Fragatas Classe Bartolomeu Dias

  • 1022 Respostas
  • 277050 Visualizações
(sem assunto)
« Responder #105 em: Julho 04, 2008, 09:58:02 am »
Boas. Um CIWS à vante da ponte não estaria muito exposto às condiçoes do mar do Atlântico?
Cumprimentos
 

*

P44

  • Investigador
  • *****
  • 14629
  • Recebeu: 3696 vez(es)
  • Enviou: 4047 vez(es)
  • +2535/-6598
(sem assunto)
« Responder #106 em: Julho 04, 2008, 10:15:07 am »
Citação de: "nelson henriques"
Boas. Um CIWS à vante da ponte não estaria muito exposto às condiçoes do mar do Atlântico?


pois, talvez.

se calhar foi outra das razões (e não esqueçamos os cu$to$ tb)
"[Os portugueses são]um povo tão dócil e tão bem amestrado que até merecia estar no Jardim Zoológico"
-Dom Januário Torgal Ferreira, Bispo das Forças Armadas
 

*

P44

  • Investigador
  • *****
  • 14629
  • Recebeu: 3696 vez(es)
  • Enviou: 4047 vez(es)
  • +2535/-6598
(sem assunto)
« Responder #107 em: Julho 04, 2008, 01:20:04 pm »
mais uma foto onde se pode ver as diferenças hangar para NH-90/ Hangar original
http://image68.webshots.com/168/4/46/25 ... LWG_fs.jpg
"[Os portugueses são]um povo tão dócil e tão bem amestrado que até merecia estar no Jardim Zoológico"
-Dom Januário Torgal Ferreira, Bispo das Forças Armadas
 

*

PereiraMarques

  • Moderador Global
  • *****
  • 7645
  • Recebeu: 1063 vez(es)
  • Enviou: 312 vez(es)
  • +1182/-45
(sem assunto)
« Responder #108 em: Julho 04, 2008, 11:51:45 pm »
Citar

Modernização  e  adaptação  das  Fragatas da  Classe  “Bartolomeu  Dias”


 
Decorre no estaleiro da Marinha Holandesa, a bom ritmo, a Revisão Intermédia ao HNLMS “Van Nes”, futuro N.R.P. “Bartolomeu Dias”, tendo em vista a sua transferência para a Marinha no próximo dia 21 de Novembro.
 
Neste momento estão já concluídas as desmontagens a bordo, estando os principais equipamentos da área da plataforma e os sensores a ser intervencionados nas oficinas do estaleiro.

Para além das acções normalmente levadas a cabo em operações de manutenção semelhantes, realizadas pela Marinha holandesa nas fragatas desta classe, foram contratadas pela Marinha várias modificações que visam adaptar os navios aos padrões da nossa esquadra.
 
Estas modificações estão a ser implementadas durante o actual período de imobilização, pretendendo-se assim minimizar os riscos técnicos e financeiros que lhe estão associados, pelo facto da sua execução beneficiar do conhecimento técnico e da vasta experiência que a Marinha Holandesa detém relativamente a esta classe de navios.

Objecto de um contrato celebrado entre a Direcção-Geral de Armamento do Ministério da Defesa Nacional e a sua congénere holandesa, as modificações contratadas encontram-se já em execução, destacando-se as duas de maior dimensão e cuja engenharia foi exclusivamente desenvolvida pela Marinha:
 

projecto “C4I 1”

O projecto C4I+, também frequentemente chamado de “Redes de bordo” (um nome porventura demasiado simplista para os especialistas nesta área) contempla a instalação de quatro redes informáticas principais que se estendem ao longo do navio, com um comprimento de cablagem que excede os 15 quilómetros, servindo mais de 73 compartimentos, através de cerca de 100 computadores.

Pela primeira vez na Marinha, foi possível desenvolver um projecto deste tipo totalmente de raíz e de forma devidamente estruturada
. Com efeito, tudo começou com a criação de uma equipa multi-disciplinar, com representantes do EMA, CN, DN, DITIC, e ET-MFF que, em conjunto, colaboraram na identificação dos Requisitos Operacionais, posteriormente confirmados pelo EMA. Seguiu-se a elaboração de uma detalhada Especificação Técnica (ET) pela DN, com a colaboração da DITIC e da ET-MFF.

Paralelamente foram realizadas várias sessões de negociação com a Marinha Holandesa com vista à definição e celebração do contrato de fornecimento e instalação do sistema.

A implementação da infraestrutura física encontra-se a cargo de uma empresa holandesa, a KPV, com a gestão de projecto partilhada entre o estaleiro e a ET-MFF. Após esta fase entrarão novamente em campo a DN e a DITIC para a implementação da chamada infraestrutura lógica, incluindo a instalação de software, configuração dos activos de rede, e parameterização das 100 estações de trabalho, de 6 servidores e uma solução integrada de armazenamento seguro da informação.

No final, as fragatas da classe “Bartolomeu Dias” ficarão devidamente equipadas para satisfazer todos os Requisitos Operacionais aprovados, nomeadamente os que decorrem da participação na NATO (através de soluções como, por exemplo, MCCIS2, CENTRIX3, In-Port4, NSWAN5, etc), mas também os de carácter nacional, como é o caso do SINGRAR6. Relativamente a este último, o projecto de C4I irá proporcionar a demonstração prática do funcionamento deste sistema de gestão da batalha interna numa fragata M, factor de elevada relevância atendendo ao enorme interesse que o SINGRAR tem despertado na Marinha Holandesa e às potencialidades deste sistema desenvolvido pela Marinha e já comprovado no Operational Sea Training (OST) realizado em Inglaterra
.
 

Diagrama_Lógico_C4I - Diagrama Lógico da infraestrutura de suporte aos Sistemas de Informação.



 Por último, mas não menos importante, salienta-se a excelente capacidade de ligação à Internet com que estes navios irão ser dotados, permitindo, entre outros aspectos, o acesso a informação não classificada em tempo real e uma ligação mais próxima das guranições às suas famílias.
 

ADAPTAÇÃO DE COMPARTIMENTOS
 

As soluções e a especificação técnica associada, desenvolvida pela DN/ET-MFF, de suporte à contratação e implementação das modificações dos compartimentos visa sobretudo o melhor aproveitamento do espaço, introduzindo-se soluções mais actuais, assegurando melhores padrões de habitabilidade, e ainda permitindo o aumento da capacidade funcional dos compartimentos, com o inerente impacte positivo no desempenho da guarnição, a um custo relativamente baixo.

Por outro lado, a potencialidade multi-funcional dos espaços foi assegurada, permitindo a sua utilização para outras funções que não as estritamente ligadas ao apoio logístico directo da guarnição. Como exemplo, refere-se o facto de que todo o mobiliário é desmontável e amovível, sendo possível converter o refeitório de praças, o bar de praças, a câmara de oficiais, ou a câmara de sargentos, em open spaces em menos de 15 minutos, libertando uma apreciável área para abrigo e/ou tratamento de evacuados, ou de feridos, caso a enfermaria e enfermaria de combate não detenham capacidade para os quantitativos em causa.

Os revestimentos (anteparas, e pavimento) utilizados aplicam materiais da mais recente geração, de boa durabilidade e performance, e cumprem a totalidade das normas em vigor para navios combatentes, seja ao nível da resistência a ignição e propagação de chama, seja no que refere à emissão de gases tóxicos por combustão, entre outros parâmetros.

Em todos estes espaços de utilização comum serão instalados novos equipamentos de comunicação que também poderão ser utilizados para entretenimento.

 

(Colaboração da Equipa Técnica para a Transferência das Fragatas - M)

 
 :arrow: http://www.marinha.pt/revista/index.asp ... fault.html
« Última modificação: Setembro 07, 2008, 09:55:10 pm por PereiraMarques »
 

*

SSK

  • Investigador
  • *****
  • 1518
  • Recebeu: 15 vez(es)
  • +6/-0
(sem assunto)
« Responder #109 em: Julho 05, 2008, 10:11:35 am »
O problema é somente a verba disponível para uso do SATCOM e INMARSAT, de resto 5 estrelas!!! Muito bom!!!

Parece-me que assim as comunicações e sistemas de informação da Marinha andam na vanguarda do que se passa a nível mundial.
"Ele é invisível, livre de movimentos, de construção simples e barato. poderoso elemento de defesa, perigosíssimo para o adversário e seguro para quem dele se servir"
1º Ten Fontes Pereira de Melo
 

*

ozzzy

  • 7
  • +0/-0
(sem assunto)
« Responder #110 em: Julho 05, 2008, 11:45:04 am »
Boas,

Contrariamente ao que foi referido o Vulcan Phalanx B1B montado no N.R.P.CORTE REAL tem uma cadência de fogo de 4500spm e não 4000spm. c34x
"THE LAST LINE OF DEFENSE"
 

*

raphael

  • Investigador
  • *****
  • 1437
  • Recebeu: 290 vez(es)
  • Enviou: 248 vez(es)
  • +49/-15
(sem assunto)
« Responder #111 em: Julho 06, 2008, 11:45:13 pm »
yup é isso mesmo. my mistake! :twisted:
Um abraço
Raphael
__________________
 

*

DC 38

  • 43
  • +0/-0
(sem assunto)
« Responder #112 em: Julho 07, 2008, 10:13:38 pm »
Citação de: "SSK"
O problema é somente a verba disponível para uso do SATCOM e INMARSAT, de resto 5 estrelas!!! Muito bom!!!

Parece-me que assim as comunicações e sistemas de informação da Marinha andam na vanguarda do que se passa a nível mundial.


Sem dúvida que andamos na vaguarda!!!

As comunicações por satélite são caras ou não... pois quando se opta por "operadores" privados (IRIDIUM e INMARSAT) é caro, mas a NATO tem satélites de comunicações, que são usados pelas forças destacadas, que têm os preços muito em conta...

Agora só não sei se esses preços só se aplicam às forças com missão atribuida ou se pode ser negociado para os paises aliados utilizarem quando não estão em missões NATO.
"Sem a loucura que é o Homem, mais que a besta sadia cadáver adiado que procria..." F.Pessoa (in Mensagem)
 

*

SSK

  • Investigador
  • *****
  • 1518
  • Recebeu: 15 vez(es)
  • +6/-0
(sem assunto)
« Responder #113 em: Julho 07, 2008, 11:17:50 pm »
Ou se são para uso de quem investiu e investe activamente nesse tipo de tecnologia.
"Ele é invisível, livre de movimentos, de construção simples e barato. poderoso elemento de defesa, perigosíssimo para o adversário e seguro para quem dele se servir"
1º Ten Fontes Pereira de Melo
 

*

P44

  • Investigador
  • *****
  • 14629
  • Recebeu: 3696 vez(es)
  • Enviou: 4047 vez(es)
  • +2535/-6598
(sem assunto)
« Responder #114 em: Julho 08, 2008, 03:23:33 pm »
babai-vos...

"[Os portugueses são]um povo tão dócil e tão bem amestrado que até merecia estar no Jardim Zoológico"
-Dom Januário Torgal Ferreira, Bispo das Forças Armadas
 

*

Naadjh

  • Membro
  • *
  • 66
  • +0/-0
(sem assunto)
« Responder #115 em: Julho 08, 2008, 08:58:22 pm »
obrigado P44, que bela foto..

só uma coisa a frente foi arranjada? aquele buraco é mesmo do navio?
 

*

luis filipe silva

  • Investigador
  • *****
  • 2050
  • Recebeu: 6 vez(es)
  • +1/-0
(sem assunto)
« Responder #116 em: Julho 08, 2008, 09:06:48 pm »
Naadjh escreveu:
Citar
só uma coisa a frente foi arranjada? aquele buraco é mesmo do navio?


Aquele "buraco" é o lançador de misseis de cruzeiro Tomahawk. :lol:
Agora a sério, é o escovem onde encaixa a âncora do navio.
-----------------------------
saudações:
Luis Filipe Silva
 

*

Naadjh

  • Membro
  • *
  • 66
  • +0/-0
(sem assunto)
« Responder #117 em: Julho 08, 2008, 09:11:04 pm »
Citação de: "luis filipe silva"
Naadjh escreveu:
Citar
só uma coisa a frente foi arranjada? aquele buraco é mesmo do navio?

Aquele "buraco" é o lançador de misseis de cruzeiro Tomahawk. :)
 

*

ozzzy

  • 7
  • +0/-0
(sem assunto)
« Responder #118 em: Julho 08, 2008, 10:27:07 pm »
Citação de: "luis filipe silva"
Naadjh escreveu:
Citar
só uma coisa a frente foi arranjada? aquele buraco é mesmo do navio?

Aquele "buraco" é o lançador de misseis de cruzeiro Tomahawk. :nice:
"THE LAST LINE OF DEFENSE"
 

*

luis filipe silva

  • Investigador
  • *****
  • 2050
  • Recebeu: 6 vez(es)
  • +1/-0
(sem assunto)
« Responder #119 em: Julho 08, 2008, 11:29:41 pm »
-----------------------------
saudações:
Luis Filipe Silva