Tecnologia real... ou surrealista?!...

  • 12 Respostas
  • 4897 Visualizações
*

me163

  • Membro
  • *
  • 118
  • +0/-0
Tecnologia real... ou surrealista?!...
« em: Janeiro 26, 2004, 03:33:30 pm »
E que me dizem desta companhia?!


http://www.stavatti.com

Vejam o que eles tem planeado nos 'Tactical Aircraft' e também, e mais curioso ainda, o que vem sob o item 'Special Access', nomeadamente o protótipo TIS-1


Acabou-se a ficção ciêntifica?!...  :lol:
Si vis pacem parabellum
 

*

Luso

  • Investigador
  • *****
  • 8471
  • Recebeu: 1591 vez(es)
  • Enviou: 654 vez(es)
  • +905/-6882
Não sei...
« Responder #1 em: Janeiro 26, 2004, 05:16:26 pm »
Parece-me um pouco com a Metal Storm: muito espalhafato e pouca obra...

Todavia gosto do Machete. Só é pena que o canhão interno disponha de poucas munições para funcionar como CAS...
Já viu a arma laser deles?
Ai de ti Lusitânia, que dominarás em todas as nações...
 

*

Spectral

  • Investigador
  • *****
  • 1437
  • +4/-1
(sem assunto)
« Responder #2 em: Janeiro 26, 2004, 08:55:46 pm »
também me parece um pouco (demasiado) imaginativo...  :D

Luso, concordo completmente quanto à Metal Storm! aquilo era anunciado como "the next big thing" mas as pessoas não estavam a reparar nas limitações práticas destes sistemas. Como sempre o marketing e o show-off levaram a melhor até a realidade ficar demasaido visível.
I hope that you accept Nature as It is - absurd.

R.P. Feynman
 

*

me163

  • Membro
  • *
  • 118
  • +0/-0
(sem assunto)
« Responder #3 em: Janeiro 27, 2004, 12:34:59 pm »
Também já tinha visto a MetalStorm.
Aquilo parece tudo muito interessante, mas acho que fica por aí.

Quanto à arma laser da Stavatti, não tenho os conhecimentos de física, ou melhor, já não me lembro deles...  :D para poder avaliar se é viável ou não a construção imediata, com a tecnologia existente, de tal arma.

A ser possível, e apesar do custo, esta causaria uma revolução enorme na forma como se combate hoje em dia.

Mas pensando que os americanos tiveram de modificar um 747 para poderem ter um laser com potência suficiente para derrubar ICBMS, tenho algumas dúvidas.

No entanto, não podemos esquecer-nos que é das ideias de génios loucos como estes, que se fazem os avanços tecnológicos até aí julgados como Ficção.

Há alguns anos falava-se da utilização de Railguns, mas além dos poucos testes que se desclassificaram, nada mais se soube.

Um abraço,
me163
Si vis pacem parabellum
 

*

Spectral

  • Investigador
  • *****
  • 1437
  • +4/-1
(sem assunto)
« Responder #4 em: Janeiro 28, 2004, 08:46:47 pm »
Lasers...
Um laser é na prática um "canhão" de fotões ( partículas sem massa que viajam à velocidade da luz) , neste caso com um comp. de onda entre os 300-700 nm), ou seja é radiação visível. O que distingue um laser de por exemplo uma lampada é que ele concentra esta radiação e fá-la sair por uma abertura realtivamente estreita, ou seja , até o comum ponteiro laser tem um luminosidade comparavél à do Sol (daí não ser nada aconselhável apontar um aos olhos de alguém  :D
I hope that you accept Nature as It is - absurd.

R.P. Feynman
 

*

komet

  • Investigador
  • *****
  • 1662
  • Recebeu: 1 vez(es)
  • +0/-1
(sem assunto)
« Responder #5 em: Janeiro 29, 2004, 01:34:25 pm »
Citar
Komet, o que os americanos estão a montar no 747 não tem segredo nenhum.


Nem nunca eu disse tal coisa. Há muito tempo que se fala disso, mesmo na internet.

Um laser regular, apontado à Lua se tivesse poder para ser visível a essa distância, já teria dissipado a luz num raio de cerca de 500m :p , é um exemplo de como se teria de aperfeiçoar bastante os lasers para um dia destruir, quem sabe uma ogiva em órbitas muito exteriores.
"History is always written by who wins the war..."
 

*

Spectral

  • Investigador
  • *****
  • 1437
  • +4/-1
(sem assunto)
« Responder #6 em: Janeiro 30, 2004, 12:52:05 am »
certo, certo Komet.

esse é outro dos problemas dos lasers. Mas acredito que aqui é mas uma questão de dinheiro, vontade e paciência:  mais tarde ou mais cedo estes sistemas estarão disponíveis. Agora se a sua aplicação prática no campo de batalha for eficaz já é outra coisa.

já agora encontrei isto

http://www.strategypage.com//fyeo/howtomakewar/default.asp?target=hticbm

este site, às vezes publica notícias sem valor nenhum, portanto não sei qual será a credibilidade...

cumptos
I hope that you accept Nature as It is - absurd.

R.P. Feynman
 

*

Luso

  • Investigador
  • *****
  • 8471
  • Recebeu: 1591 vez(es)
  • Enviou: 654 vez(es)
  • +905/-6882
(sem assunto)
« Responder #7 em: Maio 15, 2004, 01:28:44 pm »
:mrgreen:
Ai de ti Lusitânia, que dominarás em todas as nações...
 

*

Spectral

  • Investigador
  • *****
  • 1437
  • +4/-1
(sem assunto)
« Responder #8 em: Maio 15, 2004, 01:40:02 pm »
:feliz:  :feliz:

Já tinha visto...

E a sede da empresa é um barracão...



Além disso também fabricam lançadores espaciais

http://www.stavatti.com/launch_vehicles.html

 :rir:  :rir:
I hope that you accept Nature as It is - absurd.

R.P. Feynman
 

*

Fábio G.

  • Investigador
  • *****
  • 1393
  • +3/-0
(sem assunto)
« Responder #9 em: Maio 16, 2004, 02:54:06 am »
Citação de: "Spectral"
Já tinha visto...

E a sede da empresa é um barracão...


Esta é boa ...  :lol:
 

*

Fábio G.

  • Investigador
  • *****
  • 1393
  • +3/-0
(sem assunto)
« Responder #10 em: Julho 13, 2004, 03:04:05 pm »
Metal Storm:



 

*

JLRC

  • Investigador
  • *****
  • 2505
  • Recebeu: 1 vez(es)
  • +4/-85
Planes = Plants?
« Responder #11 em: Outubro 23, 2004, 01:58:07 pm »
DARPA: Planes = Plants?



Don't laugh -- you may be flying something built from the same materials as this Venus Flytrap someday.


The Pentagon wants planes to start acting more like plants. That's the ultimate goal of a research project, funded by Darpa, the Defense Department's mad science division.

We all know plants change their shape. Some bend to catch the sun's rays; some snap to catch a meaty treat; some stiffen when they're watered. Darpa would like to have tough, man-made materials that can pull off some of the same tricks. Maybe, one day, it can lead to a jet that can pull back its wings when it's ready to attack, or extend 'em to glide.

Researchers at Virginia Tech have won from Darpa a $2.1 million, year-and-half grant to start to figure out ways to do this. "The plan calls for the investigation of the protein structures of plants for the purpose of understanding their role in generating shape changes in natural materials," says a Virginia Tech press release. "The protein structures under analysis would then be used to develop a synthetic material that incorporates properties that produce controllable shapes."

The project – Nastic Materials -- is part of a whole range of efforts by Darpa to make materials that act a little like living things. As John Main, the program's manager, said at a DarpaTech conference earlier this year:



The intersection of materials science and nature appears to show great promise for delivering materials with unobtainable properties.
Natural materials are truly magnificent: Living bones grow, repair damage, remodel to distribute stress, and produce blood. Muscle turns lipids into work to help us regulate body temperature, maintain balance, and walk. Plant tissues grow, distribute nutrients, isolate injury, self-clean, support leaves, and sometimes even move with surprising force, such as tree roots upending concrete sidewalks.

All of these characteristics are unobtainable [in man-made things] if you limit yourself to the world of conventional materials. Yet they are all clearly possible, because nature has supplied us with examples to study and potential paths to follow to create similar capabilities.

Ends
 

*

dremanu

  • Investigador
  • *****
  • 1254
  • Recebeu: 1 vez(es)
  • +7/-18
Re: Planes = Plants?
« Responder #12 em: Outubro 24, 2004, 09:09:07 pm »
Citação de: "JLRC"
DARPA: Planes = Plants?



Don't laugh -- you may be flying something built from the same materials as this Venus Flytrap someday.


The Pentagon wants planes to start acting more like plants. That's the ultimate goal of a research project, funded by Darpa, the Defense Department's mad science division.

We all know plants change their shape. Some bend to catch the sun's rays; some snap to catch a meaty treat; some stiffen when they're watered. Darpa would like to have tough, man-made materials that can pull off some of the same tricks. Maybe, one day, it can lead to a jet that can pull back its wings when it's ready to attack, or extend 'em to glide.

Researchers at Virginia Tech have won from Darpa a $2.1 million, year-and-half grant to start to figure out ways to do this. "The plan calls for the investigation of the protein structures of plants for the purpose of understanding their role in generating shape changes in natural materials," says a Virginia Tech press release. "The protein structures under analysis would then be used to develop a synthetic material that incorporates properties that produce controllable shapes."

The project – Nastic Materials -- is part of a whole range of efforts by Darpa to make materials that act a little like living things. As John Main, the program's manager, said at a DarpaTech conference earlier this year:

The intersection of materials science and nature appears to show great promise for delivering materials with unobtainable properties.
Natural materials are truly magnificent: Living bones grow, repair damage, remodel to distribute stress, and produce blood. Muscle turns lipids into work to help us regulate body temperature, maintain balance, and walk. Plant tissues grow, distribute nutrients, isolate injury, self-clean, support leaves, and sometimes even move with surprising force, such as tree roots upending concrete sidewalks.

All of these characteristics are unobtainable [in man-made things] if you limit yourself to the world of conventional materials. Yet they are all clearly possible, because nature has supplied us with examples to study and potential paths to follow to create similar capabilities.

Ends


Notícia muito interessante.
"Esta é a ditosa pátria minha amada."