ForumDefesa.com

Forças Armadas e Sistemas de Armas => Forças Aéreas/Sistemas de Armas => Tópico iniciado por: JLRC em Maio 05, 2005, 10:30:11 pm

Título: NH-90
Enviado por: JLRC em Maio 05, 2005, 10:30:11 pm
Rolls Royce Engine For New Army Helicopters
 
 
(Source: Australian Department of Defence; issued May 4, 2005)
 
 
 The Australian Army’s 12 new troop lift helicopters will be equipped with Rolls Royce Turbomeca engines following a Defence evaluation process.  
 
Defence Minister Robert Hill and Industry Minister Ian Macfarlane said the decision was taken after consideration of engine options for the new MRH-90 aircraft.  
 
Australian Aerospace was last year selected as the preferred tenderer to supply the additional troop lift helicopter squadron as part of a $1 billion Defence project.  
 
Senator Hill said the selection of the Rolls Royce Turbomeca engine is another step forward in this exciting project. The project will deliver new leading edge aircraft that will be fully marinised to be able to be used in multiple roles, including being able to operate from the Royal Australian Navy’s current and future amphibious ships.  
 
"The new helicopters will also boost Australia’s counter-terrorism capabilities by releasing a Black Hawk squadron to provide dedicated support to our Special Forces on the East Coast," Senator Hill said.  
 
"The MRH-90 is the new generation of helicopters, equipped with state-of-the-art technology, a rear ramp that can be used to load small vehicles, a flexible cabin configuration, a full fly-by-wire flight control system and digital cockpit.  
 
"The helicopter can carry up to 18 troops plus four crew or 4000kg of underslung cargo, cruises at up to 300kph and has a maximum range of over 900km.  
 
"It is purpose-built for amphibious operations and will increase Army’s troop lift capability by more than half giving the Army an ability to move more soldiers further and faster from Navy’s amphibious ships.  
 
The first helicopter for the new squadron at Townsville is expected to be delivered in 2007, with all 12 aircraft expected to be delivered by 2008.  
 
This will allow the relocation of a squadron of Black Hawk helicopters to the Sydney area to support the ADF’s Special Forces, further strengthening the Howard Government’s commitment to fighting terrorism.  
 
Minister Macfarlane said the project would also provide a substantial boost for Australian industry.  
 
"The purchase of these new helicopters will include a support contract that may last for up to 20 years, and the overall Australian industry component of this project is expected to exceed $300 million.  
 
"Opportunities for Australian industry are anticipated in helicopter assembly, common and similar aircraft systems, avionics equipment, structural and engine technologies and training systems," Minister Macfarlane said.  
 
Benefits are expected to build on Australian Aerospace’s industry commitment developed as part of project AIR 87 and the delivery of the Tiger Armed Reconnaissance Helicopter.  
 
-ends-
Título:
Enviado por: JLRC em Maio 24, 2005, 05:01:46 pm
Spain Selects 45 NH90 Helicopters as First Batch for Its Armed Forces
 
 
(Source: NH Industries; issued May 23, 2005)
 
 
 NH Industries and its Partner Companies are very proud to report that the Spanish Government selected on the 20 May 2005 the NH90 helicopter for the modernisation of its Armed Forces:  
 
Spain will purchase a first batch of 45 NH90s.  
 
The NH90 is the state-of-the-art twin engine, medium size helicopter developed in two versions dedicated to Tactical Transport and Naval roles.  
 
The main characteristics of the NH90 are: full composite, crash resistant, corrosion free fuselage; full integration of avionic and aircraft systems; fly-by-wire flight control system.  
 
NHIndustries is the company created by Agusta, Eurocopter, and StorkFokker for the NH90 Programme management. The NHIndustries responsibility covers the design, the development, the production, the marketing and sales, and the in service support for the NH90 all over the world.  
 
Spain becomes the 10th European and the 13th world country that chooses the NH90 to equip its Armed Forces. This increases the NH90 backlog to 345 firm orders, 86 options, and more than 57 selected units, for an impressive total of more than 488 NH90s.  
 
-ends-
Título:
Enviado por: JLRC em Junho 03, 2005, 08:55:50 pm
Australian Defence Force Signs Contract for New Army Helicopter  
 
 
(Source: Eurocopter; issued June 2, 2005)
 
 
 MARIGNANE, France --- Eurocopter welcomes the signature today in Canberra of a contract for 12 MRH90 to the benefit of the Australian Defence Force. The contract was signed between the Australian Defence Materiel Organisation and Australian Aerospace, a Eurocopter subsidiary.  
 
The Multi-Role MRH90 Helicopter was selected by the Australian Ministry of Defence after an intensive international competition. The first helicopter will be delivered in 2007, with all aircraft expected by 2009.  
 
Plans are underway to assemble 8 MRH90s at the Australian Aerospace facility in Brisbane, where the company is already assembling 18 Tiger Armed Reconnaissance Helicopters for the Australian Army.  
 
Australian Aerospace Chief Executive, Joseph Saporito, said that this MRH90 contract will allow AA to inject more than 300 million AUD into Australian industry, including SMEs, making full use of the expertise and local capabilities developed in the frame of the ARH Tiger program.  
 
“This translates into 150 highly-skilled Australian jobs.”  
 
Mr. Saporito said local engineers will receive extensive training in Eurocopter’s center of excellence in Marignane, France. These engineers will provide a helicopter engineering base for export to the Pacific region.  
 
The signing of the contract is another successful example of Defence and Australian Aerospace working together to provide new assets for the Australian Defence Force.  
 
“Both teams have worked very hard and should be congratulated on their achievement,” said Mr. Saporito.  
The MRH90s will form a new squadron based in Townsville.  
 
The twin-engine, medium-lift MRH90 is the Australian version of the NH90 Helicopter provided by the consortium NH Industries (the company owned by Eurocopter (62.5 %), Agusta (32 %) and Stork Fokker (5.5 %).  
 
The MRH90 is equipped with full glass cockpit, Flight-by-Wire control system and advanced Automatic Flight Control System together with state-of-the-art Communication, Navigation and Mission Equipment, including also a fully composite crashworthy fuselage fitted with a rear ramp for higher flexibility. It results in increased capability and much lower operating and maintenance costs compared to its competitors.  
 
Australia is the 11th Nation (France, Finland, Germany, Greece, Italy, Norway, Portugal, Sultanate of Oman, Sweden and The Netherlands) ordering the NH90. This brings the total number of firm orders to 357, plus 86 options.  
 
In addition, two other Nations (New-Zealand and Spain) officially selected the NH90 helicopter.  
 
 
Eurocopter is a wholly-owned subsidiary of EADS. EADS is a global leader in aerospace, defence and related services. In 2004, EADS generated revenues of EUR 31.8 billion and employed a workforce of about 110,000.  
 
The EADS Group includes the aircraft manufacturer Airbus, the world's largest helicopter supplier Eurocopter and the joint venture MBDA, the international leader in missile systems. EADS is the major partner in the Eurofighter consortium, is the prime contractor for the Ariane launcher, develops the A400M military transport aircraft and is the largest industrial partner for the European satellite navigation system Galileo.  
 
-ends-
Título:
Enviado por: NBSVieiraPT em Abril 09, 2006, 06:51:03 am
Aqui ficam dois vídeos do NH90 em testes, cortesia da NHIndustries. :roll:
Título:
Enviado por: typhonman em Abril 16, 2006, 02:34:33 pm
Já os estou a ver a levar soldados do exército.. :lol:
Título:
Enviado por: Nadie em Abril 16, 2006, 08:38:45 pm
España encargo un primer lote de 45 pero se espera un segundo mas adelante hasta llegar a unos 100 NH-90 para sustituir a toda la flota de helicopteros obsoletos del ejercito de tierra y la armada.
Título:
Enviado por: Rui Elias em Abril 26, 2006, 10:07:32 am
Sabem os colegas se sempre se confirma o ano de 2008 para a entrega de pelo menos os primeiros NH-90 para o nosso Exército?
Título:
Enviado por: Marauder em Agosto 04, 2006, 05:52:10 pm
NH90 numero 400 será neo-zelandês
http://www.defencetalk.com/news/publish ... 007178.php (http://www.defencetalk.com/news/publish/article_007178.php)
Título: Interesse da Marinha no NH-90 NFH?
Enviado por: Get_It em Dezembro 27, 2006, 03:14:22 pm
O forista Pedro Monteiro colocou (http://http) hoje no fórum 9 G's uma notícia "fundo do baú" publicada num jornal (http://http) sobre o interesse do MDN em comprar mais unidades do EH-101 para o UALE em vez do NH-90. Nessa mesma notícia deu a entender o possível interesse pela parte da Marinha pelo NH-90 [NFH].

Passo a citar as passagens de interesse:
Citação de: "Carlos Varela"
(...)
O chefe do Exército, general Silva Viegas, fez saber ao Governo, mas também aos outros chefes militares, que a opção se mantém em relação ao NH-90, recebendo o apoio tácito da Marinha.
(...)

Citação de: "Carlos Varela"
'Ajuda' da Marinha
A verdade, no entanto, é que parecem ter sido sectores da Força Aérea e do Estado-Maior-General das Forças Armadas (EMGFA) a tentar fazer valer a ideia, contrariando a vontade do Exército. Chegou mesmo a ser lançada a hipótese de os EH-101 da FAP serem "emprestados" ao Exército, uma opção que, a médio prazo, retiraria ao ramo terrestre das Forças Armadas margem de manobra para constituir uma força própria de helicópteros.
Em causa estava, assim, uma luta pelo "domínio do ar", tendo em conta uma eventual concentração de instrução e manutenção de helicópteros, a nível do EMGFA.

O Exército, no entanto, acabou por contraria esta possibilidade, tendo em conta em particular a integração no Exército Europeu, onde o NH-90 vai equipar as forças terrestres da França, Alemanha, Itália, Holanda e, provavelmente, Noruega, Espanha e Bélgica.

Se a opção pelo EH-101 iria reduzir os custos de operação em Portugal, dificultaria, por outro lado, a integração nas forças europeias e obrigaria a que Portugal mantivesse uma cadeia logística própria, sem se poder apoiar na das forças aliadas, e os mesmos problemas seriam sentidos a nível de instrução - um e outro em elevados custos financeiros -, um conjunto de argumentos que acabou por fazer valer a opção pelo NH-90.

Por fim, a Marinha terá também que substituir os helicópteros Lynx dentro de 10 anos e a opção pelo EH-101 nem se colocava, uma vez que a dimensão da aeronave impedia a operação nas fragatas portuguesas. Em contrapartida, o NH-90 correspondia às necessidades operacionais da Armada, uma posição que se traduziu numa pouco comum aliança tácita entre a Marinha e o Exército - em geral com posições sempre opostas. Foi nessa base que o ministro da Defesa acabou por aceitar a opção pelo NH-90, pondo fim ao interregno de opções gerado pelo EH-101.

Carlos Varela


Esta notícia é ainda mais relevante, visto que, este assunto até já esteve a ser discutido em tópicos como: GALE (http://http), O GALE - missões, organização, aeronaves (http://http), e Portugal estuda a compra de Fragatas Karel Doorman à Holanda (http://http), entre outros.

Cumprimentos e o meu agradecimento ao Pedro Monteiro pela notícia,
Título:
Enviado por: typhonman em Dezembro 27, 2006, 04:45:50 pm
Um tipo da Marinha Holandesa disse-me que as fragatas da classe M iriam ser modificadas para acolher NH90 e iriam ser pintadas antes da sua entrega a Portugal...  :shock:

The 2 "Class-M" frigates are Hr.Ms.van Nes (F833) and Hr.Ms.van Galen (F834), actually these ain't Class-M but "Karel Doorman"-class Multipurpose Frigates. Hr.Ms. van Nes will be transfered to the Portugese navy 1-12-2008, Hr.Ms. van Galen, wich is currently on a UNIFIL mission near Lebanon will be transfered at 1-11-2009. The van Nes will get it's maintenance period, followed by a shakedown and work-up programme at the beginnen of 2008 before it's being transfered. Both ships will get a bigger heli-deck for the NH-90 helo and the portugese colours prior to transfer
Título:
Enviado por: Get_It em Dezembro 27, 2006, 05:02:57 pm
Tinha visto nos detalhes e nas especificações sobre a classe Karel Doorman que todas as fragatas já tinham capacidade para acolher o NH-90 NFH desde os finais dos anos '90, pois os holandeses desde há já muito tempo que tinham intenções de substituir os seus Lynx por NH-90. Agora é só questão de confirmar - visto até que há muita "desinformação" na internet - esta informação e ver o ano ao certo.

As duas Karel Doorman, estejam já ou não prontas, vão definitivamente  acolher poder o NH-90. Agora é caso de perguntar se vai ser o mesmo com as fragatas Vasco da Gama.

Cumprimentos,
Título:
Enviado por: Rui Elias em Dezembro 28, 2006, 02:27:22 pm
Provavelmente numa reforma estili-modernização a haver nas 3 VdG, os deck's poderão ser facilmente reconvertidos, para que no futuro, aí possam operar os NH-90 NFH.

As duas fragatas holandesas classe M, já virão adaptadas para essa utilização.

Quanto ao resto, isso de comprar mais EH-101 para o Exército, o que eu ouvi em tempos que já lá vão, e que já coloquei por aqui alures, é que há sectores na Marinha que defenderiam a compra de 3 ou 4 Merlin "navalizados" para operar no futuro LPD, isto independentemente da FAP já contar actualmente com 4 EH-10 CSAR com as pás retrácteis para esse efeito de poderem embarcar num navio.

É que nestas coisas, o que hoje parece ser uma verdade irrefutável, amanhã acorda envolta numa penumbra de interrogações.   :?

No entanto, acho que é lamentável vermos 10 bons SA330 Puma estacionados em Beja à espera de destino, e assistir a um Exército sem helis para operar enquanto não chegam os NH-90, lá para 2010 ou 2011.
Título:
Enviado por: Lightning em Dezembro 28, 2006, 05:28:17 pm
Já estou a ve o filme todo, daqui a 6 meses ou mais o Exército lembra-se que afinal não se importa de operar meia-duzia de Pumas "dados", para pelo menos dar algum "calo" ao pessoal do UALE, mas como as qualificações de pilotagem e manutenção da Força Aérea ao fim de 6 meses caducam, lá vão ter que ir uns quantos senhores do exército à França ou Reino Unido para tirar  cursos de pilotagem e manutenção. Quem é que paga? Ao menos que se decidisse já enquanto podem, se quiserem mesmo basta por os Pumas em Tancos e por o pessoal da FAP que ainda é qualificado nos Pumas uns meses lá a ensina-los, quase de certeza que é mais barato que ir ao estrangeiro.

Mas a mim dá-me pena, isto podia ter sido logo feito quando se acabou a esquadra dos Pumas no Montijo, 6 Pumas já é qualquer coisa, e agora quando acabasse os Pumas dos Açores eram reforçados com mais 4 helicopteros e já deveriamos ter um UALE relativamente esperiente e autonomo equipado com 10 helicopteros.
Título:
Enviado por: Bravo Two Zero em Dezembro 28, 2006, 05:55:03 pm
Mas não foi as altas chefias do Exército que "embirraram" com o Puma ???
Título:
Enviado por: typhonman em Dezembro 28, 2006, 05:59:47 pm
Estes anos serviu sempre para treinar e mesmo na guerra.. Estes senhores.. Mas secalhar tem medo que se ficarem com o PUMA mesmo que seja por um curto periodo de tempo os politicos digam..Amanhem-se ja têm helis..para o GALE
Título:
Enviado por: Lightning em Dezembro 28, 2006, 06:25:13 pm
Citação de: "Typhonman"
Estes anos serviu sempre para treinar e mesmo na guerra.. Estes senhores.. Mas secalhar tem medo que se ficarem com o PUMA mesmo que seja por um curto periodo de tempo os politicos digam..Amanhem-se ja têm helis..para o GALE


Pois concordo que seja esse o medo. Mas eu não sou a pessoa indicada para falar disso já que sou totalmente  contra a existencia do UALE e até da compra dos NH90, acho que a FAP é que devia providenciar transporte aéreo e apoio aéreo próximo às forças terrestres, quer seja Exército ou Fuzileiros da Armada, bastava que viessem mais uns 4 ou 6 EH101 CSAR.
Apenas "tolero" a existência dos Lynx e da esquadrilha de helicopteros da Marinha porque são aeronaves muito especificas, nunca operam independentemente, são mais um dos vários sistemas de armas que existem numa fragata, e quase de certeza que iria ser uma confusão se os Lynx fossem da FAP.

Como já ouvi algures por aqui, a formação de uma unidade na Marinha com 4 EH101 para operações anfibias, mas porque?
Título:
Enviado por: Get_It em Dezembro 28, 2006, 07:28:53 pm
Citação de: "Lightning"
Já estou a ve o filme todo, daqui a 6 meses ou mais o Exército lembra-se que afinal não se importa de operar meia-duzia de Pumas "dados", para pelo menos dar algum "calo" ao pessoal do UALE, mas como as qualificações de pilotagem e manutenção da Força Aérea ao fim de 6 meses caducam, lá vão ter que ir uns quantos senhores do exército à França ou Reino Unido para tirar  cursos de pilotagem e manutenção. Quem é que paga? Ao menos que se decidisse já enquanto podem, se quiserem mesmo basta por os Pumas em Tancos e por o pessoal da FAP que ainda é qualificado nos Pumas uns meses lá a ensina-los, quase de certeza que é mais barato que ir ao estrangeiro.

Já isso dos cursos do pessoal da UALE acontece no estrangeiro, e somos todos que pagamos, tal como já foi escrito há algum tempo atrás, tivemos pilotos a fazer curso de pilotagem em Espanha.

Acredito é que se o Exército aceitasse os PUMAs, nunca mais veria os NH-90, devido à mania do governo de adiar tudo.

Cumprimentos,
Título:
Enviado por: Cabeça de Martelo em Dezembro 28, 2006, 07:32:08 pm
Eles tiram no estrangeiro porque os cursos lá fora são mais curtos e custam menos dinheiro. Os cursos foram tirados em Espanha e em França.
Título:
Enviado por: Lightning em Dezembro 29, 2006, 01:49:01 am
Pois desconheço as questões orçamentais, mas os pilotos da Armada tiram todos o curso em conjunto com os pilotos da FAP que vão para os helicopteros (Epsilon mais Allouette III), sendo claro que depois tiram a especialização em aviação naval na sua unidade, esquadrilha de helicopteros da marinha.
E mecanicos da Armada e Exército tiraram o curso na Força Aérea, e sargentos e praças paraquedistas já foram à Força Aérea tirar o curso de bombeiro, a Armada não precisa porque os Lynx estão fisicamente colocados dentro da BA6  utilizam os meios da FAP ai colocados, controladores aéreos e bombeiros.
Título:
Enviado por: Cabeça de Martelo em Dezembro 29, 2006, 09:57:29 am
Eu sei disso Lightning, mas na verdade é que o Exército achou que o curso da FAP era muito longa e cara, é que eles têm que aprender primeiro a andar de avião e só depois é que passam para os Helicópteros. Provavelmente há uma explicação lógica para essa formação...se calhar até ficavam melhor formados, mas em artigos que saíram nos media era apontado esses dois factores. Espanha tornou-se na solução mais racional para os Pilotos do Exército. Já agora, sabias que os Pilotos da Marinha passam 5 anos em formação!  :wink:
Título:
Enviado por: Ricardo Nunes em Dezembro 29, 2006, 11:28:00 am
Citação de: "Cabeça de Martelo"
Eu sei disso Lightning, mas na verdade é que o Exército achou que o curso da FAP era muito longa e cara, é que eles têm que aprender primeiro a andar de avião e só depois é que passam para os Helicópteros. Provavelmente há uma explicação lógica para essa formação...se calhar até ficavam melhor formados, mas em artigos que saíram nos media era apontado esses dois factores. Espanha tornou-se na solução mais racional para os Pilotos do Exército. Já agora, sabias que os Pilotos da Marinha passam 5 anos em formação!  :wink:


A formação é tão "boa" em Espanha que, infelizmente, não é sequer reconhecida pelo INAC.
A formação de um piloto de helicópteros de Marinha consiste na formação básica e elementar em Epsilon ( esq. 101 ), formação básica e elementar em Allouette 3 ( na esq. 552 ) e especialização na sua aeronave de destino, o Lynx. As primeiras duas fases, responsabilidade da Força Aérea Portuguesa, têm uma duração de aproximadamente ano e meio a dois anos. A segunda fase possui uma duração de aproximadamente 1 ano, fim do qual o piloto é considerado operacional.
Desconheço a referência a cinco anos de formação mas admito que assim seja, relacionado provavelmente com qualificações adicionais, e avaliações operacionais, que os pilotos da EHM terão de executar.

Na realidade é um procedimento muito comum. A título de exemplo, um piloto de F-16 para dar retorno à Força Aérea, necessita de servir no mínimo 5 anos, findo o qual se encontra qualificado em todos os aspectos possíveis ( emprego de armas, voo asa, voo como líder de formação, etc ).

Cumprimentos,
Título:
Enviado por: Lightning em Dezembro 29, 2006, 11:40:27 am
Citação de: "Cabeça de Martelo"
Eu sei disso Lightning, mas na verdade é que o Exército achou que o curso da FAP era muito longa e cara, é que eles têm que aprender primeiro a andar de avião e só depois é que passam para os Helicópteros. Provavelmente há uma explicação lógica para essa formação...se calhar até ficavam melhor formados, mas em artigos que saíram nos media era apontado esses dois factores. Espanha tornou-se na solução mais racional para os Pilotos do Exército. Já agora, sabias que os Pilotos da Marinha passam 5 anos em formação!  :wink:


Bem então e um PILAV que passe 5 anos na Academia e depois vá para helicopteros?
Título:
Enviado por: Lightning em Dezembro 29, 2006, 11:50:00 am
Citação de: "Ricardo Nunes"
[A formação é tão "boa" em Espanha que, infelizmente, não é sequer reconhecida pelo INAC.


Isso também penso que se passe o mesmo com a FAP, um PIL que acabe o contracto ou um PILAV que passe à disponibilidade, tem na mesma que fazer exames no INAC para piloto civil, mas muitos tem a vantagem de ter muitas horas de voo em aeronaves multi-motor e a operarem de aeroportos civis, falo em relação a aviões C-130, P-3 e Aviocar, são dessas esquadras que mais pilotos saiem para a aviação comercial.
Título:
Enviado por: Rui Elias em Dezembro 29, 2006, 12:00:42 pm
Citar
Como já ouvi algures por aqui, a formação de uma unidade na Marinha com 4 EH101 para operações anfibias, mas porque?


Porque dos 12 EH-101 que temos, 1 está no Porto Santo e outros 3 nos Açores.

Dá 8 helis, e se desses 8 embarcarem 4 no LPD, para uma missão mais ou menos prolongada, com quantos helis fica Portugal durante esse periodo?

Por outro lado, os helis da Marinha, quando não estivesem embarcados, poderiam garantir a missão SAR no mar em vez de ser a FAP a garantir isso.
Título:
Enviado por: Rui Elias em Dezembro 29, 2006, 12:01:34 pm
Citar
Como já ouvi algures por aqui, a formação de uma unidade na Marinha com 4 EH101 para operações anfibias, mas porque?


Porque dos 12 EH-101 que temos, 1 está no Porto Santo e outros 3 nos Açores.

Dá 8 helis, e se desses 8 embarcarem 4 no LPD, para uma missão mais ou menos prolongada, com quantos helis fica Portugal durante esse periodo?

Por outro lado, os helis da Marinha, quando não estivesem embarcados, poderiam garantir a missão SAR no mar em vez de ser a FAP a garantir isso.
Título:
Enviado por: Spectral em Dezembro 29, 2006, 12:18:41 pm
4 hélis para cobrir as missões de SAR no território continental num período de assumida emergência não me parece assim tão grave...
Título:
Enviado por: xenical_ em Dezembro 29, 2006, 12:43:16 pm
Bom dia.

Caros foristas, seria de alguma maneira despropositado a vinda dos 10 nh90 na versão NFH (em vez da tth proposta por Portugal), para a substituição da frota Lynx e reequipamento das fragatas Classe M). E a entrega da frota Puma ao exercito para o GALE (se servia para os Ingleses o utilizarem no Afeganistão, certamente que estariam a altura para utilização pelo nosso exercito).
Deixo ao vosso comentário.

Cumprimentos

Paulo Mariano
Título:
Enviado por: Rui Elias em Dezembro 29, 2006, 01:10:43 pm
Xenical:

Quanto aos Puma, totalmente de acordo.

Já o escrevi mais acima, que é lamentável trermos 10 Puma's parados à espera de comprador, e termos um Exército com um UALE constituido no papel, e sem helis para operar.

Como aliás termos um SNBPC sem helis próprios, tirando os 2 Bell alugados, e a GNR sem nada.

É que os NH-90 se vierem, será daqui a 4 anos.

Quanto a virem na versão NFH, acho que poderão haver planos para num futuro de médio-longo prazo substituir os Linx da Armada que são orgânicos nas fragatas por NH-90 nessa versão.

As fragatas holandesas M que nos serão entregues até ao final da década virão já adpatados para a operação desse tipo de helis, e é de esperar que numa modernização das 3 VdG, também se proceda a esse tipo de alteração nos deck's.

Quanto aos "terrestres" são tão diferentes dos NFH que não dava para comprar NH-90 NFH para operar em terra.

Os NH-90 que chegarão lá para 2010 ou 2011 serão provavelmente tácticos, para usos gerais.
Título:
Enviado por: xenical_ em Dezembro 29, 2006, 01:32:18 pm
Rui Elias:

Fiz a observação dos NH NFH, no sentido de que com um aparelho ( 1 aquisição) se "mataria" 2 coelhos. ( a falta de aeronaves para o GALE e a substituição / aquisição de mais Lynx para as "novas fragatas).

Quanto ao SNBPC parece que o problema esta resolvido: 6 kamovs 32 e 4 Ecureils B3. ( eventualmente a GNR poderia utilizar estes meios).

Eventualmente poderia-se tentar o forneciemnto de aparelhos para uso tactico terrestre e equipar a serio o exercito ( com um nmero consideravel de aprelhos) oriundos dos EUA (bell's UH-1 ou coisa parecida :) por via das negociações da base das Lajes. ( provavelmente seriam mais amigos do ambiente 30 ou 40 bell's em muito bom estado, do que 2 OHP's oxidadas). Cumprimentos. Paulo Mariano
Título:
Enviado por: Rui Elias em Dezembro 29, 2006, 01:46:10 pm
Pois, Xenical, mas as OHP já não vêm.

Qunto ao Huey, são helis muito ultrapassados no tempo, e os estados que ainda os usam, é porque não tiveram até agora verba para comprar outra coisa.

Foram bons helis, mas tiveram o seu tempo.

Quanto muito, poderia discutir-se preços e relações custo/benefício entre os NH-90 tácticos e os seus equivalente, os  Black Hawk americanos, procurados também em muitos mercados.

E nesse caso, se a opção fosse por aí, também, em vez dos NH-90 NFH, poderiamos tentar a compra de alguns SH 70B para a Marinha, ganhando nas cadeias logísticas.

A nossa opção pelo NH-90 prende-se com o facto se sermos parceiros no consórcio e sermos membros da NATO.

Quanto a usá-los em ambiente terrestre, faria o mesmo sentido que usar os Linx da Armada no UALE.

Olhe que há uns meses eu cheguei a defender isso, desde que despidos dos sistemas navais, e se a opção para o UALE fose comprar helis de ataque Land-Linx, complementados por helis tácticos e de transporte.

Entretanto, compravam-se já os NH-90 NFH para a Marinha, em nº de 8, já que teremos 5 fragatas, e a relação ideal é de 1 heli e meio por fragata.
Título:
Enviado por: typhonman em Dezembro 29, 2006, 02:23:49 pm
Vejam esta foto, este heli é uma versão TTH mas reparem no pormenor da dobragem da cauda. o Simbolo da âncora em amarelo.


http://www.areamilitar.net/noticias/not ... ?nrnot=296 (http://www.areamilitar.net/noticias/noticias.aspx?nrnot=296)

Vejam a imagem em que esta a sair um veiculo da porta traseira do heli.
Título:
Enviado por: Get_It em Dezembro 29, 2006, 04:48:58 pm
Typhonman, bem mencionado. Como podem ver, não é preciso um helicóptero ser na sua versão naval para poder dobrar a cauda de modo a poderem ser embarcados num LPD.

Mais uma foto, desta vez de um NH-90 TTH italiano à espera de ser entregue. Nas duas últimas fotos pode-se ver facilmente a dobragem da cauda.

Citação de: "easyand@militaryphotos.net ([url=http
->[/url])"]Italian NH90 tth waiting for delivery

[imagem] (http://http)

(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fwww.elicotteriweb.it%2Fimgs%2Fphoto%2Fnh90_vega_2.jpg&hash=406ea66045fa5c4890e7de8a7e805483)

(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fwww.elicotteriweb.it%2Fimgs%2Fphoto%2Fnh90_vega_3.jpg&hash=33cfd6def02da04aa65e2599bebd5a25)

Citação de: "xenical_"
Bom dia.

Caros foristas, seria de alguma maneira despropositado a vinda dos 10 nh90 na versão NFH (em vez da tth proposta por Portugal), para a substituição da frota Lynx e reequipamento das fragatas Classe M). E a entrega da frota Puma ao exercito para o GALE (se servia para os Ingleses o utilizarem no Afeganistão, certamente que estariam a altura para utilização pelo nosso exercito).
Deixo ao vosso comentário.

Cumprimentos

Paulo Mariano

Têm de ver que se os ingleses forem a utilizar os helicópteros PUMA no Afeganistão, vão utiliza-los no máximo por três anos, só até à compra de novos meios aéreos.

E quanto à utilização do PUMA pelo Exército acho que se esqueceram-se do que já foi aqui escrito há tempos. Não existe capacidade para serem operados devido à falta de pessoal de manutenção. Mesmo quando o Ministro da Administração Interna estava com [algumas] intenções de colocar os helicópteros PUMA para os SNBPC, e destes mesmos serem operados pela FAP a nível de pilotos e de manutenção, a FAP veio logo dizer que não tinha meios para o fazer.

Segundo o que foi mencionado no fórum 9 G's, os helicópteros PUMA requerem muita manutenção e pessoal especializado, logo se a FAP não tem pessoal disponível para fazer essa manutenção e se o Exército não tem os seus próprios meios então não há nada a fazer.

Mencionaram aqui também que os nossos pilotos de helicópteros são melhores porque têm treino também em aeronaves de asa fixa, mas sinceramente é mais uma coisa para me confundir, visto que quando já aqui, no fórum, esteve a ser discutido o nosso treino de pilotos e a escolha do helicóptero ligeiro, muito pessoal experiente veio dizer que não percebiam porque cá em Portugal fazíamos uma complicação do carago ao treinar os pilotos dessa forma.

Face ao que foi escrito noutro tópico, pelo que foi publicado, o «comando conjunto» para os helicópteros das forças armadas só será para fins de manutenção, logística e treino.

Quanto às ideias de logística e afins o melhor seria comprar NH-90 para o Exército e Marinha, e ainda o mesmo helicóptero ligeiro para todos os ramos - e não problemas quanto a isto visto que existem modelos que fazem face a todas as necessidades dos três ramos. Quanto ao UALE que apressem é a entrega dos NH-90 TTH, em vez de estarem a operar aeronaves mais velhas, que gastam mais dinheiro a serem operadas, e que ainda por cima não ajudam em nada a preparar a logística e a manutenção das futuras aeronaves.

Aliás, o melhor para o UALE enquanto o NH-90 TTH não chega não é o PUMA ou o EH-101, é um helicóptero ligeiro! Mas pronto, agradeçam ao Paulo Portas por ter cancelado a compra desses helicópteros ligeiros e não ter dado mais nenhuma solução para o problema.

Cumprimentos,
Título:
Enviado por: Lightning em Dezembro 29, 2006, 08:49:42 pm
Citação de: "Rui Elias"
Citar
Como já ouvi algures por aqui, a formação de uma unidade na Marinha com 4 EH101 para operações anfibias, mas porque?

Porque dos 12 EH-101 que temos, 1 está no Porto Santo e outros 3 nos Açores.

Dá 8 helis, e se desses 8 embarcarem 4 no LPD, para uma missão mais ou menos prolongada, com quantos helis fica Portugal durante esse periodo?


Fica com 8 EH101, eles não são obrigados a estarem sempre 1 no Porto Santo, 3 nos Açores e 8 no Montijo, isso pode ser alterado conforme as necessidades.
Devo informar que nunca estão todos os helicopteros da FAP de alerta para missões SAR, no minimo dos minimos poderiamos até só ter 3 helicopteros na Força Aérea, 1 no Montijo, 1 em Porto Santo e 1 nos Açores, mas isto era esticar muito a corda a volta do pescoço e ia dar mau resultado concerteza :lol:
Título:
Enviado por: typhonman em Janeiro 03, 2007, 04:47:55 am
Ja agora.. Ja ha nome para o NH90?
Título:
Enviado por: OPCOM em Janeiro 03, 2007, 09:42:26 am
Bom dia
Isso de não haver mecanicos especializados na manutenção dos Puma, soa-me a enorme tanga, então o exercito tem o Gale formado há uns bons anos (pilotos e mecanicos), estes mecanicos foram formados em que aeronaves? não teve o Exercito nestes anos todos em que o pessoal desta unidade anda por lá a fazer sabe-se lá o quê, tempo de os formar no PUMA?
Outra questão: se o Puma requer técnicos altamente especializados, o que dizer do NH90, muito mais avançado que o velho Puma de 40 anos. Alem disso se as OGMA fazem a manutenção de Pumas estrangeiros também o poderiam fazer aos nossos 10, até á vinda do NH90.
A manutenção dessas unidades a voar sai caro é verdade, mas mais caro sai ter lá as pessoas formadas a receber, ter aeronaves disponiveis e estarem lá inactivas, existe sim é uma grande falta de vontade.
Na minha opinião era cancelar estes NH90, e comprar mais 5 ou 6 EH101 CSAR, (mantinham quase a mesma capacidade de transporte com os mesmos custos), e bem mais operacionais (versão CSAR).
Em relação aos Helis ligeiros, mais vale não os ter do que ter sem algumas das capacidades mais importantes, como a certificação para os misseis TOW. Se esses viessem nunca mais vinham mais nenhuns (se é que algumas vez virão), sem esta certificação pouco mais farão que os actuais alouettes. Com a desactivação dos Alfa Jet, o estado dos M60, a falta de sistemas anticarro, e a nunca provavel compra de helis de ataque, esta será provavelmente a nossa melhor capacidade de ataque ao solo próximo.
Cumps
Bom ano de 2007
Título:
Enviado por: Spectral em Janeiro 03, 2007, 12:27:53 pm
Citar
Isso de não haver mecanicos especializados na manutenção dos Puma, soa-me a enorme tanga, então o exercito tem o Gale formado há uns bons anos (pilotos e mecanicos), estes mecanicos foram formados em que aeronaves? não teve o Exercito nestes anos todos em que o pessoal desta unidade anda por lá a fazer sabe-se lá o quê, tempo de os formar no PUMA?

No Puma não foi concerteza, senão estava previsto o Exército operar o Puma porque razão havia de se formar pilotos e mecânicos para esse heli??

Citar
Outra questão: se o Puma requer técnicos altamente especializados, o que dizer do NH90, muito mais avançado que o velho Puma de 40 anos. Alem disso se as OGMA fazem a manutenção de Pumas estrangeiros também o poderiam fazer aos nossos 10, até á vinda do NH90.
A manutenção dessas unidades a voar sai caro é verdade, mas mais caro sai ter lá as pessoas formadas a receber, ter aeronaves disponiveis e estarem lá inactivas, existe sim é uma grande falta de vontade.

Uma coisa é fazer a manutenção de grande escalão a nível das OGMA, outra é a manuenção diária nas unidades...

Citar
Na minha opinião era cancelar estes NH90, e comprar mais 5 ou 6 EH101 CSAR, (mantinham quase a mesma capacidade de transporte com os mesmos custos), e bem mais operacionais (versão CSAR).

a) qual o preço de 5 ou 6 EH101 CSAR vs 9 NH-90 ? ( O EH-101 tem a fama de rolls-royce dos helis não é por nada...)

b) e custos de manutenção ( pista : o EH101 tem 3 motores, o NH-90 tem 2...)

c) em que medida é que um EH101 CSAr é inerentemente mais "operacional" do que um NH-90 com a mesma configuração ( tirando o alcance) ?

Citar
Em relação aos Helis ligeiros, mais vale não os ter do que ter sem algumas das capacidades mais importantes, como a certificação para os misseis TOW. Se esses viessem nunca mais vinham mais nenhuns (se é que algumas vez virão), sem esta certificação pouco mais farão que os actuais alouettes. Com a desactivação dos Alfa Jet, o estado dos M60, a falta de sistemas anticarro, e a nunca provavel compra de helis de ataque, esta será provavelmente a nossa melhor capacidade de ataque ao solo próximo.


E que tal as missões de treino ? Ou de reconhecimento ligeiro ? os Al-III já não dão para tudo... Existe quase meio século de diferença entre os actuais helis ligeiros e as suas capacidades e o Al-III, é ridículo reduzir isso à questão se têm mísseis AT ou não. Já agora, um heli ligeiro a usar TOW nos dias de hoje é meio suícidio. E em princípio os M60 serão substituídos pelos Leopard...


Mas claro, todos os argumentos valem quando o que se quer realmente é manter todos os helis na FAP não é ?  :wink:


cumptos e bom ano novo para todos
Título:
Enviado por: typhonman em Janeiro 03, 2007, 04:10:30 pm
Pessoal, o Exército não quer o EH101 devido a integração nas operações multinacionais, ficou decidido o "NH90".. O MDN propos isso a uns a nos atras mas nao foi aceite pelo CEME.

Podia era adquiri-se mais 4 EH101 versão de transporte puro como têm o UK.Mas isso já era subaproveitar a frota de EH da FAP..

Quanto aos helis já fui mais defensor de A109 ou equivalente para o GALE. Tipo, para que ter A109 no exercito? Apoio de fogos? Plataforma pouco resistente a accao de AAA/MANPADS.. Treino? Mas essa não é missão da FAP?

Os australianos para a missão escort/recon adquiriram TIGER-HAP..

Nos podiamos era ter na FAP os A109 para instrução+ligação e EH101 para CSAR SAR e VIMAR.

No Exército comprar os Helis Apache excedentários que a Holanda tem a venda criando assim um grupo de ataque/escort/recon, e ao mesmo tempo adquiri os 10 NH90TTH.

Na Marinha no futuro comprava-se NH90N, para ASW,Asuw.

Se o Comando Conjunto for para a Frente o A109 serve bem so para um"ramo" 10 unidades serão suficientes.
Título:
Enviado por: Lightning em Janeiro 03, 2007, 05:15:57 pm
Eu penso que isso de adquirirmos NH90 devido as missões internacionais parece-me desculpa, é verdade que a grande parte dos paises europeus vai adquirir o NH90, mas por exemplo o Reino Unido e a Dinamarca não prevem adquirir NH90 e eles tem uma muito maior participação em missões internacionais do que nós.

E eu gostava de saber qual é o problema de ser a FAP a ter os helicopteros todos? Se fossemos um pais tipo Espanha, com várias centenas de helicopteros, ai sim justificava-se uma aviação no exército com helicopteros de ataque, transporte pesado, transporte ligeiro, e até talvez um grupo do mesmo género mas na Marinha especifico para operações anfibias como tem o US Marine Corps. Agora em Portugal termos uns 20 helicopteros na FAP e outros tantos no Exército, sou contra.
Eu na verdade nem defendo estarem todos na FAP, defendo é umas forças armadas conjuntas como tem o Canadá ou a Bélgica por exemplo, gradualmente isso está a acontecer nas nossas forças armadas e suprendentemente está a acontecer pelo topo, já fundiram os 3 Institutos de Altos Estudos num só, já ouvi falar também numa fusão dos Estados-Maiores, das Academias e dos Comandos Operacionais.
Mesmo que o GALE vá para a frente, como as coisas estão a ir não acredito que permaneça muito tempo no Exército, quando a Bélgica e a Holanda fundiram os 3 ramos das forças armadas os helicopteros que estavam no Exército passaram para o controle do Comando Aéreo.
Título:
Enviado por: typhonman em Janeiro 03, 2007, 05:19:17 pm
O modelo israelita não e de deitar fora, capacidades conjuntas, mas os helis estão todos na FA.
Título:
Enviado por: Get_It em Janeiro 03, 2007, 06:43:46 pm
Citação de: "Lightning"
Eu penso que isso de adquirirmos NH90 devido as missões internacionais parece-me desculpa, é verdade que a grande parte dos países europeus vai adquirir o NH90, mas por exemplo o Reino Unido e a Dinamarca não prevêem adquirir NH90 e eles tem uma muito maior participação em missões internacionais do que nós.

Se formos a ver esses países têm boas razões para isso. Quanto à Dinamarca não participa tanto quanto isso com helicópteros, e além disso são um país não assim tão grande e o EH-101 enquadra-se melhor nas necessidades deles. Embora não esteja a escrever isto tendo em conta qualquer fonte.

Quanto ao Reino Unido, a grande parte dos componentes do EH-101 são fabricados lá e o EH-101 tem uma maior capacidade de carga que o NH-90. E se tivermos em conta as notícias e as discussões no MilitaryPhotos.net, os britânicos têm é mais necessidade de helicópteros para transportar equipamento e mantimentos do que para transportar soldados. E visto que também operam várias unidades do EH-10 no estrangeiro (é operado por todos os ramos deles) não têm tantos problemas em ter a sua própria logística durante missões internacionais.

Agora e Portugal, quantos helicópteros é que iria operar em missões internacionais? Dois ou quatro? Para isto podemos muito bem utilizar a logística alemã, espanhola ou italiana, países que estão muito bem presentes nas missões internacionais em que participamos, e que, inclusive, utilizam helicópteros mais do que nós durante essas missões.

Cumprimentos,
Título:
Enviado por: Lightning em Janeiro 03, 2007, 08:05:27 pm
Citação de: "Get_It"
Se formos a ver esses países têm boas razões para isso. Quanto à Dinamarca não participa tanto quanto isso com helicópteros, e além disso são um país não assim tão grande e o EH-101 enquadra-se melhor nas necessidades deles. Embora não esteja a escrever isto tendo em conta qualquer fonte.

Portugal também não participa tanto assim com helicopteros, só me lembro do destacamento de allouettes em Timor.
Isso da Dinamarca não ser muito grande não percebo o que tem a ver mas pronto.
Não sou grande entendido nas necessidades da Dinamarca em questão de helicopteros mas o EH101 foi escolhido em vês do NH90 devido a possuir maior alcance e capacidade de carga.

Citar
Quanto ao Reino Unido, a grande parte dos componentes do EH-101 são fabricados lá e o EH-101 tem uma maior capacidade de carga que o NH-90. E se tivermos em conta as notícias e as discussões no MilitaryPhotos.net, os britânicos têm é mais necessidade de helicópteros para transportar equipamento e mantimentos do que para transportar soldados. E visto que também operam várias unidades do EH-10 no estrangeiro (é operado por todos os ramos deles) não têm tantos problemas em ter a sua própria logística durante missões internacionais.

Concordo mas não percebo é a referencia a eles não precisarem de transportar soldados, tem algum fundamento?
O Exercito Britânico não tem EH101, só a RAF e a Marinha Real é que tem mas isso é um pormenor.

Citar
Agora e Portugal, quantos helicópteros é que iria operar em missões internacionais? Dois ou quatro? Para isto podemos muito bem utilizar a logística alemã, espanhola ou italiana, países que estão muito bem presentes nas missões internacionais em que participamos, e que, inclusive, utilizam helicópteros mais do que nós durante essas missões.

Cumprimentos,


Então no caso do EH101 podiamos utilizar a logistica britânica :lol: .
Mas mesmo assim duvido que tal aconteça com qualquer aeronave nossa, o avião que certamente mais missões internacionais faz é o C-130 e é practicamente o avião padrão em transporte táctico militar no mundo ocidental, sempre que fizemos destacamentos com o C-130 tivemos que destacar em conjunto mecanicos e material apesar de outros paises também utilizarem o C-130, até no Afeganistão quando o trem de aterragem se partiu teve que ir um outro C-130 de proposito do Montijo  para o Afeganistão para levar material para reparar o nosso C-130 que lá estava.
Mas isso talvez mude no futuro.

Eu não sou contra o NH90, até acho um helicoptero bonito, mas considero um desperdicio termos EH101 e NH90, ou um ou outro, talvez não devessem ter escolhido o EH101 e sim o NH90 para a FAP, se o Puma fazia SAR o NH90 também pode fazer.
Mas de certeza que o EH101 tem maiores capacidades nesse ambito que o NH90 e foi esse que a FAP adquiriu, o que eu refiro é que o EH101 também é perfeitamente capaz de fazer missões de transporte táctico de tropas, por isso considero o NH90 uma má escolha, preferia que fossem mais alguns EH101 já que essa aeronave já é operada actualmente.
Título:
Enviado por: Miguel em Janeiro 03, 2007, 08:44:36 pm
Anos atraz, eu era e continuo a ser contra a UALE e o NH90.

Na altura disseram-me que era impossível Portugal abdicar desse projeto, porque faziamos parte do projeto com software.

Claro que ficava melhor todos os hélis na FAP:

12 EH101 para SAR,Transporte etc..
18 A109 para transporte ligeiro,treino,ataque ligeiro,reconhecimento...

(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fimg110.imageshack.us%2Fimg110%2F4934%2Fprsh246cwp1.th.jpg&hash=8d51c4a24b13cab2b9ba58de7063f9c8) (http://http)



e os 6 Lynx na Armada e manutençao FAP
Título:
Enviado por: Spectral em Janeiro 03, 2007, 08:54:56 pm
Citar
Eu não sou contra o NH90, até acho um helicoptero bonito, mas considero um desperdicio termos EH101 e NH90, ou um ou outro, talvez não devessem ter escolhido o EH101 e sim o NH90 para a FAP, se o Puma fazia SAR o NH90 também pode fazer.
Mas de certeza que o EH101 tem maiores capacidades nesse ambito que o NH90 e foi esse que a FAP adquiriu, o que eu refiro é que o EH101 também é perfeitamente capaz de fazer missões de transporte táctico de tropas, por isso considero o NH90 uma má escolha, preferia que fossem mais alguns EH101 já que essa aeronave já é operada actualmente.


A FAP pretendia claramente uma melhoria das condições face ao que se verificava com os Puma (fechar o  "gap Lisboa- Açores, impossível de cobrir com os Puma), basta ver as Mais Alto do início dos anos 90. O EH-101 era ( e é ?) o único heli capaz disso, devido ao seu alcance.

Por outro lado, o EH-101 é um aparelho extremamente caro de manter, certamente muito mais que o NH-90. Juntando-se ao facto de ser um pouco grande para operar como héli médio, a opção portuguesa não me parece ser assim tão má como isso.

Por outro lado, acho que é também importante separar um pocuo as águas entre as missões SAR/CSAR e as de transporte táctico. Estas são de tal maneira importantes para os exércitos actuais que não devem ser subaltenerizadas, como acontecia até aqui com os Puma ( e como, digo eu, continuaria a acontecer se a frota de transporte táctico tivesse sempre subordinada à FAP...).
Título:
Enviado por: Lightning em Janeiro 03, 2007, 10:53:56 pm
Pois visto dessa maneira percebo que ao ser a esquadra dos EH101  efectuar transporte táctico essa missão nunca seria a missão principal e provavelmente as suas tripulações também não seriam tão bem treinadas nessa função como em SAR que é a sua missão principal, isso já não aconteceria com uma unidade de helicopteros exclusiva para missões de transporte táctico.
Mas então tenho outra questão.
Não seria mais vantajoso que fossem os NH90 a terem capacidade de embarcar no NAVPOL em comparação com os Eh101? Já que serão os pilotos do NH90 a terem treino mais intenso em transporte táctico em relação ao dos EH101???
Título:
Enviado por: papatango em Janeiro 03, 2007, 11:11:59 pm
Conforme o Spectral disse, a compra do EH-101 deveu-se acima de tudo à especificação apresentada e à exigência de que o helicóptero pudesse voar desde o continente até às ilhas atlânticas.

Como sabemos isso limitou as hipoteses a praticamente apenas duas aeronaves.

Se não existisse a exigência de conseguir chegar aos Açores provavelmente não teriamos o EH-101 e poderiamos operar uma frota alargada de NH-90.

Mas quanto ao NAVPOL.

O EH-101 é na maioria dos modelos vendidos, uma aeronave para utilização naval.
A sua utilização a bordo do NAVPOL é a mais adequada.
O EH-101 tem uma maior autonomia e isso é em todos os casos uma mais valia.

Basta lembrar que quanto mais longe os helicopteros conseguirem chegarm, maior é o valor agregado a uma unidade naval como o NAVPOL, ou qualquer navio idêntico.

Tendo Portugal um dos mais eficazes helicópteros que existem para operar de plataformas embarcadas, não faria sentido não o utilizar.

Em meu entender, o helicóptero que está de facto "fora do baralho" é o Lynx.

Mas não está previsto nem vai estar previsto mudar de helicóptero embarcado, pelo que a questão nem se coloca.  :roll:

cumprimentos
Título:
Enviado por: JLRC em Janeiro 04, 2007, 12:23:48 am
Citação de: "papatango"
 
Em meu entender, o helicóptero que está de facto "fora do baralho" é o Lynx.

Mas não está previsto nem vai estar previsto mudar de helicóptero embarcado, pelo que a questão nem se coloca.  :roll:

cumprimentos


Concordo com o Papatango. O ideal seria o UALE operar o NH-90 TTH e a Marinha o NH-90 NFH.
Título:
Enviado por: typhonman em Janeiro 04, 2007, 01:10:42 am
Acho que na generalidade deve ser um dos poucos temas em que estamos de acordo( quase todos os membros do forum) :lol:
Título:
Enviado por: OPCOM em Janeiro 05, 2007, 12:44:38 pm
Boas,
Caro Spectral.
O pessoal do gale e tal como disse não foi formado nos Puma, mas nos NH90 tabém não foram de certeza. Ao tempo que este pessoal está no activo, já tiveram tempo suficiente para se formarem nos Puma, know how temos de certeza para o fazer.
Quando fala no custo da manutenção dos helis, e tendo o EH 3 motores e o NH 2, também a redução de 9 aeronaves para 4, irá reduzir os custos de manutenção.
Diz que os M60 vão ser substituidos por Leo2, grande upgrade é verdade, mas 37? Que tal como todos sabemos com o passar dos anos falta de manutenção e desgaste vão sendo cada vez menos. E tendo como termos de comparativos os nossos potenciais adversarios (37=nada). Você acha que temos 64 M60 operacionais? e os custos de manutenção reparação destes não vão ter nada a ver com os dos LEO2.
Eu acho é que no actual estado das nossas FA, acho (minha opinião), que há sectores muito mais importantes do que ter 9 helis State of the art, a fazer transporte táctico em exercicios que vai ser basicamente a utilidade deles), e mostrar nos shows aéreos e exposições. Quantas vezes enviamos um Puma para o estrangeiro? (tirando a guerra colonial).  E isso da Logistica nato ou europeia, cada um vai com o que tem, quase nada do que temos actualmente está equiparado aos standarts Nato (G3, F16 A/B,P3P).
Quantas vezes enviamos um Puma para o estrangeiro? (tirando a guerra colonial).
Os Lynx também concordo que estão a deslocado, mas já os temos, estão pagos, há que os rentabilizar.
Acerca de missõs SAR, eu prestei serviço no TCAT. e só não tem nada a ver, não é so a autonimia, é a impossibilidade de voar de noite e com más condições atmosfericas, por isso O EH era mesmo necessário.
Viram a reportagem sobre os Comandos no Afganistão: as tropas estrangeiras diziam: muito profissionais, mas pareciam mal equipados. Acho mais importante enviar tropas para o estrageiro bem equipadas e protegidas (até jipes temos que pedir emprestados, e Ivecos aos Italianos), do que ter os tais 9 NH a fazer vista em Tancos.
Mais uma vez, esta é a minha opinião.
Título:
Enviado por: papatango em Janeiro 05, 2007, 01:01:22 pm
Infelizmente tenho que oncordar com o OPCOM.

O GALE, parece ser mais um devaneio de um periodo da nossa história em que parecia que o crescimento económico não ía parar e que as acções na bolsa não íam descer e que toda a gente ía ficar rica.

O periodo em que se decidiu que teriamos duas esquadras modernas e operacionais com aviões modernos (coisa que nunca tivemos) e helicópteros que tinham que chegar aos Açores, mesmo que isso implicasse serem os mais caros do mercado (e neste caso eu não estou em desacordo com a sua compra).

A mania das grandezas, é também um problema das forças armadas.
Lembrem-se dos planos malucos dos generais dos anos 40 e 50 que afirmavam que Portugal podia perfeitamente criar 10 divisões, quando os americanos diziam que deveriamos tentar ter apenas uma divisão moderna.

Nem a tal divisão moderna conseguimos tornar operacional e eficiente.

Uma força armada como o exército português, tem a obrigação de ter capacidade para conseguir gerir adequadamente os seus poucos meios.

Espero que a futura estrutura para gerir a utilização dos helicópteros consiga vingar (por muitas maldições que lhe lancem).
Ela não pode ser apenas uma estrutura para racionalizar a manutenção e compra de peças. Deverá ser um comando autónomo que possa servir qualquer dos ramos das forças armadas em igualdade de circunstâncias, sem resmungos patéticos dos respectivos chefes de capelinha.

Pessoalmente com já afirmei anteriormente, acho que a própria Força Aérea não tem muita razão para existir, mas enfim, o que haviamos de fazer com os exedentes... :twisted:

Cumprimentos
Título:
Enviado por: Rui Elias em Janeiro 05, 2007, 03:04:47 pm
E a mim, parece-me perfeitamente obsceno termos 10 Puma's parados e a FAP sem capacidade relevante SAR como e viu agora com o caso do navio pesqueiro na Nazaré, com helis que nos custaram quase tanto quanto uma fragata AAW a terem um tempo de prontidão de 30 min, nas horas de expediente e de 45 min, fora dessa horas (enquanto um tempo de prontidão para os mais "finos" F-16 é de 7 min. para intercepção de avionetes), e termos um UALE virtual, que o entanto gasta recusos, à espera de uns helis que chegarão em 2011, e termos os tais Pumas's que até há pouco eram bons e que de repente, agora só servem para criar teias de aranha, enquanto se espera que haja comprador.

Com a FAP a fazer-se de esquisita dizendo não ter meios para operar dois tipos de aeronave, o Exército a fazer-se de esquisito e dizer que Puma's para eles, não, toda a gente a sacudir a água do capote quando algo corre tragicamente mal numa simples operação SAR.

Acho tudo isto obsceno e nojento.

Peço desculpa mas é o que penso de tudo isto.   :oops:
Título:
Enviado por: papatango em Janeiro 05, 2007, 03:28:31 pm
Citar
E a mim, parece-me perfeitamente obsceno termos 10 Puma's parados e a FAP sem capacidade relevante SAR como e viu agora com o caso do navio pesqueiro na Nazaré


Não sei se o incidente na Nazaré terá demonstrado alguma coisa nesse aspecto.

Embora eu ache que o periodo de reação indicado pela Força Aérea como normal um pouco longo, a verdade é que não podemos ter os helicopteros permanentemente com os motores ligados e com os militares prontos para saltar imediatamente para dentro deles.

Os meios aéreos não têm que ser a primeira e unica escolha quando há problemas com um salvamento.

Será que não há meios que possam ser utilizados (e comprados) para permitir um salvamento a 50 metros da praia sem que se tenha que mandar vir um helicóptero que está a mais de 100Km de distância ?


Os PUMA são neste momento uma aeronave do passado e não adianta muita coisa voltar atrás.
É mais complicado encontrar os recursos para a manutenção dos EH-101(muito mais cara que a dos PUMA).

A qualidade dos EH-101 relativamente aos PUMA ficou expressa no último salvamento de um navio efectuado 500Km a oeste dos Açores, onde um PUMA nunca teria conseguido chegar.

Mesmo assim, o tempo estava tão mau, que na primeira tentativa mesmo o EH-101 com os seus três motores, teve que voltar para trás para esperar melhor tempo.

Cumprimentos
Título:
Enviado por: Get_It em Janeiro 05, 2007, 04:49:57 pm
Só acho que é despropositado estarem a dizer que precisamos de uma nova espingarda de assalto e outros meios em vez do NH-90, pois muito simplesmente estão a dar a ideia que a culpa por ainda não termos esses novos equipamentos é da compra dos NH-90.

Ora bem, a nova espingarda de assalto já podia ter sido comprado desde ano passado, a culpa foi do governo e do concurso que criou, não era por comprar-mos helicópteros NH-90 que íamos ficar sem dinheiro para compras as novas espingardas de assalto. E depois quanto à UALE estar parado é também culpa do governo, pois se o Sr. Dr. Paulo Portas não tivesse cancelado a compra dos helicópteros ligeiros - ou pelo menos tivesse comprado outro modelo logo na altura - já a UALE e FAP estariam a operar novos meios tanto como em missões como na instrução.

Agora, não é por estarmos a comprar helicópteros NH-90 para fazer transporte táctico e quem sabe ainda mais algumas tarefas, que o resto do equipamento não é comprado.

Cumprimentos,
PS: As discussões sobre a escolha dos Leopard 2A6 (http://http) e a compra da nova espingarda de assalto (http://http) podem ser encontradas no fórum Exércitos/Sistemas de Armas.
Título:
Enviado por: Lancero em Janeiro 05, 2007, 06:01:34 pm
Boas, se me pudessem esclarecer uma dúvida... agradecia  

No meio desta polémica sobre o tempo que leva a descolar o heli após o alerta, tenho pensado no que é que poderia ser feito para o encurtar. Sendo que não de pode mexer no normal tempo que leva a fazer as verificações e a ligar os motores, tem que se ir a outro lado.

A minha dúvida/questão é:
Na 'imensa' (de grande) BA6, as instalações da esquadra 751 são muito longe do hangar/pista de onde largam os EH-101? Implicam uma viagem de automóvel - com a necessária, acho, espera pela chegada do motorista e viatura - entre as instalações da esquadra e o local onde está o heli?

Se bem me lembro de uma visita efectuada há BA6 há 5/6 anos, tenho ideia que os Puma por acaso - não por acaso mas concerteza propositadamente - até estavam nos hangares mais próximos do núcleo (edifícios administrativos e outros) da base. Mas isto é de cabeça...

Isto é só um exercício para se tentar perceber onde se poderá encurtar o tempo até o heli estar no ar.
Título:
Enviado por: ricardonunes em Janeiro 05, 2007, 07:20:27 pm
Não sou nenhum entendido, mas acho que o que se devia averiguar é o porquê de se ter um sistema que pode demorar duas horas a identificar o local do acidente.

Citar
A localização precisa do barco criou outra dificuldade: a identificação com rigor do local do naufrágio pode demorar até duas horas, dependendo da posição dos três satélites que fazem a triangulação do sinal de socorro. Na sexta-feira, esse período foi menor porque um pescador avisou o INEM do que se estava a passar quase hora e meia depois da recepção do primeiro sinal de socorro (cerca das 07.00).

E isto para mim é mais uma prova que o problema não é o tempo de aprontamento do aparelho, mas sim do sistema de localização.

Citar
Como a posição estimada apontava para um ponto situado a oito quilómetros para norte, a Marinha "enviou a lancha salva-vidas [Joaquim Lobo, do porto da Nazaré] para o sítio errado". O próprio helicóptero EH101 Merlin da Força Aérea, que descolou pouco antes das 09.00, recebeu já em voo os dados precisos da rede de satélites, informaram algumas das fontes ligadas ao processo.

E também se deve referir a quota culpa do sobrevivente e dos falecidos.

Citar
A posição do barco criou a primeira dificuldade: estava numa zona de rebentação violenta, de bancos de areia com canais de passagem muito estreitos e rodeado de redes de pesca que impediam a chegada, à embarcação, de nadadores-salvadores (a partir da praia) ou da própria lancha salva-vidas. O facto de a balsa salva-vidas da Luz do Sameiro ter ficado enrolada nas redes é outro sinal indicativo, segundo as fontes, da impossibilidade de chegar ao barco.

"Os pescadores criam condições impossíveis de controlar, nem com um helicóptero a cem metros", disse à Lusa o capitão do porto de Sines, Guilherme Marques Ferreira, lembrando ainda que aqueles náufragos "não usavam coletes de salvação no momento do acidente".

Título:
Enviado por: Lightning em Janeiro 05, 2007, 08:31:13 pm
Citação de: "Rui Elias"
E a mim, parece-me perfeitamente obsceno termos 10 Puma's parados e a FAP sem capacidade relevante SAR como e viu agora com o caso do navio pesqueiro na Nazaré,

Um caso que correu mal em tantos que correram bem, mas esses não interessam porque estamos sem capacidade relevante SAR.
http://www.emfa.pt/www/destaques/sar.php?lang=pt& (http://www.emfa.pt/www/destaques/sar.php?lang=pt&)

Citar
com helis que nos custaram quase tanto quanto uma fragata AAW

Duvido mas tem alguma tabela de preços para suportar a sua ideia?
Então com a fragata AAW já tinhamos boa capacidade SAR?

Citar
a terem um tempo de prontidão de 30 min, nas horas de expediente e de 45 min, fora dessa horas (enquanto um tempo de prontidão para os mais "finos" F-16 é de 7 min. para intercepção de avionetes),

Então pela sua ideia o melhor seria por os F-16 a fazer missões SAR?

Citar
e termos um UALE virtual, que o entanto gasta recusos, à espera de uns helis que chegarão em 2011, e termos os tais Pumas's que até há pouco eram bons e que de repente, agora só servem para criar teias de aranha, enquanto se espera que haja comprador.

Pois infelizmente é verdade, mas foi o que foi decidido, nós o que podemos fazer é criticar.

Citar
Com a FAP a fazer-se de esquisita dizendo não ter meios para operar dois tipos de aeronave, o Exército a fazer-se de esquisito e dizer que Puma's para eles, não, toda a gente a sacudir a água do capote quando algo corre tragicamente mal numa simples operação SAR.

E o que é que tem a manutenção dos Pumas na FAP ou no Exército a ver com SAR?

O que é para si uma simples operação SAR?
Eu acho que uma embarcação junto à zona de rebentação onde navios de grande porte não podem aproximar, cercada com redes de pesca que impede qualquer nadador ou bote de borracha de lá chegar e onde a tripulação do navio não tem coletes salva-vidas postos é bem complicada.

Na minha opinião se o Estado decidi-se que os Pumas ficavam na FAP isso podia ser feito mas tinham era que dar meios economicos e humanos para que tal pudesse ser efectuado (pilotos e mecanicos, contrução de hangares e outras infrastruturas para duas esquadras de helicopteros), o Exército já tem pessoal por isso não tem a mesma desculpa mas é porque conseguiram fazer com que o ponto de vista deles fosse aceite, caso o governo decidisse que usavam os Pumas não havia nada a dizer, uma ordem é uma ordem, mesmo que não se goste dela.

Citar
Acho tudo isto obsceno e nojento.

Peço desculpa mas é o que penso de tudo isto.   :oops:


Todos temos direito a ter opinião.

A minha é que dificilmente se pode melhorar o tempo de resposta da FAP, talvez a tripulação estar junto ao helicoptero (não sei como é actualmente), mas os procedimentos que são feitos antes de voo são obrigatorios, um helicoptero não é um carro que basta por a chave na ignição e dar meia volta, e penso que entre meia hora e 45 minutos não é muito tempo, a esquadra dos EH101 tem um heliporto relativamente perto por isso a distancia da esquadra à pista é indiferente.
Do que sou um completo desconhecedor é dos procedimentos desde que o aviso é enviado do navio ou alguém liga para o 112, até que a tripulação do helicoptero é avisada, talvez ai se possa encurtar o tempo, digo talvez porque repito, desconheço completamente o que acontece.
Título:
Enviado por: Lancero em Janeiro 05, 2007, 08:52:35 pm
Eu até sou da opinião que quem sai mal deste falhanço é a Marinha, não a Força Aérea.
Título:
Enviado por: Spectral em Janeiro 05, 2007, 08:55:03 pm
Citar
Mas então tenho outra questão.
Não seria mais vantajoso que fossem os NH90 a terem capacidade de embarcar no NAVPOL em comparação com os Eh101? Já que serão os pilotos do NH90 a terem treino mais intenso em transporte táctico em relação ao dos EH101???

Porque não ?  ;) )


Lynx : o typhonman disse tudo :wink:  Não estou a brincar, é uma questão essencial...


Citar
Quantas vezes enviamos um Puma para o estrangeiro? (tirando a guerra colonial).

Desde a Guerra Colonial que a missão primária dos Puma é SAR, o que tem obviamente reflexos nas suas outras missões... Pondo a questão de outro modo, que outro país da NATO apresenta(va) uma situação tão pobre no parque de helis como o nosso até à chegada dos EH-101? Com os NH-90 nada impede que a nossa participação no Afeganistão seja um par de NH-90s em vez de uma companhia de comandos.

Não vou estar outra vez a discutir a razão de ser ou não do GALE/UALE ou lá como lhe chamem, a minha opinião ( assim como a de outros, mesmo contrária   :wink:

------
Bem visto Get_It, aliás até já podíamos ter um GALE/UALE há muito mais tempo, caso houvesse vontade disso, com os ( ou alguns) AL-III da FAP.
-----

Citar
com helis que nos custaram quase tanto quanto uma fragata AAW

Oh Rui, se dissesse 10% de uma fragata AAW já tava mais perto da realidade  :wink:

Citar
Na minha opinião se o Estado decidi-se que os Pumas ficavam na FAP isso podia ser feito mas tinham era que dar meios economicos e humanos para que tal pudesse ser efectuado (pilotos e mecanicos, contrução de hangares e outras infrastruturas para duas esquadras de helicopteros), o Exército já tem pessoal por isso não tem a mesma desculpa mas é porque conseguiram fazer com que o ponto de vista deles fosse aceite, caso o governo decidisse que usavam os Pumas não havia nada a dizer, uma ordem é uma ordem, mesmo que não se goste dela.


Exacto, era como a ideia de os Pumas passarem para o serviço de combate a fogos, mas quem fazia ( e pagava) a operação e manutenção era a FAP ...
Título:
Enviado por: ricardonunes em Janeiro 05, 2007, 09:01:27 pm
Citação de: "Lancero"
Eu até sou da opinião que quem sai mal deste falhanço é a Marinha, não a Força Aérea.


Porquê :?:
Título:
Enviado por: Lancero em Janeiro 05, 2007, 09:05:45 pm
Porque é a Marinha que gere o salvamento marítimo. Se o heli chegou lá tarde é porque terá sido chamado já tarde - afinal de contas o primeiro alerta do barco veio às 06h42 e a FAP só foi contactada às 08h45.

---------

Citar
Nazaré: CEMA assume responsabilidade e solidariza-se com marinheiros

Lisboa, 05 Jan (Lusa) - O Chefe do Estado-Maior da Armada (CEMA) assumiu hoje responsabilidades pelas tentativas falhadas de salvar do mar seis pescadores do barco que naufragou há uma semana na Nazaré, solidarizando-se com os marinheiros que tentaram o salvamento.

      "Assumo todas as responsabilidades - as nossas - como é meu dever, certo que todos saberão também assumir as suas, retirando lições", afirmou o almirante Melo Gomes num documento divulgado internamente a que a Agência Lusa teve acesso.

      Assinalando que apesar de "tudo" terem feito para salvar os pescadores do "Luz do Sameiro", Melo Gomes reconhece que a Marinha "nunca conseguirá explicar ao público" o facto de não ter podido salvar todos os sete tripulantes "a tão curta distância da praia".

      Melo Gomes afirma-se seguro "da eficácia" com que os marinheiros utilizaram os meios ao seu dispor e sublinha que "só os que são do mar" podem compreender inteiramente uma situação como a que aconteceu na Nazaré.

      "Melhorar e optimizar" são os objectivos apontados por Melo Gomes para a Marinha, para os quais conta com "mais e melhores meios, alguns já em construção, outros programados para breve", embora reconheça que "infelizmente nem todos são possíveis face a muitas outras solicitações do Estado".

      O CEMA estende aos marinheiros "o reconhecimento devido", aos que "365 dias por ano, 24 horas por dia, dão de si o melhor para cumprirem as suas missões".

      Apesar de não ter conseguido salvar as vidas de seis dos tripulantes, a Marinha está orgulhosa "das 435 vidas salvas nas 661 acções de busca e salvamento" realizadas em 2006, ressalva o almirante Melo Gomes.

      A operação desencadeada para tentar salvar os tripulantes do "Luz do Sameiro" foi alvo de várias críticas, nomeadamente do dono da embarcação e de vários populares que assistiram às tentativas de resgate, que reclamavam mais rapidez na chegada dos meios ao local.

      O naufrágio levou também o ministro da Defesa a pedir que fossem averiguados os factos em torno do naufrágio, nomeadamente em relação aos procedimentos da Marinha e da Força Aérea.

      Sindicatos, pescadores e municípios reclamaram mais meios de segurança para os portos, enquanto o PCP pediu também a realização de um inquérito ao acidente pela comissão parlamentar de Defesa.



       


-----------

Não seria melhor criar-se um tópico para discutir este assunto?
Título:
Enviado por: ricardonunes em Janeiro 05, 2007, 09:12:20 pm
O tópico foi aberto pelo Pereira Marques aqui (http://http), acho que se devia discutir o assunto lá, este tópico não é o indicado.
Título:
Enviado por: Rui Elias em Janeiro 08, 2007, 04:12:38 pm
Uma fragata AAW do tipo das F. Nanssen F-310 norueguesas = 550 milhões de euros

Programa dos EH-101 = 460 Milhões de euros.

_______________________

Claro que não é com uma fragata de defesa aérea que se faz SAR, e eu estava só a tentar perceber da relação custo/benefício das coisas.

E claro que não é um F-16 que podem fazer missões SAR.

Mas se se têm 2 aviões desses em estado de prontidão para espaço de 7 min. porque pelo menos um heli Merlin não pode estar 24h horas/dia num estado de prontidão tal que lhe permita arrancar logo?

Quantas vezes é que o nosso espaço aéreo é invadido por avionetas ou helis de bombeieros espanhois que se esquecem de comunicar o seu plano de voo?

E quantas vezes é que há necessidades de resgate?

Claro que sei que a FAP tem feito muita coisa bem, e se é a FAP a fazê-lo é porque nem SNBPC nem Marinha têm esses meios.

Logo, sobra a FAP para o fazer.

O que acontece é que enqunto a Marinha através do seu CEMA soube assumir humildemente a sua cota parte de culpas pela tragédia, as prima-donas da FAP remetem-se a um silêncio escondido por detrás de números de tempos de reacção.
Título:
Enviado por: Sintra em Janeiro 08, 2007, 05:10:37 pm
Boas tardes Rui

 Uma Nansem NÂO É uma fragata AAW, é uma fragata anti submarina com uma versão "light" do SPY, 8 vls mk41 e dois iluminadores. Ou seja, existiu dinheiro para colocar um radar razoável numa fragata que desde o primeiro momento foi feita para caçar submarinos. Mas em termos de capacidade AAW está muitissimo mais próxima das nossas "futuras" KD do que propriamente de uma F100, F124, LCF ou um dos novos "barcos patrulha" Dinarqueses (que por falar no caso são muito mais baratos)...

 Cumprimentos  :wink:


http://www.naval-technology.com/projects/nansen/ (http://www.naval-technology.com/projects/nansen/)
Citar
Nansen Class Anti-Submarine Warfare Frigates, Norway
The five Nansen Class anti-submarine warfare frigates, are being built by Navantia of Spain for the Norwegian Navy. The vessels are: HNoMS Fridtjof Nansen (F 310), Roald Amundsen (F 311), Otto Sverdrup (F 312), Helge Ingstad (F 313) and Thor Heyerdahl (F 314).

Título:
Enviado por: Lightning em Janeiro 08, 2007, 05:13:56 pm
Citação de: "Rui Elias"
Claro que não é com uma fragata de defesa aérea que se faz SAR, e eu estava só a tentar perceber da relação custo/benefício das coisas.

E claro que não é um F-16 que podem fazer missões SAR.


Eu perguntei se queria fazer SAR com a fragata ou com os F-16 de um modo irónico, é que estava a comparar coisas que tem funções e capacidades diferentes dos helicopteros, se quiser também pode comparar o Pandur ou o Leopard 2A6 com o EH101, a nivel de preço e do tempo que demora a por a trabalhar.
Agora se comparasse outros helicopteros que fazem SAR ou melhor ainda, o tempo de reacção de outras forças aéreas que operam o EH101 em SAR, isso sim é que valeria e muito.

Citar
Mas se se têm 2 aviões desses em estado de prontidão para espaço de 7 min. porque pelo menos um heli Merlin não pode estar 24h horas/dia num estado de prontidão tal que lhe permita arrancar logo?

Quantas vezes é que o nosso espaço aéreo é invadido por avionetas ou helis de bombeieros espanhois que se esquecem de comunicar o seu plano de voo?

E quantas vezes é que há necessidades de resgate?

Claro que sei que a FAP tem feito muita coisa bem, e se é a FAP a fazê-lo é porque nem SNBPC nem Marinha têm esses meios.

Logo, sobra a FAP para o fazer.

O que acontece é que enqunto a Marinha através do seu CEMA soube assumir humildemente a sua cota parte de culpas pela tragédia, as prima-donas da FAP remetem-se a um silêncio escondido por detrás de números de tempos de reacção.


Bem eu não sei se a FAP pode fazer melhor ou se podem e não querem, mas a FAP diz que demora a por um EH101 no ar entre 30 e 45 minutos e foi isso que eles fizeram quando os avisaram.
Acho que não tem nada que pedir desculpa por fazer as coisas correctamente, e se a Marinha também fez as  coisas correctas acho que não devia pedir desculpa, agora se a Marinha cometeu algum erro acho bem que assuma.
Agora estar a pedir desculpa para parecer bem e pra próxima acontece a mesma coisa porque afinal o sistema é assim que funciona e demora o tempo que demora, e não há nada a fazer, então acho que não se devia pedir desculpa se não se cometeu erros.
Título:
Enviado por: lurker em Janeiro 08, 2007, 08:08:41 pm
Um responsável da FAP também disse que se podia diminuir o tempo de reacção «com mais empenhamento de meios».
Não sei quase nada sobre os procedimentos necessários a por um helicóptero como o EH 101 no ar, mas a ideia que me ficou é que é uma questão de custo de operação.
Título:
Enviado por: old em Janeiro 09, 2007, 04:24:08 pm
Citação de: "Sintra"
Boas tardes Rui

 Uma Nansem NÂO É uma fragata AAW, é uma fragata anti submarina com uma versão "light" do SPY, 8 vls mk41 e dois iluminadores. Ou seja, existiu dinheiro para colocar um radar razoável numa fragata que desde o primeiro momento foi feita para caçar submarinos. Mas em termos de capacidade AAW está muitissimo mais próxima das nossas "futuras" KD do que propriamente de uma F100, F124, LCF ou um dos novos "barcos patrulha" Dinarqueses (que por falar no caso são muito mais baratos)...

 Cumprimentos  :wink:


http://www.naval-technology.com/projects/nansen/ (http://www.naval-technology.com/projects/nansen/)
Citar
Nansen Class Anti-Submarine Warfare Frigates, Norway
The five Nansen Class anti-submarine warfare frigates, are being built by Navantia of Spain for the Norwegian Navy. The vessels are: HNoMS Fridtjof Nansen (F 310), Roald Amundsen (F 311), Otto Sverdrup (F 312), Helge Ingstad (F 313) and Thor Heyerdahl (F 314).



Discrepo. Su capacidad AAW es muy superior a la de un KD Type22/23/42, Maestrale, OHP, Meko etc etc etc. Embarca el misil ESSM y el Spy-1F y con eso queda dicho casi todo.Puede actualizarle para llevar SM2 sin demasiados cambios ya que el sistema de combate esta pensado para ello.
 Es abrumadoramente superior.
Siempre las e visto como una plataforma perfecta. Precio contenido y altas capacidades AsW y AAW

Estando mucho mas cerca de las Horizzon F100 LFC T45  que de barcos de otras generaciones
Título:
Enviado por: Sintra em Janeiro 09, 2007, 06:11:59 pm
Citação de: "old"
Citação de: "Sintra"
Boas tardes Rui

 Uma Nansem NÂO É uma fragata AAW, é uma fragata anti submarina com uma versão "light" do SPY, 8 vls mk41 e dois iluminadores. Ou seja, existiu dinheiro para colocar um radar razoável numa fragata que desde o primeiro momento foi feita para caçar submarinos. Mas em termos de capacidade AAW está muitissimo mais próxima das nossas "futuras" KD do que propriamente de uma F100, F124, LCF ou um dos novos "barcos patrulha" Dinarqueses (que por falar no caso são muito mais baratos)...

 Cumprimentos  :wink:
Título:
Enviado por: Spectral em Janeiro 09, 2007, 06:20:56 pm
Citar
(desde que estas tenham sido equipadas com o ESSM),


esse é que é o ponto essencial ;)

já agora, aquele novo radar australiano phased array que eles iam testar nas ANZAC não era suposto actuar como iluminador ? Não estou a ver onde possa existir grande dificuldade em utilizar o mesmo radar, desde que active phased array, para essas várias funções, afinal a polivalência e o "multitasking" são sempre apontados como o grande trunfo dessa tecnologia...
Título:
Enviado por: Sintra em Janeiro 09, 2007, 10:31:57 pm
Citação de: "Spectral"
Citar
(desde que estas tenham sido equipadas com o ESSM),

esse é que é o ponto essencial :wink:
Título:
Enviado por: paraquedista em Janeiro 10, 2007, 08:07:07 pm
Caro Sintra, na sua seguinte afirmacao:

Uma KD com o seu radar smart e os seus dois iluminadores pode guiar precisamente o mesmo nº de misseis na mesmissima área e com a mesmissima eficácia e pode levar os mesmissimos 32 essm, e sim é compativel com o missil...

Fiquei a pensar se apenas o Radar das KD era compativel com os misseis ESSM, ou se tambem os Lancadores Verticais destas Fragatas o sao...

E se sim entao esta seria uma conversao facil e provavelmente nao muito cara, tornando efectivamente as KD em Fragatas AAW.
Título:
Enviado por: Sintra em Janeiro 10, 2007, 10:38:03 pm
Citação de: "paraquedista"
Caro Sintra, na sua seguinte afirmacao:

Uma KD com o seu radar smart e os seus dois iluminadores pode guiar precisamente o mesmo nº de misseis na mesmissima área e com a mesmissima eficácia e pode levar os mesmissimos 32 essm, e sim é compativel com o missil...

Fiquei a pensar se apenas o Radar das KD era compativel com os misseis ESSM, ou se tambem os Lancadores Verticais destas Fragatas o sao...

E se sim entao esta seria uma conversao facil e provavelmente nao muito cara, tornando efectivamente as KD em Fragatas AAW.

 Caro paraquedista

 O primeiro disparo de um ESSM através de um MK48, o VLS que é utilizado nas KD foi efectuado em Março de 1998. O MK48 consegue levar dois essm no lugar de um Sea Sparrow.

 http://www.globalsecurity.org/military/ ... im-162.htm (http://www.globalsecurity.org/military/systems/munitions/rim-162.htm)

Citar
In December 1997, an ESSM blast test vehicle was successfully fired from an industry developed prototype that utilized a MK 41 Vertical Launching System Quad Pack cannister. In March 1998, a test firing that utilized a MK 48 Guided Vertical Launching System was successfully conducted. In mid-1998

 Ou seja é completamente compatível, em termos de dificuldade técnica/preço de conversão, é quase "plug and play", compra-se os misseis, colocam-se nos VLS, altera-se umas linhas de código nos sistemas de disparo e prontos... Pelo menos é o construtor do missil diz.
 E por falar nisso, o mesmo se passa com o lançador MK29 das VDG...

 O PDF da NATO que vai abaixo dá uma ideia:

http://www.ndia.org/Content/ContentGrou ... emmons.pdf (http://www.ndia.org/Content/ContentGroups/Divisions1/International/Clemmons.pdf)

 Mas cuidado o ESSM não transforma um navio num vector AAW, diga-mos que é um missil de autodefesa com um alcance ligeiramente alargado...
 Como é que no fórum das Forças Aérea acabámos a discutir fragatas e o ESSM?  :lol:  :lol:  :lol:  :wink:
Título:
Enviado por: paraquedista em Janeiro 11, 2007, 09:03:26 pm
Caro Sintra, muito obrigado pelos excelentes esclarecimentos.

E bem verdade que este topico nos levou para fora do ambito dos assuntos da Forca Aerea... :)
Título:
Enviado por: LM em Janeiro 12, 2007, 11:53:55 am
Faço minhas as palavras do paraquedista!

Já guardei a explicação em ficheiro txt "para mais tarde recordar" - aliás uma excelente base para eu colocar um pedido de esclarecimento sobre o potencial MLU das VdG e KD - de preferencia esclarecimentos "orçamentados" na LPM, sem sonhos ou cenarios de irmos descobrir reservas enormes de petroleo...

Mas o post com o pedido de esclarecimento será colocado na secção indicada, não temam mod's  :wink:

LM
Título:
Enviado por: TaGOs em Maio 20, 2007, 01:26:50 pm
Boa tarde.

Portugal não participava só no programa do nh-90 de transporte de tropas?
Que até a bandeira Portuguesa não aparecia no nh-90 naval.

Encontrei isto.
Este nh-90 é naval não é? Apesar da sua camuflagem.

(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fimg524.imageshack.us%2Fimg524%2F4116%2F2565163xd5.jpg&hash=c371d7e37faf38ae0f0c724b59223bba)

Antes era assim:

(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fimg168.imageshack.us%2Fimg168%2F3549%2Fnh90pt5006nu1.jpg&hash=a272f351604d8e389a71890fc6d31637)

Isto pode significar alguma coisa? Será que...?

Cumprimentos
Título:
Enviado por: xenical_ em Maio 20, 2007, 02:14:06 pm
Boa tarde
Bem que podia significar o abandono da versão "terrestre" com o fim natural do UALE (sem helis para operar) e substituição dos Nh pela versão naval que em 2012 substituiria a totalidade da frota Lynx.
 :lol:  E só um pensamento pecaminoso, os colegas foristas que me perdoem este meu desejo.
Em relação ao UALE, ate pode ser que já existam aparelhos!!!! Os Kamov finalmente estão a chegar. E ate já estão pilotos do exército na Rússia.

Cumprimentos
Paulo Mariano
Título:
Enviado por: Lightning em Maio 20, 2007, 03:41:34 pm
As cinco bandeiras que aparecem na cauda do NH90 são as bandeiras de todos os paises que formam o NAHEMA (NAto HElicopter Management Agency), que coordena a construção do NH-90.

Todos os restantes paises que iram operar o NH-90 irão o comprar a esta entidade, mas não farão parte dela.
Título:
Enviado por: TaGOs em Maio 20, 2007, 03:52:08 pm
Mas no nh-90 naval  a bandeira Portuguesa não costumava aparecer. Como mostra a segunda foto.
Título:
Enviado por: SSK em Agosto 01, 2007, 08:22:02 pm
Citar
EADS paga atrasos nos NH90
O grupo de aeronáutica e defesa EADS vai aprovisionar pouco mais de 100 milhões de euros, dos resultados de 2007, devido aos atrasos na entrega do helicóptero de transporte militar NH90, de acordo com o diário económico francês La Tribune.

O programa NH90, na sua versão naval, acusa já um atraso de um ano, face ao plano inicial. Em Abril, fontes industriais e governamentais francesas tinham confirmado informações sobre o atraso do programa, com uma primeira entrega agendada para o Verão de 2009.

A para do NH90, outros dois programas da EADS conhecem atrasos: o A380, avião civil, e o A400M, avião militar, com graves consequências para a saúde financeira do grupo.
2007/07/31
Título:
Enviado por: Lancero em Novembro 15, 2007, 03:39:59 pm
(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fimg.photobucket.com%2Falbums%2Fv101%2FHe219%2Fdailypix%2Fmilitarypix%2Ffresh%2Fmore%2Fmore%2Feven%2520more%2Fmore%2Fwill%2520it%2520ever%2520end%2Fmore%2Fmore%2Fmore%2Ffresh%2Freadyforabeer%2FMRH90euro_002.jpg&hash=62b0ba8a79e63c4db2e921558bb51fcc)

(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fimg.photobucket.com%2Falbums%2Fv101%2FHe219%2Fdailypix%2Fmilitarypix%2Ffresh%2Fmore%2Fmore%2Feven%2520more%2Fmore%2Fwill%2520it%2520ever%2520end%2Fmore%2Fmore%2Fmore%2Ffresh%2Freadyforabeer%2FMRH90euro_003.jpg&hash=f37c6898c82c050e02cf39502ecf2045)

(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fimg.photobucket.com%2Falbums%2Fv101%2FHe219%2Fdailypix%2Fmilitarypix%2Ffresh%2Fmore%2Fmore%2Feven%2520more%2Fmore%2Fwill%2520it%2520ever%2520end%2Fmore%2Fmore%2Fmore%2Ffresh%2Freadyforabeer%2FMRH90euro_001.jpg&hash=c835d9bee6a761e163d500efc5388676)

Citar
AIR 9000 PROGRAM – FIRST AUSTRALIAN MULTI-ROLE HELICOPTERS (MRH002 & 3) ARRIVE IN AUSTRALIA
(Date taken: 01 November 2007)

Citar
The Defence Materiel Organisation’s (DMO) AIR 9000 Program has achieved another significant Program milestone with the arrival of the first two Multi-Role Helicopters (MRH) in Australia. The helicopters arrived at the Australian Aerospace facility in Brisbane inside a leased Antonov aircraft last night.

The arrival of the aircraft was celebrated by a small ceremony at the Australian Aerospace facility involving Industry, DMO and Defence representatives.

The MRH90 aircraft will be returned to flying condition after the transit, and test flown by Australian Aerospace flight test crews in preparation for delivery to the Commonwealth.

The AIR 9000 MRH Program will provide the Australian Defence Force (ADF) with an additional squadron of troop lift helicopters and replace existing Black Hawk and Sea King helicopter fleets, for land and maritime operations, respectively. AIR 9000 is a multi-phased program to consolidate and reduce the number of helicopter fleets operated by the ADF.

The first four MRH90 aircraft were assembled at the Eurocopter facility in Marignane, France. The remaining 42 helicopters are being assembled in Brisbane by Australian Aerospace.
Título:
Enviado por: P44 em Fevereiro 13, 2008, 08:26:08 pm
NH-90 Holandês versão Naval
http://www.militaryphotos.net/forums/sh ... count=4936 (http://www.militaryphotos.net/forums/showpost.php?p=3044897&postcount=4936)

1ª aterragem numa Fragata Holandesa (a HMNLS Evertsen)
(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fi180.photobucket.com%2Falbums%2Fx64%2Fkeessturm%2Fnh90.jpg&hash=16cbaf0de985956326cdce3cd13dae5b)
(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fi180.photobucket.com%2Falbums%2Fx64%2Fkeessturm%2Fnh90-1.jpg&hash=81197e0ab3c622bf39280b6da931ef26)
Título:
Enviado por: P44 em Abril 28, 2008, 01:33:56 pm
Citar
Semanário Sol - Sexta-feira 25 de Abril de 2008
Política & Sociedade


Multa de cinco milhões
Pedido do Governo para adiar recepção de helicópteros NH90 sai caro


Helena Pereira e Carlos Ferreira Madeira

O Governo terá que pagar cinco milhões de euros de "multa" por ter pedido o adiamento da entrega dos helicópteros NH90 ao Exército. Os primeiros aparelhos encomendados à NAHEMA, a agência da NATO responsável pelo programa dos NH90, deviam chegar já este ano, mas a recepção foi adiada para 2012.

O pedido do Governo, comunicado em 2006, vai penalizar os cofres do Estado em cinco milhões de euros, dinheiro extra que terá de ser pago entre 2008 e 2010, soube o SOL. O NH90 faz parte de um projecto militar cooperativo de países europeus da NATO, no qual Portugal decidiu participar desde o início. Porém, o Governo tem vindo a atrasar o pagamento das prestações, chegando mesmo a acumular uma dívida de 23 milhões de euros em 2006.

O Ministério da Defesa Nacional (MDN) explicou ao SOL que o adiamento na entrega dos aparelhos foi solicitado "por razões de operacionalidade e coerência de funcionamento da Unidade de Aviação Ligeira". Isto significa que o Governo só quer os NH90 - helicópteros médios - após receber os helicópteros ligeiros. Sucede que o fornecimento dos "helis" ligeiros está muito atrasado. Chegou a haver um contrato assinado com a Eurocopter para o fornecimento de nove aparelhos EC-635, que foi rescindido pelo Governo PSD-CDS em 2002.

O actual Governo ainda não anunciou a abertura de novo concurso e muito dificilmente o Exército receberá os helicópteros ligeiros antes de 2012 - ano que coincide com o fim da legislatura do Executivo que sair das eleições de Outubro de 2009. A menos que, como o SOL noticiou na semana passada, o MDN opte por um ajuste directo e compre helicópteros A-109 à AgustaWestland - empresa que vendeu os "helis" EH-101, paralisados por falta de manutenção.

Se o Governo decidir, em 2012, pedir novo adiamento da entrega dos NH90, terá de pagar nova penalização. De acordo com o calendário negociado com a NAHEMA, Portugal receberá dois NH90 em 2012, três em 2013 e cinco em 2014. Na prática e para efeitos de contabilidade, a despesa só dispara no final da próxima legislatura - o que ajudará o próximo Governo a controlar o défice.

Paulo Portas rescindiu o contrato com a Eurocopter e ponderou desistir dos NH90 para escolher um helicóptero que substituísse estes dois tipos. E chegou a cancelar o pagamento de prestações à NAHEMA, contra a vontade do Exército. Contudo, se Portugal saísse do programa poderia ter que pagar mais de 15 milhões de euros. Por isso, o Executivo retomou as prestações.
Título:
Enviado por: FS em Abril 28, 2008, 03:32:17 pm
La vem o deficit!

Toca a passar a batata quente la para 2012. Quem vem atrás que feche a porta!!

E entretanto cria-se outra batata quente... Nao se tem dinheiro para pagar material, mas entretanto vai se ter que pagar os helicópteros ligeiros (que eu sei q sao precisos, não e isso que esta em causa) entre 2008 e 2012... E eu sinceramente não estou a ver isso a acontecer!

Para mim faz mas sentido ter os NH90 que já estão encomendados e quando houver dinheiro venham os ligeiros!

Ainda para mais não e este governo que diz que vai haver crescimento em 2008?????? :roll:
Título:
Enviado por: P44 em Abril 28, 2008, 04:21:16 pm
então, "crescimento" para o bolso "deles"...

Quando vierem (?) os submarinos então é que vai ser lindo... :roll:
Título:
Enviado por: JMM em Abril 28, 2008, 11:37:42 pm
Esta estória é, de facto, triste para além de qualquer explicação... pior só mesmo a saga dos NPO e do NavPol!

Que os NH-90 só virão em 2012 (na melhor das hipóteses) é um dado adquirido, e como o Governo quer pôr o hélis ligeiros a funcionar antes, "está o caldo entornado"!! Dados os constrangimentos, só estou a ver três opções possíveis:

a) A compra por ajuste directo dos A-109. Não me parece nada provável porque iríamos ter que pagar por eles e: a) com a crise internacional e a consequente diminuição do crescimento em 2008 e 2009 e b) As eleições em 2009, só em 2010 é que se poderia fazer a encomenda e mesmo que os aparelhos já estivessem fabricados para outro qualquer cliente e nós ficássemos com eles nunca iríamos ter a Esquadra operacional antes de 2012, o que é tarde demais para a calendarização dos NH-90.

b) Ir às compras em 2ª mão... nesse caso a melhor (única?) opção seria comprar uma Esquadra de Kiowa Warrior (penso eu de que...). Talvez fosse a de melhor relação custo/benefício e resolvia-nos o problema de maneir aelegante durante aí uns 10 anitos. O problema poderiam ser os custos de  manutenção mas enquanto os aparelhos estiverem ao serviço dos States não me parece que fosse nada de grave

c) Não fazer nada a assobiar para o lado.. se não ligarmos a um problema pode ser que passe :lol:

Não sei porquê, mas parece-me que a teceira opção será a mais viável, mas aceitam-se outras sugestões...

Cumps
Título:
Enviado por: PereiraMarques em Abril 29, 2008, 12:11:36 am
O Programa dos Helicópteros Ligeiros é conjunto entre o Exército e a Força Aérea (substituição dos Alouette III), pelo que a opção Kiowa Warrior fará pouco sentido, nomeadamente se pensarmos na substituição dos Alouette III da FAP por JetRanger ou mesmo TH-67...terá que ser sempre um modelo novo.
Título:
Enviado por: JMM em Abril 30, 2008, 12:14:17 am
Caro Pereira Marques,

Claro que em termos estritamente oficiais tem razão, mas eu estava a falar de cenários hipotéticos. Não seríamos os primeiros a fazer um leasing de equipamento em 2ª mão por uns anos para colmatar falhas na capacidade (ver o que fizeram os Italianos com os Tornado ADV e os F-16). Se não houver "pilim" para helis novos, a FAP poderia sempre adiar a retirada dos ALouette III e o Exército alugar os Kiowa para o GALE por 5 ou 10 anos... claro que seria sempre uma solução transitória, enquanto não chegamos à conclusão que o melhor para o que qiueremos é.... o EC 635 :lol:

Cumprimentos
Título:
Enviado por: lurker em Abril 30, 2008, 01:53:46 am
Caro JMM,
na opção a), porquê a compra de A-109 e não de outro modelo?

--

Qual a prioridade que a FAP dá à substituição dos Alouette III?
Título:
Enviado por: JMM em Abril 30, 2008, 09:35:51 am
Caro Lurker,

Boa pegunta: por nenhum motivo em especial :wink:
Título:
Enviado por: PereiraMarques em Junho 02, 2008, 12:47:37 am
NH-90 do Exército Italiano despenha-se durante festival...o piloto infelizmente faleceu :arrow: http://tv.repubblica.it/multimedia/home/2300066 (http://tv.repubblica.it/multimedia/home/2300066)
Título:
Enviado por: Daniel em Junho 02, 2008, 10:46:50 am
Realmente é de ficar  :(   :Soldado2:
Título:
Enviado por: Lancero em Junho 04, 2008, 06:40:55 pm
Citação de: "PereiraMarques"
NH-90 do Exército Italiano despenha-se durante festival...o piloto infelizmente faleceu :arrow: http://tv.repubblica.it/multimedia/home/2300066 (http://tv.repubblica.it/multimedia/home/2300066)


Uma foto impressionante  :arrow: http://cencio4.wordpress.com/2008/06/02 ... n-airshow/ (http://cencio4.wordpress.com/2008/06/02/nh90-crashes-into-bracciano-lake-during-an-airshow/)
Título:
Enviado por: AMRAAM em Junho 04, 2008, 06:59:43 pm
Si,una tragica noticia.. :?
SALUDOS!!!
Título:
Enviado por: jmg em Junho 05, 2008, 11:33:27 pm
Houve aí gente que não ganhou para o susto.
No entanto a manobra parece muito fluída e controlada não fosse a falta de altitude....
Título:
Enviado por: P44 em Julho 04, 2008, 01:24:38 pm
http://news.webshots.com/photo/21647798 ... 7110BOcKkT (http://news.webshots.com/photo/2164779810046027110BOcKkT)
Título:
Enviado por: Anónimo em Julho 05, 2008, 03:08:30 pm
Citação de: "JMM"
Caro Lurker,

Boa pegunta: por nenhum motivo em especial :wink:


Olá. Como está é a minha primeira intervenção no fórum, apesar de já à muito tempo o acompanhar, deixo aqui os meus cumprimentos a todos os foristas.

Em relação à aquisição de material para as forças armadas por ajuste directo basta o Ministério da Defesa invocar razões de interesse público, nomeadamente por questões de segurança nacional, e pode adquirir o material sem necessidade de realizar concurso público e sem limite de valor para o contrato. E quanto a isto podem ter certeza.

Cumprimentos a todos.
Título:
Enviado por: jmg em Julho 06, 2008, 11:47:35 am
Mas os mecanismos legais que são necessários acionar para invocar o interesse público não são assim tão faceís.
Ou seja não basta invocar o interesse público, é necessário prová-lo.
Veja que com a HK 36 ainda foi ponderado para contornar aquela situação do favorecimento e não pegou.
Com a Glock também veio ao barulho devido a interposição da Walther (excluída administrativamente).
Estou só a dar a minha opinião baseado naquilo que transparece dos concursos, não tenho informação concreta sobre o assunto.
Mas agora deixo uma opinião pessoal, acho bem que a aquisição de material (não só para as FFAA, mas sim para todos os organismos públicos) com dinheiros públicos (nosso) obedeça à regras rígidas, senão fica nas mãos de alguns a capacidade de escolher material.
Por acaso acho que ficámos melhor servidos com a HK 36 do que com a concorrente canadiana. Imagine que um politico se lembre de invocar interesse público e escolhe esse produto inferior (canadiano) e depois nós profissionais das armas é que devemos levar com este material mais 5 decadas....
Título:
Enviado por: typhonman em Julho 06, 2008, 05:53:52 pm
Citação de: "jmg"
Mas os mecanismos legais que são necessários acionar para invocar o interesse público não são assim tão faceís.
Ou seja não basta invocar o interesse público, é necessário prová-lo.
Veja que com a HK 36 ainda foi ponderado para contornar aquela situação do favorecimento e não pegou.
Com a Glock também veio ao barulho devido a interposição da Walther (excluída administrativamente).
Estou só a dar a minha opinião baseado naquilo que transparece dos concursos, não tenho informação concreta sobre o assunto.
Mas agora deixo uma opinião pessoal, acho bem que a aquisição de material (não só para as FFAA, mas sim para todos os organismos públicos) com dinheiros públicos (nosso) obedeça à regras rígidas, senão fica nas mãos de alguns a capacidade de escolher material.
Por acaso acho que ficámos melhor servidos com a HK 36 do que com a concorrente canadiana. Imagine que um politico se lembre de invocar interesse público e escolhe esse produto inferior (canadiano) e depois nós profissionais das armas é que devemos levar com este material mais 5 decadas....


Porque é que a Diemaco é inferior a G-36?
Título:
Enviado por: tyr em Julho 06, 2008, 06:44:24 pm
não sei se o é, mas sabendo que a diemco é uma M16 (e esta é muito inferior a g36, sendo que o SOCOM esta a equipar parte do seu pessoal com M4 alteradas com o sistema interno da g36 (a hk 416)) então fico seriamente de pé atrás.
o irmos para um calibre bom para quem nunca espera entrar em combate (pois as armas e as munições pesam menos (excluo as vantagens que este tipo de armas tem para as OE em algumas das suas missões)), ja me desagrada, se ainda por cima fossemos para uma arma que tem que ser limpa quase todos os dias e ainda assim ter cuidado para não lhe entrarem sujidades (pois se a diemco é uma m16, então deve ter os mesmos problemas).
Título:
Enviado por: typhonman em Julho 06, 2008, 08:39:37 pm
Citação de: "tyr"
não sei se o é, mas sabendo que a diemco é uma M16 (e esta é muito inferior a g36, sendo que o SOCOM esta a equipar parte do seu pessoal com M4 alteradas com o sistema interno da g36 (a hk 416)) então fico seriamente de pé atrás.
o irmos para um calibre bom para quem nunca espera entrar em combate (pois as armas e as munições pesam menos (excluo as vantagens que este tipo de armas tem para as OE em algumas das suas missões)), ja me desagrada, se ainda por cima fossemos para uma arma que tem que ser limpa quase todos os dias e ainda assim ter cuidado para não lhe entrarem sujidades (pois se a diemco é uma m16, então deve ter os mesmos problemas).


Não sei sérá tão linear como isso, se a Diemaco fosse assim tão má não tinha sido escolhida pela Dinamarca, Holanda e Noruega. Para além do Canadá (País constructor).
Título:
Enviado por: Lightning em Julho 06, 2008, 09:42:19 pm
Citação de: "Typhonman"
Não sei sérá tão linear como isso, se a Diemaco fosse assim tão má não tinha sido escolhida pela Dinamarca, Holanda e Noruega. Para além do Canadá (País constructor).


Noruega? Então não foi a HK416 que ganhou?
Título:
Enviado por: jmg em Julho 07, 2008, 11:00:33 pm
Citação de: "Typhonman"
Citação de: "tyr"
não sei se o é, mas sabendo que a diemco é uma M16 (e esta é muito inferior a g36, sendo que o SOCOM esta a equipar parte do seu pessoal com M4 alteradas com o sistema interno da g36 (a hk 416)) então fico seriamente de pé atrás.
o irmos para um calibre bom para quem nunca espera entrar em combate (pois as armas e as munições pesam menos (excluo as vantagens que este tipo de armas tem para as OE em algumas das suas missões)), ja me desagrada, se ainda por cima fossemos para uma arma que tem que ser limpa quase todos os dias e ainda assim ter cuidado para não lhe entrarem sujidades (pois se a diemco é uma m16, então deve ter os mesmos problemas).

Não sei sérá tão linear como isso, se a Diemaco fosse assim tão má não tinha sido escolhida pela Dinamarca, Holanda e Noruega. Para além do Canadá (País constructor).

Simplesmente porque os concursos são muitas vezes assim.
Existem dois tipos de material:
O topo de gama e aquele que ganha os concursos. :wink:
Por acaso em Portugal até tem corrido bem com o U209 PN, EH 101 e NH90, LEO 2A6 e PANDUR.
Mas nem sempre foi assim...
Título:
Enviado por: Cabeça de Martelo em Julho 08, 2008, 12:15:43 pm
Os submarinos poderão dar a vir problemas (espero bem que não), metade dos EH-101 estão parados por falta de peças, os NH-90 nunca mais vêm e os Pandur não eram a escolha preferida do Exército.

Não sei, espero que seja eu a dar uma de P44... :(
Título:
Enviado por: P44 em Julho 08, 2008, 12:32:30 pm
:mrgreen: chamaste-me, Discípulo?
Título:
Enviado por: Cabeça de Martelo em Julho 08, 2008, 12:37:31 pm
Tenho que instalar um novo anti-virus...senão acabo como o Luso! :shock:
Título:
Enviado por: P44 em Julho 08, 2008, 12:39:23 pm
Citação de: "Cabeça de Martelo"
Tenho que instalar um novo anti-virus...senão acabo como o Luso! :?:


deve ser do casamento :twisted:
Título:
Enviado por: Cabeça de Martelo em Julho 08, 2008, 02:35:16 pm
Mau...no dia que for um Bermelho como tu, entrego a Boina Verde em Tancos...ou seja, NUNCA!!! :wink:  :lol:
Título:
Enviado por: P44 em Julho 08, 2008, 02:44:27 pm
olha que não...olha que não.... :mrgreen:
Título:
Enviado por: Sintra em Julho 08, 2008, 05:00:41 pm
Citação de: "P44"
Citação de: "Cabeça de Martelo"
Tenho que instalar um novo anti-virus...senão acabo como o Luso! :?:


deve ser do casamento :shock:

 Parabéns pá  :D
Título:
Enviado por: Cabeça de Martelo em Julho 08, 2008, 05:22:20 pm
Não me digas nada... :roll:

Já estás a ficar velho... daqui a uns anos ninguém te quer... eu só peço um neto... :twisted:  :lol:
Título:
Enviado por: tyr em Julho 08, 2008, 06:16:34 pm
off topic, mas voltando um pouco atras.

A Noruega não utiliza diemco, utiliza hk416 (m16 com sistemas da g36).
A Holanda, pelo menos ha uns anos estava a equacionar trocar a diemco, não sei como ficou (e ja as tinham comprado a bastante tempo, quando a compraram era das espingardas de topo a nivel de armas não bulpop fabricadas em paises ocidentais).
A Dinamarca desconheço.
O Canada não conta (é o fabricante).
Título:
Enviado por: Sousa em Julho 08, 2008, 06:27:55 pm
Citação de: "Cabeça de Martelo"
Não me digas nada... :roll:

Já estás a ficar velho... daqui a uns anos ninguém te quer... eu só peço um neto... :twisted:  :!:   :twisted:
Título:
Enviado por: Daniel em Outubro 26, 2008, 07:50:06 am
Não sei se está foto já aqui foi colocada, de qualquer maneira aqui está c34x alguem sabe a quando do primeiro NH90 :wink:

(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fwww.heliport.de%2Fila2002%2Fnh90_1.jpg&hash=9d455757abfa5709967f86960958486e)
Título:
Enviado por: Lightning em Outubro 26, 2008, 10:49:54 am
Citação de: "Daniel"
alguem sabe a quando do primeiro NH90 :wink:


O primeiro para Portugal ou o primeiro de todos? É que a italia já recebeu um mas já o partiu todo.

(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fi226.photobucket.com%2Falbums%2Fdd80%2Fcenciotti%2FAli%2520sul%2520Lago%2FCRW_9491_wm.jpg&hash=57339f7d2f2dade49bc58a095bc02838)
Título:
Enviado por: Charlie Jaguar em Outubro 26, 2008, 01:25:33 pm
Citação de: "Daniel"
alguem sabe a quando do primeiro NH90 :wink:


Citar
Semanário Sol - Sexta-feira 25 de Abril de 2008
Política & Sociedade

Multa de cinco milhões
Pedido do Governo para adiar recepção de helicópteros NH90 sai caro

Helena Pereira e Carlos Ferreira Madeira

O Governo terá que pagar cinco milhões de euros de "multa" por ter pedido o adiamento da entrega dos helicópteros NH90 ao Exército. Os primeiros aparelhos encomendados à NAHEMA, a agência da NATO responsável pelo programa dos NH90, deviam chegar já este ano, mas a recepção foi adiada para 2012.

O pedido do Governo, comunicado em 2006, vai penalizar os cofres do Estado em cinco milhões de euros, dinheiro extra que terá de ser pago entre 2008 e 2010, soube o SOL. O NH90 faz parte de um projecto militar cooperativo de países europeus da NATO, no qual Portugal decidiu participar desde o início. Porém, o Governo tem vindo a atrasar o pagamento das prestações, chegando mesmo a acumular uma dívida de 23 milhões de euros em 2006.

O Ministério da Defesa Nacional (MDN) explicou ao SOL que o adiamento na entrega dos aparelhos foi solicitado "por razões de operacionalidade e coerência de funcionamento da Unidade de Aviação Ligeira". Isto significa que o Governo só quer os NH90 - helicópteros médios - após receber os helicópteros ligeiros. Sucede que o fornecimento dos "helis" ligeiros está muito atrasado. Chegou a haver um contrato assinado com a Eurocopter para o fornecimento de nove aparelhos EC-635, que foi rescindido pelo Governo PSD-CDS em 2002.

O actual Governo ainda não anunciou a abertura de novo concurso e muito dificilmente o Exército receberá os helicópteros ligeiros antes de 2012 - ano que coincide com o fim da legislatura do Executivo que sair das eleições de Outubro de 2009. A menos que, como o SOL noticiou na semana passada, o MDN opte por um ajuste directo e compre helicópteros A-109 à AgustaWestland - empresa que vendeu os "helis" EH-101, paralisados por falta de manutenção.

Se o Governo decidir, em 2012, pedir novo adiamento da entrega dos NH90, terá de pagar nova penalização. De acordo com o calendário negociado com a NAHEMA, Portugal receberá dois NH90 em 2012, três em 2013 e cinco em 2014. Na prática e para efeitos de contabilidade, a despesa só dispara no final da próxima legislatura - o que ajudará o próximo Governo a controlar o défice.

Paulo Portas rescindiu o contrato com a Eurocopter e ponderou desistir dos NH90 para escolher um helicóptero que substituísse estes dois tipos. E chegou a cancelar o pagamento de prestações à NAHEMA, contra a vontade do Exército. Contudo, se Portugal saísse do programa poderia ter que pagar mais de 15 milhões de euros. Por isso, o Executivo retomou as prestações.
Título:
Enviado por: Vicente de Lisboa em Outubro 27, 2008, 01:17:34 pm
Ok, então para além de aparentemente já não os querermos assim tanto, alguem me explica porque é que não adquirimos/pensamos na altura adquirir alguns também na versão naval (http://http)?
Título:
Enviado por: Lightning em Outubro 27, 2008, 02:35:11 pm
Citação de: "Vicente de Lisboa"
Ok, então para além de aparentemente já não os querermos assim tanto

O Exército quer à 10 anos, mas o governo é que não os quer pagar já, para não estragar ainda mais as contas do défice.

Citar
alguem me explica porque é que não adquirimos/pensamos na altura adquirir alguns também na versão naval (http://http)?


Essa conversa está em descussão noutro tópico, o dos helis (http://http).
Título:
Enviado por: Daniel em Outubro 27, 2008, 05:39:32 pm
Citar
De acordo com o calendário negociado com a NAHEMA, Portugal receberá dois NH90 em 2012, três em 2013 e cinco em 2014.


Só por essas datas, então é melhor esperar sentado. :wink:  c34x
Título:
Enviado por: Charlie Jaguar em Janeiro 10, 2009, 12:10:27 pm
Exército Francês encomenda mais 22 NH90TTH.

 :arrow: http://www.eads.net/1024/en/pressdb/pre ... rance.html (http://www.eads.net/1024/en/pressdb/pressdb/20090108_ec_nh90_france.html)

(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fwww.defense-aerospace.com%2Fbase%2Futil%2F101195_1.jpg&hash=dcdac5094c35dae824317ecb69e67a2f)
Título:
Enviado por: P44 em Janeiro 11, 2009, 07:02:54 pm
Mesma noticia de acima noutro site^^^^

http://www.defense-aerospace.com/cgi-bi ... le=release (http://www.defense-aerospace.com/cgi-bin/client/modele.pl?session=dae.44119893.1231700475.nUi4TH8AAAEAAEG@fN8AAAAN&prod=101195&modele=release)
Título:
Enviado por: Lightning em Maio 24, 2009, 03:59:23 pm
Citação de: "whiskey01"
Boas. Muito provavelmente não me devem conhecer, pois só me registei neste fórum á relativamente pouco tempo. Disconheço se o assunto já aqui foi tratado, portanto desculpem.me se estou a ser repetitivo, mas gostaria de saber o que aconteceu aos NHI NH-90 que eram pa ter vindo para Portugal? E já agora, há algumas informações sobre novos helicópteros que se vai comprar?
Título:
Enviado por: P44 em Junho 12, 2009, 01:00:17 pm
Citar
   New NH-90 Helicopter Still Too Heavy
   
   
(Source: ANP Dutch Press Agency; issued June 11, 2009)
 
   
   (Issued in Dutch only; translation by defense-aerospace.com)
 
 
   
   THE HAGUE --- State Secretary of Defence Jack de Vries on Wednesday had “bad news” for the House of Commons, he said. The NH-90 helicopter ordered by the Ministry of Defence is still heavier than planned.

[Program prime contractor] NH Industries had announced to measures to reduce the helicopter’s weight, but these have not had the desired result. The weight of the aircraft has been a problem for years. This is important because the additional weight makes them too heavy to land on the Dutch navy frigates for which they are intended.

The Netherlands decided in 1991 to participate in the NH-90 program, and ordered twenty [of the NFH-90 naval variant] which should have replaced the current Lynx ship-borne helicopters beginning in 2007.

However, because of the recurring weight issue, that date has been moved back several times. The latest date for their initial delivery has now been pushed back to 2011, de Vries said.

It is not possible to rule out further delays, nor to say what extra costs will arise from the delays, he added.

-ends-


http://www.defense-aerospace.com/articl ... gates.html (http://www.defense-aerospace.com/article-view/release/105973/nh_90-still-too-heavy-for-dutch-frigates.html)
Título: Re: NH-90
Enviado por: pchunter em Fevereiro 27, 2010, 08:32:19 pm
Citar
Os problemas com os NH90 alemães


Há algum tempo, eu disse – aqui no site e em alguns fóruns – que achava estranho que os helicópteros NH90 ainda não haviam dado as caras no Afeganistão. Todos os demais helicópteros das gerações mais recentes já foram empregados por lá, exceto o NH90.

Há três dias, foi publicado no DefenceNews uma notícia que talvez lance um pouco de luz sobre o fato: um relatório do Exército alemão aponta que o NH90 tem (ou está?) com uma capacidade operacional extremamente limitada e recomenda quando possível o emprego de aeronaves alternativas em cenários operacionais.

Dentre as limitações apresentadas, o artigo ressalta as seguintes:

    * Visão limitada do solo, o que permite que a aeronave pouse apenas sobre solo firme e sem obstáculos;
    * A cabine permite transportar soldados com apenas 110 kg, incluindo o equipamento;
    * O espaço limitado dos assentos faz com que o armamento pessoal e coletivo tenha que permanecer no piso e não junto dos combatentes, com riscos óbvios a segurança;
    * O piso é bastante frágil e pode ser danificado por coturnos sujos;
    * A rampa não suporta o peso dos soldados equipados, aumentando o tempo do desembarque;
    * Armamentos coletivos estão proibidos de serem transportados, pois não há como fixá-los ao piso da cabine;
    * Também está proibido o transporte de carga e tropa ao mesmo tempo, pelos mesmos motivos explicados acima;
    * O espaço interno exíguo também dificulta a instalação de metralhadoras laterais – como eu havia dito aqui;
    * O guincho não suporta o desembarque por fast-rope;
    * Não existe o possibilidade de lançamento de para-quedas com abertura automática.

O relatório é bastante surpreendente, pois grande parte dos países europeus comprou o NH90 em grandes quantidades e até agora era dado como um excelente helicóptero. Será que todos caíram no conto do vigário opu os alemães estão jogando muito duro neste relatório?


Fonte: http://vootatico.com.br/archives/4634
Texto Original: http://www.defensenews.com/story.php?i=4511731&c=AIR&s=TOP
Título: Re: NH-90
Enviado por: Lightning em Fevereiro 27, 2010, 11:26:39 pm
Isto está bonito, primeiro o A400M, agora o NH-90...

Parece que o que não faltam é NPOs por essa europa fora :evil:
Título: Re: NH-90
Enviado por: Get_It em Fevereiro 27, 2010, 11:44:44 pm
Citar
Há algum tempo, eu disse – aqui no site e em alguns fóruns – que achava estranho que os helicópteros NH90 ainda não haviam dado as caras no Afeganistão. Todos os demais helicópteros das gerações mais recentes já foram empregados por lá, exceto o NH90.
Gostava era de saber que helicópteros mais modernos que o NH-90 são esses. Além disso, quem seria o maluco a colocar um meio tão dispendioso como o NH-90 no Afeganistão e que ainda por cima estão a passar pelo mesmo problema que os EH-101: falta de capacidade dos fabricantes para fornecer peças sobresselentes.

Citar
O relatório é bastante surpreendente, pois grande parte dos países europeus comprou o NH90 em grandes quantidades e até agora era dado como um excelente helicóptero. Será que todos caíram no conto do vigário opu os alemães estão jogando muito duro neste relatório?
Pelo que tenho lido este relatório já é antigo e era sobre o protótipo do NH-90 e não um relatório sobre o modelo final.

Cumprimentos,
Título: Re: NH-90
Enviado por: LuisC em Fevereiro 28, 2010, 01:28:22 am
Acredito que existam algumas limitações mas não creio que sejam tão básicas.

O consórcio é composto maioritariamente por países com experiência no desenvolvimento e construção de helicópteros, não vejo como poderiam cometer tais erros na concepção do aparelho.

Por outro lado, tendo o NH-90 sido seleccionado por vários países, certamente que os mesmos o submeteram a exaustivos testes que revelariam essas alegadas falhas.
Título: Re: NH-90
Enviado por: Portucale em Março 06, 2010, 12:06:08 pm
O projecto NH90 tem por base vários países europeus que precisam de substituir as suas frotas de helicópteros a curto ou médio prazo, a França, Alemanha, Itália e Espanha.
Portugal também se juntou com a ideia de ser um dos países mas……………
Ou seja, a aeronave é um projecto comum e necessário.
As situações reportadas no relatório são fruto de um complexo equipamento que está a iniciar a sua vida, não é nada que não se rectifique, aliás todas as aeronaves têm versões que também servem para corrigir limitações detectadas.

Quanto a não o usarem no Afeganistão, penso que se deve ao facto de os países operadores de este helicóptero não terem grandes meios aéreos no teatro de operações e como tal usam o que já tinham e têm em maiores quantidades.
Título: Re: NH-90
Enviado por: pchunter em Maio 19, 2010, 02:57:55 pm
Citar
Australian MRH90s grounded after engine failure


By Leithen Francis

Australia's fleet of 11 NH Industries MRH90 helicopters have been grounded for the past month, pending the outcome of an investigation into an engine failure in one of the aircraft.
"The helicopter suffered an engine failure in one of its two main engines on 20 April, about 30min north-east of Adelaide," says the Australian Department of Defence. "The helicopter returned to Royal Australian Air Force base Edinburgh without further incident, or injuries to personnel."
Flying operations have been suspended while the cause of the engine failure remains under investigation, it adds.
Australia's Defence Science and Technology Organisation is undertaking a forensic analysis of engine components. A specialist team from engine-makers Rolls-Royce and Turbomeca are in Australia assisting with the investigation, it says.
Canberra has ordered 46 MRH90s, which are derivatives of the NH90. Eleven have been delivered to the Australian Army and Royal Australian Navy, with the rest scheduled to be handed over by 2014.
"The full impact of the engine failure on the project schedule is yet to be determined," the DoD says.
Eurocopter, the majority shareholder in the NHI consortium, is leading a bid to also sell the NH90 naval helicopter to Australia. It has been stressing the 80% commonality in avionics and airframe between the NH90 and MRH90 as an advantage in this competition, where it is up against the Lockheed Martin/Sikorsky MH-60R Sea Hawk for the 24-aircraft requirement.


Fonte: http://www.flightglobal.com/articles/2010/05/19/342153/australian-mrh90s-grounded-after-engine-failure.html
Título: Re: NH-90
Enviado por: cromwell em Junho 18, 2010, 11:16:31 am
http://movv.org/2010/05/12/o-nh90-a-pro ... ma-do-pec/ (http://movv.org/2010/05/12/o-nh90-a-proxima-vitima-do-pec/)
Título: Re: NH-90
Enviado por: sergio21699 em Junho 18, 2010, 05:42:34 pm
Citação de: "cromwell"
http://movv.org/2010/05/12/o-nh90-a-proxima-vitima-do-pec/

Infelizmente há quem não veja as coisas dessa maneira e pense que as Forças Armadas estão bem assim e não precisam de nada :(
Título: Re: NH-90
Enviado por: GI Jorge em Julho 10, 2010, 08:14:10 pm
mas ainda alguem acredita que o exercito irá ter helis? e só dez? agora a sério, com um governo destes...  :roll:
Título: Re: NH-90
Enviado por: P44 em Janeiro 22, 2013, 05:15:25 pm
NH90 On-board Helicopter Makes Debut Mission in Somalia
   
   
(Source: Netherlands Ministry of Defence; issued Jan. 23, 2013)
 
   
   (Issued in Dutch only; unofficial translation by defense-aerospace.com)

(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fwww.defense-aerospace.com%2Fbase%2Futil%2F141911_1.jpg&hash=e33022a1337ca7c7827a1a87d57e07d4)
The Dutch Navy frigate De Ruyter has sailed for the Gulf of Aden carrying a naval NH90 helicopter; this is the first operational deployment for the helicopter. (NL MoD photo)

The Dutch military’s newest helicopter, the NH90, is on board the Netherlands navy frigate HNLMS De Ruyter as it sails for Somalia.

This is the first overseas mission for the maritime helicopter. Although in its current configuration the helicopter cannot perform all of its missions, it provides an important contribution to the EU’s anti-piracy mission, Operation Atalanta.

The on-board helicopter is mainly used for intelligence, reconnaissance and patrol, and thus acts as the 'eyes and ears' of the frigate.

With advanced detection equipment such as a thermal-imaging, radar and optical sensors, information can be collected and quickly and automatically transmitted via a secure data link connection.

The helicopter crew consists of a pilot, a tactical coordinator for the execution of the mission and an operator who operates the sensors, observes and, if necessary, analyzes whether it is necessary to use on-board weapons. For helicopter operations from the De Ruyter, a total of 13 equipped soldiers are carried on board.

Partners

Because the Dutch are participants in the international NFH maritime helicopter project, its partners are kept informed of the results and operational experiences. The NH90 (NATO Helicopter 90) is in fact the result of years of collaboration by the four NATO countries Italy, France, Germany and the Netherlands and their national helicopter manufacturers.

NH90 Purchase

The Netherlands have bought 20 NH90s: 12 have been specifically designed for maritime operations (NFH90) and eight for tactical transport (TTH) from the sea and over land. The NH90 is also used for search and rescue missions in the Netherlands.

Eventually, it will assume all of the missions currently carried out both by the AB-412 helicopters deployed on Leeuwarden Air Base and the Lynx helicopters in Den Helder, which are being phased out.

The eighth helicopter, due to arrive in February, will be the first to be delivered in the so-called Fully Operational Capable configuration.

After an evaluation period, the first NH90s will attain full operational capability in the second half of 2013.

-ends-

http://www.defense-aerospace.com/articl ... alia.html# (http://www.defense-aerospace.com/articles-view/release/3/141911/dutch-nh90-ship-helicopter-debuts-in-somalia.html#)
Título: Re: NH-90
Enviado por: Charlie Jaguar em Janeiro 22, 2013, 08:06:55 pm
É vê-los a passar, menos por cá.  :mrgreen:
Título: Re: NH-90
Enviado por: Lightning em Janeiro 22, 2013, 09:18:43 pm
Citação de: "Charlie Jaguar"
É vê-los a passar, menos por cá.  :lol: ,
Título: Re: NH-90
Enviado por: raphael em Janeiro 23, 2013, 11:39:16 am
Citação de: "Lightning"
Citação de: "Charlie Jaguar"
É vê-los a passar, menos por cá.  :lol: ,

No Hotblade 2012 tivemos forças nacionais a efectuarem missões em NH-90! :twisted:
Título: Re: NH-90
Enviado por: Charlie Jaguar em Janeiro 23, 2013, 11:53:06 am
Citação de: "raphael"
Citação de: "Lightning"
Citação de: "Charlie Jaguar"
É vê-los a passar, menos por cá.  :lol: ,

No Hotblade 2012 tivemos forças nacionais a efectuarem missões em NH-90! c34x


Eu queria era referir-me a estes...

Crédito presente na imagem
(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fimg831.imageshack.us%2Fimg831%2F2339%2Fuale2.jpg&hash=f9fa2c88c4987100437312171eb0b419)

... que ao que tudo indica já eram!  :(
Título: Re: NH-90
Enviado por: P44 em Janeiro 23, 2013, 12:10:27 pm
Nunca se sabe, a Revell é capaz de comercializar isso
Título: Re: NH-90
Enviado por: Charlie Jaguar em Janeiro 23, 2013, 12:29:12 pm
Citação de: "P44"
Nunca se sabe, a Revell é capaz de comercializar isso

Já comercializou, agente subversivo bolchevique.  :mrgreen:  :lol:
Título: Re: NH-90
Enviado por: P44 em Janeiro 23, 2013, 03:07:59 pm
E estavas tu preocupado, oh infiltrado neocon...
Título: Re: NH-90
Enviado por: Charlie Jaguar em Janeiro 23, 2013, 03:21:23 pm
Citação de: "P44"
E estavas tu preocupado, oh infiltrado neocon...

Já te disse: NSA. Vê lá se queres que eu requisite ao Leon Panetta um drone armado para andar 24h por dia por cima de ti, mwahahahahahaha!!!  :roll:
Título: Re: NH-90
Enviado por: P44 em Janeiro 23, 2013, 03:49:58 pm
E essa unidade tem elementos afectos a ela, ou o único meio continua a ser aquela tabuleta á beira da estrada, lá para os lados de Tancos?????
Título: Re: NH-90
Enviado por: Charlie Jaguar em Janeiro 23, 2013, 08:24:24 pm
Citação de: "P44"
E essa unidade tem elementos afectos a ela, ou o único meio continua a ser aquela tabuleta á beira da estrada, lá para os lados de Tancos?????

Ler a página da Wikipédia em Inglês então até deprime...

 :mrgreen:  :roll:

(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2F2.bp.blogspot.com%2F-KrGzfNEwq7Q%2FUH6OFlY68VI%2FAAAAAAAAGmQ%2FklVV28sA3K4%2Fs1600%2F285091_536121286414421_655477671_n.jpg&hash=32b95912be6e083ab5a655ef48e7c2f0)
Título: Re: NH-90
Enviado por: PereiraMarques em Janeiro 23, 2013, 09:13:00 pm
Citação de: "Charlie Jaguar"
Agora a sério, e este assunto remete para outro tópico como é natural, mas gostava de saber o que pensa o Exército do facto ir continuar sem aparelhos e possuir uma unidade que, convenhamos, não tem actualmente qualquer fim ou propósito.  :roll:

Futura Escola Prática das Armas? (Fusão das Escolas Práticas atuais) Tem se falado desse assunto.
Título: Re: NH-90
Enviado por: Lightning em Janeiro 23, 2013, 09:45:14 pm
Citação de: "raphael"
No Hotblade 2012 tivemos forças nacionais a efectuarem missões em NH-90! :mrgreen:  :G-beer2:
Título: Re: NH-90
Enviado por: raphael em Janeiro 24, 2013, 03:38:08 pm
Citação de: "Lightning"
Citação de: "raphael"
No Hotblade 2012 tivemos forças nacionais a efectuarem missões em NH-90! :mrgreen:  :twisted:  
Siga!
Título: Re: NH-90
Enviado por: Lightning em Janeiro 24, 2013, 09:25:01 pm
Citação de: "raphael"
Citação de: "Lightning"
Citação de: "raphael"
No Hotblade 2012 tivemos forças nacionais a efectuarem missões em NH-90! :mrgreen:  :twisted:  
Siga!

Que tiro no "meu" pé :G-beer2:  Eu é que pago a grade.
Título: Re: NH-90
Enviado por: P44 em Janeiro 25, 2013, 10:57:43 am
Eurocopter España’s First Assembled NH90 Helicopter Takes Flight
   
   
(Source: Eurocopter; issued January 23, 2013)
 
 
   
   ALBACETE, Spain --- This morning a ceremony was held for the maiden flight of the first NH90 to be assembled by Eurocopter España at its facility in Albacete. The event was attended by María Dolores de Cospedal, President of the Regional Government of Castile-La Mancha, Spanish Defense Minister Pedro Morenés, Eurocopter CEO Lutz Bertling and the CEO of Eurocopter España, Francisco Vergé, among other political and military officials.

Following the two NH90 GSPA prototypes manufactured in Marignane (France), which are currently in Spain for the testing and certification campaign of the Spanish version, the NH90 GSPA03 will be the first helicopter to be delivered to the Spanish Army Airmobile Force (FAMET) in 2013 under the contract signed in 2006.

This represents a major milestone for Spain, which now assumes a role as a helicopter manufacturer together with its partners, France and Germany. Eurocopter España’s site in Albacete will be fully involved in the entire life cycle for these helicopters, from the design stage through to flight testing and certification, component manufacture, the final assembly line and integrated support.

The NH90 program, promoted by the Spanish Secretariat of Defense through the Directorate-General of Armament and Equipment (DGAM), is the first to supply all three branches of the Spanish armed forces. It will provide Spain’s military with an advanced helicopter transport system and associated technology, with Spanish participation not only in the manufacture of the helicopter itself but also in other areas such as installation of the electronic warfare systems, simulation equipment, automated test benches and engine assembly.

Produced in two basic versions – the Tactical Transport Helicopter (TTH) and NATO Frigate Helicopter (NFH) – this 11-metric-ton class rotary-wing aircraft provides a common platform for army, navy and air force roles, enabling countries to rationalize their helicopter fleets while also organizing training and support on a larger scale, with flexible management of personnel and equipment. Its large cabin, rapid access and quick role-change capability ensures mission flexibility for multiple operational scenarios.

To date, a total of 529 NH90s have been ordered by 14 nations, of which 418 are for the Tactical Transport Helicopter (TTH) version. Six NH90 final assembly lines are now operational in France, Germany, Spain, Italy, Finland and Australia under direction of the pan-European NHIndustries industrial organization comprising Eurocopter (62.5%), AgustaWestland (32%) and Fokker Aerostructures (5.5%).

136 NH90s have been delivered to the armed forces of customer nations and the helicopter has logged more than 31,000 flight hours, including service in conflict zones such as Afghanistan.


Established in 1992, the Franco-German-Spanish Eurocopter Group is a division of EADS, a world leader in aerospace and defense-related services. The Eurocopter Group employs approximately 22,000 people. In 2012, Eurocopter confirmed its position as the world’s No. 1 helicopter manufacturer with a turnover of 6.3 billion Euros, orders for 469 new helicopters and a 38 percent market share in the civil and parapublic sectors. (ends)
   
   
   First Flight of A Spanish Built NH90
   
   
(Source: NH Industries; issued January 23, 2013)
 
 
   
   NHI is proud to announce that the first NH90 completely assembled in Spain performed its maiden flight. This event took place in Albacete (Eurocopter España’s site). This will be the first NH90 provided to the Spanish armed forces, with its delivery scheduled in 2013.

The maiden flight ceremony occurred in the presence of María Dolores de Cospedal, President of the Regional Government of Castile-La Mancha; Eurocopter President and CEO Lutz Bertling; Francisco Vergé, CEO of the Eurocopter España affiliate; along with political and military officials.

The no. 1 Spanish-assembled NH90, designated GSPA03, will be delivered to the Spanish Army Airmobile Force (FAMET) in 2013, based on an acquisition contract signed in 2006. Two prototype NH90 TTH GSPA helicopters that were manufactured at Eurocopter’s Marignane, France facility currently are in Spain for the Spanish version’s flight testing and certification campaign.

The NH90’s Spanish variant is equipped with next-generation General Electric CT7 8F5 engines that are assembled at the Albacete plant of ITP, as well as with a tailored communications system and a sophisticated electronic warfare system developed in-country by Indra. The Spanish NH90 also incorporates avionics software from Eurocopter España’s design office.

-ends-
Título: Re: NH-90
Enviado por: Menacho em Janeiro 26, 2013, 09:42:55 pm
El 1º y el 3º


(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2F2.bp.blogspot.com%2F-z0VqvZKI7-Q%2FUQFh7gp42FI%2FAAAAAAAAIQs%2FzOR1-1iTOTo%2Fs640%2FRey_NH90_04.jpg&hash=9be120c10d6a315a6af028828fcd19d4)

(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fpress.eurocopter.com%2Fsites%2Fdefault%2Ffiles%2Fstyles%2Flarge%2Fpublic%2FPress%2520Releases%2520%2528PDF%2529%2F2013%2520Press%2520Release%2F2013-01-23%2Fnh90_spain_ec_pablo_rada-s.jpg&hash=bf04732fb32f2cd9ea59cad6209806c1)
Título: Re: NH-90
Enviado por: Menacho em Janeiro 26, 2013, 09:52:14 pm
(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fwww.aviationcorner.net%2Fpublic%2Fphotos%2F1%2F6%2Favc_00281616.jpg&hash=97a3dcf526d590a5be219633eb8c22bf)

(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fwww.aviationcorner.net%2Fpublic%2Fphotos%2F2%2F3%2Favc_00274623.jpg&hash=def5a04a1f9ee6d1178912da756d4bd1)

(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fwww.aviationcorner.net%2Fpublic%2Fphotos%2F8%2F7%2Favc_00264287.jpg&hash=7cf253f4020c35003e5c7b55ff7eadab)

(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fwww.aviationcorner.net%2Fpublic%2Fphotos%2F9%2F7%2Favc_00172497.jpg&hash=69fc9df933d23d3a568d903a379193a7)
Título: Re: NH-90
Enviado por: P44 em Maio 30, 2013, 05:21:20 pm
France Orders 34 More NH90 Helicopters
   
   
(Source: defense-aerospace.com; published May 30, 2013)
 
 
   
   

The French Ministry of Defense has confirmed the award of a contract for the supply of 34 TTH90 helicopters for the French Army (HNI photo)

PARIS --- The French defense ministry has ordered a follow-on batch of 34 NH90 helicopters, a contract estimated to be worth just under 1 billion euros.

A French Ministry of Defense official, who requested anonymity, confirmed the award May 30, but declined further comment. Neither NH Industries, the prime contractor for the NH90 program, nor Eurocopter, its largest shareholder and manufacturer of the TTH90 battlefield variant, were available to comment. The award was originally reported May 29 by the French website LaTribune.

The order, initially due to be awarded in 2010, was announced as “imminent” in January 2012 by then defense minister Gérard Longuet when he took delivery of the first French army NH90 Tactical Transport Helicopter (TTH) in its final operational configuration from Eurocopter.

At the time, Longuet told defense-aerospace.com that the helicopters, in TTH tactical transport configuration for the French army, would each cost about 20 million euros, which with spares and support would increase the contract’s value to over 800 million euros.

France has already ordered 34 TTH90 army versions and 27 NFH90 navy versions, and according to its newly-published defense white paper plans a total of 113 medium helicopters.

-ends-
Título: Re: NH-90
Enviado por: Get_It em Novembro 28, 2014, 05:59:09 pm
Notícia sobre o treino de pilotos no NH-90 na Bélgica:
Citação de: "AIRheads↑FLY"
Press play: AHF↑Inside Belgium’s Best
‘Power is not a problem’. The words, spoken in a briefing room at Beauvechain airbase, are met with a grin by the crew of a Belgian Air Component NH90 Tactical Transport Helicopter (TTH). In an hour or so, they’ll be practicing confined area landings. In a hover between 100ft tall trees, it’s comforting to know that the NH90 is Belgium’s most powerful helo so far. But while the sun shines gloriously on a perfect November day, there’s also some worries.

(...)
Fonte: http://airheadsfly.com/2014/11/28/press-play-belgiums-best/
Título: Re: NH-90
Enviado por: Crypter em Janeiro 08, 2015, 03:03:36 pm
O Governo efetuou na última semana de 2014 o pagamento de 35 milhões de euros à NATO Helicopter Industries (NHI), o consórcio de fabricantes que está a produzir uma série dessas aeronaves para vários países da Aliança Atlântica. A verba não corresponde a uma qualquer tranche de pagamento por algum dos dez helicópteros, encomendados em 2001, pelo Estado português, com o objetivo de dotar a há muito existente Unidade de Aviação Ligeira do Exército (UALE) dos respetivos meios aéreos - mas sim ao pagamento de uma indemnização por ter desistido do contrato. A essa verba somam-se os, pelo menos, 87 milhões que Portugal já investiu naquele programa, entre 2011 e 2012.
Iniciada em meados de 2012, a denúncia do contrato só foi selada em outubro passado, quando uma resolução do Conselho de Ministros anunciava que o Governo teria firmado um acordo com a agência de gestão de projetos de helicópteros da NATO (NAHEMA) e a NHI, que terminaria "definitivamente" com a participação de Portugal no projeto cooperativo de desenvolvimento de aparelhos NH90 que envolve a Alemanha, França, Holanda e Itália. Nessa resolução, o Governo autorizava a que se realizasse uma despesa destinada a suportar os encargos decorrentes da desistência, até um total de 37 milhões de euros.
 
Segundo o Governo, os encargos decorrentes do projeto tinham-se tornado incomportáveis. A continuação da participação portuguesa no programa NH90 implicaria encargos num total nunca inferior a 580 milhões de euros, a pagar até 2028. Em 2012, quando foi anunciada a rescisão do contrato, pelo primeiro-ministro, Pedro Passos Coelho, e pelo ministro da Defesa, José Pedro Aguiar Branco, falava-se em 420 milhões.


Ler mais: http://visao.sapo.pt/portugal-gastou-ma ... z3OF65WqSd (http://visao.sapo.pt/portugal-gastou-mais-de-120-milhoes-com-helicopteros-que-nunca-vai-receber=f806357#ixzz3OF65WqSd)
Título: Re: NH-90
Enviado por: Cabeça de Martelo em Janeiro 30, 2015, 03:30:09 pm
Finland struggling to keep NH90s airborne

Finland is struggling to meet its operational requirements. The Finnish Army Air Wing has huge problems keeping its NHIndustries NH90s airborne, undermining both tasks at home as well as its air commitment to the European Union’s rapid reaction Nordic Battle Group.

 :arrow: http://airheadsfly.com/2015/01/24/finla ... -airborne/ (http://airheadsfly.com/2015/01/24/finland-struggling-to-keep-nh90s-airborne/)
Título: Re: NH-90
Enviado por: Get_It em Março 05, 2015, 09:18:15 pm
Germany finalises order for 18 naval NH90s (http://http)
Citar
Germany has finally confirmed a deal that will see it order 18 new NH Industries NH90 NFH helicopters for its navy, while at the same time trimming commitments for the troop transport variant and Airbus Helicopters Tigers. [continua] (http://http)

Cumprimentos,
Título: Re: NH-90
Enviado por: Get_It em Abril 11, 2015, 05:54:45 pm
NH-90 alemães no Afeganistão a efectuarem evacuação médica:

NH90 FAM - Forward Air MedEvac Afghanistan (http://https)


Cumprimentos,
Título: Re: NH-90
Enviado por: Crypter em Abril 11, 2015, 09:47:37 pm
Sem dúvida uma máquina fascinante!

Pena sermos uns tesos de primeira :)
Título: Re: NH-90
Enviado por: Get_It em Novembro 05, 2015, 08:35:48 am
Dutch NH90: ready to run
(5 de Novembro de 2015)
Citação de: AIRheads FLY
Worldwide, the NHIndustries NH90 helicopter fleet amassed over 200,000 flight hours as of October 2015. Close to 6,000 of those were clocked up by the 18 NH90 helicopters currently flown by the Royal Netherlands Air Force (RNLAF) on behalf of the Dutch Royal Navy, making the Dutch one of the most experienced users. And yes, the NH90 program has had its share of difficulties, but the helicopter now performs to the satisfaction of its crews and shows its potential as a force to be reckoned with, says 860 squadron commander Martin Mos. From walking to running with the force multiplier that is the NH90.

From his squadron office Martin Mos overlooks the flightline at De Kooy air station, located near Den Helder, the city that also houses Holland’s one and only  Koninklijke Marine (Royal Navy) base. For close to four decades, this flightline used to be filled with SH-14 Lynx helicopters. In 2010, something far more advanced arrived at De Kooy in the shape of the first Dutch NH90 helicopter, the result of a joint program by France, Germany, the Netherlands and Italy to design and build a new multi role helicopter. The joint effort started in the early nineties and a first prototype flew on 18 December 1995.

It took a lot of further developing, testing and evaluation before Dutch crews finally got their hands on the helicopter. Since then, a total of 18 NH90s arrived at De Kooy, with the final two helicopters to be delivered by January 2016. It means a full house again for the De Kooy and the based 860 squadron, although maybe not quite: it will be four more years until all helicopters are updated to the Final Radar Configuration (FRC) that makes them true multi role helicopters.

[continua]
Fonte: http://airheadsfly.com/2015/11/05/dutch-nh90-ready-to-run/ (http://airheadsfly.com/2015/11/05/dutch-nh90-ready-to-run/)

Cumprimentos,
Título: Re: NH-90
Enviado por: mafets em Novembro 05, 2015, 10:11:08 am
Sem dúvida uma máquina fascinante!

Pena sermos uns tesos de primeira <img src="{SMILIES_PATH}/icon_smile.gif" alt=":)" title="Smile" />
Com os 120 milhões que já pagamos pelo menos 3 já cá deviam "cantar" ... http://visao.sapo.pt/actualidade/portugal/os-milhoes-que-voaram=f806357 (http://visao.sapo.pt/actualidade/portugal/os-milhoes-que-voaram=f806357)
Citar
overno efetuou na última semana de 2014 o pagamento de 35 milhões de euros à NATO Helicopter Industries (NHI), o consórcio de fabricantes que está a produzir uma série dessas aeronaves para vários países da Aliança Atlântica. A verba não corresponde a uma qualquer tranche de pagamento por algum dos dez helicópteros, encomendados em 2001, pelo Estado português, com o objetivo de dotar a há muito existente Unidade de Aviação Ligeira do Exército (UALE) dos respetivos meios aéreos - mas sim ao pagamento de uma indemnização por ter desistido do contrato. A essa verba somam-se os, pelo menos, 87 milhões que Portugal já investiu naquele programa, entre 2011 e 2012.
(https://poadu.files.wordpress.com/2010/08/nh90-tailrotor.jpg)
Citar
http://www.aircraftcompare.com/helicopter-airplane/NHI-NH90-NFH/423 (http://www.aircraftcompare.com/helicopter-airplane/NHI-NH90-NFH/423)


Cumprimentos
Título: Re: NH-90
Enviado por: olisipo em Dezembro 16, 2015, 12:41:53 pm


Dutch NH-90s deployed to Royal Navy Air Station RNAS Culdrose (Cornwall, UK))
Título: Re: NH-90
Enviado por: Get_It em Setembro 10, 2016, 08:03:27 pm
Uma notícia de 2013 que mostra uma fotografia dos finlandeses a treinarem com os seus NH-90 o combate aos incêndios (http://www.forumdefesa.com/forum/index.php?topic=10072.0): "Possibility for big forest fire very thin (http://www.finlandtimes.fi/national/2013/06/19/1420/print/print)" (19 de Junho de 2016).

http://www.finlandtimes.fi/assets/images/news_images/2013/06/19/for_details/image_1420_1.jpg (http://www.finlandtimes.fi/assets/images/news_images/2013/06/19/for_details/image_1420_1.jpg)

[sarcasmo] Nem quero imaginar a vergonha destes coitados que têm de utilizar o NH-90 para o combate aos IF enquanto outros países têm helicópteros ligeiros ou mais baratos de operar para esta missão de interesse público, países como a «Espanha, Espanha, Espanha» ou a Suíça com os seus EC-635. [/sarcasmo]

(https://upload.wikimedia.org/wikipedia/commons/thumb/c/c6/NH90_%28NH-211%29_Kokonaisturvallisuus_2015_04.JPG/640px-NH90_%28NH-211%29_Kokonaisturvallisuus_2015_04.JPG) (https://commons.wikimedia.org/wiki/File:NH90_(NH-211)_Kokonaisturvallisuus_2015_04.JPG)

Cumprimentos,
Título: Re: NH-90
Enviado por: Get_It em Setembro 14, 2016, 11:31:21 pm
Spanish Army receives its first NH90 helicopters
(14 de Setembro de 2016)
Citação de: David Ing, IHS Jane
The Spanish Army's Air Mobile Force (FAMET) took delivery of its first operational HT-29 versions of the NHIndustries NH90 tactical transport helicopters (TTH) on 13 September.

The two HT-29 Caiman, as they are designated by the army, were assembled at the Airbus Helicopters España plant near Albacete in south east Spain and formally handed over at FAMET's headquarters, the Coronel Mate base near Colmenar Viejo, west of Madrid.

[continua] (http://www.janes.com/article/63660/spanish-army-receives-its-first-nh90-helicopters)
Fonte: http://www.janes.com/article/63660/spanish-army-receives-its-first-nh90-helicopters (http://www.janes.com/article/63660/spanish-army-receives-its-first-nh90-helicopters)

(Ia colocar a hiperligação para a notícia do defensa.com mas fiquei surpreendido de ver um website em 2016 que ainda impede o simples copiar de texto.)

Cumprimentos,
Título: Re: NH-90
Enviado por: Major Alvega em Setembro 15, 2016, 12:11:57 am
 Os gregos mesmo com um resgate em cima honraram a encomenda dos 20 aparelhos.
 Espanha mesmo com problemas sérios em casa, reduziram de 45 para 22, mas ficaram com helicópteros.
 
 Portugal tem um enorme problema, desde há 40 anos é dirigido por apedeutas e provincianos.
 Cancelaram a encomenda, ficando a Força Aérea e o Exército sem helicópteros, caso único na Europa.
A verba dos NH-90 foi desviada para as entidades que comem habitualmente à mesa do orçamento PPP's, bancos falidos, escritórios de advogados etc. Ora quem é que foi contratado para fazer este serviço sujo, que foi rasgar o contrato assinado pelo Estado Português com a NHI, perdendo o valor inicial de dezenas de milhões de euros dos contribuintes já entregues ao consórcio. Foi precisamente um desses advogados e anterior MD Aguiar Branco (o pior desde o gonçalvismo). Não lhe chamo incompetente, porque ele sabia o que estava a fazer e ao que ia. Ele percebia tanto de assuntos de Defesa para poder ser ministro como eu de lagares de azeite.

Parece que lá fora o Estado Português tem uma terrível fama junto dos fornecedores de equipamento de defesa de não honrar e cumprir os contratos. A excepção foi com os submarinos, porque o respectivo documento contratual estava muito bem protegido com clausulas de indemnizarão altíssimas em caso de roermos a corda, senão os alemães (sabiam o que é que a casa gastava) ficavam lá com os 2 submarinos. E vontade para o fazer durante a sua construção não faltou.
Coisas destas é o que distingue um país civilizado de um país de opereta que entra em bancarrota de 10 em 10 anos.

 Era só isto por hoje!
 
Título: Re: NH-90
Enviado por: tenente em Setembro 15, 2016, 10:50:17 am
Os gregos mesmo com um resgate em cima honraram a encomenda dos 20 aparelhos.
 Espanha mesmo com problemas sérios em casa, reduziram de 45 para 22, mas ficaram com helicópteros.
 
 Portugal tem um enorme problema, desde há 40 anos é dirigido por apedeutas e provincianos.
 Cancelaram a encomenda, ficando a Força Aérea e o Exército sem helicópteros, caso único na Europa.
A verba dos NH-90 foi desviada para as entidades que comem habitualmente à mesa do orçamento PPP's, bancos falidos, escritórios de advogados etc. Ora quem é que foi contratado para fazer este serviço sujo, que foi rasgar o contrato assinado pelo Estado Português com a NHI, perdendo o valor inicial de dezenas de milhões de euros dos contribuintes já entregues ao consórcio. Foi precisamente um desses advogados e anterior MD Aguiar Branco (o pior desde o gonçalvismo). Não lhe chamo incompetente, porque ele sabia o que estava a fazer e ao que ia. Ele percebia tanto de assuntos de Defesa para poder ser ministro como eu de lagares de azeite.

Parece que lá fora o Estado Português tem uma terrível fama junto dos fornecedores de equipamento de defesa de não honrar e cumprir os contratos. A excepção foi com os submarinos, porque o respectivo documento contratual estava muito bem protegido com clausulas de indemnizarão altíssimas em caso de roermos a corda, senão os alemães (sabiam o que é que a casa gastava) ficavam lá com os 2 submarinos. E vontade para o fazer durante a sua construção não faltou.
Coisas destas é o que distingue um país civilizado de um país de opereta que entra em bancarrota de 10 em 10 anos.

 Era só isto por hoje!

E quem fala assim não é gago !!!!!
Título: Re: NH-90
Enviado por: tenente em Março 15, 2018, 06:17:06 pm
Qatar orders 28 NH90 military helicopters

(https://imagizer.imageshack.com/v2/xq90/923/qtrBFC.jpg) (https://imageshack.com/i/pnqtrBFCj)
Photo: Airbus Helicopters

Qatar’s defense ministry has signed a contract with Airbus Helicopters for the purchase of 28 NH90 military helicopters during the DIMDEX exhibition which is hosted by Qatar every two years.

The agreement, which includes 16 NH90s in tactical transport (TTH) configuration and 12 NH90s in naval (NFH) configuration, will support the country’s plan to modernise their military helicopter fleet.

As part of the plan, Qatar will receive 16 H125 light single-engine helicopters in training configuration for operation by the Qatar Armed Forces Air Academy.

“We are honoured to support the Qatar Armed Forces through this strategic partnership”, said Ben Bridge, executive vice president Global Business at Airbus Helicopters. “The NH90 is a modern and combat-proven asset that will meet Qatar’s demanding operational requirements for decades to come, both in troop transport and naval missions. Our partnership on the new training academy will also strengthen the relationship between our countries by enabling the exchange of expertise and know-how in helicopter operations,” he added.

Leonardo will act as prime contractor for the program management with the end customer and Airbus will be responsible for the final assembly and delivery of 16 NH90 TTH aircraft from its facility in Marignane, France while Leonardo will be responsible for final assembly and delivery of the 12 NH90 NFH helicopters from its Venice – Tessera facility in Northern Italy.

The twin-engine, medium-size NH90 helicopter program is managed by the consortium NHIndustries, a company owned by Airbus Helicopters (62.5%), Leonardo (32%), and Fokker (5.5%).

https://navaltoday.com/2018/03/15/qatar-orders-28-nh90-military-helicopters/

Abraços
Título: Re: NH-90
Enviado por: NVF em Março 15, 2018, 10:07:08 pm
Devíamos fazer-nos amigos desses gajos. Ajudávamos na formação e operação e recebíamos uns brinquedos de prenda.
Título: Re: NH-90
Enviado por: P44 em Novembro 23, 2021, 04:41:37 pm
https://www.facebook.com/171791059611032/posts/4369329439857152/
Título: Re: NH-90
Enviado por: HSMW em Novembro 23, 2021, 11:00:08 pm
Devíamos fazer-nos amigos desses gajos. Ajudávamos na formação e operação e recebíamos uns brinquedos de prenda.

Acho que eles não se dão muito bem com o Irão.
E dizem as más línguas, nem com países que tem partidos no governo que são financiados pelo Irão.
Título: Re: NH-90
Enviado por: NVF em Novembro 24, 2021, 09:19:28 pm
Estás a falar do mesmo país?

https://en.wikipedia.org/wiki/Iran–Qatar_relations (https://en.wikipedia.org/wiki/Iran–Qatar_relations)
Título: Re: NH-90
Enviado por: HSMW em Novembro 24, 2021, 10:33:51 pm
Esquece lá. Estava a confundir com os Emirados... ;D