NH-90

  • 166 Respostas
  • 72643 Visualizações
*

Rui Elias

  • Investigador
  • *****
  • 1696
  • +2/-1
(sem assunto)
« Responder #60 em: Janeiro 08, 2007, 04:12:38 pm »
Uma fragata AAW do tipo das F. Nanssen F-310 norueguesas = 550 milhões de euros

Programa dos EH-101 = 460 Milhões de euros.

_______________________

Claro que não é com uma fragata de defesa aérea que se faz SAR, e eu estava só a tentar perceber da relação custo/benefício das coisas.

E claro que não é um F-16 que podem fazer missões SAR.

Mas se se têm 2 aviões desses em estado de prontidão para espaço de 7 min. porque pelo menos um heli Merlin não pode estar 24h horas/dia num estado de prontidão tal que lhe permita arrancar logo?

Quantas vezes é que o nosso espaço aéreo é invadido por avionetas ou helis de bombeieros espanhois que se esquecem de comunicar o seu plano de voo?

E quantas vezes é que há necessidades de resgate?

Claro que sei que a FAP tem feito muita coisa bem, e se é a FAP a fazê-lo é porque nem SNBPC nem Marinha têm esses meios.

Logo, sobra a FAP para o fazer.

O que acontece é que enqunto a Marinha através do seu CEMA soube assumir humildemente a sua cota parte de culpas pela tragédia, as prima-donas da FAP remetem-se a um silêncio escondido por detrás de números de tempos de reacção.
 

*

Sintra

  • Perito
  • **
  • 472
  • Recebeu: 9 vez(es)
  • +2/-0
(sem assunto)
« Responder #61 em: Janeiro 08, 2007, 05:10:37 pm »
Boas tardes Rui

 Uma Nansem NÂO É uma fragata AAW, é uma fragata anti submarina com uma versão "light" do SPY, 8 vls mk41 e dois iluminadores. Ou seja, existiu dinheiro para colocar um radar razoável numa fragata que desde o primeiro momento foi feita para caçar submarinos. Mas em termos de capacidade AAW está muitissimo mais próxima das nossas "futuras" KD do que propriamente de uma F100, F124, LCF ou um dos novos "barcos patrulha" Dinarqueses (que por falar no caso são muito mais baratos)...

 Cumprimentos  :wink:


http://www.naval-technology.com/projects/nansen/
Citar
Nansen Class Anti-Submarine Warfare Frigates, Norway
The five Nansen Class anti-submarine warfare frigates, are being built by Navantia of Spain for the Norwegian Navy. The vessels are: HNoMS Fridtjof Nansen (F 310), Roald Amundsen (F 311), Otto Sverdrup (F 312), Helge Ingstad (F 313) and Thor Heyerdahl (F 314).

 

*

Lightning

  • Moderador Global
  • *****
  • 9018
  • Recebeu: 1314 vez(es)
  • Enviou: 1453 vez(es)
  • +185/-61
(sem assunto)
« Responder #62 em: Janeiro 08, 2007, 05:13:56 pm »
Citação de: "Rui Elias"
Claro que não é com uma fragata de defesa aérea que se faz SAR, e eu estava só a tentar perceber da relação custo/benefício das coisas.

E claro que não é um F-16 que podem fazer missões SAR.


Eu perguntei se queria fazer SAR com a fragata ou com os F-16 de um modo irónico, é que estava a comparar coisas que tem funções e capacidades diferentes dos helicopteros, se quiser também pode comparar o Pandur ou o Leopard 2A6 com o EH101, a nivel de preço e do tempo que demora a por a trabalhar.
Agora se comparasse outros helicopteros que fazem SAR ou melhor ainda, o tempo de reacção de outras forças aéreas que operam o EH101 em SAR, isso sim é que valeria e muito.

Citar
Mas se se têm 2 aviões desses em estado de prontidão para espaço de 7 min. porque pelo menos um heli Merlin não pode estar 24h horas/dia num estado de prontidão tal que lhe permita arrancar logo?

Quantas vezes é que o nosso espaço aéreo é invadido por avionetas ou helis de bombeieros espanhois que se esquecem de comunicar o seu plano de voo?

E quantas vezes é que há necessidades de resgate?

Claro que sei que a FAP tem feito muita coisa bem, e se é a FAP a fazê-lo é porque nem SNBPC nem Marinha têm esses meios.

Logo, sobra a FAP para o fazer.

O que acontece é que enqunto a Marinha através do seu CEMA soube assumir humildemente a sua cota parte de culpas pela tragédia, as prima-donas da FAP remetem-se a um silêncio escondido por detrás de números de tempos de reacção.


Bem eu não sei se a FAP pode fazer melhor ou se podem e não querem, mas a FAP diz que demora a por um EH101 no ar entre 30 e 45 minutos e foi isso que eles fizeram quando os avisaram.
Acho que não tem nada que pedir desculpa por fazer as coisas correctamente, e se a Marinha também fez as  coisas correctas acho que não devia pedir desculpa, agora se a Marinha cometeu algum erro acho bem que assuma.
Agora estar a pedir desculpa para parecer bem e pra próxima acontece a mesma coisa porque afinal o sistema é assim que funciona e demora o tempo que demora, e não há nada a fazer, então acho que não se devia pedir desculpa se não se cometeu erros.
 

*

lurker

  • Perito
  • **
  • 427
  • +0/-0
(sem assunto)
« Responder #63 em: Janeiro 08, 2007, 08:08:41 pm »
Um responsável da FAP também disse que se podia diminuir o tempo de reacção «com mais empenhamento de meios».
Não sei quase nada sobre os procedimentos necessários a por um helicóptero como o EH 101 no ar, mas a ideia que me ficou é que é uma questão de custo de operação.
 

*

old

  • Especialista
  • ****
  • 911
  • +1/-0
(sem assunto)
« Responder #64 em: Janeiro 09, 2007, 04:24:08 pm »
Citação de: "Sintra"
Boas tardes Rui

 Uma Nansem NÂO É uma fragata AAW, é uma fragata anti submarina com uma versão "light" do SPY, 8 vls mk41 e dois iluminadores. Ou seja, existiu dinheiro para colocar um radar razoável numa fragata que desde o primeiro momento foi feita para caçar submarinos. Mas em termos de capacidade AAW está muitissimo mais próxima das nossas "futuras" KD do que propriamente de uma F100, F124, LCF ou um dos novos "barcos patrulha" Dinarqueses (que por falar no caso são muito mais baratos)...

 Cumprimentos  :wink:


http://www.naval-technology.com/projects/nansen/
Citar
Nansen Class Anti-Submarine Warfare Frigates, Norway
The five Nansen Class anti-submarine warfare frigates, are being built by Navantia of Spain for the Norwegian Navy. The vessels are: HNoMS Fridtjof Nansen (F 310), Roald Amundsen (F 311), Otto Sverdrup (F 312), Helge Ingstad (F 313) and Thor Heyerdahl (F 314).



Discrepo. Su capacidad AAW es muy superior a la de un KD Type22/23/42, Maestrale, OHP, Meko etc etc etc. Embarca el misil ESSM y el Spy-1F y con eso queda dicho casi todo.Puede actualizarle para llevar SM2 sin demasiados cambios ya que el sistema de combate esta pensado para ello.
 Es abrumadoramente superior.
Siempre las e visto como una plataforma perfecta. Precio contenido y altas capacidades AsW y AAW

Estando mucho mas cerca de las Horizzon F100 LFC T45  que de barcos de otras generaciones
 

*

Sintra

  • Perito
  • **
  • 472
  • Recebeu: 9 vez(es)
  • +2/-0
(sem assunto)
« Responder #65 em: Janeiro 09, 2007, 06:11:59 pm »
Citação de: "old"
Citação de: "Sintra"
Boas tardes Rui

 Uma Nansem NÂO É uma fragata AAW, é uma fragata anti submarina com uma versão "light" do SPY, 8 vls mk41 e dois iluminadores. Ou seja, existiu dinheiro para colocar um radar razoável numa fragata que desde o primeiro momento foi feita para caçar submarinos. Mas em termos de capacidade AAW está muitissimo mais próxima das nossas "futuras" KD do que propriamente de uma F100, F124, LCF ou um dos novos "barcos patrulha" Dinarqueses (que por falar no caso são muito mais baratos)...

 Cumprimentos  :wink:
 

*

Spectral

  • Investigador
  • *****
  • 1437
  • +4/-0
(sem assunto)
« Responder #66 em: Janeiro 09, 2007, 06:20:56 pm »
Citar
(desde que estas tenham sido equipadas com o ESSM),


esse é que é o ponto essencial ;)

já agora, aquele novo radar australiano phased array que eles iam testar nas ANZAC não era suposto actuar como iluminador ? Não estou a ver onde possa existir grande dificuldade em utilizar o mesmo radar, desde que active phased array, para essas várias funções, afinal a polivalência e o "multitasking" são sempre apontados como o grande trunfo dessa tecnologia...
I hope that you accept Nature as It is - absurd.

R.P. Feynman
 

*

Sintra

  • Perito
  • **
  • 472
  • Recebeu: 9 vez(es)
  • +2/-0
(sem assunto)
« Responder #67 em: Janeiro 09, 2007, 10:31:57 pm »
Citação de: "Spectral"
Citar
(desde que estas tenham sido equipadas com o ESSM),

esse é que é o ponto essencial :wink:
 

*

paraquedista

  • Membro
  • *
  • 265
  • Recebeu: 35 vez(es)
  • Enviou: 23 vez(es)
  • +2/-0
(sem assunto)
« Responder #68 em: Janeiro 10, 2007, 08:07:07 pm »
Caro Sintra, na sua seguinte afirmacao:

Uma KD com o seu radar smart e os seus dois iluminadores pode guiar precisamente o mesmo nº de misseis na mesmissima área e com a mesmissima eficácia e pode levar os mesmissimos 32 essm, e sim é compativel com o missil...

Fiquei a pensar se apenas o Radar das KD era compativel com os misseis ESSM, ou se tambem os Lancadores Verticais destas Fragatas o sao...

E se sim entao esta seria uma conversao facil e provavelmente nao muito cara, tornando efectivamente as KD em Fragatas AAW.
 

*

Sintra

  • Perito
  • **
  • 472
  • Recebeu: 9 vez(es)
  • +2/-0
(sem assunto)
« Responder #69 em: Janeiro 10, 2007, 10:38:03 pm »
Citação de: "paraquedista"
Caro Sintra, na sua seguinte afirmacao:

Uma KD com o seu radar smart e os seus dois iluminadores pode guiar precisamente o mesmo nº de misseis na mesmissima área e com a mesmissima eficácia e pode levar os mesmissimos 32 essm, e sim é compativel com o missil...

Fiquei a pensar se apenas o Radar das KD era compativel com os misseis ESSM, ou se tambem os Lancadores Verticais destas Fragatas o sao...

E se sim entao esta seria uma conversao facil e provavelmente nao muito cara, tornando efectivamente as KD em Fragatas AAW.

 Caro paraquedista

 O primeiro disparo de um ESSM através de um MK48, o VLS que é utilizado nas KD foi efectuado em Março de 1998. O MK48 consegue levar dois essm no lugar de um Sea Sparrow.

 http://www.globalsecurity.org/military/ ... im-162.htm

Citar
In December 1997, an ESSM blast test vehicle was successfully fired from an industry developed prototype that utilized a MK 41 Vertical Launching System Quad Pack cannister. In March 1998, a test firing that utilized a MK 48 Guided Vertical Launching System was successfully conducted. In mid-1998

 Ou seja é completamente compatível, em termos de dificuldade técnica/preço de conversão, é quase "plug and play", compra-se os misseis, colocam-se nos VLS, altera-se umas linhas de código nos sistemas de disparo e prontos... Pelo menos é o construtor do missil diz.
 E por falar nisso, o mesmo se passa com o lançador MK29 das VDG...

 O PDF da NATO que vai abaixo dá uma ideia:

http://www.ndia.org/Content/ContentGrou ... emmons.pdf

 Mas cuidado o ESSM não transforma um navio num vector AAW, diga-mos que é um missil de autodefesa com um alcance ligeiramente alargado...
 Como é que no fórum das Forças Aérea acabámos a discutir fragatas e o ESSM?  :lol:  :lol:  :lol:  :wink:
 

*

paraquedista

  • Membro
  • *
  • 265
  • Recebeu: 35 vez(es)
  • Enviou: 23 vez(es)
  • +2/-0
(sem assunto)
« Responder #70 em: Janeiro 11, 2007, 09:03:26 pm »
Caro Sintra, muito obrigado pelos excelentes esclarecimentos.

E bem verdade que este topico nos levou para fora do ambito dos assuntos da Forca Aerea... :)
 

*

LM

  • Investigador
  • *****
  • 1840
  • Recebeu: 515 vez(es)
  • Enviou: 1646 vez(es)
  • +303/-16
(sem assunto)
« Responder #71 em: Janeiro 12, 2007, 11:53:55 am »
Faço minhas as palavras do paraquedista!

Já guardei a explicação em ficheiro txt "para mais tarde recordar" - aliás uma excelente base para eu colocar um pedido de esclarecimento sobre o potencial MLU das VdG e KD - de preferencia esclarecimentos "orçamentados" na LPM, sem sonhos ou cenarios de irmos descobrir reservas enormes de petroleo...

Mas o post com o pedido de esclarecimento será colocado na secção indicada, não temam mod's  :wink:

LM
Quidquid latine dictum sit, altum videtur
 

*

TaGOs

  • Membro
  • *
  • 229
  • +0/-0
(sem assunto)
« Responder #72 em: Maio 20, 2007, 01:26:50 pm »
Boa tarde.

Portugal não participava só no programa do nh-90 de transporte de tropas?
Que até a bandeira Portuguesa não aparecia no nh-90 naval.

Encontrei isto.
Este nh-90 é naval não é? Apesar da sua camuflagem.



Antes era assim:



Isto pode significar alguma coisa? Será que...?

Cumprimentos
 

*

xenical_

  • Membro
  • *
  • 31
  • Recebeu: 4 vez(es)
  • +1/-0
(sem assunto)
« Responder #73 em: Maio 20, 2007, 02:14:06 pm »
Boa tarde
Bem que podia significar o abandono da versão "terrestre" com o fim natural do UALE (sem helis para operar) e substituição dos Nh pela versão naval que em 2012 substituiria a totalidade da frota Lynx.
 :lol:  E só um pensamento pecaminoso, os colegas foristas que me perdoem este meu desejo.
Em relação ao UALE, ate pode ser que já existam aparelhos!!!! Os Kamov finalmente estão a chegar. E ate já estão pilotos do exército na Rússia.

Cumprimentos
Paulo Mariano
 

*

Lightning

  • Moderador Global
  • *****
  • 9018
  • Recebeu: 1314 vez(es)
  • Enviou: 1453 vez(es)
  • +185/-61
(sem assunto)
« Responder #74 em: Maio 20, 2007, 03:41:34 pm »
As cinco bandeiras que aparecem na cauda do NH90 são as bandeiras de todos os paises que formam o NAHEMA (NAto HElicopter Management Agency), que coordena a construção do NH-90.

Todos os restantes paises que iram operar o NH-90 irão o comprar a esta entidade, mas não farão parte dela.