Relações Portugal-Ásia

  • 20 Respostas
  • 8114 Visualizações
*

Lusitano89

  • Investigador
  • *****
  • 21685
  • Recebeu: 2695 vez(es)
  • Enviou: 257 vez(es)
  • +1194/-1512
Re: Relações Portugal-Ásia
« Responder #15 em: Abril 07, 2014, 10:28:07 am »
Rui Machete visita Coreia do Sul acompanhado por empresários portugueses


O ministro dos Negócios Estrangeiros visita a partir de quarta-feira a Coreia do Sul, acompanhado por 13 empresas portuguesas, que procuram parceiros de negócios e possibilidades de exportação.

“Pela primeira vez, uma missão empresarial acompanhará uma visita oficial de um ministro dos Negócios Estrangeiros à Coreia do Sul”, disse fonte do ministério de Rui Machete. Durante a visita, que decorre em Seul até sexta-feira, o governante vai manter encontros a nível político, nomeadamente com os ministros sul-coreanos dos Negócios Estrangeiros, Yun Byung-se, e da Unificação, Ryoo Kihl-jae, e com o presidente da Assembleia Nacional.

O ministro de Estado e dos Negócios Estrangeiros também participará numa receção, na residência de Portugal em Seul, em que estarão presentes os empresários portugueses, membros da comunidade portuguesa naquele país e sul-coreanos com ligações a Portugal.

Além da componente política, esta viagem estará “mais centrada no reforço das relações bilaterais, sobretudo na área económica”, indicou a mesma fonte.
O Governo português acredita que as relações com a Coreia do Sul “têm um elevado potencial de crescimento, com toda uma possibilidade de negócios por realizar, após um caminho que tem de ser feito a nível político”.

Da delegação empresarial fazem parte o administrador da Agência para o Comércio e Investimento Externo de Portugal (AICEP) Daniel Pessoa e Costa e o coordenador da agência para a região da Ásia-Pacífico, Paulo Domingues.

A missão é composta por 13 empresas: Alta Pontuação, Casa Ermelinda Freitas, Enoforum – Carmim, Esporão, José Maria da Fonseca, Sovena e Sugadilal, do setor dos vinhos e agro-alimentar, e, na área das tecnologias, Portic, Tice.pt (Pólo das Tecnologias de Informação, Comunicação e Electrónica), WeDo Technologies e Samsung, empresa sul-coreana que escolheu Portugal para instalar a sua primeira delegação internacional, em 1982.

Fazem ainda parte da comitiva a empresa de purificadores de ar Airfree Products e a Scavilete, especializada em turismo religioso. O ponto alto do programa da delegação empresarial é o seminário organizado com a Associação Internacional de Comércio da Coreia (KITA, uma congénere da AICEP), com encontros bilaterais com empresas sul-coreanas.

Neste seminário, em que intervirão o ministro Rui Machete e o vice-presidente desta organização, a AICEP e a KITA assinarão um memorando de entendimento.
Os empresários portugueses vão também reunir-se com a delegação da União Europeia em Seul, onde será avaliado o Acordo de Comércio Livre UE-Coreia, que prevê a eliminação, até 2015, dos direitos de importação em quase todos os produtos.

A delegação participará ainda também num encontro com a associação de importadores coreanos (KOIMA), em que a AICEP apresentará oportunidades de negócio em Portugal.

Lusa
 

*

Lusitano89

  • Investigador
  • *****
  • 21685
  • Recebeu: 2695 vez(es)
  • Enviou: 257 vez(es)
  • +1194/-1512
Re: Relações Portugal-Ásia
« Responder #16 em: Julho 27, 2023, 05:00:02 pm »
Delegação de Ho Chi Minh, Vietname, assina memorando com o Porto e visita obras emblemáticas.


 

*

Lusitano89

  • Investigador
  • *****
  • 21685
  • Recebeu: 2695 vez(es)
  • Enviou: 257 vez(es)
  • +1194/-1512
Re: Relações Portugal-Ásia
« Responder #17 em: Setembro 14, 2023, 03:53:19 pm »
Visita Guiada - Relações Portugal Japão - EP - 14 - 16 Set 2019 - Temporada 9


 

*

Cabeça de Martelo

  • Investigador
  • *****
  • 20691
  • Recebeu: 3141 vez(es)
  • Enviou: 2325 vez(es)
  • +1541/-3493
Re: Relações Portugal-Ásia
« Responder #18 em: Março 14, 2024, 05:21:23 pm »
Agência do Ambiente dá “luz verde” a fábrica de baterias de €2 mil milhões em Sines

A fábrica de baterias da chinesa CALB prevista para Sines recebeu uma declaração de impacto ambiental favorável por parte da Agência Portuguesa do Ambiente. O investimento ultrapassará os 2 mil milhões de euros e deverá criar 1800 empregos diretos

A chinesa CALB obteve uma declaração de impacto ambiental (DIA) favorável, embora condicionada, para o seu projeto de 2 mil milhões de euros para fabricar baterias de lítio em Sines. É um dos maiores projetos industriais que estão previstos naquele concelho alentejano para...

 :arrow: https://expresso.pt/economia/industria/2024-03-14-Agencia-do-Ambiente-da-luz-verde-a-fabrica-de-baterias-de-2-mil-milhoes-em-Sines-19a99ac2
7. Todos os animais são iguais mas alguns são mais iguais que os outros.

 

*

Cabeça de Martelo

  • Investigador
  • *****
  • 20691
  • Recebeu: 3141 vez(es)
  • Enviou: 2325 vez(es)
  • +1541/-3493
Re: Relações Portugal-Ásia
« Responder #19 em: Abril 17, 2024, 12:30:57 pm »
Empresas sul-coreanas investem nas renováveis e chips em Portugal, diz embaixador
Lusa

Embaixador da Coreia do Sul em Portugal, Cho Yeongmoo, prevê a concretização este ano de investimentos de empresas sul-coreanas nas áreas dos chips e das energias renováveis, nomeadamente em Aveiro.

O embaixador da Coreia do Sul em Portugal, Cho Yeongmoo, prevê a concretização este ano de investimentos de empresas sul-coreanas nas áreas dos semicondutores (chips) e das energias renováveis, nomeadamente em Aveiro.

“Temos vindo a discutir vários projetos nas áreas dos semicondutores, mas estes ainda estão em curso. Espero que possamos ver resultados tangíveis dessas discussões este ano“, afirmou o diplomata, quando se completa um ano da visita oficial do então primeiro-ministro António Costa à Coreia do Sul, uma “ocasião muito importante para elevar a outro nível as relações” entre os dois países.

Em entrevista à agência Lusa, Cho Yeongmoo recordou que, em novembro do ano passado, a SK Hynix, empresa de produção de semicondutores, assinou um memorando de entendimento com a AICEP – Agência para o Desenvolvimento e Comércio Externo de Portugal.

Nessa altura, a AICEP divulgou, em comunicado, que o acordo visava o desenvolvimento “de um projeto de investimento significativo na área dos semicondutores, em 2024”, sem referir valores.

Também em 2023, a Kotra – Agência de promoção de comércio e investimento do governo sul-coreano voltou a ter escritórios em Lisboa, depois de ter encerrado em 2007, e está a funcionar como “um catalisador entre as empresas dos dois países”, segundo o embaixador, que diz haver muitos pedidos de informação de empresas sul-coreanas e portuguesas.

“O atual gabinete da Kotra está a desempenhar um papel de ponte”, acrescentou à Lusa, dando conta da visita no ano passado de uma delegação empresarial da Coreia e das expectativas de mais deslocações em 2024 de empresários dos setores de baterias, cosmética e automóvel.

No âmbito das energias renováveis, o diplomata informou sobre os planos de expansão da empresa CS Wind, fabricante de torres eólicas em Aveiro.

“Querem expandir as suas instalações de fabrico” resumiu Cho Yeongmoo, sublinhando, desta forma, o aumento do investimento e do número de empregos, numa localização que permite a exportação por via marítima.

Exemplificando com outras empresas presentes, o embaixador argumentou que “a área das renováveis é também muito promissora” para que Lisboa e Seul “explorem uma maior cooperação”.

Os países também têm desenvolvido relações a nível regional e desde 2007 que a Madeira e Jeju, a maior ilha sul-coreana localizada a sul da península da Coreia, acordaram uma relação de geminação, com o objetivo de cooperar em diversas áreas como turismo, ensino e economia.

“Em 2022, quando cheguei, celebrámos o 15º aniversário da irmandade entre as duas ilhas”, afirmou o embaixador, acrescentando que a pandemia de Covid-19 pode ter “impedido a troca de visitas”, mas que espera que “as pessoas da Madeira possam ir à ilha de Jeju” e que os coreanos possam ir ao arquipélago português.

No ano passado, também Sintra concluiu um acordo de geminação com o Município de Yangsan, após uma visita da sua delegação e, de acordo com o embaixador vários governos municipais mostram interesse em ter relações de proximidade com Portugal.

“Tivemos alguns governos municipais que queriam ter uma relação próxima com as cidades portuguesas, por isso estamos a trabalhar nisso e espero que possamos ver muitas conclusões da ‘irmandade’ entre as cidades dos nossos países”, referiu.

À Lusa, Cho Yeongmoo notou ainda o interesse dos portugueses pela cultura da Coreia, designadamente música e filmes, indicando a promoção de vários eventos para apresentar a diversidade que existe, incluindo também a nível gastronómico, no qual há cooperação com escolas do Turismo de Portugal.

A comunidade coreana em Portugal ronda as 300 pessoas, enquanto o número de turistas atingiu um pico antes da pandemia Covid-19, com 210 mil pessoas, tendo no ano passado havido um registo de 160 mil em vários locais como Lisboa, Porto, Coimbra, Fátima e Algarve, divulgou a representação diplomática.


https://eco.sapo.pt/2024/04/17/empresas-sul-coreanas-investem-nas-renovaveis-e-chips-em-portugal-diz-embaixador/?utm_source=SAPO_HP&utm_medium=web&utm_campaign=destaques

7. Todos os animais são iguais mas alguns são mais iguais que os outros.

 

*

Lusitano89

  • Investigador
  • *****
  • 21685
  • Recebeu: 2695 vez(es)
  • Enviou: 257 vez(es)
  • +1194/-1512
Re: Relações Portugal-Ásia
« Responder #20 em: Junho 10, 2024, 12:12:47 pm »
Situações surreais: portugueses em Taiwan reféns da burocracia