Documentos e Doutrina

  • 24 Respostas
  • 2069 Visualizações
*

Cabeça de Martelo

  • Investigador
  • *****
  • 17699
  • Recebeu: 2089 vez(es)
  • Enviou: 1732 vez(es)
  • +533/-2014
Re: Documentos e Doutrina
« Responder #15 em: Dezembro 30, 2022, 10:25:55 am »
A terceira Companhia já deve ter ido à vida à muito... E pensar que vivi numa altura de vacas gordas e nem sabia.

Penso que a ideia foi sempre ter viaturas para equipar uma Companhia, não todo o Batalhão.
« Última modificação: Dezembro 30, 2022, 10:59:10 am por Cabeça de Martelo »
7. Todos os animais são iguais mas alguns são mais iguais que os outros.

 
Os seguintes utilizadores agradeceram esta mensagem: tenente

*

tenente

  • Investigador
  • *****
  • 9762
  • Recebeu: 5039 vez(es)
  • Enviou: 3646 vez(es)
  • +5029/-1121
Re: Documentos e Doutrina
« Responder #16 em: Dezembro 30, 2022, 12:16:15 pm »
A terceira Companhia já deve ter ido à vida à muito... E pensar que vivi numa altura de vacas gordas e nem sabia.

Penso que a ideia foi sempre ter viaturas para equipar uma Companhia, não todo o Batalhão.

A ideia foi sempre essa equipar uma companhia em cada BIPARA e no BCMDS, até porque se pensarmos bem nem faz muito sentido os paras possuirem organicamente uma VBL, tem-nas porque o Exército actual nem tem unidades de infantaria, no Continente, para operarem o ST5.
O correcto seria termos uma Brigada de Infantaria Ligeira com dois BILigMec(R), isso sim faria todo o sentido, não o que acontece andarem a utilizar os Paras para todas as missoes que são das tropas de infantaria !!!

Abraços
« Última modificação: Dezembro 30, 2022, 12:17:26 pm por tenente »
Quando um Povo/Governo não Respeita as Suas FFAA, Não Respeita a Sua História nem se Respeita a Si Próprio  !!
 
Os seguintes utilizadores agradeceram esta mensagem: Red Baron

*

Red Baron

  • Investigador
  • *****
  • 2417
  • Recebeu: 440 vez(es)
  • Enviou: 312 vez(es)
  • +127/-314
Re: Documentos e Doutrina
« Responder #17 em: Dezembro 30, 2022, 02:08:43 pm »
A terceira Companhia já deve ter ido à vida à muito... E pensar que vivi numa altura de vacas gordas e nem sabia.

Penso que a ideia foi sempre ter viaturas para equipar uma Companhia, não todo o Batalhão.

A ideia foi sempre essa equipar uma companhia em cada BIPARA e no BCMDS, até porque se pensarmos bem nem faz muito sentido os paras possuirem organicamente uma VBL, tem-nas porque o Exército actual nem tem unidades de infantaria, no Continente, para operarem o ST5.
O correcto seria termos uma Brigada de Infantaria Ligeira com dois BILigMec(R), isso sim faria todo o sentido, não o que acontece andarem a utilizar os Paras para todas as missoes que são das tropas de infantaria !!!

Abraços

O grande problema está ai. estamos a alterar as estrutura das forças por facilitismo.
A não vinda do JLTV vem demonstrar que a capacidade aerotransportada é cada vez menos importante para os BIPARA.
 

*

tenente

  • Investigador
  • *****
  • 9762
  • Recebeu: 5039 vez(es)
  • Enviou: 3646 vez(es)
  • +5029/-1121
Re: Documentos e Doutrina
« Responder #18 em: Dezembro 30, 2022, 02:26:53 pm »
A terceira Companhia já deve ter ido à vida à muito... E pensar que vivi numa altura de vacas gordas e nem sabia.

Penso que a ideia foi sempre ter viaturas para equipar uma Companhia, não todo o Batalhão.

A ideia foi sempre essa equipar uma companhia em cada BIPARA e no BCMDS, até porque se pensarmos bem nem faz muito sentido os paras possuirem organicamente uma VBL, tem-nas porque o Exército actual nem tem unidades de infantaria, no Continente, para operarem o ST5.
O correcto seria termos uma Brigada de Infantaria Ligeira com dois BILigMec(R), isso sim faria todo o sentido, não o que acontece andarem a utilizar os Paras para todas as missoes que são das tropas de infantaria !!!

Abraços

O grande problema está ai. estamos a alterar as estrutura das forças por facilitismo.
A não vinda do JLTV vem demonstrar que a capacidade aerotransportada é cada vez menos importante para os BIPARA.

RedBaron essa dos JLTV terem a ver com o empenhamento dos Paras em missões que deveriam ser atribuidas a unidades se infantaria, " pés de Chumbo", não entendi..

Abraços
Quando um Povo/Governo não Respeita as Suas FFAA, Não Respeita a Sua História nem se Respeita a Si Próprio  !!
 

*

Red Baron

  • Investigador
  • *****
  • 2417
  • Recebeu: 440 vez(es)
  • Enviou: 312 vez(es)
  • +127/-314
Re: Documentos e Doutrina
« Responder #19 em: Dezembro 30, 2022, 11:43:01 pm »
A terceira Companhia já deve ter ido à vida à muito... E pensar que vivi numa altura de vacas gordas e nem sabia.

Penso que a ideia foi sempre ter viaturas para equipar uma Companhia, não todo o Batalhão.

A ideia foi sempre essa equipar uma companhia em cada BIPARA e no BCMDS, até porque se pensarmos bem nem faz muito sentido os paras possuirem organicamente uma VBL, tem-nas porque o Exército actual nem tem unidades de infantaria, no Continente, para operarem o ST5.
O correcto seria termos uma Brigada de Infantaria Ligeira com dois BILigMec(R), isso sim faria todo o sentido, não o que acontece andarem a utilizar os Paras para todas as missoes que são das tropas de infantaria !!!

Abraços

O grande problema está ai. estamos a alterar as estrutura das forças por facilitismo.
A não vinda do JLTV vem demonstrar que a capacidade aerotransportada é cada vez menos importante para os BIPARA.

RedBaron essa dos JLTV terem a ver com o empenhamento dos Paras em missões que deveriam ser atribuidas a unidades se infantaria, " pés de Chumbo", não entendi..

Abraços

O cancelamento das versões para serem largadas de paraquedas da JLVT mostra para mim que cada vez mais os Paras são uma força de infantaria "normal" .
A não ser que a escolha vá ser por URO VAMTAC LVT em vez das ST5, parece cada vez menos para a capacidade de ser aerotransportavel dos BIPARA está a diminuir.
 

*

tenente

  • Investigador
  • *****
  • 9762
  • Recebeu: 5039 vez(es)
  • Enviou: 3646 vez(es)
  • +5029/-1121
Re: Documentos e Doutrina
« Responder #20 em: Dezembro 31, 2022, 12:46:54 pm »
A terceira Companhia já deve ter ido à vida à muito... E pensar que vivi numa altura de vacas gordas e nem sabia.

Penso que a ideia foi sempre ter viaturas para equipar uma Companhia, não todo o Batalhão.

A ideia foi sempre essa equipar uma companhia em cada BIPARA e no BCMDS, até porque se pensarmos bem nem faz muito sentido os paras possuirem organicamente uma VBL, tem-nas porque o Exército actual nem tem unidades de infantaria, no Continente, para operarem o ST5.
O correcto seria termos uma Brigada de Infantaria Ligeira com dois BILigMec(R), isso sim faria todo o sentido, não o que acontece andarem a utilizar os Paras para todas as missoes que são das tropas de infantaria !!!

Abraços

O grande problema está ai. estamos a alterar as estrutura das forças por facilitismo.
A não vinda do JLTV vem demonstrar que a capacidade aerotransportada é cada vez menos importante para os BIPARA.

RedBaron essa dos JLTV terem a ver com o empenhamento dos Paras em missões que deveriam ser atribuidas a unidades se infantaria, " pés de Chumbo", não entendi..

Abraços

O cancelamento das versões para serem largadas de paraquedas da JLVT mostra para mim que cada vez mais os Paras são uma força de infantaria "normal" .
A não ser que a escolha vá ser por URO VAMTAC LVT em vez das ST5, parece cada vez menos para a capacidade de ser aerotransportavel dos BIPARA está a diminuir.

Com ou sem JLTV a FAP não possui a capacidade de efectuar largada desse modelo de viatura.
O peso da viatura mais o kit de largada, são impeditivos para que um C ou 390 seja capaz de largar um JLTV.
Se tivesse optado pelo Atlas em vez do 390 aí sim a FAP estaria apta a efectuar por missão a largada de um JLTV.

Cumprimentos
« Última modificação: Dezembro 31, 2022, 12:49:31 pm por tenente »
Quando um Povo/Governo não Respeita as Suas FFAA, Não Respeita a Sua História nem se Respeita a Si Próprio  !!
 

*

Red Baron

  • Investigador
  • *****
  • 2417
  • Recebeu: 440 vez(es)
  • Enviou: 312 vez(es)
  • +127/-314
Re: Documentos e Doutrina
« Responder #21 em: Dezembro 31, 2022, 05:34:49 pm »
A terceira Companhia já deve ter ido à vida à muito... E pensar que vivi numa altura de vacas gordas e nem sabia.

Penso que a ideia foi sempre ter viaturas para equipar uma Companhia, não todo o Batalhão.

A ideia foi sempre essa equipar uma companhia em cada BIPARA e no BCMDS, até porque se pensarmos bem nem faz muito sentido os paras possuirem organicamente uma VBL, tem-nas porque o Exército actual nem tem unidades de infantaria, no Continente, para operarem o ST5.
O correcto seria termos uma Brigada de Infantaria Ligeira com dois BILigMec(R), isso sim faria todo o sentido, não o que acontece andarem a utilizar os Paras para todas as missoes que são das tropas de infantaria !!!

Abraços

O grande problema está ai. estamos a alterar as estrutura das forças por facilitismo.
A não vinda do JLTV vem demonstrar que a capacidade aerotransportada é cada vez menos importante para os BIPARA.

RedBaron essa dos JLTV terem a ver com o empenhamento dos Paras em missões que deveriam ser atribuidas a unidades se infantaria, " pés de Chumbo", não entendi..

Abraços

O cancelamento das versões para serem largadas de paraquedas da JLVT mostra para mim que cada vez mais os Paras são uma força de infantaria "normal" .
A não ser que a escolha vá ser por URO VAMTAC LVT em vez das ST5, parece cada vez menos para a capacidade de ser aerotransportavel dos BIPARA está a diminuir.

Com ou sem JLTV a FAP não possui a capacidade de efectuar largada desse modelo de viatura.
O peso da viatura mais o kit de largada, são impeditivos para que um C ou 390 seja capaz de largar um JLTV.
Se tivesse optado pelo Atlas em vez do 390 aí sim a FAP estaria apta a efectuar por missão a largada de um JLTV.

Cumprimentos

Acho que contar com a FAP neste tipo de missões está totalmente fora.
Agora em missões NATO o C-17 permite o lançamento de JLVT. Estão até a desenvolver forma de aumentar a capacidade de lançamento para 4 veículos por C-17.
 

*

tenente

  • Investigador
  • *****
  • 9762
  • Recebeu: 5039 vez(es)
  • Enviou: 3646 vez(es)
  • +5029/-1121
Re: Documentos e Doutrina
« Responder #22 em: Dezembro 31, 2022, 06:33:28 pm »
A terceira Companhia já deve ter ido à vida à muito... E pensar que vivi numa altura de vacas gordas e nem sabia.

Penso que a ideia foi sempre ter viaturas para equipar uma Companhia, não todo o Batalhão.

A ideia foi sempre essa equipar uma companhia em cada BIPARA e no BCMDS, até porque se pensarmos bem nem faz muito sentido os paras possuirem organicamente uma VBL, tem-nas porque o Exército actual nem tem unidades de infantaria, no Continente, para operarem o ST5.
O correcto seria termos uma Brigada de Infantaria Ligeira com dois BILigMec(R), isso sim faria todo o sentido, não o que acontece andarem a utilizar os Paras para todas as missoes que são das tropas de infantaria !!!

Abraços

O grande problema está ai. estamos a alterar as estrutura das forças por facilitismo.
A não vinda do JLTV vem demonstrar que a capacidade aerotransportada é cada vez menos importante para os BIPARA.

RedBaron essa dos JLTV terem a ver com o empenhamento dos Paras em missões que deveriam ser atribuidas a unidades se infantaria, " pés de Chumbo", não entendi..

Abraços

O cancelamento das versões para serem largadas de paraquedas da JLVT mostra para mim que cada vez mais os Paras são uma força de infantaria "normal" .
A não ser que a escolha vá ser por URO VAMTAC LVT em vez das ST5, parece cada vez menos para a capacidade de ser aerotransportavel dos BIPARA está a diminuir.

Com ou sem JLTV a FAP não possui a capacidade de efectuar largada desse modelo de viatura.
O peso da viatura mais o kit de largada, são impeditivos para que um C ou 390 seja capaz de largar um JLTV.
Se tivesse optado pelo Atlas em vez do 390 aí sim a FAP estaria apta a efectuar por missão a largada de um JLTV.

Cumprimentos

Acho que contar com a FAP neste tipo de missões está totalmente fora.
Agora em missões NATO o C-17 permite o lançamento de JLVT. Estão até a desenvolver forma de aumentar a capacidade de lançamento para 4 veículos por C-17.

Pois está totalmente fora de questão pois adquiriram o modelo errado de cargueiro daí  eu não entender a alusao ao JLTV.
Actualmente o C17 apenas consegue largar dois JLTV. Se  numa aeronave com um PMD superior a 240 tons a capacidade é de apenas duas posições carregadas com um JLTV e os kits de largada, devido à alteração do balanceamento do acft inaginemos o qie aconteceria a uma com apenas 70/80 Tons de PMD.

Cumprimentos
« Última modificação: Dezembro 31, 2022, 06:59:42 pm por tenente »
Quando um Povo/Governo não Respeita as Suas FFAA, Não Respeita a Sua História nem se Respeita a Si Próprio  !!
 

*

Cabeça de Martelo

  • Investigador
  • *****
  • 17699
  • Recebeu: 2089 vez(es)
  • Enviou: 1732 vez(es)
  • +533/-2014
Re: Documentos e Doutrina
« Responder #23 em: Janeiro 03, 2023, 02:20:05 pm »
Não faz parte da doutrina nacional de emprego de forças paraquedistas neste tipo de operação, o uso deste tipo de viatura pela força inicial. Mais facilmente iriam encontrar os Toro do que os Vamtac ST5.
7. Todos os animais são iguais mas alguns são mais iguais que os outros.

 

*

Cabeça de Martelo

  • Investigador
  • *****
  • 17699
  • Recebeu: 2089 vez(es)
  • Enviou: 1732 vez(es)
  • +533/-2014
Re: Documentos e Doutrina
« Responder #24 em: Janeiro 03, 2023, 03:27:08 pm »
Em Itália eles têm a Brigada Aeromóvel Friuli que faz parte da Divisão "Vittorio Veneto" que também tem a Brigada Paraquedista "Folgore".



VTML Lince

7. Todos os animais são iguais mas alguns são mais iguais que os outros.