Iraque a ferro e fogo

  • 1459 Respostas
  • 328535 Visualizações
*

Lusitano89

  • Investigador
  • *****
  • 22008
  • Recebeu: 2766 vez(es)
  • Enviou: 257 vez(es)
  • +1204/-1516
Re: Iraque a ferro e fogo
« Responder #1455 em: Outubro 16, 2017, 05:00:24 pm »
Forças de Bagdade cercam Kirkuk


 

*

Lusitano89

  • Investigador
  • *****
  • 22008
  • Recebeu: 2766 vez(es)
  • Enviou: 257 vez(es)
  • +1204/-1516
Re: Iraque a ferro e fogo
« Responder #1456 em: Dezembro 09, 2017, 06:02:35 pm »
Iraque declara fim da guerra contra o Estado Islâmico no país


 


*

papatango

  • Investigador
  • *****
  • 7601
  • Recebeu: 1029 vez(es)
  • +4744/-937
Re: Iraque a ferro e fogo
« Responder #1458 em: Fevereiro 25, 2023, 11:43:34 am »
Transferi este texto para aqui, porque se trata de uma ramificação de uma discussão sobre a guerra Irão-Iraque resultado da questão da guerra na Ucrânia ...

Trata-se de rebater a ideia de que Saddam Hussein poderia ter utilizado armas quimicas com o apoio das democracias ocidentais, o que naturalmente não corresponde à verdade ...

= = =


A aviação de combate, é o que tenho em mente, quando falo de aviões.
https://en.wikipedia.org/wiki/Iraqi_Air_Force

Além disso, os milhares de tanques iraquianos eram todos de proveniência soviética ou chinesa, com viaturas blindadas ligeiras fornecidas pelo Brasil.
Saddam Hussein, era apoiado pela URSS e pela China, de forma esmagadora, e as suas acções e ataques quimicos teriam ocorrido com ou sem o fornecimento de equipamentos ocidentais. A unica potência que levantou a questão das armas quimicas, curiosamente foram os Estados Unidos, quando colocaram a questão ao nível das Nações Unidas, perante a quantidade de ataques quimicos iraquianos.

E como já foi dito, o Saddam que atacou o Iraque, aparecia como um mal menor, quando comparado com o extremismo to Aiatola Khomeini.
A América era a de Reagan. O inimigo do meu inimigo, meu amigo é ...

Daí a dizer que Saddam tinha o apoio do ocidente, não é uma afirmação verdadeira ...
Tinha o beneplácito e as democracias olhavam para o outro lado e fingiam que não viam nada...

Aliás, corresponderia a dizer que os russos também eram bonzinhos quando matavam os chechenos, porque afinal também estavam a combater os islâmicos radicas.
É igualmente equivalente a dizer que para o Putin no inicio o Zelensky também era o candidato pro-russo porque o Petro Poroshenko só tinha o apoio dos ucranianos do ocidente.

Agora, os FACTOS são os factos e não podemos andar a dissimular e a despejar meias verdades que não servem para mais nada que criar ideias falsas.
O Saddam Hussein adquiriu os caças Mirage, antes sequer de começar a guerra contra o Irão. Considerou-se a possibilidade de cancelar os fornecimentos,  depois da invasão, mas evidentemente não havia clima politico para dar a impressão de que se apoiava um regime extremista islâmico iraniano caso se embargasse o irão.

As  extrapolações são perigosas.
As falsas equivalencias também.

Nos dias de hoje, primeiro começa-se com a falsa equivalencia e depois passa-se para o patamar seguinte.
Temos por isso que evitar as falsas equivalências, ou então lembrar porque é que as equivalencias são falsas.

Quem armou de forma macissa Saddam, foi a URSS de Brejnev e Gorbatchev e a China. Os "apoios"  ocidentais existiram sim, na sequencia da revolução islâmica, que era vista na altura como o pior dos males à face da terra.

Mas em circunstância alguma foram eles que suportaram o regime de Saddam.


É muito mais fácil enganar uma pessoa, que explicar-lhe que foi enganada ...
 

*

Kalil

  • Especialista
  • ****
  • 1007
  • Recebeu: 305 vez(es)
  • Enviou: 217 vez(es)
  • +89/-490
Re: Iraque a ferro e fogo
« Responder #1459 em: Fevereiro 25, 2023, 11:04:33 pm »
Fez muito bem em transferir para o tópico dedicado.

Com o devido respeito, se consegue analisar o conflito actual de forma a que só existem duas opções para o ocidente, apoiar a Ucrânia ou a Rússia, não é correcto fazer a análise da guerra Irão-Iraque com outros pesos na balança.
Se, por exemplo, a Alemanha fornecesse munições aos russos neste momento, iria considerar que isso era um apoio? É disso que se trata, não foi simplesmente ignorar por displicência um conflito, foi fornecer armamento que era utilizado nessa guerra. Pode não ter sido um suporte total e aberto como o dos russos, mas existiu. E isso também é factual.

Cumprimentos