Argoladas de tradução na TV portuguesa

  • 45 Respostas
  • 18373 Visualizações
*

PereiraMarques

  • Moderador Global
  • *****
  • 7964
  • Recebeu: 1305 vez(es)
  • Enviou: 349 vez(es)
  • +5207/-238
(sem assunto)
« Responder #30 em: Outubro 24, 2008, 11:45:01 pm »
Citação de: "Ermit"
Basta ver 90% das traduções feitas dos titulos dos filmes...  :mrgreen:

Além disso as traduções são como as mulheres...as fiéis não costumam ser boas e as boas não costumam ser fiéis :P
 

*

Ermit

  • Membro
  • *
  • 189
  • +0/-0
(sem assunto)
« Responder #31 em: Outubro 25, 2008, 01:37:06 pm »
Citação de: "PereiraMarques"
Além disso as traduções são como as mulheres...as fiéis não costumam ser boas e as boas não costumam ser fiéis :rir:

Grande frase, até pensei sériamente em coloca-la como assinatura :lol:

Cumprimentos
Não sabe assinar.
 

*

quintanova

  • 148
  • +0/-0
    • Em Busca de Lecor
(sem assunto)
« Responder #32 em: Outubro 27, 2008, 01:01:58 pm »
Desta feita, trago aqui uma argolada da RTP 1, mas não relacionada com assuntos militares, mas é grave. O filme é a "Esfera", com, entre outros, Dustin Hoffman e Sharon Stone. "Squid" é insistentemente traduzido como 'polvo', quando devia ser 'lula'.

No canal MOV, na excelente série Generation Kill ficamos a saber (mal) que 'Lance-Corporal' dos Marines norte-americano se traduz por 'Cabo de Lanceiros'. O senhor tradutor melhor faria em ir à wikipedia (que não é assim tão mazinha quanto isso), verificar que Lance-Corporal é o nível OR-3 da NATO, e que equivale, no Exército Português, a Primeiro-Cabo, e na Armada Portuguesa, a Primeiro-Marinheiro.

Tudo seria melhor que incorporar o nosso cabo nos Lanceiros, coisa que aliás não existe no exército norte-americano há mais de cem anos.

Já a série Generation Kill, recomendo vivamente, sextas-feiras às 22 horas no MOV. Fala sobre uma unidade de reconhecimento dos Marines na Invasão do Iraque de 2003 e está baseada num livro escrito por um embedded reporter da revista Rolling Stone.

*

abatista

  • Membro
  • *
  • 209
  • +0/-0
(sem assunto)
« Responder #33 em: Outubro 27, 2008, 04:04:51 pm »
Citação de: "quintanova"
Já a série Generation Kill, recomendo vivamente, sextas-feiras às 22 horas no MOV. Fala sobre uma unidade de reconhecimento dos Marines na Invasão do Iraque de 2003 e está baseada num livro escrito por um embedded reporter da revista Rolling Stone.


E que passam a vida a levar com fogo da própria artilharia.. :lol:
 

*

quintanova

  • 148
  • +0/-0
    • Em Busca de Lecor
(sem assunto)
« Responder #34 em: Outubro 27, 2008, 07:32:48 pm »
Citação de: "abatista"
Citação de: "quintanova"
Já a série Generation Kill, recomendo vivamente, sextas-feiras às 22 horas no MOV. Fala sobre uma unidade de reconhecimento dos Marines na Invasão do Iraque de 2003 e está baseada num livro escrito por um embedded reporter da revista Rolling Stone.

E que passam a vida a levar com fogo da própria artilharia.. :lol:


O friendly fire, ou fogo amigo, esteve também em grande foco na 1.ª Guerra do Iraque, em 1991, e que foi, salvo erro, a maior causa de morte em combate.

Uma coisa boa é que os oficiais subalternos são em geral bem vistos, moda que começou com o Saving Private Ryan e Band of Brothers. Desde 1970's oficial era, no cinema, sinónimo de burro.

Apesar disso, o comandante da companhia, no episódio 3, queria chamar um bombardeamento com as próprias forças a 200 metros. Talvez assim se queira explicar como as coisas acontecem a escalão companhia, quanto mais a escalão divisão ou corpo.

*

abatista

  • Membro
  • *
  • 209
  • +0/-0
(sem assunto)
« Responder #35 em: Outubro 27, 2008, 11:54:21 pm »
Citação de: "quintanova"
Uma coisa boa é que os oficiais subalternos são em geral bem vistos, moda que começou com o Saving Private Ryan e Band of Brothers. Desde 1970's oficial era, no cinema, sinónimo de burro.


Acabei de ver Men of Honor, e reparei logo nisso, numa das linhas do Sargento-Mor da escola de mergulhadores:
"A Chief Petty Officer shall not drink. However, if he should drink he shall not get drunk. If he should get drunk, he shall not stagger. And if he should stagger, he shall not fall. And if he should fall, he will fall in such a manner as to cover up his rank so that passerbyers will think he is an officer." :lol:
 

*

quintanova

  • 148
  • +0/-0
    • Em Busca de Lecor
(sem assunto)
« Responder #36 em: Abril 17, 2009, 08:07:40 am »
Esta é fresquinha. No excelente filme 'Major Dundee' (1965), a passar no Canal Hollywood, o dito major, referindo ao que lhe fazia falta para a campanha (pessoal e não autorizada superiormente) contra um bando de Apaches, indica por último Ordnance, que é traduzido, no filme, por 'careço de ou não tenho autorização'.
Na verdade, Ordnance refere-se à munição ou toda a panóplia de suprimentos militares, desde o armamento a ferramentas.

*

quintanova

  • 148
  • +0/-0
    • Em Busca de Lecor
(sem assunto)
« Responder #37 em: Abril 22, 2009, 09:19:34 am »
Estava eu a ver ontem um doc do História relativamente às passagens do Reno em Março de 1945 pelos Aliados, quando ouço do único contra-ataque alemão de "artilharia pesada"; ao mesmo tempo, vejo carros de combate (tanques) - momento esquisito que só pode ser explicado pela palavra Armor mal traduzida, por Artilharia pesada quando deveria ser, por exemplo, Tanques ou Carros de Combate.

Isto, diga-se, um erro numa tradução que até está boa no geral.

*

Falcão

  • Administrador
  • *****
  • 399
  • Recebeu: 10 vez(es)
  • Enviou: 8 vez(es)
  • +12/-15
    • http://forumdefesa.com
(sem assunto)
« Responder #38 em: Maio 27, 2009, 06:09:01 pm »
Citação de: "migas75"
Olá! Alguém sabe como se diz em Português "kicker charges"?

Estou a traduzir um documentário sobre demolições e eles vão usar "kicker charges" em vez de cargas lineares.

Suponho que serão cargas de impacto, ao passo que as cargas lineares são para fazer cortes no aço.

Se quiserem ver do que estou a falar, aqui está um link do programa.

http://dsc.discovery.com/videos/the-det ... ction.html

Decidi pôr-vos esta questão porque pensei que, melhor que ninguém, o pessoal deste fórum sabe do que fala quando se trata de explosivos...

Desde já muito obrigado! :D
Cumprimentos
 

*

Falcão

  • Administrador
  • *****
  • 399
  • Recebeu: 10 vez(es)
  • Enviou: 8 vez(es)
  • +12/-15
    • http://forumdefesa.com
(sem assunto)
« Responder #39 em: Junho 02, 2009, 12:32:03 pm »
Citação de: "migas75"
Alguém sabe como se traduz "six-pounder gun"? (referem-se aos canhões usados na Guerra Civil Americana. Não sei se é só converter o peso ou se tem um nome específico em português)

Obrigado
Cumprimentos
 

*

papatango

  • Investigador
  • *****
  • 7648
  • Recebeu: 1044 vez(es)
  • +4783/-951
(sem assunto)
« Responder #40 em: Junho 02, 2009, 11:58:38 pm »
Os britânicos, mesmo até à II Guerra Mundial continuavam a designar a sua artilharia pelo peso do projectil e não pelo calibre.

Um exemplo, que podemos dar, é o tanque Valentine, que tinha um «two pounder» que na prática era um canhão de 40mm.

Os «Centaur» portugueses estavam armados com um «six pounder» que era uma peça de 57mm.
É correcto chamar-lhes peças de seis libras, de duas libras ou dezassete libras, conforme o caso.
É muito mais fácil enganar uma pessoa, que explicar-lhe que foi enganada ...
 

*

oTradutor

  • 1
  • +0/-0
Re: Argoladas de tradução na TV portuguesa
« Responder #41 em: Abril 05, 2010, 06:19:18 pm »
Boas amigos,

Estive a ler com alguma atenção alguns dos detalhes que apontaram relativamente a traduções, que sendo de teor técnico, e na minha opinião como profissional de tradução já de há 14 anos para cá, devem ter, de forma ideal, uma redobrada atenção.

O grande problema é que, por vezes, em termos de urgência de entrega de trabalho (prazos apertados) e da pouca flexibildade do cliente relativamente a essa matéria, por vezes não temos opção senão entregar o trabalho "cortado à faca", para nosso grande desagrado pessoal e profissional. Mas a realidade, quem a dita é o cliente, e bem feito ou mal feito, ele quer é lá o trabalho.

A acrescer a este facto, e nesta matéria em concreto, por vezes eu, e colegas de profissão meus, simplesmente não sabemos onde encontrar fontes de informação fiável. Claro que a grande maioria de vocês está dentro da matéria, e facilmente conseguem apontar "gralhas", mas para quem está fora da mesma, é outro assunto.

Como exemplo, ainda recentemente traduzi alguns episódios da série NCIS INVESTIGAÇÃO CRIMINAL - A segunda temporada, na qual me apareceram termos como "petty officer", "lance corporal", "LEO", entre outros que tais. Por acaso fui elucidado aqui para a solução para "lance corporal", mas a grande maioria de termos teve que ir de acordo com a minha interpretação e com as poucas soluções (que pudesse considerar fiáveis) na Wikipedia. E porquê? Porque o prazo era apertado, e a entrega do trabalho era hoje.

De modo que, entendendo por completo a vossa frustração para incongruências técnicas (que também partilho, noutros campos), sensibilizo-vos para a nossa realidade, que nem sempre é a mais favorável. Não é para dizer que todos os profissionais são bons, mas aqueles que realmente são e procuram fazer o seu trabalho com qualidade, muitas vezes sofrem pelos outros, ou mesmo pelo cliente.

Um forte abraço neste fórum, que irei acompanhando, e talvez esclarecendo até mais algumas dúvidas, para a eventualidade de me surgirem mais episódios na temática de assuntos militares (navais, ou de outra espécie).
 

Re: Argoladas de tradução na TV portuguesa
« Responder #42 em: Julho 19, 2010, 08:46:30 pm »
Anúncios e series sem serem dubrados devidamente para Português.

Não só as traduções nas series são desastrosas como somos confrontados com os anúncios que nem legendas têm do espanolismo que nos invade constantemente os nossos ouvidos.

É ridiculo esta situação só para poupar uns trocos porque estas impresas, como a suberana Zon, tem tantos lucros que só por ganancia é que não respeita a lei.

Nem nos foruns das respectivas empresas nos deixam protestar.


Só iram fazer alguma coisa se tiverem muitas reclamações, dizem os ditos responsaveis, sendo assim protestaremos cada vez mais.
 

*

P44

  • Investigador
  • *****
  • 19295
  • Recebeu: 6002 vez(es)
  • Enviou: 6721 vez(es)
  • +7446/-10098
Re: Argoladas de tradução na TV portuguesa
« Responder #43 em: Julho 20, 2010, 04:37:41 pm »
mas se "eles " nem escrever português sabem, quanto mais traduções

basta ver as noticias em rodapé dos telejornais, é com cada alarvidade

ainda ontem "atetismo" em vez de atletismo, "fiueira da foz" em vez de figueira da foz.

eu gosto especialmente desta... :mrgreen:


"[Os portugueses são]um povo tão dócil e tão bem amestrado que até merecia estar no Jardim Zoológico"
-Dom Januário Torgal Ferreira, Bispo das Forças Armadas
 

*

AtInf

  • Membro
  • *
  • 256
  • Recebeu: 24 vez(es)
  • Enviou: 1 vez(es)
  • +3/-0
Re: Argoladas de tradução na TV portuguesa
« Responder #44 em: Julho 27, 2010, 12:06:23 pm »
Uma azelhice corrente nas séries policiais é a de traduzir para "oficial" o termo officer que significa simplesmente "agente".
Outra é para o posto de "gunnery-sergeant" ou "gunny" dos fuzileiros americanos ser traduzido como sargento artilheiro, o correcto será de acordo com tabela de equivalencia de postos NATO (OR-7) traduzir para o correspondente português de "sargento-ajudante".
Já agora "marines" = fuzileiros e não "marinheiros".
Sobre o calibre das armas então é melhor não falar muito, deixo só uma sugestão: se ainda se lembram das conversões de medidas pensem nisto - tudo o que for maior que 12,7 mm ( calibre .50 ) é considerado um canhão. atenção porque há calibres em mm e outros em polegadas.