ForumDefesa.com

Forças Armadas e Sistemas de Armas => Força Aérea Portuguesa => Tópico iniciado por: ocastilho em Maio 07, 2019, 08:00:45 pm

Título: UAVs na FAP
Enviado por: ocastilho em Maio 07, 2019, 08:00:45 pm
Devido à inscrição de verbas na LPM para a aquisição de UAVs, alguém sabe quais as aeronaves em mente e que papel terão?


Pessoalmente, considero que deveriam estar mais orientadas para a patrulha marítima em complemento/substituição dos C-295MPA e P3. Isto cllaro se fizermos questão de termos controlo efectivo sobre a nossa ZEE.
Título: Re: UAVs na FAP
Enviado por: Red Baron em Maio 07, 2019, 08:25:44 pm
O classe 2 deve ser o TEKEVER AR5. Já para o Classe 3, não sei. Mas gostava de ver uns RQ-4 , mas provavelmente ainda acabamos com MQ-9 em segunda mão.
Título: Re: UAVs na FAP
Enviado por: dc em Maio 07, 2019, 09:53:51 pm
O Global Hawk é demasiado pesado para aquilo que está inscrito na LPM, que refere a classe 3, que segundo o pássaro de ferro, é de aeronaves até 600kg. No entanto, seria excelente.
Título: Re: UAVs na FAP
Enviado por: Red Baron em Maio 07, 2019, 10:24:15 pm
O Global Hawk é demasiado pesado para aquilo que está inscrito na LPM, que refere a classe 3, que segundo o pássaro de ferro, é de aeronaves até 600kg. No entanto, seria excelente.
Classe 3 é mais que 600kg. Classe 2 é ate 600kg
Título: Re: UAVs na FAP
Enviado por: Joaoferriva em Maio 07, 2019, 10:39:39 pm
Is this another requirement for class III UAV identified in the LPM?
Título: Re: UAVs na FAP
Enviado por: Red Baron em Março 01, 2020, 02:20:24 pm
A TAF está a ter um relativo sucesso com drones armados do tipo TAI Anka. Se bem que já perderam drones, estão a operar em zonas também já conseguiram destruir alvos importantes numa zona protegida por S-300, Pantsir e S-400.

Se calhar esta na altura de se investir em UAVs a serio.

https://twitter.com/i/status/1233854187928276993 (https://twitter.com/i/status/1233854187928276993)

https://twitter.com/i/status/1233844067949273089 (https://twitter.com/i/status/1233844067949273089)

Título: Re: UAVs na FAP
Enviado por: typhonman em Março 01, 2020, 02:27:14 pm
A TAF está a ter um relativo sucesso com drones armados do tipo TAI Anka. Se bem que já perderam drones, estão a operar em zonas também já conseguiram destruir alvos importantes numa zona protegida por S-300, Pantsir e S-400.

Se calhar esta na altura de se investir em UAVs a serio.

https://twitter.com/i/status/1233854187928276993 (https://twitter.com/i/status/1233854187928276993)

https://twitter.com/i/status/1233844067949273089 (https://twitter.com/i/status/1233844067949273089)



tipo MQ-9 Reaper ?

Até pode ter "chance" pois no verão poderá detetar fogos !!!

Mandem vir uns 10.
Título: Re: UAVs na FAP
Enviado por: luis simoes em Março 01, 2020, 09:38:07 pm
Boas forum
De facto ha muito que defendo a criacao de uma esquadra ou uma companhia cuja  missao principal passa por operar estes meios aereos que acrescentam uma mais valia...mas atencao drones fabricados e so em Portugal para nao dependermos de ninguem a nivel externo...acho que temos bons engenheiros boas capacidades tambem na area da electronica e de facto nao e preciso muito para se fabricar um brinquedo destes a que faxer e as certas parcerias pois existe por esta europa fora empresas que fornecem e podem fortalecer um projecto a nivel nacional...claro basta haver e vontade do governo ...eu no meu caso faco aeromodelismo a muitos anos e de facto eu que nao passo de um simples aeromodelista consegui tirar o maximo do meu aviao...hoje em dia temos um numero infinito de fabricantes destes modelos e que conseguimos com algum conhecimento alterar um basico aeromodelo numa plataforma de no meu caso fazer filmagens aereas fotos aereas consigo levar o meu modelo do ponto A para o ponto B estabelecendo uma rota especifica gracas ao GPS portanto eu sou um leigo na materia portanto haja e vontade formar uma equipa certa e altamente determinada e por maos a obra abraxo
Título: Re: UAVs na FAP
Enviado por: dc em Março 02, 2020, 02:08:20 am
tipo MQ-9 Reaper ?

Até pode ter "chance" pois no verão poderá detetar fogos !!!

Mandem vir uns 10.

Infelizmente este tipo de meios não é muito bem visto pelo público comum. Mas Reapers equipados com Hellfire, eram um mimo, além da sua boa capacidade de vigilância, grande raio de acção e custos relativamente baixos. Era isso e ir buscar uns Global Hawk que os americanos pensam em retirar de serviço. Para vigilância era bom, apesar de preferir a versão Triton pelos sensores.
Título: Re: UAVs na FAP
Enviado por: NVF em Março 02, 2020, 04:41:13 am
Os Global Hawk (em particular os block iniciais, como os que a USAF quer retirar de serviço) não podem operar nos céus europeus (nos corredores civis). Daí a Luftwaffe ter desistido desse modelo e posteriormente optado pelos Triton, que supostamente dispunham dos aviónicos necessários para operar no SES. No entanto, até este último negócio deu para o torto, depois da Itália não ter atribuído certificado civil aos Global Hawk da NATO.

Para nós não seria tão problemático, porque os nossos céus não são tão congestionados como os do centro e norte da Europa. E como os Global Hawk iriam operar maioritariamente sobre o mar e quando em apoio aos FF podiam utilizar corredor militares que, dado o alcance dos seus sensores e a capacidade de voar acima do tráfego comercial, permitiriam ainda uma cobertura total, ou quase total, do território continental.
Título: Re: UAVs na FAP
Enviado por: dc em Março 02, 2020, 01:43:45 pm
O problema é que mesmo que fossem dados, ainda vinham dizer que não servia porque "é muito grande".
Mas desde o momento em que li essa notícia, só me ocorreu que seria uma oportunidade enorme, já a vulnerabilidade destes meios a sistemas AA não se punha cá, já que a sua principal missão seria vigilância do nosso território predominantemente marítimo.
Título: Re: UAVs na FAP
Enviado por: Camuflage em Março 02, 2020, 10:50:06 pm
Não vejo problema algum nem o público na aquisição de UAV's para fins civis e militares. Alias a grande aplicação deles e sua generalização poderia fazer baixar bastante os custos operacionais das aeronaves de patrulhamento aéreo e costeiro.
Creio que o problema está na esfera das altas patentes que estão a bloquear a entrada destas tecnologias porque vão por em causa certos interesses de amigalhaços políticos e empresários.
Título: Re: UAVs na FAP
Enviado por: Stalker79 em Março 02, 2020, 10:54:06 pm
O problema é que mesmo que fossem dados, ainda vinham dizer que não servia porque "é muito grande".
Mas desde o momento em que li essa notícia, só me ocorreu que seria uma oportunidade enorme, já a vulnerabilidade destes meios a sistemas AA não se punha cá, já que a sua principal missão seria vigilância do nosso território predominantemente marítimo.


E podiamos usar Reapers para patrulhamento maritimo tambem....
A endurance deles é enorme e podiam facilmente cobrir areas enormes da ZEE e ainda levar umas "prendas" pra afundar algumas traineiras chinesas que se andassem a atrever a vir á pesca nas nossas aguas!
 :mrgreen: :mrgreen: :mrgreen:
Título: Re: UAVs na FAP
Enviado por: dc em Março 03, 2020, 12:25:58 am
Não vejo problema algum nem o público na aquisição de UAV's para fins civis e militares. Alias a grande aplicação deles e sua generalização poderia fazer baixar bastante os custos operacionais das aeronaves de patrulhamento aéreo e costeiro.
Creio que o problema está na esfera das altas patentes que estão a bloquear a entrada destas tecnologias porque vão por em causa certos interesses de amigalhaços políticos e empresários.

Refiro-me à percepção pública (se calhar muito por culpa dos média) de que "drones matam inocentes", algo que não é de todo realista, e que quando acontece, depende de variáveis que são independentes do meio aéreo utilizado ser tripulado ou não. As vantagens dos drones são óbvias,.

Penso que mesmo ponto de parte interesses das altas patentes, há um factor importante na hora de se optar pela utilização deste tipo de meios, que é: o medo que meios destes venham a substituir aeronaves convencionais presentemente em uso, como UCAVs para substituir os F-16 e UAVs de longo alcance substituir os P-3 e C-295 Vimar. O que num país como o nosso, onde os encarregues da pasta da defesa pouco ou nada percebem disto, é sempre um cenário realista. Na realidade a utilidade destes UAV/UCAV é de complementar os meios existentes, permitindo, por exemplo, reduzir os custos de hora/voo para operações de rotina, como patrulha marítima (desarmada), libertando verba e também horas de voo das células das aeronaves tripuladas para outras operações.

E podiamos usar Reapers para patrulhamento maritimo tambem....
A endurance deles é enorme e podiam facilmente cobrir areas enormes da ZEE e ainda levar umas "prendas" pra afundar algumas traineiras chinesas que se andassem a atrever a vir á pesca nas nossas aguas!
 :mrgreen: :mrgreen: :mrgreen:

Sim eu sei, mas é mais uma questão de que o Global Hawk (e ainda mais o Triton com sensores melhores), são melhores para esta função específica, já para UCAV, os Reaper e os mais recentes Predator C Avenger são excelentes, e sempre permitiam livrar os F-16 ou o futuro caça da FAP de algumas operações de bombardeamento de precisão.

Agora imagina uma FAP um dia com 28/30 caças modernos, 8 Reaper ou Avenger e hélis de apoio/ataque... e os P-8 e uns M-346... A capacidade de combate deste ramo catapultava para outro patamar.  :mrgreen:
Título: Re: UAVs na FAP
Enviado por: Red Baron em Março 18, 2020, 10:18:11 pm
Título: Re: UAVs na FAP
Enviado por: typhonman em Março 18, 2020, 11:12:47 pm
Não vejo problema algum nem o público na aquisição de UAV's para fins civis e militares. Alias a grande aplicação deles e sua generalização poderia fazer baixar bastante os custos operacionais das aeronaves de patrulhamento aéreo e costeiro.
Creio que o problema está na esfera das altas patentes que estão a bloquear a entrada destas tecnologias porque vão por em causa certos interesses de amigalhaços políticos e empresários.

Quais sao os interesses ?
Título: Re: UAVs na FAP
Enviado por: PMFM em Março 18, 2020, 11:14:44 pm

Esta notícia é de 2013.
https://visao.sapo.pt/exameinformatica/videos-ei/reporterei/2013-10-05-os-drones-da-forca-aerea-portuguesa/ (https://visao.sapo.pt/exameinformatica/videos-ei/reporterei/2013-10-05-os-drones-da-forca-aerea-portuguesa/)
Título: Re: UAVs na FAP
Enviado por: Red Baron em Março 23, 2020, 07:15:54 pm
Citar
China showcases SAR-equipped BZK-005 UAV in military led firefighting operation

China's People's Liberation Army (PLA) Central Theatre Command has released images of an in-service BZK-005 medium-altitude long endurance (MALE) unmanned aerial vehicle (UAV) that has been specifically configured for wide-area intelligence, surveillance, and reconnaissance (ISR) missions, offering what appears to be the first glimpse of this specific variant to the international public.

The Central Theatre Command announced on 23 March that a BZK-005 UAV, operated by an undisclosed PLA Air Force (PLAAF) reconnaissance UAV battalion, was dispatched at 1000 h local time to provide airborne real-time intelligence to support joint civil-military firefighting operations - led by the command's 83rd Army Group - in the landlocked northwestern province of Shaanxi on 18 March.

It added that imagery and data captured by the air vehicle's ISR payloads, comprising a ventral electro-optical/infrared (EO/IR) turret and an undernose synthetic aperture radar (SAR) pod, enabled army planners to pinpoint hotspots obscured by the blanket of thick smoke in the afflicted area and direct troops to construct a 4 km long, 50 m wide firebreak to contain the blaze.

An image of the PLAAF BZK-005 clearly showed the air vehicle in its wide-area ISR configuration - a marked departure from past imagery that only showed the type equipped with only an undernose EO/IR turret - which houses an indigenous SAR system believed to be developed by the Institute of Electronics of the Chinese Academy of Sciences (IECAS).

Industry sources told Jane's that IECAS has been engaged in domestic SAR technology research and development (R&D) since the early 2000s and has successfully commercialised the D3000 family of multifunction UAV SAR payloads.

According to the institute, D3000-series payloads have volumetric weights of between 5-100 kg and are designed to cover the Ka-, Ku-, X-, C-, and L-bands, enabling fixed-wing or rotary UAVs to perform a broad range of air-to-surface search and detect tasks including inverse SAR (InSAR) imaging, ground moving target indication (GMTI), spotlight-mode radar imaging, strip-mapping, as well as wide area search.

Será que a EDP não arranja uns destes?
Título: Re: UAVs na FAP
Enviado por: Stalker79 em Março 23, 2020, 07:49:56 pm
Não é dificil de colocar os mesmos sensores naquele modelo maior da Tekever.
É preciso é guito e vontade.
 :-P
Título: Re: UAVs na FAP
Enviado por: Red Baron em Março 23, 2020, 11:39:48 pm
Não é dificil de colocar os mesmos sensores naquele modelo maior da Tekever.
É preciso é guito e vontade.
 :-P

O AR5 tem um payload máximo de 50kg. ???
Título: Re: UAVs na FAP
Enviado por: Stalker79 em Março 23, 2020, 11:48:34 pm
Não é dificil de colocar os mesmos sensores naquele modelo maior da Tekever.
É preciso é guito e vontade.
 :-P

O AR5 tem um payload máximo de 50kg. ???


E um SAR não dá nesse limite de peso!? Afinal de contas a "bola" sensor standard já tem de estar incluida no peso maximo.

"Available optional sensors
5 sensor gyro-stabilized gimbal
Multiple EO/IR sensors
AIS and EPIRB
Maritime Radar
Synthetic Aperture Radar"

Pelo menos nas opções está.

 :-P
Título: Re: UAVs na FAP
Enviado por: Red Baron em Março 24, 2020, 11:50:52 am
Não é dificil de colocar os mesmos sensores naquele modelo maior da Tekever.
É preciso é guito e vontade.
 :-P

O AR5 tem um payload máximo de 50kg. ???


E um SAR não dá nesse limite de peso!? Afinal de contas a "bola" sensor standard já tem de estar incluida no peso maximo.

"Available optional sensors
5 sensor gyro-stabilized gimbal
Multiple EO/IR sensors
AIS and EPIRB
Maritime Radar
Synthetic Aperture Radar"

Pelo menos nas opções está.

 :-P

O Chinês tem radar com capacidade ISAR. :mrgreen:
Título: Re: UAVs na FAP
Enviado por: Red Baron em Setembro 02, 2020, 09:35:26 pm
Parece que o sistema PS3 (https://www.emfa.pt/paginas/fap/ficheiros/noticias/2020/08/PRESS%20KIT_Drones.pdf) está a ser um sucesso. É um passo importante para o futuro dos drones da FAP.

Título: Re: UAVs na FAP
Enviado por: typhonman em Setembro 05, 2020, 05:15:57 pm
Caiu um hoje em Alcácer do Sal.  :o
Título: Re: UAVs na FAP
Enviado por: zawevo em Setembro 06, 2020, 12:20:46 pm
Temos azar com o pessoal politico e as chefias militares. É que não dão uma para a caixa.
Primeiro foi a barracada de arrancar com o concurso para a compra dos drones tarde e a más horas.
Segundo foram os atrasos do costuma na entrada dos mesmo em serviço, problema não resolvido ou resolvido mal e à pressa. Para disfarçar as coisa montam um teatro com uma pseuda apresentação e com a ida de logo 2 ministros a fazerem o papel de palhaços.
Terceiro como consequência do ponto dois no começo da operação, noticiado há dias, um drone teve que fazer uma aterragem forçada. Os drones ficam em terra até se perceber o que aconteceu.
Quarto para a missão não ser interrompida a FAP vai utilizar P3 Orion para substituir os drones. É passar de 8 para 80.

E assim se desbaratam os dinheiros públicos com a a falta de planeamento atempado e por isso ter de se  recorrer à utilização de sistemas pouco adequados e caríssimos.

‘Drone’ da Força Aérea Portuguesa cai em Alcácer do Sal
https://www.radiocampanario.com/ultimas/regional/drone-da-forca-aerea-portuguesa-cai-em-alcacer-do-sal

Força Aérea suspende operações com drones após aterragem forçada em Alcácer do Sal
https://observador.pt/2020/09/05/forca-aerea-suspende-operacoes-com-drones-apos-aterragem-forcada-em-alcacer-do-sal/

Incêndios: Força Aérea em ações de patrulhamento e fiscalização
https://www.msn.com/pt-pt/noticias/sociedade/inc%C3%AAndios-for%C3%A7a-a%C3%A9rea-em-a%C3%A7%C3%B5es-de-patrulhamento-e-fiscaliza%C3%A7%C3%A3o/ar-BB18KyEv?ocid=msedgdhp
Título: Re: UAVs na FAP
Enviado por: typhonman em Setembro 06, 2020, 12:24:52 pm
Temos azar com o pessoal politico e as chefias militares. É que não dão uma para a caixa.
Primeiro foi a barracada de arrancar com o concurso para a compra dos drones tarde e a más horas.
Segundo foram os atrasos do costuma na entrada dos mesmo em serviço, problema não resolvido ou resolvido mal e à pressa. Para disfarçar as coisa montam um teatro com uma pseuda apresentação e com a ida de logo 2 ministros a fazerem o papel de palhaços.
Terceiro como consequência do ponto dois no começo da operação, noticiado há dias, um drone teve que fazer uma aterragem forçada. Os drones ficam em terra até se perceber o que aconteceu.
Quarto para a missão não ser interrompida a FAP vai utilizar P3 Orion para substituir os drones. É passar de 8 para 80.

E assim se desbaratam os dinheiros públicos com a a falta de planeamento atempado e por isso ter de se  recorrer à utilização de sistemas pouco adequados e caríssimos.

‘Drone’ da Força Aérea Portuguesa cai em Alcácer do Sal
https://www.radiocampanario.com/ultimas/regional/drone-da-forca-aerea-portuguesa-cai-em-alcacer-do-sal (https://www.radiocampanario.com/ultimas/regional/drone-da-forca-aerea-portuguesa-cai-em-alcacer-do-sal)

Força Aérea suspende operações com drones após aterragem forçada em Alcácer do Sal
https://observador.pt/2020/09/05/forca-aerea-suspende-operacoes-com-drones-apos-aterragem-forcada-em-alcacer-do-sal/ (https://observador.pt/2020/09/05/forca-aerea-suspende-operacoes-com-drones-apos-aterragem-forcada-em-alcacer-do-sal/)

Incêndios: Força Aérea em ações de patrulhamento e fiscalização
https://www.msn.com/pt-pt/noticias/sociedade/inc%C3%AAndios-for%C3%A7a-a%C3%A9rea-em-a%C3%A7%C3%B5es-de-patrulhamento-e-fiscaliza%C3%A7%C3%A3o/ar-BB18KyEv?ocid=msedgdhp (https://www.msn.com/pt-pt/noticias/sociedade/inc%C3%AAndios-for%C3%A7a-a%C3%A9rea-em-a%C3%A7%C3%B5es-de-patrulhamento-e-fiscaliza%C3%A7%C3%A3o/ar-BB18KyEv?ocid=msedgdhp)

Solução ?

Deixar de inventar, e comprar meios com o famoso duplo uso:

(https://images03.military.com/sites/default/files/2020-03/MQ9-reaper-nevada-3000.jpg)
Título: Re: UAVs na FAP
Enviado por: mafets em Setembro 07, 2020, 03:14:39 pm
Caiu um hoje em Alcácer do Sal.  :o

A notícia em questão:

https://www.tsf.pt/portugal/sociedade/drone-da-forca-aerea-portuguesa-cai-em-alcacer-do-sal-sem-registo-de-danos-12663219.html?fbclid=IwAR3qURvj9y4CBuNAF8sqlJPGh2kLSX0XonmyIEetkQOcJ-KkobaDwvyes44 (https://www.tsf.pt/portugal/sociedade/drone-da-forca-aerea-portuguesa-cai-em-alcacer-do-sal-sem-registo-de-danos-12663219.html?fbclid=IwAR3qURvj9y4CBuNAF8sqlJPGh2kLSX0XonmyIEetkQOcJ-KkobaDwvyes44)

Citar
Drone da Força Aérea Portuguesa cai em Alcácer do Sal sem registo de danos
Queda deu-se junto à barragem de Trigo Morais. Aparelho está por localizar.

(https://static.globalnoticias.pt/tsf/image.aspx?brand=TSF&type=generate&guid=b5698ae6-8777-453c-94ce-9eab2ab19439&w=800&h=450&t=20200905134121)

Saudações
Título: Re: UAVs na FAP
Enviado por: Stalker79 em Setembro 07, 2020, 03:16:55 pm
Temos azar com o pessoal politico e as chefias militares. É que não dão uma para a caixa.
Primeiro foi a barracada de arrancar com o concurso para a compra dos drones tarde e a más horas.
Segundo foram os atrasos do costuma na entrada dos mesmo em serviço, problema não resolvido ou resolvido mal e à pressa. Para disfarçar as coisa montam um teatro com uma pseuda apresentação e com a ida de logo 2 ministros a fazerem o papel de palhaços.
Terceiro como consequência do ponto dois no começo da operação, noticiado há dias, um drone teve que fazer uma aterragem forçada. Os drones ficam em terra até se perceber o que aconteceu.
Quarto para a missão não ser interrompida a FAP vai utilizar P3 Orion para substituir os drones. É passar de 8 para 80.

E assim se desbaratam os dinheiros públicos com a a falta de planeamento atempado e por isso ter de se  recorrer à utilização de sistemas pouco adequados e caríssimos.

‘Drone’ da Força Aérea Portuguesa cai em Alcácer do Sal
https://www.radiocampanario.com/ultimas/regional/drone-da-forca-aerea-portuguesa-cai-em-alcacer-do-sal (https://www.radiocampanario.com/ultimas/regional/drone-da-forca-aerea-portuguesa-cai-em-alcacer-do-sal)

Força Aérea suspende operações com drones após aterragem forçada em Alcácer do Sal
https://observador.pt/2020/09/05/forca-aerea-suspende-operacoes-com-drones-apos-aterragem-forcada-em-alcacer-do-sal/ (https://observador.pt/2020/09/05/forca-aerea-suspende-operacoes-com-drones-apos-aterragem-forcada-em-alcacer-do-sal/)

Incêndios: Força Aérea em ações de patrulhamento e fiscalização
https://www.msn.com/pt-pt/noticias/sociedade/inc%C3%AAndios-for%C3%A7a-a%C3%A9rea-em-a%C3%A7%C3%B5es-de-patrulhamento-e-fiscaliza%C3%A7%C3%A3o/ar-BB18KyEv?ocid=msedgdhp (https://www.msn.com/pt-pt/noticias/sociedade/inc%C3%AAndios-for%C3%A7a-a%C3%A9rea-em-a%C3%A7%C3%B5es-de-patrulhamento-e-fiscaliza%C3%A7%C3%A3o/ar-BB18KyEv?ocid=msedgdhp)

Solução ?

Deixar de inventar, e comprar meios com o famoso duplo uso:

(https://images03.military.com/sites/default/files/2020-03/MQ9-reaper-nevada-3000.jpg)


Meios de duplo uso como esses sim, até pode vir com Hellfires que pode dar para apagar incendios como fizeram os Suecos o ano passado com as bombas!
 :mrgreen:
Título: Re: UAVs na FAP
Enviado por: dc em Setembro 07, 2020, 05:03:37 pm
Com a queda do drone em Alcácer do Sal, é que não compram UAVs maiores de certeza, sob o pretexto de que "se o UAV que caiu fosse maior, teria causado mais danos".  ::)
Título: Re: UAVs na FAP
Enviado por: Stalker79 em Setembro 07, 2020, 05:08:10 pm
Com a queda do drone em Alcácer do Sal, é que não compram UAVs maiores de certeza, sob o pretexto de que "se o UAV que caiu fosse maior, teria causado mais danos".  ::)

(https://media1.tenor.com/images/a04ca89bdb05afe60ac3e8a50e1e7691/tenor.gif?itemid=8872690)
 :mrgreen: :mrgreen: :mrgreen:
Título: Re: UAVs na FAP
Enviado por: PereiraMarques em Setembro 07, 2020, 05:29:23 pm

Com a queda do drone em Alcácer do Sal, é que não compram UAVs maiores de certeza, sob o pretexto de que "se o UAV que caiu fosse maior, teria causado mais danos".  ::)

(https://media1.tenor.com/images/a04ca89bdb05afe60ac3e8a50e1e7691/tenor.gif?itemid=8872690)
 :mrgreen: :mrgreen: :mrgreen:

(https://scontent.flis6-1.fna.fbcdn.net/v/t1.0-9/1779953_646588925389303_2095492729_n.jpg?_nc_cat=111&_nc_sid=e007fa&_nc_ohc=mAU07GJSR3sAX9DP6q1&_nc_ht=scontent.flis6-1.fna&oh=1c4c892fd5a0dfff7a1c3219db2f3777&oe=5F7B951C)

Citar
[...] a sua maior capacidade de transporte constitui uma desvantagem, ao contrário do que se poderia pensar, por constituir um alvo mais remunerador, pois no caso de ser atingido provoca de imediato muito mais baixas, com a consequente perda de um potencial de combate significativo numa fase crucial de uma operação.

https://www.revistamilitar.pt/artigo/988
Título: Re: UAVs na FAP
Enviado por: Stalker79 em Setembro 07, 2020, 05:38:33 pm
Esse individuo só pode ser tótó para fazer uma avaliação de um meio estrategico de transporte dessa maneira.
Devem-lhe ter saido as estrelas num pacote de chocapic.
 >:(
Título: Re: UAVs na FAP
Enviado por: NVF em Setembro 07, 2020, 05:44:46 pm
É somente mais um dos trogloditas que chefiam as nossas FFAA.
Título: Re: UAVs na FAP
Enviado por: Stalker79 em Setembro 07, 2020, 05:53:05 pm
É somente mais um dos trogloditas que chefiam as nossas FFAA.


Desculpem qualquer coisinha, mas então estava na altura desses Gimbrórios passarem á reforma e darem lugar a quem estivesse interessado na defesa do pais e não do bolso ou do posto.
 >:(
Título: Re: UAVs na FAP
Enviado por: tenente em Setembro 07, 2020, 06:56:39 pm
Esse individuo só pode ser tótó para fazer uma avaliação de um meio estrategico de transporte dessa maneira.
Devem-lhe ter saido as estrelas num pacote de chocapic.
 >:(

deve ter sido um grande espexialixta operacional em helitransporte, mas só em helis de grande porte, assim tipo os 101, que saõ bem maiores que os jollygreen, os Américas são mesmo, BURROS E tem uma doutrina de emprego destes helis muito errada !!! :bang:
Um autêntico espexialixta iluminado.

Abraços
Título: Re: UAVs na FAP
Enviado por: PereiraMarques em Setembro 07, 2020, 11:06:05 pm
(https://i.imgur.com/aOnJWfE.jpg)
Título: Re: UAVs na FAP
Enviado por: typhonman em Setembro 08, 2020, 12:17:37 am
(https://i.imgur.com/aOnJWfE.jpg)

Só se vê festas e comes e bebes, e depois ouvem-se barocadas do tipo do EH-101...

Enfim.
Título: Re: UAVs na FAP
Enviado por: JohnM em Setembro 08, 2020, 02:09:50 am
Alguém devia explicar aos burros dos Royal Marines que não deviam usar Merlins...  e aí USMC que Chinooks e Sea Stallion são perigosissimos...  :N-icon-Axe:
Título: Re: UAVs na FAP
Enviado por: NVF em Setembro 08, 2020, 02:47:22 am
O Chinook é dos helis mais populares no Afeganistão e todos os actuais operadores estão em processo de actualização para a versão Foxtrot. Estão todos errados, obviamente.
Título: Re: UAVs na FAP
Enviado por: JohnM em Setembro 08, 2020, 04:11:42 am
O Chinook é dos helis mais populares no Afeganistão e todos os actuais operadores estão em processo de actualização para a versão Foxtrot. Estão todos errados, obviamente.

Não são visionários, como as nossas chefias... obviamente...
Título: Re: UAVs na FAP
Enviado por: mafets em Setembro 08, 2020, 11:24:54 am
O mais engraçado com estes tipos é que nem sabem ver fotos folheando revistas. Subidas por mudar as lâmpadas e cozinhar bons piteus..  :mrgreen: :mrgreen:

(https://ichef.bbci.co.uk/news/624/media/images/57535000/jpg/_57535720_merlin_transportation_624.jpg)

(https://www.fleetairarmoa.org/content/sites/faaoa/uploads/NewsImages/959/RAF_Merlin_in_Afghanistan_large.jpg)

(https://pbs.twimg.com/media/BcnYTWRCIAAt5VY.jpg)



Já agora e por falar em helis, podiam vir só uns 12.  :-P ;)

https://www.cavok.com.br/exercito-dos-eua-vai-desmontar-mais-de-100-helicopteros-apache?fbclid=IwAR3esKFbkuEs3LLpnsBu94HIg_g5EiZADT58AcQU6QqdjjScNzJ3pFO6eMk (https://www.cavok.com.br/exercito-dos-eua-vai-desmontar-mais-de-100-helicopteros-apache?fbclid=IwAR3esKFbkuEs3LLpnsBu94HIg_g5EiZADT58AcQU6QqdjjScNzJ3pFO6eMk)

Citar
O Exército dos EUA deve se livrar dos velhos helicópteros de ataque AH-64D Apache para abrir espaço para novas aeronaves, de acordo com um aviso publicado no site de contratação principal do governo dos EUA esta semana.

(https://cdnsjcavok.nuneshost.com/wp-content/uploads/2020/09/boeing-apache-support.jpg)

Cumprimentos
Título: Re: UAVs na FAP
Enviado por: NVF em Setembro 08, 2020, 11:45:37 am
As peças e partes vão ser utilizadas no upgrade para a versão Echo.
Título: Re: UAVs na FAP
Enviado por: typhonman em Setembro 08, 2020, 12:24:43 pm
O Chinook é dos helis mais populares no Afeganistão e todos os actuais operadores estão em processo de actualização para a versão Foxtrot. Estão todos errados, obviamente.

Não são visionários, como as nossas chefias... obviamente...

Podiam vir 4 CH-47.
Título: Re: UAVs na FAP
Enviado por: dc em Setembro 08, 2020, 01:03:19 pm

Com a queda do drone em Alcácer do Sal, é que não compram UAVs maiores de certeza, sob o pretexto de que "se o UAV que caiu fosse maior, teria causado mais danos".  ::)

(https://media1.tenor.com/images/a04ca89bdb05afe60ac3e8a50e1e7691/tenor.gif?itemid=8872690)
 :mrgreen: :mrgreen: :mrgreen:

(https://scontent.flis6-1.fna.fbcdn.net/v/t1.0-9/1779953_646588925389303_2095492729_n.jpg?_nc_cat=111&_nc_sid=e007fa&_nc_ohc=mAU07GJSR3sAX9DP6q1&_nc_ht=scontent.flis6-1.fna&oh=1c4c892fd5a0dfff7a1c3219db2f3777&oe=5F7B951C)

Citar
[...] a sua maior capacidade de transporte constitui uma desvantagem, ao contrário do que se poderia pensar, por constituir um alvo mais remunerador, pois no caso de ser atingido provoca de imediato muito mais baixas, com a consequente perda de um potencial de combate significativo numa fase crucial de uma operação.

https://www.revistamilitar.pt/artigo/988

O meu comentário foi literalmente baseado nisso.  :mrgreen:
Título: Re: UAVs na FAP
Enviado por: typhonman em Setembro 08, 2020, 02:04:19 pm
Porque tiraram a foto do comes e bebes?



Título: Re: UAVs na FAP
Enviado por: Stalker79 em Setembro 08, 2020, 03:20:07 pm
O Chinook é dos helis mais populares no Afeganistão e todos os actuais operadores estão em processo de actualização para a versão Foxtrot. Estão todos errados, obviamente.

Não são visionários, como as nossas chefias... obviamente...

Podiam vir 4 CH-47.


Mais vale virem 8 que metade fica logo pra peças....  É operacionalidade á Tuga.
 :-P
Título: Re: UAVs na FAP
Enviado por: Charlie Jaguar em Setembro 08, 2020, 03:23:17 pm
Se fossem Chinooks ou Merlins a cair o receio do dito Tenente-General é este: :mrgreen:


(https://media.giphy.com/media/29IaouO2ChKhrBOTuW/giphy.gif)
Título: Re: UAVs na FAP
Enviado por: dc em Setembro 09, 2020, 12:17:07 pm
Porque tiraram a foto do comes e bebes?

Porque os comes e bebes são a única coisa com elevado grau de operacionalidade.  ::)
Título: Re: UAVs na FAP
Enviado por: dc em Setembro 26, 2020, 09:01:35 am
https://amp.expresso.pt/sociedade/2020-09-24-Traficante-de-seres-humanos-condenado-no-Reino-Unido-com-a-ajuda-de-um-drone-portugues (https://amp.expresso.pt/sociedade/2020-09-24-Traficante-de-seres-humanos-condenado-no-Reino-Unido-com-a-ajuda-de-um-drone-portugues)

Só para nós é que não serve este UAV.
Título: Re: UAVs na FAP
Enviado por: Camuflage em Setembro 26, 2020, 10:04:09 am
Por onde andam os UAV's da FAP? Desde que um caiu nunca mais se ouviu falar neles.
Título: Re: UAVs na FAP
Enviado por: Cabeça de Martelo em Setembro 26, 2020, 12:17:43 pm

Com a queda do drone em Alcácer do Sal, é que não compram UAVs maiores de certeza, sob o pretexto de que "se o UAV que caiu fosse maior, teria causado mais danos".  ::)

(https://media1.tenor.com/images/a04ca89bdb05afe60ac3e8a50e1e7691/tenor.gif?itemid=8872690)
 :mrgreen: :mrgreen: :mrgreen:

(https://scontent.flis6-1.fna.fbcdn.net/v/t1.0-9/1779953_646588925389303_2095492729_n.jpg?_nc_cat=111&_nc_sid=e007fa&_nc_ohc=mAU07GJSR3sAX9DP6q1&_nc_ht=scontent.flis6-1.fna&oh=1c4c892fd5a0dfff7a1c3219db2f3777&oe=5F7B951C)

Citar
[...] a sua maior capacidade de transporte constitui uma desvantagem, ao contrário do que se poderia pensar, por constituir um alvo mais remunerador, pois no caso de ser atingido provoca de imediato muito mais baixas, com a consequente perda de um potencial de combate significativo numa fase crucial de uma operação.

https://www.revistamilitar.pt/artigo/988

Esse artigo foi feito à medida, ou seja, ele só estava defender a sua dama (NH-90) do cancelamento. Ainda por cima tinha que defender a posição do Exército que neste momento foi longe de ser a mais correta. Eles fizeram erro sobre erro e o resultado final está à vista, não há Helicópteros, não há unidade e não há rentabilização das largas dezenas de milhões de Euros gastos em todo o processo.

Título: Re: UAVs na FAP
Enviado por: NVF em Setembro 26, 2020, 01:30:50 pm
Não serve, a FAP só gosta de monomotores!
Título: Re: UAVs na FAP
Enviado por: typhonman em Setembro 26, 2020, 01:54:22 pm

Com a queda do drone em Alcácer do Sal, é que não compram UAVs maiores de certeza, sob o pretexto de que "se o UAV que caiu fosse maior, teria causado mais danos".  ::)

(https://media1.tenor.com/images/a04ca89bdb05afe60ac3e8a50e1e7691/tenor.gif?itemid=8872690)
 :mrgreen: :mrgreen: :mrgreen:

(https://scontent.flis6-1.fna.fbcdn.net/v/t1.0-9/1779953_646588925389303_2095492729_n.jpg?_nc_cat=111&_nc_sid=e007fa&_nc_ohc=mAU07GJSR3sAX9DP6q1&_nc_ht=scontent.flis6-1.fna&oh=1c4c892fd5a0dfff7a1c3219db2f3777&oe=5F7B951C)

Citar
[...] a sua maior capacidade de transporte constitui uma desvantagem, ao contrário do que se poderia pensar, por constituir um alvo mais remunerador, pois no caso de ser atingido provoca de imediato muito mais baixas, com a consequente perda de um potencial de combate significativo numa fase crucial de uma operação.

https://www.revistamilitar.pt/artigo/988

Esse artigo foi feito à medida, ou seja, ele só estava defender a sua dama (NH-90) do cancelamento. Ainda por cima tinha que defender a posição do Exército que neste momento foi longe de ser a mais correta. Eles fizeram erro sobre erro e o resultado final está à vista, não há Helicópteros, não há unidade e não há rentabilização das largas dezenas de milhões de Euros gastos em todo o processo.



Dar meios como os NH-90 a tropa do "arre macho" era pensar demasiado a frente... ainda por cima em 2001...
Título: Re: UAVs na FAP
Enviado por: Cabeça de Martelo em Setembro 26, 2020, 03:29:58 pm
Não seja por isso, a dita unidade ia ficar no Polígono Militar de Tancos, mais exatamente na antiga BA3 (atual Unidade de Apoio), onde fica o Comando da Brigada de Reação Rápida, Companhia de Transmissões da BrigRR e o Agrupamento Sanitário.

O primeiro Comandante da dita unidade até era um Oficial Comando (escritor nas horas vagas)...
Título: Re: UAVs na FAP
Enviado por: Camuflage em Setembro 28, 2020, 07:39:19 pm
https://zap.aeiou.pt/maioria-drones-comprados-forca-aerea-349427 (https://zap.aeiou.pt/maioria-drones-comprados-forca-aerea-349427)
Título: Re: UAVs na FAP
Enviado por: asalves em Setembro 29, 2020, 10:41:50 am
https://zap.aeiou.pt/maioria-drones-comprados-forca-aerea-349427 (https://zap.aeiou.pt/maioria-drones-comprados-forca-aerea-349427)

2 postas:

1 Será pelos prazos apertados e irrealistas?

2. Apesar de erradamente na noticia não vir explicito, acredito que foi graças a FAP que os problemas foram encontrados, e os drones devolvidos para reparação. Se isto tivesse acontecido num outro qualquer organismo acho que tínhamos ficado a arder com drones defeituosos.
Título: Re: UAVs na FAP
Enviado por: dc em Setembro 29, 2020, 02:05:50 pm
Provavelmente será uma das razões o prazo apertado. Pedir a uma empresa pequena, sem a capacidade de produção das grandes empresas, para produzir aeronaves num curto espaço de tempo quando se calhar nem mão de obra têm para tamanho trabalho, é óbvio que ia dar m*rda.

Mas depois tivemos aquelas notícias cheias de pompa e circunstância, a proclamar que a empresa portuguesa bateu os gigantes da indústria aeronáutica. Tanto festejaram antes do tempo, que deu asneira. Mas todo este processo cheirou a incompetência desde o início. Uma aquisição planeada em 2019, só ir para a frente já dentro da época de incêndios do ano a seguir (2020), como se os incêndios fosse uma coisa inédita e inesperada... Enfim.
Título: Re: UAVs na FAP
Enviado por: raphael em Setembro 29, 2020, 03:13:55 pm
Provavelmente será uma das razões o prazo apertado. Pedir a uma empresa pequena, sem a capacidade de produção das grandes empresas, para produzir aeronaves num curto espaço de tempo quando se calhar nem mão de obra têm para tamanho trabalho, é óbvio que ia dar m*rda.

Mas depois tivemos aquelas notícias cheias de pompa e circunstância, a proclamar que a empresa portuguesa bateu os gigantes da indústria aeronáutica. Tanto festejaram antes do tempo, que deu asneira. Mas todo este processo cheirou a incompetência desde o início. Uma aquisição planeada em 2019, só ir para a frente já dentro da época de incêndios do ano a seguir (2020), como se os incêndios fosse uma coisa inédita e inesperada... Enfim.

Uma coisa é o Governo dizer que podem comprar outra é efetivamente descativar a verba e entregá-la à fap para proceder à referida aquisição...burocracias...olhem as miras do exército...
Título: Re: UAVs na FAP
Enviado por: mafets em Setembro 29, 2020, 03:22:55 pm
Uma empresa com 15 anos de vida não considero propriamente desconhecida.

https://www.uavision.com/ (https://www.uavision.com/)

(https://encrypted-tbn0.gstatic.com/images?q=tbn%3AANd9GcSQaltojGGCt1eVoUFaGChKkWaM2_t6m_Pl0A&usqp=CAU)

(https://i.ytimg.com/vi/mVkd3WaWMa4/maxresdefault.jpg)

(https://cavok.pt/wp-content/uploads/2019/07/UGS400.jpg)

(https://encrypted-tbn0.gstatic.com/images?q=tbn%3AANd9GcROCAp5aEoiPES_HnMxKessiPbTf-AK7PGkKw&usqp=CAU)

Cumprimentos
Título: Re: UAVs na FAP
Enviado por: dc em Setembro 29, 2020, 04:04:13 pm
Provavelmente será uma das razões o prazo apertado. Pedir a uma empresa pequena, sem a capacidade de produção das grandes empresas, para produzir aeronaves num curto espaço de tempo quando se calhar nem mão de obra têm para tamanho trabalho, é óbvio que ia dar m*rda.

Mas depois tivemos aquelas notícias cheias de pompa e circunstância, a proclamar que a empresa portuguesa bateu os gigantes da indústria aeronáutica. Tanto festejaram antes do tempo, que deu asneira. Mas todo este processo cheirou a incompetência desde o início. Uma aquisição planeada em 2019, só ir para a frente já dentro da época de incêndios do ano a seguir (2020), como se os incêndios fosse uma coisa inédita e inesperada... Enfim.

Uma coisa é o Governo dizer que podem comprar outra é efetivamente descativar a verba e entregá-la à fap para proceder à referida aquisição...burocracias...olhem as miras do exército...

Por isso é que disse que a incompetência vem de vários níveis. A FAP até está a ter prejuízo com isto, já que está na mira de todas estas controvérsias, e ainda tem que utilizar P-3 com custos h/voo muito superiores para as funções destes UAVs.
Mas penso que mesmo o que estava planeado originalmente na LPM, sem atrasos nem cativações nem burocracias, já era muito em cima da época de incêndios.

mafets, a UAVision é para todos os efeitos uma empresa pequena. Então a unidade de produção de dos ditos UAVs, não era feita numa vivenda? Na Airbus e tantas outras empresas não funciona assim.
Título: Re: UAVs na FAP
Enviado por: LM em Setembro 30, 2020, 10:03:28 am
Ontem, na CMTV, transmitiram no programa "Investigação CM" (https://www.cm-tv.pt/programas/especiais/investigacao-cm/detalhe/guerra-em-africa-tropas-portuguesas-lutam-para-acabar-com-resistencia-armada) - referem que "Bombas nas estradas levam a reforço de meios na República Centro-Africana Capacetes azuis portugueses viram alterados procedimentos e incrementada a capacidade de informações para antecipar os problemas."

O nosso "politicamente correcto e inclusivo na linguagem" CEMGFA refere que, em 2021, vamos deslocar para a RCA UAVs de maior capacidade, com autonomia de 16 (12?) horas - como os "Raven B" (julgo) já lá estão, que UAVs serão? Os dos "incêndios"?   
Título: Re: UAVs na FAP
Enviado por: dc em Setembro 30, 2020, 11:36:05 am
Duvido que sejam os mesmos para vigiar os incêndios, mas deve ser um modelo igual. Não me parece que vá haver alguma aquisição de alguma coisa nos próximos tempos.
Título: Re: UAVs na FAP
Enviado por: NVF em Setembro 30, 2020, 12:39:56 pm
E quando caírem sobre os turras vão fazer mais estragos que uma Paveway.
Título: Re: UAVs na FAP
Enviado por: dc em Setembro 30, 2020, 02:55:22 pm
Vão ser autênticas WMD.
Título: Re: UAVs na FAP
Enviado por: tenente em Outubro 15, 2020, 09:12:13 pm
Algo não está bem com estes drones, ou terá sido erro humano ?

https://sol.sapo.pt/artigo/711970/drone-da-forca-aerea-caiu-em-beja-e-a-segunda-vez-no-espaco-de-um-m-s-e-meio

Abraços
Título: Re: UAVs na FAP
Enviado por: mafets em Outubro 16, 2020, 09:20:00 am
Algo não está bem com estes drones, ou terá sido erro humano ?

https://sol.sapo.pt/artigo/711970/drone-da-forca-aerea-caiu-em-beja-e-a-segunda-vez-no-espaco-de-um-m-s-e-meio

Abraços

Compraram Drones suicidas a Israel e ninguém avisou...  :mrgreen: :mrgreen:

https://olhardigital.com.br/noticia/empresa-israelense-cria-drone-suicida-que-se-lanca-sobre-os-inimigos/89238 (https://olhardigital.com.br/noticia/empresa-israelense-cria-drone-suicida-que-se-lanca-sobre-os-inimigos/89238)

(https://www.aereo.jor.br/wp-content/uploads//2015/08/1200px-IAI_Harop_PAS_2013_01.jpg)
~
Cumprimentos
Título: Re: UAVs na FAP
Enviado por: Red Baron em Outubro 16, 2020, 07:17:58 pm
Algo não está bem com estes drones, ou terá sido erro humano ?

https://sol.sapo.pt/artigo/711970/drone-da-forca-aerea-caiu-em-beja-e-a-segunda-vez-no-espaco-de-um-m-s-e-meio

Abraços

Este voo, inserido nos voos de certificação e validação dos requisitos operacionais do UAS de configuração de asa fixa, tinha como objectivos testar os parâmetros de precisão do sistema de navegação e efectuar um teste à endurance da aeronave”, explicou a FAP.

No decorrer do voo de treino da aeronave, a operar a partir da Base Aérea N.º 11 (BA11), verificou-se “uma falha no sistema de propulsão, que levou à interrupção da missão, obrigando à identificação de uma zona desabitada para efectuar a aterragem forçada”, precisou a Força Aérea.

https://www.publico.pt/2020/10/15/sociedade/noticia/drone-forca-aerea-faz-aterragem-forcada-perto-barragem-alentejo-1935452

Título: Re: UAVs na FAP
Enviado por: Red Baron em Outubro 17, 2020, 01:15:03 am
Algo não está bem com estes drones, ou terá sido erro humano ?

https://sol.sapo.pt/artigo/711970/drone-da-forca-aerea-caiu-em-beja-e-a-segunda-vez-no-espaco-de-um-m-s-e-meio

Abraços

Este voo, inserido nos voos de certificação e validação dos requisitos operacionais do UAS de configuração de asa fixa, tinha como objectivos testar os parâmetros de precisão do sistema de navegação e efectuar um teste à endurance da aeronave”, explicou a FAP.

No decorrer do voo de treino da aeronave, a operar a partir da Base Aérea N.º 11 (BA11), verificou-se “uma falha no sistema de propulsão, que levou à interrupção da missão, obrigando à identificação de uma zona desabitada para efectuar a aterragem forçada”, precisou a Força Aérea.

https://www.publico.pt/2020/10/15/sociedade/noticia/drone-forca-aerea-faz-aterragem-forcada-perto-barragem-alentejo-1935452

Para mim a forma como descreveu este incidente, é a correcta, sóbria e sem sensacionalismo, no meu entender é o normal para um sistema que está na fase de "fiabilização" e a FAP e AP são os "Beta Customer" ... para mim este contexto não tem celeuma nenhum ... então quando comparado com outros contextos nas FFAA é uma insignificância.

Devido à exposição mediática, que mais parece "fixação" mediática sobre este projecto / equipamento a UAVision arrisca-se a tornar-se na próxima "Marca Benetton" ( "Toscani - responsável pelas campanhas da  Benetton - mudou a forma como olhamos para a publicidade. Bem ou mal, toda a gente falava sobre as suas campanhas.") ... Bem ou mal ... toda a gente fala sobre os Drones ... é um expert em Drones... todos sabem que os Drones são tugas, ....todos começam a reconhecer a UAVision e os media não largam o osso .... os Drones e por associação a UAVision, tornaram-se a "nova temática cor de rosa"...

É preciso ter paciência :mrgreen: :mrgreen:

O mesmo aparelho já foi operado pela fap num a missão internacional. Mesmo com acidentes foi bastante  elogiada.

Ontem foi uma brincadeira , provavelmente de final de curso que correu mal.
Não vamos colocar o projeto dos UAV portugueses na FAP em causa por isso.
Título: Re: UAVs na FAP
Enviado por: tenente em Outubro 18, 2020, 10:54:06 am
X 8 para a FAP.


(https://imagizer.imageshack.com/v2/xq90/924/8MO0Um.jpg) (https://imageshack.com/i/po8MO0Umj)
Army Predator variant (MQ-1C Grey Eagle) armed with Hellfire missiles

Abraços
Título: Re: UAVs na FAP
Enviado por: tenente em Outubro 18, 2020, 12:42:11 pm
Procedimento normal.

https://ionline.sapo.pt/artigo/712158/drones-de-4-5-milhoes-novamente-em-terra?seccao=Portugal

Abraços
Título: Re: UAVs na FAP
Enviado por: LM em Novembro 12, 2020, 05:06:13 pm
Os 12 UAV Classe 1 indicados no trabalho académico dos FF são algo tipo, no máximo, TEKEVER AR3? O TEKEVER AR5 é já Classe 2 ou estou a ver mal isto?
Título: Re: UAVs na FAP
Enviado por: Red Baron em Novembro 12, 2020, 07:26:02 pm
Os 12 UAV Classe 1 indicados no trabalho académico dos FF são algo tipo, no máximo, TEKEVER AR3? O TEKEVER AR5 é já Classe 2 ou estou a ver mal isto?

Sim o AR5 já é classe 2.
Título: Re: UAVs na FAP
Enviado por: dc em Novembro 14, 2020, 10:29:20 am
O Predator/Gray Eagle estão num segmento completamente diferente de um Ogassa. E esses valores não estão certos, já que (da própria wikipedia) o custo unitário (sem R&D) é de 21,5 milhões de dólares. Também de acordo com a Wikipedia, o MQ-9 Reaper tem um custo unitário de 15,9 milhões de dólares, valores de 2019 (estranho a versão mais avançada ser mais barata que os predecessores  ::)).

E indo ao tal site com valores para diversos equipamentos militares: https://nation-creation.fandom.com/wiki/Modern_Day_Military_Pricing_List (https://nation-creation.fandom.com/wiki/Modern_Day_Military_Pricing_List)
Observam-se valores como:
-Avenger UCAV System: ~$110-120 million for 4 aircraft & ground control
-MQ-9 Reaper UCAV: $110 million per 4-unit system
-MQ-1 Predator: $90 million per 4-unit system

Tendo em conta os custos aqui referidos, a escolha iria para o Reaper (se fosse efectuada uma compra nos próximos tempos) ou Avenger (se a ideia fosse adquirir num prazo de 10 anos), ou até um misto de ambos eventualmente.
Título: Re: UAVs na FAP
Enviado por: RABN em Novembro 14, 2020, 12:31:18 pm
O Predator/Gray Eagle estão num segmento completamente diferente de um Ogassa. E esses valores não estão certos, já que (da própria wikipedia) o custo unitário (sem R&D) é de 21,5 milhões de dólares. Também de acordo com a Wikipedia, o MQ-9 Reaper tem um custo unitário de 15,9 milhões de dólares, valores de 2019 (estranho a versão mais avançada ser mais barata que os predecessores  ::)).

E indo ao tal site com valores para diversos equipamentos militares: https://nation-creation.fandom.com/wiki/Modern_Day_Military_Pricing_List (https://nation-creation.fandom.com/wiki/Modern_Day_Military_Pricing_List)
Observam-se valores como:
-Avenger UCAV System: ~$110-120 million for 4 aircraft & ground control
-MQ-9 Reaper UCAV: $110 million per 4-unit system
-MQ-1 Predator: $90 million per 4-unit system

Tendo em conta os custos aqui referidos, a escolha iria para o Reaper (se fosse efectuada uma compra nos próximos tempos) ou Avenger (se a ideia fosse adquirir num prazo de 10 anos), ou até um misto de ambos eventualmente.
Além de que com o material americano entra em equação outras variáveis como FMS, surplus ou acordos políticos. Não se pode ir por preços Wikipédia, isso Pode variar muito. Ainda assim, pelo preço falado era uma excelente capacidade que se ganhava com pelo menos um sistema.
Título: Re: UAVs na FAP
Enviado por: dc em Novembro 14, 2020, 03:44:18 pm
Se é para partilhar a operação de UAVs, que sejam UAVs de vigilância e não de combate. Uma ideia seria operar MQ-4C Triton em conjunto com os americanos, num negócio que pudesse envolver a utilização das Lajes como base de operação/manutenção destas aeronaves no Atlântico. Óbvio que isto dependeria do interesse americano, mas eles já usam os Triton a partir de Guam, logo fazia sentido fazer o mesmo no Atlântico.

Quanto ao Seeker 400 em vez do Reaper ou Avenger, é preciso ver que, apesar de um Reaper não equivaler directamente a 5 ou 6 Seeker, o Reaper tem capacidades que o outro não tem. Desde o payload, ao tecto de serviço, o tempo de voo, velocidade. Tudo factores que fazem toda a diferença e que colocam o Reaper numa classe à parte.

E a comparação com o Avenger é ainda mais desigual, se factorizarmos a capacidade furtiva da aeronave face aos UAV convencionais.
Título: Re: UAVs na FAP
Enviado por: dc em Janeiro 21, 2021, 10:54:52 pm
https://www.ga-asi.com/remotely-piloted-aircraft/mq-9b (https://www.ga-asi.com/remotely-piloted-aircraft/mq-9b)

Sonhando um pouco, parece interessante, uma alternativa possivelmente mais barata a algo como o Triton. A versão britânica poderá, aparentemente, transportar até 18 Brimstone.  :o
Título: Re: UAVs na FAP
Enviado por: luis simoes em Fevereiro 07, 2021, 02:30:50 pm
Os drones que ca estao sao de fabrico Luso portanto como tudo tem seu timing de evolucao e melhoramento....nem tudo esta perfeito e verdade mas a meu ver nao devemos nos proprios termos os nossos proprios meios ????ao inves de importar comprar este ou aquele drone????existe no mercado mundial e certamente havera muitas empresas a espera que sejam contactadas para fornecer seus conhecimentos e projectos hoje em dia tudo se compra agora tem e de ser muito bem selecionado ....digo eu...
Título: Re: UAVs na FAP
Enviado por: dc em Fevereiro 07, 2021, 09:59:52 pm
Os UAVs portugueses podem ser bons, mas não deixam de ser limitados, e isto não tem nada a ver com os problemas que tiveram no Verão. É meramente uma questão de simplesmente não terem as mesmas capacidades dos UAVs de médio e grande porte, e também UCAVs.

Para produzirmos algo nacional semelhante a um MQ-9, eram precisos 20 a 30 anos de desenvolvimento, mais os custos astronómicos associados, e sem retorno financeiro, já que as nossas forças armadas nunca iriam adquirir grandes quantidades, e mesmo a nível de exportação, o mercado está saturado, logo as chances de vender a alguém seriam mínimas.

UAVs pequenos e mini-UAVs, está tudo de acordo, sempre que puder ser nacional, melhor. Agora UAVs "suicidas", UAVs MALE/HALE, UCAVs, etc, é muito complicado ficar à espera que a indústria nacional apanhe os gigantes por esse mundo fora.
Título: Re: UAVs na FAP
Enviado por: mafets em Fevereiro 08, 2021, 04:36:44 pm
Os drones que ca estao sao de fabrico Luso portanto como tudo tem seu timing de evolucao e melhoramento....nem tudo esta perfeito e verdade mas a meu ver nao devemos nos proprios termos os nossos proprios meios ????ao inves de importar comprar este ou aquele drone????existe no mercado mundial e certamente havera muitas empresas a espera que sejam contactadas para fornecer seus conhecimentos e projectos hoje em dia tudo se compra agora tem e de ser muito bem selecionado ....digo eu...
É o que digo. A sorte é a embraer não meter cá o tubo de pitot do Gripen a fazer em Évora, que temos logo o simões a querer a FAP com o NG porque é nacional (até me admiro como ainda não se lembrou dos outros modelos Embraer, que são feitos em Portugal. Felizmente os drones são só no Brasil).  :mrgreen: :mrgreen: :mrgreen: :mrgreen: :mrgreen:

https://aircosmosinternational.com/article/embraer-a-newcomer-to-the-uav-market-2761 (https://aircosmosinternational.com/article/embraer-a-newcomer-to-the-uav-market-2761)

(https://fra1.digitaloceanspaces.com/rewyer-storage-003/4dc607ixno/media/6a7301b4ace4841a8456d41f4010f7508a702cae089ba1a8d9fa27d27b8bf2ea)

Cumprimentos

P.S. Simões, por cá só drones de vigilância. De combate é como o Dc afirma: "a 20 ou 30 anos de distância".  ;) ;) ;) ;)

(https://images.trustinnews.pt/uploads/sites/5/2020/09/tekever.jpg)

(https://www.armytimes.com/resizer/u6Vok8W3-fs0tR6WvaRNCkcRmjc=/1200x0/filters:quality(100)/cloudfront-us-east-1.images.arcpublishing.com/mco/YWPIF5HVDBEMBDUKLVKFRJB67Y.jpg)
Título: Re: UAVs na FAP
Enviado por: tenente em Fevereiro 08, 2021, 06:25:13 pm
Vinte a trinta minimo eu ate acho que nunca teremos drones armados construídos por cá, são complexos demais. ::)

Abraços
Título: Re: UAVs na FAP
Enviado por: Red Baron em Fevereiro 08, 2021, 07:53:06 pm
A ideia nunca foi fabricar UAV´s muito complicados, mas a verdade é que estamos muito atrasados em relação aos outros sobretudo aos inteligentes que se lembraram de sair da Alliance Ground Surveillance.

Só recentemente se abriram as escolhas de formação de pilotos de UAV. Porque até aqui quem dava formação eram os fabricantes.

Só com a ultima campanha de combate aos incêndios se construiu as primeiras tores de comunicação para permitir a operação dos UAV, mas ainda são poucas e não permitem a operação por todo o território continental.

Talvez só quando a Base espacial de Santa Maria arrancar a sério vai ser possível termos satélites que permitirão a operação  por toda a ZEE sem estarmos dependentes de satélites comerciais ou de países "amigos".

Ainda temos muito trabalho para fazer antes de podermos comprar o MALE da Airbus. 8)
Título: Re: UAVs na FAP
Enviado por: luis simoes em Fevereiro 08, 2021, 10:56:44 pm
Mafets estamos muito bem servidos com os F 16MLU...la para 2030 a ver se vinham eram os F35 A mas como tudo acredito nem isso iremos ter por ca algum dia....enfim....
Título: Re: UAVs na FAP
Enviado por: dc em Fevereiro 09, 2021, 12:33:45 am
Os F-16 (e F-35) têm funções diferentes dos UCAV. A USAF está carregada de caças para todo o tipo de missões, e não é por isso que abdica de ter UCAVs.

Os UAVs de combate servem de complemento das aeronaves de combate tripuladas, têm vantagens (custos h/voo e a "endurance") e obviamente desvantagens. É impensável ter um F-16 a voar às voltas durante 10h seguidas (alguns UAVs têm uma endurance de 24h) sobre uma determinada área, não só não conseguem sem reabastecimento, como ficaria extremamente caro. Um MQ-1 ou um MQ-9 são desenhados para isso, voar alto durante longos períodos de tempo, obtendo informações do "campo de batalha" não só para os centros de comando, como para as tropas no terreno, e, quando necessário, recorrer às suas armas para atacar forças hostis (o que é muito mais prático do que encontrar um alvo e esperar por outra aeronave para o abater).
Título: Re: UAVs na FAP
Enviado por: NVF em Fevereiro 09, 2021, 03:04:40 am
Oh dc, não baralhes o homem, pá!
Título: Re: UAVs na FAP
Enviado por: asalves em Março 11, 2021, 07:14:39 pm
A ideia nunca foi fabricar UAV´s muito complicados, mas a verdade é que estamos muito atrasados em relação aos outros sobretudo aos inteligentes que se lembraram de sair da Alliance Ground Surveillance.

Só recentemente se abriram as escolhas de formação de pilotos de UAV. Porque até aqui quem dava formação eram os fabricantes.

Só com a ultima campanha de combate aos incêndios se construiu as primeiras tores de comunicação para permitir a operação dos UAV, mas ainda são poucas e não permitem a operação por todo o território continental.

Talvez só quando a Base espacial de Santa Maria arrancar a sério vai ser possível termos satélites que permitirão a operação  por toda a ZEE sem estarmos dependentes de satélites comerciais ou de países "amigos".

Ainda temos muito trabalho para fazer antes de podermos comprar o MALE da Airbus. 8)

A Base especial de Santa Maria do que percebi é outra novela tipo escola de formação internacional.

A ideia da base é haver investimento e exploração por parte de outros, e mesmo que venha a haver uma base é preciso haver satélites, de lembrar que até agora só existiu um que apesar de ainda estar em orbita já esta desativo, e para além disso normalmente é necessário uma constelação de satélites para dar cobertura 24h/dia (existe também os ego-estacionários mas com esses implicam ficar longe do planeta acho que tem desvantagens para comunicações). Tudo isto implica custos que são impensáveis para alguém que vende aviões para fazer as manutenções aos restantes.

Trazendo um exemplo exagerado mas que secalhar dá que pensar, o guito que vamos injectar na Tap equivale 2 VEZES o custo de desenvolvimento e missão que o mais recente robot da NASA está a fazer em Marte.

Agora imaginem o que era Portugal ter um robot a passear em Marte, abram o olhos e temos uma companhia falida.
Título: Re: UAVs na FAP
Enviado por: HSMW em Março 11, 2021, 07:22:19 pm
Acho que há aí alguma confusão em relação ao porto espacial de Santa Maria, satélites geo-estacionários de comunicações e o Po-Sat lançado em 1993.

Aconselho a leitura deste tópico:

 :arrow: https://www.forumdefesa.com/forum/index.php?topic=7520.30
Título: Re: UAVs na FAP
Enviado por: asalves em Março 11, 2021, 07:36:50 pm
Acho que há aí alguma confusão em relação ao porto espacial de Santa Maria, satélites geo-estacionários de comunicações e o Po-Sat lançado em 1993.

Aconselho a leitura deste tópico:

 :arrow: https://www.forumdefesa.com/forum/index.php?topic=7520.30

Não percebi o que disse de mal.

Estava a tentar dizer que o base espacial de Santa Maria vai ser utilizada por outros e para outros (basicamente criamos um entidade para promover negócios e vamos licenciar construção e criar leis para permitir a tal operação)

De satelites nacionais só tivemos 1 e já não funciona (acho que a FAP/Marinha ainda chegou a usar para comunicações quando esteve em Timor, mas não tenho certeza disso)

E que para deixarmos depender de outros para comunicações precisamos de satélites nossos e provavelmente implica ter uma constelação (mais caro), algo que nunca vai acontecer.

Pff se algum do meu raciocínio estiver errado corrija-me que estou aqui é para aprender :D
Título: Re: UAVs na FAP
Enviado por: Claust em Março 24, 2021, 11:59:58 am
UAV OGS42 Cyclop1 da FAP  na zona da lousã.
Fica local e diário de ontem.
Créditos: https://twitter.com/Lp_adsb
(https://pbs.twimg.com/media/ExPhYceWEAAAjKF?format=jpg&name=large)

(https://pbs.twimg.com/media/ExMl9zcVkA4DwnQ?format=png&name=900x900)
Título: Re: UAVs na FAP
Enviado por: typhonman em Abril 10, 2021, 11:28:11 pm
https://books.google.pt/books?id=8v6NDgAAQBAJ&pg=PT32&lpg=PT32&dq=embraer+KC-390+copia+contrato+for%C3%A7a+a%C3%A9rea+Portugal&source=bl&ots=H0RKc0Hjqi&sig=ACfU3U1MeaVkj2CpAAHoyadf6NfKtALdEQ&hl=pt-PT&sa=X&ved=2ahUKEwj2rISx2_TvAhWmC2MBHRi0B_44KBDoATAJegQIBxAD#v=onepage&q=embraer%20KC-390%20copia%20contrato%20for%C3%A7a%20a%C3%A9rea%20Portugal&f=false

 :mrgreen: :mrgreen: :mrgreen: :mrgreen: :mrgreen:
Título: Re: UAVs na FAP
Enviado por: redkukulkane em Abril 19, 2021, 07:26:28 pm
marrocos acaba de adquir 13 bayraktar ucav por 5 milh cada ,dado o total de 65 milh. c56x1

https://airrecognition.com/index.php/news/defense-aviation-news/2021/april/7216-morocco-buys-13-bayraktar-tb2a-ucavs-to-turkey.html
Título: Re: UAVs na FAP
Enviado por: Red Baron em Abril 23, 2021, 10:37:11 pm

Também vamos comprar disto?
Título: Re: UAVs na FAP
Enviado por: jpthiran em Abril 26, 2021, 02:44:02 pm
marrocos acaba de adquir 13 bayraktar ucav por 5 milh cada ,dado o total de 65 milh. c56x1

https://airrecognition.com/index.php/news/defense-aviation-news/2021/april/7216-morocco-buys-13-bayraktar-tb2a-ucavs-to-turkey.html

a ser verdade um relato sobre a moça causada pelo drone bayraktar na guerra do Nagorno Karabak, vale todo dinheiro que se possa gastar na sua compra e sai muito mais barato que comprar aviões, peças de artilharia, tanques e tudo mais...deve ser o equipamento que melhores resultados produz para o custo que tem...num país de orçamentos curtíssimos como o nosso devia ser uma prioridade...
Título: Re: UAVs na FAP
Enviado por: tenente em Maio 13, 2021, 11:33:07 am
 :N-icon-Axe: :N-icon-Axe: :N-icon-Axe:

https://www.dn.pt/edicao-do-dia/13-mai-2021/voltaram-os-drones-mas-a-forca-aerea-foi-demitida-do-comando-13712716.html

Abraços
Título: Re: UAVs na FAP
Enviado por: Charlie Jaguar em Maio 13, 2021, 11:44:21 am
:N-icon-Axe: :N-icon-Axe: :N-icon-Axe:

https://www.dn.pt/edicao-do-dia/13-mai-2021/voltaram-os-drones-mas-a-forca-aerea-foi-demitida-do-comando-13712716.html

Abraços

Ia colocar agora mesmo essa notícia no tópico do combate a incêndios. ;)

Já muitos previam que a passagem da gestão dos drones e meios aéreos para a FAP era meio caminho andado para lixar o ramo, como agora se pode ler.


Citar
Garantido por estes oficiais generais que o emprego dos drones na vigilância e deteção de incêndios rurais será feito sob a coordenação da GNR e com o envolvimento da Autoridade Nacional de Emergência e Proteção Civil (ANEPC), entidades com a competência legal para esta função, cabendo às Forças Armadas decidir que meios vão empregar na resposta aos seus pedidos.
::)
Título: Re: UAVs na FAP
Enviado por: tenente em Maio 13, 2021, 11:54:38 am
:N-icon-Axe: :N-icon-Axe: :N-icon-Axe:

https://www.dn.pt/edicao-do-dia/13-mai-2021/voltaram-os-drones-mas-a-forca-aerea-foi-demitida-do-comando-13712716.html

Abraços

Ia colocar agora mesmo essa notícia no tópico do combate a incêndios. ;)

Já muitos previam que a passagem da gestão dos drones e meios aéreos para a FAP era meio caminho andado para lixar o ramo, como agora se pode ler.


Citar
Garantido por estes oficiais generais que o emprego dos drones na vigilância e deteção de incêndios rurais será feito sob a coordenação da GNR e com o envolvimento da Autoridade Nacional de Emergência e Proteção Civil (ANEPC), entidades com a competência legal para esta função, cabendo às Forças Armadas decidir que meios vão empregar na resposta aos seus pedidos.
::)

Actualmente a máxima em vigor nas FFAA, é a seguinte : Fazes merda não te preocupes, pois a GNR toma conta da situação.
Aos poucos, paulatinamente, muito calmamente, a GNR vai tomando conta das quintinhas.
Os futuros governos estarão cada vez mais descansados pois os protectores da República, qual guarda pretoriana Romana, estão cá para os proteger !!!
Ao estado a que este ESTADO chegou !!

Abraços
Título: Re: UAVs na FAP
Enviado por: dc em Maio 13, 2021, 12:41:21 pm
É sempre interessante ver este empurrar de culpas de A para B. Sim, porque se os drones têm problemas de disponibilidade, seja pela plataforma em si, seja pela falta de pessoal para os operar, é a mudar de comando que estas situações se vão resolver, como que por milagre.

Em futebolês, para o pessoal perceber, se tens uma equipa com metade dos jogadores lesionados/indisponíveis, trocar de treinador não resolve nada. Aqui é igual, trocas no comando não vão mudar nada a nível operacional, especialmente quando parte das dificuldades têm sido causadas pelas aeronaves em si.

Não vejo é ninguém a atribuir culpas ao governo, ou a quem quer que tenha decidido as datas para a realização deste programa, por só se terem lembrado em Maio do ano passado em comprar os ditos sistemas, quando era algo que já vinha na LPM em Março de 2019. Falam em "carácter de urgência", mas não é urgência se 1 ano antes já se sabia que era necessário realizar esta aquisição, e se era urgente, só tinham de começar o programa no Inverno, e não às portas do Verão, como se sucedeu. Para não falar que, a urgência era tal, que escolheram modelos ainda "verdes", muito longe de atingir total capacidade operacional (FOC).

Entretanto, vai ser mais um caso em que, a FAP, com o seu parco orçamento, tem de manter os aparelhos, garantir a sua operacionalidade e ainda formar pessoal para a sua operação, e depois quem usa as aeronaves, são os outros.
Título: Re: UAVs na FAP
Enviado por: typhonman em Maio 13, 2021, 02:01:34 pm
Força GNR, passo a passo até a BA5 !
Título: Re: UAVs na FAP
Enviado por: tenente em Maio 13, 2021, 02:07:32 pm
Já faltou mais Typhonman, já faltou mais.  ;)

Abraços
Título: Re: UAVs na FAP
Enviado por: Charlie Jaguar em Maio 13, 2021, 02:32:40 pm
Força GNR, passo a passo até a BA5 !

Não lhes dês ideias, ou ainda passamos a ter de verdade uma Guarda Aérea Nacional. ::)





P.S. O meu karma negativo continua a aumentar, mesmo quando os posts são inócuos. Está visto que há por aqui muito seguidista, carreirista e "Géninho" :mrgreen:
Título: Re: UAVs na FAP
Enviado por: Red Baron em Maio 13, 2021, 09:49:50 pm
É sempre interessante ver este empurrar de culpas de A para B. Sim, porque se os drones têm problemas de disponibilidade, seja pela plataforma em si, seja pela falta de pessoal para os operar, é a mudar de comando que estas situações se vão resolver, como que por milagre.

Em futebolês, para o pessoal perceber, se tens uma equipa com metade dos jogadores lesionados/indisponíveis, trocar de treinador não resolve nada. Aqui é igual, trocas no comando não vão mudar nada a nível operacional, especialmente quando parte das dificuldades têm sido causadas pelas aeronaves em si.

Não vejo é ninguém a atribuir culpas ao governo, ou a quem quer que tenha decidido as datas para a realização deste programa, por só se terem lembrado em Maio do ano passado em comprar os ditos sistemas, quando era algo que já vinha na LPM em Março de 2019. Falam em "carácter de urgência", mas não é urgência se 1 ano antes já se sabia que era necessário realizar esta aquisição, e se era urgente, só tinham de começar o programa no Inverno, e não às portas do Verão, como se sucedeu. Para não falar que, a urgência era tal, que escolheram modelos ainda "verdes", muito longe de atingir total capacidade operacional (FOC).

Entretanto, vai ser mais um caso em que, a FAP, com o seu parco orçamento, tem de manter os aparelhos, garantir a sua operacionalidade e ainda formar pessoal para a sua operação, e depois quem usa as aeronaves, são os outros.

A FAP mais uma vez quis ter para si uma responsabilidade que não tem estrutura para ter.
Mas é interessante ver que o EMGFA começa a ganhar mais força mesmo antes da mudança da lei.

Será que vamos ter o fim das casinhas? ou caminhamos para modelo irlandês?
Título: Re: UAVs na FAP
Enviado por: nelson38899 em Maio 13, 2021, 10:38:51 pm
Citar
omo se o relógio tivesse sido reprogramado e atrasado um ano e um dia. Voltámos a 11 maio de 2020 quando o ministro do Ambiente, José Matos Fernandes, no final da reunião do Conselho de Coordenação da AGIF (Agência para a Gestão Integrada de Fogos Rurais), que foi presidida pelo primeiro-ministro, António Costa, no Palácio da Ajuda, em Lisboa, anunciou que o Fundo Ambiental iria financiar por 4,5 milhões de euros a aquisição de 12 drones para reforçar a vigilância florestal na prevenção de incêndios desse ano.

Mas desta vez, sem ministros, sem falsas promessas e com a essencial dose de realismo que esteve ausente durante todos estes 12 meses, durante os quais o próprio ministro da Defesa, João Gomes Cravinho chegou a garantir (a 18 de julho) que "durante a primeira quinzena de agosto (de 2020) teremos os 12 (drones) a cobrir todo o território nacional" e o ministro do Ambiente afirmou, na Lousã, a 4 de agosto, quando já havia mais de um mês de atraso, que "não teve dúvidas na importância ambiental que é a existência destes drones para fazer uma vigilância muito mais sofisticada, por muito mais horas, com uma muito maior precisão".

Tudo errado. Nada foi cumprido o ano acabou com apenas três drones a fazer voos operacionais (poucos, num total de cerca de 400 horas de voo, o que se dividido pelos três meses de verão, dá uma média de pouco mais de uma hora por dia a cada um).
Desta vez, a 12 de maio de 2021, o palco é o Comando Conjunto de Operações Militares (CCOM), o braço armado do Estado-Maior-General das Forças Armadas (EMGFA), que assume agora a missão de estruturar com passos firmes a edificação desta nova capacidade, depois de o ministro da Defesa ter dado um murro na mesa (em forma de despacho ministerial) e colocado na ordem a Força Aérea Portuguesa (FAP) afastando-a da coordenação deste dossier.

A FAP, pelas suas competências técnicas, ficou com a responsabilidade da certificação dos drones, formação das equipas e operações. Isto embora haja algumas dúvidas, que a FAP não esclarece sobre o cumprimento das horas de voo exigidas no treino dos pilotos.

Capacidade máxima só em 2022
O Chefe do Estado-Maior do CCOM, General Marco Serronha, sabe com o que pode contar neste momento, com a época de incêndios já à porta: recebeu da Força Aérea a garantia de que um de junho estão operacionais seis drones, metade da dúzia prometida para agosto de 2020.
Quatro dos seis drones de asa fixa previstos no contrato entre a FAP e o fabricante português UAVision e apenas dois dos seis designados VTOL (Vertical Take-off and Landing), cuja capacidade de levantar voo e aterrar verticalmente foi uma das razões do ajuste direto à referida empresa, a única no país com este tipo de aparelhos, que ainda estavam, na altura, a ser testados na Marinha, que também os tinha antes adquirido.

Outras três aeronaves estarão em processo de aceitação pela FAP e segundo foi revelado pelo CCOM houve ainda um terceiro acidente com um dos drones, além das duas quedas (ou "aterragens forçadas", em linguagem FAP e da UAVision, que obrigaram à substituição dos drones acidentados ) que vieram a público em 2020 - uma na zona de Alcácer do Sal, em setembro e outro em outubro, na área de Beja - depois de ter desenhado no céu a expressão "2020 UAFAP", começou a perder altitude no regresso à base, a perto da estrada nacional 2.

"Tudo faremos para que no próximo ano (outubro de 2022) tenhamos o sistema a funcionar na sua máxima capacidade. É essa a realidade dos factos", afiança, Marco Serronha.

Ou seja, mais de dois anos depois de a FAP se ter comprometido a atingir a "capacidade operacional completa", que chegou a firmar para 31 de agosto do ano passado (ver cronologia mais abaixo), num "road map" apresentado a quatro desse mês, depois de um processo cheio de logros e interrogações.

Herdado o dossiê, o CCOM tratou de preparar e calendarizar a "edificação da capacidade" com a celeridade possível, uma vez que, tal como explicou o contra-almirante Nobre de Sousa, subchefe do Estado-Maior deste Comando durante a apresentação aos jornalistas, no bunker junto à NATO, em Oeiras, só em outubro de 2022 estará concluída a formação de todas as equipas que vão operar as aeronaves.

Apesar de esta capacidade passar a estar enquadrada num comando conjunto e de ter sido anunciado que as equipas de operadores terão militares dos três Ramos, nesta altura, para os seis drones disponíveis, há cinco equipas com 25 militares, todos da FAP.

"Está neste momento em formação, que será concluída no final de agosto, de mais nove militares, dos quais dois são do Exército e dois da Marinha", sublinha Nobre de Sousa. "O mínimo indispensável seria 12 equipas (60 militares) e o ideal 18 para operar com sustentabilidade as 12 aeronaves", completa Serronha, reconhecendo, ainda assim, as "dificuldades de recrutamento, que tem de ser muito exigente, num contexto que de vive de recursos humanos limitados".
Garantido por estes oficiais generais que o emprego dos drones na vigilância e deteção de incêndios rurais será feito sob a coordenação da GNR e com o envolvimento da Autoridade Nacional de Emergência e Proteção Civil (ANEPC), entidades com a competência legal para esta função, cabendo às Forças Armadas decidir que meios vão empregar na resposta aos seus pedidos.
Além das missões relacionadas com os incêndios e as solicitadas pelo ministério do Ambiente (vigilância orla costeira, áreas protegidas e pedreiras, bem como a referenciação necessária à
execução do cadastro), o EMGFA quer ainda aproveitar esta nova capacidade para possíveis ações de vigilância de fluxos de imigração ilegal por via marítima e operações militares.

Incumprimentos do contrato sem resposta
Estes responsáveis avisaram logo à partida que as questões relacionadas com o contrato de aquisição, aceitação de drones, (in)cumprimento de prazos e formação de pilotos deviam ser remetidas à FAP. "Estamos focados no futuro. Este é um processo complexo e a edificação do sistema tem de ser sustentável", assinala Serronha.

Mas em resposta às várias perguntas colocadas pelo DN, o Gabinete do Chefe de Estado-Maior da Força Aérea (CEMFA), General Joaquim Borrego, remete para o EMGFA e nada esclarece.
dn.pt
Título: Re: UAVs na FAP
Enviado por: tenente em Agosto 12, 2021, 10:26:28 am
E vão três:

https://pplware.sapo.pt/informacao/drone-da-forca-aerea-portuguesa-cai-na-regiao-do-alentejo-e-o-terceiro

Abraços
Título: Re: UAVs na FAP
Enviado por: dc em Agosto 12, 2021, 11:21:52 am
Que bela m*rda de negócio este. É o que dá adquirir algo à pressa, ainda por cima um modelo por testar.

Imagino os problemas se fosse desenvolvido um UAV mais complexo.
Título: Re: UAVs na FAP
Enviado por: asalves em Agosto 12, 2021, 12:24:53 pm
Que bela m*rda de negócio este. É o que dá adquirir algo à pressa, ainda por cima um modelo por testar.

Imagino os problemas se fosse desenvolvido um UAV mais complexo.

Mas alguém sabe das causas?

Seque pelo menos de 1 que "perdeu"/"saltou" a hélice. De resto não fiquei a saber de mais
Título: Re: UAVs na FAP
Enviado por: Red Baron em Agosto 12, 2021, 12:28:46 pm
Que bela m*rda de negócio este. É o que dá adquirir algo à pressa, ainda por cima um modelo por testar.

Imagino os problemas se fosse desenvolvido um UAV mais complexo.

O problema não foi ser a pressa, foi terem mudado alguns componentes por mais baratos como por exemplo o motor.
Título: Re: UAVs na FAP
Enviado por: dc em Agosto 12, 2021, 12:47:27 pm

Mas alguém sabe das causas?

Seque pelo menos de 1 que "perdeu"/"saltou" a hélice. De resto não fiquei a saber de mais

Deve ser "confidencial" ou as investigações inconclusivas. Seja como for, não deixa de ser estranho que 1/4 da frota já tenha caído.


O problema não foi ser a pressa, foi terem mudado alguns componentes por mais baratos como por exemplo o motor.

Mais me ajudas, tiveram que implementar um novo motor, testar, certificar, etc, tudo à pressa. Obviamente que ia dar asneira.

Num projecto destes nem sequer faz sentido andar com remendos.
Título: Re: UAVs na FAP
Enviado por: MATRA em Agosto 12, 2021, 03:11:29 pm
Que bela m*rda de negócio este. É o que dá adquirir algo à pressa, ainda por cima um modelo por testar.

Imagino os problemas se fosse desenvolvido um UAV mais complexo.

Uma bela treta mesmo, e logo na semana que irá ser a mais complicada do ano para incêndios.

Ontem estava a seguir no ADS os 2 que estavam a voar, o da Lousã, que voa desde o inicio do verão, e o de Beja, que começou a voar nos últimos dias, com este acidente muito provavelmente toda a frota operacional ( que deve ser 1 ou 2 drones na Lousã) irá ficar em terra.

Numa frota de 12 unidades ( 6 VTOL), que voa à 1 ano mais ou menos, já perdemos 1/4 para acidentes. Isto sem ninguém sem ninguém ser chamado à responsabilidade sobre este prejuízo para os contribuintes. Lamentável.   ::)

EDIT:
Citar
Acidente. Força Aérea suspende voos de todos os drones para detetar incêndios

E pronto já temos o Koala a voar para compensar.

EDIT 2:
Citar
Drone da Força Aérea sofre acidente e não volta a voar tão cedo
O Estado-Maior-General das Forças Armadas (EMGFA) informa que, um drone, da Força Aérea, a operar a partir da Base Aérea N.º 11 (BA11), que descolou às 18H30M, do dia de ontem, numa missão operacional de vigilância e deteção de incêndios rurais, sofreu um acidente às 20H07M, durante a recuperação para a aterragem, numa área não habitada, a 8 km a sudoeste da Base.

A aeronave não tripulada sofreu danos estruturais, não se registando danos pessoais ou materiais em terceiros.

As circunstâncias em que o acidente ocorreu já estão sob investigação e até ao apuramento das suas causas, as operações com estes drones estão suspensas nas outras Bases de Operação.

Nesta altura de maior risco, serão empenhadas aeronaves tripuladas para a realização das missões de vigilância e deteção de incêndios rurais.
https://www.noticiasdecoimbra.pt/drone-da-forca-aerea-sofre-acidente-e-nao-volta-a-voar-tao-cedo/

A aterrar, e perca quase total.
Título: Re: UAVs na FAP
Enviado por: Red Baron em Agosto 12, 2021, 03:57:22 pm
Que bela m*rda de negócio este. É o que dá adquirir algo à pressa, ainda por cima um modelo por testar.

Imagino os problemas se fosse desenvolvido um UAV mais complexo.

Uma bela treta mesmo, e logo na semana que irá ser a mais complicada do ano para incêndios.

Ontem estava a seguir no ADS os 2 que estavam a voar, o da Lousã, que voa desde o inicio do verão, e o de Beja, que começou a voar nos últimos dias, com este acidente muito provavelmente toda a frota operacional ( que deve ser 1 ou 2 drones na Lousã) irá ficar em terra.

Numa frota de 12 unidades ( 6 VTOL), que voa à 1 ano mais ou menos, já perdemos 1/4 para acidentes. Isto sem ninguém sem ninguém ser chamado à responsabilidade sobre este prejuízo para os contribuintes. Lamentável.   ::)

EDIT:
Citar
Acidente. Força Aérea suspende voos de todos os drones para detetar incêndios

E pronto já temos o Koala a voar para compensar.

EDIT 2:
Citar
Drone da Força Aérea sofre acidente e não volta a voar tão cedo
O Estado-Maior-General das Forças Armadas (EMGFA) informa que, um drone, da Força Aérea, a operar a partir da Base Aérea N.º 11 (BA11), que descolou às 18H30M, do dia de ontem, numa missão operacional de vigilância e deteção de incêndios rurais, sofreu um acidente às 20H07M, durante a recuperação para a aterragem, numa área não habitada, a 8 km a sudoeste da Base.

A aeronave não tripulada sofreu danos estruturais, não se registando danos pessoais ou materiais em terceiros.

As circunstâncias em que o acidente ocorreu já estão sob investigação e até ao apuramento das suas causas, as operações com estes drones estão suspensas nas outras Bases de Operação.

Nesta altura de maior risco, serão empenhadas aeronaves tripuladas para a realização das missões de vigilância e deteção de incêndios rurais.
https://www.noticiasdecoimbra.pt/drone-da-forca-aerea-sofre-acidente-e-nao-volta-a-voar-tao-cedo/

A aterrar, e perca quase total.

Podes juntar os dois acidentes na Croácia onde o consórcio FAP/UAVision operou e onde teve também dois acidentes.

Geralmente trata-se de ou falha humana ou falha do motor.
Título: Re: UAVs na FAP
Enviado por: dc em Agosto 12, 2021, 05:42:17 pm
E pronto já temos o Koala a voar para compensar.

E não só. O mais provável é que aconteça o mesmo que no ano passado, vais usar P-3 e C-295 para vigilância. Realmente, mais um bocadinho, e também os F-16 o fazem, pelo menos assim eram horas de voo a somar para os pilotos.
Título: Re: UAVs na FAP
Enviado por: Red Baron em Agosto 12, 2021, 06:59:50 pm
E pronto já temos o Koala a voar para compensar.

E não só. O mais provável é que aconteça o mesmo que no ano passado, vais usar P-3 e C-295 para vigilância. Realmente, mais um bocadinho, e também os F-16 o fazem, pelo menos assim eram horas de voo a somar para os pilotos.

Não pode, se querem que as células durem até 2045 tem que se poupar.
Título: Re: UAVs na FAP
Enviado por: typhonman em Agosto 12, 2021, 07:04:52 pm
Na semana passada em MR, 8 F-16 a descolar num espaço de 20 min, incluindo voos noturnos com NVG.
Título: Re: UAVs na FAP
Enviado por: oi661114 em Agosto 12, 2021, 09:22:00 pm
Ao menos aproveitem os sensores EO e IR e usem-os para os helis...
Título: Re: UAVs na FAP
Enviado por: dc em Agosto 12, 2021, 10:23:19 pm
E não só. O mais provável é que aconteça o mesmo que no ano passado, vais usar P-3 e C-295 para vigilância. Realmente, mais um bocadinho, e também os F-16 o fazem, pelo menos assim eram horas de voo a somar para os pilotos.

Não pode, se querem que as células durem até 2045 tem que se poupar.
[/quote]

Não fazia grande diferença. Não é por cada aeronave voar umas 2 ou 3 horas por dia, que isso ia limitar quantos anos poderiam voar daqui para a frente. O problema seria sim os custos de h/voo, algo que já se verificava com os P-3 no ano passado, para desempenhar uma função que pode ser feita por uma aeronave 10 vezes mais barata.

Ao menos aproveitem os sensores EO e IR e usem-os para os helis...


Como assim, colocar os Litening nos Koala? Ou os dos UAVs?
Título: Re: UAVs na FAP
Enviado por: typhonman em Agosto 12, 2021, 10:57:26 pm
Leiam a primeira página do DN desta sexta... Fala mesmo bem da FAP....
Se fossemos um país decente, há muito tempo que tínhamos uma frota de CL-415, AT-802 e para o famoso uso duplo, MQ-9 Reaper.
Título: Re: UAVs na FAP
Enviado por: oi661114 em Agosto 12, 2021, 11:34:22 pm

Como assim, colocar os Litening nos Koala? Ou os dos UAVs?

Os dos UAV.
Título: Re: UAVs na FAP
Enviado por: NVF em Agosto 13, 2021, 02:29:44 am
Consta por aí que os Lynx da Marinha também vão dar uma mãozinha, agora que estão equipados com FLIR.  :mrgreen:
Título: Re: UAVs na FAP
Enviado por: tenente em Agosto 13, 2021, 07:34:25 am
Consta por aí que os Lynx da Marinha também vão dar uma mãozinha, agora que estão equipados com FLIR.  :mrgreen:

Também vai ser a missão primária da frota 390 . :mrgreen:

Abraço
Título: Re: UAVs na FAP
Enviado por: MATRA em Agosto 13, 2021, 09:58:04 am
É o Caos:

https://www.dn.pt/sociedade/incendios-drones-da-forca-aerea-de-novo-em-terra-voltam-a-falhar-missoes-de-vigilancia-14028385.html

Este projecto, devia ser todo redefinido, querer por o carro à frente dos bois dá nisto, os Drones não estavam prontos nem desenvolvidos, muito menos testados ao ponto de ficarem operacionais.

O que está a acontecer é o que deveria acontecer numa campanha de testes, muito antes do produto ficar disponível comercialmente.

Façam um concurso internacional, com concorrência, onde entrem outros protagonistas com provas dadas, provavelmente, vamos ficar sem drones e sem o dinheiro em pouco tempo, por isso mais vale começar a fazer a coisa bem feita desta vez.
Título: Re: UAVs na FAP
Enviado por: dc em Agosto 13, 2021, 11:56:49 am
Eu nem sei se um concurso internacional resolvia alguma coisa. Pelo orçamento, pelos prazos apertados. Alguma vez uma empresa estrangeira ia aceitar um negócio como o que foi feito com a UAVision?

Se os drones em causa ainda não tinham provas dadas, no mínimo tinham de os adquirir 6 meses antes da época de incêndios. Mesmo que tivessem já provas dadas, tinham de ser adquiridos com alguns meses de antecedência para permitir treinar os operadores. Até no processo de fabricação das aeronaves, fazer tudo à pressa dá asneira.
Título: Re: UAVs na FAP
Enviado por: Charlie Jaguar em Agosto 13, 2021, 01:34:52 pm
Ao menos aproveitem os sensores EO e IR e usem-os para os helis...

É isso, é isso, fazer o aproveitamento dos sensores electro-ópticos e infravermelhos do Koala.

(https://live.staticflickr.com/3048/3078261501_8de54724ec_b.jpg)

Oh, wait... estes são os da polícia de Nova Iorque. ::)
Título: Re: UAVs na FAP
Enviado por: Red Baron em Agosto 13, 2021, 02:16:44 pm
É o Caos:

https://www.dn.pt/sociedade/incendios-drones-da-forca-aerea-de-novo-em-terra-voltam-a-falhar-missoes-de-vigilancia-14028385.html

Este projecto, devia ser todo redefinido, querer por o carro à frente dos bois dá nisto, os Drones não estavam prontos nem desenvolvidos, muito menos testados ao ponto de ficarem operacionais.

O que está a acontecer é o que deveria acontecer numa campanha de testes, muito antes do produto ficar disponível comercialmente.

Façam um concurso internacional, com concorrência, onde entrem outros protagonistas com provas dadas, provavelmente, vamos ficar sem drones e sem o dinheiro em pouco tempo, por isso mais vale começar a fazer a coisa bem feita desta vez.

Não é verdade, a versão de assa fixa já tinha sido operado pela FAP na Croácia. Mesmo a versão VTOL foi desenvolvida em conjunto com a Marinha e já tinha feitos testes quer em Troia quer embarcado num NPO.

A grande alteração neste contrato foi o motor, que foi escolhido um mais barato.

Mas os drones não são tão seguros como aviões:
https://dronewars.net/drone-crash-database/ (https://dronewars.net/drone-crash-database/)
Título: Re: UAVs na FAP
Enviado por: MATRA em Agosto 13, 2021, 03:30:12 pm
É o Caos:

https://www.dn.pt/sociedade/incendios-drones-da-forca-aerea-de-novo-em-terra-voltam-a-falhar-missoes-de-vigilancia-14028385.html

Este projecto, devia ser todo redefinido, querer por o carro à frente dos bois dá nisto, os Drones não estavam prontos nem desenvolvidos, muito menos testados ao ponto de ficarem operacionais.

O que está a acontecer é o que deveria acontecer numa campanha de testes, muito antes do produto ficar disponível comercialmente.

Façam um concurso internacional, com concorrência, onde entrem outros protagonistas com provas dadas, provavelmente, vamos ficar sem drones e sem o dinheiro em pouco tempo, por isso mais vale começar a fazer a coisa bem feita desta vez.

Não é verdade, a versão de assa fixa já tinha sido operado pela FAP na Croácia. Mesmo a versão VTOL foi desenvolvida em conjunto com a Marinha e já tinha feitos testes quer em Troia quer embarcado num NPO.

A grande alteração neste contrato foi o motor, que foi escolhido um mais barato.

Mas os drones não são tão seguros como aviões:
https://dronewars.net/drone-crash-database/ (https://dronewars.net/drone-crash-database/)

Isso não muda nada ao que disse, são mais de 4m do erário público em que um quarto já foi ao chão, responsabilidades exigem-se, se os motores não são os apropriados para voar 4h a 8h de um drone que foi contratado para isso mesmo, de quem é a responsabilidade de os aceitar e dar como operacionais para a missão proposta?

A este ritmo temos drones para 2 ou 3 anos e depois não vai haver dinheiro para os reparar ou substituir.



Título: Re: UAVs na FAP
Enviado por: Red Baron em Agosto 13, 2021, 06:43:58 pm
É o Caos:

https://www.dn.pt/sociedade/incendios-drones-da-forca-aerea-de-novo-em-terra-voltam-a-falhar-missoes-de-vigilancia-14028385.html

Este projecto, devia ser todo redefinido, querer por o carro à frente dos bois dá nisto, os Drones não estavam prontos nem desenvolvidos, muito menos testados ao ponto de ficarem operacionais.

O que está a acontecer é o que deveria acontecer numa campanha de testes, muito antes do produto ficar disponível comercialmente.

Façam um concurso internacional, com concorrência, onde entrem outros protagonistas com provas dadas, provavelmente, vamos ficar sem drones e sem o dinheiro em pouco tempo, por isso mais vale começar a fazer a coisa bem feita desta vez.

Não é verdade, a versão de assa fixa já tinha sido operado pela FAP na Croácia. Mesmo a versão VTOL foi desenvolvida em conjunto com a Marinha e já tinha feitos testes quer em Troia quer embarcado num NPO.

A grande alteração neste contrato foi o motor, que foi escolhido um mais barato.

Mas os drones não são tão seguros como aviões:
https://dronewars.net/drone-crash-database/ (https://dronewars.net/drone-crash-database/)

Isso não muda nada ao que disse, são mais de 4m do erário público em que um quarto já foi ao chão, responsabilidades exigem-se, se os motores não são os apropriados para voar 4h a 8h de um drone que foi contratado para isso mesmo, de quem é a responsabilidade de os aceitar e dar como operacionais para a missão proposta?

A este ritmo temos drones para 2 ou 3 anos e depois não vai haver dinheiro para os reparar ou substituir.
Citar
"Apesar de a empresa garantir que é normal a oscilação observada, a FAP decidiu parar os voos e recuar para uma nova fase de testes e de adaptação dos pilotos", revelou ao DN uma fonte daquela base.
...
O EMGFA, por seu lado, garante que "os VTOL voltarão a voar assim que terminar a requalificação dos pilotos, prevendo-se que estejam disponíveis a curto prazo", sem avançar datas concretas.

Nem tudo é culpa da UAVision.

Já na Croácia tinha caído um por erro humano na aproximação para aterrar.
Título: Re: UAVs na FAP
Enviado por: typhonman em Agosto 13, 2021, 09:51:58 pm
Que preocupação com o erário público, quando temos uma extinta EMA, Kamovs a apodrecer etc... :G-beer2:
Título: Re: UAVs na FAP
Enviado por: dc em Agosto 13, 2021, 11:40:12 pm
A despesa é o mal menor. 4.5 milhões para financiar o desenvolvimento de um UAV nacional, e com versão VTOL, não era um gasto mal feito e é um valor minúsculo quando comparado com o investimento que os outros países fazem no sector. O problema é a trafulhice e a burrice envolvida neste programa, a pressa, as más decisões, o empurrar de culpas.
Título: Re: UAVs na FAP
Enviado por: tenente em Agosto 14, 2021, 05:35:02 am


https://www.cmjornal.pt/portugal/detalhe/drones-da-forca-aerea-reativados-e-a-operar-a-partir-de-sabado

Abraços
Título: Re: UAVs na FAP
Enviado por: Pescador em Agosto 30, 2021, 11:10:49 am
https://uas.tekever.com/wp-content/uploads/2019/09/Tekever_AR5.pdf

https://expresso.pt/sociedade/2020-09-29-Vigilancia.-Drones-portugueses-dao-cartas-no-mundo

Tekever AR 5 e mesmo o AR 3 em vigilancia maritima seriam muito mais capazes. Mas decerto "muito complexos". Faz lembrar coisas na Marinha

O AR5 lançou com exito jangadas insuflaveis no mar.

O êxito em vários pontos do mundo e a sua adopção pelo exercito inglês. As capacidade superiores nomeadamente a autonomia.
Ligação satélite, todo o tipo de câmaras e carga util maior.

o AR5 a operar desde a Madeira ou Porto Santo, daria um suporte de vigilancia até as Selvagens, reforçando a vigilancia dessa extensa zona maritima.
Nos incendios, o muito maior tempo de operação daria mais flexibilidade de emprego, não só na vigilancia mas acompanhamento das operações de combate.

Entretanto comprou-se de atacado e pelos vistos à pressa, uma duzia de brinquedos que umas vezes funcionam outras nem por isso.

Os negócios militares em grande

Título: Re: UAVs na FAP
Enviado por: dc em Agosto 30, 2021, 12:16:11 pm
Nem sequer se tratou de um negócio militar, foi mais uma brincadeira política, em que tanto as FA como a Ogassa levaram por tabela com a incompetência do Governo. Infelizmente as negociatas estão acima do interesse nacional.

O que deveria ter sido feito era optar por modelos das duas empresas, o que facilitava a resposta aos exigentes prazos de entrega (prazos de entrega que foram, mais uma vez, incompetência do Governo). Depois sendo dois modelos de dois fabricantes diferentes, se por algum azar uma das frotas tivesse de ser "grounded" a outra poderia continuar a operar sem problema, não criando um vazio operacional. Por fim, eu não tenho problema com a escolha dos OGS, o investimento devia sim ter sido para financiar o desenvolvimento e maturação dos ditos, nomeadamente a versão VTOL, que é única no país. Os Tekever seriam mais caros, mas com menos riscos e com mais capacidade, e podiam tanto fazer vigilância florestal, como marítima.

É óbvio que isto não resolvia as lacunas de um UCAV, de um UAV MALE/HALE, de um UAV a jacto furtivo e de um UAV "loyal wingman", mas já era um primeiro passo a nível da complexidade dos UAVs.
Título: Re: UAVs na FAP
Enviado por: Pescador em Agosto 30, 2021, 02:15:42 pm
Nem sequer se tratou de um negócio militar, foi mais uma brincadeira política, em que tanto as FA como a Ogassa levaram por tabela com a incompetência do Governo. Infelizmente as negociatas estão acima do interesse nacional.

O que deveria ter sido feito era optar por modelos das duas empresas, o que facilitava a resposta aos exigentes prazos de entrega (prazos de entrega que foram, mais uma vez, incompetência do Governo). Depois sendo dois modelos de dois fabricantes diferentes, se por algum azar uma das frotas tivesse de ser "grounded" a outra poderia continuar a operar sem problema, não criando um vazio operacional. Por fim, eu não tenho problema com a escolha dos OGS, o investimento devia sim ter sido para financiar o desenvolvimento e maturação dos ditos, nomeadamente a versão VTOL, que é única no país. Os Tekever seriam mais caros, mas com menos riscos e com mais capacidade, e podiam tanto fazer vigilância florestal, como marítima.

É óbvio que isto não resolvia as lacunas de um UCAV, de um UAV MALE/HALE, de um UAV a jacto furtivo e de um UAV "loyal wingman", mas já era um primeiro passo a nível da complexidade dos UAVs.


Mais caraos mais muito superiores. Iso é como anguém andar de BMW ou de FIAT.
Cá sabem bem escolher entre dois dois quando se trata de mordomias.

Claro que ficaria ainda uma lacuna ofensiva, mas para vigilancia maritima e florestal já ficavamos bem. A parte ofensiva será sempre mais investimento devido aos sistemas envolvidos.
O VTOL faz sentido embarcados para a Marinha, mas para a Força Aérea não vejo vantagens, poisando os outros modelos em pistas muito limitadas e tendo uma autonomia imensamente superior. Então a parte de largar jangadas insuflaveis esta muito bem pensado.

Mas quando ouvimos coisas como EUA lança concurso entre fabricantes para ......(algo que estipula o ramo a que se destina) . Não poderia o governo fazer o mesmo cá. Havendo dois fabricantes estipular caracteristas e mete-los a concorrer entre si.
Será que não tentariam fazer algo na linha do SAAB por exemplo?

As empresas fazem prospecção de mercado e por vezes não fazem algo porque não vêm saída suficiente.
Acredito que não estejam dispostas a lançar algo fiando-se na Marinha Portuguesa. A Marinha dos NPO desarmados e cegos muito complexos.

Compromissos sérios é o que falta
Título: Re: UAVs na FAP
Enviado por: LM em Agosto 30, 2021, 03:16:16 pm
Portugal não tem nem mercado (Estado) nem capacidade instalada para poder fazer concurso e esperar 2 ou mais empresas nacionais... o concurso, por pressão do Governo, é que pedia o impossível para os fornecedores nacionais.

Pelo que eu entendo, para além de voar e "ver", o UAV também tem de ter capacidades de especificas para fogos florestais; e que temos uma empresa aparentemente muito mais avançada em vigilância marítima e o processo apanhou a outra empresa, que estava a desenvolver o seu produto com as Forças Armadas, ainda em uma fase muito inicial. Mas acredito que após os problemas - normais - de desenvolvimento e testes vamos ter algo que se veja.

Não estou a ver "massa critica" (capital, mercado, vontade, etc) para irmos desenvolver UAVC, mas para FF e controle marítimo... temos hipóteses, se cliente (Estado), empresas e universidades colaborarem.         
Título: Re: UAVs na FAP
Enviado por: Pescador em Agosto 30, 2021, 05:28:55 pm
Portugal não tem nem mercado (Estado) nem capacidade instalada para poder fazer concurso e esperar 2 ou mais empresas nacionais... o concurso, por pressão do Governo, é que pedia o impossível para os fornecedores nacionais.

Pelo que eu entendo, para além de voar e "ver", o UAV também tem de ter capacidades de especificas para fogos florestais; e que temos uma empresa aparentemente muito mais avançada em vigilância marítima e o processo apanhou a outra empresa, que estava a desenvolver o seu produto com as Forças Armadas, ainda em uma fase muito inicial. Mas acredito que após os problemas - normais - de desenvolvimento e testes vamos ter algo que se veja.

Não estou a ver "massa critica" (capital, mercado, vontade, etc) para irmos desenvolver UAVC, mas para FF e controle marítimo... temos hipóteses, se cliente (Estado), empresas e universidades colaborarem.       

O que me parce ver desde o inicio é os habituais interesses de alguns.

Neste País vive gente que acima do interesse nacional estão interesses pessoais de amigos, familias, cohecidos que depois passam a amigos, afins.
Sempre os "contactos" em primeiro.

A difrença entre as duas e os modelos que projectam é muito significativa. Veja-se  aprojecção internacional.
A Tekever nem deve estar ralada, esta representada em 5 paises lá fora e é exito em cima de exito. Menos dores de cabeça com trapalhões e trfulhas.

Mas como em outras aquisições, militares, policiais ou civis, manda outros interesses. Por isso somos pequeninos....de espirito. 

Perde o País

Título: Re: UAVs na FAP
Enviado por: dc em Agosto 30, 2021, 11:47:25 pm
Portugal não tem nem mercado (Estado) nem capacidade instalada para poder fazer concurso e esperar 2 ou mais empresas nacionais... o concurso, por pressão do Governo, é que pedia o impossível para os fornecedores nacionais.

Pelo que eu entendo, para além de voar e "ver", o UAV também tem de ter capacidades de especificas para fogos florestais; e que temos uma empresa aparentemente muito mais avançada em vigilância marítima e o processo apanhou a outra empresa, que estava a desenvolver o seu produto com as Forças Armadas, ainda em uma fase muito inicial. Mas acredito que após os problemas - normais - de desenvolvimento e testes vamos ter algo que se veja.

Não estou a ver "massa critica" (capital, mercado, vontade, etc) para irmos desenvolver UAVC, mas para FF e controle marítimo... temos hipóteses, se cliente (Estado), empresas e universidades colaborarem.       

Nós por cá, pelo menos numa fase inicial da implementação de UAVs, nem sequer precisamos de fazer grandes concursos. É fazer ajuste directo para as empresas nacionais e simplesmente adquirir os modelos mais adequados. Se eventualmente as FAs tivessem que ter o AR5 e as duas versões do OGS42 (convencional e VTOL), que assim fosse. Cada um teria a sua função. Francamente não vejo razão para não termos já adquirido pelo menos 2 ou 3 AR5, mesmo que à parte dos UAV para os fogos florestais.

Não sei se os Ogassa terão assim características muito específicas para os fogos florestais. Só se tivessem algum tipo de resistência especial ao calor e fumo gerado pelos incêndios (o que duvido) ou sensores próprios para a função (que certamente poderão ser instalados noutros meios). Em teoria sim, os problemas lá se resolverão. A questão é quando. É que continuamos a atrasar-nos face a todos os outros, que já vão de UCAV, MALE/HALE, stealth, swarms, loyal wingman, AI, loitering munition, e por aí fora. Mais uma vez o AR5 encurtava distâncias, pelo menos na capacidade de vigilância marítima.

Não vamos desenvolver o nosso próprio UCAV. Só os custos de testar e certificar o lançamento de armas ficava mais caro que o desenvolvimento de todo o projecto do UAV em si. A única hipótese seria um trabalho conjunto, por exemplo Tekever com a MBDA ou a Thales, para pegar no AR5 e militarizá-lo, com a inclusão de, por exemplo, mísseis Martlet (os mesmos mísseis da famosa foto do Lynx Wildcat, a carregar 20 deles), com o intuito de desenvolver um UCAV low cost capaz de competir com os modelos turcos. Fora isso, um projecto conjunto, estaremos dependentes de comprar algo "off the shelf", tipo MQ-9 Reaper.
Título: Re: UAVs na FAP
Enviado por: Pescador em Agosto 31, 2021, 11:16:19 am
Portugal não tem nem mercado (Estado) nem capacidade instalada para poder fazer concurso e esperar 2 ou mais empresas nacionais... o concurso, por pressão do Governo, é que pedia o impossível para os fornecedores nacionais.

Pelo que eu entendo, para além de voar e "ver", o UAV também tem de ter capacidades de especificas para fogos florestais; e que temos uma empresa aparentemente muito mais avançada em vigilância marítima e o processo apanhou a outra empresa, que estava a desenvolver o seu produto com as Forças Armadas, ainda em uma fase muito inicial. Mas acredito que após os problemas - normais - de desenvolvimento e testes vamos ter algo que se veja.

Não estou a ver "massa critica" (capital, mercado, vontade, etc) para irmos desenvolver UAVC, mas para FF e controle marítimo... temos hipóteses, se cliente (Estado), empresas e universidades colaborarem.       

Nós por cá, pelo menos numa fase inicial da implementação de UAVs, nem sequer precisamos de fazer grandes concursos. É fazer ajuste directo para as empresas nacionais e simplesmente adquirir os modelos mais adequados. Se eventualmente as FAs tivessem que ter o AR5 e as duas versões do OGS42 (convencional e VTOL), que assim fosse. Cada um teria a sua função. Francamente não vejo razão para não termos já adquirido pelo menos 2 ou 3 AR5, mesmo que à parte dos UAV para os fogos florestais.

Não sei se os Ogassa terão assim características muito específicas para os fogos florestais. Só se tivessem algum tipo de resistência especial ao calor e fumo gerado pelos incêndios (o que duvido) ou sensores próprios para a função (que certamente poderão ser instalados noutros meios). Em teoria sim, os problemas lá se resolverão. A questão é quando. É que continuamos a atrasar-nos face a todos os outros, que já vão de UCAV, MALE/HALE, stealth, swarms, loyal wingman, AI, loitering munition, e por aí fora. Mais uma vez o AR5 encurtava distâncias, pelo menos na capacidade de vigilância marítima.

Não vamos desenvolver o nosso próprio UCAV. Só os custos de testar e certificar o lançamento de armas ficava mais caro que o desenvolvimento de todo o projecto do UAV em si. A única hipótese seria um trabalho conjunto, por exemplo Tekever com a MBDA ou a Thales, para pegar no AR5 e militarizá-lo, com a inclusão de, por exemplo, mísseis Martlet (os mesmos mísseis da famosa foto do Lynx Wildcat, a carregar 20 deles), com o intuito de desenvolver um UCAV low cost capaz de competir com os modelos turcos. Fora isso, um projecto conjunto, estaremos dependentes de comprar algo "off the shelf", tipo MQ-9 Reaper.

Concordo

Quanto ao AR5 consegue levar 50 quilos de material. Nenhum outro nacional chega perto disso.
Misseis, claro, se a Tekever estiver aliciada a ir nesse caminho por necessidade nacional, com parceirias. Afinal sendo um empresa já com projecção internacional decerto conseguia isso sem muita dificuldade.

Quanto a combate a fogos ou equipamentos de vigilancia supera todos os outros até ligação satélite tem e as 20 horas de voo davam uma margem de actuação como nehum outro.

Mas mesmo o AR3, mais pequeno tem 10 horas (ou mais consoante a versão)de voo e equipamentos de vigilancia semelhantes embora muito menos capacidade de carga. Seria muito bom para vigilancia e superior aos actuais brinquedos.

Deixo link do mais recente AR3
  http://uas.tekever.com/ar3/

Uma outra versão deste já foi testada a bordo de um NPO. Pois é lançado de rampa e recolhido por "rede".
Uma solução maritima também com validade para as Ilhas, por exemplo.

Há soluções e outras podem advir de parceirias como é dito. Importa é limpar interesses pessoais e colocar o interesse maior em cima da mesa, o País.

Título: Re: UAVs na FAP
Enviado por: LuisPolis em Setembro 12, 2021, 01:00:48 am
Como é que se traduz para português as loitering munitions ? São considerados uavs?
Título: Re: UAVs na FAP
Enviado por: NVF em Setembro 12, 2021, 03:51:47 am
Uma tradução simplificada seria munições sem-abrigo.
Título: Re: UAVs na FAP
Enviado por: zawevo em Setembro 12, 2021, 03:29:32 pm
Uma "loitering munition" (também conhecida como 'drone suicida' ou 'drone kamikaze')   é uma categoria de sistema de armas em que a munição perambula ao redor da área de destino por algum tempo, procura por alvos e ataca assim que um alvo é localizado. Wikipédia
Título: Re: UAVs na FAP
Enviado por: Pescador em Setembro 15, 2021, 10:35:38 am
https://www.navalnews.com/event-news/dsei-2021/2021/09/dsei-2021-tekevers-uas-used-to-survey-the-british-channel/

"Nós" é que sabemos.
Nem saber aproveitar o que temos feito cá
Título: Re: UAVs na FAP
Enviado por: redkukulkane em Setembro 16, 2021, 08:11:39 pm
tekever lança o tekever atlas . 8)

DSEI 2021: Tekever lança Tekever Atlas para dados de processamento histórico e em tempo real de UAV
TEKEVER está demonstrando durante DSEI (Londres, 14-17, 2021) seu novo TEKEVER ATLAS, uma ferramenta para melhorar as missões de Sistemas Aéreos Não Tripulados. Ele fornece análises avançadas de Inteligência Artificial (AI) a bordo para processamento de dados em tempo real e histórico. Projetado para os principais tomadores de decisão, o TEKEVER ATLAS oferece inteligência a bordo, bem como ferramentas baseadas no solo, e garante que a pessoa certa receba as informações certas no momento certo.

(https://i.imgur.com/6dIdrBT.jpg)
Programa Oficial de Reconhecimento do Exército, Notícias Diárias e Web TV UMEX 2020 925 001
Tekever Atlas fornece análises avançadas de Inteligência Artificial (AI) a bordo para processamento histórico e em tempo real de dados (fonte da imagem: Tekever)

“TEKEVER ATLAS é uma ferramenta que amplia as capacidades de TEKEVERtecnologia não tripulada da. Ele permite que você colete todas as informações e as explore depois de coletadas. ATLAS é um bom nome para os sistemas porque contém todas as informações que coletamos sobre o mundo. Ele se conecta a vários sistemas UAS ao mesmo tempo para coletar dados dos sensores que estão a bordo (vídeo óptico, vídeo infravermelho, radar, sensores multiespectrais, radares de abertura estática, por exemplo). Essas informações chegam por uma rede privada e são coletadas em nosso datacenter alimentado por AI / ML, onde todas as informações são armazenadas e marcadas ", explica Paulo Ferro, Diretor de Desenvolvimento de Negócios da TEKEVER

Os tomadores de decisão serão capazes de planejar missões com mais eficácia, incluindo facilmente parâmetros como áreas de interesse, objetivos e metas. Isso permitirá que o usuário final reveja os detalhes específicos de qualquer missão e recupere facilmente os dados históricos necessários como evidência para o processo.
(https://i.imgur.com/Ls31TRy.jpg)

Programa Oficial de Reconhecimento do Exército, Notícias Diárias e Web TV UMEX 2020 925 001
Tekever AR5 (Fonte da imagem: Reconhecimento do Exército)



Título: Re: UAVs na FAP
Enviado por: Red Baron em Novembro 18, 2021, 10:41:24 pm
Citar
Next Generation Small RPAS (NGSR)
Spain, Germany, Portugal, Romania, Slovenia
Adopted on 16 November 2021

This  project  aims  to  develop  the  next  generation  of  tactical UAS. The design characteristics and expected performance provide a potential use fo  tactical 
Army units (Brigade/Division size), for Maritime and Air domains, as well as for dual use (civilian  defence),  namely  by  law  enforcement  organizations or disaster/emergency agencies.
Envisaged as a multi-purpose/multi-role system, it will enable different tactical solutions required by commanders. This UAS will be able to employ autonomous behaviours to reduce pilot and operator workload.
Take-off and landing will be possible without runway –as it is required in a tactical environment– aiming for a medium range (up to 200km) and a medium  duration (5-10 hours of mission).
Technology  advancements will allow an open architecture, payload modularity, and interoperability to maximize system effectiveness.
The project will require significant development in fields such as EO/IR sensors, power  system, BLOS and LOS  radio communications.

De duplo uso como nós gostamos. c56x1
Título: Re: UAVs na FAP
Enviado por: nelson38899 em Novembro 19, 2021, 09:13:52 am
Volto a dizer, coisas militares neste momento são assunto tabu.

Não se esqueça que quem apoia o governo, PAN e BE querem o fim das Forças Armadas e o PCP só aceita comprar armas a moscovo e a pequim.

Logo tem que se inventar este duplo uso.
Título: Re: UAVs na FAP
Enviado por: asalves em Novembro 19, 2021, 09:26:38 am
Volto a dizer, coisas militares neste momento são assunto tabu.

Não se esqueça que quem apoia o governo, PAN e BE querem o fim das Forças Armadas e o PCP só aceita comprar armas a moscovo e a pequim.

Logo tem que se inventar este duplo uso.

Atenção isso do duplo uso está mal interpretado, nos documentos estratégicos que existem (conceito de estratégia militar e Defesa 2020) está referido que se deve sempre que possível optar por equipamentos que permitam o duplo uso ou facilitar sempre o duplo uso dos meios (humanos e físicos), contudo o duplo uso não é só o par militar-civil, mas sim duplo uso principalmente nos diferentes ramos (um heli servir para FAP, Marinha e Exercito, um navio (patrulha) servir para diferentes entidades dentro e fora da marinha, os fuzileiros, fap e exercito puderem partilhar os veículos 4x4)
Título: Re: UAVs na FAP
Enviado por: Charlie Jaguar em Novembro 19, 2021, 12:37:57 pm
Não se esqueça que quem apoia o governo, PAN e BE querem o fim das Forças Armadas e o PCP só aceita comprar armas a moscovo e a pequim.

Faltou a Coreia do Norte e Cuba. E os comunistas também voltaram a comer criancinhas ao pequeno-almoço, umas mais bem torradas do que outras, com manteiga de um ou dos dois lados. :mrgreen:

Isso é uma ideia pré-concebida antiga e neste momento bastante errada: a aversão aos militares, e por conseguinte às Forças Armadas, é transversal a todo o espectro político por esta altura, seja ele de que quadrante ou extremo for. Não se deixem enganar por populismos e histórias da carochinha, a classe política acha tudo o que seja militar um estorvo desnecessário. 
Título: Re: UAVs na FAP
Enviado por: nelson38899 em Janeiro 08, 2022, 06:24:35 pm
991 Squadron

(https://media-exp1.licdn.com/dms/image/C4D22AQHNgf1VsIY9ww/feedshare-shrink_1280/0/1641585290133?e=1644451200&v=beta&t=XT1qTTOT8Ut_Z88GHpKfkqAFKEl5Q7owdg1cD-9XeDw)

https://www.linkedin.com/in/lu%C3%ADs-coelho-da-silva-28078ab0/
Título: Re: UAVs na FAP
Enviado por: nelson38899 em Janeiro 08, 2022, 06:27:48 pm
(https://media-exp1.licdn.com/dms/image/C4D22AQFtdaQ-fvcPIg/feedshare-shrink_1280/0/1640902709279?e=1644451200&v=beta&t=TtogqTanuYv8ZJJ-iVqIFd94y6cz2QL-PsFK7bhGjY4)
Título: Re: UAVs na FAP
Enviado por: Get_It em Janeiro 08, 2022, 07:42:14 pm
Alguma ideia do porquê deles não reactivarem a 401, para preservar a tradição da esquadra 401 e porquê não manteram a designação de esquadra de reconhecimento?

Cumprimentos,
Título: Re: UAVs na FAP
Enviado por: Lightning em Janeiro 08, 2022, 10:35:30 pm
Alguma ideia do porquê deles não reactivarem a 401, para preservar a tradição da esquadra 401 e porquê não manteram a designação de esquadra de reconhecimento?

Cumprimentos,

Desconheço e por mim teria logica serem 401, esse numero 991, não vai de encontro ao que estava estipulado, apenas o 1 final tem sentido, pois é a 1a esquadra ..., agora os outros numeros serem 9, não tem sentido, aliás o numero do meio deveria ser 0 que significaria aeronave de asa fixa, mas venha lá o 9, será o quê? Aeronave não tripulada???
Título: Re: UAVs na FAP
Enviado por: Lightning em Janeiro 08, 2022, 10:39:42 pm
Uma melhor imagem do simbolo da esquadra, lá também não diz que é de reconhecimento.

(https://pbs.twimg.com/media/FF8nWkdXoAcFBK9.jpg)
Título: Re: UAVs na FAP
Enviado por: Get_It em Janeiro 08, 2022, 10:55:47 pm
Desconheço e por mim teria logica serem 401, esse numero 991, não vai de encontro ao que estava estipulado, apenas o 1 final tem sentido, pois é a 1a esquadra ..., agora os outros numeros serem 9, não tem sentido, aliás o numero do meio deveria ser 0 que significaria aeronave de asa fixa, mas venha lá o 9, será o quê? Aeronave não tripulada???
É provável que tenham adoptado o primeiro digito 9 para UAV, embora na minha opinião não faça muito sentido, ou que tenha sido adoptado para uma nova missão. No entanto, o que essa esquadra faz com os UAVs é vigilância (= reconhecimento), a não ser que possam ter adoptado o 9 para esquadra experimental ou de teste de sistemas.

O segundo digito 9 poderá ser UAV como também poderá por serem aeronaves com capacidade VTOL.

Uma melhor imagem do simbolo da esquadra, lá também não diz que é de reconhecimento.
O lema inclui «distinto olhar». Curioso é as estrelas e o raio de luz vindo do céu/espaço e depois ainda temos uma borda em amarelo que aparenta iludir a nossa área marítima.

Harpia segundo o dicionário priberam:
Citação de: priberam
1. [Mitologia]  Monstro alado da mitologia grega, com rosto de mulher, corpo de abutre, unhas em forma de garra, que personificava as tempestades e a morte.
Futura missão de ataque? Então para isso deveria ser esquadra 302, 802 (de especial) ou até 602.

Citação de: priberam
2. [Depreciativo]  Pessoa avarenta e má, que vive de extorsões.

3. [Zoologia] Grande ave de rapina diurna (Harpia harpyja) da família dos accipitrídeos, de cabeça acinzentada, com um disco facial de penas e um penacho na parte de trás da nuca que se podem erguer, plumagem cinzento-escura no dorso, à volta do pescoço e no exterior das asas e plumagem branca no peito e na parte inferior das asas, pernas curtas, grossas e listradas de preto, com garras grossas, amarelas e fortes, encontrada em florestas tropicais da América Central à América do Sul.

Cumprimentos,
Título: Re: UAVs na FAP
Enviado por: Lightning em Janeiro 09, 2022, 11:56:10 am
Curioso é as estrelas e o raio de luz vindo do céu/espaço.

Essq parte faz-me lembrar o brasão do Comando Aéreo.

https://www.emfa.pt/unidade-brasao-16-comando-aereo
Título: Re: UAVs na FAP
Enviado por: LM em Janeiro 28, 2022, 04:00:14 pm
Eurodrone Receives Green Light to Enter Production (https://www.thedefensepost.com/2022/01/28/eurodrone-enters-production/)

Citar
The Spanish government has given final approval to participate in a multinational project to produce Europe’s next-generation drone.

Airbus chief executive officer Michael Schoellhorn revealed that the country’s council of ministers declared budgetary approval for the Eurodrone program earlier this week, officially signifying Madrid’s participation in the project alongside Germany, France, and Italy.

Spain will reportedly participate with a 23-percent share, with funding provided by the country’s Ministry of Defense and Ministry of Industry, Trade, and Tourism.

In 2020, a draft contract for the Eurodrone project was signed by France. Germany also signed on to the program five months later despite budgetary concerns.

Eurodrone project head Daniela Lohwasser said during an Airbus media briefing in November 2021 that Italy also agreed to be involved in the program. However, necessary approval by Spain was delayed for undisclosed reasons.

The multinational program has been delayed by two years.

Citar
About the Eurodrone

Described as “the first unmanned aerial system designed to fly in non-segregated airspace,” the Eurodrone can perform intelligence, surveillance, target acquisition, and reconnaissance missions.

Airbus said the next-generation platform would give Europe “unparalleled competencies” in unmanned systems and offer advanced strategic performance capabilities to help guarantee European sovereignty.

Although the Eurodrone has received criticism because of the difficulties of facilitating a multinational project, the platform is expected to enhance European security and defense. It is meant to become an essential asset for future combat air systems.

“Eurodrone is designed to become one of the main pillars of any future combat air system, prepared for real integration into civil airspace based on minimal restrictions and easy transportability due to its modular design,” Airbus explained on its website.

The four nations involved in the project have ordered a total of 20 systems, each comprising two ground stations and three unmanned aircraft. The first flight for the state-of-the-art drone is targeted for 2025, with initial deliveries expected in 2028.

(https://www.thedefensepost.com/wp-content/uploads/2022/01/arctic-missionairbus-1-768x516.jpg)
Título: Re: UAVs na FAP
Enviado por: Red Baron em Março 09, 2022, 09:58:24 pm
Parece que a TEKEVER vai utilizar verbas do PRR para desenvolver um drone de 1 tonelada.

Vamos ver no que vai dar.
Título: Re: UAVs na FAP
Enviado por: Camuflage em Março 09, 2022, 11:17:48 pm
Tentar reinventar a roda... se já existem no mercado bons drones, não entendo para que dar relevância a algo que não funciona.
Título: Re: UAVs na FAP
Enviado por: asalves em Março 10, 2022, 09:50:38 am
Tentar reinventar a roda... se já existem no mercado bons drones, não entendo para que dar relevância a algo que não funciona.

Se fossem todos assim ainda andávamos de carroça ou a caçar mamutes (se ainda houvessem)  ;D
Título: Re: UAVs na FAP
Enviado por: Red Baron em Março 10, 2022, 10:17:41 am
Tentar reinventar a roda... se já existem no mercado bons drones, não entendo para que dar relevância a algo que não funciona.

A TAKEVER é líder europeia na área de drones de vigilância, não apostar numa industria exportadora que cria empregos em Portugal porque  "se já existem no mercado bons drones" não é boa política.

Se a TEKEVER quer continuar a ganhar contratos internacionais tem de continuar a evoluir.
Título: Re: UAVs na FAP
Enviado por: LM em Março 10, 2022, 10:25:38 am
Parece que a TEKEVER vai utilizar verbas do PRR para desenvolver um drone de 1 tonelada.

Vamos ver no que vai dar.

Será que eu "sonhei" que vi um vídeo, recente, do responsável da TEKEVER que  - de forma perentória e "orgulhosa" - disse que os drones da empresa são eram para ser armados, eram apenas para vigilância? Julgo que há muito que se possa fazer apenas em vigilância e, se quisermos armados, talvez seja de mais lógico ir adquirir outros modelos do que estar sozinhos a desenvolver... mas faz impressão este "medo" da palavra armado.     
Título: Re: UAVs na FAP
Enviado por: typhonman em Março 10, 2022, 11:11:32 am
Parece que a TEKEVER vai utilizar verbas do PRR para desenvolver um drone de 1 tonelada.

Vamos ver no que vai dar.

Será que eu "sonhei" que vi um vídeo, recente, do responsável da TEKEVER que  - de forma perentória e "orgulhosa" - disse que os drones da empresa são eram para ser armados, eram apenas para vigilância? Julgo que há muito que se possa fazer apenas em vigilância e, se quisermos armados, talvez seja de mais lógico ir adquirir outros modelos do que estar sozinhos a desenvolver... mas faz impressão este "medo" da palavra armado.     

Pá, vocês ainda não perceberam, que existe cá em Portugal, uma celeuma e um mau estar com tudo o que seja "armas" mísseis, bombas etc...Esqueçam isso! Se quiserem façam como a Holanda, Marrocos, Espanha, Polónia. comprem o MQ-9 Reaper.
Título: Re: UAVs na FAP
Enviado por: PTWolf em Março 10, 2022, 11:24:04 am
Tentar reinventar a roda... se já existem no mercado bons drones, não entendo para que dar relevância a algo que não funciona.

A TAKEVER é líder europeia na área de drones de vigilância, não apostar numa industria exportadora que cria empregos em Portugal porque  "se já existem no mercado bons drones" não é boa política.

Se a TEKEVER quer continuar a ganhar contratos internacionais tem de continuar a evoluir.

Totalmente de acordo, nós já temos pouca industria, senão protegemos e potenciamos o que temos então ao invés de evoluir, regredimos.
Não faz sentido ter ja o know-how e não o aplicar em outras vertentes, neste caso o militar.
Título: Re: UAVs na FAP
Enviado por: Pescador em Março 10, 2022, 01:27:04 pm
Parece que a TEKEVER vai utilizar verbas do PRR para desenvolver um drone de 1 tonelada.

Vamos ver no que vai dar.

Se a FAP tivesse optado pelos Tekever AR5 em vez da trotinete aérea que voa as vezes, já podíamos ter cobertura de vigilância em zonas remotas, nomeadamente em Porto Santo e toda aquela zona SUL do arquipélago.

Mas compraram à presa uma dúzia de trotinetes.
Se calhar por alguma razão que nem é habitual por cá  c56x1
Consta que a Tekever é uma empresa que prima por uma certa "rigidez". dai um dos fundadores ter sido despachado quando saiu fora do p...a usufruir. Isso é algo fora do comum por cá.

Mas foi de especial pertinência adquirir para a FAP um VTOL?

Na marinha é fácil perceber, agora na FAP...

E até o AR3, que tem evoluído muito devido ao potencial partindo das capacidades básicas iniciais.


Mas pronto, vale mais tarde que nunca, até a Marinha está a olhar para eles agora
Título: Re: UAVs na FAP
Enviado por: Camuflage em Março 10, 2022, 08:04:07 pm
Tentar reinventar a roda... se já existem no mercado bons drones, não entendo para que dar relevância a algo que não funciona.

A TAKEVER é líder europeia na área de drones de vigilância, não apostar numa industria exportadora que cria empregos em Portugal porque  "se já existem no mercado bons drones" não é boa política.

Se a TEKEVER quer continuar a ganhar contratos internacionais tem de continuar a evoluir.

Não à boleia do Estado português. Há bons drones não interessa a empresa é comprar.
O lixo que não tem outro nome, adquirido à TEKEVER deu provas de não servir os interesses nacionais - next!
Título: Re: UAVs na FAP
Enviado por: dc em Março 10, 2022, 08:14:37 pm
Tentar reinventar a roda... se já existem no mercado bons drones, não entendo para que dar relevância a algo que não funciona.

A TAKEVER é líder europeia na área de drones de vigilância, não apostar numa industria exportadora que cria empregos em Portugal porque  "se já existem no mercado bons drones" não é boa política.

Se a TEKEVER quer continuar a ganhar contratos internacionais tem de continuar a evoluir.

Não à boleia do Estado português. Há bons drones não interessa a empresa é comprar.
O lixo que não tem outro nome, adquirido à TEKEVER deu provas de não servir os interesses nacionais - next!

Tenho 700% de certeza que estás a confundir a Tekever com a Ogassa (esta sim forneceu os UAVs para vigilância florestal).
Título: Re: UAVs na FAP
Enviado por: Camuflage em Março 10, 2022, 09:33:18 pm
Tentar reinventar a roda... se já existem no mercado bons drones, não entendo para que dar relevância a algo que não funciona.

A TAKEVER é líder europeia na área de drones de vigilância, não apostar numa industria exportadora que cria empregos em Portugal porque  "se já existem no mercado bons drones" não é boa política.

Se a TEKEVER quer continuar a ganhar contratos internacionais tem de continuar a evoluir.

Não à boleia do Estado português. Há bons drones não interessa a empresa é comprar.
O lixo que não tem outro nome, adquirido à TEKEVER deu provas de não servir os interesses nacionais - next!

Tenho 700% de certeza que estás a confundir a Tekever com a Ogassa (esta sim forneceu os UAVs para vigilância florestal).

Estes: https://www.dn.pt/sociedade/incendios-drones-da-forca-aerea-de-novo-em-terra-voltam-a-falhar-missoes-de-vigilancia-14028385.html se são da Ogassa então retiro o que disse. Quanto a estes drones para mim são lixo puro e dinheiro deitado fora.
Título: Re: UAVs na FAP
Enviado por: Pescador em Março 10, 2022, 10:33:27 pm
Tentar reinventar a roda... se já existem no mercado bons drones, não entendo para que dar relevância a algo que não funciona.

A TAKEVER é líder europeia na área de drones de vigilância, não apostar numa industria exportadora que cria empregos em Portugal porque  "se já existem no mercado bons drones" não é boa política.

Se a TEKEVER quer continuar a ganhar contratos internacionais tem de continuar a evoluir.

Não à boleia do Estado português. Há bons drones não interessa a empresa é comprar.
O lixo que não tem outro nome, adquirido à TEKEVER deu provas de não servir os interesses nacionais - next!

Tenho 700% de certeza que estás a confundir a Tekever com a Ogassa (esta sim forneceu os UAVs para vigilância florestal).

Estes: https://www.dn.pt/sociedade/incendios-drones-da-forca-aerea-de-novo-em-terra-voltam-a-falhar-missoes-de-vigilancia-14028385.html se são da Ogassa então retiro o que disse. Quanto a estes drones para mim são lixo puro e dinheiro deitado fora.


O lixo é o Ogassa que adquiriram a pressa e uma dúzia como os ovos

Nada  a ver com Tekever que está em cinco países. São usados também pela Agencia Europeia de Segurança Marítima.
Tomáramos que a FAP tivesse adquirido AR5 em vez de trotinetes Ogassa.

Quanto a armados ou não armados. Tudo tem um começo e, de qualquer maneira mesmo não armados, muita falta fazem drones de elevada capacidades como as demostradas pelo AR5.
Bom era a Tekever debruçar-se num modelo mais do género do V 200 da Saab para os Patrulhas da Marinha

Agora brinquedos como os que estão é que não
Título: Re: UAVs na FAP
Enviado por: HSMW em Março 11, 2022, 12:25:10 am
 Mesmo para o Exército a formação que vai ser dada é para operar e manter os OGASSA OGS42 da UAVision.

https://www.uavision.com/ogassa-ogs42?lang=pt
Título: Re: UAVs na FAP
Enviado por: asalves em Março 11, 2022, 10:24:59 am
Eu não tenho a certeza mas a Tekever começou como a Ogassa, acho que começaram também com umas parcerias com a FAP/Exercito e depois evoluíram.

Eu não acho estranho a Parceria que existe com a Ogassa, é algo que vemos noutros países, o estado a suportar o desenvolvimento de tecnologias juntamente com empresas. (Foi tentado com os extintos Estaleiros Viana, Alfeite, Produção Padur,...)

Acho que o problema aqui foi a parte Política meter o nariz em tudo. Provavelmente havia um plano mais extenso para o desenvolvimento do drones da Ogassa que foi apressado com a ideia de alguém num gabinete. a Fap e a Marinha erraram ao aceitar essas negociatas, mas secalhar foi a oportunidade que tinha de ganhar alguma capacidade.

Pessoalmente não acho que os drones da Ogassa sejam maus (tem um conceito interessante), simplesmente ainda estão numa fase de evolução.

PS: Seria interessante saber o numero de horas de voo dos drones, pois eu quase todos os dias vejo algum no ar as vezes mais do que um, e seria também interessante ver os relatórios das falhas dos mesmos, saber se foi falha de material (fadiga/defeito) ou erro humano (falta treino/pratica).
Título: Re: UAVs na FAP
Enviado por: Red Baron em Março 11, 2022, 10:25:39 am
Tentar reinventar a roda... se já existem no mercado bons drones, não entendo para que dar relevância a algo que não funciona.

A TAKEVER é líder europeia na área de drones de vigilância, não apostar numa industria exportadora que cria empregos em Portugal porque  "se já existem no mercado bons drones" não é boa política.

Se a TEKEVER quer continuar a ganhar contratos internacionais tem de continuar a evoluir.

Não à boleia do Estado português. Há bons drones não interessa a empresa é comprar.
O lixo que não tem outro nome, adquirido à TEKEVER deu provas de não servir os interesses nacionais - next!

Tenho 700% de certeza que estás a confundir a Tekever com a Ogassa (esta sim forneceu os UAVs para vigilância florestal).

Estes: https://www.dn.pt/sociedade/incendios-drones-da-forca-aerea-de-novo-em-terra-voltam-a-falhar-missoes-de-vigilancia-14028385.html se são da Ogassa então retiro o que disse. Quanto a estes drones para mim são lixo puro e dinheiro deitado fora.


O lixo é o Ogassa que adquiriram a pressa e uma dúzia como os ovos

Nada  a ver com Tekever que está em cinco países. São usados também pela Agencia Europeia de Segurança Marítima.
Tomáramos que a FAP tivesse adquirido AR5 em vez de trotinetes Ogassa.

Quanto a armados ou não armados. Tudo tem um começo e, de qualquer maneira mesmo não armados, muita falta fazem drones de elevada capacidades como as demostradas pelo AR5.
Bom era a Tekever debruçar-se num modelo mais do género do V 200 da Saab para os Patrulhas da Marinha

Agora brinquedos como os que estão é que não

Seria os AR3 nunca os AR5. Não havia orçamento para isso. Mesmo nos Ogassa tiverem de fazer cortes(por isso é que deu merda).
Título: Re: UAVs na FAP
Enviado por: Camuflage em Março 11, 2022, 08:39:14 pm
Eu gostava de drones funcionais, capazes de estarem no ar longas horas para vigilância marítima e terrestre (no tempo dos incêndios), podendo depois ter outras funcionalidades como reunir intel para as forças militares. Isto sim já seria muito bom e poupava-se muito dinheiro.
Título: Re: UAVs na FAP
Enviado por: dc em Março 11, 2022, 09:07:58 pm
Os Ogassa nem são propriamente caros. Era um projecto sem maturidade, que venceu um concurso que não devia ter vencido (concurso à tuga, feito para um concorrente específico vencer), com entregas feitas à pressa (explicando os inúmeros defeitos das aeronaves). Feito como deve ser, podia ter bons resultados, feito à tuga, deu asneira. Como sabemos, todos os anos há incêndios no Verão, se o governo, sabendo disso, apenas decido comprar os UAVs 2 meses antes da dita época, é fácil de perceber de quem é a culpa...

Quanto aos UAVs, de médio e grande porte, creio que, puramente para vigilância, devia-se optar por meios nacionais. No que diz respeito a UCAVs, que é algo bem mais sério e dispendioso, aí sim, UCAVs estrangeiros já desenvolvidos e prontos a operar.
Título: Re: UAVs na FAP
Enviado por: jpthiran em Março 12, 2022, 10:53:28 pm
Boa noite.

Porque ninguém fala dos drones Turcos que tão bons resultados tem dado e que tem mais de uma década de desenvolvimento ?
Vamos inventar a roda de novo ?
Cumprimentos,

Jean-Pierre.
Título: Re: UAVs na FAP
Enviado por: Red Baron em Março 13, 2022, 02:17:12 am
Os Ogassa nem são propriamente caros. Era um projecto sem maturidade, que venceu um concurso que não devia ter vencido (concurso à tuga, feito para um concorrente específico vencer), com entregas feitas à pressa (explicando os inúmeros defeitos das aeronaves). Feito como deve ser, podia ter bons resultados, feito à tuga, deu asneira. Como sabemos, todos os anos há incêndios no Verão, se o governo, sabendo disso, apenas decido comprar os UAVs 2 meses antes da dita época, é fácil de perceber de quem é a culpa...

Quanto aos UAVs, de médio e grande porte, creio que, puramente para vigilância, devia-se optar por meios nacionais. No que diz respeito a UCAVs, que é algo bem mais sério e dispendioso, aí sim, UCAVs estrangeiros já desenvolvidos e prontos a operar.
Pelo contrario, os Ogassa são um projecto com maturidade a mais.
O problema do concurso é que não era apenas para os UAV também incluía as torres de comunicação.  Por isso foram feitas poupanças nos drones para ter as torres.

Antes de pensarmos em drones temos de construir uma rede de comunicação radio para operar os drones.
Título: Re: UAVs na FAP
Enviado por: Pescador em Março 13, 2022, 10:32:31 am
Eu não tenho a certeza mas a Tekever começou como a Ogassa, acho que começaram também com umas parcerias com a FAP/Exercito e depois evoluíram.

Eu não acho estranho a Parceria que existe com a Ogassa, é algo que vemos noutros países, o estado a suportar o desenvolvimento de tecnologias juntamente com empresas. (Foi tentado com os extintos Estaleiros Viana, Alfeite, Produção Padur,...)

Acho que o problema aqui foi a parte Política meter o nariz em tudo. Provavelmente havia um plano mais extenso para o desenvolvimento do drones da Ogassa que foi apressado com a ideia de alguém num gabinete. a Fap e a Marinha erraram ao aceitar essas negociatas, mas secalhar foi a oportunidade que tinha de ganhar alguma capacidade.

Pessoalmente não acho que os drones da Ogassa sejam maus (tem um conceito interessante), simplesmente ainda estão numa fase de evolução.

PS: Seria interessante saber o numero de horas de voo dos drones, pois eu quase todos os dias vejo algum no ar as vezes mais do que um, e seria também interessante ver os relatórios das falhas dos mesmos, saber se foi falha de material (fadiga/defeito) ou erro humano (falta treino/pratica).

http://uas.tekever.com/ar5/      autonomia mais de 20 horas de voo
https://www.tekever.com/models/ar3/  16 horas de voo

Usados abundantemente noutros País e pela Autoridade Marítima Europeia, enquanto por cá abundam as falhas e limitações das trotinetes Ogassa

Não devem servir cá decerto, ou vão gerar mais comissões como das fragatas, onde a converseta se arrasta no tempo e nada produz. Mas também alguma promiscuidade politico militar é no que dá. Não serve as FA nem o País, serve outros interesses

Comparar ao Ogassa aos Tekever só tem igual a comparar NPO complexados a outros Patrulhas Oceânicos a sério.

Mais do mesmo

 
Título: Re: UAVs na FAP
Enviado por: Red Baron em Março 13, 2022, 01:08:41 pm
Eu não tenho a certeza mas a Tekever começou como a Ogassa, acho que começaram também com umas parcerias com a FAP/Exercito e depois evoluíram.

Eu não acho estranho a Parceria que existe com a Ogassa, é algo que vemos noutros países, o estado a suportar o desenvolvimento de tecnologias juntamente com empresas. (Foi tentado com os extintos Estaleiros Viana, Alfeite, Produção Padur,...)

Acho que o problema aqui foi a parte Política meter o nariz em tudo. Provavelmente havia um plano mais extenso para o desenvolvimento do drones da Ogassa que foi apressado com a ideia de alguém num gabinete. a Fap e a Marinha erraram ao aceitar essas negociatas, mas secalhar foi a oportunidade que tinha de ganhar alguma capacidade.

Pessoalmente não acho que os drones da Ogassa sejam maus (tem um conceito interessante), simplesmente ainda estão numa fase de evolução.

PS: Seria interessante saber o numero de horas de voo dos drones, pois eu quase todos os dias vejo algum no ar as vezes mais do que um, e seria também interessante ver os relatórios das falhas dos mesmos, saber se foi falha de material (fadiga/defeito) ou erro humano (falta treino/pratica).

http://uas.tekever.com/ar5/      autonomia mais de 20 horas de voo
https://www.tekever.com/models/ar3/  16 horas de voo

Usados abundantemente noutros País e pela Autoridade Marítima Europeia, enquanto por cá abundam as falhas e limitações das trotinetes Ogassa

Não devem servir cá decerto, ou vão gerar mais comissões como das fragatas, onde a converseta se arrasta no tempo e nada produz. Mas também alguma promiscuidade politico militar é no que dá. Não serve as FA nem o País, serve outros interesses

Comparar ao Ogassa aos Tekever só tem igual a comparar NPO complexados a outros Patrulhas Oceânicos a sério.

Mais do mesmo
É bom lembrar que esses concurso foram ganhos com a ajuda de forças nacionais GRN/FAP e o Ogassa também já teve contratos intencionais de operação em conjunto com o exercito.

Enquanto não tivermos uma rede de mini/micro satélites o uso do AR5 para vigilância marítima é muito complicada.
Título: Re: UAVs na FAP
Enviado por: F-16_desnutrido em Março 16, 2022, 01:03:35 am
Parece que a TEKEVER vai utilizar verbas do PRR para desenvolver um drone de 1 tonelada.

Vamos ver no que vai dar.

Nao consigo encontrar nenhuma notícia sobre isso. Apenas encontro acerca de um investimento de 20M que vao ser usados para desenvolver tecnologias submarinas. Podes mandar o link dessa noticia?
Título: Re: UAVs na FAP
Enviado por: Red Baron em Março 16, 2022, 01:03:40 pm
Parece que a TEKEVER vai utilizar verbas do PRR para desenvolver um drone de 1 tonelada.

Vamos ver no que vai dar.

Nao consigo encontrar nenhuma notícia sobre isso. Apenas encontro acerca de um investimento de 20M que vao ser usados para desenvolver tecnologias submarinas. Podes mandar o link dessa noticia?
https://www.rtp.pt/play/p470/e603621/portugal-em-direto
Título: Re: UAVs na FAP
Enviado por: F-16_desnutrido em Março 16, 2022, 02:57:03 pm
Parece que a TEKEVER vai utilizar verbas do PRR para desenvolver um drone de 1 tonelada.

Vamos ver no que vai dar.

Nao consigo encontrar nenhuma notícia sobre isso. Apenas encontro acerca de um investimento de 20M que vao ser usados para desenvolver tecnologias submarinas. Podes mandar o link dessa noticia?
https://www.rtp.pt/play/p470/e603621/portugal-em-direto

Obrigado. Para quem quizer se informar, começam a falar da tekever no min 24:20.
Título: Re: UAVs na FAP
Enviado por: Lusitano89 em Março 25, 2022, 03:20:20 pm
Força Aérea certificada pela Autoridade Aeronáutica Nacional


Título: Re: UAVs na FAP
Enviado por: Pescador em Março 25, 2022, 05:16:37 pm
Força Aérea certificada pela Autoridade Aeronáutica Nacional



No vídeo é o Ogassa


AR3 da Tekever. Numa foto neste link aparece em experiencia num NPO
https://www.tekever.com/

Também a Tekever está debruçada num projecto com capacidade vtol.
Pena não se atirar para um VTOL na linha do V200 da Saab
Título: Re: UAVs na FAP
Enviado por: F-16_desnutrido em Abril 04, 2022, 01:48:07 am
Parece que a TEKEVER está focada no ar3.
Novo modelo do ar3 e ar3 vtol

https://m.facebook.com/tekever/videos/you-know-family-is-not-only-an-important-thing-its-everything-and-we-love-our-fa/4595406290585375/?_rdr

Numa parte do vídeo aparece o que parece ser um ar3 vtol.

O novo ar3 na home do site da tekever https://www.tekever.com/
Título: Re: UAVs na FAP
Enviado por: dc em Abril 04, 2022, 01:07:32 pm
Sim, é um AR3 VTOL. Muito interessante, oferece concorrência directa aos Ogassa adquiridos pela FAP.
Título: Re: UAVs na FAP
Enviado por: F-16_desnutrido em Abril 04, 2022, 08:01:53 pm
Sim, é um AR3 VTOL. Muito interessante, oferece concorrência directa aos Ogassa adquiridos pela FAP.

Para além de vir de uma empresa mais experiente, é bastante mais bonito que os vtol da uavision  :mrgreen:
Título: Re: UAVs na FAP
Enviado por: dc em Abril 04, 2022, 09:31:16 pm
A cauda em V da versão VTOL, dá-lhe mesmo aquele ar de MQ-9 Reaper.
Título: Re: UAVs na FAP
Enviado por: JohnM em Abril 05, 2022, 07:14:23 pm
Comprar uns 3 ou 4 destes para combinar com os P-3 (ou substitutos) era o que precisávamos…

https://breakingdefense.com/2022/04/versatile-multi-domain-mq-9b-seaguardian-has-revolutionized-anti-submarine-warfare/
Título: Re: UAVs na FAP
Enviado por: F-16_desnutrido em Abril 05, 2022, 08:10:05 pm
Comprar uns 3 ou 4 destes para combinar com os P-3 (ou substitutos) era o que precisávamos…

https://breakingdefense.com/2022/04/versatile-multi-domain-mq-9b-seaguardian-has-revolutionized-anti-submarine-warfare/

Seria bonito, mas Portugal, pais pobre que todos nós conhecemos, não poderia dar se ao luxo de mq9s.
Apostar em mais leve e barato.
Lembrando que vem ai um drone de 1 tonelada da tekever. Ansioso para saber o que será e para que missão se adequa.
Título: Re: UAVs na FAP
Enviado por: Subsea7 em Abril 05, 2022, 08:15:29 pm
Comprar uns 3 ou 4 destes para combinar com os P-3 (ou substitutos) era o que precisávamos…

https://breakingdefense.com/2022/04/versatile-multi-domain-mq-9b-seaguardian-has-revolutionized-anti-submarine-warfare/

Uma das hipóteses em conjunto com P-3C e seu futuro substituto.
Cps,
Título: Re: UAVs na FAP
Enviado por: NVF em Abril 06, 2022, 02:39:01 am
Comprar uns 3 ou 4 destes para combinar com os P-3 (ou substitutos) era o que precisávamos…

https://breakingdefense.com/2022/04/versatile-multi-domain-mq-9b-seaguardian-has-revolutionized-anti-submarine-warfare/

Seria bonito, mas Portugal, pais pobre que todos nós conhecemos, não poderia dar se ao luxo de mq9s.
Apostar em mais leve e barato.
Lembrando que vem ai um drone de 1 tonelada da tekever. Ansioso para saber o que será e para que missão se adequa.

Para vigilância tudo bem, mas para combate a Tekever não tem estaleca para competir com um Sea Guardian. Somos uns merdas em quase tudo, mas quando chega a drones toda a gente reage como se tivéssemos os melhores do mundo. Curiosamente, países avançados que desenvolvem e constroem os seus próprios aviões de caça não tem problemas em adquirir Reapers e Sea Guardians.
Título: Re: UAVs na FAP
Enviado por: JohnM em Abril 06, 2022, 04:08:36 am
Comprar uns 3 ou 4 destes para combinar com os P-3 (ou substitutos) era o que precisávamos…

https://breakingdefense.com/2022/04/versatile-multi-domain-mq-9b-seaguardian-has-revolutionized-anti-submarine-warfare/

Uma das hipóteses em conjunto com P-3C e seu futuro substituto.
Cps,
Seria o ideal, não só para patrulha, mas como equipa Hunter-Killer com os P-3 e, se alguma vez se concretizarem, os NPO 3 com sonar rebocado ou de profundidade variável…
Título: Re: UAVs na FAP
Enviado por: Charlie Jaguar em Abril 06, 2022, 10:20:26 am
Comprar uns 3 ou 4 destes para combinar com os P-3 (ou substitutos) era o que precisávamos…

https://breakingdefense.com/2022/04/versatile-multi-domain-mq-9b-seaguardian-has-revolutionized-anti-submarine-warfare/

Uma das hipóteses em conjunto com P-3C e seu futuro substituto.
Cps,
Seria o ideal, não só para patrulha, mas como equipa Hunter-Killer com os P-3 e, se alguma vez se concretizarem, os NPO 3 com sonar rebocado ou de profundidade variável…

Penso que o preferível - e o caminho apontado pela Força Aérea -, é contar ainda com uma plataforma tripulada no pós-P-3C CUP+. Obviamente que o P-8 se perfila como o candidato mais lógico para essa missão, numa altura em que o paradigma das aeronaves utilizadas primordialmente para luta anti-submarina e anti-superfície mudou para verdadeiros sistemas de armas multimissões, do antigo conceito MPA/MRA (Maritime Patrol Aircraft/Maritime Reconnaissance Aircraft) para o actual M3A (Maritime Multi-Mission Aircraft).

E dada a extensão da nossa área de responsabilidade/FIR, naturalmente coadjuvadas por drones de longo endurance.
Título: Re: UAVs na FAP
Enviado por: tenente em Abril 06, 2022, 10:29:22 am
Comprar uns 3 ou 4 destes para combinar com os P-3 (ou substitutos) era o que precisávamos…

https://breakingdefense.com/2022/04/versatile-multi-domain-mq-9b-seaguardian-has-revolutionized-anti-submarine-warfare/

Uma das hipóteses em conjunto com P-3C e seu futuro substituto.
Cps,
Seria o ideal, não só para patrulha, mas como equipa Hunter-Killer com os P-3 e, se alguma vez se concretizarem, os NPO 3 com sonar rebocado ou de profundidade variável…

Penso que o preferível - e o caminho apontado pela Força Aérea -, é contar ainda com uma plataforma tripulada no pós-P-3C CUP+. Obviamente que o P-8 se perfila como o candidato mais lógico para essa missão, numa altura em que o paradigma das aeronaves utilizadas primordialmente para luta anti-submarina e anti-superfície mudou para verdadeiros sistemas de armas multimissões, do antigo conceito MPA/MRA (Maritime Patrol Aircraft/Maritime Reconnaissance Aircraft) para o actual M3A (Maritime Multi-Mission Aircraft).

E dada a extensão da nossa área de responsabilidade/FIR, naturalmente coadjuvadas por drones de longo endurance.

O KC/MPA/MRA/MM390 será de certeza, uma opção a ter em conta tal a sua versatilidade já demonstrada nas mais diversas situações operacionais !!
Venham mas é mais duas unidades para a FAP.
::)   :mrgreen:
Título: Re: UAVs na FAP
Enviado por: Charlie Jaguar em Abril 06, 2022, 11:02:48 am
O KC/MPA/MRA/MM390 será de certeza, uma opção a ter em conta tal a sua versatilidade já demonstrada nas mais diversas situações operacionais !!
Venham mas é mais duas unidades para a FAP.
::)   :mrgreen:

Mesmo com a orquestra a tocar enquanto o navio está a afundar, dá-lhes ideias, dá. Ainda aparece por aí o "Sea Kácête". :mrgreen:
Título: Re: UAVs na FAP
Enviado por: tenente em Abril 06, 2022, 11:17:14 am
O KC/MPA/MRA/MM390 será de certeza, uma opção a ter em conta tal a sua versatilidade já demonstrada nas mais diversas situações operacionais !!
Venham mas é mais duas unidades para a FAP.
::)   :mrgreen:

Mesmo com a orquestra a tocar enquanto o navio está a afundar, dá-lhes ideias, dá. Ainda aparece por aí o "Sea Kácête". :mrgreen:

Mas que argolada a minha CG, esqueci-me completamente da versão anfibia da aeronave, isto da idade já não perdoa.  :rir:

Abraços
Título: Re: UAVs na FAP
Enviado por: Red Baron em Abril 06, 2022, 12:20:19 pm
Comprar uns 3 ou 4 destes para combinar com os P-3 (ou substitutos) era o que precisávamos…

https://breakingdefense.com/2022/04/versatile-multi-domain-mq-9b-seaguardian-has-revolutionized-anti-submarine-warfare/

Uma das hipóteses em conjunto com P-3C e seu futuro substituto.
Cps,
Seria o ideal, não só para patrulha, mas como equipa Hunter-Killer com os P-3 e, se alguma vez se concretizarem, os NPO 3 com sonar rebocado ou de profundidade variável…

Penso que o preferível - e o caminho apontado pela Força Aérea -, é contar ainda com uma plataforma tripulada no pós-P-3C CUP+. Obviamente que o P-8 se perfila como o candidato mais lógico para essa missão, numa altura em que o paradigma das aeronaves utilizadas primordialmente para luta anti-submarina e anti-superfície mudou para verdadeiros sistemas de armas multimissões, do antigo conceito MPA/MRA (Maritime Patrol Aircraft/Maritime Reconnaissance Aircraft) para o actual M3A (Maritime Multi-Mission Aircraft).

E dada a extensão da nossa área de responsabilidade/FIR, naturalmente coadjuvadas por drones de longo endurance.

A ideia atual é drones e satélites para fazer a vigilância.
Mas é muito provável que venha o P-8 porque pode fazer outras missões, basta ver o que o P-3 tem andado a fazer na Polónia. Mas até lá muita coisa vai acontecer.
Título: Re: UAVs na FAP
Enviado por: NVF em Abril 06, 2022, 12:24:37 pm
Mas não era necessário desenvolver uma rede de satélites de baixa altitude, como fizeram os ucranianos?
Título: Re: UAVs na FAP
Enviado por: Red Baron em Abril 06, 2022, 12:51:58 pm
Mas não era necessário desenvolver uma rede de satélites de baixa altitude, como fizeram os ucranianos?

Sim, é por isso que se está a apostar forte no projecto espacial de Santa Maria.
Vamos ver é se Edisoft(Thales) gere melhor este projecto do que os dos NPO do segundo lote.
Título: Re: UAVs na FAP
Enviado por: JohnM em Abril 06, 2022, 03:05:33 pm
Comprar uns 3 ou 4 destes para combinar com os P-3 (ou substitutos) era o que precisávamos…

https://breakingdefense.com/2022/04/versatile-multi-domain-mq-9b-seaguardian-has-revolutionized-anti-submarine-warfare/

Uma das hipóteses em conjunto com P-3C e seu futuro substituto.
Cps,
Seria o ideal, não só para patrulha, mas como equipa Hunter-Killer com os P-3 e, se alguma vez se concretizarem, os NPO 3 com sonar rebocado ou de profundidade variável…

Penso que o preferível - e o caminho apontado pela Força Aérea -, é contar ainda com uma plataforma tripulada no pós-P-3C CUP+. Obviamente que o P-8 se perfila como o candidato mais lógico para essa missão, numa altura em que o paradigma das aeronaves utilizadas primordialmente para luta anti-submarina e anti-superfície mudou para verdadeiros sistemas de armas multimissões, do antigo conceito MPA/MRA (Maritime Patrol Aircraft/Maritime Reconnaissance Aircraft) para o actual M3A (Maritime Multi-Mission Aircraft).

E dada a extensão da nossa área de responsabilidade/FIR, naturalmente coadjuvadas por drones de longo endurance.

A ideia atual é drones e satélites para fazer a vigilância.
Mas é muito provável que venha o P-8 porque pode fazer outras missões, basta ver o que o P-3 tem andado a fazer na Polónia. Mas até lá muita coisa vai acontecer.
As grandes vantagens de um sistema não-tripulado são o custo de aquisição (Taiwan vai pagar 550 milhões EUR por 4 sistemas, enquanto a Alemanha vai pagar 1100 milhões EUR por 5 P-8A) e operacional (até menos 90% que um P-8, por exemplo) e o tempo em estação (25-30 horas a 2000 Km para o Sea Guardian vs. menos de 10 para um meio tripulado). Embora não possam ser vistos como substitutos de um P-3 ou P-8, como complemento são ideais. Por cerca de 400 milhões EUR podiam-se comprar já 3 sistemas para complementar os P-3 e mais tarde substituir estes por 3-4 P-8A.
Título: Re: UAVs na FAP
Enviado por: Charlie Jaguar em Abril 06, 2022, 04:11:47 pm
... e mais tarde substituir estes por 3-4 P-8A.

É mesmo esse o número de aeronaves que a FAP cogita vir um dia a adquirir, no pós-Orion.

Título: Re: UAVs na FAP
Enviado por: Subsea7 em Abril 06, 2022, 08:06:25 pm
... e mais tarde substituir estes por 3-4 P-8A.

É mesmo esse o número de aeronaves que a FAP cogita vir um dia a adquirir, no pós-Orion.

4 P-8A será o mínimo operacional...complementados com UAV.
Cps,
Título: Re: UAVs na FAP
Enviado por: JohnM em Abril 06, 2022, 10:09:34 pm
... e mais tarde substituir estes por 3-4 P-8A.

É mesmo esse o número de aeronaves que a FAP cogita vir um dia a adquirir, no pós-Orion.

4 P-8A será o mínimo operacional...complementados com UAV.
Cps,
Na minha perspetiva, e é apenas a minha opinião, 3-4 P-8A + 3-4 MQ-9B + 3-4 CAPTAS 1 (ou, melhor ainda, CAPTAS 4 Compact) nos NPO 3 seriam suficientes para assegurar as funções  de vigilância e ASW em águas nacionais, libertando assim as fragatas e os submarinos para operações NATO e outras de mais alta intensidade…
Título: Re: UAVs na FAP
Enviado por: Charlie Jaguar em Abril 07, 2022, 12:45:08 pm
4 P-8A será o mínimo operacional...complementados com UAV.
Cps,

Mínimo operacional, que por cá rapidamente passará certamente a máximo operacional.

Olhando para o caso alemão, em que o pacote de aquisição via FMS de 5 aeronaves com treino/formação, sobressalentes e apoio logístico se situa para já nos 1400M€, diria que se conseguirmos obter 4 aparelhos, para ter ao serviço entre o início e meados da próxima década, já será algo muito bom.
Título: Re: UAVs na FAP
Enviado por: Red Baron em Abril 07, 2022, 01:24:51 pm
4 P-8A será o mínimo operacional...complementados com UAV.
Cps,

Mínimo operacional, que por cá rapidamente passará certamente a máximo operacional.

Olhando para o caso alemão, em que o pacote de aquisição via FMS de 5 aeronaves com treino/formação, sobressalentes e apoio logístico se situa para já nos 1400M€, diria que se conseguirmos obter 4 aparelhos, para ter ao serviço entre o início e meados da próxima década, já será algo muito bom.

Mas com ou sem MAD?
Título: Re: UAVs na FAP
Enviado por: Charlie Jaguar em Abril 07, 2022, 02:20:17 pm
Mas com ou sem MAD?

De que caso estás a falar?
Título: Re: UAVs na FAP
Enviado por: Red Baron em Abril 07, 2022, 02:49:10 pm
Mas com ou sem MAD?

De que caso estás a falar?

Magnetic anomaly detector(MAD)

(https://external-content.duckduckgo.com/iu/?u=https%3A%2F%2Flive.staticflickr.com%2F7236%2F7173923169_35d08ba589_b.jpg&f=1&nofb=1)
(https://external-content.duckduckgo.com/iu/?u=https%3A%2F%2Fimg-fotki.yandex.ru%2Fget%2F15594%2F165311716.43%2F0_10b22b_8a1209fa_XXXL.jpg&f=1&nofb=1)
Título: Re: UAVs na FAP
Enviado por: Lightning em Abril 07, 2022, 03:25:05 pm
4 P-8A será o mínimo operacional...complementados com UAV.
Cps,

Mínimo operacional, que por cá rapidamente passará certamente a máximo operacional.

Olhando para o caso alemão, em que o pacote de aquisição via FMS de 5 aeronaves com treino/formação, sobressalentes e apoio logístico se situa para já nos 1400M€, diria que se conseguirmos obter 4 aparelhos, para ter ao serviço entre o início e meados da próxima década, já será algo muito bom.

Mas com ou sem MAD?

Porque é que não haveria de ter? Já é tecnologia ultrapassa?
Título: Re: UAVs na FAP
Enviado por: dc em Abril 07, 2022, 04:19:54 pm
Assim de memória, apenas os P-8 da Índia possuem MAD, os restantes não. Segundo se dizia, tem a ver com a altitude de operação dos P-8, onde o MAD seria pouco eficaz.

Citar
Unlike the preceding P-3, the P-8 lacks a magnetic anomaly detector (MAD) due to its higher operational altitude; its acoustic sensor system is reportedly more effective at acoustic tracking and thus lacking a MAD will not impede its detection capabilities

Citar
However, the P-8 lacks the tail-mounted MAD sensor of the P-3 Orion, useful for detecting the metallic hulls of submarines while flying at low altitude. Various reasons have been offered for its removal: the MAD weighed too much at 3,500 pounds, it did not fit with the high-altitude search profile of the P-8, or the new sensors on the P-8 rendered it unnecessary. However, the U.S. Navy is reportedly developing a variant of the an air launched drone, called the High-Altitude Unmanned Targeting Air System, which can carry a MAD sensor and transmit its findings back up to the P-8.

https://nationalinterest.org/blog/the-buzz/why-russia-china-fear-americas-p-8-poseidon-submarine-killer-20877 (https://nationalinterest.org/blog/the-buzz/why-russia-china-fear-americas-p-8-poseidon-submarine-killer-20877)
Título: Re: UAVs na FAP
Enviado por: Charlie Jaguar em Abril 07, 2022, 04:36:53 pm
Magnetic anomaly detector(MAD)

(https://external-content.duckduckgo.com/iu/?u=https%3A%2F%2Flive.staticflickr.com%2F7236%2F7173923169_35d08ba589_b.jpg&f=1&nofb=1)
(https://external-content.duckduckgo.com/iu/?u=https%3A%2F%2Fimg-fotki.yandex.ru%2Fget%2F15594%2F165311716.43%2F0_10b22b_8a1209fa_XXXL.jpg&f=1&nofb=1)

A sério que me estás a tentar explicar o que é um MAD???  :N-icon-Gun:

E daí a minha pergunta: estás a querer referir-te ao caso alemão, ou eventualmente a uma hipotética opção nossa no futuro pós-CUP+?


Porque é que não haveria de ter? Já é tecnologia ultrapassa?

Não, não é, pese embora a grande maioria dos clientes do Poseidon tenha optado por não instalar um MAD na cauda, excepção feita até agora à versão P-8I para a Índia.

E tanto que não é que a USN pretende vir a equipá-lo em drones.

Citar
(...) Except for the I versions for India, the P-8s do not have a magnetic anomaly detector(MAD). A mass of ferromagnetic material, such as a submarine, creates a detectable disturbance in the Earth’s magnetic field. MAD is a tool that can detect this ailment, so it is incredibly effective for finding a submerged submarine.

The U.S. Navy claims that the acoustic sensor system of the aircraft is reportedly more effective at acoustic tracking, and thus lacking a MAD won’t impede its detection capabilities. However, it is reported that the U.S. Navy is developing a variant of an unmanned aerial vehicle, called the High-Altitude Unmanned Targeting Air System, which can carry a MAD sensor and transmit its findings back up to the P-8. (...)

https://navalpost.com/p-8-poseidon-the-submarine-hunter/

Título: Re: UAVs na FAP
Enviado por: Lightning em Abril 18, 2022, 02:27:39 pm
UAV da FAP

https://www.cmjornal.pt/multimedia/videos/detalhe/drones-militares-vigiam-droga-e-e-imigracao-ilegal?previewMode=1
Título: Re: UAVs na FAP
Enviado por: redkukulkane em Abril 27, 2022, 02:01:48 pm
a TEKEVER lança o novo AR3 uav VTOL.

(https://i.imgur.com/0YCQtoz.png)


http://www.armyrecognition.com/defense_news_april_2022_global_security_army_industry/tekever_launches_new_ar3_with_hot-swappable_vtol_uas_with_integrated_sar.html
Título: Re: UAVs na FAP
Enviado por: HSMW em Maio 05, 2022, 09:47:00 pm

Um UAV OGASSA OGS 42 da Esquadra 991 – “Hárpias” captou imagens da primeira visita à Força Aérea pela Ministra da Defesa Nacional, Helena Carreiras, dia 4 de maio de 2022.
Título: Re: UAVs na FAP
Enviado por: Lightning em Maio 28, 2022, 08:36:49 am
A esquadra 991 já é oficial, já aparece na lista de esquadras do site da FAP.

https://www.emfa.pt/esquadras
Título: Re: UAVs na FAP
Enviado por: F-16_desnutrido em Julho 02, 2022, 03:33:07 pm
Tekever anuncia novo drone.
Ainda sem apresentação, apenas ilustrações.
https://m.facebook.com/story.php?story_fbid=pfbid0ohGs1JcK2t3AzNtNhTxi14DrjcWLLq61YRKerFSWgGTnaddd5xyoRRxKTwcvA9itl&id=193305537419062&m_entstream_source=timeline&anchor_composer=false&
Título: Re: UAVs na FAP
Enviado por: Stalker79 em Julho 02, 2022, 04:50:40 pm
No desenho aparenta ter Hardpoints debaixo das asas ou é impressão minha!?
E se forem, será para carregar o quê?
 :-P
Título: Re: UAVs na FAP
Enviado por: Red Baron em Julho 02, 2022, 05:15:12 pm
Esse desenho faz-me lembrar outro UAV....

(https://external-content.duckduckgo.com/iu/?u=https%3A%2F%2Fyenimesaj.com.tr%2Fresimler%2Fhaberler%2F27%2Fukrayna-5-bayraktar-iha-satin-alacak-H1364292-12.jpg&f=1&nofb=1)
(https://external-content.duckduckgo.com/iu/?u=https%3A%2F%2Fwww.indomiliter.com%2Fwp-content%2Fuploads%2F2020%2F05%2FL_20180227111715333078-300x200.jpg&f=1&nofb=1)
(https://external-content.duckduckgo.com/iu/?u=https%3A%2F%2Fcdnph.upi.com%2Fsvc%2Fsv%2Fi%2F7941450726078%2F2015%2F1%2F14507261536653%2FTurkey-tests-its-first-armed-unmanned-aerial-vehicle.jpg&f=1&nofb=1)

 :mrgreen:
Título: Re: UAVs na FAP
Enviado por: dc em Julho 02, 2022, 06:45:38 pm
Esse tipo de design é bastante comum entre UAVs. Já os antigos Antex da FAP tinham um design semelhante.

No desenho aparenta ter Hardpoints debaixo das asas ou é impressão minha!?
E se forem, será para carregar o quê?
 :-P

Era bom que sim, e que sejam capazes de carregar os MMP e/ou as armas que os turcos usam nos seus Bayraktar.
Título: Re: UAVs na FAP
Enviado por: nelson38899 em Julho 18, 2022, 12:48:59 am
Citar
Esta era, pelo menos, a disponibilidade apresentada na semana passada à GNR, que coordena esta função em articulação com a Autoridade Nacional de Emergência e Proteção Civil (ANEPC), confirmada pelo próprio Estado-Maior-General das Forças Armadas (EMGFA), em comunicado oficial.

O número de drones disponíveis nas três bases (Beja, Lousã e Mirandela) vai variando ligeiramente, uns dias dois, outros quatro, mas quase sempre três, segundo fontes documentais a que o DN teve acesso.

De acordo com informações recolhidas pelo DN junto a várias fontes militares,há pouco mais de uma semana, cinco destas aeronaves estavam inoperacionais devido a acidentes (quedas e aterragens forçadas), três em 2020, dois em 2021 e outros dois no passado mês de junho, que não chegaram a ser divulgados (em Beja e Castelo Branco).

Outras quatro estavam em manutenção, devido a avarias imprevistas. Se estes incidentes foram por causa humana ou técnica dos drones, nem o EMGFA, nem a FAP, nem o próprio fabricante revelam.

Em declarações ao DN, o CEO da UAVision, salienta que a "a missão está a ser cumprida" (ver texto em baixo).

A verdade é que nunca nestes três anos, o agora designado "Sistema Aéreo Não-Tripulado" teve a totalidade das aeronaves, designadas "Ogassa", a funcionar em pleno, apesar desse ter sido um desígnio logo anunciado para o verão de 2020.

No primeiro ano, a "vigilância sofisticada" prometida pelo então ministro da Defesa, João Gomes Cravinho, ficou-se por três a quatro drones a operar na prevenção dos incêndios. O governante chegou a afirmar que "na primeira quinzena de agosto teremos os 12 (drones) a cobrir todo o território nacional".

No ano seguinte, por ordem de Cravinho, o EMGFA assumiu a gestão da "edificação da nova capacidade", mantendo, obviamente, a FAP na operação.

Aos jornalistas, chamados ao Centro de Coordenação de Operações Militares (CCOM), foi garantido que para esse Verão iria haver seis aeronaves operacionais (metade do contratado) para apoiar a vigilância florestal e que seria reforçada a formação de tripulações a um ritmo que permitisse ter, em outubro deste ano, um mínimo de 12 equipas (60 militares).

Ainda assim, no final da época, o balanço ficou, mais uma vez aquém, pela metade. Segundo o relatório da Agência para a Gestão Integrada de Incêndios Florestais (AGIF) de 2021, "dos 279 voos planeados (...) foram executados 138 voos (com um total de 578 horas de voo efetuadas, a que corresponde, uma execução de 35% de um total de 1 674 horas planeadas), uma taxa de 49% de cumprimento das missões solicitadas".

Sobre o ritmo de formação, não se sabe, pois o EMGFA agora não revela.

No presente ano, nesta primeira quinzena de julho, com a onda de calor a intensificar a gravidade e quantidade dos incêndios por todo o país, têm estado de novo apenas três drones a operar.

Segundo fonte oficial da GNR, desde o dia 28 de maio, até à passada sexta-feira, dia 15 de julho, tinham sido "planeados 100 voos, tendo sido executados 71". Não é adiantado o número de horas - serão, em média 10 por dia, o que a dividir pelos três drones dá pouco mais de três por dia.

Ao que o DN soube, dificilmente haverá disponibilidade de outros OGASSA para se juntarem aos meios aéreos no apoio ao Dispositivo Especial de Combate aos Incêndios Rurais (DECIR) de 2022.

Tal como no ano passado a FAP teve de colocar à disposição o "Lockheed P-3C CUP", uma sofisticada e dispendiosa aeronave.

Incumprimento de protocolo com o Ministério do Ambiente
Mas não é só na prevenção dos incêndios que este sistema de drones estará a falhar. Não tem igualmente cumprido as horas de voo a que a FAP está comprometida com o Ministério do Ambiente.

Os drones, recorde-se, foram comprados pela Força Aérea ao abrigo do regime excecional de combate à pandemia, - que isentou o contrato de visto prévio do Tribunal de Contas - sob a justificação de que, devido à doença provocada pela covid-19 que resultaria numa "eventual menor disponibilidade de recursos humanos", seriam necessários "meios complementares que confiram eficácia para as ações inseridas nas fases de prevenção, supressão e socorro, estabelecidas no quadro de gestão integrada de fogos rurais".

A Resolução de Conselho de Ministros que autorizou a despesa considerou "urgentes e de interesse público os procedimentos de contratação pública".

Foram convidadas três empresas, mas só uma cumpria os requisitos, a contratada UAVision, com alegações dos concorrentes de ter sido favorecida por um caderno de encargos à medida - um deles era que seis das 12 aeronaves tivessem a capacidade de descolar e aterrar verticalmente (capacidade VTOL) que só esta empresa tinha e capacidade de realizar voos noturnos, altura em que há mais ignições a iniciar.

O financiamento veio na totalidade do Fundo Ambiental e num protocolo assinado, a que o DN teve acesso, a FAP ficou obrigada a ceder 300 horas de voo, entre outubro e maio de cada ano, ao ministério do Ambiente "para execução de tarefas que se compreendem na sua esfera de atribuições, designadamente a vigilância da orla costeira, de áreas protegidas, de pedreiras e a referenciação necessária à execução do cadastro".

No primeiro ano foram executadas apenas 22h em "missões no âmbito das atribuições do ambiente", segundo fonte oficial do Ministério avançou, na altura, ao DN, indicando "algumas anomalias e sucessivos incumprimentos por parte do fabricante".

De acordo com as mesmas fontes militares e da Defesa, entre outubro de 2021 e maio deste ano, a meta também não foi cumprida, mas desta vez o ministério do Ambiente, agora liderado por Duarte Cordeiro, não perdoou e terá a exigido à FAP a devolução de verbas, o que está previsto no protocolo.

Questionado o gabinete de Duarte Cordeiro sobre o número de horas voadas pela FAP ao serviço do seu Ministério e se houve lugar a "multa", o porta-voz não respondeu desta vez.

O mesmo silêncio foi a decisão de todas as entidades - com exceção da GNR - a quem o DN enviou, na passada terça-feira, 12 de julho, várias perguntas sobre este processo, de acordo com a responsabilidade de cada uma.

EMGFA, Ministério da Defesa e FAP escolheram não esclarecer a situação, apesar das várias insistências do DN ao longo da semana.

Para o EMGFA foram a maior parte das questões, mas este remeteu para o Ministério da Defesa, que não respondeu (ver perguntas mais abaixo).

Em contrpartida, o Chefe de Estado-Maior-General das Forças Armadas (CEMGFA) escolheu publicar um artigo de opinião sobre o assunto, no passado dia 14, no Observador, quando as perguntas do DN já estavam no seu gabinete há dois dias.

O Almirante Silva Ribeiro não poupa elogios ao sistema de drones, afirmando que "esta capacidade é constituída, atualmente, por 12 aeronaves operadas por equipas constituídas por elementos dos três ramos das Forças Armadas, que integram a Esquadra Nº 991, sediada na Ota" e lembrando que com "uma autonomia de até 9 horas, estes sistemas foram adquiridos em 2020, tendo sido concebidos e fabricados pela indústria portuguesa, e previamente testados com a colaboração da Força Aérea, nos anos de 2018 e 2019, com o objetivo de analisar as mais-valias da sua utilização em missões de vigilância e combate aos incêndios rurais".

Silva Ribeiro reconhece que "decorrente da elevada complexidade associada ao respetivo processo de edificação, subsistem, ainda, melhorias a implementar, as quais estão, paulatinamente e de forma sustentada, a ocorrer, destacando-se, em particular, a formação, qualificação e treino de mais operadores provenientes dos três Ramos das Forças Armadas, e o desenvolvimento do Projeto "Vista Aérea sobre os Incêndios" (VAI) para apoio à tomada de decisão".

Travessia do Atlântico e sensores
O CEMGFA dá ainda uma novidade, que pode vir a ser polémica nos meios judiciais. Diz que "apesar de a missão atribuída às Forças Armadas, no âmbito dos incêndios rurais, estar atualmente mais focada na vigilância, considera-se de particular importância vir a explorar, no futuro, as características ímpares de resolução e alcance dos sensores integrados nos drones para ações de dissuasão".

Mostra no artigo imagens de um incêndio noturno captadas a 12 quilómetros e adianta que os ditos sensores oferecem "a possibilidade de reconhecer viaturas que circulem nas áreas próximas/circundantes dos incêndios, o que faz prever, a curto prazo - e caso exista interesse por parte das autoridades competentes - que os drones das Forças Armadas possam vir a ser utilizados, de forma sistemática, em ações de vigilância noturna, maximizando o efeito de dissuasão pretendido".

Questionado depois sobre esta ideia e o seu enquadramento legal, uma vez que está vedado aos militares qualquer ação desta natureza na segurança interna, o porta-voz do EMGFA já respondeu: "Esclarece-se que reconhecer viaturas não é "identificar matrículas de carros ", como refere no seu e-mail. É apenas verificar a forma do objeto e só será feita caso exista interesse por parte das autoridades competentes. As Forças Armadas não o estão a fazer, nem o farão sem as entidades competentes o solicitarem e sem existir enquadramento legal que o permita".

Apesar de todos os imprevistos, acidentes e incumprimentos, a confiança nos Ogassa é inegável. De acordo com fontes da Defesa, sob proposta de Silva Ribeiro, a FAP foi desafiada a preparar um dos drones para uma missão muito especial: fazer a travessia entre Portimão e o Funchal (840 quilómetros), para assinalar a comemoração dos 100 anos da travessia do Atlântico pelos aviadores portugueses Sacadura Cabral e Gago Coutinho.

Inicialmente o momento seria no final de julho, mas dadas as circunstâncias atuais do alerta de incêndios, poderá ser adiada. O CEMGFA pretende fazer uma demonstração desta capacidade tecnológica, com a presença dos órgãos de comunicação social.

Entrevista a Nuno Simões, CEO da UAVision
Porque só estão três drones empenhados na vigilância dos incêndios?

Não cabe ao fabricante comentar ou saber quantos UAV" s ( Unmanned Aerial Vehicle) estão a funcionar ou não, apenas sabemos que as missões têm estado a ser cumpridas. O que nos apercebemos pelas ações de manutenção, programadas e a decorrer, é que a Esquadra 991 tem vindo a realizar um ritmo de voos de grande intensidade que vai muito para além das horas já realizadas no Dispositivo Especial de Combate a Incêndios Rurais (DCIR). Mais uma vez a missão está a ser cumprida.

A capacidade de voar à noite é uma das condições do contrato. Estão a ser feitos?

Tem que perguntar aos operadores, mas não existe qualquer limitação técnica para não serem realizados. De acordo com o que foi referido no artigo do Observador (da autoria do CEMGFA, Almirante Silva Ribeiro) estão a acontecer. Acompanhando a Esquadra 991 nas redes sociais existem vários voos noturnos efetuados antes do DCIR e há muito tempo.

Temos informação de acidentes com os drones (pelo menos sete). Foram por causa humana ou técnica?

Como deve compreender não nos ficaria bem, nem seria apropriado comentarmos acidentes que tenham eventualmente existido no passado ou venham existir no futuro, quando existem órgãos de investigação para os mesmos. Acho que o importante é mesmo realçar que a Esquadra 991 está a realizar um excelente trabalho, consolidado cada vez mais com resultados operacionais. As Forças Armadas também têm vindo a aumentar a sua capacidade quer em operadores que em pessoal de manutenção e isso esta a contribuir para um melhor serviço ao País.

Questões não respondidas
Ministério da Defesa Nacional

1- Segundo o relatório da AGIF de 2021, neste ano "dos 279 voos planeados para as UAS Classe I das FFAA, foram executados 138 voos (com um total de 578 horas de voo efetuadas, a que corresponde, uma execução de 35% de um total de 1 674 horas planeadas), uma taxa de 49% de cumprimento das missões solicitadas". Tendo o Ministério da Defesa sido o rosto desta aquisição e tendo em conta a responsabilidade política assumida em 2020, que conclusões tira desta baixa taxa de cumprimento?

2- Mantém a confiança desta aquisição?

3- Segundo informação que recolhemos houve, pelo menos, cinco drones acidentados, não sendo conhecidas as causas. O MDN tem conhecimento das conclusões das investigações aos acidentes? Pode garantir a segurança dos mesmos?

4- Está previsto que, son proposta do EMGFA, um destes drones fará um voo entre Portimão e Funchal, no final do mês, para assinalar os 100 anos da travessia do Atlântico. O MDN associa-se a esta iniciativa? Com que objetivo?

Ministério do Ambiente

No âmbito de um artigo que estou a preparar de balanço sobre o empenho operacional dos 12 drones adquiridos pela Força Aérea Portuguesa (FAP), com financiamento do Fundo Ambiental, venho colocar algumas questões sobre a execução prevista ao abrigo do protocolo assinado entre o Fundo Ambiental e a FAP:

1- Segundo a cláusula 6ª deste protocolo, a FAP deve disponibilizar "no período compreendido entre outubro e maio de cada ano, 300 horas de voo à Direção-Geral de Energia e Geologia, ao Instituto da Conservação da Natureza e das Florestas, I.P., à Agência Portuguesa do Ambiente, I.P., e à Direção-Geral do Território, sem qualquer encargo, para a execução de tarefas que se compreendam na sua esfera de atribuições, entre as quais a vigilância de pedreiras, a vigilância de áreas protegidas, a vigilância da orla costeira e a referenciação necessária à execução do cadastro, respetivamente". De acordo com o nº 3 da mesma cláusula "até 30 de junho de cada ano, um relatório circunstanciado da execução do plano de missões referido". Qual foi o número de horas voado neste período?

2- De acordo com este protocolo a FAP está obrigada à devolução de verbas, caso não cumpra o que está definido. Houve lugar a alguma devolução? Qual foi o montante? Que motivo foi apresentado para o não cumprimento?

3- De acordo com a cláusula 4, alínea f, "sem prejuízo da colocação da simbologia da segunda outorgante, os 12 sistemas aéreos não tripulados devem ter menção expressa ao Fundo Ambiental e o seu logotipo". Este pressuposto está a ser cumprido nas aeronaves? Qual a penalização para o não cumprimento?

EMGFA

1- Podem confirmar-me (e em caso afirmativo facultar-me informação) que está previsto um dos drones Ogassa realizar um voo Portimão / Funchal no final deste mês de julho, para assinalar os 100 anos da travessia do Atlântico, feita em 1922 pelos aviadores portugueses Gago Coutinho e Sacadura Cabral? Trata-se de um do modelo asa fixa ou VTOL?

2- Segundo o relatório da AGIF de 2021, neste ano "dos 279 voos planeados para as UAS Classe I das FFAA, foram executados 138 voos (com um total de 578 horas de voo efetuadas, a que corresponde, uma execução de 35% de um total de 1 674 horas planeadas), uma taxa de 49% de cumprimento das missões solicitadas". A que se deve esta baixa taxa de cumprimento?

3- Qual o empenho dos drones de asa fixa e dos VTOL?

4- Foram realizados voos noturnos? Quantas horas e quando?

5- Estando o país nesta altura em situação de contingência devido ao perigo de incêndios, o empenho destes drones na vigilância florestal está a ter que participação? Quantos voos foram solicitados e quantos foram realizados desde 1 de julho até ao momento (dados até quinta-feira)?

Título: Re: UAVs na FAP
Enviado por: asalves em Julho 18, 2022, 04:10:18 pm

(...)

Apesar de todos os imprevistos, acidentes e incumprimentos, a confiança nos Ogassa é inegável. De acordo com fontes da Defesa, sob proposta de Silva Ribeiro, a FAP foi desafiada a preparar um dos drones para uma missão muito especial: fazer a travessia entre Portimão e o Funchal (840 quilómetros), para assinalar a comemoração dos 100 anos da travessia do Atlântico pelos aviadores portugueses Sacadura Cabral e Gago Coutinho.

Inicialmente o momento seria no final de julho, mas dadas as circunstâncias atuais do alerta de incêndios, poderá ser adiada. O CEMGFA pretende fazer uma demonstração desta capacidade tecnológica, com a presença dos órgãos de comunicação social.

(...)

É disto que eles gostam. O resto não interessa.

PS: Adoro (not) o método completamente à Tuga da compra, sem concurso publica, recorrendo fundo Ambiental, com caderno de encargos feito a medida, muita promessa ... e depois todos se recusam a esclarecer.
Título: Re: UAVs na FAP
Enviado por: Subsea7 em Julho 18, 2022, 05:56:02 pm
A centralidade no CEMGFA, tem destas "coisas"...
Enquanto isso a Tekever...
Cps,
Título: Re: UAVs na FAP
Enviado por: Camuflage em Julho 18, 2022, 08:31:08 pm

(...)

Apesar de todos os imprevistos, acidentes e incumprimentos, a confiança nos Ogassa é inegável. De acordo com fontes da Defesa, sob proposta de Silva Ribeiro, a FAP foi desafiada a preparar um dos drones para uma missão muito especial: fazer a travessia entre Portimão e o Funchal (840 quilómetros), para assinalar a comemoração dos 100 anos da travessia do Atlântico pelos aviadores portugueses Sacadura Cabral e Gago Coutinho.

Inicialmente o momento seria no final de julho, mas dadas as circunstâncias atuais do alerta de incêndios, poderá ser adiada. O CEMGFA pretende fazer uma demonstração desta capacidade tecnológica, com a presença dos órgãos de comunicação social.

(...)

Se ele cair neste percurso, quem é que se demite?
Título: Re: UAVs na FAP
Enviado por: PTWolf em Julho 19, 2022, 04:28:58 pm

(...)

Apesar de todos os imprevistos, acidentes e incumprimentos, a confiança nos Ogassa é inegável. De acordo com fontes da Defesa, sob proposta de Silva Ribeiro, a FAP foi desafiada a preparar um dos drones para uma missão muito especial: fazer a travessia entre Portimão e o Funchal (840 quilómetros), para assinalar a comemoração dos 100 anos da travessia do Atlântico pelos aviadores portugueses Sacadura Cabral e Gago Coutinho.

Inicialmente o momento seria no final de julho, mas dadas as circunstâncias atuais do alerta de incêndios, poderá ser adiada. O CEMGFA pretende fazer uma demonstração desta capacidade tecnológica, com a presença dos órgãos de comunicação social.

(...)

Se ele cair neste percurso, quem é que se demite?

É resolvido como sempre foi. É abafado e ninguém fica mal visto. Simples  ;)
Título: Re: UAVs na FAP
Enviado por: Camuflage em Julho 19, 2022, 07:14:57 pm
Só é abafado porque os submissos assim o permitem. É tempo de deixarem de ser submissos e meros peões.
Título: Re: UAVs na FAP
Enviado por: dc em Agosto 04, 2022, 10:49:22 pm

(...)

Apesar de todos os imprevistos, acidentes e incumprimentos, a confiança nos Ogassa é inegável. De acordo com fontes da Defesa, sob proposta de Silva Ribeiro, a FAP foi desafiada a preparar um dos drones para uma missão muito especial: fazer a travessia entre Portimão e o Funchal (840 quilómetros), para assinalar a comemoração dos 100 anos da travessia do Atlântico pelos aviadores portugueses Sacadura Cabral e Gago Coutinho.

Inicialmente o momento seria no final de julho, mas dadas as circunstâncias atuais do alerta de incêndios, poderá ser adiada. O CEMGFA pretende fazer uma demonstração desta capacidade tecnológica, com a presença dos órgãos de comunicação social.

(...)

É disto que eles gostam. O resto não interessa.

PS: Adoro (not) o método completamente à Tuga da compra, sem concurso publica, recorrendo fundo Ambiental, com caderno de encargos feito a medida, muita promessa ... e depois todos se recusam a esclarecer.

Sem dúvida. Gostam é de se vangloriar. Mas é que até nisso dão vontade de rir, ao menos que usassem drones ultra modernos e não um drone baratucho com péssimo PR devido aos problemas que tem tido. Já parece o PM a querer ser filmado à frente dos modernissimos M-113 cedidos à Ucrânia. Este país forma com cada azeiteiro.
Título: Re: UAVs na FAP
Enviado por: Pescador em Agosto 07, 2022, 06:02:47 pm
A centralidade no CEMGFA, tem destas "coisas"...
Enquanto isso a Tekever...
Cps,

A Tekever, seguindo a linha de raciocínio que levou a expulsão de um dos 3 fundadores, pelos outros dois, após este andar a gastar dinheiro da empresa naquilo que habitualmente muitos fazem por cá, não deve estar nos ajustes de pagar luvas, oferecer prendas, facilidades pessoais de qualquer natureza. O que leva a ser preterida.
Contudo a dar cartas lá fora, com drones cada vez melhor equipados e até novas versões maiores como o que se espera do futuro drone de 1 tonelada a ser desenvolvido.
Mas os tacanhos saloios, estão agarrados ao mel e não muda nada.
Entretanto se esta espécie de País tivesse a desejada cobertura satélite podia operar o AR5 com mais de 20 horas de autonomia e alcance ilimitado. Não tendo, tem o nova versão AR3 com 16 horas de autonomia e radar de cobertura lateral.
As FA inglesas usam, a autoridade marítima europeia usa. Nós usamos as trotinetes avarias compradas à pressa pelos generais da FAP, embora a maioria nunca tivesse voado. A semelhança das frotas de helicópteros, onde metade ou mais não voam.
Se calhar uma ajuda económica a empresa a necessitar. Tipo TAP mais menos as claras
Título: Re: UAVs na FAP
Enviado por: Red Baron em Agosto 07, 2022, 10:09:12 pm
A centralidade no CEMGFA, tem destas "coisas"...
Enquanto isso a Tekever...
Cps,

A Tekever, seguindo a linha de raciocínio que levou a expulsão de um dos 3 fundadores, pelos outros dois, após este andar a gastar dinheiro da empresa naquilo que habitualmente muitos fazem por cá, não deve estar nos ajustes de pagar luvas, oferecer prendas, facilidades pessoais de qualquer natureza. O que leva a ser preterida.
Contudo a dar cartas lá fora, com drones cada vez melhor equipados e até novas versões maiores como o que se espera do futuro drone de 1 tonelada a ser desenvolvido.
Mas os tacanhos saloios, estão agarrados ao mel e não muda nada.
Entretanto se esta espécie de País tivesse a desejada cobertura satélite podia operar o AR5 com mais de 20 horas de autonomia e alcance ilimitado. Não tendo, tem o nova versão AR3 com 16 horas de autonomia e radar de cobertura lateral.
As FA inglesas usam, a autoridade marítima europeia usa. Nós usamos as trotinetes avarias compradas à pressa pelos generais da FAP, embora a maioria nunca tivesse voado. A semelhança das frotas de helicópteros, onde metade ou mais não voam.
Se calhar uma ajuda económica a empresa a necessitar. Tipo TAP mais menos as claras

A Tekever não é nenhuma vitima. Se andou a ganhar concursos lá fora foi com o apoio das FA e da GNR que forneciam operadores a baixo custo para que a Tekever fosse competitiva nos concursos internacionais.

Simplesmente a Tekever virou as costas a Marinha e acabou por perder espaço, mas é algo que já esta a reverter. O AR3 VTOL está ser desenvolvido com o apoio da Marinha e não me admirava que a Marinha venha a comprar uns quantos.

E a Tekever vai receber uns bons euros do PRR para desenvolver um novo drone de maiores dimensões.

Estão longe de serem uns coitadinhos.

Título: Re: UAVs na FAP
Enviado por: Stalker79 em Agosto 08, 2022, 04:45:59 pm
Que desenvolvam mas é um AR-6 com capacidades como o Bayraktar pelo menos. Já era dinheiro bem gasto.
 :-P
Título: Re: UAVs na FAP
Enviado por: Subsea7 em Agosto 08, 2022, 11:47:16 pm
Na República Checa não brincam aos "Ogassas".
https://www.cavok.com.br/republica-tcheca-adquire-drones-israelenses-heron
Cps,
Título: Re: UAVs na FAP
Enviado por: Lightning em Agosto 18, 2022, 08:51:30 pm
http://www.passarodeferro.com/2022/08/primeiras-1000-horas-de-voo-da-esquadra.html?m=1
Título: Re: UAVs na FAP
Enviado por: Subsea7 em Setembro 05, 2022, 10:16:08 pm
https://www.cavok.com.br/taiwan-confirma-compra-de-mq-9-seaguardians

Entretanto, noutras latitudes....
Título: Re: UAVs na FAP
Enviado por: Get_It em Setembro 13, 2022, 12:23:13 pm
Entretanto os nossos vizinhos usaram fundos comunitários para reforçar a UME com aeronaves não tripuladas classe 1: La UME compra seis drones con fondos de la Unión Europea (https://www.infodefensa.com/texto-diario/mostrar/3886161/ume-compra-seis-drones-fondos-union-europea) (13 de Setembro de 2022).

Felizmente para eles, a força aérea espanhola não precisa de recorrer aos fundos comunitários para comprar SANTs dado que já têm Reapers.

Cumprimentos,
Título: Re: UAVs na FAP
Enviado por: Pescador em Setembro 13, 2022, 01:58:45 pm
Entretanto os nossos vizinhos usaram fundos comunitários para reforçar a UME com aeronaves não tripuladas classe 1: La UME compra seis drones con fondos de la Unión Europea (https://www.infodefensa.com/texto-diario/mostrar/3886161/ume-compra-seis-drones-fondos-union-europea) (13 de Setembro de 2022).

Felizmente para eles, a força aérea espanhola não precisa de recorrer aos fundos comunitários para comprar SANTs dado que já têm Reapers.

Cumprimentos,

Temos desses em Portugal nas FS
Título: Re: UAVs na FAP
Enviado por: Lusitano89 em Outubro 08, 2022, 01:42:09 pm
Forças Armadas realizam voo de sistema aéreo não tripulado de Beja a Porto Santo

(https://images4.imagebam.com/f8/d2/36/MEEWQEI_o.jpg)

As Forças Armadas Portuguesas realizaram hoje um voo de teste de um sistema aéreo não tripulado (SANT) que percorreu 940 quilómetros, entre Beja e Porto Santo, para avaliar a sua utilização em missões de vigilância a longa distância.

A iniciativa, segundo um comunicado divulgado pelas Forças Armadas, contou com a colaboração da empresa UAVision e o voo percorreu uma distância de 508 milhas náuticas (940 quilómetros), entre a Base Aérea n.º 11, em Beja, e o Aeroporto de Porto Santo (Madeira).

A descolagem em Beja ocorreu às 00:05, hora em Portugal continental, tendo a aterragem em Porto Santo ocorrido às 08:30.

“Estas 08:25 horas de voo foram essenciais para a avaliação da autonomia do SANT, da capacidade das comunicações via satélite entre estações em terra e a aeronave e do sistema de comando e controlo a longas distâncias”, explicaram as Forças Armadas.

A fonte acrescentou que “este voo permitiu, igualmente, identificar requisitos que possibilitem a edificação da capacidade de vigilância marítima a longa distância, com vista à utilização deste tipo de sistemas em missões de vigilância da nossa Zona Económica Exclusiva, a partir do Continente, dos Açores e da Madeira”.

Para além disso, foi ainda “possível efetuar avaliações técnicas, essenciais à ponderação de futuras aquisições deste tipo de sistemas”.

Nesta missão foram empenhadas duas tripulações, compostas, cada uma, por cinco elementos da Marinha, do Exército e da Força Aérea, a operar a partir de Beja e Porto Santo.

A monitorizar a missão esteve, igualmente, o Comando Conjunto para as Operações Militares (CCOM), localizado em Oeiras.

As Forças Armadas explicaram que têm vindo a empregar o sistema SANT em várias missões operacionais, tanto em terra como no mar, destacando as missões realizadas em reforço da prevenção e combate aos incêndios rurais.

Neste âmbito disse que foram realizadas, até sexta-feira, cerca de 1100 horas de voo em apoio ao Sistema de Gestão Integrada de Fogos Rurais de 2022, tendo sido vigiada uma “área total superior a nove vezes o território nacional”.


 :arrow: https://odigital.sapo.pt/forcas-armadas-realizam-voo-de-sistema-aereo-nao-tripulado-de-beja-a-porto-santo/
Título: Re: UAVs na FAP
Enviado por: PereiraMarques em Outubro 09, 2022, 10:31:48 pm
A complexidade serôdia em ação  :mrgreen:

https://www.facebook.com/100068847444806/posts/407034994934745/

(https://i.ibb.co/K5nnypB/Screenshot-20221009-222658-Facebook.jpg)
Título: Re: UAVs na FAP
Enviado por: Subsea7 em Outubro 09, 2022, 11:01:33 pm
A MÓNICA SILVA, é boa a comer gelados !
Título: Re: UAVs na FAP
Enviado por: F-16_desnutrido em Outubro 26, 2022, 07:27:17 pm
Tekever ARX

https://www.facebook.com/tekever/videos/410016471149560

Título: Re: UAVs na FAP
Enviado por: Pescador em Outubro 26, 2022, 08:08:16 pm
Forças Armadas realizam voo de sistema aéreo não tripulado de Beja a Porto Santo

(https://images4.imagebam.com/f8/d2/36/MEEWQEI_o.jpg)

As Forças Armadas Portuguesas realizaram hoje um voo de teste de um sistema aéreo não tripulado (SANT) que percorreu 940 quilómetros, entre Beja e Porto Santo, para avaliar a sua utilização em missões de vigilância a longa distância.

A iniciativa, segundo um comunicado divulgado pelas Forças Armadas, contou com a colaboração da empresa UAVision e o voo percorreu uma distância de 508 milhas náuticas (940 quilómetros), entre a Base Aérea n.º 11, em Beja, e o Aeroporto de Porto Santo (Madeira).

A descolagem em Beja ocorreu às 00:05, hora em Portugal continental, tendo a aterragem em Porto Santo ocorrido às 08:30.

“Estas 08:25 horas de voo foram essenciais para a avaliação da autonomia do SANT, da capacidade das comunicações via satélite entre estações em terra e a aeronave e do sistema de comando e controlo a longas distâncias”, explicaram as Forças Armadas.

A fonte acrescentou que “este voo permitiu, igualmente, identificar requisitos que possibilitem a edificação da capacidade de vigilância marítima a longa distância, com vista à utilização deste tipo de sistemas em missões de vigilância da nossa Zona Económica Exclusiva, a partir do Continente, dos Açores e da Madeira”.

Para além disso, foi ainda “possível efetuar avaliações técnicas, essenciais à ponderação de futuras aquisições deste tipo de sistemas”.

Nesta missão foram empenhadas duas tripulações, compostas, cada uma, por cinco elementos da Marinha, do Exército e da Força Aérea, a operar a partir de Beja e Porto Santo.

A monitorizar a missão esteve, igualmente, o Comando Conjunto para as Operações Militares (CCOM), localizado em Oeiras.

As Forças Armadas explicaram que têm vindo a empregar o sistema SANT em várias missões operacionais, tanto em terra como no mar, destacando as missões realizadas em reforço da prevenção e combate aos incêndios rurais.

Neste âmbito disse que foram realizadas, até sexta-feira, cerca de 1100 horas de voo em apoio ao Sistema de Gestão Integrada de Fogos Rurais de 2022, tendo sido vigiada uma “área total superior a nove vezes o território nacional”.


 :arrow: https://odigital.sapo.pt/forcas-armadas-realizam-voo-de-sistema-aereo-nao-tripulado-de-beja-a-porto-santo/

Agora basta comparar essa coisa com os mais recentes modelos da Tekever, seja o AR3 com 16 horas de autonomia e como o AR5 com mais de 20 horas, ou o próximo ARX, todos com radar de abertura sintética e todos os sensores de imagem já conhecidos e, logo fica no ar a pergunta, "porquê chover no molhado"??????

Mas pronto, continua a mesma novela e não dá para mudar, deve haver alguém a orientar a coisa e assim usam outros os melhores e cá a complexidade mais habitual
Título: Re: UAVs na FAP
Enviado por: dc em Outubro 27, 2022, 04:15:57 pm
Eu não tenho problema nenhum com os Ogassa. O problema está mesmo nas mentalidades, que acham que aquilo chega. Enquanto isso, a Tekever dá saltos enormes, e tem UAVs que serviam perfeitamente a FAP em missões de vigilância/patrulha marítima. Não seria impensável ter na mesma FAP, os Ogassa e os AR5 em simultâneo, com perfis de missão diferentes.

Tekever ARX

https://www.facebook.com/tekever/videos/410016471149560

"Deployable cargo"? Será que poderá ter capacidade de lançamento de armas? Muito interessante este UAV.

Para não falar das capacidades SIGINT/COMINT/ELINT que a aeronave poderá vir a ter, algo que praticamente não existe por cá.
Título: Re: UAVs na FAP
Enviado por: Visitante123 em Outubro 27, 2022, 11:19:03 pm
Eu não tenho problema nenhum com os Ogassa. O problema está mesmo nas mentalidades, que acham que aquilo chega. Enquanto isso, a Tekever dá saltos enormes, e tem UAVs que serviam perfeitamente a FAP em missões de vigilância/patrulha marítima. Não seria impensável ter na mesma FAP, os Ogassa e os AR5 em simultâneo, com perfis de missão diferentes.

Tekever ARX

https://www.facebook.com/tekever/videos/410016471149560

"Deployable cargo"? Será que poderá ter capacidade de lançamento de armas? Muito interessante este UAV.

Para não falar das capacidades SIGINT/COMINT/ELINT que a aeronave poderá vir a ter, algo que praticamente não existe por cá.

Mesmo que não tenha ligação míssil -> radar do UAV deve de dar para lançar mísseis que se guiem por infra vermelhos ou mísseis com navegação GPS. Digo eu. Não tenho a certeza.

Nota que as FAs operam o AR3 e o AR4 segundo a própria Tekever. Mas nunca os vi a serem notícia como os Ogassa lá isso é verdade.
Título: Re: UAVs na FAP
Enviado por: dc em Outubro 29, 2022, 04:31:35 pm
Não só os modelos da Tekever não são notícia como os Ogassa, como não adquirimos o seu modelo mais avançado, o AR5, que é bastante bom para patrulha marítima. O que tendo em conta a dimensão do nosso território marítimo, fazia todo o sentido.
Título: Re: UAVs na FAP
Enviado por: Red Baron em Outubro 29, 2022, 04:56:07 pm
Não só os modelos da Tekever não são notícia como os Ogassa, como não adquirimos o seu modelo mais avançado, o AR5, que é bastante bom para patrulha marítima. O que tendo em conta a dimensão do nosso território marítimo, fazia todo o sentido.

Não tenhas pena da Tekever, depois dos maus momentos voltaram a apostar em desenvolvimento. Conseguiram uma versão VTOL do AR3 e conseguiram lançar do AR5 carga.

Recentemente conseguiram grandes apoios do estado, pelo PRR uns milhões para desenvolver o ARX e pela CM Ponte de Sor e fundos Europeus apoios para uma nova fabrica no Aeródromo Municipal de Ponte de Sor
Título: Re: UAVs na FAP
Enviado por: Visitante123 em Outubro 29, 2022, 06:12:01 pm
Não só os modelos da Tekever não são notícia como os Ogassa, como não adquirimos o seu modelo mais avançado, o AR5, que é bastante bom para patrulha marítima. O que tendo em conta a dimensão do nosso território marítimo, fazia todo o sentido.

Concordo. Já deviam de ter adquirido esse modelo.

Agora estava a pensar. Não foi um AR4 que caiu ao mar ao ser lançado mesmo em frente aos jornalistas? Vai ver houve mosquitos por cordas por causa disso.
Título: Re: UAVs na FAP
Enviado por: dc em Outubro 29, 2022, 10:19:45 pm
Não só os modelos da Tekever não são notícia como os Ogassa, como não adquirimos o seu modelo mais avançado, o AR5, que é bastante bom para patrulha marítima. O que tendo em conta a dimensão do nosso território marítimo, fazia todo o sentido.

Não tenhas pena da Tekever, depois dos maus momentos voltaram a apostar em desenvolvimento. Conseguiram uma versão VTOL do AR3 e conseguiram lançar do AR5 carga.

Recentemente conseguiram grandes apoios do estado, pelo PRR uns milhões para desenvolver o ARX e pela CM Ponte de Sor e fundos Europeus apoios para uma nova fabrica no Aeródromo Municipal de Ponte de Sor

Não é uma questão de ter pena, é uam questão de não termos comprado o UAV mais avançado de produção nacional, principalmente quando se quer fazer patrulha marítima e vigilância florestal.

Espero que, a não adquirirem o AR5, pelo menos comprem o ARX, que aparenta ter ainda mais utilidade militar.

Agora estava a pensar. Não foi um AR4 que caiu ao mar ao ser lançado mesmo em frente aos jornalistas? Vai ver houve mosquitos por cordas por causa disso.

Sim, foi. Mas aí foi mais dramatização que outra coisa. Aconteceu uma falha no lançamento (lançamento feito à mão), que fez aeronave cair no Tejo creio eu. Este tipo de falhas tendem a acontecer menos com o uso de catapultas por exemplo, com a variável humana à mistura, a probabilidade é sempre maior.

Podes ter um gajo a atirar uma granada com a mão, esta em vez de passar pela janela, bate na parede e volta para trás e rebenta com o gajo que a lançou, a culpa não é da granada.

Infelizmente este tipo de situações, do drone cair à água, fazem mais furor na comunicação social do que as qualidades do drone em si.
Título: Re: UAVs na FAP
Enviado por: Red Baron em Outubro 29, 2022, 10:47:04 pm
Não só os modelos da Tekever não são notícia como os Ogassa, como não adquirimos o seu modelo mais avançado, o AR5, que é bastante bom para patrulha marítima. O que tendo em conta a dimensão do nosso território marítimo, fazia todo o sentido.

Não tenhas pena da Tekever, depois dos maus momentos voltaram a apostar em desenvolvimento. Conseguiram uma versão VTOL do AR3 e conseguiram lançar do AR5 carga.

Recentemente conseguiram grandes apoios do estado, pelo PRR uns milhões para desenvolver o ARX e pela CM Ponte de Sor e fundos Europeus apoios para uma nova fabrica no Aeródromo Municipal de Ponte de Sor

Não é uma questão de ter pena, é uam questão de não termos comprado o UAV mais avançado de produção nacional, principalmente quando se quer fazer patrulha marítima e vigilância florestal.

Espero que, a não adquirirem o AR5, pelo menos comprem o ARX, que aparenta ter ainda mais utilidade militar.


Agora estava a pensar. Não foi um AR4 que caiu ao mar ao ser lançado mesmo em frente aos jornalistas? Vai ver houve mosquitos por cordas por causa disso.

Sim, foi. Mas aí foi mais dramatização que outra coisa. Aconteceu uma falha no lançamento (lançamento feito à mão), que fez aeronave cair no Tejo creio eu. Este tipo de falhas tendem a acontecer menos com o uso de catapultas por exemplo, com a variável humana à mistura, a probabilidade é sempre maior.

Podes ter um gajo a atirar uma granada com a mão, esta em vez de passar pela janela, bate na parede e volta para trás e rebenta com o gajo que a lançou, a culpa não é da granada.

Infelizmente este tipo de situações, do drone cair à água, fazem mais furor na comunicação social do que as qualidades do drone em si.

Está previsto a compra de 3 UAV médios lá para 2027. Se vai ser o ARX ou não é difícil dizer.
Título: Re: UAVs na FAP
Enviado por: Pescador em Outubro 30, 2022, 04:22:56 pm
A questão é que os Ogassa não servem. Desde de inicio que dão barraca, poucos conseguiam voar e não é como o caso lançamento manual que fez tanta noticia e visualizações no youtube. É bem pior. E nem para os incêndios a coisa tem andado pacifica.
Mas agora esta noticia de fazer 8,5 horas de voo é que dá vontade de rir quando temos o AR3 que faz 16 horas e possui o tal radar que o ogassa não tem. Pode ser adquirido com kit para VTOL, como se pode ver em vídeos acessíveis a qualquer um.     https://www.tekever.com/models/ar3/
Até parece que estamos a falar de produtos de planetas diferentes, quando são da casa. Grande feito esse. Não comprem o outro, insistam.
Pergunto a quem interessa tanta publicidade do ogassa comprados 12 á pressa e omitir comparações com outros produtos nacionais? Ostracizaram alguém?  Não dá garrafas por fora?
É que este País a nível e aquisições até kits de garrafas de vinho a acompanhar tem, como o SIRESP.

Quanto a verbas, a Tekever está representada em 5 Países, tem produtos em vários outros clientes nomeadamente a Autoridade Marítima Europeia. Se agora recebeu verba só já no direito na medida de outros, mas fez sucesso por si própria. Só os patuscos saloios de cá não têm visto o que cá havia, para soluções da patrulha marítima ou terrestre, de médio e longo alcance.
Algo importante por exemplo nos arquipélagos, onde os AR3 podiam  fazer a vigilância marítima.

Mas coisas compradas a pressa e sem controlo e saber como vai ser é típico e, falta é haver um jornalismo de investigação que investigue ligações pessoais nas aquisições e decisões. Nomeadamente do estrelato
Como foi com as Glock e a tais patilhas inventadas à pressa para justificar aquisição dentro dos parâmetros, mas  a dar barraca até nos testes onde até caiam carregadores de qualquer maneira, pois a patilha de retenção estava mal. Já a de segurança não é aconselhado usar senão em casos mesmo reais porque até parte com o uso intenso em treino. Mas deu para ofertas e compras pessoais a metade do valor.
E o Siresp, que usa rádios cujos botões se desfazem em menos de nada e quanto a comunicações foi aceite apesar de falhas notadas e depois andaram a remediar com mais antenas. Mas a verdade é que aquilo é lixo. Basta entrar num estacionamento interior de um C Comercial ou prédio grande e já não serve. lotes de baterias que incham a carregar.

Já a agora coloco aqui o link da  colaboração da Tekever e, sim dinheiros também vindos de fora, que não foi para o AR3 e AR5 mas muito mais a frente com o ARX e satélites, já que ambos o AR5 e ARX são por operados por satélite tendo assim um alcance virtualmente infinito, para as mais de 20 horas de voo 
https://www.tekever.com/projects/infante/   
Apoio financeiro da União Europeia: 6.139.801,47€ (FEDER). Custo total elegível: 9.170.960,93€
Para mais comparação com o ogassa do interesse da FAP.

https://www.tekever.com/atlas/

Um destes podia ser operado de Lisboa para qualquer parte do território, abastecer numa ilha e continuar a volta completa.

Palhaçadas no País de batanetes vaidosos com ligação aos umbigos
Título: Re: UAVs na FAP
Enviado por: Crypter em Outubro 31, 2022, 11:22:43 am
De facto não se compreende o afastamento da Tekever.. Deviamos trabalhar com o que de melhor já existe no país..
Título: Re: UAVs na FAP
Enviado por: Pescador em Outubro 31, 2022, 10:04:59 pm
De facto não se compreende o afastamento da Tekever.. Deviamos trabalhar com o que de melhor já existe no país..


Conhecem a história, da criação da Tekever e o que aconteceu no percurso com um dos criadores?
Era 3 engenheiros que a criaram de inicio, depois um quando a coisa estava a correr bem, andou a gastar ao modelo que fazem cá muitos empresários que afundam empresas. Putas e vinho verde, carros etc. Foi convidado pelos outros dois  a sair e deram-lhe a indemnização.
Estão a  ver esta malta untar mãos do estrelato e políticos do costume?????

Como é possível a Tekever estar de fora ou tão "atrasada" em interesses se tem produtos de longe superiores e com uma representação internacionalmente tão marcada?

Título: Re: UAVs na FAP
Enviado por: Red Baron em Novembro 01, 2022, 12:02:19 pm
De facto não se compreende o afastamento da Tekever.. Deviamos trabalhar com o que de melhor já existe no país..


Conhecem a história, da criação da Tekever e o que aconteceu no percurso com um dos criadores?
Era 3 engenheiros que a criaram de inicio, depois um quando a coisa estava a correr bem, andou a gastar ao modelo que fazem cá muitos empresários que afundam empresas. Putas e vinho verde, carros etc. Foi convidado pelos outros dois  a sair e deram-lhe a indemnização.
Estão a  ver esta malta untar mãos do estrelato e políticos do costume?????

Como é possível a Tekever estar de fora ou tão "atrasada" em interesses se tem produtos de longe superiores e com uma representação internacionalmente tão marcada?

A Tekever era a parceira preferida da Marinha, mas talvez devido aos problemas financeiros da empresa acabou por se afastar do mercado de defesa nacional. Só voltou a acordar quando foi o concurso para os drones para combate aos incêndios, mas ai já estava atrasada. A verdade é desde lá voltou a reativar a ligação a marinha e recuperou o atraso na área.

A Tekever não ganha os contratos internacionais sozinha, inicialmente tinha o apoio do estado Português agora tem o apoio de entidades estrangeiras.

Por exemplo do contrato da EMSA, a parceira é um subsidiaria da agência espacial francesa.

http://www.react.eu/

Mais uma vez não tenhas pena que eles também estão metidos nos projectos espaciais europeu e Português para os açores.

O que não falta é dinheiro "nosso" que foi investido na empresa nos últimos anos.
Título: Re: UAVs na FAP
Enviado por: Get_It em Novembro 10, 2022, 09:17:27 am
El Ejército del Aire y las FAS de Portugal intercambian experiencias en el uso de drones
(9 de Novembro de 2022)
Citação de: InfoDefensa
El Ejército del Aire y del Espacio y las Fuerzas Armadas de Portugal han celebrado recientemente una jornadas en la base aérea de Matacán (Salamanca) sobre sistemas aéreos no tripulados.

Los militares portugueses y españoles pusieron en común un seminario las actividades que llevan a cabo con estos aparatos. Las conferencias abordaron entre otros temas el trabajo de la Escuela de sistemas aéreos no tripulados situada en Matacán y el uso de los drones por parte de la Unidad Militar de Emergencias para la asistencia en todo tipo de catástrofes: incendios, terremotos, inundaciones y en la reciente erupción de un volcán en La Palma, donde la actuación de estas aeronaves fue decisiva.

A las jornadas asistieron el jefe de Estado Mayor General de las Fuerzas Armadas de Portugal, almirante Antonio Silva Ribeiro, el segundo director de Enseñanza del Ejército del Aire y del Espacio, general de brigada Carlos de Ysasi-Ysasmendi Krauel, y el jefe de de la base aérea, coronel José Gallo Rosales.

También ahondaron en el uso de sistemas aéreos no tripulados para la asistencia en los incendios forestales que tanto han azotado a los dos países ibéricos durante los últimos años y compartieron sus experiencias de cara a seguir mejorando sus capacidades en este ámbito, ante todo tipo de emergencias que puedan producirse en el futuro.

Además hubo una exposición estática con sistemas aéreos no tripulados de ambos países en la que los operadores de los sistemas aéreos no tripulados explicaron a las autoridades asistentes aspectos clave del funcionamiento de estos sistemas. Por su parte, los militares portugueses efectuaron una demostración de sus capacidades operando varios UAS dentro de la base, que sirvió para poner en común con el personal del Ejército del Aire y del Espacio las técnicas y procedimientos más adecuados y efectivos para la operación de los mismos.

[continua]
Fonte: https://www.infodefensa.com/texto-diario/mostrar/4063669/ejercito-aire-fas-portugal-intercambian-experiencias-drones (https://www.infodefensa.com/texto-diario/mostrar/4063669/ejercito-aire-fas-portugal-intercambian-experiencias-drones)

É possível ver numa das fotografias no artigo que a FAP enviou uma carrinha GCS.

Cumprimentos,