Governo mantém Valença Pinto

  • 1 Respostas
  • 1741 Visualizações
*

Lancero

  • Investigador
  • *****
  • 4131
  • Recebeu: 30 vez(es)
  • +64/-1
Governo mantém Valença Pinto
« em: Junho 22, 2006, 03:57:25 pm »
Defesa: Governo propõe manutenção de Valença Pinto na chefia do Exército

Lisboa, 22 Jun (Lusa) - O Governo propôs hoje ao Presidente da Repúblic a, Cavaco Silva, manter no cargo o Chefe de Estado-Maior do Exército (CEME), gen eral Valença Pinto, cujo mandato termina a 06 de Agosto.

        A decisão de prorrogar o mandato de Valença Pinto, hoje aprovada em Con selho de Ministros, é justificada por fonte do Ministério da Defesa com a import ância de o actual CEME prosseguir a "reestruturação em curso" neste ramo das For ças Armadas.

        O ramo terrestre das Forças Armadas está a ser objecto de uma reestrutu ração que inclui o fim das regiões militares, a extinção a prazo dos comandos de natureza territorial, bem como o desaparecimento de algumas unidades (a par da  reestruturação e transferência de outras).

        Valença Pinto é reconduzido "pelo tempo que for preciso", sendo de dois anos o período legalmente previsto de extensão do mandato dos chefes militares, acrescentou a mesma fonte.

        Após o termo do mandato de três anos do CEME, o Governo poderia propor  um novo nome ou reconduzi-lo no cargo, com a possibilidade de o exonerar a qualq uer momento.

        O Chefe de Estado-Maior das Forças Armadas (CEMGFA), almirante Mendes C abeçadas, tinha já sido reconduzido no cargo, por idêntico período de dois anos, em Outubro do ano passado, também por decisão do ministro da Defesa, Luís Amado (Mendes Cabeçadas foi nomeado a 22 de Outubro de 2002 pelo Governo de coligação PSD/ CDS, quando o ministro da Defesa era Paulo Portas).

        A manter-se a tradição da rotatividade entre os ramos na chefia do mais alto cargo da hierarquia militar, Valença Pinto deveria suceder a Mendes Cabeça das como CEMGFA.

        A recondução de Valença Pinto no cargo terá ainda de ser aprovada pelo  Presidente da República, a quem cabe nomear o CEME.
"Portugal civilizou a Ásia, a África e a América. Falta civilizar a Europa"

Respeito
 

*

Rui Elias

  • Investigador
  • *****
  • 1696
  • +2/-1
(sem assunto)
« Responder #1 em: Junho 23, 2006, 09:45:24 am »
A mim parece-me positivo que haja estabilidade nas chefias militares, e neste caso concreto, quando justificadas pelas razões apontadas, as da reestruturação territorial, dispositivos e rede de unidades, etc.

Quanto à recondução do Alm. Mendes Cabeçadas, julgo que pelo seu cargo intrínseco de "ponte" entre os militares e os poderes politicos, ele acaba sempre por ficar limitado.

Mas também terá sido reconduzido por ser um homem sobre o qual não se conhece uma opinião, uma ideia para o futuro das FA's em Portugal, uma linha de pensamento estratégico.

Está acomodado com o poder politico, e se não levanta ondas, é cómodo para esse mesmo poder politico.

Talvez isso lhe tenha valido a recondução no cargo de CEMGFA.