SATA

  • 5 Respostas
  • 381 Visualizações
*

Viajante

  • Investigador
  • *****
  • 2515
  • Recebeu: 1242 vez(es)
  • Enviou: 585 vez(es)
  • +2197/-838
SATA
« em: Maio 15, 2021, 06:47:33 pm »
Pelo meio das irracionais injecções de capital na TAP, há mais uma companhia que segue o caminho! Como é típico em Portugal, se um mama, os outros berram também...... (as famosas capelinhas):

Bruxelas autoriza apoios de 267 milhões de euros à SATA, mas alargou investigação aos apoios

Executivo europeu ressalvou, no entanto, que "alargou a investigação aprofundada" a ajudas públicas anteriores à companhia aérea açoriana.



Uma boa e uma má notícia. Primeiro a boa: a Comissão Europeia aprovou apoios do Estado português à companhia aérea açoriana SATA no valor de 267 milhões de euros (12 milhões de compensação pelos danos sofridos por causa das restrições devido à pandemia e 255,5 milhões de euros era apoio adicional à liquidez). Mas o executivo europeu também anunciou que “alargou a investigação aprofundada” que já tem em curso a outras medidas de apoio à companhia açoriana. Isto para “avaliar se as medidas de apoio à reestruturação previstas por Portugal estão em conformidade com as regras da UE”.

Segundo o comunicado, a Comissão continua a ter dúvidas relativamente à “proporcionalidade do auxílio de restruturação, dado que a contribuição da SATA para os custos da sua reestruturação é inferior a 50% e que, por conseguinte, o auxílio à reestruturação não parece estar limitado a um mínimo”.

Além disso, o executivo diz também ter reticências quanto ao “período de tempo do plano de restruturação” e ao “cumprimento do princípio ‘uma vez, última vez’, segundo o qual empresas com dificuldades financeiras podem receber auxílios para a reestruturação apenas uma vez durante um período de 10 anos”.

“As medidas que aprovámos hoje, num montante de quase 270 milhões de euros, permitirão a Portugal prestar apoio imediato à SATA Air Açores e à Azores Airlines, a fim de assegurar a continuidade das ligações aéreas internas e externas dos Açores, uma região ultraperiférica da UE. Ao mesmo tempo, alargámos a investigação em curso sobre a conformidade de medidas anteriores a favor das companhias aéreas. Continuaremos a estar em estreito contacto com as autoridades portuguesas sobre este assunto”, considerou no mesmo comunicado a vice-presidente executiva da Comissão, Margrethe Vesteger.

Em dezembro, o Governo regional dos Açores anunciou que a Comissão Europeia tinha considerado que os aumentos de capital realizados na transportadora SATA foram “ajudas públicas ilegais”, tendo a empresa de devolver à região 73 milhões de euros, e que não tinham obtido “autorização prévia de Bruxelas”.

No entanto, um dia depois – em declarações ao Observador – a porta-voz da concorrência da Comissão Europeia disse que investigação à ajuda de Estado dos Açores à SATA ainda estava a decorrer. Ou seja, “não havia ainda qualquer decisão de as declarar ilegais”, como disse o Governo regional.

No verão do ano passado, no entanto, a Comissão Europeia considerava que, nesse momento, os aumentos de capital aprovados pelo Governo regional dos Açores na Sata constituíam mesmo uma ajuda de Estado ilegal, o que fundamentou a abertura de um processo de investigação aos apoios dados à companhia área açoriana desde 2017.

Esta avaliação, ainda preliminar, constava da carta enviada às autoridades portuguesas pela vice-presidente Margrethe Vestager, que tem o pelouro da concorrência.

A Comissão especificou ainda que foram também aprovados “até 255,5 milhões de euros em apoio à liquidez”, em referência a dois pacotes distintos de auxílios estatais: um pacote de 133 milhões de euros, já aprovado pelo executivo comunitário em agosto de 2020, e outro no valor de 122,5 milhões de euros, solicitado pelo Governo português, com o “objetivo de fornecer às companhias aéreas recursos suficientes para fazer face às suas necessidades urgentes e imediatas de liquidez até ao final de 21 de Novembro de 2021”.

No referente aos 122,5 milhões de euros em apoio à liquidez, que tomarão a forma de “garantia pública de empréstimos temporários ou empréstimos públicos”, o executivo destaca que os fundos irão servir para permitir que a SATA continue a “fornecer serviços essenciais, incluindo rotas sujeitas a ‘obrigações de serviço público, e serviços de interesse económico geral para os aeroportos locais, assegurando a conectividade da região ultraperiférica dos Açores”.

As duas transportadoras da SATA (a SATA Air Açores, que viaja dentro do arquipélago, e a Azores Airlines) fecharam o terceiro trimestre de 2020 com prejuízos de 61 milhões de euros, valor superior aos 38,6 milhões negativos do período homólogo de 2019.

A operação da SATA em 2020, à imagem da globalidade das transportadoras aéreas, foi fortemente condicionada pela pandemia de covid-19, tendo a empresa parado a operação durante a maior parte do segundo trimestre do ano.

Todavia, os prejuízos globais do grupo açoriano haviam já sido de 53 milhões de euros em 2019, valor em linha com a perda registada em 2018.

https://observador.pt/2021/04/30/bruxelas-autoriza-apoios-de-267-milhoes-de-euros-a-sata-mas-alargou-investigacao-aos-apoios/

Ou seja, este pedido feito à UE, é para justificar as ajudas que a UE considerou ilegais no passado e para ajudar a passar a actual crise!!!!

Muito bem, ainda bem que nadamos em dinheiro e nada falta ao país!!!!!
 

*

tenente

  • Investigador
  • *****
  • 8691
  • Recebeu: 4033 vez(es)
  • Enviou: 2829 vez(es)
  • +4038/-566
Re: SATA
« Responder #1 em: Maio 15, 2021, 10:19:27 pm »
Já estamos a ver onde irão parar largas centenas de milhões de euros da tal Bazuka !
A seguir irão uns milhões para a OMNI e para a EuroAtlantic, podem apostar !!

Agora investir em unidades produtivas neste País nem pó, é só o turismo, apostaram as fixas quase todas no turismo e nada mais, parece que os ditos responsáveis politicos, não aprenderam nada durante este periodo mais negro da Pandemia, quando o turismo nos fechou a torneiras dos milhões de turistas !!

Abraços
« Última modificação: Maio 15, 2021, 11:04:35 pm por tenente »


Quando um Povo não Respeita as Suas FFAA, Não Respeita a Sua História nem se Respeita a Si Próprio  !!
 
Os seguintes utilizadores agradeceram esta mensagem: HSMW, Viajante

*

Viajante

  • Investigador
  • *****
  • 2515
  • Recebeu: 1242 vez(es)
  • Enviou: 585 vez(es)
  • +2197/-838
Re: SATA
« Responder #2 em: Maio 17, 2021, 04:26:48 pm »
Já estamos a ver onde irão parar largas centenas de milhões de euros da tal Bazuka !
A seguir irão uns milhões para a OMNI e para a EuroAtlantic, podem apostar !!

Agora investir em unidades produtivas neste País nem pó, é só o turismo, apostaram as fixas quase todas no turismo e nada mais, parece que os ditos responsáveis politicos, não aprenderam nada durante este periodo mais negro da Pandemia, quando o turismo nos fechou a torneiras dos milhões de turistas !!
Abraços

100% de acordo.
Já tinha referido aqui, primeiro foi salva a TAP e a seguir é a SATA e logo atrás……. Ainda vamos ter de ajudar a Ryanair!!!!

Não aprendemos com os nossos erros! Até agora, qualquer empresa onde os sindicatos tenham alguma influência, salvamos sem pestanejar e sem olhar a custos nem a possíveis fraudes ou desvios ou pelo menos ponderar porque é que a empresa está naquele estado!

Olhando para as prestações de contas da SATA e da TAP, é cristalina a dificuldade de ambas as empresas, muito antes da pandemia!!!!! E nesse aspecto, todos os partidos são responsáveis pela desresponsabilização que se passa. Um banco está em dificuldades, vamos a correr salvá-lo. Uma empresa com um ou mais sindicatos está em dificuldades, vamos lá salvar a empresa e nem olham para a factura, o que é espantoso!!!!!

Quando todos discutirmos que não há dinheiro para A, B, C ou aquisições prementes ou manutenção…… lembrem-se das empresas que foram salvas com dinheiro de todos nós. Relembrando só os casos mais sonantes:
- Banca = 30 mil milhões de euros, para salvar a CGD (quase 10 mil milhões, onde andaram Administradores do calibre do Vara), o BPN, o BPP, o Banif e por fim o BES/Novo Banco;
- Sector da aviação comercial. A mais recente extravagãncia que ainda não sabemos quanto vai custar-nos, mas pelo números que o Tenente e eu refiro, nunca vão ficar por menos de 5 000 milhões de euros e….. enquanto for pública, vamos ter injecções de capital ad-eternum….. enquanto a EU permitir!!!!!

Eu pergunto, este 35 mil milhões de euros não nos fazem falta?
Porque é que tivemos de salvar todas as empresas?
Como é possível ver pavões caloteiros irem ao Parlamento gozar com tudo e com todos e ninguém se lembra de arrestar todos os bens que utiliza? (acredito que não devem ter nada em nome deles)

Depois temos a justiça que arrasta os pés!!!!! Repare, nós ainda andamos a lamber as feridas da crise do subprime que estourou em 2008!!!!!! E todos os assuntos pendentes, nomeadamente o Novo Banco, ainda não estão resolvidos!!!!!! E entretanto temos a crise da pandemia a atingir-nos em cheio e com repercussões financeiras e económicas gravíssimas!!!!!

Eu admiro a ortodoxia americana neste aspecto. Vou só dar 1 exemplo de como é que eles resolveram um problema gravíssimo e já saíram da crise à quase 10 anos enquanto nós ainda definhamos a resolver problemas do passado!!!!!
Caso Lehman Brothers.
O caso do subprime, começou a ganhar forma quando um certo Presidente democrata, com atributos reconhecidos por uma estagiária, decidiu apostar nos imóveis para os mais necessitados!!!! Como o governo americano precisa de equilíbrio entre democratas e republicanos para verem os orçamentos aprovados e esta medida é inaceitável para os republicanos (casas dadas pelo estado), então aliciaram a banca a emprestar dinheiro sem grandes exigências. Os bancos para repartirem os possíveis estragos, criaram as hipotecas do subprime e inclusive aplicações financeiras relacionadas com o subprime, com a chancela das famigeradas empresas de rating, que atribuíram nota máxima a produtos de hipotecas de clientes que….. não podiam pagar!!!!!!
O Lehman Brothers era um dos maiores bancos a operar no subprime e tinha antes da falência activos de quase 700 mil milhões de dólares (só mais do que todos os bancos nacionais juntos e quase tanto como a famosa Bazuca para toda a União Europeia!!!!).
O Banco tinha na altura um líder arrogante (Richard Fuld), e apesar de ter quase 27 000 funcionários e ser um monstro à escala global (com pés de barro como se viu, porque só tinha 30 e tal mil milhões de dólares de capital próprio), o George W Bush deixou falir o banco, sem espinhas!!!!!! Se fosse cá, tinhamos colocado o país em risco de falência só para salvar o banco!!!!!!
https://www.investopedia.com/articles/economics/09/lehman-brothers-collapse.asp
https://en.wikipedia.org/wiki/Lehman_Brothers
https://www.dn.pt/bolsa/ja-faliram-114-bancos-nos-eua-1646038.html
https://pt.wikipedia.org/wiki/George_W._Bush

Aliás, os americanos deixaram falir 114 bancos!!!! Sem espinhas, porquê? Porque desconfiavam dos desvios de dinheiro, falcatruas…… e preferiram apostar apenas em apanhar os cacos das falências.
Este é o motivo para os mercados americanos crescerem muito mais rapidamente do que nós, resolvem os problemas muito mais depressa.
Outro caso relâmpago deu-se com o caso de Bernard Madoff (falecido no mês passado), que provocou burlas acumuladas na ordem dos 65 mil milhões de dólares, mas desde que foi descoberto, os americanos só demoraram 6 meses para sentenciar o Madoff em 150 anos de prisão e retirarem-lhe todos os bens que ele e a família tinham, directa e indirectamente!!!!!!!!!

Quando reclamarmos que falta dinheiro para isto, para aquilo, podemos sempre olhar para o dinheiro que o estado rebenta a salvar falidos e estes ainda nos gozam a passear-se como se nada fosse, seja ele o Vieira, o Berardo……..
Eu ainda estou para ver o que vai dar este caso, por exemplo: https://tvi24.iol.pt/economia/banco-espirito-santo/lesados-do-bes-os-testemunhos-impressionantes-de-quem-perdeu-todas-as-suas-poupancas
Ainda vamos ter desgraçados que não têem nenhuma poupança a pagar pelas perdas das poupanças de quem investiu no BES! O BES teve muitos administradores, vão lá buscar os bens!!!!!!
« Última modificação: Maio 17, 2021, 04:35:21 pm por Viajante »
 
Os seguintes utilizadores agradeceram esta mensagem: HSMW

*

Viajante

  • Investigador
  • *****
  • 2515
  • Recebeu: 1242 vez(es)
  • Enviou: 585 vez(es)
  • +2197/-838
Re: SATA
« Responder #3 em: Novembro 03, 2021, 05:12:05 pm »
Ora aqui está um exemplo das capelinhas. O governo salva a TAP e obriga-nos a todos a derreter pelo menos 5 mil milhões de euros? Então agora paguem também a SATA!!!!!!

“Salvar a SATA” é “totalmente prioritário” para Governo dos Açores em 2022



O Governo regional dos Açores definiu como “totalmente prioritário” para 2022 “salvar a SATA”, a companhia aérea regional, através de um aumento de capital, e pretende “manter o subsídio para viagens interilhas” a residentes no arquipélago.

A informação consta da proposta de Plano Regional Anual 2022, entregue esta terça-feira, 2 de novembro, na Assembleia Legislativa Regional, juntamente com a proposta de Orçamento de 1,9 mil milhões de euros, consultadas pela Lusa.

“No que diz respeito ao transporte aéreo, o Governo Regional dos Açores define como totalmente prioritário ‘salvar a SATA’. Desta forma, e de acordo com o Plano de Reestruturação apresentado pela SATA junto da Comissão Europeia, proceder-se-á a um aumento de capital repartido pelos anos de 2021 e 2022”, descreve o executivo de coligação PSD/CDS-PP/PPM, o segundo da legislatura, após as eleições regionais de outubro de 2020.

Na rubrica do Plano dedicada aos transportes aéreos e marítimos, o Governo refere que pretende “manter o subsídio ao passageiro residente para viagens aéreas interilhas, vulgo Tarifa Açores”, com passagens para residentes até 60 euros.

A intenção é “continuar a alavancar a mobilidade dos açorianos, a frequência, previsibilidade e estabilidade no transporte, tanto de pessoas como de mercadorias”.

“Bem sabemos que é difícil conceber um crescimento económico robusto, gerador de empregos e de riqueza, sem um sistema de transportes eficaz, com capacidade para extrair pleno proveito do mercado interno e do efeito da globalização do comércio. É, por isso, imperioso implementar uma política musculada de investimentos na área dos transportes”, assinala o executivo liderado pelo social-democrata José Manuel Bolieiro.

Quanto às infraestruturas aeroportuárias, o plano é ainda “promover a requalificação da cobertura do terminal de passageiros da Aerogare Civil das Lajes”, na ilha Terceira, bem como proceder à remodelação da área do ‘check-in’”, dotando a Aerogare Civil das Lajes “de um novo sistema de tratamento de bagagem, mais seguro e eficaz”.

“Envidaremos esforços no sentido de proceder à devida divulgação da Certificação Civil do Aeroporto das Lajes junto de todas as entidades nacionais e internacionais”, adianta o Governo Regional.

Vão ser igualmente desenvolvidas “ações a fim de angariar novos fluxos turísticos para a ilha Terceira junto das companhias aéreas e operadores turísticos”.

Para “prosseguir com a melhoria da operacionalidade e segurança das infraestruturas aeroportuárias da responsabilidade da Região Autónoma dos Açores”, estão planeadas a empreitada de remodelação do Sistema de Supervisão e Controle de Lâmpadas Incandescentes (SSCLI) no Aeródromo da Ilha do Pico e a de ampliação do parque de estacionamento das viaturas nos Aeródromos das Ilhas de S. Jorge e das Flores.

No domínio dos transportes marítimos, a intenção é “dar continuidade ao serviço público de transporte marítimo de passageiros e viaturas interilhas, através de obrigações de serviço público”.

O governo quer “melhorar as acessibilidades e frequências às ilhas de menor dimensão, com vista a um eficaz movimento de carga”.

“Ao nível das infraestruturas portuárias, tendo em vista aumentar os seus índices de produtividade e de segurança, prosseguir-se-á com obras de reperfilamento do cais -10 (ZH) e repavimentação do terrapleno do porto de Ponta Delgada, de construção da rampa ‘ro-ro’ e ‘ferry’ e obras complementares de abrigo do porto de Pipas”.

O governo acrescenta as empreitadas de “requalificação do porto das Poças, de construção do terminal marítimo de passageiros do porto de S. Roque e de requalificação das oficinas do armazém e do edifício das operações portuárias do porto da Praia da Vitória”.

Quanto ao lançamento de novos procedimentos, são referidas a construção da gare marítima no porto do Corvo, a aquisição de carrinhos de bagagem para a gare das Velas, o estudo para o ordenamento da baía e proteção da orla marítima do cais do Pico e a revisão do plano diretor do porto de Ponta Delgada.

“No âmbito dos investimentos decorrentes dos prejuízos causados pelo furacão Lorenzo, pretende-se dar continuidade à proteção de emergência ao terrapleno portuário e cais a -5 (ZH) do porto das Lajes das Flores, à construção de ponte-cais no porto das Lajes das Flores, à reparação do molhe do porto das Lajes do Pico e à reparação dos danos no porto das Pipas e Marina de Angra do Heroísmo”, é indicado.

Por outro lado, o governo quer “iniciar as obras de reparação dos molhes dos portos comercial e de recreio de Vila do Porto, e de reparação do molhe e do muro cortina e das infraestruturas do porto de Ponta Delgada”.

Há também a intenção de “lançar novos procedimentos para projetos em fase de desenvolvimento, como a reconstrução e requalificação do porto das Lajes das Flores”.

O Governo regional dos Açores pretende, em 2022, iniciar o projeto relativo à construção de um museu da aviação açoriana e atlântica, “visto não ter sido possível, conforme previsto”.

https://diariodalagoa.sapo.pt/salvar-a-sata-e-totalmente-prioritario-para-governo-dos-acores-em-2022/
 

*

MATRA

  • Analista
  • ***
  • 619
  • Recebeu: 282 vez(es)
  • Enviou: 695 vez(es)
  • +54/-14
Re: SATA
« Responder #4 em: Novembro 03, 2021, 05:51:40 pm »
Salvar a SATA concordo, salvar a SATA Internacional não.

Como Açoreano, sei o quanto a SATA presta às ilhas de serviço público, é algo que nunca vai dar lucro, porque alguns voos inter-ilhas, para ilhas pequenas transportam muito poucos passageiros para isso, mas são essenciais para quebrar o isolamento, transporte de correio, encomendas urgentes de medicamentos ou mesmo evacuação de doentes.

Não parece, mas as ilhas, na sua maioria, são muito distantes umas das outras, e o avião é a unica maneira de quebrar a insularidade.

Como esta foi/é gerida, é outra história, durante anos foi depositário de tachos, compadrios, sobre dimensionamento de algumas escalas, etc.

Salve-se, mas mude-se o modus operandi.
“Hard times create strong men. Strong men create good times. Good times create weak men. And, weak men create hard times.”
G. Michael Hopf, Those Who Remain
 
Os seguintes utilizadores agradeceram esta mensagem: HSMW, Turlu

*

tenente

  • Investigador
  • *****
  • 8691
  • Recebeu: 4033 vez(es)
  • Enviou: 2829 vez(es)
  • +4038/-566
Re: SATA
« Responder #5 em: Novembro 03, 2021, 07:11:45 pm »
Ora aqui está um exemplo das capelinhas. O governo salva a TAP e obriga-nos a todos a derreter pelo menos 5 mil milhões de euros? Então agora paguem também a SATA!!!!!!

“Salvar a SATA” é “totalmente prioritário” para Governo dos Açores em 2022


https://diariodalagoa.sapo.pt/salvar-a-sata-e-totalmente-prioritario-para-governo-dos-acores-em-2022/

Calma que ainda vão aparecer mais dois operadores a pedir ajuda.
Ou comem todos ou.....

Abraços
« Última modificação: Novembro 03, 2021, 07:16:45 pm por tenente »


Quando um Povo não Respeita as Suas FFAA, Não Respeita a Sua História nem se Respeita a Si Próprio  !!