Combate a fogos pela F.A.P.

  • 1905 Respostas
  • 410504 Visualizações
*

PTWolf

  • Analista
  • ***
  • 764
  • Recebeu: 341 vez(es)
  • Enviou: 1629 vez(es)
  • +984/-189
Re: Combate a fogos pela F.A.P.
« Responder #1890 em: Abril 01, 2024, 04:08:09 pm »
Hello,

encontrei algumas fontes que referem 4 (desde 2015 que apenas 3 se encontram operacionais) aeronaves Eurocopter AS350 Ecureuil como "Geridos pela Força Aérea".

Alguém sabe o que é isto significa exatamente?  :P

Obrigado,

GM

Os helicópteros que eram da ANEPC passaram para a Força Aérea.

Os Kamov são lixo, sobram os AS350 que a FAP apenas faz a gestão, isto é, tal como a ANEPC fazia, contrata uma empresa privada para os usar.



O Kamov ainda cá estão?
 

*

goncalobmartins

  • Membro
  • *
  • 119
  • Recebeu: 43 vez(es)
  • Enviou: 112 vez(es)
  • +18/-1
Re: Combate a fogos pela F.A.P.
« Responder #1891 em: Abril 01, 2024, 04:11:56 pm »
Hello,

encontrei algumas fontes que referem 4 (desde 2015 que apenas 3 se encontram operacionais) aeronaves Eurocopter AS350 Ecureuil como "Geridos pela Força Aérea".

Alguém sabe o que é isto significa exatamente?  :P

Obrigado,

GM

Os helicópteros que eram da ANEPC passaram para a Força Aérea.

Os Kamov são lixo, sobram os AS350 que a FAP apenas faz a gestão, isto é, tal como a ANEPC fazia, contrata uma empresa privada para os usar.



O Kamov ainda cá estão?

https://eco.sapo.pt/2023/11/21/helicopteros-kamov-oferecidos-a-ucrania-ha-mais-de-um-ano-continuam-em-solo-nacional/
 

*

tenente

  • Investigador
  • *****
  • 10365
  • Recebeu: 5667 vez(es)
  • Enviou: 4362 vez(es)
  • +8478/-1842
Re: Combate a fogos pela F.A.P.
« Responder #1892 em: Abril 01, 2024, 05:01:05 pm »
Hello,

encontrei algumas fontes que referem 4 (desde 2015 que apenas 3 se encontram operacionais) aeronaves Eurocopter AS350 Ecureuil como "Geridos pela Força Aérea".

Alguém sabe o que é isto significa exatamente?  :P

Obrigado,

GM

Os helicópteros que eram da ANEPC passaram para a Força Aérea.

Os Kamov são lixo, sobram os AS350 que a FAP apenas faz a gestão, isto é, tal como a ANEPC fazia, contrata uma empresa privada para os usar.



O Kamov ainda cá estão?

Afirmativo, ninguém os levou, ainda. ..

Abraço
Quando um Povo/Governo não Respeita as Suas FFAA, Não Respeita a Sua História nem se Respeita a Si Próprio  !!
 

*

goncalobmartins

  • Membro
  • *
  • 119
  • Recebeu: 43 vez(es)
  • Enviou: 112 vez(es)
  • +18/-1
Re: Combate a fogos pela F.A.P.
« Responder #1893 em: Abril 08, 2024, 12:55:36 pm »
Citar
Em teoria, cada esquadra é composta por 25, 12 ou 6 aparelhos do mesmo tipo. As esquadras com mais aeronaves dividem-se em esquadrilhas de 4 a 8 aparelhos. Na sua designação, as esquadras recebem uma numeração de 3 algarismos, em que o primeiro indica a sua missão primária:[52]
1 Instrução
2 Caça
3 Ataque
4 Reconhecimento
5 Transporte
6 Patrulha marítima
7 Busca e Salvamento
8 Especial
O segundo algarismo indica o tipo de aeronave operado pela esquadra, sendo que 0 indica que a esquadra opera aeronaves de asa fixa, 1 significa aeronaves mistas e o 5 aeronaves de asa móvel. O terceiro algarismo indica o número dado à esquadra, como por exemplo, a primeira esquadra de transporte de asa fixa é a 501 e a segunda é a 502. Se uma terceira for criada, terá o número 503.

Segunda esta lógica de designação de esquadras, qual a vossa aposta para a esquadra a operar os futuros De Havilland DHC-515 Firefighter? Reativar a esquadra 503 – "Golfinhos" ou a esquadra 505 – "Jacarés", ou outra?
« Última modificação: Abril 08, 2024, 07:53:18 pm por goncalobmartins »
 

*

Get_It

  • Investigador
  • *****
  • 2271
  • Recebeu: 527 vez(es)
  • Enviou: 466 vez(es)
  • +836/-827
Re: Combate a fogos pela F.A.P.
« Responder #1894 em: Abril 08, 2024, 07:50:26 pm »
Segunda esta lógica de designação de esquadras, qual a vossa aposta para a esquadra a operar os futuros De Havilland DHC-515 Firefighter? Reativar a esquadra 503 – "Golfinhos" ou a esquadra 505 – "Jacarés", ou outra?
Acho já deu para perceber que o actual compadrio na FAP não tem interesse em seguir certas "tradições" nem reactivar antigas esquadras. No passado tinha comentado isso no tópico dos C-130.

Se não vier nenhuma aeronave de transporte (p.e. A400M) para a 501, talvez ainda tentem manter a esquadra viva com os DHC-515. Caso contrário, diria que o mais provável é ser uma nova esquadra 7xx ou 8xx com um novo nome.

De notar que o rumor que o CJ escreveu no tópico em 2022 é praticamente o que o Subsea partilhou ontem nesse mesmo tópico.

Cumprimentos,
« Última modificação: Abril 08, 2024, 07:55:07 pm por Get_It »
:snip: :snip: :Tanque:
 
Os seguintes utilizadores agradeceram esta mensagem: goncalobmartins

*

PereiraMarques

  • Moderador Global
  • *****
  • 7926
  • Recebeu: 1260 vez(es)
  • Enviou: 344 vez(es)
  • +5169/-235
Re: Combate a fogos pela F.A.P.
« Responder #1895 em: Abril 08, 2024, 09:01:36 pm »
Numa lógica de sustentação logistica não faria sentido trocar esses 3 Écureuil, nem que fosse por apenas 2 kwolas?
 
Os seguintes utilizadores agradeceram esta mensagem: nelson38899

*

goncalobmartins

  • Membro
  • *
  • 119
  • Recebeu: 43 vez(es)
  • Enviou: 112 vez(es)
  • +18/-1
Re: Combate a fogos pela F.A.P.
« Responder #1896 em: Abril 08, 2024, 09:53:36 pm »
Numa lógica de sustentação logistica não faria sentido trocar esses 3 Écureuil, nem que fosse por apenas 2 kwolas?

Ou até que fosse 1 Black Hawk!

Citar
a) Aquisição de serviços relativos à operação, gestão da aeronavegabilidade permanente e manutenção dos helicópteros ligeiros Ecureuil AS350B3 da frota própria do Estado, que integram o DECIR, durante os anos de 2023 a 2026, e outros encargos decorrentes da execução contratual referente ao ano de 2026, a serem pagos no primeiro trimestre de 2027, até ao montante global máximo de (euro) 9 373 140,00, a que acresce o IVA à taxa legal em vigor;

Citar
As referidas aeronaves, que integram o dispositivo permanente de meios aéreos, faziam parte do património da extinta EMA — Empresa de Meios Aéreos, S. A., tendo, ao abrigo do disposto no n.o 4 do artigo 4.o do Decreto-Lei n.o 8/2014, de 17 de janeiro, transitado para o património da Autoridade Nacional de Proteção Civil (ANPC).

Mas acho que era preciso perceber exatamente a quem é que efetivamente as 3 aeronaves Eurocopter AS350 Ecureuil pertencem... É que pelo que percebo do que foi dito aqui anteriormente, e pelo que foi publicado no Diário da República, a FAP só gere a utilização das mesmas.
« Última modificação: Abril 08, 2024, 10:02:04 pm por goncalobmartins »
 

*

dc

  • Investigador
  • *****
  • 8475
  • Recebeu: 3855 vez(es)
  • Enviou: 715 vez(es)
  • +4985/-787
Re: Combate a fogos pela F.A.P.
« Responder #1897 em: Abril 08, 2024, 10:45:14 pm »
Numa lógica de sustentação logistica não faria sentido trocar esses 3 Écureuil, nem que fosse por apenas 2 kwolas?

Era bom que que assim fosse, e se reduzisse as frotas de helicópteros de combate a incêndios a apenas dois modelos.
 

*

NVF

  • Investigador
  • *****
  • 5378
  • Recebeu: 4014 vez(es)
  • Enviou: 9977 vez(es)
  • +8451/-245
Re: Combate a fogos pela F.A.P.
« Responder #1898 em: Abril 08, 2024, 10:57:11 pm »
Eu sei que o pessoal é avesso à GNR, mas fazia sentido os Écureuil passarem para essa força, já que a FAP não os quer. Quando afectos ao DECIR, a sua coordenação ficaria, obviamente, sob alçada da FAP, mas fora da época de fogos podiam ser utilizados em funções policiais.
Talent de ne rien faire
 
Os seguintes utilizadores agradeceram esta mensagem: LM, Charlie Jaguar, PTWolf

*

goncalobmartins

  • Membro
  • *
  • 119
  • Recebeu: 43 vez(es)
  • Enviou: 112 vez(es)
  • +18/-1
Re: Combate a fogos pela F.A.P.
« Responder #1899 em: Abril 08, 2024, 11:33:26 pm »
Eu sei que o pessoal é avesso à GNR, mas fazia sentido os Écureuil passarem para essa força, já que a FAP não os quer. Quando afectos ao DECIR, a sua coordenação ficaria, obviamente, sob alçada da FAP, mas fora da época de fogos podiam ser utilizados em funções policiais.

Citar
"A Marinha deve assumir as funções operativas do Estado no mar, como forma de racionalizar os recursos nacionais, desempenhando as funções tradicionais das Marinhas de Guerra e das Guardas Costeiras, de acordo com um modelo pós-moderno de utilização do poder naval e marítimo".

Eu percebo a ideia mas isso não seria mais um problema como já existe entre a Marinha e a GNR? Eu sou da opinião que cada macaco deve ficar no seu galho: se voa, as funções operativas são assumidas pela FAP; se flutua assumir as as funções operativas são assumidas pela Marinha; se roda as funções operativas são assumidas pelo Exército;

Logo por aqui reduziam-se a quantidade de meios diferentes, e mais facilmente se alocavam verbas para se poderem equipar decentemente os 3 ramos...
 

*

raphael

  • Investigador
  • *****
  • 1672
  • Recebeu: 391 vez(es)
  • Enviou: 344 vez(es)
  • +99/-45
Re: Combate a fogos pela F.A.P.
« Responder #1900 em: Abril 09, 2024, 09:12:01 am »
É uma questão de tempo até a GNR absorver a Policia Maritima, até porque a PM já enseja à muito passar para a tutela do MAI.

Por isso, com passinhos de bebé a GNR vai retornar aos tempos do alouette II.
Um abraço
Raphael
__________________
 

*

dc

  • Investigador
  • *****
  • 8475
  • Recebeu: 3855 vez(es)
  • Enviou: 715 vez(es)
  • +4985/-787
Re: Combate a fogos pela F.A.P.
« Responder #1901 em: Abril 09, 2024, 03:08:44 pm »
A situação é complexa, porque falta um planeamento com pés e cabeça. Muita coisa que a GNR pretende, é em duplicação com o que já existe nas FA, e muitas vezes o que as FA querem, é manter certas responsabilidades, mesmo que não sejam "primárias" para uma força militar.

Se fossem bimotor, e com a criação de uma hipotética Guarda Costeira, até dizia que os Ecureuil podiam fazer parte desta, e acabava-se com a responsabilidade da Marinha na patrulha costeira, e com a duplicação desta missão na GNR, e ainda tinham acesso a um meio aéreo.

Sem ser isto, porque não, em vez da GNR, estes helicópteros ficarem ao dispor também da PSP, directamente sob a alçada do MAI?
Ainda assim, até isto estaria dependente de onde vem o dinheiro para a sua manutenção e de onde viriam os pilotos.
 

*

NVF

  • Investigador
  • *****
  • 5378
  • Recebeu: 4014 vez(es)
  • Enviou: 9977 vez(es)
  • +8451/-245
Re: Combate a fogos pela F.A.P.
« Responder #1902 em: Abril 10, 2024, 12:59:58 am »
A questão é que esses helis já estiveram no MAI e foram acabar na FAP que não os quer nem pintados, nunca tendo transpirado aspirações das FS em os operar. Obviamente, esse foi um cenário (gestão conjunta no âmbito do MAI) que também me ocorreu e que, obviamente, faria mais sentido se fossem unicamente tido em conta princípios de racionalização e boa gestão dos meios. O problema é que não antevejo grande interesse da PSP em operar helis. Já a GNR tem historial de operação de helis e tem ambições de ser um faz-tudo.

Num país com a nossa dimensão, faria sentido uma força conjunta de helis para as FS equipada, no mínimo, com 02 helis médios (tipo AW149) e 04 helis ligeiros (tipo Écureuil). Esta força deveria ser essencialmente para funções policiais (apoio ao GOE e COE, trânsito, etc.), mas poderia também apoiar o DECIR durante a época dos FF e apoio à FAP em missões SAR. Mas isto são coisas de países avançados. Em PT, helis é mais para serviços de taxi.
Talent de ne rien faire
 
Os seguintes utilizadores agradeceram esta mensagem: Charlie Jaguar, Pescador

*

Get_It

  • Investigador
  • *****
  • 2271
  • Recebeu: 527 vez(es)
  • Enviou: 466 vez(es)
  • +836/-827
Re: Combate a fogos pela F.A.P.
« Responder #1903 em: Abril 10, 2024, 09:22:37 am »
Num país com a nossa dimensão, faria sentido uma força conjunta de helis para as FS equipada, no mínimo, com 02 helis médios (tipo AW149) e 04 helis ligeiros (tipo Écureuil). Esta força deveria ser essencialmente para funções policiais (apoio ao GOE e COE, trânsito, etc.), mas poderia também apoiar o DECIR durante a época dos FF e apoio à FAP em missões SAR. Mas isto são coisas de países avançados. Em PT, helis é mais para serviços de taxi.
Podiam inclusive substituir alguns dos meios contratados para o INEM.

Poderia até ser uma forma de "reaproveitar" os militares que saíssem da FAP ao criar outra opção a nível de carreira.

Cumprimentos,
:snip: :snip: :Tanque:
 

*

Pescador

  • Investigador
  • *****
  • 4009
  • Recebeu: 2604 vez(es)
  • Enviou: 2146 vez(es)
  • +5703/-2800
Re: Combate a fogos pela F.A.P.
« Responder #1904 em: Abril 10, 2024, 10:56:18 am »
A questão é que esses helis já estiveram no MAI e foram acabar na FAP que não os quer nem pintados, nunca tendo transpirado aspirações das FS em os operar. Obviamente, esse foi um cenário (gestão conjunta no âmbito do MAI) que também me ocorreu e que, obviamente, faria mais sentido se fossem unicamente tido em conta princípios de racionalização e boa gestão dos meios. O problema é que não antevejo grande interesse da PSP em operar helis. Já a GNR tem historial de operação de helis e tem ambições de ser um faz-tudo.

Num país com a nossa dimensão, faria sentido uma força conjunta de helis para as FS equipada, no mínimo, com 02 helis médios (tipo AW149) e 04 helis ligeiros (tipo Écureuil). Esta força deveria ser essencialmente para funções policiais (apoio ao GOE e COE, trânsito, etc.), mas poderia também apoiar o DECIR durante a época dos FF e apoio à FAP em missões SAR. Mas isto são coisas de países avançados. Em PT, helis é mais para serviços de taxi.

FS com unidades especiais que estão quase sempre condicionadas de treino a disponibilidade de helicópteros militares.