Aviação do Exército (AvEx)

  • 128 Respostas
  • 13431 Visualizações
*

Vitor Santos

  • Moderador Global
  • *****
  • 6116
  • Recebeu: 729 vez(es)
  • Enviou: 415 vez(es)
  • +7835/-6758
Re: Comando de Aviação do Exército (Cavex)
« Responder #15 em: Julho 19, 2016, 07:46:57 pm »
Aviação do Exército utiliza quinze helicópteros em sobrevoo pela orla carioca como parte do treinamento aos Jogos Olimpícos









« Última modificação: Julho 19, 2016, 07:50:30 pm por Vitor Santos »
 

*

Vitor Santos

  • Moderador Global
  • *****
  • 6116
  • Recebeu: 729 vez(es)
  • Enviou: 415 vez(es)
  • +7835/-6758
Re: Comando de Aviação do Exército (Cavex)
« Responder #16 em: Julho 27, 2016, 04:20:49 pm »
Aviação do Exército auxilia nas buscas pelo piloto da Marinha



Conforme informamos anteriormente, a Aviação do Exército (AvEx) está auxiliando as buscas ao piloto do AF-1B Skyhawk N-1011 (Falcão 11) com duas aeronaves do 1º Batalhão de Aviação do Exército (1º BAvEx), que participam do esquema de segurança dos Jogos Rio 2016.

No meio da tarde, as aeronaves HA-1 Fennec EB-1035 “Olho da Águia” e o HM-4 Jaguar EB-5007, foram acionadas e se deslocaram da Base Aérea dos Afonsos para a Base Aérea Naval de São Pedro da Aldeia, e estão neste momento realizando buscas pelo piloto do Esquadrão VF-1, que permanece
desaparecido.

O HA-1 Fennec está equipado com FLIR e as duas aeronaves estão voando com seus tripulantes equipados com Óculos de Visão Noturna (OVN).



FONTE:   http://www.defesaaereanaval.com.br/aviacao-do-exercito-auxilia-nas-buscas-pelo-piloto-da-marinha/
 

*

Vitor Santos

  • Moderador Global
  • *****
  • 6116
  • Recebeu: 729 vez(es)
  • Enviou: 415 vez(es)
  • +7835/-6758
Re: Comando de Aviação do Exército (Cavex)
« Responder #17 em: Agosto 03, 2016, 07:21:34 pm »
 

*

Vitor Santos

  • Moderador Global
  • *****
  • 6116
  • Recebeu: 729 vez(es)
  • Enviou: 415 vez(es)
  • +7835/-6758
Re: Comando de Aviação do Exército (Cavex)
« Responder #18 em: Agosto 15, 2016, 03:21:30 pm »
 

*

Vitor Santos

  • Moderador Global
  • *****
  • 6116
  • Recebeu: 729 vez(es)
  • Enviou: 415 vez(es)
  • +7835/-6758
Re: Comando de Aviação do Exército (Cavex)
« Responder #19 em: Setembro 27, 2016, 04:17:55 pm »
US Army oferece C-23B Sherpa ao Exército Brasileiro



O Exército Brasileiro (EB) está se preparando para reativar sua aviação de asas fixas, capacidade perdida em 1941 com a criação do Ministério da Aeronáutica e a Força Aérea Brasileira (FAB), e a transferência para a nova força de todo o material aéreo.

O Projeto 32 ou a expansão das instalações do Comando de Aviação do Exército, localizado em Taubaté (SP), foi implementado observando também os requerimentos colocados pelo EB para um bimotor de transporte para cargas e pessoal (dotado de porta rampa), e capaz de voar nas imensidões amazônicas da região norte.



O Comando Logístico da Força Terrestre, segundo publicado no Boletim do Exército nº 38 está nos Estados Unidos da América para reunião de acompanhamento do contrato de manutenção e upgrade de 32 obuseiros autopropulsados M-109A5 BR, além de uma visita à Exposição Internacional de Produtos de Defesa da Association of the United States Army (AUSA), em Washington, e um encontro para verificar a situação da aeronave C-23B Sherpa e uma possível negociação direta dos estoques do United States Army (Exército Norte Americano).

Desativados no início de 2014 após duas décadas de serviços na Guarda Nacional (16 exemplares), os C-23B Sherpa continuam sendo reconhecidos pela robustez, capacidade de carga, porta rampa, excelente alcance e independência operacional em áreas remotas desprovidas de serviços básicos de apoio em solo para aeronaves. Este é exatamente o perfil operacional que o EB procura para operar em segurança na Amazônia, e com uma vantagem, o custo de aquisição menor frente a uma aeronave nova de fábrica.

A proposta norte-americana poderá incluir a venda (por um valor vantajoso via FMS) de todo o ferramental, material de apoio e manutenção, sobressalentes, motores reservas, componentes, manuais e documentação, mais a entrega das aeronaves na condição em que se encontram, com ou sem a realização de serviços necessários para recolocá-las em condições de voo.



O C-23B Sherpa da Guarda Nacional difere dos empregados pela United States Air Force (USAF) pelas janelas nos dois lados da fuselagem, e pelos motores, dois Pratt & Whitney Canada PT6A­65AR com 1.425 HP

Este certamente é o ponto de maior interesse dos militares brasileiros, pois esse grupo propulsor possui uma longa e confiável tradição em serviço militar no Brasil, e existe um bem montado parque MRO preparado para apoiá-lo com custos atraentes.

O C-23B Sherpa pode transportar 30 soldados equipados, com tripulação formada por dois pilotos e mestre de carga/mecânico de voo, dependendo da missão. O alcance máximo é de 1.240 Km, com velocidade média de quase 400 km/h (cruzeiro).

Dentre os remanescentes de uma frota declarada de 43 exemplares, existem pelo menos duas dezenas estocados no Aerospace Maintenance and Regeneration Group em Tucson, no Arizona.

O Fator M7 Aerospace e os contratos do C-23B Sherpa



O Aeroporto Internacional de San Antônio é a base da M7 Aerospace, subsidiária da israelense Elbit Systems nos Estados Unidos, e local da visita do general-de-exército Theófilo Gaspar de Oliveira e do coronel-QMB Washington Rocha Triani.

A M7 Aerospace presta serviços de manutenção, reparos, manufatura de aeroestruturas, serviços de suporte logísticos governamentais, apoio e suporte/gerenciamento de cadeias de suprimentos/aquisições, etc.

Dentre outros contratos sob sua responsabilidade, está o trabalho de reconstrução e upgrade dos Grumman C-1A Trader adquiridos pela Marinha do Brasil para futuramente serem operados no NAe São Paulo (A-12) empregando motores turboprop Honeywell TPE331.

No caso dos C-23B do US Army, a M7 Aerospace venceu, no final de 2011, contrato de mantenimento (ciclo de vida) da frota de Sherpa que acabou desativada três anos depois. Este contrato, de US$ 27,7 milhões, tinha previsão de cumprimento até o final de 2014.

A M7 possui acordo com a distribuidora exclusiva de partes e componentes de aeronaves Shorts 330, da qual o Sherpa é derivado, e garante disponibilidade e suporte customizado com custos reduzidos de entrega para usuários do C-23B que adquirirem esses serviços, peças e componentes em San Antônio.

FONTE: http://tecnodefesa.com.br/us-army-oferece-c-23b-sherpa-ao-exercito-brasileiro/
 

*

Vitor Santos

  • Moderador Global
  • *****
  • 6116
  • Recebeu: 729 vez(es)
  • Enviou: 415 vez(es)
  • +7835/-6758
Re: Comando de Aviação do Exército (Cavex)
« Responder #20 em: Setembro 27, 2016, 04:26:30 pm »
Missão Cumprida! Aviação do Exército retorna da missão Rio 2016



















 

*

Vitor Santos

  • Moderador Global
  • *****
  • 6116
  • Recebeu: 729 vez(es)
  • Enviou: 415 vez(es)
  • +7835/-6758
Re: Comando de Aviação do Exército (Cavex)
« Responder #21 em: Novembro 08, 2016, 08:20:39 pm »














Créditos: Cees-Jan van der Ende
 
Os seguintes utilizadores agradeceram esta mensagem: nelson38899

*

mafets

  • Investigador
  • *****
  • 7348
  • Recebeu: 2269 vez(es)
  • Enviou: 904 vez(es)
  • +3972/-4501
Re: Comando de Aviação do Exército (Cavex)
« Responder #22 em: Dezembro 13, 2016, 09:30:21 am »
Já vi noticiado em vários sítios, bem como já li desmentidos. Deixo a notícia.  ;)

http://www.gbnnews.com.br/2016/12/c-23b-sherpa-escolha-do-exercito.html
Citar
Após o anúncio de que uma equipe de oficiais do Exército Brasileiro iria avaliar as condições de aeronaves de transporte C-23B excedentes das forças norte americanas, houve intenso debate nas redes sociais brasileiras sobre a possibilidade de tal aquisição, algo que o EB informou ser apenas uma avaliação e estudo para reativação de sua aviação de asa fixa.

Várias células disponibilizadas ao Brasil foram avaliadas e extensamente analisadas, como resultado desta vistoria, a equipe brasileira selecionou 11 aeronaves que se adequam as necessidades da força e deu aval para aquisição das mesmas, para possibilitar a reativação da operação de aeronaves de transporte de suprimentos e tropas de asa fixa no Exército Brasileiro, cobrindo uma lacuna existente em suas capacidade na região amazônica.

O processo de aquisição em andamento prevê a aquisição inicial de quatro aeronaves no primeiro lote, sendo estas aeronaves responsáveis por fornecer ao EB dados importantes a operação das mesmas, além de servir para avaliar a operação da aeronave e sua taxa de disponibilidade, devendo ser levadas ao extremo pelo COLOG ( Comando Logístico ) afim de atestar suas capacidades e validar sua operação com o Exército Brasileiro. Sendo cumprido todos requisitos dentro do previsto que se espera desta aeronave, será realizada a aquisição de um segundo lote, onde estarão inclusas as demais 7 células selecionadas pela equipe brasileira.

As quatro primeiras aeronaves C-23B brasileiras ainda não possuem prazo para serem entregues, pois as mesmas passarão por um extenso trabalho de revisão e verificação básica de sistemas, o que possibilitará manter sua operação por um longo período, lembrando que as mesmas possuem idade média entre 16 e 20 anos em operação com as forças norte americanas.

O C-23B Sherpa, embora muito criticado por alguns, apresenta um bom potencial e características que o tornam uma boa escolha para operação no Brasil. Principalmente em se tratando de operações na região amazônica, pois como bem sabemos a região carece de infraestrutura, com pistas de pouso curtas e despreparadas, muitas das vezes em condições precárias que dificultam demasiadamente o pouso e decolagem, diante deste cenário, a rusticidade e robustez do "Sherpa" é uma grande vantagem, tendo em vista a capacidade de pouso e decolagem em pistas curtas e sem preparo, outro ponto á favor do "Sherpa" é sua rampa traseira, o que facilita a operação de embarque e descarga de diversos tipos de materiais.

O Exército Brasileiro já manifestou interesse em modernizar tais aeronaves caso estas passem pelo processo de avaliação,o que irá conferir não apenas maior longevidade operacional, como também mais recursos para operação das mesmas e redução nos custos de operação. Tal modernização deverá possibilitar a operação da mesma por mais duas décadas. Para tanto a brasileira AEL já esta acompanhando todo processo de aquisição destas aeronaves e deverá ser a responsável por parte do futuro programa de modernização destas aeronaves.

GBN seu canal de informações e notícias


Cumprimentos
"Nunca, no campo dos conflitos humanos, tantos deveram tanto a tão poucos." W.Churchil

http://mimilitary.blogspot.pt/
 
Os seguintes utilizadores agradeceram esta mensagem: Vitor Santos

*

Vitor Santos

  • Moderador Global
  • *****
  • 6116
  • Recebeu: 729 vez(es)
  • Enviou: 415 vez(es)
  • +7835/-6758
Re: Comando de Aviação do Exército (Cavex)
« Responder #23 em: Dezembro 13, 2016, 06:51:21 pm »
Helicópteros e blindados transportam tropas em dia intenso no Exercício Agulhas Negras



Caçapava (SP) – Fosse embarcando em helicópteros, fosse transpondo o Rio Paraíba do Sul em blindados, as tropas da 2ª Divisão de Exército realizaram operações ofensivas na manhã dessa sexta-feira (25) em Caçapava, no contexto do exercício de adestramento avançado Agulhas Negras.

As ações começaram logo cedo. Às 4h da madrugada, cerca de 500 militares do 2° e do 28° Batalhão de Infantaria Leve transpuseram em botes o Rio Paraíba do Sul. A travessia, que durou menos de 40 minutos, foi realizada de maneira silenciosa para que as forças oponentes simuladas não notassem a ação ofensiva. Depois da primeira fase transcorrer com êxito, foi a vez de as viaturas e os blindados Urutu e Cascavel cruzarem o rio às 10h, em cima de portadas (espécies de balsas). A operação foi apoiada pelo 2° Batalhão de Engenharia de Combate, de Pindamonhangaba.

Ao mesmo tempo, em uma localidade próxima, na Zona Rural de Caçapava, cerca de 300 militares da 12ª Brigada de Infantaria Leve (Aeromóvel) preparavam-se para embarcar nos helicópteros HM4-Jaguar do 1° Batalhão de Aviação do Exército, de Taubaté. A tropa foi deslocada para o município de Paraibuna, onde estabeleceu uma cabeça de ponte aeromóvel. Em terreno hostil, elas são capazes de assegurar uma posição por até 48 horas, quando tropas amigas chegam para realizar a manobra chamada junção.

Exercício Agulhas Negras

Trata-se do exercício de adestramento avançado da 2ª DE, que tem como objetivo capacitar as tropas participantes a realizar operações ofensivas, defensivas, de pacificação e de apoio a órgãos governamentais, bem como exercitar a ação de comando e a capacidade de liderança em todos os níveis.



A 21ª edição do Exercício Agulhas Negras, denominada Operação Paraitinga, está sendo realizada no Vale do Paraíba e conta com a presença de mais de 3,5 mil militares de 16 unidades. Estão envolvidas no exercício, por exemplo, a 11ª Brigada de Infantaria Leve, a 12ª Brigada de Infantaria Leve (Aeromóvel), o Comando de Aviação do Exército, a 1ª Brigada de Infantaria Pará-quedista, a 1ª Brigada de Artilharia Antiaérea, o 1° Batalhão de Guerra Eletrônica e o 1° Batalhão de Defesa Química, Biológica, Radiológica e Nuclear (DQBRN).




























FONTE: http://www.2de.eb.mil.br/index.php/ultimas-noticias/236-helicopteros-e-blindados-transportam-tropas-em-dia-intenso-no-exercicio-agulhas-negras
 

*

Vitor Santos

  • Moderador Global
  • *****
  • 6116
  • Recebeu: 729 vez(es)
  • Enviou: 415 vez(es)
  • +7835/-6758
Re: Comando de Aviação do Exército (Cavex)
« Responder #24 em: Dezembro 13, 2016, 07:12:35 pm »














« Última modificação: Dezembro 13, 2016, 07:16:35 pm por Vitor Santos »
 

*

mafets

  • Investigador
  • *****
  • 7348
  • Recebeu: 2269 vez(es)
  • Enviou: 904 vez(es)
  • +3972/-4501
Re: Comando de Aviação do Exército (Cavex)
« Responder #25 em: Dezembro 14, 2016, 10:06:24 am »
A GBN continua a dar como certa a aquisição de 4 Sherpa por parte do Exercito Brasileiro, para avaliação inicial. Uma compra total que poderá chegar às 11 unidades.  :)
Citar
Ontem nós publicamos o anúncio da aquisição por parte do Exército Brasileiro de um lote inicial de quatro aeronaves C-23B Sherpa, com fins de avaliar a operação das mesmas, precedendo uma aquisição posterior de mais sete aeronaves, totalizando 11 aeronaves selecionadas pela equipe brasileira que inspecionou e avaliou o estado das aeronaves concedendo o aval para sua aquisição.

Muito se comentou e perguntou sobre esta "nova" aeronave que irá operar nos céus brasileiros sob o cocar da Aviação do Exército Brasileiro, que a partir de agora retoma a operação de aeronaves de asa fixa, preenchendo uma importante lacuna em sua capacidade logística, principalmente na região amazônica e fronteiriça do nosso território.

Muitos de nossos leitores questionaram a idade das aeronaves, devido a possuírem idade média aproximada aos vinte anos, ponto este que deve ser analisado com critério, lembrando que as 11 células selecionadas pela equipe de avaliação brasileira, são oriundas das 16 células desativadas do US Army National Guard, possuindo pouquíssimas horas de voo, a exemplo das viaturas recentemente recebidas pelo EB sob doação dos EUA que foi por muitos criticada, onde tais viaturas exibiam estado excelente e pouquíssimos quilômetros rodados e mesmo horas de operação. Logo podemos concluir que tais aeronaves selecionadas apresentam ótimo estado de conservação, o que garantirá uma longa vida operacional no Brasil. Ainda não obtivemos dados de horas/voo de tais exemplares, mas acredita-se que seja muito poucas.

Outro ponto levantado por nossos leitores é o porque de adquirir uma aeronave nos EUA ao invés de adquirir uma aeronave nacional do tipo EMB-110 "Bandeirante", esse ponto é bem simples caros leitores, a aeronave em questão possui características superiores aos nossos "Bandeirantes" no que diz respeito ao seu pacote operacional, possuindo capacidade superior no transporte de tropas, podendo levar até 30 homens equipados, contra 21 no "Bandeirante", ainda sobre suas capacidades o C-23B pode levar o dobro da carga de um "Bandeirante. O C-23B possui rampa traseira, o que agiliza consideravelmente o embarque e descarga de tropas e volumes de carga, além de possibilitar o lançamento de paraquedistas, função a qual desempenha com louvor.

Um dos pontos fortes na escolha do C-23B pelo EB é sua imensa flexibilidade operacional, permitindo sua operação á qualquer tempo e em qualquer lugar, seja em pistas preparadas ou não, capaz de realizar pousos e decolagens em pistas curtas comuns no cenário operacional amazônico e fronteiriço brasileiro. Necessitando de pouca estrutura de apoio, aliado á um grande alcance operacional.

E o ponto que considero de grande valia ao se adquirir essa "nova" aeronave, sua robustez, simplicidade e sua motorização, pois trata-se de um aeronave que esta motorizada com dois Pratt & Whitney Canada PT6A­65AR com 1.425 HP, um veterano no Brasil no qual possuímos extensa experiência em sua manutenção, como facilidades para sua manutenção,algo que irá conferir custos baixos em sua operação com o Exército Brasileiro e um número reduzido de horas em manutenção.

Diferente do que muitos pensam, o C-23B Sherpa é uma excelente aquisição e que virá a somar muito as capacidades de operações logisticas e de assistência á regiões remotas pelo nosso exército, fazendo prevalecer o lema: "Exército Brasileiro, braço forte, mão amiga".

http://www.gbnnews.com.br/2016/12/c-23b-o-novo-valente-da-selva-brasileira.html




Cumprimentos
"Nunca, no campo dos conflitos humanos, tantos deveram tanto a tão poucos." W.Churchil

http://mimilitary.blogspot.pt/
 
Os seguintes utilizadores agradeceram esta mensagem: Vitor Santos

*

Vitor Santos

  • Moderador Global
  • *****
  • 6116
  • Recebeu: 729 vez(es)
  • Enviou: 415 vez(es)
  • +7835/-6758
Re: Comando de Aviação do Exército (Cavex)
« Responder #26 em: Fevereiro 11, 2017, 06:39:56 pm »
Aviação do Exército emprega helicóptero H225M no Estado do Espírito Santo



A Força­Tarefa Conjunta Capixaba realizou, na tarde de 8 de fevereiro, um voo de demonstração de força e reconhecimento
das áreas de atuação da Operação na Grande Vitória.



A bordo da aeronave HM­4 Jaguar (H225M), do 1º Batalhão de Aviação do Exército (1º BAvEx), baseado no Comando de
Aviação do Exército (CAvEx), em Taubaté/SP, os militares sobrevoaram as cidades de Vitória, Vila Velha, Cariacica, Viana e
Serra.



O EB­5008 é um dos mais modernos helicópteros em uso hoje pela AvEx, e conta com o apoio do “Olho da Águia”, um
helicóptero HA­1 Fennec equipado com imageador térmico (FLIR).

FONTE:  http://www.defesaaereanaval.com.br/aviacao-do-exercito-emprega-helicoptero-h225m-na-operacao-capixaba/
 

*

Vitor Santos

  • Moderador Global
  • *****
  • 6116
  • Recebeu: 729 vez(es)
  • Enviou: 415 vez(es)
  • +7835/-6758
Re: Comando de Aviação do Exército (Cavex)
« Responder #27 em: Março 20, 2017, 01:33:26 pm »
Programa Estratégico da Aviação do Exército



Citar
Nesta última semana o Grupo de Ensaios e Avaliações, integrante da Seção de Projetos Especiais do Comando de Aviação do Exército, finalizou o Programa Estratégico da Aviação do Exército.

Toda a preparação do PROGRAMA foi baseada nas orientações emitidas pelo Estado-Maior do Exército Brasileiro, nas recomendações da Diretoria de Material de Aviação do Exército (DMAvEx) e nas orientações das seções de Doutrina, Logística,
Pessoal e Operações do Comando de Aviação do Exército, além de assessoria do Centro de Instrução de Aviação do Exército
(CIAvEx), dos Batalhões Operacionais de Aviação do Exército e do Batalhão de Manutenção e Suprimento de Aviação do Exército
(BMntSupAvEx).

Inserido no Portfólio estratégico do Exército Brasileiro, o PROGRAMA AVIAÇÃO contempla as ações e planejamentos para a Aviação do Exército Brasileiro até o ano de 2035. As Ações e Projetos que compõem o Programa são as seguintes:

Ação Complementar de Infraestrutura:

Completar a infraestrutura do Sistema Aviação do Exército, construindo, ampliando, reformando e adequando as instalações de modo a concluir o Plano Diretor das Organizações Militares de Aviação.

Ação Complementar de Modernização das Aeronaves Fennec e Super Pantera

Completar o processo de modernização de aeronaves, de modo a estender a vida útil da frota de Esquilo/Fennec e Pantera, visando manter as atuais capacidades de reconhecimento, instrução e emprego geral.

Projeto Modernização do Sistema de Armas do “Fennec AvEx”



A modernização de um sistema de armas para as aeronaves AS550A2 “Fennec AvEx” da Aviação do Exército permitirá incrementar a capacidade de inteligência, reconhecimento armado, vigilância e aquisição de alvos, aprimorando o atual “Sistema Olhos da Águia – SOA”, aumentando o poder dissuasório do Exército Brasileiro.

Projeto Simulador de Voo



A implantação do Centro de Simulação, que segue rígidos critérios de normas internacionais de certificação, visa
instalar a estrutura física e lógica dos dispositivos de simulação. O complexo construído exclusivamente para esta
atividade na Base de Aviação de Taubaté encontra-se pronto para receber os dispositivos e equipamentos previstos para
este Projeto.

O Projeto prevê o desenvolvimento de software e hardware de um “Full Flight Simulator” da aeronave AS365K2 “Super Pantera” e,
também, obedece a critérios de certificação conforme normas internacionais reconhecidas.

Projeto Manutenção da Capacidade Operativa das Aeronaves de Manobra

Este Projeto tem por objetivo dotar o Exército de novas aeronaves de médio porte, para substituir as atuais aeronaves de manobra (Cougar e Black Hawk) que estão em fase de obsolescência.

Projeto Ampliação da Capacidade de Transporte Logístico

A aquisição de aeronaves de asa fixa capacitará a Força Terrestre a cumprir missões de Pronta Resposta Estratégica (de forma limitada), Comando e Controle (ligação de comando) e Sustentação Logística, particularmente na faixa de fronteira, apoiando os Pelotões Especiais de Fronteira.

Os Requisitos Operacionais foram definidos pelo Comando de Aviação do Exército e encaminhados ao Estado-Maior do Exército.

Projeto Obtenção da Capacidade de Ataque

Este Projeto tem por objetivo permitir à Força Terrestre aprofundar o combate, apoiar as Forças de Superfície (capacidades operativas Ação Terrestre e Manobra) e atuar sobre alvos compensadores com precisão, letalidade, profundidade e efeitos adequados (capacidade operativa Apoio de Fogo).

A aeronave de ataque possibilitará atuar, ainda, em missões de guerra eletrônica, inteligência, reconhecimento armado, vigilância e aquisição de alvos.

FONTE:http://www.defesaaereanaval.com.br/programa-estrategico-da-aviacao-do-exercito/
 

*

Vitor Santos

  • Moderador Global
  • *****
  • 6116
  • Recebeu: 729 vez(es)
  • Enviou: 415 vez(es)
  • +7835/-6758
Re: Comando de Aviação do Exército (Cavex)
« Responder #28 em: Março 23, 2017, 01:09:10 pm »
3º BAvEx e 17º R C Mec realizam adestramento conjunto na Operação Rotores do Oeste

Citar
Amambai (MS) – No dia 17 de março, o 3º Batalhão de Aviação do Exército (3º BAvEx), em conjunto com o 17º Regimento de Cavalaria Mecanizado (17º R C Mec), realizou manobras de fast rope, rapel e Mc Guire na sede do Regimento, como parte do programa de manutenção das habilitações técnicas dos aeronavegantes do Batalhão.

A finalidade do exercício era manter o estado de prontidão para prover aeromobilidade ao Comando Militar do Oeste (CMO). Foram deslocados, de Campo Grande (MS), para as manobras, além de pilotos e mecânicos de voo, militares de manutenção, do rancho, de saúde e dos Pelotões SAR (busca e resgate) e TASA (Transporte, Abastecimento e Suprimento de Aviação).

Durante a Operação, as tripulações de aeronaves do 3º BAvEx e frações do 11º e 17º Regimento de Cavalaria Mecanizado realizaram a manobra de desova em meio aquático, conhecida como helocasting, próximo a Amambai. No dia 20 de março, o 3º BAvEx empregou, também, três aeronaves HA-1 Fennec e dois HM-1 Pantera, visando à manutenção da habilitação técnica de suas tripulações na manobra, enquanto os pelotões do 11º e do 17º R C Mec se adestravam no desembarque de aeronave em meio aquático.

O exercício conjunto permitiu que todas as Unidades envolvidas fossem beneficiassem com o apoio mútuo, possibilitando um melhor estado de preparação para missões aeromóveis no âmbito do CMO. O treinamento está envolvendo diretamente 166 militares das duas Unidades e seis aeronaves, sendo três HM-1 Pantera e três HA-1 Fennec. O 17º R C Mec, além de participar de manobras com frações embarcadas, presta, ao 3º BAvEx, o apoio necessário à Operação, que transcorrerá até o dia 24 de março.

FONTE: EB




« Última modificação: Março 27, 2017, 06:53:54 pm por Vitor Santos »
 

*

Vitor Santos

  • Moderador Global
  • *****
  • 6116
  • Recebeu: 729 vez(es)
  • Enviou: 415 vez(es)
  • +7835/-6758
Re: Comando de Aviação do Exército (Cavex)
« Responder #29 em: Março 23, 2017, 01:15:18 pm »
12º Esqd C Mec adestra tropa em Técnicas Aeromóveis

Citar
Boa Vista (RR) – No dia 16 de março, os militares do 12° Esquadrão de Cavalaria Mecanizado (12º Esqd C Mec) que integram a Força-Tarefa Lobo D’Amada realizaram um exercício de adestramento em técnicas aeromóveis, com o apoio do 4º Batalhão de Aviação do Exército. Durante o exercício foram realizadas as técnicas de infiltração e exfiltração de tropa, por intermédio de embarque e desembarque operacional, utilizando as práticas de rapel e fast rope.

FONTE: EB





« Última modificação: Março 27, 2017, 06:46:32 pm por Vitor Santos »