Primeiro avião português (2025)

  • 34 Respostas
  • 5334 Visualizações
*

tenente

  • Investigador
  • *****
  • 10467
  • Recebeu: 5816 vez(es)
  • Enviou: 4486 vez(es)
  • +8508/-1865
Re: Primeiro avião português (2025)
« Responder #30 em: Dezembro 07, 2023, 06:13:38 am »
Contentor deste tipo?

https://en.wikipedia.org/wiki/Unit_load_device

Claramente não é nada de inédito. No máximo, o que poderá ser "inédito", ou superior à concorrência em aeronaves daquela dimensão e capacidades, é o volume interno da cabine e o acesso a esta, não só para o contentor, mas para tudo o resto.

Que há potencial de mercado, já se sabe que sim, pois poderá substituir aeronaves civis e militares em muitos países. Mas para isso, é preciso provar o seu valor e ter um preço competitivo. Para provar o seu valor, será necessário encomendas internas, e o mercado civil por si só poderá não chegar, e portanto se querem que a FAP compre alguns, convém que sirva para algo mais do que meramente transporte.

Nesse mesmo artigo no início do tópico, é dado o exemplo da FAB, com os seus Bandeirante. Mas a FAB não é um cliente garantido, nem de perto nem de longe, já que poderá haver pressões internas para que se compre algo feito no Brasil.

Não Dc, os ULD's desse tipo, AKE e afins são standart para os NB/WB da aviação comercial, as dimensões não são compatíveis com a capacidade interna dessa nova aeronave, wue devido as suas dimensões poderá nem poder receber qq tipo/modelo de ULD existente!

Para esse tipo de aeronaves, quando adptadas, e o MD, Permite, são utilizadas paletes do tipo que por exemplo, os C295, podem usar quando tem a versão contentorizada.

Abraços
« Última modificação: Dezembro 07, 2023, 06:28:10 am por tenente »
Quando um Povo/Governo não Respeita as Suas FFAA, Não Respeita a Sua História nem se Respeita a Si Próprio  !!
 
Os seguintes utilizadores agradeceram esta mensagem: dc

*

saabGripen

  • Analista
  • ***
  • 680
  • Recebeu: 135 vez(es)
  • Enviou: 45 vez(es)
  • +373/-455
Re: Primeiro avião português (2025)
« Responder #31 em: Dezembro 07, 2023, 09:58:16 am »
Contentor deste tipo?

https://en.wikipedia.org/wiki/Unit_load_device

Claramente não é nada de inédito. No máximo, o que poderá ser "inédito", ou superior à concorrência em aeronaves daquela dimensão e capacidades, é o volume interno da cabine e o acesso a esta, não só para o contentor, mas para tudo o resto.

Que há potencial de mercado, já se sabe que sim, pois poderá substituir aeronaves civis e militares em muitos países. Mas para isso, é preciso provar o seu valor e ter um preço competitivo. Para provar o seu valor, será necessário encomendas internas, e o mercado civil por si só poderá não chegar, e portanto se querem que a FAP compre alguns, convém que sirva para algo mais do que meramente transporte.

Nesse mesmo artigo no início do tópico, é dado o exemplo da FAB, com os seus Bandeirante. Mas a FAB não é um cliente garantido, nem de perto nem de longe, já que poderá haver pressões internas para que se compre algo feito no Brasil.

Não Dc, os ULD's desse tipo, AKE e afins são standart para os NB/WB da aviação comercial, as dimensões não são compatíveis com a capacidade interna dessa nova aeronave, wue devido as suas dimensões poderá nem poder receber qq tipo/modelo de ULD existente!

Para esse tipo de aeronaves, quando adptadas, e o MD, Permite, são utilizadas paletes do tipo que por exemplo, os C295, podem usar quando tem a versão contentorizada.

Abraços

Vou INSISTIR.

Quando o projecto foi apresentado, foi referido que o aparelho seria capaz de transportar contentores standard.
Os desenhos que aparecem no início deste tópico mostram um contentor a ser carregado (se está á escala correcta, não sei), não uma palete.
Se nos diz que "estes aparelhos (deste tamanho)", em geral, não conseguem acomodar estes contentores - então: se este pode, estamos perante uma vantagem significativa em termos comerciais.

Falta a confirmação.
« Última modificação: Dezembro 07, 2023, 10:05:33 am por saabGripen »
 

*

MMaria

  • Perito
  • **
  • 349
  • Recebeu: 45 vez(es)
  • Enviou: 148 vez(es)
  • +22/-324
Re: Primeiro avião português (2025)
« Responder #32 em: Dezembro 07, 2023, 09:03:04 pm »
Olás.

Caso seja o ATL-100 na página do projeto tem algumas informações básicas.




http://desaer.com.br/

Sds!
Toda unanimidade é burra.
Quem pensa com a unanimidade não precisa pensar.

Nelson Rodrigues
 

*

saabGripen

  • Analista
  • ***
  • 680
  • Recebeu: 135 vez(es)
  • Enviou: 45 vez(es)
  • +373/-455
Re: Primeiro avião português (2025)
« Responder #33 em: Dezembro 08, 2023, 12:57:16 am »

E aqui podem ver o que é um LD3:

https://simple.wikipedia.org/wiki/Unit_load_device

E comparar com a imágem do avião no início do tópico
 

*

papatango

  • Investigador
  • *****
  • 7641
  • Recebeu: 1042 vez(es)
  • +4774/-948
Re: Primeiro avião português (2025)
« Responder #34 em: Dezembro 08, 2023, 12:54:50 pm »
Não consegui entender que características tem esta aeronave.

Nenhum avião é construido de fio a pavio em país algum.
Já tive discussões com brasileiros a defenderem a glória eterna da grandiosa Embraer, explicando que o mais importante dos aviões são os motores, as asas, o trem de aterragem e muito importante, os aviónicos ou sistemas de navegação.

Logo, esta aeronave não terá motores nem trem de aterragem fabricado em Portugal.
Como eu não conheço nenhum fabricante de sistemas de navegação aeronáutica em Portugal, fico com a impressão de que ou estão a pensar colocar um smartphone no cockpit e guiar o avião utilizando o smartphone, ou então também vão ter que comprar os sistemas de navegação, sem os quais nenhum avião será certificado para voar, nem no Burkina-Faso.

Este tipo de sistemas, é imprescindivel por exemplo para voos inter ilhas. Há muito tempo que não se voa à vista ...

Sabemos que não há motor, mas não sabemos que motor seria colocado. Por isso, não sabemos qual a autonomia da aeronave vazia, e não sabemos que porção de terreno consegue cobrir com a carga máxima prevista.


A título de curiosidade, o primeiro avião produzido em Portugal, sob licença, foi o Tiger-Moth na década de 1930.
Foi fabricado pelas OGMA em mais de 140 unidades.
É muito mais fácil enganar uma pessoa, que explicar-lhe que foi enganada ...
 
Os seguintes utilizadores agradeceram esta mensagem: Subsea7, Pneucareca, saabGripen