Notícias do Exército Brasileiro

  • 1329 Respostas
  • 395766 Visualizações
*

Vitor Santos

  • Moderador Global
  • *****
  • 5793
  • Recebeu: 627 vez(es)
  • Enviou: 396 vez(es)
  • +5588/-4516
Re: Notícias do Exército Brasileiro
« Responder #1320 em: Junho 29, 2021, 02:38:05 am »
29º GAC AP recebe obuseiros M 109 A5 155mm


Citar
Cruz Alta (RS) – No dia 22 de junho, o 29° Grupo de Artilharia de Campanha Autopropulsado (29º GAC AP), “Grupo Humaitá”, recebeu as primeiras peças da VBC OAP (Viatura Blindada de Combate Obuseiro Autopropulsada) M109 A5 155mm, para compor as Linhas de Fogo do Grupo.

Os novos blindados recebidos estão inseridos no contexto do Programa de “Obtenção da Capacidade Operacional Plena do Exército Brasileiro – OCOP”, dentro do Subprograma Sistema de Artilharia de Campanha. A chegada destas primeiras 4 Peças M109 modelo A5 representa um avanço enorme na Artilharia brasileira, bem como, no 29° GAC AP.

Foi um dia histórico para o Grupo Humaitá e para a cidade de Cruz Alta, quando o primeiro lote dos M109 A5, referente à 1ª Bateria de Obuses, que após serem revitalizadas no Parque Regional de Manutenção/5 e percorrerem uma grande distância desde a cidade de Curitiba, adentraram aos muros do Forte Humaitá.

No início do segundo semestre, está prevista a chegada do segundo lote que virá do Parque Regional de Manutenção da 3ª Região Militar, sediado em Santa Maria-RS, para mobiliar a 2ª Bateria de Obuses. Ampliando o poder de combate da Força Terrestre, o novo blindado, de origem americana, tem um alcance próximo de 30 km com munição especial, superior ao antigo carro M109 modelo A3, que conseguia atingir um alvo a 18 km.

Com a chegada do Blindado M109 A5, o 29° GAC AP, que agora é considerado uma Unidade de Emprego Estratégico, moderniza suas Linhas de Fogo, proporcionando uma evolução no que se refere à rapidez, precisão e alcance, estando sempre pronto para cumprir suas missões com eficácia e eficiência.

O novo carro de combate, acrescido de um futuro kit de modernização, reduzirá em mais de 80% o tempo entre o recebimento da missão e o disparo em relação ao modelo anterior. Dessa maneira, o 29° Grupo de Artilharia de Campanha Autopropulsado deu um grande passo para a sua modernização.

A cerimônia de recebimento do M109 A5 contou com a presença do Sr Gen Bda Moises da Paixão Júnior, Comandante da AD/3, da Sra Paula Rubin Facco Librelotto, Prefeita de Cruz Alta e do Sr Ten Cel Rafael Canes, Comandante do Grupo Humaitá. Todas as medidas de prevenção ao COVID-19 foram observadas durante a atividade a fim de se preservar a higidez da tropa.

 :arrow:  http://www.3de.eb.mil.br/index.php/component/content/article?id=2591&


 

*

Vitor Santos

  • Moderador Global
  • *****
  • 5793
  • Recebeu: 627 vez(es)
  • Enviou: 396 vez(es)
  • +5588/-4516
Re: Notícias do Exército Brasileiro
« Responder #1321 em: Junho 29, 2021, 02:43:59 am »
Operação PANAMAX 2020/2021


Citar
A Operação PANAMAX é um exercício conjunto-combinado de defesa do Canal do Panamá, realizado pelo Comando Sul (SOUTHCOM), sob a coordenação do Exército Sul (ARMY SOUTH) dos Estados Unidos da América. A atividade tem como foco a segurança do Canal do Panamá, envolvendo operações conjuntas, combinadas e interagências, realizadas sob uma Resolução do Conselho de Segurança da Organização das Nações Unidas (UNSCR, sigla em inglês), a fim de atingir uma resposta integrada para uma variedade de ameaças transnacionais.

As operações simuladas giram em torno da proteção de um país fictício, Nova Centrália, localizado na América Central, entre a Costa Rica e o Panamá. O exercício foi concebido para realizar o planejamento do emprego da Força Multinacional Sul na proteção da região e, em particular, do Canal do Panamá, em um ambiente de complexas operações combinadas de amplo espectro, necessárias para conter a ação de grupos terroristas que causam instabilidade e que ameaçam a paz e a manutenção do livre comércio.

Durante as reuniões e os briefings realizados por ocasião do exercício, foram utilizados três idiomas: português, inglês e espanhol.  Tudo foi realizado com o apoio de uma equipe de intérpretes, ficando evidenciada a qualidade da preparação, do planejamento e do trabalho integrado do Componente Terrestre da Força Multinacional, bem como o alto grau de especialização e profissionalismo dos oficiais que participaram da operação. Cabe destacar o trabalho de organização e de seleção do pessoal, realizado pelo Comando de Operações Terrestres (COTER).

Além dos objetivos militares intrínsecos, também cabe ressaltar o desenvolvimento da interoperabilidade, o conhecimento mútuo entre os oficiais, bem como a manutenção dos laços de cooperação e amizade entre as Forças Armadas dos 16 países participantes: Argentina, Belize, Brasil, Chile, Colômbia, Costa Rica, El Salvador, Equador, Estados Unidos, Guatemala, Honduras, Jamaica, Panamá, Peru, Paraguai e República Dominicana.

A primeira fase da Operação PANAMAX ocorreu em 2020, ocasião em que três militares do Exército Brasileiro realizaram o planejamento, no mais alto escalão, das operações a serem realizadas pela Força Multinacional Sul em um momento de escalada de crise (PIC MNFS – Plain in Crisis Multinational Force South), em San Antonio – Texas, EUA, entre 26 e 30 de outubro de 2020. A Força Multinacional Sul é composta por tropas das forças componentes naval, terrestre, aérea e de forças especiais dos países participantes.

Na segunda fase, que ocorreu no período de 11 a 18 de junho de 2021, na cidade de MiamiFlórida, EUA, foi realizado o planejamento para o emprego em operações no nível tático. A Força Terrestre Componente (Combined Forces Land Component Command-CFLCC) contou com a participação de treze oficiais do Exército Brasileiro, oriundos de diferentes organizações militares e de diferentes Comandos Militares de Área.

A preparação dos militares para essa fase começou no Brasil, tendo sido realizadas três videoconferências, nas quais o Comandante da Forca Terrestre Componente (CFLCC, sigla em inglês), General de Brigada Julio Cesar Palú Baltieri, orientou a preparação e os planejamentos iniciais para a missão. Após a chegada a Miami, foram incorporados ao estado-maior brasileiro sete oficiais peruanos, três colombianos, dois equatorianos, seis norte-americanos, um argentino, um paraguaio e um panamenho.

Segundo o General Baltieri, a Operação PANAMAX 2021 foi uma excelente oportunidade para fortalecer os laços de amizade que unem as nações participantes, para aprofundar, atualizar e integrar conhecimentos doutrinários e para praticar o trabalho de estado-maior em um ambiente multinacional. O Comandante da CFLCC acredita que as duas percepções mais importantes desse tipo de treinamento foram: “termos a oportunidade de compreender as nossas semelhanças e diferenças em relação às doutrinas, possibilidades e limitações dos diversos países integrantes da Força Multinacional e a relevância do estabelecimento de relações interpessoais, como elemento facilitador na condução dos trabalhos em conjunto, nesse tipo de atividade”.

A execução da Operação PANAMAX seguiu rígidos protocolos de prevenção à pandemia da covid-19 e contou com a participação de mais de 160 militares e civis em sua preparação, condução e nos planejamentos de emprego operacional da Força Multinacional Sul. Cabe destacar que trata-se do maior exercício multinacional conduzido pelo SOUTHCOM desde 2003.

 :arrow:  https://www.forte.jor.br/2021/06/26/operacao-panamax-2020-2021/


 

*

Vitor Santos

  • Moderador Global
  • *****
  • 5793
  • Recebeu: 627 vez(es)
  • Enviou: 396 vez(es)
  • +5588/-4516
Re: Notícias do Exército Brasileiro
« Responder #1322 em: Julho 06, 2021, 06:00:00 pm »
Exército recebe Viatura Blindada Multitarefa Leve Sobre Rodas 4x4


Citar
Rio de Janeiro (RJ) – O Centro de Avaliações do Exército (CAEx), “Campo de Provas da Marambaia / 1948" recebeu da Diretoria de Fabricação (DF), no dia 30 de junho, a primeira unidade da Viatura Blindada Multitarefa Leve Sobre Rodas 4x4 (VBMT-LSR 4x4), adquirida pelo Exército Brasileiro, no âmbito do Programa Guarani - nova família de blindados sobre rodas.

O material de emprego militar (MEM) será avaliado pelo CAEx em diversos testes que perfazerão mais de 30.000 quilômetros percorridos, como uma das etapas do contrato de aquisição celebrado pela DF, para o recebimento das demais unidades adquiridas.

Todo o planejamento da avaliação foi elaborado em coordenação entre a DF, o CAEx e a empresa fabricante, com o objetivo de otimizar os prazos e os custos da avaliação, a fim de permitir que a viatura seja distribuída à tropa no mais curto tempo e após rigorosos testes.

No mês de julho, será iniciada a capacitação do pessoal que irá operar a viatura durante os ensaios, a fim de proporcionar maior eficiência às atividades desenvolvidas no Centro, antes do emprego do material pelo Exército Brasileiro.

Fonte: CAEx




 

*

Vitor Santos

  • Moderador Global
  • *****
  • 5793
  • Recebeu: 627 vez(es)
  • Enviou: 396 vez(es)
  • +5588/-4516
Re: Notícias do Exército Brasileiro
« Responder #1323 em: Julho 06, 2021, 06:03:31 pm »
Anunciada exportação do Guarani para Gana


Citar
A israelense Elbit Systens anunciou que, na semana passada, assinou um contrato para um fornecimento inicial de 11 viaturas blindadas transporte de pessoal (VBTP) 6×6 Guarani com o Governo da República do Gana, localizada na África ocidental. Esta foi mais uma venda do tipo governo a governo, similar a feita com as Filipinas.

Estas viaturas serão fabricadas pela Iveco Defence Vehicles, em sua unidade de Sete Lagoas (MG), e serão equipadas com sistemas de armas remotamente controladas (SARC), similar ao REMAX, que serão fabricadas pela Ares Aeroespacial e Defesa.

 :arrow:  https://tecnodefesa.com.br/anunciada-exportacao-do-guarani-para-gana/
 

*

Vitor Santos

  • Moderador Global
  • *****
  • 5793
  • Recebeu: 627 vez(es)
  • Enviou: 396 vez(es)
  • +5588/-4516
Re: Notícias do Exército Brasileiro
« Responder #1324 em: Julho 10, 2021, 08:49:11 pm »
EME Aprova a Diretriz de Iniciação do Projeto Viatura Blindada de Combate Obuseiro Autopropulsado 155 mm sobre rodas


O CHEFE DO ESTADO-MAIOR DO EXÉRCITO, no uso das atribuições que lhe conferem os incisos III e VII do art. 3º e os incisos II e XI do art. 4º do Regulamento do Estado-Maior do Exército (EB10-R-01.007), aprovado pela Portaria do Comandante do Exército nº 1.053, de 11 de julho de 2018, e de acordo com o que estabelece o inciso III do art. 12 e o art.44 das Instruções Gerais para as Publicações Padronizadas do Exército (EB10-IG-01.002), aprovadas pela Portaria do Comandante do Exército nº 770, de 7 de dezembro de 2011, com o art.44 das Normas para Elaboração, Gerenciamento e Acompanhamento de Projetos no Exército Brasileiro – NEGAPEB (EB20-N-08.001), 2ª Edição, 2013, aprovadas pela Portaria do Comandante do Exército nº 176, de 29 de agosto de 2013, e com o parágrafo 2º do art. 21 das Normas para Elaboração, Gerenciamento e Acompanhamento do Portólio e dos Programas Estratégicos do Exército Brasileiro (EB10-N-01.004), 1ª Edição, aprovadas pela Portaria do Comandante do Exército nº 054, de 30 de janeiro de 2017, resolve:

Art. 1º Fica aprovada a Diretriz de Iniciação do Projeto Viatura Blindada de Combate Obuseiro Autopropulsado 155 mm Sobre Rodas (Pjt VBCOAP 155 mm SR) (EB20-D-04.005), que será integrante do Programa Estratégico GUARANI, com apoio do Subprograma Estratégico Sistema de Artilharia de Campanha (SPrg EE SAC) do Programa Estratégico Obtenção da Capacidade Operacional Plena.

Art. 2º Fica criada a equipe para a elaboração de Estudo de Viabilidade (EV) para o PjtVBCOAP 155 mm SR, composta pelos seguintes militares:
I – Coordenador: General de Brigada MARCELO GURGEL DO AMARAL SILVA, Comandante de Artilharia do Exército e Gerente do SPrg EE SAC;
II – Membros Titulares:
a) Cel ANDRÉ LUIZ ÍSOLA, do Comando de Operações Terrestres (COTER);
b) Maj MARCUS VINICIUS DE PAIVA RODRIGUES, do Departamento de Engenharia e Construção (DEC);
c) Major REUEL LOPES DE PAULA, do Departamento de Ciência e Tecnologia (DCT);
d) Maj RAFAEL SILVA RUIZ, do Comando Militar do Planalto (CMP);
e) TC JOSELITO RODRIGUES DA SILVA, do Comando de Comunicações e Guerra Eletrônica do Exército (Cmdo Com GE Ex);
f) Maj HALLEY DA SILVA MÁXIMO, da Diretoria de Sistemas e Materiais de Emprego Militar (DSMEM); e
g) Maj DANIEL GALRÃO DE FRANÇA BLASKIEVICZ, do Centro Tecnológico do Exército (CTEx).
III – Coordenador Substituto: Cel EMERSON GARCIA CAVALEIRO, Chefe do Estado-Maior do Comando de Artilharia do Exército; e
IV – Membros Substitutos: conforme demanda proposta pelo Coordenador do Estudo de Viabilidade.

Art. 3º As reuniões deverão ser realizadas conforme o prescrito no Decreto nº 9.759, de 11 de abril de 2019.
Art. 4º A coordenação da equipe estabelecerá o cronograma de atividades e o regime de trabalho da Equipe.

Art. 5º O Estudo de Viabilidade deverá ser elaborado conforme a Diretriz de Iniciação do Projeto e o Anexo “D” das Normas para Elaboração, Gerenciamento e Acompanhamento de Projetos no Exército Brasileiro (NEGAPEB) – 2ª Edição 2013.

Art. 6º Sempre que houver necessidade de substituição, os novos participantes da equipe de Estudo de Viabilidade deverão ser indicados pelos respectivos chefes, comandantes ou diretores e seus nomes informados ao EME.

Art. 7º Os representantes designados para compor a equipe trabalharão de forma acumulativa com as funções que desempenham em seus respectivos cargos. A participação dos membros da Equipe nas reuniões será considerada prestação de serviço público relevante, não remunerada.

Art. 8º As reuniões da equipe não exigirão quórum para seu funcionamento ou votação.

Art. 9º A equipe deverá elaborar o Estudo de Viabilidade e, se for o caso, propor atualizações nas documentações que possuam correlação com o tema.

Art. 10. A 4ª Subchefia/EME e o Escritório de Projetos do Exército prestarão o apoio administrativo necessário por meio do Prg EE GUARANI.

Art. 11. As reuniões serão convocadas, seguindo a cadeia de comando, por meio de ofício, DIEx ou outra forma legal e realizadas de forma presencial para militares da Guarnição de Brasília-DF e Formosa-GO e, preferencialmente, por meio de videoconferência, para militares de fora da Guarnição de Brasília-DF.

Art. 12. Os trabalhos deverão ser finalizados em 120 (cento e vinte) dias a contar da data de entrada em vigor desta Portaria, com o posterior encaminhamento da documentação ao EME.

Art. 13. Após cada reunião, deverá ser elaborada uma ata e encaminhada aos gerentes do Prg EE GUARANI e do SPrg EE SAC, para o acompanhamento dos trabalhos e registro das decisões.

Art. 14. Esta Portaria entra em vigor em 2 de agosto de 2021.

DIRETRIZ DE INICIAÇÃO DO PROJETO VIATURA BLINDADA DE COMBATE OBUSEIRO AUTOPROPULSADO 155 MM SOBRE RODAS (EB20-D-04.005)

1. FINALIDADE

Regular as medidas necessárias para a confecção do Estudo de Viabilidade (EV) do Projeto Viatura Blindada de Combate Obuseiro Autopropulsado Sobre Rodas (VBCOAP 155 mm SR), que trata da obtenção de obuseiros autopropulsados sobre rodas pelo Exército Brasileiro (EB), destinados a mobiliar unidades da Artilharia de Campanha. Este Projeto integrará o Prg EE GUARANI e será apoiado pelo SPrg EE SAC.

2. REFERÊNCIAS

a. Constituição da República Federativa do Brasil.
b. Emenda Constitucional nº 95/2016, que instituiu o Novo Regime Fiscal no âmbito dos Orçamentos Fiscais e da Seguridade Social da União por 20 (vinte) exercícios financeiros.
c. Lei Complementar nº 97, de 9 de julho de 1999, que dispõe sobre as normas gerais para a organização, o preparo e o emprego das Forças Armadas.
d. Lei Complementar nº 140, de 8 de dezembro de 2011, que fixa normas, nos termos dos incisos III, IV e VII do caput e do parágrafo único do art. 23 da Constituição Federal, para a cooperação entre a União, os Estados, o Distrito Federal e os Municípios nas ações administrativas decorrentes do exercício da competência comum relativas à proteção das paisagens naturais notáveis, à proteção do meio ambiente, ao combate à poluição em qualquer de suas formas e à preservação das florestas, da fauna e da fora.
e. Decreto nº 9.759, de 11 de abril de 2019, que extingue e estabelece diretrizes, regras e limitações para colegiados da administração.
f. Portaria Normativa do Ministério da Defesa nº 15, de 23 de fevereiro de 2016, que estabelece diretrizes para a declaração do caráter militar de atividades ou empreendimentos da União, destinados ao preparo e emprego das Forças Armadas.
g. Portaria do Comandante do Exército nº 233, de 15 de março de 2016, que aprova as Instruções Gerais para a Gestão do Ciclo de Vida dos Sistemas e Materiais de Emprego Militar (EB10-IG-01.018).
h. Portaria do Comandante do Exército nº 054, de 30 de janeiro de 2017, que aprova as Normas para a Elaboração, Gerenciamento e Acompanhamento do Portfólio e dos Programas Estratégicos do Exército Brasileiro – NEGAPORT-EB (EB10-N-01.004).
i. Portaria do Comandante do Exército nº 278, de 6 de março de 2020, que aprova a Diretriz Estratégica Organizadora do Sistema de Comando e Controle do Exército (EB10-D-01.013).
j. Portaria do Estado-Maior do Exército nº 176, de 29 de agosto de 2013, que aprova as Normas para Elaboração, Gerenciamento e Acompanhamento de Projetos no Exército Brasileiro – NEGAPEB (EB20-N08.001), 2ª Edição, 2013.
k. Portaria do Estado-Maior do Exército nº 330, de 4 de novembro de 2019, que aprova as Normas para Elaboração, Gerenciamento e Acompanhamento de Custos do Portfólio, dos Programas e dos Projetos Estratégicos do Exército Brasileiro (EB20-N-08.002).
l. Portaria do Estado-Maior do Exército nº 097, de 18 de maio de 2020, que aprovou a inclusão do Anexo J às Normas para Elaboração, Gerenciamento e Acompanhamento de Custos do Portfólio, dos Programas e dos Projetos Estratégicos do Exército Brasileiro (EB20-N-08.002), 1ª Edição, 2019.
m. Portaria do Estado-Maior do Exército nº 255, de 30 de outubro de 2018, que aprova a Diretriz de Implantação do Programa Estratégico do Exército GUARANI – Prg EE GUARANI (EB20-D-08-025).
n. Portaria do Estado-Maior do Exército nº 156, de 4 de junho de 2019, que aprova a Diretriz de Implantação do Subprograma Sistema de Artilharia de Campanha (SPrg SAC) (EB20-D-08.030).
o. Plano Estratégico do Exército (PEEx) 2020–2023.
p. Memória Informativa Nr 01, de 17 de setembro de 2019, do Comando de Artilharia do Exército.
q. Proposta de Modelo de Obtenção Nº 001/18, de 10 de maio de 2018, da Diretoria de Sistemas e Material de Emprego Militar (DSMEM).
r. Estudo de Viabilidade do Subprograma Sistema de Artilharia de Campanha (SAC), de 8 de março de 2019.
s. Parecer de Mudança do EPEx Nr 03/2020, do SPrg SAC/Prg EE OCOP, de 28 SET 20.
t. Ata Nr 15-V Ch/EME, de 11 MAR 21.

3. OBJETIVOS DO PROJETO

a. Obter Sistema de Material de Emprego Militar (SMEM) para o Projeto Artilharia de Campanha Autopropulsado Sobre Rodas (VBCOAP 155 mm SR).
b. Atender às atividades 1.1.5.8, obter e/ou modernizar SMEM para o Projeto Artilharia de Campanha (AP e AR), entre os anos de 2020 e 2023, conforme previsto no PEEx 2020–2023.
c. Ampliar a capacidade e efetividade de apoio de fogo da artilharia de campanha do EB dos grupos de artilharia, pelo reequipamento de 02 (dois) ou 03 (três) grupos das Artilharias Divisionárias (AD) ou das Brigadas Mecanizadas do EB, permitindo o engajamento de alvos de forma rápida, eficaz e sistêmica a distâncias de até 40 (quarenta) quilômetros (km).
d. Integrar, desde o início dos trabalhos, o Sistema Digitalizado de Artilharia de Campanha (SISDAC) ao novo SMEM, a fim de proporcionar integração digital entre a VBCOAP 155 mm SR e os demais subsistemas de artilharia, notadamente Linha de Fogo, Busca de Alvos, Observação, Topografia, Direção de Tiro e Coordenação de Fogos, Logística, Meteorologia e Comando e Controle.
e. Introduzir novos modelos de munição, com enfoque nas munições de alcance estendido e munições inteligentes, de maneira que possam ser produzidas por intermédio da celebração de parcerias estratégicas entre a Base Industrial de Defesa Brasileira e empresas estrangeiras.
f. Implantar uma estrutura logística que sustente com qualidade e oportunidade o novo SMEM, a fim de propiciar níveis de disponibilidade adequados ao longo de seu ciclo de vida.
g. Planejar e prover os meios de simulação necessários à capacitação e adestramento do pessoal no uso da VBCOAP 155 mm SR.
h. Aprimorar a doutrina de emprego da Artilharia de Campanha tendo como referência as mudanças que o novo SMEM produzirá.
i. Prever as sucessivas modernizações da frota e a desativação do MEM.

5. DADOS TÉCNICOS

Metas do Projeto

1) Obter SMEM para até 03 (três) grupos de artilharia autopropulsados sobre rodas, considerando o início da operação a partir de 2025, abrangendo um total de até 36 (trinta e seis) peças de artlharia.
2) Realizar a experimentação de uma bateria de artlharia autopropulsada sobre rodas até 2024.
3) Operar esses obuseiros por no mínimo 25 (vinte e cinco) anos.
4) Introduzir novos tipos de munição (inteligente e de alcance estendido).
5) Fabricar a munição na Base Industrial de Defesa (BID).
6) Integrar digitalmente os subsistemas de artilharia necessários para a operação sistêmica da VBCOAP 155 mm SR (Linha de Fogo, Busca de Alvos, Observação, Topografia, Direção de Tiro e Coordenação de Fogos, Logístca, Meteorologia e Comando e Controle).
7) Realizar a capacitação de pessoal na operação e manutenção do SMEM, a fim de receber o material, conservá-lo e educar os usuários em sua operação.
8) Realizar a preparação/adaptação da Infraestrutura para receber o novo SMEM.

1) Alinhamento Estratégico:

a) a contribuição para a consecução dos Objetvos Estratégicos do Exército;
b) o enquadramento nas Estratégias e Ações Estratégicas previstas no PEEx; e
c) a enumeração das Atvidades Impostas no PEEx.

2) Doutrina:

a) identficação das atvidades e tarefas da capacidade operatva Apoio de Fogo a serem atendidas pelo Projeto Viatura Blindada de Combate Obuseiro Autopropulsado 155 mm Sobre Rodas;
b) readequação ou atualização da doutrina vigente; e
c) necessidade de incorporação de novas formas de emprego.

3) Organização:

a) necessidade de racionalização de efetvo e de reestruturação de cargos e OM;
b) necessidade de propor a organização de uma Seção e uma Bateria 155 AP SR;
c) necessidade de estruturação de cargos e alocação de efetvos para serem designados aos Grupos detentores do SMEM; e
d) proposta de criação (readequação) de Quadro de Cargos (QC), de Quadro de Dotação de Material
(QDM), de Quadro de Cargos Previstos (QCP) e de Quadro de Dotação de Material Previsto (QDMP) das OM detentoras e logístcas.

4) Adestramento:

a) necessidade de incorporação de novas formas de preparo; e
b) possibilidade de emprego de simulação.

5) Material:

a) possibilidades e impactos do custeio de sistemas e materiais obtidos pelo Projeto, considerando-se o ciclo de vida dos Sistemas de Material de Emprego Militar (SMEM);
b) possibilidades e impactos do custeio de sistemas e materiais obtidos pelo Projeto nos materiais de dotação dos Batalhões Logísticos e Parques Regionais de Manutenção/Batalhões de Manutenção que prestarão apoio ao SMEM; e
c) estruturação e custeio da sustentação logística durante o ciclo de vida do SMEM: contínua capacitação de operadores e de pessoal de manutenção, infraestrutura logística e ferramental específico em todos os escalões de manutenção (1º ao 4º), literatura técnica e suprimentos para capacitação, adestramento e manutenção. A estruturação logístca deverá ser realizada concomitantemente com a entrega dos SMEM, aproveitando-se o período de SLI que eventualmente seja contratado/terceirizado para atingir essa meta.

6) Educação:

a) oportunidades de parcerias internas e externas à Força para capacitação de recursos humanos afetados pelo Projeto VBCOAP 155 mm SR; e
b) necessidade de incorporação de novos equipamentos e conteúdos de instrução nas escolas militares, nas OM detentoras e nas integrantes da estrutura de manutenção e suprimento.

7) Pessoal:

a) competências necessárias e já existentes para a ocupação dos cargos previstos pelo Projeto, considerando inclusive o pessoal não qualificado para cargos comuns;
b) identificação de lacunas de competências, visando à definição de estratégias para supressão das mesmas, tais como movimentação, capacitação, contratação de pessoal, entre outras, bem como à captação de recursos para as atvidades de pessoal de todas as OM envolvidas; e
c) proposta de readequação de Quadros de Cargos (QC) e de Quadros de Cargos Previstos (QCP) das OM detentoras e Logístcas.

Premissas

1) O Projeto VBCOAP 155 mm SR estará alinhado com o Plano de Desenvolvimento de Capacidades Operativas para a Força Terrestre, constante do Plano Estratégico do Exército (PEEx 2020–2023) e será capaz de dotar a Força Terrestre de novas capacidades de apoio de fogo.
2) A viabilidade orçamentária e financeira, os riscos, os benefícios, o alinhamento estratégico, os prazos, as fontes de recursos e a sustentabilidade do Projeto são aspectos fundamentais a serem considerados na elaboração do EV do Projeto.
3) A proposta orçamentária para a incorporação dos obuseiros autopropulsados 155 mm sobre rodas contemplará os investimentos iniciais necessários para a entrega das capacidades (DOAMEPI), o custeio durante todo o ciclo de vida, a sustentabilidade logística, bem como a origem dos recursos para consecução do Projeto.
4) Especial atenção será dada à capacitação de recursos humanos para as atividades operacionais, fundamentais para a entrega da capacidade de apoio de fogo.
5) O EV apontará providências decorrentes da implantação do Projeto nas áreas da Doutrina, Organização, Adestramento, Material, Educação, Pessoal e Infraestrutura (DOAMEPI).
6) Os trabalhos da equipe do EV seguirão os processos e os modelos preconizados nas Normas para Elaboração, Gerenciamento e Acompanhamento de Projetos do Exército Brasileiro – NEGAPEB-EB (EB20-N-08.001), nas Normas para Elaboração, Gerenciamento e Acompanhamento de Custos do Portfólio, dos Programas e dos Projetos Estratégicos do Exército Brasileiro (EB20-N-08.002), 1ª Edição, 2019, e nas Normas para a Elaboração, Gerenciamento e Acompanhamento do Portfólio e dos Programas Estratégicos do Exército Brasileiro – NEGAPORT-EB (EB10-N-01.004).
7) Os estudos e as propostas sobre aquisições e desenvolvimento de materiais seguirão o preconizado nas Instruções Gerais para a Gestão do Ciclo de Vida dos Sistemas e Materiais de Emprego Militar (EB10-IG-01.018).
8) A VBCOAP 155 mm SR deverá possuir um Sistema de Comando e Controle (C2) interpretável com o Sistema de Comando e Controle da Força Terrestre, seguindo as orientações do Relatório do Grupo de Trabalho dos Sistemas de Comando e Controle de Viaturas Blindadas do Exército Brasileiro, além do que é proposto no sistema de comando e controle dos RO e RTLI.

PRESCRIÇÕES DIVERSAS

Para fins de coordenação das atividades do estudo em previsto nesta Diretriz, estão autorizadas as ligações necessárias com organizações militares, programas/projetos estratégicos e demais órgãos envolvidos.

 :arrow:  https://www.defesaaereanaval.com.br/exercito/eme-aprova-a-diretriz-de-iniciacao-do-projeto-viatura-blindada-de-combate-obuseiro-autopropulsado-155-mm-sobre-rodas
 

*

Vitor Santos

  • Moderador Global
  • *****
  • 5793
  • Recebeu: 627 vez(es)
  • Enviou: 396 vez(es)
  • +5588/-4516
Re: Notícias do Exército Brasileiro
« Responder #1325 em: Julho 21, 2021, 06:42:29 pm »
 
Os seguintes utilizadores agradeceram esta mensagem: HSMW

*

Vitor Santos

  • Moderador Global
  • *****
  • 5793
  • Recebeu: 627 vez(es)
  • Enviou: 396 vez(es)
  • +5588/-4516
Re: Notícias do Exército Brasileiro
« Responder #1326 em: Agosto 03, 2021, 06:26:29 pm »
Exército estuda nova base de aviação na Amazônia


Citar
O Comando de Aviação do Exército analisa adotar uma nova base de operações na região amazônica. Ela ficaria em Belém (PA). Nesta semana, uma comitiva da força terrestre esteve na Base Aérea da Força Aérea Brasileira na cidade. O objetivo foi acertar detalhes para viabilizar a presença permanente de aeronaves do Exército.

Atualmente, o Exército possui quatro Batalhões de Aviação do Exército, sendo que os dois primeiros são sediados em Taubaté (SP), o terceiro em Campo Grande (MS) e o quarto em Manaus (AM). No caso de Belém, o plano inicial não é criar uma unidade, mas manter um destacamento de duas aeronaves. O mais provável é que sejam do modelo HM-4 Jaguar.

Caso se confirme a ida dos HM-4 para Belém, isso permitirá ampliar a interoperabilidade não apenas com a Força Aérea Brasileira, mas também com a Marinha do Brasil. Isso porque a força naval possui uma unidade aérea sediada na Base Aérea de Belém, o 1º Esquadrão de Helicópteros de Emprego Geral do Norte (HU-41), equipado com o mesmo modelo, porém com a designação UH-15 Super Cougar. A FAB também possui o mesmo tipo de aeronave, que receberam o código H-36, e atualmente estão sediadas no Rio de Janeiro (RJ), Brasília (DF) e Natal (RN).

Essa unificação de modelos foi possível com a assinatura do contrato para aquisição de 50 helicópteros da Airbus/Helibras H225M. O contrato foi assinado em 2008. O objetivo era entregar 16 aeronaves para cada uma das três forças armadas e duas que ficariam com a FAB, porém para uso da Presidência da República. As entregas deveriam ter sido encerradas em 2016, mas prosseguem até hoje por conta dos atrasos do fluxo de pagamentos.

 :arrow:  https://www.edrotacultural.com.br/exercito-estuda-nova-base-de-aviacao-na-amazonia/
 

*

Vitor Santos

  • Moderador Global
  • *****
  • 5793
  • Recebeu: 627 vez(es)
  • Enviou: 396 vez(es)
  • +5588/-4516
Re: Notícias do Exército Brasileiro
« Responder #1327 em: Agosto 16, 2021, 07:57:41 pm »
Centro de Embarcações do Comando Militar da Amazônia recebe lanchas DGS Raptor 888 MK2


Citar
Manaus (AM) – Na tarde do dia 12 de agosto, atracaram no Porto do Centro de Embarcações do Comando Militar da Amazônia (CECMA), duas lanchas de casco n° 073 e 074, para recebimento e incorporação aos meios fluviais deste Centro de Embarcações.

O Comandante da 2ª Divisão de Exército (2ª DE), General de Divisão Edson Diehl Ripoli, o Comandante da 12ª Região Militar (12ª RM), General de Divisão Edson Skora Rosty, o Comandante da Flotilha do Amazonas, Capitão de Mar e Guerra Carlos Eduardo Lopes da Cruz, e o Comandante do CECMA, Tenente-coronel Anderson Siqueira da Silva, acompanharam a chegada das lanchas DGS RAPTOR 888 ao porto do CECMA.

As lanchas foram adquiridas pelo Ministério da Defesa e ficaram a cargo da Marinha do Brasil até o presente momento para realizarem o recebimento junto ao Estaleiro Construtor.

Fonte: Centro de Embarcações do Comando Militar da Amazônia


 
Os seguintes utilizadores agradeceram esta mensagem: HSMW

*

Vitor Santos

  • Moderador Global
  • *****
  • 5793
  • Recebeu: 627 vez(es)
  • Enviou: 396 vez(es)
  • +5588/-4516
Re: Notícias do Exército Brasileiro
« Responder #1328 em: Agosto 28, 2021, 05:24:43 pm »
Conferência reúne membros do comando de exércitos do Cone Sul (Brasil, Argentina, Uruguai, Chile e Paraguai)


Citar
Formosa (GO) – Membros do Alto Comando do Exército Brasileiro e dos exércitos da Argentina, do Paraguai, do Chile e do Uruguai participaram nesta quinta-feira, 26, da 5ª Conferência de Comandantes dos Exércitos do Cone Sul. Realizada no Forte Santa Bárbara, em Formosa (GO), a reunião teve como objetivos explorar e promover intercâmbios e programas de cooperação e estreitar os laços de amizade entre as Forças participantes.

Na ocasião, o Comandante do Exército Brasileiro, General de Exército Paulo Sérgio Nogueira de Oliveira, realizou uma apresentação sobre as características, projetos estratégicos e desafios da Força. Na sequência, representantes de cada exército estrangeiro realizaram apresentações alusivas às suas Forças. As atividades incluíram, ainda, uma demonstração de tiro do Sistema Lançador de Foguetes - ASTROS, e uma exposição de armas da Artilharia do Exército.

Pouco antes de sua apresentação, o General Paulo Sérgio destacou a importância da reunião entre os comandos dos cinco exércitos. “Esse encontro serve para fortalecer os laços de amizade que emanam da similitude cultural entre nossos povos. Ao longo das últimas décadas, nossos exércitos intensificaram a aproximação estratégica, o diálogo e a construção da confiança a partir de uma agenda baseada na convergência de desafios, como o enfrentamento aos ilícitos transfronteiriços, por exemplo. Isso foi possível com a aquiescência dos governos de cada país, mas, sobretudo, ganhou impulso pela boa vontade e dedicação dos comandantes em promover ações de cooperação mútua que materializam os anseios de integração entre as forças terrestres dos nossos países”.

Participaram da conferência o Chefe do Estado-Maior Geral do Exército da Argentina, General de Divisão Agustin Humberto Cejas; o Comandante de Educação e Doutrina do Exército do Chile, General de Divisão Osvaldo Froilan Vallejos Martinez; o Comandante dos Institutos Militares de Ensino do Exército do Paraguai, General de Divisão Oscar Javier Gomes Coronel; e o Comandante em Chefe do Exército Nacional do Uruguai, General de Exército Gerardo Daniel Fregossi Álvarez.

Fonte: Centro de Comunicação Social do Exército









 

*

Barlovento

  • Perito
  • **
  • 344
  • Recebeu: 144 vez(es)
  • Enviou: 84 vez(es)
  • +115/-20
Re: Notícias do Exército Brasileiro
« Responder #1329 em: Outubro 21, 2021, 12:06:04 pm »