O novo Aeroporto de Lisboa

  • 111 Respostas
  • 11156 Visualizações
*

tenente

  • Investigador
  • *****
  • 9657
  • Recebeu: 4941 vez(es)
  • Enviou: 3561 vez(es)
  • +4558/-1090
Re: O novo Aeroporto de Lisboa
« Responder #30 em: Março 08, 2021, 08:41:02 am »
Eu fico chocado é quando num país em crise, surgem ideias de construir, em vez de um, dois aeroportos (em locais onde nem sequer são rentáveis), e ligar tudo com linhas de alta-velocidade (que nunca seriam rentáveis). Eu já só imagino o dinheiro necessário para tanto mega projecto. E isto sem sequer chegar aos problemas mais técnicos, como transferir tudo de Lisboa para Beja e/ou Leiria, já falados por outros foristas.

Descentralizar é bom, e faz sentido, mas não é com aeroportos no meio do nada, é com incentivos (empregos, condições de vida) para a população largar o litoral/grandes cidades, e ir para o interior. A grande maioria da população não vive no litoral/grandes centros urbanos por causa dos aeroportos, os aeroportos é que foram construídos nestes locais, pela sua densidade populacional.

Com a nossa população cada vez mais a ficar empobrecida em vez de se tomarem medidas de apoio ao emprego, criação de empresas de produção de bens e de valor acrescentado, vamos carregar nos impostos do pouco pessoal que os ainda vai pagando, com as construções mencionadas, é de loucos, mas enfim é por estes e outros pontos de vista, e empreendimentos só para showoff que o país está como está, completamente de tanga sem estrutura empresarial de menção, continuemos com projectos megalómanos que em nada melhoram a nossa qualidade de vida.
Não me venham dizer que não haverá outras situações bem mais necessitadas onde se poderiam investir alguns dos milhares de milhões da bazuca, menciono apenas duas, Saúde e Educação, agora construir pelo menos dois Aeroportos quando não temos dinheiro para mandar cantar dois cegos, nem volume de trafego, nos próximos cinco/seis anos, que justifique sequer o investimento num Apeadeiro, quanto mais dois Aeroportos construídos de Raiz.
Quando o Trafego em Lisboa chegar a metade do verificado em 2019, lá para o fim de 2022, meados de 2023, seria o indicado para se iniciar a construção, não de um Apeadeiro, mas de um Aeroporto, que, na sua máxima capacidade e expansão conseguisse processar de 80 a 100 milhões pax/ano.
mesmo com a capacidade máxima de 100 M/Pax/ano essa infraestrutura, se projectassemos um crescimento anual de trafego de 5%, SÓ 5%, essa infraestrutura, atingiria a sua capacidade máxima em apenas vinte e cinco anos.

Estes dados comparados com o projecto Apeadeiro, revelam bem a exiguidade da capacidade do Aeroporto Complementar.
Este Apeadeiro iniciaria a operação com uma capacidade de 7,5 milhões pax e atingiria a máxima capacidade de 15 milhões pax/ano em apenas catorze anos, sendo necessário que nessa data estivesse um terceiro aeroporto em funcionamento, e obrigando a que o actual aeroporto continuasse também em operação !


Abraços
« Última modificação: Março 08, 2021, 12:45:06 pm por tenente »
Quando um Povo/Governo não Respeita as Suas FFAA, Não Respeita a Sua História nem se Respeita a Si Próprio  !!
 

*

Lusitaniae

  • Perito
  • **
  • 390
  • Recebeu: 111 vez(es)
  • Enviou: 6 vez(es)
  • +48/-292
Re: O novo Aeroporto de Lisboa
« Responder #31 em: Março 08, 2021, 02:13:31 pm »
Lusitaniae? É necessário conhecer um bocado mais o país para perceber que o que afirma não faz sentido.

Então em Beja não existe um aeroporto? E quem quer voar para lá? Quer obrigar por decreto empurrar as pessoas para Beja? Fala na descentralização e retira o aeroporto a Lisboa e deixa o da região norte colado ao mar, em Matosinhos?

Em Espanha gastaram quase 500 milhões de euros para construírem o aeroporto Ciudad Real para estar às moscas! Já tem um em Beja e quer enterrar lá mais dinheiro?

Olhe, sobre os transportes, não sei se sabe que por exemplo uma viagem actualmente de Alfa pendular Lisboa-Porto custa 50€ por pessoa. Se colocar um TGV, vai custar quanto por pessoa só para deslocar de Beja para Lisboa?

Eu também sou um acérrimo defensor da descentralização, para que o investimento público não seja todo feito em Lisboa e no Porto, mas eu não pretendo a regionalização, para deixar o centralismo de Lisboa e caír no do Porto!!!!!!

Voltando às regiões, você ía colocar o maior aeroporto do país numa região que tem 700 mil habitantes. Só o norte do país tem mais de 3,8 milhões de pessoas a serem servidas pelo Aeroporto Sá Carneiro! A região de Lisboa tem 2,8 milhões e o centro do país tem quase tanta gente como a região de Lisboa, com 2,4 milhões e utilizam também o aeroporto Sá Carneiro!

E já agora, queria dinamizar o centro do país com um aeroporto em Ourém!?!?!?!! Você sabe que é muito mais perto a alguém de Aveiro, Viseu ou Guarda irem para o Porto do que Leiria, certo? Que é o que já fazem neste momento!!!!! Já agora você conhece a linda estrada que liga Viseu a Coimbra? Para atravessar o centro do país, tinha de passar pelo IP3 que é a nova estrada da morte, assim que desapareceu o IP5 para dar lugar à A25.

Quando fala em dar um abanão às Beiras, está a falar de que zona? De longe a zona mais industrializada das Beiras fica no litoral (Aveiro) e depois Viseu e que ficam no extremo oposto do aeroporto que quer construir!!!!!!

Não será mais sensato pensarmos nos aeroportos de 1º escalão para o país e por exemplo dinamizar os aeródromos que tão importantes são por exemplo no combate a incêndios e que até permite ligar as capitais de distrito!?!?

Para além dos habitantes que cada aeroporto serve, julgo que também é importante contar com os turistas que podem afluir a cada região e não acredito que em Beja haja tantos turistas quanto isso ou o aeroporto de Beja seria um sucesso. O que aconteceu em Beja e acontece pelo país, é uma conjugação de fundos comunitários, receitas do Estado e loucura local de alguém que se calhar não tinha mais nada onde fazer investimentos públicos (não acredito)?

Sim, em Beja já existe um aeroporto, agora só falta fazer uso dele, é claro que o aeroporto Humberto Delgado era para simplesmente acabar.
O de Beja tem espaço de sobra para se ir aumentando nas próximas gerações e ainda daria para servir tambem o Algarve, pois o incremento de rotas aumentaria a oferta, as agencias de turismo tinham mais opções para meter num avião para Beja para servir turistas para Évora, Algarve ou Lisboa. (Basta ter a AV a funcionar).
Portugal está na moda e deve chegar a vez do interior!

Eu quando me referi às Beiras era mais às interiores (Castelo Branco e Covilhã) mas tambem pode servir a Guarda, nada de Aveiro ou Viseu, isso é com o Porto.

Em 2017 no DN podia se ler "Santuário eleva Ourém ao 7.º concelho com mais hóspedes" https://www.dn.pt/sociedade/religiao-movimenta-330-milhoes-de-turistas-por-ano-e-seis-milhoes-vao-a-fatima-5677138.html
Acredite que depois do Covid, Fátima vai receber ainda muito mais gente. Não sei do que estão à espera para se começar a contruir o novo aeroporto em Ourém.

Somos um país de "capelinhas" onde só se faz onde convém!

Abbati, medico, potronoque intima pande
 

*

Lusitaniae

  • Perito
  • **
  • 390
  • Recebeu: 111 vez(es)
  • Enviou: 6 vez(es)
  • +48/-292
Re: O novo Aeroporto de Lisboa
« Responder #32 em: Março 08, 2021, 02:33:10 pm »
Eu fico chocado é quando num país em crise, surgem ideias de construir, em vez de um, dois aeroportos (em locais onde nem sequer são rentáveis), e ligar tudo com linhas de alta-velocidade (que nunca seriam rentáveis). Eu já só imagino o dinheiro necessário para tanto mega projecto. E isto sem sequer chegar aos problemas mais técnicos, como transferir tudo de Lisboa para Beja e/ou Leiria, já falados por outros foristas.

Descentralizar é bom, e faz sentido, mas não é com aeroportos no meio do nada, é com incentivos (empregos, condições de vida) para a população largar o litoral/grandes cidades, e ir para o interior. A grande maioria da população não vive no litoral/grandes centros urbanos por causa dos aeroportos, os aeroportos é que foram construídos nestes locais, pela sua densidade populacional.

Construir o novo aeroporto (Ourém digo eu) já está previsto isso à algum tempo, nada de megalomanias, basta começar com um mais pequeno do que o de Faro, mas com capacidade de expansão futura, tudo o que seja +250 milhões, é demais!

O de Beja, o melhoramento que precisaria antes de se fechar Humberto Delgado, dava para se ir fazendo até 2035, (data Fecho Humberto Delgado).

Onde se teria que investir era num nova travessia do tejo (TTT) e as ligações a Beja e Porto como prioritárias, nada que já não se fale.
 Portanto onde está o choque?
« Última modificação: Março 08, 2021, 02:34:42 pm por Lusitaniae »
Abbati, medico, potronoque intima pande
 

*

tenente

  • Investigador
  • *****
  • 9657
  • Recebeu: 4941 vez(es)
  • Enviou: 3561 vez(es)
  • +4558/-1090
Re: O novo Aeroporto de Lisboa
« Responder #33 em: Março 08, 2021, 04:31:46 pm »
Eu fico chocado é quando num país em crise, surgem ideias de construir, em vez de um, dois aeroportos (em locais onde nem sequer são rentáveis), e ligar tudo com linhas de alta-velocidade (que nunca seriam rentáveis). Eu já só imagino o dinheiro necessário para tanto mega projecto. E isto sem sequer chegar aos problemas mais técnicos, como transferir tudo de Lisboa para Beja e/ou Leiria, já falados por outros foristas.

Descentralizar é bom, e faz sentido, mas não é com aeroportos no meio do nada, é com incentivos (empregos, condições de vida) para a população largar o litoral/grandes cidades, e ir para o interior. A grande maioria da população não vive no litoral/grandes centros urbanos por causa dos aeroportos, os aeroportos é que foram construídos nestes locais, pela sua densidade populacional.

Construir o novo aeroporto (Ourém digo eu) já está previsto isso à algum tempo, nada de megalomanias, basta começar com um mais pequeno do que o de Faro, mas com capacidade de expansão futura, tudo o que seja +250 milhões, é demais!

O de Beja, o melhoramento que precisaria antes de se fechar Humberto Delgado, dava para se ir fazendo até 2035, (data Fecho Humberto Delgado).

Onde se teria que investir era num nova travessia do tejo (TTT) e as ligações a Beja e Porto como prioritárias, nada que já não se fale.
 Portanto onde está o choque?

lusitaniae, Quando por quem e em que documento oficial está escrito o que acabou de referir, " antes de se fechar Humberto Delgado, dava para se ir fazendo até 2035, (data Fecho Humberto Delgado) "??

Se o AHD fechasse em 2035, teriamos que ter um Aeroporto que o substituísse, o que quer dizer que teria de ter capacidade de processar nessa data mais de 45 Milhões/Pax/ano.
Ora o que está planeado, e é o que vai acontecer, é o apeadeiro do Montijo ser construído, e se o for como é que em 2035, a tal data de fecho do AHD, esse aeroporto complementar poderá processar 45 milhoes pax/ano se a sua capacidade máxima é de 15 milhões pax/ano ??
É melhor rever/reanalizar as suas fontes/teorias, pois a bota não bate com a perdigota.

Cumprimentos

« Última modificação: Março 08, 2021, 05:48:14 pm por tenente »
Quando um Povo/Governo não Respeita as Suas FFAA, Não Respeita a Sua História nem se Respeita a Si Próprio  !!
 

*

Lusitaniae

  • Perito
  • **
  • 390
  • Recebeu: 111 vez(es)
  • Enviou: 6 vez(es)
  • +48/-292
Re: O novo Aeroporto de Lisboa
« Responder #34 em: Março 08, 2021, 06:22:56 pm »
Eu fico chocado é quando num país em crise, surgem ideias de construir, em vez de um, dois aeroportos (em locais onde nem sequer são rentáveis), e ligar tudo com linhas de alta-velocidade (que nunca seriam rentáveis). Eu já só imagino o dinheiro necessário para tanto mega projecto. E isto sem sequer chegar aos problemas mais técnicos, como transferir tudo de Lisboa para Beja e/ou Leiria, já falados por outros foristas.

Descentralizar é bom, e faz sentido, mas não é com aeroportos no meio do nada, é com incentivos (empregos, condições de vida) para a população largar o litoral/grandes cidades, e ir para o interior. A grande maioria da população não vive no litoral/grandes centros urbanos por causa dos aeroportos, os aeroportos é que foram construídos nestes locais, pela sua densidade populacional.

Construir o novo aeroporto (Ourém digo eu) já está previsto isso à algum tempo, nada de megalomanias, basta começar com um mais pequeno do que o de Faro, mas com capacidade de expansão futura, tudo o que seja +250 milhões, é demais!

O de Beja, o melhoramento que precisaria antes de se fechar Humberto Delgado, dava para se ir fazendo até 2035, (data Fecho Humberto Delgado).

Onde se teria que investir era num nova travessia do tejo (TTT) e as ligações a Beja e Porto como prioritárias, nada que já não se fale.
 Portanto onde está o choque?

lusitaniae, Quando por quem e em que documento oficial está escrito o que acabou de referir, " antes de se fechar Humberto Delgado, dava para se ir fazendo até 2035, (data Fecho Humberto Delgado) "??

Se o AHD fechasse em 2035, teriamos que ter um Aeroporto que o substituísse, o que quer dizer que teria de ter capacidade de processar nessa data mais de 45 Milhões/Pax/ano.
Ora o que está planeado, e é o que vai acontecer, é o apeadeiro do Montijo ser construído, e se o for como é que em 2035, a tal data de fecho do AHD, esse aeroporto complementar poderá processar 45 milhoes pax/ano se a sua capacidade máxima é de 15 milhões pax/ano ??
É melhor rever/reanalizar as suas fontes/teorias, pois a bota não bate com a perdigota.

Cumprimentos

Isso são palavras minhas, não estão em lado nenhum, o Aeroporto de Beja só é solução se no futuro ficar como único para a Região Alentejo/Lisboa e nunca como complementar.
Se Portugal for avante com Montijo é um erro, já fui dessa opinião, mas agora estou contra.

Se não for para Beja, então que se faça Alcochete, mas sempre com a intenção de num futuro próximo desativar o AHD.
O AHD tem que sair de Lisboa. Beja já está parcialmente feito, depois era indo fazendo infraestruturas para poder ter capacidade para 45 milhões pax.
Espaço é o que mais tem!
Abbati, medico, potronoque intima pande
 

*

Viajante

  • Investigador
  • *****
  • 3250
  • Recebeu: 1880 vez(es)
  • Enviou: 966 vez(es)
  • +3482/-3162
Re: O novo Aeroporto de Lisboa
« Responder #35 em: Março 08, 2021, 10:47:25 pm »
Sim, em Beja já existe um aeroporto, agora só falta fazer uso dele, é claro que o aeroporto Humberto Delgado era para simplesmente acabar.
O de Beja tem espaço de sobra para se ir aumentando nas próximas gerações e ainda daria para servir tambem o Algarve, pois o incremento de rotas aumentaria a oferta, as agencias de turismo tinham mais opções para meter num avião para Beja para servir turistas para Évora, Algarve ou Lisboa. (Basta ter a AV a funcionar).
Portugal está na moda e deve chegar a vez do interior!

Eu quando me referi às Beiras era mais às interiores (Castelo Branco e Covilhã) mas tambem pode servir a Guarda, nada de Aveiro ou Viseu, isso é com o Porto.

Em 2017 no DN podia se ler "Santuário eleva Ourém ao 7.º concelho com mais hóspedes" https://www.dn.pt/sociedade/religiao-movimenta-330-milhoes-de-turistas-por-ano-e-seis-milhoes-vao-a-fatima-5677138.html
Acredite que depois do Covid, Fátima vai receber ainda muito mais gente. Não sei do que estão à espera para se começar a contruir o novo aeroporto em Ourém.

Somos um país de "capelinhas" onde só se faz onde convém!

Ó Lusitaniae? Vamos construir um aeroporto em Ourém para os peregrinos?!?!?!?! Qual acha que será a proveniência dos 6 milhões de peregrinos anuais? O aeroporto de Lisboa é sobrecarregado nos dias 13 de cada mês!?!?
Faz-me lembrar os Gato Fedorento (já em 2007):
O Lusitaniae já fez as contas aos investimentos que propõem? 2 aeroportos, TGV a servir os mesmos e não se esqueça de somar o que vamos torrar na TAP. No fim tem quanto em despesas? 30 mil milhões? 40 mil milhões? Só o TGV, seja em T deitado ou em U, custa uns meros 15 mil milhões de euros.  Mais um aeroporto em Beja que não tem absolutamente nada previsto para as acessibilidades do aeroporto de Lisboa que o Lusitaniae quer deslocalizar para o Alentejo e mais o aeroporto para os peregrinos!!!!!! Isso dá quanto?
« Última modificação: Março 08, 2021, 10:48:55 pm por Viajante »
 

*

Lusitaniae

  • Perito
  • **
  • 390
  • Recebeu: 111 vez(es)
  • Enviou: 6 vez(es)
  • +48/-292
Re: O novo Aeroporto de Lisboa
« Responder #36 em: Março 08, 2021, 11:08:34 pm »
Sim, em Beja já existe um aeroporto, agora só falta fazer uso dele, é claro que o aeroporto Humberto Delgado era para simplesmente acabar.
O de Beja tem espaço de sobra para se ir aumentando nas próximas gerações e ainda daria para servir tambem o Algarve, pois o incremento de rotas aumentaria a oferta, as agencias de turismo tinham mais opções para meter num avião para Beja para servir turistas para Évora, Algarve ou Lisboa. (Basta ter a AV a funcionar).
Portugal está na moda e deve chegar a vez do interior!

Eu quando me referi às Beiras era mais às interiores (Castelo Branco e Covilhã) mas tambem pode servir a Guarda, nada de Aveiro ou Viseu, isso é com o Porto.

Em 2017 no DN podia se ler "Santuário eleva Ourém ao 7.º concelho com mais hóspedes" https://www.dn.pt/sociedade/religiao-movimenta-330-milhoes-de-turistas-por-ano-e-seis-milhoes-vao-a-fatima-5677138.html
Acredite que depois do Covid, Fátima vai receber ainda muito mais gente. Não sei do que estão à espera para se começar a contruir o novo aeroporto em Ourém.

Somos um país de "capelinhas" onde só se faz onde convém!

Ó Lusitaniae? Vamos construir um aeroporto em Ourém para os peregrinos?!?!?!?! Qual acha que será a proveniência dos 6 milhões de peregrinos anuais? O aeroporto de Lisboa é sobrecarregado nos dias 13 de cada mês!?!?
Faz-me lembrar os Gato Fedorento (já em 2007):
O Lusitaniae já fez as contas aos investimentos que propõem? 2 aeroportos, TGV a servir os mesmos e não se esqueça de somar o que vamos torrar na TAP. No fim tem quanto em despesas? 30 mil milhões? 40 mil milhões? Só o TGV, seja em T deitado ou em U, custa uns meros 15 mil milhões de euros.  Mais um aeroporto em Beja que não tem absolutamente nada previsto para as acessibilidades do aeroporto de Lisboa que o Lusitaniae quer deslocalizar para o Alentejo e mais o aeroporto para os peregrinos!!!!!! Isso dá quanto?

Então e os privados, não investem?

Mas então não está previsto uma linha AV em Portugal? se está e passa por Leiria, serve para o novo aeroporto para os "peregrinos"!
E essa linha depois não vai para Espanha, se vai é descer um pouco e vai até Beja.

Qual o valor do terreno atualmente ocupado pelo AHD? quando se poderia ir buscar depois aí?
Tudo o que se vier a fazer errado agora, quem vai pagar será a geração futura!
No Futuro todas as grandes cidades não quererão aeroportos perto da cidade quanto menos dentro dela, pelos mais diversos motivos.



Abbati, medico, potronoque intima pande
 

*

Viajante

  • Investigador
  • *****
  • 3250
  • Recebeu: 1880 vez(es)
  • Enviou: 966 vez(es)
  • +3482/-3162
Re: O novo Aeroporto de Lisboa
« Responder #37 em: Março 09, 2021, 11:38:12 am »
Então e os privados, não investem?

Mas então não está previsto uma linha AV em Portugal? se está e passa por Leiria, serve para o novo aeroporto para os "peregrinos"!
E essa linha depois não vai para Espanha, se vai é descer um pouco e vai até Beja.

Qual o valor do terreno atualmente ocupado pelo AHD? quando se poderia ir buscar depois aí?
Tudo o que se vier a fazer errado agora, quem vai pagar será a geração futura!
No Futuro todas as grandes cidades não quererão aeroportos perto da cidade quanto menos dentro dela, pelos mais diversos motivos.

Claro que os privados investem..... no seu próprio interesse, obviamente! Aqui como em qualquer lugar!
A Ana já referiu que só aceita financiar a construção de um aeroporto complementar ao actual e no Montijo: https://www.tsf.pt/portugal/sociedade/aeroporto-no-montijo-presidente-da-ana-aplaude-posicao-do-governo-sobre-avaliacao-ambiental-13411054.html

Aqui a empresa não está a zelar pelos interesses do país, está a zelar pelos seus próprios interesses: Investir o mínimo possível e obter possivelmente uma extensão do prazo de concessões para o país inteiro! Por isso é que aceita investir num mini-aeroporto, complementar a Lisboa, mas que em lado nenhum prevê a extinção da Portela! Mas não há nada de errado na Ana olhar pelos seus interesses!

O governo (seja este ou o anterior), obviamente que esta é a melhor solução, porque o estado não investe nenhum cêntimo e empurra o problema para outro governo, aumentando a capacidade do apeadeiro em 15 milhões de passageiros, obviamente que o Costa não tem de decidir construir o novo aeroporto, essa difícil solução vai ficar entregue a outro!!!! E com uma solução destas não aumenta o déficite do país, melhor ainda. Agora, defende os interesses do país? Não, apenas livra-se de uma responsabilidade e empurra o problema para a frente!!!! O costume!

Agora, perguntando directamente ao Lusitaniae, que parte do não temos dinheiro é que não entendeu? Fala de 2 novos aeroportos + o TGV e não esqueça que sustentamos a TAP...... onde há dinheiro para isso tudo. A bazuca se fosse entregue aos seus projectos, apenas pagava 1/3 das despesas e o resto?

Em relação aos peregrinos, não sei se deu conta que a esmagadora maioria é nacional e vai ou a pé, de bicicleta, de carro e autocarro!
 

*

Lusitaniae

  • Perito
  • **
  • 390
  • Recebeu: 111 vez(es)
  • Enviou: 6 vez(es)
  • +48/-292
Re: O novo Aeroporto de Lisboa
« Responder #38 em: Março 09, 2021, 01:16:07 pm »
Então e os privados, não investem?

Mas então não está previsto uma linha AV em Portugal? se está e passa por Leiria, serve para o novo aeroporto para os "peregrinos"!
E essa linha depois não vai para Espanha, se vai é descer um pouco e vai até Beja.

Qual o valor do terreno atualmente ocupado pelo AHD? quando se poderia ir buscar depois aí?
Tudo o que se vier a fazer errado agora, quem vai pagar será a geração futura!
No Futuro todas as grandes cidades não quererão aeroportos perto da cidade quanto menos dentro dela, pelos mais diversos motivos.

Claro que os privados investem..... no seu próprio interesse, obviamente! Aqui como em qualquer lugar!
A Ana já referiu que só aceita financiar a construção de um aeroporto complementar ao actual e no Montijo: https://www.tsf.pt/portugal/sociedade/aeroporto-no-montijo-presidente-da-ana-aplaude-posicao-do-governo-sobre-avaliacao-ambiental-13411054.html

Aqui a empresa não está a zelar pelos interesses do país, está a zelar pelos seus próprios interesses: Investir o mínimo possível e obter possivelmente uma extensão do prazo de concessões para o país inteiro! Por isso é que aceita investir num mini-aeroporto, complementar a Lisboa, mas que em lado nenhum prevê a extinção da Portela! Mas não há nada de errado na Ana olhar pelos seus interesses!

O governo (seja este ou o anterior), obviamente que esta é a melhor solução, porque o estado não investe nenhum cêntimo e empurra o problema para outro governo, aumentando a capacidade do apeadeiro em 15 milhões de passageiros, obviamente que o Costa não tem de decidir construir o novo aeroporto, essa difícil solução vai ficar entregue a outro!!!! E com uma solução destas não aumenta o déficite do país, melhor ainda. Agora, defende os interesses do país? Não, apenas livra-se de uma responsabilidade e empurra o problema para a frente!!!! O costume!

Agora, perguntando directamente ao Lusitaniae, que parte do não temos dinheiro é que não entendeu? Fala de 2 novos aeroportos + o TGV e não esqueça que sustentamos a TAP...... onde há dinheiro para isso tudo. A bazuca se fosse entregue aos seus projectos, apenas pagava 1/3 das despesas e o resto?

Em relação aos peregrinos, não sei se deu conta que a esmagadora maioria é nacional e vai ou a pé, de bicicleta, de carro e autocarro!

O assunto aeroporto do centro, é opcional como imagina, eu só falei para se ter uma visão global para o futuro do que aos aeroportos diz respeito, em relação a Beja o aeroporto já está feito. Portanto não se faz novo para Lisboa, o do centro se alguém quiser investir, que se invista, e pesquisando na net já se vai falando disso.

Resumindo : Não se faz nenhum aeroporto novo e para os próximos 15 anos o que se deveria fazer era a linha AV (que o governo quer fazer só para Lisboa até Valença=>Vigo) mas que a prioridade deveria ser Lisboa => Beja), Até lá fica a Portela e caso os movimentos assim o digam obrigatoriamente as Low Cost vão para Beja (Basta ligar o aeroporto à A2, são 32km via sul Ferreira do Alentejo).
O aeroporto vai se preparando para em 2035 ter a capacidade para 45 milhões de pax, fecha-se a portela e Lisboa fica livre e a respirar muito melhor! (os Terrenos valem uma fortuna e tanta coisa nova se poderia ali fazer, era uma nova cidade dentro da cidade, são +600 hectares)

1º Fase - construção AE Beja para A2 + Construir a TTT
2º Fase - Construção AV até Beja e Porto até Soure (até 2030)
3º Fase - Construção AV restante até Lisboa e Porto - Valença (até 2035)
Depois vem a ligação a Elvas e só depois até Faro.

O que a Ana/Vinci iria investir no Montijo, transfere esses custos para Beja e quando a Portela fechar, ganha uma percentagem com a venda dos terrenos, provavelmente daria para a construção do aeroporto do centro.
Portanto o que o estado tem que gastar é na TTT e linha AV (algo que já está previsto, só falta começar)


De sublinhar, que no ano de
2017 por comparação com o ano
anterior, quase que triplicaram as
peregrinações estrangeiras (7.110
peregrinações em 2017 e 2711 em
2016), tendo mais do que triplicado o número de peregrinos
estrangeiros (374.586 em 2017 e
124.504 em 216).
Fonte : Voz de Fátima nº1145


Depois do Covid a previsão de chegada de peregrinações a Fátima irá aumentar e para média prazo possa chegar a 1 Milhão.
« Última modificação: Março 09, 2021, 01:21:50 pm por Lusitaniae »
Abbati, medico, potronoque intima pande
 

*

dc

  • Investigador
  • *****
  • 6481
  • Recebeu: 2739 vez(es)
  • Enviou: 573 vez(es)
  • +986/-530
Re: O novo Aeroporto de Lisboa
« Responder #39 em: Março 09, 2021, 03:49:18 pm »
País cheio de dinheiro.

A opção Alcochete também permitirá, a longo prazo, encerrar a Portela, e sem ter a necessidade de ligar o aeroporto (Beja e/ou Leiria) a Lisboa com um TGV altamente dispendioso. O TGV é por si só um projecto megalómano, num país onde não se justifica, pelo menos até surgir uma prova concreta de que é rentável.

O Aeroporto de Beja não está "feito". É uma base aérea com algumas infraestruturas aeroportuárias, mas cuja capacidade não equivale à de um aeroporto principal. Transformar num aeroporto completo, não seria de graça, tal como não seria de graça transferir toda a estrutura da FAP para outro local.
 
Os seguintes utilizadores agradeceram esta mensagem: tenente

*

tenente

  • Investigador
  • *****
  • 9657
  • Recebeu: 4941 vez(es)
  • Enviou: 3561 vez(es)
  • +4558/-1090
Re: O novo Aeroporto de Lisboa
« Responder #40 em: Março 09, 2021, 07:14:47 pm »
País cheio de dinheiro.

A opção Alcochete também permitirá, a longo prazo, encerrar a Portela, e sem ter a necessidade de ligar o aeroporto (Beja e/ou Leiria) a Lisboa com um TGV altamente dispendioso. O TGV é por si só um projecto megalómano, num país onde não se justifica, pelo menos até surgir uma prova concreta de que é rentável.

O Aeroporto de Beja não está "feito". É uma base aérea com algumas infraestruturas aeroportuárias, mas cuja capacidade não equivale à de um aeroporto principal. Transformar num aeroporto completo, não seria de graça, tal como não seria de graça transferir toda a estrutura da FAP para outro local.

Para a transformara BA11 em Aeroporto substituto do de LIS, temos de investir entre os 5.000/6.000 Milhões.

A actual plataforma de estacionamento da base, não consegue parquear 35 aeronaves N/B e W/B, quando no minimo, terá que ter capacidade de estacionar 100 aeronaves, actualmente o AHD possui 65 stands, que já não são suficientes para processar as aeronaves que transportam os cerca de 30 milhões pax/ano. 

O actual terminal de pax, se é que o podemos chamar de terminal, consegue em simultâneo receber cerca de 300 pax/hora.
Actualmente em LIS a capacidade ronda os 6000 pax/hora o que já é curto, o indicado para o novo aeroporto será qq coisa como 10.000 pax/hora, só trinta e três vezes a capacidade de Beja......
Será preferivel construir um terminal de chegadas e um só para partidas com as pistas dedicadas também para AA e AD respectivamente, o terminal de partidas terá que possuir um minimo de 150 balcões de chk-in, e o das chegadas terá que no minimo possuir 22/25 tapetes de bagagens.

O terminal de bagagens de Beja, é outra amostra de terminal, apenas tem capacidade para processar o volume de bagagens correspondente aos tais 300pax/hora.
Terão que ser construidos dois terminais tanto o das chegadas como o das partidas, com uma capacidade inicial de + de 6000 bags/hora.
Como comparação para termos uma ideia dos custos envolvidos em BEJA, quando foi efectuada uma expansãozinha no terminal de bagagens partidas LIS, aka TBP, o investimento foi igual á construção dos terminais de pax e bagagens de BEJA, há quase vinte anos gastamos cerca de 33 milhões, coisa pouca.

Quanto á MNT será bom recordar que em LIS a TAP tem seis hangares, para os seus trabalhos de mnt nas aeronaves, em Beja seria necessário construir uns quantos hangares para albergar um numero apreciável de aeronaves, portanto mais umas centenas de milhões em infraestruturas.

Será necessário construir uma segunda pista paralela á actual e com uma distância lateral minima de 1015m em relação á pista existente.
Só a construção da segunda pista com um PCN suficiente para receber acfts de + 300 Tons pista essa com 4.000 X 70 custará muitas centenas de milhões.

Não esquecer que seria necessário construir uma nova torre de controlo a da FAP, bem a da FAP dá para eles e pouco mais, nem a NAV aceitaria trabalhar naquele cúbiculo.

Posto isto, será que devemos investir uns 6.000 milhões em Beja ?
Haverá retorno desse investimento?
As companhias querem voar para Beja?
Tem pax suficientes para voar para esse destino quando o procurado é LIS ??

Os que alegam que o Aeroporto de Beja está pronto não fazem a miníma ideia do que falam nem conhecem as exigência do dia a dia de um Aeroporto e seus operadores.
Só o facto de deslocar para Beja os milhares de trabalhadores diários do AHD, antes da crise seriamos por alto cerca de 27.000, são números de uma magnitude enorme para um País como o nosso, basta começar só pelos milhares de tripulantes que a TAP tem todos a caminho da base da Companhia que seria em Beja, adicionemos a segurança, a MNT, os Agentes de Handling, o staff do Aeroporto, o pessoal da NAV, da METEO, o GOC, os Socorros, enfim, fico-me por aqui.

Continuem a sonhar.

Abraços
 
« Última modificação: Março 09, 2021, 07:28:21 pm por tenente »
Quando um Povo/Governo não Respeita as Suas FFAA, Não Respeita a Sua História nem se Respeita a Si Próprio  !!
 

*

goldfinger

  • Investigador
  • *****
  • 2426
  • Recebeu: 1526 vez(es)
  • Enviou: 422 vez(es)
  • +1075/-439
Re: O novo Aeroporto de Lisboa
« Responder #41 em: Março 09, 2021, 07:17:54 pm »
Paralizan la construcción de un nuevo aeropuerto internacional en Lisboa (Portugal)

Citar
La Autoridad Nacional de Aviación Civil de Portugal (ANAC) ha denegado la posibilidad de construir un nuevo aeropuerto para dar servicio a Lisboa.

En concreto, tal y como apunta Actualidad Aeroespacial, desde ANAC han rechazado la solicitud de evaluación previa de viabilidad de la reconversión de la base aérea de Montijo en un aeródromo civil con el que se pretendía dar alivio a los problemas de congestión que sufre el Aeropuerto Humberto Delgado. El proyecto, que suponía intervenciones en ambas instalaciones, tenía un presupuesto estimado de 1.150 millones de euros y una ejecución en varias fases que concluiría en 2028.

La decisión no se ha tomado debido a la disputa ambiental en torno a la intervención, sino por la negativa de Seixal y Moita, municipios a los que afectaría la ampliación y reconversión del aeródromo. Ha bastado la negativa de ambos para paralizar el proceso, pese a que otras localidades como Barreiro y Montijo, estaban a favor, mientras que Alcochete no se pronunció al respecto.

A partir de ahora, el gobierno luso tendrá que estudiar nuevas soluciones para incrementar la capacidad aeroportuaria de la región lisboeta, para lo cual realizará un proceso de Evaluación Ambiental Estratégica (EAE). En ese estudio se valorarán varias posibilidades incluyendo la posibilidad de construir desde cero un nuevo aeropuerto internacional en el Campo de Tiro de Alcochete.

https://www.tourinews.es/resumen-de-prensa/notas-de-prensa-destinos-competidores-turismo/lisboa-portugal-paralizan-construccion-aeropuerto-internacional_4463551_102_amp.html
A España servir hasta morir
 

*

Lusitaniae

  • Perito
  • **
  • 390
  • Recebeu: 111 vez(es)
  • Enviou: 6 vez(es)
  • +48/-292
Re: O novo Aeroporto de Lisboa
« Responder #42 em: Março 09, 2021, 08:45:58 pm »
País cheio de dinheiro.

A opção Alcochete também permitirá, a longo prazo, encerrar a Portela, e sem ter a necessidade de ligar o aeroporto (Beja e/ou Leiria) a Lisboa com um TGV altamente dispendioso. O TGV é por si só um projecto megalómano, num país onde não se justifica, pelo menos até surgir uma prova concreta de que é rentável.

O Aeroporto de Beja não está "feito". É uma base aérea com algumas infraestruturas aeroportuárias, mas cuja capacidade não equivale à de um aeroporto principal. Transformar num aeroporto completo, não seria de graça, tal como não seria de graça transferir toda a estrutura da FAP para outro local.

Para a transformara BA11 em Aeroporto substituto do de LIS, temos de investir entre os 5.000/6.000 Milhões.

A actual plataforma de estacionamento da base, não consegue parquear 35 aeronaves N/B e W/B, quando no minimo, terá que ter capacidade de estacionar 100 aeronaves, actualmente o AHD possui 65 stands, que já não são suficientes para processar as aeronaves que transportam os cerca de 30 milhões pax/ano. 

O actual terminal de pax, se é que o podemos chamar de terminal, consegue em simultâneo receber cerca de 300 pax/hora.
Actualmente em LIS a capacidade ronda os 6000 pax/hora o que já é curto, o indicado para o novo aeroporto será qq coisa como 10.000 pax/hora, só trinta e três vezes a capacidade de Beja......
Será preferivel construir um terminal de chegadas e um só para partidas com as pistas dedicadas também para AA e AD respectivamente, o terminal de partidas terá que possuir um minimo de 150 balcões de chk-in, e o das chegadas terá que no minimo possuir 22/25 tapetes de bagagens.

O terminal de bagagens de Beja, é outra amostra de terminal, apenas tem capacidade para processar o volume de bagagens correspondente aos tais 300pax/hora.
Terão que ser construidos dois terminais tanto o das chegadas como o das partidas, com uma capacidade inicial de + de 6000 bags/hora.
Como comparação para termos uma ideia dos custos envolvidos em BEJA, quando foi efectuada uma expansãozinha no terminal de bagagens partidas LIS, aka TBP, o investimento foi igual á construção dos terminais de pax e bagagens de BEJA, há quase vinte anos gastamos cerca de 33 milhões, coisa pouca.

Quanto á MNT será bom recordar que em LIS a TAP tem seis hangares, para os seus trabalhos de mnt nas aeronaves, em Beja seria necessário construir uns quantos hangares para albergar um numero apreciável de aeronaves, portanto mais umas centenas de milhões em infraestruturas.

Será necessário construir uma segunda pista paralela á actual e com uma distância lateral minima de 1015m em relação á pista existente.
Só a construção da segunda pista com um PCN suficiente para receber acfts de + 300 Tons pista essa com 4.000 X 70 custará muitas centenas de milhões.

Não esquecer que seria necessário construir uma nova torre de controlo a da FAP, bem a da FAP dá para eles e pouco mais, nem a NAV aceitaria trabalhar naquele cúbiculo.

Posto isto, será que devemos investir uns 6.000 milhões em Beja ?
Haverá retorno desse investimento?
As companhias querem voar para Beja?
Tem pax suficientes para voar para esse destino quando o procurado é LIS ??

Os que alegam que o Aeroporto de Beja está pronto não fazem a miníma ideia do que falam nem conhecem as exigência do dia a dia de um Aeroporto e seus operadores.
Só o facto de deslocar para Beja os milhares de trabalhadores diários do AHD, antes da crise seriamos por alto cerca de 27.000, são números de uma magnitude enorme para um País como o nosso, basta começar só pelos milhares de tripulantes que a TAP tem todos a caminho da base da Companhia que seria em Beja, adicionemos a segurança, a MNT, os Agentes de Handling, o staff do Aeroporto, o pessoal da NAV, da METEO, o GOC, os Socorros, enfim, fico-me por aqui.

Continuem a sonhar.

Abraços

Pois é Tenente, era um país novo que ia surgir, a transformação do Sul e não só o Alentejo iria ser enorme, em 30 ou 40 anos a zona de Beja , seria uma nova centralidade e cidade com +100 mil pessoas do que tem hoje, no mínimo.
Se olharmos o mapa, só mesmo em Beja era possível quase que criar uma cidade nova, pois era isso que iria acontecer.
Não esquecer o Alqueva para fins turísticos.
Penso que esses valores estão muito altos, mas se Alcochete for opção, com a finalidade no futuro de fechar a Portela, os custos seriam maiores, pois Beja, uma pista já tem.

Só com AV é possível a opção Beja, e quem o usar diariamente ou muitos dias do mês tem que ter opções de passe a preços mais em conta.

Um paradigma a ser seguido no futuro para Portugal é trazer o interior para o litoral e vice-versa, agora Beja está quase vazia, daqui a 40 anos não estaria, seria uma cidade mais importante do que Coimbra.
Abbati, medico, potronoque intima pande
 

*

Viajante

  • Investigador
  • *****
  • 3250
  • Recebeu: 1880 vez(es)
  • Enviou: 966 vez(es)
  • +3482/-3162
Re: O novo Aeroporto de Lisboa
« Responder #43 em: Março 10, 2021, 11:21:07 am »
Lusitaniae?
Acredite que construir os aeroportos Castelo de Beja e os 3 Pastorinhos + o TGV a servir ambos, fica muito caro. O muito caro é de várias dezenas de milhares de milhões de euros!!!!!! Principalmente se atendermos que a riqueza total criada pelo país é de pouco mais de 200 mil milhões de euros (em 2020) e temos aí à porta a ressaca de uma crise brutal e muito mais grave que a da pré-bancarrota de à 10 anos atrás (na altura o PIB caíu 4,5% com a troika e agora, só em 2020 o país caíu 7,6% e o buraco ainda não se vê o fundo)!

Está preocupado com o crescimento do interior, também eu! Porque moro no interior e tenho consciência e certeza de que quase todo o investimento público é gasto primeiro em Lisboa, depois no Porto, depois para a Madeira e Açores e o que sobrar vai para o resto do país!!!!!!
Aliás tenho escrito aqui até à exaustão exemplos concretos, como por exemplo as 2 grandes áreas metropolitanas do país terem transportes públicos financiados por todos os portugueses e além disso ainda têem passes subsidiados para andarem nesses transportes públicos e mesmo as migalhas que pagam ainda podem abater no IRS pago!!!!!!

Você e eu sabemos que no interior não existem transportes públicos, nem os financiados nem os pagos a 100%, não existem! Também não ajuda nada os poucos representantes do interior, anuírem com a cabeça quando o seu partido diz amen! E já nem vale a pena referir os n exemplos de deputados que até podem ter nascido no interior, mas agora moram na capital.

A única força que têm para reivindicar alguma coisa é através dos Presidentes de Câmara, quer a título individual quer ao nível das CIM (agrupamentos de Municípios de cada região), para a gestão dos fundos comunitários a investir em cada concelho.

Agora, como é que se desenvolve o interior? Uma coisa pode ter a certeza, não é com elefantes brancos que depois vão ser muito complicados de suportar. O interior desenvolve-se se você fixar pessoas! Tão simples quanto isso!
Como é que fixamos pessoas? Não é a seguir o exemplo que você referiu (Coimbra) que eu considero uma cidade que parou no tempo e que depende única e exclusivamente dos serviços (se você tirar a universidade e o Hospital...... e era uma vez Coimbra.... fica com o Portugal dos Pequeninos!!!!!).
Exemplos positivos você deve colocar os olhos em Viseu, Aveiro, Braga, Covilhã...... essas sim cidades muito dinâmicas, não são muito grandes mas têem uma coisa que falta ao Alentejo e ao resto do país: INDUSTRIA!!!!! E não é uma, nem 10 nem 20, são centenas de empresas industriais, umas maiores e outras menores, mas com nível de sofisticação muito acima do que você imagina. Dou-lhe exemplos: Vá a Aveiro ver a insdústria das cerãmicas (Recer, Love Tiles, Margres, Revigrés, Sanindusa, ...... ), aproveite e passe pela Bosh/Vulcano, passe pelo centro de investigação da PT/Altice, Semapa.
Em Braga vá ver a Bosch, Continental, Riopele, Farfetch, S. Roque, Torrestir, Arcol, ......   
Em Viseu tem a Visabeira, Farmacêutica Labesfal, Martifer, Luso Finsa, Peugeot Citroen, EBERSPÄCHER EXHAUST TECHNOLOGY PORTUGAL, Patinter, Borgstena.....

Se o interior do país oferecer empregos (Indústria e Serviços), oferecer condições para fixar empresas (por exemplo dar terrenos para fixação das instalações e com reversão do terreno ao Município quando a empresa sair do local) vender a preços simbólicos terrenos para construção, criar infraestruturas viárias (e não aeroportuárias) para permitir escoar as vendas dessas empresas..... vai ver que o interior cresce!

Você vai a Aveiro ou Viseu e diga-me lá o que é que falta nessas cidades?
Mas elefantes não, muito obrigado.
Veja o que aconteceu às cidades que por exemplo exigiram um estádio novo (Aveiro foi uma delas)..... depois de verem a factura de 5 milhões por ano só para manutenção, já pensavam dinamitar os estádios!!!!!!
https://www.rtp.pt/noticias/futebol-nacional/psdaveiro-admite-demolicao-de-estadio-do-euro-2004_d287565
https://www.regiaodeleiria.pt/2010/01/augusto-mateus-sugere-demolicao-de-estadio-de-leiria/
« Última modificação: Março 10, 2021, 11:34:17 am por Viajante »
 
Os seguintes utilizadores agradeceram esta mensagem: typhonman, LM, HSMW

*

Lusitaniae

  • Perito
  • **
  • 390
  • Recebeu: 111 vez(es)
  • Enviou: 6 vez(es)
  • +48/-292
Re: O novo Aeroporto de Lisboa
« Responder #44 em: Março 10, 2021, 01:13:26 pm »
Lusitaniae?
Acredite que construir os aeroportos Castelo de Beja e os 3 Pastorinhos + o TGV a servir ambos, fica muito caro. O muito caro é de várias dezenas de milhares de milhões de euros!!!!!! Principalmente se atendermos que a riqueza total criada pelo país é de pouco mais de 200 mil milhões de euros (em 2020) e temos aí à porta a ressaca de uma crise brutal e muito mais grave que a da pré-bancarrota de à 10 anos atrás (na altura o PIB caíu 4,5% com a troika e agora, só em 2020 o país caíu 7,6% e o buraco ainda não se vê o fundo)!

Está preocupado com o crescimento do interior, também eu! Porque moro no interior e tenho consciência e certeza de que quase todo o investimento público é gasto primeiro em Lisboa, depois no Porto, depois para a Madeira e Açores e o que sobrar vai para o resto do país!!!!!!
Aliás tenho escrito aqui até à exaustão exemplos concretos, como por exemplo as 2 grandes áreas metropolitanas do país terem transportes públicos financiados por todos os portugueses e além disso ainda têem passes subsidiados para andarem nesses transportes públicos e mesmo as migalhas que pagam ainda podem abater no IRS pago!!!!!!

Você e eu sabemos que no interior não existem transportes públicos, nem os financiados nem os pagos a 100%, não existem! Também não ajuda nada os poucos representantes do interior, anuírem com a cabeça quando o seu partido diz amen! E já nem vale a pena referir os n exemplos de deputados que até podem ter nascido no interior, mas agora moram na capital.

A única força que têm para reivindicar alguma coisa é através dos Presidentes de Câmara, quer a título individual quer ao nível das CIM (agrupamentos de Municípios de cada região), para a gestão dos fundos comunitários a investir em cada concelho.

Agora, como é que se desenvolve o interior? Uma coisa pode ter a certeza, não é com elefantes brancos que depois vão ser muito complicados de suportar. O interior desenvolve-se se você fixar pessoas! Tão simples quanto isso!
Como é que fixamos pessoas? Não é a seguir o exemplo que você referiu (Coimbra) que eu considero uma cidade que parou no tempo e que depende única e exclusivamente dos serviços (se você tirar a universidade e o Hospital...... e era uma vez Coimbra.... fica com o Portugal dos Pequeninos!!!!!).
Exemplos positivos você deve colocar os olhos em Viseu, Aveiro, Braga, Covilhã...... essas sim cidades muito dinâmicas, não são muito grandes mas têem uma coisa que falta ao Alentejo e ao resto do país: INDUSTRIA!!!!! E não é uma, nem 10 nem 20, são centenas de empresas industriais, umas maiores e outras menores, mas com nível de sofisticação muito acima do que você imagina. Dou-lhe exemplos: Vá a Aveiro ver a insdústria das cerãmicas (Recer, Love Tiles, Margres, Revigrés, Sanindusa, ...... ), aproveite e passe pela Bosh/Vulcano, passe pelo centro de investigação da PT/Altice, Semapa.
Em Braga vá ver a Bosch, Continental, Riopele, Farfetch, S. Roque, Torrestir, Arcol, ......   
Em Viseu tem a Visabeira, Farmacêutica Labesfal, Martifer, Luso Finsa, Peugeot Citroen, EBERSPÄCHER EXHAUST TECHNOLOGY PORTUGAL, Patinter, Borgstena.....

Se o interior do país oferecer empregos (Indústria e Serviços), oferecer condições para fixar empresas (por exemplo dar terrenos para fixação das instalações e com reversão do terreno ao Município quando a empresa sair do local) vender a preços simbólicos terrenos para construção, criar infraestruturas viárias (e não aeroportuárias) para permitir escoar as vendas dessas empresas..... vai ver que o interior cresce!

Você vai a Aveiro ou Viseu e diga-me lá o que é que falta nessas cidades?
Mas elefantes não, muito obrigado.
Veja o que aconteceu às cidades que por exemplo exigiram um estádio novo (Aveiro foi uma delas)..... depois de verem a factura de 5 milhões por ano só para manutenção, já pensavam dinamitar os estádios!!!!!!
https://www.rtp.pt/noticias/futebol-nacional/psdaveiro-admite-demolicao-de-estadio-do-euro-2004_d287565
https://www.regiaodeleiria.pt/2010/01/augusto-mateus-sugere-demolicao-de-estadio-de-leiria/

Concordo com quase tudo o que escreveu, mas fazer do aeroporto de Beja o central para Lisboa e Alentejo, iria mudar TUDO nas próximas décadas e atenção que a Linha AV já está pensada em se fazer, eu não estou a dizer nada de novo, a nova linha projetada Lisboa-Porto passa por Leiria, daí que ter na zona um aeroporto não é nada de extraordinário, os "pastorinhos" agradecem!

Quanto à industria, ela depois com certeza iria aparecer na zona Sines/Évora/Beja e o Alqueva que foi para mim o melhor projeto de sempre feito em Portugal e que muitos e os mesmos que continuam a "atrapalhar" o país não queriam e que vão litoralizando cada vez mais Portugal, são os que só veem o que cabe no bolso, esse Alqueva que muito proveito irá dar a Portugal neste século, mas metam BEJA onde tem que estar.

Que se ligue a A26 de Sines a Beja mas é, pois ainda não está porque alguém está a emperrar!
« Última modificação: Março 10, 2021, 01:15:06 pm por Lusitaniae »
Abbati, medico, potronoque intima pande