P-3 Orion na Força Aérea Portuguesa

  • 569 Respostas
  • 90450 Visualizações
*

NVF

  • Investigador
  • *****
  • 5282
  • Recebeu: 3922 vez(es)
  • Enviou: 9600 vez(es)
  • +8440/-242
Re: P-3 Orion na Força Aérea Portuguesa
« Responder #510 em: Fevereiro 10, 2024, 12:16:09 am »
Os alemães:

Citar
Ten Dutch P-3C-II½ Orions went through such a program (the Capability Upkeep Program) just before being sold to Germany and Portugal; these aircraft are known as P-3C CUP Orions. New systems include an ASQ-227 central computer, the APS-137B(V)5 radar, ASQ-78B acoustic processing system, ALR-66C(V)3 ESM system and SATCOM. Seven aircraft got the complete CUP (all of these are sold to Germany), the other three got a limited CUP mission suite but have provisions and wiring for all CUP systems.

Os tugas:

https://www.key.aero/article/inside-esq601-portugals-p-3c-cup-squadron
Talent de ne rien faire
 
Os seguintes utilizadores agradeceram esta mensagem: Charlie Jaguar, goncalobmartins

*

Charlie Jaguar

  • Investigador
  • *****
  • 5303
  • Recebeu: 5190 vez(es)
  • Enviou: 3441 vez(es)
  • +10048/-2636
Re: P-3 Orion na Força Aérea Portuguesa
« Responder #511 em: Fevereiro 10, 2024, 03:42:15 am »
Os sistemas são diferentes, não necessariamente inferiores. Estruturalmente já é outra conversa, dado alguns dos Orion alemães terem recebido asas e estabilizadores novos. E pelo que é descrito nos PR, os kits MLU alemães, que incluem as novas asas, foram também adquiridos.

E quais são as principais diferenças do P3C Cup alemão para o P3C Cup+ português? Sendo que ambos são originalmente de origem neerlandesa… já pesquisei mas não encontro nada sobre a variante Cup+! Obrigado

Como se comparam - a níveis de sistemas/ sensores - os P3 alemães já o MLU feito com os nossos P3 CUP+?

Os kits comprados MLU podem / devem ser instalados nos nossos P3 CUP+ ou nada acrescentam?   

Podem e devem, já que pelo menos (e se não fosse por mais nada) asseguram uma vida útil extra de 15.000HV.

Os sensores entre os CUP neerlandeses/alemães e os CUP+ diferem em alguns aspectos; por exemplo, o radar que equipa a nossa variante é o Elta EL/M-2022A(V)3, enquanto que os alemães estão dotados do AN/APS-137B(V)5 com capacidade SAR (Synthetic Aperture Radar) e ISAR (Inverse Synthetic Aperture Radar).

Citar
(...) APS-137 Synthetic Aperture Radar System is used for Anti-Surface Warfare and Anti-Submarine Warfare

The APS-137 specializes in anti-surface and anti-submarine warfare. For anti-submarine missions, it has the ability to locate submarines by identifying periscopes and antennas, even in rough seas. For anti-surface missions, the APS-137 can perform long-range surface searches and track multiple targets simultaneously. This makes it ideal for anti-piracy operations by locating, identifying, and tracking the pirate motherships and the small skiffs they launch used to attack, board, and hold for ransom merchants ships in the international shipping lanes. (...)

https://duotechservices.com/aps-137-radar-enables-the-p-3-orion-to-fight-pirates

Citar
(...) O radar Elta EL/M-2022A(V)3 do P-3C CUP+ é um radar digital e multimodo, do qual se destacam as seguintes capacidades:

- Deteção, classificação e seguimento de contactos de superfície e periscópios de submarinos;
- Deteção e aviso meteorológico;
- Deteção de contactos aéreos;
- Realização de cartografia de terreno;
- Integração com o sistema Identification Friend or Foe (IFF) para interrogação em todos os modos.

Para além das suas excelentes capacidades de deteção, o radar foi desenvolvido com a capacidade de gerar imagem em diversos modos. Estas capacidades surgem da combinação da utilização dos diferentes modos de operação do radar, que variam conforme o tipo e objetivos de cada missão:

- O modo Sea Surveillance (SS) permite o fácil reconhecimento das características de transição entre terra e mar; performances de deteção de longo alcance [Long Range Surface Surveillance (LSS)]; guerra antissubmarina [Anti Submarine Warfare (ASW)]; a deteção de longo alcance de alvos marítimos estacionários e não estacionários [Sea Moving Target Indicator (Sea-MTI)];
- O modo Single Target Tracking (STT) é um modo de elevada precisão ativado num único alvo;
- O modo Ground Moving Target Indicator (GMTI), permite a deteção de alvos em movimento, podendo a velocidade mínima a que esses contactos são detetados ser definida pelo operador; - O modo Air-to-Air (AA), fornece a deteção e o seguimento (tracking) automático de alvos aéreos;
- O modo Navigation and Weather (NAW), foi desenvolvido para deteção de longo alcance de retornos radar de meteorologia/solo, em voos de média a alta altitude. 

A capacidade SAR permite a recolha de imagem terrestre e inclui os modos Scan-SAR, Spot-SAR (SSAR) e Strip SAR (STSAR). Os diferentes modos permitem distinguir e reconhecer contatos terrestres como veículos, estruturas e características topográficas, diferenciar alvos situados dentro do mesmo feixe radar e ao mesmo alcance e geo-localizar alvos com elevadas precisões. À capacidade SAR, poderá ser adicionada a capacidade de GMTI (Ground Moving Target Indication), o que permite efetuar a sobreposição dos contactos em movimento à imagem do terreno.

 No modo Inverse Synthetic Aperture Radar (ISAR), são geradas imagens de alta resolução, que permitem a classificação de meios navais de superfície. Essa classificação é obtida através da análise da representação da silhueta 65 dos alvos, que reflete a dimensão dos mesmos assim como as suas características a nível da posição dos mastros, antenas e outras estruturas ao longo do convés.

https://www.iai.co.il/p/elm-2022
https://www.naval-technology.com/news/newselta-systems-deliver-elm-2022a-maritime-radars-undisclosed-customers/?cf-view

Diria, à primeira vista, que possuem capacidades similares, mas que o equipamento israelita será superior.


O FLIR dos CUP é o L3 Harris Wescam MX-20HD, o nosso o MX-15HDi (portanto o presente nos aparelhos germânicos é superior),

O sistema ESM/ELINT é o AN/ALR-95(V)2 nos CUP, AN/ALR-97(V) nas nossas aeronaves, ambos fabricados pela empresa norte-americana Harris. O nosso sistema é uma versão mais recente do anterior.

https://www.harris.com/solution/alr-97v-maritime-patrol-aircraft-esm-system
https://www.armscom.net/products/alr_97v_maritime_patrol_aircraft_esm_system_by_harris_corporation

O processador acústico dos CUP é o IBM UYS-1, no nosso caso é o mais recente AN/USQ-78(B) da Lockheed Martin.

Conjunto de sensores do P-3C CUP+:




Conjunto de sensores do P-3C CUP:
https://www.seaforces.org/marint/German-Navy/Aviation/P-3C-Orion-GER.htm


Existem outras diferenças, umas mais, outras menos significativas, mas falta-me tempo agora para poder descrever tudo. Mesmo assim espero ter ajudado um pouco. ;)
Saudações Aeronáuticas,
Charlie Jaguar

"(...) Que, havendo por verdade o que dizia,
DE NADA A FORTE GENTE SE TEMIA
"

Luís Vaz de Camões (Os Lusíadas, Canto I - Estrofe 97)
 
Os seguintes utilizadores agradeceram esta mensagem: LM, NVF, Pescador

*

NVF

  • Investigador
  • *****
  • 5282
  • Recebeu: 3922 vez(es)
  • Enviou: 9600 vez(es)
  • +8440/-242
Re: P-3 Orion na Força Aérea Portuguesa
« Responder #512 em: Fevereiro 10, 2024, 05:25:34 am »
Com a vinda dos Orion alemães a aquisição do Wescam MX-20HD para os CUP+ já não deve ir avante. Resta saber se os MX-15HDi vão migrar para a frota Kualita ou, quem sabe, cedidos à EHM para equipar os parcos três Super Lynx disponíveis.
Talent de ne rien faire
 
Os seguintes utilizadores agradeceram esta mensagem: Charlie Jaguar, Pescador

*

Charlie Jaguar

  • Investigador
  • *****
  • 5303
  • Recebeu: 5190 vez(es)
  • Enviou: 3441 vez(es)
  • +10048/-2636
Re: P-3 Orion na Força Aérea Portuguesa
« Responder #513 em: Fevereiro 10, 2024, 09:32:25 am »
Com a vinda dos Orion alemães a aquisição do Wescam MX-20HD para os CUP+ já não deve ir avante. Resta saber se os MX-15HDi vão migrar para a frota Kualita ou, quem sabe, cedidos à EHM para equipar os parcos três Super Lynx disponíveis.

Sim, agora em princípio haverão 5 sistemas Wescam MX-15HDi redundantes, que podiam perfeitamente ser integrados em várias frotas.

A não ser que caiam vítimas do esdrúxulo capítulo "receitas próprias dos ramos" e acabem vendidos, afinal cada um destes sistemas custa em torno de 1M USD. ::)



P.S. Como o suporte ao Star SAFIRE III HD que equipa os nossos C-295M Persuader foi entretanto descontinuado pela Teledyne FLIR, não sei até que ponto não seria uma boa ideia pensar em transitar estes MX-15 para as cinco células PG02 e PG03.
Saudações Aeronáuticas,
Charlie Jaguar

"(...) Que, havendo por verdade o que dizia,
DE NADA A FORTE GENTE SE TEMIA
"

Luís Vaz de Camões (Os Lusíadas, Canto I - Estrofe 97)
 

*

Pescador

  • Investigador
  • *****
  • 3717
  • Recebeu: 2486 vez(es)
  • Enviou: 1954 vez(es)
  • +5691/-2729
Re: P-3 Orion na Força Aérea Portuguesa
« Responder #514 em: Fevereiro 10, 2024, 10:11:53 am »
Com a vinda dos Orion alemães a aquisição do Wescam MX-20HD para os CUP+ já não deve ir avante. Resta saber se os MX-15HDi vão migrar para a frota Kualita ou, quem sabe, cedidos à EHM para equipar os parcos três Super Lynx disponíveis.

Sim, agora em princípio haverão 5 sistemas Wescam MX-15HDi redundantes, que podiam perfeitamente ser integrados em várias frotas.

A não ser que caiam vítimas do esdrúxulo capítulo "receitas próprias dos ramos" e acabem vendidos, afinal cada um destes sistemas custa em torno de 1M USD. ::)



P.S. Como o suporte ao Star SAFIRE III HD que equipa os nossos C-295M Persuader foi entretanto descontinuado pela Teledyne FLIR, não sei até que ponto não seria uma boa ideia pensar em transitar estes MX-15 para as cinco células PG02 e PG03.

Realmente não ter nada e andar a vender em 2ª mão para a receita se esvair em ....nada de significativo. Outros que até têm mais verba disponível costumam aproveitar

Um dos grandes paradigmas das FA é ter o meio base, mas minimalista. Sejam FLIR na FAP e Marinha, ou certos acessórios no Exército, que fazem toda a diferença numa situação Real. Para encher paginas de glorificação em revistas, no Facebook das FA e para Paradas, servem.
Os P3 são um dos poucos exemplos onde se vai longe. E nota-se como isso é gratificante e motivo de orgulho. Era só estender ao resto
« Última modificação: Fevereiro 10, 2024, 10:14:24 am por Pescador »
 
Os seguintes utilizadores agradeceram esta mensagem: NVF, Charlie Jaguar

*

Charlie Jaguar

  • Investigador
  • *****
  • 5303
  • Recebeu: 5190 vez(es)
  • Enviou: 3441 vez(es)
  • +10048/-2636
Re: P-3 Orion na Força Aérea Portuguesa
« Responder #515 em: Fevereiro 10, 2024, 10:44:03 am »
A confusão adensa-se...

(Traduzido do alemão por Google)
Citar
- Björn Müller

Parte do P3C serve como armazém de peças sobressalentes para manter uma frota principal portuguesa?


- FlyNavy1
(Nota: trata-se do Capitão-de-Mar-e-Guerra Broder Nielsen, Comandante da Aviação Naval Germânica)

Entregaremos um total de 6 P-3Cs e todos eles são destinados ao serviço de voo operacional.


https://twitter.com/CdrDeuNavalAir/status/1755981984231240120
Saudações Aeronáuticas,
Charlie Jaguar

"(...) Que, havendo por verdade o que dizia,
DE NADA A FORTE GENTE SE TEMIA
"

Luís Vaz de Camões (Os Lusíadas, Canto I - Estrofe 97)
 

*

Red Baron

  • Investigador
  • *****
  • 2858
  • Recebeu: 575 vez(es)
  • Enviou: 351 vez(es)
  • +152/-469
Re: P-3 Orion na Força Aérea Portuguesa
« Responder #516 em: Fevereiro 10, 2024, 12:37:53 pm »
A confusão adensa-se...

(Traduzido do alemão por Google)
Citar
- Björn Müller

Parte do P3C serve como armazém de peças sobressalentes para manter uma frota principal portuguesa?


- FlyNavy1
(Nota: trata-se do Capitão-de-Mar-e-Guerra Broder Nielsen, Comandante da Aviação Naval Germânica)

Entregaremos um total de 6 P-3Cs e todos eles são destinados ao serviço de voo operacional.


https://twitter.com/CdrDeuNavalAir/status/1755981984231240120

Um dos que estava em condições de voar já cá está. E é importante ter vindo visto termos nos próximos tempos sempre um no Canada a fazer a modernização.
Quanto aos outros dois vamos ver, se vierem em 25 como disse o CJ não é grande problema visto a falta de tripulações que temos no momento.

A grande questão do aumento da frota é que capacidade ISTAR vamos querer.
 
Os seguintes utilizadores agradeceram esta mensagem: Charlie Jaguar

*

goncalobmartins

  • Membro
  • *
  • 11
  • Recebeu: 3 vez(es)
  • Enviou: 20 vez(es)
  • +4/-1
Re: P-3 Orion na Força Aérea Portuguesa
« Responder #517 em: Fevereiro 10, 2024, 01:47:02 pm »
Olá,

não sei se é o meu OCD a falar mas há uma coisa que não percebo...

Os Lockheed P3C na Alemanha são operados pela Deutsche Marine, nos EUA são operados pela US Navy, em Portugal são operados pela FAP. Ora, se os P3Cs são aeronaves com funções de MPA, ISR, ASW, ASuW e SAR, e se os Westland Lynx Mk95 desempenham também as funções de ASW, ASuW e SAR não deveriam estar todos a ser operados pelo mesmo ramos das FAs?

Obrigado,

GM
« Última modificação: Fevereiro 10, 2024, 02:03:19 pm por goncalobmartins »
 
Os seguintes utilizadores agradeceram esta mensagem: Charlie Jaguar

*

CruzSilva

  • Especialista
  • ****
  • 1159
  • Recebeu: 445 vez(es)
  • Enviou: 2068 vez(es)
  • +633/-108
Re: P-3 Orion na Força Aérea Portuguesa
« Responder #518 em: Fevereiro 10, 2024, 02:26:14 pm »
Olá,

não sei se é o meu OCD a falar mas há uma coisa que não percebo...

Os Lockheed P3C na Alemanha são operados pela Deutsche Marine, nos EUA são operados pela US Navy, em Portugal são operados pela FAP. Ora, se os P3Cs são aeronaves com funções de MPA, ISR, ASW, ASuW e SAR, e se os Westland Lynx Mk95 desempenham também as funções de ASW, ASuW e SAR não deveriam estar todos a ser operados pelo mesmo ramos das FAs?

Obrigado,

GM
Tenho ideia que a decisão para os Lynx serem parte da EHM da MP é por causa de se tratar de um meio embarcado em fragata.
« Última modificação: Fevereiro 10, 2024, 02:26:31 pm por CruzSilva »
 
Os seguintes utilizadores agradeceram esta mensagem: Charlie Jaguar, goncalobmartins

*

Red Baron

  • Investigador
  • *****
  • 2858
  • Recebeu: 575 vez(es)
  • Enviou: 351 vez(es)
  • +152/-469
Re: P-3 Orion na Força Aérea Portuguesa
« Responder #519 em: Fevereiro 10, 2024, 03:48:50 pm »
Olá,

não sei se é o meu OCD a falar mas há uma coisa que não percebo...

Os Lockheed P3C na Alemanha são operados pela Deutsche Marine, nos EUA são operados pela US Navy, em Portugal são operados pela FAP. Ora, se os P3Cs são aeronaves com funções de MPA, ISR, ASW, ASuW e SAR, e se os Westland Lynx Mk95 desempenham também as funções de ASW, ASuW e SAR não deveriam estar todos a ser operados pelo mesmo ramos das FAs?

Obrigado,

GM
Tem a ver com doutrinas nacionais e sobretudo as missões.
Tem países em que tudo o que voa é força aérea. No caso dos EUA tem a ver com a missão, visto que como os EUA têm a  Coast Guard para fazer SAR, a  missão dos P-8 é sobretudo a busca de submarinos e navios. Logo faz sentido estar dentro da marinha. No reino unido estão sob o comando da força aérea, mas estão na base de interpretação de ameaças, logo focados na defesa das ilhas.

No caso dos Linx da Marinhaestes são orgânicos as fragatas. Ou seja eles são parte do sistema de armas das fragatas. Logo faz sentido serem operados por oficiais da Marinha.

No caso dos LINX
 
Os seguintes utilizadores agradeceram esta mensagem: Charlie Jaguar, goncalobmartins

*

Charlie Jaguar

  • Investigador
  • *****
  • 5303
  • Recebeu: 5190 vez(es)
  • Enviou: 3441 vez(es)
  • +10048/-2636
Re: P-3 Orion na Força Aérea Portuguesa
« Responder #520 em: Fevereiro 11, 2024, 10:39:26 am »
Olá,

não sei se é o meu OCD a falar mas há uma coisa que não percebo...

Os Lockheed P3C na Alemanha são operados pela Deutsche Marine, nos EUA são operados pela US Navy, em Portugal são operados pela FAP. Ora, se os P3Cs são aeronaves com funções de MPA, ISR, ASW, ASuW e SAR, e se os Westland Lynx Mk95 desempenham também as funções de ASW, ASuW e SAR não deveriam estar todos a ser operados pelo mesmo ramos das FAs?

Obrigado,

GM

Com o decreto-lei que criou a Força Aérea Portuguesa em 1952, passou a ser este ramo o responsável por operar todas as aeronaves militares no nosso país. Salvo erro em 1992 ou mesmo 1993, houve uma alteração a essa legislação que permitiu o regresso da Aviação Naval e Aviação Militar, porém apenas para aparelhos de asa rotativa se não estou enganado (e posso estar).

Relativamente ao ramo que supostamente deveria operar os aviões de patrulha marítima e guerra anti-submarina, é tal como já disse o RB: depende de doutrinas, missões e contexto operacional. Se prestares atenção somente aos utilizadores anteriores e atuais do P-3 Orion, verás que a divisão entre as nações que os operam ou operaram na Marinha e Força Aérea é até bastante equilibrada:

Nações onde o Lockheed P-3 Orion foi/é operado pela Marinha/Aviação Naval:

- Alemanha
- Argentina;
- Chile;
- Coreia do Sul;
- Estados Unidos;
- Grécia (embora operados pela Força Aérea Helénica);
- Japão;
- Paquistão;
- Países Baixos;
- Tailândia.


Nações onde o Lockheed P-3 Orion foi/é operado pela Força Aérea::

- Austrália;
- Brasil;
- Canadá;
- Espanha;
- Irão;
- Nova Zelândia;
- Noruega;
- Portugal;
- Taiwan.

 ;)
Saudações Aeronáuticas,
Charlie Jaguar

"(...) Que, havendo por verdade o que dizia,
DE NADA A FORTE GENTE SE TEMIA
"

Luís Vaz de Camões (Os Lusíadas, Canto I - Estrofe 97)
 
Os seguintes utilizadores agradeceram esta mensagem: CruzSilva, goncalobmartins

*

luis simoes

  • Analista
  • ***
  • 817
  • Recebeu: 56 vez(es)
  • Enviou: 87 vez(es)
  • +40/-827
Re: P-3 Orion na Força Aérea Portuguesa
« Responder #521 em: Fevereiro 11, 2024, 09:54:44 pm »
Boas
Segundo consta 4   dos 6 P3 Germanicos estavam  em plena utilização pela Marinha Alemã um deles ja se encontra em nosso território e penso que dos restantes so mais dois continuam a ser mobilizados para o patrulhamento...sendo que os restantes serão entregues para garantir a manutenção dos mesmos...ou seja virão para alem deste  mais dois para aumentar o nosso efectivo...os restantes para peças...
Abriste os olhos,,,agradece a deus por isso.
 

*

Lightning

  • Moderador Global
  • *****
  • 10920
  • Recebeu: 2296 vez(es)
  • Enviou: 3119 vez(es)
  • +700/-1028
Re: P-3 Orion na Força Aérea Portuguesa
« Responder #522 em: Fevereiro 12, 2024, 06:56:27 am »
 

*

Charlie Jaguar

  • Investigador
  • *****
  • 5303
  • Recebeu: 5190 vez(es)
  • Enviou: 3441 vez(es)
  • +10048/-2636
Re: P-3 Orion na Força Aérea Portuguesa
« Responder #523 em: Fevereiro 12, 2024, 11:49:35 am »
O Marco P.J. Borst, do P-3 Orion Research Group (com quem já colaborei em tempos), acrescentou isto ontem no FB a respeito dos Orion comprados à Alemanha:

Citar
Charlie, last I hear is two will be added to the fleet and four will be spare parts sources. My best guess is that 60+03 (24812) and 60+04 (24813) will be the ones that will become operational as these are the only two that went through MLU and have new wings. It will most likely also be the two last ones the German Navy will operate until the arrival of the P-8A.

I also assume all five Portuguese P-3C CUP+ aircraft will go through MLU and get news wings within a few years. MLU kits are part of the deal with Germany.

Veremos então se assim será de facto. Recorde-se que o upgrade de sistemas que está a ser levado a cabo no Canadá foi contratado para apenas 5 aeronaves.
Saudações Aeronáuticas,
Charlie Jaguar

"(...) Que, havendo por verdade o que dizia,
DE NADA A FORTE GENTE SE TEMIA
"

Luís Vaz de Camões (Os Lusíadas, Canto I - Estrofe 97)
 
Os seguintes utilizadores agradeceram esta mensagem: LM

*

Drecas

  • Investigador
  • *****
  • 1453
  • Recebeu: 450 vez(es)
  • Enviou: 170 vez(es)
  • +305/-189
Re: P-3 Orion na Força Aérea Portuguesa
« Responder #524 em: Fevereiro 12, 2024, 11:51:55 am »
A FAP nunca disse nada concreto sobre isto? Publicamente claro?

Era mais fácil assim  :mrgreen: