ForumDefesa.com

Forças Armadas e Sistemas de Armas => Força Aérea Portuguesa => Tópico iniciado por: Cabecinhas em Setembro 29, 2008, 10:19:16 pm

Título: BA4 - Base das Lajes
Enviado por: Cabecinhas em Setembro 29, 2008, 10:19:16 pm
(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fi121.photobucket.com%2Falbums%2Fo215%2FCabecinhas%2FRendioComandanteBA4042.jpg&hash=2f4297a950fc7c6491adafb0f4eb9ba6)

(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fi121.photobucket.com%2Falbums%2Fo215%2FCabecinhas%2FRendioComandanteBA4036.jpg&hash=d190aabfa6c7374f01a82c98ddfb1fe5)

(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fi121.photobucket.com%2Falbums%2Fo215%2FCabecinhas%2FRendioComandanteBA4004.jpg&hash=b78862e6a62d3340098c88041cad9578)

(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fi121.photobucket.com%2Falbums%2Fo215%2FCabecinhas%2FRendioComandanteBA4027.jpg&hash=2b7077fc77d8046bc4d9578a8115cb56)

(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fi121.photobucket.com%2Falbums%2Fo215%2FCabecinhas%2FRendioComandanteBA4063.jpg&hash=7ad1a8b8d0ca36ffb5d2415c78fb217f)

Cerimónia de rendição do comando no passado dia 26 de Setembro de 2008

PS: Quando tiver tempo coloco o filme da cerimónia no youtube, tenho é que compactar 300Mbs  :shock:
Título:
Enviado por: jmg em Setembro 29, 2008, 10:25:44 pm
Boas fotos e com o MERLIN a voar.
O que é dos bons e velhos PUMAS.
Já estão a operar?
Título:
Enviado por: Cabecinhas em Setembro 29, 2008, 10:37:06 pm
Já estão a operar sim, só que como não tenho autorização para tirar fotografias na BA4 torna-se complicado eu fotografar em dias sem ser de cerimónia.
Ainda hoje antes de embarcar no TAP estavam dois Pumas na placa e um aviocar
Título:
Enviado por: jmg em Setembro 29, 2008, 10:41:46 pm
Obrigado pela INFO.
Título:
Enviado por: Poirot em Outubro 07, 2008, 11:10:03 pm
Que saudades da minha base.
Daqui  a algum tempo espero lá voltar.
Título:
Enviado por: TOMSK em Outubro 08, 2008, 12:06:09 am
Uma paisagem muito bonita.:Soldado:
Título:
Enviado por: PereiraMarques em Novembro 07, 2008, 11:55:58 pm
(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fwww.azoresairphotos.com%2Ffotos%2Fsmall%2F5413.jpg&hash=da856428fa572e418a1fb500f363bdcb)

 :arrow: http://www.falcoes.net/9gs/viewtopic.ph ... &start=360 (http://www.falcoes.net/9gs/viewtopic.php?f=3&t=1289&start=360)
Título:
Enviado por: ricardonunes em Novembro 08, 2008, 12:07:49 am
Essa "sucata" ainda voa ????????????

Não entendo!!!!!!!!!!!!!!

É que se comprou os Kamov.. porque e porque.........
Título:
Enviado por: PereiraMarques em Novembro 08, 2008, 12:11:31 am
Citação de: "ricardonunes"
Essa "sucata" ainda voa ????????????

Não entendo!!!!!!!!!!!!!!

É que se comprou os Kamov.. porque e porque.........


Ó rnunes andas-te a baldar ao fórum :roll:
Título:
Enviado por: ricardonunes em Novembro 08, 2008, 12:29:22 am
Citação de: "PereiraMarques"
Citação de: "ricardonunes"
Essa "sucata" ainda voa ????????????

Não entendo!!!!!!!!!!!!!!

É que se comprou os Kamov.. porque e porque.........

Ó rnunes andas-te a baldar ao fórum :roll:


Essa parte eu sei, mas leram os relatórios de 200X que eu já tinha postado ???????

Os tais que levaram à compra dos Kamov :roll:
Título:
Enviado por: Lightning em Novembro 08, 2008, 11:44:41 pm
Citação de: "ricardonunes"
Essa parte eu sei, mas leram os relatórios de 200X que eu já tinha postado ???????

Os tais que levaram à compra dos Kamov :roll:


Algo do género que os Pumas da Força Aérea estão muito velhos para ser adaptados para o combate aos incêndios, por isso vamos comprar helicopteros novos, etc, etc, etc?

Mas os Pumas supostamente também não serão usados muitos anos, são um penso rápido que a Força Aérea colocou para apoiar os EH101 até eles voltarem a ter um numero regular de aeronaves operacionais (julgo que se falou em dois anos).
Título:
Enviado por: Lightning em Novembro 08, 2008, 11:46:45 pm
Citação de: "ricardonunes"
Essa "sucata" ainda voa ????????????

Não entendo!!!!!!!!!!!!!!

É que se comprou os Kamov.. porque e porque.........


O Puma nessa foto não está a voar :wink: .
Título: Re: BA4 - Base das Lajes
Enviado por: Daniel em Agosto 23, 2010, 04:56:46 pm
EUA desistem de campo de treino de aviões nas Lajes

Citar
Os EUA desistiram da implementação de um campo de treinos para os novos aviões militares F-22 e F-35 nos Açores devido a "restrições orçamentais e reduções na estrutura das forças americanas na Europa (USAFE)".

A posição norte-americana é revelada numa carta do Ministério da Defesa  em resposta a um requerimento de António Filipe, deputado do PCP na Assembleia da República, onde é especificado que o comandante da USAFE cancelou as negociações a 9 de Julho.  

Segundo as autoridades portuguesas, o processo foi iniciado em 2008 pelo embaixador dos EUA em Lisboa durante a XXIII Reunião da Comissão Bilateral de acompanhamento da aplicação do Acordo de Defesa entre os dois países.  

O Ministério da Defesa refere ainda que foram pedidos à Força Aérea  Portuguesa estudos técnicos e de impacto, incluindo ambiental, na Base das  Lajes e zonas circundantes.  

O projecto, inserido no Memorandum of Understanding (MoU), tinha por objectivo "a determinação do impacto da futura actividade da USAFE na Base das Lajes", nomeadamente "os princípios a que se deveria subordinar o planeamento, a organização, o desenvolvimento e a execução dos treinos com os caças".  
Título: Re: BA4 - Base das Lajes
Enviado por: Lightning em Dezembro 08, 2010, 11:47:46 am
Para quem não viu na tv, ou viu e gostava de rever...

http://www.emfa.pt/www/includes/mostraV ... sedaslajes (http://www.emfa.pt/www/includes/mostraVideo.php?lang=pt&file=basedaslajes)
Título: Re: BA4 - Base das Lajes
Enviado por: PereiraMarques em Abril 17, 2011, 06:18:24 pm
Um aspecto interessante...

Citar
O Puma mais antigo do Mundo no activo é Português.

Actualmente a voar na Esquadra 752 encontra-se a voar a aeronave SA-330S Puma mais antiga em todo o Mundo. Com o número de cauda 19502, e após árduo trabalho de recondicionamento de voo, pela equipa de Manutenção, é uma realidade o facto de actualmente a Força Aérea Portuguesa deter, na sua frota, o helicópreto SA-330S Puma mais antigo em todo o Mundo a voar. O helicóptero foi recebido na Base Aérea nº3, em Tancos, após uma viagem directa das instalações do fabricante Francês Sud-Aviation a 1 Agosto 1969 . Este helicóptero esteve em inúmeros cenários efectuando diversificadas missões. Desde Transporte Táctico, Evacuações Médicas, SAR, entre outras o helicóptero com o número de cauda 19502 está de volta a servir o País e o Povo Português.

http://pumas752.blogspot.com/ (http://pumas752.blogspot.com/)
Título: Re: BA4 - Base das Lajes
Enviado por: Desertas em Abril 19, 2011, 09:17:54 pm
Citação de: "PereiraMarques"
Um aspecto interessante...

Citar
O Puma mais antigo do Mundo no activo é Português.

Actualmente a voar na Esquadra 752 encontra-se a voar a aeronave SA-330S Puma mais antiga em todo o Mundo. Com o número de cauda 19502, e após árduo trabalho de recondicionamento de voo, pela equipa de Manutenção, é uma realidade o facto de actualmente a Força Aérea Portuguesa deter, na sua frota, o helicópreto SA-330S Puma mais antigo em todo o Mundo a voar. O helicóptero foi recebido na Base Aérea nº3, em Tancos, após uma viagem directa das instalações do fabricante Francês Sud-Aviation a 1 Agosto 1969 . Este helicóptero esteve em inúmeros cenários efectuando diversificadas missões. Desde Transporte Táctico, Evacuações Médicas, SAR, entre outras o helicóptero com o número de cauda 19502 está de volta a servir o País e o Povo Português.

http://pumas752.blogspot.com/ (http://pumas752.blogspot.com/)

Umas fotos do mesmo , no passado dia 13 , aquando da passagem de três SA-330 Puma pelo Porto Santo , vindos de Santa Maria.
Curioso o facto de serem as aeronaves com os números de cauda 19502 , 19503 e 19504 , e provavelmente terem efectuado a última escala em Porto Santo.
Até sempre Pumas !!!!


(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2F4.bp.blogspot.com%2F-fIGTjBDR6uQ%2FTabdUwU4hQI%2FAAAAAAAAAZU%2FShI-oKXbgp8%2Fs1600%2F1Brito.jpg&hash=3af4d3850cfdd73c393735b54bb0859c)

(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2F1.bp.blogspot.com%2F-K_lYGN8d4r8%2FTaXwXrpLwxI%2FAAAAAAAAAYc%2F61XG-D1ZNBA%2Fs1600%2FBrito%252B4copy.jpg&hash=d006329c519a7159d3850924414f767f)

http://portosantoplanes.blogspot.com

Um Abraço
Título: Re: BA4 - Base das Lajes
Enviado por: Desertas em Abril 19, 2011, 09:25:05 pm
Mais uma foto , desta vez com os 3 Pumas em voo .

(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2F4.bp.blogspot.com%2F-JcU0uv7ob5E%2FTaYejku1f0I%2FAAAAAAAAFEI%2F7ig7bqZBolY%2Fs1600%2FDSC07554.JPG&hash=c4221d04e4aba53e22763b14dfcf4091)

http://tafixeolim.blogspot.com/

Um Abraço
Título: Re: BA4 - Base das Lajes
Enviado por: Turlu em Abril 29, 2011, 01:27:02 pm
Vi os três a voar no dia em que sobrevoaram a Cidade de Angra do Heroísmo em voo de despedida. Foi um misto de sentimentos: Alegria por termos ao serviço novos aparelhos com melhores características e alguma tristeza por ser, possivelmente, a última vez que veria um Puma nos nossos céus.
Nós açorianos temos muito boas recordações dos Puma (e tripulações, como é óbvio) que prestaram muitos e bons serviços aqui na Região quer nas missões de busca e salvamento no mar quer no apoio às catástrofes naturais em que somos pródigos, quer ainda nas evacuações médicas de emergência que aqui estão a cargo da Força Aérea.
Esperemos que os Merlin estejam à altura dos seus antecessores.
Espero também que, tal como fez com os FIAT G91 em que a Força Aérea ofereceu um ao Museu de Angra, também faça o mesmo com os Puma.

Cumprimentos,

Turlu
Título: Re: BA4 - Base das Lajes
Enviado por: toste em Agosto 23, 2011, 11:08:16 am
Boas

Como primeira participação neste fórum, deixo uma imagem da chegada do EH às Lajes no dia 19 Agosto depois de um resgate de um tripulante do “FORT SAINT PIERRE”, notícia que foi amplamente divulgada na comunicação social.

(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fimg263.imageshack.us%2Fimg263%2F7531%2F20110819226a.jpg&hash=063740b68d64bf0bbd762ac33c7cbb02)

Abr
Título: Re: BA4 - Base das Lajes
Enviado por: typhonman em Dezembro 18, 2011, 01:08:11 am
http://ww1.rtp.pt/acores/index.php?arti ... t=10&tm=10 (http://ww1.rtp.pt/acores/index.php?article=24214&visual=3&layout=10&tm=10)

Não escapava um (SSBN).. :mrgreen:
Título: Re: BA4 - Base das Lajes
Enviado por: Turlu em Dezembro 19, 2011, 01:54:17 pm
In Diário Insular de 2011/12/17:

"Esqueletos da guerra fria retirados do armário por professor norte-americano
Mais de 30 bombas nucleares estacionadas na ilha Terceira

Os Açores estiveram armados com 32 bombas nucleares durante a Guerra Fria. O objetivo era dar caça aos submarinos soviéticos.

Cerca de 32 bombas nucleares norte-americanas de profundidade estiveram estacionadas na ilha Terceira durante a Guerra-fria, revela um estudo de 2007 do professor norte-americano Robert e. Harkavy, da Universidade do estado de Pensilvânia, especialista em controlo de armamento e política internacional. No seu trabalho “strategic basing and the Great Power, 1200-200”, que retoma argumentos de um trabalho anterior do mesmo autor, “bases abroad: The Global Foreing Military Presence”, de 1989, Harkavy escreve o seguinte: “... Some 32 nuclear depth bombs were stored at Lajes in the azores for wartime operations”. Antes do trabalho de Harkavy, a presença de armamento nuclear nos açores era colocada apenas como hipótese, embora muito provável. Mesmo depois dos textos do professor norte-americano serem publicados, a questão continuou a ser colocada como hipótese, ao que parece por desconhecimento dos trabalhos em causa.
OUTRAS FONTES
Já em 1998, num trabalho publicado pelo Natural Resources defense Council e da autoria de arkin, Norris&Handler (Taking stock), era dada como certa a presença de armas nucleares nos açores, embora no passado, o que significa que, segundo os autores, o armamento à data da publicação do texto já teria sido retirado. Independentemente de as armas nucleares terem estado em depósito na Terceira ou não, a verdade é que são muitos os documentos que falam na capacidade da base das Lajes para receber bombas nucleares de profundidade para ataque aos submarinos soviéticos que circulavam pelo atlântico na Guerra Fria. É o caso de uma tese da Naval Postgraduate school, de 1990, assinada por Karl deusen, que refere a capacidade nuclear dos avições P3 de busca anti-submarina que operaram a partir das Lajes, indica que a base estava preparada para receber 32 bombas nucleares de profundidade em tempo de guerra e dá conta da capacidade de comando e controlo nuclear instalada na Terceira. O texto utilizado nesta tese não permite concluir se as bombas nucleares estariam estacionadas na Terceira ou se para aqui seriam deslocadas em tempo de guerra. Em inglês, está escrito: “... Will become deployment site for 32 nuclear depth bombs in wartime”.
INDÍCIOS
Os relatos de movimentações suspeitas dos norte-americanos na ilha Terceira, relacionadas com eventual transporte e estacionamento de armas perigosas, são vários ao longo da presença dos EUA nas Lajes, conforme dI deu conta bastas vezes. Colunas de camiões que partiam do porto da Praia da Vitória ou da base das Lajes para diversas zonas na ilha, escoltadas por militares bem armados e com interdição aos populares de circulação ou apenas de observação próxima, são relatadas por antigos funcionários portugueses das Lajes, todos já reformados. Um dos relatos mais surpreendentes de todos os que foram publicados no dI diz respeito a um ex-funcionário que afirmou ter visto norte-americanos a trabalhar em depósitos de armamento nos paióis do Cabrito “vestindo fatos semelhantes aos que se usa para retirar mel das colmeias”. Segundo afirmou, quando os norte-americanos vestiam esses fatos todos os portugueses eram afastados da zona e a segurança era assumida por militares norte-americanos armados. Um caso exótico, ocorrido em 1968, conta-se também entre os indícios de manuseamento de armas perigosas. Trata-se de um trabalhador português da base das Lajes que numa noite disse ter visto um OVNI-objeto Voador não Identificado em cima de uma pequena elevação que desde esse dia e até hoje ficou com a parte superior improdutiva e árida. O homem foi rapidamente transplantado para os EUA, mantendo a história do OVNI, incluindo seres extraterrestres que se terão manifestado. “Apenas vi que os homens tinham uma viseira com um pouco de vidro e que a cor do fato era uma cor de chumbo. Assim que acendi o foco para eles, aquilo moveu-se muito rapidamente, tendo emitido na minha direção uma projeção de luz muito forte, que tive de tapar a cara. Logo a seguir senti uma coisa estranha, como que uma poeira. Caí e não me recordo de mais nada”, descreveu o homem após ter sido socorrido no Hospital de Angra do Heroísmo. A verdade é que o conhecido “Pico Careca” nunca foi, que saibamos, estudado por autoridades científicas portuguesas, pelo que nada se sabe, pelo menos publicamente, sobre eventuais vestígios deixados pela provável nave alienígena e pelos seus estranhos ocupantes. Oficialmente, o homem terá tido o azar de ser surpreendido por um balão meteorológico que terá chocado com cabos de alta tensão, vindo a explodir. O principal buraco desta tese oficial é que à altura não havia cabos de alta tensão na zona, mas apenas cabos telefónicos. Até hoje, nenhuma destas histórias foi investigada ao ponto de ser possível descartar a sua eventual ligação ao manuseio de armamento."

Cumprimentos,

Turlu
Título: Re: BA4 - Base das Lajes
Enviado por: Lusitano89 em Junho 04, 2012, 07:22:49 pm
Importância estratégica da Base das Lajes mantém-se, afirmam EUA


O comandante do Destacamento Militar dos EUA na Base das Lajes, coronel José Rivera, assegurou hoje, em Ponta Delgada, que a importância estratégica da base localizada nos Açores se mantém inalterada para as autoridades norte-americanas. «Não temos dúvidas de que a importância estratégica e histórica da Base das Lajes se mantém a mesma», afirmou José Rivera, em declarações aos jornalistas no final de uma audiência com o secretário regional da Presidência do Governo dos Açores, André Bradford.

O responsável militar norte-americano, que termina no final deste mês a sua missão como comandante do destacamento militar do seu país na Base das Lajes, frisou que a geografia «não muda», assim como o longo relacionamento entre Portugal e os EUA.

No mesmo sentido, André Bradford salientou que os responsáveis norte-americanos manifestaram «a manutenção do interesse da presença na Base das Lajes», apesar de admitir que está em causa «em que termos, de que modo e com que intensidade» essa presença será mantida.

Desde que as autoridades norte-americanas manifestaram a intenção de reduzir a presença na base açoriana, já se realizaram vários encontros entre as partes envolvidas, mas André Bradford frisou que «foram conversas e não um processo negocial», já que o assunto ainda está «numa fase muito inicial».

Relativamente ao balanço dos dois anos da missão do actual comandante norte-americano, o secretário regional da Presidência salientou que foram positivos em termos de cooperação, tendo ficado marcados pela questão da contaminação de aquíferos na zona da base.

«Felizmente, tivemos capacidade de cooperar e foi possível encontrar as melhores maneiras de solucionar o problema, que se encontra agora no calendário normal de resolução», afirmou.

Lusa
Título: Re: BA4 - Base das Lajes
Enviado por: typhonman em Junho 05, 2012, 06:38:30 pm
Sempre a mesma treta, uns dias já não tem importância, nos outros mantém-se... :G-beer2:
Título: Re: BA4 - Base das Lajes
Enviado por: Lusitano89 em Agosto 26, 2012, 02:11:08 pm
Romney manterá presença na Base das Lajes


Caso ganhe as presidenciais norte-americanas de Novembro, o candidato republicano Mitt Romney vai ordenar ao Departamento de Defesa para recuar na decisão de reduzir a presença na Base das Lajes, Açores, disse à Lusa fonte da sua campanha. Adolfo Franco, um dos porta-vozes da campanha do adversário de Barack Obama, que será oficialmente nomeado candidato presidencial republicano na próxima semana, afirma que a redução na Base das Lajes, que vem sendo negociada entre os dois países, «seria algo a que o governador Romney se oporia especificamente».

«Seria um grande revés para as nossas relações bilaterais com Portugal, um grande erro», adiantou Franco, porta-voz da campanha do ex-governador do Massachusetts.

No final de Fevereiro, o secretário da Defesa norte-americano, Leon Panetta, informou o ministro da Defesa português, José Pedro Aguiar-Branco, da intenção dos Estados Unidos de reduzirem a presença na Base das Lajes.

No encontro no Pentágono não foram discutidos números de redução de efectivos, mas apenas o início de um processo de negociações entre equipas norte-americanas e portuguesas, sobre a «modalidade» da reestruturação, segundo afirmou então o governante.

O futuro das Lajes, na ilha Terceira, tem causado apreensão nos Açores, onde pode ter a vir um impacto na economia local.

Por trás da decisão norte-americana está a necessidade de cortes orçamentais projectados na Defesa, que Romney promete travar.

«Os cortes na Defesa seriam uma ameaça de segurança muito séria para os Estados Unidos», afirma Franco.

Caso, após as eleições, os dois partidos não cheguem a «um grande compromisso» sobre a redução orçamental para os próximos anos, entram em vigor no final do ano cortes automáticos em vários sectores, incluindo na Defesa, que Franco afirma poderem ter sérias implicações para a segurança e mesmo para a economia do país.

Com a economia norte-americana a demonstrar falta de dinamismo crescente e o desemprego a manter-se em máximos históricos, a campanha de Romney tem-se esforçado para trazer para o centro da discussão a «falta de resultados» da administração Obama neste campo.

A experiência de Romney no «mundo dos negócios», sobretudo no fundo de investimento Bain, é usada como trunfo contra a experiência quase exclusivamente política de Obama.

Para a campanha de Romney, é necessária também uma postura mais determinada de Washington na procura de soluções para a crise da dívida europeia, que tem em Portugal um dos seus epicentros, e que tem afectado a retoma económica norte-americana, afirma Franco.

«Fortalecer laços com a Europa, integrar a nossa economia de uma maneira eficiente para os Estados Unidos e ajudar tanto quanto possível, pelo menos sendo uma voz de preocupação, é o que Romney faria e este presidente não tem feito», disse à Lusa.

Lusa
Título: Re: BA4 - Base das Lajes
Enviado por: P44 em Agosto 26, 2012, 05:59:48 pm
Também deve ser dificil, manter uma base para a qual não pagam nada :roll:
Título: Re: BA4 - Base das Lajes
Enviado por: Lusitano89 em Agosto 26, 2012, 06:51:22 pm
Citação de: "P44"
Também deve ser dificil, manter uma base para a qual não pagam nada :roll:

Portugal é um país membro da NATO ...
Título: Re: BA4 - Base das Lajes
Enviado por: Lightning em Agosto 26, 2012, 07:46:39 pm
Citação de: "Lusitano89"
Citação de: "P44"
Também deve ser dificil, manter uma base para a qual não pagam nada :roll:

Portugal é um país membro da NATO ...

Acho que isso não tem muito a ver, no passado houve material militar que veio para as nossas Forças Armadas como compensação pelo uso da Base das Lages, mas sim acho que eles não tem "renda" sobre o espaço que ocupam na Base.

O que sei é que lá tem as suas despesas de pessoal e material que lá está colocado, da ultima vez que soube eles tinham um efectivo cerca de 1000 militares, mais as familias, lembro que os Americanos tem o habito de "levar a América" para onde quer que vão, isto é, eles quando constroem uma unidade militar fora dos EUA (penso que isso seja só em paises aliados, como Europa, Japão, etc) também constroem autenticas aldeias ou vilas com casas, lojas, escolas, igreja, campo de basebol, etc, etc, não é só a unidade militar.

Para a nossa Força Aérea também ajuda a presença militar Americana pois eles participam em conjunto em aguns serviços da Base como seja a Segurança, o controlo de tráfego aéreo, e noutros serviços deixamos mesmo de fazer para serem só os Americanos a fazer como seja o serviço de bombeiros e o serviço de combustiveis de aeronaves, se eles reduzirem ou acabarem com a participação Americana nesses serviços, Portugal teria que reforçar o efectivo.
Título: Re: BA4 - Base das Lajes
Enviado por: P44 em Agosto 29, 2012, 05:32:25 pm
Citação de: "Lusitano89"
Citação de: "P44"
Também deve ser dificil, manter uma base para a qual não pagam nada :roll:

Portugal é um país membro da NATO ...


e depois?

Até há uns anos atrás existiam "contrapartidas" pela utilização da Base (leia-se SUCATA), agora nem isso
Título: Re: BA4 - Base das Lajes
Enviado por: Lusitano89 em Outubro 28, 2012, 07:34:06 pm
Austeridade nos EUA ameaça base das Lajes


Assegurar a viabilidade da base aérea norte-americana nas Lajes, Açores, em causa devido a medidas de austeridade orçamental, é missão prioritária para os congressistas luso-americanos, disse à Lusa Jim Costa, candidato ao Congresso pelo partido democrata. "Manteremos a pressão sobre o Departamento de Defesa para assegurar um papel forte e ativo" das forças norte-americanas nas Lajes, afirma o congressista candidato nas eleições de 6 de novembro a um quinto mandato pela Califórnia.

Num encontro no Departamento da Defesa, em Washington no final de fevereiro, o secretário da Defesa, Leon Panetta, informou o homólogo português, José Pedro Aguiar-Branco, da intenção de reduzir a presença na Base das Lajes, no âmbito da revisão da presença militar norte-americana no estrangeiro.

No encontro no Pentágono não foram discutidos números de redução de efetivos, mas apenas o início de um processo de negociações entre equipas norte-americanas e portuguesas, sobre a "modalidade" da reestruturação.

O futuro das Lajes, na ilha Terceira, tem causado apreensão nos Açores, onde pode ter a vir um impacto na economia local.

Ele próprio com raízes nos Açores, Jim Costa foi copresidente do grupo ("caucus") de legisladores lusodescendentes no último Congresso, tendo sido imediatamente iniciados contactos para "tentar manter operações viáveis nas Lajes".

No final de agosto, a campanha do republicano Mitt Romney disse à Lusa que a decisão de redução nas Lajes seria invertida em caso de vitória em novembro contra o democrata Barack Obama, dado que está previsto um reforço das verbas para Defesa.

"Seria um grande revés para as nossas relações bilaterais com Portugal, um grande erro", disse Adolfo Franco, porta-voz da campanha do ex-governador do Massachusetts.

Jim Costa dá pouco crédito a esta promessa, salientando que a decisão não competiria unicamente a uma futura administração Romney, pois depende da apropriação de verbas a aprovar pelo Congresso, em que os democratas são maioria.

"Os políticos a concorrer para cargos públicos fazem muitas declarações", disse à Lusa.

Fontes diplomáticas ouvidas pela Lusa, afirmam que as negociações em torno das Lajes entraram num compasso de espera, sem "pressões" da parte dos norte-americanos para se decidir a dimensão do corte.

Francisco Semião, diretor da organização luso-americana NOPA, afirma ser difícil "imaginar como a redução [nas Lajes] não venha a acontecer, independentemente de quem ganhar".

"Nos últimos dois anos, tem havido uma enorme viragem para medidas de austeridade", disse o responsável da NOPA e gestor hospitalar.

"Com os limites à despesa estabelecidos no último ano e milhares de milhões de cortes agendados para o início de 2013, é difícil imaginar que alguma parte do orçamento seja poupada aos cortes", adiantou.

Fernando Rosa, presidente da associação luso-americana PALCUS, afirmou ter recebido do Departamento de Estado informação de que as negociações vão estar paradas "até passar o período eleitoral".

"Depois disso, a Base, o Consulado [em Ponta Delgada, a encerrar] e outras questões serão resolvidas", disse à Lusa.

"O que está a acontecer com a Base, nos Açores e no resto mundo, é reflexo das questões económicas, não são tanto militares. É importante reduzir o orçamento e eles optaram por reduzir nos Açores e Portugal", adiantou.

A decisão "não está completamente tomada", refere, e "no fundo, as relações [luso-americanas] são excelentes".

Também para conter custos, no final de fevereiro, o Departamento de Estado anunciou que a Embaixada em Lisboa e o consulado-geral em Ponta Delgada vão deixar de emitir vistos de imigração para portugueses, agora a cargo da representação norte-americana em Paris.

O embaixador norte-americano, Allan Katz, afirmou então que a mudança afeta poucas pessoas, dado o baixo nível de emigração portuguesa para o país, resultando da "consolidação de uma série de serviços em todo o mundo, simplesmente porque, como todos os governos", os Estados Unidos estão a "tentar poupar algum dinheiro".

Lusa
Título: Re: BA4 - Base das Lajes
Enviado por: Lightning em Novembro 05, 2012, 09:32:09 pm
Título: Re: BA4 - Base das Lajes
Enviado por: Instrutor em Novembro 06, 2012, 04:54:16 pm
Vieram brincar ao cao e ao gato com os nossos F-16MLU.  Mas o Senhor Ministro da Defesa nao deixou, a gasosa faz mais falta nos Audis, BMW e Mercedes da escumanha que se auto intitula GESTORES DO RETANGULO (GOVERNO) do que nos treinos e patrulha dos F-16:mrgreen:
Título: Re: BA4 - Base das Lajes
Enviado por: Lightning em Novembro 07, 2012, 12:31:32 am
Citação de: "Instrutor"
Vieram brincar ao cao e ao gato com os nossos F-16MLU.

Não, não vieram, eles só pararam nos Açores para encher o depósito, esticar as pernas, dar uma mija, etc,  :wink: .

Mas eles depois só se passaram cá por cima, foram para outro lado qualquer, Reino Unido, Alemanha, Itália, que é o mais normal, pois são paises onde os EUA tem bases aereas com esquadras americanas em permanencia.
Título: Re: BA4 - Base das Lajes
Enviado por: Instrutor em Novembro 08, 2012, 12:16:16 pm
Caro Lightning claro que não, a minha intervenção foi meramente sarcástica, um brincadeirazinha para o GOVERNO da Alemanha e em especial a Sr.ª Merkel, já que é esta Senhora que GOVERNA Portugal.

Apartir de hoje nao falo mal nem do Sr. Coelho, nem do Senhor Cavaco, nem do Senhor Socrates nem do Senhor Gaspar pois eles deixaram de há muito de mandar nos destinos de Portugal, apartir de hoje dirigo-me à Senhora Merkel essa sim a dona de Portugal, ah é verdade também não volto a falar mal do Senhor Aguiar Branco, coitado esse foi colocado a mandar na tropa sem sequer saber para onde ia, como nao foi a tropa, podemos considerar este tempo de Ministro da Defesa, como a sua recruta, e a um recruta não se pede muita sabedoria em termos militares. :G-beer2:
Título: Re: BA4 - Base das Lajes
Enviado por: Lightning em Novembro 08, 2012, 05:46:08 pm
Citação de: "Instrutor"
:G-beer2: , haja saude.
Título: Re: BA4 - Base das Lajes
Enviado por: Turlu em Novembro 13, 2012, 02:29:16 pm
In Diário Insular de 2012/11/10

Visita do Primeiro-Ministro chinês à Terceira no Verão não terá sido inocente
Considera Gordon G. CHANG
Primeiro-Ministro Chinês Esteve Em Junho Na Terceira
China pode estar interessada nas Lajes


O discurso dos Estados Unidos daAmérica face à Base das Lajes apontano sentido da sua desvalorização,mas estão a acordar outros interesses.
De acordo com um artigo publicadona “National Review Online”,assinado por Gordon G. Chang, advogado, escritor e autor da obra“The Coming Collapse of China” (O Próximo Colapso da China), asautoridades chinesas podem querer a base militar terceirense.
Segundo Chang escreve no site da revista com sede em Nova Iorque, a visita, a 27 de junho, do primeiroministro chinês, Wen Jiabao, à Terceira, pode não ter sido desprendida de intenções: “O passeio de Wen pela Terceira, que se seguiu a uma visita a quatro países da América do Sul, escapou aos noticiários na altura, mas Washington e as capitais europeias deviam ter ouvido sinais de alarme…
Em primeiro lugar, a última paragem oficial da viagem de Wen era Santiago, a capital do Chile. Os voos da China normalmente atravessam o Pacífico, não o Atlântico, por isso não há razão para o seu avião ter aterrado nos Açores. Além disso, quem visita os Açores, normalmente, favorece outras
ilhas”.
O especialista acredita que a Terceira representa agora uma “grande atração” para Pequim. “Se a China controlasse a base, o Atlântico deixaria de ser seguro (…) Aviões chineses poderiam patrulhar as áreas do norte e do centro do Atlântico e, assim, cortar o tráfego aéreo e marítimo entre os Estados Unidos da América e a Europa.  Pequim também seria capaz de negar acesso ao mar Mediterrâneo”, argumenta.
Além disso, a China poderia atingir solo norte-americano. “As Lajes ficam a menos de 2300 milhas de Nova Iorque, menos que a distância entre Pearl Harbor e Los Angeles”, assinala.
Chang considera que as Lajes são, certamente, a razão que levou Wen a querer “amigos” na ilha.


Considera Gordon G. Chang
Primeiro-ministro chinês esteve em junho na Terceira
China pode estar interessada nas Lajes. Desvalorização da Base pode abrir portas a Pequim
Especialista defende que é preciso olhar novas soluções para as Lajes.


O especialista em questões internacionais relacionadas com a China Gordon G. Chang considera que Pequim tem tentado, há vários anos, estabelecer uma ligação aos Açores e que o atual contexto de desvalorização das Lajes pode abrir possibilidades.
“Não há nada que os chineses possam fazer se os Estados Unidos da América ficarem, mas os ‘cortadores’ do orçamento do Pentágono, de acordo com alguns observadores, estão a planear transformar as Lajes numa base fantasma”, avisa.
Gordon Chang admite que, de um ponto de vista militar, a decisão de cessar operações nas Lajes faz sentido, mas que o fecho efetivo da Base iria lançar a ilha num precipício.
“Para a Terceira assegurar um futuro, o governo português tem de encontrar um novo grande inquilino para a Base Aérea nº4”, frisa.
No artigo “Bandeira Vermelha sobre o Atlântico”, publicado na “National Review Online”, Chang considera que “nos últimos anos, Pequim identificou Portugal como o seu ponto de entrada na Europa e as autoridades chinesas já sabem o caminho até Lisboa” e que é “neste contexto que os portugueses estão já a pensar nos planos de fecho” das Lajes: “Não querem convidar os chineses a entrar, mas têm indicado que não terão escolha se a Força Aérea dos Estados Unidos da América decidir deixar a base”, assinala.
O autor do livro “O Próximo Colapso da China” considera que há um caminho negocial ainda a percorrer entre os Estados Unidos da América e Portugal, mas questiona opções como a localização do comando africano, que via melhor instalado
na Base das Lajes.
Título: Re: BA4 - Base das Lajes
Enviado por: Cabeça de Martelo em Novembro 13, 2012, 03:30:44 pm
Ó chefe quero o mesmo que aquele senhor que escreveu os artigos...deve ser da boa! :lol:
Título: Re: BA4 - Base das Lajes
Enviado por: Turlu em Novembro 13, 2012, 04:25:27 pm
Acredito que os chineses gostassem de entrar. Não acredito é que seja possível, atendendo ao facto de Portugal ser um país da Nato e ao facto de que os nossos aliados, principalmente os Estados Unidos, nunca o permitiriam, mesmo que o quiséssemos.
Título: Re: BA4 - Base das Lajes
Enviado por: Lightning em Novembro 14, 2012, 01:29:45 am
Não percebo duas coisas

Uma é qual a vantagem para Portugal nisso? É que se inicialmente poderiamos ter algum rendimento pelo aluguer da base, mal a China fizesse alguma movimentação hostil estilo
Citar
“Se a China controlasse a base, o Atlântico deixaria de ser seguro (…) Aviões chineses poderiam patrulhar as áreas do norte e do centro do Atlântico e, assim, cortar o tráfego aéreo e marítimo entre os Estados Unidos da América e a Europa. Pequim também seria capaz de negar acesso ao mar Mediterrâneo”
, estavamos todos lixados logo no segundo seguinte.

E a segunda é qual a vantagem para a China em ter a base das Lajes, é que nem fica lá para os lados deles, nem na zona entre o médio-oriente e a China onde eles andam a fazer acordos com vários paises,
http://en.wikipedia.org/wiki/String_of_Pearls_(China (http://en.wikipedia.org/wiki/String_of_Pearls_(China))
só vejo isso como um modo de chatear a América.

Ou teorias de grandezas de alguns chineses malucos que já querem dominar o mundo.
Título: Re: BA4 - Base das Lajes
Enviado por: Lusitano89 em Novembro 24, 2012, 09:12:17 pm
EUA reduzem presença nas Lajes, Portugal vai reagir «em breve»


O ministro dos Negócios Estrangeiros disse este sábado em Torres Vedras que Portugal vai tomar «em breve» uma posição sobre a redução da presença norte-americana na base das Lajes, Açores.

“Portugal assumirá em breve a sua posição nacional sobre essa matéria”, afirmou aos jornalistas Paulo Portas, adiantando que a redução da Força Aérea norte-americana na Base das Lajes deve-se a uma diminuição de 500 mil milhões de dólares na segurança e na defesa americanas.
 
“A redução decidida pelos Estados Unidos terá obviamente consequências”, admitiu Paulo Portas, acrescentando que o Governo da República e o Governo Regional dos Açores devem articular-se para “reduzir o impacto da decisão do ponto de vista económico na Ilha Terceira, no concelho da Praia e no emprego”.
 
Paulo Portas falava à margem da apresentação do candidato do CDS-PP a Torres Vedras, nas próximas eleições autárquicas, em que participou como líder nacional do partido.
 
Os Estados Unidos informaram Portugal sobre a ratificação de uma proposta da Força Aérea norte-americana que prevê uma forte redução da presença na base das Lajes, Açores, disse hoje à Lusa o porta-voz do MNE.
 
"O Governo dos Estados Unidos da América informou segunda-feira desta semana o Governo português que o secretário da Defesa ratificou, recentemente, uma proposta da Força Aérea americana, que prevê uma forte redução da dimensão da sua presença na base aérea portuguesa n.º 4 (Lajes, Açores), presença que, recorde-se, está regulada pelo Acordo bilateral de Cooperação e Defesa de 1995", disse à Lusa Miguel Guedes, porta-voz do Ministério dos Negócios Estrangeiros.
 
"O Governo português comunicou, a 21 de Novembro, ao Governo regional dos Açores, esta decisão do Governo dos EUA, que será agora objecto de análise", disse ainda o porta-voz do MNE.

Lusa
Título: Re: BA4 - Base das Lajes
Enviado por: Instrutor em Novembro 26, 2012, 03:34:47 pm
Simples, nao vendemos os caças F-16 a nenhum país, colocamos 6/8 caças F-16 nos Açores, mais 1 P3C e garantimos a segurança do arquipélago como é nosso dever. os restantes 4/6 caças F-16 + 1 P3C na Madeira e garantimos a protecção aos Madeirenses. Fim da história. Sempre podemos contar comnosco proprios, fomos para a Guerra Ultrmar sozinhos não precisamos de protecção americana nos Açores. Também nunca recebemos verdadeiramente contrapartidas pelo usa das Lajes, qual é a novidade.
Título: Re: BA4 - Base das Lajes
Enviado por: Lusitano89 em Novembro 26, 2012, 06:12:12 pm
PS quer explicações urgentes do ministro da Defesa


O PS requereu hoje a presença urgente do ministro da Defesa, José Pedro Aguiar-Branco, na Assembleia da República, para explicações sobre a eventual redução militar norte-americana na Base das Lajes, nos Açores.

Este requerimento, ao qual a agência Lusa teve acesso, é assinado pelo deputado socialista Marcos Perestrello e foi dirigido ao presidente da Comissão de Defesa Nacional, o deputado social-democrata Matos Correia.

"Em face de notícias vindas a público sobre a redução da presença militar norte-americana na Base das Lajes, torna-se imprescindível ouvir o ministro da Defesa sobre o assunto", refere a nota enviada por Marcos Perestrello, líder da Federação da Área Urbana de Lisboa (FAUL) do PS e ex-secretário de Estado da Defesa.

Sábado passado, em Torres Vedras, o ministro de Estado e dos Negócios Estrangeiros, Paulo Portas, afirmou que Portugal vai tomar "em breve" uma posição sobre a redução da presença norte-americana na Base das Lajes.

"Portugal assumirá em breve a sua posição nacional sobre essa matéria", afirmou aos jornalistas Paulo Portas, adiantando que a redução da Força Aérea norte-americana na Base das Lajes deve-se a uma diminuição de 500 mil milhões de dólares na segurança e na defesa americanas.

"A redução decidida pelos Estados Unidos terá obviamente consequências", admitiu Paulo Portas, acrescentando que o Governo da República e o Governo Regional dos Açores devem articular-se para "reduzir o impacto da decisão do ponto de vista económico na Ilha Terceira, no concelho da Praia e no emprego".

Já hoje, em Ponta Delgada, o presidente do Governo Regional dos Açores, Vasco Cordeiro, afirmou que "os Estados Unidos têm a responsabilidade de criar as condições para que seja possível lidar com o impacto social e económico" de reduzir a presença na base das Lajes.

"Os Estados Unidos têm a responsabilidade de criarem as condições para que seja possível lidar com o impacto social e económico dessa decisão. Só este comportamento é que estará de acordo com o espírito do acordo de cooperação e defesa", declarou.

Lusa
Título: Re: BA4 - Base das Lajes
Enviado por: Lightning em Novembro 26, 2012, 07:03:50 pm
Citação de: "Instrutor"
Simples, nao vendemos os caças F-16 a nenhum país, colocamos 6/8 caças F-16 nos Açores, mais 1 P3C e garantimos a segurança do arquipélago como é nosso dever. os restantes 4/6 caças F-16 + 1 P3C na Madeira e garantimos a protecção aos Madeirenses.

Caro Instrutor, desculpe mas tenho que discordar em parte consigo, não concordo com o "semear" de P-3 pelas ilhas, seria um aumento da despesa logistica e do pessoal sem ter nenhum ganho operacional relevante.

As missões do dia-a-dia da Força Aérea nas ilhas são de Busca e Salvamento, e para essas missões o C295 é suficiente, caso seja necessário reforçar os meios, já foi feito no passado, é fácil enviar um P-3 para lá, fica lá o tempo que for necessário e depois retorna, não é necessário ter lá um em permanencia.

Na ultima crise da Guiné-Bissau quanto tempo demorou o P-3 a chegar a Cabo Verde, horas? E Cabo Verde até é mais longe do que os Açores :wink: .

Em relação aos F-16 já posso concordar, são aeronaves que não tem a autonomia do P-3, para operarem nos Açores ou na Madeira teriam forçosamente que se estabelecerem lá, e temos aeronaves em nº suficiente para isso, é claro que o aumento da despesa logistica iria acontecer. Só chamo a atenção que os F-16 não podem estar no ar 24h/dia em patrulha, para uma defesa aérea eficiente precisam de um radar de intercepção na região que lhes dê o aviso antecipado para descolarem, mas mesmo sem um radar desses, podem na mesma ir fazendo alguns voos de patrulha e actuar em apoio a navios da Marinha.
Título: Re: BA4 - Base das Lajes
Enviado por: Lusitano89 em Novembro 26, 2012, 09:43:12 pm
Portugal e EUA em contacto sobre minimização do impacto da saída da Base das Lajes


Os governos de Portugal e dos Estados Unidos estão a negociar medidas de minimização do impacto da retirada da Força Aérea norte-americana da Base das Lajes, Açores, disse à Lusa fonte oficial do Pentágono. A forte redução da presença militar norte-americana nas Lajes, comunicada pelo Departamento de Defesa norte-americano ao governo português na semana passada, é «basicamente definitiva», mas ainda há «sérias discussões sobre o processo» que estão em curso, disse à Lusa o major Robert Firman.

De acordo com a mesma fonte, cabe a Lisboa apresentar ao Departamento de Defesa as suas questões sobre o processo, dizendo respeito à redução do impacto económico e laboral, e Washington procurará atender a estas.

Segundo Firman, nos próximos dias o governo português deverá fazer um anúncio formal do resultado do processo negocial, que foi lançado no início deste ano durante uma visita do ministro da Defesa Aguiar Branco a Washington, onde se avistou com o secretário da Defesa, Leon Panetta.

A mesma fonte remete mais esclarecimentos para o governo português.

Sábado passado, o ministro de Estado e dos Negócios Estrangeiros, Paulo Portas, afirmou que Portugal vai tomar «em breve» uma posição sobre a redução da presença norte-americana nas Lajes.

«A redução decidida pelos Estados Unidos terá obviamente consequências», admitiu Paulo Portas.

Acrescentou que o Governo da República e o Governo Regional dos Açores devem articular-se para «reduzir o impacto da decisão do ponto de vista económico na Ilha Terceira, no concelho da Praia e no emprego».

Já hoje, em Ponta Delgada, o presidente do Governo Regional dos Açores, Vasco Cordeiro, afirmou que «os Estados Unidos têm a responsabilidade de criar as condições para que seja possível lidar com o impacto social e económico» de reduzir a presença na base das Lajes.

«Os Estados Unidos têm a responsabilidade de criarem as condições para que seja possível lidar com o impacto social e económico dessa decisão. Só este comportamento é que estará de acordo com o espírito do acordo de cooperação e defesa», declarou.

Segundo uma fonte envolvida nas negociações, Portugal pretende que o início do processo de retirada dos militares norte-americanos, previsto para 2013, seja adiado por um ano.

Outra pretensão é que a dispensa dos trabalhadores portugueses não seja feita «de uma só vez», mas «em blocos ao longo do tempo», referiu.

«Nesta fase podemos tentar adiar e minimizar o impacto», disse à Lusa a mesma fonte.

O secretário da Defesa Leon Panetta informou o homólogo português, José Pedro Aguiar-Branco, da intenção dos Estados Unidos reduzirem a presença na Base das Lajes, num encontro no Departamento da Defesa, em Washington no final de Fevereiro.

A medida insere-se na revisão da presença norte-americana no estrangeiro, devido aos cortes previstos no orçamento do Departamento de Defesa.

A conclusão do processo negocial estava inicialmente prevista para Julho, mas foi posteriormente remetida para depois das eleições presidenciais de 6 de Novembro.

Lusa
Título: Re: BA4 - Base das Lajes
Enviado por: Lusitano89 em Dezembro 04, 2012, 05:20:23 pm
Paulo Portas quer abordar questão das Lajes com Hillary Clinton


O ministro dos Negócios Estrangeiros português disse hoje aos jornalistas que pretende abordar a questão da Base das Lajes com a secretária de Estado norte-americana, Hillary Clinton, em Bruxelas. Paulo Portas afirmou que "pretende certamente" abordar a questão da retirada dos militares norte-americanos da Base Aérea n.º 4 das Lajes, nos Açores, com Hillary Clinton

O ministro dos Negócios Estrangeiros falava em Bruxelas, onde participa na reunião dos chefes da diplomacia da NATO, que começou hoje no quartel-general da Aliança Atlântica.

“Eu vou certamente aproveitar a oportunidade de dar uma palavra à senhora Clinton sobre essa matéria. A decisão militar já foi comunicada pelas autoridades de defesa dos Estados Unidos e tem impactos que nos preocupam e tem consequências que devem ser avaliadas”, disse.

O Ministro dos Negócios Estrangeiros português acrescentou que Hillary Clinton não vai ser a próxima secretária de Estado na “nova administração [do presidente Barack] Obama”, mas é importante que “mesmo numa fase de transição, a diplomacia norte-americana seja sensibilizada devidamente por Portugal”.

Questionado sobre as declarações do embaixador norte-americano em Lisboa, que falou da necessidade do Governo português criar condições de competitividade para compensar a retirada militar dos Estados Unidos das Lajes, Paulo Portas respondeu que espera pela reunião com Washington, que se vai realizar ainda este ano.

“Eu sou institucionalista, há uma comissão permanente bilateral convocada para o mês de Dezembro e é nesse quadro que Portugal vai expor a sua posição”, concluiu.

Lusa
Título: Re: BA4 - Base das Lajes
Enviado por: Charlie Jaguar em Agosto 06, 2013, 11:34:07 pm
Artigo muito interessante no site norte-americano da Base das Lajes sobre o apoio prestado pela USAF à FAP no que às operações de Busca e Salvamento diz respeito e não só. E com fotos.  :arrow: http://www.lajes.af.mil/news/story.asp?id=123358132 (http://www.lajes.af.mil/news/story.asp?id=123358132)
Título: Re: BA4 - Base das Lajes
Enviado por: Lightning em Janeiro 06, 2014, 11:55:48 pm
Vídeo da Esquadra 711 - Albatrozes, esquadra de busca e salvamento (actualmente extinta) que operou aviões C-212 Aviocar e helicópteros SA-330 Puma nos Açores, o filme foi realizado em 2004.

Título: Re: BA4 - Base das Lajes
Enviado por: HSMW em Agosto 08, 2014, 12:10:02 am
Título: Re: BA4 - Base das Lajes
Enviado por: Turlu em Agosto 14, 2014, 04:18:09 pm
De acordo com notícia hoje difundidad pela RDP-Açores, e citando fonte militar americana, os Chineses pretendem investir na Ilha Terceira em facilidades portuárias para apoio à sua navegação mercante e pretendem ao mesmo tempo ter uma guarnição militar para apoio à frota da MG Chinesa no Atlântico, o que incluiria a presença de aviões. No entanto, tendo em conta que a existe um destacamento militar americano na Base das Lajes, estariam dispostos a colocar os seus militares em outra ilha que não a Terceira.
Afinal a passagem do Primeiro Ministro há cerca de 2 anos e do Presidente da República da China no mes passado pela Ilha Terceira onde se passearam pelas ruas de Angra do Heroísmo, não era tão "inocente" quanto alguns quiseram fazer crer.

Cpts Turlu
Título: Re: BA4 - Base das Lajes
Enviado por: Crypter em Agosto 14, 2014, 04:42:26 pm
Uma base chinesa em pleno coração Atlântico???!!!

Os nossos "amigos" burricanos não me parece que fossem gostar muito da ideia.. Aliás, até que ponto iria ser vantajoso para Portugal/Açores ter esse tipo de estrutura??

O pagamento do aluguer??
Título: Re: BA4 - Base das Lajes
Enviado por: Lusitano89 em Setembro 08, 2014, 09:07:36 pm
Base das Lajes volta a contratar trabalhadores portugueses


Os lugares deixados vagos pelos trabalhadores portugueses na Base das Lajes, na ilha Terceira, nos últimos dois anos vão voltar a ser preenchidos, segundo o líder da Comissão Representativa dos Trabalhadores, João Ormonde.

Nos últimos dois anos, os postos dos trabalhadores portugueses que saíam por morte, invalidez, limite de idade ou opção do trabalhador não estavam a ser substituídos "porque a perspectiva era de despedimento", tendo em conta a intenção dos EUA de reduzirem  sua presença militar na base.

No entanto, a Comissão Representativa dos Trabalhadores (CRT) considerava que esta situação "não era regular", tendo em conta que o processo de redução ainda não tinha sido aprovado. Por isso, denunciou-o ao comandante da 65th Air Base Wing (a base das Lajes, usada pela Força Aérea do EUA).

"A situação anterior era irregular dado que a não reposição das vagas representava uma violação da lei do Orçamento da Defesa norte-americana [de 2014], na medida em que ela dizia que a força não podia ser reduzida e já existiam serviços desactivados, com a retirada de forças militares", frisou João Ormonde, em declarações à Lusa.

Segundo revelou, foram dadas garantias à CRT de que o processo de substituição de trabalhadores, até agora suspenso, será retomado.

João Ormonde disse esperar que esse processo seja feito de forma normal, como se não estivesse em discussão um plano de redução da presença militar nas Lajes, o que deverá implicar a contratação permanente, em postos que eram até agora permanentes.

A Comissão Representativa dos Trabalhadores está, neste momento, a fazer um levantamento das vagas por preencher, mas devem estar em causa "mais de uma dezena".

Segundo revelou hoje a Antena 1/Açores, que avançou a notícia, nas últimas semanas foram já abertos 12 concursos para contratar trabalhadores portugueses.

Segundo o representante dos trabalhadores, está também em aberto a possibilidade de alguns postos de trabalho para civis norte-americanos serem "convertidos" em lugares para portugueses, dada a dificuldade que os Estados Unidos estão a ter em contratar civis norte-americanos para irem para os Açores.

Pelas contas da CRT, a base das Lajes perdeu mais de 70% dos seus trabalhadores civis norte-americanos, devido ao previsível processo de redução da presença militar. A indefinição do processo, a contratação por prazos mais curtos e a proibição de deslocação de famílias está a reduzir a procura dos civis norte-americanos pelos postos na ilha Terceira.

Para João Ormonde, estas decisões são "pequeninas boas notícias", mas "não têm a ver com um retrocesso" no processo de redução da presença norte-americana nas Lajes.

Os EUA anunciaram a intenção de reduzir no ano passado o contingente que têm nas Lajes, em mais de 400 militares e 500 familiares, mas a decisão tem sido adiada devido a várias iniciativas legislativas.

Tal como aconteceu em 2013, o Senado norte-americano deve votar este mês a Lei de Apropriações de Defesa e o Orçamento das Forças Armadas, duas propostas legislativas que adiam novamente a redução do contingente dos EUA nas Lajes.

Segundo a Lei de Apropriações de Defesa (em inglês, Defense Appropriations Bill) da Câmara dos Representantes, "nenhum dos fundos disponibilizados por este ato podem ser usados pelo secretário da Força Aérea para reduzir a estrutura" na base açoriana.

Quanto ao Orçamento das Forças Armadas (em inglês, FY15 National Defense Authorization Act), inclui linguagem que adia qualquer redução na base até 30 dias depois da divulgação do Relatório de Consolidação de Estruturas Europeias, que está em preparação e devia ter sido divulgado em junho.

Para além destas duas iniciativas, está ainda a aguardar discussão a proposta legislativa 'Africa Counter Terrorism Initiative Act', subscrita por 40 congressistas e que sugere deslocar as forças do comando norte-americano para a África (AFRICOM) da Alemanha para o território continental dos Estados Unidos, transformando as Lajes na sua única base avançada.

As últimas informações a que a comissão de trabalhadores das Lajes teve acesso indicam que o estudo sobre as bases norte-americanas na Europa deverá ser entregue às autoridades "até ao fim do mês de Setembro".

No entanto, o representante dos trabalhadores portugueses na base das Lajes salientou que a decisão "não tem de seguir as recomendações do estudo", alegando que espera que sejam tidas em conta, mais do que as características militares, as relações bilaterais entre Portugal e os EUA.

"Temos ainda algumas expectativas", sublinhou João Ormonde.

Lusa
Título: Re: BA4 - Base das Lajes
Enviado por: Lusitano89 em Setembro 24, 2014, 08:37:25 pm
AFRICOM descarta instalação de unidade avançada na Base das Lajes

(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fdiariodigital.sapo.pt%2Fimages_content%2F2014%2FAFRICOM-logo.jpg&hash=960d486d185b8b6be8a6b60580024def)

O Comando dos Estados Unidos para África (AFRICOM) descarta, para já, a instalação de uma unidade avançada na Base das Lajes, nos Açores, disse hoje o general que comanda aquela força, questionado em Luanda pela agência Lusa. A posição foi assumida pelo general David Rodriguez, que hoje iniciou uma visita de dois dias a Angola, para reforço da cooperação em matéria de segurança regional e marítima, após reunir-se com o ministro da Defesa angolano, João Lourenço.

 posição foi assumida pelo general David Rodriguez, que hoje iniciou uma visita de dois dias a Angola, para reforço da cooperação em matéria de segurança regional e marítima, após reunir-se com o ministro da Defesa angolano, João Lourenço.

"Não vamos neste momento [instalar uma base nas Lajes]. Estamos estabelecidos em Estugarda [Alemanha] e é aí que pretendemos ficar no futuro", disse o comandante do AFRICOM, respondendo à Lusa sobre a possibilidade de instalação de uma base avançada daquele Comando nos Açores, no âmbito na nova estratégia norte-americana para aquela base portuguesa.

Baseado na Alemanha, o AFRICOM é um dos seis comandos geográficos de combate da estrutura do Comando Unificado do Departamento de Defesa dos Estados Unidos.
Os Estados Unidos anunciaram a intenção de reduzir no ano passado o contingente que têm nas Lajes, em mais de 400 militares, mas a decisão tem sido adiada devido a várias iniciativas legislativas.

A redução foi adiada em 2013 devido a uma compromisso orçamental entre democratas e republicanos, conseguido em dezembro. Entretanto, o relatório sobre as estruturas militares norte-americanas na Europa, que inclui uma avaliação da importância da Base das Lajes, está pronto e deve chegar ao secretário de Defesa norte-americano, Chuck Hagel, nas próximas semanas. Uma porta-voz do Pentágono, a tenente-coronel Vanessa Hillman, confirmou, sábado, que o relatório de Consolidação de Estruturas Europeias está pronto, envolvendo "um cuidadoso e deliberado conjunto de recomendações".

O relatório é considerado decisivo para o futuro da base militar das Lajes, na ilha Terceira, nos Açores. Nas próximas semanas, o Senado norte-americano deve votar a Lei de Apropriações de Defesa e o Orçamento das Forças Armadas, duas propostas legislativas que adiam novamente a redução da Base das Lajes até a divulgação deste relatório.

Num segundo momento, as duas câmaras do congresso norte-americano vão conciliar as suas versões, num texto final que será assinado pelo presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, idealmente antes do final do ano.

Ainda a aguardar discussão está também a proposta legislativa 'Africa Counter Terrorism Initiative Act', subscrita por 40 congressistas e que sugere deslocar as forças do comando norte-americano para a África (AFRICOM), da Alemanha, para o território continental dos Estados Unidos, transformando as Lajes na sua única base avançada.

Fonte da Câmara dos Representantes confirmou à agência Lusa que a proposta está a ser analisada pelo Comité das Forças Armadas e que ainda não existe indicação de quando poderá ser debatida por este órgão legislativo.

Lusa
Título: Re: BA4 - Base das Lajes
Enviado por: Lusitano89 em Dezembro 13, 2014, 09:30:08 pm
Trabalhadores da Base das Lajes consideram «bom sinal» decisão do Congresso dos EUA


O porta-voz dos trabalhadores portugueses da Base das Lajes considerou hoje que o Congresso dos EUA deu um «bom sinal» político ao aprovar um novo adiamento para o corte do contingente militar norte-americano nos Açores.

"Acima de tudo, é um bom sinal", disse à Lusa o presidente da Comissão Representativa dos Trabalhadores Portugueses da Base das Lajes, Bruno Nogueira.
No entanto, sublinhou que é um "sinal político", que revela que a diplomacia está a funcionar, mas que, "no terreno", os trabalhadores sentem e sabem que as autoridades militares têm vontade de avançar com a redução da presença norte-americana na ilha Terceira.

Bruno Nogueira disse que os trabalhadores esperam que as "instituições militares" dos EUA sigam aquilo que está a ser decidido a nível político e que se chegue a uma "solução" para as Lajes que seja "menos gravosa" para os trabalhadores, a ilha Terceira e a relação entre Portugal e os Estados Unidos da América (EUA).
Apesar de a decisão tomada pelo Congresso dos EUA na sexta-feira ser positiva, Bruno Nogueira diz que os trabalhadores das Lajes continuam na expetativa, à espera de saber o teor do relatório sobre as bases norte-americanas na Europa, que já devia estar concluído há meses.

"Vamos continuar a trabalhar neste período que nos foi concedido novamente", disse Bruno Nogueira, vincando que os trabalhadores se mantêm alerta.
O Senado dos Estados Unidos aprovou na sexta-feira o orçamento das Forças Armadas para 2015, que proíbe a redução da estrutura militar norte-americana na Base das Lajes, na ilha Terceira, até à divulgação de um novo relatório.

A Câmara dos Representantes já tinha aprovado o mesmo orçamento na semana passada, ficando agora apenas a faltar a ratificação do documento pelo Presidente Barack Obama para terminar o processo, o que deve acontecer nos próximos dias. O projeto de lei que determina o orçamento das forças armadas norte-americanas, designado National Defense Authorization Act for Fiscal Year 2015, inclui uma emenda sobre as Lajes, iniciativa de um grupo de congressistas ligados a Portugal.

Segundo esta emenda, "a secretaria da Força Aérea não deve reduzir a estrutura na Base Aérea das Lajes até 30 dias depois do Secretário da Defesa concluir o Relatório de Consolidação de Estruturas Europeias", que já está terminado e deveria ter sido divulgado na primavera. Fonte da Câmara dos Representantes garantiu à agência Lusa que este relatório "está atualmente em espera devido aos recentes conflitos na Ucrânia e com o Estado Islâmico" e que "uma data de divulgação ainda não foi estabelecida".

A emenda é idêntica à que foi aprovada no ano passado e adiou a redução do contingente norte-americano nas Lajes, que tinha sido anunciado e envolvia mais de 400 militares e 500 familiares.

Lusa
Título: Re: BA4 - Base das Lajes
Enviado por: nelson38899 em Dezembro 13, 2014, 10:35:34 pm
Pessoalmente trocava a presença militar americana, por uma doação de 500 milhões de euros em armamento e mais 500 milhões de euros em investimentos, em áreas como um porto de águas profundas para concorrer com Sines, desenvolvimento de industrias para a produção de energias renováveis no mar e finalmente desenvolvimento de industrias na área espacial (controlo de satélites e quem sabe lançamento de foguetões)
Título: Re: BA4 - Base das Lajes
Enviado por: Get_It em Dezembro 14, 2014, 12:20:06 am
A presença militar norte-americana é de facto uma espécie em vias de extinção. Os Açores há muito que perderam o valor estratégico e mesmo em caso de um aumento do tráfico entre os EUA e a Europa/Médio Oriente um contingente bastante pequeno ou simplesmente a FAP ou até mesmo uma empresa privada (contractor). Concordo que os Açorianos, particularmente os trabalhadores das Lajes, deviam era tentar pressionar o governo regional e do continente a investir noutras indústrias ou atrair a presença da ESA em vez de andarem a perder tempo a tentar clonar dinossauros.

Além do desenvolvimento de indústrias de energias renováveis no mar, os Açores também deveriam tentar apostar numa estratégia marítima quer a nível de investigação e industrial, como produtos alimentares, combustíveis e outros materiais. Afinal de contas, anda tudo à anos a ladrar «mar, mar, oceanos, estratégia, mar, mar» sem na realidade fazerem o quer que seja e os Açores também já têm bons centros de investigação e bastantes investigadores.

Militarmente devíamos era tentar "vender" Beja aos norte-americanos, mas mesmo aí vai ser difícil competir com os espanhóis e os cortes orçamentais norte-americanos.

Alternativamente, podíamos dizer f*ck this, criar uma empresa (quer atraindo investidores ou não) na área da aviação para fornecer treino ou apoio a treinos militares e criar algo como os Canadianos fizeram com a Bombardier ao oferecer treino no espaço aéreo Açoriano e treino em Monte Real/Alcochete.

Cumprimentos,
Título: Re: BA4 - Base das Lajes
Enviado por: mafets em Dezembro 15, 2014, 12:53:40 pm
Concordo que as Lajes hoje não têm o peso de outros tempos mas nunca perdera totalmente o valor estratégico, mais não seja pela sua localização entre a Europa e América. Mesmo que os EUA abandonem (algo que ainda não fizeram, mas que certamente algum  dia acontecerá), é preciso ver que os governos republicanos por norma são menos dados a cortes, e que os EUA tem regressado à posteriori a locais que tinham abandonado, como seja Espanha ou as Filipinas. Agora que os sucessivos governos não tem apresentado alternativas aos Americanos, que não "vendem" diversos espaços como por exemplo as Lajes, Alcochete, Beja, quando só esta ultima teve pelo menos 2 interessados, isso é inegável. Depois queixam-se se um dia ficarem com a "criança nos braços".
(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fwww.lotacor.pt%2Ffx2013%2Fmapa_acores.jpg&hash=33388c907c74e73bcf0ebd533625ede4)
(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fwww.euacontacto.com%2Fwp-content%2Fuploads%2F16.04-Lajes.jpg&hash=7066e30cb3dc3157f310cb238eb1e975)
(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fimg0.rtp.pt%2Ficm%2Fthumb%2FphpThumb.php%3Fsrc%3D%2Fimages%2Fc4%2Fc4f517c94666e108a976574d2b846499%26amp%3Bw%3D290%26amp%3Bsx%3D229%26amp%3Bsy%3D406%26amp%3Bsw%3D1011%26amp%3Bsh%3D641%26amp%3Bq%3D75%26amp%3Bw%3D500&hash=5fc1a576e3af2605f823e2e9d92093b4)  
(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2F4.bp.blogspot.com%2F-MIROBQrIaMQ%2FUKVzYR0GtOI%2FAAAAAAAAIeA%2FQVJrM8ixat4%2Fs1600%2F2184678.jpg&hash=8dc53cb6e14eca3e7fa0271485b10e3e)
(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2F3.bp.blogspot.com%2F-ZlLXbLBFfjs%2FUDi6SOi-eHI%2FAAAAAAAAFeU%2FramDojLNKbU%2Fs640%2Favioes_374093.jpg&hash=e414c002bf4dc52d0146fb6ec56bd85f)
(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fi1056.photobucket.com%2Falbums%2Ft377%2FSharktt%2FPlane%2520Spotting%2Fgrowler.jpg&hash=11910286be229a5f60b5481ac5a6274e)

Cumprimentos
Título: Re: BA4 - Base das Lajes
Enviado por: Lusitano89 em Janeiro 08, 2015, 05:42:17 pm
EUA vão retirar 500 militares da Base das Lajes


O Pentágono anunciou esta quinta-feira que vai retirar 500 militares norte-americanos actualmente destacados na Base das Lajes, nos Açores, reduzindo assim o número de tropas em Portugal.

Entre civis e militares, os Estados Unidos vão retirar 485 pessoas da Base das Lajes e ao mesmo tem dispensar 500 dos actuais 900 portugueses que ali trabalham. A mudança será concretizada ao longo deste ano de 2015, e representa uma poupança de 29 milhões de euros (35 milhões de dólares) anuais.

Segundo a agência Reuters,  a medida de Washington faz parte de um plano geral de reestruturação a nível europeu que visa poupar 424 milhões de euros (cerca de 500 milhões de dólares) por ano.

Para além da redução nos Açores, os Estados Unidos vão encerrar uma base aérea em Inglaterra e entregar 14 outras bases aos governos onde elas estão instaladas.

Em Londres, por exemplo, vão ser retirados da base de Mildenhall 3.200 militares. Na Alemanha, "várias instalações" vão ser encerradas e cerca de 300 militares vão ser transferidos para as bases italianas.

Contudo, no fim da reestruturação o nível de militares norte-americanos na Europa vai aumentar algumas centenas.

O secretário da Defesa, Chuck Hagel, explicou que o plano visa "ajudar a maximizar" as capacidades norte-americanas na Europa para que possam "apoiar da melhor forma" os seus parceiros e aliados da NATO.

O embaixador dos Estados Unidos em Portugal agendou para esta quinta-feira uma conferência de imprensa para explicar a decisão tomada em Washington e as consequências na base portuguesa.

Em 2012, uma notícia da Renascença dava conta que uma eventual redução do contingente militar norte-americano na base das Lajes de 640 para 160 poderia ter um impacto de cerca de 10% do PIB da ilha Terceira.

Renascença
Título: Re: BA4 - Base das Lajes
Enviado por: HSMW em Fevereiro 13, 2015, 05:03:42 pm
Título: Re: BA4 - Base das Lajes
Enviado por: Get_It em Maio 01, 2015, 03:35:28 am
Comandante Coronel Tito Mendonça da Base das Lajes cria instabilidade no espaço aéreo da Terceira
Citação de: "NO Revista"
Devido às más condições climatéricas que se fazem sentir em São Miguel, vários aviões optaram por se dirigir para a pista do Aeroporto das Lajes.

Hoje de manhã, o voo S4 320 da SATA Internacional ficou a sobrevoar durante mais de uma hora a Base Aérea das Lajes porque não estava a conseguir obter autorização do Coronel Tito Mendonça, responsável por esta mesma unidade, para aterrar em segurança. Contudo, e algumas horas depois, o Coronel autorizou a aterragem do voo S4 320 proveniente de Toronto. Esta indecisão causou algum pânico entre os passageiros deste voo pelo motivo de estar mais de uma hora a sobrevoar os céus da ilha Terceira.

Mais tarde, e devido aos mesmos motivos, um avião da companhia aérea low cost EasyJet (voo U27625)  solicitou o mesmo pedido, sendo que este lhe foi negado. A única saída seria a de declarar uma aterragem de emergência por falta de combustível mas o comandante da aeronave recusou-se a fazer tal declaração, regressando para Lisboa.

Ao início da tarde, o voo FR2623 da companhia aérea Ryanair também requereu a aterragem na Base das Lajes, mas só evocando a aterragem de emergência por low-fuel é que lhe foi autorizado. Se a veracidade desta informação for confirmada, futuramente, e sabendo da instabilidade das nossas condições climatéricas, estas situações poderão ser muito complicadas pois caso o Aeroporto das Lajes e outros aeroportos alternativos não apresentassem condições de segurança para a aterragem de qualquer aeronave, o avião não teria recursos para regressar a Lisboa.

[continua] (http://http)
Fonte: http://norevista.pt/2015/04/comandante-coronel-tito-mendonca-da-base-das-lajes-cria-instabilidade-no-espaco-aereo-da-terceira/

Cumprimentos,
Título: Re: BA4 - Base das Lajes
Enviado por: NVF em Maio 03, 2015, 12:44:40 am
A ser verdade esta notícia, estamos perante uma situação gravíssima que requer acção imediata por parte do EMFA e do governo da República. Em pleno século XXI, não é aceitável a criação artificial de situações de perigo, devido a um qualquer capricho do pequeno déspota-burrocrata ao comando.
Título: Re: BA4 - Base das Lajes
Enviado por: Lightning em Maio 03, 2015, 12:23:52 pm
Citação de: "NVF"
A ser verdade esta notícia, estamos perante uma situação gravíssima que requer acção imediata por parte do EMFA e do governo da República. Em pleno século XXI, não é aceitável a criação artificial de situações de perigo, devido a um qualquer capricho do pequeno déspota-burrocrata ao comando.

Não estou dentro do assunto mas, sempre que qualquer avião declara aterragem de emergência, nunca soube de alguém negar a autorização de aterrar, agora os voos normais, devem ter que seguir as regras normais.
Título: Re: BA4 - Base das Lajes
Enviado por: night_runner em Maio 03, 2015, 04:50:11 pm
Citação de: "NVF"
A ser verdade esta notícia, estamos perante uma situação gravíssima que requer acção imediata por parte do EMFA e do governo da República. Em pleno século XXI, não é aceitável a criação artificial de situações de perigo, devido a um qualquer capricho do pequeno déspota-burrocrata ao comando.
Camarada NVF, tente informar-se primeiro antes de dizer este tipo de coisas, por favor.  :(
Título: Re: BA4 - Base das Lajes
Enviado por: NVF em Maio 03, 2015, 09:37:16 pm
Devo começar por dizer que a minha observação foi uma reacção a uma notícia de um órgão de informação, portanto a sua premissa quando me aconselha a informar-me primeiro não faz sentido. Segundo, por alguma razão comecei a minha frase por "a ser verdade esta notícia". Ou seja, se não for verdade o que vem a seguir não tem validade, segundo as minhas próprias palavras.

Sinceramente, não entendo o seu comentário. Se não concorda com o meu ponto de vista, muito bem, dê a sua opinião, como fez o camarada Lightning antes de si. Melhor, se possui informação que mais ninguém aqui no forum possui, porque não compartilhá-la connosco?  :G-beer2:
Título: Re: BA4 - Base das Lajes
Enviado por: raphael em Maio 03, 2015, 09:39:27 pm
Citação de: "night_runner"
Citação de: "NVF"
A ser verdade esta notícia, estamos perante uma situação gravíssima que requer acção imediata por parte do EMFA e do governo da República. Em pleno século XXI, não é aceitável a criação artificial de situações de perigo, devido a um qualquer capricho do pequeno déspota-burrocrata ao comando.
Camarada NVF, tente informar-se primeiro antes de dizer este tipo de coisas, por favor.  :(

Até ver o link nem sabia o que era o NoRevista....um título sensacionalista, que projeta a imagem da publicação online, que leva os comentadores habituais a fazer juízos de valor baseados somente em factos noticiados numa publicação online...É como o correio da manhã há a verdade do jornalista, a verdade do visado e a verdade propriamente dita.
Li com agrado no link o comentário de alguém que se identifica como "Açor Alado", quem prontamente "crucificou" o Cmdt da Unidade, leia o comentário e reflicta um pouco.
"Lá por me quererem meter umas palas nos olhos e uma cenoura à frente não quer dizer que eu siga em frente sem pestanejar!"
Título: Re: BA4 - Base das Lajes
Enviado por: NVF em Maio 03, 2015, 10:35:47 pm
Citação de: "raphael"
Até ver o link nem sabia o que era o NoRevista....um título sensacionalista, que projeta a imagem da publicação online, que leva os comentadores habituais a fazer juízos de valor baseados somente em factos noticiados numa publicação online...É como o correio da manhã há a verdade do jornalista, a verdade do visado e a verdade propriamente dita.
Li com agrado no link o comentário de alguém que se identifica como "Açor Alado", quem prontamente "crucificou" o Cmdt da Unidade, leia o comentário e reflicta um pouco.
"Lá por me quererem meter umas palas nos olhos e uma cenoura à frente não quer dizer que eu siga em frente sem pestanejar!"

Folgo em saber que já tem pleno conhecimento da dita publicação, ao ponto até de classificá-la como sensacionalista. Eu, por mim, continuo no meu desconhecimento relativo da dita, pois não estou normalmente interessado em notícias de âmbito regional.

Curiosamente, toda a gente que até agora se pronunciou admite que a notícia, de uma forma ou outra, está errada e que o comandante da BA4 agiu de forma correcta. Parece que estamos a ficar afectados pelos ventos do Brasil que por aqui pairam e que, o que aparenta ser uma manifestação óbvia de prepotência, é aceitável.

No entanto, parece que o Ministério da Defesa Nacional — pela voz da secretária de Estado — achou por bem instruir o "Comando da Zona Militar para flexibilizar a autorização dos voos civis". Claro, como a fonte é a mesma publicação há sempre a possibilidade de também esta notícia ser falsa.

Obviamente, por questões de educação e de respeito pelas regras do forum vou-me abster de sugerir que um colega deste espaço é um asno.

http://norevista.pt/2015/05/declaracoes-da-secretaria-de-estado-adjunta-e-defesa-nacional-sobre-a-instabilidade-do-espaco-aereo-da-ilha-terceira/
Título: Re: BA4 - Base das Lajes
Enviado por: Get_It em Maio 03, 2015, 11:03:19 pm
Também não conhecia a NO Revista e como já estou habituado à imprensa ser tão agressiva e crítica das Forças Armadas acabei por nem ligar muito à narrativa da notícia e partilhei-a aqui. Quando também coloquei-a aqui na altura ainda não tinha lá comentários para ajudar a esclarecer o assunto, e mesmo assim também não tenho o hábito de ler os comentários nestes jornais online pela experiência que já tive em ler os comentários do Correio da Manhã.

Lição aprendida.

Entretanto no mundo da política: «CDS-PP critica comandante da Base das Lajes (Vídeo) (http://http)» (RTP Açores).

Cumprimentos,
Título: Re: BA4 - Base das Lajes
Enviado por: Cabeça de Martelo em Maio 08, 2015, 03:09:04 pm
Congressistas americanos visitam de surpresa base das Lajes

Uma delegação de oito congressistas americanos chega esta sábado aos Açores. Rui Machete e Berta Cabral deslocam-se de propósito ao arquipélago para troca de pontos de vista sobre a redução de efetivos da base aérea.



Uma delegação de oito congressistas, chefiados pelo republicano luso-descendente Devin Nunes, chega esta sábado aos Açores para visitar a base das Lajes e trocas pontos de vista com os Governo nacional e regional.

A delegação, que integra ainda uma comitiva de mais de trinta pessoas e ainda o embaixador americano, será acompanhada nos Açores pelo ministro dos Negócios Estrangeiros, Rui Machete, e a secretária de Estado da Defesa, Berta Cabral, além do presidente do Governo regional, Vasco Cordeiro e outras entidades regionais.

Ao fim da tarde, está prevista uma receção no gabinete do representante da República, embaixador Pedro Catarino, onde terá lugar a troca de pontos de vista sobre o impacto da redução da base das Lajes nos Açores. À noite, será oferecido um jantar à delegação pelo presidente do Governo regional.

A visita dos congressistas, que fazem uma paragem nos Açores no regresso aos Estados Unidos, integra-se numa espécie de diligência paralela destes congressistas, que aparentemente contestam a decisão da Administração de reduzir o dispositivo militar americano no arquipélago.

Decisão questionada
Na semana passada, aliás, numa audição da Comissão das Forças Armadas do Senado americano, três senadores, entre eles o republicano John McCain, ex-candidato à presidência dos EUA, questionaram o supremo comandante da NATO (SACEUR), general Philip Breedlove, sobre a redução base das Lajes.

Os senadores perguntaram nomeadamente se não era possível encontrar outra solução ou soluções alternativas à redução da base, decidida em 2014 no âmbito da reorganização de forças americanas na Europa, nomeadamente a deslocação do Comando Sul, do Africom (Africa) ou qualquer outra instalação, tendo em conta o facto de Portugal ser "um grande amigo e aliado em várias operações".

No final de abril, Rui Machete deslocou-se a Washington para uma série de encontros políticos, entre eles com o seu homólogo John Kerry, os membros do “grupo” português na Câmara de Representantes e com três senadores, entre eles McCain, para os sensibilizar, entre outros assuntos, para a questão das Lajes e do impacto da redução dos seus efetivos.

 :arrow: http://expresso.sapo.pt/politica/2015-0 ... -das-Lajes (http://expresso.sapo.pt/politica/2015-05-08-Congressistas-americanos-visitam-de-surpresa-base-das-Lajes)
Título: Re: BA4 - Base das Lajes
Enviado por: mafets em Maio 08, 2015, 04:02:04 pm
Ainda o McCain arranja forma de colocar um destacamento de A10 nas Lajes só para não reduzirem o pessoal da Base. Safa um e safa o outro... :mrgreen:
Citar
Arizona Sen. John McCain says he will work to reverse the process of retiring the A-10 Thunderbolt II close air-support jet, after the recent announcement that the Air Force will put nine A-10s at Davis-Monthan Air Force Base into backup status.
"We will be working hard and most likely reverse that decision in the defense authorization bill," McCain, Republican chairman of the powerful Senate Armed Services Committee, said Friday.
"That was a compromise that was made last year in response to the Air Force's misguided attempt to retire all the A-10s," McCain said, noting that A-10s have since been deployed to Iraq to combat Islamic State militants.
http://www.military.com/daily-news/2015/03/09/mccain-vows-to-reverse-a10-retirement-process.html

(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fi13.photobucket.com%2Falbums%2Fa299%2Fusmilobserver%2FA-10s%2520OEF%2F2010_all18_650.jpg&hash=b4bdc7cfd4ad3dfdb6ed4aed3c982d46)
(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fi13.photobucket.com%2Falbums%2Fa299%2Fusmilobserver%2FA-10s%2520OEF%2F2010_78-0600_650.jpg&hash=106e3f276f4b3b1cc110f651122c4116)
Citar
75th EFS A-10Cs caught at Lajes (Part two)
As reported, Warthog News contributor André Inácio from Portugal had the opportunity to caught all 18 75th Expeditionary Fighter Squadron A-10Cs as they arrived at Lajes Field, Azores, for stopover enroute Kandahar Airfield, Afghanistan, for Operation Enduring Freedom. I already uploaded one arrival shot of each aircraft, taken and exclusively provided by André.

http://warthognews.blogspot.pt/2010/09/75th-efs-10cs-caught-at-lajes.html

Saudações
Título: Re: BA4 - Base das Lajes
Enviado por: NRSMiguel em Maio 08, 2015, 06:51:48 pm
Não convém nada ao Governo Português empolar este assunto das Lajes através da comunicação social...

Bem negociado, com uma nova administração republicana, voltam as decisão atrás e até aumentam o contingente nas Lajes... :D  

Pode ser que ainda venham uns C17, como contrapartida pelos danos de foro nervoso, causados ao portugueses (em especial aos açorianos)... :mrgreen:  :mrgreen:
Título: Re: BA4 - Base das Lajes
Enviado por: Get_It em Maio 08, 2015, 10:20:36 pm
Sinceramente preferia que o governo convencesse os norte-americanos a colocarem um destacamento/contingente no continente, por exemplo em Beja, e que nós (Portugal) déssemos aos Açores apoio financeiro para expandir e criar novos postos de trabalho e novas indústrias. Isto dado a situação geográfica dos Açores e a realidade geo-estratégica actual.

Acho que seria mais fácil para os norte-americanos dado que teriam mais unidades por onde escolher para colocar em Portugal, mais vantajoso para as forças armadas norte-americanas em termos operacionais e de custos, melhor para as forças armadas portuguesas, melhor para os Açores dado que não teriam mais de depender das vontades e da estratégia dos norte-americanos, e melhor para o país em geral visto que os Açores seriam ideias como local onde desenvolver indústria relacionada com o mar. O mar, aquela coisa que é mencionada na estratégia para o mar que toda a gente anda aos anos a falar de boca cheia e diz que é importantíssimo, mas que depois acabamos por não ver nada a ser feito em concreto.

Cumprimentos,
Título: Re: BA4 - Base das Lajes
Enviado por: night_runner em Maio 08, 2015, 10:32:11 pm
O "problema" é que já têm Moron aqui ao lado...
Título: Re: BA4 - Base das Lajes
Enviado por: mafets em Maio 13, 2015, 10:07:00 am
http://observador.pt/2015/05/09/lajes-congressistas-dos-eua-acreditam-em-solucao-de-longo-prazo/
Citar
O congressista norte-americano Devin Nunes disse hoje que é fundamental e possível encontrar uma “solução de longo prazo” para a base das Lajes e convencer o governo dos Estados Unidos a rever a decisão anunciada em janeiro.

Devin Nunes, presidente do Comité de Serviços de informação da Câmara dos Representantes dos Estados Unidos, chefia uma delegação de congressistas norte-americanos, acompanhados por responsáveis das forças militares dos EUA na Europa, que está hoje na ilha Terceira.

O congressista afirmou que há legislação nova a ser trabalhada no Congresso norte-americano em relação às Lajes, com vista a encontrar uma nova utilização para a base da ilha Terceira depois de a Administração dos EUA ter confirmado em janeiro a intenção de reduzir a sua presenta nos Açores e dispensar perto de 500 trabalhadores portugueses.

“É absolutamente importante que encontremos uma solução de longo prazo [para as Lajes], no interesse dos contribuintes americanos e dos interesses estratégicos de longo prazo dos Estados Unidos da América”, afirmou o congressista, que é descendente de emigrantes açorianos.

Devin Nunes sublinhou que, ao contrário do governo norte-americano, o Congresso tem “claramente” manifestado a sua preocupação em relação às Lajes e à decisão de reduzir o efetivo na Terceira e enfatizado a necessidade de “tratar o povo português” adequadamente.

“Infelizmente, ainda não conseguimos que a Administração, o Departamento da Defesa, entenda a seriedade da questão e tente encontrar uma solução”, afirmou.

“Só temos de continuar a trabalhar com os nossos aliados portugueses e fazer o Departamento de Defesa entender que é preciso corrigir [a decisão], que está errado”, adiantou.

Devin Nunes destacou ainda o bom trabalho e diálogo que o Congresso dos EUA tem mantido com o Governo Regional dos Açores e o Governo da República nesta questão.A 09 de janeiro, quando os EUA confirmaram a intenção de reduzir a presença nas Lajes, Devin Nunes disse à Lusa que estavam a ser preparadas respostas contra essa decisão de Washington no Congresso.

“Já falei com o presidente do comité indicado e esta decisão do Departamento de Defesa e do Departamento de Estado obrigam o Congresso a procurar agora a solução apropriada”, disse então Devin Nunes, que qualificou a decisão como “indefensável”.

“A tentativa da Força Aérea de impingir aos contribuintes americanos a fatura de centenas de milhões de dólares em limpezas ambientais nas Lajes é indefensável”, acrescentou.

Devin Nunes foi o autor das emendas que, em 203 e 2014, adiaram a redução na base das Lajes até que fossem divulgados os resultados do Relatório de Avaliação da Consolidação das Infraestruturas Europeias. É também autor de uma proposta legislativa que propunha a deslocação das forças do AFRICOM da Alemanha para o território continental dos EUA e a transformação das Lajes na sua única base avançada.
(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fimg0.rtp.pt%2Ficm%2F%2Fthumb%2FphpThumb.php%3Fsrc%3D%2Fnoticias%2Fimages%2F3c%2F3cd862eb4fedb4d7b3af05ddf2aa1996%26amp%3Bw%3D620%26amp%3Bsx%3D0%26amp%3Bsy%3D0%26amp%3Bsw%3D800%26amp%3Bsh%3D439%26amp%3Bq%3D75&hash=7fc84377d58d7b2c4572c929f2836858)
(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fcdn.controlinveste.pt%2Fstorage%2FDN%2F2012%2Fbig%2Fng2247715.jpg&hash=7ceb9b2aa3f6fc9a44b2c890fa1ca929)

Cumprimentos
Título: Re: BA4 - Base das Lajes
Enviado por: tenente em Maio 13, 2015, 11:07:33 pm
Citação de: "Lightning"
Citação de: "NVF"
A ser verdade esta notícia, estamos perante uma situação gravíssima que requer acção imediata por parte do EMFA e do governo da República. Em pleno século XXI, não é aceitável a criação artificial de situações de perigo, devido a um qualquer capricho do pequeno déspota-burrocrata ao comando.

Não estou dentro do assunto mas, sempre que qualquer avião declara aterragem de emergência, nunca soube de alguém negar a autorização de aterrar, agora os voos normais, devem ter que seguir as regras normais.

Não o podes fazer és obrigado a aceitar a emergência declarada pelo acft e a deixar o dito aterrar !!!
Depois o INAC agora ANAC é contactada para avaliar a situação originária da emergência se foi anomalia técnica, emergência médica etc, avaliar também a veracidade da mesma, porque ás vezes temos casos............  

Agora não sei o que queres dizer com  " voos normais, devem ter de seguir as regras normais" , para eu comentar.

Cumprimentos
Título: Re: BA4 - Base das Lajes
Enviado por: Lightning em Maio 13, 2015, 11:18:23 pm
Citação de: "tenente"
Agora não sei o que queres dizer com  " voos normais, devem ter de seguir as regras normais" , para eu comentar.

Quero dizer voos que não são de emergência como o da noticia que a Base não autorizou a aterragem, voo Lisboa para São Miguel, não pode aterrar por causa das condições climatéricas, dirige-se para a ilha Terceira onde tem melhores condições climatéricas, mas não estava planeado esse avião aterrar lá, nem esse avião está em emergência, até tinha combustível para voltar a Lisboa. Neste caso em particular parece-me que o procedimento normal talvez seja mesmo regressar a Lisboa pois o avião tem essa capacidade, mas percebo que seja chato para as pessoas.
Título: Re: BA4 - Base das Lajes
Enviado por: tenente em Maio 13, 2015, 11:26:17 pm
Citação de: "Lightning"
Citação de: "tenente"
Agora não sei o que queres dizer com  " voos normais, devem ter de seguir as regras normais" , para eu comentar.

Quero dizer voos que não são de emergência como o da noticia que a Base não autorizou a aterragem, voo para São Miguel, não pode aterrar por causa das condições climatéricas, dirige-se para a ilha Terceira onde tem melhores condições climatéricas, mas não estava planeado esse avião aterrar lá, nem esse avião está em emergência, até tinha combustível para voltar a Lisboa. Mas percebo que seja chato para as pessoas.

Ora então vamos lá ver, quando estás a operar um voo tem de se depositar um FPL, plano de voo, que contêm variadíssimos itens entre eles o aeroporto de destino e, muito importante, os alternantes, até dois e a uma distância mínima de 50 milhas do destino, por motivos meteos.

Das duas uma ou o FOB não era suficiente para regressar a LIS, ou alterou em voo um dos alternantes, por motivos operacionais da companhia, e daí ter aterrado na Terceira, ou houve mesmo emergência a bordo, só pode ser uma destas três hipoteses !

Abraços
Título: Re: BA4 - Base das Lajes
Enviado por: Lightning em Maio 13, 2015, 11:47:05 pm
Citação de: "tenente"
Ora então vamos lá ver, quando estás a operar um voo tem de se depositar um FPL, plano de voo, que contêm variadíssimos itens entre eles o aeroporto de destino e, muito importante, os alternantes, até dois e a uma distância mínima de 50 milhas do destino, por motivos meteos.

Das duas uma ou o FOB não era suficiente para regressar a LIS, ou alterou em voo um dos alternantes, por motivos operacionais da companhia, e daí ter aterrado na Terceira, ou houve mesmo emergência a bordo, só pode ser uma destas três hipoteses !

A história do artigo não é bem assim, um dos aviões sim declarou emergência por falta de combustível e a base permitiu logo a aterragem.

Mas os outros dois casos não houve declaração de emergência, os aviões divergiram da ilha de S.Miguel para a ilha Terceira mas, acredito eu, que nenhum desses 3 voos tivessem a Base das Lajes como alternante senão não seria necessário essa decisão subir até ao Comandante da Base, se estivesse no plano de voo, não haveria nenhum problema, já estaria tudo no "automático".

Não sei ao certo os procedimentos necessários para mudar um alternante em pleno voo, nem o tempo que isso demora até a informação chegar à Base, talvez meta alguma burocracia ao barulho, o tempo que o voo de Toronto esteve à espera de autorização para aterrar poderia ser devido a isso?

O voo que nunca chegou a ter autorização para aterrar na Terceira, nunca declarou emergência, teve combustível suficiente para voltar para Lisboa, a alternante seria Lisboa? Quem é que autoriza a mudança de alternante? Isso é à vontade do comandante do avião? O aeroporto/base é obrigada a aceitar a alteração ou pode negar?
Título: Re: BA4 - Base das Lajes
Enviado por: Lightning em Maio 14, 2015, 12:20:37 am
Outra curiosidade deste caso é que, mais nenhum órgão de comunicação social pegou nele, estranho, se realmente a Força Aérea errou e pôs em perigo a vida das pessoas dentro dos aviões isso seria caso para primeira página no Correio da Manhã e abertura de telejornal às 20:00 :mrgreen: .
Título: Re: BA4 - Base das Lajes
Enviado por: NVF em Maio 14, 2015, 04:21:43 am
http://www.rtp.pt/acores/sociedade/cds-pp-critica-comandante-da-base-das-lajes-video_46667

http://www.azoresdigital.com/noticias/ver.php?id=20345

http://www.rtp.pt/acores/economia/uso-civil-das-lajes-vai-ser-facilitado-promete-berta-cabral-som_46694
Título: Re: BA4 - Base das Lajes
Enviado por: Lightning em Maio 14, 2015, 10:16:48 am
ups...   :mrgreen:

Então deve estar tudo no segredo dos deuses.  :G-beer2:
Título: Re: BA4 - Base das Lajes
Enviado por: tenente em Maio 14, 2015, 12:50:53 pm
Citação de: "Lightning"
Citação de: "tenente"
Ora então vamos lá ver, quando estás a operar um voo tem de se depositar um FPL, plano de voo, que contêm variadíssimos itens entre eles o aeroporto de destino e, muito importante, os alternantes, até dois e a uma distância mínima de 50 milhas do destino, por motivos meteos.

Das duas uma ou o FOB não era suficiente para regressar a LIS, ou alterou em voo um dos alternantes, por motivos operacionais da companhia, e daí ter aterrado na Terceira, ou houve mesmo emergência a bordo, só pode ser uma destas três hipoteses !

A história do artigo não é bem assim, um dos aviões sim declarou emergência por falta de combustível e a base permitiu logo a aterragem.

Citar
Mas os outros dois casos não houve declaração de emergência, os aviões divergiram da ilha de S.Miguel para a ilha Terceira mas, acredito eu, que nenhum desses 3 voos tivessem a Base das Lajes como alternante senão não seria necessário essa decisão subir até ao Comandante da Base, se estivesse no plano de voo, não haveria nenhum problema, já estaria tudo no "automático".


Não podem ter como alternantes bases aéreas ! As normas IATA/ICAO não o permitem.


Citar
Não sei ao certo os procedimentos necessários para mudar um alternante em pleno voo, nem o tempo que isso demora até a informação chegar à Base, talvez meta alguma burocracia ao barulho, o tempo que o voo de Toronto esteve à espera de autorização para aterrar poderia ser devido a isso?".

É rápido, o ATC do espaço aéreo, FIR, em questão trata disso num ápice em caso de emergência e divergir para outro Aeroporto, para uma base Aérea vai provocar imenso granel como estas situações provocaram. Há alguns anos um voo da IBE aterrou no Montijo pensando que estava na aproximação da 03 em LIS e foi o que foi para libertar a Aeronave e pax da Base !!!



Citar
O voo que nunca chegou a ter autorização para aterrar na Terceira, nunca declarou emergência, teve combustível suficiente para voltar para Lisboa, a alternante seria Lisboa? Quem é que autoriza a mudança de alternante? Isso é à vontade do comandante do avião? O aeroporto/base é obrigada a aceitar a alteração ou pode negar?

Provavelmente seria mas se era um Low Cost o mais provável era ser um aeródromo do arquipelago !
Em casos de força maior o ATC !
O Aeroporto tem de aceitar essa situação de voo a divergir nem pode, nem tem poder para negar a autorização da aterragem, já quanto ás bases Militares estas não são obrigadas, actualmente, a autorizar as aterragens de voos comerciais.
Quando uma companhia efectua voos do ponto A para o B, tem plena consciência das capacidades do equipamento empregue, os tipos dos acft utilizados.
sabe quais são os EET, das rotas em questão;
Das distâncias a que estão os alternantes para esses voos, que tem de ser AEROPORTOS CIVIS, NUNCA BASES MILITARES;
E, tempos de holding, para assim abastecer as aeronaves devidamente, e assim efectuar os voos com a maior normalidade possível.
Em casos de meteo abaixo dos mínimos de operação das aeronaves, os combustíveis a bordo, FOB, deverão permitir atingir o 1º e, ou o 2º alternante sem problemas.

Nestas situações reportadas, uma vez mais os políticos que intervieram revelaram uma ignorância atroz, quando pediram a demissão do CMDT da Base, muito bom sim senhor!

Cumprimentos
Título: Re: BA4 - Base das Lajes
Enviado por: Lightning em Maio 14, 2015, 07:54:51 pm
Citação de: "tenente"
Não podem ter como alternantes bases aéreas ! As normas IATA/ICAO não o permitem.

Eu queria dizer a parte civil, há voos civis para a Terceira que usam a pista militar, mas depois vão estacionar junto ao Terminal civil, idêntico ao funcionamento do Aeroporto de Beja/Base Aérea nº11. Não estou a falar de uma pista com uso exclusivo militar tipo Monte Real. Mesmo assim não podem por a alternante para a Terceira?

Citar
É rápido, o ATC do espaço aéreo, FIR, em questão trata disso num ápice em caso de emergência e divergir para outro Aeroporto, para uma base Aérea vai provocar imenso granel como estas situações provocaram. Há alguns anos um voo da IBE aterrou no Montijo pensando que estava na aproximação da 03 em LIS e foi o que foi para libertar a Aeronave e pax da Base !!!

Deve ter sido bonito de ver lol.

Obrigado por todas as respostas, muito esclarecedor :G-beer2: .
Título: Re: BA4 - Base das Lajes
Enviado por: tenente em Maio 14, 2015, 08:35:22 pm
Citação de: "Lightning"
Citação de: "tenente"
Não podem ter como alternantes bases aéreas ! As normas IATA/ICAO não o permitem.

Eu queria dizer a parte civil, há voos civis para a Terceira que usam a pista militar, mas depois vão estacionar junto ao Terminal civil, idêntico ao funcionamento do Aeroporto de Beja/Base Aérea nº11. Não estou a falar de uma pista com uso exclusivo militar tipo Monte Real. Mesmo assim não podem por a alternante para a Terceira?

Citar
É rápido, o ATC do espaço aéreo, FIR, em questão trata disso num ápice em caso de emergência e divergir para outro Aeroporto, para uma base Aérea vai provocar imenso granel como estas situações provocaram. Há alguns anos um voo da IBE aterrou no Montijo pensando que estava na aproximação da 03 em LIS e foi o que foi para libertar a Aeronave e pax da Base !!!

Deve ter sido bonito de ver lol.

Obrigado por todas as respostas, muito esclarecedor :roll:  :roll:
Eu penso que sim, mas daí a pedir a demissão do cmdt da Base.........vão muitas milhas náuticas, :wink:

Sempre ás ordens se for da minha lavra cá estarei para ajudar um pouco.
Título: Re: BA4 - Base das Lajes
Enviado por: mafets em Junho 14, 2015, 10:52:04 am
http://defesanacionalpt.blogspot.pt/2015/06/forca-aerea-lembra-que-lajes-e-uma-base.html
Citar
O chefe do Estado-Maior da Força Aérea admitiu esta sexta-feira que estão a decorrer conversações entre várias entidades para optimizar a utilização civil da base das Lajes, na ilha Terceira, mas lembrou que a base é militar.

"A base é uma base aérea militar e portanto está sujeita aos requisitos e aos condicionalismos de ser uma base militar", salientou o general José Araújo Pinheiro, em declarações aos jornalistas, à margem das cerimónias do 74.º aniversário da Base Aérea n.º4.

O chefe do Estado-Maior da Força Aérea disse que "tem havido algum diálogo sobre a eventual expansão da utilização da base aérea das Lajes".

Segundo José Araújo Pinheiro, a Força Aérea vai falar com a Autoridade Nacional para Aviação Civil (ANAC), com o Ministério da Defesa e com o Governo Regional dos Açores para, "a nível técnico", encontrar soluções que, por um lado, respeitem o facto de a base ser militar e, por outro, vão ao encontro do interesse da Região Autónoma de "optimizar a utilização civil daquilo que é uma base militar".

O chefe do Estado-Maior da Força Aérea realçou, no entanto, que a operação civil na base das Lajes "tem corrido bem", alegando que está em causa apenas "identificar áreas de flexibilização, de autorizações e de expeditar".

"Nós, de uma maneira geral, temos respondido sempre às solicitações que nos são feitas, naturalmente com o apoio também das autoridades norte-americanas, porque há serviços na base que são garantidos pelas autoridades americanas", salientou.

Por sua vez, o comandante da Zona Aérea dos Açores, Manuel Teixeira Rolo, disse que o número de escalas técnicas nas Lajes "tem aumentando pontualmente", considerando que há perspectivas de "incrementar" esse número.

"É exactamente essa uma das razões que faz com que a Força Aérea esteja agora a iniciar esse processo de conversações, mandatado politicamente também para podermos encontrar soluções que acomodem essas necessidades de incremento de escalas técnicas e de operadores que futuramente queiram operar na Terceira", frisou.

Questionado sobre o reforço de tripulações para a Base Aérea n.º4, o chefe do Estado-Maior da Força Aérea confirmou a intenção de dotar a infra-estrutura de mais meios humanos, mas realçou que o processo "não é rápido".

"Neste momento não temos o módulo de tripulações que gostaríamos de ter. Assim que podermos, reforçamos, mas a qualificação de pilotos é morosa, exige tempo, porque um piloto, para ser qualificado, precisa de fazer muitas horas de voo", salientou.

José Araújo Pinheiro não adiantou, no entanto, para quando será possível reforçar as tripulações destacadas nas Lajes.

"Fá-lo-emos com a brevidade possível, porque para nós também é importante ter aqui uma segunda tripulação de EH101 [helicóptero], mas não me posso adiantar, porque temos de qualificar pilotos que são mais novos, que têm de ganhar experiência, têm de voar muito para que possam executar com segurança", explicou.

Em Junho de 2014, um homem ferido numa tourada na ilha de São Jorge morreu sem ser transferido para um hospital por falta de tripulação para pilotar um dos helicópteros da Força Aérea.
(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2F3.bp.blogspot.com%2F-6yS6RnB0Z6s%2FVXv21WFXmQI%2FAAAAAAAASa4%2FOIP_tmhsyYc%2Fs320%2F761932.jpg&hash=3ad6d699ae4720116fb7fcea8e888d85)

Saudações
Título: Re: BA4 - Base das Lajes
Enviado por: NRSMiguel em Junho 16, 2015, 05:58:43 pm
Fica aqui mais uma noticia relacionada com as Lajes...


http://observador.pt/2015/06/16/base-da ... s-dos-eua/ (http://observador.pt/2015/06/16/base-das-lajes-pode-vir-acolher-centro-informacoes-dos-eua/)
Título: Re: BA4 - Base das Lajes
Enviado por: mafets em Junho 19, 2015, 10:21:26 am
http://observador.pt/2015/06/17/lajes-estados-unidos-voltam-atras-reduzem-despedimentos/
Citar
Depois da reunião da Comissão Bilateral Permanente entre Portugal e os EUA, os norte-americanos decidiram aumentar o número de vagas a manter na Base das Lajes. Despedimentos serão "residuais".

A Comissão Bilateral Permanente entre Portugal e os Estados Unidos da América (EUA) reuniu-se, na terça-feira, em Washington, exclusivamente para discutir a redução militar norte-americana na Base das Lajes, na ilha Terceira. E há boas notícias para os portugueses: os EUA decidir aumentar o número de vagas na Base e reduzir os despedimentos, que deverão ser “residuais”.

Entre os dossiês em discussão, ao longo de quase 12 horas de negociações, foi a situação dos trabalhadores portugueses na Base das Lajes que teve um melhor desenvolvimento, tendo em conta o que estava previsto inicialmente, segundo o presidente da Câmara Municipal da Praia da Vitória, Roberto Monteiro, que assistiu à reunião.

Os norte-americanos aumentaram o número de vagas a manter na Base das Lajes em 27, passando de 378 para 405 postos de trabalho civis para portugueses, mas também aceitaram possibilitar a rescisão por mútuo acordo, com direito a indemnização, a todos os funcionários, sem considerar alguns como “imprescindíveis”.

Em julho e agosto deverão ser feitos inquéritos aos trabalhadores para apurar quem está disponível para rescindir o contrato por mútuo acordo, sendo que o processo terá de estar concluído até setembro.

No entanto, se, ainda assim, for necessário despedir trabalhadores isso só acontecerá em março de 2016 e não até ao outono deste ano, como os norte-americanos tinham anunciado.

Durante esse período, serão recolocados os trabalhadores que ficam e será dada formação para os que passem a ocupar os cargos até então ocupados pelos trabalhadores que os norte-americanos consideravam “imprescindíveis”.

Segundo o autarca da Praia da Vitória, Roberto Monteiro, o despedimento de trabalhadores portugueses na Base das Lajes deverá ser residual. “Esperamos que o número de trabalhadores que venha a ficar se ajuste às vagas disponíveis”, salientou, prevendo que possam existir poucos e nenhuns despedimentos.

Atualmente, existem cerca de 800 trabalhadores portugueses na Base das Lajes, mas o resultado de um inquérito realizado pelos norte-americanos sobre a intenção de rescisão por mútuo acordo indicava que 412 funcionários estariam dispostos a cessar o contrato de forma voluntária e 125 estariam indecisos.

De acordo com o autarca da Praia da Vitória, os norte-americanos aceitaram também continuar a assegurar a operacionalidade do aeroporto em áreas como comunicações, operações de busca e salvamento, serviços prestados pelos bombeiros, controlo de tráfego aéreo e reabastecimento de aeronaves.
(https://www.forumdefesa.com/forum/proxy.php?request=http%3A%2F%2Fimg.obsnocookie.com%2Fs%3Dw800%2Cpd1%2Fo%3D80%2Fhttp%3A%2F%2Fobservador.pt%2Fwp-content%2Fuploads%2F2015%2F06%2F71793599_770x433_acf_cropped.jpg&hash=0b37b483e96e785acdcf7e4da7dba61b)

Cumprimentos
Título: Re: BA4 - Base das Lajes
Enviado por: Menacho em Junho 24, 2015, 05:50:22 pm
Estados Unidos y Portugal negocian la retirada de personal militar de la base de Lajes, en Azores

Citar
(defensa.com) Una reunión entre personal estadounidense y una delegación portuguesa en Washington trató de minimizar el efecto de la retirada planeada de 500 personas, entre militares y civiles, de la base de Lajes. Lisboa considera que esta marcha, sobre un total de 650 personas que ahora están destacadas, supondría el colapso de la economía del archipiélago. Portugal quiere que el Pentágono reconsidere la decisión o que ofrezca una compensación económica por la retirada.

En enero de este año, el Departamento de Defensa estadounidense anunció la reorganización de la Fuerza Aérea estadounidense en Europa. Entre las medidas anunciadas estaban el cierre de quince instalaciones y la marcha de 500 personas de la base de Lajes en las Azores. En la actualidad la Fuerza Aérea estadounidense emplea la base de Lajes como un punto de reabastecimiento para aeronaves que realizan vuelos trasatlánticos al estar situada a 850 millas al oeste de Portugal. De aplicarse las medidas anunciadas la dotación que quedaría en la base sería reducida a 150 personas.


La pasada semana, además, se produjo un anuncio de Devin Nunes, congresista por el 22º distrito de California que actúa como portavoz del Comité de Inteligencia del Congreso estadounidense, en el que defendía un replanteamiento de esta decisión. Nunes quiere bloquear la decisión del Pentágono ya que considera que la retirada de Lajes costará 100 millones de dólares y supondrá el desaprovechamiento de cientos de millones en inversiones y construcciones realizadas en la isla. Como alternativa, Nunes propone ubicar en la base militar los centros de inteligencia del Mando de África y el Mando Europeo, que van a unirse y reubicarse en Reino Unido.  Esta medida es considerada por el Pentágono irrealizable porque requeriría desplazar a mil personas, para las que no hay instalaciones adecuadas. (J.N.G.)
Título: Re: BA4 - Base das Lajes
Enviado por: Get_It em Setembro 12, 2015, 02:09:43 am
Força Aérea justifica constrangimentos nas Lajes com ausência "momentânea" de condições
(11 de Setembro de 2015)
Citação de: "RF, ROC / LUSA"
A Força Aérea Portuguesa justifica os "constrangimentos" verificados com o estacionamento de aeronaves civis na base das Lajes, nos Açores, com a ausência "momentânea" de condições de operação.

Num comunicado emitido na sequência das críticas feitas pelo Governo dos Açores e por alguns partidos políticos, dando conta de situações registadas esta semana no aeroporto das Lajes com aviões da TAP e da Sata, a Força Aérea assegura que os casos ocorridos foram pontuais.

"Tratando-se a Base Aérea n.º 4 de uma infraestrutura aeronáutica militar, a situação em apreço ficou a dever-se ao facto de não se encontrarem momentaneamente reunidas as condições de operação aplicáveis a aeronaves civis, designadamente a necessidade de equipamentos destinados a passageiros com mobilidade reduzida", adianta o comunicado.

A Força Aérea Portuguesa afirma, porém, que o "essencial" é que se discutam e se definam os mecanismos de "articulação junto dos responsáveis pela aerogare civil", no sentido de se "agilizarem os procedimentos" legalmente em vigor e assim evitar este tipo de situações no futuro.

"Sem prejuízo da antecedência legalmente prevista para apresentação deste tipo de solicitações por parte dos operadores aéreos civis, a Força Aérea, através do comandante da Zona Aérea dos Açores, tomará as medidas ao seu alcance no sentido de agilizar tanto quanto possível futuras situações desta natureza", refere ainda a Força Aérea.

O secretário do Turismo e Transportes dos Açores, Vítor Fraga, enviou uma carta ao comandante da Zona Aérea dos Açores, considerando "intolerável" os sucessivos constrangimentos verificados no estacionamento de aeronaves civis na Base das Lajes.

Vítor Fraga recordou que o parqueamento na aerogare civil das Lajes (onde aterram os aviões comerciais que passam na ilha Terceira) ocorre preferencialmente numa área específica (a placa C) e que as situações de congestionamento são resolvidas com o centro de operações aéreas da base, mas indica que se têm "verificado, recorrentemente, impedimentos na utilização" das outras cinco placas de estacionamento da infraestrutura.

"O centro de operações aéreas da base tem mantido uma posição muito pouco flexível na autorização da utilização de outras placas [...], situação que não é de todo compatível com as necessidades das companhias aéreas que voam para a ilha Terceira nem dos passageiros transportados por estas, já para não falar da má imagem", lê-se na missiva, datada de quinta-feira.

A situação já tinha sido também criticada pelo líder regional do CDS-PP, Artur Lima, que entende que estes episódios poderão dar origem a um "estrangulamento" do desenvolvimento económico da ilha Terceira.

A situação mais recente ocorreu na manhã de quinta-feira, quando um avião da TAP esteve parado meia hora, com os motores ligados e 144 passageiros a bordo, à espera de um lugar na placa C, já que não foi autorizada a operação noutra placa.

Também um avião da Sata Internacional esteve há dias parado cerca de uma hora no aeroporto das Lajes, também com os motores ligados e com passageiros no interior, a aguardar por um espaço de estacionamento.
Fonte: http://www.sapo.pt/noticias/forca-aerea-justifica-constrangimentos-nas_55f2f6bbdae7c0bf119e69c4

Cumprimentos,
Título: Re: BA4 - Base das Lajes
Enviado por: tenente em Setembro 12, 2015, 09:39:11 am
Citação de: "Get_It"
Força Aérea justifica constrangimentos nas Lajes com ausência "momentânea" de condições
(11 de Setembro de 2015)
Citação de: "RF, ROC / LUSA"
A Força Aérea Portuguesa justifica os "constrangimentos" verificados com o estacionamento de aeronaves civis na base das Lajes, nos Açores, com a ausência "momentânea" de condições de operação.

Num comunicado emitido na sequência das críticas feitas pelo Governo dos Açores e por alguns partidos políticos, dando conta de situações registadas esta semana no aeroporto das Lajes com aviões da TAP e da Sata, a Força Aérea assegura que os casos ocorridos foram pontuais.

"Tratando-se a Base Aérea n.º 4 de uma infraestrutura aeronáutica militar, a situação em apreço ficou a dever-se ao facto de não se encontrarem momentaneamente reunidas as condições de operação aplicáveis a aeronaves civis, designadamente a necessidade de equipamentos destinados a passageiros com mobilidade reduzida", adianta o comunicado.

A Força Aérea Portuguesa afirma, porém, que o "essencial" é que se discutam e se definam os mecanismos de "articulação junto dos responsáveis pela aerogare civil", no sentido de se "agilizarem os procedimentos" legalmente em vigor e assim evitar este tipo de situações no futuro.

Fonte: http://www.sapo.pt/noticias/forca-aerea-justifica-constrangimentos-nas_55f2f6bbdae7c0bf119e69c4

Cumprimentos,

Provavelmente ninguém das Companhias Aéreas pensou sequer em como os PMR's seriam assistidos, se calhar nem existe Ambulift para esse tipo de assistência.
Se estivermos a falar de " Low Costs " é mesmo típico, chegar ver e vencer, de preferência sem pagar o que quer que seja, mas se algo corre menos bem, criticar muito e muito alto !!!

Cumprimentos
Título: Re: BA4 - Base das Lajes
Enviado por: Lusitano89 em Janeiro 05, 2016, 07:15:34 pm
Título: Re: BA4 - Base das Lajes
Enviado por: mafets em Janeiro 25, 2016, 12:00:40 pm
Interessante....  ;)
(https://scontent-mad1-1.xx.fbcdn.net/hphotos-xap1/v/t1.0-9/1384141_10151888482027020_494008878_n.jpg?oh=7cd6decf274e702fa7e7b61700e040c9&oe=56FCCD71)
Citar
U.S. Air Forces in Europe and Air Forces Africa
Gosta desta Página · 10 de Outubro de 2013 ·
 

Here are 3 things, we bet you didn’t know about Lajes Field, Azores.

As one of USAFE-AFAFRICA’s main operating bases, Lajes serves an important role in the command.
#USAF

https://www.facebook.com/65abw.lajes/ (https://www.facebook.com/65abw.lajes/)

Cumprimentos
Título: Re: BA4 - Base das Lajes
Enviado por: Get_It em Fevereiro 02, 2016, 01:42:31 am
Hoje deverá passar pelas Lajes um F-35A italiano com destino aos Estados Unidos. Será acompanhado por um Eurofighter Typhoon e um KC-767.

Cumprimentos,
Título: Re: BA4 - Base das Lajes
Enviado por: raphael em Fevereiro 02, 2016, 05:19:06 pm
Se não avariar entretanto...
Mas que belas fontes de informação.
Spotters sempre com intel fidedigna.
Aterra hoje...um dia de atraso... 8)
Título: Re: BA4 - Base das Lajes
Enviado por: Lusitano89 em Março 22, 2016, 11:52:13 am
Pentágono assume ao Congresso: não há uso alternativo para as Lajes


O Departamento de Defesa dos EUA entregou hoje ao Congresso um relatório que afasta a hipótese de a Base das Lajes receber um centro de informações, que está planeado para Inglaterra, ou qualquer outro uso alternativo, confirmou o Pentágono.

"A Base Aérea de Croughton, no Reino Unido, continua a localização ótima para o Complexo de Análise de Informação Conjunta. Com base em requisitos operacionais, as Lajes não são a localização ideal", disse um porta-voz do Pentágono à agência Lusa.

A mesma fonte garantiu que "dados os requisitos operacionais das missões atuais, neste momento não existem usos alternativos para as Lajes."

O Pentágono ressalvou, no entanto, que "irá continuar a considerar o valor estratégico da presença dos EUA e da NATO nos Açores."

Este relatório, exigido pela lei de Orçamento das Forças, deverá incluir ainda uma avaliação completa das valências da base.

"Compreendemos que a simplificação da nossa presença nas Lajes tem um impacto nas pessoas da Terceira. Estamos a implementar este plano em coordenação próxima como o governo de Portugal e a comunidade dos Açores", concluiu o Pentágono.

Augusto Santos Silva não desarma

O ministro dos Negócios Estrangeiros português disse hoje à Lusa que ainda tem esperança numa solução para a presença dos EUA nas Lajes, apesar de o relatório entregue pelo Pentágono excluir usos alternativos para a base.

"Mantemos a esperança de que a importância estratégica das Lajes seja bem compreendida, tendo como consequência que aquela estrutura possa ser plenamente aproveitada, também, pelas Forças Armadas dos EUA, com os fins de defesa e segurança que entender convenientes", disse Augusto Santos Silva à Lusa.

O ministro dos Negócios Estrangeiros, entrevistado em Nova Iorque, onde participou esta segunda-feira num debate do Conselho de Segurança da ONU, sublinhou que "o processo de decisão norte-americano ainda não está concluído".

"Ainda não está concluído, porque sabemos das diligências havidas no Congresso e da interação entre a administração e o Congresso. Sabemos que os vários pontos dessa interação não estão todos esgotados", disse Augusto Santos Silva.

O chefe da diplomacia portuguesa referia-se às investigações que decorrem no Congresso sobre a manipulação de estudos para justificar a instalação do centro em Inglaterra.

"Não conhecemos ainda a reação do Congresso e, portanto, aguardamos o desenvolvimento normal do processo de decisão interno dos EUA", disse ainda o ministro.

O presidente do Governo dos Açores, Vasco Cordeiro, disse este mês que a apresentação do referido relatório seria "a última oportunidade" para uma "boa saída" para aquela infraestrutura militar.

A 08 de janeiro de 2015, o secretário da Defesa dos Estados Unidos, Chuck Hagel, anunciou uma redução de 500 militares na base das Lajes, na ilha Terceira, Açores.

Atualmente, ainda devem estar colocados na base das Lajes quase 400 militares norte-americanos, que até setembro de 2016 serão reduzidos para 165.


>> http://www.dn.pt/portugal/interior/pentagono-assume-ao-congresso-nao-ha-uso-alternativo-para-as-lajes-5088930.html
Título: Re: BA4 - Base das Lajes
Enviado por: Turlu em Junho 28, 2016, 05:26:46 pm
EXPRESSO 2016/06/26

Portugal e EUA estudam criação de base espacial no aeroporto das Lajes

criação de uma base espacial no Aeroporto Internacional das Lajes, na ilha Terceira, onde possam ser feitos lançamentos low cost de foguetões com microsatélites e grandes constelações de satélites, está a ser estudada pelo Ministério da Ciência, governo regional dos Açores, NASA, agência americana de meteorologia e oceanos (NOAA), Departamento de Energia dos EUA, dez universidades portuguesas e americanas e várias empresas.

A base espacial é a principal componente do projeto de instalação de um grande centro de investigação internacional nos Açores, que começou a ser publicamente discutido a 10 de junho nas celebrações do Dia de Portugal em Nova Iorque, numa conferência que reuniu responsáveis de todas estas instituições e empresas. E que vai continuar com novas conferências a 27 de junho na Universidade dos Açores, em Ponta Delgada, a 4 de julho em Lisboa, a 19 de setembro em Bruxelas e em novembro e dezembro em três universidades americanas que têm parcerias com Portugal: o MIT (Instituto de Tecnologia de Massachusetts) e as universidades do Texas em Austin e Carnegie Mellon.

O centro de investigação vai chamar-se AIR Center (Azores International Research Center) e o objetivo é desenvolvê-lo em infraestruturas já existentes no arquipélago dos Açores, como o aeroporto das Lajes, as instalações de medição da radiação atmosférica do Departamento de Energia do Governo dos EUA na ilha Graciosa ou o Departamento de Oceanografia e Pesca (DOP) da Universidade dos Açores na ilha do Faial. Note-se que os Açores acolhem também estações da Rede Atlântica de Estações Geodinâmicas Espaciais nas ilhas das Flores e de Santa Maria, a Estação de Rastreio de Satélites da Agência Espacial Europeia (ESA) e a Estação Sensor Galileu (o GPS europeu), igualmente em Santa Maria.

“A evolução da tecnologia tem sido muito rápida e permitiu democratizar o acesso ao espaço”, afirma ao Expresso o ministro da Ciência. Manuel Heitor (ver entrevista) recorda que “há cinco anos o lançamento de um satélite custava no mínimo quatro milhões de euros e hoje custa apenas 150 mil, enquanto os satélites mais pequenos pesavam 50kg e hoje pesam 1kg”. A tendência na indústria é colocar constelações de satélites no espaço, pelo que “ter uma base espacial no meio do Atlântico, numa localização muito favorável para esse tipo de lançamentos, é uma grande vantagem. E o aeroporto das Lajes tem todas as infraestruturas adequadas e espaço aéreo livre para acolher uma base de acesso low cost ao espaço”.

Sete projetos em discussão

Além da base espacial, que poderá ter o nome de Atlantic Spaceport, estão em discussão mais seis projetos. Um deles é o ASORES, Plano de Ação para a Sustentabilidade, Proteção Operacional e Resiliência da Terra e dos Sistemas Espaciais, promovido pela Fundação para a Ciência e Tecnologia (FCT), NASA, ESA, Fundação Luso-Americana para o Desenvolvimento (FLAD) e consórcio empresarial C3P. O outro é a instalação em São Miguel do centro de dados da grande antena parabólica de 32 metros do futuro radiotelescópio SKA, que vai ser construída na ilha.

O SKA, um projeto global que envolve mais de 100 instituições de 21 países, incluindo Portugal, terá uma rede de centenas de milhares de antenas concentradas principalmente na África do Sul e na Austrália, e começará a funcionar em 2023.

Nesta área há ainda um terceiro projeto, a construção de um radar de rastreio e vigilância do lixo espacial. O boom dos satélites comerciais, governamentais e militares em todo o mundo fez crescer para um milhão o número de objetos em órbita à volta da Terra, fragmentos de satélites desativados e de foguetões. Estes objetos podem chocar com os satélites ativos, a Estação Espacial Internacional ou qualquer nave lançada da Terra. E se decaírem das suas órbitas atuais, muitos deles não se vão desintegrar totalmente ao atravessarem a atmosfera, devido à sua dimensão, podendo atingir qualquer zona habitada do planeta. Uma síntese da FCT sobre os sete projetos sublinha que “os Açores podem tirar partido do seu reduzido tráfego aéreo e localização geográfica única para acolherem um radar de rastreio e vigilância espacial e assegurar a cobertura permanente sobre o Atlântico”.

Mas não é só ao espaço que o futuro AIR Center se poderá dedicar. Um laboratório no Departamento de Oceanografia e Pesca da Universidade dos Açores na cidade da Horta, na ilha do Faial — o Lab-Horta@DOP & Cold Water Coral Lab —, com infraestruturas que permitam a recriação artificial das condições naturais do ambiente do mar profundo, irá abrir oportunidades de investigação nas fontes hidrotermais, ecossistemas, biologia marinha, geologia e oceanografia. Depois, o modelo de incubação de empresas da ESA que já existe em Portugal (incubadora em rede em Coimbra, Porto e Cascais) pode ser replicado nos Açores, atraindo capitais privados da UE e EUA. O documento da FCT propõe a instalação de um campus que acolha empresas inovadoras “de elevado risco e elevado retorno” (startup).

Fausto Brito e Abreu, secretário do Mar, Ciência e Tecnologia do governo regional dos Açores, admite ao Expresso que “a ligação do AIR Center com as negociações entre Portugal e os EUA sobre o futuro da Base das Lajes será óbvia quando se acordarem as compensações para os Açores, embora os processos sejam paralelos”. Nesta fase de discussão do projeto do centro de investigação internacional no arquipélago “estamos a tentar que todo o processo chegue a um nível de maturação tal, que se torne irreversível quando chegar a nova Administração americana saída das eleições presidenciais de novembro”.
Título: Re: BA4 - Base das Lajes
Enviado por: Daniel em Fevereiro 26, 2020, 11:48:07 am
Cônsul diz que Portugal deve tomar a iniciativa se quiser rever o Acordo das Lajes
https://tvi24.iol.pt/internacional/ponta-delgada/consul-diz-que-portugal-deve-tomar-a-iniciativa-se-quiser-rever-o-acordo-das-lajes?_ga=2.244528901.1011124771.1582632852-1594700727.1529937894
(https://www.iol.pt/multimedia/oratvi/multimedia/imagem/id/5d76ca220cf2373ef5670ad2/1024)
Citar
A cônsul dos Estados Unidos em Ponta Delgada, Kathryn Ryan Hammond, declarou que se Portugal quiser rever o Acordo Bilateral de Cooperação e Defesa com os Estados Unidos deve dar o "primeiro passo".

Em entrevista concedida à agência Lusa, a propósito dos 225 anos do consulado norte-americano, em Ponta Delgada, o "mais antigo do mundo continuamente operacional", a cônsul nos Açores referiu que "se o Governo português pretender olhar o Acordo Bilateral, o Governo dos Estados Unidos irá discutir esta questão, usando a Comissão Bilateral para encetar conversações". Para  Kathryn Hammond, o país deve dar o "primeiro passo", apontando que Portugal "é um dos nossos parceiros e aliados: sei que este assunto, muito importante, tem sido discutido ao nível mais alto do Pentágono".
Portugal e os Estados Unidos assinaram, em Lisboa, em 1995, o Acordo de Cooperação e Defesa, que inclui também o acordo técnico, que regulamenta a utilização da Base das Lajes e outras instalações militares portuguesas, e o acordo laboral, que regula a contratação de trabalhadores nacionais na base açoriana. Foi criada ao abrigo do Acordo a Comissão Bilateral Permanente, com a missão de promover a sua execução e a cooperação entre os dois países.Questionada sobre a intenção do presidente do Governo dos Açores, Vasco Cordeiro, de rever o Acordo Bilateral, a cônsul disse que ambos os governos "discutem sempre, ao mais alto nível, sobre questões como o Acordo", bem como o ambiente, entre outros dossiês. Em janeiro, Vasco Cordeiro considerou no parlamento dos Açores que se trata de "uma relação profundamente desequilibrada em prejuízo" de Portugal "e por isso é que deve ser alterada".

O governante açoriano lembrou que a iniciativa de revisão do acordo entre Portugal e EUA compete ao Estado português, adiantando que os interesses dos Açores devem ficar salvaguardados nessa futura revisão. O chefe do executivo disse também que essa eventual revisão do Acordo não compromete as boas relações que atualmente existem entre Portugal e os Estados Unidos. Para a cônsul dos Estados Unidos, "se o Governo dos Açores considera que a relação entre ambos os países está 'desequilibrada' é uma conversa que terá que ter com o Governo português", sublinhando que as conversações entre ambos os países acontecem "ao mais alto nível".

 
A representante dos Estados Unidos disse ainda o seu país não pretende promover mais nenhuma redução do efetivo militar e civil na Base das Lajes, nos Açores, mantendo o seu interesse na infraestrutura. A cônsul nos Açores referiu que não tem "conhecimento de mais alguma redução", havendo, neste momento, ao serviço, na Base das Lajes, cerca de 400 civis portugueses e 160 militares. Kathryn Hammond recorda que é a única cônsul que não é honorária, algo que pretende "sublinhar o relacionamento dos Estados Unidos com os Açores". Em janeiro de 2015, o secretário de Estado da Defesa dos Estados Unidos, Chuck Hagel, confirmava a decisão do Pentágono de promover um 'downsize' da Base das Lajes, no âmbito do qual se reduziu de 900 para 400 os trabalhadores portugueses e de 650 para 165 o pessoal militar e civil norte-americano. A medida provocou impactos económicos e sociais na ilha Terceira. Para Kathryn Hammond, apesar da redução de pessoal, a Base das Lajes continua a ser "absolutamente importante" para o Estados Unidos, sendo neste momento o que os especialistas em geoestratégia e relações internacionais denominam de "base adormecida", que poderá ser reativada, a qualquer momento, se necessário.

 
A cônsul norte-americana declarou, a propósito da poluição ambiental na Base das Lajes, que "os peritos de ambos os lados estão a discutir este assunto, estando-se a tentar apurar mais sobre esta matéria para se agir. Kathryn Hammond anunciou que o embaixador dos Estados Unidos em Portugal, George E. Glass, vai estar de visita a várias ilhas dos Açores, em maio, a propósito das comemorações dos 225 anos do Consulado de Ponta Delgada. Vai ser cunhada uma moeda comemorativa da efeméride com nove estrelas, representando cada uma das ilhas dos Açores, a par de 16 outras estrelas, representativas dos estados norte-americanos, no século XVI. A moeda contempla ainda uma imagem da bandeira do Espírito Santo, figura da qual os açorianos são devotos.   JME // EL Lusa/Fim 
Título: Re: BA4 - Base das Lajes
Enviado por: MATRA em Fevereiro 26, 2020, 12:12:06 pm
Posso estar enganado, mas com esta administração americana, não vale a pena estar a mexer muito no acordo das Lajes.

Daqui a uns 5 ou 6 anos talvez, sim sou daqueles que acha que, apesar de tudo, o Trump vai levar o caneco outra vez, e se há algo que ele não é, é expansionista, e como não vê o Atlântico como um problema/oportunidade, não me parece que se tenha algo a ganhar com renegociar o acordo agora, e o governo deve saber disso.

Pode ser que nos saia a sorte grande com quem o vier substituir, ou algo mude a nível estratégico, que permita à Lajes serem relevantes novamente, e aí podia-mos tirar os respectivos dividendos,  como o cof.. cof.. F35 cof... cof...  :mrgreen:
Título: Re: BA4 - Base das Lajes
Enviado por: luis simoes em Fevereiro 26, 2020, 02:00:21 pm
se calhar os chineses fariam muito melhor que esta adm Trump....digo eu....estes nao brincam em servixo,,,,
Título: Re: BA4 - Base das Lajes
Enviado por: dc em Fevereiro 26, 2020, 09:48:37 pm
Posso estar enganado, mas com esta administração americana, não vale a pena estar a mexer muito no acordo das Lajes.

Daqui a uns 5 ou 6 anos talvez, sim sou daqueles que acha que, apesar de tudo, o Trump vai levar o caneco outra vez, e se há algo que ele não é, é expansionista, e como não vê o Atlântico como um problema/oportunidade, não me parece que se tenha algo a ganhar com renegociar o acordo agora, e o governo deve saber disso.

Pode ser que nos saia a sorte grande com quem o vier substituir, ou algo mude a nível estratégico, que permita à Lajes serem relevantes novamente, e aí podia-mos tirar os respectivos dividendos,  como o cof.. cof.. F35 cof... cof...  :mrgreen:

Não tenho estado dentro da política americana, desde que acalmou a situação com o Irão. Mas na altura tinha certas dúvidas da possível reeleição do Trump. Infelizmente os americanos gostam de americanices, logo tudo é possível, ainda mais quando as principais estações televisivas apoiam Trump.
Título: Re: BA4 - Base das Lajes
Enviado por: goldfinger em Março 22, 2021, 06:48:00 am
(https://1.bp.blogspot.com/-zfyFxB8-pMg/YFJwi8i97CI/AAAAAAAB9Zw/2OFp9zy-0mYKPvHsNoMJQ-FrO5tdmmNegCLcBGAsYHQ/s6194/210316-F-ZT243-0024.jpg)

(https://1.bp.blogspot.com/-OS1HkhVx0mE/YFJwlGKOESI/AAAAAAAB9Z0/b2ciuDCap1cQnxKRsXLp1JvDr8XL5g1WgCLcBGAsYHQ/s6601/210316-F-ZT243-0039.jpg)

(https://1.bp.blogspot.com/-XULdonrNwgI/YFJwmmHI1HI/AAAAAAAB9Z4/rJdtLhtZDSE4M04cAX4xy0zcofs_qPX0gCLcBGAsYHQ/s7840/210316-F-ZT243-0078.jpg)

(https://1.bp.blogspot.com/-i9vdlzcANps/YFJwtNuOawI/AAAAAAAB9Z8/RBK1KCpFBgMpa3TObOXU7V_Igf7F5049ACLcBGAsYHQ/s5552/210316-F-ZT243-0241.jpg)

(https://1.bp.blogspot.com/-PnafqdQIwZc/YFJw1YvRw2I/AAAAAAAB9aE/papPyEL8UskQknxbryXkChb6oeFo1CaugCLcBGAsYHQ/s8256/210316-F-ZT243-0419.jpg)

(https://1.bp.blogspot.com/-WCWyEmXe4ZQ/YFJw1Q7BAnI/AAAAAAAB9aI/K9qWbonvFvQlos3IxxxmUpEmhrWUXG2JwCLcBGAsYHQ/s8256/210316-F-ZT243-0499.jpg)
Título: Re: BA4 - Base das Lajes
Enviado por: Lightning em Agosto 09, 2021, 05:55:38 pm
Artigo interessante

https://www.dn.pt/sociedade/a-base-das-lajes-nao-perdeu-valor-estrategico-com-o-fim-da-guerra-fria-so-ganhou-14017322.html
Título: Re: BA4 - Base das Lajes
Enviado por: asalves em Agosto 10, 2021, 05:07:32 pm
se calhar os chineses fariam muito melhor que esta adm Trump....digo eu....estes nao brincam em servixo,,,,

Mas o que ganharíamos com os Chineses, só se fosse para ficarmos mais subserviente. os Chineses já chegaram ao topo e estão a demonstrar que não passam de mais um País imperialista como já não existia a alguns anos, daqui para a frente vai ser para descer
Título: Re: BA4 - Base das Lajes
Enviado por: dc em Agosto 10, 2021, 09:22:38 pm
A única coisa que ganhávamos era passarmos a ser quase um inimigo declarado dos EUA/NATO, consequente expulsão da NATO e eventualmente algumas sanções à mistura.

Importante era negociar e bem o acordo das Lajes, que terá sempre grande valor.
Título: Re: BA4 - Base das Lajes
Enviado por: asalves em Agosto 11, 2021, 05:21:42 pm
A única coisa que ganhávamos era passarmos a ser quase um inimigo declarado dos EUA/NATO, consequente expulsão da NATO e eventualmente algumas sanções à mistura.

Importante era negociar e bem o acordo das Lajes, que terá sempre grande valor.

A não ser que a China implemente a tal frota do Atlântico que já li por ai, duvido que as Lajes não sejam mais do que uma base de retaguarda.
Título: Re: BA4 - Base das Lajes
Enviado por: Lightning em Agosto 12, 2021, 01:02:28 am
A única coisa que ganhávamos era passarmos a ser quase um inimigo declarado dos EUA/NATO, consequente expulsão da NATO e eventualmente algumas sanções à mistura.

Importante era negociar e bem o acordo das Lajes, que terá sempre grande valor.

A não ser que a China implemente a tal frota do Atlântico que já li por ai, duvido que as Lajes não sejam mais do que uma base de retaguarda.

É como diz no artigo, os americanos até podem não dar tanto uso à base como no passado, mas também não podem permitir que uma potência rival use os Açores, isso ia atrapalhar a projecção de poder deles para a Europa, Médio-Oriente, África.
Título: Re: BA4 - Base das Lajes
Enviado por: Turlu em Agosto 17, 2021, 12:31:55 pm
Praticamente todos os artigos do Diário Insular que já coloquei neste forum e que versam sobre a Base das Lajes são da autoria do Jornalista Armando Mendes, entrevistado pelo Diário de Notícias.
Ao longo dos tempos tem sido praticamente o único a chamar a atenção para o facto da Base das Lajes e os Açores não terem perdido importância estratégica.
Também tem sido dos poucos que tem levantado a voz para o problema da poluição causada pela Base das Lajes.
Publicou a sua tese de doutoramento num livro muito interessante, que li há algum tempo, chamado "Entre o carro de bois e o avião: uma pequena comunidade no centro de uma rivalidade global." tal como é referido na reportagem do DN.

Deixo aqui o link para a tese de doutoramento: https://repositorio.iscte-iul.pt/handle/10071/15154
Título: Re: BA4 - Base das Lajes
Enviado por: Lusitano89 em Dezembro 03, 2021, 10:23:43 am
Base Aérea N.º 4 comemora 80.º aniversário


Título: Re: BA4 - Base das Lajes
Enviado por: HSMW em Agosto 05, 2022, 11:27:05 pm

OPEN BASE DAY Static Exposure at Lajes Air Force Base Terceira Azores
Título: Re: BA4 - Base das Lajes
Enviado por: Lightning em Agosto 05, 2022, 11:45:08 pm
Tens aqui mais fotos
https://www.facebook.com/103954121531096/posts/524840229442481/

Aqui videos do destacamento de F-16, a voar entre Porto Santo e a Terceira
https://fb.watch/eJlv2_N5PF/

A dar a volta ao Pico  :mrgreen:
https://fb.watch/eJlLqTHC4W/
Título: Re: BA4 - Base das Lajes
Enviado por: Turlu em Agosto 10, 2022, 01:25:53 pm
Sobrevoando a costa Sul da Ilha Terceira 2022/07/28

(https://scontent.fopo3-2.fna.fbcdn.net/v/t39.30808-6/298904981_5407494502649896_5509380404137689042_n.jpg?_nc_cat=105&ccb=1-7&_nc_sid=0debeb&_nc_eui2=AeGrHkItnAXxEBw_CZQsxZSS9UBqB49h18z1QGoHj2HXzFJgYolSSwCHLD8tVdJfzHitm2g_oY3ON4dzUrmnamek&_nc_ohc=T_RGnL8Sw_sAX8IEmwj&_nc_ht=scontent.fopo3-2.fna&oh=00_AT_VHNcRVD5qsVU873LFGxzsYb3TrJptIhxyqQ0P8-he0Q&oe=62F7D7F9)