Estratégia de Defesa Nacional

  • 17 Respostas
  • 780 Visualizações
*

dc

  • Investigador
  • *****
  • 8799
  • Recebeu: 4105 vez(es)
  • Enviou: 742 vez(es)
  • +5033/-811
Estratégia de Defesa Nacional
« em: Maio 08, 2024, 04:38:20 pm »
Tendo em conta desenvolvimentos recentes em África, nomeadamente os acordos militares que a Rússia (e também a China, com menor preponderância) tem feito com vários países africanos, incluindo membros da CPLP, parece-me evidente que as coisas se estão a alinhar para que o Atlântico Sul e continente africano, se tornem uma das frentes de um conflito de larga escala.

Com isto, surge a inevitável questão: O que vamos fazer, em termos de Estratégia de Defesa Nacional, para mitigar, e se necessário combater, esta ameaça?

Vai continuar tudo na mesma, avançando o investimento em meios inadequados para esta nova realidade? Ou vai haver uma mudança drástica, tanto de mentalidades, como no Conceito Estratégico, como dos investimentos que são feitos?

Vamos ficar à espera que a presença russa ou chinesa se intensifique e suba ainda mais no Atlântico, até Cabo Verde por exemplo, para se resolver fazer alguma coisa?

A discussão está lançada.
 
Os seguintes utilizadores agradeceram esta mensagem: Charlie Jaguar


*

CruzSilva

  • Investigador
  • *****
  • 1436
  • Recebeu: 574 vez(es)
  • Enviou: 2264 vez(es)
  • +694/-124
"Homens fortes criam tempos fáceis e tempos fáceis criam homens fracos - homens fracos criam tempos difíceis e tempos difíceis criam homens fortes."
 

*

dc

  • Investigador
  • *****
  • 8799
  • Recebeu: 4105 vez(es)
  • Enviou: 742 vez(es)
  • +5033/-811
Re: Estratégia de Defesa Nacional
« Responder #3 em: Maio 09, 2024, 09:31:52 pm »
Quando se começa logo por dizer que Portugal está a investir em Defesa Aérea e reservas de guerra, e vemos os orçamentos disponíveis para tal...
Realmente comprar uns 6 sistemas SHORAD é um grande investimento na defesa aérea.  :bang:

Ao menos que sejam honestos.
 

*

Mrf89

  • Membro
  • *
  • 2
  • +0/-0
Re: Estratégia de Defesa Nacional
« Responder #4 em: Maio 09, 2024, 09:44:13 pm »
Já fala no F35. Já não é nada mau
 

*

Visitante123

  • Especialista
  • ****
  • 1011
  • Recebeu: 342 vez(es)
  • Enviou: 192 vez(es)
  • +51/-139
Re: Estratégia de Defesa Nacional
« Responder #5 em: Maio 15, 2024, 10:57:53 am »
Tendo em conta desenvolvimentos recentes em África, nomeadamente os acordos militares que a Rússia (e também a China, com menor preponderância) tem feito com vários países africanos, incluindo membros da CPLP, parece-me evidente que as coisas se estão a alinhar para que o Atlântico Sul e continente africano, se tornem uma das frentes de um conflito de larga escala.

Com isto, surge a inevitável questão: O que vamos fazer, em termos de Estratégia de Defesa Nacional, para mitigar, e se necessário combater, esta ameaça?

Vai continuar tudo na mesma, avançando o investimento em meios inadequados para esta nova realidade? Ou vai haver uma mudança drástica, tanto de mentalidades, como no Conceito Estratégico, como dos investimentos que são feitos?

Vamos ficar à espera que a presença russa ou chinesa se intensifique e suba ainda mais no Atlântico, até Cabo Verde por exemplo, para se resolver fazer alguma coisa?

A discussão está lançada.

Aqui vais ter muita adesão a este tópico, vais, vais. Quando a Marinha leva um submarino ao Atlântico Sul rasgam-se as vestes no FD. E quando manda para lá barcos (mesmo que velhos) isso então é como tocar a sineta para as carpideiras cá do sítio. E quando a França pediu ajuda no Sahel foi outro festim cá no sítio.
 
Os seguintes utilizadores agradeceram esta mensagem: Vicente de Lisboa

*

Vicente de Lisboa

  • Especialista
  • ****
  • 1015
  • Recebeu: 176 vez(es)
  • Enviou: 80 vez(es)
  • +51/-18
Re: Estratégia de Defesa Nacional
« Responder #6 em: Maio 15, 2024, 12:06:01 pm »
Tendo em conta desenvolvimentos recentes em África, nomeadamente os acordos militares que a Rússia (e também a China, com menor preponderância) tem feito com vários países africanos, incluindo membros da CPLP, parece-me evidente que as coisas se estão a alinhar para que o Atlântico Sul e continente africano, se tornem uma das frentes de um conflito de larga escala.

Com isto, surge a inevitável questão: O que vamos fazer, em termos de Estratégia de Defesa Nacional, para mitigar, e se necessário combater, esta ameaça?

Vai continuar tudo na mesma, avançando o investimento em meios inadequados para esta nova realidade? Ou vai haver uma mudança drástica, tanto de mentalidades, como no Conceito Estratégico, como dos investimentos que são feitos?

Vamos ficar à espera que a presença russa ou chinesa se intensifique e suba ainda mais no Atlântico, até Cabo Verde por exemplo, para se resolver fazer alguma coisa?

A discussão está lançada.

Aqui vais ter muita adesão a este tópico, vais, vais. Quando a Marinha leva um submarino ao Atlântico Sul rasgam-se as vestes no FD. E quando manda para lá barcos (mesmo que velhos) isso então é como tocar a sineta para as carpideiras cá do sítio. E quando a França pediu ajuda no Sahel foi outro festim cá no sítio.

Acho que podes estar a ser injusto. Aqui o FD é perfeitamente capaz de criticar o envio de meios e o não-envio de meios ao mesmo tempo, e se for preciso pelas mesmas razões.
 
Os seguintes utilizadores agradeceram esta mensagem: Visitante123

*

P44

  • Investigador
  • *****
  • 18625
  • Recebeu: 5681 vez(es)
  • Enviou: 6180 vez(es)
  • +7255/-9686
Re: Estratégia de Defesa Nacional
« Responder #7 em: Maio 15, 2024, 12:29:18 pm »
Estratégia: acender umas velinhas à nossa sra
"[Os portugueses são]um povo tão dócil e tão bem amestrado que até merecia estar no Jardim Zoológico"
-Dom Januário Torgal Ferreira, Bispo das Forças Armadas
 

*

Luso

  • Investigador
  • *****
  • 8587
  • Recebeu: 1680 vez(es)
  • Enviou: 709 vez(es)
  • +965/-7432
Re: Estratégia de Defesa Nacional
« Responder #8 em: Maio 15, 2024, 12:40:18 pm »
Tendo em conta desenvolvimentos recentes em África, nomeadamente os acordos militares que a Rússia (e também a China, com menor preponderância) tem feito com vários países africanos, incluindo membros da CPLP, parece-me evidente que as coisas se estão a alinhar para que o Atlântico Sul e continente africano, se tornem uma das frentes de um conflito de larga escala.

Com isto, surge a inevitável questão: O que vamos fazer, em termos de Estratégia de Defesa Nacional, para mitigar, e se necessário combater, esta ameaça?

Vai continuar tudo na mesma, avançando o investimento em meios inadequados para esta nova realidade? Ou vai haver uma mudança drástica, tanto de mentalidades, como no Conceito Estratégico, como dos investimentos que são feitos?

Vamos ficar à espera que a presença russa ou chinesa se intensifique e suba ainda mais no Atlântico, até Cabo Verde por exemplo, para se resolver fazer alguma coisa?

A discussão está lançada.

Aqui vais ter muita adesão a este tópico, vais, vais. Quando a Marinha leva um submarino ao Atlântico Sul rasgam-se as vestes no FD. E quando manda para lá barcos (mesmo que velhos) isso então é como tocar a sineta para as carpideiras cá do sítio. E quando a França pediu ajuda no Sahel foi outro festim cá no sítio.

Acho que podes estar a ser injusto. Aqui o FD é perfeitamente capaz de criticar o envio de meios e o não-envio de meios ao mesmo tempo, e se for preciso pelas mesmas razões.

É.
Até parece o Presidente da República.
Ou os ministros da defesa dos últimos 50 anos.
Mas isso: mandar um submarinos para assustar os pretinhos e seus amigos funcionou mesmo.
É como se diz: - Quando não se sabe "amar", até os tomates atrapalham.
Ai de ti Lusitânia, que dominarás em todas as nações...
 
Os seguintes utilizadores agradeceram esta mensagem: Charlie Jaguar

*

Charlie Jaguar

  • Investigador
  • *****
  • 5714
  • Recebeu: 5741 vez(es)
  • Enviou: 3828 vez(es)
  • +10077/-2655
Re: Estratégia de Defesa Nacional
« Responder #9 em: Maio 15, 2024, 02:26:13 pm »
Qual estratégia de Defesa Nacional? Aquela que contempla adquirir avionetas COIN para regressarmos a África, tal como há 50 anos atrás se fazia com o T-6 Harvard? Essa estratégia de Defesa Nacional?
Saudações Aeronáuticas,
Charlie Jaguar

"(...) Que, havendo por verdade o que dizia,
DE NADA A FORTE GENTE SE TEMIA
"

Luís Vaz de Camões (Os Lusíadas, Canto I - Estrofe 97)
 
Os seguintes utilizadores agradeceram esta mensagem: P44, nelson38899

*

Mentat

  • Membro
  • *
  • 178
  • Recebeu: 108 vez(es)
  • Enviou: 138 vez(es)
  • +36/-3
Re: Estratégia de Defesa Nacional
« Responder #10 em: Maio 15, 2024, 02:36:48 pm »
Estratégia?
Continuar a oferecer umas dezenas de milhões de € para a construção de Museus/reparação de Fortes históricos, enviar NPO´s cegos e "desarmados" para patrulhar as àguas da CPLP. Ah, e os Super Tucanitos para CAS.  ;D
Mais coisa, menos coisa, será isto.
 

*

dc

  • Investigador
  • *****
  • 8799
  • Recebeu: 4105 vez(es)
  • Enviou: 742 vez(es)
  • +5033/-811
Re: Estratégia de Defesa Nacional
« Responder #11 em: Maio 15, 2024, 04:35:14 pm »
Aqui vais ter muita adesão a este tópico, vais, vais. Quando a Marinha leva um submarino ao Atlântico Sul rasgam-se as vestes no FD. E quando manda para lá barcos (mesmo que velhos) isso então é como tocar a sineta para as carpideiras cá do sítio. E quando a França pediu ajuda no Sahel foi outro festim cá no sítio.

A principal crítica do envio do Arpão ao Atlântico Sul, é ter-se tratado de uma manobra de diversão após desaires como o do Mondego, entre outros, além daquele passeio ter sido feito a países... alinhados com a Rússia. Ainda proclamaram que era para "mostrar o músculo e a capacidade da MGP", de tal forma que os russos se sentiram tão intimidados, que querem ter presença naval em São Tomé.

A "missão de dissuasão" do CEMA falhou, tendo acontecido exactamente o efeito oposto.

O envio de tralha velha para países africanos, que são "cedidos", mas o processo de cedência demora meia década, é criticado porque por cá tanto se queixam da falta de meios de patrulha e pessoal, e depois temos de sustentar uma cedência que se arrasta por tantos anos.
Já o envio de navios em missões no GdG, foi criticado por se ter enviado um navio completamente desarmado para combater pirataria.

Por fim, a França pediu ajuda no Sahel, não pediu Super Tucanos. A crescente presença russa em África, apenas torna este tipo de meio ainda menos adequado.
 

*

P44

  • Investigador
  • *****
  • 18625
  • Recebeu: 5681 vez(es)
  • Enviou: 6180 vez(es)
  • +7255/-9686
Re: Estratégia de Defesa Nacional
« Responder #12 em: Maio 15, 2024, 05:55:48 pm »
Eles pensam é na estratégia de encher os bolsos
"[Os portugueses são]um povo tão dócil e tão bem amestrado que até merecia estar no Jardim Zoológico"
-Dom Januário Torgal Ferreira, Bispo das Forças Armadas
 

*

nelson38899

  • Investigador
  • *****
  • 5392
  • Recebeu: 779 vez(es)
  • Enviou: 744 vez(es)
  • +519/-2615
Re: Estratégia de Defesa Nacional
« Responder #13 em: Maio 21, 2024, 10:40:51 pm »
Se tiverem tempo


vídeo disponível até dia 7 de junho!
"Que todo o mundo seja «Portugal», isto é, que no mundo toda a gente se comporte como têm comportado os portugueses na história"
Agostinho da Silva
 

*

Drecas

  • Investigador
  • *****
  • 1602
  • Recebeu: 514 vez(es)
  • Enviou: 179 vez(es)
  • +317/-191
Re: Estratégia de Defesa Nacional
« Responder #14 em: Maio 21, 2024, 10:44:51 pm »