A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !

  • 3028 Respostas
  • 281185 Visualizações
*

Lightning

  • Moderador Global
  • *****
  • 9656
  • Recebeu: 1656 vez(es)
  • Enviou: 1982 vez(es)
  • +310/-263
Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
« Responder #2655 em: Janeiro 28, 2022, 08:32:50 am »
Acredito mas nunca vi tal coisa...
Sempre foi aconselhável mas nunca obrigatório.
O mesmo para a 3ª dose.

Também nunca vi.
 

*

Francisco Ferreira

  • Membro
  • *
  • 62
  • Recebeu: 7 vez(es)
  • Enviou: 2 vez(es)
  • +4/-0
Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
« Responder #2656 em: Janeiro 28, 2022, 08:48:37 am »
E esta hém?!
https://expresso.pt/politica/crise-na-ucrania-nato-pediu-a-portugal-para-aprontar-meios-militares/

Pedem-nos para aprontarmos meios militares e nós em processo de desarmamento quase completo...!
Vergonha!
 
Os seguintes utilizadores agradeceram esta mensagem: typhonman, Major Alvega, Charlie Jaguar, tenente, Stalker79

*

tenente

  • Investigador
  • *****
  • 9303
  • Recebeu: 4542 vez(es)
  • Enviou: 3279 vez(es)
  • +4391/-940
Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
« Responder #2657 em: Janeiro 28, 2022, 09:05:11 am »
Com o continuo desarmamento e desinvestimento que temos vindo a assistir nas FFAA Portuguesas, o resultado está bem á vista, basta ver o actual estado operacional das ditas !
Quero ver quantos e quais os meios Navais colocados á disposição da NATO, as Fragatas Obsoletas, coitadas delas nem os desgraçados dos helis tem operacionais, excelentes os resultados das sucessivas gestões  incompetentes que temos tido na Tutela das FFAA !!
A triste realidade desta Nação de Agora pacifistas fofinhos, e, ainda vamos integrar as forças que vão fazer parte da tal resposta pesada que o MNE aqui refere, devemos integrar, devemos.


Crise na Ucrânia: NATO pediu a Portugal para aprontar meios militares
Espanha já disponibilizou navios e caças à NATO. Portugal está a acelerar a prontidão de meios aéreos e navais – discretamente, por causa das eleições :G-Ok: :G-Ok:

23:11 27 Janeiro, 2022 | Vítor Matos

Com a discussão fora da campanha eleitoral, António Costa disse à Renascença esta semana estar “muito, muito preocupado” porque “pode haver um conflito militar” e a NATO já pediu para as Forças Armadas portuguesas aumentarem o estado de alerta por causa da escalada de tensão na fronteira da Rússia com a Ucrânia. Embora, segundo o Expresso apurou junto de fontes que acompanham este processo, não tenha havido um pedido de meios específicos, a Marinha e a Força Aérea estão a acelerar o aprontamento de meios como submarinos, fragatas, caças F-16 e, eventualmente, aviões de transporte C-295.

Depois de o secretário-geral da NATO, Jens Stoltenberg, ter dito que “temos de nos preparar para o pior”, a Espanha já avançou pelo menos com uma fragata e um navio patrulha para o Mediterrâneo, e está a considerar o envio de caças para a Bulgária, fez saber a Aliança Atlântica no início desta semana. A Dinamarca, também está a preparar meios: deve ter uma fragata no Mar Báltico e quatro caças F-16 na Lituânia para apoiar a missão de policiamento aéreo de longa data na região — uma missão em que os F-16 portugueses também costumam participar e na qual têm experiência acumulada. Os Países Baixos estão a prever enviar dois caças F-35 para policiamento aéreo na Bulgária, a partir de abril e a colocar um navio e unidades terrestres em alerta. A França “manifestou a sua disponibilidade para enviar tropas para a Roménia sob o comando da Aliança Atlântica”.

No caso dos militares portugueses, os ramos deram ordens para acelerar o aprontamento de meios, sabe o Expresso, mesmo daqueles que estavam em manutenção ou a preparar-se para entrar em manutenção, para a operacionalidade estar garantida tão depressa quanto possível. O facto de o país estar em processo eleitoral tornou esta questão delicada do ponto de vista político, e tanto Governo como Presidente preferem esperar por soluções mais firmes na frente diplomática e das reuniões na NATO durante a próxima semana. Depois, no caso de serem mesmo mobilizados os meios, deverá haver um acerto de posições entre o Presidente da República e o Governo que sair das eleições, e eventualmente, a convocação de um Conselho Superior de Defesa Nacional, onde se discutem as missões no estrangeiro.[/b][/u] António Costa disse na mesma entrevista à Renascença que já tinha falado com Ursula von der Leyen, presidente da Comissão Europeia sobre o assunto, e explicou que “quaisquer decisões que tomemos terão impacto na elação a Leste”, mas também em África, onde POtugal tem muitos interesses, e nos países onde temos forças, como na RCA ou no Mali.

Esta semana, depois de uma reunião do topo da diplomacia da NATO, Augusto Santos Silva, ministro dos Negócios Estrangeiros, disse que, “qualquer agressão contra a Ucrânia, qualquer violação por parte da Rússia da soberania e da integridade territorial da Ucrânia terá uma consequência pesada que motivará uma resposta. No caso da UE, uma resposta muito pesada em termos políticos e económicos. Estamos preparados para essa resposta caso ela seja necessária”. Seriam “sanções pesadas”. Nem o Ministério da Defesa nem o Estado-Maior General das Forças Armadas responderam às questões do Expresso.

https://expresso.pt/politica/crise-na-ucrania-nato-pediu-a-portugal-para-aprontar-meios-militares/

Abraços

« Última modificação: Janeiro 28, 2022, 05:51:59 pm por tenente »
Quando um Povo/Governo não Respeita as Suas FFAA, Não Respeita a Sua História nem se Respeita a Si Próprio  !!
 
Os seguintes utilizadores agradeceram esta mensagem: typhonman, Francisco Ferreira

*

Visitante123

  • Membro
  • *
  • 227
  • Recebeu: 64 vez(es)
  • Enviou: 63 vez(es)
  • +2/-14
Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
« Responder #2658 em: Janeiro 28, 2022, 10:38:32 am »
Não somos só nós que estamos às aranhas.

A Alemanha em 2018 dos 128 Typhoons tinha 4 (QUATRO) operacionais. A NATO espera da Alemanha 82 jatos operacionais em permanência.
 

*

dc

  • Investigador
  • *****
  • 6015
  • Recebeu: 2238 vez(es)
  • Enviou: 531 vez(es)
  • +592/-409
Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
« Responder #2659 em: Janeiro 28, 2022, 01:31:13 pm »
O mais certo é fazermos como outros países, enviamos 4 F-16. Nem vale a pena enviar fragatas, que não vão lá fazer nada, pois são inúteis num conflito moderno. Isto devia era ser pretexto para acelerar processos de aquisição, como fragatas, armamento para os caças (3ª submarino  :mrgreen:).

Já a posição dos nossos políticos, é a habitual em tempo de eleições. O Governo sabe que se envia militares, e a coisa dá o berro e temos o azar de perder vidas, é uma machadada na chance de ser reeleito. Lá está, não é com receio pela vida dos militares portugueses, é só mesmo o impacto disso nas eleições!
 
Os seguintes utilizadores agradeceram esta mensagem: tenente, HSMW, Stalker79, Pescador

*

P44

  • Investigador
  • *****
  • 13480
  • Recebeu: 2948 vez(es)
  • Enviou: 3482 vez(es)
  • +2219/-5425
Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
« Responder #2660 em: Janeiro 28, 2022, 02:00:21 pm »
Mandem a Sagres e os Tejo

"[Os portugueses são]um povo tão dócil e tão bem amestrado que até merecia estar no Jardim Zoológico"
-Dom Januário Torgal Ferreira, Bispo das Forças Armadas
 

*

typhonman

  • Investigador
  • *****
  • 5103
  • Recebeu: 699 vez(es)
  • Enviou: 1503 vez(es)
  • +3114/-3498
Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
« Responder #2661 em: Janeiro 28, 2022, 02:10:35 pm »
Com o continuo desarmamento e desinvestimento que temos vindo a assistir nas FFAA Portuguesas, o resultado está bem á vista, basta ver o actual estado operacional das ditas !
Quero ver quantos e quais os meios Navais colocados á disposição da NATO, as Fragatas Obsoletas, coitadas delas nem os desgraçados dos helis tem operacionais, excelentes os resultados das sucessivas gestões  incompetentes que temos tido na Tutela das FFAA !!
A triste realidade desta Nação de Agora pacifistas fofinhos, vamos integrar as forças que vão fazer parte da tal resposta pesada que o MNE aqui refere.


Crise na Ucrânia: NATO pediu a Portugal para aprontar meios militares
Espanha já disponibilizou navios e caças à NATO. Portugal está a acelerar a prontidão de meios aéreos e navais – discretamente, por causa das eleições :G-Ok: :G-Ok:

23:11 27 Janeiro, 2022 | Vítor Matos

Com a discussão fora da campanha eleitoral, António Costa disse à Renascença esta semana estar “muito, muito preocupado” porque “pode haver um conflito militar” e a NATO já pediu para as Forças Armadas portuguesas aumentarem o estado de alerta por causa da escalada de tensão na fronteira da Rússia com a Ucrânia. Embora, segundo o Expresso apurou junto de fontes que acompanham este processo, não tenha havido um pedido de meios específicos, a Marinha e a Força Aérea estão a acelerar o aprontamento de meios como submarinos, fragatas, caças F-16 e, eventualmente, aviões de transporte C-295.

Depois de o secretário-geral da NATO, Jens Stoltenberg, ter dito que “temos de nos preparar para o pior”, a Espanha já avançou pelo menos com uma fragata e um navio patrulha para o Mediterrâneo, e está a considerar o envio de caças para a Bulgária, fez saber a Aliança Atlântica no início desta semana. A Dinamarca, também está a preparar meios: deve ter uma fragata no Mar Báltico e quatro caças F-16 na Lituânia para apoiar a missão de policiamento aéreo de longa data na região — uma missão em que os F-16 portugueses também costumam participar e na qual têm experiência acumulada. Os Países Baixos estão a prever enviar dois caças F-35 para policiamento aéreo na Bulgária, a partir de abril e a colocar um navio e unidades terrestres em alerta. A França “manifestou a sua disponibilidade para enviar tropas para a Roménia sob o comando da Aliança Atlântica”.

No caso dos militares portugueses, os ramos deram ordens para acelerar o aprontamento de meios, sabe o Expresso, mesmo daqueles que estavam em manutenção ou a preparar-se para entrar em manutenção, para a operacionalidade estar garantida tão depressa quanto possível. O facto de o país estar em processo eleitoral tornou esta questão delicada do ponto de vista político, e tanto Governo como Presidente preferem esperar por soluções mais firmes na frente diplomática e das reuniões na NATO durante a próxima semana. Depois, no caso de serem mesmo mobilizados os meios, deverá haver um acerto de posições entre o Presidente da República e o Governo que sair das eleições, e eventualmente, a convocação de um Conselho Superior de Defesa Nacional, onde se discutem as missões no estrangeiro.[/b][/u] António Costa disse na mesma entrevista à Renascença que já tinha falado com Ursula von der Leyen, presidente da Comissão Europeia sobre o assunto, e explicou que “quaisquer decisões que tomemos terão impacto na elação a Leste”, mas também em África, onde POtugal tem muitos interesses, e nos países onde temos forças, como na RCA ou no Mali.

Esta semana, depois de uma reunião do topo da diplomacia da NATO, Augusto Santos Silva, ministro dos Negócios Estrangeiros, disse que, “qualquer agressão contra a Ucrânia, qualquer violação por parte da Rússia da soberania e da integridade territorial da Ucrânia terá uma consequência pesada que motivará uma resposta. No caso da UE, uma resposta muito pesada em termos políticos e económicos. Estamos preparados para essa resposta caso ela seja necessária”. Seriam “sanções pesadas”. Nem o Ministério da Defesa nem o Estado-Maior General das Forças Armadas responderam às questões do Expresso.

https://expresso.pt/politica/crise-na-ucrania-nato-pediu-a-portugal-para-aprontar-meios-militares/

Abraços



Se ainda não era claro que temos de investir em meios modernos, AGORA não poderia ficar mais.
Relembro que durante a guerra fria a URSS, considerava que o bloqueio das linhas de abastecimento (reforço da europa) por forças dos EUA, sendo que para isso teria de anular as bases mais a oeste, como as Lajes, Ovar, Monte Real,Montijo etc.
Em caso de conflito a escala global/regional, não existe qualquer meio de defesa destas bases, a menos que os EUA mandem para cá baterias de PAC 3 ou THAAD...
 
Os seguintes utilizadores agradeceram esta mensagem: tenente

*

dc

  • Investigador
  • *****
  • 6015
  • Recebeu: 2238 vez(es)
  • Enviou: 531 vez(es)
  • +592/-409
Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
« Responder #2662 em: Janeiro 28, 2022, 02:27:45 pm »
Nós cá é com Bitubos que nos defendemos  :toto:
Acho que mais depressa vemos uns AB e/ou Ticos americanos em pontos estratégicos, nomeadamente nas Lajes, do que metem cá Patriot ou THAAD a defender bases aéreas (mais uma vez, Lajes a ser a excepção). As bases aéreas deviam ser responsabilidade nossa, se não temos baterias anti-aéreas para as defender (nem sequer sistemas anti-míssil, que era o mínimo que se pedia), a culpa é igualmente nossa. Os outros países não têm assim tantas baterias ao ponto de virem fazer caridade para nos defender, a não ser que face à ameaça russa, passem por descentralizar os seus meios aéreos, colocando alguns cá.
 
Os seguintes utilizadores agradeceram esta mensagem: LM

*

HSMW

  • Moderador Global
  • *****
  • 11512
  • Recebeu: 2215 vez(es)
  • Enviou: 6031 vez(es)
  • +381/-212
    • http://youtube.com/HSMW
Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
« Responder #2663 em: Janeiro 28, 2022, 03:08:44 pm »
E esta hém?!
https://expresso.pt/politica/crise-na-ucrania-nato-pediu-a-portugal-para-aprontar-meios-militares/

Pedem-nos para aprontarmos meios militares e nós em processo de desarmamento quase completo...!
Vergonha!

Pode ser que comecem a acordar para a falta de capacidades.

Mas um apoio à NATO na altura de coligações de governo?!
Aí é que a geringonça de esquerda não se forma de certeza.
https://www.youtube.com/user/HSMW/videos

"Tudo pela Nação, nada contra a Nação."
 

*

Pescador

  • Investigador
  • *****
  • 1258
  • Recebeu: 920 vez(es)
  • Enviou: 515 vez(es)
  • +1185/-1226
Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
« Responder #2664 em: Janeiro 28, 2022, 03:11:38 pm »
O mais certo é fazermos como outros países, enviamos 4 F-16. Nem vale a pena enviar fragatas, que não vão lá fazer nada, pois são inúteis num conflito moderno. Isto devia era ser pretexto para acelerar processos de aquisição, como fragatas, armamento para os caças (3ª submarino  :mrgreen:).

Já a posição dos nossos políticos, é a habitual em tempo de eleições. O Governo sabe que se envia militares, e a coisa dá o berro e temos o azar de perder vidas, é uma machadada na chance de ser reeleito. Lá está, não é com receio pela vida dos militares portugueses, é só mesmo o impacto disso nas eleições!

Bingo
 

*

Pescador

  • Investigador
  • *****
  • 1258
  • Recebeu: 920 vez(es)
  • Enviou: 515 vez(es)
  • +1185/-1226
Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
« Responder #2665 em: Janeiro 28, 2022, 03:13:56 pm »
Mandem a Sagres e os Tejo

Era de mandar o Setúbal que na conversa do ministro e do embaixador faz um grande serviço no GDG, por isso está apto de certeza. Pelos menos para dar uma recepção protocolar aos Russos
 

*

Pescador

  • Investigador
  • *****
  • 1258
  • Recebeu: 920 vez(es)
  • Enviou: 515 vez(es)
  • +1185/-1226
Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
« Responder #2666 em: Janeiro 28, 2022, 03:16:16 pm »
E esta hém?!
https://expresso.pt/politica/crise-na-ucrania-nato-pediu-a-portugal-para-aprontar-meios-militares/

Pedem-nos para aprontarmos meios militares e nós em processo de desarmamento quase completo...!
Vergonha!


Devem estar a referir-se a meia dúzia de generais e de Almirantes para andarem lá com a tropa deles, porque já têm curriculum nisso
« Última modificação: Janeiro 29, 2022, 11:41:30 am por Pescador »
 

*

Charlie Jaguar

  • Investigador
  • *****
  • 4189
  • Recebeu: 3548 vez(es)
  • Enviou: 2154 vez(es)
  • +4811/-2293
Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
« Responder #2667 em: Janeiro 28, 2022, 03:54:34 pm »
No que diz respeito à Força Aérea, sei de fonte segura que para além dos 4 F-16AM que partiram entretanto para a Islândia  e por lá vão ficar até ao final de Março, estão a ser aprontados pelo menos mais 4 a 6 caças, 1 P-3C e 2 C-295M. Ou seja, é basicamente a contribuição aérea da NRF.

Fragatas disponíveis só a Corte-Real, e submarino não há?
Saudações Aeronáuticas,
Charlie Jaguar

"I'll miss the sea, but a person needs new experiences. They jar something deep inside, allowing him to grow. Without change something sleeps inside us, and seldom awakens. The sleeper must awaken."
Duke Leto Atreides (Dune, Frank Herbert)
 
Os seguintes utilizadores agradeceram esta mensagem: typhonman, tenente

*

asalves

  • Especialista
  • ****
  • 1028
  • Recebeu: 410 vez(es)
  • Enviou: 117 vez(es)
  • +231/-100
Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
« Responder #2668 em: Janeiro 28, 2022, 05:20:49 pm »
No que diz respeito à Força Aérea, sei de fonte segura que para além dos 4 F-16AM que partiram entretanto para a Islândia  e por lá vão ficar até ao final de Março, estão a ser aprontados pelo menos mais 4 a 6 caças, 1 P-3C e 2 C-295M. Ou seja, é basicamente a contribuição aérea da NRF.

Fragatas disponíveis só a Corte-Real, e submarino não há?

Teoricamente acho que o Tridente ainda está a navegar e o Arpão acho que está já na fase final de revisão/manutenção acho. (pelo menos tenho a sensação de ter lido qualquer coisa)
 

*

Lightning

  • Moderador Global
  • *****
  • 9656
  • Recebeu: 1656 vez(es)
  • Enviou: 1982 vez(es)
  • +310/-263
Re: A Marinha Portuguesa e o Zero Naval !
« Responder #2669 em: Janeiro 28, 2022, 05:24:18 pm »
Fragatas disponíveis só a Corte-Real, e submarino não há?

Nas FND2022 está lá isso tudo, as várias forcas em prontidão.

Da FAP F-16 e 1 P-3.
Da Marinha uma fragata para a SNMG, um submarino que devia ir para a operação Sea Guardian, mergulhadores para a SNMCMG e uma companhia de fuzileiros (normalmente iriam para a Lituânia).

Do exército um Batalhão de infantaria (que está na VJTF) depois podem é adicionar unidades escalão inferior, PE, OE, EOD, etc.
 
Os seguintes utilizadores agradeceram esta mensagem: HSMW