Notícias da Marinha

  • 2934 Respostas
  • 821759 Visualizações
*

dc

  • Investigador
  • *****
  • 8425
  • Recebeu: 3820 vez(es)
  • Enviou: 714 vez(es)
  • +4982/-785
Re: Notícias da Marinha
« Responder #2865 em: Dezembro 06, 2023, 11:01:07 pm »
Fragata Espanhola  :mrgreen:

https://twitter.com/Defence360/status/1730544161621733562

Porque será? Se calhar porque é uma ameaça a sério, com mísseis de cruzeiro, balísticos e drones, e não dava para enviar chaços para a missão.  ::)

Se isto não serviu de alerta para as debilidades da nossa Marinha no que respeita aos combatentes de superfície, não sei o que servirá.
 

*

Lightning

  • Moderador Global
  • *****
  • 11071
  • Recebeu: 2352 vez(es)
  • Enviou: 3255 vez(es)
  • +739/-1031
Re: Notícias da Marinha
« Responder #2866 em: Dezembro 06, 2023, 11:08:02 pm »
A Vitoria também não é nada de especial. É até um pouco mais antiga que as Vasco da Gama.

Mas navega e deve ter as peças todas.  :mrgreen:
« Última modificação: Dezembro 06, 2023, 11:08:32 pm por Lightning »
 

*

dc

  • Investigador
  • *****
  • 8425
  • Recebeu: 3820 vez(es)
  • Enviou: 714 vez(es)
  • +4982/-785
Re: Notícias da Marinha
« Responder #2867 em: Dezembro 06, 2023, 11:26:10 pm »
Nem tinha reparado que era a Vitoria (OHP).  :mrgreen: Suponho que não vá sozinha.

Eu ia dizer que portanto "menos mal", mas depois pensei um bocado, e se calhar consegue ser ainda pior, que não consigamos enviar uma fragata para a missão, quando somos nós a comandar a força.
 

*

mafets

  • Investigador
  • *****
  • 8630
  • Recebeu: 3239 vez(es)
  • Enviou: 1000 vez(es)
  • +4060/-6476
Re: Notícias da Marinha
« Responder #2868 em: Dezembro 07, 2023, 09:56:22 am »
Bem, os misseis e os helis, são aquela base...  :mrgreen:



Saudações

P.S. Pobres. Com Perry´'s e aquele navio que o exercito tinha para transportar tropas e material pesado (não é mas parece)...  :mrgreen:






« Última modificação: Dezembro 07, 2023, 09:57:49 am por mafets »
"Nunca, no campo dos conflitos humanos, tantos deveram tanto a tão poucos." W.Churchil

http://mimilitary.blogspot.pt/
 

*

Cabeça de Martelo

  • Investigador
  • *****
  • 20181
  • Recebeu: 2965 vez(es)
  • Enviou: 2224 vez(es)
  • +1309/-3458
Re: Notícias da Marinha
« Responder #2869 em: Dezembro 07, 2023, 05:01:50 pm »
Novas fardas para a Marinha vão custar 1,6 milhões em 2024
Joana Abrantes Gomes

Despacho publicado em Diário da República autoriza Marinha a adquirir fardamento para o próximo ano até ao montante de 1.626.016,26 euros mais IVA.


OGoverno autorizou uma despesa de cerca de 1,6 milhões de euros para a aquisição de fardas para a Marinha no próximo ano, de acordo com o despacho publicado esta quinta-feira em Diário da República.

“Autorizo a Marinha a realizar a despesa com a aquisição de fardamento para o ano de 2024, até ao montante de 1.626.016,26 euros, ao qual acresce o IVA à taxa legal em vigor“, lê-se no despacho, que produz efeitos desde 23 de novembro, data em que foi assinado pela ministra da Defesa Nacional, Helena Carreiras.


O Chefe do Estado-Maior da Armada, o Almirante Henrique Gouveia e Melo, fica responsável por “todos os atos a realizar no âmbito dos procedimentos pré-contratuais” para a aquisição de fardamento, “até à sua conclusão com a outorga dos contratos, bem como todos os atos a realizar no âmbito da respetiva execução contratual até à sua completa execução, incluindo o exercício dos poderes de conformação contratual, autorizações de pagamento e cumprimento das obrigações fiscais”.

No despacho, indica-se ainda que a aquisição deve observar “o cumprimento das regras da contratação pública aplicáveis, designadamente as de escolha dos tipos de procedimentos pré-contratuais, decisões que devem ser devidamente fundamentadas e, quando aplicável, sujeitas a fiscalização do Tribunal de Contas”.

 :arrow: https://eco.sapo.pt/2023/12/07/novas-fardas-para-a-marinha-vao-custar-16-milhoes-em-2024/
7. Todos os animais são iguais mas alguns são mais iguais que os outros.

 

*

Lusitano89

  • Investigador
  • *****
  • 20857
  • Recebeu: 2474 vez(es)
  • Enviou: 257 vez(es)
  • +1157/-1484
Re: Notícias da Marinha
« Responder #2870 em: Dezembro 07, 2023, 09:26:00 pm »
Marinha substitui lona na avenida 24 de Julho em Lisboa


 

*

P44

  • Investigador
  • *****
  • 18156
  • Recebeu: 5472 vez(es)
  • Enviou: 5819 vez(es)
  • +7112/-9496
Re: Notícias da Marinha
« Responder #2871 em: Dezembro 08, 2023, 09:03:25 am »
Marinha substitui lona na avenida 24 de Julho em Lisboa



Passei lá no outro dia , tive de ter muito cuidado porque ia perdendo o controle do carro de tanto rir.
"[Os portugueses são]um povo tão dócil e tão bem amestrado que até merecia estar no Jardim Zoológico"
-Dom Januário Torgal Ferreira, Bispo das Forças Armadas
 
Os seguintes utilizadores agradeceram esta mensagem: Subsea7

*

PTWolf

  • Analista
  • ***
  • 757
  • Recebeu: 340 vez(es)
  • Enviou: 1612 vez(es)
  • +982/-188
Re: Notícias da Marinha
« Responder #2872 em: Dezembro 08, 2023, 10:12:56 am »
A lona está gira. Falta depois é tudo o resto....
 
Os seguintes utilizadores agradeceram esta mensagem: P44, Lightning

*

Lightning

  • Moderador Global
  • *****
  • 11071
  • Recebeu: 2352 vez(es)
  • Enviou: 3255 vez(es)
  • +739/-1031
Re: Notícias da Marinha
« Responder #2873 em: Dezembro 08, 2023, 02:06:51 pm »
A lona está gira. Falta depois é tudo o resto....

Ordenados dignos, material minimamente digno.
 
Os seguintes utilizadores agradeceram esta mensagem: P44, nelson38899

*

Pescador

  • Investigador
  • *****
  • 3967
  • Recebeu: 2575 vez(es)
  • Enviou: 2115 vez(es)
  • +5702/-2783
Re: Notícias da Marinha
« Responder #2874 em: Dezembro 20, 2023, 09:01:44 pm »
Mais 34 milhões do contribuinte português para o governo de Angola recuperar um antiga fortaleza portuguesa para evidenciar o colonialismo.
Eles nem precisam de gastar do deles, nós  pagamos.
Dava para quantos EO, Marlin 30 mm, Flir?
Ainda devem ir lá  os representantes da Marinha em Luanda
 
Os seguintes utilizadores agradeceram esta mensagem: P44, PTWolf

*

Cabeça de Martelo

  • Investigador
  • *****
  • 20181
  • Recebeu: 2965 vez(es)
  • Enviou: 2224 vez(es)
  • +1309/-3458
Re: Notícias da Marinha
« Responder #2875 em: Dezembro 21, 2023, 12:07:38 pm »
Citação de: Defence 360°
O Instituto Hidrográfico da 🇵🇹 @MarinhaPT realizou a acquisição de um veículo marítimo não tripulado de superfície Otter Pro e um veículo marítimo não tripulado de superfície Otter X da 🇳🇴 @MaritimRobotics por um valor de EUR328.500,00 no dia 13 de Dezembro.



 :arrow: https://www.maritimerobotics.com/otter
7. Todos os animais são iguais mas alguns são mais iguais que os outros.

 

*

Cabeça de Martelo

  • Investigador
  • *****
  • 20181
  • Recebeu: 2965 vez(es)
  • Enviou: 2224 vez(es)
  • +1309/-3458
Re: Notícias da Marinha
« Responder #2876 em: Dezembro 28, 2023, 12:53:18 pm »
MARINHA PORTUGUESA RECEBE PLATAFORMAS SUBMARINAS "C-LANDER"
dezembro 18, 2023



Matosinhos, Portugal
7 de Dezembro de 2023
A Marinha Portuguesa recebeu duas plataformas submarinas "C-Lander", a 7 de Dezembro de 2023, com cerimónia de entrega ao Vice-Chefe do Estado-Maior da Armada, Vice-almirante António Henriques Gomes, na sede da CEiiA (Centro de Desenvolvimento de Produtos e Serviços de Engenharia), em Matosinhos, a 2 km do Porto de Leixões. Tratam-se de equipamentos a afectar ao Centro de Operações de Defesa do Atlântico e à Plataforma Naval Multifuncional (no âmbito do Plano de Recuperação e Resiliência, PRR).

Desenvolvida e construída pela CEiiA, decorrente de uma plataforma base (Atlantis) com projecto desenvolvido entre 2017 e 2022, no âmbito do programa "OceanTech", co-financiado por fundos europeus, a C-Lander tem um massa de 500 kg, com um "payload" de até 110 kg de diferentes sensores e sistemas, tem um perfil piramidal de base quadrangular de 1,5 metros, com 1,5 metros de altura até ao ponto superior de encaixe do guincho - usado pela grua naval para a sua colocação a partir do convés de um navio até ao fundo oceânico a uma profundidade de 300 metros, onde se manterá em operação fixa de monitorização (ambiental, acústica, etc), numa janela energética de 6 meses. A plataforma base pode ter um profundidade de operação no fundo oceânico expandida até aos 3 a 4 mil metros, e com uma autonomia energética expansível até aos 12 ou 18 meses.

As plataformas "Lander" são colocadas em posição no leito marinho com recurso a cabo preso a grua naval - sendo recuperadas posteriormente por flutuação após acção comandada (via modem acústico) para libertação de elementos de lastro. O mesmo modem acústico permite a recolha de dados bem como a possível alteração de parâmetros de operação. Esta plataforma pode receber toda uma panóplia de sensores que compreende desde camaras de alta-resolução e sistemas de iluminação, sismómetro, medidores de condutividade, temperatura e pressão na coluna de água (CTD), sensores de registo acústico e outros "payloads" desenhados à medida.

Estas 2 plataformas foram adquiridas com base no concurso 1478/2023, anunciado a 2 de Fevereiro de 2023 e com contrato celebrado com a CEiiA a 13 de Abril de 2023 por um valor de 447.499,99 Euros e com um prazo de execução de 215 dias (compreendendo os respectivos serviços de programação, configuração e formação, bem como os lotes de sobressalentes associados).

Fotos e modelos digitais via CEiiA
Edição e composição infográfica por "Espada & Escudo"

 :arrow:  https://espada-e-escudo.blogspot.com/2023/12/marinha-portuguesa-recebe-plataformas.html
7. Todos os animais são iguais mas alguns são mais iguais que os outros.

 
Os seguintes utilizadores agradeceram esta mensagem: Pescador, PTWolf

*

Pescador

  • Investigador
  • *****
  • 3967
  • Recebeu: 2575 vez(es)
  • Enviou: 2115 vez(es)
  • +5702/-2783
Re: Notícias da Marinha
« Responder #2877 em: Dezembro 28, 2023, 02:10:30 pm »
MARINHA PORTUGUESA RECEBE PLATAFORMAS SUBMARINAS "C-LANDER"
dezembro 18, 2023



Matosinhos, Portugal
7 de Dezembro de 2023
A Marinha Portuguesa recebeu duas plataformas submarinas "C-Lander", a 7 de Dezembro de 2023, com cerimónia de entrega ao Vice-Chefe do Estado-Maior da Armada, Vice-almirante António Henriques Gomes, na sede da CEiiA (Centro de Desenvolvimento de Produtos e Serviços de Engenharia), em Matosinhos, a 2 km do Porto de Leixões. Tratam-se de equipamentos a afectar ao Centro de Operações de Defesa do Atlântico e à Plataforma Naval Multifuncional (no âmbito do Plano de Recuperação e Resiliência, PRR).

Desenvolvida e construída pela CEiiA, decorrente de uma plataforma base (Atlantis) com projecto desenvolvido entre 2017 e 2022, no âmbito do programa "OceanTech", co-financiado por fundos europeus, a C-Lander tem um massa de 500 kg, com um "payload" de até 110 kg de diferentes sensores e sistemas, tem um perfil piramidal de base quadrangular de 1,5 metros, com 1,5 metros de altura até ao ponto superior de encaixe do guincho - usado pela grua naval para a sua colocação a partir do convés de um navio até ao fundo oceânico a uma profundidade de 300 metros, onde se manterá em operação fixa de monitorização (ambiental, acústica, etc), numa janela energética de 6 meses. A plataforma base pode ter um profundidade de operação no fundo oceânico expandida até aos 3 a 4 mil metros, e com uma autonomia energética expansível até aos 12 ou 18 meses.

As plataformas "Lander" são colocadas em posição no leito marinho com recurso a cabo preso a grua naval - sendo recuperadas posteriormente por flutuação após acção comandada (via modem acústico) para libertação de elementos de lastro. O mesmo modem acústico permite a recolha de dados bem como a possível alteração de parâmetros de operação. Esta plataforma pode receber toda uma panóplia de sensores que compreende desde camaras de alta-resolução e sistemas de iluminação, sismómetro, medidores de condutividade, temperatura e pressão na coluna de água (CTD), sensores de registo acústico e outros "payloads" desenhados à medida.

Estas 2 plataformas foram adquiridas com base no concurso 1478/2023, anunciado a 2 de Fevereiro de 2023 e com contrato celebrado com a CEiiA a 13 de Abril de 2023 por um valor de 447.499,99 Euros e com um prazo de execução de 215 dias (compreendendo os respectivos serviços de programação, configuração e formação, bem como os lotes de sobressalentes associados).

Fotos e modelos digitais via CEiiA
Edição e composição infográfica por "Espada & Escudo"

 :arrow:  https://espada-e-escudo.blogspot.com/2023/12/marinha-portuguesa-recebe-plataformas.html

A recolha de dados é gravado e posterior recolha quando da realimentação energética da plataforma ou em tempo real. Isto segundo percebi da recolha por modem acústico?


Algo assim com um possível sistema de produção energética pelo movimento das correntes marítimas estaria a funcionar longos períodos
« Última modificação: Dezembro 28, 2023, 02:16:36 pm por Pescador »
 

*

Lampuka

  • Analista
  • ***
  • 793
  • Recebeu: 267 vez(es)
  • Enviou: 322 vez(es)
  • +146/-1435
Re: Notícias da Marinha
« Responder #2878 em: Dezembro 28, 2023, 03:21:54 pm »
MARINHA PORTUGUESA RECEBE PLATAFORMAS SUBMARINAS "C-LANDER"
dezembro 18, 2023



Matosinhos, Portugal
7 de Dezembro de 2023
A Marinha Portuguesa recebeu duas plataformas submarinas "C-Lander", a 7 de Dezembro de 2023, com cerimónia de entrega ao Vice-Chefe do Estado-Maior da Armada, Vice-almirante António Henriques Gomes, na sede da CEiiA (Centro de Desenvolvimento de Produtos e Serviços de Engenharia), em Matosinhos, a 2 km do Porto de Leixões. Tratam-se de equipamentos a afectar ao Centro de Operações de Defesa do Atlântico e à Plataforma Naval Multifuncional (no âmbito do Plano de Recuperação e Resiliência, PRR).

Desenvolvida e construída pela CEiiA, decorrente de uma plataforma base (Atlantis) com projecto desenvolvido entre 2017 e 2022, no âmbito do programa "OceanTech", co-financiado por fundos europeus, a C-Lander tem um massa de 500 kg, com um "payload" de até 110 kg de diferentes sensores e sistemas, tem um perfil piramidal de base quadrangular de 1,5 metros, com 1,5 metros de altura até ao ponto superior de encaixe do guincho - usado pela grua naval para a sua colocação a partir do convés de um navio até ao fundo oceânico a uma profundidade de 300 metros, onde se manterá em operação fixa de monitorização (ambiental, acústica, etc), numa janela energética de 6 meses. A plataforma base pode ter um profundidade de operação no fundo oceânico expandida até aos 3 a 4 mil metros, e com uma autonomia energética expansível até aos 12 ou 18 meses.

As plataformas "Lander" são colocadas em posição no leito marinho com recurso a cabo preso a grua naval - sendo recuperadas posteriormente por flutuação após acção comandada (via modem acústico) para libertação de elementos de lastro. O mesmo modem acústico permite a recolha de dados bem como a possível alteração de parâmetros de operação. Esta plataforma pode receber toda uma panóplia de sensores que compreende desde camaras de alta-resolução e sistemas de iluminação, sismómetro, medidores de condutividade, temperatura e pressão na coluna de água (CTD), sensores de registo acústico e outros "payloads" desenhados à medida.

Estas 2 plataformas foram adquiridas com base no concurso 1478/2023, anunciado a 2 de Fevereiro de 2023 e com contrato celebrado com a CEiiA a 13 de Abril de 2023 por um valor de 447.499,99 Euros e com um prazo de execução de 215 dias (compreendendo os respectivos serviços de programação, configuração e formação, bem como os lotes de sobressalentes associados).

Fotos e modelos digitais via CEiiA
Edição e composição infográfica por "Espada & Escudo"

 :arrow:  https://espada-e-escudo.blogspot.com/2023/12/marinha-portuguesa-recebe-plataformas.html

A recolha de dados é gravado e posterior recolha quando da realimentação energética da plataforma ou em tempo real. Isto segundo percebi da recolha por modem acústico?


Algo assim com um possível sistema de produção energética pelo movimento das correntes marítimas estaria a funcionar longos períodos
É nisso que se tem de trabalhar,  desenvolver...
E "militarizar" este tipo de equipamento.
Sem vergonhas,  com ambição,  engenharia "made in Portugal" de qualidade certamente não irá faltar.
E, não tenham dúvidas,  para controlar conveniente as nossas águas é por aí que a solução passará. 
Obviamente que devidamente complementarizado por outros meios.
Financiem as universidades e a indústria nacionais adequadamente. Os resultados vão aparecer.
Temos tudo para estar na vanguarda deste tipo de solução.
Mais não seja porque somos parte interessada.
João Pereira
 
Os seguintes utilizadores agradeceram esta mensagem: Pescador, PTWolf

*

Pescador

  • Investigador
  • *****
  • 3967
  • Recebeu: 2575 vez(es)
  • Enviou: 2115 vez(es)
  • +5702/-2783
Re: Notícias da Marinha
« Responder #2879 em: Dezembro 28, 2023, 04:32:22 pm »
MARINHA PORTUGUESA RECEBE PLATAFORMAS SUBMARINAS "C-LANDER"
dezembro 18, 2023



Matosinhos, Portugal
7 de Dezembro de 2023
A Marinha Portuguesa recebeu duas plataformas submarinas "C-Lander", a 7 de Dezembro de 2023, com cerimónia de entrega ao Vice-Chefe do Estado-Maior da Armada, Vice-almirante António Henriques Gomes, na sede da CEiiA (Centro de Desenvolvimento de Produtos e Serviços de Engenharia), em Matosinhos, a 2 km do Porto de Leixões. Tratam-se de equipamentos a afectar ao Centro de Operações de Defesa do Atlântico e à Plataforma Naval Multifuncional (no âmbito do Plano de Recuperação e Resiliência, PRR).

Desenvolvida e construída pela CEiiA, decorrente de uma plataforma base (Atlantis) com projecto desenvolvido entre 2017 e 2022, no âmbito do programa "OceanTech", co-financiado por fundos europeus, a C-Lander tem um massa de 500 kg, com um "payload" de até 110 kg de diferentes sensores e sistemas, tem um perfil piramidal de base quadrangular de 1,5 metros, com 1,5 metros de altura até ao ponto superior de encaixe do guincho - usado pela grua naval para a sua colocação a partir do convés de um navio até ao fundo oceânico a uma profundidade de 300 metros, onde se manterá em operação fixa de monitorização (ambiental, acústica, etc), numa janela energética de 6 meses. A plataforma base pode ter um profundidade de operação no fundo oceânico expandida até aos 3 a 4 mil metros, e com uma autonomia energética expansível até aos 12 ou 18 meses.

As plataformas "Lander" são colocadas em posição no leito marinho com recurso a cabo preso a grua naval - sendo recuperadas posteriormente por flutuação após acção comandada (via modem acústico) para libertação de elementos de lastro. O mesmo modem acústico permite a recolha de dados bem como a possível alteração de parâmetros de operação. Esta plataforma pode receber toda uma panóplia de sensores que compreende desde camaras de alta-resolução e sistemas de iluminação, sismómetro, medidores de condutividade, temperatura e pressão na coluna de água (CTD), sensores de registo acústico e outros "payloads" desenhados à medida.

Estas 2 plataformas foram adquiridas com base no concurso 1478/2023, anunciado a 2 de Fevereiro de 2023 e com contrato celebrado com a CEiiA a 13 de Abril de 2023 por um valor de 447.499,99 Euros e com um prazo de execução de 215 dias (compreendendo os respectivos serviços de programação, configuração e formação, bem como os lotes de sobressalentes associados).

Fotos e modelos digitais via CEiiA
Edição e composição infográfica por "Espada & Escudo"

 :arrow:  https://espada-e-escudo.blogspot.com/2023/12/marinha-portuguesa-recebe-plataformas.html

A recolha de dados é gravado e posterior recolha quando da realimentação energética da plataforma ou em tempo real. Isto segundo percebi da recolha por modem acústico?


Algo assim com um possível sistema de produção energética pelo movimento das correntes marítimas estaria a funcionar longos períodos
É nisso que se tem de trabalhar,  desenvolver...
E "militarizar" este tipo de equipamento.
Sem vergonhas,  com ambição,  engenharia "made in Portugal" de qualidade certamente não irá faltar.
E, não tenham dúvidas,  para controlar conveniente as nossas águas é por aí que a solução passará. 
Obviamente que devidamente complementarizado por outros meios.
Financiem as universidades e a indústria nacionais adequadamente. Os resultados vão aparecer.
Temos tudo para estar na vanguarda deste tipo de solução.
Mais não seja porque somos parte interessada.

Vejo melhor equipamentos do gênero destes com capacidade de operar por períodos de tempo muito longos, em qualquer circunstancia, com boa capacidade de recolha de dados, além dos comuns científicos que importam a comunidade cientifica, mas também militares como a recolha dos sinais acústicos de meios navais. E depois meios de combate credíveis, desembaraçados, para "no terreno" naval e aéreo, estarem em cima do acontecimento e actuar se caso disso