Invasão da Ucrânia

  • 6786 Respostas
  • 392470 Visualizações
*

P44

  • Investigador
  • *****
  • 18850
  • Recebeu: 5786 vez(es)
  • Enviou: 6350 vez(es)
  • +7321/-9796
Re: Invasão da Ucrânia
« Responder #6765 em: Junho 10, 2024, 03:59:00 pm »
Epá, a maioria dos outros países, não passa a vida a pedinchar à NATO e UE por financiamento para aquisição de material aos membros. Portugal em contraste, equaciona gastar mais de 1000 milhões em material militar proveniente de um BRICS, não tem qualquer problema em gastar dinheiro nisso, mas para gastar o mesmo valor em produtos NATO que sejam realmente relevantes, só o faz se for financiado em X %.

Bem visto :G-beer2:
"[Os portugueses são]um povo tão dócil e tão bem amestrado que até merecia estar no Jardim Zoológico"
-Dom Januário Torgal Ferreira, Bispo das Forças Armadas
 
Os seguintes utilizadores agradeceram esta mensagem: LuisPolis

*

papatango

  • Investigador
  • *****
  • 7584
  • Recebeu: 1015 vez(es)
  • +4720/-912
Re: Invasão da Ucrânia
« Responder #6766 em: Junho 11, 2024, 11:45:07 am »

Tentando evitar o off-topic, é verdade que o nacional-pedinchismo é uma doença e que mesmo aqui, há imensos comentários em que se defende que alguém entre com o dinheiro, porque nós não queremos pagar...

Já quanto ao BRIC e aos aviões da Embraer, eu lembro sempre que não houve nenhum país da NATO que quisesse pegar na OGMA e que realmente estivesse disponível para fazer investimentos na área aeroespacial em Portugal.

Alguém já viu qual é a percentagem de incorporação portuguesa nos aviões cargueiros da série KC ?

Se não fosse a Embraer, hoje estariamos aqui a dizer que já tinhamos tido alguma capacidade para produzir pelo menos partes de aeronaves, mas que os governos acabaram com tudo.

Como a OGMA e a capacidade industrial portuguesa na área foram salvas, à falta do que atacar, queixamo-nos das opções do bêbado brasileiro...  :mrgreen:

As capacidades que temos, são as que nós próprios como país decidimos ter, ou decidimos não ter. Se existissem mais Embraer's, seguramente que hoje estariamos a falar em participações portuguesas noutras coisas... Assim, olhamos e vemos o mundo a mover-se quando ficamos parados a olhar.
A OGMA e a associação com a Embraer são infelizmente e excepção que confirma a regra.
« Última modificação: Junho 11, 2024, 11:51:47 am por papatango »
É muito mais fácil enganar uma pessoa, que explicar-lhe que foi enganada ...
 
Os seguintes utilizadores agradeceram esta mensagem: LM, LuisPolis

*

Cabeça de Martelo

  • Investigador
  • *****
  • 20689
  • Recebeu: 3140 vez(es)
  • Enviou: 2325 vez(es)
  • +1540/-3493
Re: Invasão da Ucrânia
« Responder #6767 em: Junho 11, 2024, 12:40:03 pm »

Tentando evitar o off-topic, é verdade que o nacional-pedinchismo é uma doença e que mesmo aqui, há imensos comentários em que se defende que alguém entre com o dinheiro, porque nós não queremos pagar...

Já quanto ao BRIC e aos aviões da Embraer, eu lembro sempre que não houve nenhum país da NATO que quisesse pegar na OGMA e que realmente estivesse disponível para fazer investimentos na área aeroespacial em Portugal.

No principio o acordo foi entre o Estado, a Airbus e a Embraer. Após isso a Embraer acabou por comprar a parte da Airbus e ficar com a gestão a solo da empresa.

Citar
Alguém já viu qual é a percentagem de incorporação portuguesa nos aviões cargueiros da série KC ?

Citar
No âmbito do programa KC-390, a OGMA tem a seu cargo a fabricação da fuselagem central e montagem dos sponsons direito e esquerdo (conjuntos com cerca de 12 metros de dimensão que compõem a carenagem do compartimento do trem de pouso) bem como dos lemes de profundidade. Estas peças são fabricadas em material compósito e ligas metálicas.

Nas instalações da OGMA em Alverca, são produzidos os 10 painéis que constituem a fuselagem central do avião, as carenagens do trem de pouso (sponsons) bem como os painéis em compósito que formam o seu revestimento. O transporte destes componentes exige uma operação de logística e de transporte excepcional, com os componentes estruturais de maior envergadura transportados em caminhões especiais até ao Porto de Lisboa, seguido por via marítima rumo ao Brasil, com destino à fábrica da Embraer, localizada em Gavião Peixoto, no interior do Estado de São Paulo.





Se não fosse a Embraer, hoje estariamos aqui a dizer que já tinhamos tido alguma capacidade para produzir pelo menos partes de aeronaves, mas que os governos acabaram com tudo.

Citar
As capacidades que temos, são as que nós próprios como país decidimos ter, ou decidimos não ter. Se existissem mais Embraer's, seguramente que hoje estariamos a falar em participações portuguesas noutras coisas... Assim, olhamos e vemos o mundo a mover-se quando ficamos parados a olhar.
A OGMA e a associação com a Embraer são infelizmente e excepção que confirma a regra.

E a fábrica da Airbus?


E a Caetano Aeronautic?



7. Todos os animais são iguais mas alguns são mais iguais que os outros.

 
Os seguintes utilizadores agradeceram esta mensagem: Viajante

*

Viajante

  • Investigador
  • *****
  • 4365
  • Recebeu: 2479 vez(es)
  • Enviou: 1440 vez(es)
  • +7464/-4526
Re: Invasão da Ucrânia
« Responder #6768 em: Junho 11, 2024, 02:53:26 pm »
Sempre fiquei admirado porque é que só defendem as OGMA, se nós em Portugal temos mais fábricas e mais recentes que fornecem a AIRBUS, por exemplo!!!!!!
Parte do A-400M é produzido em Portugal!

Faz lembrar a mal-amada Tekever que só é admirada fora de portas!!!!!! Até os russos têm insónias quando se fala em drones da Tekever!!!!!!  :mrgreen:
« Última modificação: Junho 11, 2024, 03:54:46 pm por Viajante »
 
Os seguintes utilizadores agradeceram esta mensagem: P44, Duarte, CruzSilva, PTWolf

*

LuisPolis

  • Especialista
  • ****
  • 1153
  • Recebeu: 396 vez(es)
  • Enviou: 573 vez(es)
  • +190/-2314
Re: Invasão da Ucrânia
« Responder #6769 em: Junho 11, 2024, 03:06:00 pm »
Citar
Russia converted a captured Ukrainian tank into a remote controlled vehicle that uses a similar FPV control concept as many kamikaze drones.

https://www.twz.com/news-features/russia-is-testing-a-first-person-view-remote-controlled-tank-conversion-in-ukraine

Os Israelitas estão a fazer algo similar com os M113

https://defence-blog.com/israel-deploys-remote-controlled-combat-vehicles-in-rafah/
« Última modificação: Junho 11, 2024, 06:53:52 pm por LuisPolis »
 

*

os_pero

  • Membro
  • *
  • 282
  • Recebeu: 122 vez(es)
  • Enviou: 50 vez(es)
  • +300/-21
Re: Invasão da Ucrânia
« Responder #6770 em: Junho 11, 2024, 03:59:06 pm »
Possível Su-57 danificado:
Dizem que foi com um drone TEKEVER AR3.


Sobre a TEKEVER no programa de hoje na RTP3 o CEO da TEKEVER disse que eles tem acesso directo aos operadores dos drones até durante missões, e que as evoluções são semanais, havendo contactos constante com os operadores dos drones.

A partir do minuto 57:15
https://www.rtp.pt/play/p8130/e768244/sociedade-civil
 
Os seguintes utilizadores agradeceram esta mensagem: Duarte, Cabeça de Martelo, dc, PTWolf

*

LuisPolis

  • Especialista
  • ****
  • 1153
  • Recebeu: 396 vez(es)
  • Enviou: 573 vez(es)
  • +190/-2314
Re: Invasão da Ucrânia
« Responder #6771 em: Junho 11, 2024, 06:50:33 pm »
Possível Su-57 danificado:
Dizem que foi com um drone TEKEVER AR3.


Sobre a TEKEVER no programa de hoje na RTP3 o CEO da TEKEVER disse que eles tem acesso directo aos operadores dos drones até durante missões, e que as evoluções são semanais, havendo contactos constante com os operadores dos drones.

A partir do minuto 57:15
https://www.rtp.pt/play/p8130/e768244/sociedade-civil

E qual a razão de revelar essa informação no espaço público?
 

*

Cabeça de Martelo

  • Investigador
  • *****
  • 20689
  • Recebeu: 3140 vez(es)
  • Enviou: 2325 vez(es)
  • +1540/-3493
Re: Invasão da Ucrânia
« Responder #6772 em: Junho 11, 2024, 06:56:03 pm »
Publicidade grátis.

Vale mais do que 100 campanhas e 50 feiras do sector.
7. Todos os animais são iguais mas alguns são mais iguais que os outros.

 

*

LuisPolis

  • Especialista
  • ****
  • 1153
  • Recebeu: 396 vez(es)
  • Enviou: 573 vez(es)
  • +190/-2314
Re: Invasão da Ucrânia
« Responder #6773 em: Junho 11, 2024, 07:24:13 pm »
Publicidade grátis.

Vale mais do que 100 campanhas e 50 feiras do sector.

A TEKEVER é considerada uma empresa de defesa em Portugal (com alguma supervisão do Ministério da Defesa)?
 

*

CruzSilva

  • Investigador
  • *****
  • 1462
  • Recebeu: 580 vez(es)
  • Enviou: 2294 vez(es)
  • +712/-127
Re: Invasão da Ucrânia
« Responder #6774 em: Junho 11, 2024, 07:46:27 pm »
Possível Su-57 danificado:
Dizem que foi com um drone TEKEVER AR3.


Sobre a TEKEVER no programa de hoje na RTP3 o CEO da TEKEVER disse que eles tem acesso directo aos operadores dos drones até durante missões, e que as evoluções são semanais, havendo contactos constante com os operadores dos drones.

A partir do minuto 57:15
https://www.rtp.pt/play/p8130/e768244/sociedade-civil

E qual a razão de revelar essa informação no espaço público?
Se está a questionar por questões de segurança operacional tenho a afirmar que dificilmente os russos não se aperceberam já do que foi dito.
"Homens fortes criam tempos fáceis e tempos fáceis criam homens fracos - homens fracos criam tempos difíceis e tempos difíceis criam homens fortes."
 

*

papatango

  • Investigador
  • *****
  • 7584
  • Recebeu: 1015 vez(es)
  • +4720/-912
Re: Invasão da Ucrânia
« Responder #6775 em: Junho 11, 2024, 08:07:22 pm »


A questão da OGMA é mais importante, pelo simples facto de que manteve uma estrutura que corria o risco de desaparcer. As restantes entidades, são importantes com certeza, ainda que sejam uma fração do investimento da Embraer/OGMA mas vêm depois.
Sem haver algo antes, é muito mais dificil atrair empresas de um determinado setor. Ao salvar a OGMA e o pessoal especializado que trabalhava na área (direta e indiretamente) garantiu-se muito do que veio depois...



Relativamente à informação sobre a Tekever, acho que há pelo menos uma coisa que não deveria ter sido transmitida ao público.
O português não acredita em bruxas e nem acreditam que elas existam...

É muito mais fácil enganar uma pessoa, que explicar-lhe que foi enganada ...
 
Os seguintes utilizadores agradeceram esta mensagem: LM

*

Lightning

  • Moderador Global
  • *****
  • 11149
  • Recebeu: 2385 vez(es)
  • Enviou: 3315 vez(es)
  • +752/-1037
Re: Invasão da Ucrânia
« Responder #6776 em: Junho 11, 2024, 09:07:56 pm »
A Airbus em Santo Tirso não sei.

A Caetano Aeronautic recebeu contrapartidas pela compra de um meio qualquer (acho que os C295).
« Última modificação: Junho 11, 2024, 09:11:35 pm por Lightning »
 

*

Subsea7

  • Investigador
  • *****
  • 1860
  • Recebeu: 1793 vez(es)
  • Enviou: 2632 vez(es)
  • +5516/-2960
Re: Invasão da Ucrânia
« Responder #6777 em: Junho 11, 2024, 09:46:09 pm »
A Airbus em Santo Tirso não sei.

A Caetano Aeronautic recebeu contrapartidas pela compra de um meio qualquer (acho que os C295).

Dos A-400...
 

*

os_pero

  • Membro
  • *
  • 282
  • Recebeu: 122 vez(es)
  • Enviou: 50 vez(es)
  • +300/-21
Re: Invasão da Ucrânia
« Responder #6778 em: Junho 11, 2024, 09:58:13 pm »
Possível Su-57 danificado:
Dizem que foi com um drone TEKEVER AR3.


Sobre a TEKEVER no programa de hoje na RTP3 o CEO da TEKEVER disse que eles tem acesso directo aos operadores dos drones até durante missões, e que as evoluções são semanais, havendo contactos constante com os operadores dos drones.

A partir do minuto 57:15
https://www.rtp.pt/play/p8130/e768244/sociedade-civil

E qual a razão de revelar essa informação no espaço público?
Se está a questionar por questões de segurança operacional tenho a afirmar que dificilmente os russos não se aperceberam já do que foi dito.

Segundo o próprio (CEO tekever) a informação de que a Tekever colaborava com as forças Ucrânias foi divulgada pela própria e pelas entidades intermédiarias a cerca de um ano, como tal essa informação é publica.

E come ele dá a entender,  essas relações devem estar abrangidas pelos acordos entre esses intermediários a Takever e Portugal (no audio ele refere quais são essas entidades)

Outra coisa interessante é que ele refere também estar a trabalharem em vários projectos em paralelo (dando a entender que esses projectos serão com a Ucrânia)

Em relação às actualizações esta semana já tinha lido um "artigo" sobre a importância do SDR (software defined radio) nos drones, pois há uma verdadeira corrida para ver quem consegue contornar as proteções dos sistemas um do outro (havendoos tais ciclos de produçãopara soluçõesnovas no espaçode dias/semanas) , sendo que nos sistemas mais antigos onde diversos parâmetros são definidos por hardware (frequências, encriptação, modulação,... ) é extremamente dificil fazer qualquer mudança (senão impossível) num espaço de meses, e envolve normalmente substituir sistemas (ou seja ir ao terreno ou retirar o meio da frente de combate).
Enquanto nos sistemas mais recentes as actualizações são feitas como os nossos computadores/telemóveis.
 
Os seguintes utilizadores agradeceram esta mensagem: Duarte

*

mafets

  • Investigador
  • *****
  • 8886
  • Recebeu: 3388 vez(es)
  • Enviou: 1018 vez(es)
  • +4069/-6539
Re: Invasão da Ucrânia
« Responder #6779 em: Junho 12, 2024, 10:38:26 am »
A prova de que é uma questão de tempo até os russos chegarem a Badajoz e que os senhores generais alemães e noruegueses estão certos: " em 2026 os russos vão atacar a nato". Resta saber com o quê...  :mrgreen:

https://www.cavok.com.br/ucranianos-alegam-ter-destruido-su-57-em-aerodromo-russo



Saudações  :mrgreen:

P.S.  - Eu acho que numa guerra até podiam meter ainda mais os aviões estacionados e a apanhar ar.  :mrgreen: Isto agora de estarem protegidos ou escondidos, não de macho... :mrgreen:



https://g1.globo.com/mundo/ucrania-russia/noticia/2022/12/09/guerra-ucrania-o-que-se-sabe-sobre-ataques-com-drones-a-alvos-estrategicos-dentro-da-russia.ghtml

https://www.forbes.com/sites/davidaxe/2022/08/10/a-ukrainian-attack-destroyed-a-lot-of-russian-aircraft-and-could-force-russian-squadrons-to-pull-back/

"Nunca, no campo dos conflitos humanos, tantos deveram tanto a tão poucos." W.Churchil

http://mimilitary.blogspot.pt/