EH-101

  • 1119 Respostas
  • 298560 Visualizações
*

Charlie Jaguar

  • Investigador
  • *****
  • 5715
  • Recebeu: 5742 vez(es)
  • Enviou: 3831 vez(es)
  • +10077/-2655
Re: EH-101
« Responder #1095 em: Abril 15, 2024, 09:47:27 am »
19601 751 – Pumas (MOB)

Gonçalo:

19601 BA4, Esq. 752 (FOB1)
19605   //  ,    //            //

Caro Charlie Jaguar,

Quer isto dizer que a Esq 752, tem apenas essas duas aeronaves atruibuidas neste momento ?

E porque continua a chamar FOB (forward operating base) se esta é a base da 752 ? Acho isso confuso

Obrigado

Bom, começando pelo final: no caso de FOB1 (Forward Operating Base #1) estou apenas a usar a terminologia iniciada pelo Gonçalo (ou seja, FOB1 corresponderá à BA4 Lajes).

Em relação à Esq. 752, sim, neste momento tem duas aeronaves atribuídas, às quais se junta o C-295M do destacamento da Esq. 502.

O resto foi muito bem explicado pelo raphael no post anterior, ao que acrescentaria apenas que é por essa razão que os números de cauda das aeronaves nas Lajes, e também em Porto Santo, vão variando e não são sempre os mesmos.
Saudações Aeronáuticas,
Charlie Jaguar

"(...) Que, havendo por verdade o que dizia,
DE NADA A FORTE GENTE SE TEMIA
"

Luís Vaz de Camões (Os Lusíadas, Canto I - Estrofe 97)
 
Os seguintes utilizadores agradeceram esta mensagem: paraquedista

*

Drecas

  • Investigador
  • *****
  • 1602
  • Recebeu: 514 vez(es)
  • Enviou: 179 vez(es)
  • +317/-191
Re: EH-101
« Responder #1096 em: Abril 23, 2024, 05:42:46 pm »
sobre a questão de um potencial MLU dos Merlin nesta LPM:

"verbas disponíveis permitem uma sustentação, mas não permitem um MLU, pontualmente vamos fazendo algumas resoluções do obsoletismo, de momento não é esperado nenhum MLU"

Não é uma transcrição perfeita, desculpem por isso mas é mais o menos o que foi dito no workshop da idD
 
Os seguintes utilizadores agradeceram esta mensagem: Charlie Jaguar, Cabeça de Martelo, wyldething

*

raphael

  • Investigador
  • *****
  • 1720
  • Recebeu: 414 vez(es)
  • Enviou: 359 vez(es)
  • +110/-45
Re: EH-101
« Responder #1097 em: Abril 25, 2024, 11:55:37 pm »
Lembrai-vos dos diálogos sobre a sangria dos pilotos-comandante da Esquadra 751, por causa da criação/edificação da 752 e colocação em permanência de tripulações nas Lajes sem a rotação?...bom pois é...parece que o Arquipélago da Madeira, nos próximos tempos só vai contar com o C-295...

Na ausência de tripulação completa...ao que li nas redes sociais, o EH-101 do AM3 Porto Santo retraiu para o Montijo...até termos melhores dias.

Confirma-se?

Ainda vamos chegar ao cúmulo de termos aeronaves e não termos tripulações/pilotos...noutras esquadras de voo...
Um abraço
Raphael
__________________
 
Os seguintes utilizadores agradeceram esta mensagem: NVF, Charlie Jaguar, Subsea7, PTWolf

*

dc

  • Investigador
  • *****
  • 8799
  • Recebeu: 4108 vez(es)
  • Enviou: 742 vez(es)
  • +5035/-811
Re: EH-101
« Responder #1098 em: Abril 26, 2024, 12:33:58 am »
Quanto a vocês não sei, mas a mim parece-me que ou começam a pagar bem melhor às tripulações, ou vão ter que arranjar pessoal originário das respectivas regiões para os Merlin.

Em situações destas, e com os meios actuais, se calhar até era preferível ter um Lynx da Marinha ocasionalmente destacado (pelo menos na Madeira), para tentar solucionar minimamente situações como esta. Pelo menos deixavam de ser apenas táxis aéreos durante 90% do tempo, e permitiam uma melhor agilização da rotação dos Merlin. Aproveitavam e certificavam o convés de voo dos NPOs, permitindo-lhes estender o seu alcance se necessário, quando houvesse um navio destes na zona. Faltava-lhes era o FLIR, para ajudar.

Se aumentos de salários e recrutar tripulações locais não resultarem, era de pensar seriamente num novo modelo de rotação, menos prolongado, e eventualmente a contar com o esforço combinado de mais do que uma frota de helis (passando a incluir, quando necessário, os Lynx e/ou os UH-60 na rotação).
 

*

raphael

  • Investigador
  • *****
  • 1720
  • Recebeu: 414 vez(es)
  • Enviou: 359 vez(es)
  • +110/-45
Re: EH-101
« Responder #1099 em: Abril 26, 2024, 08:28:10 am »
A tua ideia é interessante porém...o alcance efetivo da aeronave e a capacidade do mesmo tem de ser tida em consideração na escolha.

Há uns anos no arquipélago mais acima num dia de tempestade no naufragio de uma embarcação a tripulação do EH101 teve de optar entre recolher o resto dos tripulantes do navio naufragado bem para lá do corvo, num dia de tempestade mesmo tempestade, ou voltar para base porque o combustivel que tinham não chegava para voltar para a base... e em vez de regressar ficaram a resgatar os dois ultimos tripulantes...e voaram a vapores até à base, com o apoio de uma aeronave de asa fixa...penso que durante um exercicio de busca e salvamento.

Isto para dizer que sem o EH101, muitas vidas podem não ser salvas e helis com menor alcance efetivo podem também não ser solução.

Na Madeira em concreto a proximidade das duas ilhas e o facto de serem apenas duas, é quase perder o taxi aéreo, porque a nivel de resgate existe na ilha um heli ao serviço da proteção civil local que vai ter de fazer as vezes do EH nessa componente de resgates de montanha.
Um abraço
Raphael
__________________
 

*

sivispacem

  • Analista
  • ***
  • 661
  • Recebeu: 216 vez(es)
  • Enviou: 68 vez(es)
  • +47/-13
Re: EH-101
« Responder #1100 em: Abril 26, 2024, 11:23:39 am »
Quanto a vocês não sei, mas a mim parece-me que ou começam a pagar bem melhor às tripulações, ou vão ter que arranjar pessoal originário das respectivas regiões para os Merlin.

Em situações destas, e com os meios actuais, se calhar até era preferível ter um Lynx da Marinha ocasionalmente destacado (pelo menos na Madeira), para tentar solucionar minimamente situações como esta. Pelo menos deixavam de ser apenas táxis aéreos durante 90% do tempo, e permitiam uma melhor agilização da rotação dos Merlin. Aproveitavam e certificavam o convés de voo dos NPOs, permitindo-lhes estender o seu alcance se necessário, quando houvesse um navio destes na zona. Faltava-lhes era o FLIR, para ajudar.

Se aumentos de salários e recrutar tripulações locais não resultarem, era de pensar seriamente num novo modelo de rotação, menos prolongado, e eventualmente a contar com o esforço combinado de mais do que uma frota de helis (passando a incluir, quando necessário, os Lynx e/ou os UH-60 na rotação).

E que tal serem as regiões autônomas a terem os seus próprios serviços de evacuações aero-médicas, como lhes compete, ficando as FA's apenas e somente para casos de emergência???  (e SAR, claro está)
« Última modificação: Abril 26, 2024, 11:25:55 am por sivispacem »
 
Os seguintes utilizadores agradeceram esta mensagem: raphael

*

Lightning

  • Moderador Global
  • *****
  • 11129
  • Recebeu: 2375 vez(es)
  • Enviou: 3296 vez(es)
  • +745/-1034
Re: EH-101
« Responder #1101 em: Abril 26, 2024, 03:42:42 pm »
Fiquei curioso sobre a suposta modernização dos EH101 ser muito cara, e fui ver os canadianos.

Realmente...
https://www.canada.ca/en/department-national-defence/services/procurement/cormorant-mid-life-upgrade.html

Parece que vão ficar com helis ao mesmo nivel da Noruega e vão gastar 1.24 billion.  :o

Não é muito esclarecedor quanto é que os nossos custaram, pois existe toda aquela história da "locação", mas parece que custaram 364 milhões pela notícia abaixo. :o

https://www.rtp.pt/noticias/pais/apurada-derrapagem-de-120-milhoes-em-negocio-de-helicopteros-militares_n577933

Se calhar mais vale comprar novos  :mrgreen:
« Última modificação: Abril 26, 2024, 03:45:59 pm por Lightning »
 

*

Pescador

  • Investigador
  • *****
  • 4290
  • Recebeu: 2788 vez(es)
  • Enviou: 2342 vez(es)
  • +5722/-2854
Re: EH-101
« Responder #1102 em: Abril 26, 2024, 03:46:14 pm »
Só incompetência ou gamanço nos negócios militares.

 

*

NVF

  • Investigador
  • *****
  • 5401
  • Recebeu: 4038 vez(es)
  • Enviou: 10280 vez(es)
  • +8460/-246
Re: EH-101
« Responder #1103 em: Abril 26, 2024, 04:07:35 pm »
Talvez porque não são as regiões autónomas mas sim a República Portuguesa que firma os tratados internacionais, como a Convenção Internacional sobre Busca e Salvamento Marítimo.

Creio que caminhamos a passos largos para a subcontratação da SAR a entidades privadas. Em alternativa, há sempre a possibilidade de passar as funções SAR para uma futura guarda costeira.

Se a FAP quer manter a exclusividade da SAR e travar a saída de pessoal de voo em geral, então vai ter que mudar toda a sua filosofia de recursos humanos. As academias militares têm como objetivo último formar oficiais para atingir os postos de coronel ou general, mas isso há muito que não se coaduna com a realidade social.

A maior parte da malta que vai para PILAV vai porque gosta de voar e não passar metade da carreira atrás de uma secretária. Por isso saem a meio da carreira e vão para a avaliação civil, onde passam 20 ou 30 anos a voar e a ganhar bem. Bastava criarem uma opção de carreira para quem não quisesse chegar a general e haveria certamente muito PILAV que ficava. E não seria necessário pagar salários ao nível da TAP. Um bom suplemento salarial e ajudas para realojamento familiar seriam suficientes para reter muita gente, PILAVs e não só. Quem fosse destacado para os Açores ou Madeira, sabia que ia por 5 ou 10 anos, com condições de mater uma vida familiar estável e digna. Para muitos seria uma alternativa mais atractiva do que a aviação comercial, onde pagam bem mas se passa a maior parte do tempo longe de casa.
« Última modificação: Abril 27, 2024, 02:21:25 am por NVF »
Talent de ne rien faire
 
Os seguintes utilizadores agradeceram esta mensagem: Duarte, Charlie Jaguar, Lightning, Subsea7, PTWolf, Machine0028

*

Charlie Jaguar

  • Investigador
  • *****
  • 5715
  • Recebeu: 5742 vez(es)
  • Enviou: 3831 vez(es)
  • +10077/-2655
Re: EH-101
« Responder #1104 em: Abril 26, 2024, 04:09:45 pm »
Lembrai-vos dos diálogos sobre a sangria dos pilotos-comandante da Esquadra 751, por causa da criação/edificação da 752 e colocação em permanência de tripulações nas Lajes sem a rotação?...bom pois é...parece que o Arquipélago da Madeira, nos próximos tempos só vai contar com o C-295...

Na ausência de tripulação completa...ao que li nas redes sociais, o EH-101 do AM3 Porto Santo retraiu para o Montijo...até termos melhores dias.

Confirma-se?

Sim, infelizmente confirma-se:

Citar
Despedida ao EH-101
abril 25, 2024

Depois de muito tempo sem tripulação, o EH-101 da Esquadra 751 destacado no AM3 - Porto Santo, teve esta semana direito a uma tripulação....para levar o helicóptero de volta à BA6 - Montijo, ontem (24.Abr.2024) , depois de alguns problemas terem surgido no dia anterior....

Ou seja, depois de várias situações em que navios de cruzeiro (e, eventualmente outros) tiveram de fazer grandes desvios para os Açores ou outro sítio qualquer para lhe serem efetuadas evacuações médicas por via aérea, este cantinho do Atlântico, à responsabilidade do Estado Português ficam completamente abandonado, no que toca à vertente de SAR por helicóptero...

Uma verdadeira vergonha nacional, que demonstra bem o estado do Estado e uma incúria de níveis há muito não vistos no que toca às responsabilidades do país no só para com a Região como para com todos os que cruzam as nossas águas diariamente.

Depois de ver um EH-101 marcar presença nos céus de Lisboa, é inevitável pensar se a pressa de levar este meio para o continente, se ficou a dever à necessidade de show off para o 25 de Abril, em que tal é mais importante que a salvaguarda da Vida Humana e em que os meios materiais e humanos estão de tal forma depauperados que é impossível dar um ar da sua graça sem desguarnecer completamente um dos mais importantes sectores à responsabilidade de Portugal.....

https://planesandstuff.blogspot.com/2024/04/despedida-ao-eh-101.html?fbclid=IwZXh0bgNhZW0CMTAAAR06b-haduvcHMBvB9X2-GhVenzNWGQtcb48StE_42eXazn2cJG_6yKKrlg_aem_AcXz_Q5PHNDfIlVJuYSQfPxtyxl290uHWTC3lnd0gyyBzjJQ4rRcbmxJ9hzS5YnVtDiVAbV2Ka4AQNzl025Alovj
Saudações Aeronáuticas,
Charlie Jaguar

"(...) Que, havendo por verdade o que dizia,
DE NADA A FORTE GENTE SE TEMIA
"

Luís Vaz de Camões (Os Lusíadas, Canto I - Estrofe 97)
 

*

Charlie Jaguar

  • Investigador
  • *****
  • 5715
  • Recebeu: 5742 vez(es)
  • Enviou: 3831 vez(es)
  • +10077/-2655
Re: EH-101
« Responder #1105 em: Abril 26, 2024, 04:21:23 pm »
Lembrai-vos dos diálogos sobre a sangria dos pilotos-comandante da Esquadra 751, por causa da criação/edificação da 752 e colocação em permanência de tripulações nas Lajes sem a rotação?...bom pois é...parece que o Arquipélago da Madeira, nos próximos tempos só vai contar com o C-295...

A situação nas Esquadras EH-101 está extremamente complicada. Quando em Janeiro começaram a aparecer notícias na imprensa sobre este assunto, havia 9 tripulações disponíveis (num total que deveria ser de 14); hoje em dia existem 7.

E o EH-101 SAR, que ontem participou no desfile aéreo das comemorações do cinquentenário do 25 de Abril, era até à vinda do helicóptero do destacamento da 751 na Madeira o único Merlin disponível em Portugal Continental.
« Última modificação: Abril 26, 2024, 04:22:09 pm por Charlie Jaguar »
Saudações Aeronáuticas,
Charlie Jaguar

"(...) Que, havendo por verdade o que dizia,
DE NADA A FORTE GENTE SE TEMIA
"

Luís Vaz de Camões (Os Lusíadas, Canto I - Estrofe 97)
 

*

Subsea7

  • Investigador
  • *****
  • 1839
  • Recebeu: 1751 vez(es)
  • Enviou: 2594 vez(es)
  • +5512/-2936
Re: EH-101
« Responder #1106 em: Abril 26, 2024, 04:34:25 pm »
Não se admirem, se em breve houver notícias da privatização do SAR..
Cps
 

*

Get_It

  • Investigador
  • *****
  • 2288
  • Recebeu: 544 vez(es)
  • Enviou: 466 vez(es)
  • +837/-829
Re: EH-101
« Responder #1107 em: Abril 26, 2024, 04:51:00 pm »
Portanto, nada que o pessoal aqui já tenha falado nos últimos nove a onze anos.

2021: https://www.forumdefesa.com/forum/index.php?topic=2545.msg357660#msg357660

2014: https://www.forumdefesa.com/forum/index.php?topic=8147.msg244862#msg244862

Com jeitinho esta "posta" minha de 2016 ainda se vai tornar realidade antes de um único UH-60 realizar a primeira missão operacional em 2026:
Mais depressa vamos ver a busca e salvamento a ser privatizada do que a FAP a executar combate aos incêndios ou o MAI a ter Canadair.

Cumprimentos,
:snip: :snip: :Tanque:
 

*

dc

  • Investigador
  • *****
  • 8799
  • Recebeu: 4108 vez(es)
  • Enviou: 742 vez(es)
  • +5035/-811
Re: EH-101
« Responder #1108 em: Abril 26, 2024, 05:14:46 pm »
A tua ideia é interessante porém...o alcance efetivo da aeronave e a capacidade do mesmo tem de ser tida em consideração na escolha.

Há uns anos no arquipélago mais acima num dia de tempestade no naufragio de uma embarcação a tripulação do EH101 teve de optar entre recolher o resto dos tripulantes do navio naufragado bem para lá do corvo, num dia de tempestade mesmo tempestade, ou voltar para base porque o combustivel que tinham não chegava para voltar para a base... e em vez de regressar ficaram a resgatar os dois ultimos tripulantes...e voaram a vapores até à base, com o apoio de uma aeronave de asa fixa...penso que durante um exercicio de busca e salvamento.

Isto para dizer que sem o EH101, muitas vidas podem não ser salvas e helis com menor alcance efetivo podem também não ser solução.

Na Madeira em concreto a proximidade das duas ilhas e o facto de serem apenas duas, é quase perder o taxi aéreo, porque a nivel de resgate existe na ilha um heli ao serviço da proteção civil local que vai ter de fazer as vezes do EH nessa componente de resgates de montanha.

No caso dos Açores é bem mais complicado do que na Madeira, dada a extensão da área de responsabilidade e a distância entre os grupos de ilhas. Mas pelo menos na Madeira, já desenrascava até se encontrar uma solução melhor e definitiva, a utilização de uns Lynx ou futuros UH-60. Mas o essencial, é tentar procurar soluções.

E que tal serem as regiões autônomas a terem os seus próprios serviços de evacuações aero-médicas, como lhes compete, ficando as FA's apenas e somente para casos de emergência???  (e SAR, claro está)

Estou a falar especificamente para SAR, que é o caso mais crítico e "time sensitive". O resto, por mim é igual. Até podia/devia estar sob a responsabilidade de uma GC, como já foi dito.

A privatização é capaz de ser a pior opção. Vai sair-nos muitíssimo caro se tal acontecer, não só a nível financeiro, como através da criação de mais um concorrente (que pagará melhor) da FAP a nível da cativação dos pilotos.

Fiquei curioso sobre a suposta modernização dos EH101 ser muito cara, e fui ver os canadianos.

Realmente...
https://www.canada.ca/en/department-national-defence/services/procurement/cormorant-mid-life-upgrade.html

Parece que vão ficar com helis ao mesmo nivel da Noruega e vão gastar 1.24 billion.  :o

Não é muito esclarecedor quanto é que os nossos custaram, pois existe toda aquela história da "locação", mas parece que custaram 364 milhões pela notícia abaixo. :o

https://www.rtp.pt/noticias/pais/apurada-derrapagem-de-120-milhoes-em-negocio-de-helicopteros-militares_n577933

Se calhar mais vale comprar novos  :mrgreen:

Sim, é bastante caro, mas pelos vistos inclui 3 aeronaves extra (?). Na volta por cá também só se fazia um "MLUzinho", e não o MLU completo.
 

*

Major Alvega

  • Analista
  • ***
  • 855
  • Recebeu: 987 vez(es)
  • Enviou: 618 vez(es)
  • +10721/-202
Re: EH-101
« Responder #1109 em: Abril 26, 2024, 08:45:00 pm »
Não se admirem, se em breve houver notícias da privatização do SAR..
Cps

É uma hipótese discutível mas que não é nada de transcendente na Europa. Assim que me recorde de repente: Espanha, Reino Unido, Suécia e Países Baixos têm o SAR adjudicado a entidades privadas.