Actividade Operacional/Exercícios

  • 425 Respostas
  • 81987 Visualizações
*

Cabeça de Martelo

  • Investigador
  • *****
  • 20905
  • Recebeu: 3246 vez(es)
  • Enviou: 2369 vez(es)
  • +1596/-3523
Re: Actividade Operacional/Exercícios
« Responder #120 em: Setembro 24, 2020, 11:30:50 am »
Preparação de militares para salto em queda livre utiliza túnel de vento


Citar
Goiânia (GO), 21/09/2020 – O Salto em queda livre de um paraquedista militar requer treinamento constante. Uma forma de manter seu adestramento em dia é o uso de simuladores, outra modalidade utilizada no Adestramento Conjunto de Salto Livre Operacional para Forças Especiais, que acontece de 14 a 25 de setembro.

Uma pessoa com cerca de 70 quilos voa com aproximadamente 72% do motor, cerca de 180 quilômetros por hora, a depender das condições climáticas. O treino durante uma hora na câmara de vento, realizado em períodos de dois minutos, equivale à execução de 100 saltos reais. “Com isso, economizamos os meios, tendo em vista que cada voo gera custos para a aeronave e para o paraquedas, que tem uma vida útil”, enfatiza o Capitão Pereira.

O Túnel de Vento tem uma cabine chamada mesa do controlador, onde um profissional gerencia a capacidade dos quatro motores que o fazem girar. A potência do vento é feita de acordo com o peso de cada voador. Para saber isso, ele fica em contato com o instrutor, que gesticula por sinais preestabelecidos. “Eu olho para o controlador e faço o gesto. Aí ele já vai saber a potência que eu quero do vento daquele paraquedista, porque cada um tem um peso diferente e voa em um vento diferente”, explica o Sargento Geacomelli.

A capacitação de cada militar paraquedista tem etapas, desde o básico, na qual ele aprende a se estabilizar no ar, até o salto armado equipado em grande altitude. Esse último é formado pelo salto com mochila, paraquedas, fuzil e capacete – todo o equipamento previsto para uma missão real. Para chegar nessa última fase, ele precisa ter obtido êxito em todas as fases propostas em um checklist, além dos instrutores comprovarem que está apto a ir para uma missão real.

Por Mariana Alvarenga
Fotos: Alexandre Manfrim

 :arrow:  https://www.gov.br/defesa/pt-br/assuntos/noticias/preparacao-de-militares-para-salto-em-queda-livre-utiliza-tunel-de-vento

Isto sim, seria uma excelente aquisição para o RPara!
7. Todos os animais são iguais mas alguns são mais iguais que os outros.

 

*

Vitor Santos

  • Moderador Global
  • *****
  • 6922
  • Recebeu: 1035 vez(es)
  • Enviou: 490 vez(es)
  • +9024/-10221
Re: Actividade Operacional/Exercícios
« Responder #121 em: Setembro 24, 2020, 03:21:16 pm »
Subunidade Culminating: 3ª e 4ª fase do Exercício no Terreno


Citar
São José do Barreiro (SP) - Na 3ª e 4ª fase do Exercício no Terreno denominado "Operação Arroio VII", a Subunidade (SU) Culminating realizou, no município de São José do Barreiro, no estado de São Paulo, uma infiltração aeromóvel e, posteriormente, uma ocupação e uma estabilização de localidade, além de efetivar a neutralização de Forças Oponentes dentro do território do próprio inimigo. Essas fases ocorreram de 19 a 23 de setembro.

A infiltração aeromóvel (3ª fase) contou com os helicópteros militares HM-1 (PANTERA) e HM-3 (COUGAR) que se deslocaram da Academia Militar das Agulhas Negras (AMAN) até a orla de São José do Barreiro. Após a infiltração, a SU Culminating iniciou a ocupação da cidade, encontrando e neutralizando pontos de resistência da Força Oponente ao longo da investida.

Após conquistar os objetivos, a SU Culminating passou para a 4ª fase, caracterizada pela estabilização e desmilitarização de São José do Barreiro. Nesse período, a Direção do Exercício (DIREx), formada pela Brigada de Infantaria Pára-quedista e pelo Centro de Adestramento Leste (CA Leste), impôs à Força Adestrada uma série de Problemas Militares Simulados (PMS), como reuniões com lideranças locais e coletiva de imprensa. O Comandante da SU Culminating foi posto à prova, demonstrando desenvoltura tanto no trato com os participantes da reunião de lideranças e da coletiva de imprensa, quanto no idioma inglês.

Destaca-se que a Seção de Comunicação Social do Comando Militar do Leste, além de realizar in loco a divulgação institucional, realizou a assessoria de imprensa à SU Culminating, de modo a preparar melhor o seu Comandante às situações simuladas que por ventura possam ocorrer.

A atividade visa a preparação para o exercício bilateral entre o Exército Brasileiro e o Exército dos Estados Unidos da América (US Army) que será concretizado em fevereiro de 2021, no Joint Readiness Training Center, em Fort Polk, Estados Unidos. Essa ação é um intercâmbio entre os dois países e finaliza o Plano Conjunto de atividades realizadas ao longo de cinco anos.

 :arrow:  http://www.cml.eb.mil.br/ultimas-noticias/2303-subunidade-culminating-3.html






« Última modificação: Setembro 24, 2020, 03:22:50 pm por Vitor Santos »
 

*

Vitor Santos

  • Moderador Global
  • *****
  • 6922
  • Recebeu: 1035 vez(es)
  • Enviou: 490 vez(es)
  • +9024/-10221
Re: Actividade Operacional/Exercícios
« Responder #122 em: Setembro 26, 2020, 11:40:19 pm »
Adestramento do 34º Batalhão de Infantaria Mecanizado na Força de Prontidão


Citar
Foz do Iguaçu (PR) – O 34º Batalhão de Infantaria Mecanizado (34º BIMec) realiza apronto operacional e adestramento com seus blindados Guaranis como parte da Força de Prontidão (FORPRON).

Fonte: 34º BI Mec

 

*

Vitor Santos

  • Moderador Global
  • *****
  • 6922
  • Recebeu: 1035 vez(es)
  • Enviou: 490 vez(es)
  • +9024/-10221
Re: Actividade Operacional/Exercícios
« Responder #123 em: Setembro 28, 2020, 09:16:39 pm »
Análise pós-ação finaliza as atividades do maior exercício do ano em ambiente operacional amazônico


Citar
Manaus (AM) – No dia 24 de setembro, o Comandante do Teatro de Operações Norte, General de Exército Estevam Cals Theophilo Gaspar de Oliveira, encerrou a Operação Amazônia com uma análise pós-ação (APA), atividade crítica realizada com o objetivo de aprimorar a capacidade combativa do Comando Militar da Amazônia.

Após a concentração estratégica das tropas em Manaus, a Operação Amazônia ocorreu no período de 3 a 23 de setembro, com a participação de mais de 3.600 militares. A operação contou com tropas do Comando Militar da Amazônia (Amazonas, Rondônia, Roraima e Acre), do Comando Militar do Norte (Belém/PA), da 23ª Brigada de Infantaria de Selva (Marabá/PA), do Comando de Artilharia do Exército (Formosa/GO), do 18º Grupo de Artilharia de Campanha (Rondonópolis/MT), do Comando de Operações Especiais (Goiânia/GO) e da Brigada de Infantaria Pára-quedista (Rio de Janeiro/RJ).

Funções de combate como comando e controle, movimento e manobra, inteligência, fogos, logística e proteção foram empregadas na operação, contribuindo para a evolução da doutrina e para o adestramento das tropas envolvidas. A reversão das tropas prossegue até o dia 5 de outubro.

Fonte: CMA














 

*

Vitor Santos

  • Moderador Global
  • *****
  • 6922
  • Recebeu: 1035 vez(es)
  • Enviou: 490 vez(es)
  • +9024/-10221
Re: Actividade Operacional/Exercícios
« Responder #124 em: Setembro 29, 2020, 10:52:43 pm »
Subunidade Culminating: 5ª fase da Operação Arroio VII é executada com atividade de tiro real "Live Fire"


Citar
Resende (RJ) - Na 5ª fase do Exercício no Terreno denominado "Operação Arroio VII", a Subunidade (SU) Culminating, originada da Brigada de Infantaria Pára-quedista, executou, no Campo de Instrução da Academia Militar das Agulhas Negras (AMAN), entre os dias 24 a 27 de setembro, a atividade de tiro real “Live Fire” nível subunidade.

A ação marcou o término de um período de 14 dias de atividades em campo e começou com o recebimento da missão, planejamento e emissão de ordens. Em seguida, a SU Culminating realizou os ensaios em seco e com festim, utilizando os Dispositivos de Simulação e Engajamento Tático (DSET), do ataque a uma posição defensiva inimiga. Tais ensaios visaram o preparo para a efetivação, no último dia, do tiro real, inserido num contexto tático e com todos os meios orgânicos da Companhia*.
 
O adestramento da Companhia Culminating conta com o apoio do Centro de Adestramento Leste (CA Leste). Todo esse treinamento, que tem sido executado ao longo desse período, representa um passo significativo para o aperfeiçoamento do preparo da Força Terrestre, uma vez que o conhecimento e a experiência adquiridos no preparo da SU Culminating contribuirão para os processos de certificação das tropas inseridas no Sistema de Prontidão Operacional da Força Terrestre (SISPRON), conduzido pela chefia do preparo da Força Terrestre do Comando de Operações Terrestres (COTER).

A próxima etapa será o Home Station Training. Esse ocorrerá em novembro e contará com a presença de militares do Joint Readiness Training Center (JRTC) que acompanharão o nível de adestramento da Companhia no final do processo do treinamento.

A atividade visa à preparação para o exercício bilateral entre o Exército Brasileiro e o Exército dos Estados Unidos da América (US Army) que será concretizado nos meses de janeiro e fevereiro de 2021, no JRTC em Fort Polk, nos Estados Unidos. Essa ação é um intercâmbio entre os dois países e finaliza o Plano Conjunto de atividades realizadas ao longo de cinco anos.

* Uma Companhia de Fuzileiros Paraquedistas é formada por 3 (três) Pelotões de Fuzileiros, 1 (um) Pelotão de Apoio e 1(uma) Seção de Comando.

Texto: 1º Ten Hosana / Fotos: Cb Francilaine









 

*

Vitor Santos

  • Moderador Global
  • *****
  • 6922
  • Recebeu: 1035 vez(es)
  • Enviou: 490 vez(es)
  • +9024/-10221
Re: Actividade Operacional/Exercícios
« Responder #125 em: Outubro 11, 2020, 09:50:28 pm »
 

*

Vitor Santos

  • Moderador Global
  • *****
  • 6922
  • Recebeu: 1035 vez(es)
  • Enviou: 490 vez(es)
  • +9024/-10221
Re: Actividade Operacional/Exercícios
« Responder #126 em: Outubro 11, 2020, 09:51:09 pm »
 

*

Vitor Santos

  • Moderador Global
  • *****
  • 6922
  • Recebeu: 1035 vez(es)
  • Enviou: 490 vez(es)
  • +9024/-10221
Re: Actividade Operacional/Exercícios
« Responder #127 em: Outubro 14, 2020, 02:00:45 pm »
Após três meses de preparação, Força-Tarefa Ipiranga obtém certificação no Sistema de Prontidão do Exército


Citar
Caçapava (SP) – No período de 5 a 7 de outubro, a Força-Tarefa Ipiranga, Força de Prontidão da Brigada Aeromóvel (FORPRON Amv), realizou as atividades operacionais relativas à sua certificação no Sistema de Prontidão do Exército. Após 3 meses de preparação, a 12ª Brigada de Infantaria Leve (Amv), órgão certificador, sob a orientação do Comando Militar do Sudeste, organizou e conduziu o exercício de campanha para avaliar o grau de operacionalidade da FT Ipiranga.

Primeiramente, a FORPRON Amv executou seu apronto operacional com 736 militares, ficando em condições de iniciar o exercício de campanha. Em seguida, dando início à atividade, o Pelotão de Reconhecimento da FT Ipiranga realizou uma infiltração tática, com emprego de aeronaves do Comando de Aviação do Exército, a fim de reconhecer o terreno e guiar o desembarque noturno das tropas da FT para o assalto aeromóvel.

Já na parte da noite, ocorreu o movimento aéreo das 3 subunidades da Força de Ação Estratégica (SUFAE) para a realização do assalto aeromóvel da FT Ipiranga, visando conquistar uma região vital para o êxito do planejamento executado pelo escalão superior. Esta atividade, denominada simulação viva, foi realizada em área rural nos arredores de Caçapava (SP), onde a força adestrada combateu uma força oponente, sendo arbitrada por observadores e controladores do Centro de Adestramento - Leste (CA - Leste), com o auxílio do Dispositivo de Simulação de Engajamento Tático (DSET).

Fonte: 6º BIL



 

*

Vitor Santos

  • Moderador Global
  • *****
  • 6922
  • Recebeu: 1035 vez(es)
  • Enviou: 490 vez(es)
  • +9024/-10221
Re: Actividade Operacional/Exercícios
« Responder #128 em: Outubro 14, 2020, 02:52:20 pm »
4ª Brigada de Cavalaria Mecanizada é certificada como Força de Prontidão


Citar
Entre os dias 14 de setembro e 09 de outubro, o Centro de Adestramento-Sul (CA-Sul) apoiou o Comando Militar do Oeste (CMO) na Certificação da 4ª Brigada de Cavalaria Mecanizada (4ª Bda C Mec) como Força de Prontidão (FORPRON) da Força Terrestre.

A Certificação, que é a 2ª fase do Ciclo de Prontidão, abrangeu as três modalidades de simulação (Construtiva, Virtual e Viva), dentro de um mesmo tema tático.

Para o início da Simulação Construtiva, foi realizado nas instalações do CA-Sul, entre os dias 21 e 23 de setembro, o treinamento dos Operadores e Controladores das Unidades que foram empregadas como peças de manobra no Jogo de Guerra.

A Simulação Virtual/Viva foi conduzida em três fases:

1ª Fase – Treinamento Militar à Distância (TMAD): realizado nas Organizações Militares (OM) participantes, entre os dias 14 e 25 de setembro, para revisão de Técnicas, Táticas e Procedimentos (TTP) necessários ao exercício e adaptação ao VBS3, software utilizado na simulação virtual, e aos Dispositivos de Simulação de Engajamento Tático (DSET);

2ª Fase – Simulação Virtual: com quatro Subunidades (SU), de forma presencial e sucessivas, empregando o VBS3, nas instalações do 17º Regimento de Cavalaria Mecanizado (17º RC Mec) entre os dias 21 e 30 de setembro;

3ª Fase – Simulação Viva: entre os dias 04 e 09 de outubro nos municípios de Dourados, Fátima do Sul, Caarapó, Laguna Caarapã e Ponta Porã, todos no Mato Grosso do Sul, exercício no terreno para as SU certificadas, utilizando os DSET e os Observadores e Controladores de Adestramento (OCA) capacitados pelo CA-SUL.

Para a validação da Certificação, o CA-Sul empregou Cadernetas de Certificação contendo as Fichas de Observação (“baremas”), acerca de Trabalho de Comando e Estado-Maior, de trabalho de comando de SU e escalões inferiores e dos objetivos de adestramento para as SU, a fim de balizar a avaliação do exercício.

 :arrow:  https://tecnodefesa.com.br/4a-brigada-de-cavalaria-mecanizada-e-certificada-como-forca-de-prontidao/











 
Os seguintes utilizadores agradeceram esta mensagem: HSMW

*

Vitor Santos

  • Moderador Global
  • *****
  • 6922
  • Recebeu: 1035 vez(es)
  • Enviou: 490 vez(es)
  • +9024/-10221
Re: Actividade Operacional/Exercícios
« Responder #129 em: Outubro 15, 2020, 07:37:07 pm »
Operação Amazônia mostra capacidade de atuação do Exército


Citar
Brasília (DF) – O mês de setembro foi marcado por um grande exercício militar realizado na Região Norte do país: a Operação Amazônia. Foram mais de 3.600 militares do Exército Brasileiro provenientes de diferentes áreas do território nacional. A simulação de guerra e o adestramento de tropas fazem parte da missão da instituição que, ao longo de sua história, tem aprimorado seus treinamentos, a fim de manter homens e mulheres preparados e capacitados para atuarem em defesa da Pátria.

Missão do Exército e Amazônia

A fim de contribuir para o cumprimento da missão constitucional das Forças Armadas, de defender a Pátria e garantir a soberania nacional, é necessário que o Exército se mantenha permanentemente capacitado a operar junto à Marinha e à Força Aérea nos mais distintos cenários. Sendo a Amazônia uma das prioridades da Defesa Nacional, o exercício, reunindo os meios existentes no Comando Militar da Amazônia e recebendo o apoio de elementos aeroterrestres, aeromóveis, da Artilharia, do Sistema Astros e de uma série de sistemas de combate, foi uma excelente oportunidade para aferir o grau de operacionalidade alcançado.

Recursos empregados e benefícios alcançados

Realizado dentro da previsão orçamentária destinada ao preparo da Força Terrestre, o exercício permitiu treinar 3.600 profissionais em ambiente de selva e atestar as capacidades logísticas e operacionais da Força Terrestre, além de contribuir para a evolução da doutrina de Defesa do País. Um ganho imensurável! Os equipamentos mais modernos foram reunidos na região, colocando à prova a capacidade logística de concentração desses meios. Um exercício que proporcionou o trabalho conjunto de diferentes tropas: selva, paraquedista, aviação, artilharia, operações especiais, saúde e logística. Além dos aspectos operacionais, o exercício contribuiu com a população do interior do Amazonas com atividades cívico-sociais, atendimentos médicos, distribuição de medicamentos, palestras educativas, distribuição de materiais informativos de prevenção à COVID-19 e de preservação ambiental.

Cabe destacar que, quando o benefício é a defesa da Pátria, recursos empregados são investimento em paz social e desenvolvimento.

Participação da imprensa

Além do efetivo militar empregado, um grupo de profissionais da mídia especializada, da mídia regional e de estudantes de jornalismo participou do Estágio de Correspondente de Assuntos Militares (ECAM). Eles puderam acompanhar as atividades de perto e conhecer os bastidores dos trabalhos realizados pelo Comando Militar da Amazônia durante a operação.

O trabalho de profissionais de mídia, que conheçam a região amazônica e se interessem pelos assuntos de Defesa, é a garantia de que coberturas de ações dessa natureza serão tratadas com isenção e veracidade.

 :arrow: http://www.eb.mil.br/web/noticias/noticiario-do-exercito/-/asset_publisher/MjaG93KcunQI/content/id/12303239





 

*

Vitor Santos

  • Moderador Global
  • *****
  • 6922
  • Recebeu: 1035 vez(es)
  • Enviou: 490 vez(es)
  • +9024/-10221
Re: Actividade Operacional/Exercícios
« Responder #130 em: Outubro 20, 2020, 01:16:02 am »
4ª Brigada de Cavalaria Mecanizada finaliza certificação como Força de Prontidão do Exército Brasileiro


Citar
Dourados (MS) – A 4ª Brigada de Cavalaria Mecanizada - "Brigada Guaicurus" finalizou a Operação Bodoquena, certificação como Força de Prontidão (FORPRON) do Exército Brasileiro. Para a preparação, foi realizado um adestramento com duração de 20 dias, em três fases: Simulação Virtual, Simulação Construtiva (jogo de guerra), e Simulação Viva (exercício no terreno).  A FORPRON  percorreu 150 km, em uma frente de 50 km, com diversos problemas militares simulados de certificação, executados com o apoio do Centro de Adestramento - Sul, culminando com um ataque coordenado.

A brigada contou com o apoio de módulos especializados de Guerra Eletrônica, Cibernética, Sistemas de Aeronaves Remotamente Pilotadas (SARP), Artilharia Antiaérea e Aviação do Exército. Empregou, ainda, seus meios de Comando e Controle do Sistema de Monitoramento de Fronteiras, além de contribuir para a avaliação doutrinária do Centro de Doutrina do Exército, com o emprego de suas frações de caçadores, radares da Seção de Vigilância Terrestre e radares M60.

Fonte: 4ª Bda C Mec






 

*

Vitor Santos

  • Moderador Global
  • *****
  • 6922
  • Recebeu: 1035 vez(es)
  • Enviou: 490 vez(es)
  • +9024/-10221
Re: Actividade Operacional/Exercícios
« Responder #131 em: Outubro 20, 2020, 01:27:50 am »
2° RC Mec realiza certificação dos pelotões ForSul


Citar
São Borja (RS) – No período de 14 a 21 de outubro, o 2º Regimento de Cavalaria Mecanizado “Regimento João Manoel” está realizando a OPERAÇÃO SÃO BORJA, com a finalidade de certificar os Pelotões FORSUL nas operações de defesa externa.

Durante o exercício, que está inserido no Período de Adestramento Básico, os pelotões realizam a ocupação de uma Posição Inicial de Retardamento, balizada pelo Rio Butuí, na região do Bororé, retardando a Força Oponente na direção da cidade de São Borja.

2° RC Mec






 

*

Vitor Santos

  • Moderador Global
  • *****
  • 6922
  • Recebeu: 1035 vez(es)
  • Enviou: 490 vez(es)
  • +9024/-10221
Re: Actividade Operacional/Exercícios
« Responder #132 em: Outubro 21, 2020, 12:42:38 pm »
 

*

Vitor Santos

  • Moderador Global
  • *****
  • 6922
  • Recebeu: 1035 vez(es)
  • Enviou: 490 vez(es)
  • +9024/-10221
Re: Actividade Operacional/Exercícios
« Responder #133 em: Outubro 23, 2020, 01:13:53 pm »
33º Batalhão de Infantaria Mecanizado: Batalhão realiza Exercício de Certificação da Força de Prontidão Guarani


Citar
Cascavel (PR) – De 13 a 17 de outubro, o 33º Batalhão de Infantaria Mecanizado (33º BIMec) realizou as Operações Quebra Gelo e Tormenta, tendo como finalidade a Certificação da Força de Prontidão (FORPRON) Guarani.

Os integrantes da FORPRON executaram diversas tarefas: transposição de pontos críticos e obstáculos, maneabilidade do Grupo de Combate, pista de cordas, primeiros socorros em combate e transporte de feridos, conquista de instalação inimiga, emboscada, contraemboscada e tiro de ação reflexa.

Na Operação Tormenta, os militares executaram uma pista de combate nível Pelotão com a execução de uma da marcha para o combate utilizando a viatura blindada de transporte de pessoal (VBTP) MSR 6x6 Guarani, um ataque de oportunidade com a conquista de um objetivo defendido por um Grupo de Combate Inimigo e um aproveitamento do êxito após o ataque bem sucedido.

Ao final dos exercícios as frações alcançaram os objetivos propostos e conquistaram a Certificação Nível 2 (Grupo de combate) e 3 (Pelotão) da Força de Prontidão.

Fonte: 33º BIMec







« Última modificação: Outubro 23, 2020, 01:17:30 pm por Vitor Santos »
 

*

Vitor Santos

  • Moderador Global
  • *****
  • 6922
  • Recebeu: 1035 vez(es)
  • Enviou: 490 vez(es)
  • +9024/-10221
Re: Actividade Operacional/Exercícios
« Responder #134 em: Outubro 23, 2020, 01:23:59 pm »
26º Batalhão de Infantaria Pára-quedista: Apronto Operacional


Citar
Rio de Janeiro (RJ) – No dia 21 de outubro de 2020, foi realizada formatura de apronto operacional da Força de Prontidão Aeroterrestre (FORPRON Aet), no campo do 26º Batalhão de Infantaria Pára-quedista. O objetivo foi apresentar o aprestamento da tropa paraquedista ao Subcomandante de Operações Terrestres (SCmt COTer), General de Divisão Novaes.

Na oportunidade , o Comandante da Brigada de Infantaria Pára-quedista, o General de Brigada Helder, ressaltou a importância da visita do SCmt COTer e parabenizou a Brigada, por ser a 1ª tropa do Exército Brasileiro a ser certificada pelo Sistema de Prontidão Operacional da Força Terrestre (SISPRON).

Em tom de reconhecimento, o General Novaes comentou aos presentes: “Estar aqui, é muito especial, já que passei anos excepcionais da minha vida na Brigada” e completou: “Contamos sempre com a tropa paraquedista, seja em missões operacionais ou mesmo de combate à Covid-19”.

Em revista a tropa, foi apresentado ao General Novaes alguns equipamentos de emprego militar como o Drone SARP nível 1 do Destacamento Precursor, o Míssil Superfície-Superfície Anti-Carro (MSS 1.2 AC) do 1º Esquadrão de Cavalaria Pára-quedista, e o Obuseiro 105mm Oto Melara, do 8º Grupo de Artilharia de Campanha Pára-quedista.

Texto: 2º Tenente Ferrentini / Fotos: Cabo Francilaine