Bélgica caminha para a desagregação?

  • 32 Respostas
  • 13657 Visualizações
*

papatango

  • Investigador
  • *****
  • 6317
  • Recebeu: 478 vez(es)
  • +3071/-534
(sem assunto)
« Responder #30 em: Janeiro 30, 2008, 09:36:43 pm »
Conforme disse o Supremo Alquimista e apenas acrescentanto uma nota, as nações europeias existem exactamente porque as comunidades ou povos têm tendência a defender aquilo que consideram como a sua herança, que os define como povo e como nação.

OS pequenos países da Europa, têm História, raizes e tradições que explicam a sua existência.

O Homem não pode viver sem História e sem raizes. SE não as tiver, não é ninguém.

Os pequenos países da Europa, ganharam muitas vezes com muito esforço, coragem e sangue o direito de existirem.

Não devemos insultar esse esforço, quando não entendemos as razões que levaram pessoas a morrer pelo direito à liberdade ou à independência.
É muito mais fácil enganar uma pessoa, que explicar-lhe que foi enganada ...
 

*

André

  • Investigador
  • *****
  • 3555
  • Recebeu: 2 vez(es)
  • +89/-0
(sem assunto)
« Responder #31 em: Janeiro 31, 2008, 02:14:34 pm »
Citar
Curiosidade: Por que Portugal não tem família real? Qual foi o último Rei que vocês tiveram?


Porque Portugal teve um golpe de estado em 1910 que instaurou a República e último rei de Portugal foi D.Manuel II que exilou-se em Inglaterra ...


 

*

André

  • Investigador
  • *****
  • 3555
  • Recebeu: 2 vez(es)
  • +89/-0
(sem assunto)
« Responder #32 em: Março 23, 2008, 12:10:18 am »
Parlamento dá luz verde a governo de Yves Leterme

Citar
A câmara baixa do parlamento belga deu hoje "luz verde" ao novo executivo liderado pelo democrata-cristão flamengo Yves Leterme e formado por cinco partidos, três dos quais valões (francófonos).

No fim de um debate que se arrastou cerca de nove horas, o Governo foi aprovado por 97 votos a favor, 48 contra e uma abstenção.

Agora será a câmara alta (Senado) a ter de se pronunciar, mas em muito menos tempo do que o Congresso dado o apoio já granjeado pela equipa de Leterme, claro vencedor das legislativas de Junho de 2007.

A Bélgica sai assim da crise política de nove meses que se seguiu às eleições, devida à dificuldade de entendimento das comunidades flamenga e francófona sobre o programa governamental.

O executivo de Leterme só passou à terceira tentativa e com uma coligação assimétrica, formada por democrata-cristãos flamengos e valões, liberais também das duas comunidades que, por lei, têm de estar representadas, e ainda socialistas francófonos.

A reforma do Estado - em que está em causa uma maior descentralização - deverá ser negociada em paralelo, quando forem definidas as competências a transferir do Governo.

Até Junho, por "compromisso" assumido pelo novo primeiro-ministro belga, a reforma institucional avançará.

Lusa