Estalinegrado-até ao último cartucho de Heinz Schroter

  • 1 Respostas
  • 2558 Visualizações
*

Carlos Rendel

  • 187
  • Recebeu: 2 vez(es)
  • +0/-0
Estalinegrado-até ao último cartucho de Heinz Schroter
« em: Novembro 26, 2011, 01:15:44 pm »
Citar
Este livro não pretende glorificar a guerra,mas os seus mortos.

Este livro foi escrito em 1943,a pedido de Goebbels,e em nome de Hitler com base em documentos do Alto-Comando alemão.A história das vinte e duas divisões que não voltaram horrorizou o ministro de Informação e Propaganda,

e compreende-se que tenha dito:" O povo alemão não suportará este relato".Duzentos e vinte mil soldados que supunham ir passar a Estalinegrado uma semana  ou um mês ficaram para toda a eternidade.Outros cento e vinte e três

mil, tomaram o caminho do cativeiro.Tal é o resumo dramático de  uma das maiores batalhas da História.

Observação:- Só voltaram para casa cêrca de cinco mil já na década de 50-
CR
 

Re: Estalinegrado-até ao último cartucho de Heinz Schroter
« Responder #1 em: Novembro 27, 2011, 08:33:29 pm »
Boa noite  
Conheço o livro. É efecivamente a batalha vista no lado real.

Lembro uma frase de um escritor militar: "nos mapas do Estado-Maior as picadas transformam-se em auto-estradas" (Jules Roy - Dien Bien Phu).

Não era por acaso que o general alemão Guderian muito apreciava o tanque ligeiro(calibre 37 mmm) pela facilidade de manobra em áreas de montanha.

Também em Dien Bien Phu foram utilizados tanques ligeiros mas não em quantidade suficiente e de um modo tacticamente incorrecto, aliás o mesmo aconteceu com a artilharia (o comandante suicidou-se quando se apercebeu do erro).
 
Com os melhores cumprimentos

MR