Corpo de Fuzileiros Navais (CFN) da Marinha do Brasil

  • 224 Respostas
  • 77894 Visualizações
*

Vitor Santos

  • Moderador Global
  • *****
  • 5686
  • Recebeu: 601 vez(es)
  • Enviou: 389 vez(es)
  • +4847/-3815
Re: Corpo de Fuzileiros Navais (CFN) da Marinha do Brasil
« Responder #210 em: Março 06, 2021, 01:34:01 pm »
Cerimônia alusiva ao 213º aniversário do Corpo de Fuzileiros Navais


Citar
Rio de Janeiro (RJ), 05/03/2021 – Música, história e homenagens marcaram a cerimônia alusiva ao aniversário de 213 anos do Corpo de Fuzileiros Navais (CFN) na Fortaleza de São José da Ilha das Cobras, no Rio de Janeiro, na noite dessa quinta-feira (04). A solenidade, restrita devido à pandemia, contou com a presença do Ministro da Defesa, Fernando Azevedo, do Comandante da Marinha, Almirante de Esquadra Ilques Barbosa Júnior, e do Comandante-Geral do Corpo de Fuzileiros Navais, Almirante de Esquadra Paulo Martino Zuccaro.

Durante a cerimônia, apresentações da Banda Marcial de Fuzileiros Navais intercalaram a exibição de vídeos, homenagens, projeções, entrega de medalhas e narração da história do CFN. O conjunto musical encantou os presentes com a apresentação não só musical, mas também visual: enquanto tocavam, os integrantes faziam evoluções formando figuras como uma âncora. Houve ainda salva de tiros de canhão.

Ao dirigir-se aos presentes, o Ministro Fernando Azevedo falou da emoção que sentia presenciando cada momento da comemoração. Ele mencionou as atuações de destaque do CFN, como a Operação Covid-19, de combate aos efeitos do novo coronavírus, e a Operação Verde Brasil 2, de enfrentamento aos crimes ambientais.

“Os fuzileiros contribuem diretamente para o desenvolvimento do nosso País, seja por meio do Programa Forças no Esporte, que vem mudando a vida de milhares de crianças e adolescentes, ou com a incorporação pioneira de mulheres como oficiais combatentes”, enalteceu.


Ao longo de 213 anos, diversos momentos marcaram a história do CFN. Uma delas foi a primeira apresentação da Oração à Bandeira, pelo poeta Olavo Bilac, no Pátio da Fortaleza de São José em 1915. O poema recebeu a composição musical de Francisco Braga e se transformou no Hino à Bandeira Nacional.

O feito foi relembrado pelas sargentos Patrícia Monção, Laís Souza e Fernanda Gualberto, que entoaram o hino. A Banda dos Fuzileiros ainda executou Mulher, de Erasmo Carlos, em homenagem ao Dia Internacional da Mulher, aos 20 anos do ingresso da mulher nas fileiras do CFN e ao primeiro ano em que as aspirantes da Escola Naval puderam optar por ingressar nos Corpos da Armada, de Fuzileiros Navais ou de Intendentes.

O Comandante do Comando Militar do Leste, General de Exército José Eduardo Pereira, e o Comandante do Comando Aéreo Leste, Major-Brigadeiro do Ar Luiz Guilherme Silveira de Medeiros, também prestigiaram a cerimônia, representando, respectivamente, o Comandante do Exército, General de Exército Edson Leal Pujol, e o Comandante da Força Aérea, Tenente-Brigadeiro do Ar Antonio Carlos Moretti Bermudez.

Presença histórica

Em 7 de março de 1808, a Família Real Portuguesa aportou no Brasil sob escolta da Brigada Real da Marinha, sendo essa a origem histórica do Corpo de Fuzileiros Navais. Desde então, a corporação militar está presente em diversos momentos marcantes da história do Brasil. Em 1809, o príncipe regente concedeu à Brigada Real da Marinha a Fortaleza de São José, como prêmio ao sucesso na invasão à colônia francesa Caiena. Até hoje, o local é a sede do Comando-Geral do Corpo de Fuzileiros Navais.

O CFN tem como lema “Adsumus”, que significa “aqui estamos”. A frase representa o comprometimento dos militares com a Marinha e com a população brasileira. Além disso, reforça a disponibilidade de cada um deles para cumprir qualquer missão que lhes seja confiada.

 :arrow:  https://www.gov.br/defesa/pt-br/assuntos/noticias/ministro-da-defesa-participa-de-cerimonia-alusiva-ao-213o-aniversario-do-corpo-de-fuzileiros-navais
 

*

Vitor Santos

  • Moderador Global
  • *****
  • 5686
  • Recebeu: 601 vez(es)
  • Enviou: 389 vez(es)
  • +4847/-3815
 

*

Vitor Santos

  • Moderador Global
  • *****
  • 5686
  • Recebeu: 601 vez(es)
  • Enviou: 389 vez(es)
  • +4847/-3815
Re: Corpo de Fuzileiros Navais (CFN) da Marinha do Brasil
« Responder #212 em: Março 10, 2021, 01:44:30 pm »
Aniversário do Corpo de Fuzileiros Navais - 213 anos













 
Os seguintes utilizadores agradeceram esta mensagem: NVF

*

Vitor Santos

  • Moderador Global
  • *****
  • 5686
  • Recebeu: 601 vez(es)
  • Enviou: 389 vez(es)
  • +4847/-3815
 

*

Vitor Santos

  • Moderador Global
  • *****
  • 5686
  • Recebeu: 601 vez(es)
  • Enviou: 389 vez(es)
  • +4847/-3815
Re: Corpo de Fuzileiros Navais (CFN) da Marinha do Brasil
« Responder #214 em: Abril 28, 2021, 12:32:52 am »
Marinha recebe novos Unimog


Citar
O Centro Tecnológico do Corpo de Fuzileiros Navais (CTecCFN) recebeu, no dia 22 de abril, seis viaturas operativas 5 ton 4X4 UNIMOG U5000, para emprego no Sistema Integrado de Comando e Controle da Marinha do Brasil (SIC2MB). As viaturas fazem parte das plataformas para o funcionamento das atividades de Guerra Eletrônica (GE) e de Comando e Controle (C2) desenvolvidas pela Força.

O SIC2MB, adquirido pelo Corpo de Fuzileiros Navais (CFN), foi concebido para proporcionar o C2 em um Grupamento Operativo de Fuzileiros Navais (GptOpFuzNav), nível Unidade Anfíbia. O Sistema contempla uma Companhia de Guerra Eletrônica e uma Bateria de Obuseiros 105 mm, e possui os seguintes módulos: Gerenciamento da Área de Operações (ou campo de Batalha); Guerra Eletrônica; Comunicações; e Artilharia, que são independentes e interoperáveis entre si.
Utilizado pelos GptOpFuzNav nas atividades de Guerra Naval, de Emprego Limitado da Força e Atividades Benignas, o SIC2MB permitirá a consolidação do exercício da Operação em Redes, o reestabelecimento da capacidade de GE de Comunicações e o aumento da precisão do tiro de artilharia, incrementando a consciência situacional e as ferramentas de apoio à decisão.

A aquisição das viaturas UNIMOG U5000, bem como o SIC2MB, faz parte do PROADSUMUS, programa estratégico da Marinha que tem por finalidade garantir a capacidade expedicionária do CFN, restabelecendo e ampliando as capacidades da Brigada Anfíbia, nucleada na Força de Fuzileiros da Esquadra, bem como dos Batalhões de Operações Ribeirinhas, dos Grupamentos de Fuzileiros Navais e dos Batalhões de Defesa Nuclear, Biológica, Química e Radiológica da Marinha.


Fonte: Marinha do Brasil
 :arrow:  https://tecnodefesa.com.br/marinha-recebe-novos-unimog/
 
Os seguintes utilizadores agradeceram esta mensagem: HSMW

*

Vitor Santos

  • Moderador Global
  • *****
  • 5686
  • Recebeu: 601 vez(es)
  • Enviou: 389 vez(es)
  • +4847/-3815
Re: Corpo de Fuzileiros Navais (CFN) da Marinha do Brasil
« Responder #215 em: Maio 19, 2021, 01:35:00 am »
FAB e Marinha treinam salto no Oceano


Citar
O Batalhão de Operações Especiais de Fuzileiros Navais, Batalhão “Tonelero”, realizou em 10 de maio um treinamento de salto paraquedista no mar. Foi utilizado um avião C-105 Amazonas da Força Aérea Brasileira.

Além dos paraquedistas, foi realizado o lançamento de uma embarcação de desembarque pneumática. Isso dá aos Comandos Anfíbios a capacidade de executar Operações Especiais em terra, a partir do mar, em curto espaço de tempo e a grandes distâncias.


O exercício foi realizado na enseada do Centro de Avaliação da Ilha da Marambaia, Rio de Janeiro (RJ). Além do Esquadrão Onça, da Força Aérea Brasileira, o Batalhão de Dobragem, Manutenção de paraquedas e Suprimento pelo Ar, do Exército, também apoiou os fuzileiros.

 :arrow:  https://www.edrotacultural.com.br/fab-e-marinha-treinam-salto-no-oceano/
 

*

Vitor Santos

  • Moderador Global
  • *****
  • 5686
  • Recebeu: 601 vez(es)
  • Enviou: 389 vez(es)
  • +4847/-3815
 

*

Vitor Santos

  • Moderador Global
  • *****
  • 5686
  • Recebeu: 601 vez(es)
  • Enviou: 389 vez(es)
  • +4847/-3815
Re: Corpo de Fuzileiros Navais (CFN) da Marinha do Brasil
« Responder #217 em: Julho 16, 2021, 01:54:41 am »
Militares da Divisão Anfíbia da Marinha preparam-se para avaliação da ONU


Citar
Rio de Janeiro, 14/07/2021 - O Comandante de Operações Navais da Marinha, Almirante de Esquadra Alípio Jorge, esteve no Comando da Divisão Anfíbia, da Marinha do Brasil, nesta terça-feira (13). A atividade serviu de parâmetro para inspeção que a comitiva da Organização das Nações Unidas (ONU) fará a essa organização militar na segunda-feira (19). Os integrantes da ONU vão avaliar a preparação e a prontidão da Marinha do Brasil para
possível emprego em missões de paz.

A visita da comitiva da ONU está inserida em calendário, que teve início no domingo (11), de verificações a organizações militares brasileiras. O roteiro começou por Cascavel, no Paraná, onde os verificadores permanecem até esta quarta-feira (14). Em seguida, a equipe seguirá para São Gabriel, no Rio Grande do Sul, onde inspecionará a Companhia de Engenharia, do Exército. Por último, chegam ao Rio de Janeiro, no domingo (18), para, na segunda-feira (19), avaliarem o Grupamento Operativo de Fuzileiros Navais, da Marinha.

As organizações militares visitadas pela comitiva estão inseridas no Nível 1 do Sistema de Prontidão de Capacidades de Manutenção da Paz das Nações Unidas (UNPCRS, sigla em inglês), com os padrões da ONU. No momento atual, a equipe confere a capacidade do Brasil em preparar tropas, desdobrar e manter uma contribuição potencial para a paz mundial. Com isso, ao término dessas avaliações, será possível elevar as organizações militares verificadas para o Nível 2 do UNPCRS. Trata-se de condição básica para futura participação em operações de paz, como o ocorrido em 2017, quando cinco tipos de contingentes de tropa ascenderam a esse nível.

Cabe destacar que esse sistema, o UNPCRS, onde se encontram as diferentes tropas disponibilizadas pelos Estados-Membros à ONU, tem o propósito de facilitar o processo de planejamento e de tomada de decisão do Quartel-General das Nações Unidas, em Nova Iorque, com relação a posterior seleção de emprego de tropas de um determinado Estado-Membro.

Assim, após a ascensão ao Nível 2 do UNPCRS, as Forças Armadas brasileiras estarão aptas a enviar outros quatro tipos de contingentes de tropa (um batalhão mecanizado, uma companhia de engenharia e duas companhias de resposta rápida), além dos outros cinco já anteriormente disponibilizados para participar das diversas missões de paz sob a égide da ONU.

Por Capitão-Tenente Fabrício Costa, editada por Margareth Lourenço
Fotos: divulgação

 :arrow:  Ministério da Defesa

 

*

Vitor Santos

  • Moderador Global
  • *****
  • 5686
  • Recebeu: 601 vez(es)
  • Enviou: 389 vez(es)
  • +4847/-3815
 

*

Vitor Santos

  • Moderador Global
  • *****
  • 5686
  • Recebeu: 601 vez(es)
  • Enviou: 389 vez(es)
  • +4847/-3815
Re: Corpo de Fuzileiros Navais (CFN) da Marinha do Brasil
« Responder #219 em: Julho 16, 2021, 02:03:57 am »















 

*

Vitor Santos

  • Moderador Global
  • *****
  • 5686
  • Recebeu: 601 vez(es)
  • Enviou: 389 vez(es)
  • +4847/-3815
 

*

Vitor Santos

  • Moderador Global
  • *****
  • 5686
  • Recebeu: 601 vez(es)
  • Enviou: 389 vez(es)
  • +4847/-3815
 

*

Vitor Santos

  • Moderador Global
  • *****
  • 5686
  • Recebeu: 601 vez(es)
  • Enviou: 389 vez(es)
  • +4847/-3815
 

*

Vitor Santos

  • Moderador Global
  • *****
  • 5686
  • Recebeu: 601 vez(es)
  • Enviou: 389 vez(es)
  • +4847/-3815
Re: Corpo de Fuzileiros Navais (CFN) da Marinha do Brasil
« Responder #223 em: Julho 29, 2021, 06:03:27 pm »
ProAdSumus: Fuzileiros Navais tem previsão de receber o JLTV em outubro de 2022


Citar
Por Guilherme Wiltgen

O Subprograma ProAdSumus foi criado para consolidar e ampliar as capacidades operativas do Corpo de Fuzileiros Navais (CFN), de forma que possa atuar como a Força Naval de caráter anfíbio, expedicionário e de pronto emprego.

A obtenção desses meios de última geração e no estado da arte, vai assegura ao CFN um elevado grau de versatilidade e flexibilidade, consequentemente ampliando a sua prontidão operacional e, principalmente, na sua capacidade de projeção de poder em áreas de interesse estratégico nacional.


O Joint Light Tactical Vehicle (JLTV), produzido pela empresa norte-americana Oshkosh Defense, é um projeto de última geração das Forças Armadas dos EUA. Por possuir elevados ganhos tecnológicos, vai promover um aumento operativo atual e futuro aos Fuzileiros Navais brasileiros, assim como foi no US Marine Corps (USMC).


Aliando blindagem,  alta mobilidade e poder de fogo, além da capacidade de comando e controle, essas viaturas possibilitarão a ampliação da capacidade dos Grupamentos Operativos de Fuzileiros Navais na condução das Operações Anfíbias, de Garantia da Lei e da Ordem (GLO), nas Missões de Paz e em outras variadas ações que compõe o amplo espectro das operações militares.


O contrato celebrado entre a Marinha do Brasil e o governo dos Estados Unidos, prevê a obtenção de 12 Viaturas Blindadas Leves Sobre Rodas 4×4 Oshkosh Joint Light Tactical Vehicle (JLTV), com entregas previstas a partir de outubro de 2022.

FOTOS: Oshkosh Defense e USMC
 :arrow:   https://www.defesaaereanaval.com.br/naval/proadsumus-fuzileiros-navais-tem-previsao-de-receber-o-jltv-em-outubro-de-2022
 

*

Vitor Santos

  • Moderador Global
  • *****
  • 5686
  • Recebeu: 601 vez(es)
  • Enviou: 389 vez(es)
  • +4847/-3815
Re: Corpo de Fuzileiros Navais (CFN) da Marinha do Brasil
« Responder #224 em: Julho 31, 2021, 02:57:46 am »
Brazilian Marine Corps To Get Oshkosh Joint Light Tactical Vehicle (JLTV)


Citar
After Oshkosh Defense announced the sale of Joint Light Tactical Vehicles (JLTVs) to Brazilian Marine Corps (Corpo de Fuzileiros Navais), the Brazilian Navy (Marinha do Brasil) confirmed its intention to deploy these platforms for United Nations Peacekeeping, law enforcement and amphibious missions. TheFederal government of Brazil and the United States government for 12 JLTVs, with deliveries by Oshkosh Defense expected from 2022.

The Joint Light Tactical Vehicle (JLTV) is a United States military (specifically U.S. Army, U.S. Marine Corps) and United States Special Operations Command program to part-replace the Humvee[5] with a family of more survivable vehicles with greater payload. Early studies for the JLTV program were approved in 2006. The JLTV program incorporates lessons learned from the earlier Future Tactical Truck Systems program and other associated efforts.

The JLTV family and its nomenclature evolved throughout the development process and to date the U.S. Army has allocated M designations to four individual JLTV configurations. The CSV replaced the previous Category C configuration and was a 2-seat vehicle with a 5,100-pound payload. The JLTV family now consists of three base vehicle platforms, Utility (JLTV-UTL), Close Combat Weapons Carrier (JLTV-CCWC) and General Purpose (JLTV-GP).

Outside of the United States, a number of other countries have shown an interest in or have ordered the JLTV. These include Belgium, Brazil, Lithuania, North Macedonia, Montenegro, and Slovenia. All have ordered via FMS with the exception of Belgium which is a direct sale. Portugal and the United Kingdom have expressed a documented interest in acquiring the JLTV. Australia joined the TD phase of JLTV but ultimately opted to procure the locally produced Thales Hawkei.

 :arrow:  https://militaryleak.com/2021/07/31/brazilian-marine-corps-to-get-oshkosh-joint-light-tactical-vehicle-jltv/