Do NPO2000 para A futura Corveta

  • 136 Respostas
  • 38202 Visualizações
*

tenente

  • Investigador
  • *****
  • 8583
  • Recebeu: 3907 vez(es)
  • Enviou: 2695 vez(es)
  • +3687/-441
Do NPO2000 para A futura Corveta
« em: Agosto 05, 2016, 12:58:07 pm »
Boas a todos,

Usando a plataforma existente da classe Viana do Castelo, seria possível, quanto a mim, a nossa Marinha possuir um navio tipo Corveta, mais musculado que os actuais NPO's e com a valência do Heli orgânico.
A meu ver essa nova classe de Navios deveriam ser construída no Burgo aproveitando a tecnologia e conhecimentos adquiridos nas construções da classe VdC, seriam muito mais baratos que as Fragatas, mais económicos de operar mas já com a possibilidade de embarcar armamento mais musculado.

À semelhança do NPO, esta classe poder-se-ia designar como NCO, Navio de Combate Oceânico .
Dois nomes possíveis para a classe de Navios seriam : Classe Diogo Cão ou Classe Gil Eanes

http://www.casr.ca/ft-corvette-opv-for-rcn.htm

http://www.casr.ca/mp-opv-for-aops.htm

neste link ver as diferenças/semelhanças entre o OPV Otago e a possível nova Corveta Canadiana









O que me dizem ???

Abraços
« Última modificação: Agosto 05, 2016, 04:44:44 pm por tenente »


Quando um Povo não Respeita as Suas FFAA, Não Respeita a Sua História nem se Respeita a Si Próprio  !!
 
Os seguintes utilizadores agradeceram esta mensagem: HSMW

*

Lightning

  • Moderador Global
  • *****
  • 8986
  • Recebeu: 1284 vez(es)
  • Enviou: 1430 vez(es)
  • +183/-61
Re: Do NPO2000 para A futura Corveta
« Responder #1 em: Agosto 05, 2016, 01:58:36 pm »
Só não sei é se o NPO tem a capacidade de suportar danos que se exige a um navio combatente, acho que foi construido como plataforma "civil" não-combatente.
 

*

tenente

  • Investigador
  • *****
  • 8583
  • Recebeu: 3907 vez(es)
  • Enviou: 2695 vez(es)
  • +3687/-441
Re: Do NPO2000 para A futura Corveta
« Responder #2 em: Agosto 05, 2016, 04:09:32 pm »
Só não sei é se o NPO tem a capacidade de suportar danos que se exige a um navio combatente, acho que foi construido como plataforma "civil" não-combatente.

Penso que não seja muito complicado efectuar o reforço da estrutura do Navio durante a fase de construção dos módulos e, deste modo poder suportar danos e passar á classe de navio combatente. :G-beer2:
Mesmo sendo reforçado o produto final, será sempre mais barato que uma VdG ou BD.
A sua mais valia estará no seu empenhamento em missões que exijam um meio mais musculado que um NPO, mas de menor capacidade que fragata, tornando os custos dessa operação muito menos dispendioso para o erário público, e, libertando para outras missões as já poucas fragatas que possuímos. :D :D :D :D







Abraços
« Última modificação: Agosto 05, 2016, 04:29:57 pm por tenente »


Quando um Povo não Respeita as Suas FFAA, Não Respeita a Sua História nem se Respeita a Si Próprio  !!
 

*

Cabeça de Martelo

  • Investigador
  • *****
  • 17090
  • Recebeu: 1762 vez(es)
  • Enviou: 1625 vez(es)
  • +292/-1173
Re: Do NPO2000 para A futura Corveta
« Responder #3 em: Agosto 05, 2016, 04:45:31 pm »
Ou seja, uma corveta.
7. Todos os animais são iguais mas alguns são mais iguais que os outros.

 

*

Crypter

  • Especialista
  • ****
  • 1195
  • Recebeu: 199 vez(es)
  • Enviou: 230 vez(es)
  • +28/-6
Re: Do NPO2000 para A futura Corveta
« Responder #4 em: Agosto 05, 2016, 04:48:10 pm »
Ou seja, uma corveta.


 ;D

Fico a aguardar o Ice sobre se existe essa capacidade de reforço na estrutura do NPO..
 

*

Lightning

  • Moderador Global
  • *****
  • 8986
  • Recebeu: 1284 vez(es)
  • Enviou: 1430 vez(es)
  • +183/-61
Re: Do NPO2000 para A futura Corveta
« Responder #5 em: Agosto 05, 2016, 04:56:54 pm »
A sua mais valia estará no seu empenhamento em missões que exijam um meio mais musculado que um NPO, mas de menor capacidade que fragata, tornando os custos dessa operação muito menos dispendioso para o erário público, e, libertando para outras missões as já poucas fragatas que possuímos. :D :D :D :D

Acho que a ideia é as Vasco da Gama fazerem essas missões de corvetas, devem achar que fica mais barato que comprar mais navios.

Claro que depois ficamos só com as 2 Bartolmeu Dias e as Vasco da Gama sobrantes para o resto.
 

*

tenente

  • Investigador
  • *****
  • 8583
  • Recebeu: 3907 vez(es)
  • Enviou: 2695 vez(es)
  • +3687/-441
Re: Do NPO2000 para A futura Corveta
« Responder #6 em: Agosto 05, 2016, 06:18:18 pm »

A sua mais valia estará no seu empenhamento em missões que exijam um meio mais musculado que um NPO, mas de menor capacidade que fragata, tornando os custos dessa operação muito menos dispendioso para o erário público, e, libertando para outras missões as já poucas fragatas que possuímos. :D :D :D :D

Citar
Acho que a ideia é as Vasco da Gama fazerem essas missões de corvetas, devem achar que fica mais barato que comprar mais navios.

Epá se acham então são mais ignorantes que eu!
As VdG tem uma guarnição de 170 + 19 para o destacamento aéreo, uma corveta teria quando muito uma guarnição de 70, o dobro de um NPO, + 19 elementos do destacamento heli incluído, ou seja metade ou menos de metade do efectivo de uma VdG, o que quer dizer que ao fim de dez anos de operação basta fazer as contas para termos umas dezenas de milhões de euros de economia, só em custos com o pessoal embarcado, o que quase dava para comprar um NPO, vê lá bem os custos envolvidos.

Citar
Claro que depois ficamos só com as 2 Bartolmeu Dias e as Vasco da Gama sobrantes para o resto.

Mas como é que se usassem as VdG nessas missões podiam como escreves usar as sobrantes????
Elas são só três !!!  :conf: :conf: :conf: :conf:
Então as melhorias que vão ser implementadas nas VdG incluem downgrades em Armamento Embarcado, para passarem a ser Corvetas ou pouco mais que isso ???  :bang: :bang: :bang: :bang:
Se for assim, coisa que não acredito, não tarda nada estão a patrulhar a ZEE como as antigas corvetas.

Abraços
« Última modificação: Agosto 05, 2016, 06:48:03 pm por tenente »


Quando um Povo não Respeita as Suas FFAA, Não Respeita a Sua História nem se Respeita a Si Próprio  !!
 

*

Edu

  • Especialista
  • ****
  • 1166
  • Recebeu: 155 vez(es)
  • Enviou: 12 vez(es)
  • +5/-4
Re: Do NPO2000 para A futura Corveta
« Responder #7 em: Agosto 05, 2016, 07:10:23 pm »
Ou seja, uma corveta.


 ;D

Fico a aguardar o Ice sobre se existe essa capacidade de reforço na estrutura do NPO..

Tendo em conta que este já é um assunto recorrente aqui no forum desde os ínicios do projecto NPO. Esta questão já foi discutida muitas vezers e ainda no tempo do saudoso chaimites. Segundo ele, daquilo que me recordo, a estrutura dos NPO está ao nível de outros navios combatentes, fazendo uso da mesma qualidade de aço normalmente empregue em cascos militares e também tendo um nível semelhante de compartimentação.

Assim sendo de facto, e assumindo eu a minha ignorância na área, pergunto-me que reforços extra precisará o NPO para poder assumir as funções de um navio combatente. Assumo que irá precisar de alguns reforços extra (balisticos, com kevlar talvez) nas zonas mais criticas do navio, como por exemplo "sala de comando", casa das máquinas, paiol de munições, tanques de combustível... Um reforço nos equipamento de combate a incêndios, protecções térmicas entre compartimentos. Penso que será por aí, isso deve acrescentar algumas toneladas extra ao navio mas nada de muito significativo.

Agora caso o navio não tenha a estrutura base de um navio militar, como eu estou a assumir, nesse caso seria preciso um redesenho completo. E aí seria quase desenhar um navio novo.
 

*

Lightning

  • Moderador Global
  • *****
  • 8986
  • Recebeu: 1284 vez(es)
  • Enviou: 1430 vez(es)
  • +183/-61
Re: Do NPO2000 para A futura Corveta
« Responder #8 em: Agosto 06, 2016, 12:38:40 am »
Citar
se acham então são mais ignorantes que eu!
As VdG tem uma guarnição de 170 + 19 para o destacamento aéreo, uma corveta teria quando muito uma guarnição de 70, o dobro de um NPO, + 19 elementos do destacamento heli incluído, ou seja metade ou menos de metade do efectivo de uma VdG, o que quer dizer que ao fim de dez anos de operação basta fazer as contas para termos umas dezenas de milhões de euros de economia, só em custos com o pessoal embarcado, o que quase dava para comprar um NPO, vê lá bem os custos envolvidos.

Eu declaro já a minha ignorância no assunto, mas a ideia seria substituir as Vasco da Gama por essas corvetas ou manter tudo? porque a manter tudo não há poupança no pessoal. O que eu escrevi foi o mesmo que aqui se falou que as Vasco da Gama iam ficar para baixa intensidade e as Bartolomeu Dias para grande intensidade.

Citar
Mas como é que se usassem as VdG nessas missões podiam como escreves usar as sobrantes????
Elas são só três !!!  :conf: :conf: :conf: :conf:

São 3, mas não tem que estar as 3 a fazer isso, se estiver uma, certamente haverá outra em condições operacionais que pode ser utilizada noutras funções.

Citar
Então as melhorias que vão ser implementadas nas VdG incluem downgrades em Armamento Embarcado, para passarem a ser Corvetas ou pouco mais que isso ???  :bang: :bang: :bang: :bang:
Se for assim, coisa que não acredito, não tarda nada estão a patrulhar a ZEE como as antigas corvetas.

Isso do downgrade no armamento desconheço, só sei o que li aqui do upgrade a nível de sensores e motores acho eu, e patrulhar a zee elas já fazem hoje em dia.

Mas como disse no início sou leigo na matéria, as corvetas baseadas  bo NPO podem ser ideias muito boas.
« Última modificação: Agosto 06, 2016, 12:47:52 am por Lightning »
 

*

ICE 1A+

  • Analista
  • ***
  • 791
  • Recebeu: 617 vez(es)
  • Enviou: 53 vez(es)
  • +286/-12
Re: Do NPO2000 para A futura Corveta
« Responder #9 em: Agosto 06, 2016, 01:21:11 am »
Antes de mais comecem pelo básico:
uma corveta exigiria maior velocidade, (na ordem dos 30 nós) digo eu.........,
maior velocidade= motores mais potentes.
motores mais potentes = motores maiores!
motores maiores = navio maior ou um arranjo interior diferente.

por outro lado  uma corveta tem mais sistemas o que implica a necessidade  de mais potencia instalada.
Enfim.......
O projeto teria  que ser refeito  de início.

A evolução natural da classe Viana do Castelo seria para  uma classe de navio do genero dos BAM da Navantia, poucas alterações teriam que ser efetuadas
 
« Última modificação: Agosto 06, 2016, 01:49:52 am por ICE 1A+ »
 
Os seguintes utilizadores agradeceram esta mensagem: LM, NVF, tenente, HSMW

*

Edu

  • Especialista
  • ****
  • 1166
  • Recebeu: 155 vez(es)
  • Enviou: 12 vez(es)
  • +5/-4
Re: Do NPO2000 para A futura Corveta
« Responder #10 em: Agosto 06, 2016, 01:50:48 am »
Antes de mais comecem pelo básico:
uma corveta exigiria maior velocidade, (na ordem dos 30 nós) digo eu.........,
maior velocidade= motores mais potentes.
motores mais potentes = motores maiores!
motores maiores = navio maior ou um arranjo interior diferente.

por outro lado  uma corveta tem mais sistemas que implica a necessidade   de mais potencia instalada.
Enfim.......
O projeto teria  que ser refeito  de início.

Relativamente ao tamanho dos motores talvez se pudesse dar a volta à questão instalando uma pequena turbina de gás que não ocuparia muito espaço. No entanto aumentar a velocidade implica muitas outras modificações a nível do desenho do casco e da sua estabilidade, penso eu.

Agora relativamente ao programa em si, eu ficaria ja extremamente agradado se finalmente a produção entrasse em velocidade cruzeiro. A marinha não precisa de apenas 2 ou 4 NPOs, a marinha precisa sim de 8 ou 10, e precisa deles para ontem. Não para daqui a 30 anos como acontecera se isto continuar a este ritmo de 2 por década.
« Última modificação: Agosto 06, 2016, 01:59:46 am por Edu »
 

*

tenente

  • Investigador
  • *****
  • 8583
  • Recebeu: 3907 vez(es)
  • Enviou: 2695 vez(es)
  • +3687/-441
Re: Do NPO2000 para A futura Corveta
« Responder #11 em: Agosto 06, 2016, 09:33:37 am »
Antes de mais comecem pelo básico:
uma corveta exigiria maior velocidade, (na ordem dos 30 nós) digo eu.........,
maior velocidade= motores mais potentes.
motores mais potentes = motores maiores!
motores maiores = navio maior ou um arranjo interior diferente.

por outro lado  uma corveta tem mais sistemas que implica a necessidade   de mais potencia instalada.
Enfim.......
O projeto teria  que ser refeito  de início.

Relativamente ao tamanho dos motores talvez se pudesse dar a volta à questão instalando uma pequena turbina de gás que não ocuparia muito espaço. No entanto aumentar a velocidade implica muitas outras modificações a nível do desenho do casco e da sua estabilidade, penso eu.

Agora relativamente ao programa em si, eu ficaria ja extremamente agradado se finalmente a produção entrasse em velocidade cruzeiro. A marinha não precisa de apenas 2 ou 4 NPOs, a marinha precisa sim de 8 ou 10, e precisa deles para ontem. Não para daqui a 30 anos como acontecera se isto continuar a este ritmo de 2 por década.

Edu, convence-te de uma coisa a Marinha nunca vai ter 08 ou 10 NPO's se conseguirem seis unidades, seria muitíssimo bom.
Penso que estes dois agora em construção serão os últimos VdC a serem construídos, e a ficarem quatro unidades no activo.

O futuro próximo nos dirá como a Armada ficará em termos de Navios mas não errarei muito se ficar com 04 fragatas, 04 NPO's, 04 LFC, os 02 Tridentes, umas 08 lanchas de 90/100 Tons, um muito necessário menos velho Abastecedor de frota, e se formos campeões do Mundo de futebol talvez consigamos mendigar um NPL. :G-beer2: :G-beer2: :G-beer2:

È com base nestas minhas conclusões, e, a não estarem muito erradas, que iniciei este post sobre a possível Classe de Corvetas para a Armada, aproveitando a excelente plataforma dos VdG, porque MdG, não possuirá durante muito mais anos cinco Fragatas no seu inventário, já por si poucas quanto a mim, e, á falta delas, a MdG possa adquirir um meio de combate de superfície que :
- Irá complementar as Fragatas existentes;
- Esse novo Navio seja um projecto Português, com um periodo de construção bem menor, que uma Fragata;
- POSSA/DEVA ser construído em Estaleiro  Português;
- E permita executar as missões de baixa intensidade, missões essas que actualmente deverão/poderão ser desempenhadas pelas VdG, com os elevados custos inerentes de operação que todos bem conhecemos, custos esses muito superiores ao emprego de uma das ditas Corvetas.

Quanto ás alterações no desenho da NPO e sua adaptação á possível classe de Corveta, penso que se forem muito dispendiosos claro que nunca serão aprovados/adquiridos pela nossa Marinha, e lá continuaremos como até aqui com as calças seguras por uma mão e a outra estendida a pedir.
Na minha opinião este hipótese, a ser considerada por um estaleiro digno do Nome, poderia valer algumas vendas a Marinhas por aí além, digo eu na minha Santa Ignorância.

Agradeço as vossas opiniões e pontos de vista.

Abraços
« Última modificação: Agosto 06, 2016, 09:41:14 am por tenente »


Quando um Povo não Respeita as Suas FFAA, Não Respeita a Sua História nem se Respeita a Si Próprio  !!
 

*

ICE 1A+

  • Analista
  • ***
  • 791
  • Recebeu: 617 vez(es)
  • Enviou: 53 vez(es)
  • +286/-12
Re: Do NPO2000 para A futura Corveta
« Responder #12 em: Agosto 06, 2016, 10:06:22 am »
Antes de mais comecem pelo básico:
uma corveta exigiria maior velocidade, (na ordem dos 30 nós) digo eu.........,
maior velocidade= motores mais potentes.
motores mais potentes = motores maiores!
motores maiores = navio maior ou um arranjo interior diferente.

por outro lado  uma corveta tem mais sistemas que implica a necessidade   de mais potencia instalada.
Enfim.......
O projeto teria  que ser refeito  de início.

Relativamente ao tamanho dos motores talvez se pudesse dar a volta à questão instalando uma pequena turbina de gás que não ocuparia muito espaço. No entanto aumentar a velocidade implica muitas outras modificações a nível do desenho do casco e da sua estabilidade, penso eu.

Agora relativamente ao programa em si, eu ficaria ja extremamente agradado se finalmente a produção entrasse em velocidade cruzeiro. A marinha não precisa de apenas 2 ou 4 NPOs, a marinha precisa sim de 8 ou 10, e precisa deles para ontem. Não para daqui a 30 anos como acontecera se isto continuar a este ritmo de 2 por década.

Edu, convence-te de uma coisa a Marinha nunca vai ter 08 ou 10 NPO's se conseguirem seis unidades, seria muitíssimo bom.
Penso que estes dois agora em construção serão os últimos VdC a serem construídos, e a ficarem quatro unidades no activo.

O futuro próximo nos dirá como a Armada ficará em termos de Navios mas não errarei muito se ficar com 04 fragatas, 04 NPO's, 04 LFC, os 02 Tridentes, umas 08 lanchas de 90/100 Tons, um muito necessário menos velho Abastecedor de frota, e se formos campeões do Mundo de futebol talvez consigamos mendigar um NPL. :G-beer2: :G-beer2: :G-beer2:

È com base nestas minhas conclusões, e, a não estarem muito erradas, que iniciei este post sobre a possível Classe de Corvetas para a Armada, aproveitando a excelente plataforma dos VdG, porque MdG, não possuirá durante muito mais anos cinco Fragatas no seu inventário, já por si poucas quanto a mim, e, á falta delas, a MdG possa adquirir um meio de combate de superfície que :
- Irá complementar as Fragatas existentes;
- Esse novo Navio seja um projecto Português, com um periodo de construção bem menor, que uma Fragata;
- POSSA/DEVA ser construído em Estaleiro  Português;
- E permita executar as missões de baixa intensidade, missões essas que actualmente deverão/poderão ser desempenhadas pelas VdG, com os elevados custos inerentes de operação que todos bem conhecemos, custos esses muito superiores ao emprego de uma das ditas Corvetas.

Quanto ás alterações no desenho da NPO e sua adaptação á possível classe de Corveta, penso que se forem muito dispendiosos claro que nunca serão aprovados/adquiridos pela nossa Marinha, e lá continuaremos como até aqui com as calças seguras por uma mão e a outra estendida a pedir.
Na minha opinião este hipótese, a ser considerada por um estaleiro digno do Nome, poderia valer algumas vendas a Marinhas por aí além, digo eu na minha Santa Ignorância.

Agradeço as vossas opiniões e pontos de vista.

Abraços

Pensar na proxima classe de navios, se houvesse planeamento e vontade sérias, ja deveria estar a acontecer, se o objetivo fosse construir em Portugal.
Isso acontece onde há vontade politica para tal.
Bastava o MDN ter um orçamento anual para desenvolvimento e investigação,
Imaginem:
Bastava  uma dotação de 2/3 milhoes ano, a desenvolver a nova classe,  que quando os navios atuais atingissem um terço da sua vida activa, outro projeto estava pronto para avançar.
Esqueçam.....estamos em Portugal, isso nunca vai acontecer,  quando algum navio afundar de podre, pensamos nisso.
 

*

Cabeça de Martelo

  • Investigador
  • *****
  • 17090
  • Recebeu: 1762 vez(es)
  • Enviou: 1625 vez(es)
  • +292/-1173
Re: Do NPO2000 para A futura Corveta
« Responder #13 em: Agosto 06, 2016, 11:01:27 am »
Meus senhores, como sabem eu disto pouco ou nada percebo, mas vou lendo umas coisitas e vou tentando aprender alguma coisa.

Construir uma nova classe de Corvetas baseada no NPO para mim não faz sentido, porque uma Corveta será sempre uma plataforma muito limitada. O maior custo em construir um navio nem sequer é o aço, mas sim os sistemas, como tal antes de pensarmos em construir corvetas deveríamos isso sim pensarmos em adquirir por exemplo mais helicópteros para a Armada. Depois disso temos que sistemas (radares, sonares, misseis, canhões e metralhadoras) é que a mesma deveria ou não ter. Para mim, um navio que pouco mais faz que patrulhar a nossa ZEE e resgatar refugiados no Mediterrâneo, faz pouco ou nenhum sentido ter misseis e radares complexos. Nós infelizmente não estamos a nadar em dinheiro, por isso um NPO com um helicóptero, talvez um armamento um pouco mais pesado e melhores radares já dava para o gasto.

Em relação a ser construído em Portugal é algo que sempre apoiei, afinal um NPO, uma Corveta ou uma Fragata não passam de navios e a estrutura seria facilmente construída em Viana ou no Alfeite. Agora os sistemas... aí penso que a cantiga seja outra e que eu saiba nenhum dos ditos estaleiros tem experiência nisso. Provavelmente teríamos que recorrer a terceiros para isso.
7. Todos os animais são iguais mas alguns são mais iguais que os outros.

 

*

mafets

  • Investigador
  • *****
  • 6832
  • Recebeu: 1752 vez(es)
  • Enviou: 800 vez(es)
  • +3151/-2248
Re: Do NPO2000 para A futura Corveta
« Responder #14 em: Agosto 06, 2016, 01:53:07 pm »
http://www.forumdefesa.com/forum/index.php?topic=42.3735
Já tinha sido abordado.

http://www.areamilitar.net/analise/analise.aspx?NrMateria=22&p=3
Citar
Utilizações possíveis do npo 2000

Já agora, uma interessante modernização para a Classe João Belo que nunca aconteceu (algo que suspeito que venha a acontecer com o NPO 2000), infelizmente :


Saudações
« Última modificação: Agosto 07, 2016, 10:35:31 pm por mafets »
"Nunca, no campo dos conflitos humanos, tantos deveram tanto a tão poucos." W.Churchil

http://mimilitary.blogspot.pt/
 
Os seguintes utilizadores agradeceram esta mensagem: NVF