Desactivação da Base aérea nº 6 do Montijo

  • 654 Respostas
  • 127229 Visualizações
*

Lightning

  • Moderador Global
  • *****
  • 9910
  • Recebeu: 1815 vez(es)
  • Enviou: 2319 vez(es)
  • +331/-291
Re: Desactivação da Base aérea nº 6 do Montijo
« Responder #630 em: Setembro 03, 2021, 07:53:11 pm »
Cada vez mais querem ser "fofinhos" e "duplo uso", em Chaves, andou a equipa local a fazer treino militar no RI19, tendo sido publicitado com pompa e circustância, agora quando há 10 recrutas a fazer juramento de bandeira, nem por isso....

Que equipa local?

desportivo de Chaves ????

Ahhh, ok, ao contrário do comum português a minha mente não deriva logo para o desporto rei 😁, até pensava que seria alguma coisa da proteção civil 😄.
 

*

Daniel

  • Investigador
  • *****
  • 2714
  • Recebeu: 343 vez(es)
  • Enviou: 119 vez(es)
  • +540/-6570
Re: Desactivação da Base aérea nº 6 do Montijo
« Responder #631 em: Outubro 18, 2021, 02:28:42 pm »
Aeroporto de Lisboa. Concurso para avaliação ambiental
https://ionline.sapo.pt/artigo/749829/aeroporto-de-lisboa-concurso-para-avaliacao-ambiental?seccao=Dinheiro_i
Citar
O Governo anunciou, esta segunda-feira, o lançamento do concurso público internacional para a realização da avaliação ambiental estratégica da futura solução aeroportuária de Lisboa. De acordo com o ministério de Pedro Nuno Santos, o concurso “visa encontrar a entidade que vai desenvolver a Avaliação Ambiental Estratégica relativa ao plano de ampliação da capacidade aeroportuária da Região de Lisboa”.

O prazo para a apresentação das propostas ao Instituto da Mobilidade e dos Transportes (IMT), responsável pelo concurso, é de 60 dias a contar do dia do envio para publicação (15 de outubro), explica a tutela. O Governo anunciou, em março, que iria avançar com um processo de Avaliação Ambiental Estratégica (AAE) para avaliar três soluções com o objetivo de reforçar a capacidade aeroportuária da região de Lisboa. Isto, depois de a Autoridade Nacional da Aviação Civil (ANAC) ter ‘chumbado’ a apreciação prévia da construção.

Esta avaliação fará uma avaliação que compare as seguintes três soluções de entre as diferentes infraestruturas aeroportuárias desta região: a atual solução dual, em que o Aeroporto Humberto Delgado terá o estatuto de aeroporto principal e o Aeroporto do Montijo o de complementar; uma solução dual alternativa, em que o aeroporto do Montijo adquirirá, progressivamente, o estatuto de aeroporto principal e o Aeroporto Humberto Delgado o de complementar; e, a construção de um novo aeroporto internacional de Lisboa no Campo de Tiro de Alcochete.Ainda na semana passada, o presidente da Autoridade Nacional da Aviação Civil (ANAC), Luis Ribeiro, alertou para a urgência de ser fechada uma solução para a expansão aeroportuária da região de Lisboa, sublinhando que este projecto “não pode mais” ser adiado.

Mais um concurso, que vai ganhar dinheiro desta vez? Vira o disco e toca o mesmo.
 

*

asalves

  • Especialista
  • ****
  • 1152
  • Recebeu: 483 vez(es)
  • Enviou: 129 vez(es)
  • +301/-138
Re: Desactivação da Base aérea nº 6 do Montijo
« Responder #632 em: Outubro 18, 2021, 03:07:04 pm »
Aeroporto de Lisboa. Concurso para avaliação ambiental
https://ionline.sapo.pt/artigo/749829/aeroporto-de-lisboa-concurso-para-avaliacao-ambiental?seccao=Dinheiro_i
Citar
O Governo anunciou, esta segunda-feira, o lançamento do concurso público internacional para a realização da avaliação ambiental estratégica da futura solução aeroportuária de Lisboa. De acordo com o ministério de Pedro Nuno Santos, o concurso “visa encontrar a entidade que vai desenvolver a Avaliação Ambiental Estratégica relativa ao plano de ampliação da capacidade aeroportuária da Região de Lisboa”.

O prazo para a apresentação das propostas ao Instituto da Mobilidade e dos Transportes (IMT), responsável pelo concurso, é de 60 dias a contar do dia do envio para publicação (15 de outubro), explica a tutela. O Governo anunciou, em março, que iria avançar com um processo de Avaliação Ambiental Estratégica (AAE) para avaliar três soluções com o objetivo de reforçar a capacidade aeroportuária da região de Lisboa. Isto, depois de a Autoridade Nacional da Aviação Civil (ANAC) ter ‘chumbado’ a apreciação prévia da construção.

Esta avaliação fará uma avaliação que compare as seguintes três soluções de entre as diferentes infraestruturas aeroportuárias desta região: a atual solução dual, em que o Aeroporto Humberto Delgado terá o estatuto de aeroporto principal e o Aeroporto do Montijo o de complementar; uma solução dual alternativa, em que o aeroporto do Montijo adquirirá, progressivamente, o estatuto de aeroporto principal e o Aeroporto Humberto Delgado o de complementar; e, a construção de um novo aeroporto internacional de Lisboa no Campo de Tiro de Alcochete.Ainda na semana passada, o presidente da Autoridade Nacional da Aviação Civil (ANAC), Luis Ribeiro, alertou para a urgência de ser fechada uma solução para a expansão aeroportuária da região de Lisboa, sublinhando que este projecto “não pode mais” ser adiado.

Mais um concurso, que vai ganhar dinheiro desta vez? Vira o disco e toca o mesmo.

A questão é porque motivo só agora, tivemos 2020 e quase 2021 sem fazer nada pk? depois vem com a desculpa que é urgente.

E novamente pk motivo não seguiram os conselhos dos especialistas, em vez da 2ª opção em estudo (que não faz sentido) que tal: Alcochete começar como secundário e progressivamente tornar-se aeroporto principal (diminuindo o custo e tempo inicial necessário para a obra) e Portela tornar-se secundário até fechar?
 

*

Daniel

  • Investigador
  • *****
  • 2714
  • Recebeu: 343 vez(es)
  • Enviou: 119 vez(es)
  • +540/-6570
Re: Desactivação da Base aérea nº 6 do Montijo
« Responder #633 em: Outubro 23, 2021, 03:08:40 pm »
Avaliação ambiental estratégica do aeroporto de Lisboa entregue em 2023
https://jornaleconomico.sapo.pt/noticias/avaliacao-ambiental-estrategica-do-aeroporto-de-lisboa-entregue-em-2023-799680
Citar
O secretário de Estado Adjunto das Comunicações, Hugo Santos Mendes, adiantou esta sexta-feira que avaliação ambiental estratégica das três hipóteses de localização do novo aeroporto de Lisboa deverá ser entregue em 2023.

“A avaliação ambiental estratégica deverá ser entregue em 2023. É importante que este processo decorra de forma estável e com o menor ruído à volta”, afirmou Hugo Santos Mendes, no encerramento da Conferência Internacional de Controlo de Tráfego Aéreo, referindo que os trabalhos de análise terão início em 2022.

Segundo o governante, em cima da mesa estão três opções – a Portela + Montijo, uma solução alternativa em que o Montijo adquirirá, progressivamente, o estatuto de infraestrutura principal, enquanto o Aeroporto Humberto Delgado se tornará complementar e ainda a construção de um novo aeroporto internacional no campo de tiro de Alcochete.

Esta notícia só pode ser brincadeira, PQP só em 2023, alguém ainda vai mamar muito dinheiro até lá, é que além da lentidão, em Portugal são precisos sempre muitos estudos.
 

*

asalves

  • Especialista
  • ****
  • 1152
  • Recebeu: 483 vez(es)
  • Enviou: 129 vez(es)
  • +301/-138
Re: Desactivação da Base aérea nº 6 do Montijo
« Responder #634 em: Outubro 25, 2021, 09:35:49 am »
Avaliação ambiental estratégica do aeroporto de Lisboa entregue em 2023
https://jornaleconomico.sapo.pt/noticias/avaliacao-ambiental-estrategica-do-aeroporto-de-lisboa-entregue-em-2023-799680
Citar
O secretário de Estado Adjunto das Comunicações, Hugo Santos Mendes, adiantou esta sexta-feira que avaliação ambiental estratégica das três hipóteses de localização do novo aeroporto de Lisboa deverá ser entregue em 2023.

“A avaliação ambiental estratégica deverá ser entregue em 2023. É importante que este processo decorra de forma estável e com o menor ruído à volta”, afirmou Hugo Santos Mendes, no encerramento da Conferência Internacional de Controlo de Tráfego Aéreo, referindo que os trabalhos de análise terão início em 2022.

Segundo o governante, em cima da mesa estão três opções – a Portela + Montijo, uma solução alternativa em que o Montijo adquirirá, progressivamente, o estatuto de infraestrutura principal, enquanto o Aeroporto Humberto Delgado se tornará complementar e ainda a construção de um novo aeroporto internacional no campo de tiro de Alcochete.

Esta notícia só pode ser brincadeira, PQP só em 2023, alguém ainda vai mamar muito dinheiro até lá, é que além da lentidão, em Portugal são precisos sempre muitos estudos.

Normalmente são estudo que levam pelo menos 1 ano no terreno, faz-se a contagem de aves, mamíferos,...., estuda-se os padrões migratórios, ... um sem numero de parâmetros pelo menos durante um ano, isto para ter uma ideia exata.

Eu acho é que o problema é que este estudo devia ter sido feito já há anos ou devia ter começado logo quando começaram com a palhaçada do Montijo, entretanto andou-se a brincar, tivemos 1 ano e tal parados por causa do covid e agora é que vão começar.
 
Os seguintes utilizadores agradeceram esta mensagem: HSMW

*

Daniel

  • Investigador
  • *****
  • 2714
  • Recebeu: 343 vez(es)
  • Enviou: 119 vez(es)
  • +540/-6570
Re: Desactivação da Base aérea nº 6 do Montijo
« Responder #635 em: Novembro 14, 2021, 06:08:11 pm »
Novo aeroporto. Decisão judicial afasta Alcochete como alternativa ao Montijo
https://ionline.sapo.pt/artigo/752863/novo-aeroporto-decisao-judicial-afasta-alcochete-como-alternativa-ao-montijo?seccao=Dinheiro_i
Citar
Com caducidade da declaração de impacte ambiental para o Campo de Tiro de Alcochete, por sentença judicial, o caminho fica livre para que a base aérea do Montijo seja a escolha óbvia para o novo aeroporto de Lisboa.

O novo aeroporto de Lisboa é um processo que se arrasta há décadas. Quando acontecerá e onde será construído são as duas principais questões em cima da mesa. Para a primeira, a resposta mais consensual é que não deverá ser decidido antes de 2023, mas a baliza temporal para uma nova infraestrutura aeroportuária operacional pode ir até 2035/2040, tal como já tinha referido o presidente do conselho de administração da ANA — Aeroportos de Portugal. Quanto à segunda incógnita, o mais certo é que passe por uma solução no Montijo. Isto porque no passado dia 8 de novembro, a declaração de impacte ambiental favorável ao aeroporto de Alcochete foi declarada «caducada» pelo Tribunal Administrativo e Fiscal de Leiria.

De acordo com o despacho judicial a que o Nascer do SOL teve acesso, a ADASE – Associação para a Defesa Ambiental de Santo Estêvão, deu entrada de uma petição naquele tribunal, a 3 de março de 2011, contra o Ministério do Ambiente e do Ordenamento do Território e a empresa proponente do projeto, entretanto extinta, a NAER – Novo Aeroporto S. A., em que requeria «a declaração de nulidade ou anulação da declaração de impacte ambiental emitida pelo secretário de Estado do Ambiente», no âmbito do projeto designado por Novo Aeroporto de Lisboa.

Esta declaração de impacte ambiental do projeto pensado para o Campo de Tiro de Alcochete foi emitida a 9 de dezembro de 2010, por Humberto Delgado Rosa, secretário de Estado do Ambiente do Governo de José Sócrates.
Contudo, e segundo o tribunal considerou agora provado, a sua validade caducou a 8 de dezembro de 2020, tal como comprovou a APA – Agência Portuguesa do Ambiente, junto da Justiça. Motivo esse que levou a ADASE a peticionar a nulidade da declaração e ao qual o Tribunal Administrativo e Fiscal de Leiria deu razão.

Em 2020, um grupo de cidadãos ligados à margem Sul, entre eles sete presidentes de câmara eleitos pelo PCP na Área da Grande Lisboa, ainda escreveu uma carta aos ministros das Infraestruturas e do Ambiente e Ação Climática a tentar travar a caducidade da declaração de impacte ambiental. Mas o pedido de extensão de validade foi negado pela APA, porque  os termos da lei não permitiam fazer nova prorrogação, uma vez que o prazo já tinha sido estendido por duas vezes em dez anos.

 

*

OQA

  • Membro
  • *
  • 1
  • Recebeu: 1 vez(es)
  • +0/-0
Re: Desactivação da Base aérea nº 6 do Montijo
« Responder #636 em: Dezembro 17, 2021, 04:19:45 pm »
Aquando do planeamento de um aeródromo, deve-se ter em consideração os vários tipos de obstrução que possam condicionar a sua futura utilização.
Desses tipos de obstrução, podem-se distinguir, os naturais e os artificiais:
Naturais - orografia, vegetação, reservas naturais;
Artificiais - construções, redes de abastecimento de energia, chamines, pontes e outros tipos de infraestruturas.
Para além da área de implantação do aeródromo propriamente dita é fundamental que o mesmo, na sua envolvente, disponha de um espaço livre de obstáculos, de modo a salvaguardar a operação das aeronaves que utilizem essa infraestrutura. A forma de proteger esse espaço é através de superfícies que delimitam e condicionam, qualquer tipo de “trabalhos ou atividade” previstos para as áreas confinantes ao respetivo aeródromo e que se designam por “superfícies de desobstrução” ou “superfícies limitativas de obstáculos, para a generalidade dos aeródromos em estudo.
Os parâmetros a aplicar para a determinação de cada uma das superfícies variam consoante o código mencionado em tabela da ICAO. Este código é o elemento numérico do código de referência de um aeródromo, constituído por um número e uma letra (Regulamento n.º 508/2012). A atribuição do elemento numérico (neste caso o código) depende do comprimento real de pista corrigido, em função da altitude, da temperatura e do declive da pista, e que se designa por comprimento básico de pista.
Quando se avalia uma determinada localização para a implantação de um aeródromo, existem fatores que podem contribuir para o risco da operação quer no aeródromo, quer na sua envolvente e que se definem por perigos existentes e potenciais. A análise destes perigos surge, geralmente, a partir de projetos pensados exclusivamente a nível local, no entanto o objetivo é de, quando possível, identificar e definir a nível nacional todo o tipo de zonas que por motivos diversos, possam trazer algum tipo de restrição ou mesmo de interdição para a instalação da infraestrutura pretendida. Nesta perspetiva, há em primeiro lugar que identificar os fatores que podem contribuir para o risco da operação e em segundo lugar identificar os meios que os geram, com o propósito de delimitar as áreas perigosas.
Em resumo, para o normal funcionamento de um aeródromo deve ser assegurado, tanto à sua vertical como na sua envolvente, um espaço desobstruído de forma a permitir que as aeronaves operem em segurança, quer na aproximação/descolagem, quer noutro tipo de operação.
A referência à orografia/vegetação/reservas  naturais, como fatores condicionantes ao estudo de localização para a construção de um aeródromo, leva mais uma vez a salientar a importância do ordenamento do território, motivado pelos impactes que um equipamento desta natureza possa vir a causar, não só no que respeita aos obstáculos físicos mencionados mas também às consequências ambientais que um equipamento desta natureza possa gerar.
Daí, nas condições de viabilidade para a construção de um aeródromo ser obrigatório um parecer favorável de todas as câmaras municipais dos concelhos potencialmente afetados, quer por superfícies de desobstrução quer por razões ambientais de acordo com o Decreto-Lei n.º 186/2007 (com nova redação dada pelo Decreto-Lei n.º55/2010).
Considera-se portanto absurda a alteração pretendida do Decreto-Lei n.º 186/2007.
Embora politicamente seja assegurada essa alteração em sede de AR.
 
Os seguintes utilizadores agradeceram esta mensagem: Subsea7

*

Daniel

  • Investigador
  • *****
  • 2714
  • Recebeu: 343 vez(es)
  • Enviou: 119 vez(es)
  • +540/-6570
Re: Desactivação da Base aérea nº 6 do Montijo
« Responder #637 em: Fevereiro 03, 2022, 03:03:50 pm »
PS já consegue mudar lei para viabilizar aeroporto no Montijo
https://eco.sapo.pt/2022/02/03/ps-ja-consegue-mudar-lei-para-viabilizar-aeroporto-no-montijo/
Citar
vitória do PS por maioria absoluta vai permitir ao novo Governo mudar a lei que dá às autarquias o direito de veto sobre a localização do novo aeroporto, lembra o Público (acesso pago). O PS deixa de precisar do apoio do PSD para evitar uma “coligação negativa” que levasse ao chumbo da proposta que apresentou no ano passado para tentar viabilizar a escolha do Montijo.

Em março do ano passado, o Executivo de António Costa entregou no Parlamento uma proposta que elimina o veto autárquico na construção de um novo aeroporto. Nessa proposta, lia-se que os pareceres das autarquias “resultam de interesses de cariz eminentemente local que, por vezes, nem sempre estão alinhados com o superior interesse nacional“. Mas o diploma não chegou a ser votado pela Assembleia da República.

Contudo, agora que os socialistas estão em maioria no Parlamento, não precisam do apoio de nenhum outro partido para aprovar a mudança da lei, ficando com caminho livre para avançar com a construção do novo aeroporto no Montijo. O Montijo representa dois dos três cenários em cima da mesa — o terceiro é Alcochete –, seja como aeroporto complementar ou como aeroporto principal.
 

*

Charlie Jaguar

  • Investigador
  • *****
  • 4452
  • Recebeu: 4024 vez(es)
  • Enviou: 2537 vez(es)
  • +5499/-2491
Re: Desactivação da Base aérea nº 6 do Montijo
« Responder #638 em: Junho 04, 2022, 03:13:15 pm »
Recordo que amanhã, entre as 10h e as 17h, a BA6 estará de portas abertas para receber todos quantos lá quiserem aparecer. É mais um Dia de Base Aberta, integrado nas comemorações do 70.º Aniversário da Força Aérea. ;)

Podem consultar aqui o programa, acho é pouco provável que a largada de pára-quedistas seja feita a partir de um C-130M. :mrgreen:

 :arrow: https://bit.ly/3xgUTm6
Saudações Aeronáuticas,
Charlie Jaguar

"(...) Que, havendo por verdade o que dizia,
DE NADA A FORTE GENTE SE TEMIA
"

Luís Vaz de Camões (Os Lusíadas, Canto I - Estrofe 97)
 
Os seguintes utilizadores agradeceram esta mensagem: tenente, Sawit

*

Daniel

  • Investigador
  • *****
  • 2714
  • Recebeu: 343 vez(es)
  • Enviou: 119 vez(es)
  • +540/-6570
Re: Desactivação da Base aérea nº 6 do Montijo
« Responder #639 em: Junho 29, 2022, 04:09:19 pm »
Governo quer aeroporto complementar no Montijo e Alcochete a substituir Portela
https://eco.sapo.pt/2022/06/29/governo-quer-aeroporto-complementar-no-montijo-e-alcochete-a-substituir-portela/
Citar
Pedro Nuno Santos vai deixar cair o concurso de Avaliação Ambiental Estratégia, ganho por um consórcio com uma empresa espanhola, e quer acelerar alternativas ao atual Aeroporto de Lisboa.

Governo já tomou decisões sobre o novo aeroporto de Lisboa. Vai deitar abaixo o concurso de Avaliação Ambiental Estratégica (AAE) ganho por um consórcio que tem uma empresa participada pelo Estado espanhol e vai lançar um novo com uma nova ‘agenda’: Avançar para a construção imediata do aeroporto complementar do Montijo, com uma pista apenas, e para o início dos trabalhos de um novo aeroporto em Alcochete que venha a substituir o Humberto Delgado no prazo de 10 a 15 anos.

O primeiro-ministro já disse publicamente que defende um entendimento com o PSD, e com o novo líder, Luís Montenegro, para tomar decisões. “Por mim é o que oposição decidir”, disse António Costa. “Há estudos para todos os gostos, há ótimos argumentos para todos. Só falta decidir e fazer“, disse. Posteriormente, o ministro das Infraestruturas, Pedro Nuno Santos, sinalizou que é necessário tomar decisões no curto prazo, porque o aeroporto de Lisboa poderá ter de recusar voos já a partir do próximo ano. “É importante trabalharmos num bom consenso e numa boa solução que permita alargar rapidamente a capacidade [aeroportuária] do país”, notou. E acrescentou que nos dias seguintes anunciaria decisões sobre o novo aeroporto.
 

*

Stalker79

  • Investigador
  • *****
  • 1958
  • Recebeu: 485 vez(es)
  • Enviou: 2285 vez(es)
  • +168/-21
Re: Desactivação da Base aérea nº 6 do Montijo
« Responder #640 em: Junho 29, 2022, 04:29:26 pm »
Gastar dinheiro no Montijo para mim é uma estupidez completa, mas enfim....
Fazer por fazer, fazem logo um aeroporto como deve ser em Alcochete e deixam-se de meias medidas.
 :-P
 

*

raphael

  • Investigador
  • *****
  • 1438
  • Recebeu: 289 vez(es)
  • Enviou: 248 vez(es)
  • +49/-14
Re: Desactivação da Base aérea nº 6 do Montijo
« Responder #641 em: Junho 29, 2022, 04:37:10 pm »
Gastar dinheiro no Montijo para mim é uma estupidez completa, mas enfim....
Fazer por fazer, fazem logo um aeroporto como deve ser em Alcochete e deixam-se de meias medidas.
 :-P

Tem de se agradar à Vinci e às necessidades futuras de transporte aéreo...
Um abraço
Raphael
__________________
 

*

Lightning

  • Moderador Global
  • *****
  • 9910
  • Recebeu: 1815 vez(es)
  • Enviou: 2319 vez(es)
  • +331/-291
Re: Desactivação da Base aérea nº 6 do Montijo
« Responder #642 em: Junho 29, 2022, 11:04:34 pm »
Melhor que derreter dinheiro num aeroporto, é derreter em dois. :mrgreen:
Além que assim agradam tanto aos que querem o aeroporto no Montijo e aos que querem o aeroporto em Alcochete.

Génio.
 
Os seguintes utilizadores agradeceram esta mensagem: NVF, CruzSilva, Stalker79, Subsea7

*

Subsea7

  • Especialista
  • ****
  • 915
  • Recebeu: 727 vez(es)
  • Enviou: 1177 vez(es)
  • +1332/-1421
Re: Desactivação da Base aérea nº 6 do Montijo
« Responder #643 em: Junho 29, 2022, 11:07:03 pm »
Melhor que derreter dinheiro num aeroporto, é derreter em dois. :mrgreen:
Além que assim agradam tanto aos que querem o aeroporto no Montijo e aos que querem o aeroporto em Alcochete.

Génio.

Claro, assim aproveita-se e fecha-se mais uma base aérea.
Cps,
 

*

NVF

  • Investigador
  • *****
  • 4905
  • Recebeu: 3419 vez(es)
  • Enviou: 6263 vez(es)
  • +4434/-174
Re: Desactivação da Base aérea nº 6 do Montijo
« Responder #644 em: Junho 29, 2022, 11:48:21 pm »
Este Costinha é hilariante. Ganha uma maioria absoluta por quase cinco anos e depois deixa as decisões para a oposição.
Talent de ne rien faire
 
Os seguintes utilizadores agradeceram esta mensagem: Subsea7