Espaço

  • 1283 Respostas
  • 148584 Visualizações
*

Lusitano89

  • Investigador
  • *****
  • 11002
  • Recebeu: 373 vez(es)
  • Enviou: 227 vez(es)
  • +62/-45
Re: Espaço
« Responder #1230 em: Abril 13, 2019, 10:21:14 am »
 

*

Cabeça de Martelo

  • Investigador
  • *****
  • 14890
  • Recebeu: 946 vez(es)
  • Enviou: 911 vez(es)
  • +146/-148
Re: Espaço
« Responder #1231 em: Abril 13, 2019, 02:19:30 pm »
Falcon Heavy Launch and Landing - Nikon P1000

7. Todos os animais são iguais mas alguns são mais iguais que os outros.

 

*

Cabeça de Martelo

  • Investigador
  • *****
  • 14890
  • Recebeu: 946 vez(es)
  • Enviou: 911 vez(es)
  • +146/-148
Re: Espaço
« Responder #1232 em: Abril 13, 2019, 06:08:20 pm »
7. Todos os animais são iguais mas alguns são mais iguais que os outros.

 

*

Cabeça de Martelo

  • Investigador
  • *****
  • 14890
  • Recebeu: 946 vez(es)
  • Enviou: 911 vez(es)
  • +146/-148
Re: Espaço
« Responder #1233 em: Abril 13, 2019, 06:08:32 pm »
7. Todos os animais são iguais mas alguns são mais iguais que os outros.

 

*

Viajante

  • Investigador
  • *****
  • 1307
  • Recebeu: 367 vez(es)
  • Enviou: 182 vez(es)
  • +110/-13
Re: Espaço
« Responder #1234 em: Abril 14, 2019, 08:48:01 pm »
O maior avião do mundo voa pela primeira vez e bate recorde (vídeo)

Levantou voo neste sábado passado o maior avião do mundo em envergadura. Desta feita, o Stratolaunch, como foi batizado, descolou na Califórnia e sobrevoou o deserto de Mojave. Este fantástico avião tem 117 metros de uma ponta da asa à outra, é maior que um campo de futebol.

Foi um primeiro voo de teste crítico para a aeronave, projetada para lançar foguetes em órbita do ar. O voo inaugural durou 150 minutos, segundo a empresa, após o qual o avião aterrou com segurança.



Stratolaunch arrecada recorde do mundo

O avião foi desenvolvido pela empresa com o mesmo nome e quebra um recorde de 71 anos. Anteriormente, este recorde pertencia ao hidroavião Hughes H-4 Hercules. Este possuía 98 metros de envergadura, e voou pela primeira vez em 1947.

O Stratolaunch possui um comprimento de 73 metros, do nariz à cauda.






O avião foi construído com pormenores nunca testados. Assim, como exemplo temos a fuselagem que é dupla projetada para voar a uma altitude de 35.000 pés. A esta altitude poderá lançar foguetes para serem colocados na órbita do planeta.

Ontem o voo não incluiu qualquer foguete. Contudo, a empresa já assinou pelo menos com um cliente, a Northrop Grumman, que planeia usar o Stratolaunch para enviar os seus foguetes Pegasus XL para o espaço.

    Foi um momento emocionante para mim, pessoalmente, ver este majestoso pássaro fugir.

Comentou Jean Floyd, CEO da Stratolaunch.

O aparelho consiste em duas máquinas gémeas, sustentadas por seis motores Boeing 747. Neste teste, a aeronave voou durante duas horas e meia sobre o deserto, atingindo velocidades de 282 km/h e a uma altitude de 4.572 metros.

Not a valid vimeo URL
O piloto, Evan Thomas, disse a jornalistas que a experiência foi “fantástica” e que “na maior parte do tempo, o avião voou como previsto”.

    O voo em si foi suave, o que é exatamente o que se quer que o primeiro voo seja. Voou muito como havíamos simulado e como prevíamos.

Disse o piloto de testes Evan Thomas.

Durante a primeira fase do voo, a Stratolaunch testou as qualidades de manobra do avião. De acordo com a empresa Stratolaunch, os sistemas do avião “funcionavam como um relógio” e que a aeronave pousou “na marca” depois de algumas passagens baixas.



Morte de Paul Allen pode ter trazido uma mudança de planos

O voo de ontem acontece apenas três meses depois de a Stratolaunch demitir “mais de 50” funcionários e ter cancelado os esforços para desenvolver os seus próprios foguetes. Originalmente, a empresa planeava construir um conjunto completo de foguetes, incluindo um avião espacial.

Contudo, a morte do co-fundador da Microsoft, Paul Allen, que iniciou a Stratolaunch em 2011, terá mudado os planos.

https://pplware.sapo.pt/motores/o-maior-aviao-do-mundo-voa-pela-primeira-vez-video/







https://rr.sapo.pt/el/147982/construido-para-lancar-foguetes-maior-aviao-do-mundo-levanta-voo-pela-primeira-vez
 
Os seguintes utilizadores agradeceram esta mensagem: HSMW

*

HSMW

  • Moderador Global
  • *****
  • 8469
  • Recebeu: 752 vez(es)
  • Enviou: 1233 vez(es)
  • +68/-34
    • http://youtube.com/HSMW
Re: Espaço
« Responder #1235 em: Abril 15, 2019, 10:49:26 pm »

HASSELL + EOC presents MARS HABITAT
Gosto deste conceito para as primeiras instalações humanas em Marte.
« Última modificação: Abril 15, 2019, 10:49:48 pm por HSMW »
http://www.youtube.com/profile_videos?user=HSMW

"Tudo pela Nação, nada contra a Nação."
 

*

Cabeça de Martelo

  • Investigador
  • *****
  • 14890
  • Recebeu: 946 vez(es)
  • Enviou: 911 vez(es)
  • +146/-148
Re: Espaço
« Responder #1236 em: Abril 17, 2019, 10:19:21 am »
7. Todos os animais são iguais mas alguns são mais iguais que os outros.

 

*

HSMW

  • Moderador Global
  • *****
  • 8469
  • Recebeu: 752 vez(es)
  • Enviou: 1233 vez(es)
  • +68/-34
    • http://youtube.com/HSMW
Re: Espaço
« Responder #1237 em: Abril 17, 2019, 10:38:27 pm »
« Última modificação: Abril 17, 2019, 10:48:25 pm por HSMW »
http://www.youtube.com/profile_videos?user=HSMW

"Tudo pela Nação, nada contra a Nação."
 

*

Lusitano89

  • Investigador
  • *****
  • 11002
  • Recebeu: 373 vez(es)
  • Enviou: 227 vez(es)
  • +62/-45
Re: Espaço
« Responder #1238 em: Abril 20, 2019, 10:56:54 pm »
 

*

Viajante

  • Investigador
  • *****
  • 1307
  • Recebeu: 367 vez(es)
  • Enviou: 182 vez(es)
  • +110/-13
Re: Espaço
« Responder #1239 em: Abril 22, 2019, 02:44:21 pm »
Cápsula da SpaceX para a NASA explode durante teste de segurança (vídeo)

A SpaceX, que desenvolve sistemas aeroespaciais e serviços de transporte espacial, está a projectar e a testar uma nova nave. A fim de colocar astronautas da NASA em órbita, a tarefa de garantir o transporte está na mão da empresa americana. Nesse sentido, no passado sábado, a empresa levou a cabo um teste de segurança à cápsula. Tal como podemos ver nas imagens, tudo correu mal.

Neste domingo, um vídeo não verificado no Twitter alegou mostrar a cápsula espacial a explodir durante o teste.



Teste mostra falha catastrófica que explode cápsula de transporte para humanos

A SpaceX elaborou um teste de incêndio estático do sistema de aborto de emergência na cápsula espacial Crew Dragon. Este veículo será usado pelo programa da tripulação comercial da NASA para transportar astronautas para a Estação Espacial Internacional.

Contudo, nem tudo não saiu como planeado, como refere em declaração a SpaceX:
    Hoje, a SpaceX conduziu uma série de testes de motores num veículo de teste Crew Dragon na nossa plataforma de testes na Landing Zone 1 no Cabo Canaveral, Florida. Os testes iniciais foram concluídos com sucesso, mas o teste final resultou numa anomalia na plataforma de testes.

    Garantir que os nossos sistemas atendam a rigorosos padrões de segurança e detectar anomalias como esta antes do voo são as principais razões pelas quais testamos. As nossas equipas estão a investigar e a trabalhar de perto com os nossos parceiros da NASA.


De acordo com o Spaceflight Now, o teste “enviou uma flâmula laranja-avermelhada ao céu visível em quilómetros de distância”. Eventualmente, o comportamento, poderá sugerir mau funcionamento bastante grave dos sistemas do motor.

No domingo, um vídeo não verificado circulou no Twitter alegando mostrar os resultados desse teste. O vídeo parece mostrar uma grande explosão na cápsula:
https://t.co/4DwTTjw9MN

Quando questionada sobre o vídeo, a SpaceX simplesmente apontou para a declaração sobre o teste de sábado.

SpaceX – Sucessos e insucessos nos testes da cápsula Crew Dragon

O teste de sábado seguiu-se a um teste bem-sucedido de uma cápsula Crew Dragon não tripulada no começo de Março.

Conforme foi veiculado, o veículo, que carregava um boneco de tamanho humano apelidado de “Ripley” e um brinquedo de peluche em forma de globo, atracou com sucesso na Estação Espacial Internacional e regressou, também com sucesso, à plataforma localizada no Oceano Atlântico. Desta forma, após a sua missão de seis dias, a manobra tornou-se num marco significativo no desenvolvimento de novas naves espaciais para transportar humanos.

https://pplware.sapo.pt/ciencia/nave-spacex-nasa-explode-teste-seguranca/
 

*

Lusitano89

  • Investigador
  • *****
  • 11002
  • Recebeu: 373 vez(es)
  • Enviou: 227 vez(es)
  • +62/-45
Re: Espaço
« Responder #1240 em: Abril 24, 2019, 01:52:35 pm »
Sonda InSight terá detetado "martemoto"



 

*

Cabeça de Martelo

  • Investigador
  • *****
  • 14890
  • Recebeu: 946 vez(es)
  • Enviou: 911 vez(es)
  • +146/-148
Re: Espaço
« Responder #1241 em: Abril 27, 2019, 05:21:11 pm »
China vai lançar satélite português “Infante” em 2021

A China vai lançar para o espaço o satélite português “Infante”, com data prevista para 2021, no quadro da sua participação no laboratório tecnológico STARlab, uma parceria luso-chinesa, avançou este sábado um dos parceiros.

Em declarações à agência Lusa, o presidente da empresa aeroespacial portuguesa Tekever, Ricardo Mendes, adiantou que o envolvimento da China no satélite “Infante” passa pelo seu lançamento e pelo desenvolvimento de alguns sensores.

A colaboração da China na construção e no lançamento do satélite de observação da Terra, “totalmente português”, é feita ao abrigo do STARlab, que resulta de uma parceria entre entidades públicas e privadas portuguesas e chinesas.

A Tekever é um dos parceiros e lidera o consórcio de empresas e universidades responsável pelo desenvolvimento do satélite “Infante”, que irá recolher dados marítimos e da superfície terrestre.

Ricardo Mendes espera que o “Infante”, que tem um custo de cerca de 10 milhões de euros, cofinanciado por fundos europeus, possa ser a antecâmara para o fabrico de novos satélites em Portugal.

Em outubro, o Instituto de Soldadura e Qualidade (ISQ), que faz parte do consórcio de construção do satélite, anunciou que o “Infante” será o precursor de outros satélites a lançar até 2025 para observação da Terra e comunicações, com foco em aplicações marítimas.

Direcionado para a produção de pequenos satélites e a observação dos oceanos, o STARlab está em fase de instalação em Portugal.

Para breve, disse o presidente da Tekever, sem precisar prazos, está a criação de um polo de investigação em Matosinhos, no CEiiA – Centro de Engenharia e Desenvolvimento de Produto, outro dos parceiros portugueses e que tem projetos na área da vigilância marítima e exploração do mar profundo.

O anunciado polo de Peniche do laboratório transitou para as Caldas da Rainha, onde a Tekever tem instalações, adiantou Ricardo Mendes, acrescentando que o STARlab será constituído como uma associação sem fins lucrativos, entre os parceiros públicos chineses e os privados portugueses.

Em novembro, em declarações à Lusa, o ministro da Ciência, Tecnologia e do Ensino Superior, Manuel Heitor, afirmou que o STARlab estaria a funcionar em pleno em março deste ano e teria dois polos em Portugal, um em Matosinhos e outro em Peniche.

Para Ricardo Mendes, o que tem demorado mais tempo é a harmonização entre a legislação portuguesa e a chinesa para formalizar a constituição do laboratório.

O STARlab vai candidatar-se a fontes de financiamento nacional, comunitário e chinês, estimando investir, em cinco anos, 50 milhões de euros, montante repartido em partes iguais entre Portugal e China, país que tem crescido no setor da construção e do lançamento de microssatélites.

O laboratório luso-chinês está também envolvido em projetos de robótica subaquática (veículos e sensores) e na produção e no lançamento de uma constelação de pequenos satélites para validar “tecnologias de posicionamento” de satélites no espaço.

O STARlab resulta da colaboração entre a Fundação para a Ciência e Tecnologia, a Tekever, o CEiiA – Centro de Engenharia e Desenvolvimento de Produto, do lado português, e a Academia de Ciências Chinesa, através dos institutos de microssatélites e de oceanografia.

De acordo com o Ministério da Ciência, Tecnologia e do Ensino Superior, o laboratório deverá incentivar a abertura de centros científicos e tecnológicos em Portugal e na China, neste caso em Xangai.

https://jornaleconomico.sapo.pt/noticias/china-vai-lancar-satelite-portugues-infante-em-2021-438195
7. Todos os animais são iguais mas alguns são mais iguais que os outros.

 

*

Lusitano89

  • Investigador
  • *****
  • 11002
  • Recebeu: 373 vez(es)
  • Enviou: 227 vez(es)
  • +62/-45
Re: Espaço
« Responder #1242 em: Maio 04, 2019, 06:45:09 pm »
 

*

Lusitano89

  • Investigador
  • *****
  • 11002
  • Recebeu: 373 vez(es)
  • Enviou: 227 vez(es)
  • +62/-45
Re: Espaço
« Responder #1243 em: Maio 05, 2019, 01:35:57 pm »
Lisboa assinala centenário de observação de eclipse solar que validou Teoria da Relatividade de Einstein




O centenário das observações do eclipse total do Sol que validaram experimentalmente, pela primeira vez, a Teoria da Relatividade Geral de Einstein vai ser assinalado este mês com várias iniciativas em Lisboa, que apoiou logisticamente uma das expedições científicas.

A Teoria da Relatividade Geral, do físico Albert Einstein, foi confirmada com a observação do eclipse total do Sol de 29 de maio de 1919 em duas expedições científicas, uma no Sobral, no Brasil, e outra na roça Sundy, na ilha do Príncipe, em São Tomé e Príncipe, à época uma colónia portuguesa.

A expedição do Príncipe, liderada pelo astrónomo britânico Arthur Eddington, diretor do Observatório de Cambridge, teve o apoio logístico do Observatório Astronómico de Lisboa (OAL).

Em Lisboa, o acontecimento, que permitiu validar o encurvamento gravitacional da luz tal como previsto na teoria einsteiniana, será evocado numa exposição no Museu de História Natural e da Ciência, em palestras no OAL e na Sociedade de Geografia e numa edição filatélica.

A exposição, a inaugurar em 16 de maio, terá painéis informativos sobre Einstein e Eddington, os caçadores de eclipses, as duas viagens científicas e a resposta de Lisboa à expedição ao Príncipe e à Teoria da Relatividade Geral, publicada em 1915.

A mostra pretende, segundo a comissária científica, Ana Isabel Simões, historiadora das ciências, "contar uma história que é muito mais completa e global".

Entre os objetos expostos até 08 de setembro no museu vão estar um telescópio da época, as chapas fotográficas obtidas da protuberância solar na ilha do Príncipe, o livro de visitas do OAL assinado pelos astrónomos que conduziram as expedições científicas ao Sobral e à roça Sundy e correspondência trocada com o observatório astronómico português.

A Sociedade Portuguesa de Física vai dedicar o número de maio da sua revista, a Gazeta de Física, ao eclipse solar total de 1919.

As comemorações do centenário das observações vão estender-se em Lisboa até 06 de novembro, data em que será lançado um livro de banda-desenhada com textos de Ana Isabel Simões e ilustrações de Ana Matilde Sousa.

Foi neste dia, em 1919, que os astrónomos britânicos que chefiaram as expedições ao Brasil e à ilha do Príncipe apresentaram os resultados das observações do eclipse total do Sol à Royal Society of London e Royal Astronomical Society, em Inglaterra.

Para Ana Isabel Simões, que está a escrever um livro sobre o eclipse total do Sol de 1919 e as suas implicações em Portugal, Brasil, Reino Unido, Einstein e Eddington, a observação astronómica feita pelos britânicos foi "um acontecimento extremamente improvável", devido às circunstâncias da época, e "fruto de coincidências".

Eddington era um pacifista tal como Einstein, mas, sendo britânico, preparou uma expedição científica a uma região remota para comprovar uma teoria de um físico de origem alemã quando ainda decorria uma guerra que opunha a Alemanha à Inglaterra (I Guerra Mundial, que terminou em 1918).

Segundo a vice-coordenadora do Centro Interuniversitário de História das Ciências e Tecnologia, o eclipse solar total de 1919 teve "uma coincidência incrível" que permitiu observar o encurvamento da luz causado pela deformação do espaço à volta do Sol tal como postulado por Einstein: por trás do Sol tapado pela Lua havia "um fundo de estrelas muito brilhante", o enxame estelar das Híadas.

A investigadora salienta que, apesar de "a questão do encurvamento" dos raios luminosos só ter ficado "completamente resolvida do ponto de vista experimental nos anos 60", foi graças aos resultados positivos das observações do eclipse solar total de 1919 que Albert Einstein "ganhou projeção" e se tornou numa "figura pública".

Cidade brasileira celebra centenário da confirmação da Teoria da Relatividade com ópera

Para celebrar o centenário do eclipse solar que comprovou a Teoria da Relatividade Geral, a cidade brasileira de Sobral, cujo céu foi palco daquele fenómeno natural, organizou uma ópera, em conjunto com São Tomé e Príncipe.

"O município de Sobral, juntamente com instituições científicas nacionais, universidades e instituições governamentais, têm preparado ao longo do ano de 2018 e 2019 um conjunto de iniciativas, (como) uma ópera internacional, que irá ser transmitida por um televisão dinamarquesa, com uma apresentação em tempo real de um grupo de estudantes de Sobral e da ilha do Príncipe", afirmou à agência Lusa o secretário da Educação de Sobral, Herbert Lima.

Com o tema “Gravidade”, a ópera abordará os 100 anos do eclipse, sendo que os alunos dos países envolvidos têm realizado videoconferências de forma a escreverem juntos a história principal da ópera, segundo a página da internet do município de Sobral.

O objetivo principal da iniciativa internacional é despertar nos estudantes o interesse pela ciência, através da música.

Realizar-se-á também uma conferência internacional, com cientistas provenientes da Europa, dos EUA, e de países da América Latina, como Chile e Argentina.

Na ilha do Príncipe, a Teoria da Relatividade vai ser tema de centro científico em antiga roça

O local onde se secava cacau e coco, na ilha são-tomense do Príncipe, vai transformar-se no Espaço Ciência e História Sundy, cuja inauguração será o ponto alto das comemorações dos 100 anos da validação da Teoria da Relatividade Geral, de Einstein.

O momento ocorre no próximo dia 29, exatamente 100 anos depois do eclipse solar de 29 de maio de 1919, durante o qual foi confirmada a Teoria da Relatividade Geral (1915), do físico Albert Einstein, na roça Sundy, na ilha do Príncipe, e no Sobral, no Brasil, por equipas de astrónomos liderados por Arthur Eddington.

É precisamente nesta roça que será inaugurado o Espaço Ciência e História Sundy, um momento que contará com a presença do Presidente da República português, Marcelo Rebelo de Sousa, que se associou a este evento.

O espaço pretende proporcionar aos visitantes “um conjunto de experiências interativas, em conexão com a Natureza”: segundo os organizadores, para se chegar lá, há que percorrer os Trilhos da Ciência, aliando “ciência, natureza e cultura local”, numa ilha que é reserva mundial da biosfera da UNESCO.

Ali será instalada “uma versão muito pequena de um interferómetro, que permitirá que os visitantes melhor compreendam a confirmação da Teoria de Einstein” e, no futuro, o espaço acolherá um planetário.


:arrow: https://24.sapo.pt/vida/artigos/lisboa-assinala-centenario-de-observacao-de-eclipse-solar-que-validou-teoria-da-relatividade-de-einstein
 

*

Cabeça de Martelo

  • Investigador
  • *****
  • 14890
  • Recebeu: 946 vez(es)
  • Enviou: 911 vez(es)
  • +146/-148
Re: Espaço
« Responder #1244 em: Maio 07, 2019, 10:51:52 am »
7. Todos os animais são iguais mas alguns são mais iguais que os outros.

 

 

Astrónomos captam sinal alienígena do espaço

Iniciado por Ricardo Nunes

Respostas: 2
Visualizações: 1578
Última mensagem Setembro 18, 2004, 11:44:45 am
por Luso