Votação

Escolha o melhor

Super Hornet
4 (3.5%)
F-35
46 (40.4%)
Rafale
17 (14.9%)
Gripen
32 (28.1%)
Eurofighter Typhoon
15 (13.2%)

Votos totais: 114

Substituiçao dos F-16's

  • 4248 Respostas
  • 757066 Visualizações
*

pmdavila

  • Perito
  • **
  • 366
  • +0/-0
(sem assunto)
« Responder #180 em: Outubro 23, 2008, 12:09:46 pm »
Citação de: "nelson38899"
Eu continuo achar que o Gripen NG é o caça mais indicado para nós, pois a sua manutenção é barata e com as novas evoluções penso que o gripen é um caça capaz para a defesa de Portugal

Armament:
1x 27 mm Mauser BK-27 cannon
6x AIM-9 Sidewinder
4x AIM-120 AMRAAM; or MICA
AGM-65 Maverick, KEPD 150, or various other laser-guided bombs, rocket pods.


O Gripen tem a vantagem de ser monomotor (neste momento a FAP ia-se tramar ao arranjar um caça bimotor...), mas tem a desvantagem de ter um alcance extremamente limitado, comparando com outros da classe. Teria vantagem só se os conceitos tácticos fossem mudados e eles fossem distribuídos por todo o território nacional, em vez de ficarem concentrados em Monte Real. Penso eu de que...
Com os melhores cumprimentos,
pmdavila

"Antes morrer livres que em paz sujeitos"
 

*

nelson38899

  • Investigador
  • *****
  • 5439
  • Recebeu: 803 vez(es)
  • Enviou: 802 vez(es)
  • +559/-2618
(sem assunto)
« Responder #181 em: Outubro 23, 2008, 12:34:22 pm »
pela wikipédia

Performance

    * Maximum speed: Mach 2 (2,410 km/h, 1,500 mph)
    * Combat radius: 800+ km (500 mi, 430 NM)
    * Ferry range: 2,800 km (1,740 mi)
    * Service ceiling 15,240 m (50,000 ft)
    * Wing loading: 341 kg/m² (70.3 lb/ft²)
    * Thrust/weight: 0.94

For aircraft, ferry range means the maximum range the aircraft can fly. This usually means maximum fuel load, optionally with extra fuel tanks and minimum equipment. It refers to transport of aircraft for use on remote location.

ou seja o gripen com os depósitos externos tem uma bom alcance 2800 km
"Que todo o mundo seja «Portugal», isto é, que no mundo toda a gente se comporte como têm comportado os portugueses na história"
Agostinho da Silva
 

*

Lightning

  • Moderador Global
  • *****
  • 11179
  • Recebeu: 2403 vez(es)
  • Enviou: 3369 vez(es)
  • +762/-1037
(sem assunto)
« Responder #182 em: Outubro 23, 2008, 04:21:36 pm »
Citação de: "nelson38899"
pela wikipédia

Performance

    * Maximum speed: Mach 2 (2,410 km/h, 1,500 mph)
    * Combat radius: 800+ km (500 mi, 430 NM)
    * Ferry range: 2,800 km (1,740 mi)
    * Service ceiling 15,240 m (50,000 ft)
    * Wing loading: 341 kg/m² (70.3 lb/ft²)
    * Thrust/weight: 0.94

For aircraft, ferry range means the maximum range the aircraft can fly. This usually means maximum fuel load, optionally with extra fuel tanks and minimum equipment. It refers to transport of aircraft for use on remote location.

ou seja o gripen com os depósitos externos tem uma bom alcance 2800 km


Ou seja, os depósitos externos aumentam-lhe o raio de acção mais 2.000km mas, o mais certo é, não poder levar armamento nenhum.

Essa informação interessa para quando se quiser mandar um destacamento de Gripens para um lado qualquer pois se for uma distância inferior a 2.800km, os Gripen podem ir sozinhos mas, se for uma distância superior tem duas hipoteses, ou são acompanhados por aviões-reabastecedores ou tem que parar para reabasteceder em algum aerodromo a meio do caminho.
 

*

Edu

  • Especialista
  • ****
  • 1166
  • Recebeu: 155 vez(es)
  • Enviou: 12 vez(es)
  • +5/-4
(sem assunto)
« Responder #183 em: Outubro 23, 2008, 04:40:42 pm »
Caro Lightning, ferry range ou alcance maximo em Português não é nem raio de acção nem raio de combate. Raio de acção implica uma deslocação em cruzeiro, executar a missão, e regresso á base, e esse raio é a distancia maxima a que o avião tem capacidade de excutar essas 3 coisas. Por isso os tanques não adicionam 2000 km extra de alcance ao avião. No entanto de facto quando está em ferry range o avião não tem capacidade de desempenhar nenhuma missão, já que a distancia de 2800 km não incluem o regresso nem tão pouco o tranporte de qualquer outro equipamento significativo, como misseis ou bombas.

Do meu ponto de vista penso que o Gripen é um pouco pequeno, não sei se será bem o que a FAP poderia necessitar, alem de que tem uma relação T/W algo baixa para um caça actual, já que por norma hoje em dia todos têm a tracção com aproximadamente o mesmo valor do peso, apesar de tudo gosto mesmo muito do Gripen.

Caro AMRAAM, não fazia a ideia que o Rafale era mais caro que o Eurofighter, assim sendo tenho como preferencia claramente o Eurofighter.

Gostaria de perguntar qual a desvantagem da operação de uma aeronave de combate com dois motores por parte da FAP, já que foi referido que a FAP se iria tramar caso adquirisse um caça bimotor.

Cumprimentos  :wink:
 

*

pmdavila

  • Perito
  • **
  • 366
  • +0/-0
(sem assunto)
« Responder #184 em: Outubro 23, 2008, 05:06:17 pm »
Citação de: "Edu"
Gostaria de perguntar qual a desvantagem da operação de uma aeronave de combate com dois motores por parte da FAP, já que foi referido que a FAP se iria tramar caso adquirisse um caça bimotor.

Cumprimentos  :wink:
Com os melhores cumprimentos,
pmdavila

"Antes morrer livres que em paz sujeitos"
 

*

nelson38899

  • Investigador
  • *****
  • 5439
  • Recebeu: 803 vez(es)
  • Enviou: 802 vez(es)
  • +559/-2618
(sem assunto)
« Responder #185 em: Outubro 23, 2008, 05:12:16 pm »
Citação de: "Edu"
Caro Lightning, ferry range ou alcance maximo em Português não é nem raio de acção nem raio de combate. Raio de acção implica uma deslocação em cruzeiro, executar a missão, e regresso á base, e esse raio é a distancia maxima a que o avião tem capacidade de excutar essas 3 coisas. Por isso os tanques não adicionam 2000 km extra de alcance ao avião. No entanto de facto quando está em ferry range o avião não tem capacidade de desempenhar nenhuma missão, já que a distancia de 2800 km não incluem o regresso nem tão pouco o tranporte de qualquer outro equipamento significativo, como misseis ou bombas.

Do meu ponto de vista penso que o Gripen é um pouco pequeno, não sei se será bem o que a FAP poderia necessitar, alem de que tem uma relação T/W algo baixa para um caça actual, já que por norma hoje em dia todos têm a tracção com aproximadamente o mesmo valor do peso, apesar de tudo gosto mesmo muito do Gripen.

Caro AMRAAM, não fazia a ideia que o Rafale era mais caro que o Eurofighter, assim sendo tenho como preferencia claramente o Eurofighter.

Gostaria de perguntar qual a desvantagem da operação de uma aeronave de combate com dois motores por parte da FAP, já que foi referido que a FAP se iria tramar caso adquirisse um caça bimotor.

Cumprimentos  :wink:


o mais importante para a FAP na minha opinião é ter um caça barato de manter e com múltiplas capacidades, o gripen tem essas características e com o aumento das capacidades do gripen ng era o ideal para a FAP. O f35 também é um bom caça o problema é se vier para FAP vem liso, como já anteriormente foi falado.
"Que todo o mundo seja «Portugal», isto é, que no mundo toda a gente se comporte como têm comportado os portugueses na história"
Agostinho da Silva
 

*

Lightning

  • Moderador Global
  • *****
  • 11179
  • Recebeu: 2403 vez(es)
  • Enviou: 3369 vez(es)
  • +762/-1037
(sem assunto)
« Responder #186 em: Outubro 23, 2008, 05:26:42 pm »
Citação de: "Edu"
Caro Lightning, ferry range ou alcance maximo em Português não é nem raio de acção nem raio de combate. Raio de acção implica uma deslocação em cruzeiro, executar a missão, e regresso á base, e esse raio é a distancia maxima a que o avião tem capacidade de excutar essas 3 coisas.

Tem razão enganei-me, eu quando referi raio de acção, queria dizer alcance, se ler o exemplo que eu dei a seguir é a isso que me refiro, a uma viagem do ponto A para o ponto B com o máximo de combustivel e a velocidade cruzeiro, e não ir do ponto A ao ponto B, combater e regressar ao ponto A.

Citar
No entanto de facto quando está em ferry range o avião não tem capacidade de desempenhar nenhuma missão, já que a distancia de 2800 km não incluem o regresso nem tão pouco o tranporte de qualquer outro equipamento significativo, como misseis ou bombas.

É ao que eu me refiro também.

Citar
Gostaria de perguntar qual a desvantagem da operação de uma aeronave de combate com dois motores por parte da FAP, já que foi referido que a FAP se iria tramar caso adquirisse um caça bimotor.


Deve consumir mais combustível  :lol: .
 

*

PedroM

  • 167
  • +0/-1
(sem assunto)
« Responder #187 em: Outubro 23, 2008, 09:40:25 pm »
Citação de: "AMRAAM"
Sinceramente no entiendo de donde sacan que a dia de hoy un rafale es mas barato que un eurofighter.
SALUDOS!!


Aqui por exemplo:
http://www.iht.com/articles/2006/07/16/ ... rfight.php
http://www.strategypage.com/militaryforums/6-48362.aspx

Mas existem muitos mais sitios onde essa informação é passada.
Contudo também é verdade que na net existem muitos sites que veículam a informação contária  :oops:.
Há aqui qualquer coisa que não bate certo e vale a pena tentar esclarecer.

Seja como for, se o Rafale não for significativamente mais barato que o Typhoon então não vale a pena pensar nele, nem como hipótese académica.
Nesse caso se a opção não for pelo F35 então a escolha circunscreve-se ao Typhoon II e ao Grippen NG.
 

*

AMRAAM

  • Perito
  • **
  • 468
  • Recebeu: 1 vez(es)
  • +0/-0
(sem assunto)
« Responder #188 em: Outubro 24, 2008, 02:37:52 am »
Citação de: "PedroM"
Citação de: "AMRAAM"
Sinceramente no entiendo de donde sacan que a dia de hoy un rafale es mas barato que un eurofighter.
SALUDOS!!

Aqui por exemplo:
http://www.iht.com/articles/2006/07/16/ ... rfight.php
http://www.strategypage.com/militaryforums/6-48362.aspx

Mas existem muitos mais sitios onde essa informação é passada.
Contudo também é verdade que na net existem muitos sites que veículam a informação contária  :oops:.
Há aqui qualquer coisa que não bate certo e vale a pena tentar esclarecer.

Seja como for, se o Rafale não for significativamente mais barato que o Typhoon então não vale a pena pensar nele, nem como hipótese académica.
Nesse caso se a opção não for pelo F35 então a escolha circunscreve-se ao Typhoon II e ao Grippen NG.

Para mi tienen mayor valor y mayor credibilidad los datos oficiales existentes,como son por un lado los datos aportados por el Ministerio de Economia y Hacienda de España en relacion al coste del programa Eurofighter,y por otro lado las cifras aportadas por la propia empresa Dassault en la oferta que realizo a Marruecos para una posible adquisicion por parte de este pais de 18 aviones Rafale. :wink:

SALUDOS!!
"Con la sangre de un guerrero y el primer rayo de sol, hizo Dios una bandera, y se la dio al pueblo español"
 

*

nelson38899

  • Investigador
  • *****
  • 5439
  • Recebeu: 803 vez(es)
  • Enviou: 802 vez(es)
  • +559/-2618
(sem assunto)
« Responder #189 em: Outubro 24, 2008, 08:56:08 am »
Citação de: "nelson38899"
Aqui fica a ficha técnica do rafale.

Citar
Type Multirole fighter aircraft
Manufacturer Dassault Aviation
Maiden flight 1986-07-04
Introduced 2000-12-04
Status In production
Primary users French Air Force French Navy
Unit cost €48 million
http://www.airramstein.nato.int/bold_av ... rafale.pdf


de acordo com a nato, que é mesmo o dado oficial o preço do rafale é de 48 milhões de euros.
"Que todo o mundo seja «Portugal», isto é, que no mundo toda a gente se comporte como têm comportado os portugueses na história"
Agostinho da Silva
 

*

AMRAAM

  • Perito
  • **
  • 468
  • Recebeu: 1 vez(es)
  • +0/-0
(sem assunto)
« Responder #190 em: Outubro 24, 2008, 01:01:30 pm »
Citação de: "nelson38899"
Citação de: "nelson38899"
Aqui fica a ficha técnica do rafale.

Citar
Type Multirole fighter aircraft
Manufacturer Dassault Aviation
Maiden flight 1986-07-04
Introduced 2000-12-04
Status In production
Primary users French Air Force French Navy
Unit cost €48 million
http://www.airramstein.nato.int/bold_av ... rafale.pdf

de acordo com a nato, que é mesmo o dado oficial o preço do rafale é de 48 milhões de euros.
Tambien el precio del F-35 supuestamente y dado su gran numero de aviones previstos para la construccion,mediante la aplicacion de economias de escala,deberia rondar si no recuerdo mal y segun estimaban algunas previsiones de hace algunos años entre los 60-80 millones de euros y la realidad ha demostrado que esto no es cierto,ya que ahi tenemos los datos de los precios de los prototipos pagados por Holanda presupuestados ampliamente en mas de 100 millones de euros,o el reciente contrato con Israel en donde la unidad de este avion les sale por cerca de 200 millones de euros,aunque eso si con mantenimiento y armamento incluido durante varios años.

En el caso del Rafale ha ocurrido lo mismo,ahi estan las previsiones iniciales francesas en cuanto al numero de aviones a comprar,y su posterior recorte debido al alto precio del avion,y es que el desarrollar un avion en solitario tienes sus desventajas..   :roll: .
De hecho en relacion a lo que te digo te dejo un articulo interesante en frances.

Citar
22/10/2008
Exclusif :sérieux coup de frein sur les commandes de Rafale

Le ministère de la Défense pourrait ne commander que cinquante avions de combat Rafale, au cours des six prochaines années. Selon nos informations, la loi de programmation militaire (2009-14), qui a été approuvée le 10 octobre lors d'un Conseil de défense à l'Elysée - et qui sera à l'ordre du jour du Conseil des ministres du mercredi 29 octobre, prévoit l'acquisition d'environ cinquante Rafale, soit un peu plus de huit par an. Il s'agit toutefois d'un chiffre plancher, car la loi de programmation laisse la porte ouverte à des commandes plus importantes, jusqu'à soixante-six avions, soit onze par an. Le rythme actuel de livraison est d'une quinzaine par an.

L'ajustement se fera, sans doute en 2010, en fonction des succès de l'appareil à l'exportation. Deux contrats sont en cours de discussion, l'un avec les Emirats arabes unis (60), l'autre avec la Libye (14). Si ces contrats sont signés, la commande de l'Etat français sera plus faible - pouvant descendre donc jusqu'à 50. En revanche, si le Rafale enregistre de nouveaux échecs à l'export [ce qui est aujourd'hui peu probable], l'Etat français augmentera ses commandes afin de maintenir les cadences de production. Celles-ci baisseront, quoi qu'il advienne, passant de 14 avions construits par an actuellement à 11 au maximum.

La baisse prévue du rythme de livraison de cet avion de combat provoque de sérieuses tensions entre l'Armée de l'air et la Marine nationale, qui en sont, toutes les deux, équipées. La Marine fait valoir que ses Super-Etendard arriveront en fin de vie en 2015, et qu'il faudra alors une quarantaine de Rafale Marine, afin de pouvoir armer un Groupe aérien embarqué de trente avions. Dans le même temps, l'Armée de l'air transforme ses escadrons sur Rafale. Si les appareils ne sont livrés qu'au compte-gouttes, il faut plusieurs années pour mettre sur pied un escadron opérationnel de 20 appareils.

http://secretdefense.blogs.liberation.fr/defense/2008/10/exclusif-srieux.html#more

SALUDOS!!
"Con la sangre de un guerrero y el primer rayo de sol, hizo Dios una bandera, y se la dio al pueblo español"
 

*

nelson38899

  • Investigador
  • *****
  • 5439
  • Recebeu: 803 vez(es)
  • Enviou: 802 vez(es)
  • +559/-2618
(sem assunto)
« Responder #191 em: Novembro 07, 2008, 10:15:01 am »
Citar


Jane's believes the Gripen team has reasons for optimism, however.

First of all, in terms of the aircraft's capability, Saab is offering its enhanced Gripen NG (Next Generation) variant for the Brazilian, Danish, Dutch, Indian and Norwegian requirements, which incorporates a number of significant improvements over the baseline Gripen C/D. These enhancements include: an active electronically scanned array radar developed in conjunctionwith Thales (due to begin flight testing in 2009); General Electric F-414G engines, which provide increased thrust and maximum take-off weight; additional weapons stores; enhanced avionics and electronic warfare capabilities; and increased range.


While currently in the developmental stage, the Gripen NG programme would be accelerated in the event of a contract win and the aircraft would be available to enter service from 2014.

Bob Kemp, sales and marketing director for Gripen International, citing figures produced for the Dutch fighter contest, said Saab believes that the Gripen NG, as part of an 85-aircraft fleet, would cost EUR6 billion (USD7.6 billion) less than the F-35 in terms of life-cycle costs over a 30-year period.

At a unit cost of between USD50 million andUSD60 million, the Gripen also offers the lowest-cost platform in terms of acquisition expenditure. By comparison, according to Fiscal Year 2009 US Air Force (USAF) and US Navy (USN) budgetary documentation, the unit costs of the F-35 and F/A-18E/F are USD83.1 million and USD82.7 million respectively.


http://www.janes.com/news/defence/air/j ... _1_n.shtml


achei que também devia por aqui parte da noticia sobre o gripen.
Pela conceituada janes o gripen é mais barato tem as suas capacidades aumentas e uma vida útil de trinta anos, ou seja, o melhor avião para servir os interesses Portugueses
"Que todo o mundo seja «Portugal», isto é, que no mundo toda a gente se comporte como têm comportado os portugueses na história"
Agostinho da Silva
 

*

Portucale

  • Membro
  • *
  • 197
  • Recebeu: 19 vez(es)
  • +3/-0
(sem assunto)
« Responder #192 em: Novembro 07, 2008, 12:47:45 pm »
Dado o actual estado das coisas vamos ter F16MLU durante os próximos 15 a 20 anos, a não ser que o mundo dê uma volta muito grande esse será o nosso futuro próximo.
Depois disso tudo depende dos produtos que estiverem disponiveis, do enquadramento estratégico e do dinheiro.

Pessoalmente penso que por esta altura a Europa irá funcionar melhor e os politicos vão dar prioridade ao material fabricado na Europa.
Dos equipamentos disponiveis neste momento, Eurofighter, Rafale e Gripen, penso que apenas um poderá ainda ser produzido ou estar disponivel em 2ª mão em quantidade e qualidade, o Eurofighter.
Isto porque serão produzidos em quantidade e utilizados por vários paises que terão de os modernizar e evoluir nas próximas duas decadas.
Além disso não nos podemos esquecer do ciclo de vida das aeronaves, pelo que temos assistido no passado recente um avião é lançado mas ao fim de 15 a 20 anos é modernizado ou fica em desvantagem.

Sobre O rafale penso que é um avião extraordinário, pois foi e é produzido e desenvolvido apenas pela França.

O gripen é um avião que representa uma mentalidade, a Sueca, foi feito para ser fácil e barato de manter, para operar em estradas e pistas reduzidas.
Tem várias desvantagens, pertence a um país não nato, podem dizer que isto não é argumento válido mas foi o usado por um embaixador Americano quando a Rep. Checa e a Hungria adotaram o avião, a mensagem é clara e politica, leva nos á maior fragilidade do avião, partes importantes deste são produtos americanos, é olhar para o motor e para o armamento.

Sobre os produtos americanos, ou eles voltam a ter algum respeito pelos europeus ou vão perder clientela para os equipamentos novos.
Têm sempre o material usado para vender........

Para terminar este texto recordo que vários países europeus têm conversado sobre o desenvolvimento e produção do avião para a próxima geração, inclusivé o Reino Unido, a França e a Suecia.
Podemos estar em presença de uma evolução.
Na Europa irá apenas haver um projecto em vez de vários, que é o que temos agora, e se assim for esse poderá ser o nosso proximo caça.
Eis aqui
quase cume da cabeça da Europa toda
O Reino Lusitano
onde a Terra se acaba
e o Mar começa.

Versos de Camões
 

*

Lightning

  • Moderador Global
  • *****
  • 11179
  • Recebeu: 2403 vez(es)
  • Enviou: 3369 vez(es)
  • +762/-1037
(sem assunto)
« Responder #193 em: Novembro 07, 2008, 04:03:53 pm »
Citação de: "Portucale"
Para terminar este texto recordo que vários países europeus têm conversado sobre o desenvolvimento e produção do avião para a próxima geração, inclusivé o Reino Unido, a França e a Suecia.
Podemos estar em presença de uma evolução.
Na Europa irá apenas haver um projecto em vez de vários, que é o que temos agora, e se assim for esse poderá ser o nosso proximo caça.


O Eurofighter já foi uma tentativa disso entre as grandes nações europeias, mas os Franceses não se entenderam com as outras nações do projecto e abandoram o Eurofighter para produzir o Rafale.
 

*

LuisC

  • Perito
  • **
  • 311
  • +0/-1
(sem assunto)
« Responder #194 em: Novembro 08, 2008, 02:06:22 am »
Eu aposto no Eurofighter em 2ª mão para FAP dentro de uns 15 anos e isto porque, provavelmente irão ser substituídos parcialmente por UCAVs nas mais poderosas Forças Aéreas da Europa (Reino Unido, Alemanha, etc.).

Cumps