Guerra na Síria

  • 4226 Respostas
  • 802808 Visualizações
*

FoxTroop

  • Investigador
  • *****
  • 1807
  • Recebeu: 655 vez(es)
  • Enviou: 378 vez(es)
  • +321/-5976
Re: Guerra na Síria
« Responder #150 em: Outubro 01, 2013, 12:04:16 am »
À falta de "likes" ou pontuação para com a qualidade e substância dos textos colocados pelos nosso caros foristas mafets e mafarrico;

Pois é, meus caros, congratulo-os pelo esforço e tempo que despenderam a questionar, pesquisar e encaixar as peças. Dá gosto ler os posts e a forma como lidam com arrobos de "idiologice", desmontando as meias verdades lançadas com propósitos que só quem as lança poderá, quem sabe um dia, explicar. Eu, infelizmente, já perdi essa capacidade por cansaço de lidar com a baixeza de quem, não tendo argumentação, rotula de criminoso, comunista, corja, etc, etc, a quem lhe descobre a careca. Então, deixa andar e, de vez em quando, uma farpas no mesmo calibre  :mrgreen:
 

*

Cabeça de Martelo

  • Investigador
  • *****
  • 19903
  • Recebeu: 2853 vez(es)
  • Enviou: 2174 vez(es)
  • +1057/-3436
Re: Guerra na Síria
« Responder #151 em: Outubro 01, 2013, 11:41:36 am »
Citação de: "FoxTroop"
Caso não saibam fazem agora parte da Grande Ordem da Corja no grau criminoso-socialista-comuno-bêbado   :twisted:



PS: eu tomo banho todos os dias, ok?! :lol:

PS2: aposto que nem metade vai perceber o que acabei de escrever.
7. Todos os animais são iguais mas alguns são mais iguais que os outros.

 

*

P44

  • Investigador
  • *****
  • 17838
  • Recebeu: 5309 vez(es)
  • Enviou: 5625 vez(es)
  • +6993/-9208
Re: Guerra na Síria
« Responder #152 em: Outubro 01, 2013, 07:08:51 pm »
Citação de: "FoxTroop"
À falta de "likes" ou pontuação para com a qualidade e substância dos textos colocados pelos nosso caros foristas mafets e mafarrico;

Pois é, meus caros, congratulo-os pelo esforço e tempo que despenderam a questionar, pesquisar e encaixar as peças. Dá gosto ler os posts e a forma como lidam com arrobos de "idiologice", desmontando as meias verdades lançadas com propósitos que só quem as lança poderá, quem sabe um dia, explicar. Eu, infelizmente, já perdi essa capacidade por cansaço de lidar com a baixeza de quem, não tendo argumentação, rotula de criminoso, comunista, corja, etc, etc, a quem lhe descobre a careca. Então, deixa andar e, de vez em quando, uma farpas no mesmo calibre  :mrgreen:

Eu na verdade tenho pena desses coitados (embora não faça a minima ideia de quem estás a falar  :Amigos:

NAZ DROVIE TOVARICH!!!!!!  :mrgreen:
« Última modificação: Outubro 01, 2013, 07:15:44 pm por P44 »
"[Os portugueses são]um povo tão dócil e tão bem amestrado que até merecia estar no Jardim Zoológico"
-Dom Januário Torgal Ferreira, Bispo das Forças Armadas
 

*

P44

  • Investigador
  • *****
  • 17838
  • Recebeu: 5309 vez(es)
  • Enviou: 5625 vez(es)
  • +6993/-9208
Re: Guerra na Síria
« Responder #153 em: Outubro 01, 2013, 07:11:49 pm »
Citação de: "Cabeça de Martelo"
Citação de: "FoxTroop"
Caso não saibam fazem agora parte da Grande Ordem da Corja no grau criminoso-socialista-comuno-bêbado   :twisted:



PS: eu tomo banho todos os dias, ok?! :lol:

PS2: aposto que nem metade vai perceber o que acabei de escrever.

pois pois agora disfarça seu BREMEILHU!!!!  :twisted:  :mrgreen:
"[Os portugueses são]um povo tão dócil e tão bem amestrado que até merecia estar no Jardim Zoológico"
-Dom Januário Torgal Ferreira, Bispo das Forças Armadas
 

*

Cabeça de Martelo

  • Investigador
  • *****
  • 19903
  • Recebeu: 2853 vez(es)
  • Enviou: 2174 vez(es)
  • +1057/-3436
Re: Guerra na Síria
« Responder #154 em: Outubro 02, 2013, 11:12:59 am »
Eu não falo a comunas... :twisted:
7. Todos os animais são iguais mas alguns são mais iguais que os outros.

 

*

Lusitano89

  • Investigador
  • *****
  • 20078
  • Recebeu: 2240 vez(es)
  • Enviou: 254 vez(es)
  • +944/-1467
Re: Guerra na Síria
« Responder #155 em: Outubro 02, 2013, 01:16:26 pm »
 

*

Lusitano89

  • Investigador
  • *****
  • 20078
  • Recebeu: 2240 vez(es)
  • Enviou: 254 vez(es)
  • +944/-1467
Re: Guerra na Síria
« Responder #156 em: Outubro 02, 2013, 03:40:18 pm »
ONU: Dezassete países vão receber refugiados sírios


Dezassete países, incluindo os Estados Unidos, França e Austrália, concordaram receber um determinado contingente de refugiados sírios, anunciou hoje a ONU. «Até agora, o Alto Comissariado das Nações Unidas para os Refugiados (ACNUR) tem 17 países a participar no programa de admissão humanitária para os refugiados sírios», disse o porta-voz regional do ACNUR, Peter Kessler, à agência noticiosa francesa AFP.

«Eles oferecem cerca de 10 mil lugares (ao todo), alguns dos quais já para 2014», acrescentou. A decisão surge depois de algumas críticas a países ocidentais por não participarem no esforço de acolhimento de cerca de dois milhões de sírios, em fuga da guerra civil.

Até agora, os vizinhos da Síria - Líbano, Turquia, Jordânia e Iraque - absorveram a maioria dos refugiados, mas o fluxo constante esgotou os recursos disponíveis e causou algumas tensões.

O problema é particularmente grave no Líbano, que regista atualmente pelo menos 760 mil refugiados.

O número real de sírios no Líbano, que tem uma população de quatro milhões de habitantes, deve rondar um milhão de pessoas.

Ao abrigo dos programas de admissão humanitária, o ACNUR vai avaliar a situação dos refugiados para serem enviados para os 17 países de acolhimento, dando prioridade aos mais vulneráveis, disse Kessler.

"A vulnerabilidade é definida com vários critérios", afirmou e inclui deficientes, famílias monoparentais, vítimas de agressões sexuais e outros abusos.

O número de refugiados que cada um dos 17 países vai receber ainda não foi decidido. França poderá receber até 1.200 pessoas e a Suécia anunciou já que vai conceder vistos de residência aos refugiados síros já no país, mas não aceitará pedidos nas embaixadas suecas.

Desde o início do ano passado, a Suécia recebeu perto de 14.700 pedidos de estatuto de refugiado de cidadãos sírios.

Mais de 115.000 pessoas morreram na guerra civil síria, desde março de 2011, de acordo com o Observatório Sírio dos Direitos Humanos (OSDH).

Dois milhões de sírios vivem atualmente como refugiados em diferentes países, e milhões são deslocados internos.

Lusa
« Última modificação: Outubro 03, 2013, 06:07:42 pm por Lusitano89 »
 

*

papatango

  • Investigador
  • *****
  • 7320
  • Recebeu: 919 vez(es)
  • +4284/-835
Re: Guerra na Síria
« Responder #157 em: Outubro 02, 2013, 04:37:19 pm »
Citar
P.S. Embora seja abordado novamente a questão das supostas imagens de um ataque químico por parte dos rebeldes da Al- Islam, continuo a achar que não são conclusivas. Ao contrário de outras...

Fiquei sem perceber se devemos acreditar no Russia Today, de 17 de Julho, quando estamos a falar do que aconteceu a 21 de Agosto. ?
É muito mais fácil enganar uma pessoa, que explicar-lhe que foi enganada ...
 

*

Lusitano89

  • Investigador
  • *****
  • 20078
  • Recebeu: 2240 vez(es)
  • Enviou: 254 vez(es)
  • +944/-1467
Re: Guerra na Síria
« Responder #158 em: Outubro 02, 2013, 09:22:56 pm »
ONU exige ao regime sírio melhor acesso humanitário


O Conselho de Segurança da ONU chegou hoje a acordo para exigir ao regime de Bashar al-Assad um melhor acesso humanitário à Síria, segundo diplomatas citados pela agência France Press. Uma declaração unânime sobre esta questão deve ser formalmente aprovada hoje.

O texto pede às autoridades sírias que «tomem medidas imediatas» para levantar os obstáculos à entrega de ajuda humanitária «através dos meios mais eficazes, incluindo a passagem das linhas da frente, e, quando se justificar, das fronteiras com os países vizinhos».

As organizações não-governamentais usam esses itinerários, mas a ONU não. A Rússia, aliada de Damasco, tem manifestado reservas à passagem pelas fronteiras, porque ela implicaria que a ajuda chegasse diretamente às zonas fronteiriças sob controlo dos rebeldes, no norte e no leste do país.

Segundo os diplomatas citados pela agência, Moscovo não se opôs à adoção desta declaração, que exige unanimidade, porque ela, ao contrário de uma resolução, não é obrigatória.

«É um êxito para o acesso humanitário», considerou uma das fontes. A declaração vai «reforçar a capacidade de Valerie Amos (a responsável pelas operações humanitárias da ONU) para ultrapassar os obstáculos burocráticos» que o governo sírio coloca à entrada da ajuda humanitária, segundo outro diplomata.

«Isto não vai fazer uma enorme diferença, mas vai haver mais ajuda a chegar», disse.

A declaração pressiona Damasco «a tomar medidas imediatas para facilitar a extensão das operações de socorro humanitário e levantar as dificuldades burocráticas ou outros obstáculos» colocados à entrega da ajuda.

O conflito na Síria fez em dois anos e meio cinco milhões de refugiados e deslocados mas, segundo a ONU, o governo sírio reduziu o número de vistos para as agências e as ONG que querem distribuir ajuda e colocou condições restritivas à entrega de ajuda nas zonas controladas pela oposição.

A declaração foi proposta pela Austrália e pelo Luxemburgo, aproveitando o impulso diplomático criado com a adoção, na sexta-feira, da primeira resolução sobre a Síria desde o início do conflito, em março de 2011, um texto que autoriza a destruição das armas químicas sírias.

Lusa
 

*

mafets

  • Investigador
  • *****
  • 8534
  • Recebeu: 3176 vez(es)
  • Enviou: 990 vez(es)
  • +4054/-6361
Re: Guerra na Síria
« Responder #159 em: Outubro 03, 2013, 12:33:51 am »
Citação de: "papatango"
Citar
P.S. Embora seja abordado novamente a questão das supostas imagens de um ataque químico por parte dos rebeldes da Al- Islam, continuo a achar que não são conclusivas. Ao contrário de outras...

Fiquei sem perceber se devemos acreditar no Russia Today, de 17 de Julho, quando estamos a falar do que aconteceu a 21 de Agosto. ?

Só existiram ataques químicos a 21 de Agosto? Os anteriores não interessam? Interessam-me a mim e tenho esse direito da mesma forma que você tem em falar e interpretar apenas informação dos ataques de 21 de Agosto, ignorando os restantes.


Se esse foi um de vários ataques químicos qual a lógica de existir apenas incidência sobre os acontecimentos de  21 de Agosto? Não há, nem tem qualquer lógica que assim o seja.


Mais confissões dos rebeldes a propósito do uso de armas químicas no conflito Sírio, (sem ser os da Russia Today) resta saber se os sites são do grupo conspirativo ou não, mas eu deixo a informação e cada um que pense isso por si... :twisted:

1-  Continuo a acha-los irmãos gémeos. O UMLACA é praticante igual ao M-130 o que atesta que ou o KGB trabalha muito bem ou existem camaradas americanos traidores à pátria que terão fornecido o sistema a Soviéticos ou Sírios a partir do final dos anos 70. O mesmo sistema que agora é a génese dos ataques químicos e onde é utilizada uma cauda circular algo que até agora não existia em foguetes de proveniência, russa, síria ou mesmo Iraniana.



2- Quais as explicações para que existam UMLACA parcialmente destruídos, outros quase intactos, uns fotografados no solo em ângulo de praticamente 90º enquanto que outros estão na horizontal. Parece-me óbvio que a resposta tecnica está no lançamento e na trajectória dos foguetes, mas porque será quando conhecemos perfeitamente os lançadores? Resta a resposta não técnica dada pela ONU.






3-  Os foguetes M-14 encontram-se presentes em todos os ataques. Porque não existem vídeos do seu lançamento quando dos Umlaca existem dezenas? Será que é porque não se usa lançador? Ou porque serão usados pelos rebeldes que postam os vídeos dos UMLACA?




4- Os camaradas Russos e Sírios são uns mafiosos muito para o fraquinho, conspiram tão mal que ao contrario dos UMLACA, deixam os números de serie expostos em alfabeto Cirílico.


5- Os ataques de dias 21 foram efectuados não apenas em zonas de controlo rebelde mas também em áreas onde existiam combates entre forças governamentais e guerrilha. Do "Maciço" ataque químico em que alegadamente morrem 1400 pessoas são encontrados 2 foguetes de 140 mm e um de 330mm, sendo que a ONU não determina quem atacou porque existem todo um conjunto de foguetes manipulados e retirados. Só é referido pelos mesmos técnicos que existe inscrições em russo nos foguetes M-14 (O mapa é do Departamento de Estado Americano).
 

6- Umlaca com numero de lote a tinta preta. Tinha-se acabado a tinta vermelha dos camaradas Russos e Sírios, o lote seria diferente ou trata-se de uma prova falsa?.



7-  Porque não pode "rebelde" o hell canon ter uma ogiva quimica? A ogiva não parece ser muito diferente.



8 - Interessante a questão levantada sobre o alcance versus o impacto das ogivas químicas dos UMLACA. Ainda não vi ninguém contesta-las tecnicamente.



9 - Ainda não percebi que provas o departamento de estado americano supostamente tinha e o porque de tanto secretismo. Em outros casos foi fornecido a ONU e aos Média provas "conclusivas" rapidamente http://www.washingtontimes.com/news/2013/sep/11/us-cant-prove-bashar-assad-approved-chemical-attac/?page=all). Parece que acham-se os unicos a ter um navio espião na área e satelites, quando segundo se conta até ouve informações radio captadas pela NATO na Turquia.





10 - No meio de um caos de guerra civil como se determina quem é totalmente culpado ou inocente? Com base em que e no que?









Cumprimentos
« Última modificação: Outubro 03, 2013, 07:42:10 pm por mafets »
"Nunca, no campo dos conflitos humanos, tantos deveram tanto a tão poucos." W.Churchil

http://mimilitary.blogspot.pt/
 

*

papatango

  • Investigador
  • *****
  • 7320
  • Recebeu: 919 vez(es)
  • +4284/-835
Re: Guerra na Síria
« Responder #160 em: Outubro 03, 2013, 12:14:55 pm »
Citar
Só existiram ataques químicos a 21 de Agosto? Os anteriores não interessam? Interessam-me a mim e tenho esse direito da mesma forma que você tem em falar e interpretar apenas informação dos ataques de 21 de Agosto, ignorando os restantes.

mafets, você tem o direito de dizer o que quiser. Mas ao mesmo tempo também faria sentido explicar de forma mais coerente, porque há pessoas que estão a utilizar o que você diz para distorcer o sentido do que diz.

De reparar, eu nunca coloquei em causa que não pudesse ter havido utilização de armas químicas por outras entidades antes de 21 de Agosto.
O que afirmo, é que são devastadoras as provas de que em 21 de Agosto, ocorreu um ataque por parte das forças do Partido Socialista sírio. Que esse ataque foi efectuado por quem anteriormente dizia nem sequer ter armas químicas.

Esse ataque foi feito a partir de áreas controladas pelas tropas socialistas/alauitas e desse ataque resultaram 1400 mortos.
O regime socialista tinha a capacidade para efectuar o ataque e os meios e as armas e os componentes.
O regime tinha todas as razões para o fazer, tendo concluído desde 15 de Agosto que a situação tinha atingido um impasse.

Mesmo os russos, que defendem Assad e não aceitam intervenções por razões politicas internas disseram que era preciso esperar pelo relatório imparcial das Nações Unidas. Quando o relatório veio, o ministro russo FICOU EM PÂNICO e passou a utilizar teorias da conspiração como o caso patético da freira que diz que viu quem transportava uma arma.

Além das afirmações dos americanos, que dispunham dos meios já aqui discutidos para identificar os lançamentos, dois dos cinco projeteis no terreno, encontrados pelos técnicos das Nações Unidas confirmam o que tinha sido dito pelos americanos.

Diz a lógica e o senso comum, que perante duas possibilidades que se excluem uma à outra, aquela que se explica da forma mais simples é a que está correta.

A ideia de que os rebeldes dispararam as armas que não tinham de um lugar onde não estavam, para se atingirem a eles próprios de propósito, é uma ideia absurda, ainda que em tribunal não seja possível provar o contrário.
As provas circunstânciais têm que ser utilizadas nestes casos, caso contrário, como todos sabemos, também colocamos em causa os campos de concentração e as câmaras de gás.

As nações Unidas pelo menos conseguiram encontrar misseis russos e determinar de onde alguns deles tinham sido lançados.

Como sabe, nunca foi encontrada uma câmara de gás. O que existe foi reconstruido a partir de descrições de prisioneiros que serviam nos campos, alguns alemães e alguns documentos dos projetos.
Também não podemos sequer provar que um único judeu foi morto com gás porque não há uma única prova.
Mas isso não é suficiente, para isentar de culpas os alemães.


Além disso, há a questão dos mortos. As pessoas continuam a morrer na Síria e o ataque dos socialistas contra os civis sírios serviu apenas para discutirmos os caractéres cirilicos nos mísseis russos, esquecendo que o numero de 100.000 mortos já foi ultrapassado.

Não há solução para a questão síria sem a remoção dos criminosos socialistas do poder que ocupam.
E esse é o problema. As teorias conspirativas tão do agrado de alguns dos participantes, servem apenas para desviar as atenções.

A unica forma de remover o ditador Assad e o Partido Socialista do poder, é bombardeando a capacidade do regime para matar a população.

Um povo, não tem como se libertar de uma ditadura.
NÃO PODEMOS OLHAR PARA O LADO E ACHAR QUE CADA POVO DEVE RESOLVER OS SEUS PROBLEMAS SOZINHO.
Isso pura e simplesmente não funciona.

E quando o ditador, para se manter no poder mata a sua própria população, deixa de ter qualquer legitimidade.
E se ninguém dentro do país defende a população, alguém tem que o fazer.
É muito mais fácil enganar uma pessoa, que explicar-lhe que foi enganada ...
 

*

FoxTroop

  • Investigador
  • *****
  • 1807
  • Recebeu: 655 vez(es)
  • Enviou: 378 vez(es)
  • +321/-5976
Re: Guerra na Síria
« Responder #161 em: Outubro 03, 2013, 02:13:34 pm »
E siga o spin.  :roll:

 

*

mafets

  • Investigador
  • *****
  • 8534
  • Recebeu: 3176 vez(es)
  • Enviou: 990 vez(es)
  • +4054/-6361
Re: Guerra na Síria
« Responder #162 em: Outubro 03, 2013, 04:53:21 pm »
« Última modificação: Outubro 03, 2013, 10:17:29 pm por mafets »
"Nunca, no campo dos conflitos humanos, tantos deveram tanto a tão poucos." W.Churchil

http://mimilitary.blogspot.pt/
 

*

listadecompras

  • 168
  • +0/-1
Re: Guerra na Síria
« Responder #163 em: Outubro 03, 2013, 05:41:44 pm »


Citação de: "papatango"
Citar
P.S. Embora seja abordado novamente a questão das supostas imagens de um ataque químico por parte dos rebeldes da Al- Islam, continuo a achar que não são conclusivas. Ao contrário de outras...

Fiquei sem perceber se devemos acreditar no Russia Today, de 17 de Julho, quando estamos a falar do que aconteceu a 21 de Agosto. ?

Triste haver gente que confunde as horas (canto inferior esquerdo da imagem) com a data de uma noticia.

Noto que há gente bastante mal informada sobre este conflito.

Democracias de opinião dá nisto . Todos podem dizer asneiras e mentiras.
 

*

papatango

  • Investigador
  • *****
  • 7320
  • Recebeu: 919 vez(es)
  • +4284/-835
Re: Guerra na Síria
« Responder #164 em: Outubro 04, 2013, 06:23:24 pm »
A democracia também dá nisto.

Alguém que chama mentiroso a quem faz uma pergunta ...









Relativamente à questão do ataque químico levado a cabo pelos socialistas de Bashar Al Assad em 21 de Agosto, eu também estou de acordo, como já disse anteriormente, que as provas que existem não seriam aceites em Tribunal, porque se trata de provas circunstânciais e só é possível concluir que foi Bashar que deu a ordem para o ataque químico, quando se somam as circunstâncias e se interpretam os factos conhecidos em conjunção com as circunstâncias.

Ou seja:

Se estivessemos num tribunal, haveria 1% de probabilidades de não ter sido Bashar Al Assad o responsável.
E eu admito que há provavelmente 1% de dúvidas.

Considerando o principio do «In dubio pro reo» teriamos que absolver o Assad, porque não temos uma certeza absolutamente segura de que foi ele e o seu regime que foram responsáveis.

Dito isto, quem soma dois com dois, há muito tempo que já percebeu que Assad mandou matar todas aquelas pessoas, pelas miriades de razões já apontadas, desde o desespero por se ter concluido que tinha acabado a fase de «recuperação» e o palácio continuar ao alcance dos rebeldes, até à identificação de lançamentos por infra-vermelhos, à presença de agentes químicos nas áreas controladas pelos opositores de Assad, até à análise no terreno dos trajetos descritos pelos projeteis.

Sem argumentação, e com um relatório das Nações Unidas que os próprios russos pediram que fosse aguardado, e respeitado, mas que dexou poucas dúvidas sobre a autoria do ataque, a imprensa conspirativa e russa (uma não existe sem a outra) passou a depender unica e exclusivamente das teorias conspirativas e das alegações não provadas sobre a utilização de armas químicas por algum rebelde.

Agora, a questão, já não é que Bashar Al Assad de facto foi o responsável, mas sim o facto alegado de que ocorreram outros ataques anteriormente.

A verdade é que um relatório internacional que os próprios russos afirmavam seria imparcial (antes de o lerem) foi muito claro ao apontar caminhos.
As alegações sobre a utilização de armas quimicas por algum grupo de rebeldes, não foi provada e a única fonte que temos, são os russos, que naturalmente apresentaram provas fornecidas por nada mais nada menos que Bashar Al Assad.

Toda esta história, é demonstrativa do miserável comportamento da máfia russa e dos socialistas sírios neste processo.

Mesmo que fosse verdade (e eu nem sequer digo que não seja, apenas que a probabilidade de ter ocorrido é proporcionalmente inversa à certeza que existe sobre Assad) que ocorreram ataques por parte dos islamitas, a diferença em termos do número de vítimas seria sempre terrível.
Seria sempre maior a responsabilidade de um grupo que controla o aparelho do estado, e que embora de forma ilegitima, se arroga o direito de se chamar governo sírio.

E pessoalmente também acho que deveria haver retaliações sobre os grupos islamitas que tivessem utilizado armas químicas.
Mas quando quando a imprensa russa diz uma coisa, é sempre dificil deixar de considerar que os jornalistas que veiculam as notícias são ameaçados de morte pelos mafiosos e não têm qualquer liberdade para noticiar algo. Ainda mais dificil de dar crédito a meios de comunicação controlados pela Máfia russa, que por sua vez têm como fonte o ditador ao qual estão aliados.

É como pedir às SS qu fizessem um relatório imparcial sobre o que se passou nos campos de concentração.
É muito mais fácil enganar uma pessoa, que explicar-lhe que foi enganada ...