O Reapetrechamento da Marinha

  • 1322 Respostas
  • 163907 Visualizações
*

Cabeça de Martelo

  • Investigador
  • *****
  • 20458
  • Recebeu: 3060 vez(es)
  • Enviou: 2283 vez(es)
  • +1421/-3476
Re: O Reapetrechamento da Marinha
« Responder #1320 em: Maio 22, 2024, 05:00:32 pm »
Os Contratorpedeiros KDX-III Batch 2 custam o que custam por causa dos equipamentos e armamentos que têm. O projecto britânico não tem 88 células VLS, não tem o todo poderoso AN/SPY-1D(V), não tem uma guarnição de 300 militares, etc.

Estás a comparar o incomparável.
« Última modificação: Maio 22, 2024, 05:10:35 pm por Cabeça de Martelo »
7. Todos os animais são iguais mas alguns são mais iguais que os outros.

 

*

dc

  • Investigador
  • *****
  • 8778
  • Recebeu: 4092 vez(es)
  • Enviou: 741 vez(es)
  • +5028/-810
Re: O Reapetrechamento da Marinha
« Responder #1321 em: Maio 22, 2024, 06:20:20 pm »
CdM. Respira, e pensa um pouco...

Já está?
O ponto é precisamente que os KDX-III são baratos, apesar de terem aquilo tudo a bordo, quando comparados com muitos combatentes ocidentais muito mais pequenos e limitados.
Os Fearless serão caros (o que vai contra as afirmações do CEMA daquilo que ele quer) e dependem de escoltas. Uma versão que seja realmente capaz de dar à Marinha capacidades equivalentes às de uma fragata de 1000 milhões, terá automaticamente um custo bem superior a isto. E aqui entramos no campeonato dos KDX-III e IV, dos LHDs de topo, e por aí fora.


Projectos interessantes existem muitos. Agora compete-nos é tentar chegar a um consenso para que se tenha uma Marinha capaz e equilibrada. E uma Marinha que encomendou 3 logísticos e ainda tem interesse no NAVPOL, pura e simplesmente não pode sequer equacionar substituir fragatas por mais navios logísticos, principalmente quando esta capacidade logística torna esses navios mais caros e/ou limitam a sua capacidade de combate. E considerando sempre um orçamento X.

Falar em Crossover faz sentido, numa Marinha que abdica inteiramente de um LPD, e procura ter um maior número de Crossovers (funcionalmente fragatas) do que teria de fragatas convencionais (mínimo 6).
Com um LPD/LHD na equação, então podes manter o interesse em 3 Crossover ASW, mas surge a necessidade de pelo menos 2 fragatas convencionais com mais capacidade AAW, ou simplesmente optar por escoltas convencionais por inteiro.
Se querem os Fearless, então que aceitem que seriam apenas 2 + X fragatas de escolta, tratando-se os Fearless como LPDs armados.

Tem que haver um plano com pés e cabeça, e isso ainda não vi.

E entre gastar 5000 milhões em 5 Fearless, ou gastar aproximadamente o mesmo em 3 KDX-III (de 155 metros até) + 3 U-214 feitos na Coreia do Sul, eu prefiro a segunda opção, de longe. Principalmente numa Marinha que já planeia 4 logísticos.
 
Os seguintes utilizadores agradeceram esta mensagem: Bubas

*

Pescador

  • Investigador
  • *****
  • 4263
  • Recebeu: 2770 vez(es)
  • Enviou: 2333 vez(es)
  • +5721/-2852
Re: O Reapetrechamento da Marinha
« Responder #1322 em: Maio 22, 2024, 07:52:56 pm »
Como os Crossover tinham resolvido isto tudo e, vendendo as VdG. Depois substituir as BD por 3 decentes na década de 30
 
Os seguintes utilizadores agradeceram esta mensagem: P44, Bubas