Substituição dos Alpha-jet

  • 1538 Respostas
  • 249451 Visualizações
*

dc

  • Investigador
  • *****
  • 6603
  • Recebeu: 2794 vez(es)
  • Enviou: 585 vez(es)
  • +1502/-545
Re: Substituição dos Alpha-jet
« Responder #1320 em: Maio 04, 2022, 12:04:41 am »
O tempo de resposta da FAP é 15 minutos, da primeira parelha (2 F-16) do QRA. A parelha de reserva deve ser uma meia hora, com mais 2 F-16. Isto não é generalizado para toda a FAP, pois outros meios (incluindo os restantes F-16) terão tempos de resposta consideravelmente mais longos, excepto os Merlin/C-295 em SAR. E 15 minutos, é o tempo entre ser dado o alerta e os caças levantarem voo, não é o tempo de interceptar a ameaça, que dependendo da distância, pode demorar muito mais tempo. Então se for para interceptar uma ameaça a chegar à Madeira, 1 hora depois tens lá os F-16.

Ter um segundo QRA, com ST, vai obrigatoriamente aumentar os custos. Mesmo que não seja nada de astronómico, estamos a falar de ter 2 aeronaves e respectivos pilotos e pessoal de terra, prontos 24/7. Isto tem sempre custos. Depois é aquela questão, teríamos sequer pilotos para isso, ao ponto de ter vários pilotos de Super Tucano para assegurar um QRA 24/7? Não podem ser os mesmos 2 pilotos em alerta as 24h, terá de haver rotatividade, logo são pelo menos 4 pilotos, senão mesmo 6 (8 horas a cada par).

Investir noutro QRA? Que seja para os Açores e Madeira!
 

*

Kalil

  • Analista
  • ***
  • 695
  • Recebeu: 212 vez(es)
  • Enviou: 161 vez(es)
  • +48/-36
Re: Substituição dos Alpha-jet
« Responder #1321 em: Maio 04, 2022, 12:29:08 am »
A parte mais negativa neste possível negócio dos ST não é o avião em si. É que em vez de se lançar um concurso aberto a vários concorrentes, com objetivos concretos e limites definidos, vai-se atrás de um arranjinho de amigos onde o valor acaba geralmente, por ser tão inflacionado, que não se conseguem adquirir as unidades necessárias. Se for preciso, nem sequer para a formação, que suponho sejam umas 12 aeronaves.
Só isso, agora vou atirar para o ar, devem ser mais de 200M.

Não sei de onde virá o orçamento para esta aquisição, mas sei que não aparece nenhum para a manutenção básica das frotas que já se operam (EH101 à cabeça). E isto é muito difícil de compreender.
 
Os seguintes utilizadores agradeceram esta mensagem: LM, NVF, Charlie Jaguar, Stalker79, Subsea7

*

Subsea7

  • Especialista
  • ****
  • 1058
  • Recebeu: 875 vez(es)
  • Enviou: 1442 vez(es)
  • +2106/-1731
Re: Substituição dos Alpha-jet
« Responder #1322 em: Maio 04, 2022, 12:33:04 am »
A parte mais negativa neste possível negócio dos ST não é o avião em si. É que em vez de se lançar um concurso aberto a vários concorrentes, com objetivos concretos e limites definidos, vai-se atrás de um arranjinho de amigos onde o valor acaba geralmente, por ser tão inflacionado, que não se conseguem adquirir as unidades necessárias. Se for preciso, nem sequer para a formação, que suponho sejam umas 12 aeronaves.
Só isso, agora vou atirar para o ar, devem ser mais de 200M.

Não sei de onde virá o orçamento para esta aquisição, mas sei que não aparece nenhum para a manutenção básica das frotas que já se operam (EH101 à cabeça). E isto é muito difícil de compreender.

No mínimo 200 milhões, mais armas e sensores, uns 200 a 230 milhões !
 

*

Kalil

  • Analista
  • ***
  • 695
  • Recebeu: 212 vez(es)
  • Enviou: 161 vez(es)
  • +48/-36
Re: Substituição dos Alpha-jet
« Responder #1323 em: Maio 04, 2022, 12:40:07 am »
A parte mais negativa neste possível negócio dos ST não é o avião em si. É que em vez de se lançar um concurso aberto a vários concorrentes, com objetivos concretos e limites definidos, vai-se atrás de um arranjinho de amigos onde o valor acaba geralmente, por ser tão inflacionado, que não se conseguem adquirir as unidades necessárias. Se for preciso, nem sequer para a formação, que suponho sejam umas 12 aeronaves.
Só isso, agora vou atirar para o ar, devem ser mais de 200M.

Não sei de onde virá o orçamento para esta aquisição, mas sei que não aparece nenhum para a manutenção básica das frotas que já se operam (EH101 à cabeça). E isto é muito difícil de compreender.

No mínimo 200 milhões, mais armas e sensores, uns 200 a 230 milhões !

Não falhei por muito então. Agora se a estória de usar o avião para outras missões for para valer, seja CAS no exterior, seja QRA cá dentro, ou alguma missão de vigilância fronteiriça, quantas mais aeronaves serão necessárias? Ou vão ser subtraídas às de formação e ficam só meia dúzia para treino?

 

*

Subsea7

  • Especialista
  • ****
  • 1058
  • Recebeu: 875 vez(es)
  • Enviou: 1442 vez(es)
  • +2106/-1731
Re: Substituição dos Alpha-jet
« Responder #1324 em: Maio 04, 2022, 12:45:06 am »
A parte mais negativa neste possível negócio dos ST não é o avião em si. É que em vez de se lançar um concurso aberto a vários concorrentes, com objetivos concretos e limites definidos, vai-se atrás de um arranjinho de amigos onde o valor acaba geralmente, por ser tão inflacionado, que não se conseguem adquirir as unidades necessárias. Se for preciso, nem sequer para a formação, que suponho sejam umas 12 aeronaves.
Só isso, agora vou atirar para o ar, devem ser mais de 200M.

Não sei de onde virá o orçamento para esta aquisição, mas sei que não aparece nenhum para a manutenção básica das frotas que já se operam (EH101 à cabeça). E isto é muito difícil de compreender.

No mínimo 200 milhões, mais armas e sensores, uns 200 a 230 milhões !

Não falhei por muito então. Agora se a estória de usar o avião para outras missões for para valer, seja CAS no exterior, seja QRA cá dentro, ou alguma missão de vigilância fronteiriça, quantas mais aeronaves serão necessárias? Ou vão ser subtraídas às de formação e ficam só meia dúzia para treino?

A ser feita a compra, seriam subtraídas do treino.
Se querem plataformas mais flexíveis, pessoalmente, penso  que armar helicópteros utilitários é a melhor opção, como o UH-60V, NH-90 ou AW-139.
Cps,
 
Os seguintes utilizadores agradeceram esta mensagem: LM, NVF, Kalil

*

NVF

  • Investigador
  • *****
  • 5025
  • Recebeu: 3567 vez(es)
  • Enviou: 6871 vez(es)
  • +5141/-192
Re: Substituição dos Alpha-jet
« Responder #1325 em: Maio 04, 2022, 02:30:26 am »
O mais irónico é que a simples sugestão de aquisição de equipamento militar não contemplada na LPM, é considerada crime lesa-majestade. No entanto, quando é para comprar aos amigos tá-se bem.
Talent de ne rien faire
 

*

Get_It

  • Investigador
  • *****
  • 2044
  • Recebeu: 400 vez(es)
  • Enviou: 456 vez(es)
  • +80/-90
Re: Substituição dos Alpha-jet
« Responder #1326 em: Maio 04, 2022, 09:07:15 am »
O facto do ST poder realizar treino avançado com armamento é uma grande vantagem em relação ao PC-21 e que permite poupar muitas horas de voo às esquadras operacionais (bem mais caras)
O treino de armamento real no ST consegue mesmo substituir o treino com armamento no F-16? Às tantas os sistemas e as tácticas a usar acabam por ser diferentes.

Há a hipótese ainda de poder também servir para interceptar pequenas aeronaves, os chamados "slow movers", sem que haja necessidade de fazer descolar os F-16 de Monte Real, muito à semelhança do que se passa na própria FAB e noutros países.
E aonde vais basear os ST? Tem de ser perto da fronteira com Espanha; caso contrário quando lá chegarem para interceptar os "slow movers" estes já aterraram em algum lado e tens na mesma de andar a chamar a GNR.

Na Áustria, por exemplo, os Pilatus PC-7 da Força Aérea local operam nessa mesma missão, estando inclusivamente um par de alerta em permanência para esse efeito, sem que seja assim necessária a dispendiosa intervenção dos Eurofighter.
Pois, que tivessem comprado Gripen. A diferença de CHV entre o Eurofighter e o F-16 provavelmente torna nula esta necessidade no caso português. Para eles provavelmente acaba por ficar mais barato ter outro tipo de aeronave também de alerta do que estar a accionar um Typhoon.

Só não percebo é como países que compraram ST para COIN, que é o caso da Indonésia e das Filipinas também acabaram por comprar outras aeronaves para treino (KT-1) enquanto nós andamos para aqui a inventar e a tentar justificar uma necessidade operacional quando há muitas outras prioridades e existem soluções no mercado melhores para as nossas necessidades ou soluções mais baratas.

Cumprimentos,
:snip: :snip: :Tanque:
 
Os seguintes utilizadores agradeceram esta mensagem: NVF, Kalil

*

Charlie Jaguar

  • Investigador
  • *****
  • 4626
  • Recebeu: 4309 vez(es)
  • Enviou: 2751 vez(es)
  • +6509/-2499
Re: Substituição dos Alpha-jet
« Responder #1327 em: Maio 04, 2022, 10:03:44 am »
O facto do ST poder realizar treino avançado com armamento é uma grande vantagem em relação ao PC-21 e que permite poupar muitas horas de voo às esquadras operacionais (bem mais caras)
O treino de armamento real no ST consegue mesmo substituir o treino com armamento no F-16? Às tantas os sistemas e as tácticas a usar acabam por ser diferentes.

Há a hipótese ainda de poder também servir para interceptar pequenas aeronaves, os chamados "slow movers", sem que haja necessidade de fazer descolar os F-16 de Monte Real, muito à semelhança do que se passa na própria FAB e noutros países.
E aonde vais basear os ST? Tem de ser perto da fronteira com Espanha; caso contrário quando lá chegarem para interceptar os "slow movers" estes já aterraram em algum lado e tens na mesma de andar a chamar a GNR.

Na Áustria, por exemplo, os Pilatus PC-7 da Força Aérea local operam nessa mesma missão, estando inclusivamente um par de alerta em permanência para esse efeito, sem que seja assim necessária a dispendiosa intervenção dos Eurofighter.
Pois, que tivessem comprado Gripen. A diferença de CHV entre o Eurofighter e o F-16 provavelmente torna nula esta necessidade no caso português. Para eles provavelmente acaba por ficar mais barato ter outro tipo de aeronave também de alerta do que estar a accionar um Typhoon.

Só não percebo é como países que compraram ST para COIN, que é o caso da Indonésia e das Filipinas também acabaram por comprar outras aeronaves para treino (KT-1) enquanto nós andamos para aqui a inventar e a tentar justificar uma necessidade operacional quando há muitas outras prioridades e existem soluções no mercado melhores para as nossas necessidades ou soluções mais baratas.

Cumprimentos,

Acho que há aqui um equívoco na percepção do meu post, e talvez a culpa seja minha. Eu não defendo a aquisição do EMB-314 Super Tucano para a Força Aérea Portuguesa, e muito menos voltarmos à doutrina COIN que abandonámos há quase meio-século após sairmos de África. O que quis dizer, isso sim, é que face à supostamente mais do que certa compra destas aeronaves para a FAP, e intenção de usar parte da frota para missões anti-guerrilha/ataque leve, o sistema de armas pode ser aproveitado de facto para outro tipo de missões para além do treino avançado de pilotagem, já que foi assim concebido de raíz. É apenas isso que quis dizer, dando o modelo austríaco como exemplo.

Pessoalmente, para a Esquadra 103 em Beja a 2 esquadrilhas (como antigamente com os T-33 e T-38), escolheria o Pilatus PC-21 e/ou o Alenia Aermacchi M-346. Mas, ao contrário novamente de quase toda a Europa, é provável que não sigamos uma vez mais com os nossos aliados e optemos para uma escolha... digamos que fora da caixa, para ser simpático, à semelhança do KáCê.  ::)
« Última modificação: Maio 04, 2022, 11:16:23 am por Charlie Jaguar »
Saudações Aeronáuticas,
Charlie Jaguar

"(...) Que, havendo por verdade o que dizia,
DE NADA A FORTE GENTE SE TEMIA
"

Luís Vaz de Camões (Os Lusíadas, Canto I - Estrofe 97)
 
Os seguintes utilizadores agradeceram esta mensagem: NVF, Lightning, mafets

*

Pescador

  • Investigador
  • *****
  • 2045
  • Recebeu: 1517 vez(es)
  • Enviou: 1039 vez(es)
  • +2302/-1713
Re: Substituição dos Alpha-jet
« Responder #1328 em: Maio 04, 2022, 11:20:04 am »
Esmos agarrados pelos tomates ao Brasil por causa da OGMA.
Isso é outra daquelas coisas arranjadas pela politica das pontes e de interesses pessoais empresariais que se têm vindo a consolidara por cá, até no imobiliário e  construção.
Já fomos tramados na TAP e nas telecomunicações, vamos ver o futuro nisto.

Esses gajos e outros a sul cag@nd!-se para nós, querem é uma porta aberta para a Europa. E nós nem porta somos, é mesmo uma parede deitada a baixo, a servir alguns interesses.

Num futuro exército europeu que se avizinha e cada vez mais pertinente, devíamos ser mais homogêneos com países da Europa e não andar a inventar à vontade individual, não só de políticos mais também de carolas militares mais metidos em negócios que no militar. É o "empreendedorismo militar" do coça para dentro
 

*

asalves

  • Especialista
  • ****
  • 1197
  • Recebeu: 505 vez(es)
  • Enviou: 139 vez(es)
  • +363/-143
Re: Substituição dos Alpha-jet
« Responder #1329 em: Maio 04, 2022, 11:38:57 am »
Esmos agarrados pelos tomates ao Brasil por causa da OGMA.
Isso é outra daquelas coisas arranjadas pela politica das pontes e de interesses pessoais empresariais que se têm vindo a consolidara por cá, até no imobiliário e  construção.
Já fomos tramados na TAP e nas telecomunicações, vamos ver o futuro nisto.

Esses gajos e outros a sul cag@nd!-se para nós, querem é uma porta aberta para a Europa. E nós nem porta somos, é mesmo uma parede deitada a baixo, a servir alguns interesses.

Num futuro exército europeu que se avizinha e cada vez mais pertinente, devíamos ser mais homogêneos com países da Europa e não andar a inventar à vontade individual, não só de políticos mais também de carolas militares mais metidos em negócios que no militar. É o "empreendedorismo militar" do coça para dentro

Do que tenho ouvido os "especialistas" falar existe uma "discussão" sobre o exercito Europeu e sobre a uniformização do meio militar entre NATO/Europa, isto porque vamos ver a Europa a rearmar-se e há muitos que dizem que seria uma oportunidade para nos tornarmos mais (como disse) homogéneos, contudo há muitos interesses regionais e locais (industria militar de cada pais, pressões políticas externas,...), para além disso há também quem diga que usarmos todos o mesmo meio ou um conjunto muito homogéneo de meios pode ser mau, pois em caso de falha ou incapacidade de um determinado meio isso vai afetar todos, enquanto que se houver uma maior diversidade é mais difícil o inimigo explorar as deficiências dos meios empregues.

Imaginem que todos usam F-35, e que a China descobre uma maneira de tornar irrelevante o sistema de camuflagem do F-35, ou o sistema de comunicações, basicamente todos os países que usam F-35 estão comprometidos.

Isto claro que para uma pais com a nossa dimensão e economia não faz sentido, pois não temos recursos para desperdiçar em experiências.
 

*

P44

  • Investigador
  • *****
  • 14855
  • Recebeu: 3801 vez(es)
  • Enviou: 4185 vez(es)
  • +3116/-6729
Re: Substituição dos Alpha-jet
« Responder #1330 em: Maio 04, 2022, 11:41:27 am »
Cá são precisos 500 grupos de trabalho e 200 mil anos para decidir qual o tipo de parafuso adequado

Que país tão suis generis
"[Os portugueses são]um povo tão dócil e tão bem amestrado que até merecia estar no Jardim Zoológico"
-Dom Januário Torgal Ferreira, Bispo das Forças Armadas
 

*

Lightning

  • Moderador Global
  • *****
  • 10047
  • Recebeu: 1901 vez(es)
  • Enviou: 2475 vez(es)
  • +419/-413
Re: Substituição dos Alpha-jet
« Responder #1331 em: Maio 04, 2022, 11:41:38 am »
Não podem ser os mesmos 2 pilotos em alerta as 24h

Não pode porquê? O pessoal do SAR faz alerta 24h.

Citar
terá de haver rotatividade, logo são pelo menos 4 pilotos, senão mesmo 6 (8 horas a cada par).

Mas este alerta é só para um ou dois dias ou é para 365 dias? Então e um ou dois dias de descanso semanal? E as férias? E se algum piloto ficar doente? Casar? Estiver em formação? Tem que existir no mínimo o triplo dos necessários por dia, se queres 6 pilotos por dia tens ter 18 no efectivo e mesmo assim vão andar à rasca com serviços a cada 3 dias, 2 serviços por semana. Depois ainda querem que os pilotos não se ponham a andar para fora da FAP :mrgreen:.

Para manter o pessoal mentalmente são os serviços tem que ser um por semana ou mais espaçados. Relembro que os serviços, noites, etc, não dão direito a nenhuma remuneração extra, ao contrário de outras entidades, na FAP dão um dia de descanso.
« Última modificação: Maio 04, 2022, 11:46:13 am por Lightning »
 
Os seguintes utilizadores agradeceram esta mensagem: Charlie Jaguar

*

mafets

  • Investigador
  • *****
  • 7576
  • Recebeu: 2480 vez(es)
  • Enviou: 914 vez(es)
  • +3979/-5104
Re: Substituição dos Alpha-jet
« Responder #1332 em: Maio 04, 2022, 01:36:49 pm »
Vocês também são uns complicadinhos do catano.  :mrgreen: Metem um destacamento de 2 ST em Montreal, tipo destacamento de Koala em Ovar.Se for um teco-teco os Pilav dos F16 descolam nos ST, se for um Bear, vão nos F16. Et Voila.  :mrgreen:

https://passarodeferro-operations.blogspot.com/2021/04/portugueses-voam-super-tucano.html

Citar
Março de 2015. O Capitão Coelho da Silva, Piloto-Aviador da Força Aérea Portuguesa (FAP) descola com destino ao Brasil. Desta vez não vai aos comandos de nenhum dos Alpha Jet (AJet) ou F-16 que voou durante os últimos anos. O avião é um Airbus A330 da TAP e ele vai como passageiro. Pela frente, um destacamento de um ano na Base Aérea de Natal, onde irá qualificar-se a voar no A-29 Super Tucano, da Força Aérea Brasileira, em missões operacionais e como Instrutor.



Saudações
"Nunca, no campo dos conflitos humanos, tantos deveram tanto a tão poucos." W.Churchil

http://mimilitary.blogspot.pt/
 
Os seguintes utilizadores agradeceram esta mensagem: nelson38899

*

Subsea7

  • Especialista
  • ****
  • 1058
  • Recebeu: 875 vez(es)
  • Enviou: 1442 vez(es)
  • +2106/-1731
Re: Substituição dos Alpha-jet
« Responder #1333 em: Maio 04, 2022, 02:07:01 pm »
Vocês também são uns complicadinhos do catano.  :mrgreen: Metem um destacamento de 2 ST em Montreal, tipo destacamento de Koala em Ovar.Se for um teco-teco os Pilav dos F16 descolam nos ST, se for um Bear, vão nos F16. Et Voila.  :mrgreen:

https://passarodeferro-operations.blogspot.com/2021/04/portugueses-voam-super-tucano.html

Citar
Março de 2015. O Capitão Coelho da Silva, Piloto-Aviador da Força Aérea Portuguesa (FAP) descola com destino ao Brasil. Desta vez não vai aos comandos de nenhum dos Alpha Jet (AJet) ou F-16 que voou durante os últimos anos. O avião é um Airbus A330 da TAP e ele vai como passageiro. Pela frente, um destacamento de um ano na Base Aérea de Natal, onde irá qualificar-se a voar no A-29 Super Tucano, da Força Aérea Brasileira, em missões operacionais e como Instrutor.



Saudações

Não foi por acaso que na altura o capitão Silva foi para o Brasil, para abrir o apetite acerca do ST.
Tivemos azar com o "player" escolhido, LM seria melhor para nós.
Cps,
 

*

Charlie Jaguar

  • Investigador
  • *****
  • 4626
  • Recebeu: 4309 vez(es)
  • Enviou: 2751 vez(es)
  • +6509/-2499
Re: Substituição dos Alpha-jet
« Responder #1334 em: Maio 04, 2022, 02:27:12 pm »
Não foi por acaso que na altura o capitão Silva foi para o Brasil, para abrir o apetite acerca do ST.
Tivemos azar com o "player" escolhido, LM seria melhor para nós.
Cps,

Não foi só o Coelho da Silva: boa parte dos IP's dos Caracóis conhece o Super Tucano praticamente por dentro e por fora.
Saudações Aeronáuticas,
Charlie Jaguar

"(...) Que, havendo por verdade o que dizia,
DE NADA A FORTE GENTE SE TEMIA
"

Luís Vaz de Camões (Os Lusíadas, Canto I - Estrofe 97)