Programa de substituição do C-130

  • 2391 Respostas
  • 452781 Visualizações
*

Charlie Jaguar

  • Investigador
  • *****
  • 4556
  • Recebeu: 4173 vez(es)
  • Enviou: 2682 vez(es)
  • +6160/-2495
Re: Programa de substituição do C-130
« Responder #2385 em: Outubro 28, 2022, 03:32:41 pm »
O estado não possui Fireboss, são alugados.

Os Ecureuil da Protecção Civil não fazem parte da estrutura de esquadras da Força Aérea, não estao em bases da Força Aérea nem ocupam pilotos/mecânicos da FAP, talvez a nivel de gestão algum oficial engenheiro.

Com o par de Koalas de opção a caminho, duvido seriamente que os Écureil venham alguma vez a ser operados pela FAP. Certamente serão vendidos.

Entretanto isto da Esquadra 506 veio agora baralhar um pouco as coisas em relação ao futuro dos C-130, porque eram cada vez mais os rumores que apontavam para a sua venda [dos Hércules modernizados] a países do Leste Europeu, Grécia, Paquistão, etc, devido à mais do que provável falta de verbas e tripulações para operar em simultâneo duas frotas de aeronaves de transporte médio táctico de capacidades semelhantes.

Num dos rumores que mais circula, e cuja origem é atribuída a Alfragide, era até dito que o montante acumulado com a venda dos 4 C-130M poderia ser utilizado para a aquisição de mais um par de DHC-515, e talvez mesmo uns quanto Fireboss, para a futura Esquadra a sediar muito provavelmente em Ovar. Os Bisontes não seriam extintos, permanecendo no Montijo (pelo menos até ver) possivelmente equipados com 2/3 A400M, mas esta hipótese parece estar a esfumar-se e ser cada vez mais remota. A ver vamos o que nos trarão os próximos meses.
Saudações Aeronáuticas,
Charlie Jaguar

"(...) Que, havendo por verdade o que dizia,
DE NADA A FORTE GENTE SE TEMIA
"

Luís Vaz de Camões (Os Lusíadas, Canto I - Estrofe 97)
 
Os seguintes utilizadores agradeceram esta mensagem: Lightning, wyldething, Subsea7

*

Red Baron

  • Investigador
  • *****
  • 2384
  • Recebeu: 435 vez(es)
  • Enviou: 307 vez(es)
  • +127/-308
Re: Programa de substituição do C-130
« Responder #2386 em: Outubro 28, 2022, 06:58:06 pm »
O estado não possui Fireboss, são alugados.

Os Ecureuil da Protecção Civil não fazem parte da estrutura de esquadras da Força Aérea, não estao em bases da Força Aérea nem ocupam pilotos/mecânicos da FAP, talvez a nivel de gestão algum oficial engenheiro.

Com o par de Koalas de opção a caminho, duvido seriamente que os Écureil venham alguma vez a ser operados pela FAP. Certamente serão vendidos.

Entretanto isto da Esquadra 506 veio agora baralhar um pouco as coisas em relação ao futuro dos C-130, porque eram cada vez mais os rumores que apontavam para a sua venda [dos Hércules modernizados] a países do Leste Europeu, Grécia, Paquistão, etc, devido à mais do que provável falta de verbas e tripulações para operar em simultâneo duas frotas de aeronaves de transporte médio táctico de capacidades semelhantes.

Num dos rumores que mais circula, e cuja origem é atribuída a Alfragide, era até dito que o montante acumulado com a venda dos 4 C-130M poderia ser utilizado para a aquisição de mais um par de DHC-515, e talvez mesmo uns quanto Fireboss, para a futura Esquadra a sediar muito provavelmente em Ovar. Os Bisontes não seriam extintos, permanecendo no Montijo (pelo menos até ver) possivelmente equipados com 2/3 A400M, mas esta hipótese parece estar a esfumar-se e ser cada vez mais remota. A ver vamos o que nos trarão os próximos meses.

A passagem da 501 para Beja está sempre dependente das verbas do novo aeroporto e de o Montijo fazer parte da solução escolhida.

Mas no futuro parece-me claro que vamos operar mais um meio de transporte, se vai ser o A400M ou o MRTT o tempo o dirá.
 

*

Charlie Jaguar

  • Investigador
  • *****
  • 4556
  • Recebeu: 4173 vez(es)
  • Enviou: 2682 vez(es)
  • +6160/-2495
Re: Programa de substituição do C-130
« Responder #2387 em: Outubro 28, 2022, 07:25:14 pm »
A 501 vai permanecer no Montijo, e caso a BA6 venha a ser uma das soluções para o NAL, não é certo que nesse caso a Esquadra seja transferida para Beja. Poderia seguir para Ovar, por exemplo.
Saudações Aeronáuticas,
Charlie Jaguar

"(...) Que, havendo por verdade o que dizia,
DE NADA A FORTE GENTE SE TEMIA
"

Luís Vaz de Camões (Os Lusíadas, Canto I - Estrofe 97)
 

*

Subsea7

  • Especialista
  • ****
  • 1021
  • Recebeu: 823 vez(es)
  • Enviou: 1374 vez(es)
  • +1785/-1743
Re: Programa de substituição do C-130
« Responder #2388 em: Outubro 28, 2022, 07:42:21 pm »
Boa tarde,
Relativamente a este tema:

Existem várias hipóteses...Os C-130M irem para Ovar e participarem com MAFFS no combate aos fogos..ou serem vendidos, por exemplo aos Gregos ou Romenos;

Os A-400M no Montijo é uma hipótese....Mas cada vez com menos chance de vingar.. No entanto os últimos desenvolvimentos da Airbus por cá, assim como a pressão para aquisição de armas europeias, poderá levar a aquisição de no máximo 2 A-400M, para efetivar a capacidade de transporte estratégico.

Uma coisa é certa, KC e C-130 são classes semelhantes, não fazendo sentido a sua operação paralela.

Cps
 
Os seguintes utilizadores agradeceram esta mensagem: Charlie Jaguar

*

Pescador

  • Investigador
  • *****
  • 1846
  • Recebeu: 1351 vez(es)
  • Enviou: 889 vez(es)
  • +1650/-1652
Re: Programa de substituição do C-130
« Responder #2389 em: Outubro 28, 2022, 09:25:18 pm »
Boa tarde,
Relativamente a este tema:

Existem várias hipóteses...Os C-130M irem para Ovar e participarem com MAFFS no combate aos fogos..ou serem vendidos, por exemplo aos Gregos ou Romenos;

Os A-400M no Montijo é uma hipótese....Mas cada vez com menos chance de vingar.. No entanto os últimos desenvolvimentos da Airbus por cá, assim como a pressão para aquisição de armas europeias, poderá levar a aquisição de no máximo 2 A-400M, para efetivar a capacidade de transporte estratégico.

E
Uma coisa é certa, KC e C-130 são classes semelhantes, não fazendo sentido a sua operação paralela.

Cps


Essa coisa de duas unidades faz-me confusão. Mas eu até tenho 3 chaves do carro, porque perdendo uma, como já aconteceu, tenho duas o que me permite esperar duas semanas ou mais pelo raio do chip que demora e assim ter margem com as duas restantes não vá a coisa correr mal. Um backup do backup. Mas se calhar tenho um bocado de pancada

2 submarinos. Tinha de ser 3
Dois A 400. Deviam ser é 3, nunca menos
 
Os seguintes utilizadores agradeceram esta mensagem: NVF, Charlie Jaguar

*

Red Baron

  • Investigador
  • *****
  • 2384
  • Recebeu: 435 vez(es)
  • Enviou: 307 vez(es)
  • +127/-308
Re: Programa de substituição do C-130
« Responder #2390 em: Outubro 28, 2022, 09:52:34 pm »
Boa tarde,
Relativamente a este tema:

Existem várias hipóteses...Os C-130M irem para Ovar e participarem com MAFFS no combate aos fogos..ou serem vendidos, por exemplo aos Gregos ou Romenos;

Os A-400M no Montijo é uma hipótese....Mas cada vez com menos chance de vingar.. No entanto os últimos desenvolvimentos da Airbus por cá, assim como a pressão para aquisição de armas europeias, poderá levar a aquisição de no máximo 2 A-400M, para efetivar a capacidade de transporte estratégico.

Uma coisa é certa, KC e C-130 são classes semelhantes, não fazendo sentido a sua operação paralela.

Cps

Pois só se vier dinheiro da EU, pois duvido que consigam sacar mais de 400 Milhões dos serviços conjuntos para mais um meio de transporte.
 

*

Get_It

  • Investigador
  • *****
  • 2049
  • Recebeu: 398 vez(es)
  • Enviou: 456 vez(es)
  • +41/-54
Re: Programa de substituição do C-130
« Responder #2391 em: Outubro 30, 2022, 12:17:35 pm »
Por outro lado, o nascimento da 506 poderá significar que os C-130 ficarão ao serviço da FAP ainda por uns aninhos, talvez mesmo para lá de 2027, e que os Bisontes até possam eventualmente vir a receber no futuro outro meio aéreo (A400M, por exemplo).
A esquadra vai ficar no mínimo activa com o C130 até 2027. Fala-se em pelo menos dois continuarem no combate a fogos após esta data.
A 501 vai permanecer no Montijo, e caso a BA6 venha a ser uma das soluções para o NAL, não é certo que nesse caso a Esquadra seja transferida para Beja. Poderia seguir para Ovar, por exemplo.

Novos aviões Canadair só deverão chegar a Portugal em 2026 (26 de Julho de 2022)

Fica a sensação que a 501 vai continuar a operar os C-130 até 2027 e após essa data os Bisontes vão passar operar uma frota mista reduzida de C-130 e Canadair e eventualmente apenas os Canadair.

Cumprimentos,
:snip: :snip: :Tanque: