Plataforma Naval Multifuncional

  • 1386 Respostas
  • 131520 Visualizações
*

P44

  • Investigador
  • *****
  • 17829
  • Recebeu: 5304 vez(es)
  • Enviou: 5621 vez(es)
  • +6987/-9202
Re: Plataforma Naval Multifuncional
« Responder #1305 em: Fevereiro 12, 2024, 08:03:48 am »
Agora além de holistica e disruptiva também é verde  :mrgreen:
"[Os portugueses são]um povo tão dócil e tão bem amestrado que até merecia estar no Jardim Zoológico"
-Dom Januário Torgal Ferreira, Bispo das Forças Armadas
 

*

Lightning

  • Moderador Global
  • *****
  • 10916
  • Recebeu: 2294 vez(es)
  • Enviou: 3117 vez(es)
  • +696/-1028
Re: Plataforma Naval Multifuncional
« Responder #1306 em: Fevereiro 12, 2024, 10:26:13 am »
Pode ser camuflagem  :mrgreen:.

Como o navio de guerra holandês que conseguiu fugir aos japoneses disfarçado de "ilha".  8)

https://en.m.wikipedia.org/wiki/HNLMS_Abraham_Crijnssen_(1936)

« Última modificação: Fevereiro 12, 2024, 10:27:59 am por Lightning »
 
Os seguintes utilizadores agradeceram esta mensagem: P44

*

Pescador

  • Investigador
  • *****
  • 3716
  • Recebeu: 2485 vez(es)
  • Enviou: 1954 vez(es)
  • +5691/-2727
Re: Plataforma Naval Multifuncional
« Responder #1307 em: Fevereiro 12, 2024, 10:58:09 am »
Dizer que uma fragata ou destroyer é neutralizado bastando disparar um míssil contra ele, como foi escrito, é "abusivo", creio eu. É verdade que uma lancha já embatei num estacionado e o danificou, mas não esperava isso.
Agora um navio bem equipado de sensores e meios de defesa não se abate assim com esse facilidade. A Bimby, ou outras fantasias mal equipadas de meios defesa sim e, depois lá perdem a mãe dos drones e estes se perdem todos de uma vez.
O mesmo para o navio mãe de misseis. Que tem obrigatoriamente de estar muito bem equipados de defesas para não ser eliminado e por consequência tudo aquilo que controla.
Outra coisa, é preciso construir de raiz um navio que controle remotamente 3 ou 4 lanchas drones armadas?

Estão a comparar com fragatas VdG ou mesmo BD, achadas tecnologicamente avançadas por fantasistas ou, com fragatas  a sério, que mesmo não estando carregadas de misseis tem meios, sensores e armas, credíveis de defesa?

Se lá na cúpula estão tão preocupados assim com drones, porque não equipam as actuais Fragatas com meios de defesa capazes? Até os NPO. Custa muito? (Menos que 34 milhões para museu) É preciso um grupo de trabalho durante anos?
É o canhão rotativo de tiro rápido que esgota as munições depressa e  com alcance limitado, mais as .50 com miras de ferro, dessas fragatas que esperam que resolva?
Falta de espaço não tem. Espaço vazio, ou mal aproveitado é o que há mais nas Fragatas e NPO. As BD, sendo as nossas mais que tudo, já deviam ter o assunto da posição B resolvido. Repetindo-me.

É esta incoerência que me indicia, que é tudo tanga e palha para burros. aproveitando protagonismo e elevar as figuras.
Meios de defesa contra drones são conhecidos e experimentados na cozinha que é a Ucrânia. Aqui o DC(obrigado) colocou foto e o assunto de pequenos misseis numa plataforma RWS com outra arma. Existem também dispositivos de impulsos eletromagnéticos. Existem milhentos e estão em foco
E este assunto não se fica pela Marinha, quando o exército também não os tem e contudo faz exercícios anti drone na Roménia, onde há muito devia ser motivo para desbloquear verba para pelo menos equipar os meios que lá estão. Como fazem com os escassos misseis para os F16.

Por isso tudo, esta ladainha de intenções me parece coisa de encher chouriços e nada mais. O sôr almirante e outros fantasistas da Disney nas FA, lidam com isto cheios de complacência.
Nada foi feito durante estes anos, onde tanto mudou nos conceitos dos conflitos e nas relações inter países.

As BD foram para MLU, levaram um eternidade e já sabemos como vieram. Nem RWS nas .50 meteram, embora até isso estivesse no ar em certa altura. Os ESSN, zero
As VdG é assunto de paginas  e paginas e, de discursos políticos há anos e nem a actualidade mudou alguma coisa. O mesmo para os sistemas AA , que em Portugal se limitam a stinger de ombro, como as tribos no Afeganistão emboscadas nas montanhas e por isso com alguma vantagem.

Se uma Fragata das nossas for para uma zona de conflito onde pequenos misseis disparados de lanchas ou de terra e pequenos drones estão em cima da mesa, tem capacidade de defesa? Não

E contra outros navios, como pequenas corvetas e fragatas ligeiras modernas com  misseis mais "tradicionais"? Nem por isso
 
E para piorar, com Harpoon por actualizar pouca capacidade ofensiva contra navios dotados com equipamentos de defesa modernos

Então????? Falamos do quê?

De supostas BImbys futuristas

     
« Última modificação: Fevereiro 12, 2024, 11:12:21 am por Pescador »
 
Os seguintes utilizadores agradeceram esta mensagem: P44, NVF

*

Bubas

  • Membro
  • *
  • 42
  • Recebeu: 5 vez(es)
  • Enviou: 40 vez(es)
  • +9/-0
Re: Plataforma Naval Multifuncional
« Responder #1308 em: Fevereiro 12, 2024, 02:54:46 pm »

Então????? Falamos do quê?

De supostas BImbys futuristas

   

Concordo com grande parte do que diz, mas faz-me alguma confusão o facto de atribuir culpas desse estado às atuais chefias militares.
A "Bimby" é paga com dinheiro que não viria de outra forma e não poderia ser gasto em material de guerra tradicional.
Se é esse o caso, é pior ter esse navio do que não o ter?
É um navio que permite transportar muita gente, capaz de ter funções de hospital, transporte de material, etc. E claro navio hidrográfico. Qual é o problema. Era dinheiro que não viria.


 

*

mafets

  • Investigador
  • *****
  • 8525
  • Recebeu: 3172 vez(es)
  • Enviou: 990 vez(es)
  • +4051/-6359
Re: Plataforma Naval Multifuncional
« Responder #1309 em: Fevereiro 12, 2024, 03:13:48 pm »
Também este não é de guerra, e parece-me mais prático que a bimby naval. Já para não falar que drones civis, operam de um simples NPO.



Saudações

P.S. Seja navios hidrográficos ou a classe vigilante são navios que se enquadram no PRR. Assim como os Uh60, sendo que a Marinha tem parte dos 5 Lynx ainda em modernização.

"Nunca, no campo dos conflitos humanos, tantos deveram tanto a tão poucos." W.Churchil

http://mimilitary.blogspot.pt/
 
Os seguintes utilizadores agradeceram esta mensagem: P44

*

Pescador

  • Investigador
  • *****
  • 3716
  • Recebeu: 2485 vez(es)
  • Enviou: 1954 vez(es)
  • +5691/-2727
Re: Plataforma Naval Multifuncional
« Responder #1310 em: Fevereiro 12, 2024, 03:20:27 pm »

Então????? Falamos do quê?

De supostas BImbys futuristas

   

Concordo com grande parte do que diz, mas faz-me alguma confusão o facto de atribuir culpas desse estado às atuais chefias militares.
A "Bimby" é paga com dinheiro que não viria de outra forma e não poderia ser gasto em material de guerra tradicional.
Se é esse o caso, é pior ter esse navio do que não o ter?
É um navio que permite transportar muita gente, capaz de ter funções de hospital, transporte de material, etc. E claro navio hidrográfico. Qual é o problema. Era dinheiro que não viria.

Separando as coisas.
A Bimby é paga com dinheiro da UE, mas apenas até um limite e, não sabemos ao certo quanto vai ter de encargo do Estado Português, desviando verbas que podem vir a ser maiores do que as agora estipuladas. Não admira que derrape. Até em equipamentos posteriormente pensados.
Nomeadamente em dinheiro necessário para navios logísticos como deve ser, ou outros. Ou melhorar decentemente algumas coisas.
Outra coisa, é a responsabilidade do almirante  de quem concorda com ele sobre os meios, tantos os que realmente necessários, como o valor dos actuais. Isso não é nada  a ver com UE, é politico e militar, sendo que estes se sintonizam com a politica.
Politica de governantes em que é notória a completa aversão as FA. Viu-se no desfile o interesse, vê-se no interesse em desbloquear verbas para coisas como os necessários misseis AA ou outras "pequenas coisas", essenciais. Embora com facilidade se esbanje a dar a externos. Tanta facilidade é corrupção e traição, no uso dos dinheiros que são de todos os que pagam impostos, não do governo.
No negocio da Embraer em que se meteram entusiasticamente e cheios de empenhadamente como em nenhum outro, como se fosse algo para eles. Se calhar de certa maneira foi. Aqui notou-se substancial diferença do resto.
E o Estado só tem o que os contribuintes lá depositam e devia gastar com respeito aos que o fazem.
E os lideres militares tem um Dever para com as suas Instituições e o País, não a gosto deste ou aquele governante, que é sempre de passagem.

Portanto está menos em causa a construção da BImby, senão pelo facto de sendo pretendido como um navio hidrográfico, a fantasia pode dar lugar a derrapar para algo que nem é carne nem peixe, ser na vida animal uma alforreca. Mas mais em causa, está mentir e inventar sobre a realidade dos meios actuais e a sua necessária substituição, pelo menos em duas unidades navais de superfície com relevância. Afinal vamos ter até 2040, quatro Fragatas sem relevância. É um facto, mesmo que lhe metam rótulos bonitos como até aqui têm feito.
« Última modificação: Fevereiro 12, 2024, 03:47:56 pm por Pescador »
 
Os seguintes utilizadores agradeceram esta mensagem: P44

*

saabGripen

  • Perito
  • **
  • 439
  • Recebeu: 75 vez(es)
  • Enviou: 27 vez(es)
  • +231/-283
Re: Plataforma Naval Multifuncional
« Responder #1311 em: Fevereiro 12, 2024, 07:05:29 pm »
Vejam a Revista da Armada e ficam com uma boa ideia de para onde a BIMBY vai derrapar.

Aqui derrapa-se muito no paleio.

Obra feita.

https://www.marinha.pt/conteudos_externos/Revista_Armada/PDF/2024/RA_592.pdf
« Última modificação: Fevereiro 12, 2024, 07:07:31 pm por saabGripen »
 

*

Bubas

  • Membro
  • *
  • 42
  • Recebeu: 5 vez(es)
  • Enviou: 40 vez(es)
  • +9/-0
Re: Plataforma Naval Multifuncional
« Responder #1312 em: Fevereiro 12, 2024, 07:25:25 pm »
Também este não é de guerra, e parece-me mais prático que a bimby naval. Já para não falar que drones civis, operam de um simples NPO.



Saudações

P.S. Seja navios hidrográficos ou a classe vigilante são navios que se enquadram no PRR. Assim como os Uh60, sendo que a Marinha tem parte dos 5 Lynx ainda em modernização.


Esse navio caberia no orçamento dos 90 milhões?
Os UH-60 da PRR podem ser armados?
 

*

JohnM

  • Especialista
  • ****
  • 912
  • Recebeu: 497 vez(es)
  • Enviou: 309 vez(es)
  • +72/-25
Re: Plataforma Naval Multifuncional
« Responder #1313 em: Fevereiro 12, 2024, 07:31:35 pm »
Vejam a Revista da Armada e ficam com uma boa ideia de para onde a BIMBY vai derrapar.

Aqui derrapa-se muito no paleio.

Obra feita.

https://www.marinha.pt/conteudos_externos/Revista_Armada/PDF/2024/RA_592.pdf
Aqui não se consegue admitir que alguma vez a Marinha (ou a FA ou o EP) façam algo certo… há uma reação instintiva de dizer mal, nem que seja o velho “mais valia terem feito outra coisa”… eu sou o primeiro a criticar quando é de criticar, mas também dou os parabéns quando as coisas são feitas… se o homem deixar o cargo com contratos assinados e a construção em curso de 6 NPO, 1 Bimby, 2 AOR e 8 NPC, vai ter renovado por completo a frota não combatente da Marinha, algo que (também) era mais que necessário. Dois dos quatros contratos estão já assinados e a construção está a começar, mas mesmo assim ainda há foristas que acham que está tudo errado e que a construção vai ser cancelada, e os custos derraparem, o dinheiro devia ter sido empregue noutra coisa, etc., etc. Epá, aproveitem as pequenas vitórias quando elas existem, porque não são assim tão comuns… Gostava que o pessoal deixasse instintivamente de dizer mal, só porque sim…
 
Os seguintes utilizadores agradeceram esta mensagem: Visitante123, saabGripen, Bubas

*

CruzSilva

  • Especialista
  • ****
  • 1159
  • Recebeu: 445 vez(es)
  • Enviou: 2068 vez(es)
  • +633/-108
Re: Plataforma Naval Multifuncional
« Responder #1314 em: Fevereiro 12, 2024, 07:38:34 pm »
Vejam a Revista da Armada e ficam com uma boa ideia de para onde a BIMBY vai derrapar.

Aqui derrapa-se muito no paleio.

Obra feita.

https://www.marinha.pt/conteudos_externos/Revista_Armada/PDF/2024/RA_592.pdf
Aqui não se consegue admitir que alguma vez a Marinha (ou a FA ou o EP) façam algo certo… há uma reação instintiva de dizer mal, nem que seja o velho “mais valia terem feito outra coisa”… eu sou o primeiro a criticar quando é de criticar, mas também dou os parabéns quando as coisas são feitas… se o homem deixar o cargo com contratos assinados e a construção em curso de 6 NPO, 1 Bimby, 2 AOR e 8 NPC, vai ter renovado por completo a frota não combatente da Marinha, algo que (também) era mais que necessário. Dois dos quatros contratos estão já assinados e a construção está a começar, mas mesmo assim ainda há foristas que acham que está tudo errado e que a construção vai ser cancelada, e os custos derraparem, o dinheiro devia ter sido empregue noutra coisa, etc., etc. Epá, aproveitem as pequenas vitórias quando elas existem, porque não são assim tão comuns… Gostava que o pessoal deixasse instintivamente de dizer mal, só porque sim…
Concordando parcialmente sobre o pessimismo a questão dos custos, construção, etc que por acaso foi uma questão que eu levantei é totalmente legítima por causa do histórico das aquisições e modernizações anteriores. É assim tão injusto manter o pé atrás até tudo estar concluído?

Mas olhe no meu caso cá estarei para dizer que fui injusto ou estive errado se tal for aplicável (como já estive parcialmente no caso da aquisição dos UH-60).
 
Os seguintes utilizadores agradeceram esta mensagem: P44, saabGripen

*

Bubas

  • Membro
  • *
  • 42
  • Recebeu: 5 vez(es)
  • Enviou: 40 vez(es)
  • +9/-0
Re: Plataforma Naval Multifuncional
« Responder #1315 em: Fevereiro 12, 2024, 07:45:26 pm »

Então????? Falamos do quê?

De supostas BImbys futuristas

   

Concordo com grande parte do que diz, mas faz-me alguma confusão o facto de atribuir culpas desse estado às atuais chefias militares.
A "Bimby" é paga com dinheiro que não viria de outra forma e não poderia ser gasto em material de guerra tradicional.
Se é esse o caso, é pior ter esse navio do que não o ter?
É um navio que permite transportar muita gente, capaz de ter funções de hospital, transporte de material, etc. E claro navio hidrográfico. Qual é o problema. Era dinheiro que não viria.

Separando as coisas.
A Bimby é paga com dinheiro da UE, mas apenas até um limite e, não sabemos ao certo quanto vai ter de encargo do Estado Português, desviando verbas que podem vir a ser maiores do que as agora estipuladas. Não admira que derrape. Até em equipamentos posteriormente pensados.
Nomeadamente em dinheiro necessário para navios logísticos como deve ser, ou outros. Ou melhorar decentemente algumas coisas.
Outra coisa, é a responsabilidade do almirante  de quem concorda com ele sobre os meios, tantos os que realmente necessários, como o valor dos actuais. Isso não é nada  a ver com UE, é politico e militar, sendo que estes se sintonizam com a politica.
Politica de governantes em que é notória a completa aversão as FA. Viu-se no desfile o interesse, vê-se no interesse em desbloquear verbas para coisas como os necessários misseis AA ou outras "pequenas coisas", essenciais. Embora com facilidade se esbanje a dar a externos. Tanta facilidade é corrupção e traição, no uso dos dinheiros que são de todos os que pagam impostos, não do governo.
No negocio da Embraer em que se meteram entusiasticamente e cheios de empenhadamente como em nenhum outro, como se fosse algo para eles. Se calhar de certa maneira foi. Aqui notou-se substancial diferença do resto.
E o Estado só tem o que os contribuintes lá depositam e devia gastar com respeito aos que o fazem.
E os lideres militares tem um Dever para com as suas Instituições e o País, não a gosto deste ou aquele governante, que é sempre de passagem.

Portanto está menos em causa a construção da BImby, senão pelo facto de sendo pretendido como um navio hidrográfico, a fantasia pode dar lugar a derrapar para algo que nem é carne nem peixe, ser na vida animal uma alforreca. Mas mais em causa, está mentir e inventar sobre a realidade dos meios actuais e a sua necessária substituição, pelo menos em duas unidades navais de superfície com relevância. Afinal vamos ter até 2040, quatro Fragatas sem relevância. É um facto, mesmo que lhe metam rótulos bonitos como até aqui têm feito.

Em relação ao D.Joao II uma coisa é certa, ele vai ter de acabar dentro do prazo, ou não é pago, a União europeia não brinca nesse aspeto e o estaleiro deve estar informado dessa questão. Quanto a derrapar, não digo que não mas só depois de entregue e relativamente a componentes não contratualizados de inicio.

Quanto ao valor dos atuais, seria estranho o CEMA dizer que eram maus, tem limites que o cargo lhes impõe.
Geralmente essas ideias aparecem só durante a sua reforma.

Quanto aos governantes 100% de acordo mas não vejo o que tenha a ver com o Almirante.

Qual é mesmo o mal de um navio com capacidade de alterar rapidamente os seus conteúdos e se transformar de hidrográfico , para transporte de pessoas ou equipamentos?
- Precisamos de substituir os navios hidrográficos.
- Caso ocorra uma catástrofe precisamos de um navio que transporte 300 pessoas? Ou seja alterado para hospital?
- E se necessitarmos de levar equipamentos e pessoas para algum local, serve?

O CEMA tem certamente criticas merecidas (opinião sobre fragatas), mas estas não me parecem.
 
Os seguintes utilizadores agradeceram esta mensagem: saabGripen

*

mafets

  • Investigador
  • *****
  • 8525
  • Recebeu: 3172 vez(es)
  • Enviou: 990 vez(es)
  • +4051/-6359
Re: Plataforma Naval Multifuncional
« Responder #1316 em: Fevereiro 12, 2024, 11:43:13 pm »
Também este não é de guerra, e parece-me mais prático que a bimby naval. Já para não falar que drones civis, operam de um simples NPO.



Saudações

P.S. Seja navios hidrográficos ou a classe vigilante são navios que se enquadram no PRR. Assim como os Uh60, sendo que a Marinha tem parte dos 5 Lynx ainda em modernização.


Esse navio caberia no orçamento dos 90 milhões?
Os UH-60 da PRR podem ser armados?

https://en.wikipedia.org/wiki/KRI_dr._Soeharso

Citar
he contract for the US$35 million ship was signed with Daewoo International in September 2003. The vessel was built by Daesun Shipbuilding at their shipyard in Pusan, South Korea, with the keel being laid in 2002. Named Tanjung Dalpele, the ship was launched on 17 May 2003 and entered service with the Indonesian Navy in September of that year.

Para operar de um navio hospital supostamente os helis não estão armados. Portanto para sar e evacuações aeromedicas os Uh60 do PRR chegam, assim como do Porta-Drones não irão em principio operar drones armados.



Saudações

P.S. Na Altura o Siroco vinha para cá por 80 milhões. Era militar e não quiseram porque era assim, assado, cozido e frito. Foi para o Brasil e já o mano operava no Chile. E eram ambos militares. ::)



« Última modificação: Fevereiro 12, 2024, 11:51:25 pm por mafets »
"Nunca, no campo dos conflitos humanos, tantos deveram tanto a tão poucos." W.Churchil

http://mimilitary.blogspot.pt/
 

*

Pescador

  • Investigador
  • *****
  • 3716
  • Recebeu: 2485 vez(es)
  • Enviou: 1954 vez(es)
  • +5691/-2727
Re: Plataforma Naval Multifuncional
« Responder #1317 em: Fevereiro 13, 2024, 11:29:42 am »
Vejam a Revista da Armada e ficam com uma boa ideia de para onde a BIMBY vai derrapar.

Aqui derrapa-se muito no paleio.

Obra feita.

https://www.marinha.pt/conteudos_externos/Revista_Armada/PDF/2024/RA_592.pdf

Onde tem havido derrapagem de conversa tem sido, nomeadamente na Marinha, não aqui.
A Marinha das Fragatas tecnologicamente evoluídas, dos NPO com complexidade de fragatas. E dos drones sem valor militar, que deviam estar na Proteção civil junto com muita gente avessa a coisa militar.
Estas afirmações foram graves, porque vieram de quem no cimo afirma que está tudo bem. Que cumprem. Até ditas sabendo que a maioria estava inop. E agora vêm "advogados" defender o quê?

A Bimby vai em quase 140 milhões, segundo números já ditos, dos quais uns 100 são da EU. Esse parece ser o ponto de partida. Vamos ver o resto, ou derrapa ou cortam equipamentos. Como fizeram com MLU das BD, não fosse outros oferecem monitores não os tinham, tal como se cortaram a adquirir outras coisas essenciais no contexto actual.
Até o MLU das VdG será melhor mesmo que curto,  porque a verba de 3 passa para 2. Supostamente

Posto isso  e saindo da BImby que é o ex libris da Marinha civil. Falta na mesma ter capacidade combatente, mesmo que de média intensidade nas Fragatas. Por isso lérias é na copula dos altos pensadores e vendedores de fantasias da Marinha.

Sobre fazer bem. Sim poderia haver onde dizer alguma coisa aqui e ali, mas desvanece em tudo o resto.
Ora, o programa das lanchas e patrulhas não andou. Nem o das Lanchas de socorro a náufragos, ficou por uma das 3 planeadas. Até são de propósito civil. Não há verba de fora?

MLUs: BD fraco, aquém de que devia para navios para durarem mais uns 20 anos.
VdG nem se sabe, porque são intenções e nem vale a pena falar de intenções. Nem quando estarão prontas. É coisa para muitas paginas de suposições e venda de intenções.

Positivo....temos de ver. Para já fizeram mais uma coisa gira na Marinha para Comando de drones. Mas os drones é o que sabemos e, nem planeamento ou intenções sobre modelos militares.
Sem desprimor pela investigação e desenvolvimento nacional, deviam acautelar a aquisição de drones já com provas dadas e partir daí. Nem que copiem ideias ou adaptem.
Apenas existe uma ideia vaga para a FAP sobre um drone realmente relevante. Vamos ver se vai avante. Era bom. por isso temos aqui um ponto positivo

Alterações aos NPO. Tem algo de positivo. Vamos ver. Foi assinado a construção? Boa. Também já vai numa longa novela de intenções e não quer dizer muito, como sabemos.

Quanto a ideia fantástica de navios baseados na Bimby para substituir fragatas. Se calhar nem vale a pena comentar, dado que a acontecer será daqui a duas décadas e até lá, é uma vergonha de navios combatentes de superfície.  E isso é que está em cima da mesa, não o fantástico daqui não se sabe e, se será mesmo assim.

Ou estamos aqui a falar de coisas reais e avalia-se o que não se faz, ou se cria ilusões sobre possíveis coisas de um futuro não se sabe quando e se serão feitas. Mas neste momento e para breve, o que se vê não é bonito.

Mas qual a obra feita?????? documentos? Navios civis no contexto actual e ignorar a fragilidade dos meios combatentes? Bela obra.
Vamos lá a ver. Um miúdo de 14 anos faz uma desenho de nuvens com um lápis e que apresenta na Escola como um desenho da natureza é o quê?
Um fenômeno disruptivo e foi premiado com o elogio que está bonito, para não o melindrarem, coitadinho. (foi real)
Sendo assim, se é por isso...Está muito bom o trabalhão da Marinha na sua renovação naval.
E digo isto já a contar como garantido mais 2 submarinos, porque o almirante o disse     

Um exemplo de obra podia ser, entre outras, adquirir 2 Crossover e com isso ter apoio logístico qb e presença de Soberania, nomeadamente a tal ASW e, até mais defesa aérea que varias fragatas juntas das actuais . Tripulação, em vez de ser dispersa por vários navios, estava em dois e fazia dupla missão, ou tripla contando o apoio civil
Agora é comparar isto, mesmo concordando mais ou menos no navio em si, com ...o resto.
Dinheiro? Não se fazia o MLU das VdG, vendiam-nas, mais dinheiro de outros programas logísticos(ou ideias de). Mais uns milhões que em vez de dar a outros fora se usava em casa.

Afinal o bronco do Trump anda a avisar que a Europa tem de investir. E cá, ui ...
« Última modificação: Fevereiro 13, 2024, 12:07:24 pm por Pescador »
 
Os seguintes utilizadores agradeceram esta mensagem: P44, NVF

*

P44

  • Investigador
  • *****
  • 17829
  • Recebeu: 5304 vez(es)
  • Enviou: 5621 vez(es)
  • +6987/-9202
Re: Plataforma Naval Multifuncional
« Responder #1318 em: Fevereiro 13, 2024, 12:24:22 pm »
Os reis do paleio a acusarem os outros de paieio

Mas é carnaval ninguém leva a mal 🤡

Há um ditado argentino salvo erro que se aplica perfeitamente a esta gente disruptiva holística e verde

"Um bom investimento é comprar um holistico pelo que ele vale e vendê-lo pelo preço que ele acha que vale "
"[Os portugueses são]um povo tão dócil e tão bem amestrado que até merecia estar no Jardim Zoológico"
-Dom Januário Torgal Ferreira, Bispo das Forças Armadas
 
Os seguintes utilizadores agradeceram esta mensagem: Pescador

*

saabGripen

  • Perito
  • **
  • 439
  • Recebeu: 75 vez(es)
  • Enviou: 27 vez(es)
  • +231/-283
Re: Plataforma Naval Multifuncional
« Responder #1319 em: Fevereiro 13, 2024, 09:51:38 pm »
Vejam a Revista da Armada e ficam com uma boa ideia de para onde a BIMBY vai derrapar.

Aqui derrapa-se muito no paleio.

Obra feita.

https://www.marinha.pt/conteudos_externos/Revista_Armada/PDF/2024/RA_592.pdf


A Bimby vai em quase 140 milhões, segundo números já ditos, dos quais uns 100 são da EU. Esse parece ser o ponto de partida. Vamos ver o resto, ou derrapa ou cortam equipamentos.



É incorrecto.
Vai em muito mais que 140M

Os Drones e "equipamentos científicos"   ;)   estão a ser adquiridos á parte.
Se tiver um helicóptero embarcado, será pago á parte...