Substituição dos Lynx

  • 735 Respostas
  • 164162 Visualizações
*

Pescador

  • Investigador
  • *****
  • 1846
  • Recebeu: 1351 vez(es)
  • Enviou: 889 vez(es)
  • +1650/-1655
Re: Substituição dos Lynx
« Responder #735 em: Maio 11, 2022, 10:08:32 am »
Pois, reduzidos a 2 BD no que respeita à capacidade de combate de superfície, enquanto as VdG nada mais serão que OPVs musculados, então toca de fazer o mesmo com os Lynx, 2 ASW e o resto passam a ser utilitários/táxis. É impressionante de facto.

Não é de estranhar, senão repara: certa vez, em meados da década passada, estava eu na placa da EHM no Montijo perante 4 Super Lynx (o quinto estava no hangar à espera de melhores dias, que é como quem diz, haver verba para peças). Não era dia de cerimónia, logo as aeronaves não estavam todas "pipis" para serem inspecionadas ou para impressionar, era apenas um dia normal de operações.

Dos 4, um estava configurado para ASW, com consola para o operador mas sem sonar de mergulho, outro anti-ameaça assimétrica com a M3M montada do lado esquerdo, e os restantes dois estavam equipados para transporte, com bancos e um deles também com o guincho retráctil (este ia a Tróia fazer um treino com o DAE). Logo aqui se pode ver que operar/adquirir um par de sonares de mergulho para uma frota de 5 helicópteros chega e sobra. Afinal, estamos em Portugal. ::)


Como sempre é para dizer que tem. Nem que possa passar tempo inop em manutenção ou actualização, existe.
Como as fragatas todas operacionais na boca do outro, mesmo estando duas na Holanda em MLU, uma descascada no Alfeite e outra coxa. Existem, logo chega-lhes