A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !

  • 4912 Respostas
  • 597533 Visualizações
*

Pescador

  • Investigador
  • *****
  • 3971
  • Recebeu: 2577 vez(es)
  • Enviou: 2117 vez(es)
  • +5702/-2784
Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
« Responder #4590 em: Novembro 19, 2023, 10:35:27 pm »
A Argos vai ser o porta drones  :mrgreen:

Nop. Vai ser um "drone naval"de teste.  :mrgreen: Parece que o picas mandou o conceito da LFC às malvas e avançou com o projecto  do Navio de Patrulha Costeiro (NPC), como o Bojador da UCC mas mais radical e de projecto nosso.  :mrgreen: Tipo Star Destroyer mas a voar praticamente sozinho.  :mrgreen:

https://segurancaecienciasforenses.com/2021/06/09/aquisicao-de-meios-navais/



Saudações  :mrgreen:

P.S. Lá foram mais umas milenas das LFC para o lixo. Chegou-me aos ouvidos 6 a 8 milhões. Dava para dois Koala ou 5 Vigilantes. Enfim, é o pais que temos.  ::)

https://barcoavista.blogspot.com/2009/07/lanchas-de-fiscalizacao-costeira.html



P.S.2 - A GNR é uma Força de Segurança de Natureza Militar.



E sabe que pode ter mais e quer mais. Se conseguir ir até às 200 milhas certamente virá algo maior que o bojador. E se calhar ainda quer mais...  ::)

  https://www.dn.pt/portugal/gnr-quer-mais-poder-para-patrulhar-aguas-fiscalizadas-pela-marinha-9217102.html

Citar
Um projeto de reorganização da GNR prevê alargar os patrulhamentos marítimos das atuais 12 para as 200 milhas

https://www.cmjornal.pt/portugal/detalhe/gnr-faz-primeiras-patrulhas-aereas-para-prevencao-de-fogos



https://www.dn.pt/politica/gnr-pede-aviao-a-frontex-para-patrulhar-mar-dos-acores-marinha-e-forca-aerea-apanhadas-de-surpresa-15262666.html



A GNR é também órgão de policia criminal e também Bombeiros etc. Tudo e nada, porque quem muitos instrumentos toca é uma banda.

Por isso essa de ser Força de Segurança de natureza militar é como a miss Portugal.
A verdade é que a GNR pertence ao Ministério da Administração Interna e não ao Ministério de Defesa Nacional. Tudo aquilo que é a GNR é, ou pensa ser, é fruto dos comandos militares que estão numa Força de Segurança Interna. Agora por acaso até os comandos da GNR vem da Academia deles e não de Unidades Militares.

A GNR devia ser revista e actualizada e colocada num lugar. UM. Porque assim está em todos, Porque querem é quintinhas para dar mais cargos de comando internamente. Quantas mais unidades diferentes, mais cadeias completas de comando. No entanto chamados numa zona urbana como o concelho de Almada, tendo quarteis na Costa, Trataria e Charneca, poucos km uns dos outros, nem em duas horas estão no local pretendido, ou sequer chegam a ir, mesmo que seja a 1 ou 2 km de um quartel. E de matéria legal pouco sabem, nem sabem o que é o serviço 144 nem enquadrar certos aspectos legais com menores e outras matérias policiais sensíveis. Ficam pelo trânsito e ordem unida.
 

Voltando a tropa

Se a GNR quer as 200 milhas, escusa de haver esta "Guarda Costeira" do Picas, dos navios fofos, civis e disruptivos, senão vão andar a abalroarem-se uns aos outros.


Já agora, tendo a GNR andado a fazer patrulha de helicóptero, é isso um previsão do que vem a seguir. Onde metem o nariz a seguir vem guisado.
Mais depressa eles têm os helicópteros que o Exército. Podem já libertar 2 Koalas para aquecer
Foi assim com a unidade de inativação de explosivos, For assim com a unidade de Operações Especiais, foi com os Bombeiros e com a marinha da GNR. Siga
No momento tem mais efectivo que as FA e o dinheiro parece chegar para umas quintas e brinquedos, mas não chega onde tem perdido espaço, as FA

Este País é um Circo por força de interesses pessoais, onde conta os conhecimentos e simpatrias junto de políticos e não o bom senso ou sequer a seriedade que devia. E no fim esbanja-se dinheiro com replicação do que existe.
 
« Última modificação: Novembro 19, 2023, 10:52:05 pm por Pescador »
 

*

P44

  • Investigador
  • *****
  • 18156
  • Recebeu: 5473 vez(es)
  • Enviou: 5819 vez(es)
  • +7113/-9496
Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
« Responder #4591 em: Novembro 20, 2023, 07:36:19 am »
Concorrência é sempre bom  :mrgreen:
"[Os portugueses são]um povo tão dócil e tão bem amestrado que até merecia estar no Jardim Zoológico"
-Dom Januário Torgal Ferreira, Bispo das Forças Armadas
 

*

LM

  • Investigador
  • *****
  • 2468
  • Recebeu: 902 vez(es)
  • Enviou: 3116 vez(es)
  • +563/-75
Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
« Responder #4592 em: Novembro 20, 2023, 10:47:58 am »
Que haja "tensão" entre as forças para definir as áreas de actuação compreendo - especialmente sendo o poder político o que é e por "em casa que não há pão...". Continuo a não perceber qual o problema da GNR ter uma presença muito forte nas 12 milhas, em ter meios como o Bojador da UCC (ainda por cima pago pela UE!); agora a fixação da Marinha em concorrer nessa área, em não definir que quer apenas apostar em navios iguais ou maiores que as LFC... isso não entendo; parece que ter fragatas / NPO é chato.   
Quidquid latine dictum sit, altum videtur
 
Os seguintes utilizadores agradeceram esta mensagem: P44

*

CruzSilva

  • Investigador
  • *****
  • 1313
  • Recebeu: 524 vez(es)
  • Enviou: 2173 vez(es)
  • +672/-118
Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
« Responder #4593 em: Novembro 20, 2023, 10:54:46 am »
Concorrência é sempre bom  :mrgreen:
É o modelo português: na área da segurança interna sempre tivemos imensas entidades do estado a intervir - a meu ver trata-se da ideia de "dividir para reinar".

Que haja "tensão" entre as forças para definir as áreas de actuação compreendo - especialmente sendo o poder político o que é e por "em casa que não há pão...". Continuo a não perceber qual o problema da GNR ter uma presença muito forte nas 12 milhas, em ter meios como o Bojador da UCC (ainda por cima pago pela UE!); agora a fixação da Marinha em concorrer nessa área, em não definir que quer apenas apostar em navios iguais ou maiores que as LFC... isso não entendo; parece que ter fragatas / NPO é chato.   
O ideal seria a GNR assumir tudo até às 12 milhas ficando Marinha Portuguesa com o resto - e apenas concordo com a ideia de ter uma ramo das FA com uma área de resposabilidade bem definida porque somos um país que não tem capacidade para ter uma guarda costeira completa, acabando por ser necessário nalguns casos recorrer às FA para efeitos de segurança interna.
 

*

P44

  • Investigador
  • *****
  • 18156
  • Recebeu: 5473 vez(es)
  • Enviou: 5819 vez(es)
  • +7113/-9496
Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
« Responder #4594 em: Novembro 20, 2023, 12:09:29 pm »
O ideal para os pançudos da marinha seria a GNR assumir tudo e eles ficarem com as responsabilidades das messes e das adegas  :mrgreen:
"[Os portugueses são]um povo tão dócil e tão bem amestrado que até merecia estar no Jardim Zoológico"
-Dom Januário Torgal Ferreira, Bispo das Forças Armadas
 

*

CruzSilva

  • Investigador
  • *****
  • 1313
  • Recebeu: 524 vez(es)
  • Enviou: 2173 vez(es)
  • +672/-118
Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
« Responder #4595 em: Novembro 20, 2023, 12:18:17 pm »
O ideal para os pançudos da marinha seria a GNR assumir tudo e eles ficarem com as responsabilidades das messes e das adegas  :mrgreen:
E campos de golfe!  :mrgreen:
 
Os seguintes utilizadores agradeceram esta mensagem: P44, Vicente de Lisboa

*

P44

  • Investigador
  • *****
  • 18156
  • Recebeu: 5473 vez(es)
  • Enviou: 5819 vez(es)
  • +7113/-9496
Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
« Responder #4596 em: Novembro 20, 2023, 02:50:09 pm »
O ideal para os pançudos da marinha seria a GNR assumir tudo e eles ficarem com as responsabilidades das messes e das adegas  :mrgreen:
E campos de golfe!  :mrgreen:

Esqueci-me dessa vertente operacional  :mrgreen:
"[Os portugueses são]um povo tão dócil e tão bem amestrado que até merecia estar no Jardim Zoológico"
-Dom Januário Torgal Ferreira, Bispo das Forças Armadas
 

*

Pescador

  • Investigador
  • *****
  • 3971
  • Recebeu: 2577 vez(es)
  • Enviou: 2117 vez(es)
  • +5702/-2784
Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
« Responder #4597 em: Novembro 20, 2023, 06:40:48 pm »
Que haja "tensão" entre as forças para definir as áreas de actuação compreendo - especialmente sendo o poder político o que é e por "em casa que não há pão...". Continuo a não perceber qual o problema da GNR ter uma presença muito forte nas 12 milhas, em ter meios como o Bojador da UCC (ainda por cima pago pela UE!); agora a fixação da Marinha em concorrer nessa área, em não definir que quer apenas apostar em navios iguais ou maiores que as LFC... isso não entendo; parece que ter fragatas / NPO é chato.

E a área de operações entre a Policia Marítima e GNR como fica?
Já nas praias em terra dá confusão, menos quando aparece um cadáver, ia ninguém quer pegar. Ou depois nas 12 milhas as intervenção musculadas com operações especiais de ambas, GNR e Policia Marítima. E nem meto o DAE, que é um caso aparte e até com a Policia Marítima se confunde actuações.

Parece que a confusão ajuda a manter o estado das coisas e as quintinhas. Entretanto esbanja-se verbas em duplicação.

Se entregarem as 12 milhas aos géninhos, tem de aumentar o efectivo e a frota deles. Ou fazem como no SEF, extinguem a Policia Marítima e passam o efectivo para a GNR?
 
Os seguintes utilizadores agradeceram esta mensagem: tenente

*

PTWolf

  • Analista
  • ***
  • 757
  • Recebeu: 340 vez(es)
  • Enviou: 1615 vez(es)
  • +982/-188
Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
« Responder #4598 em: Novembro 20, 2023, 06:50:06 pm »
Como alguem fora das Forças de Segurança / FA a ideia que me dá é que dá jeito manter o estado das coisas e muitas quintinhas. Quanto mais quintinhas mais poleiros e postos para justificar funções e ordenados.

Faz-me uma confusão desgraçada a existencia em simultâneo da Policia Maritima e GNR. Assim como me faz aos dias de hoje a existencia da GNR E PSP.

Juntando ainda a Marinha no meio desta salada....

Já que as FA, em especial a Marinha gostam muito de conceitos da moda, recomendo a leitura sobre o conceito Lean. Talvez assim se melhorasse o estado das coisas, ou diria Salgueiro Maia: "o estado a que chegámos".
 
Os seguintes utilizadores agradeceram esta mensagem: tenente

*

CruzSilva

  • Investigador
  • *****
  • 1313
  • Recebeu: 524 vez(es)
  • Enviou: 2173 vez(es)
  • +672/-118
Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
« Responder #4599 em: Novembro 20, 2023, 07:11:15 pm »
Que haja "tensão" entre as forças para definir as áreas de actuação compreendo - especialmente sendo o poder político o que é e por "em casa que não há pão...". Continuo a não perceber qual o problema da GNR ter uma presença muito forte nas 12 milhas, em ter meios como o Bojador da UCC (ainda por cima pago pela UE!); agora a fixação da Marinha em concorrer nessa área, em não definir que quer apenas apostar em navios iguais ou maiores que as LFC... isso não entendo; parece que ter fragatas / NPO é chato.

E a área de operações entre a Policia Marítima e GNR como fica?
Já nas praias em terra dá confusão, menos quando aparece um cadáver, ia ninguém quer pegar. Ou depois nas 12 milhas as intervenção musculadas com operações especiais de ambas, GNR e Policia Marítima. E nem meto o DAE, que é um caso aparte e até com a Policia Marítima se confunde actuações.

Parece que a confusão ajuda a manter o estado das coisas e as quintinhas. Entretanto esbanja-se verbas em duplicação.

Se entregarem as 12 milhas aos géninhos, tem de aumentar o efectivo e a frota deles. Ou fazem como no SEF, extinguem a Policia Marítima e passam o efectivo para a GNR?
Pois mas isso até aconteceu aquando da criação do GIPS que levou a um aumento de cerca de 1000 militares da GNR portanto não ficava admirado se caso essa opção fosse adotada que existisse reforço de meios humanos e materiais.
 

*

NVF

  • Investigador
  • *****
  • 5366
  • Recebeu: 4001 vez(es)
  • Enviou: 9908 vez(es)
  • +8451/-245
Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
« Responder #4600 em: Novembro 21, 2023, 02:42:25 am »
Já há muito que defendo a criação de uma guarda costeira. Basta fundir tudo o que é AMN e GCC numa única entidade que teria uma estrutura legal semelhante à da GNR e que poderia, e deveria, ter uma relação com a Marinha semelhante à que a Guarda tem com o Exército (oficiais formados na AN e refugo para oficiais excedentários da marinheca).
Talent de ne rien faire
 
Os seguintes utilizadores agradeceram esta mensagem: Charlie Jaguar, tenente

*

tenente

  • Investigador
  • *****
  • 10359
  • Recebeu: 5660 vez(es)
  • Enviou: 4354 vez(es)
  • +8476/-1842
Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
« Responder #4601 em: Novembro 21, 2023, 07:19:56 am »
Que haja "tensão" entre as forças para definir as áreas de actuação compreendo - especialmente sendo o poder político o que é e por "em casa que não há pão...". Continuo a não perceber qual o problema da GNR ter uma presença muito forte nas 12 milhas, em ter meios como o Bojador da UCC (ainda por cima pago pela UE!); agora a fixação da Marinha em concorrer nessa área, em não definir que quer apenas apostar em navios iguais ou maiores que as LFC... isso não entendo; parece que ter fragatas / NPO é chato.

E a área de operações entre a Policia Marítima e GNR como fica?
Já nas praias em terra dá confusão, menos quando aparece um cadáver, ia ninguém quer pegar. Ou depois nas 12 milhas as intervenção musculadas com operações especiais de ambas, GNR e Policia Marítima. E nem meto o DAE, que é um caso aparte e até com a Policia Marítima se confunde actuações.

Parece que a confusão ajuda a manter o estado das coisas e as quintinhas. Entretanto esbanja-se verbas em duplicação.

Se entregarem as 12 milhas aos géninhos, tem de aumentar o efectivo e a frota deles. Ou fazem como no SEF, extinguem a Policia Marítima e passam o efectivo para a GNR?

Esta situação de duplicação e até triplicação de efectivos e meios materiais, nas FS, dispersos por todas essas quintinhas é uma autêntica palhaçada, que serve os intentos do desgoverno nacional, Dividir para reinar nas calmas sem sobressaltos de maior.

Ao atribuir esses meios, irresponsávelmemte, estão, como eles bem sabem, a penalizar as FFAA, neste caso, a Marinha, que, sem uma manifesta oposição digna de registo e crédito, acção impossibilitada devido aos motivos pessoais de algumas pessoas, ditas as responsáveis Militares desta instituição Militar, a vão relegando para segundo plano, e por agora apenas no que toca ás missões NAVAIS, ditas de Guarda Costeira, mas nada nos diz que a GNR, irá ficar por aqui nesta vertente naval, pois pelo que já ouvi, não tardará muito, voltará a ter helis no seu inventário, para coadjuvarem as ditas embarçações de Patrulha !

Siga a Marinha, que se afunda a todo o vapor !!

Abraços
« Última modificação: Novembro 21, 2023, 07:25:35 am por tenente »
Quando um Povo/Governo não Respeita as Suas FFAA, Não Respeita a Sua História nem se Respeita a Si Próprio  !!
 
Os seguintes utilizadores agradeceram esta mensagem: NVF, Charlie Jaguar

*

Charlie Jaguar

  • Investigador
  • *****
  • 5481
  • Recebeu: 5435 vez(es)
  • Enviou: 3589 vez(es)
  • +10064/-2644
Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
« Responder #4602 em: Novembro 21, 2023, 08:30:15 am »
Já há muito que defendo a criação de uma guarda costeira. Basta fundir tudo o que é AMN e GCC numa única entidade que teria uma estrutura legal semelhante à da GNR e que poderia, e deveria, ter uma relação com a Marinha semelhante à que a Guarda tem com o Exército (oficiais formados na AN e refugo para oficiais excedentários da marinheca).

Exatamente. Não percebo porque em Portugal se insiste em querer de novo inventar a roda, quando existem por esse mundo fora opções concretas, credíveis e experimentadas para acabar com as confusões, quintinhas e guerras de ego existentes (e que se teimam em perpetuar), e pura e simplesmente agilizar processos, missões e torná-los verdadeiramente eficazes. A Guarda Costeira devia ser algo para ontem.
Saudações Aeronáuticas,
Charlie Jaguar

"(...) Que, havendo por verdade o que dizia,
DE NADA A FORTE GENTE SE TEMIA
"

Luís Vaz de Camões (Os Lusíadas, Canto I - Estrofe 97)
 
Os seguintes utilizadores agradeceram esta mensagem: NVF, Vicente de Lisboa

*

sivispacem

  • Analista
  • ***
  • 606
  • Recebeu: 179 vez(es)
  • Enviou: 33 vez(es)
  • +43/-11
Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
« Responder #4603 em: Novembro 21, 2023, 10:05:46 am »


Exatamente. Não percebo porque em Portugal se insiste em querer de novo inventar a roda, quando existem por esse mundo fora opções concretas, credíveis e experimentadas para acabar com as confusões, quintinhas e guerras de ego existentes (e que se teimam em perpetuar), e pura e simplesmente agilizar processos, missões e torná-los verdadeiramente eficazes. A Guarda Costeira devia ser algo para ontem.
[/quote]

A obsessão do "duplo uso" como forma de vassalagem ao poder político e falsas crenças em agradar à opinião pública está a matar a vertente militar. A Marinha vai mais à frente nesta sua passagem à irrelevância, o que interessa é a Polícia Marítima, Instituto Hidrográfico e as missões de combate ao tráfico de droga a sul (nota: é óbvio que são missões importantes mas isso não deveria ser o 'core' da sua existência....)

Para agradar ao sentimento anti-militarista de alguns começaram a enveredar por essa rota, agora o resultado está à vista

Enfim
 
Os seguintes utilizadores agradeceram esta mensagem: NVF

*

Viajante

  • Investigador
  • *****
  • 4292
  • Recebeu: 2419 vez(es)
  • Enviou: 1394 vez(es)
  • +7369/-4444
Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
« Responder #4604 em: Novembro 21, 2023, 10:34:26 am »
Não sendo eu militar nem tendo familiares directos nas FA (apenas nas Forças de Segurança), parece-me que a postura das chefias está num patamar mais atrás ainda, a da salvaguarda dos Recursos Humanos, para que tenham melhores condições (instalações e materiais).

E parece-me que por esse motivo é que aceitam esta aposta no "duplo uso", porque aí é mais fácil haver investimento e esse investimento passar na opinião pública, mas pelo menos garantirem que têem Recursos Humanos disponíveis!!!!!

No extremo oposto, de que adiantaria termos uma dúzia de AB, se só tivéssemos marinheiros suficientes para 2 ou 3  :mrgreen:

Acho é que estes momentos conturbados são a altura ideal para as próprias FA venderem a imagem de que são precisos RH bem remunerados, mas também equipamentos modernos, dando até o exemplo dos conflitos actuais.
Bem, pelo menos na nossa comunicação social são ouvidos diariamente muitos Oficiais Generais! Podiam passar sempre essa mensagem!

Até porque me parece cada vez mais evidente, que toda a NATO vai ter de entrar em guerra, mais ano menos ano. E para esse patamar não estamos minimamente preparados!!!!!!
Como afirma o Think Tank Alemão para a Defesa, para evitar entrarmos em guerra, temos pelo menos de mostrar os dentes e para isso é preciso investir e muito! Os AB demoram muitos anos a construír  :mrgreen: