aéreo.

Outra medida é a extinção de todas as inspecções-gerais dos ramos, com assunção das suas competências pela Inspecção-Geral da Defesa Nacional.

Coloca-se a hipotese de extinguir a Policia Judiciária Militar e de integrar as suas competências na Policia Judiciária.

A Força Aérea necessita de modernizar os aviões de transporte C-130, tem já 36 anos de serviço, e substitui-los pela nova aeronave KC-390.

A principal insuficiencia da componente terrestre reside na falta de Viaturas Tácticas Blindades Ligeiras, recomenda-se a aquisição de 80 dessas viaturas.
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: PereiraMarques em Fevereiro 19, 2013, 11:30:37 pm
http://www.arsenal-alfeite.pt/index.php?id=171 (http://www.arsenal-alfeite.pt/index.php?id=171)

http://www.arsenal-alfeite.pt/index.php?id=169 (http://www.arsenal-alfeite.pt/index.php?id=169)

http://www.arsenal-alfeite.pt/index.php?id=160 (http://www.arsenal-alfeite.pt/index.php?id=160)
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: LuisC em Fevereiro 19, 2013, 11:37:10 pm
Citar
A compra de 3 modelos de lanchas, 6 lanchas L490 destinadas ao patrulhamento oceanico, sendo uma ou duas adaptadas ao combate à poluição, patrulhas de curta duração asseguradas por 10 barcos L280 e são ainda necessárias 5 lanchas L145 para fiscalização em águas rasas e zonas ribeirinhas.

Então quer dizer que o programa dos NPOs fica-se pelos dois navios...será assim?
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: Cabecinhas em Fevereiro 20, 2013, 12:19:06 am
Pelo pouco ou nada que percebo, estas lanchas servem de complemento e não de substituição das pequenas "corvetas" que são os NPO.
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: Lightning em Fevereiro 20, 2013, 12:21:25 am
Citação de: "LuisC"
Então quer dizer que o programa dos NPOs fica-se pelos dois navios...será assim?

Estas propostas do IDN são sempre de "marte"  :mrgreen: .
Parece-me que as propostas deles, de um modo geral, seriam boas se, estivessemos a criar um pais do 0, mas como não estamos, como envolve organismos que já tem a sua historia, tradições, influencias, etc, é dificil fazer uma reforma muito radical, mas algumas propostas são capazes de se concretizarem.

Essa destas lanchas substituirem os NPO acho estranho, principalmente pelo deslocamento deles, é que a lancha tem 600 toneladas e o NPO tem 1600 toneladas...
É que nós não temos uma ZEE só costeira, também temos a ZEE oceanica em volta das ilhas dos Açores e Madeira, esses navios tem que se capazes de se fazerem mar a dentro para ai até meio do Atlântico.

Outra coisa que dizia no jornal era que a construção destas lanchas e a modernização das fragatas deviam ser feitas nos ENVC.
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: jurista em Fevereiro 20, 2013, 08:24:48 am
Citação de: "Lightning"

Outra coisa que dizia no jornal era que a construção destas lanchas e a modernização das fragatas deviam ser feitas nos ENVC.

Tenho muitas dúvidas sobre a legalidade disso.
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: Lightning em Fevereiro 20, 2013, 11:19:22 pm
Hoje o Diário de Noticias tinha mais algumas novidades sobre o programa de reforma das Forças Armadas, não tinha muitas novidades, mais do mesmo, ter capacidade expedicionária de 2 Batalhões/agrupamentos, duas Fragatas, etc.

A novidade para mim, e que talvez deixe os saudosistas das poderosas FAs portuguesas do Império em choque :wink: .

Pois, segundo o texto, é dos paises cujas FA, temos mais em comum, tamanho muito parecido, ambos tem zonas maritimas extensas, ambos sao na UE, da NATO, etc.

Mas o jornal alerta para algumas diferenças que, no fim, podem ser importantes para conseguirmos ter essa tal capacidade similar à Dinamarca.

A Dinamarca tem umas FA com 25.000 elementos e um orçamento de 3 mil milhões de euros.
Portugal tem umas FA com 38.000 elementos e um orçamento de 2 mil milhões de euros e com a reforma pretende-se ficar com
umas FA de 30.000 elementos e um orçamento de 1.8 mil milhões de euros (corte de 200 mil euros).

Portugal actualmente tem cerca de 400 militares nas várias operações internacionais, a Dinamarca tem 750 só no Afeganistão.

O jornal questiona, será que nós com mais 5.000 homens para manter do que a Dinamarca, e um orçamento 1/3 menor, conseguimos ter a capacidade expedicionária que ambicionamos?
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: Kalil em Fevereiro 21, 2013, 04:44:35 pm
A Dinamarca é um optimo exemplo para as nossas FA, já agora, até é UK bom exemplo para o nosso país e os nossos políticos!

Podem começar por tentar perceber como é que se controem fragatas de 6000 ton por pouco mais de 300 milhões..
Depois, podem comparar o equipamento das BrigMec, CV 9035, Piranha 8x8..

Cumprimentos
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: Cabeça de Martelo em Fevereiro 21, 2013, 04:49:21 pm
O RU? Eles estão a fazer a mesma coisa que nós (cortar a eito).

Já a Dinamarca... sabiam que houve (há?) militares de algo semelhante à "reserva operacional" no Afeganistão? Pois é, só assim é que conseguiram homens para cumprir com todas as missões.
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: Luso em Fevereiro 22, 2013, 12:04:02 am
Citação de: "Lightning"
conseguimos ter a capacidade expedicionária que ambicionamos?

Nem mais um soldado para as colónias dos outros!

Onde estão hoje os hippies das boas famílias que apelavam à saída das nossas "colónias"?
São os mesmos que mandam os nossos morrerem nas colónias dos outros.

Os nossos que fiquem aqui, mais seguros e mais baratinhos.
Ao diabo com o "expedicionarismo" a bem dos "companheiros fraternos".
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: Carlos Rendel em Fevereiro 22, 2013, 11:44:34 am
A Dinamarca que faz fronteira apenas com a Alemanha,pode dizer-se que mais parece a pulga e o elefante. Na II Grande Guerra
foram invadidos por motivos estrategicos por mar, não deram um tiro e não houve mortos nem feridos ao fim
das três horas que durou a invasão.Se qualquer resistencia era suicida,tambem era de ter em conta os simpatizantes do invasor.
Não se trata de um  país em desenvolvimento,mas dispõe de uma agricultura adequada (bons solos,clima previsível),uma industria
naval,farmaceutica e mecanica,em parte exportada e investigação tecnológica afamada, com muitos contratos com as FAD.
Portanto  a Dinamarca vive com outro desafogo que Portugal e tem reservas ainda por explorar na Gronelandia,quase um conti-
nente.
Quanto a Portugal e os seus 190 generais,tudo depende do futuro que é uma carta fechada.Se pensarmos a rapidez  com que se
geram conflitos e a total imprevisibilidade dos mesmos devemos acautelar o futuro  e estar preparados para o que der e vier.
O compromisso das Forças Armadas é com Portugal,os portugueses e o seu futuro.E,nesta perspectiva, há que contar com outra
ameaça, sendo que a Protecção Civil nunca será suficiente: os fenómenos naturais.Nos quais se enquadram:
a) Sismos e tsunamis;b) Vulcanismo (Açores) c)Chuvas torrenciais e secas de anos.Compreende-se a magnitude e o alcance
destes fenómenos. Vi,num trabalho de laboratório,que 75% das casas de Lisboa,em caso de um sismo como o de 1755,
seriam destruidas sem recuperação. Mas,caso acordem os vulcões Etna (Itália) ou "La cumbre vieja" nas Canárias,podemos
ter a certeza que os seus efeitos maléficos nos vão bater à porta.CR
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: Miguel em Fevereiro 22, 2013, 08:45:47 pm
Citar
Nem mais um soldado para as colónias dos outros!

Onde estão hoje os hippies das boas famílias que apelavam à saída das nossas "colónias"?
São os mesmos que mandam os nossos morrerem nas colónias dos outros.

Os nossos que fiquem aqui, mais seguros e mais baratinhos.
Ao diabo com o "expedicionarismo" a bem dos "companheiros fraternos  

 :G-Ok:  Certissimo

Ate podem acabar com as forças armadas, Portugal ainda existe ???

Ou é uma colonia das mafias multinacionais??
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: Lightning em Fevereiro 23, 2013, 12:42:59 am
Mas Portugal alguma vez na sua história se conseguiu defender sem aliados? Já em Aljubarrota tivemos os arqueiros ingleses cá a ajudar.

Portugal não é nenhuma potência militar, nós somos como a Dinamarca, a Bélgica, etc, a unica coisa que podemos fazer é ter aliados mais fortes que os nossos tradicionais inimigos. Nem que gastassemos o raio do PIB todo na Defesa conseguiamos nos defender sozinhos das grandes potências do mundo, Alemanha, Russia, EUA, etc.

É a história...
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: Lightning em Fevereiro 23, 2013, 12:56:42 am
Citação de: "Cabeça de Martelo"
Já a Dinamarca... sabiam que houve (há?) militares de algo semelhante à "reserva operacional" no Afeganistão? Pois é, só assim é que conseguiram homens para cumprir com todas as missões.

Nós não temos esse problema :mrgreen: .
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: Cabeça de Martelo em Fevereiro 23, 2013, 12:25:33 pm
Eu ainda não percebi essa comparação com a Dinamarca, eles têm metade da nossa população e a mesma têm bastante mais dinheiro que a nossa.

O que é que há para comparar?

Eles têm milhões de cidadãos espalhados pelos quatro cantos do mundo? Não!

Se não têm, não têm nem metade das obrigações que as nossas Forças Armadas têm, nem têm que gastar milhões numa altura de austeridade a mandarem navios para áfrica por causa de mais um golpe de estado/assassinato/etc.

Carlos Rendel, 210 quê? Nós temos quantos Generais no activo? As pessoas esquecem-se que nós tivemos umas Forças Armadas enormissimas e que combatemos quase 15 anos. A Dinamarca a última vez que teve que combater foi umas horas e depois já fazia parte do Reich.

Ok, é verdade que Portugal caiu e foi em minutos e sem um único tiro, mas isso já é outra conversa.
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: Lightning em Fevereiro 23, 2013, 12:47:10 pm
Citação de: "Cabeça de Martelo"
Eu ainda não percebi essa comparação com a Dinamarca, eles têm metade da nossa população e a mesma têm bastante mais dinheiro que a nossa.

O que é que há para comparar?

Eles têm milhões de cidadãos espalhados pelos quatro cantos do mundo? Não!

Podia se comparar com outros paises, Bélgica, Holanda, Suécia, Grécia :mrgreen:
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: typhonman em Fevereiro 23, 2013, 03:38:56 pm
Amanhã a noite no prós e contras debate sofre os "Defense Cuts"...


cumprimentos
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: Kalil em Fevereiro 23, 2013, 09:00:53 pm
Citação de: "Kalil"
A Dinamarca é um optimo exemplo para as nossas FA, já agora, até é UK bom exemplo para o nosso país e os nossos políticos!

Podem começar por tentar perceber como é que se controem fragatas de 6000 ton por pouco mais de 300 milhões..
Depois, podem comparar o equipamento das BrigMec, CV 9035, Piranha 8x8..

Cumprimentos

Escrevi Uk por engano, dicionário auto do telemóvel. O Reino Unido há muito que deixou de ser exemplo para alguém.

A comparação com a DK presumo que resulte do tamanho das forças ser semelhante ao que se pretende para nós. Mas na verdade, são situações sem comparação porque o contexto económico e social dos dois países é completamente diferente, como o Carlos Rendel mencionou.

A nossa situação actual podia ser bem melhor, bastava ter evitado alguns tiros nos pés na última década, e ter canalizado o investimento para áreas realmente prioritárias. Há muito tempo que era necessário fazer cortes e reformular a estrutura das FAs. Agora vai ser feito da pior forma, às três pancadas e por quem, se calhar, até nem está tecnicamente apto para tal.

E quando o PS for novamente para o governo (que não nos livramos desta doença de duas caras PS/PSD tão depressa) lá virão novos cortes e reformulações na área da defesa.

Acresce também, que não é só a má qualidade política que "empena" as FAs. Porque é que os NPOs demoraram 10 anos? E os Pandur que morreram na oficina? Será só falta de €€€...
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: Camuflage em Fevereiro 23, 2013, 10:11:41 pm
Só será feito às 3 pancadas porque quem está lá não quer mexer uma palha ou não quis mexer estes anos todos, enquanto houvesse dinheiro a cair mantinha o quintal intacto.
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: Lightning em Fevereiro 23, 2013, 11:20:09 pm
Citação de: "Cabeça de Martelo"
Eu ainda não percebi essa comparação com a Dinamarca, eles têm metade da nossa população e a mesma têm bastante mais dinheiro que a nossa.

O que é que há para comparar?

Eles têm milhões de cidadãos espalhados pelos quatro cantos do mundo? Não!

Se não têm, não têm nem metade das obrigações que as nossas Forças Armadas têm, nem têm que gastar milhões numa altura de austeridade a mandarem navios para áfrica por causa de mais um golpe de estado/assassinato/etc.

Tenho que ver se arranjo o jornal para ver melhor o tal artigo, mas no fundo a comparação era a nivel do que queremos conseguir fazer com as FA, e do que é que temos que ter para o conseguir, não tem propriamente a ver com termos os mesmos equipamentos que eles (era bom era :mrgreen: ), ao que parece a Dinamarca é o que tem as capacidades mais parecidas com o que pretendemos ter, aquilo que eu já tinha dito, ter capacidade de colocar em missões 2 Fragatas, 2 Batalhões, 6 F-16, 1 C-130, etc, os outros paises não são tão parecidos a Bélgica na parte maritima não tem quase nada, a Grécia tem umas FA gigantes mas estáticas, a Holanda é demais eles tem Apaches, Chinnoks, LPDs, e meteram para ai uns 1000 e tal gajos no Afeganistão.

É claro que se formos ver as FA da Dinamarca mais proximamente, temos diferenças claro, nós temos mais "infantaria ligeira", Pára-quedistas, Comandos, etc, eles tem mais "Infantaria Mecanizada" CV90, essas coisas, nós temos submarinos, temos P-3s, temos Fuzileiros, eles não, mas na parte quantitativa, nº de navios, nº de aeronaves, nº de Batalhões, devemos ser muito parecidos.

Claro que toda esta comparação com a Dinamarca que o jornal faz, nunca diz que devemos deixar de ter forças mecanizadas, alias a Dinamarca tem e boas.
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: Carlos Rendel em Fevereiro 23, 2013, 11:38:42 pm
Permitam uma pequena correcção: a Dinamarca ao ser invadida pelos nazis provocou uma divisão ao mais alto nível entre os "pacifistas",que não
     queriam a guerra,apoiados pelo Rei e os que se queriam defender,lutando,apoiados pela chefia das Forças Armadas.A troca de argumentos e a
     indecisão levou horas sem resultado e quando deram por si já havia novo governo constituído por um homem da confiança do sr.Hitler.Como disse,
     a invasão durou três horas e não houve tiros.

     A meu vêr e descontadas as diferenças,aliás substanciais é com o estado de Israel que poderíamos encontrar alguns pontos de contacto:em  1967
     após a vozearia árabe que ia atirar os ratos ao mar dá-se um ataque aéreo preventivo de Israel,perpretado por não profissionais --mesmo os oficiais
     superiores tinham os seus empregos civis----estes militares batendo-se em três frentes e decididos a afastar a ameaça, em três dias derrotam
     os exércitos  do Egipto,Jordania e Síria.Vão agora falar no apoio americano,que nós tambem tínhamos na Presidência de Nixon,no dinheiro dos
     magnatas judeus de Wall Street,enquanto o nosso dormitava em Angola e Moçambique sob a forma de petróleo e minérios metálicos úteis para
     ligas de material de guerra.Só que Israel detinha armas nucleares em segredo,para ser usadas só se as coisas se pusessem feias (ainda há dias um
     político do Knesset ao ser interprelado por um jornalista respondeu,sorrindo: "Sobre esse assunto não quero falar"...) Acabam aqui as semelhanças
     porque  em Portugal nunca houve armas nucleares.CR
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: Lightning em Fevereiro 24, 2013, 12:05:11 am
Citação de: "Carlos Rendel"
A meu vêr e descontadas as diferenças,aliás substanciais é com o estado de Israel que poderíamos encontrar alguns pontos de contacto:em  1967 após a vozearia árabe que ia atirar os ratos ao mar dá-se um ataque aéreo preventivo de Israel,perpretado por não profissionais --mesmo os oficiais superiores tinham os seus empregos civis----estes militares batendo-se em três frentes e decididos a afastar a ameaça, em três dias derrotam os exércitos  do Egipto,Jordania e Síria.Vão agora falar no apoio americano,que nós tambem tínhamos na Presidência de Nixon,no dinheiro dos magnatas judeus de Wall Street,enquanto o nosso dormitava em Angola e Moçambique sob a forma de petróleo e minérios metálicos úteis para ligas de material de guerra.Só que Israel detinha armas nucleares em segredo,para ser usadas só se as coisas se pusessem feias (ainda há dias um político do Knesset ao ser interprelado por um jornalista respondeu,sorrindo: "Sobre esse assunto não quero falar"...) Acabam aqui as semelhanças porque  em Portugal nunca houve armas nucleares.CR

Ainda não percebi onde é que estão as semelhanças entre Portugal e Israel, falou-me ai de 1967, nem a Guerra dos 6 dias nem a nossa guerra colonial são parecidas, nem nós estamos em 1967, estamos em 2013, já não temos colonias de Angola e de Moçambique, temos é isto:

(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2F1.bp.blogspot.com%2F-f64wURCUC2M%2FTW1Cqg2v4xI%2FAAAAAAAABLo%2FV1Xed0Yztrk%2Fs320%2FZEE_300.jpg&hash=aa599d87223a663ea1a7b53946d701fc)
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: jurista em Fevereiro 24, 2013, 08:41:24 am
Citação de: "Lightning"
Citação de: "Carlos Rendel"
A meu vêr e descontadas as diferenças,aliás substanciais é com o estado de Israel que poderíamos encontrar alguns pontos de contacto:em  1967 após a vozearia árabe que ia atirar os ratos ao mar dá-se um ataque aéreo preventivo de Israel,perpretado por não profissionais --mesmo os oficiais superiores tinham os seus empregos civis----estes militares batendo-se em três frentes e decididos a afastar a ameaça, em três dias derrotam os exércitos  do Egipto,Jordania e Síria.Vão agora falar no apoio americano,que nós tambem tínhamos na Presidência de Nixon,no dinheiro dos magnatas judeus de Wall Street,enquanto o nosso dormitava em Angola e Moçambique sob a forma de petróleo e minérios metálicos úteis para ligas de material de guerra.Só que Israel detinha armas nucleares em segredo,para ser usadas só se as coisas se pusessem feias (ainda há dias um político do Knesset ao ser interprelado por um jornalista respondeu,sorrindo: "Sobre esse assunto não quero falar"...) Acabam aqui as semelhanças porque  em Portugal nunca houve armas nucleares.CR

Ainda não percebi onde é que estão as semelhanças entre Portugal e Israel, falou-me ai de 1967, nem a Guerra dos 6 dias nem a nossa guerra colonial são parecidas, nem nós estamos em 1967, estamos em 2013, já não temos colonias de Angola e de Moçambique, temos é isto:

(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2F1.bp.blogspot.com%2F-f64wURCUC2M%2FTW1Cqg2v4xI%2FAAAAAAAABLo%2FV1Xed0Yztrk%2Fs320%2FZEE_300.jpg&hash=aa599d87223a663ea1a7b53946d701fc)

Concordo plenamente. Não vejo qualquer semelhança com Israel. Eles têm SMO e Forças Armadas de elite porque todos os dias são dias de alerta máximo. Obviamente que têm gastos de defesa muito maiores que os nossos, pelos motivos óbvios. Também concordo com o lightning em relação àquilo que devia ser a prioridade na defesa portuguesa: a marinha. Temos a maior ZEE da europa, e pedimos o alargamento (com base na plataforma continental) até às 360 milhas. Isso implica um aumento brutal a uma área já de si grande. Assim, temos uma marinha claramente subdimensionada para as obrigações que todo este mar implica.
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: Miguel em Fevereiro 24, 2013, 01:01:05 pm
30000 é muito pouco.

2000/2500 nos EM, AM,HM etc...

Fica 6000 para a FAP e 9000 na Armada.

12500/13000 apenas no Exercito. :N-icon-Axe:
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: Get_It em Fevereiro 24, 2013, 03:40:36 pm
Citação de: "jurista"
Concordo plenamente. Não vejo qualquer semelhança com Israel. Eles têm SMO e Forças Armadas de elite porque todos os dias são dias de alerta máximo. Obviamente que têm gastos de defesa muito maiores que os nossos, pelos motivos óbvios.
Sem falar que recebem maior apoio financeiro (que se traduz em material) dos EUA e os políticos israelitas são mil vezes mais pro-militar.

Em geral eu diria que o problema tem como origem o fim da indústria militar em Portugal. Se nunca tivessem permitido a sabotagem que houve hoje toda a modernização nas forças armadas seria vista claramente como um benefício para o país e uma forma de continuar a desenvolver o país. Mas não, em vez disso afundamos ainda mais a indústria com situações como a dos ENVC. E depois também se continua a utilizar fundos europeus e nacionais apenas para a pesquisa e desenvolvimento inicial de projectos em vez de também ajudar a iniciar a produção em Portugal; o que se traduz em técnicos qualificados com o nosso dinheiro a irem trabalhar lá para fora ou em tecnologia/produtos serem vendidos a empresas estrangeiras e que depois acabam por serem fabricados lá fora, em vez de gerar emprego não-qualificado cá, e a continuar no futuro a ser desenvolvido lá fora.
(/rant)

Cumprimentos,
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: Lightning em Fevereiro 24, 2013, 04:10:10 pm
Citação de: "Miguel"
30000 é muito pouco.

2000/2500 nos EM, AM,HM etc...

Fica 6000 para a FAP e 9000 na Armada.

12500/13000 apenas no Exercito. :N-icon-Axe:

Eu acho que o Exército vai ter que se habituar a ser um ramo das FA relativamente do mesmo tamanho dos outros. Se temos Batalhões que na prática são Companhias é porque 3 Brigadas são estruturas demasiado grandes, que passem a 3 ou 4 Agrupamentos, ou então que comecem a emagrecer a estrutura de apoio para canalisar esses militares para as unidades operacionais, talvez assim dê para manter as 3 Brigadas.
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: Carlos Rendel em Fevereiro 24, 2013, 04:12:23 pm
Peço desculpa por voltar ao assunto,e não ter conseguido traduzir a ideia: nos anos 60 (early sixties), Portugal e Israel estavam impreparados para o que viria a seguir. Tinham ambos àreas  reduzidas face à vizinhança e valores de
 capitação por área  próximos,não tinham muitos amigos e estavam rodeados de inimigos-refiro-me naturalmente a Israel e à África portuguesa.Como escrevi na minha MSG anterior, ambos tiveram apoio e desapoio de dois presidentes
 americanos influentes (Kennedy e Nixon) e um "hinterland" rico ----diáspora  judaica um,riquezas naturais outro (petróleo e minérios).E como resolveu cada um a borrasca em que se meteu ?  Israel desencadeou a guerra dos seis dias e emergiu   vitoriosa,Portugal  levou 13 anos a perder a guerra.

Cumprimentos.CR
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: Lightning em Fevereiro 24, 2013, 04:22:57 pm
Citação de: "jurista"
Também concordo com o lightning em relação àquilo que devia ser a prioridade na defesa portuguesa: a marinha. Temos a maior ZEE da europa, e pedimos o alargamento (com base na plataforma continental) até às 360 milhas. Isso implica um aumento brutal a uma área já de si grande. Assim, temos uma marinha claramente subdimensionada para as obrigações que todo este mar implica.

Concordo consigo jurista, e olhe que a falta de fiscalização já anda ai, não gastam dinheiro em navios para a Armada, gastam em multas.

http://www.cmjornal.xl.pt/detalhe/notic ... pescadores (http://www.cmjornal.xl.pt/detalhe/noticias/nacional/economia/acores-ministerio-da-defesa-condenado-a-indemnizar-pescadores)
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: jurista em Fevereiro 24, 2013, 07:03:30 pm
Citação de: "Carlos Rendel"
Peço desculpa por voltar ao assunto,e não ter conseguido traduzir a ideia: nos anos 60 (early sixties), Portugal e Israel estavam impreparados para o que viria a seguir. Tinham ambos àreas  reduzidas face à vizinhança e valores de
 capitação por área  próximos,não tinham muitos amigos e estavam rodeados de inimigos-refiro-me naturalmente a Israel e à África portuguesa.Como escrevi na minha MSG anterior, ambos tiveram apoio e desapoio de dois presidentes
 americanos influentes (Kennedy e Nixon) e um "hinterland" rico ----diáspora  judaica um,riquezas naturais outro (petróleo e minérios).E como resolveu cada um a borrasca em que se meteu ?  Israel desencadeou a guerra dos seis dias e emergiu   vitoriosa,Portugal  levou 13 anos a perder a guerra.

Cumprimentos.CR

Novamente tenho que discordar de si. Israel mal preparado na guerra dos Seis Dias? Muito antes pelo contrário. O único campo em que Israel perdia era na aviação (razão pela qual o primeiro grande objectivo da sua ofensiva foi destruir a força aérea egípcia, destruída quase sem ter hipótese de descolar). Mas de resto tinha uma clara superioridade a nível de equipamento e preparação. Também acrescentaria que não se pode afirmar que Portugal tenha perdido, militarmente falando, a guerra. Mas isso são outros quinhentos  :P
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: Lightning em Fevereiro 25, 2013, 12:05:45 am
Citação de: "Carlos Rendel"
Peço desculpa por voltar ao assunto,e não ter conseguido traduzir a ideia: nos anos 60 (early sixties), Portugal e Israel estavam impreparados para o que viria a seguir. Tinham ambos àreas  reduzidas face à vizinhança e valores de
 capitação por área  próximos,não tinham muitos amigos e estavam rodeados de inimigos-refiro-me naturalmente a Israel e à África portuguesa.Como escrevi na minha MSG anterior, ambos tiveram apoio e desapoio de dois presidentes
 americanos influentes (Kennedy e Nixon) e um "hinterland" rico ----diáspora  judaica um,riquezas naturais outro (petróleo e minérios).E como resolveu cada um a borrasca em que se meteu ?  Israel desencadeou a guerra dos seis dias e emergiu   vitoriosa,Portugal  levou 13 anos a perder a guerra.

Cumprimentos.CR

Eu percebo a sua ideia, não percebo é porque escreve isso aqui, não estamos no tópico referente a historia militar, estamos no tópico referente a reformar e modernizar as forças armadas para o futuro.
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: Carlos Rendel em Fevereiro 25, 2013, 11:12:27 am
Sem querer transformar um foro num diálogo,apenas faço uma citação:

 
Citar
Quem não aprender com os erros do passado,está condenado a repeti-los.
Santayana

  Dr. Jurista:     O exército de Israel estava bem armado pelos americanos,assim como os árabes o estavam pelos
                        soviéticos .Defrontaram-se aí dois tipos de armamento rivais à escala mundial.Todos aprenderam
                        qualquer coisa.Isto passou-se em 1967,o que eu disse foi que ninguém  estava preparado no início
                        da década de sessenta para o que viria a seguir.  

                   Reitero as minhas desculpas por estar fora de contexto e fora do debate em causa
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: Luso em Fevereiro 25, 2013, 11:41:40 am
Citação de: "Carlos Rendel"
 Dr. Jurista:     O exército de Israel estava bem armado pelos americanos,assim como os árabes o estavam pelos
                        soviéticos .Defrontaram-se aí dois tipos de armamento rivais à escala mundial.Todos aprenderam
                        qualquer coisa.Isto passou-se em 1967,o que eu disse foi que ninguém  estava preparado no início
                        da década de sessenta para o que viria a seguir.  

                   Reitero as minhas desculpas por estar fora de contexto e fora do debate em causa


Eu também peço desculpa pelo off-topic. Carlos Rendel, que armamento americanos era utilizado pelos israelitas em 67?
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: Lightning em Fevereiro 25, 2013, 05:29:44 pm
Programa pros e contras de ontem sobre os cortes nas forças armadas

http://www.rtp.pt/icmblogs/rtp/pros-con ... post=43567 (http://www.rtp.pt/icmblogs/rtp/pros-contras/?1-parte-do-Pros-e-Contras-de-2013-02-24.rtp&post=43567)
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: Miguel em Fevereiro 25, 2013, 06:15:46 pm
O nosso modelo foi durante decadas inspirado em paises como o Canada e Australia, Holanda.

Agora com a Dinamarca :lol:
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: Camuflage em Fevereiro 25, 2013, 06:54:11 pm
Citação de: "Lightning"
Programa pros e contras de ontem sobre os cortes nas forças armadas

http://www.rtp.pt/icmblogs/rtp/pros-con ... post=43567 (http://www.rtp.pt/icmblogs/rtp/pros-contras/?1-parte-do-Pros-e-Contras-de-2013-02-24.rtp&post=43567)

Quem eram os contras? É que numa passagem rápida só vi gente a defender o mesmo de ambos os lados e para o cidadão comum a conclusão a que chega é que tem que se investir e não justificam porquê, só falam no abstracto. Já é o segundo programa com este tema e sem contraditório, parece que há medo em convidar pessoas incomodativas ou que possam dizer que há despesismo, onde e praticado por quem.
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: jurista em Fevereiro 25, 2013, 07:10:54 pm
Citação de: "Camuflage"
Citação de: "Lightning"
Programa pros e contras de ontem sobre os cortes nas forças armadas

http://www.rtp.pt/icmblogs/rtp/pros-con ... post=43567 (http://www.rtp.pt/icmblogs/rtp/pros-contras/?1-parte-do-Pros-e-Contras-de-2013-02-24.rtp&post=43567)

Quem eram os contras? É que numa passagem rápida só vi gente a defender o mesmo de ambos os lados e para o cidadão comum a conclusão a que chega é que tem que se investir e não justificam porquê, só falam no abstracto. Já é o segundo programa com este tema e sem contraditório, parece que há medo em convidar pessoas incomodativas ou que possam dizer que há despesismo, onde e praticado por quem.

Verdade... mas os "contra", nomeadamente o Ministro da Defesa e o Director do IDF.
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: jurista em Fevereiro 25, 2013, 07:18:56 pm
Já agora. Alguém sabe onde para o documento de trabalho que o Gen Pinto Ramalho referiu?
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: Camuflage em Fevereiro 25, 2013, 07:38:15 pm
Para mim contra, não é só ser contra ou por ser politico, é saber fazer o contraditório chegar ali e falar de factos, dizendo o que está mal, onde se pode cortar e suas excelências não querem, o que se pode fazer na economia actual e face às reais ameaças. Podiam ter convidado imensa gente, mas parece que há medo em fazê-lo ou então um governo sombra que não o permite.
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: Lightning em Fevereiro 25, 2013, 09:31:46 pm
Eu acho que não se pode ser tão linear e dizer isto está mal, ou pode-se cortar x pessoas ali, ou aquela unidade/orgão é desnecessária, porque actualmente é assim que estamos organizados, e para a organização que existe actualmente há certos gastos e não quer dizer obrigatoriamente que seja despesismo.

Ainda não vi o debate todo, mas numa parte afirmam que isso de se gastar 80% em pessoal, 15% em operações e 5% noutas coisas (equipamentos, etc), só está assim porque as FA já sofreram cortes brutais no passado, pois antes os gastos eram 50% em pessoal, 25% em operações e 25% noutras coisas, e quando se fizeram cortes foi em força nos 2 ultimos items, basta lembrar-nos que já chegamos a mandar um agrupamento para Timor, com helicopteros Alouette III, uma Fragata, uma companhia de fuzileiros, agora temos 1 companhia no Afeganistão e 1 companhia no Kosovo e que cancelamos vários programas de modernização das FA, os NH-90, os Pandur, os NPO, as espingardas automáticas, etc.

Acho é que, tal como o ministro tem dito, as FA organizadas como estão em breve não tem orçamento para operações, com as restrições orçamentais que o pais tem não se quer ou não se pode aumentar o valor desse orçamento para o que existia nos anos 90 em que conseguiamos enviar batalhões inteiros para missões, o que se pode fazer? Ou passamos a admitir que agora só temos capacidade financeira para enviar companhias, ou reorganizamos as FA para um modelo diferente, qualquer modelo que exista terá sempre vantagens e desvantagens.

Existem tantos modelos diferentes, Há paises que tem SMO, o pais dividido em regiões militares, tem reservas operacionais, tem a administração das FA unificadas, ou a logistica unificada, ou a instrução unificada, a saude unificada, nas unidades operacionais há paises que nas Brigadas só tem as unidades de infantaria e cavalaria, as outras unidades estão separadas, outros acabaram com as forças mecanizadas, outros acabaram com os submarinos, outros acabaram com os aviões de patrulhamento maritimo, nós tivemos (se calhar ainda temos) Batalhões a 5 companhias, 3 de atiradores, 1 de comando e serviços e 1 de apoio de combate, depois apareceçam os BIParas a 4 companhias, 3 de atiradores e 1 de comando e apoio, os Fuzileiros tem uma organização completamente diferente em que todas as unidades estão separadas e depois unem-se num Batalhão com a organização que se achar necessária à missão que se vai executar, já tivemos esquadras de caças a 20 aviões, agora a ideia é esquadras de caças a 12 aviões.

Qual é o modelo mais despesista?
A verdade é que certos modelos tem mais ou menos despesas que outros, e certos modelos tem mais ou menos capacidades que outros, temos que encontrar o modelo em que a despesa seja a suportável pela nação e consiga ter as capacidades que se achem necessárias.
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: Lightning em Fevereiro 25, 2013, 09:39:52 pm
Citação de: "jurista"
Verdade... mas os "contra", nomeadamente o Ministro da Defesa e o Director do IDF.

IDN  :lol:  :G-beer2:
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: jurista em Fevereiro 25, 2013, 09:45:18 pm
Citação de: "Lightning"
Citação de: "jurista"
Verdade... mas os "contra", nomeadamente o Ministro da Defesa e o Director do IDF.

IDN  :lol:  :P já agora, quanto ao documento de trabalho referido, não se sabe dele?
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: Lightning em Fevereiro 25, 2013, 09:48:25 pm
Citação de: "Miguel"
O nosso modelo foi durante decadas inspirado em paises como o Canada e Australia, Holanda.

Ah foi? Então onde é que andam os C-17, os Apaches e os Chinooks portugueses...  :mrgreen:
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: HSMW em Fevereiro 25, 2013, 09:53:39 pm
Não em meios mas em organização. Relembro que a BrigInt foi baseada nas brigadas Stryker dos US.
(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fupload.wikimedia.org%2Fwikipedia%2Fen%2Fb%2Fb3%2FStryker_Brigade_Combat_Team_Infantry_Rifle_Company.jpg&hash=8b2dbc168932efe5eda733be01d3b41d)
(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fupload.wikimedia.org%2Fwikipedia%2Fcommons%2Fthumb%2Fa%2Fa4%2FStryker_Brigade_Combat_Team_Organization.svg%2F800px-Stryker_Brigade_Combat_Team_Organization.svg.png&hash=2b5d67690765a3b2bc2d79b2d06dd61c)
Mais cambalhota, menos cambalhota...  :roll:
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: Lightning em Fevereiro 25, 2013, 10:17:32 pm
Citação de: "HSMW"
Não em meios mas em organização. Relembro que a BrigInt foi baseada nas brigadas Stryker dos US.

Certo lembro-me disso, é termos 3 brigadas, 1 pesada, 1 média e 1 ligeira, essa organização é mais à US, e à Australiana que também imitou esse sistema de 3 brigadas.
A Holanda e o Canadá acho que já não são bem assim, tem nas brigadas mecanizadas blindados de lagartas misturados com blindados de rodas e no Canadá ainda tem 1 batalhão de infantaria ligeira em cada uma das brigadas (essa é organização à inglesa :mrgreen: ) e a Holanda acabou com os Leopard 2 no ano passado.

São modelos, como eu disse anteriormente, qualquer um tem as suas vantagens e desvantagens.
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: Kalil em Fevereiro 26, 2013, 12:05:07 am
Boas,

Reorganizar é bom quando há dinheiro, quando não há, é mais remendar que reorganizar. Uma espécie de baralha e volta a dar.

Já se gastou o que havia para os próximos tempos, se foi bem gasto é que já é outra questão. A Marinha, por exemplo, para missão de patrulha da ZEE e para projeção de força pode sempre contar com os U-214!!
Ora, se calhar, 1000 ME era o suficiente para 1 Navpol, 10 NPO e 10 Lanchas, feitos em Viana, claro. Mas isto são só contas..

O dinheiro é que manda, se não há dinheiro das duas uma, ou se continua com esta lenta decadência (que nem o País nem os militares merecem) ou se parte para uma coisa a sério, um plano a 10 ou 20 anos para reformular tudo.
Quanto a mim já deviam ter sido alienadas uma série de propriedades do Exército. Isto, no tempo em que a especulção imobiliária ainda davam bom dinheiro. No Porto. só para citar o que conheço melhor, há dois quartéis e um hospital em pleno centro da cidade. Podiam ter vendido 2 deles e deslocar as unidades para outros quartéis. Já sei que a maioria de vós não concordaria com algo deste género, mas eu, que nada tenho a haver com as FAs, sou muito pragmático nesta questão.

Não há guito para 10 000 SCAR ou HK416 ou lá o que a malta preferir. E depois houve guito para carros de combate?? Abatia-se os M60 e acabava se com os blindados. Agora que temos Leos já parece um desperdício, não é, mas a verdade é que nunca irão servir para nada, a não ser paradas e desfiles imponentes. Valor estratégico actual = zero.  


Bem, tudo se há de desenrascar..

(off topic, qualquer comparação entre Portugal e Israel será sempre irreal, em todos os sentidos e em todas as vertentes imagináveis.)

Cumprimentos
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: Luso em Fevereiro 27, 2013, 02:34:25 pm
Concordando, coloco aqui o postal:

http://novoadamastor.blogspot.pt/2013/0 ... rapas.html (http://novoadamastor.blogspot.pt/2013/02/o-ministro-da-defesa-e-os-satrapas.html)

Citar
Sábado, 16 de Fevereiro de 2013
O MINISTRO DA DEFESA E OS SÁTRAPAS MODERNOS

No dia 14 de Fevereiro o Senhor MDN deu uma entrevista à Judite de Sousa, na TVI, que não passou de uma réplica, de afogadilho, ao programa do Prof. Medina Carreira, sobre as Forças Armadas (FAs), três dias antes, onde figurou o Gen. Loureiro dos Santos. Aproveitou ainda para enviar umas indirectas ao Gen. Pinto Ramalho, que também dera uma curta entrevista à TVI onde criticava o corte de 8.000 efectivos e outras barbaridades.
O ministro que só deve ter ouvido falar em FAs e militares quando - distraidamente - folheava uma revista, já em idade púbere, trincando um queque, na Foz do Douro, veio à liça com ar indignado de virgem ofendida.
Então ele era lá capaz de afrontar as FAs, logo ele, um imaculado sátrapa, perdão ministro?![1]
Marcou S. Exª a entrevista fazendo amarra num ponto: a imaculada intenção (só falta virem para as entrevistas vestidos de branco e com asinhas), de que o objectivo da reforma (?) – palavra que é a matriz do constante desatino em que sucessivos governos têm posto as FAs – é a operacionalidade da tropa!
A tristeza da argumentação deste pedaço da humana cidadania, em exercício de poder, seria apenas deplorável caso não se esmerasse na insistência de nos tratar como parvos.

Usando uma lógica barata de advogado caro o Sr. Ministro sofisma, actividade que, pelos vistos, é a única que domina, pois nem um simples silogismo é capaz de desenvolver.
Vejam esta pérola: defende o coitado, ser necessário reduzir os efectivos (que devem ser imensos, subentendendo-se da palração), para permitir reduzir custos na área do pessoal a fim de aumentar a verba para a operação e treino das tropas. Tal é baseado na premissa de que se gasta mais de 80% do orçamento na rúbrica do pessoal.
O Sr. (ainda) Ministro deve estar a mangar com a gente. Só pode.
Então, não vislumbrará tão iluminada inteligência, que até se poderia gastar 100%?[2]
Bastava que, o senhor e o patético e aldrabão governo de que faz parte, destinasse verba que apenas correspondesse às necessidades da despesa com o pessoal…
Por acaso o pessoal apareceu na vida militar por obra e graça do Espirito Santo?
Por acaso “alguém” pode pegar no pessoal e eliminá-lo? Quer gastar algumas munições (olhe que se arrisca a esgotá-las – e não é por “eles” serem muitos, mas por “elas” serem poucas…) a fuzilá-los?
O que fizeram os seus antecessores nos últimos 20 anos até agora? Não foi o de andarem a reduzir constantemente os efectivos? Por acaso as verbas destinadas a operações e treino aumentaram?

O senhor não me tire do sério e evite cruzar-se comigo na rua!

E no meio desta publicidade enganosa vem afirmar que poupa 218 milhões? Mas então onde é que está o ganho para a operacionalidade das FAs, partindo do princípio que o sátrapa Gaspar fica com a poupança?
Você – termo pelo qual o passarei a tratar – enxergue-se e enxergue-nos![3]
Com o maior dislate, ainda, vem dizer que não senhor, o Gen. L. dos Santos (de quem não sou defensor oficial nem oficioso), não tem razão em acusar o governo de andar com o “carro à frente dos bois” por estar a querer reduzir os efectivos antes de se rever o Conceito Estratégico de Defesa Nacional (CEDN), pois tal está a ser tratado e ficará pronto em Março.
Mas não afirmou na mesma que ia reduzir os efectivos e que se saiba ainda estamos em Fevereiro… Você, por acaso deu-lhe uma fézada ou consulta videntes?

Pergunto ainda, algum governo já elaborou um CEDN que servisse para orientar fosse o que fosse? Alguma vez ligaram pevide ao que lá estava escrito? Alguma vez foi elaborado um conceito estratégico que não fosse o militar (CEM), dele derivado?
Já agora, o CEM também vai estar pronto em Março? É que segundo parece (a gente já não sabe o que está em vigor dada a volatilidade com que tudo muda e as emendas sobre as emendas que se vão acumulando), as Missões, Conceito de Acção, Ameaças, Dispositivo e Sistema de Forças, relativos às FAs, derivam primariamente do CEM, não do CEDN…
E o pessoal em serviço nas FAs é para dar corpo e consubstanciar o atrás apontado…
E o que é que um ministro tem que andar a sugerir coisas sobre um documento que tem a classificação de “secreto”?
Vem dizer, defendendo-se das críticas de militares, que os estudos para que aponta são também feitos por militares e que as competências são idênticas. Duvido.
Indique-me, se for capaz, o nome deles, pois eu conheço-os a quase todos. E diga-me se estão no activo.
E partindo do silogismo incompleto e manhoso, utilizado, pode adiantar se as intenções também serão idênticas?

Você sabe Sr. Ministro, que já Camões dizia que “em Portugal também alguns traidores houve, algumas vezes…” Não referiu o grande poeta – que começou por ser soldado – se algum deles era militar. Se calhar (na altura) ainda não teria havido nenhum.

Há poucos meses escrevemos um artigo em cujo título se questionava o MDN se tinha ensandecido.
Creio que agora já dá para não ter dúvidas sobre a resposta.
Portugal apesar de estar cheio de Sátrapas, ainda não virou uma Satrapia.

Sobretudo uma Satrapia do Grupo de Bildelberg.


--------------------------------------------------------------------------------
[1] No antigo Império Medo/Persa – já lá vão uns anitos – os territórios ocupados pela expansão do mesmo, eram divididos em Satrapias, à frente das quais se colocava um sátrapa, o qual respondia directamente ao soberano. Fui ao dicionário e copiei: “Sátrapa” – governador de Província entre os antigos Persas; grande dignitário; homem despótico, rico e voluptuoso; homem efeminado; déspota (Eduardo Pinheiro, Livraria Figueirinhas, Porto. De harmonia com o Decreto-Lei nº 35.228, de 8/12/1944.

[2] Se fosse vivo, o saudoso Cor. Homero de Matos, possivelmente diria uma das suas frases lapidares, “que tem a luminosidade de uma vela de sebo dentro de um corno de carneiro”…
[3] O termo “você” vem do antigo, elegante e estimável termo “Vossa Mercê”, que deu, por corruptela, na linguagem popular, o vocábulo “Vossemecê” o qual “escorregou” para “você” num linguajar mais boçal. Por vezes admissível no tratamento de superior para inferior, de conhecedor para ignorante ou de mais velho para mais novo.
Assumo o plebeísmo. As circunstâncias apetecem.
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: Lightning em Março 03, 2013, 04:34:27 pm
Acho que o ministério da defesa propriamente dito também merecia uma reforma, se o que foi dito no debate da RTP for verdade em que o ministério tem um orçamento superior ao da propria Força Aérea...
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: raphael em Março 03, 2013, 07:36:22 pm
Citação de: "Lightning"
Acho que o ministério da defesa propriamente dito também merecia uma reforma, se o que foi dito no debate da RTP for verdade em que o ministério tem um orçamento superior ao da propria Força Aérea...

Heads up...
Dois dos motivos para essa disparidade...quem é que acha que paga os contratos do EH101 e C295M? A responsabilidade desses dois é do MDN e o valor não sai do orçamento da FAP...
Li algures no documento de trabalho que o próprio MDN ia ser remodelado (aligeirado no seu peso administrativo).
No debate estava algum dos atuais CEM? Sugestões, ideias todos podemos dar, decisões vinculativas só quem manda efetivamente.
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: jurista em Março 03, 2013, 08:41:36 pm
Citação de: "raphael"
Citação de: "Lightning"
Acho que o ministério da defesa propriamente dito também merecia uma reforma, se o que foi dito no debate da RTP for verdade em que o ministério tem um orçamento superior ao da propria Força Aérea...

Heads up...
Dois dos motivos para essa disparidade...quem é que acha que paga os contratos do EH101 e C295M? A responsabilidade desses dois é do MDN e o valor não sai do orçamento da FAP...
Li algures no documento de trabalho que o próprio MDN ia ser remodelado (aligeirado no seu peso administrativo).
No debate estava algum dos atuais CEM? Sugestões, ideias todos podemos dar, decisões vinculativas só quem manda efetivamente.

Por onde anda esse documento de trabalho? Está disponível?
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: Lightning em Março 04, 2013, 12:16:35 am
Citação de: "raphael"
Citação de: "Lightning"
Acho que o ministério da defesa propriamente dito também merecia uma reforma, se o que foi dito no debate da RTP for verdade em que o ministério tem um orçamento superior ao da propria Força Aérea...

Heads up...
Dois dos motivos para essa disparidade...quem é que acha que paga os contratos do EH101 e C295M? A responsabilidade desses dois é do MDN e o valor não sai do orçamento da FAP...

Pois assim percebe-se, que o orçamento da FAP seja menor, pois esses serviços estão fora da sua alçada e por consequencia o orçamento do MDN seja maior, mas não deve ser só esses dois contractos que fazem todo esse peso no MDN, e agora que penso nisso então toda a estrutura empresarial da área da defesa como empordef, ENVC, etc, também devem lá estar penduradas.

Citar
No debate estava algum dos atuais CEM? Sugestões, ideias todos podemos dar, decisões vinculativas só quem manda efetivamente.

Não, estavam pele menos dois ex CEM, um do Exercito e um da Marinha, o da FAP tinha sido general mas acho que CEM não.
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: Trafaria em Março 04, 2013, 03:54:56 pm
Tudo o que tem a ver com as LPM (leis de programação militar) é da responsabilidade directa do ministério.
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: typhonman em Março 05, 2013, 05:12:12 pm
Vem hoje no JN:

-Não faz sentido manter a Brigada Mecanizada, pois não existe dinheiro para a tirar do atraso em que está.. ( e o que se faz com os LEO ? ) Vendem-se ?

-As unidades sem produto operacional é para fechar.

-Concentração dos Helis no Montijo.

-Concentração das escolas práticas em Tancos

-Fusão das 3 Academias.

-Manutenção da BRR e BLI.
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: Lightning em Março 05, 2013, 06:03:30 pm
Também vi esse artigo do JN, já ando a desconfiar, esse jornal de vez em quando (uma vez por semana talvez) manda cá para fora uma noticia sobre a proposta de restruturação das FA feita pelo IDN, praticamente repete-se sempre, muda o titulo, diz uma ou outra coisa diferente, mas 90% é mais do mesmo que já tinha dito.

Temos que gastar mais na operação e menos no pessoal, tem que se acabar com competencias redundantes nos 3 ramos e passarem a ser conjuntas, como por exemplo juntar as Academias, juntar os comandos operacionais, acabar com todas as unidades que não tenham produto operacional, que temos muitos oficiais e sargentos por praça, bla, bla, bla, é para os distraidos que talvez não tivessem lido a noticia na semana passada :mrgreen: . Tipo dança das cadeiras...

Agora a esquadra x vai para a Base A, a Y sai da Base A para dar espaço para a X e vai para a Base B, a esquadra Z que também está na Base B chega-se mais um bocado para a esquerda, e pronto, perfeito :mrgreen: .

Aconteceu quando fechou a Base Aérea de Tancos, recentemente aconteceu com a substituição do C295 pelo Aviocar, também provocou uma dança das cadeiras...
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: PereiraMarques em Março 05, 2013, 10:03:10 pm
Parece-me que é mais ao contrário. Face à abertura do "aeroporto low cost" no Montijo só lá ficam os Falcon (vindos da Portela) e os Hélis, o resto vai tudo para Beja.
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: Lightning em Março 05, 2013, 10:25:44 pm
Citação de: "PereiraMarques"
Parece-me que é mais ao contrário. Face à abertura do "aeroporto low cost" no Montijo só lá ficam os Falcon (vindos da Portela) e os Hélis, o resto vai tudo para Beja.

Pois é, não me estava a lembrar no aeroporto low cost no Montijo, se assim for vai ao encontro do que eu disse, baralhar e dar de novo :mrgreen: .
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: typhonman em Março 05, 2013, 11:30:22 pm
Citação de: "PereiraMarques"
Parece-me que é mais ao contrário. Face à abertura do "aeroporto low cost" no Montijo só lá ficam os Falcon (vindos da Portela) e os Hélis, o resto vai tudo para Beja.

E nas placas de Beja, cabem os 6 C-130, 12 C-295, 5 P-3, 12 ? Alouette III, 10 ? Alpha-Jet ?
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: PereiraMarques em Março 05, 2013, 11:36:33 pm
Não caberam lá até 1993 os aparelhos da FAP e mais 40 ou 50 aeronave da Luftwaffe?
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: typhonman em Março 05, 2013, 11:40:50 pm
Citação de: "PereiraMarques"
Não caberam lá até 1993 os aparelhos da FAP e mais 40 ou 50 aeronave da Luftwaffe?

Ok.

Há sempre a opção Ovar, há uns anos queriam enviar para lá os P-3C...
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: Lightning em Março 05, 2013, 11:44:27 pm
Citação de: "typhonman"
Citação de: "PereiraMarques"
Parece-me que é mais ao contrário. Face à abertura do "aeroporto low cost" no Montijo só lá ficam os Falcon (vindos da Portela) e os Hélis, o resto vai tudo para Beja.

E nas placas de Beja, cabem os 6 C-130, 12 C-295, 5 P-3, 12 ? Alouette III, 10 ? Alpha-Jet ?

Já lá couberam 50 Alpha Jets, Alouettes, epsilons e 2 NATO Tiger Meets :mrgreen: )
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: PereiraMarques em Março 05, 2013, 11:46:03 pm
Um dos aspectos do estudo não é fechar bases aéreas sem aviões? Ovar e Ota parecem estar na calha para "irem à vida"...e com a criação de uma Academia/Universidade comum para os três ramos na Amadora, não deve faltar espaço em Sintra para o CFMTFA...
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: Trafaria em Março 06, 2013, 12:06:55 am
A propósito da entrevista do Ex-CEMGFA ainda hoje ouvi numa rádio um comentador/expert a dizer que para alem unificação das escolas deveríamos até unificar os comandos, os ramos, etc... dizia ele que já foi feito noutros paises maiores e mais ricos e com êxito.
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: Lightning em Março 06, 2013, 12:12:54 am
Citação de: "typhonman"
Citação de: "PereiraMarques"
Não caberam lá até 1993 os aparelhos da FAP e mais 40 ou 50 aeronave da Luftwaffe?

Ok.

Há sempre a opção Ovar, há uns anos queriam enviar para lá os P-3C...

É tal como o PereiraMarques disse, a ideia é fechar o que não tiver unidades operacionais, e se nessa altura não se enviou os P-3 para Ovar por questões orçamentais, não vai ser agora, é que aquilo tem muitas poucas infra-estruturas para tantas pessoas, falta alojamentos, falta refeitórios, falta hangares para os aviões...

Em relação à Ota não sei, aquilo já à muito que não é usado como Base Aérea, é uma escola com uma pista :lol: .
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: raphael em Março 06, 2013, 12:57:06 am
Se Sintra perde os aviões cria-se um grande problema...está lá o Museu do Ar...mas há ali outras questões importantes.
A redistribuição de esquadras não é so agarrar nas aeronaves e siga, os meios humanos são largamente afetados, muda tudo, logistica, custos de transferencia, criar as infraestruturas adequadas, o C-130h no Montijo há uns tempos em manutenção ficava com a cauda fora do hangar..., o alouette não deve ser uma preocupação grande, é importante para a formação de pilotos, mas quantos anos comemorou a esquadra?? e o alpha-jet também não caminha para novo...
O que pode mexer com os cortes é o MDN assumir as despesas com pessoal, ou seja, as verbas serem processadas a nível central e aos ramos caber a verba somente para os custos de manutenção operacional...aí sim haveria muito subsidio atual a encolher ou a desaparecer...mas isso já mexe noutros interesses...
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: Lightning em Março 06, 2013, 01:06:42 am
Citação de: "Trafaria"
A propósito da entrevista do Ex-CEMGFA ainda hoje ouvi numa rádio um comentador/expert a dizer que para alem unificação das escolas deveríamos até unificar os comandos, os ramos, etc... dizia ele que já foi feito noutros paises maiores e mais ricos e com êxito.

É verdade que já foi feito por outros paises, e devemos ver tudo o que aconteceu nesses paises, o bom e o mau, é que por exemplo o Canadá foi radical ao ponto de toda a gente ter os postos à Exército e farda verde e isso criou problemas na Marinha e Força Aérea, tiveram que voltar atrás nesses pontos, postos e fardas voltaram a ser as tradicionais dos ramos.

Nem sabia mas recentemente, 2011, os nomes da componente terrestre, maritima e aérea voltaram a ser Canadian Army, Royal Canadian Navy e Royal Canadian Air Force, mas toda a estrutura que se unificou, logistica, instrução, administração, não se mexeu, só se mudou mesmo o nome.

http://en.wikipedia.org/wiki/Unificatio ... ian_Forces (http://en.wikipedia.org/wiki/Unification_of_the_Canadian_Forces)

E o ministro da defesa disse numa entrevista que vamos continuar a ter Exército, Marinha e Força Aérea, o que ele quer é unificar seviços similares que existem independentes em cada ramo. É que a questão de espirito, identidade, etc, é importante, até o proprio nome da força a que pertencemos, basta ver o exemplo dos pára-quedistas que não gostaram de ser chamados aerotransportados quando foram para o Exército e tiveram que lhes voltar a chamar pára-quedistas.
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: Trafaria em Março 06, 2013, 01:35:25 am
Por acaso sabia que a marinha do Canadá apesar de ter "duas armadas" (tem duas costas, a atlântica e a do pacifico) só tem um comando. Mas desconhecia que a integração de forças ia assim tão longe.

Ainda sobre a extinção da Brigada Mecanizada acabei de ler num outro espaço alguém que dizia que por exemplo na Bélgica até acabaram com a arma de cavalaria e que nada mais será adquirido que não seja facilmente transportável.
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: raphael em Março 06, 2013, 01:45:13 am
Citação de: "Trafaria"
Por acaso sabia que a marinha do Canadá apesar de ter "duas armadas" (tem duas costas, a atlântica e a do pacifico) só tem um comando. Mas desconhecia que a integração de forças ia assim tão longe.

Ainda sobre a extinção da Brigada Mecanizada acabei de ler num outro espaço alguém que dizia que por exemplo na Bélgica até acabaram com a arma de cavalaria e que nada mais será adquirido que não seja facilmente transportável.

É uma ideia credível...nós só temos mais um problema...insuficiência de meios para projecção de forças para teatros de operações mais afastados...mas segundo o MDN não há problema...pedimos aos vizinhos do lado!
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: Lightning em Março 06, 2013, 01:56:56 am
Citação de: "raphael"
É uma ideia credível...nós só temos mais um problema...insuficiência de meios para projecção de forças para teatros de operações mais afastados...mas segundo o MDN não há problema...pedimos aos vizinhos do lado!

Smart Defence :mrgreen: .
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: nelson38899 em Março 07, 2013, 11:51:17 am
Citação de: "Lightning"
Citação de: "raphael"
É uma ideia credível...nós só temos mais um problema...insuficiência de meios para projecção de forças para teatros de operações mais afastados...mas segundo o MDN não há problema...pedimos aos vizinhos do lado!

Smart Defence :mrgreen: .

Já agora porque não se acaba com tudo! E privatizasse todas as funções do estado!

Se o objectivo é reduzir custos, mais vale fechar o estado e privatizar tudo.
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: Lightning em Março 07, 2013, 05:54:44 pm
Citação de: "nelson38899"
Já agora porque não se acaba com tudo! E privatizasse todas as funções do estado!

Se o objectivo é reduzir custos, mais vale fechar o estado e privatizar tudo.

Calma que eu estava a ser irónico :G-beer2: .

Eu só exagerei desse modo que era para perceberem que não podemos cair no facilitismo de "se a gente não tem (ou não quer ter o trabalho de ter), não faz mal, pedimos aos vizinhos", porque essa ideia pode ir avançando, avançando, e um dia nem Batalhões temos, porque podemos "pedir aos vizinhos".
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: papoila em Março 10, 2013, 06:46:48 pm
Vou ousar dar a minha opinião, deixando no entanto claro que posso não possuir o conhecimento suficiente da matéria. Sou da área da saúde, e contacto com muitas pessoas dos diferentes estratos sociais...É minha convicção que a população acredita na necessidade das Forças Armadas mas existe uma clara dificuldade de entender o alcance das nossas acções. E a culpa é nossa, estamos demasiadamente fechados num mundo global.
Li neste tópico que deixou de haver uma publicidade sobre as forças armadas, e realmente penso que é aí que reside o nosso problema...nós não passamos correctamente a palavra...em comparação, por exemplo, se fossemos missionários...seriamos uns mesmo muito maus...
Agora o que eu penso que seria importante realçar e passar para a população:
- As nossas actuais e potenciais acções no âmbito da protecção civil, nomeadamente abertura e manutenção de estradões nas diferentes serras e matas nacionais, essenciais ao combate a incêndios; Acções de rescaldo e vigilância no decorrer desses mesmo combates; Pontes de engenharia  e/ou entrega de alimentos às populações que ficam isoladas no decorrer de desastres naturais; Evacuação de população e bens de zonas em risco; Fornecimento de água em alturas de seca;
- Evacuações aéreas, nomeadamente entre as ilhas; Resgate de feridos na costa ou em montanha...basicamente em zonas de difícil acesso; transporte de órgãos para transplantação;
- Patrulhamentos aéreos e terrestres; Combate ao tráfico de drogas;
- Assistência de Saúde aos deficientes das Forças Armadas, esses mesmo DFA tem ainda um peso substancial no orçamento dos respectivos subsistemas e realçar que o SNS não tem nenhum interesse em os cuidar, são doentes que de uma forma geral tem muitas "complicações" associadas; Realçar a necessidade de serviços de saúde que garanto o estado de saúde dos militares e respondam a tempo útil às necessidades dos diferentes ramos, nomeadamente nos rasteios e na garantia de prontidão;
- Acções no âmbito dos acordos internacionais, as chamadas missões são muito mal explicadas, por exemplo não se demonstra em que medida a presença de portugueses no Kosovo, ajuda a que milhares de kosovares possam viver uma vida mais estável na esperança de que um dia possam gozar da mesma liberdade e igualdade que nós gozamos; formação de militares e polícias de modo a manter a segurança desses paises, após a saída das forças internacionais; construção ou recuperação de escolas e outras infra-estruturas necessárias a essas mesmas populações;

Estas são algumas que me lembro, mas existem muitas mais...mas para se passar bem estes aspectos que referi, temos que começar a dar o exemplo que a nossa classe política ainda não deu:

- Aceitar que precisamos de cortar em aspectos que se encontram pré-estabelecidos à décadas mas que na conjuntura actual tem que terminar, nomeadamente, e aí sim copiar o modelos dos países nórdicos, deixam de haver motoristas, carros e afins...cada um vai no seu próprio transporte para o local de trabalho, se for um deslocamento de trabalho procurar a alternativa mais barata, por exemplo...se vai uma TP para o mesmo sítio o CMDT vai lá também e não em outra viatura;
- Clarificação que as guias de marcha são para efeitos administrativos e não símbolo de pagamento. Clarificar que só em casos muito específicos é que existe local a pagamento dessas mesmas ajudas de custo;
- Diminuição das "auto-estradas" existentes em algumas categorias, no que se refere, a promoções;
-Fecho das designadas "chafaricas" existentes;
- Determinar que não existem militares, a desempenhar funções militares e que vão para esses mesmo locais à civil...

Estes também são alguns dos aspectos, mas certamente existem outros...Podem dizer mas os políticos ainda mantém essas benefícios...por isso eu digo, cortemos os nossos de modo a dar o exemplo e deixar alguém isolado nesses aspectos...como o nosso Ministro da Defesa disse, as forças armadas em tempo de paz sabem que estão subordinadas ao poder politico..mas eu também conheço uma frase que diz que em tempos de guerra não se limpam armas...

Agora outro assunto, alguém já conseguiu ler ou ter acesso a esse bendito estudo???...é que começo a achar que é um chamado mito urbano....Cumps
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: HSMW em Março 10, 2013, 07:27:12 pm
Não é mito. Infelizmente está mais focado em grandes cortes.
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: papoila em Março 10, 2013, 07:40:56 pm
sim, isso eu já entendi...acho que todos...mas aonde se consegue ler?....não seria um documento que os intervenientes possam ler?
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: jurista em Março 10, 2013, 08:05:29 pm
Citação de: "papoila"
É minha convicção que a população acredita na necessidade das Forças Armadas mas existe uma clara dificuldade de entender o alcance das nossas acções.

Se pudessem, as pessoas em geral acabavam com as FA's amanhã.

Citação de: "papoila"
sim, isso eu já entendi...acho que todos...mas aonde se consegue ler?....não seria um documento que os intervenientes possam ler?

Também já procurei saber isso, mas não consegui nada.
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: mafets em Março 10, 2013, 11:00:20 pm
http://www.operacional.pt/crise-informacao-defesa-nacional-e-forcas-armadas/

http://fa.cies.iscte.pt/index.jsp?page=publications&type=&lang=pt

Já opinei e expressei a minha opinião sobre esta tematica e portanto não vou repetir-me. Concordancias e discordâncias à parte (que evidentemente respeito) deixo 2 sites interessantes que fundamentam a maioria das minhas opiniões.  

http://www.nato.int/acad/fellow/95-97/carrilho.pdf

http://www.aps.pt/vicongresso/pdfs/503.pdf

Por ultimo. Quando se trabalham dados sobre o que os civis acham sobre as F.A. o resultado é positivo, inclusive mais em Portugal do que em outros paises. Ficam aqui 2 exemplos de varios que conheço e é minha convição que mesmo actualmente se esses inqueritos fossem actualizados a opinião dos cidadãos não seria muito diferente. Quanto à falta de divulgação destes e outros estudos, entendo não me pronunciar...

Saudações :G-beer2:
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: Trafaria em Março 10, 2013, 11:54:06 pm
Mas porque é que as FA têm de ser divulgadas? Não entendo!
Por acaso têm lá alguma coisa para vender ou prestam algum serviço directo à população que eu desconheça?

Pelo contrário, acho que quanto menos se falar nelas tanto melhor.
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: HSMW em Março 11, 2013, 12:19:42 am
:shock:
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: Trafaria em Março 11, 2013, 12:28:02 am
Chocado?  :D
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: HSMW em Março 11, 2013, 12:44:57 am
Nem por isso... Irracionalidades destas já são habituais vindas do Trafaria.
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: Trafaria em Março 11, 2013, 01:20:44 am
Irracionalidades! Não acha que é uma palavra muito forte?
Para além dos aspectos relacionados com o recrutamento não vejo especiais motivos para que as FA se divulguem, publicitem .... Mas explique-se... sou todo ouvidos.

Não acha que se se falasse menos das FA elas teriam uma melhor imagem e os indices de aceitação até aumentariam?
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: papoila em Março 11, 2013, 01:53:21 am
Citação de: "Trafaria"
Mas porque é que as FA têm de ser divulgadas? Não entendo!
Por acaso têm lá alguma coisa para vender ou prestam algum serviço directo à população que eu desconheça?

Pelo contrário, acho que quanto menos se falar nelas tanto melhor.

Patrulhamento da costa, evacuações aero-médicas, rescaldo de incêndios florestais...entre outros...
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: raphael em Março 11, 2013, 11:07:05 am
Citação de: "Trafaria"
Irracionalidades! Não acha que é uma palavra muito forte?
Para além dos aspectos relacionados com o recrutamento não vejo especiais motivos para que as FA se divulguem, publicitem .... Mas explique-se... sou todo ouvidos.

Não acha que se se falasse menos das FA elas teriam uma melhor imagem e os indices de aceitação até aumentariam?

Pelo que tenho visto ultimamente quando os jornais falam é só para criar cisões e minar o ambiente militar, por outro lado a tvi parece interessada na divulgação e ainda ontem vi a reportagem da esquadra 751.
Por essa ordem de ideias, quanto menos se falar da PSP e da GNR também aumentarão os respetivos indices de aceitação...será?
Anda por aí um estudo do IDN sobre a reforma das Forças Armadas, tendo por base os cortes necessários, atenção é que a PSP também tem direito a um capitulo, em termos de ordem pública e investigação criminal...a tão comentada Policia Nacional, de natureza civil que integraria sob a tutela do MAI: PSP, PJ, SEF e mesmo ASAE.
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: Trafaria em Março 11, 2013, 02:31:49 pm
Raphael,
Mas é isso mesmo que eu (em termos gerais) penso: quanto menos se falar na PSP melhor. Melhor para a policia, melhor para os policias e melhor para tudo e todos.
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: raphael em Março 11, 2013, 03:24:03 pm
Citação de: "Trafaria"
Raphael,
Mas é isso mesmo que eu (em termos gerais) penso: quanto menos se falar na PSP melhor. Melhor para a policia, melhor para os policias e melhor para tudo e todos.

Sim ok porque lá está quando falam das policias é ou para mostrar as reinvidicações em termos de ordenados e promoções ( plenamente justificado) ou para mostrar acções de maior envergadura ou musculadas que implicaram o uso de maiores meios e depois sempre o coitadinho do mitra a queixar-se de abusos. Mas também há aquele programa da TVI que mostra não só a PSP mas também INEM e forças armadas, o serviço de alerta, que até é bastante interessante, uma tentativa do Cops ao nosso nível.
As Forças Armadas também precisam dessa divulgação, para mostrar à opinião pública que serviço publico se presta e claro está para fins de recrutamento. Há um mais especifico o Take-off, tendo também algumas reportagens mais temáticas.
Mas sim em algumas alturas mais valia não agitar muito o frasco.
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: Trafaria em Março 11, 2013, 04:04:14 pm
Pois claro. Até porque o mais do que por ai se diz e publica sobre as FA e FS é apenas ruído e rugido... o que acaba por perniciosamente contaminar o pouco de bom, util e necessário, que nesse campo é feito.

A maioria dos programas que são feitos sobre as FS (a tal cópia pirata do cops) deve-se ao facto de as TVs considerarem que há um publico para esse tipo de reportagens. A divulgação é aí um subproduto...
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: PereiraMarques em Março 12, 2013, 05:25:15 pm
Ora aqui está o "dito cujo"...é mau...muito mau...

http://www.defesa.pt/Documents/20130307 ... an2013.pdf (http://www.defesa.pt/Documents/20130307_IDN_reforma_do_estado_soberania_jan2013.pdf)
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: Cabeça de Martelo em Março 12, 2013, 06:11:46 pm
Apesar de ter dezenas de páginas, o documento tem o essencial da informação/estudo a partir da página 32 (Grandes Opções para a Estrutura Superior da Defesa Nacional e das Forças Armadas).
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: Camuflage em Março 12, 2013, 06:59:17 pm
Citar
Que exemplo dão os chefes militares?

por JORGE SILVA PAULO, CAPITÃO DE MAR E GUERRA (RESERVA)

Não há ameaças externas à independência; não há uma guerra injusta; não estão em perigo os direitos fundamentais. Então o que explica que surjam militares nos media com ameaças sibilinas?
Sempre que um governo anuncia reformas que não aumentam benefícios para as Forças Armadas (FA), alguns militares - incluindo algum ex-chefe de Estado-Maior que deixou há pouco tempo o cargo, no qual foi reconduzido, criando a dúvida se percebeu o que é o Estado de direito que era obrigado servir - reagem mal. Desta vez, há duas diferenças: como poucos creem que "as FA estão perto do limite", agora diz-se que "atingiram o limite"; e o imperativo de cortes na despesa pública não permite que as administrações dos ramos boicotem as decisões políticas.
Quatro pontos no discurso revelam as posições corporativas: considera ignorante quem discorda delas; é vago e sugere desgraças; centra-se nos interesses dos ramos, como a defesa do serviço militar obrigatório, que "facilita a gestão" do Exército; e acusa o Governo de se precipitar na reforma antes de vigorar o novo Conceito Estratégico, apesar disso também se aplicar a quem diz que se atingiu o limite.
Não há ameaças externas existenciais ao território ou à liberdade de ação política; há ameaças, mas em fronteiras de segurança distantes, onde o contributo português será sempre pequeno. Não cabe à Marinha o exercício da Autoridade do Estado no mar em geral, nem a busca e salvamento marítimo; não cabe ao Exército o combate aos incêndios; e não cabe à Força Aérea a busca e salvamento aéreo - executam-nos, mas sob outra autoridade. Essas missões, as ameaças terroristas e outras transnacionais, possíveis e em espaços próximos, são questões de polícia ou proteção civil, que as FA devem apoiar, nos termos da Constituição e da lei. Em suma, as FA estão quase sem missão principal e limitadas a apoiar outras autoridades competentes - mas parece que as chefias não se conformam. Não será esta a indisciplina que deve causar preocupação aos portugueses?
Há um problema: as culturas das administrações dos ramos não abandonaram "manias das grandezas" ultrapassadas e "arrastam os pés" ante qualquer concentração ou retração. Já perceberam que no Estado de direito democrático devem informar os órgãos de soberania das implicações das políticas, mas não têm legitimidade para lhes resistir ou enviesar a informação segundo interesses internos?
Não é convincente afirmar que são precisos submarinos ou fragatas para dissuadir outros de explorar a nossa plataforma continental; nem é afirmar que valorizam o País carros de combate, que dificilmente se movem no País, nem este tem meios de os levar para cenários distantes; nem que a edificação de uma capacidade de helicópteros para o Exército reduz os custos com o pessoal.
O que Portugal precisa, por uma década ou mais, é que, por exemplo, a Marinha secundarize as suas ambições oceânicas e de hegemonia, para se concentrar em apoiar a Autoridade Marítima e a economia do mar, e que se mostre proativa na gestão dos recursos, buscando sempre as melhores razões de benefícios-custos, mesmo quando isso obrigue a alienar navios ou a aceitar a concentração e partilha entre os ramos. O que se aplica, com as devidas adaptações, à Força Aérea e ao Exército, o qual tem de compreender que a sua cultura de "ocupação do território" deve ceder perante a rotação pelos três ramos na cada vez mais necessária concentração de serviços comuns. Mais do que a retórica mediática, isso é que revela patriotismo e sentido de serviço público, por oposição às atitudes de grupo de pressão.

in: http://www.dn.pt/inicio/opiniao/interio ... os&page=-1 (http://www.dn.pt/inicio/opiniao/interior.aspx?content_id=3062531&seccao=Convidados&page=-1)

 :Palmas:
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: PereiraMarques em Março 12, 2013, 09:27:57 pm
Como eu sou um bocado "loiro" expliquem-me lá quais é que são as seis escolas práticas das Armas a concentar em Tancos, já que as Armas são apenas cinco: Infantaria, Cavalaria, Artilharia, Engenharia e Transmissões. Os Paraquedistas são a sexta Arma? E se é para irem treinar em Santa Margarida porque é que não vão logo para lá? Ficam em Tancos e fazem os treinos em Santa Margarida? Um bocado "lógica da batata"!
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: HSMW em Março 12, 2013, 09:45:00 pm
Pelo que ouvi dizer já não é para Tancos mas sim para Mafra.
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: Lightning em Março 12, 2013, 10:23:49 pm
Citação de: "PereiraMarques"
Como eu sou um bocado "loiro" expliquem-me lá quais é que são as seis escolas práticas das Armas a concentar em Tancos, já que as Armas são apenas cinco: Infantaria, Cavalaria, Artilharia, Engenharia e Transmissões.

A Aviação já foi uma Arma do Exército, mas isso foi noutros tempos :mrgreen: .
Penso que, ou enganaram-se e querem dizer cinco, ou estão a pensar na ETP, que não é Escola Prática, mas está ali na zona de Tancos, ou na Escola Prática dos Serviços, que é uma Escola Prática, mas não é uma Arma, talvez os senhores que fizeram o artigo pensam que os Serviços sejam um Arma.

Citar
E se é para irem treinar em Santa Margarida porque é que não vão logo para lá? Ficam em Tancos e fazem os treinos em Santa Margarida? Um bocado "lógica da batata"!

Como já se falou antes, esses treinos em Santa Margarida devem ser mais para o pessoal de Cavalaria e Artilharia, os outros não tem tanta necessidade de ir para lá.
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: HSMW em Março 12, 2013, 11:07:31 pm
Mas esses treinos fazem-se e sempre se fizeram. A Academia leva lá os cadetes, a ESE também, os Comandos, as Escolas Práticas fazem lá exercícios de fogos indirectos e morteiros, táctica de reconhecimento e CC, rebentamentos e lançamento de granadas.

Na prática o CMSM sempre foi um enorme campo de treinos mas também com unidades aquarteladas em permanência.
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: Trafaria em Março 13, 2013, 02:07:01 pm
Citação de: "Camuflage"
Citar
Que exemplo dão os chefes militares?

por JORGE SILVA PAULO, CAPITÃO DE MAR E GUERRA (RESERVA)

Não há ameaças externas à independência; não há uma guerra injusta; não estão em perigo os direitos fundamentais. Então o que explica que surjam militares nos media com ameaças sibilinas?
Sempre que um governo anuncia reformas que não aumentam benefícios para as Forças Armadas (FA), alguns militares - incluindo algum ex-chefe de Estado-Maior que deixou há pouco tempo o cargo, no qual foi reconduzido, criando a dúvida se percebeu o que é o Estado de direito que era obrigado servir - reagem mal. Desta vez, há duas diferenças: como poucos creem que "as FA estão perto do limite", agora diz-se que "atingiram o limite"; e o imperativo de cortes na despesa pública não permite que as administrações dos ramos boicotem as decisões políticas.
Quatro pontos no discurso revelam as posições corporativas: considera ignorante quem discorda delas; é vago e sugere desgraças; centra-se nos interesses dos ramos, como a defesa do serviço militar obrigatório, que "facilita a gestão" do Exército; e acusa o Governo de se precipitar na reforma antes de vigorar o novo Conceito Estratégico, apesar disso também se aplicar a quem diz que se atingiu o limite.
Não há ameaças externas existenciais ao território ou à liberdade de ação política; há ameaças, mas em fronteiras de segurança distantes, onde o contributo português será sempre pequeno. Não cabe à Marinha o exercício da Autoridade do Estado no mar em geral, nem a busca e salvamento marítimo; não cabe ao Exército o combate aos incêndios; e não cabe à Força Aérea a busca e salvamento aéreo - executam-nos, mas sob outra autoridade. Essas missões, as ameaças terroristas e outras transnacionais, possíveis e em espaços próximos, são questões de polícia ou proteção civil, que as FA devem apoiar, nos termos da Constituição e da lei. Em suma, as FA estão quase sem missão principal e limitadas a apoiar outras autoridades competentes - mas parece que as chefias não se conformam. Não será esta a indisciplina que deve causar preocupação aos portugueses?
Há um problema: as culturas das administrações dos ramos não abandonaram "manias das grandezas" ultrapassadas e "arrastam os pés" ante qualquer concentração ou retração. Já perceberam que no Estado de direito democrático devem informar os órgãos de soberania das implicações das políticas, mas não têm legitimidade para lhes resistir ou enviesar a informação segundo interesses internos?
Não é convincente afirmar que são precisos submarinos ou fragatas para dissuadir outros de explorar a nossa plataforma continental; nem é afirmar que valorizam o País carros de combate, que dificilmente se movem no País, nem este tem meios de os levar para cenários distantes; nem que a edificação de uma capacidade de helicópteros para o Exército reduz os custos com o pessoal.
O que Portugal precisa, por uma década ou mais, é que, por exemplo, a Marinha secundarize as suas ambições oceânicas e de hegemonia, para se concentrar em apoiar a Autoridade Marítima e a economia do mar, e que se mostre proativa na gestão dos recursos, buscando sempre as melhores razões de benefícios-custos, mesmo quando isso obrigue a alienar navios ou a aceitar a concentração e partilha entre os ramos. O que se aplica, com as devidas adaptações, à Força Aérea e ao Exército, o qual tem de compreender que a sua cultura de "ocupação do território" deve ceder perante a rotação pelos três ramos na cada vez mais necessária concentração de serviços comuns. Mais do que a retórica mediática, isso é que revela patriotismo e sentido de serviço público, por oposição às atitudes de grupo de pressão.

in: http://www.dn.pt/inicio/opiniao/interio ... os&page=-1 (http://www.dn.pt/inicio/opiniao/interior.aspx?content_id=3062531&seccao=Convidados&page=-1)

 :Palmas:
É claro que um artigo destes, que é lúcido e toca no que é essencial, tinha de passar despercebido.
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: HSMW em Março 13, 2013, 05:48:27 pm
O essencial é definir qual a missão actual das forças armadas! Quais as ameaças reais!
As FA devem ser o braço armado da politica externa portuguesa mas politica essa que... Também não existe!
Porque também já pouco resta de Estado mesmo que constituído por contabilistas.

Não existe uma verdadeira cooperação militar com os países de CPLP, aliás a CPLP é outra inutilidade e que tem permitido que o nosso lugar tenha sido ocupado por chineses, espanhóis, franceses, australianos...
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: PereiraMarques em Março 13, 2013, 09:46:22 pm
A missão essencial, a primeira missão, tem de ser sempre a Defesa Militar da Nação. Podem dizer que isso é uma afirmação que cada vez mais é "simbólica", até "teórica", mas tem de ser sempre considerada, se é para ser "esquecida", bem podem acabar com as Forças Armadas e chamar logo aos seus sucedâneos "Força de Intervenção do Ministério dos Negócios Estrangeiros", para a componente "externa", e para a sua componente "interna", "Força Auxiliar da GNR" ou "Força Auxiliar da Protecção Civil".
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: typhonman em Março 13, 2013, 11:40:28 pm
Citação de: "PereiraMarques"
A missão essencial, a primeira missão, tem de ser sempre a Defesa Militar da Nação. Podem dizer que isso é uma afirmação que cada vez mais é "simbólica", até "teórica", mas tem de ser sempre considerada, se é para ser "esquecida", bem podem acabar com as Forças Armadas e chamar logo aos seus sucedâneos "Força de Intervenção do Ministério dos Negócios Estrangeiros", para a componente "externa", e para a sua componente "interna", "Força Auxiliar da GNR" ou "Força Auxiliar da Protecção Civil".

Sem dúvida.

O pessoal esquece-se que não se sabe como vai estar a europa daqui a 10 ou 20 anos..
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: Trafaria em Março 14, 2013, 12:26:08 am
Citação de: "PereiraMarques"
Ora aqui está o "dito cujo"...é mau...muito mau...

http://www.defesa.pt/Documents/20130307 ... an2013.pdf (http://www.defesa.pt/Documents/20130307_IDN_reforma_do_estado_soberania_jan2013.pdf)
Isto ainda é só mais um parecer, porventura um dos que merecerá mais atenção, mas mesmo assim tão-somente mais um parecer. O verdadeiro "dito cujo" será uma lei da Assembleia da Republica, a unica entidade com legitimidade para legislar sobre esta matéria.
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: Portucale em Março 24, 2013, 07:26:42 pm
Este documento de que todos falam é um somatório de análises e opiniões, mas o importante são as decisões efectivas que possam ser tomadas e executadas.

Após ler o documento vejo que se baseia em duas linhas, não há dinheiro e por isso é necessário cortar, por outro lado aponta soluções de recurso para os problemas.

Tenho de concordar com facto de que não há dinheiro, nem para a Defesa nem para as outras áreas, esta é uma realidade com que todos nós temos de viver no futuro próximo. O País só sairá de esta situação se for capaz de fazer melhor com menos dinheiro e este princípio aplica-se a todos sem excepção.

A redução do PIB e o pagamento da divida actualmente existente implica necessariamente redução de orçamentos.
É possível fazer mais e melhor com os meios que temos?
Em vez de procurar-mos onde cortar o que nós deveríamos estar a fazer era transformar e actualizar a nossa Defesa Nacional, que inclui as Forças Armadas.

Qualquer estrutura de Defesa Nacional passa pelas Forças Armadas e estas são o resultado dos Homens que a compõem.
Desta forma a prioridade tem de ser a formação e instrução dos quadros.
Para existir produto operacional são necessários voluntários para dar corpo à força e estas têm de ter boa instrução.
A disponibilidade financeira determinará a quantidade da força.

O mundo está em constante mudança e as realidades também. O enquadramento e as tecnologias permitem uma melhor rentabilização de alguns recursos.
Creio que a área da saúde com a criação do Hospital das Forças Armadas é um bom exemplo e deve ser seguido em outras áreas como por exemplo;
-formação (Concentrar as Academias e a formação de sargentos entre os ramos),
-informações (recuperar a DINFO e acabar com o SIED ficando apenas duas estruturas nacionais, a DINFO e o SIS),
-Ciber guerra (criar uma estrutura única de combate e controlo de este novo campo de batalha)
-apoio logístico (na área dos fardamentos e manutenção militar).
Estes são alguns exemplos do que pode ser feito entre ramos e em que todos acabariam por ganhar.


Voltando ao documento em questão não posso deixar de apontar uma série de erros e graves falhas.

Na Marinha propõem a construção de navios que não servem, os de patrulha oceânica não têm capacidade para operar no Atlântico devido à sua baixa tonelagem.

Quanto ao Exercito falam na extinção da Brigada Mecanizada, quando o que é necessário é definir primeiro os meios existentes para depois estruturar a força.
Falam igualmente na união das Escolas Praticas, não me parece a melhor solução, na minha opinião o caminho deveria levar à existência de unidades operacionais nas Escolas Praticas.
Se o objectivo é reduzir nas instalações o caminho deveria ser outro, por exemplo; concentrar a Academia Militar na Amadora e usar as actuais instalações da Academia em Lisboa para centrar os órgãos de comando do Exercito.
Seria possível sair de Três instalações no Porto (Comando de Pessoal), pelo menos duas em Évora (Comando de instrução), Pelo menos Três na região de Lisboa (Comando Logístico, Comando das Forças Terrestres e Inspecção Geral).
Oito instalações!

Na força Aérea apontam para a extinção de uma das esquadras de F-16, ora se foi investido bom dinheiro e competência na modernização dos aviões não faz qualquer sentido agora coloca-los num hangar a ganhar pó. Ou se vende parte para fazer dinheiro ou devem estar disponíveis.

Resumindo creio que este documento é uma forma de justificar os cortes que terão de ser feitos devido à grave situação financeira em que nos encontramos, no entanto, gostava que esta situação que nos afecta a todos nós fosse uma oportunidade para obter umas forças Armadas e uma Defesa Nacional mais eficiente e capaz para o nosso Portugal.

Não devemos cortar mas sim transformar e fazer melhor com menos dinheiro!
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: Babo em Abril 01, 2013, 03:09:27 am
Me questiono várias vezes: não haverá uma grande má vontade por parte do poder político em desarmar o país? Cortes sucessivos são feitos, com a desculpa que se vai aplicar esse dinheiro em outros sectores (educação, saúde, segurança social, sei lá, n coisas que são usadas como desculpa), mas na realidade, esse dinheiro nunca é aplicado, em nada, ao que parece. Um país, como o nosso, que tem uma das maiores ZEE do mundo (diga-se a 11ª) conta com uma marinha exígua, 5 fragatas e dois submarinos, sendo estes últimos muito mal vistos pela opinião pública, pois são descritos como os grandes responsáveis pelo declínio económico de Portugal, porém, não poderia haver desculpa mais enfadonha que esta, a divida acumulada da nação, digo, tanto o sector privado, como o público ascende a valore astronómicos que dariam para pagar mais de 500 submarinos ao preço que estes foram adquiridos. Bem, este meu devaneio apenas serve para pegar num exemplo de como as FAA são tratadas de forma desditosa. As LPM designam X dinheiro para a compra de material militar e outros gastos, todavia, não serão essas compras um tanto ou quanto estranhas? Comprar material bélico em segunda mão será uma opção viável? Ou não será uma opção mais custosa a longo prazo, ainda que tenha sido mais barata no curto espaço de tempo? Creio que se tornará mais dispendiosa a longo prazo. Porquê comprar 37 Leopard II em segunda mão? O que pensamos em fazer com um número tão pequeno? Isso dá para defender o quê em caso de invasão? nada!
Porquê comprar caro lá fora? Não pudemos criar a nossa própria indústria militar? Ou os portugueses não têm capacidades para isso? Têm, obviamente que têm! Se são capazes lá fora, também o são cá dentro, basta querer, e basta o querer por parte do Governo, que muito teria a lucrar com isso: primeiro eram postos de trabalho que se criavam cá, eram divisas que permaneciam no país, criava-se bens que poderiam ser igualmente exportados, ao invés de estarmos a investir em betão, como tem vindo a ser feito, nos últimos anos, algo que não é exportável e por tal não rentável (tudo bem que aumente o PIB nos anos em que se procede às obras, mas depois disso??).
Há má vontade, isso sim, má vontade com as FAA e com o resto do país! o Estado não visa o bem comum, pelo contrário, visa sim os interesses dos partido que estão no poder, na altura, pois muda um governo, mudam as políticas, quer para as forças armadas, quer para os restantes sectores que são da responsabilidade estatal. Enfim, não pudemos ter um país com uma grande riqueza marítima, e também terreste e deixado aos lobos, pois não há uma capacidade 100% eficaz de defender.
Quanto à comparação que se faz com a Dinamarca, na minha opinião, creio que Portugal não tem de se comprar com ninguém, apenas tem de se comparar consigo mesmo, olhar às suas necessidades presentes e às que possivelmente possam surgir no futuro, pois elas nunca serão equiparáveis às de outras nações, por muito parecida que seja a sua realidade. Convém igualmente não esquecer que apensar de vivermos em paz e tecnicamente não termos inimigos com os quias nos possamos preocupar, isso não quererá dizer que no futuro não os tenhamos. Temos aliados que supostamente nos defendem....Será? bem, a história diz-nos que muitas vezes os nossos aliados nos deixaram ficar mal em alguns pontos, e ninguém garante que o mesmo volte a acontecer....O País está a acomodar-se muito às realidades pacificas que aparentemente vivemos, como também se está a acomodar muito às alianças político-militares, mas, temos de lhes ser úteis, o que não parece que tendo em conta o evoluir da nossa realidade se vá manter....enfim...vamos ser um país com forças armadas desamadas, aliás, creio que já o somos em parte, pois a maioria do equipamento está ultrapassado.
Peço desculpa se erro no meu ponto de vista, mas é meramente ponto de vista de leigo no tema, que se for necessário, será aceite de bom grado cada emenda que se revele fundamental.

Cumprimentos a todos,

Babo
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: nelson38899 em Abril 05, 2013, 12:03:11 pm
Citar
conceito estratégico de defesa nacional


Citar
http://www.defesa.pt/Documents/20130405_CM_CEDN.pdf
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: PereiraMarques em Abril 10, 2013, 11:49:06 pm
http://www.defesa.pt/Documents/Linhas%2 ... 202020.pdf (http://www.defesa.pt/Documents/Linhas%20Gerais%20da%20Reforma%20Defesa%202020.pdf)

Citar
O Ministro da Defesa Nacional divulgou hoje, no Forte de São Julião da Barra, o documento enquadrador da reforma das Forças Armadas, em linha com o Conceito Estratégico de Defesa Nacional, recentemente publicado em Diário da República.

As linhas gerais desta reforma estrutural, designada por “Defesa 2020”, foram apresentadas em conferência de imprensa conjunta do Ministro da Defesa Nacional, com o CEMGFA, General Luís Araújo e os Chefes de Estado-Maior da Armada, da Força Aérea e do Exército.

José Pedro Aguiar-Branco afirmou que este documento hoje apresentado “é o resultado de um trabalho estruturado feito em conjunto com as chefias militares ao longo dos vários meses”.

O documento define e traça a implementação de um modelo sustentável para a Defesa Nacional e para as Forças Armadas, visando a racionalização da despesa militar, nomeadamente através da melhor articulação entre os Ramos, e uma maior eficiência na utilização de recursos. Com esta reforma alcançaremos «ganhos de eficiência, economias de escala e vetores de inovação com efeitos no curto, médio e longo prazo», defendeu o Ministro da Defesa Nacional.

Segundo avançou José Pedro Aguiar-Branco, esta racionalização irá incidir no próprio Ministério da Defesa Nacional, bem como na estrutura superior das Forças Armadas, rentabilizando meios, capacidades e concentrando serviços. Os recursos humanos das Forças Armadas também serão objecto de reestruturação, mas sempre privilegiando a vertente operacional.
O Ministro da Defesa Nacional defendeu que esta reforma permite “a eliminação de redundâncias”, permitindo desta forma que as Forças Armadas se concentrem “naquilo que é mais essencial, ter uma dimensão operacional mais forte.”

http://www.defesa.pt/Documents/Linhas%2 ... 202020.pdf (http://www.defesa.pt/Documents/Linhas%20Gerais%20da%20Reforma%20Defesa%202020.pdf)
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: PereiraMarques em Abril 10, 2013, 11:51:58 pm
...

que se integram de modo a constituir três conjuntos de forças e meios, com a seguinte ordem de prioridade:
a. Uma Força de Reação Imediata (FRI)
b. Um Conjunto de Forças Permanentes em Ação de Soberania (FPAS)
c. Um Conjunto Modular de Forças (FND)

...

a «Defesa 2020» adequará tendencialmente o efetivo máximo das Forças Armadas entre 30.000 e 32.000 militares, incluindo os militares na situação de reserva na efetividade de serviço.

...

O dispositivo territorial deve ser redimensionado, tendo como objetivo final uma redução efetiva de 30%, ao nível dos comandos, unidades, estabelecimentos e demais órgãos das Forças Armadas.

...

A nível dos ramos, salienta-se as medidas referentes ao ensino superior militar em que estabelece-se o objetivo de criar, a médio prazo, um Instituto Universitário Militar, que integrará os atuais Instituto de Estudos Superiores Militares, Escola
Naval, Academia Militar e Academia da Força Aérea.

...
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: Sertorio em Abril 13, 2013, 04:51:02 am
Canceladas novas admissões de pessoal e renovação de contratos, até ao fim de 2014. Quais as consequencias práticas no funcionamento das forças armadas?

http://www.ionline.pt/portugal/forcas-armadas-proibidas-admissoes-ou-renovacao-contratos-ao-fim-2014


Citar
A medida está inscrita numa directiva do ministro Aguiar- Branco que visa a reforma da defesa nacional: até ao final de 2014 não terão lugar quaisquer admissões de pessoal nem renovações de contratos em nenhum organismo tutelado pelo Ministério da Defesa (MD). As excepções só serão permitidas em “situações com manifesto impacto crítico”, refere o documento, a que o i teve acesso. Mesmo nestes casos, só com “fundamentada justificação” e aprovação prévia do ministro.
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: nelson38899 em Abril 25, 2013, 11:01:55 am
Radiografia das Forças Armadas

http://www.jn.pt/multimedia/infografia970.aspx?content_id=3185479
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: mafets em Abril 26, 2013, 12:09:52 pm
Estava eu a falar com os meus botões... :mrgreen:
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: PereiraMarques em Abril 30, 2013, 11:05:08 pm
Citação de: "nelson38899"
Radiografia das Forças Armadas

http://www.jn.pt/multimedia/infografia970.aspx?content_id=3185479

Os Al III e os Alpha Jet estão mesmo pelas "horas da morte"... :?

(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fimg46.imageshack.us%2Fimg46%2F3994%2Fsemttuloost.jpg&hash=1c5bc1c184feb3fc60b25efbb08d2ff7)
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: Lightning em Abril 30, 2013, 11:32:16 pm
Citação de: "PereiraMarques"
Os Al III e os Alpha Jet estão mesmo pelas "horas da morte"... :?

Há um tempo atrás, o CEMFA alertava para isso mesmo, que as aeronaves de instrução já restavam poucos anos de uso, já não me recordo da data, algo como 2016 ou 2018.
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: typhonman em Maio 01, 2013, 02:46:28 pm
Citação de: "Lightning"
Citação de: "PereiraMarques"
Os Al III e os Alpha Jet estão mesmo pelas "horas da morte"... :?

Há um tempo atrás, o CEMFA alertava para isso mesmo, que as aeronaves de instrução já restavam poucos anos de uso, já não me recordo da data, algo como 2016 ou 2018.

O deade line é 2018 para os Alpha -Jet.
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: Lightning em Maio 09, 2013, 05:42:15 pm
O Diário de Noticias anda cá com umas noticias, bem "quentes"  :shock: .

8 de Maio

"Força Aérea poderá fechar Base Aérea do Montijo"
Resumidamente: C-130, C-295 e Epsilon vão para a Beja, EH101 e Alouettes para Sintra, Falcon para o Montijo, Base do Montijo abre à aviação civil low cost.

9 de Maio

"Exército encerra sete centros de recrutamento"
Todos os centros de recrutamento do Exército fecham, exepto Lisboa e Porto, os Regimentos locais assumem essas funções, os de Lisboa e Porto devem mudar de local para libertar os edifícios que ocupam actualmente.
O edifício das OGFE vai receber o Arquivo Geral do Exército, que vai sair do Convento de Chelas.
Para fechar os edifícios da Manutenção Militar no Porto, Coimbra e Évora, messes de Santa Clara, Antas e Batalha, messe de sargentos em Évora, OGFE do Porto.
O Comando das Forças Terrestres vai para a Amadora, RL2 e RE1 também saem dos quarteis onde estão, também as unidades existentes no Terreiro do Paço e Edifício da Sé.
No Porto desocupa-se quartel do Monte Pedral, edifício da avenida de França, em Évora o Centro de Saude.
Escolas Práticas concentram-se todas em Mafra, quartel de Vendas Novas recebe o RA5 que sai de Gaia, quartel de Tancos (EPE), recebe o RE1 que sai de Lisboa, quartel de Transmissões do Porto (EPT), recebe o Regimento de Transmissões que sai de Lisboa, UALE passa para os Para-quedistas.
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: Trafaria em Maio 09, 2013, 09:00:52 pm
O que é que as OGFE ainda fabricam?
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: HSMW em Maio 10, 2013, 07:27:44 pm
Citação de: "Lightning"
O Diário de Noticias anda cá com umas noticias, bem "quentes"  :shock: .

8 de Maio

"Força Aérea poderá fechar Base Aérea do Montijo"
Resumidamente: C-130, C-295 e Epsilon vão para a Beja, EH101 e Alouettes para Sintra, Falcon para o Montijo, Base do Montijo abre à aviação civil low cost.

9 de Maio

"Exército encerra sete centros de recrutamento"
Todos os centros de recrutamento do Exército fecham, exepto Lisboa e Porto, os Regimentos locais assumem essas funções, os de Lisboa e Porto devem mudar de local para libertar os edifícios que ocupam actualmente.
O edifício das OGFE vai receber o Arquivo Geral do Exército, que vai sair do Convento de Chelas.
Para fechar os edifícios da Manutenção Militar no Porto, Coimbra e Évora, messes de Santa Clara, Antas e Batalha, messe de sargentos em Évora, OGFE do Porto.
O Comando das Forças Terrestres vai para a Amadora, RL2 e RE1 também saem dos quarteis onde estão, também as unidades existentes no Terreiro do Paço e Edifício da Sé.
No Porto desocupa-se quartel do Monte Pedral, edifício da avenida de França, em Évora o Centro de Saude.
Escolas Práticas concentram-se todas em Mafra, quartel de Vendas Novas recebe o RA5 que sai de Gaia, quartel de Tancos (EPE), recebe o RE1 que sai de Lisboa, quartel de Transmissões do Porto (EPT), recebe o Regimento de Transmissões que sai de Lisboa, UALE passa para os Para-quedistas.

E ainda falta aí umas coisas.
UnApAMAS passa para o RTransp, RL2 vai para onde estava a UnApAMAS.
E ficam as unidades polivalentes...
Essa dos centros de recrutamento já devia ter sido à 10 anos atrás!
Citação de: "Trafaria"
O que é que as OGFE ainda fabricam?
Todo o fardamento e calçado regulamentar.
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: Lightning em Maio 10, 2013, 09:23:56 pm
Citação de: "HSMW"
E ainda falta aí umas coisas.

Claro, eu só disse o que vinha no jornal :G-beer2: .
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: HSMW em Maio 10, 2013, 09:45:13 pm
Citação de: "Lightning"
E o Regimento de Transportes? Sai para outro local? Dá para manter ambas?
Essa Unidade de Apoio vai continuar a fazer a mesma coisa? É que agora está fisicamente deslocada da área que devia apoiar...
Absorve a outra unidade e as suas capacidades, porque na prática o RTransp já é uma unidade de manutenção mas com apoio de entidades civis.

Citar
E ficam as unidades polivalentes...
Citação de: "Lightning"
Não percebi.

Aquelas unidades que falámos cá no FD, que passariam a apoiar a missões civis do Exército, plano Lira e Aluvião.
Vai ser o novo destino do quartel da Pontinha e do quartel de Abrantes.
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: Trafaria em Maio 10, 2013, 11:50:49 pm
Citação de: "HSMW"
Citação de: "Trafaria"
O que é que as OGFE ainda fabricam?
Todo o fardamento e calçado regulamentar.
Então custa-me a compreender por haverão de fechar.
De fardamentos as FA sempre necessitarão e acredito que poderão fazê-los melhor que ninguém - porque os usam.

Depois há a Forças de Segurança, os bombeiros, etc... e toda uma vasta gama de outras actividades onde as OGFE poderiam dar cartas fabricando o seu vestuário profissional.

Quando entrei para a policia todo o fardamento e calçado que me foi distribuído tinha etiqueta das OGFE; agora já assim não acontece.
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: Luso em Maio 11, 2013, 01:07:14 am
Assim é mais fácil a culpa morrer solteira...
E saca-se dinheiro com muito mais facilidade.
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: Lightning em Maio 11, 2013, 11:56:06 am
Citação de: "Trafaria"
Citação de: "HSMW"
Citação de: "Trafaria"
O que é que as OGFE ainda fabricam?
Todo o fardamento e calçado regulamentar.
Então custa-me a compreender por haverão de fechar.
De fardamentos as FA sempre necessitarão e acredito que poderão fazê-los melhor que ninguém - porque os usam.

Depois há a Forças de Segurança, os bombeiros, etc... e toda uma vasta gama de outras actividades onde as OGFE poderiam dar cartas fabricando o seu vestuário profissional.

Quando entrei para a policia todo o fardamento e calçado que me foi distribuído tinha etiqueta das OGFE; agora já assim não acontece.

O da Força Aérea também não diz OGFE. Mas a função dessas forças também não é fazer roupa, não acho que seja assim tão essencial que as fardas sejam feitas pelas próprias entidades, desde que seja uma empresa em Portugal, não vejo problema em ser uma empresa civil a fazer.

A PSP mudou de fornecedor, é porque deve ter encontrado mais barato?

Se as OGFE fecharem, o Exército também vai ter que encontrar esses serviços no mercado civil...
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: HSMW em Maio 11, 2013, 01:15:05 pm
As OGFE vêm do tempo em que o mercado civil não tinha capacidade de resposta às necessidades militares.
Actualmente são empresas civis que têm a maior capacidade de inovação.

E quem é que fornece o fardamento para a FA e Marinha?
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: Lightning em Maio 11, 2013, 02:02:41 pm
Citação de: "HSMW"
E quem é que fornece o fardamento para a FA e Marinha?

Estes fazem (ou faziam??) fardas da Força Aérea...

http://www.publico.pt/economia/noticia/ ... go-1590524 (http://www.publico.pt/economia/noticia/confeccoes-no-fundao-fecham-sem-explicacoes-durante-as-ferias-e-deixam-64-sem-emprego-1590524)

http://videos.sapo.pt/cb8PpCQO0fOh01zTO5jv (http://videos.sapo.pt/cb8PpCQO0fOh01zTO5jv)
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: Lightning em Maio 11, 2013, 02:09:47 pm
Citação de: "HSMW"
Citar
E ficam as unidades polivalentes...
Citação de: "Lightning"
Não percebi.

Aquelas unidades que falámos cá no FD, que passariam a apoiar a missões civis do Exército, plano Lira e Aluvião.
Vai ser o novo destino do quartel da Pontinha e do quartel de Abrantes.

Sim, já sei :D , não sabia que o quartel da Pontinha também ia ser, e o quartel de Gaia de onde saiu o RA5? Também será um desses para a zona norte?
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: Lightning em Maio 11, 2013, 02:17:20 pm
Citação de: "HSMW"
As OGFE vêm do tempo em que o mercado civil não tinha capacidade de resposta às necessidades militares.

Se calhar até foram as primeiras "fábricas" dignas desse nome em Portugal, se pensarmos que Portugal foi até à pouco tempo um pais em que a maioria da população do pais era rural e vivia da agricultura de subsistência, era natural que essa mesma maioria da população não tivesse capacidade económica de "andar às compras", muitos se calhar até faziam as próprias roupas e calçado, ou então havia o alfaiate e o sapateiro da aldeia, que ia fazendo esse vestuário, sempre simples, funcional, para a comunidade local.
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: Cabeça de Martelo em Maio 11, 2013, 02:58:00 pm
Não foi a primeira, mas o que havia era bastante mais frágil e se calhar incapaz de cumprir com as encomendas do Exército. Hoje em dia já há muita coisa comprada "cá fora".
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: LuisC em Maio 12, 2013, 01:49:03 am
Creio mesmo que em tempos se chegou a exportar fardamento para as FAs dos PALOPs.

É mesmo soluções deste tipo que o país precisa para sair da crise…comprar produtos lá fora e acabar com a produção nacional...
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: Lightning em Maio 12, 2013, 12:01:52 pm
Citação de: "LuisC"
É mesmo soluções deste tipo que o país precisa para sair da crise…comprar produtos lá fora e acabar com a produção nacional...

Ninguém está a falar de acabar com a produção nacional, o que o governo quer é acabar com a produção publica, isto é, ter estes estabelecimentos fabris dentro do estado, e passar a ir ao privado comprar, em Portugal também há fábricas privadas.

Desculpem lá não ser grande defensor das OGFE, não ponho em causa a qualidade da sua produção e o profissionalismo dos seus empregados, mas no fundo é um "fábrica", que tem sempre pelo menos um cliente garantido, que é o Exército, independentemente do preço a que sai as peças. E numa economia de mercado, com vários potenciais fornecedores, é possível mudar de fornecedor consoante a melhor oferta, não é necessário ficar agarrado ao mesmo fornecedor infinitamente.
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: Edu em Maio 12, 2013, 02:15:33 pm
Pois pode, mas o problema é que normalmente quando se muda para um fornecedor privado nestes sectores em Portugal apenas acontece que se começa a pagar mais e o serviço é pior. Porque normalmente quem passa a fornecer as entidades publicas passam a ser os amigos de quem esta à frente das mesmas. Não tenho duvida nenhuma que neste caso os generais e amigos de generais iam ganhar muito.
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: Lightning em Maio 12, 2013, 02:58:46 pm
Citação de: "Edu"
Pois pode, mas o problema é que normalmente quando se muda para um fornecedor privado nestes sectores em Portugal apenas acontece que se começa a pagar mais e o serviço é pior. Porque normalmente quem passa a fornecer as entidades publicas passam a ser os amigos de quem esta à frente das mesmas. Não tenho duvida nenhuma que neste caso os generais e amigos de generais iam ganhar muito.

Essa parte de se pagar mais e ser pior servido, não tenho dados para tomar uma posição. O que é verdade é que muitas forças militares e policiais já recorrem a fabricantes privados em Portugal. Além do Exército não sei quem mais seja fornecido pelas OGFE.
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: Lightning em Maio 12, 2013, 03:07:47 pm
Já encontrei afinal quem faz as fardas da Força Aérea, Marinha, GNR, PSP, SEF, bombeiros, e muitas empresas do estado como TAP, galp, CP, etc

É a Torfal (ver clientes)
http://www.torfal.pt/ (http://www.torfal.pt/)

Se as OGFE tivessem esta lista de clientes :shock:
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: HSMW em Maio 12, 2013, 03:27:26 pm
Citação de: "Lightning"
Além do Exército não sei quem mais seja fornecido pelas OGFE.

Existe à venda no casão militar fardamento para os Serviços Prisionais. Também para o IPE e CM.
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: Lightning em Maio 12, 2013, 04:05:05 pm
Citação de: "HSMW"
Existe à venda no casão militar fardamento para os Serviços Prisionais. Também para o IPE e CM.

Muito bem :D . Lembro-me também de certa altura me dizerem que lá havia bonés de farda nº1 da Força Aérea à venda... Mas nunca lá fui.

Também quero dizer que apesar de haver empresas privadas que fazem fardamentos para forças militares e policiais, como por exemplo a Torfal, não quer dizer que façam o fardamento completo, pode haver uma que faz os camuflados, mas depois é outra que faz as botas, outra faz as camisas, outra faz as gravatas, outra faz cintos, outra faz as boinas, etc.
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: PereiraMarques em Junho 11, 2013, 09:23:38 am
Calendário para a reforma das Forças Armadas. Aspectos mais salientes e perceptiveis, redução de 2.000 militares em 2014 e de outros 2.000 em 2015.

http://dre.pt/pdf2sdip/2013/06/111000001/0000200004.pdf (http://dre.pt/pdf2sdip/2013/06/111000001/0000200004.pdf)
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: typhonman em Julho 19, 2013, 09:30:49 am
http://downloads.sol.pt/pdf/primeira/sol_359.pdf (http://downloads.sol.pt/pdf/primeira/sol_359.pdf)

Saída da NATO? lol
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: Cabeça de Martelo em Julho 19, 2013, 12:33:33 pm
É o BE, o que esperas?!
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: PereiraMarques em Agosto 01, 2013, 09:55:25 am
Citar
MINISTÉRIO DA DEFESA NACIONAL
Gabinete do Ministro
Despacho n.º 10083/2013

Considerando os fatores de planeamento e orientações enunciadas
na Resolução do Conselho de Ministros n.º 26/2013, de 11 de abril,
designadamente a necessidade de racionalizar o dispositivo das Forças
Armadas “de acordo com o princípio orientador da concentração, sem
prejuízo do equilíbrio necessário ao cumprimento de missões em todo
o território nacional”;

Considerando que, neste sentido, o Exército deu início ao processo
de concentração das suas Escolas Práticas das Armas tendo em vista a
entrada em funcionamento da futura Escola das Armas a partir de 1 de
outubro de 2013;

Considerando, assim, a necessidade de proceder a um ajustamento na
localização de algumas unidades, estabelecimentos e órgãos deste ramo;
Atento à deliberação do Conselho de Chefes de Estado-Maior remetida
pelo Chefe do Estado-Maior General das Forças Armadas através do
ofício n.º 1699/GC-G, de 18 de junho de 2013;

Nos termos da competência que me é conferida pela alínea m) do n.º 3 do
artigo 14.º da Lei Orgânica n.º 1-B/2009, de 7 de julho, determino o seguinte:
1. Dou a minha anuência para que o Chefe do Estado-Maior do Exército prossiga com os trabalhos conducentes à implementação e entrada em funcionamento da Escola das Armas, podendo, para esse efeito,
proceder à desativação das Escolas Práticas de Infantaria, de Artilharia,
de Cavalaria, de Engenharia, de Transmissões e do Centro Militar de  Educação Física e Desportos.

2. Sem prejuízo da necessária confirmação dessa reorganização, atra-vés dos documentos estruturantes do planeamento estratégico (sistema de forças nacional e dispositivo), é criada, com caráter provisório, a Escola das Armas, na vila de Mafra, com efeitos desde 1 de outubro de 2013.

3 de julho de 2013. — O Ministro da Defesa Nacional, José Pedro
Correia de Aguiar-Branco.
207142226

http://dre.pt/pdf2sdip/2013/08/147000000/2409124091.pdf (http://dre.pt/pdf2sdip/2013/08/147000000/2409124091.pdf)
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: Cabeça de Martelo em Agosto 01, 2013, 11:17:04 am
Antes disso já eles andaram a recuperar alguns dos edificios que vão precisar para os militares. O investimento já foi feito, agora é só passar à acção. Eu continuo a dizer que escolheram mal, que a Tapada militar não tem as caracteristicas necessárias para algumas das Armas que vão formar os seus militares lá. :roll:
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: PereiraMarques em Setembro 10, 2013, 11:17:18 pm
Notícia sem qualquer espécie de novidade, serve apenas para reafirmar a vontade do governo, e as medidas a ser tomadas em sede do Orçamento de Estado de 2014.

Citar
Redução de efectivos nas FA prevista para 2014

O Governo prevê reduzir dois mil efectivos das Forças Armadas em 2014, na sequência da reestruturação do sector que visa "maior eficiência e eficácia", indica o anteprojecto das Grandes Opções do Plano (GOP).
A redução do número de efectivos é uma das linhas orientadoras da estratégia 2020 para a reforma da Defesa, que inclui o redimensionamento do efectivo de pessoal das Forças Armadas para um efectivo global entre 30.000 e 32.000.

De acordo com o documento, a que a Lusa teve hoje acesso, o Governo pretende diminuir o número de efectivos em dois mil em 2014, mais dois mil em 2015, e uma "distribuição progressiva dos restantes até final de 2020".

"Os quadros do pessoal civil do conjunto da defesa nacional devem ser redimensionados para cerca de 70% do actual, até final de 2015", estabelece o documento.

Em 2014, adianta o documento, aprovado em Conselho de Ministros no dia 05, "será dada continuidade à reestruturação do sector empresarial da defesa na procura de novos parceiros e parcerias internacionais que tragam valor acrescentado para a economia nacional, para o tecido empresarial e para as áreas da inovação científica e tecnológica".

O Governo PSD/CDS-PP prevê prosseguir a reestruturação da saúde militar, prevendo a entrada em funcionamento do pólo do Porto do Hospital das Forças Armadas e a "redução do custo" com a assistência na doença.

"Serão também implementadas medidas que permitam a redução do custo anualmente suportado pela Assistência na Doença aos Militares, em linha com o estabelecido nos acordos internacionais celebrados", indica o documento.

Em 2014 entrará em funcionamento o Balcão Único da Defesa, no âmbito da "política de apoio aos Antigos Combatentes e aos Deficientes das Forças Armadas" com o objectivo de "simplificar procedimentos" e "garantir um acesso mais fácil aos utentes".

O documento com as Grandes Opções do Plano foi hoje enviado ao Conselho Económico e Social para que este órgão emita o respectivo parecer.

Após o parecer do CES, o Governo aprovará a proposta final de GOP para 2014 e, juntamente com a proposta de Orçamento do Estado, enviá-las-á para a Assembleia da República até 15 de Outubro.

Lusa/ SOL

http://sol.sapo.pt/inicio/Sociedade/Int ... t_id=84251 (http://sol.sapo.pt/inicio/Sociedade/Interior.aspx?content_id=84251)
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: Miguel em Setembro 20, 2013, 08:31:44 pm
Qual vai ser o futuro orbat do exercito? Pronosticos?
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: Lightning em Setembro 20, 2013, 10:48:46 pm
Citação de: "Miguel"
Qual vai ser o futuro orbat do exercito? Prognósticos?

O que está escrito no tal plano se realmente for para a frente, nem era preciso acabar com uma das Brigadas, o mal é que o dinheiro tem que se dividir por tantos sítios que quando o saco das moedas chega aos Leopard já deve ter pouca coisa, por isso, se realmente acabarem com os quarteis que não possuem forças de escalão Batalhão já era bom.

O plano diz que o Exército deve ter capacidade de projectar até 3 Batalhões ou 1 Brigada, se só precisamos de ter capacidade de projectar 1 Brigada, não precisamos de ter as 3 Brigadas com todas as unidades de apoio que uma Brigada normalmente precisa, as Brigadas até podem continuar a existir como quartel-general, na Bélgica as Brigadas só possuem os Batalhões de combate, as forças de apoio estão agrupadas fora das Brigadas, mais ou menos como cá temos o Regimento de Artilharia Antiaérea nº1 em Queluz, que tem toda a artilharia antiaérea e apoia várias Brigadas, era alargar este conceito à engenharia, transmissões, etc.

Depois tenho assim umas ideias :mrgreen: ?

Em relação à Artilharia, pela ideia de só precisarmos de uma Brigada, então só precisamos de um Grupo de Artilharia, mas os M109A5 fazem coisas que o Light Gun não faz e vice-versa, os Light Gun a meu ver tem uma ligeira vantagem, são mais versáteis, tanto dá para rebocar como para helitransportar, falta-lhes é o poder de fogo de 155mm, se em vez dos Light Gun tivéssemos M777 então já dizia para ficarmos só com esse Grupo de Artilharia, mas para já ficávamos com 2 Grupos de Artilharia, o de M109A5 em Santa Margarida e o dos Light Gun em Leiria, acabava era com o Grupo de Artilharia daquelas peças mais antigas que andava para ai por Gaia e Vendas Novas.
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: sergio21699 em Outubro 16, 2013, 11:47:19 pm
Citar
Tropa vai às escolas recrutar
Dia da Defesa Nacional obrigatório acabou. Para poupar dinheiro, militares vão fazer publicidade junto dos alunos.

Foi uma das medidas mais emblemáticas de Paulo Portas, enquanto ministro da Defesa, e vai chegar ao fim por decisão de um Governo de que Portas também faz parte. O agora ministro da Defesa, José Pedro Aguiar-Branco, decidiu acabar com o Dia da Defesa Nacional (DDN), nos moldes em que foi criado, em 2004.
Destinado a jovens com 18 anos, o DDN – que na prática não se circunscrevia a um só dia – tinha como objectivo promover as Forças Armadas e tentar captar voluntários. Por razões financeiras, o ministro da Defesa suspendeu as actividades este ano. E, no futuro, os militares vão passar a ir às escolas falar com os alunos em vez de trazer os jovens às unidades militares.

Anualmente, o custo com o DDN ronda os 6,4 milhões de euros. Este ano, em que as actividades só decorreram no primeiro semestre, gastaram-se três milhões e para 2014 estão orçamentados apenas dois milhões de euros.

“Faremos uma racionalização e reajustamento, que são necessários, para se ter menos encargos”, reconheceu esta semana Aguiar-Branco na comissão parlamentar de Defesa.

Segundo o ministro, os militares vão às escolas para se poupar “nas deslocações” dos jovens, e os currículos escolares vão passar a integrar matérias relacionadas com a Defesa.

Os custos com o DDN dispararam porque, além do aluguer de autocarros para trazer jovens de todo o país, as unidades militares aproveitaram para fazer obras de renovação nos quartéis, alegando serem necessárias para receber os jovens e imputando essa despesa ao ministério.

http://sol.sapo.pt/inicio/Sociedade/Interior.aspx?content_id=88214
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: Cabecinhas em Novembro 19, 2013, 02:51:36 pm
Citar
Ministro da Defesa passa a promover generais

(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fsol.sapo.pt%2Fstorage%2FSol%2F2013%2Fbig%2Fng1425187_435x200.jpg%3Ftype%3Dbig&hash=df2d0ffa50cbdeb6a52588db21ec3274)

Projecto do EMFAR introduz norma polémica: as promoções ao posto de general vão precisar da concordância do ministro da Defesa e deixam de ir ao Conselho Superior de Defesa.

As promoções a oficial general vão passar a precisar de autorização do ministro da Defesa. De acordo com a versão preliminar do Estatuto dos Militares das Forças Armadas (EMFAR) que já foi apreciada em reunião das chefias militares, a que o SOL teve acesso, uma das alterações diz respeito às regras de promoção a oficial general – em que o poder político vê reforçado o seu papel face à hierarquia militar.
Segundo o EMFAR em vigor, as promoções à categoria de general são feitas mediante deliberação do Conselho de Chefes de Estado-Maior (CCEM), sendo depois confirmadas pelo Conselho Superior de Defesa Nacional (CSDN). Agora, de acordo com a proposta ainda em discussão no seio do Governo, o artigo 68.º passa a prever, para essas promoções, “a aprovação do ministro da Defesa” após deliberação do CCEM e, em vez de confirmação do CSDN, passa a ser exigido apenas “decreto de confirmação” do Presidente da República. Esta alteração vai ao encontro de uma outra mudança cirúrgica e discreta feita em 2009 na lei sobre a Organização das Forças Armadas.

“O quadro legal é todo alterado para culminar numa governamentalização das Forças Armadas”, explica ao SOL o presidente da Associação dos Oficiais das Forças Armadas, Pereira Cracel, lembrando que o Governo prometeu apresentar o EMFAR até 30 de Setembro.

Antiguidade não determinará as promoções

Estas alterações que visam aumentar o controlo político das carreiras militares (e gerir o custo financeiro das promoções, neste caso) têm sido progressivas nos últimos anos. No início da década de 90, os chefes dos Estados-maiores do Exército, Marinha e Força Aérea passaram a ser escolhidos livremente pelo Governo.

A proposta preliminar do EMFAR altera ainda outras regras na promoção, introduzindo a promoção por escolha a partir do posto de capitão-tenente ou major – a antiguidade deixa, assim, de ser factor determinante para a promoção no posto de primeiro-tenente ou capitão.

O documento elaborado pelo Conselho de Chefes ainda não tem o ok final do ministro da Defesa. Esta semana, Aguiar-Branco afirmou na AR que “o processo de revisão do EMFAR ainda não está terminado”. O projecto, aliás, mantém o período da reserva em cinco anos, quando a dos militares da GNR passa para dois, e o ministro já deu instruções para que se revisse também esta matéria.

Numa altura em que os ramos estão obrigados a emagrecer, esta proposta de EMFAR introduz um novo conceito de efectivos, os “provisionais”, para designar os militares “que se encontrem em formação inicial, não sendo contabilizados nos efectivos da estrutura orgânica das Forças Armadas”. Os militares supranumerários também não contam para o efectivo final.

Esta semana, uma centena de sargentos manifestou-se frente ao Parlamento contra os cortes na Defesa e a “desvalorização” da condição militar, e também pelo facto de o ministro não dialogar.
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: PereiraMarques em Janeiro 31, 2014, 09:17:01 am
Portaria n.º 21/2014. D.R. n.º 22, Série I de 2014-01-31
Ministério da Defesa Nacional
Aprova o Regulamento da Escola Naval
http://dre.pt/pdf1sdip/2014/01/02200/0076300803.pdf (http://dre.pt/pdf1sdip/2014/01/02200/0076300803.pdf)

Portaria n.º 22/2014. D.R. n.º 22, Série I de 2014-01-31
Ministério da Defesa Nacional
Aprova o Regulamento da Academia Militar e revoga a Portaria n.º 425/91, de 24 de maio
http://dre.pt/pdf1sdip/2014/01/02200/0080400839.pdf (http://dre.pt/pdf1sdip/2014/01/02200/0080400839.pdf)

Portaria n.º 23/2014. D.R. n.º 22, Série I de 2014-01-31
Ministério da Defesa Nacional
Aprova o Regulamento da Academia da Força Aérea e revoga a Portaria n.º 11/91, de 4 de janeiro
http://dre.pt/pdf1sdip/2014/01/02200/0083900896.pdf (http://dre.pt/pdf1sdip/2014/01/02200/0083900896.pdf)
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: PereiraMarques em Fevereiro 09, 2014, 05:03:08 pm
Citar
Presidente da República deu posse ao Chefe do Estado-Maior General das Forças Armadas
O Presidente da República conferiu posse ao Chefe do Estado-Maior General das Forças Armadas, General Artur Neves Pina Monteiro, tendo, na ocasião, proferido uma intervenção.

(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fwww.presidencia.pt%2Farchive%2Fimg%2F140207-PR-0041.jpg&hash=0791f9b55d91597b59a368b02ad6bbd6)

http://www.presidencia.pt/?idc=10&idi=80826 (http://www.presidencia.pt/?idc=10&idi=80826)
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: Duarte em Fevereiro 09, 2014, 06:24:40 pm
Já se sabe a organização do Regimento de Apoio a Emergências Militar em Abrantes?
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: raphael em Fevereiro 09, 2014, 09:14:55 pm
Até parece que CEMGFA cessante com aquele toque no ombro diz algo tipo:" Estás a ver a minha cruz? Atura-o tu!" (sem qualquer desprimor para o sr oficial general que insistiu em fazer a continência descoberto american style).
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: PereiraMarques em Fevereiro 10, 2014, 04:21:49 pm
Citação de: "Duarte"
Já se sabe a organização do Regimento de Apoio a Emergências Militar em Abrantes?

Duas ambulâncias do INEM (mas só uma é que funciona) e um Pelotão de militares equipados com pá  :roll:  Agora a sério estamos (uma vez mais) no domínio das unidades militares virtuais... :?

http://forumdefesa.com/forum/viewtopic. ... &start=930 (http://forumdefesa.com/forum/viewtopic.php?f=39&t=6486&start=930)
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: nelson38899 em Fevereiro 14, 2014, 03:00:16 pm
Infelizmente quanto a modernizar as forças não prevejo nada de extraordinário nos próximos anos, disseram-me à pouco tempo que o único concurso existente que tinha um orçamento acima de 1 milhão de euros foi cancelado e não há data para abertura.

Neste sentido a ideia de modernizar as forças, apenas passará por uma simples mexida de cadeiras entre militares.
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: nelson38899 em Fevereiro 14, 2014, 03:37:26 pm
já agora aqui ficam as nossas capacidades até 2020

Citar
http://www.defesa.pt/Documents/20130419_RCM_Defesa_2020.pdf
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: Cabeça de Martelo em Fevereiro 14, 2014, 04:22:14 pm
Defesa 2020

a. Uma Força de Reação Imediata (FRI) – orientada para missões de evacuação de cidadãos nacionais em áreas de crise ou conflito e de resposta nacional autónoma em situações de emergência complexas. Deve estar constituída em elevada prontidão;

b. Um conjunto de Forças Permanentes em Ação de Soberania (FPAS) – orientadas para missões, designadamente, de defesa aérea, patrulhamento, vigilância e fiscalização marítima e aérea, e quando determinado, vigilância terrestre, busca e salvamento, defesa Nuclear Biológica Química e Radiológica (NBQR), de interesse público e de resposta a catástrofes, em continuidade no território nacional e nas áreas de jurisdição ou responsabilidade nacional;

c. Um Conjunto Modular de Forças – orientado para resposta a compromissos internacionais nos quadros da defesa coletiva e da segurança cooperativa (Forças Nacionais Destacadas - FND), constituídas ou a constituir, para emprego sustentado, por períodos de seis meses, para empenhamento até três operações simultâneas de pequena dimensão ou numa operação de grande dimensão.

...

a. Armada – capacidade para projetar e sustentar, em simultâneo, duas unidades navais de tipo fragata, para participação nos esforços de segurança e defesa coletiva; dispor de capacidade anfíbia e submarina, navios auxiliares, de patrulha oceânica e de fiscalização costeira e capacidade oceanográfica, de modo a garantir, simultânea e continuadamente, o controlo e vigilância do espaço marítimo sob responsabilidade e jurisdição nacional, as missões de interesse público e as atribuições cometidas à Armada no âmbito do Sistema de Autoridade Marítima.

b. Exército – Capacidade para projetar e sustentar, em simultâneo, até três unidades de combate (até escalão batalhão), apoio de combate ou apoio de serviços, para participação nos esforços de segurança e defesa coletiva, podendo no máximo comandar uma única operação de escalão brigada em qualquer cenário e grau de intensidade, por tempo limitado. Dispor de capacidade de dissuasão convencional defensiva, a reforçar no quadro das alianças e suficiente para desencorajar e ou conter as agressões, pronta para continuadamente cumprir missões no âmbito da segurança e defesa do território e da população e do apoio militar de emergência.

c. Força Aérea – capacidade para projetar e sustentar até três destacamentos aéreos de pequena dimensão, para participação nos esforços de segurança e defesa coletiva por períodos de curta duração ou um destacamento aéreo por um período alargado. Garantir, simultânea e continuadamente, a vigilância e controlo do espaço aéreo, incluindo aeronaves de combate vocacionadas para execução de missões de luta aérea e aeronaves para o reconhecimento, fiscalização e intervenção nos espaços de soberania sob responsabilidade e jurisdição nacional, bem como missões de interesse público e a execução das ações cometidas no âmbito do Sistema de Autoridade Aeronáutica.

...

define-se em 1,1% (±0,1) do PIB como o compromisso orçamental estável para a defesa nacional.

...

Considerando a análise estratégica dos quadros de empenhamento mais prováveis, a «Defesa 2020» adequará tendencialmente o efetivo máximo das Forças Armadas entre 30.000 e 32.000 militares, incluindo os militares na situação de reserva na efetividade de serviço.

...

1. Reforçar as competências do Chefe do Estado-Maior-General das Forças Armadas (CEMGFA) para dirigir a execução da estratégia militar superiormente aprovada.

...

O CEMGFA tem na sua dependência hierárquica os chefes dos estados-maiores dos ramos para as questões que envolvem a capacidade de resposta das Forças Armadas, designadamente pela prontidão, emprego e sustentação da componente operacional do sistema de forças, constituindo-se para este efeito, o único interlocutor militar do MDN.

b. Adaptar a estrutura do EMGFA para:
(1) Eliminar as duplicações de tarefas exercidas no contexto funcional dos órgãos do Ministério da Defesa Nacional e vocacioná-la para o planeamento de forças e capacidades e o planeamento e a execução das operações militares;
(2) Reformular a cadeia operacional das Forças Armadas, de modo a potenciar a capacidade de planeamento e a execução de operações, quer em missões externas, quer em missões no interior do país, previstas na lei;
(3) Estabelecer no âmbito do EMGFA uma capacidade conjunta de avaliação e análise operacional que promova a coordenação do treino e certificação de forças e capacidades conjuntas, bem como valide lições identificadas e estabeleça lições aprendidas;
(4) Criar um único serviço que coordene as comunicações e os sistemas de informação, em articulação com os ramos, procurando-se a sua centralização num único polo e a implementação de uma plataforma transversal de apoio à decisão, designadamente no que diz respeito às funções de comando, controlo e direção.

c. No âmbito do ensino superior militar:
(1) Estabelece-se o objetivo de criar, a médio prazo, um Instituto Universitário Militar, com base num modelo de ensino superior militar em que a progressão na carreira resulta da articulação coerente da formação inicial com a formação complementar ao longo da vida, que integrará os atuais Instituto de Estudos Superiores Militares, Escola Naval, Academia Militar e Academia da Força Aérea.

...

a. Os serviços centrais do Ministério da Defesa Nacional devem ser reestruturados e redimensionados no sentido de:
(1) A Direção-Geral de Pessoal e Recrutamento Militar e a Direção-Geral de Armamento e Infraestruturas de Defesa serem concentradas num único serviço, com responsabilidade na condução jurídica e administrativa dos processos de aquisição e de alienação dos sistemas de armas, bem como da função recrutamento, assumindo as tarefas de planeamento, direção e coordenação, em estreita articulação com os órgãos próprios dos ramos ao nível da execução.

Mais alguma coisa de relevante?
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: PereiraMarques em Fevereiro 18, 2014, 09:09:59 am
Despacho n.º 2606/2014. D.R. n.º 34, Série II de 2014-02-18
Ministério da Defesa Nacional - Gabinete do Ministro
Reestruturação dos Estabelecimentos Militares de Ensino não Superior

http://dre.pt/pdf2sdip/2014/02/034000000/0492604927.pdf (http://dre.pt/pdf2sdip/2014/02/034000000/0492604927.pdf)

Despacho n.º 2607/2014. D.R. n.º 34, Série II de 2014-02-18
Ministério da Defesa Nacional - Gabinete do Ministro
Hospital das Forças Armadas/Polo de Lisboa - Remodelação do edifício H04

http://dre.pt/pdf2sdip/2014/02/034000000/0492704928.pdf (http://dre.pt/pdf2sdip/2014/02/034000000/0492704928.pdf)
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: PereiraMarques em Fevereiro 21, 2014, 09:35:47 am
Despacho n.º 2943/2014. D.R. n.º 37, Série II de 2014-02-21
Ministério da Defesa Nacional - Gabinete do Ministro
Reforma do Sistema de Saúde Militar (SSM)

http://dre.pt/pdf2sdip/2014/02/037000000/0538605388.pdf (http://dre.pt/pdf2sdip/2014/02/037000000/0538605388.pdf)
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: PereiraMarques em Fevereiro 27, 2014, 10:10:47 am
Portaria n.º 174/2014. D.R. n.º 41, Série II de 2014-02-27
Ministério da Defesa Nacional - Gabinete da Secretária de Estado Adjunta e da Defesa Nacional
Quantitativo máximo de militares em regime de contrato (RC) regime de contrato especial (RCE) e regime de voluntariado (RV) para 2014

http://dre.pt/pdf2sdip/2014/02/041000000/0586205862.pdf (http://dre.pt/pdf2sdip/2014/02/041000000/0586205862.pdf)
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: nelson38899 em Março 20, 2014, 10:59:03 am
Citar
As Forças Armadas (FA) arriscam perder a chefia da Autoridade Marítima Nacional e da Autoridade Aeronáutica Nacional que hoje detêm nas operações civis de fiscalização e segurança, tanto no mar como no espaço aéreo. Numa proposta a que o PÚBLICO teve acesso, o Governo admite que as FA passem apenas a "disponibilizar" recursos a esses órgãos, quando hoje são as FA que "dispõem" dessas autoridades.

Esta é a conclusão a retirar das propostas de lei orgânicas que o Governo tem já prontas e tenciona apresentar ao Conselho Superior de Defesa Nacional (CSDN) na próxima segunda-feira, antes de as aprovar em Conselho de Ministros e enviar para o Parlamento. Desde o início do seu mandato que o ministro da Defesa assumira a intenção de rever as leis orgânicas de Defesa Nacional (LDN) e de Bases da Organização das Forças Armadas (LOBOFA).

É na proposta de projecto da LOBOFA que José Pedro Aguiar-Branco, numa frase, retira o protagonismo às Forças Armadas. No capítulo relativo à organização dos ramos das FA é proposto que estes “podem [...] disponibilizar recursos humanos e materiais necessários ao desempenho de atribuições e competências de órgãos ou serviços regulados por legislação própria, nomeadamente a Autoridade Marítima Nacional e a Autoridade Aeronáutica Nacional.”

Na legislação actualmente em vigor, a redacção é diferente: “Os ramos podem dispor de outros órgãos que integrem sistemas regulados por legislação própria, nomeadamente a Autoridade Marítima Nacional e a Autoridade Aeronáutica Nacional.”

A forma como a alteração está redigida abre a porta à possibilidade de que os militares passem a estar subordinados a entidades nas quais podem deixar de ter qualquer representação. Limitando-se a ceder os seus activos para a prossecução de missões de fiscalização e vigilância no mar e no ar. Missões como as de busca e salvamento no mar português, onde a Marinha e a Força Aérea trabalham em conjunto.

O PÚBLICO confrontou o Ministério da Defesa sobre as implicações da nova redacção e o porquê da alteração. Do gabinete do ministro José Pedro Aguiar-Branco apenas foi comunicado que se estava perante “um documento de trabalho”. Isto apesar de os documentos a que o PÚBLICO teve acesso se intitularem “proposta de lei orgânica” e de haver a intenção de as apresentar ao CSDN na segunda-feira. Em qualquer caso, a proposta de lei orgânica terá de ser aprovada no Parlamento, dado serem matérias de competência partilhada.

Matéria sensível na Constituição
A questão não é nova. Desde há anos que se debate o emprego de forças militares em missões de segurança interna. Uma matéria sensível em termos constitucionais, uma vez que as FA estão impedidas de assumir missões internas a não ser em situações de emergência.

Os sucessivos governos e a Armada ensaiaram uma solução para o problema com o conceito da Marinha de “duplo uso”. Que se concretizou com a criação, em 2002, da Autoridade Marítima Nacional e a junção - sob a sua tutela, no organigrama, da Marinha - da Polícia Marítima, do Instituto de Socorros a Náufragos, das capitanias dos portos, entre outros órgãos. Actualmente, a AMN está regulamentada na lei orgânica da Marinha. Para contrabalançar as questões constitucionais, a AMN e os órgãos que a compõem são sempre apresentados como uma componente civil da Marinha e do Ministério da Defesa. O chefe de Estado-Maior da Armada tem, portanto, a dupla responsabilidade de liderar a Marinha e a AMN.

A nova redacção fez soar o alarme, já que abre a porta à transferência destas autoridades para outra tutela política. Nomeadamente, o Ministério da Administração Interna.
http://www.publico.pt/politica/noticia/forcas-armadas-perdem-autoridade-no-ar-e-no-mar-1628788
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: Edu em Março 20, 2014, 11:12:30 am
Estava para colocar esta noticia mas o nelson adiantou-se  :G-beer2:  .

Pois, quando as nossas chefias militares andam mais preocupadas em manter os altos salários e reformas e em guerras e lutas de poder internas é óbvio que pouco a pouco as Forças Armadas vão perdendo cada vez mais relevância e autoridade em Portugal.

Quando eles andam com ameaças disfarçadas de revoluções para os governantes por causa do corte das regalias é óbvio que o governo apenas terá interesse a tirar o poder a quem o ameaça.

Este Aguiar Branco é mesmo das piores peças que já passaram pelo ministério da defesa, disso não haja dúvida.
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: Camuflage em Março 20, 2014, 11:36:50 pm
O Aguiar Branco é um law maker é isso que lhe interessa e o faz ganhar $. Contudo não se vê oficiais e sargentos nas ruas a pedirem um militar a encabeçar o MD ou a criticar os salários avultados de certa gente no meio militar ou ainda como o $ é gerido, só se vê é gente a chorar para meter ao bolso como puder. O contribuinte do privado que page e trabalhe, é natural que depois a visão dos militares seja cada vez mais negra na sociedade civil.
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: Lightning em Abril 24, 2014, 01:42:31 pm
Citar
Investigação: Militares afastam Judiciária

Forças Armadas não querem a Judiciária civil a investigar crimes militares

http://www.cmjornal.xl.pt/detalhe/notic ... judiciaria (http://www.cmjornal.xl.pt/detalhe/noticias/exclusivo-cm/investigacao-militares-afastam-judiciaria)

O jornal em papel tem mais informação, resumidamente, o governo vai acabar com a PJM e propoe que a PJ assuma essas funções, os ramos das Forças Armadas propoe que seja a GNR.
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: Cabeça de Martelo em Abril 24, 2014, 03:03:16 pm
Não faz menor sentido. Num negócio de corrupção que envolve centenas de milhões, ia ser uma GNR a investigar?
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: Get_It em Abril 24, 2014, 03:40:07 pm
Citação de: "Cabeça de Martelo"
Não faz menor sentido. Num negócio de corrupção que envolve centenas de milhões, ia ser uma GNR a investigar?
Exacto. Basicamente eles estão a tentar com que a PJM não acabe de vez ao tentar a integrar na GNR em vez de ser na PJ.

Isto está cada vez mais bonito. A GNR anda a ficar cá com umas ricas missões/tarefas das outras instituições sem existir qualquer sentido que seja. Daqui a pouco ainda vamos ver a Marinha a perder a Polícia Marítima para a GNR e a FAP a patrulha marítima/SIFICAP também para a GNR...

Cumprimentos,
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: PereiraMarques em Abril 24, 2014, 04:03:10 pm
Citação de: "Get_It"
Daqui a pouco ainda vamos ver a Marinha a perder a Polícia Marítima para a GNR

Eu por acaso até acho que esta faz bastante sentido...
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: Lightning em Abril 24, 2014, 04:46:34 pm
Citação de: "Cabeça de Martelo"
Não faz menor sentido. Num negócio de corrupção que envolve centenas de milhões, ia ser uma GNR a investigar?

Não sei se a PJM investiga casos como o dos submarinos, o que eles fazem é,

Citar
A Polícia Judiciária Militar (PJM) tem competência em matéria de investigação criminal. Neste sentido, é da competência específica da PJM a investigação dos crimes estritamente militares. A PJM tem ainda competência reservada para a investigação de crimes cometidos no interior de unidades, estabelecimentos e órgãos militares.
http://www.portugal.gov.pt/pt/os-minist ... litar.aspx (http://www.portugal.gov.pt/pt/os-ministerios/ministerio-da-defesa-nacional/quero-saber-mais/sobre-o-ministerio/organismos/policia-judiciaria-militar.aspx)

Outra informação que tem no link
Citar
Contudo, tal não prejudica a competência conferida à Guarda Nacional Republicana (GNR) pela Lei da Organização da Investigação Criminal ou pela respetiva Lei Orgânica para a investigação de crimes comuns cometidos no interior dos seus estabelecimentos, unidades e órgãos.

Pelo que percebi a GNR já tem essas funções internamente, e as Forças Armadas preferem que seja a GNR a assumir estas funções em relação às forças armadas por ser uma força com estatuto militar.
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: PereiraMarques em Abril 27, 2014, 12:14:15 am
Citação de: "Duarte"
Já se sabe a organização do Regimento de Apoio a Emergências Militar em Abrantes?

(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fs27.postimg.org%2Fsu6kmof9v%2Fimage.jpg&hash=9ff6717b9b145f184ed8a6e2deae6c45)

Regimento de Apoio Militar de Emergência

Armas:
- Escudo de negro, um carbúnculo de prata carregado em cada um dos seus braços de uma arruela de vermelho;
- Elmo militar de prata, forrado de vermelho, a três quartos para a dextra;
- Correia de vermelho perfilada de ouro;
- Paquife e virol de negro e prata;
- Timbre: uma Fénix de prata em sua fogueira de imortalidade de vermelho;
- Divisa: num listel de prata, ondulado, sotoposto ao escudo, em letras de negro, maiúsculas, de estilo elzevir «VIRIBUS UNITIS».

Simbologia:
- O NEGRO do campo simboliza a constância na ação em prol de outrem, o empenho, a dedicação e a potência das suas ações no âmbito do apoio militar de emergência;
- O CARBÚNCULO utilizado na construção do escudo na época medieval, enquanto peça de suporte construtivo e de reforço da estrutura do mesmo, simboliza a capacidade de resposta, reforço e coordenação nas várias vertentes. Simbolizando também os seus raios que se estendem em todas as direções do campo do escudo, a capacidade de ação e a missão do RAME cujo campo de intervenção se estendem a todo o território nacional;
- A FÉNIX, símbolo do eterno renascer, representa o fim último da missão do RAME enquanto unidade de apoio às populações afetadas em caso de catástrofe, contribuindo para a resposta inicial, a reconstrução e normalização na sua área de intervenção;
- A DIVISA «VIRIBUS UNITIS» (UNIÃO DA FORÇA) caracteriza de forma lapidar a missão do Regimento de Apoio Militar de Emergência no âmbito do apoio à rede de entidades responsáveis em situação de catástrofe, bem como o reforço de sinergias no campo da segurança interna, justiça e defesa nacional e a administração local.

- Os esmaltes significam:
– O NEGRO a firmeza e sabedoria;
– A PRATA a esperança e humildade;
– O VERMELHO a segurança e generosidade.

http://www.exercito.pt/sites/DARH/Publi ... EFEV14.pdf (http://www.exercito.pt/sites/DARH/Publicacoes/Documents/OEFEV14.pdf)
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: HSMW em Abril 27, 2014, 12:29:25 am
Ai aquilo é uma fénix?  :shock:
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: nelson38899 em Abril 27, 2014, 12:57:02 am
Citação de: "HSMW"
Ai aquilo é uma fénix?  :shock:

Parece mais uma galinha sem penas. Será que vai ser esta unidade que vai ficar com os Kamov e os AS350??
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: HSMW em Abril 27, 2014, 01:04:44 am
Não podiam fazer uma mais séria? Parece uma fraca ou um pavão...
(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2F3.bp.blogspot.com%2F__j73cQHQylI%2FSqwHn1RNWxI%2FAAAAAAAAADE%2FN-y5LgGmxlo%2FS254%2Fangolapin%255B1%255D.gif&hash=676399fff773038fe9f204f4c890edf1)


Isto sim parece uma fénix!
 :arrow: http://i35.servimg.com/u/f35/15/45/05/92/phoeni10.png (http://i35.servimg.com/u/f35/15/45/05/92/phoeni10.png)
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: PereiraMarques em Abril 27, 2014, 10:55:44 pm
Citação de: "nelson38899"
Será que vai ser esta unidade que vai ficar com os Kamov e os AS350??

Já se se percebeu que é a Protecção Civil que vai ficar com eles. Basicamente, uma EMA sem conselho de administração, com o controle financeiro e operacional a ser feito logo diretamente pelo SNPC.
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: PereiraMarques em Agosto 29, 2014, 09:21:22 am
Lei Orgânica n.º 5/2014. D.R. n.º 166, Série I de 2014-08-29
Assembleia da República
Procede à primeira alteração à Lei de Defesa Nacional, aprovada pela Lei Orgânica n.º 1-B/2009, de 7 de julho

http://dre.pt/pdf1sdip/2014/08/16600/0454504557.pdf (http://dre.pt/pdf1sdip/2014/08/16600/0454504557.pdf)
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: PereiraMarques em Setembro 01, 2014, 09:20:51 am
Lei Orgânica n.º 6/2014. D.R. n.º 167, Série I de 2014-09-01
Assembleia da República
Procede à primeira alteração à Lei Orgânica de Bases da Organização das Forças Armadas, aprovada pela Lei Orgânica n.º 1-A/2009, de 7 de julho

http://dre.pt/util/getpdf.asp?s=diad&se ... p=20141322 (http://dre.pt/util/getpdf.asp?s=diad&serie=1&iddr=2014.167&iddip=20141322)
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: PereiraMarques em Setembro 01, 2014, 09:22:49 am
Despacho n.º 11052/2014. D.R. n.º 167, Série II de 2014-09-01
Ministério da Defesa Nacional - Exército - Gabinete do Chefe do Estado-Maior do Exército
Distribuição dos efetivos de militares dos quadros permanentes do Exército por quadros especiais e postos no ano de 2014

http://dre.pt/util/getpdf.asp?s=diad&se ... 2014028300 (http://dre.pt/util/getpdf.asp?s=diad&serie=2&iddr=167.2014&iddip=2014028300)
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: Luso em Setembro 02, 2014, 08:04:57 pm
A DIREITA DEIXOU DE SER PATRIÓTICA (2) (José Pacheco Pereira - Abrupto http://abrupto.blogspot.pt/2014/07/a-di ... ica-2.html (http://abrupto.blogspot.pt/2014/07/a-direita-deixou-de-ser-patriotica-2.html))

Mesmo falando de Pátria na sua forma mais minimalista – quase só a defesa dos interesses dos portugueses como portugueses e não como cidadãos da Europa, a defesa da comunidade nacional como história, língua e cultura –, provoca uma enorme irritação nos círculos do poder, PSD e CDS e também no PS.

Este nervoso é, em muitos casos, sentimento de culpa, noutros medo de que uma certa desfaçatez no que se está a fazer não seja aceite pela maioria dos portugueses, se for apresentado sem disfarces, usando os nomes que as coisas têm e falando delas sem as vestes do engano. Querem os portugueses ser uma região da Europa com menos poderes que os länder alemães, com uma política externa, uma política de defesa (Portugal aceitou que aspectos da sua política das Forças Armadas viessem no memorando), e a sua política interna, a começar pelo orçamento e a continuar por uma governação que pouco mais faz do que aplicar “directivas” europeias, seja definida em Bruxelas e em Berlim? Uma parte importante da direita portuguesa que antes enchia o peito com o patriotismo responde sim, nalguns casos por necessidade, noutras por vontade, noutras por serviço.

Há dois aspectos em que este abandono do patriotismo por parte do actual poder político é muito evidente. Um, é o modo como se actua em relação às Forças Armadas, que é mais um sintoma do que uma causa; outra, a política tão deliberada como dolosa de cedência de soberania a instâncias internacionais em que Portugal não tem nenhuma voz, entra mudo e sai calado, como o primeiro-ministro em muitos Conselhos Europeus.

Não vou perder tempo com duas questões que aparecem sempre como justificações, mas que não estão no cerne daquilo que quero discutir. Uma, no que concerne às Forças Armadas, é a denúncia do corporativismo dos militares, que os leva a quererem manter privilégios e estatuto, inaceitáveis no actual (des)equilíbrio social. Sim, é verdade, há corporativismo nas Forças Armadas, mas isso não legitima o que o actual poder está a fazer com elas, independentemente daquilo que possam ser resistências corporativas. A outra é a combinação de uma espécie de realismo cínico, que diz que Portugal nunca foi independente nos últimos quatrocentos anos (as datas variam) e por isso é hipocrisia estar agora a achar anormal aquilo que sempre existiu.

É o argumento de que se Portugal é dependente de facto, por que razão se preocupar por o ser de jure? Até é mais “verdade”, mais transparente que se assuma que os portugueses não mandam nada e que por isso qual é problema que o Parlamento português perca poderes para a Europa? Um subproduto deste raciocínio é que hoje a natureza das nações europeias é partilharem soberania nas instituições da União Europeia, pelo que é um modo de pensar arcaizante, para não dizer antiquado, considerar que as “velhas” ideias de soberania possam ter qualquer papel nos dias de hoje. Seriam, aliás, apenas manifestações de um nacionalismo vulgar e perigoso.

A questão das Forças Armadas é que, estando como estão e como vão estar daqui a uns anos da mesma política, elas não servem mesmo para nada. Não será difícil então apontá-las a dedo como um peso inútil no orçamento. Já o escrevi e repito: os actuais governantes, a começar pelo ministro da Defesa, fechariam o exército, a marinha e a aviação, amanhã se pudessem e iria o Conselho de Ministros vangloriar-se da grande reforma que fez e do dinheiro que poupou. Mas como não pode fazer isso, estraga.

O PSD e o PS têm grande responsabilidade no caminho de progressiva destruição das nossas Forças Armadas. Foi por pressão das “jotas”, com relevo para a JSD, que acabou o Serviço Militar Obrigatório, abrindo caminho para umas Forças Armadas profissionais, que eram mais caras e que rapidamente se tornaram a primeira vítima de cortes, sempre que havia necessidade. As Forças Armadas eram e são, para o actual poder, expendable mesmo quando os governantes se passeiam de peito cheio nas paradas e se dizem umas fases muito patrióticas nos discursos.

No fundo, a questão da Pátria resume-se a uma posição simples: o que não fizermos por nós, ninguém o fará. Podem ajudar-nos, como é suposto ajudarmos os nossos vizinhos, mas o zelo e a dedicação que vem daquele “nós” só nós o temos, ou deveríamos ter. Basta um exemplo. Num falso arroubo de patriotismo, o Governo patrocinou um mapa de Portugal que enchia meio mundo no hemisfério Norte, dominando o Oceano Atlântico a enorme área ocupada pelas ilhas e a sua zona económica exclusiva. Portugal seria assim a grande potência do Atlântico Norte, da costa africana junto de Marrocos, passando pelo pequeno enclave das Canárias, até junto da costa americana. E, na verdade, esse é o nosso território, mas a outra verdade é que só a muito custo conseguimos manter responsabilidades internacionais pela busca e salvamento, pela segurança das importantes rotas marítimas que o atravessam, ou proteger os nossos bens. Estamos por um fio no quadro dos mínimos dos mínimos das nossas obrigações. Uma avaria num helicóptero, uma avaria num avião, um problema de tripulação e um salvamento pode não ser feito, já para não falar do controlo eficaz dessa parte de mar que enche o mapa oficial, em termos de segurança, em termos de exploração de recursos, em termos de defesa do nosso património estratégico. Talvez se pudesse vender, como as praias e as ilhas gregas?

Mas o desprezo pelas Forças Armadas é apenas um sintoma, onde se centra a verdadeira doença, a perda efectiva da Pátria e com ela do autogoverno e da democracia, é no actual curso europeu que está a mudar um projecto comunitário e de coesão, por um império imperfeito, incoerente, desigual e hierárquico, em que Portugal ocupa o downstairs. Serve para passar férias e está em prisão domiciliária por dívida. Portugal é hoje uma província desse império, por submissão dos nossos governantes, que aceitaram tudo o que lhes exigiram e fugiram e fogem de obter legitimação popular e democrática, para a transformação de Portugal numa região falida e com má fama que é necessário governar com mão de ferro, sem dar veleidade aos súbditos de escolherem ou decidirem alguma coisa, dada sua propensão para viver do dinheiro alheio.

A ideologia desta submissão é múltipla. Há um aspecto de progressismo e de engenharia utópica, modernista e modernaço, e há a vontade de usar um poder exógeno para impor uma tutela endógena a favor de interesses de uma pequena minoria de portuguesas, como diriam os marxistas um “poder de classe”. Comecemos pela primeira: o nosso actual europeísmo não é muito diferente do iberismo do passado. Representa uma ideia progressista, iluminista, cosmopolita, contra os pacóvios das fronteiras. Trará o reino da razão aos ignaros rurais que pensam à dimensão da sua quinta e só se preocupam em manter os marcos no sítio, ou até, aos escondidos, em movê-los um pouco mais para dentro do terreno do vizinho. Para eles, só há ou nacionalismo identitário, ou internacionalismo europeísta.

A isto se junta a ideia de que quem não tem dinheiro não tem vícios, logo, um país em bancarrota não pode queixar-se dos credores mandarem nele. Coisa aliás que até não é má de todo, porque a pressão externa “impõe” políticas “responsáveis” aos portugueses irresponsáveis, obrigando-os a viver de acordo com as suas necessidades. Quero lá saber da Pátria, dizem alguns, se a troika (com a prestimosa e dedicada ajuda do Governo) está a fazer aquilo que nenhum governante português seria capaz: baixar salários, reformas e pensões, acabar com o Estado como instrumento social, correr com os funcionários públicos, e destruir os direitos do trabalho. O colaboracionismo com o poder de fora faz-se por afinidade ideológica e, claro, com vantagem própria.

É na direita que estas ideias hoje fazem mais estragos porque encontrou nas posições da troika e dos “protectores” alemães um instrumento precioso para obter ganhos “sociais” em Portugal. Porém, ainda há um pequeno problema, ainda há eleições. Por isso, mesmo que se deixe de falar em Pátria e patriotismo, pode-se sempre colocar a questão em termos democráticos: que sentido tem a democracia portuguesa se os eleitores portugueses vão deixar de poder escolher quase tudo que é decisivo para o seu país e para as suas vidas?
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: PereiraMarques em Setembro 11, 2014, 09:58:31 am
Mais "palha"...

Despacho n.º 11399/2014. D.R. n.º 175, Série II de 2014-09-11
Ministério da Defesa Nacional - Gabinete do Ministro
Diretiva para a revisão da Lei de Programação Militar

https://dre.pt/pdf2sdip/2014/09/1750000 ... 523656.pdf (https://dre.pt/pdf2sdip/2014/09/175000000/2365523656.pdf)


Despacho n.º 11400/2014. D.R. n.º 175, Série II de 2014-09-11
Ministério da Defesa Nacional - Gabinete do Ministro
Diretiva Ministerial de Planeamento de Defesa Militar

https://dre.pt/pdf2sdip/2014/09/1750000 ... 723658.pdf (https://dre.pt/pdf2sdip/2014/09/175000000/2365723658.pdf)
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: Lightning em Novembro 05, 2014, 09:01:39 pm
Citar
Defesa e Forças Armadas com corte de 1,2 milhões em pessoal

As leis orgânicas da Defesa Nacional, do Estado-Maior das Forças Armadas e dos ramos militares foram aprovadas esta quarta-feira em Conselho de Ministros. Os diplomas preveem um corte de 1,2 milhões de euros por ano em despesas com pessoal.

Os diplomas foram aprovados no âmbito da reforma Defesa 2020, alterando a estrutura de cargos dirigentes, superiores e intermédios que a secretária de Estado Adjunta e da Defesa Nacional estima representarem uma poupança anual significativa: «Com a alteração ao nível de quem ocupa os lugares e com a redução de 11 por cento nos lugares de chefia, conduz-nos a uma redução de 1,2 milhões de euros por ano», disse a secretária de Estado, no final da reunião do Conselho de Ministros, citada pela Lusa.

Esses 11% referem-se a menos 12 lugares de cargos de primeiro nível, e determinados lugares passam a ser ocupados por postos inferiores.

Por exemplo, na Marinha, cargos ocupados até hoje por majores generais e contra-almirantes que passam a ser ocupados por comodoros e, na Força Aérea e no Exército, por brigadeiros generais.

Os diplomas preveem uma redução de 75 unidades das atuais 168 do dispositivo territorial do Exército, e a «disponibilização de 57 imóveis para rentabilização».

De acordo com a secretária de Estado, a lei orgânica da Marinha passa a estipular a separação da Autoridade Marítima Nacional da estrutura da Marinha, mantendo-se como «elo comum» o almirante chefe do Estado-Maior da Armada à frente do ramo e da Autoridade Marítima. O objetivo, disse, é «garantir a disponibilização de recursos humanos e materiais para as missões da Autoridade Marítima Nacional».

Na Força Aérea, prevê-se igualmente a separação entre o ramo e a Autoridade Aeronáutica Nacional. A Lei Orgânica do Estado-Maior General das Forças Armadas incorpora as alterações aprovadas em julho e agosto passados à Lei Orgânica de Bases da Organização das Forças Armadas, atribuindo mais competências ao Chefe do Estado-Maior General das Forças Armadas.

O general CEMGFA é o «responsável pelo planeamento e implementação da estratégia militar operacional, tendo na sua dependência hierárquica os chefes de Estado-Maior dos ramos» para a «prontidão, emprego e sustentação de forças e meios», segundo o comunicado do Conselho de Ministros.

Entre as novas competências do CEMGFA destacam-se a responsabilidade de «garantir o funcionamento» da saúde e do ensino militar.

Questionada sobre a revisão do Estatuto dos Militares das Forças Armadas, Berta Cabral disse que o diploma «está a ser trabalhado» nos ramos e no ministério da Defesa, adiantando que «em breve» estará em condições de ser aprovado no Conselho de Ministros.

Os diplomas aprovados hoje «concluem a segunda fase da reforma Defesa 2020», aprovada em abril de 2013, que estipula um orçamento para a Defesa Nacional de 1,1 por cento do PIB e uma redução de efetivos para 30 a 32 mil até 2020.

http://www.tvi24.iol.pt/sociedade/leis- ... em-pessoal (http://www.tvi24.iol.pt/sociedade/leis-organicas/defesa-e-forcas-armadas-com-corte-de-1-2-milhoes-em-pessoal)
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: mayo em Novembro 05, 2014, 11:30:05 pm
E eu que pensava que ja não havia brigadeiros e comodoros !
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: paraquedista em Novembro 06, 2014, 04:35:33 am
Citar
Os diplomas preveem uma redução de 75 unidades das atuais 168 do dispositivo territorial do Exército, e a «disponibilização de 57 imóveis para rentabilização».

Deve haver uns 18 quarteis de Unidades Operacionais...os restantes 150 para chafaricas...esperemos que os 75 sejam deste ultimo  :G-beer2:
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: PereiraMarques em Novembro 06, 2014, 10:39:02 am
Citar
Decreto-Lei n.º 167/2014 - Diário da República n.º 215/2014, Série I de 2014-11-0658763441
Ministério da Defesa Nacional

Define os termos da extinção dos estabelecimentos fabris do Exército denominados Oficinas Gerais de Fardamento e Equipamento e Oficinas Gerais de Material de Engenharia

https://dre.pt/application/conteudo/58763441 (https://dre.pt/application/conteudo/58763441)

Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: PereiraMarques em Novembro 06, 2014, 10:40:23 am
Citar
Despacho n.º 13494-A/2014 - Diário da República n.º 215/2014, 1º Suplemento, Série II de 2014-11-0658763434
Ministério da Defesa Nacional - Gabinete do Ministro

Diretiva para a revisão da Lei de Programação de Infraestruturas Militares

https://dre.pt/application/file/58777677 (https://dre.pt/application/file/58777677)

Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: quimbolas em Novembro 19, 2014, 09:34:06 pm
Alguém sabe onde encontrar as novas Leis organicas dos ramos, supostamente já aprovadas?
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: PereiraMarques em Novembro 20, 2014, 12:17:52 am
Aprovadas as propostas de alteração em Conselho de Ministros, essas propostas vão ainda ser votadas na Assembleia da República, em caso de aprovação, posteriormente ainda terão de ser promulgadas pelo Presidente da República, depois referendadas (ato meramente formal de assinatura, não confundir com referendo) em Conselho de Ministros e finalmente é que são publicadas em Diário da República...Até ao fim do ano deve ser díficil...Sua Excelência, o PR, vai estar muito ocupada a comer bolo-rei  :mrgreen: ...e não tem tempo para assinar essa "papelada".
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: PereiraMarques em Novembro 21, 2014, 11:33:20 am
Citar
MINISTÉRIO DA DEFESA NACIONAL
Gabinete do Ministro
Despacho n.º 14105/2014

Considerando que o Decreto-Lei n.º 130/2010, de 14 de dezembro que veio instituir o Regime de Contrato Especial (RCE) para prestação
de serviço militar, é aplicável à categoria de oficiais e abrange as áreas funcionais de medicina, pilotagem de aeronaves e assistência religiosa;
Considerando que, de acordo com o regime previsto no artigo 14.º do citado diploma legal, existe a possibilidade, a título excecional, de
fazer transitar para o RCE pessoal militar nos regimes de voluntariado (RV) e de contrato (RC) na efetividade de serviço, uma vez reunidas
as condições gerais ali previstas, bem como os critérios específicos de seleção a que se refere o n.º 2 do citado artigo 14.º, a fixar através de
despacho do Ministro da Defesa Nacional, sob proposta do Chefe de Estado-Maior de cada ramo das Forças Armadas;

Considerando que, por se tratar de matéria substantivamente idêntica e de interesse comum aos três ramos das Forças Armadas, torna-se
possível e até desejável que seja adotado um tratamento uniforme, com ressalva das competências executivas no acionamento do procedimento
transitório em causa.

Assim, ao abrigo do n.º 2 do artigo 14.º do Decreto-Lei n.º 130/2010, de 14 de dezembro, e tendo em conta as propostas apresentadas pelos
diferentes ramos das Forças Armadas, determino:

1. Constituem requisitos específicos de transição do RV e do RC para o RCE, a posse pelos militares de:
a) Avaliação do mérito reveladora de qualidades e capacidades pessoais, militares e profissionais para a forma de prestação de serviço;
b) Aptidão médica e psicofísica consentânea com o exercício da função militar, avaliada há menos de um ano de acordo com os parâmetros
vigentes no ramo respetivo para a área funcional em causa.

2. No caso da área funcional de medicina, podem os ramos das Forças Armadas, de acordo com as suas necessidades específicas, circunscrever
a transição para o RCE a militares habilitados com determinadas especialidades médicas ou que se encontrem a frequentar formação tendo
em vista a aquisição das mesmas.

3. Compete à Capelania Mor do Serviço de Assistência Religiosa, juntamente com os ramos das Forças Armadas e com a colaboração
administrativa da DGPRM, a execução do processo de transição dos militares dessa área funcional.

4. Independentemente da graduação decorrente da aplicação do n.º 2 do artigo 6.º, do Decreto-Lei n.º 130/2010, de 14 de dezembro,
os militares transitados nos termos previstos no n.º 9 do artigo 14.º do Decreto-Lei n.º 130/2010 mantêm sempre a antiguidade relativa que já
possuíam em RC.

5. Caso existam interessados na transição para o RCE em número superior ao das vagas autorizadas, o respetivo preenchimento decorre
por ordem decrescente de antiguidade.

10 de novembro de 2014. — O Ministro da Defesa Nacional, José Pedro Correia de Aguiar-Branco.

https://dre.pt/application/file/58958396 (https://dre.pt/application/file/58958396)
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: PereiraMarques em Novembro 28, 2014, 11:35:04 pm
http://www.defesa.pt/Paginas/extincaoda ... stros.aspx (http://www.defesa.pt/Paginas/extincaodamanutencaomilitaraprovadaemconselhodeministros.aspx)

Citar
A extinção da Manutenção Militar, aprovada esta quinta-feira na reunião do Conselho de Ministros, foi um passo decisivo na restruturação dos estabelecimentos fabris do Exército, iniciada com a extinção das Oficinas Gerais de Fardamento e Equipamento (OGFE) e das Oficinas Gerais de Material de Engenharia (OGME) no princípio deste mês.

Para tratar do reabastecimento de víveres, alimentação confecionada e gestão das messes militares foi constituída uma única entidade, a MM – Gestão Partilhada, E.P.E., por integração da Manutenção Militar, com salvaguarda do património e integral respeito pelos direitos associados ao vínculo público dos trabalhadores.

Com uma estrutura organizacional e de funcionamento idêntica à criada em 1947, os Estabelecimentos Fabris do Exército tinham sido alvo de sucessivas tentativas de reorganização inconsequentes, desde o final da Guerra Colonial.

No conjunto, a Manutenção Militar, as OGFE e as OGME, eram responsáveis por compromissos financeiros acumulados superiores a 35 milhões de euros.
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: PereiraMarques em Dezembro 10, 2014, 10:01:46 am
Quarteis do ex-RE1 (Pontinha) e do CCSL (Ajuda, Lisboa) revertem para a GNR...espero para ver o que acontece com os do RL2 e das ex-OGME.

Despacho n.º 14928/2014 - Diário da República n.º 238/2014, Série II de 2014-12-1063397461
Ministérios das Finanças e da Defesa Nacional - Gabinetes da Ministra de Estado e das Finanças e do Ministro da Defesa Nacional
Desafetação do PM36/Lisboa - Quartel da Pontinha

Despacho n.º 14929/2014 - Diário da República n.º 238/2014, Série II de 2014-12-1063397462
Ministérios das Finanças e da Defesa Nacional - Gabinetes da Ministra de Estado e das Finanças e do Ministro da Defesa Nacional
Desafetação do PM12/Lisboa - Quartel de Conde de Lippe

https://dre.pt/application/file/61741638 (https://dre.pt/application/file/61741638)
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: PereiraMarques em Dezembro 12, 2014, 10:35:21 am
Deliberação n.º 2261/2014 - Diário da República n.º 240/2014, Série II de 2014-12-1264223918
Ministério da Defesa Nacional - Conselho de Chefes de Estado-Maior
Regimento do Conselho de Chefes de Estado-Maior

https://dre.pt/application/file/63757623 (https://dre.pt/application/file/63757623)
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: nelson38899 em Dezembro 18, 2014, 07:39:01 pm
Citar
A mítica G3 vai finalmente ser substituída
Programa de substituição da arma ligeira do Exército português foi sendo cancelado, mas o processo vai agora ser iniciado.

Há vários anos que o Exército português reclama a substituição da arma ligeira utilizada pelos soldados, a famosa e velha G3, dos tempos da Guerra Colonial. O concurso para substituição chegou a ser lançado mas foi depois cancelado. Agora, a revisão da Lei de Programação Militar (LPM), aprovada terça-feira em reunião do Conselho Superior de Defesa Nacional traz boas notícias.

Desde que tomou posse como ministro da Defesa, Aguiar Branco cancelou vários programas de reequipamento militar. A nova Lei de Programação militar vai finalmente fazer arrancar alguns desses projectos.

No Exército será dado início ao processo de substituição da Arma Ligeira;

Na Marinha vão ser adquiridos dois Navios Patrulha Oceânicos (NPO). Em 2012, o ministro Aguiar Branco cancelou a encomenda de dez navios patrulha oceânicos aos Estaleiros Navais de Viana do Castelo. A Marinha recebeu apenas dois;

Na Força Aérea vai ser renovada a frota dos C-130. Um dos problemas mais graves da Força Aérea portuguesa prende-se com a necessidade de modernizar os C-130, que devido à sua antiguidade têm várias restrições no espaço aéreo português. Em 2010, o Governo garantia que apesar dos cortes no Orçamento da Defesa, a renovação dos seis aviões Hércules C-130 portugueses ia avançar, sob o risco de enfrentarem restrições mais drásticas para sobrevoar o espaço aéreo europeu. Em Abril de 2014, no entanto, o comandante da Esquadra 501 da Força Aérea, o major Jorge Gonçalves, avisou que o programa de renovação dos C-130 estava adiado, sendo que apenas três dos seis aviões se encontravam disponíveis.

A LPM é para os próximos 12 anos e ainda não se sabe ao certo em que ano cada um destes projectos avança. (Observador)
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: Lightning em Dezembro 19, 2014, 03:14:09 pm
Citação de: "PereiraMarques"
Quarteis do ex-RE1 (Pontinha) e do CCSL (Ajuda, Lisboa) revertem para a GNR...

Fiquei com uma dúvida? Para que é que a GNR vai usar estes quarteis? Não estaremos a fechar "quintas" no Exército e abri-las na GNR? A GNR precisa destes quarteis? Terão melhores condições do que os que a GNR atualmente possui? A GNR vai fechar algum quartel e transferir alguma unidade para lá?
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: PereiraMarques em Dezembro 20, 2014, 12:06:59 am
Talvez as "chafaricas" administrativas e de comando (Calçada do Combro, Santa Apolónia, etc.) que ainda andam espalhadas por Lisboa no caso da Pontinha, para a Calçada da Ajuda trata-se apenas de transferir o quartel inteiro ou talvez apenas parte (Esquadrão Presidencial?) do que já existe actualmente no outro extremo da Calçada entre o Palácio da Ajuda e o Cemitério.
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: PereiraMarques em Dezembro 29, 2014, 11:22:42 am
Afinal saíram mais depressa do que estava à espera...

Decreto-Lei n.º 183/2014 - Diário da República n.º 250/2014, Série I de 2014-12-2965983260
Ministério da Defesa Nacional
Aprova a Lei Orgânica do Ministério da Defesa Nacional

https://dre.pt/application/conteudo/65983260 (https://dre.pt/application/conteudo/65983260)


Decreto-Lei n.º 184/2014 - Diário da República n.º 250/2014, Série I de 2014-12-2965983261
Ministério da Defesa Nacional
Aprova a Lei Orgânica do Estado-Maior General das Forças Armadas

https://dre.pt/application/conteudo/65983261 (https://dre.pt/application/conteudo/65983261)


Decreto-Lei n.º 185/2014 - Diário da República n.º 250/2014, Série I de 2014-12-2965983262
Ministério da Defesa Nacional
Aprova a Lei Orgânica da Marinha

https://dre.pt/application/conteudo/65983262 (https://dre.pt/application/conteudo/65983262)


Decreto-Lei n.º 186/2014 - Diário da República n.º 250/2014, Série I de 2014-12-2965983263
Ministério da Defesa Nacional
Aprova a Lei Orgânica do Exército

https://dre.pt/application/conteudo/65983263 (https://dre.pt/application/conteudo/65983263)


Decreto-Lei n.º 187/2014 - Diário da República n.º 250/2014, Série I de 2014-12-2965983264
Ministério da Defesa Nacional
Aprova a Lei Orgânica da Força Aérea

https://dre.pt/application/conteudo/65983264 (https://dre.pt/application/conteudo/65983264)


Primeiras análises, a implementação dos postos de Brigadeiro-General e Comodoro, o Comando Conjunto muda ligeiramente de nome e continua a ser "virtual", o Instituto Universitário Militar, em vez de ser a fusão das várias academia, é apenas o novo nome do IESM.
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: PereiraMarques em Dezembro 29, 2014, 11:36:36 am
Como sempre há que manter a "tradição", as reformas são "inglês ver" e a "montanha pariu um rato"...

Ficamos com 91 Oficiais Generais, dos quais 4 GEN/ALM, 17 TGEN/VALM, 32 MGEN/CALM e 38 BGEN/COM.

(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fs9.postimg.org%2F46hu44z73%2Fgen_alm.jpg&hash=5ba6fd17709f568fc46383c2d69e9810)
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: PereiraMarques em Janeiro 02, 2015, 11:23:19 am
Podem ver a proposta de LPM no site do Parlamento: http://app.parlamento.pt/webutils/docs/ ... nline=true (http://app.parlamento.pt/webutils/docs/doc.pdf?path=6148523063446f764c3246795a5868774d546f334e7a67774c336470626d6c7561574e7059585270646d467a4c31684a535339305a58683062334d76634842734d6a63774c56684a5353356b62324d3d&fich=ppl270-XII.doc&Inline=true)
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: Alvalade em Janeiro 02, 2015, 12:23:02 pm
Na parte de Patrulha e Fiscalização os valores de 30M€ (2016) e 29M€ (2017) são relativos aos novos NPO ?
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: paraquedista em Janeiro 03, 2015, 02:38:22 pm
Estou sem conseguir perceber esta Nova LPM.
Então vejamos albums exemplos:
192 ME para capacidade submarina...Ora nos ja temos os submarinos, os torpedos e os misseis...então esta e a verba para a manutençao dos mesmos ao longo dos 12 anos.
48 ME para capacidade de Patrulha Maritima...mesmo caso
97 ME para Transporte Aereo Tactico e Especial, neste penso que se trata dos c295....igual
Mas a mais exemplos.
Ou seja grande parte das verbas incritas Sao para manutençao e não aquisicao de novos meios !!!!!!!

Para aquisicao de novos meios...deve haver alguma verba nas capacidades conjuntas, mas grande parte dos 672 ME Sao ainda para pagar os Leasings dos EH101 e C295

Na Medida Capacidade Oceanica de Superficie, os 692 ME, vao obviamente para o MLU das 5 Fragatas e manutençao...deixando esperanca que pelo valor atribuido que inclui as verbas para o LPD

Apenas 60 e poucos ME para Patrulha e Fiscalizacao ???? Isso nao pode ser a verba para mais do que Talvez 2 NPO's !!! E a verba para os 4 patrulhas adquiridos recentemente e que vao custar 28 ME ???

Nao vejo verba em lado nenhum para os KC390, ou para helicopteros para substituir os Allouete 3, ou os Falcon 50, ou os Leopard 2A6 que faltam...

E depois a os 160 ME para SAR para a Forca Aerea...20 ME por ano a comecar em 2019 ??? Sera a manutençao dos EH101 ?

Sinceramente...nao entendo nada desta LPM...
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: Alvalade em Janeiro 03, 2015, 03:36:47 pm
Citação de: "paraquedista"
Estou sem conseguir perceber esta Nova LPM.
Então vejamos albums exemplos:
192 ME para capacidade submarina...Ora nos ja temos os submarinos, os torpedos e os misseis...então esta e a verba para a manutençao dos mesmos ao longo dos 12 anos.
48 ME para capacidade de Patrulha Maritima...mesmo caso
97 ME para Transporte Aereo Tactico e Especial, neste penso que se trata dos c295....igual
Mas a mais exemplos.
Ou seja grande parte das verbas incritas Sao para manutençao e não aquisicao de novos meios !!!!!!!

Para aquisicao de novos meios...deve haver alguma verba nas capacidades conjuntas, mas grande parte dos 672 ME Sao ainda para pagar os Leasings dos EH101 e C295

Na Medida Capacidade Oceanica de Superficie, os 692 ME, vao obviamente para o MLU das 5 Fragatas e manutençao...deixando esperanca que pelo valor atribuido que inclui as verbas para o LPD

Apenas 60 e poucos ME para Patrulha e Fiscalizacao ???? Isso nao pode ser a verba para mais do que Talvez 2 NPO's !!! E a verba para os 4 patrulhas adquiridos recentemente e que vao custar 28 ME ???

Nao vejo verba em lado nenhum para os KC390, ou para helicopteros para substituir os Allouete 3, ou os Falcon 50, ou os Leopard 2A6 que faltam...

E depois a os 160 ME para SAR para a Forca Aerea...20 ME por ano a comecar em 2019 ??? Sera a manutençao dos EH101 ?

Sinceramente...nao entendo nada desta LPM...

Também não percebi essa parte.

Há ainda um incremento significativo do orçamento para Forças Ligeiras entre 2016-2020 (mais ou menos 65M€) .

Existe possibilidade das Stanflex terem entrado no orçamento de 2014 ?
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: Cabeça de Martelo em Janeiro 06, 2015, 01:00:50 pm
EMFAR: O que vai mudar na carreira militar5/1/2015

Militares vão reformar-se mais tarde e serão mais vezes chamados a prestar serviço enquanto estiverem na reserva. Promoções por mérito aumentam. Mas os postos também.

 :roll:  :evil:
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: PereiraMarques em Janeiro 06, 2015, 02:33:30 pm
Citação de: "Cabeça de Martelo"
Já agora, Cabo-Mor?! Com apenas 7 anos de tropa quem é que atinge esse posto?! :evil:

Isso é apenas para as Praças QP, portanto da Armada.
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: Cabeça de Martelo em Janeiro 06, 2015, 04:08:22 pm
Citação de: "PereiraMarques"
Citação de: "Cabeça de Martelo"
Já agora, Cabo-Mor?! Com apenas 7 anos de tropa quem é que atinge esse posto?! :evil:

Isso é apenas para as Praças QP, portanto da Armada.

Na Armada há Cabos? Pensava que nesse Ramo a designação do posto equivalente era outro. :oops:
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: PereiraMarques em Janeiro 06, 2015, 04:16:03 pm
Há...

Soldado = 2.º Grumete
2.º Cabo = 1.º Grumete
1.º Cabo = 2.º Marinheiro
Cabo-Adjunto = 1.º Marinheiro
Cabo de Secção (extinto no EX e na FAP) = Cabo
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: Lightning em Janeiro 16, 2015, 12:26:59 pm
Vi hoje no jornal, duas alterações a nivel de pessoal parece que serão:

- Enfermeiros passam a ser oficiais
 - Pilotos da Força Aérea passam a ter que cumprir um minimo de 14 anos de serviço (até agora era 12).
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: Cabeça de Martelo em Janeiro 16, 2015, 12:29:19 pm
O caso dos enfermeiros já era debatido à muito, se isto for para a frente finalmente esta questão fica resolvida.
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: nelson38899 em Janeiro 18, 2015, 12:56:38 am
Citar
O número de generais ao serviço das Forças Armadas vai ser substancialmente reduzido, de acordo com legislação publicada, que visa concentrar recursos, extinguir serviços e dar conteúdo mais racional à cadeia de comando, segundo fontes militares ouvidas pelo JN. O número de tenentes-generais no ativo, o topo da hierarquia, com exceção dos chefes militares, é reduzido dos atuais 21 para 12, passando o Exército de oito para quatro, a Marinha de sete para quatro e a Força Aérea de seis para quatro.
jn.pt
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: Camuflage em Janeiro 18, 2015, 01:37:51 pm
1. Para onde vão os restantes 9 generais?
2. Se os enfermeiros passam a ser oficiais então e os técnicos da classe TDT também passam?
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: PereiraMarques em Janeiro 22, 2015, 04:35:03 pm
Citar
2015-01-22 às 12:31
COMUNICADO DO CONSELHO DE MINISTROS DE 22 DE JANEIRO DE 2015
1. O Conselho de Ministros fixou os efetivos das Forças Armadas para o ano de 2015.

O efetivo máximo das Forças Armadas para 2015, incluindo os militares na situação de reserva na efetividade de serviço, é fixado em 31 563 militares, o que significa uma redução de 3310 militares face à situação atual.

O diploma agora aprovado resulta da aplicação da nova Lei Orgânica de Bases da Organização das Forças Armadas, sendo um importante passo no sentido da transparência e do rigor na gestão dos recursos humanos nas Forças Armadas.

Na fixação de efetivos é considerado o objetivo fixado em abril de 2013, por Resolução do Conselho de Ministros, que aprovou as linhas de orientação para a execução da reforma estrutural da defesa nacional e das Forças Armadas, designada por Reforma Defesa 2020.

http://www.portugal.gov.pt/pt/os-minist ... icado.aspx (http://www.portugal.gov.pt/pt/os-ministerios/ministro-da-presidencia-e-dos-assuntos-parlamentares/documentos-oficiais/20150122-cm-comunicado.aspx)
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: Miguel em Janeiro 22, 2015, 05:47:31 pm
Isto quer dizer que por ramo fica

6000 na FAP
9000 na Armada
e ums 15 000 no Exército
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: Cabeça de Martelo em Janeiro 22, 2015, 05:53:14 pm
:arrow: http://www.operacional.pt/menos-estrela ... rtuguesas/ (http://www.operacional.pt/menos-estrelas-nas-forcas-armadas-portuguesas/)

Citar
MENOS “ESTRELAS” NAS FORÇAS ARMADAS PORTUGUESAS

Por Miguel Machado
Com a publicação das leis orgânicas do Estado-Maior General das Forças Armadas e dos ramos das Forças Armadas, decorrentes da chamada “Reforma Defesa 2020”, foi veiculada a informação que se estava perante uma redução sem precedentes dos cargos de oficiais generais. Não parece que seja tanto assim.

Os números reais não parecem ser, nem de longe nem de perto, semelhantes ao que se anuncia. Parece haver aqui vontade de divulgar uma realidade que não existirá.
Haverá de facto “menos estrelas” nos uniformes dos militares portugueses.  Mas a redução do número de militares portugueses “com estrelas”, mesmo que seja a adequada, isso não está em causa, nem de longe nem de perto é o que se anuncia. Parece que a vontade de comunicar noticias populares se sobrepôs à realidade.
Achamos muito exagerado o título publicado pelo «Jornal de Noticias» de 18 de Janeiro de 2015, “Forças Armadas perdem metade dos generais” o qual depois no artigo que o originou, da autoria do jornalista Carlos Varela, aparece como “Reforma corta generais nas Forças Armadas”, o que já será mais equilibrado.

No artigo é feita uma comparação com os postos e cargos existentes nas leis orgânicas de 2009, referindo-se muitos dos que agora serão extintos e alguns daqueles que vão passar a ser desempenhados por oficiais generais com “menos estrelas.”

Vamos tentar apresentar as “contas” possíveis, baseadas na legislação em vigor e não na realidade, porque desde 2010 que o Ministério da Defesa Nacional não publica os Anuários Estatísticos, ou seja, em Portugal – ao contrário da generalidade dos países democráticos – o comum dos cidadãos não tem qualquer possibilidade de saber quais são os efectivos militares do seu país.

De acordo com a última legislação publicada sobre efectivos militares (Decreto-Lei 211/2012 de 21 de Setembro), as Forças Armadas Portuguesas deveriam em 31 de Dezembro de 2013 atingir os seguintes números de Oficiais Generais (Almirante/General, Vice-Almirante/Tenente-General e Contra-Almirante/Major-General):

Marinha – 20; Exército – 28; Força Aérea – 19, totalizando 67.

Agora nas novas leis orgânicas dos ramos, publicadas em 29DEZ2014, e que falam destes postos – o que deu origem ao artigo de jornal em causa – se formos a somar ficamos com os seguintes números de Oficiais Generais (Almirante/General, Vice-Almirante/Tenente-General, Contra-Almirante/Major-General e Comodoro/Brigadeiro-General):

Marinha – 20; Exército – 25; Força Aérea – 20, totalizando 65

Pois é, menos 2, sendo no entanto certo que alguns cargos de Tenente-general e de Major-General, passam a ser desempenhados por oficiais generais com “menos estrelas” que anteriormente. Isto é decorrente da entrada nesta listagem do posto de Comodoro/Brigadeiro-General, o qual já existia mas só era exercido nos cargos internacionais, e aliás temos tido vários ao longo dos últimos anos.
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: overlord em Janeiro 22, 2015, 10:29:49 pm
A guarda ta ca para os receber de braços abertos........ infelizmente
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: Get_It em Janeiro 27, 2015, 05:10:52 pm
(Não sabia muito bem onde colocar este artigo relacionado com a saúde dos militares dos três ramos das Forças Armadas.)

Seguro de saúde para os militares em missão de cooperação técnico-militar
Citação de: "Operacional"
Os cuidados médicos e de evacuação para os militares portugueses em missão de Cooperação Técnico-Militar nos Países Africanos de Língua Oficial Portuguesa e em Timor-Leste, passam a ser responsabilidade de entidades privadas contratadas, através de um seguro de saúde, naquilo que parece ser a primeira excepção à recente definição conceptual do que é a saúde operacional.

A Portaria n.º 70/2015 de 5 de Janeiro de 2015, publicada em 22 de Janeiro de 2015 no Diária do República, estabelece este novo regime, pelo qual passam a estar abrangidos os militares portugueses em missão nos países referidos e nas missões de Cooperação Técnico-Militar. Até aqui aplicava-se literalmente o previsto no Decreto-Lei 238/96 de 13 de Dezembro «Ao Estado Português incumbe garantir aos militares que participam em acções constantes do presente diploma, em termos que se mostrem adequados à situação concreta, assistência médica, medicamentosa e hospitalar e ainda acesso a meios de diagnóstico e terapêutica». Agora foi entendimento do legislador que a constituição de um seguro de saúde corresponde a esta obrigação, que não foi alterada, antes interpretada de modo diferente do que até aqui vinha acontecendo.

Esta Portaria n.º70 justifica: «…Considerando que a rede pública local poderá não ser adequada ou ser mesmo inexistente à prestação dos cuidados médicos e de saúde exigidos. Considerando que tal situação obriga os militares no terreno a recorrer a instituições privadas com custos bastante elevados…».

O seguro de saúde, que já tem dotação orçamental «…montante anual estimado do seguro é de 190.000,00€…», deverá «… incluindo hospitalização e evacuação, que garanta aos militares nomeados para acções de CTM o acesso a cuidados médicos e de saúde tendencialmente idênticos aos que beneficiariam se estivessem em missão em Portugal…».

Além desta palavra “tendencialmente” ter uma tradução prática muito difícil de prever, pelo articulado desta Portaria – “…que garanta aos militares nomeados para acções de CTM…” – não é muito claro se os cuidados de saúde necessários antes e depois das missões de CTM serão responsabilidade da companhia de seguros ou da ADM – consulta do viajante, seguimento médico em Portugal depois das missões e tratamento de eventuais doenças contraídas no decurso da permanência fora do território nacional, ou se ficarão enquadradas na “Saúde Operacional” (ver a seguir). A companhia de seguros certamente vai querer saber se os militares estavam de boa saúde antes da missão e o Estado deverá saber se estão de boa saúde depois da missão.

[continua] (http://http)
Fonte: http://www.operacional.pt/seguro-de-saude-para-os-militares-em-missao-de-cooperacao-tecnico-militar/

Cumprimentos,
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: nelson38899 em Janeiro 27, 2015, 05:31:38 pm
Citar
egundo o decreto-lei assinado pelo primeiro-ministro, Pedro Passos Coelho, pela ministra das Finanças, Maria Luís Albuquerque, e pela secretária de Estado da Defesa, Berta Cabral, esta nova entidade pública empresarial vai ser responsável pelo "reabastecimento de víveres, fornecimento de alimentação confecionada e gestão de messes militares".

"Sendo reconhecido que o modelo vigente de enquadramento orgânico da Manutenção Militar não tem condições para se regenerar num contexto de uma profunda renovação e contenção de custos por parte do Estado, é este o momento adequado para proceder à sua reestruturação", pode ler-se.

O Governo assinala que vários estudos destinados "direta ou indiretamente à reestruturação dos estabelecimentos fabris do Exército - criados há mais de cem anos - concluíram "pela inviabilidade da manutenção das suas atuais estruturas e modelos de gestão".

"A Manutenção Militar mantém uma estrutura organizacional desajustada da realidade atual das Forças Armadas, face à redução da rotação de existências, decorrente da diminuição dos efetivos apoiados no Exército, pelo que se impõe uma adequada racionalização de estruturas e efetivos. Não obstante a referida diminuição de atividade, subsistem encargos relacionados com a manutenção da estrutura, com as exigências em recursos humanos e com a própria distribuição geográfica das instalações", sustenta o executivo.

O conselho de administração da MM - Gestão Partilhada será constituído por um presidente e dois vogais, existindo ainda um fiscal único, e a empresa será totalmente detida pelo Estado, com um capital estatutário de três milhões de euros que pode ser aumentado com verbas resultantes da alienação de imóveis da Defesa.

jn.pt
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: Alvalade em Janeiro 28, 2015, 02:03:28 pm
Citar
Portugal approves military programming law

Portugal approved its military programming law for the next 12 years on 22 January, although the plan to complete this in 2026 will be reviewed every four years. The Portuguese Ministry of National Defence is expected to spend EUR960 million (USD1.084 billion) in armament programmes up to 2018.

In parallel, Lisbon also approved the Military Infrastructure Programming Law (LPIM). Both will be discussed at an unknown date in Parliament by the country's Military Commission before final approval.

The laws are in line with the so-called Defence Reform 2020 agenda: an ambitious sustainability strategy to restructure the country's defence capability with the aim of reorganising and rationalising resources to gain flexibility and efficiency.

The main army programmes over the next four years relate to the procurement of 4x4 light armoured vehicles for the army's Rapid Reaction Brigade (BrigRR) and new small arms to replace the Portuguese military's 7.62 mm G3A3/A4 assault rifle and HK21 machine gun, locally built by the former firm INDEP, as well as the 9 mm P38 pistol and various rifles in service in small quantities. Having received 166 Pandur II 8x8 armoured vehicles, the army's Intervention Brigade (BrigInt) will receive 22 more vehicles as part of a deal agreed on 26 October 2014 between Portugal and General Dynamics European Land Systems (GDELS).

The navy, meanwhile, will see its three Vasco da Gama-class and two Bartolomeu Dias-class frigates further improved and its five Super Lynx Mk95 helicopters receive new engines. Two additional Viana do Castelo-class offshore patrol vessels will be ordered from local shipbuilder West Sea-Estaleiros de Viana to complement two units formerly built by Estaleiros Navais de Viana do Castelo (ENVC). On 23 October 2014 Portugal ordered four Danish Stanflex 300 patrol vessels for EUR4 million. The ships, formerly in service with the Royal Danish Navy as the Flyvefisken class, will be transferred to Portugal in March 2015 and later modernised in Portugal by Arsenal do Alfeite prior to entering service.

The air force's 30 F-16AM/BM Fighting Falcon fighters will receive further software upgrades and its six C-130H Hercules transport aircraft will be modernised to extend the type's service life until 2030. These transports will be eventually replaced by Embraer KC-390s after Portugal firmed up a letter of intent with Brazil for six aircraft in September 2010.

The Armed Forces General Staff will gain new key competencies by increasing its satellite communications equipment and investing in cyber warfare capabilities.

Portugal allocated EUR2.213 billion, or about 1.1% of the country's GDP, to defence in 2015. Manpower levels were fixed at 31,563: 3,310 less than the current figure.
ANALYSIS

These measures are leading a deep structural and equipment modernisation plan for Portugal and come after the country exited a three-year EU-IMF economic adjustment programme in June 2014.

A clear example of change is the merging of the Personnel and Recruitment and the Armament and Infrastructure Procurement Directorates (DGPRM and DGAIED) into a single organisation, to be called the National Defence Resources Directorate, or DGRDN (Direção-Geral de Recursos da Defesa Nacional). Portugal will also focus on operations, training and maintenance.

Efforts were earlier made to replace obsolete equipment with the receipt of several pieces of hardware, including Leopard 2A6 MBTs; Pandur II and M1151A1 W/B1 armoured vehicles; C295M transport and maritime surveillance aircraft; Defender 130 Td4 special operations vehicles; AW101 Merlin helicopters; P-3C CUP+ Orion maritime patrol aircraft; modernised F-16AM/BM fighters; Type 209PN submarines and associated Black Shark torpedoes and Sub-Harpoon Block II missiles; frigates; offshore patrol vessels; C3 systems; tactical trucks; and light weapons.

http://www.janes.com/article/48378/port ... amming-law (http://www.janes.com/article/48378/portugal-approves-military-programming-law)
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: Lightning em Janeiro 29, 2015, 06:04:06 pm
Citar
Governo vai vender 60 quartéis e fortes

Lisboa e Porto são os locais onde o Governo pretende vender instalações militares com mais peso imobiliário. A ideia é alienar património com a promessa de investimento em melhores infraestruturas.

Castelo do Queijo, no Porto, e o Hospital da Estrela, em Lisboa, são dois dos imóveis que o Governo quer alienar, num processo que entra na reestruturação das Forças Armadas, encetada pelo Ministério da Defesa. Com a verba conseguida, o Governo pretende arrecadar o valor suficiente para financiar o investimento de 32 milhões de euros em infraestruturas militares. O programa de modernização deverá manter-se por 12 anos, numa previsão de 20 milhões anuais, após 2016. No entanto, segundo foi salientado ao JN, são valores em termos absolutos e que poderão ser revistos ano a ano, consoante o contexto económico e de investimento.

Mais de 60 instalações militares vão entrar na lista para alienação, arrendamento, concessão ou permuta, onde o maior impacto vai ser em Lisboa, mas também no Porto e em Évora, se bem que o processo abranja todo o país, incluindo Faro, Figueira da Foz ou Valença.

http://www.jn.pt/PaginaInicial/Politica ... id=4364896 (http://www.jn.pt/PaginaInicial/Politica/Interior.aspx?content_id=4364896)

O jornal em papel tinha uma lista de algumas dessas instalações militares

Valença: Posto de Vigilância S.Pedro da Torre
Esposende: estação Radionaval Almirante Ramos Pereira (16 edifícios) - Apulia
Porto: Castelo do Queijo, Manutenção Militar, Casa Lordelo do Ouro, Quartel de S.Brás
Espinho: Campo de Aviação
Aveiro: Quartel de Sá
Figueira da Foz: Forte de Santa Catarina
Nazaré: Forte de S.Miguel Arcanjo
Cascais: Estação salva-vidas da Parede
Lisboa: Hospital Militar de Belém, Hospital Militar da Estrela, Hospital da Marinha, Quartel da Graça, Forte do Alto do Duque, Manutenção Militar Ala Sul
Setúbal: Edifício da Praça do Bocage
Portalegre: Quartel de S.Bernardo
Évora: Sucursal da Manutenção Militar, carreira de tiro
Lagos: Antiga bateria de Porto de Mós
Faro: Quartel do Guilhim
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: quimbolas em Fevereiro 02, 2015, 11:48:28 pm
O Campo da Aviação de Espinho é o quartel da engenharia ou há mais alguma coisa por lá?
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: Alvalade em Fevereiro 21, 2015, 09:13:35 pm
Audição ao MDN na comissão de Defesa relativa à LPM

http://media.parlamento.pt/videos-canal ... 204cdn.wmv (http://media.parlamento.pt/videos-canal/XII/SL4/02_com/03_cdn/20150204cdn.wmv)
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: Alvalade em Fevereiro 25, 2015, 12:28:16 am
Agora lembrei-me, o período de vida útil dos Chaparral ( e acho que dos Stinger também) não estava programado para terminar este ano ?

Lembro-me de ter lido isso em algum lado  :conf:
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: Miguel em Março 02, 2015, 02:42:56 pm
Talvez o RAA fique em breve com apenas uma Bataria com os 15 Stingers.

Seria bom voltar a ter 1 ou 2 Batarias de Rh202,  contra hélicos e contra UAV e alvos terrestres.

Assim para cada Brigada um pelotao de 5 stingers e 2 pelotoes de canhoes 20mm
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: PereiraMarques em Março 04, 2015, 09:50:00 am
Decreto-Lei n.º 31/2015 - Diário da República n.º 44/2015, Série I de 2015-03-0466655592
Ministério da Defesa Nacional
Fixa os efetivos das Forças Armadas para o ano de 2015

https://dre.pt/application/conteudo/66655592 (https://dre.pt/application/conteudo/66655592)
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: Lightning em Março 09, 2015, 07:26:02 pm
Citar
Misericórdia de Lisboa quer comprar Hospital Militar da Estrela por 12 milhões

A Santa Casa da Misericórdia de Lisboa está em negociações avançadas com o Ministério da Defesa para comprar o antigo hospital do Exército por cerca de 12 milhões de euros e instalar aí uma unidade de cuidados paliativos.

http://www.jn.pt/PaginaInicial/Sociedad ... id=4436304 (http://www.jn.pt/PaginaInicial/Sociedade/Saude/interior.aspx?content_id=4436304)
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: raphael em Março 10, 2015, 05:36:27 pm
Citação de: "Lightning"
Citar
Misericórdia de Lisboa quer comprar Hospital Militar da Estrela por 12 milhões

A Santa Casa da Misericórdia de Lisboa está em negociações avançadas com o Ministério da Defesa para comprar o antigo hospital do Exército por cerca de 12 milhões de euros e instalar aí uma unidade de cuidados paliativos.

http://www.jn.pt/PaginaInicial/Sociedad ... id=4436304 (http://www.jn.pt/PaginaInicial/Sociedade/Saude/interior.aspx?content_id=4436304)

Bem bom! Desde que pagassem mesmo. Assim poupam-se uns serviços de sentinela a guardar paredes e equipamentos abandonados.
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: paraquedista em Março 22, 2015, 05:05:31 pm
A lei de Programacao ainda nao foi publicada em Diario da Republica ? eu pelo menos nao consigo encontrar em lado nenhum...

Pereira Marques voce esta sempre dentro destes assuntos, nao sabe nada sobre isto ?
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: PereiraMarques em Março 22, 2015, 06:58:20 pm
Não dei conta de nada! Mas pode ter-me escapado!
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: nelson38899 em Março 22, 2015, 07:59:04 pm
Citação de: "paraquedista"
A lei de Programacao ainda nao foi publicada em Diario da Republica ? eu pelo menos nao consigo encontrar em lado nenhum...

Pereira Marques voce esta sempre dentro destes assuntos, nao sabe nada sobre isto ?

Aqui tem:

http://www.parlamento.pt/ActividadeParlamentar/Paginas/DetalheIniciativa.aspx?BID=38924

PS: O google costuma ajudar. :roll:
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: paraquedista em Março 22, 2015, 10:01:33 pm
Citação de: "nelson38899"
Citação de: "paraquedista"
A lei de Programacao ainda nao foi publicada em Diario da Republica ? eu pelo menos nao consigo encontrar em lado nenhum...

Pereira Marques voce esta sempre dentro destes assuntos, nao sabe nada sobre isto ?

Aqui tem:

http://www.parlamento.pt/ActividadeParlamentar/Paginas/DetalheIniciativa.aspx?BID=38924

PS: O google costuma ajudar. :roll:  :wink:
A lei foi aprovada na Generalidade, depois baixou a Especialidade, foi discutida na Comissao de Defesa Nacional...foram feitas Audiencias ao Ministro e aos Chefes dos Ramos...mas a Lei nunca foi Publicada em DR.
Acho que houve mais do que tempo para a publicar...penso eu de que ?!?!
Título: Reforma, reorganização e modernização a sério das forças arm
Enviado por: Get_It em Abril 19, 2015, 01:33:34 am
Nós cá no burgo vamos discutindo isto da reforma e da modernização das forças armadas conforme há alterações na organização dos ramos ou vão sendo publicadas novas LPM (http://http) e vamos tendo algumas mini-discussões aquando saem rumores/notícias sobre a aquisição de equipamento e meios novos.

Agora, a verdade é que para qualquer reforma séria ou qualquer modernização e reorganização a sério das forças armadas terá de existir também uma reforma e reorganização conjunta da GNR, restantes forças de segurança (PSP, PJ, SEF, etc.) e outras entidades como a protecção civil, bombeiros e até INEM. Obviamente acompanhada com uma boa dose de combate à corrupção e ao tráfico de influências. Vivemos num país pequeno e com problemas financeiros, onde embora nuns poucos casos faça sentido que exista uma duplicação de meios e responsabilidades, é necessário uma vez por toda acabar com as quintas e chafaricas que por aí vão e aceitar a realidade do país e que as forças armadas estão para aí não só para um eventual conflito e apoiar a NATO, mas também para apoiar as forças de segurança e outras entidades como também servir de forma independente em missões de interesse público.

Até lá vai-se brincando aos ministros e oficiais, vai-se destapando uns buracos para tapar outros, vai-se desperdiçando recursos financeiros e humanos, vai-se fazendo uns favores aos amigos, e vai-se chupando umas boas quantidades de dinheiro para o pé-de-meia sem "ninguém" dar por isso.

Cumprimentos,
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: Camuflage em Maio 03, 2015, 01:08:44 pm
Uma das coisas que ainda não foi abordada na questão da reforma das forças armadas e parece ser um tabu é a idade. Então para se concorrer para Praça ou Sargento no exército a idade máxima são 24 anos, porquê? Atendendo que estão sempre a chorar-se pela falta de efectivos, porque não se alarga o limite máximo de candidatura até aos 30 anos?
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: raphael em Maio 03, 2015, 09:49:22 pm
Citação de: "Camuflage"
Uma das coisas que ainda não foi abordada na questão da reforma das forças armadas e parece ser um tabu é a idade. Então para se concorrer para Praça ou Sargento no exército a idade máxima são 24 anos, porquê? Atendendo que estão sempre a chorar-se pela falta de efectivos, porque não se alarga o limite máximo de candidatura até aos 30 anos?

Efeito bola de neve...
Chorar por falta de efetivos? Pelo que percebo nos concursos nos últimos anos bem pelo contrário, candidatos não faltam, desistem é muitos de inicio quando percebem que não vão para uma colónia de férias.
Um individuo com 30 anos para Praça? Com que habilitações? Com que condição física? E no fim do tempo de contrato...com 36/37 anos...vai fazer o quê? que empregabilidade o espera? Se durante o período de contrato por vontade própria não evoluiu nas qualificações civis?
Se atualmente já é problemático em alguns casos....
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: Camuflage em Maio 04, 2015, 01:40:01 am
Citação de: "raphael"
Citação de: "Camuflage"
Uma das coisas que ainda não foi abordada na questão da reforma das forças armadas e parece ser um tabu é a idade. Então para se concorrer para Praça ou Sargento no exército a idade máxima são 24 anos, porquê? Atendendo que estão sempre a chorar-se pela falta de efectivos, porque não se alarga o limite máximo de candidatura até aos 30 anos?

Efeito bola de neve...
Chorar por falta de efetivos? Pelo que percebo nos concursos nos últimos anos bem pelo contrário, candidatos não faltam, desistem é muitos de inicio quando percebem que não vão para uma colónia de férias.
Um individuo com 30 anos para Praça? Com que habilitações? Com que condição física? E no fim do tempo de contrato...com 36/37 anos...vai fazer o quê? que empregabilidade o espera? Se durante o período de contrato por vontade própria não evoluiu nas qualificações civis?
Se atualmente já é problemático em alguns casos....

Sempre que militares vêm à televisão ou jornais é para se chorarem da falta de efectivos, alias até aqui no fórum já vi as mesmas queixas.

Condição física cabe às provas de selecção determinar. Desistências podem ocorrer em qualquer idade.
O contrato determina condições para ambas as partes portanto não deve ser problema daí.
Não faltam militares com >34 anos a terminar contratos e regressarem à vida civil actualmente. Se pode ser feito algo mais por eles? Claro que sim, basta que haja oferta de cursos para adultos.
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: raphael em Maio 04, 2015, 02:10:07 am
Não é assim tão linear em virtude das expetativas. Esses que saem com 34 anos se não conseguiram ficar nas fileiras, nem nenhuma das alternativas que surgem durante os contratos (forças de segurança, cargos NATO/UE) se não tiverem algo de palpável andam um pouco às apalpadelas numa altura em que o futuro devia estar mais ou menos delineado...é uma altura em que já podem existir filhos, responsabilidades acrescidas.
A solução não será aumentar limites de idade.
Queixam-se de faltas de efetivos para três Ramos, só o Exército tem três tipologias de tropas especiais...sinergias? três policias militares...três ramos? Três unidades de inativação de engenhos explosivos, três unidades de engenharia, o orgulhosamente sós e as quintas têm de acabar. Não há falta de efetivos há é um real porreirismo na forma como são geridos os recursos.
E depois as pressas às vezes dão asneira e dores de cabeça,  a saúde militar, está funcionar bem, nem por isso, mas o que conta para a opinião pública é que a unificação está feita, as "arestas"...limam-se.
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: Cabeça de Martelo em Maio 04, 2015, 10:39:46 pm
Citação de: "Camuflage"
Uma das coisas que ainda não foi abordada na questão da reforma das forças armadas e parece ser um tabu é a idade. Então para se concorrer para Praça ou Sargento no exército a idade máxima são 24 anos, porquê? Atendendo que estão sempre a chorar-se pela falta de efectivos, porque não se alarga o limite máximo de candidatura até aos 30 anos?

Como pode haver militares em número suficiente se o governo não abre vagas em número suficiente? No meu ano de incorporação houve mais vagas e voluntários para a ETP que este ano vai haver para TODO o Exército! :evil:
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: dc em Maio 05, 2015, 02:08:17 am
Citação de: "Cabeça de Martelo"
Como pode haver militares em número suficiente se o governo não abre vagas em número suficiente? No meu ano de incorporação houve mais vagas e voluntários para a ETP que este ano vai haver para TODO o Exército!

Exacto, é aqui que está o problema, não há número suficiente porque o exército foi obrigado a reduzir as vagas, tal como a marinha e a força aérea! Pessoal disposto a entrar há muito, agora as vagas é que são poucas. Problemas de guarnição do Siroco? Abram-se vagas, o que não falta é aspirantes a marinheiros e gente que vê a marinha como possibilidade de futuro. Falta pilotos na FAP, abram vagas também, candidatos há às carradas, vagas é que nem por isso.
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: Camuflage em Maio 05, 2015, 07:32:03 pm
Não abre vagas porque tem os quadros cheios, é fácil de perceber. Tem oficiais a mais, embora digam que não se começarmos de cima para baixo na hierarquia facilmente se pode constatar isso, como não pode simplesmente despedir essa gente a mais, tem que cortar onde pode, e isso significa nas vagas que abre por ano. Mande-se oficiais embora de topo que a base pode começar a receber mais gente.
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: paraquedista em Maio 05, 2015, 08:09:03 pm
http://www.exercito.pt/Divulgacao/Relat (http://www.exercito.pt/Divulgacao/Relat)ório%20de%20Gestão%20do%20Exército%20de%202014.pdf


Citar
Categorias, em número de efetivos.
Oficiais   Sargentos   Pracas     Civis      Total
  2.669       3917        9525      1897      18008
Tabela n.º 13 –
3.2.2 Pessoal na Efetividade de Serviço
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: Lightning em Maio 05, 2015, 11:51:56 pm
Citação de: "Camuflage"
Mande-se oficiais embora de topo que a base pode começar a receber mais gente.

Mas agora também não se pode mandar ninguém embora porque o governo aumentou a idade de passagem à reforma, por isso esses quadros cheios ainda vão demorar mais a esvaziar.
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: Camuflage em Maio 08, 2015, 08:23:26 pm
Citação de: "Lightning"
Citação de: "Camuflage"
Mande-se oficiais embora de topo que a base pode começar a receber mais gente.

Mas agora também não se pode mandar ninguém embora porque o governo aumentou a idade de passagem à reforma, por isso esses quadros cheios ainda vão demorar mais a esvaziar.

É fácil resolver o problema: despedimento por cessação do posto de trabalho - fica o assunto arrumado.

Outro tema:

Por curiosidade e algumas das respostas eu sei, mas gostaria de saber quais os equipamentos que virão substituir os seguintes:

Heckler & Koch G3
HK MP5
UZI
M113
M728
M60A3
CHAIMITE V200
PANHARD M11
HMMWV
UMM ALTER II
Dassault/Dornier Alpha-Jet
Lockheed C-130 H / H-30 Hercules
Lockheed Martin F-16 AM
Lockheed P-3C CUP+ ORION
Marcel-Dassault Falcon 50
Sudaviation - SE 3160 Alouette III
Lynx
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: dc em Maio 08, 2015, 09:08:08 pm
Caro Camuflage, não percebi a sua questão. Virão substituir como assim? É que muitos desses equipamentos não se fala sequer na sua substituição, e outros, apesar de já se falar disso, não se sabe rigorosamente nada... Por exemplo, dos F-16, MP-5, Panhard M-11, HMMVW, P-3 e Lynx, não estão planeadas quaisquer substituições nos próximos 10 anos... As MP-5 não são prioritárias ainda, primeiro a G-3, a Walther e a HK-21, as restantes armas ligeiras só o tempo dirá.Os F-16 continuarão por muitos e bons anos, e mesmo se pensarmos numa possível substituição, nada que exista no mercado é realmente uma opção... As Panhard M-11 continuam a ser bons veículos de reconhecimento e não estou a ver o exército dar prioridade a isso nos próximos anos. Os HMMVW a mesma coisa, são relativamente modernos e mesmo que se comprem os tais 200 4x4 novos, os Humvee continuarão em serviço quase de certeza. Os P-3 foram modernizados há pouco tempo e estão a par da ultima geração de aeronaves daquele tipo. E os Lynx, prevê-se apenas a modernização.
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: nelson38899 em Maio 09, 2015, 02:48:14 am
Citação de: "Camuflage"
Citação de: "Lightning"
Citação de: "Camuflage"
Mande-se oficiais embora de topo que a base pode começar a receber mais gente.

Mas agora também não se pode mandar ninguém embora porque o governo aumentou a idade de passagem à reforma, por isso esses quadros cheios ainda vão demorar mais a esvaziar.

É fácil resolver o problema: despedimento por cessação do posto de trabalho - fica o assunto arrumado.

Outro tema:

Por curiosidade e algumas das respostas eu sei, mas gostaria de saber quais os equipamentos que virão substituir os seguintes:


M113

M60A3
CHAIMITE V200


Estes vão ser para encostar!
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: Cabeça de Martelo em Maio 09, 2015, 10:56:55 am
Citação de: "Camuflage"
Não abre vagas porque tem os quadros cheios, é fácil de perceber. Tem oficiais a mais, embora digam que não se começarmos de cima para baixo na hierarquia facilmente se pode constatar isso, como não pode simplesmente despedir essa gente a mais, tem que cortar onde pode, e isso significa nas vagas que abre por ano. Mande-se oficiais embora de topo que a base pode começar a receber mais gente.

Negativo, uma coisa são as vagas para a Academia ou ESE, outra coisa são as vagas para os RV/RC.

Só para perceberes, este ano só há 150 vagas para o CFP na ETP, a minha incorporação teve mais voluntários que isso e foi apenas uma das várias que houve nesse ano. Vagas para QP são perfeitamente estáveis e entram em números muito baixos. Da última vez que entraram Oficiais QP na ETP foram só 7 para todo o ano.
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: night_runner em Maio 19, 2015, 02:24:35 pm
http://www.noticiasaominuto.com/pais/39 ... nte-a-mais (http://www.noticiasaominuto.com/pais/391727/aguiar-branco-rejeita-que-forcas-armadas-tenham-gente-a-mais)
 :roll:

Menos 4.200 militares em dois meses....?!
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: Alvalade em Maio 19, 2015, 02:30:29 pm
Citação de: "night_runner"
http://www.noticiasaominuto.com/pais/391727/aguiar-branco-rejeita-que-forcas-armadas-tenham-gente-a-mais
 :roll:

Menos 4.200 militares em dois meses....?!

What?

O Luxemburgo tem Forças Armadas.

http://en.wikipedia.org/wiki/List_of_co ... med_forces (http://en.wikipedia.org/wiki/List_of_countries_without_armed_forces)

Os únicos países que não tem Forças Armadas com excepção da Islândia, Costa Rica e Panamá são os microestados e algumas das ilhas independentes nas caraíbas e no pacifico.
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: PereiraMarques em Maio 29, 2015, 09:59:05 am
Decreto-Lei n.º 90/2015 - Diário da República n.º 104/2015, Série I de 2015-05-2967348942
Ministério da Defesa Nacional
Aprova o Estatuto dos Militares das Forças Armadas


https://dre.pt/application/conteudo/67348942 (https://dre.pt/application/conteudo/67348942)
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: PereiraMarques em Junho 12, 2015, 10:24:55 am
DESPACHO N.º 6555/2015 - DIÁRIO DA REPÚBLICA N.º 113/2015, SÉRIE II DE 2015-06-1267460122
Ministério da Defesa Nacional - Gabinete da Secretária de Estado Adjunta e da Defesa Nacional
Regulamento e desenvolvimento do Regime de Contrato Especial (RCE) - termos e montantes de indemnização ao Estado

https://dre.pt/application/file/67460028 (https://dre.pt/application/file/67460028)
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: Menacho em Junho 23, 2015, 05:27:03 pm
No encuentro un lugar mejor.... :oops:

Cumbre Hispano Lusa en Baiona con nuevo Acuerdo de Cooperación en Defensa

Citar
(defensa.com) El Parador Nacional de Baiona, en Pontevedra, acogió la XXVIII Cumbre Hispano-Lusa, que reunió a los jefes de Estado de ambos países. El presidente del gobierno español, Mariano Rajoy, y el jefe del Estado Mayor de la Defensa recibieron con honores militares a Pedro Passos Coelho. Uno de los asuntos clave de la reunión fue la aprobación por parte del Consejo de Ministros del pasado viernes de un nuevo Acuerdo entre el Reino de España y la República Portuguesa de cooperación en materia de defensa.

(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fwww.defensa.com%2Fimages%2Fstories%2Fnoticias%2F2015%2F6%2Fxxx.jpg&hash=d7a573472f1e1f474151cb930abb6afb)

Los dos países habían mostrado su intención por incrementar el actual nivel de cooperación bilateral en materia de Defensa que suscribieron en la Declaración Conjunta de Intenciones para el Refuerzo de la Cooperación en el Ámbito de Defensa, firmada por los ministros de Defensa de ambos países en noviembre de 2012. El nuevo Acuerdo tiene dos objetivos ya que por un lado será el nuevo marco jurídico en el que se asiente la cooperación en Defensa de ambos países, dentro de las relaciones entre ambos países. Por otra parte, se consolida como instrumento de implementación de la cooperación militar entre ambos países el Consejo Hispano-Luso de Seguridad y Defensa.

(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fwww.defensa.com%2Fimages%2Fstories%2Fnoticias%2F2015%2F6%2Fwwwx.jpg&hash=e7cb815ac123113a97205b60f7131ffb)

Cuando entre en vigor quedará derogado el Protocolo de Cooperación entre el Ministerio de Defensa del Reino de España y el Ministerio de Defensa Nacional de la República de Portugal, que desde octubre de 1998 es el instrumento jurídico que rige la cooperación de ambos países en este aspecto. En este nuevo Acuerdo se delimitarán las áreas en que se materializará la cooperación como la realización de acciones comunes en el marco de operaciones humanitarias o de mantenimiento de la paz, la gestión, formación, instrucción, adiestramiento e intercambio de personal militar y civil de los ministerios de Defensa o de las Fuerzas Armadas.  Se formalizará mediante reuniones y encuentros entre delegados, coordinación conjunta de cursos, encuentros de expertos, congresos, coloquios, seminarios o establecimiento de acuerdos para poner en marcha actividades tecnológicas o de investigación. Concretamente con el nuevo marco, miembros de las Fuerzas Armadas o personal civil de los dos Estados, y sus dependientes, cuando estén en el Estado receptor tendrán garantizada la asistencia médica en similares condiciones que los nacionales y contarán con los mismos servicios de correos o telecomunicaciones.

Finalizada la reunión entre los dos jefes de Gobierno, viajaron juntos en un avión del Ejército del Aire hacia Bruselas donde fue convocada una reunión de los líderes de la “zona euros”. Esta reunión tratará las repercusiones de la falta de un acuerdo entre el Eurogrupo y Grecia sobre el plan de reformas exigido por los acreedores para desbloquear el último tramo del rescate griego. (J.N.G.)
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: PereiraMarques em Junho 29, 2015, 03:42:18 pm
DESPACHO NORMATIVO N.º 12/2015 - DIÁRIO DA REPÚBLICA N.º 124/2015, SÉRIE II DE 2015-06-2967613442
Ministério da Defesa Nacional - Gabinete do Ministro
Qualificação de Especialistas de reconhecido mérito e competência profissional no Ensino Superior Militar

https://dre.pt/application/file/67613513 (https://dre.pt/application/file/67613513)
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: PereiraMarques em Julho 15, 2015, 04:34:43 pm
Entretando já ai estão os primeiros Comodoros e Brigadeiros-Generais, promovidos a esses postos e não meramente graduados nos mesmos.

DECRETO DO PRESIDENTE DA REPÚBLICA N.º 57/2015 - DIÁRIO DA REPÚBLICA N.º 136/2015, SÉRIE I DE 2015-07-1569812093
Presidência da República
É confirmada a promoção ao posto de Comodoro do Capitão-de-mar-e-guerra da classe de Marinha Vladimiro José das Neves Coelho, efetuada por deliberação de 2 de julho de 2015 do Conselho de Chefes de Estado-Maior e aprovada por despacho do Ministro da Defesa Nacional de 7 do mesmo mês

DECRETO DO PRESIDENTE DA REPÚBLICA N.º 58/2015 - DIÁRIO DA REPÚBLICA N.º 136/2015, SÉRIE I DE 2015-07-1569812094
Presidência da República
É confirmada a promoção ao posto de Comodoro do Capitão-de-mar-e-guerra da classe de Marinha João Luís Rodrigues Dores Aresta, efetuada por deliberação de 2 de julho de 2015 do Conselho de Chefes de Estado-Maior e aprovada por despacho do Ministro da Defesa Nacional de 7 do mesmo mês

DECRETO DO PRESIDENTE DA REPÚBLICA N.º 59/2015 - DIÁRIO DA REPÚBLICA N.º 136/2015, SÉRIE I DE 2015-07-1569812095
Presidência da República
É confirmada a promoção ao posto de Brigadeiro-General do Coronel Tirocinado de Infantaria Eugénio Francisco Nunes Henriques, efetuada por deliberação de 2 de julho de 2015 do Conselho de Chefes de Estado-Maior e aprovada por despacho do Ministro da Defesa Nacional de 7 do mesmo mês

DECRETO DO PRESIDENTE DA REPÚBLICA N.º 60/2015 - DIÁRIO DA REPÚBLICA N.º 136/2015, SÉRIE I DE 2015-07-1569812096
Presidência da República
É confirmada a promoção ao posto de Brigadeiro-General do Coronel Tirocinado de Artilharia Maurício Simão Tendeiro Raleiras, efetuada por deliberação de 2 de julho de 2015 do Conselho de Chefes de Estado-Maior e aprovada por despacho do Ministro da Defesa Nacional de 7 do mesmo mês

DECRETO DO PRESIDENTE DA REPÚBLICA N.º 61/2015 - DIÁRIO DA REPÚBLICA N.º 136/2015, SÉRIE I DE 2015-07-1569812097
Presidência da República
É confirmada a promoção ao posto de Brigadeiro-General do Coronel Tirocinado de Administração Militar Rui Manuel Rodrigues Lopes, efetuada por deliberação de 2 de julho de 2015 do Conselho de Chefes de Estado-Maior e aprovada por despacho do Ministro da Defesa Nacional de 7 do mesmo mês

DECRETO DO PRESIDENTE DA REPÚBLICA N.º 62/2015 - DIÁRIO DA REPÚBLICA N.º 136/2015, SÉRIE I DE 2015-07-1569812098
Presidência da República
É confirmada a promoção ao posto de Brigadeiro-General do Coronel Piloto Aviador Henrique Ferreira Lopes, efetuada por deliberação de 2 de julho de 2015 do Conselho de Chefes de Estado-Maior e aprovada por despacho do Ministro da Defesa Nacional de 7 do mesmo mês

DECRETO DO PRESIDENTE DA REPÚBLICA N.º 63/2015 - DIÁRIO DA REPÚBLICA N.º 136/2015, SÉRIE I DE 2015-07-1569812099
Presidência da República
É confirmada a promoção ao posto de Brigadeiro-General do Coronel Piloto Aviador Eurico Fernando Justino Craveiro, efetuada por deliberação de 2 de julho de 2015 do Conselho de Chefes de Estado-Maior e aprovada por despacho do Ministro da Defesa Nacional de 7 do mesmo mês
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: HSMW em Julho 15, 2015, 08:01:47 pm
Só o Exército é que teve de inventar essa porra do Coronel Tirocinado...  :roll:
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: raphael em Julho 16, 2015, 05:50:15 pm
Citação de: "HSMW"
Só o Exército é que teve de inventar essa porra do Coronel Tirocinado...  :roll:

Eles fazem a distinção entre os Coronéis que têm o curso de promoção a general feito e os que não têm..é um costume. É mais um de muitos.
Na prática para se ser oficial general tem de se ter esse curso realizado...
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: HSMW em Julho 16, 2015, 09:43:05 pm
Sim mas os outros ramos não fazem essa distinção.
Para quando o 1º Sargento tirocinado com o CPSA (Curso de Promoção a Sargento Ajudante) e o Capitão tirocinado com o CPOS (Curso de Promoção a Oficial Superior)?

Tanta distinção ...
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: Luso em Julho 16, 2015, 10:27:02 pm
Citação de: "HSMW"
Sim mas os outros ramos não fazem essa distinção.
Para quando o 1º Sargento tirocinado com o CPSA (Curso de Promoção a Sargento Ajudante) e o Capitão tirocinado com o CPOS (Curso de Promoção a Oficial Superior)?

Tanta distinção ...

São essas as verdadeiras preocupações dessa gente.
Aliás, os últimos acontecimentos e informações vindas a público deveriam levar a repensar o tema:

Reformar e modernizar as Forças Armadas: que horizontes? Diluição Nacional ou Soberania?
Isso é que era.
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: PereiraMarques em Julho 31, 2015, 09:52:02 am
DECRETO REGULAMENTAR N.º 10/2015 - DIÁRIO DA REPÚBLICA N.º 148/2015, SÉRIE I DE 2015-07-3169920322
Ministério da Defesa Nacional
Aprova a orgânica da Marinha

https://dre.pt/application/conteudo/69920322 (https://dre.pt/application/conteudo/69920322)

DECRETO REGULAMENTAR N.º 11/2015 - DIÁRIO DA REPÚBLICA N.º 148/2015, SÉRIE I DE 2015-07-3169920323
Ministério da Defesa Nacional
Aprova a orgânica do Exército

https://dre.pt/application/conteudo/69920323 (https://dre.pt/application/conteudo/69920323)

DECRETO REGULAMENTAR N.º 12/2015 - DIÁRIO DA REPÚBLICA N.º 148/2015, SÉRIE I DE 2015-07-3169920324
Ministério da Defesa Nacional
Aprova a orgânica da Força Aérea

https://dre.pt/application/conteudo/69920324 (https://dre.pt/application/conteudo/69920324)

DECRETO REGULAMENTAR N.º 13/2015 - DIÁRIO DA REPÚBLICA N.º 148/2015, SÉRIE I DE 2015-07-3169920325
Ministério da Defesa Nacional
Aprova a orgânica do Estado-Maior-General das Forças Armadas

https://dre.pt/application/conteudo/69920325 (https://dre.pt/application/conteudo/69920325)
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: HSMW em Setembro 08, 2015, 10:55:12 pm

Livros e livrinhos...
Porque é disso mesmo que é feita a defesa em Portugal...
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: PereiraMarques em Setembro 15, 2015, 10:25:53 am
DESPACHO N.º 10235/2015 - DIÁRIO DA REPÚBLICA N.º 180/2015, SÉRIE II DE 2015-09-1570297000
Ministério da Defesa Nacional - Gabinete da Secretária de Estado Adjunta e da Defesa Nacional
Quantitativo máximo de militares em instrução para ingresso nos Regimes de Voluntariado e de Contrato para 2015

https://dre.pt/application/file/70297200 (https://dre.pt/application/file/70297200)
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: Lightning em Outubro 05, 2015, 10:22:10 pm
Oleoduto militar a caminho dos privados

Projeto da Entidade para o Mercado de Combustíveis para concessão de 25 anos prevê ligar infraestrutura da Defesa ao aeroporto da Portela que deixará de ser abastecido apenas por camiões cisterna.

A Entidade Nacional para o Mercado de Combustíveis ENMC tem em marcha um projeto para concessionar ao sector privado a exploração do oleoduto militar hoje existente na margem Sul do Tejo que liga a Costa da Caparica à base aérea do Montijo. O objetivo é conseguir encontrar um investidor privado que suporte os custos de manutenção da infraestrutura e que construa uma extensão do oleoduto até ao Aeroporto da Portela em Lisboa que hoje apenas recebe combustível através de camiões cisterna.
O plano envolve a ENMC que já explora os depósitos ligados ao oleoduto para manter reservas estratégicas de gasóleo. Segundo revelou ao Expresso o presidente da ENMC Paulo Carmona as secretarias de Estado da Energia e da Defesa já deram luz verde ao projeto de concessão mas falta ainda o aval da direção geral do Tesouro e Finanças. As instalações existentes resultam de compromissos da Defesa no âmbito da participação de Portugal na NATO (Organização do Tratado do Atlântico Norte) mas estão a ser usadas desde 2007 como capacidade de armazenagem de reservas de segurança de combustível. Os tanques albergam 165 mil metros cúbicos de gasóleo e são uma das infraestruturas a que a ENMC recorre para guardar reservas de combustível além das instalações da Galp em Sines, Matosinhos e Aveiras.
E o que pretende a ENMC? A entidade que supervisiona o sector dos combustíveis tenciona ficar com a concessão a 50 anos destas instalações e de seguida adjudicar a terceiros a exploração. Não tendo a ENMC vocação nem capacidade para gerir e manter oleodutos provavelmente subconcessionará a outras entidades públicas ou privadas num período a 25 anos e com a prioridade militar e de reservas de emergência explica Paulo Carmona. O caderno de encargos do concurso público internacional implicará além das reparações na estrutura existente a obrigação de o vencedor construir um novo troço de oleoduto para abastecer o Aeroporto de Lisboa. A infraestrutura atual que não tem manutenção há vários anos começa na Costa da Caparica (onde está o depósito POL NATO, na Trafaria), passa por Almada e pela baía do Seixal e atravessa o Barreiro até chegar à base aérea do Montijo onde poderá vir a ser criada uma extensão do aeroporto de Lisboa A partir do Montijo o futuro concessionário desta infraestrutura deverá prolongar o oleoduto até à cidade de Lisboa chegando à Portela o que poderá ser feito pelo leito do rio ou numa distância maior através da Ponte Vasco da Gama. O traçado final dependerá nota Paulo Carmona da análise de custos que vier a ser feita.
Segundo o mesmo responsável esta extensão do oleoduto permitirá acabar com a dependência que o aeroporto da capital tem do abastecimento por camiões cisterna sendo um dos poucos aeroportos europeus em que tal acontece. Recordemos que em 2008 em consequência de uma greve o aeroporto de Lisboa ficou com o abastecimento de jet fuel cortado o que ocasionou consequências graves no movimento aéreo com origem e chegada a Lisboa tendo os aviões de ir abastecer ao Porto que está ligado à refinaria de Leça por um curto oleoduto sublinha o presidente da ENMC.
A solução que a ENMC preconiza já está em uso em Espanha há largos anos. Desde 1998 que os oleodutos militares espanhóis são explorados pela CLH que no total gere uma rede de oleodutos com 4200 quilómetros. Em Portugal as tubagens de transporte de produtos petrolíferos limitam se aos 152 quilómetros entre Sines e o depósito de Aveiras da CLC.
A exploração de infraestruturas energéticas como oleodutos e gasodutos é um negócio que vem atraindo não apenas empresas deste sector mas também investidores à procura de retornos previsíveis e estáveis como fundos de investimento conservadores e fundos de pensões. Em Portugal a CLC tem como acionistas a Galp (65%) BP (15%) Repsol (15%) e Rubis (5%). Em Espanha a estrutura acionista da CLH é mais diversificada tem 12 acionistas de referência em que incluem petrolíferas bancos e fundos de investimento e de pensões.
Paulo Carmona assegura que o projeto de subconcessão do oleoduto militar não põe em causa a prioridade de uso para fins militares ao abrigo dos compromissos com a NATO nem a capacidade de mobilização imediata das reservas de emergência. Os volumes de gasóleo que hoje aí estão armazenados como reservas a cargo da ENMC poderão ser transportados segundo Paulo Carmona para localizações alternativas nomeadamente aproveitando cavernas salinas que o país tem embora isso exigisse investimentos adicionais.
O presidente da ENMC acredita que após a aprovação das Finanças o concurso para a subconcessão do oleoduto militar possa avançar num prazo de três meses. É absurdo o aeroporto de Lisboa não ser abastecido por oleoduto conclui Paulo Carmona.
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: PereiraMarques em Outubro 15, 2015, 11:11:26 am
DECRETO-LEI N.º 241/2015 - DIÁRIO DA REPÚBLICA N.º 202/2015, SÉRIE I DE 2015-10-1570693923
Ministério da Defesa Nacional
Fixa os efetivos das Forças Armadas para o ano de 2016

https://dre.pt/application/conteudo/70693923 (https://dre.pt/application/conteudo/70693923)
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: mafets em Outubro 26, 2015, 11:01:45 am
Citar
Há mais de 180 imóveis da Defesa para vender ou arrendar
Ministério da Defesa tem 183 imóveis para colocar no mercado nacional. A ideia é rentabilizar os edifícios “que já não têm utilização no âmbito da Defesa Nacional”, através de “alienação, cedência, aluguer ou protocolos com as autarquias”.

De acordo com o Jornal de Negócios, o conjunto de instalações inclui locais como o Convento de Santa Clara, o Quartel do Carmo e os hospitais militares da Marinha, da Estrela e de Belém, entre muitos outros.

O Hospital de Belém é mesmo usado como exemplo de sucesso por uma fonte oficial do Ministério da Defesa: “Deixou de ser utilizado pelo Exército Português, tendo sido cedido à Cruz Vermelha Portuguesa mediante uma contrapartida financeira”.

A lista de imóveis para rentabilização surgiu após a assinatura da nova lei de infraestruturas militares, dois dias antes das eleições legislativas. A mudança teve o apoio do PSD, CDS e PS e segundo a Defesa, “deve ser revista de quatro em quatro anos”. (NM)

http://defesanacionalpt.blogspot.pt/2015/10/ha-mais-de-180-imoveis-da-defesa-para.html

Cumprimentos
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: Lightning em Outubro 26, 2015, 11:11:23 am
Quartel do Carmo? Isso não é da GNR...
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: PereiraMarques em Outubro 26, 2015, 09:32:11 pm
Citação de: "Lightning"
Quartel do Carmo? Isso não é da GNR...

GNR tem dupla tutela entre MAI e MDN.
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: PereiraMarques em Outubro 28, 2015, 11:33:28 am
Implementação do Instituto Universitário Militar.

https://dre.pt/application/conteudo/70832992 (https://dre.pt/application/conteudo/70832992)
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: Cabeça de Martelo em Outubro 28, 2015, 11:45:36 am
Citação de: "PereiraMarques"
Implementação do Instituto Universitário Militar.

https://dre.pt/application/conteudo/70832992 (https://dre.pt/application/conteudo/70832992)

Pensei que já se tivessem "esquecido" disso. :o
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: HSMW em Outubro 28, 2015, 02:57:08 pm
E relativamente ao CIGEOE e LabMil. Continuam estes sobre alçada do Exército ou do EMGFA?
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: PereiraMarques em Outubro 28, 2015, 09:03:22 pm
Citação de: "HSMW"
E relativamente ao CIGEOE e LabMil. Continuam estes sobre alçada do Exército ou do EMGFA?

Citar
Decreto Regulamentar n.º 11/2015, de 31 de julho - Orgânica do Exército

Artigo 64.º
Centro de Informação Geoespacial do Exército
1 — Ao CIGEOE compete prover com informação geográfica o Exército e a outras entidades, bem como desenvolver ações de investigação científica e tecnológica.
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: HSMW em Outubro 28, 2015, 10:02:49 pm
És uma máquina! E o LabMil consegues encontrar também?
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: PereiraMarques em Outubro 29, 2015, 12:57:14 am
És uma máquina! E o LabMil consegues encontrar também?

Deve estar quase a sair o DL com a extinção do mesmo  :( :(

Citar
2015-09-03 às 13:07
COMUNICADO DO CONSELHO DE MINISTROS DE 3 DE SETEMBRO DE 2015

6. O Conselho de Ministros aprovou um diploma que define os termos da extinção, por fusão, do estabelecimento fabril do Exército denominado Laboratório Militar de Produtos Químicos e Farmacêuticos.

As atribuições e competências do Laboratório Militar de Produtos Químicos e Farmacêuticos transferidas para a MM - Gestão Partilhada, E.P.E., para o Instituto de Ação Social das Forças Armadas (IASFA, I.P.), e para o Estado Maior General das Forças Armadas (EMGFA), através do Hospital das Forças Armadas (HFAR).

Esta solução assenta numa ótica de serviços partilhados, que permitam gerar sinergias capazes de garantir melhores capacidades a um custo menor, disponibilizando serviços a todas as entidades do Sistema de Saúde Militar, tendo presente as necessidades atuais e as previsíveis no curto e médio prazos, incluindo as das Forças Nacionais destacadas.

http://www.portugal.gov.pt/pt/os-ministerios/ministro-da-presidencia-e-dos-assuntos-parlamentares/documentos-oficiais/20150903-cm-comunicado.aspx
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: Alvalade em Outubro 30, 2015, 07:08:33 pm
Eu no futuro, quando tiver tempo, vou querer analisar estes documentos com mais profundidade, mas para quem quiser ver (e chorar um bocadinho) deixo aqui todas as LPM da 3ª Republica.

1987-1991
http://docdro.id/U1CS28e

1993-1997
http://docdro.id/WLOsH9d

1998-2003
http://docdro.id/RZwfH5Q

2006-2023
http://docdro.id/uHEFX2j

2015-2026
http://docdro.id/7IZNl9U
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: saojorgexercito em Fevereiro 03, 2016, 05:05:34 pm
A desculpa que muita pategada andou, anda e andará a propalar por esta europa de que queremos menos Forças Armadas e melhores Forças Armadas nem percebe que esteve, está e estará a fazer o jogo dos politiqueiros para acabar de vez com a(s) nossa(s) independência(s) e soberania(s) por razões puramente ideológicas e economicistas da tanga.

Enquanto isso, continua e continuará o baixar de calças e a dependência de uma certa potência ;-)

http://economico.sapo.pt/noticias/nato-sauda-intencao-norteamericana-de-reforcar-presenca-militar-na-europa_241499.html

Agora ia falar do dinheiro que despejámos na banca desde 2008, mas isso não é assunto para aqui.
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: Lightning em Março 01, 2016, 10:35:38 pm
Ministro da Defesa defende prioridades do setor da Defesa no debate do Orçamento 2016

Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: Camuflage em Maio 09, 2016, 08:40:17 pm
Li algures o seguinte, não sei se é verdade ou não, mas dá que pensar a ser verdade:

Citar
Assim teremos 250 generais para um exército com 39.823 homens, ou seja o nosso país tem um general para cada 159 homens. Os Estados Unidos, a maior potência mundial, tem 69 generais (59 no exército, 3 na Força Aérea, e 7 nos Fuzileiros) para um exército com 1.580.255 homens, ou seja 1 general para cada 22.900 homens; A China tem 18 generais para 2.285.000 homens, ou 1 general para cada 126.844 homens; A Rússia tem 13 generais para 1.200.000 homens, com 1 general por cada 92.300 homens; O Canadá tem, apenas, 1 general para um exército de 187.000 homens; A Espanha, a nossa vizinha, tem 3 generais para 188.950 homens, ou seja, 1 general para cada 62.983 homens.
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: HSMW em Maio 09, 2016, 09:07:01 pm
Li algures o seguinte, não sei se é verdade ou não, mas dá que pensar a ser verdade:

Citar
Assim teremos 250 generais para um exército com 39.823 homens, ou seja o nosso país tem um general para cada 159 homens. Os Estados Unidos, a maior potência mundial, tem 69 generais (59 no exército, 3 na Força Aérea, e 7 nos Fuzileiros) para um exército com 1.580.255 homens, ou seja 1 general para cada 22.900 homens; A China tem 18 generais para 2.285.000 homens, ou 1 general para cada 126.844 homens; A Rússia tem 13 generais para 1.200.000 homens, com 1 general por cada 92.300 homens; O Canadá tem, apenas, 1 general para um exército de 187.000 homens; A Espanha, a nossa vizinha, tem 3 generais para 188.950 homens, ou seja, 1 general para cada 62.983 homens.

Não sei em concreto a que postos de General se referem, mas espero que não estejam a contar apenas os Generais estrangeiros e os Brigadeiros, Major-general, Tenente-General e Generais das nossas FA.
(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fc7.quickcachr.fotos.sapo.pt%2Fi%2FBc4074914%2F9354108_ucCf2.png&hash=f78dfe1dbbd57ec9fe5492523eec6dd6)
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: tenente em Maio 09, 2016, 09:55:33 pm
Li algures o seguinte, não sei se é verdade ou não, mas dá que pensar a ser verdade:

Citar
Assim teremos 250 generais para um exército com 39.823 homens, ou seja o nosso país tem um general para cada 159 homens. Os Estados Unidos, a maior potência mundial, tem 69 generais (59 no exército, 3 na Força Aérea, e 7 nos Fuzileiros) para um exército com 1.580.255 homens, ou seja 1 general para cada 22.900 homens; A China tem 18 generais para 2.285.000 homens, ou 1 general para cada 126.844 homens; A Rússia tem 13 generais para 1.200.000 homens, com 1 general por cada 92.300 homens; O Canadá tem, apenas, 1 general para um exército de 187.000 homens; A Espanha, a nossa vizinha, tem 3 generais para 188.950 homens, ou seja, 1 general para cada 62.983 homens.

Até me dá vontade de rir, onde é que nós temos 39823 elementos no Exercito e 250 generais ?????? O Exército tem 25 generais, são demais concordo mas são 10% dos seus 250, só 10%, e o efectivo do Exército, este ano ronda os 14.000, apenas 35% do valor que apresentas,  !!!!!  :no: :no: :no: :no: :no:
Os EUA com 3 generais para a Força Aerea :rir: :rir: :rir: :rir:
A China com 18 generais..... :rir: :rir: :rir: :rir: :rir: :rir:
A Russia  com 13 Generais ...... :rir: :rir: :rir: :rir:
Bem e o Canada com um general... do melhor, mas olha que o Exercito com o Reserve army deve contar com uns 75000 , não os 187000 efectivos mencionados !!!

Só neste link conto dez oficias generais do Exercito Canadiano, só dez...

http://www.army-armee.forces.gc.ca/en/about-army/leadership.page

Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: Viajante em Maio 09, 2016, 11:45:56 pm
Deve haver um lapso, em relação à China pode é haver um ano em que são nomeados 18 novos Generais. Em 2015 foram nomeados 10 novos Generais (equivalente NATO OF-9). Mas os nomeados dos outros anos não perdem o posto, normalmente :)
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: PereiraMarques em Maio 10, 2016, 05:04:57 pm
Li algures o seguinte, não sei se é verdade ou não, mas dá que pensar a ser verdade:

Citar
Assim teremos 250 generais para um exército com 39.823 homens, ou seja o nosso país tem um general para cada 159 homens. Os Estados Unidos, a maior potência mundial, tem 69 generais (59 no exército, 3 na Força Aérea, e 7 nos Fuzileiros) para um exército com 1.580.255 homens, ou seja 1 general para cada 22.900 homens; A China tem 18 generais para 2.285.000 homens, ou 1 general para cada 126.844 homens; A Rússia tem 13 generais para 1.200.000 homens, com 1 general por cada 92.300 homens; O Canadá tem, apenas, 1 general para um exército de 187.000 homens; A Espanha, a nossa vizinha, tem 3 generais para 188.950 homens, ou seja, 1 general para cada 62.983 homens.



Conversa que mistura "Oficiais Generais" com Generais (posto de Oficial General de 4 estrelas)...

Para quem se quiser dar ao trabalho de fazer as somas, os números oficiais em relação a Portugal encontram-se aqui: https://dre.pt/application/conteudo/70693923
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: Lightning em Maio 11, 2016, 01:08:21 pm
Esses números são uma palhaçada, não tem ponta por onde se pegue, é verdade que há sempre algo que se pode melhorar mas não vamos exagerar.

De vez em quando lá vem um "estudo" destes, que na parte portuguesa mete os generais todos, 1, 2, 3 e 4 estrelas no activo e os que já passaram à reserva enquanto que no estrangeiro ou são números completamente inventados ou só contam os generais de 4 estrelas no activo.

Para ver a seriedade do artigo basta ver que se esqueceram da US Navy lol, almirantes não contam ;).
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: PereiraMarques em Junho 29, 2016, 09:56:15 am
Indemnizações a pagar pelo militar por abate precoce aos QP.

https://dre.pt/application/file/74811868
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: typhonman em Julho 17, 2016, 06:54:09 pm
A situação mundial continua a aquecer..Contudo, aqui na tugalândia do futebol, as FA´s, cada vez estão menos equipadas...

Resumidamente

1) Exército

-A nova arma 5,56 mm, continua por comprar, além das armas de apoio e pistolas.

-Faltam equipamentos individuais "crediveis" e atualizados, como sejam coletes anti-bala modernos e mais leves.

-Faltam óculos NVG, para equipar a maior parte da força combatente (teórica)...

-Faltam os veículos 4x4, assim como sistemas anti-carro modernos ( os Spike nunca vieram pois não ? )

-UAV´s

-Artilharia 155 mm/GPS

-Helicópeteros, ( UH-60, em 2º mão, ou Wildcats Lynx) por exemplo

-Sistemas de Guerra Eletrónica e sistemas SAM, a baixa/média altitude credíveis.


2) Marinha

-LPD...

-Modernizar as M, ESSM modernizado, e novos Harpoon Block III

-Novo AOR/RO

-Modernizar as Vasco da Gama (canhão 140 mm, ESSM, Block III, Harpoon e novos sensores)

-Equipar os fuzileiros, com NVG, nova arma ligeira/apoio, sistemas anti-carro modernos, assim como SAM, baixa altitude, novos 4x4 e Pandur.

-Equipar os Lynx com sistemas anti-carro e misseis anti-navio

-Comprar misseis anti-helicopetero para os SSG.

3) Força Aérea


-Assegurar pelo menos 33 F-16 MLU, com a ultima TAPE e:

    -Radar AESA

    -AIM-9X ou IRST ou PYTHON

    -AIM-120C, aumentar os numeros

    -Aquisição de mais kits, JDAM e GBU

    -Aquisição de mais pods LITENING

    -Aquisição de modernos sistemas de Guerra Eletrónica, vulgo pods.

- Aquisição de sistemas SAM, para proteção de algumas bases e pontos estratégicos.

-Substituição dos Alouette III ( por A-109M)

-Substiuição dos Alpha-Jet, por M-346 ou equivalente

-Substituição do C-130H, por A-400M. ( 5 unidades)

-Aquisição de 1 A-330MRTT ou KC-46

-Aquisição de 2 FALCON 7



Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: nelson38899 em Julho 17, 2016, 11:17:38 pm
contou-me um pequeno passarinho que o concurso para a arma ligeiras está por dias!
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: Cabeça de Martelo em Julho 18, 2016, 03:06:31 pm
Era bom! :G-beer2:
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: jorgeshot1 em Julho 18, 2016, 06:36:41 pm
contou-me um pequeno passarinho que o concurso para a arma ligeiras está por dias!
Sem querer ofender, ninguém esse passarinho é de confiança?

Abraços
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: nelson38899 em Julho 18, 2016, 10:04:16 pm
contou-me um pequeno passarinho que o concurso para a arma ligeiras está por dias!
Sem querer ofender, ninguém esse passarinho é de confiança?

Abraços

sim, foi ele a primeira pessoa a dizer que o sirocco não vinha para cá, que os tugas queriam comprar misseis francius entre outras coisas
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: Lightning em Julho 19, 2016, 01:04:08 am
=10 os tugas queriam comprar misseis francius entre outras coisas

Quais mísseis? Anti-carro? É que na Força Aérea e Marinha é tudo misseis americanos.
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: Duarte em Julho 19, 2016, 02:45:36 am
=10 os tugas queriam comprar misseis francius entre outras coisas

Quais mísseis? Anti-carro? É que na Força Aérea e Marinha é tudo misseis americanos.

Misseis AA para o Exercito...?
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: nelson38899 em Julho 19, 2016, 09:20:07 am
=10 os tugas queriam comprar misseis francius entre outras coisas

Quais mísseis? Anti-carro? É que na Força Aérea e Marinha é tudo misseis americanos.

Misseis AA para o Exercito...?


Misseis AA mistral para a tropa
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: jorgeshot1 em Agosto 02, 2016, 04:43:33 pm
Parece que o teu passarinho estava certo nelson38899  :G-beer2:

http://www.janes.com/article/62691/portugal-plans-small-arms-replacement-project

Portugal plans small arms replacement project
Victor Barreira, Istanbul - IHS Jane's Defence Weekly
02 August 2016
The Portuguese Army is working on plans to begin a tender to replace the bulk of its infantry weapons, like the HK21 machine gun and G3 rifle. Source: Victor Barreira
The Portuguese Army is currently working on plans to entirely replace the bulk of its small arms, the Portuguese Ministry of National Defence (MoND) told IHS Jane's on 29 July.

The plans will see the acquisition of 10,225 weapons including: assault rifles, light machine guns, sub-machine guns, and pistols. These arms will equip at least three battalions or about 1,500 troops, the MoND said.

An amount of EUR80.8 million (USD90.2 million) has been allocated for the period of 2017-26 to fund the project as part of the Military Programming Law 2015-26, approved in May 2015. The project integrates with the army's Force Protection and Survivability Capability programme.

To set up the weapon acquisition project, the army is fleshing out its desired technical specifications for the types of weapons, it recently said to IHS Jane's . The project itself has two associated sub-projects consisting of the acquisition of soldier gear and procurement of light armament.

The new plans finally replace Portugal's subsequently cancelled issuing of a letter of intent in December 2004 to procure 31,000 assault rifles, 1,700 machine guns, and 6,800 pistons.

Portugal's Mechanized and Intervention Brigades and General Support Forces mostly field INDEP G3 assault rifles, HK21 and MG42-59 light machine guns, UZI sub-machine guns, and P38 pistols. The Rapid Reaction Brigade also utilises the G36KV/CV, SG-543, Galil AR/ARM and HK416A5 assault rifles; MG4 machine gun upgraded MP5 SD6 and UMP sub-machine guns; and P228 and USP pistols.

Abraços
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: Crypter em Agosto 02, 2016, 07:41:01 pm
Passamos de 39500 armas pretendidas para 10225..

Seja como for, a ser verdade esta noticia, quase que merecia uma valente descarga de foguetes...
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: raphael em Agosto 03, 2016, 11:00:34 am
Passamos de 39500 armas pretendidas para 10225..

Seja como for, a ser verdade esta noticia, quase que merecia uma valente descarga de foguetes...

Só quando estiverem na mão de quem delas faz uso habitual. Até lá...zero.
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: Cabeça de Martelo em Agosto 03, 2016, 12:31:07 pm
Passamos de 39500 armas pretendidas para 10225..

Seja como for, a ser verdade esta noticia, quase que merecia uma valente descarga de foguetes...

Ainda o General Gerónimo era CEME já se sabia que o primeiro contracto seria de apenas 10.000 armas e para o Exército (os restantes Ramos ficam de fora).
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: HSMW em Agosto 03, 2016, 12:35:21 pm
Isto é material apenas para a BRR?
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: Cabeça de Martelo em Agosto 03, 2016, 12:39:22 pm
A BrigRR não tem 10.000 militares, presumo que seja para armar todos  os Batalhões de Infantaria/Grupo e Esquadrões de Reconhecimento.
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: Crypter em Agosto 03, 2016, 02:11:03 pm

Ainda o General Gerónimo era CEME já se sabia que o primeiro contracto seria de apenas 10.000 armas e para o Exército (os restantes Ramos ficam de fora).

Fora os fuzileiros que outras forças é que ficam despernadas??!

É que da maneira que as FA estão não vejo onde fossem mais necessárias..
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: Cabeça de Martelo em Agosto 03, 2016, 02:32:31 pm
PA no seu geral, visto o Núcleo... qualquer coisa já estar devidamente armado com material da HK.
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: tenente em Agosto 03, 2016, 05:00:32 pm
A BrigRR não tem 10.000 militares, presumo que seja para armar todos  os Batalhões de Infantaria/Grupo e Esquadrões de Reconhecimento.

afirmativo, e também as unidades de artilharia !!
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: HSMW em Agosto 03, 2016, 05:16:39 pm
Então é toda a componente operacional que andava de G-3 e HK-21?
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: Lightning em Agosto 03, 2016, 06:51:18 pm
E a preferida ainda é a G-36 ou o Exército já alterou as especificidades da arma?
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: Cabeça de Martelo em Agosto 04, 2016, 11:11:02 am
E a preferida ainda é a G-36 ou o Exército já alterou as especificidades da arma?

Temos que estar atentos a este link:

http://www.base.gov.pt/Base/pt/ResultadosPesquisa?type=contratos&query=texto%3DEx%25C3%25A9rcito%2BPortugu%25C3%25AAs%26tipo%3D0%26tipocontrato%3D0%26cpv%3D%26numeroanuncio%3D%26aqinfo%3D%26adjudicante%3D%26adjudicataria%3D%26desdeprecocontrato_false%3D%26desdeprecocontrato%3D%26ateprecocontrato_false%3D%26ateprecocontrato%3D%26desdedatacontrato%3D%26atedatacontrato%3D%26desdedatapublicacao%3D%26atedatapublicacao%3D%26desdeprazoexecucao%3D%26ateprazoexecucao%3D%26desdedatafecho%3D%26atedatafecho%3D%26desdeprecoefectivo_false%3D%26desdeprecoefectivo%3D%26ateprecoefectivo_false%3D%26ateprecoefectivo%3D%26pais%3D0%26distrito%3D0%26concelho%3D0

Só quando sair preto no branco o que eles querem é que saberemos, mas penso que a G36 seja águas passadas.
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: Get_It em Agosto 04, 2016, 04:17:05 pm
Não sei, Cabeça de Martelo. É que andaram durante anos e anos a comprar G-36 às pinguinhas... Só se for para evitar que as outras empresas depois tenham por onde os levar a tribunal para contestar o resultado do concurso.

Cumprimentos,
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: raphael em Agosto 04, 2016, 04:43:39 pm
PA no seu geral, visto o Núcleo... qualquer coisa já estar devidamente armado com material da HK.

Não ficam nada...
De pistola já têm o stock necessário...de seguida será a pist-met e a espingarda será depois. As coisas bem feitas não é à pressa.
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: Crypter em Agosto 04, 2016, 04:45:06 pm
E calibre? Sabem de algo? 5,56mm ou 7,62mm? Neste momento o que é que FA preferem?

Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: tenente em Agosto 04, 2016, 05:31:34 pm
E calibre? Sabem de algo? 5,56mm ou 7,62mm? Neste momento o que é que FA preferem?

o 5,56 é o que vai ser adquirido .
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: paraquedista em Agosto 04, 2016, 06:59:16 pm
Tenente, quais sao exactamente as Unidades que as vao receber as novas armas ? ja que parece ter "inside information" ;)

Crypter, afinal quantas pistolas USP recebeu a Forca Aerea ?
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: Cabeça de Martelo em Agosto 05, 2016, 10:53:55 am
Não sei, Cabeça de Martelo. É que andaram durante anos e anos a comprar G-36 às pinguinhas... Só se for para evitar que as outras empresas depois tenham por onde os levar a tribunal para contestar o resultado do concurso.

Cumprimentos,

Compraram G36 às pinguinhas mas agora estão a fazer o mesmo com a HK416 em várias versões na FOEsp. Neste momento já devem ter perto de 70, por isso já é um número razoável e pelo que eu tenho ouvido, o feedback tem sido excelente.
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: PereiraMarques em Agosto 12, 2016, 10:08:22 am
DESPACHO N.º 10203/2016 - DIÁRIO DA REPÚBLICA N.º 155/2016, SÉRIE II DE 2016-08-1275134324
Defesa Nacional - Força Aérea - Gabinete do Chefe do Estado-Maior da Força Aérea
Serviço efetivo adicional após a frequência de cursos

https://dre.pt/application/file/75134224
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: PereiraMarques em Agosto 12, 2016, 10:15:28 am
Tenente, quais sao exactamente as Unidades que as vao receber as novas armas ? ja que parece ter "inside information" ;)

Crypter, afinal quantas pistolas USP recebeu a Forca Aerea ?

É fazer as contas...quantas é que dá para comprar por 404.222 €?

Fonte: http://www.base.gov.pt/Base/pt/Pesquisa/Contrato?a=1908031, http://www.base.gov.pt/Base/pt/Pesquisa/Contrato?a=1335973, http://www.base.gov.pt/Base/pt/Pesquisa/Contrato?a=1332753
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: Cabeça de Martelo em Agosto 12, 2016, 10:44:14 am
Pelas minhas contas (e eu sou péssimo em matemática) dá uma boa quantidade. Acho que eles ficaram safos a esse nível.
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: Viajante em Agosto 23, 2016, 07:32:08 pm
Costa portuguesa pode ser um foco de problemas de segurança

O alerta foi dado hoje pelo secretário de Estado da Defesa Nacional, Marcos Perestrello.

(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Feconomico.sapo.pt%2Fpublic%2Fuploads%2Farticles%2F1_novo_site%2Fcard_agua1.jpg&hash=76239d9b7e720c51a5614ff325046c73)

O secretário de Estado da Defesa Nacional, Marcos Perestrello, afirmou hoje que a costa portuguesa pode ser um foco de problemas de segurança e que o país precisa de investimento forte na área do salvamento marítimo.

“É muito importante que os portugueses percebam que o investimento na nossa capacidade de salvamento marítimo é essencial se queremos ser verdadeiramente um país que volta ao mar”, afirmou Marcos Perestrello em Peniche, citado pela Lusa.

À margem da cerimónia de entrega de uma lancha semirrígida de média capacidade à Estação Salva Vidas local, Marcos Perestrello vincou a responsabilidade do Estado na segurança da costa.

“O Estado português tem grandes responsabilidades enquanto estado costeiro”, sublinhou o secretário de Estado, lembrando que Portugal tem “um mar imenso, desejado por muita gente e que pode ser um foco de problemas de segurança”.

Para Marcos Perestrello voltar ao mar não pode ser “só retórica nos discursos” numa altura em que o país “ainda precisa de investimentos sérios na área do salvamento marítimo”, área em que o Governo pretende investir, nos próximos cinco anos, cerca de 10 milhões de euros.

Fonte: http://economico.sapo.pt/noticias/costa-portuguesa-pode-ser-um-foco-de-problemas-de-seguranca_255646.html
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: tenente em Agosto 23, 2016, 08:56:09 pm
Costa portuguesa pode ser um foco de problemas de segurança

O alerta foi dado hoje pelo secretário de Estado da Defesa Nacional, Marcos Perestrello.

(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Feconomico.sapo.pt%2Fpublic%2Fuploads%2Farticles%2F1_novo_site%2Fcard_agua1.jpg&hash=76239d9b7e720c51a5614ff325046c73)

O secretário de Estado da Defesa Nacional, Marcos Perestrello, afirmou hoje que a costa portuguesa pode ser um foco de problemas de segurança e que o país precisa de investimento forte na área do salvamento marítimo.

“É muito importante que os portugueses percebam que o investimento na nossa capacidade de salvamento marítimo é essencial se queremos ser verdadeiramente um país que volta ao mar”, afirmou Marcos Perestrello em Peniche, citado pela Lusa.

À margem da cerimónia de entrega de uma lancha semirrígida de média capacidade à Estação Salva Vidas local, Marcos Perestrello vincou a responsabilidade do Estado na segurança da costa.

“O Estado português tem grandes responsabilidades enquanto estado costeiro”, sublinhou o secretário de Estado, lembrando que Portugal tem “um mar imenso, desejado por muita gente e que pode ser um foco de problemas de segurança”.

Para Marcos Perestrello voltar ao mar não pode ser “só retórica nos discursos” numa altura em que o país “ainda precisa de investimentos sérios na área do salvamento marítimo”, área em que o Governo pretende investir, nos próximos cinco anos, cerca de 10 milhões de euros.

Fonte: http://economico.sapo.pt/noticias/costa-portuguesa-pode-ser-um-foco-de-problemas-de-seguranca_255646.html

pois, pois, mais conversa para boi dormir, é como os novos equipamentos aéreos de combate aos  FF, agora toda a gente fala nisso daqui a umas semanas/meses veremos o que acontece...................., nada de nada !!
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: Viajante em Agosto 23, 2016, 10:25:04 pm
Sim, a começar pelo valor a investir nos próximos 5 anos, cerca de 10 milhões de euros, está tudo explicado!!!
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: Crypter em Agosto 24, 2016, 12:24:56 am
Penso que o secretário de Estado apenas se refere a reforçar os meios da Autoridade Marítima Nacional mais particularmente do Instituto de Socorro a Naufragos.. Nada a ver com a Marinha de Guerra Portuguesa.

Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: Get_It em Novembro 20, 2016, 10:25:27 am
Não encontrei um tópico mais apropriado para esta notícia, por isso cá fica:

Citação de: Liliana Valente / Público
10. Suspensão do Dia da Defesa Nacional
Não é uma proposta nova, mas que volta a acontecer. O BE quer retomar a suspensão do Dia da Defesa Nacional e aplicar os três milhões de euros que se gastam naquele dia para outras actividades "que não são contempladas no presente Orçamento do Estado". "Esta suspensão deve ser acompanhada do estudo de um novo modelo que repense o carácter de obrigatoriedade desta iniciativa e que reduza os custos, que estão de momento concentrados em despesa no transporte de jovens a nível nacional", lê-se na proposta.
Fonte: https://www.publico.pt/economia/noticia/o-orcamento-das-minudencias-1751753?page=-1 (https://www.publico.pt/economia/noticia/o-orcamento-das-minudencias-1751753?page=-1)

Cumprimentos,
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: Alvalade em Novembro 20, 2016, 10:54:34 am
Não encontrei um tópico mais apropriado para esta notícia, por isso cá fica:

Citação de: Liliana Valente / Público
10. Suspensão do Dia da Defesa Nacional
Não é uma proposta nova, mas que volta a acontecer. O BE quer retomar a suspensão do Dia da Defesa Nacional e aplicar os três milhões de euros que se gastam naquele dia para outras actividades "que não são contempladas no presente Orçamento do Estado". "Esta suspensão deve ser acompanhada do estudo de um novo modelo que repense o carácter de obrigatoriedade desta iniciativa e que reduza os custos, que estão de momento concentrados em despesa no transporte de jovens a nível nacional", lê-se na proposta.
Fonte: https://www.publico.pt/economia/noticia/o-orcamento-das-minudencias-1751753?page=-1 (https://www.publico.pt/economia/noticia/o-orcamento-das-minudencias-1751753?page=-1)

Cumprimentos,

Nada de novo e não vai acontecer.

Nunca percebi a razão dos seguidores portugueses de um dos maiores sanguinários da guerra civil Russa serem pseudo-pacifistas. 
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: PereiraMarques em Novembro 23, 2016, 10:38:13 am
PORTARIA N.º 451/2016 - DIÁRIO DA REPÚBLICA N.º 225/2016, SÉRIE II DE 2016-11-2375781255
Defesa Nacional - Gabinete do Ministro
Regulamento da Avaliação do Mérito dos Militares das Forças Armadas

https://dre.pt/application/file/75764554
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: HSMW em Dezembro 02, 2016, 06:20:22 pm
(https://pbs.twimg.com/media/CybAs3xWQAAfsOH.jpg:large)
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: mafets em Dezembro 06, 2016, 12:44:08 pm
Não sei se será o tópico certo mas pareceu-me interessante: http://defesanacionalpt.blogspot.pt/ (http://defesanacionalpt.blogspot.pt/)

Citar
Defesa Nacional


5 de dezembro de 2016

BALANÇO DAS FORÇAS ARMADAS PORTUGUESAS EM ACÇÕES DE PROTECÇÃO CIVIL EM 2016
As Forças Armadas Portuguesas (FFAA) colaboram em ações de protecção civil, no quadro dos programas e planos de envolvimento aprovados e/ou de resposta a solicitações inopinadas da Autoridade Nacional de Proteção Civil (ANPC), no Continente e dos Serviços Regionais de Proteção Civil (SRPC), nas Regiões Autónomas dos Açores e Madeira.

2. Os apoios prestados pelas FFAA em ações de protecção civil, no período de 01 de janeiro a 31 de Outubro de 2016, foram os seguintes:

a. 247 Destacamentos de Engenharia (1.031 militares; 485 viaturas; 247 máquinas de rastos; 979 horas de trabalho de máquinas e 37.302 Km percorridos), na abertura de 55 Km de faixas de gestão de combustível, apropriação de itinerários e outros trabalhos de engenharia;

b. 188.609 Km percorridos, no continente, em ações de patrulhamento e vigilância de áreas florestais (3.413 militares e 1.471 viaturas) desde 01Jul a 15Out16 e 5.978 Km percorridos, no mesmo âmbito, na Região Autónoma da Madeira com 130 militares e 47 viaturas, desde 15Jun a 15Out16;

c. 285 Pelotões (6.883 militares e 2 civis; 1.146 viaturas, 58 máquinas de rasto e 209.851 Km percorridos) em ações de rescaldo e vigilância ativa pós-incêndio florestal;

d. Apoio aos incêndios florestais na Região Autónoma da Madeira com 145 militares e 97 viaturas que percorreram 10.973 Km;

e. Montagem de uma ponte militar para ligar a AE 14 à EN 111, em Maiorca, Figueira da Foz, com cerca de 55 m de comprimento, 4,2 m de faixa de rodagem, uma capacidade de carga até 40 ton, aberta ao tráfego durante cerca de um mês;

f. Apoio ao centro de meios aéreos (aeronaves de delegações estrangeiras de apoio ao DECIF), sediado na Base Aérea de Monte Real (BA5), de 11Ago a 12Set16 em estacionamento, operação, apoio logístico e de infra-estruturas;

g. Apoio em reabastecimento de combustível de 82 aeronaves (419.085 lts) do dispositivo aéreo de combate a incêndios florestais, nas Bases Aéreas do Monte Real (BA 5), Beja (BA 11), Aeródromo de Trânsito nº 1 (AT 1 - Lisboa) e Aeródromo de Manobra nº 1 (AM 1 - Ovar);

h. Apoio a 29 missões de evacuação aeromédica na utilização de infra-estruturas aeronáuticas militares (8 na Academia Militar e 21 no AT 1);

i. Apoio de 5 C-295 e 2 C-130 numa missão de transporte de uma força de bombeiros e carga, de Lisboa para a Madeira e regresso.

3. Os recursos empenhados totalizam 14.505 efetivos (688 Oficiais, 2.507 Sargentos, 11.308 Praças e 2 civis), 3.388 Viaturas que percorreram 452.713 Km, 305 máquinas de rasto, reabastecimento de 82 aeronaves em 4 bases aéreas, a utilização de 7 aeronaves, bem como, de 29 infra-estruturas aeronáuticas para apoiar as missões de evacuação aeromédica e na montagem/desmontagem de uma ponte militar. Os valores apresentados referem-se a homem/dia, máquina/dia e equipamento/dia, tendo alguns destes recursos sido empenhados, mais que uma vez, em diversas actividades.


O porta-voz das Forças Armadas
Helder António da Silva Perdigão Tenente-Coronel

Cumprimentos
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: rbp em Fevereiro 22, 2017, 05:59:53 pm
https://www.noticiasaominuto.com/pais/746210/seguranca-nacional-joga-se-cada-vez-mais-na-participacao-em-missoes
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: rbp em Fevereiro 26, 2017, 10:00:22 pm
http://expresso.sapo.pt/politica/2017-02-26-Forcas-Armadas-tem-de-renovar-50-dos-efetivos
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: rbp em Março 02, 2017, 05:36:52 pm
http://www.acorianooriental.pt/noticia/acores-pedem-celeridade-ao-governo-da-republica-para-recuperar-cais-nato

http://www.acores24horas.pt/arquivo/77533
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: rbp em Março 04, 2017, 08:38:24 pm
Forças Armadas com metade dos recrutas necessários

03 mar, 2017 - 18:51 • Ana Rodrigues

Em 2016, houve 11.189 candidatos, mas acabaram por ser incorporados apenas 3.906.

Foto: NATO
As Forças Armadas precisam de seis mil militares para substituir os que agora vão sair, mas o recrutamento não está a dar resposta. O ano passado entraram 3.906 militares, ou seja, pouco mais de metade do necessário.
As incorporações foram elevadas, comparando com anos anteriores, mas não chegam para as necessidades dos três ramos das Forças Armadas.

Em 2016, o número de incorporações foi o maior dos últimos cinco anos, mas não chega para aquilo que as Forças Armadas precisam. Houve um reforço significativo, mas é preciso repor os efectivos face às saídas registadas.

Nos últimos cinco anos as entradas foram reduzidas, especialmente na Marinha, onde durante três anos não houve qualquer incorporação.

O número de efectivos tem vindo a reduzir-se. O Ministério da Defesa refere que isso acontece por culpa do recrutamento, mas também por questões orçamentais.

O certo é que, agora, com o fim de contratos surge o défice de pessoal, explica à Renascença António Cardoso, chefe de Divisão de Recrutamento e Efectivos Militares.

“O problema aqui é a necessidade de recrutamento, que é completamente diferente dos anos anteriores. Estamos a falar do regime de contrato, em que todos os anos, sensivelmente, 2.000 a 2.500 jovens saem para a vida civil, devido à caducidade do tempo de permanência. Se esse efectivo não é substituído durante alguns anos e se eu tenho incorporações de 900, 1.000 e 1.500, é óbvio que há uma altura em que já não é possível manter o nível de incorporações como estava. O desafio é em 2016 e 2017 substituir 50% do efectivo em RC [regime de contrato], aproximadamente 5.000 a 6.000 militares”, afirma António Cardoso.

Uma nota do Ministério da Defesa refere que o quadro de pessoal nesta altura garante as missões das Forças Armadas, mas o certo é que, em entrevista à Renascença, o ministro da Defesa, Azeredo Lopes, reconheceu que os números do recrutamento eram preocupantes porque há uma incapacidade de atingir o objectivo de garantir umas Forças Armadas eficientes.

Em 2016, houve 11.189 candidatos, mas acabaram por ser incorporados 3.906, pouco mais de três mil só no Exército. Se compararmos com 2010, em que foram admitidos mais de 6.700, vemos uma diferença enorme que agora tem efeitos, refere António Cardoso.

“Esta necessidade de recrutamento atípica, que não tem paralelo com os últimos cinco anos, vai colocando um bocadinho a nu as fragilidades do sistema. Se o sistema gera 12 mil candidatos e precisa de incorporar 1.000, é uma coisa, mas se precisa de incorporar 3,000, já é outra. É este patamar que temos de resolver”, sublinha.

“Não podemos é deixar os sistemas como têm estado, porque se não há incorporações, não há divulgação. Por outras palavras, se as Forças Armadas não estão presentes enquanto entidades empregadoras e não aparecem no universo simbólico dos jovens, não são consideradas. É necessário apostar na maior presença das Forças Armadas junto dos jovens, já que precisamos de um maior número de necessidade de incorporação e de candidatos”, defende o chefe de Divisão de Recrutamento e Efectivos Militares.

O Governo e as Forças Armadas querem inverter esta situação e começar a engrossar as fileiras.

Segundo o Ministério da Defesa, o número de efectivos nas Forças Armadas é de pouco mais de 32 mil elementos, sendo que os militares em regime de contrato são pouco mais de 12.500. Em 2016 entraram mais 3.400 voluntários.

As incorporações por via de voluntariado ou contrato podem ocorrer até aos 27 anos. Para praças e soldados o ingresso acontece entre os 18 e os 24 anos.

 http://rr.sapo.pt/noticia/77545/forcas_armadas_com_metade_dos_recrutas_necessarios
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: tenente em Março 04, 2017, 09:07:06 pm
Forças Armadas com metade dos recrutas necessários

03 mar, 2017 - 18:51 • Ana Rodrigues

Em 2016, houve 11.189 candidatos, mas acabaram por ser incorporados apenas 3.906.

Foto: NATO
As Forças Armadas precisam de seis mil militares para substituir os que agora vão sair, mas o recrutamento não está a dar resposta. O ano passado entraram 3.906 militares, ou seja, pouco mais de metade do necessário.
As incorporações foram elevadas, comparando com anos anteriores, mas não chegam para as necessidades dos três ramos das Forças Armadas.

Em 2016, o número de incorporações foi o maior dos últimos cinco anos, mas não chega para aquilo que as Forças Armadas precisam. Houve um reforço significativo, mas é preciso repor os efectivos face às saídas registadas.

Nos últimos cinco anos as entradas foram reduzidas, especialmente na Marinha, onde durante três anos não houve qualquer incorporação.

O número de efectivos tem vindo a reduzir-se. O Ministério da Defesa refere que isso acontece por culpa do recrutamento, mas também por questões orçamentais.

O certo é que, agora, com o fim de contratos surge o défice de pessoal, explica à Renascença António Cardoso, chefe de Divisão de Recrutamento e Efectivos Militares.

“O problema aqui é a necessidade de recrutamento, que é completamente diferente dos anos anteriores. Estamos a falar do regime de contrato, em que todos os anos, sensivelmente, 2.000 a 2.500 jovens saem para a vida civil, devido à caducidade do tempo de permanência. Se esse efectivo não é substituído durante alguns anos e se eu tenho incorporações de 900, 1.000 e 1.500, é óbvio que há uma altura em que já não é possível manter o nível de incorporações como estava. O desafio é em 2016 e 2017 substituir 50% do efectivo em RC [regime de contrato], aproximadamente 5.000 a 6.000 militares”, afirma António Cardoso.

Uma nota do Ministério da Defesa refere que o quadro de pessoal nesta altura garante as missões das Forças Armadas, mas o certo é que, em entrevista à Renascença, o ministro da Defesa, Azeredo Lopes, reconheceu que os números do recrutamento eram preocupantes porque há uma incapacidade de atingir o objectivo de garantir umas Forças Armadas eficientes.

Em 2016, houve 11.189 candidatos, mas acabaram por ser incorporados 3.906, pouco mais de três mil só no Exército. Se compararmos com 2010, em que foram admitidos mais de 6.700, vemos uma diferença enorme que agora tem efeitos, refere António Cardoso.

“Esta necessidade de recrutamento atípica, que não tem paralelo com os últimos cinco anos, vai colocando um bocadinho a nu as fragilidades do sistema. Se o sistema gera 12 mil candidatos e precisa de incorporar 1.000, é uma coisa, mas se precisa de incorporar 3,000, já é outra. É este patamar que temos de resolver”, sublinha.

“Não podemos é deixar os sistemas como têm estado, porque se não há incorporações, não há divulgação. Por outras palavras, se as Forças Armadas não estão presentes enquanto entidades empregadoras e não aparecem no universo simbólico dos jovens, não são consideradas. É necessário apostar na maior presença das Forças Armadas junto dos jovens, já que precisamos de um maior número de necessidade de incorporação e de candidatos”, defende o chefe de Divisão de Recrutamento e Efectivos Militares.

O Governo e as Forças Armadas querem inverter esta situação e começar a engrossar as fileiras.

Segundo o Ministério da Defesa, o número de efectivos nas Forças Armadas é de pouco mais de 32 mil elementos, sendo que os militares em regime de contrato são pouco mais de 12.500. Em 2016 entraram mais 3.400 voluntários.

As incorporações por via de voluntariado ou contrato podem ocorrer até aos 27 anos. Para praças e soldados o ingresso acontece entre os 18 e os 24 anos.

 http://rr.sapo.pt/noticia/77545/forcas_armadas_com_metade_dos_recrutas_necessarios

Lá vai sobrar uns milhões do orçamento das FFAA para alguns espertos do sistema.........mas que contentes eles agora estarão, não tarda nada teremos as FFAA mais baratas do planeta !!!!!!!
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: perdadetempo em Março 05, 2017, 02:25:03 am
Forças Armadas com metade dos recrutas necessários

03 mar, 2017 - 18:51 • Ana Rodrigues

Em 2016, houve 11.189 candidatos, mas acabaram por ser incorporados apenas 3.906.

Foto: NATO
As Forças Armadas precisam de seis mil militares para substituir os que agora vão sair, mas o recrutamento não está a dar resposta. O ano passado entraram 3.906 militares, ou seja, pouco mais de metade do necessário.
As incorporações foram elevadas, comparando com anos anteriores, mas não chegam para as necessidades dos três ramos das Forças Armadas.

Em 2016, o número de incorporações foi o maior dos últimos cinco anos, mas não chega para aquilo que as Forças Armadas precisam. Houve um reforço significativo, mas é preciso repor os efectivos face às saídas registadas.

Nos últimos cinco anos as entradas foram reduzidas, especialmente na Marinha, onde durante três anos não houve qualquer incorporação.

O número de efectivos tem vindo a reduzir-se. O Ministério da Defesa refere que isso acontece por culpa do recrutamento, mas também por questões orçamentais.

O certo é que, agora, com o fim de contratos surge o défice de pessoal, explica à Renascença António Cardoso, chefe de Divisão de Recrutamento e Efectivos Militares.

“O problema aqui é a necessidade de recrutamento, que é completamente diferente dos anos anteriores. Estamos a falar do regime de contrato, em que todos os anos, sensivelmente, 2.000 a 2.500 jovens saem para a vida civil, devido à caducidade do tempo de permanência. Se esse efectivo não é substituído durante alguns anos e se eu tenho incorporações de 900, 1.000 e 1.500, é óbvio que há uma altura em que já não é possível manter o nível de incorporações como estava. O desafio é em 2016 e 2017 substituir 50% do efectivo em RC [regime de contrato], aproximadamente 5.000 a 6.000 militares”, afirma António Cardoso.

Uma nota do Ministério da Defesa refere que o quadro de pessoal nesta altura garante as missões das Forças Armadas, mas o certo é que, em entrevista à Renascença, o ministro da Defesa, Azeredo Lopes, reconheceu que os números do recrutamento eram preocupantes porque há uma incapacidade de atingir o objectivo de garantir umas Forças Armadas eficientes.

Em 2016, houve 11.189 candidatos, mas acabaram por ser incorporados 3.906, pouco mais de três mil só no Exército. Se compararmos com 2010, em que foram admitidos mais de 6.700, vemos uma diferença enorme que agora tem efeitos, refere António Cardoso.

“Esta necessidade de recrutamento atípica, que não tem paralelo com os últimos cinco anos, vai colocando um bocadinho a nu as fragilidades do sistema. Se o sistema gera 12 mil candidatos e precisa de incorporar 1.000, é uma coisa, mas se precisa de incorporar 3,000, já é outra. É este patamar que temos de resolver”, sublinha.

“Não podemos é deixar os sistemas como têm estado, porque se não há incorporações, não há divulgação. Por outras palavras, se as Forças Armadas não estão presentes enquanto entidades empregadoras e não aparecem no universo simbólico dos jovens, não são consideradas. É necessário apostar na maior presença das Forças Armadas junto dos jovens, já que precisamos de um maior número de necessidade de incorporação e de candidatos”, defende o chefe de Divisão de Recrutamento e Efectivos Militares.

O Governo e as Forças Armadas querem inverter esta situação e começar a engrossar as fileiras.

Segundo o Ministério da Defesa, o número de efectivos nas Forças Armadas é de pouco mais de 32 mil elementos, sendo que os militares em regime de contrato são pouco mais de 12.500. Em 2016 entraram mais 3.400 voluntários.

As incorporações por via de voluntariado ou contrato podem ocorrer até aos 27 anos. Para praças e soldados o ingresso acontece entre os 18 e os 24 anos.

 http://rr.sapo.pt/noticia/77545/forcas_armadas_com_metade_dos_recrutas_necessarios

Lá vai sobrar uns milhões do orçamento das FFAA para alguns espertos do sistema.........mas que contentes eles agora estarão, não tarda nada teremos as FFAA mais baratas do planeta !!!!!!!

Podiam começar por deixar de imitar os camones e passarem a admitir pessoal com tatuagens, aumentavam logo o leque de potenciais candidatos para o dobro.  Actualmente não me parece que se consiga encontrar muita gente abaixo dos 30 sem algum tipo de pintura corporal ou piercing.

O jeito que estas normas tinham dado no tempo do serviço militar obrigatório...

Cumprimentos,
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: HSMW em Março 05, 2017, 02:36:43 am
Mas é que já admitidos à algum tempo. Até braços completamente tatuados.
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: tenente em Março 05, 2017, 06:54:39 am
Forças Armadas com metade dos recrutas necessários

03 mar, 2017 - 18:51 • Ana Rodrigues

Em 2016, houve 11.189 candidatos, mas acabaram por ser incorporados apenas 3.906.

Foto: NATO
As Forças Armadas precisam de seis mil militares para substituir os que agora vão sair, mas o recrutamento não está a dar resposta. O ano passado entraram 3.906 militares, ou seja, pouco mais de metade do necessário.
As incorporações foram elevadas, comparando com anos anteriores, mas não chegam para as necessidades dos três ramos das Forças Armadas.

Em 2016, o número de incorporações foi o maior dos últimos cinco anos, mas não chega para aquilo que as Forças Armadas precisam. Houve um reforço significativo, mas é preciso repor os efectivos face às saídas registadas.

Nos últimos cinco anos as entradas foram reduzidas, especialmente na Marinha, onde durante três anos não houve qualquer incorporação.

O número de efectivos tem vindo a reduzir-se. O Ministério da Defesa refere que isso acontece por culpa do recrutamento, mas também por questões orçamentais.

O certo é que, agora, com o fim de contratos surge o défice de pessoal, explica à Renascença António Cardoso, chefe de Divisão de Recrutamento e Efectivos Militares.

“O problema aqui é a necessidade de recrutamento, que é completamente diferente dos anos anteriores. Estamos a falar do regime de contrato, em que todos os anos, sensivelmente, 2.000 a 2.500 jovens saem para a vida civil, devido à caducidade do tempo de permanência. Se esse efectivo não é substituído durante alguns anos e se eu tenho incorporações de 900, 1.000 e 1.500, é óbvio que há uma altura em que já não é possível manter o nível de incorporações como estava. O desafio é em 2016 e 2017 substituir 50% do efectivo em RC [regime de contrato], aproximadamente 5.000 a 6.000 militares”, afirma António Cardoso.

Uma nota do Ministério da Defesa refere que o quadro de pessoal nesta altura garante as missões das Forças Armadas, mas o certo é que, em entrevista à Renascença, o ministro da Defesa, Azeredo Lopes, reconheceu que os números do recrutamento eram preocupantes porque há uma incapacidade de atingir o objectivo de garantir umas Forças Armadas eficientes.

Em 2016, houve 11.189 candidatos, mas acabaram por ser incorporados 3.906, pouco mais de três mil só no Exército. Se compararmos com 2010, em que foram admitidos mais de 6.700, vemos uma diferença enorme que agora tem efeitos, refere António Cardoso.

“Esta necessidade de recrutamento atípica, que não tem paralelo com os últimos cinco anos, vai colocando um bocadinho a nu as fragilidades do sistema. Se o sistema gera 12 mil candidatos e precisa de incorporar 1.000, é uma coisa, mas se precisa de incorporar 3,000, já é outra. É este patamar que temos de resolver”, sublinha.

“Não podemos é deixar os sistemas como têm estado, porque se não há incorporações, não há divulgação. Por outras palavras, se as Forças Armadas não estão presentes enquanto entidades empregadoras e não aparecem no universo simbólico dos jovens, não são consideradas. É necessário apostar na maior presença das Forças Armadas junto dos jovens, já que precisamos de um maior número de necessidade de incorporação e de candidatos”, defende o chefe de Divisão de Recrutamento e Efectivos Militares.

O Governo e as Forças Armadas querem inverter esta situação e começar a engrossar as fileiras.

Segundo o Ministério da Defesa, o número de efectivos nas Forças Armadas é de pouco mais de 32 mil elementos, sendo que os militares em regime de contrato são pouco mais de 12.500. Em 2016 entraram mais 3.400 voluntários.

As incorporações por via de voluntariado ou contrato podem ocorrer até aos 27 anos. Para praças e soldados o ingresso acontece entre os 18 e os 24 anos.

 http://rr.sapo.pt/noticia/77545/forcas_armadas_com_metade_dos_recrutas_necessarios

Lá vai sobrar uns milhões do orçamento das FFAA para alguns espertos do sistema.........mas que contentes eles agora estarão, não tarda nada teremos as FFAA mais baratas do planeta !!!!!!!

Podiam começar por deixar de imitar os camones e passarem a admitir pessoal com tatuagens, aumentavam logo o leque de potenciais candidatos para o dobro.  Actualmente não me parece que se consiga encontrar muita gente abaixo dos 30 sem algum tipo de pintura corporal ou piercing.

O jeito que estas normas tinham dado no tempo do serviço militar obrigatório...

Cumprimentos,

Que maravilha, nem necessitavamos de pinturas para nos camuflarmos.........era um mimo quase qual camaleão..........por aqui se tiveres tripulações com essas merdas em demasia, vá-se lá saber o que isso significa, tem de estar tapadas, pior que na TROPA,  :conf: :conf: :conf: :conf: :conf: :G-clever: :G-clever: :G-clever: :G-clever:

PS em 1982 incorporamos um gajo com o corpo todo tatuado, alcunha, Rod Stuart dos Olivais, esteve na recruta pouco mais de uma semana, depois claro, desertou, ainda o fomo buscar a casa, bem digo casa..............mais pardiero por duas vezes mas de nada valeu, esteve preso dez anos por ter roubado um carregador de G3 com munições e ameças de morte ao aspirante, cmdt de pelotão.
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: Lightning em Março 05, 2017, 12:08:01 pm
Eu sei de alguns com piercing na Força Aérea, não podes é usar fardado. Mas quando estás em casa até podes usar os boxers na cabeça que ninguém quer saber.
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: perdadetempo em Março 05, 2017, 02:48:31 pm
É tudo uma questão de bom senso. De qualquer maneira duvido que quem faz decorações corporais completas esteja muito interessado em aderir às forças armadas. Nos outros casos  basta que estas se encontrem ocultas pelo uniforme, como aliás é a norma até em várias empresas por uma questão de apresentação.

Posso estar errado mas parece-me que é mais ou menos o que acontece nas restantes forças europeias, mais coisa menos coisa.

Cumprimentos,
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: nelson38899 em Março 07, 2017, 08:09:16 pm
Citar
Contratos dos militares alargados até 18 anos
O Ministério da Defesa Nacional (MDN) está a preparar alterações aos contratos dos militares triplicando o seu tempo máximo de duração dos atuais seis para cerca de 18 anos. “Não faz sentido ter pessoas capacitadas que estão a prestar um bom serviço nas Forças Armadas e, ao fim de seis anos, obrigá-las a ir embora”, diz ao Observador fonte oficial do ministério liderado por José Azeredo Lopes.

O decreto-lei está a ser “consensualizado” com os três ramos das Forças Armadas. O objetivo é que, até ao final do primeiro semestre deste ano, o diploma esteja em condições de ser levado a conselho de ministros para que aí possa ser discutido. “O alargamento será estendido a todos os ramos — Marinha, Exército e Força Aérea — e a todas as categorias — praças, sargentos e oficiais”. Pretende-se “criar uma situação que permita às pessoas ter uma perspetiva de carreira mais longa na profissão militar ” e minimizar os “constrangimentos” temporais dos atuais contratos.
http://observador.pt/2017/03/06/contratos-dos-militares-alargados-ate-aos-18-anos/
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: Clausewitz em Março 08, 2017, 02:59:59 am
Citar
Contratos dos militares alargados até 18 anos
O Ministério da Defesa Nacional (MDN) está a preparar alterações aos contratos dos militares triplicando o seu tempo máximo de duração dos atuais seis para cerca de 18 anos. “Não faz sentido ter pessoas capacitadas que estão a prestar um bom serviço nas Forças Armadas e, ao fim de seis anos, obrigá-las a ir embora”, diz ao Observador fonte oficial do ministério liderado por José Azeredo Lopes.

O decreto-lei está a ser “consensualizado” com os três ramos das Forças Armadas. O objetivo é que, até ao final do primeiro semestre deste ano, o diploma esteja em condições de ser levado a conselho de ministros para que aí possa ser discutido. “O alargamento será estendido a todos os ramos — Marinha, Exército e Força Aérea — e a todas as categorias — praças, sargentos e oficiais”. Pretende-se “criar uma situação que permita às pessoas ter uma perspetiva de carreira mais longa na profissão militar ” e minimizar os “constrangimentos” temporais dos atuais contratos.
http://observador.pt/2017/03/06/contratos-dos-militares-alargados-ate-aos-18-anos/

Se nada mudar no seio do exército, receio que haja malta a tentar recomeçar a vida aos 40 anos no mundo civil "sem saber ler nem escrever" e sem ter a escapatória das forças de segurança.

"Pretende-se “criar uma situação que permita às pessoas ter uma perspetiva de carreira mais longa na profissão militar ” e minimizar os “constrangimentos” temporais dos atuais contratos."

Falso. Pretende-se reduzir os custos de formação e minimizar os efeitos da baixa atractividade da profissão militar para os jovens e da fraca qualidade/qualificação de boa parte dos candidatos. Esta é uma maneira de amenizar o problema sem pôr em causa o status quo militar: divisão férrea entre carreiras de oficiais, sargentos e praças e entre quadros permanentes e contratados.
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: Cabeça de Martelo em Março 08, 2017, 11:36:04 am
Isto é bom... para as Forças Armadas, não para os contratados! 

Se há QP para a classe de Sargentos e Oficiais, também devia haver para Praças.
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: Camuflage em Março 08, 2017, 08:28:01 pm
Atendendo a falta de Praças, porquê a limitação enorme na idade? Um tipo com 30 anos está velho?
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: Trafaria em Março 09, 2017, 11:16:58 pm
Pode eventualmente ser benéfico para uns poucos, muito poucos, e ilusório para mais alguns. No geral vai ser uma "argolada" para a malta, um enterrar de cabeça na areia, um adiar dos problemas que inevitavelmente se terão de enfrentar mais tarde, que tenderão a ser bem mais gravosos e combatidos por uma pessoa provavelmente bem menos capacitada. Vantagens também há, obviamente, mas vão (quase) todas para o lado da instituição militar. Iam lá eles mexer na lei a pensar no soldado ou só no soldado!

Um QP para praças nao é a solução. Mesmo que (hipoteticamente) o implementem ao lado terá de haver sempre um corpo de contratados bem maior, muito maior, e acabávamos por andar na mesma e eternamente a debater este assunto. E vamos andar, nao existem soluções milagrosas.
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: Lightning em Março 10, 2017, 11:26:14 am
A vantagem que vejo para o praça é não estar "preso" ao limite máximo de 6 anos, se lhe der jeito mais um ou dois anos, por qualquer razão que ele achar, pode continuar, é mais flexível, ainda não há muito tempo, década de 2000, os contractos eram de 9 anos. Mas um militar deixar-se estar 18 anos a contracto acho mal para a pessoa, mas são todos adultos, cada pessoa tem esses anos para orientar a sua vida, concorrer ao QP, às Forças de Segurança, à Função Publica, estudar, etc.
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: Cabeça de Martelo em Março 10, 2017, 11:41:58 am
Pode eventualmente ser benéfico para uns poucos, muito poucos, e ilusório para mais alguns. No geral vai ser uma "argolada" para a malta, um enterrar de cabeça na areia, um adiar dos problemas que inevitavelmente se terão de enfrentar mais tarde, que tenderão a ser bem mais gravosos e combatidos por uma pessoa provavelmente bem menos capacitada. Vantagens também há, obviamente, mas vão (quase) todas para o lado da instituição militar. Iam lá eles mexer na lei a pensar no soldado ou só no soldado!

Um QP para praças nao é a solução. Mesmo que (hipoteticamente) o implementem ao lado terá de haver sempre um corpo de contratados bem maior, muito maior, e acabávamos por andar na mesma e eternamente a debater este assunto. E vamos andar, nao existem soluções milagrosas.

Trafaria, eu queria ver como é que os Fuzos aguentavam sem os seus Praças QP. Se no Exército houve graves limitações nas vagas durante anos, no Corpo de Fuzileiros ainda pior. A solução não passa por uma medida, mas sim um conjunto de medidas, tais como:

- Contracto inicial de 3 anos;
- Aumento de 7 para 10 anos;
- Aumento nos benefícios para os militares contratados;
- Formação dos militares mais centralizada;
- Depois da IB e da IC, os militares deviam passar por uma espécie de sessão de aconselhamento onde veria-se onde o/a militar melhor se adequaria, dado às suas características físicas, psicológicas e intelectuais.
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: Crypter em Março 28, 2017, 11:49:29 am
Fazendo uma listagem de todos os programas que estão a correr (previstos brevemente) de modernização/substituição nas FA

. MLU nas Bartolomeu Dias
. MLU (ligeiro) nas Vasco da Gama
. 2 NPO's
. 4/5 Patrulhas Classe Fisga
. Substituição parcial do armamento ligeiro (via Nato)
. Compra de 167 4x4 blindados (via Nato)
. Compra de 47 viaturas táticas médias blindadas e não blindadas (via Nato)
. Reforço do sistema de informação e comunicações tático do Exército
. Aquisição do equipamento Rádio Tático de Comunicações
. 5 helicópteros ligeiros para substituição do Alouette III (com possibilidade de mais 2)
. MLU nos c130 (cancelado entretanto??)

Estou-me a esquecer de alguma coisa?
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: perdadetempo em Março 28, 2017, 06:13:20 pm
Fazendo uma listagem de todos os programas que estão a correr (previstos brevemente) de modernização/substituição nas FA

. MLU nas Bartolomeu Dias
. MLU (ligeiro) nas Vasco da Gama
. 2 NPO's
. 4/5 Patrulhas Classe Fisga
. Substituição parcial do armamento ligeiro (via Nato)
. Compra de 167 4x4 blindados (via Nato)
. Compra de 47 viaturas táticas médias blindadas e não blindadas (via Nato)
. Reforço do sistema de informação e comunicações tático do Exército
. Aquisição do equipamento Rádio Tático de Comunicações
. 5 helicópteros ligeiros para substituição do Alouette III (com possibilidade de mais 2)
. MLU nos c130 (cancelado entretanto??)

Estou-me a esquecer de alguma coisa?

Há os 12 sistemas mini-UAV a decorrer de 2016-2021, mas por 6M de euros estamos a falar de trocos.
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: paraquedista em Março 28, 2017, 07:16:56 pm
Fazendo uma listagem de todos os programas que estão a correr (previstos brevemente) de modernização/substituição nas FA

. MLU nas Bartolomeu Dias
. MLU (ligeiro) nas Vasco da Gama
. 2 NPO's
. 4/5 Patrulhas Classe Fisga
. Substituição parcial do armamento ligeiro (via Nato)
. Compra de 167 4x4 blindados (via Nato)
. Compra de 47 viaturas táticas médias blindadas e não blindadas (via Nato)
. Reforço do sistema de informação e comunicações tático do Exército
. Aquisição do equipamento Rádio Tático de Comunicações
. 5 helicópteros ligeiros para substituição do Alouette III (com possibilidade de mais 2)
. MLU nos c130 (cancelado entretanto??)

Estou-me a esquecer de alguma coisa?

Há os 12 sistemas mini-UAV a decorrer de 2016-2021, mas por 6M de euros estamos a falar de trocos.

Modernizacao dos 5 Super Lynx da Marinha, por 69 ME
 
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: Crypter em Abril 19, 2017, 10:36:57 pm
http://expresso.sapo.pt/multimedia/259/2016-10-27-Sabia-que-temos-de-investir-mais-nas-Forcas-Armadas-
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: rbp em Abril 19, 2017, 10:50:05 pm
http://observador.pt/2017/04/19/defesa-ministro-anunciou-97-de-execucao-da-lpm-foi-de-77/

Defesa. Ministro anunciou 97% de execução da LPM. Foi de 77%
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: mafets em Abril 20, 2017, 10:13:48 am
http://expresso.sapo.pt/multimedia/259/2016-10-27-Sabia-que-temos-de-investir-mais-nas-Forcas-Armadas- (http://expresso.sapo.pt/multimedia/259/2016-10-27-Sabia-que-temos-de-investir-mais-nas-Forcas-Armadas-)
Citar
Aí está uma fatura polémica, mas até 2024 os portugueses terão de gastar pelo menos dois por cento do seu PIB com o sector da Defesa, se não quiserem faltar à palavra dada à NATO na Cimeira de Gales. Jornalismo de dados em dois minutos e 59 segundos. Para explicar o país e o mundo

Saudações
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: Alvalade em Abril 20, 2017, 10:40:49 am
Gastar em defesa é polémico?
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: PereiraMarques em Setembro 18, 2017, 09:56:59 am
Novos VCEME e VCEMFA...por arrastamento, nos próximos dias, devemos ir ter várias promoções a Oficial General e dentro da própria sub-categoria.

Decreto do Presidente da República n.º 87/2017 - Diário da República n.º 180/2017, Série I de 2017-09-18108165161
PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA
Confirma a exoneração do cargo de Vice-Chefe do Estado-Maior do Exército do Tenente-General José António Carneiro Rodrigues da Costa

Decreto do Presidente da República n.º 88/2017 - Diário da República n.º 180/2017, Série I de 2017-09-18108165162
PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA
Confirma a nomeação para o cargo de Vice-Chefe do Estado-Maior do Exército do Tenente-General Fernando Celso Vicente de Campos Serafino

Decreto do Presidente da República n.º 89/2017 - Diário da República n.º 180/2017, Série I de 2017-09-18108165163
PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA
Confirma a exoneração do cargo de Vice-Chefe do Estado-Maior da Força Aérea do Tenente-General PILAV João José Carvalho Lopes da Silva

Decreto do Presidente da República n.º 90/2017 - Diário da República n.º 180/2017, Série I de 2017-09-18108165164
PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA
Confirma a nomeação para o cargo de Vice-Chefe do Estado-Maior da Força Aérea do Tenente-General PILAV Sílvio José Pimenta Sampaio
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: PereiraMarques em Setembro 18, 2017, 10:04:00 am
Despacho n.º 8104/2017 - Diário da República n.º 180/2017, Série II de 2017-09-18 108155362
Defesa Nacional - Gabinete do Secretário de Estado da Defesa Nacional
Quantitativo máximo de admissões de Militares por Ramo e por categoria nos Regimes de Contrato (RC) e de Voluntariado (RV), na Marinha, no Exército e na Força Aérea, para o ano de 2017

https://dre.pt/application/file/a/108159335
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: Duarte em Setembro 18, 2017, 02:53:18 pm
Fazendo uma listagem de todos os programas que estão a correr (previstos brevemente) de modernização/substituição nas FA

. MLU nas Bartolomeu Dias
. MLU (ligeiro) nas Vasco da Gama
. 2 NPO's
. 4/5 Patrulhas Classe Fisga
. Substituição parcial do armamento ligeiro (via Nato)
. Compra de 167 4x4 blindados (via Nato)
. Compra de 47 viaturas táticas médias blindadas e não blindadas (via Nato)
. Reforço do sistema de informação e comunicações tático do Exército
. Aquisição do equipamento Rádio Tático de Comunicações
. 5 helicópteros ligeiros para substituição do Alouette III (com possibilidade de mais 2)
. MLU nos c130 (cancelado entretanto??)

Estou-me a esquecer de alguma coisa?

Novo Sistema AA  para o Exercito
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: HSMW em Setembro 18, 2017, 03:04:05 pm
Viaturas administrativas para o Exército. Skoda Fabia 1.4 TDI
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: Viajante em Setembro 18, 2017, 03:18:21 pm
Viaturas administrativas para o Exército. Skoda Fabia 1.4 TDI

:)

Carros diesel com 3 cilindros? Bem, de certeza que não adormecem com o motor a trabalhar!
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: Lightning em Setembro 18, 2017, 10:02:26 pm
Kc390
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: PereiraMarques em Setembro 19, 2017, 11:42:16 am
Viaturas administrativas para o Exército. Skoda Fabia 1.4 TDI

Acho que falta o smile irónico  ;D nesta mensagem...
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: HSMW em Setembro 19, 2017, 12:07:26 pm
Viaturas administrativas para o Exército. Skoda Fabia 1.4 TDI

Acho que falta o smile irónico  ;D nesta mensagem...


É mesmo a sério! A frota de viaturas ligeiras e pesadas de transporte de pessoal está a ser renovada.
Menos gastos com reparações e combustível. Estes Skoda vêm substituir os Fiat Tipo 1.7, Astra 1.7, VW III Golf 1.6 Renault 19 e 21.
 8) 8)
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: HSMW em Setembro 20, 2017, 10:15:54 pm
Ah e as VW Caddy!!!

(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fimages.buyacar.co.uk%2Fimg%2Fmed%2Fvolkswagen_caddy_maxi_life_c20_cng_estate_37175.jpg&hash=b143e0a1996ccb4d8fa3445e663e2c71)

 ;D ;D ;D
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: nelson38899 em Setembro 23, 2017, 12:17:47 am
Viaturas administrativas para o Exército. Skoda Fabia 1.4 TDI

Acho que falta o smile irónico  ;D nesta mensagem...


É mesmo a sério! A frota de viaturas ligeiras e pesadas de transporte de pessoal está a ser renovada.
Menos gastos com reparações e combustível. Estes Skoda vêm substituir os Fiat Tipo 1.7, Astra 1.7, VW III Golf 1.6 Renault 19 e 21.
 8) 8)

Os camiões também vão ser substituidos?

Ou vamos manter os antigos ?
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: HSMW em Setembro 23, 2017, 07:50:03 pm
Recebemos algumas DAF em 2011 para o transporte das Pandur e complementar as Mercedes Actros e Volvo..  Portanto não se prevê nada de novo.
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: PereiraMarques em Março 02, 2018, 10:36:37 am
Lei n.º 10/2018 - Diário da República n.º 44/2018, Série I de 2018-03-02114796181
ASSEMBLEIA DA REPÚBLICA
Primeira alteração ao Estatuto dos Militares das Forças Armadas, aprovado em anexo ao Decreto-Lei n.º 90/2015, de 29 de maio

https://dre.pt/web/guest/home/-/dre/114796181/details/maximized
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: Lightning em Março 02, 2018, 11:01:18 pm
Novo CEMGFA quer reduzir dimensão do EMGFA, diz que quem precisa de efectivos são os Ramos.

Almirante anuncia redução de efetivos no Estado-Maior General das Forças Armadas

https://www.dn.pt/portugal/interior/almirante-anuncia-reducao-de-efetivos-no-estado-maior-general-das-forcas-armadas-9156336.html
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: Lightning em Março 07, 2018, 10:17:38 pm
Já sei como é que se escolheu o novo CEMGFA, é porque ele não fez choradinhos quando era CEMA ;D, devia ser aquela história do "zero naval" realmente não me lembro deste almirante ter esse discurso.

Silva Ribeiro recebe herança com menos militares e mais missões
https://www.dn.pt/portugal/interior/silva-ribeiro-recebe-heranca-com-menos-militares-e-mais-missoes-9152419.html
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: Lightning em Abril 03, 2018, 02:45:21 pm
missões militares internacionais 2018

(https://static.globalnoticias.pt/dn/image.aspx?brand=DN&type=generate&name=original&id=9229663&source=ng-445efabf-7ded-4d36-b2ec-6c3694b52750.jpg&t=20180403002300)
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: raphael em Abril 03, 2018, 03:05:26 pm
missões militares internacionais 2018

(https://static.globalnoticias.pt/dn/image.aspx?brand=DN&type=generate&name=original&id=9229663&source=ng-445efabf-7ded-4d36-b2ec-6c3694b52750.jpg&t=20180403002300)

Tens mais algumas, mas com um número reduzido de militares, com valências especificas e de alguma forma classificadas (porque essas também têm de existir para o bem e para o mal).
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: Camuflage em Abril 03, 2018, 09:24:52 pm
Que forças mais particularmente estão presentes em cada um desses países e com que objetivo?
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: Lightning em Abril 04, 2018, 10:39:27 am
Militares querem poder usar armas de fogo em missões em território nacional como os policias
https://observador.pt/2018/04/04/militares-querem-poder-usar-armas-de-fogo-em-missoes-em-territorio-nacional-como-os-policias/

Citar
As normas sugeridas são em tudo semelhantes às aplicadas aos agentes policiais. Em situações de invasão ou aproximação não autorizada a instalações militares ou outros locais sensíveis, como viaturas de transporte de material de guerra
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: Lightning em Abril 04, 2018, 11:27:51 am
Que forças mais particularmente estão presentes em cada um desses países e com que objetivo?

Assim de memória

Lituânia: destacamento de F-16, Força de Fuzileiros, destacamento de P-3 (não tenho a  certeza deste)
Afeganistão: unidade de infantaria para proteger o aeroporto, equipa de instrução
Mediterraneo: 1 Fragata
Golfo da Guiné: vários navios e Força de Fuzileiros da Armada, 1 P-3 da Força Aérea
Republica Centro-Africada: Força de Reacção rápida, equipa de instrução
Mali e Iraque: equipas de instrutores

Aqueles 400 homens no Atlântico também devem ser navios e aviões C295 ali pela Mauritânia, Senegal, coisas deste tipo
https://www.marinha.pt/pt-pt/media-center/noticias-destaques/Paginas/Navio-da-Marinha-regressa-de-missao-em-Africa1221-6478.aspx
http://www.emfa.pt/www/noticia-941-frontex-forca-aerea-termina-participacao-na-operacao-hera
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: Lusitan em Abril 04, 2018, 11:36:35 am
Que forças mais particularmente estão presentes em cada um desses países e com que objetivo?

Assim de memória

Lituânia: destacamento de F-16, Força de Fuzileiros, destacamento de P-3 (não tenho a  certeza deste)
Afeganistão: unidade de infantaria para proteger o aeroporto, equipa de instrução
Mediterraneo: 1 Fragata
Golfo da Guiné: vários navios e Força de Fuzileiros da Armada, 1 P-3 da Força Aérea
Republica Centro-Africada: Força de Reacção rápida, equipa de instrução
Mali e Iraque: equipas de instrutores

Aqueles 400 homens no Atlântico também devem ser navios e aviões C295 ali pela Mauritânia, Senegal, coisas deste tipo
https://www.marinha.pt/pt-pt/media-center/noticias-destaques/Paginas/Navio-da-Marinha-regressa-de-missao-em-Africa1221-6478.aspx
http://www.emfa.pt/www/noticia-941-frontex-forca-aerea-termina-participacao-na-operacao-hera

Eu penso que para a Lituânia também deve ir uma força do exército, como tem ido todos os anos.
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: Camuflage em Abril 07, 2018, 01:34:14 pm
Que forças mais particularmente estão presentes em cada um desses países e com que objetivo?

Assim de memória

Lituânia: destacamento de F-16, Força de Fuzileiros, destacamento de P-3 (não tenho a  certeza deste)
Afeganistão: unidade de infantaria para proteger o aeroporto, equipa de instrução
Mediterraneo: 1 Fragata
Golfo da Guiné: vários navios e Força de Fuzileiros da Armada, 1 P-3 da Força Aérea
Republica Centro-Africada: Força de Reacção rápida, equipa de instrução
Mali e Iraque: equipas de instrutores

Aqueles 400 homens no Atlântico também devem ser navios e aviões C295 ali pela Mauritânia, Senegal, coisas deste tipo
https://www.marinha.pt/pt-pt/media-center/noticias-destaques/Paginas/Navio-da-Marinha-regressa-de-missao-em-Africa1221-6478.aspx
http://www.emfa.pt/www/noticia-941-frontex-forca-aerea-termina-participacao-na-operacao-hera

Em que cenários estão as tropas especiais portuguesas a participar?
Em que outros países aqui não referidos estão militares presentes atualmente?

Em Timor não está ainda a GNR presente?
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: Lightning em Abril 07, 2018, 11:59:52 pm
Tropas especiais temos os paraquedistas na RCA, vamos ter fuzileiros na Lituânia, vamos ter uma pequena equipa OE a fazer segurança aos instrutores no Afeganistão.

As várias equipas de instrução pelo mundo podem incluir pessoal de tropas especiais, por exemplo, no Iraque já tivemos Comandos, acho que no Mali já tivemos OE a dar instrução de sniper.
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: Camuflage em Abril 08, 2018, 02:09:59 pm
Obrigado.

Interessa-me saber no presente onde andam:

FOEsp
Comandos
Pára-quedistas
PREC's
Fuzileiros
DAE
Merguladores Especiais
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: nelson38899 em Abril 08, 2018, 02:19:30 pm
Obrigado.

Interessa-me saber no presente onde andam:

FOEsp
Comandos
Pára-quedistas
PREC's
Fuzileiros
DAE
Merguladores Especiais
FOEs (confidencial)
 Comandos em treinos
Paraquedistas Africa
Precs (confidencial)
Fuzileiros (Africa)
DAE (confidencial)
Mergulhadores especiais (penso que num exercicio da NATO)

Quanto ao confidencial significa que não sei  e pelo que sei essa informação é confidencial, mas sei que já andaram pelas zonas quentes do mundo.
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: Lightning em Abril 08, 2018, 03:14:51 pm
Acho que os Comandos são a unidade terrestre atribuída à FRI este ano, talvez para o ano eles avancem para alguma missão.

Também temos os FACs na RCA  :-D.

O NOTP que se saiba, anda por cá em treinos.
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: perdadetempo em Abril 09, 2018, 08:54:10 pm
Uma questão que já me anda a fazer confusão à uns tempos.

Os fuzileiros irão em missão para a Lituânia este ano. Não seria altura da Marinha ir às compras para os equipar, como costuma acontecer no caso do exército, ou será que eles já têm todo o equipamento que precisam?

Cumprimentos,
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: jorgeshot1 em Abril 09, 2018, 11:08:27 pm
Uma questão que já me anda a fazer confusão à uns tempos.

Os fuzileiros irão em missão para a Lituânia este ano. Não seria altura da Marinha ir às compras para os equipar, como costuma acontecer no caso do exército, ou será que eles já têm todo o equipamento que precisam?

Cumprimentos,
Já têm coletes e capacetes balísticos novos. Mas há sempre mais equipamentos a comprar, podem estar às compras e nós ainda não sabemos.  :)
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: Charlie Jaguar em Abril 18, 2018, 11:54:29 am
No DN de hoje, para que não aconteçam mais episódios como o EC635.

Citar
Fim do armamento a pedido. Militares só podem comprar o que já existe no mercado
18 DE ABRIL DE 2018 08:10
Manuel Carlos Freire

Decisão visa acabar com os atrasos sistemáticos na aquisição de equipamentos militares, como é o caso da arma ligeira.

As Forças Armadas (FA) vão passar adquirir sistemas de armas existentes no mercado e em uso por países aliados, soube o DN. A medida consta da diretiva ministerial para rever a Lei de Programação Militar (LPM) e é a mais recente alteração aprovada para combater os atrasos sistemáticos na conclusão dos concursos. O caso da nova arma ligeira é o caso mais exemplar dos atrasos que, há anos, caracterizam os concursos de aquisição de equipamentos e armamento para as FA: a substituição da velhinha G3 da guerra colonial (1961-1974) já era equacionada no final dos anos 1980. Mesmo o atual concurso, feito através da agência especializada da NATO para esse efeito (NSPA), continua por concretizar porque o Exército tem apresentado novos requisitos operacionais que alteram o caderno de encargos ou, como noticiou o DN sobre outros concursos, nem existem no mercado. Agora os ramos definem os requisitos operacionais que pretendem. Se os fabricantes não têm produtos compatíveis ou não conseguem - como foi o caso dos helicópteros ligeiros EC-635 comprados para o Exército - satisfazer o estipulado, volta tudo à estaca zero.

Na "diretiva ministerial de orientação política para o investimento na Defesa", aprovada há uma semana pelo ministro Azeredo Lopes, diz-se que deverá ser dada preferência aos equipamentos "que já são adotados pelas FA de países aliados e, sempre que possível, mediante processos concursais multinacionais", para reduzir "custos de produção e manutenção" e obter "ganhos de interoperabilidade" com os aliados. Os caças F-16 são exemplo disso, pois Portugal integra o consórcio de países europeus com essas aeronaves e cujas aquisições em conjunto permitem poupanças significativas a cada um deles.

Note-se que a opção do ministro Azeredo Lopes em recorrer à NSPA para organizar os concursos de modernização das Forças Armadas visou acelerar esses processos. Já Veiga Simão, na segunda metade dos anos 1990, tinha imposto a presença de juristas na elaboração dos concursos e cadernos de encargos para evitar a conflitualidade judicial que marcava esses processos e acabava por levar mesmo à sua anulação.

Reequipar por capacidades

Outra orientação apresentada por Azeredo Lopes diz respeito à lógica de definição sobre o que se vai comprar: em vez de atender às necessidades individuais de cada ramo, passa a privilegiar-se a noção de "capacidade". A própria doutrina militar, que decorre da da NATO, define capacidade militar como o conjunto de elementos - material, pessoal, organização, interoperabilidade, doutrina, infraestruturas, treino, liderança - que contribuem para realizar determinadas tarefas operacionais ou atingir certos efeitos.

É esse "planeamento por capacidades" que justifica estudar "a hipótese" de fundir a LPM e a Lei de Infraestruturas Militares, a qual visa alienar o património imobiliário da Defesa para financiar novas construções ou reparar e manter os edifícios existentes. Dito de outra forma, tudo o que é investimento (armas, pessoal, infraestruturas) passaria a constar desse diploma único. Ter "capacidades conjuntas das FA", numa lógica de complementaridade e "utilização racional dos recursos financeiros", adequar a sua edificação às missões em que Portugal participa "no exterior" e dar "prioridade aos equipamentos de proteção individual, armamento e sustentação logística" são outras orientações políticas para rever este ano a LPM.

https://www.dn.pt/portugal/interior/fim-do-armamento-a-pedido-militares-so-podem-comprar-o-que-ja-existe-no-mercado-9266784.html
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: Cabeça de Martelo em Abril 18, 2018, 12:54:18 pm
Ministério da Defesa muda para o Regimento de Lanceiros

Artur Santos Silva vai presidir ao júri do concurso de ideias para a nova sede do Ministério da Defesa em Lisboa, entre os palácios de Belém e da Ajuda.

As instalações do Regimento de Lanceiros na Calçada da Ajuda, em Lisboa, vão ser a futura sede do Ministério da Defesa, anunciou esta terça-feira o titular da pasta, Azeredo Lopes.

Numa cerimónia em que participaram o ministro da Cultura e os chefes militares, o presidente da Câmara Municipal de Lisboa elogiou a escolha como a "solução realista e possível" para renovar "um espaço sem vida" localizado na importante zona turística da cidade e entre os palácios de Belém e da Ajuda.

Fernando Medina, exprimindo o seu reconhecimento pela disponibilidade das Forças Armadas em colaborar com a autarquia no sentido de encontrar as melhores soluções para o desenvolvimento da cidade, adiantou que a nova sede do Ministério da Defesa vai reforçar o caráter multifuncional do bairro da Ajuda, que sendo zona turística consegue manter espaços residenciais, de serviços e de trabalho.

Azeredo Lopes destacou a importância da escolha do edifício construído há cerca de dois séculos para sede do futuro Campus da Defesa, desde logo por permitir mantê-lo na esfera pública, promove uma melhor gestão dos recursos financeiros e porque "favorece as sinergias" entre a área militar e a Cultura.

O ministro da Cultura, Luís Filipe Castro Mendes, realçou a recuperação arquitetónica de um edifício situado num eixo da cidade marcado pela sua dimensão cultural e onde, a prazo, vai nascer também o Museu dos Tesouros Reais.

As dificuldades de adaptar o edifício onde está o Ministério da Defesa, no Restelo, bem como os elevados custos que comporta (na fatura energética, por exemplo) estão na base de uma decisão que permite concentrar igualmente outras estruturas espalhadas pela cidade, informou o gabinete.

O júri do concurso de ideias que está a ser ultimado pela tutela vai ser presidido por Artur Santos Silva e vai incluir representantes das faculdades de Arquitetura de Lisboa, Porto, Coimbra e Évora, dos ministérios da Defesa e da Cultura, da autarquia e da Ordem dos Arquitetos.

Com 70 mil metros quadrados, o espaço onde se insere o Regimento de Lanceiros 2 vai ter um núcleo museológico sobre a história dessa secular unidade militar que atualmente está instalada no edifício do antigo Regimento de Comandos (Amadora).

https://www.dn.pt/portugal/interior/ministerio-da-defesa-muda-para-o-regimento-de-lanceiros-9265294.html
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: Lightning em Abril 18, 2018, 02:50:59 pm
Novo Campus da Defesa poderá custar até 30 milhões de euros
https://www.dn.pt/portugal/interior/novo-campus-da-defesa-podera-custar-ate-30-milhoes-de-euros-9266800.html

Citar
(...)Esse investimento, que Azeredo Lopes disse esperar que "seja uma operação neutra do ponto de vista orçamental", será feito com verbas resultantes da alienação de imóveis como aquele onde agora está o Ministério da Defesa (no Restelo).

A mudança de instalações do Ministério da Defesa começou a ser equacionada há uma década, quando o atual edifício, no Restelo, foi incluído na primeira lista de imóveis (novembro de 2008) a rentabilizar no âmbito da Lei de Programação de Infraestruturas Militares (LPIM). As verbas resultantes desse processo, por via da venda ou de outros mecanismos como o arrendamento, permuta ou parcerias, destinam-se precisamente a financiar obras como as que vão decorrer nesse quartel da Ajuda.

Note-se que a localização do Ministério da Defesa na Avenida Ilha da Madeira, com uma vista privilegiada para o rio Tejo desde o rés-do-chão até ao topo, permite potenciar a rentabilização financeira do edifício em função do seu uso futuro, admitiu outra das fontes.(...)

Lá vai o edifico do MdN transformar-se num hotel ou apartamentos de luxo com vista para o Tejo, por mim nada contra :D.
Até Espero que o ministro tenha feito bem as contas e aconteça como ele diz.
Pessoalmente fico contente é por o antigo quartel do RL2 não desaparecer.
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: PereiraMarques em Abril 18, 2018, 05:08:26 pm
Provavelmente é exatamente isso...negociata imobiliária...depois quando não couberem todos nos Lanceiros (e nas instalações imediatamente adjacentes a sul, das ex-OGME, e no atual quartel do Corpo de Intervenção, a poente) vão andar a distribuir pessoal pela Amadora e pelas chafaricas de Lisboa que ainda existem...
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: HSMW em Abril 20, 2018, 11:44:30 pm
Provavelmente é exatamente isso...negociata imobiliária...depois quando não couberem todos nos Lanceiros (e nas instalações imediatamente adjacentes a sul, das ex-OGME, e no atual quartel do Corpo de Intervenção, a poente) vão andar a distribuir pessoal pela Amadora e pelas chafaricas de Lisboa que ainda existem...

Tal e qual! Isto cheira-me a esturro e negociata imobiliária...
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: Lightning em Julho 11, 2018, 04:35:12 pm
O CEMGFA disse que os grandes projectos para ele são a aquisição de viaturas blindadas para o exército, os helis para a FAP e para a Marinha os NPO e... Um navio polivalente logístico!!!!!
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: Cabeça de Martelo em Julho 11, 2018, 04:58:39 pm
O CEMGFA disse que os grandes projectos para ele são a aquisição de viaturas blindadas para o exército, os helis para a FAP e para a Marinha os NPO e... Um navio polivalente logístico!!!!!

Citar
...
Tudo isto existe
Tudo isto é triste
Tudo isto é fado
...

Dá-lhe Amália! blx2x1
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: tenente em Julho 11, 2018, 07:05:49 pm
O CEMGFA disse que os grandes projectos para ele são a aquisição de viaturas blindadas para o exército, os helis para a FAP e para a Marinha os NPO e... Um navio polivalente logístico!!!!!

Citar
...
Tudo isto existe
Tudo isto é triste
Tudo isto é fado
...

Dá-lhe Amália! blx2x1

Não entendo peva, há quanto tempo estão a decorrer os concursos para aquisição das VBL e dos Helis Lig ?????
Será que já alguém tem info que as ditas aquisições vão demorar assim tanto tempo mais para  que o CEMGFA vir a terreiro dizer o que disse ???
Quanto ao NPL, sr. Almirante, desculpe mas eu já deixei de acreditar nos políticos e também no Pai Natal, nem em ano de eleições essa aquisição se vai concretizar, que venha um AOR e já é muito bom !

Abraços
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: imaginário em Julho 11, 2018, 10:19:40 pm
O que me foi transmitido no passado fim de semana aquando das comemorações da FAP em Évora, é que o tribunal de contas já teria dado autorização para a compra de 5 KOALA, substituto  do All 3, mas que devido á demora na aprovação da compra e respectiva entrega dos helicópteros, a ESQ. 751 só voltará a receber pilotos vindos da instrução em 2020.
Portanto, assim se vê o estado em que as coisas estão.
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: rbp em Julho 12, 2018, 12:42:37 am
http://www.tvi24.iol.pt/videos/economia/costa-explica-onde-vai-gastar-mais-dinheiro-na-defesa/5b45f01b0cf2532cd6ca33a2
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: Crypter em Julho 12, 2018, 10:50:09 am
Ou seja, pela conversa do Costa (isto se o governo não cair neste orçamento..) vamos avançar com o projecto do NPL "dado" pelos alemães na altura da compra dos submarinos

(https://1.bp.blogspot.com/_8vV4aVw1DhI/S4XUHPBZg3I/AAAAAAAAA0o/_9TZfKxbEsQ/s400/NAVPOL1.jpg)

(https://2.bp.blogspot.com/_8vV4aVw1DhI/S4XTgbHBQbI/AAAAAAAAA0g/gzUBXhEfp-c/s400/NAVPOL+2.jpg)

Podem reler um artigo muito interessante sobre o NPL aqui: https://barcoavista.blogspot.com/2010/02/navio-polivalente-logistico.html
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: asalves em Julho 12, 2018, 10:56:15 am
Ou seja, pela conversa do Costa (isto se o governo não cair neste orçamento..) vamos avançar com o projecto do NPL "dado" pelos alemães na altura da compra dos submarinos

(https://1.bp.blogspot.com/_8vV4aVw1DhI/S4XUHPBZg3I/AAAAAAAAA0o/_9TZfKxbEsQ/s400/NAVPOL1.jpg)

(https://2.bp.blogspot.com/_8vV4aVw1DhI/S4XTgbHBQbI/AAAAAAAAA0g/gzUBXhEfp-c/s400/NAVPOL+2.jpg)

Podem reler um artigo muito interessante sobre o NPL aqui: https://barcoavista.blogspot.com/2010/02/navio-polivalente-logistico.html


O NAVPOL tem capacidade de fazer AOR? é que senão não devíamos construir logo uma solução 2 em 1, mais custos de construção mas menos depois.
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: Cabeça de Martelo em Julho 12, 2018, 11:52:49 am
Ou seja, pela conversa do Costa (isto se o governo não cair neste orçamento..) vamos avançar com o projecto do NPL "dado" pelos alemães na altura da compra dos submarinos

(https://1.bp.blogspot.com/_8vV4aVw1DhI/S4XUHPBZg3I/AAAAAAAAA0o/_9TZfKxbEsQ/s400/NAVPOL1.jpg)

(https://2.bp.blogspot.com/_8vV4aVw1DhI/S4XTgbHBQbI/AAAAAAAAA0g/gzUBXhEfp-c/s400/NAVPOL+2.jpg)

Podem reler um artigo muito interessante sobre o NPL aqui: https://barcoavista.blogspot.com/2010/02/navio-polivalente-logistico.html


O NAVPOL tem capacidade de fazer AOR? é que senão não devíamos construir logo uma solução 2 em 1, mais custos de construção mas menos depois.

Vê a partir da página 27:

https://www.griephan.de/fileadmin/user_upload/Publikationen/ausgabenggs/basissee/BasisSee-Cover.pdf

O que tu pretendes é algo como o Joint Support Ship (JSS) para o Canadá.
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: Lightning em Julho 12, 2018, 07:06:09 pm
https://observador.pt/2018/07/12/nato-o-que-trump-exigia-e-o-que-conseguiu-e-ainda-o-papel-de-portugal/

Afinal ainda se fala em NPL, AOR, etc, e não é 20 milhões.
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: tenente em Julho 12, 2018, 07:19:28 pm
Nem daqui a dez anos estas Prováveis aquisições estarão concluídas !!

Se continuarmos como até aqui a começar a construir cada dois NPO's depois dos dois anteriores estarem concluídos, para termos os seis prontos são necessários cerca de oito anos, lá para 2027 estarão os oito prontos já o NRP Viana do castelo tem dezassete anos !!
Voçês estão a ver os governos seguintes a embarcarem nos projectos de aquisição do NPL e AOR, 330 milhões ao mesmo tempo que se vai gastar mais 240 milhões para os NPO's ??
570 milhões só para a Marinha em oito anos, em cima disto adicionar os custos dos MLU's das Fragatas, dos Lynx, dos Tridentes ????
Desculpem mas eu não acredito em conversas dos Politicos, não dá para acreditar
de repente já se vai fazer compras e de quantidade exorbitante num País que nem tem dinheiro substituir a G3  de uma assentada ?????

E quanto aos 390 para a FAP, há qq coisa que não bate certo então cada aeronave vai custar cerca de 160 milhões ????   
O que eu já li em vários artigos é que o custo unitário rondaria os 70/80 milhões .

https://www.jornaldenegocios.pt/empresas/industria/detalhe/estado-vai-comprar-a-embraer-ate-seis-avioes-kc-390

https://br.sputniknews.com/europa/201707288973524-qualidades-aviao-kc-390-adquirido-portugal/


Em termos práticos, alcançar 1,66% do PIB em investimentos passa por concretizar alguns projetos:
•Novo navio reabastecedor: com um custo de cerca de 80 milhões de euros;
•Navio polivalente logístico: cujo preço base ronda valores entre os 230 e os 250 milhões de euros;
•Navios NPO: os seis navios custarão cerca de 240 milhões de euros;
Aviões KC390: está prevista a compra de cinco, com mais um de opção, num custo estimado em 800 milhões de euros.

Os novos aparelhos da Força Aérea têm um peso considerável nestas contas mas, mais do que isso, são um verdadeiro problema. Desde logo porque, quando foi confrontado com a fatura, o Ministério das Finanças travou a fundo, deixando o processo em suspenso.

https://observador.pt/2018/07/12/nato-o-que-trump-exigia-e-o-que-conseguiu-e-ainda-o-papel-de-portugal/


Abraços
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: tenente em Julho 12, 2018, 08:35:09 pm
Mais um artigo de 2017 que revela os preços por unidade dos KC390 a rondar os 70 milhões

https://www.jornaldenegocios.pt/empresas/industria/detalhe/estado-vai-comprar-a-embraer-ate-seis-avioes-kc-390

(https://imagizer.imageshack.com/v2/xq90/924/mBzC1a.jpg) (https://imageshack.com/i/pomBzC1aj)

(https://imagizer.imageshack.com/v2/xq90/923/wW6A31.jpg) (https://imageshack.com/i/pnwW6A31j)

Abraços
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: NVF em Julho 12, 2018, 10:31:56 pm
Se calhar, estão a pensar no custo do programa ao longo da sua vida útil (contratos de manutenção, sobresselentes, MLU, custos operacionais, etc.) que é como fazem nos países evoluídos. Assim, evita-se a palhaçada que aconteceu com os Merlin. Não, isso era demais.  ;D
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: tenente em Julho 12, 2018, 10:50:37 pm
Se calhar, estão a pensar no custo do programa ao longo da sua vida útil (contratos de manutenção, sobresselentes, MLU, custos operacionais, etc.) que é como fazem nos países evoluídos. Assim, evita-se a palhaçada que aconteceu com os Merlin. Não, isso era demais.  ;D

Se assim fosse, o que acho que seria correcto, também deveria ter sido aplicado tal formula sobre o custo das aquisições, tanto dos seis NPO's  como para o NPL e o AOR, digo eu, e chegaríamos a valores muito perto do dobro dos custos unitários de cada Navio ou seja estaríamos a falar não de cerca 570 milhões mas de 1150 milhões para os oito navios, que incluiriam não só os custos dos Navios mas também os das mnt, e da operação dos navios para cerca de trinta anos de vida.

É por estas e por outras, por discursos de circunstância e mal alinhavados, pois não passam de mentiras, atrás de mentiras, e vamos comprovar o que agora escrevo daqui a uns anos, que eu não acredito em nada que os politicozecos que temos no activo, dizem.

O que hoje se afirma amanhã vem dizer que o significado era outro, vejam o que está a acontecer com a contagem de tempo de serviço dos professores, o que há uns anos foi prometido solucionar, agora vem afirmando não haver dinheiro para pagar, e cumprir o que foi prometido, então quando prometeram não sabiam se tinham ou não dinheiro para concretizar o prometido ???

Com estas aquisições, desculpa que te diga NVF, mas passa-se exactamente o mesmo, então se andamos a contar os tostões para comprar as espingardas, as VBL's, os cinco, apenas cinco helis ligeiros, a juntar os tostões para comprar um AOR, levamos quase três anos para arranjar vinte e oito milhões para operacionalizar quatro lanchas classe Tejo e agora temos de uma assentada já mais de MIL, repito MIL MILHÕES para todas essas compras ???????
Acredite quem quiser eu não !!

O homem nem sabia do que estava a falar..... " Navio Logistico Polivalente ", muito bom, devia ser de emoção, ou do calibre da mentira.

Abraços
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: NVF em Julho 12, 2018, 11:36:39 pm
Confesso que no meio disto tudo o me que me surpreendeu foi a construção do NPL. Será que, finalmente, começaram a aprender com os nuestros hermanos, que a criação/manutenção de capacidade industrial é tão ou mais importante para a Defesa Nacional como os equipamentos em si? Acho que estou contigo, camarada tenente: é mais do mesmo, são discursos de situação para inglês ver (e ouvir). Quanto aos 80 milhões para o AOR, não pode ser coisa nova de certeza.
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: Get_It em Julho 12, 2018, 11:47:06 pm
Às tantas a ideia é fazer como se fez no passado: adquirir o equipamento e assinar os contratos e depois o governo seguinte que os cancele por não haver dinheiro.

Cumprimentos,
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: Lightning em Julho 13, 2018, 12:54:10 am
Penso que o valor para os KC390 é a compra dos aparelhos, mas também o investimento do governo na OGMA e em diversos centros de investigação envolvidos, pressuponho que quando se começar a vender os aviões, uma parte do valor regresse.
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: tenente em Julho 13, 2018, 07:59:42 am
Confesso que no meio disto tudo o me que me surpreendeu foi a construção do NPL. Será que, finalmente, começaram a aprender com os nuestros hermanos, que a criação/manutenção de capacidade industrial é tão ou mais importante para a Defesa Nacional como os equipamentos em si? Acho que estou contigo, camarada tenente: é mais do mesmo, são discursos de situação para inglês ver (e ouvir). Quanto aos 80 milhões para o AOR, não pode ser coisa nova de certeza.

NVF os discursos são sempre os mesmos, ele, sabe de certeza bem mais do que nós quanto á situação em termos de apoio politico que o Governo tem, o que é que lhe pode acontecer se cair ??
Não cumpre o que disse/escreveu até porque não se está a comprometer com nada não existe qualquer acordo/contrato assinado, salvo os KC's, apenas e só uma carta de intenções, onde é que eu já li isto, sobre o restante equipamento Naval e nada mais.
Se continuar em funções e a geringonça fizer nova legislatura no poder, os apoios políticos se encarregarão de limitar estas intenções ao mínimo, diria porventura mais dois NPO's e o AOR, o homem tem de agradar a Gregos e Troianos, o gajo é politico e, como tal tem jogo de cintura para estas ocasiões e assim vai contentando uns e calando outros, é o que eu penso NVF, para mim é mais do mesmo e vamos a ver Deus queira que esteja enganado mas é bom demais para ser verdade.

Abraços e venha de lá o Adamastor  :G-sig: :G-sig:
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: tenente em Julho 13, 2018, 08:04:42 am
Às tantas a ideia é fazer como se fez no passado: adquirir o equipamento e assinar os contratos e depois o governo seguinte que os cancele por não haver dinheiro.

Cumprimentos,

Já muitos políticos/governos o fizeram,  por isso não será nada de novo, já sabem como tem de fazer para atrasar ou até cancelar os contratos, caso dos NPO's, NPL, Lanchas de fiscalização, NH90, EC135 entre outros...........já fizeram o tirocínio, não precisam de ensinamento, são especialistas na matéria não fossem mentirosos e incompetentes !! 

Abraços
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: Srgdoido em Julho 13, 2018, 01:15:51 pm
https://www.dn.pt/poder/interior/meta-de-2-do-pib-em-2024-implica-gastar-mais-de-4-mil-milhoes-anuais-em-defesa-9574390.html
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: NVF em Julho 13, 2018, 02:48:26 pm
Confesso que no meio disto tudo o me que me surpreendeu foi a construção do NPL. Será que, finalmente, começaram a aprender com os nuestros hermanos, que a criação/manutenção de capacidade industrial é tão ou mais importante para a Defesa Nacional como os equipamentos em si? Acho que estou contigo, camarada tenente: é mais do mesmo, são discursos de situação para inglês ver (e ouvir). Quanto aos 80 milhões para o AOR, não pode ser coisa nova de certeza.

NVF os discursos são sempre os mesmos, ele, sabe de certeza bem mais do que nós quanto á situação em termos de apoio politico que o Governo tem, o que é que lhe pode acontecer se cair ??
Não cumpre o que disse/escreveu até porque não se está a comprometer com nada não existe qualquer acordo/contrato assinado, salvo os KC's, apenas e só uma carta de intenções, onde é que eu já li isto, sobre o restante equipamento Naval e nada mais.
Se continuar em funções e a geringonça fizer nova legislatura no poder, os apoios políticos se encarregarão de limitar estas intenções ao mínimo, diria porventura mais dois NPO's e o AOR, o homem tem de agradar a Gregos e Troianos, o gajo é politico e, como tal tem jogo de cintura para estas ocasiões e assim vai contentando uns e calando outros, é o que eu penso NVF, para mim é mais do mesmo e vamos a ver Deus queira que esteja enganado mas é bom demais para ser verdade.

Abraços e venha de lá o Adamastor  :G-sig: :G-sig:

Se o PC continuar a apoiar a geringonça, pelo menos, podemos contar com mais NPO's e lanchas de patrulha. Os gajos tem sempre defendido isso. Se calhar até alinham no NPL e AOR, mas coisas mais ofensivas duvido. Já o bloco deve ser contra tudo que é cinzento ou verde.
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: Ramos em Julho 15, 2018, 02:33:15 pm
Assim de repente, ocorre-me que que será necessário, num horizonte a 5 anos, fazer o seguinte:

FAP
PRIORITÁRIO
Substituir os C-130 pelo KC-390 (5 a 6 unidades)
Adquirir um novo helicóptero ligeiro (5 a 7 unidades)
Arrancar com a conversão dos F-16 para o padrão V

NECESSÁRIO
Substituir os Falcon por ??? (Embraer, Bombardier, Falcon…)
Efectuar um MLU aos Épsilon
Adquirir novo armamento ar-ar e ar-terra (AIM-120 D, AIM-9 X, bombas guiadas por laser e por GPS, misseis ar-terra)
Adquirir novos fardamentos e equipamentos individuais
Adquirir 2.000 / 3.000 armas de fogo ligeiras
Continuar a renovação do parque de viaturas

DESEJÁVEL
Aquisição de 7/8 unidades de um aparelho de instrução avançada (M346, T-50)
Início da substituição dos Épsilon unidade por unidade (T-6, Pilatus PC-9…)
Substituição das viaturas blindadas Condor por M-ATV ou similar (10 / 12 unidades)
Aquisição de pelo menos uma bateria de defesa aérea / anti míssil de longo alcance (idealmente, THAAD)
Aquisição de 4 unidades do drone MQ-9 e duas estações de controle

ARMADA
PRIORITÁRIO
Terminar o programa de construção dos OPV com, pelo menos, mais 4 unidades da classe Viana do Castelo
Aquisição de um Joint Support Ship, com valências de AOR / LSS (tipo Logistic Support Vessel Supporter 19000 da Damen)
MLU às fragatas Vasco da Gama e Bartolomeu Dias
MLU aos submarinos
MLU aos Linx

NECESSÁRIO
Aquisição de armamento para as fragatas e submarinos (mais ESSM, torpedos, Harpoon e sub-Harpoon)
Aquisição de novos fardamentos e equipamentos individuais
Aquisição de 2.000 / 3.000 armas de fogo ligeiras (prioritariamente para os fuzileiros)
Continuação da renovação do parque de viaturas da Marinha
Aquisição de algumas viaturas MRAP, tipo M-ATV para os fuzos (20 unidades)

DESEJÁVEL
Construção de um novo navio hidrográfico
Aquisição de capacidade SHORAD para os fuzos e para ser empregue, se necessário, a bordo dos OPV (12 Stinger / Mistral)
Lançamento do programa de construção de uma nova classe de navios auxiliares (duas a três unidades)
Aquisição de dois helicópteros Linx em segunda mão
Aquisição de novos sistemas anticarro para os fuzos (Spike, Javelin, 10 unidades)

EXÉRCITO
PRIORITÁRIO
Aquisição de novos fardamentos e equipamentos individuais
Aquisição de 15.000 / 16.000 armas de fogo ligeiras
Aquisição de viatura MRAP 4 x 4, tipo M-ATV (40 a 50 unidades)
Aquisição de viatura blindada ligeira 4 x 4 tipo L-ATV (100 unidades)
Aquisição de sistema de defesa aérea SHORAD (28 a 36 unidades de tiro e respectivos radares)
Continuação da renovação do parque de viaturas
Sustentação de munições

NECESSÁRIO
Aquisição de equipamentos diversos de engenharia (buldozers tipo CAT D7, com  equipamentos de desminagem, meios de abertura de itinerários tipo Bufalo, meios de reconhecimento NBC tipo Fox, veículos de combate de engenharia tipo Kodiak, veículos lança-pontes, drones)
Inicio da substituição dos sistemas míssil anticarro (MMP, Spike, Javelin…)
Aquisição de um grupo de artilharia de campanha de 155mm rebocada (M777) ou autopropulsionada (Caeser), e sistemas associados (radares de detecção de tiro de artilharia, estações meteorológicas, veículos municiadores)
Aquisição de recuperadores pesados para o GCC

DESEJÁVEL
Início da substituição do M113 por um misto de Bradley e AMPV
Aquisição de viaturas municiadoras M992 para a Brigada Mecanizada
Completamento do parque de viaturas Pandur com as viaturas anticarro e porta morteiro
Aquisição de munições de 155mm Excalibur
Aquisição de veículos tipo Centauro (Brigada de Intervenção, 10 a 12 unidades) e Jaguar (BRR, 10 a 12 unidades)

Esquecendo o DESEJÁVEL (que pertence ao domínio dos sonhos, totalmente húmidos no caso de alguns dos equipamentos mencionados), e até deixando em banho-maria o NECESSÁRIO, alguém acredita que em 5 anos, mesmo com toda a pressão que existe por parte da NATO para aumentar as despesas com a defesa, o Estado Português vai conseguir cumprir com o PRIORITÁRIO?
Muito (agradavelmente) surpreendido ficaria.
Cumprimentos,
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: Get_It em Julho 15, 2018, 04:11:31 pm
Olhando para essas prioridades eu cá começo a ser da opinião que devíamos, infelizmente, fazer alguma ginástica e deixar cair a substituição dos C-130, reforçando antes a frota dos C-295 e recorrendo às pools europeias e NATO para nos safarmos durante algum tempo, enquanto se desvia os fundos de uma verdadeira substituição dos C-130 para outros programas mais urgentes ou que permitam que não percamos valências e know-how. Por exemplo, vejo alguns dos programas da Marinha como mais urgentes que o do C-130.

Cumprimentos,
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: tenente em Julho 15, 2018, 07:58:35 pm
Ramos o que dizes  " ser necessário num horizonte de cinco anos " a meu ver não é possível nem num horizonte a vinte anos, já viste os milhares de milhões que estão na tua lista.

Abraços
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: Ramos em Julho 15, 2018, 08:47:07 pm
Ramos o que dizes  " ser necessário num horizonte de cinco anos " a meu ver não é possível nem num horizonte a vinte anos, já viste os milhares de milhões que estão na tua lista.

Abraços

Tenente, daí eu falar em prioritário, necessário e desejável. E se viesse nesse horizonte temporal de 5 anos apenas o prioritário, creio que todos ficaríamos razoavelmente satisfeitos.

Mas vamos a umas contas de merceeiro apenas para o prioritário…

FAP
Substituir os C-130 pelo KC-390 (5 a 6 unidades) – Cerca de 400 milhões de € para aquisição de 5 unidades (não inclui custos de manutenção e operação)
Adquirir um novo helicóptero ligeiro (5 a 7 unidades) – Cerca de 30 milhões de € para a aquisição de 7 unidades (não inclui custos de manutenção e operação)
Arrancar com a conversão dos F-16 para o padrão V – Cerca de 500 milhões de € para a frota de 28 aparelhos, o que dá aproximadamente 18 milhões por aparelho. Considerando a modernização de 3 aparelhos por ano, em 5 anos estaríamos a falar de 270 milhões de €.
A fatia da FAP seria de 700 milhões de €.

ARMADA
Terminar o programa de construção dos OPV com, pelo menos, mais 4 unidades da classe Viana do Castelo – A cerca de 80 milhões a unidade, 320  milhões de €
Aquisição de um Joint Support Ship, com valências de AOR / LSS (tipo Logistic Support Vessel Supporter 19000 da Damen) – 120 milhões de €
MLU às fragatas Vasco da Gama e Bartolomeu Dias – Se feita à séria, a todos os navios, seriam cerca de 70 milhões de € por unidade, 350 milhões de € no total
MLU aos submarinos – Mais uns 30 a 40 milhões por unidade
MLU aos Linx – 10 milhões de € por unidade
A fatia da Armada rondaria os 900 milhões de €.

EXÉRCITO
Aquisição de novos fardamentos e equipamentos individuais – Não consigo quantificar
Aquisição de 15.000 / 16.000 armas de fogo ligeiras – A cerca de 2.500 € cada arma, são cerca de 40 milhões de Euros
Aquisição de viatura MRAP 4 x 4, tipo M-ATV (40 a 50 unidades) – cerca de 30 milhões de €
Aquisição de viatura blindada ligeira 4 x 4 tipo L-ATV (100 unidades) – Cerca de 50 milhões de €
Aquisição de sistema de defesa aérea SHORAD (28 a 36 unidades de tiro e respectivos radares) – não consigo quantificar
Continuação da renovação do parque de viaturas – Não consigo quantificar
Sustentação de munições – Não consigo quantificar
Digamos que a fatia do Exército estaria abaixo das demais, rondando os 500 milhões de €.

Total: 2.100 Milhões de € em 5 anos, ou seja, cerca de 420 milhões por ano.

Se pedir isto é pedir demais, depois de décadas a desinvestir massivamente nas Forças armadas, é melhor fechar a loja.

Cumprimentos,

Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: Ramos em Julho 15, 2018, 08:58:13 pm
Olhando para essas prioridades eu cá começo a ser da opinião que devíamos, infelizmente, fazer alguma ginástica e deixar cair a substituição dos C-130, reforçando antes a frota dos C-295 e recorrendo às pools europeias e NATO para nos safarmos durante algum tempo, enquanto se desvia os fundos de uma verdadeira substituição dos C-130 para outros programas mais urgentes ou que permitam que não percamos valências e know-how. Por exemplo, vejo alguns dos programas da Marinha como mais urgentes que o do C-130.

Cumprimentos,

Get_it, não creio que perder a nossa única verdadeira capacidade de projecção seja uma opção razoável. Mais a mais quando estamos cada vez mais envolvidos em mais missões exteriores.
Até acho que para além dos 5 KC390 deveriamos mas era pensar em adquirir uns dois ou três C17. Mas tal é pura utopia, e nunca irá acontecer.  :mala:

Venham de lá os KC's do Dr. Costa, que já vêm tarde  :Piloto:

PS - viajando ao reino da utopia, deixe-me dizer-lhe que ter mais uns dois C-295 não viria mal em nenhuma circunstância. Mais um para patrulha maritima e outro para transporte. Mas como tal jamais virá a acontecer ...

Cumprimentos,
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: tenente em Julho 15, 2018, 09:18:30 pm
Olhando para essas prioridades eu cá começo a ser da opinião que devíamos, infelizmente, fazer alguma ginástica e deixar cair a substituição dos C-130, reforçando antes a frota dos C-295 e recorrendo às pools europeias e NATO para nos safarmos durante algum tempo, enquanto se desvia os fundos de uma verdadeira substituição dos C-130 para outros programas mais urgentes ou que permitam que não percamos valências e know-how. Por exemplo, vejo alguns dos programas da Marinha como mais urgentes que o do C-130.

Cumprimentos,

Get_it, não creio que perder a nossa única verdadeira capacidade de projecção seja uma opção razoável. Mais a mais quando estamos cada vez mais envolvidos em mais missões exteriores.
Até acho que para além dos 5 KC390 deveriamos mas era pensar em adquirir uns dois ou três C17. Mas tal é pura utopia, e nunca irá acontecer.  :mala:

Venham de lá os KC's do Dr. Costa, que já vêm tarde  :Piloto:

PS - viajando ao reino da utopia, deixe-me dizer-lhe que ter mais uns dois C-295 não viria mal em nenhuma circunstância. Mais um para patrulha maritima e outro para transporte. Mas como tal jamais virá a acontecer ...

Cumprimentos,

Olha Ramos, para os aviões de transporte eu até já me dava por satisfeito com 03  KC390, 02 C17 e 02 C295W, e até a FAP festejava, podes crer.

Abraços
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: Stalker79 em Julho 16, 2018, 02:30:49 am
Sem querer ser o desmancha prazeres, o ultimo C17 que foi vendido a India ficou por + de 360 milhões de dólares.
Esqueçam, mais valia ir buscar dois A400M por o preço só de uma unidade do C17.
 :(
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: NVF em Julho 16, 2018, 06:17:14 am
C-130J, sempre! KC-390, por que não? A400M, já começa a ficar para o caro, mas C-17 para transportar o quê? 4 companhias de pára-quedistas, 2 companhias de comandos, 3 companhias de fuzos, 1 companhia de OE e mais uns pelotões do DAE? Tudo forças ligeiras sem grandes componentes blindadas. Acho um bocado overkill e com custos incomportáveis para o nosso magro orçamento.
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: nelson38899 em Julho 16, 2018, 10:19:07 am
C-130J, sempre! KC-390, por que não? A400M, já começa a ficar para o caro, mas C-17 para transportar o quê? 4 companhias de pára-quedistas, 2 companhias de comandos, 3 companhias de fuzos, 1 companhia de OE e mais uns pelotões do DAE? Tudo forças ligeiras sem grandes componentes blindadas. Acho um bocado overkill e com custos incomportáveis para o nosso magro orçamento.

Parece que vem aí uma reforma não reforma, ou seja, o treino da tropa tuga vai para o interior do país, vamos ver se vão fechar a escola de Mafra.
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: Lightning em Julho 16, 2018, 11:35:35 am
Qual unidade, Santa Margarida? Abrantes?
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: PereiraMarques em Julho 16, 2018, 04:10:21 pm
Qual unidade, Santa Margarida? Abrantes?

Ainda há os Regimentos de Chaves e Beja "às moscas"...mais para ai ninguém quer ir nem que "chovam canivetes"! 
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: Lightning em Julho 16, 2018, 05:33:03 pm
Nessas unidades fazem a instrução básica, tal como Abrantes.

Os Paras têm a sua instrução em Tancos e os OE em Lamego, isso é tudo interior.

Mas depois temos Escola das Armas em Mafra, a Escola dos Serviços na Póvoa do Varzim, a ESE nas Caldas, os Comandos na Carregueira.

Mas já é alguma coisa, a Marinha e FAP não tem nada no interior.

A GNR também tem um dos seus centros de instrução em Portalegre.
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: PereiraMarques em Julho 16, 2018, 06:02:45 pm
A Marinha acho que é normal  ;D ...mas isso é apenas a minha opinião  ;)
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: tenente em Julho 16, 2018, 06:50:14 pm
C-130J, sempre! KC-390, por que não? A400M, já começa a ficar para o caro, mas C-17 para transportar o quê? 4 companhias de pára-quedistas, 2 companhias de comandos, 3 companhias de fuzos, 1 companhia de OE e mais uns pelotões do DAE? Tudo forças ligeiras sem grandes componentes blindadas. Acho um bocado overkill e com custos incomportáveis para o nosso magro orçamento.

NVF eu também prefiro o J aos KC's sem dúvida mas a minha escolha pelo C17 é sobretudo por dois motivos que passo a mencionar não se prende com as nossas FE's .

O primeiro motivo é os gastos exorbitantes que o Estado  "oferece", sempre que é necessário efectuar o transporte de Homens e viaturas para os diversos TO's, as agora tão frequentes e famosas FND.

Quantos voos eram necessários efectuar para colocar, por exemplo, na RCA uma companhia, apenas uma companhia de Paras ou CMDs com o seu material rolante, e uns quantos Pandur, como reforço, se apenas tivessemos os KC's ou os Hercules ???   

muitos, se as aeronaves fossem capazes de transportar os Pandur, pois há versões que não são transportáveis devido não só ao Payload como ao seu volume, e, nesse caso alugava-se mais um vez um AN124 para transportar as 15, 20, 30 viaturas se não mais em dois ou três voos, mesmo um A400 tinha que efectuar o dobro dos voos de um C17 para transportar o mesmo material, portanto pelo menos demoraríamos o dobro de tempo, com duas vezes mais tripulações, se as tivessemos e muito mas muito mais combustível, imagina os custos acrescidos.
 
(https://imagizer.imageshack.com/v2/xq90/921/sCRmrc.jpg) (https://imageshack.com/i/plsCRmrcj)

(https://imagizer.imageshack.com/v2/xq90/923/fWLYUI.jpg) (https://imageshack.com/i/pnfWLYUIj)

(https://imagizer.imageshack.com/v2/xq90/924/H7aGC2.jpg) (https://imageshack.com/i/poH7aGC2j)

(https://imagizer.imageshack.com/v2/xq90/921/DBg09d.jpg) (https://imageshack.com/i/plDBg09dj)

(https://imagizer.imageshack.com/v2/xq90/922/TOJ4ep.jpg) (https://imageshack.com/i/pmTOJ4epj)

(https://imagizer.imageshack.com/v2/xq90/923/ALL26Q.jpg) (https://imageshack.com/i/pnALL26Qj)


https://en.wikipedia.org/wiki/Airbus_A400M_Atlas

https://en.wikipedia.org/wiki/Boeing_C-17_Globemaster_III

Payload A400 -  35 tons vs C17 -  77 Tons

Preços A400 - 152 milhões vs  C17 - 300 Milhões

Também e porque não possuímos nenhum método de em caso de catástrofe deslocar para as nossas zonas insulares os meios de ajuda Humanitária rapidamente e em força, tais como material de engenharia e de bombeiros como reforço dos meios locais.
Com os actuais e ou futuros meios aéreos de transporte médio, a FAP não consegue cumprir qualquer uma das duas missões que acima mencionei e, pelo que parece assim vai continuar !!

PS as fotos foram tiradas por mim em Lisboa, quando se efectuava o carregamento de um 124 para Cabul.

Abraços
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: Ramos em Julho 16, 2018, 08:34:42 pm
C-130J, sempre! KC-390, por que não? A400M, já começa a ficar para o caro, mas C-17 para transportar o quê? 4 companhias de pára-quedistas, 2 companhias de comandos, 3 companhias de fuzos, 1 companhia de OE e mais uns pelotões do DAE? Tudo forças ligeiras sem grandes componentes blindadas. Acho um bocado overkill e com custos incomportáveis para o nosso magro orçamento.

NVF eu também prefiro o J aos KC's sem dúvida mas a minha escolha pelo C17 é sobretudo por dois motivos que passo a mencionar não se prende com as nossas FE's .

O primeiro motivo é os gastos exorbitantes que o Estado  "oferece", sempre que é necessário efectuar o transporte de Homens e viaturas para os diversos TO's, as agora tão frequentes e famosas FND.

Quantos voos eram necessários efectuar para colocar, por exemplo, na RCA uma companhia, apenas uma companhia de Paras ou CMDs com o seu material rolante, e uns quantos Pandur, como reforço, se apenas tivessemos os KC's ou os Hercules ???   

muitos, se as aeronaves fossem capazes de transportar os Pandur, pois há versões que não são transportáveis devido não só ao Payload como ao seu volume, e, nesse caso alugava-se mais um vez um AN124 para transportar as 15, 20, 30 viaturas se não mais em dois ou três voos, mesmo um A400 tinha que efectuar o dobro dos voos de um C17 para transportar o mesmo material, portanto pelo menos demoraríamos o dobro de tempo, com duas vezes mais tripulações, se as tivessemos e muito mas muito mais combustível, imagina os custos acrescidos.

Também e porque não possuímos nenhum método de em caso de catástrofe deslocar para as nossas zonas insulares os meios de ajuda Humanitária rapidamente e em força, tais como material de engenharia e de bombeiros como reforço dos meios locais.
Com os actuais e ou futuros meios aéreos de transporte médio, a FAP não consegue cumprir qualquer uma das duas missões que acima mencionei e, pelo que parece assim vai continuar !!

PS as fotos foram tiradas por mim em Lisboa, quando se efectuava o carregamento de um 124 para Cabul.

Abraços

Nem mais Tenente. Creio que a explicação que dás resume tudo.

Só no que respeita à sustentação das Forças Nacionais Destacadas, possuir uma aeronave que permitisse vôos sem escalas para a maior parte dos teatros onde temos militares empenhados, o transporte num só vôo de uma muito maior quantidade de pessoal e/ou de carga, reduzindo a quantidade de vôos necessários para a colocação ou retirada das forças e equipamentos do terreno e para a sua sustentaçã, e que significasse o fim da necessidade de contractar transporte aéreo de passageiros e carga, seria sem dúvida uma aposta muito interessante.

Deve aliás haver nas Forças Armadas alguma malta com a mesma opinião, já que andaram há uns anos bastante empenhados na aquisição do A-400M, programa onde de resto o Estado Português gastou umas belas massarocas!

Já agora, e por curiosidade, muito gostaria eu de saber quanto é que sai do orçamento da Defesa anualmente apenas para contractação de transporte aéreo. Se calhar, se vamos às contas.....

Cumprimentos,

Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: NVF em Julho 16, 2018, 09:50:13 pm
Tenente, tens FFAA europeias com maior capacidade expedicionária que nós e que não necessitam ou nem têm capacidade monetária para manter equipamento da classe do C-17 (alguns até têm menos C-130 que nós). Quanto a mim, o C-17 está completamente fora das nossas possibilidades.

Para as nossas necessidades, penso que bastava ser membro do consórcio C-17 NATO (12 nações, 3 C-17A). A razão porque ainda não somos membros escapa-me completamente. Normalmente, só alinhamos em grupos em que não é necessário gastar narta. No entanto, somos membros do grupo AWACS sem ter grande benefício directo. Se fossemos membros do consórcio C-17, teríamos direito a um x número de horas anuais, ou seja, havia benefício directo.
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: raphael em Julho 17, 2018, 04:33:33 pm
Vocês têm em conta a necessidade de pessoal para operar e manter todas essas futuras aquisições virtuais?

Temos uma imensidão de tarefas logísticas que estão a ficar para trás, cada vez maior recurso a outsourcing sem capacidade financeira para contratar...

Um aparte a TAP para 2019 necessita de 390 novos  pilotos, o mercado civil formará 90 na melhor opção...sobra para quem? Para 2019 vai ser uma sangria generalizada e em termos de fontes de financiamento...sem comentários.
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: tenente em Julho 17, 2018, 06:47:01 pm
Vocês têm em conta a necessidade de pessoal para operar e manter todas essas futuras aquisições virtuais?

Temos uma imensidão de tarefas logísticas que estão a ficar para trás, cada vez maior recurso a outsourcing sem capacidade financeira para contratar...

Um aparte a TAP para 2019 necessita de 390 novos  pilotos, o mercado civil formará 90 na melhor opção...sobra para quem? Para 2019 vai ser uma sangria generalizada e em termos de fontes de financiamento...sem comentários.

Raphael, a TAP não vai buscar só ao mercado Nacional os pilotos que necessita, por variadíssimos motivos, entre os quais os pilotos quando são formados tem muito poucas horas de voo e a TAP para admissão passou em 2000 das 1500 horas/voo para em 2013 exigir 300 horas/voo, em 2016 as 250 horas/voo, e, em 2017 manter as 250 horas, tal é a falta de pilotos a nível mundial.

A TAP tem 944 pilotos e nos últimos três anos admitiu 145, quase um por semana.

Abraços
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: raphael em Julho 17, 2018, 11:47:24 pm
Tenente é óbvio que o recrutamento da TAP não vai só ao mercado interno, mas tens vários pilotos FAP que estão ansiosos por atingir os 12 anos obrigatórios e ir à vidinha deles com abate ao quadro...
Daí na componente aérea o reequipamento que muitos sugerem é irrealizável...para não falar da componente dinheiro...
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: Lightning em Julho 18, 2018, 10:42:17 am
Isto já só melhora quando for tudo drones eh eh eh.
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: Cabeça de Martelo em Julho 18, 2018, 10:55:10 am
Isto já só melhora quando for tudo drones eh eh eh.

E com Sargentos a controlá-los... 8)
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: NVF em Julho 18, 2018, 02:28:50 pm
Isto já só melhora quando for tudo drones eh eh eh.

E com Sargentos a controlá-los... 8)

A USAF está a pensar trazer de volta a categoria de warrant officer (que fica entre sargentos e oficiais). Muitos dos pilotos de US Army são warrant officers. Penso que o mais próximo que se aproxima do mesmo conceito, no seio das nossas FFAA, é oficial miliciano.

https://www.airforcetimes.com/news/your-air-force/2017/12/26/new-in-2018-will-the-air-force-bring-back-warrant-officers/ (https://www.airforcetimes.com/news/your-air-force/2017/12/26/new-in-2018-will-the-air-force-bring-back-warrant-officers/)
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: HSMW em Julho 18, 2018, 03:15:42 pm
Isso do miliciano já acabou. O mais próximo são os Oficiais contratados.
Para evitar complicações é melhor colocar uns putos de 16 anos a controlar os drones....  ;D
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: Cabeça de Martelo em Julho 18, 2018, 05:04:44 pm
Isto já só melhora quando for tudo drones eh eh eh.

E com Sargentos a controlá-los... 8)

A USAF está a pensar trazer de volta a categoria de warrant officer (que fica entre sargentos e oficiais). Muitos dos pilotos de US Army são warrant officers. Penso que o mais próximo que se aproxima do mesmo conceito, no seio das nossas FFAA, é oficial miliciano.

https://www.airforcetimes.com/news/your-air-force/2017/12/26/new-in-2018-will-the-air-force-bring-back-warrant-officers/ (https://www.airforcetimes.com/news/your-air-force/2017/12/26/new-in-2018-will-the-air-force-bring-back-warrant-officers/)

Para mim o mais próximo disso eram os cursos para Sargentos QP, em que eles depois do dito curso ascendiam a Oficiais, mas sabendo antemão que não iam além do posto de Major. lembro-me que tivemos um forista que estava nessa situação, mas penso que entretanto acabaram com esses cursos.
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: HSMW em Julho 18, 2018, 05:35:01 pm
Chegavam a Tenente-Coronel. Eram Oficiais técnicos de Material, Transportes e Transmissões.

Tudo aquilo que faz um Exercito funcionar...
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: NVF em Julho 18, 2018, 05:48:57 pm
Os warrant officers nas FFAA americanas estão acima dos sargentos e dos cadetes, mas abaixo de todos os oficiais. Para além disso, qualquer praça, sargento, ou warrant officer pode candidatar-se a oficial (tem que concorrer ao OCS - Officer Candidate School). Se for aceite e passar no curso torna-se oficial sem quaisquer restrições, i.e., pode vir a ser general.
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: tenente em Julho 18, 2018, 05:57:02 pm
Chegavam a Tenente-Coronel. Eram Oficiais técnicos de Material, Transportes e Transmissões.

Tudo aquilo que faz um Exercito funcionar...

Sargentos que depois do curso na maioria dos casos, por limite de idade atingia a idade da reserva, como capitão, enquanto que outros, muitissimo poucos, conseguia chegar a Major do Serviço geral.

Abraços
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: Ramos em Julho 18, 2018, 09:33:53 pm
Vocês têm em conta a necessidade de pessoal para operar e manter todas essas futuras aquisições virtuais?

Temos uma imensidão de tarefas logísticas que estão a ficar para trás, cada vez maior recurso a outsourcing sem capacidade financeira para contratar...

Um aparte a TAP para 2019 necessita de 390 novos  pilotos, o mercado civil formará 90 na melhor opção...sobra para quem? Para 2019 vai ser uma sangria generalizada e em termos de fontes de financiamento...sem comentários.

Raphael, a TAP não vai buscar só ao mercado Nacional os pilotos que necessita, por variadíssimos motivos, entre os quais os pilotos quando são formados tem muito poucas horas de voo e a TAP para admissão passou em 2000 das 1500 horas/voo para em 2013 exigir 300 horas/voo, em 2016 as 250 horas/voo, e, em 2017 manter as 250 horas, tal é a falta de pilotos a nível mundial.

A TAP tem 944 pilotos e nos últimos três anos admitiu 145, quase um por semana.

Abraços

Creio que esta troca de pontos de vista começou porque algures lá para trás postei algo em que dizia que achava desejável que a FAP pudesse vir a possuir no seu inventário 2 C-17.

Bom, primeiro, trata-se tão só e apenas de uma opinião. Já o disse, e repito: só decorrente da necessidade de dar suporte às muitas missões exteriores em que as Forças Armadas Portuguesas estão desde há vários anos envolvidas, possuir no inventário o C-17 seria um acréscimo de capacidade excelente. Há outros foristas que não pensam da mesma forma, o que é óptimo – normalmente, diferentes opiniões servem para aprendermos algo e, muitas vezes, até para nos fazer pensar um pouco mais sobre o assunto e adequarmos os nossos pontos de vista. No caso concreto, depois de ler vários post’s com várias opiniões, sigo na minha: entendo que possuir esta capacidade seria uma enorme mais valia para o Estado Português – para as Forças Armadas à cabeça, mas também para o Serviço Nacional de Protecção Civil que, em caso de necessidade, teria também à disposição uma alternativa viável para projectar muito rapidamente uma significativa quantidade de meios humanos e materiais.

Segundo, porque é que acho que o C-17 seria a melhor opção? Porque entendo que a investir num meio com verdadeira capacidade de projecção estratégica, mais vale optar pelo que de melhor o mercado oferece em termos de capacidade (em sentido lato), do que optar pela segunda melhor hipótese disponível (A-400M). O post do Tenente, em que compara a capacidade do C17 com o A-400M é bastante esclarecedor a propósito deste ponto.

Terceiro, e como atrás também disse, se não existisse uma vontade de possuir uma verdadeira capacidade de projecção estratégica, não teria existido uma participação no projecto do A-400M há uns anos atrás. Ou seja, existia vontade do Estado Português (ou pelo menos das Forças Armadas), em possuir essa capacidade, vontade essa que, por razões várias (com a crónica falta de liquidez tuga à cabeça), não passou disso mesmo – de um desejo não concretizado.

Quarto, é um facto que uma boa parte das missões exteriores realizadas pelas Forças Armadas Portuguesas são ao serviço da ONU e, como mencionou o Pedro Monteiro, na área dedicada à missão na RCA, a ONU liquida esses custos aos países envolvidos. Mas creio eu (e alguém me corrija se estiver enganado), que tanto liquida a “factura” dos Antonov contractados, como o custo das horas de vôo dos C-130 da FAP. Desse ponto de vista, ter um aparelho que consegue fazer mais (transportar mais homens e equipamentos) com menos (menos escalas e horas de vôo e, consequentemente, menos vôos), resulta numa mais valia para todos.

Quinto, mesmo que por milagre um dia aterrassem numa base aérea portuguesa dois C-17 com as cores nacionais, seria sempre necessário possuir outra aeronave intermédia, como o C-130 ou o KC-390. OK, são dois tipos diferentes de aeronaves, duas linhas logísticas, tripulações e pessoal de manutenção para uma e para outra, etc, etc, etc. Mas será que, bem feitas as contas, mesmo assim, possuir tal capacidade não compensaria? Essa é uma questão à qual não consigo, evidentemente responder. Entendo que as vantagens de ter seriam sempre superiores aos prováveis constrangimentos que a existência dessa capacidade traria.

Sexto, sejamos honestos: C-17 e Portugal, só mesmo se e quando os virmos a aterrar por cá no âmbito de um exercício que implique a deslocação de suporte logístico por parte dos EUA ou do Reino Unido. Pensar em possuir tal capacidade é isso mesmo – um desejo, uma utopia que jamais se concretizará. Não invalida que não ache que essa seria uma importante opção.

Já agora, e sobre a nota do Raphael – andam por aí a discutir há anos a possibilidade de estender o tempo de serviço obrigatório dos pilotos da FAP de 12 para 16 anos, precisamente para “aliviar” a sangria de que o ramo tem sido alvo. Porque carga de água é que ainda nada foi feito nesse sentido?

Cumprimentos, e venham de lá os KC-390 que, se um dia destes chegarem, já vamos cheios de sorte.
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: NVF em Julho 18, 2018, 11:58:16 pm
Independentemente da opinião de cada um, C-17 agora só usados e somente se algum dos países utilizadores se quiser aliviar de uns exemplares -- o que me parece duvidoso. Seria, porventura, mais fácil adquirir uns C-5 usados do que C-17. Mas se não há estrutura nem guito para C-17's, muito menos haverá para os Galaxy.
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: Stalker79 em Julho 19, 2018, 02:13:21 am
Da maneira que isto está a ir não tarda nada estão a pensar ir buscar um Antonov 225 Myria....
 :toto:
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: NVF em Julho 19, 2018, 06:48:59 am
Da maneira que isto está a ir não tarda nada estão a pensar ir buscar um Antonov 225 Myria....
 :toto:

Esse ainda é mais difícil de ir buscar que um C-17 pois só foi fabricado um exemplar. Mas no AMARC tens 57 C-5A. Com uns dois transportavas todas as nossas FND para as missões internacionais. Deviam voar para aí umas quatro ou cinco vezes por ano (os C-17 para aí umas 10 vezes). Nem era preciso ter tripulações permanentes. :mrgreen:

Ainda estou para perceber como é que os holandeses mandam pessoal para todo o lado com somente uma frota de quatro C-130H e dois KC-10. Se calhar é porque sendo uma nação marítima apostaram mais em meios de projecção... marítima, pois claro.

Continuo na minha: cinco ou seis Juliet (ou KC-390) e mais dois A330 MRTT chegavam e sobravam para as nossas necessidades. O resto era apostar em meios marítimos, nomeadamente o famigerado LPD (ou NPL na gíria tuga) e o tão necessário AOR.
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: tenente em Julho 19, 2018, 07:32:44 am
Da maneira que isto está a ir não tarda nada estão a pensar ir buscar um Antonov 225 Myria....
 :toto:

Nem os 124 quanto mais o único exemplar que existe do 225...............

Abraços
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: Stalker79 em Julho 19, 2018, 02:10:08 pm
No AMARC estão 57 C5-A, dos anos 60 e 70 com miiiiiiiiiiiiiiiiles de horas de vôo e nem quero pensar a que preço os americanos os venderiam mesmo assim.
 nx2l1
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: NVF em Julho 19, 2018, 03:54:57 pm
Oh camarada Stalker, pensei que tivesses alcançado a ironia dos meus posts, que têm sempre apontado no sentido de os C-17A serem demasiada areia para a nossa camioneta. Por maioria de razão, os C-5 ainda o seriam mais areia para a nossa pickup.

Mas não tenhas dúvidas, aqueles C-5 bem trabalhados ainda têm muito para dar. Mas quando nem os americas têm os recursos para os recuperar e nós andamos aqui a discutir uma putativa aquisição de um aeronave para a FAP que até já nem é fabricada...
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: Stalker79 em Julho 19, 2018, 05:49:55 pm
Oh camarada Stalker, pensei que tivesses alcançado a ironia dos meus posts, que têm sempre apontado no sentido de os C-17A serem demasiada areia para a nossa camioneta. Por maioria de razão, os C-5 ainda o seriam mais areia para a nossa pickup.

Mas não tenhas dúvidas, aqueles C-5 bem trabalhados ainda têm muito para dar. Mas quando nem os americas têm os recursos para os recuperar e nós andamos aqui a discutir uma putativa aquisição de um aeronave para a FAP que até já nem é fabricada...

Eu sei. Nunca na vida poderíamos suportar a aquisição e manutenção de um C5 ou um C17, por isso se fossemos ao A4ooM já lhe podíamos chamar um figo.
Pode ser que algum daqueles países que encomendaram a mais queiram despachar alguns a preço de saldo!
 :nice: :nice: :nice: ys7x9
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: perdadetempo em Julho 19, 2018, 06:58:31 pm
Oh camarada Stalker, pensei que tivesses alcançado a ironia dos meus posts, que têm sempre apontado no sentido de os C-17A serem demasiada areia para a nossa camioneta. Por maioria de razão, os C-5 ainda o seriam mais areia para a nossa pickup.

Mas não tenhas dúvidas, aqueles C-5 bem trabalhados ainda têm muito para dar. Mas quando nem os americas têm os recursos para os recuperar e nós andamos aqui a discutir uma putativa aquisição de um aeronave para a FAP que até já nem é fabricada...

Eu sei. Nunca na vida poderíamos suportar a aquisição e manutenção de um C5 ou um C17, por isso se fossemos ao A4ooM já lhe podíamos chamar um figo.
Pode ser que algum daqueles países que encomendaram a mais queiram despachar alguns a preço de saldo!
 :nice: :nice: :nice: ys7x9

Secalhar ainda se descobria que também não havia dinheiro para o pôr a voar. Os Luxemburgueses além de pagarem 168M € pelo avião ainda esperam pagar cerca de 11-12 M € anualmente para o operarem durante trinta e cinco anos.
http://delano.lu/d/detail/news/parliament-agrees-financing-military-plane/185744 (http://delano.lu/d/detail/news/parliament-agrees-financing-military-plane/185744)

Cumprimentos,
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: NVF em Julho 19, 2018, 11:40:57 pm
Lembra-te que os luxemburgueses não têm força aérea e não devem ter praticamente estrutura para suster um bicho daqueles. A malta sempre têm alguma estrutura e know-how. Mesmo assim, se operássemos três ou quatro bichos desses (e mesmo tendo em conta economias de escala por ser mais de uma unidade), devíamos estar a falar de, pelo menos, oito milhões de euros/aeronave/ano. Agora imagina um C-17. Só para ter uma ideia, não foram 5 milhões que o MDN alocou para suster os C-130H até à sua retirada?
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: PereiraMarques em Agosto 13, 2018, 10:58:52 am
Como julgo que este é o único tópico comum/transversal aos 3 ramos...

Despacho n.º 7721/2018 - Diário da República n.º 155/2018, Série II de 2018-08-13 115991746
Defesa Nacional - Gabinete do Ministro
Aquisição de serviços de Desmilitarização de Munições e Explosivos provenientes dos Ramos das Forças Armadas em 2019

https://dre.pt/web/guest/home/-/dre/115991746/details/maximized?serie=II&parte_filter=31&dreId=115991728
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: raphael em Agosto 13, 2018, 04:42:03 pm
Como julgo se este o único tópico comum/transversal aos 3 ramos...

Despacho n.º 7721/2018 - Diário da República n.º 155/2018, Série II de 2018-08-13 115991746
Defesa Nacional - Gabinete do Ministro
Aquisição de serviços de Desmilitarização de Munições e Explosivos provenientes dos Ramos das Forças Armadas em 2019

https://dre.pt/web/guest/home/-/dre/115991746/details/maximized?serie=II&parte_filter=31&dreId=115991728

Infelizmente é uma realidade, temos de sustentar mais uma firma pública e nos três ramos não temos efetivo para inativação que permita dar conta do recado, até porque algum material é extremamente perigoso de manusear e está armazenado há muitos anos...
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: HSMW em Agosto 13, 2018, 09:02:09 pm
Esta é uma situação que me indigna.
Mas que gestão se faz do material em paiol que acaba por ficar obsoleto ou passar de validade?!
É queimar em treino antes do lote chegar ao fim de validade ou se o sistema for retirado de serviço é consumir as munições ou vender para outro país que necessite.

Gostava de saber o que vão destruir. Andam o ano todo sempre a poupar nas munições e a prática de tiro desde G-3 até ao M-60 é o mínimo dos mínimos...

Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: raphael em Agosto 14, 2018, 04:50:47 am
Esta é uma situação que me indigna.
Mas que gestão se faz do material em paiol que acaba por ficar obsoleto ou passar de validade?!
É queimar em treino antes do lote chegar ao fim de validade ou se o sistema for retirado de serviço é consumir as munições ou vender para outro país que necessite.

Gostava de saber o que vão destruir. Andam o ano todo sempre a poupar nas munições e a prática de tiro desde G-3 até ao M-60 é o mínimo dos mínimos...

Tens tanto material do ultramar em paiol, uma enormidade, alguns itens que até de mexer causam arrepios, além de munições de armas que já só temos em museu de aeronaves também que já só existem em museu.
Além de muito material obsoleto do Exército, a maior parte de artilharia desativada e mesmo da Marinha, mais outro material sensivel resultado de apreensões,
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: PereiraMarques em Agosto 20, 2018, 03:21:40 pm
https://www.dn.pt/edicao-do-dia/20-ago-2018/interior/exercito-quadro-permanente-para-soldados-e-cabos-9737572.html
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: HSMW em Agosto 29, 2018, 02:59:06 pm
Não LEVEM A CARTA A GARCIA !!

Caros camaradas e amigos do Exército, assisto de fora a algo difícil de engolir.
E não tenho em mim qualquer inclinação política ou grupal neste sentimento. Não tem a ver com o Chefe ou governo actual. Não tem a ver comigo....

O "falecido" como carinhosamente alguns camaradas amargurados lhe chamam, está no auge das suas desconquistas trilhadas nos últimos 15 anos.
Não há praças ! Sargentos e Oficiais subalternos estão no limite e continuamos a querer, pelos relatos que tenho acesso, fazer omeletes sem ovos🥚
Ora bem, vieram os Ocads acabaram-se as RM. Vieram as novas Brigadas, continuou-se com os quartéis possíveis...as quintas tinham que existir.
O Exército recebeu informação que a sua permanente e visível presença territorial ìa acabar (a partir de 2006 viram se mudanças) mas ao invés de reagir por dentro foi remediando, mas mantendo sempre o máximo de lugares pra estrelas e galões mais grossos.
Tivemos as missões que iam amansando o pessoal que veio pra tropa pra ser militar e não mecânico mal pago e tivemos uma geração de malta que até teve algum interesse no Exército. Isso acabou !
O Exército é vítima dele próprio, de com a desculpa de levar a carta a Garcia, não percebe que não se confunde combate com má gestão e que custa a uma praça marchar numa companhia cujo efectivo é 1/6 dos estrelatos presentes nos almoços em dia de festa...
Deve cumprir-se a missão mas n se confunda a mesma com a manutenção de regimentos e Brigadas a soro fazendo coisas tão disparatadas como registo geral em 2018 e outras tantas tarefas que numa semana com programas (fora dos amigos) de informatica se resolveriam para todo o Exército.
Não se confunda à missão com graficos e relatorios insípidos pois o Sargento ou o subalterno responsável n pode em 2018 estar num briefing, n vá dizer umas verdades e ser mandado Calar à antiga (isso é q é) 🤔
Temos hoje Tantos graduados numa unidade (ou mais) que praças na parada. É uma realidade !!
É triste ver que tudo o que previa está à acontecer.

Portanto parem de levar a carta a Garcia. Garcia está farto de receber publicidade não endereçada !

O futuro do Exército pertence ao grupo de gente que o compõe e que tem responsabilidades, desde o furriel ao General. É isso que deveria ser analisado desde 2006, não é trazer o SMO pra tapar o sol com a peneira.
Façam por favor as perguntas base:
Para onde vamos ? Como vamos ? Porque vamos ? Quando vamos ?

Um militar não é um gajo duro que acena com à Cabeça. É um Homem (humano) por todo que pensa na Pátria e em si.

Temos 3 Brigadas, essas dão lugar a 3 Brigadeiros... Temos mais uns quantos orgãos redundantes nos quais caberiam algumas estrelas (poucas)...
Depois é fazer as contas e darmos às praças e sargentos (arrisco me a dizer alguns subalternos) vontade de ser militares e cumprir missões militares.

Sejam Homens meus Caros responsáveis mais antigos. O Exército é nosso, é de 🇵🇹Portugal, não de incompetência negligente.
Metam o papel azul mas antes planeiem um Exército onde a operacionalidade seja o mote e não o show off.

Por último, quem souber outra forma de não melhorar o Exército que não seja por cima diga.

Disse,

https://www.facebook.com/kajukenboportugal/posts/2077184799001125?__tn__=K-R
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: Camuflage em Agosto 29, 2018, 09:05:51 pm
Descontentes, chega a altura de agir, cagam-se com a "insubordinação". pff
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: PereiraMarques em Agosto 31, 2018, 10:44:33 am
A lógica de n Regimentos da Arma ou do Serviço x ou y...já não faz sentido...Nem manter n unidades quase-fantasma...O Exército tem de perceber que apenas pode manter 6, 7, 8 aquartelamentos operacionais e de instrução operacional. Com os seus 16.000 efetivos (teóricos e nem todos operacionais) o Exército cabe perfeitamente no polígono Entroncamento-Tomar-Tancos-Santa Margarida-Abrantes...claro que não defendo a concentração total nesse polígono, podendo manter-se ainda mais 2 ou 3 aquartelamentos no norte e 1 no sul. Como prioridade para a escolha desses quartéis, numa lógica de operações conjuntas e combinadas e de capacidade expedicionária, usava o fator de proximidade a pista de aviação/base aérea, portanto São Jacinto e Beja logo à cabeça.
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: nelson38899 em Agosto 31, 2018, 04:05:48 pm
A lógica de n Regimentos da Arma ou do Serviço x ou y...já não faz sentido...Nem manter n unidades quase-fantasma...O Exército tem de perceber que apenas pode manter 6, 7, 8 aquartelamentos operacionais e de instrução operacional. Com os seus 16.000 efetivos (teóricos e nem todos operacionais) o Exército cabe perfeitamente no polígono Entroncamento-Tomar-Tancos-Santa Margarida-Abrantes...claro que não defendo a concentração total nesse polígono, podendo manter-se ainda mais 2 ou 3 aquartelamentos no norte e 1 no sul. Como prioridade para a escolha desses quartéis, numa lógica de operações conjuntas e combinadas e de capacidade expedicionária, usava o fator de proximidade a pista de aviação/base aérea, portanto São Jacinto e Beja logo à cabeça.

Sempre achei que a tropa cabia em tres bases.

Uma base no norte outra no centro e outra no sul.
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: raphael em Agosto 31, 2018, 04:44:54 pm
A lógica de n Regimentos da Arma ou do Serviço x ou y...já não faz sentido...Nem manter n unidades quase-fantasma...O Exército tem de perceber que apenas pode manter 6, 7, 8 aquartelamentos operacionais e de instrução operacional. Com os seus 16.000 efetivos (teóricos e nem todos operacionais) o Exército cabe perfeitamente no polígono Entroncamento-Tomar-Tancos-Santa Margarida-Abrantes...claro que não defendo a concentração total nesse polígono, podendo manter-se ainda mais 2 ou 3 aquartelamentos no norte e 1 no sul. Como prioridade para a escolha desses quartéis, numa lógica de operações conjuntas e combinadas e de capacidade expedicionária, usava o fator de proximidade a pista de aviação/base aérea, portanto São Jacinto e Beja logo à cabeça.

Sempre achei que a tropa cabia em tres bases.

Uma base no norte outra no centro e outra no sul.

Em caso de ataque à escala global seria mais poupado para quem nos atacasse...atacavam 3 pontos e pronto limpava-se logo a capacidade de defesa...mas também a atual dispersão por unidades fantasma não favorece ninguém...e muito menos a contenção orçamental dos últimos anos.

Algumas unidades poderiam fechar mas lógica governamental sobrepõe-se à lógica militar...
O militar se considerar fechar unidades, pensa em rentabilizar recursos, o que obriga a reforçar as unidades que se mantêm abertas com meios humanos e materiais que obrigarão a uma transferência de reforço orçamental devido ao aumento de despesa numa primeira fase mas após isso permite uma diminuição de custos pelas unidades que efetivamente fecham.
O governante pensa, bom fecharam a unidade, não precisam do valor orçamentado para essa unidade, corta-se essa verba no orçamento disponível.

Por vezes mais que Unidades, existem serviços comuns aos três Ramos que se repetem e o Exército em alguns casos até se triplica a si mesmo....em algumas capacidades (que atualmente andam pelas ruas da amargura).
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: asalves em Agosto 31, 2018, 06:16:04 pm
O poder politico o que faz muito pouco é com o objectivo inicial de fazer melhor e bem, normalmente há sempre interesses por trás.

Para além de que uma verdadeira reestruturação levaria a muita contestação.

Já agora quem é que faz a manutenção dos helis da marinha? é a própria marinha ou a FAP? é que dentro de muitas coisas acho que é nisto que se gasta desnecessária mente, para além de coisas ao nível administrativo.

Só que lá está é preciso manter os oficiais ocupados nem que para isso se tenha que voltar a implementar o SMO.

Eu sinceramente pergunto-me na nossa estrutura especializada de tropas o SMO ia servir para k? cozinheiros, PM, ...? é que não estou a ver a vantagem de tirarem uma especialização para depois servirem durante 3/4 meses.
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: Lightning em Agosto 31, 2018, 06:34:44 pm
Já agora quem é que faz a manutenção dos helis da marinha? é a própria marinha ou a FAP? é que dentro de muitas coisas acho que é nisto que se gasta desnecessária mente, para além de coisas ao nível administrativo.

É a Marinha. Tudo o que tem a ver directamente com os Lynx é tudo Marinha, incluindo os destacamentos nas Fragatas. A FAP apoia em serviços de aeródromo como controlo de tráfego aéreo, bombeiros, e acredito serviços de apoio aos militares da Marinha em terra como alojamento, refeições, até coisas como ginásio, lavandaria. Havia uma revista, talvez da Armada, que tinha em detalhe todo o apoio prestado pela Base Aérea 6 à Esquadrilha de Helicópteros da Marinha.
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: Lightning em Setembro 01, 2018, 01:03:17 pm
Eu acho que essa situação do exército ter muitos quartéis se deve a terem herdado esses quartéis, de certeza que se o exército fosse criado hoje, não iria construir tantos, mas também agora ir construir mais dois ou três Campos tipo Santa Margarida também não deve ser barato.

Acho que a situação estar como está se deve a vários factores, e uns que contrariam outros, por isso não ser de fácil solução. Um é a população portuguesa, os portugueses, e os jovens em particular, não estão uniformemente distribuidos pelo território, se calhar 70% ou mais vive na faixa litoral entre Braga e Setúbal, onde estão as maiores cidades do país, Porto, Aveiro, Coimbra, Lisboa... E como é natural, os militares vão ter preferência de ficar colocados perto da família, namorada, amigos. Outra questão também é o dinheiro, pois em mais nenhuma situação um jovem vai passar a semana do Porto para Chaves ou de Lisboa para Santa Margarida, para ganhar 600 euros, os primeiros tempos aceita pois tem outros objectivos, completar a recruta, o curso, fazer uma missão, mas ao fim de um, dois, anos, essa situação vai aparecer, e a verdade é que para ganhar 600 euros posso ir trabalhar para um supermercado ou McDonald's, não tem metade dos problemas e vai dormir todos os dias a casa.

Do outro lado temos a estratégia do exercíto que previlegia ter várias unidades espalhadas pelo país em vez de ter os ovos todos no mesmo cesto, e temos os municípios do interior que vão logo fazer barulho se o exército fechar algum quartel em como o governo está de novo a esquecer-se do interior do país, que o quartel até ajuda ao comércio, pois os militares trazem as famílias, outros saiem à noite, etc.

Aconteceu con o Ctoe que o Exército até pensou em mudar essa unidade para o quartel de Chaves que tem melhores condições, mas acabou por decidir melhorar as infraestruturas militares em Lamego.
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: typhonman em Setembro 02, 2018, 12:17:54 pm
Ouvi dizer que a Engenharia de Espinho ia para Chaves, algúem confirma ??
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: typhonman em Setembro 02, 2018, 12:38:55 pm
Já agora, os "Romenos", vão comprar helis de ataque e de usos gerais. E nós ? Seremos assim tão pobres para adquirir pelo menos uns BlackHawk para o Exército ?

http://www.cavok.com.br/blog/romenia-avanca-na-compra-de-helicopteros-de-combate-venom-e-viper/



Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: Lightning em Setembro 02, 2018, 03:23:47 pm
Ouvi dizer que a Engenharia de Espinho ia para Chaves, algúem confirma ??

Penso que já saiu em diário da república, mas acho que também tinha acontecido o mesmo ao CTOE uns anos antes.

O quartel de Chaves parece ter melhor condições que o de Espinho, e o Exército diz que por causa das missões de apoio aos fogos quer os regimentos de engenheira no interior em vez de na costa. Vamos ver.
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: nelson38899 em Setembro 02, 2018, 09:00:03 pm
Já agora, os "Romenos", vão comprar helis de ataque e de usos gerais. E nós ? Seremos assim tão pobres para adquirir pelo menos uns BlackHawk para o Exército ?

http://www.cavok.com.br/blog/romenia-avanca-na-compra-de-helicopteros-de-combate-venom-e-viper/

tu tens tantos programas urgentes, que o dinheiro não dá para tudo!
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: Clausewitz em Setembro 03, 2018, 01:18:10 am
Já agora, os "Romenos", vão comprar helis de ataque e de usos gerais. E nós ? Seremos assim tão pobres para adquirir pelo menos uns BlackHawk para o Exército ?

http://www.cavok.com.br/blog/romenia-avanca-na-compra-de-helicopteros-de-combate-venom-e-viper/

Os romenos andam a gastar forte e feio nas forças armadas, o que não é alheio à sua situação geográfica e a certos acontecimentos recentes.

Quanto a nós, se no momento em que substituímos os ALIII pelo fabuloso número de 5 Koalas (+2 de opção...) e tendo os Lynx a aguardar modernização fossemos comprar blackhawks para um exército sem praças, acho que seria de montar a tenda e declarar o circo aberto. As forças armadas têm facilmente uns 20 programas com maior prioridade e urgência do que helis para o Exército, se fosse autorizado o pilim era dar-lhe bom uso no que faz falta e não andar a inventar mais capacidades que rapidamente ficam só no papel.
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: Clausewitz em Setembro 03, 2018, 02:44:20 am
Eu acho que essa situação do exército ter muitos quartéis se deve a terem herdado esses quartéis, de certeza que se o exército fosse criado hoje, não iria construir tantos, mas também agora ir construir mais dois ou três Campos tipo Santa Margarida também não deve ser barato.

Acho que a situação estar como está se deve a vários factores, e uns que contrariam outros, por isso não ser de fácil solução. Um é a população portuguesa, os portugueses, e os jovens em particular, não estão uniformemente distribuidos pelo território, se calhar 70% ou mais vive na faixa litoral entre Braga e Setúbal, onde estão as maiores cidades do país, Porto, Aveiro, Coimbra, Lisboa... E como é natural, os militares vão ter preferência de ficar colocados perto da família, namorada, amigos. Outra questão também é o dinheiro, pois em mais nenhuma situação um jovem vai passar a semana do Porto para Chaves ou de Lisboa para Santa Margarida, para ganhar 600 euros, os primeiros tempos aceita pois tem outros objectivos, completar a recruta, o curso, fazer uma missão, mas ao fim de um, dois, anos, essa situação vai aparecer, e a verdade é que para ganhar 600 euros posso ir trabalhar para um supermercado ou McDonald's, não tem metade dos problemas e vai dormir todos os dias a casa.

Do outro lado temos a estratégia do exercíto que previlegia ter várias unidades espalhadas pelo país em vez de ter os ovos todos no mesmo cesto, e temos os municípios do interior que vão logo fazer barulho se o exército fechar algum quartel em como o governo está de novo a esquecer-se do interior do país, que o quartel até ajuda ao comércio, pois os militares trazem as famílias, outros saiem à noite, etc.

Aconteceu con o Ctoe que o Exército até pensou em mudar essa unidade para o quartel de Chaves que tem melhores condições, mas acabou por decidir melhorar as infraestruturas militares em Lamego.

Lightning, o Exército “herdou” ainda mais quarteis do que os que tem hoje. Todos os exército já tiveram estruturas bem maiores, por essa ordem de ideias por exemplo os beligerantes da Segunda Guerra Mundial ou das posições mais ativas da Guerra Fria continuariam hoje com uma quantidade infindável de bases militares em uso. Não é preciso construir mais Santas Margaridas, basta um uso racional do que já existe, espaço não falta. E peço desculpa pelo desabafo mas este tipo de justificação do status quo porque no passado não sei o quê ou porque sempre assim foi e agora é complicado mudar é uma coisa que me tira do sério e que contribui muito para a nossa dificuldade de fazer mudanças de verdade a não ser quando estamos entre a espada e a parede e tem que ser na base do desenrascanço e do tudo ou nada.

Entre todas as razões referidas, que têm sentido e verdade, falta aquela que penso que é a mais importante e que transparece na mensagem do HSMW. O Exército não ultrapassou realmente a mentalidade de SMO em relação aos contratados e vive em função de si próprio (leia-se Oficiais Superiores principalmente), a quantidade desmesurada de quarteis e unidades permite manter vários cargos de comando e chefia. Só que ao mesmo tempo consome recursos escassos, por exemplo praças, em serviços da treta, que são desmotivantes.

E quando se ouve "soluções" como o regresso do SMO (sempre referido vagamente, sem especificar nada, sendo que se voltasse seria quase de certeza um SEN 2.0 para meia-dúzia de gatos pingados sem muita escapatória irem bater com os costados uns mesinhos na tropa mantendo tudo na mesma) ou os contratos de longa-duração, para largar a rapaziada com trintas ou quarentas no mercado de trabalho civil com pouco ou nada para apresentar, é de chorar. Mesmo que se concretize o acesso de praças ao quadro permanente, acho que seria de modificar e reconsiderar muitas coisas.
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: PereiraMarques em Setembro 03, 2018, 11:59:26 am
Ouvi dizer que a Engenharia de Espinho ia para Chaves, algúem confirma ??

Penso que já saiu em diário da república, mas acho que também tinha acontecido o mesmo ao CTOE uns anos antes.

O quartel de Chaves parece ter melhor condições que o de Espinho, e o Exército diz que por causa das missões de apoio aos fogos quer os regimentos de engenheira no interior em vez de na costa. Vamos ver.

Vem na Orgânica do Exército de 2015

Citar
Artigo 59.º

Regimentos

[...]

2 - Os regimentos que integram a estrutura do aprontamento de forças são os seguintes:

a) O Regimento de Infantaria n.º 1;

b) O Regimento de Infantaria n.º 10;

c) O Regimento de Infantaria n.º 13;

d) O Regimento de Infantaria n.º 14;

e) O Regimento de Infantaria n.º 15;

f) O Regimento de Infantaria n.º 19;

g) O Regimento de Artilharia n.º 4;

h) O Regimento de Artilharia n.º 5;

i) O Regimento de Artilharia Antiaérea n.º 1;

j) O Regimento de Cavalaria n.º 3;

k) O Regimento de Cavalaria n.º 6;

l) O Regimento de Lanceiros n.º 2;

m) O Regimento de Engenharia n.º 1;

n) O Regimento de Engenharia n.º 3;

o) O Regimento de Transmissões;

p) O Regimento de Comandos;

q) O Regimento de Paraquedistas;

r) O Regimento de Guarnição n.º 1;

s) O Regimento de Guarnição n.º 2;

t) O Regimento de Guarnição n.º 3;

u) O Regimento de Apoio Militar de Emergência.

3 - O regimento referido na alínea f) do número anterior é extinto após a transferência do Regimento de Engenharia n.º 3 para o aquartelamento de Chaves.

Fonte: https://dre.pt/web/guest/pesquisa/-/search/69920323/details/maximized
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: PereiraMarques em Setembro 03, 2018, 12:07:12 pm
O modelo do Chile, de Regimentos Inter-armas e Inter-serviços, parece-me interessante...para a BrigInt e BrigRR, já que a BrigMec estando em Sta. Margarida não será para mexer.

Regimiento Reforzado N° 4 " Rancagua":
  Batallón de Infantería Mecanizada n.º 4 "Rancagua"
  Grupo de Artillería n.º 6 "Dolores".
  Batallón de Ingenieros n.º 6 "Azapa".
  Unidad de Desminado Humanitario.
  Sub Jefatura Zonal Cuerpo Militar del Trabajo "Arica"
  Compañía Historica

Regimiento Reforzado n.º 24 "Huamachuco"
  Batallón de Infantería Motorizada n.º 24 "Huamachuco".
  Grupo de Artillería n.º 14 "Parinacota".
  Compañía de Ingenieros.
  Compañía de Telecomunicaciones.
  Pelotón de Exploración Terrestre.

Regimiento Reforzado n.º 5 "Lanceros"
  Grupo de Caballería Blindada n.º 5 "Lanceros".
  Bateria de Artillería n.º 12 "Magallanes".
  Compañia de Infanteria
  Unidad de Cuartel

Regimiento Reforzado n.º 3 "Yungay"
  Batallón de Infantería Andino Nº 18 “Guardia Vieja”.
  Compañía de Ingenieros de Montaña Nº 2 “Puente Alto”.
  Batería de Artillería de Montaña Nº 2 “Arica”.
  Pelotón de Exploración Montado de Montaña.
  Sección de Telecomunicaciones "Los Andes"

Regimiento Reforzado n.º 14 "Aysén"
  Batallón de Infantería Motorizado n.º 26 "Aysén".
  Compañía de Telecomunicaciones n.º 8 "Coyhaique".
  Compañía Antiblindaje “Karut”
  Pelotón de Exploración Anfibio
  Pelotón de Policía Militar.
  Compañía de Cuartel.
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: PereiraMarques em Setembro 07, 2018, 03:41:11 pm
Citar
2. Foi aprovado o decreto-lei que altera o atual Regime de Contrato Especial para prestação de serviço militar.

Esta alteração visa tornar o Regime de Contrato Especial (RCE) num instrumento flexível e adequado para fazer face às necessidades de recrutamento e gestão dos recursos humanos das Forças Armadas. Como tal, não se define a priori classes, armas, serviços ou especialidades específicas, não se restringindo também a sua utilização a uma categoria.

Com a aprovação deste decreto-lei, o RCE passa a prever a prestação de serviço militar com uma duração máxima de 18 anos não só para as áreas funcionais de medicina, pilotagem de aeronaves e assistência religiosa, mas também para todas situações que obriguem a um maior grau de formação e treino, ou em que o tipo de habilitações académicas e as exigências técnicas justifiquem uma prestação de serviço mais prolongada.

O ingresso no Regime de Contrato Especial processa-se mediante concurso, de entre cidadãos nas situações de reserva de recrutamento e de disponibilidade, bem como de entre militares que se encontrem a prestar serviço efetivo em Regime de Voluntariado ou Regime de Contrato, desde que preenchidas as condições estipuladas.

O Governo dá, assim, cumprimento a mais uma medida do seu programa, visando valorizar o exercício de funções na área da Defesa Nacional.

3. Foi aprovado, por decreto-lei, o Regulamento de Incentivos à Prestação de Serviço Militar nos Diferentes Regimes de Contrato e no Regime de Voluntariado.

Este Regulamento visa promover a permanência dos militares nas fileiras e apoiar o seu processo de transição para o mercado de trabalho após a prestação do serviço militar, assegurando assim a atratividade da carreira militar e uma resposta adequada às novas realidades do país e das Forças Armadas.

A opção pelo serviço militar destina-se, sobretudo, à faixa etária jovem e, além de garantir uma oferta de emprego, representa a oportunidade de iniciar um percurso de vida que se pretende profissionalizante e qualificante. Assim, os ramos das Forças Armadas devem criar as condições necessárias para que os militares em todos regimes de contrato tenham um processo formativo que permita a elevação das qualificações escolares e profissionais.

Ao potenciar a transição eficiente para o mercado de trabalho dos cidadãos que prestaram serviço militar em Regime de Voluntariado, Regime de Contrato ou Regime de Contrato Especial, o novo regulamento acolhe as recomendações das instituições do espaço europeu na área do combate ao desemprego jovem, às baixas qualificações e ao abandono escolar precoce.

https://www.portugal.gov.pt/pt/gc21/governo/comunicado-de-conselho-de-ministros?i=224
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: PereiraMarques em Setembro 07, 2018, 04:20:22 pm
Citar
2. Foi aprovado o decreto-lei que altera o atual Regime de Contrato Especial para prestação de serviço militar.


Subentende-se que regresso do SMO/SEN e QP/Praças no Exército e na Força Aérea serão assuntos mortos....
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: tenente em Setembro 07, 2018, 06:57:09 pm
Não sei não, os efectivos da classe dos Praças está muito abaixo dos mínimos requeridos só para o Exército e, pelas minhas contas, estarão a faltar cerca de 2500 a 2800 praças, de um total de apenas 7000 efectivos que existem na dita classe.   

ANEXO VI

(a que se referem os n.os 4 e 5 do artigo 2.º e os n.os 1, 2 e 4 do artigo 3.º)
Efetivos militares em regime de voluntariado e em regime de contrato,
por ramos e categoria, incluindo os que desempenham funções nas estruturas
do Estado-Maior-General das Forças Armadas, para o ano de 2017.
TABELA 1
Efetivos de militares em regime de voluntariado e em regime de contrato
Categorias                         Marinha    Exército Força Aérea Total
Oficiais …………………………….. 156         367            267           790
Sargentos …………………………..    0        575              66             641
Praças ……………………………… 843      9 212          1 591      11 646
Totais …………                          999    10 154          1 924      13 077

https://assets.exercito.pt/SiteAssets/DARH/OE/2016/OEDEC16.pdf

Abraços
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: PereiraMarques em Setembro 07, 2018, 09:41:14 pm
Mesmo que o número de admitidos continue a ser reduzido, o "truque" parece ser "reter" o pessoal mais tempo...
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: Lightning em Setembro 07, 2018, 09:59:19 pm
Citar
2. Foi aprovado o decreto-lei que altera o atual Regime de Contrato Especial para prestação de serviço militar.


Subentende-se que regresso do SMO/SEN e QP/Praças no Exército e na Força Aérea serão assuntos mortos....

Acho que a Força Aérea resolveu isso pagando mais... E chamando-lhes furrieis. Se os jovens não se interessam por ingressar por 600 euros, talvez uns 900 já os façam pensar no assunto.

Se antes num serviço podias ter 2 Sargentos QP apoiados por 2 cabos, vais passar a ter os dois Sargentos QP apoiados por um Furriel RC e um cabo.
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: Lightning em Setembro 07, 2018, 10:11:38 pm
A única vantagem que vejo nos contratos tão longos é que o militar a contracto tem uma maior margem temporal para organizar a vida, não sendo obrigado a ir embora aos 6, quando até lhe pode dar jeito mais um ou dois de serviço, não estou a dizer para todos fazerem os 18, mas cada caso é um caso e tem que ser analizado individualmente.

Actualmente um militar que entre com 18 anos é obrigado a ir embora com 24 anos mas uma pessoa até aos 30 regra geral, ainda é fisicamente muito capaz.

Se prolongarem os contratos os militares RC passam a ser muito mais senhores dos seus destinos, planearem melhor o seu futuro, desde ir a missões, frequentarem cursos universitários, etc, os que quiserem ir embora cedo continuam a ir, os que preferem ficar mais uns anos, seja 5, seja 10, etc, ficam, indo embora realmente quando assim o decidem e não por fim do contrato. Nesta situação futura é que é cada vez mais absurdo dizerem, "o exército mandou-me embora", porque se alguém ficar 18 anos no exército sem qualquer tipo de plano de vida, não tem mínimo de cabeça.
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: Camuflage em Setembro 08, 2018, 04:18:58 pm
Já mencionei e volto a mencionar, deixem de limitar tanto a ideia e permitam que haja candidatos até aos 35 anos. Se abrirem mais o leque de idades o problema irá eventualmente resolver-se.
Parece-me é que querem ter meninos para limpar latrinas que não ousem questionar, do que ter adultos que possam questionar ordens.
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: Lightning em Setembro 13, 2018, 10:45:32 pm
Para o pessoal dos debates sobre LPD, JSS, substituto dos C-130, aluguer de meios civis, no fundo capacidades de projecção estratégica naval e aérea e que necessidades precisamos, tem aqui muita informação.
https://comum.rcaap.pt/bitstream/10400.26/17361/1/TII%20Favinha_Estudo%20prospetivo%20sobre%20as%20capacidades%20de%20proje%C3%A7%C3%A3o%20militar.pdf
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: tenente em Setembro 14, 2018, 03:58:06 pm
Para o pessoal dos debates sobre LPD, JSS, substituto dos C-130, aluguer de meios civis, no fundo capacidades de projecção estratégica naval e aérea e que necessidades precisamos, tem aqui muita informação.
https://comum.rcaap.pt/bitstream/10400.26/17361/1/TII%20Favinha_Estudo%20prospetivo%20sobre%20as%20capacidades%20de%20proje%C3%A7%C3%A3o%20militar.pdf

Excelentes dados e info !!

Abraços
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: NVF em Setembro 14, 2018, 08:42:24 pm
O que me deixa extremamente inquieto é a resignação com que um futuro (actual?) almirante encara e admite o que para muitos de nós ja era óbvio há muito tempo: até 2035 ficamos com duas fragatas (modestamente equipadas para os padrões da década de 20, diga-se) e pronto! Ainda anda o pessoal a discutir que cinco fragatas é pouco, então e duas? A Marinha deixou cair completamente as VdG que vão acabar, como as corvetas, em missões de patrulha e SAR, ou a ocasional missão autónoma em África.

Eu vendia já as Vdg, enquanto ainda têm algum valor para países como o Brasil ou as Filipinas. As mais valias aplicáva-as na aquisição de munições modernas para a Marinha e FAP e quando os Holandeses e os Belgas vendessem as suas M, comprávamos duas para durarem mais uns 10 anos.
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: tenente em Setembro 14, 2018, 09:48:20 pm
O que me deixa extremamente inquieto é a resignação com que um futuro (actual?) almirante encara e admite o que para muitos de nós ja era óbvio há muito tempo: até 2035 ficamos com duas fragatas (modestamente equipadas para os padrões da década de 20, diga-se) e pronto! Ainda anda o pessoal a discutir que cinco fragatas é pouco, então e duas? A Marinha deixou cair completamente as VdG que vão acabar, como as corvetas, em missões de patrulha e SAR, ou a ocasional missão autónoma em África.

Eu vendia já as Vdg, enquanto ainda têm algum valor para países como o Brasil ou as Filipinas. As mais valias aplicáva-as na aquisição de munições modernas para a Marinha e FAP e quando os Holandeses e os Belgas vendessem as suas M, comprávamos duas para durarem mais uns 10 anos.

Eu Já venho defendendo a venda das VdG enquanto valem alguma coisa !
Mas a meu ver só lá para 2023 daqui a cinco anos, quando depois dos MLU's das BD, e os Holandeses e os Belgas começarem a ter novas fragatas para a substituir as M deles, é que vamos ter alguma hipotese de ter mais duas unidades muito semelhantes ás nossas futuras BD.
Acho que vai ser o que irá acontecer, parece-me a melhor opção mas, por essa altura quanto valerão as nossas três VdG ??
O valor da venda das VdG nem para comprar uma M vai dar, ou se der será á justa !!!

Uma tristeza é o que é, daqui a cinco anos apenas teremos quatro fragatas e vai ser com o que ficaremos daí em diante, deixar chegar as VdG a esta idade sem se ter feito qq upgrade é um crime, é estoirar c/ os dinheiros públicos, ao não investir em melhorias nos meios militares que ainda vamos possuindo.
Então essas fragatas não tinham valor, para merecerem um MLU há cerca de dez anos, ou no máximo quando fizeram vinte anos, para poderem estar operacionais mais quinze anos, e depois ainda valerem algo ao serem vendidas ???
Assim é melhor, seguimos o procedimento aplicado ás corvetas, é mais barato, cambada de incompetentes !!

(https://imagizer.imageshack.com/v2/xq90/922/LqnWcR.jpg) (https://imageshack.com/i/pmLqnWcRj)

 (https://imagizer.imageshack.com/v2/xq90/924/gdko0b.jpg) (https://imageshack.com/i/pogdko0bj)

(https://imagizer.imageshack.com/v2/xq90/921/1xY5Xu.jpg) (https://imageshack.com/i/pl1xY5Xuj)

(https://imagizer.imageshack.com/v2/xq90/923/txYFY1.jpg) (https://imageshack.com/i/pntxYFY1j)

O melhor é começar já a sondar os Holandeses e ou os Belgas para outros não nos passarem a perna, estou-me a lembrar do Chile.  ;)

Abraços
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: Lightning em Setembro 14, 2018, 10:46:47 pm
A Marinha não vai deixar descer o número de fragatas com a promessa de num futuro próximo se comprar as M aos Holandeses ou Belgas, ainda aparecem os Brasileiros ou os Chilenos e ficamos a vê-las passar rumo ao Atlântico Sul.

Até podemos no futuro comprar essas fragatas M, mas só após isso acontecer é que a Marinha larga as Vasco da Gama.

Ainda agora a Corte Real vai participar no maior exercício da NATO, o Trident Juncture 2018.
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: tenente em Setembro 14, 2018, 11:55:53 pm
A Marinha não vai deixar descer o número de fragatas com a promessa de num futuro próximo se comprar as M aos Holandeses ou Belgas, ainda aparecem os Brasileiros ou os Chilenos e ficamos a vê-las passar rumo ao Atlântico Sul.

Até podemos no futuro comprar essas fragatas M, mas só após isso acontecer é que a Marinha larga as Vasco da Gama.

Ainda agora a Corte Real vai participar no maior exercício da NATO, o Trident Juncture 2018.

Eu sei que só depois de ter as M ou outras quaisquer, que sejam, é que a Marinha irá alienar as VdG, mas, já agora como é que aconteceu quando vendemos/abatemos as fragatas classe João Belo ??
Não foram quatro unidades abatidas/vendidas por duas M adquiridas ???

Quanto ás participações nos exercícios da NATO, o que é que temos de navios de combate de superfície para enviar ??
As VdG e a D Francisco de Almeida.
Estejam as fragatas como estiverem, são as únicas unidades navais de combate que possuímos, e as VdG, com pouco, poder combativo, por isso, se não for a D Francisco de Almeida a escolhida só temos as VdG, claro está !!!


Abraços
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: asalves em Setembro 17, 2018, 05:51:46 pm
Para o pessoal dos debates sobre LPD, JSS, substituto dos C-130, aluguer de meios civis, no fundo capacidades de projecção estratégica naval e aérea e que necessidades precisamos, tem aqui muita informação.
https://comum.rcaap.pt/bitstream/10400.26/17361/1/TII%20Favinha_Estudo%20prospetivo%20sobre%20as%20capacidades%20de%20proje%C3%A7%C3%A3o%20militar.pdf

Agora percebo pk que de repente andamos a comprar ARTILHARIA ANTIAÉREA, temos de contribuir com um GAAA.

Se não fosse os nossos compromissos externos nem material de guerra havia.
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: PereiraMarques em Setembro 17, 2018, 05:58:51 pm
Com os 8 sistemas a adquirir para substituir os Chaparral, os 16 Stinger e cerca de 12 "bitubos" não é grande GAAA...
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: asalves em Setembro 17, 2018, 05:59:32 pm
Para o pessoal dos debates sobre LPD, JSS, substituto dos C-130, aluguer de meios civis, no fundo capacidades de projecção estratégica naval e aérea e que necessidades precisamos, tem aqui muita informação.
https://comum.rcaap.pt/bitstream/10400.26/17361/1/TII%20Favinha_Estudo%20prospetivo%20sobre%20as%20capacidades%20de%20proje%C3%A7%C3%A3o%20militar.pdf

Excelentes dados e info !!

Abraços

De facto este doc tem mesmo muita informação que o pessoal anda as vezes aqui a discutir, como c130 vs kc390, LDP+AOR vs JSS, respostas a coisas estranhas que se vão passando, e até mesmo previsões para o futuro.
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: nelson38899 em Setembro 17, 2018, 09:10:38 pm
Com os 8 sistemas a adquirir para substituir os Chaparral, os 16 Stinger e cerca de 12 "bitubos" não é grande GAAA...

Do que sei, irão ser comprados mais sistemas stinger. Não sei quantos, pois vai depender da oferta dos americanos.
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: HSMW em Setembro 17, 2018, 10:26:37 pm
Para o pessoal dos debates sobre LPD, JSS, substituto dos C-130, aluguer de meios civis, no fundo capacidades de projecção estratégica naval e aérea e que necessidades precisamos, tem aqui muita informação.
https://comum.rcaap.pt/bitstream/10400.26/17361/1/TII%20Favinha_Estudo%20prospetivo%20sobre%20as%20capacidades%20de%20proje%C3%A7%C3%A3o%20militar.pdf
Excelentes dados e info !!
Abraços

De facto este doc tem mesmo muita informação que o pessoal anda as vezes aqui a discutir, como c130 vs kc390, LDP+AOR vs JSS, respostas a coisas estranhas que se vão passando, e até mesmo previsões para o futuro.

Leiam e aprendam! Trabalho muito bem feito!  :G-beer2: 
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: PereiraMarques em Setembro 21, 2018, 01:29:12 am

Presidente da República promulga dois diplomas do Governo

O Presidente da República promulgou hoje o diploma do Governo que aprova o Regulamento de Incentivos à Prestação de Serviço Militar nos Diferentes Regimes de Contrato e no Regime de Voluntariado.

O Presidente da República promulgou ainda o diploma do Governo que altera o regime de contrato especial para prestação de serviço militar.

20.09.2018
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: Luso em Setembro 21, 2018, 12:13:06 pm
Para o pessoal dos debates sobre LPD, JSS, substituto dos C-130, aluguer de meios civis, no fundo capacidades de projecção estratégica naval e aérea e que necessidades precisamos, tem aqui muita informação.
https://comum.rcaap.pt/bitstream/10400.26/17361/1/TII%20Favinha_Estudo%20prospetivo%20sobre%20as%20capacidades%20de%20proje%C3%A7%C3%A3o%20militar.pdf
Excelentes dados e info !!
Abraços

De facto este doc tem mesmo muita informação que o pessoal anda as vezes aqui a discutir, como c130 vs kc390, LDP+AOR vs JSS, respostas a coisas estranhas que se vão passando, e até mesmo previsões para o futuro.

Leiam e aprendam! Trabalho muito bem feito!  :G-beer2:

Então aprendam também agora outra coisa:

Estes estudos não interessam nada.
Nada.
Se alguma coisa for feita, será apenas por exclusivo motivo eleitoral, sem qualquer justificação racional de fundo. Os "estudos" justificativos arranjam-se depois, junto dos apaniguados do costume, dos mercenários e dos carreiristas, quase todos eles advogados em carácter, com ou sem farda.

Esta postura é que interessa denunciar porque é esta a questão de fundo, não as opções.
Mas isto nunca é debatido.
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: Cabeça de Martelo em Setembro 21, 2018, 05:33:43 pm
Na verdade este estudo foi feito no âmbito do Curso de promoção a Oficial General. É normal que seja bem feito, já que quem o fez tem mais do que obrigação de saber o que faz dado o seu posto.

Dito isto, não é coisa que vá alterar seja o que for. Isto é um trabalho que depois de feito e apresentado é lançado ao vento...

Eu lembro-me de um trabalho realizado por um outro Oficial que também esteve muito perto do topo da cadeia alimentar que quando li e sabendo onde estava, pensei que realmente houvesse consequências. Dito isto o dito Oficial esteve anos em postos de alguma relevância e nada do que era ali defendido foi colocado em prática.
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: Lightning em Setembro 21, 2018, 10:03:38 pm
https://www.dn.pt/edicao-do-dia/21-set-2018/interior/militares-com-quase-cinco-mil-milhoes-para-armamento-em-12-anos-9881154.html

É agora que vem o Reabastecedor, NAVPOL, KC390??? Mas há azia com o exército...
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: typhonman em Setembro 21, 2018, 11:47:49 pm
O exército bem queria os apoios de fogos e mais Leopard, mas ainda não foi desta.

Venha o LPD o AOR e os KC-390 que já não é nada mau....
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: PereiraMarques em Setembro 22, 2018, 01:49:01 pm
Título especulativo... Esperamos pela publicação dos decretos...

https://www.jn.pt/nacional/interior/amp/2500-militares-vao-reforcar-forcas-armadas-em-2018-9889515.html
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: tenente em Setembro 22, 2018, 01:52:34 pm
O exército bem queria os apoios de fogos e mais Leopard, mas ainda não foi desta.

Venha o LPD o AOR e os KC-390 que já não é nada mau....

Na minha opinião o Exército devia apostar no :

A) Recompletamento dos dois BI's orgânicos da BrigInt, e na constituição do 3º BI, unidade que seria formada pelo RI19;

B) Recompletamento dos dois BInf paraquedista;

C) Aquisição de mais light guns para constituir um segundo GAC, apenas possuímos 21 BF de 10,5cm, necessitamos de, pelo menos mais 15 BF para possuirmos as seis BBF ;
(https://imagizer.imageshack.com/v2/xq90/921/EfgShQ.jpg) (https://imageshack.com/i/plEfgShQj)

(https://imagizer.imageshack.com/v2/xq90/924/GE0F59.jpg) (https://imageshack.com/i/poGE0F59j)

D) Substituição dos M113 por um IFV a sério, de modo a formar dois Bat inf Blindada;
(https://imagizer.imageshack.com/v2/xq90/924/q0rnSB.jpg) (https://imageshack.com/i/poq0rnSBj)

(https://imagizer.imageshack.com/v2/xq90/924/tvxzr1.jpg) (https://imageshack.com/i/potvxzr1j)

E) Aquisição de porta morteiros tanto para os Pandur como para os Vamtac ST5;
(https://imagizer.imageshack.com/v2/xq90/924/IamScm.jpg) (https://imageshack.com/i/poIamScmj)

(https://imagizer.imageshack.com/v2/xq90/921/YbOy37.jpg) (https://imageshack.com/i/plYbOy37j)

F) Aquisição de mais Pandur ACar  e também adquirir a versão ACar dos Vamtac ST5;
(https://imagizer.imageshack.com/v2/xq90/922/P0Let5.jpg) (https://imageshack.com/i/pmP0Let5j)

(https://imagizer.imageshack.com/v2/xq90/923/8AdwoK.jpg) (https://imageshack.com/i/pn8AdwoKj)

(https://imagizer.imageshack.com/v2/xq90/923/vITwqm.jpg) (https://imageshack.com/i/pnvITwqmj)

Abraços
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: typhonman em Setembro 22, 2018, 03:56:40 pm
"O que também está assente é que pelo menos alguns dos novos helicópteros equipados e armados para missões terrestres vão ser do modelo que a Força Aérea vai adquirir - o Koala - ao fabricante italiano Leonardo para formação e treino, informaram várias fontes."

Então, mas vai haver outro modelo a comprar sem ser os Koala?

Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: typhonman em Setembro 22, 2018, 03:57:43 pm
"O que também está assente é que pelo menos alguns dos novos helicópteros equipados e armados para missões terrestres vão ser do modelo que a Força Aérea vai adquirir - o Koala - ao fabricante italiano Leonardo para formação e treino, informaram várias fontes."

https://www.dn.pt/edicao-do-dia/22-set-2018/interior/exercito-sempre-quis-ter-helicopteros-mas-nao-os-vai-ter-9886811.html


Então, mas vai haver outro modelo a comprar sem ser os Koala?

O exército precisa disto ou a FAP, até podem ser levados nos KC-390.

https://en.wikipedia.org/wiki/Sikorsky_UH-60_Black_Hawk#/media/File:Sikorsky_UH-60A_Black_Hawk_(S-70A)_Puerto_Rico_ARMY_National_Guard_(4705040799).jpg
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: PereiraMarques em Setembro 22, 2018, 04:14:01 pm
O modelo é o Koala, isso é claro... A dúvida é saber se serão 5+2, 5+3 ou 5+2+3...os 3 serão os tais para apoio de forças terrestres, mas operados pela FAP.
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: tenente em Setembro 22, 2018, 04:59:51 pm
"O que também está assente é que pelo menos alguns dos novos helicópteros equipados e armados para missões terrestres vão ser do modelo que a Força Aérea vai adquirir - o Koala - ao fabricante italiano Leonardo para formação e treino, informaram várias fontes."

Então, mas vai haver outro modelo a comprar sem ser os Koala?

Epá esses cinco helis vão ser pau para toda a obra e mais um par de botas !
Querem fazer tudo com apenas cinco unidades ????
Vou gostar de ver !!
Não comprem pelo menos mais cinco helis que não vale a pena !

Abraços
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: tenente em Setembro 22, 2018, 05:13:20 pm
Exército sempre quis ter helicópteros. Mas não os vai ter


Novos helicópteros vão ser geridos pela Força Aérea e serão iguais ao modelo italiano que aquele ramo das Forças Armadas vai adquirir a partir de 2019 para treino e formação.

Manuel Carlos Freire
22 Setembro 2018 — 06:29

Os helicópteros ligeiros destinados às missões do Exército, com blindagem e armados, vão ser operados e geridos pela Força Aérea, reeditando o modelo de emprego conjunto da Guerra Colonial.

Segundo diferentes fontes ouvidas pelo DN, os aparelhos vão ser adquiridos até 2022 e no quadro da revisão da Lei de Programação Militar (LPM), cuja proposta foi apreciada nesta sexta-feira no Conselho Superior de Defesa Nacional (CSDN).

Helicópteros para o Exército 'impõem' acordo com Força Aérea

O programa de helicópteros novos, que é uma das grandes prioridades da nova LPM, acabou por ser uma das razões que levaram o Exército a manifestar reservas - votando mesmo contra - à proposta consensualizada entre o governo e as chefias militares em sede de Conselho Superior Militar (CSM), reconheceu uma das fontes.

Essas reservas, explicaram várias fontes, foram mais uma tomada de posição discordante do Exército - em vez de uma oposição frontal - perante as prioridades definidas na revisão da LPM, que privilegiam a aquisição de capacidades para a Marinha e a Força Aérea nos primeiros anos de vigência do diploma (2019-2030).

Agora tornar-se-á definitivo o fim das aspirações do Exército em ter uma unidade própria de helicópteros, que justificaram a existência - durante 14 anos (2000 a 2014) e com muitos milhões de euros investidos - de um Grupo de Aviação Ligeira (renomeado em 2006 como Unidade de Aviação Ligeira) em Tancos.

Essa unidade, formalmente criada em 1991, encerrou em 2014 como resultado das fortes restrições orçamentais decorrentes do pedido de ajuda financeira e já no contexto da chamada Reforma 2020 aprovada pelo governo PSD-CDS.

O Exército chegou a receber helicópteros ligeiros EC635 - da Eurocopter - em 2002, no tempo do ministro da Defesa Paulo Portas, mas os aparelhos foram rejeitados por ainda não terem certificação militar.

O ramo previa também receber helicópteros médios NH90, no âmbito de um programa cooperativo europeu em que Portugal participava desde 2001 - em moldes semelhantes aos do desenvolvimento e produção dos aviões de transporte KC-390.

Agora, eventualmente reforçada com as tragédias dos fogos florestais em 2017 que levaram o governo a atribuir a gestão de todos os meios aéreos do Estado à Força Aérea, este ramo vai adquirir, operar e manter a frota de helicópteros militares destinados às operações aéreas e terrestres.

Ter helicópteros nas missões de paz

"É essencial para as operações de paz" ter aeronaves de asa rotativa equipadas para missões terrestres "e não estar sujeito a helicópteros de outros países" para "proteger e retirar" os soldados portugueses, enfatizou uma alta patente.

Essa noção foi reforçada, nos planos político e militar, com um episódio recente ocorrido na República Centro-Africana: um militar português ferido teve de esperar toda a noite para ser levado para Bangui porque não havia helicópteros disponíveis para o efeito.

A sorte, assumiram várias fontes, é que era um ferimento ligeiro, porque se fosse grave a demora na operação de transporte para o hospital poderia ter redundado na morte do militar.

A par da retirada de feridos, esses helicópteros destinam-se a missões de vigilância e reconhecimento aéreo dos teatros de operações, proteção de forças especiais e transporte de tropas para operações - como era comum ocorrer durante a Guerra Colonial com os Alouette III da Força Aérea e os Comandos do Exército.

Fica por saber se as questões orçamentais irão alguma vez condicionar a projeção de destacamentos de helicópteros para essas missões das unidades operacionais do Exército.

O que também está assente é que pelo menos alguns dos novos helicópteros equipados e armados para missões terrestres vão ser do modelo que a Força Aérea vai adquirir - o Koala - ao fabricante italiano Leonardo para formação e treino, informaram várias fontes.

A Força Aérea foi autorizada a adquirir cinco aparelhos, com a opção de comprar mais dois, para substituir os velhinhos Alouette III (oriundos da Guerra Colonial).

Senão todos, pelo menos um dos três helicópteros destinados a missões terrestres vai ser adquirido já neste primeiro quadriénio da LPM - ficando por clarificar se o facto de serem do modelo já em produção para a Força Aérea permitirá converter algumas dessas unidades de treino para a versão armada e blindada

https://www.dn.pt/edicao-do-dia/22-set-2018/interior/exercito-sempre-quis-ter-helicopteros-mas-nao-os-vai-ter-9886811.html

Abraços

Pelo que li depreendo que haverá mais outro modelo de heli além do Koala. .....pelo menos alguns dos novos helicópteros equipados e armados para missões terrestres vão ser do modelo que a Força Aérea vai adquirir - o Koala........
.
ou a frase deveria ter sido escrita assim: pelo menos alguns dos novos helicópteros do modelo que a Força Aérea vai adquirir - o Koala, vão ser equipados e armados para missões terrestres ........ e, assim, eu concluiria, que seria adquirido só o KOALA!!!

Estes jornalistas nem Português correctamente sabem escrever .


Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: raphael em Setembro 22, 2018, 05:40:07 pm
O armados é relativamente fácil, pois estações de armamento podem ser colocadas tipo os cobra, necessitando de espaço para consolas e diminuindo a capacidade de transporte...já o blindado coloco algumas reservas, pois a proteção tem de ser restringida a partes especificas senão corre o risco de nem levantar do chão...

Eles querem é Cobras...têm é de convencer a tutela disso...
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: tenente em Setembro 22, 2018, 05:47:20 pm
O armados é relativamente fácil, pois estações de armamento podem ser colocadas tipo os cobra, necessitando de espaço para consolas e diminuindo a capacidade de transporte...já o blindado coloco algumas reservas, pois a proteção tem de ser restringida a partes especificas senão corre o risco de nem levantar do chão...

Eles querem é Cobras...têm é de convencer a tutela disso...

O heli mais baratinho, entre os 11 e os 13 milhões de eurose de duplo uso, que agora está na moda, que a Leonardo produz, com capacidade de ter alguma blindagem é este :

 http://www.leonardocompany.com/documents/63265270/69071306/body_BROCHURE_AW139M.pdf

(https://imagizer.imageshack.com/v2/xq90/922/Sfrci7.jpg) (https://imageshack.com/i/pmSfrci7j)

(https://imagizer.imageshack.com/v2/xq90/921/vIeWoo.jpg) (https://imageshack.com/i/plvIeWooj)

(https://imagizer.imageshack.com/v2/xq90/922/5sjxHu.jpg) (https://imageshack.com/i/pm5sjxHuj)

(https://imagizer.imageshack.com/v2/xq90/922/UeFb6z.jpg) (https://imageshack.com/i/pmUeFb6zj)

(https://imagizer.imageshack.com/v2/xq90/922/vihBPi.png) (https://imageshack.com/i/pmvihBPip)

Não acredito que alguma vez tenhamos Cobras nem nada que se pareça !

Abraços
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: NVF em Setembro 22, 2018, 07:09:26 pm
Preferiria que o Exército (e as FS também) tivessem os seus meios aéreos próprios, mas se as circunstâncias não o permitem (recorde-se não foi culpa do Exército que os seu meios próprios previstos tivessem sido cancelados, apesar de esta organização ter cometido muitos erros), então não vejo qual é a impossibilidade de haver equipas mistas Exército/FAP a operar os helis, mesmo mantendo-se estes sobre propriedade/controlo da FAP. O mesmo racional das esquipas mistas (FAP/Marinha/Exército) podia ser aplicado aos EH101 CSAR, se algum dia estes vierem a operar a partir dos eventuais LPD e AOR. Mesmo não existindo um comando conjunto de helicópteros, como no RU, esta seria, quanto a mim, uma medida positiva para a integração operacional dos meios e uma forma de combater as habituais quintinhas.

Quanto à artilharia, acho que era tempo de se adquirirem M777 (e uns MLRS) e os L119 podiam ser distribuídos da seguinte forma: 6 obuses nos Açores, 6 obuses na Madeira, 6 obuses para os Fuzileiros e os restantes 3 obuses na Escola de Armas, para treino. Isto permitiria uma reforço substancial na defesa das ilhas e um salto brutal para os fuzileiros que, com um meio relativamente ligeiro, ganhariam um poder e alcance de fogo que lhes tem sido vedado pelas mais variadas circunstâncias.

Ainda para o Exército, deveriam ser adquiridos os restantes Pandur e viaturas 4x4 previstos inicialmente. Todas as  viaturas anti-carro (Pandur e 4x4) deviam ser equipadas com Spike. Todos os Pandur APC deviam ser equipados com RWS. Uns 30 Centauro da Itália para colmatar os 33 Pandur com canhão que nunca foram adquiridos. Um esquadrão extra de Leo II e carros de engenharia e recuperação baseados no chassis do Leo II seriam também bem vindos. Sistemas SAM de alcance médio, mais radares de artilharia, etc.

Mas não havendo recursos suficientes, a prioridade deve ser sempre a Marinha e a FAP. Acho que estamos todos de acordo neste ponto. No entanto, com esta história da UE apoiar algumas aquisições militares, se trabalharmos bem a coisa, os NPO, o NavPol e o AOR podem facilmente tornar-se fortes candidatos à recepção de fundos europeus. Eventualmente, até o KC-390 e uns C-295 adicionais poderiam receber fundos europeus, pois todos se tratam de meios que podem ter emprego comum (ao serviço da UE). O mesmo se aplicaria ao MLU dos EH101 e à modernização dos Hercules, caso os mantivéssemos para combate a FF. Se viermos a receber alguns destes fundos, então acho que o Exército tem toda a legitimidade em reclamar uma modernização mais profunda dos seus meios.
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: tenente em Setembro 22, 2018, 08:00:05 pm
Preferiria que o Exército (e as FS também) tivessem os seus meios aéreos próprios, mas se as circunstâncias não o permitem (recorde-se não foi culpa do Exército que os seu meios próprios previstos tivessem sido cancelados, apesar de esta organização ter cometido muitos erros), então não vejo qual é a impossibilidade de haver equipas mistas Exército/FAP a operar os helis, mesmo mantendo-se estes sobre propriedade/controlo da FAP. O mesmo racional das esquipas mistas (FAP/Marinha/Exército) podia ser aplicado aos EH101 CSAR, se algum dia estes vierem a operar a partir dos eventuais LPD e AOR. Mesmo não existindo um comando conjunto de helicópteros, como no RU, esta seria, quanto a mim, uma medida positiva para a integração operacional dos meios e uma forma de combater as habituais quintinhas.

Quanto à artilharia, acho que era tempo de se adquirirem M777 (e uns MLRS) e os L119 podiam ser distribuídos da seguinte forma: 6 obuses nos Açores, 6 obuses na Madeira, 6 obuses para os Fuzileiros e os restantes 3 obuses na Escola de Armas, para treino. Isto permitiria uma reforço substancial na defesa das ilhas e um salto brutal para os fuzileiros que, com um meio relativamente ligeiro, ganhariam um poder e alcance de fogo que lhes tem sido vedado pelas mais variadas circunstâncias.

Ainda para o Exército, deveriam ser adquiridos os restantes Pandur e viaturas 4x4 previstos inicialmente. Todas as  viaturas anti-carro (Pandur e 4x4) deviam ser equipadas com Spike. Todos os Pandur APC deviam ser equipados com RWS. Uns 30 Centauro da Itália para colmatar os 33 Pandur com canhão que nunca foram adquiridos. Um esquadrão extra de Leo II e carros de engenharia e recuperação baseados no chassis do Leo II seriam também bem vindos. Sistemas SAM de alcance médio, mais radares de artilharia, etc.

Mas não havendo recursos suficientes, a prioridade deve ser sempre a Marinha e a FAP. Acho que estamos todos de acordo neste ponto. No entanto, com esta história da UE apoiar algumas aquisições militares, se trabalharmos bem a coisa, os NPO, o NavPol e o AOR podem facilmente tornar-se fortes candidatos à recepção de fundos europeus. Eventualmente, até o KC-390 e uns C-295 adicionais poderiam receber fundos europeus, pois todos se tratam de meios que podem ter emprego comum (ao serviço da UE). O mesmo se aplicaria ao MLU dos EH101 e à modernização dos Hercules, caso os mantivéssemos para combate a FF. Se viermos a receber alguns destes fundos, então acho que o Exército tem toda a legitimidade em reclamar uma modernização mais profunda dos seus meios.

Estou de acordo contigo em três dos quatro parágrafos, no que diz respeito ao da Artilharia estou parcialmente de acordo.
Quando estive na madeira em 82 foi elaborado um estudo sobre o emprego da artilharia nas ilhas e á excepção das peças AA e na altura de Artilharia de Costa, a Artilharia de campanha não se torna eficaz devido á orografia do terreno e modo de emprego da mesma em batarias de quatro ou seis BF.

Nas ilhas o que o Exército deve possuir são vários pelotões de morteiros 81mm, 10,7cm e 12cm alocados os primeiros ás companhias e os segundos e terceiros aos batalhões/grupos para apoio dessas unidades de manobra.
Os morteiros são dos armamentos colectivos de emprego mais simples e rápido o tiro expedito dos mesmos pode ser feito sem PCT, uma simples prancheta de tiro e o caso está resolvido, já quanto á artilharia para partires uma bataria em pelotões de duas BF tens de possuir pessoal qualificado para os PCT .

Já quanto a dotar os fuzos com uma bataria de M ou L119 venham elas que eles não diziam que não em termos de apoio de fogos o BLD ou pelo menos três FFZ ficavam com esse problema resolvido.

Abracos 
 
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: typhonman em Setembro 22, 2018, 09:13:09 pm
Sinceramente, alguem sabe se o Koala tem certificação militar para operar armas? Possui blindagem ?

O AW-139 seria boa opção, no entanto continuo a achar que o UH-60M para Exército/FAP e SH-60R, para as fragatas da Marinha seriam a melhor opção.

Cá na europa, são usados pela Marinha Dinamarquesa, Exército Sueco e Austríaco e futuramente o Exército Polaco.

Defendo uns 6 para a Marinha e 10 para uso conjunto FAP/Exército.

Já agora, se os Koala forem fazer apoio de fogo em missões, vão com o ver,elho dayglo ? ::)
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: NVF em Setembro 22, 2018, 10:48:46 pm
@tenente Tu é que és o artilheiro de serviço  :Bajular:  Mas sempre pensei que o L119 desse para fazer tiro directo e, nesse caso, poderia servir como artilharia de costa, que era o que tinha em mente. Mas pensando melhor, um meio naval mais sofisticado tem elevada capacidade de contra-fogo e, a menos que os meios de artilharia fossem auto-propulsionados, facilmente seriam aniquilados devido à fraca mobilidade. Para o que tinha em mente, uns Spike ER eram capazes de ser mais eficazes e baratos a danificar (ou afundar) lanchas de desembarque de um hipotético invasor.
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: Lightning em Setembro 23, 2018, 12:16:23 pm
Na minha opinião o Exército devia apostar no :

A) Recompletamento dos dois BI's orgânicos da BrigInt, e na constituição do 3º BI, unidade que seria formada pelo RI19;

B) Recompletamento dos dois BInf paraquedista;

C) Aquisição de mais light guns para constituir um segundo GAC, apenas possuímos 21 BF de 10,5cm, necessitamos de, pelo menos mais 15 BF para possuirmos as seis BBF ;

D) Substituição dos M113 por um IFV a sério, de modo a formar dois Bat inf Blindada;

Até podia vir esse material todo mas acho que o grande problema que o Exército tem aí é a falta de pessoal, nem os actuais batalhões estão a 100%, criarmos mais batalhões ainda vai ficar pior, vai haver é mais comandantes lol, nos actuais quadros de pessoal o exército tem falta de 3000 elementos, por isso ou o exército se reorganiza de modo a alocar mais pessoal às unidades operacionais, ou tem que aumentar o número de incorporações, pode aumentar os ordenados, implementar o SMO, etc,

Em relação aos GAC as peças 10,5 já não são modernas, as M777 pesam o mesmo e são 15,5. Outra hipótese mais para o GAC da Brigint são Caesar franceses, são autopropulsionadas, 15,5 e transportáveis em C-130.
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: tenente em Setembro 23, 2018, 02:39:09 pm
Na minha opinião o Exército devia apostar no :

A) Recompletamento dos dois BI's orgânicos da BrigInt, e na constituição do 3º BI, unidade que seria formada pelo RI19;

B) Recompletamento dos dois BInf paraquedista;

C) Aquisição de mais light guns para constituir um segundo GAC, apenas possuímos 21 BF de 10,5cm, necessitamos de, pelo menos mais 15 BF para possuirmos as seis BBF ;

D) Substituição dos M113 por um IFV a sério, de modo a formar dois Bat inf Blindada;

Até podia vir esse material todo mas acho que o grande problema que o Exército tem aí é a falta de pessoal, nem os actuais batalhões estão a 100%, criarmos mais batalhões ainda vai ficar pior, vai haver é mais comandantes lol, nos actuais quadros de pessoal o exército tem falta de 3000 elementos, por isso ou o exército se reorganiza de modo a alocar mais pessoal às unidades operacionais, ou tem que aumentar o número de incorporações, pode aumentar os ordenados, implementar o SMO, etc,

As Alíneas A e B referem isso mesmo " recompletamento dos dois BI's da Brigint e dos dois Bat paraquedistas, a formação do 3º BI da BrigInt é necessário uma Brigada no mínimo tem de ter três batalhões de manobra e um de apoio de Fogos agora uma BrigInt com dois BI's e ainda por cima cada BI só com duas CAt's é que não é nada !
Com a autorização para incorporar nas FFAA  cerca de 2500 efectivos ao Exército deve calhar a parte de leão nunca menos de 1500 elementos e, se assim for dá para recompletar os quatro batalhões mais cerca de 700 homens para o RI19.

Citar
Em relação aos GAC as peças 10,5 já não são modernas, as M777 pesam o mesmo e são 15,5. Outra hipótese mais para o GAC da Brigint são Caesar franceses, são autopropulsionadas, 15,5 e transportáveis em C-130.

Quanto ás peças o apoio directo dos BI's deve ser efectuado por calibres ligeiros inferiores segundo a nossa doutrina, a 14cm, e só aos agrupamentos e brigadas deverá ser alocado um GAC Médio.
No entanto os Gac's lig quando completos, a 100% deverão possuir 3 batarias de 10,5 e uma média de 15cm ou 15,5 cm, para apoio de fogos de conjunto de unidades de manobra mais que BI empenhado em simultâneo.

Abraços
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: Lightning em Setembro 23, 2018, 03:15:12 pm
Com a autorização para incorporar nas FFAA  cerca de 2500 efectivos ao Exército deve calhar a parte de leão nunca menos de 1500 elementos e, se assim for dá para recompletar os quatro batalhões mais cerca de 700 homens para o RI19.

Pelo que vi nas notícias a FAP e a Marinha tem falta de 500 elementos cada, por isso na pior das hipóteses 1500 das vagas são para o Exército. :G-beer2:

Realmente os morteiros para a Madeira e os Light Gun para os Fuzos parece boa ideia.
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: tenente em Setembro 23, 2018, 03:33:20 pm
Com a autorização para incorporar nas FFAA  cerca de 2500 efectivos ao Exército deve calhar a parte de leão nunca menos de 1500 elementos e, se assim for dá para recompletar os quatro batalhões mais cerca de 700 homens para o RI19.

Pelo que vi nas notícias a FAP e a Marinha tem falta de 500 elementos cada, por isso na pior das hipóteses 1500 das vagas são para o Exército. :G-beer2:

Realmente os morteiros para a Madeira e os Light Gun para os Fuzos parece boa ideia.

E se os light guns fossem Helitransportados............o acompanhamento dos movimentos das FFZ com as alterações das posiçoes de tiro para o apoio directo eram efectuadas muito mais rápido.

(https://imagizer.imageshack.com/v2/xq90/922/5sjxHu.jpg) (https://imageshack.com/i/pm5sjxHuj)

Abra;os

PS quando mencionei os efectivos para o ExPor para o RI19 mencionei o efectivo total para um BI mas como o que faz falta s\ao a classe de Pra;as as necessidades para constituir um BI devem andar por volta de 450 soldados e cabos !
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: PereiraMarques em Setembro 23, 2018, 04:38:27 pm
Esses 2.500 são para completar os QOP já existentes, mas (bastante) incompletos... Não parece que esteja em cima da mesa novas unidades operacionais tipo Batalhão de Infantaria... Além disso a revisão da LPM deve privilegiar a Marinha e a FAP, Carros de Combate, Viaturas Blindadas de Lagartas, Obuses, não parecem estar a ser (seriamente) equacionados.
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: Lightning em Setembro 24, 2018, 12:31:42 am
Fiquei com uma dúvida sobre o tal atraso dos programas do exército, é que o exército já tinha vários concursos em avanço, novas armas individuais, viaturas blindadas 4x4, drones, novo sistema anti-aereo, camiões blindados e não blindados de comunicações.  Mas aqui fala é em modernização das Pandur e dos Leopard, apoio de fogos, serviços, etc.

Isso quer dizer que os concursos referidos no inicio não vão ser atrasados por causa dos programas da Marinha e da FAP?
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: nelson38899 em Setembro 24, 2018, 01:35:25 am
Fiquei com uma dúvida sobre o tal atraso dos programas do exército, é que o exército já tinha vários concursos em avanço, novas armas individuais, viaturas blindadas 4x4, drones, novo sistema anti-aereo, camiões blindados e não blindados de comunicações.  Mas aqui fala é em modernização das Pandur e dos Leopard, apoio de fogos, serviços, etc.

Isso quer dizer que os concursos referidos no inicio não vão ser atrasados por causa dos programas da Marinha e da FAP?

aqui a onde?

Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: Lightning em Setembro 24, 2018, 07:57:32 am
aqui a onde?

No artigo de jornal que fala da LPM.
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: PereiraMarques em Outubro 04, 2018, 09:54:18 pm
Despacho n.º 9200/2018 - Diário da República n.º 189/2018, Série II de 2018-10-01 116525365
Finanças e Defesa Nacional - Gabinetes do Ministro das Finanças e do Secretário de Estado da Defesa Nacional
Vagas para a admissão, durante o ano de 2018, aos Cursos Tirocínios ou Estágios para ingresso nas várias categorias dos Quadros Permanentes

https://dre.pt/application/conteudo/116525365


Despacho n.º 9201/2018 - Diário da República n.º 189/2018, Série II de 2018-10-01 116525366
Finanças e Defesa Nacional - Gabinetes do Ministro das Finanças e do Secretário de Estado da Defesa Nacional
Número de militares a admitir no regime de voluntariado e no regime de contrato para o ano de 2018

https://dre.pt/application/conteudo/116525366
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: PereiraMarques em Outubro 11, 2018, 03:04:14 pm
Decreto-Lei n.º 75/2018 - Diário da República n.º 196/2018, Série I de 2018-10-11116640899
PRESIDÊNCIA DO CONSELHO DE MINISTROS
Altera o regime de contrato especial para prestação de serviço militar

https://dre.pt/web/guest/home/-/dre/116640899/details/maximized?serie=I


Decreto-Lei n.º 76/2018 - Diário da República n.º 196/2018, Série I de 2018-10-11116640900
PRESIDÊNCIA DO CONSELHO DE MINISTROS
Aprova o Regulamento de Incentivos à Prestação de Serviço Militar nos Diferentes Regimes de Contrato e no Regime de Voluntariado

https://dre.pt/web/guest/home/-/dre/116640900/details/maximized?serie=I
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: PereiraMarques em Outubro 17, 2018, 10:42:51 am
Despacho n.º 9719/2018 - Diário da República n.º 200/2018, Série II de 2018-10-17 116696204
Defesa Nacional - Gabinete do Secretário de Estado da Defesa Nacional
Quantitativo máximo de admissões de militares nos regimes de contrato e de voluntariado, na Marinha, no Exército e na Força Aérea, para o ano de 2018

https://dre.pt/application/conteudo/116696204
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: Lightning em Outubro 22, 2018, 04:31:17 pm
Com a construção do aeroporto do Montijo, também irão haver alterações no AT1 Figo Maduro.

https://www.publico.pt/2018/10/12/politica/noticia/fgf-1847204

Sintetizando, as funções militares do AT1 como terminal de carga e de militares para missões internacionais passam para o Montijo, enquanto que os Falcon da FAP e as funções de apoio a altas entidades se mantêm no mesmo local mas sob administração do aeroporto e até são aumentadas como a construção de uma área VIP.
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: HSMW em Outubro 22, 2018, 05:42:57 pm
Agora faz todo o sentido mudar o Regimento de transportes de Sacavem para Alcochete.
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: PereiraMarques em Dezembro 02, 2018, 12:36:42 am
https://www.dn.pt/poder/interior/medida-inedita-governo-quer-dar-posse-aos-oficiais-generais-que-nomeia-10264274.html
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: PereiraMarques em Dezembro 06, 2018, 03:17:52 pm
https://www.dn.pt/poder/interior/medida-inedita-governo-quer-dar-posse-aos-oficiais-generais-que-nomeia-10264274.html

O CEME ainda não teve tempo de trocar as estrelas de prata brilhantes (da GNR) por estrelas de prata foscas (do Exército)  :-P

(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fassets.exercito.pt%2FSiteAssets%2FGabCEME%2FRCRPP%2FFotos_Noticias%2F2018%2Fviceceme_04.JPG&hash=eae9e1f87430eeb1a94b30fa4222c33c)
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: raphael em Dezembro 06, 2018, 04:05:55 pm
https://www.dn.pt/poder/interior/medida-inedita-governo-quer-dar-posse-aos-oficiais-generais-que-nomeia-10264274.html

O CEME ainda não teve tempo de trocar as estrelas de prata brilhantes (da GNR) por estrelas de prata foscas (do Exército)  :-P

(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fassets.exercito.pt%2FSiteAssets%2FGabCEME%2FRCRPP%2FFotos_Noticias%2F2018%2Fviceceme_04.JPG&hash=eae9e1f87430eeb1a94b30fa4222c33c)

A sério? é que na GNR a farda era diferente...e tinha bem menos estrelas...
Só se o Gen Rovisco Duarte lhe cedeu as dele...
(https://cdn-images.rtp.pt/icm/noticias/images/de/de34415c2f96bedbb8687c11c0fb420a?860&rect=0,7,1500,822&w=860)

Estou em crer que a diferença poderá residir no facto de ser 4 estrelas e as estrelas mais brilhantes constarem do Grande Uniforme...onde surgem as medalhas completas em relação ao uniforme nº1 onde as medalhas assumem a forma de "plaquinhas"....
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: PereiraMarques em Dezembro 07, 2018, 12:48:29 am
Bem apanhado... Mas referia me ao facto de a insígnia de GEN com 4 estrelas parecer muito mais brilhante que a insígnia de TGEN com 3 estrelas... Não deviam ser ambas de prata fosca? Tanto a de 3 como a de 4?
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: raphael em Dezembro 07, 2018, 04:07:32 am
Bem apanhado... Mas referia me ao facto de a insígnia de GEN com 4 estrelas parecer muito mais brilhante que a insígnia de TGEN com 3 estrelas... Não deviam ser ambas de prata fosca? Tanto a de 3 como a de 4?

Sim, também acho que sim...pelo menos na Força Aérea não há distinção. Quer-me parecer que no Exército quando fizeram a revisão de uniformes alteraram isso...até porque o as 4 estrelas do Gen Pina Monteiro eram de prata fosca...como as dos restantes generais...
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: NVF em Dezembro 07, 2018, 01:55:20 pm
Só um reparo/questão, rapahel. O TGEN com as estrelas normais é que está de Grande Uniforme (com as medalhas, sabre, etc.). O novo CEME com as plaquinhas e a 'nova prata' é que tem o nº1. Correcto?
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: raphael em Dezembro 07, 2018, 02:43:22 pm
Só um reparo/questão, rapahel. O TGEN com as estrelas normais é que está de Grande Uniforme (com as medalhas, sabre, etc.). O novo CEME com as plaquinhas e a 'nova prata' é que tem o nº1. Correcto?

Já reparei nisso! Porque o Rovisco Duarte está c as medalhas e o novo CEME está c as plaquinhas identificadoras das medalhas...
Assim é que já não percebo a coisa...a não ser que os 4 estrelas do Exército seja para distinguir melhor ainda dos de 3 estrelas...
Pode ser que alguém com melhor conhecimento dos uniformes do Exército consiga esclarecer a coisa...
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: PereiraMarques em Dezembro 07, 2018, 03:21:45 pm
Grande uniforme é este.

(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fpolicia-exercito.planetaclix.pt%2Ffotos%2Fcomandantes%2Fcomandante_luis_miguel_correia_david_silva.jpg&hash=2a36a05c1106cbd4e09be072af7f46b1)

Conferir figuras 1, 2 e 3, na página 3861: https://dre.pt/application/file/a/670618

O que estão a falar são meras variações do Uniforme n.º 1
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: raphael em Dezembro 07, 2018, 03:23:37 pm
Grande uniforme é este.

(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fpolicia-exercito.planetaclix.pt%2Ffotos%2Fcomandantes%2Fcomandante_luis_miguel_correia_david_silva.jpg&hash=2a36a05c1106cbd4e09be072af7f46b1)

Conferir figuras 1, 2 e 3, na página 3861: https://dre.pt/application/file/a/670618

O que estão a falar são meras variações do Uniforme n.º 1

Thanks... tinha a ideia que as medalhas completas só surjiam no grande uniforme...my bad.
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: tenente em Dezembro 07, 2018, 04:04:48 pm
Para v/ info:

Artigo 132.º

Medalhas e condecorações


O uso das medalhas e condecorações é regido pela Lei Orgânica das Ordens Honoríficas, pelo Regulamento da Medalha Militar e das Medalhas Comemorativas das Forças Armadas e pelas normas de protocolo em vigor.

Artigo 133.º

Uso de medalhas e condecorações

No uso de medalhas e condecorações, é utilizado o seguinte critério:

a) Com o grande uniforme são usadas insígnias para o peito e para o pescoço e bandas ou colares das Ordens;

b) Com o uniforme da jaqueta são usadas miniaturas, placas, bandas e insígnias para o pescoço;

c) Com o uniforme n.º 1A, são usadas insígnias para o peito e para o pescoço e placas;

d) Com os uniformes n.os 1 (excepto o uniforme n.º 1A) e 2, são usadas fitas;

e) Salvo em cerimónias militares, com o uniforme n.º 3 e com os abafos não são usadas medalhas e condecorações ou fitas;

f) As insígnias para o peito, respeitantes às condecorações individuais, são usadas sempre do lado esquerdo do peito, na altura do primeiro alamar no dólman do grande uniforme, por cima da algibeira superior nos uniformes n.os 1 e 2 (as miniaturas usam-se na banda esquerda da jaqueta);

g) A distinção colectiva respeitante à Ordem da Torre e Espada, de Valor, Lealdade e Mérito e às medalhas militares de Valor Militar e Cruz de Guerra, quando concedidas a unidades militares, importa para os militares que tomaram parte na acção o uso de um distintivo especial, nos casos em que o Regulamento e as normas de protocolo estabeleçam o uso de condecorações completas, ou quando os mesmos estabeleçam o uso de fitas simples das condecorações. Os cordões são usados do lado direito no peito, suspensos pelo respectivo travessão;

h) Sempre que as medalhas devam ser substituídas por fitas simples, estas têm a mesma largura e são dos mesmos materiais e cores das fitas de suspensão, com a altura de 1,3 cm, aplicadas numa ou mais barras metálicas, munidas de travessão colocado na parte posterior. Para enfiar em duas ou mais aselhas, devendo as fitas encobrir totalmente as barras;

i) As medalhas e as condecorações são usadas ao peito e suspensas das respectivas travincas metálicas, enfiadas em aselhas, respeitando-se na sua colocação a respectiva ordem de precedência. O comprimento das travincas metálicas não deve ultrapassar a largura do bolso;

j) As miniaturas são usadas suspensas de uma barra cinzelada de metal dourado com 0,5 cm de largura, que se fixa na banda dos uniformes de jaqueta, por meio de um alfinete de segurança;

l) A banda é usada cruzada da direita para esquerda, não sendo permitido o uso simultâneo de duas ou mais bandas;

m) Quando as medalhas e condecorações ou fitas que as representam não se contenham numa só linha, a ordem de precedência começa pela linha superior e de cima para baixo;

n) Na colocação das diferentes medalhas e condecorações nacionais e estrangeiras, deve seguir-se a ordem de precedência da direita para a esquerda em cada linha horizontal, observando-se, quanto às estrangeiras, a ordem alfabética das respectivas nações.

https://dre.pt/pesquisa/-/search/670523/details/maximized

Abraços
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: NVF em Dezembro 08, 2018, 12:49:35 am
Esse grande uniforme é que devia substituir o nº1 para oficiais, sargentos e praças. É bonito, é clássico e não parece um uniforme da PSP, da GNR, ou da GF dos anos 60 ou 70.
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: tenente em Dezembro 08, 2018, 06:18:26 am
Esse grande uniforme é que devia substituir o nº1 para oficiais, sargentos e praças. É bonito, é clássico e não parece um uniforme da PSP, da GNR, ou da GF dos anos 60 ou 70.

NVF o grande Uniforme custa um balúrdio, já o nº1 no meu tempo de serviço, era muito caro quanto mais o Grande Uniforme, só a Jaqueta, custava tanto ou mais que o nº1.

Abraços
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: NVF em Dezembro 08, 2018, 01:01:46 pm
A GNR (com mais efectivos que o Exército) tem um nº1 decente, porque razão o Exército não consegue fazer o mesmo? Claro que há-de sempre haver outras prioridades, mas quando uma força armada nem consegue ter um uniforme decente para todos os seus elementos está tudo dito.
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: PereiraMarques em Dezembro 08, 2018, 09:51:50 pm
Aquando da apresentação dos novos camuflados (uniforme n.° 3) parece me ter visto uns novos uniformes n.° 2 em cinza... Transversais a Oficiais, Sargentos e Praças, mas obviamente orientados para Praças. Parece-me que a orientação seria utilizar essencialmente os n.° 3 e em ocasiões mais formais Oficiais e Sargentos usariam o n.° 1 e as Praças o novo n.° 2 em cinza.
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: PereiraMarques em Dezembro 08, 2018, 09:56:11 pm
(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fassets.exercito.pt%2FSiteAssets%2FGabCEME%2FRCRPP%2FFotos_Noticias%2F2018%2FDia_CmdLog_UnApGME_MAI18_4.jpg&hash=5a5006001e621b67b3eca49c497c638b)

(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fassets.exercito.pt%2FSiteAssets%2FGabCEME%2FRCRPP%2FFotos_Noticias%2F2018%2FDia_CmdLog_UnApGME_MAI18_5.jpg&hash=ab0bbef21d26ec5d40826f8b674c4483)
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: PereiraMarques em Dezembro 19, 2018, 08:59:54 pm
Documento estratégico de grande importância para as Forças Armadas  :mrgreen:

https://www.emgfa.pt/pt/noticias/1300
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: mayo em Dezembro 20, 2018, 06:43:55 am
https://www.dn.pt/poder/interior/medida-inedita-governo-quer-dar-posse-aos-oficiais-generais-que-nomeia-10264274.html

O CEME ainda não teve tempo de trocar as estrelas de prata brilhantes (da GNR) por estrelas de prata foscas (do Exército)  :-P

(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fassets.exercito.pt%2FSiteAssets%2FGabCEME%2FRCRPP%2FFotos_Noticias%2F2018%2Fviceceme_04.JPG&hash=eae9e1f87430eeb1a94b30fa4222c33c)

A sério? é que na GNR a farda era diferente...e tinha bem menos estrelas...
Só se o Gen Rovisco Duarte lhe cedeu as dele...
(https://cdn-images.rtp.pt/icm/noticias/images/de/de34415c2f96bedbb8687c11c0fb420a?860&rect=0,7,1500,822&w=860)

Estou em crer que a diferença poderá residir no facto de ser 4 estrelas e as estrelas mais brilhantes constarem do Grande Uniforme...onde surgem as medalhas completas em relação ao uniforme nº1 onde as medalhas assumem a forma de "plaquinhas"....

As estrelas são novas, por isso ainda tem essa cor !
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: raphael em Dezembro 21, 2018, 11:51:58 am

As estrelas são novas, por isso ainda tem essa cor !

Só podes estar no gozo....já viste a diferença de umas para as outras? As dos Generais de 4 estrelas são bem diferentes das restantes...

Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: PereiraMarques em Dezembro 21, 2018, 07:40:09 pm
Primeira mulher com posto de General em Portugal

https://www.cmjornal.pt/cm-ao-minuto/detalhe/regina-mateus-e-a-1-mulher-promovida-a-general-nas-forcas-armadas?ref=HP_Grupo1
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: typhonman em Dezembro 27, 2018, 12:54:10 pm
Aqui vai um artigo em que concordo totalmente, a potencialização da BRR ,como uma força de choque, aerotransportada, coisa que defende desde 2004 creio..


Só falta é os UH-60, HIMARS, CHINOOK e NH-90... 8)

 :arrow: https://www.revistamilitar.pt/artigo/233
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: Cabeça de Martelo em Janeiro 03, 2019, 10:38:23 am
Aqui vai um artigo em que concordo totalmente, a potencialização da BRR ,como uma força de choque, aerotransportada, coisa que defende desde 2004 creio..


Só falta é os UH-60, HIMARS, CHINOOK e NH-90... 8)

 :arrow: https://www.revistamilitar.pt/artigo/233

É um estudo sobre um possivel modelo para a Aeromecanização da BAI, algo ao que os Norte-Americanos estão a começar a fazer com a 82ª, 101ª e a 10ª Divisão.
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: tenente em Janeiro 19, 2019, 04:51:50 am
https://www.noticiasaominuto.com/pais/1182247/portugal-participara-em-19-missoes-internacionais-este-ano

(https://imagizer.imageshack.com/v2/xq90/922/DsatVQ.jpg) (https://imageshack.com/i/pmDsatVQj)

Abraços
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: Lightning em Janeiro 19, 2019, 12:24:56 pm
Jordânia? Fiquei curioso...
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: HSMW em Janeiro 19, 2019, 01:39:02 pm
Deve ser a competição no KASOTC
http://warriorcompetition.com/
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: Cabeça de Martelo em Janeiro 19, 2019, 03:08:27 pm
Pois, nos últimos dois anos a Componente de Operações Especiais (CompOEsp) tem enviado militares do DAE ou da FOEsp. Este ano pela lógica vão outra vez os Fuzos do DAE.

(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fwww.joint-forces.com%2Fwp-content%2Fuploads%2F2018%2F05%2F10AWC-5-4011.jpg&hash=f7f5b7c1724dc75273768e6b2281a804)
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: PereiraMarques em Janeiro 22, 2019, 02:30:28 pm
Decreto-Lei n.º 17/2019 - Diário da República n.º 15/2019, Série I de 2019-01-22118275383
PRESIDÊNCIA DO CONSELHO DE MINISTROS
Regula a Unidade Politécnica Militar e consagra as especificidades da componente politécnica do ensino superior militar no contexto do ensino superior politécnico

https://dre.pt/web/guest/home/-/dre/118275383/details/maximized
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: Cabeça de Martelo em Janeiro 22, 2019, 02:49:59 pm
Decreto-Lei n.º 17/2019 - Diário da República n.º 15/2019, Série I de 2019-01-22118275383
PRESIDÊNCIA DO CONSELHO DE MINISTROS
Regula a Unidade Politécnica Militar e consagra as especificidades da componente politécnica do ensino superior militar no contexto do ensino superior politécnico

https://dre.pt/web/guest/home/-/dre/118275383/details/maximized

Ou seja, a Escola de Sargentos vai à vida e todos os Sargentos QP das Forças Armadas e GNR são formados nessa tal Unidade Politécnica Militar?
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: PereiraMarques em Janeiro 22, 2019, 03:23:42 pm
Não sei... Mas se a lógica é funcionar em rede talvez não.
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: HSMW em Janeiro 22, 2019, 06:52:11 pm
A ESE não vai à vida mas fica como pólo de formação. Principalmente em lá o centro de línguas para certificar com STANAG os elementos que vão para o estrangeiro.

A formação de Sargentos e corpo docente fica sob a alçada desta UPM.
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: Lightning em Janeiro 22, 2019, 10:28:53 pm
Também quando criaram o Instituto Universitário Militar não levou ao fim das Academias dos ramos.
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: raphael em Janeiro 23, 2019, 11:30:05 am
Decreto-Lei n.º 17/2019 - Diário da República n.º 15/2019, Série I de 2019-01-22118275383
PRESIDÊNCIA DO CONSELHO DE MINISTROS
Regula a Unidade Politécnica Militar e consagra as especificidades da componente politécnica do ensino superior militar no contexto do ensino superior politécnico

https://dre.pt/web/guest/home/-/dre/118275383/details/maximized

Ou seja, a Escola de Sargentos vai à vida e todos os Sargentos QP das Forças Armadas e GNR são formados nessa tal Unidade Politécnica Militar?

Tens de ler bem...tal como o IUM o UPM não faz cessar as formações de cada Ramo e da GNR...apenas cria mais uma estrutura...mais uns oficiais generais, mais umas vagas para oficiais superiores, alguns com formação de grau de doutor.

Inclusivé o UPM irá funcionar no mesmo espaço do IUM e terá agora sob a sua alçada a formação dos sargentos das Forças Armadas e GNR, visa a uniformização.
Mas cada Ramo mantém a sua escola de formação de sargentos, tal como as academias militares se mantêm...

Tem um prazo de implementação de 3 anos, logo a pleno vapor só em 2022...

Chill out.
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: Srgdoido em Janeiro 27, 2019, 06:34:08 pm
https://observador.pt/2019/01/25/ministro-da-defesa-anuncia-aumento-da-remuneracao-minima-dos-militares-para-635-euros/
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: tenente em Fevereiro 04, 2019, 10:40:13 pm
Até que enfim, aí vem as HK ::)

https://www.facebook.com/portuguesearmy/


Abraços
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: NVF em Fevereiro 04, 2019, 10:48:56 pm
Mas as espingardas 7,62 são FN SCAR e em calibre 5,56  :D
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: tenente em Fevereiro 04, 2019, 10:55:51 pm
Mas as espingardas 7,62 são FN SCAR e em calibre 5,56  :D

é como a foto das LMG's e MMG's são M16!!! ::)

Abraços
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: PereiraMarques em Fevereiro 10, 2019, 04:45:54 pm
Blá, Blá, Blá Whiskas saquetas...  :P

https://www.emgfa.pt/pt/noticias/1325?fbclid=IwAR37CXBcfKKLrdOTOKsI1odfuaA_uGreu6bFi-3VjCVUd1Cb1uNIOydW6Yo
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: PereiraMarques em Março 22, 2019, 10:15:06 am
Decreto-Lei n.º 40/2019 - Diário da República n.º 58/2019, Série I de 2019-03-22121403390
PRESIDÊNCIA DO CONSELHO DE MINISTROS
Fixa os efetivos das Forças Armadas para o ano de 2019

https://dre.pt/application/conteudo/121403390
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: PereiraMarques em Março 27, 2019, 12:02:29 pm
Mais um tema trazido à colação de elevadíssima relevância operacional, tática e estratégica...

 :arrow: Plano Sectorial para a Igualdade da Defesa Nacional (2019-2021)
https://www.portugal.gov.pt/download-ficheiros/ficheiro.aspx?v=a654b649-aab0-4e93-8a7e-8105fe344c62
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: raphael em Março 27, 2019, 12:22:51 pm
Mais um tema trazido à colação de elevadíssima relevância operacional, tática e estratégica...

 :arrow: Plano Sectorial para a Igualdade da Defesa Nacional (2019-2021)
https://www.portugal.gov.pt/download-ficheiros/ficheiro.aspx?v=a654b649-aab0-4e93-8a7e-8105fe344c62

Oh...caramba... lá vamos nós de ter de tirar do léxico no inicio dos tópicos de encorajamento..." Ohhh rapaziada...!"
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: Miguel em Março 27, 2019, 02:08:11 pm
Como eu referi noutro topico.
Acho que deviamos começar a sério discutir o fim das Forças Armadas Portuguesas.

Porque isto de ter umas forças armadas para tachos, e sem material nem recursos nao vale a pena, desperdiçar o dinheiro do contribuinte.
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: tenente em Abril 05, 2019, 07:21:02 am
Os 4.700 milhões da Bendita LPM davam para adquirirmos:

(https://imagizer.imageshack.com/v2/xq90/923/nVGrui.jpg) (https://imageshack.com/i/pnnVGruij)

03 Mekos 200;
01 Abastecedor;
03 NPO;
05 NPC/02 NPO;
03 Wildcats.

(https://imagizer.imageshack.com/v2/xq90/923/Ejn7GS.jpg) (https://imageshack.com/i/pnEjn7GSj)

54 Vamtac, versões ( 3 X18 PM/ACar/AA ) ;
80 Vamtac transporte;
Sistema Defesa Aérea;
50 Pandur, ( 24 versão PM, 13 versão ACar e 13 versão RWS) ;
120 Pizarros;
12 BF 10,5;
2500 FN's;
Acréscimo do efectivo em 5000 praças, SÓ PRAÇAS !!

(https://imagizer.imageshack.com/v2/xq90/921/cNIfM1.jpg) (https://imageshack.com/i/plcNIfM1j)

05 C130J/390, a preço de amigo, quer dizer c/ desconto;
Upgrade V para os 30 F's;
10 Helis 05 a 10 Tons, AW169/139;
02 aw119
12 Tucanos;

E ainda sobravam umas centenas de milhões ??!!
Não há compras de equipamento/armamento, porque os políticos não querem e as chefias Militares concordam !

Abraços
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: Stalker79 em Abril 06, 2019, 03:06:57 pm
Só um pequeno aparte caro Tenente. Não dava pra trocar os Pizarro pelos CV 90 Suecos!?
Pra espanhois já nos chega os Vamtac´s e começa logo a minha paranoia a entrar em efeito!
E as Pandur é que era, mas não estou a ver o estado a entrar nessa.
 :-P
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: Cabeça de Martelo em Abril 06, 2019, 03:24:27 pm
Só um pequeno aparte caro Tenente. Não dava pra trocar os Pizarro pelos CV 90 Suecos!?
Pra espanhois já nos chega os Vamtac´s e começa logo a minha paranoia a entrar em efeito!
E as Pandur é que era, mas não estou a ver o estado a entrar nessa.
 :-P

Aposto que os Pizarro são mais baratos que os CV90, para além disso o projecto deve ser bom já que os Britânicos a receberam uma versão actualizada dos Pizarros:

https://en.wikipedia.org/wiki/General_Dynamics_Ajax
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: Stalker79 em Abril 06, 2019, 03:38:02 pm
Só um pequeno aparte caro Tenente. Não dava pra trocar os Pizarro pelos CV 90 Suecos!?
Pra espanhois já nos chega os Vamtac´s e começa logo a minha paranoia a entrar em efeito!
E as Pandur é que era, mas não estou a ver o estado a entrar nessa.
 :-P

Aposto que os Pizarro são mais baratos que os CV90, para além disso o projecto deve ser bom já que os Britânicos a receberam uma versão actualizada dos Pizarros:

https://en.wikipedia.org/wiki/General_Dynamics_Ajax


Olhe que as aparencias iludem, pelo menos pelo que consigo encontrar na net.

ASCOD/Pizarro IFV: $7.5 million – (based on Spanish procurement)

CV90 series IFV: $5.5-6 million

CV90120 Light Tank: ~$8-10 million

Mas desde que não se fique completamente dependente de Espanha para sobresselentes e peças por mim tudo bem.

 :-P
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: Cabeça de Martelo em Abril 06, 2019, 05:27:32 pm
Só um pequeno aparte caro Tenente. Não dava pra trocar os Pizarro pelos CV 90 Suecos!?
Pra espanhois já nos chega os Vamtac´s e começa logo a minha paranoia a entrar em efeito!
E as Pandur é que era, mas não estou a ver o estado a entrar nessa.
 :-P

Aposto que os Pizarro são mais baratos que os CV90, para além disso o projecto deve ser bom já que os Britânicos a receberam uma versão actualizada dos Pizarros:

https://en.wikipedia.org/wiki/General_Dynamics_Ajax


Olhe que as aparencias iludem, pelo menos pelo que consigo encontrar na net.

ASCOD/Pizarro IFV: $7.5 million – (based on Spanish procurement)

CV90 series IFV: $5.5-6 million

CV90120 Light Tank: ~$8-10 million

Mas desde que não se fique completamente dependente de Espanha para sobresselentes e peças por mim tudo bem.

 :-P

Eu já encontrei a tua fonte, mas tenho MUITAS dúvidas em relação aos valores adiantados.

Outra coisa, o ASCOD é muito diferente de país para país, o melhor equipado e armado será a versão para o Exército Britânico, mas eu contentava-me com esta:

https://www.defence24.com/ascod-vehicle-presented-in-kielce
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: Stalker79 em Abril 06, 2019, 05:34:28 pm
Essa versão está muito a frente, e já nem parece um pizarro, mas encontrei um problema maior ainda.
GDLS! General Dynamics Land Systems Europe! Ainda era pra levarmos outra rabecada como foi com as Pandur.
Não obrigado!!!!
 ;)
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: Cabeça de Martelo em Abril 06, 2019, 06:23:42 pm
Essa versão está muito a frente, e já nem parece um pizarro, mas encontrei um problema maior ainda.
GDLS! General Dynamics Land Systems Europe! Ainda era pra levarmos outra rabecada como foi com as Pandur.
Não obrigado!!!!
 ;)

Fala com meia OTAN que compra material à dita empresa. Os Britânicos até agora não queixaram-se de nada e acima de tudo o ADCOD não é uma viatura nova como eram as Pandur 8x8.
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: Stalker79 em Abril 06, 2019, 06:52:02 pm
Essa versão está muito a frente, e já nem parece um pizarro, mas encontrei um problema maior ainda.
GDLS! General Dynamics Land Systems Europe! Ainda era pra levarmos outra rabecada como foi com as Pandur.
Não obrigado!!!!
 ;)

Fala com meia OTAN que compra material à dita empresa. Os Britânicos até agora não queixaram-se de nada e acima de tudo o ADCOD não é uma viatura nova como eram as Pandur 8x8.


Eu sei, mas se fosse eu, só condiderava fosse o que fosse a GDLSE se primeiro repussesem a questão das Pandur e depois falava-mos de negocios.
 :-P
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: PereiraMarques em Abril 08, 2019, 10:26:05 am
Portaria n.º 100/2019 - Diário da República n.º 69/2019, Série I de 2019-04-08122035520
DEFESA NACIONAL
Aprova o modelo de contrato para prestação de serviço militar em regime de contrato especial (RCE)

https://dre.pt/web/guest/home/-/dre/122035520/details/maximized
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: Lightning em Abril 08, 2019, 11:12:01 am
APOIO MILITAR DE EMERGÊNCIA A MOÇAMBIQUE

A Força de Reacção Imediata (FRI) do Estado-Maior General das Forças Armadas foi activada em 20MAR2019 para nesse mesmo dia iniciar uma operação de resposta à emergência civil que se vive na região da Beira, em Moçambique, após a passagem do ciclone “Idai”. Horas após a decisão política um C-130 da Esquadra 501 da Força Aérea Portuguesa descolou de Lisboa, já na madrugada de 21MAR, para uma viagem de 8.000 quilómetros. Assim se percebe porque temos que ter, sempre, militares e meios em elevado estado de prontidão.

http://www.operacional.pt/apoio-militar-de-emergencia-a-mocambique/

(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fwww.operacional.pt%2Fwp-content%2Fuploads%2F2019%2F03%2FC-130-Tancos.jpg&hash=890f046daa07d597505ed2a6101d91f5)
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: Srgdoido em Abril 22, 2019, 06:20:26 pm
"Portugal e a Costa do Marfim assinam acordo "histórico" de cooperação militar"
https://www.dn.pt/lusa/interior/portugal-e-a-costa-do-marfim-assinam-acordo-historico-de-cooperacao-militar-10821883.html
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: PereiraMarques em Maio 02, 2019, 10:04:35 am
 :mrgreen:

Despacho n.º 4450/2019 - Diário da República n.º 84/2019, Série II de 2019-05-02 122201919
Defesa Nacional - Gabinete do Ministro
Legal Framework - Iniciativa Europeia para o Intercâmbio de Jovens Oficiais - «Erasmus Militar»

https://dre.pt/web/guest/home/-/dre/122201919/details/2/maximized?serie=II&parte_filter=31&dreId=122201876
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: Cabeça de Martelo em Maio 03, 2019, 04:52:04 pm
Lei de Programação Militar aprovada pelo PS, PSD e CDS-PP e abstenção do PCP

A Assembleia da República aprovou hoje a Lei de Programação Militar, que define os investimentos no reequipamento das Forças Armadas até 2030, com 170 votos a favor, do PS, PSD e CDS-PP.
 Lei de Programação Militar aprovada pelo PS, PSD e CDS-PP e abstenção do PCP
O PCP, o PEV e o PAN abstiveram-se e o Bloco de Esquerda votou contra o diploma, que foi aprovado em votação final global e entrará em vigor no dia seguinte ao da sua publicação.

O diploma foi aprovado depois de PS, PSD e CDS-PP terem chegado a acordo com o Ministério da Defesa para a redução do montante destinado ao Navio Polivalente Logístico, de 300 para 150 milhões de euros, visando a alocação de 120 milhões de euros para a modernização das fragatas da classe Vasco da Gama.

Na versão final da lei, a capacidade de 'ciberdefesa' é reforçada em cinco milhões de euros, passando para um valor global de 45,4 milhões. Há ainda uma verba de 25 milhões de euros que foram deslocados para projetos no âmbito da Cooperação Estruturada Permanente [PESCO, na sigla em inglês].

O reforço da dotação da Marinha para a modernização das fragatas, incluídas na Capacidade Oceânica de Superfície, reflete-se principalmente no segundo quadriénio, entre 2023 e 2026.

A modernização daquelas fragatas tinha sido apontada pelo PSD como uma “linha de fronteira” da posição dos sociais-democratas face ao diploma.

A verba atribuída ao NPL na proposta do Governo foi desde o início considerada “excessiva” pelo PSD, CDS-PP e pelo PCP, que defenderam que a prioridade deveria ser manter a operacionalidade das fragatas.

A LPM foi aprovada na generalidade em janeiro, com os votos a favor do PS, contra do BE e abstenção do PSD e PCP, prevendo investimentos de 4,74 mil milhões de euros no reequipamento das Forças Armadas até 2030.

Seis novos Navios Patrulha Oceânicos, no valor de 352 milhões de euros [ME], um Navio Polivalente Logístico, que com a alteração passará a ter uma verba alocada de 150 ME, um Navio Reabastecedor, com 150 ME, novos aviões de transporte tático, com 827 ME previstos, helicópteros de evacuação, com 53 ME, e o equipamento individual do soldado, no valor de 45 ME de euros, são os outros projetos principais da LPM.

A primeira revisão da lei deverá ocorrer em 2022, prevê o diploma.

https://24.sapo.pt/atualidade/artigos/lei-de-programacao-militar-aprovada-pelo-ps-psd-e-cds-pp-e-abstencao-do-pcp
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: Lightning em Maio 03, 2019, 08:32:26 pm
https://www.portugal.gov.pt/pt/gc21/comunicacao/comunicado?i=ministro-da-defesa-nacional-congratula-se-com-a-aprovacao-final-da-proposta-de-lei-de-programacao-militar
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: typhonman em Maio 04, 2019, 12:12:31 am
https://www.portugal.gov.pt/pt/gc21/comunicacao/comunicado?i=ministro-da-defesa-nacional-congratula-se-com-a-aprovacao-final-da-proposta-de-lei-de-programacao-militar

E se o governo cair ?
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: Lightning em Maio 04, 2019, 11:07:25 am
Penso que é indiferente, a lei já foi aprovada em parlamento. Mas não sou expert.
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: LM em Maio 04, 2019, 01:09:57 pm
Pelo parlamento, no plenário, ou na especialidade pela comissão de defesa?
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: dc em Maio 04, 2019, 03:21:41 pm
O BE que não votasse contra a LPM.  ::)
O dia em que votarem a favor, será quando cair um míssil de cruzeiro russo na sua sede.  :mrgreen:
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: nelson38899 em Maio 06, 2019, 03:06:15 pm
A LPM já foi completamente aprovada!

Por isso já não depende do governo que vier.

Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: tenente em Maio 06, 2019, 05:33:10 pm
A LPM já foi completamente aprovada!

Por isso já não depende do governo que vier.

Não tenho tanta certeza disso !
Temos especialistas, (Des)Governamentais, em cativações, que fazem milagres para cortar/atrasar o financiamento de alguns projectos nas FFAA.

Abraços
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: Lightning em Maio 06, 2019, 10:39:50 pm
Pelo que li nas noticias, a lei será revista em 2022, e é claro que pode sofrer cativações. Mas será que se o governo cair iria fazer diferença nesse plano?

PS: Mas alguém acha que o governo vai cair? Se agora houvesse eleições ainda tinham mais votos com os outros partidos a dar tiros nos pés desta maneira.
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: Srgdoido em Maio 10, 2019, 08:57:45 pm
https://www.publico.pt/2019/04/12/politica/noticia/governo-vai-tornar-servico-militar-atractivo-rever-formacao-condicoes-1869002
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: Cabeça de Martelo em Maio 18, 2019, 05:31:56 pm
Aviso, é só para descontrair, porque nem eu penso que fosse uma solução para a nossa realidade.

Em seguimento deste texto:

http://www.forumdefesa.com/forum/index.php?topic=3326.msg312007#msg312007

(https://i.ibb.co/0VN5GSG/BOP.jpg)

(https://i.ibb.co/fvynYn9/Misturada.jpg)
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: Lightning em Maio 20, 2019, 12:16:05 am
Exercício de Operações Especiais internacional em Portugal.

Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: typhonman em Maio 26, 2019, 07:42:07 pm
Viva,
Será possível agendar uma reunião com o ministro ou secretário de estado e expor estas situações ou não vale a pena?



Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: NVF em Maio 26, 2019, 09:21:53 pm
O melhor caminho seria começar por baixo, tipo um coronel, ou mesmo um general. São normalmente tipos humildes e acessíveis, além de serem completamente abertos a sugestões vindas de fora.  :mrgreen:
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: ocastilho em Maio 27, 2019, 11:08:58 am
O melhor caminho seria começar por baixo, tipo um coronel, ou mesmo um general. São normalmente tipos humildes e acessíveis, além de serem completamente abertos a sugestões vindas de fora.  :mrgreen:

O conhecido "deixe-me apontar aqui nesta folha de papel com a qual vou limpar o cu" :mrgreen:
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: tenente em Maio 27, 2019, 12:50:18 pm
Viva,
Será possível agendar uma reunião com o ministro ou secretário de estado e expor estas situações ou não vale a pena?

Admiro a tua força de vontade mas, achas mesmo que haja alguém, minimamente responsável, que está preocupado com a actual situação das FFAA, tanto em termos de efectivo e/ou de equipamentos ??

Os que por aqui andam, neste fórum, pensam, vasculham, procuram, debatem, criticam, dão sugestões e mais não, sobre possíveis aquisições/alterações/melhorias nas FFAA, mas as aquisições de equipamentos são sempre centradas nos de duplo/triplo uso, os efectivos continuam muito abaixo do razoável, os equipamentos/armamentos estão a ficar todos obsoletos, pois, que está a dar, é a desmilitarização/desarmamento das FFAA.

Veja-se por exemplo a aquisição das 23 viaturas de apoio para  combate aos FF, para o Exército, por um milhão, agora vamos transformar o Exército em Bombeiral da moda, quantos efectivos estão alocados ao pseudo regimento de apoio ???

(https://imagizer.imageshack.com/v2/xq90/924/iKTLY8.jpg) (https://imageshack.com/i/poiKTLY8j)serão 300, 400, 500 ??
Os suficientes para recompletar os dois BImec(R) da BrigInt, ou para reforçar a BriMec, mas assim é melhor dá mais nas vistas para o zé povinho !!!
Mas para que serve o RAME, quando nós até temos mais organizações que combatem os FF que Espanha possui ??
O artigo abaixo é bem elucidativo.

http://www.ipressjournal.pt/regimento-de-apoio-militar-de-emergencia-porque/

….Em Portugal para todos os efeitos já temos uma unidade militar de emergência com cerca de 750 efectivos, falo claro do GIPS da GNR. Num cálculo muito rápido, podemos dizer que tanto em território como habitantes, teremos cerca de 1/5 dos valores dos “nuestros hermanos”.
Se a unidade espanhola tem 3.500 operacionais, nós em termos directos deveríamos ter um efectivo de 700 operacionais, portanto, podemos concluir que os meios humanos do GIPS, são suficientes para a uma resposta militar em termos de emergência/protecção civil.

Se considerarmos ainda os 250 bombeiros na F.E.B. (Força Especial de Bombeiros), mais uma razão para questionar a criação do novo Regimento. Mais uma vez, e apesar da nossa realidade económica, iremos esbanjar recursos como já fizemos com a contratação de meios aéreos para combate a incêndios. Certamente, que muitos interesses já estarão alinhados na linha de partida, para os concursos de fornecimento de equipamentos para o novo regimento. Não pretendo aqui, expressar qualquer opinião ou mesmo defesa dos Bombeiros Voluntários, do GIPS ou de qualquer outra organização integrante do nosso sistema de Protecção Civil, mas como cidadão português, contribuinte e profissional de emergência e segurança, não entendo de maneira nenhuma, este processo que a cada dia que passa, mais interrogações tenho:
 . Pretende-se uma unidade militar do Exercito para justificar uma menor redução do seu efectivo?
 . Será o objectivo, um esvaziamento de missões ou mesmo extinção do GIPS?
 . Reduzir a importância dos Bombeiros Voluntários e assim justificar uma redução de verbas destinadas aos mesmos?......


Boas questões aqui levantadas.

Em contrapartida, Países como a Estónia, lá vão comprando, na Holanda 44 CV9035, com a possível compra de mais 35 unidades usadas para se irem aos poucos actualizando e rearmando.

https://defence-blog.com/army/netherlands-completes-delivery-of-cv90-combat-vehicles-to-estonia.html

Á, mas é verdade, os CV9035, como outros, os ditos responsáveis especialistas iluminados, vão dizendo, são equipamentos usados e grandes demais para nós !!!

Abraços
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: ocastilho em Maio 27, 2019, 01:17:59 pm
Caros amigos, o generalato está como os cangalheiros: "não quero que ninguém morra, mas quero que a vida me corra".
Em outros países com mais gabarito, muitos teriam batido com a porta por falta de verbas. Aqui bate-se a porta porque o ministro intrometeu-se na hierarquia do colégio que não gosta dos meninos que pegam de empurrão.

Existe uma verdadeira quinta coluna nas forças armadas. O ataque maciço, sistemático e demagógico da opinião publica de berloques de esquerda, de xuxalista e outros q tais é respondido como? Com um esforço comunicacional junto das comunidades, das escolas, das faculdades, da opinião publica em geral para mostrar a NECESSIDADE das FAs? Não, é respondido com duplos e triplos usos. Com dias da defesa Nacional onde morrem miúdos. Com passeatas e corridas da defesa nacional.

Há muito que as FAs deveriam ter adoptado uma estratégia que combatesse este discurso anti-FAs (como se vivemos no pais das maravilhas). Um discurso que mostrasse para que são precisas e que são um garante da soberania Nacional.

Para mim, nunca o terem feito e quando o tentaram fazer foi tarde, a más horas e de uma forma amadora, demonstra colaboracionismo. Propunha a mudança de nome para Bombeiros Armados Portugueses e  já agora que o Marcelo Carmona Thomaz ficasse como Bombeiro em chefe.
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: Luso em Maio 27, 2019, 01:56:19 pm
Caros amigos, o generalato está como os cangalheiros: "não quero que ninguém morra, mas quero que a vida me corra".
Em outros países com mais gabarito, muitos teriam batido com a porta por falta de verbas. Aqui bate-se a porta porque o ministro intrometeu-se na hierarquia do colégio que não gosta dos meninos que pegam de empurrão.

Existe uma verdadeira quinta coluna nas forças armadas. O ataque maciço, sistemático e demagógico da opinião publica de berloques de esquerda, de xuxalista e outros q tais é respondido como? Com um esforço comunicacional junto das comunidades, das escolas, das faculdades, da opinião publica em geral para mostrar a NECESSIDADE das FAs? Não, é respondido com duplos e triplos usos. Com dias da defesa Nacional onde morrem miúdos. Com passeatas e corridas da defesa nacional.

Há muito que as FAs deveriam ter adoptado uma estratégia que combatesse este discurso anti-FAs (como se vivemos no pais das maravilhas). Um discurso que mostrasse para que são precisas e que são um garante da soberania Nacional.

Para mim, nunca o terem feito e quando o tentaram fazer foi tarde, a más horas e de uma forma amadora, demonstra colaboracionismo. Propunha a mudança de nome para Bombeiros Armados Portugueses e  já agora que o Marcelo Carmona Thomaz ficasse como Bombeiro em chefe.

Dos melhores postais que tenho lido. Só com o ridículo é que poderemos esperar um esboço de mudança, neste regime.
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: Stalker79 em Maio 27, 2019, 02:13:37 pm
Engraçado que nunca vejo nenhum desses iluminados a falar quanto equipamento de defesa deveriamos ter "em termos directos" á vizinhança.
Mas se for bombeiros vão logo a correr.
 >:(
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: tenente em Maio 27, 2019, 05:05:36 pm
Engraçado que nunca vejo nenhum desses iluminados a falar quanto equipamento de defesa deveriamos ter "em termos directos" á vizinhança.
Mas se for bombeiros vão logo a correr.
 >:(

Uma boa maneira de dar a volta a esta situação era criar algumas unidades de Bombeiros semelhantes ás unidades do Exército.

Podíamos ter por exemplo o 14º Regimento de Bombeiros de Intervenção Mecanizado (R), o 2º Batalhão de Bombeiros Paraquedistas, o 3º Regimento de cavalaria Bombeira, o 4º Regimento de Artilharia Ligeira Bombeira, etc..... só mesmo para rir pois o que dá vontade é de chorar, talvez assim os nossos políticos fossem na conversa, pois era as contrapartidas ao Exército, por ter formado unidades para ir combater os FF. :mrgreen: 

haja ideias para resolver a falta de meios humanos !! ::)

Abraços
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: typhonman em Maio 27, 2019, 09:57:51 pm
Viva,
Será possível agendar uma reunião com o ministro ou secretário de estado e expor estas situações ou não vale a pena?

Admiro a tua força de vontade mas, achas mesmo que haja alguém, minimamente responsável, que está preocupado com a actual situação das FFAA, tanto em termos de efectivo e/ou de equipamentos ??

Os que por aqui andam, neste fórum, pensam, vasculham, procuram, debatem, criticam, dão sugestões e mais não, sobre possíveis aquisições/alterações/melhorias nas FFAA, mas as aquisições de equipamentos são sempre centradas nos de duplo/triplo uso, os efectivos continuam muito abaixo do razoável, os equipamentos/armamentos estão a ficar todos obsoletos, pois, que está a dar, é a desmilitarização/desarmamento das FFAA.

Veja-se por exemplo a aquisição das 23 viaturas de apoio para  combate aos FF, para o Exército, por um milhão, agora vamos transformar o Exército em Bombeiral da moda, quantos efectivos estão alocados ao pseudo regimento de apoio ???

(https://imagizer.imageshack.com/v2/xq90/924/iKTLY8.jpg) (https://imageshack.com/i/poiKTLY8j)serão 300, 400, 500 ??
Os suficientes para recompletar os dois BImec(R) da BrigInt, ou para reforçar a BriMec, mas assim é melhor dá mais nas vistas para o zé povinho !!!
Mas para que serve o RAME, quando nós até temos mais organizações que combatem os FF que Espanha possui ??
O artigo abaixo é bem elucidativo.

http://www.ipressjournal.pt/regimento-de-apoio-militar-de-emergencia-porque/

….Em Portugal para todos os efeitos já temos uma unidade militar de emergência com cerca de 750 efectivos, falo claro do GIPS da GNR. Num cálculo muito rápido, podemos dizer que tanto em território como habitantes, teremos cerca de 1/5 dos valores dos “nuestros hermanos”.
Se a unidade espanhola tem 3.500 operacionais, nós em termos directos deveríamos ter um efectivo de 700 operacionais, portanto, podemos concluir que os meios humanos do GIPS, são suficientes para a uma resposta militar em termos de emergência/protecção civil.

Se considerarmos ainda os 250 bombeiros na F.E.B. (Força Especial de Bombeiros), mais uma razão para questionar a criação do novo Regimento. Mais uma vez, e apesar da nossa realidade económica, iremos esbanjar recursos como já fizemos com a contratação de meios aéreos para combate a incêndios. Certamente, que muitos interesses já estarão alinhados na linha de partida, para os concursos de fornecimento de equipamentos para o novo regimento. Não pretendo aqui, expressar qualquer opinião ou mesmo defesa dos Bombeiros Voluntários, do GIPS ou de qualquer outra organização integrante do nosso sistema de Protecção Civil, mas como cidadão português, contribuinte e profissional de emergência e segurança, não entendo de maneira nenhuma, este processo que a cada dia que passa, mais interrogações tenho:
 . Pretende-se uma unidade militar do Exercito para justificar uma menor redução do seu efectivo?
 . Será o objectivo, um esvaziamento de missões ou mesmo extinção do GIPS?
 . Reduzir a importância dos Bombeiros Voluntários e assim justificar uma redução de verbas destinadas aos mesmos?......


Boas questões aqui levantadas.

Em contrapartida, Países como a Estónia, lá vão comprando, na Holanda 44 CV9035, com a possível compra de mais 35 unidades usadas para se irem aos poucos actualizando e rearmando.

https://defence-blog.com/army/netherlands-completes-delivery-of-cv90-combat-vehicles-to-estonia.html

Á, mas é verdade, os CV9035, como outros, os ditos responsáveis especialistas iluminados, vão dizendo, são equipamentos usados e grandes demais para nós !!!

Abraços

Obrigado caro Tenente,

Mas já comecei a fazer diligências nesse sentido, e se tiver de fazer os 500 km até Lisboa faço, e depois exponho aqui o resultado.

Isto se for recebido claro.

Cumprimentos,
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: Cabeça de Martelo em Maio 29, 2019, 11:08:26 am
Como abarca tanto as Forças Armadas, como as Forças de Segurança e não queria criar um novo tópico, cá fica:

Entre os dias 26 e 31 de maio o Estado-Maior-General das Forças Armadas vai conduzir, no Arquipélago da Madeira, a primeira competição internacional com Forças de Operações Especiais, designada por "Special Operations Forces Exercise Challenge 2019" (SOFEC 2019).

Esta competição, que envolve o total de 200 militares na preparação e participação, junta elementos das Forças de Operações Especiais das Forças Armadas e Forças de Segurança portuguesas e de forças estrangeiras do Brasil, Espanha, França, Roménia e Timor-Leste.

O SOFEC 2019 tem por finalidade avaliar e desenvolver a interoperabilidade das Forças de Operações Especiais participantes, em ambiente terrestre, naval e aéreo, em aspetos comuns como o resgate médico, fuga e evasão, extração e resgate, reconhecimento especial e ação direta. Na vertente competitiva, pretende reforçar as capacidades em aspetos como o tiro tático, socorrismo de combate, topografia, resgate de reféns, trabalho de equipa e resiliência.

Todas as atividades irão decorrer num cenário tático e operacional único, desenhado e planeado para potenciar a interação e a troca de experiências entre as equipas participantes e observadores, reforçando a capacidade operacional entre todas as Forças de Operações Especiais, nacionais e internacionais.

National Teams :

Destacamento de Ações Especiais
Força de Operações Especiais
Núcleo de Operações Táticas de Projeção
Grupo de Intervenção de Operações Especiais

International Teams:

Grupo de Operaciones Especiales II  (SP)
Grupo de Operaciones Especiales IV (SP)
164th Naval Special Operation Squadron  (RO)
Unidade de Operações Especiais das F-FDTL

(https://sofec.pt/_files/200000117-c91a4ca170/700/mapa%20madeira-7.png)

Timeline

(https://sofec.pt/_files/200000116-240f925115/timeline.png)

MAY 24TH

Equipment certification check and SOFEC19 briefings

(https://sofec.pt/_files/200000146-0ca180d9c3/_JMB4193.jpg)

(https://sofec.pt/_files/200000141-8f7f190750/_JMB4134.jpg)

(https://sofec.pt/_files/200000143-1663817619/_JMB4160.jpg)

(https://sofec.pt/_files/200000147-9e2ff9f241/_JMB4209.jpg)

(https://sofec.pt/_files/200000153-00eaa01e38/_JMB4282.jpg)

(https://sofec.pt/_files/200000156-eb49aec454/_JMB4337.jpg)

(https://sofec.pt/_files/200000155-0ca4c0d9dd/_JMB4343.jpg)

https://www.sofec.pt/
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: Cabeça de Martelo em Maio 29, 2019, 11:12:48 am
Zeroing Weapons

(https://sofec.pt/_files/200000168-33b1334aa3/_JMB4396.jpg)

(https://sofec.pt/_files/200000164-30c1f31bda/_JMB4412.jpg)

(https://sofec.pt/_files/200000165-2315d24137/_JMB4469.jpg)

(https://sofec.pt/_files/200000167-30c1331ba4/_JMB4495.jpg)

(https://sofec.pt/_files/200000169-5cb855db0e/_JMB4512.jpg)

(https://sofec.pt/_files/200000170-444984542e/_JMB4542.jpg)

(https://sofec.pt/_files/200000176-4c18f4d13b/_JMB4704.jpg)

(https://sofec.pt/_files/200000177-8b9368c91f/_JMB4718.jpg)

(https://sofec.pt/_files/200000179-afb50b0b0e/_JMB4745.jpg)

(https://sofec.pt/_files/200000180-b6910b785d/_JMB4797.jpg)

(https://sofec.pt/_files/200000182-7de727ee08/_JMB4811.jpg)

(https://sofec.pt/_files/200000181-9f1bba015d/_JMB4838.jpg)

(https://sofec.pt/_files/200000184-6676967743/_JMB4926.jpg)

https://www.sofec.pt/
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: Cabeça de Martelo em Maio 29, 2019, 11:18:32 am
Opening Ceremony

(https://sofec.pt/_files/200000198-59c4f5ac00/Sofec_26_005.jpg)

(https://sofec.pt/_files/200000199-5cb8d5daed/Sofec_26_001.jpg)

(https://sofec.pt/_files/200000195-780a8790cc/Sofec_26_002.jpg)

(https://sofec.pt/_files/200000196-628fd638c9/Sofec_26_004.jpg)

(https://sofec.pt/_files/200000200-a7e4fa8e2c/Sofec_26_006.jpg)

(https://sofec.pt/_files/200000203-3f6e040626/Sofec_26_009.jpg)

(https://sofec.pt/_files/200000204-cb12fcc0c9/Sofec_26_010.jpg)

(https://sofec.pt/_files/200000206-03da404d4f/Sofec_26_012.jpg)

(https://sofec.pt/_files/200000207-87b1088a8f/Sofec_26_014.jpg)

(https://sofec.pt/_files/200000219-4551346422/Sofec_26_024.jpg)

Observadores...

(https://sofec.pt/_files/200000217-2cde02dda7/Sofec_26_025.jpg)

https://www.sofec.pt/
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: Cabeça de Martelo em Maio 29, 2019, 11:29:01 am
Cross Training - CQB

(https://sofec.pt/_files/200000275-03d9304d3a/Sofec_27_001.jpg)

(https://sofec.pt/_files/200000281-7616b77151/Sofec_27_007.jpg)

(https://sofec.pt/_files/200000283-27ffa28f7b/Sofec_27_009.jpg)

(https://sofec.pt/_files/200000285-f1284f2212/Sofec_27_011.jpg)

(https://sofec.pt/_files/200000288-d1e3bd2e43/Sofec_27_014.jpg)

(https://sofec.pt/_files/200000290-05c9106c37/Sofec_27_016.jpg)

(https://sofec.pt/_files/200000294-e66b2e7603/Sofec_27_020.jpg)

(https://sofec.pt/_files/200000297-4a27e4b1ee/Sofec_27_023.jpg)

(https://sofec.pt/_files/200000299-2ecf02fc88/Sofec_27_025.jpg)

(https://sofec.pt/_files/200000300-acc77adc0a/Sofec_27_026.jpg)

(https://sofec.pt/_files/200000304-166361761b/Sofec_27_030.jpg)

(https://sofec.pt/_files/200000306-b68acb7864/Sofec_27_032.jpg)

(https://sofec.pt/_files/200000308-955e996526/Sofec_27_034.jpg)

(https://sofec.pt/_files/200000309-3c78f3d792/Sofec_27_035.jpg)

(https://sofec.pt/_files/200000312-e8595e9534/Sofec_27_038.jpg)

(https://sofec.pt/_files/200000314-e85a1e9696/Sofec_27_040.jpg)

(https://sofec.pt/_files/200000317-0aaf80baaa/Sofec_27_044.jpg)

(https://sofec.pt/_files/200000279-b8833b97ab/Sofec_27_045.jpg)

(https://sofec.pt/_files/200000318-80da981d24/Sofec_27_046.jpg)

(https://sofec.pt/_files/200000319-8f7cb90783/Sofec_27_047.jpg)

Fonte: https://sofec.pt/
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: Cabeça de Martelo em Maio 29, 2019, 11:36:15 am
Infiltration tactics, topography and sniper shooting

(https://sofec.pt/_files/200000324-30c1b31bc7/Sofec_28_001.jpg)

(https://sofec.pt/_files/200000327-907b291773/Sofec_28_005.jpg)

(https://sofec.pt/_files/200000328-696b16a5f4/Sofec_28_006.jpg)

(https://sofec.pt/_files/200000329-daadddba6a/Sofec_28_007.jpg)

(https://sofec.pt/_files/200000331-a5f57a6f0c/Sofec_28_009.jpg)

(https://sofec.pt/_files/200000333-e37b5e4751/Sofec_28_011.jpg)

(https://sofec.pt/_files/200000340-a9d8baad34/Sofec_28_018.jpg)

(https://sofec.pt/_files/200000342-bd657be5f8/Sofec_28_021.jpg)

(https://sofec.pt/_files/200000347-4544f4643d/Sofec_28_026.jpg)

(https://sofec.pt/_files/200000348-742b0751c2/Sofec_28_027.jpg)

(https://sofec.pt/_files/200000352-1d3921e33b/Sofec_28_031.jpg)

(https://sofec.pt/_files/200000355-bf595c04ed/Sofec_28_034.jpg)

(https://sofec.pt/_files/200000358-b788ab87f1/Sofec_28_037.jpg)

https://www.sofec.pt/
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: NVF em Maio 29, 2019, 03:33:03 pm
O GIOE está com uns equipamentos todos catita, até já têm as suas HK416A5 todas cheias de 'brinquedos'. CM - sabes porque é que o GOE não participou?
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: Cabeça de Martelo em Maio 29, 2019, 03:46:36 pm
[modo filósofo para disfarças a ignorância]Sei que nada sei...[...]
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: PereiraMarques em Maio 29, 2019, 08:23:46 pm
Provavelmente por não ser uma unidade militar.

Alguém tem mais pormenores acerca da unidade OE de Timor? Além de terem feito o curso em Lamego?
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: Lightning em Maio 29, 2019, 08:30:23 pm
Já viram o livrete do exercicio?
https://sofec.pt/_files/200000056-80d7e81cdf/LIVRETE%20AS%20OF%2009MAY19.pdf

Parece que a Polónia também esteve para vir. Devem ter desistido à ultima da hora.

Nos vários textos também referem a participação da Policia Marítima (deve ser o GAT), mas fotos deles nada, também terão desistido?
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: Lightning em Maio 29, 2019, 08:50:13 pm
http://www.rtp.pt/madeira/sociedade/forcas-de-operacoes-especiais-treinam-intervencoes-conjuntas-em-cenarios-de-guerra_28989
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: Lightning em Maio 29, 2019, 08:55:53 pm
Outra curiosidade, afinal já temos um SOCOM e ninguém sabia :mrgreen:.

https://www.sofec.pt/contato/
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: Lightning em Maio 30, 2019, 11:45:46 pm
Shooting range

(https://sofec.pt/_files/200000359-6b5b66c56e/Sofec_29_001.jpg)
(https://sofec.pt/_files/200000365-bc66fbd616/Sofec_29_007.jpg)
(https://sofec.pt/_files/200000368-907b4916f1/Sofec_29_010.jpg)
(https://sofec.pt/_files/200000369-08bd409b98/Sofec_29_011.jpg)
(https://sofec.pt/_files/200000370-eb4ffec481/Sofec_29_012.jpg)
(https://sofec.pt/_files/200000371-1f30f2027c/Sofec_29_013.jpg)
(https://sofec.pt/_files/200000377-5fa2b609c5/Sofec_29_019.jpg)
(https://sofec.pt/_files/200000378-8a9998b937/Sofec_29_020.jpg)
(https://sofec.pt/_files/200000379-84be785b88/Sofec_29_021.jpg)
(https://sofec.pt/_files/200000380-0f97b10907/Sofec_29_022.jpg)
(https://sofec.pt/_files/200000381-3c7b33d738/Sofec_29_023.jpg)
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: Lightning em Maio 30, 2019, 11:59:17 pm
Capabilities Demonstration

(https://sofec.pt/_files/200000385-696bb6a64b/Sofec_30_001-4.jpg)
(https://sofec.pt/_files/200000389-ec412ed423/Sofec_30_002.jpg)
(https://sofec.pt/_files/200000387-91733926d8/Sofec_30_004.jpg)
(https://sofec.pt/_files/200000390-6770568b52/Sofec_30_005.jpg)
(https://sofec.pt/_files/200000391-b7891b8867/Sofec_30_006.jpg)
(https://sofec.pt/_files/200000392-434e14447e/Sofec_30_007.jpg)
(https://sofec.pt/_files/200000393-7ee057fdb1/Sofec_30_008.jpg)
(https://sofec.pt/_files/200000394-51f7252f01/Sofec_30_009.jpg)
(https://sofec.pt/_files/200000395-c4373c5319/Sofec_30_010.jpg)
(https://sofec.pt/_files/200000388-e7618e85a3/Sofec_30_011.jpg)
(https://sofec.pt/_files/200000396-2609e27063/Sofec_30_012.jpg)
(https://sofec.pt/_files/200000398-108c811851/Sofec_30_014.jpg)
(https://sofec.pt/_files/200000399-3f6894060d/Sofec_30_015.jpg)
(https://sofec.pt/_files/200000400-8b9e78c922/Sofec_30_016.jpg)
(https://sofec.pt/_files/200000401-0d9d20e99a/Sofec_30_017.jpg)
(https://sofec.pt/_files/200000402-0aaac0ba53/Sofec_30_018.jpg)
(https://sofec.pt/_files/200000405-b2a34b39cf/Sofec_30_021.jpg)
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: Lightning em Maio 31, 2019, 01:03:07 am
https://www.jornaldocentro.pt/online/regiao/militares-treinados-em-lamego-vao-ser-enviados-para-o-iraque/

Artigo sobre os OE irem para o Iraque, mas também têm informação sobre o exercício SOFEC.
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: tenente em Maio 31, 2019, 07:32:36 am
Mais umas fotos do SOFEC2019:

(https://imagizer.imageshack.com/v2/xq90/923/7CxVje.jpg) (https://imageshack.com/i/pn7CxVjej)
(https://imagizer.imageshack.com/v2/xq90/923/zjoVa9.jpg) (https://imageshack.com/i/pnzjoVa9j)
(https://imagizer.imageshack.com/v2/xq90/921/FGlVYU.jpg) (https://imageshack.com/i/plFGlVYUj)
(https://imagizer.imageshack.com/v2/xq90/921/DCs1W8.jpg) (https://imageshack.com/i/plDCs1W8j)
(https://imagizer.imageshack.com/v2/xq90/921/8xXjbr.jpg) (https://imageshack.com/i/pl8xXjbrj)
(https://imagizer.imageshack.com/v2/xq90/923/fBHevK.jpg) (https://imageshack.com/i/pnfBHevKj)
(https://imagizer.imageshack.com/v2/xq90/921/nFLhEx.jpg) (https://imageshack.com/i/plnFLhExj)
(https://imagizer.imageshack.com/v2/xq90/924/mHWNb0.jpg) (https://imageshack.com/i/pomHWNb0j)

Abraços
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: Lightning em Junho 01, 2019, 12:38:22 am
https://funchalnoticias.net/2019/05/30/veja-um-video-do-exercicio-sofec-2019-de-operacoes-especiais-no-porto-santo/
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: Cabeça de Martelo em Junho 01, 2019, 02:33:25 pm
(https://i0.wp.com/funchalnoticias.net/wp-content/uploads/2019/05/P5301400.jpg?ssl=1)
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: Lightning em Junho 01, 2019, 09:32:59 pm
Até parece a operação mar verde  :mrgreen:
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: Cabeça de Martelo em Junho 02, 2019, 10:44:11 am
Falta poder de fogo aos navios da Marinha...
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: Cabeça de Martelo em Junho 04, 2019, 12:40:14 pm
2019 Military Strenth Ranking:

https://www.globalfirepower.com/countries-listing.asp

Portugal - 75.º lugar:

https://www.globalfirepower.com/country-military-strength-detail.asp?country_id=portugal
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: Lightning em Junho 04, 2019, 10:03:59 pm
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: Cabeça de Martelo em Junho 07, 2019, 04:31:53 pm
Citar
O exposto permite concluir que o modelo mais aceitável para o caso nacional é o modelo norueguês, porquanto é baseado numa solução que diminui riscos e custos.
Concretamente, os navios foram construídos num estaleiro com reconhecida experiência, a construção foi baseada no projeto das fragatas F-100 fazendo parte de um grupo maior de utilizadores, são meios CAI apresentando flexibilidade para todo o espectro, constituem uma única classe, têm guarnições reduzidas e os custos de aquisição são relativamente baixos.

Citar
Síntese conclusiva
Neste capítulo, foi avaliada a adequabilidade, exequibilidade e aceitabilidade da
aplicação das soluções implementadas pelas outras marinhas, à Marinha, concluindo-se que:
− É possível encontrar em todos os modelos, soluções adequadas;
− Os modelos da Noruega e da Dinamarca são os mais exequíveis, no entanto a exequibilidade está condicionada a incremento orçamental e à construção em estaleiro internacional experiente;
− O modelo norueguês é o mais aceitável.
Da integração destas conclusões com a análise do ambiente envolvente, com a análise
documental e com a análise de conteúdo das entrevistas semiestruturadas foi apresentado um modelo provisório para responder ao problema da investigação.
Posteriormente validou-se o modelo provisório através de entrevistas estruturadas e
apresentou-se um modelo aperfeiçoado, que, resumidamente, é constituído por cinco
fragatas, de classe única, preparadas para CAI, o qual se considerou adequado, com
exequibilidade sujeita a incremento orçamental e aceitável.

https://comum.rcaap.pt/bitstream/10400.26/24379/1/07_CMG%20Sobral%20Domingues%20%28doc%20pdf%29.pdf
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: tenente em Junho 07, 2019, 05:22:42 pm

Lightning, há imagens neste vídeo que não são do SOFEC2019.

Abraços
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: Lightning em Junho 07, 2019, 06:50:33 pm
Certo Tenente, mas o video não é meu, é do EMGFA.   :mrgreen:
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: tenente em Junho 07, 2019, 08:26:47 pm
Certo Tenente, mas o video não é meu, é do EMGFA.   :mrgreen:

Calculei, é mais uma de propaganda balofa, pois basta ver a vegetação assim, aquela do tipo eucaliptal, p'ro denso............ :o

Abraços
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: NVF em Junho 07, 2019, 09:23:27 pm
Não te esqueças que eles utilizaram o antigo complexo da Matur, que fica numa zona da ilha com bastante vegetação.
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: tenente em Junho 07, 2019, 09:52:00 pm
Não te esqueças que eles utilizaram o antigo complexo da Matur, que fica numa zona da ilha com bastante vegetação.

Que eu me recorde, o eucalipto é uma arvore não autorizada a ser plantada/semeada em Porto Santo, e, não consta do lote de flora existente na dita Ilha.

http://www.visitmadeira.pt/pt-pt/a-madeira/natureza/fauna-e-flora-do-porto-santo

Abraços
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: NVF em Junho 07, 2019, 10:04:06 pm
A antiga Matur é no Machico, perto do aeroporto.

PS: para ficar mais claro, os exercícios CQB decorreram na Ilha da Madeira, o resto é que foi no Porto Santo.
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: tenente em Junho 07, 2019, 10:13:34 pm
A antiga Matur é no Machico, perto do aeroporto.

PS: para ficar mais claro, os exercícios CQB decorreram na Ilha da Madeira, o resto é que foi no Porto Santo.

Ora Porra, Porra, Merda como dizem os Alentejanos, na Madeira sim, existe dessa arvore, até dizer chega !

Abraços
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: NVF em Junho 07, 2019, 10:35:21 pm
 :rir:
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: Lightning em Junho 07, 2019, 10:39:30 pm
Sim o exercício teve uma parte na ilha da Madeira e outra na ilha do Porto Santo. Se virem o site do exercício ou as imagens que ai colocaram no início do exercício aparece o calendário do exercício e refere isso.
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: NVF em Junho 07, 2019, 10:41:35 pm
Sim o exercício teve uma parte na ilha da Madeira e outra na ilha do Porto Santo. Se virem o site do exercício ou as imagens que ai colocaram no início do exercício aparece o calendário do exercício e refere isso.

Aliás, nas fotos que postaste dá para ver a diferença na paisagem.
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: Cabeça de Martelo em Junho 08, 2019, 11:38:13 am
Citar
A Marinha, tem 7.570 militares, 887 militarizados e 463 civis (Ribeiro, 2018) e um
conjunto diversificado de meios, acordo Apêndice E, onde se destacam as FFBD, de 3.320t e origem holandesa e as FFVDG, de 3.200t, construídas na Alemanha.
Identificam-se algumas lacunas relativamente ao SF, destacando-se a existência de dois NPO e três corvetas onde estão previstos dez navios, situação agravada pelo abate iminente das corvetas (Marinha, 2018b). Em resultado, os esforços para edificação de meios, têm sido especialmente dirigidos à construção dos NPO em falta, dos quais, dois a serem recebidos em 2018 (Marinha, 2018b).
As fragatas iniciaram uma MLU, procurando estender o valor militar até à década de 2030 (Marinha, 2014b), altura em que necessitarão ser substituídas. Meios versáteis, dispõem de capacidade de defesa antiaérea de curto alcance, capacidade para a guerra de superfície e especial vocação para a guerra antissubmarina exponenciada pelo emprego dos helicópteros orgânicos (Marinha, 2018a).
Com efetiva capacidade de combate são, nos meios de superfície, as fragatas que cumprem as missões CAI, mas também as MSO que prevejam necessidade de emprego da força militar1

Citar
A Marinha Norueguesa dispõe de 4.290 pessoas, das quais 3.357 militares (NAF, 2018a) e de um conjunto de meios navais (Apêndice E), entre os quais as fragatas Classe Fridtjof Nansen, navios comparáveis neste estudo.
Estas cinco fragatas, de 5.290t, foram construídas em Espanha com base no projeto das F-100, tendo a última sido entregue em 2011. Têm armamento antiaéreo de médio alcance, boas capacidades de guerra de superfície e antissubmarina e guarnição de 120 militares (NAF, 2016). Dispõem do sistema de combate AEGIS e do radar SPY-1F, que se admite, à semelhança do SPY-1D, poder ser capacitado para BMD (NavalTechnology.com, 2017). Dadas as suas características e capacidade de combate são navios vocacionados para CAI, mas asseguram também as MSO (Joli, 2018).

CAI – Combate de alta intensidade
MSO – Operações de Segurança Marítima

(https://i.ibb.co/4ZpTzyR/Adequabilidade.jpg)

(https://i.ibb.co/s617KPm/compara-o.jpg)

(https://i.ibb.co/4jMMBpQ/meios.jpg)

(https://i.ibb.co/vQFkMZ1/areas-maritimas.jpg)

https://comum.rcaap.pt/bitstream/10400.26/24379/1/07_CMG%20Sobral%20Domingues%20%28doc%20pdf%29.pdf
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: dc em Junho 08, 2019, 12:10:49 pm
Faz-me confusão é quando falam em orçamentos, e nos 1,31% do PIB... só me questiono quanto desse orçamento é que realmente é cumprido.
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: tenente em Junho 08, 2019, 12:23:16 pm
do mesmo documento apresentado anteriormente, com algumas respostas bastante interessantes e já por estas bandas afloradas:


Resumo das ideias-chave
Quadro 5 - Resumo das ideias-chave


Q1 Atendendo à envolvente externa e interna, designadamente, ao atual posicionamento da NATO
face à ameaça convencional, à evolução da EU na área da defesa incluindo a PESCO, à
Extensão da Plataforma Continental, ao aumento do Registo Internacional de Navios da
Madeira, entre outros, e tendo em conta as tarefas, missões, responsabilidades e nível de
empenhamento da Marinha, na sua opinião, qual o número de navios mais adequado para
substituir as atuais fragatas? Pode explicar o seu racional?

E1 “face à envolvente (…) o número atual de navios não pode ser reduzido”
E2 “julga-se não ser possível dispor de navios em número suficiente para substituir as atuais fragatas”
E3 “entendo desejável dispormos de cinco unidades da categoria de fragata/destroyer”
E4 “Para poder projetar simultaneamente 2 unidades navais tipo fragata Portugal deve sustentar a
operação e manutenção de pelo menos 5 navios”
E5 “não pode ser respondido com uma pergunta direta (…) só tem a ver com o que queremos fazer”
E6 “considero que para a nossa Marinha será adequado dispor de três fragatas”
E7 “para poder incrementar a nossa atividade teríamos que ter mais plataformas”
E8 “não temos capacidade para sustentar cinco fragatas” na “exequibilidade temos capacidade para três”
E9 “admito que possa ser aceitável uma solução inicial de quatro navios com opção para mais um”
E10 “afigura-se que quatro unidades (…) poderá ser um número adequado”
E11 “cinco navios cumprem (…) seis seria mais adequado (…) com quatro estamos no limite mínimo”
E12 “a ambição nacional deverá ser“ quatro fragatas.
E13 “Para cumprir os objetivos (…) o número atual de cinco navios ou eventualmente seis”
E14 “ o número de navios racionalmente mais adequado (…) seria de cinco (idealmente seriam seis)”
E15 “no futuro as atuais cinco fragatas deveriam ser substituídas por quatro fragatas”
E16 “três fragatas (…) e dois offshore patrol vessel com hangar”
E17 “o número constante no SF2014, bem como o racional aí expresso mantém-se adequado”
E18 “a Marinha Portuguesa será capaz de enfrentar os desafios futuros com três fragatas”
E19 “seis navios” para assegurar compromissos NATO, UE, FRI, CPLP e ciclo de manutenção.
E20 “seis navios (…) a dimensão e tipologia (…) deve resultar do nível de ambição (…) político”

Q2 Relativamente ao conceito de emprego, considera que os futuros navios deverão estar todos
preparados para CAI ou na sua opinião uma parte pode ter apenas capacidade MSO até um
nível de violência máximo inferior ao combate de alta intensidade? Quais as principais
vantagens que suportam essa opção?

E1 “devem ter flexibilidade para operar em todos os cenários”
E2 “uma única classe de navios que satisfaça os requisitos de missões CAI e MSO”
E3 “meios com capacidade de combate para desempenhar missões de menor intensidade não constitui
por si uma limitação”
E4 “só pode ser CAI (…) ou melhor, para emprego em todo o espectro do conflito”
E5 “menos meios mas mais capazes e não mais meios e menos capacidade…preparados para CAI”
E6 “fragatas que venham substituir as atuais devem ser navios efetivamente combatentes”
E7 “devem estar preparados para CAI mas com facilidade de poderem ser reconfigurados”
E8 “devem ser claramente credíveis e ter capacidade CAI" e “efetiva capacidade de dissuasão”
E9 “dois níveis de equipamento só se justificam se com essa solução (…) houver poupança significativa”
E10 “face à maior flexibilidade (…) faz todo o sentido que (…) estejam todos preparados para CAI”
E11 “Atualmente não faz sentido pensar de raiz em navios meio-combatentes”
E12 “a ambição nacional deverá ser 2 fragatas para CAI e 2 fragatas com sistemas mais reduzidos”
E13 “preparados para CAI, o que garante maior eficácia, estar preparados para o conflito e flexibilidade”
E14 “em termos de plataforma armas e sensores todos deveriam estar preparados para CAI”
E15 “todos deveriam estar preparados para CAI apesar de isso representar um maior investimento”
E16 “três fragatas” para CAI e “dois offshore patrol vessel (OPV)” para MSO
E17 “duas fragatas (…) todo o espetro e três fragatas (…) até (…) combate ao terrorismo”
E18 “fragatas prontas para missões de combate de alta intensidade” (…) “e outros para MSO”
E19 “todos capacidade para CAI (…) poderão obedecer a uma estrutura modular”
E20 “três fragatas para dissuasão e CAI e três corvetas para dissuasão e MSO”

A esquadra de navios de superfície da Marinha em 2038. Qual a combinação exequível,
adequada e aceitável entre unidades de combate de alta intensidade e unidades orientadas para
operações de segurança marítima?

Q3 Relativamente ao número de classes, na sua opinião, nos futuros navios será mais adequado optar por uma única classe ou por mais que uma classe? Quais as vantagens?     
E1 “Existem todas as vantagens em termos apenas uma classe”
E2 “uma única classe (…) as vantagens são evidentes… na formação, na gestão de recursos humanos…”
E3 “as limitações operacionais impostas pelas capacidades reduzidas de” uma das classes ”fazem
claramente pender o fiel da balança para a modalidade de classe única”
E4 “2 classes com capacidades vocacionadas para AAW numa e multi-propósito na outra”
E5 “por uma questão de flexibilidade (…) seria igualmente preferível (…) um projeto único”
E6 “a opção por duas classes é (…) uma opção que necessita de mais recursos”
E7 “uma única classe com a maior comunalidade possível (…) como fator de poupança de recursos”
E8 “por várias razões desde economias de processo, economia de escala (…) apenas uma classe”
E9 “a opção por uma única classe de fragatas é a mais eficiente na área do material”
E10 “Por (…) economia e facilidade de gestão na cadeia logística é preferível (…) uma classe única”
E11 “apenas uma classe embora possa ter dois níveis de equipamento AAW”
E12 “ duas classes embora economicamente e logisticamente fosse mais sustentável (…) apenas uma”
E13 “enquanto país pequeno e com poucos recursos devemos optar por uma única classe”
E14 “a opção deveria ser por apenas uma classe na mesma configuração”
E15 “sou defensor de uma só classe devido aos enormes ganhos que se obtêm”
E16 “é difícil ter apenas uma classe porque o nível de ambição é completamente diferente”
E17 “navios com dois conceitos de emprego (…) condiciona bastante a existência de apenas uma classe”
E18 “o ideal seria ter uma classe única (…) mas com os sistemas adequados à tipologia de missão”
E19 “Serem todos da mesma classe traz vantagem (…) nas áreas da operação e manutenção”
E20 “uma classe de fragatas e uma classe de corvetas”

Q4 Caso tenha respondido que considera adequado optar por mais que uma classe, qual a tipologia
de navios que considera dever integrar a solução? Pode explicar o seu racional?

E1 Não aplicável
E2 “não descuro a possibilidade de PRT assumir 2 escoltas oceânicos (…) e uma plataforma tipo LPD”
E3 Não aplicável
E4 “a classe dita AAW deve possuir capacidades desenvolvidas para proteção de força”
E5 “planear na senda da redução da flexibilidade é um erro crasso”
E6 a E11 Não aplicável
E12 “fragatas de alta intensidade (…) e fragatas MSO “
E13 Não aplicável
E14 “Considero apenas a solução de uma classe”
E15 a E19 Não aplicável
E20 “uma classe de fragatas e uma classe de corvetas”

Q5 Verifica-se nas marinhas estudadas, na generalidade, um aumento de tonelagem dos navios.
Sobre este aspeto qual deverá ser a opção nacional para os futuros navios? Pode explicar o seu
racional?

E1 “permite maior capacidade do navio ser “fitted for” e ter reservas de flutuabilidade e energia”
E2 “uma simples unidade tem que integrar várias valências, para os diferentes domínios dos conflitos”
E3 “desejável seguir a tendência (…) em particular se considerarmos os sensores de última geração”
E4 “A opção nacional deve ser no sentido de acompanhar padrões e interoperabilidade”
E5 “devemos aderir de forma a facilitar a integração e a operação em forças multinacionais”
E6 “devemos evitar deslocamentos muito grandes (…) teremos que encontrar um compromisso”
E7 “O tamanho não é um fator critico em combate.”
E8 “o mais robustos e resilientes possível, para o que admito ser necessário aumentar o deslocamento”
E9 “podemos ter que aceitar esse aumento (…) tendo no entanto atenção ao impacto no acesso à BNL”
E10 “Caso (…) possa redundar num navio mais flexível (…) parece-me uma evolução adequada”
E11 “navios com boa capacidade AAW e eventualmente BMD serão provavelmente próximos das 5000t”
E12 “As fragatas de alta intensidade terão de ser de dimensões generosas”
E13 “Não me parece que o aspeto da tonelagem por si só seja relevante”
E14 “maior autonomia e capacidade de sobrevivência” e mais capacidade para disaster relief e NEO.
E15 “ao aumentarmos muito a tonelagem (…) teríamos problemas quanto às capacidades da BNL/AA”
E16 “se pretendemos um navio capaz (…) não vejo grandes alternativas”
E17 Não aplicável
E18 “o tamanho não será relevante (…) mas sim a automação e a polivalência”
E19 “o aumento da tonelagem não é relevante, mas sim (…) a capacidade tecnológica”
E20 “A tonelagem deverá resultar da tradução dos requisitos operacionais num conceito tecnológico”

Q6 Na sua opinião a edificação dos futuros meios, deve ser conduzida através de projeto(s)
autónomo(s) ou optar por associação a um projeto já existente (eg F110 de Espanha ou FSC da
Holanda) ou que venha a existir? Quais as principais vantagens da opção que defende?

E1 “não temos capacidade atualmente na industria nacional” “considero mais seguro associarmo-nos a
um projeto internacional robusto que envolva eventualmente outros utilizadores”
E2 “Projetos autónomos são realisticamente inacessíveis”
E3 “integrar um projeto multinacional do que decorrem óbvias e grandes vantagens”
E4 Trata-se no essencial de viabilidade. Um projeto autónomo não é atualmente viável.”
E5 “Defendo a associação a um projeto existente…embora se possam introduzir pequenas alterações”
E6 “modalidade de consórcio com outras marinhas e (…), envolver (…) o tecido empresarial nacional”
E7 “uma solução em parceria poderá ser aceitável, se for também nas nossas condições”
E8 “teremos muita dificuldade em conduzir um projeto destes de forma isolada”
E9 “no sentido de reduzir os riscos (…) devemos associar-nos a um projeto com mais utilizadores”
E10 “devido à criação de sinergias (…) parece-me mais vantajoso optar por associação”
E11 “optar por um projeto já existente” que “deve em associação passar também por estaleiros nacionais”
E12 “Poderemos ambicionar desenvolver partes do projeto em que haja capacidade (…) nacional”
E13 “associarmo-nos a um projeto conjunto (…) diminui o risco (…) e é mais eficiente”
E14 “associação a um projeto já existente (…) mitigará os riscos (…) e será mais eficiente”
E15 “associação a um outro projeto trás(…) economia de escala e (…) logística mais robusta”
E16 Não aplicável
E17 “associar-se (…) a projetos já existentes (…) permite reduzir custos e beneficiar das sinergias”
E18 “vantagem em Portugal se associar (…) por uma questão de escala e (…) modernização futura”
E19 “um projeto existente (…) podendo fazer pequenas alterações para acomodar requisitos específicos”
E20 “um projeto de parceria multinacional” (…) “permite comprometimento político mais forte”

Q7 Admitindo que um navio combatente até 5000t poderá ter um custo na ordem dos 500 milhões
de euros e que um programa de edificação de 5 navios poderá ficar próximo dos 2500 milhões
de euros, considera que com os atuais orçamentos e com os valores médios inscritos na LPM é
possível iniciar um projeto desta dimensão para estar concluído até final da década de 2030?
Caso entenda que não é possível, qual poderá ser a solução a encontrar?
a. Um programa de financiamento nacional fora da LPM, legitimado pela vertente marítima
nacional e pelos desafios de segurança futuros, entre outros;

b. O financiamento integrado na LPM, através do crescimento para 2% do PIB com a defesa
no cumprimento efetivo dos compromissos assumidos na Cimeira de Gales;
c. Outra solução. Qual?
E1 “a exequibilidade é sempre condicionada à vontade política (…) este é um projeto que diluído ao
longo de vários anos é, no meu ponto de vista, exequível”
E2 Não aplicável
E3 “um compromisso dos principais partidos com assento na AR (…) será condição indispensável”
E4 “o incremento do orçamento da Defesa até 2% pode viabilizar um programa como este”
E5 “essas contas estão feitas (…)com um investimento faseado ao longo do tempo”.
E6 “terá que ser identificada uma fonte de financiamento dedicada”
E7 “Se aumentar 0,6% do PIB” os “Ramos poderiam iniciar programas de reequipamento importantes”
E8 “Na atual conjuntura não considero previsível um aumento das despesas em Defesa para os 2%”
E9 “no âmbito da LPM mas identificando uma fonte de financiamento dedicada”
E10 “forma de financiamento é indiferente (…) fundamental é que exista vontade política”
E11 “terá que haver um reforço do orçamento, ainda que não chegue necessariamente aos 2% do PIB”
E12 “esses valores são completamente inexequíveis a curto e médio prazo”


Q8 Admitindo que com o incremento da automatização as guarnições futuras de uma fragata se
podem reduzir para números próximos de 100 militares, na sua opinião, existirão dificuldades
em guarnecer os navios? Caso entenda que sim, quais as possíveis soluções?

E1 “ Os problemas de recrutamento (…) são um facto que afeta a operacionalidade de todas as FFAA”
E2 Não aplicável
E3 “implicará uma politica de divulgação mais agressiva no sentido de tornar atrativo o serviço militar”
E4 “acredito que a implementação de projetos ambiciosos (…) serão devidamente acautelados”
E5 “A componente operacional terá sempre de ter prioridade sobre as outras”
E6 Para uma guarnição “ não me parece (…) uma condicionante”, para multicrewing “ não me parece
que seja impossível”
E7 “temos que rever o enquadramento legislativo, organizacional e (…) criar condições mais atrativas”
E8 “sem recompensas”, atrativas, “o serviço na Marinha, embarcado (…) terá cada vez menos adesão”
E9 “não pode constituir elemento de inexequibilidade (…) os navios devem ter (…) prioridade”
E10 “Face ao número (…) não me parece que esse problema torne o projeto inexequível”
E11 “É necessário algum cuidado com as reduções das guarnições em navios ”relativamente grandes””
E12 “as dificuldades irão continuar a agravar-se” se não houver alteração dos processos e do sistema.
E13 “se os problemas de recrutamento não se agudizarem (…) admito que seja exequível”
E14 Os navios “não estarão todos em simultâneo com guarnição completa”
E15 “não considero que FFGH só com 100 militares de guarnição seja equilibrado”
E16 “os OPV Holland têm uma guarnição de 50 elementos mais o destacamento de helicópteros”
E17 Com menor guarnição “é de esperar com as futuras fragatas uma maior facilidade no provimento”
E18 “Uma Marinha (…) com aproximadamente 8000 efetivos” deve poder guarnecer os seus navios.
E19 “Se houver dificuldades em guarnecer os navios deve-se (…) restruturar”
E20 “face à natural diminuição das guarnições futuras, não antevejo dificuldades”

Q9 Existe algum aspeto que não tenha sido abordado, mas que gostasse de referir?
E1 “devemos planear para combater a ameaça mais perigosa”
E2 e E3 Não aplicável
E4 “Importa sublinhar que não é possível otimizar processos para responder a cenários de incerteza.”
E5 Não aplicável
E6 “é importante que a Marinha mantenha um conjunto de valências em todas as áreas (…) que é o
alicerce que permite as fragatas operarem com eficácia”
E7 “Não se vencem batalhas pela tradição nem pela continuidade. Temos que ser inovadores”
E8 “a Marinha tem que estar mais próxima e poder mostrar aos cidadãos a relevância do que faz”
E9 Não aplicável
E10 “É importante que as negociações acautelem o apoio logístico integrado”
E11 “a esquadra de superfície tem sempre de ter um navio fundamental (…) um reabastecedor”
E12 Não aplicável
E13 “a mudança acontece com grande rapidez, pelo que as soluções a encontrar devem ser flexíveis”
E14 “navios de maior deslocamento (…) vai exigir adaptação das instalações da BNL e do” AASA
E15 a E17 Não aplicável
E18 “é urgente iniciar o processo de renovação da esquadra”
E19 “Portugal” deve “manter uma capacidade mais robusta, em permanência, nos arquipélagos”
E20 “o número e tipologia de navios passa (…) por clarificar o nível de ambição para a Marinha”

Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: dc em Junho 08, 2019, 01:22:50 pm
Fiquei um pouco incomodado com o E12 e o E16. Um defende 2 fragatas totalmente equipadas e outras 2 menos equipadas, o outro que 3 fragatas bastam mais 2 NPOs com hangar...

A solução de 1 só classe vs 2 classes, tem vantagens e desvantagens entre elas. Então uma classe de 5 navios a médio prazo teria vantagens em termos de custos de operação, manutenção, etc. Mas teria a grande desvantagem de se ter 5 navios com a mesma idade e padrão tecnológico para substituir em simultâneo, ora se hoje não temos dinheiro para substituir 3 VdG sequer, vamos ter dinheiro para substituir 5 fragatas ao mesmo tempo?  ???

Mas, tocando no assunto "nº de fragatas", quão viável seria uma solução que visava a redução de 5 para 4 fragatas mais capazes, e para colmatar a falta da 5ª fragata, adquirir um 3º submarino? Com certeza que seria uma decisão controversa, mas na minha opinião, num contexto em que se tornasse inevitável a redução do número de fragatas, e custando um submarino uma fracção daquilo que custa uma fragata em todos os aspectos, talvez fosse uma solução viável.
Qual a vossa opinião?

A capacidade de superfície neste caso, poderia ser aumentada ligeiramente com a inclusão de armamento nos NPOs, que os permitisse desempenhar missões em conflitos de baixa intensidade/guerra assimétrica. E as 4 fragatas seriam fragatas a sério, deslocamento acima das 5 mil toneladas, eventualmente 6 mil, capacitadas para AAW, ASW e ASuW.
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: Cabeça de Martelo em Junho 08, 2019, 03:54:42 pm
(https://i.ibb.co/Fxpd5F2/moderniza-o1.jpg)

(https://i.ibb.co/Tq23n5j/moderniza-o2.jpg)

(https://i.ibb.co/GMtGdsB/moderniza-o3.jpg)

(https://i.ibb.co/G9G2k6j/moderniza-o4.jpg)

https://comum.rcaap.pt/bitstream/10400.26/24390/1/17_COR%20Neves%20de%20Abreu%20%28doc%20pdf%29.pdf
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: tenente em Junho 08, 2019, 07:35:30 pm
CdM, a seguir aos quadros que aqui colocaste temos o seguinte discurso na pág 49 do mesmo documento:

.......Relativamente à execução dos vários projetos da LPM, reportada a 31de dezembro de 2017, para um quadro temporal de três quadriénios (2015-2026), verifica-se que se encontram em execução 64 projetos, dos quais, 15 registam atrasos passíveis de recuperação para os prazos do planeamento, três apresentam atrasos de nível crítico com impacto na edificação da capacidade, terminando além do inicialmente previsto e nove com atrasos no prazo de entrega de material face ao planeado.

Os constrangimentos verificados na execução dos projetos previstos, derivam essencialmente da complexidade processual dos mesmos e devido ao facto da calendarização de pagamentos e entregas diferirem frequentemente face ao programado na LPM, implicando a existência de saldos no final de cada ano (MDN, 2017b, p. 5).

A transição desses saldos para anos seguintes, envolve um processo demorado que inviabiliza a sua disponibilidade no início de cada ano económico, comprometendo a execução dos projetos, principalmente no primeiro trimestre, e forçando a alterações orçamentais para cumprir os compromissos assumidos o que aumenta o risco de incumprimento de acordo com o planeado (Mendes, 2018).

Releva-se também, as limitações dos Fundos Disponíveis impostas mensalmente que se têm constituído num óbice à execução dos projetos23, “influenciando o ritmo de execução da LPM traduzindo-se como fator de instabilidade e risco acrescido à execução da mesma” (MDN, 2018c, p. 6), as quais a acontecerem no final do ano económico constituem uma cativação de verbas com impactos significativos na execução dos projetos. Esta limitação das dotações destinadas à LPM, tem sido referida nos sucessivos relatórios de execução como “um dos fatores que condiciona e impede a boa execução financeira e material da LPM uma vez que o valor das cativações anuais tem reduzido os montantes financeiros previstos, impedindo a concretização das aquisições programadas, comprometendo o planeamento e a execução de projetos e obrigando à recalendarização e ao adiamento de compromissos” (TC, 2017, p. 30).

Ou seja, LPM's para que servem ????
para ir buscar umas centenas de milhões em cativações, só para isso !!
Se os 1,32% do PIB alocados ás FFAA fossem reais e totalmente alocados, não havia necessidade das tais LPM's da treta !!
Reafirmo o que venho dizendo, com 1,5% do PIB, e apenas esse valor 3.000 milhões, mas sem cativações, nem subterfúgios nas aquisições de equipamentos militares, tínhamos umas FFAA com 36/38.000 elementos, excelentemente equipadas !!

Abraços
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: NVF em Junho 08, 2019, 11:57:05 pm
E com a alocação de mais fundos para a componente defesa no OE, a nova LPM e eventuais fundos europeus, vão apresentar relatórios todos bonitinhos em Bruxelas que mostram Portugal a atingir os 2% do PIB em defesa.  O que vai ser omisso nesses relatórios é o aumento das cativações, proporcional ao aumento da despesa. No final, se houver algum aumento líquido vai ser graças aos fundos europeus e o Estado português vai continuar a gastar, em termos reais, 1% ou menos do PIB em defesa.

Enquanto os nuestros hermanos baixam artificialmente o seu orçamento de defesa e obtêm assim ganhos industriais e tecnológicos, nós aumentamos, também artificialmente, o nosso orçamento de defesa para inglês ver e só ganham os do costume.
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: dc em Junho 09, 2019, 12:31:12 am
"Artilharia antiaérea - Conforme planeado"  ::)
Só se estava planeado não se fazer rigorosamente nada, nesse aspecto, certíssimo!
E substituição de aeronaves de instrução de pilotagem - conforme planeado. Que comédia!
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: dc em Junho 09, 2019, 12:34:03 am
O problema aqui não é a percentagem do PIB. O problema aqui é a percentagem de execução dos demais programas. Porque de há 15 anos para cá, pouco se tem feito, de vez em quando lá se compra um brinquedo novo e tal, mas fora isso, de tudo o que é assinalado na LPM, não só na actual, como nas anteriores, talvez 30% são realizadas. O povo come a ideia de que na defesa se gastou X, quando na realidade gastou-se 1/3 desse valor, e em alguns casos esse valor é gasto de forma meio duvidosa.
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: NVF em Junho 09, 2019, 06:14:31 am
As LPMs não são, quanto a mim, o maior problema porque se destinam a programas novos. O problema principal reside mesmo nos orçamentos anuais e respectivas cativações. De onde julgas que vem o dinheiro, ou melhor, de onde deveria vir o dinheiro para manutenção (e respectivos contratos) e operações/treino? Pois, do OE claro está, mas com as porras das cativações nunca há dinheiro suficiente e por isso o material vai-se deteriorando, sendo canibalizado e finalmente encostado a um canto.
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: Lightning em Junho 18, 2019, 08:29:17 pm
Mais do SOFEC

Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: smg em Junho 18, 2019, 10:10:12 pm
Boa noite . Esse exercício SOFEC é muito bonito mas ,enquanto uns treinam , outros combatem quase diariamente , como é o caso das forças especiais francesas . A semana passada ,de visita ao 4 regimento de helicópteros das forças especiais , RHFS , a ministra da defesa francesa  , a senhora Parly , apelou a um maior envolvimento das forças especiais europeias na luta contra o terrorismo no Sahel . Alguns países europeus , como Alemanha , Itália ,etc ...  , têm centenas de militares na região mas muitas vezes limitam-se a formar tropas locais , guardar bases e fazer patrulhas em localidades e arredores . Praticamente só os franceses fazem operações ofensivas de busca e caça de grupos terroristas .  Aproveitou para contar como ,no passado mês de fevereiro , as FS francesas neutralizaram o chefe da AQMI a norte de Timbuctu . Segundo a versão apresentada pela ministra , um drone terá detectado 3 pick-ups  , foram então enviados alguns operacionais helitransportados que perseguiram e conseguiram interceptar dois dos veículos , prendendo os ocupantes . O terceiro veículo conseguiu fugir e como os helicópteros estavam a ficar sem combustível ,tendo que regressar à base , os operacionais usaram um dos pick-ups capturados para se lançar a alta velocidade em perseguição pelo deserto . Foram dando informações sobre a sua localização e assim ,outro grupo de  forças especiais helitransportados puderam interceptar o veiculo . Seguiu-se uma troca de tiros e todos os terroristas , entre os quais esse comandante da Al Qaida do Magrebe Islâmico , foram 'neutralizados' .
Considero que de um ponto de vista da defesa dos nossos interesses , a estabilização da zona do Sahel é mais prioritária do que , por exemplo exercícios na Lituânia . Portugal poderia , e deveria enviar um EH 101 com grupos do DAE , de FOE ou Precursores para ajudar . A capacidade paraquedista é fundamental nessa região . Os franceses já fizeram vários saltos HALO - HAHO para realizar aproximações discretas a acampamentos terroristas antes de lançar o assalto . Estas são as nossas forças com capacidade nessa área . Sei que Portugal já faz bastante na RCA ,mas África é mesmo aqui ao lado e é do nosso interesse ajudar um pouco mais nessa zona . Penso que os nossos aliados da OTAN iriam entender perfeitamente . Um abraço .
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: P44 em Junho 19, 2019, 10:17:11 am
(https://i.ibb.co/Fxpd5F2/moderniza-o1.jpg)

(https://i.ibb.co/Tq23n5j/moderniza-o2.jpg)

(https://i.ibb.co/GMtGdsB/moderniza-o3.jpg)

(https://i.ibb.co/G9G2k6j/moderniza-o4.jpg)

https://comum.rcaap.pt/bitstream/10400.26/24390/1/17_COR%20Neves%20de%20Abreu%20%28doc%20pdf%29.pdf

(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fwww.masquecena.com%2Fwp-content%2Fuploads%2F2012%2F02%2Ffalar-muito-dizer-nada-medium.jpg&hash=d8dc3535c6c8207146bf185ce0ad6363)
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: Cabeça de Martelo em Junho 19, 2019, 10:30:04 am
As Forças Armadas Portuguesas estão na RCA a pedido directo do governo Francês, se por um lado compreendo que eles queiram mais tropa naquela zona, também sei que ao contrário do que dizem na Defesa em Portugal a austoriedade ainda é uma realidade.

Será que há dinheiro para outra Companhia/Grupo Tarefa noutro país da região? Não sei, mas desconfio, olhando como se tem feito as aquisições para as Forças Armadas e o dinheiro para os vários Ramos... que não.
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: Cabeça de Martelo em Julho 18, 2019, 10:18:04 am
Chefe das Forças Armadas diz que a situação “é insustentável”

Almirante Silva Ribeiro, Chefe de Estado-Maior General das Forças Armadas, diz que com 156 comandos em missão internacional de paz na República Centro-Africana, a 10 de Junho apenas sobravam 60 praças no regimento de elite.


... https://www.publico.pt/2019/07/18/politica/entrevista/almirante-silva-ribeiro-situacao-forcas-armadas-insustentavel-1880287


Espero que o pessoal esteja a gostar, já que está sempre a reclamar que os Generais não se queixam e só querem saber da reforma.

Na prática será mais um Almirante que vai levar um belo pontapé no traseiro daqui a uns meses, como foi com o Almirante Macieira Fragoso.
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: HSMW em Julho 18, 2019, 12:14:25 pm
(https://i.imgur.com/HkPJ92q.jpg)

Insustentável para todos. Isto é um requerimento que anda a circular no Twiter.
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: PereiraMarques em Julho 18, 2019, 12:52:50 pm
Este tem mais peso...joga bem à esquerda e à direita, é do GOL, é amigo pessoal do António Rebelo de Sousa...
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: tenente em Julho 18, 2019, 02:57:36 pm
Chefe das Forças Armadas diz que a situação “é insustentável”

Almirante Silva Ribeiro, Chefe de Estado-Maior General das Forças Armadas, diz que com 156 comandos em missão internacional de paz na República Centro-Africana, a 10 de Junho apenas sobravam 60 praças no regimento de elite.


... https://www.publico.pt/2019/07/18/politica/entrevista/almirante-silva-ribeiro-situacao-forcas-armadas-insustentavel-1880287


Espero que o pessoal esteja a gostar, já que está sempre a reclamar que os Generais não se queixam e só querem saber da reforma.

Na prática será mais um Almirante que vai levar um belo pontapé no traseiro daqui a uns meses, como foi com o Almirante Macieira Fragoso.

Regimentos com 200/300 homens, isto é mesmo uma amostra de FFAA, quero ver se este CEMFA se aguenta até ao fim do mandato, com a coragem que demonstrou ao se insurgir contra a actual situação dos efectivos nas FFAA, não acredito !!!!

Abraços
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: NVF em Julho 18, 2019, 04:28:25 pm
Pior, ele disse que regimentos/unidades que deviam ter 300 elementos têm pouco mais de 100. Mas como o Pereira Marques disse, o almirante hidrográfico tem as costas quentes. É um tipo de falas mansas e ainda por cima pedreiro. Não lhe vai acontecer nada. Agora resta saber se as suas preocupações são genuínas, ou se não passa de mais uma manobra de diversão para reduzir o número e o tipo das missões das FFAA, com a consequente redução número de militares e, no limite, levar à extinção das FFAA.
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: Cabeça de Martelo em Julho 18, 2019, 05:44:03 pm
(https://i.imgur.com/HkPJ92q.jpg)

Insustentável para todos. Isto é um requerimento que anda a circular no Twiter.

Hoje no meu serviço estava sozinho a assegurar todo o edifício, um quando deviam estar pelo menos quatro. Mas a crise passou... certo?! Pois sim, avisem quando os quadros tiverem de novo um número decente de funcionários.
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: Clausewitz em Julho 18, 2019, 07:37:12 pm
Não percebo bem porque é que o pessoal acha as declarações do CEMGFA são assim tão polémicas ou corajosas. Não disse nada que não seja público e notório há bastante tempo e amplamente assumido e debatido no âmbito político até. E trata-se do CEMGFA, não achei nada de extraordinário sinceramente.

Quanto ao requerimento que anda a circular, não vou discutir como é óbvio as circunstâncias pessoais e familiares do próprio ou as suas motivações. Mas pegar nisto para usar como panfleto da situação "insustentável" dos militares do QP, é pá menos, haja um pouco de noção. O salário médio em Portugal ainda nem chega bem aos 1000 euros brutos mensais, bastante menos do que ganha um primeiro-sargento do Exército por exemplo, cujas habilitações mínimas de admissão estão ao nível do 12° ano. O Exército e as instituições do Estado não vivem à margem do resto do país.
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: smg em Julho 18, 2019, 11:02:44 pm
Boa noite . Quando se vive num país onde até um presidente da república que recebia 8 ou 9 mil euros por mês se queixava que isso mal dava para as despesas de casa , temos que estar preparados para ouvir todo tipo de queixinhas e lamúrias . Um abraço .
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: Lightning em Julho 19, 2019, 02:33:50 am
Entrevista do CEMGFA
https://m.facebook.com/story.php?story_fbid=1587522851378429&id=676287472501976
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: asalves em Julho 19, 2019, 09:59:33 am
Não percebo bem porque é que o pessoal acha as declarações do CEMGFA são assim tão polémicas ou corajosas. Não disse nada que não seja público e notório há bastante tempo e amplamente assumido e debatido no âmbito político até. E trata-se do CEMGFA, não achei nada de extraordinário sinceramente.

Quanto ao requerimento que anda a circular, não vou discutir como é óbvio as circunstâncias pessoais e familiares do próprio ou as suas motivações. Mas pegar nisto para usar como panfleto da situação "insustentável" dos militares do QP, é pá menos, haja um pouco de noção. O salário médio em Portugal ainda nem chega bem aos 1000 euros brutos mensais, bastante menos do que ganha um primeiro-sargento do Exército por exemplo, cujas habilitações mínimas de admissão estão ao nível do 12° ano. O Exército e as instituições do Estado não vivem à margem do resto do país.

Em relação à entrevista, o que tem de importante é ter vindo a publico, o pessoal aqui (uns mais que outros) conhecem a realidade das FA's, os Políticos ainda conhecem mais mas não querem saber, a opinião publica não percebe nada disso sem sabe de nada, e o assunto não for falado daqui a 1 mes já ninguém se lembra (ainda mais com eleições ai) por isso é preciso agitar as águas de vez enquanto.
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: tenente em Julho 19, 2019, 12:48:28 pm
Cá está a reação do MDN, á entrevista do CEMGFA.

"Infelicidade de linguagem", diz Governo do alerta de Silva Ribeiro

O ministro da Defesa, João Gomes Cravinho, não gostou da forma como o Almirante Silva Ribeiro expressou a preocupação com a falta de militares. O chefe das Forças Armadas disse que a situação era "insustentável"

Em declarações ao DN, João Cravinho reage assim às declarações do Chefe de Estado-Maior-General das Forças Armadas (CEMGFA): "Houve infelicidade na linguagem, mas o problema é real", reconhece.

Em entrevista ao Público  / Rádio Renascença na quinta-feira, o almirante Silva Ribeiro dramatizou a falta de recursos humanos nas Forças Armadas, classificando de "situação insustentável" o facto de as FA estarem com menos seis mil militares do que deveria (26 mil em vez de 32 mil).

"Esta matéria tem vindo a ser objeto de atenção permanente minha, e tem vindo a ser discutido no Conselho Superior de Defesa Nacional, na Assembleia da República, no Conselho Superior Militar", retorque, por seu lado, o titular da pasta da Defesa.

Desdramatizando sem desvalorizar, Cravinho sublinha que "há dinâmicas de longo de prazo que não se resolvem por decreto, mas por outro lado há um conjunto de medidas já em curso".

Destaca alguns exemplos destas medidas, remetendo até para as próprias Forças Armadas a responsabilidade da sua execução mais célere: "o Plano para a Profissionalização que necessita de uma ação diligente das Forças Armadas na sua implementação, ou ainda o Regime de Contrato Especial que aguarda indicação dos Ramos para a sua concretização".

O ministro, recorda ainda "o recente Plano Setorial para a Igualdade, pois temos ainda insuficientes mulheres nas Forças Armadas".

"Em suma", assinala o governante, "seria erróneo e redutor imaginar que nada está a ser feito".

Silva Ribeiro garantiu que tem alertado o Governo para a "situação insustentável" dos recursos humanos nas fileiras militares e falou em "desequilíbrio", tendo em conta as missões a cumprir e os meios humanos para o fazer.

"Recentemente a um pedido da Proteção Civil dissemos que não tínhamos mais militares para empregar. A Força Aérea já tem problemas para a disponibilidade de pessoal para a manutenção dos seus meios e para a própria vigilância e segurança das unidades. A Marinha tem navios que não têm lotações completas, o Exército tem regimentos que deviam ter 360 praças e têm 100, 120. Este é o problema mais premente das Forças Armadas. Estamos profundamente empenhados em inverter esta situação", explicou.

Para o Almirante Silva Ribeiro, a polémica em torno do Caso Tancos revelou exatamente a falta de recursos humanos sentida nas Forças Armadas: estão em falta 4100 praças no Exército, 535 na Marinha e 950 na Força Aérea.

https://www.dn.pt/poder/interior/infelicidade-de-linguagem-diz-governo-sobre-alerta-do-cemgfa-11128632.html

Abraços
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: P44 em Julho 19, 2019, 01:15:31 pm
(https://i.imgur.com/HkPJ92q.jpg)

Insustentável para todos. Isto é um requerimento que anda a circular no Twiter.

Hoje no meu serviço estava sozinho a assegurar todo o edifício, um quando deviam estar pelo menos quatro. Mas a crise passou... certo?! Pois sim, avisem quando os quadros tiverem de novo um número decente de funcionários.

Dado que os pulhas da FP não fazem nada, estar um ou 4 vai dar no mesmo...  :anjo:   ::)
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: PereiraMarques em Julho 22, 2019, 09:20:03 pm
https://www.cmjornal.pt/portugal/detalhe/forcas-armadas-fazem-apelo-a-demissao-do-ministro-e-a-defesa-do-cemgfa
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: Camuflage em Julho 22, 2019, 09:57:30 pm
Até concordo com o ministro, quem está mal saia. Nos hospitais e outros sectores da administração pública os responsáveis quando não concordam vão embora ou são demitidos quando fazem cagada. Forças armadas não devem ser excepção, mas vê-se o quão estão agarrados aos valores (do fim do mês e tacho garantido!).
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: asalves em Julho 23, 2019, 09:25:24 am
Até concordo com o ministro, quem está mal saia. Nos hospitais e outros sectores da administração pública os responsáveis quando não concordam vão embora ou são demitidos quando fazem cagada. Forças armadas não devem ser excepção, mas vê-se o quão estão agarrados aos valores (do fim do mês e tacho garantido!).

Eu pensava assim, o problema é que o próximo se tiver espinha dorsal não fica lá muito tempo, ou então o próximo vai-se por de 4, e as FA's ficam na mesma.

Por isso nestas situações há que aguentar e fazer o máximo de pressão para que a situação mude.

O vir embora é o mais fácil, e no caso das FA's o ordenado da patente é sempre garantido.
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: raphael em Julho 23, 2019, 11:24:10 am
Até concordo com o ministro, quem está mal saia. Nos hospitais e outros sectores da administração pública os responsáveis quando não concordam vão embora ou são demitidos quando fazem cagada. Forças armadas não devem ser excepção, mas vê-se o quão estão agarrados aos valores (do fim do mês e tacho garantido!).

Eu pensava assim, o problema é que o próximo se tiver espinha dorsal não fica lá muito tempo, ou então o próximo vai-se por de 4, e as FA's ficam na mesma.

Por isso nestas situações há que aguentar e fazer o máximo de pressão para que a situação mude.

O vir embora é o mais fácil, e no caso das FA's o ordenado da patente é sempre garantido.

Sabes que de há uns para cá o ficar agarrado à cadeira virou moda... há uns anos quando as chefias fizeram muito alvoroço alguém de fato e gravata decidiu que se deveria estender as despesas de representação do governo às chefias militares...assim de acordo com o posto (generalato e cmdts de unidades) têm um valor mensal fixo complementar ao ordenado e livre de impostos denominado "despesas de representação"... vai lá ver quanto é õ valor do "nosso" almirante cemgfa...
Por isso é que agora quando há "ultrapassagens" nas promoções de general os que ficam seguram-se a essa benesse.

https://www.jornaldenegocios.pt/economia/impostos/irs/detalhe/despesas_de_representacao_nao_precisam_de_ser_declaradas_no_irs

Peço imensa desculpa...segue o DR com quem tem efetivamente direito a despesas de representação...que listinha...
https://dre.pt/application/conteudo/69920317

Mais uma edição...
Secção II Artigo 11º  nº 1
https://www.emgfa.pt/documents/341p6gfxzc0n.pdf
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: NVF em Julho 23, 2019, 11:52:06 pm
1.800 por mês, livres de impostos, para o almirante hidrográfico? Não está nada mal, não senhor.
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: Camuflage em Julho 24, 2019, 10:51:26 pm
Até concordo com o ministro, quem está mal saia. Nos hospitais e outros sectores da administração pública os responsáveis quando não concordam vão embora ou são demitidos quando fazem cagada. Forças armadas não devem ser excepção, mas vê-se o quão estão agarrados aos valores (do fim do mês e tacho garantido!).

Eu pensava assim, o problema é que o próximo se tiver espinha dorsal não fica lá muito tempo, ou então o próximo vai-se por de 4, e as FA's ficam na mesma.

Por isso nestas situações há que aguentar e fazer o máximo de pressão para que a situação mude.

O vir embora é o mais fácil, e no caso das FA's o ordenado da patente é sempre garantido.

A ideia que as FA's não mudam por culpa dos politicos é uma crença criada pelos generalecos. Na verdade não mudam porque não convém mudar a quem lá está. Vamos imaginar que uma "troika" passava a pente fino as contas e passavam a ter um gestor com colhões no ministério sem medo para dispensar funcionários e fazer avaliações de aptidão ou ainda activar as despromoções? Achas que as altas patentes iam gostar?

Repara que nenhum jornalista faz questões incomodas a estes generalecos tal como sucede aos políticos, é tudo da mesma laia.
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: Lightning em Julho 25, 2019, 06:25:09 pm
Campus da Defesa

Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: raphael em Julho 25, 2019, 09:58:17 pm
Campus da defesa vai agrupar MDN, EMGFA e PJM... imagino os promotores imobiliários a esfregarem as mãos para os terrenos na zona do Restelo...vai ser interessante...
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: NVF em Julho 26, 2019, 03:22:36 am
Só tenho duas observações a fazer:

1) Um estrutura sensível como esta devia ser construída de raiz numa zona de menor risco sísmico, de preferência mais afastada da costa.

2) A moça da tatuagem não é especialmente bonita mas tem um ** que é obra.
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: PereiraMarques em Julho 26, 2019, 12:01:35 pm
Só tenho duas observações a fazer:

1) Um estrutura sensível como esta devia ser construída de raiz numa zona de menor risco sísmico, de preferência mais afastada da costa.

2) A moça da tatuagem não é especialmente bonita mas tem um ** que é obra.

1) o vale do Tejo e o vale do Sado têm elevada susceptibilidade sísmica...teria de ir para as "berças"
2) recomendo um filme só sobre o c* da moça  :mrgreen:

 
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: asalves em Julho 26, 2019, 01:08:32 pm
Só tenho duas observações a fazer:

1) Um estrutura sensível como esta devia ser construída de raiz numa zona de menor risco sísmico, de preferência mais afastada da costa.

2) A moça da tatuagem não é especialmente bonita mas tem um ** que é obra.

1) o vale do Tejo e o vale do Sado têm elevada susceptibilidade sísmica...teria de ir para as "berças"
2) recomendo um filme só sobre o c* da moça  :mrgreen:

O todo o Japão é um zona sísmica mas existem arranha céus e outras estruturas sensíveis.

O que o NVF queria dizer é que por vezes a nossa moda de aproveitar tudo o que é velho é deveras estúpido, principalmente quando estamos a falar de entidades sensíveis a soberania do Pais.

O Equificio em questâo:
- É velho, nunca foi pensado no risco sismico
- A sua manutenção vai ser superior ao de um edificio novo
- Por ser um edifício antigo não possui infraestrutura, ou seja vai-se estar muito limitados na organização e implementação de soluções, exemplo instalar um simples cabo de rede num edifício onde não existe calhas técnicas. Os gabinetes vão estar onde podem estar e não onde melhor se optimiza o fluxo de trabalho das pessoas que lá trabalham. (Já trabalhei num edifício destes e para falar com o meu chefe tinha de sair para a rua percorrer todo o edifício e subir umas escadas)
- Como está numa zona próxima do rio Tejo e no centro, corre-se o risco de todas estas entidades ficarem inoperacionais em caso de tsunami, cheias, incêndio urbano. Deviado as rua adjacentes também é extremamente difícil proteger ou disponibilizar material de guerra ou pesado para o local.
- Um heliporto para evacuações ou transporte de pessoal também está muito limitado.
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: NVF em Julho 26, 2019, 04:12:18 pm
1) o vale do Tejo e o vale do Sado têm elevada susceptibilidade sísmica...teria de ir para as "berças"

O Porto está localizado numa zona relativamente estável do ponto de vista da sismicidade. Não queriam pôr lá a Agência do Medicamento ou o Infarmed? Então porque não o MDN e o EMGFA?
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: Stalker79 em Julho 26, 2019, 04:44:40 pm
Aqui cada vez que há um "terramoto" nem os sinto! é o people todo "não sentiste!?" , nope!
Mas a serio, nunca senti um "terramoto" digno desse nome, esqueçam o que podem dizer nos jornais que é tanga.
 :mrgreen:
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: Cabeça de Martelo em Julho 26, 2019, 05:14:53 pm
Não sendo eu um Engenheiro de estruturas… nem Engenheiro de qualquer tipo ou espécie, diria que isso é uma não-questão. Não ouvi o vídeo já que estou de serviço mas vou armar-me em canudo e dar o meu parecer técnico. :mrgreen:

Eu trabalho num edifício antigo (feito ainda no século 19), mas que do original só resta a fachada e pouco mais, mas que no entanto está preparado para suportar dentro dos possíveis terramotos. Para além disso, temos fibra ótica, e tudo o que há num edifício novo.

Neste caso e sabendo o estado de degradação atual e limitações arquitetónicas do mesmo, posso afirmar com alguma certeza que é o que vai acontecer neste projeto.

Vejo em inúmeros tópicos fusões/concentrações defendidas por meio mundo, mas quando se avança para algo do género, já não serve.  ???
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: Stalker79 em Julho 26, 2019, 05:48:31 pm
1) o vale do Tejo e o vale do Sado têm elevada susceptibilidade sísmica...teria de ir para as "berças"

O Porto está localizado numa zona relativamente estável do ponto de vista da sismicidade. Não queriam pôr lá a Agência do Medicamento ou o Infarmed? Então porque não o MDN e o EMGFA?


Li não sei aonde que queriam ou tinham idea era de colocar aqui a direção geral de recursos humanos das forças armadas ou do exercito.
Corrigam-me se estiver enganado.
 :-P
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: mafets em Julho 26, 2019, 07:35:24 pm
Campus da Defesa


Também vai ser cobrada uma renda de um milhão por mês como o Campus de Justiça ou este vai ser mais barato?  :mrgreen: :mrgreen: :mrgreen: :mrgreen:

Cumprimentos

P.S. A Entrevista do CEMGFA tem uma coisa boa: Alertar para parte dos problemas, agora esqueceu-se do resto. Exemplificando, arranjam mais malta e depois enfiam-nos em quartéis e a operar com material com 40 anos? Já agora, sendo da Marinha nem uma palavra sobre o facto de a Unidade de Controle Costeiro da GNR ir receber navios para patrulhar até às 12 milhas e estar a preparar um documento que estende o direito de patrulhar até às 24 milhas: Aparentemente aqui não faltam efectivos nem dinheiro...  ::)

https://www.dn.pt/portugal/interior/gnr-quer-mais-poder-para-patrulhar-aguas-fiscalizadas-pela-marinha-9217102.html (https://www.dn.pt/portugal/interior/gnr-quer-mais-poder-para-patrulhar-aguas-fiscalizadas-pela-marinha-9217102.html)

(https://static.globalnoticias.pt/dn/image.aspx?brand=DN&type=generate&guid=5befc906-819e-43fb-9c9f-74a985665681&w=800&h=450&t=20180327130000)

P.S.2 - Bela popa sim senhor. A prateleira também é 5 estrelas...  :mrgreen: :mrgreen:
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: tenente em Julho 26, 2019, 08:41:27 pm
Pelo caminho que a recuperação dos efectivos das FFAA leva daqui a uns dez/quinze anos chegamos aos 32/33.000 efectivos.
Vivemos num País que brinca á Defesa Nacional, quando a GNR em NOV2017, tinha 24.740 efectivos, menos 265 que os três Ramos das FFAA possuíam nessa data para mim está tudo dito !

https://observador.pt/2019/07/24/ministro-realca-medidas-em-curso-para-resolver-falta-de-efetivos-nas-forcas-armadas/?fbclid=IwAR0ODH-sNgJc5h8E_Waw1cIW_VMQ0U5C47yH6VTPWZ50rJnE4IY65hzt2JY

No entendimento de João Gomes Cravinho, “o debate público quanto ao número de militares que hoje servem nas Forças Armadas é uma excelente oportunidade para dar a conhecer as soluções que estão a ser desenvolvidas”.
Por isso, lembra que a questão de falta de efetivos nas Forças Armadas não é “uma realidade nova”, salientando que os números baixaram todos os anos entre 2012 (31.143) e 2017 (25.025).
       

https://www.dn.pt/portugal/interior/mai-aumenta-efetivos-da-gnr-e-psp-com-alunos-que-nem-comecaram-curso-8901593.html

Na GNR o "truque" foi o mesmo. Em 2016 havia 24 740 militares, número esse que foi reduzido para 24 390 este ano. No documento oficial, o MAI acrescenta a estes 350 candidatos a praças que, segundo adiantou ao DN fonte oficial da Guarda, só deverão começar a sua formação em dezembro próximo. Com esta soma, a que se juntam outros 30 oficiais já a tirar o curso, a GNR mantém o mesmo efetivo de 2016.

Abraços
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: Lightning em Julho 26, 2019, 09:45:54 pm
O Equificio em questâo:
- É velho, nunca foi pensado no risco sismico
- A sua manutenção vai ser superior ao de um edificio novo
- Por ser um edifício antigo não possui infraestrutura, ou seja vai-se estar muito limitados na organização e implementação de soluções, exemplo instalar um simples cabo de rede num edifício onde não existe calhas técnicas. Os gabinetes vão estar onde podem estar e não onde melhor se optimiza o fluxo de trabalho das pessoas que lá trabalham. (Já trabalhei num edifício destes e para falar com o meu chefe tinha de sair para a rua percorrer todo o edifício e subir umas escadas)
- Como está numa zona próxima do rio Tejo e no centro, corre-se o risco de todas estas entidades ficarem inoperacionais em caso de tsunami, cheias, incêndio urbano. Deviado as rua adjacentes também é extremamente difícil proteger ou disponibilizar material de guerra ou pesado para o local.
- Um heliporto para evacuações ou transporte de pessoal também está muito limitado.

Concordo com muito do que disse, só não entendo os dois últimos pontos, O MDN/EMGFA são entidades de gestão e coordenação, não é uma unidade operacional, não têm que ter material de guerra pesado lá dentro, tem que ter o suficiente para a sua segurança, os meios pesados podem estar lá longe, importante é ter linhas de comunicação.

E o heliporto para evacuação também não entendo, a ambulância do INEM deve ser mais rápida a levar quem quer que seja ao hospital.
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: Lightning em Julho 26, 2019, 09:52:20 pm
Pelo site do exército, no Porto tem:

O Comando do Pessoal
Direcção de Administração de Recursos Humanos

E no quartel de Vila Nova de Gaia
Direcção de Serviços de Pessoal
Além de outros serviços de apoio e recrutamento.

Em relação ao MDN ir para fora de Lisboa, o comum é um ministro do governo estar perto do governo.
Penso que os ministérios todos são em Lisboa, mas nada contra serviços e entidades irem para outras cidades.
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: Cabeça de Martelo em Julho 27, 2019, 10:24:34 am
Finalmente vi o video, por isso digo com mais convicção, a questão dos terramotos é uma não questão, já que o edifício vai ser completamente remodelado, ainda por cima o local em si é excelente, já que segundo consta a família real tomou posse do Palácio de Belém devido ao facto que no terramoto de 1755 a zona foi a menos afectada de Lisboa.

Não sei se este complexo vai ter heliporto dedicado, mas em caso de tem uma excelente área para ser usada como tal... a parada!

Em questão à senhora do video... vocês andam com muita fomeca, "balha-vos Deus"!... :mrgreen:

Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: P44 em Julho 28, 2019, 10:18:54 am
Nome da moça, é para um amigo que se dedica a pesquisas científicas
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: PereiraMarques em Julho 28, 2019, 03:29:33 pm
Nome da moça, é para um amigo que se dedica a pesquisas científicas

Kátia Sheila dos Santos Silva
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: asalves em Julho 29, 2019, 09:52:55 am
O Equificio em questâo:
- É velho, nunca foi pensado no risco sismico
- A sua manutenção vai ser superior ao de um edificio novo
- Por ser um edifício antigo não possui infraestrutura, ou seja vai-se estar muito limitados na organização e implementação de soluções, exemplo instalar um simples cabo de rede num edifício onde não existe calhas técnicas. Os gabinetes vão estar onde podem estar e não onde melhor se optimiza o fluxo de trabalho das pessoas que lá trabalham. (Já trabalhei num edifício destes e para falar com o meu chefe tinha de sair para a rua percorrer todo o edifício e subir umas escadas)
- Como está numa zona próxima do rio Tejo e no centro, corre-se o risco de todas estas entidades ficarem inoperacionais em caso de tsunami, cheias, incêndio urbano. Deviado as rua adjacentes também é extremamente difícil proteger ou disponibilizar material de guerra ou pesado para o local.
- Um heliporto para evacuações ou transporte de pessoal também está muito limitado.

Concordo com muito do que disse, só não entendo os dois últimos pontos, O MDN/EMGFA são entidades de gestão e coordenação, não é uma unidade operacional, não têm que ter material de guerra pesado lá dentro, tem que ter o suficiente para a sua segurança, os meios pesados podem estar lá longe, importante é ter linhas de comunicação.

E o heliporto para evacuação também não entendo, a ambulância do INEM deve ser mais rápida a levar quem quer que seja ao hospital.

O que acho é que as unidades militares devem estar preparadas para o máximo de situações, imagine num caso de tumultos ou cerco às instalações por diversos motivos, onde é preciso assegurar a segurança das mesmas, ou por exemplo numa situação de catástrofe na cidade de Lisboa onde a circulação esteja muito condicionada, tendo a unidade um heliporto ou capacidade para receber helis consegue dar outro tipo de suporte, não só na componente militar mas também no apoio civil.

É neste sentido que vejo a necessidade de bons acessos e o tal heliporto (ou coisa parecida)
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: asalves em Julho 29, 2019, 10:11:21 am
Não sendo eu um Engenheiro de estruturas… nem Engenheiro de qualquer tipo ou espécie, diria que isso é uma não-questão. Não ouvi o vídeo já que estou de serviço mas vou armar-me em canudo e dar o meu parecer técnico. :mrgreen:

Eu trabalho num edifício antigo (feito ainda no século 19), mas que do original só resta a fachada e pouco mais, mas que no entanto está preparado para suportar dentro dos possíveis terramotos. Para além disso, temos fibra ótica, e tudo o que há num edifício novo.

Neste caso e sabendo o estado de degradação atual e limitações arquitetónicas do mesmo, posso afirmar com alguma certeza que é o que vai acontecer neste projeto.

Vejo em inúmeros tópicos fusões/concentrações defendidas por meio mundo, mas quando se avança para algo do género, já não serve.  ???

Hoje em dia com a tecnologia é possível fazer/transformar qualquer edifício resistente a sismos (e atenção que aqui podemos estar a falar de diferentes graus de sismos 6 a 9), a questão é o quanto se vai gastar a mais para tornar o edifício efetivamente resistente. Outro problema é que normalmente os edifícios sofrem obras mas muitas vezes não passam de cosmética e não há nenhum reforço estrutural propriamente dito. Pois para fazer um reforço sísmico muitas vezes implica criar um esqueleto externo/interno de aço ou adicionar "amortecedores" ou até estruturas com cabos para manter a flexibilidade e manter a integridade da estrutural.

A questão é que apesar de Portugal estar numa zona sísmica (temos 3 placas a cruzarem-se) não temos muita frequência de sismos (o que por vezes é mau pois existe acumulação de energia que depois é libertada com efeitos mais graves), mas grande parte dessas placas estão sobre o oceano, que num sismo forte (>6) provavelmente irá criar um tsunami (que pode ser devastador ou não, para além do sismo de 1755 tivemos mais 3 ou 4 fortes e todos eles provocaram tsunamis, mais pequenos e as vezes com destruição menor mas provocaram).

Na parte da manutenção e limitação de sistemas (ex: fibra), novamente hoje em dia é possível mal ou bem fazer a instalação disso tudo, mas novamente a que custos a sua implementação e principalmente depois a  sua manutenção? É sempre possivel instalar AC's, Aquecimento, Cabos,... mas acredite fica sempre uma cagada
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: Lusitan em Julho 29, 2019, 10:32:52 am
Metam tudo no mesmo sítio que assim poupa-se dinheiro em bombas. Se algum dia alguém se der ao trabalho de atacar o país vão agradecer o génio imobiliário português!
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: Lightning em Julho 29, 2019, 09:50:22 pm
Novos sites

Portal da Defesa
https://www.defesa.gov.pt/pt

Site do Recrutamento militar
https://recrutamentomilitar.bud.gov.pt/
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: raphael em Julho 29, 2019, 11:30:57 pm
Metam tudo no mesmo sítio que assim poupa-se dinheiro em bombas. Se algum dia alguém se der ao trabalho de atacar o país vão agradecer o génio imobiliário português!

Já estão todos juntos no Restelo...é só uma transferência para a Ajuda...e assim não se cede o edificio à CML que já andava ao tempo a querer a área para eventual projeto imobiliário...assim fica o Restelo para a parte imobiliária.

Mas também quem é que nos vem bombardear???
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: Cabeça de Martelo em Julho 30, 2019, 10:30:06 am
Metam tudo no mesmo sítio que assim poupa-se dinheiro em bombas. Se algum dia alguém se der ao trabalho de atacar o país vão agradecer o génio imobiliário português!

Então é por isso que o Exército está dividido por 50000 regimentos...

Continuo a dizer, quando o pessoal vê inúmeros Regimentos com unidades operacionais de escalão Companhia ou Batalhões bastante incompletos, dizem que é um desperdício e defendem fusões/uniões, mas quando se vê isso mesmo, já é mau. ???

Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: Cabeça de Martelo em Julho 30, 2019, 10:36:42 am
Não sendo eu um Engenheiro de estruturas… nem Engenheiro de qualquer tipo ou espécie, diria que isso é uma não-questão. Não ouvi o vídeo já que estou de serviço mas vou armar-me em canudo e dar o meu parecer técnico. :mrgreen:

Eu trabalho num edifício antigo (feito ainda no século 19), mas que do original só resta a fachada e pouco mais, mas que no entanto está preparado para suportar dentro dos possíveis terramotos. Para além disso, temos fibra ótica, e tudo o que há num edifício novo.

Neste caso e sabendo o estado de degradação atual e limitações arquitetónicas do mesmo, posso afirmar com alguma certeza que é o que vai acontecer neste projeto.

Vejo em inúmeros tópicos fusões/concentrações defendidas por meio mundo, mas quando se avança para algo do género, já não serve.  ???

Hoje em dia com a tecnologia é possível fazer/transformar qualquer edifício resistente a sismos (e atenção que aqui podemos estar a falar de diferentes graus de sismos 6 a 9), a questão é o quanto se vai gastar a mais para tornar o edifício efetivamente resistente. Outro problema é que normalmente os edifícios sofrem obras mas muitas vezes não passam de cosmética e não há nenhum reforço estrutural propriamente dito. Pois para fazer um reforço sísmico muitas vezes implica criar um esqueleto externo/interno de aço ou adicionar "amortecedores" ou até estruturas com cabos para manter a flexibilidade e manter a integridade da estrutural.

Citar
...o futuro Campus da Defesa irá conter as mais modernas tecnologias de construção, designadamente, eficiência energética nos sistemas de iluminação e climatização; sustentabilidade, como por exemplo o reaproveitamento das águas das chuvas para rega ou serviços sanitários; sistemas de segurança, incluindo intrusão, incêndios, videovigilância e controlo de acessos; modernas redes de comunicações; instalações técnicas adequadas às classes de segurança de cada zona do edifício.

As instalações renovadas albergarão 1300 colaboradores, distribuídos por 500 gabinetes. Prevêem-se 40 salas de reunião, um auditório principal com capacidade para 300 pessoas e um auditório secundário para 100 pessoas. O refeitório acolherá ao mesmo tempo 300 pessoas e o Bar 100 pessoas.

Para além destas estruturas de uso comum às entidades da Defesa Nacional previstas serem transferidas para o Campus da Defesa, estão previstas outras estruturas partilhadas, donde se destacam: Creche; Minimercado, Banco, Restaurantes, Ginásio, Balcão único de atendimento (interno e ao público); Vários espaços para refeição própria; Arquivo; Armazéns; Salão Nobre, Núcleo Museológico; Biblioteca; Mediateca; Centro de Dados; Salas de vídeo-teleconferência segura; Núcleo de línguas e ainda Oficinas de manutenção, Gabinete TIC, Gabinete de segurança e Gabinete médico do Campus da Defesa.

E por baixo do edifício vai ter parque de estacionamento. Acreditas que era possível fazer isso apenas com uma pintura e retoques na fachada? Não sou Engenheiro, mas acho difícil.

Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: Lusitan em Julho 30, 2019, 12:02:22 pm
Metam tudo no mesmo sítio que assim poupa-se dinheiro em bombas. Se algum dia alguém se der ao trabalho de atacar o país vão agradecer o génio imobiliário português!

Já estão todos juntos no Restelo...é só uma transferência para a Ajuda...e assim não se cede o edificio à CML que já andava ao tempo a querer a área para eventual projeto imobiliário...assim fica o Restelo para a parte imobiliária.

Mas também quem é que nos vem bombardear???

A questão de juntar a cúpula da Defesa toda no mesmo sítio tem vantagens e desvantagens. Se em termos de eficiência e tomada de decisões se ganha tempo, também torna mais vulnerável o processo de decisões em tempo de guerra, uma vez que por norma são edifícios que estão no topo das "bombing lists". Este tipo de decisões não podem ser tomadas a pensar na "paz eterna". Têm de ser consideradas as piores condições possíveis. O problema já existia anteriormente, mas quando tomaram a decisão de mudar de local, deviam ter este tipo de considerações em mente.
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: raphael em Julho 30, 2019, 03:36:34 pm
Lusitan...em caso de conflito, com ameaça direta das fronteiras e perda do domínio do ar (espaço aéreo)...existem outros locais mais reservados, que permitirão acomodar as cupulas do processo de decisão, nem falando nos abrigos nos edificios governamentais, vários imóveis do MDN situam-se abaixo de terra, estando protegidos contra essas "intempéries" de eventuais bombardeamentos...permitindo acomodar a quem cabe o processo de tomada de decisão... é um não problema....é que no local atual, o antigo hotel do Estado Novo ainda estão mais permeávbeis.
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: asalves em Julho 30, 2019, 03:50:22 pm
Metam tudo no mesmo sítio que assim poupa-se dinheiro em bombas. Se algum dia alguém se der ao trabalho de atacar o país vão agradecer o génio imobiliário português!

Já estão todos juntos no Restelo...é só uma transferência para a Ajuda...e assim não se cede o edificio à CML que já andava ao tempo a querer a área para eventual projeto imobiliário...assim fica o Restelo para a parte imobiliária.

Mas também quem é que nos vem bombardear???

A questão de juntar a cúpula da Defesa toda no mesmo sítio tem vantagens e desvantagens. Se em termos de eficiência e tomada de decisões se ganha tempo, também torna mais vulnerável o processo de decisões em tempo de guerra, uma vez que por norma são edifícios que estão no topo das "bombing lists". Este tipo de decisões não podem ser tomadas a pensar na "paz eterna". Têm de ser consideradas as piores condições possíveis. O problema já existia anteriormente, mas quando tomaram a decisão de mudar de local, deviam ter este tipo de considerações em mente.

Os Américas são os Américas e tem nada mais que o Pentagono, e se eles podem viver com isso eu também posso.

Mas em caso de conflito com os políticos que temos são os primeiros a fugir, e o resto do pessoal competente ou refugiam-se nas antigas ruínas por baixo da cidade ou vão ter que fugir para o Geres/Açores, a resistência dificilmente será na Capital.
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: raphael em Julho 30, 2019, 03:56:35 pm
Metam tudo no mesmo sítio que assim poupa-se dinheiro em bombas. Se algum dia alguém se der ao trabalho de atacar o país vão agradecer o génio imobiliário português!

Já estão todos juntos no Restelo...é só uma transferência para a Ajuda...e assim não se cede o edificio à CML que já andava ao tempo a querer a área para eventual projeto imobiliário...assim fica o Restelo para a parte imobiliária.

Mas também quem é que nos vem bombardear???

A questão de juntar a cúpula da Defesa toda no mesmo sítio tem vantagens e desvantagens. Se em termos de eficiência e tomada de decisões se ganha tempo, também torna mais vulnerável o processo de decisões em tempo de guerra, uma vez que por norma são edifícios que estão no topo das "bombing lists". Este tipo de decisões não podem ser tomadas a pensar na "paz eterna". Têm de ser consideradas as piores condições possíveis. O problema já existia anteriormente, mas quando tomaram a decisão de mudar de local, deviam ter este tipo de considerações em mente.

Os Américas são os Américas e tem nada mais que o Pentagono, e se eles podem viver com isso eu também posso.

Mas em caso de conflito com os políticos que temos são os primeiros a fugir, e o resto do pessoal competente ou refugiam-se nas antigas ruínas por baixo da cidade ou vão ter que fugir para o Geres/Açores, a resistência dificilmente será na Capital.

os americas não t^m só o pentágono.... e nós temos outras instalações seguras....
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: asalves em Julho 30, 2019, 04:02:49 pm
Não sendo eu um Engenheiro de estruturas… nem Engenheiro de qualquer tipo ou espécie, diria que isso é uma não-questão. Não ouvi o vídeo já que estou de serviço mas vou armar-me em canudo e dar o meu parecer técnico. :mrgreen:

Eu trabalho num edifício antigo (feito ainda no século 19), mas que do original só resta a fachada e pouco mais, mas que no entanto está preparado para suportar dentro dos possíveis terramotos. Para além disso, temos fibra ótica, e tudo o que há num edifício novo.

Neste caso e sabendo o estado de degradação atual e limitações arquitetónicas do mesmo, posso afirmar com alguma certeza que é o que vai acontecer neste projeto.

Vejo em inúmeros tópicos fusões/concentrações defendidas por meio mundo, mas quando se avança para algo do género, já não serve.  ???

Hoje em dia com a tecnologia é possível fazer/transformar qualquer edifício resistente a sismos (e atenção que aqui podemos estar a falar de diferentes graus de sismos 6 a 9), a questão é o quanto se vai gastar a mais para tornar o edifício efetivamente resistente. Outro problema é que normalmente os edifícios sofrem obras mas muitas vezes não passam de cosmética e não há nenhum reforço estrutural propriamente dito. Pois para fazer um reforço sísmico muitas vezes implica criar um esqueleto externo/interno de aço ou adicionar "amortecedores" ou até estruturas com cabos para manter a flexibilidade e manter a integridade da estrutural.

Citar
...o futuro Campus da Defesa irá conter as mais modernas tecnologias de construção, designadamente, eficiência energética nos sistemas de iluminação e climatização; sustentabilidade, como por exemplo o reaproveitamento das águas das chuvas para rega ou serviços sanitários; sistemas de segurança, incluindo intrusão, incêndios, videovigilância e controlo de acessos; modernas redes de comunicações; instalações técnicas adequadas às classes de segurança de cada zona do edifício.

As instalações renovadas albergarão 1300 colaboradores, distribuídos por 500 gabinetes. Prevêem-se 40 salas de reunião, um auditório principal com capacidade para 300 pessoas e um auditório secundário para 100 pessoas. O refeitório acolherá ao mesmo tempo 300 pessoas e o Bar 100 pessoas.

Para além destas estruturas de uso comum às entidades da Defesa Nacional previstas serem transferidas para o Campus da Defesa, estão previstas outras estruturas partilhadas, donde se destacam: Creche; Minimercado, Banco, Restaurantes, Ginásio, Balcão único de atendimento (interno e ao público); Vários espaços para refeição própria; Arquivo; Armazéns; Salão Nobre, Núcleo Museológico; Biblioteca; Mediateca; Centro de Dados; Salas de vídeo-teleconferência segura; Núcleo de línguas e ainda Oficinas de manutenção, Gabinete TIC, Gabinete de segurança e Gabinete médico do Campus da Defesa.

E por baixo do edifício vai ter parque de estacionamento. Acreditas que era possível fazer isso apenas com uma pintura e retoques na fachada? Não sou Engenheiro, mas acho difícil.

 :o bem se a garagem for de facto por baixo do edifício mais valia mandar tudo abaixo e fazer de novo, pois os custos devem ser enormes, mas provavelmente vão aproveitar a praça para fazer a garagem. O problema é se encontrarem alguns restos de romanos ou da cidade antiga, lá vai a garagem a vida e a obra fica parada uma carrada de tempo.
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: asalves em Julho 30, 2019, 04:17:08 pm
Metam tudo no mesmo sítio que assim poupa-se dinheiro em bombas. Se algum dia alguém se der ao trabalho de atacar o país vão agradecer o génio imobiliário português!

Já estão todos juntos no Restelo...é só uma transferência para a Ajuda...e assim não se cede o edificio à CML que já andava ao tempo a querer a área para eventual projeto imobiliário...assim fica o Restelo para a parte imobiliária.

Mas também quem é que nos vem bombardear???

A questão de juntar a cúpula da Defesa toda no mesmo sítio tem vantagens e desvantagens. Se em termos de eficiência e tomada de decisões se ganha tempo, também torna mais vulnerável o processo de decisões em tempo de guerra, uma vez que por norma são edifícios que estão no topo das "bombing lists". Este tipo de decisões não podem ser tomadas a pensar na "paz eterna". Têm de ser consideradas as piores condições possíveis. O problema já existia anteriormente, mas quando tomaram a decisão de mudar de local, deviam ter este tipo de considerações em mente.

Os Américas são os Américas e tem nada mais que o Pentagono, e se eles podem viver com isso eu também posso.

Mas em caso de conflito com os políticos que temos são os primeiros a fugir, e o resto do pessoal competente ou refugiam-se nas antigas ruínas por baixo da cidade ou vão ter que fugir para o Geres/Açores, a resistência dificilmente será na Capital.

os americas não t^m só o pentágono.... e nós temos outras instalações seguras....

 :mrgreen: :mrgreen: :mrgreen: :mrgreen:

Fui ao google maps ver o futuro spot do Campos da Defesa:
https://www.google.com/maps/place/Area+51+-+M%C3%A9todo+Proibido,+Unipessoal,+Lda./@38.7014427,-9.1987075,789a,35y,100.64h,2.69t/data=!3m1!1e3!4m8!1m2!2m1!1sRegimento+de+Lanceiros+2!3m4!1s0xd1ecb504172af0b:0xd975bee4564240c1!8m2!3d38.6997518!4d-9.199295

Do lado esquerdo temos o Pentágono Tuga e do lado direito a Área 51 Tuga.  ;D :mrgreen: ;D
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: Cabeça de Martelo em Julho 30, 2019, 04:48:50 pm
Somos muito à frente... :mrgreen: c56x1
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: Lightning em Julho 30, 2019, 07:50:05 pm
Do lado esquerdo temos o Pentágono Tuga e do lado direito a Área 51 Tuga.  ;D :mrgreen: ;D

O pentágono é um quartel da GNR.
Mas de memória acho que o Exército também chegou a ter um quartel assim, acho que era o RI1, era este ou outro?
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: raphael em Julho 30, 2019, 08:17:37 pm
https://sol.sapo.pt/artigo/493085/bunkers-o-comando-do-pais-em-caso-de-ataque

https://www.google.com/maps/place/Restelo,+Lisboa/@38.7047636,-9.2232507,612m/data=!3m1!1e3!4m5!3m4!1s0xd1ecb608306e55b:0x2fa97d8f4e45212d!8m2!3d38.6996297!4d-9.2140568

https://www.google.com/maps/place/Comando+A%C3%A9reo+da+For%C3%A7a+Aerea/@38.729846,-9.1914769,611m/data=!3m2!1e3!4b1!4m5!3m4!1s0xd19334aaf4900cd:0x9ad12a0160c9ee7c!8m2!3d38.7298418!4d-9.1892882

https://www.google.com/maps/search/nato+oeiras/@38.6797248,-9.3252445,612m/data=!3m2!1e3!4b1

https://www.google.com/maps/@38.5463239,-9.1874592,2452m/data=!3m1!1e3

e a lista goes on and on....
o que não falta são superficies protegidas no subsolo...cada uma com o seu fim...e com diferentes capacidades de sobrevivência...

mais outros dos serviços de segurança....
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: PereiraMarques em Julho 30, 2019, 08:36:28 pm
Do lado esquerdo temos o Pentágono Tuga e do lado direito a Área 51 Tuga.  ;D :mrgreen: ;D

O pentágono é um quartel da GNR.
Mas de memória acho que o Exército também chegou a ter um quartel assim, acho que era o RI1, era este ou outro?

Era efectivamente este...

Citar
Mandado construir na segunda metade do século XVIII, especialmente para aquartelar o Regimento de Infantaria 1, comandado pelo conde de Lippe, que foi marechal-general do Exército português e comandante das forças anglo-portuguesas na campanha de 1762 contra espanhóis e franceses. Tem dois torreões mardelianos, um de cada lado do portão encimado com o brasão do rei D.José. De planta pentagonal, onde a grande praça de armas se encontra rodeada pelos edifícios do quartel, hoje aí se seleccionam para o serviço militar os mancebos da região de Lisboa.

http://www.cm-lisboa.pt/equipamentos/equipamento/info/forte-do-conde-de-lippe
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: NVF em Julho 31, 2019, 12:10:32 am
Então mas o MDN e o EMGFA não estão juntos há muitos anos? Trata-se somente de uma mudança de local, com mais espaço e infraestrutura nova. Dito isto, continuo a achar o local uma má escolha. O facto de a Quinta de Belém ter sido relativamente poupada pelo sismo de 1755 não significa nada, pois os sismos que afectam Lx não tem todos origem na mesma falha que originou este (~200 km da costa) e mesmo que tivessem a energia não se propaga sempre da mesma maneira em todos os sismos (uma falha que não rachou em 1755, ou em 1909, ou em 1969, pode rachar no próximo grande evento).

Quanto a sismos de grau 6 ou 9, não faço ideia do que isso é — os sismos são classificados pela sua magnitude, que é uma função da energia libertada. Por exemplo, um sismo de magnitude 7 é 10 vezes maior que um sismo de magnitude 6, mas a energia libertada por um 7 é 32 vezes maior que a libertada por um 6, devido à escala logarítmica utilizada. Um 9 é 1000 vezes maior que um 6, mas a energia de um 9 é 32.768 vezes maior que a de um 6.
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: P44 em Julho 31, 2019, 10:10:21 am
Se fossem todos comidos por um terramoto perdia-se uma grande coisa
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: raphael em Julho 31, 2019, 10:44:23 am
Se fossem todos comidos por um terramoto perdia-se uma grande coisa

Estás a ver isso um bocado distorcido...o terramoto não escolhe credos...ia tudo  a eito... não é algo que se deseje para a generalidade dos residentes e trabalhadores  de lisboa, nas áreas previsiveis de maior impacto sismico...
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: Cabeça de Martelo em Julho 31, 2019, 12:13:03 pm
Se fossem todos comidos por um terramoto perdia-se uma grande coisa

Estás a ver isso um bocado distorcido...o terramoto não escolhe credos...ia tudo  a eito... não é algo que se deseje para a generalidade dos residentes e trabalhadores  de lisboa, nas áreas previsiveis de maior impacto sismico...

Já estou a imaginar, o Pzito agarra no telefone e pede à "dona Maria" para trazer-lhe um café, ao qual ela responde com um :

- É para já sô Doutor.

Nisto ela trás-lhe um café, o P44 agradece mas nunca olhando-a (não convém dar confiança à criadagem), começa a beber o café olhando ao fundo o rio. De repente começa a ouvir um som profundo e o gabinete começa a estremecer violentamente, nisto surge ao fundo no rio um onda altíssima, e ele clama:

- Valha-me o Papa (Pinto da Costa), o Dragão, a Nossa Senhora de Fátima e o Sô Doutor Oliveira Salazar!

Passado uns segundos a onda esmaga o edifício, derrubando-o passado uns minutos.

Na imagem seguinte aparece uma senhora vestida de preto e a mesma identifica-o, sai a chorar apoiada no Macaco (líder dos Super Dragões), o mesmo olha para trás e diz:
- Não preocupes companheiro, iremos enterrar-te com uma bandeira do FCP! Eras um Portista como poucos!!!

The end.

PS: peço a moderação para cortar a resposta do P44, por parece-me que ele vai ficar de tal maneira emocionado com este retrato fiel que poderá descontrolar-se... c56x1 :mrgreen:
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: PereiraMarques em Julho 31, 2019, 08:18:25 pm
O jovem conservador de direita não era o dr. procurador/espião da navegação à vista?  :mrgreen:
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: Luso em Julho 31, 2019, 10:38:02 pm
Se fossem todos comidos por um terramoto perdia-se uma grande coisa

Estás a ver isso um bocado distorcido...o terramoto não escolhe credos...ia tudo  a eito... não é algo que se deseje para a generalidade dos residentes e trabalhadores  de lisboa, nas áreas previsiveis de maior impacto sismico...

Já estou a imaginar, o Pzito agarra no telefone e pede à "dona Maria" para trazer-lhe um café, ao qual ela responde com um :

- É para já sô Doutor.

Nisto ela trás-lhe um café, o P44 agradece mas nunca olhando-a (não convém dar confiança à criadagem), começa a beber o café olhando ao fundo o rio. De repente começa a ouvir um som profundo e o gabinete começa a estremecer violentamente, nisto surge ao fundo no rio um onda altíssima, e ele clama:

- Valha-me o Papa (Pinto da Costa), o Dragão, a Nossa Senhora de Fátima e o Sô Doutor Oliveira Salazar!

Passado uns segundos a onda esmaga o edifício, derrubando-o passado uns minutos.

Na imagem seguinte aparece uma senhora vestida de preto e a mesma identifica-o, sai a chorar apoiada no Macaco (líder dos Super Dragões), o mesmo olha para trás e diz:
- Não preocupes companheiro, iremos enterrar-te com uma bandeira do FCP! Eras um Portista como poucos!!!

The end.

PS: peço a moderação para cortar a resposta do P44, por parece-me que ele vai ficar de tal maneira emocionado com este retrato fiel que poderá descontrolar-se... c56x1 :mrgreen:

- Mortal!!!  :mrgreen: :mrgreen: :mrgreen:
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: P44 em Agosto 01, 2019, 10:15:07 am
Se fossem todos comidos por um terramoto perdia-se uma grande coisa

Estás a ver isso um bocado distorcido...o terramoto não escolhe credos...ia tudo  a eito... não é algo que se deseje para a generalidade dos residentes e trabalhadores  de lisboa, nas áreas previsiveis de maior impacto sismico...

Já estou a imaginar, o Pzito agarra no telefone e pede à "dona Maria" para trazer-lhe um café, ao qual ela responde com um :

- É para já sô Doutor.

Nisto ela trás-lhe um café, o P44 agradece mas nunca olhando-a (não convém dar confiança à criadagem), começa a beber o café olhando ao fundo o rio. De repente começa a ouvir um som profundo e o gabinete começa a estremecer violentamente, nisto surge ao fundo no rio um onda altíssima, e ele clama:

- Valha-me o Papa (Pinto da Costa), o Dragão, a Nossa Senhora de Fátima e o Sô Doutor Oliveira Salazar!

Passado uns segundos a onda esmaga o edifício, derrubando-o passado uns minutos.

Na imagem seguinte aparece uma senhora vestida de preto e a mesma identifica-o, sai a chorar apoiada no Macaco (líder dos Super Dragões), o mesmo olha para trás e diz:
- Não preocupes companheiro, iremos enterrar-te com uma bandeira do FCP! Eras um Portista como poucos!!!

The end.

PS: peço a moderação para cortar a resposta do P44, por parece-me que ele vai ficar de tal maneira emocionado com este retrato fiel que poderá descontrolar-se... c56x1 :mrgreen:

Fiquei ku_movido para além do razoável  :-[ :-[

(https://media.giphy.com/media/vbQBut0QeHxrAn0bot/giphy.gif)
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: Cabeça de Martelo em Agosto 01, 2019, 10:28:02 am
Sempre à disposição... c56x1 :mrgreen:
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: PereiraMarques em Agosto 03, 2019, 12:27:50 am
Parto o carolo a rir com estas tretas yuppie para encher chouriços  :N-icon-Axe:

https://www.emgfa.pt/pt/noticias/1413
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: HSMW em Agosto 03, 2019, 01:53:08 am
Estatísticas, números e gráficos...
É disto que aquela gentinha vive...
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: P44 em Agosto 03, 2019, 02:05:02 pm
Estatísticas, números e gráficos...
É disto que aquela gentinha vive...

(https://charagoesquerdo.files.wordpress.com/2007/07/digitalizar0003.jpg)
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: HSMW em Agosto 03, 2019, 03:52:35 pm
http://lerolero.bgnweb.com.br/

Faz-me lembrar o gerador de lero-lero...
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: tenente em Agosto 03, 2019, 06:11:39 pm
Estatísticas, números e gráficos...
É disto que aquela gentinha vive...

(https://charagoesquerdo.files.wordpress.com/2007/07/digitalizar0003.jpg)

Espectáculo, já fiz uma conjugação de frases para apresentação de um trabalho para uma formação na próxima semana.
Depois de botar faladura e não dizer coisa alguma, vou querer ver as caras dos formandos e, claro que vou partir o coco a rir !!!

Abraços
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: Lightning em Agosto 13, 2019, 07:02:20 pm
Grande jogada para parecer que se aumenta o orçamento dos ramos militares.

https://expresso.pt/politica/2019-08-11-Defesa-insufla-orcamento-com-verba-artificial-de-60-milhoes?fbclid=IwAR2KWCl6VutK2MUFejPo2JX_DIFZnHUOZFUNXx2mUYLEsvhxeLmcIrXw_24
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: NVF em Agosto 13, 2019, 09:00:21 pm
Não há pachorra para esta chica-espertice.
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: Lightning em Agosto 20, 2019, 08:55:22 pm
Como os militares contratados ao fim de 6 anos não podem renovar mais. Alguns vão para o sector privado.

https://www.jn.pt/nacional/reportagens/interior/os-portugueses-na-seguranca-armada-de-alto-risco-10972620.html?fbclid=IwAR3GOQJufpehceoBAjB_OaGklyrMTSZCdzW6akfwmFWyCfiW9paZAL4gQ7c
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: Camuflage em Agosto 21, 2019, 08:35:38 pm
Sorte dos que acabam nessas empresas. O grosso passam bastante tempo no desemprego ou vai para vigilante.
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: raphael em Agosto 22, 2019, 04:34:26 pm
Sorte dos que acabam nessas empresas. O grosso passam bastante tempo no desemprego ou vai para vigilante.

É sorte até terem o azar de voltar para casa numa caixa de madeira...para alguns o risco é infinitamente superior.
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: Lightning em Agosto 22, 2019, 09:19:16 pm
O negócio está a crescer.

https://www.google.com/amp/s/observador.pt/2019/08/22/governo-aprova-seguranca-privada-armada-nos-navios-com-bandeira-portuguesa/amp/
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: Camuflage em Agosto 22, 2019, 09:46:33 pm
Sorte dos que acabam nessas empresas. O grosso passam bastante tempo no desemprego ou vai para vigilante.

É sorte até terem o azar de voltar para casa numa caixa de madeira...para alguns o risco é infinitamente superior.

Quem lá vai já sabe o risco que corre, grande parte ganha bem e reforma-se cedo. Nunca teriam outra forma de obter tanto $ em tão pouco tempo. O risco até agora tem compensado.
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: Camuflage em Agosto 22, 2019, 09:49:53 pm
O negócio está a crescer.

https://www.google.com/amp/s/observador.pt/2019/08/22/governo-aprova-seguranca-privada-armada-nos-navios-com-bandeira-portuguesa/amp/

Porque não permitem antes o pagamento de serviços gratificados a fuzileiros, tal como ocorre com a GNR e PSP? Seria uma forma de encaixar $ e investir mais nas FA's.
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: Cabeça de Martelo em Agosto 23, 2019, 11:24:55 am
O negócio está a crescer.

https://www.google.com/amp/s/observador.pt/2019/08/22/governo-aprova-seguranca-privada-armada-nos-navios-com-bandeira-portuguesa/amp/

Uma coisa é fazer umas horas extra, outra coisa é estar meses fora de Portugal. Não seria compatível.
Porque não permitem antes o pagamento de serviços gratificados a fuzileiros, tal como ocorre com a GNR e PSP? Seria uma forma de encaixar $ e investir mais nas FA's.
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: Camuflage em Agosto 23, 2019, 09:07:18 pm
Mas estariam envolvidos em missões em vez de estarem desmotivados por cá e seriam pagas por terceiros que não o Estado. Isso acabaria por atrair mais gente.
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: HSMW em Agosto 23, 2019, 09:25:45 pm
Mais trabalho fora de horas? Isso não falta!
Paguem é o trabalho que já é feito! Paguem como suplemento os serviços de 24h.
As 72 horas consecutivas nos incêndios.
As cerimónias e funerais ao fim de semana.

Se há ajudas de custo para o coronéis irem jogar com o clube de golfe do Exército e para visitas de apoio técnico às ilhas que não são mais que visitas turísticas...
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: Lightning em Agosto 23, 2019, 11:04:41 pm
HSMW mas esse dinheiro teria que vir dos cofres do Estado, o que me parece que o Camuflage quer dizer, é arranjar financiamento externo ao governo, com tudo de bom e mau que possa ter, tal como se vai fazendo com a venda de património, venda de F-16, participar em missões internacionais que são financiadas pelas entidades responsáveis tipo Nações Unidas.
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: Camuflage em Agosto 25, 2019, 03:34:09 pm
Mais trabalho fora de horas? Isso não falta!
Paguem é o trabalho que já é feito! Paguem como suplemento os serviços de 24h.
As 72 horas consecutivas nos incêndios.
As cerimónias e funerais ao fim de semana.

Se há ajudas de custo para o coronéis irem jogar com o clube de golfe do Exército e para visitas de apoio técnico às ilhas que não são mais que visitas turísticas...

Deixem de servir o feudo e sirvam o povo, foi para isso que juraram bandeira.

O que defendo é trabalho = $, Se trabalham devem de obter um salário. Da mesma forma que instituições como a NATO ou ONU requisitam meios militares, poderemos ter armadores a requisitar militares, pagando por hora/dia, tal como ocorre com a PSP quando acompanha jogos de futebol. Não podemos é cair no erro de só pagar em teoria ou daqui a um ano como ocorre na PSP.
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: Clausewitz em Agosto 25, 2019, 10:23:01 pm
Mais trabalho fora de horas? Isso não falta!
Paguem é o trabalho que já é feito! Paguem como suplemento os serviços de 24h.
As 72 horas consecutivas nos incêndios.
As cerimónias e funerais ao fim de semana.

Se há ajudas de custo para o coronéis irem jogar com o clube de golfe do Exército e para visitas de apoio técnico às ilhas que não são mais que visitas turísticas...

Deixem de servir o feudo e sirvam o povo, foi para isso que juraram bandeira.

O que defendo é trabalho = $, Se trabalham devem de obter um salário. Da mesma forma que instituições como a NATO ou ONU requisitam meios militares, poderemos ter armadores a requisitar militares, pagando por hora/dia, tal como ocorre com a PSP quando acompanha jogos de futebol. Não podemos é cair no erro de só pagar em teoria ou daqui a um ano como ocorre na PSP.

Como é óbvio, ter polícias a fazer serviço de segurança num supermercado (o que já de si tem muito que se lhe diga) não tem a mínima comparação com ter militares das Forças Armadas ao serviço de empresas privadas em cenários de conflito no estrangeiro. Inclusive isso podia colocar problemas diplomáticos sérios a Portugal, a acontecer teria que ser em situações muito bem controladas e penso que só ao serviço de empresas portuguesas. Não podemos pensar só no aspecto financeiro das coisas, embora isto seja até uma ofensa no mundo do vale-tudo por lucro rápido em que vivemos.
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: P44 em Agosto 26, 2019, 01:02:05 pm
Defesa Nacional investiga gastos de quase 80 milhões de euros nas viagens dos militares

Revista de Imprensa JE   26 Agosto 2019, 10:22
Auditorias abrangem gastos feitos entre 2015 e 2018. Em causa estão despesas relacionadas com deslocações, dormidas e ajudas de custo no ministério e ramos.

https://jornaleconomico.sapo.pt/noticias/defesa-nacional-investiga-gastos-de-quase-80-milhoes-de-euros-nas-viagens-dos-militares-482296
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: Stalker79 em Agosto 26, 2019, 01:51:15 pm
Defesa Nacional investiga gastos de quase 80 milhões de euros nas viagens dos militares

Revista de Imprensa JE   26 Agosto 2019, 10:22
Auditorias abrangem gastos feitos entre 2015 e 2018. Em causa estão despesas relacionadas com deslocações, dormidas e ajudas de custo no ministério e ramos.

https://jornaleconomico.sapo.pt/noticias/defesa-nacional-investiga-gastos-de-quase-80-milhoes-de-euros-nas-viagens-dos-militares-482296


"Dormidas e ajudas de custo"...  Mas para comprar material que era bom, fod***-te.
 :bang:
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: HSMW em Agosto 26, 2019, 04:30:11 pm
O que é que eu tinha acabado de dizer?!?!?!?!?
Tal e qual!!!
 :N-icon-Axe:
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: Crypter em Agosto 27, 2019, 11:06:45 am
Defesa Nacional investiga gastos de quase 80 milhões de euros nas viagens dos militares

Revista de Imprensa JE   26 Agosto 2019, 10:22
Auditorias abrangem gastos feitos entre 2015 e 2018. Em causa estão despesas relacionadas com deslocações, dormidas e ajudas de custo no ministério e ramos.

https://jornaleconomico.sapo.pt/noticias/defesa-nacional-investiga-gastos-de-quase-80-milhoes-de-euros-nas-viagens-dos-militares-482296

Isto engloba as deslocações das FD? Se sim não vejo que seja um grande disparate de número! O que me assusta é o valor das ajudas de custo que aí sim é onde há mais possibilidade de existirem mão largas.
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: Lightning em Agosto 27, 2019, 11:48:14 am
Governo reforça PCSD com GNR

https://www.acorianooriental.pt/noticia/ue-agradece-a-portugal-disponibilidade-para-reforcar-politica-comum-de-seguranca-e-defesa-302227
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: nelson38899 em Agosto 28, 2019, 12:03:53 pm
Citar
Raytheon Missile Systems has received a long-awaited contract to commence low-rate initial production (LRIP) of the Evolved SeaSparrow (ESSM) Block 2 ship self-defence missile to support a 2020 initial operational capability (IOC) with the US Navy (USN).

Awarded by the Naval Sea Systems Command (NAVSEA) on 26 August, the USD190.5 million contract follows on from a USD97.8 million long lead materials contract placed in March of this year. The new award will procure the remaining materials in support of ESSM Block 2 FY 2019 LRIP Lot 1, Lot 2, and Lot 3 all-up rounds and spares requirements.

The ESSM Block 2 programme is a co-operative effort between the USN and its 11 NATO SeaSparrow Consortium partners (Australia, Belgium, Canada, Denmark, Germany, Greece, Netherlands, Norway, Portugal, Spain, and Turkey) to develop an upgraded ESSM 'front-end' to counter current and future threat capabilities within the existing envelope. These include anti-ship cruise missiles, anti-ship ballistic missiles, and surface threats.
janes.com
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: Lightning em Agosto 30, 2019, 02:03:15 pm
Hospital das Forças Armadas em Lisboa pode sofrer mudanças organizacionais, noticias também sobre Polo do Porto e Centro de Saude de Coimbra.

https://www.dn.pt/edicao-do-dia/30-ago-2019/interior/hospital-das-forcas-armadas-disponivel-para-formar-medicos-para-o-sns-11245792.html?target=conteudo_fechado
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: PereiraMarques em Setembro 03, 2019, 11:15:53 am
Lei Orgânica n.º 3/2019 - Diário da República n.º 168/2019, Série I de 2019-09-03124392054
ASSEMBLEIA DA REPÚBLICA
Lei das infraestruturas militares

https://dre.pt/web/guest/home/-/dre/124392054/details/maximized

Portaria n.º 288/2019 - Diário da República n.º 168/2019, Série I de 2019-09-03124392066
DEFESA NACIONAL, ADMINISTRAÇÃO INTERNA E CIÊNCIA, TECNOLOGIA E ENSINO SUPERIOR
Regula o Regime de Atribuição do Nível 5 de Qualificação - Curso de Formação de Sargentos

https://dre.pt/web/guest/home/-/dre/124392066/details/maximized
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: Lightning em Setembro 08, 2019, 03:00:51 pm
Uma solução para a falta de pessoal parece já estar em andamento para 2020.

https://observador.pt/2019/09/01/timorenses-vao-integrar-contingentes-portugueses-em-missoes-da-onu/

Realmente é curioso e a história tende a repetir-se, ia ser engraçado ver um dia um batalhão CPLP com portugueses, brasileiros, africanos, timorenses, eh eh eh.
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: Lusitaniae em Setembro 08, 2019, 05:41:54 pm
Uma solução para a falta de pessoal parece já estar em andamento para 2020.

https://observador.pt/2019/09/01/timorenses-vao-integrar-contingentes-portugueses-em-missoes-da-onu/

Realmente é curioso e a história tende a repetir-se, ia ser engraçado ver um dia um batalhão CPLP com portugueses, brasileiros, africanos, timorenses, eh eh eh.

Uma boa ideia era vendermos as VdG a Timor e já agora uns NPO também não era nada mau.
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: PereiraMarques em Setembro 08, 2019, 09:03:31 pm
Timor não tem capacidade técnica nem guarnições neste momento para operar UMA fragata lança-mísseis com helicóptero orgânico... Quanto mais 3... ::)
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: PereiraMarques em Setembro 08, 2019, 09:07:25 pm
Uma solução para a falta de pessoal parece já estar em andamento para 2020.

https://observador.pt/2019/09/01/timorenses-vao-integrar-contingentes-portugueses-em-missoes-da-onu/

Realmente é curioso e a história tende a repetir-se, ia ser engraçado ver um dia um batalhão CPLP com portugueses, brasileiros, africanos, timorenses, eh eh eh.

Na última unidade de engenharia projectada para o Líbano no âmbito da missão da ONU já tinha ido um pequeno contingente timorense, de 11 ou 12 elementos.

https://heportugal.wordpress.com/2016/05/10/unidade-de-engenharia-11
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: NVF em Setembro 09, 2019, 03:48:27 am
Uma solução para a falta de pessoal parece já estar em andamento para 2020.

https://observador.pt/2019/09/01/timorenses-vao-integrar-contingentes-portugueses-em-missoes-da-onu/

Realmente é curioso e a história tende a repetir-se, ia ser engraçado ver um dia um batalhão CPLP com portugueses, brasileiros, africanos, timorenses, eh eh eh.

Uma boa ideia era vendermos as VdG a Timor e já agora uns NPO também não era nada mau.

Os únicos países da CPLP com capacidade para operar fragatas tipo VdG são o Brasil e Portugal. Para navios tipo NPO, podes acrescentar Angola e Cabo Verde. O resto é mais Zebros.
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: Lightning em Setembro 10, 2019, 09:33:30 pm
O que os partidos políticos dizem querer para a defesa e segurança nos programas eleitorais. Tem aí uns curiosos, como o PSD querer criar um quadro de Praças no exército e na Força Aérea, criar uma Guarda Costeira.

http://www.operacional.pt/eleicoes-2019-defesa-e-seguranca-nos-programas-eleitorais/
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: NVF em Setembro 11, 2019, 02:09:33 am
Além dessas medidas do PSD (as quais subscrevo a 100%), há uma do PS que faz algum sentido: a integração de estruturas logísticas e de apoio da PSP e GNR, de forma a diminuir redundâncias. O PC vai ainda mais longe ao propor a unificação da PSP com a GNR, medida que subscrevo parcialmente, pois como já aqui defendi muitas vezes, acho que há espaço para a GNR, não como polícia convencional, mas como corpo de reserva constituído por unidades mais musculadas e como polícia militar (substituindo a PE, PA, PN, PEM e PJM).
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: asalves em Setembro 16, 2019, 07:02:55 pm
PSD
 (Já agora o logo vermelho fez-me confusão inicialmente pensei que estava a ler o programa do PS e depois quando apanhei a sigla PSD pelo meio congelou-me o cerebro)
Citar
Reposição progressiva dos efetivos militares para um patamar nunca inferior a 32.000 unidades, que tendo sido aprovado pelo atual governo, não está a ser concretizado.
É bonito e pouco mas não se chega lá com decretos.

Citar
Revisão das remunerações dos militares contratados ou voluntários para valores que as tornem atrativas face a ocupações correspondentes de outras forças de segurança.
Pelo menos igual a GNR e PSP

Citar
Considerar a prestação do serviço militar de, pelo menos pelo período de um ano, como requisito de recrutamento para a GNR e PSP.
Há Contratos de 1 ano nas FA's? é que senão estamos a pedir para que entrem e depois de um ano abandonem todos. Se não houver contratos de 1 ano, é apenas uma medida estupida.

Citar
Criação de uma guarda costeira com base na estrutura da Armada.
Depois nem a Armada tem navios nem a tal guarda Costeira, e a redundância de meios?
Talvez se definissem melhor quem tem autoridade sobre as águas costeiras e fornecessem meios a armada que poderia desempenhar as 2 funções melhor. (Lembro-me que num simulacro de poluição marítima havia 16 entidades "responsáveis" por resolver o problema)

De resto concordo com tudo, e existe coisas que são de senso comum

PS:

Citar
Executar a LPM, com especial enfoque no equipamento de importância estratégica e que se traduza num efeito multiplicador da capacidade operacional, apostando nos programas conjuntos e naqueles passíveis de duplo uso (civil e militar) e na criação de riqueza para a economia nacional;
Aqui já estão a admitir que LPM não vai ser cumprida.

Existe muita palha, em que dizem muito mas depois na pratica não significa nada, de resto concordo e também existe coisas que é do senso comum

BE
Citar
Saída de Portugal da NATO e defesa do desarmamento negociado e com uma base multilateral, rejeitando inequivocamente todos os cenários de aproximação à formação de um exército europeu;
LOL

Citar
Conversão da Base das Lajes num aeroporto plenamente civil, exigindo aos EUA as indemnizações devidas pelos danos ambientais e sociais causados;
LOL

Citar
A aceitação de aumentos  de despesa com a defesa, impostas por Donald Trump e com a qual o governo português se comprometeu junto das instituições europeias e da NATO, choca abertamente com a insuficiência de recursos para políticas de investimento e de qualificação dos serviços públicos.
Está tudo dito sobre o que o BE pensa das FA's

CDS-PP
Citar
9.1.2. Planos de segurança

Aprovaremos um plano de segurança para cada um dos aeroportos internacionais portugueses e para todas as infraestruturas críticas identificadas há muito e sem planos individuais e adequados.

Citar
9.1.3. Formação específica para melhorar a ação

Reforçaremos e alargaremos, a todos os elementos das forças de segurança que desempenhem funções de policiamento de proximidade, a formação específica em deteção, prevenção e combate ao terrorismo
Isto já não acontece ou não devia acontecer? Será isto uma medida eleitoral parece-me demasiado micro-gestão para um partido

Citar
9.5.2. Patrulhamento seletivo e o regresso da Brigada de Trânsito

O patrulhamento seletivo e coordenado, especializado e dirigido, especificamente, para as zonas de acumulação de acidentes revela-se imprescindível. Nestes termos, a correção de um erro histórico, como a extinção da Brigada de Trânsito da GNR, deve ser corrigido e, no quadro de uma ponderação orgânica desta força de segurança que liberte efetivos para as missões funcionais e territoriais que a lei e a sua natureza lhe conferem, deve ser ponderada a sua reposição.
Nunca reparei que tenha havido problemas

De resto concordo contudo, novamente há medidas que são senso comum outras que me parecem mais micro-gestão que devia ser da responsabilidade das entidas e não de um partido político, mas se as entidades não se chegam a frente,...

PCP

Citar
Um novo quadro organizativo das forças e serviços de segurança no âmbito da preparação de uma Lei de Grandes Opções de Segurança Interna, com a criação da policia nacional unificando a PSP e a GNR e com natureza civil, e a extinção do cargo de Secretário-geral do Sistema de Segurança Interna.
Não concordo, a GNR é mais vocacionada para uma coisa e a PSP para outra. Acho é que já há muito que se devia ter substituido a GNR pela PSP em muitas cidades que há 20 anos atrás não passavam de "vilas" e hoje precisam de outro tipo de força de proximidade.

Citar
A rejeição da militarização da União Europeia, da «Política Europeia de Segurança e Defesa» (PESD) e da «Política Externa de Segurança Comum» (PESC), da «Cooperação Estruturada Permanente» (PESCO) de âmbito militar, do denominado «Exército Europeu»; e da utilização dos meios financeiros da União Europeia para o militarismo, a corrida armamentista e o intervencionismo.

Citar
Defesa dos direitos dos povos, dos princípios da Carta das Nações Unidas e do Direito Internacional. Respeito pela soberania dos Estados e pela sua integridade territorial. Não ingerência nos assuntos internos e respeito dos direitos dos povos à autodeterminação, ao desenvolvimento e à gestão soberana dos seus recursos e sectores estratégicos, e a defesa de uma reforma democrática da ONU.

Citar
A dissolução da NATO, com a qual o processo de desvinculação do País das suas estruturas deve estar articulada, no quadro do inalienável direito de Portugal decidir da sua saída, e a defesa do princípio da solução pacífica dos conflitos internacionais, pondo fim e rejeitando a participação militar portuguesa em missões de ingerência e agressão contra outros povos.

Citar
Defesa da redução dos gastos militares, do desarmamento e da proibição e destruição das armas nucleares e de destruição massiva e da limitação do uso de veículos militares não tripulados apenas ao território nacional do Estado que os possui.

Estava a espera de algo diferente do PCP, quase que parecem o BE ou o PAN, mas portanto vamos largar as armas e depois vamos pedir educadamente aos Sr. Ditadores para respeitarem a Carta das Nações Unidas e do Direito Internacional, se estes recusarem o que fazemos? apresentamos um voto de protesto no parlamento?

Na parte militar não consigo concordar com quase nada do PCP, isto porque eles basicamente querem acabar com a componente militar em Portugal.

PAN
Citar
Criar uma escola única de formação para as diferentes forças policiais de segurança interna, com excepção do Exército, Marinha e Força Área
Secalhar e a coisa bem organizada era capaz de funcionar tipo Universidade em que cada formação tinha componentes diferentes e partilhadas

Citar
Investir em centros de apoio à vítima e na criação de salas de atendimento especializado de apoio às vítimas de violência doméstica, abuso sexual e criminalidade violenta grave em rede
O que é uma sala de atendimento especializada? para mim qualquer sala que garanta privacidade à vitima é suficiente não?

Citar
Estudar a possibilidade de agregar todas as forças policiais e serviços de segurança pública numa polícia única, tendente a uma melhor optimização dos meios e recursos existentes
Policias com necessidades diferentes e objectivos diferentes podem ser difíceis de conciliar mas, mas se conseguissem integrar a parte logistica e manutenção já daria para poupar uns cobres.

Estava a espera de pior do PAN.
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: PereiraMarques em Setembro 16, 2019, 07:27:55 pm

Citar
Considerar a prestação do serviço militar de, pelo menos pelo período de um ano, como requisito de recrutamento para a GNR e PSP.
Há Contratos de 1 ano nas FA's? é que senão estamos a pedir para que entrem e depois de um ano abandonem todos. Se não houver contratos de 1 ano, é apenas uma medida estupida.

Citar
Criação de uma guarda costeira com base na estrutura da Armada.
Depois nem a Armada tem navios nem a tal guarda Costeira, e a redundância de meios?
Talvez se definissem melhor quem tem autoridade sobre as águas costeiras e fornecessem meios a armada que poderia desempenhar as 2 funções melhor. (Lembro-me que num simulacro de poluição marítima havia 16 entidades "responsáveis" por resolver o problema)


O RV é de 12 meses.
O ingresso nas Forças de Segurança já atualmente é motivo para rescisão de contrato sem necessidade de pagar indemnização.

Basicamente é chamar outro nome à Direcção Geral da Autoridade Marítima e dar lhe outro enquadramento legal, sanando eventuais questões de legitimidade forças de segurança / forças armadas. Maioria do atual pessoal militar da Armada na DGAM podia ficar em comissão de serviço na tal Guarda Costeira, esta como Força de Segurança e respetivo "chapéu" jurídico-institucional.
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: Lightning em Setembro 16, 2019, 11:33:28 pm
Depois nem a Armada tem navios nem a tal guarda Costeira, e a redundância de meios?
Talvez se definissem melhor quem tem autoridade sobre as águas costeiras e fornecessem meios a armada que poderia desempenhar as 2 funções melhor. (Lembro-me que num simulacro de poluição marítima havia 16 entidades "responsáveis" por resolver o problema)

Essa das "16 entidades" temos que parar para pensar e entender a razão de ser, a nível de "Policiamento" só temos duas, a Policia Marítima e a UCC da GNR, mais nada.

Mas não vamos agora criar uma PJ, SEF, ASAE, etc, etc, etc, qualquer outra entidade com funções especificas, para actuar no ambiente marítimo, ou criar sub-unidades com essas especificidades dentro da PM ou UCC/GNR, estas forças que já existem, já executam essas tarefas em terra no seu dia-a-dia, eu acho bem elas apoiarem dentro da sua especificidade, a Policia Marítima e a UCC da GNR, tal como em terra apoiam a PSP, GNR.

Uma tese de oficial da Marinha sobre o assunto
https://comum.rcaap.pt/bitstream/10400.26/24284/1/TIFC_1TEN%20M%20Marta%20Fernandes%20Araujo.pdf
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: asalves em Setembro 18, 2019, 09:40:06 am
Depois nem a Armada tem navios nem a tal guarda Costeira, e a redundância de meios?
Talvez se definissem melhor quem tem autoridade sobre as águas costeiras e fornecessem meios a armada que poderia desempenhar as 2 funções melhor. (Lembro-me que num simulacro de poluição marítima havia 16 entidades "responsáveis" por resolver o problema)

Essa das "16 entidades" temos que parar para pensar e entender a razão de ser, a nível de "Policiamento" só temos duas, a Policia Marítima e a UCC da GNR, mais nada.

Mas não vamos agora criar uma PJ, SEF, ASAE, etc, etc, etc, qualquer outra entidade com funções especificas, para actuar no ambiente marítimo, ou criar sub-unidades com essas especificidades dentro da PM ou UCC/GNR, estas forças que já existem, já executam essas tarefas em terra no seu dia-a-dia, eu acho bem elas apoiarem dentro da sua especificidade, a Policia Marítima e a UCC da GNR, tal como em terra apoiam a PSP, GNR.

Uma tese de oficial da Marinha sobre o assunto
https://comum.rcaap.pt/bitstream/10400.26/24284/1/TIFC_1TEN%20M%20Marta%20Fernandes%20Araujo.pdf

O problema (pelo que li na altura) é que as competências estão divididas e dependentes umas das outras, em que se chega depois a situações de um empurra de responsabilidades ou torna-se difícil um assumir de responsabilidades pois basta uma entidade falhar para todo um processo falhar. Eu percebo que numa matéria tão grande existe um conjunto alargado de especialidades e que é necessário tantas entidades, mas secalhar devíamos aglomerar mais estas responsabilidades.

PS: hj a tarde se tiver tempo vou dar uma vista de olhos pelo documento, já agora obrigado pelo mesmo
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: Luso em Setembro 18, 2019, 02:01:27 pm
Absolutamente indiferente para o que dizem os programas partidários, já que todos eles se revelam claramente apátridas.
Nem lhes dou tempo de antena porque sem bem ao que andam: nem bem pelos partidos mas pelo Sistema que apenas monta uma fachada para manter apaziguados os animais da quinta.
Aliás, basta tomar o funcionamento da Justiça como indicador para decidir a minha participação na farsa eleitoral que se avizinha.
Por esse motivo anularei o meu voto.

PS: por curiosidade, alguém esclarece este cínico quem financia o Paulo Morais e o que o realmente motivará, já que ele vais sempre a eleições apesar de levar no toutiço em todas elas?
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: asalves em Setembro 18, 2019, 06:00:08 pm
Absolutamente indiferente para o que dizem os programas partidários, já que todos eles se revelam claramente apátridas.
Nem lhes dou tempo de antena porque sem bem ao que andam: nem bem pelos partidos mas pelo Sistema que apenas monta uma fachada para manter apaziguados os animais da quinta.
Aliás, basta tomar o funcionamento da Justiça como indicador para decidir a minha participação na farsa eleitoral que se avizinha.
Por esse motivo anularei o meu voto.

PS: por curiosidade, alguém esclarece este cínico quem financia o Paulo Morais e o que o realmente motivará, já que ele vais sempre a eleições apesar de levar no toutiço em todas elas?

Em vez de votar nulo, vote branco, dá menos trabalho e sempre dão mais importância, principalmente se começar a ter mais votos que um CDS/BE/CDU
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: FoxTroop em Setembro 18, 2019, 06:59:20 pm
Absolutamente indiferente para o que dizem os programas partidários, já que todos eles se revelam claramente apátridas.
Nem lhes dou tempo de antena porque sem bem ao que andam: nem bem pelos partidos mas pelo Sistema que apenas monta uma fachada para manter apaziguados os animais da quinta.
Aliás, basta tomar o funcionamento da Justiça como indicador para decidir a minha participação na farsa eleitoral que se avizinha.
Por esse motivo anularei o meu voto.

PS: por curiosidade, alguém esclarece este cínico quem financia o Paulo Morais e o que o realmente motivará, já que ele vais sempre a eleições apesar de levar no toutiço em todas elas?

Em vez de votar nulo, vote branco, dá menos trabalho e sempre dão mais importância, principalmente se começar a ter mais votos que um CDS/BE/CDU

Duvido que haja alguma diferença significativa embora confesse que me escapa. Se os votos em branco significassem lugares vazios no parlamento na respectiva percentagem, aí sim acredito que as coisas começavam a mudar de forma drástica.
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: asalves em Setembro 19, 2019, 10:19:07 am
Absolutamente indiferente para o que dizem os programas partidários, já que todos eles se revelam claramente apátridas.
Nem lhes dou tempo de antena porque sem bem ao que andam: nem bem pelos partidos mas pelo Sistema que apenas monta uma fachada para manter apaziguados os animais da quinta.
Aliás, basta tomar o funcionamento da Justiça como indicador para decidir a minha participação na farsa eleitoral que se avizinha.
Por esse motivo anularei o meu voto.

PS: por curiosidade, alguém esclarece este cínico quem financia o Paulo Morais e o que o realmente motivará, já que ele vais sempre a eleições apesar de levar no toutiço em todas elas?

Em vez de votar nulo, vote branco, dá menos trabalho e sempre dão mais importância, principalmente se começar a ter mais votos que um CDS/BE/CDU

Duvido que haja alguma diferença significativa embora confesse que me escapa. Se os votos em branco significassem lugares vazios no parlamento na respectiva percentagem, aí sim acredito que as coisas começavam a mudar de forma drástica.

Existe nas desculpas, na abstenção todos o comentadores desculpam-se com a "irresponsabilidade" civil dos Portugueses, ou que as listas tem pessoas já mortas,... Nos votos nulos os poucos que falam é porque a pessoa enganou-se na "X", no caso do voto nulo não há grande desculpa a dar, basicamente o cidadão foi lá votar, deu-se ao trabalho e está a dizer inequivocamente que não há nenhum partido que lhe interesse.

Agora imagine que a percentagem dos votos brancos começam a ter peso para eleger 1 ou 2 deputados nos grandes círculos eleitorais. Os partidos vão começar a querer ir buscar estes votos.
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: Luso em Setembro 19, 2019, 11:15:54 am
Absolutamente indiferente para o que dizem os programas partidários, já que todos eles se revelam claramente apátridas.
Nem lhes dou tempo de antena porque sem bem ao que andam: nem bem pelos partidos mas pelo Sistema que apenas monta uma fachada para manter apaziguados os animais da quinta.
Aliás, basta tomar o funcionamento da Justiça como indicador para decidir a minha participação na farsa eleitoral que se avizinha.
Por esse motivo anularei o meu voto.

PS: por curiosidade, alguém esclarece este cínico quem financia o Paulo Morais e o que o realmente motivará, já que ele vais sempre a eleições apesar de levar no toutiço em todas elas?

Em vez de votar nulo, vote branco, dá menos trabalho e sempre dão mais importância, principalmente se começar a ter mais votos que um CDS/BE/CDU

Duvido que haja alguma diferença significativa embora confesse que me escapa. Se os votos em branco significassem lugares vazios no parlamento na respectiva percentagem, aí sim acredito que as coisas começavam a mudar de forma drástica.

Existe nas desculpas, na abstenção todos o comentadores desculpam-se com a "irresponsabilidade" civil dos Portugueses, ou que as listas tem pessoas já mortas,... Nos votos nulos os poucos que falam é porque a pessoa enganou-se na "X", no caso do voto nulo não há grande desculpa a dar, basicamente o cidadão foi lá votar, deu-se ao trabalho e está a dizer inequivocamente que não há nenhum partido que lhe interesse.

Agora imagine que a percentagem dos votos brancos começam a ter peso para eleger 1 ou 2 deputados nos grandes círculos eleitorais. Os partidos vão começar a querer ir buscar estes votos.

É muito fácil "votar em diferido e sem procuração" com um voto em branco.
Se as coisas tomarem outras proporções, fazer panelinhas interpartidárias será mais atractivo, nem que seja para fazer com que os votos contem para € para cada partido.
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: asalves em Setembro 20, 2019, 09:34:38 am
Absolutamente indiferente para o que dizem os programas partidários, já que todos eles se revelam claramente apátridas.
Nem lhes dou tempo de antena porque sem bem ao que andam: nem bem pelos partidos mas pelo Sistema que apenas monta uma fachada para manter apaziguados os animais da quinta.
Aliás, basta tomar o funcionamento da Justiça como indicador para decidir a minha participação na farsa eleitoral que se avizinha.
Por esse motivo anularei o meu voto.

PS: por curiosidade, alguém esclarece este cínico quem financia o Paulo Morais e o que o realmente motivará, já que ele vais sempre a eleições apesar de levar no toutiço em todas elas?

Em vez de votar nulo, vote branco, dá menos trabalho e sempre dão mais importância, principalmente se começar a ter mais votos que um CDS/BE/CDU

Duvido que haja alguma diferença significativa embora confesse que me escapa. Se os votos em branco significassem lugares vazios no parlamento na respectiva percentagem, aí sim acredito que as coisas começavam a mudar de forma drástica.

Existe nas desculpas, na abstenção todos o comentadores desculpam-se com a "irresponsabilidade" civil dos Portugueses, ou que as listas tem pessoas já mortas,... Nos votos nulos os poucos que falam é porque a pessoa enganou-se na "X", no caso do voto nulo não há grande desculpa a dar, basicamente o cidadão foi lá votar, deu-se ao trabalho e está a dizer inequivocamente que não há nenhum partido que lhe interesse.

Agora imagine que a percentagem dos votos brancos começam a ter peso para eleger 1 ou 2 deputados nos grandes círculos eleitorais. Os partidos vão começar a querer ir buscar estes votos.

É muito fácil "votar em diferido e sem procuração" com um voto em branco.
Se as coisas tomarem outras proporções, fazer panelinhas interpartidárias será mais atractivo, nem que seja para fazer com que os votos contem para € para cada partido.

Desculpe mas não percebi, é de manha e a cabeça ainda não funciona.

Explique lá melhor ou faça-me um desenho  :D :-P
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: Luso em Setembro 20, 2019, 02:19:17 pm

Desculpe mas não percebi, é de manha e a cabeça ainda não funciona.

Explique lá melhor ou faça-me um desenho  :D :-P

Basta fazer uma cruzinha para um boletim em branco se transformar num voto.
A gestão desta "matéria prima" eleitoral fica a depender muito da mesa de voto e de tudo o que circula à volta dela, sobretudo a nível local.
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: asalves em Setembro 20, 2019, 04:24:35 pm

Desculpe mas não percebi, é de manha e a cabeça ainda não funciona.

Explique lá melhor ou faça-me um desenho  :D :-P

Basta fazer uma cruzinha para um boletim em branco se transformar num voto.
A gestão desta "matéria prima" eleitoral fica a depender muito da mesa de voto e de tudo o que circula à volta dela, sobretudo a nível local.

 Não sei  ??? Nunca participei em qualquer em qualquer atividade relacionada com eleições nacionais. Em eleições de associações já vi muita coisa, mas ao nível nacional nunca fiquei a saber de nada, e de facto é fácil transformar um voto branco num voto qualquer, não sei como é feita a contagem na teoria e nem na prática, principalmente em meios pequenos para o interior onde se não houver pessoas externas seria fácil aldrabar resultados.

Obrigado pelo o alerta nunca me tinha lembrado disso.
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: asalves em Setembro 20, 2019, 04:37:52 pm

Desculpe mas não percebi, é de manha e a cabeça ainda não funciona.

Explique lá melhor ou faça-me um desenho  :D :-P

Basta fazer uma cruzinha para um boletim em branco se transformar num voto.
A gestão desta "matéria prima" eleitoral fica a depender muito da mesa de voto e de tudo o que circula à volta dela, sobretudo a nível local.

 Não sei  ??? Nunca participei em qualquer em qualquer atividade relacionada com eleições nacionais. Em eleições de associações já vi muita coisa, mas ao nível nacional nunca fiquei a saber de nada, e de facto é fácil transformar um voto branco num voto qualquer, não sei como é feita a contagem na teoria e nem na prática, principalmente em meios pequenos para o interior onde se não houver pessoas externas seria fácil aldrabar resultados.

Obrigado pelo o alerta nunca me tinha lembrado disso.

Fiquei curioso e fui pesquisar:
Citar
Quais são as operações do apuramento parcial (local)?

-Contar os boletins que não foram utilizados (sobras) e os inutilizados pelos eleitores e encerrá-los no envelope próprio;
- Contar o número de votantes pelas descargas efetuadas nos cadernos de recenseamento;
- Assegurar que nenhum dos membros da mesa que vão manipular os boletins de voto seja portador de material de escrita;
- Abrir a urna, a fim de conferir o número de boletins de voto entrados e, no fim da contagem, voltar a introduzi-los nela;
- Publicitar de imediato o número de boletins de voto contados, através de edital afixado à porta da assembleia de voto;
- Proceder sucessivamente à contagem dos votos (um dos escrutinadores desdobra os boletins, um a um, e anuncia em voz alta a denominação da lista votada; o outro escrutinador regista os votos atribuídos a cada lista, os votos em branco e os votos nulos; simultaneamente, os boletins de voto são examinados e exibidos pelo presidente, que, com a ajuda de um dos vogais, os agrupa em lotes separados, correspondentes a cada uma das listas votadas, aos votos em branco e aos votos nulos);
- O presidente procede à contraprova da contagem, pela contagem dos boletins de cada um dos lotes separados;
- Decidir qualquer reclamação ou protesto;
- Elaborar a ata.

Durante estas operações os delegados têm o direito de:
- Examinar os lotes dos boletins separados, bem como os correspondentes registos, sem alterar a sua composição;
- Solicitar esclarecimentos ou apresentar reclamações ou protestos relativos à contagem ou à qualificação dada ao voto; 
- Obter certidões das operações de apuramento.

Quanto à recolha e contagem de votos dos residentes no estrangeiro, a cargo das assembleias que reúnem no 10.º dia posterior ao da eleição, as operações iniciais são as seguintes:
- Com base nos envelopes brancos é feita descarga do voto rubricando os cadernos eleitorais na coluna a isso destinada e na linha correspondente ao eleitor;
- Contar o número de votantes pelas descargas efetuadas nos cadernos eleitorais;
- Contar os envelopes brancos, que serão imediatamente destruídos;
- Abrir os envelopes verdes, a fim de conferir o número de boletins de votos recolhidos.
Em seguida repetem-se as operações acima indicadas, a partir do momento da afixação do edital com o número  de boletins de voto.

Citar
Quem pode assistir aos trabalhos do apuramento parcial (local)?

Embora assistam aos delegados das candidaturas, aos mandatários e aos candidatos especiais direitos neste âmbito, como o de apresentar reclamações, protestos e contraprotestos, é admissível a presença de eleitores, cabendo à mesa da assembleia de voto disciplinar os trabalhos em termos de não haver qualquer perturbação das operações.

Achei interessante que não é permitido canetas na sala de contagem de votos, para além que podem estar presentes representantes de todas as listas candidatas (o que trás mais confiança ao sistema), e o mais interessante é que cada cidadão pode pedir para assistir a contagem de votos. O que em caso de desconfiança pode ser ir lá averiguar.

O que tenho duvidas que aconteça (mas isto foi porque nunca participei em nada semelhante) é isto:
Citar
Proceder sucessivamente à contagem dos votos (um dos escrutinadores desdobra os boletins, um a um, e anuncia em voz alta a denominação da lista votada; o outro escrutinador regista os votos atribuídos a cada lista,
Será que num circulo grande há tempo e paciência para anunciar 1 a 1?


Curiosidade:
Citar
Qual a composição da assembleia de apuramento geral?

A assembleia de apuramento geral é constituída por:
a) Juiz presidente do tribunal da comarca com sede na capital do círculo eleitoral ou, na sua impossibilidade ou se for mais conveniente, magistrado judicial de secção da instância central da comarca, em quem ele delegue;
b) Dois juristas;
c) Dois professores de matemática;
d) Seis presidentes de assembleia ou secção de voto;
e) Um secretário de justiça do núcleo da sede do tribunal da comarca, que servirá de secretário, sem voto.

Achei interessante a parte de haver 2 professores de matemática, provavelmente ainda é restos do analfabetismo que havia antigamente (que secalhar em certas zonas ainda existe)
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: PereiraMarques em Setembro 20, 2019, 09:18:47 pm

Achei interessante a parte de haver 2 professores de matemática, provavelmente ainda é restos do analfabetismo que havia antigamente (que secalhar em certas zonas ainda existe)

Posso ser mauzinho?  :mrgreen: "secalhar"?  :-P... É se calhar, duas palavras separadas.
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: Lightning em Outubro 29, 2019, 08:09:21 pm
O EMGFA mudou a cara ao site, mais informação, etc.

https://www.emgfa.pt/
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: P44 em Novembro 21, 2019, 08:31:16 am
https://mobile.twitter.com/defesa_pt/status/1197428571091931136

"Centro para a Defesa do Atlântico"

Deve ser o Atlântico que vai ser defendido pelos NPOs desarmados e pelas fragatas com mastros ocos
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: PereiraMarques em Novembro 21, 2019, 10:23:30 am
Para onde irá o "aumento das despesas na Defesa" "prometido" à NATO...Os imóveis afectos à Defesa Nacional vão cada vez  mais pagar rendas mais elevadas...ao próprio Estado!

https://dre.pt/web/guest/home/-/dre/126365739/details/maximized

Citar
4 - Aos imóveis afetos à prossecução das atividades operacionais das Forças Armadas é aplicável mensalmente o seguinte valor unitário por m2 de área relevante, de forma gradual, nos termos seguintes:

a) Durante o ano de 2019:

i) Concelho de Lisboa: 2,10 (euro)/m2;

ii) Concelho do Porto: 1,50 (euro)/m2;

iii) Restante território: 1,20 (euro)/m2;

b) Durante o ano de 2020:

i) Concelho de Lisboa: 4,20 (euro)/m2;

ii) Concelho do Porto: 3,00 (euro)/m2;

iii) Restante território: 2,40 (euro)/m2;

c) A partir de 2021:

i) Concelho de Lisboa: 7.00 (euro)/m2;

ii) Concelho do Porto: 5,00 (euro)/m2;

iii) Restante território: 4,00 (euro)/m2.»
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: dc em Novembro 21, 2019, 01:56:03 pm
https://mobile.twitter.com/defesa_pt/status/1197428571091931136

"Centro para a Defesa do Atlântico"

Deve ser o Atlântico que vai ser defendido pelos NPOs desarmados e pelas fragatas com mastros ocos

O tuga é pioneiro, garante a soberania através de peace & love.

Para onde irá o "aumento das despesas na Defesa" "prometido" à NATO...Os imóveis afectos à Defesa Nacional vão cada vez  mais pagar rendas mais elevadas...ao próprio Estado!

https://dre.pt/web/guest/home/-/dre/126365739/details/maximized

Citar
4 - Aos imóveis afetos à prossecução das atividades operacionais das Forças Armadas é aplicável mensalmente o seguinte valor unitário por m2 de área relevante, de forma gradual, nos termos seguintes:

a) Durante o ano de 2019:

i) Concelho de Lisboa: 2,10 (euro)/m2;

ii) Concelho do Porto: 1,50 (euro)/m2;

iii) Restante território: 1,20 (euro)/m2;

b) Durante o ano de 2020:

i) Concelho de Lisboa: 4,20 (euro)/m2;

ii) Concelho do Porto: 3,00 (euro)/m2;

iii) Restante território: 2,40 (euro)/m2;

c) A partir de 2021:

i) Concelho de Lisboa: 7.00 (euro)/m2;

ii) Concelho do Porto: 5,00 (euro)/m2;

iii) Restante território: 4,00 (euro)/m2.»

É caso para perguntar:

1- a que se deve este aumento, já por si só absurdo de 2019 para 2020, e ainda mais ridículo para 2021?
2- que vantagens há de cobrar a entidades do Estado (ainda por cima associadas à defesa desse mesmo Estado) rendas pelo uso do espaço físico? (Tirando claro a parte em que deve ser contabilizado como parte da LPM, atirando areia para os olhos dos demais de que se gasta x com a defesa mas uma grande percentagem é com retorno directo)
3- isto inclui bases aéreas, estações de radar, quartéis, aeródromos de manobra, etc, ou só edifícios específicos como o Estado Maior?
4- isto é prática em mais algum país da NATO? Ou é só mais um pioneirismo do tuga?  ???
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: PereiraMarques em Novembro 21, 2019, 09:38:47 pm
LPM é só para equipamentos... Pode é ter impacto no orçamento afecto à LIM-Lei de Infraestruturas Militares.

É um mero artifício contabilístico que permite aumentar o orçamento consignado à Defesa, sendo que depois esse dinheiro regressa novamente ao Estado.

"Imóveis afetos à prossecução das atividades operacionais" parece me que inclui tudo.

As "paneleirices" do "duplo uso" também terão cada vez esse efeito... A Marinha pouco mais é do que uma Guarda Costeira com 2 submarinos e alguns Fuzileiros. A Força Aérea deverá ter um grande aumento de orçamento, para depois ir pagar aos privados dos meios aéreos de combate aos incêndios. O Exército, por enquanto, entra pouco nisso... até ver!
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: dc em Novembro 21, 2019, 11:23:33 pm
Se incluir tudo, eu até tenho medo de fazer as contas aos metros quadrados de uma base aérea e ver quanto se paga por mês e por ano. Se uns meros 1000m2 em Lisboa ficam a uns 84000 euros por ano...

Só de pensar que esse dinheiro podia ser investido a sério em infraestruturas, desde a criação de uma pequena base naval nos Açores e na Madeira, melhor aproveitamento do espaço na Base Aérea de Beja.
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: Cabeça de Martelo em Novembro 22, 2019, 11:13:40 am
A questão é que tudo isto foi pensado para que o dinheiro ficasse onde o governo quer e não ser gasto em coisas supérfluas e sem grande interesse como são as Forças Armadas Portuguesas. Eles Inventam umas petas, o dinheiro faz parte do orçamento de estado do MDN e logo de seguida retorna ao Ministério das Finanças e voilá, o Trump fica contente porque estamos a "investir" na defesa e o governo também fica contente porque não gasta realmente com o dito sector.
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: PereiraMarques em Novembro 22, 2019, 07:44:43 pm
"Brincadeira" pode ficar em 60 milhões de €.

https://www.publico.pt/2019/11/22/politica/noticia/rendas-forcas-armadas-nao-poderao-ultrapassar-60-milhoes-2019-1894674
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: Stalker79 em Novembro 27, 2019, 07:06:39 pm
Desculpem lá a intrusão mas não estou a perçeber. Então as FA tem de pagar rendas por imoveis que são deles!?
Fo**-se lá a brincadeira!
 >:(
Título: Re: REFORMAR E MODERNIZAR AS FORÇAS ARMADAS
Enviado por: tenente em Novembro 27, 2019, 09:21:27 pm