Varig Log oferece 287 milhões para adquirir a Varig

  • 3 Respostas
  • 3569 Visualizações
*

Marauder

  • Investigador
  • *****
  • 2093
  • +2/-0
Varig Log oferece 287 milhões para adquirir a Varig
« em: Abril 05, 2006, 10:56:28 am »
Citar
Varig Log oferece 287 milhões para adquirir a Varig

A Varig Log, ex- subsidiária de transporte de cargas da Varig, apresentou uma oferta de 350 milhões de dólares (286,9 milhões de euros) para aquisição da companhia aérea brasileira, anunciou esta empresa.

--------------------------------------------------------------------------------

Jornal de Negócios Online
http://www.negocios.pt/default.asp?SqlP ... tId=273997

 Pois é, agora me lembrei, então, os custos de aquisição da VEM e da outra pela TAP já foram contabilizados? É que se sim explica um pouco os resultados negativos da TAP..
 

*

Marauder

  • Investigador
  • *****
  • 2093
  • +2/-0
(sem assunto)
« Responder #1 em: Abril 15, 2006, 01:43:41 pm »
Citar
Varig aceita proposta de US$ 400 milhões

A Varig Log está disposta a comprar a "mãe" Varig e elevou de US$ 300 milhões para R$ 400 milhões a oferta. A nova proposta ainda terá de ser aprovada pelos credores da companhia aérea na próxima semana

A direção da Varig recomendou ontem ao Conselho de Administração da companhia aérea que aceite a nova proposta de compra apresentada pela Varig Logística (Varig Log). A proposta - que ainda precisa da aprovação dos credores - prevê a compra da Varig por US$ 400 milhões, superando a oferta anterior da própria Varig Log, formulada no início deste mês, que estava em torno de US$ 350 milhões.

A nova proposta da Varig Log terá de ser encaminhada ao conselho da companhia e a 8ª Vara Empresarial do Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro - responsável pelo processo de recuperação judicial da empresa - na próxima segunda-feira. Após isso, haverá uma reunião (ou assembléia de credores) para decidir se a proposta será oficialmente aceita.

A Varig Log é uma ex-subsidiária da Varig vendida em janeiro deste ano por US$ 48,2 milhões ao consórcio Volo do Brasil, formado pelos empresários brasileiros Marco Antonio Audi, Marcos Haftel e Luis Eduardo Gallo com o fundo de investimentos norte-americano MatlinPatterson. A Volo do Brasil detém 95% do capital votante da Varig Log, empresa que possui mais de 47% do mercado doméstico e quase 32% do mercado internacional de carga.

Segundo a Varig, a nova proposta "contempla alterações sugeridas durante encontros realizados com os principais envolvidos no processo de reestruturação" da companhia aérea, mas as diferenças quanto à antiga proposta não foram divulgadas. A oferta anterior, que foi rejeitada por credores e principalmente pelas associações de empregados, previa a divisão da Varig em duas, uma saudável e outra endividada. Assim como redução da frota dos atuais 54 aviões para 48, corte de três a cinco mil empregados e a redução de salários.

Em nota oficial, a Varig Log informa que a transação será realizada com recursos próprios e que não será financiada por créditos oficiais. "Sendo assim, uma solução de mercado, de acordo com a grandeza da aviação civil brasileira", diz a nota. A Varig Log destacou que "esta transação manterá a Varig em funcionamento, com a manutenção de suas rotas nacionais e internacionais operando dentro do padrão de qualidade que a tornou uma empresa líder de mercado".

"A Varig Log e a Varig estão certas de terem encontrado uma solução para a continuidade dos serviços da Varig e aguardam agora a aprovação de credores e órgãos regulatórios para concretizar a transação", diz comunicado divulgado ontem pelas duas empresas.

Na nota, a Varig Log informa que essa transação permitirá a preservação de cerca de 15 mil postos de trabalho - incluindo os empregados da Varig e de suas prestadoras de serviço. Os funcionários da Varig assinaram na quinta-feira protocolo de entendimento concordando com o corte de pessoal e redução salarial de 30%, conforme o plano emergencial da consultoria americana Alvarez & Marsal. Com isso, o quadro de empregados da companhia deverá cair de 9.800 para 6.900 funcionários ativos - uma redução de 2.900 pessoas.

Com dívidas estimadas em mais de R$ 7 bilhões, a Varig enfrenta dificuldades para manter em dia o pagamento de despesas correntes, como combustível e taxas aeroportuárias. Entre os credores da Varig estão a General Eletric, a Boeing e estatais brasileiras, como a Petrobras e a Infraero. Segundo especialistas, a crise da empresa é resultante das perdas geradas pelo congelamento das tarifas aéreas nas décadas de 80 e 90 combinadas com a má administração da companhia. (com agências)



de:
http://www.noolhar.com/opovo/economian/585462.html

 Negócio fechado... c34x
 

*

Marauder

  • Investigador
  • *****
  • 2093
  • +2/-0
(sem assunto)
« Responder #2 em: Abril 26, 2006, 10:13:10 pm »
Citar
Investidor oferece 1,9 mil milhões pela Varig, diz imprensa

Um representante de um grupo de investidores estrangeiros apresentou uma proposta para adquirir a Varig por 1,9 mil milhões de dólares, escreve hoje o jornal Folha de São Paulo.


O consultor Jaime Toscano, representante de um grupo de investidores europeus e norte-americanos, iniciou as negociações com os credores da Varig.

No ano passado, o mesmo consultor apresentou uma proposta de aquisição da Varig, mas foi recebido «com descrença por não apresentar a origem dos recursos», salientou o diário.

A nova proposta inclui a aquisição do controlo das três empresas actualmente em processo de recuperação judicial, nomeadamente a Varig, Rio Sul e Nordeste.

«Desde que entrou em recuperação judicial, a Varig já recebeu algumas propostas de aquisição, mas até agora nenhuma foi aprovada. Os credores consideraram a maioria sem fundamento ou com ofertas baixas», salientou o diário.

Jaime Toscano não divulgou a identidade dos investidores, limitando-se a dizer que os recursos para aquisição da Varig «vêm de fundos de investimento. Quem será o dono é uma questão a ser definida com o tempo».

Um recente estudo mostrou que a Varig tem o maior património líquido negativo das empresas de capital aberto da América Latina, o qual ascende a cerca de 3,3 mil milhões de dólares.

Diário Digital / Lusa

25-04-2006 17:21:00


de:
http://diariodigital.sapo.pt/dinheiro%5 ... news=66233

Díficil de bater, mas nunca se sabe..
 

*

TOMKAT

  • Especialista
  • ****
  • 1173
  • +0/-0
(sem assunto)
« Responder #3 em: Maio 27, 2006, 09:50:39 pm »
Compra da Varig pela TAP cada vez mais uma miragem...
Com tanta informação e contra-informação provavelmente a própria Varig, ela própria, já é uma miragem...

Já parece a nossa LPM... :?

Citar
Dirceu negocia Varig para eleger amigos, diz Veja

O ex-ministro da Casa Civil e ex-deputado federal, José Dirceu, está mediando o diálogo entre Boris Berezovsky e o Governo Federal para negociar a venda da Varig ao magnata russo, informa a revista Veja na edição desta semana. A publicação diz ter ouvido um "um petista familiarizado com os negócios de Dirceu" que afirma que o plano de Dirceu é usar a venda para financiar a campanha de uma bancada de deputados.
Ainda segundo o semanário, Dirceu teve, no início do mês, três encontros com Berezovsky em São Paulo. O papel do petista seria convencer o governo brasileiro a colocar R$ 100 milhões na venda da Varig por meio do BNDES.

"Finalmente o Dirceu vai conseguir trazer dinheiro de Moscou para o PT", ironizou o deputado petista ouvido pela revista. O interesse de Dirceu em realizar a venda da Varig seria conseguir uma comissão de US$ 20 milhões para financiar a eleição de dez candidatos à Assembléia Legislativa de São Paulo e onze candidatos a deputado federal.

Cassado há seis meses sob a acusação de comandar o esquema de compra de votos de parlamentares, Dirceu está inelegível até 2015. A revista especula que, com um bancada de deputados estaduais e federais, o ex-homem forte do Governo Lula manteria seu prestígio dentro da legenda.


fonte:http://www.noticias.terra.com.br/brasil/interna/0,,OI1023968-EI306,00.html
IMPROVISAR, LUSITANA PAIXÃO.....
ALEA JACTA EST.....
«O meu ideal político é a democracia, para que cada homem seja respeitado como indivíduo e nenhum venerado»... Albert Einstein