Coronavirus

  • 2702 Respostas
  • 122242 Visualizações
*

P44

  • Investigador
  • *****
  • 12405
  • Recebeu: 2246 vez(es)
  • Enviou: 2906 vez(es)
  • +1788/-3821
Re: Coronavirus
« Responder #2595 em: Julho 28, 2021, 02:15:11 pm »
Pelo sim pelo não, é melhor confinar
"[Os portugueses são]um povo tão dócil e tão bem amestrado que até merecia estar no Jardim Zoológico"
-Dom Januário Torgal Ferreira, Bispo das Forças Armadas
 

*

P44

  • Investigador
  • *****
  • 12405
  • Recebeu: 2246 vez(es)
  • Enviou: 2906 vez(es)
  • +1788/-3821
Re: Coronavirus
« Responder #2596 em: Julho 30, 2021, 04:11:49 pm »
A máscara de covid

Em Portugal o factor político (autoritarismo) e o factor moral (amoralidade) parecem propícios para a perseguição a um grupo de pessoas que seja considerado culpado dos males que temos hoje em dia

30 jul 2021, 00:07

Há cerca de 90 anos o povo alemão vivia tempos de miséria depois da depressão económica de 1929, com grande medo da fome, da doença e de outros problemas. Manipulando esse medo, o Partido Nacional Socialista dos Trabalhadores Alemães conseguiu incutir na mente do povo alemão que os judeus eram culpados de todos os males da sociedade. Depois das eleições de 1932, embora minoritário, esse partido fez um arranjo parlamentar e conquistou o poder em 1933. O líder do partido – Adolf Hitler – não vacilava perante nada quando estava em causa a conquista do poder (1).


Pouco depois a Alemanha trocou a liberdade pela ordem, passando a ter um regime de partido único. Foi trágico. Um dos aspectos lamentáveis foi a perseguição aos judeus, que foram obrigados a usar a estrela de David para que os restantes alemães se pudessem precaver contra eles.

Será possível isto acontecer em Portugal? Por ser tão abjecto, a resposta espontânea é não. No entanto… há apenas dois factores necessários para que algo parecido venha a surgir, o político e o moral.

Quanto ao factor político, ainda não temos um regime de partido único, mas já não somos considerados como uma democracia plena por entidades respeitadas, como descreve a famosa revista The Economist. Alguns exemplos podem ajudar a justificar isso:

Violação sucessiva da constituição pelo Governo, pelo Parlamento e pelo Presidente, impondo restrições à liberdade de circulação das pessoas.
Ocupação ilegal pelas autoridades policiais de propriedades privadas, como aconteceu recentemente em Odemira.
Uma criança foi tirada pelas autoridades policiais à sua mãe, em sua casa em Vila Real, por não usar máscara na escola apesar de ter um atestado médico para isso.
Perseguição do Governo a alunos de Famalicão por não frequentarem a disciplina de cidadania, mesmo contra a decisão de um tribunal.
O Parlamento, o Presidente e o Governo aprovaram o que poderá vir a ser um instrumento de censura e de discriminação, por meio da carta portuguesa de direitos humanos na era digital.
O Governo apresentou uma proposta de lei para que o Ministério Público possa ordenar a apreensão de comunicações electrónicas sem autorização de um juiz.
A julgar pelas sondagens, a actuação cada vez mais autoritária e inconstitucional das forças políticas que governam o País não tem efeitos negativos na sua taxa de aprovação por parte da população, pelo que não seria uma surpresa a consagração de leis que diminuam os direitos de um certo grupo de pessoas considerado responsável por males da sociedade.

Quanto ao factor moral, está claramente em declínio na sociedade, tendo contribuído para isso os exemplos dados pelo Governo, pelo Parlamento e pelas autoridades do Estado:

Um homem foi atropelado na auto-estrada, mas consta que o ministro que ia no carro nem sequer saiu dele para tentar ajudar (2).
O nepotismo no Estado é evidente e galopante, mas não gera indignação.
Um cidadão foi torturado e morto no aeroporto de Lisboa pelas autoridades policiais, mas a indiferença foi geral.
Os concursos para cargos de dirigentes de organismos públicos são sistematicamente contornados com esquemas pelo Governo, mas os meios de comunicação e a oposição não se manifestam.
O Parlamento aprovou a eutanásia sem referendo.
Vários deputados usaram esquemas para ganhar mais dinheiro, por exemplo mentindo sobre a sua residência permanente para terem ajudas de custo.
Vários deputados usaram esquemas para registar a sua presença no parlamento, embora estando ausentes.
Um deputado socialista disse que se devia ter destruído o padrão dos descobrimentos e lamentou não ter havido mais sangue na revolução de 1974, denotando desprezo pelos nossos antepassados e pela vida humana.
Um ex-primeiro-ministro vive luxuosamente à custa de pretensos empréstimos de um amigo a quem exigia “fotocópias”!

Em suma, em Portugal o factor político (autoritarismo) e o factor moral (amoralidade) parecem propícios para a perseguição a um grupo de pessoas que seja considerado culpado dos males que temos hoje em dia.

O aspecto actual mais marcante da nossa sociedade é o medo da covid. Quem ainda não foi vacinado anseia pela vacinação. Quem já foi vacinado continua com medo, a usar máscara, a desinfectar as mãos com frequência, entre outras precauções. Esse medo é alimentado todos os dias pelos meios de comunicação.

Daqui a alguns meses, restarão poucas pessoas não vacinadas contra a covid. Há dias um dirigente do SNS disse-me que serão menos de 10% dos portugueses.

Desde Março de 2020 e a propósito da covid, as decisões do Governo, do Parlamento e do Presidente tiveram efeitos nefastos:


Muitas pessoas morreram desnecessariamente por falta de serviços de saúde.
Muitas empresas fecharam e mais fecharão quando acabar a atenuante do “lay-off”, aumentando ainda mais o número de pessoas sem emprego.
Muitas pessoas perderam rendimentos e ainda mais perderão quando acabar a atenuante do subsídio de desemprego.
Aumentou drasticamente a procura de apoio para alimentação junto das instituições de solidariedade social e vai aumentar ainda mais quando acabar a atenuante das moratórias.
Recentemente, um dirigente do SNS disse-me que vários médicos afirmaram nunca ter visto tantos casos de cancro de estágio 3 e 4 a aparecerem no consultório pela primeira vez, o que vai provocar grande sofrimento e mortes prematuras.
Estes efeitos nefastos vão piorar quando acabarem as atenuantes. Teremos mais desemprego, mais fome, mais doença, mais pobreza. Sendo uma prática corrente do Governo não assumir responsabilidades por nada, será que alguém se vai lembrar de acusar os não vacinados de serem os culpados desses males?

Moralmente já há disposição para isso, porque as pessoas não alinhadas com a cartilha da covid são apodadas de negacionistas, perseguidas e ostracizadas.

Politicamente, basta um “focus group” dar indicação de que é um bom caminho…

Encontro frequentemente pessoas de máscara com idade para já terem tomado a vacina contra a covid. Às vezes pergunto-lhes se já foram vacinadas e a resposta é sempre sim. Depois pergunto porque usam a máscara e a resposta é quase sempre por medo de serem contagiadas. Em seguida pergunto se gostam de usar máscara e a resposta é quase sempre não. Finalmente pergunto se não seria melhor obrigar apenas as pessoas não vacinadas a usar máscara e – lamentavelmente – a resposta é quase sempre sim!

Na Alemanha havia a estrela de David, em Portugal temo que poderá haver a máscara de covid. Basta o Governo querer seguir novamente o exemplo nazi.

(1)   Tem havido alguns seguidores dessa prática usada pelos nazis.
(2)   O homem morreu a seguir ao atropelamento.

https://observador.pt/opiniao/a-mascara-de-covid/
"[Os portugueses são]um povo tão dócil e tão bem amestrado que até merecia estar no Jardim Zoológico"
-Dom Januário Torgal Ferreira, Bispo das Forças Armadas
 
Os seguintes utilizadores agradeceram esta mensagem: HSMW

*

Daniel

  • Investigador
  • *****
  • 2243
  • Recebeu: 234 vez(es)
  • Enviou: 51 vez(es)
  • +289/-4099
Re: Coronavirus
« Responder #2597 em: Julho 31, 2021, 06:46:57 pm »
Covid-19: Milhares de franceses protestam contra passe sanitário
https://24.sapo.pt/atualidade/artigos/covid-19-milhares-de-franceses-protestam-contra-passe-sanitario

Citar
Cerca de 3.000 membros das forças de segurança foram, hoje de manhã, posicionados ao redor da capital francesa para enfrentar o terceiro fim de semana de protestos contra o passe sanitário, sobretudo ao longo dos Campos Elísios, para proteger a avenida de uma invasão de manifestantes esporadicamente violentos.

As manifestações contra o documento - que a partir de dia 9 de agosto passa a ser necessário mostrar para frequentar a maioria dos locais públicos em França -, estão a ser realizadas em várias cidades do país, sendo que, só em Paris, decorrem quatro protestos separados.

Com o aumento das infeções por covid-19 e das hospitalizações, o parlamento francês aprovou, no domingo passado, a obrigação de possuir um passe para entrar em quase todos os lugares a partir do próximo mês, sendo que, embora as sondagens mostrem que a maioria dos franceses apoia a decisão, a oposição adotada por alguns franceses tem sido aguerrida.

O passe sanitário é um documento que mostra que a pessoa em causa foi vacinada e está imunizada contra a covid-19 ou detém um teste rápido negativo ou prova de recuperação recente da infeção.

A tensão aumentou em frente à famosa casa de diversão noturna Moulin Rouge, no norte de Paris, naquela que pareceu ser a maior manifestação, com filas de polícias a enfrentarem os manifestantes e com confrontos esporádicos.

Enquanto os manifestantes se dirigiam para leste, a polícia disparou gás lacrimogéneo contra a multidão, criando alguma confusão e provocando alguns feridos.


Enquanto uns aceitam tudo, outros têm os nos sítio, para reclamar sua liberdade e direitos.
 
Os seguintes utilizadores agradeceram esta mensagem: P44

*

Lusitano89

  • Investigador
  • *****
  • 12438
  • Recebeu: 614 vez(es)
  • Enviou: 237 vez(es)
  • +323/-216
Re: Coronavirus
« Responder #2598 em: Agosto 01, 2021, 09:22:55 pm »
Pfizer e Moderna aumentam preço das vacinas


 

*

P44

  • Investigador
  • *****
  • 12405
  • Recebeu: 2246 vez(es)
  • Enviou: 2906 vez(es)
  • +1788/-3821
Re: Coronavirus
« Responder #2599 em: Agosto 02, 2021, 08:08:57 pm »
Pfizer e Moderna aumentam preço das vacinas



"Vai ser precisa uma terceira dose....e quarta...e quinta...e...."

Mas é tudo para nosso bem, não sejam negacionistas!
"[Os portugueses são]um povo tão dócil e tão bem amestrado que até merecia estar no Jardim Zoológico"
-Dom Januário Torgal Ferreira, Bispo das Forças Armadas
 

*

HSMW

  • Moderador Global
  • *****
  • 10844
  • Recebeu: 1721 vez(es)
  • Enviou: 4696 vez(es)
  • +278/-136
    • http://youtube.com/HSMW
https://www.youtube.com/user/HSMW/videos

"Tudo pela Nação, nada contra a Nação."
 

*

P44

  • Investigador
  • *****
  • 12405
  • Recebeu: 2246 vez(es)
  • Enviou: 2906 vez(es)
  • +1788/-3821
Re: Coronavirus
« Responder #2601 em: Agosto 07, 2021, 02:03:00 pm »
https://observador.pt/opiniao/o-testemunho-de-um-ex-negacionista/


O testemunho de um ex-negacionista

Onde havia perigosa desconfiança de autoridade e cepticismo na obediência cega, há agora uma enorme crença nas hierarquias, fidelidade ao poder político e confiança inabalável nas diegeses oficiais.
« Última modificação: Agosto 07, 2021, 02:05:57 pm por P44 »
"[Os portugueses são]um povo tão dócil e tão bem amestrado que até merecia estar no Jardim Zoológico"
-Dom Januário Torgal Ferreira, Bispo das Forças Armadas
 

*

P44

  • Investigador
  • *****
  • 12405
  • Recebeu: 2246 vez(es)
  • Enviou: 2906 vez(es)
  • +1788/-3821
Re: Coronavirus
« Responder #2602 em: Agosto 11, 2021, 11:07:01 am »
CORONAVÍRUS
O problema nem é a decisão de vacinar os jovens, são os “dados novos”: “Gostaria de perceber o que mudou em relação à semana passada”

Michael Ciaglo/Getty Images
Mais do que a decisão de alargar a vacinação a todos os adolescentes dos 12 aos 15 anos, suscitam dúvidas os “dados novos” que levaram a Direção-Geral da Saúde a assumir uma nova posição depois de há dias não ter recomendado a vacinação universal dos mais novos. Dados novos: mas quais? Paulo Paixão, virologista e professor na Faculdade de Ciências Médicas da Universidade Nova, diz desconhecer a existência de “dados novos”. O presidente do Colégio de Pediatria da Ordem dos Médicos, Jorge Amil Dias, também gostava de os conhecer

https://expresso.pt/coronavirus/2021-08-10-O-problema-nem-e-a-decisao-de-vacinar-os-jovens-sao-os-dados-novos-Gostaria-de-perceber-o-que-mudou-em-relacao-a-semana-passada-63c1f052

Têm dados novos mas não os revelam, uma decisão meramente política para darem a cambalhota numa semana, e transformar as crianças nos próximos ratos de laboratório.
"[Os portugueses são]um povo tão dócil e tão bem amestrado que até merecia estar no Jardim Zoológico"
-Dom Januário Torgal Ferreira, Bispo das Forças Armadas
 
Os seguintes utilizadores agradeceram esta mensagem: Luso

*

P44

  • Investigador
  • *****
  • 12405
  • Recebeu: 2246 vez(es)
  • Enviou: 2906 vez(es)
  • +1788/-3821
Re: Coronavirus
« Responder #2603 em: Agosto 12, 2021, 07:34:02 pm »


O mais recente especialista em Covid e vacinação descoberto pela nossa maravilhosa comunicação social
"[Os portugueses são]um povo tão dócil e tão bem amestrado que até merecia estar no Jardim Zoológico"
-Dom Januário Torgal Ferreira, Bispo das Forças Armadas
 
Os seguintes utilizadores agradeceram esta mensagem: HSMW, CruzSilva, Viajante

*

Daniel

  • Investigador
  • *****
  • 2243
  • Recebeu: 234 vez(es)
  • Enviou: 51 vez(es)
  • +289/-4099
Re: Coronavirus
« Responder #2604 em: Agosto 13, 2021, 01:55:06 pm »
Primeiro infetado por Covid-19 terá sido um funcionário de laboratório em Wuhan
https://www.cmjornal.pt/mundo/detalhe/primeiro-infetado-por-covid-19-tera-sido-um-funcionario-de-laboratorio-em-wuhan?ref=HP_PrimeirosDestaques
Citar
O líder da primeira missão da OMS a Wuhan para descobrir a origem da Covid-19, Peter Embarek, disse num documentário da televisão pública que é "provável" que o vírus tenha nascido num laboratório.

"Uma das hipóteses prováveis é a de que um funcionário terá sido infetado ao extrair amostrar", revelou.

A China insistiu esta sexta-feira que a investigação sobre a origem da covid-19 deve ser alargada a outros países, reiterando que a teoria de que o vírus vazou de um laboratório de Wuhan é "extremamente improvável".
"Nenhum país tem o direito de colocar os seus interesses políticos à frente da ciência", apontou o vice-ministro dos Negócios Estrangeiros, Ma Zhaxou, em conferência de imprensa.

Ma reagiu assim à pressão dos Estados Unidos para que o Instituto de Virologia de Wuhan seja investigado.

O relatório da primeira missão da Organização Mundial da Saúde (OMS) em Wuhan, publicado em abril, apontou quatro possíveis origens, ressalvando que a de um acidente de laboratório era a menos provável.

No entanto, a própria OMS passou nas últimas semanas a dar maior destaque àquela possibilidade. A organização pediu "espaço" para continuar a sua investigação após a China ter recusado que a próxima fase da investigação se realize no seu território.

"Todas as partes devem respeitar esse estudo, incluindo a própria OMS", repreendeu Ma.

O diretor-geral da OMS, Tedros Adhanom Ghebreyesus, também pediu à China "para que seja transparente e aberta" e forneça "dados brutos sobre os primeiros dias da pandemia".

Pequim negou repetidamente que tenha retido informações ou limitado o trabalho dos cientistas da OMS que viajaram para Wuhan.

O chefe da equipa de especialistas chineses que investigaram a origem do novo coronavírus, Liang Wannian, indicou que a "próxima fase das investigações deve ser realizada em outros países".

Liang apontou a teoria de que o vírus pode ter chegado ao mercado Huanan, em Wuhan, onde o primeiro surto de covid-19 foi detetado, "através de alimentos congelados importados".

A imprensa oficial chinesa lançou uma ofensiva em grande escala, esta semana, a relacionar outros países com a origem da covid-19, incluindo Espanha, Itália, França ou Estados Unidos.

"Se não quisermos abandonar essa teoria do laboratório, devemos também investigar outros centros, como [o laboratório do exército norte-americano] Fort Detrick, mas acreditamos que o relatório da OMS, que considera uma fuga altamente improvável, deve ser respeitado", disse Ma.

A imprensa chinesa chegou a citar um biólogo suíço chamado Wilson Edwards, que denunciou a politização da pandemia contra a China, mas que a embaixada Suíça na China disse não existir.

As notícias da imprensa estatal chinesa citaram a conta de Edwards na rede social Facebook, entretanto excluída, na qual o biólogo inexistente criticou os EUA e a OMS por pressionarem a China a permitir uma investigação mais aprofundada ao laboratório em Wuhan.

As críticas de Ma e a ofensiva da imprensa estatal surgem quase três meses depois de o Presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, ter ordenado que os serviços de inteligência do país investiguem a origem da pandemia, depois de garantir que vários investigadores do Instituto de Virologia de Wuhan adoeceram em novembro de 2019.

SAIBA MAIS
 
Os seguintes utilizadores agradeceram esta mensagem: HSMW

*

HSMW

  • Moderador Global
  • *****
  • 10844
  • Recebeu: 1721 vez(es)
  • Enviou: 4696 vez(es)
  • +278/-136
    • http://youtube.com/HSMW
Re: Coronavirus
« Responder #2605 em: Agosto 15, 2021, 12:48:03 pm »
Sei onde vocês estiveram ontem.....  ???

https://twitter.com/i/status/1426676855214596104


Citar
Gouveia e Melo à saída do centro de vacinação de Odivelas, esta noite.




https://www.youtube.com/user/HSMW/videos

"Tudo pela Nação, nada contra a Nação."
 

*

Daniel

  • Investigador
  • *****
  • 2243
  • Recebeu: 234 vez(es)
  • Enviou: 51 vez(es)
  • +289/-4099
Re: Coronavirus
« Responder #2606 em: Agosto 16, 2021, 03:23:18 pm »
Danos na pele e nos rins são novos efeitos das vacinas da Pfizer e da Moderna contra a Covid-19
https://eco.sapo.pt/2021/08/16/danos-na-pele-e-nos-rins-sao-novos-efeitos-das-vacinas-da-pfizer-e-da-moderna-contra-a-covid-19/
 

*

Daniel

  • Investigador
  • *****
  • 2243
  • Recebeu: 234 vez(es)
  • Enviou: 51 vez(es)
  • +289/-4099
Re: Coronavirus
« Responder #2607 em: Agosto 18, 2021, 10:37:42 am »
Como acaba a pandemia? E porque é que os especialistas estão otimistas?
https://multinews.sapo.pt/atualidade/como-acaba-a-pandemia-e-porque-e-que-os-especialistas-estao-otimistas/
Citar
A maioria dos especialistas acredita que o novo coronavírus vai continuar a circular, mas confiam que a imunidade é duradoura e vai proteger-nos de desenvolver a doença na sua forma grave.

Um artigo do El Pais reúne as principais conclusões dos especialistas, ressalvando que nada ainda pode ser afirmado com 100% de certeza e só o tempo ditará o que vai acontecer.

Não haverá imunidade de grupo

Durante algum tempo, pensou-se que o fim da pandemia estaria na imunidade de grupo e que o vírus se extinguiria como um incêndio sem oxigénio. Mas esse cenário agora parece menos provável.

Por outro lado, a variante Delta é mais contagiosa, o que significa que o vírus precisa de menos pessoas a contraí-lo para se tornar contagioso. E, embora as vacinas tenham sido excelentes para proteger contra a doença grave, não previnem a infeção ou transmissão com a mesma eficácia.

Um sinal da dificuldade de travar o vírus é revelado na Islândia: 74% das pessoas foram vacinadas desde 15 de julho, mas foi justamente neste período que surgiu a pior vaga de infecções no país, escreve o El Pais.

A maioria dos especialistas já não acredita na imunidade de grupo. Já em janeiro, 90% dos epidemiologistas consultados pela Nature disseram que era provável que o vírus se tornasse endémico.

O vírus será endémico e circulará continuamente

Se as vacinas não impedem a propagação do vírus e, como com outros coronavírus, a imunidade natural é apenas temporária, os humanos e o SARS-CoV-2 chegarão a um equilíbrio: passaremos da fase pandémica à endémica, escreve o El Pais.

O vírus circulará periodicamente entre nós, causando surtos menores, talvez sazonais e, presumivelmente provocando uma doença leve. Seremos reinfetados com o vírus de vez em quando.

Num cenário ideal, a situação poderia ser tão benigna quanto com os quatro coronavírus que provocam as constipações comuns.

“Na verdade, quem sabe se aqueles outros vírus, com os quais agora pouco nos importamos, não surgiram como grandes epidemias em algum momento do passado?”, questiona o autor do artigo do El Pais.
O melhor até agora: as vacinas

Uma vez alcançada a fase endémica, quando a primeira exposição ao vírus for na infância, o SARS-CoV-2 pode não ser mais grave do que uma constipação.

O otimismo de muitos especialistas surge desta hipótese, já que acreditam que a imunidade contra doenças graves será forte e duradoura.

Isto só pode ser alcançado com a população vacinada. Sabemos que pessoas vacinadas podem ficar infetadas e adoecer, mas se as reinfeções forem muito mais brandas, conviver com o novo coronavírus em 2030 será bem da realidade de 2020.

Será como uma gripe, mais branda ou pior?

A dúvida é se no futuro a covid-19 vai ser mais parecida com a gripe ou com alguma patologia mais grave.

“Acho que com a vacinação, a gravidade das vagas pode transformar-se em algo semelhante à gripe sazonal”, explicou um especialista ao El Pais.

Mas nada é certo: “Ainda não vi nenhuma estimativa formal de como seria exatamente o equilíbrio endémico, porque há muitas incógnitas.”

Este vírus é como uma gripe, nem mais nem menos.
 

*

LM

  • Investigador
  • *****
  • 1841
  • Recebeu: 515 vez(es)
  • Enviou: 1647 vez(es)
  • +303/-16
Re: Coronavirus
« Responder #2608 em: Agosto 18, 2021, 11:09:21 am »
Este vírus SERÁ, talvez, como a gripe; e, se for, devido a um forte contributo da vacinação massiva.
Quidquid latine dictum sit, altum videtur
 

*

Luso

  • Investigador
  • *****
  • 7811
  • Recebeu: 852 vez(es)
  • Enviou: 273 vez(es)
  • +393/-2074
Re: Coronavirus
« Responder #2609 em: Agosto 18, 2021, 11:53:14 am »


Para bom entendedor...
Ai de ti Lusitânia, que dominarás em todas as nações...