Coreia do Sul vs Coreia do Norte

  • 196 Respostas
  • 40487 Visualizações
*

Lusitano89

  • Investigador
  • *****
  • 11060
  • Recebeu: 377 vez(es)
  • Enviou: 227 vez(es)
  • +62/-46
Re: Coreia do Sul vs Coreia do Norte
« Responder #75 em: Setembro 23, 2012, 01:07:56 pm »
Seul e Washington ampliam alcance de mísseis balísticos


A Coreia do Sul e os Estados Unidos preparam-se para aumentar o alcance dos mísseis balísticos de Seul até 800 quilómetros, o suficiente para abranger todo o território norte-coreano, informou hoje a agência Yonhap.

Atualmente o alcance dos mísseis balísticos da Coreia do Sul está limitado a 300 quilómetros e a sua carga útil a 500 quilos, segundo um acordo estabelecido entre Seul e Washington em 1979 e revisto em 2001.

"Foram firmados acordos na maioria dos assuntos", disse uma fonte diplomática citada pela agência sul-coreana. Outra fonte disse que as duas nações estavam apenas a "ultimar detalhes" do acordo para expandir o previamente acordado em 2001.

O novo limite deverá ser anunciado no próximo mês segundo acrescentou a Yonhap. O Governo de Seul não comentou a notícia avançada pela agência de notícias sul-coreana.

Seul tem pedido para aumentar a sua capacidade balística para ter maior alcance sobre a Coreia do Norte, mas os Estados Unidos têm-se mantido reticentes até agora, alegando que isso poderia fomentar uma escalada armamentista na região.

A Yonhap refere que o novo acordo permitiria ampliar o alcance até 800 quilómetros, mas que manteria o limite de carga útil nos 500 quilos. Os Estados Unidos são o principal aliado militar da Coreia do Sul, onde tem deslocados cerca de 28.000 soldados.

As duas Coreias continuam tecnicamente em guerra, uma vez que a Guerra da Coreia (1950-1953) terminou com um armistício e não com um Tratado de Paz.

Lusa
 

*

Lusitano89

  • Investigador
  • *****
  • 11060
  • Recebeu: 377 vez(es)
  • Enviou: 227 vez(es)
  • +62/-46
Re: Coreia do Sul vs Coreia do Norte
« Responder #76 em: Setembro 26, 2012, 09:52:36 pm »
Presidente sul-coreano apela ao reforço do exército


O presidente do Coreia do Sul, Lee Myung-bak, apelou hoje ao reforço do Exército para fazer face à ameaça de segurança por parte da Coreia do Norte, durante uma cerimónia do Dia das Forças Armadas, em Seul.

Num momento em que as tensões entre as duas Coreias têm vindo a aumentar desde 2010, o chefe de Estado sul-coreano constatou que "o ambiente de segurança (regional) está a mudar e que a instabilidade está a aumentar".

Com esta afirmação, Lee Myung-bak também aludiu indiretamente à crescente tensão com o Japão pelas ilhas Dokdo/Takeshima, disputadas por Seul e Tóquio.

"Estamos a assistir a uma escalada dos conflitos políticos e tensões militares (no noroeste da Ásia), devido às diferentes perceções da história e questões relacionadas com os territórios e os direitos de soberania", afirmou Lee Myung-bak.

Para superar estes desafios e salvaguardar a paz na península da Coreia e nordeste da Ásia, o exército sul-coreano "tem que atuar com um fundamento inquebrável da segurança", apontou.

Posto isto, defendeu Lee Myung-bak, a Coreia do Sul deve impulsionar uma reforma da defesa para que o exército seja mais ágil e eficiente.

O Dia das Forças Armadas celebra-se a 01 de outubro na Coreia do Sul, mas a cerimónia foi antecipada por ser feriado no país.

A Coreia do Norte e Coreia do Sul permanecem tecnicamente em guerra, desde que a Guerra da Coreia (1950-1953) terminou com um armistício nunca substituído por um acordo de paz definitivo.

Lusa
 

*

psaa

  • Membro
  • *
  • 129
  • Recebeu: 4 vez(es)
  • Enviou: 8 vez(es)
  • +0/-0
Re: Coreia do Sul vs Coreia do Norte
« Responder #77 em: Setembro 27, 2012, 09:34:53 pm »
A Coreia do Sul continua a preparar-se para tudo...  :shock:


Citar
South Korea Requests AH-64D APACHE Attack Helicopters

The Defense Security Cooperation Agency notified Congress September 21 of a possible Foreign Military Sale to the Government of Korea for 36 AH-64D APACHE Longbow Block III Attack Helicopters and associated equipment, parts, training and logistical support for an estimated cost of $3.6 billion.

The Republic of Korea has requested a possible sale of:

    36 AH-64 D Apache Longbow Block III Attack Helicopters
    84 T-700-GE-701D Engines (72 installed and 12 spares)
    42 Modernized Target Acquisition and Designation Sight/Modernized Pilot Night Vision Sensors
    36 AN/APG-78 Fire Control Radar (FCR) with Radar Electronics Unit (Longbow Component)
    36 AN/APR-48A Radar Frequency Interferometers
    42 AN/APR-39 Radar Signal Detecting Sets
    45 AN/AVR-2B Laser Warning Sets
    43 AAR-57(V) 3/5 Common Missile Warning Systems (CMWS) with 5th Sensor and Improved Countermeasure Dispensers
    42 AN/APX-123 Transponders
    120 Improved Helmet Display Sight Systems (IHDSS-21)
    81 Embedded Global Positioning Systems with Inertial Navigation
    38 30mm Automatic Chain Guns (Aircraft Component)
    90 AN/ARC-201E Single Channel Ground and Airborne Radio System (SINCGARS) Radios
    90 AN/ARC-231 Radios
    42 AN/ARC-220 Radios
    80 M299 Hellfire or Missile Launchers
    400 AGM-114R1 Hellfire Missiles Semi-Active Lasers (SAL)
    438 Stinger Block I 92H Missiles
    774,144 30 mm Cartridge HEDP High Explosive Dual Purpose M789s
    11,020 2.75 Inch HYDRA Rockets (Unguided)
    108 Apache Aviator Integrated Helmets (AAIH).

Also included are training devices, simulators, generators, transportation, wheeled vehicles and organizational equipment, tools and test equipment, communication equipment, spare and repair parts, support equipment, personnel training and training equipment, publications and technical documentation, U.S. Government and contractor engineering, technical and logistics support services, and other related elements of program support. The estimated cost is $3.6 billion.

The ROK is one of the major political and economic powers in East Asia and the Western Pacific and a key partner of the United States in ensuring peace and stability in that region. It is vital to the U.S. national interest to assist our Korean ally in developing and maintaining a strong and ready self-defense capability.

The ROK intends to use new attack helicopters to more effectively secure its borders and littoral waters, as well as conduct counter-terrorism/counter-piracy operations. The proposed sale will improve the Republic of Korea Army’s close air support, air interdiction, armed reconnaissance, strike coordination/reconnaissance, forward air control (airborne), and aerial escort capabilities while enhancing interoperability with U.S. forces. Korea will have no difficulty absorbing these helicopters into its armed forces.

The proposed sale of this equipment and support will not alter the basic military balance in the region.

The prime contractors will be The Boeing Company in Mesa, Arizona; Lockheed Martin Corporation in Orlando, Florida; General Electric Company in Cincinnati, Ohio; Lockheed Martin Millimeter Technology in Owego, New York; and Longbow Limited Liability Corporation in Orlando, Florida. There are no known offset agreements proposed in connection with this potential sale.

Implementation of this proposed sale may require the assignment of additional U.S. contractor and U.S. Government representatives in country full-time. Contractor Field Service Representatives will be in country for post-production support for an estimated three years with anticipation of a future follow on support contract or an additional Foreign Military Sales contract for support. Also, U.S. Government representatives will include a U.S. Army Aviation and Missile Life Cycle Management Command (AMCOM) field office for technical and logistical support for three years.

There will be no adverse impact on U.S. defense readiness as a result of this proposed sale.

This notice of a potential sale is required by law and does not mean the sale has been concluded.

Read more: http://www.defencetalk.com/south-korea- ... z27hixjncn

Citar
South Korea Requests AH-1Z Cobra Attack Helicopters

The Defense Security Cooperation Agency notified Congress September 21 of a possible Foreign Military Sale to the Government of Korea for 36 AH-1Z Cobra attack helicopters and associated equipment, parts, training and logistical support for an estimated cost of $2.6 billion.

The Government of the Republic of Korea has requested a possible sale of

    36 AH-1Z Cobra Attack Helicopters,
    84 T-700 GE 401C Engines (72 installed and 12 spares),
    288 AGM-114K3 Hellfire Missiles,
    72 AIM-9M-8 Sidewinder Missiles,
    integrated missile launchers,
    AN/AAQ-30 Target Sighting Systems (TSS) and AN/ALQ-136 Radar Frequency Jammers.

The electronic warfare systems include the AN/AAR-47 Missile Warning System, AN/ALQ-144 Infrared Jammer, APX-123 Identify Friend or Foe (IFF) Mode-4 and AN/ALE-47 Chaff and Flare Decoy Dispenser;

    communication and support equipment, spare engine containers spare and repair parts, tools and test equipment, technical data and publications, personnel training and training equipment, U.S. government and contractor engineering, technical and logistics support services, and other related elements of logistics and program support.

The estimated cost is $2.6 billion.

The Government of Korea is one of the major political and economic powers in East Asia and the Western Pacific and a key partner of the United States in ensuring peace and stability in that region. It is vital to the U.S. national interest to assist our Korean ally in developing and maintaining a strong and ready self-defense capability.

The proposed sale of the AH-1Z Cobra helicopters will improve South Korea’s capability to meet current and future threats. The sale of these AH-1Z helicopters will improve its close air support, air interdiction, armed reconnaissance, strike coordination/reconnaissance, forward air control (airborne), and aerial escort capabilities while enhancing interoperability with U.S. forces. Korea will have no difficulty absorbing these helicopters into its armed forces.

The proposed sale of this system and support will not alter the basic military balance in the region.

The prime contractors will be Bell-Textron Corporation in Amarillo, Texas, and General Electric in Lynn, Massachusetts. There are no known offset agreements proposed in connection with this potential sale.

Implementation of this proposed sale will require multiple trips to Korea involving U.S. Government or contractor representatives on a temporary basis for program and technical ort, and management oversight.

There will be no adverse impact on U.S. defense readiness as a result of this proposed sale.

This notice of a potential sale is required by law and does not mean the sale has been concluded.

Read more: http://www.defencetalk.com/south-korea- ... z27hjIxUcW
 

*

Lusitano89

  • Investigador
  • *****
  • 11060
  • Recebeu: 377 vez(es)
  • Enviou: 227 vez(es)
  • +62/-46
Re: Coreia do Sul vs Coreia do Norte
« Responder #78 em: Novembro 26, 2012, 04:12:34 pm »
Assassino pretendia usar «caneta do 007» para matar activista na Coreia do Sul


Além de ser um dos países mais fechados do mundo, a Coreia do Norte também usa de artifícios quase hollywoodescos para tentar assassinar dissidentes e críticos do regime pelo mundo. Uma reportagem do canal CNN revelou que um assassino norte-coreano foi preso com três armas aparentemente inofensivas, mas com tecnologia de 007.

O norte-coreano, identificado apenas como Ahn, tinha como missão matar o activista político Park Sang-hak, notório crítico do regime de Pyongyang. O assassino foi preso com uma caneta Parker que tinha uma agulha envenenada na ponta. Uma picada seria capaz de paralisar os músculos e, lentamente, matar a vítima por sufocamento.
 
Ahn também tinha outra caneta que quando accionada libertava uma bala também envenenada. A terceira arma do norte-coreano era uma lanterna que se transformava em revólver e estava carregada com três balas.
 
O norte-coreano estava a fingir ser também um activista e havia marcado um encontro com Sang-hak. Os serviços secretos sul-coreanos conseguiram impedir o encontro, que ocorreria no ano passado, e prendeu Ahn. O assassino foi condenado a quatro anos de prisão.
 
Sang-hak, que costuma enviar balões com propaganda anti-Pyongyang para a Coreia do Norte, recebeu reforço na sua segurança, pois sabe que é o «número um» na lista de inimigos do governo comunista norte-coreano.

Lusa
 

*

Lusitano89

  • Investigador
  • *****
  • 11060
  • Recebeu: 377 vez(es)
  • Enviou: 227 vez(es)
  • +62/-46
Re: Coreia do Sul vs Coreia do Norte
« Responder #79 em: Janeiro 03, 2013, 01:40:09 pm »
Coreia do Sul vai gastar mais este ano para melhorar laços com o Norte


A Coreia do Sul vai aumentar, este ano, o orçamento destinado ao fundo de cooperação inter-coreana, na expectativa de que o novo Governo melhore as deterioradas relações com o Norte, confirmou hoje fonte oficial à agência noticiosa Efe. O Conselho de Ministros sul-coreano deu hoje 'luz verde' aos orçamentos de 2013, aprovados, na terça-feira pelo Parlamento, os quais reservam ao fundo de cooperação 1,09 biliões de won (727,2 milhões de euros), mais 9,1 % do que a verba canalizada para o efeito em 2012.

O Ministério da Unificação, cujo orçamento geral também aumentou 4,4 % em termos anuais, informou ainda que o apoio estatal aos encontros de famílias separadas pela Guerra da Coreia (1950-53) e a ajuda humanitária crescem, por seu turno, 13 % para 735.700 milhões de won (524,5 milhões de euros).

Este montante inclui ainda a ajuda directa e indirecta para os reencontros familiares, o apoio a organizações privadas para o alargamento dos laços com a Coreia do Norte e o futuro envio de 400 mil toneladas de arroz e de 300 mil toneladas de fertilizantes para o país vizinho.

Além disso, o orçamento dedicado a prestar ajuda aos desertores do Norte - em 2012 foram cerca de 1.500 - vai subir de 123.900 milhões de won (88,3 milhões de euros) do ano passado para 134.100 milhões de won (95,6 milhões de euros) no corrente ano.

O aumento do fundo de cooperação intercoreana surge depois de a Presidente eleita da Coreia do Sul, Park Geun-hye, ter realçado a promessa de melhorar as relações com o regime de Kim Jong-un, gravemente deterioradas nos últimos anos o Governo do conservador Lee Myung-bak.

Uma das grandes promessas da campanha eleitoral de Park Geun-hye, que venceu o escrutínio de 19 de Dezembro e assumirá o cargo em Fevereiro, foi a de abrir novas vias de entendimento com a Coreia do Norte, tendo inclusivamente se mostrado disponível para se reunir com o "supremo líder" norte-coreano, se necessário.

O líder norte-coreano, Kim Jong-un, proferiu um inesperado discurso pelo Ano Novo, no qual expressou o seu desejo de melhorar os laços com o Sul.

As Coreias permanecem tecnicamente em guerra na sequência do conflito que terminou com um armistício que nunca foi substituído por um tratado de paz definitivo.

Lusa
 

*

Lusitano89

  • Investigador
  • *****
  • 11060
  • Recebeu: 377 vez(es)
  • Enviou: 227 vez(es)
  • +62/-46
Re: Coreia do Sul vs Coreia do Norte
« Responder #80 em: Março 05, 2013, 04:05:09 pm »
Coreia do Norte ameaça anular armistício assinado após a Guerra da Coreia


A Coreia do Norte ameaçou hoje anular o acordo de cessar-fogo que encerrou a Guerra da Coreia (1950-1953) e deu como motivo as acções lideradas pelos Estados Unidos para impor novas sanções da ONU, ao regime pelo seu recente teste nuclear. Numa nota da agência estatal de notícias KCNA, o exército norte-coreano ameaçou também cortar os laços com a Coreia do Sul na aldeia de Panmunjom, situada na zona fronteiriça entre os dois países e utilizada para manter encontros entre as duas partes.

Sem dar mais pormenores, o comando do exército alertou sobre possíveis «ataques cirúrgicos», com o objetcivo de unificar a península coreana.

O anúncio surge no momento em que a imprensa da Coreia do Sul e dos Estados Unidos indicam que o governo norte-americano e a China, tradicional aliada do regime de Pyongyang, terão aprovado um esboço de resolução com novas sanções contra o país, em retaliação pelos testes nucleares realizados no mês passado.

A 12 de Fevereiro, o regime norte-coreano realizou o seu terceiro teste nuclear subterrâneo, após os de 2006 e 2009, o que causou a reprovação da comunidade internacional e provavelmente levará à aplicação de novas sanções por parte do Conselho de Segurança da ONU, que se reúne hoje.

Os Estados Unidos temem que o último teste nuclear seja um passo mais em direcção ao desenvolvimento de um armamento nuclear que alcance os Estados Unidos.

A Coreia do Norte argumenta que os testes são uma resposta à crescente hostilidade dos EUA em relação ao país, e que datariam da Guerra da Coreia, que terminou num armistício e não num tratado de paz, o que tecnicamente mantém a península em guerra até aos dias de hoje.

O efectivo militar norte-americano na Coreia do Sul conta hoje com 28,5 mil soldados.

Lusa
 

*

Lusitano89

  • Investigador
  • *****
  • 11060
  • Recebeu: 377 vez(es)
  • Enviou: 227 vez(es)
  • +62/-46
Re: Coreia do Sul vs Coreia do Norte
« Responder #81 em: Março 07, 2013, 12:56:25 pm »
Apesar da tensão, há cada vez mais negócios entre as duas Coreias


O comércio entre a Coreia do Sul e a Coreia do Norte ascendeu a 1.980 milhões de dólares (1.524 milhões de euros) em 2012, mais 15 % do que no ano anterior, apesar da constante tensão, indicam dados hoje divulgados em Seul. De acordo com a Associação de Comércio Internacional da Coreia (KITA), as trocas comerciais entre as duas Coreias registaram uma importante subida durante o primeiro ano do regime liderado pelo jovem Kim Jong-un marcado, tal como no ano anterior, por uma deterioração das relações.

Contudo, o comércio entre as duas Coreias em 2012 representou apenas um terço do volume que a Coreia do Norte transaccionou com a China, o seu principal aliado, de acordo com dados da KITA.

No ano passado, o comércio bilateral entre a China e a Coreia do Norte cifrou-se em 5.930 milhões de dólares (4.562 milhões de euros), mais 5,4 % comparativamente a 2011.

Entre 2008 e 2012, o comércio entre a Coreia do Norte e a Coreia do Sul registou um aumento anual médio de 2,1 %, enquanto as transacções entre Pequim e Pyongyang cresceram a uma taxa de 20,8 % ao ano, segundo dados revelado pela entidade sul-coreana.

Grande parte das trocas comerciais entre as duas Coreias é produzida no complexo de Kaesong, situado em território norte-coreano, o qual funciona com capital privado do Sul e mão-de-obra do Norte.

O lento crescimento do comércio bilateral é atribuído à persistente tensão na região durante o mandato do ex-presidente sul-coreano Lee Myung-bak, iniciado em 2008 e que terminou há menos de um mês.

O conservador Lee Myung-bak reduziu ao mínimo as ações de cooperação, sobretudo desde 2010, altura em que a tensão se agravou ainda mais devido aos ataques contra o barco Cheonan, que Seul atribui a Pyongyang, e contra a ilha de Yeonpyeong, levado a cabo pelo regime norte-coreano, os quais causaram meia centena de mortos do lado sul-coreano.

Nos últimos anos de tensão com o Sul, a Coreia do Norte tem vindo a apostar no reforço das suas relações económicas com a China, numa tentativa de reactivar a sua economia, que sofre de um crónica crise desde os anos 90 e atingida pelas sanções internacionais impostos pelos ensaios de mísseis balísticos e nucleares do país.

Lusa
 

*

Lusitano89

  • Investigador
  • *****
  • 11060
  • Recebeu: 377 vez(es)
  • Enviou: 227 vez(es)
  • +62/-46
Re: Coreia do Sul vs Coreia do Norte
« Responder #82 em: Março 08, 2013, 05:42:13 pm »
Merkel preocupada com tensão na península de Coreia


A chanceler alemã, Angela Merkel, declarou hoje a "grande preocupação" de Berlim com o aumento da tensão na península da Coreia. A Coreia do Norte não vai "conseguir que o mundo se deixe afetar pelas ameaças de guerra", anunciou o porta-voz de Merkel, Steffen Seibert.

Seibert, que saudou a resposta "forte e unânime" do Conselho de Segurança, incluindo da China, aliada tradicional de Pyongyang, referiu a disponibilidade da comunidade internacional para o diálogo.

Por seu turno, o ministro alemão dos Negócios Estrangeiros, Guido Westerwelle, pediu hoje à União Europeia para, na segunda-feira, discutir a possibilidade de novas sanções contra a Coreia do Norte, além das votadas na quinta-feira pelo Conselho de Segurança da ONU.

"Devemos discutir a nossa contribuição para que a pressão sobre o regime (de Pyongyang) não abrande", disse Westerwelle numa conferência de imprensa.

O chefe da diplomacia alemã congratulou-se igualmente por a China ter "assumido a sua responsabilidade particular", ao votar favoravelmente as sanções da ONU, e pediu a Pequim para "fazer compreender claramente aos dirigentes de Pyongyang que foram longe demais com as suas novas ameaças e provocações".

Também a França condenou as ameaças proferidas pela Coreia do Norte e apelou a Pyongyang para dialogar com vista ao desmantelamento do seu programa nuclear.

"Condenamos as recentes ameaças proferidas pela Coreia do Norte e reiteramos o nosso apelo para se abster de qualquer gesto que possa aumentar a tensão" existente na região, disse o porta-voz do Ministério dos Negócios Estrangeiros, Philippe Lalliot.

A Coreia do Norte anunciou, algumas horas depois das novas sanções decretadas pelo Conselho de Segurança, que iria romper os acordos de não agressão com a Coreia do Sul e que cortaria o 'telefone vermelho' existente entre os dois países.

Na terça-feira, Pyongyang já havia ameaçado denunciar o armistício que pôs fim à guerra de 1953 e, prevendo a aprovação de novas sanções, um "ataque nuclear preventivo" contra os Estados Unidos.

Paris saudou igualmente a adoção, na quinta-feira, da resolução 2094 pelo Conselho de Segurança da ONU, condenando a Coreia do Norte pelo seu terceiro ensaio nuclear, realizado no passado dia 12 em violação das anteriores resoluções das Nações Unidas.

Lusa
 

*

mafets

  • Investigador
  • *****
  • 5446
  • Recebeu: 1090 vez(es)
  • Enviou: 600 vez(es)
  • +344/-136
Re: Coreia do Sul vs Coreia do Norte
« Responder #83 em: Março 09, 2013, 01:26:46 pm »
http://economico.sapo.pt/noticias/pyongyang-rompe-pacto-de-naoagressao-com-coreia-do-sul_164409.html

Citar
Anúncio de Pyongyang surge horas depois de Conselho de Segurança da ONU ter decidido aplicar novas sanções ao país.

A tensão está a subir de tom na península coreana. A Coreia do Norte anunciou hoje ter rompido todos os pactos de não-agressão e cortado o "telefone vermelho" entre Pyongyang e Seul.

Uma medida que serve de resposta ao facto de a ONU ter aplicado novas sanções ao país, depois dos testes com mísseis nucleares realizados em Fevereiro.

De acordo com o comunicado divulgado pela agência oficial KCNA, citado pela BBC, o regime liderado por Kim Jong-Un "revoga todos os pactos de não agressão entre Norte e Sul". A Coreia do Norte informa ainda que vai "cortar imediatamente o telefone vermelho".

O telefone vermelho é uma liha directa de emergência entre Pyongyang e Seul, que existe desde 1971, usada sobretudo em tempos de tensão e também para coordenar a utilização da zona desmilitarizada entre as duas coreias, nomeadamente no que toca à passagem de pessoas e mercadorias por essa zona.

O principal pacto de não-agressão entre Coreia do Norte e Coreia do Sul foi assinado em 1991, mas os dois países mantêm um clima de tensão constante desde então. Já no final de 2010, uma unidade de artilharia norte-coreana bombardeou a ilha de Yeonpyeong, na Coreia do Sul, fazendo quatro mortos.

E foi nessa mesma unidade de artilharia que Kim Jong-Un disse hoje ter o seu exército pronto para "a guerra total". As ameaças de Pyongyang estão a subir de tom, não só pelas sanções da ONU, mas também pelo facto de os Estados Unidos estarem a realizar manobras militares conjuntas com a Coreia do Sul.

A Coreia do Norte instou Washington e Seul a terminarem as manobras conjuntas, ameaçando romper o armísticio que pôs fim à guerra das duas coreias, em 1953. O ministério dos Negócios Estrangeiros de Pyongyang considerou, entretanto, "inevitável" uma segunda guerra entre o Norte e o Sul, ameaçando também os Estados Unidos com um "ataque nuclear preventivo".

Diario Económico

A concretização da ameaça.

Cumprimentos
"Nunca, no campo dos conflitos humanos, tantos deveram tanto a tão poucos." W.Churchil

http://mimilitary.blogspot.pt/
 

*

psaa

  • Membro
  • *
  • 129
  • Recebeu: 4 vez(es)
  • Enviou: 8 vez(es)
  • +0/-0
Re: Coreia do Sul vs Coreia do Norte
« Responder #84 em: Março 18, 2013, 08:33:48 pm »
Citar
Os Estados Unidos garantiram hoje à Coreia do Sul que o arsenal nuclear norte-americano e «todos os recursos» militares necessários estão ao serviço de Seul para defesa contra as ameaças da Coreia do Norte.

O secretário de Estado da Defesa adjunto, Ashton Carter, declarou hoje em Seul que os Estados Unidos estão «firmes no seu compromisso» de usar as suas armas nucleares como força de dissuasão contra as ameaças de ataque nuclear feitas por Pyongyang nos últimos dias.

«Poremos todos os recursos à disposição da nossa aliança», afirmou no fim de um encontro com o ministro da Defesa sul-coreano, Kim Kwan-Jin, citado pela agência sul-coreana Yonhap.

Em Washington, o Departamento de Defesa (Pentágono) anunciou que no passado dia 18 um bombardeiro estratégico norte-americano B-52 voou sobre a Coreia do Sul no âmbito do exercício militar conjunto «Foal Eagle».

Estes voos, considerados rotineiros pelos Estados Unidos, podem também ser realizados pelos mais modernos B1 ou B-2, com tecnologia que os torna praticamente invisíveis aos radares.

«Não é segredo que tentámos enviar um sinal muito forte (à Coreia do Norte) do nosso forte compromisso na aliança com a Coreia do Sul», afirmou o porta-voz do Pentágono, George Little.

Depois da ameaça norte-coreana de lançar um «ataque nuclear preventivo» contra os Estados Unidos, Washington anunciou na sexta-feira a sua intenção de reforçar a sua defesa antimíssil na costa oeste.

A tensão na península coreana agravou-se desde o lançamento em dezembro passado de um foguetão norte-coreano considerado pela Coreia do Sul como um míssil balístico e ainda mais com o terceiro teste nuclear de Pyongyang, em fevereiro, que levou o Conselho de Segurança das Nações Unidas a agravar as sanções contra a Coreia do Norte."

Diário Digital com Lusa

Cada vez mais preocupante!
Isto a juntar à tensão com o Irão, e com a guerra financeira que está a ocorrer debaixo do pano pela Europa...
 

*

Lightning

  • Moderador Global
  • *****
  • 7351
  • Recebeu: 605 vez(es)
  • Enviou: 745 vez(es)
  • +90/-30
Re: Coreia do Sul vs Coreia do Norte
« Responder #85 em: Março 23, 2013, 02:16:05 pm »
Como a Coreia do Norte acha que será a guerra.

 

*

HSMW

  • Moderador Global
  • *****
  • 8490
  • Recebeu: 757 vez(es)
  • Enviou: 1246 vez(es)
  • +73/-34
    • http://youtube.com/HSMW
Re: Coreia do Sul vs Coreia do Norte
« Responder #86 em: Março 29, 2013, 09:26:02 pm »



http://www.youtube.com/profile_videos?user=HSMW

"Tudo pela Nação, nada contra a Nação."
 

*

TOMSK

  • Investigador
  • *****
  • 1469
  • Recebeu: 3 vez(es)
  • Enviou: 1 vez(es)
  • +1/-0
Re: Coreia do Sul vs Coreia do Norte
« Responder #87 em: Março 30, 2013, 12:48:56 am »
Sendo sempre de lamentar uma guerra pelas consequências que ela acarreta, talvez, tomando em linha de pensamento aquela máxima do Churchill sobre alimentar um crocodilo, não seria talvez "mau" que esta monarquia de lunáticos comunas fosse eliminada de de vez, para que o povo da Coreia do Norte pudesse finalmente viver condignamente como os seus irmãos do Sul.
 

*

HSMW

  • Moderador Global
  • *****
  • 8490
  • Recebeu: 757 vez(es)
  • Enviou: 1246 vez(es)
  • +73/-34
    • http://youtube.com/HSMW
Re: Coreia do Sul vs Coreia do Norte
« Responder #88 em: Abril 06, 2013, 12:10:36 am »
Quanto a uma acção armada da Coreia do Sul, não aposto numa ofensiva terrestre mas antes numa operação aérea de destruição das instalações militares da Coreia do Norte, levando a uma total humilhação do regime e consequente instabilidade politica e militar que mais tarde levaria à sua queda.

Relembro que não interessa a nenhum país vizinho, absorver 22 milhões de analfabetos subnutridos.
http://www.youtube.com/profile_videos?user=HSMW

"Tudo pela Nação, nada contra a Nação."
 

*

psaa

  • Membro
  • *
  • 129
  • Recebeu: 4 vez(es)
  • Enviou: 8 vez(es)
  • +0/-0
Re: Coreia do Sul vs Coreia do Norte
« Responder #89 em: Abril 06, 2013, 07:08:53 pm »
Citação de: "HSMW"
Relembro que não interessa a nenhum país vizinho, absorver 22 milhões de analfabetos subnutridos.

Claro que interessa... 22 milhões de mão de obra super barata para monstros como Samsung, Hyundai, LG, KIA, Daewo, etc, etc... era ouro sobre azul!
 

 

Mediterrâneo Sul vs Mediterrâneo Norte

Iniciado por R65

Respostas: 10
Visualizações: 4422
Última mensagem Julho 20, 2012, 12:19:11 pm
por Luso
E.U.A. versus Coreia do Norte

Iniciado por dremanu

Respostas: 211
Visualizações: 56070
Última mensagem Maio 05, 2019, 09:59:23 am
por Lusitano89