Espaço

  • 1287 Respostas
  • 150582 Visualizações
*

BC304

  • Membro
  • *
  • 127
  • +0/-0
Re: Espaço
« Responder #15 em: Março 23, 2010, 12:10:49 pm »
Citar
Virgin Galactic Flies Passenger Spaceship and Mothership for First Time
The future of public space travel spread its wings for the first time Monday at the Mojave Air and Space Port in California as Virgin Galactic's inaugural SpaceShipTwo suborbital spaceship took to the skies attached to its enormous mothership.

After rolling down a desert runway, the WhiteKnightTwo (WK2) carrier plane went aloft for the first time while carrying SpaceShipTwo (SS2) – the craft designed to eventually propel two pilots and six passengers to the edge of space.

The carrier plane and suborbital spaceship were built for British billionaire Sir Richard Branson's Virgin Galactic spaceliner fleet.

According to observers at the site, the aircraft-spaceship combo flew for roughly three hours. Conditions at Mojave for the test flight were described as being a beautiful day with a slight breeze.

SpaceShipTwo is the prototype for the world's first commercial passenger spaceship, destined to take private astronauts into suborbital space and paving the way for space transportation.

Taking flight

The WK2/SS2 is a space launch system being built by the aerospace company Scaled Composites in Mojave. The company was founded in 1982 by aerospace designer, Burt Rutan, and also built the smaller SpaceShipOne suborbital craft that won the $10 million Ansari X Prize for reusable, manned suborbital spacecraft in 2004.

Over the years, Scaled has accumulated broad experience in air vehicle design, tooling and manufacturing, specialty composite structure design, analysis and fabrication, and developmental flight tests of air and space vehicles.

The first SS2 sports the name Virgin Space Ship (VSS) Enterprise. The debut WhiteKnightTwo mothership is named Eve after Branson's mother.

"This is a momentous day for the Scaled and Virgin Teams," Rutan said in a statement after today's successful captive carry flight. "The captive carry flight signifies the start of what we believe will be extremely exciting and successful spaceship flight test program."

Many test flights ahead

Today's maiden voyage of SpaceShipTwo is to be followed by a number of test hops of the vehicle, eventually leading to drop tests, followed by the craft firing its hybrid rocket motor.

In the future, WK2 will carry SS2 to above 50,000 feet (16 km) before the spaceship is dropped and fires its hybrid rocket motor to launch into space from that altitude.

SpaceShipTwo was publicly unveiled last December. Throughout the year, an extensive step-by-step test program is planned, leading up to tourism flights from Spaceport America in New Mexico.

"Seeing the finished spaceship in December was a major day for us but watching VSS Enterprise fly for the first time really brings home what beautiful, ground-breaking vehicles Burt and his team have developed for us," Branson said in a statement. "It comes as no surprise that the flight went so well; the Scaled team is uniquely qualified to bring this important and incredible dream to reality. Today was another major step along that road and a testament to US engineering and innovation."

Speaking last month at a suborbital research workshop held in Boulder, Colo., Stephen Attenborough, commercial director for Virgin Galactic made clear that safety is the watchword of the undertaking.

"You cannot cut corners. Safety has to come first," Attenborough said. "The project has taken longer. It's more expensive...probably more complex than we thought it would be initially. But it's going very well," he said.

Attenborough said that the hope is to conduct the first powered test of SpaceShipTwo by year's end. While hesitant to predict the start of commercial operations, he added that if everything went well, paying passengers could be flying to the edge of space by the end of 2011 or early 2012.

Enterprise and WK2 taking off from Mojave, CA


As duas naves já conhecidas são a VSS Enterprise e a VSS Voyager, ambos nomes foram inspirados no universo Star Trek.
 

*

sergio21699

  • Especialista
  • ****
  • 933
  • Recebeu: 1 vez(es)
  • +1/-0
Re: Espaço
« Responder #16 em: Março 23, 2010, 08:36:06 pm »
Agora em Português :D

Citar
Nave espacial turística da Virgin faz voo de teste. Veja as imagens
Deserto de Mojave, nos Estados Unidos serviu de palco ideal


A nave espacial «SpaceShipTwo» (SS2) realizou esta segunda-feira um primeiro voo de testes acoplado sob a asa da nave-mãe White Knight Two (WK2), e prepara-se para ser um marco da popularização do turismo espacial, tal como proposto pelo magnata britânico Richar Branson.

Este é o primeiro voo de ambas as naves (sem se soltarem) e foi realizado na base aérea do deserto de Mojave, 130 km a noroeste de Los Angeles, anunciou a Virgin Galactic, segundo a agência AFP.

A nave espacial da Virgin Galactic prevê transportar, a partir de 2011, turistas dispostos a pagar 200 mil dólares pela viagem.

O SS2 é uma nave branca com janelas circulares na fuselagem, inclusivamente no tecto (como é possível ver nesta galeria de fotos), que viajará suspensa sob as asas de uma nave-mãe chamada inicialmente de White Knight Two («Cavaleiro branco 2»).

Segundo Branson, a nave foi desenhada para voltar à Terra «como uma pena gigante», para evitar o aumento da temperatura, que faz com que o reingresso na atmosfera seja uma das etapas mais arriscadas das viagens espaciais.

a galeria de fotos tem muitas imagens da nave

http://www.tvi24.iol.pt/tecnologia/virgin-galactic-richard-branson-nave-espacial-tvi24/1149437-4069.html
-Meu General, estamos cercados...
-Óptimo! Isso quer dizer que podemos atacar em qualquer direcção!
 

*

Lusitano89

  • Investigador
  • *****
  • 11058
  • Recebeu: 376 vez(es)
  • Enviou: 227 vez(es)
  • +62/-46
Re: Espaço
« Responder #17 em: Março 24, 2010, 06:32:08 pm »
Simulação de missão a Marte deixa «astronautas» isolados




Uma tripulação de seis pessoas, incluindo dois cidadãos europeus, começará em breve uma missão simulada a Marte, em instalações que incluem uma nave interplanetária, um módulo marciano e até a paisagem do planeta vermelho. A experiência Mars500, que simula uma verdadeira viagem a Marte, é o derradeiro teste de resistência humana.

O objectivo da experiência é simular uma missão completa de ida e volta, com o maior rigor possível. A Mars500 será o primeiro projecto deste género, sendo conduzido a partir de instalações especiais em Moscovo, no próximo verão. Serão 250 dias para a viagem, 30 dias na superfície e 240 dias para o regresso, num total de 520 dias.

Os quatro candidatos – o belga Jerome Clevers, os franceses Arc'hanmael Gaillard e Romain Charles e o italo-colombiano Diego Urbina – foram apresentados, no Centro de Tecnologia da Agência Espacial Europeia (ESA), em Noordwijk, na Holanda. Dois deles irão participar na missão, juntamente com três russos e um participante chinês.

“Marte é o objectivo final do programa de exploração humana global”, disse Simonetta Di Pippo, directora dos voos tripulados da ESA, acrescentando que “além de desenvolver as infra-estruturas necessárias às missões de exploração, o Departamento de Voos Tripulados da ESA também mantém um programa baseado em terra, com análogos espaciais e ainda investigação na ISS, certificando-se desta forma de que os astronautas estão tão preparados quanto possível, a nível físico e mental, para missões de longa duração, desenvolvendo formas de combater os efeitos negativos".

520 dias de isolamento

O teste de 520 dias de isolamento é a última e a fase central da experiência Mars500, que começou em 2007. A primeira fase, em Novembro daquele ano foi uma simulação de 14 dias que serviu para testar, essencialmente, as instalações e os procedimentos operacionais. A segunda fase aconteceu em 2009, quando uma tripulação de quatro russos e dois europeus ficaram fechados nas instalações durante 105 dias, a 31 de Março.

A Mars500 está a ser liderada pelo Instituto Russo para os Problemas Biomédicos (IBMP), com larga participação da ESA, no âmbito do Programa Europeu para a Vida e Ciências Físicas (ELIPS) de forma a preparar futuras missões tripuladas à Lua e a Marte.

Durante a experiência, a tripulação ficará hermeticamente isolada num espaço confinado com consumos limitados e comunicações exclusivamente via Internet, interrompida ocasionalmente e com um atraso de 20 minutos, tal como numa missão real, devido à distância entre a nave e a Terra.

A equipa será ainda monitorizada e os seus parâmetros psicológicos, médicos e físicos serão medidos e gravados. Durante as operações, após 250 dias, a tripulação será dividida ao meio, três irão para o simulador da superfície marciana e os outros três permanecerão na ‘nave’.

Terão toda a comida necessária desde o início, pelo que terão de controlar o consumo dos alimentos. A dieta e as tarefas executadas (manutenção, experiências científicas e exercício físico) serão comparáveis às dos astronautas da ISS, mas por um período mais longo. Serão sete dias de trabalho, seguidos de dois dias de folga, excepto quando forem simuladas situações de emergência. Segundo a ESA, “esta missão pode não trazer a mesma emoção que um verdadeiro voo espacial, mas será igualmente dura”.

Ciência Hoje
 

*

Lusitano89

  • Investigador
  • *****
  • 11058
  • Recebeu: 376 vez(es)
  • Enviou: 227 vez(es)
  • +62/-46
Re: Espaço
« Responder #18 em: Abril 02, 2010, 01:33:50 am »
Realidade virtual vai dar ânimo aos astronautas do Mars500


No próximo mês de Maio vai ter início, em Moscovo, a simulação de 520 dias de uma viagem a Marte. O projecto «Mars500», que junta o Russian Institute for Biomedical Problems, a Agência Espacial Norte-americana – NASA e a Espacial Europeia – ESA, vai ser uma experiência para se perceber como o ser humano reage a tantos dias de viagem espacial.

Um dos programas inseridos no projecto é o EARTH - Emotional Activities Related to Health using Virtual Reality), desenvolvido por investigadores espanhóis (da LabHuman, Universidade Politécnica de Valência), que propõe a utilização da realidade virtual para regular as emoções e o stress dos astronautas.

O sistema EARTH inclui três módulos. Os dois primeiros pretendem melhorar os estados anímicos e as emoções positivas. O terceiro promove a regulação emocional e trabalha a reminiscência.

O primeiro módulo chama-se «O Parque do Bem-estar». Aqui são recriados virtualmente parques urbanos. Com a utilização de elementos como a música, narrativas, frases auto-referenciais, imagens, filmes e memórias autobiográficas, são induzidas aos astronautas sensações de alegria e descontracção.

«Bem-estar na Natureza» é o nome de segundo módulo que, através de duas paisagens naturais induz ao mesmo objectivo de relaxamento. Em cada uma das paisagens, o sistema ensina várias técnicas psicológicas que permitem a regulação emocional correcta, técnicas essas que podem ser posteriormente auto-aplicadas.

O terceiro módulo – «O Livro da Vida» – é um diário pessoal composto por exercícios em que são utilizados materiais autobiográficos de cada astronauta, como fotografias, música e vídeos. Através da recordação de momentos importantes e agradáveis da sua vida propostos em cada exercício, pretende-se que o astronauta se fortaleça psicologicamente.

Manter o ânimo e a força psicológica é essencial para quem vai passar mais de um ano isolado no espaço.

Ciência Hoje
 

*

Lusitano89

  • Investigador
  • *****
  • 11058
  • Recebeu: 376 vez(es)
  • Enviou: 227 vez(es)
  • +62/-46
Re: Espaço
« Responder #19 em: Abril 04, 2010, 05:54:28 pm »
Quatro mulheres astronautas juntam-se pela primeira vez no espaço


O vaivém Discovery parte segunda-feira em direção à Estação Espacial Internacional, onde estarão juntas quatro mulheres astronautas, o que acontece pela primeira vez na história aeroespacial.

A equipa do Discovery será composta por sete astronautas, incluindo três mulheres.

Na Estação Espacial Internacional (EEI) já se encontra uma astronauta, o que fará com que, pela primeira vez, se juntem quatro mulheres no espaço.

Segundo a NASA, das quatro astronautas, uma é japonesa e as restantes norte-americanas.

A tripulação vai passar 13 dias a bordo da EEI, com a missão de substituir um reservatório exterior da estação, que se encontra cheio.

A responsável pela meteorologia da NASA, Kathy Winters, indicou que as previsões do estado do tempo para segunda-feira são «muito favoráveis», apontando uma percentagem de apenas 20 por cento de probabilidade de que a meteorologia dificulte ou impeça o lançamento.

Trata-se da 33.ª missão de um vaivém dedicado à construção da EEI, quase concluída.

Este é ainda o último lançamento previsto do Discovery antes da retirada dos três vaivéns norte-americanos, que deverá ocorrer até ao fim do ano.

Lusa
 

*

Luso

  • Investigador
  • *****
  • 7498
  • Recebeu: 376 vez(es)
  • Enviou: 119 vez(es)
  • +120/-193
Re: Espaço
« Responder #20 em: Abril 05, 2010, 10:04:15 pm »
Muito interessante essa das mulheres no espaço. Imaginem elas a "pilotar" um foguete... :wink:
Uma obra "curiosa", como muitas outras do Arthur.


Ai de ti Lusitânia, que dominarás em todas as nações...
 

*

Lusitano89

  • Investigador
  • *****
  • 11058
  • Recebeu: 376 vez(es)
  • Enviou: 227 vez(es)
  • +62/-46
Re: Espaço
« Responder #21 em: Abril 06, 2010, 05:17:12 pm »
Arianespace lança sexta-feira o seu 1º satélite em 2010


O consórcio espacial europeu Arianespace colocará em órbita na próxima sexta-feira os satélites COMSATBw-2 e ASTRA 3B, o primeiro lançamento da empresa espacial em 2010, depois de atrasá-lo em duas ocasiões.
Uma «anomalia» detectada durante as operações de cronologia do voo foi a causa do segundo atraso no lançamento, que devia ter ocorrido a 26 de Março após um adiamento da data inicial, fixada para o fim de Fevereiro a bordo de um foguete Ariane 5.

A nova janela do lançamento, que ocorrerá a partir do centro espacial europeu de Kuru, na Guiana francesa, está prevista para a próxima sexta-feira, informou a Arianespace em comunicado.

O COMSATBw-2, baseado no Spacebus 3000B2, oferecerá «serviços-chave» para as forças armadas alemãs e fará parte de um sistema de telecomunicações por satélite para o Ministério de Defesa alemão, que poderá transmitir de forma segura dados, voz, comunicações de fax e informações de vídeo e multimédia.

Com duas toneladas e meia, o satélite terá uma vida útil de 15 anos, o mesmo que o ASTRA B, cujo peso será de cinco toneladas e meia.

Lusa
 

*

Magalhaes

  • 63
  • +0/-0
Re: Espaço
« Responder #22 em: Abril 06, 2010, 08:46:40 pm »
Citação de: "Luso"
Pessoalmente dedicaria muito mais atenção ao que a ESA anda a fazer pelos lados de Phobos. :wink:
Uma obra "curiosa", como muitas outras do Arthur.


Mais uma teoria da conspiração? Esta ainda não conhecia...
 

*

Lusitano89

  • Investigador
  • *****
  • 11058
  • Recebeu: 376 vez(es)
  • Enviou: 227 vez(es)
  • +62/-46
Re: Espaço
« Responder #23 em: Abril 06, 2010, 09:10:48 pm »
ESA tem CryoSat-2 a postos




Cumprindo os preparativos para o lançamento, no próximo dia 8 de Abril, o satélite da Agência Espacial Europeia (ESA), CryoSat-2, foi instalado hoje no foguete Dnepr, no Cosmódromo de Baikonur, no Cazaquistão. O ‘módulo da cabeça espacial’ foi transportado desde as instalações de integração até ao silo subterrâneo – que estão apenas separadas em sete quilómetros –, na manhã de 1 de Abril. O transporte especial, conhecido como ‘crocodilo’, necessitou de mais de uma hora para completar o trajecto.

O ‘crocodilo’ está equipado com um contentor especial, em posição vertical, que abre como uma mandíbula para permitir a entrada do módulo da cabeça espacial. Durante esta manobra, completada na passada semana, os membros da equipa da ESA e da indústria puderam avistar o satélite pela última vez, já que o acesso ao silo de lançamento está restringido ao pessoal do cosmódromo.

Feitos os testes eléctricos, para comprovar que tudo continua a funcionar após a manobra, o último grande passo, antes do lançamento, será o ensaio geral, programado para hoje. Esta simulação permitirá garantir que as sequências e os protocolos de comunicação entre a base de lançamento e o Centro Europeu de Operações Espaciais da ESA, na Alemanha, funcionam correctamente.

O lançamento do CryoSat-2 será a terceira missão do programa Earth Explorers (Exploradores da Terra) a alcançar a órbita terrestre em pouco mais de 12 meses. Seguirá os passos do Explorador do Campo Gravítico e da Circulação Oceânica (GOCE), lançado em Março de 2009, e da missão para o estudo da Humidade do Solo e da Salinidade dos Oceanos (SMOS), lançada em órbita no passado mês de Novembro.

Respostas à comunidade científica

Tal como todas as missões do programa, o CryoSat foi desenhado para encontrar respostas às grandes perguntas da comunidade científica internacional – neste caso, estudar de que forma se estão a alterar as grandes massas de gelo do nosso planeta.

Durante alguns anos, satélites como o Envisat monitorizaram a extensão das massas de gelo que cobrem as regiões polares da Terra. No entanto, para poder compreender o efeito das alterações climáticas nestas regiões tão sensíveis, é necessário poder determinar também a variação na espessura do gelo.

Como resposta a esta necessidade urgente, o Cryosat tornou-se na primeira missão europeia desenhada exclusivamente para monitorizar o estado do gelo no planeta. As avançadas técnicas de observação permitirão realizar medições precisas de qualquer variação na espessura do gelo que flutua nos oceanos e das grandes capas de gelo que cobrem a Antártida e a Gronelândia. Estes dados, esperados pela a comunidade científica, permitirão compreender melhor a interacção entre o gelo e as alterações climáticas.


Ciência Hoje
 

*

BC304

  • Membro
  • *
  • 127
  • +0/-0
Re: Espaço
« Responder #24 em: Abril 07, 2010, 02:59:39 pm »
Citação de: "Luso"
Pessoalmente dedicaria muito mais atenção ao que a ESA anda a fazer pelos lados de Phobos. :wink:
Uma obra "curiosa", como muitas outras do Arthur.




Esqueceste as restantes obras desta saga:


 

*

nelson38899

  • Investigador
  • *****
  • 4157
  • Recebeu: 263 vez(es)
  • Enviou: 259 vez(es)
  • +54/-9
Re: Espaço
« Responder #25 em: Abril 08, 2010, 04:57:50 pm »
Citar
As Solar Impulse's first main partner, Solvay announced that Solar Impulse's prototype airplane has performed its first flight in Switzerland. It is the first time in history a manned and exclusively solar-powered airplane has been able to fly over one hour. This is a new breakthrough towards the first non-stop 36 hours flight exclusively on solar power, planned later this year.

Besides being the first main partner of this exciting project, Solvay is also aboard the Solar Impulse with 11 products, contributing to 25 different applications and more than 6,000 parts, mainly in the 3 main applications of energy system, structure and weight reduction.

Solvay's specialty polymers were instrumental in improving the energy system of the plane. Solef® and F1EC by realizing energy savings and increasing energy density of the Lithium ion batteries and Halar® as ultra-resistant protection film for the ultra thin photovoltaic cells. Solvay high-performance polymers such as Torlon® PAI, KetaSpire® PEEK or PrimoSpire® SRP are used in various applications and devices such as ball bearings, bolts and screws, washers, shafts, hinges, spacers and other mechanical pieces.

PVC produced by Solvay's affiliate SolVin is equally used in the moveable and inflatable Solar Impulse shelter which is designed to cover and protect the prototype airplane on the ground. This polymer makes the water ballast tanks, which keep the lightweight hangar firmly fixed on the ground, watertight.

Solvay also supplied testing services, consultation and performed the non-linear stress simulations of the polymer assemblies. The results of these simulations were later validated during the stress test of the assemblies. "This is a historical achievement. This successful flight demonstrates that Solvay's innovative materials and solutions play an essential role in technological and human progress. My congratulations to the Solar Impulse and Solvay teams that helped bring this remarkable accomplishment to life", says Christian Jourquin, Solvay's Chief Executive Officer.
"Que todo o mundo seja «Portugal», isto é, que no mundo toda a gente se comporte como têm comportado os portugueses na história"
Agostinho da Silva
 

*

Lusitano89

  • Investigador
  • *****
  • 11058
  • Recebeu: 376 vez(es)
  • Enviou: 227 vez(es)
  • +62/-46
Re: Espaço
« Responder #26 em: Abril 09, 2010, 12:00:25 pm »
ESA revela que planeta Vénus está geologicamente activo




A missão espacial europeia Venus Express revelou que o planeta Vénus está geologicamente ativo ao identificar correntes de lava relativamente recentes, pela forma como emitem radiação infravermelha, anunciou a Agência Espacial Europeia (ESA).

Desde há muito que os investigadores consideram que existem poucas crateras vulcânicas na superfície de Vénus e admitem a hipótese de tal se dever à existência de actividade vulcânica.

Porém, a questão que se levanta aqui é se existe uma atividade vulcânica intensa, que afeta toda a superfície do planeta, ou um actividade mais ligeira e gradual.

Os resultados agora obtidos indicam que a resposta pode ser a segunda hipótese.

«Agora temos uma evidência forte de que há atividade vulcânica à superfície», afirmou Sue Smrekar, uma cientista do Laboratório de Propulsão a Jacto da Agência Espacial norte-americana (NASA) citada pela ESA, num comunicado divulgado online na quinta feira.

Esta evidência resulta da existência de diferenças de composição de várias áreas da superfície do planeta, em três regiões vulcânicas do mesmo.

Os dados foram coligidos pelo espectómetro térmico VIRTIS da sonda Venus Express, que tem estado a orbitar Vénus desde abril de 2006.

O VIRTIS grava o brilho da superfície das rochas e fornece uma estimativa de intensidade de emissão.

Sue Smrekar e a sua equipa identificaram três regiões do planeta que se assemelham ao Havai, bem conhecido pela sua atividade vulcânica e demonstraram que estas regiões de Vénus têm uma intensidade de emissão mais elevada do que as regiões em torno, o que indica composições diferentes.

Na Terra, a lava reage rapidamente com o oxigénio e outros elementos da atmosfera, alterando a sua composição. Em Vénus, o processo aparenta ser similar, mas mais intenso devido à atmosfera mais quente e densa do planeta, essencialmente constituída por dióxido de carbono.

Os investigadores consideram que as diferentes composições das correntes de lava encontradas é uma evidência de pouca erosão da superfície, o que indica que são de constituição recente, com não mais de 2,5 milhões de anos, ou muito menos e ainda eventualmente ativas.

«Este é um resultado significativo», sublinhou Hakan Syedhem, cientista do projeto da ESA Venus Express.

«Há alguns modelos intrigantes da forma como Vénus se pode cobrir, num curto período, com quilómetros de lava, mas isto exige que o seu interior se comporte de uma forma diferente do da Terra. Se o vulcanismo é mais gradual, isto implica que o interior do planeta pode ser mais parecido com o da Terra, sem o movimento das placas tectónicas», acrescentou Sue Smrekar.

Lusa
 

*

Lusitano89

  • Investigador
  • *****
  • 11058
  • Recebeu: 376 vez(es)
  • Enviou: 227 vez(es)
  • +62/-46
Re: Espaço
« Responder #27 em: Abril 11, 2010, 05:40:07 pm »
Portugal na "noite do Yuri"




Pela mão da Rádio Zero e do Instituto Superior Técnico (IST), Portugal junta-se pela primeira vez às celebrações mundiais da Yuri's Night – a decorrer amanhã –, uma acção que teve início em 2001, com vista a celebrar o épico voo de Yuri Gagarine, o primeiro humano no espaço, em 1961, assim como o primeiro voo do Space Shutle, 20 anos depois.

A partir do bar da Associação de Estudantes, no IST, irá decorrer uma emissão espacial, que reúne música, programas documentário e conversas com convidados especiais sobre o passado, o presente e o futuro da Humanidade no Espaço.

Os momentos musicais estarão a cargo do holandês Jan Turkenburg, do brasileiro João Ricardo e dos portugueses Luís Antero, Pedro Lopes & Mush Von Namek, Pedro Lopes & Manuela São Simão. Irá ainda decorrer pelas 16h uma conversa sobre o espaço que contará com a participação de Mário Lino, Orfeu Bertolami, Paulo Gil e Alexandre Martins do IST e pelas 18h um debate acerca do futuro dos engenharias Aeroespaciais com os membros da Associação Portuguesa de Aeronáutica e Espaço.

Pelas 22h30 «Orphelia e os Cosmonautas» fazem as honras da casa num grande concerto, uma peça especialmente composta para celebrar a fantástica aventura da Humanidade no Espaço.

Ciência Hoje
 

*

ShadIntel

  • Investigador
  • *****
  • 1510
  • +0/-0
Re: Espaço
« Responder #28 em: Abril 11, 2010, 05:54:41 pm »
Citação de: "Lusitano89"
com a participação de Mário Lino
Ena, quase me engasguei quando li o nome.
Ainda bem que já verifiquei que esse senhor não tem nada a ver com o Mário dos camelos.  :mrgreen:
 

*

Lusitano89

  • Investigador
  • *****
  • 11058
  • Recebeu: 376 vez(es)
  • Enviou: 227 vez(es)
  • +62/-46
Re: Espaço
« Responder #29 em: Abril 14, 2010, 05:52:03 pm »
Barack Obama quer enviar norte-americanos a Marte e cancela regresso à Lua


A Casa Branca publicou ontem no seu site de Internet as grandes linhas da nova visão espacial mais ambiciosa que o presidente Barack Obama vai apresentar amanhã e cujo objectivo final é enviar norte-americanos a Marte.

O presidente responde assim às críticas do Congresso e mesmo da NASA, suscitadas pelo anúncio surpresa de Fevereiro em que comunicou a sua decisão de anular o programa Constelação, de regresso dos norte-americanos à Lua até 2020, para além de voos habitados a Marte, sem oferecer uma alternativa clara.

Obama vai visitar o Centro Espacial Kennedy, perto de Cabo Canaveral, Florida, para apresentar a sua nova visão da exploração espacial habitada.

Segundo a ficha de três páginas publicada no site da presidência, Obama vai propor consagrar mais seis mil milhões de dólares ao orçamento da NASA num prazo de cinco anos para financiar esta “vasta estratégia de voos espaciais habitados” e criar 2 500 novos empregos na Florida até 2012.

O fim do programa dos vaivéns em 2010 vai provocar nove mil despedimentos no Centro Espacial Kennedy, ou seja quase 60 por cento dos efectivos actuais.

Obama vai também reestruturar o programa Constelação para que a NASA possa desenvolver uma nova cápsula Orion, mais pequena do que a inicialmente prevista.

Será lançada por foguetões comerciais para a Estação Espacial Internacional, onde será ancorada para servir de veículo de socorro no caso de urgência.

“O presidente vai detalhar os objectivos e estratégias desta nova visão para a NASA, incluindo destinos no espaço que correspondentes às capacidades (tecnológicas) crescentes até podemos atingir Marte”, precisou a Casa Branca.

Ciência Hoje
 

 

Astrónomos captam sinal alienígena do espaço

Iniciado por Ricardo Nunes

Respostas: 2
Visualizações: 1599
Última mensagem Setembro 18, 2004, 11:44:45 am
por Luso