Energias Renováveis

  • 300 Respostas
  • 72762 Visualizações
*

Viajante

  • Investigador
  • *****
  • 3013
  • Recebeu: 1705 vez(es)
  • Enviou: 859 vez(es)
  • +2775/-2642
Re: Energias Renováveis
« Responder #285 em: Abril 06, 2022, 11:21:01 am »
EDP no Alqueva, Endesa no Alto Rabagão, e Portugal com o preço de energia mais baixo do mundo. Conheça os resultados do leilão



Foram ontem atribuídos 183 megawatts (MW) no leilão para a instalação e exploração de centrais fotovoltaicas em sete barragens de norte e sul do país. Para o Governo este foi um sucesso e fez com que o preço da energia atingisse o preço mais baixo da energia mundial, com ganhos para os consumidores de 7,6 milhões de euros anuais.

“O leilão solar flutuante revelou-se um sucesso, com Portugal a bater um novo recorde ao registar o mais baixo preço da energia mundial”, disse o Ministério do Ambiente e da Ação Climática em comunicado.

EDP adquire direitos para o “maior projeto solar flutuante do mundo”

João Galamba chamou-lhe o “maior projeto solar flutuante do mundo”, e agora a EDP obteve o direito de ligação à rede de eletricidade para uma capacidade de 70 MVA (MegavoltAmpere) no Alqueva.

Este direito de ligação, que foi obtido através da subsidiária EDP Renováveis, S.A., tem um contrato por diferenças (CfD) de 4€/MWh por um período de 15 anos, e a EDP espera que a capacidade de ligação permita “instalar até 154 MW de energias renováveis, incluindo 70 MW de solar PV flutuante sujeitos ao CfD acima referido e, adicionalmente, 14 MW de sobreequipamento solar e hibridização de 70 MW de capacidade eólica, ambos excluídos do CfD”, exlicou a empresa em comunicado à Comissão de Mercado de Valores Mobiliários.

Este projeto tem data de entrada em operação prevista para 2025.

Endesa conquista Alto Rabagão

A Endesa ganhou o direito de ligação dos 42 megawatt (MW) na barragem do Alto Rabagão, Montalegre. O direito foi obtido através da subsidiária Endesa Generación Portugal e representa um investimento de 115 milhões de euros.

Este projeto tem data de entrada em operação prevista para 2026.

Finerge vence lotes de Paradela, Salamonde e Tabuaço

Já a Finerge venceu três lotes no leilão do solar flutuante, que correspondem às albufeiras de Paradela (13 megawatts -MW), Salamonde (8 MW) e Vilar-Tabuaço (17 MW).

“Esta é a primeira vez que a Finerge garante algum lote num leilão de solar, na terceira participação que faz. Esta conquista reflete a nossa aposta na área do desenvolvimento e inovação, para a qual criámos um departamento autónomo em 2020, focado na inovação e tecnologia, nomeadamente na área de armazenamento e solar flutuante”, disse o presidente executivo da Finerge, Pedro Norton, em comunicado.

Voltalia agarra barragem do Cabril

A energética francesa Voltalia venceu o leilão da albufeira da barragem do Cabril, no concelho de Montalegre, com uma capacidade de 33 MVA.

“O lote fechou com um preço de referência acima de 41 euros por megawatt hora (resultante numa tarifa de venda de 41,03 euros MWh)”, explicou fonte oficial da Voltalia, de acordo com o ‘Jornal Económico’.

Castelo de Bode ficou por adjudicar

No leilão para a instalação e exploração das centrais fotovoltaicas ficou por adjudicar o lote em Castelo de Bode, que tem uma capacidade de receção de 50 MW. O Ministério do Ambiente e da Ação Climática explicou que este lote teve um único licitante, sendo que o concorrente tem cinco dias úteis para fazer uma oferta melhorada.

https://executivedigest.sapo.pt/edp-no-alqueva-endesa-no-alto-rabagao-e-portugal-com-o-preco-de-energia-mais-baixo-do-mundo-conheca-os-resultados-do-leilao/

Só é pena que o melhor preço do mundo não se reflita no melhor custo ao cliente por kw/h  ::)
 

*

NVF

  • Investigador
  • *****
  • 4871
  • Recebeu: 3361 vez(es)
  • Enviou: 6008 vez(es)
  • +4412/-173
Re: Energias Renováveis
« Responder #286 em: Abril 06, 2022, 12:21:20 pm »
No Canadá é normal o pessoal vender o excesso de produção à rede. Não Austrália era o mesmo, mas graças  à “influência” das eléctricas, agora, em certas circunstâncias, até cobram ao pessoal que fornece energia de volta à rede.

https://www.racv.com.au/royalauto/sustainability/sustainable-living/proposed-changes-solar-feed-in-tariffs.html
Talent de ne rien faire
 
Os seguintes utilizadores agradeceram esta mensagem: Viajante

*

asalves

  • Especialista
  • ****
  • 1110
  • Recebeu: 468 vez(es)
  • Enviou: 124 vez(es)
  • +300/-130
Re: Energias Renováveis
« Responder #287 em: Abril 06, 2022, 01:19:56 pm »

Era incentivar a instalação de sistemas domésticos dedutíveis em IRS.
Solar, eólico, combinado... São várias as opções.

O maior obstáculo são os operadores e o próprio estado que não quer isso.
Noutros países a energia em excesso produzidas pelas habitações é injectada na rede. Por cá os contadores não permitem isso propositadamente!!!!!
Eu próprio e os meus vizinhos estamos a instalar ou já temos os telhados/coberturas com painéis solares, mas não é nada fácil colocar essa energia no mercado, diria mesmo que é quase impossível! E essa energia é desperdiçada, excepto que cada um investir quase 10 000€ em baterias para armazenar essa energia!!!!!!

Repare, eu não me importava nada de vender a 5 cêntimos o kw/h e pagar a 20 cêntimos quando precisasse, mas tente vender e vai ver os obstáculos que encontra!!!!!

Pessoalmente não sei se serão os Operadores ou os grandes produtores, ... já ouvi entrevistas a diversos responsáveis a defender a micro-geração e a venda do restante dessa micro-geração. (Não esquecer que quem produz energia não é necessariamente quem vende ao consumidor final)

Sei que hoje em dia também é mais fácil fazer essa venda (precisa de equipamentos específicos, e de licenças, mas antigamente mesmo com todo o equipamento havia numero limitado de vagas para isso, quando andava na Universidade ainda cheguei a ganhar uns trocos a tentar submeter contratos de venda de eletricidade), acho que é mais o estado a dificultar do que propriamente a interferência dos operadores.
 

*

Viajante

  • Investigador
  • *****
  • 3013
  • Recebeu: 1705 vez(es)
  • Enviou: 859 vez(es)
  • +2775/-2642
Re: Energias Renováveis
« Responder #288 em: Abril 13, 2022, 12:21:50 pm »

Era incentivar a instalação de sistemas domésticos dedutíveis em IRS.
Solar, eólico, combinado... São várias as opções.

O maior obstáculo são os operadores e o próprio estado que não quer isso.
Noutros países a energia em excesso produzidas pelas habitações é injectada na rede. Por cá os contadores não permitem isso propositadamente!!!!!
Eu próprio e os meus vizinhos estamos a instalar ou já temos os telhados/coberturas com painéis solares, mas não é nada fácil colocar essa energia no mercado, diria mesmo que é quase impossível! E essa energia é desperdiçada, excepto que cada um investir quase 10 000€ em baterias para armazenar essa energia!!!!!!

Repare, eu não me importava nada de vender a 5 cêntimos o kw/h e pagar a 20 cêntimos quando precisasse, mas tente vender e vai ver os obstáculos que encontra!!!!!

Pessoalmente não sei se serão os Operadores ou os grandes produtores, ... já ouvi entrevistas a diversos responsáveis a defender a micro-geração e a venda do restante dessa micro-geração. (Não esquecer que quem produz energia não é necessariamente quem vende ao consumidor final)

Sei que hoje em dia também é mais fácil fazer essa venda (precisa de equipamentos específicos, e de licenças, mas antigamente mesmo com todo o equipamento havia numero limitado de vagas para isso, quando andava na Universidade ainda cheguei a ganhar uns trocos a tentar submeter contratos de venda de eletricidade), acho que é mais o estado a dificultar do que propriamente a interferência dos operadores.

Eu estou precisamente a ponderar instalar um sistema na minha casa (fica pronta este ano) e várias pessoas explicaram-me que é quase impossível vender a energia à rede, por causa dos direitos adquiridos dos produtores mais antigos, que têem prevalência sobre os mais recentes!!!!!!!!
 

*

Viajante

  • Investigador
  • *****
  • 3013
  • Recebeu: 1705 vez(es)
  • Enviou: 859 vez(es)
  • +2775/-2642
Re: Energias Renováveis
« Responder #289 em: Abril 13, 2022, 12:35:19 pm »
No Canadá é normal o pessoal vender o excesso de produção à rede. Não Austrália era o mesmo, mas graças  à “influência” das eléctricas, agora, em certas circunstâncias, até cobram ao pessoal que fornece energia de volta à rede.

https://www.racv.com.au/royalauto/sustainability/sustainable-living/proposed-changes-solar-feed-in-tariffs.html

Caro NVF, e por cá também deveria ser normal vendermos o excesso de produção de energia à rede, mas os interesses não deixam!!!!!

Repare dos seguintes absurdos, aqui no profundo interior do país, não temos nem tão cedo vamos ter gás canalizado, no entanto eu tenho de gastar milhares de euros num projecto e numa instalação da rua até a minha casa (acaba a construção este ano) e nem eu quero gás nem há nenhuma conduta a dezenas de km da minha casa, mas desde 2018 tal absurdo é obrigatório!!!!!!!

Depois eu pretendo ter uma casa autónoma energéticamente e para tal e para baixar o investimento que tenho de fazer, fazia todo o sentido eu colocar uns 30 painéis solares (+ ou - 10Kwh) e vendê-la durante o dia e em que a casa não tem quase consumo e depois à noite comprar à rede o que eu preciso. Com isto evitava gastar uns 10 000€ em baterias para armazenar até ao máximo permitido numa casa que são 30Kw de energia.

Já percorri várias pessoas que também têem sistemas recentes semelhantes e que são também instaladores que me dizem categoricamente que tal é quase impossível! A probabilidade de eu fornecer a rede, com uma instalação recente é quase zero, porque tenho todas as outras instalações solares à minha frente e que são mais antigas (e estamos a falar num preço de venda que é de 1/4 do preço que eu pago pelo mesmo kw. A venda ao mercado ronda no máximo 5 cêntimos por kw e eu pago 20 cêntimos por cada kw consumido)!

Só na minha rua, de um total de 8 casas, mais de metade tem 18 a 30 painéis, mas nenhum de nós está ou vai estar a fornecer à rede!!!!
Como é que se justifica este absurdo quando o país é deficitário?
Alguém percebe esta estratégia? Eu não estou a pedir nenhum subsídio, só a possibilidade de vender energia a 5 cêntimos e comprar a mesmo quando precisar a 20 cêntimos!!!!!!!!

Assim não vamos lá!!!!!!
 
Os seguintes utilizadores agradeceram esta mensagem: PTWolf

*

Cabeça de Martelo

  • Investigador
  • *****
  • 17260
  • Recebeu: 1898 vez(es)
  • Enviou: 1660 vez(es)
  • +312/-1507
Re: Energias Renováveis
« Responder #290 em: Julho 19, 2022, 02:40:38 pm »
Entrou ao funcionamento a primeira fase do Sistema Eletroprodutor do Tâmega!
Este vem dar uma lufada de ar fresco ao sistema elétrico nacional, e esmaga a ideia de reativar as centrais a carvão de Sines e Pego.



O sistema é constituído por 3 barragens, nos rios Tâmega e Torno, entrando ao funcionamento apenas as centrais de Gouvães e Daivões.
Estas últimas têm uma capacidade de produção combinada de 1 GW, mais de 10% do consumo máximo nacional e 60% superior à central a carvão do Pego.



A estrela do sistema é a central de #Gouvães que é a única das 3 que é reversível, isto é, com bombagem, permitindo turbinar água de baixo para cima, armazenando até 40 GWh de energia.
Isto equivale a 6 horas de consumo nacional.



A central de Gouvães é uma empreendimento construído a 400 m profundidade e liga o rio Torno ao rio Tâmega com condutas subterrâneas que percorrem 7.7 km.
Quando produz eletricidade a água desloca-se do Torno para o Tâmega, e vice-versa quando carrega a "bateria".



A central de Daivões é mais pequena que a de Gouvães, com uma altura de queda de apenas 64.5 m  e uma capacidade de produção de 118 MW, parecida com a capacidade da central hidroelétrica do Castelo de Bode no Rio Zêzere.



Este investimento é um valor bastante abaixo da média de centrais hidroelétricas construídas pelo mundo fora, quando comparando o valor por unidade de potência instalada (1500 M€/1158 MW = 1300 €/W).



Fazendo os cálculos financeiros para este projeto, e tendo em conta uma duração de 40 anos e um custo de capital de 4%, o custo nivelado da energia (#LCOE) chega aos 72 €/MWh, o que é muito abaixo do valor médio do LCOE para hydro no continente europeu reportado pela pela @IRENA.



Este custo é também muito inferior ao custo actual da eletricidade nos mercados grossistas, o que permite Portugal ter uma fonte de energia firme, limpa e barata, funcionando como complemento às outras renováveis intermitentes.
7. Todos os animais são iguais mas alguns são mais iguais que os outros.

 
Os seguintes utilizadores agradeceram esta mensagem: Lightning, HSMW, Viajante, PTWolf

*

asalves

  • Especialista
  • ****
  • 1110
  • Recebeu: 468 vez(es)
  • Enviou: 124 vez(es)
  • +300/-130
Re: Energias Renováveis
« Responder #291 em: Julho 20, 2022, 12:20:51 pm »
Entrou ao funcionamento a primeira fase do Sistema Eletroprodutor do Tâmega!
Este vem dar uma lufada de ar fresco ao sistema elétrico nacional, e esmaga a ideia de reativar as centrais a carvão de Sines e Pego.



O sistema é constituído por 3 barragens, nos rios Tâmega e Torno, entrando ao funcionamento apenas as centrais de Gouvães e Daivões.
Estas últimas têm uma capacidade de produção combinada de 1 GW, mais de 10% do consumo máximo nacional e 60% superior à central a carvão do Pego.



A estrela do sistema é a central de #Gouvães que é a única das 3 que é reversível, isto é, com bombagem, permitindo turbinar água de baixo para cima, armazenando até 40 GWh de energia.
Isto equivale a 6 horas de consumo nacional.



A central de Gouvães é uma empreendimento construído a 400 m profundidade e liga o rio Torno ao rio Tâmega com condutas subterrâneas que percorrem 7.7 km.
Quando produz eletricidade a água desloca-se do Torno para o Tâmega, e vice-versa quando carrega a "bateria".



A central de Daivões é mais pequena que a de Gouvães, com uma altura de queda de apenas 64.5 m  e uma capacidade de produção de 118 MW, parecida com a capacidade da central hidroelétrica do Castelo de Bode no Rio Zêzere.



Este investimento é um valor bastante abaixo da média de centrais hidroelétricas construídas pelo mundo fora, quando comparando o valor por unidade de potência instalada (1500 M€/1158 MW = 1300 €/W).



Fazendo os cálculos financeiros para este projeto, e tendo em conta uma duração de 40 anos e um custo de capital de 4%, o custo nivelado da energia (#LCOE) chega aos 72 €/MWh, o que é muito abaixo do valor médio do LCOE para hydro no continente europeu reportado pela pela @IRENA.



Este custo é também muito inferior ao custo actual da eletricidade nos mercados grossistas, o que permite Portugal ter uma fonte de energia firme, limpa e barata, funcionando como complemento às outras renováveis intermitentes.

Atenção que este projeto é bom e útil, contudo para variar foi feita a inauguração de uma coisa que ainda está incompleta. Como na descrição ainda falta a construção da 3ª Barragem que vai contribuir para a produção elétrica e falta ainda a construção de 2 parques eólicos que vão contribuir para produção elétrica e para suportar os "gastos" elétricos com a bombagem de água de voltara para a Barragem de Gouvães. Este complexo quando concluído e em produção máxima (não sei a real capacidade de atingirmos essa produção máxima) será responsável pela produção de 6% dos gastos energéticos do País.

Isto para avisar que em relação ao 1 paragrafo:
Citar
ste vem dar uma lufada de ar fresco ao sistema elétrico nacional, e esmaga a ideia de reativar as centrais a carvão de Sines e Pego.

Não sei se vem esmagar assim tanto a ideia, ainda mais quando os últimos dados apontam para estarmos a "importar" cerca de 30% da nossa energia a Espanha, que por sua vez tem importado também energia de França.
 
Os seguintes utilizadores agradeceram esta mensagem: Viajante

*

Viajante

  • Investigador
  • *****
  • 3013
  • Recebeu: 1705 vez(es)
  • Enviou: 859 vez(es)
  • +2775/-2642
Re: Energias Renováveis
« Responder #292 em: Julho 20, 2022, 03:51:05 pm »
Sim, ainda faltam 2 anos para o projecto estar concluído e se a pluviosidade também ajudar a encher as albufeiras!!!!

Devo referir que o Douro já tem as suas centrais hídricas reversíveis, de noite, com o excesso de produção de energia eléctrica oriunda das eólicas, a água é bombeada para montante e turbinada se necessário e..... se permitirem turbinar a água!!!!!

Era uma solução destas que o país deveria instalar para regular a falta de água no verão, aproveitando o excesso (se existir) no inverno!!!!

Entretanto mais imagens do projecto (co-financiado com fundos comunitários, é preciso referir e ainda com financiamento do Banco Europeu de Investimento).

Portugal já inaugurou a gigante “Gigabateria” do Tâmega

O Sistema Eletroprodutor do Tâmega (SET) foi inaugurado na passada segunda-feira e representa um investimento total de 1.500 milhões de euros.

A "Gigabateria" do Tâmega, como tem vindo a ser apelidado este projeto, foi concessionado à espanhola Iberdrola e inclui a construção de três barragens e de três centrais hidroelétricas: Alto Tâmega, Daivões e Gouvães. Este sistema de armazenamento de energia é um dos maiores da Europa.



"Gigabateria" do Tâmega pode abastecer 11 milhões de pessoas durante um dia inteiro

As centrais de Daivões (Ribeira de Pena) e de Gouvães (Vila Pouca de Aguiar), que entraram, esta segunda-feira, em pleno funcionamento e onde a potência instalada é de 998 megawatts (MW) já foram inauguradas. A terceira barragem, a do Alto Tâmega, ainda não está concluída.

O complexo tem com uma potência total instalada de 1.158 MW, alcançando uma produção anual de 1.760 gigawatts hora (GWh), ou seja, 6% do consumo elétrico do país. Tal é o equivalente ao abastecimento de energia dos municípios vizinhos do projeto e das cidades de Braga e Guimarães, cerca de 440.000 residências.



O SET é considerado um dos maiores projetos hidroelétricos na Europa, nos últimos 25 anos, e, segundo tem sido divulgado pela Iberdrola, representa um investimento total de 1.500 milhões de euros, mobilizando, durante a construção, muitas empresas e trabalhadores.

O empreendimento representa mais de 50% do objetivo do Programa Nacional de Barragens de Elevado Potencial Hidroelétrico (PNBEPH).



Assim que a construção estiver completa, o complexo vai empregar 40 pessoas em permanência, depois de cerca de 20.000 terem sido necessárias para erguer o complexo.

https://pplware.sapo.pt/informacao/portugal-ja-inaugurou-a-gigante-gigabateria-do-tamega/
 
Os seguintes utilizadores agradeceram esta mensagem: Lightning, PTWolf

*

Viajante

  • Investigador
  • *****
  • 3013
  • Recebeu: 1705 vez(es)
  • Enviou: 859 vez(es)
  • +2775/-2642
Re: Energias Renováveis
« Responder #293 em: Agosto 06, 2022, 12:45:28 pm »
O que faz sermos fundamentalistas alinhados com a Madre Greta do Clima, tem destas coisas.
Acabamos com a produção de energia a carvão e a gas, resta-nos a solar, eólica e hídrica...........

Como o ano foi extremamente seco, as barragens turbinaram toda a água que puderam, conclusão, muita gente vai ficar sem água potável!!!!!!
Somos governados por génios amigos do ambiente!!!!!!  ::)

Seca extrema. Municípios controlam o consumo de água

Com quase metade do país em seca extrema, alguns municípios estão a controlar o consumo de água. As medidas, como a limitação da rega dos jardins, visam garantir que a água não falte para consumo doméstico.

No nordeste transmontano, muitas localidades já estão a ser abastecidas com recurso a autotanques.

https://www.rtp.pt/noticias/pais/seca-extrema-municipios-controlam-o-consumo-de-agua_v1424443

Moro numa zona em que a única barragem que serve 3 concelhos e mais de 20 000 pessoas, tem a albufeira a 14% (nem os hidroaviões podem usar para combater os incêndios). Os próprios autarcas esperam a qualquer momento que as captações de água potável atinjam o lodo da barragem e aí, os cortes parciais diários que já se verificam, transformam-se em cortes permanentes!!!!!!

Mas está tudo bem em nome da ecologia!!!!! Se faltar água para consumo paciência, mas ficamos com a medalha dos acólitos verdes do planeta!!!!!

Deixa cá ver, um país que só aposta nas energia eléctrica com origem nas hídricas, solar e eólica....... o que poderá correr mal num ano de seca!!!!
Ah! E várias vezes por semana há cortes de energia pelas 13 horas em ponto!!!!!!! A energia regressa pelas 14, a 14:30h!!!!! Deve ser uma avaria eléctrica com uma pontualidade britãnica!!!!!!  ::)
 

*

HSMW

  • Moderador Global
  • *****
  • 11690
  • Recebeu: 2371 vez(es)
  • Enviou: 6410 vez(es)
  • +402/-244
    • http://youtube.com/HSMW
Re: Energias Renováveis
« Responder #294 em: Agosto 06, 2022, 01:28:07 pm »
A Central Termoelétrica do Ribatejo (Carregado) é a gás e continua a produzir energia.

https://portugal.edp.com/pt-pt/central-termoeletrica-do-ribatejo

Tal como as da Figueira da Foz e Barreiro.

https://portugal.edp.com/pt-pt/producao-hidrica-e-termica




https://www.youtube.com/user/HSMW/videos

"Tudo pela Nação, nada contra a Nação."
 
Os seguintes utilizadores agradeceram esta mensagem: Viajante

*

Viajante

  • Investigador
  • *****
  • 3013
  • Recebeu: 1705 vez(es)
  • Enviou: 859 vez(es)
  • +2775/-2642
Re: Energias Renováveis
« Responder #295 em: Agosto 06, 2022, 04:01:17 pm »
A Central Termoelétrica do Ribatejo (Carregado) é a gás e continua a produzir energia.

https://portugal.edp.com/pt-pt/central-termoeletrica-do-ribatejo

Tal como as da Figueira da Foz e Barreiro.

https://portugal.edp.com/pt-pt/producao-hidrica-e-termica

É verdade, mas mesmo essas têem os dias contados. O governo, em vez de estar preocupado com a falta de água, energia...... está mais preocupado em conseguir encerrar a central assim que possível: https://eco.sapo.pt/2021/07/15/centrais-a-gas-podem-fechar-antes-de-2040-acredita-governo/

Se virem nas facturas de energia deste ano, há meses onde a produção de energia depende em mais de 50% nas centrais a gás!!!!!!
As tais que a Madres Gretas do Clima querem encerrar!!!!!

O caro HSMW veja bem no título do Ministro do Ambiente  :mrgreen:
« Última modificação: Agosto 06, 2022, 04:04:12 pm por Viajante »
 
Os seguintes utilizadores agradeceram esta mensagem: HSMW

*

HSMW

  • Moderador Global
  • *****
  • 11690
  • Recebeu: 2371 vez(es)
  • Enviou: 6410 vez(es)
  • +402/-244
    • http://youtube.com/HSMW
Re: Energias Renováveis
« Responder #296 em: Agosto 06, 2022, 06:38:21 pm »
Sim a Termoelétrica do Carregado construida em 1969, que era a fuelóleo. As três chaminés foram desmanteladas durante o último ano.

https://www.industriaeambiente.pt/noticias/edp-avanca-desmantelamento-central-termoeletrica-carregado/


A que se mantém em atividade é a TER, construida entre 2004 e 2005.



PS: era para responder ao Tenente.  :mrgreen:
« Última modificação: Agosto 06, 2022, 06:39:19 pm por HSMW »
https://www.youtube.com/user/HSMW/videos

"Tudo pela Nação, nada contra a Nação."
 

*

tenente

  • Investigador
  • *****
  • 9496
  • Recebeu: 4732 vez(es)
  • Enviou: 3409 vez(es)
  • +4413/-1011
Re: Energias Renováveis
« Responder #297 em: Agosto 06, 2022, 07:48:49 pm »
Sim a Termoelétrica do Carregado construida em 1969, que era a fuelóleo. As três chaminés foram desmanteladas durante o último ano.

https://www.industriaeambiente.pt/noticias/edp-avanca-desmantelamento-central-termoeletrica-carregado/


A que se mantém em atividade é a TER, construida entre 2004 e 2005.

PS: era para responder ao Tenente.  :mrgreen:

Eu apaguei o post pois vi que estava errado.

Abraços
Quando um Povo/Governo não Respeita as Suas FFAA, Não Respeita a Sua História nem se Respeita a Si Próprio  !!
 

*

Lusitaniae

  • Perito
  • **
  • 383
  • Recebeu: 109 vez(es)
  • Enviou: 6 vez(es)
  • +46/-292
Re: Energias Renováveis
« Responder #298 em: Agosto 10, 2022, 06:16:51 pm »
Abbati, medico, potronoque intima pande
 
Os seguintes utilizadores agradeceram esta mensagem: HSMW

*

Lightning

  • Moderador Global
  • *****
  • 9760
  • Recebeu: 1732 vez(es)
  • Enviou: 2129 vez(es)
  • +323/-284
Re: Energias Renováveis
« Responder #299 em: Agosto 15, 2022, 10:45:30 pm »
A Central Termoelétrica do Ribatejo (Carregado) é a gás e continua a produzir energia.

https://portugal.edp.com/pt-pt/central-termoeletrica-do-ribatejo

Tal como as da Figueira da Foz e Barreiro.

https://portugal.edp.com/pt-pt/producao-hidrica-e-termica

É verdade, mas mesmo essas têem os dias contados. O governo, em vez de estar preocupado com a falta de água, energia...... está mais preocupado em conseguir encerrar a central assim que possível: https://eco.sapo.pt/2021/07/15/centrais-a-gas-podem-fechar-antes-de-2040-acredita-governo/

Se virem nas facturas de energia deste ano, há meses onde a produção de energia depende em mais de 50% nas centrais a gás!!!!!!
As tais que a Madres Gretas do Clima querem encerrar!!!!!

O caro HSMW veja bem no título do Ministro do Ambiente  :mrgreen:

Mas para a UE o gás também não é uma energia verde?

https://pt.euronews.com/my-europe/2022/07/06/parlamento-europeu-aprova-rotulo-verde-para-o-gas-natural-e-a-energia-nuclear
 
Os seguintes utilizadores agradeceram esta mensagem: Viajante